Page 1


CONTEÚDO

CAPA

08

INCLUSÃO, FOCO DE JOVEM EMPRESÁRIO ATLETA

12 MENINA CONSIDERADA VETERANA

MERCADO

16

NEGÓCIOS PARA EMPREENDEDORES

MARKETING

PERSONAGEM

20

40

EMPRESA AMPLIA DISTRIBUIÇÃO NO BRASIL

EXECUTIVO USA BIKE NO DIA A DIA E PARTICIPA DE COMPETIÇÕES

EVENTO

DESAFIO

46

44

TOUR DE FRANCE NO BRASIL

A CADA EDIÇÃO, PASSEIO GANHA MAIS ADEPTOS

SEÇÕES

Editorial

04

Cartas

06

Lançamentos

22

Esporte

28

Marketing

36

Notas

48


Luanda

Diretoria Osmar Silva José Haroldo G. Santos

Edição 203 - Abril 2015

Editor Osmar Silva

EDITORIAL Desde a antiguidade clássica, a propaganda é utilizada para divulgar eventos e promover produtos e serviços. É preciso mostrar aos consumidores o que a empresa oferece. Senão, como as pessoas vão saber? E isso vale para companhias de qualquer porte. Até mesmo as marcas mais conhecidas e líderes de mercado não param de investir em publicidade. Em momentos de crise, como o atual, ter uma imagem forte é imprescindível. Por Cleber Guerra, no portal Comunique-se.

osmar@luanda.com.br

Diretor José Haroldo G. Santos haroldo@luanda.com.br

Redação Hylario Guerrero (MTB 13468) hg.noticia@luanda.com.br Joelma Farias (MTB 78793) joelma.noticia@luanda.com.br Angela Davis V. Silva angela@luanda.com.br Colaboradores nesta edição: Carolina Suffi Arte e Diagramação Bruno R. Mello dos Santos midia@luanda.com.br Caio Matheus V. Paiva criar@luanda.com.br Diego Igor de Oliveira arte@luanda.com.br Publicidade: Luanda Brasil Serviços de publicidade Ana Paula Lima Denis Jorge M. Souza José Ricardo Gomes vendas@luanda.com.br Administração Fernanda Oliveira Jhonnatan da Silva André Juici Monteiro luanda@luanda.com.br

Jurídico Dra. Adriana Carla Gomes P. Silva Assessoria gráfica Pavaprint

E você, como empreendedor deve fazer o quê? Ficar reverberando a crise não adianta nada. Confesso que ela gera uma sensação de identidade, à medida que você conversa com sua equipe, clientes, amigos e todos sentem a mesma coisa. Mas de prático, para sua carreira e sua empresa, há outra alternativa mais eficiente: entender o que as crises representam e como você não pode deixar essa passar sem se beneficiar da mesma. Não é à toa que, no ideograma chinês, crise envolve perigo e oportunidade conjuntamente representados. Ou, como diria um filósofo do cotidiano, “enquanto uns choram, outros vendem lenço”. Por Maximiliano Carlomagno, em Exame. Tomamos a liberdade de citar aqui neste espaço, textos de profissionais do marketing para mais uma vez alertar aos empresários do nosso segmento sobre a postura equivocada que estão assumindo ao deixar de utilizar as ferramentas de marketing e propaganda disponíveis, justificando esta atitude com a retração do consumo no mercado, originada pelo momento de crise econômica tão massificada pela mídia genérica. Isto se dá, no ambiente dos investimentos, bolsa de valores, transações imobiliárias e no consumo de automóveis, em especial os OK, entre outros que exigem grandes investimentos de capital. No entanto, existem nichos que continuam produzindo e vendendo, superando este clima de medo e desesperança. Eletrônicos e telefonia móbile. Lançam novos produtos com tecnologia avançada e promovem a troca de aparelhos perfeitamente ainda utilizáveis pelos consumidores. Esta não seria uma prática que deveria ser mais intensamente utilizada pelo segmento bike? Criar movimentos de customização, por exemplo. A bike segue sendo intensamente divulgada na mídia em geral, seja em matérias que exaltam os benefícios para quem a utiliza, saúde, economia, agilidade, interação no meio ambiente e preservação do ecossistema. Só para citar alguns. A publicidade que promove os lançamentos imobiliários, usa com frequência a imagem de pessoas pedalando para enfatizar a qualidade dos empreendimentos. Em fim, só faltam os próprios fabricantes de bikes, suas peças e acessórios também acreditarem na capacidade do produto em superar este momento de apreensão dos grandes investidores e assumirem o espaço oferecido para a consolidação da bike como meio de transporte viável e sobretudo barato, sob todos os aspectos. Mas, isso precisa ser divulgado, propagado. Então por que não começar já e, principalmente, entre os parceiros de mercado. Todos nós

Impressão NorthGraph R. Joaquim de Almeida Moraes, 273 Jd. Magali - CEP 02844-000 - São Paulo/SP Tel.: + 55 (11) 3461 8400 / 3461 8401 Fax: + 55 (11) 3923 5374 A cyclomagazine aceita matérias técnicas como colaboração. Os artigos deverão vir acompanhados de fotos ilustrativas com as respectivas legendas e curriculum do autor. A revista não se reponsabiliza por opiniões e artigos assinados que podem ou não expressar a mesma opinião do editor. As opiniões emitidas em artigos assinados são de responsabilidade do autor. A revista não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios veiculados, nem por aquisições em função destes. Todos os direitos reservados, sendo proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio, sob pena de procedimentos legais. A revista cyclomagazine é uma publicação mensal da Luanda Editores Associados LTDA., e tem sua marca registrada no INPI sob o número 820.332.593

Foto capa: Hylario Guerrero


. a z e r tu a n a u s a d te r a p z fa A bike que

. S O N E M R O P E K I B S I A M O T I U M . ” 9 2 4 . 7 NOVA BIG WHEAEMLTB com melhor custo-benefício do mercado. Performance Alloy Big Wheel 7.4 - 29”

Alta tecnologia ao seu alcance

Suspensão Rock Shox XC 32 eixo 15mm

Componentes ITM

Nova Traseira Tough Curve

Freio Post Mount

Pneus Kenda Small Block Kevlar

Grupo de peças Shimano SLX

Pedal Shimano PD-M520 Câmbio Traseiro Shimano XT M786

Conheça os outros produtos em nosso site e ofereça o melhor ao seu cliente.

www.oggibikes.com.br

VENDAS: 0800 702 8699 SAC: 0800 702 0801

#voudeoGgi

Pedalando e acelerando com você


CORREIO Sobre matérias

Agradeço a toda equipe Cyclomagazine pela excelente matéria publicada na edição 202. E pelo apoio e incentivo trazido pela matéria. Como já havia comentado, teremos vocês como nossos parceiros. Estamos passando pelo processo de rebranding de nossa marca que já esta em processo final e a partir disto daremos inicio aos nossos trabalhos com a revista. Heitor Machado Diretor Comercial 3HM Santa Barbara do Oeste -SP

Olá! toda a equipe da Luanda Editores, agradeço muito o envio das revistas e a belíssima reportagem que fizeram comigo. Parabéns pela qualidade da revista. Sempre que precisarem de uma consultoria em seguros de uma forma geral (residencial, vida, empresarial , saúde , etc ) contem com meu auxílio. Patricia S.Collese Collese Corretora de Seguros São Paulo-SP

INTERAJA COM A REDAÇÃO

Email: redacao@luanda.com.br Site: www.luanda.com.br Endereço: R. Joaquim de Almeida Morais, 273 - CEP: 02844-000, São Paulo - SP

publicados. A Luanda e toda sua equipe está de parabéns pelo trabalho e empenho que vem desenvolvendo e realizando ao longo de todos esses anos no setor de Bikes. Lamentavelmente não pude participar do evento (realizado em Florianópolis), estava viajando pelo Nordeste. No entanto, pude notar a presença de Julio Pereira e do representante Amorim, ambos de Teresina - PI, que representaram muito bem a ausência de todos que não puderam estar no evento. Parabenizo toda a equipe da Luanda Editores por mais um evento realizado com muito êxito em Floripa - SC.

recebemos e o reconhecimento do mercado, por mais esta realização.

Marcos Maia M. Maia Representações Paulista-PE

Denis Cardoso Cycles Avenida Nhandu 15, Bairro Planalto Paulista São Paulo - SP - CEP 04059-000 cardosocycles@Gmail.Com www.cardosocycles.com (11) 9 9903-2488 (11) 5521-4896

Parabéns por mais este evento de sucesso que impulsiona e desenvolve o mercado para galgar degraus mais altos de performance e profissionalismo. William Andó Executive Director Júlio Andó &Cia.Ltda. Maringá-PR

Novo endereço

CICLO DUTRA Av. Doutor Jefferson Geraldo Bruno, 1500 - Complemento: loja 01 Bairro: Paraiso / Resende/ RJ CEP: 27.536-015 E-mail: comercial@ciclodutra.com.br Telefone: (24) 3381-8400 / (24) 3381-8472 Ana Flávia Barbosa Ciclo Dutra Comércio de Peças e Acessórios para Bicicletas

Denis Cardoso Cardo Cycles Resp: Anotem em suas agendas.

Resp: Quando o entrevistado tem conteúdo a matéria fica interessante e facilita o nosso trabalho.

