Revista Vertical Plus de N° 3 de 2021 NOVA CAPA

Page 1

REVOAR - ASSOCIAÇÃO DE RESTAURO AERONÁUTICO VERSÃO ATUALIZADA 2.0

WWW.VERTICALPLUS.COM.BR

FOTO DAVID OLIVEIRA

BRASIL | ANO1 N°3 | NOV/DEZ/JAN 2021/22

SHOW AÉREO Itápolis Air Show marca o retorno das apresentações aéreas no Brasil em 2021. Um marco na retomada das Águias Raras.

ITAPEMIRIM

SÉRA QUE CHEGOU AO FIM? O FENNEC EQUATORIANO Um ferramenta essencial em missões de transporte e vigilância aérea.

APROXIMAÇÃO ESTABILIZADA

AVIAÇÃO OFFSHORE Helicópteros voando sobre o Mar.

DUBAI AIRSHOW 2021 E O A380 NO BRASIL


4ºBATALHÃO DE AVIAÇÃO DO EXÉRCITO

O

SELVA! 4º BAvEx é uma unidade Militar do Comando

de Aviação do Exército que está sediada no coração da selva Amazônica e, graças ao profissionalismo e espírito de cumprimento do dever de todos os seus militares, conta com elevada presença operacional no Comando Militar da Amazônia (CMA), prestígio e respeito de todas as Unidades Apoiadas e Unidades Aéreas co-irmãs da Marinha e Aeronáutica, orgulhando-se de poder, com tranquilidade, afirmar que se encontra sempre junto e adestrado para prosseguir no cumprimento de todas as missões em prol da segurança e desenvolvimento de nossa imensa e cobiçada, mas brasileira, Amazônia! Fonte: Exército Brasileiro


EXPEDIENTE ANO 1 | Nº 3 Novembro / Dezembro /Janeiro de 2021/2022 Diretor Executivo Luiz Carlos Jr

FOTO LUIZ CARLOS JR

Editor Bruno Anjos

Colaboradores Antonio Espinel Daniel Mantovani Lionel Coste Mark Zerafa Thales Pereira Teomar Benito

Conselho Editorial Aline Maia David Oliveira Rafael David Pedro Lanari Yam Wanders

Revisão e Arte Bruno Anjos Rafael David Luiz Carlos Jr Sebastian Suares

Apoio ACRO Defesa.News Defesa.Tv Orbis Defense

Patrocinadores Seja você um patrocinador!

Fale conosco contato@verticalplus.com.br Rio de Janeiro - Brasil

V.3. 3 JAN04/22

A Vertical Magazine não se responsabiliza por opiniões, ideias e posicionamentos emitidos nos textos publicados e assinados nesta revista digital. Cabe ao autor a responsabilidade das informações contidas nesta revista.


ÍNDICE É PENTA!

AVIAÇÃO EM TODO LUGAR

16

06 NOTA DO EDITOR Os convido para andar com a gente, pois, se existe um norte em nossa trajetória é basicamente por causa de vocês!

08 DUBAI AIRSHOW 2021 Um evento embalado com tudo o que você esperaria ver em um airshow global.

10

DUBAI AIR SHOW 2021 UM EVENTO EMBALADO COM TUDO O QUE VOCÊ ESPERARIA VER EM UM AIRSHOW GLOBAL.

FOTO LUIZ CARLOS JR - HELIXP 2021

24 OPERAÇÃO VOLFA 2021 Ao longo dos anos, a VOLFA tornou-se um evento imperdível para a preparação de combate das forças convencionais da Força Aérea e do Espaço.

Itapemirim Transportes Aéreos deu inicio as operações no Aeroporto de Congonhas (CGH). Mas, infelizmente, em 16 de Dezembro chegou ao fim de suas operações. Veja.

34 QUANDO ESTABILIZAR UMA Mais do que uma vez, ouvi vários colegas com o mesmo questionamento, por que estabilizar a aeronave a 1000 pés? CONTATO@VERTICALPLUS.COM.BR VERTICALPLUS@OUTLOOK.COM.BR

12

WWW.VERTICALPLUS.COM

REVISTA VERTICAL

FOTO GABRIEL TEGGI

APROXIMAÇÃO

| 04


TAKEOFF EM 2022

38 Créditos da Foto: @Bruno_asarotativa

Em breve lançaremos a nossa galeria de fotos, faça parte deste time também!

EDITORIAL

56

Você já ouviu o som de um ELT acionado?

62 REVISTA VERTICAL

| 05

05 EDIÇÃO 2

76

O SOM DO ELT

REVISTA VERTICAL

ITAPOLIS AIR SHOW 2021

FOTO VERTICAL PLUS

FOTO VERTICAL PLUS

FOTO ANTONIO LIONEL

68

AVIAÇÃO DO EXÉRCITO EQUATORIANO

BRIG. NERO DE MOURA PATRONO DA AVIAÇÃO DE CAÇA


NOTA DO EDITOR R

ecentemente, tive uma

natureza desde cedo nos ensina:

a r ieli s a r B a e r é A a ç r o F - s o r r a B n o s n o h J s o ti d é r C

daquelas gratas oportunidades

que as conquistas acontecem, em

que a fotografia nos dá, quando

havendo dedicação. Nunca se viu

podemos aliá-la a criatividade.

alguém correndo sem ter andado

Uma estação de metrô, na

(e caído ) antes.

madrugada ( portanto fora de

Nesse ano, todos em maior ou

operação ), realizando manobra

menor escala tivemos que

de energia ( literalmente

reaprender sobre nossas

apagando tudo ). E eu ali, na

caminhadas. E, ao que parece,

plataforma apenas na penumbra

apesar de uma aparente

das luzes de emergência. Em

estabilizada no cenário mundial,

êxtase. Sem saber o tempo que

ainda existe motivo para atenção.

dispunha, procurei fazer a melhor

Sendo assim, como diria Gil,

composição daquele cenário

"andar com fé eu vou, que fé não

bucólico e dei ao resultado a

costuma falhar"...

seguinte legenda: "As vezes só

E os convido para andar com a

precisamos de um tunel no fim da

gente, pois, se existe um norte em

luz..."

nossa trajetória é basicamente

Qual a moral da história? Que não

por causa de vocês! Afinal, que

precisamos de muito para nos

sentido faria dedicar dias de

inspirar, mas também nos

produção de todo esse material se

desestimulamos com pouco. Não

não fosse para entregar alguns

deixe a "falta de energia" te

momentos de boa leitura?

dissuadir, faça de qualquer

Desejo de coração à todos o

chance um motivo para se

melhor fim de ano que este ainda

desafiar a produzir algo positivo,

adverso cenário nos permitir, que

por menor que pareça ter sido o

a paciência e a vontade de nos ler

resultado. A ideia é tentar, obter

permaneça e se multiplique e que

será consequência.

no ano que se aproxima as coisas

Foi balizado nessa premissa que

nos facultem um pouco mais de

aqui estamos. Tal qual qualquer

serenidade para aproveitarmos a

postulante ao aprendizado (ou

dádiva de estarmos vivos.

reaprendizado ) do simples

Um grande abraço!

caminhar, intuindo, investindo, insistindo, resistindo, e aos poucos

BRUNO ANJOS

assistindo sobre o que nossa

Editor da Vertical Plus


LISTA DE COMPRAS

Caneca do Tema Comando de Aviação do Exército Caneca de Porcelana da Coleção CAv EB H225M 325 ml Altura 9,5 cm Diâmetro 8,0 cm

CAMISETA MALHA VISCOSE ESTAMPA BORN TO FLY Camiseta em Malha Viscose bem leve, que não amassa e é muito fresca e confortável. A estampa é bem discreta, ideal para um estilo mais sofisticado, e traz o lema dos apaixonados pela aviação.

Disponível em: Entre em contado com nosso instagram @revistaverticalplus Preço: R$ 69,90

Disponível em: www.hangar33.com.br Preço: R$ 94,90

Disponível em: www.ceuazulembarque.com.br Preço: R$ 69,90

PREÇOS PRATICADOS ATÉ O FECHAMENTO DESTA EDIÇÃO. DATA 20/11/2021

www.verticalplus.com.br

09 EDIÇÃO 2

A primeira obra sobre a teoria aplicada às operações aéreas com Night Vision Goggle no Brasil. Apresenta as bases teóricas necessárias para que organizações aéreas iniciem a implementação de voos em helicópteros utilizando óculos de visão noturna

REVISTA VERTICAL

LIVRO FATORELLI - O Voo com Night Vision Goggles


AIRBUS A380 DE VOLTA AO BRASIL BRUNO ANJOS

FOTO LUIZ CARLOS JR

Revista Vertical Plus

AIRBUSA380 POUSANDO EM GUARULHOS APÓS A PARALIZAÇÃO DAS OPERAÇÕES EM MARÇO DE 2020.


V

ocê começa a perceber as

ajuda a arrefecer as dores dos

nuances do "velho normal"

dissabores aos quais estivemos

começando a se reaproximar da

lentavelmente sujeitos. Seja num

nossa vida ao tomar ciência das

cinema reaberto, um show ao vivo

coisas que antes lhe eram

(in loco), aquela praia para

corriqueiras sendo hoje tratadas

relembrar ao corpo sobre a

como destaques na mídia, pelo

vitamina D, ou para nós,

simples fato de voltarem a

entusiastas deste mundo movido

acontecer. Sem querer fazer juízo

a querosene, gasolina e paixão,

de valor, apenas procurando me

um bom dia de spotting: e nesse

ater ao lado institucional do

ponto, nada melhor que

cenário em que ainda estamos

comemorar a volta do segundo

"mergulhados", após tantas

quadrimotor mais querido dos

adversidades, perdas de pessoas

nossos céus (atualmente, o

queridas -- dentre outros revezes -

Electra já se aposentou), que só

- um pouquinho da sensação

perde para o 747 em minha

dessa tempestade passando

humilde opinião... A Emirates voltou a voar para o Brasil, e para deleite da comunidade spotter, com o A380. Isso poderia ser uma boa notícia basicamente para o pessoal de SP, já que a rota atendia é DXB - GRU ( Dubai Guarulhos ), mas, não há nada mais regozijante que registrar esse belo "pássaro" em altitude de cruzeiro, riscando os céus e deixando seu "rastro" (o famoso "contrail" ), em qualquer ponto do planeta. Após o retorno do mundo árabe a SP, já tivemos no RJ também algumas boas notícias, como a UNITED AIRLINES, LATAM (internacionais), AEROLINEAS ARGENTINAS, que graças a este esboço de regularidade que insiste em querer nos mostrar que o pior parece ter passado, nos acenam no afã de restabelecer suas atividades e ajudar a empurrar a roda da economia, tão sacrificada nestes tempos. Sejam muito bem vindas!


DUBAI AIR SHOW 2021 BRUNO ANJOS Revista Vertical Plus

P

arafraseando minha querida mãe, creio

ser a expressão que melhor define o que foi o DUBAI AIR SHOW 21, oriunda de seu peculiar portfólio: "Um escândalo"! Ocorreu entre 14 e 18 de novembro com pavilhões abrigando mais de 20 países, 370 companhias, (só de startups tinham 80!) mais de 160 aeronaves comerciais, civis e militares ( incluindo a última versão do Boeing 777 e do Global 7500 ), quase 400 delegações de mais de 140 países, e mais de 250 palestrantes, das mais diversas áreas da indústria aeroespacial: números que não deixam qualquer dúvida sobre a capacidade em organizar grandes eventos nem do poder crescente deste ramo neste cenário pós pandemia (ainda que não totalmente extinta). Aliás, o grande foco do evento era justamente sobre isso: reinvenção. A sustentabilidade estava em todos os segmentos ( ainda que estejamos falando de um evento de aviação e vendas, num país árabe ), procurando lançar um novo olhar sobre velhas práticas, provavelmente ainda sob a influência do caos que se instaurou na economia mundial. Alguns ganharam muito dinheiro, mas muitos perderam bastante. Já fico imaginando o que virá no próximo, com a economia mais recuperada e provavelmente aquecida. Chega de "perrengues" neste século não acham? Então, que venha 2023!

REVISTA VERTICAL

| 10

Créditos: Media Center Dubai Airshow 2021

VERTICAL 2M

the world


Créditos: Media Center Dubai Airshow 2021

Créditos: Media Center Dubai Airshow 2021


FIRST CLASS Aeronave A320 DA ITA TRANSPORTES AÉREOS

Itapemirim em Congonhas: um sinal de crescimento do principal aeroporto da capital. REDAÇÃO

N

este mês de Novembro, a Itapemirim

Transportes Aéreos iniciou suas operações no Aeroporto de Congonhas (SBSP), fato que representa mais um sinal da

Revista Vertical Plus Fotos de Gabriel Teggi

recuperação do setor frente às dificuldades encontradas por ocasião da pandemia. A

"Congonhas é o principal Aeroporto da Capital Paulista, cuja localização é de fácil acesso, pois está a 8 km do centro de São Paulo, e de acordo com os dados divulgados pela ANAC, está entre os cincos aeroportos brasileiros mais movimentados do Brasil..."

boa notícia é que as empresas aéreas estão aumentando as suas operações à medida que a população vacinada vai ganhando segurança para retomar as viagens de lazer e de negócios. Fato que podemos verificar com o aumento da procura de passagens aéreas, principalmente quando nos aproximamos do período de festas de final de ano e das férias escolares.

REVISTA VERTICAL

| 12


Nos últimos três meses, ainda

capitais brasileiras a partir da região

experimentamos um aumento do número

metropolitana de São Paulo.

de viajantes que buscam soluções de lazer à

A entrada da ITA nesse grupo de empresas

medida que as grandes cidades brasileiras

aéreas que operam em Congonhas pode ser

abrem as portas para o turismo doméstico,

a peça chave para colocar o aeroporto entre

entretanto para o mercado internacional

os três mais movimentados do Brasil. O fato

ainda teremos que aguardar um retomada

é que o aeroporto vem passando por obras

gradual a medida que as variantes

de infraestrutura com a implantação do

encontradas sejam suportadas pelas atuais

EMAS (Engineered Material Arresting

vacinas aplicadas.

