Issuu on Google+

Agrupamento de Escolas de S. João de Sobrado Edição de Março de 2011 Ano XVI Nº 44 2011

1 Bugio

Destaques desta Edição: Editorial Páscoa…sinónimo de renascimento, recomeço, transformação. Altura para nos compreendermos, aceitarmos as diferenças e limitações, buscarmos conhecimento. Aqueles que não buscam, acabam esquecidos. Comemoremos, então, a vida e a esperança e …que o Vosso coração esteja em Páscoa! A Direcção


NOTÍCIAS da BIBLIOTECA

O Boletim da Biblioteca vai já na sua 8ª edição. Pretendemos chegar a toda a comunidade educativa, pelo que é divulgado através de correio electrónico e do Facebook da Biblioteca. De modo a alargar o número de receptores, sugerimos que nos façam chegar os vossos endereços electrónicos, enviando esse pedido para: bibliotecaavesjs@gmail.com Temos tido uma boa aceitação por parte dos nossos leitores que têm demonstrado interesse e curiosidade pelas iniciativas e sugestões que, de uma forma bastante condensada, procuramos veicular. Não queremos estar limitados a uma periodicidade regular na edição do boletim. Este será elaborado, sempre que se justificar a sua pertinência. Das várias actividades dinamizadas pela Biblioteca, neste período, destacamos as seguintes: - o serviço de empréstimos de livros na Escola da Balsa iniciado em Fevereiro. Todas as quintas-feiras, após o intervalo, os alunos podem fazer requisição domiciliária. Este serviço só é possível devido ao investimento que tem sido feito na construção do catálogo. Consegue-se, assim, utilizar um maior número de títulos que incluem não só o fundo da biblioteca da escola sede, como o fundo da própria escola que não era utilizado, por não estar catalogado. - num trabalho mais articulado com a Biblioteca Municipal de Valongo realizou-se, em Janeiro, o Sarau da República. Alunos de todas as escolas do concelho representaram personagens, deste período da História de Portugal. Na SemaSarau da República na da Leitura Concelhia, vários escritores visitaram as escolas para encontros com alunos e professores. O nosso Agrupamento recebeu o escritor e ilustrador Bruno Santos e a escritora Eugénia Martins que gostaram muito de estar connosco. Os alunos colocaram questões e apresentaram trabalhos escritos e ilustrações preparados para estes encontros.

Página 2

O Bugio

- finalmente, felicitamos o Ricardo Neto, do 9º A, que foi eleito o leitor do período. Feliz Páscoa para todos!!

Encontro com o Escritor Bruno Santos

Bruno Santos nasceu no Norte, em 1960, e estudou Línguas e Literaturas Modernas – Estudos Portugueses e também Design e Ilustração. Ganhou o Prémio de Literatura Ferreira de Castro e deu aulas de desenho e ilustração. No encontro com os alunos do 3º ano da Escola EB1 de Fijós, respondeu de uma forma muito delicada, atenta e cheia de humor a questões que os alunos foram colocando, sobre a sua obra e a sua personalidade. Foi com a sua professora primária, que começou a escrever. Nunca pensou ser escritor, mas as palavras obrigam-no a escrever. No início da adolescência escreveu um livro, com o qual ganhou um prémio. O livro era sobre os pais que estavam a separar-se e discutiam muito. Foi sozinho receber o prémio e não gostou. Os discursos eram difíceis e assustou-se. O livro que mais gostou de ler, ultimamente, foi História do Amor de Nicole Krauss. Reconhece que “há palavras que magoam, há livros que são feios e devemos ficar aborrecidos com eles.” Sente que, à medida que vai envelhecendo, gosta cada vez mais de coisas simples. Na Escola da Balsa, Bruno Santos contou a sua última história "O Pássaro em Branco e outras histórias.” …”O que faz um pássaro de olhos fechados a voar ao sabor da pena? Corre o risco de bater contra a parede, é certo e sabido. O inesperado é, porém, ficar sem a memória ou transformá-la em branco papel de página de livro. Ter a memória branca é como não poder ler as páginas do livro que escrevemos, que fazem o sentido do futuro. É como ter um livro em branco em vez de coração e só saber escrever palavras com uma cor apenas.” (texto da contra capa do livro). Prof. Manuela Antunes


O Bugio

PROJECTOS E CLUBES

Clube de Ciência Olá a todos! Somos alunos do Clube de Ciência e, como já é hábito, vimos dar a conhecer algumas das actividades que realizámos. Neste período, aprendemos algumas curiosidades sobre o corpo humano, manipulámos os órgãos e identificámos as suas diferentes estruturas; construímos um higrómetro; obser-

Festa de São Valentim da Turma C do 7º ano No âmbito da disciplina de “Área de Projecto”, desenvolvida em paralelo à disciplina de Francês, a turma do 7ºC organizou este segundo período, mais precisamente, no dia 16 de Fevereiro, pelas 16h30, um Baile de São Valentim, onde estiveram presentes alunos convidados das restantes turmas de 7º e 8ºanos. No baile houve música Francesa, Portuguesa e Inglesa. Uma banda, “Furacões”, composta por alguns dos organizadores da realização do baile, Ricardo Sousa, Luís Moura, Vítor Marujo, Orlando Rocha e Diogo Souto, tocaram algumas das canções. A festa foi uma animação; houve bolos, sumos, batatas fritas, etc. e os alunos adoraram. Professores responsáveis: Reis e Luísa Bacelo

Manuela

Alunos envolvidos na organização do baile: Ana Coelho; Diogo Souto; Filipa Oliveira; Helena Coelho; Vítor Marujo; Luís Moura; Orlando Rocha; Ricardo Sousa; Ricardo Dias. Texto de, Helena Coelho, nº12

vámos ao microscópio óptico os estomas de Tradescância, os soros do Polipódio e também as células da epiderme da cebola. Gostámos também da activida-

O Clube de Ciência funciona às terçasfeiras, das 12:40h às 13:25h e das 14:15h às 15:00h. Boa Páscoa a toda a comunidade escolar! Os alunos do clube de Ciência.

de de construção de circuitos eléctricos, de fazer sabão, de realizar a cromatografia, e de observar ao microscópio óptico tecidos do apêndice e do cólon humano!

Desfile “Sobrado Fashion Année 2010”

No âmbito da disciplina de “Área de Projecto”, desenvolvida em paralelo à disciplina de Francês, a turma do 7ºB organizou no primeiro período deste ano lectivo, mais precisamente, no dia 10 de Dezembro de 2010, um Desfile de Moda que tinha como título, “Sobrado Fashion Année 2010” e que contou com a assistência de vários Encarregados de Educação e outros familiares dos alunos da turma. Este Desfile teve como objectivos: Relacionar a disciplina de Área de Projecto e a Língua Francesa; Relacionar França à moda; Desenvolver a Língua Francesa; Visualizar a evolução dos alunos. O desfile iniciou-se com uma apresentação de boas-vindas feita pela Professora de Área de Projecto, Manuela Reis.

