Issuu on Google+

Fevereiro 2016 Edição 1

2016: UM ANO DE DESAFIOS Pág. 4 | Rede Liga aproxima CFL e você

Revista Liga_ed1.indd 1

Pág. 14 | Somos uma só empresa

28/01/2016 16:33:51


Editorial

Revista quadrimestral voltada aos colaboradores da CFL.

COORDENADORA DE RECURSOS HUMANOS

Mais próximos de você

Liege Schuler EXECUÇÃO

CONSULTORIA JORNALÍSTICA

Cristina Wagner (MTB 12412) REDAÇÃO

Paula Barcellos (MTB 17144) PROJETO GRÁFICO

Fabíula Azevedo DIAGRAMAÇÃO

Graziella Morrudo FOTÓGRAFOS

Tuti Flores TIRAGEM

250 exemplares

PORTO ALEGRE

Av. Nilo Peçanha, 2825 Sala 1008 Fone/Fax: 51 3018.6500 Cep: 91330-001 CAXIAS DO SUL

Rua Alfredo Chaves, 1092 Fone: 54 3214.6537 Cep: 95020-460 FLORIANÓPOLIS

Rua Frei Caneca, 17 Fone: 48 3028.4506 Cep: 88025-000

Caro colaborador, Em um momento que une a crise política e econômica do país com a retração do mercado da construção civil, a CFL sentiu que precisava agir para enfrentar estes novos desafios. Entre outras ações, ouvimos você na Pesquisa Interna, que mostrou que precisamos fortalecer nossos laços. Em resposta a isso, apresentamos a você a Rede Liga, da qual esta revista faz parte (leia mais na página 4). Este é mais um marco na história da empresa, um novo horizonte para demonstrar que a CFL está aberta aos colaboradores. Após entregar os empreendimentos Las Piedras e Ampiezza, entramos em 2016 com todo o gás. Em plena crise, iniciamos as negociações do Voga, com apartamentos de mais de 500 m² cada, o que mostra que estamos confiantes na força do negócio. Nosso foco segue o mesmo, com bastante trabalho. Para quem é bom funcionário, competente naquilo que faz e comprometido com a cultura da CFL, sempre haverá espaço. Nesta edição de estreia da Revista Liga, você irá conhecer melhor alguns dos nossos empreendimentos e também colegas e equipes. Entenderá melhor a importância de fidelizar empreiteiros e outros diversos aspectos do nosso negócio. Gostaria de deixar uma reflexão final. Para ter uma carreira de sucesso na CFL, é preciso gostar daquilo que se está fazendo. Eu, por exemplo, já poderia ter me aposentado há muito tempo, mas sigo trabalhando, pois faço o que gosto. Você também pensa dessa forma? Esperamos que goste desse canal que foi feito para você. Boa leitura! Péricles Corrêa

www.cfl.com.br

Revista Liga_ed1.indd 2

Fundador

28/01/2016 16:34:01


Acontece

Reserva Casa Rosa

DESAFIA equipe de obra O Reserva Casa Rosa, empreendimento da CFL na Serra Gaúcha, é o primeiro triplo A vinculado a um local histórico em Caxias do Sul. Um empreendimento que abrange torres comerciais e residenciais em 55 mil metros quadrados, localizado em um dos bairros mais nobres da cidade. “O complexo fica na antiga chácara da família Eberle, onde está localizada a Casa Rosa, imóvel histórico que já recebeu presidentes e foi cenário no filme O Quatrilho”, explica a arquiteta de personalização Vanessa Telh (foto). O casarão nobre está integrado ao residencial e abriga áreas de lazer.

Desafios extras Além do cuidado na restauração da mansão, esta obra apresentou desafios relacionados ao fato de ser a primeira localizada nesta região. “É uma obra complexa. Tivemos que enfrentar as peculiaridades da mão de obra da Serra – sem grandes empreiteiras – e criar uma estrutura fora de Porto Alegre”, afirma Richard Granada, engenheiro da edificação (foto). Para isso, se acionou parceiros da empresa em Porto Alegre e foram feitas novas associações com equipes da região. “Buscamos também tecnologias que pudessem ajudar a executar o empreendimento com mais rapidez, qualidade e segurança”, completa o engenheiro.

