Page 1

2019 Junho 390

1


Notícias do Mar

Economia do Mar

Porto de Sines na Nova Relação

Portugal-China

Ministra do Mar defende o Porto de Sines como peça-chave para uma nova era da relação Portugal-China, com integração do nosso País na Nova Rota da Seda.

F

Porto de Sines 2

2019 Junho 390

oi no passado dia 22 de Maio, durante a conferência “Objectivos e Ideais Comuns: 40 Anos de Cooperação entre Portugal e China”, que se realzou no ISEG, Instituto Superior de Economia e Gestão, da Universidade de Lisboa, que a Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, disse que o Porto de Sines é encarado como peça-chave» da nova relação comercial entre China e Portugal A conferência teve como principal objectivo traçar a retrospectiva da relação entre Portugal e China ao longo das últimas quatro décadas, e também perspetivar novas formas de cooperação entre os dois países, nomeadamente no âmbito do mega-


Notícias do Mar

A nova Rota da Seda

Terminal XXI no Porto de Sines projeto chinês Faixa e Rota (Belt and Road Initiative), que está a criar uma Nova Rota da Seda. Portugal vai integrar a Nova Rota da Seda Ana Paula Vitorino, nesta Conferência, salientou precisamente as oportunidades de cooperação actual e as futuras, defendendo mesmo que o Porto de Sines, principalmente com o futuro terminal de contentores Vasco da Gama a funcionar, poderá vir a ser um elemento chave na relação entre Portugal e China, inserindo Portugal na Rota Marítima da Seda. O Terminal Vasco da Gama, cujo concurso público internacional será lançado em breve, já despertou o

interesse chinês, como se comprovou uma vez mais, na passada sexta-feira dia 17 de Maio o Ministro dos Recursos Naturais da República Popular da China, Lu

Hau, acompanhado por Ana Paula Vitorino, fez questão de visitar o Porto de Sines para conhecer melhor todos os detalhes do projecto e a sua futura localização. Há

cerca de um ano, em Junho de 2018, tinha sido a Ministra do Mar a deslocar-se a Xangai onde foi recebida na sede da COSCO Shipping e da SIPG - Shanghai

Conferência “Objectivos e Ideais Comuns 40 Anos de Cooperação entre Portugal e China” 2019 Junho 390

3


Notícias do Mar

Ministro das Alfândegas da República Popular da China a visitar Sines International Port Group, dois dos maiores operadores de terminais portuários do mundo, para falar precisamente do futuro Terminal

Vasco da Gama. Futuro terminal Vasco da Gama apontado

na ligação com a China O interesse internacional que está a despertar o projecto do novo terminal de

contentores Vasco da Gama, deve-se porque juntamente com Terminal XXI, que é o maior em produtividade portuária nacional, ambos farão

Terminal Vasco da Gama 4

2019 Junho 390


Notícias do Mar

do porto de Sines, nas próximas décadas, uma potência europeia ainda maior no segmento das cargas contentorizadas Ana Paula Vitorino defendeu “Nesta fase de arranque da iniciativa, a maior parte do investimento tem sido concentrado no desenvolvimento do gap infraestrutural e logístico na conetividade comercial entre os países, na construção de estradas, ferrovia, produção e transporte de energia, e portos. Neste contexto, sendo Portugal e China países parceiros há vários séculos, é natural que o Portugal faça parte integrante da Nova Rota da Seda, na sua dimensão marítima”, recordando ainda “que a nível portuário as empresas chinesas poderão encontrar outras oportunidades de investimento também em portos como Leixões – onde será construído um novo terminal de contentores – ou Lisboa”. A Ministra do Mar salientou ainda que “Portugal e China assinaram a 5 de dezembro de 2018 um memorando de entendimento visando a cooperação na Nova Rota da Seda, durante a visita a Portugal do Presidente Xi Jinping», e antes, em 3 de novembro de 2017, «Portugal e a China firmaram uma Parceria Azul já fazendo alusão às potencialidades de sinergia económica, científica, comercial e de inovação entre a economia do mar e a Nova Rota da Seda Marítima”.

MSC Livorno em Sines

A nova Rota da Seda A nova Rota da Seda chama-se OBOR, ou seja, “One Belt, One, Road”, pois visa desenvolver a antiga estrada dos mercadores medievais que através da Turquia, 2019 Junho 390

5


Notícias do Mar

Portacontentores das maiores companhias MSC e COSCO carregando com animais e sofrendo constantes assaltos, uniam Pequim com a Europa. Este projecto do presidente chinês Xi Jinping é antigo mas começou a ser impulsionado pelos chineses há quatro anos e a chegada de Donald Trump à presidência dos EUA deu-lhe um impulso, porque este come-

çou por deixar o acordo de comércio trans-pacífico que engloba os países do Pacífico, e agora a China preparase para liderar o crescimento global. O projecto OBOR é uma rede moderna de comboios e estradas que ligará Pequim à Europa, unindo os dois continentes. Esta ligação será melhorada também

com as infraestruturas de uma rede de portos e aeroportos da China à Europa. Foi este mega projecto que 28 chefes de estado acabaram de aprovar em Pequim, e no qual 900 mil milhões de euros serão investidos nos próximos anos. A China precisa de assumir.esta liderança, porque o crescimento chinês en-

fraqueceu nos últimos anos e esta nova Rota da Seda envolverá mais de 60 países na Ásia, Médio Oriente, Europa e África. A ideia é melhorar as infraestruturas de comunicação existentes ou construir novas, ao longo do imenso canal comercial que se vai desenvolver. Isso permitirá também acelerar o tráfego marítimo aumentando o volume de negócios proveniente da China O investimento é da China que já lançou o Fundo Strip and Route, que começa por contar com 36.000 milhões de euros. Mas como é preciso investir em infraestruturas, receberá 90 mil milhões de euros.do Banco de Investimento Asiático, que é dirigido por 57 países. Como o projecto também interessa ao BRICS - Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul - 134 mil milhões de euros virão do Novo Banco de Desenvolvimento do BRICS. Finalmente, o Banco de Desenvolvimento da China e o Banco Exim contribuirão com 358 mil milhões.

COSCO Shipping Universe 6

2019 Junho 390


2019 Junho 390

7


Notícias do Mar

Economia do Mar

Portugal e mais Treze Países Procuram Soluções Globais Para os Oceanos

Painel de Alto Nível para uma Economia Sustentável dos Oceanos Em coordenação com a ONU, nos passados dias 27 e 28 de Maio, Lisboa acolheu a reunião do Painel de Alto Nível para uma Economia Sustentável dos Oceanos (High Level Panel for a Sustainable Ocean Economy), iniciativa na qual o nosso país esteve representado pela Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino.

N

Costa Vicentina, praia do Amado 8

2019 Junho 390

este Painel de Alto Nível, Portugal trabalha os grandes temas dos Oceanos em conjunto com outros 13 países – Austrália, Canadá, Chile, Fiji, Gana, Indonésia, Jamaica, Japão, Quénia, México, Namíbia, Noruega e Palau – contando ainda com a Organização das Nações Unidas (ONU) como parceiro próximo e ativo. De resto, as conclusões dos trabalhos serão entregues à ONU, tornando verdadeiramente globais as soluções encontradas para os grandes desafios dos Oceanos. O Painel de Alto Nível reúne líderes mundiais - a Ministra do Mar é o “Sher-


Notícias do Mar

pa” (representante oficial) do Primeiro Ministro António Costa - que reconhecem que a vertente económica e a vertente da proteção ambiental dos oceanos devem caminhar lado a lado, de forma a “produzir, proteger e prosperar”. A iniciativa junta governantes na procura de soluções reais, inovadoras e pragmáticas para a saúde e riqueza dos Oceanos, sempre debaixo do chapéu dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, nomeadamente o ODS 14 (Proteger a Vida Marinha:https://www.ods.pt/ objectivos/14-oceanos-mares-e-recursos-marinhos/). A sobrepesca, a poluição marinha (nomeadamente poluição provocada por atividades marítimas como o shipping) e as mudanças climáticas são alguns dos temas chave para os quais este Painel de Alto Nível procura respostas e soluções. Mais informações sobre o Painel de Alto Nível para uma Economia Sustentável dos Oceanos podem ser encontradas no seguinte weblink:  https://oceanpanel. org/

Ria Formosa

14 - Proteger a Vida Marinha Conservar e usar de forma sustentável os Oceanos, Mares e os Recursos Marinhos, para o desenvolvimento sustentável. - Até 2025, prevenir e reduzir significativamente a poluição marítima de todos os tipos, especialmente a que advém de atividades terrestres, incluindo detritos marinhos e a poluição por nutrientes. • Até 2020, gerir de forma sustentável e proteger os ecossistemas marinhos e costeiros para evitar impactos adversos significativos, inclusive através do reforço da sua capacidade de resiliência, e tomar medidas para 2019 Junho 390

9


Notícias do Mar

Bóia a assinalar uma rede de emalhar de fundo fundeada ilegalmente a sua restauração, a fim de assegurar oceanos saudáveis e produtivos. • Minimizar e enfrentar os impactos da acidificação dos oceanos, inclusive através do reforço da cooperação científica em todos os níveis. • Até 2020, regular, efetivamente, a extração de recursos, acabar com a sobrepesca e a pesca ilegal, não

reportada e não regulamentada e as práticas de pesca destrutivas, e implementar planos de gestão com base científica, para restaurar populações de peixes no menor período de tempo possível, pelo menos para níveis que possam produzir rendimento máximo sustentável, como determinado pelas suas características biológicas • Até 2020, conservar pelo

menos 10% das zonas costeiras e marinhas, de acordo com a legislação nacional e internacional, e com base na melhor informação científica disponível. • Até 2020, proibir certas formas de subsídios à pesca, que contribuem para a sobrecapacidade e a sobrepesca, e eliminar os subsídios que contribuam para a pesca ilegal, não reportada e não re-

Reduzir a poluição marítima de todos os tipos 10

2019 Junho 390

gulamentada, e abster-se de introduzir novos subsídios desse.tipo, reconhecendo que o tratamento especial e diferenciado adequado e eficaz para os países em desenvolvimento e os países menos desenvolvidos deve ser parte integrante da negociação sobre subsídios à pesca da Organização Mundial do Comércio. • Até 2030, aumentar os benefícios económicos para os pequenos Estados insulares em desenvolvimento e os países menos desenvolvidos, a partir do uso sustentável dos recursos marinhos, inclusive através de uma gestão sustentável da pesca, aquicultura e turismo. • Aumentar o conhecimento científico, desenvolver capacidades de investigação e transferir tecnologia marinha, tendo em conta os critérios e orientações sobre a Transferência de Tecnologia Marinha da Comissão Oceanográfica Intergovernamental, a fim de melhorar a saúde dos oceanos e aumentar a contribuição da biodiversidade marinha para o desenvolvimento dos países em desenvolvimento, em particular os pequenos Estados insulares em desenvolvimento e os países menos desenvolvidos. • Proporcionar o acesso dos pescadores artesanais de pequena escala aos recursos marinhos e mercados. • Assegurar a conservação e o uso sustentável dos oceanos e seus recursos pela implementação do direito internacional, como refletido na UNCLOS [Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar], que determina o enquadramento legal para a conservação e utilização sustentável dos oceanos e dos seus recursos, conforme registrado no parágrafo 158 do “Futuro Que Queremos”


2019 Junho 390

11


Notícias do Mar

Notícias da Brigada do Mar

Brigada do Mar Limpa 45 km de Praia na Costa Alentejana

A Brigada do Mar, associação ambiental que descontamina e limpa praias, organizou uma grande acção de limpeza entre os dias 1 e 18 de Maio, entre Melides e Tróia.

N

uma extensão de 45 quilómetros de costa, mais de 300 voluntários retiraram do areal lixo marinho e resíduos perigosos, Este ano, Numa extensão de 45 quilómetros de costa, mais de 300 voluntários da Brigada do Mar retiraram do areal lixo marinho e resíduos perigosos, reuniram, triaram e separaram por categorias todos os resíduos recolhidos, com o objetivo de analisar de forma mais concreta o tipo de lixo, a sua volumetria, encaminhando para o circuito de reciclagem e tratamento 12

2019 Junho 390


Notícias do Mar

cerca de 20 toneladas. Posteriormente foram apresentados resultados e debatidas soluções. Esta grande acção anual é organizada pela Brigada do Mar há onze anos e tem como objectivos a recuperação do sistema dunar e a protecção da orla costeira. Sob o

lema “indignação com acção”, a associação já limpou em Portugal mais de 600 km lineares de costa, retirou mais de 550 toneladas de lixo do areal e com ela colaboraram mais de mais de 6.000 voluntários, em mais de 200 dias efectivos de iniciativas de limpeza e sensibilização.

