Revista Multiescolas 2020

Page 1



Sumário desta edição 26

18

4

Editorial

5

Especial

Mensagem do Diretor de Desenvolvimento Educacional, Pedro Antônio Hernández Ainda mais conectados

7

Ensino remoto

Ano foi marcado por novidades

10

12

Entrevista

José Motta Ensino mais conectado

Ensino 7º Fórum de Práticas Pedagógicas Propositivas

18

Homenagem Aos mestres, com carinho

19

Em Sala de Aula

O Brasil das Escolas da Ulbra

24

Live

25

Inovação

Educação, responsabilidade e empatia na quarentena Maratona criativa para lidar com a Covid-19

26

Projeto

Para crescer o gosto pela leitura

10 27

Esporte

Como os alunos mantiveram a prática na quarentena

28

Ensino bilíngue

Inglês na ponta da língua

29

05

29

Combate ao Coronavírus APP da Ulbra é aliado na prevenção à Covid-19

30

Confessionalidade Pense um pouco


4

Editorial

Pedro Antônio Gonzáles Hernández Diretor de Desenvolvimento Educacional

ESTAMOS PRONTOS PARA OS NOVOS DESAFIOS Chegamos ao último trimestre. Em breve, descerão as cortinas e o ano 2020 se despedirá de nós, em silêncio, por respeito para com as famílias que se defrontaram com o sofrimento gerado pela pandemia. Haverá, também, um sentimento de gratidão para com os professores, coordenadores e supervisores escolares, equipes técnico-administrativas, pais e mães que juntaram esforços para conduzir o processo de ensino dos nossos alunos e, a cada desafio, novas superações. Enquanto se zelava pela saúde da população, a comunidade acadêmica se reinventou sobre novas formas de convivência, de metodologias de ensino, de modelos de avaliação. A escola deixou de ser um prédio e passou a ser um conceito de integração de vários espaços, sem perder a sua missão e os seus objetivos. Com a chegada do ano 2021, certamente, novos desafios nos esperam. A Rede de Escolas da Ulbra está preparada para superá-los. Somos uma comunidade de aprendizagem eficaz e inovadora que deposita a sua esperança num Deus vivo, real, que nos sustenta. Teremos excelentes novidades vinculadas ao projeto pedagógico que contribuirão para que a educação dos nossos alunos seja de excelência. Reafirmamos, como grupo educacional, o compromisso para com os nossos alunos da garantia de uma aprendizagem sólida que lhes permita trilhar os futuros caminhos profissionais no Brasil e no mundo. Amados, que Deus lhes abençoe e proteja sempre. “O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza de seus sonhos" The future belongs to those who believe in the beauty of their dreams Eleanor Roosevelt 1884 - 1962

MANTENEDORA Aelbra - Educação Superior - Graduação e Pósgraduação S.A. Diretores Rogério Diolvan Malgarin Adilson Ratund Diretoria de Desenvolvimento Educacional Pedro Antônio Gonzáles Hernández - Diretor Núrfis dos Santos Vargas - Gerente de Políticas Pedagógicas - Educação Básica REDE DE ESCOLAS DA ULBRA Equipe Carin Kuchenbecker e Maria Helena Becker REVISTA MULTIESCOLAS Gerência de Comunicação e Marketing da Aelbra Daniela Dias Stiebe Coordenação de Imprensa e Conteúdo Rosa Maria Ignácio - MTb 5.785 Edição Marla Cardoso - MTb 13.219 Reportagem e Fotos Marla Cardoso - MTb 13.219 Thamiriz Amado - MTb 18.872 Marcelo Miranda - MTb 6.824 Imagens GettyImagens Estagiários de Jornalismo da Ulbra: Bruno Laux, Emily Ebert, Juliana Agnes, Mariane Vera, Mairan Pacheco e Naira Nunes Revisão Gabriela Bastos Cipriano Planejamento Gráfico Carine Mello Impressão Posigraf

A Revista MULTIESCOLAS é editada pela Gerência de Comunicação e Marketing da Aelbra - Educação Superior - Graduação e Pósgraduação S.A. Gerência de Comunicação e Marketing

Av. Farroupilha, 8.001 - Prédio 10, 4º andar, sala 409 CEP 92425-900 - Bairro São José - Canoas - RS - Brasil (51) 3477.9234 comunicacaoemarketing@ulbra.br issuu.com/ulbra - www.ulbra.br/escolas


Especial

5

AINDA MAIS CONECTADOS Quando a Direção da Rede de Escolas se reuniu no final de 2019, como de costume, para definir o Eixo Norteador do ano que estava por vir, não imaginava que 2020 seria marcado por uma pandemia. Sem saber que, a partir de março, professores e alunos passariam a se encontrar apenas de forma remota, os dirigentes elegeram como tema que conduziria as atividades da Rede ao longo de todo o ano letivo a frase Educação: conectando vidas. “Sempre víamos os alunos muito conectados com pessoas de longe através do celular e desconectadas com as de perto. A proposta era que eles pudessem se mostrar mais presentes na vida do outro, em atividades sociais”, lembra a coordenadora da Educação Básica da Ulbra, Carin Borkert Kuchenbecker. A conectividade pensada para o eixo, como recorda o capelão geral da Aelbra, Maximiliano Wolfgramm Silva, ao mesmo tempo que buscava valorizar a tecnologia como meio de construção do conhecimento, como prevê a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), entendia que era importante a valorização da interação social que não necessariamente acontece ou é mediada por dispositivos tecnológicos. “A relação social que acontece no encontro na escola, na conversa na hora do intervalo, nas atividades nos laboratórios, nas festividades, foi o que buscamos reconhecer com essa proposta”, recorda o pastor. Mas aí veio o isolamento social e, com ele, o Eixo Norteador ganhou outro foco. Impossibilitados

do contato presencial, professores e estudantes se conectaram remotamente para as aulas e não demorou para que sentissem falta do contato olho no olho do dia a dia escolar. “O indivíduo tem várias demandas e uma das delas é o toque, o abraço, porque nos remete a conforto e proteção”, acrescentou Silva. Mesmo com o distanciamento físico, os professores não deixaram de se nortear pelo eixo. Pelo contrário, aproveitaram o Conectando Vidas em cada atividade escolar, demonstrando que buscar a conexão com o outro nunca fez tanto sentido. REENCONTRO COM A ESCOLA No Colégio Ulbra Cristo Salvador, no mês de julho, por exemplo, um drive-thru solidário levou os alunos e seus familiares para dentro da escola em uma ação social. "Os estudantes levaram cartas para os profissionais de saúde e depositaram no correio da escola. Em troca, ganharam máscaras", recorda a diretora do colégio, Adriani Souza de Almeida. As mensagens de apoio para médicos e enfermeiros que trabalham no enfrentamento à COVID-19 foram entregues no hospital regional de Santarém, instituição referência no atendimento à doença no Pará. Em outro momento, no mês de outubro, um drivein levou novamente as crianças a se encontrarem com a escola. Com o mote A Alegria nos Conecta, o evento promoveu apresentações para os alunos com os professores usando fantasias de personagens de


6

Especial

contos de fada. "Houve contação de histórias e as famílias aproveitaram para prestigiar. Foi mais um momento para conectar vidas", lembrou a diretora. Para o supervisor escolar, Maikel Nascimento da Educação Infantil e Anos Iniciais do Colégio Ulbra São João, nunca um Eixo Norteador fez tanto sentido quanto o deste ano. “Todas as atividades que realizamos, mesmo na pandemia, foram com essa abordagem”, lembrou. Entre as atividades realizadas, o supervisor lembra do Drive das Emoções. “Os alunos já estavam com saudades dos professores e promovemos um drive para fazer a entrega das apostilas com o tema das emoções”, explica. À medida que os carros iam passando para receber o material, os alunos iam entregando mensagens para os professores expressando o que estavam sentindo com o reencontro com a escola. “Também promovemos o Dia da Família Online, reunindo as famílias em uma gincana e, no encerramento do ano, o projeto Vamos te Contar uma História, da Educação Infantil e do 1º ano, que trouxe o tema Longes na Quarentena, mas conectados pelo coração, onde contaram a história de tudo que viveram na pandemia”, sinalizou. EIXO INSPIROU LIVRO No Colégio Ulbra São Paulo, o Eixo Norteador Educação: Conectando Vidas inspirou o projeto de encerramento do 4º bimestre do Ensino Fundamental séries iniciais - 5º ano. A iniciativa já é tradicional na escola, ocorre há 20 anos, mas, neste ano, os estudantes escreveram textos inspirados no eixo e os materiais foram editados com orientação da professora Tálita Maiume de Oliveira Geraldo para compor o livro Conectando Vidas, que foi entregue no evento Manhã de Autógrafos.

