Page 1

Protestos pelo sufrágio universal na vitória de Leung helder almeida em Hong Kong centrais

澳 門 論 壇 日 報

Director José rocha Dinis | Director Editorial executivo Sérgio Terra | Nº 3994 | segunda-feira, 26 de março de 2012

10 Patacas

johnny lam EM ENTREVISTA AO JTM

“Riqueza histórica e cultural é que faz a diferença” Págs 2 E 3

Gerente de sala VIP suspeita de burla de 53 milhões

Pág 4

Académico adverte que investimento está “pouco saudável”

Pág 5

“Grande projecto” do IPOR é responder ao recorde de alunos

Pág 7

Melinda Chan exige regime para trabalhadores sociais

Portugal adiantou relógios e reduziu diferença para Macau

Melinda Chan apelou às autoridades para criarem um amplo regime de inscrição dos trabalhadores sociais por forma a responder às necessidades reais a longo prazo, promover a profissionalização na área dos serviços sociais e garantir os direitos dos destinatários do apoio por eles prestado. A deputada da Assembleia Legislativa pretende que o Governo defina datas concretas para a constituição daquele regime e conclua a respectiva proposta ainda no primeiro semestre deste ano. Melinda Chan exortou ainda o Executivo a abrir cursos de formação profissional para os trabalhadores sociais.

Portugal implementou na madrugada deste domingo o horário de Verão, com os relógios a avançarem 60 minutos, o que fez reduzir para sete a diferença de horas face a Macau. Segundo o director do Observatório Astronómico de Lisboa, a mudança para o regime de Verão “é uma decisão do espaço europeu” que é estudada periodicamente. “Há uma análise que é feita periodicamente na Europa sobre o impacto [que esta medida] tem sobre todas as actividades que são executadas na Europa, nomeadamente no turismo, indústria, comércio, agricultura”, disse Rui Agostinho.


“(...) A legislação em vigor tem mais de 20 anos e não é adequada para satisfazer as necessidades actuais. Embora haja preocupação com a protecção de cada um dos edifícios do Centro Histórico falta a consideração dos bairros históricos como um todo” (...) - Johnny Lam

local

(...) “Em Macau e para a comunidade chinesa a Língua Portuguesa é muito importante, porque é um laço portador de Cultura e História. Por isso, consideram que deve manter-se como símbolo de preservação. Mas corre riscos” (...) - idem

JOHNNY LAM EM ENTREVISTA AO JTM

“Riqueza histórica e cultural faz a diferença” Johnny Lam fala com paixão e não tem dúvidas: a riqueza da história e cultural de Macau pode contribuir para o desenvolvimento da cidade. Embora os mais novos pouco conheçam deste capítulo da sua terra surgiu um sentimento de “nostalgia” entre os que têm dificuldade em encontrar a “nova face” da cidade, observa o professor do Instituto Politécnico em entrevista ao JTM. Para o académico, a consciência de protecção do legado histórico cresceu sobretudo depois do reconhecimento da UNESCO, mas o Património continua a correr riscos sem uma lei de salvaguarda mais ampla. A língua portuguesa também assume um papel importante para perpetuar este legado, mas só continuará “viva” se a comunidade macaense não descurar o idioma com as novas gerações fátima almeida VIVIANA CHAN

T

endo vários livros publicados sobre a história e cultura do território, como vê o papel destas vertentes na Macau de hoje em dia? - A história de Macau tem conotações culturais fortes e o seu conteúdo é extremamente rico, o que pode contribuir muito para a educação e desenvolvimento futuro da cidade. Por exemplo, no âmbito da educação, pode ajudar a nova geração a conhecer melhor esta terra. Já no contexto do desenvolvimento da cidade este legado contribuirá para o turismo cultural. - Teme que, com o desenvolvimento acelerado, a História acabe por se diluir? - Há esse risco, que conseguiremos, no entanto, minimizar através da recolha, agrupamento de dados e da realização de estudos sobre o Património Cultural. Este é um meio que poderá salvar e preservar a História para que as gerações vindouras a conheçam e perpetuem. Quando me refiro à Educação não significa apenas que a História e a Cultura locais sejam apenas ensinadas como matérias do passado, mas também que seja transmitida essa consciência de risco. - Como professor que relação sente que os mais novos têm com esse legado? - De uma forma geral, os jovens locais não conhecem muito a História de Macau. Isto porque não mostram muito interesse. Porém, nos últimos 10 anos, com a glória de Macau ter o seu legado classificado como Património Mundial, surgiu uma tendência de nostalgia. A cidade tem evoluído muito rapidamente e muitas pessoas não conseguem acompanhar o seu desenvolvimento, por isso, vão também pensando mais no passado. Assim temos estes dois factores de “alerta”: a consideração do legado de Macau pela UNESCO e a nostalgia. - Mas, disse que havia riscos de se perder a parte histórica. Que riscos são esses? - A nossa cidade tem conhecido um desenvolvimento muito rápido, assim, a “face” original da cidade mudou muito e os cidadãos têm, na verdade, dificuldade em reconhecer a nova “face”. Temos duas vertentes. Depois do reconhecimento da UNESCO, Macau recebeu uma nova missão, que contribui para que se elevasse a consciência de preservação. Antes desse reconhecimento não tínhamos experiência na preservação e protecção do Património, por isso, havia algumas falhas individuais a esse nível. A classificação e as mudanças repentinas também vieram deixar um alerta entre os cidadãos.

- Como é que se pode encaixar a História no desenvolvimento do futuro? - Agora já temos uma orientação para seguir: transformar Macau como um Centro Mundial de Turismo e Lazer e verificamos que a RAEM não tem muitos recursos naturais, mas tem muita riqueza histórica e cultural e é isso que faz a diferença. São heranças herdadas dos antepassados, por isso, teremos de fazer estudos, recolher dados e fazer uso dessa potencialidade. Por exemplo, a Casa do Mandarim parecia e era tida como uma casa antiga e estragada, mas descobriu-se que era um monumento importante depois de terem sido realizados estudos. Também temos a Pousada de São Tiago, na Barra, que foi transformada num espaço muito especial em Macau... e ninguém diria. São bons exemplos de transformação que resultaram de estudos. Não estou a categorizar os exemplos, apenas os usei para explicar que há muitos projectos do género que poderemos fazer no futuro. - Mas a política do Governo tem conseguido preservar e valorizar esses recursos? - A Lei de Salvaguarda do Património Cultural que esta a ser elaborada poderá fazê-lo. Penso que o diploma já passou pelo Conselho Executivo e irá ser entregue na AL. Se for aprovado no futuro poderemos ter mais resultados para a preservação. - O que deverá ser observado na nova lei para que a preservação do Património fique assegurada? - É essencial que abranja a preservação e definição do Património Cultural de forma mais ampla, uma vez que o Património é um conceito amplo. Na nova lei, as definições de património foram sistematizadas e pormenorizadas incluindo mais algumas novas divisões, para contemplar, por exemplo, o património imaterial que é um conteúdo novo. A literatura e as antiguidades também estão incluídas e isso é bom porque também

representam uma parte muito importante do nosso legado histórico e cultural. - Os cidadãos e a própria UNESCO mostraram preocupação com a preservação do legado histórico e cultural de Macau. Também considera que têm faltado medidas adequadas para a protecção? Ou uma política a longo prazo? - Como referi, é necessário alargar o âmbito do Património. Em segundo, deve-se dar o direito aos cidadãos para que participem na preservação. Quando alguns edifícios com valor correrem o risco de ser demolidos, os cidadãos poderão ajudar a impedir que tal aconteça. - Desde 2006 que a proposta de lei está a ser elaborada. Temos corrido o risco de não estar a ser feita uma preservação ampla? - Percebo que esta lei tenha demorado para chegar à AL, porque envolve não só o âmbito de protecção, mas também está ligada ao desenvolvimento da cidade, ao planeamento urbanístico. São questões que implicam os interesses de várias entidades. Depois, durante a consulta pública foi necessário algum tempo para que se chegasse a um consenso. Mas, sim, sem uma lei mais abrangente há riscos, porque a legislação em vigor tem mais de 20 anos e não é adequada para satisfazer as necessidades actuais. Embora haja preocupação com a protecção de cada um dos edifícios do Centro Histórico falta a consideração dos bairros históricos como um todo. - Qual é o papel da comunidade e da língua portuguesa na preservação deste legado? - Em Macau e para a comunidade chinesa a Língua Portuguesa é muito importante, porque é um laço portador de Cultura e História. Por isso, consideram que deve manter-se como símbolo de preservação. Mas corre riscos, porque como a cultura chinesa cresceu em Macau tornando-se dominante e tende a generalizarse, assimilando o que há à sua volta. Neste sentido preocupamo-nos com a fluência da língua portuguesa ser cada vez mais pequena. Por outro lado, neste momento há um péssimo ambiente para que a língua portuguesa esteja mais viva em Macau. Embora seja uma língua oficial, de ensino e profissional, não é usada no dia a dia. Isto faz que esteja a enfrentar muitos riscos. - Como é que vê o futuro da língua portuguesa em Macau e na China? - Vai continuar a existir, por fazer parte das medidas para manter as especificidades de Macau. Se a língua portuguesa se extinguir há, por exemplo, muitos conteúdos históricos que não vão poder ser conhecidos. Outro exemplo é o papel de Macau como plataforma entre a China e os países lusófonos – sem a língua portuguesa este papel desaparecia. Mas o mais importante é que a comunidade macaense mantenha a língua portuguesa, porque é a sua raiz. O papel da língua portuguesa para a comunidade chinesa tem mudado depois da transferência, já que enquanto antigamente os chineses de altos cargos precisavam de dominar o idioma por ser uma capacidade que lhes seria muito útil no futuro, agora já não é assim. A excepção ainda é a área jurídica. - O que pode ser feito para preservar esta língua em Macau? - É muito importante que os falantes locais dessa língua, ou seja a comunidade macaense, continuem a perpetuar a língua e a passá-la às novas gerações. Devem mesmo saber falar esta língua para a preservar, porque será impossível que todos os cidadãos de Macau venham a falar português. Por isso, torna-se mais relevante que os macaenses mantenham estas raízes do que sensibilizar os chineses para falar português fluentemente. Digo isto também porque alguns jovens macaense pouco falam português já que estudam em escolas chinesas e não usam o português como língua no dia a dia... E se isso acontecer poderá perder-se.

jornal tribuna de macau Propriedade: Tribuna de Macau, Empresa Jor­na­lística e Editorial, S.A.R.L. • Administração: José Rocha Dinis • Director: José Rocha Dinis Director Editorial Executivo: Sérgio Terra • Grande Repórter: Raquel Carvalho • Redacção: Fátima Almeida, Helder Almeida, Pedro André Santos e Viviana Chan • Colaboradores: José Luís Sales Marques, Miguel Senna Fernandes, Rogério P. D. Luz (S. Paulo) e Rui Rey • Colunistas: Albano Martins, António Aresta, António Ribeiro Martins, Daniel Carlier, Henrique Manhão, João Guedes, Jorge Rangel, Jorge Silva, Luis Machado e Luíz de Oliveira Dias • Grafismo: Suzana Tôrres • Serviços Administrativos e Publicidade: Joana Chói (jtmpublicidade@yahoo.com e jtmagenda@yahoo.com) • Agências: Serviços Noticiosos da Lusa e Xinhua Impressão: Tipografia Welfare, Ltd • Administração, Direcção e Redacção: Calçada do Tronco Velho, Edifício Dr. Caetano Soares, Nos4, 4A, 4B - Macau • Caixa Postal (P.O. Box): 3003 • Telefone: (853) 28378057 • Fax: (853) 28337305 • Email: jtmagenda@yahoo.com (serviço geral) pág 02 segunda-feira, 26 de março de 2012 jornal tribuna de macau


(...) “É preciso verificar também que se aquilo que as pessoas estão a estudar é o que a sociedade precisa no sentido de elevar a competitividade. Além de dar dinheiro o Executivo tem de pensar na melhor forma de poder ajudar a aumentar a competitividade da população” (...) - Johnny Lam

local

(...) “O papel do Governo deve ser o de fiscalizador e não de gestor. No contexto da reforma do ensino superior é necessário dar-se cada vez mais autonomia às instituições de ensino superior, para haver um melhor desenvolvimento” (...) - idem

“Talentos locais” sem “palco” para brilhar A taxa de educação entre a população empregada é baixa, mas a RAEM tem vindo a formar os seus talentos, salienta o director do Centro de Formação Contínua e Projectos Especiais do IPM. Só não brilham por lhes faltar “palco”, crê Johnny Lam, notando a necessidade de o Governo sensibilizar as grandes empresas

C

omo analisa a evolução do ensino em Macau? - Nos últimos anos a qualidade do sistema educativo tem vindo a aumentar, mas a história tem deixado contradições. Por exemplo, 80% dos alunos que concluem o ensino secundário conseguem ter acesso ao ensino superior, mas de uma forma geral, na população empregada, encontramos uma taxa de educação muito baixa. Isto acontece também porque Macau é uma cidade migrante e muitas pessoas que chegaram ao território não tiveram as mesmas oportunidades. O sistema educativo deve e ainda tem muito espaço para ser melhorado. Por exemplo, a maioria das pessoas pensa que o regime educativo é muito liberal, porque o Governo permite que cada associação possa abrir uma escola mediante um plano baseado em critérios definidos por si. O facto do Governo não intervir neste âmbito tem a vantagem de a escola poder diversificar e ter a máxima autonomia, mas por outro, apresenta a desvantagem de cada escola ficar muito independente, correndo-se o risco de ser oferecido um ensino pouco profissional e científico, porque não há uma grande exigência na qualidade. - Como é que o Governo pode actuar, sem interferir na autonomia das escolas? - Uma das formas é a criação de legislação para regularizar e fiscalizar o ensino, como o quadro geral dos docentes das escolas particulares do ensino não superior que foi aprovado recentemente. A elaboração de legislação pode diminuir minimamente o impacto e intervenção do Governo e ao mesmo tempo garantir as exigências básicas. Este é o caminho correcto. No entanto, há sempre coisas que ficam ‘omitidas’. Por exemplo, o quadro geral do pessoal docente estipula que 70% das verbas sejam gastas com os salários dos docentes, mas não ficou definido que parte deve direccionada para cada escalão, ou seja a proporcionalidade não está patente, o que poderá levar a injustiças. - Há críticas ao facto do ensino chinês ser conservador e até ‘omitir’ partes da História. Que retrato faz dos alunos que chegam ao ensino superior? - O conhecimento que trazem não é suficiente sobretudo no que diz respeito à história local. Em relação às críticas de o ensino ser conservador podemos analisar de acordo com duas vertentes: os conteúdos e

Um contador de histórias Apaixonou-se por História porque em Macau era inevitável. Para Johnny Lam não se pode desligar o território dessa capa rica que acabou por o transformar num professor e estudioso daquela disciplina, melhor num contador de histórias. Mas o interesse pela docência começou antes, como uma causa humana. Ainda frequentava a licenciatura de literatura chinesa, quando assistiu a um episódio que mudou o seu rumo. “Havia alunos que comiam o resto que os outros deixavam, porque não tinham dinheiro, e então faziam-no para conseguir estudar”, recordou. Percebeu o quanto o ensino é uma vertente essencial da vida, como “um sonho”. Passou um ano inteiro na biblioteca a ler livros, documentos -“incurável - dedicou-se ao estudo da Educação. Não passou muito tempo até que começasse a leccionar para o 3º ciclo, até completar um mestrado e doutoramento em História, unindo as duas áreas que o fascinam. Participa ainda na Associação de História e Educação de Macau e na Associação de História Oral, partilhando um legado infinito.

o método de ensino. No conceito educativo das escolas chinesas ainda domina um estilo conservador, mas também podemos verificar que no âmbito da reforma educativa foram tidas em conta muitas concepções ocidentais, que são mais abertas e criativas. - 80% dos alunos conseguem entrar na universidade, mas a taxa de educação é baixa. Como se inverte esta situação? - É uma realidade histórica, porque o ensino superior foi aumentando a sua qualidade nos últimos anos, por isso as pessoas com mais de 40 anos não tinham as mesmas oportunidades. Por outro lado, mesmo que haja uma taxa de entrada elevada no ensino superior, vemos que metade da população entre os 18 e 22 anos, não está no ensino superior. O que quer dizer que houve muitas pessoas que abandonaram os estudos antes de chegar ao 12º ano. Assim como houve várias pessoas que não prosseguiram os estudos por terem chumbado vão ingressando no mercado de trabalho sem tanta formação. - Há quem defenda que a aposta em cursos técnicos devia ser mais forte... - A educação profissional é essencial, mas a questão é que estas escolas estão cada vez mais parecidas às outras [de currículo regular], porque os alunos também mantêm a expectativa de vir a estudar na universidade. No contexto do regime educativo não é bom, já que os alunos que escolhem esta via deviam ter assente que esta é mais prática, direccionada para o mercado de trabalho. Devia haver uma orientação clara sobre o perfil destas escolas e ser estabelecida uma ligação entre estas instituições e as empresas para que o aluno pudesse ser contratado, durante os estudos, para depois seguir para fazer estágio. -Sendo director de um centro de formação contínua como analisa a aposta nesta vertente? - Concordo com o plano de aperfeiçoamento de avaliação contínua porque permitiu criar em Macau um ambiente para que os cidadãos estudem ao longo da vida. Mas houve problemas que advieram desta política. Como há mais procura também se verifica uma oferta maior, por isso é necessário analisar se os conteúdos fornecidos estão a acompanhar o desenvolvimento e as necessidades de Macau. Se não, devem ser ajustados. É preciso verificar também se aquilo que as pessoas estão a estudar é o que a sociedade precisa no sentido de elevar a competitividade. Além de dar dinheiro o Executivo tem de pensar na melhor forma de poder ajudar a aumentar a competitividade da população. - O ensino superior tem qualidade para inverter a baixa taxa de educação com a nova vaga de estudantes? - O ensino superior tem uma curta história, temos de o reconhecer. Passaram 30 anos, pelo que estamos a falar de um desenvolvimento recente. O nosso ensino situa-se no nível médio no contexto mundial, o que é compreensível porque a experiência ainda se

está a acumular. O ensino superior está dividido entre o privado e público. O público está a seguir as regras do Governo, que acabam por limitar. O Governo não atrapalha de todo a liberdade dos académicos ao nível dos estudos, mas por exemplo na preparação de programas temos de seguir bem as regras, obedecer aos recursos humanos exigidos e isso faz com que se perca dinamismo. O papel do Governo deve ser o de fiscalizador e não de gestor. No contexto da reforma do ensino superior é necessário dar-se cada vez mais autonomia às instituições de ensino superior, para haver um melhor desenvolvimento. - Ficou satisfeito com o facto do coordenador do Gabinete de Apoio ao Ensino Superior ter referido que haverá mais autonomia para este ensino? - Esta direcção de dar mais autonomia ao ensino superior que Macau quer traçar é uma consciência comum em todo o mundo e tenho muita confiança em Sou Chio Fai. Depois de ter visto o desenvolvimento operado no ensino não superior, [Sou Chio Fai foi director da DSEJ] considero que é muito profissional. Se continuarmos a seguir este rumo com ele o ensino superior daqui a alguns anos terá uma nova aparência. -Quais são as suas expectativas para a Lei do Ensino Superior? -Agora muitas universidades privadas conseguem ter programas de doutoramento mesmo que não disponibilizem licenciaturas na mesma área, por outro lado as escolas públicas de ensino superior, como o Instituto de Formação Turística e Instituto Politécnico de Macau não estão autorizadas a fazê-lo. Esta é uma questão que não tem a ver com a capacidade de ensino, porque desde que as escolas passem na avaliação de qualidade deviam estar aptas para ministrar programas acima da licenciatura. Assim, neste casos não é a qualidade que as impedem, mas o regime e isso pode atrapalhar o desenvolvimento. - Face à falta de mão-de-obra, deveriam ser melhor geridos os talentos que estudam cá? - Não concordo que haja falta de talentos em Macau. O que acontece é que não lhes é dada uma oportunidade para começar a ganhar experiencia, ou seja, não têm um palco onde se possam mostrar. Uma das formas para resolver os problemas da geração de 80 é as grandes empresas, como as operadores de jogo, e o Governo darem mais oportunidades aos jovens para que consigam mostrar o seu potencial em cargos mais elevados. Acredito que nos próximos 10 anos haverá cada vez mais locais a ocupar quadros de direcção nas grandes empresas. Para que tal seja possível o Governo deve ter políticas para apoiar ou pelo menos orientar as empresas. O Governo pode sensibilizar e incentivar as empresas, dando a perceber que têm liberdade para gerir os seus negócios mas que também é necessário haver uma proporcionalidade entre residentes e não residentes. F.A./V.C. jornal tribuna de macau segunda-feira, 26 de março de 2012 pág 03


RELÓGIO DE LUXO DESAPARECIDO. Um turista do Continente ficou sem um relógio avaliado em 620 mil patacas que tinha deixado num cacifo numa sauna situada na Rua de Xangai. Não foram encontradas marcas de arrombamento, suspeitando-se da utilização de uma chave-falsa.

local

FURTO EM VEÍCULO. Estacionou o veículo e uma hora depois já tinha ficado sem a mala que estava guardada no interior. O lesado, um residente do território, acabou por apenas reparar no furto quando chegou a casa e não encontrou a mala, onde estava um computador avaliado em 14 mil patacas.