Equipe preparada O trabalho da equipe de Caxias do Sul abrange desde a tecnologia estrutural até o cuidado em cada detalhe projetado, como no caso do restauro de itens de importância arquitetônica da Casa Rosa preservada. A obra teve uma alta complexidade. Ela exigiu uma escavação muito grande, com desmanche de rocha, detonações, contenções de encostas, uso de painéis pré-moldados nas fachadas e lajes protendidas. Para ser bem-sucedida, precisou focar na produção, no controle de qualidade e na segurança – o que não faltou na equipe alocada na Serra Gaúcha.

REVISTA LIGA

Revista Liga_ed1.indd 3

3

28/01/2016 16:34:12


Pra Você

CFL e você ainda mais ligados A revista que você está lendo é uma das novidades criadas após a Pesquisa de Avaliação Interna feita em 2015, na qual foram identificadas oportunidades para melhorar o fluxo de informações

Para a empresa atingir os resultados previstos e para que os mais de 200 colaboradores se mantenham engajados em busca deles, é preciso fortalecer o relacionamento, e a comunicação é uma forte aliada nesse processo. Por isso, foi criada a Rede Liga, que reúne diversas iniciativas. “A comunicação interna em uma empresa tem a grande responsabilidade de nortear um caminho, um planejamento não só estratégico, mas também de rumo de carreira para cada colaborador. Assim, ele poderá se inserir dentro do que a empresa busca e entender como ela pretende se posicionar no mercado da construção civil”, explica Fabiano Bocorny Corrêa, vice-presidente da CFL. Vale reforçar que o atual cenário da economia no país exige que as empresas se preparem para os momentos turbulentos. Por isso, a CFL está buscando se fortalecer para continuar crescendo e proporcionando oportunidades aos colaboradores. O conhecimento é o alicerce para uma relação sólida, baseada na confiança entre a empresa e o colaborador: “Quando não recebemos informação na forma e na quantidade adequadas, buscamos dados que nem sempre correspondem à realidade. Investir em comunicação é essencial para manter a união e o engajamento das equipes”, defende Liege Schuler, coordenadora de Recursos Humanos. Além da revista, outros canais também serão criados. Confira na página ao lado.

4

Revista Liga_ed1.indd 4

SINERGIA QUE CONSTRÓI

28/01/2016 16:34:12


"Temos colaboradores atuando em várias frentes, de forma distribuída. Essa novidade irá tornar a informação acessível e manterá todos em sintonia com a empresa e com a cultura da CFL.”

POR QUE O NOME Porque estamos conectados ao negócio e às pessoas. Todos fazem parte e somam para o crescimento. Liga de visões, de culturas, de esforços, de ideias, de informações, de energia.

Luciano Bocorny Corrêa, presidente

Mural Liga Atualização: quinzenal Objetivo: divulgar informações pontuais, institucionais e notícias locais de leitura rápida Assuntos: curiosidades, saúde, segurança, anúncios de campanhas, números e metas

Revista Liga Atualização: quadrimestral Objetivo: levar informações estratégicas, informativas, de serviço e humanas a todos os colaboradores para ajudar no dia a dia de trabalho Assuntos: negócio, mercado, curiosidades sobre a CFL, produto, segurança, sustentabilidade, desenvolvimento profissional, entre outros

Newsletter Liga Atualização: mensal Objetivo: levar aos diretores, gerentes, coordenadores e supervisores informação para ajudar no processo de tomada de decisão, de acordo com os objetivos da empresa Assuntos: informações estratégicas, lições de liderança, orientações de Recursos Humanos

Revista Liga_ed1.indd 5

O QUE QUEREMOS COM A REDE LIGA “A Rede Liga irá padronizar as notícias que a empresa precisa transmitir aos colaboradores. Queremos informar desde o porteiro da obra até o engenheiro, sem exceções, sobre o que a CFL está entregando, lançando e executando. A informação vai chegar igual para todos, independente do cargo. Isso é fundamental para que ninguém se sinta menos CFL que o outro.” Fabiano Bocorny Corrêa, vice-presidente

28/01/2016 16:34:19


Empreendimentos

2 1

2

Inovação e exclusividade nas entregas de 2015

Em 2015, a CFL entregou dois novos empreendimentos em Porto Alegre (RS): o Las Piedras e o Ampiezza. Ambos foram pensados em detalhe e construídos com estruturas completamente inovadoras. A arquiteta Heloísa Bocorny, a gerente de Projetos Lucimar Rodrigues Costa e o gerente de Engenharia César Luís Storck listaram os seus diferenciais.