2019 Junho 390

13


Notícias do Mar

que desde 2009 desenvolve acções de protecção da biodiversidade e de intervenção ambiental, com especial foco na descontaminação e limpeza de praias da orla marítima portuguesa fora das áreas concessionadas. Este projecto recolhe ainda resíduos perigosos, tais como: comprimidos, electrodomésticos em decomposição, líquidos corrosivos, bidões de óleo, material sanitário, seringas e cadáveres de animais que põem em causa a saúde pública. Desde 2014 que as acções promovidas pela Brigada do Mar têm o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República. Programa da 11ª Edição - Limpeza de Praias da Costa de Grândola Dia 1 a 3 maio – Preparação e recolha de grandes volumes Dia 4 a 12 de maio: limpeza das praias da costa de Grândola (45 Km)  Dia 13 a 17 de maio: triagem do lixo recolhido

14

2019 Junho 390

(campo da Feira de Melides) Dia 18 de maio – (11h às 16h): divulgação de resultados, apresentação de documento de recomendações, networking e debates informais.   Sobre a Brigada do Mar A Brigada do Mar é uma associação de voluntários


2019 Junho 390

15


Náutica Texto e Fotografia Antero dos Santos

Teste Isonáutica 480 Open com Suzuki DF60A

Para a iniciação, Parceria com Alto Desempenho

Testámos em Aveiro o Isonáutica 480 Open, equipado com o Motor Suzuki DF60A, que formam uma notável parceria, com elevado desempenho em performances e segurança.

O

Consola para condução de pé 16

2019 Junho 390

estaleiro Isonáutica de Aveiro, projectou e constrói uma gama de embarcações dirigida aos pecadores lúdicos, praticantes de desportos aquáticos e actividades náuticas de recreio. A gama Isonáutica é constituída pelos seguintes modelos: Sport Cruiser 560, 570 Açor, 550 Master e 480 Open e todos os modelos possuem uma linha estética semelhante e elegante, com a proa ligeiramente elevada e o casco do tipo marinheiro, com um V bastante acentuado desde a proa,


Náutica

O Isonáutica 480 Open tem um ângulo muito marcado à popa

Isonáutica 480 Open

terminando bem marcado à popa. Os planos de estabilidade laterais são salientes e o casco comporta ainda dois robaletes de cada lado. Devido às caracterís-

ticas do casco, com um ângulo muito marcado à popa, os barcos cortam a água sem bater atrás e oferecem uma navegação com muito conforto. Os planos de estabilidade la-

terais têm a saliência suficiente para manter o barco direito no arranque e a navegar, não adornando demasiado nas curvas, sempre muito seguros. Salientamos o excelen-

Foram excelentes as performances do Isonáutica 480 Open 2019 Junho 390

17


Náutica

Isonáutica 480 Open equipado com o Suzuki DF60A.

te acabamento dos barcos e para uma utilização polivalente, existe um grande gama de acessórios standard e opcionais,

Isonáutica 480 Open Em virtude do seu amplo espaço no interior e a forma como está equipado,

o 480 Open, com 4,80 metros de comprimento e a lotação de 5 pessoas, parece um barco maior. Tem a vantagem

Casco do tipo marinheiro, com um V bastante acentuado desde a proa 18

2019 Junho 390

de ser muito polivalente e oferecer com facilidade tanto o uso na pesca lúdica, como no recreio para os passeios familiares e é um excelente e seguro barco para iniciação. O piloto tem o apoio de uma consola de condução central alta que incorpora um pequeno pára-brisas, adequada à condução de pé. Quando se quiser sentar, o piloto dispõe de um assento individual. O poço está bem equipado para os pescadores. Na popa existem compartimentos onde se pode montar um viveiro de isco vivo, caixa para o peixe, ou servir de assentos. Na face superior do assento da popa, existem dois lavatórios que depois se lavam com mangueira.para


2019 Junho 390

19


Nรกutica

Posto de comando 20

2019 Junho 390


Náutica

preparação dos iscos, Os pescadores podem montar os porta canas no varandim da popa. Junto à proa existe um compartimento com tampa para arrumar palamenta que serve também de assento. O Isonáutica 480 Open tem bastante espaço para as arrumações, pois pode guardar palamenta no compartimento à proa, sob o assento da popa ou dentro da consola. O ferro guarda-se num porão à proa onde existe uma roldana e dois cunhos de amarração.

Graças ao casco é muito seguro a curvar

Seguro com altas performances Foram excelentes as performances do Isonáutica 480 Open equipado com o Suzuki DF60A. No teste do arranque, em 1,66 segundos o 480 Open já planava. Quando testámos a aceleração, até às 5500 rpm, o barco atingiu 20,5

Banco do piloto

Suzuki DF60A

O

motor fora de borda DF60A tem um bloco com 941 cm3 de cilindrada, com 3 cilindros em linha, 12 válvulas DOHC e o peso de 102 Kg. Os motores fora de borda de alta-performance de 3 cilindros Suzuki combinam a Injeção de combustível electrónica sequencial multi-ponto. com o novo sistema de LEAN BURN da Suzuki, de modo a fornecer energia de alta tecnolgia e desempenho, juntamente com uma economia de combustível de nível superior. O DF60A ocupa o primeiro lugar na sua categoria, tamto pelo seu tamanho compacto como pelo seu peso leve. Foi o primeiro da sua classe a ser equipado com uma corrente de distribuição banhada em óleo, autoajustável e livre de manutenção. Outras carcterísticas incluem um sistema contínuo de monotoização do TILT e um grande alternador com capacidade de 19A Outras Tecnologias: - Sistema de arranque facilitado Suzuki. - Ignição directa. - Cambota forjada inteiriça. - Sistema de auto-diagnóstico. - Sistema de ignição totalmente transistorizado. - Sistema de aviso de mudança de óleo. - Controlo do ar do ralenti. - Colector de admissão de longo curso. - Separadpr de vapor/bomba de combustível separado a água. - Câmara deflectora de 3 fases e escape Thru-Hub. - Tilt assistido por gás (DF60AQH) - Bujão do dreno do óleo de fácil acesso. - Padrões RCD (EO1). - CARB 3 estrelas: Emissões ultra-baixas (EO3). - 2 terminais de lavagem com água fresca - Sistema anti-corrosão Suzuki. - Sistema Troll Mode Suzuki.(opcional) - Leme Muli-funções ((DF60ATH/60AQH

2019 Junho 390

21


Náutica

O Isonáutica 480 Open é muito confortável a navegar

nós em apenas 7,31 segundos. Esta é a aceleração adequada para os que quiserem fazer ski. Consoante os planos de água, com mar agitado ou liso, podemos fazer as velocidades de cruzeiro de 18,7 nós às 4.500 rpm, ou de 12,3 nós às 4.000 rpm, dentro da faixa económica do motor Quanto à velocidade máxima, atingimos 29,4 nós às 6.100 rpm, que consideramos uma boa performance com o barco bem estável e seguro.

No que respeita ao desempenho, o Isonáutica 480 Open, graças ao casco, é um barco de boa manobra, muito seguro a curvar e confortável a navegar. Podemos concluir, que o Isonáutica 480 Open com o Suzuki DF60A,formam uma parceria notável, com um excelente desempenho e um preço bastante económico de 18.591 € C/IVA, uma boa oportunidade para ser o primeiro barco de quem se queira iniciar.

Viveiro para isco vivo 22

2019 Junho 390

Performances Arranque

1,66 seg

Aceleração 5000 rpm

20,5 nós em 7,31seg às 5500 rpm

Velocidade cruzeiro

12,3 nós às 4000 rpm 18,7 nós às 4500 rpm

Velocidade máxima

29,4 nós às 6100 rpm

Mínimo a planar

9 nós às 3500 rpm

3500 rpm

9 nós

4000 rpm

12,3 nós

4500 rpm

18,7 nós

5000 rpm

20,5 nós

5500 rpm

23,8 nós

6000 rpm

27.5 nós

6100 rpm

29, 4 nós

Características Técnicas Comprimento

4,80 m

Boca

2,10 m

Massa s/motor

420 Kg

Deslocamento

970 Kg

Calado

0,20 m

Lotação

5

Carga máxima

460 Kg

Categoria CE

C

Potência máxima

70 HP

Motor em teste

60 HP

Preço barco/motor

18.591 € C/IVA

Estaleiro / Importador ISONÁUTICA Edificio Nautica Argus Estrada Nacional 109, 3800-533, Cacia, Aveiro - Portugal Telefone: 916 011 329, isonautica@sapo.pt MOTEO Portugal, SA Rua João Francisco do Casal, S/N, 3800-264 Aveiro Tel: 234300760, geral@veiculoscasal.pt - http://www.suzuki.pt


2019 Junho 390

23


Electrónica

Notícias Nautel

A Seastar lançou uma geração dos seus “JackPlates”. Um “jackplate” é um suporte de montagem especialmente projetado para um motor fora de bordo, à popa, que permite elevar ou baixar o motor verticalmente. Ou seja, posiciona-se o motor no painel de popa no ponto onde ele tenha uma prestação otimizada para determinados objetivos.

E

sta nova gama vem permitir o uso com motores até 400Cv, tem melhor acesso lateral aos parafusos de fixação do motor, aos parafu-

24

2019 Junho 390

sos no painel de popa, maior facilidade de colocação do “SmartStick” nas instalações de ProTap, e têm menor peso. Aqui estão quatro razões

muito boas, sobre o que um “jackplate” pode melhorar na sua embarcação: Embarcação passa a ter maior velocidade, navega com mais segurança em águas de muito baixa profundidade, facilita a pilotagem ou manobras, e o seu uso resulta em economia de combustível. Estilo, controlo e e funcionalidade…O simples de instalar o sistema de controlo eletrónico i7800 substitui o sistema de controle mecânico existente, de caixa de comado convencionais. Porquê “lutar” com os controlos mecânicos quando se pode ter os benefí-

cios dos controles eletrônicos por uma fração do custo de um novo motor. O movimento suave dos controles eletrônicos permite muito maior manuseio do acelerador e uma transição fluida entre engrenagens. Isso traduz-se num melhor controlo da embarcação, em todas as aplicações que vão desde a pesca desportiva à navegação de cruzeiro. Fica também a capacidade de sincronizar os motores e controlar com uma alavanca incrivelmente útil. Este recurso aprimora a experiência de navegação, facilitando o comando da embarcação, independentemente da velocidade. Não disponível em versões para motores “inboard”, “outboard”, e de coluna (IO). Suporta até 3 estações. Modo “trolling” integrado.


Electrónica

www.nautel.pt

Soluções de GPS real com precisão para Smartphones e Tablets

Dada a crescente importância na sociedade, dos smartphones e tablets, seja para o lazer ou para aplicações profissionais esta nova marca da Nautel vem trazer um conjunto de soluções de vanguarda e utilidade.

A

componente de GPS muitas vezes existente neste tipo de dispositivos não é um real sensor de GPS, não tem precisão, e quando usado consome energia do dispositivo (ao contrário destes que têm a sua própria bateria) e podem ser também soluções posicionamento por triangulação das bases de 3G/4G, consumindo pacotes de dados. Adaptador GPS para Produtos APPLE GPS for LIGHTNING O Adaptador GPS da Bad Elf é um pequeno dispositivo que se liga a um equipamento da Apple pela porta de energia, e que assim lhe vai fornecer posicionamento GPS com uma precisão de 2,5m, mesmo a velocidades (e altitudes) superiores

às atingidas pelos aviões comerciais. Uma vez que o posicionamento fica disponível em iOS é possível utilizar todo o conjunto de aplicações disponíveis da App Store para os setores de Navegação Marítima, Aérea, Marítima e Terrestre. É, portanto, um potente, fiável e descomplicado equipamento de navegação. No ambiente marítimo pode ser usado com as aplcações da Navionics, a nova

da C-MAP EMBARK, a da Maxsea TimeZero Navigator e muitas outras mais. GPS PRO+ O GPS PRO+ é um dispositivo impermeável e resistente a quedas que cabe na palma da mão. Conta com um ecrã LCD com retroiluminação e difunde a posição por Bluetooth para dispositivos

Android e iOS num raio de 10m. O facto de ser compatível com as aplicações da Google Play e da App Store aliado a uma bateria de boa duração e a uma precisão de 2,5m que se mantém mesmo a velocidades e altitudes superiores às atingidas pelos aviões comerciais, torna-o numa solução com uma ótima relação qualidade-preço e que tem conquistado os consumidores. Este novo modelo acrescenta um recetor GLONASS a complementar o recetor GPS já existente e adiciona um altímetro barométrico que melhora a precisão das medições no plano vertical. Além disso permite o acesso à memória interna do equipamento diretamente pelo PC ou Mac, permite streaming por USB da posição atual do utilizador num formato NMEA e conta com melhorias em termos de bateria e de capacidade de armazenamento interno. Peso: 90 gramas. Dimensões: 76.5mm x 61.5mm x 17.5mm.