“Como este ano não podemos realizar o evento na íntegra, fizemos a entrega do livro no sistema drive-thru”, adiantou a diretora do colégio, Coset Marques Araújo. A dirigente conta que, mesmo com o isolamento, os estudantes permaneceram conectados o tempo todo ao longo do ano e é sobre essa experiência que os alunos escreveram nessa obra. “Sob o olhar atento dos nossos jovens escritores, o livro relata as relações e conexões dos seres viventes”, completou.

CONEXÃO EM OUTRO IDIOMA Não foi só em português que os estudantes se conectaram durante a pandemia. No Colégio Ulbra Palmas, o projeto Italk - International talk about language knowledge - foi criado na disciplina de Língua Inglesa para que estudantes do 8º ano ao Ensino Médio tivessem mais experiência com o inglês e com falantes nativos, além de proporcionar que os jovens conhecessem profissões que despertassem a sua curiosidade. O professor da disciplina, Marcelo Savitski, conta que a proposta começou com um pedido seu para que os estudantes listassem suas áreas profissionais de interesse. “A partir daí, buscamos profissionais dessas áreas para os encontros online. A primeira entrevista foi com um cidadão americano. Os alunos conversaram sobre a cultura americana, a experiência de viver nos Estados Unidos, política e economia”, recorda. Os encontros seguintes receberam para um bate-papo em inglês um economista investidor da bolsa de valores, falando como investir, e um especialista com doutorado em Fonética, entre outros convidados. “Nossa intenção foi proporcionar uma experiência de internacionalização do estudo, para abrir os horizontes, mostrar novas oportunidades de emprego, novas profissões, além de colocar o inglês em prática”, completou Savitski.


Ensino Remoto 7

ANO DE NOVIDADE PARA O ENSINO A tarefa de ensinar a distância imposta pela pandemia ao longo de 2020 trouxe a confirmação de um novo aliado no início do segundo semestre. Quando a gerência de Políticas Pedagógicas - Educação Básica confirmou que as suas unidades passariam a contar com a mesma plataforma de aprendizagem utilizada pelos acadêmicos da Universidade Luterana do Brasil, o Aula. A adoção do sistema, para os alunos do Ensino Fundamental (1º ao 9º ano), Médio e Profissional, permitiu uma maior integração entre os estudantes e os docentes, além de trazer ferramentas importantes do Google for Education. Segundo a Gerente de Políticas Pedagógicas - Educação Básica, Núrfis dos Santos Vargas, a pandemia da COVID-19 acabou acelerando a introdução de algumas tecnologias no ensino básico, principalmente nas escolas privadas. "Isso auxiliou na quebra de paradigmas e preconceitos que ainda existiam numa parcela da comunidade escolar, em relação à utilização, com qualidade, das tecnologias na educação." A partir disso, a Rede de Escolas apostou numa ampla capacitação e "desafiou os professores a proporem um ensino remoto intencional, focado na aprendizagem e não na ensinagem, com embasamento nas metodologias ativas e na Base Nacional Comum Curricular (BNCC)", conta a gestora.

ótima integração com as ferramentas do Google for Education, o que facilita o seu dia a dia de trabalho. "É um ambiente muito prático e intuitivo. Se tornou fácil interagir com ele porque já estamos usando o Drive, o Classroom, o Forms... E o Aula é uma espécie de união dessas ferramentas, então eu achei sensacional", contou o docente, que leciona para alunos do Ensino Médio do Colégio Ulbra Cristo Redentor. ADAPTAÇÃO DA ROTINA Antes mesmo de começar a contar com a novidade, os professores das escolas da Ulbra já encontravam soluções criativas para manter o interesse dos alunos nas aulas e também dar praticidade às suas atividades. "Como sou professora dos anos iniciais, e sabendo da importância do lúdico nessa faixa etária, busquei tornar minhas aulas mais dinâmicas e alegres, evidenciando esse aspecto da ludicidade", contou Elisangela, que já realizava encontros online com a sua turma e enviava vídeos com orientações. Ela também criou uma personagem que auxilia e incentiva os alunos a manterem a alegria pela vida e o prazer em aprender e criar. Ela se chama Palhacinha Flor.

EXPERIÊNCIA NA NOVA PLATAFORMA Os contatos com o Aula trouxeram avaliações positivas dos docentes. "Percebo que ela se configura em um Ambiente Virtual de Aprendizagem completo e muito claro, possibilitando um acesso tranquilo aos alunos e professores, além de favorecer e propiciar uma interação mais efetiva através dos fóruns", observou a professora Elisangela da Silva, que dá aulas para o 1º ano do Ensino Fundamental no Colégio Ulbra São João. Já o professor de Física, Douglas Krüger, considera que a plataforma se destaca por ter uma

Douglas também buscou investir em um ambiente de trabalho mais atrativo e que facilitasse a visualização nas transmissões. "Eu precisei transformar meu quarto em um estúdio de produção de aulas virtuais. Mudei a iluminação da escrivaninha, comprei uma cadeira gamer, pois estava usando um banquinho. A minha melhor aquisição foi uma mesa digitalizadora, logo no início da paralisação das aulas presenciais. Tudo isso otimizou muito o meu trabalho, deixando mais organizado, bonito e criativo", apontou o docente.


8

Live

LIVES APROXIMARAM COMUNIDADE ESCOLAR Desde o início da pandemia do novo Coronavírus, em março de 2020, com as medidas de isolamento social, atividades como palestras e encontros presenciais foram substituídas pelos canais virtuais. Uma das maneiras encontradas pela Rede de Escolas para se manter próxima do aluno e de seus familiares foi a realização de lives com a transmissão através da página do Facebook da Rede. A excelência no atendimento com um olhar multifocal foi um dos temas dos bate-papos online

que ocorreram ao longo do ano. O encontro aconteceu no dia 24 de setembro e foi aberto pelo capelão geral da Aelbra, Maximiliano Wolfgramm Silva, responsável por transmitir uma mensagem sobre fé, amor de Deus e esperança. “Como nosso pai, que tem um amor exigente, ele quer direcionar a nossa vida para que nós possamos, a partir das palavras daquele que nos conhece melhor do que nós mesmos, termos plenitude de vida’’, falou.

A convidada especial do evento foi a psicopedagoga, especialista na teoria da inteligência multifocal e gerente de Marketing da Escola da Inteligência, Maria Rita Gullo. Com 14 anos de experiência na área da educação, a profissional iniciou sua fala dando ênfase aos atendimentos realizados pela Instituição no ano de 2019. “Foram milhares de vidas impactadas, assim como foram milhares de chances de fazer algo diferente no atendimento e milhares de vezes em que poderíamos ter feito algo importante por alguém”, destacou. Maria Rita frisou, em sua apresentação, que sempre podemos acreditar que o mundo é construído por pessoas de bem, que querem o bem e que conseguem fazer a diferença, principalmente quando falamos sobre educação. Deixou, também, alguns questionamentos. “Quando a gente olha nessa esperança e nessa perspectiva de um mundo melhor, como que a gente consegue permanecer com esse olhar quando nos deparamos com o cenário atual? Como conseguimos nos manter resilientes?”, questionou. Ao focar especificamente na criança, a especialista apontou que estão na fase de explorar o mundo e precisam ser adequadamente estimuladas, bem como aprender a lidar e nomear as emoções através de um espaço de acolhimento e favorável ao seu desenvolvimento. “O papel do atendimento, que sabe como chegar na família de forma correta para que ela se sinta segura em depositar o seu bem mais precioso naquela instituição, é fundamental para fazer com que os familiares se integrem e sejam parte da escola. Para que aquele lugar em que levaram o filho seja um espaço significativo”, completou. Para ver ou rever a live com Maria Rita Gullo, da Escola da Inteligência, acesse o Facebook da Rede de Escolas - www.facebook.com/rededeescolas



