Page 1

SERVIÇO AÉREO ESPECIALIZADO COM A CMDT ALINE

FOTO BRUNO ANJOS

EMBRAER 190-E2 APROVADO PARA APROXIMAÇÕES E POUSOS DE GRANDE ÂNGULO

Um dia de expectador ao lados dos Bombeiros do Ar

SANTOS DUMONT

UMA VIDA À CONQUISTA DO AR

AIRSHOW SAINT YAN Aberta a temporada de Shows aéreos na Europa

VOEITA O que podemos esperar da mais nova Cia Aérea do Brasil

CAVPM/SP

ÁGUIA 19 RECEBE NOVA PINTURA


CARCARÁ 1º/6º GAV OS OLHOS DO AR, CARCARÁ!

C

riado no dia 24 de janeiro de

1951, com a ativação do Centro de Treinamento de Quadrimotores, em Recife, que se destinava à formação das primeiras equipagens da FAB que voariam aeronaves quadrimotores. Em julho de 1987, chegaram os R-35A Learjet, equipados para Missão de Reconhecimento Fotográfico. Em 2010, foi atribuída à Unidade a Missão de Reconhecimento Eletrônico, passando a operar, também, as aeronaves R-35AM. Em abril de 2011, o Esquadrão recebeu o novo sensor ADS-80, que representa o início do 1°/6°

GAV na era digital e a implantação de uma nova doutrina de operação. Atualmente, está sediado na Ala 2, realiza Missões de Aerolevantamento e cumpre atividades de Inteligência de Sinais (Signals Intelligence SIGINT), Inteligência Eletrônica (Electronic Intelligence – ELINT) e Inteligência de imagens (Imagery Intelligence - IMINT), tão essenciais no processo decisório, em caso de conflito. Fonte: Força Aérea Brasileira


EDIÇÃO 2 - ANO 1 Agosto / Setembro /Outubro de 2021 FOTO LUIZ CARLOS JR

Diretor Executivo Luiz Carlos Jr Editor Bruno Anjos

Conselho Editorial Rafael David Yam Wanders - FR Colunistas Aline Maia Pedro Lanari Revisão e Arte Bruno Anjos Rafael David Luiz Carlos Jr Sebastian Suares - AR Colaboradores Mark Zerafa Teomar Benito ACRO Defesa.Tv Fale conosco contato@verticalplus.com.br Rio de Janeiro - Brasil

Consultora Jurídica Luana Genari

A Vertical Magazine não se responsabiliza por opiniões, ideias e posicionamentos emitidos nos textos publicados e assinados nesta revista digital. Cabe ao autor a responsabilidade das informações contidas nesta revista.


ÍNDICE 10

ITAPEMIRIM TRANSPORTES AÉREOS

AVIAÇÃO EM TODO LUGAR

05 NOTA DO EDITOR Superação. Seria bem peculiar ,apesar de pertinente!

08 CAV- PMSP RECEBE O ÁGUIA 19 O Comando de Aviação recebe aeronave PR-SPG da Helibras com nova pintura.

22 EXCLUSIVO!

FÊNIX 10, ENTREGUE PARA LINHA DE VOO

FOTO BRENO DANTAS - AEROPORTO DO GALEÃO

NOSSA ENTREVISTA COM A ITA TRANSPORTES AÉREOS REVELA OS PLANOS DA NOVA CIA PARA FUTURO.

29 ENTREVISTA Entrevistamos o Comandante do GOA .

Um brasileiro que conquistou o mundo. Uma vida à conquista do ar.

CONTATO@VERTICALPLUS.COM.BR VERTICALPLUS@OUTLOOK.COM.BR

FOTO BRUNO ANJOS

32 SANTOS DUMONT

25

WWW.VERTICALPLUS.COM

GRUPAMENTO OPERAÇÕES AÉREAS!

REVISTA VERTICAL

| 04


TAKEOFF

34

Em breve lançaremos a nossa galeria de fotos.

SERVIÇO AÉREO ESPECIALIZADO A Comandante Aline fala sobre as diversas possibilidades da Aviação SAE.

42 ​ EROSPATIALE A ALOUETTE III

A volta dos Shows Aéreos na Europa.

62

58 AH! A BÚSSOLA Acompanhe o Théo numa jornada ao encontro do seu destino.

REVISTA VERTICAL

| 05

05 EDIÇÃO 2

AIRSHOW SAINT YAN

40

EMBRAER 190 E2 OPERANDO EM LONDON CITY

REVISTA VERTICAL

FOTO YAM WANDERS

FOTO MARK ZERAFA

Um Helicóptero versátil operado pelas Forças Armadas de Malta.


NOTA DO EDITOR

FOTO LUIZ CARLOS JR

s

uperação. Seria bem peculiar -

uma fonte diferenciada de

apesar de pertinente - descrever

captação: direto ao ponto que

esta empreitada nesta única

interessa.

palavra. E, acreditem, eu não

Tal qual aquela aeronave que

estaria sendo injusto, mesmo se o

paira sobre nós diariamente no

fizesse. Mas, aguçar sua

dia a dia, na "vertical" de nossos

curiosidade em defini-la de

mundos, focada em seu destino,

maneira tão subjetiva, não é o

temos a singela pretensão de nos

propósito em questão. Aliás,

manter - e assim vos entreter -

muito pelo contrário: a ideia é

com a melhor amplitude sobre os

trazer informação de maneira

acontecimentos, indo sempre na

concisa, para poder instruir,

direção dos fatos, estando na

informar - e porque não divertir -

"vertical" da notícia. E haja debate

fazendo um acompanhamento

para transformar este sonho em

dos fatos que tangem ao universo

projeto e este em realidade...

aeronáutico, na medida em que

Mas aqui estamos.

estes aconteçam, e assim apresentar um compilado destes num formato objetivo que

BRUNO ANJOS Editor da Vertical Plus

permita a todo tipo de público

Aeronave AS350 B3 da Grupamento de Operações Aéreas


LISTA DE COMPRAS

Indicador de velocidade vertical Relógio de mesa/parede - Indicador de velocidade vertical, com o funcionamento em quartzo, que dá ao ponteiro um movimento contínuo. Disponível em: www..lojadoavioesemusicas.com.br

Camiseta AERO - Motores

Preço: R$ 119,99

Da marca AERO POR TRÁS DA AVIAÇÃO. Tecido: Malha 100% algodão, com estampa silk. Disponível em: www.ceuazulembarque.com.br Preço: R$ 64,90

Disponível em: www.amazon.com.br Preço: R$ 43,41

PREÇOS PRATICADOS ATÉ O FECHAMENTO DESTA EDIÇÃO. DATA 20/08/2021

www.verticalplus.com.br

07 EDIÇÃO 2

Este é um livro que, com certeza, vai prender a atenção de todos os aviadores, de verdade ou de espírito, trazendo ensinamentos importantes, não apenas da gestão dessa tão importante atividade, como também da arte do voo. Engenheiro Fernando Pinto ExPresidente da Varig e atual Presidente da TAP

REVISTA VERTICAL

Voos E Acrobacias: Memórias E Revelações De Um Apaixonado Pela Aviação


FOTOS LUIZ CARLOS JR

INFOVERTICAL Aeronave AS350 B2 da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Foto de @asashistoricas

LUIZ CARLOS JR Revista Vertical Plus

Comando de aviação da polÍcia militar do estado de são paulo recebe o águia 19 após inspeção programada. A Polícia Militar do Estado de São Paulo foi uma das pioneiras na aviação de segurança pública moderna. Esta modalidade de aviação é referência no atendimento da população em diversos serviços de utilidade pública. Com início na década de 80, com a entrega do Águia Uno ao então grupamento de radiopatrulha aérea, as aeronaves do modelo AS350 fizeram diferença no desenvolvimento e operacionalidade deste Comando de Aviação. O Águia 19 é um helicóptero da versão AS350B2, que é utilizado para atender as mais diversas missões, tais como missões de segurança pública, defesa civil e atendimento aeromédico. Devido à versatilidade da plataforma H125, que, ao longo de anos, vem sendo aperfeiçoada para atender os mais diversos cenários de operação, com o aumento da capacidade e autonomia, esses aparelhos conseguem

REVISTA VERTICAL

| 08

atingir resultados satisfatórios, que fortalecem o uso de aeronaves de asas rotativas. Em São Paulo, o Comando de Aviação é o responsável por fornecer apoio aéreo para diferentes ações relacionadas aos interesses do Estado, ou seja, além da missões policiais, o grupamento aéreo atende as missões de transporte de órgãos ou vacinas, resgate aeromédico, fiscalização ambiental, transporte de autoridades e muitas outras atribuições. Na ocasião, a Revista Vertical, em parceria com o Brazilian Spotter, teve a oportunidade de acompanhar a chegada do Águia Uno Nove, depois de uma intervenção de manutenção na Helibras no cumprimento da inspeção “A4”. Esta manutenção é realizada a cada 12 anos de operação, momento este de verificar a estrutura da aeronave de modo a garantir que a fuselagem esteja apta a continuar voando por pelo menos mais um ciclo de vida, o que inclui também as manutenções previstas por horas de voo. Por se tratar de uma “grande” inspeção, algumas melhorias foram incorporadas à aeronave, assim como a aplicação de uma nova pintura, que foi


feita seguindo os novos padrões de identidade visual adotados pela Polícia Militar do Estado de São Paulo. Assim, a equipe da Revista Vertical+ agradece a receptividade do Comando de Aviação por intermédio de toda a sua equipe, em especial ao Comandante Coronel PM Paulo e a assessoria de comunicação social , 1º Tenente PM Nakamura. Bons voos aos Águias! Fique por dentro das ações do CAvPM no Instagram:


INFOVERTICAL

O

ano de 2021 vai ser marcado pelo

ocorrendo nos últimos meses, a ITA se faz

surgimento de uma nova empresa aérea. A

presente no mercado de aviação nacional

ITA Transportes Aéreos. Aliás, aproveitando

para estimular um plano de negócio focado

o momento, voltamos a refletir sobre a

nos clientes que estão em busca de um

importância de viajar com mais conforto: o

serviço personalizado às suas necessidades.

que não significa termos que desembolsar

Fato que permite que o mercado da aviação

uma quantia exorbitante para obter

doméstica fomente a disponibilidade de

benefícios que no passado já faziam parte

mais serviços que possam atrair mais

do pacote de serviços inclusos no ticket

clientes.

aéreo. Com a Itapemirim transportes aéreos,

Nesta edição a Revista Vertical+ teve a

os passageiros poderão despachar e

oportunidade de conversar com a ITA por

escolher seus assentos sem custo adicional e

intermédio de sua assessoria de imprensa.

assim que possível a oferta de um serviço de

Foi revelado um pouco desta estratégica de

bordo diferenciado.

negócio e pelo visto temos uma ótima

Com uma expectativa de retomada em

oportunidade de garantir mais conforto a

função do crescimento da demanda do

preços acessíveis. Confira a entrevista na

transporte aéreo, a exemplo do que vem

íntegra!

FOTO LUIZ CARLOS JR

Texto : Redação Vertical Plus


REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 2

11


RV

Conte para nós, como está o andamento

das operações de voos diários neste momento?

ITA - Nos primeiros dias de atuação, temos

registrado ocupação acima do esperado para o momento em que estamos vivendo. Com a entrada em operação de novos aviões na frota (já estamos operando com quatro aeronaves e a quinta já está passando por pintura e customização interna e deve ser incorporada à malha da companhia aérea no próximo mês), vamos ampliar a quantidade de clientes atendidos e os destinos operados.

RV

A empresa já se relaciona com milhares

de brasileiros há 68 anos. O que os clientes da ITA poderão esperar da nova companhia em relação ao atendimento ao usuário?

FOTO LUIZ CARLOS JR

"A ITA deseja trazer uma experiência realmente inovadora aos seus passageiros, graças aos diferenciais que propõe em seu modelo de negócios."

