Page 1


CONTEÚDO ARTIGOS

10 Fábio Bandeira de Mello COMO UTILIZAR O WHATSAPP PARA VENDER MAIS

40 Raimundo Walter V. Júnior A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO EM TEMPOS DE CRISE 28 GRUPO R. DAMÁSIO O maior importador motopeças da América Latina, faz 50 anos

50 Walter Hélio NAVEGANDO EM MARES REVOLTOS 38 INAUGURAÇÃO Investimentos para a quebra de paradigmas 48 Relações internacionais Parceria internacional e exigências para manter a qualidade dos produtos 20 CRESCIMENTO Receita inteligente para ampliar participação no mercado

Seções 06

EDITORIAL ESPORTE

08 12

MARKETING LANÇAMENTOS

22 44

motomagazine


EDITORIAL Diretoria Osmar Silva José Haroldo G. Santos

Edição 99 - Fev. | Março 2017

Editor Osmar Silva osmar@luanda.com.br Redação Hylario Guerrero (MTB 13.468) Joelma Farias (MTB 78.793) redacao@luanda.com.br joelma.noticia@luanda.com.br Arte Bruno Ricardo Mello dos Santos Diego Igor de Oliveira arte@luanda.com.br

Diretor Comercial José Haroldo G. Santos haroldo@luanda.com.br Publicidade Ana Paula Lima José Rubens Bizarro Michele Silva vendas@luanda.com.br Skype: luandaeditores Administração Denis Jorge Thais Gonçalves luanda@luanda.com.br Jurídico Dra. Adriana Carla Gomes P. Silva Assessoria Gráfica PavaPrint Impressão Gráfica do Povo Endereço Rua Joaquim de Almeida Moraes, 273 Jd. Magali - CEP: 02844-000 São Paulo/ SP - Brasil Tel.: + 55 (11) 3461-8400/ 3461-8401

www.luanda.com.br

Representante em Taiwan PRO MEDIA COMPANY LIMITED 500 彰化市公園路 一段 258 巷 8 號 6 樓 樓 6F., No.8, Ln. 258, Sec. 1, Gongyuan Rd., Changhua City, Changhua County 500, Taiwan Tel:+886-4-726 4437 Fax:+886-4-728 4657 www.motopromedia.com e.: promedia7@xuite.net info@motopromedia.com

Os movimentos políticos

têm influenciado os negócios em todas as áreas da economia do país, como não poderia ser de outra forma. Empresas sólidas, até então, sofrem e dão sinais que em breve deixarão o mercado. Algumas, já concretizaram este movimento seja por venda, associação a grupos mais fortes ou simplesmente por abandonar o mercado. Encerram as atividades enquanto ainda podem cumprir com os compromissos ou tenham condições de fecharem acordos com fornecedores, colaboradores e funcionários. No entanto, existem também aquelas que na esteira desta situação de dificuldades, por conquistarem melhores estruturas através de uma administração competente, conseguiram visualizar com antecedência os problemas que viriam, registram crescimento tanto financeiro quanto na penetração nos mercados onde atuam. Investiram e capacitaram equipes profissionais. Desenvolveram novas estratégias, buscaram alternativas para superar os problemas que vieram. Foram ousados na maioria das vezes, acreditando em novas ferramentas e tecnologias. Desenvolveram parcerias sem preconceitos, sem medo de se fortalecerem diante de possíveis novos concorrentes, pois se houver mercado para eles, todos serão beneficiados e permanecerão saudáveis quando este período de incertezas estiver superado. Outros, com boa reserva de caixa, aproveitaram as oportunidades e ampliaram suas atividades adquirindo empresas, não apenas as que atuavam em seu segmento. Assumiram empresas em mercados promissores, porém que não mais estavam otimistas em suas atividades. As variáveis que determinaram estas ações são muitas. O que importa é que se fortaleceram quando analisaram com sabedoria o potencial da aquisição. Grandes conglomerados nacionais foram adquiridos por investidores internacionais, e não foi à toa. As ofertas de ativos nacionais estiveram com preços subavaliados frente às ofertas de moedas como o Dólar e o Euro. Esperamos que agora, quando as notícias são concretamente mais otimistas, se confirme a tendência de queda da inflação e corte nos juros e, consequentemente, venham a solidificação das mudanças no comportamento de consumo e que as empresas possam experimentar novamente um extenso tempo de bons índices de vendas e incremento na produção. Essas ações proporcionarão o retorno dos postos de emprego, o que reduziria a elevada taxa de desemprego histórica e jamais registrada no país. Todos nós

A revista Motomagazine aceita matérias técnicas como colaboração para divulgação de projetos, trabalhos, novos produtos, etc. Os artigos deverão vir acompanhados de fotos ilustrativas com as respectivas legendas e curriculum do autor. A revista não se reponsabiliza por opiniões e artigos assinados que podem ou não expressar a mesma opinião do editor. As opiniões emitidas em artigos assinados são de responsabilidade do autor. A motomagazine não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios veiculados, nem por aquisições em função destes. Todos os direitos reservados, sendo proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio, sob pena de procedimentos legais. A revista Motomagazine é uma publicação bimestral da Luanda Editores Associados LTDA., e tem sua marca registrada no INPI sob o número 820.994.286

08

Foto da capa: Rufino Damásio Fotógrafo: Sebastião Bisneto

motomagazine


COMO UTILIZAR O WHATSAPP PARA VENDER MAIS Por Fábio Bandeira de Mello*

DICA SIMPLES E EFICIENTE

Veja técnicas para utilizar essa que é uma das melhores ferramentas online da atualidade no processo de venda

Antes de falar sobre as etapas, uma dica simples, mas que pasmem, muitos não usam. Utilize o WhatsApp no próprio computador: https://web.whatsapp.com/. Você ganha em velocidade de atendimento, além de poder realizar outras tarefas profissionais ao mesmo tempo.

Quem acompanha meus artigos sabe que sempre fui um combatente ávido ao WhatsApp. Não à plataforma em si e suas funcionalidades, mas ao fato da obsessão e do valor que as pessoas colocam no aplicativo. A interação mais importante deixou de ser o tête-à-tête e passou a ser no app, uma lógica de comportamento que abandona o contato real e valoriza bem mais o virtual. Uma lógica de comportamento que é vista nos casais em restaurantes que mal conversam entre si, mas não desgrudam a tela do celular, em rodas de amigos na mesma situação, ou seja, lá onde você esteja. Se observar um pouco ao seu redor verá facilmente o olhar da maioria na tela. Caso chegue mais perto constatará que dois terços estão no WhatsApp. Isso fez até com que eu abandonasse o app por alguns anos (o que gerou um dos meus artigos mais lidos) e, depois, por uma necessidade profissional, reativá-lo novamente (falei sobre isso também). Passado esse período de amor e ódio baseado mais na questão antropológica e de comportamento do objeto de estudo, posso dizer que minha percepção pelo WhatsApp está bem diferente do que antes. Minha análise está agora na estratégia, no instrumento mercadológico, nos resultados que o app pode provocar em qualquer negócio, em como ele favorece no processo de venda. E nossa… como é eficiente esse tal de WhatsApp. É eficiente pelo simples fato do que descrevi no inicio desse texto. Todo mundo (ou quase todo mundo) está conectado a ele, bem pertinho, sempre antenado. À espera daquele bolinha verde lateral indicando quantos recados novos existem em cada conversa. E se todos estão lá, amigo e amiga que deseja melhorar sua venda, você também precisa estar. Não importa o tamanho da sua empresa, se ela é online ou presencial, o meu conselho é: UTILIZE! Recentemente, em duas consultorias que realizei, uma para um estabelecimento físico e outro digital, após inserimos o WhatsApp na comunicação, tivemos uma demanda de contatos que dobrou as interações e aumentou em 50% as vendas.

* Fábio Bandeira de Mello é Diretor de Assinaturas do Administradores.com, Diretor Executivo do Atletas Brasil e Editor/ Fundador do portal Esporte Nordeste

10

A verdade é que se você adiciona em sua comunicação esta plataforma melhorará quatro importantes etapas do processo de venda: Relacionamento, Prospecção, Venda e Pós-venda. Para facilitar, abaixo separei em tópicos algumas informações importantes de como utilizar em cada uma dessas duas etapas.

