Page 1


CONTEÚDO

20

Capa

EMPREENDEDOR TRAÇA SEUS CAMINHOS PROFISSIONAIS

38 24º Encono

Motomagazine

ENCONTRO EVIDENCIA A FORÇA DO SETOR

32 enevista

MOTOCICLISMO E VELOCIDADE, PAIXÕES DESPERTAS NA INFÂNCIA

Seções

Editorial Artigo

06 24

Marketing Esportes

08 34

Lançamentos

14


Luanda

Diretoria Osmar Silva José Haroldo G. Santos

Edição 97 Dezembro 2016

Editor Osmar Silva osmar@luanda.com.br Diretor José Haroldo G. Santos haroldo@luanda.com.br Redação Hylario Guerrero (MTB 13.468) hg.noticia@luanda.com.br Joelma Farias (MTB 78.793) redacao@luanda.com.br Design Editorial Bruno Ricardo Mello Diego Igor de Oliveira arte@luanda.com.br Publicidade: Luanda Brasil Serviços de Publicidade Ana Paula Lima José Rubens Bizarro Michele Silva vendas@luanda.com.br Assessoria gráfica Pavaprint Impressão AGNS Administração Denis Jorge Juici Monteiro Thais Gonçalves Rodrigues luanda@luanda.com.br

Jurídico Dra. Adriana Carla Gomes P. Silva Endereço: R. Joaquim de Almeida Moraes, 273 Jd. Magali - CEP 02844-000 - São Paulo/SP Tel.: +55 (11) 3461-8400 / 3461-8401

EDITORIAL Em um ano que iniciou repleto de dúvidas e todos totalmente inseguros para realizar investimentos tanto na produção quanto no consumo, vamos finalizando o período com menos perdas do que imaginávamos. Não aconteceram grandes investimentos, no entanto, aqueles que ousaram em suas atividades, conseguiram sobrepujar o pessimismo geral do mercado. Se o número de motos novas licenciadas foi menor que o patamar dos anos anteriores, segundo informações das entidades de classe, o motociclista evidenciou maior preocupação com a manutenção da sua moto que vinha sendo usada. Desta forma, empresas fornecedoras de itens para reposição e até aqueles para a customização, alcançaram bons índices de vendas. As oficinas mecânicas estiveram sempre com suas agendas repletas e à procura de bons profissionais para completarem seus quadros de funcionários. Um verdadeiro Oásis no deserto econômico do País. Neste caso, o grande drama foi a falta de profissionais com as qualidades necessárias para as funções. O desenvolvimento de novas tecnologias que permitem, ou exigem, conhecimentos para a aplicação de testes e análises via informática das motocicletas, foi problema sério para aqueles que não se capacitaram ao longo do tempo para exercer as funções técnicas nesta nova dinâmica. O tempo do martelo e do jeitinho para detectar e consertar possíveis avarias, passou… Os itens mecânicos, principalmente, são mais sofisticados. Para constatar e consertar, verdadeiros robôs foram desenvolvidos. Eles são muito mais eficientes, mas, logicamente, ainda dependem do comando do ser humano. O mesmo se dá na linha de produção das fábricas. Novas máquinas e ferramentas estão à disposição para realizar tarefas que até bem pouco, estavam 100% sob responsabilidade da atividade humana. Agora, onde era necessário vários funcionários para a operação, a máquina moderna diminuiu drasticamente esta quantidade, quando não simplesmente eliminou a operação através do ser humano. Este é um quadro que tende a continuar evoluindo, já que as empresas pesquisam cada vez mais formas de produzir com menor custo, maior agilidade e qualidade. Problema para os profissionais que veem a suas funções diminuírem quando não são extintas completamente. Porém, todo o problema tem solução. Este também será equacionado de forma que outras funções venham absorver esta mão de obra. Cursos de qualificação e atualização não faltam para suprir a necessidade dos conhecimentos modernos que tornarão mais eficientes e qualificadas a mão de obra disponível. Assim, patrões e empregados terão facilidades para preencherem os postos de trabalho.

Todos nós

motomagazine aceita matérias técnicas como colaboração. Os artigos deverão vir acompanhados de fotos ilustrativas com as respectivas legendas e curriculum do autor. A revista não se reponsabiliza por opiniões e artigos assinados que podem ou não expressar a mesma opinião do editor. As opiniões emitidas em artigos assinados são de responsabilidade do autor. A revista não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios veiculados, nem por aquisições em função destes. Todos os direitos reservados, sendo proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio, sob pena de procedimentos legais. A revista motomagazine é uma publicação bimestral da Luanda Editores Associados LTDA., e tem sua marca registrada no INPI sob o número 830.025.693

Foto: Waldemar Ramalho | divulgação


01

02

03

01 RINALDI - INVESTIMENTOS NA ÁREA DA QUALIDADE • A Rinaldi reforçou os investimentos na área da qualidade na fábrica de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha. As melhorias foram aplicadas em todos os níveis de atuação do departamento, desde a contratação de profissionais especializados para reforçar a equipe até ações que visam certificações nacionais e internacionais e o desenvolvimento de novos produtos. A empresa já apresenta ótimos números de mercado, o que demonstra a grande aceitação dos pneus e das câmaras de ar. Contudo, estão reforçando sua presença no território nacional e no exterior. COMEMORAÇÃO EM DIA DE FESTA • A empresa recebeu os colaboradores e seus familiares com muitas atrações no Dia das Crianças. Distribuição de presentes e sorteio de três bicicletas para as crianças. RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES • Após série de ações pelo país nas últimas semanas, a equipe da fábrica gaúcha realizou treinamentos aos colaboradores da Comercial Bresciani, em Herval d’Oeste (SC), e da P Pneus, em Pato Branco (PR), além de visitas a parceiros em Goiânia (GO). Nos treinamentos passaram informações sobre os produtos e o mercado de pneus para as equipes de vendas dos parceiros. 02 BRIDGESTONE E CULTURA SUSTENTÁVEL A exposição Recicla Pneus chega às estações de metrô de São Paulo mostrando a história do pneu e as diversas destinações possíveis após sua vida útil. Fruto do trabalho e pesquisa do artista Daniel Beato o projeto conta com o apoio da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, por meio do Programa de Ação Cultural – ProAC. O metrô República será a primeira parada da mostra. Conscientizar o público da responsabilidade com o meio ambiente é um dos objetivos da exposição. A mostra apresenta diversas maneiras de reaproveitar o pneu inservível. 03 PIRELLI VENCE O TOP MASCULINO Categoria de pneus da edição 2016 da pesquisa Folha Top of Mind. Pelo oitavo ano consecutivo. Foram 61% das citações no levantamento de 2016, 14 pontos acima da média. A empresa atua diretamente em temas importantes para a sociedade, como a manutenção da estátua do Cristo Redentor, no RJ, além disso, há mais de 50 anos, publica o Calendário Pirelli, que marca, ano a ano, a beleza e os costumes do tempo. Envolvida com o que há de melhor no esporte a motor, indo desde a Fórmula 1, passando pela Fórmula Truck, Stock Car, Brasileiro de Marcas, Brasileiro de Turismo, Porsche GT3 Cup Challenge, Mit Rally, Superbike e Campeonato Brasileiro de Motocross. PNEU OFICIAL DA 36ª EDIÇÃO DA MEGACYCLE O evento realizado em Poços de Caldas (MG). O estande da fabricante contou com estrutura para venda e instalação de pneus acima de 600cc. A troca gratuita para

