Page 1

Dicas para atendimento das necessidades dos novos hรกbitos de ciclistas p. 46

p. 18

p. 38


CONTEÚDO

CAPA

46

DICAS PARA OS PROFISSIONAIS E CICLISTAS PRODUTO

42 MODELO VINTAGE DE E-BIKE

18

MARKETING ESTRATÉGIA GARANTE RESULTADOS POSITIVOS E RÁPIDOS

14 INAUGURAÇÃO INVESTIMENTO E EXPANSÃO

36

DESAFIO

EVENTO

24

38

TOUR DO RIO

SHIMANO FEST

SEÇÕES

TENDÊNCIA

Editorial Correio Notas

BIKE INTELIGENTE

04 06 28

Lançamentos Esportes Artigo

10 20 40


Luanda

Diretoria Osmar Silva José Haroldo G. Santos

Edição 200 - Novembro / Dezembro 2014

Editor Osmar Silva osmar@luanda.com.br

Diretor José Haroldo G. Santos haroldo@luanda.com.br

Redação Hylario Guerrero (MTB 13468) hg.noticia@luanda.com.br Joelma Farias redacao@luanda.com.br Angela Davis V. Silva angela@luanda.com.br Arte e Diagramação Bruno R. Mello dos Santos Caio Matheus V. Paiva Diego Igor de Oliveira midia@luanda.com.br arte@luanda.com.br Publicidade: Luanda Brasil Serviços de publicidade Ana Paula Lima José Ricardo Gomes vendas@luanda.com.br Administração Fernanda Oliveira Jhonnatan da Silva André Juici Monteiro luanda@luanda.com.br

EDITORIAL

Salve, salve, salve! A bike definitivamente entrou na vida dos paulistanos, mesmo que meio forçado pelo prefeito, que está pintando de vermelho as avenidas e ruas da cidade, com as ciclovias que têm construído e disponibilizado para utilização dos ciclistas. Os fabricantes de tinta estão felizes: são mais de quatrocentos e tantos quilômetros de ciclovias prometidos pelo alcaide com este padrão. Não sabemos se por escolha pessoal, homenagem ao partido ao qual é filiado ou se há algum padrão que deva ser seguido. O caso é que haja tinta vermelha para consumir. Já os motoristas, não demonstram compartilhar do mesmo sentimento. Afinal, consideram que houve mais uma invasão ao seu espaço, que já era disputadíssimo com as motocicletas. Agora, ficaram ainda menores as vias de rolamento e o espaço para divisão entre automóveis, ônibus, motos, em muitas delas também com os caminhões. Implantaram as ciclovias em avenidas e ruas de intensa movimentação e, consequentemente, já com problemas de congestionamentos. Será que não poderiam ter projetado as ciclovias em vias alternativas, paralelas? Talvez, se fizessem assim, não tivessem alcançado a repercussão que conseguiram na mídia e também não obteriam a visibilidade para os fins políticos que sempre acompanham as iniciativas das administrações das cidades. Para os ciclistas está uma beleza. Podem pedalar com segurança em qualquer horário. O número de usuários de bikes e ciclovias aumentou e é possível constatar isto com facilidade nos horários de deslocamentos mais intensos ou nos dias de finais de semana quando grupos de ciclistas desfilam com roupas coloridas. Famílias têm aderido ao saudável hábito de pedalar. Jovens, idosos, crianças todos curtindo a ‘magrela’. Para os lojistas os resultados também já estão sendo percebidos. Mais bikes sendo adquiridas e, interessante notar que os modelos nem sempre são os mais simples. Há uma tendência ao consumo de bicicletas com maior tecnologia, que oferecem mais conforto e modelos adequados para o uso urbano. Tem ciclista encomendando bikes com medidas específicas para o seu corpo, as customizadas, e assim, o trabalho dos ‘handmakers’ também ganhou evidência. Imaginem então, como este processo irá impactar o segmento como um todo. Mais ciclistas, mais bikes, mais vendas nas lojas. Intensificação dos serviços de manutenção e vendas de acessórios, reposição de partes como pneus, freios, cabos etc. Então, mesmo que alguns considerem que esta implementação de ciclovias deu-se por linhas tortas, irá oferecer oportunidades para o desenvolvimento de negócios para os integrantes do setor. Fiquem todos atentos e preparados para usufruir deste possível alento no consumo provocado por esta ‘onda’ que surge na cidade. E, por falar de onda, os nossos cumprimentos ao jovem Medina, primeiro brasileiro campeão mundial de surf!

Jurídico Dra. Adriana Carla Gomes P. Silva

Todos nós!

Assessoria gráfica Pavaprint Impressão HR Gráfica R. Joaquim de Almeida Moraes, 273 Jd. Magali - CEP 02844-000 - São Paulo/SP Tel.: + 55 (11) 3461 8400 / 3461 8401 Fax: + 55 (11) 3923 5374

A cyclomagazine aceita matérias técnicas como colaboração. Os artigos deverão vir acompanhados de fotos ilustrativas com as respectivas legendas e curriculum do autor. A revista não se reponsabiliza por opiniões e artigos assinados que podem ou não expressar a mesma opinião do editor. As opiniões emitidas em artigos assinados são de responsabilidade do autor. A revista não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios veiculados, nem por aquisições em função destes. Todos os direitos reservados, sendo proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio, sob pena de procedimentos legais. A revista cyclomagazine é uma publicação mensal da Luanda Editores Associados LTDA., e tem sua marca registrada no INPI sob o número 820.332.593

Dicas para atendimento das necessidades dos novos hábitos de ciclistas p. 46

p. 18

p. 38

Foto capa: Divulgação Sportwix Wear


Thiago Aroeira - Atleta ISAPA/OGGI/SHIMANO - Elite Profissional de MTB Usa pneus SMALL BLOCK EIGHT 29” - Assinados pelo lendário atleta John Tomac

KENDA, A MELHOR EM PNEUS E EM CÂMARA DE AR PARA ARO 29”

Pneu Kenda Karma K917 29 x 1.90 Pto Kevlar

Pneu Kenda Small Block Eight K1047 29 x 2.10 K1047 Pto Kevlar

Conheça a linha completa em nosso site e ofereça o melhor ao seu cliente.

Pneu Kenda 24Seven Race Pro K1096 29 x 2.00 Pto Kevlar

VENDAS: 0800 702 8699 SAC: 0800 702 0801 www.kendatire.com

Pneu Kenda Nevegal K1010 29 x 2.20 Pto Kevlar

Câmara de ar Kenda 29 x 1.9/2.3 c/ válvula presta

Pedalando e acelerando com você

www.isapa.com.br


CORREIO

INTERAJA COM A REDAÇÃO

Email: redacao@luanda.com.br Site: www.luanda.com.br

Endereço: R. Joaquim de Almeida Morais, 273 - CEP: 02844-000, São Paulo - SP

Opinião

Entidade beneficente

O mundo não para. Cada dia que passa, o planeta cresce assustadoramente com o avanço da tecnologia de ponta em todos os segmentos, e, por isso, aqueles que não estiverem sincronizados com o mundo globalizado e os que não acompanharem a evolução de um futuro bem próximo, não encontrarão nenhum porto onde possam ancorar. Mas, aqueles que procurarem se especializar e se qualificar terá seu ancoradouro aberto aqui ou em qualquer outro País. Ainda existem muitos profissionais liberais, autônomos e empresários que continuam se utilizando de métodos ultrapassados, não procuraram inovar seus conhecimentos; se quer pensam em fazer investimentos para acompanhar os tempos modernos enquanto há tempo. A acomodação por parte de alguns e a falta de entrosamento com pessoas a eles subordinadas, acaba por não evoluir a empresa. Ter responsabilidade em prol de um único objetivo: seu crescimento e o da empresa e de todos que ali estão, pois, somente desta forma todos estarão fortalecidos perante a sociedade. Um empresário de visão não se acomoda, não espera pelos outros. Vai a procura. Pelo menos uma vez no ano ele deve visitar um de seus fornecedores, estendendo as visitas aos clientes, a fim de analisar o que viu e ouviu e filtrar as lições obtidas para aplicá-las em sua empresa. Marcos Maia M. Maia Representações Paulista - PE

Resp.: Exemplo a ser seguido.

06 | cyclomagazine

Vimos em nossos documentos impressos do ano de 2014, que vocês fizeram ações de apoio a Fundação Abrinq. Acredite: a sua ajuda fez toda a diferença na vida de milhares de crianças. Camila Silva Assessoria de Marketing Fundação Abrinq

Resp.: Foi um prazer participar com apoio, mesmo que muito pequeno, a esta notável Entidade.

Localização de profissional

Vocês teriam o email ou contato do Durvalino, representante da região da Bahia?

como se preparar para grande viagem de bicicleta. O cicloturismo tem sido uma ideia cada vez mais aceita e corrente entre as pessoas que querem algo mais que uma viagem de simples entretenimento. O que era para ser apenas um apêndice com dicas práticas se tornou um texto grande, maior que toda a história dos 7 Passos. É como uma longa conversa sobre cada assunto que consideramos importante em uma grande viagem, desde a escolha dos equipamentos necessários, até assuntos mais simples, como lavar a louça sem água, ou complexos, como o medo em suas várias manifestações. Neste link haverá em cada foto os assuntos tratados no livro, como se fosse um índice ilustrado: http:// www.olinto.com.br/index.php/guia-livrodvd-viagem-bicicleta/7-passos-andinos/ preparacao-viagem-bicicleta-imagens/

José Roberto DI CICCO Olinto e Rafaela

Resp.: Encaminhamos o novo endereço do Durvalino e, mais, enviamos a sua solicitação ao próprio.

Nova edição de guia para cicloturistas

Curta Cyclomagazine no face

É com grande alegria que anunciamos o lançamento da segunda edição do Livro 7 Passos Andinos – uma aventura de bicicleta pelos desertos da Cordilheira. Nesta segunda edição, queríamos aproveitar para escrever algo inédito. Em cada um de nossos Guias colocamos todas as informações necessárias para realizar cada circuito, entretanto, nunca escrevemos de forma sistemática sobre

Resp.: Mais uma vez parabéns pela iniciativa. Indispensável para os cicloturistas.