PRINCIPAL SUSPEITA TERÁ CONSEGUIDO FUGIR DO TERRITÓRIO

Burla em sala VIP rendeu 53 milhões Uma gerente da sala VIP de um casino no COTAI terá conseguido desviar quase 53 milhões de dólares de Hong Kong, fugindo de seguida do território juntamente com o namorado. As autoridades conseguiram deter uma funcionária do mesmo departamento que terá também ajudado na burla. A detida é irmã da gerente, que se encontra a monte PEDRO ANDRÉ SANTOS

F

az lembrar uma história de cinema. Uma mulher, gerente de uma sala VIP de um casino no COTAI, terá conseguido desviar 52,85 milhões de dólares de Hong Kong para a conta do namorado, conseguindo fugir do território através das Portas do Cerco. O caso foi denunciado por um responsável da mesma sala VIP que começou a notar algumas incongruências nalguns registos e transacções. Tentou contactar a gerente sénior a fim de saber o que se passava mas sem sucesso. As autoridades começaram a investigar e conseguiram deter uma residen-

Suspeita terá fugido com o namorado pelas Portas do Cerco

te do território que trabalhava no mesmo local e é irmã da suspeita. Segundo foi apurado, a detida terá recebido 160 mil dólares de Hong Kong pela alegada participação na burla que envolveu falsificação de transações e assinatura de cheques sem supervisão dos altos superiores. O montante terá sido transferido

Toca e foge em “efeito dominó” Bastou um momento de distracção para duas dezenas de motos caírem no asfalto. Um homem ligou para a polícia afirmando que tinha visto um veículo a embater numa moto, acabando por derrubar 22 em “efeito dominó”, fugindo de seguida. As autoridades começaram a investigar o caso mas não havia câmaras CCTV no local, tornando a investigação mais difícil. No entanto, cerca de meia hora depois do incidente uma mulher apresentou-se na esquadra afirmando-se culpada pelo sucedido. Segundo terá contado, baixou-se para apanhar algo que tinha caído na carpete do automóvel e, com a distração, acabou por derrubar os motociclos. Como ficou nervosa, fugiu de seguida. Em casa, já mais calma, decidiu confessar o que tinha feito, disponibilizando-se ainda para pagar todos os estragos. Apesar de ter confessado, a mulher foi notificada por fuga à responsabilidade.

para a conta do marido, que o usou para a compra de um automóvel. Segundo as autoridades, a gerente terá deixado o território no dia 21 de Março, embora o paradeiro seja ainda incerto, pelo que as investigações continuam a de-

correr. FURTO ARRISCADO EM CASA DE JOGOS. Uma casa de jogos foi alvo de tentativa de assalto, com o ladrão a tentar roubar a caixa de registadora quando o funcionário do estabelecimento fez uma pausa para ir à casa-de-banho. Quando regressou tentou bloquear o indivíduo no interior da sala, mas este partiu o vidro e procurou fugir. Outras pessoas no local tentaram ajudar o funcionário a interceptar o suspeito, mas este terá utilizado uma seringa para ameaçar quem se aproximasse, afirmando que era seropositivo, fugindo de seguida. DENUNCIADO PELA EMPREGADA DA LIMPEZA. Um homem, residente da China Continental, que estava hospedado num hotel acabou por ter uma recepção inesperada ao encontrar vários agentes da Polícia Judiciária (PJ) à espera quando regressava ao quarto. No local foram encontradas 0,43 gramas de “Ice” e ainda vários utensílios habitualmente usados para o consumo de droga. Terá sido a empregada da limpeza que encontrou tudo horas antes quando limpava o quarto, acabando por alertar os seus superiores que posteriormente denunciaram o caso à PJ.

Medidas de coacção para jovens suspeitos de violação de menor Dois residentes de Macau, de 17 e 18 anos, ficaram sujeitos a apresentação periódica às autoridades competentes e proibição de ausência bem como de contactos com a vítima, num caso suspeito de violação de uma menor. De acordo com o Ministério Público (MP), a vítima, de 16 anos, conheceu os dois suspeitos através da internet em Janeiro do corrente ano, namorou com eles mas em ambos os casos o romance acabou em separação. Porém, na tarde do dia 9 do mês passado, um dos suspeitos telefonou à vítima que concordou em encontrar-se com ele na residência do outro jovem, indica o MP, acrescentando que, durante o encontro, a jovem acabou por ser violada pelos dois suspeitos. Depois da análise do caso e das provas obtidas, o delegado do Procurador titular do processo considerou haver fortes indícios do crime de estupro, pelo que promoveu e viu ser aceite pelo juiz a aplicação das referidas medidas de coacção, tendo o caso sido devolvido à polícia para mais investigações.

Direcção dos Serviços de Turismo

Relocation Announcement Effective from 1st April 2012, our clinic will be relocating to the following address: Rm. 1907, 19/F, AIA Tower, Nºs. 251A-301, Avenida Commercial de Macau (opposite to New Yaohan and Grand Emperor Hotel) Tel: Fax: Website: E-mail: Facebook:

(853)28373266 (853)28356483 www.icqoral.com info@icqoral.com www.facebook.com/icqoral

Consultation by Appointment

Office hour: Mon to Sun 10:30 - 19:30 Close on Tue and Public Holiday

pág 04 segunda-feira, 26 de março de 2012 jornal tribuna de macau

DIVINIA WONG SANCHEZ

A família de Divinia Wong Sanchez tem o penoso dever de informar que este seu ente querido faleceu no dia 23 do corrente mês, com 89 anos de idade, no Hospital Kiang Wu. Deixa uma filha e três filhos, oito netos e cinco bisnetos. A missa de corpo presente será celebrada quarta-feira, dia 28, pelas 20 horas, na casa funerária do Kiang Wu. No dia seguinte, 29 de Março, pelas 11:00 horas, no Cemitério de São Miguel, será rezada missa de corpo presente seguida do enterro. Também no mesmo dia, mas pelas 18 horas, realiza-se a missa de sétimo dia na Igreja da Sé Catedral de Macau. A todos quantos se queiram associar a estes piedosos actos, a família enlutada agradece antecipadamente.

Mandado de Notificação Nº 197/AI/2011 ---Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se a infractora 梁杰开, que, na sequência do Auto de Notícia n.º 27.1/DI-AI/2011, de 09.04.2011, levantado pela DST, por controlar a fracção autónoma situada na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edf. Centro Internacional de Macau, Bloco 13, 6° andar D, e utilizada para a prestação ilegal de alojamento, bem como por despacho do signatário de 21.03.2012, exarado no Relatório nº 198/DI/2012, de 15.03.2012, Auto cuja fotocópia se anexa, aqui se dá por reproduzida e faz parte integrante desta notificação, foi determinado a aplicação de uma multa de $200.000,00 (duzentas mil patacas), e ordenado a cessação imediata da prestação ilegal de alojamento no prédio ou da fracção autónoma em causa, nos termos do n˚1 do artigo 10º e n˚1 do artigo 15°, todos da Lei nº 3/2010. ---O pagamento voluntário da multa deve ser efectuado no Departamento de Licenciamento e Inspecção destes Serviços, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, de acordo com o n° 1 do artigo 16° dos Lei n° 3/2010, findo o qual será cobrada coercivamente através da Repartição de Execuções Fiscais, nos termos do n° 2 do artigo 16° do mesmo diploma. ---Da presente decisão cabe recurso contencioso para o Tribunal Administrativo, a interpor no prazo de 60 dias, conforme estipulado na alínea b) do n° 2 do artigo 25° do Código do Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei n° 110/99/M, de 13 de Dezembro e no artigo 20° da Lei n° 3/2010. ---Haverá lugar à execução imediata de decisão caso esta não seja impugnada. ---O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção nºs 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18° andar, Macau. ---Direcção dos Serviços de Turismo, em Macau, aos 21 de Março de 2012. O Director dos Serviços, João Manuel Costa Antunes


18 CASOS E CINCO ACUSAÇÕES POR ABUSO DE MENORES. Macau registou 18 casos de abuso sexual de menores em 2011, mas o Ministério Público só deduziu cinco acusações, indicam dados das Forças de Segurança revelados pela Rádio Macau. Em 2010, verificaram-se 23 casos e cinco acusações.

TRÊS COLISÕES CONSECUTIVAS NO COTAI. Um condutor e dois passageiros sofreram ferimentos ligeiros em três acidentes envolvendo dois carros privados e um autocarro de turismo no sábado no COTAI. A circulação na zona foi suspensa por mais de duas horas.

local

ACADÉMICO DEFENDE IMPOSTO SOBRE IMÓVEIS MAIS RÍGIDO

Investimento “está pouco saudável” O mercado do investimento no território tem evidenciado crescentes factores de risco e encontra-se numa situação “pouco saudável”, advertiu Joey Lau, presidente da Associação de Economia de Macau. Considerando que o combate à especulação imobiliária não teve efeitos satisfatórios, até porque os preços das casas continuam em alta, o académico da Universidade de Macau exorta o Governo a alargar o prazo do imposto de selo especial sobre a transmissão de imóveis viviana chan

J

oey Lau entende que o Governo deve prolongar o prazo do imposto de selo especial sobre a transmissão de imóveis de dois para três anos. Implementada em Junho de 2011, para combater a especulação imobiliária, a lei do imposto de selo especial incide sobre as transmissões de imóveis para habitação – incluindo casas em construção ou fase de projecto - realizadas no prazo de dois anos a contar da data da liquidação. Ao abrigo da lei é cobrada uma taxa de 20% sobre a matéria colectável nos casos de transmissões ocorridas no primeiro ano e de 10% no segundo ano após a compra. Queixando-se do impacto negativo da lei nos negócios do sector, a Associação Geral do Sector Imobiliário de Macau já apelou à suspensão daquela medida, mas Joey Lau tem uma opinião distinta, por considerar que os resultados do combate à especulação continuam a ser pouco evidentes. Para o presidente da Associação de Economia de Macau, apesar da nova lei ter contribuído para uma grande quebra no número das vendas, a verdade é que os preços das casas são cada vez mais elevados. Na perspectiva do também académico da Universidade de Macau, essa situação é um dos sinais de que o “mercado de investimento da RAEM está pouco saudável”, algo que é reflectido na actual situação dos preços das habitações de segunda mão e que também foi evidente noutros

Joey Lau defende que o prazo do imposto de selo sobre imóveis deve ser estendido para três anos

casos, como a especulação gerada em torno da emissão das notas comemorativas do Ano do Dragão. Estes fenómenos revelam uma nova atitude dos investidores, segundo adverte Joey Lau, que acredita ainda que as políticas macroeconómicas da China possibilitaram a entrada de muitos capitais especulativos em Hong Kong e Macau. Salientando que o Governo de Singapura cobra uma taxa entre 15 e 20 por cento aos compradores de imóveis não residentes, o académico sustenta que, em termos comparativos, até seria razoável que em Macau esse valor rondasse entre 25 e 30 por cento, uma vez que se trata de um mercado muito pequeno e, por isso, facilmente influenciável. A título de exemplo, Joey Lau referiu à imprensa de língua chinesa que determinadas famílias podem mesmo comprar um prédio inteiro, o que teria grande impacto grande no mercado local. Segundo números divulgados pelo jornal “Ou Mun”, os preços das habitações com mais de 30 anos já ultrapas-

Política demográfica em consulta

O Governo vai submeter a consulta pública um estudo que está a ser desenvolvido sobre políticas demográficas, anunciou Chui Sai On

O

Gabinete de Estudo das Políticas já está a realizar um estudo sobre política demográfica, mencionado no relatório das linhas de acção governativa para 2012, adiantou o Chefe do Executivo, acrescentando que, após a apresentação do respectivo relatório, será realizada uma consulta pública. Em declarações aos jornalistas, no regresso de Hefei, capital da província de Anhui, onde se deslocou para participar na “Semana Dinâmica de Macau”, Chui Sai On não adiantou muitos pormenores sobre o estudo, sublinhando ainda assim que deverá incluir vertentes como “a situação real do crescimento da população”, desde o estabelecimento da RAEM, a “variável demográfica do território em relação ao desenvolvimento da economia”, a “melhoria das condições da vida dos cidadãos” e o “desenvolvimento sustentável”. De acordo com uma nota oficial, o Chefe do Executivo disse ainda acreditar que, depois de uma série de estudos, os serviços competentes já poderão dar pareceres sobre política demográfica para referência do Governo na elaboração

das futuras linhas de acção governativa. FÓRUM BOAO LEVA CHEFE A HAINÃO. Entretanto, o Governo indicou que Chui Sai On voltará à China Continental a 1 de Abril, desta vez para assistir à cerimónia de abertura da reunião anual do Fórum Boao da Ásia 2012, acompanhado pelo Comissário do Ministério dos Negócios Estrangeiros na RAEM, Hu Zhengyue. “A Ásia num Mundo de Mudança: Avanço para Desenvolvimento Saudável e Sustentável” será o tema central deste fórum que se realiza anualmente na Província de Hainão. O vice primeiro-ministro do Conselho de Estado, Li Keqiang, irá proferir o discurso inaugural na abertura do Fórum. Durante a estadia em Boao, o Chefe do Executivo terá também encontros com os dirigentes do governo provincial de Hainão. Chui Sai On vai liderar uma delegação oficial que incluirá ainda o chefe do Gabinete do Chefe do Executivo, Alexis Tam, a secretária-geral do Conselho Executivo, O Lam, os assessores do Gabinete do Chefe do Executivo, Fung Sio Weng, Kou Chin Hung, entre outros.

saram os dois milhões de patacas, enquanto que o valor por pé quadrado para casas construídas há mais de duas décadas já se aproxima das três mil patacas, fazendo com que muitos residentes duvidem da eficácia das medidas implementadas pelas autoridades. Atendendo a que o número das vendas das casas volta a subir numa altura em que os preços estão em alta, o presidente da Associação de Economia avisou ainda que reapareceram no mercado alguns consumidores pouco sensatos que já se habituaram ao imposto de selo especial. Por outro lado, Joey Lau nota que a procura de casas para arrendar deverá aumentar este ano, uma vez que o Governo prevê um aumento de 10 por cento na população activa. O académico entende, no entanto, que tais fenómenos são temporários e terminarão quando forem disponibilizadas mais habitações públicas. Nessa altura, poderão verificar-se “bolhas no mercado imobiliário”, avisou.

“ROLLS-ROYCE” ABRIU “SHOWROOM” EM MACAU

Uma “montra” de luxo A Rolls-Royce abriu um “showroom” em Macau, elevando para 12 o número de “lojas” na região da Ásia-Pacífico, que tem vindo a registar recordes de vendas nos últimos dois anos e é o principal mercado da marca

E

stamos aqui por causa do desenvolvimento de Macau e do potencial de crescimento que a economia local perspectiva”, disse o director de vendas e e marketing da Rolls-Royce, Jolyon Nash, à agência Lusa. Uma “base de clientes” já existente e “relações importantes” estabelecidas no território impulsionaram a abertura da “montra” da Rolls-Royce em Macau, mercado considerado “único” e onde as vendas são animadas pela indústria do jogo. “Abrimos o showroom para atender à procura crescente de modelos como o Phantom & Ghost. Por exemplo, a [operadora de casinos] Wynn é nosso cliente em Macau”, adiantou Jolyon Nash, embora sem avançar números sobre as vendas ou encomendas locais. Com 2.600 metros quadrados, o “showroom” de Macau é o 12º da Rolls-Royce na região da Ásia Pacífico, incluindo a China. O espaço contempla uma área de exposição para dois carros e uma “sala do cliente”, onde este é convidado a personalizar os reves-

timentos interiores do modelo escolhido, de acordo com várias opções de verniz e peles. Globalmente, a Ásia-Pacífico é já o primeiro mercado da marca, tendo registado um recorde nas vendas pelo segundo ano consecutivo e um crescimento de 47 por cento em 2011. “Este mercado foi recordista de vendas, para ambos os modelos Phantom e Ghost. E o mercado da Grande China também registou um bom desempenho enquanto maior mercado a nível mundial, seguido de perto pelos Estados Unidos”, acrescentou. A abertura do “showroom” de Macau está em linha com a estratégia de expansão na região. “Num quadro maior, enquanto mercado único, a abertura em Macau reforça a implantação estratégica da marca nas cidades consideradas ‘portas de entrada’ do Delta do Rio das Pérolas”, explicou. Depois de Macau, as cidades de Tianjin, Chongqing e Qingdao são apontadas como as próximas bandeiras da Rolls-Royce na Ásia. JTM/Lusa

jornal tribuna de macau segunda-feira, 26 de março de 2012 pág 05


ANTÓNIO VISEU VAI APOSENTAR-SE. António Viseu, subdirector dos Serviços Meteorológicos e Geofísicos (SMG), vai aposentar-se. Segundo a Rádio Macau, Viseu deixará os SMG a 1 de Maio, após 37 anos de serviço, devendo ser substituído por Florence Leung.

local

APOSTAS ATRAEM 70% DE INQUIRIDOS. Cerca de 70% dos 231 inquiridos (entre 10 e 29 anos de idade) num estudo feito pela União Geral das Associações de Moradores admitiram que já apostaram e jogam sobretudo mahjong, cartas e “slots”. Leong Wai Lam, responsável pelo estudo, disse à TDM que mais de metade entrou em casinos, sendo que 60% são menores de idade.

