Issuu on Google+

gem

a Im

a tiv

tra

s Ilu

Im a

gem

Ilu s

tra

tiv a

CHECK-UP DA ECONOMIA

DIVÃ Navegar é preciso? (Pág. 6)

Em tempo de economia titubeante, o negócio é aliar requinte et liquidez (Pág. 8)

ANO 4 - EDIÇÃO 42

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

PERFIL

Genuinamente Palhano

Talento criativo

ESTILO JG/M. Polli

O esmalte certo

Imagem

Ilustrati

va

Dicas simples para você deixar suas unhas coloridas por mais tempo (Pág. 10) MENU

As frutas devem ser utilizadas adequadamente por quem deseja perder peso

g

chn k.x

stoc

Regina Menezes inpira-se nos detalhes da vida para compor suas obras (Pág. 03) MARÇO DE 2013

Assim como qualquer outro alimento, as frutas também contêm calorias e a ingestão em excesso pode ter efeito contrário ao esperado (Pág. 11)


2

JORNAL DA GLEBA - março de 2013

EXPEDIENTE EDITORIAL Iniciamos nossa edição de março com uma entrevista com a jornalista e artista plástica Regina Menezes. Ela, que é moradora da Gleba Palhano, contou como foi a transição das redações de jornalismo para as telas e esculturas. Veja a entrevista completa na página 03.

Saborosas, refrescantes e saudáveis: existe melhor opção do que comer frutas nesta época do ano? Mas como qualquer outro alimento, as frutas também contêm calorias e a ingestão em excesso pode ter efeito contrário ao esperado. Saiba como você pode aproveitar a ingestão das frutas para perder peso.

Para nossas leitoras, trazemos uma série de dicas de como usar corretamente o esmalte. Na editoria Estilo, destacamos cinco orientações para que seu esmalte dure por mais tempo.

Além disso, não deixe de conferir as colunas Check up da Economia, Divã e o nosso Informe Jurídico.

Boa leitura!

JORNALISTAS RESPONSÁVEIS: Rafael M. Montagnini (MTB 7239/PR) e Talita Oriani (MTB 7358/PR) DIAGRAMAÇÃO: Eduardo Massi REVISÃO: Ana Setti TIRAGEM: 5.500 Exemplares DISTRIBUIÇÃO: Gratuita COLABORAÇÃO: Carolina Chueire, Mariana Polli e Thiago F. de Andrade

PONTOS CONTATO DE DISTRIBUIÇÃO Fone: (43) 3027-4125 Pautas: redacao@jornaldagleba.com.br Site: www.jornaldagleba.com.br PONTOSCOMERCIAL DE DISTRIBUIÇÃO

(43) 9976-0243

Anúncios: comercial@jornaldagleba.com.br


JORNAL DA GLEBA - março de 2013

PERFIL JG/M. Polli

“Acredito na afirmação de que o encontro da obra de arte com o observador faz com que ambos se tornem diferentes do que eram antes”, afirma Regina Menezes

Sensibilidade e talento criativo Regina Menezes, pintora e escultora, inspira-se nos detalhes da vida para compor suas obras, que agradam pelo despertar da imaginação Regina Menezes nasceu e cresceu em Maringá, morou alguns anos em Belo Horizonte e Curitiba, mas adotou Londrina como a cidade do coração. A moradora da Gleba Palhano é formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) e exerceu a profissão em jornais impressos, rádios, revistas e televisão. Depois de anos trabalhando na área e realizada com sua atuação, Regina descobriu sua vocação para as artes plásticas e, a partir de então, decidiu se dedicar exclusivamente à nova atividade. A artista pinta sobre tela e papel, produz esculturas em aço e já atuou na confecção de joias e bijoux. Regina é casada e tem um filho. Ela recebeu o JG em sua residência e falou sobre os detalhes e características de suas obras. Jornal da Gleba - Como você descobriu sua ligação com a arte? Regina Menezes – Meu pai foi um grande artista mineiro, que trabalhava com pintura e escultura. Cresci limpando os pincéis dele e vivia com o nariz branquinho de pó de gesso das esculturas que ele fazia. Essa ligação com a arte ficou latente em mim e só foi despertar depois que eu já era jornalista formada. Era feliz na profissão, mas estava faltando algo a mais e a arte me completou. JG - Você acha que ser jornalista a influenciou a se tornar artista? R.M – Totalmente. No jornalismo, você é um intermediário do fato. Na arte, o artista também exerce a função de comunicar, mas é diferente, porque faz isso de forma mais sensitiva, individual e poética. JG - Em suas obras, o uso das curvas é bastante presente. O que você quer dizer com elas? R.M – As curvas são maravilhosas.