Competição cancelada

Em primeiro lugar gostaríamos de solidarizarmos com todos os ciclistas que aderiram ao projeto Granfondo Itália / Rio de Janeiro e registrar a nossa profunda indignação com o cancelamento das provas pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Cabe esclarecer que, essa inesperada negativa da Prefeitura, na véspera da prova, acarretou dificuldades para todos , inclusive para a nossa empresa , que não só investiu como


CORREIO

acreditou nas autorizações concedidas anteriormente pelos representantes do poder público. Por outro lado, não procede a informação de que o evento não está sendo realizado pela ausência de pagamento aos fornecedores , em razão de termos cumprido previamente tudo que fora acordado. Estamos envidando esforços para realizar as provas em datas futuras , bem como devolveremos os valores das inscrições para todos os atletas que não desejarem participar do evento a ser confirmado em data futura. Lamentamos o ocorrido e estamos ao dispor de todos para os esclarecimentos necessários. Rafael Abreu

Resp.: Lamentável a atitude da prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, que além de prejudicar a empresa promotora e patrocinadores do evento, não respeitaram os atletas que iriam participar da competição. Aguardamos informações sobre novos desdobramentos da questão.

Evento

Já estou no Brasil e gostaria de convidálos para assistir as minhas palestras em São Paulo no final de fevereiro (dias 24 e 26/02).

Apenas lembrando que as salas têm capacidade limitada. Os ingressos poderão ser comprados com antecedência ou na noite da apresentação. 24 de fevereiro de 2015 das 20h às 21h30 Título: Pedalando no topo do Mundo – de Lhasa a Kathmandu (Himalaia) Local: Impact Hub – Unidade Paulista / Rua Bela Cintra, 409 Investimento: R$ 30,00 (na compra com antecedência via info@zanderbiketours. com) / R$ 40,00 (no dia da palestra) 26 de fevereiro de 2015 das 19:30h às 21h Título: Pedal no deserto da Jordânia Local: Petalusa / Rua José de Carvalho, 253b Investimento: R$ 30,00 (na compra com antecedência via www.cinese. me/canal/petalusa) / R$ 40,00 (no dia da palestra) Fabio Zander

Resp.: Recomendamos para todos que desejam obter informações e conteúdo profissionais.

Curta Cyclomagazine no face


A SUA DISTRIBUIDORA DE PEÇAS PARA BICICLETAS

Televendas: (21) 2603-8632 (21) 3708-5570 (21) 3022-4098 CHEQUE


LANÇAMENTOS 01

02

03

04

01 BICICLETA HOUSTON MEDAL

A Bicicleta MEDAL, linha passeio, possui quadro em alumínio. Selim mais confortável e diferentes componentes, como o Câmbio traseiro, a Corrente e a Roda livre sete velocidades, INDEX. Freio V-brake em alumínio e Aro Aero 26”.

www.houston.com.br

02 BICICLETAS HOUSTON

Na linha passeio, os modelos Bristol Lance, Bristol Peak, Atlantis Mad e Atlantis Land estão com pintura e adesivagem repaginadas. Todos esses modelos agora possuem Roda livre de sete velocidades e Câmbio traseiro INDEX. Modelo (Foto) Atlantis Land

www.houston.com.br

03 MODELO

SCOTT BIG ED (FAT BIKE)

A BIG ED utiliza quadro em liga de alumínio, amortecedor RockShox Bluto, trava remota no guidão. Possui ângulo de direção de 69° e chainstay com 450mm de comprimento, proporcionando maior estabilidade. Pesa cerca de 15 kg.

www.scott.com.br

04 NIRVE:

MODELOS CANNIBAL E SWITCHBLADE

Possuem Quadro Chopper exclusivo, Câmbio Shimano Nexus de 3 velocidades, trocador de marcha grip system nas manoplas, Selim com tribal talhado no couro, Guidão, Cobre-correntes e Paralamas estilo chopper. Sistema de freio a disco Tektro. Rodas de liga-leve, Pneus dianteiros 24”x3” e traseiros 26”.

www.nirvebrasil.com.br

10 | cyclomagazine


05 06

07 08

05 CONNECT CYCLE

Dispositivo pedal inteligente. Equipado com sensores GPS e GPRS, que permite rastrear a atividade física do usuário incluindo velocidade, rota, inclinação e calorias queimadas em cada corrida. Os dados são armazenados no próprio pedal, que transmite as informações para um aplicativo por redes de celular. Ele dá a localização da bicicleta, caso seja roubada (com a ajuda do aplicativo é possível encontrá-la imediatamente). O protótipo foi apresentado na CES (Consumer Eletronics Show 2015).

www.connectcycle.com

06 VECTOR SINGLE

A Garmin apresenta o medidor de potência do ciclista em pedal. Registra a cadência e a potência total em watts, gerando dados confiáveis e precisos de treinos e competições. Sistema completo inclui pedal esquerdo com medidor de potência integrado, pedal direito sem sensor, conjunto de pedal e hardware relacionado. Tem opção de conversão para sistema de sensor duplo. Após todos os registros, os dados são enviados via protocolo sem fio ANT+™ para os computadores de ciclismo compatíveis, como o Edge® 1000.

07 FENIX 3

Multiesporte e com GPS, o relógio inteligente Fenix 3 da Garmin chega com recursos aprimorados: treinos fitness avançados, ciclismo e muitas outras atividades. Em três versões: Prata, Cinza e Safira (com lentes de safira resistentes a riscos). Carcaça de aço inoxidável e lente de vidro mineral. Adaptação tanto ao ar livre quanto às salas de reuniões. Possui 20h de bateria com o GPS ligado, seis semanas com o GPS desligado e 50h no modo UltraTrac.

http://youtu.be/-ABTA2ChUPw

08 VÍVOACTIVE:

Relógio com GPS inteligente ultrafino e leve, com aplicativos de esporte e monitoramento de atividades. Habilitado para o ciclismo e demais atividades. Através de alertas vibratórios, as notificações inteligentes exibem alertas de chamadas, mensagens e e-mail, mantém os usuários em dia com o trabalho, família e amigos. Pulseiras substituíveis a design de tela, app e widgets – tornando-o versátil, estiloso e funcional. No ciclismo mede tempo, distância, velocidade e calorias para treino de corridas ou pedaladas diárias.

http://youtu.be/fxf1oIRxgVw

www.garmin.com.br

cyclomagazine | 11


LANÇAMENTOS

09

10

11

12 12

09 CAMISA SCOTT RC PRO (1)

Desenvolvida com tecido 100% poliéster texturizado. Zíper longo com trava, três bolsos, manga com banda elástica e refletivo para ampliar a segurança. Nas cores: preto/amarelo, preto/verde, azul/laranja e branca/ vermelha.

CAMISA SCOTT RC TEAM (2)

Produzida com os mesmos materiais da Pro: 100% poliéster texturizado e proteção UV. A diferença é que tem menos detalhes. Nas cores: verde, branco/vermelho, preto/laranja, preto/amarelo e branco/cinza.

www.scott.com.br

12 | cyclomagazine

10 BERMUDA SCOTT RC PRO (1)

Bermuda de alta performance. É a mais indicada para longas pedaladas, como cicloturismo e maratonas. Desenvolvida em lycra preta Santa Constância anti-bactericida, tem recorte em lycra italiana e forro tridimensional otimizado. Possui barra com banda elástica. Tecnologia Easy Care, que possibilita maior respiração e evita o superaquecimento. Nas cores: preto/ amarelo, preto/verde, azul/laranja e branca/vermelha.

BERMUDA SCOTT RC TEAM (2)

Bermuda mais básica. Desenvolvida em lycra preta Santa Constância, com anti-bactericida, possui forro light e barra elástico siliconado. Na cor preto/cinza.

www.scott.com.br

11 BRETELLE SCOTT RC PRO (1)

Tem exatamente a mesma composição da bermuda RC Pro. As alças são em shape branco, com tecido extremamente confortável.

BRETELLE SCOTT RC TEAM (2)

A mesma composição da bermuda RC Team. Para quem procura um modelo de bretelle mais básico. As alças são em shape preto, com tecido extremamente confortável.

www.scott.com.br

12 MORMAII

LANÇA LINHA EM NEOPRENE

A coleção Yara conta com 33 peças. São bodies, shorts, jaquetas, coletes e tops em forma cool. São peças versáteis que podem ser usadas no dia a dia com jeans, sobreposições e compondo looks para diversas situações, unindo moda e esporte. Tecido emborrachado, com formulação desenvolvida para ser mais leve, mais fino, mais elástico e mais confortável. Além do neoprene, as peças foram elaboradas em poliamidas e poliéster. Tons de azul, laranja e o lima.

www.mormaii.com.br


14 13

15

16

13 TROCADORES

14 SUPORTES DE

Shimano apresentou o grupo Dura-Ace Di2 (eletrônico) com os trocadores ST-9070 que possuíam um botão em sua parte superior. Devido a uma atualização de software e unidade sem fio da Shimano introduzida este ano, chamada D-Fly (SW-EWW01), estes botões agora podem ser usados como controle remoto para operar dispositivos externos, tais como ciclocomputadores. Sob a sua capa de borracha, como interruptor de controle remoto. Isso permite que os ciclistas mantenham suas mãos nas alavancas ST-9070, enquanto percorrem as telas de computadores compatíveis.

Suportes de garrafa para bikes adaptáveis a diversos tipos de garrafas e copos. Com a linha Modula Cage, o ciclista pode carregar diferentes bebidas, seja na garrafa térmica, de água e até mesmo café. Fixados no quadro, podem ser utilizados no MTB, Estrada, Cicloturismo e no dia a dia. Quadro é facilmente ajustável aos diferentes tipos de recipiente. O Java Cage tem peças adaptáveis na base, para largura do recipiente, e no comprimento, para regular a altura. Pesa 120g. Outra opção da Topeak para pedais mais extremos é o Modula Cage XL, em alumínio, suporta garrafas de 1 a 1,5lts. Detalhe na alça que fica na altura da tampa da garrafa e evita desperdícios e vazamentos.