GOVERNO QUER INTRODUZIR EXAMES DE CONDUÇÃO MAIS EXIGENTES

Autocarros vão ter mecanismo de avaliação A DSAT já contratou uma empresa de consultadoria para estudar o sistema de autocarros do território. No terceiro trimestre deste ano, Wong Wan espera colocar em marcha um mecanismo de avaliação e classificação das companhias. A população também vai ser ouvida anualmente através de inquérito. E os exames de condução vão tornar-se mais complicados raquel carvalho

W

ong Wan foi à Assembleia Legislativa (AL) ouvir pela voz dos deputados muitas das queixas que ecoam nas ruas do território. Condutores descuidados, autocarros apinhados, falta de consciência generalizada de peões e motoristas. Os problemas que o líder da Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) tem para resolver não parecem ter fim à vista. Wong Wang anunciou que no terceiro trimestre deste ano deverá avançar um mecanismo de avaliação e classificação das companhias de autocarros. Isto para além da população poder expressar o grau de satisfação através de um inquérito anual. Três das interpelações orais apresentadas na sexta-feira no Hemiciclo lançaram palavras de contestação e pontos de interrogação em direcção à política de transportes. O director da DSAT admitiu que “há a necessidade de avaliar os serviços de autocarros de Macau”. Assuntos que, segundo esclareceu, já estão nas mãos de uma empresa de consultadoria. Com base nos resultados obtidos, Wong Wan acredita que na segunda metade do ano o Governo já estará em con-

DSAT promete exames de condução mais exigentes

dições para “avançar com um mecanismo de avaliação e classificação das sociedades de autocarros.” Além disso, faz parte dos planos da DSAT lançar “um inquérito anual” que ajude a averiguar “o grau de satisfação da população.” O deputado dos Moradores, Ho Ion Sang, foi um dos que colocou a boca no microfone para pedir a introdução de “um regime de pontuação para as infracções rodoviárias.” Já Lam Heong Sang focou-se no novo modelo de serviços de autocarros, que entrou em vigor em Agosto do ano passado, altura em que a Reolian se juntou às duas companhias já existentes. “O Governo fiscaliza a gestão deste serviço? Já foram aplicadas sanções?”, questionou, salientando o caos nas artérias de Macau, a demora na chegada de autocarros e os acidentes ocorridos nos últimos meses. Confrontado com uma realidade cada vez mais negra, Wong Wan garantiu

que “houve um aumento de queixas sobre os condutores, mas as queixas sobre os serviços propriamente diminuíram.” O director da DSAT admitiu, contudo, que é preciso trabalhar para “reforçar a qualidade dos condutores.” A pensar no futuro, Wong Wan indicou que o Administração vai rever os exames de condução. A “exigência” será agravada “moderadamente”, através “do estudo da avaliação por prova teórica e aumento do número de perguntas sobre a consciência da segurança na condução e atitude correcta de condução”. Já em relação à “prova prática, os critérios serão mais rigorosos, efectuando-se o estudo da inserção das regras de reprovação para a atitude e conduta indevidas de condução.” CONDUTORES, UM BEM PRECIOSO. Mak Soi Kun entrou em cena para avisar o Governo sobre uma futura nova fuga de condutores, já que se avizinham novos

empreendimentos. O director da DSAT afirmou estar consciente do problema. “Sabemos que com o início de várias obras públicas e de casinos vão ser necessários motoristas de camiões. Vamos adoptar medidas para estabilizar o salário dos condutores de autocarros”, indicou. Para colmatar a escassez de motoristas, Lee Chong Cheng, da bancada dos Operários, chegou mesmo a colocar a hipótese de alargar a idade dos condutores, dizendo que a “experiência e técnica de condução” podem ser valiosas. Wong Wan torceu o nariz à ideia. Segundo argumentou, o tempo prolongado de condução, a pressão física e mental e a intensidade laboral são condições pouco adequadas para quem tem uma idade superior a 65 anos. “Vários acidentes fatais que se registaram nos últimos anos por causa do estado de saúde dos condutores profissionais de idade avançada evidenciam que o abrandar das restrições quanto à idade dos condutores profissionais representa um risco bastante elevado,” disse o responsável, baseando-se num parecer dos Serviços de Saúde de Macau. Ao invés de colocar em causa a “segurança no trabalho”, o Governo diz preferir incentivar o “sector ou empresários de veículos pesados de passageiros a apostar em mais recursos para criar melhores condições de trabalho, atraindo os condutores mais jovens.” Com vários deputados a apontarem os entraves com que se deparam aqueles que circulam diariamente nas artérias do território, mas também a salientarem a falta de consciência generalizada, o director da DSAT falou em campanhas de sensibilização e na “optimização das rodovias.” Este ano, acrescentou, deve arrancar ainda a revisão do “Regime de Aprovação de Modelos de Capacetes para uso dos Condutores e Passageiros de Ciclomotores e Motociclos.”

PEDREIRA CONTINUA A DAR QUE FALAR NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

“Uma questão política” Esta já não é apenas uma situação cuja legalidade é questionada, trata-se sobretudo de uma “questão política.” A transferência dos direitos de concessão sobre o terreno da pedreira de Seac Pai Van continuam a suscitar dúvidas entre os deputados. Au Kam San chamou o assunto ao Hemiciclo, Jaime Carion respondeu em português para dizer que tudo ocorreu dentro das normas legais

A

lgumas leis estão somente em português e, por isso, não alcançam o entendimento de todos, dizem os elementos da Associação Novo Macau. Mas mais do que estar em causa a legalidade da transferência dos direitos de concessão sobre o terreno da pedreira de Seac Pai Van, esta transformou-se numa “questão política.” A atitude do Governo não caiu bem aos olhos da população, dizem os deputados. Em interpelação oral, Au Kam San voltou a exigir pormenores sobre a transferência dos direitos de concessão na pedreira de Seac Pai Van. O peso do Conselho Executivo na decisão final foi outro dos pontos questionados, já que Liu Chak Wan, membro daquele organismo, integra as duas empresas no centro da polémica. Numa extensa resposta em português, o director da Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes, Jaime Carion (DSSOPT), elencou os procedimentos legais que legitimaram a transferência dos direitos de concessão do referido terreno. Não satisfeito, Au Kam San voltou a lançar dúvidas, dizendo que parte do mal entendido pode residir no facto de algumas das leis em causa estarem redigidas apenas em língua portuguesa. pág 06 segunda-feira, 26 de março de 2012 jornal tribuna de macau

“Segundo a sua resposta tudo foi feito nos termos da lei, mas o problema é que este caso não foi justo,” corroborou Chan Wai Chi, também do Novo Macau. O preço do terreno, a rondar os 240 milhões, ficou aquém do que é praticado no mercado, acrescentou Ho Ion Sang, igualmente insatisfeito com a transacção. Au Kam San classificou mesmo o valor de “bom e baixo”. Ora, “o que é que entende por justiça e imparcialidade?”, perguntou Pereira Coutinho. “Não devia o Governo reaver o terreno para depois realizar um concurso?,” quis saber o deputado. Ng Kuok Cheong, referindo-se ao envolvimento de um elemento do Conselho Executivo no processo e à criação da segunda empresa, entende que “esta já não é uma questão de lei, é uma questão política.” A sociedade, lembrou Kwan Tsui Hang, não está a gostar do rumo da situação. Jaime Carion explicou que a Empimac fez uma proposta ao Governo de desenvolvimento daquela zona. “Como se tratava de uma empresa que não podia exercer actividade de construção e exploração imobiliária, sugeriuse que fosse criada uma outra,” admitiu, escusando-se a comentar o envolvimento de um membro do Conselho Executivo.

Deste modo, o terreno adjacente ao projecto de habitação pública de Seac Pai Van, detido pela Empimac, foi transferido para a empresa imobiliária New Hong Yee, nascida em Dezembro de 2011 e com os mesmos accionistas que a primeira. Um dos elementos do Conselho Executivo, Liu Chak Wan, detém uma participação em ambas as empresas. Os solos que eram para exploração industrial vão dar agora lugar a um projecto de finalidade mista, habitação e comércio, bem como a estruturas viárias. Em troca da alteração da finalidade do terreno, a empresa passou a deter 19.832 metros quadrados, cedendo cerca de 197 mil metros quadrados ao Governo para a construção de habitações públicas. Segundo explicou a subdirectora da DSSOPT, Chan Pou Ha, a transmissão de quotas dentro de empresas, o modo de concessão de terrenos, os prazos, o pedido de alteração da finalidade, o cálculo do prémio e a fiscalização são alguns dos aspectos em análise na revisão da Lei de Terras. Já foi entregue um relatório sobre o assunto à Direcção dos Serviços de Assuntos de Justiça, acrescentou. R.C.


METEOROLOGIA EM DESTAQUE NO CENTRO DE CIÊNCIA. O Centro de Ciência terá patente até Setembro uma exposição sobre equipamentos meteorológicos antigos que assinala o 60º aniversário da Direcção dos Serviços Meteorológicos e Geofísicos de Macau (SMG). O público poderá ver mais de 20 equipamentos cedidos pelos SMG, alguns dos quais com mais de 100 anos.

local

Alunos do IFT VOLTA A FAZER DE GUIAS. Alunos do segundo ano do curso de Gestão de Negócios de Turismo do Instituto de Formação Turística vão voltar a organizar e gerir passeios turísticos, a título gratuito, para residentes e turistas. As visitas decorrerão aos sábados e domingos até 21 de Abril e inseremse na componente prática do curso.

IPOR PROMETE EMPENHO PARA SATISFAZER PROCURA PELO PORTUGUÊS

“Resposta competente” ao recorde de alunos O número de alunos aumentou e a preocupação do IPOR é dar uma resposta “adequada e competente” à procura. As marés de crise em Portugal não serão capazes de afectar o funcionamento do instituto em Macau, afirma Rui Rocha. O IPOR voltou a abrir portas à comunidade desvendando as histórias de quem lá aprende a explorar a língua de Pessoa fátima ALMEIDA

S

ão perfis diferentes que se cruzam na mesma folha de papel através de palavras escritas em português. Altino Chau aprendeu a língua de Camões quando Macau ainda era um território sob administração portuguesa. O cenário mudou, mas o fascínio pelo idioma não se perdeu nas gerações. O filho, de 11 anos, pediu-lhe para estudar português porque queria compreender o mundo nesta língua. Pelo meio, Jasmim, de sete anos, diz “bom dia” ainda que todas as expressões teimem em sair. Já Elisa Chu e Shanley Lei, universitárias, degustam um pastel de nata enquanto falam fluentemente em português, dois anos depois de terem começado a lidar com os vocábulos de uma cultura que apreciam. Pelo corredor do Instituto Português do Oriente (IPOR) vêem-se cada vez mais alunos, alguns debruçados nos livros, outros entretidos nas salas. O número de estudantes não pára de crescer, prevendo o IPOR receber este ano 2.050 alunos integrados nos cursos geral e específicos ministrados dentro e fora de portas. Apesar do o Instituto Camões – que através do Estado português detém 55% das acções do IPOR - ter avançado que os sintomas da crise em Portugal se poderão reflectir na sua contribuição associativa para o IPOR, a qualidade do ensino continua assegurada, afirma Rui Rocha. “Não houve quebra em termos de funcionamento do serviço. Este não vai ficar lesado em termos da sua acção cultural e da sua acção na promoção e divulgação da língua”, refere o director do IPOR. “O que nos pediram foi de facto para reduzir a contribuição associativa, mas as receitas essas continuam a ser de seis milhões e com um saldo transitado de 55.000 euros para este ano. E convém dizer que até 31 de Dezembro as despesas de funcionamento estavam pagas, não transitando dívidas para 2012”, salientou. Rui Rocha explica ainda que o impacto não será forte e no caso de cortes tentarão encontrar soluções. “Aquelas que são as preocupações dos associados em Portugal não nos afectam grandemente. É evidente que se nos dizem que temos de cortar em 30% o orçamento que apresentarmos, de facto temos de cortar nas despesas”, disse ao exemplificar. “Tínhamos previsto quatro manuais para este ano e só vamos fazer três, o que já é muito bom”, referiu não avançando números para os cortes. “Preferia que fosse a Drª Ana Paula Laborinho a falar sobre este assunto. Tenho orientações para fazer e faço sem alterar aquilo que é o funcionamento do serviço”, disse ao notar que o orçamento submetido foi aprovado e será semelhante ao do ano passado. Recorde-se que Ana Paula Laborinho,

Elisa Chu e Shanley Lei encontraram no IPOR um complemento para as aulas de Direito

IPOR voltou a abrir portas ao público no sábado

Cristina, Eva e Rebeca, três estudantes da Universidade de Macau, estão a estagiar no IPOR

presidente do Camões, admitiu à Rádio Macau que o IPOR iria sentir os efeitos dos momentos difíceis que Portugal atravessa, salientando, no entanto, que a aposta em Macau é para manter e o objectivo passa agora pela procura de novas parcerias. MAIS DUAS SALAS SERIA BOM. Com o crescente número de alunos, o IPOR teve anteriormente de alugar duas salas à Escola Portuguesa, situação que este semestre não se mantém, já que embora o número global de estudantes tenha aumentado face aos outros anos, o curso geral (ministrado nas instalações do IPOR) tem menos inscri-

tos nos próximos meses. No entanto, Rui Rocha considera que seria útil haver mais duas salas nas instalações do IPOR. “As obras no Consulado estão em estudo. É uma decisão que não me cabe a mim tomar. Terá de ser o Instituto de Camões a falar com o senhor cônsul (ambos afectos ao Ministério dos Negócios Estrangeiros), mas penso que é sempre oportuno termos a oportunidade de possuir mais duas salas aqui para a eventualidade de haver um crescimento”, disse o director do IPOR, sublinhando que cabe aos associados discutir esta temática.

“Nem fiz nenhuma previsão orçamental para essas coisas. Os associados falam sobre esse assunto, negociam e eu tentarei arranjar o dinheiro para cobrir esse excesso. A minha função aqui é a gestão orçamental para criar resultados positivos de exploração”, adicionou, reiterando que o sucedido com o IC, cuja presidente alegou não ter sido informada sobre o aluguer das salas à EPM foi completamente ultrapassado. O “grande projecto” do IPOR é dar “uma resposta adequada, com credibilidade e competência” ao número recorde de alunos. Como explica Rui Rocha embora tenham diminuído os alunos do curso geral (uma vez que é frequentado por funcionários públicos e neste semestre os SAFP só abrem inscrições para o I nível) o número total aumentou através dos programas específicos. “Para este ano prevemos 2.050 alunos. Temos no momento cerca de 16 cursos específicos e curiosamente são cursos que provêm de instituições como o Gabinete de Apoio ao Ensino Superior, a Universidade de Ciência e Tecnologia e os nossos parceiros habituais”, disse Rui Rocha. PORTUGUÊS DE FUTURO. Pelas salas do IPOR e muitas vezes no refúgio da biblioteca já encontramos essas pessoas que vêem futuro na língua portuguesa. Altino nasceu numa família em que não se falava uma palavra de português, mas ao aprender tornou-se um motivo de inspiração para o filho, que encontrou no IPOR a oportunidade de estudar o idioma mantendo o seu ensino regular numa escola chinesa. Depois das aulas pega nos livros de português, e Altino vê progressos. “Não fui eu que escolhi. Ele é que quis aprender. Em pequeno aprendi português e quando falava com as pessoas achava graça e como queria entender o que falávamos pediu-me para estudar”, conta Altino na biblioteca do IPOR, enquanto o seu menino vê os desenhos animados. “Aprender mais uma língua é muito bom”, começa por justificar o contentamento por o filho ter a iniciativa de aprender. “Também vejo futuro para o português em Macau e no Continente chinês, por causa dos países lusófonos. Acho que será um idioma cada vez mais importante no mundo”, referiu. Shanley Lei e Elisa Chu também encontraram no português uma via para a carreira. A estudar Direito, a língua de Camões torna-se essencial, e no IPOR encontraram um complemento para as aulas da faculdade. “Na universidade não nos ensinam muita gramática, o estudo é mais voltado para o Direito, e aqui ensinam-nos essas questões de maneira mais pormenorizada”, explicou Shanley. “Os cursos são interessantes, porque os professores mostram-nos vídeos o que nos permite conhecer melhor o lado cultural de Portugal”, complementou Elisa Chu. Embora o IPOR não esteja a pensar contratar mais professores de português, “colmatando as lacunas” com docentes a tempo parcial, conta pelo menos até Maio com Cristina, Eva e Rebeca, três estudantes da Universidade de Macau que estão a estagiar no instituto. A frequentarem a licenciatura em Estudos Portugueses, além de terem contacto com o português diariamente conseguem cultivar ainda a vertente educativa. “Tivemos uma entrevista e tinham um plano perfeito. E, depois, aqui podemos ter uma experiência ao nível da tradução mas também da educação”, explicaram.

jornal tribuna de macau segunda-feira, 26 de março de 2012 pág 07


CCM PROCURA PRODUÇÕES LOCAIS. O Centro Cultural de Macau desafiou os artistas locais a submeterem propostas de produções destinadas a subir ao palco em 2013. A apresentação de projectos para as séries “MultiFormas” e “Profissional” poderá ser feita até 30 de Abril.

local

GALAXY LEVOU 300 IDOSOS AO CINEMA. Em cooperação com a Caritas e a Associação Geral das Mulheres, a Galaxy convidou 300 idosos para assistirem a um dos filmes incluídos no Festival de Cinema Chinês de Macau. Os convidados especiais puderam ver “The Star and The Sea”, filme que aborda a história de Xian Xinghai, músico natural de Macau.

Casa de Macau elegeu novos órgãos sociais e celebrou a Páscoa, com um Chá Gordo a que também aderiram os mais jovens

ELEITOS NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS EM LISBOA

Por uma Casa “cada vez melhor” A única lista candidata às eleições para os órgãos sociais da Casa de Macau em Portugal foi eleita no sábado para um novo mandato de três anos, com a ambição de fazer mais e melhor

A

ntónio Faria Fernandes vai continuar a liderar a Direcção da Casa de Macau em Portugal nos próximos três anos, depois de ter sido reeleito no acto eleitoral de sábado. Com apenas uma lista concorrente, as eleições para os novos órgãos sociais não produziram, por isso, surpresas e confirmaram ainda Vítor

Serra de Almeida e Rogério Duarte Leiria como presidentes da Assembleia-Geral e do Conselho Fiscal, respectivamente. “Vontade, temos, empenho, também, assim possamos igualmente ter sorte para continuar a fazer uma Casa de Macau cada vez melhor”, salientou António Faria Fernandes ao JTM. No manifesto eleitoral, a lista única sublinhou a intenção de atrair pessoas que nasceram e cresceram em Macau, mas também aquelas que, de alguma forma, “têm fortes ligações ao território”. “As comunidades macaenses na diáspora, seja aqui em Portugal, seja em outros locais, vão avançando na idade, sem que as novas gerações venham demonstrando

capacidade de renovar com a mesma intensidade a ligação a Macau, situação que urge inverter”, referiram os membros da lista, ao salientarem que, nesse contexto, “a Casa de Macau terá de assumir um papel cada vez mais preponderante como um importante canal de ligação com Macau, e como vector de união da comunidade macaense, no sentido mais lato do termo.” Ao longo do próximo triénio, os novos órgãos pretendem ainda “promover uma cada vez maior proximidade com os sócios, de modo a que estes sintam a Casa como sua, e como um verdadeiro e forte elo de ligação entre todos, e com Macau, incrementando iniciativas e actividades

que os envolvam”. Nesse lote de iniciativas integram-se os tradicionais Chás Gordos, o último dos quais foi realizado no próprio dia das eleições e visou celebrar a Páscoa. De acordo com António Faria Fernandes, o evento foi “bastante concorrido”, com cerca de 120 participantes, e permitiu saborear as habituais delícias macaenses, como chilicotes e chamussas, wan tan e apabico, chau min e minchi, bebinca e bolo-menino, entre outras. Entre 4 de Abril e 27 de Julho, a Casa de Macau vai ainda organizar mais um “workshop” de iniciação à língua e cultura chinesas, composto por 12 sessões e orientado por Jorge Cheang.