Etapa: Relacionamento O WhatsApp pode ser muito útil para desenvolver um relacionamento com seu cliente ou público-alvo. E isso não implica em bombardear com propaganda. Longe disso! A ideia é passar informações úteis e complementares como conteúdos interativos, notícias, vídeos, indicações, tirar dúvidas (esqueça correntes ou piadinhas bobas). Tudo isso faz com que você interaja, crie um vínculo com o seu público. No momento em que for realizar uma venda, pode ter certeza, a facilidade em obtê-la será muito maior. Em determinados negócios é válido criar grupo para desenvolver um elo através dessa interação. Em outros casos, a Lista de Transmissão, ou seja, o envio da mesma mensagem para muitas pessoas, é a melhor escolha. Isso vai variar justamente de como funciona o negócio e a sua capacidade de manter aquela interação atualizado. Importante: Grupos com clientes não são para todos os negócios. Caso aja um índice maior de return, reclamação, ela pode ser uma armadilha bem grande. Etapa: Prospecção Você também pode entrar em contato com pessoas que deseja oferecer o seu produto ou serviço. Muitas vezes, a tentativa é por telefone (ninguém atende), envia e-mail (não respondem), mas quando se manda um WhatsApp, BINGO, o retorno é quase imediato. Ou seja, utilizar essa ferramenta vai acelerar seu tempo na prospecção e de resposta dos clientes. O ideal é sempre fazer contato com lista de pessoas que de alguma forma já interagiram com você. Ou seja, leads que vieram do site, por outras redes sociais, de coleta em eventos. Cuidado, muito cuidado, para não fazer spam. O seu número pode ser banido e o transtorno ser bem maior. Etapa: Venda Relacionamento bem conduzido, prospecção feita, hora de fazer a venda. Colocar a oferta em tópico. E vale facilitar a vida de quem compra. Ou enviar o boleto para pagamento, um link para inserir os dados do cartão, o contrato para a continuação da proposta. Enfim, você facilita através do WhatsApp mesmo a vida de quem compra - e a sua também. Etapa: Pós-venda Existe a máxima de que é mais fácil (e mais barato) vender para o mesmo cliente do que conseguir novos. E sim, isso é verdade. Por isso, manter o contato, realizar o pós-venda, verificar se o seu cliente tem alguma necessidade, dúvida, também através do WhatsApp, se torna bem eficiente pelo alto índice de resposta. Clientes satisfeitos, além de voltarem, também indicam para outras pessoas. E isso se torna uma nova força de venda fantástica: o boca-a-boca. Mas sobre ele, falaremos em outro artigo.

Agora é colocar essas em prática.

motomagazine


e t r o esp rápidas do

BRITÂNICO É CAMPEÃO DO RALLY DAKAR 2017

O inglês Sam Sunderland1441KTIN o 16° título consecutivo do Rally Dakar ao completar a edição 2017 após 12 etapas de muitos desafios. Desde 2001 a equipe ganhou todas as edições (2008 não teve realização do evento). Sunderland também se beneficiou por uma punição de 1h dada a todos os pilotos da equipe Monster Energy Honda por conta de abastecimento em local irregular. A edição 2017 iniciou no Paraguai viajou pela Bolívia e depois foi encerrada em Buenos Aires, Argentina.

ARENA CROSS 2017

A tradicional competição de Motocross Arena Cross alcança a sua 19ª edição com a programação de cinco etapas previstas. As sedes serão em São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina, e a etapa de abertura ocorrerá no dia 9 de abril e reunirá mais de 100 pilotos. Os competidores estarão divididos nas categorias 50cc, 65cc, Júnior, MX2 e Pró — sendo esta última a categoria principal. O CALENDÁRIO DO ARENA CROSS 2017: 1ª etapa — 08/04 — SP 2ª etapa — 20/05 — SP 3ª etapa — 24/06 — RJ 4ª etapa — 02/09 — SC 5ª etapa — 30/09 — SP (Sujeito a alterações).

12

motomagazine


CAMPEONATO ITALIANO DE VELOCIDADE DE 2017 Promessa do motociclismo, americano Damian Jigalov, de 12 anos, ganhou apoio do ator Keanu Reeves para começar carreira na Europa. O menino é considerado uma promessa. No meio do ano, mostrou na Itália, como convidado, que pode acelerar os melhores do país, mas faltava dinheiro. Keanu Reeves garantiu o patrocínio ao menino. O jovem piloto fechou acordo para participar do Campeonato Italiano de Velocidade de 2017 na categoria Pré-Moto3.

CAMPEONATO BRASILEIRO DE MOTOCROSS PRÓ A Confederação Brasileira de Motociclismo promoveu algumas mudanças no formato do Campeonato para 2017. Umas das novidades é que os pilotos das categorias MX4, MXF, 65cc e 50cc voltarão a correr com os pilotos do Campeonato Brasileiro de Motocross PRÓ, em que disputam as principais classes como MX1, MX2, MX3 e Junior. Esta temporada ainda contará com duas novas categorias. Para incentivar os pilotos que estão começando, o Campeonato terá a categoria MX2-Junior, destinada a motocicletas de até 250cc 4T ou 125cc 2T e pilotos com idade de 14 a 17 anos. E também terá a volta da categoria 230cc Nacional

MOTOVELOCIDADE O piloto Pedro Sampaio aproveita para investir no condicionamento físico. Em recuperação de duas cirurgias, uma no punho esquerdo e outra na mão direita, o talento da motovelocidade está de olho na temporada 2017. As fraturas foram resultado de uma queda em Santa Cruz do Sul (RS), durante as finais do SBK Gaúcho de Motovelocidade no dia 29 de setembro.

HONDA CONQUISTA AS TRÊS PRIMEIRAS POSIÇÕES NO PIOCERÁ

Domínio total. Assim foi a participação da Equipe Honda na edição histórica de 30 anos do Enduro Rally Piocerá. Tunico Maciel foi o vencedor, Dário Júlio ficou em segundo e Túlio Malta com a terceira colocação na categoria Master da prova de motos. Nos quatro dias de disputas, os pilotos percorreram quase 1.000km de trilhas, desde a largada em Teresina (PI) até a chegada em Caucaia (CE).

RED BULL MINAS RIDERS 2017 O pais entrou no calendário do Hard Enduro Series mundial. De 17 a 21 de maio, cidades como Belo Horizonte e Ouro Preto, em Minas Gerais, sediarão pelo segundo ano consecutivo, o Red Bull Minas Riders, competição que reunirá pilotos brasileiros e estrangeiros da categoria. Serão quatro dias percorrendo trechos de pedras soltas, cascalhos, subidas íngremes, riachos e pontos que podem parecer intransponíveis. Por dia, são mais de seis horas de competição, com trajetos entre 70 e 200 km de distância. Informações e inscrições: www.redbull.com

motomagazine

13


e t r o esp rápidas do

MOTO GP

A Ducati apresentou seus modelos para a temporada 2017. Além das máquinas, foi também a apresentação do novo piloto da equipe, o espanhol tricampeão da Moto GP, Jorge Lorenzo. O piloto se juntou a Andrea Dovizioso - que vai para sua quinta temporada com a Ducati. Depois de dois títulos nas 250 cilindradas, Lorenzo chegou à categoria principal em 2008. Desde então, o espanhol só havia corrido pela Yamaha. MotoGP começa dia 26 de março, no Qatar, e termina 12 de novembro na Espanha.

MOTO GP CATEGORIA MOTO 2 A Dorna, organizadora da competição, decidiu que apenas uma marca fornecesse os motores e se apenas uma empresa os preparasse. É praticamente uma categoria monomarca, apesar de os chassis serem liberados. A Honda fornece a categoria o motor da extinta CBR 600RR desde 2010. Já estendeu o contrato duas vezes, mas 2018 será o último ano. Para 2019 a Triumph fornecerá o motor três cilindros de 765 cm3 que equipa a nova Street Triple 2017.

BRASILEIRO DE ENDURO FIM 2017

Os títulos da temporada estarão em jogo em sete etapas, com a prova de abertura marcada para os dias 18 e 19 de março no Shopping SerrAzul, em Itupeva (SP). As disputas envolvem dez categorias: El, E2, E3, EJúnior, Over 35, Over 40, Over 45 e Light, além das novas classes Over 50 e Amador. Os pilotos da elite do motociclismo também estarão de olho no título geral do campeonato, o qual aponta o mais rápido da competição.

14

NOTA DE FALECIMENTO

Um acidente durante treinamento na cidade de Tietê, no interior de São Paulo, tirou a vida do piloto de motocross André Stocovich, de 35 anos. Natural de Americana, ele caiu na pista e, com ferimentos graves, foi socorrido, mas não resistiu. Stoco, como era conhecido no meio, deixa mulher e uma filha de um ano. Era proprietário da Stocovich Racing Products e, além de patrocinar e apoiar vários atletas participava do Campeonato Brasileiro na categoria MX3 e também da Copa S. Paulo MX.

motomagazine


s a t no PRODUÇÃO DE MOTOCICLETAS DEVE VOLTAR A CRESCER EM 2017

A Abraciclo espera que o setor de duas rodas enfim volte a crescer. A projeção da entidade é de aumento de 2,5% no ritmo das fábricas nacionais de motocicletas, para 910 mil unidades. O avanço será puxado pelas vendas a outros países, que tendem a evoluir 57,6% e alcançar a marca de 93 mil veículos. No mercado interno, no entanto, o movimento deve ser de nova contração. A entidade trabalha com cenário de queda de 1,1% nas vendas no varejo, para 890 mil unidades. No atacado a redução deve ser manter, de 3,8% para 825 mil unidades. As fábricas nacionais do segmento fizeram 887,6 mil unidades, com redução de 29,7% na comparação com o resultado de 2015. Em dezembro a produção alcançou 32,8 mil motos, com baixa de 35,2% sobre o mesmo mês do ano anterior.