5

Revista Liga_ed1.indd 6

6

28/01/2016 16:34:41


3

Las Piedras » Projeto único, em que cada apartamento tem uma planta diferente da outra; » Empreendimento diferenciado pelo conceito de mansões suspensas (apartamentos posicionados como se fossem degraus); » Esquadrias amplas com aberturas generosas interligando a área interna com a área externa; » Altos pés-direitos dentro dos apartamentos; » A localização faz divisa com uma área verde preservada e garante uma vista permanente para um bosque; » Conta com as exclusivas piscinas na sacada com raias extensas e borda infinita; » Prédio com 20 apartamentos entre 430 m² e 800 m²; » Cinco amplas vagas para estacionamento por apartamento; » Alto investimento em tecnologia de segurança e controle de acesso; » Possui gerador pleno e sistema de irrigação. Desenvolvido durante cerca de três anos, entre a concepção e entrega do projeto para a execução da obra, que durou mais três anos. Nesse período,

7

4

mais de dois mil trabalhadores foram responsáveis pela construção deste novo conceito de moradias horizontalizadas.

Ampiezza » Prédio diferenciado pelos pés-direitos duplos na área social; » Um empreendimento com duas torres e um apartamento por andar, com arquitetura contemporânea; » Unidades privativas, de 260 m² a 330 m², fechadas em pele de vidro, que garante ambientes luminosos; » Vagas de estacionamento exclusivas para conforto de visitantes; » Área de lazer com piscina de borda infinita e cascata, espaço fitness, spa com sauna, espaço gourmet, salão de festas e playground. Foram aproximadamente dois anos para a concepção do projeto e mais três para a execução da obra. Na etapa de projeto, houve o envolvimento de uma equipe multidisciplinar que trabalhou para criar soluções estéticas e técnicas para tornar este empreendimento diferenciado. Aproximadamente 1,5 mil pessoas trabalharam na obra.

8

1 - Las Piedras 2 - Gerente de Engenharia César Luís Storck 3 - Colaboradores do Ampiezza: Fernando Simas, Aline Lima, Bruna Caldas e João Guedes 4 - Las Piedras 5 - Lucimar, Edna, Natália e Bruna Lise 6 - Ampiezza 7 - Las Piedras 8 - Colaboradores do Las Piedras: Marco Pianetti, Guilherme Arozi, Conrado Formiga, Tatiane Rossi, Lauren Abreu, Leandro Pontes, Cesár Storck

REVISTA LIGA

Revista Liga_ed1.indd 7

7

28/01/2016 16:35:06


Negócio

Pa r c e i r o s em busca

do alto padrão Uma boa gestão das empreiteiras, empresas das quais se contrata mão de obra para a construção, é fundamental para que os empreendimentos fiquem dentro dos padrões da CFL. Confira a entrevista com o engenheiro do Mirador, Renato Caetano, a respeito:

Como você vê a relação da CFL com as empreiteiras? Um vínculo bem-sucedido entre o colaborador e o empreiteiro deve ter como base a transparência. Os trabalhadores devem ser motivados a fazer o melhor possível para obter a qualidade que se espera. Isso é feito através de uma orientação para o empreiteiro e de uma cobrança diária do que está sendo executando. Se conseguir fazer com que ele se sinta parte do processo, os resultados serão bons. Nosso maior esforço é para fidelizar essas empresas. Assim, conseguimos ter mais qualidade, produtividade e a entrega de cada etapa totalmente finalizada. Com isso, temos mão de obra adequada, com a qualidade que exigimos, e o empreiteiro tem a garantia de seguir trabalhando com a gente. Produzimos prédios e apartamentos diferenciados, com valor agregado muito alto. Para isso, é necessário encontrar bons empreiteiros e mantê-los com a gente.

8

Revista Liga_ed1.indd 8

SINERGIA QUE CONSTRÓI

28/01/2016 16:35:19


Engenheiro Caetano e empreiteiro Broca: parceria bem-sucedida

O que os colaboradores das obras podem fazer para ajudar esta relação a dar certo? Quem tem contato com empreiteiros são os mestres de obras e os técnicos, cuja função é orientar sobre como, onde e quando executar, bem como fiscalizar todo o processo. Após, o controle de qualidade verifica se a execução atende às expetativas da CFL. Estes colaboradores devem ser proativos e responsáveis e precisam entender que fazem parte de um processo construtivo de prédios de alto padrão, o que exige grande comprometimento com a empresa. E a questão da gestão da segurança das empreiteiras, como você avalia? A empresa não nega esforços para garantir a segurança coletiva dos operários que trabalham na obra, investindo em todo o equipamento necessário. Para garantir a segurança dos envolvidos, a CFL controla esse processo e cobra o uso dos Equipamentos de Proteção Individual dos funcionários terceirizados. Mas esse ponto é um grande desafio para nós, e devemos sempre buscar melhorar.