Encontro Cyclomagazine em Florianópolis

Obrigado pelo envio da edição nº 202. Li os assuntos e todas as matérias

06 | cyclomagazine

Parabéns Luanda Editores, coordenadores e organizadores, a toda equipe por mais este evento. Vocês são os pioneiros e sempre com imenso sucesso. Durvalino Barbosa Vitória da Conquista-BA Resp: Agradecemos os muitos elogios que

Curta Cyclomagazine no face


CAPA Foi em um ambiente que buscava inovação e desenvolvia projetos para facilitar a mobilidade para deficientes físicos que André Ribeiro traçou e alcançou seu voo profissional. Formado em Desenho Industrial começou a trabalhar ainda jovem ao lado do pai na Dream Bike e cerca de 20 anos depois colhem juntos os frutos da transformação de uma pequena loja em uma empresa que pratica diversos projetos e veículos baseados em bikes. Agora estão envolvidos em um projeto que acima de tudo poderá incluir pessoas que executam a atividade de recolher materiais descartados nas cidades

08 | cyclomagazine


DREAM BIKE

INCLUSÃO, FOCO DE JOVEM EMPRESÁRIO Texto: Osmar Silva Entrevista: Hylario Guerrero Imagens: Luanda e divulgação

Cyclomagazine: A Dream Bike nasceu da necessidade de um triciclo ou de ser uma bicicletaria? André Ribeiro: No início nós tínhamos uma loja de bicicletas convencionais e a partir daí resolvemos fazer um triciclo para o meu pai pensando em atender a sua necessidade devido à deficiência física. A partir disso, surgiu a ideia de desenvolver um triciclo para ele andar. Desenvolvemos o produto e colocamos na loja, apareceu uma senhora e quis comprar o triciclo. Nós vendemos. Decidimos fazer outro triciclo para ele e acabamos vendendo. Então, concluímos: temos um mercado potencial nas mãos. Criamos um kit que transforma a bicicleta convencional em um triciclo (kit Triciclo). A partir daquele kit resolvemos ampliar a região e incluímos a Baixada Santista para vender o produto. Isso foi se difundindo e apareceram várias necessidades baseadas num triciclo. Não só os deficientes físicos, mas também pessoas que queriam fazer vendas de algum produto/mercadoria, que gostariam de fazer publici-

dade/propaganda, uso pessoal e outros. Com nossa capacidade de criação e experiência, desenvolvemos triciclos para propaganda, para locação em parques, para logística e assim fomos abrindo um leque ainda maior: para carregar bebidas, sorvete, gás, etc. Existem clientes nossos que usam para locação em hotéis fazenda, praias e fábricas que utilizam para logística interna. Então foi a partir dessa necessidade que você viu a importância do uso industrial (do triciclo)? Eu sempre gostei de desenhar. Fiz Desenho Industrial – especializado em Projetos de produtos. Isto me deu conhecimento para ajudar a desenvolver melhores produtos pensando na função do triciclo, como construir ou fabricar de melhor forma. Então essa função básica do seu pai, você assumiu? Nós trabalhamos em parceria em todos os projetos. Meu pai e meu irmão (o Marcelo Ribeiro), nós três trabalhamos juntos e desenvolvemos triciclos para diversas utilidades. Às vezes vem

uma necessidade diferente: de carregar pessoas, de carregar objetos, comida, alguma outra coisa, sendo assim nós acabamos adaptando os nossos triciclos ou desenvolvendo um novo para aquela necessidade. A cada motivo, um triciclo diferenciado? Sim, cada necessidade requer um triciclo diferente. Então, a pessoa quer carregar bebida gelada, vender açaí, moedor de café, entre outras coisas. Nós pensamos em algo e desenvolvemos. Não tem triciclo elétrico? Sim, o triciclo elétrico é um motor adaptado no nosso triciclo. Como é possível adaptar o motor numa bicicleta, também pode se adaptar o motor no triciclo. Servem tanto para deficientes físicos, como para idosos ou até para entregas em indústrias, logística interna de empresas como: a Embraer, Duratex, Volks. Já saem da fábrica com motorização. O Marcelo, seu irmão, também trabalha na empresa? Sim, está conosco desde o início da empresa. É formado em Administração de

cyclomagazine | 09 47


CAPA

Empresas e cuida da parte da produção e criação.

destino àquilo que hoje está sendo descartado (o lixo).

E este projeto em parceria com a Prefeitura? Baseados nesses projetos diferenciados, fizemos um que deu certo em Recife. Fornecemos para uma entidade que administra ações de reciclagem de material. Eles coletam material seletivo, reciclagem de lixo. E a partir daquilo, fazem a coleta seletiva com o nosso triciclo em Recife. Isto despertou a atenção da Prefeitura de São Paulo. O Prefeito Fernando Haddad, quer implantar aqui em São Paulo e nos procurou para replicar a ação na cidade. Adaptamos o modelo para ciclovias paulistas que são um pouco mais estreitas que as de Recife.

Você acha que o próprio carroceiro vai passar por um aprendizado: ele vai deixar de ser um carroceiro para ser piloto do triciclo e coletor? Exato. Na verdade, muitos já são cadastrados em cooperativas. Então, ele vai ter opções de usar o triciclo. Alguns lugares, por exemplo, é mais rápido e simples usar o triciclo, principalmente se

Mas qual é a ideia básica? A ideia é tirar carroceiros das ruas. Então, o triciclo é adquirido por um patrocinador que explora a identidade visual da marca nele, o veículo é cedido para uma cooperativa que faz o uso. A Prefeitura administra todo o processo. São várias cooperativas em São Paulo e elas vão usar para fazer coleta, usando como vias de acesso às ciclovias. Em um bairro plano, que é mais fácil de pedalar, a ideia é tirar a carroça; dar para o carroceiro um triciclo para utilizar em sua atividade. Mas o projeto não é só isso, abrange mais coisas, como por exemplo: a educação da população, conscientizar que é necessário separar o lixo (o orgânico do reciclável), entregar o lixo reciclável somente para aquele carroceiro cadastrado na cooperativa (que vai ter um horário para passar, que vai estar uniformizado). Ele abrange a inclusão social do carroceiro, junto com uma sustentabilidade maior e dar Modelo considerado sucesso no Recife

10 | cyclomagazine

é um trajeto plano. Hoje ele vai com a carroça: empurrando, numa condição sub-humana. A partir do momento em que as pessoas passem a entregar o seu material reciclável somente para o carroceiro cadastrado, não vai haver material reciclado no lixo normal. Então os carroceiros que hoje são clandestinos, deverão ser incluídos em uma cooperativa. Isso vai fazer um ciclo de melhoras. Eles vêm te procurar, não precisa pedir para eles?


Isso. O cidadão estará separando e entregando só para aquela pessoa do triciclo. Óbvio, é um projeto grande para São Paulo e que tem condições de crescer ainda mais para o Brasil. Está sendo criada uma visualização específica? Sim, a ideia é usar a ciclovia. Tirar as carroças traz melhoras para os carros também. Em lugares onde não haja ciclovia, compartilha normal, igual as bicicletas fazem. Assim, as possibilidades de haver mais respeito com eles no trânsito aumentam. Porque quando o motorista vê um carroceiro na rua, normalmente a sua reação é de irritação. Ele os veem causando mais uma dificuldade no trânsito. Muitas vezes até na contramão do fluxo. Mesmo porque quando ele estiver com um triciclo, haverá empresas capazes de patrocinar. Uma empresa nunca colocaria o seu nome numa carroça. Mas ela consegue patrocinar um projeto que visa a melhora da vida do carroceiro, e que vai agregar àquela empresa uma imagem de sustentabilidade, de preservar o meio ambiente, de inclusão social. Então, é mais fácil de angariar fundos para bancar o projeto. E será utilizada inclusive a mídia para divulgar esse trabalho? Sim, toda mídia é bastante favorável. Inclusive tem um espaço para o carroceiro levar o cachorro (todo carroceiro tem um). A pedido da prefeitura já estamos pensando nisso. Já deu certo no Recife? Sim, no Recife o projeto já funciona há algum tempo.

Lá já temos cerca de 100 triciclos circulando. E por que não começou por São Paulo? Recife foi uma referência? A ideia veio do pessoal de Recife com o Projeto Relix. A Dream Bike já fabricava triciclos para reciclagem faz tempo, mas a maioria das vezes vendíamos para condomínios ou para indústrias. Serão em vários bairros? A ideia é ter em vários bairros com uma quantidade limitada por bairro, mas isso quem decide é a prefeitura. Tudo partiu do Sérgio Ribeiro (seu pai) ter essa deficiência física e daí ... O primeiro triciclo foi feito para ele e aí nós fomos replicando, fomos desbravando um mercado diferente. Eram idosos, pessoas com dificuldade física, paralisia cerebral, que tiveram AVC, que podem fazer fisioterapia. É o nosso maior público, são essas pessoas que não buscam uma bicicleta normal de duas rodas. Buscam a de três rodas para poder se incluir na sociedade. Uma senhorinha que

nunca andou de bicicleta antes, vai no mercado, vai na padaria, em todo lugar com três rodas e uma cestona. É a realização de um sonho, a concretização, e isso gera muita emoção e gratificação. Nosso foco hoje é na reabilitação. Fornecemos para a AACD, para a APAE, triciclos que são usados para reabilitação e fisioterapia, que forçam a pessoa pedalar, trabalhar a musculatura da perna. Vocês geralmente criam e propõem. Às vezes é o contrário: o que é proposto, vocês criam encima? É, muitas vezes vem uma ideia diferente, e nós temos que adaptar para a nossa realidade. Aquilo que a gente sabe que vai funcionar. Às vezes uma agência, uma criação, às vezes não tem noção funcional, se aquele triciclo realmente vai andar: “Ah, eu quero que oito pedalem juntos.” Não, não vai aguentar. O quadro vai quebrar. Tem que colocar o pé no chão e fazer uma coisa que dê certo para pedalar, para andar e ao mesmo tempo solucione a necessidade dele, concretize os sonhos dele: “Dream Bike”.

cyclomagazine | 11


ATLETA Maitê Barreto, natural de Paulínia, interior paulista, está com apenas 15 anos de idade, mas devido o número de títulos e campeonatos que acumula no Bicicross, já é considerada uma veterana. Campeã diversas vezes, Maitê não deixa nada a dever às grandes atletas brasileiras que despontam nas pistas e montanhas com suas bikes

12 | cyclomagazine


MAITÊ BARRETO

MENINA CONSIDERADA VETERANA Texto e imagens: Hylario Guerrero

M

tive grandes destaques em outras provas internacionais.

aitê inicia esta entrevista explicando como é a prática do ‘Bicicross’ que é parte do BMX, com sua bicicleta baixa e pequena (aro 20). “São oito competidores, que ficam posicionados em um gate, que quando se solta, todos saem na maior velocidade possível, pela frente uma pista cheia de obstáculos. Quem cruzar em primeiro na linha de chegada, é o campeão!”. Maitê nos lembra que obstáculos são rampas, tem dobles, steps, rollers, e além de pular a sequência de rampas, o desafio está nas curvas.

Dentro da sua Categoria Feminina no Bicicross, as outras competidoras têm a mesma faixa de idade que a sua? No Brasil, corro com meninas de mais idade. Mas lá fora no Mundial, é só da mesma idade (15 anos). Para competir no Bicicross é preciso ter de 13 a 16 anos de idade, mais que isso vai automaticamente para a categoria adulta. Aqui, em nosso país o competidor adolescente pode competir junto com os adultos, na Categoria Elite (que seria somente para os adultos). Mas, no exterior só é possível competir em sua faixa de idade.

Cyclomagazine: Você já caiu muito nestas competições? Maitê: Já, muitas vezes, tanto que meu joelho está machucado ainda. Cai semana passada quando estava competindo.

