Page 1

Plano de Futuro para uma Divin贸polis Sustent谩vel


O desafio Contribuir com mudanças culturais que estimulem a transformação da realidade e a qualidade de vida em Divinópolis.

Premissas importantes:

Algumas questões colocadas:

monitorar o alcance dos resultados.

Quem deve ser envolvido? Quais as potencialidades e problemas identificados e reconhecidos pelos moradores? O que eles pensam, desejam e sonham? É possível transformar sonhos individuais em uma proposta coletiva?

• Participação social, mobilização e diálogo entre os

• Uso de métodos de pesquisa para conhecer o cenário atual, investigar a percepção sobre a cidade e

vários segmentos da sociedade. • Visão de longo prazo. O Plano de Trabalho aqui condensado é apenas a primeira etapa da transformação.

ÍNDICE Apresentação 4

Olhar e refletir: como alcançar o desenvolvimento?  15

Envolvimento da sociedade  5

Investigação apreciativa  15

Mobilização   5

Construir: o plano de futuro de Divinópolis  16

Formação da Rede de Referência Divinópolis Sustentável  6

A vida em torno do Rio Itapecerica  16

Divinópolis no presente  7

Espaço de diálogo com interlocutores estratégicos  18

Educação 9

Projetos 19

Trabalho e economia  11

O futuro construído no presente  23

Segurança 12

Governança 23

Mobilidade 12

Passos futuros  25

Saúde 12

Participantes do projeto  26

Meio Ambiente  14

Ficha técnica  26

3


Envolvimento da sociedade

O projeto teve como princípio norteador a constituição de uma rede de atores, composta por representantes de organizações e movimentos da sociedade civil, dos parceiros executores e financiadores do projeto, dos grupos produtores de fundição e das três

IEL/ FIEMG

Indústrias

Divinópolis Sustentável

esferas de governo. Essa rede está alicerçada em um processo de corresponsabilidade, em que os atores são instigados a participar de um grupo ativo na elaboração, desenvolvimento e implementação de ações para o fomento da sustentabilidade. A metodologia pressupõe, ao final, uma rede de atores comprometida com comportamentos éticos e com o desenvolvimento justo e sustentável da cidade, tendo como valores essenciais a união, a integridade e a participação coletiva.

Cultural

Poder Público

Dimensões do Desenvolvimento Sustentável

Social

Ambiental

Instituições de Ensino

Econômica

Sociedade Civil

SIFUMG

MOBILIZAÇÃO Foram mobilizadas inicialmente para o projeto, por e-mail e telefone, aproximadamente 50 pessoas com representatividade na comunidade local (poder público; indústrias e outras empresas; instituições de ensino, religiosas e do terceiro setor; e demais agentes). As indicações foram feitas pela assessoria direta da presidência do Sindicato da Indústria da Fundição no Estado de Minas Gerais (SIFUMG). O sindicato teve um importante papel nesse processo. Sensibilizou diretores e associados à entidade, fortalecendo a representação dos empresários de fundição, cujo engajamento é fundamental para se repensar o futuro da cidade. Também abriu portas para os demais segmentos e iniciativas locais.

5


Instituições mobilizadas Poder Público (municipal, estadual e federal) Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, PMD/Secretaria de Desenvolvimento, Câmara Municipal, Secretaria de Esporte e Juventude, Secretaria Municipal de Educação. Empresas / Indústrias Jalice Comércio e Indústria de Metais Ltda., Formatar, Fulig – Fundição de Ligas Ltda., Xeque Mate, Prisminas Corretora de Seguros, Funfer – Fundição de Ferro Ltda., SEBRAE MG – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais, Totvs – CentroOeste de Minas, Gerdau, SESI Divinópolis, FIEMG – Regional Centro-Oeste, Fumil Ltda., FCA – Ferrovia Centro-Atlântica, Gazela Plastificadora. Instituições de ensino FACED – Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis de Divinópolis, Prepara Cursos, Unifenas – Universidade José do Rosário Vellano, SENAI – Centro de Formação Profissional Anielo Greco. Terceiro setor Sindicato dos Metalúrgicos, ACCCOM – Associação do Combate ao Câncer do CentroOeste de Minas, ACID – Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e Serviços de Divinópolis, Rotary Divinópolis Oeste, Lions Candidés, ONG Lixo e Cidadania, CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas. Outros agentes locais Loja Maçônica Centro-Oeste e Mestre Rangel, Ministério Público, Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, TV Candidés, TV Alterosa, Francisco Imóveis.

FORMAÇÃO DA REDE DE REFERÊNCIA DIVINÓPOLIS SUSTENTÁVEL Entre agosto e dezembro de 2013, foram realizados 10 encontros do projeto. Nesse período, novos atores passaram a compor o grupo, mobilizados pelos próprios participantes. No total, 49 pessoas integraram as atividades.

Número de participantes por encontro 25

21 20 15 10 5

0

6

13

11

10

9

11 7

8

8

9


Divinópolis no presente

O primeiro passo foi construir um diagnóstico atual de Divinópolis. O trabalho foi realizado em duas etapas. Inicialmente, foram levantados dados quantitativos provenientes de fontes oficiais, como o IBGE, o MEC/Inep e o DATASUS, com informações socioeconômicas, demográficas, educacionais, de saúde e de infraestrutura do município. Em seguida, foi realizado um encontro de inserção no projeto com múltiplos atores, sendo eles 21 representantes de diversas instituições da cidade. Esse foi um momento importante,

já que os participantes revelaram sua percepção sobre a realidade, os problemas e os desafios de Divinópolis, trazendo à tona questões como qualidade de vida, meio ambiente, economia e desenvolvimento. O cenário identificado nesse primeiro momento constituiu o Marco Zero do Plano de Futuro, permitindo que a elaboração das ações e projetos ocorra da forma mais consciente e racional, com a compreensão dos problemas e potencialidades do município e da região.

A CIDADE Em 1890, foi inaugurada em Divinópolis a Estação de Henrique Galvão, pertencente à Estrada de Ferro Oeste de Minas, criando condições de logística para a instalação de indústrias de fundição. O Coronel Jovelino Rabelo com seu espírito pioneiro inaugurou, em 1920, a primeira fundição da cidade. A constituição do Arranjo Produtivo Local, com polo em Divinópolis, foi importante para o crescimento populacional, o desenvolvimento e a emancipação do município. Na década de 1970, quando a indústria de fundição enfrentou uma grave crise, o segmento de confecção surgiu como uma alternativa de emprego, ganhando relevância na economia local. Atualmente, observa-se em Divinópolis uma infraestrutura urbana, social e econômica bem desenvolvida, em parte devido à existência dos APLs de Fundição, Confecção, Móveis e Cachaça, presentes

100,0% 98,0% 96,0%

204.324 habitantes

213.016 habitantes

209.921 habitantes

226.345 habitantes

94,0%

92,0%

213.277 habitantes

90,0% 88,0%

207.983 habitantes

86,0%

84,0% 82,0%

215.247 habitantes

193.974 habitantes

80,0% 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 BRASIL

MINAS GERAIS

DIVINÓPOLIS

Crescimento populacional relativo em Divinópolis, Minas Gerais e Brasil – 2003 a 2013 Fonte: IBGE

na região1. A seguir, são apresentadas algumas informações para caracterizar brevemente a cidade de Divinópolis na forma como ela foi reconhecida no início do projeto.