ITA - A ITA deseja trazer uma experiência

realmente inovadora aos seus passageiros, graças aos diferenciais que propõe em seu modelo de negócios. Os voos da ITA são

RV

realizados por aeronaves Airbus A320, com capacidade para transportar confortavelmente até 162 passageiros. São 18 assentos a menos em relação à configuração máxima do modelo. Assim, as aeronaves da ITA foram customizadas e reconfiguradas para possibilitar mais espaço entre as poltronas – o que faz com que todas as fileiras de assentos estejam dentro dos padrões da categoria A do selo ANAC de conforto. Além do conforto, a companhia oferece serviços diferenciados, como despacho gratuito de bagagem para todas as classes tarifárias e marcação de assento sem custo adicional. Quando possível (por conta da pandemia), os passageiros também terão à disposição serviço de bordo diferenciado. REVISTA VERTICAL

| 12

A ITA não pretende ser uma empresa low cost. Nosso preço é competitivo, e para isso a ITA optou por reduzir a sua margem de lucro


RV

As aeronaves da ITA proporcionam voos

citados (maior espaço entre as poltronas,

mais confortáveis para os passageiros. Maior

transporte gratuito na primeira bagagem e a

espaço entre poltronas e uma política

marcação de assentos sem custo) mantidos.

13

empresa pretende manter os valores competitivos em relação a outras companhias que não oferecem tais benefícios?

ITA - A ITA não pretende ser uma empresa

low cost. Nosso preço é competitivo, e para isso a ITA optou por reduzir a sua margem de lucro – porém, com todos os benefícios

"A ITA terá no aeroporto de Guarulhos a sua base principal de manutenção, com capacidade para executar manutenção de linha e check A..."

REVISTA VERTICAL

Diante destes e outros aspectos, como a

EDIÇÃO 2

diferenciada de franquia para bagagens.


RV

Atualmente a empresa disponibiliza aos

RV

Sobre a manutenção preditiva /preventiva:

consumidores, oito destinos para rotas

com a atual gama de aeronaves disponíveis, e

diferentes. Quais são as perspectivas para

sabendo da sua idade, que tipo de

futuro próximo? Teremos uma ponte aérea ou

planejamento existe para manutenção da

viagens internacionais para países da América

logística operacional?

do Sul?

ITA - A empresa já está atuando nos

ITA - A ITA terá no aeroporto de Guarulhos a sua base principal de manutenção, com

aeroportos de São Paulo-Guarulhos (SP),

capacidade para executar manutenção de

Brasília (DF), Belo Horizonte-Confins (MG), Rio

linha e check A, que é a certificação obtida

de Janeiro-Galeão (RJ), Porto Alegre (RS),

pela empresa junto à ANAC. Para as demais

Porto Seguro (BA), Salvador (BA) e Curitiba

revisões, serão realizadas contratações de

(PR). A partir de 1 de agosto, a ITA também

empresas especializadas no tipo de serviço

passará a voar para Florianópolis (SC),

de desejado.

Fortaleza (CE), Maceió (AL), Natal (RN) e Recife (PE). Novos destinos serão divulgados em breve.

RV

Pensando na plataforma Airbus. Como

"Hoje, você identifica duas empresas, mas no futuro a integração fará o cliente ver uma empresa só..."

está sendo a experiência de operar um A320?

ITA - As aeronaves desse modelo são

RV

De acordo com últimas pesquisas

conhecidas pela sua confiabilidade e

divulgadas em relação aos serviços, a aviação

segurança. Como o modelo é muito

teve uma alta durante o segundo trimestre de

conhecido, também há uma oferta abundante de profissionais qualificados para operá-la, o que novamente nos apoia em nossos planos de negócio.

2021. Além disso, novas concessões para privatizar diferentes aeroportos estão em andamento no país. Vocês acreditam que isso impulsione a aviação no Brasil? O que podemos dizer de rotas para aeroportos pouco explorados. Seria viável unir diferentes modelos de transporte para chegar ao destino, de modo que possamos unir o modal aéreo e o terrestre?

ITA - Temos uma expectativa positiva,

Temos uma expectativa positiva, porém realista quanto à retomada do turismo no Brasil. A previsões que acompanhamos indicam que, conforme a vacinação vai avançando pelas faixas etárias, há um aumento na procura de viagens para o segundo semestre de 2021.

porém realista quanto à retomada do turismo no Brasil. A previsões que acompanhamos indicam que, conforme a vacinação vai avançando pelas faixas etárias, há um aumento na procura de viagens para o segundo semestre de 2021. Também temos como meta a junção dos dois sistemas, aéreo e rodoviário. Esse modal de integração, em 2,7 mil cidades atendidas pelo rodoviário, é nosso objetivo. Hoje, você identifica duas empresas, mas no futuro a integração fará o cliente ver uma empresa só, com 2,7 mil destinos disponíveis. O viajante poderá combinar sua jornada, em um site único, seja aéreo com rodoviário, só aéreo ou só rodoviário.

REVISTA VERTICAL

| 14


A GALERIA DE IMAGENS ESTÁ DE CARA NOVA

LANÇAMENTO

EM BREVE!


RV

Atualmente a empresa disponibiliza aos

RV

Pensando na plataforma Airbus.

consumidores, oito destinos para rotas

Como está sendo a experiência de operar

diferentes. Quais são as perspectivas para

um A320?

futuro próximo? Teremos uma ponte aérea ou viagens internacionais para países da América

ITA - As aeronaves desse modelo são

do Sul?

conhecidas pela sua confiabilidade e

ITA - A empresa já está atuando nos

aeroportos de São Paulo-Guarulhos (SP), Brasília (DF), Belo Horizonte-Confins (MG), Rio de Janeiro-Galeão (RJ), Porto Alegre (RS), Porto Seguro (BA), Salvador (BA) e Curitiba (PR). A partir de 1 de agosto, a ITA também passará a voar para Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Natal (RN) e Recife (PE). Novos destinos serão divulgados

FOTO DENIZ SANTOS

em breve.

"Temos uma expectativa positiva, porém realista quanto à retomada do turismo no Brasil. A previsões que acompanhamos indicam que, conforme a vacinação vai avançando pelas faixas etárias, há um aumento na procura de viagens para o segundo semestre de 2021."

segurança. Como o modelo é muito conhecido, também há uma oferta abundante de profissionais qualificados para operá-la, o que novamente nos apoia em nossos planos de negócio.


FOTO DE TOTH SPOTTER

RV

Sobre a manutenção preditiva

trimestre de 2021. Além disso, novas

/preventiva: com a atual gama de

concessões para privatizar diferentes

aeronaves disponíveis, e sabendo da sua

aeroportos estão em andamento no país.

idade, que tipo de planejamento existe

Vocês acreditam que isso impulsione a

para manutenção da logística operacional?

aviação no Brasil? O que podemos dizer

ITA - A ITA terá no aeroporto de Guarulhos

a sua base principal de manutenção, com capacidade para executar manutenção de Linha e check A, que é a certificação obtida pela empresa junto à ANAC. Para as demais revisões, serão realizadas contratações de empresas especializadas no tipo de serviço de desejado.

de rotas para aeroportos pouco explorados. Seria viável unir diferentes modelos de transporte para chegar ao destino, de modo que possamos unir o modal aéreo e o terrestre? ITA - Temos uma expectativa positiva,

porém realista quanto à retomada do turismo no Brasil. A previsões que acompanhamos indicam que, conforme a vacinação vai avançando pelas faixas etárias, há um aumento na procura de viagens para o segundo semestre de 2021. Também temos como meta a junção dos dois sistemas, aéreo e rodoviário. Esse modal de integração, em é nosso objetivo. Hoje, você identifica duas empresas, mas no futuro a integração fará o cliente ver uma empresa só, com 2,7 mil destinos disponíveis. O viajante poderá combinar sua jornada, em um site único, seja aéreo

RV

De acordo com últimas pesquisas

divulgadas em relação aos serviços, a aviação teve uma alta durante o segundo

com rodoviário, só aéreo ou só rodoviário.

17 EDIÇÃO 2

2,7 mil cidades atendidas pelo rodoviário,

REVISTA VERTICAL

Hoje, você identifica duas empresas, mas no futuro a integração fará o cliente ver uma empresa só..."


O DESAFIO DE VOAR NO BRASIL

FOTO DENIZ SANTOS

Texto: Redação Vertical+

REVISTA VERTICAL

| 18


"E desejo toda a boa sorte de um céu "CAVOK" não só a nossa "recém-chegada", mas a todas as nossas empresas".

M

uito já se falou a respeito, e

naturalmente o desafio de dissertar sem usar da redundância vai se tornando cada vez maior. Porém, ainda creio haver oportunidade, mesmo "flertando" com a semelhança. Este período pelo qual estamos passando não tem sido fácil, dispensando maiores explicações. Será? Apesar de sugerir ser improvável a criação, ou ascensão da maioria dos empreendimentos desta natureza, temos a "ITA", ou Itapemirim Transportes Aéreos, vem contrariando de forma bem eloquente está quase inexorável estatística: afinal, empreender no Brasil já sabemos ser um desafio, em tempos de pandemia a situação fica ainda mais complicada. Business

Com uma proposta bem razoável, ela vem de forma linear alcançando seus objetivos, aumentando sua frota e consequentemente a malha de regiões atendidas. Seguindo uma "receita de bolo" bem simples, pautada no "tripé" atendimento/conforto/preço, que outrora já fora apresentada por suas concorrentes, parece estar seguindo de forma salutar ao rumo de suas metas. Como entusiasta e principalmente devoto da justiça, não posso deixar de mencionar os percalços percorridos neste início de

como a coisa vem sendo feita, mas sim evidenciar que algo ainda pode ser feito, e com o "enorme risco" de dar certo, se todos colaborarem. Para nós, meros espectadores, não é fácil mensurar o custo de tirar uma aeronave do chão, mesmo que por 5 minutos apenas, mas fazendo este "exercício de reflexão", vamos considerar o valor do litro do QAV

19 EDIÇÃO 2

foco desta reflexão não é criticar a forma

REVISTA VERTICAL

operações, ainda que de forma branda: o


(querosene de aviação) num valor hipotético

Brasil, derrubando paradigmas e conceitos

de 4.4 real por litro. Uma aeronave do

sobre transporte com seus afiliados

modelo A320, pode consumir 2400 litros de

utilizando de extrema cortesia, oferecendo

combustível no trecho Guarulhos (SP) – Rio

água e balinhas nos veículos, e tantos outros

de Janeiro (RJ), aproximadamente. Ou seja,

mimos quanto possíveis. A relação entre o

2400 X 4.4 = 10.560, só de combustível.

valor cobrado por ele, o custo da operação, e

Dividindo pela capacidade desta aeronave

o valor da concorrência era

(Configuração ITA) para 162 passageiros,

excepcionalmente favorável, permitindo o

chegamos a R$ 65,00 por pessoa. Aí você

"arrastão" de uma enorme fatia do mercado.

pensa. A passagem está cara? Caros leitores,

Mas o tempo passou: o custo da operação

essa não é a resposta, pois não consideramos

subiu, a plataforma não acompanhou, a

o custo da tripulação, taxas aeroportuárias,

concorrência praticamente se equiparou e

manutenção, pessoal de terra e os demais

hoje por mais bizarro que pareça, mesmo

custos de operação. Acredita-se que 60%

nos grandes centros existe dificuldade em

dos custos de uma empresa estão nos

conseguir um carro. Torço para que os

combustíveis, fato que pode variar de acordo

exemplos corporativos indexem de forma

com a região e o cenário econômico. Agora,

positiva a nossa aviação, a fim de evitar

a quanto chegaríamos só para atingir o valor

cenários semelhantes, ou piores, tendo em

de custo de uma passagem? Neste cenário o

vista a chegada de novas companhias aéreas

custo seria de 119 reais por passageiro e no

no Brasil. E desejo toda a boa sorte de um

site da ITA podemos verificar passagens a

céu "CAVOK" não só a nossa "recém-

partir de 135 reais o trecho, ou seja, os valores

chegada", mas a todas as nossas empresas.

são compatíveis. O desafio é balancear os

Afinal, você pode até não tirar os pés do chão

números e garantir uma operação rentável

na vida, mas tenha certeza que dependemos

para empresa. Afinal, vale destacar que a ITA

da aviação para muitas coisas que nem

não é uma empresa Low Cost, logo as tarifas

pensamos. Como chegou a sua vacina

serão compatíveis com o serviço prestado.

mesmo?