A CFL é uma excelente parceira, assim como acredito ser um bom parceiro da empresa. A equipe é qualificada, os engenheiros e mestres de obras buscam fazer o trabalho da melhor forma possível. Nunca faltam materiais. A empresa trabalha como se fosse um relógio, cada um faz uma parte. Creio que os clientes não têm do que reclamar em relação às obras. Nossa meta é entregar rigorosamente no prazo, sem abrir mão da qualidade. Caso contrário, não precisa nem me pagar. A CFL é uma empresa idônea, sei que posso colocar a equipe a trabalhar sem riscos de não receber para remunerá-la. Milton Broca, parceiro da CFL há sete anos

REVISTA LIGA

Revista Liga_ed1.indd 9

9

28/01/2016 16:35:36


Gente

Foco no resultado, sem perder a serenidade

Hélio Chevarria conhece Jurerê Internacional, em Florianópolis (SC), como a palma da mão. O engenheiro, atualmente responsável pela obra Al Mare, está na região desde 1980, quando começou a construir, e por lá segue até hoje. “Estou ajudando a elevar o padrão desta praia”, orgulha-se. “Meu projeto maior é fazer parte da construção de um dos melhores destinos do país. E a CFL tem a cara de Jurerê, ambas se encaixam perfeitamente”, completa. Sua experiência na empresa iniciou em 2010, quando conduziu o empreendimento Jay. Logo, começou o Al Mare. “Foi um grande desafio de engenharia trabalhar dentro dos altos padrões da CFL, que representam um estímulo para qualquer engenheiro.” Com a experiência, Hélio considera ter desenvolvido características como persistência, dedicação e determinação. “Há muitos desgastes entre a equipe, e é preciso saber lidar com o psicológico, saber gerir os terceiros e ser firme”, explica. Mas o engenheiro sabe que é igualmente importante criar estímulos para as pessoas. “Procuro fazer com que enxerguem o final da obra”, conta.

HÁBITO SIMPLES Hélio é uma pessoa de hábitos simples. Sua rotina é baseada em trabalhar e curtir a esposa Beatriz e os dois filhos. Sua atenção também é voltada ao bem-estar. “Se não tiver preparo físico, não aguento o pique da obra. Por isso, cuido da alimentação, faço exames. Também procuro correr e fazer outros esportes”, ensina. Seu momento de lazer é sentar ao lado da esposa, tomando chimarrão, na beira da praia que vem ajudando a alavancar. Admirador da filosofia budista, Hélio conta que aprendeu a buscar a serenidade em qualquer situação. “Uma pessoa centrada não tem stress. Ela planeja, resolve o problema. Se não for assim, não faz uma obra”, deixa a dica. 10 SINERGIA QUE CONSTRÓI

Revista Liga_ed1.indd 10

28/01/2016 16:35:49


: protagonista do

próprio desenvolvimento

A proatividade de Nair Hauschild fica evidente quando ela relata sua história profissional. Para a colaboradora, que entrou na empresa em 2003 como compradora e hoje coordena a área de compras, ir atrás do próprio crescimento é essencial para garantir oportunidades. Sua trajetória na CFL trouxe a ela um grande aprendizado, que utiliza para ajudar os colegas a se desenvolverem. “Com o meu conhecimento, quero contribuir para que todos consigam realizar os seus trabalhos”, explica. O crescimento profissional de Nair teve uma forcinha da CFL: o reconhecimento. Mas não há desenvolvimento sem esforço e sem vestir a camisa. “Para crescer, é preciso ter determinação. Sou parceira da CFL!”, conta.

