Page 1

Living and LifeStyle

€5.00 (Cont.) - Mensal

32º

ANIVERSÁRIO ELES & ELAS 276 . JULHO/AGOSTO 2013

Os Príncipes mais desejados as melhores noites do Algarve

MERCEDES

BALSEMÃO UMA SENHORA DESTE TEMPO


& Julho/Agosto 2013

MAKING OFF: Fashion Club Summer Spot | 6 CARAS E COROAS: Príncipes encantados... e disponíveis| 10 Madalena da Suécia | 16 Os novos soberanos dos Países Baixos | 60 REMINDING: Audrey Hepburn - Uma jóia de valor | 20 FLASHBACK Uma passagem pelos nossos 32 anos | 24 MODA: Produção de Moda | 30 Tendências de moda com a ModaLisboa | 34 Jean-Louis Scherrer... deixou-nos | 40 RUBRICAS: Cocktail de Notícias - Shopping | 44 CAPA: Entrevista a Mercedes Balsemão | 46 GOURMET: Na Rota das Sedas | 54 HOTÉIS E SPAS: Sublime Ailleurs, um Santuário de Luxo | 58 OBRIGATÓRIO: Isabel Miranda apresenta o cartaz das artes e do espetáculo | 66 DESTINOS: Mónaco, O Olimpo dos Grimaldi | 70 TEA TIME: O Chá | 74 LUXO: Luxo e glamour na red carpet de Cannes | 80 SOCIEDADE: Colares de Pérolas | 84 MOMENTOS: Atitude Sunset Party | 90 25 Anos da Loja Guiomar | 90 Gala Mónaco Marbella | 91 Arraial de Santo António | 94 CURIOSIDADES D'Elas por Vanda Neves | 92 TURBO: Novo Honda Civic 1.6 Diesel | 96 CARREIRAS: Mila Ferreira - A grande intérprete | 98

Eles & Elas — Desde 1982 DIRETOR Maria da Luz de Bragança PRODUÇÃO César Soares EDITOR PROPRIETÁRIO Gabinete 1 Imprensa, Promoção, Relações Públicas, Lda Editor nº 211 326

DIREÇÃO, REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO, PRODUÇÃO Rua de S. Bernardo, 27 - A 1200-823 Lisboa Tel.: 210 999 674 Fax: 210 964 972 PUBLICIDADE E-mail:gabinete1@gabinete1.pt GRAFISMO, PRODUÇÃO, FOTOCOMPOSIÇÃO

SELECÇÃO DE COR E MONTAGEM Gabinete 1 E-mail:gabinete1@gabinete1.pt www.gabinete1.pt IMPRESSÃO Gabinete 1 DISTRIBUIÇÃO Logista Alcochete Telefone: 21 926 78 00

Fax: 21 926 78 45 TIRAGEM MÉDIA 60.000 exemplares ISSN 0870-8932 Depósito Legal Nº 11035/86 Publicação registada na Direcção Geral da Comunicação Social com o nº 109 161 www.eleseelasmagazine.com ELES & ELAS | 3 www.facebook.com/revistaeleseelas


EDITORIAL

No Reino da Arte e da Fantasia

Q

uero pedir desculpa por continuar a trabalhar, tentando tudo por tudo, para não colocar no desemprego hoje a pequena equipa que dirijo. Creiam que não tem sido nada fácil manter a qualidade e a linha desta revista, que sempre mostrou o lado mais positivo e válido que nos rodeia que, tal como o poeta, insiste o “sonho comanda a vida”. Mas custa. Custa mesmo não mudar tudo para dedicar as páginas que dirijo a uma revolução política constante, sem esconder o óbvio de que é possível fazer melhor por este país e que não é acabando empresas com impostos, juros e coimas elevadíssimas a prazos mínimos, provocando o desemprego, para depois pagarem aos desempregados, que se pode salvar um país dos seus problemas. É simples; é óbvio! E isto é só uma pequena parte do problema da governação ditatorial e arrogante que continua surda à vontade e à crispação da sociedade civil, continuando a conduzir milhares de famílias à pobreza e à infelicidade. Apesar de tudo o que lamentavelmente gira à nossa volta, continuo o meu trabalho sem a motivação que tinha há 32 anos, ao pensar que Portugal merecia ter uma revista de qualidade tal como acontece nos países desenvolvidos. Continuamos, enquanto puder e tiver forças, caminharemos recordando quem se distinguiu, registando exemplos de valor que vale a pena referir e que certamente poderão contribuir para o caminho de sucesso da sociedade mais jovem. Esta pretende ser uma revista de família que desenvolverá as novas gerações a quem se lhes oferece, à custa de audiências, “estrelas” de big brothers que pouco têm para lhes dar a não ser mostrarem os seus próprios defeitos. Desculpem, mas vamos continuar assim e tal como canta a hoje Comendadora, Maria da Fé, a quem entregámos o troféu-Fado há 32 anos: continuaremos até que a voz nos doa! Não são fantasias. São realidades. E quem sonha com um óptimo automóvel, ou uma super moto, vestir bem, ser princesa numa festa, receber as palmas duma plateia, encher uma galeria de arte ou pensa que ainda vale a pena distinguir-se pelo seu trabalho… não é estar no Reino da Fantasia, deverá ser uma realidade para a qual desejamos contribuir, citando também o nosso premiado António Gedeão que recebeu a Estátua da Verdade no 1º ano desta revista: “Eles não sabem que o sonho é uma constante da vida”… “ Eles não sabem nem sonham que o sonho comanda a vida e sempre que um homem sonha o mundo pula e avança! ■

Maria da Luz de Bragança

4 | ELES & ELAS


Making off

Estamos a preparar o Fashion Club Summer Spot by Eles & Elas que esperamos venha a acontecer este Verão no Algarve num lindíssimo espaço: o Centro de Congressos do Arade em Lagoa, projectado pelo arquitecto holandês Rem Koolhaas o mesmo que projectou a Casa da Música, no Porto. Estamos a convidar uma luxuosa agenda de DJ's e várias festas internacionais animarão este fantástico espaço. Tudo indica que serão as vossas melhores noites de verão! Visitem-nos! ➤ 6 | ELES & ELAS


ARADE CENTRO DE CONGRESSOS

ELES & ELAS | 7


Backstage

8 | ELES & ELAS


GRAND OPENING 19 DE JULHO O Fashion Club Summer Spot by Eles & Elas abre portas no dia 19 de Julho em Lagoa. O Pavilhão do Arade junta-se assim aos locais de eleição deste verão no Algarve. A Revista Eles & Elas estará presente nos dias 19, 20 e 21 Julho e convida, todos os nossos queridos leitores a virem disfrutar estas noites fantásticas, na nossa companhia. n

ELES & ELAS | 9


PRÍNCIPES ENCANTADOS... E DISPONÍVEIS

{ 10 | ELES & ELAS

Depois do casamento de Willliam com Kate e de Filipe com Letízia parece que se estabeleceu um padrão para a Monarquia do séc. XXI de casamentos entre príncipes e plebeias. Renovam-se as estórias de contos de fadas e do sonho de todas as mulheres de encontrarem o seu príncipe encantado. Fica a lista de alguns dos mais apetecíveis partidos. ➤

{


2.

1.

S.A.R. O PRÍNCIPE HENRIQUE DE GALES

Henry Charles Albert David, filho benjamim de Charles e Diana, Príncipe e Princesa de Gales. É, seguramente, de todos os príncipes disponíveis, o mais conhecido. Harry - como carinhosamente o povo lhe chama – detém o sobrenome Mountbatten-Windsor (embora como membro da realeza britânica, não tenha oficialmente um apelido de família) e está em terceiro na linha de sucessão aos 16 estados soberanos que constituem a Commonwealth e ao Governo da Igreja Anglicana. A mulher que se tornar sua esposa saberá que terá o duro peso do protocolo inglês e a sua vida observada e fotografada ao minuto. ■

S.A.S. O PRINCÍPE ALBERTO VON THURN UND TAXIS

Albert Maria Lamoral Miguel Johannes Gabriel von Turn and Taxis, filho de Johannes, Príncipe de Thurn and Taxis e da Condessa Gloria de Schönburg em Glauchau und Waldenburg é, aos 27 anos de idade, o actual chefe da família principesca Thurn und Taxis. O príncipe Albert completou o liceu em Roma e, depois do serviço militar, foi para a Universidade de Edimburgo, onde se encontra a estudar Economia e Teologia. É um aficionado das corridas de automóveis, chegando mesmo a participar em campeonatos alemães e, seguindo a tradição da sua mãe, não perde um evento social. Não que seja relevante mas sabe-se que tem uma fortuna estimada em quase 2 mil milhões de Euros. ■

3.

S.A.S. O PRINCÍPE WENZESLAUS VON UND ZU LICHTENSTEIN

É filho do Princípe Philipp Erasmus do Liechtenstein e da Princesa Isabelle de l'Arbre de Malander e acumula o título de Conde de Rietberg. O seu pai é o presidente do Banco LGT Group, que é pertença da Fundação Príncipe do Liechtenstein. Com 41 anos é o princípe solteiro com mais idade, mas não é avesso a um namoro com uma plebeia, como ficou sabido pelo seu muito mediatizado caso com a modelo brasileira Adriana Lima. Não é elegível ao título de Princípe-Soberano, sendo que herdará apenas a fortuna da família estimada em 4 mil milhões de euros. ■

ELES & ELAS | 11


PRÍNCIPES ENCANTADOS...

4.

S.A.R. O PRÍNCIPE FILIPE DA GRÉCIA E DA DINAMARCA

É o filho mais novo do rei Constantino II da Grécia e de Ana Maria da Grécia, a filha mais nova do Rei Frederico IX da Dinamarca. Nasce a 26 de abril de 1986 e testemunha, ainda criança, a deposição do seu pai e o fim da Monarquia na Grécia. Contudo, na Dinamarca, é ainda denominado oficialmente de Sua Alteza Real o Príncipe Philippos da Grécia e Dinamarca. Estudou Relações Internacionais na Universidade de Georgetown nos E.U.A e está actualmente a trabalhar no mercado financeiro. É conhecido por ser um homem discreto que evita eventos sociais. ■

5.

S.A.R. O PRÍNCIPE FÉLIX DE LUXEMBURGO

Nassau e Parma (Félix Léopold Marie Guillaume) é o segundo filho de Henri, Grão-duque de Luxemburgo, e de Maria Teresa, Grã-duquesa de Luxemburgo. Depois de ter estado no internato Beau Soleil na Suiça, vai para a Escola Internacional do Luxemburgo e continua os estudos em Nova Iorque, onde se encontra a estudar Arquitectura. Actualmente com 29 anos, este gemeniano tem uma paixão por pólo, ski e (pasmem-se) carpintaria... ■

6.

S.A.I. & R O PRINCÍPE AMADEU DA BÉLGICA

Amedeo Marie Joseph Carl Pierre Philippe Paola Marcus d'Aviano é o filho mais velho da princesa Astrid da Bélgica e de seu marido, o Arquiduque Lorenz da Áustria-Este. Depois de fazer parte de seu ensino secundário na escola jesuíta de Sint-Jan Berchmans, em Bruxelas, termina a sua educação secundária na Sevenoaks School e gradua-se na London School of Economics. Actualmente, com 27 anos, encontra-se a trabalhar na prestigiada agência de auditoria Delloite em Nova Iorque. ■

12 | ELES & ELAS


7.

S. A.I. & R O PRINCÍPE JOAQUIM DA BÉLGICA

Joachim Karl-Maria Nikolaus Isabelle Marcus d'Aviano Princípe Imperial da Áustria, Princípe Real da Hungria e Boémia, Príncipe de Modena, é o irmão mais novo do Príncipe Amedeo. Frequentou o Malvern College no Reino Unido, de onde sai para fazer ensino militar na Bélgica. De momento encontra-se a estudar Economia e Finança na Universidade de Bocconi em Milão. Tal como o irmão, é um dos poucos príncipes disponíveis com o título de Sua Alteza Imperial e Real. ■

9.

8.

PIERRE RAINIER STEFANO CASIRAGHI

É o filho mais novo de S.A.R a Princesa Carolina de Hanover (anterior S.A.S. Carolina do Mónaco) e do seu segundo marido, o falecido Stefano Casiraghi. Pierre é o terceiro na linha de sucessão ao trono do Mónaco e só poderá ser, em rigor, intitulado Príncipe se chegar lá e receber o sobrenome Grimaldi. Actualmente, vive em Milão e estuda Economia na Universidade de Bocconi (sendo colega do Príncipe Joaquim da Bélgica). Acredita-se que assumirá os negócios herdados do senhor seu pai e que são entretanto administrados pelo tio paterno, Marco Casiraghi. ■

S.A.R. O PRÍNCIPE CARLOS FILIPE, DUQUE DE VÄRMLAND

Carl Philip Edmund Bertil, é membro da casa de Bernadotte, o único filho varão do rei Carlos XVI Gustavo da Suécia e da rainha Silvia da Suécia. Nasce príncipe herdeiro da Suécia, mas logo perde o título passando para segundo na linha de sucessão ao trono quando o Acto de Sucessão o atribui à sua irmã mais velha, a Princesa Vitória. Começa por estudar ciências no colégio interno de Lundsbergs mas muda para a área da arte e design. Actualmente, aos 31 anos, dedica-se à actividade de Relações Públicas e ao desporto. ■

10.

S.A.R. O PRÍNCIPE NICOLAU DA ROMÉNIA

Nicholas Michael de Roumanie Medforth-Mills é filho do plebeu Robin Medforth-Mills e da Princesa Elena de Roumanie. É o neto mais velho de S.A.R o Rei Miguel da Roménia e o terceiro na linha de sucessão ao trono na eventual restauração da Monarquia Constitucional no seu país. Foi educado no Reino Unido e está envolvido em vários programas de defesa e conservação do património. Em virtude da tradição nacional romena é Cristão Ortodoxo. ■ ELES & ELAS | 13


PRÍNCIPES ENCANTADOS...

11.

S.A.I. JOÃO-CRISTÓVÃO, PRÍNCIPE NAPOLEÃO

Jean Christophe Louis Ferdinand Albéric Napoléon é filho de Charles, Príncipe Napoleão e Princesa Beatrice das Duas Sicílias. O título nobiliárquico do príncipe é citado por alguns Monarquistas (sendo que outros preferem a casa de Bourbon) num país que defende ferozmente a República. As suas hipóteses de chegar a Rei são escassas. Contudo, este jovem de 26 anos, herdeiro da casa deBonaparte, não deixa de ser um excelente partido. Depois de se ter formado em gestão, em França, parte para Nova Iorque onde se encontra a trabalhar como analista no conhecido Banco de Investimentos Morgan Stanley; e não é raro vê-lo nas melhores festas do jet-set internacional. ■

12.

S. A. PRINCÍPE HERDEIRO O XEQUE HAMDAN DO DUBAI

Hamdan bin Mohammed bin Rashid al Maktoum al Maktoum é o segundo filho mais velho dos xeques Mohammed bin Rashid Al Maktoum e Hind bint Maktoum bin Juma Al Maktoum. O xeque Hamdan iniciou seus estudos em Dubai na Rashid School For Boys e continuou-os no Reino Unido, onde se gradua na Real Academia Militar de Sandhurst e depois na London School of Economics. É um grande amante dos desportos tendo ganho a medalha de ouro em Hipismo nos Jogos Asiáticos. Para além de ser um óptimo paraquedista e jogador de volei de praia. Dedica o seu tempo a gerir a sua imensa fortuna e a escrever poemas de amor. Um verdadeiro romântico! ■

13.

