Revista Multiescolas 2021

Page 1


18

Crédito: Rosane Tavares

27

Reprodução

10

Sumário desta edição 4

Editorial

5

Especial

7

Ensino Fundamental e Médio

Mensagem do diretor de Desenvolvimento Educacional, Ricardo Willy Rieth

Ensino híbrido se destaca nas escolas da Rede

Escola da Inteligência desenvolve a educação socioemocional

8

Rede de Ensino

Programa incentiva o protagonismo dos estudantes

10

Entrevista

12

Ensino

18

Inclusão

19

O Brasil das Escolas da Ulbra

Priscila Boy: Metodologia Ativa e Avaliação Fórum das Práticas Pedagógicas Propositivas chega à 8ª edição Escolas desenvolvem atividades na Semana da Pessoa com Deficiência

Colégios apresentam projetos

23

Rede de Escolas propôs experiências incríveis

26 Troca de experiências

Encontro de Líderes de Turma conecta estudantes

Crédito: Renata Loyola

29

Reprodução Rede de Escolas

Eixo Norteador

19

Crédito: Maria Domingas

27

Premiação

28

Novo Ensino Médio

29

Aniversário da Ulbra

30

Confessionalidade

Curtas da Reforma chega à 4ª edição Modelo de aprendizagem se torna obrigatório em 2022 Campanha de doação de alimentos marca celebração Dívida (im)pagável


4

EDITORIAL Ricardo Willy Rieth Superintendente de Desenvolvimento Educacional

ALUNOS, FAMÍLIAS E ESCOLA: APRENDENDO JUNTOS A SUPERAR DESAFIOS Já são quase dois anos de pandemia. Quantos desafios! Quantas descobertas! Quanto aprendizado! Descobrimos que temos corpos frágeis e vulneráveis. Que precisamos de cuidado e proteção. Aprendemos que nossa saúde e a saúde de quem nos rodeia depende do que fazemos ou deixamos de fazer, de nosso comportamento e atitudes. Redescobrimos o valor da ciência e da informação correta. Constatamos o mal e até mesmo a morte que a desinformação pode causar. Percebemos que mães e pais não são professoras e professores, e que professoras e professores não substituem mães e pais. Por outro lado, mães, pais, professoras, professores, funcionárias e funcionários escolares se fortaleceram em suas identidades pelo apoio mútuo e pelo trabalho coletivo em amor e pelo bem de filhas, filhos, alunas e alunos. Nos apropriamos de novas tecnologias, que viabilizaram o relacionamento, a comunicação, a interação e a aprendizagem, mas que também deixaram evidente o quanto estar próximo, sentir e abraçar são coisas que nos fazem humanos. Nos reinventamos coletivamente, confirmando a missão de ser uma comunidade de aprendizagem eficaz e inovadora. Isso nos torna esperançosos e confiantes em relação a 2022. A Rede de Escolas da Ulbra, mais do que nunca, está preparada para acolher alunos, pais e famílias pela benção e proteção de Deus. Que venham os novos desafios! Que sejam inúmeras as descobertas e alegrias no aprender! Um grande abraço a toda a comunidade escolar! “A educação alimenta a confiança. A confiança alimenta a esperança. A esperança alimenta a paz.” “Education breeds confidence. Confidence breeds hope. Hope breeds peace.” Confúcio (551- 479 a.C.), filósofo chinês Eleanor Roosevelt 1884 - 1962

ESPECIAL

MANTENEDORA Aelbra - Educação Superior - Graduação e Pós-graduação S.A. Diretores Rogério Diolvan Malgarin Adilson Ratund Superintendência de Desenvolvimento Educacional Ricardo Willy Rieth - Superintendente Núrfis dos Santos Vargas - Gerente de Operações da Educação Básica e Técnica REDE DE ESCOLAS DA ULBRA Superintendente de Operações - Aelbra Fabiano Pereira Alves Gerente Operacional da Educação Básica e Técnica - Aelbra Carin Borkert Kuchenbecker Secretária Maria Helena Becker REVISTA MULTIESCOLAS Coordenação de Comunicação e Marketing Rosa Maria Ignácio - MTb 5.785 Edição e Reportagem Marla Cardoso - MTb 13.219 Arte da capa Professor Matias Streb Estagiários de Jornalismo da Ulbra: Naira Nunes, Ingrid Fraga, Suellen Naibar, Eric Mattos, Judy Wroblewski, Cainã Oliveira e Gabriela Castro Revisão Gabriela Bastos Cipriano Impressão Posigraf A Revista MULTIESCOLAS é editada pela Gerência de Comunicação e Marketing Av. Farroupilha, 8.001 - Prédio 10, 4º andar, sala 409 - CEP 92425-900 - Bairro São José Canoas - RS - Brasil (51) 3477-9234 comunicacaoemarketing@ulbra.br issuu.com/ulbra - www.ulbra.br/escolas

5

ADAPTABILIDADE FOI A MARCA DE 2021 De volta às salas de aula, professores incorporaram tecnologias à presencialidade Se 2020, com a chegada da pandemia, foi marcado por novidades no ensino com a aprendizagem remota, em 2021, professores se aprimoraram ainda mais através de recursos que pudessem atender os estudantes que ainda assistiam às aulas de casa, pelo computador, e os que retornaram para a sala de aula. A palavra-chave foi adaptabilidade. No dicionário, o termo é conceituado como a capacidade de alguém ou algo de mostrar-se adaptável. Na prática, na Rede de Escolas, essa adaptação dos docentes foi muito além de um simples ajuste de rota. Uniu todos os benefícios oferecidos pelos recursos tecnológicos à convivência prática em sala de aula. Na área da educação, o formato tem o nome de ensino híbrido, uma das maiores tendências do século 21. De acordo com a gerente de Operações da Educação Básica e Técnica, Núrfis Vargas, o ensino híbrido pode ser entendido de duas formas. A primeira, consiste no professor, em sala de aula, conectado com os alunos que ainda estão remotos e com os presenciais. A outra forma, pressupõe que os estudantes aprendem de várias formas, não só dentro da escola, mas síncrono e assíncrono, com a utilização das metodologias ativas. “Ao longo deste ano, esse segundo formato do ensino híbrido também foi operacionalizado pelos professores. Com muito estudo, dedicação, flexibilidade e criatividade, o corpo docente quebrou paradigmas, reinventando sua prática para desenvolver em nossos alunos as competências e habilidades planejadas para cada etapa”, destacou Núrfis.

Formação garantiu adaptação A gerente lembra que o momento exigiu que os professores ressignificassem a prática educativa, mergulhando nos estudos através das formações continuadas oferecidas pela Rede de Escolas. Entre as formações, está a especialização EAD em Tecnologias Digitais Aplicadas à Educação, oferecida pela Universidade Luterana do Brasil. Até o final de 2022, a perspectiva é que praticamente 100% da equipe docente da Rede de Escolas tenha concluído essa pósgraduação. “Gosto muito de uma frase que diz que, no momento em que aprendemos, não conseguimos voltar para a forma inicial, porque já expandimos. Foi o mesmo que aconteceu na prática educativa. Ampliou de uma forma que nem o professor e nem o aluno conseguem mais voltar para a sala de aula sem estarem conectados”, contextualiza. Núrfis lembra que o tema não é novidade na Rede. Há pelo menos cinco anos, as metodologias ativas já vêm sendo trabalhadas pelas escolas. Na formação continuada dos docentes no início de 2020, por exemplo, antes mesmo do início do pandemia, o professor José Motta Filho, especialista que desenvolve estudos relacionados ao uso de tecnologias para otimizar a aprendizagem, falou para os professores da Ulbra sobre Educação 5.0, abordando não só a utilização da tecnologia, mas como utilizá-la para fazer um aporte na aprendizagem no dia a dia. “A escola não está dissociada do mundo real que o estudante vive. Hoje, o professor tem a todo momento recursos para verificar as contribuições trazidas pelos alunos e isso só amplia os horizontes deles, fazendo com que os estudantes desenvolvam a argumentação e o senso crítico, comenta Núrfis.


6

ESPECIAL

ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

Incentivo à autonomia Quem está no dia a dia das escolas experimentou essa adaptabilidade na prática e garante que o resultado de aliar as tecnologias com as atividades presenciais foi incrível, envolvendo não só os estudantes, mas também seus familiares. No Colégio Ulbra São João, de Canoas, essa experiência ocorreu através da II Mostra Cultural das Etnias, com os estudantes da Educação Infantil e Ensino Fundamental – Anos Iniciais. O projeto, que surgiu em 2020 de forma totalmente remota, foi adaptado para o modelo híbrido em 2021.

buscando um link na internet, compartilhasse um documento pelo drive. E a partir desse novo contexto eles passaram a ter essa vivência”, completa. Conhecimento compartilhado Em outra escola da Rede em Canoas, o Colégio Ulbra Cristo Redentor, a adaptabilidade dos professores também pôde ser percebida em diversas atividades propostas aos estudantes. Em uma delas, para as duas turmas do quinto ano do Ensino Fundamental - Ano Iniciais, das professoras Viviane Vargas e Vanessa Lhul, foi proposto um Seminário das Profissões, depois que os alunos votaram quais atividades despertavam mais o seu interesse.

