Issuu on Google+

Jornal da Gleba Imagem Ilustrativa

GLEBA - Natal Solidário: crianças de bairros carentes ganham presentes em festa de natal. Pág. 04

MEIO AMBIENTE - Reuso da água e a reciclagem de resíduos sólidos. Pág. 08

PERFIL

GLEBA

Leilão de gás Imagem Ilustrativa

Arquivo pessoal

Conselho de Condomínios da Gleba Palhano organiza leilão para baixar o preço do gás Pág. 05

Vice-campeão paranaense de motovelocidade é morador da Gleba Após bons resultados em 2009 e 2010, o piloto Diego Faustino espera fazer muito pelo motociclismo brasileiro em 2011 e assim dar continuidade a sua promissora carreira Pág. 03

MENU

Na foto um dos anfitriões, Fábio Lucas, ladeado pelos amigos. Pág. 06

400 tipos de pães no coração da Gleba Palhano Pág. 11

Ano 2 - Janeiro de 2011 - Número 16 - Distribuição gratuita

Ana Flávia Negro

Jornal da Gleba

ZOOM O Cheers Pub comemorou seu 1º aniversário em grande estilo


2 JORNAL DA GLEBA - Outubro de 2010 2 JORNAL DA GLEBA - Janeiro de 2011

Conselho Informal de Síndicos Pontos de distribuição: e Moradores da Gleba Palhano

Um jornalvida quenova, se propõe a serIssoum veículo Ano novo, jornal novo. mesmo, comunitário deve muito mais do que agrupaum jornal cheio deser inovação para esse anoum de 2011. mento de palavras, fotos e anúncios. Um jornal A primeira novidade que aparte partir mês de È comunitário é antes deé tudo da desse comunidade. janeiro o JG conta com um espaço de divulgação com esse espírito que o Jornal da Gleba completa 1 ano de serviços prestados à Gleba de imagens da Gleba Palhano. SePalhano. você tem alguma 12 meses muita em nosso fotoNestes de qualquer ponto docoisa nossomudou lindo bairro e bairro, ruas foram abertas, uma associação foi criada e deseja compartilhar conosco, envie para nossada alguns edifícios foram inaugurados. E o aJornal redação (redação@jornaldagleba.com.br) Gleba sempre esteve atento para noticiar todosque estes fatos. iremos publicá-la em uma das edições. Não se O desenvolvimento Palhano tem esqueça de colocar o nomedadoGleba autor da foto para incríveis semelhanças com o crescimento ocorrido darmos o crédito imagem,30, ok?40 e 50 do século em Londrina nasnadécadas Outro destaque da edição é o leilão que e passado. Somos um bairro que não paradedegás crescer progride dia de a dia. Um lugar que aindadatem muita o Conselho Síndicos e Moradores Gleba coisa a serConGp, feita, masrealizou que desponta como melhor Palhano, no final de o2010. lugar da cidade para se viver. Estamos presenciando a Cansados dos feita valores pagos metro cúbico do história sendo diante dospelo nossos olhos. gás Nossa em seus condomínios, noves síndicos da Gleba missão, como periódico, é registrar através de nossas uniram reportagens os personagens, as imagens, Palhano esforços para baratear o custo os fatos, o imenso de fazer parte da história deste eserviço comorgulho as empresas fornecedoras. Essada Gleba Palhano. conquista quemuitos a uniãosacrifícios e a luta dee alguns Foram mostrou meses de alegrias. realmente pode beneficiar muitos. Essa pois foi mais Trabalho que nos gratifica diariamente, não se trata apenas desses de produzir um jornal é muito uma vitória moradores que semensal, dedicam em mais isto. É uma relação de amizade, carinho e buscaque de melhorias para a comunidade. respeito com você, leitor, que permite mensalmente a Nessa ediçãonodeseu janeiro você também 'nossa' entrada lar. Nestes últimos confere 12 meses uma entrevista exclusiva com o piloto londrinense fizemos parte do seu cotidiano, mas, mais do que isso, você foi peça fundamental que escrevêssemos de motovelocidade Diego para Faustino, que vem se a nossa própria história. porque não dizer a história destacando nas etapas Ou do motociclismo brasileiro. da Gleba Palhano.Muito obrigado por esta parceria. Conheça um pouco desse morador da Gleba na Que possamos escrever os próximos capítulos editoria Perfil, pág. 3. juntos... Boa Leitura! Leitura!!!