2019 Junho 390

25


Notícias do Mar

Notícias do Ministério do Mar

Aprovado Investimento de 3.250 Milhões no Porto de Pesca de Sesimbra

A Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, aprovou a candidatura da Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS) ao Programa MAR 2020 o investimento de 3.250.000 euros, para construção da ponte-cais n.º 4 do Porto de Pesca de Sesimbra.

O

projecto é da responsabilidade da APSS e constitui de uma beneficiação das condições de abrigo e segurança das embarcações

26

2019 Junho 390

de pesca que operam neste porto, procedendo à proteção da zona de estacionamento das embarcações, face às condições de agitação marítima.

Com um duplo objectivo, este projecto irá permitir melhorar igualmente o ordenamento do porto, separando, em definitivo, a área afecta às embarcações de pesca da área afecta às embarca-

ções de recreio. O lançamento do respectivo concurso de empreitada está previsto para ser realizado pela APSS já no início do próximo mês de Julho.


2019 Junho 390

27


Notícias do Mar

Tagus Vivan

Crónica Carlos Salgado

Com Blá, Blás e Outras Loas, Não Obrigado

E

m boa verdade, nos tempos que correm, em

28

2019 Junho 390

que se entrou na era dos populismos, há quem opte por, segundo apre-

goa, pugnar pelo Tejo apenas por meio de Blá, Blás, Loas, Quimeras e

outras Fantasias, que é o suficiente para atrair e alimentar a comunicação social de hoje, e o próprio ego, porque deste modo não é preciso fazer um trabalho aturado e sério, passo a passo, com discernimento e competência, para poder-se construir uma obra com rigor, consistente e profícua, enquanto nós cidadãos, os verdadeiros “Amigos do Tejo” (AAT + Tagus Vivan), que desde há mais de três décadas andamos por amor a ele, a construir uma obra bem alicerçada, que tem dado os seus frutos, e que continua e continuará em construção sem fim determinado. Como temos vindo a anunciar, para dar conti-


Notícias do Mar

nuidade ao Congresso do Tejo III, e na prossecução dos princípios da Carta de Lisboa, proclamada na sessão de encerramento do referido congresso, da qual fomos cossignatários, e com o desígnio de construir uma obra concreta e responsável, optamos por começar pelos alicerces, e nesse sentido o projeto encontra-se numa fase de consultas aos diferentes parceiros para fundamentar as bases de um futuro evento, supra congressos ou fóruns, capaz de incentivar por um lado ao debate sobre o Tejo com realismo e mais atualidade, frequência e regularidade, com a condição de ser aberto ao maior núme-

ro de parceiros, para ser implementado ao longo do corredor fluvial do nosso maior Rio, desde a fronteira até à foz, estando reservado às comunidades ribeirinhas e às respetivas Cims, um papel fulcral na sua promoção e materialização, que garanta uma larga participação cívica, porque pretende que ele consiga ser um verdadeiro encontro do Tejo com as suas gentes e vice-versa, onde o populismo, as falsas promessas e as fantasias ficam à porta. Bienal do Tejo Como este encontro pretende ser uma grande Festa, mas sendo uma festa não deixará de tra-

tar de coisas muito sérias, para ser celebrado de dois em dois anos, deverá ter o estatuto de uma BIENAL do TEJO. Prosseguindo com o relato da obra em construção que temos vindo a realizar paulatinamente desde há muito, e a divulgar neste jornal, como é sabido, a nossa praxis desde a primeira hora recusou optar por “tocar música de ouvido”, como diz o povo, por termos o cuidado e o rigor de previamente termos conhecimento de causa para poder fundamentar as nossas opiniões, pareceres, projetos e programas de ação com realismo e verdade, tivemos de estar regularmente no

terreno para acompanhar a evolução do estado do Tejo ao longo dos tempos, pelo que tivemos de efetuar numerosas viagens de reconhecimento, como o comprovam as imagens captadas durante algumas delas, quer por via fluvial, quer por via rodoviária e pedonal, com destaque para as viagens no Tejo desde a fronteira até à foz e também, pelo menos quatro, desde a nascente do Tejo até à fronteira, tendo aproveitado a última que foi extensiva até à foz, porque o “Tejo é maior que o pensamento”, para elaborar um Diário de Bordo ou Roteiro de Viagem, se preferirem, que está em preparação para ser divul-

2019 Junho 390

29


Notícias do Mar

gado em Livro. Fomo-nos mantendo também atualizados sobre o estado do Tejo e os seus pontos negativos e positivos através dos mais variados programas e projetos ao longo da nossa cruzada, de formação e treino da juventude, o Juventejo, e as demais atividades que têm vindo a ser relatadas neste Notícias do Mar, como Encontros, Cruzeiros do Tejo verdadeiros, com centenas de participantes durante quatro décadas, Sessões de Esclarecimento, Conferências, Work-shops, Congressos e Convívios, que foram igualmente preciosos meios de atualização do nosso conhecimento contínuo.

30

2019 Junho 390


Notícias do Mar

Como as Imagens não Mentem, mais Palavras para Quê? Caros Leitores e Amigos, a propósito do “Aviso à Navegação” que fizemos no início da presente crónica, julgamos de interesse para que uns recordem e outros conheçam, que procurem visualizar no YouTube os vídeos intitulados: “Congresso do Tejo III”, “Com a Alma no Tejo” e “Cruzeiro do Tejo Vivo e Vivido”, não como outro “folclórico” que anda por aí, a que chamam cruzeiro do Tejo também. Continua no próximo Notícias do Mar

2019 Junho 390

31


Notícias do Mar

Voo do Guarda-rios

Independência do Tejo Português, Já!...

O

GR sabe, e está hoje aos olhos de todos que, como o rio Tejo nasce na serra de Albarracim em Espanha, a nossa vizinha

32

2019 Junho 390

tem vindo a apropriar-se da sua água para os fins que bem entende, como se o rio fosse exclusivamente seu mas, em boa verdade, como o Tejo desagua no

oceano Atlântico em Portugal passa a ser um rio transnacional que deve, por direito, ser partilhado equitativamente pelos dois países que atravessa

o que, na realidade, não está a acontecer. O Projeto Tejo, que pode tornar o Tejo português revitalizado e autossuficiente, vai ter finalmente, em boa hora, a avaliação da sua viabilidade técnica pelo governo português. No Congresso do Tejo III o GR teve conhecimento de um novo projeto que pode contribuir para evitar que o Tejo nacional definhe mais e acabe por secar. Tratase do PROJECTO TEJO – Aproveitamento Hidráulico de Fins Múltiplos do Tejo e Oeste, designadamente: Combate à desertificação agrícola; Resposta às alterações climáticas; Controlo da cunha salina; Navegabilidade no Tejo; Desenvolvimento do Turismo; Controle das cheias; Extensão da área regada, que foi tornado público em fevereiro de 2008, e que ao cabo de várias apresentações públicas


Notícias do Mar

em contactos e fóruns com diversas entidades públicas e privadas, encontra-se hoje em formação a Associação + Tejo, para de uma forma mais institucional avançar mais no bom sentido, com a evolução do processo que quer pôr o Tejo no Mapa da Europa. Finalmente, segundo o ministro da Agricultura, Capoulas Santos, o concurso para o estudo da viabilidade deste projeto será lançado até ao dia 15 de maio do corrente ano, e só depois será decidido se recebe luz verde. Este grande projeto de rega estudado para cobrir uma área territorial de 300 mil hectares, que corresponde ao dobro do Alqueva, e pode abranger o Ribatejo, a Península de Setúbal e a Região do Oeste, prevê uma rede de aproveitamento hidráulico da água existente à superfície na bacia do Tejo, com funções múltiplas (turís-

ticas, agrícolas e ambientais e de criação de mais emprego) e que permite compatibilizar o antigo sonho da

navegabilidade do rio Tejo entre Lisboa e Abrantes, para transporte fluvial de mercadorias ligeiro, com açudes e

eclusas (insufláveis), controlo do leito do rio, de cheias e da salinidade da água da maré, rega agrícola, retoma

2019 Junho 390

33


Notícias do Mar

da atividade da pesca e da aquacultura, levando ainda água à região do Oeste, associando a isto a produção de energia renovável e garantindo reservas e capacidade de abastecimento de água também para os meios urbano e industrial. Navegar até Abrantes As barragens já existentes no vale do Tejo e afluentes da margem Norte, geridas pela EDP (Castelo de Bode, Bouçã, Cabril, St.ª Luzia, Pracana, Belver e Fratel), apresentam uma capacidade de armazenamento conjunta de 2.130 Mm3, muito superior ao necessário, situação que poderá, e deverá,

34

2019 Junho 390


Notícias do Mar

ser negociada no sentido do arranque imediato deste Projeto e da futura gestão integrada dos recursos. Por outro lado, este Projeto prevê a construção de novas barragens nos rios Ocreza (Alvito), Ponsul e outros, e de “açudes” com uma capacidade de armazenamento da ordem dos 700 Mm3, aos quais se poderão ainda somar 300 Mm3 das barragens de Montargil e Maranhão, num total de 1.000 Mm3. Todas as novas Barragens e Açudes serão equipados com turbinas para produção de eletricidade renovável, de modo a cobrir as necessidades energéticas das estações elevatórias previstas no Projeto Tejo.

A solução de distribuição passará pela construção de Açudes no Tejo, baixos (até 6 m), exceto o de Almourol que poderá apresentar uma altura de 10 a 12 m., rebatíveis, espaçados de 20 Km, sensivelmente, desde Vila Franca de Xira até Abrantes, equipados com eclusas, criando um plano de água contínuo e navegável até Belver. Os açudes serão, ainda, equipados com centrais mini-hídricas e escadas de peixe eficazes. Nas margens do rio serão instaladas, a espaços regulares, estações elevatórias que bombarão para as redes de rega dos blocos da Lezíria e para reservatórios nas Encostas, através de condu-

tas de adução. Os reservatórios serão equipados com estações elevatórias e redes de rega locais, solução que se aplica à generalidade do Vale do Tejo. A Região do Oeste terá um subsistema próprio, constituído por uma estação elevatória no Tejo e uma conduta adutora que porá a água na “passagem para Oeste”, na cumeada entre as serras de Montejunto e Candeeiros, com posterior distribuição por canal ou conduta gravítica para reservatórios locais. Daí partirão redes de rega, algumas gravíticas e outras associadas a estações elevatórias, para alimentação das parcelas. A Península de Setúbal,

caso venha a ser abastecida, terá também um sistema próprio, consubstanciado num Canal que, partindo dum Açude a instalar na Ponta de Erva, na confluência do Sorraia com o Tejo, desenvolver-se-à ao longo da margem esquerda pelo rio das Enguias até um reservatório a construir na base da barragem da Venda Velha, em rio Frio. Aí será instalada uma estação elevatória primária que bombará os caudais para 4 ou 5 reservatórios de regularização, a instalar noutros tantos blocos de rega equipados com estações elevatórias e redes de rega locais. Continua no próximo Notícias do Mar

2019 Junho 390

35


Notícias do Mar

O Tejo a Pé

O Caminho de Jacinto

Esta é a vista geral, Santa Cruz do Douro, onde o escritor está sepultado.

A

Como fez Eça, desde Aregos até Tormes somos conduzidos por bonitos e charmosos caminhos. 36

2019 Junho 390

ssim vagarosamente e maravilhados, chegamos aquela avenida de faias que sempre me encantara pela sua fidalga gravidade. (…) e ao fundo das faias, com efeito, aparecia o portão da quinta de Tormes, com o seu brasão de armas de secular granito, que o musgo retocava e mais envelhecia. in, A Cidade e as Serras, Eça de Queiroz Por esta altura do ano as caminhadas do Tejo a pé ficam comprometidas, o calor excessivo não é boa companhia, as férias, os santos populares…; apesar disto sempre “dizemos” o tempo está sempre bom, umas vezes está sol, outras chove, com ou sem vento. Uma viagem improvável levou-nos não ao Tejo mas

ao Douro. Andámos em Baião, terra de natureza, sobranceira ao Douro. Aqui, Eça, em a Cidade e as Serras, escreve O Caminho de Jacinto que liga a estação de Aregos à agora Fundação Eça de Queirós, a casa onde o escritor passou algum tempo da sua vida. Entre quintas, vinhedos, castanheiros e cerejeiras, este é um caminho que bem retrata a generalidade dos percursos pedonais em Portugal, encantadores. Apesar da beleza do caminho e de uma motivação histórico-cultural ímpar O Caminho de Jacinto é pouco percorrido. Salvo honrosas exceções é assim em Portugal. Aparentemente tem tudo para dar certo; tudo, incluindo a divulgação, a informação necessária, suficiente e de boa qualidade, mas há poucas pessoas


Notícias do Mar

Texto e Fotografia Carlos Cupeto (Universidade de Évora – Escola de Ciências e Tecnologia)

no caminho. Provavelmente daqui a alguns anos vai estar saturado de gente. A causa é basicamente a mesma de sempre, a mesma que justifica que os portugueses conduzam tão mal; cultura e atitude. Uma coisa é certa, a pé é a melhor forma de conhecer um lugar, uma cidade, um rio, uma serra, e é, sem dúvida, a forma de chegarmos mais longe. Apesar de tudo, há cada vez mais gente a andar, todavia muito poucos ainda. Há uma oferta de trilhos de grande qualidade por todo o país à espera. PS: O Tejo a pé é um grupo informal de amigos que se junta para andar. Para ser convidado basta enviar um mail: cupeto@uevora.pt

Quintas de rara beleza vão-nos acolhendo.

