__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Edição nº 1.427 - Ano 28 | 17 a 23 de junho | www.panrotas.com.br

Duas décadas de notícias, serviços e conteúdo exclusivo para o profissional da indústria de Viagens e Turismo

R$ 11,00


4

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


PRESIDENTE

José Guillermo Condomí Alcorta

ÍNDICE nº 1.427 | 17 a 23 de junho de 2020 | www.panrotas.com.br

CHIEF EXECUTIVE OFFICER (CEO) José Guilherme Condomí Alcorta (guilherme@panrotas.com.br)

DIRETORA DE MARKETING E EVENTOS Heloisa Prass

CHIEF TECHNOLOGY OFFICER (CTO) Ricardo Jun Iti Tsugawa

REDAÇÃO (redacao@panrotas.com.br)

EDITOR-CHEFE E CHIEF COMMUNICATION OFFICER: Artur Luiz Andrade

(artur@panrotas.com.br) Coordenador de Redação: Rodrigo Vieira (rodrigo@panrotas.com.br) Coordenador Web: Danilo Alves (danilo@panrotas.com.br) Pancorp/Viagens Corporativas: Beatrice Teizen Conteúdo para marcas: Vinicius Novaes e Beatriz Contelli (estagiária) Reportagem: Filip Calixto, Juliana Monaco, Victor Fernandes Fotógrafo: Emerson de Souza (São Paulo) MARKETING Analista: Erica Venturim (erica@panrotas.com.br) CRIAÇÃO Fernanda Souza (fernanda@panrotas.com.br) Pedro Moreno (pedro@panrotas.com.br) COMERCIAL Gerente: Ricardo Sidaras (rsidaras@panrotas.com.br) Executivos: Flávio Sica (sica@panrotas.com.br) João Felipe Santana (joaosantana@panrotas.com.br) Renato Sousa (rsousa@panrotas.com.br) Rene Amorim (rene@panrotas.com.br) Sônia Fonseca (sonia@panrotas.com.br) Big Data: Igor Vianna (igorvianna@panrotas.com.br) Jéssica Andrade (jessica@panrotas.com.br) Assistentes: Ítalo Henrique (italo@panrotas.com.br) Rafaela Aragão (rafaela@panrotas.com.br)

Página 04 Editorial - 2000, ontem: 20 anos do Portal PANROTAS

Página 06 Check-in - Queensberry se manifesta e aéreas iniciam retomada

Página 12 Artigo - Como celebrar o Mês do Orgulho LGBTI+ na pandemia

Página 14 Portal PANROTAS, 20 anos para o profissional de Viagens e Turismo

Página 27 Turismo rodoviário: ônibus podem protagonizar a retomada

FALE CONOSCO Matriz: Avenida Jabaquara, 1.761 – Saúde São Paulo - Cep: 04045-901 Tel.: (11) 2764-4800 Brasília: Flavio Trombieri (flavio@panrotas.com.br) Tel: (61) 3224-9565 Rio de Janeiro: Simone Lara (simone@panrotas.com.br) Tel: (21) 2529-2415/98873-2415 Estados Unidos: Helene Chalvire (helene@panrotas.com.br) ASSINATURAS Chefe de Assinaturas: Valderez Wallner Para assinar, ligue no (11) 2764-4816 ou acesse o site www.panrotas.com.br Assinatura anual: R$ 468 Impresso na Referência Gráfica (São Paulo/SP)

Quer ler a revista PANROTAS pelo celular? Manda um WhatsApp pra gente (11 95609-1507) ou use o QR Code ao lado. Media Partner

Associações

Parceria Estratégica


Editorial

ONTEM, EM 2000 20 anos, 157 mil notícias, 284 mil fotos. Mais que números, memórias e história das últimas duas décadas do Turismo brasileiro. Pessoas que deixaram sua marca, profissionais que construíram empresas, empresas que desapareceram, enquanto outras... nasceram. De lá para cá ganhamos o Ministério do Turismo, o Fórum PANROTAS, a Gol Linhas Aéreas e a Azul. A Lan e a Tam viraram Latam. A Soletur desapareceu. A CVC conquistou as Américas. O agente de viagens, previsto de acabar ainda no final dos anos 1990, resistiu, sobreviveu, se reinventou e, como todos os demais profissionais, prepara-se para outro renascimento, pós-pandemia. Aliás, quantas crises em duas décadas? 11 de setembro. Disparadas do dólar. Gripe Aviária. Guerras do outro lado do mundo. As nossas batalhas urbanas. E agora a guerra que paralisou o planeta. Em 20 anos, esse planeta foi salvo pelo Turismo, mas em alguns momentos exageramos e deu overtourism. Em 20 anos, não perdemos, em nossa indústria, o desejo do olho no olho, dos eventos, das viagens... agora feitas via Zoom, de dentro de nossas casas. Aprendemos com mestres que já nos deixaram. Ensinamos a alunos que bri-

lham em diversas áreas. Nos perdemos de quem ainda temos saudades. Viajamos lado a lado e agora planejamos as novas viagens, nossas e dos milhões de fãs de viajar no Brasil e no mundo. Em 20 anos, amadurecemos, cometemos os mesmos erros, rimos deles ou pagamos caro pela reincidência. Sempre demos um jeito. Sempre olhamos para frente (e para as câmeras dos fotógrafos da PANROTAS). Começamos a década ainda desconfiados daqueles terminais nos dando notícias e hoje eles cabem em nossas mãos (e não saem delas). E isso nos une ainda mais nesse momento. Mas sabemos e não nos enganamos, que para criar memórias, notícias e marcos dos próximos 20 anos, vamos precisar continuar viajando, nos encontrando, promovendo eventos dos mais variados formatos, falando uns com os outros e... sorrindo para fotos, vídeos e momentos inesquecíveis. Celebre com a gente os 20 anos do Portal PANROTAS, como personagens e atores desse hub de conhecimento e de momentos marcantes de nossa indústria. Se #SomosTodosTurismo, nós nos encontramos, todos os dias, no www.panrotas.com.br.n

Artur Luiz Andrade Editor-chefe e Chief Communication Officer da PANROTAS artur@panrotas.com.br