DO DURA-ACE DI2

www.shimano.com.br

GARRAFAS

15 MOCHILAS DA THULE

A Thule possui variada linha de malas e mochilas, fabricadas em tecido de nylon especial, leve, impermeável e resistente. A linha EnRoute tem modelos modernos, em cores vibrantes, design funcional com compartimento SafeZone™ à prova de compressão para proteção de óculos de sol, iPhone, eletrônicos, etc. Possui compartimento acolchoado para laptop, canais de ar na parte traseira e alças acolchoadas.

www.thule.com/pt-br/br

16 ROUPAS PARA CICLISTA USAR NO DIA A DIA

A SportixWear trouxe linha completa de produtos que garantem estilo e conforto durante a prática de qualquer atividade física, principalmente no caso dos ciclistas. Moda casual e roupas íntimas para homens e mulheres. Oferecem conforto para praticar exercícios, sem perder o estilo e a elegância das roupas tradicionais. Tecido elegante, perfeita para fazer movimentos esportivos, essa é uma peça que também pode ser facilmente utilizada em um ambiente de trabalho.

www.sportixwear.com.br

www.topeak.com.br

cyclomagazine | 13


INAUGURAÇÃO

Nelson Lapyda, Daniel e Alberto Douek, Carlos Sardenberg, Isacco Douek, Rolland Setton e Idalberto Luiz Moro

INVESTIMENTO E EXPANSÃO A Isapa passa a atuar com mais eficácia também no Sul do País, através da inauguração do seu Centro de Distribuição e Logística em Itajaí, SC. A nova planta industrial está estrategicamente localizada nas proximidades do porto e da Rodovia BR 101. Ocupando 8 mil m² de área total de 12 mil m² Texto: Hylario Guerrero Imagens: Equipe Luanda

14 | cyclomagazine

T

rata-se de uma inauguração oficial, porém nos primeiros meses de operação, o setor de bike teve um salto de 30% com o novo CD, gerando emprego e renda para a região. Segundo Isacco Douek, presidente da Isapa. “O principal motivo para abrir uma planta deste porte em Santa Catarina foi a demanda de clientes dos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Sempre houve a


Feliz Natal e próspero 2015 Durantemaisesteanonosesforçamosparaentregarsempre o melhor produto a todos os nossos clientes. Desejamosquetenhamtidoumbomanoequetenhamos colaborado para o sucesso de cada um. Paraopróximoano,superaçãoéapalavradeordemem nossoplanejamento.Assim,estaremosenvolvidosno propósitodeofereceraindamaisqualidadeaosnossos parceiros. Onossodesejomaissinceroderealizaçõesesucessopara todos.Queanossaparceriasejaconsolidadacomanossa contribuição para que alcancem as suas metas.

Equipe

Tel.: (19) 3861-7977


INAUGURAÇÃO

Equipe Grupos ISAPA E MOTOCICLO

a necessidade, e até carência de estarmos mais atuantes no Sul para aumentar a agilidade e a qualidade do atendimento”. E é dando continuidade às suas metas de crescimento que a empresa adota políticas comerciais agressivas, motivando e incentivando seus vendedores, perceptível a cada Convenção da Isapa, buscando sempre números expressivos dentro de um cenário macro econômico nacional desfavorável registrando alta inflação e baixo crescimento do PIB. “Tão logo demos conta que a unidade de Vitória (ES) ficaria sobrecarregada, tratamos de planejar uma nova planta que atendesse às nossas necessidades, e decidimos pelo sul do país. Uma decisão fácil, devido a moderni-

16 | cyclomagazine

Ao ver que a unidade de Vitória (ES) ficaria sobrecarregada, tratamos de planejar rapidamente uma nova planta"

dade do Porto de Itajaí e também o potencial do mercado dos Estados sulinos. Foram motivos suficientes para essa expansão”, explicou Isacco. Milton Hobus, diretor da Royal Ciclo, e secretário de estado de Santa Catarina, foi parceiro fundamental na implementação do novo Centro de Distribuição. E nas palavras de Hobus, a Isapa é um player do mercado que serve de exemplo para as empresas do setor. “Pudemos ajudar e promover incentivos que estão trazendo muitos benefícios para o nosso Estado que tem foco no empreendedorismo”. Carlos Alberto Sardenberg, jornalista e comentarista da Rede Globo, proferiu palestra usando o tema: “Como chegamos até aqui,

como voltar a crescer”, expondo vários itens sobre a economia nacional, lembrando fatos e fazendo projeções futuras. Comentou sobre o câmbio flutuante e o regime de metas de inflação, a ascensão da China, citou que o Brasil exportava cerca de US$ 1 bilhão para o páis chinês, no início do século, e que este montante já ultrapassava a marca dos US$ 40 bilhões em 2008. E que desta forma a China ergueu os países emergentes, inclusive o Brasil, tornando-se superavitário no comércio externo. A nova unidade da Isapa possui 17.800 posições porta palets e 20 mil itens estocados. Em breve, 50% das operações de importações da emrpesa devem passar por Itajaí.


Boas Festas DESEJAMOS AOS NOSSOS CLIENTES E A TODOS OS CICLISTAS QUE O PRÓXIMO ANO SEJA FELIZ. PLENO EM REALIZAÇÕES, PAZ E SAÚDE. E, LEMBREM-SE SEMPRE: UTILIZAR PRODUTOS ECOBIKES É UM BOM COMEÇO PARA QUE ISSO SE CONCRETIZE! Tel.: (19) 3863 4900


MARKETING

ESTRATÉGIA GARANTE RESULTADOS POSITIVOS E RÁPIDOS ‘Mundo em Duas Rodas’ distribuidor fluminense utiliza estratégia de divulgação da marca, e realiza também o fortalecimento profissional com outras empresas, firmando novos projetos e conquistando sucessoparatodososenvolvidos. Henrique Praia diretor da M2R fala sobre esse projeto

Texto: Hylario Guerrero Imagens: divulgação

18 | cyclomagazine

Cyclomagazine: Como é o relacionamento da M2R com o mercado? Henrique Praia: É um relacionamento forte que se solidifica a cada dia. Em prova desta solidez, tínhamos em mente uma ideia que colocamos em prática e, podemos dizer que se transformou num projeto que já pode ser considerado sucesso. Trata-se de estender aos nossos fornecedores a mesma estratégia que já tínhamos com empresas parceiras. Ao longo do tempo, sentimos que as parcerias realizadas com nossos clientes nos têm dado amplo respaldo e nos fortalece como empresa. Somado a isso, buscamos estender essa parceria também para os nossos fornecedores.

Ou seja, um trabalho efetivo de marketing? Exatamente. Com o objetivo de selar nosso nome no segmento de bikes, sempre apostamos no marketing constante. Buscamos, desta forma, surpreender nossos clientes com a confecção de banners, displays e cartões de visita promocionais. Este tem sido o diferencial que tem garantido o reconhecimento do nosso trabalho no setor. No que consiste o Projeto da M2R? Visando a divulgação da marca M2R no mercado do Rio de Janeiro, a empresa teve a ideia de confeccionar jalecos com a sua logo e presentear em torno


jalecos diminuir consideravelmente, as marcas envolvidas são divulgadas e o cliente fica satisfeito ao ser presenteado com produto de qualidade. Há algum controle quanto ao uso dos jalecos? Sem dúvida. A M2R conta com o apoio dos seus colaboradores para controlar o uso dos jalecos como uniforme dos clientes e/ou dos seus funcionários. Este é o principal objetivo do projeto: difundir essas marcas. É de suma importância que sejam usados diariamente. Se esse critério for respeitado, a entrega dos jalecos será renovada todos os anos. Então,estaéumaaçãofundamental da empresa? Se não fundamental, pelo menos tem um grande peso. E nos propomos a presentear lojistas que ainda não sejam nossos clientes, na tentativa de promover novas relações comerciais. de mil clientes. Como o custo inicial era audacioso, surgiu a necessidade de buscarmos parcerias para viabilizar esse empreendimento. Após entrarmos em contato com o marketing de diversas empresas, apresentamos o que seria o nosso ‘projeto’. Assim, fechamos importantes parcerias com as quais todos foram beneficiados. Quando os jalecos serão entregues? Logo no início de 2015. Os jalecos já foram confeccionados e serão oferecidos aos clientes. Com qual tecido foram confeccionados?

Pesquisamos e optamos pelo tecido de algodão. Oferece mais conforto do que aqueles feitos com material sintético. O que vem estampado nos jalecos? Cada peça apresenta a logomarca da ‘Mundo em Duas Rodas’, além de outras nove logomarcas pertencentes às empresas que apoiaram o projeto e toparam parceria. Lembrando que é fundamental estabelecer relações que beneficiem todos os lados envolvidos. Esta ação conjunta diminuiu os custos e viabilizou o projeto? Sim, além do custo da confecção dos

Há algum critério? Basta que a loja esteja localizada no Rio de Janeiro e o proprietário demonstre interesse pelo uso do jaleco. Estamos também adotando novo uniforme social para nossos representantes que, atualmente, atendem todo o Estado do Rio de Janeiro. As camisas a serem usadas apresentarão as mesmas logomarcas do jaleco: mais uma forma encontrada para deixar as marcas em evidência. Há mais alguma estratégia para veicular essas marcas? O acordo feito entre a M2R e os fornecedores envolvidos garante, ainda, a propaganda em revistas do setor. Buscando tornar cada vez mais conhecidas as marcas envolvidas.

cyclomagazine| 29 cyclomagazine 19


ESPORTES

CIMTB LEVORIN O circuito de MTB da América Latina terá em 2015 três etapas valendo o título do campeonato na CIMTB Levorin e Copa LM Bike de Amadores. Começa em Araxá (MG), entre 6 e 8 de março. São João del-Rei (MG) recebe a etapa intermediária, de 15 a 17 de maio, e Congonhas a tradicional Maratona (XCM). Encerrará o ano em novembro, do dia 6 ao 8. A quarta prova que contará pontos para o ranking mundial da UCI (União Ciclística Internacional) está marcada para 11 a 13 de setembro, mas sem local definido.

BRASIL ENDURO SERIES DEFINE 2015 A abertura da competição de Enduro MTB para 2015 será entre 28 de fevereiro e 1º de março, em Minas Gerais, com local a ser definido. A segunda etapa, contando pontos para o ranking do BES e também para o Monten Baik Enduro Latam Series, será de 18 a 21/06, em Pomerode (SC). Nos dias 15 e 16 de agosto, Urubici (SC) recebe a competição e Itaipava (RJ) encerra a temporada de 31 de outubro a 1º de novembro.

BIKE CONNECTION Em sua terceira edição, a competição de MTB Cross Country Marathon (XCM) aconteceu na cidade de Mairiporã, interior de São Paulo (SP) e reuniu mais de 300 competidores em 23 categorias. O circuito foi elogiado por todos os atletas e o evento superou expectativas pela sua estrutura, organização e premiação que chegou a R$ 10 mil.