1 Simone de Faria Narciso Shiki; RAPOSO, D. A.T.; MENDES, P. P. P. ARRANJO PRODUTIVO LOCAL COMO UMA ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO: O ESTUDO DO SETOR DE CONFECÇÕES DE DIVINÓPOLIS. In: xv SEMINÁRIO SOBRE ECONOMIA MINEIRA, 2012, Diamantina. xv SEMINÁRIO SOBRE ECONOMIA MINEIRA, 2012. 7


POPULAÇÃO Divinópolis

Minas Gerais

Mais de 100 anos 95 a 99 anos 90 a 94 anos 85 a 89 anos 80 a 84 anos 75 a 79 anos 70 a 74 anos 65 a 69 anos 60 a 64 anos 55 a 59 anos 50 a 54 anos 45 a 49 anos 40 a 44 anos 35 a 39 anos 30 a 34 anos 25 a 29 anos 20 a 24 anos 15 a 19 anos 10 a 14 anos 5 a 9 anos 0 a 4 anos

Homens

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – IDHM Divinópolis encontra-se na 21ª posição do ranking do estado de Minas Gerais e na 304ª no ranking nacional do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – IDHM, composto de três dimensões: longevidade, educação e renda. Em geral, todos os indicadores do IDHM de Divinópolis apresentaram crescimento no período analisado, embora o município tenha saído da 25ª posição no ranking estadual em 1991, atingindo a 11ª colocação em 2000 e voltando à 21ª em 2010.

Mulheres

Pirâmide etária de Divinópolis e Minas Gerais – 2010 – Fonte: IBGE 0,827 0,800

Na última década, Divinópolis apresentou uma expansão populacional acentuada. Em 2003, sua população era de 193.974 habitantes – 82,9% da população atual, de 226.345 habitantes. O crescimento foi de 1,6%, acima da média verificada no estado de Minas Gerais (1,1%) e no Brasil (1,3%). A população urbana representa 96,8% do total de habitantes do município. A maior parte da população (26,8%) possui idade entre 20 e 39 anos. Comparando sua pirâmide etária com a do estado de Minas Gerais, observa-se uma forte concentração de homens e mulheres com idade entre 30 e 54 anos, indicando um grande potencial de mão de obra produtiva. Nova Lima (1º) - 0,813

0,800

Belo Horizonte (2º) 0,81 Uberlândia (3º) - 0,789 Itajubá (4º) - 0,787

0,750

Lavras (5º) - 0,782

0,700

Divinópolis (21º) 0,764

0,686

0,650 0,600 0,550

0,535

0,500

1991

2000

2010

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – Divinópolis e outros municípios – 1991 a 2010 – Fonte: Atlas Brasil

8

0,765

0,764 0,706

0,700

0,636

0,844

0,686

0,753 0,702

0,600

0,535

0,500

0,554

0,400 0,314 0,300 1991 IDHM

IDHM RENDA

2000 IDHM LONGEVIDADE

2010 IDHM EDUCAÇÃO

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal por área – 1991 a 2010 Fonte: Atlas Brasil

Comparando a evolução dos indicadores, chama a atenção a alta pontuação obtida no item longevidade, corroborada pela alta esperança de vida ao nascer, de 75,6 anos. Entretanto, o maior crescimento foi verificado no segmento educação, cuja pontuação era de 0,314 em 1991 e, duas décadas após, avançou para 0,702, com crescimento de 123,6%. Comparando a evolução do IDHM de Divinópolis com a dos municípios mineiros com os maiores índices de desenvolvimento humano, verifica-se um comportamento semelhante, embora alguns municípios, como Nova Lima e Lagoa Santa, que em 1991 apresentavam IDHM inferior ao de Divinópolis, tenham registrado melhorias, atingindo a 1ª e a 9ª colocação, res­ pectivamente, em 2010.


0,6500 0,6188

0,6159

0,6000 0,5634

0,5500

0,5388

0,5333

0,5000

0,4797

0,4500 1991

2000 Divinópolis

2010

Minas Gerais

Coeficiente de Gini – Divinópolis e Minas Gerais – 1991 a 2010 Fonte: IBGE

O Coeficiente de Gini, parâmetro internacional usado para medir a desigualdade de distribuição de renda, oscila de 0 a 1 (quanto mais próximo do zero, menor a desigualdade de renda daquela localidade). Em 1991, o Gini de Divinópolis era de 0,5388, abaixo do verificado no estado de Minas Gerais (0,6188). Até 2010, o município reduziu sua desigualdade, atingindo o coeficiente de 0,4797, inferior ao estadual. Ainda assim, a redução da desigualdade, no período, foi proporcionalmente menor que a de Minas Gerais.

EDUCAÇÃO Dados de 2012 mostram que 81,1% dos alunos da educação básica de Divinópolis estão matriculados em escolas públicas, predominantemente, no ensino fundamental e médio da rede estadual. Destaca-se o número de matriculados no ensino profissionalizante, que responde por 18,2% das vagas ocupadas por alunos no ensino médio. Considerando-se a população com idade superior a 10 anos, apenas 21% não frequentavam a escola, percentual inferior à média estadual, de 23%. Em 2010, 35,7% da população de Divinópolis havia iniciado um curso de nível superior e 10% o haviam concluído; 45,2% não chegaram a completar o nível fundamental e 19,1% não concluíram o ensino médio. Apesar disso, a comparação com os dados de Minas Gerais revela um quadro positivo no município.

Modalidade Creche Pré-Escola Ensino Fundamental Ensino Médio EJA - Ensino Fundamental EJA - Ensino Médio Ensino Profissionalizante Total

Escolas Municipais 1.655 3.801 9.265 0 822 0 0 15.543

Número de Alunos Escolas Escolas Estaduais Privadas 0 1.162 0 1.007 13.420 3.814 6.723 1.066 633 14 2.121 87 0 1.818 22.897 8.968

Distribuição de alunos da rede de educação básica – Fonte: Censo Escolar/INEP 2012

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), que apura a qualidade das escolas públicas a partir da incidência de reprovação e da proficiência

DIVINÓPOLIS

MINAS GERAIS

45,2%

53,0%

Fundamental incompleto Superior incompleto

19,1%

17,2%

25,7%

21,8%

10,0%

8,0%

Médio incompleto Superior completo

Nível de escolaridade – Fonte: Censo Demográfico do IBGE 2010

dos alunos em Língua Portuguesa e Matemática, revela uma evolução progressiva nos anos iniciais (1º ao 5º), entre 2005 e 2011. Enquanto o crescimento do IDEB foi de 16,1% em Minas Gerais, em Divinópolis chegou a 28%. Total 2.817 4.808 26.499 7.789 1.469 2.208 1.818 47.408

Nos anos finais (6º ao 9º), o crescimento foi de 44,1% no município e de 30,8% no estado. Considerando-se todo o ensino fundamental, as médias do município são superiores às do estado, indicando que a qualidade da educação pública apresenta condições mais favoráveis.

Um pequeno percentual de alunos tem conhecimento básico e insuficiente em Língua Portuguesa e Matemática ao final do 5º ano do ensino fundamental, de acordo com dados da Prova Brasil. Entretanto, para aqueles que 9


completaram o 9° ano, o indicador é bastante elevado, com 63% dos alunos com pouca ou quase nenhuma competência para a resolução de problemas matemáticos; 54% têm conhecimentos rudimentares em leitura e interpretação de textos. Divinópolis apresenta um recente crescimento da rede de ensino superior, com um forte potencial para capacitação de mão de obra na região: 84,6% dos cursos começaram a ser ofertados a partir do ano 2000, sendo 59,6% iniciados na última década. Há 4.911 vagas em cursos presenciais, ofertadas por nove instituições de ensino. Essas vagas estão distribuídas em 52 cursos de 36 diferentes modalidades, em seis grandes áreas do conhecimento.