S.A.R. O PRÍNCIPE DA BEIRA, D. AFONSO DE BRAGANÇA

Afonso de Santa Maria Miguel Gabriel Rafael de Bragança e Herédia é o filho mais velho de D. Duarte Pio, Duque de Bragança e D. Isabel de Herédia. Se Portugal encontrar o caminho da Monarquia, D. Duarte será rei e Afonso, Princípe de Portugal. Contudo não será Infante de Portugal uma vez que o título é reservado ao benjamim (de acordo com o Édito de Afonso V de 1455). Em contrapartida recebe o título de Duque de Barcelos reservado ao varão primogénito. De momento, com 17 anos, estuda no Reino Unido como tradicionalmente fazem todos os princípes. Quando voltar a terras lusas irá, com certeza, procurar noiva à altura. ■ 14 | ELES & ELAS


CARAS & COROAS

16 | ELES & ELAS


MADALENA

DA SUÉCIA

casou-se com

CHRIS O´NEILL

A MAGNIFICIÊNCIA

de um casamento real nórdico Pelo braço do pai, o rei Carl Gustav da Suécia, a bela princesa entrou na capela real do Palácio de Estocolmo, deixando o noivo, nervosíssimo, de lágrimas nos olhos. A verdade é que o casamento foi marcado pela cumplicidade dos noivos, cuja expressão não deixava dúvidas sobre o amor que os une. ➤ ELES & ELAS | 17


M

adalena da Suécia, que nos dias que antecederam a cerimónia, reconhecia estar desejosa de casar com Chris O´Neill, cumpriu o seu sonho. “Fugindo” da sua antiga vida e de uma ruptura que conduziu a uma situação complicada, em 2010, ao romper o seu compromisso matrimonial com Jonas Bergstrom, Madalena acabaria por encontrar em Manhattan o “homem que abriu o seu coração e que é a sua alma gémea”, segundo as suas próprias palavras. A rainha Sílvia, reforçando as palavras da filha, afirmava recentemente que Chris “é o genro de sonho de qualquer sogra”. ➤

18 | ELES & ELAS


M

as, voltando à cerimónia, A princesa escolheu um vestido de organza de seda, com apliques de marfim em renda e com uma cauda de quatro metros, assinado por Valentino. Madalena usou uma tiara, que lhe foi oferecida pelos pais, tinha ela 10 anos. Quarta na sucessão do trono, Madalena não usará o apelido do marido. Chris O´Neill, um empresário norte-americano de sucesso, vai manter a dupla nacionalidade inglesa e norte-americana. Não terá, por isso, nenhuma posição de responsabilidade no reino sueco, nem um título real. Mas o importante é o amor que os liga e que os levou ao altar, onde a troca de alianças e o tradicional “Sim” foi um dos momentos mais emotivos da cerimónia. Depois do casamento na capela real, os noivos fizeram o percurso entre o Palácio de Estocolmo e o embarcadouro da ilha de Riddarholmen numa carruagem aberta, dando aos súbditos suecos a oportunidade de os ver de perto e mesmo de os felicitar. O povo já tinha delirado quando o casal surgiu ao balcão do palácio e o noivo beijou duas vezes a mulher, a pedido dos súbditos ali reunidos. A viagem, a bordo de uma barcaça real, foi até à ilha de Lovon, onde está o palácio de Drottninaholm, onde a princesa nasceu. Foi aí que foi servido aos noivos e convidados um fabuloso banquete, com iguarias suecas, da responsabilidade de Stefano Catenacci, prestigiado Chef, que já servira o banquete nupcial da princesa Victoria. Falando dos 500 convidados, a verdade é que as toilettes e as jóias eram impressionantes, tanto no casamento, como na noite que antecedeu a cerimónia, durante um jantar no Grande Hotel de Estocolmo, onde estavam basicamente hospedados os convidados. Madalena vestiu o vestido assinado por Elie Saab (tal como a irmã, a princesa Victoria) e estava naturalmente radiante ao lado do agora marido. Os dois receberam os convidados (logicamente as casas reais europeias estiveram presentes assim como a princesa Takamado do Japão). Os grandes ausentes foram os príncipes das Astúrias e Alberto do Mónaco, que se fez representar pela mulher, Charlene, que recordou ter sido em Estocolmo que o marido a pedira em casamento. O casal vai continuar a viver em Nova Iorque, já que Madalena trabalha nos escritórios da World Childhood, fundação criada e presidida por sua mãe, a rainha Silvia, e Chris O’Neill tem as suas principais actividades ligadas ao mundo das finanças em Nova Iorque, motivo que o levou, aliás, a renunciar ao recebimento de um título real. O importante é que sejam felizes. n Maria Dulce Varela

ELES & ELAS | 19


REMINDING

AUDREY HEPBURN UMA JÓIA DE VALOR

Encheu os ecrãs de todo o mundo com aquele sorriso , quase angelical, os seus enormes olhos negros e aquela voz suave, encantando tudo e todos. Chamava-se Audrey Hepburn e alcançou o sucesso com alguma dificuldade, depois de uma infância difícil, de que nunca gostou de falar. Na memória de todos ainda estão alguns dos seus filmes de sucesso . “Férias em Roma”, ao lado de Gregory Peck, “Cinderela em Paris”, ao lado de Fred Astaire, e “Sabrina”, ao lado do monstro sagrado Humphrey Bogart, e “Guerra e Paz”, onde demonstrou o seu valor como actriz. ➤

20 | ELES & ELAS


ELES & ELAS | 21


AUDREY HEPBURN

N

ão se sabe se foi sua elegância, seu rosto angelical, seu frescor na tela ou se foi o sangue aristocrático, o certo é que Audrey Hepburn, como em um conto de fadas, se transformou numa princesa de Hollywood. Tinha talento, graça e encantamento. Audrey é um ícone, está acima da moda. Sua imagem é tão moderna como nos anos 60, dizia-se dela em entrevistas, salientando que a actriz era “uma princesa na corte de Hollywood”. Embora sua vida sentimental tenha sido objeto de muitas biografias não autorizadas, sempre se prestou mais atenção à trajetória profissional e à infância da atriz do que à sua vida amorosa. A verdade é que Audrey teve uma infância difícil mas, após o seu enorme sucesso, teve uma vida tranquila e discreta, alheia aos escândalos. Nascida no seio de uma família aristocrática na Bélgica, Audrey Hepburn nunca gostou de falar sobre sua infância, um período muito pobre de afeto e que sempre foi tratado como tabu. O abandono pelo pai foi o maior trauma de sua vida. A protagonista de “Bonequinha de Luxo” foi vítima da distante e severa personalidade de sua mãe. Audrey dizia, referindo-se a sua mãe, que ela  era fabulosa, tinha muito amor, mas era incapaz de expressá-lo. Infelizmente, a fome e a desnutrição estiveram presentes na infância da atriz. No final da Segunda Guerra Mundial, sua família não tinha leite, ovos, eletricidade ou água corrente, alimentando-se de tulipas, pão de ervilha e alimentos mais ou menos comestíveis. Nessa época, Audrey foi detida, mas face à distração de um soldado, conseguiu fugir e esconder-se no porão de um prédio, onde permaneceu por um mês, sobrevivendo comendo maçãs e pão. A mãe dava-a já como morta, mas Audrey saiu de seu esconderijo e voltou para casa, doente com icterícia. As duas decidiram então mudar-se para Londres, onde a protagonista de “Guerra e Paz” retomou suas aulas de balé e os estudos de Arte Dramática, enquanto a baronesa trabalhava como doméstica. Com meia dúzia de papéis insignificantes no Reino Unido, a jovem atriz deslumbrou a Broadway com “Gigi”, papel que a transformou na mais promissora das estrelas da Paramount. E assim passou de Cinderela a Princesa. Era uma atriz completa, capaz de interpretar vários gêneros. No início da carreira, com filmes como “Férias em Roma” e “Sabrina”, correu o risco de ser classificada apenas como uma atriz de comédias românticas, mas após “Guerra e Paz”, demonstrou que era capaz de fazer papéis dramáticos. Nem sempre fez bons filmes, mas em todos deixou o selo pessoal de sua elegância, ➤ 22 | ELES & ELAS


O estilista propalava, aos quatro ventos, que a protagonista de “My Fair Lady” “tinha os ombros lindos, a cintura magra, os quadris estreitos e as pernas muito longas”

➤ tendo contracenado com seu primeiro marido, Mel Ferrer. Numa época dominada por atrizes voluptuosas e com curvas exuberantes, a atriz ousou apresentar-se com cabelo curto, sempre muito magra, calças corsários e os sapatos de salto alto. Dela se dizia que sabia olhar-se no espelho e amava a delicadeza. O seu estilo foi imitado por centenas de jovens. Enfeitiçou o mundo inteiro, vestida por Givenchy.. O estilista propalava, aos quatro ventos, que a protagonista de “My Fair Lady” “tinha os ombros lindos, a cintura magra, os quadris estreitos e as pernas muito longas”. Poderia ter sido uma estrela maior, mas acabaria por se retirar para dar atenção à família, que era para ela mais importante do que sua carreira. Embora tenha sofrido vários abortos, Audrey teve dois filhos e emprestou sua imagem para ajudar a crianças somalis, como embaixadora da Unicef. No entanto, apesar de dois casamentos, o segundo com o cirurgião Andrea Dotti, Audrey não foi feliz, amando mais do que foi amada. n

Maria Dulce Varela

ELES & ELAS | 23


FLASHBACK

32 ANOS 32 Anos e tantas histórias para contar, tanto avanço na tecnologia, tantas alegrias e tristezas, tantas surpresas, amigos que já não estão entre nós, que sempre acreditaram em nós e que, sem o seu patrocínio, nunca teríamos chegado até aqui. Neste ano em que celebramos os 32 anos da ELES & ELAS, uma data tão especial, achámos que é altura de recordar o percurso da revista até aos nossos dias, os nomes dos premiados com a “Estátua da Verdade”, uma obra em bronze criada pelo escultor Francisco Simões, entregue desde o 1º aniversário da ELES & ELAS até hoje. ➤

24 | ELES & ELAS


N

este “Flashback”, sentimos que é também altura para lembrar nomes que connosco colaboraram, grandes nomes da imprensa, como José Pedro Barreto, Manuel Anta, José Antunes, Miguel Teixeira, Ilídio Alves, Dora Pires, Helena Pais Costa, Luís Stau Monteiro, Suzette Ferreira do Amaral, Maria Virgínia de Aguiar e tantos outros, sem esquecer tantas figuras públicas, entre elas, três Presidentes da República, a presença frequente de Helena Roseta, Joaquim Letria, Milai Lucas Pires, Rui Machete, Helena Sacadura Cabral ou Agostinho da Silva. Bem recheada (espaço para eventos sociais, no início, poucos havia e foram crescendo com a passagem dos anos), a ELES & ELAS oferecia espaço de debate, notícia ou mensagem, entrevistando com o critério da oportunidade ou do interesse da personagem escolhida, sem qualquer preocupação de “credos” políticos ou sociais. Para trás ficou o barulho familiar do bater das teclas das máquinas de escrever, substituído pelo quase inaudível ruído dos computadores (que nos facilitam a composição de eventuais cortes ou transformações dos textos), as fotografias, sejam de even1

7

12

2

3

8

9

13

tos, sejam de entrevistas, chegam-nos agora quase em cima da hora, graças às novas tecnologias. Enfim, tudo mudou! Tudo menos as recordações, que vamos agora partilhar convosco, desde o nosso primeiro aniversário. Foi no então magnífico restaurante panorâmico do Monsanto que foi celebrada a 1ª Grande Gala de Aniversário da ELES & ELAS, Júlio Isidro e Alice Cruz apresentaram o espectáculo, de que recordamos momentos de um excerto do musical “Cats”, também as actuações de José Cid, Lenita Gil, Maria da Fé, entre outros. A “Estátua da Verdade”, galardão do primeiro órgão de comunicação social a distinguir, publicamente, notáveis de diversos campos de actividade, foi entregue no nosso 1º aniversário, ao poeta Eugénio de Andrade, ao pintor Bual, ao escultor Martins Correia, ao médico Gentil Martins, ao empresário Rocha de Matos, à Companhia Nacional de Bailado, à dupla Herman José/ Nicolau Breyner, a José Cid, às actrizes Carmen Dolores e Eunice Muñoz, ao encenador João Lourenço, aos Forcados de Santarém e a José Maria Pedroto. E mais um ano passou e chegou o 2º aniversário, desta vez celebrado no Casino da Póvoa do Varzim, com a gala apresentada por Rita Ribeiro e Álvaro Nazaré. Uma gala marcada por excelentes actuações, desde O Bailado Teatro ➤ 5

4

10

6

11

14

15

1. Gentil Martins recebe a Estátua da Verdade 2. Júlia Pinheiro em 1996 3. Jorge Rocha de Matos agradece à Directora 4. Filipe La Féria e José Saramago 5. Carlos do Carmo, homenageado no 3º aniversário 6. Joaquim Bastinhas no 5º aniversário 7. Maria José de Morais no 2º aniversário 8. No 3º aniversário, Alexandra cantava e encantava 9. Herman José e Júlio Isidro no 1º aniversário 10. O treinador Carlos Queiróz no 6º aniversário 11. Edite Estrela nos nossos 18 anos 12. A Estátua da Verdade para José Saramago 13. Troca de Troféus – Ruy de Carvalho e Rita Ribeiro 14. No 15º aniversário, um dos homenageados foi Jorge Nuno Pinto da Costa 15. Teresa de Sousa Holstein – A Ela do 1º Ano ELES & ELAS | 25


FLASHBACK 16 17

18

21 22

25

19

20

26

29

27

35 23

24

28

16. Durão Barroso recebe a Estátua da Verdade no 5º aniversário 17. Nicolau Breyner, outro dos homenageados do 1º aniversário 18. Maria João Brito e Cunha, uma das mais elegantes de 1991 19. Em 1990, Agostinho da Silva com a Estátua da Verdade 20. Maria Barroso recebe Prémio de Prestígio em nome do casal Soares 21. Rui Veloso em 1996 22. Shegundo Galarza com a Estátua da Verdade 23. Mestre Henrique Santana no nosso 3º aniversário 24. Pedro Santana Lopes em 1994 25. Lindas, as nossas debutantes em 1997 26. Miguel Sousa Tavares no 15º aniversário 27. Na 16ª Gala homenageámos o Padre Vítor Melícias 28. O encenador João Lourenço, homenageado no 1º aniversário ➤ Contemporâneo do Porto a Teresa Tarouca e Carlos Paião, entre muitos outros nomes cimeiros da música portuguesa. E a “Estátua da Verdade” revelou-se uma verdadeira homenagem à cultura e à arte nacionais. Nesse ano, foram premiados a pianista Maria José Morais, os pintores Henrique Medina e José Guimarães; José Saramago, Ruy de Carvalho, Filipe la Féria, Paulo Caetano (no toureio), Teresa Tarouca, Pedro Barroso e Neves de Sousa (no desporto e não só!). Valente de Oliveira e o empresário Rui de Lacerda foram os “Ele do Ano”. E chegámos ao 3º aniversário da ELES & ELAS, celebrado com um jantar-espectáculo na FIL, apresentado por Joel Branco, Vítor de Sousa e Célia David. Subiram ao palco e encantaram os, cada vez mais numerosos, convidados, Alexandra, Marco Paulo e Jorge Fernando, entre outros. Para receber o troféu, subiram ao palco Pedro Burmester, Carlos do Carmo, Paulo de Carvalho e Henrique Santana que, aliás, animou as hostes com a adaptação do prólogo de uma peça da sua autoria. O “Ele do Ano” coube a Ramalho Eanes e a “Ela do Ano” foi Helena Roseta. No nosso 4º aniversário abrimos as portas aos lisboetas, festejando a efeméride nas Ruínas do Carmo. Isabel Wolmar, “vestida de Lisboa”, apresentou um espectáculo com a direcção do maestro Shegundo Galarza. Vibraram poemas com Elsa Saque, Maria Clara e Eugénia Lima, acompanhadas pela orquestra ligeira da RDP. O Casino Estoril recebeu a 5ª Gala da ELES & ELAS, com shows fabulosos, de que destacamos os divertidos

26 | ELES & ELAS

Afonsinhos do Condado e da então banda-sensação do momento, Os Delfins. Os prémios para o desporto foram, nesse 5º aniversário, para Jorge Nuno Pinto da Costa e Joaquim Agostinho e na tauromaquia para Joaquim Bastinhas. O “Ele” e a “Ela do ano” foram atribuídos, na altura, a Marques Mendes e a Manuela Morgado. Chegamos então ao 6º aniversário, romântico, tendo como palco o lindíssimo Palácio de Seteais, em Sintra. Os homenageados pela ELES & ELAS nesse ano foram os maestros Álvaro Cassuto e António Vitorino de Almeida, Américo Amorim, Ilídio Pinho, Clara Almeida Rodrigues e o treinador Carlos Queirós. Foi com uma tourada em Cascais que a ELES & ELAS festejou o 7º aniversário, homenageando os 45 anos de forcado de Salvação Barreto, e um jantar no Paço do Lumiar, onde entregámos a “Estátua da Verdade” a Shegundo Galarza. O “Ele do Ano” foi mestre Agostinho da Silva e a “Ela do Ano” Maria Teresa de Noronha. Em 1991, no 8º aniversário, a revista atribuiu a “Estátua da Verdade” a Durão Barroso e a Isabel Mota e à artista plástica Clara Menezes, durante um jantar na Casa de São Domingos, em Lisboa. Junto ao belo rio Douro, em Avintes, a Casa de Fiães recebeu todas as personalidades “in” de Norte a Sul do País na 9ª Gala ELES e ELAS, cujo tema foi a elegância, premiando na forma de agir e estar. Os escolhidos foram Eles - Miguel Veiga, João Marques Pinto e Adolfo Pinto Leite. Elas – Cinha Jardim Leitão, Gugas Jervell e Maria João Brito e Cunha. Todos receberam Medalhas e Prémios. ➤


31

30

29

32

34

33

35 36

37

38

39

29. Isabel Wolmar, nas Ruínas do Carmo, no 4º aniversário 30. A actriz Ana Bustorf em 1996 31. Lídia Franco homenageada em 2002 32. As elegantes debutantes do 21º aniversário 33. Em 2001, Álvaro Clemente recebia a Estátua da Verdade 34. O embaixador Dário Castro Alves no 21º aniversário 35. Mariza, a revelação do ano 2000 36. Sofia Sá da Bandeira e Gérman pelo Jet-Set 37. Maria de Belém Roseira 38. Maestro António Vitorino de Almeida no 6º aniversário 39. A Directora com D. Miguel e D. Henrique de Bragança

Em 1993 e 1994, as nossas festas de aniversário (a 10ª e a 11ª) foram no T-Club, decorado primorosamente pelo arquitecto Pimenta da Gama (“Faz Festa”), com toldos sobre o Tejo, e animaram Lisboa, premiando com Medalhas e Troféus ELES & ELAS os que se distinguiram nos vários sectores da nossa revista: D. Vicente da Câmara e o filho, José (fado), pela Feira das Artes, Maluda e mestre Pedro Leitão; na Moda, Sofia Aparício; “O Nosso Parabéns” para as irmãs Jardim; no golfe, Silvinha Saldanha. Só entregámos uma “Estátua da Verdade”, que foi para Pedro Santana Lopes. Em 1995, a festa foi na Cidade Invicta, com a entrega da Estátua da Verdade” foi entregue a Paulo Valada e João Minnemman. Fogo de artifício e fogo preso numa noite inesquecível no T- Club, em Lisboa, em 1996. Festejávamos o 15º aniversário. A Tuna Camoniana “In Vino Veritas” da UAL recebia os convidados com grande animação e euforia. Peças de arte em craclé, da autoria de Ana Maria Botelho e Troféus premiaram novamente todos os que se distinguiram nas várias áreas, do Desporto às Relações Públicas, dos Casais à medicina. O Prémio Jornalismo foi entregue a Miguel Sousa Tavares e Júlia Pinheiro. Na Música, Rui Veloso e o maestro Ivo Cruz foram os premiados. Nas Relações Públicas, Manuel Ferreira Enes e Maria Nunes da Ponte; no Ténis, João Cunha e Sofia Prazeres; no Hipismo, Manuel Malta da Costa, Jorge Matias, Júlio Borba e Madalena Abecassis; nas Artes, Nikias Skapinakis, Joaquim de Almeida e Ana