No Brasil, quais foram seus títulos de maior destaque? Sete vezes campeã brasileira. Oito vezes campeã paulista e oito vezes campeã regional. E sete vezes no sul-americano também.

Quais são os campeonatos internacionais que você já venceu? Fui campeã mundial na Inglaterra, duas vezes vice-campeã na Dinamarca e na Nova Zelândia. E

Começou a competir com que idade? Desde os cinco anos. De onde veio a inspiração para competir, como se descobriu atleta?

Através do meu irmão. Meus pais sempre gostaram de bicicleta, utilizam a bike para lazer, mas não foram eles que me inspiraram. Já meu irmão Matheus Barreto fazia bicicross (bem antes que eu começasse). Desde pequena, eu o acompanhava nas corridas. Meu pai não tem nada a ver com bikes, ele sempre competiu no motocross. Ou seja, pertenço a uma família de competidores... ”. Matheus ainda compete? Não. Matheus ganhou alguns campeonatos nacionais, mas resolveu parar por volta de 2010. Quando compete no Brasil e no exterior, qual é a maior diferença que vê? Lá fora os oponentes são muito mais fortes, as pistas são diferentes, a estrutura: tudo é completamente profissional. É outro nível de estrutura. O esporte é levado mais a sério. Lá eles incentivam o atleta desde pequeno, aqui só há incentivo depois de grande (18 anos). O Brasil ainda está um tanto estagnado quando se fala em esportes, porém está buscando a profissionalização. Poderia estar muito melhor, pois tem dinheiro, mas os patrocinadores não querem saber de investir.

cyclomagazine | 13


ATLETA

A partir de que idade acontecem os patrocínios nos EUA? A partir dos cinco anos de idade. Aqui, com 13 anos se conseguia a bolsa atleta, agora passou para 16 anos.

Haja vista que agora vai ter as competições aquáticas na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, e o que vemos é uma lagoa totalmente poluída. É um absurdo isso. A pista de bicicross que deverá ser feita para as Olímpiadas, nem começaram a construir. No Brasil não temos uma pista de ‘supercross’, que é outra modalidade que vai fazer parte das Olímpiadas, que são as rampas maiores. Daí, os atletas Elite estão tendo que ir aos Estados Unidos para treinar e correr, para competir aqui. Você vai competir nas Olímpiadas 2016? Não. Só em 2020, quando terei idade suficiente, estarei com 20 anos. Porque a Categoria é só acima de 18 anos, antes dessa idade o atleta não é considerado profissional. No meu caso, sou profissional, mas considerada amadora pela idade. Na natação pode competir com 14 anos. No futebol, com 16 anos e na ginástica olímpica com 14 anos. Já o bicicross a idade mínima é acima de 18 anos. Como você vê o patrocínio no Brasil? Péssimo. Corro atrás de patrocínio desde os cinco anos de idade. Devo ir aos EUA, me hospedar na casa de uma tia e ver se consigo patrocínio. No Brasil, a Petrobrás é minha patrocinadora, mas só paga algumas corridas. Ano pas-

14 | cyclomagazine

O patrocínio no Brasil é péssimo, corro atrás de patrocínadores desde os cinco anos de idade. Devo ir aos EUA, me hospedar na casa de uma tia e batalhar patrocínio por lá, onde o esporte e o atleta tem muito mais valor..." Maitê Barreto

sado não fui competir no Mundial porque a Petrobrás não tinha dinheiro (o que deve acontecer novamente nesse ano). Na verdade é mais apoio do que exatamente um patrocínio. E mesmo com este apoio da marca em muitas competições tenho que pagar metade do valor, principalmente quando a prova é no exterior. Sempre vou sozinha, se tiver que levar um acompanhante, este terá que pagar a sua passagem e hospedagem. Por exemplo, irei competir no Chile, no Pan-Americano, em companhia de um amigo. Ano passado, eu poderia ter sido campeã mundial (afinal já fui campeã uma vez e duas vezes vice). Então, acredito que poderia ter a chance, mas não fui porque a Petrobrás não tinha dinheiro.

Quais são os valores? É de apenas R$ 1.000. Caso tenha um título nacional, e mais um título internacional o valor dobra para R$ 2.000 a bolsa atleta. Mas com 16 anos, como é que se vai conseguir treinar e participar das competições internacionais nesta faixa de idade? Para formar um atleta para uma Olímpiada é preciso que as coisas ocorram com tempo, preparação, exercícios, treinos... A partir do ano que vem, pretendo pleitear a bolsa atleta, pelo menos para me manter. As peças da bicicleta são muito caras e as melhores são as importadas. Somando as viagens... fica inviável para o atleta. Como fica o coração do pai e da mãe quando você compete? Ainda ficam nervosos, com frio na barriga, mas já estão se acostumando. Não deixa de ser um esporte perigoso. Mas, depois de dez anos me acompanhando são menos tensos. O maior medo de minha mãe foi quando fui competir sozinha na Dinamarca, com 11 anos, sem um responsável, e não sabia falar inglês.


A SUA DISTRIBUIDORA DE PEÇAS PARA BICICLETAS

Televendas: (21) 2603-8632 (21) 3708-5570 (21) 3022-4098 CHEQUE


MERCADO

NEGÓCIOS PARA EMPREENDEDORES As bikes estão transformando a vida de quem se dedica a criar empreendimentos em duas rodas. Novas ideias abrem espaço para novos negócios que evidenciam as magrelas e as colocam além de uma das possíveis soluções para a mobilidade urbana. Empresários encontraram nichos nesse mercado e as histórias revelam o sucesso de quem ousou. Isso prova que, além de fazer bem para quem pedala, a bicicleta é uma boa opção de negócio para investidores

Pesquisa e texto Joelma Farias

16 | cyclomagazine

É

impossível ignorar a impor tância conquistada pela bicicleta no cotidiano da população mundial nos últimos anos. Os inúmeros benefícios que esse veículo pode trazer para a vida de um ciclista eventual ou profissional são comprovados por especialistas em saúde. Para algumas prefeituras de cidades brasileiras, sua representatividade é outra. Investimentos pesados em ciclovias e ciclofaixas são apostas que podem ajudar a reduzir os índices de poluição e excesso de trânsito e atendimentos na rede hospitalar do município. De acordo com especialistas em mobi lidade urbana , a bicicleta representa 4% dos meios de transporte, no Brasil, número modesto se comparado às cidades europeias onde esse percentual é de 40%. Pela sua grande visibilidade em todo o

mundo, o veículo está chamando a atenção de empreendedores q u e con s e g u e m e n xe r ga r oportunidade de negócio com pequeno investimento. Para eles a bicicleta deixou de ser apenas um meio de locomoção, que, após receber adaptações, se transforma em suporte de trabalho. Abriu-se também espaço para novos negócios ligados a esse veículo. Atentos a essas necessidades, empresários investem em ideias que atendem a esse consumidor, ávido por novidades. Opção de transporte barata, saudável e não poluente, a bicicleta, a cada dia, conquista usuários e simpatizantes e cria novos serviços para esse público. Sem desperdiçar oportunidades, empre sár ios inve stem em serviços dentro desse segmento e aumentam seus ganhos. São muitas histórias de sucesso e a certeza que esse mercado não está saturado, ainda há espaço para


NOVIDADE

boas ideias e negócios. Separamos alguns exemplos de negócios constituídos por empresários que apostaram em algo novo, abriram suas empresas e hoje colhem os frutos gerados por essa ousada iniciativa. Esses empreendedores demonstram que a magrela é uma boa opção de investimento e que ainda há espaço para novas ideias nesse segmento. A BELA DO DIA Flor icult ura itinerante das sócias Marina Gurgel e Tatiana Pascowitch (veja matéria na edição 195). A loja física está localizada no bairro de Pinheiros (SP), e funciona dentro de uma estação de coworking. Juntas as sócias investiram cerca de R$ 20 mil e garantem que o retorno é bem interessante. Elas transformam as flores do dia em pequenos objetos de arte que são entregues pelos Bikeboys (ciclistas treinados que prestam os

mesmos serviços que o Motoboy), em diversos pontos da cidade. A agilidade desses profissionais, os arranjos criativos e a estética das magrelas, são os diferenciais da empresa. www.abeladodia.com AVANTI ALUGUEL DE BICICLETA Os sócios Luiz Pina e Geraldo Ramos investiram no negócio de bicicletas, com aluguel, manutenção e venda de produtos sofisticados. Assim surgiu a AVANTI que têm 1.500 bicicletas para alugar, em quatro pontos de São Paulo. Os empresários também aproveitaram o espaço e a clientela para montar uma loja onde vendem bicicletas sofisticadas, além de peças, acessórios e equipamentos de segurança. O faturamento anual do negócio gira em torno de R$ 3,4 milhões. (fonte: G1) www.avantibike.com.br

BROWNIE AFFAIR A empresária Bianca Alves Costa decidiu apostar na tendência do food bike e montou o Brownie Affair. São brownies artesanais vendidos a preços populares. Para a empreendedora, a opção de negócio saiu mais em conta do que se abrisse a mesma loja em um ponto fixo. A empresária investiu R$ 5 mil no triciclo, fez trabalho visual e acoplou uma vitrine na parte de trás do veículo. (fonte: O Estado de São Paulo) www.brownieaffair.com.br LAZER NA MATA A escola possui um método diferenciado e eficaz para promover o primeiro contato do aluno com a bicicleta, transformando esse meio de transporte tão popular em uma divertida e saudável atividade física e/ou de lazer. São aulas particulares voltadas ao público infantil, juvenil

cyclomagazine | 17


NOVIDADE

e adulto com o objetivo de proporcionar um pr imeiro contato ou reaproximação com a bicicleta, ou, para àqueles que já pedalam, desenvolvimento das habilidades e técnicas para diversas situações do dia a dia ou momentos de lazer. www.lazernamata.com.br PORTO SEGURO A consultora de seguros , Patrícia Sadalla (veja matéria na edição 201), observou que seus clientes, ao chamarem ajuda para socorro do automóvel, ficavam impacientes pela demora do guincho no local. A corretora acabou tomando conhecimento de um projeto piloto desenvolvido pela Porto Seguro, onde a empresa colocou algumas bicicletas comuns para socorrer seus clientes. Em 2008, a seguradora aprovou o projeto apresentado pela corretora para o uso de e-bikes e, em 2009, a Porto Seguro começou produzir, utilizar e também comercializar bikes elétricas. Hoje, a empresa de seguros oferece o serviço de socorro com um profissional que se desloca em uma bicicleta elétrica para solucionar pequenos problemas nos automóveis de seus segurados, com significativa redução no tempo de espera. www.portoseguro.com.br