RECALL

A Moto Honda da Amazônia convoca os proprietários do modelo GL 1800 Gold Wing ano/modelo 2012 a comparecerem a uma das concessionárias Honda Dream. A substituição preventiva gratuita do insuflador do airbag deve ser realizada. Em junho do ano passado, a montadora fez recall idêntico do mesmo modelo para motos fabricadas entre 2006 e 2009.

CNH MUDA DE COR E FICA MAIS SEGURA

Em 2 janeiro de 2017, a CNH passou a ter novas cores e itens de segurança, atendendo à nova regulamentação do CONTRAN, válida para todo país. Uma das principais alterações é a troca da tinta azul esverdeada da tarja que fica no topo do documento atual, acima da foto de identificação do cidadão, para a cor preta. A impressão continua em alto relevo e a tarja passa a ter o mapa do Estado responsável pela emissão da CNH, do lado direito. As alterações tem o objetivo de inibir falsificações.

16

YAMAHA E HONDA DOAM MOTOS

As fabricantes doaram juntas 26 motocicletas para a Prefeitura de São Paulo. São 20 Honda XRE 300 e 6 Yamaha XTZ 250 Ténéré que serão destinadas ao uso pela Guarda Civil Metropolitana e na Companhia de Engenharia de Tráfego. Segundo informou o secretário de Mobilidade e Transportes, Sérgio Avelleda, as novas motocicletas serão usadas para apoiar o programa "Marginal Segura", que faz a readequação das velocidades nas avenidas marginais Tietê e Pinheiros.

DETRAN de São Paulo tem novo diretor-presidente O Detran-SP, tem a partir desta semana o mais jovem presidente de sua história. Aos 31 anos, o advogado piauiense Maxwell Borges de Moura Vieira assumiu o comando do departamento. A nomeação foi publicada no Diário Oficial do Estado. Maxwell Vieira estava desde maio de 2015 à frente da Diretoria de Habilitação do órgão e já atuou em outros setores do Governo do Estado

motomagazine


s a t no PM recebe 523 novas motocicletas para patrulhamento

A Polícia Militar do Estado de São Paulo recebeu do governador Geraldo Alckmin 523 motocicletas que ampliarão a segurança pública. São dois modelos: 86 unidades da Triumph/Tiger 800 XCxe as demais, adquiridas do modelo Honda XRE/300 cc. Todas serão destinadas à Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas [Rocam] do 2° Batalhão de Policiamento de Choque (BPChq)

CAMPANHA SOBRE USO DO CAPACETE

A Prefeitura de Fortaleza (CE) lança campanha educativa para condutores de motocicletas. A ação tem o objetivo de informar como utilizar corretamente o equipamento. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o uso do capacete afivelado corretamente é capaz de reduzir em até 40% o risco de morte e em até 70% as chances da vítima sofrer lesões graves na cabeça. As operações ostensivas de fiscalização serão contínuas em áreas onde e registrada alta incidência de acidentes.

Grupos de motociclistas em rodovias só com autorização

A Polícia Rodoviária Federal no Ceará esclareceu que a lei que permite multar grupos de motociclistas em eventos nas rodovias federais, estabelecida no artigo 174 do Código de Trânsito Brasileiro. Caso a infração seja constatada, a multa por pessoa é de quase RS 3 mil. De acordo com os esclarecimentos da PRF, só ocorre a infração caso o evento tenha organização prévia, com objetivo comum entre os participantes, que ponha em risco a segurança das pessoas ou que atrapalhe o fluxo de passageiros e motoristas na rodovia.

PROJETO PARA REDUÇÃO DE ACIDENTES

O vereador da Câmara Municipal de Dourados (MS), Cirilo Ramão, afirmou que pretende agilizar a discussão e tramitação do Projeto de Lei, apresentado por ele no final da legislatura passada e que "Institui a Campanha Municipal Permanente de Prevenção de Acidentes de Moto'. Cirilo propõe que a Prefeitura faça de forma permanente, campanhas de prevenção a acidentes com motos por meio da mídia, incluindo TV e rádio, e ainda promova debates, seminários, cursos, panfletos educativos que visem a redução de acidentes

18

motomagazine


crescimento

Receita inteligente para ampliar participação no mercado Aproveitar oportunidades e implementar uma administração forte, possibilitou empresa manter ritmo de vendas e também adquirir marca de produtos já consolidados no mercado. Ação para crescimento mais ágil e significativo em período de incertezas políticas e econômicass Texto : Osmar Silva | Fotos: Divulgação

20

motomagazine


a tendência dos negócios, Seguindo onde empresas bem estruturadas e com estável situação financeira, ad-

quirem outras que apresentam quadro de alguma fragilidade, a AWAMOTOS, sediada em Araraquara, interior de São Paulo, anuncia a compra da PROOS, marca de bauletos com boa penetração no mercado de acessórios. Wilson Murari, diretor-presidente da empresa AWAMOTOS, revela informações sobre o evento e seus desdobramentos tanto internos quanto em suas futuras atuações no mercado. Murari fala sobre o futuro da marca adquirida e detalha que no processo de negociação, a AWAMOTOS ficou também com o ferramental de produção da empresa em São Bernardo do Campo (SP), e que há a promessa de manutenção do nome dos produtos. Então, segundo o executivo, inicialmente irão manter a linha PROOS sob a marca geral AWA. Esta nova linha será produzida na planta industrial já existente em Araraquara, com os quatro modelos já conhecidos no mercado, nas medidas e padrões, sendo eles: 26 Lt.-29 Lt.-34 Lt. e 41 Lt. Acreditam que poderão disponibilizar todos os modelos a partir do mês de abril.

A TRANSAÇÃO A negociação entre as partes iniciou-se em dezembro de 2016 e finalmente se concretizou em meados de janeiro de 2017. Podendo, desta forma, ser considerada como um processo rápido. A ação se deu também em função do desejo dos vendedores em concentrarem a sua atuação no segmento automobilístico, onde já participam com sucesso. Assim, a AWAMOTOS se fortalece no segmento de acessórios para motocicletas, onde já tem excelente desempenho e forte penetração. A marcante tendência dos grandes investidores internacionais que tem adquirido empresas no Brasil é aproveitar o momento econômico e a situação de algumas empresas que necessitam vender ativos para concentrar suas atividades em um número menor de segmentos. A AWAMOTOS, atenta as oportunidades, também seguiu por este caminho somando as marcas e produtos em seu benefício.

Para os profissionais da cidade, a compra desta linha de produtos, abre a perspectiva de abertura de novos postos de trabalho, pois segundo o diretor, a equipe de produção deverá ser reforçada. “Não existe ainda um número definitivo de novos funcionários que deverão ser contratados em postos diretos e no setor de vendas”, afirma Murari que ainda explica que cada situação demandará movimentos específicos. “Em algumas regiões vamos manter os profissionais de vendas que já vinham atuando. Porém, em outras, a tendência é de somar mais estes itens aos atuais representantes da AWAMOTOS. Este decisão será precedida de uma avaliação minuciosa caso a caso”, esclareceu. Internamente, as providências já foram iniciadas e os processos de cadastramento dos produtos no sistema e no portfólio da empresa já foram tomados. “Colocamos como meta inicial a produção em 45 DD, porém, gostamos sempre de antecipar nossos objetivos e, estamos estruturando todo nosso 'supply chain' devido à nova aquisição”, explica o diretor. Os clientes das marcas absorveram a ação e reagiram de forma positiva as primeiras indagações sobre o evento, pois AWA e PROOS já estão consolidadas no mercado nacional e tem importante participação no MERCOSUL. “O mercado reagiu muito bem, pois valoriza o fabricante comprometido e inovador. Nosso lema é disponibilizar produtos com preços competitivos, sem abrir mão da qualidade”, enfatiza o diretor da AWAMOTOS/PROOS. A empresa tem conseguido superar os entraves gerados pela instabilidade política quando as interfaces diminuíram os volumes de compras, e não tem sido atingida por este movimento, não permitindo que esta influência externa seja prejudicial contando com o comprometimento de todos os seus colaboradores, juntamente com uma gestão muito robusta que permitiu investir e prosperar neste tempo de crise. “Nosso market share cresceu significativamente, principalmente nas regiões Sudeste e Nordeste, no período de 2015/2016. O nosso planejamento estratégico é sempre acima de 10% em relação ao ano anterior e com o auxílio de uma gestão forte e uma equipe motivada, estamos atingindo os nossos objetivos”, finaliza otimista Wilson Murari.