ANÚNCIO [ N.º 85/2012 ] Para os devidos efeitos, vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares seleccionados da lista

de espera de habitação económica abaixos mencionados: N.º do boletim de candidatura *89462 92423 93351 102447 102935 107854 119541 119649 121827 127458 127890 70637 103352 77844 118251 86170 90045 126769 61135 107891 71612 106342 *114865 104110 102146 75191 112243 101798 *117728 91111

Nome

*LEONG KIT IENG IONG KA IAN LAO FOK KA LAO KONG SEAK U KA IAN LEI NGAN KOK CHOI WAI SEONG LAO WENG MENG CHEONG SUT TENG WONG HIO TONG CHAN U LONG WILLIE LEI CHEONG FAI IONG CHAO SOK I LAO TEK CHONG HONG WAI CHAN SHUK TSZ WONG KA YAN CHAU CHI FONG CHAN SOK PENG LEUNG KA HO WONG KONG *CHEUNG WAN CHING WONG IENG CHON WONG IAO NGAN LEI CHAN KUONG MIGUEL PAKKAN TANG LEONG TONG FAI *SERRAO CONSTANTINO VIVACIO LAM KA WAI

N.º do boletim de candidatura 91390 92647 100909 *102707 103843 117738 119570 119731 122377 127539 *116793 74467 68354 82851 122464 73170 91117 127639 104775 111347 *91041 108044 115368 *119726 113914 103249 77248 52992 61597 79057

Nome

CHIO HIO IEONG AO IEONG CHI FONG LEONG KA HOU CARLOS *CHAO WENG SAN WONG SENG IAT WONG KA I FAN WENG CHI HO KIT LENG CHAN HIO SENG MA KA LAI *LOK CHAN TONG LAM NGAI FONG TSE KA YAN CHIO IENG HA LEONG IENG CHAK CHAN SAI KUN LEONG CHAN SENG WONG KA YUI TANG NGAI PAN CHEONG IN TENG *CHAU LAI LAI WONG U FONG CHAN HENG *WONG KIM PENG LEE WAI KIT CHAN MEI YUK LEI MEI IENG CHAN SOU SAM WONG CHEONG SENG ALIAS WONG WENG SAN CHEONG MAN CHAO

pág 08 segunda-feira, 26 de março de 2012 jornal tribuna de macau

De acordo com os termos do artigo 12.º do Decreto-Lei n.º 26/95/M, de 26 de Junho, o Instituto de Habitação (IH) informa os representantes dos agregados familiares acima referidos, através de ofícios, para se dirigirem pessoalmente ao IH, sita na Travessa Norte do Patane, n.º 102, Ilha Verde, Macau (perto da Escola Primária Luso-Chinesa do Bairro Norte), no dia 12 de Abril de 2012, às horas fixadas nos respectivos ofícios, para escolha das fracções de habitação económica disponíveis de T2 na zona de Taipa. Nessa altura, os agregados familiares da lista de espera acima referidos devem apresentar os documentos comprovativos (originais e cópias) abaixo mencionados, para efectuar a nova verificação dos requisitos da candidatura da aquisição de habitação económica. Caso as respectivas informações afectem os actuais requisitos da aquisição de fracção ou existirem mudança da composição dos agregados familiares acima referidos, este Instituto irá suspender, imediatamente, o procedimento da escolha de habitação económica: 1. Documentos de identificação de todos os elementos do agregado familiar e os seus cônjuges (caso houver) registados no boletim de candidatura de habitação económica. 2. Prova de casamento (aplicável aos indivíduos casados. Caso tenha entregue ao IH, nos últimos três meses, não é necessário a entregar de novo). 3. Boletim de candidatura dos dados dos agregados familiares de habitação económica devidamente preenchidos e assinados. De acordo com os termos do n.º 2 do artigo 13.º do decreto-lei acima referido, com as alterações introduzidas pelo Regulamento Administrativo n.º 25/2002, caso os agregados familiares da lista de espera acima referidos não tenham comparecido no IH, no dia e horas fixados, e apresentado os documentos acima referidos, para escolha de habitação ou não pretendam adquirir nenhuma das fracções de habitação económica disponíveis no momento podem optar entre, por motivo não justificado, implica a perda do direito de escolha e passagem automática para o último lugar da lista geral; ou após a apreciação dos dados apresentados, verifique que não reunirem com os requisitos da candidatura, os agregados familiares seleccionados serão excluídos na lista geral. * Em caso da 2.ª convocação, os agregados familiares seleccionados que não tenham comparecido no IH, no dia e horas fixados, e apresentado os documentos acima referidos, para escolha de habitação ou não pretendam adquirir nenhuma das fracções de habitação económica disponíveis no momento podem optar entre, serão excluídos na lista geral, de acordo com os termos das alínea a) do artigo 14.º do decreto-lei acima referido, com as alterações introduzidas pelo Regulamento Administrativo n.º 25/2002 e alínea 2 do n.º 5 do artigo 60.º da Lei n.º 10/2011. No intuito de proporcionar os agregados familiares seleccionados para terem mais conhecimentos sobre as informações das fracções de habitação económica disponíveis, o IH juntamente os ofícios enviará em anexo o catálogo com descrições das fracções para venda, tabela dos preços, rácio bonificado, pontos de observação, informações sobre a fracção de modelo. Caso os agregados familiares seleccionados não tenham recebidos os ofícios remetidos pelo IH, até sete dias antes da data fixada, poderão dirigir-se ao IH sito na Travessa Norte do Patane n.º 102, Ilha Verde, Macau) ou consultar através do telefone n.º 2859 4875, durante o horário de expediente O Presidente, Tam Kuong Man 23 de Março de 2012


6.000 MULHERES NO FESTIVAL DESPORTIVO. O “Festival Desportivo das Mulheres” atraiu cerca de 6.000 participantes de 54 entidades, num total de 70 equipas. O programa incluiu um seminário sobre Desporto e Saúde e jogos recreativos e desportivos.

local

PALESTRA ABORDA PLASTICIDADE CEREBRAL. “Compreender a plasticidade cerebral” é o tema de uma palestra que Francisco Botelho, professor da Universidade de Hong Kong, vai proferir hoje, pelas 18:30, na Universidade de São José. Natural de Macau, Francisco Botelho é mestre na área das neurociências pela Universidade de Londres.

LIGA DE ELITE

Benfica bate Porto em jogo intenso O Benfica regressou às vitórias e logo frente ao rival FC Porto numa jornada em que Ka I e Monte Carlo tiveram de suar para levar de vencida as equipas do Lam Pak e dos Sub-23, respectivamente

N

tabela classificativa Equipas

Pontos

Windsor Arch Ka I.................................. 26 Monte Carlo........................................... 21 Benfica de Macau................................... 19 Kuan Tai................................................. 17 PSP Macau............................................ 16 Lam Pak................................................. 15 Lam Ieng................................................ 14 Casa do FC Porto................................... 11 Sub-23.....................................................8 Hong Ngai................................................0

Simbo e o poste impediram o terceiro golo dos encarnados

o marcador não tinha ficado mal”, afirmou ao JTM Fernando Margarido, da equipa técnica encarnada. O responsável lamentou ainda o “deslize” que culminou no golo do adversário, mas nunca sentiu que a vitória pudesse estar em casa porque “os jogadores souberem bem dar conta do recado e mantiveram a postura dentro do campo”. Do lado da equipa azul-e-branca, Daniel Pinto era um homem conformado com o resultado embora sentisse que a sua equipa não merecia ter perdido. “Foi um jogo emotivo. O Benfica teve a sorte de marcar dois golos, nós só marcámos um. Na segunda parte fomos à procura do segundo golo mas infelizmente não aconteceu. Não foram em nada superiores a nós”, disse ao JTM. O técnico portista mostrou-se, contudo, satisfeito com o crescimento desde o início da temporada que está a acontecer “a olhos vistos”, numa equipa que “foi-se organizando e tornando mais coesa”, fruto também da chegada de mais reforços. “Até ao final da época penso que podemos ainda melhorar a nossa classificação”, concluiu. Nas restantes partidas o líder Ka I teve que suar para vencer o Lam Pak, por 1-0, numa partida algo quezilenta que envolveu alguns lances mais ríspidos. Os comandados de Jose Clér conseguiram três pontos importantes para manterem a diferença para o Monte Carlo, actual segundo classificado, que venceu nesta jornada os Sub-23 por 2-1. Nas restantes partidas o Lam Ieng venceu o último, Hong Ngai, por 2-0, o mesmo resultado com que o Kuan Tai derrotou a Polícia. CASA DE PORTUGAL GOLEIA. No campeonato da segunda divisão a equipa da Casa de Portugal venceu o Chang Wai por 6-0 num jogo que durou apenas 29 minutos já que o adversário entrou em campo apenas com oito jogadores e ficou sem um atleta, supostamente por lesão, antes da meia hora de jogo.

Imagem com desafio alargado O Centro Cultural lançou mais uma edição do projecto “Macau - O Poder do Documentário”, que passa a incluir as categorias de “curtas-metragens” e “animação”

P

romovido pelo Centro Cultural (CCM), “Macau - O Poder do Documentário” está de volta com “cara renovada e uma nova gama de categorias cinematográficas”. Este ano, o projecto adoptou a designação “O Poder da Imagem” por forma a incluir “os melhores trabalhos concebidos por cineastas estabelecidos e emergentes”, salienta a organização. Segundo o CCM, desde que arrancou em 2007, este projecto já produziu 42 documentários e prossegue o objectivo de impulsionar a cena cinematográfica local. Na linha das edições anteriores, o evento divide-se em três níveis de experiência: “avançado” e “aberto”, destinados a realizadores maiores de 18 anos, e o

Ponte sino-lusófona divulgada em Hefei O papel de plataforma desempenhado por Macau permitirá proporcionar mais oportunidades de negócio na expansão das empresas da província de Anhui no mercado externo e na captação de investimento, particularmente, nos países de língua portuguesa, sublinhou o Secretário para a Economia e Finanças na inauguração da “Semana Dinâmica de Macau”, em Hefei. Desde 2009, a acção promocional “Semana Dinâmica de Macau” já percorreu as cidades de Pequim, Xangai, Chongqing, entre outras capitais de província, devendo a Mongólia Interior constituir a próxima etapa.

pedro andré santos o arranque da segunda volta do campeonato da Liga de Elite, o Benfica voltou a vencer o FC Porto, desta vez por 2-1. O início de jogo foi repartido, com ligeiro ascendente para os encarnados que se adiantaram no marcador à passagem do minuto 20 após uma bela desmarcação pela esquerda do avançado Vinício Alves que se isolou, colocando a bola fora do alcance do guardião portista. A vantagem foi ampliada dez minutos depois após um cruzamento da esquerda que encontrou o nigeriano Christopher Nwaorou solto no coração da área, empurrando a bola para o fundo das redes. As “águias” ainda podiam ter marcado mais uma ou duas vezes antes do descanso mas faltou acerto na finalização. A segunda metade trouxe um Porto mais afoito na procura de inverter os acontecimentos, conseguindo reduzir a diferença após um golo do inevitável Alison, aos 76 minutos, que veio animar a partida. Até ao final os “dragões” deram tudo por tudo para chegar à igualdade com várias bolas “bombeadas” para a área adversária, mas sem causar grande perigo. O Benfica podia mesmo ter ampliado a diferença perto do final mas o remate acabou por embater no poste após um desvio acrobático de Simbo num lance em que o guarda-redes já estava batido. “Foi uma boa partida, o Benfica jogou o seu futebol, limpo e esclarecido. A primeira parte foi mais bem conseguida, na segunda fomos um pouco remetidos ao nosso terreno mas também tivemos algumas oportunidades e se tivéssemos dilatado

Breves

nível “iniciado”, visando todos os “entusiastas aspirantes a realizadores”. No entanto, o “documentário” deixa de ser categoria única uma vez que o projecto passa a incluir também as categorias de “curtas-metragens” e “animação”. Para apoiar as equipas selecciona-

das, o CCM atribuirá subsídios que variam entre as 10.000 patacas (nível “iniciado”) e as 120.000 patacas (nível “avançado” da categoria “curtasmetragens”). As propostas terão de ser entregues até 14 de Maio, sendo que os candidatos aprovados para a segunda fase terão de apresentar os seus planos de produção em pormenor (incluindo um guião de rodagem detalhado) e respectivos orçamentos até 9 de Julho. As equipas seleccionadas para a última fase devem concluir as suas produções entre Agosto deste ano e Abril de 2013 e todos os trabalhos concluídos irão estrear no “Festival Internacional de Cinema e Vídeo de Macau”.

AirAsia planeia abrir rota Chiang Mai-Macau a 21 de Maio A Thai AirAsia anunciou que vai suspender os voos directos entre Singapura e Chiang Mai a 21 de Maio e planeia iniciar ligações entre Macau e aquela cidade do norte da Tailândia no dia seguinte. Segundo a imprensa tailandesa, a nova rota poderá redireccionar para Macau parte do tráfego actualmente vocacionado para os casinos do Laos e Camboja.

Novo terreno para Exército não afecta espaços de lazer A concessão de um terreno com 18.000 m2, a favor da Guarnição em Macau do Exército de Libertação do Povo Chinês, no quadrante leste do Quartel Militar da Taipa, não irá afectar a disponibilização de instalações desportivas e recreativas públicas, apesar de obrigar a trabalhos de relocalização, assegurou a DSSOPT. Segundo o organismo, além da instalação de um campo de basquetebol e um de futebol de pequenas dimensões no Jardim Central da Taipa, serão construídos junto ao Parque de Hác Sá um recinto de hóquei em patins e um campo de areia para futebol.

Visitantes aumentaram 8,3 por cento até Fevereiro Nos dois primeiros meses do corrente ano, Macau recebeu 4.592.617 visitantes, o que representa um acréscimo de 8,3% em relação ao período homólogo de 2011. O número de visitantes da China Continental, Coreia do Sul e Japão cresceu 14,7%, 12,5% e 5,2%, respectivamente, compensando as quebras nos mercados de Hong Kong (-2,4%) e Taiwan (-5,3%). Destaque ainda para o aumento de 97,9% dos visitantes da Rússia. Em Fevereiro, o total de visitantes desceu 1,5%, facto natural se tivermos em conta que em 2012 o Ano Novo Chinês começou em Janeiro.

Venetian Macau inaugura anfiteatro a 8 de Abril A nova sala de espectáculos do Venetian Macau será inaugurada a 8 de Abril, com um concerto que juntará a conhecida violonista Jue Yao e Elisa Chan, estrela de Hong Kong. Segundo a Sands China, o “Venetian Theatre” será um dos palcos de entretenimento mais luxuosos da Grande China. “A expansão da oferta da Sands China marcará o início de uma nova era de entretenimento em Macau”, frisou Gus Liem, vice-presidente da área do entretenimento do Venetian Macau. jornal tribuna de macau segunda-feira, 26 de março de 2012 pág 09


VOTO EM BRANCO EM ELEIÇÕES SIMULADAS. A maioria das mais de 220 mil pessoas que participaram na eleição “simulada” para o Chefe do Executivo de Hong Kong rejeitou os três candidatos, optando por votar em branco, em sinal de descontentamento para com o actual sistema. Do total de 222.990 votos contabilizados no exercício, colocado em marcha Programa de Opinião Pública da Universidade de Hong Kong, 54,6 por cento foram em branco. Leung teve 17,8 por cento dos votos, seguido de perto por Henry Tang que conquistou 16,3 por cento.

