Page 1

ANO XXXII 66 13 a 15/04/2019

NESTA EDIÇÃO Clipping Geral: Ministério Público Justiça Clipping Específico: Patrimônio Cultural Saúde


Grande BH. Empresa pediu licença ao zação Estado minerar na cidade; audiência hoje parapara desmatar 130 hectares de área remanesMinistro da Cidadania Tempo em BH Outro lado Cidades 31° cente de Mata Atlântica, on22

UMIDADE

Mi

7 Gerdau quer explorar ár Gerdau quer explorar área de proteção ambiental em proteção ambiental em Moeda 22

O TEMPO Belo Horizonte

SÁBADO, 13 DE ABRIL DE 2019

UMIDADE

31° Máxima

O TEMPO Belo Horizonte

A previsão para a Máxima capital hoje é de sol Máxima com nuvens pela 96% Mínima manhã. À tarde e à 60% Mínima O TEMPO - P. 22 - 13/04/2019 noite, deve chover. SÁBADO, 13 DE ABRIL DE 2019

Tempo em BH

TEL: (31) 2101-3930 Editora: Carla Alves carla.alves@otempo.com.br e-mail: cidades@otempo.com.br

TEL: (31) 2101-3930 20° Editora: Carla Alves UMIDADE carla.alves@otempo.com.br de vai ficar a pilha de estéril. Tempo em BH Grande BH. Empresa pediu licença ao Estado para minerar na cidade; audiência hoje vai discutir riscos e danos 31° A previsão para a e-mail: cidades@otempo.com.br Máxima O impacto negativo já comeMáxima 96% Mínima 60%

Mínima

A previsão para a capital hoje é de sol com nuvens pela manhã. À tarde e à noite, deve chover.

Atendimento ao assinante: 2101-3838

Nota. A empresa afirmou que o projeto não afeta a 2 explorar área de 20° ça a ser sentido.Gerdau Em caso dequerárea ela prometeu pro- (a Atendimento ao assinante: 2101-3838 Qualque o objetivo da visita implantação da proteção mina, várias ambiental em Moeda teger. Segundo a Gerdau, Brumadinho)? nascentes serão mortas”, diz estudos ambientais e docuGrande BH. Empresa pediu licença ao Estado para minerar na cidade; audiência hoje vai discutir riscos e danos Estive aqui logo depoisGdo o conselheiro do Comitê da mentos necessários paraOsmar a desastre (rompimento Terrada Bacia Hidrográfica do Paraoobtenção do licenciamenbarragem). Uma coisa que peba, Cleverson Vidgal. to já foram protocolados.

Cidades 20°

Máxima 96% Mínima 60%

Mínima

capital hoje é de sol com nuvens pela manhã. À tarde e à noite, deve chover.

TEL: (31) 2101-3930 Editora: Carla Alves carla.alves@otempo.com.br e-mail: cidades@otempo.com.br

Atendimento ao assinante: 2101-3838

LEO FONTES - 21.4.2013

Especialistas são contra e preveem morte de nascentes com criação de mina

¬ TATIANA LAGÔA ¬ A Gerdau Açominas quer

avançar as operações para a zona de amortecimento de duas importantes áreas de proteção ambiental que ficam entre Itabirito e Moeda, na região metropolitana. A empresa entrou com um pedido de licença junto ao governo do Estado para implantar uma cava de exploração de minério de ferro e montar uma nova pilha de estéril – para armazenar os resíduos minerários – próximo ao Monumento Natural da Serra da Moeda e à Estação Ecológica de Arêdes. Os riscos para o abastecimento de água da região serão debatidos hoje, em audiência na Câmara de Moeda. A Gerdau quer ampliar o projeto Várzea do Lopes com a abertura de lavra de minério de ferro, extraindo 1,5 milhão de toneladas por ano. As cerca de 30 milhões de toneladas de minério bruto exploradas em 21 anos, previstos em projeto, vão ser transportadas em caminhões até uma usina em Ouro Branco, distante 60 km da mina. “O empreendimento está em cima da zona de amortecimento das áreas de proteção. Antes de ter as licenças, a Gerdau já conseguiu autorização para desmatar 130 hectares de área remanescente de Mata Atlântica, onde vai ficar a pilha de estéril. O impacto negativo já começa a ser sentido. Em caso de implantação da mina, várias nascentes serão mortas”, diz o conselheiro do Comitê da Bacia Hidrográfica do Paraopeba, Cleverson Vidgal. As nascentes abastecem

o chamado ribeirão do Silva, que desemboca no rio das Velhas, acima da captação de Honório Bicalho, da Copasa. E é justamente desse ponto onde é retirada parte da água que abastece a capital: “Em médio prazo, haverá impactos para BH e as cidades do entorno”. O presidente da Câmara de Vereadores de Moeda, Silvânio Alves, disse que propôs a audiência pública para que a população tenha conhecimento da proposta. “As pessoas estão muito preocupadas. Os moradores têm direito de conhecer o projeto”, disse. Não é a primeira vez que a Gerdau tem empreendimentos na região questionados. Em 2009, o Ministério Público contestou o fato de a empresa explorar a mina Várzea do Lopes por meio de Autorizações Ambientais de Funcionamento (AAFs), que não são as licenças adequadas para estrutura com maior potencial de dano. O órgão exigiu que a siderúrgica fizesse uma série de benfeitorias para amenizar os impactos já causados. Nem todas foram cumpridas. “A empresa prometeu várias coisas, como a criação de um corredor ecológico, e não cumpriu. Agora, recorre ao Estado para explorar a região sem cumprir as condicionantes. Algo tem que ser feito”, diz a presidente da ONG Serra Viva, Rosângela Maciel. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) foi procurada, mas não respondeu.

Minientrevista

Ministro da Cidadania

Qual o objetivo da visita (a Brumadinho)? Estive aqui logo depois do desastre (rompimento da barragem). Uma coisa que nos preocupou desde o início foi o prolongamento da tragédia com a depressão econômica, que a gente estava prevendo e que está acontecendo. Temos que, de alguma maneira, evitar que a depressão econômica piore. Então, o governo federal organizou uma força-tarefa, que estou coordenando. É uma conjunção de esforços muito positiva. Vamos ter parceria privada e com estatais.

U v verno a ativ Brum tropo criaçã tem p dania rismo nio, qu reunid do Est Se recons ná-la miner ele, há social turism tante jo pro Os

nos preocupou desde o início foi o prolongamento da tragédia com a depressão o chamado ribeirão do Silva, Especialistas são Especialistas são econômica, que a gente esMinientrevista Erros tiram 33 de lista de mortos contra e preveem que desemboca no rio das Vetava prevendo e que está morte de nascentes contra e preveem G lhas, acima da captação de Hocom criação de mina acontecendo. Temos que, Osmar nório Bicalho, da Copasa. E é morte de¬¬nascentes deSegundo algumao Executivo, maneira, “o evitar Terra di¬ A Vale pretende construir Visita a Brumadinho justamente desse ponto onde com criação de mina é retirada parte da água que que a depressão econômianunciam que teria forçaforça-tarefa para suportar o um dique para conter os rejei- Ministros 7 ca piore. Então, o governo abastece a capital: “Em médio tos de uma possível ruptura da dobro da capacidade de rejeitos prazo, haverá impactos para ¬ TATIANA LAGÔA federal hoje organizou uma forna barragem”. A barragem Sul Superior, em Ba- presentes BHmonumento e as cidades natural do entorno”. ¬Mina A Gerdau Açominas quer Vale fará muro para conter rejeito ça-tarefa, que estou Projeto. seria implantada perto de da serra da Moeda, na região metropolitana murão de Cocais, na região Cen- previsão de construção docoorO presidente da Câmara avançar as operações para a É uma conjunde acordo com Santos, é de tral do Estado. A proposta, ro,denando. zona de amortecimento de de Vereadores de Moeda, Silde“Já esforços posidias: devemmuito começar a apresentada pela mineradora 20ção duas importantes áreas de vânio Alves, disse que propôs Inderdições tiva. Vamos ter parceria obra no mês que vem”. A Vale anteontem, foi confirmada peproteção ambiental que ficam a audiência pública para que a não tem estimatilo prefeito da cidade, Décio informou privadaque e com estatais. entre Itabirito Moeda, na re- população tenha conhecimenDecisão. A 2ª VaraeCível e de va de valores. (Laura Maria) dos Santos (PV). A Polícia Civil investiga possíveis irregularidades na “AsFONTES pessoas es-tiram 33 de lista de mortos gião metropolitana. A empre- to da proposta. LEO - 21.4.2013 Inderdições Erros Execuções Fiscais da Comarca O senhor pode detalhar? lista de desaparecidos no rompimento da barragem da muito preocupadas. Os sa entrou com um pedido de tão de Sabará expediu liminar têm direito dena co-região metropolitana. Só anlicença junto ao governo do moradores Vamos organizar isso hoje. Vale em Brumadinho, Minientrevista que determina a interrupção o projeto”, disse. Estado para implantar uma nhecer Temos um cardápio de proteontem, o número de pessoas não localizadas passou de qualquer a primeira vez que aa Defesa Civil. De acordo com as cava deatividade exploraçãoque de minégramas que vamos colocar deNão 68 épara 52, segundo tem empreendimentos rio dede ferro e montar uma no- Gerdau eleve risco rompimento para funcionar. E uma coiautoridades, fraudes e erros motivaram a mudança. Anquestionados. va pilha deGalego estéril –epara arma- na região Visita a Brumadinho Em das barragens sa muito importante é a teriormente, 17 nomes já haviam sido removidos da 2009, o Ministério Público conzenar os resíduos minerários Outro lado Dique da Pilha 1, na mina Ministros anunciam força-tarefa mudança do arranjo produrelação. Até o momento, 225 mortes foram confirmadas. Nota. A empresa afirmou o fato de a empresa explotestou – próximo ao Monumento que o projeto não afeta a Córrego do Meio, em Sabará.Nativo local. Temos que fazer 7Várzea do Lopes por área que ela prometeu rar apromina tural da Serra da Moeda e à Esteger. Segundo a Gerdau, estudos ambientais e docucom que a cidade não fimeio Autorizações Ambientação Ecológica de Arêdes. Os mentos necessários para de a obtenção do licenciamentais de Funcionamento (AAFs), que tão dependente da miriscos para o abastecimento to já foram protocolados. de água da região serão deba- que não são as licenças adequaneração. Que possa ter arMinistro da Cidadania para estrutura com maior potidos hoje, Vale em fará audiência naconterdas ranjos produtivos na área muropara rejeito tencial de dano. O órgão exigiu Câmara de Moeda. ¬ do turismo, por exemplo, A Gerdau quer ampliar o que a siderúrgica fizesse uma Projeto. Mina seria implantada perto de monumento natural da serra da Moeda, na regiã que pode ser muito forte. As nascentes abastecem

erar na cidade; audiência hoje vai discutir riscos e danos

plorar área de ental em Moeda LEO FONTES - 21.4.2013

TATIANA LAGÔA

A Gerdau Açominas quer avançar as operações para a zona de amortecimento de duas importantes áreas de proteção ambiental que ficam entre Itabirito e Moeda, na região metropolitana. A empresa entrou com um pedido de licença junto ao governo do Estado para implantar uma cava de exploração de minério de ferro e montar uma nova pilha de estéril – para armazenar os resíduos minerários – próximo ao Monumento Natural da Serra da Moeda e à Estação Ecológica de Arêdes. Os riscos para o abastecimento de água da região serão debatidos hoje, em audiência na Câmara de Moeda. A Gerdau quer ampliar o projeto Várzea do Lopes com a abertura de lavra de minério de ferro, extraindo 1,5 milhão de toneladas por ano. As cerca de 30 milhões de toneladas de minério bruto exploradas em 21 anos, previstos em projeto, vão ser transportadas em caminhões até uma usina em Ouro Branco, distante 60 km da mina. “O empreendimento está em cima da zona de amortecimento das áreas de proteção. Antes de ter as licenças, a Gerdau já conseguiu autorização para desmatar 130 hectares de área remanescente de Mata Atlântica, onde vai ficar a pilha de estéril. O impacto negativo já começa a ser sentido. Em caso de implantação da mina, várias nascentes serão mortas”, diz o conselheiro do Comitê da Bacia Hidrográfica do Paraopeba, Cleverson Vidgal. As nascentes abastecem

o chamado ribeirão do Silva, que desemboca no rio das Velhas, acima da captação de Honório Bicalho, da Copasa. E é justamente desse ponto onde é retirada parte da água que abastece a capital: “Em médio prazo, haverá impactos para BH e as cidades do entorno”. O presidente da Câmara de Vereadores de Moeda, Silvânio Alves, disse que propôs a audiência pública para que a população tenha conhecimento da proposta. “As pessoas estão muito preocupadas. Os moradores têm direito de conhecer o projeto”, disse. Não é a primeira vez que a Gerdau tem empreendimentos na região questionados. Em 2009, o Ministério Público contestou o fato de a empresa explorar a mina Várzea do Lopes por meio de Autorizações Ambientais de Funcionamento (AAFs), que não são as licenças adequadas para estrutura com maior potencial de dano. O órgão exigiu que a siderúrgica fizesse uma série de benfeitorias para amenizar os impactos já causados. Nem todas foram cumpridas. “A empresa prometeu várias coisas, como a criação de um corredor ecológico, e não cumpriu. Agora, recorre ao Estado para explorar a região sem cumprir as condicionantes. Algo tem que ser feito”, diz a presidente da ONG Serra Viva, Rosângela Maciel. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) foi procurada, mas não respondeu.

Projeto. Mina seria implantada perto de monumento natural da serra da Moeda, na região metropolitana

Valefarámuroparaconterrejeito Inderdições

Decisão. A 2ª Vara Cível e de Execuções Fiscais da Comarca de Sabará expediu liminar que determina a interrupção de qualquer atividade que eleve risco de rompimento das barragens Galego e Dique da Pilha 1, na mina Córrego do Meio, em Sabará.

A Polícia Civil investiga possíveis irregularidades na lista de desaparecidos no rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na região metropolitana. Só anteontem, o número de pessoas não localizadas passou de 68 para 52, segundo a Defesa Civil. De acordo com as autoridades, fraudes e erros motivaram a mudança. Anteriormente, 17 nomes já haviam sido removidos da relação. Até o momento, 225 mortes foram confirmadas.

Ministro da Cidadania Outro lado

Nota. A empresa afirmou que o projeto não afeta a área que ela prometeu proteger. Segundo a Gerdau, estudos ambientais e docu-

Qual o objetivo da mentos visita (a para a necessários obtenção do licenciamenBrumadinho)? to já foram protocolados. Estive aqui logo depois do desastre (rompimento da barragem). Uma coisa que nos preocupou desde o iníSegundo o Executivo, “o di¬A Vale pretende construir um dique para conter os rejei- que teria força para suportar o cio foi o prolongamento da tos de uma possível ruptura da dobro da capacidade de rejeitos presentes hoje na barragem”. A barragem Sul Superior, tragédia comem Baa depressão rão de Cocais, na região Cen- previsão de construção do mude acordo com Santos, é de tral do Estado. A proposta, econômica, que a ro, gente esapresentada pela mineradora 20 dias: “Já devem começar a tava prevendo que está no mês que vem”. A Vale anteontem, foi confirmada pe-e obra lo prefeito da cidade, Décio informou que não tem estimatiacontecendo. Temos que, va de valores. (Laura Maria) dos Santos (PV). de alguma maneira, evitar que a depressão econômica piore. Então, o governo federal organizou uma força-tarefa, que estou coordenando. É uma conjunção de esforços muito positiva. Vamos ter parceria privada e com estatais.

Erros tiram 33 de lista de mortos Projeto. Mina seria implantada perto de monumento natural da serra da Moeda, na região metropolitana

Decisão. A 2ª Vara Cível e de Execuções Fiscais da Comarca de Sabará expediu liminar que determina a interrupção de qualquer atividade que eleve risco de rompimento das barragens Galego e Dique da Pilha 1, na mina Córrego do Meio, em Sabará.