De seguida, sob a apresentação dos alunos Ana Sofia Moreira e João Rafael Dias, os colegas da turma desfilaram com conjuntos de grandes criadores da moda francesa, como Christian Dior, Chanel e Pierre Cardin. Após as várias apresentações, iniciou-se a passagem de modelos; elogiaram-se as criações, continuando com as opiniões e a eleição do estilista vencedor, pelo júri, constituído pelos estudantes Ana Cristina Moreira, Bruna Ferreira, Francisco Mesquita e Rafael Silva. Estes acabaram por eleger como vencedor o conjunto da autoria de Pierre Cardin, que agradeceu com um pequeno discurso em Língua Francesa. Para encerrar, foram feitas entrevistas aos modelos, também em Língua Francesa, pelos alunos Pedro Ribeiro e José Carlos Devezas. Queremos agradecer, em nome do 7ºB, às professoras Manuela Reis, Elisabete Meixedo, Sara Oliveira e à Direcção por nos ter disponibilizado o espaço. Daniela Oliveira, nº8 Joana Fernandes, nº11

Página 3


O Bugio

PROJECTOS E CLUBES

O

é um espaço de atendimento confidencial e aconselhamento, no âmbito da Educação para a Saúde e Educação Sexual.

Também podem contactar-nos através do Conceição Valente (Coordenadora da Educação para a Saúde)

CLUBE ARTES PLÁSTICAS

COMO DECORAR OVOS PARA A PÁSCOA Alguns países do leste europeu têm o costume de pintar e decorar ovos para a Páscoa. É desta

maneira que eles presenteiam amigos e familiares. Pegando um pouquinho desta cultura e usando a criatividade é possível passar uma tarde super divertida. 1.Também podes cozer o ovo, ou com a ajuda de uma agulha limpa, fura o ovo na sua base mais arredondada. 2. Fazer um furo do outro lado, e soprar num dos buracos. Retire clara e gema. 3.Lave a casca vazia em água corrente.

4. Com o ovo já frio, imagina o desenho que vais pintar nele. 5. Pinta com cuidado, começando por baixo. Espera uns momentos a segurá-lo até a base secar. Depois pousa-o na caixinha com arroz e pinta o resto, rodando a caixa. Trabalha com muito cuidado para não estragares o teu desenho! Pronto, tens lindos ovos para decorar um centro de mesa!

NOTÍCIAS do DESPORTO ESCOLAR

Até parece mentira, já quase na Páscoa, e lá vamos nós voltar a ter de ter cuidado com as guloseimas (ovos e coelhos de chocolate, amêndoas, …). Mas para cuidar da linha temos a actividade física, seja nas aulas de Educação Física ou no Desporto Escolar. Desde a última vez que demos notícias, a Escola e os seus alunos participaram num montão de actividades; ainda antes do Natal tivemos o nosso Corta-Mato com uma participação bastante numerosa (mais de 200 alunos, quase 50% da população da escola) e os Torneios Inter-Turmas de Futebol (para os alunos do 5ºano) e de Andebol (para os alunos do 7º ano). Logo no

início do 2º Período estivemos representados na 1ª Estafeta de Reis da Câmara de Valongo, onde a equipa de Infantis A conseguiu uma brilhante vitória, a de Infantis B um 2º lugar e a de Iniciados foi 3ª – foi uma alegria, todos no pódio e uma página n’ “A voz de Sobrado”. A esta deslocação seguiu-se a ida ao Corta-Mato Distrital, mais uma vez disputado no Parque da Rabada, em Santo Tirso, onde os vossos colegas voltaram a ter um desempenho meritório, embora desta vez, infelizmente, sem lugares no pódio. Entretanto começaram os encontros de Natação e nos dois já realizados a nossa Escola terminou no 3º lugar colectivamente (entre mais de 25 escolas participantes), tendo os vossos colegas que integram o grupoequipa de natação conseguido várias subidas ao pódio e, neste momento, há 7colegas vossos apurados para os Campeonatos Regionais de Natação, que vão ter lugar em Maio, em Vila Praia de Âncora.

No próximo dia 2 de Abril vai ter lugar a última prova da fase local e aí, então, se saberá quais os alunos que irão representar o CLDE Porto. A Escola esteve também representada, e aí foi uma estreia, no Torneio Nestum-Rugby InterEscolas do Porto; os vossos colegas do 6ºB (nos Infantis) e do 8ºC (nos Iniciados) tiveram oportunidade de jogar no campo de relva artificial da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto e penso que, tão cedo, não esquecerão esta tarde de convívio e de Rugby; tendo em conta as opiniões recolhidas estamos a pensar dinamizar nas horas de Actividade Interna do Clube de Desporto Escolar o Tag-Rugby. Ainda antes de irem de férias vamos organizar, no último dia de aulas do 2º Período, os Torneios Inter-Turmas de Andebol (para os alunos do 6º Ano) e de Basquetebol (para os alunos do 8º Ano). Boas Férias e ……cuidado com a linha ☺☺☺ Prof. Rui Castro

Página 4


O Bugio

PROJECTOS E CLUBES

O Dragão Napoleão e o Coelho Vermelho Era uma vez… eram duas vezes… eram já três vezes que o Dragão Napoleão ia à China festejar o novo Ano Chinês com a sua amiga a coelha Inês. Estava a chegar o Ano do Signo do Coelho, quando toda a gente se vestia de vermelho para se despedir do ano velho. Partiram os dois a voar: a coelha em cima do Napoleão, a descansar e o dragão, que já se estava a cansar... Avistaram, ao longe, um balão que deu boleia à Inês e ao Napoleão. Mas fazia tanto frio, que o ar arrefeceu e quase caíam no rio. Foi aí que encontraram o coelho Vermelho que ia ao festival do novo animal do signo Chinês. Convidaram-no a entrar e o Napoleão, com o seu bafo quente, colocou de novo o balão no ar. Voaram em direcção à China para chegarem a casa do avô coelho que se chamava João. O coelho João cumprimentou o Napoleão, o coelho Vermelho e com a coelha Inês, quando esta verificou, às duas por três, que o seu pai tinha o mesmo apelido do avô João! - Como se chama o teu pai? – perguntou João. - Algodão Brincalhão. - Ele é o meu grande afilhado! Estou encantado! Querem ir ao festival? Afinal, o coelho é o novo animal do Ano Chinês. - Sim! – responderam todos de uma vez. A meio do caminho, o Napoleão teve uma ideia. Em vez de ficarem na plateia, a assistir, no desfile podiam intervir. E foram todos para o parque onde reuniam todos os participantes, que eram bastantes. Na hora do desfile, estavam prontos e vestidos a rigor. Que furor! Mas, chegados à cidade, o público ficou espantado e muito zangado: - Vai-te embora, ó Dragão! Este não é o teu ano! Estás adiantado! Queremos o nosso amado, o

coelho Vermelho! - Irão ter uma surpresa! – gritou o Dragão Napoleão. Passada a descompostura, começaram a rodopiar com desenvoltura ao som da música chinesa, com certeza. E foi aí que o coelho Vermelho entrou. Todos batiam palmas! Vibravam, aquelas almas! Que espectáculo maravilhoso! Tudo era colorido e harmonioso e o nosso dragão estava orgulhoso. O próximo ano seria o seu! Viram todos os concorrentes e foram para casa muito contentes. Clube de Escrita Criativa, Turma 2