O Jornal da Gleba é distribuído gratuitamente emda todos os edifícios Se você é morador Gleba Palhano e desejae condomínios horizontais da Gleba Palhano participar ou conhecer o trabalho desenvolvido Se de vocêSíndicos não recebe o Jornal da da peloe região. Conselho e Moradores Gleba em casa entre em contato conosco ou Gleba Palhano, em contato conosco retire seu exemplar nos seguintesou pontos de (redação@jornaldagleba.com.br) acesse distribuição: www.jornaldagleba.blogspot.com e fique atento a data da próxima reunião. Não fique de fora. Padaria Santa Ceia - Rua Caracas, 181. Pq Participe! Guanabara.

AMAIDomenico – Associação Padaria - Rua dos Garibaldi Moradores Deliberador, 94. do Alto Igapó

EXPEDIENTE EXPEDIENTE Jornal da Gleba Produção: 4Ideias Comunicação Jornal da Gleba Produção: 4Ideias Comunicação Jornalistas responsáveis Rafael Montagnini Jornalistas responsáveis (MTB 7239/PR) Rafael Montagnini Talita Oriani (MTB 7239/PR) Talita (MTB Oriani 7358/PR) (MTB 7358/PR) Programação Visual Programação Visual Eduardo Massi Eduardo Massi Diagramação Diagramação Carolina Chueire Carolina Chueire Impressão: Gráfica Idealiza Impressão: Gráfica Idealiza

Tiragem: 5 mil exemplares Tiragem: 5 mil exemplares Periodicidade: Mensal Periodicidade: Mensal Distribuição Distribuiçãogratuita gratuita

CONTATOS CONTATOS

3027-4125 3027-4125/ 9135-1556 / 9135-1556/ / 9976-0243 9976-0243 comercial@jornaldagleba.com.br

comercial@jornaldagleba.com.br jornaldagleba.blogspot.com

jornaldagleba.blogspot.com www.twitter.com/jornaldagleba www.twitter.com/jornaldagleba

IDEALIZA

A AMAI Premium traViscardi - Rodovia Mábio balha para trazer Palhano, próximo ao Alphaville. conforto e qualidade de vida à comunidade. A primeira ConGP - Conselho Informal de Síndicos etapa do da Glebanosso Palhano trabalho será a revitalização do Parque Guanabara, que foi Se você é síndico, conselheiro iniciada com a construção da rotatória na condominial ou apenas morador da Gleba bifurcação Ruas Montevidéu e Caracas. A e desejadas participar ou conhecer o trabalho segunda parte será a segurança comunitária no do ConGP - Conselho Informal de Síndicos bairro, com o Palhano, objetivo departicipe garantir tranquilidade da Gleba das reuniões a todos. As reuniões da AMAI são semana realizadas que acontecem sempre na última de todas as mês. primeiras cada será mês.o cada Para segundas-feiras saber quando edeonde Contamos a colaboração de todos próximocom encontro do ConGP acesse o blog Dúvidas amai.londrido Jornale sugestões da Glebano– e-mail: www.jornaldagleba. na@yahoo.com.br blogspot.com . Não fique de fora. Participe, a Gleba precisa de você!


3 JORNAL DA GLEBA - Janeiro de 2011

Vice-campeão paranaense de motovelocidade é morador da Gleba Após bons resultados em 2009 e 2010, o piloto Diego Faustino espera fazer muito pelo motociclismo brasileiro em 2011 e assim dar continuidade a sua promissora carreira