Elas simbolizam os percursos que a gente faz na vida e a constante busca que nos faz seguir em frente. JG - Você considera suas obras abstratas ou figurativas? R.M – Eu não sei. Algumas pessoas dizem que gostam da minha arte porque ela é muito abstrata. Outras, dizem que adoram meu trabalho porque conseguem ver figuras. A minha arte é o que a pessoa vê. JG - Suas telas possuem cores fortes. Como você construiu essa característica? R.M – Minhas telas são resultado do que eu sinto e as cores permitem expressar esses sentimentos. JG - Como você partiu para as esculturas? R.M – Foi por causa de algumas pessoas que diziam ver formas de escultura em minhas telas. Depois de anos ouvindo isso, decidi criar a primeira e não parei mais. Minha escultura é a forma que se libertou do suporte bidimensional das telas e eu adoro trabalhar com essas formas soltas. JG - Por que você escolheu o aço para trabalhar as esculturas? R.M – Testei vários materiais e cheguei ao aço porque ele é forte, robusto e, ao mesmo tempo, flexível e moldável. Gostei muito dessa dualidade de ser forte e delicado ao mesmo tempo. JG - Existe alguma mensagem que você sempre busca transmitir em suas obras? R.M – Não sei se é consciente, mas sempre busco passar a importância de viver. Entre o nascimento e a finitude, o que importa é o processo.

Mariana Polli

redacao@jornaldagleba.com.br

3


4

JORNAL DA GLEBA - março de 2013

Mário Jorge Tavares

INFORME JURÍDICO

É hora de declarar o imposto sobre a renda!

pode-se parcelá-lo em até 8 O prazo de entrega da cotas iguais e sucessivas. declaração de ajuste anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Importante para o Física (IRPF) 2013, ano-base contribuinte são as deduções a 2012, vai de 1º/03 até 30/04. A serem lançadas na declaração, não entrega da declaração gera pois tanto diminuem o saldo de multa mínima de R$ 165,74 e imposto a pagar quanto geram máxima de 20% do valor do valor a restituir, o que é comum imposto devido pelo contribuinte aos contribuintes tributados infrator. na fonte. As deduções derivam de: a) previdência, tanto oficial, Deve declarar quem, no anoquanto a privada, limitado a base, realizou o seguinte: (i) 12% da renda do contribuinte; recebeu renda tributável (ex: b) dependentes (filhos até salário) acima de R$ 24.556,65; 24 anos se enquadram nessa (ii) recebeu rendimentos isentos categoria se estiverem em curso (ex: aposentadoria) acima de R$ universitário/técnico) no valor 40.000,00; (iii) obteve ganho de fixo de até R$ 1.889,64; c) pensão capital, com a venda de bens ou alimentícia, apenas se prevista direitos, ou realizou operações em sentença, por decisão judicial em bolsas de valores ou de ou homologação de acordo, d) mercadorias e de futuros; (iv) despesas médicas são ilimitadas, tem posse ou propriedade de observando-se a necessidade de bens ou direitos de valor superior constar CPF/CNPJ do profissional a R$ 300.000,00; (v) estrangeiro médico/dentista/plano de saúde que passou a residir no país; e no comprovante de pagamento; (vi) obteve receita maior que R$ e) educação (ensino infantil até 122.783,25 da atividade rural ou o superior, compreendendo queira compensar prejuízos de pós-graduação), no teto de R$ 2012 dessa atividade (produtor 2.958,23. rural). O contribuinte que Como é pujante o mercado porventura não consiga se valer imobiliário de Londrina-Pr, dos custos mencionados acima, sempre se destaca a isenção do se aproveita do benefício fiscal da IRPF sobre o ganho de capital regra do Desconto Simplificado auferido na venda de imóveis presumido, equivalente a residenciais, cujo produto seja 20% dos rendimentos aplicado na aquisição de tributáveis, limitado ao outro imóvel residencial, no máximo de R$ 14.542,60. prazo de 180 dias. Ou seja, o contribuinte apenas informa, Compareça ao na declaração, o benefício profissional da área fiscal e não recolhe o imposto. fiscal de sua confiança, para assessorá-lo no A novidade é o preenchimento aumento do valor da declaração e das faixas de transmita-a, assim incidência sobre que possível, seja a renda mensal pela internet, em relação ao seja pela período anterior. entrega do Agora, até R$ disquete em 1.637,11 é isento agências do do IRPF. Acima Banco do Brasil desse piso, as S.A. ou da Caixa alíquotas variam Econômica Federal. do mínimo 7,5% até o máximo 27,5%, A dica que fica conforme a renda ao leitor é que se auferida. Obtido Daniel Augusto Sabec Viana antecipe! o valor do IRPF, OAB/PR nº 46.387