6

5,1

4,6

4,6

4,6

4,5

3,9 3,6

2005

5,8

5,5

5,3

5

6,4

4,1

3,8

2007

2009

Divinópolis - Anos iniciais Minas Gerais - Anos iniciais

4,4

2011

Divinópolis - Anos finais Minas Gerais - Anos finais

40%

40%

27%

27%

7%

9%

6%

9%

Português

Matemática

Português

Matemática

Básico

Proficiente

5º Ano Insuficiente

9º Ano Avançado

% de alunos por nível de conhecimento em Língua Portuguesa e Matemática – Prova Brasil – Anos Iniciais e Finais – 2011 Fonte: INEP/MEC

Os dados oficiais estão em linha com os apontamentos feitos pelos integrantes da rede de referência. Eles destacaram que a alta qualidade da educação coloca Divinópolis acima das médias do país. O município conta com algumas faculdades que atendem várias cidades do entorno, além de sediar a Faculdade de Medicina da Universidade Federal de São João Del Rey. Entretanto, para os participantes, falta incluir educação ambiental nos currículos escolares, bem como disseminar informações sobre o tema entre os moradores, o que contribuiria para ampliar a participação das famílias na educação dos filhos.

% de alunos 30,80%

Saúde e bem-estar social

14

26,90%

Engenharia, produção e construção

10

19,20%

Educação

7

13,50%

Ciências, matemática e computação

4

7,70%

Humanidades e artes

1

1,90%

Distribuição dos cursos de nível superior por área do conhecimento – Censo da Educação Superior 2012 Fonte: INEP/MEC

10

54%

48%

Qde. de cursos 16

Ciências sociais, negócios e direito

31%

38%

Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB – Anos Iniciais e Finais – Divinópolis e Minas Gerais – 2005-2011 – Fonte: INEP/MEC

Áreas de conhecimento

6%

8%

24%

26%


TRABALHO E ECONOMIA Divinópolis possui uma base econômica diversificada, mais de 8 mil empresas que atuam nos mais distintos setores da economia.

A maior parte dos indivíduos ocupados está na indústria de transformação (20,7%), seguida pelo comércio e reparação de veículos (20,2%), segmentos fortemente impulsionados pelos polos de Setor Produção Fundição e Vestuário. Um ponto destacado Café, feijão, milho, frutas (banana, mamão, maracujá e Setor primário/agropecuário goiaba), pecuária de corte. pela rede de referência é o fato de a cidaVestuário, calçados e artefatos de tecidos, metalurgia, papel e Setor secundário/ industrial e de possuir indústria, comércio e confecção papelão, química, têxtil, bebidas, material elétrico, eletrônico agroindustrial e de comunicação e outras. fortes, o que traz estabilidade econômica Comércio varejista, de máquinas, equipamentos e insumos Setor terciário/comércio e ao município. Os dados apresentados nos agrícolas, serviços nas áreas de educação, saúde e serviços manutenção de veículos, entre outros. diagramas revelam a distribuição de emPrincipais atividades econômicas por setor produtivo. Fonte: Anuário Estatístico Municipal pregados por área da economia. Cerca de 80% de sua população ocupada é assalariada. O salário médio local é de 2,2 salários mínimos, ou seja, R$ 1.491,60, pouco acima da média do estado (R$ 1.416) e inferior à média nacional (R$ 1.507).

Informações gerais econômicas Número de empresas atuantes 8.012 Número de unidades locais 8.517 Número de pessoas ocupadas assalariadas 54.909 Número de pessoas ocupadas total 67.320 Salário mínimo médio mensal (Qtde.) 2,2 Salários e outras remunerações (R$ Mil) 868.860 Empresas, unidades locais, ocupação e salários Fonte: IBGE, Cadastro Central de Empresas, 2011

% de ocupados (pessoas com 10 anos de idade ou mais) por setor da economia

• Administração pública, defesa e seguridade social: 4.810 • Agricultura, pecuária, produção fl orestal, pesca e aquicultura: 3.427 • Água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação: 752

De 5,1 a 20%

• Alojamento e alimentação: 3.982 • Artes, cultura, esporte e recreação: 976

• Indústrias de transformação: 23.562

• Atividades administrativas e serviços complementares:– 3.130

• Comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas: 23.076

• Atividades fi nanceiras, de seguros e serviços relacionados: 1.717 • Atividades mal especifi cadas: 5.726 • Atividades imobiliárias: 560 • Atividades profi ssionais, científi cas e técnicas: 3.515 • Educação: 5.716

De 5,1 a 10%

• Eletricidade e gás: 421 • Indústrias extrativas: 226 • Informação e comunicação: 1.380 • Outras atividades de serviços: 3.184 • Saúde humana e serviços sociais: 5.052

Até 5%

• Construção: 9.142 • Serviços domésticos: 7.663 • Transporte, armazenagem e correio: 6.080

11


SEGURANÇA

25

Segundo dados da Secretaria de Estado de Defesa Social, Divinópolis foi a cidade com o maior aumento percentual de crimes violentos em 2013, considerando as 29 cidades mineiras com mais de 100 mil habitantes. O mesmo se observou em relação aos crimes contra o patrimônio. Nos dois anos anteriores, houve um crescimento expressivo de mortes por homicídio, ainda que o município se mantenha abaixo da média de Minas Gerais.

20,6

22,6 21,9 21,3 20,8

20

21,5 19,5

18,5 18,5

16,2 15

11,5

12,9 8,4

10

5,4

4,3

5

13,9

12 8,1

9,5

7,8

8,9

8,4

4,8

3,1

0

2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Divinópolis

Minas Gerais

Taxa de Mortalidade por homicídio (por mil habitantes) – 2000 a 2011 – Fonte: DATASUS

MOBILIDADE A rede de referência trouxe a percepção de que o trânsito está cada dia mais caótico, sobretudo aos sábados pela manhã. O gráfico a seguir revela que a cada ano que passa a tendência é o aumento do número de veículos transitando em Divinópolis. A relação de habitantes por veículo passou de 3,35 em 2005 para 1,90 em 2012. 30

25,6

24,2

25

21,2

22,8 18,8

20

16,1 15

14 10

15,5

16,9

18,8

17,6

19,8

20,3

20,8

17

17,3

20,4

24,4

24,5

23,4

24,2

19,9

19,7

13,6

5 0

2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011

Divinópolis

3,35 habit/veículo

2005

3,13 habit/veículo

2006

2,90 habit/veículo

2007

2,54 habit/veículo

2009

2,17 habit/veículo

2010

2,02 habit/veículo

2011

1,90 habit/veículo

2012

Relação de habitantes por veículo – 2005 a 2012 Fonte: Ministério das Cidades, Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN)

Os dados de mortes por acidentes em transportes revelam um aumento expressivo da mortalidade nos últimos anos. Em 2007, a taxa era inferior à de Minas Gerais, equiparando-se a ela em 2011.