>>

08


04

05

06

os clientes que adquiriram novos pneus da fabricante, como o Diablo Rosso III, recém-lançado que redefine o conceito de pilotagem esportiva em termos de aderência e dirigibilidade com performance duradoura. 04 HONDA - CELEBRA 45 ANOS NA VIDA DOS BRASILEIROS Tudo começou em 26 de outubro de 1971 com a importação e distribuição de motocicletas para o mercado nacional. Há uma cronologia, ano a ano, como por exemplo: 1975 - O governo vetou a importação de motocicletas, o que fez com que a Honda antecipasse seu projeto de iniciar a produção nacional na Zona Franca de Manaus (AM). 1976 - É inaugurada a fábrica de motos Honda em Manaus e nasce a primeira moto Honda “Made in Brazil” – a Honda CG 125. 1981 – Nasce o Consórcio Honda, se tornando a maior administradora de consórcio do mundo, com mais de 1,8 milhão de clientes ativos e mais de 13 milhões de cotas vendidas em todo o País. 1998 - 1º Centro Educacional de Trânsito Honda (CETH), em Indaiatuba. 2000 – Banco Honda foi criado em julho de 2000. 2006 – Inaugura novas unidades em Recife (PE): Centro de Treinamento e Centro de Distribuição de Peças. 2013 – Novo Centro de Desenvolvimento e Tecnologia (CDT) de motocicletas. 2014 – Inauguração do parque eólico da Honda Energy do Brasil, em Xangri-Lá (RS). 05 MOTOSCHOOL Escola de pilotagem acaba de lançar novo serviço para quem deseja adquirir uma moto de alto padrão. A proposta do MotoTest é reunir em um só local, modelos das mais variadas marcas para que o futuro proprietário possa testá-las num ambiente adequado, com acompanhamento de instrutores, fazer suas avaliações e escolher o modelo que melhor se encaixa com seu gosto e estilo. Inédito no Brasil, o serviço facilita a vida do comprador, o que exclui a necessidade de visitas a diversas concessionárias e, possibilita explorar ao máximo o desempenho da motocicleta numa pista apropriada. O interessado deve entrar em contato com: mototest@motoschool.com.br – e reservar sua vaga. 06 KAWASAKI A Kawasaki Racing Team acaba de conquistar o bicampeonato de construtores do Mundial de SuperBike na etapa da Espanha, no Circuito de Jerez, e assegurou ainda, antecipadamente, o título entre pilotos. Restando apenas uma rodada para o encerramento da temporada 2016. O piloto norte-irlandês, Jonathan Rea está com as duas mãos na taça e muito próximo se tornar bicampeão defendendo a escudeira japonesa. Seu único adversário é o companheiro de equipe, Tom Sykes. A escuderia japonesa fechou 542 pontos, 75 a mais que a Ducati, a segunda colocada.

>>

10


07

08 09

07 YAMAHA LEVA O PRÊMIO MOTO DO ANO Na edição 2017 do “Prêmio Moto do Ano”, que revelou as melhores motocicletas lançadas nos últimos 12 meses, o evento contou com 56 motocicletas inscritas em 10 categorias participantes, com avaliações feitas em pista por jornalistas especializados, e diante de uma comparação direta entre os concorrentes. Os jurados testaram as motocicletas de cada categoria e deram notas em sete quesitos: motor, suspensões, freios, agilidade, conforto, custo/benefício e design. A vencedora de cada categoria foi o produto que somou mais pontos. A YAMAHA venceu entre os Scooters, categoria que mais cresce nos grandes centros urbanos -com o “NMAX”, com o motor mais potente da categoria, único com freios ABS e painel 100% digital, além da iluminação em LED, e venceu também na Street, categoria de maior volume de mercado do País, com a “MT-03”, que carrega o DNA da MT-09 e MT-07, entregando performance e agilidade para o uso urbano. 08 BRIDGESTONE: MOVIDOS PELA PERFORMANCE A Bridgestone, fabricante de pneus, está com as inscrições abertas para seu primeiro programa de jovens profissionais, com o objetivo de apoiar a estratégia de crescimento da empresa. As vagas são para as áreas Comercial, Marketing, Finanças e Supply Chain, lotadas na sua sede administrativa, no município de Santo André, região metropolitana de São Paulo. Missão: trazer jovens que tenham alguma vivência profissional, com forte capacidade de realização e que possam deixar sua marca e trazer suas contribuições para a cultura organizacional da Bridgestone. 09 RIFFEL MOTOSPIRIT Como promoção do Dia das Crianças, a Riffel, mostrou que adultos também podem se presentear, sugerindo roupas de segurança com descontos de até 30%: Jaqueta Dynamic 2.0 Feminina; Jaqueta Masculina Urban; Luva New Racing Pró Masculina, e se o presente for uma peça para a moto, alguns aros em alumínio 700º WN – preto, polido ou dourado - de diferentes tamanhos também estão com descontos convidativos.

10

12

10 MISSÃO EMPRESARIAL EM BUENOS AIRES Com objetivo de aproximar duas das mais importantes cidades na América, a InvesteSP promoveu a Missão comercial São Paulo-Argentinaque visa levar uma quantidade maior de produtos do coração financeiro e industrial do Brasil para a Argentina. A missão faz parte de uma série de ações que vêm sendo tomadas para aproximar institucionalmente os dois países.O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, incentivou o aumento das relações comerciais entre as duas cidades em audiência com o presidente argentino Mauricio Macri. Participaram cerca de 130 empresas brasileiras. A STLU foi a única do setor de motopeças a marcar presença no evento.


01

01

Rolamentos WRP

MFX Motors

Destinados a motos profissionais e amadoras, dando melhor desempenho. Fornecem maior precisão do eixo de rotação e contribuem para maior capacidade de velocidade. Vida útil prolongada, cerca de 10 vezes mais que os rolamentos convencionais. Produzidos com material resistente, o revestimento evita o desgaste e a corrosão. Possuem vedações de borracha com tripla borda. www.mxfmotors.com.br

14

04

05

02Brasil Racing 03 Riffel FILTRO DE AR TWIN AIR KTM

Possuem duas camadas de espuma fundida, uma mais grossa e outra mais fina, retendo os menores grãos de areia. Base produzida em espuma totalmente plana, garantindo o máximo de contato com a caixa de ar, agindo como uma junta respirável e oferecendo maior passagem de ar. Evita a queima precoce do óleo. Compatível com todas as marcas de motos. www.brasilracing.com.br

03

02

LUVA RACING SUMMER

Confeccionada em uma combinação entre 80% couro natural, que tem uma alta resistência, e tecido Mesh, que permite a entrada e circulação do ar; modelo cano curto; proteção nos dedos e um camada de carbono do dorso da mão; na cor preta com detalhes em vermelho. www.riffel.com.br

04

BOTA FOX COMP 5

Foxhead

Alta durabilidade, resistência, design agressivo e arrojado. Novo padrão de botas para Motocross. www.foxhead.com.br

05 Riffel

CALÇA SUMMER R2

Acabamento de cós em neoprene; tecido com tramas mais espaçadas em algumas partes permitindo a ventilação; forro resistente à água removível; tecido resistente à abrasão de 600De; refletivos para visualização noturna; na cor preta e regulagem de altura do protetor do joelho, na cor preta. www.riffel.com.br


07

06 09

MAHA APRESENTA NOVA CROSSER 2017

r, nova iluminação de painel e novos grafismos, a CROSSER nua sendo a melhor opção quando o assunto é desempenho, versatilidade e conforto com economia

________________________________________________________________________

10

08

ue oferece conforto, estilo aventureiro, modernidade e versatiliseu modelo 2017 - a Yamaha Crosser 2017, disponível nas ABS CROSSER 2017 PANIGALE 959 A CrosserJAQUETA 2017 é resultadoNMAX da 160 parceria que uniu a criatividade SUMMER R2 Yamaha Yamaha Ducatti s brasileirosRiffel e japoneses da Yamaha em busca de oferecer aOmeNovo motor de 160cc, Conforto, estilo avenmodelo tem as a de pilotagem, em consideração as características das característicom a maior potência tureiro, modernidade e mesmas Feita com tecidolevando Mesh, A motocicleta foies-desenhada especificamente para disponíatender o da categoria 15,1cv! versatilidade, casuso da 1299 Panigale. com tramas mais Primeiro scooter do vel nas versões E e ED. Com nova unidade de paçadas, nas áreas do midor nacional que não abre mão de conforto, economia de commundo com sisteA Crosser 2017 é resulta- transmissão de 955 cm3 peito e em toda parte a ótima performance.

06

07

08

09

do da parceria que de cilindro duplo, a interna; forro resistente ma de controle de abertura variável de uniu a criatividade dos primeira Superquadro à água removível; teciovos do grafismos válvulas (vva), para engenheiros brasileiros a obter a homologação resistente à abrasão melhor desempenho e japoneses da marca de modelo Promot 4. de 600De; protetores e economia de comem busca de oferecer Torque internos homologados; cor, a “Competition Blue”. A Crosser 2017 permanece com seumais impressiobustível. Câmbio cvt. a melhor experiência nante e maior potência refletivos para visur: o “Up Fender” recortado, localizado abaixo do farol. Alémmáxima. das Com 176 kg, é só acelerar. Primeiro de pilotagem, levando alização noturna; nas anque, com de ar funcionais de combustível scooter do segmento e da emtampa consideração as o novo modelo conta cores pretaentradas e cinza. com freio a disco e características das ruas comroDucati Quick Shift www.riffel.com.br egrado ao tanque, suas linhas continuam fortes, agressivas, ABS nas duas rodas. brasileiras e , econo(DQS), rnas. Agora os grafismos inspiram mais ousadia, jovialidade etecnologia de Modos de Pilotagem. www.yamahamotors.com mia de combustível. www.yamahawww.ducatti.com.br motors.com