Dragões e Dragoas Era uma vez, … eram duas vezes…eram já três vezes…que o Dragão Napoleão se apaixonava…, mas não se declarava. Só chorava, chorava, porque ninguém o admirava. Ele assim pensava. Quando tentava uma dragoa conquistar, tudo lhe corria mal. Não conseguia exprimir o que sentia, metia os pés pelas mãos e as dragoas, entre risadas e mais gargalhadas, fugiam dele. Pobres coitadas! E o nosso Dragão Napoleão acabava sempre a pensar que ficaria toda a vida só. Metia dó! Nunca chegava a perceber o porquê da rejeição e procurava consolo comendo que nem um leão… perdão, que nem um dragão! Nesse dia, chegou a casa a chorar. Uma doninha que ia a passar, perguntou-lhe: - Por que estás tão triste? Já viste? Quem pode ser amigo de um dragão tão chorão? - Não consigo uma namorada… - Primeiro pára de chorar, se não uma amada não vais encontrar! Depois, já viste o teu aspecto? Não está nada correcto! O teu cheiro é de fugir, estás a ouvir? Um bom banho precisas de tomar, se uma namorada quiseres arranjar! - Nunca tinha pensado nisso!

Vens comigo ver isso? - É para já! E vamos pedir ao ouriço que nos leve à Bruxa Capucha e ela fará um feitiço. Vais ver, a amada perfeita irás ter! Chegaram a casa da Bruxa Capucha. E o dragão muito asseado, muito bem penteado! A Bruxa já andava de olho nele, pois, uma certa dragoa encantadora e muito boa, contara-lhe que gostava do Napoleão, mas não queria alguém, assim, tão porcalhão. A bruxa ficara de a ajudar. Era hora de actuar, de juntar os dois pombinhos e aumentar o número de dragõezinhos no reino. Pegou na varinha mágica e foi uma explosão de corações! Sabem que mais? Dos dois, nem sinais. Dizem que são felizes e que os seus petizes são muito asseados. O Dragão Napoleão aprendeu a lição: um dragão que cheire bem, tem a dragoa que lhe convém! Clube de Escrita Criativa, Turma 1

Bolo do Casamento Ingredientes: 560g de conversa 300g de interesses comuns Uma vida de confiança 200g de partilha 300g de afecto 500g de atenção 1Kg de disponibilidade Modo de Preparação: Prepara-se o local do encontro. Troca-se 560g de conversa e misturase aos interesses comuns. Bate-se bem durante 2 horas. Deixa-se repousar até ao dia seguinte (não esquecer de trocar os números de telemóvel). A este preparado juntar a confiança, a partilha, o afecto e a atenção. Ao fim de alguns meses, vai ao forno da disponibilidade e está tudo pronto para o casamento. Polvilha-se com filhos q. b. António Martim 6ºA

Página 5


O Bugio

DEPARTAMENTO de LÍNGUAS

DIA de S. VALENTIM

Como não podia deixar de ser, celebrámos, mais um ano, o dia 14 de Fevereiro, DIA de S.VALENTIM, destinado a todos os que querem mimar os seus amigos especiais com um gesto ou uma palavra igualmente especiais. Especiais, porque carregados de sinceridade, amizade

e, porque não, de eternidade?! As palavras ficaram, por algum tempo, penduradas em corações de papel, para quem quisesse lê-las e/ou partilhá-las. Corações de todas as cores e de todos os ventos enchiam de contentamento os seus destinatários e, de curiosidade, todos, na busca de uma declaração pública de amizade. Mas não fiquem tristes aqueles que não viram os seus nomes escritos num coração de papel, pois a amizade também se escreve, e, mais fortemente, num coração de carne. Depois, chegaram os Carteiros! Sim, os Carteiros de S. Valentim! Toda a gente se lembra deles, mas vamos deixar aqui o registo, para a posteridade, dos seus nomes: Silva-

na e Pedro, do 9ºA, Ana e João, do 9ºC, e Diana e Diogo, do 9ºD. Eles levaram, a todas as turmas, as cartas daqueles que quiseram assinalar este dia de outra forma, quase em vias de extinção, não é verdade? Neste tempo de MSN, e-mail, Facebook, Twitter, etc, etc, o Correio de S. Valentim é, ou não (Respeitemse as ideias de cada um!), uma forma de comunicação mais pessoal? Uma coisa dá que pensar: Por que tiveram os nossos Carteiros tanto trabalho? Não será que, apesar de todas as moderníssimas formas de comunicação, aquela que parece começar a passar à história, afinal, não é assim tão obsoleta? O Departamento de LME

VIVA A DIFERENÇA Se um dia te perguntarem o porquê das tuas atitudes, sê sincero. Não escondas nada. Nunca poderás ser julgado por aquilo que és, nem por aquilo de que gostas. Se um dia alguém disser que estás errado, só porque não pensam da mesma maneira, não acredites, Ninguém tem o direito de fazer isso, até porque, são estas exíguas coisas que fazem a diferença entre nós. Não penses que nada faz sentido quando a tua opinião não coincide com a dos outros, tens todo o direito de pensar de maneira diferente.

O Mundo em que vivemos não é perfeito nem feliz na sua generalidade. Imagina que só existia uma banda, uma música, um tipo de flor, uma cor, um tom de pele, um estilo de roupa, um sabor. Sabes o que significaria? Que todos éramos iguais e tínhamos os mesmos gostos. Não queiras a perfeição porque se tudo fosse perfeito, a vida em si não fazia sentido. Não fazia sentido lutar por aquilo que desejas, nem desistir do que achas impossível. A vida era monótona se tudo fosse igual em cada dia e em cada sítio. É por tudo isto que a melhor

Visita ao Parque Biológico de Gaia No passado dia 9 de Março, todos os alunos, do 5º ao 9º ano, distinguidos com um diploma de mérito devido às classificações do 3º período, no ano lectivo 2009/2010, foram premiados com uma visita ao Parque Biológico de Gaia. Esta foi oferecida pelo Sr. Presidente da Junta de Freguesia de Sobrado, Carlos Mota. Para além dos alunos, também participaram diversos professores. O dia foi passado no parque, dando tanto para desfrutar das exibições e animais lá presentes como também para momentos de convívio. O grupo era agradável e tudo decorreu com normalidade.