PROGRAMA

7

Para Lohane Costa, também consultora da EI, é evidente a melhora dos alunos no seu desempenho escolar, no relacionamento consigo e com os outros. A instituição desenvolve uma avaliação a cada ano para mensurar o impacto do programa na vida dos alunos, das famílias e das escolas. “Os professores também percebem essa melhora no comportamento das crianças, o que proporciona um ambiente mais propício ao aprendizado”, diz ela.

DESENVOLVE A EDUCAÇÃO SOCIOEMOCIONAL Programa da Escola da Inteligência será ampliado para o Ensino Médio

Crédito: Maikel Nascimento

Reprodução

De acordo com o supervisor escolar, Maikel Nascimento, as crianças tiveram autonomia de decidir como gostariam de conduzir a atividade. Enquanto alguns optaram por apresentações online, outros levaram a Mostra para dentro da escola, com a exposição de aspectos da cultura, história, alimentação, brincadeiras e costumes dos povos dos países pesquisados. “Alguns alunos usaram ferramentas como o padlet para organizar a apresentação dos trabalhos, outros fizeram através do power point, de vídeos do youtube e de inúmeras outras ferramentas. A aprendizagem também se concentrou em todo o processo de pesquisa e construção dos relatos que fizeram para o público que assistiu”, detalhou. Para o supervisor, o salto da inserção da tecnologia nas aulas acelerado pela pandemia permitiu que os alunos passassem a ter mais liberdade de escolha na hora de conduzirem suas atividades. “Antes não era exigido de um aluno do terceiro ano do Fundamental, por exemplo, que compartilhasse uma tela para apresentar um trabalho, montasse uma apresentação

De forma remota, profissionais de medicina, da área militar, design, direito, arquitetura e computação conversaram com os estudantes sobre suas experiências. “O evento foi muito importante para a aprendizagem dos alunos. Foi uma nova forma de organizar as aulas, pois precisamos adaptar a utilização dos recursos para atender quem estava na escola, em casa e trazer convidados de diversas partes do Rio Grande do Sul e de outros estados que não poderiam estar se não fosse a tecnologia”, afirmou a supervisora do Cristo Redentor, Daniela Cardoso. De acordo com ela, se não fossem as mudanças provocadas pela pandemia, talvez a escola não tivesse vivido essa experiência. “Ter os convidados falando com os nossos estudantes de forma online foi uma maneira de adaptar a atividade ao momento que estamos vivendo. Essa troca só agrega para a aprendizagem dos alunos”, completou a supervisora do Cristo Redentor.

A Rede de Escolas da Ulbra vem desenvolvendo com seus estudantes do Ensino Fundamental um trabalho de educação socioemocional. Em parceria com a Escola da Inteligência (EI), a iniciativa, que, durante a pandemia, ocorreu de forma remota, é muito importante para o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias para os alunos, auxiliando a lidar melhor consigo mesmo, a relacionar-se com os outros e a executar tarefas com qualidade. Com a aplicação do Programa, os estudantes adquirem conhecimentos e são estimulados a desenvolver e colocar em prática atitudes saudáveis e gerenciar suas emoções, para que tenham mais qualidade de vida e preparo para enfrentar os desafios do dia a dia. Em 2022, a Rede de Escolas da Ulbra traz esse programa socioemocional para os alunos do Ensino Médio, com o objetivo de preparar os jovens para esse mundo dinâmico e fluído do século XXI. Segundo Juliana Moraes, pedagoga e consultora educacional da EI, através da abordagem lúdica, os alunos da Educação Infantil da Rede Ulbra se identificam no Programa como, por exemplo, com os personagens da Floresta Viva. A experiência é uma analogia à sociedade moderna, onde todos têm características saudáveis e não saudáveis e aprendem como reconhecer suas emoções, como lidar com suas frustrações, pensar antes de agir e reagir, desenvolver empatia, autonomia e tantas outras habilidades.

Reprodução

Trabalho une família, aluno e escola O programa atua junto à tríade: família, aluno e escola, proporcionando ações direcionadas para cada público. Semanalmente, os alunos são levados a refletir, de forma lúdica e interativa, sobre as emoções e comportamentos. As famílias também participam dos encontros, onde são abordados temas para a convivência familiar harmoniosa. Já os professores são capacitados para desenvolver as aulas da EI e são estimulados a aprimorar suas habilidades socioemocionais através dos workshops. Para o próximo ano, serão integradas ferramentas tecnológicas ao Programa. O Portal Inteligência Jovem para o Ensino Médio é um deles, onde os alunos poderão explorar o aplicativo desenvolvendo o protagonismo e fazendo suas escolhas de forma 100% digital, além de uma trilha de projeto de vida que irá contribuir com o desenvolvimento do autoconhecimento. Os professores também terão acesso à plataforma, formação continuada e consultoria educacional especializada. Já os familiares também terão acesso ao EI Família, um canal de comunicação direto com especialistas prontos para responder as dúvidas e orientar os pais.


8

REDE DE ENSINO

PROGRAMA INCENTIVA O PROTAGONISMO NO ENSINO Projeto reúne série de lives para os públicos da Rede de Escolas A Rede de Escolas Ulbra deu início a um projeto que incentiva o protagonismo do estudante desenvolvendo as competências necessárias para a formação integral do indivíduo. Com a missão de ser uma comunidade de aprendizagem eficaz e inovadora, a Ulbra vem se reinventando a cada momento, exemplo disso é o programa Rede Ulbra de Educação: incentivando o protagonismo da Educação Infantil ao Doutorado. A ação visa fortalecer os laços entre alunos, professores e pais dos estudantes da Rede de Escolas através de uma série de encontros, inicialmente, de forma online. A programação iniciou no dia 10 de maio com uma live para os docentes da Rede de Escolas intitulada Professor: Profissão do Futuro?, com a diretora acadêmica da Ulbra, Adriana Ziemer Gallert. No dia seguinte, 11, foi a vez dos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio assistirem à live Tecnologias: tempo e espaço de socialização, com as professoras mestre Rozimeri Ranzolin e doutora Letícia Azambuja. O último encontro do mês, direcionado aos pais, com o tema Competências para o século 21, teve como palestrantes o reitor da Ulbra, Thomas Heimann, e o vice-reitor Adriano Chiarani da Silva. O encontro foi aberto pela gerente de Políticas Pedagógicas da Educação Básica e Técnica, professora Núrfis Vargas. Reflexões sobre as gerações Refletindo sobre as gerações, desde a dos veteranos até a geração alpha, os convidados contextualizaram sobre cada uma delas, mostrando suas diferenças. Heimann e Chiarani destacaram que estavam no encontro não somente no papel de autoridades de ensino, mas também como pais de adolescentes e frisaram a importância de respeitar a escolha da profissão do filho, assim como outras decisões. “A

escolha profissional não é tarefa da família. O caminho e a decisão são dos filhos”, destaca Heimann, que é psicólogo, teólogo e professor. Sociedade Pós-moderna, Geração Nutella e dilemas e angústias dos pais nos tempos atuais foram outros assuntos também abordados. O vice-reitor destacou que a relação entre pais e filhos deve ser uma via de mão dupla, sempre evidenciando o amor: “Nós precisamos desenvolver competências, não só nos filhos, mas também em nós como pais”, salienta, destacando a importância de não somente cobrar dos filhos, mas desenvolver em si mesmo a competência que exige.

Reprodução

Pensando no momento atual, os gestores separaram 15 competências que são essenciais e argumentaram sobre cada uma delas, inclusive quebrando os ideais de perfeição de que filhos teriam que ser melhores que os pais. Finalizando o evento, Heimann relembrou o objetivo da Rede Ulbra: “Uma educação que busca a integralidade do ser, uma formação muito mais eclética, muito mais plural, muito mais ampla, é isso que nós pretendemos fazer desde a educação infantil até o doutorado”, reforçou o reitor.


10

ENTREVISTA

ENTREVISTA

Priscila Pereira Boy

Metodologia Ativa e Avaliação: o

novo processo de aprendizagem Especialista reflete sobre tema em entrevista exclusiva à Rede de Escolas Priscila Pereira Boy é pedagoga, diretora da Priscila Boy Consultoria, escritora e palestrante. Atua há mais de 30 anos na área da educação e já atendeu mais de 100 escolas ao longo de sua trajetória. É especialista em Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e na Reforma do Novo Ensino Médio. Possui ampla atuação e experiência em processos de formação continuada de professores. Em 2019, construiu matrizes curriculares de acordo com a BNCC para mais de 20 escolas e reformulou os Projetos Políticos Pedagógicos de mais de 10 escolas. Participou, como convidada, da comissão que acompanhou a elaboração do novo currículo de Minas Gerais dentro da BNCC. Metodologia ativa e avaliação foram os assuntos abordados pela especialista nos dias 10 e 11 de fevereiro de 2021 na Semana Pedagógica da Rede Ulbra, com apoio do Sistema de Ensino Positivo. O objetivo foi mostrar o percurso da aprendizagem, hoje dividido em três pilares: currículo, metodologia e avaliação. Nesta entrevista exclusiva concedida à Revista Multiescolas, Priscila fala sobre o tema.

