Issuu on Google+

Não são de pedra as nossas casas, mas de mãos...

Junho - 2014

II SÉRIE

ANO IX

NÚMERO 42

CASA DO POVO DE VILARANDELO

O ,

ANIV RIO ERSA Chega o mês de Junho e com ele mais um aniversário da nossa Casa do Povo. Este ano o programa para assinalar os 72 anos de existência, foi muito simples como sempre, mas deveras ambicioso pela qualidade do evento que teve lugar no salão de festas da sede no sábado, dia 7 do corrente. Pág. 8

Editorial

Pág.

Donativos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2 Encontros Inter-Geracionais. . . . . . . . . . 3 Miss e Mister Casa do Povo. . . . . . . . . . . 4 Ampliação do Lar de Idosos. . . . . . . . . . 4 Dia Mundial da Dança. . . . . . . . . . . . . . . 5 1.ª Feira Social de Valpaços. . . . . . . . . . . 6 Marcha do Coração. . . . . . . . . . . . . . . . . 6 Clube Automóvel de Vilardandelo. . . . . 7 Fustal da Casa do Povo. . . . . . . . . . . . . . 7 Grande Gala do 72.º Aniversário . . . . . . 8 Chama da Solidariedade. . . . . . . . . . . . . 9 Homenagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10 A Roda . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10 Jardim de Infância: Os nossos Finalistas. 11 Dia Mundial da Criança. . . . . . . . . . . . . . 11 Passeio a Vinhais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12 Campeonato Nacional de Enduro. . . . . 13 Stress para que é que eu te quero. . . . . 13 Junta de Freguesia de Vilarandelo . . . . . 14 Oiro sobre Azul... . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14 Aniversários. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15 Queima da Fralda . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16

72.º Aniversário da Casa do Povo

A

Casa do Povo todos os anos no início de Junho, celebra o seu aniversário. Este ano completou os seus 72 anos de existência. Desde a sua fundação em 02 de Junho de 1942, que todas as suas Direcções se têm empenhado em fazer mais, em fazer cada vez mais e acima de tudo tentar fazer melhor e não deixar cair, nem defraudar a obra edificada pelos nossos gloriosos antepassados. Os órgãos sociais actuais, sempre têm tido o maior empenhamento e uma vontade enorme de honrar o passado, construir o presente e projectar o futuro.

A obra está à vista. Basta querer vêla!... Ao contemplá-la devem pensar um pouco e imaginar “ quanto foi preciso lutar, a perseverança que foi necessário ter para que ela fosse uma realidade”!... Os sócios, utentes e colaboradores desta Instituição podem estar certos que, procuraremos sempre caminhar na direcção dos nossos sonhos… “A persistência é o caminho do êxito.”

Charles Chaplin

O presidente da Casa do Povo Normando Alves

Carpintaria M. T. Silva Carpintaria e Mobiliário WWW.CARPINTARIASILVA.COM email: carpintariamtsilva@gmail.com

inhas z o C e Móveis edida! Por M

INDÚSTRIA DE: COZINHAS, ROUPEIROS, PORTAS, CAIXILHARIAS MADEIRA/ALUMÍNIO, ETC...

Av. da Liberdade, n.º 19 5430 - 633 Vilarandelo - Valpaços Tel. e Fax: 278 749 233


A

2

R

A

U

T

O

Donativos DONATIVOS PARA O ARAUTO Manuel Fernando Rodrigues Taveira.........................................................50,00 € Isabel Maria Moreno Lixa............................................................................20,00 € Artemiza Florêncio Garcia Alves...............................................................20,00 € Ana Isabel Mitras Moreno...........................................................................10,00 € José Lopes Gonçalves................................................................................. 20,00 € Luís Santos Lopes..........................................................................................20,00 € José Mesquita Valadares...............................................................................20,00 € José Ruivo.......................................................................................................20,00 € Beatriz Ruivo Lagarelhos ............................................................................20,00 € Mónica Ruivo.................................................................................................20,00 € Natália Ruivo..................................................................................................20,00 € Maria de Lurdes Teixeira..............................................................................10,00 € Matilde Conceição Mitras da Rosa...........................................................10,00 € Augusto Almeida Mesquita..........................................................................40,00 € Francisco Martins Coroado........................................................................15,00 € Anonima..........................................................................................................20,00 € Anonimo.........................................................................................................41,10 € António José da Rosa Brandão..................................................................20,00 € Anónimo.........................................................................................................10,00 € Daniel Vilela (Sobrinho do Pe Azevedo)...................................................20,00 €

DONATIVOS LAR DO IDOSOS Luís Santos Lopes....................................................................................... 100,00 €

DOAÇÕES EM GÉNEROS Data 04-04-2014 04-04-2014 07-04-2014 08-04-2014 14-04-2014 14-04-2014 15-04-2014 17-04-2014 19-04-2014 21-04-2014

Doador Wells - CONTINENTE Chaves Anónimo Amélia Teixeira Anónimo Maria do céu Ferreira Talho Artur Gomes Gorete Gomes Teresa Lage Junta de Freguesia Talho Artur Gomes

22-04-2014 Mª do Céu Rodrigues Ambrósio 23-04-2014 05-05-2014 05-05-2014 06-05-2014 10-05-2014 10-05-2014 13-05-2014 14-05-2014 14-05-2014 20-05-2014 25-05-2014 27-05-2014 27-05-2014 27-05-2014 28-05-2014 30-05-2014 31-05-2014 01-06-2014 02-06-2014 04-06-2014 05-06-2014 05-06-2014 05-06-2014 06-06-2014

Fátima Guedes Idalina Ruivo Comissão de festas Maria do Ceu Ferreira Maria Jorge Reis Beatriz Ruivo Glória Barreira Anónimo Anónimo Olga Machado Bruno Miguel Teixeira Salgado Matilde Conceição Costa Francisco Sousa Talho Artur Gomes Aida Lobo Anónimo Anónimo Bruno Miguel Teixeira Salgado Anónimo Francisco Soares (Foto Soares) Amélia Teixeira Rui Filipe Ribeirinho Brandão Armando Frade Anónimo