Instado sobre a possibilidade da continuidade desta política de crescimento através de compras de outras marcas, Murari afirmou: “Não gostaríamos de ver empresas brasileiras em situação ruim, mas temos que concordar que para planejamento da ampliação na área este é um bom momento para se adquirir outras empresas”.

motomagazine

21


g n i t e mark rápidas de

( 01 ) MXF MOTORS TEM NOVIDADES PARA 2017 A montadora paranaense MXF Motors inaugura nova sede no Paraná e passa a operar em complexo de 2 mil m² de área construída que une administrativo, estoque e montagem de motos e quadriciclos. A fabricante também anuncia novidades para 2017 que inclui montagem scooters elétricas de marca própria no Brasil. Atualmente, a empresa vende 8 mil baterias por mês e pretende chegar a 12 mil/mês, atingindo assim a fatia de 10% do mercado nacional. Em 2016, a MXF registrou aumento de 60,89% na linha de peças de reposição com relação a 2015.

( 01 )

( 02 )

(04)

(05)

(03)

( 02 ) SALÃO MOTO BRASIL 2017 Durante os quatro dias em que o evento foi realizado no Riocentro (RJ), os visitantes puderam ver de perto novidades do mercado. A feira promoveu entretenimento, negócios, educação e turismo, em espaço com 1.200 m² de área destinada a exposição de artes relacionadas ao motociclismo entre pinturas, esculturas, fotografias, tanques e capacetes customizados, peças artesanais e gravação em metais. (03) BMW FECHA 2016 COM CRESCIMENTO O ano foi marcado pelo início da produção em nova fábrica do BMW Group em Manaus (AM) e o reconhecimento da marca pela premiação “Marca do Ano”, da Fenabrave - a BMW Motorrad Brasil, concluiu 2016 na liderança do ranking de vendas de motocicletas Premium do País, consolidando sua participação no setor de duas rodas nacional. De acordo com dados divulgados pela instituição, a fabricante encerrou 2016 com 6.482 motocicletas emplacadas. A empresa está em sintonia com o crescimento global registrado pela BMW Motorrad em 2016, período que a marca alcançou 145.032 unidades vendidas, assinalando crescimento de 5,9% em comparação a 2015. (04) DUCATI ENCERRA O ANO EM CRESCIMENTO 2016 é o sétimo ano consecutivo de crescimento para a fabricante. Ao longo do ano foram entregues 55.451 motocicletas para clientes em todo o mundo, o que representou aumento de 1,2% em relado ao resultado de 2015 (54.809 mil unidades). Um ano positivo também com a introdução de novos produtos. Os Estados Unidos se confirmaram como primeiro mercado para a marca, com 8.787 motocicletas entregues a clientes. Nos mercados europeus houve crescimento de 20% na Itália, 38% na Espanha e 8% na Alemanha. Nos mercados “não-europeus” ressalta-se o forte desempenho da marca na China onde a Ducati dobrou os resultados do ano anterior (+120%). No Brasil, as vendas aumentaram 36%, e na Argentina 219%. (05) HARLEY-DAVIDSON APRESENTA A ROADSTER A concessionária Rio Harley-Davidson apresentou 12 modelos do line-up 2017 da marca para mais de 100 mil visitantes durante a 7° edição do Salão Moto Brasil. O estande de 500 m², o maior da

22

motomagazine


história da companhia no evento e o segundo maior deste ano, contou com diversas atrações. Entre as motocicletas expostas foram apresentadas a Harley-Davidson Roadster e a nova família Touring, equipada com o potente motor Milwaukee-Eight™, o nono da história da H-D. (06) POLARIS ENCERRA ATIVIDADES DA VICTORY O grupo norte-americano Polaris anunciou o encerramento das atividades da montadora americana Victory. O grupo controla ainda a Indian e a produção de veículos off-road, snowmobiles Rush e triciclos Slingshot. O processo de liquidação do negócio começa imediatamente e espera-se que esteja totalmente concluído em até 18 meses. Fundada há 18 anos, a marca Victory teve forte presença no mercado norte-americano chegando à quarta posição no market share local, mas as vendas globais somaram pouco mais de 10 mil unidades. (07) MV AGUSTA ANUNCIA NOVO PARCEIRO COMERCIAL NOS EUA Para aumentar sua presença nos Estados Unidos e Canadá, a MV Agusta anunciou união de forças com o Urban Motor Group para o desenvolvimento de negócios no mercado norte-americano. A parceria é parte da estratégia de marketing da MV Agusta para reforçar e consolidar a marca na região. Alinhados com a ambição da marca italiana, a nova equipe de gerenciamento vai focar em criar uma consciência da marca entre os consumidores americanos.

(06)

(07)

(08)

*Giovanni Castiglioni (esquerda) presidente da MV Agusta e o CEO e fundador da Urban Motor Group, Joseph Elasmar (direita) (08) SOBRETAXA PARA MOTOS IMPORTADAS DA EUROPA O Escritório dos Representantes Comerciais dos Estados Unidos enviou proposta ao governo sugerindo a sobretaxação de motocicletas importadas da Europa. Segundo informado, todas as motos equipadas com motores de 50 a 501cm³ seriam obrigadas a pagar imposto de 100% para entrar no mercado norte-americano. Em nota, a Associação Americana de Motociclistas declarou que "conflitos comerciais agrícolas não devem ser resolvidos com sanções comerciais impostas contra produtos não-agrícolas".

(09)

(09) CUSTOMIZADOR REPRESENTA SP EM CONCURSO NO RIO Pelo 3° ano o Salão Moto Brasil apresentou, como uma das principais atrações, o Bike & Art Show, uma "galeria" de arte que reuniu as principais tendências e importantes nomes da customização de motocicletas no Brasil. Uma das atrações foi o concurso de motos customizadas, assinadas por respeitados customizadores do Brasil. Um dos participantes foi o customizador Chrystiano Miranda, de São Paulo, onde há 21 anos trabalha profissionalmente.

motomagazine

23


g n i t e mark rápidas de

(10) NOVA PRESIDÊNCIA

(10)

A Asset Beclly - Piaggio Brasil anuncia a chegada do italiano Giuseppe de Paola que assume a presidência da empresa. Seu antecessor, Longino Morawski, agora está sendo anunciado como novo sócio presidente da Cl Advisory. Giuseppe estudou em Milão e Londres, cidades em que cursou Economia, especialização em Marketing e Comunicação e MBA em Administração de Empresas. O executivo deixou a montadora para fundar grupo de investimento, pelo qual atuou na Itália, Suíça, Brasil e Dubai. (11) CONCEITO A Honda apresentou, na feira de tecnologia Consumer Electronic Show (CES), em Las Vegas (EUA), o protótipo Riding Assist. A tecnologia faz com que o modelo NC750 se autoequilibre. Além de reduzir consideravelmente a possibilidade dela tombar mesmo parada, a moto também tem programação e sensores que permitem a moto seguir o dono.

(11)

(12) KAWASAKI DIVULGA NOVA TABELA DE PREÇOS NO BRASIL A fabricante divulga nova tabela de preços públicos sugeridos para sua linha de motocicletas nacionais e importadas oferecidas no mercado nacional. O consumidor pode obter o informações sobre os novos preços através do site: kawasakibrasil.com.br. (12) (13) SALÃO DUAS RODAS 2017 A Reed Exhibitions Alcantara Machado, promotora do Salão Duas Rodas, anuncia as datas oficiais da edição 2017 do evento. O 14° Salão Duas Rodas está programado para acontecer de 14 a 19 de novembro, em novo endereço, o São Paulo Expo Exhibition & Convention Center (antigo Expo Imigrantes), que fica na zona sul da cidade de São Paulo. A venda de ingressos para a edição 2017 do Salão Duas Rodas ainda não tem data definida para começar.