10

Entrevista

José Motta Filho:

ENSINO MAIS CONECTADO

Especialista desenvolve estudos relacionados ao uso de tecnologias para otimizar a aprendizagem Antes mesmo do Brasil e do mundo entrarem em isolamento social e das aulas migrarem para o ensino remoto por conta da pandemia do novo Coronavírus, em fevereiro de 2020, a Rede de Escolas já debatia justamente o uso de tecnologias para otimizar a aprendizagem. O tema integrou a 11ª edição do tradicional Encontro de Professores e Funcionários, que recebeu, no auditório da Ulbra Canoas, o professor José Motta Filho. Conhecido nacionalmente por seus estudos relacionados à evolução do ensino, o especialista falou sobre a Educação 5.0 e a necessidade de promover um ensino mais conectado aos alunos nascidos a partir de 2010. De acordo com Motta, os indivíduos da chamada Geração Alpha vivem em um mundo altamente rápido, conectado e com diversas tecnologias que entregam novos produtos e serviços. "Com tantos ingredientes, fica claro que os professores

e as instituições de ensino precisam se apropriar de elementos de vanguarda no que se refere às estratégias e métodos de entrega do conteúdo e interação entre os atores do ecossistema escolar: professores-alunosescola", observa.

Em entrevista exclusiva à REVISTA MULTIESCOLAS, o professor falou sobre o tema. O que é a Educação 5.0 e qual o papel de professores e alunos neste processo? José Motta Filho - Na Educação 5.0 há uma reviravolta quanto à atuação de professores e alunos em sala de aula. Diante dessa nova perspectiva, cabe ao professor ser o mediador, o facilitador, o orientador do processo. Ele deixa de ser o ator principal, diminuindo o excesso de exposições verbais, slides em Power Point e quadros e mais quadros de giz


Entrevista

11

e canetões. Já ao aluno, cabe a construção do seu próprio conhecimento e um maior protagonismo. Com isso, o ambiente da sala de aula torna-se mais colaborativo e barulhento. Pesquisas, pensamento crítico e criativo são realmente vivos nesse processo. Se mediados por alguma tecnologia, os resultados podem ser surpreendentes. Qual o papel da tecnologia no processo didático nesse modelo? José Motta Filho - A tecnologia precisa ser o meio e não o fim do processo didático para a aprendizagem. Não há dúvidas sobre usar ou não a tecnologia como aliada para a educação. Porém, somente ela não basta. Ingredientes humanos devem prevalecer na relação entre alunos e professores. E, com a dose certa de tecnologias inovadoras, a mágica acontecerá. Em que medida a internet pode colaborar para a distribuição de conteúdo? José Motta Filho - Com o advento da internet 5G, a distribuição de conteúdos em larga escala é algo que tende a ocorrer com maior rapidez. É impossível que os grupos de ensino não considerem esse novo fator em suas estratégias e planejamentos a médio e longo prazo. Quem tiver visão curta ou distorcida em relação a esse tema, será consumido pelo Darwinismo Educacional: somente quem se adaptar ao meio sobreviverá como player na esfera educacional.

o ensino do presente e do futuro. Em um mundo exponencial e hiperconectado, apenas uma boa exposição de conteúdos ao longo de um semestre, ou ao longo de 200 dias letivos, não se sustenta mais. Outros elementos precisam ser incorporados no âmbito da sala de aula. E isso é fato diante do fenômeno de evasão e desinteresse de alunos nas mais diversas instituições de ensino. E o que o senhor pensa sobre o ensino a distância? José Motta Filho - Há dúvidas em relação às aulas no formato 100% EAD, sem a presença física na escola, sem a interação física com os colegas e os professores. Essas dúvidas se devem tanto à eficiência desse formato quanto ao desenvolvimento das competências socioemocionais, soft skills ou habilidades e atitudes para o mundo do trabalho. Em um mundo onde as organizações contratam e preferem “pessoas que saibam lidar com pessoas", a educação com seres humanos afastados fisicamente talvez não funcione tão bem. Outra modalidade atual é o ensino híbrido. O senhor acredita nesse modelo para a aprendizagem?

Qual a visão do senhor sobre as Tecnologias Educacionais Emergentes (Edtechs)? José Motta Filho - As Edtechs não substituirão

José Motta Filho - O blended learning ou ensino híbrido é a grande tendência mundial. Um misto de online, offline e seres humanos interagindo no espaço físico da escola. Certamente os alunos não precisam de um professor falando e orientando o tempo todo da carga horária de um curso. E, também, a inexistência do contato com os professores e colegas não prepara plenamente. Portanto, essa boa mistura de tecnologia e inspiração humana é um caminho certo a ser trilhado.


12 Ensino

7º FÓRUM DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PROPOSITIVAS: Despertar a curiosidade dos estudantes, a empatia e a resolução de problemas. É com este olhar que os professores da Rede de Escolas da Ulbra propõem, anualmente, uma série de atividades pedagógicas para a formação de seus alunos. A dedicação é reconhecida no Fórum das Práticas Pedagógicas Propositivas, que chegou à 7ª edição, avaliando as propostas desenvolvidas ao longo do ano de 2020. Em meio à pandemia, o Fórum ocorreu de forma remota, nos dias 20, 22, 26 e 28 de outubro, com os docentes compartilhando as práticas pedagógicas promovidas em suas unidades. A intenção é que os projetos colaborem para o desenvolvimento dos estudantes de forma integral. Ao todo, 27 projetos foram inscritos na Educação Infantil, Ensino Fundamental Anos Iniciais, Ensino Fundamental Anos Finais e Ensino Médio. Destes, 10 foram considerados destaque do ano pela comissão avaliadora do Fórum. Entre os vencedores, estão projetos que incentivam a autonomia das crianças, que estudam a história das personalidades femininas, aulas utilizando práticas de gamificação, práticas focadas no meio ambiente, estímulo à leitura, aprimoramento da língua inglesa, produção de podcast, atividades que envolvessem as famílias, entre outros. Os projetos são resultado da busca pela excelência na formação das crianças e jovens alunos atendidos pela Rede de Educação Básica.


Ensino 13

PROJETOS DESTACADOS PELA BANCA AVALIADORA/PARES EDUCAÇÃO INFANTIL

COMISSÃO ORGANIZADORA

Chapeuzinho Vermelho Colégio Ulbra Martinho Lutero Bichinhos de Jardim! O Que Fazem Aí? Colégio Ulbra Cristo Redentor

Núrfis dos Santos Vargas Carin Kuchenbecker Maria Helena Becker

BANCA DE AVALIADORES ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS INICIAIS Construindo com a Flor Colégio Ulbra São João Personalidades Femininas Colégio Ulbra São João

ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS FINAIS BFF Week Colégio Ulbra São Pedro De Clássico em Clássico Escola Especial Ulbra Concórdia Aulas de Geografia e História Utilizando Práticas de Gamificação Colégio Ulbra São João

ENSINO MÉDIO Podcasts nas Aulas de Geografia Colégio Ulbra São Lucas História Visual: mapas mentais Escola Especial Ulbra Concórdia Laboratório Maluco na Casa do “Sor” Colégio Ulbra Cristo Redentor

Profª Esp. Jane Konrad Profº Me. Orlando de Carvalho Profª. Dra. Cláudia Groenwald Profª Ma. Lisandra Sandri Profª Ma. Mara Lúcia Salazar Profª Ma. Juliane Maria Puhl Gomes Profª Ma. Rosemeri Marques Gomes Cutruneo Profª Ma. Lisiane Gazola Santos Profª. Dra. Juliana Vargas Profª. Dra. Darlize de Mello Profª Ma. Luciana Peixoto Cordeiro Profª Ma. Rozimeri Pereira Ranzolin Profª. Dra. Bianca Salazar


14 Ensino EDUCAÇÃO INFANTIL Projeto: Chapeuzinho Vermelho Colégio Ulbra Martinho Lutero Autora: Professora Graziele Stoll Müler

Assim, os momentos ao ar livre, eram cheios de surpresas, correndo atrás das borboletas, querendo saber onde as formigas estavam indo, fazendo muitos questionamentos, demonstrando cada vez mais interesse. Construir conhecimentos sobre o universo do jardim e os bichos que o compõem, envolvendo a prática de observação, comparação de um jardim e do terrário construído pelo grupo e cuidados com o mesmo. ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS INICIAIS Projeto: Construindo com a Flor Colégio Ulbra São João Autora: Professora Elisângela da Silva Pereira

Apresentação do livro Chapeuzinho Vermelho através de vídeo e leitura em família. Desenvolvimento de atividades lúdicas e construção de personagens usando formas geométricas, assim como dinâmicas para identificar os cinco sentidos. Execução de brincadeiras antigas e aproximação dos familiares e também uma visitação segura da professora aos alunos como Chapeuzinho Vermelho.