N

Jornal da Gleba

atural de Londrina – PR, Diego Faustino começou sua história na motovelocidade muito cedo, aos 14 anos de idade. Porém, a paixão pelo esporte já tinha surgido na infância. Naquela época o garoto morava próximo ao autódromo da cidade, então era de praxe passar horas por lá acompanhando os pilotos e os trabalhos realizados pelas equipes. Devido ao prazer que tinha em ver os treinos e corridas no autódromo, tanto de carros quanto de motos, já na infância sabia qual era seu sonho: se tornar um piloto de motovelocidade. Aos 15 anos Diego correu pela categoria 135 cilindrada em um Campeonato regional, a partir daí foi dada a largada para a promissora carreira do

Diego com a mãe Alice Faustino

jovem. Atualmente com 21 anos e na categoria 600cc (cilindradas), Faustino relembra a dedicação durante anos até conquistar seu primeiro título no ano de 2009, em que se tornou vice-campeão paranaense de motovelocidade categoria 600cc. Diego não correu nas duas primeiras etapas do campeonato, portanto participou de apenas 5 das 7 etapas, mas acabou vencendo todas e levou para casa o título de vice-campeão. Neste mesmo ano o piloto teve duas participações em etapas no Campeonato Brasileiro de Motovelocidade onde conquistou a vitória em uma e teve uma queda quando liderava a outra. Devido aos seus surpreendentes resultados, o jovem vem conquistando cada vez mais espaço no universo da velocidade. Preste a se formar em desenho industrial, atualmente Faustino trabalha na empresa dos pais e se dedica também a área dos estudos. “Adoro o meu curso e o que faço, mas minha verdadeira paixão é a motovelocidade. É nas pistas que me sinto totalmente realizado”, conta. Confira a seguir um pouco mais desse jovem piloto. J.G - Quais os planos e

Fotos: Arquivo pessoal

O jovem piloto durante a corrida Momento da comemoração no pódio

faço uma oração antes da prova.

lado, isso me dá força.

objetivos futuros? D.F: Sonho em ir para a categoria de 1000cc, mas vai depender dos campeonatos e patrocínios que conseguir. No momento estou focado em obter bons resultados nos próximos campeonatos da temporada de 2011.

J.G – O que gosta de fazer nas horas vagas? D.F: Além de curtir a família, os amigos e a namorada, gosto de praticar wakeboard (esporte aquático praticado com uma prancha tipo snowboard, puxado por uma lancha) e andar de kart.

J.G – Você tem alguma mania ou segue algum ‘ritual’ antes das corridas? D.F: Eu não tinha reparado, mas minha namorada percebeu que eu sempre fico empurrando a cutícula das unhas antes de colocar as luvas (risos). É uma mania involuntária mesmo. Também

J.G – Seus pais costumam te acompanhar em todas as corridas, como você avalia isso? D.F: A família é o mais importante de tudo. Minha mãe esteve presente em todas as provas e, se não me engano, é a única mãe de piloto que sempre está presente. Eu gosto muito de tê-los ao meu

J.G – Você já teve algumas quedas durante as provas, como sua família reagiu e reage quando isso ocorre? D.F: No começo era mais complicado, eles ficavam muito preocupados e assustados, mas hoje é mais tranquilo, já entendem melhor e não se assustam com qualquer queda. Minha mãe costuma filmar algumas corridas, pra você ter idéia já teve momentos que eu caí e ela continuou filmando (risos). Por Talita Oriani

talita@jornaldagleba.com.br


4 JORNAL DA GLEBA - Janeiro de 2011

Natal Solidário

Crianças de bairros carentes ganham presentes em festa de natal ficou completa. “Ele é lindo! Não vejo a hora de dar um beijo e um abraço nele. Eu o amo muito”, conta Camila Santos, 8 anos. “A felicidade estampada no rosto dessas crianças não tem preço. Realmente vale a pena ajudar”, comenta André Spirandelli, comerciante e presidente da AMAI. A idealizadora do projeto, Rita de Cássia Miguita, também era só emoção durante a festa. “Há seis anos que realizamos essa confraternização, mas a cada ano é uma emoção diferente. Estou muito feliz e grata a todos que ajudaram a proporcionar esse momento. Se cada um faz um pouquinho é possível fazer muito. Solidariedade é isso”, revela. Confira algumas fotos da festa.