Mais notícias acesse: www.asvc.adv.br

Primeira reunião plenária de 2013 Em nossa ultima reunião plenária mensal, foram discutidos problemas relacionados com o crescimento do bairro (segurança, ruído, fluxo de veículos, poluição ambiental, etc...), entre outras considerações. Também foram debatidos problemas com relação às construções que não estão de acordo com as leis que regem nosso município. A lei estabelece claramente a proibição de construções de edificações públicas ou privadas numa distância mínima das margens do lago. Mediante essa informação, o ConGP se propôs a endereçar um oficio aos órgão públicos competentes, pedindo não apenas maiores informações, mas, se constatadas irregularidades, as devidas providências. Foi encaminhado, igualmente, um ofício aos órgãos públicos específicos para os problemas que vêm acontecendo na Rua João Huss, de perturbação ao sossego, entre outros. Também esperamos providências. Outro ponto que foi discutido e também aprovado, em parceria com a Cáritas Arquidiocesana de Londrina, é o projeto que a entidade organizou, denominado “Projeto Petróleo”, que tem, por finalidade, ajudar projetos sociais, reciclando óleo de cozinha. O condomínio que queira aderir terá um ponto de coleta de reciclagem de óleo dentro de seu espaço. Junto à bomba de coleta, terá uma placa explicativa contendo informações de como efetuar a reciclagem de forma correta.

Tivemos uma palestra com um consultor de segurança, para explicar sobre a segurança predial. Os condomínios que possuírem mais de 100 moradores terão de ter, por obrigação e obedecendo à norma do Corpo de Bombeiros, uma brigada de incêndio no próprio edifício. Essa norma está ligada à NBR, cujo conteúdo especifica que, em cada andar do condomínio, 01 (um) morador deverá ter o curso de brigadista. Em continuidade, o consultor Leandro Rodrigues ofereceu, aos síndicos presentes, uma assessoria em segurança, pela qual, primeiramente, se propõe a fazer uma inspeção (raio-X) no condomínio, para poder entregar um relatório completo ao síndico, informando eventuais irregularidades. Após esse procedimento, dará um treinamento aos funcionários, delegando a responsabilidade de cada um em seu local de trabalho. E, por fim, fará visitas quinzenais para novas avaliações. Os presentes o questionaram sobre o valor que ele iria cobrar e o Sr. Leandro informou que o preço dependerá de quantos condomínios, pertencentes ao bairro, irão querer sua assessoria (que é um serviço extra ao que executa em sua profissão no Corpo de Bombeiros). Porém, de antemão, esclareceu que os filiados ao ConGP terão um preço diferenciado. Alessandra Resquetti Presidente do ConGP e síndica do Solar Rivera