Pensando como Consumidor

Fazendo uma (talvez trágica) analogia, lembro-me de quando o UBER chegou ao

Em 29 de Julho de 2021 a nova empresa NELLA Airlines anuncia parceria estratégica com a Boeing para as Américas para operar aeronaves do modelo A320. “O Grupo NELLA Airlines fechou uma parceria estratégica para se tornar um operador da Boeing nas Américas. A parceria apoiará as operações do Grupo NELLA Airlines, que ocorrerão no segundo semestre de 2021, e alavancará o promissor crescimento dos negócios de passageiros e

FOTO © NELLA AIRLINE

carga da NELLA."

REVISTA VERTICAL

| 20


FOTO © LUIZ CARLOS JR


INFOVERTICAL

A

segurança é um fator a que os

operadores de helicópteros devem estar atentos. Apesar de muitas pessoas sentirem certo receio de voar de helicóptero, talvez pela sensação de ver um rotor girando em cima de suas cabeças, podemos dizer que ao contrário do que muitos pensam, esses aparelhos são extremamente seguros. Não é à toa que essas máquinas estão cada vez mais presentes em nosso cotidiano, o que inclui os grupamentos de operações aéreas das entidades da federação. Quando se trata de operações médicas e policiais, a natureza da missão exige experiência e proficiência da equipe de pilotos e tripulação a bordo, pois em algumas situações os limites da máquina serão testados. Por esse motivo, em observância às normas de segurança, a manutenção é um fator sensível e que interfere na disponibilidade e operacionalidade do equipamento. A Máquina

A Aeronave “Lima Lima Mike” AS350 B3 é um helicóptero monoturbina da fabricante Helibras e pertencente ao Grupamento Aeromóvel da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro GAM-PMERJ. Na cidade maravilhosa, essa aeronave recebe a designação de Fênix 10, cuja missão é atender as mais diversas missões policiais, apoio aeromédico, como também cumprir ações de prevenção, socorro e assistência à população carioca. Na ocasião, a aeronave foi entregue por finalização de uma inspeção de 150 horas de voo realizada pela HBR Aviação, uma empresa certificada para prestar serviços de manutenção aeronáutica e hangaragem de helicópteros. A HBR Aviação é especializada em diversos modelos da família Airbus, o que inclui o AS350 Series B, BA, B2 e B3, como também das fabricantes Leonardo, Bell e REVISTA VERTICAL

| 22

Robson. A Fênix 10 foi recebida pelos pilotos, o Major Reinaldo e o Major Hylmer, que foram os responsáveis pela realização do voo de recebimento, momento em que os pilotos verificam o funcionamento da aeronave seguindo os critérios e parâmetros definidos em check list pelo fabricante. Concluídas as etapas, a aeronave foi transladada para sede do Grupamento Aeromóvel para integrar a linha de voo. Desejamos bons voos à Fênix 10.


GAM-PMERJ no Instagram .

Agradecimentos ao Comandante do GAM, o Coronel Cosendey , ao Major Tavares e a receptividade do Sr. Roberto Pagano e Sr Samuel Elias da HBR Aviação .

FOTO © LUIZ CARLOS JR

Fique por dentro das ações do


EDITORIAL


Não importa a missão, e muito menos a sua dificuldade: venha conhecer de perto o curioso paradoxo da existência e principalmente da eficácia de um dos mais importantes setores do CBMERJ - O Grupamento de Operações Aéreas! Texto E FOTOS : BRUNO ANJOS

REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 2

25


"Vida alheia e riquezas salvar".

E

ste é o lema. Um conjunto de palavras,

que, naturalmente, permitem algumas interpretações a seu respeito, mas que em nenhuma delas macula a sua intenção. Pois bem: no meu caso, nunca mais vistas da mesma maneira "sóbria e respeitosa" apenas, depois da transformadora experiência de conhecer uma breve fração do cotidiano de quem a vive, sob um aspecto digamos "específico": sob a alcunha de Esquadrão Hórus, aos pés do Cristo Redentor e sob a absoluta aprovação, de Da Vinci a Sikorsky, tive o imenso prazer de conhecer o Grupamento De Operações Aéreas do RJ, em alguns dos seus melhores aspectos! Formado por um conjunto de 111 integrantes,

divididos em várias equipes, e contando com 6 aeronaves modelo "esquilo", configuradas entre transporte aeromédico e operações diversas, esta "tropa de elite do salvamento aéreo", reside em um aprazível endereço as margens da Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro. Mas, assim como a "tropa vizinha" (o GOA divide o espaço com a divisão aérea da Polícia Civil), este é apenas um lindo cenário, para uma rotina inversamente atraente. Ao menos para nós, espectadores. Mas esta localização possui razão tática para ambas as corporações: para a segurança pública está no meio da cidade e para o salvamento aéreo (focando nas praias), idem.


FOTO © LUIZ CARLOS JR

O que para o "time dos pássaros vermelhos" não necessariamente signifique alguma tranquilidade, haja visto que suas atribuições não se limitam aos afogados e eventuais desdobramentos: qualquer ocorrência que demande a urgência característica da natureza deles é passível de pronto atendimento: isso pode significar um pouso no meio da Av. Brasil, ou estar a centímetros de uma encosta num dia nublado, ou quem sabe apoiando um parto no meio do suas performances na hora do almoço. E, atualmente, ainda oferecem seus préstimos a distribuição de vacinas contra a COVID-19 pelo estado. Esta é a parte que, em minha modesta opinião, os torna "super-homens": lidar com as adversidades de forma humana sem deixarem se abater por elas. E isto salva vidas, inclusive alheias.

27 EDIÇÃO 2

oceano... E ainda comentar entre risos sobre

REVISTA VERTICAL

"...que por mais "tranquilo" que seja (ou esteja) aquele ambiente, sabemos que numa fração de segundo pode surgir um chamado."


Tive a sorte de conhecê-los em um dia de mar calmo, logo, sem ocorrências "clássicas", o que me permitiu observar bastante o aspecto humano daquele "microcosmo": uma grande família, aproveitando os minutos disponíveis para atualizar seus parentes sobre status, verificando equipamentos para eventuais ocorrências,

"Foi um momento muito feliz poder registrá-lo e agora divulgar ao MUNDO o trabalho tão importante, perigoso, corajoso (e pelo visto apaixonante) de vocês, sob a ótica desta revista e seu embevecido escritor."

providenciando um café que cheirava a distância (suspeito que muita coisa na vida

uma fonte de simpatia e bom humor que

dá certo por causa de cafeína!) e, claro, como

tira do foco qualquer mal humorado que

todo bom grupo com mais de dois, naquela

ouse passar por ali. E esta é uma "riqueza"

resenha sobre futebol... Um pessoal com

que merece salvamento constante. Mas é claro que por mais "tranquilo" que seja (ou esteja) aquele ambiente, sabemos que numa fração de segundo pode surgir um chamado. E, sendo um pouco mais objetivo, para ilustrar em números e, dar o parecer do responsável pelo setor, tive o prazer de entrevistar o Cel. André Ricardo ao qual agradeço imensamente a oportunidade e principalmente pelo tempo disponibilizado.


DESTAQUE VERTICAL

O Comandante do Grupamento de Operações Aérea (GOA) do Bombeiro Militar do Estado do Rio de Janeiro fala com nossa equipe de editorial.

Houve algum impacto

negativo nas operações do GOA, com o advento da

realizando transporte inter-

para pilotos de avião e

hospitalar de mais de 60

helicóptero, além da formação de

pacientes de Covid.

tripulantes, por meio do nosso Curso de Tripulante Operacional

pandemia?

RV

Cmte- Posso destacar que em

do GOA, entre equipamentos e

determinado período chegamos a

aeronaves, há previsão de

pessoal? Alguma previsão de

ter 20 % do efetivo afastado com

recebermos um AW169 em março

alteração?

de 2022. Já está em curso

Covid-19. Perdemos um tripulante nosso para a doença.

Qual o contingente atual

Cmte- Hoje contamos com 105 militares entre pilotos,

RV

Houve alguma cessão de

aeronaves para o esforço logístico de distribuição de vacinas pelo estado?

tripulantes e mecânicos. Também possuímos seis militares

– CTO. Com relação à frota de

também o processo de licitação para compra de um biturbina leve e um avião monomotor turbohélice .

especializados que compõem a

RV

Coordenadoria de Veículos Aéreos

momento atual da pandemia?

Não Tripulados (drones). Nossa

Cmte- Sim. Até junho de 2021,

frota é composta de seis

voamos 103 horas distribuindo

aeronaves esquilo. Temos a

vacinas. Também atuamos

perspectiva de concurso interno

Qual sua percepção do

Como ela afeta a dinâmica do seu trabalho?

29 EDIÇÃO 2

RV

REVISTA VERTICAL

FOTO © CBMERJ

Jamais desista do sonho de voar. Seja onde for . O aviador já nasce com os olhos voltados para o céu e somente lá realiza a sua felicidade .


Cmte- Tenho a percepção de que estamos entrando em uma curva de arrefecimento da pandemia. Com relação à dinâmica do nosso dia a dia, mantemos os cuidados profiláticos emanados pelas autoridades sanitárias e o comando da corporação. Qual a mensagem que

gostaria de deixar para os que admiram o seu trabalho?

Cmte- Jamais desista do sonho de voar. Seja onde for .O aviador já nasce com os olhos voltados

FOTO © BRUNO ANJOS

RV

para o céu e somente lá realiza a sua felicidade. Eu não poderia finalizar esta

divulgar ao MUNDO o trabalho

matéria sem elogiar a

tão importante, perigoso,

proatividade deste grupo em

corajoso (e pelo visto

fazê-la a mais interativa

apaixonante) de vocês, sob a

possível. Muito me

ótica desta revista e seu

impressionou e lisonjeou a

embevecido escritor. Sem

maneira como aquele "making

vocês, nada disso seria possível,

of" foi conduzido, resultando

e portanto, daqui envio nossa

nestas fotos aqui apresentadas.

salva de palmas e nosso muito

Foi um momento muito feliz

obrigado!

FOTO © BRUNO ANJOS

poder registrá-lo e agora

REVISTA VERTICAL

| 30


Aponte a Câmera do celular e acesse a Edição 31.

Edição 32 está no Ar.

UMA REVISTA ONLINE E GRATUITA.


FOTO DE DIVULGAÇÃO INTERNET

VOANDO NA HISTÓRIA

Alberto SantosDumont, uma vida à conquista do ar REDAÇÃO Revista Vertical Plus

A

habilidade de voar sempre foi algo que

Entretanto, depois de longos anos e

nos fascinou e por longos anos investimos

diversos protótipos construídos, foi em

tempo e dinheiro para concretizar este

1904 que o famoso 14-Bis conhecido como

sonho, contudo nada disto seria possível se

” Oiseau de Proie” (Ave Rapina em francês)

não houvesse no coração dos homens

fez seu primeiro voo diante de uma plateia

daquela época a capacidade de pensar

de aproximadamente 1000 pessoas.

além do óbvio. Nos dias atuais diríamos que

Também se fazia presente uma Comissão

seria necessário pensar fora da caixinha e foi

Especial do Aeroclube da França, que

exatamente isto que eles fizeram.

testificou oficialmente este grande marco

Exemplo de dedicação, perseverança,

histórico: O primeiro voo do mais pesado

desprendimento, generosidade e idealismo.

que o ar. O 14-Bis percorreu 60 metros em

Pensando assim podemos dizer que a

7 segundos, a uma altura de 3 metros do

aviação foi uma obra coletiva que teve um

solo. Desde então Santos Dumont ficou

papel decisivo de um brasileiro que nasceu

conhecido como pai da Aviação.

em Minas Gerais, Alberto Santos Dumont,

Nesta época não apenas Santos Dumont,

que dedicou a vida à conquista do ar e

mas outros inventores também estavam

podemos dizer que conquistou muito além

criando outros protótipos de aeronaves

disto.

que de certa forma acelerou o processo de

Santos Dumont foi acima de tudo um

desenvolvimento das aeronaves até o

sonhador e com persistência e entusiasmo

momento em que estamos vivendo hoje.

transformou a história da aviação e da

Contudo nada disto ofusca o grande feito

humanidade. Hoje personalidades como

de Santos Dumont pois suas invenções

esta poderiam ser comparadas como

tinham algo muito especial, que era a

visionária ou empreendedora, mas este

realização de um sonho. Em sua

brasileiro acumulou todos os adjetivos

bibliografia este notável brasileiro se tornou

necessários para alcançar algo inacreditável

símbolo de nossa aviação, nos ajudou a

que para os homens da época não era algo

sonhar e construir aeronaves que até hoje

tão simples ou plenamente compreensível.

cruzam nosso território e nos impulsionam

tecnologia e a ciência estavam em pleno

a buscar novos ideais.

desenvolvimento, muitas mentes brilhantes

Nesta data comemorativa, dia 20 de julho

habitavam nesta terra e o que hoje

de 2021 comemoramos o aniversário deste

chamamos de ficção cientifica, eles

exímio brasileiro, de quem podemos ficar

ajudaram a se tornar realidade.

horas e horas contando histórias. Nesta

Foi assim que Santos Dumont voou em um

oportunidade podemos dizer que o sonho

balão batizado pelo nome de “Brésil” que

é seguido por muito trabalho e

em 1897 voou uma distância de 100

perseverança e os exemplos deixados

quilômetros em aproximadamente duas

devem servir de combustível para

horas.

construção de um Brasil melhor.