Fotos Jornal da Gleba

A

Associação de Moradores do Alto do Igapó, AMAI, foi o cenário escolhido para um lindo gesto de solidariedade. Determinados integrantes da entidade, juntamente com alguns comerciantes locais, proporcionaram um natal diferente a famílias carentes de alguns bairros da cidade. Cachorroquente, bolo, refrigerante, brinquedo e muita diversão, foram os elementos do ‘cardápio’ que proporcionaram a 50 pessoas, entre mães e filhos, uma manhã divertida e agradável. Como não poderia ser diferente, o grande astro da festa foi o famoso barbudo de roupas vermelhas: Papai Noel, que era aguardado por crianças e adultos. No momento em que já se ouvia o soar do sino, era possível ver os olhinhos das crianças tomados por um brilho radiante. Assim que Papai Noel surgiu, a festa

O abraço tão esperado no bom velhinho

Por Talita Oriani

talita@jornaldagleba.com.br

Camila e a linda boneca que ganhou do Papai Noel

Papai Noel distribuindo os presentes


5 JORNAL DA GLEBA - Janeiro de 2011

E não é que o preço do gás baixou... Leilão promovido pelo ConGp reduziu o preço do gás em prédios da Gleba Palhano Jornal da Gleba

A representante da empresa vencedora Patrícia Zanata entre os membros do ConGP Ézio Fonseca e Mário Jorge Tavares

C

ansados dos valores pagos pelo metro cúbico do gás em seus condomínios, noves síndicos da Gleba Palhano uniram esforços para baratear o custo deste serviço com as empresas fornecedoras. Foram meses de conversas e estratégias até se chegar num modelo de negociação com as empresas. Foi decidido durante as reuniões do Conselho de Síndicos da Gleba Palhano (ConGP), que a melhor maneira para reduzir os custos do GLP seria um leilão com as empresas que já fornecem o gás para a maioria dos edifícios do bairro. “Seguimos os modelos das licitações públicas, na qual o leilão é invertido. Ganhou quem ofereceu o menor valor”, explica o Professor Ézio de Pádua Fonseca, coordenador do leilão e membro do ConGP. A reunião com as fornecedoras de gás da cidade aconteceu no dia 15 de dezembro de 2010, às 14 horas, no condomínio Bosque Wilmar Berbet. Participaram do leilão, os síndicos e representantes dos condomínios Vilanova Artigas, Vivaldi Boulevard, Costa Esmeralda, Mogno, Manacá, Solar Rivera, Paranoá e San Raphael. Enviaram representantes as empresas Londrigás, Copagaz, Supergasbras e Nacional Gás. Além destes, estiveram

presentes síndicos de outros prédios, que estão por terminar seus contratos de fornecimento de GLP e que pretendem aderir à empresa vencedora do leilão. O valor máximo estipulado pelo ConGP foi de R$2,10 com contrato de exclusividade de 3 anos. Foi realizada uma rodada com as ofertas das empresas e apenas a Nacional Gás acatou o valor. Uma das fornecedoras desistiu de sua participação e as demais ofereceram valores superiores, entre R$2,20 e R$2,70. O presidente em exercício do ConGP, Mário Jorge Tavares, declarou como vencedora a empresa Nacional Gás, que a partir de agora irá se reunir com os síndicos para acertar os detalhes técnicos e jurídicos para começar a fornecer o gás nesses nove edifícios. De acordo com o Professor Ézio Fonseca, organizador do leilão, tudo transcorreu muito bem e de forma muito transparente. “Ficamos muito satisfeito pelo valor acordado. Tudo foi muito claro e registrado em ata para quem queria ter certeza da lisura deste leilão. Esperamos que o acordo seja um exemplo para outros consumidores da Gleba e de toda Londrina”, finalizou. Por Rafael Montagnini

rafael@jornaldagleba.com.br


6 JORNAL DA GLEBA - Janeiro de 2011

Por Talita Oriani

zoom@jornaldagleba.com.br

Aniversário do Cheers Pub A comemoração do primeiro aniversário do Cheers Pub foi pra lá de animada. Os anfitriões Fábio Lucas e Fábio Couto recepcionaram os convidados na charmosa sede de inverno do Londrina Country Club. Muita gente bonita e descolada, mais o ótimo som das bandas Terra Celta e Rock Pirata, fizeram a festa render até altas horas da madrugada. Confira os clicks da fotógrafa Ana Flávia Negro.