A Polícia Civil investiga possíveis irregularidades na lista de desaparecidos no rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na região metropolitana. Só anteontem, o número de pessoas não localizadas passou de 68 para 52, segundo a Defesa Civil. De acordo com as autoridades, fraudes e erros motivaram a mudança. Anteriormente, 17 nomes já haviam sido removidos da relação. Até o momento, 225 mortes foram confirmadas.

O senhor pode detalhar? Vamos organizar isso hoje. Temos um cardápio de programas que vamos colocar para funcionar. E uma coisa muito importante é a mudança do arranjo produtivo local. Temos que fazer com que a cidade não fique tão dependente da mineração. Que possa ter arranjos produtivos na área do turismo, por exemplo, que pode ser muito forte.

ALEX DE JESUS

Uma força-tarefa envolvendo ministérios e governos vai tentar recuperar a atividade econômica de Brumadinho, na região metropolitana. O anúncio da criação do grupo foi feito ontem pelos ministros da Cidadania, Osmar Terra, e do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que estiveram na cidade reunidos com autoridades do Estado e do município. Segundo Terra, a meta é reconstruir a cidade para torná-la mais independente da mineração. De acordo com ele, há projetos para as áreas social, de esportes, cultura e turismo. “Uma coisa importante é a mudança do arranjo produtivo local”, disse. Os projetos deverão ser

Autoridades prometeram apresentar propostas em três semanas

apresentados em até três semanas, conforme informou o ministro, que não adiantou o investimento a ser feito, mas garantiu R$ 5 milhões para a construção de cisternas para agricultores.

Já o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, anunciou a implantação de um trem para conectar Brumadinho a BH: “A autorização foi dada. Deve andar rápido”. (Mariana Nogueira)

Qual investimento está previsto? São valores que dependem. Só na minha área, temos R$ 5 milhões para colocar aqui em cisternas para os agricultores que estão na beira do rio com a água contaminada. Com esse valor, dá pra criar mil cisternas. Além disso, queremos criar um parque de cidadania, recuperar o teatro daqui e transformá-lo em uma escola de teatro. Vamos dar um impulso muito forte na economia e nas áreas social, de turismo, cultura e esportes. Hoje, vamos nos dividir em quatro ou cinco grupos de trabalho e apresentar já as propostas em até três semanas. (Mariana Nogueira)

O senhor pode detalhar? Vamos organizar isso hoje. Temos um cardápio de programas que vamos colocar para funcionar. E uma coisa muito importante é a mudança do arranjo produtivo local. Temos que fazer com que a cidade não fique tão dependente da mineração. Que possa ter arranjos produtivos na área do turismo, por exemplo, que pode ser muito forte.

G

Osmar Terra

ALEX DE JESUS

Visita a Brumadinho

Uma força-tarefa envolvendo ministérios e governos vai tentar recuperar a atividade econômica de Brumadinho, na região metropolitana. O anúncio da criação do grupo foi feito ontem pelos ministros da Cidadania, Osmar Terra, e do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que estiveram na cidade reunidos com autoridades do Estado e do município. Segundo Terra, a meta é reconstruir a cidade para torná-la mais independente da mineração. De acordo com ele, há projetos para as áreas social, de esportes, cultura e turismo. “Uma coisa importante é a mudança do arranjo produtivo local”, disse. Os projetos deverão ser

Qual investimento está previsto? São valores que dependem. Só na minha área, temos R$ 5 milhões para colocar aqui em cisternas para os agricultores que estão na beira do rio com a água contaminada. Com esse valor, dá pra criar mil cisternas. Além disso, queremos criar um parque de cidadania, recuperar o teatro daqui e transformá-lo em uma escola de teatro. Vamos dar um impulso muito forte na economia e nas áreas social, de turismo, cultura e esportes. Hoje, vamos nos dividir em quatro ou cinco grupos de trabalho e apresentar já as propostas em até três semanas. (Mariana Nogueira)

Ministros anunciam força-tarefa A Vale pretende construir um dique para conter os rejeitos de uma possível ruptura da barragem Sul Superior, em Barão de Cocais, na região Central do Estado. A proposta, apresentada pela mineradora anteontem, foi confirmada pelo prefeito da cidade, Décio dos Santos (PV).

Segundo o Executivo, “o dique teria força para suportar o dobro da capacidade de rejeitos presentes hoje na barragem”. A previsão de construção do muro, de acordo com Santos, é de 20 dias: “Já devem começar a obra no mês que vem”. A Vale informou que não tem estimativa de valores. (Laura Maria)

Autoridades prometeram apresentar propostas em três semanas

apresentados em até três semanas, conforme informou o ministro, que não adiantou o investimento a ser feito, mas garantiu R$ 5 milhões para a construção de cisternas para agricultores.

Já o ministro do Turismo,

Marcelo Álvaro Antônio, projeto Várzea do Lopes com série de benfeitorias para amenianunciou a implantação de ALEX DE JESUS um trem para conectar Brua abertura de lavra de miné- zar os impactos já causados. Qual o objetivo da visita (a madinho a BH: “A autorização foi dada. Deve andar rápiInderdições Qual investimento está preUma envolrio deforça-tarefa ferro, extraindo 1,5 mi- Nem todas foram cumpridas. do”. (Mariana Nogueira) Brumadinho)? visto? São valores que devendo go-As “A empresa prometeu várias lhão deministérios toneladas poreano. Estive Aaqui logo depois 2ª Vara Cível e de do A Polícia pendem. na minha área,irregularid vernoscerca vai de tentar recuperar 30 milhões de tonela- coisas, como a criação de um cor- Decisão. Civil Só investiga possíveis desastre (rompimento da redor ecológico, e não cumpriu. Execuções Fiscais da Comarca das de minério bruto exploralistatemos de desaparecidos no para rompimento da ba R$ 5 milhões a atividade econômica de Uma coisa que Vale em Brumadinho, na regiãocodebarragem). Sabará expediu liminar das em 21na anos, previstos metropolita locar aqui em cisternas paBrumadinho, região me-em Agora, recorre ao Estado para ex- que nos preocupou desde o iní- teontem, o número de pessoas não localizad determina a interrupção plorar a região sem cumprir as projeto, O vãoanúncio ser transportara os agricultores que estão tropolitana. da qualquer atividade que foi o prolongamento da de 68 das em caminhões até uma condicionantes. Algo tem que ser decio 52, segundo a Defesa Civil. De ac napara beira do rio com a água criação do grupo foi feito onrisco decom rompimento tragédia a depressão autoridades, usina em Ouro Branco, dis- feito”, diz a presidente da ONG eleve fraudes e erros motivaram a m contaminada. Com esse vatem pelos ministros da Cidadas barragens Galego e Serra Viva, Rosângela Maciel. tante 60 km da mina. já haviam sido remov econômica, que a gente es- teriormente, 17 nomes Dique da Pilha 1, na mina lor, dá pra criar mil dania, Osmar Terra, e do TuA Secretaria de Estado de “O empreendimento está mortes foram c tava prevendo e que está relação. Até o momento, 225cisterdo Meio, em Sabará. nas. Além disso, queremos rismo,em Marcelo cima daÁlvaro zona deAntôamorte- Meio Ambiente e Desenvolvi- Córrego acontecendo. Temos que, criar um parque de cidadanio, que estiveram na cidade cimento das áreas de prote- mento Sustentável (Semad) foi de alguma maneira, evitar ção. Antes ter as licenças, procurada, mas não respondeu. nia, recuperar o teatro dareunidos com de autoridades que a depressão econômia Gerdau já conseguiu autoriqui e transformá-lo em do Estado e do município. ca piore. Então, o governo zação para desmatar uma escola de teatro. VaSegundo Terra, a meta 130 é federal organizou uma forhectares de área remanesmos dar um impulso muito reconstruir a cidade para torAutoridades prometeram apresentar propostas em três semanas ça-tarefa, que estou coorrto de monumento natural da serraonda Moeda, na região metropolitana cente de Mata Atlântica, forte na economia e nas ná-la mais independente da de vai ficar a pilha de estéril. denando. É uma conjunNota. A empresa afirmou Já o ministro do Turismo, áreas social, de turismo, culapresentados em até três semineração. De acordo com O impacto negativo já comeforça-tarefa envolque o projeto não afeta a çãoUma de esforços muito posiMarcelo Álvaro Antônio, tura e esportes. Hoje, vamanas, conforme informou ele, háça projetos para as áreas a ser sentido. Em caso de vendo ministérios e goárea que ela prometeu protiva. Vamos ter parceria anunciou a implantação de mos nos dividir em quatro o ministro, que não adiansocial,implantação de esportes, cultura e da mina, várias vernos vai etentar recuperar teger. Segundo a Gerdau, privada com estatais. nascentes serão mortas”, diz a atividade econômica de touestudos o investimento ser fei- um trem para conectar Bru- ou cinco grupos de trabaturismo. “Uma imporambientaisna ea docuA Polícia Civilcoisa investiga possíveis irregularidades oaconselheiro do Comitê da to, mentos Brumadinho, região menecessáriosR$ para a madinho ana BH: “A autorizalho e apresentar já as promas garantiu tante é mudança do arranO senhor pode detalhar? listaBacia de desaparecidos no rompimento da do barragem da5 mi- tropolitana. Hidrográfica do ParaoO anúncio da rápi- postas em até três semanas. obtenção licenciamenção foi dada. Deve andar lhões para a construção de jo produtivo local”, disse. Vamos issoonhoje. Valepeba, em Brumadinho, na região metropolitana. Só anCleverson Vidgal. criação doorganizar grupo foi feito to já foram protocolados. do”. (Mariana Nogueira) (Mariana Nogueira) para agricultores. Os projetos deverão ser cisternas Temos um cardápio de teontem, o número de pessoas não localizadas passou As nascentes abastecem tem pelos ministros da Cida-prodania, Osmar e docolocar Tugramas queTerra, vamos de 68 para 52, segundo a Defesa Civil. De acordo com as rismo, Marcelo Álvaro Antôpara funcionar. E uma coiautoridades, fraudes e erros motivaram a mudança. An-

7

Erros tiram 33 de lista de m

Visita a Brumadinho

Outro lado

Erros tiram 33 de lista de mortos

Ministros anunciam força-t 7


xplos por bienAFs), equaor poxigiu uma meniados. as. várias m cormpriu. ra exrir as ue ser ONG el. do de volvid) foi ndeu.

u a prou, ocuaa ens.

to

“o dirtar o eitos m”. A o mué de çar a Vale matia)

econô tava p acont 3 de alg que a ca pio CONT... O TEMPO - P. 22 - 13/04/2019 federa ça-tar Projeto. Mina seria implantada perto de monumento natural da serra da Moeda, na região metropolitana denan ção de Inderdições tiva. privad Decisão. A 2ª Vara Cível e de A Polícia Civil investiga possíveis irregularidades na Execuções Fiscais da Comarca O senh lista de desaparecidos no rompimento da barragem da de Sabará expediu liminar Vamo Vale em Brumadinho, na região metropolitana. Só anque determina a interrupção Temo teontem, o número de pessoas não localizadas passou de qualquer atividade que grama de 68 para 52, segundo a Defesa Civil. De acordo com as eleve risco de rompimento para f autoridades, fraudes e erros motivaram a mudança. Andas barragens Galego e sa mu teriormente, 17 nomes já haviam sido removidos da Dique da Pilha 1, na mina muda relação. Até o momento, 225 mortes foram confirmadas. Córrego do Meio, em Sabará. tivo lo com q que tã neraç ranjos do tu que po

Erros tiram 33 de lista de mortos

Visita a Brumadinho

Ministros anunciam força-tarefa

ALEX DE JESUS

Uma força-tarefa envolvendo ministérios e governos vai tentar recuperar a atividade econômica de Brumadinho, na região metropolitana. O anúncio da criação do grupo foi feito ontem pelos ministros da Cidadania, Osmar Terra, e do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que estiveram na cidade reunidos com autoridades do Estado e do município. Segundo Terra, a meta é reconstruir a cidade para torná-la mais independente da mineração. De acordo com ele, há projetos para as áreas social, de esportes, cultura e turismo. “Uma coisa importante é a mudança do arranjo produtivo local”, disse. Os projetos deverão ser

7

Autoridades prometeram apresentar propostas em três semanas

apresentados em até três semanas, conforme informou o ministro, que não adiantou o investimento a ser feito, mas garantiu R$ 5 milhões para a construção de cisternas para agricultores.

Já o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, anunciou a implantação de um trem para conectar Brumadinho a BH: “A autorização foi dada. Deve andar rápido”. (Mariana Nogueira)

Qual i visto? pende temos locar a ra os a na bei contam lor, dá nas. A criar u nia, re qui e uma e mos d forte áreas s tura e mos n ou cin lho e postas (Mar


4 terra.com.br - 15 abr 2019 - 04h11

Vale negocia recuperação de barragens com Andrade Construtora vai fazer nos próximos dias análise dos locais para preparar as obras Mônica Scaramuzzo

A Vale está em negociações com a empreiteira Andrade Gutierrez para a realização de obras em suas oito barragens em Minas Gerais, apurou o Estado. Na semana passada, a mineradora acertou com a construtora fazer contrato de administração por obra. O acordo entre as duas companhias ainda depende de aprovação do conselho de administração da Vale. Pelas conversas entre as duas empresas, a Andrade Gutierrez vai começar nos próximos dias uma análise para colocar em curso seu plano para reconstruir as barragens da mineradora. Ainda não há um valor fechado para a reconstrução dessas barragens. Nas últimas semanas, a mineradora tem mantido conversas com empresas especializadas para avaliar suas barragens.

enfrenta problemas financeiros. Segundo o colunista Lauro Jardim, de O Globo, a companhia estaria em conversas com o grupo chinês Power China para firmar parcerias, com futura venda de seus negócios. De acordo com uma fonte próxima ao grupo, a Andrade não pretende se desfazer de sua participação da CCR, concessionária de rodovias, e não quer abrir mão da construtora. Procurada, a Andrade Gutierrez não comentou o assunto. Em nota, a Vale informou que "mantém contato regular com empresas especializadas para o desenvolvimento de obras de engenharia para suas operações". "A Vale segue desenvolvendo estudos relacionados à contenção de algumas estruturas, tendo como premissa a preservação das condições de segurança dos trabalhadores e da população das cidades onde tais estruturas estão localizadas." CPI

Na segunda-feira, 15, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga o rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), se reúne com representantes do Ministério Público, para troca de informações sobre a tragédia e pontos da legislação sobre segurança de barragens que podem ser Tragédia O rompimento de uma barragem da mina da aperfeiçoados. Vale - Córrego do Feijão -, em Brumadinho, no A CPI já ouviu seis pessoas, entre elas o exdia 25 de janeiro, deixou 277 vítimas entre mor-presidente da Vale Fábio Schvartsman, além de tos e desaparecidos. A tragédia de Brumadinho levou a mineradora a suspender a produção - a técnicos e engenheiros da companhia e de emcompanhia vai deixar de produzir este ano qua- presas contratadas pela mineradora que atestase 93 milhões de toneladas de minério de ferro, ram a segurança da barragem. Os depoimentos volume que responde por um quarto do total da serão retomados no próximo dia 23. capacidade de produção da mineradora. A tragédia da Vale com o rompimento da Os primeiros trabalhos da Andrade Gutierrez barragem em Brumadinho colocou em alerta os começarão a ser feitos na barragem Barão de Co- municípios mineiros que dependem da atividade cais. Um muro será construído por toda a exten- de extração de minério. Cidades como Itabira, são da barragem para conter os rejeitos antes de Nova Lima, Ouro Preto e Mariana têm 90% do o processo de descomissionamento (desativação) total de suas arrecadações atreladas à mineradoda barragem começar a ser colocado em prática. ra. No início de abril, a Vale anunciou o repasse de R$ 100 milhões a municípios mineiros que Envolvida na Operação Lava Jato, a cons- estão tendo prejuízos com a queda de arrecadatrutora Andrade Gutierrez está se desfazendo de ção provocada pela paralisação das operações da vários ativos para reduzir suas dívidas. Segundo mineradora. A empresa também negocia com o uma fonte familiarizada com a construtora, as ne- governo um repasse para o Estado de R$ 550 migociações para as obras de contenção das barra- lhões. gens da Vale darão um respiro à construtora, que