REVISTA VERTICAL

| 32


A REVISTA AEROTUDO CONTINUA DISPONÍVEL EM: WWW.VERTICALPLUS.COM.BR


DESTAQUE VERTICAL


REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 2

35

FOTO LICENCIADA SEUS DIREITOS SÃO RESERVADOS


A

carreira de piloto de helicóptero é um

desejo de muitos jovens que pretendem ingressar no mundo da aviação. O interesse profissional, muitas vezes, está na oportunidade de trabalhar em uma empresa de táxi-aéreo. O fato é que há inúmeras possibilidades na aviação de asas rotativas. Essas máquinas foram projetadas para oferecer confiabilidade e estabilidade em voos pairados, e por isso oferecem uma gama de aplicações. Nessa oportunidade, a Comandante Aline, piloto comercial de helicópteros, nos conta um pouco do multipropósito dessas máquinas voadoras. Um mundo de possibilidades

FOTO LICENCIADA SEUS DIREITOS SÃO RESERVADOS

Quando eu decidi tornar-me piloto, imaginei que a rotina profissional seria limitada a levar o empresário à reunião na Avenida Faria Lima ou a família a casa de praia em Paraty. O que eu não imaginava é que o helicóptero poderia ser usado em serviços que muitas vezes são desconhecidos. Obviamente, trabalhando em um táxi-aéreo, existe um leque de missões destinadas para voos executivos e traslado das aeronaves para diversos destinos, tais como Alphaville, Campos do Jordão, Guarujá, dentre outros. Não vemos, entretanto, outras possibilidades que fogem da rotina de transporte público de passageiros. A modalidade de voos do tipo “SAE” explica o que estou falando. SAE significa Serviços Aéreos Especializados. Essa modalidade se refere às atividades remuneradas para atendimento ao público

FOTO DE DIVULGAÇÃO AIRBUS HELICOPTERS

ou a equipes especializadas para atividades regulamentadas pela ANAC. Mas o que seria na prática um voo SAE? É aí que o papo fica interessante! Você sabia que existem monitoramentos periódicos na Mata Atlântica em locais de preservação? Esses voos acontecem com fiscais do meio ambiente para averiguar se

"o acidente com o guindaste na construção do Estádio em Itaquera, esses e tantos outros, tive a oportunidade de pilotar..."

REVISTA VERTICAL

| 36 FOTO DE DIVULGAÇÃO AIRBUS HELICOPTERS


não existe invasão de área protegida. São áreas remotas ou extensas onde um monitoramento por terra seria inviável, o que justifica a utilização de helicópteros. Você deve estar pensando: “mas esses voos poderiam ser feitos com o drone”. Mero engano! O drone possui limitações de alcance e autonomia. Em áreas de proteção, ninguém pode entrar na reserva, e isso inclui o próprio piloto do drone. Outro serviço muito comum é a aerofotografia, em que um fotógrafo a bordo FOTO LICENCIADA SEUS DIREITOS SÃO RESERVADOS

do helicóptero tira fotos aéreas. Tais operações exigem um briefing entre piloto e fotógrafo para definir o ângulo e a posição da aeronave para que a foto seja feita com a devida segurança, tanto da aeronave quanto dos seus tripulantes. Agora, pensando alto, e o “drone”? Nesse caso faz mais sentido. Antes, eu realizava voos de foto para diversos jornais, e esses voos aconteciam com certa frequência. Alguns acontecimentos noticiados, tais como o incêndio no Museu da Língua Portuguesa, manifestações de grande apelo nacional, a

Outra modalidade pouco conhecida é o

exemplo do protesto contra a ex-presidente

aerolevantamento, que consiste em extrair

Dilma, o acidente com o guindaste na

imagens e dados do terreno. Na aeronave,

construção do Estádio em Itaquera, esses e

há um aparelho que, para seu

tantos outros, tive a oportunidade de pilotar

funcionamento, necessita que um

com um fotógrafo e equipe jornalística a

operador fique responsável pela obtenção

bordo.

das informações terrestres, por exemplo,

"A grande novidade é que as aplicações para serviços aéreos especializados são diversas, e, para cada tipo de missão, há um treinamento específico"

informações topográficas, dimensionais ou de profundidade. É um mapeamento detalhado de uma área específica que precisa de dados concretos para relatório. Está começando a ficar complexo, não é? Imagine, então, o combate a incêndio. Helicópteros também são excelentes extintores de fogo, sendo, o mais comum, a

consequência, as viagens diminuíram.

água. Através do sistema de gancho da

Contudo, os voos de aero filmagem para

aeronave, é instalado um cabo acoplado a

mercado cinematográfico ainda persistem,

uma espécie de reservatório flexível,

pois alguns equipamentos que geram

chamado Bambi Bucket, para a captação

imagens de alta definição não são

da água. O piloto fica responsável pela

suportados por drones, devido ao peso e

captação da água que deve ser

complexidade do sistema de estabilização

transportada até o local do incêndio,

de imagem, o que requer plataformas

fazendo a liberação por meio de um

robustas e estáveis. Motivo que torna o

dispositivo instalado no comando do

helicóptero a máquina ideal.

cíclico.

37

EDIÇÃO 2

plataformas para transporte de agentes

mais acessíveis, esse cenário mudou e, por

REVISTA VERTICAL

Agora, com a chegada dos drones a preços


REVISTA VERTICAL

| 38

FOTO LICENCIADA SEUS DIREITOS SÃO RESERVADOS


Com inúmeras possibilidades, pilotar me fez ficar ainda mais apaixonada pelo que faço.

para o transporte de carga externa, em que o material transportado fica conectado por um cabo. A carga deve ser cuidadosamente preparada para tal situação e o sistema de alijamento elétrico e/ou mecânico devem estar em pleno funcionamento. Esse tipo de serviço é muito usado para construção ou manutenção de estruturas da rede elétrica, assim como o transporte de materiais para locais de difícil acesso. A profissão de piloto

A grande novidade é que as aplicações para serviços aéreos especializados são diversas, e, para cada tipo de missão, há um treinamento específico, cujo objetivo é compreender o que pode ser feito dentro dos regulamentos ANAC em vigor. Muito mais do que levar o passageiro para seu destino turístico, a aviação de asas rotativas me permitiu não apenas conhecer diversos lugares no Brasil, mas desempenhar funções como piloto comercial que, certamente, não esperaria na minha carreira, então posso afirmar que o helicóptero é super versátil. Com ficar ainda mais apaixonada pelo que faço. Lembra que antes de começar a trabalhar como piloto eu imaginava que era só levar o empresário à praia? Veja só quanta coisa legal tem para explorar. E aí? Se apaixonou mais ainda por helicóptero? Sou a Comandante Aline e aqui na Vertical+ vamos explorar ainda mais esse universo das asas rotativas. Até a próxima.

39

EDIÇÃO 2

inúmeras possibilidades, pilotar me fez

REVISTA VERTICAL

Direitos Reservados Bruzzi Fotos

O mesmo sistema gancho pode ser usado


Aviso de segurança (Safety Notice) é uma documentação especial emitida pelo fabricante para alertar seus clientes sobre assuntos diversos que podem afetar a segurança dA aeronave E SEUS TRIPULANTES. Falamos de algumas modalidades de

Um inexperiente o piloto pode elevar o

serviço aéreo especializado (SAE), cuja

coletivo para interromper a descida. Isso

operação deve ser realizada por

pode reduzir RPM, reduzindo assim a

profissionais capacitados. Veja a orientação

potência disponível e causando uma ainda

da fabricante Robson Helicopters sobre os

maior taxa de descida e perda adicional de

riscos envolvidos neste tipo de atividade.

RPM. Rodar no acelerador aumentará

Lembre-se que um dia você pode esta na

torque do rotor, mas não potência

situação de piloto ou tripulante de uma

disponível devido ao baixo RPM. Porque o

aeronave. Segurança em primeiro lugar.

impulso do rotor de cauda é proporcional ao quadrado do RPM, se o RPM cair abaixo

OBSERVAÇÃO AÉREA E VOOS

de 80%, quase metade do empuxo do

FOTOGRÁFICOS - SITUAÇÃO DE ALTO

rotor de cauda é perdida e o helicóptero

RISCO

girará o nariz para a direita. De repente, a

Existe um equívoco de que levantamento

diminuição do RPM também faz com que

aéreo e voos fotográficos podem ser voado

o rotor principal pare e o helicóptero caia

com segurança por pilotos de baixo tempo.

rapidamente enquanto continuando a

Não é verdade. Tem havido numerosos

girar. O impacto resultante geralmente é

acidentes fatais durante levantamento

fatal. Levantamentos aéreos e voos

aéreo e voos fotográficos, incluindo vários

fotográficos só devem ser realizados por

envolvendo helicópteros Robinson.

Pilotos treinados e experientes que:

Muitas vezes, para agradar ao observador

1) Ter pelo menos 500 horas de piloto em

ou fotógrafo, um piloto inexperiente

comando em helicópteros e mais de 100

diminuirá a velocidade do helicóptero para

horas no modelo voado;

menos de 30 KIAS e, em seguida, tentará

2) Ter treinamento extensivo em técnicas

manobra para obter o melhor ângulo de

de recuperação de baixo RPM e

visão. Enquanto manobra, o piloto pode

estabilização com potência;

perder o controle da velocidade do ar e das

3) Estão dispostos a dizer “não” ao

condições do vento. O helicóptero pode

observador ou fotógrafo e voe a aeronave

perder rapidamente a sustentação e

apenas em velocidades, altitudes e ângulos

começar a "afundar".

do vento que são seguras e permitem boas rotas de fuga. FOTO R-44 DA ROBSON HELICOPTERS - CRÉDITOS @ASASHISTORICAS

AVISO DE SEGURANÇA

SN-34

REVISTA VERTICAL

| 40


FOTO MARK ZERAFA


A​ LOUETTE III DA FORÇA AÉREA DE MALTA

43

EDIÇÃO 2

Editor da Spotter Magazine

Em parceria com a Revista Spotter contaremos a história de uma aeronave lendária que depois de atualizações, continua prestando serviço nas Forças Armadas de Malta (Armed Forces of Malta). Embarque conosco nesta matéria.

REVISTA VERTICAL

MARK ZERAFA


o

s três SA316B Alouette III em serviço nas

Foi apenas em 11 de junho de 1990 que os

Forças Armadas de Malta têm uma história

diários de bordo dos helicópteros foram

pitoresca e, embora possam parecer

oficialmente entregues em uma cerimônia

desatualizados em comparação com os

na sede da AFM.