Novos desafios pela frente Agora, ela assume uma nova responsabilidade: integrar o Comitê das Normas de Desempenho de Construção Civil, formado por pessoas que vão em busca de novas tecnologias para atender às políticas do setor. Na vida pessoal, Nair também vive um momento inédito: a conclusão do curso superior em Administração de Empresas. “A CFL me apoiou na decisão de retomar os estudos, e isso foi decisivo. Com a formação, sou vista de uma forma diferente profissionalmente, tenho mais credibilidade”. E a comemoração já foi escolhida: uma viagem para a Alemanha, para conhecer um pouco da cultura da qual faz parte, já que é de origem alemã.

REVISTA LIGA 11

Revista Liga_ed1.indd 11

28/01/2016 16:35:55


Viva Melhor

Administre

melhor O seu tempo Se você é daqueles que torce para que o dia tenha horas a mais, é melhor refletir sobre o que deseja. Muitas vezes, um pouco de organização e o controle da ansiedade ajudam a levar uma vida com menos correria. O psiquiatra Rafael Mondrzak explica como a ansiedade, resposta física do organismo, pode afetar a administração do tempo: “A pessoa pensa ‘eu não vou conseguir fazer essa tarefa, não vai dar tempo’ e, em vez de focar em uma solução, ela fica pensando em círculos, de forma obsessiva”, explica. Para superar essa dificuldade, é muito importante manter a organização para potencializar o tempo e buscar manter a calma. O profissional também recomenda que a pessoa procure atividades que ajudem a esvaziar a mente, como exercícios físicos. Patrícia Borges, assistente administrativa de obra no Quay em Jurerê (SC), enfrenta o desafio de administrar os compromissos com a família, o trabalho, a faculdade, uma atividade voluntária e o lazer. No início da semana, ela organiza o seu tempo para os próximos dias. “Mantenho o foco e uso sempre uma agenda”, conta.

LEMBRE-SE Dentro da empresa, o seu tempo afeta o dos outros. Muitas das atividades são interligadas. “É importante receber o trabalho o mais completo possível para acelerar os processos e a conclusão das tarefas”, ressalta Patrícia. Se você acha que vai atrasar uma entrega, avise o seu gestor ou o colega, ou então peça ajuda. Estamos todos ligados a objetivos comuns.

12 SINERGIA QUE CONSTRÓI

Revista Liga_ed1.indd 12

28/01/2016 16:36:17


O Que Aprendi

Investir em segurança é economizar Depoimento de Deni Driwoski Técnico em Segurança do Trabalho do empreendimento Mirador.

Quando se fala em segurança do trabalho, nosso foco é na fiscalização. Além do cuidado com as pessoas, há uma preocupação em não deixar a obra embargar. Se isso não acontecer, quer dizer que os colaboradores estão nas condições ideais. Eu trabalhei por quatro anos em uma empresa que prestava consultoria à CFL. Aqui, já estou há quatro também. Nesse período, percebo uma evolução dessa questão, não só na empresa, mas no mercado. Há uma atuação forte dos auditores, e, pelo fato de a CFL trabalhar com alto padrão, a fiscalização é mais intensa.

Quando mostramos que a obra está em boas condições, o auditor acaba apenas notificando ou aplicando uma multa pontual. Isso é o que aconteceu no Mirador, minha obra atual. Essa fiscalização foi feita por três auditores, ou seja, três pessoas diferentes. Ainda não estávamos perfeitos, levamos algumas notificações, mas sem danos maiores causados por paralisação.

O importante é tentar se adequar às novas tecnologias do mercado. Há nove anos, as obras da CFL tinham sistemas mais básicos; com o tempo, foram evoluindo. Hoje, basicamente, contam com isoLogo que entrei, as obras Lumiére e "Aprendi que lamentos metálicos e outros sisPersonalité enfrentavam embargos o segredo é a temas mais modernos que levam que chegaram a durar três meses. adequação" à identificação da segurança por Detectou-se os problemas, como quem visualiza a obra de fora. O nos equipamentos de proteção cosistema passa não só a ser mais seguro, mas a letiva. A partir daí, foram feitas diversas melhoaparentar isso. rias. Quando começamos a obra do Platinum Tower, buscamos investir em segurança, e tudo o que era necessário foi providenciado. Nas sete fiscalizações, com auditores diferentes, tivemos sorte (ou competência) de não parar a obra em nenhum momento. Houve apenas notificações e solicitações de ajustes, mas sem as temidas paralisações, que são muito onerosas.