Bustorf. Verdadeiramente deslumbrante foi a 16ª Gala ELES & ELAS, no Convento do Beato, em Lisboa. A música clássica e o rock misturaram-se na noite, dedicada aos jovens e aos menos jovens. A “Estátua da Verdade” distinguiu Maria de Belém, o Padre Vítor Melícias e o então Procurador-Geral da República, José Narciso Cunha Rodrigues. Em Agosto de 1998, uma tourada na Praça de Touros das Caldas da Rainha e uma festa em São Martinho do Porto, animaram os nossos leitores, que vieram de Norte a Sul. A maioridade da ELES & ELAS foi comemorada no T-Club, em Lisboa, o clube que viu a nossa Revista crescer. Milhares de convidados passaram uma noite divertidíssima com a Companhia de Dança Espanhola e os D’Arrasar, que receberam o Prémio Revelação. A “Estátua da Verdade” coube a Edite Estrela e a José Raúl dos Santos. A Liga dosBombeiros, pela sua acção humanitária, e Margarida Ruas, pela sua intervenção na Cultura Portuguesa, foram receber o Troféu e a magnífica voz do fado de Mariza entoou pelas paredes do Musicais, na Gala do 19º aniversário da nossa Revista. Mariza recebeu o “Prémio Revelação”. Também os D’Arrasar, os Milénio, Inês Santos e Claudia e os Hexa actuaram e receberam os aplausos dos milhares de convidados, que não resistiram a um pezinho de dança. O Coliseu dos Recreios foi o palco da 20ª Gala de Aniversário ELES & ELAS. A academia de Dança Antiga de Lisboa e Luís Peças levaram-nos ao passado. Com os Fly Dancers ➤ ELES & ELAS | 27


FLASHBACK 40 41

42

43

44

25 anos

55

Vítor de Sousa recebe a Estátua da Verdade Estreando-se como actor de

45 46

50

teatro num espectáculo de Gil

51

Vicente, em 1965, Vítor de Sousa é hoje um actor

consagrado nas mais variadas vertentes da interpretação. As suas actuações em televisão trouxeram-lhe o reconhecimento público, onde interpretou papéis cómicos em programas como "A Mulher do Senhor Ministro" ou "Hermanias", mas também representações mais sérias em

47

56

48

telenovelas, como "Vila Faia" ou

49

"A Grande Aposta". A poesia é outras das suas grandes paixões, participando em espectáculos e gravando CDs de declamação de poemas. 40 anos de vida artística. 55. Maria da Luz de Bragança dirigindo-se aos convidados, junto a Vítor de Sousa e Diogo Rebelo 56. Vítor de Sousa recebendo a Estátua da Verdade 57. Diogo Rebelo exibindo o seu Prémio Futuro

40. Maria do Céu Guerra 41. Miguel Horta e Costa recebe a Estátua da Verdade 42. Artur Agostinho 43. Judite de Sousa e a sua Estátua da 57 Rebelo, o45. pequeno Verdade.recebe a Estátua da entrega da Estátua Verdade 44. Manuela Moura Guedes, emocionada, com a EstátuaDiogo da Verdade Rui Nabeiro 46. Maria JoãodaBustorff actor revelação da telenovela "2006! Bodas de Prata da Verdde 47. Horácio Roque agradece o troféu 48. Mário Assis Ferreira e o seu troféu 49. Vítor de Sousa 50. A estilista Fátima Lopes também "Floribela", da SIC, surge de revista Eles & Elas! Uma noite foi galardoada com a Estátua da Verdade Alexandra Lencastre súbito à frente do51. palco quente de Verão, uma bela e ➤

segurando uma bola colorida. A

renovada praça de Lisboa, este

pedido de Vítor de Sousa sobe

cenário magnífico da fachada

nesse atribuída a duas figuras ➤ chegamos aos anos 60. Já em 2001, Wanda Stuart, Cláudia ao palco,“Estátua agradecendoda os Verdade”, do nosso Teatroano Nacional de S. com a sua Carlos, de tantas noites de Arte vulto no panorama empresarial português – Maria João e os Hexa Plus foram um espectáculo! A “Estátua aplausos da de desenvoltura natural. Maria da e Beleza, é o cenário para Verdade” coube à artista Wanda Stuart e aos representantes Bustorff (Cultura) e Miguelestes Horta e Costa (Gestão). Luz de Bragança, Directora da festejarmos 25 anos e pequeno atribuir mais & uma vez a Estátua dos nossos emigrantes na África do Sul e na Venezuela, revista, Joe entrega O 24ºaoaniversário da ELES ELAS (uma revista que, semDiogo Rebelo o Prémio Futuro, da Verdade. Quintal e Álvaro Clemente. O Baile das jovens debutantes pre afirmámos, se Odedicava, há quase um quarto de século, como uma homenagem aos Júri, constituído por todos os jovens deahoje, que serão distrair os colaboradores e cronistas da uma vez, no BBC. foi realmente um sucesso! informar, e cultivar) foi, mais futuros empresários, desportisrevista Eles & Elas e por Na Gala do 21º aniversário, o Palácio Foz abriu as suas porSortearam-se seis magníficos relógios Eletta, com a ajutas e artistas. algumas individualidades já tas. A Embaixada do Brasil ofereceu um recital de pianoE de da de Isabel Nogueira, Lili Caneças, Teresa Pinto Coelho era chegado o momento da distinguidas, decidiu, por Ney Salgado e o Baile de Debute deslumbrou os convidados. Stürken e Fernando Pereira, o nosso homem-espectáculo. 19 ELES & ELAS A “Estátua da Verdade” foi atribuída ao Embaixador Dario Aguardado por todos, o momento da revelação das individualidades que iriam receber a “Estátua da Verdade” cheCastro Alves e à actriz Lídia Franco. Chegámos ao 22º aniversário da ELES & ELAS, que foi ce- gou. Teresa Regojo, Rui Nabeiro, Horácio Roque e a estilista lebrado com a beleza e a graciosidade das flores. O Espaço Fátima Lopes foram os escolhidos. 02Lx recebeu os nossos convidados, bem dispostos e vesti- Luxo, glamour e espectáculo marcaram as Bodas de Prata dos a rigor (de acordo com o dress code), brilhando numa da Revista. Era o 25º aniversário, no Largo do Teatro S. decoração requintada. Rita Mendes apresentou a gala, em Carlos, que se engalanou para a festa, transformando-se que actuou uma das vedetas então mais em voga – Rui num jardim palaciano. Os Violinhos tocavam alegres e roBandeira, seguido dos Milénio. A “Estátua da Verdade” mânticas áreas clássicas. No ecrã gigante passavam imagens foi entregue a Maria do Céu Guerra, Artur Agostinho e de algumas das mais bonitas e elegantes festas da revista. Como era o ano de Mozart, Lúcia Lemos cantou uma linda Alexandra Lencastre. Com um cenário de excepção e uma temperatura óptima, a ária de “Cosi Fan Tutte”. E a “Estátua da Verdade” foi entreprimeira noite de Julho de 2004 marcou a data da comemo- gue a Vítor de Sousa, que levou antes ao palco o pequeno ração do 23º aniversário da nossa Revista. O magnífico res- Diogo Rebelo, actor-revelação de “Floribela”, que recebeu, taurante BBC – Belém Bar Café – em Lisboa acolheu a festa, o Prémio Futuro. a que compareceram cerca de duzentos convidados para Chegamos ao 26º aniversário da revista, de novo no BBC. o jantar sentado, trajados a rigor. António Pinto Basto e Faltavam poucos minutos para a meia-noite quando o fogoMariana Oliveira apresentaram o espectáculo. Finalmente, -de-artifício rebentou nos céus. O nome ELES & ELAS faisera chegado o momento alto da noite – a atribuição da cava e na sala todos aplaudiam. Celebrava-se a “Noite de ➤ ➤

28 | ELES & ELAS


& Living and LifeStyLe 2.50 (Cont .)

ELES & ELAS 267 l Julho /Ago sto 2011

With Engli sh Text

Look

Aniversá

!

rio

back

➤ Ouro”, animada com a performance de Fernando Pereira, Zoe Jones, e três artistas do Chapitô. E quanto a prémios, a “Estátua da Verdade” foi entregue a Fátima Lopes e Mário Assis Ferreira. Pedro Alves recebeu o Prémio Design, os Story Tailores receberam o Prémio Revelação Moda e Nicha Cabral o Troféu Motor de Ouro. Mais um ano, mais um aniversário – o 27º, que teve lugar no belíssimo Palácio da Cruz Vermelha, com um décor que surpreendeu tudo e todos – o contraste entre a louca Dolce Vita e a romântica cidade de Paris, recriado por Fernando Portugal, do Morgadio Real. Depois de um magnífico jantar e perante o olhar atento de todos os convidados, criando um momento de autêntico suspense, foi revelado o nome escolhido para atribuir a “Estátua da Verdade”: Manuela Moura Guedes, pelo rigor, coragem, profissionalismo e frontalidade. A premiada foi ainda presenteada com uma belíssima jóia, assinada por Ana Calheiros. O 28º aniversário da Revista ELES & ELAS teve como palco o Club Bela Cruz, no Porto, que reuniu ilustres convidados, sob o tema “Candy Party”, amigos de longa data e algumas caras bem conhecidas do social portuense. Bem ao estilo “candy”, as manequins da Space Millan Models animavam os convidados à entrada do clube, na Foz da cidade do Porto. Judite de Sousa, a convidada de honra, que recebeu a “Estátua da Verdade”, por ser uma das mais prestigiadas jornalistas do nosso País, era ansiosamente aguardada e foi recebida entre cumprimentos e sorrisos dos convidados para um brunch inesquecível, após o que recebeu o seu merecido

prémio que, desde logo, afirmou estar muito feliz por ter sido distinguida. A festa do 29º foi Terrace Lounge-Sete Colinas, no Corinthia Hotel. A feérica decoração, a cargo de Cristina Pimenta da Gama e do Morgadio Real, fazia jus ao nome da festa “White and Blue”. Elas, em belíssimas toilettes, Eles em elegantes smokings, serviram de cenário à habitual atribuição do Prémio ELES & ELAS: a “Estátua da Verdade”, que foi entregue a uma notável figura do Porto: Clara Gomes, presidente da Liga dos Amigos das Crianças do Hospital Maria Pia. Nobre causa para uma Mulher de coragem e solidariedade. O óptimo restaurante Aura, na Praça do Comércio, em Lisboa, estendeu o tapete vermelho para entrarem os convidados à Gala do 30º Aniversário desta revista onde rodeados de amigos e ex-premiados entregamos o troféu à empresária Helena Daget, que tanto tem contribuido para o prestígio de Portugal no estrangeiro! O 31º aniversário foi diferente, quisemos oferecer um "vintage ball", num restaurante bem lisboeta, a antiga e típica casa de bom marisco. Ali reunimos os amigos num local mais emblemático da velha Lisboa. Mesmo em frente ao teatro onde Vanessa interpretava a incomparável Amália Rodrigues. E finalmente iremos festejar o 32º ano desta editora oferecendo um jantar de gala no restaurante Kais onde iremos entregar a Estátua da Verdade a quem a merece. No próximo número contaremos como foi. n ELES & ELAS | 29


Summertime Produção de Moda: Andreia Silva. Fotografia e pós-produção: Maria Meyer. Make Up e Cabelos: Cláudia Rodrigues. Modelos: Lena Yankovska; Roman Émil Bastian

Top - ELEMENT Calções – BILLABONG Acessório vintage

30 | ELES & ELAS


Camisa: Lightning Bolt Calções: FRANKLIN & MARSHALL

ELES & ELAS | 31


Camisa: Levi's Calções: Lightning Bolt

32 | ELES & ELAS


Vestido-ELEMENT Fio-Amélia Antunes para Amélie au Théâtre Sandálias-DKODE

ELES & ELAS | 33


NA MODA COM A MODALISBOA “TRUST” por Roman Émil

Valentim Quaresma

C

Com a temática “Trust”, a ModaLisboa regressou ao Pátio da Galé para vestir a próxima temporada Outono/Inverno 2013/2014. A 40ª edição da Semana de Moda de Lisboa, na qual participaram dezoito criadores e um Guest Designer, a polaca Monika Ptaszek abriu com a colecção “DayDream” de Valentim Quaresma numa sala dos Paços do Concelho iluminada por lustres luxuosos. Através da sua apresentação, o designer de jóias afirma procurar um ponto de ligação entre a “industrialização” e a “criatividade”, e traz uma carga de energia positiva emitida pelas peças ➤ 34 | ELES & ELAS

Ptaszek Ricardo Dourado


Ricardo Dourado

Luis Buchinho

Aleksandar Protic

Ricardo Andrez

Say My Name ELES & ELAS | 35


Os Burgueses

com cobre e baterias de relógios: «uma carga energética necessária e vital para a actualidade», frisa. Ainda no primeiro dia, Ptaszek, desfilou na passerelle propostas de vestuário masculino, ao som duma composição de Mikolaj Nikolajewicz, uma colecção com casacos e fatos de corte exemplar e peças gastas e rasgadas. Ricardo Dourado fechou o primeiro dia inspirado na cidade Sul Africana Soweto, com uma colecção que chamou a atenção pelas peças oversized, com modelagens largas e bolsos largos. Por sua vez, Luís Buchinho deu início ao segundo dia de desfiles, nas Arcadas do Terreiro do Paço, com um vestuário feminino urbano, com peças com uma silhueta forte, afirmativa e com corte masculino. Inspirado no Portugal dos anos 70, usa uma linguagem gráfica que retrata os ícones da Revolução de Abril – os cravos vermelhos, a metralhadora e os grafismos de cartazes políticos. Seguiu-se Ricardo Andrez, que fiel ao vestuário 100% masculino, promete um Outono/Inverno com peças tanto para os homens adeptos ao look mais casual e chique, como para os que preferem um estilo mais desportivo, onde sobressai o jogo de cores entre o branco, o cinza e o preto. SAYMYNAME, motivada pelo trabalho de Victorine Müller, dá importância a saias abaixo do joelho com pregas na frente e mais estruturadas na parte de trás; aos tops drapeados; aos casacos e aos sweats de dimensões dramáticas e calças skinny com fechos e pregas na cintura. Na colecção de Aleksandar Protic o silêncio ganha voz, a fé está presente e a tranquilidade e maturidade completam o look feminino em tons de preto, branco e castanho, acentuados pela silhueta geométrica e estruturada. O preto e o branco também estiveram patentes na colecção “BLACKOUT”, de Os Burgueses, com silhuetas justas. Pedro Pedro, inspirado no minimalismo do vestuário moderno e nos ➤

36 | ELES & ELAS

Alexandra Moura

Vitor

Pedro Pedro


Nuno Gama

Os Burgueses

Marques Almeida

Dino Alves

White Tent

Nuno Baltazar ELES & ELAS | 37


➤ retratos de famílias de índios norte americanos, estreia a colecção "The Proud Rebel", que nas palavras do próprio é uma colecção de opostos, entre o masculino e o feminino; o formal e o casual, enquanto Alexandra Moura apresentou uma colecção com um novo código genético, marcada pela simplicidade da silhueta com linhas rectas e tubulares. Nuno Baltazar, inspirado no filme Orlando de Sally Potter, deu vida a uma colecção onde «as reinterpretações depuradas de detalhes de época, linha Coccon e H, golas de grande dimensão; pregas e aspectos masculinos» são os elementos chave. Ricardo Preto terminou o segundo dia de desfiles com uma colecção com silhuetas longas e rectas, inspirada em Eileen Gray. O desfile dos Marques Almeida abriu o último dia de desfiles. A marca contínua fiel ao estilo street e ao glamour dos anos 90 e, pela primeira vez, os designers exploraram o eveningwear. A dupla reinventou os vestidos de noite transformando-os em calças oversized, onde sobressaem as cores fortes. V!tor surge com propostas ricas em tons neutros, com destaque do preto e do branco, vestidos abaixo do joelho e dos prints de animais a identidade da marca. Já Dino Alves focou-se na história e nas marcas que cada pessoa deixa ao longo da vida, e criou a colecção Next Page com um vestuário masculino e feminino marcado por uma silhueta justa e rígida; formal e austera; longilínea e ampla. O designer dá importância aos detalhes e a mistura de cores neutras e fortes, que «remetem para páginas e livros onde se contam as histórias de cada um», afirma. Para os dias mais frios, WHITE TENT mantém o estilo desportivo e introduz novos materiais como o crepe de seda e o camuflado ton-sur-ton. Miguel Vieira pisa a passerelle com uma colecção especial que marcam os seus 25 anos de carreira. O criador foca-se num vestuário com a silhueta alternada entre a ampulheta e o rectangular, enquanto Filipe Faísca opta pela silhueta XL. A encerrar esta edição da Moda Lisboa, Nuno Gama apresentou uma colecção, com uma silhueta longilínea, que celebra os seus 20 anos de carreira. n

Fotos: Rui Vasco

38 | ELES & ELAS

Ricardo Preto

Filipe Faisca

Miguel Vieira


BELAS NOTÍCIAS VISIONNAIRE [LR 2412 4%] A NOVA VISÃO DE UMA PELE PERFEITA O nº1 dos séruns, é mais que um anti-rugas. É o primeiro tratamento com LR 2412, poderosa molécula capaz de recriar uma pele verdadeiramente bonita, mais lisa, mais uniforme e mais luminosa. Use diariamente de dia e de noite durante todo o ano e antes da maquilhagem e verá os resultados surpreendentes: rugas, poros e imperfeições são visivelmente corrigidos.