16

10

PISTÕES, BIELAS, VIRABREQUINS E VÁLVULAS

Pro X Racing

Internos de alta qualidade, como pistões, bielas, virabrequins e válvulas. A companhia inova e disponibiliza o Kit de Reparo do Carburador para diversas motos. Também expandiu sua gama de atuação para diversos outros componentes externos ao motor como pastilhas de freio, coroas, pinhões e etc. proxracingparts.com.br


11 12 13 11

STREET SCRAMBLER

Triumph

Apresentada no Salão de Milão (Eicma), a nova Scrambler baseada na plataforma Street Twin, tem alterações no quadro, amortecedores traseiros com curso maior, guidão mais largo, roda de 19pol na frente e pneus “dual purpose” Metzeler Tourance. As mudanças ajustam o modelo para utilização também fora de estrada. www.triumph.com.br

18

14 12

G 310 GS

BMW

Apresentada no Salão de Milão, na Itália, a nova trail de média cilindrada BMW G 310 GS, derivada do modelo G 310 R. Ágil no trânsito da cidade e extremamente robusta sobre terrenos leves. Motor monocilíndrico de refrigeração líquida, de 313 cc, presente na G 310 R, com quatro válvulas e dois eixos de comando, juntamente com a injeção eletrônica de combustível. www.bmwmoto.com.br

13 WLS

KIT TRANSMISSÃO

Kit Transmissão com Têmpera Aço 1045, modelo premium www.vulcanbor.com.br

15 14

KIT TRANSMISSÃO

WLS

Kit transmissão Standard www.vulcanbor.com.br

15 WLS

AMORTECEDOR TRASEIRO

Se adequa a diversos tipos de motos. www.vulcanbor.com.br


capa

20


Empreendedor traça seus caminhos profissionais O catarinense Rodrigo Gonçalves, 33, é natural de Joinville, SC. Formado em Administração de Empresas, Ciências Contábeis e Pós Graduado em Gestão Empresarial e Gestão Comercial, entrou para o setor através de consultorias prestadas a empresas do segmento automotivo e, por fim prestação de serviços na Vedamotors

datos para apenas quatro vagas, sendo aprovado e vindo a fazer parte de uma das maiores empresas de auditoria do mundo (PWC – Pricewaterhousecoopers Auditores Independentes). Adiante fui convidado para conduzir a controladoria de uma distribuidora regional da AMBEV em Joinville (Bebidas Príncipe). Depois de tempo, fui trabalhar na auditoria interna de uma rede de lojas de varejo (Lojas Salfer). Após dois anos fui convidado para trabalhar em um escritório de auditoria e consultoria (Martinelli Auditores), onde exercia o cargo de gerente de auditoria e novos negócios. Durante uma reunião de negócios na Vedamotors, recebi a proposta para integrar a empresa e fazer parte da Gestão Diretiva da Vedamotors”, explica.

Texto: Hylario Guerrero | Imagem: divulgação Há cinco anos na empresa, atualmente o executivo ocupa o cargo de gerente geral, tendo como principal responsabilidade a área comercial (vendas, maketing, desenvolvimento de produto e logística).

Gonçalves sempre residiu e trabalhou em sua cidade natal, Joinville, e agora está em Rio do Sul, SC, há cinco anos. Sobre sua tutela estão 130 colaboradores que vão desde os maiores cargos da empresa até os menores em diversas funções. Viaja o Brasil inteiro, bem como por toda a América Latina, com ou sem a presença do supervisor de vendas.

“Acho que minha característica principal é ser empreendedor, e assim sempre busco traçar meus próprios caminhos, pessoais e profissionais. Sempre estive na gerencia geral da empresa, no entanto, inicialmente me dediquei à controladoria, depois fiquei dedicado um ano e meio à produção e aos processos produtivos, e desde o ano 2014, dediquei maior parte do tempo à área comercial”, conta Gonçalves, lembrando que sua participação no desenvolvimento dos negócios da empresa é de 100%.

“Não possuímos vendedores, e sim três supervisores aftermarket. Um supervisor off road, um supervisor J&F, Naútica e Indústria, e, um supervisor para a América Latina. Contamos ainda com 29 representantes, mais 30 prepostos. Não temos telemarketing. Fazemos merchandising e acredito que a nossa principal ferramenta de vendas é o ‘Relacionamento’ com o cliente. Possuímos material promocional nos pontos de vendas, e nossos produtos podem ser encontrados no Brasil inteiro”, comenta.

Gonçalves descreve sua trajetória profissional comentando que iniciou sua carreira profissional como vendedor, em rede de lojas de vestuário e calçados masculino. Porém como estava cursando administração queria muito ingressar em uma indústria. “Foi então que, por estar disponível ao mercado participei de um processo seletivo com mais de 500 candi-

“A maior representatividade da empresa se encontra na região Nordeste. Mas, como possuímos diversas linhas de produtos, a análise deve ser mais profunda. Pretendemos atuar com intensidade sempre em todas as regiões, pois o foco sempre serão elas. Já exportamos onde atuamos também através do Mercosul”.

21


capa

Os produtos que a empresa tem no mercado são Juntas (considerado o carro chefe da empresa), Anéis, Retentores, Guarnições, Cilindros, Pistões, Bielas, Válvulas, Filtros de Ar, de óleo e combustível, sendo que mensalmente há novos lançamentos. Gonçalves diz que os diferenciais destes novos produtos, além da qualidade, é a performance de cada produto. São itens que atendem a todas as cilindradas, inclusive as motos de competição. Acredita que os preços dos itens que comercializam sejam bastante competitivos em relação aos concorrentes, principalmente porque possuem uma estrutura que a maioria dos concorrentes não têm. “Entre as principais dificuldades que tenho enfrentado em minha atuação, está a negatividade do mercado. Impressionante como as pessoas se deixam abalar pela mídia, e o trabalho que tem que ser feito para mantê-las motivadas diante dos acontecimentos. Para superar uma dificuldades como esta é preciso ouvir a todos, pensar muito, buscar informações e agir com rapidez..., sabemos que todos os dias temos novos desafios..., e para me reciclar, faço uso de muita leitura, pesquisas e principalmente grande network com amigos, empresários e ex companheiros de trabalho”, diz o gerente geral. “Com minha atuação, acredito que muita coisa mudou na empresa, mas é difícil mensurar, pois não estou sozinho. Os números mostram que nos últimos dois anos dobramos a empresa, mas isso é mérito de toda a equipe, ninguém vai longe o bastante se estiver só!!! Tenho muitos planos a serem implementados em minha gestão, alguns já em prática, outros ainda aguardando o momento certo. “Vejo o mercado financeiro em nosso país como instável, obscuro, duvidoso. Sabemos que nenhuma economia será perfeita a vida inteira. Os altos e baixos são importantes para que as empresas e as pessoas possam sair de sua zona de conforto e melhorar. Logicamente que todo o mercado financeiro se abalou por nossa política, mas mesmo com essa ‘bagunça política’ e desequilíbrio econômico, o mais

22

os números mostram que nos útimos dois anos dobramos a empresa, issó é merito de toda a equipe, ninguém vai longe o bastante se estiver só!!! importante seria se não houvesse tanto desemprego. Se retomarmos o nível bom de empregabilidade, com certeza o mercado ganha força e voltamos a crescer”, e acrescenta sua análise: “O mercado de reposição de moto está bem. Mesmo que venhamos a ficar com um parque circulante envelhecido, pois as vendas de motos novas estão em queda. Ainda assim, os usuários das motocicletas estão evitando ao máximo a manutenção de suas motos, e com isso os clientes diminuem seus estoques. O fato é que as pessoas estão poupando mais, evitando gastos ou investimentos e isso faz com que o mercado gire lentamente”. “Sempre que estou na empresa procuro melhorias, estudando, pesquisando, ouvindo a equipe, etc., e quando estou fora procuro oportunidades de negócios, ou seja, enxergar aquilo que não se vê facilmente”, diz. “Temos grande respeito pela atuação de cada um dos concorrentes, desde que a concorrência seja leal. Todos sempre têm algo de bom para nos ensinar ou nos fazer repensar nas estratégias”, comenta. “Nossa expectativa para o primeiro semestre de 2017 é de que haja queda no desemprego. Pois, se as pessoas estiverem empregadas, haverá o consumo, e havendo o consumo o país volta a crescer. Na prática não é tão fácil, pois não é fácil retomar a confiança de investidores e empresários para que haja investimentos nos país, mas indiferente de quem esteja à frente na política, temos que pensar em alternativas que nos façam crescer”, finaliza o gerente geral.


artigo Por Daniela Schermann *

Planejamento: Você sabe q Tomar decisões, conduzir ações e solucionar problemas de maneira rápida. Na rotina das empresas essas são atividades comuns. Com novas demandas surgindo o tempo todo e equipes superenxutas, o desafio é fazer mais com menos e atender às exigências dos clientes. Em meio a esse cenário, muitas empresas se esquecem de fazer uma das coisas mais importantes: o planejamento. No último trimestre do ano, toca o sinal de urgência. Quem ainda não planejou 2017 ainda pode fazê-lo! Para ajudar, vou indicar algumas pesquisas que podem ajudar no processo. POR ONDE COMEÇAR O PLANEJAMENTO Ante de sair traçando metas, planos e ações para colocar em prática no ano que vem, comece fazendo uma avaliação de 2016. Reúna a sua equipe, olhe o que foi feito nos primeiros nove meses do ano e o que ainda dá para fazer antes do especial do Roberto Carlos. Avalie as metas e indicadores para ver quais foram os pontos fortes e quais os pontos fracos. Entre os itens que não foram cumpridos ou que ficaram abaixo da meta, procure entender os motivos. Pesquisas de satisfação e pesquisas de clima organizacional são fundamentais para que você tenha uma visão ainda mais completa do cenário. Ao realizar essas pesquisas, você vai ouvir os dois públicos fundamentais para o sucesso da sua empresa: seus clientes e seus colaboradores. Com base nas informações que você reuniu com sua equipe, nos indicadores da empresa e nos resultados da pesquisa, realize um diagnóstico da empresa até o momento.