A tecnologia de forma independente é capaz de garantir o aprendizado ou de transformar paradigmas?

Crédito: Renata Loyola

Qual a diferença entre a metodologia tradicional de ensino e a metodologia ativa? Na metodologia tradicional, o foco era no que o professor tinha a ensinar, partiam dele as ações. A metodologia ativa é envolver o aluno como um protagonista, ou seja, o aluno também é responsável pela aprendizagem dele. Ele se envolve totalmente no processo, por isso que se chama ativa, pois é participativa. Qual o papel do professor e do aluno nessa metodologia de ensino? O papel do professor é proporcionar o máximo de experiências de partilhas, de cooperação, trazer também fundamentações, oferecer roteiros e direcionamentos para que os alunos possam construir percursos para estudar, se fundamentar e participar. Já o do aluno, é estar envolvido ativamente no processo de aprendizagem. O professor dá um roteiro, um vídeo ou um material e propõe um debate, um seminário ou um congresso e o aluno tem esse papel de executar o que foi proposto, de partilhar e colaborar com os colegas. Enfim, de ter uma participação ativa. Quais os benefícios que essa metodologia traz aos estudantes? Os benefícios que as pesquisas apontam é o maior índice de aprendizagem. Todas as vezes que você vive experiências, você aprende muito mais do que somente escutando passivamente as coisas. Aquilo que o aluno participa, vivencia, ele aprende muito mais rápido e melhor do que simplesmente escutar.

A tecnologia é capaz de ajudar sim, nessa perspectiva de metodologias ativas e novas avaliações, pois ela permite uma personalização. Quando se está fazendo um trabalho com um grupo muito grande, onde geralmente as salas são heterogêneas, você pode dar metodologias, por exemplo, com rotação por estações, onde se proporcionam atividades diferentes em cada estação. E o uso da tecnologia vai potencializar essa personalização. Então é uma coisa muito positiva a gente fazer uso dessa cultura digital dentro das metodologias. Como as escolas têm implantado as metodologias ativas? As metodologias ativas vêm sendo estudadas há um bom tempo e já têm sido propostas. Muitas escolas já estão aplicando, como, por exemplo, os elementos da gamificação, a questão da sala de aula invertida, a pedagogia voltada para projetos, assim como as situações-problema. Então, existem muitas metodologias sendo aplicadas e isso, aos poucos, tende a melhorar. As pessoas vão aprendendo sobre esse novo paradigma onde o aluno faz parte do processo e não só o professor. Qual a importância da sala de aula na sistematização do método e como adaptar para as aulas remotas, que foram realidade em 2020 e 2021? O espaço da sala de aula é importantíssimo, pois é nele que tudo acontece. Então, nas aulas online, nós podemos nos valer do ensino híbrido, que é diferente da modalidade híbrida, que é a oferta presencial e remota ao mesmo tempo. O ensino híbrido prescinde de personalização e tem que ter momentos presenciais para ser chamado de ensino híbrido, onde se misturam várias propostas no presencial com propostas remotas. Então, a sala de aula é fundamental, porque ali é o espaço onde todos estão juntos, reunidos. É ali que o professor está mediando todas as relações. Precisamos realmente desse espaço para implantar essas novidades e abrir-se para novas possibilidades.

11

Existem três tipos de avaliação: a diagnóstica, a formativa e a somativa. A avaliação diagnóstica olha para o passado. Você vai ver o que você deu, o percurso que o aluno percorreu, e você vai tirar um raio-x e ver se está tudo bem. Se aquele caminho percorrido até aquele momento está consolidado. A formativa tem foco no percurso, ela não olha para o passado, então ela acontece ao longo do processo. Você está dando uma aula, uma atividade, você faz uma pergunta, você faz uma problematização, você dá uma atividade avaliativa. Então, na formativa, o processo é mais importante. Na somativa, a gente olha para o produto. Geralmente, é um instrumento avaliativo que você aplica, se faz um recorte em tudo que você deu, para você ver se aquelas pessoas realmente consolidaram aquilo que você propôs, como, por exemplo, Enem, Saeb, provas de concursos, são somativas. Eles recortam o que eles entendem que é importante que você saiba e eles fazem uma avaliação daquilo. Do que se trata a rubrica de aprendizagem? É uma ferramenta que ajuda a organizar os dados. As rubricas seriam indicadores que a gente constrói dizendo para o aluno o que é que vai ser avaliado. Cada uma descreve o que vai ser avaliado e a gente põe dimensões de desempenho, por exemplo, se eu vou dar um seminário, eu posso construir uma rubrica, um indicador de que atuar de forma respeitosa no seminário é algo que vai ser avaliado. Exemplo das dimensões são: se o aluno não respeitou o tempo, ele está no nível não satisfatório. Se o aluno respeitou as pessoas, mas não respeitou o tempo de exposição, pode melhorar. Se ele respeitou a opinião dos colegas, o tempo de atuação e apresentou, é ótimo. Então as rubricas vão nos dar clareza do que vai ser avaliado, das dimensões e também os níveis que a gente vai avaliar.


12

ENSINO

ENSINO

8º FÓRUM DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PROPOSITIVAS: Em 2021, o Fórum das Práticas Pedagógicas Propositivas, da Rede de Escolas da Ulbra, chegou à 8ª edição. As atividades pedagógicas propostas pelos professores para a formação de seus alunos da Educação Infantil, Ensino Fundamental Anos Iniciais, Ensino Fundamental Anos Finais e Ensino Médio foram apresentadas em um evento online, entre os dias 21 e 29 de setembro. Os trabalhos destacados foram divulgados no dia 14 de outubro. Nessa edição, 28 projetos foram inscritos.

PROJETOS DESTACADOS PELA BANCA AVALIADORA/PARES EDUCAÇÃO INFANTIL Super-heróis em ação ensinam o infantil 3 e 4 de montão! Colégio Ulbra Cristo Redentor Senta que lá vem a história! Colégio Ulbra São João

ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS INICIAIS CCR é amigo dos animais Colégio Ulbra Cristo Redentor Cada gota importa Colégio Ulbra Martinho Lutero Alimentação saudável: uma vida formidável! Colégio Ulbra São Lucas

Uma banca constituída por professores Mestres e Doutores das unidades de graduação de todo o Brasil participou da avaliação dos projetos. Os trabalhos também foram prestigiados pelo Superintendente de Desenvolvimento Educacional, Ricardo Willy Rieth. “Essa participação traz grande prestígio, pois os trabalhos destaques são selecionados pelos pares e pela banca avaliadora”, destacou a Gerente Operacional da Educação Básica e Técnica - Aelbra, Carin Borkert Kuchenbecker.

ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS FINAIS

De acordo com a Gerente de Políticas Pedagógicas da Educação Básica e Técnica, Núrfis Vargas, o objetivo principal do Fórum é o compartilhamento de práticas que tenham algum propósito para a comunidade escolar. “Os projetos trabalham no desenvolvimento dos estudantes de forma integral, em ações desenvolvidas não somente na escola, mas que se estendem para a família e a comunidade”, comentou. Outro destaque fica por conta da realização online do evento, que consegue reunir os 10 colégios da Rede de Escolas de todo o Brasil.

E-book colaborativo - Leis de Newton Colégio Ulbra São João ITALK - International Talk About Language Knowledge Colégio Ulbra Palmas Uma visão interdisciplinar dos logaritmos através de um E-book criativo Colégio Ulbra Cristo Redentor

Como eu sou - Como me vejo Colégio Ulbra Martinho Lutero Viagem a Roma Antiga Colégio Ulbra Antares

ENSINO MÉDIO

COMISSÃO ORGANIZADORA Núrfis dos Santos Vargas Carin Kuchenbecker Maria Helena Becker

BANCA DE AVALIADORES Profª Mestre Carolina Rodrigues Dias Profª Doutoranda Marília da Costa Profª Especialista Eurípedes Cristiane Silva Profª Especialista Naide Pedroso de Sousa Profª Especialista Madalena da Rocha Pietzsch Profª Especialista Jane Sirlei Kuck Konrad Profª Mestre Mara Lúcia Salazar Machado Profª Doutora Leticia Azambuja Lopes Profª Doutora Clarissa de Assis Olgin Profª Mestre Hiltrud Elert Profª Especialista Vaneska Krick Ratund Profª Doutoranda Rosângela Ferreira Domingues Profª Mestre Claydaiane Ferraz Andrade Prof Especialista José Augusto Rodrigues Profª Doutora Andrielly Viana Lemos Profª Doutora Yasmin Livia Queiroz Santos Profª Mestranda Narelly Tavares Rodrigues e Melo Profª Doutora Darlize Teixeira de Mello Profª Mestre Patrícia Liane Grudzinski da Silva Profª Mestre Juliane Maria Puhl Gomes Prof Mestre José Filipe de Quadros Nunes Profª Doutora Juliana Ribeiro de Vargas Profª Doutora Carin Klein

13


14

ENSINO

ENSINO

EDUCAÇÃO INFANTIL Projeto: Super-heróis em ação ensinam o infantil 3 e 4 de montão! Colégio Ulbra Cristo Redentor Autora: Professora Malaine da Silva Andrade

O projeto visa despertar o prazer e o amor pela leitura e pelos livros através de atividades de contação de histórias, pois é de suma importância que a utilização de livros infantis e momentos de contação de histórias façam parte da rotina escolar das crianças. A intenção é exercitar a curiosidade intelectual, o pensamento científico e a criatividade, abordando vários campos de experiências como: corpo, gestos e movimentos, escuta, fala, pensamento e imaginação.