NUXE BODY, UM CUIDADO TOTAL PARA O SEU CORPO A Nuxe lançou esta Primavera uma gama completa para os cuidados diários da mulher, a pensar nas necessidades do ritmo quotidiano. Fiel aos valores da natureza, eficácia e sensualidade, Nuxe Body apresenta sete cuidados corporais que reúnem fórmulas activas, texturas divinas e perfumes viciantes. Cuide, hidrate, exfolie, dê firmeza e bem-estar ao seu corpo com Nuxe. n

OVALE LIFTING A REVOLUÇÃO NO SEU ROSTO A Yves Rocher lançou no mercado um novo sérum que promete uma redefinição do seu rosto. Este produto, à base de espinheiro-maritimo, age intensamente para afinar e redefinir o oval do rosto, alisa as rugas e envolve a pele num efeito «tensor» com produtos naturais. Dia após dia a elasticidade da pele é restaurada e o rosto recupera uma forma harmoniosa naturalmente. n

NOVO SOLEI A PROTEÇÃO TOTAL PARA O VERÃO Criada pela Boots Laboratoires, a linha de produtos da marca Solei tem sido melhorada de ano para ano para uma maior protecção e cuidado da sua pele no Verão. A gama apresenta uma protecção de largo espectro contra as queimaduras solares e também actua contra o envelhecimento cutâneo a longo prazo. n

ACELERE O BRONZEADO COM URESIM Para se bronzear rapidamente, sem descuidar do cuidado e proteção da pele face à exposição solar, os laboratórios R.B.B. Cosmetics formularam este spray acelerador do bronzeado SPF 30 uma emulsão rica em filtros solares e vitamina E, que fará com que fique com uma pele de verão, logo no primeiro dia e com a máxima segurança. Disfrute de um bronzeado perfeito… JÁ! n

O PINCEL SOLAR SURPREENDENTE O Sunific Solaire da Lierac é o primeiro primeiro pó solar em pincel à venda nas farmácias. Ultra prático, sensual e objecto de desejo torna-se assim o seu gesto diário e fácil de transportar na carteira. Com um único gesto a pele é protegida em total segurança, os sinais de fotoenvelhecimento são prevenidos e corrigidos e o bronzeado ilumina-se subtilmente. n

ELES & ELAS | 39


JEAN-LOUIS SCHERRER DEIXOU-NOS

O ESTILISTA DA SÓBRIA ELEGÂNCIA FRANCESA por Nuno Vaz de Moura

Estávamos em 1962: Fidel Castro é excomungado pelo Papa João XXIII, dá-se o embargo a Cuba, morre Marylin Monroe, Kennedy governava os EUA e DeGaulle a França. Por cá vivia-se a modorra do Estado Novo, mas no Mundo sopravam-se ventos de mudança. Na adega abobadada de um comerciante de vinhos, Jean-Louis Scherrer, um novo nome na Haute Couture, apresentava a sua primeira colecção. Imediatamente, o seu nome e a sua Casa passam a fazer parte da constelação dos grandes da moda francesa a par de Yves Saint Laurent e Andrè Courrèges. Surge o período dourado da Moda Francesa. Trinta anos depois é o primeiro grande nome a ser afastado da sua própria marca, dando origem a uma nova maneira de entender a Alta Costura: Business before Craft. Scherrer continuou a lutar e a trabalhar nos vinte anos seguintes. Deixou-nos este mês, aos 78 anos de idade. ➤

40 | ELES & ELAS


19 de fevereiro de 1935, nasce Jean-Louis Scherrer. Filho de um famoso e abastado psiquiatra, Scherrer sonha em ser bailarino. Estuda Dança no Conservatório, mas um acidente impediu-o de seguir essa carreira e passa a dedicar a sua atenção ao mundo da Moda. Em 1956, já diplomado pela Chambre Syndicale - a associação que rege a moda francesa - entra para a casa Christian Dior, onde aprende as técnicas da alta costura. Na Dior, trabalha ao lado de Saint Laurent e ambos aprendem com o génio da alta costura. Scherrer nunca esqueceu esse período que o marcou profundamente. «Foi Dior – afirmou Scherrer - que fez da moda um negócio, alterando o comprimento e forma a cada temporada.» Quando Christian Dior deixa a sua casa é Yves Saint Laurent que lhe sucede e Scherrer começa a sonhar com a sua própria marca. Sai da Dior para a Louis Féraud, onde permanece pouco tempo, lançando a sua primeira colecção em 1962. O seu estilo é muito bem recebido e afirma-se como uma alternativa mais sóbria aos projectos ousados de Saint Laurent que, nesta altura, começa igualmente a se impor como nome grande da Moda francesa. Nesse mesmo ano, abre a sua primeira casa de Haute Couture no número 182 da elegante Rue du Faubourg Saint-Honoré. O sucesso das colecções aumenta e conquistam a América graças à empresa americana Bergdorf Goodman. Outras marcas americanas compram as suas roupas para as copiarem e venderem maciçamente e o seu nome passa a ser sinónimo do bom gosto francês. A colecção de 1965 é um sucesso estrondoso: vestidos de lã cinza e ameixa, casacos muito estruturados, chapéus de linhas fortes e botas cobertas com penas de galinha-da-índia produzem uma verdadeira histeria junto da sua clientela. Nunca se tinha visto reacção semelhante! Em 1971, realiza o sonho de abrir uma loja na Meca da Alta Costura: a Avenida Montaigne. A sua rota ascendente continua e o negócio amplia-se e diversifica-se: em 1979, lança o primeiro perfume, segue-se uma linha de peles e por fim os acessórios. ➤ ELES & ELAS | 41


Jean-Louis Scherrer com o Dedal de Ouro que recebeu pela sua coleção outono-inverno 1980-1981

Em 1971, realiza o sonho de abrir uma loja na Meca da Alta Costura: a Avenida Montaigne. A sua rota ascendente continua e o negócio amplia-se e diversifica-se: em 1979, lança o primeiro perfume, segue-se uma linha de peles e por fim os acessórios.

42 | ELES & ELAS

Jean-Louis Scherrer e Jackie Kennedy em frente da sua loja em 1979


M

Scherre primavera-verão 1983

A 20 de Junho, depois de uma longa luta contra a doença, a morte de Jean-Louis Scherrer é confirmada por Didier Grumbach, presidente da Chambre Syndicale.

as será na década de 80 que o seu nome atinge o apogeu. Logo em 1980 recebe o prestigiado prémio «Dedal de Ouro» da Haute Couture parisiense pela sua colecção «Czar» inspirada na sumptuária russa. A sua Casa cresce e, no final dessa década, empregava 160 artífices especializados atingindo os 25 milhões de dólares em facturação anual. Os ombros largos, a cintura estreita, os cortes rectilíneos, os padrões às bolinhas, às riscas largas e a imitar peles de animais - que definem o seu estilo - tornam-se nos ícones da moda dos anos 80. Lembrem-se das séries «Dallas» e «Dinasty» cujos figurinos repetiam incessantemente o estilo deste estilista. Os anos 90, porém, não foram tão gentis com Scherrer. Em 1992, a empresa de Jean-Louis Scherrer, numa joint venture com a Casa Hermès, é vendida ao grupo japonês Seibu que confia a gestão e direcção a Jean-Claude Cathalan. A empresa começa a perder milhões em cada colecção. Dois anos depois o grande Mestre recebe um duro golpe: é despedido da Casa que criou. É a primeira casa de moda a perder o seu criador original! Entre 1994 e 2007, as criações passam a ser feitas por Erik Mortensen e mais tarde por Stéphane Rolland. Mortensen. O primeiro ainda conhece algum sucesso, tendo ganho o Dedal de Ouro no primeiro ano na Casa Scherrer, mas sem o génio do seu criador original, a casa de Alta Costura vai perdendo clientela e, em 2008, fecha portas. Depois de ter vestido grandes nomes da sociedade internacional como Anne-Aymone Giscard d'Estaing, Jacqueline Kennedy, Sophia Loren, Françoise Sagan, a princesa Paola da Bélgica, Claudia Cardinale, Michele Morgan e Raquel Welch, a marca Scherrer acaba agora por ser licenciada a produtos de menos grandeza como óculos ou canetas comprados pelo mundo inteiro por anónimos que sonham ainda com a memória do que foi esta grande marca. A 20 de Junho, depois de uma longa luta contra a doença, a morte de Jean-Louis Scherrer é confirmada por Didier Grumbach, presidente da Chambre Syndicale. Com ele tomba mais um dos pilares da época áurea da moda francesa. Merci pour votre génie, Monsieur Scherrer! n ELES & ELAS | 43


COCKTAIL DE NOTÍCIAS MARTINI EM FESTA PELOS 150 ANOS A Martini já começou a celebrar pelo mundo fora, e Portugal não é excepção. Desde 5 de Junho, e todas as 4ªs feiras, até dia 31 de julho, o Martini Terrazza vai abrir as suas portas para oferecer aos seus consumidores os melhores sunsets summer da cidade, cada um com um tema ligado à história única da bebida, e um embaixador que personifica o espírito da marca “Luck is an Attitude”. O brinde será feito com um cocktail único e jovem, Martini Royale, uma experiência marcante que combina o inimitável Martini Bianco com um delicado espumante italiano numa experiência elegante e globalmente impactante para a marca. ■

JOSÉ SARAMAGO HOMENAGEADO EM MOEDA A Imprensa Nacional - Casa da Moeda (INCM), lançou no passado mês de Maio em homenagem a José Saramago, vencedor do Prémio Nobel da Literatura, uma emissão especial de uma moeda dedicada ao autor, no âmbito da Série Europa cujo tema em 2013 é “Escritores Europeus”. Da autoria do escultor Vítor Santos, a moeda apresenta uma imagem estilizada do rosto de José Saramago, bem como uma alusão à distinção feita em 1998 pela Academia Sueca ao escritor português. ■

LANÇADO GUIA LISBOA CONVIDA BRASIL Numa parceria entre a Câmara Municipal de Lisboa e a Embaixada do Brasil em Portugal, foi lançado o guia das melhores compras em Lisboa para atrair e potenciar, ainda mais, a visita dos turistas brasileiros à nossa capital. O objectivo deste guia publicado, pela editora dos Guias ConVida, é ajudar a renovar a imagem de Lisboa que os turistas brasileiros têm, como destino de férias, mostrando que ela tem todos os ingredientes para lazer e compras. Para além do guia existe uma forte aposta nos meios digitais, um website:www.lisboaconvidabrasil. com e um vídeo promocional com figuras conhecidas como Glória Pires, Tony Ramos e Ricardo Pereira. ■

HAMBURGERS GOURMET NO CASINO DE LISBOA Numa parceria entre a Hamburgueria Gourmet- Café do Rio e o Casino de Lisboa já é possível, numa só noite, apreciar os famosos hambúrgueres que se tornaram célebres na Capital e assistir a um diversificado programa lúdico e cultural. Este novo espaço vem dar resposta às expectativas de um público jovem, que frequenta o Casino e que valoriza uma gastronomia de qualidade aliado à simplicidade e conforto dos hambúrgueres, confeccionados por este conceituado restaurante, especializado neste produto a que se associam as pizzas gourmet by Café do Rio. A decoração também foi pensada no público para tornar a refeição mais agradável e saborosa. ■

MOMENTOS CHILLOUT EM PLENA LISBOA O FonteCruz Lisboa Hotel, que está de parabéns pelo seu primeiro aniversário, está-se a tornar-se a cada dia que passa no hotel mais trendy e coll de Lisboa. Situado na exclusiva Avª. da Liberdade, este hotel de cinco estrelas sofisticado e exclusivo é uma boa escolha para quem pretende fazer uma visita de negócios, dar uma escapadela ou visita de lazer, especialmente nestes meses de calor onde os turistas e visitantes ocasionais poderão disfrutar dos sunsets temáticos ou de puro relaxamento no terraço do hotel. ■ 44 | ELES & ELAS

HAVAIANAS NO CORAÇÃO DE LISBOA Desde o dia 8 de Maio que o nº 42 da Rua Garrett ganhou nova cor e um espírito veranil todo o ano com a abertura da loja oficial das Havaianas. Nela poderá encontrar mais de 200 opções de havaianas para os seus pés entre modelos, cores, padrões, estilos para todas as idades e sexos. A loja apresenta uma variada paleta de cores e produtos entre flip-flops, sandálias, alpercatas, sabrinas, ténis e galochas e também acessórios, como toalhas, porta-chaves e capas para iPad e iPhone. ■


Antonio Leal e Silva,

na Fashion Week de Milão

J

unho o mês que mexe a moda masculina em Milao, a fashion week de homem transforma Milão na Capital da Moda de todo o mundo.Os melhores vão a Milão para saberem quais as novas propostas e tendências para o Verão de 2014 e eu também lá estive. Nas ruas mais badaladas, as grandes marcas já mostram as tendências de inverno e é enorme a correria das compras, a crise ainda não chegou, as lojas estão cheias e as pessoas passeiam-se muito bem vestidas, faz bem à vista é super agradável ver tanta gente bonita e bem arranjada. É uma semana diferente, as festas os wellcome drinks, os jantares juntam tudo o que é gente da moda, de Nova York de Londres, de Tóquio, de Paris, de Madrid e de Milão, tudo o que é gente da moda ruma a Milão e ai troca impressões e mata saudades. O Hotel “Príncipe de Savóia” é um desses locais, editores, fotógrafos, directores de revistas, fashion advisers e Top models encontram-se e faz-se muito mais que moda, fazem-se novos amigos e conversa-se de tudo um pouco. As discotecas estão cheias de gente bonita à procura de diversão. Adorei rever amigos e matar saudades, trocar informações e ver as novas tendências, fiquei encantado e mais enriquecido ganha-se mundo . As agências investem, os criadores apresentam e promovem com festas as suas criações e assim nasce e cresce uma industria que move milhões e milhões de euros, ao mesmo tempo alimenta sonhos de fama de milhares de jovens que vão atrás da vontade de serem modelos e de triunfarem no mundo da moda. Impressionante a quantidade de pessoas bonitas que trabalham debaixo de um sol escaldante, de casting, em casting

na esperança de conseguirem fazer o tal desfile ou o tal catálogo ou a tal campanha… estive com alguns Portugueses que ai dão cartas, reconhecidos e respeitados representam como ninguém o que de melhor temos em Portugal… podia haver mais, mas a falta de formação e de condições não o permite. Somos um Pais pequeno com pretensões a grande que pensa que está na faculdade e que ainda não fez a primária… tenho pena que os nossos políticos não vejam o potencial desta grande indústria e a sua mais valia para a economia e finanças nacionais, temos potencial principalmente na área do calçado, vamos acreditar e pensar que sim, que vai ser possível fazer alguma coisa… formação muita formação é o que nos falta…mas não falemos de coisa tristes…pensamentos positivos e vamos acreditar no futuro, quem sabe um dia Lisboa possa também estar no Mapa do roteiro internacional da Moda, quem sabe? Vamos acreditar…mas por este caminho tenho sérias dúvidas, a falta de formação não ajuda, temos um evento, mas que apesar do apoio camarário, não passa de uma cotada de meia dúzia de pessoas que se acham iluminados, fecham-se em si próprios, mais preocupados com os seus umbigos do que com a promoção da moda nacional. Já ando nisto há muitos anos e é triste, nada muda e ninguém faz nada. Como diz a voz do povo…”a esperança é a ultima a morrer”... Sou um optimista acredito no futuro. ■ ELES & ELAS | 45


CAPA

46 | ELES & ELAS


Mercedes

Balsemão

Uma paixão pela escrita e pela História

por Nuno Vaz de Moura

Depois de se ter estreado na escrita em 2006 com a publicação de um conto inserido na antologia “Sete Mulheres, Sete Histórias” e de ter traduzido várias obras, Mercedes Balsemão acaba de lançar o seu primeiro romance histórico, “A Imperatriz que veio de Portugal”, que nos fala da infanta D. Isabel, filha de D. Manuel I de Portugal e mulher de D. Carlos, rei de Espanha e Imperador do Sacro-Império Romano-Germânico. ➤

ELES & ELAS | 47


MERCEDES BALSEMÃO

Para saber mais sobre esta fascinante personagem da nossa História e também sobre a autora que a descreve fomos conversar com Mercedes Balsemão, numa tarde solarenga, na Casa da Guia em Cascais.