Chegados lá acima o chef António Queiroz Pinto recebe-nos com uma excelente ementa de inspiração queirosiana. 2019 Junho 390

37


Electrónica

Notícias Nautiradar

FLIR apresenta os Displays de Navegação Element S da Raymarine A FLIR Systems apresentou recentemente o Element S da Raymarine, uma nova série de displays de navegação para todo o tipo de embarcações.

A

ssentando no sucesso da Série Element HV da Raymarine, com sonda HyperVision, os modelos Element S possuem um ecrã visível em todas as condições meteorológicas, o desempenho mais rápido da sua categoria, operação simples e enquanto oferece uma navegação GPS inspiradora de confiança a navegadores que não querem ou precisam da capacidade ou despesa extra de uma sonda sofisticada. A Série Element S está disponível nos modelos de 7”, 9” e 12”, todos com ecrãs brilhantes de elevado contraste e 1.500 nit para uma visibilidade excecional.

38

2019 Junho 390

Um processador de 64-bit e quatro núcleos oferece uma velocidade sem paralelo, que resulta numa transição suave de página e menu e representações instantâneas de cartas. Enquanto companheiro fiável de navegação, o Element S possui um sensor integrado de GPS de 10Hz, rápido e fiável e suporta cargas de fabricantes líderes, incluindo as novas cartas LightHouse NCS da Raymarine, Navionics e CMAP. Os navegadores podem confiar no Element S para os auxiliarem em canais congestionados com uma maior consciência e confiança, utilizando a opcional antena de

Radar CHIRP Quantum sem fios da Raymarine ou um recetor de AIS. O Quantum oferece uma capacidade de radar de estado sólido galardoado e as sobreposições de AIS do Element identificam de forma inteligente os alvos em aproximação. Para além do radar e suporte AIS, os displays da Série Element S possuem conectividade NMEA 2000 para integração com pilotos automáticos e rádios de VHF com DSC, juntamente com a apresentação de instrumentação de navegação, dados de motor e informação do nível de tanque de combustível. O Element S permite a memorização até 5.000 waypoints em 200 grupos diferentes, mais ainda 50 rotas e registo de 15 trajetos. O Sistema Operativo do Element S – LightHouse Sport, foi desenhado para navegadores que valorizam a simplicidade e facilidade de utilização, apresentando

menus simples e controlos com teclas intuitivas para os ajudar a navegar rapidamente e a manter o rumo. Controlos dedicados por teclas mantêm o ecrã livre de dedadas. Menus dinâmicos tornam possível alterar definições ou personalizar cartas enquanto se visualiza a alteração no ecrã de navegação em tempo real. Adicionalmente, três teclas programáveis e de rápido acesso oferecem acesso instantâneo a funcionalidades favoritas e um botão “waypoint” de grandes dimensões permite uma marcação rápida e simples de áreas ou pontos de interesse. O robusto display Element S é suportado por uma garantia de 3 anos e já se encontra disponível. Para mais informações sobre este novo produto da Raymarine, por favor visite o site www.nautiradar.pt ou contacte através do 21 300 50 50.


Electrónica

Actisense lança dispositivo revolucionário de ligação Wi-Fi/N2K com armazenamento de dados A Actisense, especialista em eletrónica marítima, lançou o W2K-1 – o antecipado dispositivo NMEA 2000 com Wi-Fi e com tecnologia de registo de dados que possui a capacidade de gravar dados de navegação e de motor – uma característica que é completamente única no mercado.

T

ais como outros aparelhos no mercado, o W2K-1 pode transmitir dados NMEA 2000 através dos protocolos TCP e UDP e em simultâneo oferecer suporte para conversão NMEA 0183. No entanto, o que destaca o W2K-1 sobre a sua concorrência é o gravador de dados de viagem (VDR – Voyage Data Recorder). Isto significa que este aparelho tem a capacidade de registar uma grande variedade de dados da embarcação como posição, velocidade, rumo, profundidade, velocidade do vento e dados do motor. Nenhum outro produto no mercado pode afirmar ter estas duas características no mesmo aparelho. Todos os dados recebidos da embarcação são registados no cartão micro SD interno do dispositivo W2K-1, que pode armazenar até 16 dias de informação. Estes dados podem ser utilizados mais tarde para análise da viagem. Esta funcionalidade de registo pode ser benéfica para um amplo leque de aplicações. Por exemplo, proprietários de embarcações de competição podem analisar o desempenho da sua embarcação logo a seguir a uma prova, enquanto que, os proprietários de embarcações de recreio podem facilmente criar diários digitais de registos, diagnosticar problemas de

rede ou simplesmente partilhar a sua viagem online. Phil Whitehurst, CEO da Actisense, afirmou: “Ao passo que existem vários dispositivos Wi-

Fi no mercado, estamos empolgados por liderar o caminho no que respeita ao registo de dados via Wi-Fi. À medida que a forma como o mercado

consome tecnologia continua a avançar, é importante que a nossa eletrónica marítima não só dê resposta, mas antecipe também essas tendências.” Revelado inicialmente como protótipo na METSTRADE 2018, o W2K-1 esteve em desenvolvimento durante 18 meses e, a equipa de engenheiros da Actisense tem vindo a melhorar o aparelho com base no feedback dos seus clientes em 45 países diferentes. Para mais informações sobre este novo produto da Actisense, por favor visite o site www.nautiradar.pt ou contacte através do 21 300 50 50. 2019 Junho 390

39


Electrónica

Notícias Nautiradar

ZigBoat™ da Glomex vence prémio Boating Industry 2019 A Glomex, fabricante líder mundial de antenas marítimas para os mercados profissionais e de náutica, celebra este ano o seu 35º aniversário. O fabricante italiano lançou a sua presença nos EUA - Glomex Marine Antennas USA – em 2018 e desde então já recebeu 3 prémios do “Boating Industry Top Product”.

D

esde a sua fundação em Maio de 1984, em Ravena, o fabricante italiano rapidamente se tornou na escolha de eleição por parte de construtores de embarcações e consumidores por toda a Europa. Fornece construtores como a Azimut, Benetti, Bavari, Beneteau, Dufour, Ferreti, Hanse, Jeanneau, Sea Ray e Sunseeker, assim como inúmeros

40

2019 Junho 390

estaleiros por todo o mundo. É o único fabricante de antenas no sector náutico a oferecer uma garantia vitalícia sobre os seus produtos. Recentemente, o sistema ZigBoat da Glomex foi selecionado entre centenas de submissões a o Prémio Boating Industry Top Product de 2019. É um sistema de monitorização para embarcações que monitoriza funções vitais através de

uma série de sensores sem fios que enviam notificações push, sempre que ocorram eventos críticos. Este sistema não requer mensalidades, serviços cloud ou subscrições. Com a aplicação móvel ZigBoat para Android ou iOS, os utilizadores poderão verificar informação importante 24 horas por dia, 7 dias por semana. Em 2018, a Glomex venceu o prémio com as suas antenas de TV AGC e weBBoat 4G Plus, demonstrando o seu merecido lugar enquanto líder tecnológico na indústria marítima. “Vencer um prémio Top Product é uma honra, mas ser reconhecido pelo

segundo ano consecutivo é muito satisfatório,” afirmou Raffaele Fabbri, diretor geral da Glomex Srl. “O prémio pelo Zigboat é uma afirmação da nossa determinação em introduzir produtos tecnologicamente avançados que tornem a navegação mais simples.” Líder em tecnologia e inovação, a Glomex foca-se em fornecer os seus distribuidores, agentes e clientes com produtos de qualidade e a um preço justo, tais como as suas excecionais antenas de VHF, SSB, AIS e FM. Como parte da sua principal competência, a Glomex continua a inovar, melhorar processos, agradar os seus clientes e fornecer a mais completa gama de antenas marítimas disponíveis no mercado. Para mais informações sobre este produto da GLOMEX, por favor visite o site www.nautiradar.pt ou contacte através do 21 300 50 50.


2019 Junho 390

41


Náutica

Notícias Touron

Novo Quicksilver Activ 555 Bowrider Espontâneo, Desportivo e Irresistível

Novo Quicksilver Activ 555 Bowrider A nova versão do Activ 555 Bowrider, elegante e carácter únicos foi concebida para impressionar. Com motorização máxima de 115 CV, fornecida pela Mercury, permite que até 6 apaixonados pela náutica possam desfrutar dum bowrider ágil e desportivo.

O

conforto a bordo está assegurado pela direcção hidráulica de série, pela versatilidade da proa e do deck, pelos diferen-

42

2019 Junho 390

tes espaços de arrumação e pelo maior depósito de combustível do seu segmento (110 l). Estas características elevam o novo Activ 555 Bowrider para

um nível muito acima das restantes embarcações na gama dos 5 metros. Poderá, ainda, ser equipado com mastro de esqui, o que permitirá desfrutar de

desportos aquáticos. O Activ 555 Bowrider apresenta uma grande variedade de características, tais como: - Zona versátil na proa convertível em solário, área ideal para desfrutar da vista e relaxar ao sol. - Segurança assegurada por um deck profundo e bordos elevados, elegantes varandins à proa e passagem prática na ponte do motor. As crianças e os adultos sentir-se-ão sempre seguros, tanto sentados como movimentandose à volta do barco, para além duma área de saída muito bem definida que


Náutica

garante um acesso fácil a terra. - Posto de comando ergonómico com instrumentação e espaço para montar um GPS/Plotter de 7”, para todos os que procuram máximo rendimento do motor. - Amplas plataformas de banho com escada de banho e espaço de arrumação da âncora e outros objectos. - Mastro de esqui para a prática de desportos aquáticos. - Grande número de compartimentos convenientemente colocados por toda a embarcação para arrumação: na zona da popa debaixo dos assentos, na zona da consola - Deck que funciona perfeitamente como zona social, para convívio ou para refeições, com dois assentos almofadados com base giratória e mesa de teka opcional. També se pode converter facilmente em solário através dum mecanismo simples na parte posterior do assento. - Toldo completo que cria uma zona fechada e protegida do mau tempo. - Diferentes opções de motorização com motores Mercury, de 80 a 115 CV. O Activ 555 Bowrider está disponível com a Edição SMART, que inclui solário de proa, solário de deck, mesa de deck e bimini-top. A Edição SMART tem prazos de entrega mais reduzidos e permite uma poupança em cerca de 10% quando se compara com os preços dos vários opcionais adquiridos separadamente. O Pack Electrónica inclui também um GPS/Plotter Simrad NSS evo3 de 7” e aparelhagem estéreo Fusion.

O Activ 555 Bowrider será apresentado na Feira Náutica Grand Pavois de La Rochelle (França), de 18 a 23 de Setembro. Para mais detalhes, consultar o calendário de eventos em www.quicksilver-boats. com. Para Sylvain Perret, Director de Produto da Quicksilver - “A nova filosofia do Activ 555 Bowrider resulta da crescente popularidade dos bowriders e da vontade dos nautas de poder desfrutar deste tipo de embarcação. A combinação dum depósi-

to de combustível maior, um aumento da potência do motor e um design mais moderno fazem deste novo bowrider uma embarcação com aspecto desportivo, ideal para navegar e praticar desportos aquáticos. O foco no conformo e comodidade está também sempre presente, como se pode comprovar com as espreguiçadeiras fáceis de montar, tanto à frente como atrás da embarcação. É um barco que os nautas irão realmente desfrutar”.