AW139s com os quais compartilham a linha

Com esse importante desenvolvimento, a

de voo, ainda são um elemento importante

Eurocopter foi contratada para reformar dois

nas forças armadas do país insular. Uma

dos helicópteros e treinar um contingente

atuação vital nas missões SAR e evacuação

inicial de dois pilotos e quatro técnicos.

médica costeira.

Em agosto de 1992, as duas fuselagens selecionadas, LC2295 e LC2315, foram enviadas dentro de reboques para as

A história do Alouette III de Malta traça fortes paralelos com o curso político traçado pela jovem nação. Com o aquecimento das

instalações da Eurocopter em Marignane.

relações entre Malta e a Líbia nos anos

Repintados com as cores e marcações AFM,

setenta, a Missão Militar da Líbia foi

eles foram levados de volta a Malta por

estabelecida em Malta, que incluía um

tripulações maltesas, chegando em 24 de

componente de helicóptero na forma de um

dezembro de 1992.

Jet Ranger AB-206 doado às Forças Armadas

Em seguida, foi finalizado um novo contrato

de Malta para complementar sua frota de ex

de reforma do terceiro Alouette, com partida

-West-German Bell-47s, e a presença de

para Marignane em fevereiro de 1993, com

helicópteros Super Frelon para auxiliar nas

retorno em 19 de julho de 1993.

missões de busca e resgate.

Todos os três Alouettes foram inicialmente

Três helicópteros Alouette também foram

colocados no registo civil maltês, em 9H-

enviados para Malta, embora seja incerto se

AAW, 9H-AAX e 9H-AAV.

eles seriam doados às Forças Armadas ou se

Os Alouettes foram imediatamente

seriam operados pelos libaneses.

colocados em bom uso em missões SAR de

No entanto, após uma disputa entre os dois

curto alcance e missões de evacuação

países em agosto de 1980, as forças líbias

médica, quando as capacidades IFR e a

foram rapidamente removidas de Malta,

resistência multimotor dos Agusta Bell 212

deixando para trás três Alouettes semi-

italianos não eram necessários, devida a

montados, sem seus respectivos diários de

configuração da missão estabelecida.

bordo. Dois eram anteriormente a Polícia da

Outros dois Alouettes foram comprados de

Líbia e o terceiro era anteriormente operado

estoques holandeses excedentes. Esses dois

pela Força Aérea da Líbia.

helicópteros, ainda usando o esquema de

REVISTA VERTICAL

| 44


REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 2

45

FOTO MARK ZERAFA


camuflagem de seus antigos operadores, sendo revelados ao público em outubro de 1996. Registrados 9H-ADA (anteriormente A209) e 9H-ADB (anteriormente A-1399), eram do padrão AS-316A menos potentes. No entanto, com motores menos potentes, nenhum guincho e nenhum sistema de flutuação de emergência tornava os exAlouettes holandeses muito menos úteis do que seus ex-navios-irmãos da Líbia. Eventualmente, eles foram canibalizados para servir de suprimento de peças sobressalentes. Em maio de 2000, todas as aeronaves AFM foram transferidas do registro civil maltês e começaram a ser operadas em séries militares. Ao longo dos anos, as Alouettes Maltese foram adaptadas para inúmeras outras funções, dependendo dos requisitos naquele momento. Isso incluiu a modificação de um helicóptero para receber uma metralhadora pesada montada na porta para atuar como uma aeronave de combate para cobrir um segundo Alouette em missões conjuntas com forças especiais em operações de embarque de navios. Embora tenha sido revertido para a configuração padrão, os Alouettes ainda podem ser usados ​para tarefas de inserção de tropas, mesmo que a capacidade da cabine seja limitada à quantidade de tropas que podem ser carregadas. Em outubro de 2010, o primeiro Alouette passou por uma grande reforma. Esta foi a primeira vez que todo o trabalho foi realizado em Malta por técnicos malteses. O motor foi substituído e o rotor foi revisado. A nova cablagem e a inserção de aviônica, levaram a uma economia de peso de cerca de 50 kg, dando aos helicópteros um maior raio operacional e tempo de operação. A aeronave também recebeu nova pintura no padrão cinza com versos brancos da Forças

FOTO MARK ZERAFA

Armadas de Malta . Mark Zerafa https://www.spottersmag.com/


English version

Soon afterwards, a further contract for the

Alouettes de Malta

this leaving for Marignane in February 1993,

with the Armed Forces of Malta have had a colourful history, and although they may seem outdated compared to the AW139s with which they share the flightline, they are still an important element in the island nation’s armed forces, performing vital coastal and inshore SAR and medevac work. The story of Malta’s Alouette IIIs draws strong parallels with the political course charted by the young nation. With the warming of relations between Malta and Libya in the seventies, a Libyan Military Mission was established in Malta, which included a helicopter component in the form of an AB-206 Jet Ranger donated to the Armed Forces of Malta to supplement its fleet of ex-West-German Bell-47s, and the presence of Super Frelon helicopters to assist with Search and Rescue missions. Three Alouette helicopters were also shipped to Malta, although it is uncertain whether these were intended for donation to the Armed Forces, or whether they would be operated by the Libyans. However, following a dispute between the two countries in August 1980, the Libyan forces were rapidly removed from Malta, leaving behind three semi-assembled Alouettes behind, without their logbooks. Two were ex-Libyan Police and the third was

FOTO MARK ZERAFA

formerly operated by the Libyan Air Force. It was only in June 11th, 1990, that the helicopters’ logbooks were officially handed over in a ceremony at the AFM’s headquarters. With this important development, Eurocopter was contracted to overhaul two of the helicopters and train an initial contingent of two pilots and four technicians. In August 1992, the two selected airframes, LC2295 and LC2315, were shipped inside trailers to the Eurocopter facility in Marignane. Repainted in AFM livery and markings, they were flown back to Malta by Maltese crews, arriving on December 24th, 1992.

All three Alouettes were initially placed on the Maltese civil register, as 9H-AAW, 9H-AAX and 9H-AAV. The Alouettes were immediately put into good use on short-range SAR missions and medevac duties, when the IFR capabilities and the multi-engine endurance of the Italian AB-212s was not required. A further two Alouettes were purchased from surplus Dutch stocks, these two helicopters, still wearing the camouflage scheme of their former operators, being unveiled to the public in October 1996. Registered 9H-ADA (formerly A-209) and 9H-ADB (formerly A1399), these were of the less powerful AS316A standard. However, with less powerful engines, no winch and no emergency flotation system rendered the ex-Dutch Alouettes much less useful than their ex-Libyan sister-ships. Eventually they were grounded and cannibalised for spares. In May 2000, all AFM aircraft were struck off the Maltese civil register and started being operated using military serials. Over the years, Maltese Alouettes have been adapted to numerous other roles, depending on exigencies at that point in time. These have included the modification of one helicopter to take a door-mounted heavy machine gun to act as a ‘gunship’ to cover a second Alouette deploying special forces on ship-boarding operations. Although the gunship has been reverted back to standard configuration, the Alouettes can still be used for troop insertion duties, even if the capacity of the cabin limits the amount of troops that can be carried. In October 2010, the first Alouette was taken through a major overhaul. This was a first in that all work was effected in Malta by Maltese technicians. The engine was replaced, and the rotor overhauled. New wiring and avionics have lead to a weight saving of around 50kgs, giving the helicopters an increased operational radius and time-on-station. The aircraft were alse repainted in the current AFM livery of grey with white undersides.

47 EDIÇÃO 2

T

he three SA316B Alouette IIIs in service

returning on July 19th, 1993.

REVISTA VERTICAL

Mark Zerafa

overhaul of the third Alouette was finalised,


VERTICAL NEWS

EMBRAER E190-E2 PRONTO PARA OPERAR EM LONDON CITY “Congonhas Londrino”: na terra da Rainha, novo jato da Embraer recebe certificação para expandir seu reinado no aeroporto localizado no coração financeiro de Londres.

PEDRO LANARI Colunista da Revista Vertical Plus

DIREITOS RESERVADOS: EMBRAER - AUTOR DESCONHECIDO


Em maio deste ano, a Embraer concluiu o

Neste aspecto, lembra muito Congonhas, o

processo de certificação do E190-E2 para

aeroporto de preferência dos moradores da

operar no aeroporto central de Londres

capital paulista e daqueles que para lá vão a

(London City), um dos mais desafiadores de

negócio.

toda a Europa. O aeroporto está localizado

Devido às especificidades operacionais do

próximo ao centro financeiro de Londres, o

aeroporto, cujos designativos ICAO e IATA

que atrai uma grande quantidade de

são, respectivamente, EGLC e LCY, jatos do

passageiros de toda a Europa. Além disso, é a

tamanho do B737 e A320, não possuem

opção mais conveniente para as viagens de

certificação para lá operar. O A318, apesar de

curta distância dos londrinos.

ter conseguido a certificação, operava em uma configuração de apenas 32 assentos executivos em uma rota Premium da British Airways entre Londres e Nova York, serviço este que não é mais oferecido pela lendária companhia inglesa. Quase que simultaneamente ao E190-E2, a Airbus também conseguiu a aprovação do A220100 para operação no London City, tendo

EDIÇÃO 2

49

REVISTA VERTICAL

"Diversos aspectos descritos em regulamento foram checados durante os voos de modo que o órgão regulador verifica as condições da aeronave de acordo com a categoria de certificação solicitada".


como intuito ser uma opção para as

precisão por instrumentos (ILS), têm

empresas que hoje operam o E190. Não será

preferencialmente um ângulo de planeio

tarefa fácil, pois a Embraer reina

entre 2,5º e 3,5º; sendo que na maioria dos

praticamente sozinha nesse aeroporto,

aeroportos que dispõem de ILS, o ângulo de

sendo responsável por 70% da frota de

planeio (Glide Path) fica entre 2,9º e 3,2º.

aviões que lá operam. O London City está

Alguns aeroportos adotam umm Glide Path

situado ao nível do mar, possuindo uma

superior a 3,5º, mas mesmo assim não se

única pista de rolagem (09/27) com

enquadram no chamado Steep Approach

aproximações e decolagens podendo ser

and Landing. Segundo o CAA-UK, para um

feitas em ambos os sentidos, sendo que a

procedimento de pouso ter esta

Takeoff Run Available (TORA) é de 1199

classificação, o Glide Path da aproximação

metros e a Landing Distance Available (LDA –

final deverá possuir um ângulo maior ou

Beyond Glide Slope) é de 1208 metros.

igual a 4,5º. Tanto o Glide Slope do ILS

Não só o Reino Unido, mas a Europa como

quanto o Glide Path da aproximação visual

um todo, tem uma grande preocupação

do London City possuem um ângulo de 5,5º.

com o meio ambiente e com os níveis de

Na prática, uma aeronave aproximando com

ruído produzido por aeronaves em áreas

130kt para a pista 15 do Galeão (condições

urbanas. A maioria dos aeroportos foram

ISA e vento calmo) manteria uma razão de

construídos longe das regiões centrais das

descida de 690ft/min; enquanto que no ILS

grandes cidades, e aqueles poucos situados

da pista 09 ou 27 do aeroporto de London

nos chamados “downtown”, possuem

City teria que manter uma razão de descida

procedimentos operacionais restritos a fim

de 1268ft/min. Mas porque isso é importante?

de garantir um nível de ruído aceitável para os moradores da região. No caso do London City, além da questão do ruído, existem também obstáculos como o “Canary Wharf”, complexo de edifícios comerciais situados bem abaixo da rampa de aproximação para a cabeceira 09. Por estar localizado em uma área urbana de Londres, o CAA UK, agência de aviação civil inglesa, adotou um procedimento chamado de Steep Approach and Landing (SAL), ou em tradução livre, “Aproximação e Pouso de Grande Ângulo”. Este procedimento consiste, basicamente, em manter a aeronave mais alto até bem próximo do aeroporto, quando então a mesma inicia o procedimento de aproximação final para o pouso. Tal procedimento, além de minimizar o ruído produzido pelas aeronaves, faz com que o consumo de combustível seja menor, aumentando a eficiência e minimizando os impactos ambientais. Obviamente que se a aeronave começa a aproximação final para pouso mais alto e mais próximo da pista, terá que adotar uma razão de descida maior. É exatamente aí que está o problema. As aproximações, tanto visuais quanto de

REVISTA VERTICAL

| 50

"Pequenas variações de velocidade e desvios laterais e verticais podem ocorrer, mas o piloto tem que corrigi-los imediatamente. ".


para acelerar partindo de Idle Thrust

estabilização na aproximação final para

(marcha lenta), o que pode representar um

pouso. Parâmetros de configuração da

risco caso o piloto precise aumentar a

aeronave, velocidade, potência, razão de

potência para conter uma queda repentina

descida e desvios laterais e verticais são

na velocidade ou para iniciar uma

estabelecidos para que o pouso seja

arremetida. O segundo motivo é que, com os

efetuado com segurança. Pequenas

motores ligeiramente acelerados, caso o

variações de velocidade e desvios laterais e

piloto tenha que aumentar

verticais podem ocorrer, mas o piloto tem

momentaneamente a razão de descida para

que corrigi-los imediatamente.

capturar/recapturar o glide slope (aeronave

Além disso, a aproximação final tem que ser

ligeiramente acima da rampa de planeio

feita com os motores ligeiramente

ideal), a velocidade da aeronave não irá

acelerados; sendo dois os motivos principais

alterar; uma vez que os motores irão

para isso: o primeiro é que os motores dos

desacelerar para manter a velocidade.