JORNAL DA GLEBA - marรงo de 2013

5


6

JORNAL DA GLEBA - março de 2013

divã

O que é preciso nesta vida? Famoso por se expressar por meio de heterônimos, o poeta Fernando Pessoa (18881935) era mestre em construir poemas repletos de significado. Seus poemas não se limitam a uma única interpretação. No poema “Navegar é preciso”, o poeta português discorre sobre a frase “Navegar é preciso, viver não é preciso”, cunhada pelo general romano Pompeu (106-48 aC) quando se dirigia aos seus marinheiros amedrontados, que se recusavam a navegar durante uma grande tempestade (“Navigare necesse; vivere non est necesse”). Apesar de a tentativa de encorajamento feita pelo general, muitas interpretações sobre o significado dado à frase pelo poeta português foram elaboradas. Algumas interpretações sugerem que o trecho “navegar é preciso” remete ao significado “explorar” o mundo é necessário, mais necessário do que viver, referindo-se a uma vida comum e monótona. Outros leitores interpretam a frase como uma intenção de Pessoa em enaltecer sua pátria e contribuir com a evolução da humanidade. Segundo essa interpretação, não seria necessário viver uma vida egoísta, seria necessário dedicar a vida – ou até mesmo perdê-la– em troca das grandes descobertas realizadas. Porém, gostaríamos de fornecer uma forma de interpretação para a frase de Pompeu. Estamos interessados na utilização da palavra “preciso” e qual o significado atribuído a ela. A palavra “preciso” pode ser entendida como tendo o sentido de precisão e não de necessidade. “Navegar é preciso” representaria uma postura em que os fatos são previstos e controlados – como se estivessem sendo regidos por leis pré-estabelecidas, representando todas as atividades indispensáveis de nossa vida, nas quais a precisão de nossas atitudes é facilmente descrita e seguida. Portanto, navegar tem os seus controles pré-determinados, viver uma

vida a navegar seria uma vida segura e sem grandes possibilidades de variação. Muitas pessoas optam pelo seguro, sem se dar conta do que isso pode acarretar para elas. Uma vida presa a convicções, que serve apenas para aquele que flutua e que, por tantas convicções, não percebe o que está ao seu redor. Uma vida restrita à bússola do norte, sul, leste e oeste. A segunda parte da frase “viver não é preciso”, seguindo o mesmo raciocínio, representaria a possibilidade de viver o que está acontecendo. A precisão aqui será tomada como sendo uma vida menos regrada. Na verdade, uma vida de possibilidades. Isso não significa uma vida instável e de menos controles, porém, uma vida com mais abertura ao que está nos rodeando e ao que está acontecendo dentro a tiv a r t d e Ilus nós. Uma vida sem m age Im fugas e esquivas de nossos sentimentos. A fluidez desses momentos torna o viver um desafio, em que a habilidade de ser impreciso é uma necessidade. Viver não envolve somente o lado racional de navegar, envolve também o lado emocional, espiritual e a individualidade de cada pessoa. Viver não é e nunca será uma atividade precisa. Viver não é preciso, não é bom e nem ruim, não é simples, tampouco complicado, viver é apenas estar em contato consigo mesmo, lembrando ainda que cada um sempre será impreciso em relação ao outro. Luis Antônio Lovo Martins Psicólogo luisantoniolovo@hotmail.com

Marcos Roberto Garcia Psicólogo marcos.garcia@iipac.br


JORNAL DA GLEBA - março de 2013

Talita Oriani

ZOOM

talita@jornaldagleba.com.br

Primeira vez em Londrina Em turnê pelo Brasil, o inglês DeMarzo aterrissou em Londrina pela 1ª vez e, na Kingdom 2800, comandou noite regada a house music e muita gente bacana e bonita. Um pouco do vai-e-vem de quem passou por lá e curtiu a balada nas lentes do fotógrafo Toni Silva.