18 | cyclomagazine

PROJETO DE CICLOTURISMO NO BRASIL Antônio Olinto e Rafaela Asprino viajam pelo mundo em bicicleta. Eles integram o Projeto de Cicloturismo no Brasil, que tem como objetivo divulgar atividade em todas as suas vertentes através da produção de guias dos mais variados estilos de viagem, produção de livros texto sobre aventuras de bicicleta, produção e edição de imagens sobre as viagens de aventura e dos roteiros dos guias, par ticipação em palestras e eventos relacionados com esta área. Atualmente, o Projeto já conta com 05 Guias de Cicloturismo, 02 livros de texto e 08 DVDs sobre o assunto. Em atividade desde 1997, o Projeto é patrocinado pelo cicloturista e leitor, que adquire os guias, livros e DVDs e divulga o Projeto. www.olinto.com.br O ARO 27 BIKE CAFÉ, UM EMPREENDIMENTO QUE ESTÁ DANDO CERTO O Aro 27 Bike Café traz o conceito multifuncional de loja, oficina, café e park 'n shower. Situado em São Paulo a 50 metros da Estação Pinheiros do Metrô e da CPTM, o Aro 27 oferece ao ciclista uma loja com bicicletas, equipamentos e acessórios para uso urbano,

oficina, além do exclusivo serviço de park 'n shower, aonde o ciclista vai de bike, estaciona, toma banho e pode ir ao trabalho. O local oferece planos diários, semanais, mensais e anuais, que garante desconto no serviço. Oferece toda a estrutura necessária para a comodidade dos usuários. www.aro27.com.br SAMPA BIKERS, JÁ TRADICIONAL ENTRE OS ADEPTOS DO CICLISMO Criado em 1993 pelo arquiteto carioca Paulo de Tarso Martins e pelo paulistano executivo de marketing Reinaldo Ópice, o SAMPA BIKER’S nasceu da determinação de um grupo de ciclistas que decidiu se reunir uma vez por mês, para pedalar a noite por trilhas e estradas próximas da capital. A ideia inicial era realizar passeios noturnos em trilhas, pois em 1993 passeios noturnos na cidade era uma verdadeira febre. Surgiu então o Nigth Trail Tour. Com o ‘boom’ do Ecoturismo em 1994, Paulo de Tarso decidiu assumir o Sampa Bikers como negócio. Daí em diante o Sampa Bikers começou a organizar novas atividades como competições, palestras, passeios temáticos de bicicleta, cursos e outros eventos. www.sampabikers.com.br


MARKETING

NOVA EMPRESA DE DISTRIBUIÇÃO NO BRASIL Nova empresa, Blue Cycle, será formada para centralizar a operação logística e comercial dos produtos e marcas Shimano no País Texto e imagens: divulgação

O

mercado brasileiro de bicicletas e componentes para a prática do ciclismo, terá a participação de uma nova empresa: a Blue Cycle, joint venture formada por Shimano, LM Bike e Isapa, para distribuir em todo Brasil, exclusivamente os produtos Shimano, Pearl Izumi, PRO, Bikefitting.com e marcas parceiras a partir de dezembro de 2015. O presidente da Shimano Latin America, com sede em São Paulo, e responsável por comandar a marca japonesa em

20 | cyclomagazine

35 países, Fabio Takayanagi, explica a novidade. " Temos nos empenhado em fomentar o conhecimento técnico dos profissionais do mercado, dar suporte ao varejo com ações de trade, além do patrocínio a atletas e eventos esportivos de ciclismo. Esse esforço tem alcançado bons resultados e colaborado decisivamente para que a importância da bicicleta seja cada vez mais reconhecida. Pensando na melhoria constante do atendimento aos lojistas e consumidores finais, também no aprimoramento da operação logística e disponibilidade de nossos produtos e marcas, anunciamos o novo formato e estratégia de nossa distribuição no Brasil, já a partir de dezembro de 2015", antecipa Takayanagi. "Esta nova empresa se chamará Blue Cycle e será distribuidora exclusiva não apenas de Shimano, mas também de Pearl Izumi, PRO, Bikefitting.com e marcas parceiras no Brasil", complementa o executivo

responsável por comandar a empresa líder no mercado de componentes de bicicleta na América Latina. "Não obstante, a Shimano reconhece a importância do trabalho e a parceria dos distribuidores atuais - Biape, Ciclo Cairu, Isapa, Joytech, JR, LM Bike e MIX Bicicletas -, que tão bem representaram nossos produtos e marcas no Brasil ao longo dos últimos anos", afirma Takayanagi. "Agradecemos imensamente a estes distribuidores pela ótima parceria nesses anos", finaliza. Os distribuidores, incluindo Isapa e LM Bike, continuarão com as atividades regulares de distribuição de seus demais produtos e marcas no Brasil. Em breve, serão divulgados mais detalhes da nova operação da Blue Cycle. Os dirigentes das empresas Isapa e LM Bike irão, oportunamente, realizar declarações que deverão explicar com maiores detalhes a forma de atuação da nova empresa no mercado.


LANÇAMENTOS 01

02

03

04

01 BIKE SILQUE COM QUADRO EXCLUSIVO PARA MULHERES

TREK lança o modelo Silque com tecnologia IsoSpeed: traz força e flexibilidade ao pedalar. O quadro, com geometria WSD, foi ajustado exclusivamente para as mulheres. Possui transmissão perfeita, roteamento interno de cabos e a guia de corrente 3S. A pintura exclusiva caracteriza-se pelo vidro moído, oferecendo maior refletividade e visibilidade em 360°, proporcionando mais segurança ao ciclista.

www.trekbikes.com.br

22 | cyclomagazine

02 BICICLETA WEEK 200 PLUS

Quadro alumínio 6061 - comfort, garfo aço carbono, guidão alumínio com mesa de alumínio e regulagem de altura. Freios V-Brake, corrente KMC Index, Aro 26” alumínio, selim Nylon com refletores, câmbio Shimano Gripo Index 21V e pedivela tripla revestida. Com cesta de vime removível e kit de refletores.

www.trackbikes.com.br

03 BICICLETA

04 ROUPA DE

Modelo feminino, aro 26, freios V-brake, pedais em nylon com refletores, corrente KMC, carga máxima de 100kg, garfo em aço de carbono, quadro MTB aço de carbono feminino e guidão aço de carbono curvo com mesa MTB.

•isolamento térmico de peso leve e componente quente • lycra stretch tecido elástico • fácil transporte • respirabilidade, tecido respirável que absorve rapidamente a humidade • projeto componente totalmente trecho anatômico para maior conforto • visibilidade áreas reflexivas frente e para trás Para trilhas, esportes de neve, ciclismo, esportes relaxantes. Material: Tosão, Poliéster, Licra Zíper Visível de Comprimento Tota, com riscas refletoras, bolso na parte de trás.

SERENA

www.trackbikes.com.br

CILISMO


05

06

07

05 SELIM POWER

A Specialized lança o selim cuja base apresenta nova construção de carbono e tecnologia de polímero. Desenhado para melhor formato de assento, destaca-se por seu “nariz” mais curto, porém mais largo: em três opções de largura (143 mm, 155 mm, 168 mm). É adaptável para qualquer estrutura óssea, proporciona melhor circulação sanguínea, gerando menos desconforto durante uso prolongado.

www.specialized.com.br

08

06 CÂMBIO RD-M300 – SHIMANO

Pertencente à linha Acera remodelada, agora vem com a tecnologia Shadow, indicada para ser usada em trilhas e terrenos acidentados. A Linha continua com o sistema mega 9 na transmissão e apenas com a haste de câmbio longa SGS.

bike.shimano.com.br

07 CAPACETE PARA BICICLETA

Composto em poliestireno expandido, desenvolvido para maior resistência a impactos. A viseira aerodinâmica protege a região dos olhos, já as diversas entradas de ar favorecem a ventilação e resfriamento da cabeça. Impermeável e resistente à umidade. Tamanho: M (58 - 61cm) em azul e rosa. Tamanho G (61-65cm) em preto.

www.acte.sports.com.br

08 MOCHILA DE HIDRATAÇÃO DA JUMP UP

A coleção Jump Up 2015 traz mochilas de hidratação com design moderno, práticas e ideais para ciclistas, trilhas, etc. É leve, tem compartimento interno térmico, com reservatório de 1,5 L para água e amplo espaço para guardar outros objetos. Possui acolchoamento com novo Air System nas costas, proporcionando maior conforto no uso.

www.jumpup.com.br

cyclomagazine | 23


LANÇAMENTOS

09

10

11

12 12

09 CICLO FAIXA PRO

A luz traseira é ideal para passeios noturnos, proporciona maior segurança. Possui 2 lasers paralelos que formam uma ciclo faixa virtual, luz traseira com 5 led’s (constante e modo piscante), acompanha suporte, resistente à água. Alimentação: 2 pilhas AAA.

www.acte.sports.com.br

10 BOLSA BIKE SELIM

Sistema quick release (facilidade para colocar e tirar debaixo do selim) com velcro para melhor fixação. Possui bolso pequeno externo, bolso principal expansível. Zíper em nylon impermeável. Faixas laterais refletivas.

www.acte.sports.com.br

11 BOLSA DE SELIM AERO WEDGE IGLOW - TOPEAK

Modelo aerodinâmico com QuickClick™ (engate rápido) e sistema de iluminação com tecnologia Integral Glow (iGlow) à base de LEDs e fibra óptica. É fabricado em Denier Nylon 1000 teflonado, faixa com velcro para fixação da dianteira ao canote de selim, possui zíper envolvente na traseira, luzes em 2 modos (constante/ piscando), pesa apenas 107 g.

www.igp-sports.com.br

12 KIT DE

FERRAMENTAS PREPBOX – TOPEAK

O PrepBox inclui 18 tipos de ferramentas distribuídas em 2 compartimentos em uma maleta portátil, ideal para se levar a provas de ciclismo e eventos outdoors. A maleta é feita em plástico de padrão industrial e as ferramentas em Aço Chromo-Vanadium (ultra-resistente). Dimensões: 40.5 x 32 x 11.5cm. Possui bolsa encaixável na maleta para se carregar ferramentas extras.

www.igp-sports.com.br

24 | cyclomagazine


RÁPIDAS DO ESPORTE

ASTANA PRO TEAM VINCENZO NIBALI, vencedor do Tour de France em 2014, participará do Astana Pro Team, temporada 2015. Tentará manter a camisa amarela no Tour e buscar outras vitórias como as duas que conquistou nos Grand Tours. O da França:Nibali. Da Espanha:Alberto Contador, e o campeonato mundial: o polonês Michal Kwiatkowski.