Minas Gerais

Taxa de mortalidade por acidentes em transportes por 100 mil habitantes – 2000 a 2011 – Fonte: DATASUS

3.721

SAÚDE A rede de atenção à saúde de Divinópolis é composta por 482 estabelecimentos e 3.721 profissionais. Observa-se um reforço da rede nos últimos anos. Atualmente, a cidade possui 27 estabelecimentos com atendimento ambulatorial e hospitalar de alta complexidade e 149 com atendimento ambulatorial básico. 12

3.247

1.866

1.926

2007

2008

2.314

2.362

2.326

2009

2010

2011

2012

2013

Número de profissionais de saúde – 2007 a 2013 Fonte: Ministério da Saúde – Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS). Mês de referência: outubro/2013


Rede Ambulatorial - Básica Ambulatorial - Média Complexidade Ambulatorial - Alta Complexidade Hospitalar - Média complexidade Hospitalar - Alta complexidade Total de estabelecimentos

2007 117 222 20 6 2 234

2008 120 274 20 7 3 287

2009 122 321 20 7 3 335

2010 95 349 20 7 3 361

2011 110 386 21 7 4 399

2012 125 414 21 7 4 430

2013 149 459 23 8 4 482

55

42

41

45 38

37

37

38

2010

2011

31 24

23

2008

2009

Estabelecimentos de saúde no município – 2007 a 2013 – Fonte: Ministério da Saúde Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS). Mês de referência: outubro/2013 2001

É visível o declínio gradual da mortalidade infantil, em decorrência de fatores como melhoria da condição de vida populacional, saneamento básico, crescimento econômico e ampliação da atenção primária de saúde.

2002

2003

2004

2005

2006

2007

Número de óbitos infantis– 2007 a 2013 Fonte: Ministério da Saúde - Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS) Mês de referência: outubro/2013

A Taxa de Mortalidade passou de 4,23% para 4,58% entre 2008 e 2013, com progressiva redução a partir de 2011.

Algumas doenças infecciosas e parasitárias Neoplasmas (tumores) Sintomas, sinais e achados anormais de exames clínicos e de laboratório, não classificados em outra parte Doenças do sistema nervoso Doenças do aparelho respiratório Doenças do aparelho circulatório Doenças do aparelho geniturinário Doenças do sangue e dos órgãos hematopoiéticos e alguns transtornos imunitários Algumas afecções originadas no período perinatal Malformações congênitas, deformidades e anomalias cromossômicas Fatores que influenciam o estado de saúde e o contato com os serviços de saúde Doenças do aparelho digestivo Doenças da pele e do tecido subcutâneo Doenças endócrinas, nutricionais e metabólicas Gravidez, parto e puerpério Lesões, envenenamentos e algumas outras consequências de causas externas Total * Mês ref.: Outubro

2008

2009

2010

2011

2012

2013

TOTAL

16,67 8,33

5,56

9,09 6,76

16,67 12,88

33,33 10,61

14,29 10

13,79 9,66

16,67

7,69

-

-

11,11

25

8,7

25 4,35 6,82 4,88

11,11 1,37 6,49 2,17

3,7 6,35 9,68

9,72 11,43 9,52

20 17,54 7,04 7,32

8,33 3,33 5,26

7,84 7,74 7,33 6,36

-

20

-

-

-

-

6,25

5,26

23,08

-

-

6,67

-

5,68

16,67

-

-

-

20

-

4,88

-

11,11

20

-

-

-

3,92

4,92 -

2,9 11,11 -

3,7 -

2,35 4,35 6,67 0,76

5,56 5 6,67 -

4,26 -

3,87 3,85 3,39 0,12

6,9

-

2

4,17

1,92

2,44

-

4,23

2,99

3,55

6,12

5,78

4,19

4,58

Taxa de Mortalidade e principais causas de mortes – 2007 a 2013 Fonte: Ministério da Saúde – Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS). Mês de referência: outubro/2013

13


MEIO AMBIENTE

98,0%

Divinópolis possui quatro áreas de preservação e manutenção ambiental que, juntas, não somam 1% da área total do município. Estudo gravimétrico realizado pela Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Meio Ambiente e pela Secretaria Municipal de Operações Urbanas e Defesa Social, em parceria com a Fundação Estadual do Meio Ambiente (FEAM) e com a concessionária de limpeza urbana (ViaSolo), caracterizou que os resíduos municipais são compostos, majoritariamente, por matéria orgânica, papel e plástico. Identificou-se, também, a presença de panos, trapos, couro, borracha, vidro, equipamentos eletrônicos e metais.

Unidade de preservação/proteção Horto Florestal Municipal de Divinópolis

Parque Florestal do Gafanhoto Parque Ecológico Municipal Prefeito Dr. Sebastião Gomes Guimarães Parque Linear Danilo Passos

Local

Área (m²)

93,7%

2000

Segundo a percepção dos participantes da primeira etapa, os resíduos provenientes do setor de confecção, assim como o lixo eletrônico (computadores e outras máquinas), não são reaproveitados. Uma das soluções levantadas foi incentivar e garantir que cada empresa desenvolva uma ação efetiva alinhada à Lei de Resíduos Sólidos. % total do município

Funções Produção de composto orgânico, germinação e enraizamento de mudas, viveiros de mudas e viveiros de espera de plantas ornamentais e arbóreas. Área federal de preservação permanente destinada a resgatar atributos da natureza, conciliando a proteção integral da flora, fauna e das belezas naturais, para utilização com objetivos educacionais, recreativos e científicos.

Distrito industrial

40.000

0,01

Bairro Icaraí

150.000

0,02

Região Central

210.000

0,03

Área de Proteção Ambiental e uso sustentável. Com área de lazer e Centro de Educação Ambiental.

Bairros Danilo 135.000 Passos e Vila Romana

0,02

Parque Linear – Área de proteção ambiental.

Áreas de preservação e manutenção ambiental Fonte: Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Meio Ambiente de Divinópolis/PMD 2012

14

2010

Domicílios com coleta de lixo – Fonte: IBGE


Olhar e refletir: como alcançar o desenvolvimento? “...seres humanos são capazes de mais do que as escolas, os locais de trabalho, as organizações civis e os regimes políticos permitem.” (Richard Sennett, Juntos, p. 43).

INVESTIGAÇÃO APRECIATIVA O projeto foi estruturado segundo a inovadora metodologia de Investigação Apreciativa, que propõe a implementação e o gerenciamento de mudanças por meio da busca das potencialidades de um sistema quando ele está em seu estado mais eficaz e capaz, em termos econômicos, sociais, ecológicos e humanos.

lhores oportunidades e as esperanças de futuro das DESCOBERTA Onde estamos?

DESTINO

A técnica busca usar a identificação de sonhos e de potenciais como mecanismo para criar novas formas de transformação social. Ela permite explorar, ao máximo, o potencial humano de colaboração. O foco da Investigação Apreciativa não é o problema, mas as possibilidades das forças e oportunidades existentes na comunidade, a partir das quais se pode construir um futuro desejado, e não reativo a problemas existentes e que decorrem de situações do passado. A comunidade deixa, assim, de ser percebida como um problema a ser resolvido e passa a ser a própria solução. Foram usadas técnicas de intervenções inclusivas e participativas, que realçaram as melhores contribuições das pessoas e das suas práticas. A metodologia baseou-se em um processo de colaboração, que permitiu ao grupo identificar e entender as fortalezas da dinâmica social local, seu potencial, as me-

Descoberta • Inserção do Projeto • Marco Zero • Mobilização de atores de todos os segmentos

Aonde podemos chegar?