C

omecemos pela pergunta óbvia: porquê a escolha desta rainha? Esta rainha é uma personagem interessantíssima e pouco conhecida. Por isso achei que era impor-tante trazê-la para a ribalta e dar-lhe vida e luz. É filha do rei mais rico da Cristandade, D. Manuel,

48 | ELES & ELAS

viveu numa época extraordinária, a época das descobertas. Lisboa era uma cidade movimentada, ao seu porto chegavam barcos do outro lado do mundo, e nas ruas passeavam-se pessoas exóticas e animais nunca antes vistos. Tudo era novidade. Por outro lado, esta princesa era quase perfeita, cheia de qualidades morais e físicas. Casou com o rei Carlos de Espanha e imperador do sacro-império ➤


➤ romano-germânico, que o mesmo é dizer que era dono do mundo e que se apaixonou por ela mal a viu. Foi amor à primeira vista. Não seria difícil sendo D. Isabel considerada a mulher mais bela do seu tempo. É verdade. Mas às vezes não há sorte, não há química. Mas neste caso aconteceu. Foi uma grande paixão essa entre D. Isabel e D. Carlos V? Foi uma grande paixão que durou toda a vida. Infelizmente foi uma vida curta, pois morreu aos 36 anos. Esteve casada treze anos, nos quais o marido se ausentou quatro vezes, para tratar de as-suntos nos seus domínios europeus e para fazer a guerra. Ao todo, esteve fora sete anos tendo eles vivido juntos apenas seis anos. Mas foi uma grande paixão e enquanto D. Isabel foi viva, o marido não teve olhos para nenhuma outra mulher. Depois dela morrer não voltou a casar, embora só tivesse um filho varão, o que em termos de descendência era pouco, pois precisava de filhos para colocar à testa dos seus inúmeros reinos. Para mais, o seu único filho tinha uma saúde frágil, apesar de que acabou por viver muitos anos e, ao contrário do pai, casou quatro vezes. Os problemas de saúde sempre foram a praga dos Habsburgos. Um dos traços era o famoso e enorme «queixo dos Habsburgos» devido à consanguinidade. Mas voltemos à escrita. O que a levou a escrever neste momento? Esta obra surgiu de um desafio da Esfera dos Livros para escrever sobre uma princesa portuguesa. Aceitei logo, porque ia juntar três vertentes que me apaixonam: a História, a investigação e a escrita. Inicialmente, como é que surge este gosto pela escrita? Sempre gostei de escrever. Já publiquei em livros colectivos. Escolhi a personagem de D. Isabel e iniciei uma pesquisa que me iria levar muito tempo, mas que me deu muito prazer, pois, como já falámos trata-se de uma época riquíssima, com muitas mudanças, muitos acontecimentos. Durante todo esse tempo que esteve à volta de uma personagem talvez, mais do que ser uma familiar, deve ter-se tornado um pouco na própria Mercedes. Quanto é que desta princesa é Mercedes Balsemão? [sorrisos] Bom, obviamente sou eu quem lhe dá voz. E esta voz é romanceada – não sei se ela seria exactamente assim – nesse sentido é bastante meu. Mas se pergunta se eu me identifico com ela, só na medida em que estava tão concentrada na descrição do personagem que já fazia parte de mim. No resto, não há muitos pontos em comum. Mas podem encontrar-se pontos comuns certamente. Também a Mercedes esteve ligada a um Homem de Estado com o qual continua a parti-

lhar a sua vida. E aproveito para lhe perguntar como foi, para si, esse papel de mulher de um primeiro-ministro? É verdade! O meu marido, durante muitos anos, foi político e inclusive primeiro-ministro. E eu de-sempenhava as funções de mulher de primeiro-ministro. Foi uma época muito interessante, tam-bém de mudanças, foi o período antes, durante e pós 25 de Abril. Eu vivi ao lado de um político que estava por dentro de tudo o que iria acontecer, do que aconteceu e, numa fase posterior, dirigiu os destinos do país. Tive a oportunidade de viver a política por dentro. Percebi como se manobravam os corredores do poder e aprendi muitíssimo. No geral, foi uma época muito boa. Agora que os seus filhos já são crescidos e já têm, igualmente, um relevo e uma importância na sociedade portuguesa. Talvez até futuros políticos. Quais os valores que lhes tentou transmitir enquanto mãe e mulher de um Homem de Estado? O primeiro valor que tentei incutir-lhes terá sido o sentido de responsabilidade. E também de que o que a vida lhes deu a mais, tem de ser investido para melhorar o mundo. Na realidade, a educação tem muito a ver com os exemplos que se têm em casa. Por isso, são tão responsáveis e determinados, muito trabalhadores, conquistaram os seus lugares por eles próprios sem estarem à sombra de ninguém. Terá sido justamente o facto de eles estarem agora mais crescidos que lhe deve ter permitido ter tempo para escrever e tempo para si. Isso sim, mas agora também já tenho netos que me ocupam muito tempo. [risos] Mas mesmo assim a Mercedes mantém uma actividade profissional muito intensa. Nomeadamente com as acções de beneficência. Exactamente, na SIC Esperança com as acções de solidariedade social. É uma actividade que exerço há dez anos e que muito me satisfaz. Considero muito importante o papel da SIC Esperança na mudança do papel das associações de solidariedade em Portugal. Saber que as empresas também podem contribuir e terem um papel interventivo na sociedade e mudar as coisas para melhor. E é isso o que a SIC Esperança faz e que eu quero fazer. Quanto aos tempos livres - se é que os há - como os ocupa? Por vezes gostava de ter mais tempos livres. Mas ainda assim consegue-se. Gosto imenso de jogar golfe. É uma atividade que tira muito tempo e por isso não jogo tanto como gostaria. Também gosto muito de ler, de ir a espectáculos, de música. Para terminar, quer deixar uma mensagem às nossas leitoras? Que continuem a desempenhar o papel de motor da família e da sociedade. n Nuno Vaz de Moura ELES & ELAS | 49


SHOPPING

SUMMER CHOICES O calor tarda em chegar mas, o calendário não engana: é tempo de férias, sol, calor e de desfrutar das coleções e últimas tendências que esta estação traz consigo. Por isso, é tempo de um bom shopping para viver de acordo com o mood da estação. 2 1

3

6

5

4

8

7

50 | ELES & ELAS

9


11 10 12

13

Para ela 1. Óculos Ray Ban Jackie ohh II 2. Sombras Ecrã Privé by Givenchy

14

3. Vestido Scripta Code 4. Eau de Parfum La petite robe Noir- Guerlain 5. Relógio Happy Sport Chopard 6. Base Terracota Nerolia da Guerlain

15

7. Anel e brincos NOL 8. Bikini Women’s Secret 9. Eau de parfum Bronze Goddess da Estée Lauder 10. Bracelete e colar da Chopard 11. Mala Candy by Furla 12. Print animal by Havaianas 13. Óculos Dioríssimo by Dior 14. Sandálias Cath Dkode 15. Mochila Não sò Roupa 16. Relógio Marc by Marc Jacobs 17. Eau de Toillete Just by Just Cavalli

17

18. Anel Precious Temptations by Chopard 19. MP3 Nabaji 2.0 20. Grommet Sneaker by DKNY

16

19 20 18 ELES & ELAS | 51


SHOPPING 2

1

3

5

4

7

6

9 8

10

52 | ELES & ELAS

11


13

12

14

15 16

Para ele 1. Alpargatas Paez

17

2. Óculos Police 3. Relógio Junkers Dessau 4. Calções Hackett London 5. Pulseira Montblanc 6. Sandálias Selvagens Billabong 7. Relógio Scuba Libre Playero Swatch

18

8. Eau de toillete Le Male by Jean Paul Gaultier 9. Eau de parfum Déclaration d’un Soir by Cartier 10. Gatsby Bag Hackett London 11. Daytona Cosmograph da Rolex 12. Vinho do Porto Barros edição especial 13. Óculos Michael Kors 14. Fragrância CK One Summer 15. Blusão Salsa 16. Pulseira Vegas by Police 17. Chapéu Hackett London 18. Óculos Adidas 19. Tablet Iconia Acer 19

20

20. Bermudas Red Tab Levi´s

ELES & ELAS | 53


GOURMET

Ali pertinho do Largo do Rato, na Rota das Sedas encontra-se um espaço de sonho escondido do buliço da rua. Um restaurante muito agradavél com uma ementa maravilhosa e um pátio luminoso que será uma dos melhores segredos de Lisboa. Teresa Arriaga sabe bem receber. ➤

54 | ELES & ELAS


O

'

uem passa ali na Rua Politécnica, quase mesmo a chegar ao Largo do Rato, não consegue imaginar o paraíso que se encontra subindo umas escadinhas. Do outro lado da porta entra-se num mundo especial onde bom gosto e boa comida andam de mãos dadas. O espaço é vasto sendo composto por quatro espaços distintos. Lá encontramos três salas muito iluminadas tendo cada uma decorações diferentes e um soberbo terraço altaneiro sobre um Jardim esquecido no coração de Lisboa. A casa mantém alguns dos traços originais como os azulejos azuis e brancos ou o chão em xadrez de mármore preto e branco. O edifício original serviu de fábrica das sedas que remonta ao tempo de D. João V. Deve-se a sua construção ao industrial francês Ricardo Godin que, tendo já fundado a fiação das sedas na Fonte Santa, para lá a transfere. No tempo de D. José I a fábrica prospera, mas por altura de D. Maria II o sucesso já era coisa do passado e é comprada por Franscisco Ferrari. Lá foi passando de pais para filhos, com uma troca de mãos no percurso, até acabar por ser o restaurante que lá encontramos. Quanto à ementa temos tudo do melhor. Há que experimentar o Tamboril confit em aroma de noz, risoto de espargos, compota de tomate e poejos ou o supremo de frango recheado de alheira e azeitona com risoto de cogumelos selvagens. Mas a carta oferece mais e temos também os pratos para “picar” com os amigos. Há que passar por lá! n Rua da Escola Politécnica, 231 1250-101 LISBOA (+351) 213 874 472 / (+351) 964 376 322

ELES & ELAS | 55


Santuário de Desfrutar de um luxo das mil e uma noites, com elegância europeia e um gostinho a Portugal é possível. O grupo Evidência recuperou um belissimo Ryad em Marraquexe para nos oferecer um experiência de sonho.

L

uxo, requinte e tranquilidade são palavras-chave na descrição deste hotel, localizado no coração do Palmeraie de Marrakech. O Sublime Ailleurs é o expoente máximo da serenidade e prazer que se traduz numa combinação tradicional marroquina do Ryad com a modernidade e conforto das Villas. A concepção arquitectónica deste oásis, em estilo art-déco, enfatiza as dimensões majestosas de modo a criar uma atmosfera de calma e luxo sem esquecer a sobriedade. Os espaçosos quartos mantêm o estilo art-déco, embora cada um possua a sua própria individualidade e cor predominante: cinza, malva, laranja e púrpura. Para esta obra de arte foram contratados os famosos "maalems", mestres artesãos de Marrakech que dedicaram a sua arte à criação do Ryad e das Villas: cedro, "tadelakt", "gebs", "zelligs", tectos esculpidos, ferro forjado, sedas e veludos, cobre, prata e mármore... todos estes materiais foram trabalhados com um toque de subtil actualidade. Nas villas pode acrescentar ao luxo a benesse da privacidade para uma estadia sozinho e com amigos distribuídos pelos quatros quartos de cada casa. ➤ 58 | ELES & ELAS


Possuem ainda piscina, jardim privativo e, para nosso maior conforto pessoal especializado: um mordomo e uma governanta. Por perto há vários locais a visitar como o Kasbah de Toubkal,que foi totalmente restaurado por locais sob a supervisão de uma associação britânica dedicada ao desenvolvimento rural; ou a pitoresca Essaouira, uma vila costeira conhecida pelos seus coloridos barcos de pesca e agradaveis refeições de frutos do mar. Ou, então, organizado pelo próprio hotel, pode optar por um piquenique nas Montanhas do Atlas ou nas Cascatas de Ouzoud sendo levado por motorista particular e servido por empregados profissionais. O cenário já o tem, a si só lhe vai faltar um Lawrence das Arábias... n

Sublime Ailleurs - Marrakech - Hotel & Villa B.P. 2309 - 40 000 Marrakech t +212 524 32 96 44 / 46

ELES & ELAS | 59


60 | ELES & ELAS


Uma lufada de ar fresco na Monarquia Holandesa ➤ por Nuno Vaz de Moura

ELES & ELAS | 61


OS NOVOS SOBERANOS

A Holanda é uma das monarquias mais jovens da Europa. O Reino dos Países Baixos foi estabelecido apenas em 1815 depois de uma complexa história de uniões e separações, conquistas e perdas de soberania. Tem como primeiro governante SAR o Rei Guilherme I dos Países Baixos, filho do último rei, Guilherme V, Príncipe de Orange, que volta para os Países Baixos em 1813 após a derrota de Napoleão na famosa Batalha de Waterloo.

D

ois anos depois, Guilherme, ainda príncipe soberano, torna-se rei e o Congresso de Viena forma o Reino Unido dos Países Baixos, onde se inclui a Bélgica e também, por herança de título, o Luxemburgo. Esta união iria durar pouco tempo sendo que a Bélgica se rebelou e conquistou a sua independência em 1830; e o Luxemburgo haveria de ser perdido por falta de herdeiros masculinos. As leis de ascendência impediram que a filha de Guilherme V, a Rainha Guilhermina, se tornasse a Grã-Duquesa seguinte e o trono de Luxemburgo passa para a Casa de Nassau-Weilburg. É a Casa de Orange-Nassau que se torna o centro e alma deste país e dá origem ao lema da Holanda, Je maintiendrai ("eu manterei"), à cor nacional e dos pavilhões, por antroponímia, é o laranja. A dinastia mantém-se e a coroa vai sendo passada de pai para filho, até que em 1890 dá-se início a uma regência feminina que se manteve até à recente abdicação da Rainha Beatriz. A 30 de Abril de 2013, o Príncipe Guilherme-Alexandre sucedeu à sua mãe, a Rainha Beatriz, como novo monarca do Reino da Holanda. A cerimónia é chamada de investidura e não de coroação e isto porque a primeira é uma cerimónia laica, enquanto a segunda tem uma natureza religiosa. A coroa, o ceptro e o pomo real são colocados na chamada mesa da credibilidade junto a uma cópia da Constituição. Os representantes do povo, unidos nos Estados Gerais, juram lealdade ao monarca e o mesmo jura lealdade à Constituição. Porém, mesmo sem uma investidura, o monarca teria o direito de exercer o poder real, pois o trono não pode ficar sem representante. O rei Guilherme-Alexandre e a rainha Máxima Antes de ser investido, Guilherme-Alexandre era já Príncipe e teve uma formação adequada ao lugar que lhe estava destinado. Após concluir o ensino secundário presta o serviço militar obrigatório na Marinha Real Holandesa e segue para o estudo de História na Universidade deLeiden onde conclui o seu mestrado em 1993. O Príncipe obteve a licença de piloto militar, antes ➤ 62 | ELES & ELAS


Da esquerda para a direita: Sheika Moza bint Nasser al Misned do Qatar, Príncipe Albert II, Princesa Ariane da Holanda, Princesa Alexia da Holanda, Princesa Catharina Amalia da Holanda, Princesa Lalla Salma de Marrocos, Príncipe Naruhito do Japão, Príncipe Maha Vajiralongkorn da Tailandia, Maha Chakri Sirindhorn da Tailandia, Rei Willem Alexander, Rainha Máxima da Holanda, Príncipe Charles, Duquesa Camilla, Príncipe Frederik da Dinamarca, Princesa Sophie do Liechtenstien, Princípe Alois do Liechtenstien, Príncipe Daniel da Suécia, Princesa Victoria da Suécia, Principe Felipe de Espanha, Princesa Letizia de Espanha, Príncipe Haakon, Princesa Mette-Marit da Noruega, Fay Hartog-Levin V, Princesa Stephanie do Luxemburgo, Príncipe Guillaume do Luxemburgo, Príncipe Salman bin Hamad al Khalifa de Bahrain, Haitham bin Tariq al Said of Oman, Sheikh Hamed bin Zayed al Nahyan ➤ de realizar cursos adicionais no Colégio de Defesa da Holanda.

Soma-se um programa introdutório criado propositadamente para o Príncipe afim de lhe dar mais informações sobre a sociedade holandesa, a sua forma de governo e o seu sistema legal. A dois de Fevereiro de 2002, esposa Máxima Zorreguieta com quem já garantiu a linha de sucessão. A primogénita Princesa Catarina Amália, é a primeira na linha de sucessão ao trono holandês, seguindo-se a Princesa Alexia e a Princesa Ariane. O parlamento holandês aprovou o matrimónio, mas a ligação deste casal não esteve livre de polémicas. O primeiro entrave poderia ser a religião Católica da pretendente, algo controversa no país que viu nascer o Protestantismo. O segundo, mais delicado, deve-se à ascendência da actual rainha: o seu pai, Jorge Zorreguieta, fôra Ministro durante a Ditadura Militar de Jorge Videla. Pese embora não tivesse envolvido directamente nas atrocidades cometidas durante este período negro da História Argentina, considerou-se que seria de evitar a sua presença durante a cerimónia civil em Beurs van Berlage, Amesterdão; nem na cerimónia religiosa, em Nieuwe Kerk, também na capital. O pai de Máxima respeitou esta decisão. O casal vive hoje junto, na residência oficial no Palácio de Eikenhorst em Wassenaar. Uma rainha plebeia? Uma certa imprensa tem vindo a comparar a ligação dos Rei dos Países Baixos com a do Príncipe Guilherme de Inglaterra e a do Príncipe Filipe de Espanha, ambos casados com plebeias. Contudo,não sendo Máxima uma nobre de primeira linhagem

não deixa de ter sangue azul como ficou provado por pesquisas do recentemente criado Instituto Argentino de Ciências Genealógicas. Pela via paterna está documentada ascendência até ao século XVIII pelo catalão Pedro de Zorreguieta I († 23 de Janeiro de 1622), Senhor de Sorreguieta, casado com Catalina de Cascarraga († 24 de Janeiro de 1622). Dessa linhagem viria a surgir José Antonio Zorreguieta Oyarzábal (n. 13 de Fevereiro de 1777) que se instala, em 1791, na Província de Salta de Tucumão que fazia parte do vice-reinado do Rio de Prata e que hoje é território argentino. A pesquisa genealógica pôde, igualmente, demonstrar a directa ascendência real da rainha Máxima, através da sua bisavó Máxima Blanca Bonorino Lobo y González de Isla (n. Buenos Aires, 1875) - casada com o prefeito da cidade de Mendoza, Amadeo Zorreguieta Maurín y Hernández Cornejo – e que descende da portuguesa Inês Nunes Cabral de Melo, que se radicara então na província do Rio de Prata. A tetravó desta última, Beatriz de Noronha e Andrade Abreu Eça, é quem por via paterna - Juan de Noronha - a leva até ao conde Alfonso Enríquez Noroña e a seu pai o Rei Henrique II de Castela, da casa de Trastâmara e por via materna de Beatriz - Inés de Andrada y Abreu de Eça Brandão - até o infante Juan, Duque de Valência de Campos e os seus pais, o Rei Pedro I de Portugal da casa de Borgonha e da sua nobre esposa Inês de Castro. Através da mãe deste último rei - ou seja Beatriz de Castela - vinculando-a directamente com o rei Sancho IV de Castela, da espanhola casa de Borgonha e da muito nobre Maria de Molina. ➤ ELES & ELAS | 63