4

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


4

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


Check-in Mercado

“Fiz a coisa certa” “Diante das circunstâncias, tenho certeza de que fiz a coisa certa”, disse Martin Jensen, presidente da operadora de viagens Queensberry, uma das mais tradicionais do País, atuando desde 1981, e que entrou com pedido de recuperação judicial. Segundo ele, o pedido foi aceito pela justiça no mesmo dia e agora a Queensberry tem dois meses para apresentar seu plano de recuperação. “A parte boa de tudo isso”, ele acrescenta, “foi o apoio que temos recebido dos agentes de viagens e de todo o mercado”. A parte dura vai ser quebrar a cabeça para encontrar saídas para voltar a vender viagens internacionais. INTERNACIONAL Para essa retomada há alguns desafios, dois deles bem grandes: saber quando as vendas voltarão e se não haverá restrições para brasileiros entrarem em alguns países, como ocorre hoje para os Estados Unidos. Jensen sabe que a especialidade da Queensberry são as vendas para o Exterior e não deve criar uma área mais forte no nacional. “Primeiro porque nossos clientes querem a Europa, a Ásia... Depois porque já há empresas tradicionais vendendo o nacional muito bem”, conta ele, que fez questão de gravar um vídeo dando explicações ao mercado. VENDAS E PASSAGEIROS O empresário está confiante que sairá da crise e do processo de recuperação judicial. “Seremos a primeira operadora de viagens do Brasil a sair da recuperação. Nunca esperei passar por isso, mas era o que tinha de ser feito”, afirma. Segundo ele, as vendas nos primeiros quatro meses de 2020, que foram de cerca de R$ 85 milhões nos anos anteriores, fecharam negativas. No total, 1,2 mil passageiros foram impactados pela recuperação da empresa, alguns já tendo pagado a integralidade dos pacotes e outros apenas uma parte (os contatos devem ser feitos pelo e-mail recuperacaoqueensberry@smabr.com). 6

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020

Martin Jensen

Como em todo processo de recuperação judicial, os credores passam ser contatados pela equipe de gestão da RJ e não mais pela empresa, agora focada em apresentar o plano de retomada. Clientes e agentes de viagens podem falar também pelo central@queensberry.com.br. INVESTIDORES Uma das saídas é encontrar investidores que acreditem no processo de recuperação da empresa, e Jensen afirma que há pelo menos um bem interessado. Ele ainda não conversou com outros possíveis investidores dentro do Turismo, pois "todos estão passando pela mesma situação". Mas acredita que também seja uma possibilidade (encontrar parcerias no próprio Turismo). EQUIPE A Queensberry no começo da

crise diminuiu sua equipe de 120 para 85 colaboradores e após a RJ ficou com 20. A diretora Eby Piaskowy foi uma das que deixaram a empresa.“Continuamos na Braztoa, temos caixa para mais três meses e já sabemos quem recontratar na hora da retomada. O apoio dos agentes e clientes me surpreendeu nesse momento e vou seguir fazendo a coisa certa como em toda minha trajetória”, continua ele, acreditando que os primeiros grupos da operadora devem voltar a viajar a partir de setembro. "Nunca imaginei que isso fosse acontecer, até fevereiro tudo estava normal na empresa, mas diante das circunstâncias qualquer outra atitude seria pior", finalizou. Contatos: recuperacaoqueensberry@smabr.com, central@ queensberry.com.br ou pelo tel. (11) 3146-2400.


Novos protocolos

+Lidas da semana Portal PANROTAS 1 Turismo pede urgência na

prorrogação da suspensão do contrato de trabalho

2 Gol vai operar com 27 aviões em junho e volta a 5 bases; saiba quais

3 Congresso Nacional prorroga MP 948 por mais 60 dias

4 Como a pandemia afetou o consumo dos brasileiros

5 59% dos brasileiros planejam

Marcelo Álvaro Antônio, ministro do Turismo

O Ministério do Turismo apresentou, na semana passada, o selo Turismo Responsável (limpo e seguro - faça a sua parte). Na ocasião, o ministro Marcelo Álvaro Antônio revelou os protocolos básicos e específicos para cada uma das 15 atividades do Cadastur. Distanciamento social, restrição de público, higienização e controle de acesso de visitantes são alguns dos protocolos exigidos para os interessados em estampar o selo em seus respectivos negócios e eventos. Segundo Álvaro Antônio, os protocolos foram construídos em conjunto com a Anvisa, levando em consideração algumas medidas adotadas por entidades estrangeiras e pelo Ministério da Saúde. “Esta é uma ação que dá o pontapé inicial para trazer a confiança do turista nacional e internacional. O

viajar apesar da pandemia

6 Veja dicas para negociar com Turismo doméstico será a espinha dorsal na retomada do setor, e os estabelecimentos que possuírem o selo terão ainda mais credibilidade e a confiança da sociedade”, disse. O selo é gratuito e para obtê-lo é preciso obrigatoriamente estar com situação regular perante o Cadastur. Em caso positivo, ele adere à autodeclaração que atende os pré-requisitos determinados e é encaminhado para uma área do site do selo onde pode realizar o download do selo para impressão. Na opinião do ministro, estabelecimentos que estamparem a iniciativa terão um “importante diferencial para atender o novo perfil de turista que surgirá pós pandemia”. Os protocolos de todas as atividades estão publicados no www.turismo.gov.br/seloresponsavel.

hotéis corporativos no póspandemia

7 Queensberry continua na Braztoa; presidente da entidade comenta

8 Martin Jensen sobre situação da Queensberry: fiz a coisa certa

9 Decolar anuncia substituto de Rodrigo Vaz em Sourcing

10 Queensberry em recuperação judicial: veja mensagem do fundador

Fonte: Portal PANROTAS

Movimentação O executivo Rodrigo Vaz (foto), que era head de Sourcing da OTA Decolar, anunciou sua saída da empresa, onde estava desde maio de 2019. "Esse momento de crise é realmente um desafio para todas as empresas, e essa nova realidade tem mudado propósitos e metas no ano", disse ele ao Portal PANROTAS, agradecendo à Decolar por esses 13 meses de parceria. Com sete anos de CVC e outros

quatro na Lan, Rodrigo Vaz deixou seus contatos ao mercado: rodrigovribeiro@bol.com.br e (11) 95084-6555. E a Decolar anunciou Tiago Lopes como novo head de Sourcing Non-Air, área responsável pelo relacionamento com os hoteleiros, locadoras de veículos, empresas de traslados e de entretenimento no mercado brasileiro. Era o cargo ocupado por Rodrigo Vaz. 17 a 23 de junho de 2020 — PANROTAS

7


Em Gramado A Prefeitura Municipal de Gramado publicou no dia 3 de junho o Decreto 126/2020, que autoriza o funcionamento de parques temáticos, liberando o aluguel por temporada e fixando novo limite de ocupação máxima do ramo hoteleiro na cidade. A lotação passa de 50% para 70% das unidades de habitação disponíveis. O prefeito Fedoca Bertolucci destacou que “o decreto busca atender as necessidades e as solicitações desses segmentos econômicos esperando conseguir devolver a Gramado o progresso que o município merece”. O secretário de Turismo, Rafael Carniel de Almeida, complementa que “todos os protocolos utilizados são baseados no que há de melhor cientificamente falando, hoje disponível”, ressaltando que “mesmo os protocolos já sendo bastante rígidos, os próprios empresários buscam tornar seus próprios atrativos ainda mais seguros.” O novo decreto determina ainda que as atividades de hospedagem transitória na modalidade de aluguel por temporada e camping ficam permitidas. A liberação está sendo possível após negociação com representantes deste segmento, que aceitaram cumprir um plano de contingência.

