Page 1

re v i s t a

ANO 7 - 2016

SÃO GERALDO ANO 7 - 2016

rev i s t a

ARQUITETURA URA INTERN

SÃO GERALDO

Pro Projetos ojetos de embaixadas lev oj levam vam assinatura de grandes nomes

EXPO REVESTIR IR

Conheça as nnovidades para 2016

T

ISMO

Düsse dorf, a cidade alemã a emã ree arquitetura e design


A DIFERENÇA ENTRE O COMUM E O

EXTRAORDINÁRIO Com tubo flexível revestido de silicone, bica giratória com ângulo de 360º, duas opções de jato, acabamento cromado resistente à corrosão e Garantia Toda Vida, o Monocomando para Cozinha DOC é prático e confere personalidade para seu ambiente, trazendo a dose perfeita de ousadia e sofisticação.

docol.com.br


SUMÁRIO


PROJETOS INTERNACIONAIS EM BRASÍLIA ARQUITETURA

10

SPA DE CABELO MERCADO DE LUXO

22

COPA SÃO GERALDO JOVENS TALENTOS DE TÊNIS ACONTECEU

26

O TALENTO DE RAPHAEL DESPIRITE RECEITA DO CHEF

10 foto: Divulgação

28

EXPERIÊNCIAS INESQUECÍVEIS HOTÉIS DE DESIGN

32

DESIGN FEITO COM BORRACHA TENDÊNCIAS

38

ARQUITETURA DE PAPEL SUSTENTABILIDADE

40

O NOVO BAR DO UNIVERSAL DINER GASTRONOMIA

42

32


foto: Divulgação

TENDÊNCIAS DA EXPO REVESTIR 2016 LANÇAMENTO

48

TECNOLOGIA EM REVESTIMENTOS LANÇAMENTO

51

REINVENTE SUA EMPRESA PONTO DE VISTA

foto: Diana Leiko

54

CONHEÇA DÜSSELDORF TURISMO

56

TRÊS JOVENS PRODÍGIOS À FRENTE DA SUMAUNA NOVOS TALENTOS

66

APRENDA A ASSENTAR CIMENTÍCIO MESTRE DE OBRAS-PRIMAS

72

VINHO DO CERRADO ARTIGO

74

FOTOGRAFIA E ARQUITETURA: MOHAMMAD REZA DOMIRI GANJI

60

INSPIRAÇÃO

787


EDITORIAL

A

bro o texto com uma frase do célebre pintor espanhol, Pablo Picasso. “A inspiração vem, mas ela precisa te encontrar no trabalho”. Na São Geraldo lidamos com inspiração diariamente, seja buscando oferecer aos nossos clientes aquilo que há de melhor no mercado em revestimentos, louças, metais, iluminação, banheiras, artigos para cozinha e decoração e eletrodomésticos. Seja oferecendo ao nosso público experiências inspiradoras. Tudo isso permeado por muito trabalho, carinho e cuidado. A revista é um exemplo. Por esta razão, reunimos um conteúdo que pretende inspirar nossos leitores com dicas de hotéis de design, lançamentos da indústria em revestimentos ou ainda apresentando o trabalho de pessoas e empresas que se destacaram por realmente fazerem a diferença em um mundo cada vez mais globalizado e pasteurizado. É o caso da Universidade do Papel e da Design Tun. Como somos o resultado de nossas experiências, trazemos uma matéria especial sobre Düsseldof, cidade alemã que tem uma vida pulsante e onde o design, arquitetura e moda são referências mundiais. Como parte dessa vivência que propomos ao nosso leitor, contamos a história do Antonietta Hair Spa, cuja proposta é oferecer tratamentos diferenciados com foco na saúde do fio do cabelo. E quando o assunto é gastronomia, nesta edição apresentamos o vinho do cerrado, duas receitas especiais do restaurante francês Marcel, em São Paulo, e o novo bar do Universal Diner. Por fim, para brindar nosso cliente, uma matéria especial sobre várias embaixadas em Brasília que têm seus projetos assinados por grandes nomes da arquitetura internacional. Boa leitura!

DIRETOR RESPONSÁVEL RAMEZ FARAH EDITOR DIANA LEIKO JORNALISTA RESPONSÁVEL DIANA LEIKO DIAGRAMAÇÃO JULIANA FURTADO CAPA ELIANE TIRAGEM 5.000 EXEMPLARES

SÃO GERALDO ACABAMENTOS E COMPLEMENTOS SIA TRECHO 3, BRASÍLIA-DF TEL.: 61 3031-4200 | E-MAIL: SAC@SAOGERALDO.COM PUBLICAÇÃO DE INTERESSE CULTURAL E DISTRIBUIÇÃO GRATUITA. PERMITIDA REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DOS TEXTOS, DESDE QUE SEJA CITADA A FONTE. AS MATÉRIAS E OS ARTIGOS ASSINADOS NÃO REFLETEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DA DIRETORIA DA SÃO GERALDO.

RAMEZ FARAH DIRETOR 8


9


ARQUITETURA

foto: Divulgação

10


EMBAIXADAS FORMAM MOSAICO DA ARQUITETURA INTERNACIONAL EM BRASÍLIA Camila Peixoto

B

rasília é reconhecida mundialmente por ser uma cidade planejada. Entretanto, alguns edifícios fogem do padrão de Lúcio Costa e Oscar Niemeyer: as embaixadas. Tudo nelas é de livre responsabilidade de cada país. O resultado? Uma mostra arquitetônica dos maiores nomes internacionais, reunidos lado a lado ao ar livre, formando um mosaico cultural sem precedentes. Em janeiro de 1958, a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) autorizou a cessão gratuita de lotes para a instalação das embaixadas. A única exigência para as construções era de que os edifícios possuíssem no máximo dois andares - mantendo livre a vista para o lago - conforme o plano de urbanização de Lúcio Costa. Em menos de seis meses, 32 países já haviam reservado seus territórios em Brasília. Nesse período, o então presidente Juscelino Kubitschek inaugurou a primeira via a ser concluída na nova capital: a Avenida das Nações. Com 12,5 km de extensão, ela liga até hoje as principais sedes estrangeiras em terras brasileiras

11


FRANÇA O projeto original da Embaixada da França em Brasília foi confiado a Charles Edouard Jeanneret-Gris. Le Corbusier, como era mais conhecido, é considerado uma das figuras mais importantes da arquitetura moderna. Ele mantinha estreitas relações com Lúcio Costa e Niemeyer. Por isso, seu nome foi o primeiro a ser pensado para planejar a estrutura. Entretanto, Le Corbusier faleceu em 1965 e somente em 1970 houve a decisão efetiva da construção da Embaixada na capital. Além disso, o surgimento de novas necessidades levaram o projeto a ser repensado. Coube então ao chileno Guillermo Jullian de la Fuente – que já havia trabalhado no atelier de Le Corbusier - a criação do novo espaço. O plano inicial contemplava 5.000 m2 de área construída. No novo, essa medida atingiu o dobro. A chancelaria foi concebida em forma de cruz. A Embaixada e a Residência Oficial foram construídas entre janeiro de 1972 e dezembro de 1974. Um ano após o início das obras, optou-se por uma ampliação na estrutura para acomodar o Serviço de Imprensa, o Serviço de Cooperação e a Ação Cultural do Espaço Le Corbusier, além dos alojamentos funcionais. A concepção do complexo foi baseada tanto na proximidade quanto na separação de três prédios principais: a residência do embaixador, os escritórios e os alojamentos funcionais. Os edifícios distribuemse por um espaço verde comum. A organização dos prédios de trabalho é toda feita em torno de pátios. Desta forma, cada escritório possui aberturas para duas fachadas, formando um

12

corredor externo e um interno. Esse modelo permite uma excelente iluminação e uma ventilação natural que torna desnecessária a instalação de sistemas de ar condicionado. Existem ainda duas piscinas: uma para a residência e outra para os alojamentos funcionais. O Espaço Cultural Le Corbusier consiste em uma sala de cinema e vídeo com capacidade de 120 pessoas, que também pode acolher uma apresentação teatral de pequeno porte ou um recital. O material empregado é de origem local: madeira, concreto armado e cascalho, o que diminuiu o custo médio de construção em relação a outras embaixadas. Em todos os ambientes, a contraposição entre força (pela utilização sistemática do concreto) e suavidade (graças às áreas envidraçadas e revestimentos em mármore) é o grande destaque deste projeto. As obras - acompanhadas pelo arquiteto francês Louis Bach – foram inauguradas em janeiro de 1976 por Jean Sauvagnargues, ministro francês das Relações Exteriores.