Doação Produtos farmacêuticos variados 21 kg de cebolas 1 molho de salsa 1 molho de salsa 1 molho de salsa 0,65 kg presunto, 0,57 kg salpicão, 0,52 kg de linguiça 0,2 kg de fermento padeiro e 0,57 kg de manteiga 1,78 kg alho francês e 3,47 kg de abobora 2 folares, 200 moletes 0,33 kg de becon e 0,15 kg de linguiça 13 babetes, 1 toalha banho + 2 babetes, 1 lençol de alcofa, 3 conjunto de bebe, 2 pijamas bebé, 2 bodys, 1 conjunto interior interior, 3 pijamas criança, 5 pares de meias. 0,705 kg de salsa 3 kg de bolos económicos 15 kg de maças 0,64 kg de salsa 1 cama e uma cadeira bebé mesa roupa e brinquedos variados 5,46 kg cerejas 1 ramo de salsa 1,5 dz ovos Roupa variada 1 leitão assado 4,8 kg de cerejas 3,1 kg de alface 0,6 kg de presunto e 0,52 kg de salpicão 1 embalagem de fraldas e toalhitas 4,5 kg de alface 2 pães centeios e 3 pães em cacete 2 folares, 2 kg de bolos económicos 4,5 kg de alface 8 fotografias 3,8 kg de alface 440 kg de batata 25 kg de cebolas 6 kg de Alface

08-06-2014 Bruno Miguel Teixeira Salgado

2 kg de Pepinos, 2 kg de tomate, 1 kg de morango, 2 kg de bolos económicos, 1 kg de pêssegos

10-06-2014 Teresa Lage 12-06-2014 Irmãs Franciscanas 12-06-2014 Anónimo

1 kg de alface 10 kg de limões 5,5 kg de alface

novos sócios 1111 1112 1113 1114 1115 1116 1117 1118 1119 1120 1121 1122 1123 1124 1125 1126 1127 1128 1129 1130 1131 1132 1133 1134 1135 1136 1137 1138 1139 1140

Luís Medeiros Cavaleiro Adélia Afonso Silvério Vânia Marisa da Silva Reis Ana Maria Maria Cristina Lopes Batista Paula Cristina Gonçalves Pires Rodrigues José António Mourão da Costa Maria Passos Correia Sebastião Vila das Neves Dulce Cardoso Lopes Freitas Almor Rodrigues Freitas Rogério António Saraiva das Neves David André Lopes Barbas Fernando Pascoal Teixeira Nelson Fernandes de Sousa Teresa Santos Saraiva Neves Maria Anaísa Lopes Freitas André Friande Lopes Lúcia Maria Teixeira Ferreira Daniel Ferreira Vergueira Paulino Maximiniano Vergueira Ervões Maria da Assunção Ribeiro Ambrósio Cardoso António Alfredo Nogueira Cardoso Marcelo Augusto Alves Joaquim Manuel Pesqueira Redondo Helena Paula Pires Amaro Redondo Fernando Joaquim Soqueira Barreira Glória dos Santos silva Teixeira Barreira Maria Isabel Rosa Afonso Cunha Lucília Ferreira Cavalheiro Ervões

DONATIVOS PARA O RESTAUTO TALHA DOURADA DA IGREJA PAROQUIAL DE VILARANDELO Anónimo.........................................................................................................50,00 € Jaime Lopes Almeida.....................................................................................20,00 € Modesto Nogueira Silva..............................................................................50,00 € António Morais Almeida..............................................................................40,00 € Amélia Cancelinha Magalhães.....................................................................30,00 € Francisco Martins Coroado........................................................................50,00 € Dr. Francisco Taveira.................................................................................. 500,00 € Maria Emília Nogueira Lopes.................................................................. 100,00 € José Joaquim Magalhães...............................................................................50,00 € Fernando da Rosa Mairos............................................................................50,00 € Aníbal Morais.................................................................................................20,00 € Maria Fátima Almeida Garcia................................................................... 100,00 € Amândio Teixeira...........................................................................................20,00 € Narcisa Mairos...............................................................................................20,00 € Oferta de uma toalha em crochê vendida por.................................... 100,00 € Sónia Machado...............................................................................................20,00 € Otília Silva (França).......................................................................................40,00 € Anónimo (França).........................................................................................10,00 € A todos, o nosso muito obrigado! Comissão Fabriqueira

A todos os nossos agradecimentos.

Agradecimento A família de Carlos Alberto Da silva Lopes vem, muito sensibilizada, agradecer as inúmeras provas de pesar e carinho que lhe foram manifestadas aquando das exéquias fúnebres do seu ente querido.

Agência Funerária Mariana Lino Lda. - Vilarandelo

Agradecimento A família de Messias Dos Prazeres Lobo vem, muito sensibilizada, agradecer as inúmeras provas de pesar e carinho que lhe foram manifestadas aquando das exéquias fúnebres do seu ente querido.

Agência Funerária Mariana Lino Lda. - Vilarandelo

Agradecimento A família de Amélia Mitras Cardeal vem, muito sensibilizada, agradecer as inúmeras provas de pesar e carinho que lhe foram manifestadas aquando das exéquias fúnebres do seu ente querido.

Agência Funerária Mariana Lino Lda. - Vilarandelo

Agradecimento A família de Augusto Medeiros vem, muito sensibilizada, agradecer as inúmeras provas de pesar e carinho que lhe foram manifestadas aquando das exéquias fúnebres do seu ente querido.

Agência Funerária Mariana Lino Lda. - Vilarandelo


A

R

A

U

T

O

3

Centro de Dia e Lar de Idosos

Encontros Inter-geracionais

N

o seguimento da promoção dos Encontros Intergeracionais, realizaramse duas atividades com a participação dos meninos do Jardim de Infância da Casa do Povo de Vilarandelo. Dia 13/05/2014- Pintura de um desenho com os meninos da Sala Verde Dia 2/06/2014- Festa convívio entre os utentes do ERPI e Centro de Dia com todas as crianças do Jardim de Infância. O principal objectivo destas atividades centrase na tentativa de estimular experiências entre gerações fora do contexto familiar. Sandra Oliveira Técnica Superior de Desporto

ACAPO: Associação de Cegos e Amblíopes

N

o dia de ontem comecei uma nova etapa, estou em vias de desenvolvimento a caminho do progresso e de uma nova viragem na história da minha vida. Estive na ACAPO em Vila Real para começar a aprender a trabalhar com as novas tecnologias a nível da escrita e do convívio em geral, a nível também social de modo em especial e em conjunto com amigos e colegas utentes desta nova tão bela e linda moradia bem humorada, bem organizada e dirigida, que é o nosso Hotel de Cinco Estrelas, tão lindo e aconchegadinho, onde cá dentro brilham diversas estrelas e lindas roseiras com botõezinhos lindos a abrirem em flor. O privilégio e o mérito não é meu, vai todo para a