Página 6

coisa que Deus nos deu foi o facto de não existir uma pessoa igual à outra. Todos temos o direito de fazer as nossas escolhas. Pensa que afinal de contas nasces sem pedir e morres sem querer, há que aproveitar este “intervalo”. E no que depender de mim, vou lutar para que exista um lugar, onde as diferenças sejam sinónimo de igualdades! “ Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, nunca haverá paz no Mundo”. Bob Marley 9ºA - Vera Pereira

Esta foi a primeira vez que na escola houve uma iniciativa deste género para premiar os alunos de mérito, e valeu a pena! Vês como estudar compensa! Ana Barros, Ana Cardoso, Carolina, Elsa, Luana e Mariana - 9ºC


O Bugio

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES

Actividades de Natal

Os professores que integram a área Disciplinar de Educação Visual e Tecnológica e a Professora Rosa Santos de Educação Tecnológica foram os responsáveis pela decoração natalícia na nossa escola. A zona do bufete e o átrio da escola foram os locais escolhidos para expor os trabalhos elaborados pelos alunos, no âmbito das actividades de Natal. Os alunos do quinto e sexto

anos de escolaridade empenharamse, com muito entusiasmo, nesta actividade. A realização deste tipo de trabalhos é importante porque proporciona, a todos intervenientes, um aprender constante, no que diz respeito a procedimentos e a técnicas, que se vão melhorando sempre, ao longo dos anos. Professora Lúcia Lobarinhas

Actividades de Carnaval A Área Disciplinar de Educação Visual e Tecnológica realizou, neste período, uma unidade de trabalho subordinada ao tema “Máscaras Venezianas”, incluída na planificação da disciplina para os 5º e 6º anos de escolaridade. A motivação e o empenho dos alunos ganharam visibilidade na forma como se envolveram no projecto, na manipulação dos materiais e qualidade dos mesmos. Os alunos estiveram em contacto com inúmeros materiais, como por exemplo colas com brilhantes e purpurinas. No átrio da Escola Sede do Agrupamento estiveram expostos alguns dos trabalhos elaborados, que puderam ser apreciados pela comunidade educativa. Há que destacar, também, o empenho dos docentes que estiveram envolvidos neste projecto.

O Representante da Área Disciplinar de EVT – Adelino Amaral

Página 7


O Bugio

DEPARTAMENTO de CIÊNCIAS HUMANAS e SOCIAIS

ROMANCES COM HISTÓRIA “O Fio do Tempo” – João Paulo Oliveira e Costa Integrado no programa da Semana da Leitura, cuja organização pertence à Biblioteca, a turma B do 8º ano fez a apresentação e leitura de alguns excertos da obra e a par disso apresentou um PowerPoint que contextualizava a sua acção.

Esta abrange todo o século XV português e a complexa situação política nacional e peninsular. D. Álvaro de Ataíde, personagem fictícia, move-se no meio de pessoas e acontecimentos reais que definiram a nossa vida colectiva. Participou na conquista de Ceuta, mas sofreu com o desastre de Tânger, teve que optar em Alfarrobeira, viu os portugueses desbravarem os mares, esteve na Guiné, participou na Guerra dos Cem Anos, deambulou pela Europa e ajudou Filipe da Borgonha a vencer os seus inimigos.

Viu-se envolvido nas teias da política nacional. D. João II não era um rei fácil. Viu executar D. Diogo, duque de Viseu, o ambicioso filho do Infante D. Fernando e de D. Beatriz, que não soube esperar pela sua vez. … E as malhas da História vão entregar o trono ao seu irmão, D. Manuel. Todos estes acontecimentos são vividos por D. Álvaro, sempre acompanhado pela sua ampulheta, objecto que lhe marca o fio do tempo, o ritmo dos dias … Maria Isabel Ferreira Professora de História do 8º B

Visita de Estudo a Lisboa

No dia 10 de Março, as turmas do 6º ano fizeram uma visita de estudo a Lisboa. A partida realizou-se às sete horas da manhã, uma vez que era necessário aproveitar bem o dia. Quando lá chegá-

Página 8

mos, visitámos o Museu Nacional dos Coches. Neste local, fizemos um Peddy Paper, para ficarmos a conhecer melhor o Museu e os seus variados coches que são fantásticos. Seguidamente, fomos almoçar, (pois a fome já “apertava”) a um parque bastante agradável, que ficava junto ao Padrão dos Descobrimentos, mandado construir para a Exposição do Mundo Português em 1940. Neste monumento estão representadas as grandes figuras que marcaram a expansão marítima portuguesa Após o almoço, visitámos o Mosteiro dos Jerónimos e ficámos encantados. Logo a seguir, visitámos o Museu da Presidência da República, que se situa dentro do edifício Palácio de Belém. Graças à visita ao Museu, adquirimos um maior conhecimento sobre o nosso país e a sua respectiva história.

Com as explicações do senhor Luís Serra, que foi o nosso simpático guia, e com a ajuda da professora de História, foi possível esclarecer as nossas dúvidas. Ficámos também a saber se o Senhor Presidente da República se encontrava no palácio, e para nosso espanto, até estava, mas não nos pôde vir cumprimentar, pois trabalhava afincadamente nos assuntos de Estado. Como este Museu se localiza na zona de Belém, não viemos embora sem comer uns deliciosos “pastéis de Belém”. O dia foi muito bem passado. Partimos para Sobrado às 17h e 30m. A viagem correu muito bem e deu-nos oportunidade para conviver com os amigos. Chegámos ao nosso destino às 23h. A visita de estudo foi muito interessante! Leandra Silva Leal , nº 13- 6º D


O Bugio

DEPARTAMENTO de CIÊNCIAS EXACTAS e da NATUREZA

De 6 a 26 de Janeiro de 2011 a nossa escola recolheu 946 kg de REEE

Ainda não sabemos se a nossa escola é uma das vencedoras mas … O AMBIENTE JÁ GANHOU Obrigado a todos os que participaram

Os alunos do 7.º A e do 8.º A, B, C e D da nossa Escola orientados, respectivamente, pelos professores de Educação Tecnológica e Ciências Naturais, produziram diversos cartazes para representarem a escola no concurso da modalidade Ambiente e Arte das XVI Olimpíadas do Ambiente, que se realizam a nível nacional. Foi muito difícil a escolha do cartaz final, tendo recaído a escolha para uma compilação dos cartazes das alunas Marisa Costa e Ana Catarina Torres do 8.º B. Agora teremos de aguardar o resultado do concurso que será publicado até ao dia 4 de Abril para ver qual a posição nacional dos nossos “artistas ambientalistas” de Sobrado. Todos os cartazes serão afixados na Escola no decurso da semana de Ciências a realizar entre os dias 4 e 8 de Abril.

Actividades de Matemática QUEM JOGA COM QUEM?

2º Ciclo

Conforme os dados da figura, organizou-se um jogo de cartas com três pares de jogadores. Os parceiros sentaram-se frente a frente, mas foi preciso definir regras para que o jogo começasse!