System), que visam maior segurança nas operações, aumentando a área escape da

O aeródromo da zona sul de SP

pista, assim como no aumento de posições

Congonhas é o principal Aeroporto da

a ser ofertada em seus pátios de

Capital Paulista, cuja localização é de fácil

estacionamento de aeronaves. Todas as

acesso, pois está a 8 km do centro de São

ações resultam na possibilidade de um

Paulo, e de acordo com os dados divulgados

aumento do número de aeronaves

pela ANAC, está entre os cincos aeroportos

atendidas entre pousos e decolagens e a

brasileiros mais movimentados do Brasil, no

entrada da ITA em Congonhas reforça essa

primeiro semestre de 2021. Voar para

intenção de crescimento do principal

Congonhas pode ser uma vantagem para

aeroporto da capital paulistana.

chegar mais rápido aos compromissos numa cidade do tamanho de São Paulo, o que significa que podemos estabelecer conexões mais eficientes com as principais


ATUALIZAÇÃO 03/01/2022

Itapemirim suspende suas operações deixando dúvidas sobre o seu futuro no Brasil

C

om grandes planos de expansão, a ITA

Com relação aos custos operacionais, o

iniciou a sua jornada na operação de voos

combustível e os impostos são os grandes

comerciais regulares em primeiro de julho

vilões para manter os preços equilibrados.

de 2021. Foram menos de cinco meses de

A ITA chegou com a proposta de um serviço

trabalho no atendimento de 13 cidades.

diferenciado com base no conforto,

Originalmente, o plano de expansão para 22

atendimento e qualidade a preços justos.

cidades até dezembro de 2021 dependia da

Durante sua operação, a estratégia adotada

chegada de novas aeronaves. O que não

foi expandir rapidamente o número de

ocorreu até então. A Itapemirim viveu

rotas, todavia, o número reduzido de

momentos de altos e baixos na abertura de

aeronaves e a "baixa" taxa de ocupação,

novas rotas e na aquisição de novas

exigiram, por diversas vezes, readequações a

aeronaves, por outro lado, cancelamento e

fim de alcançar melhores resultados. Mesmo

atrasos de voos culminaram numa

assim, atrasos e cancelamentos não foram

suspensão repentina, que deixou cerca de

novidade. Aquilo que poderíamos classificar

45 mil passageiros desassistidos em diversos

como ajuste operacional de uma jovem

aeroportos do Brasil. Uma situação

empresa se tornou uma bola de neve que

preocupante, uma vez que, entramos no

resultou inclusive no uso de quatro

período de alta temporada onde os preços

aeronaves para fretar um evento esportivo e

dos bilhetes aéreos sobem à medida que o

deixar sua malha aérea nacional descoberta.

tempo avança. Para os clientes afetados, caberá aguardar seus reembolsos, comprar

Voar na ITA

passagens mais caras ou cancelar o tão

Como viajante, em uma de minhas viagens,

sonhado plano de viagem. Um verdadeiro

optei por voar com a ITA no trecho entre

“balde de água fria” para um setor que está a

Guarulhos (SP) ao Rio de Janeiro (RJ). Neste

caminho de uma retomada.

voo em específico tive uma excelente impressão da empresa. Por quê?

O Bilhete Aéreo

Pontualidade, atendimento e conforto

Diferente de outros setores do transporte o

fizeram diferença nesta primeira experiência

valor do bilhete aéreo pode variar e muito

com a Itapemirim, sendo perceptível a

de acordo com a localidade e período de

motivação dos colaboradores ao vestir as

compra. As regras praticadas para estimar

cores da nova empresa aérea.

os valores das passagens variam.

Profissionais que trouxeram boas práticas de

FOTO DENIZ SANTOS

atendimento que certamente fizeram diferença. Fruto da experiência adquirida

" É fato que vender passagens aéreas está muito além de vender um serviço. Existem muitas expectativas em jogo. "

em outras empresas.


A pandemia, definitivamente, acabou com

Um futuro de muitas dúvidas

diversos postos de trabalho e com o fim da

Num ambiente de controvérsias o provável

Avianca, aliada ao encolhimento do setor,

motivo que resultou na suspensão dos

juntos, foram resultado de muitas

serviços foi a paralisação da empresa

demissões. O surgimento de uma nova

terceirizada Orbital que, em contrapartida,

empresa fez florescer muitos sonhos,

declara que não deixou de prestar os

principalmente daqueles que ganharam

serviços de solo e não possui envolvimento

uma segunda oportunidade para trabalhar.

na decisão da ITA em interromper as operações.

Voos Cancelados

Ainda que não possamos determinar as

Se pudéssemos tirar uma pérola de

responsabilidades, podemos garantir que os

aprendizado no “caso Itapemirim”, seria as

resultados desta suspensão deixará um

frequentes reclamações de voos cancelados.

futuro de incertezas. São oito aeronaves que

Aquilo que poderia ser um ajuste de malha

correm risco de serem devolvidas para seus

de uma jovem empresa, seria os sinais de

donos (bancos e empresas de leasing),

um problema ainda maior.

devido à impossibilidade de voltar a voar.

Não é saudável cancelar voos para ajuste

De acordo com Sidnei Piva, presidente da

operacionais sem que haja a devida

ITA, a empresa não está falida e tem planos

justificativa. Os passageiros precisam saber

de voltar a voar. “Não teremos demissões”,

o por quê do cancelamento do seu voo.

reforça o CEO da Itapemirim na intenção de

Atualmente estamos vendo diversos voos

reformular sua empresa.

sendo cancelados por falta de tripulação

Conseguir a revogação da suspensão do

cuja explicação se deve ao aumento dos

COA (Certificado de Operador Aéreo), que é

casos de COVID 19 e Influenza. São situações

um documento que garante que a empresa

semelhantes, mas com aspectos totalmente

possui as competências necessárias para

diferentes.

voar, não será fácil. Essa e tantas outras

Pessoas viajam de avião por diversos

perguntas deixam um ar de dúvidas sobre o

motivos. Aprendemos o quanto é danoso

futuro da ITA no setor aéreo.

deixar um passageiro desamparado em um

Um longo caminho de reconstrução de uma

aeroporto. Ficaria difícil contar a história de

imagem abalada que depende do tempo,

um passageiro pois embarcar não seria um

confiança e muitas mudanças.

luxo, mas uma necessidade. É fato que vender passagens aéreas está muito além de vender um serviço. Existem muitas expectativas em jogo.

REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 3

15


Créditos da Foto: @ingospotter

INFOVERTICAL


O novo conjunto do rotor principal, o aumento do peso máximo de decolagem, e a opção de um interior de grife fazem com que a nova variante do ACH 145 acirre a concorrência no mercado de helicópteros biturbina voltados ao transporte executivo.

PEDRO LANARI

HELIXP 2021

Colunista da Revista Vertical Plus


E

m 2002, o Brasil estava em festa! Os

gritos de “É Penta” ecoavam pelas ruas de todo o país após a vitória do Brasil sobre a Alemanha por 2X0 na final da copa do mundo. Enquanto o mundo admirava o futebol da nossa seleção, na Alemanha, o projeto 2014 já estava a todo vapor... Não me refiro aqui ao tetracampeonato de futebol conquistado no Brasil, mas sim a uma aeronave, uma verdadeira obra prima de performance. A família H145 tem como ancestral o BK117A, que surgiu em 1982 e foi sofrendo atualizações até 2002. Naquele ano, o modelo adotou uma fuselagem muito parecida com a do modelo atual, porém com rotor de cauda tradicional, passando a ter o nome comercial de EC145. Em 2014, o modelo sofreu outra grande evolução, passando a se chamar H145-D2 (tipo BK117D2) e adotando o rotor de cauda tipo Fenestron.

A potência disponível é, sem dúvida, o grande diferencial do projeto H145.

A Airbus Helicopters entregou o primeiro H145 de cinco pás a ser usado no segmento eólico offshore para seu cliente de longa data HTM Helicopters. Créditos: Airbus

O H145-D2 foi um sucesso absoluto de vendas, pois possuía muita potência e tinha uma plataforma bastante confiável,

transporte executivo. O sucesso do modelo pode facilmente ser comprovado por números. No final de 2020, existiam 1.471 aeronaves da família H145 em operação em 62 países, sendo que a frota mundial já havia acumulado mais de 6 milhões de horas de voo. A potência disponível é, sem dúvida, o grande diferencial do projeto H145.

REVISTA VERTICAL

| 18

11 EDIÇÃO 2

serviço aeromédico, militar, e também para

REVISTA VERTICAL

operações de resgate, de segurança pública,

Créditos: Airbus

tornando-o uma escolha natural para


Créditos: Airbus

Na versão executiva, o interior da aeronave possui diversas configurações de assentos, podendo transportar de 4 a 8 passageiros, além de 2 tripulantes.


Os motores Arriel 2E entregam 894 shp de potência de decolagem cada um, e, na condição de voo monomotor, podem entregar 1.072 shp por 30 segundos. Já a transmissão tem capacidade de até 905 shp, tornando o conjunto muito robusto para operações que exijam uso extremo de potência, como operações de segurança pública, pousos e decolagens em altitude e/ou temperatura elevada, e também em caso de voo monomotor. A nova atualização do modelo, chamada de H145-D3 (tipo BK117-D3), apresenta uma série de modificações que deixaram o já consagrado helicóptero ainda melhor. A de 5 pás (“Pentapá”), que diminuiu o cumprimento “D” do helicóptero em 10cm quando comparado à versão antiga de 4 pás (“Quadripá”); mas as atualizações não pararam por aí. Dentre as modificações feitas, destacam-se o novo estabilizador

Créditos da Foto: @ingospotter

primeira, que salta aos olhos, é o novo rotor

horizontal, novo crosstube dianteiro, novo software de piloto automático, nova bomba hidráulica elétrica, remoção de amortecedor de 3Hz, e a possibilidade de instalação de servidor de conexão de wireless. Tudo isso deixou o modelo ainda mais atrativo e preparado para enfrentar a concorrência no mercado de helicópteros corporativos. O novo rotor possui uma cabeça simplificada, sem rolamentos, óleo ou pontos de lubrificação; sendo suas pás intercambiáveis e, como opção, dobráveis, para facilitar a hangaragem. Estas modificações foram as principais responsáveis pelo aumento de 150 kg na carga útil disponível. O Peso Máximo de Decolagem também subiu de 3.700Kg para 3.800Kg. No começo de 2020, eu tive a oportunidade de testar o então protótipo do H145-D3 na fábrica da Airbus, na Alemanha. Após uma incrível recepção por parte do pessoal da fábrica e do gerente de vendas da Airbus Helicopters / HELIBRAS no Brasil, Luciano Ricotta, fui apresentado a Alexander Neuhaus, piloto de testes da Airbus. O

REVISTA VERTICAL

| 20

Comandante Neuhaus havia aparecido em diversas reportagens alguns meses antes quando, em Setembro de 2019, pousara o ACH 145 pentapá no monte Aconcágua, a montanha mais alta do hemisfério sul, a uma altitude de 22.840 ft. Foi a primeira vez que um helicóptero biturbina pousou nesta altitude. O Comandante Neuhaus falou sobre o desempenho e as características de voo da aeronave, o que me deixou extremamente curioso para ver tudo isso na prática. Estaria ele exagerando ou seria realmente tudo isso? Fomos para a aeronave, que estava configurada ainda como aeronave de testes, ou seja, sem nenhum acabamento interno, porém com uma série de equipamentos


HELIXP 2021

A aeronave é silenciosa e o rotor rígido proporciona respostas rápidas, porém previsíveis, aos comandos de cíclico.

certificação da nova variante do modelo.

decolagem. Coloquei a aeronave em voo

Estávamos em cinco pessoas a bordo e com

pairado, tendo a mesma se estabilizado

aproximadamente 50% da capacidade do

nesta condição quase que sozinha. O

tanque de combustível, a uma elevação de

sistema de estabilização da aeronave é

1350 ft e a temperatura em torno de 2ºC. Ao

realmente incrível, tendo compensado

entrar no pairado, o renomado piloto de

completamente o yaw, mesmo com

testes colocou um motor em idle (marcha

variações rápidas de potência. O piloto

lenta) e, sem nenhuma cerimônia,

automático de 4 eixos é extremamente

decolamos na vertical para nosso voo de

eficiente, mas não foge do que também

demonstração! Isso mesmo, decolamos com

está disponível em modelos de outros

apenas um motor e fomos embora, como se

fabricantes.

nada tivesse acontecido! Neste momento,

A aeronave é silenciosa e o rotor rígido

percebi que o Comandante Neuhaus não

proporciona respostas rápidas, porém

havia exagerado em nada sobre o que havia

previsíveis, aos comandos de cíclico.

me dito minutos antes.

Coloquei potência máxima contínua e o

Após completarmos este primeiro voo, já

PFD da suíte de aviônicos “Helionix”, indicou

com a aeronave no solo, o Cmte. Neuhaus

140kt. Com essa velocidade, iniciei uma

21 EDIÇÃO 3

me passou os comandos para uma nova

REVISTA VERTICAL

que estavam sendo usados no processo de


curva de 45º de inclinação para ambos os lados, tendo a aeronave se comportado de forma muito estável. Na aproximação, mais uma vez o que chamou a atenção foi a estabilidade e suavidade da aeronave, com potência de sobra para qualquer situação inesperada. A combinação do PFD com o Synthetic Vision System (SVS) realmente ajuda muito na consciência situacional da tripulação. Outra função excelente é a chamada “blue line”, que indica, em tempo real, a altitude máxima para voo monomotor. Importante dizer que o sistema Helionix não é uma novidade do modelo pentapá, uma vez que já era utilizado na versão D2 e também em outros modelos da Airbus, como o H135, H160 e H175. sigla “ACH” (Airbus Corporate Helicopters ), a linha de luxo da fabricante voltada para o mercado executivo. O ACH145-D3 se difere das demais variantes do H145 justamente pelo interior mais refinado que, dentre diversas opções, possuí uma com a

Créditos da Foto: Luiz Carlos Jr.

A versão corporativa do H145-D3 possui a

assinatura da fabricante de veículos Mercedes-Benz. O design criado pela renomada fábrica de veículos realmente deixa a aeronave muito sofisticada, com detalhes em aço escovado, piso que lembra madeira e assentos com design futurístico, porém muito confortáveis. Além disso, existe a possibilidade de instalação de um sistema de ar condicionado mais potente e eficiente. O ACH145-D3 tem um tanque com capacidade para 723Kg de combustível, o que lhe proporciona um alcance máximo de 351 Nm e uma autonomia de 3h 35min;

... os operadores da versão D2 (4 pás) podem fazer o retrofit de suas aeronaves através de um kit vendido pela Airbus.

REVISTA VERTICAL

| 22

Créditos da Foto: Anderson A. Silva

sendo que, de acordo com o fabricante, sua


velocidade de cruzeiro é de 130KTAS. Neste ponto, o ACH145-D3 não impressiona, porém seu custo operacional direto é um dos mais baixos do mercado de helicópteros biturbina. Na versão executiva, o interior da aeronave possui diversas configurações de assentos, podendo transportar de 4 a 8 passageiros, além de 2 tripulantes. Se o ACH145-D3 ganha de goleada dos concorrentes no desempenho em condições operacionais extremas, quando falamos em conforto interno a coisa fica um pouco diferente. Grande parte dos seus impressionantes números de performance vêm exatamente de sua espetacular relação peso/potência. Neste sentido, quando comparado ao seu concorrente direto, a aeronave é ligeiramente menor tanto externa, quanto internamente. A separação entre o bagageiro e a cabine de passageiros é feita bagageiro não é isolado fisicamente da cabine, porém, a enorme porta de acesso localizadas na parte traseira da fuselagem faz com que o acesso ao bagageiro seja fácil e seguro. A partir de 2021, a linha de produção da fábrica na Alemanha passou a produzir somente a nova versão D3 do helicóptero, sendo que a HELIBRAS já entregou duas unidades deste novo modelo aqui no Brasil e já instalou o kit de conversão da variante D2 para D3 em outras duas aeronaves. Sim, os operadores da versão D2 podem fazer o retrofit de suas aeronaves através de um kit vendido pela Airbus. Até o momento, mais de 100 destes kits já foram vendidos em todo o mundo. Nunca é fácil melhorar algo que já é tido como muito bom, mas a Airbus Helicopters conjunto do rotor, introduzir a opção de um interior mais sofisticado e aumentar a capacidade de carga útil da versão anterior.