(13)

24

(14)

(14) RASTREADOR COM SEGURO PROTEÇÃO EM DOBRO A lturan acaba de ampliar a cobertura com Seguro (ICS), no mês de fevereiro: agora, motos de qualquer modelo podem contratar os serviços da empresa. O serviço está disponível para motos na Grande São Paulo, Campinas e Baixada Santista, tendo a garantia da seguradora CABE Brasil. A cobertura contempla motos a partir 250 cilindradas, de até dez anos e R$ 50 mil. A solução da Ituran oferece socorro eletromecânico, troca de pneu, transporte alterativo e guincho até 100 km.

motomagazine


CONTENT MARKETING

r

grupo

damásio, O MAIOR IMPORTADOR DE MOTOPEÇAS DA AMÉRICA LATINA FAZ 50 anos

Quem desce de um avião no Aeroporto Petrônio Portela, em Teresina, depara-se com uma cidade média, bem alinhada, arborizada e limpa. Os primeiros sinais de metrópole estão à mostra em seus edifícios que se multiplicam, nas bem conservadas avenidas com iluminação de LED, na ostentação de uma ponte estaida, tudo em contraste com a primeira ideia que se faz quando se pensa em visitar o Piauí, tido como um dos estados mais pobres do país. Foi em Teresina, uma cidade de características mesopotâmicas, banhada pelos rios Parnaíba e Poti, que se abraçam no “Encontro das Águas”, que encontramos um case de sucesso empresarial digno de ser contado: uma pequena loja de peças para bicicletas ocupando um ponto alugado de 12 metros² deu origem a outras empresas que, juntas, totalizam hoje uma área de 76.820 metros² só de estoque. Ou seja, 6.401 vezes maior do que a sua primeira e acanhada loja. E com o detalhe de que toda essa mercadoria está abrigada em prédios construídos em projetos arquitetônicos modernos, arrojados e arejados. Essa história começa em 1967. Hoje, 50 anos depois, a modesta loja de peças para bicicletas virou um conglomerado empresarial que atua nos ramos hoteleiro, moteleiro, imobiliário, industrial e de motopeças. São 13 empresas instaladas nos estados do Piauí, Ceará e Maranhão, com negócios em todos os estados do país e com a China. O grupo é hoje o maior importador de peças para motocicletas da América Latina.

28

Quem está por trás desta história exitosa é um homem simples, que se recusa a calçar sapatos e a abrir mão de seu bermudão e dos chinelões. De alfabetização tardia, a muito custo fez o curso de Técnico em contabilidade. Com um curso de espanhol voltado para os negócios e muita vontade de aprender, ele já andou por mais de 50 países. Com intuição altamente apurada, objetivo, raciocínio rápido, perguntador, muita coragem e determinação, desenvolveu uma lógica própria de ver o mundo e os negócios. Trata-se de Rufino Damásio da Silva, ou simplesmente, Damásio. Ele tem 72 anos. Na aparência, passaria fácil por mais um dos tantos nordestinos que não saíram da linha da pobreza. Mas este moreno – como se diz no Nordeste – de estatura mediana, de olhos pequenos e vivos, é um dos homens de negócios mais bem-sucedidos da região. Ele é o fundador e dono do Grupo R. Damásio. Nas próximas linhas vamos contar um pouco da trajetória de seu império e de seus muitos planos.

COMO TUDO COMEÇOU Dos 50 anos da fundação da empresa R. Damásio, comemorados no último dia 2 de janeiro, os primeiros 22 anos foram dedicados exclusivamente à venda de peças para bicicletas. E tudo começou quase que por acaso. Damásio tinha deixado a casa dos seus pais no interior do Piauí para tentar a sorte na capital.

motomagazine


Rufino Damásio

Das pedaladas no setor de peças para bicicletas à aceleração nos negócios para os ramos de serviços, indústria e peças para moto Texto: Zózimo Tavares Fotos: Sebastião Bisneto

29


CONTENT MARKETING

CPL Import, importadora do Grupo R. Damásio

Em Teresina, foi ajudante de pedreiro, serviu o Exército e, depois que deixou o quartel, se tornou cobrador da Rádio Clube de Teresina, uma das três emissoras da cidade. O pouco que recebia de comissão por suas cobranças guardava para realizar o sonho de montar um estabelecimento comercial para si e também para ter condição de puxar para a cidade os irmãos mais novos que tinham ficado na roça. Mas qual o comércio seria o ideal? Um dia, cobrando a propaganda de uma empresa de motopeças, surgiu a oportunidade. O comerciante tinha tentando ampliar seus negócios vendendo peças para bicicletas. Não deu certo! Então, pagou o comercial na rádio com o resto das peças para bicicletas que tinha no estoque. Damásio ficou com as peças, pagou a rádio, e abriu a sua primeira empresa, com um capital que nos dias de hoje equivaleria a R$ 1.500,00 ou 500 dólares. Esse pouco dinheiro era uma fábula para ele! Com o tempo, depois de se firmar no varejo, Damásio pôs mais uma etapa de seu plano em execução e começou a convidar alguns de seus parentes para se mudarem para a capital. A ideia era a de que repetissem seu feito: abrir uma loja de peças. Ele mesmo forneceria as mercadorias. No convite, firmava um compromisso: até todo o estoque ser pago, o novo lojista só poderia comprar dele. Fez isso com muitos parentes. E estava nascendo ali a sua primeira experiência como atacadista.

30

O escritório chinês (em Qingdao) é o responsável pelo desenvolvimento de produtos, acompanhamento de qualidade e embarques

GANHANDO O MUNDO Já no início da década de 80, entendeu que era preciso dar o passo seguinte. Atravessou, então, o Rio Parnaíba – que separa o Piauí do Maranhão – e foi buscar clientes fora do seu estado. As primeiras viagens foram para o interior do Maranhão e do Pará, pilotando um Fiat 147 recém-lançado no mercado. Damásio fez os primeiros clientes pessoalmente. Depois, avançou para os estados do Ceará e Pernambuco. E não parou mais. Hoje as empresas do Grupo R. Damásio têm representantes em todos os estado do país com negócios, inclusive, em cidades fronteiriças onde a entrega das mercadorias só se faz de barco ou até mesmo de avião. Em 1992, foi dado um novo salto, com a abertura do mercado brasileiro para as importações, no Governo Collor. Até ali, o mercado era quase que uma exclusividade da indústria nacional. Havia muitas barreiras para quem desejasse importar. De toda ordem! Com o mercado internacional enfim aberto, Damásio atravessou os oceanos em busca de novos produtos, novos fornecedores e preços competitivos.

motomagazine


capa CONTENT MARKETING

R. Damasio

Motobike

TD Motopeças do Piauí

Em pouco tempo, já estava importando de países como Argentina, Alemanha, Espanha, Itália, Índia, Taiwan, Japão, China e da antiga Tchecoslováquia. De lá para cá, esse intercâmbio comercial de seu grupo com o exterior só tem crescido. A partir do ano de 1999, com a estabilidade econômica advinda do Plano Real, a R. Damásio decidiu investir no ramo de motopeças. Depois de visitar em São Paulo o Salão Internacional de Motocicletas (SIM), realizado no começo de 1999, e perceber que o negócio era viável, Damásio partiu para China aproveitando a experiência exitosa que já acumulava na importação de peças para bicicletas. Precisava encontrar na Ásia fábricas que estivessem dispostas a investir em moldes de novos produtos que fossem compatíveis com as motocicletas usadas no mercado brasileiro. Tratou de montar e equipar um escritório na China que trabalhasse exclusivamente para os interesses de seu grupo de empresas. Fundado em Qingdao, na província de Shandong, onde desde então se encontra a pleno vapor, o escritório chinês é o

32

responsável pelo desenvolvimento de produtos, acompanhamento de qualidade e embarques. Os produtos saem do Porto de Shanghai, atravessam 13.847 milhas náuticas (aproximadamente 25 mil km) de oceano e chegam ao Brasil através do Porto do Pecém, na Grande Fortaleza, estado do Ceará. De lá, são transportados para a CPL Import, importadora do Grupo R. Damásio que fica instalada em uma megaestrutura que ocupa 30.000 metros² de área coberta na cidade do Tianguá, na Serra da Ibiapaba, divisa natural dos estados do Ceará e Piauí. Fica a 319 quilômetros de Fortaleza e a meio caminho de Teresina, onde está situada a sede administrativa do Grupo R. Damásio. Tudo isso envolve uma mega e fantástica operação logística. É a CPL Import que abastece, além de grandes clientes Brasil afora, as seis distribuidoras do Grupo R. Damásio situadas nos estados do Piauí (R. Damásio, Motobike e TD do Piauí Ltda.), do Maranhão (Maranhão Distribuidora de Motopeças e TD do Maranhão Ltda.) e do Ceará (RD Distribuidora de Motopeças).

motomagazine


CONTENT MARKETING

Maranhão Distribuidora de Motopeças

TD Motopeças do Maranhão

RD Distribuidora de Motopeças

ESTOQUE Damásio sempre teve uma verdadeira obsessão por casa cheia. Uma de suas leis é que o melhor lugar para o capital de um comerciante estar é em seu estoque. Por ter sido sempre assim, afirma de boca cheia e sem disfarçar o orgulho de que sua importadora e suas 6 distribuidoras de motopeças dão conta de abastecer, sozinhas, o mercado brasileiro, da América do Sul e da América Central. “Minha mercadoria não apodrece, e uma hora ou outra os concorrentes podem ficar desabastecidos e eu tenho mais essa chance de servir à minha clientela”, justifica ele, com um sorriso no rosto e os pequenos olhos brilhando.