Serviço: Embaixada da França Av. das Nações - Lote 04 - Quadra 801 Tel: 61 3222-3999


foto: Paulo Victor Lago

foto: Divulgação

13


foto: Divulgação

ALEMANHA Como único projeto de Hans Scharoun fora de seu país, a Embaixada da Alemanha surpreende por não se assemelhar ao trabalho desenvolvido por Oscar Niemeyer em Brasília. Entre suas inovações, destaca-se o distanciamento da tradição de separar a residência da chancelaria (Departamento Político, Setor de Protocolo, Setor de Cooperação, Departamento de Agricultura, Setor de Ciência e Tecnologia, Econômico e o Departamento Cultural). Embora idealizadas no início da década de 1960, quando Scharoun visitou a capital federal, as obras só tiveram início em 1968, por causa de mudanças no corpo diplomático alemão no Brasil e ordens de contenção de despesas. Três anos mais tarde, a Embaixada foi inaugurada na presença do então ministro das Relações Exteriores da República Federal da Alemanha, Walter Scheel. Com a proposta inovadora de integração dos ambientes, a construção é formada por um único complexo. Na residência, a beleza do salão de

14

recepções salta aos olhos. Ele foi concebido em diferentes níveis no piso com nas janelas abertas emoldurando as paisagens do Lago Paranoá e fuga das formas retangulares. Também de responsabilidade de Hans Scharoun, o mobiliário é composto por obras de famosos designers, como uma peça de tapeçaria de Ewald Kröner, obras do artista Günter Ferdinand Ris e projeto de iluminação assinado por Hans T. von Malotki. O paisagismo é do brasileiro Roberto Burle Marx. Os jardins, com panoramas em diferentes níveis topográficos, servem de conexão entre os ambientes da Embaixada e seguem os mesmos conceitos da relação interior e exterior do restante do projeto. A primeira grande reforma aconteceu apenas 30 anos após sua inauguração. Mais uma vez, o desafio eram as condições climáticas de Brasília: com uma intensa época de chuvas e prolongado período de seca, os edifícios necessitaram de readequação


para se adaptar ao ambiente do cerrado. Em março de 2007, a Embaixada foi reinaugurada na presença do Presidente Federal da Alemanha Horst Köhler. A Embaixada da Alemanha é aberta à visitação para estudantes e profissionais de arquitetura e design de todo o Brasil. Também há um projeto cultural: na última quinta-feira de cada mês; o público pode participar de uma sessão de cinema, com filmes alemães e entrada gratuita.

Serviço: Embaixada Alemanha Avenida das Nações quadra 807 lote 25, 70.415-900 - Brasilia - DF Telefone: 61 3442 7000 E-mail: info@brasilia.diplo.de

CANADÁ A Thompson, Berwick, Pratt and Partners fundada em 1908, é destaque na arquitetura canadense moderna, sendo berço de vários arquitetos famosos, como Barry Downs, Paul Merrick, Arthur Erickson e Ron Thom. Seu grande trabalho de destaque foram edifícios do campus da University of British Columbia (Vancouver, Canadá). Por seu renome de alcance mundial, a empresa foi a escolhida para ser responsável pelo projeto da Embaixada no Brasil. Trabalhando sempre com o modernismo europeu, a Thompson, Berwick, Pratt and Partners encontrou um desafio em terras brasileiras: o calor tropical,

contrapondo-se ao frio intenso canadense, tornou necessário que os edifícios conseguissem unir a arquitetura contemporânea empregada pela empresa em seu país à leveza e ao clima bem mais ameno do Brasil. A composição harmoniosa das construções foi alcançada em volumes ortogonais, ligados por caminhos cobertos por pérgulas em madeira e vidro. Outra variação bastante observada no microclima local – e que influenciou sobremaneira o projeto – são os meses de seca enfrentados pela capital federal. A solução encontrada pelo escritório de arquitetura foi a construção de diversos espelhos d’água e jardins internos sustentados por treliças de madeira, para umidificar os ambientes. O paisagismo é assinado pelo brasileiro Ney Ururahy Dutra, que se destaca no cenário nacional sempre pela escolha e combinação de elementos nativos às necessidades de cada ambiente. Dutra também é adepto da escola modernista, tendo seu trabalho bastante influenciado por Roberto Burle Marx e Oscar Niemeyer. As obras iniciaram-se em 1970, sendo a inauguração em 1978. Por seu caráter acolhedor criado por meio de laços diplomáticos com o Brasil – formando, sobretudo, inúmeras parcerias na área da educação – a Embaixada do Canadá é aberta à visitação para estudantes, mediante agendamento.

Serviço: Embaixada do Canadá Av. das Nações, Quadra 803, Lote 16 Telefone: (61) 3424-5400 E-mail: brsla@international.gc.ca

15


MÉXICO A Embaixada do México é resultado do trabalho em conjunto de Teodoro González de León (responsável por inúmeros espaços contemporâneos na Cidade do México), Abraham Zabludovisky (polonês radicado no país latino e que assina grandes obras como a Biblioteca do México) e José Francisco Serrano (arquiteto de transição entre o racionalismo e o modernismo, concebeu obras como a Universidade Iberoamericana e as Torre Arcos Bosques I e II). O complexo – que teve suas obras iniciadas em 1972 e concluídas em 1976 – é composto por chancelaria, residência oficial e oito casas geminadas. O projeto se distingue dos demais pela simplicidade de suas formas e pela releitura de figuras pré-colombianas e pátios coloniais: a disposição dos três edifícios nas cavidades dos desníveis do terreno e dos morros de terra assemelha-se às pirâmides situadas na América. No centro do complexo, encontra-se a residência em espaço semifechado. Já o conjunto habitacional funcional está localizado ao redor de um pá-

tio com desníveis que lembram a vida nas fazendas mexicanas. Outro diferencial é que esta Embaixada é a única que concede acesso livre ao espaço público. No local, é possível admirar a obra Cabeça Olmeca (réplica da escultura do Pré-clássico Médio, 1220 a.C-800 a.C- da área de Veracruz e Tabasco).

Serviço: Embaixada do México SES - Av. das Nações – Quadra. 805 - Lote 18 E-mail: embamexbra@mexico.org.br Tel. (55-61) 3204-5200 Fax (55-61) 3204-5201

fotos: Divulgação

16


ARQUITETURA

ITÁLIA Idealizada por Píer Luigi Nervi, que reúne em seu currículo obras como o Palazzo del Lavoro (Turim) e a Torre Pirelli (Milão), a construção da Embaixada da Itália iniciou em 1975 e foi inaugurada dois anos depois. O edifício foi erguido em um único bloco de grandes proporções, elevado sobre uma série de robustos pilares de concreto aparente - alguns ultrapassando os cinco metros de altura – que se abrem em quatro ramos que encontram o paisagismo de Ney Ururahy Dutra. Em contraposição à brutalidade do concreto, Nervi fez valer-se das linhas modernistas suaves, que se combinam e se fundem aos jardins com espelhos d’água e uma inigualável escadaria de mármore branco. O mobiliário conta com peças assinadas por artistas famosos no mundo todo, como a mesa da sala de jantar oficial, dos Irmãos Campana. O acervo da embaixada reúne peças de Maria Bonomi e Cândido Portinari, entre outros. Entretanto, o grande destaque deste projeto é ecológico: a Embaixada da Itália é a primeira autossustentável. O sistema de ventilação inovador planejado por Nervi eliminou a necessidade do

ar-condicionado em todo o edifício. No teto, 405 painéis fotovoltaicos captam a luz solar, garantindo autonomia energética durante o dia, tornando a luz elétrica necessária somente à noite, quando não há mais intenso movimento no local. Há ainda um sistema de reaproveitamento de água instalado abaixo de um dos jardins. Toda a água é tratada, limpa e reaproveitada para irrigação e limpeza, evitando a formação de resíduos que normalmente vão para a rede de tratamento de esgoto. A Embaixada da Itália é aberta a visitação pré-agendada pelo telefone 3442-9902.

Serviço: Embaixada da Itália Av. das Nações Quadra 807 Lote 30 Tel.: 61 3442 9900 E-mail: ambasciata.brasilia@esteri.it

17


PORTUGAL A Embaixada de Portugal é bastante conhecida na cidade por ser a mais próxima ao Eixo Monumental. Ela foi concebida por Raul Chorão Ramalho, arquiteto modernista com projetos em Portugal Continental, Açores, Madeira, Macau e Brasil que lhe firmaram como um dos mais importantes na segunda metade do século XX. Com obras que duraram de 1973 a 1978, o planejamento contempla único edifício de dois níveis, elevado sobre pilares e protegido por abas verticais de concreto aparente nas fachadas do piso superior. Assim como seus colegas do Canadá e da Alemanha, Ramalho levou em consideração o clima local, adotando o estilo de espaços comuns abertos –

18

consagrado pelos prédios de Brasília - permitindo amenizar os efeitos do ambiente e resguardar o espaço interior. O pátio acolhe plantas endêmicas e sombra em abundância, permitindo uma excelente circulação de ar. As gelosias (grades de tiras compridas e estreitas típicas do estilo arquitetônico português) compõe o exterior da construção. O plano de janelas recuadas harmoniza-se à fachada. No edifício da chancelaria, Raul Chorão Ramalho busca mais uma vez a reinvenção de aspectos que remetem ao seu país com o grande espelho d’água, tijoleira e azulejo. No mobiliário e na decoração, trabalhos de grandes artistas contemporâneos portugueses, como João Abel Manta, Sá Nogueira e Guilherme Cama-


ESPANHA Construída entre 1972 e 1916, a Embaixada da Espanha é de autoria de Rafael Leoz, arquiteto e escultor responsável pela criação do módulo de Hele (ou módulo Leoz. Em forma da letra “L”, composto por quatro cubos). A invenção tornou-o internacionalmente conhecido na VI Bienal de São Paulo (1961). Ele também reimaginou o revestimento de fachadas utilizando-se de módulos substituíveis, tornando-se precursor em desenvolvimentos de alta tecnologia. Leoz trouxe suas inovações para o Brasil concebendo a Embaixada da Espanha como uma das mais bonitas, modernas e arrojadas do setor. O projeto é o ápice das pesquisas desenvolvidas pelo arquiteto, resultando em um agrupamento de módulos em modelo hexagonal de diferentes alturas, assemelhando-se a uma colmeia. Ligando os módulos, pátios internos com fontes revestidas por azulejos decorados em estilo mourisco (vidrado, impermeável e brilhante), remete fortemente à arquitetura tradicional espanhola. foto: Divulgação

rinha, Querubim Lapa, Espiga Pinto, José Aurélio e Lagoa Henriques. A Embaixada de Portugal abre às portas ao público em eventos culturais sazonais e para visitação, mediante agendamento.