23 EDIÇÃO 3

conseguiu exatamente isso ao aprimorar o

Como se vê, a Airbus Helicopters marcou um golaço no concorrido mercado de helicópteros corporativos com a introdução desta nova variante do modelo. O novo ACH145-D3 é Pentapá!

REVISTA VERTICAL

HELIXP 2021

pela última fileira de bancos, ou seja, o


VERTICAL NEWS Foto de Divulgação : YAM WANDERS


A400M da Armée de l’Air et Espace em exercício no aeroporto de Andrezieux O Airbus A400M é a aeronave de transporte, certificada para cumprir diversas missões militares com o apoio de tecnologias de ponta. A interoperabilidade é a razão que as fabricantes se utilizam para fabricar equipamentos versáteis que possam ser empregados em missões conjuntas. Lançado em maio de 2003 para atender sete nações europeias, o A400M é capaz de fazer a diferença no cenário guerra.

YAM WANDERS Colunista da Revista Vertical Plus


ARMÉE DE L’AIR

Treine enquanto luta O exercício “Volfa” é organizado anualmente pelo Comando da Força Aérea (CFA), responsável pela preparação do combate, forças convencionais, especiais e de apoio do Exército Aéreo e Espacial.

O

mundo é um ambiente de intensas

ameaças e desde a assinatura do tratado do Atlântico Norte. Em 1949 uma grande Aliança Militar e intergovernamental foi idealizada, para unir forças e utilizar-se dos

Unido e Suíça treinaram juntos para melhorar sua capacidade de conduzir operações em um ambiente simulado em um terreno hostil, em uma região que

recursos bélicos como uma ferramenta de

abrange todo o espaço aéreo acima da base

proteção e dissuasão. Uma ação que não se

principal em Mont-de-Marsan, próxima da

restringe à defesa de fronteiras, mas de toda

costa do Atlântico e a região montanhosa

uma região. O Volfa 21 é uma destes esforços que empregam os meios militares dos países

do Maciço Central da França, no centroleste.

aliados e parceiros para oferecer segurança aos membros da OTAN. É uma

O cenário

demonstração significativa do compromisso

Um dos grandes problemas da atualidade

coletivo dos Aliados em salvaguardar o

Foto de Divulgação : Armée de l’Air

espaço aéreo do Atlântico Norte na

são os conflitos onde existem mais de uma

dissuasão e defesa da população civil.

frente de batalha e os combates são

Este ano, pilotos da França, Bélgica, Canadá,

dispersos em regiões de diferentes relevos e

Dinamarca, Alemanha, Espanha, Reino

com a atuação de tropas heterogêneas, com diferentes objetivos e uso de equipamentos diversificados.


Foto de Divulgação : Armée de l’Air

O exemplo mais clássico desse cenário

Espaço Simulado

foram os conflitos na Ex-Iugoslávia nos anos

O cenário operativo usado neste exercício é

90 e a atual guerra civil na Síria, onde além

um ambiente simulado que se destaca pelo

da atuação dos movimentos insurgentes,

realismo e alta intensidade. O espírito de

existem os grupos terroristas e milícias que

cooperação entre as nações aliadas é um

atuam por procuração de outras nações

fator determinante para o sucesso da

interessadas no conflito. A complexidade de

missão.

atuação em um cenário como esse poderá

A intervenção militar leva em consideração

ser o padrão para os conflitos futuros que a

o estudo estratégico obtido por uma equipe

OTAN provavelmente poderá atuar e o

de inteligência, ou que chamamos de

Exercício Volfa pretende ser esse "ensaio"

oficiais de comunicação, cuja

experimental.

responsabilidade é enviar as coordenadas para centro de controle informando as áreas

Ao todo foram cerca de 50 aeronaves de

fundamentais para obtenção da

oito nações Aliadas cobrindo todo o

superioridade aérea, com a utilização de

espectro de operações de voo com elevada

caças bombardeiros, caças de combate e

intensidade de preparação: superioridade

drones.

aérea, infiltração de comandos, apoio aéreo

Uma vez que as aeronaves estão

próximo às forças terrestres e defesa terra-ar.

controlando o espaço aéreo é a vez da

O objetivo era estimular ações de

equipe terrestre avançar sobre o território

interoperabilidade num ambiente de

inimigo e garantir a neutralização das

missão complexo, integrando múltiplos

ameaças que anteriormente foram

meios aéreos, incluindo caças, transportes,

identificadas. Assim, torna-se necessário a

helicópteros e drones capazes de manter

inserção de diversos meios de apoio e

suas forças ativas 24 horas por dia em 7 dias

suporte aos militares em terra, o que inclui

por semana, ou seja, "24/7".

helicópteros de combate, busca e resgate.

27 EDIÇÃO 3

que serão retomadas. Tais ações são

REVISTA VERTICAL

A Missão


Treinar

O lema do exercício Volfa é "treine enquanto luta”. Fato que certamente foi explorado durante as manobras táticas que contaram com a presença de militares estrangeiros que se juntaram às fileiras das unidades francesas para desenvolver intercâmbios e interoperabilidade. Motivo que enriquece a integração nas missões de superioridade aérea, reconhecimento, inserção terrestre e proteção de tropas. Um objetivo alcançado na perspectiva operacional do conceito de dissuasão e defesa da área euro-atlântica. Atuando na defesa da população contra ameaças estrangeiras.

Exercício VOLFA 2021 Dassault Mirage 2000 D "Soleil de Rhodes" e "Sanglier des Ardennes" 3ª Foto: Lionel Coste Spotter Eagle

Ala de Caças.

REVISTA VERTICAL

| 28


FOTO © LUIZ CARLOS JR


VOLFA 2021

SE PREPARANDO PARA A BATALHA ? EM UM AMBIENTE DE ALTA INTENSIDADE LIONEL COSTE - FRANÇA

A

o longo dos anos, a VOLFA tornou-se

- A implementação da última geração

um evento imperdível para a preparação de

significa equipar as unidades das forças

combate das forças convencionais da Força

aéreas, desde o Rafale F3R até o A400M

Aérea e do Espaço. Realizado de 27 de

através do Ceifador e o C-130J.

setembro a 15 de outubro de 2021 a partir da

Um cenário realista feito sob medida,

Base Aérea (BA) 118 de Mont-de-Marsan VOL

construído em torno das necessidades de

FA 2021 é um exercício nacional de síntese

treinamento das unidades, em estreita

organizado pelo Comando da Força Aérea

colaboração com o centro especializado de

(CFA). Objetivo: estar no ponto de encontro

combate colaborativo (CECC) e seus airbosss

das operações.

- Um exercício conjunto marcado pela presença de aeronaves e edifícios a Marinha

VOLFA 2021 PONTO A PONTO

Francesa e os controladores avançados de

- 25 Ataques aéreos complexos, dia e noite,

tráfego aéreo, operadores de defesa terra-ar

ao longo dos cenários de treinamento de

e tropas aéreas do Exército.

combate de alta intensidade superioridade aérea, reconhecimento, Projeção de Força, Proteção da Força e atividades dissuasórias - Cerca de 50 aeronaves envolvidas, a maioria operando a partir do BA118 de Mont de Marsan e da BA 120 de Cazaux (nova este ano) - No solo, comandos, controladores de tráfego aéreo e operadores de defesa terraar implantados no território, para uma preparação de combate ideal, cobrindo todo o espectro de operações aéreas. -Nações estrangeiras mais uma vez no encontro com a participação de destacamentos alemães, belgas, britânicos, canadenses, dinamarqueses, espanhóis e suíços.

REVISTA VERTICAL

| 30


UM AMBIENTE TÁTICO DENSO

dimensões com validação dos tiros, sob o

Destinado a cobrir uma ampla gama de

olhar temperado do Airboss, coordenador e

habilidades para atender a muitos objetivos,

supervisor das missões.

preparação de combate, o exercício VOLFA

O pacote de software "Jeanette" recebe e

abrange a maior parte do território

mescla as faixas de radar e as relacionadas

metropolitano, focando essencialmente em

ao link 16, ao mesmo tempo em que

duas áreas de treinamento (Maciço Central e

combina meios reais e simulados. Um trunfo

Sudoeste)

para avaliar a missão em tempo real para o

Um campo de recepção privilegiado, o BA

benefício de forças amigas ou inimigas.

118 e BA 120 oferecem múltiplos ativos em benefício da qualidade e realismo dos principais exercícios da Força Aérea e do espaço aéreo adaptado, estabelecimento de esquadrões operacionais, infraestrutura disponível para passagem de esquadrões. As ferramentas colaborativas implementadas pelas equipes do Centro de Perícias Aérienne Militaire (CEAM),

Foto: Lionel Coste Spotter Eagle

Espaço (grandes plataformas aeronáuticas,

trabalhando para o CECC, trazem inegável valor agregado no treinamento avançado das unidades. Osoftware "TacView" permite que os pilotos interroguem seus voos diante de uma restituição de todas as suas intervenções e suas trajetórias em três

REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 3

31


Français version SE PREPARER AU COMBAT? DANS UN ENVIRONNEMENT DE HAUTE INTENSITE Lionel Coste

A

u fil des ans, VOLFA et devenu un rendez-

vous incontournable pour la préparation au

avancés, d'opérateurs de défense sol-air et de troupes aéroportées de l'Armée de terre.

combat des forces conventionnelles de l'armée de l'Air et de l'Espace. Conduit du 27

UN ENVIRONNEMENT TACTIQUE DENSE

septembre au 15 octobre 2021 depuis la base

Destiné à couvrir un large panel de

aérienne (BA) 118 de Mont-de-Marsan VOL FA

compétences afin de satisfaire à de

2021 est un exercice national de synthèse

nombreux objectifs, de préparation au

organisé par le commandement des forces

combat, l'exercice VOLFA couvre la majorité

aériennes (CFA). Objectif: être au rendez-

du territoire métropolitain, en se

vous des opérations.

concentrant essentiellement sur deux zones d'entrainement (Massif central et Sud -

VOLFA 2021 en bref

Ouest)

- 25 Raids aériens complexes, de jour comme

Terrain d'accueil de choix, la BA 118 et la BA

de nuit, au fil des scénarios d'entrainement

120 offrent de multiples atouts au profit de

au combat de haute intensité supériorité

la qualité et du réalisme des exercices

aérienne, Reconnaissance, Projection de

majeurs de l'armée de l'air et de l'espace (

forces, Protection des forces, etc...

plateformes aéronautiques majeures,

- Prés de 50 aéronefs engagés, la plupart

espaces aériens adaptés, implantation

opérant depuis la BA118 de Mont de Marsan

d'escadrons opérationnelles, infrastructure

et la BA 120 de Cazaux (nouveauté cette

disponible pour des escadrons de passage,

année)

etc....

- Au sol, commandos, contrôleurs aériens et

Les outils collaboratifs mis en œuvre par des

opérateurs de défense sol-air déployés sur le

équipes du Centre d'expertise aérienne

territoire, pour une préparation au combat

militaire (CEAM), à travers le CECC,

optimale, couvrant l'ensemble du spectre

apportent une plus value incontestable dans

des opérations aériennes.

l'entrainement avancé des unités. Le logiciel

-Les nations étrangères une nouvelle fois au

"TacView" permet aux pilotes de débriefer

rendez vous avec la participation de

leurs vols face à une restitution de

détachements alllemands, belges,

l'ensemble de leurs interventions et de leurs

britanniques, canadiens, danois, espagnoles

trajectoires en trois dimensions avec

et suisses.

validation des tirs, sous l'œil aguerri de

- La mise en œuvre des moyens de dernière

l'airboss, coordinateur et animateur des

génération équipant les unités des forces

missions.

aériennes, du Rafale F3R à l'A400M en

La suite logicielle "Jeanette" quand à elle,

passant par le Reaper et le C130-J

réceptionne et fusionne les pistes radars et

-Un scénario réaliste sur mesure, construit

celles liées à la liaison 16, tout en combinant

autour des besoins d'entrainement des

moyens réels et simulés. Un atout pour

unités, en étroite collaboration avec le

animer la mission en temps réel au profit des

centre expert du combat collaboratif (CECC)

forces amies ou ennemies.

et ses airboss - Un exercice interarmées marqué par la présence d'aéronefs et bâtiments de la marine nationale et de contrôleurs aériens

REVISTA VERTICAL

| 32


Nossa Revista está em promoção

Black

Friday 100% off Sua Edição Digital é Gratuita

www.verticalplus.com.br @revistaverticalplus


NA ROTA VERTICAL


Quando estabilizar uma aproximação? De acordo com a ANAC O conceito de aproximação estabilizada é amplamente utilizado pela indústria com o propósito de reduzir os riscos de acidente ou incidentes nas aproximações bem como reduzir a probabilidade de procedimentos de aproximação perdida quando a aeronave se encontra a baixa altura. O objetivo é ter a aeronave apropriadamente configurada, na velocidade e trajetória adequada para o pouso antes de um ponto predeterminado.

DANIEL MANTOVANI Colaborador da Revista Vertical Plus


"...quando abaixo de mil pés e não estabilizadas, eventualmente a trajetória de pouso não poderia ser corrigida até o toque,".

M

ais do que uma vez, ouvi vários colegas

pista acima da zona de toque prevista

com o mesmo questionamento, por que

durante o pouso), levando a um incidente ou

estabilizar a aeronave a 1000 pés?

acidente.

Em companhias aéreas pelo mundo todo,

Caso a aeronave esteja em aproximação

existem critérios estabelecidos para uma

visual, pode estabilizar a 500 pés, porém

aeronave em aproximação prosseguir com

pouquíssimas empresas utilizam esse

seu pouso.

parâmetro, deixando a aproximação a 1000

Esses parâmetros foram idealizados nos

pés um pouco mais restritiva, porém mais

inícios dos anos 1990, pela Flight Safety

segura.

Foundation através de um programa

No Brasil algum desses eventos aconteceram

chamado CFIT (Controlled Flight Into Terrain

com o início da operação do EMB-145, a

– Voo controlado para o terreno), um comitê

empresa que o operava tinha nele a

com várias empresas aéreas e órgãos

transição do voo de aeronaves a jato em

reguladores, que analisava uma quantidade

tripulantes que operavam o EMB-120 Brasilia.

crescente de aeronaves colidindo contra o

O que levava a uma mudança de pilotagem,

solo em 1980.

pois o mesmo deve se antecipar a redução

Um subgrupo do CFIT foi criado, chamado

de altitude e velocidade em uma

Força Tarefa ALAR (Approach-and-Landing

aproximação, quando comparado a uma

Accident Reduction – Redução de acidentes

operação de um turbo-hélice. Na época dois

em aproximação e pouso).

acidentes ocorreram em consequência de

Após a análise de vários acidentes do evento

aproximações desestabilizadas abaixo de mil

CFIT em aproximações, o ALAR estabeleceu

pés.

os critérios para aproximação estabilizada.