Mais aviões e bases

O vice-presidente de Vendas e Marketing da Gol, Eduardo Bernardes

8

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020

A Gol anunciou que até o final deste mês chegará a 27 aeronaves em operação, reabrindo cinco bases (Porto Seguro, Petrolina, Ilhéus, Juazeiro do Norte e Chapecó) e voos adicionais de Congonhas (SP) para nove aeroportos (Porto Alegre, Curitiba, Confins, Florianópolis, Navegantes, Recife, Salvador e SDU e GIG, no Rio). Em um relatório divulgado para investidores, o vice-presidente de Vendas e Marketing da Gol, Eduardo Bernardes, revela que a empresa vendeu 105% mais de bilhetes em maio, em todos os seus canais, com a receita de passageiros transportados aumentando 22% somente com os voos adicionais da última semana do mês. A empresa operou com 13 aeronaves em maio, totalizando apenas 7% das operações de maio de 2019. No final do mês o índice subiu para 10% e em junho deve chegar a 20% do total de junho do ano passado.


4

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


Aviação

Joint venture A Latam Airlines e Delta Air Lines deram, no dia 10 de junho, o primeiro passo regulatório em direção ao acordo de joint venture transamericano no Brasil com uma apresentação preliminar à autoridade de concorrência, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). “Nossa aliança estratégica com a Delta continua sendo uma prioridade. Essa apresentação reafirma nosso compromisso em fornecer aos clientes liderança em conectividade e experiência de viagem nas Américas e a aliança é uma das maneiras pelas quais emergiremos dessa crise global como um grupo de companhias aéreas mais forte, mais ágil e mais competitivo”, afirmou o CEO da Latam Airlines Brasil, Jerome Cadier. O processo de aprovação regulatória com a autoridade de concorrência do Brasil representa o primeiro passo para o acordo, recentemente assinado entre o Grupo Latam Airlines e suas subsidiárias e a Delta Air Lines, que – uma vez garantidas as aprovações regulatórias requeridas – irá conectar as malhas aéreas altamente complementares das empresas entre as Américas do Norte e do Sul. O presidente da VoePass, José Luiz Felício Filho

De volta aos céus A VoePass retoma as operações a partir de 3 de julho após cerca de três meses sem voos. A antiga Passaredo retornará voando de sua base em Ribeirão Preto a São Paulo (GRU), Rio de Janeiro (SDU) e dez destinos no norte do Brasil. A retomada destas rotas representa o retorno de aproximadamente 10% das operações que a aérea tinha antes do início da pandemia. Vale lembrar que a VoePass tem acordos comerciais codeshare e interline com Gol e Latam. "É importante frisar que durante esse período, desenvolvemos protocolos de segurança aos clientes e funcionários e um novo aplicativo que vai ao ar nos próximos dias que permite acessar o cartão de embarque digital e realizar o web check-in", disse o presidente da VoePass, José Luiz Felício Filho. 10

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020

242 voos diários Em julho, a Azul volta a adicionar novos voos e a reabrir bases de operação em todo o País. Com a consolidação dos novos protocolos de higiene e oferecendo alternativas a quem precisa se locomover entre cidades, a companhia retoma suas operações, no dia 6, em Guarulhos (SP), Marília (SP) e Maceió (AL). Em 13 de julho, os serviços para João Pessoa (PB) e Maringá (PR) serão retomados e, em 21 de julho, para Porto Seguro (BA). Ao todo, a Azul deve operar 242 voos diários em dias de pico em julho, o que representa um acréscimo de 42% frente à malha que está sendo operada neste mês. “Sabemos que o transporte aéreo é essencial e fundamental para contribuir com a retomada da economia e estamos prontos para, junto com as novas medidas de higiene e protocolos sanitários, voar para cada região”, afirma o vice-presidente de Receitas da aérea, Abhi Shah.


Viagens Corporativas

Self Booking

+Lidas da semana PANCORP 1 Gol vai operar com 27 aviões em junho e volta a 5 bases; saiba quais

2 59% dos brasileiros planejam

O diretor executivo da Unidade B2B Brasil da CVC Corp, Luciano Guimarães

viajar apesar da pandemia

3 Veja dicas para negociar com hotéis corporativos no póspandemia

4 Turismo perde R$ 90 bilhões

e 727 mil empregos no Brasil em 3 meses

5 Quem fecha primeiro: o caixa ou o hotel?

6 Sabre demite 800

funcionários como parte de reestruturação

A Esferatur, uma das consolidadoras aéreas da CVC Corp, anunciou o lançamento do Esfera Fácil, seu novo sistema de self booking. Por ora, o sistema está disponível apenas para a base de Belo Horizonte, mas, até o início de agosto, será disponibilizado para as demais filiais em todo o Brasil. Entre as principais funcionalidades do Esfera Fácil estão os múltiplos centros de custo, reembolso on-line, política de viagens, módulo atualizador de compra, pré-cadastro de perfil de

passageiros, relatório de economia e o “Guardião”, que é o monitor de reservas da plataforma. “O sistema dispõe de soluções que ajudam na gestão de viagens de clientes corporativos, um diferencial que possibilita às agências de viagens levar aos seus clientes um serviço adicional personalizado a custo zero, com tecnologia avançada e grandes recursos”, afirma o diretor executivo da Unidade B2B Brasil da CVC Corp, Luciano Guimarães.

Velocímetro da retomada A Alagev acaba de apresentar o Velocímetro da Retomada, ferramenta colaborativa que será alimentada quinzenalmente pelos profissionais atuantes no segmento de viagens e eventos corporativos. Disponibilizada no site da associação, a solução pretende medir a evolução do mercado e da geração dos negócios, que foi quase que totalmente estagnado devido à pandemia do novo coronavírus. A função principal do Velocímetro é orientar a indústria a respeito de como as atividades estão se reaquecendo. Os responsáveis por imputar esses dados e atualizar as informações são os profissionais que estão no dia a dia da operação – os gestores de viagens e de eventos corpora-

tivos, que trazem um retrato fiel das operações no setor. “Dentro da indústria turística, o mercado de viagens e eventos corporativos está entre os primeiros setores que contribuirão para a retomada. Ter esse acompanhamento periódico, em tempo real, de como as empresas estão enxergando e sentindo o movimento, permite que os demais players impactados também estejam preparados com informações confiáveis para prestar serviços e tornar o reinício do setor mais resiliente”, diz o diretor executivo da entidade, Eduardo Murad. Para contribuir, é necessário um breve cadastro e, na sequência, responder ao questionário disponibilizado.