5

em.com.br - postado em 12/04/2019 19:34

Justiça interdita mais duas barragens na Grande BH

Após pedido do MPMG, juíza determinou que a suspensão das atividades nas barragens Galego e Dique da Pilha 1, em Sabará Pedro Lovisi* A Justiça Mineira determinou a interdição de mais duas barragens de propriedade da Vale localizadas na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Dessa vez, as atividades estão suspensas nas barragens Galego e Dique da Pilha 1, situadas na Mina Córrego do Meio, em Sabará. A decisão é juíza Veruska Rocha Mattedi Lucas, da 2ª Vara Cível e de Execuções Fiscais da Comarca de Sabará, e foi expedida no último dia 9. De acordo com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), órgão que apresentou ação pedindo a suspensão, com a liminar a Vale terá que contratar uma auditoria técnica independente para verificar

a estabilidade da estrutura. Além disso, a mineradora terá que elaborar um Plano de Segurança de Barragens e um Plano de Ações Emergenciais. Em caso de necessidade de realocação de pessoas, a Vale ainda terá que apresentar um plano detalhado, informando os locais onde elas serão alojadas. Seguindo os padrões das últimas liminares de interdição, a mineradora também terá que adotar medidas de preservação e resgate de bens culturais e de animais da área que seria atingida em caso de rompimento. Por fim, a magistrada estipulou uma multa de R$ 1 milhão por dia, caso a Vale não cumpra as determinações. Enquanto isso… As atividades na Barragem Laranjeiras, na Mina Brucutu, a segunda maior da Vale em Minas Gerais, poderão continuar. Em decisão protocolada nessa quinta-feira, a Justiça negou o pedido do MPMG e manteve o funcionamento do empreendimento localizado em São Gonçalo do Rio Abaixo, na Região Central do Estado.

tionava a credibilidade das declarações de estabilidade apresentadas pela Vale. No entanto, o juiz Michel Curi, da 1ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias, não aceitou os argumentos do órgão e garantiu o garantiu as atividades na estrutura. Segundo o magistrado, a mineradora comprovou que a barragem não está mais sob risco de se romper. Ele também ressaltou que a barragem não é construída pelo método a montante (utilizado nas barragens e Fundão, em Mariana, e do Córrego do Feijão, em Brumadinho, que se romperam). “Em verdade, a Barragem de Laranjeiras não sofreu sequer alteamento pela técnica celebrada como “a jusante”. Com efeito, não posso conferir credibilidade aos documentos elaborados pela ré e trazidos aos autos pelo Ministério Público, ao ponto de determinar a paralisação das atividades da requerida, sem conferir credibilidade similar a documentos, oriundos da mesma fonte, mas que agora apontam que o risco inicialmente vislumbrado não existe; ao menos quanto à Barragem Laranjeiras”, argumentou o magistrado.

Na ação, o MPMG tentava reverter uma decisão de 18 de março, em que foi *Estagiário sob supermantido o funcionamento visão da editora Liliane da estrutura. O órgão ques- Corrêa


6 ig.com.br - 15/04/2019

08:52

CPI de Brumadinho se reúne com Ministério Público nesta terça

sil

Por iG São Paulo – com informações da Agência Bra-

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga o rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), se reúne na próxima terça-feira (16) com representantes do Ministério Público, para troca de informações sobre a tragédia e pontos da legislação sobre segurança de barragens que podem ser aperfeiçoados. “A CPI terá um momento agora com o Ministério Público para pensar no reordenamento moral, ético judicial, para que casos como o de Brumadinho não se repitam”, disse a presidente do colegiado, senadora Rose de Freitas (Pode-ES).Na avaliação da senadora, os responsáveis pelo rompimento da barragem não podem ficar impunes. “Sem punição não podem ficar. Acho que agora a CPI também tem que caminhar a passos firmes, na direção da obrigatoriedade de garantir as indenizações devidas, para que as pessoas possam tentar reerguer suas vidas, e isso não está acontecendo”, disse. Oitivas Com pouco mais de duas semanas de trabalho, a CPI já ouviu seis pessoas, entre elas o ex-presidente da Vale Fábio Schvartsman, além de técnicos e engenheiros da companhia e de empresas contratadas pela mineradora que atestaram a segurança da barragem. Sem apresentar novidades, até agora foi unanimidade ouvir que a barragem estava em condições de segurança e que não se sabe o que pode ter ocasionado o rompimento da estrutura. Além dos seis já ouvidos, a CPI tentou inquirir, sem sucesso, outros dois engenheiros da empresa alemã Tüv Süd, Makoto Namba e André Yassuda, últimos a atestarem a segurança da barragem de Brumadinho. Apesar de terem ido à comissão, ambos amparados por habeas corpus concedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), se negaram a responder as perguntas dos senadores. A CPI, no entanto, pretende insistir nos depoimentos, e entrou com um recurso no STF para que eles compareçam e sejam obrigados a prestar esclarecimentos. Próximos passos Com o feriado da Semana Santa, a CPI retomará os depoimentos no próximo dia 23. “Vamos terminar de ouvir os envolvidos da Vale na área gerencial, que estavam diretamente ligados ao contrato, responsáveis pelo manejo informações internas, e logo em seguida vamos ouvir órgãos do estado como Agência Nacional de Mineração, órgãos ambientais”, adiantou o relator da CPI, senador Carlos Viana (PSD-MG).Para o senador, o último depoente da CPI, o diretor-executivo de Ferrosos e Carvão

da Vale, afastado da função desde abril, Peter Poppinga, deu a “espinha dorsal” da tragédia. Na última quinta-feira (11), o executivo indicou que um possível conflito de interesses pode responsabilizar a Tüv Süd, contratada pela Vale para auditar barragens. A empresa, segundo o dirigente, atuava em outras áreas da Vale e por isso não devia ser responsável por laudos sobre segurança de barragens. Poppinga é réu no processo que apura ocorrência do mesmo tipo em Mariana, em novembro de 2011. “Se na mineração as empresas de auditoria estão oferecendo dados não confiáveis à Agência Nacional de Mineração, isso pode estar acontecendo em outras agências fiscalizadoras. A questão das auditorias, que embasam as decisões dos órgãos fiscalizadores, pagas pelos próprios interessados, não está correta, temos que fazer uma mudança nessa lei”, defendeu Viana. Código de Mineração O senador Carlos Viana disse que um dos resultados da CPI, que deve apresentar o relatório final em julho, será uma proposta de reestruturação das agências brasileiras. A norma deverá fazer parte de um novo texto de Código de Mineração, que ele pretende apresentar com base em cerca de 32 propostas em tramitação na Câmara e no Senado . “Nós temos dezenas de projetos na área da mineração que estão na Câmara dos Deputados e no Senado, e o que sempre fazemos, em situações de tragédia, é o habitual. A gente faz uma votação sobre determinado assunto e para. Tenho conversado com membros da CPI para que a gente possa juntar todas as proposições e reorganizá-las dentro de um Código de Mineração”, disse. O senador acredita que dessa forma será mais fácil aumentar o rigor da fiscalização. Outras iniciativas A discussão em torno de um novo Código de Mineração não é novidade entre os parlamentares. Paralelamente ao trabalho da CPI, um mês após o rompimento da barragem de Brumadinho foi lido na Câmara o requerimento de criação de uma comissão especial destinada à elaboração de um novo Código de Mineração. A comissão será composta de 34 titulares e de igual número de suplentes. As lideranças tinham 48 horas para fazer as indicações, mas passados mais de 40 dias somente pouco mais da metade dos membros foram indicados e o colegiado ainda não saiu do papel.Além da CPI de Brumadinho , também tramita no Senado a proposta de novo Código de Mineração (Pls 37/11, 5807/13 e outros). O texto chegou a ter relatório apresentado, mas não foi votado em plenário. Cercado por polêmicas, o texto propõe mudanças no marco regulatório do setor, em vigor há mais de 50 anos. Fonte: Último Segundo - iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2019-04-15/cpi-de-brumadinho-se-reune-com-ministerio-publico-nesta-terca.html


7 DEFATO ON LINE - 12/04/2019 - 14H43

Vale deve adotar medidas de segurança para as barragens Galego e Diq...

https://www.defatoonline.com.br/vale-deve-adotar-medidas-de-segura...

Vale deve adotar medidas de segurança para as barragens Galego e Diq...

https://www.defatoonline.com

(https://www.facebook.com/sharer.php?u=https%3A%2F%2Fwww.defat adotar-medidas-de-seguranca-para-as-barragens-galego-e-dique-da-p (https://twitter.com/share?url=https%3A%2F%2Fwww.defatoonline.co medidas-de-seguranca-para-as-barragens-galego-e-dique-da-pilha-1-em-s ver%20Vale%20deve%20adotar%20medidas%20de%2 %C3%A7a%20para%20as%20barragens%20Galego%20e%20Dique%20da% %C3%A1%20-%20Clique para ver também%20☛% (https://plus.google.com/share?url=https%3A%2F%2Fwww.defatoonline medidas-de-seguranca-para-as-barragens-galego-e-dique-da-pilha (https://web.whatsapp.com/send?text=Vale%20deve%20adotar%20m %C3%A7a%20para%20as%20barragens%20Galego%20e%20Dique%20da% %C3%A1%20%E2%98%9B%20https%3A%2F%2Fwww.defatoonline.com.br% de-seguranca-para-as-barragens-galego-e-dique-da-pilha-1-e

Vale deve adotar medidas de segurança para as barragens Galego e Diq...

https://www.defatoonline.com.br/vale-deve-adotar-medidas-de-segura...

3 of 12

15/04/2019 08:57

4 of 12


8 Vale deve adotar medidas de seguranรงa para as barragens Galego e Diq...

https://www.defatoonline.com.br/vale-deve-adotar-medidas-de-segura...

CONT... DEFATO ON LINE - 12/04/2019 - 14H43

Vale deve adotar medidas de seguranรงa para as barragens Galego e Diq...

6 of 12

Vale deve adotar medidas de seguranรงa para as barragens Galego e Diq...

5 of 12

https://www.defatoonline.com.br/vale-deve-adotar-medidas-de-segura...

15/04/2019 08:58

https://www.defatoonline.com.br/va


9 PORTAL O TEMPO - 12/04/19 - 14h15

Região Central de MG

MP pede que Codema e Prefeitura do Serro não pautem processo de mineradora

Área pretendida pela mineradora é a mesma da Anglo American, que em 2015 teve processo similar vedado, diz promotoria Por Paula Coura O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) expediu uma recomendação para que o Conselho Municipal do Desenvolvimento do Meio Ambiente (Codema), e outra para a Prefeitura de Serro, na região Central do Estado, para que o Codema se abstenha de pautar, em sua próxima reunião, o pedido de Declaração de Conformidade da empresa Herculano Mineração. Esse documento é o primeiro passo para que a empresa entre com pedido de licenciamento ambiental na Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Semad). A próxima reunião do Codema está marcada para o dia 17 deste mês. A recomendação é que o processo não seja pautado enquanto irregularidades não forem corrigidas. Segundo adiantou o Codema nesta sexta-feira (12), há também uma recomendação da procuradoria do município para que o processo seja analisado. As duas propostas serão levadas aos conselheiros na próxima reunião. Lá, será definido se o processo da Herculano entra ou não em pauta para discussão e, posteriormente, deliberação. O documento expedido pelo MPMG no último dia 9, pede ao Codema prazo de 72 horas para responder se irá ou não cumprir essa recomendação. Esse prazo acabaria nesta sexta-feria (12). De acordo com o promotor Luís Gustavo Patuzzi Bortoncelo, há várias irregularidades no processo apresentado pela mineradora à prefeitura e um “atropelo de normas e procedimentos”. Um deles seria a dispensa de apresentação do EIA-Rima por parte da empresa.“O que chama a atenção é que existem impactos bastante significativos na área diretamente afetada. A área pretendida pela mineradora é a mesma da Anglo American, que em 2015 teve esse mesmo processo vedado”, salienta Bortoncello Segundo segundo o promotor, a inexistência de delimitação clara de qual área seria diretamente afetada pela mineradora pode impactar diretamente uma grande área de Mata Atlântica, tal como cursos d’água em toda a região. Além disso, não houve diálogo com comunidades Quilombolas na região, que seriam diretamente afetadas. “Existe um tratado internacional, do qual o Brasil é signatário, que exige que as comunidades diretamente afetadas sejam ouvidas, o que não aconteceu. Nesta comuni-

dade Quilombola existem 100 famílias que vivem exclusivamente da agricultura familiar”, frisou. Primeiro passo O Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM) protesta contra a instalação do empreendimento em Serro há anos. Em 2015, uma proposta similar foi apresentada pela Anglo American e acabou sendo rejeitada. O desejo do movimento é que a região do Serro seja “livre de mineração”. “As comunidades têm participado de todas as reuniões do Codema e acompanhado de perto o processo. A população precisa ser ouvida, os conselheiros também precisam refletir em relação a vontade da população, as opiniões da comunidade. Nós estamos fiscalizando quem são os conselheiros e quais os reais interesses na liberação desse processo”, disse Juliana Deprá, coordenadora estadual do MAM. Ela explica que são muitas as preocupações em relação a destruição da cidade pela mineração.”O Queijo do Serro, por exemplo, patrimônimo imaterial de Minas Gerais, estaria totalmente ameaçado com a mineração. Sem contar os rios e córregos da região, principalmente o rio do Peixe, que abastece a cidade do Serro”, completou. Tramitação Também procurada pela reportagem, a Prefeitura se pronunciou por meio do Codema. Na próxima reunião do conselho, marcada para o dia 17 deste mês, o assunto será levado para o plenário. “Estamos com dois documentos: um do Ministério Público, recomendando que o processo não seja analisado, e outro da procuradoria do município de Serro, justificando que o conselho poderia analisar o pedido da mineradora. Essas duas propostas serão levadas para a reunião para que os conselheiros decidam se vão ou não analisar ou não. Só então o projeto entrará ou não para a pauta de discussão e deliberação”, explicou Paulo César Procópio, presidente do Codema do Serro. “Eu não vou decidir isso sozinho não”, complementou. “Processo tramita desde outubro” O diretor executivo da Herculano Mineração, Marco Aurelio Fonseca Herculano Antunes, disse que a solicitação da mineradora para celeridade na análise da Declaração de Conformidade pelo Codema se baseia em uma decisão do Tribunal Justiça de Minas Gerais (TJMG). “O Ministério Público não pode fazer uma recomendação em cima de decisão judicial que tenha as mesmas partes e o mesmo objeto”, disse. Ele também explicou que o empreendimento prevê um sistema de tratamento a seco dos rejeitos de mineração. “Nós não atingiremos o lençol freático na cava e não utilizaremos água em nenhum dos processos. Nenhuma nascente será suprida”, complementou Herculano Antunes. Matéria atualizada às 17h45


10 bhaz.com.br - 12/04/2019

Congonhas ganha sistema que monitora a poeira emitida por mineradoras e que encarde a cidade

De Cristiana Andrade Um sistema de monitoramento da poeira que paira sobre a cidade histórica de Congonhas, a cerca de 90 quilômetros de Belo Horizonte, e em funcionamento de forma experimental, está mapeando, 24h, a origem do material particulado para indicar, num futuro próximo, medidas e tecnologias mais modernas a serem adotadas pelas cinco empresas mineradoras que atuam na cidade. O maior objetivo do projeto é avaliar o impacto da poeira sobre a saúde da população. O sistema integra a rede de monitoramento da qualidade do ar de Minas, feito pela Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), e é fruto de um termo de compromisso assinado entre o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), a Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), a Prefeitura de Congonhas e cinco mineradoras que atuam na cidade: CSN, Ferrous, Ferro+, Gerdau e Vale. No termo, as empresas custearam o levantamento da situação ambiental atmosférica na cidade e a implantação do sistema. De acordo com o promotor de Justiça do município, Vinícius Alcântara Galvão, a implantação do monitoramento da qualidade do ar no município é de grande importância e é projeto antigo, de oito anos atrás. “A informação é o primeiro passo. Com os dados em mãos, saberemos de onde está vindo a poeira e, desta forma, poderemos cobrar ações mais eficazes das empresas, juntamente com os órgãos de fiscalização, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente local e a Feam”, diz. De acordo com o secretário Municipal de Meio Ambiente (Semma), Neylor Aarão, a rede é composta por 13 estações instaladas nos bairros Matriz,