Serviço: Embaixada da Espanha Avenida das Nações, Quadra 811, Lote 44 Tel: (61) 3701-1600 E-mail: emb.brasilia@maec.es

Serviço: Embaixada de Portugal Avenida das Nações - Quadra 801 - Lote 2 Telefone :(61) 3032 9600 E-Mail: embaixadadeportugal@embaixadadeportugal.org


TRANSFORME seu ritual diário de higiene em MOMENTOS ÚNICOS de bem-estar, RELAXAMENTO e EXPERIÊNCIAS sensoriais INTENSAS. Confira os lançamentos de 2016. DESIGN e PERSONALIDADE para salas de banho.

BANHEIRAS

MÓVEIS

CUBAS

METAIS

WWW.BANHEIRASDOKA.COM.BR

ACESSÓRIOS


Adegas Liebherr Para as melhores coleções de vinhos.

A nova linha de adegas Liebherr conta com a excelência da engenharia alemã para preservação e amadurecimento perfeito das mais refinadas coleções de vinhos. Como em uma cave, os vinhos são mantidos nas condições de temperatura, umidade e luminosidade ideais, proporcionando uma requintada experiência de sabores e aromas. Disponível nos modelos para 34 e178 garrafas, com temperaturas precisas para os enófilos mais exigentes.

ADEGA DE EMBUTIR WU 3400

ADEGA DE EMBUTIR WUGB 3400

As adegas Liebherr são distribuídas exclusivamente no Brasil pela LOFRA. www.lofra.com.br/liebherr

ADEGA DE EMBUTIR WS 17800

Assista o vídeo

21


MERCADO DE LUX0

SOLUÇÕES PARA PROBLEMAS CAPILARES Diferentemente de um salão de beleza convencional, o Antonietta Hair SPA investe na saúde do cabelo com tecnologia moderna em equipamentos e produtos naturais de primeira linha

Diana Leiko

O

mercado da beleza no Brasil continua crescendo, apesar da atual conjuntura econômica. O destaque no ramo estético são produtos direcionados para o cabelo. Para se ter uma ideia, a brasileira costuma investir até 30% de sua renda para tratamentos e cremes capilares. Entretanto, cuidar das madeixas exige conhecimento que vai além do que boa parte dos profissionais de salão de beleza detém. É justamente isso que diferencia um SPA de cabelos. Nele, a cliente pode ter a certeza de que terá um tratamento especializado, à base de produtos naturais que irão agir na solução dos mais variados problemas capilares. Invariavelmente, os profissionais de salão são extremamente leigos ou mal instruídos sobre tratamentos capilares e sobre o fio em si (características morfológicas, por exemplo). “Já presenciei muitos bons profissionais falando muitas bobagens sobre a parte técnica do fio. Aliás, essa falta de conhecimento deles é que gera grande parte da minha demanda hoje. Cabeleireiros são ótimos em destruir os fios”, afirma a empresária Gabriela Faula, à frente do Antonietta Hair SPA.

22


fotos: Divulgação

Há pouco mais de um ano, ela abriu seu negócio em Brasília, cujo foco é na saúde capilar. “Nosso investimento é na conscientização de que cabelos, especialmente os que possuem química, necessitam de cuidados constantes, seja no salão ou em casa”, ressalta. Gabriela conta ainda que o salão de alto nível vende uma hidratação ou um produto, que pode amenizar o problema da cliente momentaneamente, mas depois ela irá se deparar com os danos de longo prazo. “No SPA, o foco é na reeducação capilar. Ou seja, solucionar os problemas, identificar suas causas e proporcionar as devidas orientações para um cabelo saudável sempre, não só no dia da hidratação”, enfatiza a empresária. Gabriela Faula esclarece que, geralmente, cabeleireiros são dependentes das marcas com as quais trabalham em seus salões e vendem apenas o que a marca falou para eles que é bom. E a indústria cosmética investe muito no apelo comercial de seus produtos, com milagres instantâneos e homogêneos. “O salão convencional mais fa-

23


MERCADO DE LUX0

moso talvez não saberá diagnosticar o problema do fio (e muito menos do couro), e mais do que isso; não saberá identificar a causa do problema, que é bem mais profundo. Um tratamento que dizem ser top não é garantia de um excelente resultado se o tratamento for composto de ativos que o fio não está precisando, por exemplo”. Enquanto nos salões convencionais investe-se muito no embelezamento estético e esquece-se da saúde das madeixas, o Antonietta Hair SPA oferece a solução para os problemas capilares. E o melhor, sem precisar desembolsar uma fortuna como em outras casas fora de Brasília.

Cabelos sempre saudáveis –Tratamentos diversos estão disponíveis, assim como pacotes de cronograma capilar para cada problema que as mulheres enfrentam (cabelos oleosos, queda, calvície, fios muito danificados, pontas duplas, frizz, volume incontrolável).

detox capilar, o Antonietta Hair SPA acaba de incorporar ao seu mix de produtos a marca Clinic Hair, da especialista em cabelos Bianca Andrade. Por fim, Gabriela Faula ressalta que o uso de cosméticos e produtos são ótimos, mas os resultados podem ser potencializados com o auxílio de aparelhos específicos (laser, eletroterapia, ultrassom, LED) para citar alguns. Salões convencionais não possuem aparelhagem de tratamento. E a tecnologia está bem avançada. “No Antonietta Hair SPA temos todo o equipamento indicado para tratamento capilar”. Além disso, de acordo com a empresária, o atendimento e serviços personalizados são levados muito a sério. “Cada cliente atendida recebe uma série de instruções e orientações específicas para seu caso. Uma avaliação corresponde a uma consultoria. E o acompanhamento também. Chego a tirar dúvidas de clientes via WhatsApp fora do horário comercial”, revela.

Além de trabalhar com a marca italiana Davines, referência em tratamentos de queda, reconstrução e

Serviço: Antonietta Hair Spa Local: Centro Comercial Gilberto Salomão, loja 21 Telefone: (61) 3364-4126

24


Deixe o Inverno lรก fora... Tome um banho de prazer e requinte... Banhos quentes e relaxantes combinam perfeitamente com o Inverno...

OCP 0005

PRODUTO CERTIFICADO

Duas marcas de Valor... Axell e Sรฃo Geraldo. 25


ACONTECEU

COPA SÃO GERALDO JOVENS TALENTOS AGITA CIRCUITO NACIONAL DE TÊNIS fotos: Divulgação

A

Copa São Geraldo Jovens Talentos de Tênis reuniu crianças e adolescentes de todo o Brasil entre os dias 9 e 12 de junho no Brasília Country Club. Ao todo, 160 atletas de 15 estados diferentes participaram da primeira edição do torneio, que já nasceu como parte do calendário oficial da Confederação Brasileira de Tênis (CTB). A iniciativa do evento surgiu de um projeto de estímulo ao esporte da São Geraldo na capital. “Nós sabemos da importância da prática esportiva na vida das crianças. Já há algum tempo em Brasília promovemos circuitos locais de tênis aos finais de semana. Veio então a ideia de organizar um torneio nacional”, explica Ricardo Oliveira, organizador do evento. Foram disputadas 17 modalidades (11, 12, 14, 16 e 18 anos feminino e masculino simples; 14, 16 e 18 feminino e masculino em duplas) em mais de 170 partidas, além do Festival 8 anos. A CTB atua unindo a comunidade do tênis brasileiro e estimulando o desenvolvimento do esporte no cenário mundial. Para isso, possui um ranking de atletas de todos os níveis (kids, juvenil, profissional e seniors) que os classifica de acordo com o desempenho em torneios. Boa pontuação é pré-requisito para os grandes eventos que dão chance aos atle-

26


tas de participarem de um mundial. Sendo uma das competições reguladas pela Confederação, a Copa São Geraldo Jovens Talentos contribui com pontos no ranking brasileiro, tornando-se um dos acontecimentos mais importantes do circuito nacional. A Copa também apoia a descoberta e desenvolvimento de jovens talentos. Felipe Mamede, por exemplo, tem sete anos e há dois e meio pratica o esporte. Ele foi o vencedor em sua categoria. “Eu gosto muito de jogar tênis e nem fico nervoso quando entro na quadra”, conta o menino. Tímido, confessa que o torneio foi difícil e que sabia o que ia acontecer, mas que ficou feliz com o resultado. “Vou jogar tênis enquanto eu puder”, completa.