Birthday

Natália de Andrade Tiago Pedrada e Renato Chumbinho Suelyn Guida

A relações públicas, Cristina Santos, recebe os cumprimentos e carinho dos amigos no dia 20. Já no dia 24 o chef de cozinha Leandro Unonius reúne os amigos para assoprar as velinhas. E no dia seguinte, 25, o atual presidente do Foto Clube Londrina, Mario Jorge Tavares, comemora nova idade. Felicidades!!!!

Show da Amy Depois de dois anos longe dos palcos, a polêmica cantora Amy Winehouse retorna as apresentações e faz shows pelo Brasil nesse mês de janeiro. Segundo alguns sites de fofoca, a estrela exigiu que tivessem no camarin algumas cervejas, vodcas e champagne. Juliana Effting, Flavia Sella e Renata Andrade

Fabrício Fonseca, Ivo de Oliveira e Gustavo Di Ioriu


7 JORNAL DA GLEBA - Janeiro de 2011

Formatura Universitário Neste ano a festa de formatura do Colégio Universitário celebrou a colação de 186 alunos. O Centro de Eventos de Londrina recebeu a celebração, organizada pela Alfa Ilimitada, decór de Sérgio Figueiredo e Luiza Vicentini, e cardápio do Buffet Planalto. A trilha sonora da noite ficou a cargo do Grupo Chorus, DJ André Marx e das bandas “Três Mais Um” (formada por professores do Universitário) e “Bombeiros do Zimbábue”, formada por alunos e vencedora do Festival de Música do Universitário (FEMUNI) 2010. Fotos Divulgação

Diretor geral pedagógico José Antonio Lima e a Diretoria Mantenedora do Colégio Professores Alderi Ferraresi, Wilson Marvulle, Manuel Machado e Water Okano

Fernanda Buccioli, Alessandra Viegas, Mariana Inocente e Maria Luiza Nascimento


8 JORNAL DA GLEBA - Janeiro de 2011

N

o dia 07/12/2010 realizamos uma palestra, no espaço gourmet do edifício Sunflowers, como tentativa de sensibilizar os moradores quanto à necessidade de conservação dos recursos naturais, como a água, e também sobre a reciclagem de resíduos sólidos. Notamos que o condomínio precisava de orientação quanto à maneira de fazer a reciclagem e onde alocar esses resíduos. Desta forma, conversamos sobre a água, um bem que possui valor comercial, mas que deve ser usado com critérios para que num futuro próximo não se torne um luxo onde poucos terão acesso. Sabemos que no Brasil os recursos hídricos estão à disposição da população em quantidade considerável, tomando como comparação países do Oriente Médio, por exemplo. Discutimos sobre a necessidade de conservar a água e, uma forma proposta pela equipe que participou da

palestra, foi recolher a água que sai dos chuveiros até que a água esquente, no caso de chuveiros onde a água é aquecida à gás. Essa água recolhida, algo em torno de 1 balde médio por banho, poderia ser utilizada na máquina de lavar roupa ou para fins de limpeza. Muitos vizinhos já aderiram à ideia e cremos que será muito bom para o condomínio reduzir o consumo de água. Desta forma, também estaremos cumprindo com o nosso dever de conservar o meio ambiente, assim como diz o artigo 225 da constituição federal:

Imagens Ilustrativas

Reuso da água e reciclagem de resíduos sólidos

Art. 225 - Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preserválo para as presentes e futuras gerações. Conversamos sobre a questão de não dispensar o óleo, proveniente de frituras e alimentos em geral, na pia da cozinha. Este deve ser recolhido nas embalagens que foram distribuídas aos condôminos para auxiliar na produção de biodiesel e também contribuir com o hospital de câncer de Londrina. Quanto aos resíduos sólidos, foi informado aos participantes da palestra que é necessário assumir as responsabilidades em relação à geração de resíduos, pois é um engano terrível o fato de muitos pensarem que jogando algo fora, devido ao objeto sumir de seu campo de visão, sua responsabilidade acaba. Não temos mais como tapar os olhos e acreditar que a geração de resíduos (LIXO) é coisa que não nos diz respeito. Diz sim! Cada um precisa fazer sua parte. Se encaminharmos ao aterro somente o rejeito e os resíduos orgânicos, estaremos fazendo um bom trabalho, reduzindo o volume dos resíduos a serem transportados, inclusive