AS “LEIS DAMÁSIO” Ao longo do tempo, como já antecipado, Damásio criou suas próprias leis para os negócios. Suas máximas estão espalhadas em placas coladas nas

34

paredes de suas empresas. Dentre elas, estão: “Os ignorantes têm problemas. Os sábios têm soluções” e “Humildade é uma chave que abre todas as portas”. Mas, explicando esta última máxima, ele adverte que não se deve confundir humildade com subserviência. Outra lei que criou pra si, e cumpre a ferro e fogo: “Só compro fiado amanhã.” Diferente do ditado popular original (“Fiado só amanhã”), exibido em placas e inscrições nas paredes de pequenos estabelecimentos comerciais, Damásio é que se impôs o capricho que toma como ponto de honra de não comprar fiado. Ele conta que sofreu muito no início de sua vida de comerciante por não ter capital. Assim, perdeu muitas noites de sono pensando em como honrar seus compromissos financeiros. Jurou para si que se, após 10 anos da abertura de seu negócio, não tivesse condições de comprar somente à vista, iria desistir do comércio e procurar outro rumo para sua vida. Na sua filosofia de homem sertanejo, promessa é e sempre foi dívida. Então, no dia 2 de janeiro de 1977,

motomagazine


Metropolitan Hotel

Garden Motel

Gráfica do Povo

Afrodite Motel

exatamente 10 anos depois de iniciar sua atividade comercial, reuniu os quatro funcionários que tinha e fez uma pequena celebração. Dali em diante, e até hoje, só compra à vista. Quando não, paga antecipado! Tem sido rigorosamente assim nos últimos 40 anos. Seja a compra pequena ou grande! Esta medida não vale apenas para as empresas de motopeças. Elas vigoram para todas as empresas do Grupo R. Damásio.

AS “MARCAS DAMÁSIO” Ao longo do tempo, além das suas leis, no ramo de motopeças, Damásio criou marcas próprias para seus produtos: MHX, TRILHA, AUDAX, DANIXX, MEGATUBE, JUNKUN e JEC PRO. Os produtos que importa com suas marcas são submetidos a rigorosos testes de qualidade. Há sempre uma equipe de técnicos e engenheiros de prontidão para atestar a qualidade dos produtos que chegam ao Brasil antes de chegar aos clientes.

motomagazine

Laboratório de testes de produtos

35


Sucessores e atuais dirigentes Danilo Damásio, Tiago Damásio e Rufino Damásio Filho

A SUCESSÃO Damásio tem 7 filhos. E a mesma disciplina que impôs a seus negócios fez vigorar em casa para encaminhar os filhos na direção dos estudos e do trabalho. Quatro deles formaram-se médicos e instalaram um Hospital Dia no Polo de Saúde da capital do Piauí, o Hospital Lucano, especializado na saúde do homem e da mulher. Dois formaram-se em direito e o mais novo é engenheiro. Os três últimos abraçaram as atividades empresariais do pai e deram partida na expansão do Grupo R. Damásio, com a criação de novas empresas no setor de peças e também em outras áreas, como motelaria, hotelaria, imobiliária e indústria gráfica. O Grupo R. Damásio possui os dois motéis mais luxuosos da cidade: o Garden, inaugurado em 1999, e o Afrodite, aberto em 2003. No ano de 2001, Damásio inaugurou o Metropolitan Hotel, na Avenida Frei Serafim, a principal da cidade. Desde então, todo ano, o seu hotel é eleito pelo Guia 4 Rodas como o melhor do Piauí e um dos melhores do país. Não é sem razão que os presidentes da República, grandes estrelas do mundo da música, como Roberto Carlos e Ivete Sangalo, dentre outros, além ministros e grandes executivos, o adotaram como sua casa quando visitam Teresina e região. No ramo imobiliário, o Grupo R. Damásio estendeu seus braços pelos estados do Piauí, Ceará, Maranhão, Distrito Federal, Minas Gerais e São Paulo.

36

UM GRUPO DE EMPRESAS PREPARADO PARA OS PRÓXIMOS 50 ANOS Hoje, entregue ao comando de seus filhos Danilo Damásio, Tiago Damásio e Rufino Damásio Filho, o grupo anda a passadas firmes e largas, fiel ao lema que inspirou os passos de seu fundador: “Qualidade e credibilidade”. Dessa forma, mantém a pressa e a determinação para otimizar processos, reduzir custos, ganhar mercados e abrir novas frentes de negócios. Nos últimos anos, muito foi investido em tecnologia de informação, treinamentos, melhorias de qualidade de produtos e em logística. Hoje, as empresas de motopeças do Grupo R. Damásio possuem a tabela mais completa do país, com mais de 20.000 itens. E também são as empresas que mais lançam produtos no mercado. Quando uma nova motocicleta é lançada no Brasil, os técnicos brasileiros e chineses imediatamente entram em ação para desenvolver suas peças de reposição e, com isso, chegar ao cliente com as novidades a tempo de abastecer o mercado. Enxuto, moderno e ágil, o Grupo R. Damásio se encontra preparado para os novos desafios e, assim, levar adiante o sonho e a vocação de seu fundador de empreender sempre, sem esquecer a chave que, segundo Damásio, abre todas as portas: a humildade!

motomagazine


inauguração

Investimentos para a quebra de paradigmas

Duas novas empresas anunciam atividades na produção de peças e acessórios no estado do Ceará. Evento importante que levará desenvolvimento social e facilitará a obtenção de produtos de qualidade com maior agilidade no atendimento Por Osmar Silva A confiança do setor produtivo de motopeças fica cada vez mais evidenciada através dos novos investimentos que têm sido realizados visando a cobertura do mercado de forma mais abrangente. Principalmente para a região Nordeste onde existe expectativa não só da manutenção dos atuais volumes de vendas como grande incremento na procura pelo consumidor de peças e acessórios direcionados a manutenção e embelezamento das motos, já que as pesquisas recentes demonstraram que a compra de motos zero km tem diminuído sensivelmente. Seguindo este conceito, duas novas empresas se instalam na cidade de Várzea Alegre, no estado do Ceará, para produzir ali piscas, lentes e manoplas para utilização nas marcas líderes de vendas. A Pisca Mais e RVG MAIS chegam com o conceito de oferecer conforto, segurança, qualidade e, na soma destes benefícios, fazer com que os consumidores tenham maior satisfação e consequentemente, melhor custo/ benefício. É importante destacarmos a iniciativa dos empresários que apesar de ter enfrentado no biênio 2015/2016 forte corrente de pessimismo e desconfiança nos mais variados setores da economia, por conta da instabilidade política, ainda assim detectaram possibilidades de crescimento contínuo e

38

seguro. Criaram alternativas, buscaram parcerias mais sólidas, alteraram rumos com a finalidade de ter maior proximidade com áreas de consumo ainda carentes de diferenciais tanto na relação comercial, quanto na gama de produtos ofertados. Louvável a iniciativa, pois de outra maneira, a contribuição social para a região se concretiza com a abertura de novos postos de trabalho e distribuição de renda. Estes profissionais terão condições de dignamente estarem no mínimo consumindo os produtos da cesta básica com os seus rendimentos, além de todos outros bens necessários para a sobrevivência de seus familiares. Isto talvez seja o fato mais importante desta ação. Uma visão macro de ofertar condições para o verdadeiro desenvolvimento humano e aumentar o número de consumidores. Ganham as empresas, ganha o mercado que passa a ter mais opções de marcas e produtos.

Tomara que estas iniciativas prosperem infinitamente.

motomagazine


Foto: Maurício Nahas

Ponto de Criação

sonHar Kaike, paciente do GRAACC, com Reynaldo Gianecchini

cerca de 70% de cura, 90% de pacientes do sus e referência no tratamento do câncer infantil Com a ajuda de muita gente, ampliamos o nosso hospital e as ChanCes de reCuperação de Crianças e adolesCentes Com CânCer. nosso orgulho é poder mostrar a Cada doador que sua Contribuição é investida Com muita responsabilidade para ofereCer aos paCientes, Como o KaiKe, um tratamento digno, humano e Comparado aos melhores do mundo. junte-se a nós! seja um doador.

www.graacc.org.br

1991

1998

2013


A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO EM TEMPOS DE CRISE Por Raimundo Walter Veras Júnior* Segundo dados do IPEA, o Brasil passa pela maior recessão das últimas décadas, associada a desinvestimentos em vários setores, políticas de bem-estar social sofrendo cortes drásticos, as micro e pequenas empresas - PMEs amargando prejuízos, em suma, o país passa por um “tsunami” sem fim, com PIB negativo acumulado nos anos de 2015 e 2016, taxas elevadas de juros, inflação beirando os dois dígitos e demais indicadores mostrando que 2017 não será diferente.

*Raimundo Walter V. Júnior - Professor Especialista do Curso de Graduação em Administração. Supervisor e Orientador de Estágio. Supervisor Comercial na Indústria Tory Brindes Ltda. Sócioproprietário do Centro de Estética Luna Beauty. Designer Gráfico/ Interiores.