Projeto: Cada gota importa Colégio Ulbra Martinho Lutero Autoras: Professoras Anderlise Barbosa e Daiany Larini

15

representa um exercício. Brincadeiras lúdicas e a criação de uma horta suspensa com garrafas pet para chás e temperos verdes também foram propostas pelas professoras.

ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS INICIAIS Projeto: CCR é amigo dos animais Colégio Ulbra Cristo Redentor Autoras: Professoras Kelen Muller e Andréia Mendonça

Crédito: Eli Müller Reprodução

Crédito: Malaine Andrade

O projeto surgiu a partir dos momentos de brincadeiras que as crianças usavam para se expressar durante as aulas, fazendo períodos de diversão e fantasia tornarem-se aprendizagem. O propósito é reconhecer e identificar os super-heróis da vida real, desenvolvendo atitudes que valorizem o papel desses super-heróis na sociedade, despertando afetividade, autoestima, colaboração, respeito e cuidado com o bem público. Através das vivências realizadas, os alunos puderam compreender o que significa ter um superpoder, conheceram o trabalho dos profissionais da saúde, bombeiros, entre outros, e a importância de cada um para a sociedade. Projeto: Senta, que lá vem a história! Colégio Ulbra São João Autora: Professora Natália de Borba Pugens

Crédito: Natália Pugens

Crédito: Kelen Müller e Andreia Grala

Sabendo do protagonismo dos animais em muitos desenhos animados e em livros de histórias para crianças, o assunto foi abordado nas aulas de Ciências, Ensino Religioso, Educação Física, Música e também Inglês. O objetivo foi despertar a curiosidade dos alunos em conhecer as necessidades e características dos animais, assim como refletir sobre o seu papel quanto aos cuidados necessários e conhecer projetos que visam à proteção dos animais. Foram desenvolvidas diversas atividades, entre observativas ou de metodologias ativas, desde palestras, vídeoaulas à produção de vídeos e reportagens. Através das pesquisas, palestras e das construções diárias, as crianças aprenderam princípios de responsabilidade e comprometimento com o bem-estar dos animais, compreendendo que são responsáveis pela sua proteção e de que forma isso pode acontecer. O projeto culminou na arrecadação de valores e a compra de ração para os pets. Toda a ração foi doada para a Secretaria Extraordinária dos Direitos dos Animais (Seda) de Canoas.

Preocupados com o alto consumo de água, as disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática, História, Geografia e até mesmo Arte engajaram-se nessa proposta por meio de conteúdos trabalhados no material didático e em atividades construídas pelas professoras. O projeto foi além da sala de aula, pois os alunos levaram suas pesquisas para dentro de suas casas. Ao compartilhar ideias, surgiram indicações de livros, filmes, documentários e materiais diversos dos quais muitos alunos relataram ter lido e/ou assistido em casa com seus familiares. O tema da água foi abordado de diferentes maneiras, desde a análise das suas próprias faturas de água, situações cotidianas, pesquisas em enciclopédias, infográficos, debates e muito mais. Importante ressaltar a aplicabilidade das metodologias ativas nesse trabalho. Projeto: Alimentação saudável: uma vida formidável! Colégio Ulbra São Lucas Autoras: Professoras Adriana de Vargas, Taiana Gatti e Patrícia Pereira Tendo em vista a finalidade de sensibilizar os alunos a adotarem uma alimentação saudável, foram trabalhados diferentes tipos de alimentos e seus nutrientes. O conhecimento adquirido proporcionou benefícios e regramentos para uma qualidade de vida. Através da criação de uma pirâmide alimentar pelo grupo, várias atividades foram propostas a partir dela, como construir um cardápio saudável com os alimentos preferidos. O projeto trouxe aulas de culinária, de ginástica das frutas, onde cada fruta

ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS FINAIS Projeto: Como eu sou - Como me vejo Colégio Ulbra Martinho Lutero Autoras: Professoras Anderlise Barbosa da Silva e Cristiane Stedile Dall Alba

O projeto interdisciplinar desenvolvido pelo 8º ano do Colégio Ulbra Martinho Lutero tem por objetivo incentivar o aluno a valorizar-se enquanto ser humano, compreender as mudanças que ocorrem na fase da adolescência, aceitando e respeitando as diferenças.

Crédito: Anderlise Barbosa

O projeto busca desenvolver a capacidade de lidar com as próprias emoções, relacionar-se com o outro, capacidade de colaboração, mediação de conflitos, e solução de problemas, competências socioemocionais da BNCC. Os componentes curriculares de Ciências,


16 ENSINO

ENSINO

Ensino Religioso e Matemática são alcançados por meio de conteúdos trabalhados no material didático, pesquisas, palestras, vídeos, debates e atividades construídas pelas professoras.

ENSINO MÉDIO Projeto: E-book colaborativo - Leis de Newton Colégio Ulbra São João Autor: Professor Douglas Kruger da Silva

interdisciplinares do aprender através da metodologia histórico-crítica dos conteúdos. Conversas com diversos profissionais ocorreram via Google Meet, com a conversação sempre na língua inglesa e tendo, em média, uma hora de duração cada.

Projeto: Viagem a Roma Antiga Colégio Ulbra Antares Autores: Mábia Regina da Silva, Maressa Prado Motta, Adriana Marques de Almeida Vieira, Liriani Braz de Araújo, Thaís Santos Silva, Luciene Alves Dias Ferreira, Rangel Uendel Pereira Dias, Robson Gautier Kaufmann

No projeto transdisciplinar, os objetos de conhecimentos transbordam suas áreas conotando o mundo real que não é fragmentado por componente curricular. Ele contribui para ampliar o conhecimento histórico, cultural e social, incentivando o pensamento crítico, científico e criativo do aluno por meio de uma explanação sobre o conteúdo histórico de Roma. Os componentes contribuem para a ampliação da aprendizagem, proporcionando, assim, com criatividade, novas formas de aprender: na matemática cálculos de hospedagem, a questão geográfica, a escrita do livro, a leitura das placas em inglês nos aeroportos, as modalidades esportivas de Roma Antiga, a questão religiosa, sobre o biótipo e a alimentação em Roma e a ampliação da cultura. O trabalho transdisciplinar é realizado com a turma do 6º ano do Ensino Fundamental - Anos Finais e culmina com a produção dos livros dos alunos e a tarde de autógrafos, na Mostra de Projetos que acontece anualmente.

Prof. Dr. Evandro Brandão Barbosa Diretor Acadêmico do CEULM Ulbra

A equipe de professores, gestores e estudantes das escolas da Rede Ulbra está de parabéns!

Reprodução

Crédito: Daniela Araújo Moraes

17

A produção de um e-book colaborativo sobre as leis de Newton desenvolvidas através da ferramenta book creator por alunos é o resultado de uma antiga estratégia metodológica para os tempos atuais. Após pesquisarem em diversas fontes de informações sobre o tema, os estudantes produziram um quadro em uma apresentação de slides. Com autonomia para decidir a melhor forma de abordar o conteúdo, foi destacado aos estudantes a importância de refletir sobre o processo de transformação do aprendizado. O material foi construído e socializado entre grupos dentro da turma, com a realização de debates sobre os e-books e possibilidades de opiniões dos autores, mediado pelo professor. Projeto: ITALK - International Talk About Language Knowledge Colégio Ulbra Palmas Autor: Professores Heitor Alberto Stahnke e Marcelo Savitzki Com as dificuldades que a pandemia trouxe para o ensino, foi necessário pensar processos de ensino-aprendizagem para motivar a participação dos estudantes nas aulas remotas. Projetos como o Conversa Internacional Sobre Conhecimentos Linguísticos - ITALK, desenvolvido em uma turma de terceira série, são fundamentais para inspirar o aluno a ser atuante em sala de aula. O programa tem como foco oportunizar a prática oratória da Língua Inglesa através de experiências multiculturais e

Reprodução

Projeto: Uma visão interdisciplinar dos logaritmos através de um E-book criativo Colégio Ulbra Cristo Redentor Autores: Professores Douglas Kruger da Silva e Elisiane de Oliveira Teixeira

Reprodução

O projeto tem a intenção de desconstruir o padrão de escrita colaborativa, que é uma estratégia de metodologia capaz de proporcionar troca de experiência e conhecimentos entre os envolvidos, tentando criar conexões sem conectar presencialmente as pessoas. O foco é potencializar a construção colaborativa dos alunos e desenvolver suas habilidades na construção de um material baseado nas suas aprendizagens particulares sobre o tema. Através do book creator, os estudantes tiveram a oportunidade de desenvolver sua aprendizagem e criaram um e-book-criativo.