Processo coletivo e participativo

SONHO Aonde queremos chegar?

PLANEJAMENTO Como chegar?

pessoas, utilizando a força de todo o sistema na construção de um futuro desejado por todos para uma Divinópolis mais sustentável. O trabalho foi desenvolvido em quatro módulos, que representam cada uma das etapas da Investigação Apreciativa – Descoberta, Sonho, Planejamento e Destino –, ao longo de 10 encontros.

Sonho • Cenário da cidade de Divinópolis identificado e reconhecido pelos cidadãos • O que o grupo pensa, deseja e sonha para a cidade

Planejamento

Destino

• Formação em elaboração de projetos

• Evento de apresentação pública do Plano de Futuro

• Planejamento estratégico

• Avaliação do projeto pelo grupo

• Construção do Plano de Futuro

15


Construir: o plano de futuro de Divinópolis

O Plano de Futuro para uma Divinópolis Sustentável começou a ser desenhado a partir da configuração dos atores em rede, na etapa de mobilização e en-

O mapeamento das potencialidades e realizações locais foi essencial para que o Plano de Futuro não sobreponha nenhuma atividade às já existentes, mas, ao

gajamento, e do Marco Zero, um momento em que foram abordadas questões sobre sustentabilidade e percepções sobre a cidade com os participantes do projeto.

contrário, que contenha ações que sirvam de apoio àquelas já realizadas.

Empresas | Governo | Entidades de classe Educação | Tecnologia

Divinópolis 100+20

SOS Rio Itapecerica

Principais iniciativas no município

Publicidade e Comunicação

Mobilização Social

Conhecimentos e redes Plano Diretor do Município

Projeto Cidade Tecnológica

As percepções sobre a cidade e as atividades iniciais permitiram a descoberta dos ativos já existentes no município.

Como é possível ver na foto ao lado, a relação entre os moradores da cidade e a saúde do rio é de total 16

ATIVO DO GRUPO

Esse momento foi importante também para que o grupo descobrisse seus ativos internos, que formam o grande ativo da Rede de Referência Divinópolis Sustentável, no qual reside a intersetorialidade de suas redes e a interdisciplinaridade de seus conhecimentos. A partir da descoberta dos ativos e potenciais internos existentes na sociedade, foi possível partir para o mapeamento dos sonhos do grupo, segundo passo da Investigação Apreciativa.

A VIDA EM TORNO DO RIO ITAPECERICA Ao longo do processo de refinamento dos sonhos e seu correlacionamento com as descobertas feitas, todos os tópicos apontados como ideais a serem conquistados pelo município giraram em torno de um tema central: a revitalização do Rio Itapecerica.

INTERDISCIPLINARIDADE e INTERSETORIALIDADE


interdependência. O Rio Itapecerica representa ora um elemento simbólico de um tempo em que a cidade era mais amigável para seus moradores, ora resultado da soma de ações em diversas frentes: educação para a sustentabilidade, adequação das indústrias às normas ambientais de efluentes, cumprimento dos contratos relativos ao tratamento de água e de esgoto, ações de cuidado e revitalização das margens do rio, outorgas para o uso da água, recuperação da saúde da calha do rio, entre outros não menos importantes. Ora, ainda, representação direta ou indireta dos sonhos da população de ter rios despoluídos, água e esgoto tratados, mais responsabilidade social e ambiental das empresas, coleta seletiva eficaz do lixo doméstico, usina de tratamento do lixo, ruas de lazer para a população, ruas arborizadas, educação de qualidade e para todos, saúde pública de qualidade, promoção de cidadania, mais espaços verdes e espaços de entretenimento público.

Rios despoluídos, esgoto e água tratados, mais responsabilidade social e ambiental das empresas, coleta seletiva eficaz do lixo doméstico, usina de tratamento do lixo.

Educação para o trânsito, transporte público eficiente, corredor específico para ônibus, ciclovias, transporte coletivo elétrico, ruas de lazer para a população, ruas arborizadas.

RIO ITAPECERICA REVITALIZADO Educação de qualidade e para todos, implantação de políticas sociais específicas e eficazes, saúde pública de qualidade, promoção da cidadania, atratividade para grandes empresas, capacidade de investimento das empresas, mão de obra capacitada, segurança para viver.

Centros de convenções, mais espaços culturais, mais espaços verdes, espaços de entretenimento público, oficinas de artes para pessoas de baixa renda.

O sonho do “Rio Itapecerica revitalizado” foi recorrente entre os integrantes do grupo, que chegaram a ele ou dele partiram por meio de alguns pressupostos básicos: tratamento do esgoto da cidade, que é quase totalmente despejado no rio; educação da população para a cidadania; mobilização da população para cumprimento dos compromissos firmados, seja entre cidadãos, entre governo e cidadãos (Plano Divinópolis 100+20) ou, ainda, entre governo e empresas (contrato de tratamento de esgoto com a COPASA). A saúde do Rio Itapecerica é de fundamental importância para a cidade de Divinópolis, na medida em que

o rio é responsável por 84,6% da produção de água da cidade. Apesar de representar a principal fonte de água da população e da indústria local, o rio também é o principal corpo receptor de esgoto. São lançados nele, diariamente, mais de 43 mil m³ de esgoto.

0,1%

0,7%

8,4% 3,2% 0,1%

Não tinham banheiro nem sanitário Fossa rudimentar Fossa séptica Outro Rede geral de esgoto ou pluvial Rio ou lago

87,3%

Vala

Destinação do esgoto sanitário domiciliar – Fonte: Censo Demográfico 2010

A maior parte dos domicílios (87,3%) está ligada à rede geral de esgoto sanitário municipal; 0,7% deles despejam diretamente no rio ou em um lago. O sistema de esgotamento sanitário de Divinópolis conta com oito pequenas estações de tratamento (ETEs), compostas de reatores anaeróbios seguidos ou não de filtros, instaladas nas seguintes localidades: Bairro Santa Cruz – Distrito de Santo Antônio dos Campos; Residencial Lagoa dos Mandarins; Bairro Santa Tereza; Comunidade Rural de Buritis; Bairro Nova Fortaleza; Bairro Jardinópolis; Bairro Candidez; e Bairro Primavera. Algumas edificações não estão ligadas à rede coletora de esgotos, utilizando fossas sépticas ou lançando seus esgotos diretamente no curso d’água mais próximo. Outro destino 0,2%

Queimado/enterrado na propriedade 1,8%

Coletado por serviço de limpeza 98,0%

Destinação do lixo domiciliar – Fonte: Censo Demográfico 2010 17


De acordo com o presidente da COPASA, Ricardo Simões Campos, em entrevista à imprensa em 13/08/2013, até 2016 serão instaladas três estações com capacidade para tratar 100% do esgoto coletado. Em encontro com o grupo, o gerente regional e a analista de programas comunitários da COPASA confirmaram a conclusão de parte dessas instalações.

Outro fator que contribui para a poluição do Rio Itapecerica é o despejo de lixo domiciliar. Ainda que o Censo Demográfico aponte que 98% das residências destinam o lixo à coleta municipal, o lixo se revela após cada cheia do rio.

Consequência do despejo de lixo no rio Fonte: http://www.g37.com.br

O cenário reforça as demandas por infraestrutura básica, cumprimento do contrato entre a prefeitura e a COPASA e conscientização da população.