Equipamento standard - Roldana de proa - Escada de banho - Luzes de Navegação - Poço da âncora - Deck auto-esvaziante - Vigias laterais - Plataformas de banho - Ponte do motor - Almofadas de proa - Tacómetro e velocímetro analógico - Indicador de combustível - Indicador de trim - Almofadas de deck - Tomada de 12 V - Assento de piloto giratório

2019 Junho 390

43


Náutica

- Almofadas do solário de deck - Mesa de deck com superfície laminada - Geleira - Kit de amarração - Limpa para-brisas de estibordo - Cobertura de fundeio - Bimini-top - Bimini-top com fecho completo Packs opcionais Pack Electrónica - GPS/Plotter/Sonda 7” Simrad NSS evo 3 com

- Assento do co-piloto - Assento de popa - Espaço de arrumação debaixo dos assentos de popa - Sistema de bateria

- Extintor - Direcção hidráulica - Bomba de esgoto eléctrica e manual - Pré-instalação fora de borda

Edição SMART - Solário de proa - Almofadas do solário de deck - Mesa de deck com superfície laminada - Bimini-top - HDI Transducer - Radio estéreo Fusion com 2 altifalantes

Equipamento Opcional - Arcoesqui - Piso em teka sintética Flexiteek - Cor do casco (cinzento escuro) - Tacómetro/velocímetro - SmartCraft - Interface digital VesselView - Active Trim - Aparelhagem estéreo Fusion com 2 altifalantes - Aparelhagem DAB Stereo com antena

Como empresa comprometida com o aperfeiçoamento contínuo produto, estas especificações estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Especificações Gerais

44

2019 Junho 390

Comprimento total

5,23 m

Boca máxima

2,17 m

Peso

746 Kg

Depósito de combustível

110 L

Categoria CE

C

Lotação máxima

8

Potência Máxima

115 CV


2019 Junho 390

45


Pesca Desportiva

Viagens de Pesca

Texto e Fotografia Vitor Ganchinho

Turismo:

Baleia sem bikini, a sul da Comporta

A ponta do rabinho

Gosto de me levantar cedo. Ver nascer o sol é sempre um momento inspirador. São instantes de brilho que, por fugazes e passageiros, não deixam de nos trazer felicidade. E quando temos a sorte de ter pouco vento, isso é sempre a promessa de um dia que pode ser bom.

46

2019 Junho 390


Pesca Desportiva

S

aí ao mar numa manhã ensolarada de Março, no meu barco Sprint, um Lomac Big Game 6,60 mts equipado com um motor Honda 175 HP. Uma bom-

ba de barco a andar rápido, muito seguro, estável, e bastante económico, atendendo às longas distâncias que faço. Mar calmo, completamente chão, para uma

jornada de testes de equipamentos de pesca. Estava longe de pensar que iria dar com uma baleia descascada, a caçar, a sul da praia da Comporta. Não, não era uma alemã

reboluda e de pele branca. Essas são comuns e nem sequer são notícia. Era negra, com cracas por cima dos olhos, teria uns 7 a 8 metros e estava a caçar cavalas, a não mais

2019 Junho 390

47


Pesca Desportiva

de 300 metros da praia. Conto-vos como foi: Por vezes faço saídas de barco apenas com o objectivo de experimentar materiais adquiridos pela GO Fishing no Japão. Porque não são propriamente dias de pesca enquanto tal, não pressupõem sequer quaisquer capturas. Faço estas saídas sozinho, para não desapontar os meus colegas de pesca regulares. Eles vão à pesca para pescar peixes. Eu tenho outras ideias, e não passam exactamente por trazer peixes para casa. O objectivo pode ser bem mais simples: primeiro que tudo, estar no mar. É

muito importante a sensação de liberdade, de equilíbrio. A seguir, testar a acção de um conjunto de canas com diversos pesos de jigs, verificar o comportamento de uma amostra em situação real de pesca de mar, vibração, afundamento, distância de lançamento, testar uma linha muito fina, medir o tempo de descida dos vinis com diferentes gramagens de cabeçotes, etc. Há muito a ver, a investigar, para quem é exigente com o seu próprio material e muito mais com aquele que é vendido a outras pessoas. Estava no meu barco

pessoal, e de cabeça baixa a mudar um pequeno jig de 12 gramas, quando nisto ouvi aquilo que poderia ser entendido como um autocarro a cair do céu, a dez metros de mim. Um enorme splash de água voou pelo ar e abateu-se sobre mim. Fiquei com a roupa completamente encharcada do lado esquerdo, o barco com a consola e o fundo tapados de água. No espaço de um segundo, tinha a embarcação semi-rígida a baloiçar no cachão produzido pelo animal. Por vezes a minha mulher vira-se de repente na cama e provoca algo parecido, pelo que

nem me assustei. Passados alguns segundos, entendi o que se passava, e a preocupação seguinte foi a de registar o insólito acontecimento. Começaram aqui os problemas. Primeira situação difícil: …encontrar o telemóvel, que estava guardado dentro de uma bolsa, dentro do banco de condução. Porque pescava com luvas, e o aparelho responde à aplicação de impressão digital, foi necessário retirar a luva direita. A baleia continuava ao lado do barco. Tive o cuidado de desligar o motor. Ao fim de alguns segundos, tinha o telemó-

Barco Lomac Big Game 660 a entrar no Clube Naval de Setúbal. 48

2019 Junho 390


2019 Junho 390

49


Pesca Desportiva

Ver nascer o sol é todo um privilégio. Só para quem gosta de se levantar cedo…

vel preparado para filmar. Nesse instante, ao olhar para o sítio onde estava a dita, apenas vi a cauda

a afundar, e o que filmei foi apenas o remoinho e nada mais…. Como explicar aos ami-

gos que aquilo era uma baleia, encostada à costa?..E logo eu, que tenho a certeza de que sou o humano

Primeiro remoinho que consegui filmar 50

2019 Junho 390

escolhido para uma nova aparição de Fátima, e por isso ando sempre com o telemóvel artilhado, pronto


Pesca Desportiva

a fogo! Logo ali naquele momento tinha de ter tudo guardado a sete chaves na mochila da comida. Resolvi tentar encontrá-la novamente, sabendo que as chances eram agora bem menores. Ao fim de uns minutos, presumo que uns cinco a seis, aí estava ela, a 300 metros de distância. Liguei o barco e avancei. Quando cheguei ao local, …era tarde demais. Remoinhos sim, mas baleia nem pensar. Pela direcção que levava, decidi arriscar um palpite. Avancei mais umas centenas de metros, desliguei o motor e esperei por ela. A ideia era boa, mas a natureza tem destas coisas: saiu, mas muito mais longe. Conduzi até ao local, e pouco mais fiz do que tirar uma imagem da minha sonda, com aquilo que parece um comboio, a meia água. Mais uma tentativa, e desta vez foi mesmo a última. O que consegui foi um pouco de “rabo”, e é isso que tenho para vos mostrar…

Quem mostra o rabo não merece castigo. Fora de questão continuar a tentar filmar, porque percebi que o bicho estava já farto de mim, dos meus truques de conduzir o barco com uma mão, filmar com a outra, e tentar dar um pouco de seriedade ao assunto. De qualquer forma, garanto que o animal estava a alimentarse, desde logo porque o comportamento nervoso das cavalas à superfície não era mais que medo daquilo que estava por baixo. Estavam apavoradas. Uma boca daquelas não é para menos…fica apenas dois milímetros abaixo da de uma mocinha que apresentava os noticiários. Podem ver o filme aqui: https://youtu.be/ CmoBdKdOqf0 O dia seguiu, com algumas capturas interessantes, nomeadamente com alguns pargos bem dispostos, a lançarem-se com genica sobre os jigs pequenos, de 20 a 30 gra-

Cavalas aos pulos, cheias de medo daquilo que estava por baixo! 2019 Junho 390

51


Pesca Desportiva

A imagem de uma cachuxa , na minha sonda

mas, das marcas Xesta e Smith. Os dias de pesca nunca são iguais, e seguramente muitos dias passarão até voltar a ver uma baleia encostada à costa. Mas naquele sitio já encontrei orcas, espadartes, e os golfinhos caçam regularmente naquelas paragens. Não é por acaso e eu sei porquê. É bom saber que eles andam por lá, e que todos nós podemos ajudar a preservar esta tremenda riqueza nacional para as gerações futuras.

Os pargos de Setúbal. Cada vez mais fáceis, com jigs pequeninos. 52

2019 Junho 390


2019 Junho 390

53


Náutica

Notícias Sun Concept

Lançamento do Primeiro Catamarã Solar Português em Vilamoura

O SUNCONCEPT CAT 12.0 foi apresentado ao público no passado dia 15 de junho, em Vilamoura, e contou com a presença do Presidente da República e de outras destacadas figuras da sociedade portuguesa. Primeiro catamarã solar português é alternativa ecológica e económica para navegação turística profissional e de lazer.

A

Sun Concept apresentou, no dia 15 de junho, na Marina

54

2019 Junho 390

de Vilamoura, o SUNCONCEPT CAT 12.0, o primeiro catamarã solar construído

em Portugal. A cerimónia, que contou com a presença do Presidente da República,

Marcelo Rebelo de Sousa, teve início às 16h30 e deu as boas vindas ao mais recente membro da família de barcos solares da Sun Concept. O SUNCONCEPT CAT.12 é o primeiro catamarã solar construído em Portugal e com capitais 100% nacionais, constituindo uma alternativa ecológica e económica para o transporte de passageiros, de forma tranquila e extremamente confortável. “É um sonho tornado realidade e fruto do trabalho de mais de dois anos de todos os que acreditaram neste projeto inovador e que pode alterar radicalmente a forma como se olha para a indústria naval em Portugal”, conta Manuel Costa Braz, CEO da Sun Concept.


Náutica

“A Sun Concept tem como missão contribuir, de forma inteligente, para um planeta mais limpo e para combater as alterações climáticas, proporcionando alternativas de navegação ecológicas, eficientes e muito mais económicas”, aponta. “O CAT 12.0 é o corolário de todo este trabalho de investigação e desenvolvimento que, ao longo destes anos, temos levado a cabo na Sun Concept e que colocamos agora ao serviço do mercado”, defende ainda Costa Braz. Ideal para passeios e viagens inesquecíveis e para usufruir do melhor da natureza, o CAT 12.0 tem capacidade para levar até 42 passageiros (dependendo da versão) e é bastante espaçoso, versátil e confortável. Com linhas modernas e sofisticadas e uma grande hidrodinâmica, o CAT.12 tem 12 metros de comprimento e 27,5m2 de área útil de convés, constituindo uma alternativa ideal para passeios turísticos, festas e eventos, ou apenas para desfrutar de uma grande reunião de amigos. “O CAT 12.0 apresentase como a alternativa ideal para os operadores turísticos, dado que se trata de um barco com um design atraente, confortável, ecológico e com uma operação muito mais económica do que os barcos tradicionais do seu segmento”, garante Costa Braz O CAT 12.0 utiliza como fonte de energia a luz do sol, que é armazenada nos painéis fotovoltaicos existentes no barco. Com o CAT 12.0, é possível navegar a custo zero e ainda beneficiar de uma manutenção 85% mais económica do que nos barcos tradicionais.

O CAT 12.0 destaca-se dos outros barcos da mesma categoria pelas suas linhas que proporcionam uma navegabilidade suave, mesmo a velocidades mais elevadas. O espaço amplo e ajustável a várias situações torna-o ideal tanto para uso privado como para eventos turísticos de várias tipologias, sempre com o conforto e a sofisticação como pano de fundo. O CAT 12.0 não consome combustíveis fósseis e não produz gases de efeito de estufa (GEE). Os seus motores elétricos não derramam óleos nem produzem fumos de escape prejudiciais ao ambiente. O casco, especialmente concebido para impacto mínimo no ecossistema, permite deslizar pelas águas, em perfeita harmonia com a natureza envolvente. “A versão Cruise, destinada ao uso particular, é um verdadeiro yacht de luxo que alia os aspetos de sustentabilidade e conforto já referidos, à sofisticação tecnológica mais avançada. É claramente uma embarcação para não deixar ninguém indi-

ferente”, refere ainda Costa Braz. Sobre a Sun Concept A Sun Concept assume-se como uma das líderes mundiais no setor da indústria naval electro solar, desenvolvendo, produzindo e comercializando barcos movidos a energia solar. Com uma base tecnológica e industrial de desenvolvimento e construção naval em série, a Sun Concept surgiu da consciência ambiental e social de um núcleo de investidores preocupados com a degradação ambiental à escala global.

Sediada e inspirada em terras (águas) algarvias, a Sun Concept tem como principal objetivo produzir embarcações com o menor impacto ambiental, quer ao nível da emissão de Gases com Efeito Estufa (GEE), quer ao nível do ruído e impacto nas margens e fundos marinhos, permitindo aos utilizadores das embarcações gasto zero com combustíveis e evitar a degradação dos ecossistemas, promovendo a harmonização da vida humana, ambiental e animal. Saiba mais em www.sunconcept.pt

Especificidades do SUNCONCEPT CAT 12.0 nos modelos CRUISE, MT e PASSAGEIROS Comprimento (LOA)

11,9 mt

Boca (B)

5,95 mt

Pontal (H)

2,20 mt

Calado (D)

0,58 mt

Número Passageiros

25 / 42

Área útil de convés

27,5 m2

2 Arrumos e 2 WC’s Capacidade de água doce

150 std L / 300 L

Tipo de Baterias

AGM/Litio

Motores

2 x 15 KWh / 2 x 30 KWh

Capacidade das Baterias

de 70 a 160 kWh

2019 Junho 390

55


Motonáutica

Grande Prémio de Portugal em Motonáutica

Shaun Torrente Vence em Portugal

O Campeão Mundial 2018 Shaun Torrente, venceu com grande categoria o GP de Portugal de F1H2O para o Abu Dhabi Team (DAC). O piloto de 41 anos, natural de Homestead – USA não deixou dúvidas sobre sua performance e determinação para a vitória, tendo partido da Pole Position obtida com a volta em 42.58 durante o Q3 no sábado anterior a corrida.