PROTESTOS EM HONG KONG NO DIA DA ELEIÇÃO DO CHEFE DO EXECUTIVO

O sufrágio universal

Manifestantes gritaram pelo direito a participar na eleição do seu dirigente má como rejeitam a influência do Partido Comunista Chinês. Para eles, Leung repr helder almeida em Hong Kong

J

ackson, Rachel, Kevin, Elizabeth e Keith. Todos de idades e profissões diferentes, mas com opiniões semelhantes quanto ao modo como os residentes de Hong Kong escolhem o seu chefe político máximo. Ontem, convergiram em Harbour Road, em frente ao Centro de Convenções e Exposições da cidade (em Wan Chai), onde decorreu a votação da Comissão Eleitoral constituída por 1.200 membros, e juntaram a sua voz aos milhares de outros manifestantes, sobretudo jovens estudantes mas também trabalhadores, que gritaram pelo sufrágio universal e contra a influência do Partido Comunista Chinês (PCC) nas eleições locais. Centenas de polícias rodeavam o Centro de Convenções e mantinham uma vigilância apertada sobre os mais de mil que protestavam na rua, cortada ao trânsito. Apesar de ao início da manhã algumas centenas terem tentado furar o cordão policial, o que obrigou ao uso de spray de gás-pimenta, o protesto decorreu na maior parte do tempo sem quaisquer incidentes. Para Elizabeth Lai, 19 anos, estudante universitária de Estudos Políticos e Administração da Universidade Cidade de Hong Kong, não é nada que seja de admirar. “Estamos bem preparados para o sufrágio universal. Na eleição simulada houve filas com centenas de pessoas para votar. Eu também votei, mas em branco, porque nenhum destes candidatos representa os sete milhões de residentes da cidade. Temos boa educação, temos consciência, a sociedade está pronta e não podemos esperar mais. Como se pode ver, tudo isto é racional, não há aqui violência”. Apesar do sufrágio universal estar no horizonte para a próxima eleição, em 2017, não são muitos os que acreditam que se concretize com facilidade. Jackson Yeung, de 29 anos, comerciante, distribui panfletos, vende livros relacionados com Tiananmen e Che Guevara e recolhe donativos numa barraca improvisada mesmo em frente ao Central Plaza. Pertence à Acção Socialista. “Defendo o sufrágio universal e até espero que seja aplicado em toda a China. Temos membros no Continente a escrever artigos. O que hoje está a acontecer aqui é um pequeno círculo, suportado pelo PCC e pelos mais ricos, a escolher por toda a população. Mas tenho receio de que eles não cumpram a promessa de haver eleições livres daqui a cinco anos, até porque não confio em nenhum destes candidatos”, explica, enquanto vai tentando conquistar adeptos para a sua causa. “Digo às pessoas que é preciso unirmo-nos contra a tirania, o partido único e pelo sufrágio universal”. Elizabeth até admite que possa ser a população a escolher o próximo líder, mas “o PCC vai sempre mexer os cordelinhos. Os jovens deviam estar com esperanças mas vai ser difícil”. E os próximos tempos? “Vão ser ainda piores. Leung é um dos do PCC. Isto não é gente de Hong Kong a governar”. “LUTAR PELA DEMOCRACIA” Um dos grupos mais barulhentos no protesto era constituído por estudantes de Serviço Social da Universidade de Hong Kong, mas também de outras instituições de ensino superior. Às palavras de ordem junta-se um Leung e um Tang simulados, que lutam entre

eles. Dois alunos masca rio, o outro lado da barr explica Rachel Lam, de terpreta para inglês o q mas de integridade e Pe iguais, porque não fom não temos a certeza do Apesar de ter sido de protesto, como band veis e em maior númer política que por vezes r deiras amarelas agitada do Centro de Convençõ os manifestantes. Dali, p binete de Ligação do G locais. Os líderes dos vár Convenções vão discur Quando um dos líderes

Leung garante respeito

O antigo membro do Conselho Executivo partiu em segundo lugar mas conqu

O

tecnocrata CY Leung, 57 anos, que sucede a Donald Tsang, que termina o seu segundo mandato no final de Junho, comprometeuse ontem a salvaguardar os valores fundamentais de Hong Kong, garantindo formalmente que os direitos e liberdades de que o território usufrui neste momento não serão diminuídos durante a sua governação. O antigo membro do Conselho Executivo CY Leung, abreviatura de Leung Chun-ying, venceu ontem as eleições para Chefe do Executivo de Hong Kong à primeira volta, após conquistar a maioria dos votos do colégio que escolhe o líder do Governo. Leung, 57 anos, obteve 689 votos contra os 285 conquistados por Henry Tang no seio do colégio de 1.200 membros. Já o candidato do campo democrata, Albert Ho, não foi além dos 76. A vitória de ontem de Leung, veio confirmar os resultados das sonpág 10

dagens, que o dava voto de “blocos” ch partido político de H a Melhoria e Progre no “pequeno círcul O tecnocrata L meado por 305 mem o também candidat apontado como ven correr da campanha como protagonista. Henry Tang, e dendo vigor com o

segunda-feira, 26 de março de 2012 jorn


especial

TSANG TERMINA EM JUNHO COM POPULARIDADE EM BAIXA. Donald Tsang cessa funções como Chefe do Executivo de Hong Kong a 30 de Junho, mas sem a popularidade de outrora, beliscada pelo impacto da crise mundial no centro financeiro e sobretudo pelos “erros” que marcam o final do segundo mandato. Donald Tsang chegou à cadeira do poder há sete anos para substituir, a meio do mandato, Tung Chee-hwa que, depois de uma sucessão de fracassos políticos e protestos, se demitiu em Julho de 2005 alegando problemas de saúde.

l ficou na rua mas fez-se ouvir

áximo em Hong Kong. Querem “o sufrágio universal”, a “democracia” e estão contra qualquer candidato que só seja escolhido por uma minoria, bem resenta “os ricos”. Esperam “o pior” daqui para a frente

Eleição decidida por 1.200 membros numa população de sete milhões é contestada

Manifestantes à entrada do Centro de Convenções, sempre vigiados pela polícia

arados de candidatos personificam o adversáreira. “Estamos aqui a lutar pela democracia” e 19 anos, estudante de Serviço Social, que inque estão a exigir. “Leung e Tang têm probleequim controla-os. Lutamos aqui por direitos mos nós que os nomeámos, e lutamos porque voto universal”. o anunciado que não seria tolerado material deiras e faixas, elas não faltam. As mais visíro são as do “People Power”, uma coligação radicaliza posições. Mas as centenas de banas ao vento não ficam muito tempo em frente ões, pois rapidamente a polícia varre da zona partiriam para um protesto em frente ao GaGoverno Central, segundo alguns repórteres

ne, já se sabia que Leung tinha conquistado 689 votos na Comissão eleitoral, o que o tornava Chefe do Executivo e dispensava outra votação. “Não o queremos como Chefe do Executivo, queremos o sufrágio directo! Estão aqui milhares de pessoas a protestar, a votação simulada também foi muito participada, por isso, até vermos esta exigência cumprida, o povo de Hong Kong nunca estará satisfeito”, explica Kevin Poon, 31 anos, consultor e membro do partido. Leung Kwok-hung, conhecido por “cabelo comprido”, membro do Conselho Legislativo e pertencente à Liga dos Sociais Democratas, também está presente e anda sempre de um lado para o outro. Acaba a discursar numa “reunião” em que os membros da Liga discutem se invadem ou não o Centro de Convenções. Mas após uma meia hora de muitas opiniões, com os manifestantes cada vez mais dispersos, bem como a polícia, que entretanto, começa a desmobilizar, acabam por desistir.

rios grupos presentes em frente ao Centro de rsando à vez. Palavras de ordem não faltam. s do Partido Cívico volta a pegar no microfo-

“LEUNG ESTÁ PELOS RICOS” A desmontar dois beliches, em frente ao Central Plaza, sempre vigiado pelos seguranças, está Keith Au, de 36 anos e trabalhador na

Leung e Tang foram os principais alvos dos manifestantes

área social. “Nestas camas estivemos quatro pessoas a dormir duas noites, como forma de protesto. Queremos que o Governo olhe mais para os problemas que afectam a vida das pessoas, como a educação, a saúde e a habitação pública. E Leung? “Ele está pelos ricos, estou muito preocupado com tudo isto”. Com uma votação mais rápida do que o esperado, uma vez que era colocada a possibilidade de ter de haver mais do que uma votação, os manifestantes desmobilizam e cerca das 14:00 a Harbour Road volta a ser reaberta ao trânsito. Quase nem dá para imaginar a multidão que uma hora antes impedia a circulação. Pelo resto da cidade, pouco se dava pelas eleições. Nos bares da zona de Wan Chai, adeptos de râguebi assistiam aos jogos das suas selecções, que participaram no Torneio de Sevens, que também decorreu na cidade e que acabou por repartir as atenções mediáticas. Em Central, como já é habitual, centenas de domésticas, da Indonésia e sobretudo das Filipinas, aproveitavam o dia livre, sentadas em pedaços de papelão, a comer, a jogar ou a dormir, para admiração de alguns que por ali passavam.

pelos direitos e liberdades

uistou ontem 689 votos na Comissão Eleitoral, contra 285 conquistados por Tang

am como favorito, e as manifestações de intenção de have do colégio, nas vésperas do acto, como do maior Hong Kong – o pró-Pequim Aliança Democrática para esso de Hong Kong (DAB) –, com mais de 200 assentos lo”. Leung partiu para a corrida em segundo lugar – nombros do comité eleitoral, atrás dos 379 que apoiaram to pró-Pequim Henry Tang –, contudo, começou a ser ncedor desde o primeiro debate, beneficiando, no dea, das polémicas que tiveram o seu principal oponente . ex-número dois do Governo de Hong Kong, foi perestalar continuado de escândalos, aliás, foco principal

nal tribuna de macau

de debates e de jogos de bastidores no seio do campo pró-Pequim. Desde relações extraconjugais, aos rumores de um filho ilegítimo até às obras ilegais em sua casa, pelas quais responsabilizou a mulher, Henry Tang foi “condenado” na praça pública e chegou a ser pressionado, em várias frentes, a abandonar a disputa. CHUI SAI ON SAÚDA NOVO LÍDER. O líder do Governo de Macau endereçou ontem a Leung Chun-ying uma mensagem de felicitações pela vitória nas eleições para Chefe do Executivo de Hong Kong. Chui Sai On destacou, num comunicado oficial, que, ao longo dos últimos anos, Macau e Hong Kong “têm cooperado intensamente, designadamente na implementação do projecto de construção da Zona Metropolitana do Delta do Rio das Pérolas e da Ponte Hong Kong-ZhuhaiMacau”.

Leung (dir.) obteve 689 votos contra os 285 de Henry Tang pág 11


volta ao MUND

actual

FALECEU ANTÓNIO TABUCCHI. O escritor italiano António Tabucchi faleceu na manhã de ontem em Lisboa aos 68 anos, vítima de doença, e será sepultado na capital, onde residia há várias dezenas de anos.

PORTUGAL

MYANMAR

Problemas de saúde forçaram Aung San Suu Kyi a cancelar abruptamente a campanha eleitoral, a uma semana das eleições legislativas que são consideradas como um teste fundamental à reforma politica do país. Porém, ainda ontem e contra as ordens dos médicos, Suu Kyi esteve presente num comício de dezenas de milhares de apoiantes em zona remota do sul do país, revelou a France Press.

PAQUISTÃO

Quatro pessoas morreram e outras duas ficaram feridas num ataque perpetrado por desconhecidos na cidade paquistanesa de Peshawar, revelou uma fonte policial citada pela imprensa local. Peshawar é a capital da província fronteiriça com o Afeganistão e habitualmente uma zona de conflitos e ataques.

CHINA

A fabricante de bebidas Coca-Cola pretende acelerar o seu investimento na China, face ao aumento do consumo interno do país, para tornar o gigante asiático no maior mercado da marca em 2020, noticiou ontem o “China Daily”.

TAIWAN

O primeiro-ministro de Taiwan, Sean Chen, afirmou que a fórmula “um país, duas áreas” regula a relação com a China na actual presidência de Ma Ying Jeou e está de acordo com a Constituição da ilha. Sean Chen falava aos jornalistas em Taipé depois de, em Pequim, o presidente honorário do Kuomintang ter dito que Taiwan e a China têm “uma relação especial”, no final de um encontro com o presidente chinês, Hu Jintao.

PORTUGAL

Quase sete mil imóveis foram entregues aos bancos em dação em pagamento por famílias e por promotores imobiliários em 2011, em resultado do incumprimento nos créditos à habitação e à construção, segundo estimativas da associação que representa o setor imobiliário. De acordo com as estimativas da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), “cerca de 6.900 imóveis foram entregues em dação em pagamento”.

JAPÃO

Numa entrevista ao diário económico japonês Nikkei ontem publicada na véspera da sua visita ao Japão, o primeiro-ministro italiano Mario Monti apelou aos empresários japoneses para investirem no seu país, acentuando que sob sua liderança reformista, a Itália está aberta aos negócios internacionais.

FILIPINAS

Combates entre grupos rebeldes rivais armados que lutam pela libertação do Mindanao fizeram dois mortos, queimaram duas casas e obrigaram a deslocar dos seus lares 270 famílias, disse ontem um porta-voz militar.

Bruno Paixão e família forçados a sair de casa Ameaça com descrição da rotina da filha do árbitro leva polícia a tomar medida preventiva BRUNO PIRES, CARLOS DIOGO SANTOS e LUÍS FONTES

B

runo Paixão, árbitro internacional da Associação de Setúbal, recebeu uma ameaça à sua filha que o obrigou a deixar a sua residência, juntamente com a família. O DN sabe que permanece agora em parte incerta. Questionado ontem sobre esta ameaça, Bruno Paixão confirmou ter deixado a casa onde habita mas recusou acrescentar qualquer detalhe: “Não posso falar dos contornos que me levaram a tomar essa decisão.” Segundo o DN apurou, terão sido as autoridades policiais a aconselhar o árbitro a optar por uma medida preventiva depois de ter sido recebida uma ameaça que descrevia ao pormenor todas as rotinas da filha de sete anos – nomeadamente localização do colégio, as horas a que esta entrava e saía, bem como outro locais que frequentava durante o dia. Dado o nível de detalhe, as autoridades consideraram que a ameaça não podia ser ignorada. E Bruno Paixão foi aconselhado a retirar-se da sua residência, localizada na Margem Sul do Tejo, juntamente com a mulher e a filha, sugestão que acatou de imediato. Depois de terem sido publicados na Internet os dados pessoais dos 25 árbitros das ligas profissionais – contactos, moradas, nomes de familiares e números de documentos de identificação –, alguns foram já alvos de ameaças, mas nenhuma com esta dimensão. Este árbitro internacional esteve na berlinda na passada segunda-feira, no Gil Vicente- Sporting, um jogo muito criticado pelos dirigentes do clube de Alvalade e que os minhotos venceram por 2-0. No final do encontro os responsáveis leoninos pediram a irradiação de Bruno Paixão. “A única forma é alguns agentes serem banidos. Bruno Paixão? É um deles”, disse Carlos Freitas, directorgeral da SAD. E Godinho Lopes, presidente do Sporting, foi ainda mais longe. “Não devia arbitrar mais nenhum jogo do Sporting ou de outra equipa qualquer. Devia ser irradiado”, disse, referindo-se a Bruno Paixão. Durante toda a semana, os adeptos seguiram os incentivos e em vários fóruns pediam a morada e os contactos de Bruno Paixão.

Essa foi talvez a razão para os contactos deste árbitro – publicados na Internet, de forma ilegal, no dia 17 – serem os mais consultados. Três dias depois contavam já com mais de mil visitantes. Talvez por isso, Bruno Paixão tenha sido um dos árbitros que pediram escusa para esta jornada. Pedro Proença, Duarte Gomes, João Ferreira e os assistentes José Braga, José Lima e Paulo Ramos foram os restantes juízes que justificaram com férias a dispensa. Resta agora saber se o Gil Vicente-Sporting foi o último jogo da carreira de Bruno Paixão. “Sobre isso vou, como se diz na arbitragem, manter-me em black out”, afirmou o árbitro, deixando em aberto uma retirada prematura – por lei pode arbitrar mais oito anos. Linha para árbitros. A difusão dos dados pessoais, que continuam online e a natureza de algumas ameaças a árbitros, levaram já as autoridades a criarem uma linha telefónica especializada para estes profissionais. Contactado ontem pelo DN, um dos 25 árbitros – que preferiu não ser identificado – explicou que a morada que está a ser difundida como sendo a dele é onde moram agora alguns familiares. Dada a desactualização foi obrigado a fornecer esta linha, direccionada para árbitros, a alguns elementos da sua família que residem naquela morada. JTM/DN

COREIA DO SUL

Barack Obama visitou “fronteira da liberdade” O Presidente americano Barack Obama visitou a DMZ entre as Coreias, no dia em que Seul revelou que Pyongyang prepara um teste para o próximo mês

A

Coreia do Sul e as autoridades dos Estados Unidos estão conscientes de que a Coreia do Norte transportou o corpo de um míssil de longo alcance (para Tongchang-ri) e está a preparar-se para um teste”, revelou o porta-voz do ministério da Defesa à agência noticiosa France Presse (AFP), sem adiantar mais pormenores. Os Estados Unidos advertiram que o lançamento poderia comprometer um acordo recente de envio de ajuda alimentar dos EUA para o Norte em troca de uma moratória sobre mísseis e testes nucleares. Washington referiu que Coreia do Norte usa tais lançamentos como cobertura para testar sistemas de mísseis de armas nucleares que poderiam alcançar o Alasca ou mais além. Os planos de Pyongyang deverão dominar as discussões paralelas entre o Pre-

sidente norte-americano, Barack Obama, e outros líderes mundiais que se reunirão em Seul para uma cimeira sobre segurança nuclear. Pyongyang disse que estava a testar tecnologia de satélites com objectivos pacíficos, mas abandonou em seguida uma mesa de negociações sobre desarmamento nuclear e realizou um novo teste semanas depois. Ontem, o presidente Barack Obama chegou ao destacamento de Camp Bonifas acompanhado do embaixador dos Estados Unidos, Sung Kim, onde foi recebido pelo

pág 12 segunda-feira, 26 de março de 2012 jornal tribuna de macau

comandante das forças conjuntas na Coreia do Sul, general James Thurman. Saudando todos os 50 soldados norteamericanos destacados no local, Obama disse que estes se encontram “na fronteira da liberdade”. “O contraste entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte não podia ser mais abrupto, não podia ser mais claro”, afirmou ao destacar também que os soldados ali destacados integram a “longa linha” de militares que permitiram a prosperidade da Coreia do Sul. JTM/Lusa


NELO VINGADA GANHA EM DALIAN. A equipa orientada pelo técnico português Nelo Vingada, o Dalian Shide, alcançou ontem a primeira vitória na edição de 2012 da super liga chinesa, ao vencer em casa o Qingdao Jonoon por 2-1.

desporto

EQUIPA DE PACHECO PERDE EM HANGZHOU.A equipa orientada pelo técnico português Jaime Pacheco, o Beijing GuoAn, perdeu 1-0 com o Hangzhou, na segunda derrota em três jornadas da super liga chinesa.

LIGA ESPANHOLA

‘Tridente’ goleador afasta a crise do Santiago Bernabéu Real Madrid responde ao triunfo do Barça em Maiorca. Messi e Ronaldo iguais nos “melhores marcadores” joão ruela

D

epois de dois empates e exibições com pouco brilho, a máquina goleadora do Real Madrid voltou a funcionar. Os merengues golearam a Real Sociedad, por 5- 1, no Santiago Bernabéu, e responderam da melhor maneira à vitória do Barcelona em Maiorca, por 2- 0, mantendo a vantagem de seis pontos para os catalães a nove jornadas do final da Liga espanhola. Numa partida em que José Mourinho, Rui Faria e Pepe cumpriram castigo, o “tridente” goleador composto por Higuaín, Cristiano Ronaldo e Benzema voltou a fazer a diferença, ao apontar os cinco golos do Real Madrid, com o português e o francês a repetirem a dose. O espanhol Sergio Ramos também marcou, mas na baliza errada. Os três atacantes do Real Madrid já levam 95 golos nesta temporada e estão a cinco de bater o recorde do futebol espanhol, estabelecido em 2008/ 09 por Messi, Eto’o e Ronaldinho. Mas há mais recordes a bater e outros que Cristiano Ronaldo e Messi fizeram questão de quebrar. O Real Madrid de José Mourinho está a “apenas” uma dúzia de golos de igualar o melhor registo de sempre da Liga espanhola. Em 1989/ 90, John Toshack conduziu os merengues às marca de 107 golos, que tudo leva a crer que será alcançada pelo técnico português. A formação madridista já igualou, inclusive ainda com nove jogos por disputar, o número de golos do Barcelona, que se sagrou campeão na época passada. À parte do registo goleador colectivo, Cristiano Ronaldo e Messi continuam em luta acesa pelo “pichichi”, cada um com 35 golos, mas o argentino até contou com uma pequena “ajuda” por parte do árbitro do Maiorca-Barcelona. O primeiro golo da partida foi atribuído a Messi, mas foi Alexis Sanchéz a desviar, de cabeça, a bola para o

Cabeça de Messi entregue à ciência fundo da baliza. Piqué fez o segundo do Barça, numa altura em que os catalães jogavam com dez, por expulsão de Thiago, e estavam em dificuldades perante o Maiorca de Nunes. Lionel Messi, por si só, também somou mais um recorde ao serviço do Barcelona. Ao chegar ao 35.º golo na Liga, o astro argentino tornou-se o maior marcador da história do Barça num só campeonato, superando o brasileiro Ronaldo, que teve 34 remates certeiros em 1996/ 97. E neste “ping- pong” de recordes, mais um para o português Ronaldo: é o primeiro jogador da história da competição a marcar a 17 adversários diferentes na mesma época. A revolta contra Mourinho. Independente, orgulhoso, inspira algum medo e tem o respeito de todos no balneário do Real Madrid. E não falamos de José Mourinho, mas sim do francês Lass Diarra, o médio que quis sair de Espanha no Verão, mas que o português recusou dispensar. No último mês, Lass tem aparecido frequentemente entre o lote de lesionados. Segundo revelou o diário espanhol El País, tal deve-se ao facto de o gaulês ter enfrentado Mourinho como nenhum outro jogador o fez.