"Participei do Fórum das Práticas Pedagógicas Propositivas e fiquei impactado com os conteúdos das apresentações dos professores. Observei que as atividades realizadas e as perspectivas de outras atividades estão alinhadas com o projeto de aprendizagens por competências. Observei também que os professores são comprometidos com o processo de mediação e orientação dos estudantes, para que estes construam suas próprias aprendizagens. O desenvolvimento das atividades pedagógicas foi apresentado no Fórum, de maneira clara e objetiva para quem assistiu às apresentações! Observei que os professores trabalham os conteúdos dos componentes curriculares a partir de metodologias ativas, com o aprender fazendo e aplicação da teoria previamente discutida em sala de aula. E, por fim, observei que os trabalhos pedagógicos apresentados deveriam ser apresentados aos professores do Ensino Superior da Rede Ulbra, para que os docentes percebam o nível de aprendizagem dos alunos antes de ingressarem no nível superior, e assim pudessem utilizar metodologias e estratégias de continuidade na formação humana e profissional de futuros egressos da Universidade. O que estou dizendo é que se os professores não elevarem o nível das suas metodologias de trabalho nas suas práticas docentes, certamente não serão professores capazes de mediar e orientar a construção de aprendizagens desses alunos formados pelas escolas da Rede Ulbra. O Fórum foi um bálsamo pedagógico e acadêmico para mim. Foi também uma dose generosa de otimismo e vontade de fazer muito mais nas minhas práticas docentes com o uso de criatividade, imaginação e Tecnologias Digitais Aplicadas a Educação!"


18

EM SALA DE AULA

INCLUSÃO

PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA GANHA ESPAÇO NO CURRÍCULO ESCOLAR

Crédito: Daiany Maria

REDE DE ESCOLAS PARTICIPA DA SEMANA ULBRA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA A Rede de Escolas participou no mês de agosto da Semana Ulbra da Pessoa com Deficiência. Essa foi a 8ª edição do evento, que foi criado em 2014 com o intuito de conscientizar a sociedade sobre a importância da inclusão, o respeito a todos, assim como os direitos da cidadania. Diferente do ano passado, quando aconteceu de forma remota em função da pandemia, a programação nas escolas ocorreu integrada com as aulas presenciais.

Desde o dia 10 de junho de 2021, conteúdos sobre os direitos humanos e a prevenção de todas as formas de violência contra a criança, o adolescente e a mulher foram incluídos no currículo da Educação Básica através da lei nº 14.164. A legislação também instituiu a Semana Escolar de Combate à Violência contra a Mulher, que deve ocorrer anualmente no mês de março. No Colégio Ulbra Martinho Lutero, um projeto de valorização da figura feminina já ocorreu na escola em 2021. A professora Naieth Baggio propôs aos alunos do 2º ano do Ensino Médio, na Feira de Iniciação Científica, pensarem em pessoas cujas trajetórias de vida foram significativas, mas que foram isoladas e não reconhecidas em sua época. Após perceberem que a maioria delas era mulher, os alunos refinaram suas ideias e, a partir daí, nasceu o projeto Mulheres que Inspiram.

Todas as escolas do Brasil da Rede organizaram atividades. A programação contou com bate-papo com Libras, palestras com ministrantes com alguma deficiência, contação de histórias sobre o tema acessibilidade, alusão ao início das paralimpíadas, entre outras. Gisele Becker, coordenadora do Núcleo de Acessibilidade da Ulbra, relata a importância dessa temática para que seja traçado um caminho de concretização dos direitos das pessoas com deficiência, com ênfase no estímulo da capacidade e no potencial desses cidadãos e não em suas limitações. Segundo Núrfis dos Santos Vargas, Gerente de Políticas Pedagógicas da Educação Básica e Técnica, é extremamente importante a inclusão nesse debate dos alunos da Rede de Escolas, pois, é com o conhecimento adequado que os estudantes respeitam, auxiliam e propõem melhorias nos aspectos necessários que eventualmente surgem nesse cenário. “Não encaramos como uma semana da pessoa com deficiência, mas uma temática latente no nosso dia a dia.”

Reprodução

A atividade abordou a trajetória de personalidades de diferentes partes do mundo, que fizeram história em suas épocas, lutaram por direitos, por igualdade de gênero, por liberdade sexual, além de terem sido pioneiras em descobertas científicas e na medicina. Devido à pandemia, os alunos produziram vídeos com a biografia de cada personagem, entre elas, a história da médica psiquiatra Nise da Silveira, que revolucionou o tratamento mental no Brasil; Alice Ball, química que desenvolveu tratamento para a lepra; Marsha P. Johnson, drag queen e ativista pelos direitos LGBTQI+ nos Estados Unidos; Qiu Jin, revolucionária, escritora e feminista chinesa; e Florence Nightingale, fundadora da enfermagem moderna.

O Brasil das Escolas da Ulbra

19

COLÉGIO ULBRA SÃO PEDRO

Conheça alguns projetos realizados nos colégios da Rede Crédito: Muti Produtora de Eventos

COLÉGIO ULBRA SÃO JOÃO

Reprodução

Percebendo o interesse e a curiosidade da turma do 1º ano do Ensino Fundamental do Colégio Ulbra São João, de Canoas/RS, pelas questões matemáticas, a professora Elisângela da Silva Pereira desenvolveu o projeto Defensores da Matemática no primeiro e segundo trimestre de 2021. O projeto foi desenvolvido com o objetivo de desmistificar “o monstro da matemática”, que geralmente vem acompanhado de frases como: “a matemática é muito difícil” ou “eu não gosto de matemática”, fazendo com que a turma percebesse que a matemática está presente no nosso dia a dia e que ela faz parte das nossas vidas. Os alunos, então, foram convidados a se tornarem os Defensores da Matemática, derrotando esse “monstro” e provando através de diferentes atividades que a matemática é fundamental para todos nós. Os alunos produziram vídeos exemplificando o uso e a presença das questões numéricas, lógicas e matemáticas em seu cotidiano. Produziram também atividades com leitura envolvendo a matemática, obras de arte com formas geométricas, entre outras atividades. Cada aluno também criou um avatar para representálo virtualmente. O material produzido por eles foi disponibilizado em um padlet.

O Colégio Ulbra São Pedro comemorou, no dia 24 de setembro, junto aos seus alunos, o marco dos cem dias que antecede o momento da formatura. Devido à pandemia, a celebração exigiu um novo formato, o drive-in, mas com a mesma intensidade de emoções e encantamento. Diante de seus familiares, equipe diretiva, professores e colaboradores do colégio, os formandos tiveram seu momento de festejo e de homenagens a quem fez parte do processo. A celebração contou com chamada nominal dos formandos, acolhida dos professores, entrega de um mimo e mensagem a cada aluno, fotos individuais personalizadas, fotos do coletivo (alunos e professores), a valorização da finalização de uma etapa e o incentivo para a continuidade do percurso. O evento teve a participação de 30 alunos do 9º ano e 20 alunos do 3º ano. Os 22 alunos da Educação Infantil também tiveram sua comemoração, mas de uma maneira diferente, que foi a festa das cores, no qual vestiram uma camiseta branca e se coloriram entre si.

COLÉGIO ULBRA MARTINHO LUTERO

Crédito: Arquivo pessoal


20

EM SALA DE AULA

EM SALA DE AULA

Os alunos do 1º ano do Ensino Fundamental do Colégio Ulbra Martinho Lutero, de Guaíba/RS, vivenciaram, em 2021, o projeto Qual o Valor?, na Feira de Iniciação Cultural (FIC) da Instituição, que teve como objetivo descobrir, praticar e compartilhar os valores que os cercam, sendo estes, segundo a professora idealizadora Graziele Stoll Muller, indispensáveis à formação humana. Os alunos realizaram atividades práticas e de reflexão, envolvendo também as suas famílias. Os valores abordados foram amizade, família, solidariedade, educação, entre outros. As atividades foram diversificadas, como pesquisas, entrevistas, simulação de compra, reflexão sobre atitudes saudáveis, jogos e brincadeiras. A ação também contou com uma campanha de doação de alimentos, conseguindo auxiliar algumas famílias carentes de um bairro da cidade. O término do projeto foi marcado com um vídeo de “chuvas de valores”, onde os alunos ensinaram sobre o que é valor, encenando, explicando e cantando essa experiência incrível que vivenciaram nesses dias.

vida e de todos os seus aspectos positivos, com o compartilhamento de histórias de superação, de auxílios mútuos e da aprendizagem diária por meio do amor e da compaixão. O 3º ano, através de uma iniciativa própria e com aval da direção, confeccionou frases motivacionais e expuseram-nas em diferentes partes do colégio. Assim, quando seus colegas vissem essas mensagens, poderiam lê-las, tirar fotos e, se quisessem, levar para casa. Um ato de empatia e amor ao próximo.