Diferente de Felipe, Júlia Azevedo de 18 anos diz ficar muito nervosa antes de entrar em quadra. Mas a ansiedade passa assim que a experiente jogadora, que pratica o esporte desde os três, inicia uma partida. “Nunca pensei em fazer outra coisa da minha vida. Eu amo muito o tênis”, conta Júlia. Para Ricardo Oliveira, a Copa São Geraldo Jovens Talentos é uma conquista não só para os atletas, mas para toda a organização que se esforçou arduamente para realizar um evento desse porte. “Foi muito trabalho, preocupações e algumas noites mal dormidas para que tudo desse certo. Estamos trabalhando com os sonhos dessas crianças, de suas famílias e nossos também. Poder presenciar esse momento, vale a pena todo sacrifício”, conclui.

27


RECEITA DO CHEF

A COZINHA DO FRANCÊS MARCEL O jovem chef Raphael Despirite ensina receitas clássicas de seu restaurante em São Paulo

fotos: Divulgação

R

aphael Despirite iniciou sua carreira aos 14 anos, como ajudante de cozinha nos bastidores do restaurante de sua família, o Marcel – um dos mais tradicionais restaurantes franceses de São Paulo. Formou-se em gastronomia na França, na École Ritz Escoffier, do Hotel Ritz de Paris. Em Portugal, trabalhou com o chef Vitor Sobral. Atualmente, ele comanda o Marcel, onde pratica uma cozinha mais clássica com toques de contemporaneidade. As mais de 18 opções de soufflés, que chegam a derreter na boca de tão cremosos, permanecem entre as favoritas da casa, mas dividem espaço com as invenções do chef, que sempre procura incluir ingredientes bem nacionais em seus pratos. Creme de cogumelos selvagens, badejo grelhado e perna de cordeiro - todos acompanhados do brasileiro palmito pupunha - são algumas sugestões que evidenciam essa mescla entre culinária clássica francesa e componentes nacionais. O chef frequenta ainda feiras gastronômicas paulistanas para vender sua versão de hot dog francês.

28


RECEITA SOUFFLÉ DE QUEIJO GRUYÈRE

CREME DE COGUMELOS

Bechamel:

Ingredientes para quatro pessoas:

1l leite, 10g cebola, 50g manteiga, 1 folha de louro, 50g farinha, sal e noz moscada à gosto

Cogumelos Portobello 400g Cogumelos Shitake seco 20g Creme de leite 150 ml Água mineral 400ml Vinho do porto q.b. Alho laminado (1 dente) Azeite q.b.

Preparo: Em uma panela derreta a manteiga e coloque a cebola para dourar junto com a folha de louro, acrescente a farinha e mexa. Coloque o leite frio e mexa com um fouet até que engrosse (sem parar nunca de mexer). Reserve.

Para o soufflé (4 unidades): 450g bechamel, 200g queijo gruyère, 150g gemas, 300g claras, 20g queijo parmesão ralado.

Etapas do preparo: 1- Em uma frigideira derreta o queijo. 2 - Acrescente o bechamel e mexa. Depois acrescente as gemas e mexa até ficar homogêneo. 3 - Bata as claras em neve e incorpore à massa com uma escumadeira. 4 - Coloque a mistura do soufflé em ramequins individuais, formando a base. Acrescente um pouco mais de claras em neve no restante da massa, deixando-a mais leve e cubra o soufflé fazendo um “morrinho”. 5 - Polvilhe o queijo e asse em forno 200º.

Etapas do preparo: 1- Coloque uma panela com a água e os cogumelos secos para ferver. 2- Salteie os cogumelos em uma frigideira com o alho e azeite e some o Vinho do Porto. 3- Some os cogumelos salteados à água. 4- Deixe reduzir o líquido pela metade. 5- Bata em um liquidificador e some o creme de leite. 6- Corrija o sal e sirva.

29


RECEITA DO CHEF

O QUE USAR

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Escumadeira Inox CTG-08-SSK Batedor twin profissional pequeno manual - Zwilling Jogo de 4 Ramekins Jogo de 2 Ramekins Liquidificador Ofter Frigideira com cabo de madeira 28cm


31


Em Viena, no vibrante bairro de Spittelberg, coração da cidade, o Sans Souci Wien ocupa uma construção datada de 1872, transformada pela empresa de design de John Hitchcox e Philippe Starck – a Yoo Studio. Como era de se esperar, interiores são ultracool, com pinturas originais de Lichtenstein e Kaufman nas paredes, e os 63 quartos e suítes exibem décor individual

fotos: Divulgação

32


HOTÉIS DE DESIGN

INVISTA NA EXPERIÊNCIA Quartos ambientados, perfumaria especial, obras de arte e restaurantes de chefs premiados são apenas algumas das características de paraísos da hospedagem

A

o viajar, o hóspede espera encontrar no hotel um substituto de sua casa, com todo o conforto necessário para sua estadia ser a melhor possível. Não importa se o foco é turismo de lazer ou de negócios. Muitos hotéis têm buscado profissionais requintados para assinar o design e a decoração de seus ambientes, agregando valor e aconchego à temporada de seus hóspedes. Assim, hospedar-se em um hotel com a assinatura de um profissional renomado é ter a chance de captar um pouco da cultura daquele local por meio do design arrojado e criativo da arquitetura ou da decoração do hotel, transmitida de maneira única por meio de objetos, curvas, cores etc. Conheça, a seguir, alguns hotéis sofisticados e que levam a assinatura de designers e arquitetos que emprestaram seu bom gosto para que o turista se sinta bem-vindo em diversos cantos do mundo.

33


34


HOTÉIS DE DESIGN Da esquerda para direita: Entre o mar e a serra, a dois passos de Tavira (Portugal). É assim que está situado o Ozadi Tavira, um hotel originalmente construído em 1971 e projetado pelos arquitetos Barros da Fonseca e Paiva Lopes, mas recentemente reabilitado pelo arquiteto Pedro Campos Costa. Com o desafio de manter a linguagem característica dos anos 70, mas modernizar e reafirmar a ligação a Tavira e às tradições locais, o projeto ganhou o Prêmio “Fomento de las Artes y del Diseño de Arquitectura”. A piscina, o terraço e o restaurante ao ar livre permitem aos hóspedes apreciar, ao mais alto nível, o clima característico da região. Situado no coração do Alentejo (Portugal), em um panorama singular delineado por vinhas e um lago, L’AND Vineyards dispõe de 22 únicas suítes integradas com moda e a natureza, que oferecem um ambiente de discreto luxo, pura magnificência, paz e tranquilidade. O resort está situado ao redor de um quintal de videiras e uma piscina com a visão do lago e fortaleza medieval de morro Montemor. O arquiteto brasileiro Marcio Kogan assina o design de interiores marcado por pedra natural, ardósia e madeira com obras de arte e revestimentos e mobiliário da moda. Clientes podem dormir com a visão estonteante do céu do Alentejo, já que muitas das suítes têm tetos retráteis. A designer de interiores Graça Viterbo assina a decoração do Bela Vista Hotel & Spa, no Algarve, em Portugal. A décor reúne o estilo elegante e moderno com um toque tradicional que reverencia a história do hotel. Originalmente construído em 1918, o Bela Vista Hotel está localizado na famosa zona da Praia da Rocha e é um hotel íntimo e luxuoso dentro de uma propriedade histórica. Elevation Oficina, também conhecido como WEI Architects, foi convidado para projetar os novos alojamentos revestidos de madeira para PORQUE, um hotel ao Nordeste da capital chinesa.A equipe também foi responsável pela renovação de 20 suítes inspirada em desenhos e todas as 27 que estão ao redor de uma pequena piscina em forma de rim.

fotos: Divulgação


Spas

Banheiras

Eco Ralos

Cabines de Banho

Ofurôs

Painéis de Banho


o melhor design para pessoas exclusivas.

www.rubinettos.com.br

37


TENDÊNCIAS

ESCULTURAS EM BORRACHA Conheça as peças da Design Tun, marca que transforma acessórios em obras de arte

A

s bijuterias descoladas da Design Tun já são velhas conhecidas das lojinhas de souvenirs da Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre, do Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, e de Inhotim, em Brumadinho. A marca de acessórios criada pelos artistas Lia Menna Barreto e Mauro Fuke existe há sete anos e nasceu da retomada das criações de Lia, na década de 80, quando ela criava acessórios recortados manualmente com tesoura, reciclando câmaras de pneus. Inspirada na Pop Art e na Street Art, as peças têm um estilo bem-humorado, cheio de originalidade e estão relacionadas à identidade de pessoas antenadas, contemporâneas e criativas. Mauro Fuke acrescentou à parceria sua experiência em processos digitais, introduzindo o corte a laser às criações, além do uso de borracha industrial, látex e borracha reciclada para confecção dos acessórios. 