Basílica, Jardim Profeta, Pires, Nova Plataforma, Lobo Leite, além de sete nas áreas das mineradoras CSN Mineração, Vale, Ferrous, Ferro+ e Gerdau. “Os reflexos da poeira, quando acentuados, são perceptíveis num curto espaço de tempo nas casas e ruas, onde se verifica o aspecto encardido de sujeira. A exposição prolongada a poeira pode agravar problemas respiratórios, principalmente nas crianças e idosos, podendo causar também outras doenças, piorando a qualidade de vida dos cidadãos. Com as estações, prefeitura e Estado, por meio da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), vão monitorar a qualidade do ar da cidade”, explica Aarão. Segundo secretário de Meio Ambiente, a prefeitura disponibiliza dois técnicos da Semma que se revezam durante o dia. “Quando eles verificam picos de emissão da poeira, vão até o local próximo da estação para checar se trata-se realmente de adensamento de material particulado na região ou se outros elementos estão causando anomalias, como queimadas”, explica. As estações já estão coletando os dados, em tempo real, que são disponibilizados para análise. “Esperamos que a médio e longo prazo as empresas adotem medidas e novas tecnologias para a redução da emissão dos materiais particulados, que nos últimos anos têm afetado toda cidade, se transformando também num ponto de muito embate Apesar de as estações já estarem coletando os dados há cerca de um ano, de forma experimental, o programa e a divulgação para acesso público dos dados serão lançados no fim de maio. Monitoramento 24 horas Procurada pelo BHAZ, a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) informou que o sistema monitora gases poluentes e partículas (poeira) continuamente. Os dados são disponibilizados à Feam e à Prefeitura de Congonhas de hora em hora, no centro supervisório do próprio município e também no da Feam. “No centro supervisório da Gerência de Monitoramento da Qualidade do Ar e Emissões da Feam, os dados são avaliados e transformados em informa-

ções que são disponibilizadas para a população por meio de boletins diários no site da fundação”, informa a Feam. Segundo o órgão, que compõe o Sistema de Meio Ambiente de Minas Gerais (Sisema), o objetivo da rede é acompanhar o impacto real das emissões atmosféricas na qualidade do ar da região, de forma detalhada, a fim de verificar o impacto e a efetividade das medidas de controle adotadas pelas empresas e exigidas pelos órgãos competentes, além de direcionar as políticas públicas para melhoria da qualidade do ar. O impacto na saúde Diversas doenças respiratórias e pulmonares podem ter ligação com a poeira que paira sobre Congonhas, que tem hoje cerca de 53 mil habitantes. A Secretaria Municipal de Saúde, no entanto, afirma não ter estatísticas e estudos científicos que correlacionem as doenças com a poeira e metais pesados que pairam no ar. De acordo com o secretário Municipal de Saúde, Luiz Fernando Catizane Soares, uma comissão intermunicipal foi criada com o intuito de fazer esse levantamento de forma mais aprofundada. “O que existe, ainda, é uma percepção empírica e uma sensação da própria população de que a poeira pode estar relacionada a doenças respiratórias e pulmonares. Mas não seria responsável de nossa parte afirmar isso. Por essa razão, é necessário levantarmos de forma mais sistematizada junto aos serviços público de saúde se há, de fato, incidências fora da curva”, diz. Segundo Catizane, para ter uma amostra mais aprofundada que indicasse a relação da poeira com incidência de doenças pulmonares no município, seria necessário atuar em duas frentes: exames e biópsias em uma amostra da população e também comparar dados de Congonhas com os de municípios que vivem situação similar, com atividade minerária bem próxima ao núcleo urbano. “Parece fácil tabular os dados simplesmente, mas não é assim. Necessitaríamos de um recurso extra para fazer um levantamento, mesmo que parcial, de biópsias, por exemplo”, cita o secretário.


11

Ameaça é crime, diz Joice, ao cobrar apuração sobre relato de deputada do PSL

didaturas de laranjas, comandado por Marcelo Álvaro Antônio em Minas Gerais, e afirmou ter recebido a informação de que o ministro do Turismo a ameaçou de morte em uma reunião com correligionários, no fim de março, em Belo Horizonte, por ter denunciado o caso ao Ministério Público.

Talita Fernandes - Brasília

A deputada federal prestou depoimento espontâneo à Polícia Federal em Brasília, na quarta (10), ocasião em que solicitou a proteção policial.

folha de sp - 14.abr.2019 às 9h47

Líder do governo no Congresso diz que caso sobre ministro do Turismo será investigado

​ líder do governo no A Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), afirmou à Folha que “todas as providências cabíveis” devem ser tomadas se forem confirmadas as acusações da deputada Alê Silva (PSL-MG) contra o ministro Marcelo Alvaro Antonio (Turismo).

Eleita com 48 mil votos, Alê Silva é a primeira congressista a relatar às autoridades a existência de esquema de laranjas do PSL de Minas. Ela deve prestar novo depoimento nas próximas semanas.

Álvaro Antônio nega ter feito ameaças e diz que a deputada faz campanha difamatória “Não conheço os detalhes contra ele em busca de espaço da denúncia de ameaça, nem no partido no estado. se de fato ela existe ou não. O presidente Jair BolsoPorém, se o relato for real, todas as providências cabíveis naro e seus ministros não se devem ser tomadas, tanto as manifestaram sobre o assunto políticas, quanto as jurídicas. até o momento. Procurado, o Ameaça a qualquer ser huma- Palácio do Planalto informou no é crime. A um parlamentar, por meio da assessoria que não é crime contra democracia”, comentaria o caso. disse Joice. Nos bastidores, auxiliaEm reportagem publicada res dizem que esperam novos no sábado (13), a Folha mos- desdobramentos do caso que trou que Alê Silva acusa o possam confirmar as acusações ministro do Turismo de tê-la feitas pela deputada do PSL. ameaçado de morte. Ela presNo sábado, logo após a tou depoimento à polícia na úlpublicação da reportagem, a tima semana e pediu proteção. deputada estadual Janaina PasEm entrevista à Folha, Alê choal (PSL-SP) saiu em defesa confirmou o esquema de can- de Alê Silva.

“Todo meu apoio à deputada federal Alê Silva. E agora, presidente? O ministro do Turismo fica? A deputada federal eleita também estaria mentindo? Exijo a demissão do ministro! Não tem que esperar conclusão de inquérito nenhum!”, escreveu. Janaina disse ainda ter telefonado para a deputada federal, que, segundo ela, “não para de chorar”. “Como é que pode uma situação dessas e o presidente não tomar providências? Não pode! O afastamento do ministro não implicará atribuição de culpa, apenas um sinal de que o presidente se importa com as mulheres de seu partido”, comentou. Revelado pela Folha no início de fevereiro, o caso das laranjas do PSL, partido do presidente Bolsonaro, é alvo de investigações da Polícia Federal e do Ministério Público em Minas e em Pernambuco. Levou à queda do ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, que comandou o partido nacionalmente em 2018. Uma série de reportagens desde então mostrou que Álvaro Antônio patrocinou em Minas um esquema de candidaturas de mulheres que receberam expressivos recursos públicos do partido, sem sinal de que tenham feito campanha efetiva. Parte desse dinheiro público foi parar em empresas ligadas a assessores de seu gabinete na Câmara. Ele exercia o mandato de deputado federal até 2018.


12 cont... folha de sp - 14.abr.2019 Ă s 9h47


13 folha de sp - p. a3 14.abr.2019

Justiça, presente! Sistema eletrônico alivia os gargalos do ciclo penal

A maturidade institucional que se consolidou no Brasil já não admite experimentos ou dúvidas. Queremos um Estado presente e soluções para nossos problemas com o melhor custo-benefício. Nosso sistema penal, por exemplo, precisa se modernizar; seus problemas estruturais, serem corrigidos. Eles agravam o quadro de insegurança pública e demandam intervenções coordenadas e sistêmicas não de uma, mas de várias gestões. A massa carcerária do país triplicou nos últimos 16 anos. É a terceira maior do mundo! O encarceramento tem cumprido seu propósito? Desprovido de recursos e carente de transparência, o sistema acaba por agravar problemas que deveria resolver. Responsável por determinar prisões e acompanhar o cumprimento das penas, o Judiciário pouco conhece sobre as mais de 700 mil pessoas privadas de liberdade no país. Muitos chegam ao sistema carcerário sem documentação ou com documentação pouco confiável. Pouco se sabe também sobre os mais de 1,5 milhão de processos de execução penal em tramitação. Além do enorme passivo em meio físico, os sete sistemas informatizados criados por diferentes tribunais pouco dialogam entre si e sobrecarregam os atores da Justiça que os operam. É justamente para garantir

um salto na gestão desses processos que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) está investindo em expansão e constante melhoria do Sistema Eletrônico de Execução Unificada (SEEU), que padroniza o controle informatizado da execução penal. Adotado como política nacional pelo CNJ em 2016, o SEEU já é realidade em oito unidades da federação com mais de 436 mil processos cadastrados e deve chegar a todo o país até o final do ano. Varas que operam o SEEU relatam o fim das pilhas de processos e do trabalho braçal, com melhoria da gestão de recursos e do controle do cumprimento das penas. Outras prioridades atuais do CNJ são garantir que todos os presos do país tenham identificação biométrica até julho de 2020 e articular estruturas permanentes para a emissão de documentos básicos.

integração dos dados biométricos ao SEEU, será possível traçar o perfil da população carcerária de forma mais minuciosa, com vistas à elaboração de políticas públicas mais eficientes. As ações descritas acima integram o programa Justiça Presente, que chega agora a todas as unidades da federação. O programa é resultado de acordo de cooperação inédito entre o CNJ e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), com o suporte dos recursos repassados pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

O programa, estruturado em 18 iniciativas, leva em consideração todos os gargalos do ciclo penal e aposta no amplo envolvimento de atores do poder público e da sociedade civil. O intuito é fortalecer instituições e órgãos locais para garantir a adequação e a sustentabilidade das iniciatiPesquisa recente junto a tri- vas, as quais são essenciais para a bunais de Justiça constatou que transformação da realidade penal ao menos nove estados não pos- a longo prazo. suem levantamento da documentação civil das pessoas presas. O Judiciário está ciente de Garantir esses documentos é uma sua responsabilidade para revermedida fundamental não apenas ter o estado de coisas inconstitupara se conhecer a situação dos cional das prisões brasileiras, tal presos, mas para se facilitar sua qual apontado pelo Supremo Trireintegração social. Sem a docu- bunal Federal em 2015 (ADPF mentação básica, o indivíduo não 347 MC/DF). A oportunidade pode, por exemplo, tirar carteira para avançarmos em ações conde trabalho ou se matricular em cretas nos foi dada. Precisamos um curso de formação. garantir que a justiça seja não apenas um valor almejado, mas A identificação biométrica, um valor presente na realidade de por seu turno, confere confiabi- todos os brasileiros. lidade e segurança à gestão de Dias Toffoli dados sobre as pessoas privadas de liberdade. Esse controle deve Presidente do Supremo Trifacilitar, inclusive, a monitora- bunal Federal e ex-advogadoção da reincidência, um dado, até -geral da União (2007-2009, gohoje, impreciso no Brasil. Com a verno Lula)


giosa e citando a Procissão do Fo-

Aparecido de Oliveira, e outras garéu, que está sendo do retomada Ao inaugurar a restauração Galpão dadaCasa do instituições área cultural. En- Con na cidade após um século. Junto tusiasmada, a maranhense Kátia do secretário nacional de Cultura lembrou que convite o Iphan “nasceu à v2 Belo Horizonte, presidente do Iphan faz 14 do Ministério da Cidade, Henriaqui”, já que teve como primeiro E STA D O D E M I N A S