51 EDIÇÃO 2

aeronaves comerciais adotam parâmetros de

REVISTA VERTICAL

jatos comerciais demoram um tempo maior

FOTO LICENCIADA SEUS DIREITOS SÃO RESERVADOS

Todos os fabricantes e operadores de


Obstáculos na aproximação e atenuação de ruído exigem uma inclinação mais íngreme do que o habitual.

FOTO LICENCIADA SEUS DIREITOS SÃO RESERVADOS

Situação requer configuração específica da aeronave e capacitação da tripulação.

O EMBRAER E-190-E2 está habilitado por meio de uma atualização de software para executar aproximações íngremes, cujo acionamento pode ser feito por um interruptor instalado no painel de controle da cabine. REVISTA VERTICAL

| 52


REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 2

53

DIREITOS RESERVADOS: EMBRAER - AUTOR DESCONHECIDO


Se os motores já estivessem em marcha lenta, esta ação resultaria em um aumento da velocidade, podendo levar a uma desestabilização da aproximação. No caso do aeroporto London City, a questão está exatamente aí. O fabricante da aeronave tem que demonstrar que a mesma consegue aproximar com uma elevada razão de descida, mantendo os motores ligeiramente acelerados, e na velocidade correta de aproximação; possibilitando assim pequenas correções verticais por parte dos pilotos. Para que o fabricante obtenha sucesso, algumas alterações nos sistemas de Piloto Automático e Diretor de Voo (Flight Director) podem ser necessárias. Além disso, os softwares do Ground Proximity Warning System e Terrain Avoidance and Warning System (GPWS/TAWS), sistemas que alertam a tripulação sobre a elevada razão de descida e proximidade com o terreno, têm que ser alterados para que “compreendam” o caráter excepcional da operação sendo executada, evitando assim, alertas que possam confundir ou tirar a atenção dos pilotos. No E190-E2, esta ação é feita através de um switch instalando na cabine de comando, que quando acionado, altera a lógica dos softwares dos sistemas que geram os alertas, além de alterar ligeiramente os parâmetros das superfícies de comando, a fim de garantir que os motores estejam ligeiramente acelerados durante a aproximação. É importante mencionarmos que o fato de um modelo ter sido aprovado para a operação no aeroporto London City, não garante automaticamente a aprovação de todas as aeronaves daquele modelo, pois devido aos custos significativos, fica a critério de cada operador solicitar ou não as

alterações nas aeronaves que adquire. Outro ponto importante diz respeito às condições operacionais da aeronave. Normalmente, para efetuar operações especiais como essa, a aeronave possui uma restrição muito maior com relação à operacionalidade de seus diversos sistemas. É necessário, portanto, que se desenvolva uma Lista de Equipamentos Mínimos (MEL) que leve em consideração as operações no aeroporto. O manual de voo da aeronave (Aircraft Flight Manual – AFM) também deverá receber um Suplemento no qual apresentará as limitações do modelo para este tipo de operação. Caberá ao operador, em consulta ao MEL e ao AFM, certificar-se de que uma aeronave específica está em condições de operar no aeroporto.

"É necessário, portanto, que se desenvolva uma Lista de Equipamentos Mínimos (MEL) específica para as aeronaves que irão operar no aeroporto".

REVISTA VERTICAL

| 54

Outro parâmetro que deve ser alcançado para a certificação do modelo é que ele deve ser capaz de pousar com as margens de segurança previstas, após um flare (quebra da razão de descida antes de tocar a pista) que reduza a razão de descida para no


DIREITOS RESERVADOS: EMBRAER - AUTOR DESCONHECIDO

outro aeroporto europeu; porém o inverso

pilotos devem estar atentos para que este

não é verdadeiro.

flare não seja prolongado, uma vez que isto

O E190-E2 passou com mérito em todos os

aumentaria drasticamente a distância de

testes no seu processo de certificação e,

pouso. Este procedimento de flare lembra o

segundo os dados coletados pela Agência de

pouso no Aeroporto Santos Dumont, no Rio

Segurança de Aviação da União Europeia

de Janeiro, onde o piloto não pode prolongá-

(EASA), o modelo apresentou os níveis mais

lo sob pena de acabar na água. Já no London

baixos de ruído dentro todos os jatos

City, existe um outro complicador que é a

comerciais “Narrow-Body”de nova geração. O

maior razão de descida.

novo modelo do fabricante brasileiro

O processo de certificação do modelo

conseguiu reduzir em 63% o nível de ruído

adotado pelo London City passa por voos de

durante sua decolagem do London City;

avaliação na presença de inspetores do CAA-

sendo que será o único modelo a operar

UK, sendo que cada operador também

naquele aeroporto capaz de cumprir os

deverá executar um voo de treinamento na

requisitos de ruído previstos no Capítulo 14

presença destes inspetores antes de obter a autorização para iniciar as operações. Cabe ao Diretor do aeroporto conceder ou não esta aprovação para o fabricante e para o operador. Os critérios adotados pelo aeroporto inglês são tão rígidos que a aprovação de um modelo para executar aproximações do tipo

"A família E-Jets da Embraer é líder mundial na categoria até 130 assentos, sendo responsável por mais de 50% da frota mundial.".

55 EDIÇÃO 2

SAL em London City é válida para qualquer

princípio isto não é um problema, mas os

REVISTA VERTICAL

máximo 360ft/min no momento do toque. A


DIREITOS RESERVADOS: MARKUS MAINKA

SAL em London City é válida para qualquer

pessoal e aumentando a flexibilidade da

outro aeroporto europeu; porém o inverso

malha da companhia.

não é verdadeiro.

A família E-Jets da Embraer é líder mundial

O E190-E2 passou com mérito em todos os

na categoria até 130 assentos, sendo

testes no seu processo de certificação e,

responsável por mais de 50% da frota

segundo os dados coletados pela Agência de

mundial. Na prática, a nova joia da coroa tem

Segurança de Aviação da União Europeia

potencial para revolucionar o mercado,

A nova geração do já bem sucedido jato

podendo transportar até 114 passageiros

brasileiro incorporou, além de novos

diretamente do aeroporto London City para

materiais na construção de asas mais

destinos tão distantes quanto Cairo no Egito

alongadas, uma nova geração de motores

ou Amã na Jordânia. Ao que tudo indica,

Pratt & Whitney, chamada de PurePower.

este reinado está longe de acabar...

Estas mudanças, somadas à 4ª geração do sistema fly-by-wire, diminuíram não só os

Viva a Embraer! Viva o Brasil!

custos com combustível, mas também os custos de manutenção. A nova geração do E190 é 17% mais eficiente no consumo de combustível e emissão de gases do que seu antecessor, sendo que seu alcance saltou de 4.500 km para 5.278 Km. Além disso, o alto grau de semelhança entre as diversas versões da família E2, permite que um piloto possa operar desde o E175-E2 até o E195-E2, reduzindo os custos com pessoal e aumentando a flexibilidade da DIREITOS RESERVADOS: EMBRAER

malha da companhia. REVISTA VERTICAL

| 56


Redação da Revista Vertical Plus

Em 2 de setembro de 2021, o aeroporto de London City recebeu o Embraer E190-E2 para o seu primeiro voo comercial para o icônico aeroporto no centro da capital política e financeira britânica. O voo LX 464, operado pela Helvetic Airways em nome de nossa empresa parceira Swiss International Air Lines, foi recebido pelo famoso batismo de saudações pelo serviço de bombeiros do Aeroporto de Londres. A bordo do voo esgotado estavam 110 passageiros, incluindo representantes da mídia internacional, viajantes de negócios e aqueles que visitavam amigos e familiares de acordo com dados divulgados pela Helvetic. Na chegada, a diretora de operações da LCY, Alison Fitz Gerald, disse: "Receber Swiss Helvetic, e com a mais nova aeronave com capacidade para LCY, o E190-E2 da Embraer, é um marco significativo para a cidade de Londres. Isso demonstra como estamos colaborando com fabricantes e companhias aéreas para introduzir mais aeronaves de baixa emissão e baixo ruído em nosso aeroporto, bem como restabelecer uma conexão comercial vital que acreditamos que irá aumentar à medida que o Governo do Reino Unido começa a reduzir as barreiras às viagens. Nossa ambição é ser um dos aeroportos mais sustentáveis do nosso tamanho na Europa, e é minha expectativa que receberemos mais dessas aeronaves com mais companhias aéreas à medida que a indústria se recupera do COVID-19." A aeronave registrada HB-AZG, voou de Zurique para Londres em 1 hora e 20

57 EDIÇÃO 2

minutos e graças a redução de quase 20% no consumo de combustível e a uma redução na emissões de ruído na decolagem 63% menor do que a aeronave da geração

REVISTA VERTICAL

anterior, o E190-E2 não só oferece reduções significativas nas emissões, mas também embarcas as características necessárias para cumprir rotas em aeroportos desta categoria, o que permite uma experiência muito mais silenciosa para os residentes locais. FOTOS DIREITOS RESERVADOS: HELVETIC


"Théo se sente flutuar cada vez mais alto. O batismo do ar não deixa dúvidas de que ele irá voar um dia, apesar de tudo. Antes disso, pequenos dramas da vida terão que ser arranjados".

TEOMAR B. CERETTA Colalorador da Revista Vertical Plus

O

Texto retirado do livro Vertentes 3. Academia Centro Serra de Letras. Editoração Alan Scherer, Sobradinho RS, 2021

ônibus percorria os campos da

Planície Central e acompanhava as ondulações das coxilhas na suavidade de um tobogã. As janelas semiabertas permitiam ao jovem estudante Théo acompanhar a paisagem que corria para trás. O coletivo estava lotado e, muitas pessoas, inclusive ele, viajavam em pé. De repente, como num filme, um avião cruzou, a baixa altura, cortando a frente do veículo. Como que por um instinto inexplicável, Théo inclinou-se para acompanhar a aeronave que mergulhou em direção a uma várzea encaixada entre duas ladeiras povoadas de carquejas. O avião, que passou a voar rente ao chão, foi o que mais o surpreendeu. Como um cometa, deixou suspensa uma esteira de vapor que se depositou com suavidade sobre o solo. lençol branco, com delicadeza. Como numa película, a cena nutria as imaginações de Théo. Ele sonhava. Confortavelmente instalado dentro de um avião do CAN - Correio Aéreo Nacional, Théo se sente flutuar cada vez mais alto. O batismo do ar não deixa dúvidas de que ele irá voar um dia, apesar de tudo. Antes disso, pequenos dramas da vida terão que ser arranjados. Sentado ao lado de uma janela, no quarto andar do prédio da Universidade, Théo tem sua atenção voltada para os helicópteros e aviões que executam exercícios sobre um alvo próximo à

REVISTA VERTICAL

| 58

cabeceira da pista da Base Aérea. Ele sente o poder mortífero dos disparos das armas que parecem dilacerar seu ventre. As quatro aulas de matemática, na tarde de uma monótona e escaldante sexta-feira, não lhe despertam interesse. Ele não tem nenhuma intimidade com X ou com Y. Ao final do semestre, a reprovação comprovou esse desdém. Porém, do seu camarote, o cenário visto do lado de fora da janela sustenta cada

55 EDIÇÃO 2

Era o capricho do vento que estendia um

vez mais seu desejo de voar. Depois que Théo compreendeu o princípio da alavanca de Arquimedes, cuja frase jamais foi esquecida; “Dê-me uma alavanca e um ponto de apoio, e eu moverei o mundo”,

REVISTA VERTICAL

CULTURA VERTICAL

AH! A BÚSSOLA


circuito de tráfego do aeródromo”. Essas

revelava a simplicidade da regra de três.

lacônicas ordens eram como trechos de uma

Com ela, ele sabia que poderia conquistar o

oração. Foste muito bem! Théo não

mundo. Possuído de energia digna de um

conseguia dissimular a vaidade, enquanto

vencedor, lançou-se na busca do seu ideal,

desembarcava do avião. Por um instante,

como um leão que corre atrás de sua presa.

remexeram nas cinzas da memória aqueles

A escola de voo, era para Théo, uma extensão

atos sustentados pelo poder da alavanca.

do seu lar. O cheiro de combustível exalava

Agora, o tempo urge. Outra batalha

um odor que alimentava a vida. Os aparelhos

recomeça. Preparar-se definitivamente para

de medições meteorológicas instalados

a conquista. A realização de um longo sonho

sobre a torre da estação do rádio

o impacienta.