38


fotos: Divulgação

Desde 2009, a grife se mantém associada ao mundo da arte, vendendo suas peças especialmente em locais relacionados a ela, como museus e espaços culturais. Na loja virtual, você encontra uma infinidade de modelos diferentes e as coleções são divididas por conceitos como “Animal”, “Connect”, “Jardim”, “Inline”, “Love Story”, “Ping Pong”, “Sky”, “Precious”, “We are the world” e “Protection”. E o melhor, o preço é bem acessível. Conheça: www.designtun.com.br

39


SUSTENTABILIDADE

ARQUITETURA DE PAPEL O universo criativo de Enrique Rodriguez

C

riada pelo artista plástico chileno Enrique Rodriguez, a Universidade do Papel é um projeto inovador e único na América Latina. Com sede em São Paulo, o espaço ensina como criar uma sofisticada arquitetura de papel, em que todos os materiais envolvidos nas construções artísticas são obtidos por processos manuais e com utilização de materiais orgânicos. Radicado no Brasil desde 1992, o artista disponibiliza sua arte e sua técnica de forma prática, por meio de atividades artísticas que ele chama de vivências. Durante o aprendizado, o papel é sempre utilizado como matéria-prima e protagonista das obras de arte, não apenas seu suporte. “Com a Universidade do Papel abrimos espaço para que as pessoas possam experimentar a arte de uma maneira diferente”, explica Enrique Rodriguez. “Os participantes aprendem a se expressar em uma linguagem que vai além das palavras, lidando com as emoções e transformando o que sentem em arte”. Métodos de aprendizado de qualidade desenvolvidos na própria universidade, que têm sempre o acompanhamento direto de Enrique Rodriguez e de

40

foto: Divulgação


outros profissionais, trazem novas possibilidades de manifestações artísticas que utilizam o papel como base. Nessas vivências, os participantes percorrem juntos o processo do fazer artístico e produzem suas próprias obras. O galpão também é um espaço de estudo e de discussão sobre métodos e substratos que oferecem o contato direto com artistas e suas técnicas. “Na correria do dia a dia, não ouvimos o essencial. Afinal, o que queremos? Quem somos? O que desejamos mostrar para o mundo?”, questiona o artista. “Encaramos a vida de maneira prática e nos esquecemos de enxergá-la com o coração. Na Universidade do Papel nós estimulamos o ‘mergulho profundo em nós mesmos’, buscando novas maneiras de expressar as emoções. E tudo o que vem do coração transforma!”.

Sempre com turmas cheias, as vivências artísticas têm colhido respostas muito positivas dos participantes, público bastante híbrido que abrange desde artistas visuais, designers, arquitetos e a pessoas que nunca experimentaram outras formas de manifestação pela arte. Com formação em Arquitetura e Desenho Industrial pela PUC de Santiago (Chile), Enrique Rodriguez admira desde sempre a milenares técnicas de arte utilizando o papel. A ópera e as viagens pelo mundo são suas principais fontes de inspiração e as matérias-primas utilizadas pelo artista vêm principalmente do Japão, Indochina e de países da Europa, que ainda conservam técnicas especiais de execução, em um processo de elaboração artesanal.

41


concept stone coleção inspirada nas pedras preciosas de Vesale.

42


foto: Leo Feltran

43


44


GASTRONOMIA

IMERSÃO NO MUNDO DAS COQUETELARIAS CLÁSSICA E MODERNA Inspirado em bares nova-iorquinos da década de 1950, Bar do Universal Diner é a mais nova aposta da chef Mara Alcamim

O

Universal Diner (210 Sul) acaba de inaugurar o seu novo Bar, com a proposta de proporcionar aos apreciadores da coquetelaria uma imersão a cada gole. Para tanto, o pequeno e alegre ambiente, localizado logo na entrada do restaurante, ganhou personalidade própria, que inclui um outro conceito visual, de estilo, além de cardápios de drinques e aperitivos. Comandado por Luciana Fabrino – reconhecida produtora de eventos gastronômicos em Brasília, como Deguste e Tempera – em parceria com o restaurante Universal, o Bar do Universal Diner tem consultoria do renomado Fabio La Pietra (head bartender do SubAstor, com matriz em São Paulo e recém-inaugurada filial no Rio de Janeiro), além de menu de aperitivos assinado pela chef Mara Alcamim. O projeto de estilo do Bar, com referências nova-iorquinas da década de 1950, casa com o conceito do espaço, inspirado nos bares speakeasy da época da Lei Seca norte-americana, mas não restritivos e sim com experiências que podem surpreender, envoltas em charme e mistério. “Eventualmente, poderemos

ter intervenções artísticas, flash mobs, DJs convidados de diferentes estilos, música ao vivo e o que mais a criatividade permitir”, adianta Luciana.

DRINQUES UNIVERSAIS E MODERNOS Inicialmente, a carta de drinques conta com 21 cocktails, a R$ 31 cada. “A ideia é, a partir dos clássicos – porque não há inovação sem uma base forte –, chegar aos modern classics, os novos clássicos. Clássico não significa apenas o que todo mundo conhece há 10 anos. Há novas referências firmadas com consistência e técnica”, explica Fabio La Pietra. Dessa forma, no Bar do Universal Diner, é possível apreciar desde drinques clássicos das décadas de 1920 a 1940, como Mai Tai (rum Appleton, limão, Grand Marnier, amêndoas brancas, bitter cítrico, aromático e refrescante); ou Blood and Sand – uma das poucas bebidas mistas clássicas que inclui Scotch – elaborada com JW Black Label, laranja, licor de amora, Vermouth tinto encorpado, aromático e levemente cítrico; até elaborações chamadas clássicas modernas, das últimas duas décadas, como o

45


GASTRONOMIA

fotos: Leo Feltran

Gin Gin Mule (criado no Pegu Club, em Nova York, em 2004 – uma mistura de Gin Tanqueray, limão, hortelã e ginger beer, refrescante, aromático e simples de beber. Outros que se encaixam nessa categoria são o Russian Spring Punch (vodka Ketel One, frutas vermelhas, licor de amora e espumante seco) e o Old Cuban (rum Appleton, limão, angostura e espumante seco).

Fabio La Pietra – O jovem bartender italiano, de 26 anos, que atua na área desde os 14, está no Brasil desde 2013, à frente do SubAstor – um dos melhores bares de cocktails de São Paulo – e é conhecido pela valorização dos ingredientes nacionais. Antes de atuar em terras tropicais, Fabio estudou Catering e se especializou no serviço de bebidas na Itália, atuando em hotéis cinco estrelas de diferentes regiões do país. Em Londres, chegou a head bartender do Montgomery Place, um renomado cocktail bar na famosa Notting Hill. Em Brasília, o trabalho no Bar do Universal marca sua primeira experiência na capita federal.

APERITIVOS PARA MAIORES DE 18 ANOS Para compor com o cardápio de drinques do Bar do Universal – que é a grande estrela do novo espaço –, a chef Mara Alcamim lançou um menu de aperitivos para harmonizar com os cocktails, composto por comidinhas elaboradas com bebidas mais aromáticas. “É um cardápio enxuto, mais leve, com produtos frescos, incluindo os possíveis orgânicos, e que será renovado constantemente”, promete a chef Mara Alcamim.

46


Para começar, as sugestões, a partir de R$ 29, são: pipoquinha Universal aromatizada com limão siciliano (couvert); tábua de queijos do Cerrado e da Canastra com geleias caseiras de frutas da estação; tábua de polenta e rabada desfiada; acarajé do Cerrado (pamonha frita orgânica com frango caipira desfiado e creme de milho, quiabo e creme de pequi com tequila Jose Cuervo); pastel de bacalhau com redução de Porto; carpaccio de salmão com molho de Campari citrus e alcaparras; e camarão crocante com abóbora orgânica, brie e gim com açafrão Zafron.

botões, e misturam o estilo retrô à cor forte e vibrante. A cara do Universal Diner. Para dar um ar mais luxuoso, o mobiliário contrasta com lustres de cristal. Além disso, o mármore do balcão é retroiluminado, com luzes clássicas e indiretas. A principal é amarelada, pois é mais suave e confortável. A ideia é que as pessoas passem mais tempo no local e aproveitem a noite. Algumas luminárias nos balcões, por outro lado, trazem um tom azulado, para diversificar um pouco.