Esses parâmetros foram então difundidos

Os critérios em sua maioria são que até 1000

por empresas aéreas no mundo todo, e

pés AFE na aproximação, a aeronave deve

trouxeram mais segurança nas operações, e

estar configurada (trem de pouso e flaps

consequentemente redução no índice de

estendidos), mais ou menos, 10 nós da

acidentes em aproximações e pouso.

velocidade de aproximação e com o checklist lido. Para definir esses parâmetro, levou-se em conta que abaixo de mil pés, qualquer tipo de falha que se apresenta em uma aeronave, dificilmente a tripulação irá conseguir

Biblioteca: AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL. IS 91-003

resolver a pane e pousar a aeronave seguramente. Outro ponto principal e que as aeronaves que estavam em uma aproximação sem falha, quando abaixo de mil pés e não estabilizadas, eventualmente a trajetória de pouso não poderia ser corrigida até o toque, ocasionando ou um long flare (toque na

REVISTA VERTICAL

| 36

"Quando em condições de voo por instrumento, IMC, esta IS considera 1000 (mil) pés AGL a altura mínima para a estabilização da aproximação.".


Aponte a Câmera do celular e acesse a Edição 34.

Edição 32 está no Ar.

UMA REVISTA ONLINE E GRATUITA.


EDITORIAL


AVIAÇÃO OFFSHORE A indústria de óleo e gás possui grande participação nas principais demandas de consumo energético da população mundial. As plataformas petrolíferas são verdadeiras cidades em alto-mar e a sua principal ligação com o continente depende exclusivamente de uma ferramenta essencial: helicópteros de aviação além da costa. The oil and gas industry has a large participation in the main energy consumption demands of the world population. The oil platforms are true cities on the high seas and their main connection with the continent depends exclusively on an essential tool: offshore helicopters.

Revista Vertical Plus

Créditos da Foto: @Bruno_asarotativa

LUIZ CARLOS JR


A

energia é um elemento fundamental

para a vida humana. Sem ela, ficaria inviável

E

nergy is a fundamental element for

human life. Without it, it would be unfeasible

chegar aonde chegamos. Em se tratando

to get where we are today. When it comes to

dos combustíveis fósseis, que são os

fossil fuels, which are responsible for the

responsáveis pela produção de inúmeros

production of countless products, we are

produtos, certamente estamos lidando com

certainly dealing with an energy source that

uma fonte energética que se faz presente em diversas etapas da cadeia produtiva da indústria mundial. Um verdadeiro ciclo energético que move a economia e a nossa vida cotidiana no uso dos combustíveis derivados do tão famoso petróleo. Este é um recurso natural fóssil, não renovável, que possui grande relevância geopolítica no cenário da economia mundial, cuja origem está atrelada a depósitos orgânicos que foram formados há milhares de anos nas

is present in various stages of the production chain of the global industry. A true energy cycle that moves the economy and our daily lives in the use of fuels derived from the so famous petroleum. This is a fossil, nonrenewable natural resource that has great geopolitical relevance in the global economic scenario, whose origin is linked to organic deposits that were formed thousands of years ago in the sedimentary

bacias sedimentares. Este recurso é

basins. This resource is responsible for the

responsável pela principal fonte energética

main energy source of the industrial base all

da base industrial em todo o mundo. Com

over the world. With its derivatives, it is

seus derivados, é possível fabricar a gasolina,

possible to manufacture gasoline, diesel oil,

óleo diesel, gás natural, dentre outros

natural gas, among other diverse

diversos resultantes dos hidrocarbonetos.

hydrocarbon results.

Ao longo dos anos os helicópteros foram a peça chave para viabilizar o trabalho fora da costa e assim surgiu a modalidade de aviação que hoje conhecemos como offshore. A extração do petróleo é feita por meio da

Over the years, helicopters have been the key to making offshore work possible, and so the type of aviation that we know today as offshore was created.

perfuração do solo, cujo resultado é obtido

Oil extraction is done by drilling into the

em altas profundidades, o que dificulta

ground, the result of which is obtained at

consideravelmente a sua captação, seja na

high depths, which makes it very difficult to

terra, seja no mar. Atualmente, grande

capture, whether on land or at sea.

parte da produção mundial vem de

Currently, a large part of the world's

plataformas ou navios sondas, que são

production comes from platforms or drill

verdadeiras cidades espalhadas em diversas

ships, which are real cities spread over

partes do território marítimo, cujas

several parts of the maritime territory, whose

distâncias variam de acordo com a

distances vary according to the location of

localização da jazida, que podem chegar a

the deposit, which can reach more than 200

mais de 200 milhas náuticas, ou seja, a 370 REVISTA VERTICAL

| 40

nautical miles, or 370 km from the coast.


...we can justify the importance of Rotary Wing Aviation to support Offshore operations because the travel time is decisive for the maintenance of the activities on the platforms, as well as the safety of all those on board.

...podemos justificar a importância da Aviação de Asas Rotativas para apoiar as operações Offshore pois o tempo de deslocamento é decisivo para manutenção das atividades nas plataformas, assim como a segurança de todos que estão a bordo.


quilômetros da costa.

What is little known is that to maintain the

O que pouco se sabe é que para manter o

full operation of this production chain

pleno funcionamento dessa cadeia de

requires equipment capable of transporting

produção é necessário um equipamento capaz de transportar equipes e aparelhos que são imprescindíveis para operação dessas fortalezas flutuantes. Sim! Ao longo dos anos, os helicópteros foram a peça chave para viabilizar o trabalho fora da costa. Assim, surgiu a modalidade de aviação que hoje conhecemos como offshore. Exploração de Petróleo em Alto Mar

A Aviação Offshore utiliza helicópteros para transporte de pessoas e cargas leves, sendo o

teams and equipment that are indispensable for the operation of these floating fortresses. Yes, over the years, helicopters have been the key to making offshore work possible. This is how the type of aviation that we know today as offshore was born. Offshore Oil Exploration

Offshore aviation uses helicopters to transport people and light cargo, and is the

principal meio de ligação com o continente.

main means of connection with the

Para essa finalidade, a capacidade do voo

continent. For this purpose, the ability of

vertical para acessar os helipontos instalados

vertical flight to access the helipads installed

nas plataformas ou navios sondas foi de

on the platforms or drillships was of

suma importância, pois de outra forma não

paramount importance, as otherwise it

seria possível acessá-las.

would not be possible to access them.

No Brasil, a extração de petróleo em

In Brazil, oil extraction on offshore platforms

plataformas marítimas iniciou-se na década

started in the 1960s in the Sergipe-Alagoas

de 60 na bacia de Sergipe-Alagoas, em

basin, in shallow waters. Over the years, due

águas rasas. Com o passar dos anos, diante

to advances and investments in technology

dos avanços e investimentos em tecnologia na produção de petróleo em águas profundas, assim como a criação dos amplos programas de capacitação tecnológica, foi possível abrir caminho para recentes descobertas de petróleo nas áreas geológicas do Pré-sal, nas Bacias de Santos e de Campos. Dessa maneira, o Brasil finalmente conquistou destaque na produção de petróleo no cenário mundial. A Petrobrás, empresa brasileira, foi pioneira

in the production of oil in deep waters, as well as the creation of broad technological training programs, it was possible to pave the way for recent oil discoveries in the geological areas of the Pre-Salt, in the Santos and Campos Basins. In this way, Brazil finally gained prominence in the production of oil on the world stage. Petrobras, a Brazilian company, pioneered the development of this type of technology,

no desenvolvimento deste tipo de

which, over the years, has become so

tecnologia, que, ao longo dos anos, foi se

efficient that it has made deep-sea and

tornando eficiente, a ponto de viabilizar a

super-deepwater exploration feasible. This

exploração em alto-mar em águas profundas

was the reason that allowed the expansion of

e super profundas. Esse foi o motivo que

the explored area, which can easily surpass

permitiu a expansão da área explorada, que

the Exclusive Economic Zone (EEZ), whose

pode facilmente ultrapassar a Zona

extension is 200 nautical miles from the

Econômica Exclusiva (ZEE), cuja extensão é

continent, that is, we are dealing with a

de 200 milhas náuticas do continente, ou

distance of 321 km from the coast. As an

seja, estamos lidando com uma distância de

example, it would be a similar trip from the

321 km da costa. Exemplificando, seria um deslocamento semelhante da Capital de São Paulo até a Cidade de Volta Redonda, no Rio de Janeiro. Uma trajeto de 4 horas de carro. REVISTA VERTICAL

| 42

Capital of São Paulo to the City of Volta Redonda, in Rio de Janeiro. A trip that would take approximately 4 hours by car.


Créditos da Foto: @Bruno_asarotativa

Créditos da Foto: @airbushelicopters


A partir destes fatos, podemos justificar a importância da Aviação de Asas Rotativas para apoiar as operações Offshore, pois o tempo de deslocamento é decisivo para manutenção das atividades nas plataformas, assim como a segurança de todos que estão a bordo. Basta lembrarmos do acidente ocorrido com a plataforma P-36, quando em 15 de março de 2001, três explosões na plataforma, localizada no Campo do Roncador, também na Bacia de Campos, a 125 quilômetros da costa do Rio, resultaram no afundamento da então maior plataforma semissubmersível do mundo. Neste episódio, os helicópteros foram fundamentais para a evacuação de muitos tripulantes. Uma Aviação Especializada e Operacional

Voar sobre o mar não é uma tarefa de fácil execução, pois existem diversas variações meteorológicas que podem afetar o voo. Por esse motivo as empresas que prestam este tipo de serviço devem cumprir uma série de requisitos destinados a garantir uma operação segura, executada por profissionais capacitados. Na ocasião desta matéria, tivemos a oportunidade de visitar a Bristow, que é uma empresa com mais de seis décadas no mercado de aviação e atua no transporte com helicópteros para indústria de Óleo & Gás, busca e resgate (SAR) e soluções de suporte aéreo para organizações governamentais e civis. No Brasil, a Bristow tem uma sede no Aeroporto de Jacarepaguá e no Aeroporto de Cabo Frio, ambos no Estado do Rio de Janeiro. Atualmente, a empresa possui uma frota mundial de aproximadamente 240 das aeronaves, visando a crescente demanda por soluções de aviação integradas e confiáveis, cujos interesses é manter-se apta para atender as demandas globais em função das necessidades dos seus clientes em qualquer parte do mundo. Nas operações em solo brasileiro, a Bristow optou pelo Helicóptero da Leonardo, o AW139, considerado uma aeronave de porte médio, capaz de transportar de 12 a 15 passageiros. REVISTA VERTICAL

| 44


From these facts, we can justify the importance of the Rotary Wing Aviation to support the Offshore operations, because the travel time is decisive for the maintenance of the activities on the platforms, as well as the safety of all who are on board. We only have to remember the accident that occurred with the P-36 platform, when on March 15, 2001, three explosions on the platform, located in Campo do Roncador, also in the Campos Basin, 125 kilometers off the coast of Rio de Janeiro, resulted in the sinking of the then largest semi-submersible platform in the world. In this episode, helicopters were fundamental for the evacuation of many crew members. A Specialized and Operational Aviation

Flying over the sea is not an easy task, as there are several weather variations that can affect the flight. For this reason, the companies that provide this type of service BRISTOW LEONARDO AW139 Créditos: Bristow Group USA

must meet a series of requirements designed to ensure a safe operation, carried out by trained professionals. For the occasion of this article, we had the opportunity to visit Bristow, which is a company with over six decades in the aviation market and operates in helicopter transportation for the Oil & Gas industry, search and rescue (SAR) and air support solutions for governmental and civil organizations. In Brazil, Bristow has operations in Jacarepaguá Airport and Cabo Frio Airport, both in the state of Rio de Janeiro. Currently, the company has a worldwide fleet of approximately 240 aircraft, targeting the growing demand for

45

global demands according to the needs of its customers anywhere in the world. For operations in Brazil, Bristow chose Leonardo's Helicopter AW139, considered a medium size aircraft, capable of carrying 12 to 15 passengers.

BRISTOWS SIKORSKY S-92 Créditos: Lockheed Martin

REVISTA VERTICAL

whose interest is to remain able to meet the

EDIÇÃO 3

integrated and reliable aviation solutions,


Suas aeronaves são dotadas de tecnologia

Its aircraft are equipped with IFR/Offshore

para voo IFR/Offshore (Voo por instrumento

technology (instrument flight with software

com software capaz de auxiliar nos pousos

capable of assisting in platform landings)

em plataformas) e autonomia de voo de

and flight autonomy of approximately 1000

aproximadamente 1000 quilômetros, a

kilometers, depending on the flight

depender da configuração de voo.

configuration.

Helicópteros na Aviação Offshore.

Helicopters in Offshore Aviation

Helicópteros têm apoiado a indústria de

Helicopters have supported the offshore oil

petróleo e gás offshore desde 1947, quando

and gas industry since 1947, when Bell 47s

Bell 47s foram usados no transporte das

were used to transport exploration crews in

equipes de exploração nas zonas úmidas do

the south Louisiana wetlands and later in

sul da Louisiana e, posteriormente, nas

offshore operations. Since then, as rigs have

operações offshore. Desde então, à medida

moved further offshore, this mode of

que as plataformas se afastaram da costa,

transportation has become critical.

este meio de transporte tem se tornado

In the early 2000s, faced with growing

fundamental. No início dos anos 2000, diante da crescente demanda de transporte aéreo para pouso e

demand for air transport for vertical takeoff and landing, the helicopter industry invested

decolagem vertical, a indústria de

in new technologies capable of increasing

helicópteros apostou em novas tecnologias

payload, range, speed, and onboard safety

capazes de aumentar a carga útil, o alcance,

features, combined with cost-effective

a velocidade e os recursos de segurança

operations capable of supporting deepwater

embarcados, aliado a operações econômicas capazes de apoiar a exploração em águas profundas, que a cada momento ficava mais exigente. Assim, as soluções apresentadas na

exploration, which was becoming more demanding by the day. Thus, the solutions presented at the time were the Airbus EC225

época foram os projetos da Airbus EC225

(now known as H225), Sikorsky S-92, and

(agora conhecido como H225), Sikorsky S-92

Leonardo AW139, which entered into service

e Leonardo AW139, que entraram em serviço

offshore in 2004 and 2005. Later came the

offshore nos anos de 2004 e 2005.

"super medium" Leonardo AW189 and the

Posteriormente, vieram os “super médio'' Leonardo AW189 e o Airbus H175 em 2014.

Para interligar mar e terra, é necessário mobilizar uma complexa rede logística para decolagem e aterrissagem em embarcações que podem estar situadas a mais de 300 km da costa, a exemplo das plataformas localizadas na região do pré-sal.

REVISTA VERTICAL

| 46

Airbus H175 in 2014.

To interconnect sea and land, it is necessary to mobilize a complex logistical network for take-off and landing in vessels that may be more than 300 km from the coast, such as the platforms located in the pre-salt region.


Créditos da Foto: @airbushelicopters

The truth is that there is no ideal helicopter. The answer is related to the design of an aircraft endowed with specific technologies and capabilities that can make its operation favorable or unfavorable depending on the situation.


AIRBUS H175s em operação SAR do Governo de HONG KONG Créditos: Ned Dawson

A verdade é que não existe o helicóptero ideal. A resposta está relacionada ao projeto de aeronave dotada de tecnologias e capacidades específicas que podem tornar a sua operação favorável ou desfavorável a depender da situação.