FOTO DE DIVULGAÇÃO FORÇA AÉREA BRASILEIRA

FOTO LICENCIADA SEUS DIREITOS SÃO RESERVADOS

chegou à conclusão de que esse princípio

verdades elementares do tempo. Os aviões

se os preparativos para a conquista. Hoje o

de instrução, perfilados sobre um pátio

vento deu uma trégua. “Preparemo-nos para

retangular de grama bem aparada,

voar. Quem cometer um deslize pagará uma

aguardavam os alunos para os exercícios da

multa”. Instrutor intransigente, o mestre dos

alma. O instrutor de voo corrigia o aprendiz.

segredos do voo a baixa altura. Cada um, a

“Suave no uso do manete, seja prudente com

seu turno, decolava para provar as suas

o manche e os pedais. O avião é como um

aptidões. “Podes baixar um pouco mais. Sem

ser que não aceita brutalidade. Muito bem!

exageros. Agora um pulo suave sobre a mata.

Mantenha a velocidade nas curvas. Aproa o

Cuidado com a rede de alta tensão!

nariz do avião na direção daquele telhado

Movimentos suaves. Não te apresses na curva

luminoso e voe em linha reta. Por favor,

de retorno”. Uma voz ainda o alertava. “Ao

mantenha o ponteiro do altímetro em dois

lado da imprudência, está a eternidade”. O

mil pés. Faça uma curva de 180º para a

treinamento está encerrado. Como os

esquerda. Pronto! Agora, uma descida suave.

demais, Théo fará parte de uma plêiade de

Mantenha o voo em mil pés para entrar no

aviadores profissionais do Serviço Aéreo

“Vamos lá, pessoal! Com esse vento, nada de

Especializado espalhados mundo afora.

59 EDIÇÃO 2

voo. Todos à sala de aula”. Assim, iniciavam-

REVISTA VERTICAL

telégrafo, indicavam com precisão as


aviadores profissionais do Serviço Aéreo

“Neste posto de combustível, o senhor

Especializado espalhados mundo afora.

gira 90º à esquerda e segue o caminho

O piloto deve apresentar-se à direção.

das carretas. Na sua extremidade, um

“Amanhã o senhor deverá deslocar-se

pouco à direita, encontrará a pista

para o sul”. “Mas...senhor! a bússola está

preparada para o avião, demarcada com

inoperante. Como vês, o tempo está

bandeirolas brancas”.

encoberto e chove”. “Você sabe meu

Théo, que tinha uma certa intimidade

piloto, basta seguir a ferrovia. Vá! Te arranje. Estão te aguardando”. “Está bem”. “Ordene que o mecânico faça uma revisão no avião. É necessário liberar a bússola travada, limpar as velas e trocar o óleo. O magneto esquerdo trepida um pouco”. O mecânico checa o motor e entrega o avião ao piloto. Os tanques de combustível estão completos. Esses preparativos bem arranjados põem em ordem os próximos movimentos. Théo examina mais uma vez o seu habitáculo. Olha para fora da vigia. Lá fora, cai uma chuva fina. Se a bússola travar, isso não o privará de chegar ao destino. Na falta dela, os aviadores se utilizam de outros segredos da navegação. Sempre atento ao traçado fiel da ferrovia, o avião desaparece em meio ao chuvisco. Um auxiliar o recebe. “No escritório, estão

FOTO DE DIVULGAÇÃO FORÇA AÉREA BRASILEIRA

lhe aguardando. Amanhã, muito cedo, o

com a geografia, analisou a carta geográfica, cuja leitura não lhe reservava segredos. Ele fez seus julgamentos. “Decolo no sentido leste – oeste com os faróis ligados, pulo o rio, intercepto a rodovia iluminada pelos automóveis que me levarão até a próxima cidade, distante cem quilômetros”. Despediu-se e foi dormir. Apesar da chuva, que persistia, isso não o preocupava. As previsões meteorológicas sinalizavam bom tempo para o novo dia. Safo no ofício, estava seguro de suas responsabilidades. O despertador deu o alarme. Era hora de partir. O céu estrelado mostrava sinais de que a aurora estava prestes a revelar o mundo. Navegando, Théo sabia que o sol ficaria às suas costas. No entanto, aos primeiros sinais do dia, a claridade apareceu ao seu lado esquerdo. Antes de uma curva para a direita, um anel

senhor deverá voar até à fronteira

dourado no horizonte mostrou os

internacional”. Num mapa, indicam-lhe

primeiros raios do astro poderoso.

onde encontrar a pista de pouso. Dizem

Quando o avião girou para a direita, o sol

estar no meio de um campo plaino a

ficou às costas do piloto. Novamente, ele

perder de vista.

fez seus julgamentos. As rodovias são


assim mesmo. Às vezes, elas nos

O piloto caminhou até a rodovia. Não

enganam pelas suas constantes

foram necessários mais que alguns

mudanças de rumo. Do lado direito da

minutos para interpelar um jovem que se

rota, a poucos quilômetros, uma enorme

deslocava arqueado sobre uma moto

camada de nevoeiro, como uma muralha

estridente. Bom-dia! Teve como resposta

intransponível, o acompanhava. Cruzou

um lacônico e gutural, buen día! Ao ser

uma cidade que estava mergulhada

questionado sobre a extensão do

parcialmente na bruma. Logo à frente,

nevoeiro para os lados do seu destino, o

Théo visualizou um aeroporto dotado de

castelhano, espantado, alertou Théo de

uma torre de controle. A longa pista

que ele não estava indo a Uruguaiana,

mostrava um asfalto novo, com pinturas

mas logo adiante ele chegaria à cidade

brancas muito vivas. Outra vez, o piloto

uruguaia de Tacuarembó.

fez seus julgamentos. Esqueceram de

Como um filme que retrocede em alta

noticiar o novo aeroporto nessa cidade.

velocidade, em frações de segundos,

Isso é muito estranho. Enfim, Théo teria

Théo compreendeu seu excesso de

que voar mais 30 km e, então, girar à

confiança e os falsos julgamentos. Hasta

esquerda para chegar ao destino. Para

luego, amigo! Contando com a sorte,

seu desgosto, a densa massa leitosa do

evitou-se um embaraço diplomático de

persistente nevoeiro fechou o horizonte.

consequências imprevisíveis com o

E ele continuou a sentenciar.

governo do país cisplatino. Sabendo que

“Estou tão próximo do meu destino. Um

não havia razões para fazer novos

nevoeiro na primavera é apenas um

julgamentos, o aviador forasteiro

vapor que aos primeiros raios do sol se

retornou de imediato à sua Base, em

dissipa. Aproveitarei a ausência de

Rosário do Sul. Nos tempos de Théo não

trânsito na rodovia para fazer uma

havia o GPS. Mas havia a bússola. Ah! A

espera”. A enorme quantidade de

bússola. Essa ingrata.

crateras não permitiu o pouso planejado. Mas havia as coxilhas. A superfície lisa e bem aparada indicava uma pista alternativa perfeita. O avião correu ladeira acima e parou no seu dorso.

REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 2

61


FIRST CLASS

AIR SHOW SAINT YAN 2021 Ocorreu no aeródromo de Saint Yan a 20ª edição do Fly em Saint-Yan 2021. Um evento que marca o retorno dos shows aéreos na Europa. Durante o show é possível admirar aeronaves raras, em particular Lockheed T-33 shooting Star, cujo modelo voou na Força Aérea Brasileira, de 1958 a 1975. Na designação TF-33A para dois tripulantes, foi usado para treinamento de pilotos para o LOCKHEED F-80C, além do combate aéreo e bombardeio

YAM WANDERS Revista Vertical Plus

FOTO DE DIREITOS RESERVADOS YAM WANDERS


REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 2

63


F

inalmente depois de quase um ano e

meio sem eventos aéreos, a temporada de shows e meetings começa bem com três eventos abertos no mesmo final de semana em locais diferentes da França. Aconteceram em paralelo os eventos; Rêve d'Icare (Plage de Royan , CharenteMaritime), Sport et Collection Airshow (Circuit du Vigeant , Poitiers , NouvelleAquitaine) e Fly in LFBK Saint-Yan (Aéroport de Saint-Yan, BourgogneFranche-Comté), porém desses todos, apenas o Fly In de St. Yan é um autêntico evento aeronáutico realizado em um aeroporto, sendo os demais eventos de outras áreas, com o complemento de exibições de aeronaves efetuando performaces em vôo sobre o local. O Evento

O Fly'in Saint Yan comemorou seu 20º aniversário este ano, de 11 a 13 de junho de 2021 no aeroporto de mesmo nome. O airshow do sábado, 12, não será apenas o ponto alto dessas festividades, mas também o lançamento da temporada de airshow 2021, que começa com mais de um mês de atraso. A maioria dos organizadores desistiu de correr o risco de organizar shows aéreos em 2021. No entanto, ao contrário de 2020, a temporada que abre não será branca. O relaxamento relativo das restrições de saúde encorajou alguns a manter seus eventos, apesar da incerteza relacionada às decisões tomadas localmente pelos prefeitos. Entre esses “sobreviventes”, o Fly'in Saint

participantes e expectadores chegando de

Yan , que ao longo dos anos está se

diversos países com suas aeronaves, de carro,

transformando em um grande show

de camping car, de bicicleta ou de moto,

aéreo, abrirá a temporada neste final de

com muitos acampando ao lado de seus

semana, de 11 a 13 de junho, dando

aviões ou veículos, em uma gigantesca área

continuidade a tradição desse aeroporto

gramada em distância segura das pistas

de realizar eventos aéreos e

operacionais mas com boa visibilidade para

reencenações históricas (reenactements)

as apresentações aéreas. Os que

das grandes guerras.

permaneceram acampados na noite de

O evento de St. Yan conseguiu mais uma

sábado presenciaram uma bela

vez bem representar o espírito dos

demonstração de vôo semi-noturno, já que

meetings aeronáuticos europeus, com

nessa época do ano temos luz do sol até

REVISTA VERTICAL

| 64


FOTO YAM WANDERS

confraternizações.

ajudando outros na região, como as

Outra característica importante do evento foi

reencenações históricas das grandes guerras

a participação de voluntários atuando em

e exposições de veículos antigos. A

diversas áreas, desde a supervisão do

associação é composta de pessoas do meio

estacionamento até as operações de pátio e

aeronáutico e também por muitos que são

segurança operacional e de vôo.

apenas aficionados ou admiradores da preservação cultural e histórica.