Construindo com a Flor traz como personagem principal a “palhaça Flor”, interpretada pela professora Elisângela que, através das aulas, apresenta vídeos, jogos, histórias e brincadeiras, valorizando o lúdico. Para as atividades propostas, foram utilizados materiais reutilizáveis e de fácil acesso, incentivando a autonomia da criança para usar sua criatividade.

Projeto: Bichinhos de Jardim! O Que Fazem Aí? Colégio Ulbra Cristo Redentor Autora: Professora Malaine Andrade O projeto surgiu a partir da curiosidade e fascínio pelo jardim da escola, por ser um espaço que, além de bonito, é vivo, cheio de plantas e povoado por formigas, minhocas, borboletas e outros bichos.

Projeto: Personalidades Femininas Colégio Ulbra São João Autora: Professora Sabrina Ribeiro Estudar o contexto histórico das personalidades femininas é de extrema importância, considerando que, muitas vezes, nos livros didáticos e nas notícias são apresentados ou destacados, em sua maioria, as personalidades masculinas. Tendo por base o livro e teatro virtual de Malala Yousafzai, os alunos


Ensino 15 escolheram uma personalidade feminina na qual tinham interesse e fizeram uma pesquisa detalhada sobre a vida e os fatos que tornam ela uma figura importante. Os estudantes apresentaram suas escolhas através da plataforma de vídeo-chamada.

ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS FINAIS

nativos e brasileiros com vivências no exterior. A ação oportunizou a interação em inglês, ao vivo. Projeto: De clássico em clássico Escola Especial Ulbra Concórdia Autora: Professora Juliane Nunes O projeto partiu da observação da necessidade de contextualização das histórias infantis clássicas, de acordo com a mensagem atual do mundo. Os livros clássicos trabalhados foram Chapeuzinho Vermelho, Os Três Porquinhos, Pinóquio, João e Maria e O Mágico de Oz. Todos apresentados a partir do livro e contados em Língua Brasileira de Sinais (Libras). Os alunos foram convidados a pesquisar releituras da história na internet, produzir a ficha de personagens, explorando a imaginação referente às características de cada personagem, além da promoção de um seminário expositivo sobre a solução de problemas levantados sobre a história.

Projeto: BFF Week Colégio Ulbra São Pedro Autores: Professores Flaviani da Cunha, Kyria Martins e Luan Figueiredo Nunes Adaptação de um projeto anterior, BFF Day, o BFF Week se tornou um evento online e mundial - com a presença ao vivo de sete pessoas de cinco países diferentes e dos amigos de alunos como convidados. O objetivo principal foi criar um canal online para os estudantes demonstrarem aos seus melhores amigos como as aulas virtuais funcionam e ainda apresentar uma das abordagens praticadas dentro do ensino da Língua Inglesa, a presença de falantes

Projeto: Aulas de Geografia e História Utilizando Práticas de Gamificação Colégio Ulbra São João Autora: Professora Maria Izabel Minuzzo Schonardie Utilização de tecnologias digitais de comunicação e informação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética. O projeto Aulas de Geografia e História Utilizando Práticas de Gamificação traz a gamificação como meio de aprendizagem com uso de dinâmicas de jogos para engajar, resolver problemas e melhorar o aprendizado, motivando ações e comportamentos em ambientes fora do contexto de jogos e compondo


16 Ensino vários estilos de aprendizado como o visual, auditivo e cinestésico nas aulas de Geografia e História. Para a aplicação dessa metodologia ativa, foram utilizados os softwares: Socrative, Quizlet, Padlet, Google Apps, Jogos Hoplitas - A Falange Grega, Tempos de Guerra - War Thunder, Kahoot, Voki e Jogo War. A proposta desenvolveu nos estudantes competências como raciocínio lógico, trabalho em equipe, tomadas de decisões e a capacidade de completar a tarefa atingindo as suas metas. Ao utilizar técnicas de gamificação, o aluno vivenciou o aprendizado com o uso das metodologias ativas, tornando-se o protagonista do seu processo de aprendizagem.

antiglobalização, one belt, one road, os avanços dos meios de comunicação e a globalização, xenofobia no mundo globalizado, os excluídos da globalização, entre outros. A proposta começou com uma aula explicativa sobre o que é um podcast e como produzi-lo. Em seguida, os grupos para a gravação EAD foram divididos. O material foi gravado de forma online e disponibilizado para avaliação do professor. Os podcasts gravados foram apresentados em aula remota como se fosse um programa de rádio, utilizando de tecnologias digitais de comunicação e informação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética. Projeto: História Visual: mapas mentais Escola Especial Ulbra Concórdia Autora: Katherine Carol Halberstadt

ENSINO MÉDIO Projeto: Podcasts nas Aulas de Geografia Colégio Ulbra São Lucas Autor: Professor Eduardo Chueiry Ferreira Produção de podcasts educativos referentes a temas relacionados à geografia, como poder e influência da mídia, transnacionais e a globalização, movimentos

Após observar a necessidade de sistematização de conteúdo de uma forma mais visual, principalmente no caso de alunos surdos do 1º ao 3º anos, o projeto História Visual: mapas mentais, propõe conteúdos com um misto de frases e desenhos icônicos do material trabalhado em sala de aula. O objetivo é sistematizar os conteúdos trabalhados, organizar a aprendizagem, proporcionar memorização e visualização dos principais conceitos trabalhados, criar esquemas com ligações de informações ou acontecimentos, além de oportunizar a aprendizagem dos conteúdos históricos a partir de metodologias ativas. A intenção é facilitar a memorização e melhor visualização do conteúdo, criando ligações com os acontecimentos. Os mapas são ligados a conteúdos históricos, mas também na transversalidade de diversos conhecimentos.


Ensino 17 Projeto: Laboratório Maluco na Casa do "Sor" Colégio Ulbra Cristo Redentor Autor: Romulo Fraga de Oliveira Em meio à pandemia e ao isolamento social, os professores desenvolveram uma série de metodologias para que os alunos seguissem com motivação para dar continuidade aos estudos. Foi assim que surgiu a ideia da criação de um “mini laboratório” para fazer aulas experimentais em casa. Mas não um laboratório tradicional, apenas com ensaios e explicações. Foi então que surgiram as experiências animadas. Sendo o humor um excelente método para obter a simpatia dos estudantes, ele foi a chave para o projeto. Em um dos encontros, para o segundo ano do Ensino Médio, o professor iniciou a aula dizendo que estava estressado e perguntou para os alunos o que faziam para se acalmar nesse momento de isolamento. Quando iam começar a falar, o professor pegou nota falsa de um dólar e ateou fogo. A maioria começou a abrir as câmeras e perguntar o que estava acontecendo. O

professor respondeu: “eu tenho dólares, posso colocar fogo e faço isso para relaxar!” Depois, solicitou para irem até a página do livro onde havia a experiência do papel que não queima e foi exposto o fenômeno apresentado. Foi essa forma que o docente encontrou para explicar o método da combustão, porque não queimava o papel, questões termoquímicas e processos tecnológicos envolvidos.