Drª. Carla( psicóloga), para a Drº. Marta( Assistente Social) e D. Carminda Calado, que são as pessoas responsáveis que cuidam de mim e me encaminham. Quando dei aqui entrada a 01 de Agosto de 2013, fui muito bem recebida e acarinhada por todos, nesta tão nobre instituição de solidariedade, que no momento a maior valia para todos os utentes que por aqui passam.Aqui se festejam aniversários, onde há muita diversão, animação, festas e romarias!... E viva a nossa alegria e a nossa boa disposição. Vilarandelo, 08.05.2014 Carminda Fidalgo Utente do Lar de Idosos- Vilarandelo


A

4

R

A

U

T

O

Centro de Dia e Lar de Idosos

Miss e Mister

Casa do Povo de Vilarandelo 2013 M

anteve-se no Plano de atividades de Desenvolvimento Pessoal a Eleição da Miss e Mister Casa do Povo de Vilarandelo edição 2014. Este tipo de atividades tem por objectivo elevar a auto-estima e autoconfiança do idoso. Pretende estimular novos gostos e interesses, tendo sempre por base o incentivo para uma vida activa. No concurso participaram 16 utentes das diferentes respostas sociais, todos eles vestidos a preceito para a ocasião. De realçar o envolvimento de todos os idosos nomeadamente o nervoso miudinho que antecedia o desfile em público. Os eleitos foram: Miss Casa do Povo de Vilarandelo 2014 – Ana Florêncio (ERPI) Mister Casa do Povo de Vilarandelo 2014 – Luís Charrua (ERPI) Miss Simpatia – Elisa Agranjo (Centro de Dia) Mister Pimpão – João Nogueira (Centro de Dia) Terminamos a actividade em questão com o típico bailarico e lanche convívio. Sandra Oliveira Técnica Superior de Desporto Foto de Grupo

Miss Casa do Povo

Mister Casa do Povo

Miss Simpatia Casa do Povo

Ampliação do Lar de Idosos

Mister Pimpão Casa do Povo

A

Quarto

WC Privativo

Sala de Estar

Corredor

Sala de Atividades

Capela

s obras de ampliação do Lar de Idosos estão a chegar ao fim. Neste momento faltam apenas acabar os serviços de carpintaria (portas e roupeiros), a colocação das portas corta fogo, a colocação de parte do vinílico no piso 1sala de actividades e limpezas gerais. Não podemos adiantar a data de abertura do espaço, porque primeiro terá que ser vistoriado e aprovado por quatro entidades, Câmara Municipal, Segurança Social, Delegação de Saúde e Protecção Civil. Só após a emissão da licença de utilização pela Câmara Municipal, mediante parecer dos outros três órgãos, é que estaremos em condições de admitir os idosos para as instalações agora intervencionadas. Vamos envidar todos os esforços para que todos os obstáculos sejam ultrapassados. O nosso Lar ficará então com a capacidade de 60 utentes. No piso 0 serão instalados (34 utentes) e no piso -1 (26 utentes). Esta foi uma obra que exigiu um esforço enorme à Casa do Povo. Apenas contamos com a ajuda sempre imprescindível da Câmara Municipal de Valpaços, a cujo presidente Dr. Amílcar Almeida nós agradecemos. Normando Alves Presidente da Direcção


A

R

A

U

T

O

Centro de Dia e Lar de Idosos

Dia Mundial da Dança D

ia 29/04/2014 como habitualmente foi comemorado o Dia Mundial da Dança para as respostas sociais Centro de Dia, Lar de Idosos e Apoio Domiciliário no Salão de Festas da Casa do Povo de Vilarandelo. A actividade consistiu num concurso de dança onde 14 pares nos brindaram com as suas capacidades rítmicas e tem por objectivo a promoção do envelhecimento ativo. Estes pares foram avaliados pelo júri, de onde resultou a seguinte classificação: 1º Lugar- António Teixeira/ Ana Maria (Centro de Dia) 2º Lugar- Manuel Vaz / Olga Murteira (Centro de Dia) 3º Lugar- Francisco Coroado/ Isaura do Vale (Apoio Domiciliário) Par Revelação- João Nogueira/ Elisa Agranjo (Centro de Dia) Posteriormente ao concurso todos os utentes presentes participaram no baile e lanche convívio. Sandra oliveira Técnica Superior de Desporto

5


A

6

R

A

U

T

O

6

1.ª Feira Social de Valpaços

A

Casa do Povo esteve presente na 1ª Feira Social de Valpaços, promovida pela autarquia, com objetivo principal de divulgar a oferta social existente no concelho. Esta feira ocorreu nos dias 6 e 7 de Junho e contou com o espírito voluntarioso de alguns colaboradores para a organização e presença permanente no stand. A Feira Social pela sua natureza promove e divulga as atividades das instituições, dá a conhecer os seus mecanismos de intervenção pelas suas respostas sociais e incentiva à cooperação institucional. Nesta 1ª edição, estiveram presentes várias enti-

dades, todas as Instituições de Solidariedade Social do Concelho, o Agrupamento de Escuteiros 392, a Cruz Vermelha, Agrupamento de Escolas de Valpaços, a RUTIS, o Centro de Saúde e a GNR de Valpaços. A Ação Social do Município teve uma exposição com vários registos de atividades promovidas nesse âmbito, em representação da autarquia. Houve ainda lugar a um conjunto de atividades culturais e de animação promovidas pela organização e pelas Instituições participantes. A Casa do Povo participou com o Rancho Folclórico e Etnográfico de Vilarandelo e com a Banda Musical de Vilarandelo, de quem muito nos orgulhamos. Participar em encontros desta natureza é salutar, pois para além de sairmos da rotina laboral, abrimos a porta á sociedade civil e contribuímos para o bom relacionamento com outras entidades que possuem a mesma identidade institucional e o mesmo objetivo social. Acreditando que esta ação é para dar continui-

dade, dado o seu sucesso inicial, iremos com certeza estar presentes na próxima edição pois valorizamos iniciativas territoriais inter-institucionais. Iochabel Ferreira Diretora Técnica CAT e CD

Marcha do Coração N

o dia 30 de Maio concretizou-se mais uma Marcha do Coração, promovida pela autarquia de Valpaços, como já vem sendo habitual, com participação de várias entidades do concelho. Este ano a Casa do Povo quis estar presente, embora com um pequeno grupo de idosos, estavam cheios de motivação e boa disposição.A marcha iniciou em frente à EB 2, 3 de Valpaços pelas 16h com partida às 16.30 rumo ao Largo da Feira. Realizou-se um flash mob em três pontos da cidade: em frente à Câmara, na Avenida e no fim da Marcha (largo da feira); com uma coreografia divertida a que todos os participantes aderiram entusiasticamente. Dr.ª Iochabel Ferreira