24

2017: PARA ONDE QUEREMOS IR? Agora, é hora de começar a planejar o próximo ano. Um bom exercício a ser feito nesse momento é solicitar para que o gestor de cada área apresente as suas ideias, tanto para o seu próprio departamento quanto para a empresa como um todo. É importante levar em conta alguns fatores externos, como cenário macroeconômico e tendências do seu mercado. Além disso, fazer uma pesquisa para saber como seus concorrentes estão sendo avaliados também pode trazer resultados valiosos para o seu planejamento, identificando oportunidades e fraquezas da sua marca em relação aos produtos similares no mercado. Ao fim dessa etapa, a equipe envolvida no planejamento deve chegar a um consenso de onde a empresa quer chegar no ano seguinte, seja em termos de resultados financeiros ou algum outro indicador que seja mensurável. Por exemplo, uma startup pode decidir que quer dobrar seu faturamento, um restaurante pode determinar que quer terminar o ano com um novo serviço de delivery consolidado e uma agência de publicidade pode estabelecer que quer conquistar cinco novas grandes contas com receita recorrente. E você, onde quer chegar? PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Até aqui, você já fez uma análise do cenário e já sabe onde sua empresa está. Além disso, já definiu para onde quer ir e seus objetivos macros. Agora, é hora de fazer o planejamento estratégico, ou seja, definir quais são as estratégias que farão você sair de onde está e caminhar até onde você quer chegar.


que rumo tomar em 2017? Nessa etapa do planejamento, serão traçadas as principais estratégias de cada área e da empresa como um todo. PLANEJAMENTO TÁTICO Após definir as estratégias da empresa para o ano seguinte, é preciso definir como isso será feito. Aqui, cada área vai estabelecer ou validar suas metas e objetivos, e também quais ações deverão ser realizadas para que cada objetivo estratégico seja cumprido. O planejamento tático deve contemplar quais recursos serão necessários para que as ações sejam cumpridas. Não estamos falando apenas de orçamento, mas também de recursos humanos e tecnológicos. Na nossa pesquisa sobre inovação nas empresas, feita em parceria com a Locaweb, nós mostramos como algumas empresas estão procurando inovar e apresentamos uma lista de ferramentas e soluções para quem quer ser inovador. Esse material pode dar insights muito interessantes para o seu planejamento, e você pode baixar gratuitamente o ebook com o resultado da pesquisa. Além disso, é importante que o planejamento tático apresente as responsabilidades e os prazos previstos para cada uma das ações. No caso das responsabilidades, não é necessário estipular o nome de quem irá executar cada uma das tarefas, mas sim qual a área ou gestor responsável. Com relação aos prazos, um erro muito comum que as empresas cometem é colocar muitas ações concentradas no primeiro semestre e poucas no segundo. Acabam ocorrendo prazos impossíveis de cumprir logo no início do ano, que comprometem

o planejamento como um todo e ainda desanimam o time. Por isso, procure traçar uma linha do tempo possível de ser executada, com as ações bem distribuídas ao longo dos doze meses. O RESULTADO FINAL Transforme o seu planejamento de 2017 em um documento acessível. Ele deve apresentar, de forma clara e objetiva, cada uma das etapas acima: diagnóstico, objetivo, estratégias e ações. Apresente alguns dados que orientaram as decisões do planejamento, como indicadores da empresa e resultados de pesquisa. Reúna as principais metas e o cronograma macro do ano que vem. Por último, mas não menos importante: trace um calendário de reuniões periódicas para revisitar o planejamento e conferir se as metas e ações estão sendo cumpridas. A periodicidade dessas reuniões vai variar de empresa para empresa, mas podem ser mensais, bi, tri ou até mesmo semestrais. Não esqueça de incluir no seu planejamento as pesquisas que você pretende realizar durante o ano seguinte. Pesquisas de satisfação, de hábitos de consumo e de buyer persona são fundamentais. Caso seu planejamento esteja prevendo o lançamento de um novo produto, não deixe de fazer uma pesquisa de teste de produto. *Daniela Schermann é líder de marketing do Opinion Box, empresa especializada em soluções digitais para pesquisas de mercado e opinião

25


empresa

Bons produtos, excelência no atendimento e uma equipe forjada na própria empresa Diferenciais para o sucesso de uma empresa que desenvolve suas atividades que estabeleceu objetivos claros para o seu crescimento e que amplia seus horizontes criando parcerias com aquelas que eventualmente poderiam vir a ser concorrentes no mesmo nicho de mercado. Um gestor experiente coloca em prática as ideias inovadoras e dá consistência para que fluam no mercado, mesmo em ambiente de altos e baixos como na economia atual

O

Texto e Imagens: Divulgação Reportagem Osmar Silva

bairro do Jaraguá, na capital paulista, foi o local onde iniciaram as atividades da Croplastic Indústria e Comércio de Derivados Plásticos, em 1992. Os jovens empreendedores José Alberto Nonato e José Carlos Soares, alugaram um pequeno galpão e colocaram em prática o sonho de possuírem uma empresa. Ambos os sócios com formação profissional em ferramentaria e injeção de plásticos e com a filosofia de treinar e capacitar seus próprios funcionários. Ideal mantido até agora e que resultou na formação da quase totalidade de seus funcionários. Com isto, conseguiu a implantação de sistemas de funcionamento facilmente absorvidos pela equipe e índices de turnover mínimos. Bom para a empresa e para os seus funcionários. Garantia de manutenção da filosofia de trabalho e suas especificidades. Com o sucesso nos negócios e notório crescimento em suas atividades, nos anos 2000, mudaram-se para instalações próprias em Caieiras, na Grande São Paulo, em área de 2mil m².

Quem conta esta história é Francisco Konya Poszar, gestor do segmento de motopeças, um dos quatro onde a Croplastic mantém atividades de produção e comercialização. Os outros três setores são: -produção de plásticos de uso hospitalar, com instalação industrial específica e especial, dado a complexidade e necessidade de segurança no desenvolvimento das operações. - prestação de serviços para outros setores diversos. -produção de piso plástico para várias utilidades, que pode ser montado em qualquer tamanho e adequado à diferentes soluções, tal como: paletes para empilhamento de carga. O setor de motopeças foi implantado há menos de três anos e, já tem uma linha de aproximadamente 300 itens disponíveis para o mercado, desde borrachas de pedal de apoio, até paralamas. Este setor tem o nome fantasia de Repool Divisão de Moto Peças.