D O M I N G O ,

1 4

D E

A B R I L

D E

2 0 1 9

que Pires, aGERAIS presidente do Iphan 15 dirigente o belo-horizontino Ro» e outras autoridades federais e drigo Melo Franco (1898-1969). estaduais inauguraram o Galpão Kátia acrescentou: “O DNA do ❚ PATRIMÔNIO da Casa do Conde, com 3,5 mil Iphan está aqui. Minas tem quaAo inaugurar a restauração do Galpão daquadrados Casa do Conde, 10 anos de intervenções, metros e há 10 há anos troalvo patrimônios mundiais em e BH alvo faz de intervenções com recur-a Ouro Belo Horizonte, presidente do Iphan convite à visitação Preto na semana santa está no coração do estado. A gen» sos federais. O complexo do te está entregando a obra para Iphan é integrado ainda pelas esse coração pulsar”. Os quatro instalações da Fundação Naciosítios reconhecidos pela Organinal de Artes (Funarte). Um dos zação das Nações Unidas para a detalhes que chamam a atenção Educação, a Ciência e a Cultura é a iluminação do interior do galGUSTAVO WERNECK (Unesco) são os centros históri» G W pão, concebida pelo engenheiro cos de Ouro Preto e Diamantina, Apelo pelo turismo em Minas, eletricista Leonardo Barreto de Apelo pelo turismo em Minas, o Santuário do Bom Jesus de Magarantia de recursos para valorização do patrimônio de Belo HoOliveira, do Iphan, que reprodugarantia de recursos para valoritosinhos, em Congonhas, e o rizonte e inauguração de espaço ziu, no teto, rodas de um trem ferroviário no complexo da Prazação do patrimônio de Belo Hoconjunto moderno da Pampuça Rui Barbosa (Estação), no Cenentrelaçadas, garantindo beleza e tro da capital, para eventos, exporizonte e inauguração de espaço lha, na capital. O presidente intesições e laboratório. A presidente » harmonia ao ambiente. do Instituto do Patrimônio ferroviário no Hiscomplexo da Prarino da Embratur, o mineiro Leôtórico e Artístico Nacional, Kátia Localizado na Rua Januária, no ça Rui (Estação), no CenBogéa, fez, naBarbosa manhã de ontem, nidas Oliveira, falou sobre os em BH, um “convite” a todos os Bairro Floresta, Leste da capital, o tro dapara capital, para eventos, expoprojetos do governo federal para brasileiros que participem das cerimônias da semana santa galpão foi restaurado pelo Iphan sições e laboratório. A presidente incentivar o turismo nos bens reem Ouro Preto, com início amanhã, diante da queda nas resere vai sediar o Laboratório de Resdode visitantes Instituto do Patrimônio Hisconhecidos pela Unesco. vas após a tragédia em Brumadinho e ameaça de tauração de Bens Móveis e Artórico e Artístico Nacional, Kátia A superintendente Iphan 50,3 Investimentos federais no do valor de R$ 50,3 m rompimento de barragens em distritos da primeira cidade braqueologia, fruto de parceria com Bogéa, fez, na manhã de ontem, em Minas, Célia Corsino, ressal- cup sileira reconhecida como patria Universidade Federal de Minas mônio daBH, humanidade. Galpão em um “convite” a todos os tou a importância do novo espa- trim “Não há risco para os turistas recuperado Gerais (UFMG), a Associação Mi1) CONCLUÍDA em Ouro Preto, por isso faço oque participem vai sediar brasileiros para ço para o patrimônio ferroviário as q convite a todos os brasileiros palaboratório de neira das Cidades Históricas, preradas vistarem a cidade na semana cerimônias da semana santa brasileiro, pois a autarquia seu, restauraçãofedee santa”, afirmou Kátia, destacan» Inauguração, ontem, dooutros Galpão da Casa do sidida pelo prefeito de Conceição do a programação e reli-com início amaem Ourocultural Preto, ral é guardiã, desde 2007, dos um equipamentos giosa e citando a Procissão do Fono complexo da Praça da Estação, na Região do Mato Dentro, José Fernando culturais nhã, da queda nas resergaréu, quediante está sendo retomada bens da extinta Rede Ferroviária BH, Sul. Área de 3,5 mil metros quadrados para na cidade após um século. Junto Aparecido de Oliveira, e outras vas denacional visitantes Federal. “Temos aqui um símbodo secretário de Cultura após a tragédia exposições, laboratório e também sedeterv da do Ministério da Cidade, Henriinstituições da área cultural. Enem Brumadinho e ameaça de loAssociação do período em que os trens ledo P que Pires, a presidente do Iphan das Cidades Históricas de Minas e outras autoridades federais e tusiasmada, a maranhense Kátia rompimento de barragens em vavam as notícias e a civilização Lei estaduais inauguraram o Galpão da Casa do Conde, com 3,5 mil lembrou que o Iphan “nasceu distritos da primeira cidade braao interior”, disse Célia, explican- Min 2) EM ANDAMENTO metros quadrados e há 10 anos alvo de intervenções com recuraqui”, já que teve como primeiro sileira reconhecida como patrido que está em cartaz no galpão a PAC sos federais. O complexo do dirigente o belo-horizontino RoIphan é integrado ainda pelas » Matriz de Nossa Conceição, de o A mônio da humanidade. exposição sobreSenhora os 80 da anos do de instalações da Fundação Naciodrigo Melo Franco (1898-1969). Dias, em Ouro Preto, já teve parte arquitetô nal de “Não Artes (Funarte). Um dos para os turistas há risco Iphan. “Foram cinco etapas de inA detalhes que chamam a atenção concluída (R$ 4 milhões) e, desde janeiro, p Kátia acrescentou:Kátia “OBogéa DNA do éem a iluminação do interior do gal- por isso faço o destacou Ouro Preto, tervenção, e ainda vamos trazer pão pão, concebida pelo engenheiro No país,restauro Minas é o estado e implantaçãodesinalizaçãoturíspresença do doscomelementos artísticos e integrad Iphan está aqui. Minas tem qua- maior eletricista Leonardo Barreto de número deobens reconhe- ticaaqui padronizada, interativa e acesconvite a todos os brasileiros papara terreno, da frente, inte Iphan em BH e Oliveira, do Iphan, que reproducidos como patrimônio da humasívelàspessoascomdeficiência ou milhões), no total de R$ 8 milhões 15 fez convite à GERAIS tro patrimônios mundiais e BH nidadedois ranovistarem a trem cidade na semana ziu, teto, rodas de um pela Organização das Namobilidade reduzida, nos sítios recarros antigos de madeira, Dep visitação de entrelaçadas, garantindo beleza e ções Unidas para a Educação, a conhecidos como patrimônio está no coração do estado. Ouro Preto A gensanta”, afirmou Kátia, destacan-❚ PATRIMÔNIO com varanda um trem), harmonia ao ambiente. Ciência e a Cultura (Unesco). O (de mundial e seus entornos. que » Museu Boulieu, em Ouro Preto, que vai ciais abri Localizado na Rua Januária, no conjunto é formado pelos cenOutra ação a ser desenvolvida te está entregando a obra para do a programação cultural e reliestão Horto.” da, Ao inaugurar a restauração do Galpão da Casa do Conde, 10 anos alvo de em patrocínio Bairro Floresta, Leste da capital, o tros há históricos deno Ouro Preto, naintervenções, este ano é a implantação de cencoleção de arte religiosa, tem das galpão foi restaurado pelo Iphan Região Central, e Diamantina, no tros de Interpretação Turística, paesse coração quatroà visitação Horizonte, presidentepulsar”. do IphanOs faz convite a Ouro Preto na semana santa TÔNICOdo PARA A MEMÓRIA citando a Procissão Fo-Belo 6,7 milhões), recursos Lei v egiosa vai sediar oeLaboratório de ResVale do Jequitinhonha, pelo San-com ra atendimento aos captados turistas e visi- viade tauração de Bens Móveis e Ardo Bom Jesus de Matosi- tantes, nos sítios reconhecidos pereconhecidos pela Organi- tuário Investimentos federais no valor de R$ 50,3sítios milhões para obras em Minas garéu, que está sendo retomada INVESTIMENTOS De Em acordo com de Incentivo à Cultura, do Ministério Cida queologia, fruto de parceria com nhos, em Congonhas, também na la Unesco. maio de 2019, o Bra- da Bou ana Universidade Federal de Minas e pelo complexo sil enviará uma missão de interzação das Nações Unidas para a RegiãooCentral, apoio da Prefeitura de Ouro Preto e do Ipha cidade após um século. Junto Ministério da Cidadania, o goNos elementos artísticos. Em fevereiro, foi iniciada a obra Gerais (UFMG), a Associação Mi1) CONCLUÍDA moderno da Lagoa da Pampulha, câmbio com gestores, prefeitos e civil, contratada pela prefeitura com Educação, a Ciência elocal, a Cultura neira das Cidades Históricas, preem Belo Horizonte. A partir deestá trade investindo turístico brasileiros a Portudo secretário nacional de Cultura veno federal R$ Ant investimento total de R$ 3,6 milhões » Inauguração, ontem, do Galpão da Casa do Conde, sidida pelo prefeito de Conceição agora, o turismo sustentável nes- gal. Os técnicos informam que o no complexo da Praça da Estação, na Região Centro(Unesco) são os centros históri» da Sé de Nossa Senhora da Assunçã do Mato Dentro, José Fernando ses locais eCatedral outros da mesma releobjetivo é conhecer referências do Ministério da Cidade, Henri» Projeto Escola de Ofícios, em Mariana, para capacitar Sul. Área de 3,5 mil metros quadrados para eventos, Aparecido de Oliveira, e outras vância, no país, ganham novas di- em centros de interpretação por200 jovensPreto por ano, na faixa de 18 a 25 anos, nos exposições, laboratório e também sede dacos de Ouro já Natevetugueses, restauro arquitetônico civil e Diamantina, instituições da área cultural. Enretrizes deMariana, fomento. A Política a fim trazer modelos paque Pires, a presidente dodasIphan ofícios tradicionais de profissional de cantaria, pintor e Associação Cidades Históricas de Minas Gerais. tusiasmada, a maranhense Kátia cional de Gestão Turística dos Sí-2017, ra as 13estando cidades detentoras de sí-em execu estucador, ferreiro, taipeiro e carpinteiro. Os concluído em agora o Santuário do Bom Jesus de Ma- tios Patrimônio Mundial tem ob- tios culturais patrimônio mune outras autoridades lembrou que o Iphan “nasceu professores serão mestres-artífices inventariados pelo 2) EMfederais ANDAMENTO e aqui”, já que teve como primeiro de estabelecer pa- dial no Brasil. Os e centros de inter-de elem serviçosnormas complementares a etapa Iphan em Minas, com investimento de R$ 5,7 milhões tosinhos, em Congonhas, e o jetivo estaduais inauguraram oNossa Galpão o belo-horizontino Rodirigente ra estimular o turismo sustentá- pretação oferecem atendimento a do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e » Matriz de Senhora da Conceição, de Antônio artísticos integrados. Recursos de R$ 8 milhõ Social (BNDES), via Lei Federal de Incentivo à Cultura drigo Melo Franco (1898-1969). Dias, em Ouro Preto, já teve parte arquitetônica vel nos 21 sítios brasileiros mere- turistas e visitantes, com informamoderno da Pampu- cedores da do“OConde, com 3,5 mile, desde janeiro,conjunto concluída (R$ 4 milhões) passa pelo KátiaCasa acrescentou: DNA do do título “por seu excep- ções sobre o sítio histórico, atrati4) ANUNCIADOS restauro dos elementos artísticos e integrados (R$ 4 Iphan está aqui. Minas tem quavalor para a humanidade”. vos locais, programação cultural, lha, na capital. O presidente inte- cional metros emilhões), há 10 anos no total de R$ 8 milhões tro patrimôniosquadrados mundiais e BH O decreto elaborado Mi- entre outros serviços e produtos. dos Pret » Igreja depelo Nossa Senhora do Rosário » Início do restauro completo da Igreja São Francisco está no coração do estado. A gennistério do Turismo, em parceria As metas da nova política esrino o domineiro Leôde Assis, que inclui a Casa Conde de Assumar, na » Museu Boulieu, em Ouro Preto, que vai abrigar umada Embratur, de intervenções com recurMariana, teve recursos do PAC para tealvo está entregando a obra para com o Ministério da Cidadania e tão alinhadas com a Política Na-restauro qual será implantado do Museu de Mariana. Prevista coleção de arte religiosa, tem patrocínio da Vale (R$ esse coração pulsar”. Os quatro nidas Oliveira, falouartísticos sobre os o Instituto do Patrimônio Histó- cional de Turismo, o Plano Naciotoda a parte civil e elementos e integrados. 6,7 milhões), com recursos captados via Lei Federal sos federais. O complexo do sítios reconhecidos pela Organirico e Artístico Nacional (Iphan), nal de Turismo, a Política de Pade R$ 8 milhões de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cidadania e zação das Nações para a projetosInvestimento do governo federal para foi assinado em Brasília pelo pre- trimônio Cultural, a Política Naapoio da Prefeitura de Ouro Preto e do Iphan Iphan é Unidas integrado ainda pelas Educação, a Ciência e a Cultura sidente Jair Bolsonaro. “Com essa cional do Meio Ambiente, o Siste» Restauração da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, incentivar o 18, turismo nos bens do século no distrito de Camargos, em Mariana.re(Unesco) são os centrosda históri» Catedral da NacioSé de Nossa Senhora da Assunção, em política”, diz o documento”, espe- ma Nacional de Unidades de instalações Fundação Considerado um dos mais antigos de Minas, o templo Mariana, já teve restauro arquitetônico civil cos de Ouro Preto e Diamantina, ra-se que cada vez mais turistas Conservação, o Plano Nacional de receberá recursos daUnesco. Fundação Renova, como parte concluído em 2017, estando agora em execução os conhecidos pela onal Santuário do Bom Jesus de Mabrasileiros e estrangeiros conhe- Áreas Protegidas, a Política Naciode Artes (Funarte). Um dos das condicionantes impostas pelo Conselho Municipal serviços complementares e a etapa de elementos tosinhos, em Congonhas, e o çam e visitem destinos e riquezas nal de Desenvolvimento Urbano de Patrimônio Cultural de Mariana do para o Iphan artísticos integrados. Recursos de R$ 8 milhões. A superintendente 50,3 milhões em de rech conjunto moderno da Pampue suasobras políticas setoriais de habi- do o reconhecidos mundialmente pe-sete detalhes que chamam a atenção Kát reassentamento dos moradores do povoado de Bento lha, na capital. O presidente intela Unesco no Brasil, mas sem des- tação, saneamento e mobilidade. Rodrigues, atingidos pelo rompimento da Barragem » Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, em em Minas, Célia Corsino, ressal- cuidar cuperação do federal pa- que co, An é adailuminação do interior do galrino Embratur, o mineiro LeôAlém do decreto da preservação(veja e do res- quadro) des do Fundão, da Samarco, em 2015. Mariana, teve recursos do PAC para restauro dos nidas Oliveira, falou sobre os peito à cultura local. 2019 será o institui a Política Nacional de Gestou a importância do novo espatrimônio cultural mineiro, entre Aleijad pão,doconcebida pelo engenheiro projetos governo federal para ano do Patrimônio mais Turis- tão Turísticados Sítios Patrimônio pre incentivar o turismo nos bens remo, o que envolve um conjunto Mundial, está em curso a estrutu-

estado de minas - p. 15 - 14/04/2019

Para valorizar n Para valorizar nossas joias FOTOS LEANDRO COURI/EM/D.A PRESS

USTAVO

ERNECK

TÔNICO PARA A MEMÓ

Política para bens da humanidade

E STA D O D E M I N A S

D O M I N G O ,

1 4

D E

A B R I L

D E

2 0 1 9

Para valorizar nossas joias FOTOS LEANDRO COURI/EM/D.A PRESS

GUSTAVO WERNECK

Apelo pelo turismo em Minas, garantia de recursos para valorização do patrimônio de Belo Horizonte e inauguração de espaço ferroviário no complexo da Praça Rui Barbosa (Estação), no Centro da capital, para eventos, exposições e laboratório. A presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Kátia Bogéa, fez, na manhã de ontem, em BH, um “convite” a todos os brasileiros para que participem das cerimônias da semana santa em Ouro Preto, com início amanhã, diante da queda nas reservas de visitantes após a tragédia em Brumadinho e ameaça de rompimento de barragens em distritos da primeira cidade brasileira reconhecida como patrimônio da humanidade. “Não há risco para os turistas em Ouro Preto, por isso faço o convite a todos os brasileiros para vistarem a cidade na semana santa”, afirmou Kátia, destacando a programação cultural e religiosa e citando a Procissão do Fogaréu, que está sendo retomada na cidade após um século. Junto do secretário nacional de Cultura do Ministério da Cidade, Henrique Pires, a presidente do Iphan e outras autoridades federais e estaduais inauguraram o Galpão da Casa do Conde, com 3,5 mil

Galpão recuperado vai sediar laboratório de restauração e outros equipamentos culturais