Shaun Torrente 56

2019 Junho 390

Mundial começa em Portugal O Campeonato Mundial UIM de F1H2O começou mesmo em Portimão, depois do cancelamento da etapa da Arábia Saudita, por conta do mal tempo. Difícil entender como um local de mar aberto, como Damman, pode ter sido aprovado para uma categoria Inshore. Esse resultado já era esperado. Mesmo em locais protegidos, como o Rio Arade em Portimão, o vento já em várias ocasiões causou problema. Évian Les Bains em 2018, no Lago Genebra, também apresentou problemas de excesso de vento


Motonáutica

Texto Gustavo Bahia Fotografia Arek Rejs, Gustavo Bahia e H2O Racing Press

com 34 + Sharjah com 18, até está data. Num país onde a Motonáutica a sério, aparece apenas 2 vezes ao ano, com a F1H2O em Portimão e a F2WC em Ribadouro o 2º Lugar na F1H2O é praticamente um Record!

Start Grand-Prix de Portugal e alterações no Programa. Isso em locais ideais para provas inshore. Enfim, há males que vem para bem e Portugal acabou por ser a etapa de abertura efetiva do Campeonato Mundial 2019.

Equipas e Novidades Dentre as Equipas a maioria manteve seus pilotos tradicionais, mas a categoria recebeu alguns nomes de peso. Alberto Comparato (22 anos), Campeão Mundial UIM de Formula 2 em 2018, juntou-se ao F1 Atlantic Team do piloto português Duarte Benavente cuja Equipa tem o Clube Interpass como seu patrocinador principal há 19 anos. Com Alberto na Equipa, Benavente ganhou um reforço técnico de grande importância, pois Fabio Comparato (Pai de Alberto e Ex-Piloto de F1) é o Engenheiro Responsável pela preparação dos motores do “Bambino” e são uns foguetes de qualidade. Sem dúvida a Equipa vai despontar ainda mais em 2019 é esperar para ver. Erik Stark ficou sem equipa, depois da

Interpass ressalta parceria de 19 anos

O

patrocínio principal do F1 Atlantic Team tem uma história de 19 anos, certamente o mais longo patrocinador envolvido na F1H2O em uma Equipa. Conversamos com o Dr. Francisco Neto, Presidente do Grupo Interpass sobre essa parceria, pois de há muito ultrapassou o negócio entre uma Equipa e Empresa.

Dr Francisco Neto Pres. Interpass NM: “Como explica esse Patrocínio de tantos anos com Duarte Benavente?” Dr. Francisco Neto: “No início tínhamos um relacionamento como patrocinador, isso foi evoluindo de tal forma que hoje somos mais uma família. A Equipa sempre ultrapassou os nossos objetivos e fomos crescendo do nosso envolvimento comercial, para uma grande amizade, sempre resultando também num excelente investimento para nosso Grupo.”

Portugal em 2º Lugar em número de GP realizados Foi o 16º GP de Portugal realizado em Portimão e somado ao de 2015 realizado no Porto, totalizam 17 em Portugal, ao contrário dos números relatados por diversas pessoas em seus discursos. A realidade é incontestável e mesmo sendo 17 o número real é um dos países que lidera a lista com mais GPs ocupando o 2º lugar, sendo superado apenas pelos Emirados Árabes Unidos que somam Abu Dhabi

Duarte Benavente 2019 Junho 390

57


Motonáutica

Thani Al Qamzi impossibilidade do Abu Dhabi Team poder competir com 3 barcos como em 2018, por não ser uma Equipa Contratada do Promotor Mundial. Polêmicas a parte, o piloto Sueco se viu a deriva até encontrar, mais uma vez, a porta aberta no Maverick Team de Cedric Deguisne, uma Equipa Francesa que vem se estruturando muito

bem nos últimos 2 anos e conta com 3 pilotos em 2019 (Cedric Desguine, Beranger Robart e Erik Stark). A última novidade é a chegada do piloto americano Greg Foster, um estreante com 60 anos, natural de Fullerton na California (USA) traz uma bagagem cheia de experiência, vitórias e Campeonatos vencidos na F1H2O nos Es-

Jonas Andersson tados Unidos. Tem um excelente astral, muito simpático e como nos relatou, chegou para aprender com a equipe do italiano Francesco Cantando a Blaze Performance Team. Outra novidade da temporada 2019 é o patrocínio principal do Emirado de Sharjah para Equipa do duas vezes eCampeão Mundial Sami Selio. O agora denominado Sharjah

Team tem um novo visual e uma dupla de pilotos muito competitiva. Além dessa importante injeção financeira, a Equipa é também Oficial da fábrica BABA Racing, fabricante dos barcos BABA com os quais a Equipa compete. Massimo Ruggiero, ex-piloto de F1H2O e agora construtor dos BABA boats acredita que a equipa terá muito sucesso na temporada.

Duarte Benavente

Alberto Comparato 58

2019 Junho 390

Alberto Comparato


Motonáutica

De onde vem o dinheiro das Equipas mais fortes Vale analisar o cenário das equipas na F1H2O: ABU DHABI TEAM (100% DAC que fabrica os barcos sob o comando de Guido Cappellini, 10 vezes Campeão Mundial), VICTORY TEAM DUBAI (fabrica seus barcos na sede em Dubai, uma fábrica com a mais alta tecnologia disponível e na F1H2O está sob o comando de Scott Gillman, também por 4 vezes Campeão Mundial), SHARJAH TEAM (100% BABA sob o comando de Sami Selio por 2 vezes Campeão Mundial), CTIC F1 SHENZEN CHINA TEAM (Chefe da Equipa é Erik Chan a força da China na F1H2O, tem Philippe Dessertenne na Direão Técnica e conta com Philippe Chiappe como piloto principal com 3 Campeonatos Mundiais em seu curriculum). Parece claro a qualquer leitor que essas Equipas reúnem um “Budget” anual muito além de todas as demais equipas somadas. Cada um dos Emirados tem verbas quase ilimitadas, a China é uma potência com força financeira indiscutível. Resta saber, se Guido Cappellini vai conseguir fazer o que sempre soube muito bem: Vencer, Vencer e Vencer.

Marit Stromoy Aos pilotos Shaun Torrente (atual Campeão Mundial) e Thani Al Qamzi não faltam qualidades para liderar esse Campeonato. Treinos e Classificação No primeiro treino livre Erik Stark foi o mais rápido com 44.22 e média de 162,82Km/h, realmente muito rápido. Um acidente deixou alguns danos em seu barco, tendo sido reparado pela Equipa para participar dos treinos cronometrados. Shaun Torrente foi o segundo mais rápido com 44.84, mas os treinos livres pouco refletem os treinos cronome-

trados, pois a totalidade das Equipas estiveram testando seus barcos pela primeira vez em 2019, já que na Arábia Saudita nada se pode fazer. No Q1 (primeiro treino

cronometrado) despontou Sami Selio com 45.76 no topo da lista. O piloto finlandês do Sharjah Team demonstrou que tinha potencial para lutar, mas uma bóia no seu caminho duran-

Greg Foster

Greg Foster 2019 Junho 390

59


Motonáutica

Peter Morin

Fabio Comparato te o Q2 estragou todo seu esforço e desempenho. Erik Stark do Maverick Team foi o segundo mais rápido no Q1 com 45.87, seguido pelo piloto polonês Bartek Marszalek do Emirates Racing Team, de Philippe Chiappe e Shaun Torrente como os 5 mais rápidos do Q1. Victory Team ainda procurando acertar o barco para seus pilotos Alex Carella e Ahmed Al Hameli que teve

um acidente no Q1 com danos ao barco. No Q2 tudo mudou e apenas os 12 pilotos mais rápidos no Q1 podem participar. Marit Stromoy, do Emirates racing Team veio para o topo da lista com 44.72, seguida por Thani Al Qamzi do Abu Dhabi Team, Philippe Chiappe do CTIC F1 Sz China Team, Shaun Torrente do Abu Dhabi Team, Jonas Andersson do Team Amaravati

Alberto Comparato 60

2019 Junho 390

e Peter Morin do CTIC F1 Sz China Team foram os 6 mais rápidos que garantiram a participação no Q3. O Campeão Mundial de F2 Alberto Comparato do Clube Interpass F1 Atlantic Team ficou pelo Q1, pois um problema no motor do seu barco obrigou a troca, posicionando o jovem piloto na última posição do grid de largada, por força do regulamento. Duarte Benavente ficou com o 13º tempo e fora do Q2. As condições da água estava muito difícel e prejudicou o acerto do barco nº10 de Benavente. O Q3 é composto apenas pelos seis pilotos mais rápidos no Q2 e nesse bloco cronometrado os pilotos saem para 2 voltas rápidas (flying laps), procurando obter o melhor tempo e garantir a Pole Position. Shoun Torrente assumiu a Pole position com o tempo de 42.58,

seguido por Thani Al Qamzi com 42.66 garantindo a dobradinha para o Abu Dhabi Team com as duas primeiras posições. Marit Stromoy mostrou força com o terceiro tempo 42.86, muito próximo do dois primeiro. Em quarto ficou Jonas Anderson com 43.13, seguido por Philippe Chiappe 43.89 e Peter Morin 43.92. Apesar dos bons tempos obtidos pelos seis pilotos, a água estava mexida com algum vento o que prejudicou a todos. Na Corrida Shaun Torrente liderou de ponta a ponta Ao sinal de partida, o piloto americano do Abu Dhabi Team pulou na frente chegando a primeira bóia liderando o pelotão que vinha bem próximo. Thani Al Qamzi em segundo e Jonas Anderson em terceiro tendo ganho a posição de Marit Stromoy na

Bartek Marszalek


Motonáutica

Sami Selio - Sharjah Team largada. Fora o líder Shaun Torrente que sempre esteve administrando com maestria sua liderança, nas posições intermediárias muita ação durante o GP. Philippe Chiappe abandona na volta 28 com problema de injetor de combustível em seu motor, quando ocupava a 4ª posição. Alex Carella abandona cedo com apenas 18 voltas. Os dois barcos do Blaze Peformance Team também abandonam cedo, Cantando com problemas elétricos e Greg Foster com quebra do motor. Erik Stark e Flip Roms completam os 6

barcos que abandonaram a prova. Dos 13 barcos que concluíram a prova 7 completaram a totalidade das 48 voltas, 5 ficaram com 1 volta atrás do vencedor e 1 com 5 voltas de atraso do vencedor. O Abu Dhabi Team começou muito bem o Campeonato com uma dobradinha na corrida e na classificação para a largada. Jonas Anderson conseguiu resistir bem aos ataques de Marit Stromoy e mais próximo do final de Peter Morin garantindo o 3º lugar. Bartek Marszalek ficou em 6º lugar mais com

Alberto Comparato

Sami Selio e Bartek 10.85 atrás de Marit Stromoy. Ahmed Al Hameli conseguiu terminar a prova para o Victory Team e marcar 4 pontos com o 7º lugar. Logo na primeira volta o estreante Alberto Comparato ganhou posições e há 10 voltas do fim ocupava a 9ª posição tendo terminado em 8º lugar marcando 3 pontos na sua estreia na F1H2O. Classificação do Campeonato após o GP de Portugal 1- Shaun Torrente – Team Abu Dhabi – 20 pontos

2- Thani Al Qamzi – Team Abu Dhabi – 15 pontos 3- Jonas Andersson – Team Amaravati – 12 pontos 4- Peter Morin - CTIC F1 Sz China Team – 9 pontos 5- Marit Stromoy – Emirates Racing Team – 7 pontos 6- Bartek Marszalek – Emirates Racing Team – 5 pontos 7- Ahmed Al Hameli – Victory Team – 4 pontos 8- Alberto Comparato – F1 Atlantic Team – 3 pontos 9- Erik Stark – Maverick F1 Team – 2 pontos 10- Sami Selio – Sharjah Team – 1 ponto

Sami Selio - Baba Boat 2019 Junho 390

61


62

2019 Junho 390


2019 Junho 390

63


Mergulho

1ª Etapa Taça de Portugal de Fotografia Subaquática

Miguel Louzeiro, Categoria Ambiente, 1º Lugar na categoria. (ex-aqueo com Armindo Pereira)

Clube Naval de Sesimbra Participa Pela Primeira Vez Numa Competição de Fotografia Subaquática O Clube Naval de Sesimbra estreou-se com três equipas na primeira etapa da Taça de Portugal 2019, no Domingo, 5 de Maio, em Sesimbra, após a Direção do Clube, no início deste ano, ter decidido reactivar a secção de Actividades Subaquáticas.