ESPAÇO DE DIÁLOGO COM INTERLOCUTORES ESTRATÉGICOS Para fortalecer o entendimento da Rede de Referência Divinópolis Sustentável sobre a situação do rio e apoiar um planejamento mais efetivo, foram trazidos interlocutores estratégicos que, ao longo dos encontros, responderam às perguntas que mais geravam inquietação no grupo. Os convidados indicaram caminhos, desafios e a situação de alguns projetos, além de apresentarem aspectos por vezes desconhecidos. Esse diálogo foi fundamental para delimitar as ações no âmbito do Plano de Futuro. A realização das entrevistas possibilitou ao grupo compreender ainda mais o cenário atual de DivinóNome

polis, principalmente no que diz respeito às ações existentes e às que precisam ser feitas em direção à revitalização do Rio Itapecerica. Foi consenso entre os representantes da COPASA e da Defesa Civil, por exemplo, a necessidade de ações para a educação ambiental e cidadã da população. A má destinação de resíduos sólidos, seja na rede de esgoto, seja nas ruas que desembocam diretamente no rio e em seus afluentes, foi apontada como obstáculo para a saúde do rio. Adicionalmente, acarreta maiores custos à COPASA e à Prefeitura e aumenta as chances de enchentes em épocas de chuva. Entidade

Evandro Araújo

Divinópolis 100+20 [Comunicação – Prefeitura Municipal de Divinópolis]

Dreyfus Rabelo

Coordenador da Defesa Civil e secretário municipal de Operações Urbanas – Prefeitura Municipal de Divinópolis

Jairo Gomes Viana Representante da SOS Rio Itapecerica

18

José Elísio

Apresentação Projeto Cidade Tecnológica

Jussara Manata

Analista de Programas Comunitários do Distrito do Alto Pará - COPASA

Ronaldo Dias

Gerente do Distrito do Alto Pará – COPASA


PROJETOS O cruzamento das etapas de Descoberta e Sonho levou à definição do principal objetivo do grupo: construir uma cidade melhor e sustentável, a partir das ações éticas e apartidárias, que prezam a diversidade e a cidadania, e na qual todos os integrantes compartilham o interesse por uma causa comum (uma cidade melhor e mais sustentável). O grupo é composto, inicialmente, pela Rede de Referência Divinópolis Sustentável. O grupo constituiu uma Plataforma Cidadã Online – Divinópolis Sustentável – que se sustenta em cinco pilares, cada qual com uma coordenação própria. Essa plataforma tem como princípio somar forças, estimulando a colaboração e a cidadania, de modo transversal e complementar às ações já existentes. O objetivo é apoiar a manutenção constante da Rede de Referência Divinópolis Sustentável e a mobilização de novos integrantes em torno da criação e manutenção de uma plataforma que amplie o conhecimento e a educação e que ofereça meios para que a população possa se engajar nas mudanças.

Integrantes da Rede de Referência Divinópolis Sustentável

Atila Alves e Costa

Pâmella Gabriela Oliveira Pugas Jairo Gomes Viana

Elson Penha Silva

Fernando Leite Alvim

Maria Ângela dos Santos Oliveira

Paulo Roberto Ramos Ricardo Ferreira de Oliveira

Netty Assunção Hélcia Veriato Teixeira

Wander Luiz Pio de Sena

Sônia Diniz Borges Cunha

Para cada um dos cinco pilares foi desenhado um plano de ação. No caso da ação “Estudo e Pesquisa”, uma das linhas de atuação foi separada, com relação à investigação sobre a população ribeirinha. Além desses, foram desenhados um plano de ação geral para desenvolvimento de uma plataforma cidadã e um plano mobilizador do próprio grupo. Assim, o Plano de Futuro contempla oito ações estruturadas em projetos, apresentados a seguir.

19


Ação 1

Desenvolvimento de uma plataforma cidadã

Plano de Ação O quê?

Elaboração e manutenção de uma plataforma cidadã para envolvimento e mobilização da população divinopolitana em busca de uma cidade sustentável.

Por que?

Para criar uma cidade melhor e mais sustentável.

Como?

Por meio de ações de pesquisa, estudo, campanhas de postura, divulgação de dados de contratos públicos, divulgação de casos locais e de eventos relacionados para educar, conscientizar e mobilizar a população. Por meio de articulações intersetoriais.

Quando começa?

Novembro de 2013.

Quanto tempo dura esta ação?

Indeterminado.

Onde será realizada?

Na cidade de Divinópolis.

Quanto custa?

R$ 50.000,00 a R$ 200.000,00.

Quem são os responsáveis?

Wander Pio e Netty Assunção.

Observações

Esta ação abrigará os outros cinco itens contidos nesse plano de ação.

Ação 2

Estudos e pesquisas de ações e projetos

Plano de Ação O quê? Por que? Como?

Realizar pesquisa das ações e projetos socioambientais existentes em Divinópolis. Possuir diagnóstico do que já é realizado, alimentando a Plataforma Cidadã e direcionando esforços para atividades ainda não existentes. Montar um projeto de pesquisa; escolher os bolsistas que farão levantamento; desenvolver metodologia para a pesquisa; buscar informações; montar diagnóstico.

Quando começa?

Janeiro de 2014.

Quanto tempo dura esta ação?

Seis meses a um ano.

Onde será realizada?

Na cidade de Divinópolis.

Quanto custa?

Considerando dois bolsistas, aproximadamente R$ 600,00 por mês, mais transporte.

Quem são os responsáveis?

Pâmella Pugas, FACED, por meio do Núcleo de Pesquisas Aplicadas – NUPEC.

Observações

O custo da ação está diretamente relacionado à quantidade de bolsistas e ao tipo de trabalho que será realizado. #pesquisaDivinópolisSustentável

Ação 3

Estudos e pesquisas sobre perspectivas da população ribeirinha

Plano de Ação

20

O quê?

Realizar pesquisa com a população ribeirinha do Rio Itapecerica buscando identificar seu perfil e conhecimento sobre práticas sustentáveis.

Por que?

Possuir perfil para direcionar ações da campanha de postura com este público.

Como?

Montar um projeto de pesquisa; escolher os bolsistas que farão o levantamento; desenvolver metodologia para a pesquisa; buscar financiamento; fazer pesquisa de campo; montar perfil.

Quando começa?

Março de 2014.

Quanto tempo dura esta ação?

Um ano.

Onde será realizada?

Na cidade de Divinópolis - População que vive às margens do rio (amostragem).

Quanto custa?

Considerando dois bolsistas, aproximadamente R$ 600,00 por mês, mais transporte.

Quem são os responsáveis?

Grupo de Estudos "Educação para a Diversidade" – FUNEDI.

Observações

O custo da ação está diretamente relacionado à quantidade de bolsistas e ao tipo de trabalho que será realizado. #pesquisaDivinópolisSustentável


Ação 4

Divulgação de casos de sustentabilidade, locais ou não

Plano de Ação O quê?

Pesquisar e divulgar boas práticas e casos interessantes de sustentabilidade em Divinópolis e em outros lugares.

Por que?

Para criar estima pela cidade, estimular novas práticas entre a população.

Como?

Buscar, fazer curadoria e divulgar casos. Criar um banco de dados de práticas sustentáveis. Divulgar por meio de posts ou campanhas.

Quando começa?

Setembro de 2013.

Quanto tempo dura esta ação?

Indeterminado.