>>

28


empresa

Analisando a atual fase pela qual está atravessando a economia nacional e seus percalços, Francisco afirma que adotou como lema uma frase que ouviu de um amigo: “Onde tem gente chorando, existe alguém vendendo lenços...” Isto define as suas expectativas com relação as possibilidades de negócios. “Há que ser criativo e aproveitar as oportunidades não podemos nos abater com os problemas do trajeto, tão pouco com as dificuldades que o nosso País atravessa. Devemos sim, com o máximo de eficiência, focados em desenvolver nossos produtos. Contando com uma ferramentaria interna e uma equipe enxuta, assim, estamos nos dirigindo a passos largos rumo aos nossos objetivos”, contextualiza o gestor. “Estamos implantando uma política de produção de peças de alta qualidade, e também objetivando maior rapidez de entregas, assim, neste pouco tempo de existência do setor na empresa, já atingimos mercados na maior parte do Brasil, com clientes fiéis, apoiados por nossos representantes, que vem encetando trabalho de ótima qualidade, seguidos também por nossa equipe interna, com atendimento eficiente e personalizado”, complementa Francisco. Uma ação que é classificada como potencializadora para o impulso nas vendas no segmento, foi a participação no evento “Encontro Motomagazine”, realizado na cidade de Campina Grande, Paraíba, expondo os produtos. “Lá, estreamos com relativo sucesso, e ficamos conhecidos pelas empresas do Nordeste como o ‘fabricante do paralama que não quebra’, e com um saldo positivo inesperado, pelo fato de termos iniciado contatos com representantes que ainda não conhecíamos, e começando a contar com a colaboração de alguns profissionais de vendas na região”, explica. Na continuidade da conversa, Francisco externa um pensamento, que em sua opinião é o conceito do presente e do futuro, o qual resume em uma só palavra: Parceria. “Tenho utilizado esse conceito, colocando em prática com diversas coirmãs, pois o potencial de mercado do segmento é enorme. E, não há por que não trabalharmos em um regime de mútua cooperação, pondo em prática ações de colaboração onde todos têm a

30

ganhar”, conta. O que seria então esta parceria? “Um sistema de comércio entre fabricantes, com o intuito de complementar suas listas de itens, gerando assim maior interesse por parte de suas clientelas, com maior oferta de produtos”, esclarece Francisco. “Essa simbiose está obtendo resultados positivos, no ainda pequeno universo que consigo praticá-la. Para um exemplo, meu produto comercializado por uma empresa parceira , utiliza o potencial de vendas da parceira, assim como o produto dela, utiliza o meu ‘staff’ de vendas. Com isso, todos dispomos de um maior número de itens, sem investimento caríssimo em desenvolvimento de ferramentais, e sem a bobagem da concorrência selvagem, pois o mercado é enorme. Muito promissor, e tem espaço de sobra para todos, gerando inclusive oportunidades que não teríamos na forma de concorrência”, detalha Francisco que ainda prossegue “como disse anteriormente, dispomos de uma excelente ferramentaria, onde confeccionamos nossos próprios moldes,e um parque industrial com 30 injetoras das mais variadas capacidades e, com uma equipe técnica coesa e bem direcionada. Com estas condições, vamos superando as dificuldades inerentes a realidade nacional, com a coragem de nossos diretores, investindo sempre, e acreditando que virá a bonança após esta tempestade, e estaremos equipados para usufruí-la sempre com produtos de qualidade superior, e atendimento diferenciado”, enfatiza o gestor, Francisco Konya Poszar.


entrevista

Motociclismo e velocidade, paixões despertas na infância Não é raro a história da maioria de pilotos do motociclismo, que são despertos na infância, como outros esportes radicais. Fabio Nalin percebeu que tinha jeito para ser piloto ainda muito pequeno, correu e foi atrás do seu sonho. Neste ano sagrou-se Campeão da Copa Pirelli Superbike 2016 Texto: Hylario Guerrero | Imagens: Divulgação

32


D

esde quando criança, Fabio Nalin acompanhava a paixão do seu pai pelas motocicletas. Já nesta época foi despertado o seu interesse pelas duas rodas, primeiro andando de bicicleta pelas ruas do bairro onde morava, depois com a mobyllete e em seguida as motos de baixa cilindrada. “Em 2012 um amigo muito estimado, Júnior ‘Americano’, me chamou para fazer um curso de pilotagem (Track Day). Depois deste curso passei a enxergar o quanto é seguro acelerar no lugar certo, ou seja, nas pistas. Comecei a acompanhar as competições através das redes sociais, e em 2013 tive a minha estreia em competições, desde então estamos presentes nos campeonatos de motovelocidade”, conta o piloto. No ano de 2013, Fabio teve a sua primeira experiência em uma competição. “No ano seguinte infelizmente me ausentei por um período de aproximadamente seis meses, sendo que neste ano e no ano de 2015 participamos apenas de algumas etapas do campeonato, por falta de apoio e patrocínio”, lamenta. No ano de 2016, com o apoio dos patrocinadores, Fabio pode viabilizar a participação para a temporada, lhe permitindo ter uma melhor condição para as competições. Segundo Fabio a questão da preparação técnica, física e mental de um piloto de competição é fundamental. “Trata-se de um conjunto de fatores extremamente necessários para o bom desempenho do piloto. Além do preparo técnico, físico e mental, peço sempre proteção a Deus pela nossa integridade física, pois se trata de um esporte de alto risco”, declara. O plano de Fabio é ser competitivo na categoria em que participa, buscando sempre evoluir e melhorar a sua performance, objetivando estar entre os ponteiros do campeonato. Fabio alcançou o título de Campeão Superbike 2016. Fabio dá uma dica de segurança: “Vamos ter a consciência de que estrada é para passear. Para quem gosta de acelerar, o lugar mais apropriado e seguro são as pistas. Onde se tem toda a condição de aprender, evoluir e praticar com segurança”, finaliza o piloto.

33


SUPERBIKE

• A última etapa do calendário 2016 da SUPERBIKE retorna a São Paulo, Interlagos, onde foi a grande final da temporada. Dia 04 de dezembro, • Com a mudança, a etapa final deixou de ser realizada no Autódromo Internacional de Curitiba, em Pinhais (PR), como estava previsto no calendário da competição. A organização do SuperBike Brasil reforçou a importância da praça paranaense para o campeonato, porém, fatores comerciais foram determinantes para que a comissão organizadora decidisse pela mudança de praça. Interlagos mantém recorde de público e de pilotos inscritos no campeonato. Além de ser a principal pista do país, a etapa final contará com o uso de todos os boxes do autódromo. • A 9ª e última etapa do SuperBike Brasil seguirá com as disputas em dose dupla nas categorias principais. A SuperBike e a SuperSport terão, novamente, duas baterias. E para acompanhar esta grande final basta adquirir o ingresso de paddock antecipadamente pelo site Ticket Fácil (em breve estarão disponíveis) ou a entrada gratuita para a arquibancada. • A 8ª etapa do SuperBike Brasil aconteceu no Autódromo Internacional Ayrton Senna - Goiânia (GO).

GAÚCHO DE ENDURO FIM

• A Sacramento Racing fechou a temporada no Campeonato Gaúcho de Enduro FIM com quatro títulos antecipados. Destaque para Gustavo Pellin (foto) na final em Farroupilha. O piloto venceu pela categoria E1, seguido por Diego Colett e Anderson Vieira. O time ainda foi ao pódio com Maurício Rizzon, terceiro colocado da classe E2. • A equipe já garantiu todos os títulos possíveis na competição estadual de forma antecipada, com Gustavo Pellin (classificação geral e categoria E2), Diego Colett (E1) e Cassiano Tebaldi (E40). O time ainda terá os pilotos Anderson Vieira e Maurício Rizzon, vice-líderes das classes E1 e E2, respectivamente. • Atual bicampeão brasileiro de Enduro FIM (classe E3) e detentor de cinco títulos gaúchos, Pellin é de Caxias do Sul, competiu praticamente em casa. Farroupilha fica a menos de meia hora de sua cidade, estou bastante acostumado com as trilhas da região.

ERIC GRANADO VENCEU A 2ª CORRIDA DA SUPERSPORT

• Se na primeira corrida do dia o piloto encontrou dificuldades para vencer, na segunda o líder do campeonato não deu a mínima chance a seus adversários. Granado faturou a 1ª colocação com uma gigantesca vantagem de 28seg sobre o vice-líder. • Granado voltou abriu dois segundos de vantagem sobre Maximiliano Gerardo, que vinha na segunda posição. Com ritmo digno de SuperPole, Eric Granado cravou consecutivas voltas rápidas e já na metade da corrida tinha a vitória garantida em suas mãos. Sem nenhum incidente que atrapalhasse aos planos do atual líder do campeonato, faturando com facilidade sua sétima vitória consecutiva e se aproximou ainda mais do título da temporada 2016. • MARCO SOLORZA, VENCEU A 2ª BATERIA DA 8ª ETAPA DA SUPERBIKE O argentino, com o resultado acumulado do dia deixou a capital goiana como o maior vencedor da rodada, com uma vice-liderança e um 1º lugar.

CURSOS DA MOTOSCHOOL

• Proprietários de motos Ducati fiquem atentos! A MotoSchool está com mega promoção. Todos os cursos agendados para os meses de novembro e dezembro deste ano estão com 40% de desconto exclusivo para ducatistas e membros do Desmo Owners Club (DOC). • No mês de dezembro os dois eventos terão nova edição, aos domingos. No dia 11 será realizado Safety Riding no Campo de Provas Pirelli, e no dia 18, os cursos SportBike e Clínica de Aperfeiçoamento no Autódromo Velo Città. O que não muda é promoção que segue 40% OFF para ducatistas e membros do Desmo Owners Club.