TRÊS ESCOLAS TERÃO ALFABETIZAÇÃO BILÍNGUE EM 2021 A partir de 2021, o Colégio Ulbra Cristo Redentor, o Colégio Ulbra São Pedro e o Colégio Ulbra Palmas terão turno integral com alfabetização bilíngue, desde as primeiras letras. O aluno aprenderá a ler, escrever, pensar e falar em português e inglês em uma aprendizagem transformadora e criativa. Os pais que matricularem seus filhos no 1º ano do Ensino Fundamental nessas escolas poderão optar pelo turno integral com alfabetização bilíngue, explica a gerente de Políticas Pedagógicas - Educação Básica da Ulbra, Núrfis dos Santos Vargas. Segundo ela, no turno com a imersão na língua estrangeira serão trabalhados os conteúdos das diferentes áreas de conhecimento em língua inglesa. "A proposta é a de que os estudantes tenham a experimentação da língua inglesa de forma

imersiva, o que os levará a ler, escrever, compreender e expressar seus pensamentos usando essa língua adicional", enfatiza Núrfis. As habilidades dos alunos serão trabalhadas em projetos transdisciplinares, com diretrizes de investigação, colaboração, exposição e experimentação, tendo, assim, um processo de aprendizagem diferenciado. Em 2022, enquanto essas escolas ampliam o turno integral em língua inglesa para o 2º ano do Ensino Fundamental, as demais unidades irão implantar a alfabetização bilíngue no 1º ano.


18 Ensino

AOS MESTRES, COM CARINHO Dia dos Professores foi marcado por homenagens nas escolas da Rede da Ulbra O Dia dos Professores é todos os dias. Não faltam motivos para agradecer a dedicação desses profissionais. Seja na sala de aula presencial ou remota. Em 2020, mesmo que o 15 de outubro tenha sido celebrado longe das escolas, diversas programações foram preparadas para homenageálos. Dia 8 de outubro, no Colégio Ulbra São João, ao ar livre e respeitando as medidas de segurança, os professores da Educação Infantil ao Ensino Médio tiveram atividades de dança, além de receber um momento de reflexão da Pastoral sobre a batalha e reinvenção que eles abraçaram na pandemia. Também, alunos foram selecionados para prestar seus agradecimentos aos mestres através de um vídeo.

lembrancinhas e doces para os professores, o evento contou com música. Dia 15, no Colégio Ulbra Cristo Redentor, em um drive-thru organizado no estacionamento da escola, os professores encontraram placas de trânsito que remetiam às emoções negativas que foram, muitas vezes, despertadas pelo contexto de isolamento social. Em contrapartida, a equipe que estava presente no local segurava uma placa de incentivo às situações apontadas no caminho que seus carros tiveram de percorrer.

A equipe ainda organizou um pódio para os professores, que passaram por um tapete vermelho e tiraram fotos com o troféu e uma champanhe. Já no Colégio Ulbra São Lucas, a noite de 15 de outubro foi de música. A escola promoveu um drive-in para os educadores, trazendo o grupo Roda de Samba dos Amigos para se apresentar no pátio.

No dia 9, vestidos de super-heróis, alguns integrantes da equipe diretiva do Colégio Ulbra Martinho Lutero conduziram a homenagem em formato de drive-thru. Cartazes feitos por alunos, faixas de agradecimento e lembrancinhas confeccionadas para a data fizeram parte do evento. Cada professor teve a liberdade de escolher um horário de sua preferência para ir à escola. Lá, acompanhou um tour pelas mensagens e recebeu o mimo.

CARINHO E EMOÇÃO No Colégio Ulbra São Pedro, no dia 14, o modelo de drive também foi adotado. Além de oferecer

Os professores apreciaram o show de dentro de seus carros, respeitando as normas de distanciamento social. Também foram distribuídos pipoca e refrigerante e, no fim do evento, cada um ganhou da instituição uma bolsa térmica e um livro.


Em Sala de Aula 19

O Brasil das Escolas da Ulbra

canudo dos professores. “Eles fizeram um corredor e os formandos passavam pelo meio”, lembrou a supervisora, Jane Kulmann.

Conheça alguns projetos realizados nos colégios da Rede COLÉGIO ULBRA SÃO JOÃO, A proximidade com os familiares dos estudantes é uma tradição no Colégio Ulbra São João, de Canoas/ RS. Tanto que a Instituição é carinhosamente apelidada pelas famílias como Escola do Coração. Considerando esse contato muito importante foi que o Colégio resolveu criar, durante a pandemia, o projeto Dia da Família Online. Em função do isolamento

social não ter permitido a comemoração de datas como o Dia das Mães e dos Pais, o São João resolveu celebrar o Dia da Família. O evento ocorreu no dia 17 de agosto e contou com uma gincana online, onde cada professor pensou em atividades que os alunos pudessem exercer junto com seus familiares de forma remota.

COLÉGIO ULBRA MARTINHO LUTERO Em 2020, a turma do 1º ano do Colégio Ulbra Martinho Lutero, de Guaíba/RS, participou do projeto Receitas do Coração. As crianças escolheram a sua receita preferida para preparar em casa e encaminhar para a professora junto com uma foto. Todas foram organizadas em um grande caderno da turma, o Receitas do Coração. Durante o projeto, também foi realizada a receita de um bolo de cenoura em uma das aulas online. A professora Bruna de Freitas contou que a atividade ganhou vida após a realização do capítulo de mesmo assunto do livro didático da Escola. “Cada um na sua cozinha, com seus ingredientes e utensílios, porém conectados pelo coração”, afirmou.

COLÉGIO ULBRA SÃO PEDRO A formatura é um momento aguardado pelos estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental e do 3º ano do Ensino Médio. Valorizando isso, já é tradicional no Colégio Ulbra São Pedro, de Cachoeira do Sul/RS, a Festa dos 100 Dias, que marca a proximidade com a conclusão de mais uma etapa escolar. Neste ano, em função da pandemia, foi preciso reinventar. No formato de drive-in, dia 9 de setembro, os alunos foram até a Escola nos carros de seus familiares e receberam homenagens. Quando era chamado, depois de passar por um tapete vermelho, recebia um

COLÉGIO ULBRA CRISTO REDENTOR Com o objetivo de fazer os alunos conhecerem diferentes tipos de moradias, a Educação Infantil do Colégio Ulbra Cristo Redentor, de Canoas/RS, realizou o projeto Lar, Meu Doce Lar!. A professora Eliane Piran contou que foram utilizados livros de literatura


20

Em Sala de Aula

para despertar o interesse das crianças. Em sala, tiveram materiais disponíveis para escolher e construir cabanas. Foram confeccionados jogos de bingo e memória para explorar os tipos de moradia. Os alunos ainda tiveram a tarde das barraquinhas, construídas com lençóis. E, por fim, a oportunidade de receber a visita de uma engenheira civil, que explicou o que era uma planta. O projeto foi encerrado em novembro de 2019, antes da pandemia.

COLÉGIO ULBRA SÃO LUCAS Para dar continuidade às aulas de Educação Tecnológica, o Colégio Ulbra São Lucas, de Sapucaia do Sul/RS, seguiu com um projeto que visa ao uso do Scratch e Open Roberta Lab como auxílio à aprendizagem da Matemática. Os alunos do 7º ao 9º ano do Ensino Fundamental, conduzidos pela professora Joseane Lucas, passaram a trabalhar nas plataformas, criando a programação sem precisar fazer a montagem física do robô. Entre as atividades, foi feita a construção de polígonos regulares, jogos e animações. Na iniciativa, um dos alunos compartilha a tela fazendo a programação, criação e desafios de forma colaborativa, com a participação de toda a turma.