Anuncio_AL_13x6cm.indd 1

favorecendo às ONGs que precisam dos recicláveis para gerar renda às famílias envolvidas no processo de recolhimento de recicláveis. Após discutirmos a importância dessa temática, verificamos o quanto foi importante conversar e aprender mais sobre assuntos que fazem parte do nosso dia a dia e que muitas vezes passam sem que percebamos. Esperamos com essa atitude sensibilizar os leitores deste jornal e que promovam em seus edifícios ações educativas que visem a conservação de nossa biodiversidade, pois sem os recursos e serviços ambientais não podemos viver. Por Jamile Ruthes Bernardes

Geógrafa formada pela UEL, Mestre em Geografia, meio ambiente e desenvolvimento e Professora de Gestão Ambiental

04/11/2010 23:15:01


9 JORNAL DA GLEBA - Janeiro de 2011


10 JORNAL DA GLEBA - Janeiro de 2011

NCOM - PML

Reveillon de Luz no Lago Igapó em Londrina

A

palavra “adolescência” vem do verbo latino adolecere, que significa “crescer” ou “crescer para a maturidade”. É um período de transição, quando um indivíduo se modifica física e psicologicamente de criança para adulto. É uma despedida das dependências da infância e um avanço precoce para a vida adulta. Conflitos e tensões caracterizam este período dramático da vida do indivíduo podendo, para vários estudiosos, ser considerado um novo nascimento. A linguagem do jovem, aliás, é diferente, cheia de gírias. Muitas vezes os pais não entendem como os jovens conseguem entender essa linguagem estranha, na qual um monossílabo tem vários significados e pode dizer uma porção de coisas diferentes. No entanto, até pessoas que não falam a mesma língua podem se entender. Existe no mundo uma linguagem universal que é a do olhar, do gesto, do corpo, do sorriso. Com o jovem e seus pais acontece a mesma coisa. Apesar das mudanças que ocorrem no mundo, nos meios de comunicação, na liberação dos costumes que provocaram uma grande modificação nos valores e comportamento das pessoas, existe a linguagem universal que é a do gesto, do toque, do abraço e do sorriso, que expressa sentimentos que podem aproximar as pessoas.

É importante, inclusive, que o adolescente saiba que a dificuldade de aproximação não é só dele, mas também dos pais que se sentem perdidos. De modo geral, existem algumas atitudes que são importantes para facilitar a comunicação entre as pessoas e, sobretudo, entre pais e filhos. Devemos ser verdadeiros e espontâneos aos expressarmos os nossos sentimentos, falar aquilo que estamos sentindo ao invés de reagir com silêncio, ou com cara feia, em relação ao que nos agrada ou desagrada. Outra coisa importante é sermos pessoas assertivas que defendem seus direitos e colocam seus limites sem

Imagem Ilustrativa

A linguagem entre pais e filhos agredir ou ofender o outro. Isso é muito importante porque, muitas vezes, o que ofende não é o que dizemos, mas como dizemos as coisas. Podemos dizer para as pessoas que não gostamos de sua atitude ou que estamos magoados ou zangados, sem sermos agressivos. Quando aprendemos a nos comunicar assim, o diálogo melhora e os conflitos diminuem. Famílias que mantém o bom humor comportamse de forma lúdica, brincam, riem, fazem piadas entre seus integrantes, são mais saudáveis, estressam menos e tornam-se mais próximas. Segundo J.L. Moreno, médico romeno, seria possível mudar a sociedade inteira se as pessoas fossem capazes de fazer um simples exercício de “inversão de papéis”. Isso facilitaria o encontro entre as pessoas e diminuiria o conflito das relações humanas. Se entre pais e filhos houver um movimento assim, de se colocar no lugar do outro, sem dúvida, a compreensão aumentará muito e o diálogo verdadeiro se tornará possível no processo de crescimento desse adolescente. Por Marta Inez Rossi Freitas