AMBIENTE E DECORAÇÃO O Bar do Universal Diner conta com 50 lugares. O projeto – assinado pela arquiteta Fernanda Graneiro, do Studio Habita – seguiu a personalidade irreverente do restaurante, agregando referências nova-iorquinas da década de 1950. O teto dourado, por exemplo, remete aos restaurantes mais antigos da cidade. Pensando na mistura de estilos e objetos do Universal, o novo espaço ganhou grandes sofás pink. Eles são capitonê, com o acabamento dos clássicos

Serviço: Bar do Universal Diner – Térreo do Universal Diner Endereço: CLS 210, Bloco C, Loja 18, Asa Sul, Brasília-DF Telefone: (61) 3443-2089 Funcionamento: Segunda a sexta-feira, 12h às 15h e 19h à 0h Sábado, 12h às 16h e 19h à 1h

47


LANÇAMENTO

EXPO REVESTIR 2016: OS LANÇAMENTOS MAIS INCRÍVEIS DA FEIRA Confira a variedade de revestimentos e acabamentos de última ponta que a São Geraldo selecionou para tornar único qualquer projeto

48


LANÇAMENTO

C

omo de costume, a São Geraldo mais uma vez marcou presença na Fashion Week da Arquitetura e Construção. Este ano, a Expo Revestir esteve conectada com todos os assuntos atuais, inclusive comportamento, e flertou com a moda, com o urbano e as tendências cosmopolitas. Entre os destaques, coleções que homenageiam lugares como São Paulo, Barcelona, Marrocos, Tunísia, além das tendências fashion, como os Hipster, que serviram de inspiração para linhas descoladas. Qualidade de vida, tecnologia e funcionalidade também estiveram entre as novidades dos lan-

fotos: Divulgação

49


LANÇAMENTO

çamentos na 14° Expo Revestir e que já estão disponíveis na São Geraldo. Muito do que foi apresentado nesta edição esteve focado num estilo de vida mais calmo que permite as pessoas relaxarem e ganharem tempo em casa. Na prática, isso se refletiu em

50

acessórios inteligentes que ganharam uma bela roupagem por meio do design e até chuveiros que acionam diversas funções, como massagem, controle de temperatura, sauna e música ambiente. Confira a seleção feita pela São Geraldo e já à venda no seu showroom.


LANÇAMENTO

TECNOLOGIA INOVADORA EM REVESTIMENTOS Exclusiva tecnologia Cleantec purifica o ar, facilita a limpeza, é antiodor e antibacteriana O arquiteto paisagista Alex Hanazaki explora as melhores formas de uso do porcelanato na criação da Praça Eliane, durante a 30ª Casa Cor SP. No pergolado, todos os revestimentos possuem a tecnologia Cleantec. | Foto: Eliane

I

magine um revestimento que proporcione economia, praticidade e ainda favoreça sua qualidade de vida. A Eliane Técnica apresenta o Cleantec, surpreendente tecnologia japonesa que aliada aos revestimentos cerâmicos oferece uma série de benefícios à edificação. O sistema é autolimpante, antibacteriano, antiodor e purifica o ar, garantindo um ambiente saudável com menor custo de manutenção.

Espaços internos, como ambientes hospitalares e residenciais, também têm muito a ganhar com o uso do Cleantec. A tecnologia impede a proliferação das principais bactérias que causam infecções hospitalares, como Escherichia Coli (E.Coli), Staphylococcus Aureus (S.Aureus) e Pseudomonas Aeruginosa. O sistema também ajuda a eliminar o mofo e o bolor, auxiliando na prevenção de doenças e facilitando na limpeza de paredes e pisos.

O Cleantec é aplicado sobre os revestimentos cerâmicos após a produção da cerâmica, com uma linha de fabricação exclusiva, sendo submetido ao tratamento térmico.

MEIO AMBIENTE

BENEFÍCIOS O Cleantec é um produto composto por óxidos de metais nobres aplicados na superfície do revestimento. A tecnologia permite que a água da chuva elimine a sujeira da superfície do revestimento de forma eficiente, evitando manchas e a mantendo limpa por mais tempo. Uma excelente solução para fachadas de grandes empreendimentos, propondo maior durabilidade e economia.

Não bastassem tantos benefícios na construção civil, o Cleantec ainda é um aliado a preservação do meio ambiente. A tecnologia é a solução para empreendimentos ambientalmente sustentáveis. O sistema melhora a qualidade do ar reduzindo gases do efeito estufa. Aliado a tecnologia e Fachada Ventilada, o Cleantec torna o edifício ainda mais eficiente e com maior nível de classificação Leadership in Energy and Environmental Design (Leed), certificação internacional que orienta e avalia o desempenho ambiental das edificações.

51


               

 

 

   

     

           

                           

52


53


PONTO DE VISTA

MARCAS QUE FALAM Você tem uma marca que precisa falar ao mundo?

Jorge Verlindo

S

e sua resposta é sim, estamos juntos nessa: eu também, muito prazer! A minha é responsável por ajudar algumas empresas a terem voz no mercado e encurtar as distâncias entre elas e seus clientes, quase como um Tinder, só que de negócios. Pois bem, no mês de junho, nós falamos um pouco sobre isso na Aliança Francesa em nossa palestra Marcas que Falam. Convidamos empresários, autônomos e gestores de comunicação para essa conversa e o resultado me deixou além de satisfeito, esperançoso. Primeiro satisfeito porque tivemos uma adesão intensa das pessoas, que mesmo antes de ir à palestra já enviavam e-mail com dúvidas, puxavam assunto no Facebook, demonstrando interesse em relação ao tema e como ele se relacionava com suas marcas. Esperançoso porque dessa interação sei que muitos dos que foram à palestra saíram com a pulga atrás da orelha, considerando o que fazer para melhorar a comunicação de suas empresas.

54

foto: Divulgação


PONTO DE VISTA

negócios, movimentos sociais e consolidação de ideias na sociedade. Por si só, isso é razão para a comunicação de seu negócio (junto às próprias operações dele) estar em constante evolução e amadurecimento. Não apenas do ponto de vista das tecnologias, mas na esfera do discurso, do comportamento, das relações. Afinal, uma relação comercial também é um fenômeno com seres humanos em cada ponta.

E por que melhorar a comunicação da sua marca? Se eu fosse listar do topo da cabeça, sugeriria três razões: 1) Tempo. vivemos uma escassez de tempo, isso torna nós clientes (sim você e eu também somos) ansiosos, impacientes com informações irrelevantes, redundantes e interesseiras. Temos interesses mas queremos ir direto ao ponto, entender como seu produto ou serviço funciona, que diferença ele faz e como pode nos ajudar no dia-a-dia. 2) Diferenciação. Apesar de a comunicação brasileira ser uma das melhores do mundo, não é raro vermos repetições de fórmulas e padronização de discursos que tornam as marcas monótonas, irrelevantes e sem apelo. Se esse for seu caso, não se desespere, tem solução. E o principal, 3) Amadurecimento. Comunicação é uma importante propulsora de

Partindo desse cenário, aprofundo a reflexão: empresas, assim como vários outros conceitos em nossa sociedade, são “ordens imaginadas”, formas de nós humanos organizarmos suas atividades em busca de aprimoramento e colaboração. Esse conceito não é meu, mas do historiador Yuval Noah Harari, autor do livro Sapiens: Uma Breve História da Humanidade. Em sua grande análise, ele enquadra ainda nessas ordens imaginadas a Justiça, o Capitalismo, a Religião e tudo o que você e eu pudermos imaginar que una crenças e ações entre grupos de indivíduos. Se pensarmos desse modo, como poderíamos relacionar este conceito com o aperfeiçoamento da comunicação de marcas? Dou uma pista: reinventando nossas práticas. Das operações à comunicação. Investigando o que gostaríamos (e precisaríamos) de aprimorar em nossos negócios, definindo quais dimensões deles merecem ser revistas, reestruturadas, e aí sim, recomunicadas. Sempre com o olho nas relações, afinal, elas movem o mundo e a caixa registradora. Proponho então um desafio a você que tem uma empresa: sua marca precisa mudar, comunicar, ou ambos?

55


TURISMO

ALEMANHA: A APAIXONANTE DÜSSELDORF Diana Leiko

H

á quem diga que quem viaja muito está fugindo de algo. Pode até ser. No meu caso, não viajo para escapar, mas para que a vida não me escape. E foi assim que, já há alguns anos, venho descobrindo novos lugares, abrindo meus horizontes a partir das minhas vivências em culturas diferentes e descobrindo o quanto o mundo tem a nos oferecer. E há muito a ser explorado. No fim das contas, posso dizer que não sou a minha idade, mas as minhas experiências.

do uma preciosidade. Já diz o ditado que quando não esperamos nada, temos tudo. E vivi exatamente isso ao pisar meus pés na capital da Renânia do Norte-Vestfália, em março passado. Não alimentei expectativas até pela própria fama de sua vizinha e mais turística Colônia – que de fato é muito linda – mas que não conseguiu tirar o brilho de sua prima distante a apenas 60 quilômetros.

Na minha última viagem, retornei à Alemanha. País de uma organização que impressiona – principalmente para quem vem de um lugar que ainda precisa avançar em muitos aspectos. Claro, a Europa é muito mais antiga do que o Brasil, razão pela qual é chamada de Velho Continente. Não chegou a esse ponto de evolução de ontem para hoje e sabemos bem às custas do que. Mas discutir sobre aspectos mais profundos não é o meu intuito aqui. Nesta edição vou falar sobre Düsseldorf.

Primeiro aspecto que me conquistou é que lá tive a sensação de viver naquilo que considero o mundo ideal. Se existem disparidades sociais, ali não vi. O que presenciei foi riqueza por todos os lados. Não apenas em termos de poder aquisitivo, mas em cultura. Düsseldorf possui um ar cosmopolita, com empreendimentos futuristas e vida cultural agitada. Por outro lado: há um sentimento histórico muito forte, presente em algumas construções antigas que conversam com os avanços vistos pelas ruas, fazendo com que presente, passado e futuro dialoguem perfeitamente.