COPA LIPPI DE MTB - CHILE Última grande prova da América do Sul na preparação para o Pan-Americano de MTB, a Copa Lippi recebeu em Santiago, no Chile, os ciclistas de mountain bike. Entre os homens, o campeão foi o colombiano FABIO CASTAÑEDA. No feminino, DANIELA CAMPUZANO (MEX) venceu a segunda seguida, após o triunfo na CIMTB, em Araxá (MG).

PISGAH STAGE RACE - EUA

PAN-AMERICANO DE MTB

A paulistana VIVI FAVERY - Specialized Factory Team, segue para o desafio internacional Pisgah Stage Race, nos EUA. Após competir em Itanhandu, Sul de Minas, no Big Biker, maratona de MTB vencida por ela em 2012 e 2013. A preparação da ciclista para os cinco dias de pedal intenso na Carolina do Norte (EUA) foi iniciada há quatro meses incluindo, o GP Ravelli, em Serra Negra (SP), o Four Seasons MTB, em São Francisco Xavier (SP), e agora o Big Biker. Nos Estados Unidos, Vivi disputará a ultramaratona com 225 km de extensão e mais de 6 mil metros de aclive.

Os atletas Scott Luiz Henrique Cocuzzi (Sub23) e Jaqueline Leal (Júnior), representantes da Equipe Lar Nossa Senhora na Seleção Brasileira de MTB, competiram no Campeonato PanAmericano da modalidade, disputado na Colômbia. Resultado: medalha de ouro no XCE, TOP 5 na Sub-23 e TOP 10 na Júnior.

28 | cyclomagazine


O Ã Ç E R I D M E PEDALE S E K I B E D A R I E F R O I A M À A N I T A L A C I DA AMÉR A Brasil Cycle Fair 2015 está chegando com as últimas novidades do mercado, oportunidades de negócios para os profissionais da área e um dia exclusivo para os consumidores. Mantenha-se informado pelo nosso site: www.brasilcyclefair.com ou por meio de nossas redes sociais. /BrasilCycleFair

27 a 30/9/2015

@brcyclefair

/BrasilCycleFair

Pavilhão Vermelho Expo Center Norte www.brasilcyclefair.com.br


RÁPIDAS DO ESPORTE

ABIERTODELNOA-ARGENTINA RAIZA GOULÃO E RUBINHO VALERIANO subiram ao pódio no ABIERTO DEL NOA 2015, em San Javier, Tucumán, Argentina. Triunfo de Raiza, que conquistou o 2º título da temporada em duas provas e somou mais 30 pontos nos rankings mundial e olímpico. No masculino, Rubinho foi o vice-campeão, e somou mais 20 pontos nos dois rankings. ISABELLA LACERDA conquistou o vice-campeonato somando 20 pontos.

12ª ABSA CAPE EPIC- ÁFRICA DO SUL O ultramaratonista ABRAÃO AZEVEDO busca o topo do pódio na Competição Internacional de MTB, 2015 ao lado do holandês Bart Brentjens pelo segundo ano consecutivo. O atleta representa o Brasil no Cape Epic, na África do Sul. Campeão na categoria Master nos dois últimos anos, o ultramaratonista terá de encarar um trajeto de oito dias,739km de distância e 16 mil m entre Cape Town (Cidade do Cabo) e Meerendal Wine Estate, em Durbanville.

BIKE CANA Neste ano, o evento de cicloturismo Bike Cana chega ao 18º ano e contou com uma programação repleta de atrações. Os participantes saíram de Piranga/MG onde seguiram até Lavras Novas/MG e retornaram para Piranga/MG, totalizando percurso de 108 km.

OPEN SHIMANO - LATINO AMÉRICA O público de Bariloche, na Argentina, acompanhou a abertura da competição de downhill, onde na categoria PRO, o chileno Pedro Ferreira venceu a primeira etapa, válida pelo campeonato argentino e também pelo circuito Latino Americano, disputado desde 2013 e que inclui provas no Brasil e Chile. Após obter a terceira melhor marca na fase qualificatória, Pedro baixou seu tempo na descida final em três seg. O chileno manteve a hegemonia na competição, depois de encerrar 2014 com o triunfo na etapa final, em Nevados de Chillan, no Chile. Completaram o pódio, o argentino Jeremias Maio e Gustavo Ortiz, também do Chile.

30 | cyclomagazine

COPA DO MUNDO DE BMX Renato Rezende ficou em 6º lugar na segunda etapa do UCI BMX Supercross – (copa do mundo de BMX), disputada em Papendal na Holanda. O atleta foi destaque somando 135 pontos no ranking mundial, recuperando-se do 17º lugar registrado em Manchester (Inglaterra), na primeira etapa.


LIGUE GRÁTIS AGORA MESMO!!! 0800 726 9010 / 0800 772 7999 0800 726 9020 / 0800 772 9111

www.emtecorp.com.br / vendas@emtecorp.com.br NO VO

MOVIMENTO CENTRAL 45mm COM ROLAMENTOS


RÁPIDAS DO ESPORTE

CAMINHO PARA A GLÓRIA

TRAINING CAMP TRÊS ESTADOS Três dias de pedais, de 05 a 07 de junho, com percursos de categoria Hors Concours (Nível 6) passando pelos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Inscrições: http://goo.gl/I3BaIe

• O suíço Nino Schurter, um dos rostos mais icônicos da Scott, acaba de lançar o primeiro capítulo da web-série “NINO – The Hunt for Glory” (Caminho para a Glória) – com legendas em português. Por ser um ano pré-olímpico, o tricampeão do mundo de MTB está se preparando para o maior objetivo da carreira, a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos Rio 2016. • Work hard, Play Hard (Trabalhe duro, Divirta-se intensamente) nos mostra um pouco de como ele treina e se prepara para a temporada. Serão vários capítulos mostrando a vida de Nino Schurter que em Londres, 2012, conquistou a medalha de prata.

OITO PAÍSES EM SÃO JOÃO DEL-REI

65ª 1º DE PROVA CICLÍSTICA MAIO A tradicional prova realizada no Dia Mundial do Trabalhador foi disputada no Parque Ecológico de Indaiatuba, no interior paulista. Na categoria Elite masculino, o ciclista Francisco Chamorro venceu a prova. Já no feminino, Camila Coelho Ferreira foi melhor. A prova contou pontos para o ranking da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) na categoria.

32 | cyclomagazine

• A segunda etapa da CIMTB Levorin, em São João del-Rei, tem confirmados ciclistas de oito países. Cerca de 900 atletas da Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Suíça, Venezuela e Brasil já estão inscritos. Entre os brasileiros, representantes de 13 Estados e do Distrito Federal. A Super Elite, Masculina e Feminina, disputará pontos para os rankings mundial e olímpico, enquanto a categoria Junior faz parte do circuito mundial da UCI. • A presença de bikers estrangeiros na Super Elite e na Juniors, que será válida como uma das 25 etapas da UCI Juniors Series, confirmam esta importância. • O público terá acesso gratuito ao evento. Para facilitar, será disponibilizado estacionamento para 900 vagas na frente do CTAN.


RÁPIDAS DO ESPORTE

COPA BRASIL DE BMX A primeira etapa 2015 foi realizada na cidade de Balneário Camboriú (SC). Os pilotos marcaram presença em 22 categorias com disputas acirradas que animaram o público presente. Na categoria Elite masculino, o vencedor foi o catarinense Ariel João a segunda e terceira colocações foram conquistadas pelos gaúchos Elisson Rodrigues e Arthur Lenz, respectivamente. Na Elite feminino, Letícia Pereira levou a melhor e garantiu a medalha de ouro. A gaúcha Gabriela Cruse terminou com a prata.

RIO 2016 Com a inédita classificação SHC nas Américas, ou Hors Class por Estágios, a abertura da Copa Internacional Levorin de MTB, em Araxá (MG), ofereceu aos campeões das super elites 160 pontos nos rankings internacionais. Entre os brasileiros, ficaram mais próximos dos Jogos Rio 2016 o campeão da etapa Henrique Avancini e a vice-campeã Érika Gramiscelli, com 140 pontos somados. Rubinho Valeriano e Raiza Goulão, ambos terceiros colocados, somaram 130 pontos.

46 | cyclomagazine


RÁPIDAS DE MARKETING COMPETIÇÃO INTERNACIONAL DE MTB Os ciclistas ARTHUR ROGÉLIUS E GABRIELA MORELLI, apoiados pelo Hospital VITA, completaram a ABSA CAPE EPIC 2015, que reuniu 1.200 atletas e 600 duplas em Western Cape, África do Sul. Os atletas terminaram a disputa no 31º lugar da categoria dupla mista. Já na classificação geral, conquistaram a 354ª colocação, de um total de 600 times. Os ciclistas percorreram 748 km e 16 mil metros de ascensão em oito dias de provas e conquistaram a camiseta de ‘finisher’ da competição. ALUGUEL DE BIKES

Nas grandes cidades, este mercado está em expansão, nas proximidades de estações de trem e metrô. Mas por que não o estender a estabelecimentos comerciais como hotéis instalados próximos a pontos turísticos? Eles poderão fornecer o veículo para os turistas conhecerem as redondezas. NOVA ELITE STORE

• Os amantes dos produtos da Specialized ganharam nova opção de compra na região oeste de Santa Catarina. A loja, localizada no centro de Chapecó, foi inaugurada pela Giro Bike, com apoio da fabricante, que promoveram passeio de Mountain Bike. • A poucos metros da antiga loja, a nova unidade da Giro Bike tem espaço de 600 m² e conta com

36 | cyclomagazine

mecânicos treinados. • Em parceria com o SESC Chapecó, a loja oferece passeios públicos de bike todas as quintas-feiras, sempre a partir das 19h. O projeto évoltadoàspessoasqueacabaram de comprar uma bicicleta e desejam adquirir o hábito de praticar exercícios físicos frequentemente. • Com duração de 40 min, percorrendo as ruas mais planas da cidade, os passeios contam com suporte de quatro guias e carro de apoio. • Outra novidade da nova unidade da Giro Bike é o personal biker, profissional preparado para ajudar ciclistas a aprimorar suas técnicas ou então ensinar os principiantes. SÃO JOÃO DELREI CELEBRA BENEFÍCIOS