7 Air France-KLM planeja 18

voos semanais para o Brasil em julho

8 Alagev lança velocímetro da retomada do mercado

9 British Airways considera contestar legalmente a quarentena

10 Veja mais detalhes das

operações da Azul em julho

Fonte: PANCORP

Em um único lugar A Copastur agora tem uma página dedicada a fornecer informações sobre os protocolos de segurança de companhias aéreas, hotéis, locadoras e transfers. Nela, são encontrados links ou documentos de diversas empresas com seus protocolos de segurança para covid-19 segmentados por setor. A meta da empresa é organizar informações importantes para seus clientes e parceiros. A página será atualizada diariamente com as atualizações que surgirem de cada empresa. n 17 a 23 de junho de 2020 — PANROTAS

11


Artigo

MANEIRAS DE CELEBRAR

O ORGULHO LGBTI+

DURANTE A PANDEMIA Foto: Otavio Furtado

Otavio Furtado, diretor de Comunicação da Câmara LGBT do Brasil

Junho marca o Mês do Orgulho LGBTI+ e todos os anos ao redor do planeta celebramos a diversidade. Em 2020, as grande paradas e reuniões em torno do assunto tiveram que ser adiadas ou canceladas por conta da pandemia de covid-19. Mas isso não significa que deixaremos de comemorar a data, apenas descobrimos maneiras de celebrar o Orgulho LGBTI+ durante a pandemia. Segundo levantamento feito pelo site Gay Travel and Fun, mais de 100 eventos de celebração do Orgulho LGBTI+ em todo o mundo foram adiados ou cancelados. Entres eles, destaques para a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que foi transferida para 29 de novembro. Nos Estados Unidos, no ano seguinte que recebeu a World Pride, Nova York cancelou as comemorações na rua este ano e São Francisco, que comemoraria 50 anos de sua primeira Parada do Orgulho LGBTI+, também anunciou que não terá edição em 2020. Esses dois cancelamentos são espe12

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020

cialmente simbólicos para a comunidade pela ligação das cidades com a luta pelos direitos LGBTI+. A escolha do mês de junho para celebrar a diversidade acontece em homenagem à Revolta de Stonewall. Em 28 de junho de 1969, uma batida policial no lendário bar Stonewall Inn encontrou pela primeira vez resistência por parte dos frequentadores (ações policiais eram comuns na época). Durante a truculenta operação policial, pessoas que estavam no local mas foram liberadas, além de uma multidão que se aglomerou para assistir ao que estava acontecendo, se juntaram e reagiram. Primeiro foram jogadas moedas, em referência à extorsão a que a comunidade era exposta frequentemente pelos policiais, mas não demorou para que objetos mais pesados fossem arremessados, como o famoso “primeiro tijolo”, que até hoje não tem confirmado quem atirou ou se de fato existiu. Fato é que após uma noite de protestos for-


AGENDA NA PANDEMIA Em virtude do distanciamento social imposto pela pandemia do COVID-19, em uma data histórica que celebraria os 50 anos das primeiras paradas, os eventos ganharam uma nova maneira de celebrar o orgulho LGBTI+. Muitas organizações estão se juntando para fazer eventos on-line nas datas em que aconteceriam as respectivas marchas em seus países. Além da celebração on-line da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (14/06 – 10h às 18h), artistas brasileiros estão confirmadas em eventos online pelo mundo, como Luísa Sonza que se apresentará na NYC Pride virtual (28/06 – a partir das 13h) e Pabllo Vittar que foi a primeira atração anunciada pela Global Pride. O evento em 27 de junho, que ocorrerá ao longo do dia, é uma reunião de Paradas do Orgulho LGBTI+ do mundo inteiro para uma celebração on-line. Mas, além de aproveitar as edições on-line que acontecerão ao longo do mês, ou de até se reunir nas paradas que acontecerão em datas futuras, junho pode ser uma oportunidade de conhecer mais sobre a história da comunidade e a luta pelos direitos LGBTI+. Uma série de livros, filmes, séries e documentários estão disponíveis. O Canal Brasil preparou uma programação especial que inclui bate papos e produções sobre o tema. Nos serviços de streaming é possível consumir muito conteúdo relacionado ao tema, como, por exemplo, os necessários documentários “Morte e Vida de Marsha P. Johnson”, que fala sobre a ativista e discute a invisibilidade trans, ou “Cartas para Além do Muro”, que narra de forma cronológica como foi a pandemia de aids no Brasil. CAMPANHAS É importante ressaltar que se todos os anos os eventos LGTI+ têm campanhas de conscientização e arrecadação para ajudar a comunidade, nesse período é mais importante ainda. A Câmara de Comércio e Turismo

Foto: Otavio Furtado

tes, nos dias seguintes marchas aconteceram pelas ruas de Nova York. O movimento aumentou a força de organizações que começavam a lutar pelos direitos LGBTI+ e, um ano depois, além da cidade, São Francisco, Los Angeles e Chicago tiveram marchas para lembrar a data da Revolta de Stonewall. Elas são consideradas as primeiras Paradas do Orgulho LGTI+ do mundo.

LGBT do Brasil é uma das entidades que estão fazendo campanhas de arrecadação. Todo dinheiro será revertido em compras de cestas básicas e kits de higiene para a população LGBTI+ da periferia em situação de vulnerabilidade. Os dados para deposito são: Banco do Brasil (001) Agência: 1202-5 Conta Corrente: 73654-6 CNPJ: 11.289.776/0001-90 Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil Não importa a maneira como você opte celebrar, seja até mesmo colocando a bandeira do arco-íris em sua janela. Mas, em um ano em que enfrentamos uma situação atípica, o senso de comunidade e a importância da diversidade ganham ainda mais relevância. n 17 a 23 de junho de 2020 — PANROTAS

13


Aniversário

Artur Luiz Andrade

20/20

No ano 2000, quando o bug do milênio não se materializou (era esperado para o réveillon anterior), quando a bolha da internet crescia e explodia no País (deixando ensinamentos, legado e uma geração desbravadora) e quando o Brasil vivia mais uma de suas agudas crises financeiras, que seria agravada no ano seguinte com os atentados de 11 de setembro, a PANROTAS comemorava 26 anos de empresa, oito anos do Jornal PANROTAS e o nascimento do Portal PANROTAS, que chega aos 20 anos este mês (a data exata: 6 de junho). Na época, as Abavs brigavam na justiça contra o corte do comissionamento dos agentes pelas empresas aéreas, a Feira da Abav era itinerante mas estava quase sendo fixada no Rio, e Varig, Vasp e Transbrasil ainda voavam nos céus brasileiros. Vinte anos depois, quase tudo mudou