o engenheiro presença do o Barreto de Iphan em BH e que reprodufez convite à de um trem visitação de tindo beleza e Ouro Preto ente. a Januária, no estado de minas - p. 15 - 14/04/2019 cont... e da capital, o do pelo Iphan atório de ResMóveis e ArInvestimentos federais no valor de R$ 50,3 milhões para obras em Minas parceria com eral de Minas elementos artísticos. Em fevereiro, foi iniciada a obra ssociação Mi1) CONCLUÍDA civil, contratada pela prefeitura local, com istóricas, preinvestimento total de R$ 3,6 milhões » Inauguração, ontem, do Galpão da Casa do Conde, de Conceição no complexo da Praça da Estação, na Região Centroosé Fernando » Projeto Escola de Ofícios, em Mariana, para capacitar Sul. Área de 3,5 mil metros quadrados para eventos, eira, e outras 200 jovens por ano, na faixa de 18 a 25 anos, nos exposições, laboratório e também sede da a cultural. Enofícios tradicionais de profissional de cantaria, pintor e Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais. nhense Kátia estucador, ferreiro, taipeiro e carpinteiro. Os han “nasceu professores serão mestres-artífices inventariados pelo 2) EM ANDAMENTO omo primeiro Iphan em Minas, com investimento de R$ 5,7 milhões rizontino Rodo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e » Matriz de Nossa Senhora da Conceição, de Antônio Social (BNDES), via Lei Federal de Incentivo à Cultura 1898-1969). Dias, em Ouro Preto, já teve parte arquitetônica concluída (R$ 4 milhões) e, desde janeiro, passa pelo u: “O DNA do 4) ANUNCIADOS restauro dos elementos artísticos e integrados (R$ 4 nas tem quamilhões), no total de R$ 8 milhões undiais e BH » Início do restauro completo da Igreja São Francisco estado. A gende Assis, que inclui a Casa do Conde de Assumar, na » Museu Boulieu, em Ouro Preto, que vai abrigar uma o a obra para qual será implantado do Museu de Mariana. Prevista coleção de arte religiosa, tem patrocínio da Vale (R$ r”. Os quatro toda a parte civil e elementos artísticos e integrados. 6,7 milhões), com recursos captados via Lei Federal pela OrganiInvestimento de R$ 8 milhões de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cidadania e Unidas para a apoio da Prefeitura de Ouro Preto e do Iphan a e a Cultura » Restauração da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, do século 18, no distrito de Camargos, em Mariana. ntros históri» Catedral da Sé de Nossa Senhora da Assunção, em Considerado um dos mais antigos de Minas, o templo Mariana, já teve restauro arquitetônico civil Diamantina, receberá recursos da Fundação Renova, como parte concluído em 2017, estando agora em execução os m Jesus de Madas condicionantes impostas pelo Conselho Municipal serviços complementares e a etapa de elementos ngonhas, e o de Patrimônio Cultural de Mariana para o artísticos integrados. Recursos de R$ 8 milhões. o da Pampureassentamento dos moradores do povoado de Bento esidente inteRodrigues, atingidos pelo rompimento da Barragem » Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, em mineiro Leôdo Fundão, da Samarco, em 2015. Mariana, teve recursos do PAC para restauro dos ou sobre os o federal para o nos bens renesco. nte do Iphan 50,3 milhões em sete obras de re- do o chamado mestre do Barro- jeto serão mestres-artífices inorsino, ressal- cuperação (veja quadro) do pa- co, Antonio Francisco Lisboa, o ventariados pelo Iphan em Mido novo espa- trimônio cultural mineiro, entre Aleijadinho (1738-1814). A comi- nas Gerais. io ferroviário as quais quatro igrejas, um mu- tiva visitaria ainda a Catedral da Antes, na visita a BH, foi anuntarquia fede- seu, o Galpão da Casa do Conde e Sé e a Igreja Nossa Senhora do ciado o início da obra de restaude 2007, dos uma escola de restauração. Em Rosário dos Pretos, em Mariana. ração da Igreja Nossa Senhora da de Ferroviária BH, Ouro Preto e Mariana, as in- Pires e Kátia Bogéa também Conceição, no distrito de Camarui um símbo- tervenções contam com recursos anunciaram investimentos para gos, em Mariana. Considerada ue os trens le- do PAC Cidades Históricas e da a obra completa da Igreja São uma das mais antigas de Minas e a civilização Lei de Incentivo à Cultura. Em Francisco de Assis e Casa do Con- Gerais e parte do grupo das maélia, explican- Minas, já foram investidos, via de de Assumar, no Centro Histó- trizes mineiras do século 18, o az no galpão a PAC, R$ 256 milhões, em 93 obras rico de Mariana. templo receberá recursos da Funs 80 anos do de oito cidades. dação Renova – responsável por o etapas de inApós a inauguração do Gal- PROJETO No roteiro do grupo lidar com os efeitos da tragédia vamos trazer pão da Casa do Conde, o grupo em Mariana estavam o Projeto da Samarco, em 2015–, como parui da frente, integrado ainda pelo diretor do Escola de Ofícios, responsável te das condicionantes do Conses de madeira, Departamento de Projetos Espe- por um programa de formação lho Municipal de Patrimônio m trem), que ciais do Iphan, Robson de Almei- que vai capacitar 200 jovens por Cultural de Mariana para o reasda, seguiu para Ouro Preto, a fim ano, na faixa etária de 18 a 25 sentamento do povoado devasde visitar as obras do Museu anos, nos ofícios tradicionais de tado de Bento Rodrigues. O objee acordo com Boulieu e da Igreja Matriz de cantaria, de pintor e estucador, tivo é o completo restauro da dadania, o go- Nossa Senhora da Conceição de de ferreiro, de taipeiro e de car- igreja, incluindo obra civil e elenvestindo R$ Antônio Dias, onde está sepulta- pinteiro. Os professores do pro- mentos artísticos.

TÔNICO PARA A MEMÓRIA

No país, M maior núme cidos como p nidade pela O 15 Unidas ções Ciência e a C conjunto é f tros histórico Região Centr Vale do Jequ tuário do Bo nhos, em Con Região Centr moderno da em Belo Ho agora, o turis ses locais e ou vância, no pa retrizes de fo cional de Ges tios Patrimôn jetivo de esta ra estimular vel nos 21 sít cedores do tí cional valor p O decreto nistério do T com o Minis o Instituto d rico e Artísti foi assinado e sidente Jair B política”, diz ra-se que cad brasileiros e çam e visitem reconhecido la Unesco no cuidar da pr peito à cultu ano do Patri mo, o que en de ações de v tinos turísti patrimonial, De acordo Cidadania, O nova polític ações está se fim de perm ração dos de trimônio mu vão impulsio sas cidades, economia lo go e renda, m preservação”

ATIVIDADES A às atividades patrimônio m mentadas de aos planos, p das entidade execução. En decreto prevê