- O parceiro do Hugo não é uma rapariga; - A Sofia senta-se imediatamente à esquerda da Ana; A Ana não joga com o Licínio. Afinal, quem joga com quem? Respostas dos problemas inseridos no jornal da escola no 1º período

“As fatias de Bolo-Rei” Depois de comer as quatro primeiras fatias de BoloRei, deixou assim as 28 restantes:

2

5

5

2 5

2

5

2

3

3

3

3º Ciclo Descobre o valor de cada símbolo nas somas seguintes:

Depois comeu outras 4 fatias, deixando as restantes desta forma:

3 3

3 3

3

Pela terceira e última vez, comeu 4 fatias, dispondo nas bandejas as 20 que lhe restaram do seguinte modo:

4

1

1 4

4 1

1

4

(Continua na página 12)

Página 9


O Bugio

ESCOLA EB 1/JI de CAMPELO

Notícias do Jardim Duas estagiárias de Medicina Dentária da CESPU deslocaram-se, várias vezes, à nossa escola para a concretização do Programa Nacional de Prevenção da Saúde Oral. Com elas aprendemos qual a alimentação mais adequada para termos uma boa dentição, assim como, algumas técnicas para a escovagem dos dentes.

No dia 28 de Fevereiro de 2011, os alunos do 2º ano convidaram alguns encarregados de educação para os ajudarem a semear algumas plantas, em contexto de sala de aula. Foi um momento muito divertido e enriquecedor pela partilha de experiências.

Página 10

Trabalho da Turma C1

A Semana da Leitura na Escola EB1 de Fijós No dia 3 de Março de 2011, deslocámo-nos à Escola EB1 de Fijós para participar numa das actividades da semana da leitura.

Participámos no encontro com Bruno Santos, autor do texto “A Lesma Constipada”, durante o qual os alunos colocaram algumas questões sobre o texto e sobre o autor. Turma C2


O Bugio

ESCOLA EB1/JI de CAMPELO ÁRVORE GENEALÓGICA – A MINHA FAMÍLIA

Algumas fotos de trabalhos de Árvores Genealógicas das famílias dos alunos, elaboradas com o auxílio dos pais… Turma C3

CARNAVAL 2011

ACTIVIDADES

os alunos escolheram encarnar diversos personagens: caratecas, chineses… Chinesas em pose para a foto

Aula de Matemática Construção de sólidos geométricos.

Aula de Estudo do Meio

Experiência da Evaporação na sala de aula.

A turma do 4.º ano da EB1/JI de Campelo representou os meninos amarelos da obra Meninos de Todas as Cores. Dentro do tema representado,

Maquetas na escola sede do Agrupamento

Ninjas a desfilar. Turma: C4

Elevações de Portugal: trabalho realizado por Diogo G., Diogo A., Lara e Mafalda.

Página 11


O Bugio

ESCOLA EB1 da L OMBA

ruas de Sobrado. Ficam aqui alguns momentos divertidos que passámos nesta manhã. Gostámos muito e esperámos voltar para o ano!

No dia 4 de Março participámos no desfile carnavalesco do nosso Agrupamento. Fomos vestidos à Espantalhos porque estudámos a obra “O Espantalho Enamorado” inserida no Plano Nacional de Leitura. Desde cedo que começámos a

preparar os nossos fatos de espantalho, mas valeu a pena porque gostámos muito do resultado final e as pessoas na rua também gostaram muito de nos ver desfilar. Foi um dia muito divertido em que alunos, professores e auxiliares desfilaram com entusiasmo pelas É Carnaval, ninguém leva a mal.

Não há Entrudo sem Lua nova nem Páscoa sem Lua cheia. Carnaval na eira, Páscoa à lareira. Turmas: 1º, 2º, 3º e 4º anos

“Guloseimas de Natal” Resolução (uma das possíveis soluções): Continuação da Página 9

a) 36+28=64 (Com esta adição, ficou a saber o número de bombons das primeiras quatro caixas). b) 76-64=12 (Obteve o número de bombons da quinta caixa). c) 26-12=14 (Obteve o número de bombons da quarta caixa). d) 28-14=14 Obteve o número de bombons da terceira caixa). e) 26-14=12 (Obteve o número de bombons da segunda caixa). f) 36-12=24 (Obteve o número de bombons da primeira caixa).

Página 12


O Bugio

ESCOLA EB1/JI de BALSA

Prevenção e Segurança Rodoviária. No dia 7 de Fevereiro a fomos brindados com a visita da

Rodoviária. De forma interactiva todas as crianças puderam experimentar alguns materiais e colocar questões aos animadores. No final ainda receberam alguns presentes pela mãos do Brisinha.

dade, teremos no dia 16 de Março, a visita de estudo ao Núcleo Museológico da Panificação, em

Alunos 1º/ 2º anos

Brisa que, de uma forma lúdica, transmitiu a todos os alunos conse-

lhos sobre Prevenção e Segurança

Inscrito no Projecto Curricular de Sala e na sequência do miniprojecto “ A Quinta”, surgiu neste período a abordagem ao Ciclo do Pão - desde o campo à mesa. As crianças exploraram esta temática transversalmente nas diferentes áreas. Tiveram contacto com os diferentes cereais, investigaram, registaram, e partiram para a execução. Construíram moinhos, abordaram as diferentes profissões agricultor, moleiro, padeiro... fizeram pipocas e pão com a ajuda de uma mãe, que nos veio ensinar. Para culminar a activi-

Reconto da história “A Vassoura Mágica” Era uma vez uma vassoura diferente de todas as outras, pois era mágica e pertencia a uma bruxa que se chamava Rabucha. Certo dia, estava ela em casa com o seu gato e o mocho quando bateram à porta. Era a sua prima, a Bruxa Capucha. A Bruxa Rabucha tinha preparado para o jantar uma ratazana com esparregado de urtigas e, de sobremesa, doce de baba de sapo e convidou-a, mas a prima recusou, dizendo que já se tinha habituado à comida dos restaurantes, e dos supermercados. A Bruxa Capucha vinha dizer-lhe que ela era a única que ainda mantinha o estatuto de Bruxa e que cumpria a tradição. Informou-a que ela própria exercia agora a profissão de limpa chaminés. Quando a prima se foi embora, a

Bruxa Rabucha, para aclarar as ideias foi tomar um banho gelado, debaixo de uma nuvem escura, e sentou-se à porta de casa, a pensar em tudo o que se estava a passar. Mais tarde, entrando em casa,

reparou no calendário que estava pendurado na parede da cozinha, verificou que o Carnaval estava próximo e, por isso, era a altura ideal para ela descer à cidade sem nin-