AIRBUS H225 em operação Offshore para transporte de Astronautas no Golfo do México. Créditos: Airbus/ NASA


fabricantes atuam no mercado offshore até

manufacturers operate in the offshore

os dias atuais, diferentemente do H225, que

market to this day, unlike the H225, which

teve sua reputação abalada depois do

had its reputation shaken after the accident

acidente no Mar do Norte em 2016, mas que

in the North Sea in 2016, but today is

hoje vem recuperando sua credibilidade

recovering its credibility worldwide. Today

mundialmente. Hoje o modelo Airbus H175

the Airbus H175 model is ensuring good

da vem garantindo bons resultados no setor

results in the sector in the super medium

na categoria dos super médios.

category.

Operações sobre o Mar

Operations over the Sea

A segurança dos profissionais que trabalham

The safety of the professionals who work on

embarcados depende exclusivamente do

board depends exclusively on the air support

apoio aéreo dado pelas empresas

provided by the operating companies. To

operadoras. Para interligar mar e terra, é

interconnect sea and land, it is necessary to

necessário mobilizar uma complexa rede

mobilize a complex logistical network for

logística para decolagem e aterrissagem em

take-off and landing on vessels that may be

embarcações que podem estar situadas a

more than 300 km from the coast, such as

mais de 300 km da costa, a exemplo das

the platforms located in the pre-salt region.

plataformas localizadas na região do pré-sal.

In addition to transporting work crews and

Além do transporte das equipes de trabalho

low-volume materials, companies must be

e materiais de baixo volume, as empresas

prepared to perform aeromedical removal at

devem estar preparadas para efetuar uma

any time of the day or night. This means

remoção aeromédica a qualquer hora do dia

providing 24/7 support.

ou da noite. Isto significa prestar suporte 24

In our visit to Bristow, we had the

horas dia e 7 dias por semana.

opportunity to see what it would be like to

Em nossa visita a Bristow, tivemos a

maintain all the necessary structure to

oportunidade de ver como seria manter toda

attend the platforms, depending on the

a estrutura necessária para atender às

contract signed with a particular exploration

plataformas, a depender do contrato firmado

company.

com determinada empresa de exploração.

Bristow is the leader in the operation of

A Bristow é líder na operação das aeronaves

Leonardo AW139 aircraft in Brazil, whose

Leonardo AW139 no Brasil, cuja configuração

configuration is in accordance with the type

está de acordo com o tipo de missão

of mission offered in the contract to provide

ofertada no contrato de prestação de serviço

transport service and support in aeromedical

de transporte e apoio em remoção

removal.

aeromédica.

An interesting fact, looking from the outside,

Um fato interessante, olhando de fora, é a

is the doubt about what would be the ideal

dúvida de como seria a aeronave ideal.

aircraft. The truth is that there is no ideal

A verdade é que não existe o helicóptero

helicopter. The answer is related to the

ideal. A resposta está relacionada ao projeto

design of an aircraft endowed with specific

de aeronave dotada de tecnologias e

technologies and capabilities that can make

capacidades específicas que podem tornar a

its operation favorable or unfavorable,

sua operação favorável ou desfavorável, a

depending on the situation. Everything

depender da situação. Tudo depende de um

depends on an operational study of the

estudo operacional do rendimento de cada

performance of each machine depending on

máquina a depender da missão a ser

the mission to be accomplished.

cumprida. Deslocamento, peso e consumo

Displacement, weight, and fuel consumption

de combustível são decisivos nesta equação.

are decisive in this equation.

49

EDIÇÃO 3

All the projects cited from different

REVISTA VERTICAL

Todos os projetos citados de diferentes


O Helicóptero AW139 traz grandes melhorias no atendimento das principais normas de segurança, a exemplo do sistema aviônico integrado Primus Epic 2.0 que oferece o aprimoramento da clareza visual, melhorando a consciência situacional que resulta em operações mais seguras em condições climáticas adversas. Em termos de radar, a nova atualização do sistema para nova versão é capaz de tornar as operações offshore mais seguras a partir do sistema de alerta contra colisão em terrenos, cuja notificação é essencial para reconhecer e responder a condições inseguras. O resultado é uma visão clara do cockpit, que significa menos fadiga e maior segurança, conforto e eficiência. Um Horizonte de Esperança

O mercado de aviação Offshore não reserva seus desafios apenas para operação. Todas as oscilações do mercado do petróleo atingem diretamente as empresas de transporte aéreo. As demandas mundiais e o preço do petróleo, praticamente, determinam se teremos um aumento ou diminuição da oferta de voos. O fato é que a aviação de plataformas expandiu nossa capacidade de operar em ambientes hostis. Anteriormente, apenas os militares faziam esse tipo de operações em missões embarcadas ou porta aviões. Hoje, a aviação civil também alcançou esse nível de proficiência, que também é usado em outras aviações, a exemplo dos voos para inspeção e manutenção de parques eólicos, aviação de busca e salvamento no mar e remoções aeromédicas em embarcações. O futuro é uma caixa de surpresas, pois existem diversas atividades econômicas ocorrendo fora da costa e com o melhoria das tecnologias aplicadas à fabricação de combustíveis com menos impactos à natureza e na produção energética nos complexos eólicos. Podemos pensar num futuro mais sustentável no uso de fontes energéticas, que sempre demandam do apoio logístico de aeronaves, cuja indústria está em nossa área de interesse. REVISTA VERTICAL

| 50 44



The AW139 Helicopter comes with major

supply of flights. The fact is that platform

improvements in meeting major safety

aviation has expanded our ability to operate

standards, such as the Primus Epic 2.0

in hostile environments. Previously only the

integrated avionics system that provides

military did this type of operation on board

improved visual clarity, improving situational

missions or aircraft carriers. Today, civil

awareness that results in safer operations in

aviation has also achieved this level of

adverse weather conditions.

proficiency, which is also used in other

In terms of radar, the new system upgrade to

aviations, such as wind farm inspection and

new version is able to make offshore

maintenance flights, search and rescue

operations safer from the ground collision

aviation at sea, and aero-medical vessel

warning system, whose notification is

removals.

essential to recognize and respond to unsafe

The future is a box of surprises, as there are

conditions. The result is a clear view from the

several economic activities taking place off

cockpit, which means less fatigue and

shore and with the improvement of

greater safety, comfort and efficiency.

technologies applied to the manufacture of fuels with less impact on nature and in

A Horizon of Hope

energy production in wind farms. We can

The Offshore aviation business does not only

imagine a more sustainable future in the use

reserve its challenges for operation. All the

of energy sources, which always demand

fluctuations in the oil market directly affect

logistical support from aircraft, whose

aviation companies. World demand and the

industry is in our area of interest.

price of oil practically determine whether we will have an increase or decrease in the REVISTA VERTICAL

| 52


a ravreserP

airómeM

Aviação também é Cultura Desde 1906

oãçaivA asson ad

A Tradição de Voar está em nossa História


Aviões contam Histórias! R

estaurar a Memória da Aviação

Coronel Antônio Arthur Braga

Brasileira. Esta é a mais nobre missão de

Natural da cidade de Cruzeiro no interior de

uma equipe de entusiastas da aviação que

São Paulo, o então Tenente Braga ingressou

unirão forças para trazer à “vida” aeronaves

no EDA em 1959 e assumiu o comando em

que foram ícones da aviação brasileira.

1965, permanecendo até 1977. Voando

Depois da restauração do clássico Republic

principalmente o avião T-6 Texan e,

P-47 Thunderbolt, aeronave de caça

também, o T-24 Fouga Magister, realizou

utilizada pela Força Aérea Brasileira (FAB)

mais de mil demonstrações aéreas no Brasil

na Segunda Guerra Mundial, esta equipe de

e em diversos países da América do Sul e

amantes da aviação irão em busca de um

Central. É, ainda hoje, considerado o piloto

objetivo ainda maior: trazer de volta o

que mais voou T-6 no mundo, possuindo

monomotor North American T-6 na sua

mais de dez mil horas de voo neste modelo

versão AT-6D que voou pela esquadrilha da

de aeronave. Faleceu no ano de 2003 aos 71

fumaça, cuja história está ligada ao lendário

anos de idade.

aviador Arthur Braga. Desta vez a intenção está muito além de girar os motores, mas

North American T-6 de matrícula 1390

colocar a aeronave em condições de voo.

Depois de anos de abandono, a histórica

a r ieli s a r B a e r é A a ç r o F - s o r r a B n o s n o h J s o ti d é r C

"O QUE SERÁ DA NOSSA HISTÓRIA SE NÃO PRESERVAMOS O LEGADO QUE NOS DEIXARAM" vertical+


aeronave receberá uma nova chance de

Restaurar Já!

voar. Uma estrela que poderá despertar

O objetivo da restauração é trazer aeronaves

ainda mais a paixão pela nossa história.

em suas condições originais, quando

Foi em 1906 que Alberto Santos Dumont

possível, usando projetos e métodos de

mostrou ao mundo a possibilidade de voar

construção da época.

o mais pesado que o ar e aqui no Brasil foi

Assim esta revista apoia esta nova

em 1910 que Dimitri Sensaud realizou o

empreitada de grande valor para cultura

primeiro voo registrado na América Latina.

aeronáutica que está sob o comando do

Desde então, foram as memórias históricas

Aviador Fernando Crescente, presidente da

do nosso passado que nos guiaram até os

Associação Revoar, cuja missão é buscar e

dias atuais. Uma construção de décadas de

abrigar aeronaves históricas em situações

realizações na formação de diversos

de abandono para finalmente restaurar e

profissionais da aviação. Uma indústria

resgatar a sua glória .

aeronáutica tecnológica e um sonho de chegar ainda mais longe. Made in Brazil. Nós somos parte da aviação mundial. Revoar, é necessário

Depois de testemunhar a destruição do Douglas DC-3 PP-VBF, um antigo C-47 que voou na Segunda Guerra Mundial, que em

O T6 TEXAS É INDISCUTIVELMENTE O MAIOR AVIÃO DE TREINAMENTO JÁ CRIADO.

uma ação desastrada reduziu em questão de minutos uma parte da história. Atitude, irresponsável, que revela a falta de entendimento do que é um patrimônio histórico. A ausência de proteção da nossa cultura aeronáutica que põe em risco o pouco que sobrou até então. A Revoar chega num tempo oportuno para dar voz à importância de preservar as velhas águias que fizeram parte da memória histórica da aviação brasileira. São diversas aeronaves espalhadas pelo Brasil que representam as relíquias que construíram a aviação. São sementes que precisam ser preservadas para que as gerações futuras possam enxergar no passado os tesouros da história.

maiores fumaceiros já conhecido. O Braga! Na época como Major, voo nesta aeronave com cerca de 400 missões concluídas.

ORIGINALMENTE CONSTRUÍDO EM 1935 FOI USADO ATÉ O INÍCIO DOS ANOS 90 PARA TREINAR CENTENAS DE MILHARES DE PILOTOS DE MAIS DE 34 PAÍSES.

55 EDIÇÃO 3

de matricula 1390 que voava com um dos

REVISTA VERTICAL

Desta vez, a primeira missão é trazer o T-6


FOTO DE DIVULGAÇÃO INTERNET

VOANDO NA HISTÓRIA ESPECIAL

Brig. Nero Moura: Patrono da Aviação de Caça TEOMAR B. CERETTA Colalorador da Revista Vertical Plus

“Para todos nós que convivemos com ele, ficou para sempre a imagem de inabalável autoridade moral, de generosidade sem limites, de integridade sem par. Um líder incontestável, é verdade, mas mais do que isso: acredito, com o mais profundo sentimento, que nenhum de nós, seus comandados e amigos, sinta o pudor fútil de reconhecer em Nero Moura um ídolo na mais completa e legítima acepção do conceito”. Augusto Villas-Boas Correspondente de guerra dos Diários Associados

F

ilho de agricultores, Nero Moura nasceu

segundo ano na Escola Militar, fez sua

no dia 30 de janeiro de 1910, em Cachoeira

opção para a arma da aviação e foi

do Sul, um município localizado na região

transferido para a Escola de Aviação Militar

central do Estado do Rio Grande do Sul,

no Campo dos Afonsos. Nero Moura fez o

distante 245 Km a oeste da capital Porto

curso de aviador, brevê A, com instrutores

Alegre.

da Missão Militar Francesa. No dia 22 de

Depois de concluir o estudo primário, foi

novembro de 1930 foi declarado aspirante

internado juntamente com seu irmão mais

aviador e, em janeiro de 1931, foi promovido

velho no Colégio Militar de Porto Alegre.

a segundo-tenente aviador. Ainda como

Posteriormente foi para a Escola Militar no

segundo-tenente, fez o brevê B, um curso

Rio de Janeiro, segundo ele, com segundas

prático com instruções para o combate

intenções. A aviação já fazia parte de seus

aéreo.1

planos. Desde criança foi influenciado pela

Nero Moura fez parte dos primeiros voos

passagem de um avião de linha que

históricos do Correio Aéreo Militar, que teve

cruzava com regularidade sobre a

seu primeiro voo inaugural realizado no dia

propriedade da família. Ao cursar o

12 de junho de 1931, pelos tenentes

REVISTA VERTICAL

1 - MOURA, Nero. Um voo na história. Rio de Janeiro: Fundação

| 56

Getúlio Vargas, 1996, p. 16-39.


aviadores Casemiro Montenegro Filho e

Desde o início do conflito mundial na

Nelson Freire Lavenère-Wanderley. Esta

Europa, em 1939, por três anos o Brasil

proeza foi realizada com uma ligação entre

manteve uma posição de neutralidade. A

o Rio de Janeiro e São Paulo com um avião

situação começou a mudar no continente

monomotor Curtiss Fledgling de 170 hp.

americano, quando os EUA entram em guerra em dezembro de 1941, numa 2

observador do Tenente Araripe de Macedo

resposta aos ataques japoneses contra

no dia 22 de junho.

Pearl Harbor. Com a intensificação da

Como piloto militar, Nero Moura teve sua

cooperação militar Brasil-Estados Unidos, o

primeira experiência em um conflito bélico

Brasil também se engajou para entrar no

na Revolução Constitucionalista de 1932,

conflito, quando, no dia 31 de agosto de

quando combateu ao lado das tropas fiéis

1942, o Presidente Getúlio Vargas baixou

ao Governo de Getúlio Vargas. Fez algumas

um decreto declarando guerra contra a

missões de reconhecimento e ataque

Alemanha e a Itália. Assim como o Exército

contra tropas paulistas na região de Mogi

Brasileiro preparou uma força

Mirim, ao norte da capital São

Paulo.3

expedicionária para ser enviada ao teatro

Dois anos após a Revolução, em 1934, Nero

de guerra na Europa, a Aeronáutica

Moura foi enviado à França para fazer um

também organizou uma força com duas

curso de aperfeiçoamento na École

unidades de combate.

d’Aplication de L’Air, em Versailles. Em

No dia 18 de dezembro de 1943, o

1938, Nero Moura assume a chefia de piloto

Presidente Getúlio Vargas institui o 1º

chefe do Presidente Getúlio Vargas. Foi por

Grupo de Aviação de Caça através do

essa época que se criou uma onda

Decreto-Lei nº 6123 e, em 20 de julho de

favorável à criação do Ministério da

1944, foi criada a 1ª Esquadrilha de Ligação

Aeronáutica no Brasil.

e Observação, conhecida como 1ªELO,

No dia 20 de janeiro de 1941, o Presidente

através do Aviso Ministerial 67, assinado

Getúlio Vargas criou o Ministério da

pelo Ministro Salgado Filho, tendo como

Aeronáutica através do Decreto-Lei nº 2961.