Lass terá entrado no gabinete do treinador e, segundo conta a publicação, Mourinho não fez nada mais que ouvir, em silêncio, as críticas do francês. “Tu és um traidor! Impediste-me de sair no Verão e prometeste que eu iria jogar sempre contigo. Tens medo que alguém saia e seja bem sucedido!”, terá dito o jogador. E se Lass tem o respeito de todos no Bernabéu, o mesmo não se poderá dizer de Fábio Coentrão. Conta um dos jogadores, não identificado pelo El País, que o Real já perdeu jogos por causa de Coentrão, mas como faz parte do grupo de “protegidos” de Mourinho o técnico procura outros culpados. Por norma, dizem, são os espanhóis do plantel. Pepe, Di María, Ronaldo e Coentrão são intocáveis e os “aliados” do técnico, que terá mesmo pedido aos jogadores para se juntarem a ele contra a imprensa e os espanhóis do plantel. Os quatro atletas são representados por Jorge Mendes, também empresário de Mourinho, algo que estará ligado à preferência pelos atletas. Há, ainda, quem diga que Mourinho forçou a expulsão em Villarreal para “escapar” à pressão no Bernabéu. JTM/DN

LIGA ITALIANA

AC Milan ultrapassa AS Roma com “bis” de Ibrahimovic O líder da Liga italiana de futebol AC Milan recuperou hoje de desvantagem na recepção à AS Roma (2-1), com um “bis” do sueco Ibrahimovic, distanciando-se da perseguidora Juventus, na 29.ª ronda

E

m “cima” do intervalo, Osvaldo desviou um cruzamento-remate de De Rossi e inaugurou o marcador a favor dos forasteiros. Na segunda parte, os espectadores do Estádio San Siro puderam ver mais uns toques de “Ibracadabra”: primeiro, na conversão de uma grande penalidade, aos 53 minutos, depois um novo tento brilhante, já aos 83. Ibrahimovic aproveitou um lançamento longo, dominou a bola, fê-la passar por cima do guardião contrário, e, já na pequena área e pressionado por um defesa, ganhou em altura e cabeceou para a reviravolta final. A “Juve”, agora sete pontos atrasada face aos “rossoneri”, só joga domingo, em casa, frente ao Inter de Milão. No outro encontro antecipado, o Palermo empatou com o Udinese a uma bola.

Esta semana Leo Messi entrou para um pedestal eterno na história do FC Barcelona. O jogador argentino tornou-se o melhor marcador de sempre do clube azulgrana com 234 golos, mais dois que o mítico César, o eterno goleador das décadas de 40 e 50. Aos 24 anos Messi colecciona números estratosféricos: 19 hat-tricks, cinco golos num jogo, 103 golos nas últimas 97 partidas, três vezes vencedor da Bola de Ouro, uma Taça do Rei, dois Mundiais de Clubes da FIFA, três Ligas dos Campeões e cinco Ligas espanholas. É por tudo isto e mais alguma coisa que Daniel Kahnemann, um psicólogo galardoado com o Prémio Nobel da Economia em 2002, anunciou publicamente a intenção de “abrir” a cabeça de Leo Messi. O israelo-norteamericnao pretende ler a mente do jogador para “descobrir o mecanismo que lhe permite pensar e decidir tão rápido”. Kahnemann compara Messi a um bombeiro que perante uma casa em chamas consegue antecipar o momento da explosão. Não se treina, é algo inato, daí a curiosidade da ciência. Outro interessado no cérebro do internacional argentino é Norbert Hagemann. O professor universitário alemão quer investigar o “sexto sentido” de Messi, ou seja, a capacidade extraordinária que o jogador tem para, durante um jogo e com um simples olhar, recolher mais informação do que qualquer outro colega de profissão. Leo Messi é um verdadeiro caso clínico... pelo melhores motivos. JTM/DN

jornal tribuna de macau segunda-feira, 26 de março de 2012 pág 13


BAYERN MUNIQUE VENCE SEM BRILHO. O Bayern de Munique venceu em casa o Hannover por 2-1, em encontro da 27ª jornada da Liga alemã de futebol. O Bayern marcou um golo em cada parte, primeiro por Toni Kross (36 minutos) e depois por Mario Gomez (68).

desporto

BRASIL TROCA COPA AMÉRICA COM CHILE. A Confederação Brasileira de Futebol deu conta que chegou a um entendimento para organizar a Copa América em 2019, por troca com a prova de 2015, com o Chile. A alteração vem na sequência do conjunto de eventos internacionais desportivos que o Brasil vai receber nos próximos anos.

LIGA PORTUGUESA

Leão vence, mas não convence O Sporting recebeu e venceu o Feirense por 1-0, na 24ª jornada da Liga, mas não teve futebol para se impor ao último da classificação de forma clara e acabou o jogo com o credo na boca

O

primeiro factor que explica a escassez de lances de ataque criados pelo Sporting ao longo do jogo, susceptíveis de redundarem em golo, foi o baixo ritmo que impôs, salvo alguns momentos excepcionais de aceleração, o que tornou as suas transições ofensivas mais previsíveis e neutralizáveis pela defesa do Feirense. O segundo factor foram as insuficiências que o Sporting revelou a nível do jogo colectivo, o que é difícil de explicar ao fim de sete meses, traduzidas por uma inadequada ocupação dos espaços, falta de entrosamento, escassez de automatismos e de fio de jogo.

Capel foi a expressão mais viva desse défice colectivo ao insistir em inúmeros lances individuais, em que driblava dois ou três adversários para ser desarmado por um terceiro ou um quarto, por excesso de voluntarismo, mas também por inexistência de linhas de passe, o que se explica pelo facto de a equipa não ocupar devidamente os espaços. Além do plano colectivo, houve, também, factores de natureza individual e física que ajudam a explicar o sub-rendimento da equipa, nomeadamente a fraca produtividade de alguns jogadores-chave, como é o caso de Elias, que, a jogar na

Figura: Rui Patrício O internacional português foi novamente a figura do clube de Alvalade. Teve apenas trabalho no segundo tempo, mas acabou o jogo com mais defesas (oito contra quatro) que o seu homólogo do Feirense, o experiente Paulo Lopes. E acabou por ser Rui Patrício, com um par de excelentes defesas, a garantir a vitória do Sporting e a manter a baliza inviolável em Alvalade nesta era de Sá Pinto à frente dos destinos da equipa principal dos “leões”.

posição oito, teve escassa participação no jogo ofensivo. Um jogador da sua valia técnica tem obrigação de não se esconder tanto, de assumir mais o risco e se envolver no processo ofensivo, ao contrário do que fez. Jéffren foi titular e revelou, com toda a naturalidade, falta de entrosamento com os companheiros, designadamente João Pereira na ala direita, pelo que vai precisar de tempo para melhorar o seu desempenho. O seu substituto, Carrillo, que entrou na segunda parte, demonstrou estar ainda “muito verde”, não obstante o seu talento, não tendo acrescentado qualquer mais-valia ao ataque. Face à ausência de Matías, coube a Izmailov ser o número 10, tendo o russo sido o único factor de desequilíbrio, pela sua leitura de jogo, criatividade, capacidade de drible e de meter o último passe. O problema de Izmailov é que ainda não consegue acrescentar velocidade que perdeu por força dos seus continuados problemas físicos - a todos aqueles atributos. O Sporting criou raros lances de perigo e uma única oportunidade de golo na primeira parte, aos cinco minutos, por Wolfswinkel, após uma das raras jogadas colectivas bem congeminadas, além do lance que originou a grande penalidade, números que refletem a exibição pálida que realizou até ao intervalo. Se chegou ao golo, fê-lo

Capel converteu a grande penalidade que deu a vitória aos “leões”

através de um erro de Ludovic, que tendo a bola dominada na área e com tempo para a tirar de lá, facilitou e permitiu que Insúa surgisse nas suas costas a roubá-la, forçando a cometer uma grande penalidade, que Capel viria a concretizar. O Feirense, bem posicionado em campo, a defender com o bloco baixo, e revelando um bom espírito de entreajuda e sentido de dobra, foi chegando, e por vezes, sobrando para o ataque “leonino”. Na segunda parte, ao contrário do que se esperaria, o Sporting não foi capaz de aumentar o ritmo do jogo, impor mais mudanças de velocidade, o que remete para a questão da condição física e do momento

que atravessa. Aliás, seria mesmo o Feirense, aos 54 e 62 minutos, a ameaçar o empate, e a ganhar atrevimento, à medida que o tempo passava, para subir as suas linhas na tentativa de concretizar esse objetivo, perante um Sporting que podia ter chegado ao segundo golo em duas ocasiões, aproveitando o maior balanceamento ofensivos dos homens de Santa Maria da Feira. A verdade é que nem com o adiantamento do Feirense em campo o Sporting revelou “arte e engenho” para aproveitar os espaços abertos nas costas da defesa nortenha para fazer o segundo golo e “matar” o jogo. JTM/Lusa

BENFICA

Presidente acusou jogadores de “pouca entrega” em Olhão Luís Filipe Vieira fez questão de dizer que a arbitragem não podia servir de desculpa GONÇALO LOPES TIAGO SILVA PIRES

L

uís Filipe Vieira, presidente do Benfica, fez questão de demonstrar o seu desagrado ao grupo de trabalho após o empate (0- 0) com o Olhanense, no Algarve. De acordo com o que o DN apurou, o máximo dirigente do clube da Luz acusou os jogadores utilizados em Olhão de “pouca entrega” durante os 90 minutos. Luís Filipe Vieira, no entanto, incentivou também o grupo para os seis jogos que ainda faltam até final do campeonato. Procurou incutir-lhes que a luta pelo título ainda não está posta de parte, qualquer que seja o resultado do FC Porto em Paços de Ferreira. No entanto, em Olhão, onde o Benfica não ganha para o campeonato desde

1975, o presidente fez saber que desta feita os jogadores não se podem apenas desculpar pela perda de pontos exclusivamente com alegados erros de arbitragem. A conversa decorreu logo após o apito final do árbitro e durou pouco mais de dez minutos, tendo mesmo atrasado a habitual conferência de imprensa do trei-

nador Jorge Jesus após cada partida. Estas palavras, algumas muito duras, foram perceptíveis, sabe o DN, até no balneário do Olhanense, e do lado de fora do vestiário encarnado as pessoas também estranharam as palavras em voz alta que ecoavam do outro lado da porta. No discurso esteve também implí-

pág 14 segunda-feira, 26 de março de 2012 jornal tribuna de macau

cito o encontro de amanhã, na Luz, com o Chelsea, de Inglaterra, embate esse da primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões. Luís Filipe Vieira pediu uma resposta célere ao jogo com o Olhanense e quer ver “outro tipo de entrega” no embate com os “blues”. Após as palavras de Luís Filipe Vieira, foi a vez de Jorge Jesus, o treinador, falar com o grupo de trabalho. O técnico não pediu justificações sobre a alegada “pouca entrega” dos futebolistas, como presidente encarnado destacou, mas fez saber também que espera um jogo totalmente diferente contra o Chelsea, mas também diante do Sporting de Braga, equipa que se desloca no próximo sábado ao Estádio da Luz em encontro da 25ª jornada. Refira- se também que o directorgeral, António Carraça, foi um dos que mais conversou com os jogadores, alguns de forma individual, para tentar também passar-lhes nova mensagem de confiança. JTM/DN


CHELSEA CHEGA AOS 36 MILHÕES POR CAVANI. O Chelsea iniciou conversações para contratar Cavani, avançado uruguaio que representa o Nápoles. De acordo com o “The Sun”, representantes do jogador estiveram em Londres para discutir uma proposta na ordem dos 36 milhões de euros.

desporto

LOKEREN CONQUISTA TAÇA DA BÉLGICA. O Lokeren conquistou a Taça da Bélgica ao vencer na final o Kortrijk por 1-0, fruto de um golo do tunisino Hamdi Harbaoui (77’). A primeira conquista da Taça da sua histórica fez-se com esforço uma vez que o Lokeren jogou com dez jogadores desde o minuto 20.

PREMIER LEAGUE

“Citizens” falham liderança isolada O Manchester City desperdiçou a oportunidade de ultrapassar provisoriamente o líder Manchester United, ao empatar na visita ao Stoke City (1-1), na 30ª jornada da Liga inglesa de futebol

C

om o empate a um golo, o Manchester City, afastado pelo Sporting na Liga Europa, ficou com os mesmos 70 pontos que o Manchester United, que hoe recebe o Fulham. O Stoke City inaugurou o marcador aos 59 minutos, com um golo “monumental” do avançado Peter Crouch, após um passe do médio Jermaine Pennant, mas o costa-marfinense Yaya Touré igualou o re-

Peter Crouch marcou um dos melhores golos da época

sultado, aos 76. Por seu turno, o Arsenal aproximou-se da qualificação para a Liga dos Campeões, ao somar a sua sétima vitória consecutiva, desta vez frente ao Aston Villa, por 3-0. Invencíveis há cerca de um mês, os “gunners” impuseram-se graças aos golos marcados logo ao início do jogo, por Gibbs, aos 16 minutos, e Walcott, aos 25. O terceiro golo surgiu já em período de descontos, aos 90+2, num livre de Arteta. O Chelsea, adversário do Benfica nos quartos de final da Liga dos Campeões, e o Tottenham abriram a 30ª jornada com um empate sem golos. A três dias da deslocação ao Estádio da Luz, para a primeira “mão” dos quartos de final, a equipa londrina deixou dois

pontos pelo caminho frente ao Tottenham, que ocupa o quarto lugar da classificação, o último de acesso à “Champions”. O Bolton disputou o seu primeiro jogo após o incidente cardíaco ocorrido com o médio Fabrice Muamba: venceu por 2-0 o Blackburn, estando agora um lugar acima da linha de água. Os adeptos fizeram uma pequena homenagem ao jogador de origem congolesa, que continua hospitalizado nos cuidados intensivos, formando a inscrição “Muamba 6” num mosaico vivo. Por seu turno, o Liverpool continua a lutar contra as derrotas, mas acabou por perder, pela sexta vez consecutiva, na recepção ao Wigan, penúltimo classificado. JTM/Lusa

HONG KONG SEVENS

“Lobos” garantem presença no circuito mundial em 2013 Portugal garantiu ontem presença no circuito mundial de “sevens” de 2013 após vencer a congénere do Japão por 33-19

O

objectivo ficou cumprido e a selecção nacional portuguesa de râguebi garantiu lugar entre as 15 selecções que em 2013 vão participar em todas as etapas do circuito Mundial de “sevens” após vitória frente ao Japão por 33-19. Depois de vencer o Zimbabué nos quartos-de-final por 21-17, Portugal foi derrotado nas meias-finais pelo Canadá (14-12), mas no jogo de atribuição do terceiro lugar a formação portuguesa não deu qualquer hipótese ao Japão. A partida contra os japoneses, que foram afastados nas meias-finais pela Espanha após

14 pontos (33-19), mas o triunfo e a importante conquista do cobiçado lugar do circuito mundial de 2013 já estava garantido por Portugal. ILHAS FIJI COM RECORDE DE VITÓRIAS. A selecção das Ilhas Fiji venceu a Nova Zelândia por 35-28 num duelo de “gigantes” que colocou o vencedor na rota para o título da “World Series”. As Ilhas Fiji começaram melhor mas a Nova Zelândia, graças a Mark Jackman, ainda ripostou e conseguiu ir para o intervalo com uma igualdade a 14. Na segunda parte, contudo, os “Kiwis” não aguentaram o ritmo imposto pelas Ilhas Fiji que embalaram para o triunfo, conseguindo um recorde ao atingirem a marca de 13 vitórias em Hong Kong.

prolongamento, acabou por ser o melhor dos “Lobos” na prova. Numa partida de “tudo ou nada”, a selecção portuguesa fez uma excelente exibição e não deu qualquer hipótese aos asiáticos, vencendo ao intervalo já por 21-7 graças a dois ensaios de Adérito Esteves e um de Gonçalo Foro. Na segunda parte Portugal conseguiu dilatar a vantagem até 33-7 (Francisco Almeida e Carl Murray marcaram os dois ensaios de portugueses). Com a vitória garantida, Frederico Sousa fez várias substituições e os japoneses aproveitaram para marcar dois ensaios e encurtar a desvantagem para

FÓRMULA 1

Alonso assume liderança do Mundial O piloto espanhol Fernando Alonso acabou com um “jejum” de vitórias de oito meses ao ganhar o Grande Prémio da Malásia, segunda prova do Mundial de Fórmula 1 de 2012

O

piloto da Ferrari, campeão mundial de 2005 e 2006, foi o que melhor geriu a acidentada corrida no circuito de Sepang, muito por culpa da chuva, que chegou a interromper este grande prémio. “Foi um resultado inacreditável e consequência de um grande trabalho da equipa. Conseguimos potencializar aos limites o que tínhamos em mãos. Este será um momento que vamos lembrar para sempre”, exultou, no final, Alonso, que passa a liderar o Mundial. Se o triunfo de Alonso não estaria na maioria dos prognósticos, o segundo lugar do mexicano Sergio Perez (Sauber) muito menos, mas o piloto sul-americano até chegou a assustar Alonso na fase final da corrida. Perez tinha, até agora, como melhor resultado o

sétimo lugar no Grande Prémio da Grã-Bretanha de 2011, mas desta vez conseguiu subir pela primeira vez na carreira ao pódio, um feito que, segundo o próprio, até podia ter sido melhor. “Queria ganhar e cheguei a pensar que fosse possível. Não aconteceu, mas estou muito feliz e orgulhoso com este segundo lugar”, admitiu Perez, que muitos apontam estar na “pole position” para substituir o brasileiro Felipe Massa na Ferrari. O pódio no circuito de Sepang encerrou com o britânico Lewis Hamilton (McLaren), que tinha partido na “pole-position”. Menos sorte teve o alemão Sebastian Vettel, o actual bicampeão do Mundo, que não fez melhor que o 11.º posto, muito por culpa de um incidente que originou um rebentamento de um pneu. Com duas provas disputadas, Alonso passou a liderar o Mundial, com 35 pontos, mais cinco que Hamilton e dez que o companheiro de equipa, e compatriota, do britânico, Jenson Button. JTM/Lusa

Espanhol terminou com um “jejum” de oito meses jornal tribuna de macau segunda-feira, 26 de março de 2012 pág 15


Dito

“A destruição massiva de emprego é uma verdadeira guerra que rompe a coesão e o tecido social do País. Nenhuma sociedade tem futuro se as pessoas não acreditarem que as coisas vão melhorar num prazo razoável.”

opinião

Armando Esteves Pereira in “Correio da Manhã”

Há 20 anos falar de nós

In “Jornal de Macau” e “Tribuna de Macau” 26/03/1992

GOvernador visitou sim e imprensa oficial Os Serviços de Identificação de Macau (SIM) estão a emitir os novos Bilhetes de Identidade de residente à cadência de cerca de 300 unidades por dia, foi revelado durante uma visita do Governador àquele departamento da Administração. Os SIM, que passaram recentemente por um processo de renovação tecnológica, estão ainda todos os dias a renovar cerca de uma centena de outros títulos, designadamente, Bilhetes de Identidade de cidadão nacional, Passaportes e Salvo-Condutos. Durante a sua visita de trabalho às instalações da SIM, o Governador Rocha Vieira deu conhecimentos aos jornalistas do estado actual do processo de microfilmagem dos registos de nascimentos, casamentos e óbitos a decorrer no âmbito dos Serviços de Justiça. Estes microfilmes estão concluídos e disponíveis em cerca de 150 cassetes, que correspondem a mais de 1.800 livros de registos de actos de estado civil. Todos os livros de registo desde 1900 até 1991 foram passados a microfilme, estando actualmente os responsáveis da Direcção dos Serviços de Justiça a preparar o envio de uma cópia deste arquivo para a Conservatória dos Registos Centrais em Lisboa. Segundo foi explicado durante a visita em que o Governador se fez acompanhar pelo secretário-adjunto da Justiça, Macedo de Almeida, a Conservatória dos Registos Centrais em Lisboa está apta a fornecer todas as certidões necessárias à obtenção de documentos de identificação a ex-residentes de Macau, desde que transfiram o seu domicílio para Portugal.