Estive em várias cidades alemãs, de Norte a Sul, nas minhas três idas por lá, mas elegi esta como sen-

Considerada uma das maiores cidades do país, Düsseldorf é, também, um dos principais polos fifotos: Acervo pessoal

56


57


58


TURISMO

nanceiros da Alemanha, atrás apenas de Frankfurt. Por lá acontecem os mais importantes eventos de moda, com mais de 800 showrooms. A capital também está à frente quando o assunto é respeitar a diversidade. Suas iniciativas educativas e respeitosas com relação ao público LGBTI incluem guias para jogadores gays – um projeto contra a homofobia no futebol – e a opção de registrar recém-nascidos como sendo pertencentes ao ‘terceiro sexo’. Elenco abaixo alguns passeios imperdíveis para quem deseja incluir a cidade no próximo roteiro de férias:

JARDIM JAPONÊS Como boa descendente de japonês, não poderia deixar de falar desses belos jardins localizados em uma área residencial, muito agradável e tranquilo. Você também pode tomar chá na cantina ouvindo música bem relaxante. E não é à toa que existe uma particularidade dessas em Düsseldorf. Aliás, achei bem curioso caminhar pelas ruas de uma cidade alemã e ver tantos orientais. A explicação é bem simples; é lá que se encontra a terceira maior colônia de japoneses da Europa. E entre maio e junho acontece o Japan-Tag, tradicional festa temática com stages de culinária, esportes, música e artes marciais.

AGRADÁVEL PANORÂMICA DA CIDADE Passeando ao redor das margens do Reno, você chega à zona portuária (que há anos estava abandonada, mas voltou a se desenvolver). No bairro Medienhaffen há muitos edifícios modernos, destacam os três de Frank Gehry. A partir da ponte você terá uma bela vista do centro da cidade, que tem a torre de telecomunicações como figura principal.

59


TURISMO

NEUER ZOLLHOF O complexo Neuer Zollhof é composto por três edifícios desenhados pelo arquiteto americano Frank Gehry, que constitui um dos principais pontos de atração do porto renovado de Düsseldorf (Medienhafen). Concluído no final de 1998, cada prédio tem um revestimento de um material diferente: gesso branco, vermelho de tijolo e aço inoxidável. O mais alto deles tem 14 andares em seus pouco menos de 50 metros.

MUSEU DO CINEMA Localizado no centro histórico de Düsseldorf, o Museu do Cinema foi fundado em 1993 e desde então oferece ao público interessado em cinema exposições permanentes de seus acervos e mostras temporárias, bem como aparelhagens antigas e raras usadas nos primórdios da cinematografia. Tudo numa área de 2.200 metros quadrados. Há seções dedicadas a dispositivos antigos como o fonógrafo, o gramofone e a lanterna mágica. E diversas câmeras escuras dos anos 1880, bem como projetores de cinema e câmeras, desde aqueles usados nas primeiras décadas do século 20 até os atuais. Maquetes de sets de filmagem, cenários, figurinos e diversos objetos afins fazem também parte das exposições, além de um estúdio e de uma seção totalmente dedicada à técnica de animação. As coleções do acervo contêm aproximadamente 500 mil fotos e mais de 25 mil pôsteres, além de artigos de jornal, críticas de filmes, programação de festivais, roteiros e dados sobre produções alemãs e de fora do país. Uma singularidade do museu é, ainda, a coleção dedicada ao teatro de sombras, com aproximadamente 500 figuras usadas em encenações entre os séculos 13 a 19.

60


61


TURISMO

TORRE DE TV A Rheinturm (ou Torre Reno) é a torre de telecomunicações de Düsseldorf (Alemanha). Construída entre 1979 e 1981, com 240,5 metros, ela se destaca por ser o edifício mais alto da cidade, embora a Torre de TV de Berlim tenha 370 metros. A Rheinturm conta com um observatório aberto ao público e um restaurante giratório a 170 metros de altura. Vale destacar que em uma das laterais do restaurante, Horst. Baumann H concebeu o que é atualmente o maior relógio digital do mundo (Lichtzeitpegel).

KÖNIGSALLEE Königsallee é praticamente a Champs Elysées, em Düsseldorf. Isso inclui todas as famosas boutiques da Avenue e as mais prestigiadas galerias de arte da cidade. Apelidada carinhosamente de “Kö” pelos locais, vale muito a pena uma visita. Ela também inclui um canal encantador, que é coberto por pontes muito charmosas.

62


MUSEUS Para quem deseja conhecer um pouco mais da vida cultural da cidade, vale dar um pulo no excelente Goethe Museum, com instalações completas para conhecer a vida e obra de um dos poetas mais importantes do país. Já o Stadtmuseum é uma boa pedida para quem deseja conhecer mais sobre a história de Düsseldorf.

OUTRAS DICAS: Repleto de relíquias, o bairro de Kaiserswerth remete ao século passado, com construções históricas. O prédio do Tonhalle abriga shows de rock e concertos de música clássica – e valem muito uma visita. Parques também estão na rota dos visitantes de Düsseldorf. O Stiftung Schloss Und Park Benrath tem um castelo lindo e um jardim super charmoso - que fica ainda mais impecável na primavera.

63


L A N Ç A M E N T O

E L E T R O D O M É S T I C O S

64


DESIGN. DETALHE. INOVAÇÃO. ESTILO.

SABOREIE O MELHOR DO SEU DIA A DIA. SOLUÇÃO COMPLETA PARA SUA COZINHA!

C a s u a l

C o o k i n g

Get ready, set, cook!

A linha Casual Cooking traz a versatilidade e praticidade de uma linha mais casual, especialmente desenvolvida para preparar, cozinhar e servir. Get Cooking – Get Casual Cooking!

P r i m e

C o o k i n g

Inspires you!

A linha Prime Cooking foi criada para a combinação perfeita entre os produtos, onde traz para o mercado a inspiração, design, inovação e a funcionalidade de uma cozinha moderna e contemporânea. Valoriza, inspira, e integra os ambientes da sua casa. Prime Cooking inspires you!

w w w . c u i s i n a r t b r a s i l . c o m . b r

65


NOVOS TALENTOS

SUMAUNA ARQUITETURA APRESENTA SOLUÇÕES INOVADORAS Camila Peixoto

A

tuando há um ano e meio no mercado brasiliense, a SumaUNA arquitetura propõe soluções de projetos inovadoras e personalizadas a seus clientes. Fruto da experiência de quase uma década de Matheus Mendes, Lucas Martino e Danilo Fontes, a empresa nasceu da vontade de repensar o processo de concepção arquitetônica no país. Para isso, atuam com uma equipe formada pelos melhores profissionais da área de criação, planejamento orçamentário, desenvolvimento de projetos e de obras.

66

Os sócios contam que o nome do escritório surgiu da união da representação de duas ideias. “Suma” tem como significado soma, extrato, cerne ou essência. “Una”, remete ao sentido de um. O termo “sumauna” refere-se a “somar um” como decorrência de acrescentar, tornar-se mais forte e consistente. Para sua representação visual, os arquitetos partiram do princípio da árvore de nome similar, a Sumaúma. Nativa das Américas, da África e da Ásia, atinge um porte de 50 m de altura. Seu tronco ganha a cada


Lucas Martino, Danilo Fontes e Matheus Mendes | Foto: Divulgação

ano um anel em torno de seu núcleo, podendo chegar até 2 m de diâmetro. Um verdadeiro exemplo de força e solidez, é a representação perfeita do ideal da empresa: assim como os anéis da árvore, os projetos da SumaUNA ganham consistência a cada passo de seu desenvolvimento.

idealizadores. “Trabalhamos com soluções para empresas e indivíduos em diversas áreas de arquitetura, planejamento e engenharia”, explica Lucas Martino. Logo que os sócios-arquitetos apresentaram a proposta aos colaboradores e associados, todos concordaram e compraram a ideia na hora.