20 | cyclomagazine

SHIMANO SPORTS TEAM A equipe conta com mais de 30 atletas patrocinados pela marca japonesa no Brasil. Na temporada de estreia em 2014, títulos expressivos foram conquistados pelos ciclistas em várias modalidades, incluindo triatletas e paraciclistas Shimano. Atletas como Renato Rezende e Julia Alves, ambos no BMX; Bernardo Cruz, piloto de MTB Downhill e o triatleta Fabio Carvalho, cumpriram suas metas em 2014


ROCKY MAN

ESTADUAL DE MOUNTAIN BIKE XCO Mais de 120 atletas participaram da competição na etapa única da prova. O petropolitano Wolfgang Soares Olsen foi o grande campeão do Estadual de Mountain Bike Cross Country na categoria Super Elite. A etapa foi realizada na pista Tayra Eco Park, em Mar do Norte, Rio das Ostras, reunindo cerca de 120 atletas de vários municípios.

Realizada no Rio de Janeiro, em meio aos cenários urbanos e naturais, a equipe norte-americana Team USA, comandada por Paul Romero, tornou-se pela terceira vez consecutiva a campeã do evento, seguido pelo do Team New Zealand e na terceira posição ficou a equipe brasileira Núcleo Aventura. O evento reuniu 14 equipes nacionais e cinco internacionais.

RIO DE JANEIRO TEM COMPETIÇÃO ADIADA As provas que deveriam acontecer no mês de novembro, no Rio de Janeiro, foram adiadas e serão realizadas no mês de maio de 2015. As datas ainda não foram confirmadas pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Segundo o site oficial do evento, assim que definidos os dias de competição, esses serão divulgados pelos organizadores.

CAMPEONATO BRASILEIRO DE PARACICLISMO 7º GP Ravelli Os atletas do Shimano Sports Team obtiveram resultados expressivos ao conquistar duas vitórias em provas realizadas no Estado de São Paulo. Em Nova Odessa (SP), Isabella Lacerda, sagrou-se campeã do 2º Circuito Imbatível de MTB do GP Ravelli. Em São José dos Campos, Josimar da Silva, chegou ao degrau mais alto do pódio, na 7ª etapa do Valeparaibano de Paraciclismo.

A atleta Jady Malavazzi venceu as duas provas da 4ª etapa da Copa Brasil de Paraciclismo, em Rio das Ostras (RJ), e conquistou o tetracampeonato brasileiro. Josimar Sena registrou seu melhor desempenho na temporada com duas terceiras colocações. Os atletas são integrantes do Shimano Sports Team.

cyclomagazine | 21


ESPORTES

9ª EDIÇÃO GRAN FONDO DO BRASIL DE CICLISMO A Etapa de Verão da competição acontecerá na cidade de São Carlos, interior de São Paulo. Serão disputadas as categorias Gran fondo / Medio fondo

MARATONA MARCIO MAY A Trek patrocinou pela primeira vez a 8ª Edição do Desafio Márcio May de Ciclismo de Estrada e Mountain Bike. A prova aconteceu no Rio do Sul (SC). O percurso foi o mesmo dos últimos anos entre Rio do Sul, Lontras e Presidente Nereu. Os atletas profissionais e amadores percorreram 84 km para Speed, 60 km para MTB e 45 km para Speed ou MTB Light. A Trek premiou os campeões com 4 bicicletas X-Caliber 5.

SESC TRIATHLON CIRCUITO NACIONAL Na última etapa do Sesc Triathlon Circuito Nacional 2014, Edvanio Monteiro e Flávia Fernandes foram os grandes campeões na categoria elite. A competição aconteceu em Tramandaí, interior do Rio Grande do Sul, e reuniu 413 atletas em diferentes categorias. A prova reforçou uma das principais missões do Circuito: promover a integração entre atletas profissionais e amadores.

FÃ VIAJA 14H PARA CONHECER LENDA DO MTB Realizando um training camp em Itaipava (RJ), Nino Schurter deu uma pausa nos treinos e recebeu um fã brasileiro: Marcos Vinicius França, ganhador da promoção realizada pela Scott Brasil. Morador de Pinheiros, interior do Espírito Santo, Marcos viajou mais de 14h desde sua cidade para conhecer a lenda do MTB mundial.

22 | cyclomagazine

CIRCUITO IMBATÍVEL DE MTB Raiza Goulão disputou prova da 2ª edição do Circuito Imbatível de MTB do GP Ravelli, em Nova Odessa (SP). A ciclista da Soul Cycles completou a prova na segunda colocação atrás da campeã, Isabella Lacerda. Completaram o pódio Erika Gramiscelli, Danilas Ferreira e Viviane Costa.


Quando sua empresa diz não ao trabalho infantil, muita gente pode dizer sim para sua marca. Invista nas crianças e adolescentes do Brasil e tenha o selo de reconhecimento da Fundação Abrinq. Seja uma Empresa Amiga da Criança. Saiba mais pelo site www.fundabrinq.org.br/peac ou pelo telefone 11 3848 4870

Uma iniciativa:


DESAFIO Cerca de 400 ciclistas profissionais e amadores são esperados no dia 25 de janeiro, em Manoel Duarte, no município de Rio das Flores, Rio de Janeiro, para participar do Desafio Tour do Rio 2015. Luísa Jucá, coordenadora do evento, falou à Cyclomagazine com exclusividade Reportagem: Hylario Guerrero Imagens: Arquivo Luanda

ABERTA A TEMPORADA DE CICLISMO

24 | cyclomagazine


TOUR DO RIO 2015 Cyclomagazine: Porque o nome Desafio do Tour do Rio? Luísa Jucá: O nome "Desafio" não poderia ser mais apropriado para esta prova de circuito de estrada. As belas serras, trilhas e mirantes de Rio das Flores compõem um cenário tranquilo, mas não significa que os participantes terão sossego ao longo do percurso nas rodovias RJ-135 e RJ-145, na Região Sul Fluminense. Os trechos requerem bastante esforço já que têm muitos aclives e declives com curvas sinuosas. Somente aqueles que estiverem muito bem preparados conseguirão cruzar a linha de chegada. Qual será a prova de menor distância? Será a de 24km para os atletas para-desportivos. Os atletas de Elite Masculina são os que farão a prova mais longa, 109km. Ainda há outros dois percursos, o de 57km e 80km. Para os atletas de Elite é a oportunidade de somar pontos para o ranking nacional na classe 4 e Estadual classe 1. Para este ano, a organização traz alguma novidade? Sim, a divisão da Categoria Open por faixas etárias. A ideia é dar maior oportunidade para os competidores, tanto no Masculino quanto no Feminino. Até então não havíamos feito isso e somos os únicos no Estado a fazer. Ao todo serão 22 categorias, incluindo Mountain Bike. Em quais horários acontecem as largadas? Acontecem entre 8h30 e 10h30, 25 de janeiro, na rua da Matriz, próximo à Igreja Matriz de Santa Tereza D'Ávila, referência na cidade por ter sido o local onde Santos Dumont foi batizado. Quanto à premiação geral ? Será realizada na chegada prevista para às 13hs, no mesmo local da saída, no dia 25 de janeiro. Quem é responsável pela realização do evento? O Instituto FAÇA com apoio da Prefeitura Municipal de Rio das Flores. A prova é homologada pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) e Federação de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro. Como se deu a escolha desta cidade? Uma equipe técnica fez o levantamento das possíveis estradas e cidades que atendam às nossas necessidades e consequentemente a dos atletas. Sempre buscamos estradas secundárias, sem grande acesso de carros, condição boa do asfalto e um percurso desafiador, atendendo a todas as categorias, do atleta da elite ao atleta para-desportivo (22 categorias no total). Mais algum critério na escolha da cidade? Geralmente, buscamos cidades que tenham algum histórico com o ciclismo, por lazer, alto rendimento ou como meio de transporte. Outro fator importante é a paisagem, o visual, grande estímulo à participação dos atletas, principalmente os amadores, que apreciam um percurso desafiador e com belas paisagens.

As cidades/ prefeituras contribuem monetariamente? Não O que cada cidade oferece? Oferecem em termos de subsídio, voluntários, banheiros químicos, guarda municipal e ajudam nas legalizações dos documentos necessários para realizar o evento na cidade. Qual o valor total estimado num evento como este? O Desafio do Tour está estimado em média de R$ 250 mil. A depender da estrada, do número de participantes e da comunicação. De quanto será o valor da premiação aos principais colocados? Serão distribuídos prêmios que somam R$ 10 mil. É viável num país como o nosso que pouco valor dá ao ciclismo fazer uma competição deste empenho? Temos muitas dificuldades, muitas mesmo. Depois de tantos anos, a impressão que dá é que embora o Brasil seja visto como o país dos esportes, ainda não se dá credibilidade a provas como esta, que acontecem com grande prestígio e patrocínio em todo o mundo. Cada vez mais o Tour de France, a Volta da Espanha, Giro d’Itália, e tantas outras ganham maior prestígio e incentivo a cada ano. Se expandem não só em termos de mídia e divulgação em todo mundo, mas também de apoio. Os prêmios são cada vez melhores. O número de ciclistas envolvidos cresce cada vez mais. Aqui no Brasil, cada prova como esta é um verdadeiro sacrifício, onde temos que pelejar para que a prova aconteça. A CBC ou outro órgão (mesmo que particular) contribui com algum valor? Não temos apoio da CBC, eles nem participam do Tour do Rio. É obrigatório termos um comissário da CBC, ao qual, arcamos com todas as despesas. A verba com que faremos o evento virá da Secretaria de Estado do Governo. Como se dá a captação de recursos/ patrocinadores para que a prova seja feita? Eu, pessoalmente, corro atrás. Busco, procuro, insisto, então acabo fazendo a captação dos recursos por meio da Lei Federal do Esporte e de ICMS. Governos: Federal, estaduais ou municipais se envolvem financeiramente no evento? Não, não se envolvem. Como devem ser feitas as inscrições para o Desafio Tour do Rio? As inscrições podem ser feitas no site www.papaleguas.org até o dia 11 de janeiro, no valor de R$ 90. Depois disso, aqueles que confirmarem presença até o dia 22 pagarão R$120. As vagas são limitadas. Aos vencedores serão distribuídos prêmios que somam R$ 10 mil.