Crédito: Lissiane Oliveira

COLÉGIO ULBRA SÃO LUCAS

Reprodução

COLÉGIO ULBRA CRISTO REDENTOR

Crédito:Adilson Giliard Magedans

No mês de setembro, o Colégio Ulbra Cristo Redentor, de Canoas/RS, promoveu, nas disciplinas de Sociologia, Filosofia e Ensino Religioso, uma conversa e reflexão sobre o Setembro Amarelo. Em diversos momentos do bate-papo, os alunos viram as principais síndromes que afligem as pessoas nesse contexto de pandemia do qual se vive. Na atividade, os alunos destacaram que os problemas que a sociedade enfrenta hoje também estão presentes na vida de muitos jovens e, inclusive, de alguns amigos e colegas. A intenção foi estimular a valorização da

COLÉGIO ULBRA ANTARES

Alunos do 1º ano do Ensino Médio do Colégio Ulbra São Lucas, de Sapucaia do Sul/RS, foram desafiados a trabalhar de maneira lúdica aspectos da cultura popular brasileira. Abordando principalmente a literatura do cordel, xilogravuras e os legados culturais dos povos indígenas, eles foram incentivados a se aprofundarem mais a respeito da cultura e, sobretudo, sobre os direitos dos povos nativos, além de perceberem a importância do debate em torno das terras indígenas e dos direitos humanos. A metodologia do projeto se deu através da apresentação de um cordel virtual, onde, primeiramente, os alunos eram introduzidos ao tema e, logo após, eram provocados a desenvolverem seus projetos. Após muitas pesquisas, os estudantes começaram a criação de seus cordéis com o acompanhamento dos professores e, por fim, durante uma hora, apresentaram seu cordel sobre os povos originários escolhidos, recheados com histórias de muito conhecimento, arte e poesia. Os cordéis foram disponibilizados em um varal virtual do programa Padlet, ficando acessível para toda a comunidade escolar.

Consciente da importância das práticas de leitura no desenvolvimento dos alunos, a professora Lissiane Mariele Silva Oliveira, do 2º ano do Ensino Fundamental do Colégio Ulbra Antares de Goiatuba/ GO, criou o Projeto Meu Pé de História. O objetivo é estimular a leitura, de forma que seja prazerosa, aguçando a imaginação e ampliando o vocabulário dos alunos. Na atividade, toda a semana, a professora irá sortear três alunos e cada um deve escolher um livro. Esse livro pode ser da plataforma digital Árvore de Livros ou algum que a criança tenha em casa. Depois, os alunos devem realizar a leitura juntamente com a família. Feita a leitura, o aluno terá que recontar a história do livro aos seus colegas de forma criativa, podendo usar maquetes, fantasias, cartazes ou o que preferir. O aluno terá que gravar um vídeo do seu reconto e enviar para a professora. Os vídeos enviados serão apresentados em aula aos colegas. Para finalizar, a professora irá sortear novos alunos para recontar histórias de um jeito criativo e divertido.

21

O projeto Ulbrinha elaborado pelo Colégio Ulbra Palmas/TO trouxe como tema no ano passado a “Justiça, liberdade e cidadania”. Os estudantes da Educação Infantil e do Ensino Fundamental I trabalharam no primeiro semestre o Estatuto da Criança e do Adolescente. Debatido de acordo com a faixa etária, as crianças estudaram sobre os direitos e deveres ali contidos. Os alunos da Educação Infantil realizaram várias atividades em aula, como a produção de um portfólio para entregar a seus pais, porém o cume foi a apresentação cênica e musical feita, onde as crianças representaram os direitos estudados, caracterizadas de acordo. Esse movimento contou com a participação dos alunos do 5º ano do Fundamental, que encenaram de maneira lúdica e poética a luta pelos direitos num contexto histórico, explicando partes importantes que foram conquistadas ao longo do tempo. Já os alunos do 3º ano declamaram um poema da Ruth Rocha e coreografaram em parceria com o 4º ano. Ambas as atividades com referência do que se havia estudado. Ilustrando ainda mais a temática, foi construído um mapa do Brasil com suas fronteiras delimitadas pelos direitos fundamentais, onde foi preenchido pelas mãos dos alunos para evidenciar o conhecimento de seus direitos. O 1º e o 2º ano produziram um musical a partir de músicas que abordam o tema do projeto. O 4º e o 5º ano encerraram o evento com a música "We are the World", cantada de modo traduzido.

COLÉGIO ULBRA CRISTO SALVADOR

COLÉGIO ULBRA PALMAS

Divulgação: Hospital Regional

Colégio Ulbra Palmas

Parcerias que fortalecem. Esse foi o objetivo do Colégio Ulbra Cristo Salvador, de Santarém/ PA, ao firmar um laço coma Diretoria de Ensino e Pesquisa do Hospital Regional de Santarém. O setor hospitalar é responsável pelo tratamento de crianças


22

EM SALA DE AULA

EIXO NORTEADOR

com câncer do Baixo Amazonas. O projeto contou com a distribuição de 40 kits escolares aos alunos em terapia. O material foi doado por pais, alunos e colaboradores do colégio. A entrega aconteceu no dia 14 de novembro. A atividade contou com professores e alunos fantasiados, balões, brincadeiras, cantorias e dança, levando alegria e diversão aos que estavam presentes na Capela. Participaram também a diretora Lucineide Barros da Silva, a coordenadora pedagógica, Ádria Camila Moura Marques, e o pastor reverendo Sérgio Reinholz, que abriu o ato com um devocional. Desenvolvendo e resgatando o incentivo aos estudos para os alunos em tratamento do câncer infantil, buscou estreitar a ligação junto ao Hospital Regional do Baixo Amazonas.

COLÉGIO ULBRA SÃO PAULO

Crédito: Elana Cássia Rodrigues

O Colégio Ulbra São Paulo, de Ji-Paraná/RO, promove, a cada semestre, o Concurso de Redação. O 6º ano trabalha sobre a tipologia narrativa, já o restante, do 7º ano à 3ª série do Ensino Médio, a tipologia utilizada é dissertativa argumentativa. Os professores trabalham com os alunos habilidades e conhecimentos para melhor desenvolver seus textos. Temas atuais são abordados e debatidos dentro de sala de aula para auxiliar na hora da escrita. Depois de pronta a redação, os alunos são desafiados a revisar seus textos e reescrevê-los, a fim de corrigir erros e problemas de coesão ou coerência. São selecionados os três melhores textos de cada etapa do ensino, que recebem medalha e certificado. O primeiro colocado recebe também um troféu. Pela expectativa criada em torno da premiação, já que os três primeiros colocados de cada turma ficam em sigilo até o momento da premiação, os familiares dos finalistas são convidados a participar da cerimônia.

COLÉGIO ULBRA DE APLICAÇÃO

23

ANO FOI MARCADO POR EXPERIÊNCIAS INCRÍVEIS Eixo definido pela Rede de Escolas motivou estudantes a desenvolverem competências Reprodução Crédito: Elton Horst

O Projeto Solidariedade trabalhou neste ano de 2021 com o Asilo Adolfo Bezerra de Menezes, de Minas Gerais. Realizou-se, com os alunos do 7º e 8º ano do Ensino Fundamental do Colégio Ulbra de Aplicação, Itumbiara/GO, uma campanha de recolhimento e doação de produtos de higiene pessoal para a entidade. A ação proposta pela professora Maria Betânia Gomes Diniz buscou despertar a consciência crítico-social humana dos alunos, desenvolvendo a empatia, o amor ao próximo, a solidariedade, o respeito e o cuidado com a pessoa idosa. Após uma visita à casa de repouso para conhecer o lugar e entender as necessidades, a professora, junto com os alunos, promoveu um Drive Thru do Bem. Para que os estudantes compreendessem melhor o assunto, sugeriu que assistissem filmes sobre ações do bem, realizassem pesquisas bibliográficas sobre solidariedade, além de promover debates que trouxeram novas perspectivas aos alunos.

A NOVA EDIÇÃO DA REVISTA MULTIESCOLAS TAMBÉM ESTÁ ONLINE NO LINK: issuu.com/ulbra

LEIA! CURTA! COMPARTILHE!