RECTIFICAÇÃO Por lapso de que nos penitenciamos, no artigo intitulado “Pequim tem um cocktail molotov nas mãos”, publicado na edição de sexta-feira do JTM, Arnaldo Gonçalves foi identificado como professor do Instituto Politécnico quando, de facto, é investigador do Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa. Pelo facto pedimos desculpas aos visados e aos nossos leitores.

Jorge A. H. Rangel*

Uma apreciação da obra sobre potencialidades turísticas “Este livro apresenta pistas que vão muito além das relações interculturais e podem influenciar e motivar a criação de um novo conceito de Turismo: o do Turismo da Memória.”

E

ste espaço foi dedicado, na semana passada, a uma nova edição do Instituto Internacional de Macau (IIM) intitulada “À Descoberta da China e dos Países Lusófonos — Potencialidades Turísticas e Estratégias Promocionais”, apresentada recentemente em Lisboa, na Delegação Económica e Comercial de Macau, após um lançamento muito concorrido no Rio de Janeiro, em sessão levada a efeito na sede da Confederação Brasileira do Comércio, e em Macau, no auditório do IIM. Fez a apresentação da obra o Dr. Manuel Coelho da Silva, ex-presidente do Instituto de Formação Turística de Portugal e ex-director dos Serviços de Educação e Juventude do Governo de Macau, sendo actualmente presidente do Conselho de Opinião da RTP — Radiotelevisão de Portugal e membro do Conselho Geral do Instituto Politécnico do Tomar, onde desempenhou funções docentes como professor coordenador. Dado o interesse da sua apreciação e pelos conceitos expressos sobre a relevância do Turismo como actividade económica com uma dimensão cultural única, transcrevem-se as partes mais substanciais do texto de apresentação: Preciosa mais-valia “Esta obra veio trazer-nos uma preciosa mais-valia: o inventário do património consolidado e dos potenciais recursos turísticos de Macau, da China, e dos Países Lusófonos, que, creio, é a primeira vez que é realizado. Sob a coordenação geral do Dr. Jorge Rangel, cuja experiência e conhecimentos em matéria de Turismo são sobejamente conhecidos e reconhecidos e a orientação de Gonçalo César de Sá que, enquanto jornalista, tem dedicado a Macau largos anos da sua vida, com uma rede de colaboradores com vivências em cada um dos Países, nesta obra procurou-se propiciar um ‘olhar’, ou melhor, ‘olhares’ sobre o que de mais belo a natureza nos proporciona, ou que o homem construiu, bem como as manifestações culturais, fruto do diálogo entre os povos, aquilo que hoje se designa por património imaterial. Numa análise sintética, mas colorida e até emotiva, País a País, monumento a monumento, procurou-se captar e capturar a essência do lugar. Para além disso, elencou-se a capaci-

pág 16 segunda-feira, 26 de março de 2012 jornal tribuna de macau

dade de alojamento e de outros meios que permitem poder usufruir desses activos. Os dados mais relevantes, no âmbito do Turismo, da História e da Cultura também não foram esquecidos. (...) Nós sabemos, ensinei isso a milhares de alunos, que o Turismo, enquanto actividade económica, não pode ser apenas e tão só vista dos lado dos recursos. Precisamos de infra-estrutura, transportes e, principalmente, gente preparada para os desenvolver, pois, só assim, o recurso turístico se transforma em produto turístico. Mas, para além desses, há um outro desafio maior, e talvez por isso mais aliciante, a criação de uma rede de lugares que ligando o ocidente ao oriente, percorra o Mundo que os portugueses ajudaram a desbravar. Da Europa à África, da América à Ásia e à Oceânia, podemos promover visitas e diálogos, sem nunca deixarmos de pensar naqueles que, antes de nós, imprimiram uma indelével ‘pegada’ reflectida nas pedras e nos povos. É talvez chegado o momento de mobilizar a nossa capacidade de criar operações à escala global e que hoje os transportes nos permitem concretizar, numa espécie de ‘novas descobertas’. É este o desafio do Turismo, reconhecidamente uma actividade económica ímpar, fonte de conhecimento e aproximação dos Povos. Parafraseando e adaptando Francis Bacon, ‘nenhum império, nenhuma seita, nenhuma estrela parece ter exercido maior poder e influência sobre os assuntos humanos’, que o Turismo. Por isso, importa acreditar que é possível percorrer o mundo falando português e chegar à China que, desde os finais do século XIV, sempre preencheu o imaginário popular europeu.” O papel de Macau “Uma última reflexão que esta obra nos motivou: o papel de Macau neste seu extraordinário renascer como ponte da China para os Países Lusófonos. Para os mais desatentos pode parecer estranho que a China tenha mantido Macau em interacção com os Países Lusófonos. Mas, quem conhece o pragmatismo chinês, a sua visão política de longo prazo e o reconhecido respeito pela memória do passado, sabe que esta construção de uma rede de contactos comerciais, e outros, com o mundo dos países lusófonos, que se estende por todos os continentes, não é obra de um impulso momentâneo, mas sim uma reflectida opção de se criar, em conjunto, um ‘mundo’ em que as pessoas possam tecer uma teia

de ligações e trocas, como nunca aconteceu, até hoje, com outros povos. O fragmento da memória histórica que Macau representa para a China revive e transforma-se num lugar de encontros repetidos com um mundo vivido por pessoas reais, onde brotam oportunidades e ligações, que vão muito para lá das diferenças políticas, e servem de âncora a projectos de desenvolvimento económico, cultural e social. Este livro ajuda-nos e apresenta, nesse sentido, pistas que vão muito além das relações interculturais e podem influenciar e motivar a criação de um novo conceito de Turismo: o do Turismo da Memória. Só por isso valeu a pena o esforço de todos os que colaboraram nesta obra e o do IIM que, vencendo as habituais dificuldades financeiras, a editou e promoveu, projectando os mais de setenta e cinco monumentos e lugares que, nos Países que fazem parte do inventário da Obra, foram consagrados pela Unesco, como Património da Humanidade. Também a partir daqui, outras potenciais candidaturas poderão surgir, desafiando os profissionais do Turismo e os responsáveis políticos a desencadearem novos roteiros que tragam riqueza e sustentabilidade futura. O Secretário-geral da Organização Mundial de Turismo (OMT) afirmou recentemente que, apesar da crise, os turistas a viajar em 2011 ultrapassaram os mil milhões, criando mais postos de trabalho e oportunidade de desenvolvimento económico no mundo. Por isso, lembramos, a finalizar, que esta obra ‘À Descoberta da China e dos Países Lusófonos’, com o subtítulo ‘Potencialidades Turísticas e Estratégias Promocionais’, convoca os profissionais do Turismo, enquanto actividade económica criadora de emprego, riqueza e desenvolvimento económico e social, a olharem para os ‘espaços territoriais’ aqui trazidos, como detonadores de crises e fonte de oportunidades criadoras de esperança.” De facto, o Turismo tem um efeito multiplicador impressionante. Importa que se saiba tirar pleno proveito da sua dimensão económica, cultural e social e avaliar o binómio custo/benefício na promoção, o que tem muitas vezes falhado nos serviços nacionais do sector. O terceiro volume da colecção “Novos Caminhos” deverá sair do prelo no primeiro trimestre de 2013, dedicado ao património arquitectónico nos países lusófonos, na China e em Macau. * Presidente do Instituto Internacional de Macau. Escreve neste espaço às 2.as feiras.


“É a fragilidade política de Cavaco Silva, visivelmente temeroso de voltar ao contacto na rua com os portugueses, que motiva as várias ambições presidenciais, manifestadas fora de tempo.” – João Marcelino

opinião

tribuna

“E o melhor da greve geral foi o povo que a transformou num fiasco vergonhoso, isto na vaga hipótese de os perpetradores da coisa estarem familiarizados com a vergonha.”– Alberto Gonçalves

João Marcelino*

A razão do frenesim 1

. E de repente só se fala das próximas eleições presidenciais, que estão, imagine-se, a “apenas” quatro anos de distância! À Direita, Marcelo Rebelo de Sousa martela no tema todas as semanas no seu programa da TVI. Pedro Santana Lopes, em entrevista ao Expresso, aparece fotografado junto a um piano e dizem que toca o My way, de Sinatra. As sondagens já realizadas integram ainda duas mulheres - Assunção Esteves, a actual segunda figura do Estado, e Leonor Beleza, presidente da Fundação Champalimaud. À Esquerda, ainda assim mais calma, António Costa já dissera na semana anterior (quando lançou o livro Caminho Aberto...) que não descarta qualquer responsabilidade futura; percebe-se que José Sócrates, desde o exílio filosófico em Paris, não acredita estar fora desta corrida, e imagina-se que Manuel Carvalho da Silva ande a estudar como pode um comunista abrir caminho para uma candidatura tipo Lula, hipótese que de resto ele não afastou quando

há poucas semanas deixou de ser secretário-geral da CGTP. Curiosamente, Jaime Gama consegue, na sua opção de sempre pelas águas profundas, escapar a este frenesim de candidatos e de estudos de opinião. Enquanto tudo isto acontece, os dois únicos candidatos naturais a Belém também marcam terreno. António Guterres, calado há três anos e meio no que a Portugal dizia respeito, fez-se ouvir em entrevista à Rádio Renascença. José Manuel Durão Barroso, sempre omnipresente e, de todos, o candidato mais forte, veio cá cinco vezes desde Dezembro para conferências e outras cerimónias públicas. E a pergunta só pode ser uma: além do nervosismo aspiracional que motiva algumas destas personalidades (sobretudo Marcelo e Santana, que se sabem reféns da vontade de Durão Barroso e sem prioridade na de Pedro Passos Coelho), que sentido faz andar a falar das próximas eleições presidenciais a quatro anos de distância? O que significa este frenesim de livros e

tribuna

declarações quando pelo meio o País tem uma crise para resolver e outras duas eleições para fazer (autárquicas e ainda umas legislativas)?

2

. A resposta está na imagem decadente e fragilizada de Cavaco Silva, minado por sucessivos erros de comunicação. Um ano depois de reeleito num painel de candidatos que não tinha escolha alternativa, o Presidente da República está na pior fase de sempre da sua vida pública. Cavaco Silva já havia visto a sua cotação ser minada pelos estilhaços do BPN. Lidara com dificuldade com a alegada acusação de espionagem (da Presidência pelo gabinete de José Sócrates) que o seu assessor Fernando Lima tentara vender ao jornal Público. E agora, depois de ter trabalhado para dar um outro governo a Portugal, quando pareciam estar reunidas as condições para um mandato com um período sereno, embirrou rapidamente com as medidas de austeridade de Vítor Gaspar (na

alegada falta de equidade do Orçamento do Estado para 2012, que lhe saiu nas palavras mas que depois não teve qualquer consequência na acção...). Atingiu o auge da inabilidade política com a gafe sobre o valor das suas reformas e evidenciou falta de coragem na renúncia à visita a uma escola e, sobretudo, no prefácio do livro sobre o seu ano de 2011, no qual atacou violentamente José Sócrates sem perceber o boomerang das suas palavras: se o anterior primeiro-ministro foi politicamente desleal - ao não o informar das medidas contidas no chamado PEC IV -, porque não o assinalou na altura e não agiu logo em conformidade? É a fragilidade política de Cavaco Silva, visivelmente temeroso de voltar ao contacto na rua com os portugueses, que motiva as várias ambições presidenciais, manifestadas fora de tempo. Mau sinal para o País, que ainda precisa de quatro anos da vida deste Presidente. * Director do Diário de Notícias. JTM/DN

Alberto Gonçalves*

A greve deles O

tomaram em liberdade para limitar a liberdade dos restantes e, a bem ou a mal, impedi-los de trabalhar? Os integrantes dos “piquetes” de greve não são apenas um insulto ou um assalto explícito aos cidadãos que pretendem cumprir o seu dever e que, graças à intervenção de milícias, não o conseguem: são um insulto e um assalto à democracia. O pior da greve geral também não foi a quadrilha autodesignada 15, 17 ou 23 de Outubro, ainda que, ao invés dos sindicatos que usurpam a representação de uns poucos para tentar prejudicar a maioria, a quadrilha não represente ninguém. O trabalho da CGTP é a política: a política do Não Sei Quantos de Outubro não apresenta qualquer nexo com o trabalho. Na impossibilidade técnica de fazerem greve ao que nunca possuíram ou desejaram, os sócios do Não Sei Quantos de Outubro fazem asneiras. Os dias de protesto são os únicos em que semelhante

rapaziada pratica alguma tarefa aparentada com o esforço, se por esforço entendermos o lançamento de pedregulhos e o ataque a propriedade alheia. Por fim, o pior da greve geral nem sequer foram as forças policiais, por muito que consentissem os pequenos e médios crimes dos “piquetes” e do Não Sei Quantos de Outubro e se dedicassem, mediante bastonadas preventivas, a orientar a actividade dos repórteres de serviço. O pior da greve geral foi, se me permitem a palavra, o povo, o exacto povo que tolera com excessiva paciência as abjecções cometidas em seu nome e contra si. E o melhor da greve geral foi o povo que a transformou num fiasco vergonhoso, isto na vaga hipótese de os perpetradores da coisa estarem familiarizados com a vergonha. * Extracto do artigo semanal. JTM/DN

Cartoon

pior da greve geral? Por incrível que pareça, não foi a própria greve, pensada para recuperar a economia e o emprego através da destruição abreviada da economia e do emprego. Durante o PREC, Arménio Carlos, vestígio arqueológico que constitui o novo rosto da Intersindical, combateria as paralisações e apelaria aos dias de trabalho em prol da Nação. Sem uma ditadura que o motive ou sombra de juízo, o sr. Carlos luta pelos propósitos inversos sob argumentos idênticos. E não, o pior da greve geral não foram os “piquetes”, embora a respectiva contemplação (pelo televisor, salvo seja) me provoque uma reacção semelhante à dos programas do National Geographic sobre animais bizarros. Como classificar criaturas que não só abdicam do direito ao trabalho em circunstâncias socialmente difíceis e individualmente frágeis, mas vão ao ponto de usar uma opção que

JTM/DN jornal tribuna de macau segunda-feira, 26 de março de 2012 pág 17


“YELLOW SUBMARINE” REEDITADO. “Yellow Submarine”, o filme de 1968 dos Beatles, vai ser reeditado, assim como o álbum da banda sonora, com alguns extras. Segundo o site da “NME”, o lançamento no Reino Unido está previsto para 28 de Maio.

lazer

MORREU O HUMORISTA CHICO ANYSIO. O humorista brasileiro Chico Anysio morreu sexta-feira no Rio de Janeiro, aos 80 anos de idade, devido a problemas cardíacos. Anysio ficou conhecido pelos mais de 200 personagens que criou, como o professor Raimundo e o vampiro Bento Carneiro, e destacou-se na televisão, no teatro, no cinema e na rádio.

Irina “sexy” e atrevida em Miami Namorada de Cristiano Ronaldo celebrou o aniversário da amiga, Anne V, na praia

Especificidades Suzana Tôrres

A perspectiva das coisas... Recuando um pouco no tempo, será necessário para que o presente tenha e faça sentido. E, porque o meu presente já foi o meu passado, e sendo a sua base comum não deixo de, ao analisar, preferir este meu presente... Eu sei, parece confuso mas passo a decifrar. No último semestre do ano passado, transformei-me no que carinhosamente chamo de “holo” (vulgo coca-cola aqui no Território), um ser gaseificado - os médicos optam por chamar pneumotórax ou colapso pulmonar. Se numa crónica passada critiquei as urgências pediátricas (e muitas tantas me apetecia escrever sobre as restantes), devo aqui ressalvar que se hoje respiro (leia-se vivo), devo-o inteiramente à competência e profissionalismo de todo o piso 4 (medicina e cirurgia 3), especialmente à dedicação e persistência da Dr. Maria Teresa Pinto, cuidados do Dr. Chan, companhia e terapia do Mesquita, que durante quase dois meses não me largaram e muito menos alguma vez me senti abandonada (situação fácil de suceder, quando nos encontramos rodeados de pacientes, médicos, auxiliares e estagiários, tv’s, rádios e conversas em chinês... alienação total). Muitos dias e noites chorei, confesso... Se há doenças em que nos sentimos impotentes, esta é uma delas. É esperar que o pulmão feche e pronto! Mas voltando ao presente... Escrevo esta crónica, deitada novamente numa cama do hospital, mas desta vez não me sinto a desesperar, nem sinto necessidade de saber quando saio!!! Tudo difere... A perspectiva muda! Os motivos... esses são vários! Primeiro já conheço o pessoal que me segue e sei que estou em boas mãos; segundo, desta vez só estou a oxigénio (nada de operações, tubos espetados no peito, soros, medicamentos, máquinas... Só por aí o alívio é 97% total); terceiro já aprendi que neste tipo de situações não existe planos nem datas; quarto, tenho de dar razão a muito boa gente e tenho de abrandar. A perspectiva é mesmo essa... Tudo o que damos por certo hoje, muda num fechar de olhos amanhã... Há um ditado que fazendo sentido para muitos, deixem-me que discorde Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje - pois eu digo “deixe, deixe sim” se quer ter amanhã, não mate tudo hoje, inclusivamente a si! Somos super-heróis, mas de espírito, os órgãos não assinaram o mesmo pacto de heroísmo... São meros involuntários dentro do nosso egocentrismo! PS - Agora... NÃO... depois... Obrigada!

márcia gurgel

C

om um biquíni bastante sensual – a parte de cima com padrão leopardo e a de baixo na cor verde-ácido –, a manequim russa foi o centro de todas as atenções em South Beach. Irina Shayk e Anne Vyalitsyna (Anne V) aproveitaram o momento para tirar uma foto divertida, não qual é possível ver os seus corpos esculturais. Anne V, que também é uma manequim de nacionalidade russa, partilhou a imagem com os fãs na conta pessoal do Twitter, gerando de imediato dezenas de comentários com elogios à forma física de ambas. A sessão fotográfica também se estendeu a Ali Kavoussi, um reputado fotógrafo e agente de celebridades, que acompanhou as duas manequins russas no extenso areal de South Beach. Além de ter apanhado banhos de sol deitada numa espreguiçadeira, a namo-

rada do jogador do Real Madrid também experimentou as cálidas águas das praias de Miami. E até no mar houve espaço para a diversão, já que Anne V apanhou Irina Shayk de surpresa ao puxá-la para baixo

de água. Depois de terem dedicado o dia à praia, as duas manequins russas encontraram-se com um grupo de amigos à noite para continuarem a celebrar o aniversário de Anne V, que, na última semana, completou 26 anos. O semblante alegre e descontraído de Irina Shayk não demonstrou preocupações relativamente às últimas manchetes que fizeram correr tinta na imprensa. Na semana passada, a revista espanhola “Que Me Dices’ noticiou o encontro entre Cristiano Ronaldo e Malena Costa, ex-namorada do capitão do Barcelona, Carles Puyol. Segundo a publicação, ambos dançaram animadamente numa discoteca madrilena e, à saída, o avançado português dos merengues terá entregado um bilhete à jovem manequim espanhola com o seu número de telefone, ficando assim lançada no ar uma suspeita de traição. JTM/DN

Kardashian atacada com farinha Kim Kardashian ficou coberta de farinha após uma mulher a ter atacado durante o lançamento do seu novo perfume “True Reflection”, num hotel de Hollywood. A estrela da TV norte-americana chegou ao evento com um blazer e calças de napa pretas, mas em poucos segundos ficou literalmente “pintada” de branco. “Esta foi provavelmente a coisa mais louca e inesperada que me aconteceu!”, disse, já depois da “agressora” ter sido detida. A mulher foi libertada, uma vez que Kardashian optou por não apresentar queixa.

ver vídeo na edição online do jtm www.jtm.com.mo

“Hacker” assume que roubou fotos de Scarlett Christopher Chaney, 35 anos, deverá declarar-se hoje como culpado num tribunal de Los Angels após ter admitido que atacou o email de Scarlett Johansson e disponibilizou na Internet fotos da actriz nua. O “hacker”, que também entrou nas contas de email de outras celebridades, incluindo Christina Aguilera e Mila Kunis, enfrenta uma pena de 60 anos de prisão.