14

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020

e somos mais um aniversariante que celebra a data na quarentena. Porém, com uma perspectiva diferente: enquanto as pessoas estão em suas casas e se conectam com amigos e parentes via redes sociais, aplicativos de mensagens e vídeos, o Portal PANROTAS comemora suas duas décadas na casa de cada um dos profissionais da indústria. Se antes da quarentena, dependendo do horário, éramos acessados da empresa, de casa, do carro ou dos mais inusitados lugares, agora estamos com todos vocês nos seus lares, doidos para voltarmos aos eventos e viagens. Na maioria das vezes estamos na palma da sua mão, mas também no seu laptop ou tablet. Outros tempos, mas com a informação para o profissional de Turismo, especialmente o agente de viagens, mantendo-se como foco. Nos últimos 20 anos, o Turismo e a

tecnologia em nossas vidas se transformaram, cresceram e não serão parados pela pandemia. Mais transformações virão, e o Portal PANROTAS as acompanhará. De 2000 para cá o nosso portal teve sete versões (ao menos as mais evidentes aos olhos do leitor, pois nos bastidores as mudanças são constantes), todas elas, desde o início, desenvolvidas dentro da própria PANROTAS, com a liderança do diretor de TI, Ricardo Tsugawa. O presidente e fundador da empresa, José Guillermo C. Alcorta, um entusiasta de tecnologia desde os primórdios do Guia PANROTAS, foi o primeiro na Comunicação do Turismo a investir em um portal. SERVIÇO O Portal PANROTAS nasceu em 6 de


junho de 2000 e já marcava a transição do conteúdo do Guia PANROTAS para o mundo digital. Horários de voos, informações técnicas, endereços úteis, mapas de aeronaves e regras de viagens recheavam a parte de serviços aos agentes de viagens no então Site PANROTAS, com a área de notícias contando com um plantão do dia a dia da indústria e reportagens especiais que saíam no Guia PANROTAS. Chegamos às duas décadas do portal com um papel ainda mais central na indústria, pois, com a quarentena e o Turismo observando o mundo de casa, informação é mais necessária que nunca. Tudo passou a acontecer no mundo digital. Assim, todos os caminhos (das redes sociais à revista) levam ao Portal PANROTAS. Na última mudança do portal, a mais radical até hoje, buscamos dividir as notícias por uma série de canais tematizados (Aviação, Gente, Mercado, Hotelaria, Corporativo...), para que os leitores explorem esse hub de conhecimento da forma que quiserem. Há quem prefira clicar em TODAS AS NO-

TÍCIAS e ver tudo em ordem cronológica; há quem goste de ir no canal preferido; quem inicie o dia nos lendo; quem usa a newsletter para saber o que de mais relevantes está ocorrendo; quem nos acompanha no Telegram; quem foca nos debates e entrevistas exclusivas em vídeo; quem é mais fã dos blogs; quem não perde a Revista PANROTAS e suas análises... Como dissemos, todos os caminhos levam ao Portal PANROTAS e toda a indústria se vê e se encontra lá. Serviços que desde o início fazem sucesso no portal continuam, como o PanEmpregos e a Agenda de Eventos (hoje também temos uma agenda de lives). Mas ganhamos também áreas colaborativas com as marcas (via branded content, e-books e conteúdos desenhados a quatro mãos), vídeos, interação cruzada com as redes sociais, programas especiais, como o Trocando Ideia, que tem o foco no treinamento para o agente de viagens, em formato acessível, tendo o diálogo como condutor. Também criamos o PANCORP, dedi-

cado a quem trabalha com Viagens Corporativas e Eventos. O ranking das listas de notícias mais lidas também mostra para onde o mercado está olhando, quais suas aflições e interesses. A cada aba ou botão, muitas informações e conhecimento para o Turismo. Tudo para que a navegação dos profissionais seja mais fácil e abrangente. Tudo para que esse conhecimento faça a diferença e não seja apenas mais uma manchete em nossa memória de curto prazo. PANDEMIA De março a junho deste ano, por conta das notícias da pandemia, das lives que organizamos e transmitimos, e dos serviços do portal, nossa audiência aumentou 60%, com média de 24 mil visitantes únicos por dia. Em vários dias ultrapassamos 30 mil usuários únicos e percebemos, com análises de audiência minuto a minuto, o que todos vocês mais querem saber. Um crescimento orgânico que entrelaça todas as plataformas (portal, revista, eventos, redes sociais, newsletter, WhatsApp, Telegram...) e une o setor. E para celebrar 20 anos, vamos relembrar algumas versões do portal, ver algumas estatísticas e reforçar nosso compromisso de sempre estar ouvindo a resposta do trade ao nosso trabalho, pautando as mudanças no futuro nesse feedbak e nas necessidades dos profissionais e empresas de Viagens e Turismo. Se precisarem de mais detalhes sobre esses e outros dados do Portal PANROTAS continuem fazendo como há mais de 45 anos: Falem Conosco, via comercial@panrotas.com.br ou redacao@panrotas.com.br. Boa navegação e boas descobertas a todos. E obrigado pela parceria dessas duas décadas. Parece até que foi ontem.

17 a 23 de junho de 2020 — PANROTAS

15


O PORTAL PANROTAS HOJE média de 24 mil por dia

Usuários únicos: Usuários únicos por mês:

Janeiro – 333,2 mil Fevereiro – 321,9 mil Março – 579,9 mil Abril – 518,5 mil Maio – 509 mil Junho – 173,5 mil

Duração média de sessões: Pageviews:

(até dia 10)

10min e 45seg (junho de 2020)

2,44 milhões (média do ano) 2,4 milhões (maio de 2020) 3,2 milhões (pico do ano, em março de 2020)

Top 10 audiência (Países)

1 – Brasil 2 – Estados Unidos 3 – Portugal 4 – Argentina 5 – Reino Unido 6 – França 7 – Espanha 8 – Itália 9 – Alemanha 10 – Canadá

16

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


Top 10 audiência (Estados)

1 – São Paulo 2 3 4 5

– – – –

6 – Santa Catarina

Rio de Janeiro Minas Gerais Paraná Rio Grande do Sul

7 – Distrito Federal 8 – Bahia 9 – Pernambuco 10 – Ceará

Top 10 audiência (Cidades)

Idade dos usuários (maio 2020)

1 – São Paulo

1 – 25 a 34 anos (86,4 mil, + 43%)

2 – Rio de Janeiro 3 – Curitiba 4 – Brasília 5 – Belo Horizonte 6 – Porto Alegre 7 – Campinas (SP) 8 – Recife 9 – Salvador 10 – Fortaleza

2 – 18 a 24 anos (47,5 mil, + 346%) 3 – 35 a 44 anos (44,1 mil, -14%) 4 – 45 a 54 anos (22,7 mil, -17%) 5 – 55 a 64 anos (21,2 mil, -3%) 6 – +65 anos (19 mil, +41%)

17 a 23 de junho de 2020 — PANROTAS

17


NOTÍCIAS MAIS LIDAS EM 2020 (1º de janeiro a 10 de junho)

1 – Coronavírus: veja comunicados de companhias aéreas

9 – Confira regras de cancelamento, remarcação e reembolso de passagens

2 – Gol atualiza regras de cancelamento durante crise do coronavírus

10 – 6 cursos gratuitos para você se aperfeiçoar

3 – Turismo poderá reembolsar clientes 12 meses após pandemia 4 – Veja a agenda de lives e webinars das empresas de Turismo