Anualmente, a Rede de Escolas se reúne para definir o Eixo Norteador do ano que está por vir. O tema eleito conduz as atividades dos colégios da Rede ao longo de todo o ano. Em 2021, não foi diferente! O eixo Promovendo experiências incríveis para a vida foi pensado para mostrar, de acordo com a Gerente de Operações da Educação Básica e Técnica, Núrfis Vargas, que tudo o que a Rede precisou crescer, desenvolver, desempenhar e aprender em 2020 seria colocado em prática em 2021. “Entendemos que sempre é a primeira vez dos nossos alunos na escola, quando mudam de turma, quando passam do Ensino Fundamental para o Médio, por isso os estudantes precisam de experiências incríveis, que irão gerar memórias significativas e o desenvolvimento de competências e habilidades”, destacou. Com esse norte, os colégios promoveram uma série de atividades ao longo de todo o ano. Alguns desses projetos são vistos tanto no resultado dos trabalhos do 8º Fórum de Práticas Pedagógicas – que podem ser conferidos nas páginas 14, 15, 16 e 17 desta edição – como na editoria O Brasil das Escolas da Ulbra, entre as páginas 19 e 22 da revista, onde pelo menos uma iniciativa incrível de cada escola é destacada. Ainda no ano de 2021, uma outra ação, alinhada com a proposta do eixo, uniu as escolas da Rede de todo o Brasil. Com texto e roteiro das estudantes do Colégio Ulbra Martinho Lutero, Hingrid Almeida Storch e Luiza Feltrin Pecker, a Rede de Escolas produziu seu vídeo institucional, exibido pela primeira vez na transmissão de aniversário dos 49 anos da Ulbra, realizada em 16 de agosto. A produção, que contou com a participação de estudantes, professores e familiares dos alunos e o campus Canoas da Ulbra e as escolas como cenário, demonstra as experiências que os estudantes vivenciam ao ingressarem na Rede Ulbra.

LEIA O ROTEIRO ESCRITO PELAS ALUNAS Hingrid Almeida Storch e Luiza Feltrin Pecker Estudantes do Colégio Ulbra Martinho Lutero

Sabe aquela Instituição que está presente em todos os momentos da tua vida... Desde pequeno até uma pós-graduação, e sempre com humanidade e pensando no teu bem-estar? A gente sabe... A gente vive... A gente tá lá! Nós somos a prova de que estudar na Ulbra é sinônimo de aprendizado além dos livros! Aqui teus sonhos se tornam metas e, essas metas, nós te ajudamos a alcançar... A Ulbra é assim... te incentivando a ser a tua melhor versão todos os dias! A dedicação presente em cada funcionário transmite aos alunos acolhimento, aprendizado e uma sabedoria que vai além do ambiente escolar... Valores únicos e momentos inesquecíveis... Realmente, uma jornada de carinho! Rede de Escolas da Ulbra: Promovendo experiências incríveis para a vida... Todo mundo merece uma trajetória assim, né? Vem para a Ulbra você também! ACESSE O QRCODE E ASSISTA O VÍDEO


O Sistema Positivo de Ensino manifesta um propósito genuíno de

DESPERTAR

a paixão

+ de

Tradição

40 anos

de PARCERIA 12 anos Tempo médio por escola

Isso para que o aprendizado seja uma experiência verdadeiramente significativa.

+ de

1.800 escolas

+ de

conveniadas

500alunos mil

Evolução + de

+ de

+ de

6.000 90 mil 7.000 recursos questões videoaulas digitais

Resultados 385

primeiros lugares

SiSU/2021

+ de 1.800 ALUNOS entre as 10 MELHORES NOTAS dos cursos nas MELHORES UNIVERSIDADES/2021

+ de

4.5 milhões

DE AVALIAÇÕES

concluídas

Plataforma Studos


26

NOVIDADE

EXPERIÊNCIA

3º ENCONTRO DOS LÍDERES DE TURMA CONECTA ESTUDANTES

COLÉGIO ULBRA SÃO JOÃO VENCE O IV FESTIVAL DE CURTAS DA REFORMA

A interação e a troca de experiências são fundamentais para o desenvolvimento da educação. Pensando nisso, a Rede de Escolas realizou no dia 13 de maio o 3º Encontro de Líderes de Turma. O evento ocorreu de forma remota com o tema Conectando Lideranças. O objetivo foi trocar experiências, unir as lideranças e conversar sobre Liderança Positiva com pessoas mais experientes. Com o intuito de integrar os alunos do 6º ano do Fundamental ao Ensino Médio, o evento teve a participação de líderes e vice-líderes de turma de toda a Rede Ulbra e capacitou e conectou os estudantes de todo o Brasil. Na abertura, houve reflexões sobre a vida e fé cristã com o capelão da Aelbra, Maximiliano Wolfgramm da Silva.

MASCOTE ULBRINHA ESTÁ DE CARA NOVA

Na categoria de vídeo mais visualizado no Youtube, o destaque foi para o Colégio Ulbra São Pedro

Edição deste ano foi no formato remoto e teve participação internacional Vinicius Barleben de Giacomo, publicitário e Assistente de Inovação da Escola da Inteligência, falaram sobre o tema Conectando Lideranças, aproximando os líderes de turma desta prática nas atividades escolares com os seus colegas.

Reprodução

Com esse assunto, muitos alunos tiveram a chance de interagir com os convidados. Além disso, a professora de Educação Musical do Colégio Ulbra São João, de Canoas, Mayara Tatiana Leal, tornou o evento leve e divertido através de apresentações musicais. O encontro foi patrocinado pelo Sistema de Ensino Positivo, com apoio da Escola da Inteligência.

O Festival de Curtas da Reforma, que teve sua origem nas celebrações dos 500 Anos da Reforma Luterana em 2017, após uma pausa devido à pandemia, voltou às atividades em 2021. O projeto promovido pela Rede de Escolas e pela Capelania da Aelbra celebrou o legado educacional e confessional da Reforma Protestante enfatizando valores e princípios alicerçados na fé cristã. O tema desta edição, que apresentou o seu vencedor no dia 29 de outubro, foi Ulbra - 50 Anos de História, que buscou valorizar a história da Ulbra e sua contribuição na formação de milhares de crianças e jovens ao longo de sua trajetória. Os vídeos produzidos pelos colégios Ulbra São João, São Pedro, Martinho Lutero, São Lucas, Cristo Redentor, São Paulo, Colégio Ulbra de Aplicação e Colégio Ulbra Cristo Salvador se inspiraram na história ou na valorização de elementos que caracterizam a Instituição.

Os convidados Juliana de Moraes, pedagoga e consultora educacional da Escola da Inteligência, e

O mascote da Rede de Escolas, conhecido como Ulbrinha, é muito querido por todos. O que ninguém sabe é que a criação do personagem é um tanto quanto curiosa. Em 2010, no Colégio Ulbra Concórdia, de Candelária, foi encontrado o desenho do atual mascote em um mural da biblioteca. A diretora Fabiana dos Santos, do Colégio Ulbra São Pedro, de Cachoeira do Sul, diz que até hoje não se sabe a autoria. Porém, a inspiração deixada, dois anos depois, virou uma opção para as crianças colorirem em uma festa do município onde a escola participava com um stand. E as ideias não pararam por aí.

“Já tínhamos o Hino da Ulbra, a bandeira do Colégio, faltava o mascote”, diz ela. O desenho, então, foi levado a uma empresa especializada que deu vida ao mascote. Sua primeira aparição aconteceu na Feira do Livro do Colégio, em agosto de 2012. O símbolo, agora vivo, tornou-se conhecido publicamente no desfile de 7 de Setembro. A presença do mascote também já foi vista nas edições dos Jogos Luteranos, divertindo os competidores. Reprodução

Reprodução

Professor Matias Streb, do Colégio Ulbra São Pedro, foi responsável pela modernização

Dos vídeos inscritos, cinco foram finalistas e apresentados na premiação que foi dividida em duas categorias: escolha do júri e vídeo mais visualizado no Youtube. Os vencedores foram anunciados através de uma live transmitida pela página da Rede de Escolas no Facebook. Os alunos do Colégio Ulbra São João de Canoas levaram o primeiro lugar com o curta Lutero! Estamos juntos, escolha feita pelos jurados.

Reprodução

Neste ano, o encontro teve a participação internacional do doutorando e mestre em Teologia Sistemática pela Escola de São Luís – EUA, Alan Diego Furst. Alan conversou sobre questões como: por que estudar e principalmente sobre a vocação de ser um estudante. Em 2016, Furst foi pastor assistente da Ulbra.

27

Já na categoria de vídeo mais visualizado no Youtube, o Colégio Ulbra São Pedro de Cachoeira do Sul levou a melhor com o curta Ulbra: uma Instituição, muitas trajetórias.