E

sta prova foi organizada pela FPAS (Federa-

ção Portuguesa de Actividades Subaquáticas) que em conjunto com o

Dive Club Cipreia e com o apoio da Câmara Municipal de Sesimbra asse-

Preparativos e verificação dos equipamentos 64

2019 Junho 390

guraram toda a logística deste evento desportivo. A prova iniciou-se com a concentração das 11 duplas de Fotógrafos/Modelos e reunião técnica, por volta das 8.30 horas, na Marina do Clube Naval de Sesimbra, para depois distribuírem-se por duas


Mergulho

Nota Fotografia de capa: Armindo Pereira - Categoria Tema obrigatório - 5º lugar na categoria

Rui Palma a preparar o seu equipamento fotográfico

embarcações semi-rigidas e seguirem para cada uma das zonas de prova definidas. O Clube Naval de Sesimbra apresentou-se com 3 equipas constituídas pelas duplas de atletas Rui Palma/ Carla Siopa; Armindo Pereira/ Vanda Gonçalves e Miguel Louzeiro/ Patrícia Araújo, com o delegado para as Actividades Subaquáticas Lourenço Silveira e com o coordenador desportivo Guilherme Cabral. Nesta primeira edição da Taça de Portugal, os atletas realizaram duas imersões, uma durante a manhã e outra após a hora de almoço, com a duração máxima de 90 minutos cada, onde contaram com excelentes condições atmosféricas e de mar para a prática desta modalidade, confirmando-se que Sesimbra é um local de eleição para o Mergulho e para a Fotografia Subaquática em particular. No final dos dois mergulhos, os atletas entregaram os respectivos cartões de memória com as imagens captadas, con-

Preparativos e verificação dos equipamentos

Reunião técnica

Armindo Pereira - Categoria Ambiente - 1º lugar na categoria (ex.aqueo com Mig Louzeiro) 2019 Junho 390

65


Mergulho

siderando 4 categorias: Grande Angular, Macro, Peixe e Tema, onde posteriormente foram avaliados pelo Júri de Prova.

Embarque e deslocação para a zona de prova

Rui Palma - Categoria Macro - 3º lugar na categoria 66

2019 Junho 390

A classificação dos atletas do Clube Naval de Sesimbra, nesta primeira etapa, foi a seguinte: - Miguel Louzeiro/ Patrícia Araújo - 2º Lugar, com 146 Pontos - Armindo Pereira/ Vanda Gonçalves – 4º Lugar, com 138 Pontos - Rui Palma/ Carla Siopa – 5º Lugar, com 123 Pontos Os atletas irão ainda realizar mais duas etapas

Miguel Louzeiro - Categoria Tema obrigatório- 3º Lugar na categoria


Mergulho

da Taça de Portugal, nas datas previstas para 12 de Outubro e 16 de Novembro de 2019, ambas também em Sesimbra e até lá vamos aguardar pelos resultados finais. A fotografia subaquática é considerada como uma especialização do mergulho com escafandro ou em apneia. Para além do tradicional equipamento de mergulho, é necessária uma camara fotográfica com uma caixa estanque e flash’s subaquáticos para iluminação do meio ambiente uma vez que as cores debaixo de água se perdem com a profundidade. Estas provas têm por objectivo encontrar o vencedor da Taça de Portugal de Fotografia Subaquática 2019, dar a conhecer esta

Equipa de Fotografia Subaquática do CNSesimbra

modalidade desportiva e consequentemente contribuir, por um lado, para

o desenvolvimento das actividades subaquáticas de competição em Por-

tugal e, por outro, para a promoção turística e económica de Sesimbra.

Rui Palma - Categoria Peixes - 4º lugar na categoria 2019 Junho 390

67


Surf

1º Campeonato Europeu de Surf Adaptado

Viana do Castelo no Centro do Surf Mundial

Marta Paço campeã da Europa de Surf Adaptado Marta Paço e Nuno Vitorino sagraram-se campeões europeus, na praia do Cabedelo em Viana do Castelo, no 1º Campeonato Europeu de Surf Adaptado, disputado entre os dias 20 e 26 de maio, organizado pelo Surfing Clube de Viana.

P

articiparam seis nações com os melhores 27 atletas europeus de surf adaptado, num cenário de ondas de grande qualidade para a modalidade, que permitiu todos os dias darem um espetáculo de alto nível. O Surfing Clube de

Viana organzou também o International Adaptive Surf Congress, um congresso onde durante alguns dias, no Centro de Alto Rendimento de Surf, foram apresentadas comunicações de elevado interesse para a modalidade. Na cerimónia oficial de

abertura do campeonato, Tiago Brandão Rodrigues, Ministro da Educação, disse “É um orgulho enorme para Portugal receber um evento com esta envergadura social e desportiva. Este campeonato é fulcral para que o desporto seja para todos. O EuroSurf

Adpative celebra o cidadão de corpo inteiro, a inclusão”. Para o Ministro, “O 1º Campeonato Europeu de Surf Adaptado coloca Viana no centro do surf mundial e este evento acontece em Viana do Castelo, porque existe aqui um clube como o

Cerimónia de abertura 68

2019 Junho 390


Surf

Surf Clube de Viana que é especial, que costuma marcar tendências, que é uma pedra basilar no desporto local e de Portugal, porque existe um grande treinador e porque há a nossa Marta Paço. A Marta é especial. É uma lutadora. É

Equipa nacional no desfile

uma campeã”. José Maria Costa, presidente da Câmara Muni-

cipal de Viana do Castelo, dirigindo-se aos atletas e aos técnicos que compõem as várias seleções protagonistas deste campeonato, disse, “é com enorme prazer que vos

recebemos numa cidade que quer ser amiga do desporto inclusivo e que tem vindo a prosseguir este objetivo. Trata-se de uma tarefa que nunca está completa,

International Adaptive Surf Congress

E

Ministro da Educaçãio, Tiago Brandão Rodrigues com Marta Paço

Equipa de Portugal

m paralelo com o campeonato, realizou-se um vasto leque de atividades. De destacar o International Adaptive Surf Congress, que aconteceu diariamente no CAR Surf de Viana. Tratou-se de um evento aberto ao público em geral e que trouxe um vasto leque de especialistas nacionais e internacionais, tendo sido para alguns deles a sua primeira visita ao território português. Este evento foi um êxito, sobretudo, no que respeita a partilha de conhecimento e de boas práticas. Tendo registado uma participação de cerca de duas centenas de pessoas. Houve experiências de surf adaptado, desde aulas de surf, ações de sensibilização e sustentabilidade ambiental, convívio com os atletas, apoio à Seleção Nacional de Surf Adaptado e, especialmente, à atleta local, Marta Paço, cega de nascença, e que, com 13 anos, conquistou o principal título mundial na modalidade para Portugal. Estas experiências de surf adaptado foram vividas por cerca de 200 beneficiários, desde utentes da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM), alunos com necessidades especiais de escolas do distrito, alunos em risco de exclusão social, alunos do programa “Náutica nas Escolas” e, hoje, membros da Associação TERRA, Associação de Educação Integral do Minho.

2019 Junho 390

69


Surf

tado nos Jogos Paralímpicos”. A cerimónia de abertura oficial, que marcou o arranque do 1º Campeonato Europeu de Surf Adaptado, foi muito emotiva, cheia de cor, de simbolismo, de alegria, de música, de diversidade e inclusiva.

Nuno Vitorino, campeão da Europa de Surf Adaptado

por isso, este primeiro campeonato, que organizamos graças ao SCV, vai ser também para nós uma experiência e um estímulo para fazermos mais e melhor. É uma

enorme honra e orgulho podermos construir juntos uma sociedade mais justa e mais inclusiva.” Para João Zamith, presidente do SCV, “este 1º Campeonato Europeu

de Surf adaptado é uma espécie de missão para a organização” e espera que “aqui se comece um novo ciclo para a modalidade e que este conduza à integração do surf adap-

A competição começou com boas ondas A competição arrancou, na praia do Rodanho, em Viana do Castelo. As ondas caracterizaram-se por uma boa formação, com picos de esquerda e de direita, excelentes para este tipo de competição, tendo potenciado o espetáculo e os atletas encontraram excelentes condições de mar e mostraram um nível alto de surf. Duas das quatro ondas do dia com pontua-

O português Camilo Abdula, medalha de prata 70

2019 Junho 390


Surf

ção mais elevada foram protagonizadas por dois atletas da Seleção Nacional de Surf Adaptado: Nuno Vitorino, com 8.17, na categoria AS5, e Marta Paço, com 7.17, em ASVI Ladies. Ambos os atletas ocuparam, a primeira posição na leaderboard nas categorias respectivas. No segundo dia Espetáculo de surf ao mais alto nível Ondas muito boas, maiores e mais desafiantes, e espetáculo de surf adaptado de alto nível marcaram o dia do  EuroSurf Adaptive, na praia do Rodanho.  Em termos de exibições e de liderança nas respectivas categorias em competição, destaque para o espanhol Marcos Tapia, que soma um total de 16,84, mantendose na liderança em AS4, e registando o total mais alto da geral; Nuno Vitorino continua a liderar em AS5, agora com 16.67; a francesa Kattel Ropert continua a distanciar-se, somando, 14.83 em AS5; o francês Eric D’Argente, em AS2, conseguiu reagir com uma ótima exibição ao resultado de ontem do galês Llywelyn Williams, registando um total de 14.17; o espanhol Aitor Francescena continua a liderar a AVSI, agora com 13.66; a vianense Marta Paço também se mantém na liderança da ASVI Ladies, somando 13.34; e o português Camilo Abdula também segue a liderar a AS1, agora com 12.33. Marta Paço, que no fi-

O espanhol Marcos Tapia

nal do heat em ASVI Ladies voltou a fazer a sua melhor onda, estava feliz com a sua exibição. No terceiro dia Kattel Ropert fez a melhor onda Tendo como cenário a praia do Cabedelo, em

Viana do Castelo, no terceiro dia a prova continuava a registar boas condições de mar, óptimas performances e muito espetáculo. A francesa Kattel Ropert, em AS5 Ladies, fez a melhor onda de todo o campeonato, pontuando 8.83. Sendo também dos

competidores, quem contabiliza o score total mais alto (23.66). Para a actual vice-campeã do mundo em AS5 Ladies, foi com naturalidade que surfou esta sua primeira onda do dia, pois “as condições estavam excelentes”. Para esta atleta, que

A francesa Kattel Ropert 2019 Junho 390

71


Surf

Ann Yoshida

Houve sempre boas ondas

desde o início da competição, lidera com tranquilidade a sua categoria, o EuroSurf Adaptive está a ser “uma experiência fantástica! Há muita competição, muita camaradagem e solidariedade, um ambiente fenomenal. O CAR Surf é magnífico´. Tem tudo integrado e adaptado”.  Em AS1 houve mexi-

Transporte dos concorrentes 72

2019 Junho 390

das. O francês Phillipe Naud subiu um lugar na tabela, ocupando agora a primeira posição. Camilo Abdula desceu ao terceiro lugar. Em AS5, apesar de hoje a melhor onda ter sido do espanhol Angel Feria, Nuno Vitorino continua a liderar. Marta Paço, em ASVI Ladies, Aitor Francescena, em ASVI, Marcos Tapia, em AS4, e Eric D’Argent, em AS2, continuam também a liderar, prevendo-se, para amanhã, uma final de alto nível em ondas vianenses. Marta Paço e Nuno Vitorino sagram-se campeões europeus  No último dia, a vianense Marta Paço, com 14 anos, e Nuno Vitorino confirmaram a conquista dos títulos de campeões europeus, em ASVI Ladies e em AS5 respetivamente, na praia do Cabedelo, em Viana do Castelo. Marta Paço fez uma prestação fantástica ao longo do campeonato e “chamou” muitos apoiantes às duas praias onde decorreu a competição. No fim referiu “Estou muito feliz por ter ganho. Valeu a pena o esforço. Não foi fácil, pois competi em duas categorias. Espero que haja mais campeonatos”. Nuno Vitorino disse “Estou feliz com este resultado, pois eu queria ser campeão europeu. Trabalhei para isso. O meu próximo objetivo é ser campeão do mundo,