Aprendi que o segredo é a adequação. É importante buscar acompanhar o mercado, se reinventar, usar as novas tecnologias para ter mais êxito. São investimentos altos, mas acabam sendo absorvidos a longo prazo quando os embargos são evitados e as obras, entregues no prazo. REVISTA LIGA 13

Revista Liga_ed1.indd 13

28/01/2016 16:36:20


Incorporação,

Comercial e Obra:

Uma só CFL

Um empreendimento da CFL nasce a partir da escolha de um terreno, que passa por uma negociação para ser adquirido. Após, a incorporação vai analisar as possibilidades do mercado para criar um produto com características focadas em um certo público. Em seguida, há uma fase de aprovações nos devidos órgãos para liberação da construção. Quando esse produto está definido, começa a fase de comercialização, e iniciam as obras. E aí a obra tem a responsabilidade de garantir o alto padrão prometido aos clientes, nas condições de segurança e dentro do prazo prometido. Incorporação, comercial e obra são realidades de trabalho bem diferentes, sim. O que precisa ficar claro é que todas essas etapas são executadas por uma só empresa. E que uma influencia diretamente a outra. Para entender a relação entre as diferentes realidades, a Revista Liga conversou com Almir Alves Neto (à esquerda), diretor comercial, e André Müller Hahn, mestre de obras (à direita). Almir defende que os colaboradores precisam ter a consciência de que estão em busca de um mesmo objetivo, a entrega do produto. E ele sabe que vender, apesar de importante, é apenas uma das partes do processo. “O desafio é construir e entregar o que estou vendendo, um apartamento de altíssimo padrão, no prazo”, diz.

14 SINERGIA QUE CONSTRÓI

Revista Liga_ed1.indd 14

28/01/2016 16:36:25


Conheça o CFL

Os colaboradores precisam ter a consciência de que estão em busca de um mesmo objetivo, a entrega do produto

É onde entra a importância de um bom relacionamento entre incorporação e obra, essencial para que esse trabalho em conjunto permita a melhor entrega possível, obedecendo ao padrão CFL. “As diferentes etapas têm que funcionar como uma engrenagem”, defende André Müller Hahn, mestre de obras. “Os clientes criam uma expectativa muito grande em relação à entrega do produto. Se o mestre de obras não gerenciar bem suas atividades, ele complica o meu trabalho. Por isso a sincronia das nossas funções é total!”, completa Almir.

Cliente pode visitar a obra, sim! Um dos diferenciais da CFL em relação ao mercado é que o investidor ou cliente pode visitar a obra no momento em que desejar. “Eu procuro manter essa proximidade do cliente com a obra, trazê-lo para mais perto da gente. É uma ferramenta de venda importante. Se o cliente questiona, eu tenho como argumentar, falar com o André, ver se é possível ou não modificar e passar todas estas informações ao cliente”, avalia Amir. Levando-se em conta o nível de exigência do público de alto padrão, é ainda mais importante

que tudo esteja em dia. “Para nós, é uma satisfação! A gente se doa ao máximo, mantém a obra limpa e organizada. Imagino que, para o cliente, entrar no apartamento, que muitas vezes é o sonho da família, e ver a obra organizada desde o começo deve ser uma alegria”, diz André.

A responsabilidade é de todos É preciso superar a visão de que um lado ou outro são responsáveis. Se algo não vai bem, a empresa toda tem prejuízo. E o nível de exigência do comprador de alto padrão é enorme. Há clientes, por exemplo, que atuam no mercado imobiliário e compraram os apartamentos da CFL. “Há uma cobrança na obra que parte da incorporação. Tem que haver exigência, sim, mas sempre com respeito”, completa André. O colaborador defende que essa sintonia entre áreas se solidificará ainda mais a partir do fortalecimento do fluxo de informação. “A comunicação é muito importante para entender o que está acontecendo entre obra, escritório e vendas. E, com essa comunicação fortalecida, tenho expectativa de um resultado ainda melhor”, finaliza.

REVISTA LIGA 15

Revista Liga_ed1.indd 15

28/01/2016 16:36:30


Alinhar discurso e prática é uma preocupação da CFL para se manter forte no mercado e se relacionar cada vez melhor com seus públicos. Ter valores estabelecidos e claros é a melhor forma de garantir que as decisões sejam tomadas de acordo com os objetivos da empresa. O que define os nossos valores?

O que é

Em breve, você será convidado a participar da consolidação destes princípios. Fique ligado!

construído em

conjunto

tem mais

solidez Revista Liga_ed1.indd 16

28/01/2016 16:36:49


Revista Liga Edição 1