11 – Ministro, Paulus, Magda, Bernardes e Ana Donato: veja como foi a live

17 – 'Nova hotelaria' começa a sair do papel com protocolo global 18 – Como o Turismo global superou outras crises? 19 – Leonel Andrade muda diretores da CVC Corp; veja quem fica 20 – Coronavírus e viagens: o que fazer? Líderes analisam

12 – 5 ideias do que pode mudar no Turismo pós-coronavírus

21 – MTur detalha como será feita a liberação dos R$ 5 bi ao Turismo

13 – Quem pode ter acesso aos R$ 5 bilhões da MP 963? Confira

22 – Nordeste é destino preferido para a retomada, segundo viajantes

6 – Saiba como a hotelaria está lidando com os impactos do Covid-19

14 – CVC divulga comunicado com análise sobre coronavírus; leia

23 – Turismo abraça a tecnologia e cria rede de treinamentos e lives

7 – Turismo no Brasil voltará a níveis normais somente no fim de 2021

15 – SAA fecha base no Brasil; voos param dia 29 de fevereiro

8 – Agente de viagens não é solidário por toda a viagem, reconhece governo

16 – Google oferece cursos gratuitos e on-line

5 – Turismo ganhará mercado no pós-crise, mas não será reinventado

18

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020

24 – O que as locadoras estão fazendo em relação ao coronavírus? 25 – Como será a CVC Corp póspandemia? CEO detalha os planos


4

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


OS 20 ANOS DO PORTAL

Notícias publicadas:

cerca de 160 mil

Fotos postadas nas notícias:

mais de 284 mil

Editorias com mais notícias:

Eventos – 16,4% Aviação/Aeroportos – 15,81%

Distribuição/Agências de viagens – 11,24% Novas versões para o usuário:

2000, 2001, 2002, 2006, 2009, 2014 e 2018

2000

20

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


27 de maio a 2 de junho de 2020 — PANROTAS

41


2001

2002

22

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


2006

2009

17 a 23 de junho de 2020 — PANROTAS

23


2014

2018

24

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


LIVES NO PORTAL PANROTAS

(17 de março a 10 de junho de 2020)

Live

1

Check Point com o ministro Marcelo Álvaro Antônio

2

Data

Visualizações

2 de abril

49 mil

Masterclass com o futurista Ian Yeoman

29 de maio

39 mil

3

Check Point com o CEO da Latam Brasil , Jerome Cadier

14 de maio

35 mil

4

Check Point com o secretário executivo do MTur, Daniel Nepomuceno

13 de maio

27,3 mil

5

Check Point com operadoras Agaxtur, CVC, Europlus e Orinter

30 de abril

25 mil

6

Check Point com redes Blue Tree, Club Med, Dom Pedro e Intercity

7 de maio

24,5 mil

7

Check Point com Expo Center Norte, Insight Feiras, Nürnbergmesse e R1

28 de maio

19 mil

8

Prime Time com Abílio Diniz

27 de maio

18,5 mil

9

Segunda edição Pulso Turismo e Covid-19 do TRVL LAB

26 de maio

18,1 mil

10

Trocando ideia com Turismo da Espanha

2 de junho

17,1 mil

11

Primeira edição Pulso Turismo e Covid-19 do TRVL LAB

7 de abril

15 mil

12

Prime Time com Carlos Ferreirinha

29 de abril

13 mil

13

Check Point com Crystal Cruises, NCL, Pier1 e R11

4 de junho

9,5 mil

14

Check Point com William França, do MTur

9 de abril

9 mil

15

Check Point sobre redes sociais com Air France-KLM, Bites, Sea World e Turismo do MS

11 de junho

7,6 mil 17 a 23 de junho de 2020 — PANROTAS

25


VÍDEOS MAIS VISTOS NO CANAL DO YOUTUBE DA PANROTAS (março a junho de 2020)*

1 – Bastidores do Turismo de 17 de março, com Artur Luiz Andrade e Rodrigo Vieira 2 – Entrevista com Leonel Andrade, CEO da CVC Corp, em 24 de abril 3 – Check Point com Jerome Cadier, da Latam, em 14 de maio 4 – Ministro do Turismo anuncia linha de crédito para o setor, em 8 de maio 5 – A350-1000 da Qatar estreia no Brasil, em 13 de maio

6 – David Uip fala sobre o novo coronavírus, em 6 de março 7 – Vídeo da diretoria da Gol no dia 20 de março, falando sobre o início da crise 8 – Check Point sobre como as locadoras estão se preparando para a retomada, em 21 de maio 9 – Check Point sobre recuperação da hotelaria, em 7 de maio 10 – Check Point sobre a MP 963, em 13 de maio *não considera as visualizações nas redes sociais ou outros canais fora do YouTube

26

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


Mercado Rodrigo Vieira

QUILÔMETROS DE OPORTUNIDADES

O setor aéreo no Brasil dá os primeiros indícios de uma retomada que será reconhecidamente lenta, mas podem estar no asfalto as principais oportunidades aos agentes de viagens logo no reaquecimento do mercado. Na reta inicial, viajantes terão menor poder aquisitivo, e é quase unanimidade entre empresários e entidades como o Conselho Mundial de Turismo (WTTC), que o terreno da retomada será via viagens domésticas e regionais. Quem também reforça a importância dos ônibus para o pós-pandemia é o ministro do Turismo. No fim de maio, Marcelo Álvaro Antônio afirmou que trabalha em um plano de retomada que prevê, entre outras ações, o incentivo e a valorização do Turismo rodoviário e a integração dos modais de transporte. “Os brasileiros vão valorizar cada vez mais nossos destinos durante a retomada da atividade e queremos oferecer todas as condições para que isso ocorra da melhor

forma”, apontou o ministro. De fato, os números do rodoviário não podem ser ignorados. A empresa de tecnologia para o setor e plataforma de venda de bilhetes ClickBus aponta que R$ 15 bilhões são movimentados anualmente em venda de passagens de ônibus no Brasil, montante do qual a maior parte, R$ 13,5 bilhões, ainda é representada pela venda no guichê, diretamente no terminal. Ou seja, oportunidade é o que não falta. Em 2019 o setor rodoviário transportou 70% mais brasileiros do que o aéreo. Foram 160 milhões de passagens emitidas. “E este número deverá ser maior no futuro, depois da retomada. O setor rodoviário e nossa plataforma vinham em uma curva ascendente muito favorável nos últimos anos. Existe muita oportunidade para o mercado de Turismo em se tratando de rodoviário”, afirma o head de Parcerias da ClickBus, Marcel Bianchi, participante da 17 a 23 de junho de 2020 — PANROTAS