Comandante o Cap. Av. João Affonso

No dia 22 de maio de 1941, através do

Fabrício Belloc.

Decreto-Lei nº 3302, foi criada a Força

Nove dias após a sua criação, o 1º Grupo de

Aérea Brasileira (FAB).

Caça conheceu seu comandante, Segundo as palavras do então Major Nero Moura, assim se procedeu a escolha para o comando da nova unidade que deveria enfrentar o inimigo nos céus da Europa.

57 EDIÇÃO 3

a r ieli s a r B a e r é A a ç r o F - s o r r a B n o s n o h J s o ti d é r C

nomeado a 27 de dezembro de 1943.

2 Joelmir Campos de Araripe de Macedo foi Ministro da Aeronáutica por dois períodos. De 1971 a 1974, e na sequência, de 1974 a 1979. 3 MOURA, N. Op. cit., p. 50-51.

REVISTA VERTICAL

Nero Moura faria a segunda viagem como


“Com a criação do Grupo de Caça, procurei

Sem perder tempo, Nero Moura abriu o

o ministro e disse: Agora o senhor tem que

voluntariado na FAB para o recrutamento

nomear o comandante para que ele

do pessoal que iria compor o grupo que

escolha o pessoal. Ele perguntou: Quem o

deveria seguir além-mar para combater o

senhor sugere? Respondi: Sr. Ministro, sou

inimigo nazifascista em solo europeu.

candidato ao lugar. Não podia deixar de

O Major Nero Moura recrutou, entre os

me candidatar, assim como não podia

voluntários, 32 homens de sua confiança

deixar de ir, porque a responsabilidade das

que com ele embarcaram, em 3 de janeiro

escalas já é minha. Não tinha sentido

de 1944, para a Escola Tática Aérea em

mandar o pessoal para a guerra e ficar no

Orlando, na Flórida, enquanto a maioria do

gabinete assistindo. Além disso, estava

pessoal seguia por via aérea para Albrook

mesmo a fim de ir para a guerra. Queria ir!

Field, Panamá, onde aguardaria o

Como major, preenchia as condições

comandante e seus homens chaves6. Sobre

necessárias, inclusive o número de horas

isso, Rui Moreira Lima, um dos

de voo que o comandante aviador devia

componentes do Grupo de Caça e autor do

ter, experiência, tudo o mais. Sentia-me em

livro Senta a Pua, apresenta a dimensão

4

condições e manifestei minha vontade”. No

dos preparativos para deixar o grupo em

entanto, o Major José Vicente Faria Lima,

condições para luta.

apesar de ser grande amigo do Major Nero

Com a chegada de Nero Moura, todos

Moura, também se apresentou como

foram à Base Aérea de Aguadulce,

candidato à vaga para assumir o comando

equipada com aviões de caça P-40, ali

do 1º Grupo de Caça.

iniciando o treinamento da unidade como

Nero Moura continua: “Diante da minha

um todo: pessoal do esquadrão terrestre e

postulação, ele disse: Sr. Ministro, eu

pilotos. Terminado o curso de caça, a

também sou candidato. Salgado Filho

unidade deixou Aguadulce no dia 22 de

ainda brincou: Nossa! Quantos candidatos!

junho de 1944 e se deslocou para a cidade

Como vou resolver isso? Eu então

de Suffolk, Long Island, onde se apresentou

argumentei. Ministro, o Major Faria Lima é

para voar o P-47 Thunderboldt. Depois de

um engenheiro. O governo investiu muito

concluir o treinamento com o novo avião,

dinheiro para ele estudar na França para

no dia 19 de setembro de 1944, o 1º Grupo

ser desenhista de aviões. Eu sou piloto,

de Caça embarcou em navio para a Itália,

nada mais. Se for abatido, perde-se um

onde aportou no dia 6 de outubro no porto

piloto. Ele é tão piloto quanto eu, mas, se

de Livorno.

for abatido, vamos perder um piloto e um engenheiro. Não faz sentido entregar-lhe o comando de uma unidade de combate. A função é minha, porque tais unidades são

... a USAF concordou em entregar os dezenove P47 novos em San Antônio, no Texas. Nero Moura escolheu 18 pilotos para acompanhá-lo aos EUA para transladar os aviões ao Brasil.

comandadas por pilotos de combate, e não por engenheiros, embora eles sejam ótimos pilotos. A eles se reserva um trabalho mais elevado, mais intelectual. O Ministro achou graça e encerrou a discussão: Está bem, vou resolver. No dia seguinte o Ministro Salgado Filho submeteu a questão ao Presidente. Depois de ponderar entre os dois nomes, Getúlio Vargas aprovou o nome do gaúcho Major Nero Moura, e designou o primeiro comandante do 1º Grupo de Caça”.

REVISTA VERTICAL

| 58

5

4 Idem, p. 115. 5 Idem, p. 116. 6 LIMA, Rui Moreira. Senta a Pua. Belo Horizonte: Itatiaia, 1989, p. 17.


Imediatamente o pessoal embarcou em

Juntamente com seus comandados, o

trem com destino à Base Aérea de

então Tenente Coronel Aviador Nero Moura

Tarquinia. Nessa grande base operada

realizou 62 missões de guerra. Segundo Rui

pelos americanos, a unidade brasileira

Moreira Lima, “Nero Moura foi um

passou ao controle operacional de 350th

comandante justo e exigente. Exerceu o

Fighter Group, passando a operar com a

comando sem usar somente os galões.

denominação de 2st Brasilian Fighter

Comandou com o exemplo. Sua liderança

7

Squadron – Esquadrão Jambock, que

era exercida em terra e no ar. Não tolerava

correspondia a um Esquadrão de Caça na

a indisciplina de voo. Foi promovido a

Força Aérea Americana.

Tenente Coronel Aviador em plena

No dia 31 de outubro de 1944, a unidade

campanha na Itália. Com o encerramento

brasileira iniciou as operações. Três

da guerra, o 1º Grupo de Caça tinha a seu

semanas mais tarde, o grupo se deslocou

crédito um saldo de dezenove P-47

para a Base Aérea de San Giusto, na cidade

Thunderboldt estocados em Nápoles, que

de Pisa, onde permaneceu até o final da

estavam à disposição da FAB para

guerra.

substituições por perdas durante as

Encerrada a luta, o 1º Grupo de Caça teve

operações em combate. Nero Moura

um saldo de 16 aviões abatidos com oito

recebeu instruções do Ministério da

aviadores mortos. Oito saltaram de

Aeronáutica para trazer os aviões voando

paraquedas, sendo que cinco foram feitos

ao Brasil. Acertos foram feitos, e a USAF

prisioneiros, todos libertados no final da

concordou em entregar os dezenove P-47

guerra, e três conseguiram retornar às

novos em San Antônio, no Texas. Nero

linhas amigas com o auxílio dos partisanos.

Moura escolheu 18 pilotos para

Além desses, um aviador morreu em

acompanhá-lo aos EUA para transladar os

acidente durante um treinamento em

aviões ao Brasil. Decolaram de Kelly Field,

Tarquinia, e dois perderam a vida em um

Texas, no dia 4 de julho de 1945 com

acidente que envolveu um Thunderboldt, e

destino ao Campo dos Afonsos, no Rio de

um Douglas C-47, enquanto faziam um voo

Janeiro, a capital brasileira na época.

de filmagem.

Quando Getúlio Vargas retornou ao poder, eleito pelo povo em 1950, nomeou Nero Moura Ministro da Aeronáutica.

7 Nome código do Esquadrão do 1º Grupo de Av. de Caça na FAB.

Senta a Pua! Brazilian Air Force in Italy, WWII. P-47 of the green flight, the D-1 is the plane of Capt. Lagares. Créditos: Damopabe Flickr

REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 3

59


Durante o deslocamento, em cada Base

Nos últimos quatro dias que antecederam o

Aérea que chegavam, o grupo ensaiava o

suicídio do Presidente Getúlio Vargas, Nero

show que fariam na chegada.

Moura se exonerou do cargo de Ministro da

No dia 16 de julho de 1945 o grupo chegou

Aeronáutica. Voltou à vida civil. Calou-se.

ao Rio de Janeiro, depois de voar durante 12

Ninguém o atacou. Modestamente o

dias, o que correspondia às 12 escalas para

Comandante do 1º Grupo de Caça na Itália

descanso. O céu estava de um azul

recolheu-se à vida privada como um

esplêndido. Porém, antes da chegada, Nero

cidadão comum. Proprietário de uma

avisou a todos os pilotos por rádio: ‘Não

fazenda em Goio-Erê, no Estado do Paraná,

quero ninguém abaixo do edifício A Noite’.

passou a dedicar-se à cafeicultura e à

Ele foi o único que passou acima. Fizeram

pecuária. No dia 22 de abril de 1986, durante

um show espetacular para uma multidão

as comemorações do Dia da Aviação de

que aguardava a esquadrilha com grande

Caça, na Base Aérea de Santa Cruz,

expectativa.

Nero Moura foi proclamado pelo Ministro da

Ao regressar, Nero Moura assumiu o

Aeronáutica, Patrono Vivo da Aviação de

comando da Base Aérea de Santa Cruz, que

Caça. O nome do aeroporto Nero Moura, da

se tornou a sede do 1º Grupo de Aviação de

cidade de Cachoeira do Sul (RS), é uma

Caça.

homenagem ao aviador que inscreveu seu

Em 1945, o Presidente Getúlio Vargas caiu, e

nome na história da aviação brasileira, como

Nero Moura pediu passagem para a reserva

um dos seus filhos mais ilustres.

no posto de Coronel. Como cidadão comum,

Nero Moura faleceu em 17 de dezembro da

Nero Moura assumiu o cargo de Diretor

1994, aos 84 anos de idade, e seus restos

Técnico da Aerovias do Brasil e, mais tarde,

mortais encontram-se no Memorial Senta a

assumiu a Superintendência da Loid Aéreo

Pua, na Base Aérea de Santa Cruz, no Rio de

Nacional. Quando Getúlio Vargas retornou

Janeiro.

8

ao poder, eleito pelo povo em 1950, nomeou Nero Moura Ministro da Aeronáutica. Uma das importantes iniciativas de sua gestão foi a implantação da aviação a jato no Brasil. Mais tarde, foi promovido ex-ofício a Brigadeiro da Reserva, de acordo com a lei que beneficiava a quem combateu os comunistas na Revolução de 1935.

8 LIMA, R. Op.cit., p. 33.


A REVISTA AEROTUDO CONTINUA DISPONÍVEL EM: WWW.VERTICALPLUS.COM.BR


DESTAQUE VERTICAL


Você já ouviu o som de um ELT acionado ? O transmissor de Localização de emergência (Emergency Locator Transmitters), pode fazer a diferença no momento de um acidente. Apesar disto, um bom planejamento que leva em consideração as condições meteorológicas da rota, continua sendo a melhor opção.

THALES PEREIRA

Colaborador da Revista Vertical Plus


FOTO : LUIZ CARLOS JR

E

ra verão, muitos voos de helicóptero para

você estava mantendo.

o litoral , todos querendo , "descer a serra",

Quando você estava próximo do local de

para levar e buscar seus passageiros para as

pouso, o equipamento simplesmente

diversas praias do litoral de SP e RJ.

mudava de página e te mostrava o tempo

Naquela época, somente para

estimado em segundos para o pouso. O que

contextualizar, não haviam tantos recursos.

não é nada agradável, quando está à

Com diversos helicópteros e pilotos

procura de um heliponto, sobre a Avenida

operando ao mesmo tempo, não

Faria Lima no período noturno!

haviam,"Ipad's nem os smartphones com

Mas, voltando ao tema do nosso Safety.

seus aplicativos de auxílio a navegação.

Pousei em um dos helicentros da grande

Nossos, "GPS's”, não passavam de

São Paulo no meio da tarde, entrei na sala

equipamentos dotados de um , "Indicador

de pilotos para preencher meu relatório de

de desvio de curso (CDI) sobre uma barra",

voo e lá estava um empresário que possuía

que te mostravam a proa desejada e a que

um helicóptero R22 que ele próprio voava.

REVISTA VERTICAL

| 64


...todo voo só tem sentido, se houver segurança!

salvamento foram deslocadas para Paraty e de lá, iniciaram-se as buscas. Decolei naquela mesma manhã, também de São Paulo para Angra dos Reis , selecionei a frequência 121.50 MHZ ,aumentei o volume e ao me aproximar de Ubatuba , voando mais baixo do que o normal , comecei a captar o áudio do ELT , "ruído inquietante para qualquer aviador". Pedi licença ao passageiro, expliquei a situação e comecei a fazer alguns , "360's", mas infelizmente , nada foi encontrado. Dias depois ele foi encontrado pela equipe de terra, sem vida. Infelizmente, mais um acidente que poderia ter sido evitado. Vamos aos fatos? Qual era a urgência do voo? Verão, meio da tarde, previsão de chuva, (como sempre), serra encoberta, voo para o litoral com um pequeno helicóptero VFR, o que poderia dar errado? Poderia aguardar a manhã do dia seguinte? Claro! Srs e Sras , o voo para o litoral em um final de semana ou feriado, tem normalmente qual objetivo?

condições da serra de mar para Angra dos Reis. Respondi que eu havia vindo de Paraty ,que a serra estava bem encoberta e que inclusive, haviam algumas células de chuva no caminho. Então, ele fez algumas ligações, se dirigiu ao helicóptero e decolou. No dia seguinte, soubemos que ele não havia pousado no seu destino. Foram acionados os meios de salvamento. Equipes e aeronaves do serviço de busca e

Então, alguém poderia me explicar, qual razão de haver urgência, correria, de se voar em condições críticas com chances de algo dar errado? Não existe razão! Eu sei que já mencionei esta mesma frase em outro Safety mas , vou repetir , " todo voo só tem sentido, se houver segurança!" Somos pagos para prover bons momentos e boas lembranças, estes somente serão gerados, por voos seguros e tranquilos. Pense a respeito.

65

EDIÇÃO 3

segundos , ele me perguntou a respeito das

O lazer, férias, translado, correto?

REVISTA VERTICAL

Nos cumprimentamos e após alguns


AVISO DE SEGURANÇA

ELT

satélites não geoestacionários e então localizado precisamente por um ou ambos

EMERGENCY LOCATOR TRANSMITTERS

de trilateração GPS e doppler triangulação. As frequências de transmissão segue os parâmetros internacionais operem em 406 MHz e 121,5 MHz. Embora os sistemas de satélite SAR não sejam mais capazes de usar sinais de 121,5 MHz, essa frequência é

O ELT é um transmissor de localização de emergência independente da aeronave e alimentado por bateria. Sua ativação pode ser feita de forma manual ou automática. Em termos de automatização pode ser ativado pelas forças "G" causadas pela colisão ou por sensores hidrostáticos em caso de acidente por imersão na água. Sendo um componente de segurança pode ser detectado pelos sistemas internacionais de satélite de busca e salvamento (SAR). Quando ativados manualmente ou automaticamente os ELTs transmitem um sinal de socorro que pode ser detectado por REVISTA VERTICAL

| 66

considerada necessária para permitir o homing, que basicamente se refere ao método de orientação que facilita a sua localização. Neste link é possível ouvir o áudio captado de um ELT acionado.