>>

34


San Marino CAPACETE

COXIM

do Pisca BROS 2014

PARALAMA

PARALAMA Diant. Titan 150

Diant. Titan (preto injetado) FAN/TITAN

Diant. Titan 150 (preto injetado) TITAN 150 (09/13)

(11) 4441-8414 repool.vendas@gmail.com Ponto de Criação

KIT Reparo San Marino

cerca de 70% de cura, 90% de pacientes do sus e referência no tratamento do câncer infantil

Foto: Maurício Nahas

Com a ajuda de muita gente, ampliamos o nosso hospital e as chances de recuperação de crianças e adolescentes com câncer. Nosso orgulho é poder mostrar a cada doador que sua contribuição é investida com muita responsabilidade para oferecer aos pacientes, como o Kaike, um tratamento digno, humano e comparado aos melhores do mundo. Junte-se a nós! Seja um doador.

www.graacc.org.br Kaike, paciente do GRAACC, com Reynaldo Gianecchini

1991

1998

2013


CAMPEONATO GAÚCHO DE CROSS COUNTRY

Diego Colett ganhou as duas baterias da classe XC1 na quinta e última etapa do Campeonato Gaúcho de Cross Country em Caxias do Sul (RS). Com o desempenho, o piloto da Sacramento Racing conquistou o pentacampeonato na competição estadual.

NIELSEN BUENO É CAMPEÃO DO ARENA VELOCROSS

• Chefe de equipe da Sacramento Racing, Nielsen Bueno conquistou o título de campeão da classe VX4 no Brasileiro de Arena Velocross. Os destaques da temporada foram definidos em etapa única, na pista de Campina Grande do Sul (PR). A equipe Sacramento Racing ainda acelerou as moto no 1º Caxias Hard Enduro, em Caxias do Sul (RS), e dominou o pódio da categoria Gold. • O multicampeão Nielsen Bueno comemorou mais um título off-road nacional. Em 2016, também faturou o Brasileiro de Enduro FIM e a Copa EFX na classe E35.

LATINO DE MOTOCROSS

• A gaúcha Maiara Basso estreou em grande estilo e foi vice-campeã do Latino-Americano Feminino, realizado em Tangancícuaro, México. O Latino-Americano Feminino teve como palco a pista ‘La Quebradora’. Atual campeã brasileira entre as mulheres, Maiara precisou de rápida adaptação para chegar ao pódio. • No Campeonato Brasileiro da modalidade, o esloveno Roman Jelen confirmou o título da classe MX3 com uma rodada de antecipação, em Trindade (GO).

SUPERBIKE LIGHT O GRANDE CAMPEÃO DA TEMPORADA

Rodrigo Calmon Dazzi é o vencedor da temporada 2016 da categoria SuperBike Light. O piloto capixaba, da cidade de Jaguaré, conquistou o título brasileiro com uma rodada de antecedência e marcou sua estreia no SuperBike Brasil. Dazzi se manteve entre os mais rápidos ao longo da todas as provas do calendário. Na primeira metade das provas disputadas em Interlagos, somou 3 vitórias e dois segundos lugares. Nas corridas seguintes, em solo paranaense. Mesmo sem conhecer bem os circuitos, Dazzi garantiu o pódio com a terceira colocação tanto em Curitiba quanto em Londrina.

36


Evento

ENCONTRO EVIDENCIA A FORÇA DO SETOR

Em sua 24ª edição, o Encontro Motomagazine, possibilitou que empresas de diversos portes criassem novas oportunidades de negócios em Caldas Novas (GO). O evento reuniu algumas das principais marcas do setor de motopeças e revelou que investimentos e trabalho, trouxeram bons resultados,mesmo em tempos de crise Texto e imagens: Hylario Guerrero

38


E

m clima de confiança no futuro, o 24° Encontro Motomagazine foi realizado em Caldas Novas, Goiás. Fabricantes, lojistas, distribuidores e representantes, prospectaram novos negócios e entraram em contato com o público que participou do evento realizado no ThermasdiRoma Hotel .

OPINIÃO SOBRE O MERCADO DE ALGUNS EXPOSITORES

O público conferiu as últimas novidades e protótipos que serão lançados no mercado em breve. Participantes ressaltaram a importância e as oportunidades de negócios geradas pela aproximação com público especializado constituído por empresários do setor. O formato do encontro integrou empresas de diversos portes e também favoreceu a troca de experiências entre os envolvidos. O encontro fortalece o ambiente de negócios e fomenta novas oportunidades para os empresários, promove o crescimento das marcase representa importante ferramenta de vendas.

Todas as fábricas representadas pela Podium Comércio e Representações, estão apresentando os seus produtos ao mercado, ou seja, estamos abrindo novos clientes, o que nos dá um panorama diferenciado.

A crise enfrentada pelo País resultou na queda do consumo de motos novas, o segmento de reposição cresceu e evitou que o setor de motopeças sentisse os efeitos do momento. Fabricantes revelaram que o bom desempenho só foi possível com investimentos contínuos em novas tecnologias para a melhoria de seusprodutos. Em depoimento, algumas marcas revelam que também apostam na exportação, já que a economia brasileira, apesar de fragilizada pela crise, está em fase de recuperação, segundo projeções de especialistas. Enquanto ainda há o predomínio do desânimo e da desconfiança na reestruturação econômica do País, no setor empreendedores identificam oportunidades para expandir suas vendas.Prova disso é a preocupação com a organização e planejamento. Fabricantes, distribuidores e lojistas entendem que, sem esses princípios, não existe negócio bem-sucedido. Em entrevista, empresários contam suas experiências em tempos de crise e revelam investimentos para melhoria doprocesso produtivo, aperfeiçoamento dos produtos e treinamento das equipes de vendas.

BOSCH/ PODIUM – CARLOS ALBERTO SOARES

Mercado muito lento onde o consumidor final faz o conserto somente do extremamente necessário, não se importando com aparência e ou acessórios.

ERBS – CAROLINE PINHEIRO

Sempre trabalhamos com seriedade e honestidade. Isso faz toda a diferença no processo natural de seleção de quem fica ou sai do mercado. Sempre prezamos pelo bom atendimento e oferecemos produtos com qualidade, pois se oferecermos o melhor, o cliente sempre vai comprar o nosso produto. A credibilidade de uma marca se constrói com confiança. Essa é a melhor forma de fidelizar clientes. Mesmo com tanta corrupção, crise política e econômica, buscamos trabalhar a fim de oferecer o melhor atendimento com expectativas de melhores resultados. O objetivo do comércio e da indústria é crescer a cada dia. Trabalhamos para que as coisas melhorem, e não esperar que aconteçam.

FABRECK – PATRÍCIA REIS

Mercado estáreceoso, muita gente apreensiva. A Fabreck alcançou um patamar de destaque onde sua qualidade já é reconhecida. Temos clientes que trabalham há tempos com nossos produtos, seja através de distribuidor ou direto da fábrica. Isso é resultado de trabalho sério desenvolvido por toda a equipe Fabreck.

FAR-MUNDOPEÇAS – JUAN ALBERTO

O mercado está em recuperação e com boas expectativas de crescimento. Após vários meses com baixo crescimento, para 2017 as possibilidades de reação nas

39


Evento

AWA MOTOS vendas são bem melhores, estamos apostando nisso. Para difundirmos nossos produtos, mostramos ao público qualidade e variedade compatíveis com diversos modelos de motocicletas disponíveis no mercado.

o fim de 2016 também foi o início de uma recuperação. Pelo menos há uma luz no fim do túnel.

Em alguns Estados, a nossa marca está muito bem posicionada,em outros, estamos em processo de implantação e aceitação. Através da Mundopeças, distribuímos para todo o Brasil amortecedores de alta qualidade fabricados na Argentina, da marca Far-Rafaela.

Conseguimos ótimos resultados em 2016. O faturamento foi mantido através das exportações diretas. Paralelo a isto, passamos a fornecer produtos direto aos fabricantes de capacetes. Encontramos saídas para que não fôssemos afetados pelo período de baixas vendas. Nos preparamos antecipadamente para vendermos mais. A organização é o que contribui para o sucesso da empresa e serve para todos os momentos, estando a economia em alta ou em baixa.

Ficamos contentes de participar e ter contato com clientes locais. O encontro possibilitou até mesmo a participação de diversas regiões do país. Somando os contatos que tivemos, nossas expectativas só aumentam para que o ano de 2017 seja mais produtivo.