Orientadora Educacional do Fundamental I e II do Colégio Universitário


11 JORNAL DA GLEBA - Janeiro de 2011

Panetteria possui mais de 400 tipos de pães Deliciosos para comer a qualquer hora do dia, os pães são associados a momentos prazerosos de reunião entre amigos e familiares A proprietária do estabelecimento, Elieth Hodas, no ramo há mais de 15 anos e agora com este novo empreendimento na Gleba, conta que tudo começou quando um cliente trouxe uma receita antiga de família de um curioso pão caseiro. O resultado do experimento foi uma mistura agradável da massa ao torresmo. “A partir de então começamos a fabricar novos pães e hoje oferecemos produtos diferenciados aos clientes”, contou. De acordo com ela, os pães são ofertados em dias alternados para que a cada oportunidade as pessoas possam encontrar uma opção diferente no local, que está em funcionamento há mais de uma semana. O pão de alho, as baguetes recheadas e o panetone salgado (que é

Imagem Ilustrativa

Q

uem é que consegue resistir a um cheirinho de pão fresquinho? Presente na mesa dos brasileiros, o pão é um alimento que sempre acompanha diversas refeições. Com mais de seis mil anos de existência, o produto é resultado do cozimento de farinha com água e sal de cozinha. Também servido como petisco, ele pode ser apreciado com um saboroso recheio ou simplesmente puro, com uma pitada de manteiga. Na Panetteria Palhano, localizada na Rua Ernani Lacerda de Ataide, nº 130, no coração da Gleba Palhano, há uma variedade dessa delícia. Lá é possível encontrar mais de 400 tipos de pães que garantem uma diversidade de escolhas na hora da compra do cliente.

vendido o ano inteiro, não apenas na época de Natal) são os que mais têm saída na padaria, além é claro, do tradicional pãozinho francês. Mas é possível apreciar também o pão Mineiro, uma combinação parecida com um rocambole de margarina folhada, o pão de Aveia Diet, desenvolvido por nutricionista, o pão Tigre, cujo nome vem exatamente da aparência listrada da sua crosta que se racha durante o cozimento e se assemelha às manchas de um tigre. Além disso, há uma gama de outros sabores convidativos ao paladar. Apesar de já conhecer o pão de trigo desde a chegada dos colonizadores portugueses, seu consumo no Brasil só se tornou popular depois do século 19. Antes, o brasileiro comia a farinha de mandioca e o biju. Com a vinda dos italianos para cá, no início do século 20, a atividade de panificação se expandiu e o produto passou a ser essencial na mesa do brasileiro, que hoje faz da atividade um momento prazeroso entre familiares e amigos. Para Elieth, da Panetteria Palhano, a idéia é transformar o espaço em um ponto de encontro dos clientes. “Buscávamos um local que fosse

Jornal da Gleba

O casal de proprietários, Elieth e Hodas, investe na qualidade no atendimento e produtos diferenciados atrativo e maior ao cliente, temos 600 m² de área total. Visamos uma melhor comodidade com estacionamento e a facilidade de ser um lugar próximo a tudo”, explicou. O segredo para o sucesso, segundo Elieth, está na qualidade da matéria prima utilizada, maquinário de ponta, profissionais que gostem do trabalho e um atendimento impecável. “É preciso dar uma atenção especial ao cliente, retribuir o carinho”, garante.

Além da variedade de pães como carro chefe do estabelecimento, a Panetteria possui uma linha de confeitaria de dar água na boca. “São mais de 30 doces diferentes”, contou. Novidade no mercado, o mini bolo é uma boa pedida para quem quer degustar de uma opção individual do doce. Bombons, trufas e bolos de festa também podem ser apreciados. Por Juliana Leite

redacao@jornaldagleba.com.br


12 JORNAL DA GLEBA - Janeiro de 2011


JG16 - JAN2011