Agora, em 2021, o professor do Colégio Ulbra São Pedro, Matias Streb, foi convidado a fazer uma nova versão do mascote. De forma mais estilizada, o novo desenho não teve alterações no visual nem nas cores, apenas uma adaptação com um ar mais moderno. “Me sinto honrado em ter feito minha versão do Ulbrinha”, ressalta o professor.


28

50 ANOS DA ULBRA

ENSINO

CAMPANHA DE DOAÇÃO DE ALIMENTOS MARCA OS 50 ANOS DA ULBRA

REDE DE ESCOLAS JÁ TEM NOVO ENSINO MÉDIO IMPLANTADO

Objetivo da Instituição é arrecadar 50 toneladas de mantimentos

Colégios já atendem com a nova matriz curricular desde 2021

A Ulbra comemora seu aniversário de 50 anos em 2022, porém, as celebrações já começaram em seus 49 anos, no dia 16 de agosto de 2021. A comemoração foi marcada por uma transmissão ao vivo de um Programa Especial, pela Ulbra TV. A produção reuniu as 23 unidades do ensino superior e da Rede de Escolas da Ulbra no Brasil, localizadas nos estados do Amazonas, Rondônia, Pará, Tocantins, Rio Grande do Sul e Goiás.

O Novo Ensino Médio, aprovado em 2017, terá a obrigatoriedade para 2022. A Rede de Escolas da Ulbra implantou, em 2021, nas suas unidades de todo o Brasil. O novo currículo pretende atender às necessidades e às expectativas dos jovens, considerando as novas demandas e complexidades do mundo do trabalho e da vida em sociedade. Orientada pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), serão no mínimo 1.000 horas anuais, em um currículo mais flexível e com a oferta de diferentes possibilidades de escolhas aos estudantes. A implantação possibilita aos estudantes escolher o itinerário formativo no qual desejam aprofundar seus conhecimentos com foco em diferentes áreas. A mudança tem como objetivos garantir a oferta de educação de qualidade a todos os jovens brasileiros e aproximar as escolas à realidade dos estudantes de hoje. A Rede de Escolas da Ulbra planejou o novo projeto em parceria com a Escola da Inteligência (EI), que oferta os itinerários. “Tudo que estamos elaborando vai dar subsídio para que eles se conheçam melhor e conheçam as áreas, possibilitando fazer melhor suas escolhas”, diz Carin Kuchenbecker, gerente de Operações da Educação Básica e Técnica da Ulbra. Segundo a gerente de Políticas Pedagógicas da Educação Básica e Técnica, Núrfis Vargas, são nove escolas do Brasil que já estão com o sistema implantado e que, para este ano, além da carga horária exigida, a Rede de Escolas oferecerá na modalidade a distância as eletivas, que poderão ser escolhidas pelo aluno a cada semestre. Será proporcionado, anualmente, um mínimo de 80 horas de aprofundamento de diferentes temáticas. “Qualquer área que o aluno escolha profissionalmente, ele vai ter essas competências e habilidades desenvolvidas”, diz Núrfis.

29

de fraldas, shampoos e um happy hour solidário. Em Goiatuba, também em Goiás, o Colégio Ulbra Antares realizou uma carreata em celebração ao aniversário da Instituição. E no estado de Tocantins, o Colégio Ulbra Palmas realizou um passeio ciclístico e criou um Ecoponto para a coleta seletiva do lixo, um incentivo para a comunidade local cuidar do meio ambiente. O colégio Martinho Lutero arrecadou mil caixas de leite que foram doadas, o Colégio Cristo Redentor, em meio a uma gincana, promoveu a arrecadação de alimentos, assim como os colégios Cristo Salvador e São Paulo, que promoveram um dia de arrecadação e atividades mobilizando a comunidade local. Durante a transmissão, a gerente de Políticas Pedagógicas da Educação Básica e Técnica, Núrfis Vargas, disse que a proposta da rede é baseada nos princípios cristãos e éticos e que todas as ações pedagógicas possuem esses pilares. “A metodologia dos colégios é embasada na construção do conhecimento, ou seja, é através da investigação, da colaboração, da exposição e da experimentação que a mesma é construída”, destacou.

Arrecadação de alimentos

Reprodução

Visando ao melhor desenvolvimento do estudante, o Novo Ensino Médio prevê o itinerário formativo integrado com o Projeto de Vida, no qual o professor incentiva e instrumentaliza os alunos a buscarem a realização de seus sonhos. Além disso, serão trabalhadas competências socioemocionais, que permitem capacitar cada indivíduo a lidar com suas próprias emoções, a se relacionar com o outro, sendo capaz de colaborar, mediar conflitos e solucionar problemas. O Projeto de Vida ocorre nas três séries do Novo Ensino Médio. A Rede de Escolas convida a vir conhecer o Novo Ensino Médio, projeto que está incrível, e que foi pensado e construído de forma coletiva, com a colaboração dos professores, alunos e comunidade escolar visando ao protagonismo estudantil.

Ao todo, são 10 escolas da Ulbra nesses estados brasileiros. O evento teve mais de 2 horas de duração e contou com a participação de todos os colégios da Rede, que mostraram suas celebrações de aniversário. No Colégio Ulbra São Pedro, de Cachoeira do Sul, por exemplo, o tradicional parabéns foi tocado pela banda militar do exército de Cachoeira do Sul. Em Sapucaia do Sul, o Colégio Ulbra São Lucas realizou o Masterchef CSL, onde os alunos produziram doces e salgados e doaram para as crianças da Casa de Passagem. Já na gincana do “coraçãozinho”, que foi promovida pelo Colégio Ulbra São João, em Canoas, ocorreram diversas atividades físicas e danças. No Colégio Ulbra de Aplicação, localizado em Itumbiara, Goiás, foi realizado um drive thru dos pais, com arrecadação

Para celebrar seu cinquentenário, a Ulbra também lançou uma campanha de arrecadação de alimentos em parceria com o Banco de Alimentos. O objetivo é que as 23 unidades, tanto das escolas quantos dos campi universitários, arrecadem os mantimentos ao longo de um ano. Segundo o capelão da Aelbra e representante da comissão nacional que está organizando o cinquentenário, Maximiliano Wolfgramm, a meta é arrecadar 50 toneladas. “É uma forma da Ulbra retribuir o acolhimento que recebe da comunidade, em especial em um momento onde a pandemia causou tantos reflexos”, destacou. Através de um QR Code também é possível doar virtualmente mantimentos.


30

CONFESSIONALIDADE Pastor Robson Gautier Kaufmann Capelão no Colégio Ulbra Antares Goiatuba, GO

Dívida (im)pagável Qual o tamanho da tua dívida? Possivelmente muitos dos leitores desta revista têm dívidas. É uma dívida com o cheque especial, com o cartão de crédito ou diretamente em uma loja. Os motivos para contrairmos a dívida são os mais diversos: saúde, lazer, reforma da casa, do carro... Em razão da dívida e para uma boa saúde financeira, somos encorajados a uma boa administração das nossas finanças. E, convenhamos, não é tão fácil manter essa saúde. Suponhamos que, sem motivo algum, apenas por um gesto de amor, alguém quitasse todas as tuas dívidas, você aceitaria ou rejeitaria o pagamento? Parece loucura rejeitar, não é verdade? No momento em que escrevo esta reflexão terminei de assistir a série “Round 6”, na Netflix, que, por sinal, viralizou. A série nos conta a história de várias pessoas endividadas que entram em um jogo desejando ganhar o prêmio bilionário. Porém, haverá apenas um vencedor. Quem perde, morre, ou seja,

várias pessoas entregaram a vida em troca de uma quantia em dinheiro que possibilitará o pagamento da sua dívida. No entanto, aqueles que morreram não puderam saldar suas contas. Não são apenas os jogadores de “Round 6” que estão endividados. Você e eu também estamos. Nossa dívida não é apenas financeira, mas é sim uma dívida espiritual. É uma dívida que a Palavra de Deus, a Bíblia, chama de pecado. E esse pecado nos leva à morte, a uma eterna condenação, a um afastamento eterno de Deus e da Sua presença amorosa. Felizmente, não há motivos para o desespero. Diferentemente dos jogadores de “Round 6” que não puderam pagar suas dívidas, a nossa dívida foi paga por Jesus Cristo na cruz. O apóstolo Paulo escreve na carta aos Colossenses, capítulo 2, versos 13 e 14: “... Deus perdoou todos os nossos pecados e anulou a conta da nossa dívida... Ele acabou com essa conta pregando-a na cruz”. Gratidão é a palavra diante desse ato de amor divino. Nossa gratidão pode ser manifestada, também, através de nossas palavras, gestos e ações. Lá no local onde estivermos, onde Deus nos chamou a estar, que possamos, como diz o poeta em uma bela canção:

“Amar como Jesus amou; Sonhar como Jesus sonhou; Pensar como Jesus pensou; Viver como Jesus viveu”. Qual o tamanho da tua dívida? – Não sei... não existe mais dívida. Está paga!