Onde será realizada?

Na cidade de Divinópolis.

Quanto custa?

Trabalho voluntário da Rede de Referência Divinópolis Sustentável.

Quem são os responsáveis?

Fernando Leite Alvim.

Observações

#casosustentavelDivinópolisSustentável

Ação 5

Divulgação de dados públicos e de contratos

Plano de Ação O quê?

Solicitar contratos à Prefeitura e aos órgãos prestadores de serviços para estudá-los e divulgar as datas das entregas mais importantes.

Por que?

Para levar a capacidade de gestão das questões de interesse público a todos os cidadãos.

Como?

Analisando os contratos, fazendo o relacionamento com os seus signatários, entendendo os contratos e o que deve ser cobrado (data e principais entregas), entendendo o que já está sendo feito, disponibilizando essa informação de forma clara para a população por meio de posts e da criação de “contratômetros”.

Quando começa?

Novembro de 2013.

Quanto tempo dura esta ação?

Indeterminado.

Onde será realizada?

Na cidade de Divinópolis.

Quanto custa?

Trabalho voluntário da Rede de Referência Divinópolis Sustentável.

Quem são os responsáveis?

Wander Pio de Sena e Netty Assunção.

Observações

#contratometroDivinopolisSustentável

Ação 6

Promover e divulgar eventos relacionados à sustentabilidade

Plano de Ação O quê? Por que? Como?

Promover eventos, campanhas e ações voltadas a temas ecológicos e de sustentabilidade. Sensibilizar, incentivar e cativar o cidadão divinopolitano para que ele exercite sua consciência socioambiental. Desenvolver cronograma de eventos anual, destacando as datas ecológicas; articular eventos com setores sociais envolvidos na temática a ser discutida; realizar eventos.

Quando começa?

Janeiro de 2014.

Quanto tempo dura esta ação?

Periódica, com articulação mensal.

Onde será realizada?

Na cidade de Divinópolis.

Quanto custa?

Relacionado à demanda de cada evento.

Quem são os responsáveis?

Maria Angela Oliveira e Pâmella Pugas.

Observações

Para a efetividade desta ação é primordial a parceria com outros segmentos (captação de recursos).

21


Ação 7

Campanha de postura | Chamada da população para a ação

Plano de Ação O quê? Por que? Como?

Campanha educativa para mobilizar os cidadãos para pôr em prática posturas cidadãs, seja em direitos seja em deveres, em Divinópolis. Para ajudar na formação de uma consciência cidadã, onde cada um exercite os seus direitos e deveres cotidianamente. Identificando ações que possam engajar a população e transformando-as em campanhas de chamada para ação.

Quando começa?

Dezembro de 2013.

Quanto tempo dura esta ação?

Indeterminado.

Onde será realizada?

Na cidade de Divinópolis.

Quanto custa?

Trabalho voluntário da Rede de Referência Divinópolis Sustentável.

Quem são os responsáveis?

Maria Angela Oliveira e Netty Assunção.

Observações

#campanhadeposturaDivinópolisSustentável

Ação 8

Mobilizar o grupo e receber novos parceiros

Plano de Ação

22

O quê?

Realizar constantemente a mobilização do grupo e a recepção de novos membros.

Por que?

Para manter o grupo ativo e impulsionar o seu potencial transformador.

Como?

Utilizando soluções tecnológicas de rede e/ou CRM.

Quando começa?

Setembro de 2013.

Quanto tempo dura esta ação?

Indeterminado.

Onde será realizada?

Na cidade de Divinópolis.

Quanto custa?

Trabalho voluntário da Rede de Referência Divinópolis Sustentável.

Quem são os responsáveis?

Wander Pio de Sena.

Observações

Iniciativa transversal aos planos de ação do grupo.


O futuro construído no presente

A partir de setembro de 2013, os sonhos dos cidadãos envolvidos no projeto Cooperação para uma Cidade mais Sustentável do APL de Fundição de Divinópolis passaram do imaginário individual para um levante coletivo em prol de uma cidade melhor para se viver. Ao longo dos encontros, esses desejos puderam ser materializados em um plano objetivo de intervenção. Durante a elaboração do plano, algumas das linhas de ação desenhadas pelo grupo já saíram do papel, como o levantamento de boas práticas sustentáveis e até mesmo a criação de eventos de diálogo para melhor compreensão da realidade que se deseja mudar. Assim, os integrantes da rede de referência se habituaram a elencar e compartilhar entre si práticas sustentáveis divinopolitanas. Os responsáveis por cada linha de ação já têm se reu-

nido para estudar as melhores formas de colocá-las em prática. Membros do poder público e da COPASA têm sido contatados para ouvir as dúvidas e questões das pessoas que participam da rede de referência. A partir de dezembro de 2013, Divinópolis Sustentável ocupará as redes sociais, onde ficará incubada por alguns meses até se transferir para a sua própria Plataforma Cidadã. Nesse processo, as principais linhas da ação do Plano de Futuro terão um ano para serem colocadas em prática, transformando, assim, a realidade da cidade de forma efetiva, por meio do trabalho de um grupo forte, comprometido e independente. Os projetos aqui descritos são apenas o começo de um processo de desenvolvimento pautado pela sustentabilidade e legitimado pela participação social.

GOVERNANÇA As características da Rede de Referência Divinópolis Sustentável resultaram em um coletivo responsável pela definição das principais linhas de ação contidas no Plano de Futuro para uma Divinópolis Sustentável, o qual se divide entre coordenadores de ações, mobilizadores e componentes da rede de referência. Todo o coletivo se apoiará na realização das iniciativas propostas para cada linha de ação, sendo o coordenador apenas o principal responsável por aquela atividade.

A Rede de Referência Divinópolis Sustentável não é um grupo fechado, pelo contrário, é um coletivo orgânico aberto a novos participantes. Para isso, o grupo entende que é necessário promover: • A elevação do conhecimento entre os divinopolitanos (educação e cidadania). • A sensibilização, mobilização e engajamento da população para a cidadania e a sustentabilidade. • A articulação intersetorial.

23


Atribuições > Rede de Referência – No âmbito da articulação e levantamento de demandas e oportunidades de ação, garantir a sustentabilidade do projeto com o compromisso de manter um cenário favorável ao diálogo, de garantir a integração e a cooperação intersetorial e de ampliar a rede, agregando novos participantes. Apoiar a execução de todas as linhas de ação e da Plataforma Cidadã Divinópolis Sustentável. > Conselho de Coordenação – No âmbito da gestão das ações realizadas, coordenar a rede, acompanhando o andamento das atividades de cada coordenadoria e o resultado geral do projeto. Comparecer às reuniões do grupo, estimular parcerias com outras partes interessadas. > Mobilizador – Criar agenda de atividades internas, sempre em consonância com o responsável pela Coordenação da Agenda de Eventos. Relacionar-se com todos os participantes, conciliar agendas, buscar a integração do grupo e as melhores formas para atrair as pessoas para os encontros. > Coordenador de Estudo e Pesquisa – Estar atento às demandas relativas a fontes de conhecimento sobre a cidade. Realizar pesquisas sobre sustentabilidade e segmentos específicos da população, buscando identificar seu perfil e conhecimento sobre práticas sustentáveis. Montar projetos de pesquisa; escolher os bolsistas que farão levantamento; desenvolver metodologia para pesquisa; buscar financiamento; fazer pesquisa de campo; montar perfil e divulgar dados.