Luísa Jucá - Coordenadora do FAÇA cyclomagazine | 25


ADQUIRA O KIT SELLE ROYAL E GANHE BRINDES EXCLUSIVOS! A Selle Royal apresenta os novos selins que vão surpreender você.

KIT COM

SELINS

MODELOS

São duas linhas que atendem todos os tipos de ciclistas:

PERFORMA

Selins de alta performance dedicados a ciclistas que pedalam como esporte.

COMFORT

Selins com o máximo conforto divididos em Athletic, Moderate e Relaxed.

BRINDES EXCLUSIVOS

01 CD Vídeos e Fotos dos Produtos 01 Adesivo Official Dealer 50 Adesivos Think Bike

01 Catálogo

01 Placa PVC Selle Royal 02 Bandeiras Laterais

01 Poster

02 Camisetas

P a r a m a i s i n f o r m a ç õ e s e n t r e e m c o n t a t o c o m o r e p r e s e n t a n t e d e s u a r e g i ã o o u l i g u e : 47 3531 5700 / comercial@royalciclo.com.br


NOTAS NORUEGA TEM ESTEIRAS ROLANTES PARA BICICLETAS A cidade norueguesa de Trondheim implantou “esteiras rolantes”. O Trampe foi desenvolvido em 1993 por Jarle Wanvik para incentivar as pessoas a não desistirem de pedalar. Desde que foi instalado na colina Brubakken, já transportou mais de 200 mil ciclistas. O sistema tem 130 m de comprimento e capacidade para transportar até cinco ciclistas, por vez. O usuário coloca um dos pés na plataforma, que se locomove na velocidade de menos de 5 km/h. Em 2013, o sistema foi reformulado para atender às novas normas de segurança. A nova versão industrializada, batizada de CycloCable, será introduzida no mercado internacional pela Skirail, uma empresa francesa de teleféricos. feito e pago via celular e as entregas podem ser realizadas em percursos de até 15 km. Ele está disponível apenas em São Paulo e já possui 100 bikers cadastrados.

entregas via bicicleta. A ideia do e Conjunto Nacional, não serão serviço é dar aos consumidores a afetados pela via exclusiva para mesma disponibilidade que eles as bicicletas. teriam em comprar algum produto em loja de bairro ou do centro da cidade. Nos últimos cinco anos, Nova York ganhou mais de 480 km de ciclovias e ciclofaixas.

SERVIÇOS DE ENTREGAS VIA BICICLETA A STARTUP 99MOTOS, plataforma para chamada e pagamento móvel de serviços de courier, está ampliando suas atividades. A empresa acaba de expandir a sua oferta de serviços e passa a oferecer aos seus clientes entregas via bicicleta (bike courier) com pagamento móvel, via celular. O serviço está disponível para web e em breve na forma de app para Android e iOS. O pedido pode ser

28 | cyclomagazine

AMAZON TESTA SISTEMA QUE FARÁ ENTREGAS POR BICICLETA Moradores de Nova York poderão receber suas encomendas em menos de uma hora com o novo AMAZON PRIME NOW, que contará com

CICLOVIA NA PAULISTA Para a construção da ciclovia na Avenida Paulista, a prefeitura de São Paulo desembolsará cerca de R$ 15 milhões e as obras devem ser concluídas em seis meses. O projeto já foi aprovado. Os bens tombados, além de MASP

BICICLETÁRIOS COM CHUVEIRO E VESTIÁRIO O prefeito de São Paulo enviou projeto de lei à Câmara Municipal para que os bicicletários venham a ter, além de vagas para bicicletas, estrutura para banho, vestiário e bebedouro. Os espaços deverão ficar preferencialmente próximos às estações do Metrô e Terminais de ônibus.


PREFEITURAS AVALIAM CICLOFAIXAS Por conta das facilidades para se adquirir um automóvel e da insuficiência de vias para suportar o volume de veículos, é necessário criar infraestrutura para a utilização de bicicletas como meio de transporte. As ciclovias implantadas atualmente nas principais cidades do interior paulista são utilizadas para o lazer, mas o tema faz parte do Plano de Mobilidade Urbana para 2015.

BICICLETA TURBINADA GANHA CORRIDA

o passeio ciclístico “PEDALADA CONTRA A DENGUE”. A iniciativa é da Secretaria de Saúde por meio do Programa Nacional de Controle à Dengue (PNCD). A ação visa ampliar a conscientização para o combate ao mosquito transmissor da doença no município.

O francês François Gissy bateu novo recorde de velocidade ao alcançar 333 km/h em uma bicicleta. Ele acoplou à bike um pequeno foguete movido a peróxido de hidrogênio e conseguiu chegar à alta velocidade em 4,8 seg. percorrendo 250 m desde a linha de largada. Na corrida, o piloto deixou para CICLOVIA BRILHA trás uma Ferrari. NO ESCURO Projeto inspirado na obra Noite Estrelada, do pintor holandês Vincent Van Gogh faz parte de uma PEDALADA CONTRA iniciativa do governo que visa a A DENGUE A cidade de Palotina (PR) promoveu aumentar o uso da bicicleta em

jornadas para o trabalho na Holanda. A meta é aumentar o número de pessoas que optam pelo veículo de duas rodas em detrimento do carro ou do transporte público em 20% nos próximos 20 anos. A ciclovia passa pela província de Brabante do Norte, onde o artista nasceu. Seu diferencial é o brilho no escuro.

MOBILIZAÇÃO POR MAIS RESPEITO NO TRÂNSITO

homenagem e sensibilização. O grupo lembrou os seis ciclistas que morreram no trânsito da cidade em 2014 e promoveu ações para conscientizar a população sobre a importância do respeito para garantir a segurança no trânsito.

SOB NOVA ORGANIZAÇÃO

Com 26 anos de experiência no mercado de comunicação, a ZDL Ciclistas de Blumenau (SC) se reu- é a nova assessoria de comunicaniram em frente ao Teatro Carlos ção da Specialized, fabricante de Gomes para um piquenique de bicicletas

cyclomagazine | 29


NOTAS

AUMENTO DAS CICLOVIAS GERA ADEPTOS

Uma pesquisa divulgada pelo Ibope comprova o interesse crescente dos paulistanos pelas bikes. O número de pessoas que as usam

como meio de transporte cresceu 50% em 2014 na comparação com 2013, passando de 174,1 mil para 261 mil adeptos. O aumento das

e surgiu para padronizar o aten- são adesivados com os símbolos dimento do SOS Bike. de estacionamento e bicicleta. Até o momento, a EPTC já instalou 22 equipamentos na Capital gaúcha.

ATENDIMENTO CERTIFICADO AOS CICLISTAS As Ciclofaixas de Lazer de São Paulo vão oferecer atendimento certificado. Realizados pelo SOS Bike, projeto do Instituto Ciclo BR, os socorros prestados nas ciclofaixas da capital paulista e Osasco-SP serão qualificados pela Escola Park Tool, instituição que já formou mais de 1.200 mecânicos de bicicletas no país. A iniciativa é fruto da parceria entre CicloBR e Escola Park Tool

30 | cyclomagazine

NOVOS PARACICLOS EM TERMINAIS DE ÔNIBUS Equipes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) em Porto Alegre (RS), instalaram novos paraciclos (estacionamentos para bicicletas) em terminais de ônibus. Os equipamentos estão sendo instalados principalmente nas áreas das estações para possibilitar a integração com o transporte coletivo. Os paraciclos

ciclovias pela cidade também ajuda na aderência de novos ciclistas à atividade. Estudo da Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo, apontou que na Avenida Eliseu de Almeida, no bairro do Butantã (zona oeste) o número de ciclistas aumentou em 53% após a instalação da ciclovia. Já no Largo da Batata, no bairro de Pinheiros, após a instalação do bicicletário, o fluxo cresceu 37% na ciclovia da Avenida Brigadeiro Faria Lima. E o uso das bikes compartilhadas aumentou em 141%. tudaram a cidade de Auckland, Nova Zelândia, usando métodos da agência de transporte local para calcular índices indicativos de custo-benefício em dólares neozelandeses para diferentes investimentos em ciclovias.

CICLOVIA GERA ECONOMIA A revista norte-americana científica Environmental Health Perspectives, publicou em sua edição que para cada dólar gasto com a construção de ciclovias segregadas, as cidades podem economizar até US$ 24 (R$ 62) graças à redução de custos com saúde pública, poluição, além de reduzir os congestionamentos. Em artigo divulgado na mesma publicação, seis pesquisadores es-

ATENDIMENTO NO APLICATIVO A Bike Adventure agora está no aplicativo Whatsapp para atender dúvidas, sugestões ou fornecer informações aos seus clientes. (48) 9671-1551/ (48) 8415-5772/ (48) 9167-1547/ (48) 9167-2285


BICICLETA COMO MEIO DE TRANSPORTE EM LONDRES

MERCADO DE BIKES PREMIUM É cada vez maior o número de brasileiros dispostos a pagar caro pela sua 'magrela'. Com modelos que custam de R$ 3 mil a até R$ 70 mil - o dobro de um carro popular -, o segmento de bicicletas "premium" está avançando rapidamente no Brasil, segundo fabricantes e associações do setor. É uma das áreas mais promissoras do mercado de bicicletas no momento.

Londres agora conta com o programa Mini Holanda, iniciativa que busca replicar a infraestrutura e cultura do ciclismo da Holanda

nos municípios da periferia da capital inglesa. A ação conta com a instalação de novas ciclovias e tem como objetivo trazer mais pedestres

e ciclistas para as ruas, elevando a qualidade de vida na cidade. A decisão de iniciar este programa na periferia se deve ao fato de que mais da metade dos trajetos de bicicleta em Londres tem origem nessas regiões. O programa faz parte do projeto denominado “Visão para o Ciclismo”, que considera integrar a bicicleta como sistema de transporte oficial. Anunciado em março de 2014, começou a ser executado em outubro nos municípios de Einfield, Kingston e Waltham Forest.

XTERRA BRAZIL TOUR DIVULGA CALENDÁRIO DE 2015

INCENTIVO AO USO DE BICICLETAS

PASSEIO CICLÍSTICO MARCA INAUGURAÇÃO

No ano em que completa dez anos, o circuito de esportes off-road terá uma edição comemorativa em Fernando de Noronha, em outubro. Com 11 etapas marcadas na temporada 2015, a competição terá início no litoral sul do estado do Rio de Janeiro, em Costa Verde, nos dias 7 e 8 de março. Uma edição inédita do circuito acontecerá em Brasília, e será chamada de XTERRA Cerrado.