27


live Trocando Ideia, no Portal PANROTAS, na semana passada. “Na retomada, quando se fala em doméstico, temos a oportunidade de protagonismo”, continua Bianchi, que também é membro do Conselho de Turismo da FecomercioSP. “Haverá também oportunidades para viagens entre cidades vizinhas e o litoral, que deverão potencializar o negócio. Esse é um mercado que movimenta bilhões de reais anualmente, mas a grande maioria dos passageiros ainda compra bilhete no guichê da rodoviárias. O agente de viagens pode ter um papel mais importante como intermediário. É possível fazer tanta receita no rodoviário quanto no doméstico”, complementou. Custos operacionais maiores, fronteiras e aeroportos fechados e a frieza na demanda são alguns dos principais fatores que farão a recuperação do aéreo ser mais lenta do que as viagens por terra. CONSOLIDADORAS A ClickBus está sentindo uma alta na demanda das operadoras de viagens pelos seus serviços, cientes de que as estradas conduzirão a retomada. Entretanto, não é de hoje que a ClickBus trabalha próxima do trade. Essa aproximação ganhou tração em 2018, e a integração com RexturAdvance, Flytour Gapnet, Tyller, BRT, SkyTeam, Ancoradouro, entre outras, é prova disso. As consolidadoras aéreas já deixaram de ser “só aéreas” há alguns anos, e dentre as opções auxiliares está o ro-

Marcel Bianchi, head de Parcerias da ClickBus

doviário fornecido pela ClickBus. Ou no caso das operadoras CVC, E-HTL e VaiVoando, que também contam, em seus sistemas, com uma aba exclusiva para a compra de tíquetes de mais de 50 viações e cerca de 80% das cidades brasileiras disponíveis. Resumindo: todo o portfólio ClickBus. “Temos uma aba em vários parceiros importantes do mercado, inclusive com a plataforma Wooba, que integra consolidadoras e agências”, afirma Bianchi. Não é por falta de oferta na prateleira, portanto, que o agente de viagens pode se queixar. Além disso, Bianchi ressalta que o simples fato de vender passagens rodoviárias em uma agência pode render outros negócios. “O produto na vitrine pode abrir um horizonte enorme, porque além da passagem o viajante pode sair com reserva em hotel, traslados, passeio e outros produtos que a agência comercializa”, exemplificou.

Márvio Mansur, da Flytour Gapnet

28

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


Por sua vez, a vitrine rodoviária para os agentes de viagens são as operadoras e consolidadoras. É claro que este é um terreno ainda pouco explorado pelas consolidadoras, e principalmente por isso o rodoviário vai para baixo do guarda-chuva dos executivos dedicados aos produtos terrestres e/ou auxiliares dessas empresas, mas de qualquer maneira a grande maioria das distribuidoras de viagens revela uma procura crescente pelos ônibus em suas plataformas e valoriza a receita auxiliar que deste produto é gerada. Ainda mais em tempos de crise, em que todo real é bem-vindo. “Apostamos na oferta variada de produtos no MaisFly. Os bilhetes rodoviários têm uma operação descomplicada e emissão on-line proporcionando ao agente de viagens uma importante oportunidade de receita. Temos uma equipe dedicada no Suporte aos Clientes nos produtos terrestres e prontos para ganhar em escala”, exemplifica o diretor da Flytour Gapnet, Márvio Mansur. Na Tyller, o rodoviário foi o primeiro produto não aéreo a ser inserido em seu portfólio, há seis anos, e no ano passado teve vendas relevantes. "Após a entrada da ClickBus a nossa produção de bilhetes rodoviários melhorou e conseguimos oferecer o produto com mais qualidade ao agente. No ano de 2019, por exemplo, a venda de rodoviário representou 20% da nossa venda terrestre, que inclui hotéis e seguro viagem. Na BRT, que vende rodoviário há pelo menos dez anos, mais de 25% das agências de

Marco Aurélio Di Ruzze, da BRT

Lucas Paci, da Tyller

viagens que compram regularmente o aéreo com a consolidadora paranaense também usam a plataforma de vendas rodoviárias. O vice-presidente do grupo, Marco Aurélio Di Ruzze, reconhece que devido ao tíquete médio, o modal não é tão impactante em volume de vendas, mas ele reforça a importância de oferecer um portfólio diverso. Não obstante, Di Ruzze acredita que o rodoviário pode, sim, ser um importante ator na retomada. "A diversidade de produtos ao alcance das agências de viagens, aliada à capacidade e competência dos agentes, são motor e combustível para a retomada. Creio que há chances de aumento de share no mix de produtos. Afinal, rodoviário é um meio de transporte mais barato, muito confortável e muito abrangente em termos de malha", afirma. “Hoje tenho percebido que, proporcionalmente, o rodoviário é o segundo no ranking de melhor reação à retomada, perdendo apenas para hotelaria”, conclui o VP da BRT. A opinião do diretor comercial da Tyller, Lucas Paci, complementa a de Di Ruzze. “Se 17 a 23 de junho de 2020 — PANROTAS

29


levarmos em conta a situação econômica de todo o País durante e pós-pandemia e o custo benefício do rodoviário, a tendência é que os mercados corporativo e lazer busquem alternativas mais viáveis. Na Tyller, as vendas de rodoviário sempre foram voltadas ao corporativo, porém acreditamos que esse perfil possa mudar e passageiros a lazer migrem do aéreo para o rodoviário. De nossa parte a estratégia é sempre entregar uma solução completa para o agente de viagens. Ônibus são mais uma importante parte nessa engrenagem.” A Ancoradouro também mostra que o rodoviário não tem volume de vendas tão significativo, mas vê a possibilidade de os ônibus embarcarem grande parte da demanda reprimida no "novo normal". Como afirma o presidente do grupo de Campinas (SP), Juarez Cintra Neto, "toda a cadeia de transportes terá uma demanda reprimida, que certamente se transformará em viagens assim que todos estiverem se sentindo seguros para retomar os deslocamentos, sejam corporativos ou de lazer". A Flytour Gapnet vende bilhetes de ônibus principalmente para clientes corporativos

Juarez Cintra Neto, da Ancoradouro

em viagens de distância curta e também vê como tendência o aumento da procura pelo modal, mas Márvio Mansur vê ressalvas. "Estamos em um período de aprendizado no comportamento dos viajantes. As pessoas irão reagir de formas diferentes no convívio com os protocolos de segurança. Há de se considerar no ônibus menos pessoas a bordo e menor tempo de espera antes do embarque. Sempre falamos das oportunidades de vendas, mas jamais podemos nos distanciar da realidade de que nosso segmento, seja qual for o modal, exerce uma função social importantíssima. Nós, agentes de viagens, somos parte fundamental desse sistema.” Outro exemplo que ilustra a aposta no setor é a página que a RexturAdvance lançou na semana passada para falar exclusivamente sobre o setor rodoviário: https://www.rexturadvance.com.br/onibus/. OPERADORAS Rodoviário está presenta também na prateleira das operadoras, claro. Em agosto de 2019, a CVC Corp anunciou que, com a ClickBus, ampliou a oferta de ônibus. Por meio do diretor de Produtos Terrestres da empresa, Claiton Armelin, a empresa lançou os produtos RodoFácil e RodoCharter, que atingem mais de cinco mil municípios, com mais de 140 empresas rodoviárias e, no caso do RodoCharter, com ônibus fretados pela própria CVC. O objetivo da CVC é intensificar a interiorização das vendas e chegar à porta da casa