• A segunda etapa da CIMTB , em São João del-Rei no interior de Minas Gerais vive clima de ansiedade à espera dos principais atletas brasileiros e sul-americanos de Mountain Bike. • A Secretaria Municipal de Esporte e Lazer da cidade comemora os benefícios garantidos devido a realização da Copa Internacional Levorin. Segundo o secretário Cleudes Barbosa são incalculáveis os ganhos econômicos e sociais proporcionados pela competição ao município mineiro. • Além do incentivo à prática esportiva, os organizadores do evento possuem objetivos sociais e educativos, a partir da doação de alimentos para entidades beneficentes. • O evento gera aquecimento da economia, tanto na rede hoteleira quanto no comércio

e nos restaurantes da cidade. OFICINAS BUSCAM DIFERENCIAMENTO

• Oficinas estão oferecendo serviço de empréstimo de modelos reservas para quem deixou sua bike para arrumar. • Quem pedala por esporte, ou para fazer turismo, procura bikes rápidas e leves. Os trabalhadores que fazem entregas usando bikes precisam de equipamentos robustos e com suporte para cargas. Na medida em que o mercado se especializa, as demandas para os fabricantes e os lojistas ficam mais complexas. • Oficinas: Os novos ciclistas vão precisar consertar pneus, aros, freios, câmbios e correntes. Também podem querer customizar seus modelos com profissionais

qualificados. Agrados extras para o consumidor, como o serviço de busca das bikes quebradas em casa e no trabalho, serão cada vez mais bem-vindos. Outra boa estratégia é criar um serviço de empréstimo de modelos reservas para quem deixou o seu modelo arrumando. DESAFIO DA MANTIQUEIRA Realizado em Campos do Jordão, interior de SP, o 14° Desafio da Mantiqueira foi patrocinado oficialmente pelas marcas TREK e a BONTRAGER que trabalham na divulgação da categoria MTB no Brasil e na estruturação das trilhas. Leandro Donizete e Ricardo Pscheidt conquistaram o terceiro e quarto lugar, respectivamente .


RÁPIDAS DE MARKETING

EXPANSÃO DE CICLOFAIXAS • Os incentivos à construção de ciclovias e ciclofaixas por parte das prefeituras de grandes cidades brasileiras tendem a ampliar o alcance do setor, mais recorrente no interior e no litoral. Na estimativa do Sebrae, a cidade de São Paulo, deverá ganhar 1 milhão de ciclistas nos próximos anos. Ao chegar aos grandes centros, o mercado tende a atingir usuários de maior poder aquisitivo. • O público do ambiente urbano é diferente do usuário de bicicletas no interior. Ele investe em bicicletas mais caras e em acessórios sofisticados”, afirma o presidente do Conselho da ABRADIBI, Isacco Douek.

38 | cyclomagazine

• Os ciclistas brasileiros usam o veículo para locomoção (50% do total), para presentear crianças (32%), para recreação (17%) e para competição (1%), de acordo com a ABRACICLO. Mas esse perfil deve mudar com a entrada, em maior número, dos ciclistas das metrópoles, onde, para distâncias de até cinco quilômetros, a bike pode ser um meio de locomoção mais rápido do que qualquer outro. • O movimento que vemos hoje nas ruas do Brasil ocorreu em Amsterdã há mais de 30 anos. Estamos presenciando diversas transformações urbanas com base na integração da bicicleta na matriz de transporte das cidades, com resultados surpreendentes,

como é o caso de Bogotá e até Nova York. MODA BIKE • Roupas com detalhes que refletem a luz, para usuários de bikes à noite. Camisas confortáveis e bonitas, projetadas para as pessoas que percorrem grandes distâncias até chegar ao trabalho. Capacetes e luvas, mais leves seguros e sofisticados. Seja pela praticidade, conforto ou para ajudar a identificar o usuário como seguidor da cultura biker, os lançamentos de moda para esse público tendem a ganhar mais adeptos. • Sites de vendas e relacionamento: e-commerce para o setor ainda engatinha. Faltam sites e aplicativos colaborati-

LANÇAMENTO MUNDIAL DO GRUPO TIAGRA 4700 Evolução na performance em Ciclismo de Estrada, mesmo para iniciantes, é o que oferece o novo grupo TIAGRA SÉRIE 4700, lançado mundialmente pela SHIMANO. O grupo adota tecnologias comprovadas dos

grupos top de linha Dura-Ace, Ultegra e 105, e estará disponível no Brasil entre os meses de julho e agosto. O novo Tiagra da Shimano proporcionará a oportunidade de pedalar com um grupo inspirado nos ciclistas profissionais, seja em desafios esportivos, no deslocamento do dia a dia ou em longos pedais de finais de semana.

vos, com informações sobre as condições das ciclovias das cidades, debates e estudos sobre mobilidade urbana, dicas de segurança e sugestões de treino (e as dietas mais indicadas para cada tipo de atividade), áreas para o encontro de ciclistas de diferentes lugares e, é claro, bons produtos, entre bicicletas e acessórios. A combinação entre espaço virtual e loja física costuma funcionar bem.

entre o Rio de Janeiro e São Paulo. A saga do paulista está registrada no filme "Desafio 600k RIO/SP", que será exibido gratuitamente em São Paulo, na Cinemateca Brasileira,Vl. Clementino. Serão exibidos seis curta-metragens, incluindo o Desafio, a partir de 19h. • A iniciativa de Clarindo teve como objetivo promover a mobilidade urbana e o ciclismo de longa distância, divulgando sua participação na Race Across América (RAAM), que começa no dia 16 de junho, na costa oeste norte-americana. O documentário retrata as dificuldades vividas pelo atleta para completar com sucesso o desafio.

EXIBIÇÃO DO FILME "DESAFIO 600K", • Imagine pedalar 600 km em menos de 24h. O ultraciclista Claudio Clarindo fez em 2013, ao vencer em 22h a distância


PERSONAGEM

EXECUTIVO USA BIKE NO DIA A DIA E PARTICIPA DE COMPETIÇÕES Texto Carolina Suffi Imagens: divulgação

L

eandro Hernandez é um executivo com mais de 20 anos de experiência no mercado de TI. Ele tem como principal objetivo reforçar ainda mais a expansão regional da F-Secure, através de parcerias estratégicas com operadoras. Além de ter presença no Brasil, a F-Secure possui escritórios no Chile, Colômbia e México para atender clientes na América Latina. Hernandez trabalhou em empresas como HP, Oracle, Adobe, TIBCO e iLeve, além de ter fundado uma empresa de soluções de Cloud Computing. Conta com pós-graduação em Marketing e Mercado Internacional pela Universidade Estadual de Nova York, em Buffalo, EUA. Ele também tem amplo conhecimento em desenvolvimento de negócios e gestão de empresas importantes de tecnologia na nuvem. Além desse amplo e rico currículo

40 | cyclomagazine

profissional, Leandro Hernandez usa a bicicleta como prática esportiva e meio de locomoção da sua casa ao trabalho. Nascido em Toluca, capital do estado do México, acostumou-se com a planície acidentada do seu país, principalmente para subir as ruas íngremes no pedal, o que faz dele um especialista em subidas de morros pedalando, sem encontrar nenhuma dificuldade. Há 10 anos o ciclismo tornou-se seu esporte favorito. Tudo começou quando Leandro praticava triathlon, sendo o ciclismo uma das práticas esportivas que exige mais esforço físico, adaptou-se facilmente devido a sua predileção. “Minha primeira experiência com bicicleta foi quando encontrei com um grupo de amigos triatletas que praticavam Iron man , que basicamente consiste em uma prova que é composta por 3 modalidades esportivas: natação com 3,8 km, corrida 42km e ciclismo 180 km, realizada em um dia. Pedi ajuda a esse grupo para treinar ciclismo. Um deles

emprestou uma bicicleta que pertencia a sua esposa, e assim saímos para pedalar. Foram 140 km de subidas na cidade do México, o que resultou em alguns tombos, mas sem sequelas emocionais graves”, conta Leandro. O empresário relata que nesse percurso predominava a subida, mas em contra partida a volta eram de longas descidas, momento que exigia mais força e equilíbrio. No final dessa primeira experiência, os amigos queriam saber como ele havia se saído e o que tinha achado do primeiro treino. A resposta não estava pronta, para Leandro estava tudo bem e daria continuidade aos treinos pesados. Essa primeira experiência deu suporte para Leandro participar do Haute Route, uma prova que é conhecida como uma das mais duras do 'endurece'. Essa rota é nos Alpes Suiços e tem que ser completada em sete dias: são sete etapas seguidas, sendo três ou quatro montanhas por etapa. A cada dia a altimetria


LEANDRO HERNADEZ

acumulada chega a 3 – 4 mil metros de ascensão, são 900 km de muita persistência, resistência e paciência. HOUTE ROUTE “ Depois de treinar e participar de vários Iron man, senti que precisava de outros desafios. Em 2013 participei do Tour da França, o qual gostei muito, mas gostaria de participar de outra prova que envolvesse mais dias, para compensar toda a logística montada para as pequenas provas (como por exemplo deslocar todo o aparato para o local da prova). Foi aí que me apresentaram o Haute Route”. Para a prova, o preparo físico de Leandro não conta com grandes revelações. Ele diminuiu consideravelmente as outras atividades esportivas que praticava e se dedicou todos os dias, a partir do mês de abril, ao ciclismo. Ele tinha a certeza que as subidas não seriam seu grande desafio, uma vez que sabia de sua habilidade nessa modali-

dade. Porém, o fator tempo e temperatura foi o que ele não tinha como se preparar e teria de enfrentar e vencer. “A parte física, cansaço e força para a subida realmente não me afetaram, mas o frio foi algo que precisei treinar minha mente para suportar”, relata. O fator clima dos Alpes não foi motivo para fazer esse mexicano desistir. É comum encontrar vídeos na internet da Houte Route, na maioria deles conseguimos sentir, através das imagens, garra, força e emoção dos participantes no final da prova, o que resulta muitas vezes em lágrimas. Ao questionar qual foi o momento de emoção que envolveu Leandro na prova, ele afirmou que fisicamente o corpo dele estava preparado para chegar ao fim da prova, e como parte do treino, sua mente, segura de suas emoções e dificuldades. “Eu preciso de outra prova que exija mais esforço físico para talvez eu sen-

cyclomagazine | 41


PERSONAGEM

tir emoção ou desejo de desistir", afirma desafiador. DESCIDA ESTRATÉGICA Considerado conservador e sabendo dos riscos que uma descida pode causar, segurança e cuidado são primordiais para o que ele não domina. “Não sou um ciclista de riscos e não tenho grandes habilidades e técnicas em descidas, afinal os europeus já estão mais acostumados com o terreno em declive e se sentem mais seguros quando se arriscam em longas descidas. Então, prefiro ser mais conservador, mesmo porque sei que na subida consigo ultrapassá-los, então desço devagar” afirma o empresário. “A descida é dura e injusta considerando a temperatura dos Alpes. É um momento em que a sensação