OS NOVOS SOBERANOS

A

estes nomes maiores juntam-se uma série de nomes nobres, tanto do Reino de Espanha como de Portugal. Mas se dúvidas houvesse quanto à nobreza de Máxima, tal teria deixado de fazer sentido após o decreto real de 25 de Janeiro de 2002, em que foi tornada Princesa pela rainha Beatriz e é-lhe atribuído um brasão de armas e um estandarte pessoal. Os deveres e funções dos novos Monarcas. Como monarca constitucional, o soberano dos Países Baixos tem o seu papel e posição definidos e limitados pela Constituição. É a magna carta holandesa que determina a ordem de sucessão, os mecanismos de ascensão e abdicação ao trono, as funções e as responsabilidades do monarca, bem como as formalidades a serem cumpridas na sua comunicação com os Estados Gerais dos Países Baixos na criação das leis. A Constituição garante, igualmente, a inviolabilidade do Rei atestando que apenas os ministros são responsáveis, perante o Parlamento, pelas políticas do Governo. Os ministros são, da mesma forma, politicamente responsáveis pelas declarações e comportamentos do rei. A posição do Rei é parcialmente reflectida nas leis a referendar e contribui para a formação do governo. Além disso, oRei é, cumulativamente, Presidente do Conselho de Estado e ele fala no discurso anual do trono. Além dos deveres formais como Chefe de Estado, o rei está comprometido com o povo do Reino dos Países Baixos. O rei reuniu um papel coeso, representativo e de suporte. Deverá ser a pedra de toque da sociedade holandesa, ligando as pessoas e grupos e apoiando o trabalho de pessoas e organizações que têm um papel unificador na sociedade. Está obrigado a uma imparcialidade e a contribuir para a estabilidade na sociedade e para a continuidade e progresso do país. É na sua figura que se reflectem os sentimentos nacionais entre os cidadãos nos bons e nos maus momentos. É o Rei que representa o Reino dos Países Baixos no exterior e, dentro do país, em conferências, reuniões, comemorações e outros eventos oficiais. Enquanto casal, o Rei Guilherme Alexandre e a Rainha Máxima têm uma importante função social através da fundação Oranje Fonds. Estabelecida em 2002 como um presente de casamento nacional,a fundação apoia iniciativas sociais na Holanda. O Rei também actua em várias áreas, como controle de água, infraestrutura e ICT, Desporto e no Ministério da Defesa. Uma das novidades deste novo reinado reside na mudança do Dia Nacional. O Dia da Rainha passou a ser o Dia do Rei e é feriado nacional nos Países Baixos, nas Antilhas Holandesas e em Aruba. Celebra o dia de aniversário do rei, a 25 de Abril. Instaurado originalmente em 31 de Agosto de 1885 como o Dia da Princesa ("Prinsessedag") Guilhermina foi posteriormente alterado para Dia da Rainha (Koninginnedag). De 1948 até 2013 era celebrado a 30 de Abril, data do aniversário da rainha, e depois Rainha-mãe Juliana, tendo sido mantido pela rainha Beatriz (1980-2013). Quanto ao que esperar destes novos monarcas, ainda será cedo para dizer. Contamos, desde já, contudo, com uma lufada de ar fresco na política monárquica europeia cada vez com maior popularidade. n

Imperadores da Tailandia

Príncipe Alberto

Rainha da Jordânia

Reis da Holanda

Príncipe de Gales e sua Mulher, a duquesa Camilla 64 | ELES & ELAS


CARTAZ

by Isabel Miranda

UMA VERDADE INCÓMODA JOHN LE CARRÉ Dom Quixote Mestre nas artes da espionagen John Le Carré lança mais um livro onde a luta contra o terrorismo e pela descoberta de uma desastrosa conspiração são o enredo desta obra. Com o nome de código "Vida Selvagem" a operação montada em Gibraltar visa capturar e raptar, um importante comprador de armas jihadista e onde ação, mistério, a luta contra o bem e o mal não vão faltar. n

~ LIVROS ~

“GIANE - VIDA, ARTE E LUTA” GUILHERME FIUZA Sextante “Giane- Vida, Arte e Luta” é uma biografia que retrata a vida do conhecido actor de telenovelas brasileiras Reynaldo Gianecchini e a sua luta contra a doença diagnosticada, um linfoma de Hodgkin, a qual foi vencida. O início da sua carreira, a ascensão no mundo das telenovelas da Globo, o casamento e divórcio da jornalista Marília Gabriela e a doença oncológica com que foi diagnosticado em 2011 são alguns dos episódios narrados pelo profissional da comunicação Guilherme Fiuza, nesta obra. As vendas do livro vão reverter para um centro social da terra natal de Giane (Birigui, em São Paulo), segundo o próprio anunciou na apresentação do livro no Brasil, e que chegou a Portugal no final de Maio. n

MIA COUTO A CONFISSÃO DA LEOA Caminho Inspirado em factos e personagens reais, passados numa pequena vila de Moçambique "A confissão da Leoa" relata os ataques de leões aos seus habitantantes e a intervenção dos caçadores para salvar estes dos felinos que também lidaram com o ego, mitos, lendas e tradições locais, a desconfiança e pelo meio o amor retraído de uma jovem por um dos caçadores. Mia Couto vencedor do Prémio Camões 2013, alta distinção para escritores de língua portuguesa retrata e denuncia aqui os maus tratos, indiferença, submissão, traição, assassinato e a opressão sexual a que as mulheres são impostas e submetidas diariamente, e muitas vezes, com a conivência e participação das autoridades. n

~ DISCOS ~ LIVE BEACH BOYS- 50TH ANNIVERSARY TOUR Universal Music Uma das bandas mais lendárias da história da música reuniu-se em 2012 para celebrar o 50º aniversário, com o lançamento do álbum “That’s Why God Made The Radio” seguido de uma digressão mundial. A digressão, que terminou em Londres na O2 Arena e no Royal Albert Hall, levou-os a mais de 70 cidades, incluindo a primeira actuação no Hollywood Bowl desde 1965. Este álbum ao vivo regista 41 temas gravados durante a digressão, e um autêntico testemunho histórico desta banda. n

RAÍZ CUCA ROSETA Universal Music Portugal

INSPIRATION/ A TRIBUTE TO NAT KING COLE GEORGE BENSON Concord

Este é o segundo e muito aguardado trabalho de Cuca Roseta, sucessor do aclamado álbum de estreia, o qual atingiu recentemente o Galardão de Ouro. Com produção de Mário Barreiros e co-produção da fadista, inclui na sua maioria fados escritos e compostos pela própria. Como curiosidades realça-se as participações de José Avillez amigo de longa data da cantora, e André Sardet. n

O lendário guitarrista de jazz edita um álbum de tributo a Nat King Cole, uma das suas grandes inspirações. Neste álbum faz-se acompanhar pela Henry Mancici Institute Orchestra. Inclui duetos com Idina Menzel e com a jovem cantora Judith Hill, e a colaboração de Wynton Marsalis. n

66 | ELES & ELAS


~ TEATRO ~ TEATRO EXPERIMENTAL DE CASCAIS 18 DE JULHO A 13 DE AGOSTO MARAT-SADE Numa co-produção com a Escola Profissional de Teatro de Cascais e com a participação dos alunos finalistas do TEC, estará em cena Marat-Sade. Peça escrita pelo alemão Peter Weiss, representa um dos momentos mais importantes da dramaturgia contemporânea, juntando, por um lado, um complexo jogo metateatral e, por outro, um confronto político entre o individualismo e a insurreição social. No hospício de Charenton, em 1808, o Marquês de Sade dirige uma peça de sua autoria onde se reconstitui o dia do assassinato de Jean-Paul Marat – o célebre panfletário da Revolução Francesa – ocorrido quinze anos antes. Os actores são os loucos e o cenário é a sala de banhos do hospício. n TEATRO NACIONAL D. MARIA II 27 JUNHO A 21 JULHO VIOLÊNCIA- FÉTICHE DO HOMEM BOM Na continuação das boas obras levadas a cena, o TNDM II apresenta, na Sala Estúdio Violência- Fetiche do Homem Bom de Cláudia Chéu, onde a autora da peça explora a violência mais subterrânea e hardcore, aquilo que considera de fetichização da bondade, que nos é transmitido através da «educamestização» espelhada em dois irmãos gémeos, pseudo-filósofos, burgueses, adeptos de junk food e fãs de uma estrela porno. n A VERDADEIRA HISTÓRIA DA BARBI A PARTIR DE 3 DE JULHO CASINO DE LISBOA

THE FAMOUS HUMOUR FEST 4 A 6 DE JULHO CINEMA SÃO JORGE

Estará em cena no Auditório dos Oceanos, do Casino de Lisboa um espectáculo baseado num texto corrosivo de José Pinto Correia e assente numa anedota hipócrita, este hino às mulheres onde se critica a vida das três tias mais venenosas do País - Bábá, Kika e Tuxa -, convictas defensoras de que “dizer mal faz bem à pele”. No fundo é o espelho do Portugal das cunhas, da ostentação, da falsa moralmastambémdacumplicidadefeminina,intuiçãoemuitomais. Espectáculo extremamente feminino, que não deixa, contudo, de divertir os homens. n

Criado em 2011, como comemoração por The Famous Grouse ser o whisky nº 1 da Escócia há mais de 30 anos, o The Famous Humour Fest rapidamente se tornou um marco no cenário do humor em Portugal pela sua originalidade, dimensão e diversidade de programação. Não perca os espectáculos imprevisíveis apresentados pelos Commedia a la Carte, as telebaladas de Nuno Markl e João Só ou o humor no feminino de Marta Gautier. n

~ DANÇA ~ A CIDADE- PELA COMPANHIA OLGA RORIZ 19 DE JULHO CENTRO CULTURAL OLGA CADAVAL A pressão, contaminação, alienação e desgaste que as cidades causam no ser humano. Os seus segredos e relações efémeras que se estabelecem entre os seus habitantes. As turbulências da vida na cidade, a liberdade perdida, a falta de tempo, a solidão e tudo o que nos assombra. Lugares e pessoas comuns para cenas ora banais e quotidianas, ora invulgares e complexas. Um desfilar de momentos solitários, sem passado nem futuro, suspensos num curto tempo de vida em quadros vividos ou imaginados. n ONZE 28 E 29 DE JUNHO CINE-TEATRO DE ESTARREJA Estará em cena um espéctaculo que vai reflectir a coesão identitária do distrito de Aveiro, um desafio que levou Rui Horta a criar Onze, num mix de dança, canto, representação cénica e novas tecnologias. É sobretudo uma obra sobre as pessoas e as expressões artísticas que as movem. n ELES & ELAS | 67


CARTAZ

by Isabel Miranda

~ ESPECTÁCULOS DE VERÃO ~

FESTIVAL DE SINTRA 23 DE JUNHO A 12 DE JULHO A edição de 2013 do Festival de Sintra realiza-se sob o signo da juventude. As Gerações do futuro são neste ano assinaladas por um conjunto de jovens intérpretes, entre os quais diversos pianistas de elevado talento artístico e com carreiras internacionais de sucesso, tanto portugueses como estrangeiros. Assim estará por conta dos muitos jovens talentos, a programação musical onde as efemérides e celebrações de alguns dos compositores mais marcantes da história da música, como foram: Giuseppe Verdi (1813-1901), Richard Wagner (1813-1883) ou Benjamin Britten (1913-1976) vão-se escutar nos belos palcos onde as diversas manifestações artísticas têm lugar. n MEO MARÉS VIVAS 18 A 20 DE JULHO VILA NOVA DE GAIA Muitos são os grupos e artistas que vão atraír, até à Foz do Rio Douro (Cabedelo) milhares de pessoas para mais um festival de Verão que promete não desiludir os seus fãs. A abrir o primeiro dia, os Smashing Pumpkins, que foram sofrendo várias mudanças e revezes restando do grupo original Billy Corgan, darão os primeiros acordes. Desde a pop, ao rock, electro ou house music, animação e qualidade não vão faltar seguindo pela voz dos renascidos Bush, James Morrison, David Guetta ou os portugueses Rui Veloso, Virgem Suta e Orelha Negra. n

EDP COOL JAZZ FEST 4 DE JULHO A 27 DE JULHO JARDINS DO MARQUÊS DE POMBAL E PARQUE DOS POETAS, CASCAIS E OEIRAS O Festival de Jazz, que mais nomes grandes da música traz anualmente a Portugal, comemora este ano dez anos de vida e, para o celebrar, o cartaz é de luxo e diversificado. É um evento musical de referência realizado em cenários idílicos, juntando natureza, património e música e tornando mágica a vivência do Jazz. O EDP Cool Jazz pretende captar, cada vez mais público dando a conhecer este estilo musical numa viagem pelas várias atmosferas e linguagens, dos vários subgéneros da música que tornou famosos BB King e Nat King Cole. O cartaz é composto por vedetas nacionais e internacionais que o vão deliciar: Ana Moura, Diana Krall, John Legend, Djavan ou Jamie Cullum ajudarão a apagar as velas na celebração deste aniversário. n

NOVA ERA BEACH PARTY 6 DE JULHO MATOSINHOS A Rádio Nova Era apresenta uma festa de Verão na praia do Aterro com um line-up de luxo. Os melhores Djs do mundo vão tocar numa noite que promete ser memorável, num cenário único, com o mar de pano de fundo, as estrelas no céu e areia no chão vão fazer numerosos fãs dançar ao ritmo das batidas de Axwell, Pete Tha Zouk, Ride entre outros. n

~ MÚSICA ~ JÚLIO IGLESIAS 16 DE JULHO MEO ARENA Júlio Iglesias o músico latino com mais discos vendidos de sempre, galardão atribuído pelo Guiness World Records, regressa em plena forma, mesmo ao fim de mais de 40 anos de carreira para, novamente, nos brindar com os seus sucessos de sempre. Com a saída em 2011 do seu álbum “Julio Iglesias 1 - Vol 1”, trabalho que reúne os temas mais conhecidos e aclamados da sua obra, remasterizados e tecnicamente aperfeiçoados para soarem melhor do que nunca. Iniciada a tournée em Março, é a vez de Portugal voltar a ouvir um dos maiores cantores românticos. A primeira parte do concerto estará a cargo de Cuca Roseta que vai apresentar seu último álbum acabado de editar. Melhor sería impossível. n 68 | ELES & ELAS


~ EXPOSIÇÕES ~ PALÁCIO CONGRESSOS ALGARVE 1 DE JULHO A 30 DE AGOSTO ALBUFEIRA-SALGADOS Com uma programação variada e para quem estiver de férias, a sul de Portugal e quiser complementar as idas à praia com outro programa familiar, poderá passar pela exposição de animais exóticos, que vai estar patente no Palácio dos Congressos, em Albufeira até 30 de Agosto. Para outros gostos, a música aí também não vai faltar com a actuação da fadista Kátia Guerreiro no dia 14. Os seus pequenos vão entusiasmar-se e pensar que estão no Natal em pleno Verão, com o espectáculo Branca de Neve no Gelo que vai passar por lá entre 6 e 11 de Agosto. n

MADE IN HOLLYWOOD 7 DE JUNHO A 1 DE SETEMBRO FUNDAÇÃO D. LUÍS I- CENTRO CULTURAL DE CASCAIS Marlon Brando, Rita Hayworth, Marilyn Monroe, Elizabeth Taylor, Buster Keaton e Humphrey Bogart, entre outros, são algumas das estrelas aqui retratadas. Depois dos EUA e de Inglaterra, onde foi apresentada na National Portrait Gallery, em Londres, a exposição de 93 fotografias originais dos mais importantes fotógrafos dos estúdios de Hollywood entre 1920 e 1960 chega agora a Cascais. As fotografias expostas fazem parte da grande colecção da Fundação John Kobal e retratam figuras conhecidas de todos, símbolos da era dourada dos estúdios de Hollywood. Made in Hollywood, uma exposição do Santa Barbara Museum of Art (EUA), reintroduz os nomes e as carreiras do círculo desconhecido dos fotógrafos de estúdio que são, afinal, os autores de imagens essenciais para Hollywood e tão importantes como qualquer cineasta na criação daquele universo de glamour. n

CAPITAIS EUROPEIAS DA CULTURA MARSELHA E KOŠICE Após Guimarães e Maribor seguem-se, este ano, como capitais europeias da cultura Marselha- Provence (França) e Košice (Eslováquia). Cidades que aparentemente não fervilham em termos culturais e que parecem muito diferentes, souberam encontrar pontos em comum e de interesse, tal como a situação geográfica, as relações históricas com os seus vizinhos ou o plano de desenvolvimento económico e histórico que partilham. Será a partir daqui que os artistas convidados vão desenvolver os seus trabalhos em exposições, música, feiras e diversas actividades lúdicas. Procure em: www.mp2013.fr e www.kosice2013.sk os programas e rume nestas férias a um destes destinos. n ELES & ELAS | 69


DESTINOS

Palacio Real

70 | ELES & ELAS

Circuito do Gra nde Pr茅mio do

M贸naco


M

ÓNACO

O OLIMPO DOS GRIMALDI

Depois do Vaticano, o principado do Mónaco do Mónaco é o mais pequeno Estado soberano do mundo Apesar dos seus 195 hectares, tem o maior recorde de densidade populacional e, sem dúvida, de milionários. São alguns dos “pequenos pormenores” que distinguem este pequeno Estado, em que Alberto do Mónaco detém o poder absoluto, com laços privilegiados com a França e um verdadeiro paraíso fiscal. Et voilá!