A

R

A

U

T

O

7

Carta de esclarecimento Caros Vilarandelenses, o Clube Automóvel de Vilarandelo quer por este meio dar a conhecer a todos a situação em que se encontra neste momento. Devido ao enquadramento legal actual não seria possível manter o Clube activo. No passado mês de Fevereiro o Clube recebeu uma notificação da Autoridade Tributária e Aduaneira, dando conta que o número de identificação fiscal teria sido eliminado do Ficheiro Central de Pessoas Colectivas, não tendo por isso qualquer validade. Após várias diligências com a entidade Registo Nacional de Pessoas colectivas, que demoraram cerca de três meses, chegou-se à conclusão que teria de se criar uma nova associação. Assim, no passado dia dezanove de Maio, no Cartório Notarial de Valpaços, foi constituída uma nova associação (criando-se então, a Comissão Instaladora) denominada CAV-CLUBE AUTOMÓVEL DEVILARANDELO, com o NIF - 513113835, escritura essa (que foi extraída nesse mesmo Cartório da escritura lavrada de folhas setenta a setenta verso, do livro de notas para escrituras diversas número Setenta e Oito - A. desse Cartório Notarial) que se encontra disponível para consulta no Site http:// publicacoes. mi. pt/pesquisa. asox e em papel no Café Baía, Papelaria Cancelinha, Café Stela, Taberna Velha, Café Pistolas e Petro Vilarandelo. Nos termos da lei vigente, cabe à Comissão Instaladora proceder à angariação de sócios. Deste modo solicitamos a todos que tenham interesse em se tomarem sócios efectivos deste Clube, se

dirijam aos elementos da Comissão Instaladora para respectiva inscrição. Achou-se por bem exigir uma jóia simbólica de 5 € (cinco euros) por cada sócio. Para os que residem fora de Vilarandelo ou no estrangeiro disponibilizamos o email do Clube CAV-VILARANDELO@OUTLOOK.PT para assim manifestarem o seu desejo. Posteriormente será-lhes-à dado o número de conta bancária do Clube para a transferência do valor da respectiva jóia simbólica. Mais se informa que a curto prazo se irão realizar eleições para a constituição da respectiva direcção e corpos sociais. Deste modo todos os sócios que estejam interessados em formar listas o poderão fazer sem qualquer condicionamento. Concluímos apelando uma vez mais ao bairrismo dos Vilarandelenses, e a todos os que gostam do desporto automóvel, nos ajudem a manter o Clube “vivo” e continuar a levar o nome de Vilarandelo, do qual tanto nos orgulhamos, por este mundo fora. Para qualquer esclarecimento façam o favor de nos contactar. Vilarandelo, aos 02 de Junho de 2014 A Comissão Instaladora

Futsal da Casa do Povo de Vilarandelo

Balanço da época 2013/2014 e respetivos agradecimentos

H

á aproximadamente um ano, reuniu-se um grupo de amigos e decidiram dar continuidade ao bom trabalho das anteriores direcções, formando assim a actual: Bruno Moreno, Tiago Barreira, Pedro Guicho, Sérgio Mairos, Ricardo da Rosa e Justino Cancelinha. No fim do mês de agosto, iniciaram-se os treinos de captação de jogadores e começamos a dar andamento às burocracias para inscrição da equipa na Associação de Futebol de Vila Real. Em conjunto com o treinador Daniel Teixeira, seleccionamos os jogadores que nos representaram durante a época: Barreira, David, Ricardo, Justino, Guedes, Tiaguinho, Tiago S., Baixinho, Cavilhas, Moreno, Mairos, Brandão, Costa, Filipe e Cancelinha. Mais tarde, tratamos das inscrições dos jogadores e respectivos exames médicos. Após toda a papelada tratada, faltava o mais difícil, angariar fundos para todas as despesas inerentes a: inscrições de jogadores, cartões, seguros, exames médicos, aluguer do pavilhão escolar para os jogos e treinos, e quotas de arbitragens, que por sinal não fica nada barato, são 100 euros por jogo em casa que pagamos à associação. Aproximavam-se tempos difíceis, mas arregaça-

mos as mangas e pusemos mãos ao trabalho e pedido de patrocínios. Mais uma vez o nosso maravilhoso povo de Vilarandelo não nos deixou ficar mal, contribuindo com patrocínios e participação nos sorteios do presunto e do bacalhau…. Relativamente à época desportiva, não começou como desejávamos, mas não se podia esperar muito mais de um grupo novo, que não se conhecia. O início da segunda volta já começou melhor, com melhores resultados e um grupo muito mais unido, já com alguma cumplicidade. Acabamos em 9º lugar e estamos em vias de subir para 8º, pelo motivo da desclassificação da Casa do Benfica de Chaves. Acima de tudo, consideramo-nos campeões por representarmos a nossa terra e o nosso clube com dignidade, amor e dedicação. Após ultrapassadas todas as dificuldades, somos um grupo muito mais forte onde predomina a amizade, que acima de tudo é das coisas mais importantes que temos na vida. Queremos agradecer a todos os jogadores que sendo da terra, ou não, deram sempre tudo quanto podiam, gratuitamente. Obrigado também ao

treinador e à restante Direcção. Temos que agradecer também a todos os patrocinadores pela ajuda monetária e aos adeptos, o enorme apoio que nos deram, principalmente nos jogos em casa. Agradecemos ainda, à nossa gestora do Facebook, Sofia, e a todos os amigos que nos ajudaram na colocação de cartazes, na venda do loto, entre outros. Por fim e não menos importante, o nosso muito obrigado à Junta de Freguesia de Vilarandelo, à Casa do Povo de Vilarandelo e à Câmara Municipal de Valpaços, por todo o apoio prestado. Obrigado a todos! Para a nova época desportiva, cá estaremos com o mesmo espírito de entrega, luta, amizade e dignidade. Bruno Moreno O Presidente do Futsal da Casa do Povo de Vilarandelo

PETRO VILARANDELO Combustíveis e Lubrificantes, Lda Estrada Nacional, 213 • 5430-633 Sá Vilarandelo

Tel. 278 749 509 • Fax 278 749 303


A

8

R

A

A

primeira parte do espectáculo “Grande Gala do 72º.Aniversário da Casa do Povo”, foi preenchida com o “Trio In Tempore”, cujos magníficos interpretes, José Corvelo (Barítono), Nádia Fidalgo (Tenor) e Melissa Fidalgo (Piano) e ainda um Violinista convidado (Hugo Rodrigues), nos brindaram com as suas óptimas vozes e músicas espectaculares.As nossas conterrâneas Melissa e Nádia, não esqueceram a aprendizagem adquirida com seu primeiro professor