42 | cyclomagazine

A descida é dura e injusta considerando a temperatura dos Alpes. É um momento em que a sensação térmica cai drasticamente"

térmica cai drasticamente, tem que despender de mais equilíbrio para aguentar o frio. Certo momento não entendi porque minha bicicleta trepidava tanto na descida, e fui perceber que era o meu corpo trêmulo”, relata. Provas muito longas fazem com que o cansaço leve à distração e, esse é um dos maiores perigos que levam aos acidentes. O ciclista tem que estar preparado emocionalmente para perceber esses momentos, paradas para alimentação são essenciais. Leandro relata que devido à intensidade, o ciclista muitas vezes perde a referência do tempo. CICLISTA EM SP Considerando que a Capital paulista vem tentando adaptar e fazer mais ciclovias, quando

levantamos esse assunto com o empresário, ele afirma que o paulistano precisa de decisão e coragem para pedalar nas ruas. “Estamos descuidando de um componente importante: a infraestrutura é fundamental, e sei que essa administração política está tentando fazer alguma coisa para melhorar, porém existem algumas ciclovias mal planejadas que acabam em ruas movimentadas. Talvez esse tipo de erro não esteja sendo pensado. E o que eu considero mais importante do que faixas vermelhas é a educação no trânsito”, pondera. “Dados apontam que as bicicletas estão nas ruas e vieram para ficar. Não se trata de um modismo e sim de uma alternativa fácil e rápida de locomoção. A bicicleta também é um meio de


transporte, e ainda tem benefícios que são incontestáveis a respeito da saúde. Devemos também considerar o fator meio ambiente”, explica e continua didaticamente: “Existem regras básicas de trânsito entre ciclista e motorista que muitos ainda não têm ciência. Regras essas que estabelecem critérios básicos, definindo escala de preferência no fluxo de veículos e pessoas: motorista de ônibus, motorista de carro, veículos de propulsão humana e pedestre. Pela legislação, quem está em situação mais fragilizada tem a prioridade”. Em tese: pedestres tem prioridade sobre os ciclistas e os ciclistas tem prioridade sobre carros e motos. Outra regra que dificilmente é respeitada nas grandes cidades é a distância que o motorista deve manter do ciclista, que está estabelecida

em 1,5m de distância. “Acredito que deveriam ter usado um método inverso, antes de fazer faixas vermelhas deveriam ter investido mais em educação no trânsito. Após a infraestrutura, usar de uma campanha constante de conscientização e respeito ao ciclista e pedestre”, opina Leandro. O executivo coleciona diversas experiências de falta de educação com o ciclista. “Já me ultrapassaram no estacionamento: eu de bicicleta e uma senhora de carro”, conta Leandro. A F- Secure, empresa que Leandro Hernandez é vice presidente, preocupou-se em estabelecer-se em um prédio que daria as melhores condições ao empresário. Um dos critérios para a escolha do novo local foi que o prédio de escritórios tivesse vestiário e bicicletário. Todo

Dados apontam que as bicicletas estão nas ruas e vieram para ficar. Não se trata de um modismo e sim de uma alternativa fácil e rápida"

o dia Leandro Hernandez pedala 5,5 km do bairro do Butantã, na zona oeste da cidade, onde reside, até a Av. Luiz Carlos Berrine, na zona sul, onde trabalha. MENSAGEM A primeira vivência de sucesso e maturidade que você traz da infância é o ciclismo, momento em que empurramos nossos filhos e eles ganham a independência sem a rodinha de apoio: essa imagem do ciclismo se traduz para a vida. Gostaria de ver mais pessoas pedalando e usando a bike como meio de transporte, pois é um mecanismo de esporte coletivo e viável para ambientes caóticos como as grandes metrópolis que vivemos hoje.

cyclomagazine | 43


EVENTO

A CADA E PASSEIO GANHA Em dois anos de existência, o evento em Santa Cruz do Capibaribe - PE já é considerado verdadeiro sucesso. Esse foi o primeiro ano em que Iran Vieira, da Iran Bikes, participou do circuito, bastante surpreso devido o número de participantes e a qualidade do passeio

Texto: Hylario Guerrero Imagens: J.Haroldo

42 | cyclomagazine 44

E

mbora o evento seja mensal, cada grupo ciclístico só pode participar uma vez por ano do circuito em si. Em sua primeira edição, o evento reuniu cerca de 70 pessoas, e nesta edição o número de participantes subiu para a média de 700 pessoas. “Normalmente são fornecidos dois percursos: para os iniciantes, cerca de 30/35km e um outro mais pesado com 40/45km, para os veteranos. Mas não se deixe iludir pela pouca diferença entre

um percurso e outro. A largada e chegada são em área urbana, porém o percurso é feito em zona rural”, explica Iran. O evento tem início no período da manhã e pode se estender até às 13h, dependendo dos atletas e do percurso a ser percorrido. “A grande maioria ainda é o público masculino, por outro lado as mulheres, aos poucos estão tomando conta do espaço, dominando a área”, brinca Iran, que reitera, “a família nesse tipo de evento vem se mostrando companheira. Acaba sendo uma grande festa


PASSEIO CIRCUITO ECOBIKE

EDIÇÃO, A MAIS ADEPTOS familiar” O Circuito Eco Bike de Pernambuco quer levar a população a conhecer de maneira participativa os eventos ciclísticos, tanto do Circuito como de todos os grupos que participam deste movimento, oferecendo aos cidadãos mais uma opção de lazer e aventura, dentro do estado, independente da classe social ou porte físico. A questão do patrocínio fica a critério dos organizadores de cada etapa. “Esses ficam com a parte de disponibilizar segurança e fechamento de ruas. Algumas

vezes não recebem apoio e nenhum patrocínio. Mas, quando conseguimos patrocinadores, temos a distribuição de brindes, sorteios e até de premiações”, Coloca Iran, sugerindo que se houvesse mais patrocinadores, poderiam ampliar as promoções. O evento se iniciou em Glória de Goitá, PE. “O Circuito surgiu como uma tentativa de se criar uma ‘agenda’ esportiva onde vários grupos ciclísticos de Pernambuco pudessem se associar e compartilhar as diversas trilhas do interior do Estado”, garante Iran.

O fundador foi José Alberes Rufino, mais conhecido por ‘Berinho’. “Por mais que o mundo esteja evoluindo, estamos nos esquecendo de onde viemos. O evento está criando laços entre eles e apresentando-os ao ambiente de aventura. Buscamos incentivar o esporte consciente, que é ocupar o ambiente seja nas cidades ou fora delas, de forma que não venha causar prejuízos que vão desde a degradação ao meio ambiente, quanto ao de acidentes dentro da cidade”, conclui Berinho.

cyclomagazine | 45


DESAFIO

TOUR DE FRANCE NO BRASIL

Disputada na França há mais de um século, a competição terá etapa para ciclistas amadores em Cunha (SP), no fim de outubro, e em Recife (PE), em março de 2016 Texto e imagens: divulgação

O L'Étape do Tour de France promoverá, pela primeira vez, evento em solo brasileiro. No dia 25 de outubro deste ano, a cidade de Cunha, interior paulista será sede da primeira edição do “L'Étape Brasil by Le Tour de France”. O evento tem o objetivo de proporcionar aos ciclistas brasileiros amadores a experiência do Tour de France, por meio da realização de provas em outras regiões do Brasil nos próximos três anos. O evento foi anunciado na capital paulista pelo CEO do Grupo Manga, Márcio Flores, organizador da prova. "Vamos realizar uma grande prova em Cunha com limite de 3 mil ciclistas. Queremos transformar o evento numa espécie de Lollapalooza do esporte, com um grande envolvimento da população da cidade e da região, e também queremos deixar um legado para Cunha, com benfeitorias de estrutura", disse. O executivo aproveitou o encontro para anunciar também a realização da segunda prova em solo brasileiro: em março de 2016, em Recife. "Estamos finalizando os detalhes, mas podemos confirmar que faremos a prova no mês de aniversário da capital pernambucana", acrescentou. O percurso terá 112 km, com 2.790 metros de altimetria acumulada. Largada e chegada em Cunha. O local foi escolhido por causa da estrutura das estradas,

próxima à divisa do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, e onde estão as Serras do Mar, da Bocaína, da Mantiqueira e da Quebra-Cangalha. INVESTIMENTO DE 4 MILHÕES DE EUROS Mais de 500 profissionais estarão envolvidos na organização do evento, que deve receber investimento de mais de 4 milhões de euros (quase R$ 14 milhões) nos próximos três anos. “Calculamos que o L'Étape Brasil by Le Tour de France propicie impacto econômico de aproximadamente R$ 4,8 milhões para a região de Cunha”, comentou Márcio Flores. O L'Étape du Tour foi criado em 1993 para atender os ciclistas estrangeiros que costumavam viajar à França para competir no Tour de France. A crescente presença de brasileiros na competição francesa (mais de 450 por ano, segundo os organizadores) desencadeou a chegada do L'Étape du Tour ao País. Trazido ao país pelo Grupo Manga, o evento é fruto de uma parceria inédita da empresa brasileira com a A.S.O (Amaury Sports Organisation), organizadora do evento desde o início, há 22 anos. “Os franceses enxergaram no Brasil a oportunidade de expandir seus negócios, motivados pelo número crescente de ciclistas, principalmente amadores,

Na Foto: Arnaud Santin, Márcio Flores e Mathieu Boutroux

46 | cyclomagazine

no país. Além do aumento de obras públicas voltadas à mobilidade urbana nos últimos anos, outro fator que atraiu os organizadores do L'Étape du Tour foram os grandes eventos esportivos realizados no Brasil como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. A busca dos brasileiros por hábitos mais saudáveis, evidenciada pelo crescimento de eventos como o Ironman, também foi decisiva”. "O Brasil tem sido um dos cinco países que mais leva ciclistas ao L'Etape na França. Em parceria com o Grupo Manga, pudemos efetivar este objetivo", afirmou Arnaud Santin, gerente de novos negócios da A.S.O. Ele e Mathieu Boutroux, gerente de projetos da A.S.O., estiveram em Cunha e validaram o percurso. “O Tour de France foi criado em 1903, e hoje é uma prova com a participação dos melhores ciclistas do mundo, que percorrem o total de 3.600 km pela França e países vizinhos. O evento se tornou referência no esporte mundial e objeto de desejo de muitos atletas e espectadores, já que todos os anos, conta com a participação de ciclistas de diversos países e 12 milhões de pessoas ao longo das estradas para animar os competidores”, reiterou Arnaud Santin. A primeira edição do evento terá inscrições abertas através do site oficial www.letapebrasil.com.br