The mirror

O'

ue ninguém diga aos monegascos que habitam num “principado de opereta”, até porque eles são especialmente patriotas e têm uma verdadeira veneração pelos seus príncipes (apesar das vicissitudes dos últimos anos), a quem (quase) tudo é perdoado. O Mónaco é um Estado soberano, agora dirigido por Alberto do Mónaco, membro da ONU, da UNESCO e da OMS. E como argumento final, lembram os monegascos que a dinastia reinante já celebrou mais de 700 anos, o que situa o nascimento do principado uns bons séculos antes do aparecimento da opereta. Qualquer visitante, vindo de Nice, de helicóptero, depara-se com uma espécie de Singapura sobre o Mediterrâneo, ponteada com torres bem dispensáveis, se confrontadas com o azul maravilhoso do céu e do mar, cheio de calhetas e velas brancas, inclinadas sobre as vagas, Depois, à medida que se aproxima da ➤ ELES & ELAS | 71


➤ costa, descobre, a pouco e pouco, o famoso Casino, o Hotel de Paris e o Hermitage, as suas cúpulas, coruchéus, balaústres, fachadas de estilo surpreendentes (desde o barroco, passando pelo Segundo Império), o Rochedo e as ameias do castelo principal, e o velho bairro de La Condamine, com os seus telhados rosados. Claro que podemos continuar a sonhar, com a sensação de uma irrealidade, até porque por detrás de todo este charme estão verdadeiros “fazedores de sonhos”, invisíveis para o turista, mas muito reais. Se, por exemplo, pensarmos que as mais de 700 empresas industriais do Mónaco (de onde são retiradas bastantes receitas fixas do principado) estão localizadas em Fontvieille, sob a forma de prédios de luxo, é fácil de entender que tudo é feito, no principado, para evitar choques de edificios meramente empresariais. Mas, continuando a descrição, falamos das ruas estreitas, casas ocres e rosadas, jardins de cores e aromas, uma vista profunda sobre o porto, e mais longe, um imenso panorama de montanhas e mar. Pequenos e requintados cafés, com terraços sombreados por caramachões, tudo pronto para agradar aos visitantes. Diante da entrada do palácio real, os carabineiros procedem ao render da guarda, um momento muito apreciada por quem visita o principado. Alberto do Mónaco (que bem cedo se apaixonou pela Oceanografia, tendo mesmo sido pioneiro no estudo do oceano profundo), esteve, há menos de dois meses em Portugal, na sua qualidade de presidente do Instituto Oceanográfico, tendo sido recebido pelo presidente Cavaco Silva. O príncipe fundou também o Museu

72 | ELES & ELAS

Oceanográfico do Mónaco, que alberga uma das mais diversificadas colecções de biologia do mundo.É um soberano, não muito jovem, casado com a princesa Charlene, que está a corresponder aos seus anseios do seu povo. Reinado à parte, ele é um desportista entusiasta, tendo participando cross-country, andebol, natação, remo, ténis e, como não podia deixar de ser, franco entusiasta das corridas de Fórmula 1, que todos os anos se realizam no principado. Vale a pena falar do bairro La Condamine, uma verdadeira aldeia provençal, com a traça geométrica de algumas ruas, (o único bairro monegasco que ainda cumpre o ritual da sesta), as suas casas em tons pastel marcadamente históricas. A Praça das Armas, onde todas manhãs se pode ver um mercado, onde os pescadores artesanais trazerem o peixe. À noitinha, é hora dos “marinheiros” sairem dos seus iates de luxo, para irem saborear os mais requintados jantares nos pequenos, mas chiques, restaurantes de luxo do La Condamine. Mas em Monte Carlo a vida continua nos locais mais emblemáticos, desde o Casino, o Sporting Clube de Monte Carlo, O Hermitage e o Hotel de Paris. As lojas de marcas de luxo vão-se enchendo, perante os olhares curiosos dos turistas. Claro que os monegascos têm as suas tradições, as suas festas, a sua língua – o monegasco, obrigatória nas escolas do principado. Se depois disto tudo, não sentir uma irresistível vontade de visitar o Mónaco, é porque o seu desejo de aventura e sonho se desfez na dura realidade do quotidiano. n Maria Dulce Varela


Afternoon Tea

O CHÁ

Seguindo a antiga tradição do Afternoon Tea, Maria de Bragança decidiu convidar umas amigas para um chá a respeitar as regras de outrora. As senhoras vestiram-se à altura para a ocasião e desfrutaram de uma muito agradável tarde no solarengo pátio da Rota das Sedas.

stina Resend ula Mozzer, Cri Pa , ra ou M de z VaELAS uno & 74 | N ELES

e e Liliana Brito

Barros Maria da L uz

de Bragança

e Helena R

amos


D

iz a lenda que o chá da tarde foi iniciado em meados de 1800 pela Duquesa de Bedford. Por esta altura, as lâmpadas de querosene foram introduzidas nas casas mais ricas, e comer um jantar tardio - por volta das oito ou nove horas - tornou-se moda. Na época, havia apenas duas refeições por dia: a meio da manhã e a outra, o jantar, servido muito tarde como refeição. A história diz que a duquesa se encontrou com um "sentimento de afundamento" (fadiga provavelmente de fome durante a longa espera entre as refeições) e decidiu ter alguns amigos para lanches variados e chá, uma bebida muito na moda na época. A ideia de tomar um chá da tarde encontrou vários adeptos junto da alta sociedade e tornou-se um passatempo favorito das senhoras mais abastadas. Mais tarde, espalhou-se para além dos mais altos escalões da sociedade e tornou-se mais acessível para alguns outros grupos socioeconómicos. O nosso foi um sucesso e contou com a presença de algumas grandes figuras da sociedade portuguesa mas também internacional. Mariana Tavares directora da "Make a Wish" e Teresa Durão da "Vest for Success" apresentaram as objectivos e necessidades destas Obras. n ➤

ler les e Pia Sieg Christine Gil

Margarida Prieto e Paula

Bobone

ELES & ELAS | 75


Maria Augusto Osório de Castro

Amália Phillip

Helena Ramos

76 | ELES & ELAS Cristina Resende e Maria José Galvão de Sousa

Isabel Moya

Embaixatriz da Georgia e Christina Giles


Mariana Tavares

Cristina Malhรฃo Pereira

Margarida Prieto

Marcela Caetano Popoff

Fรกtima Vilela

Paula Bobone

Liliana Brito Barros

ELES & ELAS | 77


Filomena Soares

Guiomar Button

Palmira Costa Leite

Paula Mozer

Maria do Carmo Castello Branco

Ana Palmeiro

Lina Belo dos Santos

ELES & ELAS | 78 Teresa Dur達o


Oceano Atlântico Apartamentos Turísticos ★ ★ ★ ★

O Oceano Atlântico é um empreendimento recente e moderno composto por um conjunto de apartamentos, cuidadosamente pensado para quem viaja em negócios ou lazer. 120 Apartamentos com vistas Mar ou sobre a magnifica cidade de Portimão, onde o design, a decoração e o serviço prestado, oferecem uma sensação de bem-estar e relaxamento total. Estão equipados com ar condicionado, TV LCD, portas e fechaduras de alta segurança, cofres individuais e completo equipamento de cozinha. A Unidade dispõe ainda de campo de futebol, piscina exterior com o seu bar de apoio onde durante o dia poderá usufruir de refeições ligeiras para além de um ambiente agradável na esplanada circundante. Adjacente a esta piscina encontra-se um parque infantil. Ao cair da noite desfrute de um requintado jantar, no nosso restaurante à lá carte onde iguarias algarvias e Internacionais são dadas a degustar num luxuoso e romântico ambiente com serviço personalizado. Dispõe ainda de um Lounge Bar “ Blue Ocean”, um verdadeiro porto de abrigo para umas noites calmas e relaxantes, acompanhadas de exóticos cocktails. A Localização privilegiada permite aos que o visitam descobrir as praias locais, o museu de Portimão, a serra de Monchique ou outros locais de interesse a somente uns kms de distância.

Avenida V6, Oceano Atlântico 8500-810 Portimão Portugal Tel: (+351) 282 460 080 Fax: (+351) 282 460 088 E-Mail: Geral@OceanoAtlantico.com.pt Coord. GPS: Long. 8º 32’ 52’’ W Lat: 37º 7’ 32’’ N Web Site: www.oceanoatlantico.com.pt


?????????

LUXO E GLAMOUR NA RED CARPET DE CANNES

O deslumbre das jóias Chopard a rivalizar com a beleza das actrizes Já são quinze anos de relações criativas e apaixonadas, a fim de oferecer a quinta-essência do glamour. Desde 1998, a Chopard e o Festival Internacional de Cinema de Cannes têm realizado um deslumbrante pas de deux na "red carpet". Para marcar esta ocasião eminentemente glamourosa, esta marca joalheira de Genebra criou uma colecção Red Carpet cheia de histórias de amor. Uma preciosa colecção incorporando criações em que os diamantes em corte coração, floral e pedras coloridas brilhantes estão no centro das atenções. ➤

Anel Spinel 80 | ELES & ELAS

Pulseira Ruby


T

udo começou em 1997, quando Pierre Viot, presidente do Festival, pediu a Caroline Scheufele, Co-Presidente e Directora Artística da Chopard, para redesenhar o Palme d'Or. No ano seguinte, em 1998, quando o melhor filme na competição foi anunciado, o público descobriu a Palme d'Or de beleza sem precedentes, com uma haste que termina em forma de coração, simbolizando Chopard e seu amor pelo cinema. O Festival e a marca têm colaborado desde então. Este ano, imaginada por Caroline Scheufele e inspirada nas actrizes mais glamourosas, a colecção também é uma homenagem a grandes histórias de amor que o cinema nos tem oferecido. Scheufele optou por se concentrar neste tema para a concepção de algumas de suas novas criações: "o amor é universal. Ilumina a beleza das mulheres, como uma bela peça de joalharia. Eu queria muito homenagear os melhores sentimentos. A colecção Red Carpet traduz-se, assim, em cores cintilantes, detalhes em encarnado ... como o fogo da paixão e as pedras preciosas em coração, um dos meus cortes favoritos." ➤

Anel Kunzite

Brincos Tanzanite

Anel Poppy Brincos

ELES & ELAS | 81


Uma Thurman

Jane Fonda

Cindy Crawford

Julianne Moore

A colecção Red Carpet 2013

D

esde o 60 º aniversário do Festival Internacional de Cinema de Cannes que Scheufele e a sua equipa de designers talentosos criam, anualmente, uma colecção Haute Joaillerie inspirada nas actrizes e destinada a embelezá-las durante a lendária passagem pela red carpet. A cada primavera, Chopard oferece uma série de criações de joalharia para coincidir com o número de edições do festival até o momento. Este ano foram sessenta e seis peças únicas. Entre eles, está um símbolo delicado de amor em plena floração: um anel de papoula com pétalas tão delicadas que quase se pode imaginá-las tremer ao menor movimento. Para elaborar este trabalho meticuloso de arte em ouro amarelo e

82 | ELES & ELAS

branco, joalheiros e ourives combinaram diamantes com mais de 700 rubis, 640 savorites e 168 esmeraldas. Uma fascinante turmalina de Paraíba - uma pedra muito rara - atrai qialquer um a mergulhar em suas águas azul-turquesa cintilante . Esta pedra de corte em coração é montada sobre um fino anel de ouro branco cravejado com mais de mil diamantes. Uma gargantilha de diamante igualmente deslumbrante, simbolizando a essência da paixão, é adornada com esmeraldas e acompanha-se de um par de brincos de pingente. Tons pastel também se vêm juntar ao conjunto, como que a evocar os momentos delicados de um relacionamento amoroso. Uma kunzite e um espinélio, ambos em corte pêra e montados em anéis com diamantes, formam graciosamente motivos de fita entrelaçada. ➤


Este ano o diamante foi o rei da "red carpet"

S

intetizando uma aliança perfeita de beleza, pureza e mistério, bem como um símbolo de luxo e amor eterno, o diamante é também, como Scheufele gosta de dizer, "o rei da red carpet". Seja em primeiro ou segundo plano, desempenha o seu papel à perfeição, tratando criações para esse pequeno toque de elegância e imponência que faz toda a diferença. Uma peça adicional nesta nova colecção é um majestoso colar de ouro branco que junta um diamante de corte pêra de 5 quilates e duzentos e oitenta e quatro diamantes de corte em rosa, totalizando cerca de 183 quilates! Um sonho de jóia com a qual muitos só podem sonhar... n ELES & ELAS | 83


SOCIEDADE

COLARES DE PÉROLAS

F

estas são fenómenos próprios dos homens. Nenhuma sociedade humana existe desprovida de festejos próprios. Estão ligadas à passagem e à duração do tempo, que assenta num sistema de cálculo e sua contagem. Define-se tempo como uma descontinuidade de contrastes repetidos. As referências estão ligadas à repetição dos fenómenos da natureza que surgem com regularidade. Sobre estas referências se constrói o tempo social, que é linear, cíclico, contínuo e segmentado. Esse tempo social são as festas. Cada cultura tem o seu tempo, como um COLAR DE PÉROLAS que se vai enfiando sem fim, dia após dia. Cada ano é uma fiada ou um colar, mas pode ter outros enfeites além das pérolas. Os dias de festa são essas pérolas diferentes no ciclo dos 365 dias do ano. Cada sociedade tem a sua percepção do tempo social. A tensão é o trabalho; a descompressão é a festa. Estando em meados de 2013, posso fazer um balanço da minha experiência nesta área. Trabalhei muito mas compensei com inesquecíveis momentos em que convidei e fui convidada. E olhando para Janeiro recordo um jantarinho que dei em homenagem ao grande amigo Pedro Canavarro, um vulto da nossa cultura com um charme imenso.. Logo aconteceu um convite para almoçar pela Margarida Prieto, também ela uma mulher das artes que este ano organizou notáveis eventos nessa especialidade. O almoço que ela deu entre amigas no Olivier não podia ser mais simpático. Dias depois na Livraria Almedina no Saldanha, Francisco Vilela, filho de Fátima e António Vilela, meus queridos amigos, lançava um interessantíssimo livro sobre a sua especialidade: Gestão de

84 | ELES & ELAS

Empresas, de muito útil leitura nos tempos de hoje. Em Sintra, o meu sobrinho Francisco Bobone reunia a família para um cativante chá. Família junta em convívio é a melhor das festas. Dias depois António Vilela convidava para o jantar dos seus anos um encantador grupo de amigos no magnífico restaurante Zeno, no Casino do Estoril. Poucos dias depois, no grandioso espaço de festas do Benfica, junto ao estádio, a encantadora Filomena Soares reunia um animado grupo para festejar mais um aninho, foi super. E viajámos até Madrid, ter encontros com velhos amigos como Jesus Andreu e Carmen Lomana. Cházinhos no Ritz, jantares no Embassy, no José Luis, no Tencaten, muita moda, além de visitas ao Prado, à Thyssen e visita à colecção de arte da duquesa de Alba. De volta a Lisboa, grande exposição na Arte Livre, Galeria de arte da imparável Milú Ferreira, também uma mulher das artes. E de repente malas feitas lá fomos para Londres com o primo José Fortes da Gama e Alyna Ploia para assistir ao Baile dos príncipes de Rostov no espectacular Landmark Hotel. Um esplendor. Mais uma jantarada no estupendo Club Bugles. O máximo. Mais visitas ao Victoria and Albert Museum, à Wallace Collection, à Royal Academy of Arts, mais Portobello em compras e um cházinho muito chique no Claridges e o hotel não podia ser melhor. Algum shopping mas muito contemplativo. De volta aconteceu um simpático almoço com a minha jovem amiga Ana Karina Godinho no Cantinho do Avillez, ali ao Chiado. Entretanto um pequeno grupo de amigos jantou cá em casa em que estrelou Maria do Carmo Castello Branco. O sucesso do costume. Melhor era impossível, a feijoada na belíssima casa da Leonor Stau Monteiro. Uma multidão animadíssima. Os almoços lá em casa são um ➤


➤ must. E dias depois era os anos da Ana Vicente.

Gastronomia de luxo e convidados muito interessantes no restaurante do Centro Cultural de Cascais. Mais uma exposição do grande artista Marcus Marin na Galeria Arte Livre, um espaço de sonho ali na Avenida da Liberdade. E porque a vida não pára, Paulo Sassetti convidou para cocktail na BTL. E mais um jantarinho no Estoril na estupenda casa do nosso amigo, grande orientalista Camilo Oliveira. E porque a agenda não perdoa, Richard e Donna Emerson vieram jantar cá a casa e depois retribuiram com um excelente barbecue. Que bela companhia. Eis senão quando a Moda Lisboa chama por mim e lá tomei parte neste notável evento que já faz parte dos meus rituais lúdicos. De seguida acontece a habitual passagem de modelos do El Corte Inglês. Nota máxima para Susana Santos e para esta catedral do consumo que prima pela categoria.E depois no Sheraton uma Happy Hour divertidíssima organizada pela encantadora Anne Taylor, presidente do American Club. Mais uma Gala no Estoril para a Fundação O Século, em que a Ana Ayres ficou de parabéns. E no Torres Shopping Patricia Dominguez da Hopelanda dava a mais divertida festa de alunos. Mesmo muito animada. Xenica Jardim convida para a Doca de Santo para uma festa mesmo muito divertida e, no mesmo dia, Las Brasitas realizava para a Embaixada da Argentina um belo jantar. Isabel Moya foi a anfitrã de maior talento na arte de receber. Eis que a L'Oréal me convida para um divertido evento organizado pelo Diogo Lima Mayer, um encanto de pessoa. E a Montbanc com o charme da Maria Alves dava um evento de alto luxo. E a Gala da TV 7 Dias foi um estrondo no Casino do Estoril. E mais um almocinho inesquecível convidado pelo patrocinador, Vitor Pinto na grande festa do desporto que é sempre o Portugal Open. Mais um evento estupendo no Fontana Park Hotel. O director, Gonçalo Coelho de Sousa é sempre o melhor anfitrião. E aconteceram Os Globos de Ouro, importante festa do panorama nacional. Pinto Balsemão continuou notável anfitrião de centenas de vips. E a seguir janta no Main. Almocinhos no Ritz , ainda em tempos da grande referência da arte de receber, José Costa Duarte, com amigas e também no Farol Design Hotel em Cascais que tem o melhor Sushi do meu mundo. Sede de importantes eventos de arte em que Raquel Rocheta demonstra que é uma belíssima anfitriã. A directora do Hotel, Ana Maria Tavares, merecem os nossos aplausos. E aconteceu a grande tourada no Campo Pequeno do Correio da Manhã.