restauração eBolsonaro. do Meio Ambiente, oculturais Siste- pesidente Jairdo “Com stauração da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, tantes, nos sítios reconhecidos tuário Bom Jesus de essa Matosi-cional obras em Minas outros século 18, no distrito de Camargos, em Mariana. demaio Unidades política”, documento”, espe- nama laNacional Unesco. Em de 2019,de o Branhos,diz emoCongonhas, também equipamentos nsiderado um dos mais antigos de Minas, o templo Planomissão Nacional ra-se que cada vez mais sil enviaráo uma dede interRegião Central, e peloturistas complexoConservação, eberá recursos da Fundação Renova, como parte a obra brasileiros culturais elementos artísticos. Em fevereiro, foi iniciada Protegidas, a Política prefeitos Nacio- e e estrangeiros câmbio com gestores, moderno da Lagoa da conhePampulha,Áreas 16 s condicionantes impostas pelo Conselho Municipal civil, contratada pela prefeitura local, com Desenvolvimento Urbano çamem e visitem destinos e riquezas trade turístico brasileiros a PortuBelo Horizonte. A partir denal de Patrimônio Cultural de Mariana para o investimento total de R$ 3,6 milhões setoriais de habireconhecidos mundialmente pe-nes-e suas gal.políticas Os técnicos informam que o agora, o turismo sustentável ssentamento dosestado moradoresde do povoado cont... minas de - p.Bento 15 - 14/04/2019 tação, saneamento e mobilidade. la Unesco no Brasil, mas sem desda mesma releobjetivo é conhecer referências ses locais e outros drigues, rompimento da Barragem » Projetoatingidos Escola depelo Ofícios, em Mariana, para capacitar do decreto federal queporcuidar da preservação e donovas res- di- Além vância, no país, ganham em centros de interpretação Fundão, da Samarco, 2015.de 18 a 25 anos, nos 200 jovens por ano, em na faixa institui a Política Nacional de Ges- papeito à cultura local. 2019 será o retrizes de fomento. A Política Natugueses, a fim trazer modelos ofícios tradicionais de profissional de cantaria, pintor e tão Turísticados Sítios Patrimônio ano do Patrimônio mais Turiscional de Gestão Turística dos Síra as 13 cidades detentoras de síestucador, ferreiro, taipeiro e carpinteiro. Os Mundial, está em curso a estrutumo, o que envolve um conjunto tios Patrimônio Mundial tem ob- tios culturais patrimônio munprofessores serão mestres-artífices inventariados pelo e lançamento Programa de ações des- pa-ração jetivode devalorização estabelecerdos normas centros de interdial no Brasil. Osdo Iphan em Minas, com investimento de R$ 5,7 milhões Galpão dominância Nacional de Turismo Cultural. tinos e do Barro-Nacional jetodeserão mestres-artífices raturísticos estimular de o turismo sustentá- pretação oferecem atendimento a do Banco Desenvolvimento Econômicoine Kátia Bogéa (BNDES), via LeiMinas Federaléde à Cultura ano haverá aindacom atualizapatrimonial, Brasil”. o Social Lisboa, o Noventariados pelo Iphan em Midestacou vel nos recuperado 21no sítios brasileiros mere-Neste turistas e visitantes, informapaís, oIncentivo estado com e implantaçãodesinalizaçãoturísvai sediar Noseu país,excepMinasção é oeções estado com o sítio edo implantaçãodesinalizaçãoturís presença do lançamento Guia BrasileiDe acordo com o ministro da 4). A cominas Gerais. cedores do título “por sobre histórico, maior número de bens reconhe- tica padronizada, interativa emaior aces-número de bens reconhe- tica padronizada,atratiinterativa e aces 4) ANUNCIADOS laboratório de com a ro devos Iphan em BH e Turística e a cultural, proCidadania, Osmar Terra, Catedral da Antes, na visita a BH, foi anuncional valor para a humanidade”. locais, programação cidos como patrimônio da huma- sívelàspessoascomdeficiência oucomo patrimônioSinalização cidos da humasívelàspessoascomdeficiência o fez nova convitepolítica, àO decreto restauração ere- pelo de guias turísticos ca- nos sítios re um conjunto deOrganização enhora do ciado oOrganização início da obra deNarestauelaborado Mi-dução entre outros serviços para e reduzida, produtos. nidade pela das mobilidade reduzida, nos sítios nidade pela das Namobilidade » Início do restauro completo Igreja com São Francisco visitação de Noração país, Minas éda o estado e implantaçãodesinalizaçãoturísdaasítio reconhecido pela Unesco. ações está sendo programado a para m Mariana. dapara Igreja Senhora da outros nistério do Turismo, parceria As metas da nova política çõesem Unidas Educação, a conhecidos como espatrimôni Unidas a Nossa Educação, atica padronizada, conhecidos como patrimônio de Assis,ções que inclui a Casa dobens Conde de Assumar, na maior número de reconheinterativa e acesOuro Preto fim de permitir melhor estrututambém Conceição, no distrito de Camarcom o Ministério da Cidadania e tão alinhadas com a Política Naequipamentos Ciência e a Cultura (Unesco). O mundial e seus entornos. e a Cultura (Unesco). O mundial e seus entornos. qual seráCiência implantado do Museu de Mariana. Prevista cidos como patrimônio da huma- sívelàspessoascomdeficiência ou conjuntopaé formado pelos cenOutra ação ser desenvolvid ração dos turísticos entos CRÉDITO O do agogos, em Mariana. oação Instituto do Histócional dedocumento Turismo, o Plano Nacioculturais conjunto éOrganização formado pelos Outra adestinos ser desenvolvida toda apara parte civil e elementos artísticos ecenintegrados. nidade pela dasConsiderada Namobilidade reduzida, nos sítios re-Patrimônio tros históricos de Ouro Preto, na este ano é a implantação trimônio mundial. “Essas ações Igreja São verno federal anuncia que está uma das mais antigas de Minas epatrimônio Artístico Nacional (Iphan), nal de Turismo, a Política de Pa- de cen çõeshistóricos Unidas para Educação, a na conhecidos Investimento de R$ 8 milhões tros deaOuro Preto, este anocomo érico a implantação deRegião cen- Central, eprevista Diamantina, noCultural, trosde de Interpretação Turística, pa vão impulsionar o turismo nes-preasa do Cona criação linhas de NaGerais e parte do grupo mafoi assinadoTurística, em Brasília pelo trimônio a Política Ciência e a Cultura (Unesco). O das seus entornos. Região Central, e Diamantina, nomundial trosede Interpretação paVale do Jequitinhonha, pelo San- ra atendimento aos turistas e vis conjunto é formado pelos cenOutra ação ser desenvolvida sasasidente cidades, movimentando aessa ntro Histócrédito para implantação, metrizes mineiras do século 18, Jair Bolsonaro. doaMeio Ambiente, Siste» Restauração dado Igreja de Nossa Senhora daSanConceição, Vale Jequitinhonha, pelo raoatendimento aos turistas e visi-“Com tuário do Bom Jesuscional de Matositantes, nos sítiosoreconhecidos pe o do valor de R$tros 50,3 milhões para obras em Minas históricos deCamargos, Ouro Preto, naMariana. este ano é aeconomia implantação de censéculo 18, no distrito de em local, gerando emprelhoria, conservação e manutentemplo receberá recursos da Funpolítica”, diz o documento”, espema Nacional de Unidades nhos, em Congonhas, também na la Unesco. Em maio dede 2019, o Bra tuário do Bom Jesus de Matositantes, nos sítios reconhecidos peRegião Central, eantigos Diamantina, no o tros de Interpretação Turística, pa- descuidar da ção de empreendimentos turístiConsiderado um dos mais de Minas, templo go era-se renda, mas sem dação Renova – também responsável por que cada vezRegião turistas o enviará Plano Nacional de de inter e peloConservação, complexo sil uma missão nhos, em Congonhas, nara la Unesco. Emturistas maio de 2019, omais Bra- Central, Vale do Jequitinhonha, pelo Sanatendimento aos e visireceberá recursos da com Fundação Renova, da como parte elementos artísticos. Em fevereiro, foibrasileiros iniciada a obra moderno da Lagoa da Pampulha, câmbio com gestores, preservação”, disse ele. cos e sinalização turística em sído grupo lidar os efeitos tragédia epeestrangeiros Região Central, e pelo complexo silnos enviará uma missão de inter- conhe- Áreas Protegidas, a Política Nacio-prefeitos tuário do Bom Jesus deConselho Matositantes, sítios reconhecidos civil, contratada pela prefeitura local, com das condicionantes impostas pelo Municipal em Belo Horizonte. A partir de trade turístico brasileiros tios nal reconhecidos como patrimôda Samarco, em 2015–, como parmrao Projeto çam e2019, visitem destinos de Desenvolvimento Urbano a Portu nhos, em Congonhas, também na Em maio de o Bradade Lagoa da Pampulha, com gestores, prefeitos eeoriquezas investimento totalla deUnesco. R$câmbio 3,6 milhões o de Galpão damoderno Casa do Conde, Patrimônio Cultural Mariana para o agora, turismo sustentável nesgal. Os técnicos informam Outrasetoriais medidade em sponsável teCentral, das condicionantes dode ConseATIVIDADES Asinterações reconhecidos mundialmente pe-nio emundial. suas políticas habi- que Região e pelo complexo sil enviará missão de da Estação, em na Região CentroBelo Horizonte. Apovoado partir tradeuma turístico brasileiros arelacionadas Portureassentamento dos moradores do de Bento ses locais e outros objetivo é conhecer da mesma releobra moderno da Lagoasustentável Pampulha, câmbio prefeitos e que desenvolvimento é o Sistema de referência lho Municipal deEscola Patrimônio formação àsgestores, atividades turísticas voltadas ao »da Projeto de Ofícios, em com Mariana, para capacitar la Unesco no Brasil, mas sem destação, saneamento e mobilidade. etros quadrados para agora, oeventos, turismo nesgal. Os técnicos informam o no de interpretação por vância, país, ganham novas di- em centros Rodrigues, atingidos pelo rompimento da Barragem em da Belo Horizonte. A partir deano,otrade turístico a Portu200 jovens para por na faixa de 18 a brasileiros 25 anos, nosda ojovens e também sede de Cultural de 2015. Mariana reaspor patrimônio mundial serão implecuidar preservação ededo res-Certificação Além doDestinos decreto que tugueses,Patrimoafederal fim trazer modelos pa retrizes fomento. A Política Nases locais e outros da mesma objetivo éinformam conhecer do Fundão, da Samarco, em ofícios tradicionais de de cantaria, pintorque e referências s Históricas de Minas agora, oGerais. turismo sustentável nes-relegal.profissional Os técnicos o transversal niais, que busca fomentar o prode 18 a 25 sentamento do povoado devasmentadas de forma peito à cultura local. 2019 será o institui a Política Nacional de Gesra as 13 cidades detentoras de s cional de Gestão Turística dos Sívância, no país, ganham novas diem centros de interpretação porferreiro, objetivo taipeiro e carpinteiro. Os referências mesma releses locais e outros daestucador, é conhecer tios culturais patrimônio mun tios Patrimônio Mundial tem obitar cesso de qualificação dos destitado de Bento Rodrigues. O objeicionais de aos planos, programas e projetos ano do Patrimônio mais Turistão Turísticados Sítios Patrimônio professores serão mestres-artífices inventariados pelo retrizes depaís, fomento. Anovas Política tugueses, a fim trazerpormodelos pavância, no ganham di- Naem centros de interpretação e dial nocurso Brasil.como jetivo de estabelecer normas pa-está centros de inter Iphan em Minas, com investimento R$ 5,7modelos nos Mundial, turísticos que tenham estucador, tivo é o completo restauro da dasde entidades envolvidas em sua mo, omilhões que envolve um conjunto em aOs estruturetrizes de fomento. A Política Natugueses, a fim trazer pacional de Gestão Turística dos Síra as 13 cidades detentoras de sítor e Conceição, de Antônio ra estimular o turismo sustentápretação oferecem atendimento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e ra da o patrimônio igreja, incluindo obra civil eleo e de carexecução. Entre medidas, de ações de valorização dosodes-principais ração eatrativos lançamento do Programa cional de Gestão Turística dos Síraeas 13 cidades detentoras deoutras sí- munPatrimônio Mundial tem obtios culturais patrimônio Social (BNDES), via Lei Federal de Incentivo à Cultura áoteve parte tios arquitetônica vel nos 21 sítios brasileiros mere- turistas e visitantes, com informa tios Patrimônio Mundial tem ob- patios culturais patrimônio muncultural existente.Turismo mentos res prodecreto prevê o desenvolvimento tinos dominância Cultural. estre do Barroserão mestres-artífices jetivo de jeto estabelecer normas dialinno Brasil. Osturísticos centros dede inters) e,do desde janeiro, passa peloartísticos. cedores do título “porNacional seu excep- deções sobre o sítio histórico, atrat spelo jetivo de estabelecer normas pacentros de interdial no Brasil. Os ões 4) ANUNCIADOS patrimonial, no Brasil”. Neste ano haverá ainda atualiza- cultura cisco Lisboa, o ventariados pelo Iphan em Mis artísticos era integrados (R$ 4 cional valor para a humanidade”. vos locais, programação estimular o turismo sustentápretação oferecem atendimento a e implantaçãodesinalizaçãoturísNo país, Minas é o estado com o$ 8 e milhões ra estimular o turismo sustentá- pretação oferecem atendimento a De acordo com oOministro da çãopelo e lançamento Guia Brasilei-1814). A vel comiGerais. elaborado Mi- entredo outros serviços e produtos 21nas sítios brasileiros mereturistas epadronizada, visitantes, com informaura velnos nos 21 sítios brasileiros mereturistas eda visitantes, informatica interativa edecreto acesmaior número dedobens reconhe» Início restauro completo Igreja Sãocom Francisco nistério do Turismo, em parceria As metas da nova política es Cidadania, Osmar Terra, com a ro de Sinalização Turística e a proaroaPreto, Catedral da Antes, na visita a BH, foi anuncedores douma título“por “por seu excepções sobre oAssumar, sítio histórico, cedores do título excepções sobre o sítiodehistórico, atrati- atrati- ou deseu Assis, que inclui a Casa do Conde na que vai abrigar sívelàspessoascomdeficiência cidos como patrimônio da humacom o Ministério da Cidadania e tão alinhadas com a Política Na nova política, um conjunto de dução de guias turísticos para casa Senhora do ciado o início da obra de restauqual será implantado do Museu de Mariana. Prevista a, tem patrocínio davalor Vale (R$ cional valor para vosNalocais, programação cultural, cultural, cional para aOrganização humanidade”. vos locais, programação mobilidade reduzida, nos sítios re-do Patrimônio Histó- cional de Turismo, o Plano Nacio nidade pelaa humanidade”. das o Instituto toda a parte civil e elementos artísticos e integrados. rsos captados via Lei Federal ações está sendo programado a da sítio reconhecido pela Unesco. s, em Mariana. ração da Igreja Nossa Senhora daoutros decreto elaborado pelo Mi- Mientreentre outros serviços e produtos. OOções decreto elaborado serviços e produtos. rico e Artístico Nacional (Iphan), nal de Turismo, a Política de Pa conhecidos como patrimônio Unidas para apelo Educação, ametas sco Investimento de R$de 8 milhões do Ministério da Cidadania e nistério do Turismo, em parceria As da nova política esfim de permitir melhor ogéa também Conceição, no distrito Camarnistério do Turismo, em parceria metas da novaentornos. política es- estrutur,Ouro na foi assinado em Brasília pelo pre- trimônio Cultural, a Política Na seus Ciência e a da Cultura (Unesco). O Asmundial do Iphan a Preto ecom o Ministério Cidadania eConsiderada tão alinhadas com a ePolítica Naração dos destinos turísticos pa- CRÉDITO documento do go- o Siste stimentos para gos, em Mariana. evista sidente Jair Bolsonaro. “Com essa O cional do Meio Ambiente, » Restauração da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, com o Ministério da Cidadania e tão alinhadas com a Política NaOutra açãoNacioa ser desenvolvida conjunto é formado peloscional cen-de Turismo, Instituto do Patrimônio Históo Plano ta Igrejao São ados. do século 18, no distrito de Camargos, em Mariana. trimônio mundial. “Essas ações verno federal anuncia que está uma das mais antigas de Minas ada Senhora da Assunção, em política”, diz o documento”, espema Nacional de Unidades d orico Instituto do Nacional Patrimônio Histócional de Turismo, o etros Artístico nal de Turismo, a Política dePlano Pa- Nacioeste ano éo atemplo implantação deque cenhistóricos de(Iphan), Ouro Preto, na os. Considerado um dos mais antigos de Minas, ro arquitetônico civil ra-se cada vez mais turistas Conservação, o Plano Nacional d vão impulsionar o turismo nesprevista a criação de linhas de e Casa dorico ConGerais e parte do grupo das maeRegião Artístico Nacional (Iphan), nal de Turismo, a Política de Pa- pafoi execução assinado Brasília pre- da trimônio Cultural, a Política Na- Turística, tros decomo Interpretação Central, epelo Diamantina, no receberá recursos Fundação Renova, parte ando agora em osem brasileiros e estrangeiros conheÁreas Protegidas, a Política sas cidades, movimentando a crédito para a implantação, me- Nacio oeição, Centro Histótrizes mineiras dopreséculo 18, o Ambiente, sidente Jair Bolsonaro. essa dopelo Meio oa Sisteem Brasília pelo trimônio Cultural, Política Nadas“Com condicionantes impostas Municipal es e a etapafoi de assinado elementos raConselho atendimento aos turistas evisitem visi- destinos e riquezas nal de Desenvolvimento Urban Vale do Jequitinhonha, pelocional Sançam e na. economia local, empre- lhoria, conservação e manutentemplo receberá recursos Fun- do política”, diz o documento”, espemada de de gerando de Patrimônio Cultural deNacional Mariana para oUnidades ecursos de R$ 8 milhões. sidente Jair Bolsonaro. “Com cional Meio Ambiente, oreconhecidos Siste- peão, tantes, nos sítios reconhecidos tuário dovez Bom Jesus deessa Matosimundialmente pe- e suas políticas setoriais de hab mplo ra-se que cada mais turistas Conservação, Plano Nacional de reassentamento dos moradores doopovoado de Bentomas go e renda, sem descuidar da mas çãosem de desempreendimentos turístidação Renova – responsável por política”, diz o documento”, espema Nacional de Unidades de tação, saneamento e mobilidade la Unesco no Brasil, la Unesco. Em Naciomaio de 2019, o Branhos,em Congonhas, também naProtegidas, rte Rodrigues, atingidos pelo rompimento da Barragem a do Rosário dos Pretos, Áreas a Política brasileiros eem estrangeiros conhepreservação”, disse ele. cos e sinalização turística em sílidar com os efeitos da tragédia eiro do grupo o Além do decreto federal qu cuidar da preservação e do resra-se que cada vez mais turistas Conservação, o Plano Nacional de cipal do Fundão, Samarco, 2015. sil enviará uma missão de interRegião pelodacomplexo do PAC para çam restauro dos Central, nal deem Desenvolvimento Urbano e visitem destinos ee riquezas tios reconhecidos como patrimôvam o Projeto da Samarco, em 2015–, como parinstitui a Política Nacional de Ges peito à cultura local. 2019 será o brasileiros e estrangeiros conheÁreas Protegidas, a Política Nacioa a obra reconhecidos e suas políticas setoriais habi- prefeitos e mundialmente câmbio comdegestores, moderno da Lagoa dapePampulha, ento Turísticados Sítios Patrimôni anorelacionadas do Patrimônio mais Turis- tão nio mundial. Outra medida em ATIVIDADES As ações te das condicionantes do Conses,al responsável çam e visitem destinos e riquezas nal de Desenvolvimento Urbano tação, e mobilidade. la Unesco no Brasil, mas sem destrade turístico brasileiros Portuem Belo Horizonte. A partir desaneamento mo,aovoltadas que envolve conjunto Mundial, em curso desenvolvimento é oestá Sistema dea estrutu às atividades turísticas ao um aemde formação Municipal de pePatrimônio Além do decreto federal que cuidar dalho preservação esustentável do resreconhecidos mundialmente e suas políticas setoriais dede habigal. Os técnicos informam quedeovalorização dos des- ração e lançamento do Program agora, o turismo nesações to patrimônio mundial serão imple- Certificação de Destinos Patrimo200 jovens porà cultura Cultural de Mariana para otação, reasinstitui a Política Nacional deeGespeito 2019 será odesUnesco no Brasil, mas sem saneamento mobilidade. éPatrimônio conhecer mesma relelocais elocal. outros as de re- lado oses chamado mestre dodaBarrojeto serãoobjetivo mestres-artífices in- referências tinos turísticos de dominância Nacional de Turismo Cultura tão Turísticados Sítios ano do Patrimônio mais Turisniais, que busca pro- atualiza mentadas de transversal ria de 18 a 25 sentamento do povoado devaspacitar da preservação e doonovas res-ventariados Além do Iphan decreto federal que o) do pa- cuidar co, Antonio Francisco Lisboa, pelo em Mi-forma patrimonial, Nestefomentar ano haveráoainda em centros de interpretação por- no Brasil”. vância, no país, ganham diMundial, está em curso a estrutumo,de o quetado envolve um conjunto nos cesso de qualificação dos destiaos planos, programas e projetos de Bento Rodrigues. O objetradicionais ro, entre peito Aleijadinho (1738-1814). A cominasNaGerais. De acordo à cultura local. 2019 será oração institui a Política Nacional Gestugueses, a Programa fim trazer de modelos pa- com o ministro da ção e lançamento do Guia Brasile retrizes de fomento. Política e lançamento de ações de valorização dosAdespintor e ano nos turísticos tenham como dasado entidades envolvidas em sua Terra, tivo é o acompleto da or estucador, ume mutivado visitaria ainda Catedral da restauro Antes, na visita BH,Sítios foi anunCidadania, com a roque de Sinalização Turística e a pro Patrimônio mais Turistão Turísticados Patrimônio ices in- tinoscional Nacional de Turismo Cultural. turísticos de dominância ra as 13 cidades detentoras de sí-Osmar deNossa Gestão Turística dos Sí-o início Conde ee de Sé e a Igreja Senhora do ciado da obra de restaunova política, um conjunto de dução de guias turísticos para ca principais atrativos o patrimônio execução. Entre outras medidas, o igreja, incluindo obra civil e elepeiro carotios quePatrimônio envolve um conjunto Mundial, está ematualizacurso a estrutu-munempelo Mi- mo, patrimonial, no Brasil”. Neste ano tios haverá ainda culturais patrimônio obos ção. EmdoRosário dos Pretos,artísticos. emMundial Mariana. tem ração da Igreja Nossa Senhora da ações está sendo programado a da sítio reconhecido pela Unesco cultural existente. decreto prevê o desenvolvimento mentos ssores proDe acordo com o ministro dadesçãopaeração lançamento Guia Brasileide ações dede valorização dos enolançamento Programa nodoBrasil. Osdocentros estabelecer normas milhões na, as in- Piresjetivo e Kátia Bogéa também Conceição,dial distrito de Camarfimde deinterpermitir melhor estrutuoi anunCidadania, Osmarde Terra, com a ro deNacional Sinalização Turística e a pro-Cultural. tinos turísticos dominância es inde Turismo ra estimular o turismo sustentápretação oferecem atendimento a recursos anunciaram investimentos para gos, em Mariana. Considerada ração dos destinos turísticos pa- CRÉDITO O documento do go mico e restaunova política,no umBrasil”. conjunto de dução de guias para ca- atualizam Mianoturísticos haverá cas e da patrimonial, a obra completa da Igreja São mereumaNeste das mais antigas deainda Minascom trimônio mundial. “Essas ações verno federal anuncia que est ultura vel nos 21 sítios brasileiros turistas e visitantes, informanhora da ações está sendo programado a da sítio reconhecido pela Unesco. ura. Em Francisco de Assis e Casa do ConGerais do grupo dasGuia mavão impulsionar o turismo nes- prevista a criação de linhas d De acordo com o ministro çãoe eparte lançamento Brasileicedores do título “por seuda excepções sobre o do sítio histórico, atratiCamar- fim de permitir melhor estrutudos, via de de Assumar, no Centro Histótrizes mineiras do século 18, o sas cidades, movimentando a crédito para a implantação, me Osmar Terra, com ro deO Sinalização Turística anuniderada Cidadania, CRÉDITO documento do go- e a proraçãocional dos destinos turísticos pa- a valor para a humanidade”. vos locais, programação cultural, 93 obras rico de Mariana. templo receberá recursos da Funlhoria, conservação e manuten economia local, gerando emprepolítica, um“Essas conjunto deverno dução deanuncia guias turísticos caestaue Minas nova federal que está para trimônio açõespelo Omundial. decreto elaborado Mientre outros serviços produtos. dação Renova – responsável por ego e renda, mas sem descuidar da ção de empreendimentos turíst ncisco dasda ma- ações a criação de linhas de Unesco. vão impulsionar o turismo nesestá No sendo programado aprevista da sítio reconhecido ora nistério do Turismo, em parceria As metas dapela nova política es- disse ele. do GalPROJETO roteiro do grupo lidar com os efeitos da tragédia cos e sinalização turística em s preservação”, mar, nao fim lo 18, sas de cidades, movimentando a crédito para a implantação, mepermitir melhor estrutuamarcom o Ministério da Cidadania e tão alinhadas com a Política Nao grupo em Mariana estavam o Projeto da Samarco, em 2015–, como partios reconhecidos como patrimô Prevista da Fun- economia lhoria, conservação e manuten- do golocal, gerando empre- pados turísticos CRÉDITO Odedocumento erada retor do ração Escola de destinos Ofícios, responsável te das condicionantes do Conse-o Plano ATIVIDADES As ações relacionadas nio mundial. Outra medida em o Instituto do Patrimônio Histócional Turismo, Nacioável por go e renda, mas sem descuidar da ção de empreendimentos turístiegrados.