Um Projeto de Lei do Senado pretende incentivar o uso de bicicletas por trabalhadores em todo o País. Empresários que desejarem adquirir bicicletas e construir bicicletários para seus funcionários poderão receber empréstimos subsidiados para essa finalidade. O projeto está sendo apreciado e se aprovado segue para a Comissão de Assuntos Econômicos, onde recebe decisão terminativa.

A prefeitura de Fortaleza (CE) inaugurou as 15 primeiras estações do sistema de bicicletas compartilhadas. Para o início das operações, foi realizado passeio ciclístico noturno, de 6.5 km de extensão, que passou pelas 10 estações de retirada das bikes. Para utilizar uma das 150 bicicletas que estarão disponíveis, os interessados devem se cadastrar através do site www.bicicletar.com.br ou por meio do aplicativo Bicicletar.

cyclomagazine | 31


MOBILIDADE

O MOMENTO DA BICICLETA! Localizada em São Paulo, capital, a empresa de inteligência de mercado Thinking Insight está realizando pesquisas buscando respostas que se tornem recomendações para melhorar a mobilidade na megalópole. O momento é das empresas ligadas ao setor se conscientizarem da importância da bicicleta como veículo adequado para os dias atuais Reportagem: Hylario Guerrero

O

objetivo do projeto desenvolvido pela Thinking Insight parte do pressuposto de que com a criação de ciclovias e ciclofaixas pela cidade, mais pessoas vão aderir à bicicleta como meio de transporte e, assim uma nova dinâmica de relação entre a cidade e o ciclista vai surgindo. “Queremos encontrar respostas para uma série de perguntas que ainda não foram estudadas e fazer com que tudo se torne

32 | cyclomagazine

recomendações para melhorar a experiência das próprias pessoas que optaram pela bicicleta como meio de transporte, lazer ou atividade física, bem como a relação dos ciclistas com motoristas, pedestres e com a cidade de uma forma geral”, explica Guilherme Carneiro, pesquisador envolvido no projeto. A entrega final desta pesquisa será um estudo aberto, disponível para quem tenha interesse em oferecer serviços relacionados ao ciclismo, ou apenas entender melhor essa evolução que vem ocorrendo recentemente. “Para que tudo isso aconteça, estamos monitorando as redes sociais desde o mês de Novembro. Complementaremos com informações demográficas do Facebook, cruzaremos com os dados da pesquisa que estamos divulgando (saiba mais: http://goo.gl/Mpkx1t) e também teremos depoimentos de ciclistas urbanos de São Paulo”, informa Guilherme. Aqui é válido destacar que 100% do projeto é de iniciativa da Thinking Insight. “Aqui todos nós andamos de bicicleta e acreditamos que é esse o meio de transporte mais eficiente e sustentável para se

locomover em grandes centros urbanos como São Paulo”. “Acreditamos que este trabalho pode potencializar a importância que a bicicleta tem tido na sociedade, bem como levantar tendências de uso, entender demandas, etc. Mais do que isso, por ser um estudo aberto, ele poderá ser absorvido pelo comércio local que conseguirá absorver as informações deste estudo de maneira fácil e, a partir disso, construir ações que influenciem no relacionamento com seus consumidores, seja na construção de ações promocionais e/ ou desenvolvimento de novas práticas ou nichos de venda antes inexplorados, que devem facilitar a vida dos ciclistas de uma forma geral”, afirma Guilherme que ressalta: “tudo isso conversa bastante com o propósito da Thinking Insight, que é entender pessoas e gerar ideias. Mais que nunca a mobilidade nos grandes e pequenos centros se faz presente, e a bicicleta é o veículo mais adequado e necessário neste cenário”. Site: www.thinkinginsight.com.br Página oficial no Facebook: facebook.com/ThinkingInsight


TENDÊNCIA

BIKE INTELIGENTE Empresa do site de navegação chinês, BAIDU revelou o design proposto de sua bicicleta inteligente. Intitulado "DuBike" com sistema de aplicação integrado que funciona simultaneamente com diferentes sensores e é capaz de analisar e medir parâmetros de saúde. O veículo também integra GPS no guidão e indicador de laser que alerta o condutor quando e para onde se virar Texto e imagem: divulgação

36 | cyclomagazine

A

companhia BAIDU acaba de anunciar uma “smart bike”. Veículo com diversos recursos tecnológicos. Entre as funções, a bicicleta é repleta de sensores que detectam a frequência cardíaca, velocidade e cadência (a taxa na qual o usuário pedala) – o que ajuda a monitorar a saúde do ciclista. Baidu é uma empresa líder no mercado chinês de buscas online, considerada o “Google da China”. Assim como a companhia norte-americana, ela investe no desenvolvimento de tecnologias “fora da caixa” e o mais recente projeto é a DuBike. O modelo possui Wi-Fi, GPS e câmera integrados. Das funcionalidades que mais se destacam, chama atenção o guidão com um sistema de navegação interligado com mapa, celular e luzes, que informam qual direção o ciclista deve seguir. Além disso, é possível monitorar quantos quilômetros foram pedalados por dia e compartilhar nas redes sociais. Há ainda um aplicativo que permite conectar-se com outras pessoas e compartilhar rotas. O melhor de tudo é que a “magrela” tecnológica possui dispositivo que converte energia cinética em elétrica para garantir o abastecimento das funcionalidades. A intenção é que o veículo transmita todos os dados via Bluetooth para um aplicativo de smartphone. O produto é fruto de um projeto do IDL (Instituto de Aprendizagem Profunda), do Baidu, em parceria com a Universidade Tsinghua.


Presente de Natal RECEBER UMA BIKE COMO PRESENTE DE NATAL, DESEJO DE MUITAS CRIANÇAS, JOVENS E ATÉ MESMO ADULTOS. SÍMBOLO DE LIBERDADE, CONQUISTA DE ESPAÇO E ENCONTRO COM AS EMOÇÕES DAS PAISAGENS E NATUREZA. O IR E VIR. O CONTROLE DO TEMPO E DA DISTÂNCIA. NOSSA MARCA TEM ESTADO PRESENTE NESTE INCRÍVEL MOMENTO DE FELICIDADE E REALIZAÇÃO, DE BRILHO NOS OLHOS E EMOÇÃO. DESEJAMOS PAZ, SAÚDE E MUITAS PEDALADAS FELIZES NO PRÓXIMO ANO E QUE AS NOSSAS BIKES SEJAM AGENTES PROVOCADORES DA MAIS PURA ALEGRIA A TODOS.

www.lojaverdenbikes.com (19) 3818-5654

LIGUE GRÁTIS AGORA MESMO!!! 0800 726 9010 / 0800 772 7999 0800 726 9020 / 0800 772 9111

www.emtecorp.com.br / vendas@emtecorp.com.br NO VO

MOVIMENTO CENTRAL 45mm COM ROLAMENTOS


EVENTO

RETORNO ECONÔM Em sua 5ª edição, o Shimano Fest levou ao público de Sorocaba e região várias atrações relacionadas à bike e ao ciclismo em geral, provocando impacto econômico em torno de 2,8 milhões de reais Texto e Imagens: divulgação

Durante os três dias em que foi realizado o evento, cerca de treze mil visitantes estiveram presentes ao Parque das Águas onde houve exposição de produtos, atrações e atividades interativas, competições de MTB, diversas palestras, apresentações musicais de pop/rock e, até mesmo, de Taikô (tradicionais tambores japoneses). As pessoas interagiram em

38 | cyclomagazine

atividades ao ar livre neste evento em que a entrada foi gratuita, tendo sido sugerida apenas a doação de 1 Kg de alimento não perecível, para ser doado a instituições beneficentes. Este ano foi observado aumento de 45% de público em relação ao Shimano Fest anterior. A cidade de Sorocaba foi escolhida devido sua malha de ciclovias bem planejada. Isso favorece a relação entre bicicleta, meio de transporte e qualidade de vida. A realização do evento contou com o apoio da Prefeitura Municipal de Sorocaba e da URBES (Empresa de Desenvolvimento Urbano e Social de Sorocaba). Considerando o investimento feito pela Shimano e demais empresas participantes, houve um impacto econômico (R$ 2,8 milhões) bem significativo. Neste


SHIMANO FEST

MICO GARANTIDO valor, estão incluídos também os gastos dos participantes com hotéis e restaurantes da região. Vila dos Expositores Foram 45 estandes montados. Cerca de 140 marcas de produtos para bike foram expostas. Entre as empresas presentes encontravam -se: Shimano, Cycles, Scott, Thule, Trek, Caloi, Cannondale, Specialized, Isapa (Oggi), LM Bike (Sense Bikes), Mix Bicicletas, Joy Tech, Mauro Ribeiro Sports, INTAC, MS Comex, GTS, Master Bikes, Bronet, ProShock, Vemex, HUPI, Viper, Maxxis, Calypso, Fepase, Brasil Racing, Token, Scitex, GT, Dádiva, Penks, Vzan, Advanced Nutrition, Kiussi, North Pack e STA. Congresso Mobilidade Reuniu especialista s onde

debateram “A s a spiraçõe s sociais para viabilizar o uso da bicicleta na modalidade de transporte urbano”. “Promoção da segurança de seus usuários e conquistar novos adeptos”. Debateram ainda sobre as situações política, econômica e cultural da mobilidade urbana e das formas de se reduzir a contra produtividade. O estresse que as cidades brasileiras enfrentam devido à falta de planejamento no transporte. Protocolo Sorocaba Documento foi elaborado a partir das conclusões obtidas no Congresso e que servirão para gerar desenvolvimento da mobilidade ciclística. Nele estão reunidas ideias, sugestões e soluções que venham a ser adotadas pelos setores público

cyclomagazine | 39


EVENTO

Participantes do Congresso Mobilidade Urbana e privado em apoio à mobilidade por meio da bike. A UCB (União de Ciclistas do Brasil) foi a Entidade responsável por elaborar o termo oficial. Empresas e instituições interessadas podem conhecer seu conteúdo na íntegra em uniaodeciclistas.org.br/protocolosorocaba. Ciclo de Palestras Temas discutidos: "A realidade da bicicleta no Brasil", "Oficina mapa colaborativo", "Debate sobre as ciclofaixas cidadãs" (UCB), "Mountain Bike for fun" (Luciano KDra) e "Bate-papo sobre a handbike e suas possibilidades" (Vemex). Atividades interativas Test-ride (MTB e urbano), pista de Pump Track (modalidade que mistura BMX e MTB) e o tirarodinhas (Escola do Pedala). Shimano Fest Pearl iZUMi Run 5k Corrida de 5 Km que teve a participação de mais de 300 atletas. Nas categorias Masculina e Feminina venceram os anfitriões: Luiz Reinaldo e Márcia Lopes, ambos de Sorocaba. Shimano Short Track Considerada a atração principal, contou com a presença de ciclistas