SEU CANAL DE NOTÍCIAS NA INTERNET E NO YOUTUBE MINISTÉRIO DA DEFESA

FORÇAS ARMADAS

Principais notícias e ações realizadas pelo Ministério da Defesa cujas atividades fazem parte da política Nacional de Defesa.

As Forças Armadas desenvolvem diversas atividades de interesse público. Informações que fazem diferença na vida dos cidadãos brasileiros e que são destaque em nossas notícias.

BASE INDUSTRIAL DE DEFESA E SEGURANÇA A indústria é umas das principais bases de desenvolvimento e aplicação de novas tecnologias que possuem implicações diretas com o desenvolvimento de uma nação.

DEFESANEWS.COM.BR YOUTUBE.COM/DEFESANEWS Defesa News™ é uma mídia jornalística independente, a qual não possui vínculo empregatício com o Ministério da Defesa e as Forças Armadas, e sem aporte financeiro de qualquer setor governamental.

@DEFESANEWS


VERTICAL NAS AMÉRICAS


Fennec’s da Aviação do Exército Equatoriano Aeronave leve e versátil que equipa Aviação do Exército Equatoriano. Um ferramenta desastres naturais.

ANTONIO ESPINEL Colunista da Spotter Magazine

FOTO ANTONIO ESPINEL

essencial em missões de transporte, vigilância aérea e apoio à população em caso de


1

2

3

H

elicópteros Fennec que têm uma base

a sua aquisição serve como uma

operacional a cidade de Portoviejo. Esta

substituição da SA-315B e do SA-315B,

unidade possui um total de dois esquadrões,

também apelidados de “ Lama's” , cujas

o primeiro conformado pela Aérospatiale

aeronaves o exército operou durante muitas

SA342L conhecido como “Gazelle's” que

décadas.

serviu o país durante muitos anos e participou em guerras como a de Paquisha

O AS550C3e

(1981) e Cenepa (1995) contra o país vizinho

Os Fennec's chegaram ao Equador em 2012,

do Peru. A sua compra foi feita com o

através de um contrato inicial para compra

objetivo de criar um novo esquadrão de

de 2 helicópteros, sendo entregue um a

combate de fabricação francesa. Além disso,

cada ano. Por serem modernos, versáteis e

REVISTA VERTICAL

| 70

1, 2 e 3 : Fotos Antonio Espinel


metralhadoras de calibre 0,50 com uma

Equador, um país onde as grandes altitudes

capacidade de 400 balas e um lançador de

e a alta das temperaturas coexistem. Os

foguetes FZ20 com capacidade para

helicópteros realizam uma vasta gama de

foguetes de 7 - 70mm e óculos de visão

operações que incluem o salvamento e

noturna. Uma configuração de combate real!

apoio aos cidadãos com a utilização de um

Agora, estes aviões servem a comunidade 24

sistema de elevação, vigilância de fronteiras,

horas por dia, 7 dias por semana.

carregamento de fundas, combate a incêndios com o anexo do Bambi Bucket,

O Airbus H125

trabalho de reconhecimento e luta contra o

Os helicópteros do Ecureuil AS350B

71

EDIÇÃO 3

tráfico de droga com a ajuda de

adaptaram às necessidades operacionais do

REVISTA VERTICAL

extremamente manobráveis, os Fennec se


FOTO ANTONIO ESPINEL

5


começaram a chegar ao Equador em 1986, e com o passar dos anos por, mais aeronaves se juntaram à frota, bem como alguns outros partiriam. Em 2011, um pequeno número de B2 chegou e outro exemplo disso é a última chegada de dois Airbus H125 (versão B3E) que foram dados ao exército em substituição de uma aeronave total. No total, dois foram dados em 2018. Estes dois estão equipados com um sistema de navegação digital, displays Garmin G500H, um câmera integrada Vision 1000 e são as únicas com ar condicionado na frota, para além dos Mil Mi171 HIP que têm uma legião de fãs apaixonados por seu cockpit. As versões B2 e B3 são utilizadas para missões de reconhecimento, resgate, apoio logístico, transporte de pessoal e evacuação aeromédica, sendo estas uma versão civil do helicóptero Fennec, uma vez que não têm um sistema de disparo. Eles podem executar operações de carregamento externo, e combate ao fogo com o sistema de Bambi Bucket.

CURIOSIDADES O Exército do Equador foi um dos primeiros exércitos da América Latina a operar helicópteros da Airbus. Entre os helicópteros da marca que hoje compõem 80% da sua frota estão os modelos da família Ecureuil e também os bimotores pesados da família Super Puma.

4

O Fennec pertence à família de helicópteros Ecureuil / Fennec que inclui: o monomotor militar AS550 Fennec e civil AS350 Ecureuil; AS555 Fennec naval bimotor e AS355

O AS550 Fennec pode ser equipado para antitanque, combate ar-ar, suporte terrestre e missões de treinamento e também é usado na função de transporte de serviço público. A versão de combate é chamada de AS550C3.

4, 5 e 6 : Fotos Antonio Espinel

6

73

EDIÇÃO 3

monomotor.

REVISTA VERTICAL

Ecureuil civil; e o helicóptero civil EC 130


A CADA EDIÇÃO, NOVAS REFLEXÕES . QUEM DISSE QUE AVIAÇÃO NÃO É CULTURA?

SUA REVISTA

DE AVIAÇÃO

ESTÁ AQUI! O ponto de equilíbrio entre entretenimento e informação.


English version Ecuadorian Army Aviation (AEE) Antonio Espinel

T

The Airbus H125

he Ecuadorian Army Aviation (AEE)

Airbus H125 (Ecureuil B3e) that were given to

acquired a total of 7 Eurocopter AS550C3e

the army as a replacement for a totaled

Fennec helicopters that have a home base at

aircraft. In total, two were given in 2018.

GAE-43 in the city of Portoviejo. This unit has

These two are equipped with a digital

had a total of two squadrons, the first one

navigation system, Garmin G500H displays, a

conformed by Aérospatiale SA342L Gazelle’s

built-in Vision 1000 camera and are the only

which served the country during many years

ones with air conditioning in the fleet, apart

and participated in wars such as Paquisha

from the Mil Mi-171 that have fans in their

(1981) and Cenepa (1995) against the

cockpit. They are used for reconnaissance

neighboring country of Perú. Their purchase

missions, risk management support,

was made with the goal of creating a new

personnel transport and aeromedical

combat squadron of french fabrication. Also,

evacuation. It is the civil version of the

their purchase serves as a replacement to

aforementioned Fennec helicopter since they

the aging Gazelle´s and the SA-315B Lama’s

do not have a firing system. They can

that the army has operated during

perform external loading operations, and fire

many decades.

suppression with the bambi bucket system.

O AS550C3e The Fennec´s arrived to Ecuador in 2012 at an interval of 2 helicopters being delivered each year. Because of them being modern, versatile and extremely maneuverable, the Ecuador, a country where high altitudes and high temperatures coexist. They carry out a wide range of operations that include the rescue and support of citizens with the use of a hoist system, border surveillance, sling

FOTO ANTONIO ESPINEL

Fennec’s adapt to the operational needs of

loading, fire fighting with the Bambi Bucket attachment, reconnaissance work and fight against drug trafficking with the help of 0.50 caliber machine guns with a capacity of 400 rounds and a FZ20 rocket launcher with capacity for 7 - 70mm rockets and night

serve the community 24/7. The Ecureuil helicopters started to arrive in Ecuador in 1986, and as years have gone by, more aircraft have joined the fleet, as well as some others have left. In 2011, a small number of B2 arrived and another example of this is the latest arrival of two.

REVISTA VERTICAL

| 64

75 EDIÇÃO 3

flying towards you! For now these aircraft

REVISTA VERTICAL

vision goggles. You would not want to see it


VERTICAL NEWS

ITÁPOLIS AIR SHOW 2021 Um evento que ficará na história, assim destacamos a edição de 2021 do Itápolis Airshow, um dos maiores eventos aéreos da América Latina. DAVID OLIVEIRA

Colunista da Revista Vertical Plus


cada dia, semanas e meses que se

Chegamos na cidade de Itápolis (370 Km de

passavam, o coração batia mais forte, até

São Paulo) por volta de 15 horas, a chuva

que veio a notícia de data e hora do Itápolis

estava forte no caminho e era inevitável não

Airshow 2021. Eu, minha filha Júlia (parceira

pensar que o evento poderia ser cancelado.

de várias viagens em busca das aventuras da

Passou uns 30 minutos e foi ficando mais

aviação) e meus amigos do grupo Uberaba

leve e fina, quase parando, prenúncio de que

Spotter (cidade que nasci e resido, Uberaba-

o domingo seria de tempo bom. No

MG situada no Triângulo Mineiro), nos

Aeroporto Municipal de Itápolis, Doutor Luiz

preparamos para a véspera e o grande dia do

Dante Santoro (SDIO), funciona a EJ Escola

evento que seria 12 de setembro. Eis que no

de Aeronáutica Civil e o Aeroclube de

dia da viagem, fomos, eu, Júlia e Guilherme

Itápolis. Logo que adentramos ao recinto já

Sedassari, um grande spotter que tem em

nos reencontramos com os amigos Vadico e

seu currículo diversas fotos com destaque

Fabiza que estavam em uma live. No

nacional em portais como o da Infraero e etc.

taxiamento estavam as aeronaves PP-ZMK,

Saímos cerca de 5 horas da manhã do

um RV-7A de 2009, operado por Luiz

sábado (11), de Uberaba-MG para uma

Antonio de Oliveira Junior. PR-XLX, um Extra

viagem de quase 5 horas. O destino nos

Aircraft EA 300/LC de 2013, operado por

levava a passar por Bebedouro-SP onde está

Denis Schwarzenbeck e na ocasião no

localizada a sede do grande aviador

assento dianteiro a jovem e promissora

acrobático Cmte. José Villela Kandrotas e o

piloto acrobática Tâmata Tezoto, a única

seu lindo Extra EA 300/SCE PR-ZVK, além do

mulher a participar da edição do VIII CBA -

Museu de Armas, Veículos e Máquinas

Campeonato Nacional de Acrobacia Aérea

Eduardo André Matarazzo com um acervo

(representou na categoria: Primary a cidade

que conta com vários aviões. Programamos

de Itápolis-SP com a aeronave Super

almoçar em Catanduva-SP, pois lá há um

Decathlon PP-TZT). Ainda em taxiamento

restaurante localizado em uma das

estavam o famoso e campeão PT-ZSL

extremidades do Aeroporto João Caparroz

operado pelo Cmte. Luiz Guilherme Richieri,

(SDCD), para ser exato, à direita da cabeceira

um SUKHOI SU-31 de 1995 e os North

24, bem temático à viagem.

American T-6 da Esquadrilha Extreme do nosso saudoso Cmte. Carlos Alberto Edo Palma e a sua companheira Cmte. Mônica Edo. Confesso que ao ver de perto aquela aeronave e ouvir seu motor inconfundível me

Para me emocionar ainda mais, um adesivo com a caricatura do Cmte. Carlos Edo na lateral na aeronave mostrando que por vezes ele esteve ali.

bateu forte a emoção, pois estive tantas vezes tão perto deles e nunca o conheci pessoalmente. Porém sempre tive muito respeito e carinho pelo trabalho e cuidado que sempre tiveram com essas aeronaves, o que no Brasil não é fácil manter. Bom, ali estava diante de meus olhos que nessa altura já estavam lacrimejando num misto de saudade e sentimentos de presença inexplicável o PT-KRC, um AT-6D de 1942.

DIREITOS RESERVADOS: DAVID OLIVEIRA

A


Para me emocionar ainda mais, um adesivo com a caricatura do Cmte. Carlos Edo na lateral na aeronave mostrando que por vezes ele esteve ali. Fechando o ciclo de emoções e dispondo como líder da Esquadrilha a

"...depois de muito tempo saber que poderemos ouvir o som mágico do Embraer A-29 é mais que uma realização.".

querida e tão simpática Cmte. Mônica Edo com o seu PT-LDQ, um North American AT-

formação já prontos para decolarem o Cmte.

6D também de 1942, uma aeronave

Richieri no Sukhoi SU-31 e ainda os Cmte.

impecável que desperta a atenção de

Denis no Extra 300 e Cmte. Gardenal no RV-

qualquer pessoa, mesmo os que não

7A. Fizeram algumas passagens em

conhecem ou que não tem interesse pela

formação e logo notava-se que era

aviação.

diferenciado o som e o visual dessa

O sábado marcado por um céu nublado

Esquadrilha. Que som inesquecível dos

com chuva forte e até trovoadas no anoitecer

motores radiais marcando ainda mais os

nos fez mais uma vez temer o possível

traços que riscavam o céu com as mais

cancelamento do evento. Mas o domingo

diversas acrobacias.

amanheceu e logo que saímos do hotel a

Ao final da demonstração da Esquadrilha de

surpresa de um dia azul sem nuvens e Sol

Mônica Edo, uma imagem ficou eternizada.

brilhando. Como sempre fomos muito bem

O Cmte. Beto Bazaia a bordo do também

recebidos pela equipe da EJ, em especial o

histórico PR-TIK, um North American de 1949

Sr. Alexandre Benedicto. No “box” de

T-6G decolou para seu “voo solo” no estilo

demonstrações e iniciando o evento com a

americano com fumaça ligada e foi se juntar

transmissão da “live” no canal oficial de

com os outros NA-T6 para uma passagem de

Youtube da EJ Aeronáutica, o Cessna A152 de

respeito, mas antes deles realizarem tal

1980, Aerobat com o Cmte. Filipe Rafaeli.

manobra, eis que no horizonte da cabeceira

Uma aeronave de pintura da fuselagem

01 surgem três memoráveis aeronaves RV em

branca e azul com as asas brancas e

formação e nivelados, eram os amigos da

quadriculados de azul nas pontas, muito

Esquadrilha FOX de Brasília-DF, que fizeram

bonita por sinal.

uma passagem e já foram alinhar para

Seguindo a programação a Esquadrilha CEU

pouso, surge então com o som estridente

decolou por volta de 9h30 da manhã com

dos NA-T6, Cmte. Mônica, Cmte. Bazaia e

seus pilotos em sua maioria formados por

Cmte. Hernani. Fumaça ligada, rasante

experientes oficiais da reserva da FAB (Força

certeiro e uma foto daquelas de se colocar

Aérea Brasileira), com milhares de horas de

em moldura para a posteridade. Que dia!

voo, em especial na Avia​ção de Caça. O líder

Melhor do que este, somente quando em 13

Cmte. Salvatore no PT-ZIF, um RV-7A,

de maio de 2018, estavam juntas cinco

seguido pelo Ala Direita Cmte. Sayeg no PR-

aeronaves NA-T6 no mesmo local e quase

ZQW, um RV-8A, o Ala Esquerda Cmte.

horário no voo histórico que acredito não

Faleiros no PR-ZAH, um RV-8A, o Ferrolho

mais ver igual.