MELC – MICHELE PEREIRA

O que fica após a avalanche de problemas financeiros, é um trabalho mais enxuto e direcionado. Às vezes precisamos ceder um pouco com os prazos para beneficiar os clientes, por isso a importância de aproximação do consumidor final para que nesses momentos incertos possamos sempre contar com eles. É importante não perder a qualidade do produto. A Melc investiu em prazo de entrega para que o cliente possa comprar com mais frequência e menos volume. Assumimos o compromisso de cumprir prazos com intuito de atender mais rapidamente. Tenho certeza de que 2017 será muito melhor, acreditamos na superação das nossas metas de vendas. Já sentimos que

40

CICLO CAIRU

POLIVISOR – LUCAS MANTOVANI

Para o próximo ano, temos perspectivas de uma gradual recuperação nas vendas devido à nova norma para o setor de capacetes no Brasil onde os fabricantes e repositores terão que ter viseiras com tratamento antirrisco. A Polivisor já se preparou há mais de dois anos para atender essa nova norma. A tendência é produzir mais e atender o mercado que ainda não conseguimos chegar. Temos o compromisso de oferecermos atendimento de alto nível, produtos com qualidade, garantia de durabilidade e entrega no prazo.

PROTERCAPAS – HERLANIO MACHADO

Nós, como empresa nacional, sempre batalhamos pelo espaço no mercado onde criamos mecanismos diferentes para aproximação com o cliente. São visitas, participações em feiras e eventos com a finalidade de fazer parte do cotidiano do nosso cliente.


DIAFRAG A opinião do consumidor é sempre importante para aprimorarmos nossos produtos e atender suas necessidades. Isso nos traz resultados. O interessante é que quando tudo corre bem nas vendas, muitos empresários não olham muito para o que acontece dentro da sua empresa. Quando o mercado esfria e as vendas caem por consequência disso, aí é que muitos empresários começam examinar mais de profundamente para detectar o problema. Só assim é possível identificar os ralos que vazam dinheiro e começam os ajustes nas contas para melhorar a saúde do negócio. Até mesmo os pequenos gastos no dia a dia passam a ser revisados para ver se é possível minorar as despesas para ajudar a fechar a conta no fim do mês. Em tempos de recessão, empresas passam sua contabilidade a limpo. Ao atravessarmos períodos de baixas vendas, a lição que fica é: “Cortar os custos da empresa”. Dá pra sobreviver à crise, o que não dá é viver esbanjando quando o momento pede cautela nos gastos. Imagine se gastássemos mais do que faturamos, se fizéssemos maus negócios, tivéssemos o pátio de produção ocioso, carros rodando sem necessidade, enfim, perdendo dinheiro, como estaria a saúde financeira da minha empresa? Quem pode se dar bem vivendo essa realidade? O próximo ano é promissor. É possível que o País se estabilize e as vendas melhorem, afinal é o que se espera de um governo que prega equilíbrio das contas com a finalidade de fazer com que a nossa economia volte a crescer e conquiste a confiança dos investidores. Uma das preocupações das empresas e principalmente

GOW empresários, é com a manutenção dos empregos. Nós tivemos perdas nesses últimos anos em relação às vendas e, consequentemente, de funcionários. A situação mudou, agora temos que contratar novamente. Com essa balançada que o mercado tomou, saíram muitos aventureiros que queriam aproveitar o bom momento apenas com o intuito de ganhar dinheiro, sem compromisso com a qualidade ou com a satisfação do consumidor. Agora, o mercado ficou mais compacto. Estamos preparados para 2017. Seguimos trabalhando com esperanças de um futuro cada vez melhor.

O mercado já nos mostra uma perspectiva bem diferente do que víamos. Para 2017, acredito que a recuperação das vendas será gradual e progressiva” Jefferson Pires

PROVISION – JEFFERSON PIRES

Somos uma das mais novas empresas atuantes no mercado. Temos uma proposta diferente para esse segmento a partir do momento em que entendemos que, com o passar do tempo, o mercado de reposição ficou mais exigente. Os constantes investimentos em tecnologia

41


Evento

GVS tem a finalidade de manter a qualidade em tudo o que fabricamos. Hoje, temos um produto mais próximo do original possível. Adquirimos recentemente duas novas injetoras (de 200 ton. e 280 ton.), na intenção de ter tecnologia mais atual para ser aplicada ao que produzimos. Nosso objetivo é o aumento da capacidade produtiva aliada ao mais rígido padrão de qualidade que se possa encontrar no mercado. Mesmo com as dificuldades enfrentadas pelo Brasil, não deixamos de investir porque acreditamos nesse mercado. A crise nos tira da zona de conforto. Batalhamos muito com a finalidade de mantermos um nível adequado de vendas, mesmo durante períodos de instabilidade. Realizamos novas ações, buscamos mais novidades, isso nos permite fazer uma análise de quanto estamos estruturados financeiramente para momentos como esses, onde as vendas são menores. Na verdade, aprendemos com todos os momentos da economia brasileira assim como a de outros países.

RAIOM – ANDRÉ CASSEMIRO

O mercado, no nosso segmento, está se recuperando da crise por qual o nosso país está passando. O principal motivo é a alta do dólar que fez as baterias importadas se igualarem ou ficar como seu valor superior aos produtos nacionais. Nosso produto tem boa aceitação no mercado e nossas vendas se concentram nas regiões Sudeste, Nordeste e Sul.

42

JETT STLU – ANTONIO MENEZES

Sempre pensamos e respeitamos os clientes. Temos um mix de produtos que atende da melhor maneira as necessidades do consumidor. No momento, o mercado está numa fase delicada, mas a Stlu sempre está na contramão da crise. Precisamos constantemente investir para buscar um diferencial num mercado cada dia mais concorrido. Nossos produtos têm ótima aceitação de mercado porque nos preocupamos em atender às necessidades com foco na qualidade, apresentação e um pós-venda preocupado com a fidelizaçãodos clientes. Ao longo de 2016, investimos em vários lançamentos. Houve avanço em variedade de produtos e com isso esperamos bom retorno em vendas para 2017. Com essas ações, acreditamos que vamos sair na frente em relação ao mercado. Chegamos a uma alta capacidade produtiva e nível elevado de qualidade no que fabricamos. É importante lembrar que o sucesso da marca é resultado do trabalho sério e bem desenvolvido pelos nossos colaboradores, representantes, distribuidores, clientes,ou seja, de toda a família Stlu. A tecnologia está presente no processo de criação de cada peça. Temos equipes bem preparadas, um bom parque fabril, um pós-vendas muito afinado com o cliente e com o mercado, equipe de supervisores trabalhando em conjunto com representantes


Evento

LAQUILA

SUDAMÉRICA

e clientes. Tudo isso conectado, nos ajuda com bons resultados. Temos projetos para 2017. Estamos otimistas com relação ao próximo ano.

Fabricamos produtos com qualidade pautados em produtos originais com matérias-primas de alta tecnologia disponível no mercado e melhor custo-benefício. Nosso foco é o respeito pelo consumidor.

Em relação à exportação, estamos participando de várias ações comerciais em países como Peru, Colômbia entre outros. Acreditamos que esse contato seja promissor. Com isso, estamos descobrindo novas possibilidades onde pretendemos colocar a marca fora do território nacional.

Nos orgulhamos em manter postura comercial correta: entregamos dentro do prazo estipulado, o que melhora a logística para o cliente. Oferecemos produtos com tecnologia de ponta que atendam às necessidades dos clientes a partir do momento em que a motocicleta corresponde às suas expectativas com economia, dirigibilidade, potência e menor ruído.

O contato direto também é importante para obtermos bons resultados. É o momento de divulgarmos a marca não só para os clientes, mas também para os clientes dos clientes. Enquanto nos fizermos presentes em eventos direcionados ao mercado, será sempre revigorante para a marca. Lançamentos: porta corrente da Fan 125/2014, porta corrente da Titan 150/2014, lente do pisca da Pop e o bloco óptico da Suzuki Yes.

VEDOX – LUIGI SCIANNELLI

Nosso mercado vem se adaptando às novas conjunturas econômicas, com consequências diversas para todos. A Vedox está atenta a essas situações e, a maneira de verificar e ter ótimas informações é participar de eventos a fim de conhecer melhor os mercados e criar ações com efeito mais assertivo. Temos uma marca consagrada em todo Brasil, porém sempre é necessário manter os produtos em evidência com lançamentos e ações permanentes para maior abrangência dos consumidores.

44

As novas embalagens que apresentamos, foram pensadas para fornecerem informações detalhadas de cada item. Participar de feiras e encontros é importante para que a marca se fortaleça. Sem o contato com o público, não há como obter informações precisas sobre o que é preciso melhorar. Essa proximidade é uma das possibilidades mais eficazes para atender as necessidades do cliente. O ano de 2017 só será melhor se tivermos atitude para mudá-lo. Se continuarmos com as mesmas práticas viciosas que não acrescentam em nada e permanecermos sem dar a devida atenção ao cliente, a tendência é o fracasso. Como reflexo da crise, o consumidor está mais prudente nas compras, pensa mais antes de gastar. Então, quem trabalhar de maneira correta vai aumentar seu faturamento e evidenciar a sua marca. Esse mercado é disputado e quem estiver melhor preparado e disposto a trabalhar vai se destacar.