Uanderson Luis e Saulo Rocha

Fernanda Grotti, Juliana Pereira e Débora Grion

Flávia Pires e João Piccinin de Medeiros

FEIRA DA NATA

Pedro Sapia e Amanda

A III edição da Feira da Nata ocorreu em fevereiro e foi um sucesso. Com barracas de palmito in natura, tortas, comida japonesa, pão de queijo, pastel, bebidas, roupas e artesanatos, o público pode desfrutar dos itens preparados pelos pequenos produtores rurais da região da Fazenda da Nata, no Vale do Tibagi. O intuito da feira é promover o turismo rural na região e a ideia é que ocorra uma vez por mês.

Birthday No dia 5 o empresário João Cernach recebe o carinho da esposa e das filhas em comemoração a mais um ano de vida. Dia 10 é a vez de Katia Tivirolli Depaula receber os amigos e familiares para comemorar nova idade. Já no dia 29 quem assopra as velinhas em comemoração é a relações públicas Marina Tobias. Congratulations !!!

7


8

JORNAL DA GLEBA - março de 2013 Imagem Ilustrativa

CHECK UP DA ECONOMIA

SABER

Volta às aulas: a família e a tarefa de casa em questão Fiel ao espírito interiorano, o melhor que o londrinense tem a fazer, pelo menos nesta fase de indefinições, é focar o mercado imobiliário.

Onde ancorar seu dinheiro? Em tempo de economia titubeante, o negócio é aliar requinte e liquidez Em ano de incertezas, ainda, a opção de menor risco são os ativos reais, como imóveis. Abrigar o dinheiro nos mercados acionário ou financeiro, para protegê-lo contra a inflação - em escalada ascendente, previsível e anunciada - exige um bom estudo sobre as tendências de cada alternativa. Exige tirocínio e frieza para administrar riscos. E, neste ano, especialmente, pede-se uma boa dose de sorte do investidor. Do seu agente-consultor também. Agora, se é para colocar o dinheiro na caderneta de poupança e deixar lá “rendendo” prejuízos – como fizera milhares de brasileiros, pequenos aplicadores – aí então fica por conta e risco próprios. Sim porque em 2012 a poupança praticamente perdeu para a inflação. É melhor nem poupar, já que esta não é a cultura dominante. “O brasileiro não tem hábito de poupar, apesar de ser bom para ele e para o país” - disse, certa vez, o ministro Mantega. De fato, só não dá para jogar contra. E quem poupou em 2012 jogou contra e chutou o cofrinho. Bem, onde ancorar o dinheiro, então? Bolsa? Bolsa é coisa para gente grande. Como sugerir bolsa para uma economia que ainda engatinha no matreiro mercado de papéis, moedas e mercado a termo de commodities? Langoni, quando presidente do Banco Central,

sugeriu a investidores debutantes que optassem por consultar um psicólogo a um analista de mercado – se almejassem sucesso e bons negócios neste campo movediço. E analistas (de mercado), zero a esquerda em psicologia, intuitivamente sugeriram: “antes de conhecer as aplicações financeiras, conheça a ti mesmo”. Ironia à parte, com certeza dá sim para entender a convergência entre coisas tão diversas. Você, aguçado(a) a entrar num mercado trepidante, está com o coração preparado para a adrenalina que abunda de riscos iminentes? Sabe de uma coisa? Fiel ao espírito interiorano, o melhor que o londrinense tem a fazer, pelo menos nesta fase de indefinições, é focar o mercado imobiliário e comprar o terreno da esquina, apê do vizinho ou o galpão que lhe garantirá o aluguel comercial, tão ou mais estável quanto a poupança. Ou, ainda, colocando o bom gosto à frente de tudo, fixar-se nos empreendimentos da Gleba Palhano e demais recantos aprazíveis da zona sul, os chamados condomínios de luxo. Requinte não faz mal a ninguém e liquidez é preciso.