ESCOLA ESPECIAL ULBRA CONCÓRDIA Desde o início da pandemia, a Escola Especial Ulbra Concórdia, de Porto Alegre/RS, foi desafiada a romper a barreira do ensino remoto para manter a qualidade da aprendizagem com o uso da Língua de Sinais (Libras). Para facilitar o acesso à comunicação, alunos do 2º e 3º ano do Ensino Médio desenvolveram o aplicativo ONLibras. De acordo com o capelão da escola e professor de Ensino Religioso, Adilson Magedans, o projeto visa incluir vídeos de diversas disciplinas para que surdos e ouvintes possam estudar. “Os vídeos são postados na plataforma para que continuamente tenhamos novos conteúdos, desde biologia, português, educação física a curiosidades”, destacou. COLÉGIO ULBRA ANTARES O Colégio Ulbra Antares, de Goiatuba/GO, realiza o projeto Profissões dos Sonhos, voltado para os alunos do Ensino Médio. A professora Aline Oliveira explica que o intuito é mostrar para os estudantes como pessoas da comunidade, em especial os exalunos, conseguiram chegar à profissão dos sonhos. “A principal ideia é mostrar o leque de oportunidades, que cada um tem o seu tempo e que a nossa Escola está ali para apoiá-los em suas decisões”, explicou. Para a realização do projeto, foi feita uma coleta de dados com todos os alunos sobre a profissão dos sonhos de cada um. Uma planilha foi montada com as profissões e profissionais foram convidados para falar com as turmas.


Em Sala de Aula COLÉGIO ULBRA PALMAS A geopolítica mundial vem sendo trabalhada de forma lúdica no Ensino Fundamental II e Ensino Médio pela professora Sônia Caires do Colégio Ulbra Palmas/ TO. Como a disciplina prevê o aprendizado sobre todos os Continentes e seus países, a docente tem ido além da teoria. As aulas foram ambientadas de acordo com a nação estudada. “Eles são orientados a fazer pesquisas sobre a cultura, culinária, trajes típicos e história. Transporta o aluno para um país que não conhece”, explicou a professora, que também entra no clima da caracterização.

21

comentando suas impressões. Cada aluno ainda teve contato com a lupa e sua lente de aumento. “Eles construíram um microscópio reciclável. Aprenderam se divertindo”, disse a docente. COLÉGIO ULBRA SÃO PAULO Há 12 anos, o Colégio Ulbra São Paulo, de Ji-Paraná/RO, desenvolve um projeto com os alunos do 9º ano para registrar as experiências interpessoais dos estudantes vividas na fase do Ensino Fundamental e seus anseios para a próxima etapa escolar. O material, composto por textos e fotografias, é chamado de Livro do Ano, e impresso em capa dura, com imagens coloridas. Neste ano, em função da pandemia, o livro será no formato e-book. À frente do projeto está a professora Roseli Vicente de Amorim e a supervisora Alderite Nunes Pereira. COLÉGIO ULBRA DE APLICAÇÃO

COLÉGIO ULBRA CRISTO SALVADOR Cumprindo a proposta do livro Investigar, do Sistema Positivo, a Educação Infantil do Colégio Ulbra Cristo Salvador, de Santarém/PA, propôs atividades para que os estudantes descobrissem o mundo ao seu redor. “A ideia é que explorassem hipóteses e explicações sobre objetos, elementos da natureza e partes do corpo”, explicou a professora, Indiahoara Gessi. O trabalho iniciou com os pequenos observando imagens e

Histórias Saborosas foi o projeto realizado pelo Colégio Ulbra de Aplicação, de Itumbiara/GO, com o objetivo de fazer as crianças desenvolverem o gosto pela leitura. Elaborado acerca da obra O Caso do Bolinho, de Tatiana Belinky, foi desenvolvido pela professora Maria Eduarda Santos, que iniciou com

uma contação de histórias. Cada aluno construiu um fantoche do seu personagem favorito e foi realizada uma aula de culinária para trabalhar o gênero textual receita. As crianças ainda apresentaram um teatro e, por fim, degustaram chá com bolinhos no Chá dos Avós.




24

Live

Educação, responsabilidade e empatia na quarentena Psicólogo Tiago Tamboniri falou sobre o tema em live da Rede de Escolas Dando continuidade à série de lives promovidas pela Rede de Escolas da Ulbra, o psicólogo e professor universitário, Tiago Tamborini, foi o convidado de mais um encontro online, com o assunto Conectando Vidas na Quarentena. A temática está alinhada ao Eixo Norteador da Rede trabalhado ao longo de 2020, Educação: Conectando Vidas. A abertura ficou a cargo do capelão geral da Aelbra, Maximiliano Wolfgramm Silva, falando sobre paciência e confiança nas vontades e preparações de Deus para as nossas vidas. Autor do livro Como Educar no século XXI, Tamborini iniciou sua fala de maneira pessoal. Apontou que, para falar sobre os impactos desse isolamento, precisou primeiro reconhecer-se enquanto impactado. “Depois de fazer esse movimento, foi muito mais fácil falar do ponto de vista de quem, empaticamente, se aproximou das pessoas que também vivenciaram esse momento.” O convidado abordou, também, a realidade de muitas famílias em não ter tempo de acompanhar os estudos de seus filhos a distância. Frizou, portanto,

a necessidade de não se criar expectativas no ambiente familiar em relação a esse novo modelo de aprendizado. “As expectativas que não são alcançadas frustram e geram cobranças. Essa frustração me leva a dois caminhos: um de voltar para a expectativa e ressignificá-la. Outro, de acreditar nela e partir para a cobrança. A cobrança, por sua vez, gera culpa. E a culpa nos leva para o lugar em que muitas famílias se encontram hoje: a angústia”, pontuou. O papel dos educadores em um futuro retorno presencial às atividades escolares será, segundo ele, fundamental para auxiliar as famílias e os alunos a retomar a sua confiança e segurança nas decisões da escola e dos professores. “Ajudar, também, em questões relacionadas à responsabilidade desses jovens para, por exemplo, fazê-los entender a importância de continuar usando máscaras, lavando as mãos, passando o álcool em gel e mantendo a distância recomendada”, destacou. Por fim, o psicólogo se debruçou sobre a maneira correta de fazer essas crianças e adolescentes compreenderem as suas responsabilidades. “Isso não pode ser ensinado na base do medo. Eles precisam entender que é necessário usar a máscara, não porque podem pegar COVID-19, mas sim porque devem desenvolver uma consciência sobre o papel deles em cuidar do outro”, finalizou. Para ver ou rever a live Conectando Vidas na Quarentena, acesse o Facebook da Rede de Escolas - www.facebook.com/rededeescolas.


Proteção na pandemia

MARATONA CRIATIVA PARA LIDAR COM A COVID-19 Mobilizar pessoas em busca de alternativas criativas e inovadoras para melhorar a qualidade de vida da população em meio à pandemia do novo Coronavírus. Foi com essa intenção que a Ulbra, com o apoio da Rede Ulbra de Inovação (Ulbratech), lançou no mês de abril o Ideathon COVID-19, uma maratona online para geração de ideias. A maratona também foi destinada ao público infanto-juvenil. No Ideathon COVID-19 Kids, foram aceitas inscrições em categorias de participantes com idade de 3 a 5 anos, 6 a 8 anos, 9 a 12 anos e 13 a 15 anos de idade. Na versão kids, as categorias foram Games, Vídeos, Histórias Digitais e Tema Livre. "A ideia era dar protagonismo às crianças para que utilizassem esse tempo que estão em casa, convivendo com essa problemática, na criação de boas ideias", comentou o diretor de Inovação da Ulbratech, Márcio Machado.

Na versão Kids, a equipe CSL Kombat, do Colégio Ulbra São Lucas, ficou em 1º lugar. Adaptando o famoso game Pac-man para uma história relacionada à COVID-19, o grupo criou uma realidade alternativa onde o personagem principal deve utilizar meios para se proteger da pandemia. A equipe foi composta por Arthur Silva, Manuela Silva, Lorenzo Sprenger, Eduardo Silveira e Matheus Alexandre. O grupo realizou diversas pesquisas para criar o enredo da história, além do desenho de croquis com as fases, personagens e cenários, e ainda uma busca por programas online para a criação final do jogo. O responsável pelo time, Eduardo Ferreira, aponta que o Ideathon trouxe muitos benefícios para a aprendizagem

Variedades 25 das crianças. “A primeira lição foi sobre a importância do trabalho em equipe. Também, a vivência com pesquisa e programação, podendo colocar em prática o que já viram na teoria.”