Campo, onde poderão ver, no local, todos os elementos utensílio e respectivo processo da panificação. Pré – Escolar

guém estranhar. No dia seguinte, a bruxa Rabuxa voou, montada na sua vassoura, até à paragem do autocarro. Ela não estava habituada a andar nesse meio de transporte, não sabia que ele dava muitas voltas e sentiu-se muito mal. Então, com uma mão na boca e outra na barriga, saiu assim que o autocarro parou, esquecendose de levar a sua vassoura. O motorista, quando deu conta da vassoura, atirou-a pela janela. A vassoura mágica foi vista por muita gente, mas só uma menina chamada Ana pegou nela e levou-a para casa. Assim que chegou a sua casa, que ficava num bairro de lata, a menina transformou-a numa boneca e pôs-se a dançar com ela, ao som da música que saia do rádio. Apesar de ser uma boneca a vassoura também era utilizada para limpar a casa. Uma noite, quando a menina fazia

Página 13


O Bugio

JI de BALDEIRÃO

O ESPANTALHO ENAMORADO Estivemos a ver, no computador da nossa sala, “O Espantalho Enamorado” e gostámos muito. É uma bonita história de amor, amizade e cooperação entre todos. Depois os nossos amigos da escola da Lomba, que já sabem ler, emprestaram-nos o livro e levamo-lo para casa para contar a história aos pais. Como gostámos muito desta história, resolvemos aproveitar este tema para o desfile de Carnaval do nosso Agrupamento. A professora arranjou o tecido igual para todos e depois as mães, avós tias, vizinhas, começaram a fazer as nossas roupas. Compraram os chapéus e fizeram montinhos de palha (e tantos que foram precisos!) …Depois foi só esperar pelo dia do desfile, vestir a roupa e transformarmo-nos em Gustavos e Amélias!

de conta que a vassoura era um cavalo e a montava, esta saiu pela janela e levou-a a viajar por cima de campos , montes, rios e a ver aviões. Daí em diante, todas as noites, sem que alguém desse por ela, a menina viajava. Na escola, aparecia com a lição por fazer ou estudada, mas sabia tanta coisa que até a professora ficava admirada. A mãe dizia que a Ana via muita televisão. A Ana, com a ajuda da vassoura e sem ninguém saber, praticava boas acções, conseguia comida para quem necessitava, tirava as bolas que estavam em cima dos telhados, devolvendo-as aos colegas, perante a curiosidade de todos. A vassoura mágica foi ficando cada vez mais velha e quando a Ana lhe pediu para viajar até ao Pólo Norte, ela recusou. A menina insistiu, dizendo que ela já não tinha energia e que estava boa para a reforma. Então a vassoura ofendida,

(Continuação da pág. Anterior)

Página 14

Alunos do Jardim de Infância de Baldeirão – Docente: Conceição Guimarães

reuniu todas as forças que tinha e arrancou de repente, indo ter à Estrela Polar. De súbito começou a descontrolar -se e foi aterrar num campo aberto. A Ana cheia de frio e de medo tirou do bolso uma caixa de fósforos que foi acendendo um atrás do outro, para se aquecer, ficando apenas com um. A vassoura mágica, para salvar a menina, pousou na chama os três cabelos, provocando fogo de artifício e ficou em cinzas. Um pastor que viu o que tinha acontecido, desceu até junto de Ana e acompanhou-a casa. Os pais deram-lhe uma tareia. Entretanto a bruxa, sem vassoura, tentou arranjar emprego, mas só o obteve após ter conseguido ganhar o primeiro prémio num baile de máscaras e se ter transformado numa mulher como as outras. Empregou-se na casa da sorte. A partir daí, diariamente, a Ana e a Bruxa Rabucha encontravam-se

na carruagem do metropolitano e pensavam que se tivessem a vassoura mágica não precisavam de viajar apertadas. Alunos

3º/4º Anos

RECEITA da AMIZADE Ingredientes: 300g de confiança 200g de vontade 1 colher (de sopa) de ajuda 250g de carinho 1 colher (de chá) de partilha 150g de apoio Modo de Preparação: Junta-se, primeiro, a vontade à confiança e conversa-se muito para fazer a amizade crescer. Acrescenta-se a ajuda e o apoio e, de seguida, a partilha e o carinho. Mexe-se muito bem e adiciona-se a vontade e a confiança bem batidas em castelo. Mexe-se bem para ficar tudo bem juntinho. Depois, leva-se ao forno durante duas horas e está pronto a repartir pelos amigos. Inês Silva, 6ºA


O Bugio

ESCOLA EB 1/JI do PAÇO

OS PIRATAS de PAÇO

Todas as turmas da escola EB1/JI de Paço exploraram a história “O Pirata das ilhas de Bruma”, integrado no Plano Nacional de Leitura. Partindo desta história, foram contadas outras relacionadas com o tema, que serviram de incentivo para se elaborar a história “Os Piratas de Paço”. A história foi construída colectivamente, em contexto de sala de aula, tendo sido iniciada na turma do pré-escolar, sendo continuada na sala do 2.º ano, em seguida no 1.º e 4.º ano e concluída no 3.º ano. Além da narração imaginada, foi construído um barco de piratas,

realizaram-se ilustrações, … conheceram-se canções. Este projecto comum, teve grande adesão por parte de todos os alunos, tendo culminado na semana da leitura, com o desfile de Carnaval, onde todos iam vestidos a preceito e aprenderam a ser “Bons Piratas”. Era uma vez quatro piratas: o capitão Gancho, o pirata Perna de Pau, o pirata Olho de Vidro e o pirata Cara de Mau. Estes piratas viviam numa ilha chamada Açores e construíram um

castelo de areia e madeira. Tinham dois animais de estimação: um papagaio e uma cobra. Um dia resolveram construir um barco de madeira para irem procurar tesouros. O barco ficou construído num instante. Esse barco tinha sete velas, três mastros, um leme, catorze remos, redes e dois botes. Os piratas colocaram lá dentro comida, cobertores, água e algumas cervejas sem álcool. Com o barco construído e abastecido, os piratas partiram à procura de novas ilhas, onde estaria, de certeza, um tesouro. Pelos mares fora, com ondas gigantes, remaram e remaram... De repente o pirata Olho de Vidro, pelo monóculo, avistou no meio das ondas uma garrafa que boiava. Desceram um bote e o pirata Cara de Mau foi apanhar a garrafa. Enquanto a cobra, o papagaio e o Capitão esperavam ansiosos. Lá dentro encontraram um mapa com o caminho para a ilha do tesouro. Era um mapa que marcava um X, perto de uma palmeira, que não dava cocos, numa ilha que ficava do outro lado do mar dos Açores. Com a ambição de descobrir tesouros perdidos, os piratas nem pensaram duas vezes... O Capitão Gancho ordenou ao

pirata Cara de Mau. - Subir os mastros e largar velas! - Sim, meu Capitão! - Pirata Perna de Pau, ao leme.