Claiton Armelin, da CVC

30

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


4

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


Flávio Louro, da E-HTL

do passageiro, transportando o cliente de sua cidade até o destino. Viagens ao Sul do Brasil, em destinos como Balneário Camboriú (SC) e Joinville (SC), com visita à Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, foram os produtos anunciados com o lançamento, no ano passado. Na retomada pós-pandemia a parceria virá a calhar. “O rodoviário para fretamentos, que são as excursões que a CVC já possui há muitos anos, já estava em crescimento. Hoje os ônibus são muito confortáveis e o custobenefício é muito bom para o nosso cliente. Quando vendemos, incluímos hotel, passeios, guia acompanhante etc.”, explica Armelin. Segundo ele, após a criação do RodoFácil e RodoCharter a venda do tíquete rodoviário na CVC Lazer foi fortemente impactada. “Por exemplo, o cliente que mora em uma cidade que está muito longe de um aeroporto, pode optar por trocar o avião pelo ônibus, porque a rodoviária sim está mais próxima a ele. Esse cliente, além de comprar o bilhete rodoviário, pode adquirir outros serviços, como hotelaria. Temos também o serviço de apoio da rodoviária até o hotel, enfim, é um circuito normal de excursão, mas com ônibus em vez de avião. Aliado ao custo-benefício, essa é uma das tendências para o período pós-covid-19.” Mas não sem protocolos. Armelin considera fundamental ficar de olho nas transportadoras para ver as medidas de biossegurança adotadas. “É sobre isso que nós estamos falando com as transportadoras, para que elas, em conjunto com o gover32

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020

no e com o próprio Ministério do Turismo, criem um protocolo para que os clientes se sintam seguros. Partindo disso, acredito que a retomada do rodoviário, seja em excursões fechadas ou em pacotes montados a partir da compra do bilhete rodoviário, vai ser muito forte, principalmente a partir da temporada de verão”, conclui Armelin. A E-HTL também é apontada pela ClickBus como uma das principais parceiras entre as operadoras. Especializada em hotéis, a empresa de Flávio Louro, que também acredita no início da retomada pelo doméstico, aponta uma grande relevância do setor. “O rodoviário atende grande demanda de pessoas que viajam por alguma necessidade específica, a lazer ou negócios. Nossas vendas de rodoviário são ótimas”, afirma Louro. “Existe uma grande tendência de procura por ônibus na retomada, principalmente pensando na relação custo x benefício. Com certeza esse será o pontapé inicial do reaquecimento do mercado.” ARGUMENTOS DE VENDAS Entre as dicas dadas por Marcel Bianchi, da ClickBus, para os agentes de viagens oferecerem a venda de ônibus, está a evolução na experiência do passageiro. Em outras palavras, ele afirma que é preciso desmistificar a ideia de que pegar ônibus no Brasil é sinônimo de "perrengue". "A tecnologia está presente em todas as etapas de uma viagem rodoviária, desde a compra da passagem até durante a viagem. Grande parte das companhias dispõe


4

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


de wi-fi a bordo, entrada USB para dispositivos móveis, entre outros confortos", afirma Bianchi. Novidade ainda recente em alguns Estados do País, o QR Code para embarque direto nos ônibus, como no setor aéreo, é outra facilidade. “O e-ticket é uma ferramenta que vem para facilitar a viagem de uma pessoa, que pode realizar a compra a caminho da rodoviária." Ele diz que o Brasil é referência em experiência rodoviária. “Houve uma evolução muito grande na questão do conforto. Hoje, os ônibus possuem poltronas que reclinam até 180 graus, o que possibilita, por exemplo, se fazer uma viagem longa. Empresas internacionais vêm ao Brasil aprender nossa maneira de li-

dar com o setor rodoviário. Isso sem contar que os próprios terminais vêm investindo em segurança, conforto e limpeza de seus espaços. Em termos de experiência somos muito avançados”, afirmou. Marcel Bianchi também deu dicas para um agente de viagens vender o transporte rodoviário. Para ele, alguns argumentos são fundamentais nesse processo. “O transporte rodoviário não sofre tanto na operação, a respeito das interferências climáticas, diferente do aéreo”, disse. O bagageiro, sem os limites rigorosos do aéreo, também é outro atrativo. “Além disso, as operações são mais facilmente adaptadas”, afirmou. E-mail: marcel.bianchi@clickbus.com

BIOSSEGURANÇA RODOVIÁRIA "Queremos que o passageiro se sinta seguro ao retomar a agenda de viagens para realizar seus deslocamentos necessários de trabalho, estudo, especialmente os clientes que trabalham em serviços essenciais", esclarece a conselheira da Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati), Letícia Pineschi. Segundo Letícia, nas garagens, a cada viagem os ônibus são higienizados por dentro e por fora. A limpeza interna é feita em todas as superfícies. Nos banheiros, o descarte de dejetos segue normas sanitárias rígidas e os reservatórios de água e sabão estão sempre abastecidos. Os dutos de ar condicionado também são limpos e trocados periodicamente. Para reforçar as medidas de higienização e dar maior segurança a colaboradores e passageiros, na proteção contra o vírus, as empresas

disponibilizam álcool em gel para funcionários e clientes e estimulam o uso dos equipamentos de proteção individual para motoristas e pessoal de atendimento presencial ao passageiro. As empresas também vêm estimulando o uso de máscaras de pano. Também fazem monitoramento constante da equipe para evitar o contágio, orientando para o uso de máscaras caseiras, que geram menos impacto ao meio ambiente. "Todos esses cuidados demonstram o quanto a segurança e a confiança dos passageiros são importantes para o retorno gradual à vida normal", reforça a conselheira da Abrati. Para garantir o acesso às viagens neste momento de crise até o retorno à rotina normal, as empresas estão promovendo a adequação dos preços das passagens à realidade da renda do mercado consumidor. n

34

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


4

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020


4

PANROTAS — 17 a 23 de junho de 2020

Profile for PANROTAS Editora

PANROTAS 1.427  

Duas décadas de notícias, serviços e conteúdo exclusivo para o profissional da indústria de Viagens e Turismo

PANROTAS 1.427  

Duas décadas de notícias, serviços e conteúdo exclusivo para o profissional da indústria de Viagens e Turismo

Profile for panrotas