A equipe Coração, do Colégio Ulbra São João, ficou em 2ª lugar. Pensando em dar alternativas às pessoas no isolamento social, o grupo desenvolveu um canal no Youtube, que disponibilizava vídeos de jogos, atividades e tarefas para que as crianças se mantivessem ativas. O conteúdo foi criado e apresentado pelos integrantes da equipe, formada por Murilo Rodrigues, Isabel de Moraes, Rafaela da Rocha e Arthur Teixeira. “Foi uma experiência muito positiva que desenvolveu a criatividade e imaginação deles. A maratona despertou algumas questões que eles nem sabiam ser capazes, e agora estão cheios de novas ideias para continuar o canal”, apontou Sabrina Ribeiro, professora dos anos iniciais e responsável pelo time. Os grupos foram premiados com 12 meses de acesso liberado à plataforma Elefante Letrado, mais três livros para cada participante e um exemplar do material interdisciplinar e multiplataforma Aventureiros da Programação.


26

Projeto criada pela ferramenta”, explica Maikel Nascimento, supervisor escolar da Educação Infantil e Anos Iniciais do Colégio Ulbra São João.

PARA CRESCER O GOSTO PELA LEITURA Árvore de Livros faz sucesso entre os alunos da Rede de Escolas Uma aula temática, onde os alunos deveriam aparecer vestidos de super-heróis, sem saber o motivo da necessidade das fantasias. Ao chegar na sala remota, descobria-se: havia um inimigo! O Monstro da Preguiça, que não gostava de ler. Os estudantes, então vestidos de heróis, deveriam combater o vilão da leitura. Com essa proposta lúdica, foi apresentada aos alunos do Colégio Ulbra São João a Árvore de Livros. Uma maneira didática e prazerosa que os colégios da Rede encontraram para despertar o gosto dos alunos pela leitura. A Árvore de Livros é um projeto literário, desenvolvido através de uma plataforma online, oferecido aos colégios pela Positivo. A biblioteca é voltada ao público infantil e juvenil que tem à sua disposição em torno de 500 títulos, classificados por áreas temáticas e níveis de leitura. A estante virtual indica os livros aos alunos, conforme recomendação dos professores, de acordo com suas séries e os trabalhos realizados com as turmas. LER BRINCANDO Considerada um programa de incentivo à leitura, a Árvore de Livros passou a ser oferecida nas escolas durante a pandemia da COVID-19. “A literatura, por si só, já tem esse encantamento, o que torna o processo de ensino e aprendizagem mais tranquilo, mais prazeroso. Mas a Árvore ainda consegue trazer a gamificação, que é a aprendizagem através do jogo. Conforme vão lendo, dentro da plataforma, eles vão ganhando moedas e gotas, e vão conseguindo plantar suas próprias árvores, dentro da floresta virtual

Além de receber os livros indicados pelos professores, os estudantes também podem recomendar suas leituras aos colegas, em um local reservado da plataforma. Assim, os estudantes podem trocar suas experiências literárias e conhecer novas obras. A bibliotecária do Colégio Ulbra Palmas, Thaís Fernandes, afirma que os títulos disponíveis contemplam diversos gêneros. “Há desde obras com diversidade, com temáticas raciais, passando por poesias, contos, ficção, coletâneas, crônicas, histórias em quadrinhos e autores clássicos”, contou. DIVERSIDADE E CRIATIVIDADE A ferramenta ainda oferece trilhas de leitura, onde são disponibilizadas atividades para serem trabalhadas com os leitores ao longo da semana em livros sugeridos. Na unidade de Palmas, Thaís garante que o projeto tem tido muita adesão e as crianças estão gostando muito. “O que a gente acompanha nas aulas é que elas indicam leitura, recomendam outros livros. Tem sido muito bem aproveitado pelos alunos, é uma alegria.” Ela conta, também, que o projeto não mudou o acesso às obras físicas. “É só mais uma ferramenta, e utilizando da gamificação para animar mais ainda. Promove uma disputa positiva, pois gera um compromisso dos alunos acessarem todos os dias”, completou. No Colégio Ulbra São João, a professora dos Anos Iniciais, Sabrina Ribeiro, compartilha que iniciou o projeto com uma sugestão de aula diferente. “Enviei um vídeo com um desafio para que eles criassem um personagem. Na data combinada, os alunos entraram na aula online com os personagens criados. Dividi as crianças em grupos e eles se encontraram na sala virtual para realizar uma ação contando uma história do seu personagem”, lembra. Sabrina conta que a atividade foi um sucesso. “Eles apresentaram em forma de teatro e, após as apresentações, mostrei a Árvore de Livros e deixei livre para escolherem seus títulos”, afirma. Na aula seguinte, as crianças conversaram sobre os livros que leram e indicaram sugestões para os colegas. “Todos ficaram curiosos para ler os livros sugeridos”, finaliza.


Esporte

BATEU SAUDADE Paixão de muitos alunos, o esporte coletivo foi uma das atividades impactadas pela pandemia. Em 2020, os tradicionais Jogos Internacionais Luteranos, da Rede de Escolasda Ulbra, tiveram que ser adiados. Em meio a essa situação de pausa, como os alunos se mantiveram ativos ao longo do ano? Gabriel Trindade, que está no 3º ano do Ensino Médio no Colégio Ulbra São Pedro, conta que utilizou a academia e tentou praticar o futsal em casa. “O treinamento foi bem difícil, mas como tenho um pátio grande, acabei conseguindo treinar passes, controle de bola e algumas jogadas com a ajuda do meu irmão.” O estudante, que pratica futsal desde pequeno, estaria completando oito anos de participação nos Jogos Luteranos em 2020, seu último ano de competição. Com a impossibilidade, prefere recordar os momentos alegres que já passou nos campos da Ulbra.

27

fez parte do time que conquistou a medalha de bronze nos Jogos Luteranos de 2019. Com a emergência da pandemia, passou a treinar em espaços arranjados dentro de casa, com o auxílio do pai que também é jogador de vôlei. Mesmo fazendo treinos esporádicos com amigos pelo Google Meet, a saudade de jogar o esporte favorito, para ela, foi difícil de lidar. Camila contou que, em casa, treinou alguns toques na parede, manchetes e estudou alguns fundamentos do esporte. “Com a ajuda do meu pai, fiz alguns jogos de ataque e defesa também, em casa”, destacou. DISTÂNCIA DOS CAMPOS Incentivado pelo pai desde pequeno a ingressar no universo do futebol e futsal, Rafael Rocha (foto), colega de Camila, afirma que o esporte o salvou. Quando criança, sofreu com os malefícios do excesso de peso infantil e encontrou nos jogos uma alternativa saudável para a mudança de rotina. “Nos últimos anos, acabei por praticar vários esportes, como handebol, atletismo, futebol e futsal.”

TREINOS EM CASA “Comecei a jogar vôlei em 2013. Jogava por diversão e representando o Colégio Ulbra São Lucas.” Camila Vidal, que também está no 3º ano do Ensino Médio,

Quando iniciou a pandemia, e consequentemente a pausa nas aulas presenciais, Rafael parou de praticar os esportes. “Fiquei meses sem jogar bola.” A solução que encontrou, para não perder o ritmo e poder voltar normalmente quando for possível, foi focar nos exercícios de academia. “Eu jogava cinco dias na semana, então senti muita falta. Mas, não tivemos muito o que fazer com essa parada, e eu entendo o quanto ela é necessária neste momento.”


28

Ensino Bilíngüe

INGLÊS NA PONTA DA LÍNGUA Em meio à pandemia de Coronavírus, o PES (English Solution Programs) continuou capacitando alunos Não é novidade que o ano de 2020 apresentou muitos desafios para todos os profissionais brasileiros. Para a educação, não foi diferente, e algumas adaptações foram necessárias para que os alunos da Rede de Escolas pudessem continuar acessando o ensino que precisam para suas formações. Os colégios da Instituição trabalharam o PES (English Solution Programs): solução educacional para tornar os alunos aptos a falar, compreender, ler e escrever em inglês. A atividade garante certificação de Cambridge.