Cmte. Fleury no PT-ZRT, um RV-7A e o

Com exceção do Cmte. Beto Bazaia que

Isolado Cmte. Coutinho no PR-ZUO, um RV-7

ficou no box de demonstrações, todos

e ainda fazendo parte da Esquadrilha CEU o

pousaram, inclusive a recém chegada

Reserva do Ala Direita, Cmte. Lebeis. A

Esquadrilha FOX. Ao fundo na fonia da Torre

Esquadrilha CEU apresentou aos internautas

de Controle sob responsabilidade do

e ao público de poucos profissionais que ali

experiente Lucas Delcaro, podíamos ouvir a

estavam, um verdadeiro show. Foram cerca

solicitação de pouso do chamado precursor

de 40 minutos em que fizeram inúmeras

do EDA (Esquadrão de Demonstração Aérea)

acrobacias em formação e isolados. A Cmte.

da FAB (Força Aérea Brasileira),

Mônica Edo juntamente com o Cmte.

carinhosamente “Esquadrilha da Fumaça”,

Hernani estavam em seus NA-T6 e em

também conhecido como “Fumaça 8”, já que

REVISTA VERTICAL

| 78


REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 3

79

DIREITOS RESERVADOS: DAVID OLIVEIRA


DIREITOS RESERVADOS: DAVID OLIVEIRA


são sete aeronaves e este trata de assuntos

diferentes, depois alçaram voo e ganharam

adversos em uma missão de demonstração.

altitude (altura) para como uma impressora

Era a “cereja do bolo” para qualquer

lado a lado “imprimir”, as palavras “ITAPOLIS

profissional de imprensa e spotters que ali

AIRSHOW”. Uma exclusividade da

estavam, pois depois de muito tempo saber

Esquadrilha da Fumaça, que foi uma linda

que poderemos ouvir o som mágico do

homenagem ao evento e depois disso

Embraer A-29 é mais que uma realização.

retornaram para a Academia da Força Aérea

Basaia estava magnífico, mas bastou pousar

(AFA) em Pirassununga-SP.

e eis que surge na cabeceira 19, o imponente

As apresentações seguiram com a presença

azul, verde e amarelo EMB-314 A-29 “Super

do Cmte. Victor Yancovitz a bordo do PR-

Tucano” com seu motor P&W Canada PT6,

ZYY, um Extra EA 300 de 1989, que ainda

neste caso o FAB 5966, um A-29B (biplace,

preserva a pintura dos Halcones, a

ou dois assentos) que fez uma única

Esquadrilha de Demonstração da Força

passagem anunciando a sua chegada e logo

Aérea Chilena. Uma aeronave que dispensa

fez o pouso corrido típico dos pilotos da

comentários, além da grande experiência do

“Fumaça”.

piloto que fez uma sequência de acrobacias

O Cmte. Luiz Antonio Panceri (Faco) no PP-

diversas das mais simples às mais avançadas.

ZJC, um CAP-10B de 1988, fez a apresentação

O Cmte. Filipe Rafaeli que abriu o evento

com acrobacias memoráveis, com muita

com o Cessna Aerobat, agora voltava a com o

perícia e qualidade. Na sequência, antes do

Super Decathlon PP-TZT, uma aeronave

intervalo de almoço, o Presidente do CBA -

fabricada em 1997 pela American Champion,

Comitê Brasileiro de Acrobacias e

modelo 8KCAB operado pelo Aeroclube de

Competições Aéreas, Cmte. Christiano

Itápolis e que a jovem Tâmata Tezoto

Pereira de Oliveira, com a aeronave PT-ZOO,

participou da edição do campeonato de

um biplano PITTS S2B de 1983. Foi um

acrobacias aéreas do CBA neste ano. Por

encerramento de luxo do primeiro ato, ou

falar em campeonato de acrobacias, quem

seja, a primeira parte das transmissões de

também participou de mais esta edição foi o

um dia inesquecível. Cmte. Christiano fez

Cmte. Douglas Lourenço e o seu RV-7 de

acrobacias num box apertado e baixo, algo

2007, PT-ZDL com pintura da PRO TORK

que só foi possível devido a ausência de

Racing Development, nas cores preto,

grande público.

amarelo e branco. Um show com muita

Eram 14h30 quando a “live” retornava a

técnica e imagens inesquecíveis que foram

transmitir a segunda parte do evento. Cmte.

eternizadas com centenas de “clicks” durante

Hernani decola para sua apresentação solo

todo o voo.

com o NA-T6 já citado do saudoso Cmte.

O “Fumaça 8”, fez a sua decolagem no estilo

Carlos Edo (PT-KRC) e no reabastecimento já se preparava para o retorno à sua morada, o Cmte. Christiano Oliveira e a Esquadrilha CEU que já estava em voo para sua base no

“Fumaça” ali no meio do pátio geral. Quando o Cmte. Hernani terminava a sua apresentação solo, na proa de Itápolis com a fumaça e luzes frontais ligadas, surgem as sete aeronaves A-29 que fazem a sua primeira passagem baixa sobre o público, que emocionado clamavam por este momento único. Fizeram mais três passagens por sobre a pista em formaturas

Um histórico impecável do Cmte. Gúnar com manobras que unem não só a experiência, mas o conhecimento e a confiança do homem na máquina.

81

EDIÇÃO 3

sobre a presença daquela aeronave da

REVISTA VERTICAL

Rio de Janeiro-RJ. A expectativa era grande


característico do EDA para também retornar

são oriundos da Aviação de Caça da FAB,

à base. Seguimos com muitas expectativas

serviram em tempos distintos as mesmas

ainda, pois faltava se apresentar o Cmte.

Unidades Militares, em especial o Esquadrão

Beto Bazaia, agora com o Super Decathlon

Pampa. As acrobacias da FOX são

(8KCAB) de 1979, mais uma vez ele deu um

geralmente com base peculiar ao tipo de

show! E não diferente, as maravilhosas

voo que exerce a Aviação de Caça e

manobras agora solo do campeão Cmte. Luiz

adaptaram ao estilo acrobático em formação

Guilherme Richieri com o PT-ZSL, um Sukhoi

com manobras que fazem alusão à

SU-31 de 1995. Uma aeronave bem diferente

principalmente pontos turísticos de Brasília-

das demais, mas que no box encheu as

DF. A luz do dia acabava e as aeronaves

lentes de cor e graça.

tornavam-se pontos de brilho no céu que já

O Cmte. e Instrutor Bola Fly no voo do

se apresentava no crepúsculo do anoitecer.

planador PT-PLN do Aeroclube de Itápolis,

Despedidas e um longo trajeto de volta para

um G103 de 1983 fabricado pela Grob, fez

casa fechando um final de semana que se

algo que neste caso nunca havia visto. O que

não tivesse escrito aqui, outrora diria ser

ele consegue fazer com um planador é

indescritível. Foi tudo muito bom, eu, Júlia e

esplêndido e memorável.

Guilherme retornamos com muito material e

Quando pensava que faltavam apenas os

saudade de mais eventos assim. Que em

amigos da Esquadrilha FOX que fecharia o

2022 possamos entregar aos nossos leitores

evento com chave de ouro, eis que decola da

mais histórias emocionantes como o que

cabeceira 01 o Cmte. Gúnar Armin Halboth,

aconteceu no Itápolis Air Show Live 2021 da

um dos mais incríveis pilotos que já vi na

EJ Escola de Aviação Civil e o Aeroclube de

acrobacia aérea. Logo na decolagem, surgiu

Itápolis. Aqui deixo meus agradecimentos a

um tunô rápido (tonneau) que o deixa de

todos que de alguma forma contribuíram

dorso (cabeça para baixo) e assim ele seguiu

para a realização deste trabalho.

até o final da pista há poucos metros do chão desafiando a gravidade com uma aeronave especial, o PU-LBN, DR-107 One Design de 2009. Um histórico impecável do Cmte. Gúnar com manobras que unem não só a experiência, mas o conhecimento e a confiança do homem na máquina. A apresentação do Cmte. Gúnar (que é um piloto também de asas rotativas) como sempre, um misto de coragem, técnica e respeito por tudo na aviação. Já estava no entardecer quando decolou os três integrantes da Esquadrilha FOX representando a Capital Federal. Descrever tudo sobre eles não daria nesta edição, por isso vamos ter uma matéria especial com a FOX, carinhosamente assim chamada. Cmte. Brig. Bianchi no FOX 1 PR-ZHB, um RV-7 de 2014. Cmte. Cel. Attila no FOX 2 PT-ZVR, um RV-7A de 2012. E o Cmte. Maj. Brig. Kersul no FOX 3 PT-ZKJ, um RV-8 de 2017. O visual das aeronaves isoladas ou juntas são sensacionais, pois a pintura com as cores laranja, preto e cinza, fazem da FOX uma Esquadrilha diferenciada. Os três integrantes REVISTA VERTICAL

| 82

“Voar e sonhar é para todos... mas realizar é para poucos!”


REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 3

83

DIREITOS RESERVADOS: DAVID OLIVEIRA


CLICK VERTICAL

LUCAS BATISTA Autor da foto

País: BRASIL @pilotlucas



LUIZ CARLOS JR Fotógrafo de Aviação Civil e Militar

País: Brasil @revistaverticalplus Canon 7D Canon 70-300mm em 232mm

Todos os Direitos Reservados : © Asas Históricas

f/9, 1/125s, e ISO 100



Todos os Direitos Reservados : © Asas Históricas

LUIZ CARLOS JR Fotógrafo de Aviação Civil e Militar

País: Brasil @revistaverticalplus Canon 7D Canon 18-55mm em 18mm f/11, 1/200s, e ISO 500



VOAR É PRECISO! Olá ! Estamos começando agora. Sim, esta é uma longa caminhada. Precisamos de tempo e ajuda para crescer como uma revista de aviação. Estamos espalhados em diversas redes para nos conectarmos com vocês. Junte-se conosco para que possamos chegar ainda mais longe. #juntosnavertical

#REVISTAVERTICALPLUS

@ R E V I S T A V E R T I C A L P L U S

@ R V E R T I C A L P L U S

#VERTICALPLUS

I S S U U S U A R E V I S T A E L E T R Ô N I C A

I S S U U . C O M / R E V I S T A V E R T I C A L P L U S

REVISTA VERTICAL

| 76


CHECK LIST DA REDAÇÃO Trabalhar com informação requer

2- Fotos: Este material deve ter os créditos

profissionalismo, responsabilidade, ética e

do autor e no caso de fotos de aeronaves ou

espírito de verdade. Não temos interesse em

veículos militares, não será permitido

alavancar notícias com o objetivo de atrair

imagens pessoais. Apenas as já existentes em

público. O Leitor deve ser atraído pelo

canais oficiais ou fotografadas em eventos

conteúdo e não pela polêmica ou falsa

públicos. Cada imagem será analisada em

declaração. O mercado aeronáutico requer

seu contexto para resguardar as instituições

profissionais de imprensa que possam

e/ou empresas. Imagens da internet sem

exercê-la de forma especializada e imparcial.

autoria devem ser identificadas como autor

Para isso, é necessário que os autores

desconhecido. Imagens com logomarca não

estudem, leiam fontes distintas e saibam

devem ser usadas sem autorização do autor.

interpretar os conceitos envolvidos. Notícias

3- Conteúdo: A internet possui muitas

relacionadas às instituições da federação,

informações falsas. Neste projeto usaremos

devem receber cuidado dobrado, apenas

sites oficiais e sites institucionais, seja eles

fontes oficiais são autorizadas. Seguiremos

de fabricantes ou operadores. Trabalhos

os protocolos de segurança quanto a

acadêmicos também serão aceitos.

interpretação das Fake-News. As publicações

4- Equipe Vertical+: Aqueles que pelo

devem ser apresentadas de maneira objetiva

voluntariado escrevem para revista precisam

e jamais devem ser alvo de especulações ou

estar cientes que este não é um trabalho

fazer deles a palavra oficial de nenhum

remunerado. Não existe vínculo de patrão e

órgão institucional. Não representamos

empregado. Somos parceiros nessa missão e

nenhuma instituição e não podemos falar

queremos que a família Vertical cresça

por elas, apenas divulgamos aquilo que já

constantemente. Parceria, amizade e

existe, com referências já publicadas. Cada

lealdade nos levaram ainda mais longe.

autor possui suas convicções e nossos

5- Anúncios e Patrocinadores: Anúncios

sentimentos não podem ser interpretados

sevem para divulgar o trabalho de parceiros

como especulação ou tendencioso, o

que apoiam o projeto. Não chegaremos a

sentimento nacionalista não deve ser

lugar algum sem a ajuda financeira.

interpretado como político de direita ou

Operações para cobertura de

esquerda. Insatisfações são pertinentes e

eventos/reportagens, custam caro.

não serão inseridas na revista pois não

Precisamos de transporte, equipamentos,

agregam valor coletivo ao projeto Vertical

estadia e alimentação. Tudo isso custa

Plus.

dinheiro e muitas vezes temos que tirar do

Essa Orientações estarão presente em todas

próprio bolso, então toda ajuda é bem-vinda.

as Edições e servem de conceitos balizadores

Nem sempre a ajuda está relacionada com a

para nos guiar ao caminho desejável.

ajuda financeira. Muitas vezes iremos

1- Sigilo da fonte: Embora seja direito

anunciar no entendimento que um

constitucional quando estiver no exercício

determinado serviço é importante e útil. Não

da profissão. Neste canal de comunicação

será possível identificar a natureza do

não publicaremos: ideais pessoais,

anúncio pois os motivos serão diversos.

informações sigilosas, mensagens/material

Quando surgir os patrocínios, temos certeza

de origem privilegiada, política, qualquer

de que chegaremos ainda mais longe com o

informação que venha a prejudicar a imagem

compromisso de dividir essa emoção com

de uma instituição ou empresa, nacional ou

todos aqueles que participam do projeto.

internacional, exceto em fatos que de

Esperamos contribuir com a comunidade

interesse público que atentem contra

aeronáutica levando informação e alegria

segurança do setor aéreo . Falamos sobre assuntos de aviação e não pelo setor de aviação. Não representamos ninguém.

para tantas pessoas quanto for possível. E que fique registrado! É grátis.


s k n a h T

A gratidão é parte do nosso trabalho, pois não conseguimos fazer nada sem a ajuda das pessoas. Fazemos o que fazemos porque acreditamos na possibilidade de contar boas histórias na aviação. Nessa jornada muitas portas se fecham e outras se abrem, contudo quando temos acesso a nossa alegria é compartilhar desta experiência com vocês. Não digo que é fácil, mas afirmo que não há vitórias sem uma boa luta. Meus agradecimentos está dirigido a todos que nos ajudaram nesta edição e aqueles que não puderam, digo que as portas estão abertas. Gostaria de mencionar alguns nomes, mas acredito que posso esquecer de alguém, o que seria demasiadamente desagradável. O que importa é que juntos chegamos e juntos temos muito o que comemorar. Espero que este trabalho apresente um conteúdo de valor aeronáutico. Valor cultural para nossa aviação. Por isso obrigado. Se você chegou até aqui, é porque além de leitor, também faz parte de nossa família Vertical+. Um até breve amigos!!

EQUIPE