U

T

O

contrabaixo e guitarra. Foi um serão que não será esquecido por todos os que assistiram a esta Grande Gala memorável. Deixo aqui um agradecimento muito grande à Melissa, pois sem o seu empenhamento esta Gala não seria possível. Agradeço a todos os que colaboraram na organização desta festa!... Nessa noite eu disse aos presentes que aquele evento cultural terá

Grande Gala o 72. Aniversario da Casa do Povo de música (Francisco Doutel) e fizeram um belo percurso musical, sendo hoje duas boas professoras na área da música e do canto. A segunda parte esteve a cargo da orquestra “Camerata de Cordas da ESMAE (Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo) do Porto, que com dezena e meia de músicos e sob a direcção artística do Prof. Ryszard Woycicki da Polónia, nos brindaram com música de qualidade e com os acordes dos seus violinos, violas, violoncelos,

sido um dos melhores que já passaram por Vilarandelo e mantenho o que afirmei!... Foi deslumbrante!... Para concluir o programa de Aniversário, no domingo, a Eucaristia dominical foi celebrada em honra dos dirigentes já falecidos. Normando Alves Presidente da Direcção da Casa do Povo

PROJECTAMOS E INSTALAMOS Av. Eng.º Adelino Amaro da Costa - R/C • 5430-421 Valpaços Tel. 278 729 830 - Fax 278 729 408 - e-mail:clinox@iol.pt

Cozinha Industriais e Lavandarias Cafés e Restaurantes Ar condicionado e ventilação mecânica Frio comercial e industrial Mobiliário metálico

ASSEGURAMOS UMA EFICAZ ASSISTÊNCIA TÉCNICA NO MÁXIMO EM 24 HORAS


A

R

A

U

T

O

9

Chama da Solidariedade N

o dia 02 do corrente mês, o Chama da Solidariedade passou por Vilarandelo. Este evento foi uma organização da Confederação Nacional das Instituições Particulares de Solidariedade Social (CNIS) e contou com a colaboração das Uniões Distritais dos distritos visitados. Esta Caminhada teve o seu início em Santarém e depois de passar pelos distritos da Guarda e Bragança, entrou no nosso distrito em Lilela/ Rio Torto e foi recebida na Câmara Municipal de Valpaços pelo Sr. Presidente da mesma Dr. Amílcar Almeida, pelo Vice- Presidente Sr. Engº. Medeiros, pela Srª. Vereadora do Pelouro da Cultura Drª. Teresa Pavão e diversos colaboradores da Autarquia. Em Vilarandelo, percorreu a Avª. Professora D. Amélia Castelo acompanhada e transportada por utentes do Lar, do Centro de Dia, do Jardim de Infância, APPADCM, alunos do Agrupamento de Escola de Vilarandelo e alguns populares. Sempre acompanhados ao som da gaita de foles, bombo e caixa, o cortejo terminou no largo do Toural, pois o cansaço tomou conta dos mais pequeninos e dos mais idosos. Pela adesão e impacto junto das populações e designadamente junto do terceiro sector, a Chama da Solidariedade penso que atingiu os seus objectivos, chamando à atenção de todos para as questões sociais dos mais carênciados. Na qualidade de dirigente da UDIPSS de Vila Real e sendo o organizador do percurso dentro do concelho, agradeço a todas as pessoas que directa ou indirectamente participaram no mesmo. Depois do almoço a tocha, muito semelhante à Chama Olímpica, foi por nós entregue aos elementos do concelho de Chaves, no alto do Barracão. Obrigado a todos!... Normando Alves

Francisco A. Tété PROMOTOR • MEDIADOR Rua Prof.ª Amélia Castelo, 18 - 5430-659 VILARANDELO Telem: 963 154 893 • Email: franciscotete@iol.pt


10

A

R

A

U

T

O

Homenagem Pai, não foi possível estarmos todos presentes no dia 18 de Abril para os teus anos. Oitenta anos é um marco muito importante na vida de uma pessoa por isso não podíamos deixar passar em branco. Não pudemos vir todos mas foi muito muito bom bom preparar tão inesquecível e maravilhosa surpresa para te mostrar o quanto és importante para nós. Teus filhos, genros, netos e bisnetas que te amam.

N

a minha inocente maneira de pensar, a roda era para mim, um simples aro que conduzia com um pau e que rodava tanto quanto dessem as minhas frágeis pernas. De calças rotas e arregaçadas, apertadas com um baraço, que servia de cinto, pés descalços e barriga vazia, pelas Lampaças abaixo, de pedra em pedra, só parava no Piago. Também conhecia as rodas dentadas da nora, em que atrás do burro que puxava o baldão, dávamos voltas, voltas e mais voltas. De vez em quando tinha que lhe dar uma vergastada, porque ele cheio de manha, esquecia-se que aquilo era mesmo para andar sempre à roda. Eu, orientava-me por um alcatruz novo que tinham posto e que aparecia sempre em cada volta que dávamos. A chiadeira das rodas, a batida cadenciada do travão e o despejar da água dos alcatruzes no tabuleiro, faziam um ritmo constante! … As sogras sempre têm razão quando dizem: - As noras, mesmo bem untadas, sempre chiam! … A roda da sorte, era uma miragem, porque entendia que para mim a sorte era madrasta e nunca me iria cair do céu. A roda da saia, nos bailaricos de roda, a que mais rodasse, era a que mais deixava a perna ao léu. Os rapazes ficavam de cabeça à roda, porque se a dançar não se emprenha, é assim que se engenha. Também havia a roda dos carrosséis, principalmente nas feiras dos Santos em Vilarandelo, era o delírio da juventude. Mais uma corrida, mais uma viagem… E assim andei na roda da vida, sem entender que a roda de que os mais velhos falavam, era aquela em que as Mães punham os filhos quando os queriam abandonar. E é desta roda misteriosa que vos quero falar. Eu tive a sorte de a ver ao vivo, numa viagem que fiz aos Açores, na belíssima Ilha de São Miguel. Deve haver muitas rodas destas a nível nacional, mas eu vi esta numa instituição religiosa, lá estava a referida roda, agora para turista ver. Admirei-a durante algum tempo, para interiorizar a história do seu significado. Tratava-se de um janeluco, bem disfarçado, que rodando meia

A Roda

volta, aparecia-nos um berço de madeira, onde a Mãe, pela calada da noite punha o filho, rodava outra vez e o bébé ficava do lado de dentro. As irmãs religiosas, tinham o cuidado de verificar quando tinham lá mais um presente, para as listas de adoção. As Mães, embora anónimas, nunca os perdiam de vista. Daí o programa televisivo ponto de encontro, do Senhor Henrique Mendes que todos recordamos, descobria vários desses memoráveis casos, uns acabavam muito felizes, outros nem tanto. Agora infelizmente a desgraça é mais dolorosa, ou os mandam pelo esgoto, ou são largados nas lixeiras. Os casamentos gays são mais que muitos, mas secos! … Há câmaras municipais que dão um prémio por nascimento, mas os governos cortam no abono de família em nome da crise. Temos, e ainda bem, o Sr. Fenando Castro fundador da Associação Portuguesa das famílias numerosas. Recente criação contra o clima anti- familiar que se vive neste País. Eu orgulho-me de pertencer a uma família muito numerosa, da parte da minha avó Paterna, eramos quarenta netos, da minha avó Materna cinquenta e nenhum passou pela roda. Aconselho a ver a roda ao vivo: Era um mal, mas era um mal menor, foi um fenómeno muito curioso daquela geração. A família, foi, é e será sempre, a base fundamental da sociedade.

O mundo é uma roda Roda que vai e vem, Quem não rodar bem se amola É sina que o povo tem. Aquele que veio ao mundo E pela roda passou, Decerto bateu no fundo No fundo lá se criou. Quem na roda punha o filho Nunca o perdia de vista, A Mãe carregava o cadilho O filho engrossava a lista. Eduardo Ferreira da Costa


A

R

A

U

T

O

11

Jardim de Infância

J

Os nossos finalistas…

á estão prontos para começar uma nova etapa, mil caminhos vão-se abrir para vocês. Sigam em frente e cada vez que olharem para trás, verão que o vosso Jardim de Infância estará sempre comas portas abertas. Dissemos-vos até sempre e estarão sempre nos nossos corações. Margarida, Daniela e Cátia

Dia Mundial da Criança m e n i n o s d o J ar me os l m h orad ve d or a A o . s r t id ido o … os nossos amigos e

e

da

al

de

is

a ue se epi t a m r nt am s o os m Ju m usicas, dança nh di n of Mu este a i jamos o nosso D

C ri

s um

h l an c

t iv em o

vezes. Os

ia

d o t i ança. Foi mu

i

os ia 2

di m de Inf o o d ia , e era m s p a ,c m - n o s vi si t ar

v ie ra

No d

sq

ân c


12

A

R

A

U

T

O

Jardim de Infância

Passeio a Vinhais N

o dia 28 de Maio realizamos o nosso passeio. Nós, os meninos do pré-escolar tivemos a oportunidade de ir a Vinhais. Este ano foi diferente. Durante a manhã fomos visitar o Parque Biológico de Vinhais onde tivemos a oportunidade de observar uma flora e vegetação muito característica de Trásos-Montes e vimos algumas raças de animais tanto domésticos com selvagens autóctones na nossa região. Fizemos um piquenique, que adoramos, pois adoramos comer ao ar livre. E durante a tarde, visitamos as instalações do quartel dos Bombeiros Voluntários de Vinhais. Fomos recebidos pelo comandante que nos explicou um pouco do seu trabalho e nos levou a passear num dos seus carros, onde tivemos direito a sirene e capacetes. Foi um dia de muita magia e diversão à mistura. Queríamos agradecer à direção da Casa do Povo de Vilarandelo por nos ter proporcionado este dia tão agradável. Foi muito divertido…adoramos e para o ano queremos repetir. Muito obrigado. Os meninos do pré-escolar


A

R

A

U

T

O

13

Campeonato Nacional de Enduro N

o próximo dia 22 de Junho, o concelho de Valpaços irá receber pela primeira vez na região Norte a 1ª Prova do Campeonato Nacional de Enduro com a presença dos melhores pilotos nacionais e internacionais. Esta prova irá realizar-se entre Valpaços e Vilarandelo. O Parque fechado e paddock serão emValpaços no jardim da Feira (em frente ao supermercado Super Cabaz), onde as motas ficaram em parque fechado de dia 21 (sábado) e dia 22 de Junho (Domingo dia da prova) e onde os pilotos apos as verificações técnicas e administrativas, não mais poderão tocar nas motas até á hora de saída para o percurso. A primeira especial cronometrada, CrossTest será na pista de motocross no Cabeço. De seguida os pilotos iram deslocar-se para Vilarandelo até

á quinta do Pousadouro, nas costas da Capela do Sr dos Milagres para a especial Enduro Test. Por fim a última especial, a Extreme test, a especial que pelas suas características irá criar mais espetáculo. Esperam-se cerca de 200 participantes de todo o pais e possivelmente alguns estrangeiros que irão rolar desde as 10 até as 17 do dia 22 de Junho e que iram passar no centro de Vilarandelo. Após as provas de Góis, Régua, lousã e Castelo Branco a classificação Absoluta do Campeonato Nacional é a que se encontra na tabela ao lado. Esperamos muitos visitantes para esta prova de Campeonato Nacional de Enduro e esperamos que muitos Nortenhos e Valpacenses visitem o nosso concelho para verem esta prova onde teremos os melhores

Class.

Nome

Marca

Total

Luís Correia

99

Beta

77

Gonçalo Reis

71

KTM

54

Joaquim Rodrigues

8

KTM

54

Diogo Ventura

Gas Gas

43

João Ribeiro

3

Honda

36

Mário Patrão

7

Suzuki

35

Fábio Pereira

18

Yamaha

35

Helder Rodrigues

10

Honda

21

Fernando Ferreira

60

Beta

21

10º

Bruno Santos

11

Kawasaki

19

11º

Lorenzo Santolino

53

Sherco

17

12º

Hugo Santos

76

KTM

17

13º

Fabien Planet

51

Sherco

15

14º

Jonathan Rossé

30

Yamaha

11

pilotos Nacionais. A todos um bem haja e esperemos que visitem e que gostem desta nossa Prova que é primeira vez que

52

se realiza do Douro para Cima. A direcção Usprigozus

para que é que eu te quero? N

os dias de hoje, mais do que nunca somos assombrados muitas das vezes por circunstâncias as quais não conseguimos controlar, ou pelo menos dar uma resposta favorável à sua exigência, reagindo inevitavelmente com um conjunto de respostas a que chamamos de stress. Quantas vezes já sentiu isso? Provavelmente mais do que o desejado… Pois é, perante estas circunstâncias, infelizmente muitas das vezes sentimos que nos faltam recursos para fazer frente face às mesmas.A partir daqui um conjunto de mecanismos são activados para que possamos adaptar-nos à situação em causa, mas como já deve ter reparado, nem sempre temos sucesso nos recursos utilizados…. Na verdade, perante este tipo de situações há uma tendência de percepcionamos a exigência exterior como sendo superior à nossa capacidade de adaptação, e daí surgir a resposta ao stress. Mas não se preocupe, nem todo o stress é mau, aliás o stress bem gerido é um agente que proporciona criatividade e equilíbrio nas nossas vidas, sendo assim é fácil de perceber que o stress é acima de tudo uma percepção e não uma realidade rígida que se possa generalizar! Como prova disso poderemos dizer que perante uma mesma situação, várias pessoas reagem de

maneiras diferentes, ou seja, o que para uns pode ser stressante, para outros poderá ser uma situação completamente neutra, ou tratar-se mesmo de um desafio. Visto isto, de forma a ficarmos mais esclarecidos em relação a estes dois tipos de stress, vamos aprofundar um pouco para que os possamos diferenciar no sentido de os identificar. O stress mau é um tipo de stress que nos provoca desconforto e por sua vez afecta a nossa qualidade de vida o que de forma continuada acarreta sérias complicações na saúde. Perante uma situação, a qual consideramos que a sua exigência é superior à nossa capacidade de lidar com a mesma, é activado um conjunto de respostas que basicamente se referem ao mecanismo de defesa de luta ou fuga. Se as situações que despoletam a resposta ao stress forem recorrentes podem desencadear as seguintes respostas no ser humano: fisiológicas (tensão muscular, problemas gástricos, dores de cabeça, baixa das defesas do sistema imunitário…), psicológicas (dramatização, sentimento de incapacidade, baixa auto-estima, esquecimento…) e comportamentais (evitamento da situação, reacções exageradas, conflito no seu ambiente, etc.). Dito isto, consegue identificar situações as quais já teve alguns destes sintomas? Se analisar com

profundidade, verá que muitas das vezes somos vítimas deste mau estar afectando sem dúvida a nossa clareza com que lidamos com as demais situações. No dia-a-dia podemos identificar vários tipos de situações em que nos envolvemos e que podem causar desconforto: ter uma conversa difícil com um amigo; mudança do local de trabalho; lidar com uma doença, etc. Perante o que acima foi descrito, convém perceber que originalmente a resposta ao stress serve para nos preparar para a acção. No entanto, existem situações em que não se justifica este tipo de resposta, pois, se não for feita uma avaliação correta da situação deixamo-nos invadir por esta turbulência, e assim em vez de desligarmo-nos da situação, pelo contrário o nosso organismo fica “activo” como se se tratasse de uma ameaça que está constantemente presente. Pois bem, se de facto não consegue desligar-se das situações, está na altura de atuar conscientemente e encontrar o equilíbrio na sua vida, sendo que neste processo uma forma de ajuda é fazer várias respirações profundas, permitindo a mente acalmar-se e logo de seguida poderá sim questionar-se o que pode fazer! Verá que eventualmente poderão surgir respostas à sua situação… Por outro lado temos o stress bom, ou seja é um tipo de reação que nos

move para a acção, portanto é um agente que proporciona equilíbrio nas nossas vidas. Uma vida sem stress, além de não ser possível é uma vida sem motivação, sem qualquer prazer. Pessoas motivadas são pessoas que conseguem dosear bem o seu stress, ou seja, controlam a sua vida de modo a terem sempre motivos para agir. Conquistar aquilo pelo que nós lutamos tais como projectos de vida bem como a realização de sonhos pode ser tão motivante como um desafio. Agora que se tem o conhecimento, que o stress é o conjunto de reacções do organismo e da mente face às situações da vida, e que essas reacções nos movem para a acção, será bem mais fácil entender o lado positivo do stress. Quando se está consciente das situações, consegue-se uma melhor concentração naquilo que fazemos, os nossos reflexos tornam-se mais rápidos, podemos pensar bem mais depressa, e se nos mantivermos em condições propícias, podemos até mesmo ser mais criativos e produtivos. Desejo-lhe uma boa semana, e que a partir de hoje esteja mais consciente ao lidar com as respostas as stress. Idálio Soares Psicólogo

Superloja Zemag Comércio de Eléctrodomésticos, Lda. Tel./Fax 278 74 97 88 - Rua D. Amélia Castelo, 46 • 5430-659 VILARANDELO visite-nos em www.superlojazemag.com


A

14

E

m primeiro lugar quero saudar todos os Vilarandelenses.

No dia 29 de Junho pelas 15 horas irá realizar-se uma reunião no salão da Casa do Povo com os agricultores, para marcação no arranjo dos caminhos agrícolas. Peço a todos quantos têm terrenos agrícolas o favor de estarem presentes a fim de podermos organizar o arranjo de todos os caminhos agrícolas, com a ajuda dos proprietários. Iremos também na reunião fazer uma pesquisa de opinião, acerca da preferência da localização do futuro pavilhão em Vilarandelo. Os prós e contras de cada uma das possíveis localizações será discutido nessa reunião para tornarmos o pavilhão numa realidade em Vilarandelo.

R

A

Por outro lado queria pedir atenção às pessoas relativamente ao lixo que vão depositando na zona do acesso ao poço largo. Quem precisar de recolher monos, frigoríficos, camas antigas entre outros basta ligar 800 204 505 e a empresa marca o dia e a hora e vem recolher o lixo a casa. Peço mais uma vez que não depositem lixo naquele local. Informo também que a nossa Vila de Vilarandelo irá receber uma das únicas sete provas em todo o país do campeonato Nacional de Enduro. O Clube TT “USPRIGOZUS” em concurso com outra moto clubes a nível nacional ganhou uma prova a contar para o Campeonato Nacional de Enduro, sobe a alçada da Federação Motociclismo

U

T

O

Portugal. Esta Prova irá realizar-se entre Valpaços e Vilarandelo no dia 22 de Junho e trará ao nosso concelho e á nossa Vila de Vilarandelo para acompanhar os pilotos de renome Nacional, Europeu e Mundial. Serão os casos dos Pilotos Mário Patrão e Hélder Rodrigues (pilotos participantes no DAKAR). Casos como Hugo Santos (Campeão Nacional de Motocross) e Pilotos portugueses que estão inscritos no Campeonato Mundial de Enduro como Diogo Ventura, Luís Oliveira, Joaquim Rodrigues, Gonçalo Reis, Luís Correia. Como será normal e com intuito de dar a conhecer a nossa terra e as nossas gentes e no sentido de

mostrarmos o que de bom tem a nossa terra deVilarandelo iremos apoiar esta iniciativa que será transmitida posteriormente na RTP2 e na SPORTTV. A todos as pessoas que se encontram longe de Vilarandelo e que nesta altura se deslocarem a Vilarandelo, desejo a todos uma boa Viagem, para poderem passar as férias junto dos familiares e amigos. Luís Miguel Pessoa Rosa Presidente de Junta

Oiro sobre Azul...

A

os domingos à tarde, mal o Sol começava a aquecer mais um pouco e não sendo ainda Primavera (pelo menos é o que me diz a minha memória) lá vinha, invariàvelmente, aquela mulher, magra, esbelta, com o habitual alguidar azul à cabeça (e é apenas deste que me lembro) a transbordar de amarelinhos tremoços que haveriam de ser vendidos em cónicos cartuchos feitos, no momento, de papel pardo de embrulho ou do aproveitamento duma velha lista telefónica ou, mesmo, dum velho jornal feito em pedaços onde eram deitados, medidos a copo, que vendia por um preço que rondaria os “Dois à Coroa”, sendo estes dois copos sempre bem aviados, e que por cima espargeria, depois, uma boa “pitada” de sal. Aquilo, o alguidar e os tremoços, é que era, na minha imaginação, o oiro sobre azul, de que às vezes ouvia falar. Chamava-se, e ainda se chama, Elisa a mulher que domingo a domingo e durante muitos anos, vendeu tremoços ali, na peanha do Cruzeiro, onde colocava um banco de madeira que não precisava de trazer de casa pois que não faltava quem, de um ou do outro lado da rua, lhe emprestasse um, onde por cima assentava o alguidar azul.

Ali ficava ela, aproveitando o solzinho de fim de Inverno, inicio de Primavera, esperando os clientes que iam chegando. Ou, então, quando já fazia mais calor esperava-os à sombra, em amena cavaqueira, sentada, na companhia de uma ou outra que por perto habitava, no patamar ao fundo das escadas da vizinha Lídia. Eram seus clientes gente que por ali passava no seu passeio dominical, como um ou outro par de namorados que, comprando um cartucho de tremoços, iam, depois, depenicando e que trincavam enquanto ciciavam segredinhos que lhes provocavam risinhos “tontos”, atirando depois as cascas com maneiras bincalhonas e graciosas. Por ali passavam, também, aqueles que adquirindo-os os iam comendo estrada acima e, assim, já tinham uma boa desculpa para entrarem “no café” e beberem o primeiro copo da tarde por causa da sede

que o sal lhes dava, muitas vezes seguido do segundo ou mais ainda, se por acaso tivessem companhia de algum compincha que aparecesse. Eram estes os clientes que pediam dose reforçada de sal para que não lhe faltasse “boca” para o vinho que ainda tinham que beber. Outros vinham de propósito comprá-los para os levar para casa e assim os repartirem com a família. A Senhora Elisa a todos atendia com o mesmo agrado e sorriso e não me lembra e nem me parece que algum dia tivesse recebido alguma reclamação por mau atendimento ao cliente. Pelo Mundo por onde andei, e ando,

nunca comi tremoços como estes. Que as outras vendedeiras do mesmo produto, em Vilarandelo, não me levem a mal mas os tremoços da Senhora Elisa eram os que melhor conheci e dos que mais comi e por isso serem, para mim, os melhores. Ainda hoje quando oiço ou leio a frase “oiro sobre azul” o primeiro pensamento ou recordação vai para a Senhora Elisa e o seu alguidar azul cheio de húmidos e amarelinhos tremoços que reluzindo ao Sol mais doirados ficavam. Jose M. Sequeira Cancelinha Varese, 30.04.2014

Rua da Cerca, n.º 29 • 5430-649 VILARANDELO EMAIL: joaomairosrosaefilho@gmail.com Telemóvel: João Mairos: 968 637 700 • Luis Pessoa: 917 196 013 Alvará de Construção: 67448 Execução de Projectos e Técnicas de Engenharia Civil, Execução de Moradias, Armazéns, Muros de Suporte, Acabamentos, Pinturas, Impermeabilizações e Assentamentos


A

R

A

U

T

O

15

A N I V E R S Á R I O S

Alcina Alves,

Luís Ferreira,

Manuel Silva,

Maria Conceição Frade,

86 anos, nasc. a 18-05-1928, natural de Ervões

88 anos, nascido a 04-04-1926, natural de Vilarandelo

78 anos, nasc. a 21-04- 1936 residente em Vilarandelo

86 anos, nasc. 04-04-1928, natural de Limãos

Maria dos Anjos,

Maria P. Custódio,

Palmira Melo,

82 anos, nasc. a 02-05-1932, residente em Sonim

73 anos, nascida a 12-05-1931, natural de F. Pinhal

93 anos, nasc. a 14-04-1921, natural de Vilarandelo

Elisa Agranjo,

Amélia Moreno,

Ana Maria,

Maria de Lurdes Lopes,

nascida 10/04/1927, 87 anos, natural de Vilarandelo

nascida a 10/04/1933, 81 anos, natural de Vilarandelo

nascida a 15/05/1937, 77 anos, natural de Vilarandelo.

nascida a 4/06/1967, 47 anos, natural de Vilarandelo.


16

A

R

A

U

T

O

Jardim de Infância

Queima da Fralda M

ais um ano que chegou ao fim… Mais uma Festa da Queima da Fralda… No dia 15 de Junho realizou-se mais uma Festa da Queima da Fralda, sempre com a grandiosa participação das nossas crianças e dos nossos idosos. Este ano promoveram-se os Encontros Inter-geracionais sendo uma das mais importantes formas para realização da transmissão cultural e para a recriação dinâmica do

N

o final e como vem sendo hábito não faltou a apresentação dos nossos 13 finalistas que em Setembro irão ingressar no 1º Ciclo. Aqui os nossos finalistas receberam tudo a que tem direito: cartola e bengala, diploma, livro de recordações e um CD

processo social. Havendo intercâmbio de oportunidades para participação de crianças e dos idosos em aprendizagens mútuas. Reunir gerações em torno de projetos comuns é uma das maneiras mais potentes de fortalecer os elos de pertencimento numa sociedade, promovendo-se a coesão social e a continuidade da vida coletiva. Foi uma tarde muito bem passada e com muita animação.

onde poderão “matar” saudades de todos os seus amiguinhos. Todas as colaboradoras deste Jardim de Infância desejam a todos os finalistas tudo de bom e esta “casa” estará sempre aberta para todos. O Jardim de Infância


Arauto junho 2014 casa povo vilarandelo