Surf

não sei se já o atingirei este ano”. Os espanhóis Aitor Francescena, em ASVI, e Ibon Muguerza, em AS1, os franceses Eric D’Argent, em AS2, Laura Dominguez, em AS2 Ladies, Katell Ropert, em AS5 Ladies, e o italiano Massimiliano Mattei, em AS4, sagraram-se também campeões da Europa no EuroSurf Adaptive.                                                                    Para Aitor Francescena não há palavras que descrevam a emoção que sente. “Estou muito feliz. Tenho feito surf toda a vida. Há cinco anos que ceguei e estou muito feliz por ser o primeiro campeão do mundo cego e, agora, o primeiro campeão cego da Europa. Obrigada a Portugal por ter organizado este magnífico campeonato”. Por equipas, a França foi a grande vencedora da geral, seguida da Espanha, de Portugal, da Itália, da Alemanha e do País de Gales. Segundo Bernardo Abreu, selecionador nacional, os resultados individuais foram muito bons e como a equipa tinha um número reduzido de elementos, o terceiro lugar

Alunos de Escolas do distrito

também foi bom. Para Lisa Monteith, representante da Federação Europeia de Surf, “o EuroSurf Adaptive foi incrível, tendo colocado a fasquia alta para o que se irá realizar dentro de dois anos. Os voluntários de todo o mundo que cá estiveram a ajudar também foram incríveis”. Vitor Lemos, vice-presidente e vereador do desporto na Câmara Municipal de Viana do Castelo, afirmou, na cerimónia de entrega de prémios, que “é sempre um orgulho

participar nestes projetos com o SCV”. Vítor Dias, diretor regional do  Instituto Português do Desporto e Juventude, ”espera que este campeonato de excelência marque o início de um processo muito importante no surf adaptado”. O  1st European Adaptive Surfing Championship  já está certificado em sustentabilidade pelaSustainable Tourism & Outdoors Kit for Evaluation  (STOKE), sendo, assim, o primeiro evento de surf da Europa com esta certificação, após ter

sido avaliado a nível da sua gestão sustentável, da gestão do seu impacto socioeconómico e do seu impacto ambiental. O 1º Campeonato Europeu de Surf Adaptado foi organizado pelo Surf Clube de Viana, em parceria com a Federação Europeia de Surf, a Federação Portuguesa de Surf, a Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência, o Instituto Português do Desporto e Juventude, o Comité Paralímpico de Portugal e a Câmara Municipal de Viana do Castelo.

2019 Junho 390

73


Surf

Notícias do SC Viana

SCV Comemora 30ª Aniversário Com os Olhos Postos no Futuro

Sessão comemorativa dos 30 anos do SCV O Surf Clube de Viana (SCV) realizou, no passado dia 27 de abril, a sessão comemorativa do seu 30º aniversário, no Centro de Alto Rendimento de Surf de Viana do Castelo (CAR Surf), perante um vasto leque de atletas, pais de atletas, amigos do clube, representantes de entidades e personalidades.

O

SCV, que tem como pilares estratégicos a gestão do CAR Surf de Viana, a formação desportiva e apoio a atletas, a realização de eventos desportivos,

sociais e ambientais, o desenvolvimento turístico, a cooperação internacional, a investigação, inovação e conhecimento, viu, de forma unânime, ser-lhe reconhecido, pelo seu percurso, um

Homenagem a Laurentino Dias - na foto também João Zamith e Guilherme Bastos 74

2019 Junho 390

papel decisivo no desenvolvimento do surf, em termos locais e nacionais, e um exemplo a seguir por outras instituições. Estes 30 anos de história, conduziram a um 2018 no qual o clube vianense organizou 11 eventos desportivos, o que se traduziu em 21 dias de competição. Sendo que ainda, em Viana do Castelo, foram atribuídos o título de campeão do mundo de juniores e os títulos nacionais de surf feminino Sub-16 e Sub-18. Contabilizou mais de 3600 alunos e uma média de 1.007 utilizações/ mês, em formação desportiva. O ano passado, os nossos atletas participaram em 30 campeonatos. Conquistaram

11 títulos oficiais. Destacamos Marta Paço (medalha de bronze no Isa World Adaptive Surf Championship), Mariana Gonçalves (campeã nacional de desporto escolar surf e medalha de bronze no Campeonato Mundial ISF Gymnasiade),  Ângela Fernandes (medalha de bronze no Campeonato Europeu de Stand Up Paddle e campeã nacional) e Anastasia Bezpalaya (campeã nacional universitária em surf)”, referiu Marco Areias, da direção do SCV. Tendo estas quatro atletas sido homenageadas pelo clube nesta cerimónia de aniversário. Destaque também para o desenvolvimento de um vasto leque de projetos de cooperação, vários projetos


Surf

Jantar comemorativo dos 30 anos do SCV

Homenagem à Câmara Municipal de Viana erasmus + e ainda para a sua contínua aposta na responsabilidade social e na inclusão ao serviço da comunidade. Para João Zamith, presidente da instituição aniversariante, o SCV hoje é o resultado de um vasto trabalho coletivo: direções, sócios, atletas, pais, técnicos notáveis, família, amigos do clube e instituições parceiras, aos quais o clube está muito grato. “Temos tido muitas felicidades mas também algumas tristezas, como o falecimento do Dr. Manuel Freitas, há poucos anos. Era o nosso sócio fundador e um dos impulsionadores do associativismo do clube e do surf português”, referiu João Zamith. Foi de olhos postos no fu-

turo que o presidente do SCV afirmou que “um dos nossos caminhos é criar condições para o desenvolvimento do desporto, para o desenvolvimento científico do surf, partilhando o nosso conhecimento com outras entidades e construir uma cidadania mais consciente”. “Estamos muito apostados no futuro. Temos condições ímpares para a prática do surf, não só ao nível do edifício mas também dos equipamentos desportivos, que temos vindo a adquirir muito graças ao apoio da Fundação do Desporto. O futuro está nas pessoas que vão levar para a frente este projeto, que implica profissionais altamente qualificados. Nós já temos técnicos,

Centro de Alto Rendimento de Surf de Viana do Castelo

treinadores e profissionais do desporto de grande nível, temos uma equipa multidisciplinar, dois médicos, fisioterapeutas, doutorados em desporto e especializados em surf. O caminho é um trabalho diário e consistente. Queremos que o CAR Surf seja um local de passagem para todos os atletas olímpicos que cá venham partilhar o seu conhecimento e a sua experiência,

para que também possamos partilhar esse conhecimento em termos locais e nacionais e que consigamos continuar a criar aqui atletas que sejam referências internacionais”, acrescentou. Apesar da data de fundação do clube ter sido 25 de janeiro de 1989, a sessão solene de aniversário foi adiada para o dia em que, há seis anos, foi inaugurado o CAR Surf de Viana.

Anastasia Bezpalaya e Mariana Gonçalves 2 das 4 atletas homenageadas 2019 Junho 390

75


Surf

Circuito Nacional de Bodyboard powered by BBoard TV 2019

Peniche deu o Título a Daniel Fonseca

Joana Schenker Daniel Fonseca venceu em São Jacinto, no passao dia 2 de Junho e é campeão nacional de bodyboard open, fazendo “Dobradinha” com Héliio Conde que comquistou o título de Dropknee

E

Daniel Fonseca 76

2019 Junho 390

m São Jacinto, Aveiro, foi a quarta e derradeira etapa do Circuito Nacional de Bodyboard powered by BBoard TV 2019, assistindo-se à conquista de Daniel Fonseca do segundo título nacional open da sua carreira. O bodyboarder do Peniche Surfing Clube, de 23 anos, bateu na final o 10 vezes campeão nacional Manuel Centeno, o rival na corrida ao título, Dino Carmo, e o veterano da Associação de Surf da Costa da Caparica, Pedro Carvalho. Refira-se que foi a primeira vitória da temporada para Daniel, que partia para esta etapa em terceiro lugar, atrás do líder


Surf

do “ranking” Ricardo Rosmaninho (Clube Naval Povoense) e de Dino Carmo (Clube de Desportos Alternativos da Nazaré) e, como tal, praticamente obrigado a vencer. E a corrida foi mesmo decidida ao “sprint”, com Ricardo Rosmaninho a cair nos “quartos” mas Dino Carmo a aguentar até à final, obrigando Fonseca a aplicar todo o seu surf nas ondas de São Jacinto. “Vinha com vontade de ganhar e tinha as pessoas certas comigo: o meu treinador, Hélio Conde, os meus pais e a minha namorada. Foram eles que me deram a força que necessitava. E o resto foi São Jacinto, com direitas perfeitas e longas, mesmo ao meu jeito”, afirmou Daniel Fonseca, que soma assim mais um título àquele conquistado em 2017. Um triunfo que suscita a questão de saber se este poderá ser o início de uma nova era do bodyboard nacional depois de 15 anos de domínio de Manuel Centeno e Hugo Pinheiro... “O Manuel e o Hugo mostraram como se domina o circuito nacional e a minha geração aprendeu muito com eles. Este ano tivemos vários no-

Laranja

mes jovens a lutar pelo título e é isso que se adivinha que aí vem para os próximos anos. Sempre com o Hugo e o Manuel a chatear-nos, como se viu nesta final” analisou o novo campeão nacional open. “Laranja” campeão de Dropknee Entretanto, na competição de Dropknee, Hélio “Laranja” Conde (Peniche Surfing Clube) estava duplamente de parabéns. Não só venceu o título nacional da es-

pecialidade ao ficar em segundo lugar da final, atrás de Diogo Pimenta (Miguel Adão foi terceiro e Tiago Maçãs quarto) , como viu o pupilo Daniel Fonseca sagrar-se campeão open. Mas confessa que o título de dropknee estava longe de ser um objetivo no arranque da temporada: “Não estava à espera de ser campeão nacional, nem sonhava tal coisa. Entrei no dropknee porque sempre gostei deste estilo de bodyboard mas não tinha noção de que poderia ganhar. Aliás,

sempre recusei pensar nisso até agora porque tenho muitos anos disto e sei que as contas só se fazem no final.” Joana Schenker hexacampeã nacional em Santa Cruz Joana Schenker sagrouse campeã nacional de bodyboard pela sexta vez consecutiva ao vencer a terceira etapa do circuito nacional, em Santa Cruz, batendo Teresa Almeida, Mariana Rosa e Madalena Padrela na final.

Pódio open

Pódio Dropknee 2019 Junho 390

77


Notícias do Mar

Últimas Campeonato Nacional de Slalom Windsurf 2019

Sagres Capital do Windsurf Decide Nacional Slalom

Miguel Martinho

A

partir do dia 13 de Junho e durante quatro dias, Sagres será a capital portuguesa do windsurf, com a Praia do Martinhal a receber o Campeonato Nacional de Slalom 2019, prova que colocará frente a frente os 30 melhores atletas masculinos da modalidade. Uma prova única que decidirá quem sucederá ao atual campeão nacional Miguel Martinho, histórico da modalidade que, aos 43 anos, já tem na sua coleção 10 título nacionais só na variante de slalom. Miguel Martinho parte para esta prova com a convicção que será “mui-

to complicado” revalidar o título: “Tenho de confessar que só comecei a treinar para esta competição esta semana. Não tenho feito muito slalom, pelo que será muito complicado ganhar. Não é que não esteja confiante, confiança temos sempre, mas tenho de contar com a concorrência que sei que será muito forte. Tenho de lhes dar o benefício da dúvida... Acerca da concorrência, Martinho tem dificuldade em destacar nomes, mas vai dizendo que o carcavelense Martim Monteiro ou alguns atletas locais serão o “osso mais duro de roer” para chegar a mais um tí-

tulo. Além destes nomes, a organização, a cargo do promotor Joel Ramos, destaca também Fernando del Cerro, Rui Silva ou o local de Sagres Carlos Clímaco. Este evento conta com

o apoio da Câmara Municipal de Vila do Bispo, Clube Naval de Portimão, Wind4All, First Aid, Mazda, Grayline e Martinhal Resort. Mais info em: Associação Portuguesa de Windsurf

Winssurf na praia do Martinhal

Director: Antero dos Santos – mar.antero@gmail.com Director Comercial: João Carlos Reis - noticiasdomar@media4u.pt Colaboração: Carlos Salgado, Gustavo Bahia, Hugo Silva, José Tourais, José de Sousa, João Rocha, João Zamith, Mundo da Pesca, Federação Portuguesa de Actividades Subaquáticas, Federação Portuguesa de Motonáutica, Federação Portuguesa de Pesca Desportiva do Alto Mar, Federação Portuguesa Surf, Federação Portuguesa de Vela, Associação Nacional de Surfistas, Big Game Club de Portugal, Club Naval da Horta, Club Naval de Sesimbra, Jet Ski Clube de Portugal, Surf Clube de Viana, Associação Portuguesa de WindSurfing Administração, Redação: Tlm: 91 964 28 00 - noticias.mar@gmail.com

78

2019 Junho 390

Profile for Media 4U

Notícias do Mar n.º 390  

Jornal Notícias do Mar Online, n.º 390, Junho de 2019.

Notícias do Mar n.º 390  

Jornal Notícias do Mar Online, n.º 390, Junho de 2019.

Profile for media4u
Advertisement