Oswaldo Petrin Colunista econômico redacao@jornaldagleba.com.br

A família tem papel decisivo na vida escolar dos filhos, mais precisamente em seu processo de aprendizagem e desempenho. Sua participação começa com a escolha do Colégio e decorrente perfil da formação que o filho terá até sua permanência e sucesso no sistema escolar. Em pesquisa realizada com um grupo de estudantes, Rezende e Candian (2012) apontam a relação existente entre a participação da família e o desempenho escolar do aluno. Segundo os autores, os alunos que estão inseridos em famílias que acompanham sistematicamente sua vida escolar por meio das tarefas realizadas, notas das provas semanais e finais, realização de trabalhos e pesquisas e outros, têm seus desempenhos muito acima daqueles cujas famílias não apresentam esse acompanhamento. Neste sentido, cabe salientar que aprendizagem e desempenho são fatores intimamente relacionados, mas são diferentes. O desempenho é uma espécie de aprendizagem, um indicativo dela, ainda que nem toda aprendizagem seja mensurada através do desempenho. Para que o aluno obtenha sucesso em sua aprendizagem e um ótimo desempenho, há que contar com um cenário propício, ou seja, espaços educacionais que ensejam seu desenvolvimento, tanto no contexto escolar como em sua casa. A escola propõe regularmente, desde os anos iniciais, ‘tarefas de casa’ para que os alunos comecem a perceber a responsabilidade que têm ante sua própria aprendizagem, ou melhor, ante ao seu desempenho escolar. Algumas delas demandam a colaboração dos familiares. Ainda que isso ocorra, a participação da família não deve ultrapassar o solicitado, para que preservem a autonomia do estudante na realização da tarefa. Retomando a ideia inicial deste diálogo, defendemos a tese de que a prática de estudar compete tão só ao aluno, mas os pais precisam sensibilizá-lo para suas responsabilidades. O sucesso do desempenho está pautado no tripé escola – aluno – família; com papéis definidos e que não devem se misturar ao longo do percurso de formação educacional dos indivíduos. Assim, o papel da família é fundamental, mas restritivo, daí surge a questão: Como os pais podem ajudar? Assunto que abordaremos na próxima edição do Jornal da Gleba. Silvia Helena R. Carvalho – Pedagoga, Mestre em Educação. Diretora Educacional do Colégio Universitário


JORNAL DA GLEBA - marรงo de 2013

9


10 JORNAL DA GLEBA - março de 2013

ESTILO

Seu esmalte não dura no verão? Se o esmalte descascou um dia após ir ao salão, isso pode ser culpa do verão. Mas, seguindo algumas dicas simples, você pode deixar suas unhas coloridas por mais tempo pigmentação que deixa o esmalte amarelado. Você não quer que o seu esmalte branquinho, cor de batida de coco, vire cor de mousse de maracujá, não é?! - Abuse da base e do extra brilho. Essa vale para todas as cores de esmalte. Três dias após fazer as unhas, passe uma camada de base ou extra brilho para ajudar a dar uma segurada no esmalte. - Abuse dos cremes para as mãos. Não dá para cuidar do esmalte e esquecer das cutículas, afinal, assim como o esmalte, a pele ao redor das unhas também fica mais sensível durante a temporada de areia e mar. Imagem Ilustrati va - Se você precisa de uma durabilidade ainda maior, opte pelos esmaltes em gel, que permanecem intactos por cerca de 20 dias. A técnica deve ser feita em salões, pois esse tipo de esmalte só seca com luz UV ou LED. Essa é uma ótima pedida para aquelas que vão ficar muito tempo fora, já que essa técnica não permite que as unhas lasquem.

Talita Oriani

talita@jornaldagleba.com.br

ERRATA

Sol, calor, piscina, mar, areia, tudo isso exige um cuidado maior com a pele, com os cabelos e por que não com as unhas? No verão, muitas vezes, nos esquecemos das unhas das mãos e dos pés, e das cutículas. Então, antes de jogar a canga na areia e “curtir horrores” este finalzinho de estação, vale a pena ver algumas dicas básicas para deixar suas unhas impecáveis. Segundo a manicure Márcia Lopes, existem algumas dicas que ajudam a manter as unhas bonitas por mais tempo. Além disso, ela revela quais as cores mais indicadas para curtir as maravilhas da estação mais quente do ano. Confira: Para as que não têm tempo, paciência e nem aptidão para dar uma arrumadinha nas unhas, é melhor optar pelas cores claras. É difícil abrir mão dos vermelhos e laranjas lindíssimos, que combinam com a estação, mas a vantagem das cores clarinhas, estilo renda, é que, quando descascam, aparecem menos. As unhas não ficam com aquela aparência de destruídas com qualquer descascadinha. - Limpe bem a região das unhas logo após passar o bronzeador ou óleo bronzeador. Devido a alguns componentes da fórmula, esses produtos têm uma