MOTOCICLO Estamos preparados para pegar a maior fatia do mercado, trabalhamos duro para que isso aconteça. Temos novos produtos, novas embalagens e catálogo atualizado repleto de informações detalhadas. Isso é respeito.

XMOTOS – RAFAEL DANNEMANN

A BR101 e XMOTOS já possuem seu espaço no mercado. Trabalhamos para ampliar e pulverizar mais nossos produtos, além de consolidar o que já fora construído. O Centro-Oeste é uma região de peso em nosso faturamento e seguimos ampliando nossa presença no mercado. Não somos, e nem temos a pretensão de termos os produtos mais baratos do mercado, todavia somos competitivos quando comparados às marcas que entregam a mesma qualidade/serviço. Nesta comparação devemos ser justos, e separar quem realmente trabalha de forma séria.

Também participaram do evento empresas como: AWAMOTOS, BALADELLI,

BRASMOTEC, CHIPTRONIC, CICLO CAIRU/GOW, CONTROLFLEX, DIAFRAG, ENINCO, FIREBRECK, FISHER FREIOS, GVS SPORT, JETT, KRATER, LAQUILA, MAXIMO, MIXS, MOTOCICLO, MOTUL, PELLEGRINO, KMC, PROTORK, RAIOM, RCC, TORK, VALFLEX, VAZ, VEDAMOTORS, VIPAL, VULCANBOR E FILTRAN.

TORK CONVIDADOS

CARLOS EDUARDO E GLAUCIA REIS – PODIUM MOTOS – ANÁPOLIS (GO)

Estamos há quinze anos no mercado e já passamos por situações financeiras complicadas, mas sempre encontramos a melhor solução para darmos continuidade ao negócio. O período de instabilidade está passando, sinal disso é o dólar que já está em queda. Tem muita matéria-prima importada e com a moeda americana em baixa, pode favorecer as vendas.

EDSON LUIS RIBEIRO – PLANETA MOTOPEÇAS – RIO VERDE - GO

O consumidor costuma pesquisar preços e novidades com ajuda da plataforma da internet. Essa ferramenta permite que ele obtenha informações até mesmo em dispositivos móveis. Conquistar a confiança do consumidor é uma missão difícil para o lojista. É importante lembrar que mesmo com toda a facilidade virtual, nada substitui o olho no olho. O contato é muito importante, pois quando o consumidor pergunta ao profissional de vendas, preparado para esclarecer suas dúvidas, ele sente que é seguro comprar em loja física. Oferecer o que há de melhor em produtos, preços e bom atendimento, ajudam a fidelizar. A feira nos ajuda a conhecer as principais novidades que muitas vezes não são mostradas pelos representantes. É preciso abrir o mix com variedades, pois o consumidor está mais exigente com o que compra.

45


Evento

PROTORK No ano de 2017, teremos uma recuperação lenta, mas progressiva. Vendas mais expressivas acontecerão em meados de outubro do próximo ano. Quem está controlando as contas vai sobreviver. O empresário que já vinha desorganizado com a administração do seu negócio pode ter sérios prejuízos. É preciso conhecer as novidades disponíveis para aumentar o leque de opções.

FELIPE DE MOURA – PRÓ MOTOPEÇAS E ACESSÓRIOS - CANÁPOLIS – MINAS GERAIS

HUGO RIBEIRO E ALESSANDRA APARECIDA – HUGO BILA MOTOS -ITUMBIARA – GO

Viemos ao encontro pela primeira vez para conhecermos as novidades e também termos contato mais próximo com fabricantes e fornecedores. Apreciamos o formato desse evento. Nos preocupamos em oferecer bons produtos aos nossos clientes. Isso é fundamental para nos destacarmos no mercado onde as opções de compras são muitas.

Precisamos ser seletivos na hora da compra. Aprendi que em tempos de crise devemos ser mais atentos ao que o cliente realmente necessita para não comprometer nossas finanças.

Quem faz o diferencial somos nós mesmos. Estamos em uma época de incertezas onde existe mais expectativas do que propriamente certezas, mas a gente é quem deve criar as oportunidades.

Acredito que o setor será beneficiado em 2017 por conta das mudanças que já estão ocorrendo na economia brasileira. Não fomos muito afetados se compararmos com outros setores, apenas deixamos de vender mais do que prevíamos.

IRACI MARTINS E CELSO ANTÔNIO – NASA MOTOS - CEILÂNDIA NORTE (DF)

No ano de 2016, só vendemos aquilo que já acreditávamos vender, ou seja, nada a mais que o esperado. Foi assim para muitos negócios. Nesse fim de ano, já estão acontecendo mudanças que estão refletindo com o aumento das vendas. Esperamos que seja progressivo e melhore em 2017. Durante o período de crise, tivemos a dimensão da coisa toda. O cliente passou a consumir apenas o necessário, o essencial para o seu dia a dia.

46

STLU

Contamos muito com o fator governo. Temos uma grande expectativa de crescimento no setor de motopeças, que já está sendo sentida, e a tendência é melhorar, se as nossas autoridades trabalharem nesse sentido também. Realizamos promoções em nossa loja, oferecemos um leque de opções e facilitamos o pagamento, isso sem falar da comodidade que proporcionamos ao cliente mais variedades através da loja virtual. Estamos há 12 anos no mercado e prosperando a cada ano.

JOÃO AUGUSTO E VALDINEI MARTINS – LOJA DO BORRACHEIRO - UBERLÂNDIA – MG

Capacitamos nossa equipe para atender da melhor forma o cliente que nos procura. Buscamos a diver-


VULCANBOR sificação de produtos para horizontalizar as vendas. Atender bem e oferecer mais produtosé o nosso objetivo. Temos a nossa loja física, virtual, telemarketing, vendedores externos. Somos distribuidores de câmeras de ar e pneus para todo o estado de Minas Gerais. Trabalhamos com mais de cinco mil itens. Estamos diversificando, inclusive, dentro do setor de motopeças. A loja do Borracheiro tem 21 anos de atividade Em 2017 vamos trabalhar muito para recuperar as vendas que não aconteceram em 2015 e 2016, períodos em que tivemos uma queda abrupta no faturamento.

JOÃO BATISTA – LOJA DO MOTOQUEIRO - GOIÂNIA (GO)

Localizada no Setor Vila Nova desde 2002, trabalho na área de compra e vendada Loja do Motoqueiro desde 2010. Espero que o governo mude nossas expectativas através de ações que nos favoreçam. Acredito que quem está no poder possa fazer algo que auxilie o comércio, de modo geral. Trabalho nesse segmento há 25 anos. Pude notar que o crescimento desse mercado éprogressivo. De uns dois anos pra cá, houve uma retração, mas já notamos que estamos novamente no caminho do crescimento.

PÉRICLES VENTURA E CLAUDIO VITOR – PÉRICLES MOTOPEÇAS E RIDER MOTOPEÇAS/ BRASÍLIA (GO)

X MOTOS manutenção de motos especialmente os modelos importados, que têm a parte mecânica mais complexa que as nacionais. Recebo clientes também de Goiás. Trabalho em minha loja com quatro colaboradores onde oferecemos peças e acessórios, bar, lava a jato e mecânica. Somos lojistas, mas também compradores. Para que os clientes se sintam satisfeitos com o serviço e sejam assíduos, é essencial oferecer: qualidade de produtos e serviços, bom atendimento e preços acessíveis. Sem essas práticas, não têm como manter um negócio em pleno funcionamento e financeiramente saudável. É importante também receber o cliente da forma que ele merece e na hora do atendimento, se colocar em seu lugar.

SÉRGIO BATISTA E CÉLIA DOS REIS – MERCANTIL AROEIRA –DIVINÓPOLIS (MG)

É preciso apresentar variedades. Em uma loja, temos cinco anos e meio de mercado, em outra, dois anos e meio. Nunca vendemos um mês menos que outro. Demos uma guinada de 360º em questão de negócios, pois trabalhávamos com atacado de bebidas e por conta dos altos custos com mão de obra, mudamos de ramo de atuação. Estamos muitos felizes com a escolha e prósperos nesse mercado.

Sem sócio, a Péricles tem um ano e meio de existência. Atendo praticamente todo o Distrito Federal onde faço

47


Mais fotos disponĂ­veis em: www.luanda.com.br/encontromoto24

48


49


Mais fotos disponĂ­veis em: www.luanda.com.br/encontromoto24

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

50


Motomagazine 97  
Motomagazine 97  
Advertisement