Os organizadores

O Meeting de St. Yan foi organizado pela

Todos os custos operacionais da realização

associação sem fins lucrativos "Fly In Saint

dos eventos é bem gerido com a ajuda de

Yan" que atua a mais de vinte anos

alguns "mecenatos" (doações anônimas ou

65 EDIÇÃO 2

organizando eventos no aeroporto e

REVISTA VERTICAL

quase 22h e participaram de diversas


não) e doações dos voluntários e outros apaixonados de aviação de toda a França e Europa. Porém é importante destacar que todos os envolvidos na realização atuam em total voluntariado (Bénevoles), sendo esse evento atualmente o único 100% feito por voluntários em todos os níveis. As aeronaves participantes:

- 03 Dassault Mirage 2000D, do Couteau Delta Tactical Display da Armée de l'Air (Força Aérea Francesa). - 01 Extra 330S da EVAA (Equipe de Voltige de l'Armée de l'Air. - 01 PZL TS-8 (ex Polish Air Force) exemplar único no mundo. - 04 Aero L-39 da Patrouille Albatroz. - 01 F-86 Sabre (ex-USAF). - 01 A-4 Skyraider "Sandy" (ex- Armée de l'Air recaracterizado). - 01 Swift Aerobatic. - Cap 232 aerobatic. - Fouga Magister. - Patrouille Broussard. - DC-3 Air France (original preservado). - Supermarine Spitfire PR.XIX PS890/F-AZJS. - Noth American Trojan T-28 (ex-USMC). - Yak 12, Yak 52 e Yak 50. - Pitts S2 e CAP 222.

- Cap 20. - Cessna Bird Dog "push pull".

FOTO YAM WANDERS

- Lockheed T-33 shooting Star (ex-USAF e exArmée de l'Air).


Diversas aeronaves estavam também

ENAC, treinamento teórico para pilotos

presentes nas exposições estáticas, com

estudantes de aviação e, em Saint-Yan,

destaque para o Lockheed Electra Glide

treinamento prático.

hangarado para preservação e dois

Em poucos anos, o aeródromo abandonado

Sepecat Jaguar da Armée de l'Air ( Força

renasce. A estação meteorológica foi

Aérea Francesa) que permaneceram para

construída em 1953, depois a torre de

preservação desde a época das

controle em 1956.

operações dispersas militares no

Uma primeira pista pavimentada foi

aeroporto.

inaugurada em 1961 e uma segunda em 1964, enquanto a primeira foi alongada com a

"O aeroporto de Saint-Yan foi criado em 1938 e foi inicialmente utilizado como base militar durante a Segunda Guerra Mundial pela Armée de l'Air ."

capacidade . Como o aeroporto está loalizado em uma região que não oferece grandes possibilidades de conflitos com o tráfego aéreo intenso da França, chegaram a acontecer análises para a instalação de uma

Também estavam presentes inúmeros

base militar moderna, e durante algum

outros aviões particulares de todos os

tempo a Armée de l'Air chegou a operar

tipos da aviação leve, experimental e

caças no aeroporto para treinamento de

muitos antigos e clássicos com especial

atividades dispersas enquanto obras para a

destaque para algusn Boeing Stearmam,

instalação de infraestrutura militar eram

NA T-6 Texan, Beechs, Cessnas e outros.

realizadas, mas o projeto acabou sendo

Confiram as fotos.

abandonado por motivos desconhecidos ao grande público. estabeleceu e também a residência dos

1938 e foi inicialmente utilizado como

estagiários. Com o passar dos anos, novos

base militar durante a Segunda Guerra

prédios foram sendo acrescentados, salas de

Mundial pela Armée de l'Air (Força Aérea

aula se multiplicaram, equipamentos e

Francesa) no início da guerra e depois

infraestrutura sofisticaram-se, a estação

pela Luftwaffe do III Reich (Força Aérea

meteorológica foi equipada com recepção

da Alemanha Nazista) quando

via satélite e estação de observação

capturado, de 1943 a 1945.

automática.

Após a guerra, a base ficou abandonada

Hoje, em uma plataforma de 272 hectares, o

por dois anos, e em 1947, o Ministério dos

centro possui muitas atividades aéreas

Transportes assumiu todo o local para

diversas, e, seu próprio espaço aéreo

desenvolver uma escola de voo para a

controlado oferece flexibilidade e segurança.

aviação civil. No início, para acomodar os

Este local excepcional, equipado com

aviões, não havia pista nem hangares,

aparelhos de última geração, garante as

pois tudo fora semi destruído durante a

melhores condições de aprendizado e

guerra.

desenvolvimento e faz do Saint-Yan Center

Em 1949, o Estado criou a Escola

um lugar privilegiado de treinamento civil.

Nacional de Aviação Civil (ENAC) e

Em 27 de dezembro de 2006, seguindo as

decidiu instalar em Saint-Yan o Serviço

leis de descentralização, a gestão do

de Operação e Treinamento Aeronáutico

aeroporto de Saint-Yan foi transferida para o

(SEFA), uma escola de treinamento

Syndicat Mixte "Saint Yan Air'e Business". Esta

prático para pilotagem. A repartição de

transferência é confirmada por decreto de 2

tarefas foi formalizada por decreto

de março de 2007.

ministerial de 13 de outubro de 1949: no

67 EDIÇÃO 2

Em 1960, a cidade aeronáutica se

O aeroporto de Saint-Yan foi criado em

REVISTA VERTICAL

Sobre o Aeroporto de St. Yan


FOTOS YAM WANDERS


FOTO DE THOMAS DEVOS - @THUNDERSHOT_PHOTOGRAPHY

THOMAS DEVOS Fotógrafo de Aviação Civil e Militar

País: Bélgica @thundershot_photography Canon 50D , em 275mm f/5.6, 1/500s, e ISO 200


REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 1

71


FOTO DE MAXIME ROCHE NO FLICKR

MAXIME ROCHE Fotógrafo de Aviação Civil e Militar

País: França Flickr/maximeroche Nikon D850 , em 230mm f/16, 1/40s, e ISO 64


REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 1

73


LUIZ CARLOS JR Fotógrafo de Aviação Civil e Militar

País: Brasil @revistaverticalplus Canon 5Dmk3 Canon 100-400mm em 100mm

Todos os Direitos Reservados : © Asas Históricas

f/6.3, 1/500s, e ISO 640


REVISTA VERTICAL

EDIÇÃO 1

75


Todos os Direitos Reservados : © Asas Históricas


REVISTA VERTICAL 2 1 REVISTA VERTICALEDIÇÃO EDIÇÃO

77

69


VOAR É PRECISO! Olá ! Estamos começando agora. Sim, esta é uma longa caminhada. Precisamos de tempo e ajuda para crescer como uma revista de aviação. Estamos espalhados em diversas redes para nos conectarmos com vocês. Junte-se conosco para que possamos chegar ainda mais longe. #juntosnavertical

@ R E V I S T A V E R T I C A L P L U S

#REVISTAVERTICALPLUS

@ R V E R T I C A L P L U S

#VERTICALPLUS

I S S U U S U A R E V I S T A E L E T R Ô N I C A

I S S U U . C O M / R E V I S T A V E R T I C A L P L U S

REVISTA VERTICAL

| 76


CHECK LIST DA REDAÇÃO Trabalhar com informação requer

2- Fotos: Este material deve ter os créditos

profissionalismo, responsabilidade, ética e

do autor e no caso de fotos de aeronaves ou

espírito de verdade. Não temos interesse em

veículos militares, não será permitido

alavancar notícias com o objetivo de atrair

imagens pessoais. Apenas as já existentes em

público. O Leitor deve ser atraído pelo

canais oficiais ou fotografadas em eventos

conteúdo e não pela polêmica ou falsa

públicos. Cada imagem será analisada em

declaração. O mercado aeronáutico requer

seu contexto para resguardar as instituições

profissionais de imprensa que possam

e/ou empresas. Imagens da internet sem

exercê-la de forma especializada e imparcial.

autoria devem ser identificadas como autor

Para isso, é necessário que os autores

desconhecido. Imagens com logomarca não

estudem, leiam fontes distintas e saibam

devem ser usadas sem autorização do autor.

interpretar os conceitos envolvidos. Notícias

3- Conteúdo: A internet possui muitas

relacionadas às instituições da federação,

informações falsas. Neste projeto usaremos

devem receber cuidado dobrado, apenas

sites oficiais e sites institucionais, seja eles

fontes oficiais são autorizadas. Seguiremos

de fabricantes ou operadores. Trabalhos

os protocolos de segurança quanto a

acadêmicos também serão aceitos.

interpretação das Fake-News. As publicações

4- Equipe Vertical+: Aqueles que pelo

devem ser apresentadas de maneira objetiva

voluntariado escrevem para revista precisam

e jamais devem ser alvo de especulações ou

estar cientes que este não é um trabalho

fazer deles a palavra oficial de nenhum

remunerado. Não existe vínculo de patrão e

órgão institucional. Não representamos

empregado. Somos parceiros nessa missão e

nenhuma instituição e não podemos falar

queremos que a família Vertical cresça

por elas, apenas divulgamos aquilo que já

constantemente. Parceria, amizade e

existe, com referências já publicadas. Cada

lealdade nos levaram ainda mais longe.

autor possui suas convicções e nossos

5- Anúncios e Patrocinadores: Anúncios

sentimentos não podem ser interpretados

sevem para divulgar o trabalho de parceiros

como especulação ou tendencioso, o

que apoiam o projeto. Não chegaremos a

sentimento nacionalista não deve ser

lugar algum sem a ajuda financeira.

interpretado como político de direita ou

Operações para cobertura de

esquerda. Insatisfações são pertinentes e

eventos/reportagens, custam caro.

não serão inseridas na revista pois não

Precisamos de transporte, equipamentos,

agregam valor coletivo ao projeto Vertical

estadia e alimentação. Tudo isso custa

Plus.

dinheiro e muitas vezes temos que tirar do

Essa Orientações estarão presente em todas

próprio bolso, então toda ajuda é bem-vinda.

as Edições e servem de conceitos balizadores

Nem sempre a ajuda está relacionada com a

para nos guiar ao caminho desejável.

ajuda financeira. Muitas vezes iremos

1- Sigilo da fonte: Embora seja direito

anunciar no entendimento que um

constitucional quando estiver no exercício

determinado serviço é importante e útil. Não

da profissão. Neste canal de comunicação

será possível identificar a natureza do

não publicaremos: ideais pessoais,

anúncio pois os motivos serão diversos.

informações sigilosas, mensagens/material

Quando surgir os patrocínios, temos certeza

de origem privilegiada, política, qualquer

de que chegaremos ainda mais longe com o

informação que venha a prejudicar a imagem

compromisso de dividir essa emoção com

de uma instituição ou empresa, nacional ou

todos aqueles que participam do projeto.

internacional, exceto em fatos que de

Esperamos contribuir com a comunidade

interesse público que atentem contra

aeronáutica levando informação e alegria

segurança do setor aéreo . Falamos sobre assuntos de aviação e não pelo setor de aviação. Não representamos ninguém.

para tantas pessoas quanto for possível. E que fique registrado! É grátis.


s k n a h T

A gratidão é parte do nosso trabalho, pois não conseguimos fazer nada sem a

ajuda das pessoas. Fazemos o que fazemos porque acreditamos na possibilidade de contar boas histórias na aviação. Nessa jornada muitas portas se fecham e outras se abrem, contudo quando temos acesso a nossa alegria é compartilhar desta experiência com você. Não digo que é fácil, mas afirmo que não há vitórias sem uma boa luta. Meus agradecimentos está dirigido a todos que nos ajudaram nesta edição e aqueles que não puderam, digo que as portas estão abertas. Gostaria de mencionar alguns nomes, mas acredito que posso esquecer de alguém, o que seria demasiadamente desagradável. O que importa é que juntos chegamos e juntos temos muito o que comemorar. Espero que este trabalho apresente um conteúdo de valor aeronáutico. Valor cultural para nossa aviação. Por isso obrigado. Se você chegou até aqui, é porque além de leitor, também faz parte de nossa família Vertical+. Um até breve amigos!!

EQUIPE

Profile for Revista Vertical Plus

Revista Vertical Plus Edição 2 2021  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded