Page 1

SP

AGOSTO/2019

distribuiçã o g ratu ita n o aeroporto de congo n h a s

O olhar amoroso de

Bárbara Paz a atriz estreia como cineasta em projeto sobre Hector Babenco IMÓVEIS Um especial para você ficar por dentro das novidades

Veja o ping pong com a atriz


Sumário

AG OSTO 2 01 9

#118 AGOSTO 2 01 9

32

WWW.REVISTA29HORAS.COM.BR

/revista29horas

Capa

@revista29horas

Bárbara Paz estreia como diretora em filme sobre Hector Babenco

PUBLISHER Pedro Barbastefano Júnior CONSELHO EDITORIAL Chantal Brissac, Clóvis Cordeiro, Didú Russo, Georges Henri Foz, Kike Martins da Costa, Luiz Toledo e Pedro Barbastefano Júnior REDAÇÃO Chantal Brissac (diretora de redação); Kike Martins da Costa (editor contribuinte); Paula Calçade (repórter); João Benz (estagiário); Rose Oseki (diretora de arte); Karen Suemi Kohatsu (designer) COLABORADORES Alejandro Calviello, André Hellmeister, Carlos Alberto Lancia, Dona Lourdes, Enrico Carnevalli, Georges Henri Foz, Letícia Novais, Leonardo Boconi, Luiz Toledo, Patricia Palumbo, Pro Coletivo P U BL I CI DADE GERENTE REGIONAL Giovanna Barbastefano (giovanna@29horas.com.br) CO M E RCI AL comercial@29horas.com.br GERENTE Rafael Bove EQUIPE: Angela Saito, Beatriz Bezerra, Fernando Chapper, Nathalia Sakata BRASÍLIA – Leonardo Freitas (leonardo.freitas@ootb.net.br) CURITIBA – Alexandre Martins (alexandre.martins@29horas.com.br) SANTA CATARINA – Jean-Luc Jadoul (jljadoul@terra.com.br) RIO DE JANEIRO – Rogerio Ponce de Leon (rogerioponcedeleon@gmail.com)

CAMPINAS E REGIÃO – Marília Perez (marilia@imediataonline.com.br RIBEIRÃO PRETO – João Queiroz (jgq@bbi.solutions) NORTE E OESTE DO PARANÁ – Marcelo Pajolla (pajolla@pajolla.com) MINAS GERAIS – Cibelle Bernardes (cibelle@sbfpublicidade.com.br) RIO GRANDE DO SUL – Leonardo Hoffman (leonardo@zigon.com.br) ASSISTÊNCIA COMERCIAL Liana Pereira (liana.pereira@29horas.com.br) IMPRESSÃO E ACABAMENTO Plural Indústria Gráfica Ltda JORNALISTA RESPONSÁVEL Chantal Brissac (MTB 15.064) DISTRIBUIÇÃO GRATUITA E EXCLUSIVA NAS SALAS DE EMBARQUE E DESEMBARQUE DOS AEROPORTOS DE CONGONHAS E SANTOS DUMONT.

2 9 HOR AS é uma publicação mensal da MPC11 Publicidade Ltda. A revista 29 HOR AS respeita a liberdade de expressão. As matérias, reportagens e artigos são de responsabilidade exclusiva de seus signatários. Av. Nove de Julho, 5966 - cj. 11 — Jd. Paulista, São Paulo — CEP: 01406-200 TEL.: 11.3086.0088 FAX: 11.3086.0676

MISTO

A TIRAGEM E DISTRIBUIÇÃO DESTA EDIÇÃO DE 115.000 EXEMPLARES É AUDITADA PELA BDO.

Foto da capa e acima Felipe Hellmeister

38

Ensaio O tango de Buenos Aires, com fotos de Alejandro Calviello

11

Hora H Dia dos pais, arte, lançamento de livros de viagem e musas

COLUNAS

20

HORA DE VOO Pista do Santos Dumont fica interditada

22

RÁDIO VOZES O lançamento de Thiago Pethit

24

MOBILIDADE Andar até a escola na volta às aulas

26

BON VIVANT O uso de apps com discernimento

28

BOM DE COPO Como escolher a melhor água

30

INSTANTE FOTOGRÁFICO Fotos de Jorge Amado no acervo do IMS

69 70

DAS 23 ÀS 29 Dona Lourdes passeia pela República HORA LIVRE Luiz Toledo fala dos 50 anos da viagem à Lua

Foto Divulgação / Sebrae

FLORIANÓPOLIS – Sonia Meireles (sonia@yaguar.com.br)

45 Imóveis

Construções sustentáveis, como o Centro Sebrae

57

Agenda 29h

73

Fazendo Hora

Dicas de programas em São Paulo para todos os dias e horas do mês

Guia de serviços e compras de Congonhas e Santos Dumont


40 anos

LUTANDO POR UM JORNALISMO INDEPENDENTE E COM

credibi lidade.

Credibilidade, liberdade de expressão, independência e responsabilidade. Quatro valores que resumem o papel da Associação Nacional de Jornais (ANJ) perante a imprensa brasileira. Uma entidade que, em 17 de agosto, comemora 40 anos, escrevendo, a cada dia, um novo capítulo de uma história de luta pela verdade.

FOI ASSIM QUE A ANJ ESCREVEU SUA HISTÓRIA.

Uma homenagem:


A autora do livro "Quando me descobri negra", o mais nova-iorquino dos cariocas, homens querendo ser pais melhores do que os que tiveram, e a jornalista que incentiva viajar na terceira idade

hora

L I T E R AT U R A | A R T E | V I A G E M | D I A D O S PA I S

H

PROVOCAÇÕES DE EDUARDO SRUR O artista é conhecido por suas intervenções com temática ambiental

pág. 14

FOTO DIVULGAÇÃO

MEMÓRIA A literatura de Bianca Santana pág.12

NOVOS PAIS Grupos reinventam a paternidade pág.16

VIAJAR aos 60, 70, 80 anos ou mais... pág.18

NOVA YORK Pedro Andrade relança guia da cidade pág.18


12

HORA H


13

MUSAS

O caminho possível da memória Bianca Santana reúne narrativas de mulheres negras em seus livros e, assim, busca construir e preservar a sua identidade e a de tantas brasileiras

POR PAULA CALÇADE

FOTO JOÃO BENZ

NÃO É APENAS SOBRE APRENDER TÉCNICAS

e viver profissionalmente da escrita, é sobre se expressar e colocar uma dose de afeto e observação naquilo que narra. A definição é de Bianca Santana, jornalista, professora e pesquisadora na área de Educação. Descobriu-se escritora depois mesmo de lançar o seu primeiro livro "Quando me descobri negra", pela editora Sesi-SP, em 2015. Até então, no seu inconsciente, escritores eram homens brancos de origens ricas. Diferente de quem ela é. Bianca inicia uma série de relatos sobre experiências pessoais ou ouvidas de outras mulheres e homens negros no livro. "Tenho 30 anos, mas sou negra há dez. Antes, era morena", escreve. Ela explora o racismo tão estrutural em nossa sociedade, que ainda teima em querer embranquecer o país, distanciando a cultura e origem africana de seus descendentes. "Eu sempre soube que não era branca, mas aquilo não era uma questão para mim, eu misturava com a classe social". A escritora lembra que teve um de seus primeiros insights sobre a sua identidade quando começou a dar aula para jovens e adultos. "O coordenador me disse que

era bacana ter uma professora como os alunos e nunca tinha dito aquilo para meu colega, um homem branco". Diante dessas percepções, Bianca se aprofundou na escrita de si e vieram outros livros. "Inovação ancestral de mulheres negras Táticas e políticas do cotidiano" e "Vozes insurgentes de mulheres negras: do século XVIII à primeira década do século XXI" são os mais recentes. O último teve lançamento na Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) deste ano. A afirmação sobre ser negra é parte de seu trabalho, porque é a base de sua existência. “Homens brancos costumam se afirmar como pessoas ou seres humanos, em volta deles existe a noção de universalidade. Mulheres brancas se apresentam como mulheres, e mulheres negras são atravessadas pelo gênero e pela raça”. Trabalhar pela equidade, escuta do outro e pelo respeito às diferenças é o caminho escolhido por Bianca para substituir narrativas excludentes na História e no cotidiano. “A preservação da memória é a militância que enxergo para o futuro”, define a autora, que atualmente escreve a biografia da filósofa Sueli Carneiro, uma de suas referências na luta contra o racismo.


HORA H

FOTO DIVULGAÇÃO

14

“Barco sobre um Rio Enterrado“, na margem do rio Pinheiros

ARTE

A cidade como tela Eduardo Srur se apropria de pontes, viadutos, rios poluídos e represas para alertar o poder público e a população sobre os problemas ambientais e crônicos de São Paulo

POR CHANTAL BRISSAC

A CAPITAL PAULISTA é a plataforma de tra-

balho e o laboratório de pesquisa do artista plástico Eduardo Srur. Desde 2002 esse paulistano de 45 anos, que tem seu ateliê localizado bem em frente ao rio Pinheiros, surpreende com suas intervenções artísticas, focadas nos problemas ambientais. Srur já colocou 150 caiaques com manequins de plástico nas poluídas águas do rio Pinheiros, espalhou garrafas PETS gigantes nas margens do Tietê, suspendeu uma carruagem a 30 metros de altura na Ponte Estaiada, empilhou quatro mil carrinhos de brinquedo no MAC USP e ocupou o Vale do Anhangabaú com "Farol", escultura formada por ratos, entre outras obras instigantes. São trabalhos que chamam a atenção para a poluição dos nossos rios, o consumo de plástico e a mobilidade centrada no carro. Já a construção com 20 mil ratos de borracha nasceu da horrenda constatação de que a metrópole tem uma das maiores populações de ratos do planeta: 170 milhões de roedores, ou seja, 15 por habitante. “E pelo significado da palavra anhangabaú, que em tupi significa 'rio do diabo', porque os índios acreditavam que o local era assom-

brado. Hoje a cidade encobre este poluído rio e seus afluentes contaminados”, diz Srur, que vê a paisagem urbana como um cenário perfeito para criar, trazendo a reflexão e um novo olhar das pessoas. O artista se concentra principalmente nos erros ambientais que se naturalizam. “O problema é a gente se anestesiar, achar normal o rio estar morto, a cidade estar entupida de automóveis, poluída, e seguir com a vida de sempre. Outro dia levei a minha filha de cinco anos para pedalar na ciclovia do rio Pinheiros e ela falou do cheiro. E eu expliquei que a gente mora ao lado de um rio muito sujo, uma vergonha. Não dá para esconder essas distorções. Quando as crianças crescem encarando isso como normalidade elas tendem a ser passivas no futuro”. A mais nova intervenção de Srur está no rio que ele avista diariamente de sua janela. A obra “Barco sobre um Rio Enterrado“ foi colocada no final de junho na margem do rio Pinheiros, perto da ponte Cidade Jardim. “O barco ficará ali para provocar: ele navega ou não navega?”. O artista irá documentar o barco ao longo do tempo, mostrando sua desintegração pela sujeira e pelo descaso.


HORA H

FOTOS DIVULGAÇÃO

16

D I A D O S PA I S

Revolução paterna Homens buscam reinventar a forma como aprenderam a ser pais por meio do compartilhamento de informações e, principalmente, de emoções

POR PAULA CALÇADE

O DIA DOS PAIS pode ir além das propagandas de

presentes e dos descontos em lojas masculinas. Um verdadeiro movimento busca ressignificar as masculinidades nas redes sociais e fora delas. Encontros e atividades que procuram estimular o compartilhamento de emoções entre homens e a reflexão sobre o que é a violência de gênero e o papel da paternidade nos dias de hoje, valorizando a participação deles na educação e no cuidado dos filhos, são a principal tendência para esta data e toda uma geração de novos homens. Claudio Serva é fundador do grupo Prazerele, um espaço físico e virtual para a desconstrução do machismo. Depois de trabalhar por anos em uma imobiliária, ele descobriu que a meditação e a conversa eram formas potentes para se reinventar e

se sentir mais completo. “Eu estava obeso, bebendo e infeliz em uma relação, precisava de uma transformação”. Em 2014, começou a fazer cursos sobre sexualidade e decidiu dividir com outros homens seus conhecimentos. Hoje, promove rodas de conversa para o protagonismo e a autonomia socioemocional de homens de todas as idades. “Falamos sobre se conectar verdadeiramente em relações amorosas, ouvir as mulheres e abrir mão da função limitante de ser apenas o provedor, afinal de contas o machismo também faz mal para nós”. A paternidade pode ser esse gatilho de transformação. O naturólogo Tiago Koch sentiu essa “revolução” em sua própria vida, quando vivenciou de perto o nascimento de sua filha, Iara, agora com três anos. “O nascimento de um filho é um evento sem igual. Se o homem compartilha essa emoção e está presente em todas as etapas, com certeza isso refletirá em sua vida”. Grupos sobre gestação e parto eram do universo apenas feminino até pouco tempo, mas alguns homens já querem estar prontos para esse momento também. “Ainda é algo iniciante e, do ponto de vista geral, ainda somos a minoria, mas alguns homens me procuram porque querem ser pais diferentes do que os seus foram”. Tiago criou o espaço Homem Paterno, onde dá cursos para homens sobre as fases da gestação, sobre como dar suporte durante o parto, os diferentes tipos de partos e como vivenciar o puerpério junto da mulher. Para o psicólogo Tales Mistura, que coordena grupos de homens autores de violência de gênero no Coletivo Sexualidade e Saúde, em São Paulo,


17

Acima, Claudio Serva, fundador do Prazerele. À direita, Tiago Koch trabalha com um cliente "grávido"; na outra pág., grupo de pais e gestantes coordenado por Koch

um caminho para desenvolver formas mais ricas de se lidar com conflitos, como por meio do diálogo e da empatia, é a paternidade. “Muitos homens são resistentes a mudar comportamentos machistas, mesmo ouvindo e entendendo racionalmente a dor e a desigualdade que as mulheres passam. Mas quando se tornam pais e lidam com emoções e afetos, vão precisar elaborar as próprias questões e, assim, surge uma possibilidade de reflexão e mudança”. A reinvenção da masculinidade e da paternidade é uma pequena chama. Mulheres ainda dedicam 73% mais tempo do que os homens em tarefas domésticas e nos cuidados com os filhos no Brasil. Elas gastam 18 horas semanais com tais tarefas, enquanto eles gastam 10, segundo o IBGE. Ainda há muito espaço para mudança, mas já foi dada a largada e os homens replicam com outros as ideias e os afetos que descobrem nesses grupos.

SAIBA MAIS: @prazerele @homemparterno Núcleo de Masculinidades - Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde


HORA H

FOTO JAIRO GOLDFLUS

L I T E R AT U R A

A arte de redescobrir Nova York

Um prazer que não tem idade Conselhos e dicas sobre viajar sempre e depois dos 60 A JORNALISTA MARIUCCIA ANCONA LOPEZ

Pedro Andrade lança nova edição do guia da cidade que mais encanta turistas no mundo

POR PAULA CALÇADE

NOVA YORK é um destino cobiçado por brasileiros de todos os perfis. A cidade é o lugar das mil e uma possibilidades, sinônimo de grande metrópole. É também tratada com afeto por moradores, famosos ou anônimos. Essas duas facetas nova-iorquinas são exploradas na edição atualizada do livro "O Melhor Guia de Nova York", do jornalista Pedro Andrade, lançado pela Companhia das Letras (R$ 69,90, e-book: R$ 39,90). "Moro aqui há duas décadas e continuo me surpreendendo", resume Pedro. Passados dez anos da última publicação, ele diz que o livro é praticamente novo, com capítulos inéditos e indicações que não poderiam existir antes. Na era de aplicativos de encontro, o guia explora lugares para "dates" na cidade, como a cobertura do Metropolitan Museum. Um dos pontos mais visitados de Nova York, o museu tem um terraço que pouca gente conhece e com uma vista deslumbrante.

VIAGEM

Nesta nova edição do guia, há ainda os passeios instagramáveis, como as comidas fotogênicas do Orient Express, um bar aconchegante e escuro, e as artes de rua da Bushwick, no Brooklyn. Viagem é subjetiva e os gostos são de cada um. Assim, Pedro não deixa de explorar os pontos turísticos, mas propõe experiências segundo o seu olhar, com a curadoria de quem está imerso nesta fascinante urbe. "São alternativas para a clássica vista do Empire State e para chegar à Estátua da Liberdade pagando menos, por exemplo", diz o autor, que não aprecia endereços óbvios e lotados. "O Melhor Guia de Nova York" tem prefácio do também jornalista Lucas Mendes, que divide, com o autor, a bancada do programa "Manhattan Connection", da GloboNews. "Mais que sugestões do Pedro sobre bebida, comida, lojas, galerias e museus, você vai encontrar uma cidade que ele ama e divide com você noite e dia", descreve Mendes.

ama viajar e seu trabalho – que sorte! – envolve muitas viagens pelo mundo. Já conheceu 63 países e é apaixonada pelas culturas e culinárias locais – além de fotos, ela sempre volta dos lugares com muitas receitas e histórias. Todo esse saber inspirador acabou se transformando em um site maravilhoso: tempodeviajar.tur. br. “Ele é dedicado ao público acima de 60, 70 e 80 anos ou mais que, sim, pode e deve viajar”, diz Mariuccia. Ela escolheu falar a esse grupo cada vez maior como alguém que acaba de chegar de férias e conta peculiaridades da sua viagem: seja uma dica de passeio ou uma sugestão de comidinha ou ainda questões práticas sobre clima, o que vestir, quanto dinheiro levar, dificuldades de locomoção etc. O site está organizado por destinos, dicas práticas e sabores, incluindo receitas de pratos provados por ela em seus passeios. “Porque viajar é buscar algo novo, é se entregar ao inusitado, é exercitar corpo e mente. Viajantes nessa faixa etária têm limitações? Claro que sim, mas é tudo uma questão de escolher a viagem certa”, diz Mariuccia, antes de partir para mais uma viagem, dessa vez para Irlanda.

FOTO ARQUIVO PESSOAL

18

No Atacama, aos 69 anos


Pensando em tornar os empreendimentos cada vez mais acessíveis a todos, a Divisão de Acessibilidade da thyssenkrupp lança no mercado a cadeira de transferência para piscinas. Indicada para hotéis, academias, centros de reabilitação, clínicas médicas e fisioterápicas, além de empreendimentos privados, como casas e coberturas. É um equipamento compacto, com manuseio simples e de rápida instalação. Com o uso da cadeira de transferência para piscina, não há a necessidade de construção de escadas ou rampas, o que torna a obra muito mais econômica, ocupando também menos espaço no projeto arquitetônico. A partir de agora, tornar uma piscina acessível, é algo rápido, fácil e econômico! thyssenkrupp Elevadores

@seuelevador seuelevador /thyssenkruppelevadores www.thyssenkruppelevadores.com.br/blog

EMPHASIS

EMPHASIS

Acessibilidade e inclusão. Um direito de todos.


20

COLUNA

kikecosta@uol.com.br

POR

Hora de voo FOTO DIVULGAÇÃO

Kike Martins da Costa

Radar A melhor hora para comprar a passagem

Aeroporto Santos Dumont

Obras na ponte Entre os dias 24 de agosto e 21 de setembro a pista principal do Aeroporto Santos Dumont será interditada para reformas

A Ponte Aérea Rio-SP vai enfrentar uma situação inédita entre os dias 24 de agosto e 21 de setembro. É que, por causa das obras de manutenção e modernização de sua pista principal, o Aeroporto Santos Dumont só poderá ter em sua pista auxiliar pousos e decolagens de aeronaves até a categoria 3C (que inclui os Boeing 737-700, os Airbus A318 e os Embraer E195). Só que a Latam não tem nenhum avião dessa categoria – todos os seus Airbus são dos modelos A320 e A321, maiores do que esses que estão liberados. A Gol, que

coloca 737-800 na Ponte-Aérea, também terá de remanejar toda sua malha para incluir alguns de seus diminutos 737-700 na rota. E a Azul, que até poderia utilizar seus E-195 na rota, não opera voos de Congonhas para Santos Dumont. Até o fechamento desta edição, as companhias ainda não haviam definido o que farão durante essas quatro semanas de interdição, mas o mais provável é que a Latam voe de Congonhas para o Galeão. Já imaginou o transtorno de pousar lá na Ilha do Governador e ter de se aventurar na Linha Vermelha para chegar ao Centro e à Zona Sul do Rio? Enquanto isso, a Gol se movimenta para tentar manter sua ligação entre os aeroportos centrais. E, se ela ficar sozinha nessa linha, é bom a gente já ir se preparando para pagar mais por esse serviço “exclusivo” que ela oferecerá, sendo a única a operar a rota mais movimentada do país. Apertem os cintos, estamos entrando em uma zona de forte turbulência!

No buscador Kayak, a ferramenta Qualquer Lugar mostra o melhor momento para comprar sua passagem. Acesse www.kayak. com.br/travelhacker/2019/ anywhere, preencha o seu destino e veja quando é o período de baixa temporada e saiba se o preço para aquela data que você pretendia viajar está OK ou se vale a pena esperar mais para encontrar um valor mais vantajoso.

Nova área VIP em Guarulhos O American Express Lounge agora ocupa um espaço de mais de 1.00 m2 no Terminal 3 do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos. Tem buffet de comidinhas 24h, drinques exclusivos, wi-fi de alta velocidade e chuveiros com toalhas felpudas e amenities de grandes marcas.

E o monotrilho que vai até Congonhas, hein? A linha 17 do metrô, que começou a ser construída em 2012 para iniciar suas operações em 2014, durante a Copa do Mundo, só deve ficar pronta em 2021. O governo estadual define este mês o novo consórcio que vai assumir as obras e quem fornecerá os trens.


Cartão de Crédito Smiles O melhor jeito de viajar mais. Já pensou em ter um cartão que transforma compras em milhas e suas milhas em viagens? Com o Cartão de Crédito Smiles, você acumula milhas direto na Smiles e conta com privilégios exclusivos.

Receba até 20.000 milhas na aquisição.3

Acesso aos GOL Premium Lounges.2

Até 2,5 milhas por dólar gasto.1

Check-in e embarque preferenciais GOL.2

1ª bagagem gratuita na GOL.2

Emitidos por:

smiles.com.br/cartao

Sujeito a aprovação de crédito. 1. Milhas referentes ao cartão Infinite, para clientes assinantes do Clube Smiles. A conversão de milhas varia de acordo com a categoria do cartão. Verifique na página do cartão www.smiles.com.br/cartao a quantidade de milhas oferecidas para cada categoria dos Cartões Smiles. 2. Os benefícios de aeroportos descritos são dos Cartões Infinite e Platinum, válidos até 31/12/2019. 3. As milhas bônus de aquisição são creditadas em 4 parcelas, de acordo com o pagamento de cada parcela da anuidade. Consulte todas as condições em www.smiles.com.br/cartao

Smiles. O programa de fidelidade da

Companhias aéreas parceiras


contato@radiovozes.com

COLUNA

Rádio Vozes

POR

Patricia Palumbo

FOTO DIVULGAÇÃO

22

O cantor paulistano Thiago Pethit no clipe "Orfeu"

A cidade dos seus sonhos na música Thiago Pethit narra uma São Paulo teatral e poética em seu novo disco, "Mal dos Trópicos"

Olá viajante! Se você tem lido as minhas colunas aqui na 29 HORAS já sabe que para mim a música é capaz de fazer muito. Transformar o dia, trazer memórias, conectar com o divino e por aí vai. Hoje vou falar do trabalho novo de Thiago Pethit, cantor e compositor paulistano que acaba de lançar o belíssimo "Mal dos Trópicos". Fiquei tão encantada que fiz um Vozes do Brasil inteirinho sobre o álbum, faixa a faixa (você pode acessar no app Rádio Vozes ou no site www. radiovozes.com). Adoro discos com narrativa, histórias e referências. "Mal dos Trópicos" é um luxo nesse sentido. De maneira explícita ou sutil, cada música, arranjo e escolha estética tem algo a dizer. Thiago Pethit tem formação teatral e isso sempre esteve presente em seus discos. Em "Mal dos Trópicos" aparecem o mito de Orfeu, as Bacantes, Nat King Cole, Mário de Andrade, a antropofagia, o tropicalismo e, o mais lindo para mim, a poesia marginal de Roberto Piva. Piva viveu essa São Paulo que Pethit retrata em suas letras. Para Piva, a Praça da República dos seus sonhos era Garcia Lorca esperando o dentista. Para Pethit,

um coração mastigado na Consolação e beijos no Copan. A cidade noturna, a outra São Paulo que o cidadão apressado não vê mesmo de dia. Ouvir "Mal dos Trópicos" me fez lembrar de uma leitura antológica do poema "Uivo", de Allen Ginsberg, traduzido por Claudio Willer, também poeta. O cenário era o histórico Madame Satã. Willer lia o poema, que é imenso e forte, enquanto Roberto Piva corria pelo salão atrás de um garoto de programa a quem ele chamava “meu Rimbaud”. Uma cena inesquecível nos meus anos 1980, na minha São Paulo outsider, jovem, ainda tão misteriosa e assustadora. O clipe de Orfeu faz esse passeio mitológico e mundano pelo centro de São Paulo, dirigido por Camila Cornelsen. Trechos das letras aparecem enquanto um

drone explora janelas indiscretas: “Pelo olhar dele assistimos o que poderiam ser o estraçalhamento de Orfeu, o suicídio de Ophelia de Shakespeare, entre outras imagens", diz o autor da canção. Meu convite de hoje é um mergulho nessa cidade cinza e louca por meio da música e da poesia. Ouça "Mal dos Trópicos", ouça o programa especial que fiz com Thiago Pethit e leia Roberto Piva. Recomendo ainda o livro "Paranoia", do Instituto Moreira Salles, que tem as fotos maravilhosas de Wesley Duke Lee. A primeira edição foi em 1963. "Mal dos Trópicos" é de 2019. A tradução de Claudio Willer do Uivo de Ginsberg é dos anos 1980. Rimbaud e Lorca são clássicos da poesia mundial. Faça a sua viagem. Depois me diz.

PATRICIA PALUMBO é jornalista especializada em música, apresenta o programa "Vozes do Brasil" em rede nacional de rádio e é criadora da Rádio Vozes. Baixe o app gratuito nas lojas digitais ou acesse www.radiovozes.com


MINISTÉRIO DA CIDADANIA, GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO POR MEIO DA SECRETARIA DE CULTURA E ECONOMIA CRIATIVA E FUNDAÇÃO OSESP APRESENTAM

CONCERTO DIGITAL OSESP

Seu lugar garantido!! Transmissão ao vivo pela internet, direto da Sala São Paulo!

8.8 às 20H ORQUESTRA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO GIANCARLO GUERRERO REGENTE JOYCE YANG PIANO

Assista em: /osesp /vídeososesp osesp.art.br F OTO D E I S A B E L A G UASCO

sescsp.org.br

PATROCÍNIO

APOIO

REALIZAÇÃO

Secretaria de Cultura e Economia Criativa


24

COLUNA

www.procoletivo.com.br

FOTO DIVULGAÇÃO

Mobilidade

POR

Pro Coletivo

Caminhando juntos até a escola A experiência do Carona a Pé, criado pela professora Carolina Padilha, pode inspirar uma mudança de hábitos nesse mês de volta às aulas Em São Paulo, o retorno do calendário escolar costuma trazer no “pacote” os congestionamentos, as filas duplas, as buzinas e a poluição nos arredores das escolas. Já nos acostumamos com isso, parece normal, mas não é: no Japão e na maioria das cidades europeias, as crianças vão à escola a pé ou de transporte coletivo. Os pais as acompanham nos trajetos e nas caminhadas, até que elas possam adquirir independência para caminhar sozinhas ou com os colegas, com autonomia e cidadania. Em Londres, em alguns bairros, há multas para os pais que desembarcam seus filhos de carro na porta da escola. O objetivo é proteger o entorno escolar, estimulando a sustentabilidade, a educação e a saúde. A professora Carolina Padilha se inspirou nesses valores para criar o Carona a Pé, em 2015. Seu objetivo foi sensibilizar e capacitar pais e crianças para que eles caminhem juntos rumo à escola. Os grupos que moram próximos saem diariamente, em horários pré-estabelecidos, seguindo rotas previamente determinadas. Em conversa com o Pro Coletivo, Carolina contou sobre as novidades do projeto, que cresceu e hoje envolve dez escolas públicas e privadas em São Paulo e em Belo Horizonte, e mostrou

Crianças do grupo Carona a Pé

as vantagens de adotar o transporte a pé para levar os filhos à escola. “Vencemos a etapa nacional do Prêmio Mapfre Inovação Social e em outubro representaremos o Brasil na categoria mobilidade urbana. Estamos felizes porque, com o prêmio, poderemos implementar o programa em muitas outras escolas do país”. Para Carol, é um equivoco pensar que isolar as crianças significa protegê-las. “Quando as crianças ocupam os espaços públicos suas necessidades se tornam evidentes e isso faz com que os adultos repensem esse espaço. Uma cidade que é boa para as crianças também é boa para todos”. E o que a rua pode ensinar às crianças e aos seus pais? “Que o espaço público é rico, diverso e de todos. É circulando pelas ruas que boas perguntas e reflexões surgirão, principalmente do que não está bom e poderia melhorar”.

O PRO COLETIVO ajuda as pessoas a aproveitar a vida se locomovendo de forma inteligente.

Durante os quatro anos em que vem caminhando com crianças e pais, Carol conheceu as demandas dos alunos. As crianças precisam, por exemplo, de mais tempo para atravessar nas faixas: os tempos semafóricos são insuficientes para elas. “Estamos tentando levar essas necessidades para a esfera pública”. A taxa de adesão ao programa é alta: 30% dos estudantes passam a ir com os grupos. O que conta para as crianças, além da sensação de pertencer a um grupo e da interação com colegas, é a possibilidade de participar da vida da cidade. “Depois que o Carona a Pé começa, ele engaja toda a escola e até o comércio local”, diz Carol, lembrando que em setembro fará um grande encontro de escolas em São Paulo para discutir questões como segurança, mobilidade e saúde infantil. Se sua escola tem interesse, é só entrar em contato pelo email carona@caronaape. com.br ou pelas redes sociais.


26

COLUNA

georgeshenrifoz@gmail.com

Georges Henri Foz

FOTO GETTY IMAGES

Bon vivant

POR

A alegria de sair de casa O discernimento na hora de usar os apps é fundamental para não perder de vista o prazer de jantar fora, ir ao cinema ou até mesmo tomar um sorvete na rua

Quero alertar a todos os bon vivants sobre um fenômeno relativamente novo, mas que de dois anos para cá vem se tornando assustador. Me segurei até agora porque achei que podia ser considerado um tipo de preconceito ou de radicalismo, sei lá, afinal de contas tenho uma clara tendência saudosista quando o assunto é prazeres urbanos, ainda mais quando a cidade em questão é São Paulo, com tudo o que ela tem a oferecer. Eu me refiro aos serviços de entrega, mas não apenas aos deliveries de restaurantes, mas também aos de supermercados, sorvetes e tantos outros que nos oferecem até os últimos lançamentos do cinema sem sair de casa. Os apps querem, e pelo jeito estão conseguindo, nos tirar o prazer de ir jantar fora ou de ir ao cinema e até mesmo de fazer umas comprinhas no supermercado... Socorro!!! Sou a favor de todos os serviços, mas se não houver discernimento, vamos nos enclausurar para poder ficar mais tempo ainda pendurados no celular ou para conseguir ver mais um capítulo da série do momento... No final das contas, um aplicativo leva a outro. Vamos deixar esse tipo de recurso para dias de chuva ou para situações específicas, quando não podemos manter o programa original que é sair,

ver gente, encontrar amigos, ver o que tem de novo na rua ou simplesmente socializar com a nossa cidade. No Carrefour ao lado da minha casa, fiquei pasmo ao ver uma funcionária do Rappi fotografando uma fatia de salame para perguntar ao seu cliente se a espessura estava boa. Me perguntei se é possível viver sem avaliar e escolher nós mesmos as frutas, legumes e até as flores que irão entrar em casa. Só de pensar que alguém que nunca vi vai fazer essas escolhas por mim, já me diz que algo está errado. A não ser em caso de emergência, claro. Por isso, acho que todos nós que gostamos de frequentar bares, restaurantes, cinemas e livrarias temos que levantar a bandeira de uso consciente desse exército de apps. Mesmo que você faça sua pipoca e assista a um filme na TV, vamos combinar que não se compara com uma saída com direito a cinema e pipoca original. Assim como a gentileza do garçom ou a crocância do seu sanduíche não conseguem chegar à

sua casa, por mais eficiente que seja o seu aplicativo... Me lembra um pouco a história da caminhada no parque e da esteira na sala... resolve o fisiológico, mas não abastece o coração. Temos que resistir à quantidade de apps que invadiram o nosso dia a dia e que tentam a todo momento nos convencer de que eles podem fazer “tudo” o que estamos acostumados e gostamos de fazer nós mesmos... Eu sei que tudo é motivo para cair no conforto e ficar em casa, mas tente, por exemplo, encarar o lado bom do frio deste inverno e convide o seu amor ou os seus amigos a ir comer uma das tantas boas sopas de São Paulo. Vai ser alegria, na certa. Até, bom passeio. Alguns restaurantes que servem sopas e valem a pena: Spot (pera com alho poró, banana ao curry), La Casserole (sopa de cebola), Le Jazz (sopa de cebola), Quinta de Santa Maria (caldo verde), Rancho Português (caldo verde).


COLUNA

lancia@abinam.com.br

Bom de copo

POR

Carlos Alberto Lancia

Como escolher a água?

Água de beber Hoje são muitas as questões envolvendo esse líquido fundamental para a saúde e o bem-estar Vale lembrar que a água é incolor, inodora e insípida em sua fórmula mais pura, H2O, enquanto a água mineral natural vai ter uma leveza e um sabor característicos diretamente proporcionais à quantidade de sais minerais existentes em sua composição. Tecnicamente uma água é considerada leve quando em sua composição química o teor de carbonato de cálcio é menor que 100 mg/L. Quanto ao aroma, ele se relaciona ao tipo de solo e rocha que a água mineral natural percorre até a formação de sua jazida. Águas minerais naturais oriundas de rochas de relevo cárstico possuem aromas alcalinos e terrosos, enquanto águas carbogasosas naturais exalam, em geral, um aroma levemente trufado. A grande maioria das reservas de águas minerais naturais no Brasil

é classificada como oligomineral e tecnicamente é inodora. E por que a água mineral é mais indicada para beber do que a água de torneira ou filtrada? Por sua qualidade. A legislação de parâmetros de qualidade nacional e internacional aplicados à água mineral natural é muitíssimo exigente, e vai além dos critérios exigidos para a água de torneira e filtros. A água mineral natural nada mais é que uma água pura, sem adição de produtos químicos e/ou físicos, 100% natural e livre de quaisquer tipos de contaminantes. Vale dizer ainda que, em sua grande maioria, a água de torneira é procedente de mananciais de águas superficiais que, infelizmente, acabam recebendo vários tipos de contaminantes. Essa água recebe também a adição de sulfato de alumínio, desinfetantes, redutores e inibidores de corrosão, algicidas, entre outras substâncias indesejáveis para a saúde. Os filtros não conseguem reter essas matérias 100%; outros agravantes são as tubulações que transportam a água da unidade de tratamento às residências, e que geralmente não têm manutenção adequada.

O geólogo Carlos Alberto Lancia é presidente da ABINAM - Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais.

Antes de mais nada, é importante ler a composição físico-química no rótulo e observar cada elemento existente. Hipertensos, por exemplo, devem consumir uma água mineral natural com o teor de sódio menor que 5 mg/L. Quem tem intestino preguiçoso pode optar por uma água com teor de magnésio de no mínimo 15 mg/L. Às pessoas com problemas digestivos, a literatura recomenda ingerir água mineral natural com no mínimo 120 mg/L de bicarbonato, enquanto as carbogasosas naturais ou gaseificadas artificialmente também auxiliam no processo digestivo. Uma pessoa de 60 kg em média deve beber diariamente dois litros de água – de preferência um copo em jejum e outro antes de dormir, e o restante ao longo do dia. Na harmonização com outras bebidas e pratos, a variação também pode ser grande. A tendência é recomendar uma água mineral natural oligomineral para ser consumida junto a bebidas destiladas de alto teor alcoólico.

FOTO GETTY IMAGENS

28


30

INSTANTE FOTOG R Á FICO

JORGE AMADO O escritor Jorge Amado completaria 107 anos no dia 10 de agosto. Nesta imagem, o famoso autor baiano é retratado pela fotógrafa Madalena Schwartz, cujo acervo está sob a guarda do Instituto Moreira Salles desde 1998. Nascida na Hungria e radicada em São Paulo, Schwartz começou a estudar fotografia com 45 anos. Grande parte de sua carreira foi focada na prática do retrato. Algumas de suas imagens mais conhecidas são de artistas e intelectuais brasileiros, como Sergio Buarque de Holanda, Clarice Lispector e o próprio Jorge Amado. Mais informações sobre a fotógrafa podem ser encontradas no site do IMS.

Jorge Amado, 1982 Madalena Schwartz Acervo Instituto Moreira Salles

F IMS PAULISTA Avenida Paulista, 2424, (11) 2842-9120 / ims.com.br


INGRESSOS

casanaturamusical.com.br /casanaturamusical /casanaturamus

Barão Vermelho

24 | agosto

Geraldo Azevedo 30 | agosto

Clarice Falcão

12 | setembro

Mariene de Castro 20 e 21 | setembro

Rua Artur de Azevedo, 2134 - Pinheiros | São Paulo Processo de Revalidação do Alvará: 2018-0.105.813-6 | Capacidade: 710 pessoas Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) – Número 403817 – Vencimento: 09/04/2021

Patrocínio:

Apoio:


32

CAPA

A criativa inquietude de

Bárbara Paz ELA ESTREIA COMO PRODUTORA E DIRETORA EM UM FILME QUE É UMA DECLARAÇÃO DE AMOR AO MARIDO, O CINEASTA HECTOR BABENCO, E SE LANÇA COMO ROTEIRISTA EM OUTROS PROJETOS. À FRENTE DO PROGRAMA “A ARTE DO ENCONTRO”, E COM UMA PEÇA QUE COMEÇA EM OUTUBRO, BÁRBARA PAZ É UMA MULHER REPLETA DE ENERGIA CRIATIVA

POR CHANTAL BRISSAC FOTOS FELIPE HELLMEISTER

COM UM CAFÉ COADO na hora e uma acolhida que veio a calhar em uma tarde fria,

Bárbara Paz recebeu o time da 29HORAS para essa entrevista. Logo na entrada, os sapatos foram deixados na soleira da porta, como manda a tradição japonesa. No seu apartamento amplo e de pé direito alto, no centro paulistano, ela guarda suas paixões: livros, fotografias, telas, cartazes, discos, plantas, imagens e histórias. Entrar nesse espaço, o santuário da atriz, é respirar um pouco do universo poético de Bárbara, que vem crescendo e se reinventando no palco e na frente das câmeras há mais de vinte anos. Aos 44 anos, Bárbara vive um momento especial, com o lançamento de dois projetos muito acalentados. O primeiro é o livro “Mr. Babenco – Solilóquio a Dois Sem Um” (Editora Nós), que traz poemas e conversas da atriz com o cineasta Hector Babenco, com quem viveu durante nove anos. O talentoso diretor faleceu em 13 de julho de 2016 aos setenta anos. Coincidências do destino, o livro foi lançado no último dia 13 de julho na FLIP, a Festa Literária Internacional de Paraty, evento onde ela conheceu o cineasta em 2007. O segundo projeto é o documentário “Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”, que entrou na seleção oficial do Festival de Cinema de Veneza e estreia em outubro na Mostra de Cinema de São Paulo. “O filme conta a história do Hector, esse grande homem, cineasta e poeta que lutava desde os 38 anos contra o câncer. Era o cinema que o mantinha vivo”, diz Bárbara. A atriz gaúcha de expressivos olhos verdes, que ama fazer yoga e curtir seu refúgio na Bahia, fala ainda de sua experiência como diretora de cinema, confessa que o amor é o seu oxigênio, revela a intenção de ser mãe e explica por que ama tanto atuar: “Ser atriz é descansar de mim mesma”.


33


CAPA

FOTO DIVULGAÇÃO

34

Mr. Babenco

Mr. Babenco

Solilóquio a dois sem um: Hector Babenco e Bárbara Paz

Você lançou em maio o “Assédio.Doc”, documentário que traz o relato das vítimas do médico Roger Abdelmassih, condenado por abusar de mais de 50 pacientes. Como surgiu esse projeto? O “Assédio.Doc” nasceu de uma participação que eu fiz como atriz na série de ficção “Assédio”, da roteirista Maria Camargo, que retrata as vítimas abusadas por Roger Abdelmassih. Eu conheci algumas dessas mulheres reais, fiquei chocada com as histórias e achei que elas queriam e precisavam falar. Eu ofereci para a Globo, eles adoraram e a gente fez esse trabalho muito delicado e necessário. É a história de seis mulheres que dão voz a muitas outras para denunciar esses torturadores. Dirigi essa série com o intuito de denúncia e de poder retratar essas mulheres.

Um livro e um filme sobre Babenco estão saindo agora. Como foi trabalhar com essas memórias nesse período de luto? Difícil, mas a palavra luto para mim também é luta. Eu já perdi quase todo mundo na minha vida. Perdi meu pai aos seis anos, minha mãe, quando tinha 17. Muito cedo aprendi a lidar com isso. Com o tempo a gente vai evoluindo. O tempo traz essa maturidade, a conscientização do que é a morte. E foi muito bom fazer o filme e o livro, dois projetos de amor. O que você faz depois que amou uma pessoa, com quem dividiu a vida, e fica sem essa outra parte?

Quando o filme começou a ser feito? Tudo começou lá atrás, há muitos anos. Acho que o Hector sentiu uma urgência de falar, pois vinha sofrendo com o câncer desde que tinha 38 anos. Quando ele fez "O Beijo da Mulher Aranha" (1985), já havia descoberto a doença. Quando estava doente ele fez vários filmes, como “Brincando nos Campos do Senhor” (1991), na Amazônia, e ninguém sabia disso. Foi sempre tratado pelo Drauzio Varella e aos cinquenta anos se submeteu ao transplante de medula óssea que ele retrata no filme “Meu Amigo Hindu” (2015).

Você filmou, dirigiu... Como aconteceu esse processo? Digo que foi uma universidade fazer esse documentário, porque virei roteirista, diretora e produtora da noite para o dia. Metade do filme eu banquei, a outra eu fui atrás de patrocinadores. Fazer não foi apenas uma promessa, mas uma homenagem a esse homem que eu admiro e que acreditou em mim. Ele me incentivava a filmar e sempre me dizia: “Você pode, você não precisa de ninguém, acredita. Confia em seu olhar!” Assim, eu quis transformar o meu amor por ele em uma poesia na forma de filme.


FOTOS ANA PAULA AMORIM / CANAL BRASIL / DIVULGAÇÃO

35

Na outra página, Hector Babenco e Bárbara em uma de suas viagens, e o livro recém-lançado; à esquerda, a atriz na peça "Hell"; abaixo, Bárbara e Tony Ramos, seu parceiro no programa "A Arte do Encontro"

E como surgiu o livro? O livro é parte de tudo o que a gente gravou para o filme juntos, das nossas conversas. Depois que ele partiu, eu comecei a organizar as conversas e achar lindo aquilo escrito. Ele partiu no momento em que a gente estava corrigindo essa letra. É o “Solilóquio a Dois sem Um”. O Hector já estava na morfina e ainda corrigiu 40% dos poemas que a gente escolheu para publicar: escritos que eu descobri numa caixa que ele guardava desde a adolescência. A criação o mantinha vivo.

Tem outros projetos para este ano? Uma peça que eu até havia esquecido (ela ri)... Nossa, já vai estrear em outubro! Eu volto ao teatro na peça “Misery, Louca Obsessão”, baseada no livro de Stephen King. É uma produção do teatro Porto Seguro.

Mais uma personagem complexa e perturbada? Sim (risos), na tevê fiz a bipolar Nelita, de “A Regra do Jogo”; a Renatinha, de “Viver a Vida”, que sofria de anorexia alcoólica, além de muitas vilãs, como a Edith de “Amor à Vida”. Agora eu penso que tenho que fazer personagens menos esquisitos. Gostaria de tentar papéis cômicos em novelas. No teatro já fiz muita comédia.

Que personagem marcou você? Tantas... A Renatinha, de “Viver a Vida”, do Manoel Carlos, foi importante porque eu entrei na casa onde queria trabalhar, foi o meu primeiro papel na Globo depois do SBT. Mas antes, no teatro, eu fiz um clássico do Oscar Wilde, "A Importância de Ser Fiel". Essa peça foi um turning point na minha vida, após a minha passagem na “Casa dos Artistas”, em 2001.


36

CAPA

Como foi a experiência na “Casa”? Eu já tinha uma carreira de teatro quando participei desse reality, no SBT, mas foi nele que eu me tornei uma pessoa pública. Foi uma estrada muito diferente e que me deu coisas boas. Essa casa aqui é a “Casa dos Artistas”: eu comprei com o dinheiro que ganhei. Por outro lado, ficou muito difícil desconstruir a imagem da Bárbara que apareceu para o grande público. Mas aos poucos eu consegui mostrar que era uma atriz. Para eu voltar a ter credibilidade depois de uma experiência muito popular, com muita audiência, eu retornei ao teatro fazendo Oscar Wilde durante três anos. Essa escolha me salvou como atriz.

"Eu vivo muito intensamente cada etapa. E quero amar mais – sou bem melhor amando"

Quem é a Bárbara Paz?

Como você vê a passagem do tempo?

Boa pergunta. Eu costumo fazê-la no programa “A Arte do Encontro” aos meus entrevistados. E agora você me faz. Eu não sei. Eu continuo em busca de saber quem é a Bárbara, onde ela está, porque eu sou muito inquieta. Acho que essa incerteza pode nos tornar melhores. O que eu sei é o que me dá prazer de me sentir viva. Sei que gosto muito da vida, e ela passa muito rápido, por isso tento fazer as coisas que um dia eu sonhei. Eu quero realizar tanto ainda.

Por mais que eu saiba que nós somos finitos, eu nunca acho que o tempo vai acabar. O tempo tem que ser nosso aliado, temos que trazê-lo para dentro de nós, para o nosso melhor. E amadurecer é maravilhoso. Quando eu vi a peça “Longa Jornada de um Dia Noite Adentro”, com a Cleyde Yáconis, eu fiquei tão maravilhada que falei que queria envelhecer só para fazer essa peça, porque tem que ser uma atriz velha para fazer. Acho que os melhores personagens ainda virão, porque com o tempo os papéis no teatro vão ficando melhores. Eu tenho 44 anos e é como se eu fosse uma guria. O tempo passou e eu não vi...

O quê, por exemplo? Eu quero fazer um outro filme, um filme meu, de ficção; eu quero ter um filho, vários filhos. Ainda dá tempo, mas se eu não gerar eu vou adotar, quero dar continuidade à minha vida. Eu não me dei esse tempo e agora eu quero. Eu vivo muito intensamente cada etapa. E quero amar mais – sou bem melhor amando.

Um dia feliz para você? (Risadas). Ai, Jesus. Para mim um dia feliz é acordar no meio do mato, perto do mar, de preferência no meu esconderijo na Bahia, que eu amo. Quando acordo eu fico em silêncio, rezo. Até os 17 anos eu fui à igreja todo domingo, mas hoje eu me considero budista, acredito em uma energia maior que está dentro da gente.

Você prefere atuar como atriz ou como diretora? Ser atriz é descansar de mim, o que eu nasci para fazer. Já a direção eu adoro, porque você pode coordenar tudo como um maestro. Levo muito a sério a direção, mas não vou conseguir viver sem atuar, é meu grande aliado nessa vida.

Qual é a importância da arte e da cultura na sua história? Imensa. Como diz Fernando Pessoa, “a arte é uma confissão de que a vida não basta”. Imagine se eu não tivesse a cultura na minha vida... Quem eu seria, se eu fui

me educar sozinha, se meus pais já não estavam vivos? Se eu não tivesse ido ao teatro, se eu não tivesse estudado, lido todos os poetas e filósofos que eu li? Eu fui atrás da minha educação e de me encontrar como ser humano. Eu fui educada pelo Sesc, pela minha formação no teatro, ele me deu a minha grande escola.

Você é gaúcha, mas veio morar aos 17 anos em São Paulo. Qual é a sua relação com a cidade? Adoro São Paulo, que me deu tudo, abriu os braços feito Cristo para mim, desde que eu cheguei. Mas eu também fui atrás, não fiquei parada. Bati na porta do Antunes filho, entrei, fiquei, fui buscando todos os cursos que mexiam comigo. Eu sempre transformei minha vida. O que me move é o amor. É o meu oxigênio. Se você está amando o próximo, dividindo, a vida faz sentido. O ser humano nasceu para procriar amor, e isso não é autoajuda.


37


38

ENSAIO

Casal danรงa na milonga La Catedral


39

O tango vive em Buenos Aires FOTOS E TEXTO

ALEJANDRO CALVIELLO

Buenos Aires... Uma cidade que vive, ama e sofre, em sua história, em sua identidade e na paixão de seu povo. Além do ano ou da década em que vivemos pela sorte ou pelo destino, cada um de nós caminha pelas ruas da cidade respirando e sentindo, a cada passo, o tango... que vive intensamente no Rio da Prata. O tango, como gênero musical, nasceu no final do século XIX em uma pulsante Buenos Aires, que recebeu navios cheios de imigrantes europeus. Cresceu como arte popular urbana, que se expressava não só na capital argentina, mas também em Montevidéu, no Uruguai. O tango tem a sua própria língua: o lunfardo, o dialeto dos subúrbios e da marginalidade, que deixaria a sua marca no discurso de Buenos Aires. É claro que isso não acontece apenas em San Telmo, conhecido como o bairro do tango, por causa de sua estreita relação com as milongas (os lugares onde os argentinos vão dançar tango e milonga). Acontece também em todos os paralelepípedos das ruas da cidade, vias cobertas de história. O tango mora no Retiro, na avenida Corrientes, no Hipódromo, no bairro de Boedo, na rua Florida, nas ruas de La Boca e da Recoleta, na Costanera e no bairro de Palermo. Está nos bares e em cada uma das milongas, onde qualquer um pode ir dançar ou ter aulas e aprender a sua arte. O tango é passado e presente. É abraço e paixão, vida e sofrimento, olhar e sedução. Pode ser escuro ou nublado, amor e tristeza, prosa e lunfardo, contato e desejo. O tango é ritmo e sensação: é saber carregar e saber se deixar levar. O tango viverá sempre no Rio da Prata.

"Essa rajada, o tango, essa diabrura, os atarefados anos desafia; feito de pó e tempo, o homem dura menos que a leviana melodia, que só é tempo. O tango cria um turvo passado irreal que de algum modo é certo, o recordo impossível de haver morto pelejando, em uma esquina do subúrbio." “O Tango” - Jorge Luis Borges


40

ENSAIO

MĂşsicos da banda La Trampera no bar Los Laureles


41


42

ENSAIO

No alto, Osvaldo Jesús, personagem conhecido de San Telmo; acima, à esquerda, os dançarinos Adrián e Mora; o tango mistura emoções diversas em uma única coreografia; à esquerda, uma aula de tango, atividade comum em Buenos Aires. Na outra página, o senhor do tango na Avenida de Maio

instagram: @alejandro.calviello


43


Imóveis

ESPECIAL

SÃO PAULO O atual Plano Diretor da cidade valoriza áreas com infraestrutura consolidada pág 46

FOTO GETTY IMAGES

TENDÊNCIAS O período é bom para comprar imóveis pág. 48

CONSCIÊNCIA Arquitetura sustentável no Brasil pág. 50

DECORAÇÃO Design Weekend chega a São Paulo pág. 52

ENVELHECER BEM Condomínios e casas para idosos pág. 54


46

ESP ECIAL

Imóveis

Entre crescer e concentrar O mercado imobiliário de São Paulo expandiu continuamente para as periferias da cidade até esse crescimento ficar insustentável. Agora, a solução é valorizar o adensamento para as regiões com infraestrutura bem consolidada

POR JOÃO BENZ AO PASSEAR POR SÃO PAULO, vemos arra-

nha-céus ao lado de pequenos prédios, construções modernas indo de encontro a cortiços, e condomínios de luxo contornados por favelas. Em meio a tantos contrastes, é de se imaginar que a expansão da cidade aconteceu de forma desordenada, sem que houvesse políticas para direcionar seu crescimento. Contudo, elas existem, e agora, mais do que nunca, estão voltadas para conter os seus limites. O Plano Diretor Estratégico (PDE) é o principal articulador de uma série de

instrumentos que organizam o planejamento urbano do município – como as leis de zoneamento, o código de obras e os planos para cada setor e região da cidade. São Paulo já teve vários planos de urbanização, cada um concebendo um modelo diferente de cidade. Depois de anos de expansão constante, o projeto atual, aprovado em 2014, promete adensar a cidade para torná-la mais eficiente, aproximando moradia e trabalho. Em 1972, a Câmara Municipal aprovou políticas que impulsionariam

o crescimento da cidade. “Nessa época, o Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado e a Lei de Zoneamento de 1972 favoreceram a expansão da cidade para áreas mais remotas e dificultaram o uso misto, isto é, a presença de prédios residenciais, comércios e serviços em um mesmo lote – algo que sempre foi muito característico de São Paulo, mas que a lei foi apagando”, conta Valter Caldana, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie.


FOTOS GETTY IMAGES

47

Ponte Octávio Frias de Oliveira (Estaiada), na região da Berrini, e, à direita, Terminal Bandeira, no centro. Abaixo, avenida Paulista

“Nas grandes metrópoles brasileiras, os especuladores imobiliários costumam comprar terras com baixo custo nas regiões mais afastadas e aguardam pela valorização para revendê-las. Essa é uma tendência que prejudica a população mais pobre, que é levada a morar em lugares cada vez mais distantes”, explica Isaac Rodrigues dos Santos, doutorando em geografia humana pela Universidade de São Paulo. Para Caldana, o modelo expansionista dependente de terreno barato ficou insustentável a partir da década de 1990. “Uma coisa é usar essa lógica para uma cidade que tenha oito ou dez quilômetros. São Paulo tem 80 por 70 quilômetros. Os custos de uma metrópole com essas características são ruins tanto para quem paga a conta como para quem vive os problemas do cotidiano. A cidade se torna caríssima e ineficiente.

Para alguns segmentos ela passa a ser perversa, como para o trabalhador que tem que se locomover até três horas para chegar ao seu emprego diariamente”. Uma das mudanças que o novo Plano Diretor Estratégico traz é colocar na agenda da cidade um instrumento metodológico chamado “desenvolvimento orientado por transporte”. Isto é, concentrar os investimentos para as regiões que já contam com uma boa infraestrutura de transporte. O urbanista destaca que, apesar de ser difícil prever os rumos do mercado imobiliário, é de esperar grandes investimentos próximos dos corredores de transporte como a Avenida Rebouças e a Consolação. Um destaque especial deve ser dado para as proximidades da Radial Leste e, mais ainda, para a Avenida Santo Amaro e sua continuação, a Avenida João Dias. Segundo Isaac Rodrigues, o distrito de Santo Amaro está se transformando em uma continuação do principal centro financeiro

paulistano, a Berrini. Por isso, espera-se uma forte valorização deste território. Porém, isso não é reflexo do Plano Diretor, mas sim de outras políticas que foram moldando o mercado imobiliário. Para além do PDE, as transformações imobiliárias são influenciadas por fatores distintos, como as obras do metrô, que impactam diretamente o mercado, mas não seguem a agenda do município. Apesar da preferência pelo adensamento, o plano não é capaz de frear os processos de expansão que já vem acontecendo na cidade. Para Caldana, uma das grandes inovações do PDE atual é a inclusão do cidadão comum nas discussões sobre o espaço em que ele vive, com a participação de vários conselhos de bairros.


48

Imóveis

ESP ECIAL

Momento de decisão Pesquisas em São Paulo e no Rio mostram que o período é favorável para comprar imóveis; já os valores dos aluguéis superaram a inflação

OS BAIRROS MAIS VALORIZADOS DE SÃO PAULO

Perus

Tremembé

Anhangüera Jaraguá

Brasilândia Cachoeirinha Jaçanã Mandaqui

Pirituba Freguesia do Ó

São Domingos

Vila Medeiros Limão Casa Verde

Vila Guilherme

Barra Funda

Lapa

Perdizes Alto de Pinheiros

Jaguaré

Consolação

Pinheiros

Butantã

Rio Pequeno

Bom Retiro Pari Santa Cecília Brás República

Vila Sônia

Morumbi

Belém

Tatuapé

Mooca Bela Vista Cambuci Jardim Liberdade Paulista

Ipiranga

Lajeado

Itaquera

Água Rasa

Vila Prudente

Vila Formosa

Guaianases Cidade Líder Aricanduva

José Bonifácio

Parque do Carmo

Cidade Tiradentes

São Lucas São Mateus

Campo Belo

Iguatemi

Sapopemba

Saúde

Campo Limpo

Artur Alvim

Vila Matilde Carrão

Itaim Bibi

Vila Andrade

S. Miguel Itaim Paulista Vila Jacuí Pta. Vila Curuçá

Penha

Moema

Ponte Rasa

Vila Maria

Vila Mariana Raposo Tavares

Jardim Helena

Ermelino Matarazzo

Cangaíba

Santana

Jaguara Vila Leopoldina

Tucuruvi

Sacomã Cursino

São Rafael

Santo Amaro Jabaquara

Capão Redondo

Jardim São Luís

Campo Grande

Cidade Ademar

Capela do Socorro

Pedreira Jardim Ângela

Temperatura de vendas

ILUSTRAÇÃO: DIVULGAÇÃO

Cidade Dutra

maior preço Jardim Paulista Morumbi Grajaú

Campo Grande Pirituba Parelheiros

Vila Prudente Vila Andrade Raposo Tavares menor preço Marsilac

Fonte: Imóvelweb

CEO DO IMOVELWEB, um dos maiores portais imo-

biliários do Brasil, Leonardo Paz observa que os preços para venda em São Paulo não registraram grandes sobressaltos. “Nos últimos 12 meses, inclusive, as pequenas variações não superaram os principais indicativos do mercado, como dólar, inflação (IPCA15) e Ibovespa, o que indica que existem boas oportunidades para quem deseja investir em imóveis, com visão de longo prazo, ou realizar o sonho da casa própria”, explica Paz. Em contrapartida, a variação dos valores para locação superou a inflação nesse mesmo período. “Isso se dá ainda pela alta demanda. Acreditamos que, com a estabilização da economia, esta tendência tende a se neutralizar. Com mais dinheiro no bolso e facilidades para a obtenção de crédito para financiamento, o aumento da demanda pela compra deve provocar uma desaceleração nos valores para locação na região”, afirma o CEO. Em São Paulo, no mês de maio, o preço médio de compra do metro quadrado registrou uma média de R$ 6.005,00/m2, com aumento de 0,1% no mês. Em 2019, os preços acumularam alta de 0,4%, enquanto nos últimos 12 meses registraram queda de 0,4%. O cenário geral é de preços estáveis. Os bairros mais valorizados na capital paulista foram Ibirapuera, Jardins e Vila Nova Conceição, com preços médios do metro quadrado variando entre R$ 17.305 (Vila Nova Conceição) e R$ 19.658 (Ibirapuera). Em relação ao aluguel, em maio o preço médio de um apartamento padrão de 65 m², 2 dormitórios e 1 vaga de garagem foi R$ 1.795/mês, com acréscimo de 0,5%. O aumento em 2019 foi de 2,9% abaixo do IGP-M e acima da inflação. De acordo com os levantamentos do portal, hoje são necessários 17,5 anos de aluguel para recuperar o investimento da compra, 5,6% menos que um ano atrás. Já o cenário do Rio de Janeiro é um pouco diferente: no quesito compra, os preços dos imóveis caíram de janeiro a agosto de 2018, e desde então se estabilizaram. Os bairros com preços mais elevados são Leblon (R$ 21.686 o metro quadrado), Ipanema (R$ 20.049) e Gávea (R$ 15.915). O preço médio do aluguel de um apartamento padrão é R$ 1.474 por mês, acumulando uma queda de 3% em doze meses. O Leblon é um dos bairros mais caros para compra e aluguel – nesse último, o preço é de R$ 4.115 mensais. Segundo o estudo, são necessários 25 anos de aluguel para recuperar o gasto com a compra do imóvel.


ESP ECIAL

Imóveis

FOTOS DIVULGAÇÃO

50

Bonito e sustentável Aquecimento solar, iluminação natural, telhado verde e aproveitamento da vegetação local são algumas das soluções da arquitetura consciente, que já tem bons exemplos no Brasil

POR CHANTAL BRISSAC

CRIAR ESPAÇOS que não sejam apenas bonitos

e funcionais, mas que também tragam benefícios como redução da temperatura, economia de água e de energia, melhora da qualidade do ar e do bem-estar, além de respeitar os ecossistemas nativos. Esses são alguns dos princípios da arquitetura sustentável, que tem como objetivo elevar a qualidade de vida das pessoas e minimizar os impactos causados ao meio ambiente. Não se trata de um modismo passageiro ou de uma tendência, mas de uma necessidade vital no mundo de hoje. De acordo com dados da Worldwatch

Institute, a construção civil consome de 40% a 75% dos recursos do planeta. No Brasil, cerca de 35% de todos os materiais extraídos da natureza (madeira, metais, areia, pedras etc.) anualmente são usados por esse setor. Além dos recursos naturais utilizados, mais de 50% de toda a energia produzida no Brasil é usada para abastecer casas, edifícios e condomínios. Para evitar o desperdício de matérias-primas, água, energia e o descarte monumental de resíduos, arquitetos e construtores têm trabalhado com afinco

para desenvolver novas e mais inteligentes tecnologias de construção, cada vez mais valorizadas no mercado imobiliário. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) prevê que que, até 2030, a construção de novos prédios sustentáveis deve gerar no mundo mais de 6,5 milhões de postos de trabalho. Muitos prédios já vêm sendo construídos com sistemas de reuso de água cinza (a água dos lavatórios e chuveiros) e equipados com cisternas no subsolo, onde, depois de captada e tratada, a água da chuva será usada para lavagem de áreas comuns. A arquitetura sustentável não adota apenas sistemas construtivos ecologicamente corretos, como o uso de energia solar e eólica; ela também busca a integração com a comunidade local e prioriza as atitudes socialmente justas.

Natureza no ambiente Um condomínio projetado recentemente pelo escritório de arquitetura


FOTOS DIVULGAÇÃO

FOTOS DIVULGAÇÃO

51

Triptyque, conhecido por suas construções sustentáveis, foca na presença do verde. Desenvolvido para a Fazenda da Grama, em Itupeva, no interior de São Paulo, o projeto envolve casas de campo com layouts amplos e arejados, com intenso contato com a natureza e uma tecnologia que dispensa muitas vedações ou divisórias. O verde é levado para dentro de casa por meio das portas e janelas em vidro e pelo pátio central que acomoda um denso jardim. Já a Casa Folha, em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, mostra um trabalho inspirado na arquitetura brasileira indígena. Uma grande folha é o telhado que protege do sol todos os cômodos da casa, assim como os espaços livres entre eles. Essa estrutura armazena a água vinda da chuva e possibilita um ambiente mais fresco a essa casa de praia, construída com madeiras de reflorestamento, madeiras provenientes de antigos postes de luz e tramas de bambu.

O melhor das Américas

Acima, projeto para a Fazenda da Grama, do escritório Triptyque; nesta foto, Casa Folha, em Angra dos Reis

Premiado pelo BREEAM Awards 2018 como o melhor edifício sustentável das Américas, o Centro Sebrae de Sustentabilidade, projetado pelo arquiteto e urbanista José Portocarrero em Cuiabá, faz jus à sua função. Em formato ogival, o edifício foi fundamentado na cultura indígena dos povos do Xingu (especificamente do povo Yawalapiti), que tem casas consideradas exemplares em termos de arquitetura bioclimática. O processo de construção incluiu o reaproveitamento de resíduos (madeiras, pedras etc.) e o projeto se adaptou ao terreno em declive, evitando a terraplanagem e preservando a vegetação nativa. A cobertura em duas cascas, que possibilita o resfriamento interno e a captação de água da chuva, é outro destaque, assim como a instalação de vermicompostagem, que recebe resíduos orgânicos da lanchonete e da poda de árvores e plantas. Além da iluminação, foram implantadas duas microusinas de geração solar fotovoltaica no telhado, reduzindo o consumo de energia elétrica em cerca de 40%. O selo BREEAM está presente em 77 países e já certificou mais de 250 mil edificações em vários continentes.


ESP ECIAL

Imóveis

FOTO DIVULGAÇÃO

52

Expositor da Design Weekend de 2018

Casa nova, décor novo São Paulo sedia em agosto mais uma edição do Design Weekend, com milhares de propostas para você ‘rechear’ sua casa com estilo

POR KIKE MARTINS DA COSTA

NESTE MÊS, São Paulo será a capital lati-

no-americana do design e da decoração. É que, entre os dias 18 e 25, acontece a 8ª edição do Design Weekend, com mais de 300 eventos nas atividades programadas para 130 espaços distribuídos pela cidade toda, do SP Expo (no Jabaquara) ao Mosteiro de São Bento (no Centro). Será uma oportunidade única para quem busca inspiração para “rechear” com muito estilo a sua casa. Os eventos âncoras do DW2019 são a

feira High Design e o Conad (Congresso Internacional de Designers de Interiores), que se realizam simultaneamente no SP Expo, a exposição Modernos & Eternos (no Mosteiro de São Bento) e a Feira Made (Mercado, Arte & Design) e o fórum BoomSPDesign, que ocuparão conjuntamente o Pavilhão da Bienal. Palestras, workshops e festas vão agitar vários outros espaços, como o Istituto Europeo de Design e a Escola Panamericana de Artes. Na loja de tapetes By Kamy, a exposição “Insieme” (juntos, em italiano) reúne artistas do mundo inteiro, formados e estudantes do Politécnico de Milão – referência mundial na formação de designers, arquitetos e engenheiros –, para traduzirem o Brasil. As peças refletem a imagem que o Brasil tem no olhar de criadores do Paquistão, da China, da Índia e da Itália. A Novo Ambiente, loja referência em móveis com design assinado, expõe durante o DW2019 peças criadas pelo designer Bruno de Carvalho, como o balanço de couro Sela, que mistura tradições rurais e referências minimalistas.

No Centro Universitário Belas Artes, a Bertolucci promove a exposição “B de Brasil”, com luminárias desenvolvidas por estúdios potiguares, paulistas, goianos e catarinenses a partir da obra de grandes artistas nacionais como Tunga, Hélio Oiticica, Lygia Clark, Waltércio Caldas e Amílcar de Castro. Para o Museu da Casa Brasileira, a Dona Flor Mobília criou uma instalação batizada “Chuva de Cordas”, assinada pelo designer Sérgio Matos em homenagem às chuvas e aos povos indígenas da Amazônia. No Conad, a temática será a “Tecnologia da Emoção”, e a ideia é mostrar como as inovações estão diretamente ligadas e conectadas ao design e ao nosso dia a dia, seja por meio de produtos, experiências e projetos. Na High Design, empresas expõem móveis de alto padrão e soluções para projetos de arquitetura e design de interiores, para residências e também para escritórios. Acesse o site do evento (designweekend. com.br) e confira a programação completa da edição de 2019.


A arte da culinária italiana. Reserve e conheça: www.trebicchieri.com.br Av. Juscelino Kubitschek, 2041 loja 110 – Piso térreo


54

ESP ECIAL

Imóveis

FOTO DIVULGAÇÃO

Projeto do condomínio Vintage Senior Residence, da Cyrela, em Porto Alegre

Envelhecimento saudável Casas e apartamentos podem ser adaptados para idosos e condomínios surgem planejados especialmente para essa população

POR PAULA CALÇADE QUANDO UM CASAL JOVEM ou uma família

recém-formada compra um imóvel, é comum que não pense que poderá passar décadas por ali. Os novos proprietários tampouco se imaginam idosos naquele espaço. A casa é motivo de felicidade imediata e um plano para o futuro recente. Mas podemos passar muitos anos dentro de uma mesma residência. Ao nascer, em 2019, a expectativa de vida das mulheres já é de 80 anos e a dos homens de 73, segundo o IBGE. O

ambiente precisa ser funcional para o envelhecer e, quando esse espaço não atende necessidades antes inimagináveis e não pode mais ser adaptado, opções de instituições de longa permanências para idosos (ILPIs) e condomínios surgem como alternativas. Camilla Vilela é gerontóloga e fundou a empresa 60 + Consultoria, que presta serviços de adaptação e planejamento de imóveis para idosos. “O primeiro passo é entender a dinâmica dessas

pessoas, depois vemos como essa rotina se aplica no espaço e como o lugar está configurado”. Ao lado do arquiteto, ela avalia as adequações que serão necessárias a partir dessa análise. “Na maioria dos casos, reformas de pequeno porte já são suficientes”, explica. Entre algumas das adaptações possíveis, os armários precisam ficar na altura das pessoas, o piso não pode ser muito liso, a preferência é para cadeiras com braços, geladeiras devem ser novas e com descongelamento mais fácil, barras nos banheiros são necessárias para evitar quedas e as saboneteiras devem ser colocadas em lugares de fácil acesso. As pessoas mais velhas têm uma relação especial com suas casas, pelas várias décadas passadas ali. Além do conforto e da segurança, é importante garantir que objetos como porta-retratos e livros permaneçam nesses espaços, porque produzem memória. Quem lembra desse importante ponto é a arquiteta e professora do curso de Gerontologia da USP, Maria Luísa Bestetti. “Quando os idosos são ativos é sempre melhor adaptar a casa ou transferir esse universo pessoal para um novo imóvel. A mudança para uma instituição de longa permanência deve ser feita apenas para casos bem específicos”. A ideia de morar com pessoas da mesma faixa etária, mas sem abrir mão do conforto, da independência e da gestão de sua própria vida, tem levado idosos do mundo todo a buscar – e muitas vezes a projetar – empreendimentos especiais. Este foi o caso do Convivir, condomínio criado na Espanha por um grupo de pessoas de profissões diversas, com idade entre 46 e 90 anos. Dirigido por uma cooperativa, o projeto, uma espécie de cohousing sênior, permite otimização de custos e um dia a dia movimentado, com atividades como teatro, aulas de dança, palestras e eventos. No Brasil, projetos desse tipo ainda são raros. O pioneiro nesse conceito é


55

a Vila ConViver, em Campinas, formada por 52 associados acima de 50 anos. “Hoje estamos diante de um sonho possível: a opção de escolher onde, como e com quem desejamos envelhecer. Nosso diferencial é a criação de um rico ambiente social, o estímulo ao acolhimento e à solidariedade mútua", diz o professor Bento da Costa Carvalho Junior, um dos moradores e coordenadores da Vila ConViver. Incorporadoras já começam a ficar de olho nesse nicho, bastante promissor. O empreendimento Vintage Senior Residence, da Cyrela, em Porto Alegre, foi desenhado para atender clientes com mais de 60 anos. O projeto conta com piso táctil e antiderrapante, elevador com capacidade para maca, câmeras de monitoramento, além de espaço para aulas de yoga, ginástica e atividades culturais. Os 120 apartamentos têm banheiros acessíveis, acionamento rápido de emergência e até enfermeiros de plantão, inclusos no valor do condomínio. O preço do imóvel com 42 metros quadrados começou a ser vendido em 2018 por R$ 550 mil.

Asilo deveria ser coisa do passado

FOTOS DIVULGAÇÃO

Maria Luísa afirma que a maioria das instituições de idosos no país ainda carrega estruturas e serviços como os dos asilos de antigamente, onde as pessoas vivem em

uma realidade hospitalar. “O morador é até chamado de paciente e interno pelos funcionários. Isso não é positivo, estamos vivendo uma fase de transição das terminologias também”, ela afirma. Para superar os corredores parecidos com os de hospitais e os ambientes pouco estimulantes, surgem opções alinhadas com o que é envelhecer nos dias de hoje. Em um espaço agradável, a instituição Terça da Serra, em Jaguariúna (SP), criada pela geriatra Joyce Caseiro, cobra a partir de R$ 4 mil reais mensais por cada hóspede. “Respeitamos a individualidade de cada hóspede, mantemos atividades de interação em grupo e estimulamos a proximidade com os familiares”, diz Joyce. A professora Maria Luísa lembra que é preciso avaliar a quantidade de funcionários, a acessibilidade do espaço e, principalmente, se o envelhecimento está acontecendo em uma comunidade ou coletivo familiar e desejado. “Para que os idosos não estejam isolados socialmente, vizinhos e amigos são muito importantes, tanto ou mais do que barras de apoio”, enfatiza. O mais relevante, então, é realmente não envelhecer sozinho. Abaixo, o Terça da Serra, em Jaguariúna; à direita, no detalhe, Villa Sofia, no Rio de Janeiro

Conforto e equipes multidisciplinares Com estrutura de hotel, as novas casas de repouso oferecem atividades e enfermagem 24h por dia:

Residencial Santa Cruz, em São Paulo Tem serviços de hotelaria e salão de beleza; atividades físicas no solo e na piscina; acompanhamento nutricional, psicoterapia e bosque para caminhadas. A partir de R$ 8 mil mensais.

Conficare, em São Paulo Os quartos compartilhados podem ser duplos, triplos ou quádruplos e o valor começa em R$ 5 mil mensais. Para os individuais, idosos com grau leve de dependência pagam a partir de R$ 8 mil. Salas de TV e leitura e atividades em grupo são alguns dos serviços oferecidos.

Villa Sofia, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro A vista e a arquitetura são privilegiadas pelas belezas naturais. Oferece consulta médica semanal, cardápios elaborados por nutricionistas, enfermeiros de plantão 24 horas por dia e ambientes para ginástica ao ar livre. Os preços para quartos individuais começam em R$ 5 mil.


Quando estiver em São Paulo venha conferir. Não dá pra não ir.

Veja SP Veja SP

QUANDO TUDO ESTIVER PRONTO Sextas, às 21h30 - Sábados e Domingos, às 20h

1 MILHÃO DE ANOS EM 1 HORA Sábados, às 22h

VAMOS FALAR DE AMOR, AMOR? Quintas, às 21h

DESAFIOS MÁGICOS #RELATIVIDADES Sextas, às 23h59 - ESTREIA 23/08

Veja SP Guia da Folha

O PEQUENO PRÍNCIPE Sábados e Domingos, às 16h

SIMPLESMENTE CINDERELLA Sábados e Domingos, às 17h40 Apoio

Verifique na porta do teatro a classificação indicativa de todas as peças em cartaz. Alvará Corpo de Bombeiros - 18/01/2021 e Alvará Municipal - processo 2014-01.130.552-7

Patrocínio

Realização


AGO 2019

AGENDA

29h

P R O G R A M A S PA R A TO DA S A S H O R A S D O M Ê S

DRAMA MEXICANO COM CAPA E ESPADA

FOTO DIVULGAÇÃO

O espetáculo musical “Zorro Nasce uma Lenda”, estrelado por Bruno Fagundes, Letícia Spiller e Marcos Mion, é a atração no Rooftop Santander pág. 63

DANÇA

RESTAURANTE

EXPOSIÇÃO

CINEMA

Grupo Corpo homenageia Gilberto Gil pág. 60

Kuro Sushi serve sensacionais banquetes omakasê pág. 64

Sebastião Salgado e sua mina de ouro pág. 66

“Yesterday” pira num mundo sem os Beatles pág. 68


58

1

Age nd a 29h

quinta

Espaço & matéria MANHÃ O Instituto Tomie Ohtake recebe uma exposição gratuita com obras do consagrado escultor catalão Julio González. A mostra reúne 70 peças, entre esculturas, desenhos, pinturas e fotos do artista, amigo de Picasso. F Rua Coropés, 88, tel. 2245-1900.

Admirável Mondo novo TARDE O Mondo Gastronômico, do chef italiano Salvatore Loi em sociedade com o restaurateur Lalo Zanini, está com novidades no cardápio. Entre elas, o ravioli recheado de ricota com raspas de limão emolho de camarões, e o filé Chateaubriand em crosta de ervas. F Rua Oscar Freire, 30, Jardins, tel. 3061-2787.

Acelera! NOITE Estreia o longa “Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw”, derivado da franquia que já soma oito filmes de sucesso. A trama é centrada no policial Luke Hobbs (Dwayne Johnson) e sua caça ao assassino profissional Deckard Shaw (Jason Statham).

POR KIKE MARTINS DA COSTA

2

sexta

Recorte & cole A Doxx Art Gallery apresenta somente até amanhã a exposição “Conciliação”, com obras de Camilla Bologna e de Giovana Grigolin. As duas jovens artistas exibem suas colagens e sobreposições de temas. F Rua Purpurina, 89, tel. 2679-0260. MANHÃ

Vegan burger TARDE À frente da hamburgueria sustentável Muda Organic Burger & Bar, o empresário Fábio Frugolio oferece saborosos hambúrgueres veganos com recheio concebido pela start-up Behind the Foods, que desenvolveu uma “carne” à base de batata, jaca e goma xantana, que se assemelha à bovina. F Av. Brig. Faria Lima, 2.885, tel. 3078-2293.

Whitney vive! NOITE O espetáculo “Whitney - Queen of the Night” é a atração de hoje à noite no Espaço das Américas. Após estrear no West End londrino e rodar o mundo, a montagem traz Elesha Paul Moses no papel de Whitney Houston. Ingressos de R$ 70 a R$ 360. F Rua Tagipuru, 795, tel. 3868-5860.

3

sábado

Patrimônio líquido MANHÃ Somente até amanhã, a Japan House apresenta a exposição “Fluidez”, instalação que tem assinatura do estúdio de inovação criativa W0W e tem como ponto de partida o

movimento das águas e de pequenas partículas, que se assemelham às dinâmicas dos elementos vivos. Entrada gratuita. F Avenida Paulista, 52, Paraíso, tel. 3090-8900.

Temakeria modelo TARDE

A Temakeria e

Cia acaba de inaugurar uma flagship store em Pinheiros. Com 200 m2 e capacidade para mais de 100 pessoas, a unidade tem diferenciais como uma carta de drinques à base de saquê importado e um rooftop com estilo aconchegante. F Rua dos Pinheiros, 714, Pinheiros, tel. 3624-9569.

Abelha rainha NOITE Maria Bethânia sobe hoje ao palco do Credicard Hall para cantar e encantar com seu mais novo show, “Claros Breus”. A diva baiana interpreta músicas novas de Lenine, Suely Costa e Caetano Veloso, além de uma composição já conhecida de Chico Buarque, porém inédita na sua voz. A direção e a cenografia têm a assinatura de Bia Lessa. Ingressos de R$ 50 a R$ 750. F Avenida Nações Unidas, 17.955, Santo Amaro, tel. 4003-5588.


kikecosta@uol.com.br

4

domingo

5

6

segunda

Clássico e moderno

Arte livre MANHÃ A artista Helena Carvalhosa apresenta a exposição individual “Sem Título, Sem Data” na Galeria Millan. A mostra reúne 20 telas a óleo e suas pinturas registram paisagens. F Rua Fradique Coutinho, 1.360.

O Uomo Salvatore Ferragamo, fragrância masculina da sofisticada grife italiana, tem um sedutor mix de ingredientes como pimenta preta, cardamomo e bergamota. Cada frasco custa R$ 257,59 no americanas.com.br. MANHÃ

Glutenfree pie TARDE A novidade no cardápio do Na Tortinha é a torta de frango sem glúten e sem lactose, feita de massa de grão de bico com gergelim e creme de milho. Cada fatia custa R$ 23, e, se for acompanhada de salada, sai por R$ 33. F Rua José Otaviano Soares, 71, Brooklin, tel. 2924-1783.

Brasil no prato TARDE O projeto Fartura – Comidas do Brasil ganha este fim de semana mais uma edição no Jockey Club. Reunindo renomados cozinheiros e produtores de todo o país, o evento tem também shows musicais. Participam chefs como Marcelo Correa Bastos (SP) e Helena Rizzo (SP). Ingressos a R$ 35. F Avenida Lineu de Paula Machado, 1.263, Cidade Jardim.

MANHÃ Os franceses conhecem como ninguém os segredos da panificação e da confeitaria. Aproveite esse know-how e inscreva-se no curso de Boulangerie e Viennoiserie da escola Le Cordon Bleu, que se inicia hoje. Nele, os alunos aprendem técnicas e fundamentos para preparar variedades de pães salgados e doces. As turmas têm 16 alunos no máximo e muitas aulas práticas. F Rua Natingui, 862, 1º andar, Vila Madalena, tel. 3185-2500.

Auto-estima é tudo!

Almoço praiano

O Theatro São Pedro apresenta até o dia 11 “L’Italiana in Algeri”, ópera de Gioachino Rossini. Em dois atos, conta a história de uma mulher sequestrada por berberes (povos do norte da África). F Rua Barra Funda, 171, tel. 3661-6600.

Durante a semana, a Creperia N’Areia oferece boas sugestões na hora do almoço. Segunda é dia de crepe de frango com requeijão, tomate seco e mozzarella; quarta tem crepe de camarão com requeijão e, toda sexta, a pedida é o crepe de brócolis

NOITE

terça

Mão na massa

TARDE

com alho, requeijão, mozzarella e bacon. F Rua Wisard, 179, Vila Madalena, tel. 3032-4790.

Tequila premium NOITE Desenvolvida pelos renomados bartenders Dre Masso e Henry Besant junto com o mestre

tequileiro Jesús Hernández, a Tequila Altos é perfeita para o preparo de diversos drinques. A versão Reposado, envelhecida em barris de carvalho, tem sabor suave e levemente amadeirado. Cada garrafa de 750 ml custa R$ 139,90 no site americanas. com.br.

Novidades etílicas NOITE O time de mixologistas do bar Trabuca agora é formado por Fernando Spolaor, Denilson Saldanha e Vinícius Gomes. A nova carta de drinques tem como destaques o Black Industrial (com carvão ativado) e o White Color, feito com pisco, saquê, suco de abacaxi grelhado e leite condensado vegano. F Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1.444, Itaim, tel. 3044-7060.


60

7

Age nd a 29h

quarta

Marepe na Pinacoteca MANHÃ A Pina Estação apresenta até 28 de outubro a exposição “Marepe: Estranhamente Comum”, com cerca de 30 obras do artista baiano que evocam poeticamente

POR KIKE MARTINS DA COSTA

uma memória pessoal e um universo onírico. Entrada gratuita. F Largo General Osório, 66, 4º andar, Luz, tel. 3335-4990.

Miojo burger NOITE Após o sucesso de venda do Ramen Burger na edição brasileira

do Smorgasburg, o Vinil Burger segue vendendo o sanduba montado com lámen no lugar do pão, além de hambúrguer bovino, molho agridoce e acelga fatiada. Cada um custa R$ 27. F Rua Dr. Melo Alves, 445, Jardins, tel. 4328-0555.

Menu incomum TARDE O chef Victor Dimitrow, do restaurante Petí Gastronomia, traz coadjuvantes para o centro da mesa. Seu cardápio tem como inusitados destaques a salada de quiabos vermelhos com gergelim e vinagrete de especiarias brasileiras, o crocante de legumes com curry verde, iogurte de leite de coco e cogumelos eryngi grelhados (opção vegetariana) e o nhoque carbonara (de semolina, com gema curada, molho de queijo Tulha e guanciale). F Rua Cotoxó, 110, Perdizes, tel. 3873-0099.

8

quinta

Azeite mineiro Os azeites extra-virgens Borriello são elaborados na cidade de Andradas, com azeitonas das variedades Arbequina, Arbosana, Koroneiki, Frantoio e Grappolo cultivadas na Serra da Mantiqueira. À venda na Casa Santa Luzia. F Al Lorena, 1.471, tel. 3897-5000. MANHÃ

Melhor de dois mundos TARDE O longa de animação “Voando Alto” é uma produção alemã que entra em cartaz nos cinemas hoje para falar da rivalidade entre as várias espécies de aves. O personagem principal é Manou, um pássaro que é expulso de seu bando.

Dança brasileira NOITE A 16ª Temporada de Dança do Teatro Alfa começa hoje com a apresentação do Grupo Corpo. Até o dia 14, a companhia mineira exibe duas coreografias: “7 ou 8 Peças para um Balé” (de 1994) e a inédita “Gil”, criada por Rodrigo Pederneiras a partir de canções de Gilberto Gil. Ingressos de R$ 75 a R$ 190. F R. Bento Branco de Andrade Filho, 722.

9

sexta

Instável equilíbrio MANHÃ Até o dia 10, a Galeria Fortes D’Aloia & Gabriel apresenta a exposição “Reminiscências”, com aquarelas e esculturas de Claudio Bevilacqua que exploram a tensão entre instabilidade e equilíbrio. F Rua Fradique Coutinho, 1.500, tel. 3032-7066.

Perto do fogo TARDE O recém-inaugurado restaurante Côl (referência a “coal”, carvão em inglês) tem como especialidade os frutos do mar preparados na grelha ou no forno a carvão. Além de vários espetinhos em estilo robata, o menu oferece pratos como a cascata de lagostas no carvão com manteiga de ervas e arroz de jasmim. F R. Manuel Guedes, 369, tel. 3071-0482.

Made in 1999 NOITE A banda Titãs sobe ao palco do Credicard Hall hoje para mais uma apresentação do show que celebra os 20 anos do álbum “Acústico”. O repertório revisita hits de Branco Mello, Tony Belotto e Sergio Britto. F Av. das Nações Unidas, 17.955, Santo Amaro,tel. 4003-5588.


kikecosta@uol.com.br

10

sábado

Canivete pro papai Amanhã é Dia dos Pais, e um bom presente é um canivete suíço da Victorinox. Com o tema Comidas do Mundo, a nova coleção Classic Limited Edition homenageia alimentos como o hambúrguer. Cada um custa R$ 145 no site victorinoxstore.com.br. MANHÃ

Doce deleite TARDE Produzido em Pouso Alegre (MG), o doce de leite Rocca virou mania entre os paulistanos. Menos doce e mais cremoso do que os tradicionais doces caseiros, ele é produzido lentamente, sem conservantes ou aditivos químicos. Pode ser encontrado em lojas como o Empório Quitandarte. F Rua Joaquim Antunes, 391, tel. 2384-9439.

Sem radicalismos O espetáculo “Nem Sim Nem Não – Uma Peça de Teatro Infantil que Ninguém Pediu”, escrito e interpretado por Graziella Moretto e Pedro Cardoso, é a atração de hoje no Teatro MorumbiShopping. Ingressos a R$ 60. F Av. Roque Petroni Jr., 1.089, tel. 5183-2800. NOITE

11

domingo

12

segunda

Cantinho feliz

Bikes welcome

O Museu Mais Doce do Mundo Bauducco recebe a garotada. Lá, os visitantes poderão entrar em uma piscina de marshmallows ou acompanhar uma esteira de cookies. Ingressos a R$ 60. F Rua Colômbia, 157, Jardim América.

MANHÃ Para oferecer conforto e segurança para os ciclistas que utilizam a ciclovia da Avenida Paulista, o Shopping Pátio Paulista inaugurou um

MANHÃ

Empanadas brasileiras TARDE As empanadas da La Guapa, da chef Paola Carosella, agora podem ser devoradas no piso Pacaembu do Shopping Pátio Higienópolis. Prove a Mineira, com massa de flocos de quinoa e azeite e recheio de taioba, ora-pro-nóbis, ricota e ovo caipira. Outra boa pedida é a Julieta, de requeijão de corte e goiabada cascão. F Rua Dr. Veiga Filho, 133, tel. 3823-2973.

Pilantragi NOITE Estreia neste fim de semana nos cinemas o filme “Simonal”, biografia do cantor de sucessos como “Meu Limão, Meu Limoeiro”, “País Tropical” e “Nem Vem Que Não Tem”. A direção é de Leonardo Domingues, e o elenco é encabeçado por Fabrício Boliveira, Ísis Valverde e Leandro Hassum.

bicicletário. Ele fica no piso G1, conta com 62 vagas, sendo três para bicicletas elétricas com cabo para recarregar. F Rua Treze de Maio, 1.947 , Paraíso.

Veganices TARDE Acaba de ser inaugurada a 1ª unidade

brasileira do PlantMade, restaurante do chef californiano Matthew Kenney, que possui mais de 25 estabelecimentos pelo mundo. No menu, destaque para a lasanha raw, dos doces vegan. F Praça Vilaboim, 111, Higienópolis.

Charmoso segredo NOITE Os speakeasies, que surgiram durante o período da Lei Seca, na década de 1920, viraram mania em São Paulo. O mais novo funciona no porão do restaurante MiCi, tocado pelas sócias Michele Reis e Cintia Piubelli. Em seu salão minúsculo e aconchegante são servidos ótimos drinques como o Beta (à base de tequila, abacaxi, Cointreau e beterraba) e petiscos como o mil-folhas de queijos artesanais com toque de mel. F Rua Min. Ferreira Alves, 244, Pompeia, tel. 3871-5294.


62

Age nd a 29h

13

terça

Arte alinhada A exposição “A Linha como Direção”, em cartaz na Pina Estação, reúne 12 esculturas e relevos que se baseiam no uso da linha. Entre elas, obras de artistas como MANHÃ

POR KIKE MARTINS DA COSTA

Sérvulo Esmeraldo e Iole de Freitas. Entrada gratuita. F Largo General Osório, 66, Luz, tel. 3335-4990.

Cremoso & tentador TARDE O Choco Chaud, da Chocolat du Jour, é o único pó para

chocolate quente com lasquinhas de chocolate e que vem acompanhado de uma colher coberta com chocolate, que vai derretendo enquanto mistura a bebida, deixando-a ainda mais cremosa. F R. Haddock Lobo, 1.421, tel. 3168-2720.

Viaggio à Sicília NOITE O restaurante Casa Santo Antônio realiza até o dia 25 a 5ª edição do Mappa d’Italia, festival que apresenta para o público os sabores das diferentes regiões italianas. O tema desta vez é a Sicília,e o menu com cinco etapas custa R$ 136 por pessoa (sem as bebidas) e inclui delícias como o carpaccio de peixe com molho de limão, a paleta de cordeiro ao vinho Marsala e o pudim de pistache com calda de baunilha. F Avenida João Carlos da Silva Borges, 764, Granja Julieta, tel. 4328-6205.

14

quarta

15

quinta

Mais que café

Alex no museu MANHÃ O Museu Lasar Segall recebe a exposição gratuita “Alex Cerveny: Palimpsesto”. A mostra apresenta um panorama do trabalho gráfico do artista que iniciou sua trajetória trabalhando com gravura e impressão. Reúne um conjunto de 44 gravuras e 16 matrizes. F Rua Berta, 111, tel. 2159-0400.

Japa no estádio TARDE O restaurante japonês by Koji, instalado dentro do estádio do Morumbi, aposta em receitas quentinhas para este inverno. O destaque é o Udon, macarrão espesso de farinha de trigo em caldo quente de shoyu e saquê. F Praça Roberto Gomes Pedrosa, 1, portão 4, Morumbi.

Mar de drinques O Praia Bar é a prainha da bartender Talita Simões. A casa oferece bons drinques a preços acessíveis. Exemplo disso é o Coqueiro (R$ 26), que mistura rum, Cointreau, mate e xarope de yuzu. Para beliscar, peça o hommus de beterraba. F Av. Brig. Faria Lima, 272, tel. 99369-1162. NOITE

MANHÃ No quintal da loja Pinga funciona o Café Semente. Comandado pela equipe do vizinho restaurante Tavares, é uma ótima opção para quem busca uma salada caprichada e, claro, de cappuccinos e espressos bem tirados. F Rua da Consolação, 3.378, tel. 4179-3676.

Japa manezinho TARDE Sucesso em Florianópolis, o Noma Sushi chega a São Paulo. Do cardápio assinado pelo criativo chef Rafael Portes, vale apostar nas vieiras, ostras, ouriços, peixes e siris moles trazidos de Santa Catarina. Prove o futomaki de siri mole da costa da lagoa, com ovas massago e calda quente de lichia. F R. Padre João Manuel, 1.050, tel. 2640-3358.

Educação musical NOITE Até o dia 1º de setembro, “Escola do Rock, o Musical” é a atração do Teatro Santander. O elenco reúne 63 atores, sendo 42 crianças, no palco. Ingressos de R$ 75 a R$ 155. F Avenida Pres. Juscelino Kubitschek, 2.041, Vila Olímpia, tel. 4810-6868.


kikecosta@uol.com.br

16

s exta

Paroxismo rotineiro MANHÃ “Oxímoro” é o nome da exposição de obras sobre o cotidiano paulistano feitas com a técnica do “pinhole” pelo fotógrafo Antonio Saggese. Em cartaz na Biblioteca Mario de Andrade. Entrada gratuita. F R. da Consolação, 94, Centro, tel. 3775-0020

17

sábado

Arte linear Júlio Villani expõe suas obras até o dia 24 na galeria Raquel Arnaud. A mostra “Alinhavai” reúne desenhos, pinturas, bordados, objetos, esculturas, brinquedos e colagens que envolvem MANHÃ

o espectador pela linha, um elemento tão presente e constante em sua obra. F Rua Fidalga, 125, Vila Madalena, tel. 3083-6322.

Pérola negras TARDE A esperada Temporada de Trufas Negras do restaurante Vinheria Percussi fica

em cartaz até o final do inverno nos almoços e jantares do restaurante comandado pela chef Silvia Percussi. O ingrediente aparece em pratos tentadores como o risotto de queijo taleggio. F Rua Cônego Eugênio Leite, 523, Pinheiros, tel. 3064-4094.

Ficção & realidade NOITE Estreia este fim de semana nos cinemas o aguardado novo filme do diretor Quentin Tarantino. Estrelado por Brad Pitt e Leonardo DiCaprio, “Era Uma Vez em... Hollywood” é ambientado em 1969 e conta a história de um ator de TV que, junto com seu dublê, topa qualquer coisa para ficar famoso. Só que os dois acabam se metendo nos crimes perpetrados pelo serial killer Charles Manson - entre eles o da atriz Sharon Tate (vivida por Margot Robbie), que estava grávida do polonês Roman Polanski.

Prazeres carnais TARDE O Menu de Inverno do Ladrillo Parrilla custa R$ 109 e inclui entrada, prato principal e sobremesa. O cliente pode começar sua refeição com a sopa creme de mandioquinha com espinafre e depois pode se jogar em cortes como o bife ancho com batata hasselback e molho chimichurri (foto). Na sobremesa, aposte nos churros. F Alameda Pavão, 454, Moema, tel. 3562-6499.

Mascarado sedutor NOITE O Rooftop do Teatro Santander recebe uma versão do musical “Zorro – Nasce Uma Lenda”. Inspirado na obra da chilena Isabel Allende, o espetáculo é dirigido por Ulysses Cruz. Ingressos de R$ 75 a R$ 200. F Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2.041.

18

domingo

Banquete iorubá MANHÃ O Sesc Ipiranga apresenta “Ounje - O Alimento dos Orixás”, uma imersão artística na culinária e na cultura das religiões afro-brasileiras. A experiência tem a colaboração da chef Bel Coelho. Entrada gratuita. F Rua Bom Pastor, 822, tel. 3340-2000.

Fino & acessível TARDE A Jeronimo Burger, do mesmo grupo do Madero, acaba de inaugurar uma unidade numa galeria que liga as avenidas Angélica e Consolação. Com preços acessíveis, tem como carro-chefe o cheeseburguer. F Avenida Angélica, 2.529, Consolação, tel. 2362-5086.

Não é mentira! NOITE Pizzas individuais e massas frescas fazem sucesso nas noites do Pinocchio Cucina. Da cozinha comandada pelo chef Marcelo Mussi saem redondas caprichadérrimas (como a Carbonara) e boas massas, como o nhoque com fonduta de queijo. Outra atração da casa é o Hambúrguer Di Geppetto, preparado com carne bovina da raça Bonsmara. F Alameda Tietê, 140, Jardins, tel. 3060-8392.


64

Age nd a 29h

19

segunda

Design Weekend 1 MANHÃ Até o dia 21, o Pavilhão da Bienal recebe mais uma edição do SP Boom Design. O evento promove a cultura do design e da arquitetura. F Av. Pedro Álvares Cabral, s/ nº,Ibirapuera.

POR KIKE MARTINS DA COSTA

20

terça

Franco-italiana Apesar do nome, a Padoca Di Napoli tem uma decoração que remete aos cafés franceses. Além de uma boa variedade de pães, tem também bolos, doces, omeletes e MANHÃ

sandubas, que podem ser consumidos com cafés, sucos ou vitaminas. F Avenida Rouxinol, 214, Moema, tel. 2507-3764.

Quarta dimensão TARDE Os fãs de super-heróis, games e jogos de tabuleiro

se sentem em casa no Coletivo Geek, espaço com 5 andares que abriga lanchonete e lojas dedicadas à cultura pop, com itens que vão desde HQs, camisetas e bonecos colecionáveis. F Alameda dos Nhambiquaras, 2.013, Moema, tel. 99808-2484.

Banquete nipônica NOITE No balcão do Kuro Sushi, os apreciadores da comida japonesa de qualidade deliram com o omakasê – jantar nipônico em que o comensal experimenta as maravilhas que o chef cria na hora. Com 13 a 21 etapas, custa de R$ 260 a R$ 350 por pessoa e inclui sushis elaborados com arroz importado do Japão e peixes fresquíssimos, além de tiras de wagyu, nacos de foie gras, ostras in natura e guiozas recheados de carne de pato, entre outras maravilhas. F Rua Padre João Manoel, 712, Jardins, tel. 3062-5241.

Cave no Pacaembu TARDE Com 108 anos de história na elaboração de vinhos e espumantes, a Salton acaba de inaugurar a Enoteca Família Salton. No espaçoso ambiente, os visitantes têm à disposição o portfólio da vinícola (incluindo os recém-lançados rótulos da linha Domenico) e também podem conhecer um pouco mais sobre o universo do vinho. F Avenida Pacaembu, 1.911, Pacaembu, tel. 2281-3300.

Vodca potiguar NOITE Criada pelo empresário Mário Bulhões, a Voa – Vodca Original Artesanal é produzida no interior do Rio Grande do Norte. Destilada seis vezes, ela é livre de impurezas e possui delicados sabores. Cada garrafa de 750 ml custa R$ 99 na bebidainbox.com.br.

21

quarta

Design Weekend 2 MANHÃ Até o dia 23, o centro de convenções SP Expo recebe mais uma edição do High Design – Home & Office Expo, feira focada em soluções para projetos de arquitetura e design. F Rodovia dos Imigrantes, km 1,5, Jabaquara.

Loucura proteica TARDE Raul Lemos, vice-campeão da 2ª temporada do “MasterChef”, ficou conhecido por suas receitas de carne louca, que podem ser encontradas no restaurante Crazy Beef. F Rua Mourato Coelho, 1.272, Pinheiros, tel. 2386-0908.

Handcrafted drinks NOITE Localizado em uma pequena garagem, o bar H.Gin só usa insumos preparados em um laboratório próprio, do bitter ao gim, passando por licores e vermutes. Entre os destaques da casa está o Milk Punch (gim, chá de hibisco com especiarias, xarope de romã e sucos cítricos), F Rua Min. Gastão Mesquita, 586, Perdizes.


kikecosta@uol.com.br

22

quinta

Churros no pote A Casa de Bolos acaba de incluir mais um sabor em sua linha de bolos caseiros no pote: churros. Os bolos no pote são boas opções rápidas. F Rua Augusta, 2.607, Jardins, tel. 3571-8683. MANHÃ

setembro, o sócio da Burger X, Jorge Boratto, oferece sandubas inéditos elaborados com molhos da Decabrón. Cada um custa R$ 10. A Burger X é hamburgueria que atende exclusivamente por meio do aplicativo de entregas Rappi. Os pedidos podem ser feitos pelo celular.

TARDE Durante os meses de agosto e

sexta

Design gráfico MANHÃ O Museu da Casa Brasileira apresenta até o dia 25 a exposição “Alex Wollner Brasil: Design Visual”, com peças originais e entrevistas de um dos mais

importantes designers gráficos brasileiros. Ingressos a R$ 10. F Avenida Brig. Faria Lima, 2.705, Jardim Europa, tel. 3032-3727.

Festival mágico NOITE Hoje, às 21h, estreia “IlusõesFestival Internacional de Mágicas”.

Comandado por Gabriel Louchard, o espetáculo traz pela primeira vez ao Brasil talentos internacionais do Ilusionismo. Haverá apresentações apenas nas noites dos dias 23, 24 e 25 de agosto. F Rua Frei Caneca, 569, Shop. Frei Caneca, tel. 3472-2229

Iniciação

Saindo do forno

A peça “Amar, Verbo Intransitivo”, baseada no primeiro romance do escritor modernista Mário de Andrade, fica em cartaz no Teatro Eva Herz até o dia 29. Ingressos a R$ 50. F Avenida Paulista, 2.073, Jardins, tel. 3170-4059.

TARDE O restaurante Muza celebra o seu primeiro aniversário e apresenta novidades em seu cardápio. Entre elas, o tartar de atum com gergelim, abacate e rúcula, o polvo à galega (com páprica picante e batatas bolinha), a caçarola de frutos do mar com banana da terra e, na seção de pizzas, a Da Vila (com pesto, mozzarella di búfala, abobrinha, presunto parma e tomate) e a Pepperoni, de molho de tomate, mozzarella e pepperoni. F Rua Bueno Brandão, 80, Vila Nova Conceição, tel. 3044-3822.

NOITE

Clique hambúguer

23


66

Age nd a 29h

24

sábado

POR KIKE MARTINS DA COSTA

25

26

domingo

segunda

Arqueologia da cor

Paz e gostosuras

MANHÃ A galeria VerArte apresenta, em mostra que iniciou no dia 17, o belo trabalho de Silvana LaCreta Ravena, artista versátil que usa óleo, resina e encáustica. F Rua Barão de Tatuí, 302, Santa Cecilia, tel. 3807-9777.

MANHÃ Na Abadia Santa Maria, na Zona Norte, monjas beneditinas produzem e vendem pães, doces, licores de frutas. O local tem também um retiro espiritual. F AvenidaCel. Sezefredo Fagundes, 4.650, tel.22013-8946.

Para esquentar TARDE O restaurante Des Cucina tem um cardápio de inverno com pratos acolhedores, como o namorado em crosta de castanha do Pará com risoto de tomate e rúcula e o carré de javali com cuscuz marroquino. Do bar, prove o drinque Amaro Serro, com três tipos de cachaça, suco de limão e bitter de laranja. F R. Desembargador do Vale, 233, Perdizes, tel. 3872-0050.

Toy story NOITE Estreia neste final de semana nos cinemas o reboot do filme “Brinquedo Assasino”, originalmente lançado em 1988. Na nova trama, um boneco altamente tecnológico entra na vida de um grupo de crianças. Elas nem desconfiam que o brinquedo é amaldiçoado.

Quenturinhas do Bio

Corrida do ouro MANHÃ “Gold – Mina de Ouro Serra Pelada”, do premiado fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, é a exposição em cartaz no Sesc Avenida Paulista até 3 de novembro. Com entrada gratuita, reúne mais de 50 registros inéditos da desumana realidade daquele que foi o maior garimpo a céu aberto do mundo, na região da Amazônia Paraense. F Avenida Paulista, 119, Paraíso, tel. 3170-0800.

Santa encenação TARDE “Francesco”, último texto do Nobel de Literatura Dario Fo, conta a vida de São Francisco de Assis. Em cartaz até o dia 31 no Centro Cultural Banco do Brasil, a montagem é protagonizada por

Paulinho Goulart e dirigida por Neyde Veneziano. F Rua Álvares Penteado, 112, Centro, tel. 3113-3651.

Titã dos trompetistas NOITE Livremente inspirada na vida do

lendário trompetista norte-americano, o espetáculo “Chet Baker - Apenas um Sopro”, protagonizado pelo músico e ator Paulo Miklos, é a atração de hoje no Teatro Faap. F Rua Alagoas, 903, Higienópolis, tel. 3662-7233.

TARDE O chef Platini Vieira, do restaurante Bio, tem pratos especiais para o friozinho desses dias e noites de final de inverno. Entre eles, o risoto de arroz Piagui com queijos brasileiros e castanha-do-pará e, para os vegetarianos, a lasanha de tubérculos com o molho de couve-flor e queijo da Serra da Canastra. F Rua Horácio Lafer, 38, Itaim, tel. 3071-1968.

Toscana na taça NOITE A World Wine é a importadora dos vinhos Tenuta Meraviglia, produzidos na Toscana pelo grupo Bulgheroni. Vale muito a pena experimentar o Rosato DOC 2017 (R$ 199) e o Vermentino DOC 2017 (R$ 210) Televendas pelo tel. 4003-9463.


kikecosta@uol.com.br

27

terça

Sopa de letrinhas A exposição “Riscos e Rabiscos: Lendo a Cidade”, em cartaz até novembro no Farol Santander, passeia pela tipografia MANHÃ

urbana paulistana, explorando letreiros, placas e as pixações. Ingressos a R$ 25. F Rua João Brícola, 24, Centro, tel. 3553-5627.

Polentas bolonhesas TARDE A rotisseria Bologna preparou

polentas cremosas para este final de inverno. Elas podem ser acompanhadas por queijo Gorgonzola, por ragu de linguiça calabresa, por ossobuco ao molho madeiraou por camarões à provençal. F Rua Augusta, 379, tel. 3256-1108.

Great booze NOITE O mixologista Gabriel Santana acaba de renovar a carta de bebidas do bar Benzina, conhecido por seus bons drinques a preços acessíveis. Entre os lançamentos, destaque para o Brazilian Sour (feito com cachaça ouro, mel, maracujá, limão cravo e espuma de coco), para o Sweet’n Spicy (à base de vodca,vermute dry, baunilha, pimentas e bitter de cardamomo) e para o Cabroni, que mistura tequila, vermute rosso, Aperol, Cynar e chocolate branco. F Rua Girassol, 396, Vila Madalena, tel. 3031-2008.

28

quarta

Vandalismo MANHÃ Na mostra “Chacina da Luz”, em cartaz no Solar da Marquesa, Giselle Beiguelman expõe um conjunto de oito esculturas do Jardim da Luz no século 19. F Rua Roberto Simonsen, 136, Sé.

clima e o cardápio da rede de restaurantes La Mar. O cardápio foca nos ceviches, mas também tem opções de causas, anticuchos e arrozes. Os sabores do La Mar parecem ter sido preservados. Na hora do almoço, a casa serve um Menu Executivo a R$ 65. F Rua Amauri, 328, Itaim, tel. 3073-1213.

Vinhos do coração

Recuerdos de Lima TARDE A Cebicheria Peruana ressuscita o

NOITE O Cór está com nova carta de vinhos, elaborada pelo sommelier André Cavalcante. A seleção traz 230 rótulos perfeitos para harmonizar com carnes. F Praça São Marcos, 825, Alto de Pinheiros.


68

Age nd a 29h

29

quinta

POR KIKE MARTINS DA COSTA

30

sexta

Cultura ao vivo

Lucia & Lina

Até 22 de setembro, o Shopping Eldorado recebe a exposição “Entra Que Lá vem História”, que celebra os 50 anos da TV Cultura, que produziu clássicos como “Castelo RáTim-Bum”. Ingressos a R$ 24. F Avenida Rebouças, 3.970.

Lucia Koch expõe somente até amanhã na Casa de Vidro um projeto site-specific que consiste na intervenção direta sobre a arquitetura modernista do local, criando um diálogo

MANHÃ

Veganices No restaurante Confraria Gourmet, a chef Jennifer Kreibich oferece caprichadas receitasveganas, como os nhoques com molho de tomate e almôndegas de berinjela e o creme de abóbora. F Rua Herculano de Freitas, 300, Paraíso, tel. 3231-3169. TARDE

Divertida distopia NOITE Estreia hoje nos cinemas “Yesterday”, o novo filme do diretor Danny Boyle (de “Trainspotting” e “Quem Quer ser um Milionário”). Na trama, após sofrer um acidente, um cantor-compositor (Himesh Patel) acorda numa estranha realidade, onde ele é a única pessoa que lembra dos Beatles. Com as músicas de seus ídolos, o protagonista se torna um sucesso gigante.

MANHÃ

com a casadesenhada por Lina Bo Ba rdi através de cortinas estampadas. Ingressos a R$ 30. F Rua General Almério de Moura, 200, Morumbi, tel. 3477-9902.

Globochanchada NOITE Acaba de estrear nos cinemas a comédia “O Amor Dá Trabalho”,

em que o malandro Ancelmo (Leandro Hassum) morre e, para garantir seu lugar no céu, precisa realizar uma “missão impossível”: unir Paulo Sérgio (Bruno Garcia) e Elizângela (Flávia Alessandra), que têm personalidades muito divergentes.

Sandubas da Renata

31

sábado

Tempo de flores MANHÃ Até o dia 29 de setembro, acontece em Holambra (a 130 km da capital paulista) a 38ª edição da Expoflora, a maior exposição de flores e plantas ornamentais da América Latina, com apresentações de danças holandesas. Ingressos a R$ 52.

TARDE A chef Renata Vanzetto acaba de inaugurar a 2ª unidade do Matilda Lanches, em um pequeno sobrado em Pinheiros. O cardápio é o mesmo da matriz, com destaque para sandubas como o Vietnamita (de pernil desfiado no molho oriental, palitinhos de cenoura, maionese de shoyu, coentro e jalapeños na baguete) e o famoso Bun Bah de frango (de peito empanado com guacamole, maionese spicy, cebola roxa, tomate e coentro no pão brioche). F Rua Mateus Grou, 31, Pinheiros.

Brisa marítima TARDE Localizado em frente ao Parque Ceret, o Marettimo Restaurante foca nas receitas à base de frutos do mar. Preparados pelo chef Francisco Everaldo (ex-Bacalhoeiro), tem como destaques as patinhas de caranguejo, os camarões a Guille, os tentáculos de polvo. F Rua Curupá, 580, Jardim Anália Franco, tel. 2749-0938.

Em outro mundo NOITE Premiado no Festival de Cannes, o filme “Bacurau”, dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, estreia finalmente este fim de semana nos cinemas do Brasil. Na trama, uma comunidade descobre que seu vilarejo sumiu de todos os mapas.


donalourdes@yahoo.com

23h às 29h

POR

Dona Lourdes

Restaurante Ramona e balada Alberta #3, na República

Ramona, Alberta e outras musas D. Lourdes explora o restaurante Ramona e a balada Alberta #3, na Avenida São Luís Querido leitor, Outro dia fui ao lançamento do livro de um sobrinho de uma amiga, na Galeria Metrópole, na Avenida São Luís. O evento aconteceu na Livraria Tapera Taperá, que fica no segundo andar. O livro era uma ficção sobre um homem que mata o seu vizinho – um tema que deve simpatizar quem tem um vizinho barulhento. O nome do livro é "Carcaça, ou o primeiro cadáver que eu vi na vida", de Alexandre Sarian, editora Kotter Editorial. Terminado o evento, aproveitei para caminhar um pouco pela São Luís e acabei entrando no restaurante Ramona para jantar. Achei tão bonitinho o lugar. A entrada é uma porta de vidro, onde se vê no topo o nome do restaurante piscando em letras luminosas. No cardápio, você encontra

drinques, vinhos, cervejas e comidas variadas. E uma seção muito elogiada de hambúrgueres. Eu fui de cheeseburger Ramona, feito com fraldinha, queijo canastra, ovo caipira frito, maionese da casa, alface romana e tomate caqui (R$ 30). Conversando com um dos garçons, ele me falou que a casa fica aberta até as duas da manhã aos sábados. Fiquei até meia-noite, experimentando os drinques do cardápio, como o Ramona Vermelho, feito de tequila, cointreau, morango, suco de limão e sal do Himalaia na borda. Muito bom. Por sinal,

recomendo. Quando senti os efeitos etílicos tomarem conta do meu corpo, saí novamente pela Avenida São Luís em busca de qualquer desculpa para prolongar a noite. Encontrei o que queria logo ao lado do restaurante Ramona, a casa noturna chamada Alberta #3, nome em homenagem ao cantor Bob Dylan, que escreveu as músicas Alberta #1 e Alberta #2. Essa homenagem se estende também à decoração do lugar, que parece um antigo hotel da região do centro, e se vê uma grande foto do cantor na parede. Naquela noite, estava

acontecendo a festa Funhell, referência a uma festa que acontecia na extinta Funhouse, casa noturna na Bela Cintra que tive a oportunidade de frequentar. Ao som de músicas alternativas e MPB, aproveitei para, como sempre, dançar e conhecer a moçada. Cada vez mais me questiono se realmente tenho 76 anos.

Alberta #3

Avenida São Luís, 272 - República, São Paulo Telefone (11) 3214-5256

Ramona

Av. São Luís, 282 República, São Paulo Telefone (11) 3258-6385

LOURDES DE SÁ tem 76 anos, é funcionária pública aposentada e avó de três jovens. Gosta de sair e se intitula uma “notívaga compulsiva”.

FOTO DIVULGAÇÃO

CO LUNA


70

COLUNA

Hora livre

texto

Luiz Toledo

yestoledo@gmail.com arte

André Hellmeister andre@collages.com.br

BANHO DE LUA. O homem foi à Lua. Mas a mulher não foi. (Houston, we have a problem!) Faz 50 anos. Vivíamos então na chamada Guerra Fria – Rússia e Estados Unidos disputando a Terra, palmo a palmo, corações e mentes. Era o capitalismo versus o comunismo. Aprendemos que o capitalismo era a exploração do homem pelo homem. Já o comunismo era exatamente o contrário. Também nos diziam que os comunistas comiam criancinhas. Mas, na época, a gastronomia não provocava tanto interesse nem ocupava esse lugar de destaque que tem hoje. Aliás, ao contrário, acreditávamos que no futuro (era assim que chamávamos o ano 2000) nos alimentaríamos de pílulas – as pílulas dos astronautas. Ninguém acreditaria que a galinha caipira e a verdura orgânica da horta da nossa avó voltariam a ser as estrelas do Michelin.

A corrida espacial também tinha o seu lado cômico. Os astronautas americanos não tinham uma caneta que escrevesse de cabeça para baixo. Contam que a Nasa investiu milhões de dólares e criou a Nasa pen, que escreve sob gravidade zero. Já os russos, que tinham o mesmo problema, resolveram de maneira diferente: usavam o lápis. De qualquer forma, os americanos ganharam a corrida. E aquela imagem vinda do Espaço, do homem pisando na Lua, deu-nos a real dimensão da grandeza do Universo e da nossa pequenez. Um mês depois, em agosto de 1969, um brasileiro chamado Ziraldo também entraria para a história espacial ao fazer uma descoberta sideral: Flicts. A Lua é Flicts.


SDU

CGH

FAZENDO

hora

UM GUIA DO AEROPORTO DE CONGONHAS

Paixão por batatas Só mesmo quem é apaixonado por batatas é capaz de criar as melhores combinações e buscar os melhores ingredientes e formas de preparo. É por isso que, na Baked Potato, você encontra um cardápio variado com diferentes tipos e preparos de batata (cozida, assada, frita), além da diversidade de recheios e acompanhamentos. Especialmente no mês de agosto, o restaurante está com o pão de batata Baked em promoção por apenas R$ 3,90. Não perca os pães com os recheios de catupiry, cheddar, pizza, queijo, requeijão e doce de leite! Válida apenas na loja de Congonhas, a promoção é por tempo limitado e não cumulativa. GASTRONOMIA

FAÇA PARTE DESTE GUIA: ESCREVA PARA COMERCIAL@29HORAS.COM.BR

BAKED POTATO

Aeroporto de Congonhas

FOTO DIVULGAÇÃO

Área Pública, Ala Sul

FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA


O MELHOR DE CGH

Congonhas FOTOS DIVULGAÇÃO

SDU

BLUSA INFANTIL COM ESTAMPA REI LEÃO TAM 5 A 14 ANOS R$ 29,90

CAMISETA REGULAR COM ESTAMPA ÂNCORAS LINHA RE MALHA R$ 49,90

MEIA CANO MÉDIO ESTAMPA REI LEÃO R$ 15,90

M O DA

Hakuna Matata + sustentabilidade No embalo do live-action mais esperado do ano, a Renner lança roupas inspiradas no filme "O Rei Leão". A partir de R$ 15, as peças vão de pijamas e meias coloridas a camisetas estampadas para o dia a dia, todas na paleta de cores e tons do safari, que é cenário do longa.

A marca lança também camisetas de malhas recicladas. A iniciativa faz parte da proposta de sustentabilidade da Renner, batizada de Re Malha. As camisetas foram desenvolvidas a partir de um processo diferenciado e que atende aos princípios da economia circular.

PIJAMA MANGA CURTA ESTAMPA SIMBA REI LEÃO R$ 79,90

RENNER

Avenida Ibirapuera, 2601

12 min. de carro do Aeroporto de Congonhas


Preview

FAZE NDO HOR A

do verão

JOHN JOHN , Rua Gaivota, 1258, Indianópolis

FOTOS DIVULGAÇÃO

14 min. de carro do Aeroporto de Congonhas

M O DA

CAMISA JOHN JOHN MICHAEL MASCULINA R$ 398

CALÇA JOHN JOHN SKINNY BAMBERG FEMININA R$ 468

Juventude é a palavra-chave do verão 2020 da John John. É também parte essencial da identidade da marca, com toda sua irreverência, energia e lifestyle de celebração. O ponto de partida são os grandes festivais atuais, como Coachella e Burning Man, aliados a outras referências musicais, como as raves dos

anos 1990 e os shows de rock dos anos 1970. Vem daí toda a estética jovem que permeia esta coleção: a silhueta mais próxima ao corpo ao lado de peças oversized; os brilhos metalizados junto a transparências; recortes e proporções cropped; e os acabamentos desfiados e lavagens com efeito desgastado.

MOLETON JOHN JOHN BRIGHT PANTER FEMININO R$ 498

75


76

FAZ ENDO HORA

GASTRONOMIA

Espanhol no sabor Em Moema, a poucos minutos de Congonhas, o Museo Veronica se destaca por sua cozinha de qualidade, seu espaço charmoso, com ares de bistrô, e seus preços baixos, especialmente se forem levados em conta os valores praticados nessa região. Ali se degustam pratos espanhóis rústicos e autênticos, em porções fartas. Embutidos fatiados, lulas empanadas, croquetes de presunto cru e ótimas tortillas para a entrada. Entre os principais, vale pedir o arroz do dia e a delícia de bacalhau. Pratos com carne de porco também são boas pedidas. Um terraço gostoso e um bar para a espera (a fila entre quinta e domingo costuma ser grande) completam essa simpática casa, que conta com boa carta de vinhos e não cobra taxa de rolha dos clientes.

MUSEO VERONICA

Rua Tuim, 370, Vila Uberabinha

18 min. de carro do Aeroporto de Congonhas

B E M - E S TA R

GASTRONOMIA

Um toque de beleza entre voos

FOTOS DIVULGAÇÃO

Valorize-se! Isso é o que inspira a Tok de Beleza – Beauty Salon. A missão do salão é cuidar integralmente do visual de homens e mulheres, com estilo, qualidade e eficiência. Corte de cabelo, barba, design de sobrancelhas, escova, luzes, coloração, hidratação, cauterização, reconstrução, selagem, pés e mãos, unhas em gel e maquiagem. Para voar com um ar renovado e moderno.

Ame muito tudo isso O McDonald’s traz novidades para o seu cardápio. Fazendo a sua estreia na casa, o sanduíche Picanha Cheddar Bacon (R$ 29,90) traz um hambúrguer de picanha de 140g, o famoso Cheddar McMelt, mais uma fatia de queijo cheddar, bacon e a cebola crispy. Para deixar o lançamento ainda melhor, a Batata Rústica Cheddar Bacon (R$ 8,90) volta ao menu.

TOK DE BELEZA

MCDONALD’S

Aeroporto de Congonhas

Aeroporto de Congonhas

Piso Mezanino, Loja 06

Área Pública, Ala Sul


FAZE NDO HOR A

A 29HORAS CONVIDA VOCÊ A GIRAR A REVISTA E VIAJAR PELAS NOVIDADES DO AEROPORTO SANTOS DUMONT

77


Aqui tem wi-fi rรกpido e gratuito A 29HORAS oferece o Wi-Fi Advertising Boingo em diversos aeroportos brasileiros. Uma rede segura e de alto padrรฃo.

Quer patrocinar esse serviรงo? Acesse 29horas.com.br


SDU

CGH

FAZENDO

hora

UM GUIA DO AEROPORTO SANTOS DUMONT

Corte argentino GASTRONOMIA Especializado em cortes argentinos, o restaurante Corrientes 348 apresenta o legítimo sabor portenho no Rio de Janeiro, na Marina da Glória. Uma ótima opção para o almoço e o jantar, a casa oferece um cardápio diverso e com boas opções de carnes, acompanhamentos e sobremesas, além de uma carta exclusiva de vinhos assinada pelo sommelier Paulo Andrade. Os destaques do menu de cortes de carnes incluem o Bife de Chorizo (R$ 98 / R$ 144) e o Ancho (R$ 148).

CORRIENTES 348

Av. Infante Dom Henrique, s/n (Restaurante 103) - Marina da Glória 13 minutos de carro partindo do Aeroporto SDU

FAÇA PARTE DESTE GUIA: ESCREVA PARA COMERCIAL@29HORAS.COM.BR


FAZ ENDO HORA

O MELHOR DE SDU

CGH

Santos Dumont FOTOS DIVULGAÇÃO

2

COMPRAS

Look original Com uma criatividade ousada e uma alma lúdica de artista, o design Carlos Alberto Sobral converteu uma produção caseira de acessórios para feiras hippies, nos anos 70, em uma das maiores marcas de acessórios fabricados em resina de poliéster do mundo. Sobral transforma brincos, anéis, colares, pulseiras, e uma linha de objetos de decoração, em pequenas obras de arte. Todas as peças são únicas, produzidas uma a uma, com formas e efeitos multicoloridos e inusitados que formam padrões que nunca se repetem. Incrível!

SOBRAL DESIGN

Aeroporto Santos Dumont, 1º andar Aeroporto SDU

CAVEIRA PRETÉRITO R$ 498

COLAR ORLANDO VERDE R$ 160

PORTA RETRATO LEME M R$ 198


FAZE NDO HOR A

Para adoçar a vida

ANA FOSTER CHOCOLATES

Aeroporto Santos Dumont Mezanino do Shopping Bossa Nova Mall

GASTRONOMIA

FOTOS DIVULGAÇÃO

SABLET RECHEADO DE NUTELLA COBERTO POR CHOCOLATE BELGA R$ 9,90 cada

BRIGADEIRO BELGA R$ 5,90 cada

Tudo acaba em doce na Ana Foster Chocolates, que está há dez anos no mercado. Aliando as matérias-primas de maior qualidade com as melhores técnicas de confecção de chocolates, a marca cria deliciosas e inusitadas combinações de sabores

e texturas de doces e bombons com chocolate belga. Em uma pausa antes ou depois do voo, seu expresso (R$ 6) e o bolo de ganache preto com caramelo e flor de sal (R$ 16,50 a fatia) são delícias que vão adoçar a sua viagem e o seu dia.

TARTELETE DE PHYSALIS R$ 7,50 cada


FOTOS DIVULGAÇÃO

FAZ ENDO HORA

GASTRONOMIA

Leve e saudável Localizado no centro do Rio, o restaurante Verde Vício busca mostrar que a culinária saudável é surpreendente e para todos os gostos, além de ser uma boa opção antes de uma viagem. Baseado no conceito de culinária saudável gourmet, o cardápio é composto por ingredientes frescos e de qualidade. O nhoque com camarão (R$ 30,20) é destaque no cardápio, oferecido todas as sextas-feiras. A casa também seduz os clientes com suas diversas e saborosas opções de saladas, sopas, quiches, risotos, massas, aves, peixes e comidas vegetarianas. VERDE VÍCIO

Rua Buenos Aires, 22, Centro 10 min. de carro do Aeroporto Santos Dumont

GASTRONOMIA

Para qualquer hora do dia No corre-corre de uma viagem ou de uma conexão é importante ter um tempo para comer, mesmo que seja um pão de queijo ou um sanduíche. A Pão To Go é perfeita nesse sentido, porque rápida e eficientemente oferece ótimas pedidas para quem tem fome e pressa. Dentro do conceito de padaria express, ela serve bons cafés, capuccinos, pães na chapa e outras gostosuras. De sua linha de pães especiais o destaque é o pão crespinho. Peça na chapa, com manteiga ( R$ 9), e se delicie antes de embarcar.

PÃO TO GO

Aeroporto Santos Dumont área de embarque entre os portões 2 e 3


Refresco

FAZE NDO HOR A

FOTOS DIVULGAÇÃO

para saúde B E M - E S TA R

SIMPLICITEA R$ 9,50

CHIPS DE TOMATE R$ 15,90

Bons para qualquer momento de sua viagem, os sucos naturais prensados da Greenpeople trazem todo o frescor e as propriedades nutricionais de cada alimento ativas. O seu mais novo lançamento é o Blue Mellow (R$ 17,50 - 350ml), que tem em sua composição spirulina azul, microalga fonte de vitaminas do complexo B, vitamina E, betacaroteno, minerais e vários compostos bioativos de ação antioxidante. Feita com melão, abacaxi, hortelã e gengibre, a bebida auxilia no controle do colesterol e da pressão arterial.

GREENPEOPLE

Aeroporto Santos Dumont Terminal de Embarque - 2º Piso

ÁGUA DE COCO R$ 7,90


SUA EMPRESA DE AUDITORIA E CONSULTORIA NETWORK OF THE YEAR - IAB 2018

Nossa equipe é composta por profissionais experientes de diversas áreas, todos treinados e capacitados para entender o seu negócio e levar soluções de acordo com sua necessidade.

1ª 4ª

M&A ADVISOR DE PRIVATE EQUITY E VENTURE CAPITAL DO MUNDO PITCHBOOK LEAGUE TABLES DUE DILIGENCE ADVISORS MERGERMARKET HOUSE LEAGUE TABLE REPORT

5ª 4ª NO RANKING FINANCIAL ADVISOR DO MIDDLE MARKET GLOBAL THOMSON REUTERS

AUDITORIAS DA CVM

Auditoria | Consultoria | Tax | Outsourcing


o App do Ă´nibus Primeira viagem grĂĄtis *consulte regulamento no site

Profile for 29HORAS

29HORAS - agosto 2019 - ed. 118 - SP  

Revista de variedades, com perfis e dicas culturais e gastronômicas de São Paulo. Capa: Bárbara Paz

29HORAS - agosto 2019 - ed. 118 - SP  

Revista de variedades, com perfis e dicas culturais e gastronômicas de São Paulo. Capa: Bárbara Paz

Profile for 29horas