40

Em decorrência desse famigerado cenário, as empresas estão fazendo cortes e fechando as portas, segundo fontes de “O Estadão”, há aproximadamente 18,9 milhões de empresas ativas, destas, 1,8 milhão encerraram as atividades em 2015. O desânimo é percebido em todas as regiões do Brasil. Não há uma luz no fim do túnel em curto prazo, ainda mais com os escândalos de corrupção sendo renovados a cada dia. Conforme se notícia, algumas medidas estão sendo tomadas para a retomada do crescimento, ainda, alguns economistas mais otimistas falam que a recuperação dar-se-á somente em 2018, enquanto isso, como sobreviver com tanta retração e falta de capital circulando no país.

ALGUNS QUESTIONAMENTOS SÃO PERTINENTES: • O empresário deve investir na expansão do seu negócio em tempos de crise?

• Poupar o que acumulou ou investir em portfólios mais rentáveis, deixando a empresa em segundo plano. • Investir em marketing de fato traz algum retorno? • Como fidelizar e captar novos clientes? O cliente é a certeza da manutenção e existência de qualquer atividade comercial ou industrial, este tem um papel preponderante para que os indicadores econômicos venham melhorar. As empresas por pensar apenas na queda das receitas, voltam os olhos para a estrutura interna, agindo de forma retrátil com demissões a fim de reduzir os custos e corte de benefícios, acaba que não investe o capital acumulado para ampliar o negócio, o cliente externo fica em segundo plano, as vendas diminuem e as dívidas só aumentam a ponto de ter que fechar as portas. Diante do exposto, sem ações estratégicas de marketing a empresa perderá competitividade, surge então um modificador importantíssimo para a captação, fidelização e manutenção dos clientes da empresa, o Marketing de Relacionamento. Segundo McKenna (1991), marketing de relacionamento significa construir e sustentar a infraestrutura dos relacionamentos de clientes. É a integração dos clientes com a empresa, desde o projeto, desenvolvimento de processos industriais e de vendas. Ainda, de acordo com especialistas, quando bem aplicado traz resultados consideráveis para todos os Stakeholders. O foco principal da ferramenta

motomagazine


é criar uma relação contínua e crescente entre o cliente e a empresa, além da relação saudável, deve promover os diferenciais perceptíveis para que o mesmo tenha interesse em se manter fiel a marca consumida ou a empresa, fatores essenciais para o sucesso do programa, atrelado a treinamentos constantes dos colaboradores e investimentos para um plano de fidelização, discorreremos sobre algumas etapas básicas. COMO ESTRUTURAR O MARKETING DE RELACIONAMENTO NA SUA EMPRESA? 1. Devemos primeiramente ajustar as não conformidades da estrutura da organizacional da empresa, criando uma cultura de fidelização com os colaborares, sabe-se que o primeiro contato do cliente ocorre com os colaboradores devem estar satisfeitos por trabalhar na empresa, esta cultura precisa ser disseminada através de treinamentos constantes; 2. A empresa deve dispor ou investir num sistema de base de dados, manter um o histórico de vendas e dos seus perfis de compras do cliente, há vários softwares no mercado; 3. Criar canais para que o cliente fale da experiência de compra e do atendimento, podemos citar: Redes Sociais, SMS, Whatsapp, Chat, e e-mails com marketing de conteúdo (mala direta), não se esqueça de realizar o feedback para que haja sinergia e reciprocidade entre cliente/empresa. 4. Criar campanhas institucionais e promocionais a fim de promover o portfólio de produtos e serviços aos seus clientes, não se esquecendo de manter a base de dados sempre atualizada; 5. Segmentar os clientes por seus perfis de compras e atendê-los de forma diferenciada, esteja atendo a frequência de compras e registrar o que não foi atendido, como um produto que a empresa no momento não fornece; 6. Desenvolver ações de incentivo e retorno para o cliente como: cartões fidelidade e promoções em datas comemorativas com descontos especiais; 7. Antecipe as novidades através do canal mais adequado, informe o seu cliente sobre os lançamentos de produtos e serviços; é sempre bom recebermos uma correspondência com o nome

42

estampado informando sobre a novidade, ainda, com um brinde anexo; 8. Promova eventos para cada lançamento de grande valor agregado, convide o seu cliente e faça com que ele sinta parte da família, lembre-se, a empresa deve se concentrar nos parceiros e clientes, transferindo o foco interno para o externo; 9. Esteja atendo as mudanças mercadológicas, informe sobre o produto ou serviços que não será mais oferecido, explicando os motivos e dando outras opções, não deixe o seu cliente perceber que a empresa está migrando para outro segmento ou descontinuando um produto sem que este informado antecipadamente, assim, ele se programará dentro de um determinado prazo, utilize os canais para informá-lo; 10. Utilize pesquisas de satisfação, este é o fim do ciclo no processo de venda, o cliente insatisfeito dificilmente volta a comprar em casos de um atendimento não conforme ou se o produto não atendeu as suas necessidades, este pulverizará para amigos, parceiros, redes sociais e em sites específicos sobre a experiência da compra. Antecipe-se, faça os ajustes necessários e trace novos planos de ações, lembre-se do caso da empresa Samsung? Os recursos destinados para um bom plano de Marketing de Relacionamento dependerá da estrutura da empresa, não obstante, cabe ao gestor analisar o ambiente em que está inserido, através de relatórios com dados precisos, destarte, fomentar e desenvolver programas para que os investimentos tragam retorno diante da atual crise, mas deve-se ter cuidado para não investir em marketing sem pesquisas e estratégias adequadas, certamente estará jogando dinheiro pelo ralo, contrate empresas especializadas, produza conteúdos relevantes, faça testes antes de qualquer ação e não espere os resultados de imediato, mensure o retorno de cada canal utilizado e realize os ajustes em tempo real, afinal o cliente não espera, ele age rapidamente e muda com constância. Muitas empresas estão fazendo o mesmo, é o seu dever se destacar dos demais e neutralizar a concorrência. O marketing é a manutenção do seu negócio, não é gasto e nem desnecessário, invista e perceberá os resultados em 2017.

motomagazine 29


Sempre te levando mais longe A Vulcan.Bor possui uma linha completa de peças de reposição e acessórios voltados para o mercado de motopeças. Componentes fabricados em equipamentos de última geração e com materiais de altíssima qualidade, tornam a Vulcan.Bor uma empresa de Excelência, garantindo a total satisfação de seus clientes com desempenho e segurança.

Conheça nossas marcas:

Confira nossa linha completa de produtos no site:

www.vulcanbor.com.br /VulcanBor

/vulcan.bor

Iluminação

Motor

Impacto

Rodagem

Boutique

Veja e sea visto

Te levando mais longe

Pura resistência

Criando tendências

(11) 2066-2000 (11) 9.8555-0215


o t n e m a ç n a l 01

03

02 01

CORRENTES NAKATA

04 02

CALÇA RACER RACE TECH

A fabricante lançou para o mercado de reposição linhas de componentes undercar para veículos leves e insere em seu portfólio novas correntes para motocicletas. As correntes são compatíveis com modelos de várias montadoras – Honda, Suzuki, Yamaha, Dafra, Kasinski e Sundown.

A calça Racer foi desenvolvida para o motociclista que procura praticidade e conforto. Proteção completa, impermeável e respirável. Tecido resistente a abrasão, com proteção nos joelhos, bolsos laterais, cinto ajustável e suspensório. Indispensável para o dia a dia.

www.nakata.com.br

racetechbr.com

03

04

JAQUETA FALCON RELOADED TEXX

CAPACETE LS2 VECTOR EVO ORION REFLETIVO BR MOTORSPORT

Jaqueta em Poliéster 600D de alta resistência e conforto; sistema STOPWATER (100% impermeável). Bolsos internos STOPWATER para documentos e celular; refletivo SHINE, melhorando em 80% a visibilidade de outro condutor para o motociclista; sistema de refrigeração AIRTEXX com entradas e saídas de ar; tecido Neoprene no pescoço e mangas. Certificado pela CE.

Modelo tricomposto Vector Evo Orion que pesa 1.390kg. Possui grafismos que refletem no escuro, forração removível e lavável, sistema de viseira solar interna retrátil que protege os olhos dos raios do sol. Disponível nos tamanhos 53 ao 64.

ls2.com.br

texx.com.br

44

motomagazine


05

07

06 05

F 800 GS ADV. 2017

BMW

O modelo tem modo de condução Rain & Road, sistemas ABS e o controle automático de estabilidade (ASC). Acelerador Ride-byWire, motor bicilíndrico, movido a gasolina, de quatro tempos e oito válvulas, e 798cc, de refrigeração líquida que entrega 85cv de potência (a 7.500rpm), com torque máximo de 83Nm, a partir de 5.750rpm. Câmbio de seis marchas e tanque com capacidade para até 24L.

www.bmwmotorrad.net.br

06

XRE 300 HONDA

A fabricante lançou o modelo STD da XRE 300, a STD Adventure, com nova opção de grafismos na linha 2017. Com motor DOHC, duplo comando no cabeçote de 291,6 cm³. Monocilíndrico de quatro tempos, tem arrefecimento a ar alimentado por injeção eletrônica PGMFi, desenvolvendo potência máxima de 25,4cv a 7.500rpm e torque de 2,76kgf.m a 6.000rpm quando alimentados por gasolina e 25,6cv a 7.500rpm e torque de 2,80kgf. ma 6.000 rpm quando alimentada por etanol.