- Com certeza, Capitão! - Vamos mudar de rota...Vamos em busca do tesouro... Entretanto, o pirata Olho de Vidro acrescentou: - Capitão, os ventos estão a nosso favor… Daqui a dois ou três dias iremos avistar terra! Ao longe, observava-se um belo pôr-do-sol. A intensidade dos ventos aumentava e as ondas cresciam... Apareceu, então, um nevoeiro jamais visto… Os quatro piratas e o resto da tripulação ficaram desorientados na imensidão... O Capitão gritou aflito: - Periiiiiiiiigo! Içar veeeeeeelas! O papagaio esvoaçava e dizia: - Perigo! Perigo! Içar velas! Içar velas! Durante a noite ocorreu uma tempestade… Não sendo suficiente, apareceu também um barco de piratas inimigos que, eles não avistaram por causa do nevoeiro. A sua maior preocupação no momento era conseguir salvar “O Caveira” sem danos. Quando a tempestade acabou todos estavam cansados mas, o Caveira continuava um navio forte, sem estragos.

Página 15


O Bugio ESCOLA EB1/JI do PAÇO

Eles começaram a pensar em descansar felizes. Foi então que sentiram uma bala de canhão a cair no meio do convés. - Estamos a ser atacados! - Preparaaaar… carregar canhões. - Todos os piratas aos seus lugares. - Pirata Cara de Mau, atacar! - Sim, meu Capitão. - Pirata Olho de Vidro, suba ao cesto da gávea e diga quem nos ataca e quantos são. Não te esqueças do monóculo. - Sim Capitão! É para já! Uma violenta batalha começou aqui entre os dois barcos piratas. A luta foi violenta. O papagaio assustado esvoaçou e escondeu-se no camarote do Capitão, e a cobra, a pensar que era o fim de todos. Ao fim de algumas horas, tudo se acalmou porque chegaram perto do navio inimigo e derrotaram a tripulação, depois de vários combates com espadas e punhais. No final, o Capitão Gancho, desolado e triste, olhava para o seu navio quase totalmente destruído e pensou regressar a casa, à ilha dos Açores. No seu camarote, libertou os seus amigos e viu o mapa do tesouro. Não ia desistir! Reuniu os seus piratas e coman-

dou o seu navio com destino à ilha do tesouro. Durante a viagem iam fazendo os arranjos. Todos reconstruíram o barco até que ele voltou a ser um navio pirata forte e robusto, com as suas bandeiras pretas e brancas a abanar ao vento. Dias e dias foram passando até

Página 16

que uma certa tarde, o pirata Perna de Pau começou a gritar para todos: -Terra à vista, terra à vista! É a ilha que tanto queremos encontrar... Até que enfim – disse o capitão Gancho – Vamos a terra. Vamos nos botes pois perto da ilha tem muitos rochedos e o navio não pode ir até lá. Quando chegaram à ilha, o Capitão desenrolou o mapa e começou a seguir o caminho lá indicado. Do bolso retirou uma bela bússola em ouro, que foi uma ajuda preciosa para encontrar o local marcado com o X.

ro maravilhoso! Com o tesouro encontrado, nada melhor que uma grande festa para festejar. Assim, pela noite dentro, houve animação naquela ilha... Um grande banquete prepararam com aquilo que ainda havia no Caveira e com cocos e outros alimentos encontrados na ilha. Além de comerem bem, todos os piratas dançavam e cantavam: Um bom pirata serás Nos sete mares navegarás, A bandeira vais hastear Com alegria vais cantar. Refrão Um pirata é um bom camarada Tem muitos e bons amigos. Procura uma ilha habitada Sempre que quer encontrar abrigos.

Ao verem uma palmeira sem cocos, pegaram logo nas pás e começaram a escavar, até que uma das pás bateu em algo duro. O sonho tornouse realidade! Uma arca cheia de moedas de ouro e de algumas pedras preciosas surgiu no meio da areia. Os piratas começaram todos a saltar de alegria... Após tanto trabalho e esforço, encontraram um tesou-

O tesouro tem de encontrar Bem fundo tem de escavar, Vê ouro e muitos brilhantes Navega para locais distantes. Actividade realizada pela EB1/JI de Paço


O Bugio

ESCOLA EB1/JI de FIJÓS

DIA DA ÁRVORE / DIA DA POESIA No dia 21 de Março, primeiro dia da Primavera, comemorámos o Dia da Árvore/Dia da Poesia na nossa escola. Com a realização de várias actividades (história, desenhos, pintura, poema…) ficámos a conhecer melhor a importância das árvores e a necessidade de preservarmos a natureza. Ficámos ainda a saber que no Lugar do Paço, em Sobrado, existe uma árvore, um pinheiro manso, que se estima ter mais de 150 anos! Brincámos também com as palavras, descobrimos rimas e tra-

balhámos o poema «Segredo» de Miguel Torga. Quando os trabalhos ficaram prontos colocámo-los nas

árvores/arbustos da escola onde as palavras e a poesia ficaram a voar…Jardim de Infância de Fijós – Grupo1

Aprendemos a cuidar dos nossos dentes Durante o 2º período, aprendemos a cuidar melhor da saúde dos dentes. Tivemos a visita de dois estudantes finalistas do curso de Medicina Dentária que nos ensinaram a lavar correctamente os dentes, a ter atenção às cáries, a visitar o dentista e a não ter medo deste, enfim, truques e dicas para os dentinhos não ficarem “doentes”. Os nossos amigos também fizeram um teatro para nós. Turma: EPEF2

As turmas F2/3 e F3 de Fijós, no decorrer do segundo período, realizaram várias exposições. Aqui vão algumas fotografias.

As nossas fábulas

Símbolos Nacionais e Locais

Página 17


O Bugio

ESCOLA EB1/JI de FIJÓS

As nossas maquetes

No âmbito da semana da leitura recebemos na nossa escola, a visita do escritor e ilustrador do livro “A lesma Constipada” Bruno Santos. Conhecemos pormenores engraçados do seu percurso

enquanLivro oferecido ao escritor to ilustrador e autor. Para que não se esquecesse aula (PNL) e desenhámos cada de nós fomos ilustradores por uma página do seu livro.

SEMANA DAS CIÊNCIAS

«Se eu fosse cientista» Se eu fosse cientista... muitas experiências e na feira das ciências ganhava o 1º lugar. ♦Fazia muitas máquinas do tempo e ia ver como era o meu futuro e que outra profissão teria. ♦Descobria como parar com os tsunamis. ♦Inventava uma máquina gigantesca para apanhar a lava dos vulcões. ♦Inventava um “faz de tudo três mil” para não ter que fazer nada. ♦Fazia

Vítor Hugo – Turma F2

Caros Pais e Encarregados de Educação, Todos temos uma palavra a dizer relativamente à educação dos nossos filhos, educar é ter esperança no futuro, vamos assumir a sua educação, não se omita desta tarefa, pois a educação é uma responsabilidade de todos. Por todos conseguiremos uma associação mais dinâmica, coesa e activa no sentido de estimular mais Pais a participarem nas actividades que nós propusermos e assim tornar a comunidade escolar mais próxima de todos.