Belo espectáculo. E o casamento do Francisco Vilela com a Joana na histórica Quinta do Senhor da Serra em Belas? Um esplendor Parabens. E no Art Lounge, Filomena Leite de Castro deu uma inauguração de arte que foi de arromba. No Hotel Fontecruz os eventos foram muitos e bons. Grandes Relações Publicas como Alexandra Figueiredo deram festas, no Algarve, com muita categoria e também em Lisboa. Os anos de Hermínia Caetano Ramos no Aura, foi deslumbrante. Grande festa. E a festa do Marriott Hotel organizada pela Ana Caetano, com corpo diplomático foi um luxo. E o almocinho com a Ana Karina Godinho no Aqui há Peixe foi encantador. A inauguração de Homes in Heaven com Carlos Pissarra a liderar foi mais um must. E os jantarinhos com o José Fortes da Gama no Sea Me ali na Calçada do Combro. E o Arraial no hotel Tryp organizado pelo Paulo Sassetti foi demais. Mas fui à festa Cor de Rosa da Rua Castilho na Loja das Meias, Stivali e Veste Couture e o cocktail do Marc Jacobs ali ao Largo de São Carlos. E a festa do Dia Nacional de Itália no belíssimo Palácio dos condes de Pombeiro. Maravilhosa mansão. E o que faltei? Não existe ubiquidade meus queridos leitores. E os anos do Miguel Costa Dias na quinta da sua mão Maria Herminia Caetano Ramos , em Sesimbra. Tão divertido. E no Porto as passagens pelo maravilhoso Hotel Infante de Sagres. E o jantarinho em casa da Maria Cândida Rocha e Silva e o almocinho com a Maria Augusta Osório de Castro no Club da Gândara, ambas no Porto. Muito familiar foi o dia em que a minha neta Carolina fez um ano. Que amorzinho de bébé. E mais os convites que não pude aceitar e o melhor que está para vir. Foi estupendo o Chá do ELES & ELAS, na Rota das Sedas, ali ao Príncipe Real. Vou fazer as malas para ir para Marbella. Esperam-me mais uns passos para a frente neste mundo que não me é nada estranho: AS FESTAS. E já agora recomendo a leitura do meu livro EVENTOLOGIA, só para iniciados conta muitos segredos para anfitriões e convidados nas Artes de Viver em Sociedade. n Paula Bobone ELES & ELAS | 85


COLÉGIO DIDÁLVI

86 | ELES & ELAS


O

Colégio DIDALVI, em Barcelos, comemorou o seu 29 aniversário com um jantar de gala e baile de finalistas. Fundado em 1984 pelo Dr. João Alvarenga, tem uma frequência de 1400 alunos, do 5º ao 12º ano. Lidera o ranking das escolas do concelho e tem uma tacha de sucesso de 94%. Promove a educação integral dos alunos, orientada por valores para que se realizem e sejam felizes. A escola tem que ser atrativa e apetecível. Para isso contribuem as muitas festas e atividades realizadas ao longo do ano com destaque para a sessão solene de imposição das faixas, entrega de troféus, jantar de gala e baile de finalistas. n ELES & ELAS | 87


QUINTA PEDAGÓGICA

88 | ELES & ELAS


A

Quinta d Alvarenga proporciona um ambiente idílico  a alunos, pais e a todos os que a visitam. Mais de 2000 pessoas participaram na festa das famílias  realizada pelo Colégio DIDALVI   na Quinta d` Alvarenga. A fanfarra estudantil abriu o desfile dos clubes desportivos do Colégio e as demonstrações de atividades gímnicas  de música e dança. Hipismo, golfe, ténis, esgrima, patinagem, acrobática, trampolim e atividades de ar livre animaram uma bonita tarde de sol.  Os participantes puderam, além das atividades, ver os cavalos, veados, gamos, avestruzes, o viveiro de trutas e uma quantidade de animais domésticos e selvagens. O Dr. Alvarenga é o proprietário e animador deste projeto. n ELES & ELAS | 89


Ana Palma e Quimbé Margarida Vasconcelos, Eduardo Mota e amigo

João Libério e Lili Caneças

Alexandre Alves Ferreira, Paula Taborda, Nuno Vaz de Moura e Carlos Verissimo

LISBOA

ATITUDE SUNSET PARTY

Mónica Ruivo, Pedro Amaral Carvalho e Mafalda Duarte Jorge

Paula Bobone e Diogo Mota

LISBOA

O Evidência Light Sta Catarina Hotel apresentou o seu novo espaço, num dos bairros mais típicos de Lisboa: a Bica, como alternativa para realização de eventos sociais, familiares ou corporativos num local jovem, descontraído e surpreendente. Amigos e caras conhecidas marcaram presença num fim de tarde luminoso e divertido. ■

Guiomar de Botton, José Paulo Batalha Ribeiro, Maria Cidónia Batalha Ribeiro, Manuela Costa, Pedro António Costa, Ingrid Dias da Cunha e Paulo de Botton

25 ANOS DA LOJA GUIOMAR A loja Guiomar Flores e Decorações comemorou um quarto de século de existência. Foram várias as celebridades e amigos que não quiseram deixar de vir parabenizar a “nossa” Guiomar. Como semELES & ELAS pre,90o| charme e o bom gosto marcaram presença. ■

José Moutinho

e amiga

Guiomar de Butto n e Kukas


Princesa Beatriz de Orléans e o pintor amigo de Dali Martin Frias

Hala e Ahmed Ashm

awi

François e Mercedes Duerinch e Linda Echevrria

man Helena Wiesher Paula Bobone e Helena Tablada, Farah Siraf e sua mãe Princesa Noor da Jordânia com Cristina Szekely

Silvia e Pedr o Fabriga e L inda Rchever ria

GALA MÓNACO MARBELLA Pela primeira vez na Andaluzia, Marbella uniu-se ao Principado de Mónaco num jantar de Gala, no Hotel Villapadierna Palace, para uma causa muito nobre que é a defesa dos animais desprotegidos e maltratados. A Gala constituiu uma homenagem póstuma a SAS a princesa Antoinette de Mónaco que durante anos defendeu esta causa. Sua neta, a princesa Mélanie Antoinette de Massy honrou a gala com a sua presença e recebeu o prémio para a causa da protecção dos animais. Assistiram personalidades de todo o mundo e o programa esteve a cargo de Linda Echeverria e incluiu, cocktail, jantar de gala, exposição de obras de arte e leilão. Culminou com um concerto da famosa artista Farah Siraj da Jordânia e do cantor Jermaine Jackson, irmão do grande vulto da música Michael Jackson. Não faltaram a esta Gala os frequentadores habituais das melhores festas de Marbella, Paula e Vasco Bobone que foram recebidos pelo presidente da Câmara e pelos Embaixadores de Mónaco em Espanha. A nossa revista não podia perder este elegante acontecimento. ■

Estefana Luik e marido

Fahra Siraf e sua mãe princesa Noor da Jordânia com Linda Echeverria

Ignacio Casas, Linda Echeverria e Tomás Terry

Sheik Ahmed Ashamawi Princesa Beatriz de Orléas e Germaine Jackson, irmão de Michael Jackson

Princesa Beatriz de Orléans, Princesa Melanie Antoinette de Massy, Baronesa de Villapadierna e Jean Villeneuf

ELES & ELAS | 91 Ricardo Eranz e Alicia Villpadierna, donos do Hotel Villapadiena, Embaixadores de Monaco em Madrid, Consules de Monaco em Barcelona


D'ELAS

UMA NOVA ATITUDE

O

s pensamentos negativos moldam a sua mente. Para ter uma atitude energizada e positiva tem que usar ferramentas mentais que a libertam de tudo o que é insignificante na sua vida. Necessita de disciplina e de acreditar que merece uma vida cheia de boas perspectivas e de concretizações. Liberte-se do supérfluo e agarre-se ao essencial. Veja as seguintes sugestões: Não tire conclusões precipitadas. Muitas vezes pensamos que sabemos tudo, guiando-nos pela nossa perspicácia e intuição. Pensamos que conseguimos perceber tudo o que não nos disseram nas entrelinhas ou os porquês ocultos de determinados comportamentos de terceiros. Deixe-se disso. O querer saber tudo orienta-nos mal, porque tiramos muitas vezes conclusões precipitadas e quase sempre com uma perspectiva negativa e que não corresponde à realidade. São só suposições e muitas vezes erradas. Assim sendo, descontraia-se e não queira saber toda a verdade, todos os porquês, pois a nossa mente é perversa. Relaxe… Não leve as atitudes dos outros que a magoam tão a peito: Não fique ofendida por tudo e por nada, nem se importe quando alguém lhe faz uma desfeita ou lhe diz algo desagradável. Deixe esse episódio negativo com quem o praticou, não responda da mesma forma, sorria e ignore. Não responda a todo o tipo de provocação: Simplesmente ignore. Nem todas as situações desagradáveis têm que a fazer reagir. Seja diplomática, não se envolva em conflitos. As pessoas educadas estão muito acima das provocações mal-intencionadas e é mais inteligente manter uma postura com classe e o controlo. Não crie expectativas: Podemos sonhar e desejar viver experiências de terminada forma, mas não devemos criar expectativas acerca desses momentos, de forma a não sofrermos desilusões. A expectativa de termos uma vivência futura ou de vivermos uma experiência com determinada pessoa, mata o desejo e apaga a faísca. Sim, gosto de mim e sim, sinto-me bem na minha pele. Valorize-se e trate bem a criança que está dentro de si. Ela também precisa de mimos, de atenção e de carinho. Transmita aos outros confiança na pessoa que é, o orgulho que sente em si mesma e a paixão que tem naquilo que faz. Faça o que lhe apetece sem pensar nos outros. Não se preocupe com aquilo que os outros pensam sobre si. Aja de acordo com os seus desejos e vontades, não se prenda devido à moralidade dos outros. Siga o seu próprio estilo e as suas convicções para se sentir livre e dona do seu destino. A generosidade e a partilha para com os outros devem ser conciliadas com a sua vontade própria e com os seus princípios, prioridades e valores. Se deixar de dar tanta importância às pessoas que a incomodam, não levar tanto a peito tudo o que lhe acontece de menos bom e ainda se mantiver o pensamento optimista de que as coisas podem melhorar e se focalizar naquilo que tem e não no que gostaria de ter, conseguirá quase tudo na vida, porque saber afastar na nossa mente o que nos faz mal é uma grande virtude. ■ Vanda Neves Vanda Neves nasceu em Faro. É diretora de Marketing e empresária. É licenciada em Gestão de Marketing pelo Instituto Português de Administração e Marketing. Durante quinze anos desenvolveu a sua carreira como diretora comercial e de Marketing em empresas da nova economia e de Marketing direto. Atualmente vive em Lisboa, é mãe de dois filhos, trabalha como marketeer e consultora de desenvolvimento pessoal. Para entrar em contacto com a autora, escreva para o e-mail: marketingdamulher@gmail.com 92 | ELES & ELAS


VINHOS DA CASA ERMELINDA FREITAS 69 PRÉMIOS EM 2012

De Janeiro a Maio de 2012 a Casa Ermelinda Freitas já ganhou 69 prémios nacionais e internacionais nos maiores e mais prestigiados concursos de vinhos mundiais. É o seu melhor ano de sempre, com 14 medalhas de ouro, 34 de prata e 21 de bronze. Tem sido constantemente uma das adegas portuguesas mais premiadas por esse mundo fora Ainda na semana passada, no Concurso mundial “Les Citadelles du Vin”, anunciado na feira de vinhos Vinexpo em Hong Kong, China, ganhou 5 medalhas de ouro e 1 de prata tendo sido mais uma vez uma das empresas portuguesas mais premiadas. Além dos seus famosos tintos como é o Syrah, o Touriga Nacional, o Merlot ou o Quinta da Mimosa até o seu Espumante Bruto Reserva ganhou Ouro neste prestigiado concurso, sendo claramente uma das raras vezes que um espumante português alcança tamanha distinção. A Qualidade não se diz, comprova-se! È isto que a Casa Ermelinda Freitas tem feito nos últimos anos e com grande sucesso cá e lá fora! Medalha de Ouro: • Dona Ermelinda Branco 2011, medalha de ouro no concurso da Comissão Região Península de Setúbal em Palmela; • Quinta da Mimosa 2009, medalha de ouro no concurso Citadelles du Vin em Bordéus e no concurso da Comissão Região Península de Setúbal em Palmela; • Casa Ermelinda Freitas Touriga Nacional 2010, medalha de ouro no concurso Citadelles du Vin em Bordéus; • Casa Ermelinda Freitas Syrah 2010, medalha de ouro no concurso Citadelles du Vin em Bordéus e no concurso La Selezione del Sindaco em Terme (Itália); • Casa Ermelinda Freitas Alicante Bouschet 2010, medalha de ouro no concurso da Comissão Região Península de Setúbal em Palmela; • Casa Ermelinda Freitas Trincadeira 2010, medalha de ouro no concurso Vinalies Internationales em Paris; • Casa Ermelinda Freitas Merlot 2010, medalha de ouro no concurso Concours Mondial de Bruxelles em Guimarães e no concurso Citadelles du Vin em Bordés; • Casa Ermelinda Freitas Petit Verdot 2010, medalha de ouro no concurso Concours Mondial de Bruxelles em Guimarães; • Casa Ermelinda Freitas Espumante Bruto Reserva 2009, medalha de ouro no concurso Citadelles du Vin em Bordéus; • Piscadela Reserva 2010, medalha de ouro no concurso Challenge International du Vin em Bordéus e no Concours Mondial de Bruxelles em Guimarães.


LISBOA ARRAIAL DE SANTO ANTÓNIO

Alexandra Fernandes

O Meliá Hotels International convidou para as comemorações do Padroeiro de Lisboa algumas figuras públicas como Cláudia Jacques, Sofia Sá da Bandeira, José António Tenente, Margarida Pinto Correia, entre outros, para um arraial popular no Hotel Tryp Lisboa Oriente, em honra de Santo António, no qual não faltaram paladares tradicionais e muita animação, para além de uma recolha de fundos para a Fundação do Gil. O coreógrafo Max Oliveira apresentou um espectáculo de dança que reuniu as performances dos Momentum Crew e a voz inconfundível de Diana Basto, depois, o Duo de Dança “Tecido e Trapézio”, composto por Inês Cardoso e Liliana Garcia sobe ao palco para brindar os convidados, mais tarde, as emoções marcadas por momentos de suspense e de adrenalina com a actuação do fakir Homem Forte (Konstantin), que protagonizou um show de facas. ■

Tekas Lopes e Heitor Pinto

José António Tenente e Paulo Sassetti

Sofia Sá da Band

94 | ELES & ELAS

Jorge Santos Silva e Helena Ramos

eira

Nuno Gama com amiga

Paula Bobone

Jo


Paulinha e António Figueiredo

Iládio Climaco

a com uma amig

Duarte Siopa e Catarina Morazzo

Paula e Rui Rocha

Alexandra Figueiredo com amigo

Maria José Galvão de Sousa e Humberto Leal

João Rôlo e Helena Ribeiro

Paula Taborda e Carlos Verissimo

Cláudia Jacques e Max

Isabel Nogeira e José Moutinho

Lili Caneças ELES & ELAS | 95 e João Libério


TURBO

NOVO HONDA

CIVIC 1.6 DIESEL

J

á se encontra em comercialização em Portugal o Novo Honda Civic 1.6 diesel. Inserido na 9ª geração Civic, modelo emblemático que comemorou recentemente 40 anos, este novo Civic constitui um alicerce fundamental para as actividades comerciais europeias da Honda. Este é o 1º modelo da Honda equipado com um motor da nova geração Earth Dreams Tecnology - uma nova gama de motores com excelentes prestações e elevada economia de combustível. É um motor turbodiesel 1.6L de 120 cv, com 300 Nm de binário e 3,6L de consumo anunciado. "O ponto central da filosofia da Tecnologia Earth Dreams é equilibrar a eficiência ambiental com a performance dinâmica que se espera de um produto Honda. É importante que os nossos carros tenham uma condução divertida. A nossa motivação foi obter várias melhorias de pormenor que, em conjunto, fizessem uma enorme diferença. Este é o desafio e a beleza proporcionada pela filosofia da Tecnologia Earth Dreams.” Suehiro Hasshi, Chefe de Projecto da gama Civic na Europa O Novo Civic 1.6 diesel está disponível a partir de 23.850€. n

96 | ELES & ELAS


First Class Magazine ✁

Assine!

www.eleseelasmagazine.com

Para receber a revista, preencha, recorte e envie para: Revista Eles & Elas Rua de S. Bernardo, 27A – 1200-823 LISBOA

€40,00

€25,00

€40,00 97 | ELES & ELAS


PERCURSO

MILA

FERREIRA A grande intérprete

M

ila Ferreira conhecida cantora (sete CDs editados), apresentadora de televisão e também advogada, não pára de surpreender com o seu novo projeto musical Bonsoir Paris. A cantora tem encantado o público com a sua brilhante voz e maravilhosa capacidade interpretativa, num espetáculo imperdível onde se revive o ambiente e o charme da canção francesa. Com uma voz poderosa, emotiva, tocante e surpreendente, Mila Ferreira interpreta como ninguém canções como Je Suis Malade, Ne Me Quite Pas, La Vie en Rose, L'hymne à L'amour, Je Ne Regrette Rien, e todo um repertório deslumbrante, escolhido para fazer as delícias de quem ama a canção francesa. Acompanhada por piano, violino e acordeão, a cantora tem abrilhantado os mais glamorosos eventos, com a sua inconfundível voz. ■

Espetáculos: T.M.: +351 93 3708330 geral@milaferreira.com www.milaferreira-bosoirparis.com 98 | ELES & ELAS


Eles & Elas 276  
Eles & Elas 276  

Revista Eles & Elas 276

Advertisement