40 | cyclomagazine

Handbike da Vemex

Considerando o investimento feito pela Shimano e demais empresas participantes, o impacto econômico foi na ordem de R$2,8 milhões"

brasileiros e latino-americanos vindos do Chile, Argentina, Equador, Colômbia, Costa Rica, Panamá e Paraguai. As finais do Short Track aconteceram no dia de encerramento do evento , sendo que o Brasil e a Colômbia dominaram a liderança. Na Elite Masculina, o colombiano Fabio Castañeda confirmou o favoritismo em 1º lugar. Marcelo Cândido e Guilherme Muller (LM/Shimano) ficaram na 2ª e 3ª colocações. No Feminino, a goiana Raiza Goulão, (da Soul Cycles), conquistou o bicampeonato do Shimano Short Track nacional, além do seu primeiro título latino-americano. Completaram o pódio Adriana Rojas (CRI) e Jaqueline Leal. Rio 2016 Dois integrantes do Comitê Olímpico Rio 2016 estiveram presentes com a missão de encontrar voluntár ios para atuar nas provas ciclísticas (MTB, além das modalidades BMX, Pista e Estrada) durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Serão cerca de 70 mil voluntários, sendo que sete mil serão especialistas em suas áreas, inclusive médicos.

O programa (r io2016 .com/ voluntários) é extensivo aos Jogos Paralímpicos do Rio, a serem disputados logo após as Olimpíadas. O paraciclismo inclui provas de pista e estrada, além do golbol (disputado por cegos nas demarcações do vôlei com dois gols no fundo da quadra), do basquete e do rugby, ambos em cadeiras de roda. Protótipo de handbike (bicicleta de mão) A Vemex, empresa que fabrica produtos para pessoas com deficiência física, apresentou o protótipo brasileiro de handbike para competição. Fabricada com ligas leves (peças em alumínio aeronáutico, fibra de carbono e polímeros de engenharia), componentes Shimano (câmbio eletrônico e rodas de carbono). O protótipo apresentado pelos paratletas Jady Malavazzi e Josimar da Silva ficou para amostra, enquanto outras handbikes serão montadas para bateria de ensaios, com a primeira máquina de testes de fadiga para esse estilo de bike. A nova máquina de teste ficará pronta em janeiro e até março os dois paraciclistas poderão treinar. Só depois, então, será incluída a parte eletrônica.


PRODUTO

MODELO VINTAGE DE E-BIKE O projeto vem sendo desenvolvido há mais de dois anos. Porém, a empresa foi lançada oficialmente em Agosto de 2014, quando finalizaram os primeiros protótipos. Guilherme Carneiro fala à Cyclomagazine sobre a empresa, planos e atuação

42 | cyclomagazine


VELA BIKES

Reportagem: Hylario Guerrero Imagens: divulgação

Cyclomagazine - A Vela Bikes é focada em produzir exatamente qual item da bike? Guilherme Carneiro - A Vela é uma bike elétrica projetada e desenvolvida pelo Victor Hugo (diretor da empresa e do projeto). Com patentes no Brasil e na China. Para diminuir os custos de produção, contatamos com empresas na China, Japão e EUA, para fabricarem o projeto. Motor e quadro serão produzidos na China, baterias no Japão e parte elétrica nos EUA. - Os componentes deverão chegar quando? O primeiro lote de bikes deverá chegar ao Brasil em março de 2015. Quando pretendem, efetivamente colocar o projeto nas ruas? Acreditamos que em Abril de 2015 teremos as primeiras unidades. Já é possível comprar produtos de bikes da empresa? Sim, até o fim de 2014 estávamos trabalhando com modelos de pré-venda, e agora a bike poderá ser comprada com valor já estipulado, a partir de R$ 3.700. Onde é possível encontrar este produto? Os pedidos podem ser realizados no nosso site www.velabikes.com.br ou pelo e-mail contato@velabikes.com.br - Não haverá outros pontos de vendas? Estamos desenvolvendo ainda uma estratégia para trabalhar com revendas.

Características Técnicas:

1. Quadro Vela 1 em Aço Liga 4130 Cr-Mo Chromoly; 2. Selim largo de couro com molas cromadas; 3. Guidão em alumínio que direciona a maior parte do peso para o selim – coluna ereta; 4. Rodas com aros de alumínio tamanho 700c; 5. Pneus Kenda tamanho 700c x 35mm modelo cidade; 6. Freios Tektro E-Bikes do tipo V-Brake; 7. Bateria removível de 330 Wh e autonomia de 25 a 35km; 8. Motor Elétrico Traseiro 8Fun de 350w modelo de alto torque (SWHX02); 9. Duplo sistema de auxílio – Pedal Assist e Chave Eco-Boost; 10. Sistema de Alarme com senha sequencial; 11. Rastreador GPS interno; 12. Entrada USB de 5V para recarga de gadgets; 13. Carregador de 3,5A - Recarga completa da bateria em menos de 2h30; 14. Manoplas e detalhes em Couro; 15. Farol dianteiro LED interligado com o sistema da bateria; 16. Farol traseiro LED com alimentação solar; 17. Sensores de freio dianteiro e traseiro Tektro; 18. Limitador de velocidade em 25km/h (de acordo com a resolução nº 315/2009 CONTRAN); 19. Grau de Proteção IP 65: impermeável, resistente contra chuva e umidade; 20. Tudo isso em apenas 19kg. A formação profissional e acadêmica do diretor da Vela Bikes, Victor Hugo Cavalheiro Cruz é em Engenharia Mecânica na FEI. Guilherme Oliveira Carneiro é formado em Comunicação Social na UnB e pós-graduado em Pesquisa de Mercado na ECA-USP.

cyclomagazine | 43


Colaborando para o crescimento dos negócios do segmento bike, fabricantes, importadores, lojistas e profissionais informam e se informam através dos nossos canais de comunicação. Agradecemos aos nossos parceiros que confiaram em nossas propostas e assim, deram visibilidade e a devida importância ao setor www.luanda.com.br/cyclomagazine


CAPA

DICAS PARA OS PROFI

Com o aumento das ciclovias, está se expandindo o ato de pedalar e este hábito saudáv saudá consumidor ou cliente vir a ele com queixas de dores, e saber

Texto e imagens: divulgação

S

egundo o médico Gabriel Ganme, especialista em Medicina do Esporte e um dos precursores no Brasil em Medicina de Expedições e Mergulho, para evitar as dores na lombar, joelhos e cervical, a realização de um checkup médico é essencial. “Como exercício, pedalar somente não basta. A pessoa deveria fazer um trabalho de musculação compatível com a atividade que deseja praticar, para prevenir as lesões. Mesmo assim, se estas dores surgirem, é preciso avaliar erros de técnica, erro no ‘bike fit’ exageros na atividade e, por fim, lesões ou anomalias que não sejam compatíveis com o ciclismo”, explica Ganme. Pesquisa divulgada pelo Ibope comprova o crescimento de 50% no uso na cidade de São Paulo (comparado a 2013) ou, em números específicos, 261 mil paulistanos adotaram a magrela como meio de transporte. Pedalar constantemente traz inúmeros

46 | cyclomagazine

benefícios como prevenir doenças crônicas (obesidade, colesterol e hipertensão), contribui para a qualidade de vida, além de trabalhar o equilíbrio e a confiança. Portanto, é aconselhável a adoção do ciclismo como esporte, se praticado com bom senso e na medida da forma física de cada um. “Porém, existem ciclistas que provocam série de acidentes, ocasionando lesões ortopédicas e diversos tipos de traumas, inclusive ao trânsito. Além da falta de equipamento adequado, ciclovias mais amplas e campanhas para os pedestres entenderem que é preciso haver respeito ao ciclista e olhar sempre antes de atravessar a rua”, alerta Ganme, que enfatiza existirem também as lesões de esforço repetitivo, causadas especialmente quando o ciclista não tem sua bicicleta bem ajustada (quando o chamado bike fit não foi bem feito). “A prevenção de problemas começa pela escolha do equipamento adequado com um bom técnico de loja especializada, até a escolha de melhores horários (mais vazios) para pedalar. Deve-se aumentar

progressivamente as pedaladas, como em qualquer exercício”. Ganme ainda fala sobre o sedentarismo, que é, seguramente, a pior opção para qualquer pessoa, pois leva a uma série de problemas de saúde. “Associado ao tabagismo, obesidade e outros, é grande causa de morte por doenças cardiovasculares. Se o ciclista pedalar no sol, pode controlar (com exceção da locomoção para o trabalho) o horário da pedalada. Pedalar em uma das marginais representa um risco maior de acidente”. Se a pessoa é sedentária e quer começar a pedalar, logo no início das atividades pode obter benefícios cardiovasculares, se feito com uma intensidade mínima. Este talvez seja o problema das ciclovias de São Paulo, pois exigem uma série de paradas para semáforos. Se o objetivo é a melhora cardiorrespiratória, seria preferível adotar um trajeto menor, como por exemplo: ficar em um parque dando várias voltas. O benefício é quase imediato e é possível perceber o efeito depois de algumas semanas de atividade.