A professora Flaviani da Cunha, do Colégio Ulbra São Pedro, comenta a experiência, salientando que os estudantes continuam com a carga horária de aula do período anterior à pandemia. Para isso, novas formas de usar o idioma foram implementadas. “Além dos momentos de aula onde o Inglês é usado, diferentes tarefas contemplam os novos tempos. Vídeos e áudios tornaram as atividades interessantes para explorar a Língua Inglesa e adaptamos todos os eventos ao modo virtual”, explicou.

Beatrice Ribeiro Martins, professora do Colégio Ulbra Martinho Lutero, ressalta a relevância da parceria entre a Instituição e os profissionais da educação, que estão na linha de frente lidando diretamente com os alunos. De acordo com ela, foi de extrema importância a implementação de uma nova plataforma na abordagem de ensino a distância para a disciplina de idiomas e as demais aulas das escolas da Rede. A professora refere-se ao Ambiente Aula, plataforma desenvolvida pela Ulbra e utilizada pelos acadêmicos da Universidade que foi adotada pela Rede de Escolas no início do segundo semestre de 2020. A adoção do sistema permitiu uma maior integração entre os estudantes e os docentes, além de trazer ferramentas importantes do Google for Education.

“A Ulbra agilizou uma ferramenta robusta, acessível e importantíssima para a regularização e eficiência de nossas aulas online: a entrada do Ambiente Aula na rotina das escolas. Aqui, vejo como um marco para uma abordagem sólida no planejamento e execução das aulas, expandindo a comunicação e execução das atividades escolares. Não só os aspectos pragmáticos da vida escolar foram beneficiados, para além dos pontos positivos de funcionalidade, destaco o sentimento de pertencimento que a plataforma traz aos usuários, agora agrupados em um ambiente institucional.” A educadora ainda acrescenta que, dessa forma, o futuro do ensino na Ulbra fica garantido. “Hoje, estamos auxiliando no aprimoramento dessa plataforma que, com certeza, será companheira do ano letivo de 2021 também. Através dessa experiência já podemos visualizar o reinício de 2021 com o suporte e a acessibilidade do ambiente Aula.”


COMBATE AO VÍRUS

APP DA ULBRA É ALIADO NA PREVENÇÃO À COVID-19 Desde o início da pandemia, todos os setores da sociedade começaram a trabalhar para superar os desafios da epidemia do novo Coronavírus. Assim, o papel das instituições de ensino se mostra mais importante que nunca, trazendo a pesquisa e a inovação para um cenário de busca pela prevenção e contenção do vírus.

29

APLICATIVO O professor Jackson Gomes de Souza, da unidade de Palmas/TO, mestre em Engenharia da Computação, destaca que a ferramenta é o resultado de um trabalho realizado de forma conjunta, direcionado pela Comissão Gestão de Risco Coronavírus da mantenedora. "Antes de um estudante realizar uma atividade presencial, por exemplo, ele responde cinco perguntas e, com base nelas, o aplicativo indica qual protocolo ele tem que seguir. São quatro níveis e, conforme a descrição ou a característica da atividade, o aplicativo mostra qual deve ser adotado. Temos desde o verde, que é destinado para atividades mais simples, até o vermelho, para as que são mais restritivas." A ferramenta fornece informação de uma forma moderna, rápida e interativa, apresenta quais materiais e itens de proteção devem ser utilizados para cada situação, além de também disponibilizar o arquivo PDF completo de cada protocolo.

Pensando na segurança dos alunos, professores e funcionários da Rede Ulbra e da comunidade, a Universidade Luterana do Brasil desenvolveu o App UlbraXCovid. Com o aplicativo, é possível determinar quais medidas e precauções são necessárias, auxiliando no direcionamento dos protocolos de cuidados a serem adotados a partir de informações sobre as características das atividades presenciais a serem realizadas em diferentes ambientes. A ferramenta é pioneira nesse tipo de conteúdo, foi desenvolvida a partir de um estudo que envolveu uma equipe multidisciplinar de especialistas e tem como objetivo oferecer os meios para que a segurança seja mais efetiva. "É uma forma de honrarmos o nosso compromisso institucional e contribuir para a proteção da sociedade e, ao mesmo tempo, oferecer mais tranquilidade operacional nas atividades presenciais. Tranquilidade com responsabilidade", ressalta o professor Pedro Antonio González Hernández, diretor de Desenvolvimento Educacional da mantenedora Aelbra.

r pode se tuito e ra s g o v ti é a aplic XCovid s de É ja O Ulbra lo . e n o s h e IP do na a id tr n ro o d m c n u n A e eja eis com mbora s compatív ressaltar que, e para funções te as importan s pensad i da Ulbra, ele de regra p m to a n c ju e n s o c eja, ele escola s a n ha, ou s s n a e d s e e in realiza g lo ssoa pod ssita de alquer pe u q e não nece o rt nte abe é totalme utilizar.


30 Confessionalidade Pastor Daison Mulling Neutzling Capelão do Colégio Ulbra São João

Pense um pouco Você já parou pra pensar? Essa pergunta pode soar um pouco estranha, mas, diante de tantas informações que recebe durante o dia, você costuma parar para refletir sobre alguma delas? Sobre sua relevância e se de fato agregam algo a sua vida? Não sei qual sua resposta, mas creio que vamos concordar que algumas (poucas) nos fazem refletir. Trago o assunto porque, em outubro, comemoramos o Dia do Professor e, como sempre, recebi muitos abraços virtuais e felicitações. No entanto, uma das mensagens me chamou a atenção em especial. Uma charge que dizia: “afinal, o que faz um professor? Na pior das hipóteses o professor faz toda a diferença!”. Confesso que essa frase me fez refletir porque traz uma verdade que vale a pena ser pensada. Diante de nossa sociedade tão sedenta de valores e princípios, cada vez mais órfã de seus próprios desenganos, estamos certamente muito próximos da “pior das hipóteses”, principalmente quando pensamos em educação. Vemos escolas sucateadas, indiferença por parte das autoridades e a desvalorização dos profissionais que atuam nesse segmento. Vemos e sentimos, lamentavelmente, todos os dias as dificuldades sempre crescentes no que diz respeito à educação de qualidade em nossa sociedade. Nesse contexto, só há uma forma de enfrentamento - antes de qualquer coisa, precisamos arriscar o caminho da fé. É preciso crer que podemos fazer a diferença. Sim, acreditar que eu, professor, posso fazer a diferença, eu, coordenador, posso fazer a diferença, eu, diretor, posso fazer a diferença... Precisamos perceber que possuímos em nossas mãos a melhor ferramenta que existe, a palavra. Ela nos permite alcançar onde nada mais alcança, na essência do ser.

Ali na essência, onde se juntam razão, emoções e sentimentos, a palavra é a única capaz de mexer, sacudir, desestabilizar, construir e reconstruir. Ela é a única capaz de plantar sementes aptas a crescer e produzir frutos realmente transformadores. Temos em nossas mãos o melhor de todos os instrumentos, que poderá provocar mudanças realmente significativas. Inicialmente, dentro de cada um, na forma de conhecimento e compreensão e, em segundo momento, na forma de opiniões e atitudes. Pense um pouco... Você percebe o que está em suas mãos? Você percebe a sua responsabilidade? Você percebe que pode fazer toda a diferença? Paremos e pensemos! Somos, certamente, privilegiados, honrados por Deus, pelas oportunidades que temos. Pela oportunidade de ensinar e aprender, pela oportunidade de construir e reconstruir, mas, principalmente, pela capacidade de lutar e de não parar de acreditar porque, na pior das hipóteses, podemos, sim, fazer toda a diferença. Entre tantas mensagens que recebemos todos os dias, essa, talvez, nos tenha trazido uma boa reflexão. Que possamos todos seguir em frente com muita fé! Um grande abraço a todos. .

“O que você diz pode salvar ou destruir uma vida; portanto, use bem as suas palavras e você será recompensado!” Provérbios 18.21




Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.