Ao contrário do que publicamos, as fotos da matéria “Dança de salão é opção de lazer e saúde” são da Escola Augusto Bogo e não pertencem ao Jornal da Gleba.


JORNAL DA GLEBA - março de 2013 11

MENU

Inimiga oculta na dieta? Consideradas aliadas de quem deseja perder alguns quilos, as frutas devem ser utilizadas adequadamente para que se consiga o resultado esperado caju, kiwi e morango são amigos da dieta. Já frutas com alto valor de carboidratos, como a banana nanica, abacate, coco, açaí e jaca, devem ser consumidas com moderação. Se quiser diversificar o consumo, as vitaminas são uma alternativa, desde que preparadas com frutas menos calóricas e leite com baixo teor de

chng stock.x

gordura, mas não devem substituir as refeições principais. O ideal é prepará-las para um lanche e o consumo deve ser feito sempre com parcimônia. Além de calibrar a quantidade consumida no dia e as calorias, uma ideia para manter a dieta é utilizar as frutas na substituição de doces industrializados, já que são ricas em fibras, que ajudam na saciedade. Para

obter esse resultado, o indicado é comer devagar, para o organismo assimilar os nutrientes. A vontade de comer doces está relacionada ao hormônio serotonina, responsável pela sensação de prazer e bem-estar. “Para diminuir esse desejo, prepare uma banana assada com canela, que pode ser feita rapidamente no micro-ondas”, sugere a docente. Outras opções são as frutas secas e alimentos ricos em triptofano, que agem na produção da serotonina, como banana, maçã, aveia e canela. Para dietas de diabéticos, as frutas devem ser servidas como sobremesa após as refeições ou acompanhadas com leite, aveia, linhaça, granola diet, evitando o consumo isolado para não aumentar o nível de ingestão de glicose pelo organismo. “O diabético também deve ter cuidado com frutas de alto teor de açúcar, como a uva”, finaliza Leal.

Da editoria

redacao@jornaldagleba.com.br

RECEITAS Imagem Ilustrativa

Saborosas, refrescantes e saudáveis: existe melhor opção do que comer frutas nesta época do ano? Ricas em vitaminas, minerais e antioxidantes, possuem pouca gordura, são de fácil digestão e o consumo é aconselhado para quem quer entrar em forma e manter a saúde. “As frutas são importantes no fornecimento de água e nutrientes ao organismo. Toda dieta saudável deve conter frutas”, ressalta o coordenador do curso de Nutrição da Faculdade Pitágoras de BH, José Adalberto Leal. Porém, muitas pessoas se esquecem de que, assim como qualquer outro alimento, as frutas também contêm calorias e a ingestão em excesso pode ter efeito contrário ao esperado. Para não cair nessa armadilha comum é importante equilibrar o número de frutas consumidas. “A quantidade ideal recomendada pelo Ministério da Saúde é de três a cinco porções por dia, para garantir todos os benefícios”, afirma a professora do curso de Nutrição da Unopar, Beatriz Ulate. Outra dica importante é ficar atento ao número de calorias de cada alimento: maçã, pera, abacaxi,

A receita de suco abaixo é ideal para quem quer manter a saúde e ainda evitar o envelhecimento precoce, graças às vitaminas A, C, E e ao selênio presentes nos ingredientes, que são excelentes antioxidantes naturais. • 1 copo de suco de laranja • 1 colher de chá de gérmen de trigo • 1 colher de sopa de cenoura ralada • 1 castanha-do-pará Bata os ingredientes no liquidificador. Sirva com gelo.


12 JORNAL DA GLEBA - marรงo de 2013


JG42-MAR2013