CICLOFAIXAS

ISSIONAIS E CICLISTAS

vel pode ocasionar dores e lesões. O profissional de bike deve estar atento quando um ável r indicar especialistas capazes de cuidar dos sintomas e lesões

• • • • • • • •

Dicas para os ciclistas: Sempre usar equipamento bom e em perfeitas condições; Preservar energia para o momento necessário; Ser bem visível (roupas claras, chamativas, refletivas) e sinalizar bem suas intenções com antecedência; Respeitar os pedestres; Nunca andar na contramão (é a maior causa de acidentes graves); Manter hidratação constante e boa alimentação; Alongamentos corretos; Aos domingos, quando grande parte das ruas cedem espaço às ciclovias, evitar ingerir bebidas alcóolicas quando for pedalar. Muitos acidentes e lesões acontecem nestas situações. BIKE FIT Ajuste da bicicleta ao ciclista com fórmulas e medições básicas, para alcance de melhor performance e conforto, evitando lesões. Variam de acordo com o tipo da bicicleta e a finalidade de uso. O Bike Fit adequado

pode aliviar dores, aumentar o conforto, melhorar a eficiência da pedalada e minimizar o arrasto aerodinâmico, entre outros benefícios. Saúde como economia financeira

Além de gerar saúde, pedalar também traz economias financeiras com economia de dinheiro em médicos e hospitais. Segundo estudo da London School of Economics, pessoas que andam de bicicleta com frequência ficam doentes apenas 7,4 dias por ano, enquanto as não adeptas adoecem 8,7 dias. Só com essa diferença, há uma economia de quase 128 milhões de libras ao ano para o sistema público de saúde britânico, mais de 505 milhões de reais ao ano. 400 KM DE CICLOVIAS Antes, a cidade de São Paulo tinha 63 km de faixas exclusivas para bicicletas. Em 2014, a prefeitura de SP e a Secretaria Municipal de Transportes aumentaram em 130%. De acordo com o CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), as ciclovias totalizam até o momento 187,09 km, com meta de alcançar 400 km até o fim de 2015.

Em todo o Município de São Paulo existem 383,19km de infraestrutura cicloviária de circulação, com ciclovias, ciclorrotas, calçadas compartilhadas, ciclofaixas definitivas e ciclofaixas operacionais de lazer, com 262,39km de infraestrutura cicloviária permanente. - Ciclovias = 187,09 km - Ciclofaixas = 3,3 km - Ciclorrotas = 67,5 km - Calçadas Compartilhadas=4,5 km MEDICINA DO ESPORTE O especialista em medicina esportiva atua na estimulação da prática regular de atividade física, não apenas para competição, importante na prevenção e tratamento de doenças como asma, diabetes, osteoporose, hipertensão arterial, obesidade, doenças cardiovasculares, depressão e na longevidade com qualidade de vida. Atua também no Trauma Desportivo ao proteger o atleta de lesões e proporcionar um bom atendimento quando lesionado, visando o rápido retorno às atividades.

cyclomagazine | 47


ARTIGO

INDIVIDUALIDADE EVOLUTIVA O PAPEL DAS EMPRESAS Texto e imagem: Luiz Roberto Fava

Meus três últimos textos – O número “EU”, A “dança da vaca” e A zona do “sem forto” (*) – tiveram como foco o indivíduo, as mudanças internas e externas a ele e a importância de nos adaptarmos a elas e de não nos acomodarmos para viver uma Vida mais dinâmica e mais feliz. É claro que cada indivíduo, através do seu livre arbítrio, tem o poder de escolher entre ser apenas um coadjuvante ou ser o protagonista , o artista principal de sua própria Vida. Mas de que adianta todo este esforço, todo este investimento em seu autoconhecimento, se as empresas continuarem a ser responsáveis pela infelicidade que acomete seus colaboradores? Atentem para o que escreveu Dostoiévski: “O castigo mais terrível para qualquer ser humano seria a condenação a uma vida de trabalho absolutamente desprovido de utilidade e sentido”. Pesquisas indicam que a insatisfação profissional é muito alta, variando de 55% a 76%. Sendo que esta última porcentagem foi verificada através de um estudo realizado pela ISMA, no Brasil, com pessoas entre 25 e 60 anos de idade. Não cabe aqui comentar as causas que levam a estes índices. Elas são bem conhecidas assim como seus reflexos na saúde física e mental dos colaboradores. E qual seria o papel das empresas, através de seus gestores, em minimizar este quadro?

48 | cyclomagazine

Elaine Pelegrini Ranieri, em seu texto Incluir para inovar, diz que a palavra incluir, na linguagem corporativa, significa “oferecer condições apropriadas para que a pessoa consiga executar suas tarefas individuais da melhor maneira possível, independentemente das suas limitações e características”. Isso significa que o gestor deve entender que cada um dos seus liderados é um Ser Humano único, indivisível, daí um indivíduo e seus derivados, individual e individualidade. E se isso é um fato indiscutível, por que muitos gestores insistem em um tipo de gestão onde todos são tratados de uma mesma forma? Não é a toa que para o COMP existem duas alternativas bem conhecidas:

Comportamentos “massificados” de gestores, onde a individualidade de cada um não é reconhecida é, sem dúvida, uma das causas onde os indivíduos se “demitem do gestor” e não da empresa. Uma gestão mais moderna, mais atual, tem que ser inovadora também neste aspecto. Não adianta se criar “programas de felicidade” se não houver inovação em como se perceber e tratar cada co-

laborador de forma individualizada. Uma análise da evolução de como os colaboradores eram e são percebidos mostra que, ao longo do tempo, tem havido mudanças. Do “departamento do pessoal” para “recursos humanos”, “gestão de talentos”, “gestão de pessoas”, é visível a maneira como isto vem sendo aprimorado. Entretanto, acredito que mais um passo possa ser dado. Não adianta as empresas usarem o jargão “as pessoas são o nosso principal patrimônio” se elas continuarem a ver seus colaboradores apenas como “pessoas”. A palavra “pessoa” vem do latim persona, que significa máscara. O que pode ser entendido como um papel que desempenhamos em nossa Vida. Exemplo: o papel profissional. Aliás, convem lembrar que, durante nosso viver, assumimos uma série de papéis como pai, amigo, vizinho, namorado, e, no meu caso, dentista, palestrante, escritor, pesquisador, etc. E que para cada um deles, existe uma “máscara”. Mas, acima de tudo, nós exercemos estes diferentes papéis sem perder nossa individualidade. Este fato infelizmente mostra que algumas pessoas se identificam tanto com a sua “máscara” (papel) profissional, que acabam adotando o cargo e o nome da empresa como o seu nome e sobrenome. Certamente você conhece alguém que se


ARTIGO

apresenta como “O diretor de marketing da empresa X”. E você fica sem saber quais são os seus nome e sobrenome. Volto a reafirmar. Mesmo atrás de uma “máscara” profissional, existe um indivíduo, com todas as suas características que lhe são peculiares, como procuro demonstrar abaixo.

Quem sabe não está chegando a hora de mais uma inovação (mudança) e trocar o nome “gestão de pessoas” ou “gestão de talentos” para “gestão de indivíduos”? Talvez a mudança do nome acabe gerando também uma mudança da visão da gestão, visto que Gestão de Indivíduos transmite a ideia real de que, pelo fato de sermos todos diferentes, os gestores terão que saber lidar com as diferenças individuais (crença, cultura, opção sexual, raça, credo, etc.), respeitando-as e aprendendo a conviver com elas. Essa mudança de postura, onde o colaborador terá as condições ideais para exercer suas atividades, também poderá facilitar um dos maiores “pesadelos” dos gestores: a retenção dos colaboradores. Para mais, um colaborador que se sinta “incluído” neste tipo de cultura, certamente se sentirá mais engajado, mais valorizado e mais reconhecido, o que

50 | cyclomagazine

só fará a empresa crescer, ter maiores lucros e, quem sabe, se tornar uma das melhores empresas para se trabalhar. Empresas inovadoras na Gestão de Indivíduos certamente serão aquelas onde o trabalho se ajustará à maneira de ser do colaborador e não fazer com que o colaborador ajuste a sua vida ao trabalho requerido. Ninguém será mais escravo de ninguém e todos sairão ganhando. E, sem dúvida, isto proporcionará ao colaborador um maior senso de liberdade e autonomia: dois combustíveis essenciais que o farão aumentar sua performance, torná-lo mais feliz e permanecer na empresa. Com isto é fácil deduzir que os índices de absenteísmo e presenteísmo serão diminuídos, assim como os da rotatividade. Se isso assim ocorrer, caberá, neste contexto, as palavras de E. F. Schumacher, contidas em seu livro Good Work (1980): Não quero cair na rotina. Não quero ser escravizado por máquinas, burocracia, tédio e feiura. Não quero me tornar um imbecil, um robô, um peão. Quero fazer meu próprio trabalho. Quero viver com (relativa) simplicidade. Quero lidar com pessoas, não com máscaras. As pessoas importam. A natureza importa. A beleza importa. A inteireza importa. Quero ser capaz de me importar. Deixo este texto como uma pensata do final de 2014 para o alvorecer de 2015. O poeta persa Sa’di disse: “se o mergulhador se preocupa apenas com o tubarão, jamais colocará as mãos na pérola”. Se este “tubarão” estiver constantemente em nossas mentes, jamais con-

seguiremos “mergulhar” em direção a um novo futuro. Espero, sinceramente, que gestores e empresas, já neste início de 2015, matem estes “tubarões” e propiciem a os seus colaboradores condições para que eles “botem as mãos na pérola”. Quem sabe, em um futuro não tão distante, gestores e colaboradores, todos nós, poderemos vivenciar as palavras do escritor François-Rene de Chateaubriand, ditas há mais de cem anos: Um mestre na arte de viver não faz distinção entre trabalho e diversão; trabalho e lazer; mente e corpo; instrução e recreação. Ele dificilmente sabe qual é qual. Simplesmente segue sua visão de excelência em tudo o que está fazendo e deixa os outros determinarem se ele está trabalhando ou se divertindo. Para si, ele sempre parece estar fazendo as duas coisas. Sobre o autor Dr. Luiz Roberto Fava é cirurgião dentista, especialista em endodontia (tratamento de canal), exercendo esta atividade por mais de quatro décadas. Durante este período também exerceu as atividades de professor, pesquisador e autor, ministrando inúmeros cursos e palestras além de publicar dois livros e inúmeros trabalhos em revistas nacionais e internacionais. A partir de 2004 vem se dedicando à área de Qualidade de Vida Integral, ministrando palestras e cursos, e também atuando como escritor e autor de três e-books e de inúmeros textos sobre saúde, desenvolvimento pessoal, estresse, gerenciamento do tempo, produtividade, espiritualidade, etc.


Cyclomagazine edição 200  
Cyclomagazine edição 200  
Advertisement