> Coordenador de Divulgação de Boas Práticas em Sustentabilidade – Coordenar atividades de busca, curadoria e divulgação de casos interessantes. Criar um relacionamento aberto com a população, estando acessível para receber indicações de casos. Alimentar o banco de práticas sustentáveis e mantê-lo atualizado. Criar posts para divulgação. > Coordenador de Divulgação de Contratos e Dados Públicos – Relacionar-se com órgãos públicos e privados, coordenar a solicitação de contratos a estes órgãos, o estudo e a apuração das principais entregas. Criar material de comunicação compreensível para a população, transformar os dados de contratos em um “contratômetro” e divulgar essas informações. > Coordenador de Promoção e Divulgação de Eventos – Buscar eventos relacionados à Sustentabilidade em Divinópolis e criar a agenda de eventos do grupo. Alimentar e comunicar ao grupo a agenda conjunta de eventos. Articular parcerias com outras instituições para a realização de eventos (COPASA, FIEMG, faculdades, Prefeitura, etc.). > Coordenador de Campanha de Postura – Identificar problemas coletivos e as melhores formas de resolvê-los via mobilização social. Coordenar o desenho de ações para a solução de tais problemas, criar campanhas, estabelecer articulações e divulgar via Plataforma e redes sociais.

Conselho de Coordernação Todos os coordenadores

Mobilizador Wander Pio de Sena

Coordenador de Estudo e pesquisa Pâmella Pugas

24

Coordenador de Divulgação de Boas Práticas em Sustentabilidade

Coordenador Divulgação de Contratos e dados públicos

Coordenador de Promoção e divulgação de eventos

Fernando Leite Alvim

Wander P. de Sena e Netty Assunção

Pâmella Pugas e Maria Angela Oliveira

Coordenador de Campanhas de Postura | Chamada para a Ação Netty Assunção e Maria Angela Oliveira


Passos futuros

Espera-se que o grupo continue se reunindo, atraindo interessados e atuando em prol da construção de uma Divinópolis Sustentável, visando ao fortalecimento da rede de referência e à consolidação da Plataforma Cidadã Divinópolis Sustentável, em que os cinco pilares

O grupo já tem definida sua agenda de 2014, estabelecendo o compromisso de promover encontros mensais, todas as últimas quartas-feiras do mês, das 13h00 às 15h00.

de ação poderão se desenvolver plenamente.

Mês Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro

Dia 07, terça-feira 29, quarta 26, quarta 26, quarta 30, quarta 28, quarta 25, quarta 30, quarta 27, quarta 24, quarta 29, quarta 26, quarta 17, quarta

Encontros Hora O quê 14h às 17h Encontro de avaliação do projeto 13h às 15h Encontro do grupo 13h às 15h Encontro do grupo 13h às 15h Encontro do grupo 13h às 15h Encontro do grupo 13h às 15h Encontro do grupo 13h às 15h Encontro do grupo 13h às 15h Encontro do grupo 13h às 15h Encontro do grupo 13h às 15h Encontro do grupo 13h às 15h Encontro do grupo 13h às 15h Encontro do grupo 13h às 15h Encontro do grupo

PLATAFORMA CIDADÃ

DIVINÓPOLIS SUSTENTÁVEL

Entender a cidade

LINHAS DE AÇÃO

RESPONSÁVEIS

CRONOGRAMA

Sensibilizar o cidadão

Praticar cidadania

Coordenação de estudo e pesquisa

Coordenação de divulgação de dados públicos

Promoção e divulgação de eventos

Coordenador de Divulgação de Boas Práticas em Sustentabilidade

Campanhas de postura | Chamada para ação

Pâmella Pugas

Wander Pio de Sena e Netty Assunção

Pâmella Pugas e Maria Angela Oliveira

Fernando Leite Alvim

Netty Assunção e Maria Angela Oliveira

A partir de janeiro 2014

A partir de novembro 2013

A partir de janeiro 2014

A partir de setembro 2013

A partir de dezembro 2013

25


Participantes do projeto

Afonso Gonzaga

Dreyfus Rabello

Jussara Pereira Manata

Patrícia Medeiros Amaral

Anderson Willian dos Santos

Evandro Araújo

Lilian Fernanda Silva

Paulo César

Átila Alves e Costa

Elson Penha Silva

Lucas de Sena Silva

Paulo Roberto Ramos

Annita de Lima Franca

Fabiana de Cássia Lima

Marcia Maria Martins França

Rafael Baía Capanema

Antônio Carlos Pereira

Fabio Silva Rocha

Marcos Fábio Ferreira

Ricardo Henrique Alvim

Adriano Guimarães Parreira

Fernando Leite Alvim

Marcos Vinícius Pereira

Ricardo Ferreira

Antonio Maria Claret Ribeiro

Guilherme Dionísio

Marcos Vilela

Ronaldo Augusto Dias

Anderson Saleme

Helcia Veriato

Mariana Domingos

Tânia A. Silva Oliveira

Bernadete Campolina

Jairo Gomes Viana

Maria Ângela dos Santos Oliveira

Túlio Pereira de Sá

Carlos Moacir Meira Aguiar

Janua Coeli S. Nogueira

Marina Angélica C. Oliveira

Sônia Diniz Borges Cunha

Carlos Raimundo Rocha

João Cordeiro dos Santos

Mônica Rodrigues Ramalho

Wander Luiz Pio de Sena

Cida Valério

Josiane Ligia da Silva

Netty Assunção

Cristiano Jácome

José Elisio Batista

Pâmella Pugas

Ficha técnica Equipe gestora da FIEMG

Coordenação Técnica de Projeto

Afonso Gonzaga

Camila Montevechi Soares

Simone Pinto Lopes

Danielle Helena Burgarelle

Equipe gestora do SIFUMG

Articulação com a comunidade e facilitação

Afonso Gonzaga

Camila Montevechi Soares

Equipe gestora da EGL

Danielle Helena Burgarelle

Roseli Carvalho Dias

Natalia Menhem

Equipe técnica da Herkenhoff & Prates

Coordenação de Monitoramento e Avaliação

Direção Técnica

Carmelita Zilah Veneroso

Cristina Bellia Margoto

Comunicação

Guilherme Alberto Rodrigues

Coordenação e edição

Mário Herkenhoff

Inez de Oliveira – IF Comunicação

Concepção e Coordenação Geral

Revisão

Francisca Schaich Prates

Maria Inês Caravaggi e Abgail Cardoso

Natalia Menhem

Projeto gráfico Simone Chacham

26


Com 30 anos de atuação no mercado, a Herkenhoff & Prates (H&P) é uma empresa de consultoria que solidificou experiências em monitoramento e avaliação de projetos, diagnósticos e pesquisas, responsabilidade social empresarial e sustentabilidade, gestão e recursos humanos. Por meio de sua equipe técnica multidisciplinar, composta por especialistas, mestres e doutores e por consultores ad hoc, a H&P é capaz de atender às demandas dos seus clientes de forma customizada, com agilidade, segurança e eficácia. Rua Alvarenga Peixoto, 1408, sala 1304 Santo Agostinho - Belo Horizonte Minas Gerais - Brasil - CEP 30180 212 Tel: + 55 31 3292 2855 hep@hpconsultores.com.br www.hpconsultores.com.br


Plano de Futuro para uma Divinópolis Sustentável  
Plano de Futuro para uma Divinópolis Sustentável  
Advertisement