Este apelo estende-se à restante comunidade escolar, professores e funcionários, para que as nossas actividades tenham ainda mais sucesso e estreitem os laços entre todos. Dirigimo-nos, uma vez mais, aos Pais no sentido de convidá-los a: ∗ Inscreverem-se na Associação de Pais, ∗ Tornarem-se membro da APAES, ∗ Juntarem-se a nós; ∗ Darem-nos a sua opinião; ∗ Apresentarem dúvidas; ∗ Trazerem ideias e ajudarem a concretizá-las; ∗ Participarem nas reuniões, encontros e palestras para os quais é convidado. E desta forma, colaborar para que a Escola dos nossos filhos seja um espaço de ensino de qualidade, aprendizagem efectiva, formação cívica, crescimento saudável e de desenvolvimento integral, bem-estar e protecção. Na Escola, como em Casa, há um lugar que é dos Pais! CONTAMOS CONSIGO PORQUE A ESCOLA FAZ-SE COM TODOS!

Resumo do que temos vindo a fazer: Eleição em Outubro; Tomada de posse em Novembro; Apresentação dos novos mem-

Página 18

bros à direcção do Agrupamento; Apresentação do plano de actividades 2010/2011; Reuniões em todas as escolas do Agrupamento; Criação do email, telefone; Criação do blogue e página do Facebook; Reunião com Presidente da Junta de Freguesia de Sobrado; Reuniões no Conselho Pedagógico; Reuniões no Conselho Geral; Reunião com a equipa auto avaliação; Angariação de sócios; Solicitação, à Junta, de pequenos arranjos para a escola de Campelo e da Lomba; Lançamento do regulamento e concurso do logótipo; Colocação de folheto informativo com contactos da APAES no placard exterior das escolas e enviá-lo para os pais; Apresentação da problemática das escolas e respostas obtidas na 1ª reunião aberta a todos; Participação em eventos: Festa de Natal Baldeirão, Inauguração de Exposição Presépios, Visita do Bispo, Dom Manuel Clemente, a Sobrado; Cortejo de Carnaval com distribuição de água durante o desfile; Operação limpar Sobrado; Conseguimos visita de estudo para JI da Balsa ao Museu do Pão, em Campo, com a colaboração do Presidente da Junta Sobrado e da Câmara de Valongo;


O Bugio

Página da APAES

Solicitar aos estabelecimentos locais apoio para as iniciativas que promovemos; Dia 18 de Março – primeira palestra subordinada ao tema “O novo paradigma de vida: os pais e a nova sociedade. Estamos preparados para o futuro hoje?!".

Próximas acções APAES Firmar protocolos de cooperação com o comércio local e posteriormente divulgá-los aos sócios; Reunião com a Câmara de Valongo; Reunião com os representantes de turma;

Anunciar novos temas de palestras a realizar em breve; Alargar a visita de estudo ao Museu do Pão às restantes escolas; Estudar a possibilidade dos pais (segundo uma escala e condições) almoçarem na cantina das escolas; Estudar a possibilidade dos pais (segundo uma escala e condições) estarem nos recreios das escolas; Estudar a possibilidade dos pais (segundo uma escala e condições) falarem das suas profissões nas salas de aula; Festa Final Ano.

As datas das próximas reuniões são as seguintes: • 29 de Abril de 2011 • 27 de Maio de 2011 • 30 de Junho de 2011

Palestra “O novo paradigma de vida: os pais e a nova sociedade. Estamos preparados para o futuro hoje?!". Com este tema, demos início a um ciclo de palestras que queremos levar a efeito, no decorrer deste ano lectivo e assim darmos, aos outros e à comunidade escolar, um pouco mais de nós. Tomamos consciência que ser pais na actualidade é muito difícil, por isso colocamos todas as nossas expectativas no Dr. Joaquim Amândio. O nosso contributo para a comunidade escolar e comunidade em geral, não é apenas feito através de apoio pecuniário, mas o conhecimento e a cultura são um contributo muito maior. Agradecemos a colaboração do nosso orador convidado Professor Doutor Joaquim Amândio dos Santos, que pela sua grande capacidade de comunicação levou todos os presentes a uma constante reflexão sobre o tema e acreditamos que todos os que estiveram na sala não deram por perdido o seu tempo e saíram satisfeitos com as palavras que ouviram. Trouxe-nos a sua

visão da sociedade actual, sempre com um espírito livre, independente de poderes e centrado nas pessoas, fez referências a vários temas, passando pela política, pela educação, pela cultura, dando um importante relevo ao exercício da cidadania que cada um de nós deve exercer enquanto elementos de uma comunidade. Agradecemos, também, a presença do Presidente da Junta de Freguesia, Sr. Carlos Mota, do VicePresidente da Câmara Municipal de Valongo, Dr. João Paulo Baltazar,

da Direcção do Agrupamento, Drª Laurinda Costa, da Directora do Departamento da Acção Social e Educação, Drª Ilda Soares, de todas as Associações e colectividades de Sobrado, aos patrocinadores, ao Jornal de Valongo e a todos aqueles que aceitaram o nosso convite e nos brindaram com a sua presença. Associação de Pais

www. apaessobrado.blogspot.com apaes.sobrado@gmail.com Telefone: 936701370

Página 19


O Bugio

ÚLTIMA PÁGINA

PASSATEMPOS SO(r)RIR Um mosquito para a mãe: - O mãe, deixe-me ir ao teatro! - Não, filho, aquilo é perigoso! - O mãe, deixe-me ir ao teatro! - Pronto, filho, vai. Mas cuidado com as palmas!!! No chuveiro: "Maria, passa-me ai o champô!" "Então homem, não vês que o champô está aí?" "Mas este é pra cabelos secos e eu já molhei o meu , mulher…!"

Qual é o peixe que cai do 7º andar de um edifício? R.: Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa aa tum! Doutor, como é que eu faço para emagrecer? Basta a senhora mover a cabeça da esquerda para a direita e da direita para a esquerda. Quantas vezes, doutor? Todas as vezes que lhe oferecerem comida.

Descubra as Diferenças

Na aula de português, o professor dirige-se aos alunos e pergunta: "Houve um carro que se despistou. Menino Fernando, responda, onde está o sujeito?" Responde o menino Fernando: "Deve estar no hospital!"

Diz o Joãozinho para a professora: -O meu pai já fez operações ao coração, aos rins, à garganta, às pernas e aos braços, só este ano! -Então deve ser muito doente! - exclamou a professora. -Não, senhora professora - corrigiu o Joãozinho- é cirurgião!

Desafio: Vai de 1 a 50 respeitando a ordem numérica.

Proposta/desafio - Bruno Soares 5º C, nº 8

Página 20

A todos aqueles que colaboraram e permitiram a edição de mais um número do Bugio, o nosso muito obrigado. A toda a Comunidade Educativa desejamos BOA PÁSCOA

Ficha técnica Propriedade: Agrupamento de escolas de S. João de Sobrado Coordenação: Maria Céu Moura e Adelino Amaral Colaboração: Professores, Clube de Jornalismo e alunos. Morada: Rua de Fijós 4440-334 Sobrado Página Web: WWW.eb23sobrado.com


BugioMarço2011