O resultado é uma estrutura firme e concreta nascida do processo criativo - o ponto inicial e o núcleo de toda energia propulsora de seus

A SumaUNA é composta por experiências únicas de cada um de seus integrantes, o que garante o diferencial da empresa no mercado. Danilo, arquiteto

67


NOVOS TALENTOS

68


NOVOS TALENTOS

e urbanista formado pela Universidade de Brasília (UNB), possui ampla experiência na interface entre arquitetura, engenharia e obra. Entusiasta por tecnologias, está sempre em busca de inovações. Sua expertise adquirida em cursos e seminários de gestão de projetos, tornou-o responsável pela programação e coordenação da produção da equipe. Lucas formou-se em Arquitetura e Urbanismo no UniCEUB e atualmente é graduando em Projeto, Execução e Manutenção de edificações. Atua com pesquisas de métodos complexos de criação de projeto, utilizando softwares paramétricos que permitem simulações avançadas. Sua visão de mercado mantém a SumaUNA antenada a todas as novidades, em constante atualização e aperfeiçoamento profissional de todos os envolvidos no processo. Matheus sempre buscou conteúdo nas áreas de gestão de empresas. Após concluir sua graduação em Arquitetura e Urbanismo na UNB, fez MBA em Gestão de Negócios Imobiliários e da Construção Civil na Fundação Getulio Vargas (FGV). Com vasta experiência adquirida em cursos nas áreas da

arquitetura, do design gráfico, eventos e gestão de obra civil, somou à empresa um escopo moderno de processos e de organização empresarial, além de expertises técnicas e estéticas. Hoje, o escritório atende a pessoas que têm o sonho de construir ou reformar com um assessoramento completo e personalizado. Atua também com empresas que buscam requalificar seu espaço para oferecer uma melhor experiência para seus clientes. Para a equipe da SumaUNA, a excelência no planejamento trás ao ser humano um ambiente mais digno, tranquilidade emocional e financeira, gerando, por fim, satisfação e bem estar. “Abrir as portas da sumaUNA foi a realização de um sonho, de poder fazer o que gostamos, para quem gosta. Quando a gente conclui um projeto ou uma obra e vê o sorriso estampado na cara do nosso cliente, a gente sabe que o nosso trabalho foi bem feito e o que isso, de alguma forma, significou na vida da pessoa. Acho que essa é a maior alegria que podemos ter. Ajudar nossos clientes a encontrar o melhor resultado para o desafio que ele nos traz”, conclui Lucas Martino.

69


70


VALORIZA SUA OBRA

Em cada ambiente, a marca da sua personalidade.

Linha PortoKoll: deixa sua vida mais leve e sua casa mais linda. Produtos únicos, com qualidade superior e que fazem a diferença na sua obra. Saiba mais em portokoll.com.br

71


MESTRE DE OBRA-PRIMA

SAIBA COMO ASSENTAR PISOS CIMENTÍCIOS

B

onito, durável e prático, o piso cimentício é a mais nova tendência da decoração. Feito à base de concreto e pedras naturais, é antiderrapante e atérmico, unindo resistência e beleza. E a melhor parte: sai mais barato, já que sua durabilidade é muito superior aos de cerâmica e porcelanatos. Renove sua casa hoje mesmo!

CONFIRA ALGUMAS DICAS PARA ASSENTAMENTO DE CIMENTÍCIO: •

Certifique-se que o contrapiso está bem feito: nivelado, áspero e sem manchas ou rachaduras. O ideal é que ele tenha uma cura superior há 14 dias;

fotos: Divulgação

72


Limpe cada peça dos dois lados;

Limpe bem o local onde o cimentício será colocado, evitando qualquer sujeira como resíduos ou óleos;

Aplique a argamassa no contrapiso no verso da peça (em sentidos opostos). Certifiquese de ter espalhado por igual, sem deixar nenhuma área vazia. Dica: argamassas brancas dão melhor acabamento a peças de cores claras; Comprima a peça sobre o solo delicadamente com os dedos e depois com o auxílio de um martelo de borracha ou envolto de fita crepe, fazendo movimentos vibratórios;

Deixe um espaço mínimo de 4mm entre as peças. Para um resultado perfeito, use espaçadores para separar as peças;

Durante o dia, procure manter as peças cobertas com plástico ao invés de papelão. À

noite, descubra o piso para evitar o acúmulo de umidade; •

Deixe descansar por 72 horas. Nesse tempo, não transite pela área para evitar deslocamento e fissura das peças;

Após três dias, o piso estará pronto para o rejuntamento, que pode ser feito com cimento e areia peneirada;

Para limpeza, nunca use produtos à base de ácidos. Prefira sempre os detergentes alcalinos;

Por serem geralmente assentados em áreas abertas, os cimentícios precisam de cuidados e tratamentos para evitar ataques de Co2, fungos, dentre outros. Para isso, você pode utilizar seladores hidrofulgantes ou óleofulgantes. Tudo pronto! Aproveite sua nova decoração!

73


ARTIGO

CERRADO TEM VINHO. POR QUE NÃO? Por Luciana Barbo

G

osto de pessoas sonhadoras, especialmente aquelas que colocam as ideias em prática, atravessando todo e qualquer obstáculo até que estejam do jeito que a mente foi capaz de imaginar. Fico pensando no que seria do mundo se não fosse a obstinação de Santos Dumont ou a teimosia de Einstein, grandes empreendedores de nossa história. Não é preciso ir longe para comprovar o poder que tem uma pessoa que coloca uma ideia na cabeça e se dedica à sua realização. Bem ali em Cocalzinho, a pouco mais de 120 quilômetros de Brasília, um médico tem feito sucesso. Não pelas consultas ou cirurgias bem-sucedidas. O negócio dele é o vinho. Marcelo de Souza se apaixonou pela bebida em São Paulo. Depois, viajou por vários países para entender melhor como era o processo de elaboração desde o início, lá no parreiral. Nas andanças, e também nas páginas de livros e revistas especializadas, des-

Ilustração: Freepik.com

74


cobriu que talvez não fosse necessário abandonar seu estado de origem para produzir o próprio vinho. A lógica era: se em outros países, o solo pobre — aliado aos dias secos e calorentos e noites bem mais frias — tem condições ideais para resultar em boas uvas, por que aqui em Goiás seria diferente? Apostando nessa teoria, Marcelo garimpou o melhor terreno para cultivar suas parreiras. Em 40 hectares de terra, a mais de 900 metros de altitude, estão espalhadas as Barbera (uva muito cultivada no Norte da Itália); Syrah (originária da França, mas já bastante difundida em países como Nova Zelândia, Chile e Portugal), Tempranillo (a clássica Uva da Espanha), Sangiovese (também italiana) e Merlot (também francesa e que dá bons vinhos na Serra Gaúcha). As duas últimas castas não deram muito certo no terroir goiano. Em compensação, as outras geraram vinhos já premiados: O Intrépido e o Bandeiras. Sou bem suspeita para avaliar, mas o meu favorito é o primeiro. A “culpa” é da minha paixão pelos aromas de especiarias e pimenta, misturados às frutas vermelhas bem maduras, características principais da uva Syrah. Gosto dos taninos e da acidez, que credenciam o vinho à guarda.

Todavia, o único ponto a melhorar é o preço. Embora seja um produto de altíssima qualidade e exótico em sua medida, o valor das garrafas (cerca de R$ 120) não permite que sejam tomadas sempre. Para minha sorte, já tive o privilégio de degustar ambos algumas vezes. A mais marcante delas, no entanto, foi na própria vinícola, em novembro de 2015. Nessa ocasião, levei para casa uma garrafa, fiz as fotos que ilustram essa página e também pude presenciar e me emocionar com a dedicação do Marcelo. A mesma sensação eu tive em todas as vezes em que visitei as vinícolas do Vale dos Vinhedos, regidas por pessoas apaixonadas pelo que vem da terra. E a minha conclusão é a seguinte: a paixão em fazer vinho é muito mais de um negócio, é um sonho. Difícil, mas não inatingível. Os vinhos do Marcelo podem ser encontrados na Espaço Vino, loja especializada na 306 Sul (antiga Zahil), a R$ 128 por garrafa.

O segundo também é muito bom, inclusive já levou prêmios da Revista Prazeres da Mesa e do Anuário Vinhos do Brasil. Um bom exemplar de tinto brasileira, também com vocação para guarda ou para ser apreciado com uma boa carne. fotos: Divulgação

75


ARTIGO

O QUE USAR

Adega MCASSAB Escorredor de taรงas Grand Goupillon Decanter Brush

76


77


INSPIRAÇÃO

Da esquerda para direita: Shahyad Azadi tower, Tehran | Ceiling of Aliqapu, Isfahan | Niavaran palace, Tehran

78


INSPIRAÇÃO

AS IMPRESSIONANTES FOTOGRAFIAS DE MOHAMMAD REZA DOMIRI GANJI Combinando fotografia panorâmica e arquitetura, suas imagens enxergam o espaço de transição entre a cultura histórica e contemporânea da Pérsia.

M

ohammad tem grande afinidade em capturar a grandiosa arquitetura iraniana. Em sua série de imagens, o fotógrafo apresenta incríveis detalhes arquitetônicos dos tetos de famosos palácios, lugares históricos, catedrais, bazares e mesquitas do Irã. Cada uma delas é um esplendor visual de padrões geométricos e coloridos, que se assemelham aos caleidoscópios que todo adulto tem na sua memória dos tempos de criança.

79


INSPIRAÇÃO

Eram Garden, Shiraz | Palace of Ardashir, Fars province

80


Vakil mosque (little planet version) Ceiling of Chehel sotoun, Isfahan Ceiling of Borujerdiha house, Kashan Ceiling of Jameh mosque, Yazd Aliqoliagha bath

81


Revestimentos para viver com inspiração.

Arcos 45x90 cm RET

Coleções Sonata e Giardino 82


Giardino BE Decor 20x120 cm RET

83 www.ceramicaportinari.com.br


ANO 7 - 2016

rev i s t a

SĂƒO GERALDO

84 SIATrecho 03, lote 790 | 3233 4122 | saogeraldo.com

Revista São Geraldo ED8  
Advertisement