08 07

ROAD KING SPECIAL 2017 HARLEY-DAVIDSON A Road King Classic, da linha 2017 Harley-Davidson tem guidão mais alto e linhas descendentes no perfil até a rabeta. O modelo recebeu novo motor MilwaukeeEight 107, com 1.745 cc, dois cilindros e 14,8 kgfm de torque. A suspensão dianteira é Showa e as rodas de alumínio são de 19 polegadas na frente e 16 polegadas na traseira. As malas laterais são de material rígido e não em couro.

08

BLOCO ÓPTICO E CHICOTE RAINHA DAS SETE ETE 2069. O bloco óptico produto é fabricado com alta tecnologia e é compatível ao modelo CG TITAN 150 MIX 2009 até 2010. ETE26000 Relé de partida elétrica: O chicote é adaptável aos modelos CG/ TITAN/POP/ BIZ/NXR e CBX 250 TWISTER.

www.rainhadassete.com.br

www.harley-davidson.com

www.honda.com.br

motomagazine

45


o t n e m a ç n a l 09

10 12

11 09

FZ25 YAMAHA

O modelo pode substituir a Fazer 250 no Brasil. Com motor de 1 cilindro refrigerado a ar e óleo, a potência máxima é de 20,9cv a 8.000rpm e torque máximo de 2,4kgf.m a 6.000rpm. Com um tanque de 14 litros, a FZ25 pode ter consumo de até 43 km/l.

www.yamaha-motor.com.br

10

BLOCO ÓTICO PLASMOTO

11

LUVAS AIR TECH RACE TECH

O produto é adaptável ao modelo POP 110 l. É fabricado com as mesmas matérias primas utilizadas nas peças originais.

A luva Air Tech foi projetada para ser leve e proporcionar ao piloto a verdadeira sensação de liberdade, sem abrir mão de sua proteção.

www.plasmoto.com.br

racetechbr.com

12

SCOOTER ELEKTRA ELEKTRA MOTORS Novo conceito de motocicletas elétricas que combina design e potência. Com design italiano, o modelo totalmente elétrico, sem alimentação de motor a combustão, tem autonomia de até 80km e chega a 40km/h, em aceleração contínua, e não causa qualquer dano ao meio ambiente.

www.elektramotors.com.br

46

motomagazine


Relações internacionais

Parceria internacional e exigências para manter a qualidade dos produtos Para atender com eficiência o mercado de peças e acessórios, a Laquila desenvolve parcerias com produtores asiáticos, porém, sempre priorizando a qualidade. O gerente comercial da empresa, Charlles dos Reis, conta um pouco desta relação comercial, a importância do mix de produtos da empresa e as novidades que traz para o mercado Texto : Osmar Silva | Fotos: Divulgação

Com a importância de representar em torno de 70% do faturamento atual da empresa, as peças de reposição atingem o significativo número de aproximadamente cinco mil peças no portfólio da Laquila, a parceria com os produtores sediados principalmente na China, exige total atenção e cuidados na companhia, sendo que invariavelmente, anualmente executivos visitam o país para manterem-se atualizados quanto aos itens ali produzidos. “São 25 anos deste relacionamento que foi iniciado pelo nosso diretor-presidente e ainda, atualmente, seguimos o lema implantado por ele na oportunidade: sempre conhecer as fábricas antes de iniciar qualquer parceria de trabalho”, recorda o gerente comercial. As inovações tecnológicas, designers e a adequação aos padrões para as devidas certificações, estão dentro das exigências e conformidades da Laquila. “Assim, grande parte dos lançamentos que fizemos em 2016 e os próximos que estaremos disponibilizando ao mercado, são resultados de respostas à pesquisas que realizamos e estão sintonizados com o desenvolvimento atual das interfaces na China. Uma extensa relação de produtos disponíveis com a garantia de qualidade Laquila, casos como: Embreagens completas GP; Pistão e anéis KMP CG 160; Anel Rik CG 160; Biela TXK CG 160; Cilindro oversize KMP. Kit motor (cilindro/pistão/anéis/ jogo juntas) com diâmetro maior para aumento de cilindrada. Embreagem modificada para competição que buscam melhor desempenho. Peças para motos novas do mercado, tais como: Bros 160, CG 160, XRE 190, POP 110 inj. Além do que, retornamos a

48

venda a linha de pistão para motos 2 tempos”, relata Charlles dos Reis. Para evidenciar e este momento de atuação na área de vendas da empresa, várias novas promoções no ‘PDV’ estão sendo criadas e mantidas aquelas que se mostraram eficientes durante o período de 2016, para impulsionar o ritmo dos negócios. Camisetas, adesivos e outros materiais de comunicação serão distribuídos para distribuidores e lojas. A expectativa do gerente comercial, Charlles dos Reis, para o próximo período de 2017, é bastante otimista. "Os lançamentos que tivemos na linha KMP/ TXK /WW3/ GP / CONDOR, das motos de giro inclusive as motos lançamentos 2016, todas tiveram ótima aceitação. Isso nos leva a acreditar na continuidade deste quadro. Nosso mercado de reposição continuará a todo vapor em 2017, apesar da crise, este segmento de mercado continua em crescimento”, afirma. “Acreditamos que teremos mais um ano difícil, mas estamos preparados e vamos superar algumas dificuldades que serão resquícios de 2016. Estamos nos adequando para essa mudança de mercado, trabalhando mais com itens de giro”, finaliza Charlles dos Reis. Novos produtos estão sendo produzidos e programados para lançamento ainda neste ano. Estão em fase final de testes e foram planejados e desenvolvidos durante a última visita que foi realizada pela equipe da Laquila aos parceiros chineses.

motomagazine


A Grande Onda de Kanagawa - Katsushika Hokusai C. 1830-1833

NAVEGANDO EM MARES REVOLTOS Por W. Hélio* Estamos a tempos atravessando uma verdadeira tempestade de notícias ruins, seja na área social, política ou econômica, e que tem pressionado em demasia as empresas e seus comandantes. Navegar nestas águas turbulentas não tem sido uma tarefa fácil para muitos, e ainda não conseguimos avistar um mar mais calmo em nosso radar. Por este motivo e, é exatamente neste momento que as empresas necessitam ter profissionais capacitados para ajudar a fazer esta travessia sem deixar que o barco afunde ou chegue em seu destino com profundas e sérias avarias. Administrar uma empresa em tempos de “vacas gordas”, não e uma missão muito difícil, pois todos os erros e estratégias incorretas ou a falta delas, não são sentidas, havendo espaço para aventuras em projetos sem muito estudo, sem muita preparação e pesquisa. Porém, em momentos de recessão, qualquer estratégia ou investimento mal avaliado pode levar a empresa e todo negócio ao fundo do oceano (o barco afunda mesmo).

* WALTER HÉLIO - Pós Graduado em Adm. de Marketing

50

Outro dado importante é que tentar corrigir a rota dos negócios durante o período de crise mais aguda com movimentos bruscos, sem planejamento, sem consulta as pessoas ligadas a área comercial, sem avaliação correta da atual e real necessidade dos clientes, tem gerado experiências amargas e decepcionantes aos nobres comandantes. Perdidas em teses acadêmicas ou

experiências vividas quando o mercado exalava uma demanda sem precedentes empresas tomam decisões ao calor dos acontecimentos e quando as coisas não dão certo bate o desespero, e o que vemos são empresários se agarrando em promoções e ofertas sem pé nem cabeça tentando se salvar agarrando-se ao que puder para sobreviver. Quem se fortaleceu antes da tempestade, quem investiu nos colaboradores, quem entendeu e se adequou aos sinais que o próprio mercado já vinha indicando, quem manteve um bom mix de produtos e se preocupou com rentabilidade do negócio vai chegar ao fim de toda esta turbulência com algumas avarias, é natural, porém muito mais fortalecido para um novo e promissor cenário que nos aguarda. Para finalizar, gostaria de deixar uma frase do General Sun Tsu (General estrategista e filósofo chinês) que viveu por volta dos 500 a.C., e que resume este cenário: Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas.” (Livro A arte da guerra)

motomagazine


Profile for Luanda Editores

Motomagazine 99  

Motomagazine 99  

Advertisement