Claudia “abusa” na humildade A modelo Claudia Abusada não quer ser vista apenas como uma das mulheres mais sexy do Peru: “Não me considero uma ‘colita’ [rabinho], mas sim uma grande pessoa com defeitos e virtudes. Os meus fãs apreciam-me mais pela minha maneira de ser”, disse Claudia à imprensa peruana, acrescentando que “os homens falam do meu traseiro, porque ele sobressai, mas há para todos os gostos”.

pág 18 segunda-feira, 26 de março de 2012 jornal tribuna de macau

Hillary Duff já é mãe Hillary Duff deu à luz o primeiro filho. “Bem vindo ao mundo Luca Cruz Comrie. Na madrugada de terça-feira fomos pais de um lindo menino”, escreveu a actriz e cantora no Twitter. Luca é o primeiro filho da artista, fruto do casamento com Mike Comrie.


Roteiro

fox movies 22:30

The Road tdm 13:00 13:30 14:45 17:20 18:00 18:35 19:35 20:30 21:00 22:10 23:00 23:30 00:00 00:30

TDM News - Repetição Jornal das 24h RTPi DIRECTO Lost S4 Música Movimento (Repetição) Contraponto (Repetição) Amanhecer Telejornal TDM Desporto Passione TDM News Portugueses sem Fronteiras Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO

30 ESPN 13:00 14:00 14:30 17:30 19:30 20:00 20:30 21:00 22:00 22:30

America’s Cup Uncovered FINA Aquatics World 2012 NASCAR Sprint Cup Series 2012 Asian Olympic Qualifiers Syria vs. Oman (LIVE) Sportscenter Asia 2012 Monday Night Verdict Caribbean Golden Moments Mundialito De Clubes - Flamengo vs Seattle Sounders Sportscenter Asia 2012 Asian Olympic Qualifiers Syria vs. Oman

12:00 14:00 14:30 15:00 18:00 18:30 21:00 21:30 22:00 22:30 23:00

(Delay) GP2 Series 2012 Planet Speed 2011/12 Rebel TV 19 Enjoy Jakarta Indonesia Open Inside WTCC HSBC Sevens World Series 2011/12 When The Games Begin (LIVE) Score Tonight 2012 The S-League Show Engine Block 2012 FIA F1 World Championship 2012 - Highlights Malaysia GP

31 Star Sports

40 FOX movies 11:50 13:25 15:25 17:05 18:35 20:10 21:00 22:30 00:25

Are We Done Yet? The Bone Collector 127 Hours The One Sniper 2 The Walking Dead True Justice The Road Sniper 2

41 HBO 12:00 13:45 15:40 17:25 19:15 21:30 22:00 23:00 00:50

The Adjustment Bureau True Grit Dickie Roberts Dumb & Dumber You Don’T Know Jack Hbo Central Luck Red Trapped

42 Cinemax 12:00 14:30 16:00 18:00 19:45 20:25 22:00 23:35

Watchmen Painkiller Jane We’Re No Angels Funeral In Berlin Epad On Max Red Faction Rocky IV Out Of Sight

43 MGM 12:30 14:30 16:00 17:30 19:15 21:00 22:45 00:15

Cuba Conflict of Interest Blood Red Stanley & Iris Mystery Date Rolling Thunder Jiminy Glick in Lalawood American Heart

50 Discovery 13:00 14:00 15:00 16:00 17:00

I (Almost) Got Away With It Lou Ferrante’s Mob Rules Track Me If You Can Lobstermen Deadliest Catch

18:00 18:30 19:00 20:00 21:00 22:00 23:00

How It’s Made 11 How Do They Do It? Dirty Jobs Solving History With Olly Steeds Surviving The Cut One Man Army Deadliest Catch

51 NGC 12:30 13:25 14:20 15:15 16:10 17:05 18:00 19:00 20:00 21:00 22:00 23:00 00:00

Dog Whisperer Don’t Tell My Mother Fight Masters Knights of Mayhem Hitler’s Secret Bunkers The Known Universe Dog Whisperer Ancient X Files The Toilet Men Knights of Mayhem Hitler’s Secret Weapon Machines Of War Drugs Inc

54 History 14:00 16:00 17:00 18:00 18:30 19:00 20:00 21:00 23:00

Civilization Lost Mas Selamat, The Fugitive Terrorist The Universe Pawn Stars Kings Of Restoration The Pickers Ice Road Truckers Pawn Stars The Pickers

55 Biography Channel 14:00 15:00 16:00 17:00 18:00 18:30 19:00 20:00 22:00 23:00 00:00

Psychic Kids Cartier: Jewellers to the Kings Tyra Banks The Secret Life Of A Soccer Mom Storage Wars Airline USA Psychic Kids Storage Wars Megan Fox Psychic Kids Hoarders

62 axn 13:55 14:50 15:45 16:40 17:30 18:20 19:15 20:10 21:05 22:00 22:55 23:50

Wipeout Ncis: Los Angeles Wipeout Australia Csi: Miami Csi: Ny Wipeout The Amazing Race 101 Ways to leave a Game Show Leverage Hawaii Five-0 Blue Bloods Csi: Miami

63 Star World 12:10 13:05 14:00 14:55 15:25 17:10 18:05 19:00 19:30 20:00 20:25 20:55 21:50 22:45 23:40 00:05

Best of How I Met Your Mother American Idol Glee Happy Endings Ugly Betty Model Specials The Glee Project Melissa & Joey Happy Endings How I Met Your Mother New Girl Friends With Benefits Model Specials Revenge How I Met Your Mother New Girl

82 RTPi 18:00 18:30 19:00 20:00 21:00 21:30 00:00 01:16 02:15 02:42 05:00

Telejornal Madeira Couto & Coutadas Sexta Às 9 Bom Dia Portugal Portugal De Negócios O Preço Certo (Rep.) Jornal Da Tarde O Preço Certo Correspondentes (Rep.) Portugal No Coração Portugal Em Directo

A programação é da responsabilidade das estações emissoras

hbo

23:00

28822866

Red

www.macaucabletv.com cinema

CINETEATRO S1 The Hunger Games

theater 8

S2 A Simple Life

theater GRAND THEATER

14:15 • 16:45 • 19:15 • 21:45 14:30 • 21:30

Jack and Jill 16:20 • 18:10 • 23:50

TORRE DE MACAU

Wrath of the Titans 3D (estreia dia 29) 14:30 • 16:30 • 18:30 • 20:30 • 22:30 • 00:30

GALAXY theater 9

theater DIR. ClUB 2 (6*)

John Carter in 3D 14:10 • 16:40 • 19:10 • 21:40 • 00:10

Nightfall - 14:10* • 16:05* • 18:10* • 19:40 • 20:15* • 21:50 • 22:20* • 00:25*

theater GRAND THEATER

theater DIRECTORS Cl 2

The Hunger Games 13:40 • 16:20 • 19:00 • 21:40 • 00:20

Ghost Rider: Spirit of Vengeance 3D 14:30

theater DIR. ClUB 1 (6*, 9**)

theater DIRECTORS Cl 1

John Carter 3D 14:30 • 16:45 • 19:15 • 21:30

A Simple Life - 14:20** • 16:40** • 19:40* • 19:50 • 22:00* • 22:10 • 00:20**

theater DIR. ClUB 2 (8*) Carnage 14:40* • 16:25 • 18:00 • 20:00*

Hugo in 3D - 14:50

theater DIRECTORS CLUB 2 3d Sex & Zen: Exteme Ecstasy 00:05

Clube Militar de Macau

Avenida da Praia Grande, 975, Macau Tel: 28714000 Telefones Úteis Número de Socorro 999 Bombeiros 28 572 222 PJ (Linha aberta) 993 PJ (Piquete) 28 557 775 PSP 28 573 333 Serviços de Alfândega 28 559 944 Centro Hospitalar Conde S. Januário 28 313 731 Hospital Kiang Wu 28 371 333 CCAC 28 326 300 IACM 28 387 333 DST 28 882 184 Aeroporto 88 982 873/74 Táxi (Amarelo) 28 519 519 Táxi (Preto) 28 939 939 Água - Avarias 28 990 992 Telecomunicações - Avarias 28 220 088 Electricidade - Avarias 28 339 922 Directel 28 517 520 Rádio Macau 28 568 333

anima Sociedade Protectora dos Animais Sociedade de Macau Sociedade Protectora Protectora dos Animais Telefone: dos Animais de Macau de Macau 28715732 63018939 fax: 28715732 //63018939 Telefone: fax: 28703224

jornal tribuna de macau segunda-feira, 26 de março de 2012 pág 19


jornal tribuna de macau www.jtm.com.mo Administração, Direcção e Redacção: Calçada do Tronco Velho, Edifício Dr. Caetano Soares, Nos4, 4A, 4B - Macau Caixa Postal (P.O. Box): 3003 Tel.: (853) 28378057 Fax: (853) 28337305 • Email: jtmagenda@yahoo.com e jtmpublicidade@yahoo.com

en passant José Rocha Dinis

Confiança Leung Chun-ying foi ontem eleito como Chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Hong Kong, uma vitória que comprova a velha máxima de que “não há vencedores antecipados”. O favorito inicial, Henry Tang, mostrou como a credibilidade tão difícil de se alcançar, se pode perder em segundos. A sua teimosia em ir a votos, depois de todas as polémicas em que se envolveu, aliás, vai ter consequências no mandato de Leung. A forma como “obrigou” Pequim a intervir descaradamente na eleição, fazendo com que 94 membros da Comissão Eleitoral mudassem de voto (a primeira vez que tal aconteceu nas eleições das Regiões Administrativas) acaba por pôr em causa a confiança no processo eleitoral. E isso não é bom, sequer, para Macau...

última

tempo

fonte: serviços meteorológicos e geofísicos www.smg.gov.mo

hoje

amanhã 160C 230C

170C 230C

câmbios - indicativos

fonte: bnu

Pataca Compra Venda US Dólar 7.95 8.05 EURO 10.55 10.68 yuan (rpc) 1.218 1.277

HAINÃO OFERECE LICENCIATURA EM PORTUGUÊS O Centro de Cooperação Internacional em Educação vai lançar uma licenciatura em Português em conjunto com a Associação de Macau-Hainão para a Promoção Económica & Cultural e o Instituto Politécnico de Leiria, a decorrer em Portugal e na China. O programa contempla três anos de estudo da Língua e Cultura Portuguesas em Hainão, e o quarto e último ano da licenciatura em Portugal, no Instituto Politécnico de Leiria (IPL), onde os alunos vão optar entre duas vias de especialização: Gestão Turística e Hoteleira e Tradução e Interpretação Português/Chinês e Chinês/ Português. Segundo o Centro de Cooperação Internacional em Educação (CICE), a licenciatura em Português deverá arrancar em Setembro, no próximo ano lectivo na Faculdade de Línguas Estrangeiras de Hainão (Universidade de Hainão na capital Haikou na foto), estando em curso o processo de candidaturas – até ao final de Abril –, e o recrutamento de docentes, a maior parte deles da China, e incluindo alguns do IPL. O projecto conjunto foi agilizado na semana passada, depois de uma delegação do IPL se ter deslocado a Hainão e assinado protocolos de cooperação para a implementação de programas conjuntos de ensino superior lusochinês com o CICE, a HFLCPD e a Universidade de Hainão. Da visita à ilha de Hainão resultou ainda um intercâmbio de docentes portugueses do IPL “para o ensino da língua portuguesa na Universidade de Hainão e a troca de especialistas para efeitos de investigação e partilha de conhecimentos no âmbito do turismo”, informou o CICE. As licenciaturas de português na China mais do quintuplicaram na última década, passando de duas para catorze, e contando com os cursos privados, o número ultrapassará os vinte. JTM/Lusa

PASSOS COELHO FAZ NOVAS PROMESSAS

MEXICANOS PEDEM INTERVENÇÃO DO PAPA

O primeiro-ministro e presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, prometeu “acabar com os privilégios dos seCtores mais protegidos da economia” portuguesa, incluindo a energia, defendendo que todos têm de contribuir para a recuperação do país. No discurso com que encerrou do XXXIV Congresso do PSD, na Sala Tejo do Pavilhão Atlântico, em Lisboa, Passos Coelho afirmou que tem “um projeCto ambicioso para Portugal” e que quer “construir uma sociedade mais aberta, mais democrática na economia, mais justa na repartição do rendimento”, o que implica “acabar com os privilégios que permanecem nos seCtores mais protegidos da economia” em Portugal. “E seremos determinados, através de toda a transformação legal e negocial, que nos permitirá reduzir esses privilégios, acabar com esses privilégios e democratizar ainda mais a nossa economia e o nosso país”, assegurou Passos Coelho. Isso será feito “também na energia, acabando com o défice tarifário pesado que todos os portugueses, famílias e particulares ou empresas, têm vindo a suportar”, acrescentou. “Nós temos de olhar para todos os portugueses e poder dizer-lhes: não há uns que possam mais e outros que possam menos. Respeitamos todos, mas todos têm de dar um contributo para a recuperação do país”, defendeu o primeiro-ministro e presidente do PSD. Passos Coelho disse que a eliminação de “privilégios” e a “democratização” da economia portuguesa passará também pela renegociação dos contratos de parcerias público privadas, referindo que, se nada fosse feito, estes custariam aos contribuintes “mais de mil dois milhões de euros todos os anos a partir de 2014 e por quase 35 anos”.

Os mexicanos que denunciaram os abusos sexuais alegadamente cometidos pelo fundador dos Legionários de Cristo, Marcial Maciel (1920-2008), pediram ao Papa Bento XVI que reconheça a responsabilidade da Igreja no encobrimento deste caso. Os mesmos cidadãos pediram ainda a Bento XVI que afirme que “nunca mais” será tolerada a pedofilia. Em 1999, o ex-sacerdote Alberto Athié enviou a Bento XVI (naquela data cardeal Ratzinger), por intermédio do bispo mexicano Carlos Talavera, uma carta na qual denunciava atos alegadamente pedófilos de Marcial Maciel, que foi recebida no Vaticano e nunca teve resposta. O exsacerdote considera que com Bento XVI à frente da Igreja, “só ele e mais ninguém do que ele pode dar um caminho diferente a este tremendo problema” dos abusos sexuais de menores, “este holocausto de milhares de meninas e meninos que foram abusados em muitas partes do mundo”. “Com isto não lhe pedimos que cometa um ato anticristão. É a raiz da consciência cristã”, referiu Alberto Athié. Algumas vítimas dos abusos sexuais, alegadamente cometidos por sacerdotes mexicanos, lamentaram, entretanto, a recusa de Bento XVI em reunir-se com eles durante a sua visita de três dias ao país. “É lamentável que não o queira fazer, infelizmente faz com que o próprio Papa seja cúmplice deste tipo de crimes”, afirmou, em declarações à agência EFE, uma das vítimas, Joaquín Aguilar Méndez.

REAL RESORT NOS EMIRATOS “Real Madrid Resort Island” é o nome de um complexo habitacional de luxo e parque temático que vai nascer nos Emirados Árabes com a marca do Real Madrid. O projecto é apoiado pelo governo local, que busca na marca merengue o melhor veículo de promoção. Consta de um conjunto de residências milionárias, uma torre de apartamentos de luxo, uma marina e mesmo um estádio relvado com vista para o mar. O projecto dirige-se ao mercado asiático, tentando capitalizar o facto dos Emiratos Árabes Unidos se situarem a meio caminho entre a Ásia e a Europa. Foi lançado em Madrid com a presença do presidente do Real Madrid Florentino Perez, José Mouriver vídeo ena edição online do jtm www.jtm.com.mo nho, Zinadine Zidane vários jogadores.

pág 20 segunda-feira, 26 de março de 2012 jornal tribuna de macau

EQUIPA DE TIRO DO CAZAQUISTÃO OUVIU HINO DE “BORAT” A equipa de tiro ao alvo do Cazaquistão foi surpreendida por um hino nacional falso, que por erro, foi tocado por engano na cerimónia de entrega de medalhas num campeonato no Koweit. Em vez dos acordes oficiais, os atletas ouviram o hino cómico do Cazaquistão editado para o filme “Borat”, do actor britânico Sacha Baron Cohen. A versão cómica celebra o país pelas suas “grandes exportações de potássio” e por ter as “prostitutas mais bonitas da região”. O técnico da equipa explicou mais tarde que os organizadores da cerimónia retiraram o hino de “Borat” da Internet por engano. A entrega de medalhas foi realizada novamente após o erro, desta vez com o hino correcto. ver vídeo na edição online do jtm www.jtm.com.mo

fecho desta edição jtm - 00:45horas

JTM 26-03-2012  

Jornal Tribuna de Macau

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you