NOTAS

EQUIPE TEM 11 ATLETAS QUE COMPETEM EM SÃO PAULO, MINAS E RIO

Os atletas das equipes patrocinadas pela Specialized têm representado a marca em competições em três estados: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. A triatleta Vanessa Gianinni (Specialized Factory Team) participou pela primeira vez do Rio Triathlon Endurance, competição realizada no Recreio dos Bandeirantes, com 1,5 km de

CIMTBCALENDÁRIO AVISO DE PARA 2016 SEGURANÇA O principal circuito de MTB da América Latina terá, em 2016, três etapas valendo o título do campeonato na CIMTB Levorin e na Copa LM Bike de Amadores. Duas etapas da competição serão realizadas antes do Rio 2016, definindo o número de vagas para os Jogos Olímpicos e os representantes do Brasil nos Jogos. A abertura do CIMTB acontecerá na cidade de Araxá (MG), São João del-Rei (MG) recebe a segunda edição, nas modalidades XCO e XCE, e Congonhas(MG), encerrará a temporada com a tradicional Maratona (XCM) e o Desafio da Ladeira. Todo planejamento será feito em parceria com UCI, CBC e FMC.

48 | cyclomagazine

Algumas bicicletas Trek foram vendidas equipadas com freios a disco e uma alavanca de blocagem rápida dianteira que abre mais que 180°. Se a blocagem rápida for mal ajustada, ou deixada aberta numa bicicleta que também possua freio de disco dianteiro, a alavanca da blocagem rápida pode ficar presa nesse conjunto. Se isso acontecer, a roda dianteira poderá se soltar do garfo dianteiro ou sofrer uma parada súbita e o ciclista poderá perder o controle da bicicleta. Para reforçar a segurança, o ciclista deve sempre ajustar corretamente a blocagem rápida da bicicleta antes de pedalar. O Manual do Proprietário Trek contém instruções detalhadas para a instalação e remoção adequada da blocagem rápida.

natação, 60 km de ciclismo e 15 km de corrida. O paulista Orlando Alves (Specialized Factory Team) participou da 1ª etapa do Campeonato Mineiro de Maratona, em Itabirito (MG): um circuito de 62 Km de extensão. Em Monte Alegre do Sul (SP), a 2ª etapa do Campeonato Interestadual de Mountain Bike, modalidade Caso o usuário não possua esse manual, o mesmo deve consultar o revendedor Trek local. Vídeos sobre a instalação e remoção da blocagem rápida, estão disponíveis no site da marca e outros vídeos demonstrando o ajuste adequado dela estão disponíveis no canal YouTube da marca. Em caso de dúvidas do ciclista, recomenda-se levar a um revendedor autorizado local para uma inspeção gratuita. Em caso de proprietários de bicicletas em recall, a Trek fornecerá a troca da blocagem rápida, incluindo a instalação, gratuitamente através de um revendedor da marca. Além disto, o cliente também receberá um cupom de desconto para a compra de itens Bontrager (exceto sapatilhas), no momento da troca da blocagem, e desde que efetuada até o dia 31 de dezembro de 2015.

XCO, contou com quatro atletas da equipe Specialized/Hoffmann XCO: Tiago Rodrigues (elite), Larissa Brasa (júnior), Naydson Cortes e João Vitor Hoffmann (ambos sub-23). A AOO Specialized teve um representante: o mineiro José Gabriel (sub-23), que utilizou a prova como último teste antes da 2ªetapa da CIMTB Levorin, realizada em São João Del Rei (MG). A equipe Xingu AKSA foi para Botucatu (SP) participar da Haka Expedition, modalidade quarteto misto, com 200 Km de percurso (divididos em trechos de Mountain Bike, Trekking e Canoagem, somados a técnicas verticais e navegação) em, aproximadamente, 30 h. O quarteto da Xingu é formado por Marina Richwin, Daniel Franquim, André Lemmi e o capitão da equipe, Igor Petric. Este cupom não representa valor em dinheiro. http://www.trekbikes.com/br/pt/support/ safety_and_recalls/

“CONTADOR DE CICLISTAS“ Com uma câmera instalada no prédio da Av. Faria Lima, São Paulo, aparelho conta o número de ciclistas que passam pela ciclofaixa e avalia horários de maior fluxo na ciclovia. O projeto, que é uma iniciativa do projeto SP Aberta, foi recém-lançado e está em fase experimental. A ideia é disponibilizar um webservice de todos os dados captados pela câmera, por meio de software. Dessa forma, outros profissionais poderão trabalhar com esse volume de dados e a partir daí criar soluções em mobilidade.


ONDE VOCÊ ENCONTRA QUASE TUDO ↓

PEÇAS E ACESSÓRIOS PARA BICICLETAS

BIKE

Rua Dr. Raul Manso Sayão Filho, 627 03965-010 - São Mateus - São Paulo hffukuda@hotmail.com

PARTS

Fone: (11) 2962-2125 Fax: (11) 2019-6867


NOTAS

SPRAY QUE BRILHA NO ESCURO JÁ ESTÁ FAZENDO GRANDE SUCESSO ENTRE CICLISTAS

EUROBIKE 2015 SE APROXIMA !

A Volvo desenvolveu um produto que pode auxiliar muito na segurança dos ciclistas. Sabendo dos riscos que a baixa visibilidade pode causar durante a noite e devido à preocupação com o número alarmante de ciclistas envolvidos em acidentes por atropelamento todos os anos na Grã-Bretanha

da indústria nos três primeiros dias. No último dia, os portões da De 26 a 29 de agosto de 2015, feira serão abertos para todos os pessoas que compõem a indús- interessados em bicicleta. tria da bicicleta de todo o mundo se encontrarão na Eurobike em Friedrichshafen. Inovações PEDAL SMART e tendências são o foco da mídia; PREVENE ROUBO E todos os grandes nomes estarão GRAVA CORRIDAS presentes em Lake Constance: Na proposta da Connected Cycles, 1.300 expositores, 46.000 visi- o sistema que transforma uma tantes do ramo de mais de 100 bicicleta comum em smart é um países, 20.000 consumidores, e sistema de pedais que pode ser aproximadamente 2.000 jorna- instalado em qualquer bicicleta de listas. O dia antes do início da tamanho adulto e, ainda, possui feira (25 de agosto) é conhecido sistemas de registro de atividades como Demo Day (o Dia de De- e detenção de movimento para monstrações) de novos produtos prevenção de furtos. Esses aceslançados pela indústria de bicicletas sórios possuem um gerador de e que podem ser testados pelos energia interno, que é carregado participantes da feira. Como uma quando o usuário pedala, dispenfeira de negócios líder global, ela é sando o uso de carregadores. O reservada para os representantes pedal também se conecta com

50 | cyclomagazine

(19 mil), a Volvo desenvolveu o LifePaint, um spray refletor que durante o dia é completamente transparente, mas durante a noite faz brilhar as superfícies ao serem atingidos pelos faróis dos veículos, dando condições aos motoristas de enxergarem o ciclista.

A invenção foi batizada de LifePaint, mas não é exatamente uma tinta: é um material lavável que dura até 10 dias após sua aplicação. A pessoa pode pintar tanto a bicicleta como a roupa, e outros objetos que carregar enquanto pedala: como uma mochila, capacete ou tênis, por exemplo. Se não for lavado, pode durar até 10 dias. Sai facilmente com água, e não afeta a cor, nem o material pintado com o spray. Ao lançar o produto, a empresa anuncia a seguinte mensagem: “A melhor forma de sobreviver a um acidente, é evitando um acidente”. A LifePaint por enquanto só é encontrada na Grã-Bretanha. No entanto, faz parte do planejamento da Volvo comercializá-lo no mundo inteiro. Devemos parabenizar a empresa por essa iniciativa e torcer para que o produto seja vendido no Brasil em breve.

26 municípios catarinenses, a 6ª edição do Dia do Pedal reuniu mais de 21 mil pessoas no Estado, sendo pelo menos 14 mil ciclistas, segundo a organização. O evento, que também contou com atividades culturais promovidas pelo Sesc, tem como intenção incentivar o uso das bicicletas e discutir formas mais saudáveis e sustentáveis de se locomover pela cidade. Com o tema "Passeio sobre rodas", os roteiros começaram às 8h e incluíram pontos históricos de cada cidade, promovendo também a defesa do patrimônio cultural de cada local. As inscrições foram gratuitas e os participantes puderam contriDIA DO PEDAL EM buir com 1 kg de alimento nãoSANTA CATARINA -perecível, auxiliando o projeto Com realização simultânea em Mesa Brasil Sesc. a Internet sem a necessidade de parear com outros dispositivos, através de um chip SIM e conexão GPRS. Inclui um aplicativo para Android e iOS que permite ao usuário conferir vários dados fornecidos pelos sensores da bicicleta, como: rota, velocidade, inclinação, calorias queimadas em cada viagem. Também pode detectar quando uma pessoa que não é o seu dono a movimenta e pode alertá-lo através de notificações no smartphone, facilitando a localização e resgate. Por enquanto, o produto só está disponível na União Europeia, Estados Unidos, Israel, China e Rússia.


3 BOAS RAZÕES PARA VOCÊ RODAR DE SHIMANO

29” • Rodas de MTB com padrão de qualidade comprovada Shimano • Montadas à mão e com número de série para cada roda • Duráveis e de baixa manutenção com a tecnologia Cup & Cone • CENTER LOCK: sistema de montagem de rotor rápida, simples, leve e eficaz • Disponível em opção de eixo dianteiro E-THRU de 15 mm • Equipadas com tecnologias originais Shimano saiba mais em bike.shimano.com.br

27.5”

NOVOS MODELOS MT15

CONDIÇÕES ESPECIAIS DE VENDA COM ATÉ 50% DE DESCONTO!*

*Enquanto durarem os estoques. Consulte seu representante. bike.shimano.com.br

t w i t t e r. co m / s h i m a n o b ra s i l

f a c e b o o k . c o m / s h i m a n o b ra s i l

i n s t a g ra m . co m / s h i m a n o b ra s i l

26”

Cyclomagazine 203  
Cyclomagazine 203  
Advertisement