Política para bens Política para bens da humanidade Política para bens da humanidade da humanidade

A A MEMÓRIA

Política para bens da humanidade


todo. Mas era muita dor, mesmo. cab to dacam capital que a(Nordeste, cidade temPampuincidência Agora estou melhor. Tomei sete ma lha, Leste e Odilon Behrens), que DESAFIO AO considerada alta da doença, com POLICIAMENTO litros de soro na veia”, contou o est já tem 13.713 casos prováveis de 435,22 casos a cada 100 mil habiOnda de assaltos em aposentado. “Ele veio fraco, desique imediações de base da dengue, e presenciou os dramas tantes, e também acaba pressioPM assusta comunidade 17 dratado e reclamando demais. Tia do Bairro Funcionários, dequemmalconseguesustentar nada pela busca de moradores de na Zona Sul de BH. Quando chegamos, quase chorei e di o próprio corpo enquanto espera PÁGINA 14 municípios próximos, que enestado de minas - p. 13 - 13/04/2019 cuidados quandovitantagenteesperando. pac médicos. Dados da Sefrentam a mesma situação e têm Ele não aguentava nem se mexer rem cretaria de Estado da Saúde indimenor estrutura. DENGUE na cadeira”, completa. fica cam que a cidade tem incidência Ontem, quando a equipe do Na UPA Odilon Behrens, a siconsiderada alta da doença, com EMchegouàUPALeste,naAveniCom mais de 50% das cidades da Grande BH em epidemia, entre elas a capital, serviços de saúde tuaçãonãoeramuitomelhorpara Nev 435,22 a cada 100 habida casos dos Andradas, nomil Bairro Vera superlotados impõem agonia em dobro a pacientes, que enfrentam, além dos sintomas, a espera omecânicoTiagoAugustoSoares, tro Cruz, a dona deacaba casa Selma Lúcia tantes, e também pressiode 22. Ele esperava a mulher, da qui nadaAraújo,de66anos,embarcavaem pela busca de moradores de mesma idade, sair do atendimenque uma ambulância com o marido, municípios próximos, que ento,queatéfoirápido,segundoele. tem o aposentado frentam a mesmaBelchior situaçãoAraújo, e têm de 70, rumo ao Hospital São José. Ele Mas ela só conseguiu chegar ao çõe menor estrutura. passou a quinta-feira na unidade consultório depois de passar pela cor Ontem, quando a equipe do com suspeita de dengue, reclasegunda unidade pública. Na de p EMchegouàUPALeste,naAvenimandodedoresemtodoocorpo. quinta-feira eles esperaram por dos da dos Andradas, no Bairro Vera às 13hLúcia e consenove horas no Hospital Risoleta ate Cruz,Osa dois donachegaram de casa Selma guiram atendimento depois de Tolentino Neves, na Região de com Araújo,de66anos,embarcavaem GPUILHERME PARANAIBA G muito alta da doença, situação três horas. “Acho que, pela VendaNova,eforamemborasem qua EPIDEMIA NA REGIÃO METROPOLITANA* umaquase ambulância com o marido, J H V caracterizada quando há uma E JOÃO H ENRIQUE DO VALE projeção de mais de 500 casos idade, ele foi atendido um pouco que ela conseguisse a consulta. que o aposentado Belchior Araújo, de A epidemia de dengue que prováveis por grupo de 100 mil mais rápido que outras pessoas. avança por Minas Gerais e já tohabitantes. Mário Campos apre“Primeiro, alegaram que a ficha esp 70, rumo ao Hospital São José. Ele ma conta de mais de 52,93% das senta o mais alto índice, com A epidemia de dengue que Issoaaqui ontem (anteontem) escidades da Região Metropolitana 4.496,63, seguido de Sarzedo, dela tinha sumido, mas quando te q passou quinta-feira na unidade de BH lota unidades de saúde e com 3.872,80, e de Betim, com avança por Minas Gerais e já totava impossível”, contou Selma. cria um gargalo no atendimento 2.614,56.aCom incidência alta, ameaçamos chamar polícia eles fren com suspeita de dengue, reclade quem começar que já é tratada como epidemia, maprecisa conta deo tratamais de 52,93% das Belchior foi diagnosticado localizaram e emestão um determinae su mento. Em Belo Horizonte, enquatro municípios, entre mandodedoresemtodoocorpo. quantoovírusdebilitafisicameneles BH, que tiveram índice entre cidades da Região Metropolitana com dengue, segundo a mulher, do momento disseram que tinha ro, teospacientesaopontodedeixá300 e 499. Ainda em situação que Os dois chegaram às 13h e conselos de aguardando chão não é considerada epidêmica, mas passou a aguardar vaga em BH deitados lota no unidades de saúde e só um médico mas para atender 10há risc guiram atendimento depois de em unidades de saúde, o aumenque também gera alerta, algum hospital do Sistema Único um estimado gargalo to cria da demanda, em no atendimento outras sete cidades com média pessoasquejáestavamdentrodo quase três horas. “Acho que, pela 40%,atrasaoatendimentoepresincidência (de 100 a 299 cade Saúde (SUS), porque precisava deo lado quem precisa siona psicológico, criando começar o tratasos/100 mil habitantes). hospitalemaisumtantodegente PAM idade, ele foi atendido um pouco umcenáriodesofrimentoemdoNa capital, balanço divulgado fazer exames dos rins. Só consemento. Em Belo Horizonte, ense dupla. Ontem, a equipe do Esontem pela Secretaria Municipal queestavafora.Enquantoisso,ela lo c maisguiu rápido que outras pessoas. tado de Minas percorreu quatro de Saúde mostra que a doença ontem, quando deixou a quantoovírusdebilitafisicamenunidades de pronto-atendimenavança febre, rapidamente. Jáde são chorava de dor, com dor dos Isso aqui ontem (anteontem) esto da capital (Nordeste, Pampu13.713 notificações neste ano, UPA Leste. “Eu senti dor no corpo teospacientesaopontodedeixálha, Leste e Odilon Behrens), que média de 135 por dia. Desse totava impossível”, contou Selma. já tem casos prováveis de deitados no chão tal, 3.217 moradores tiveram todo. Mas era muita dor, mesmo. cabeça,edesconfiandodedengue histó los13.713 aguardando dengue, e presenciou os dramas diagnóstico da doença confirmaBelchior foi melhor. diagnosticado Agora estou Tomei sete maisgrave.Mesmocomelanesse ca d dequemmalconseguesustentar do. Outros 10.496 estão sendo inem unidades de saúde, o aumeno próprio corpo enquanto espera vestigados. Foram descartadas, com dengue, segundo a mulher, litros de soro na veia”, contou o estado, tivemos que voltar sem agua cuidados médicos. Dados da Sedesde o início de 2019, por meio to da demanda, estimado em cretaria de Estado da Saúde indide investigação, 3.511 notificamasaposentado. passou a aguardar vaga em “Ele veio fraco, desique ela fosse atendida”, afirma Behr cam que a cidade tem incidência ções. Nenhuma morte foi confir40%,atrasaoatendimentoepresalgum hospital do Sistema Único considerada alta da doença, com mada pela virose. dratado e reclamando demais. Tiago.Naavaliaçãodele,ademora va es siona o lado criando 435,22 casos a cada 100 milpsicológico, habiA situação mais crítica é na de Saúde (SUS), porque precisava tantes, e também acaba pressioRegião do Barreiro. Segundo a seQuando chegamos, quase chorei e dificuldade pioram o quadro do tuaç umcenáriodesofrimentoemdonada pela busca de moradores de cretaria, são 2.257 casos prováfazerquandovitantagenteesperando. exames dos rins. Só consemunicípios próximos, que enveis registrados, sendodar 698 conpaciente. “A gente não pode quin se dupla. Ontem, frentam a mesma situação e têm a equipe do Esfirmados. A Regional Nordeste guiuEle ontem, quandonem deixou a não aguentava se mexer remédio sem saber é, então a UP menor estrutura. vem o emque seguida, com 1.988, sentadoquando de Minas Ontem, a equipe dopercorreu quatro do 441 confirmações. Depois UPA Leste. “Eu senti dor no corpo na cadeira”, completa. fica bem complicado”, queixa-se. ta Te EMchegouàUPALeste,naAveniaparece a Oeste, com 1.829 regisunidades de pronto-atendimenda dos Andradas, no Bairro Vera tros e 382 confirmações. todo. Mas era muita dor, mesmo. cabeça,edesconfiandodedengue históri Na UPA Odilon Behrens, a siO Hospital Risoleta Tolentino noit Cruz, casa Selma Lúcia toa dona dadecapital (Nordeste, PampuAraújo,de66anos,embarcavaem MEDIDAS Comoregisquadro epidê- caespe Agora estou melhor. Tomei sete maisgrave.Mesmocomelanesse de tuaçãonãoeramuitomelhorpara Neves confirmou terfeito uma ambulância comeo Odilon marido, mico da doença, a Prefeitura de lha, Leste Behrens), que o aposentado Belchior Araújo, de BH anunciou ações para melholitrosomecânicoTiagoAugustoSoares, de soro na veia”, contou o estado, que semna aguard tro etivemos a triagem davoltar paciente da d 70, já rumo ao Hospital São José.casos Ele rar o atendimento. Segundo a tem 13.713 prováveis de passou a quinta-feira na unidade Secretaria Municipal de Saúde, Behren aposentado. veio fraco, desi- da quequinta-feira, ela fosse atendida”, afirma de 22. Ele“Ele esperava a mulher, às 11h50, mas alega Enqu com suspeita de dengue, reclacentros de saúde nos bairros dengue, e presenciou os dramas dratado e reclamando demais. mesma idade, sair do atendimenTiago.Naavaliaçãodele,ademora esta que a aferiçãodeConcórdia dadosvitaise daTe- vano H mandodedoresemtodoocorpo. (Nordeste), Santa dequemmalconseguesustentar Os dois chegaram às 13h e conserezinha (Pampulha) e Tirol (Barto,queatéfoirápido,segundoele. temperatura nãoreiro) apontou alteraficou Quando chegamos, quase chorei e dificuldade pioram o quadro do tentar tuação guiram atendimento depois de abrem hoje para o próprio corpo quase três horas. “Acho que, pela enquanto espera amenizar a demanda das UPAs. Mas ela só conseguiu chegar ao paciente. ções e que ela não relatou dor nos quandovitantagenteesperando. “A gente não pode darvainoabrir quinta idade, ele foi atendido um pouco O município também cuidados médicos. Dados da Semais rápido que outras pessoas. 12 leitos extras de internação peconsultório depois de passar pela corpo.Sustentouaindaquehavia quei Ele não aguentava nem se mexer remédio sem saber o que é, então a UPA Isso aqui ontem (anteontem) esdiátrica no Hospital Odilon de Estado da Saúde inditavacretaria impossível”, contou Selma. Behrens. Um chamamento púsegunda unidade pública. Na de plantão quatro clínicos gerais, dem na cadeira”, completa. fica bem complicado”, queixa-se. ta Tere Belchior foi diagnosticado blico foi lançado para contratar cam que a cidade tem incidência com dengue, segundo a mulher, imediatamente cerca de 200 quinta-feira eles esperaram por dos quais dois se dedicam ao porq Na UPA Odilon Behrens, a siO Hospital Risoleta Tolentino noite n masconsiderada passou a aguardar vaga em da doença, com profissionais da saúde, dos quais alta nove horas no Hospital Risoleta Neves atendimento de casos menorpe- espera tas d algum hospital do Sistema Único 87 médicos,de principalmente tuaçãonãoeramuitomelhorpara confirmou terfeito oregisde Saúde (SUS), porque precisava diatras e clínicos gerais. 435,22 casos a cada 100 mil habiTolentino Neves, na Região de trocomplexidade, “o tipovários para o dana m fazer exames dos rins. Só conse“Já temos profissionais omecânicoTiagoAugustoSoares, e a triagem da paciente na den guiu ontem, quando deixou a interessados nas vagas em abertantes, e também acaba pressioVendaNova,eforamemborasem qual a paciente foi classificada e faze UPA Leste. “Eu senti dor no corpo to. Na segunda-feira faremos no- Enqua de 22. Ele esperava a mulher, da quinta-feira, às 11h50, mas alega todo. Mas erapela muita dor, mesmo. decabeça,edesconfiandodedengue va avaliação das medidasde do fim dengue era muito grande. O públicoque da capital) estão extre- maior história de peregrinação em busnada busca moradores de queidade, ela conseguisse a consulta. demanda período va h do todo atendimenque alotadas. aferiçãode Agora estou melhor. Tomei sete de semana, para ver da número de no Ho maisgrave.Mesmocomelanesse tempo chegava gente”, dismamente Daí a impor-dadosvitaise ca demesma atendimento, enquantosair municípios próximos, que litros de soro na veia”, contou o atendimentos, a repercussão e os estado, tivemos que envoltar sem se, enquanto que acompanhava o tância espera”. de salientar que, durante aguardava “Primeiro, na UPA Odilon alegaram a ficha A unidade, porém, admito,queatéfoirápido,segundoele. não alteraficouAn aposentado. “Ele veio fraco, desiimpactosnasUPAs.Outrasmedique ela fosse atendida”, afirma menino na unidade Odilon atemperatura semana, principalmente, as apontou Behrens. Ela disse que suspeitafrentam a mesma situação e têm dratado e reclamando demais. das poderão ser tomadas, como Tiago.Naavaliaçãodele,ademora Behrens, para onde foi transferipessoas que estão em melhor va estar comdela dengue, tinha mesmo si-sumido, mas quando teeque, nosnão últimos 10dor diasnoen- nos Pam Mas eladesó conseguiu chegar ao ções ela ol Quando chegamos, quase chorei abertura de postos nos e dificuldade pioram o quadro do fins de sedo da Pampulha. condição de que saúde, com menos relatou tuação que a filha 3 anos. Na menor estrutura. paciente. a polícia eles procura do normal vras quandovitantagenteesperando. “A gente não pode dar mana em outras regiões e de uniCom reclamações apontando tempofrenta de evolução da doença, acima quinta-feira, ameaçamos levou a menina até chamar consultório depois de passar pela corpo.Sustentouaindaquehavia quei e Ele não aguentava nem se mexer remédio sem saber o que é, então dades mistas de hidratação”, afirpara a unidade da região, a equiprocurem primeiro os postos de a UPA Pampulha, no Bairro SanOntem, a equipe do em um determinasuperlotação ne S na cadeira”, completa. quando fica bem complicado”, queixa-se. moupronto-socorAlex Sander Sena, gerente do EM foi até a UPA Pampusaúde”,eafirmou. Segundo o ge- do ta Terezinha,localizaram às 19h, mas à meia- epe segunda unidade pública. Na de plantão quatro clínicos gerais, demo Na UPA Odilon Behrens, a siO Hospital Risoleta Tolentino de Urgência e Emergência da Selha, onde conversou com a derente, o paciente que aguardava noite não teve mais condição de EMchegouàUPALeste,naAvenidojá com momento disseram que tinha ro, e que dá prioridade a casos de porqu na q tuaçãonãoeramuitomelhorpara Neves confirmou terfeito oregiscretaria Municipal deao Saúde. esperar. Ontem, sintomas sempregada Raquel Alves Ribeideitado no piso da UPA Pampuquinta-feira eles esperaram por dos quais dois se dedicam omecânicoTiagoAugustoSoares, tro e aBairro triagem daVera paciente na Na área médica, serão contrada dengue, voltou com a garota. ro, depara 25. O marido dela, Anderlha não quis esperar e foi emboda dos Andradas, no só um médico atender 10 risco iminente de perda da vida. de p de 22. Ele esperava a mulher, da quinta-feira, às 11h50, mas alega tados profissionais de angiolo- tas do Enquanto a criança foi atendida son de Jesus Souza, de 31, esperara. “Ele passou pela classificação nove horas no Hospital Risoleta atendimento de casos de vascular, menor mesma idade,a sairdona do atendimenque aSelma aferiçãode dadosvitaise da gia/cirurgia cardiologia, no Hospital Odilon Behrens, ela va atendimento deitado no chão e teria condições de aguardar. EnCruz, de casa Lúcia pessoasquejáestavamdentrodo to,queatéfoirápido,segundoele. temperatura não apontou alteraclínica geral, ficouTolentino na UPA. “Sinto muita dor da unidade, à qual já tinhade ido no tão, era um paciente que poderia“o cirurgia Neves, na Região complexidade, tipogeral, para o gas- naanem me MasAraújo,de66anos,embarcavaem ela só conseguiu chegar ao ções e que ela não relatou dor no troenterologia, ginecologia, nos olhos, nohospitalemaisumtantodegente corpo, coceira e fidia anterior, antes de seu quadro procurar um centro de saúde”, PAMPULHA Sentindo dores pe-ho- 3h d consultório depois de passar pela corpo.Sustentouaindaquehavia infectologia, medicina quei empolada. Essa situação de piorar. “Ele está com dor no coracredita Sena. “EstaVendaNova,eforamemborasem qualAlex a Sander paciente foi meopatia, classificada e fazer”, queestavafora.Enquantoisso,ela lo corpo, a babá Analia Moreira 21h3 segunda pública. Na de plantão clínicos gerais, física e reabilitação, ortopedia, demora é muito complicada, po, dor de cabeça, febre alta e não mos aumentando as cadeiras e umaunidade ambulância com oquatro marido,

superlotados impõem agonia em dobro a pacientes, q 13

GERAIS

ENTRE A DOR D ENTRE A DOR DA DOENÇA E O SOFRIMEN E O SOFRIMENTO DA FILA

UILHERME ARANAIBA E OÃO ENRIQUE DO ALE

LEANDRO COURI/EM/D.A PRESS

EPIDEMIA NA REGIÃO METROPOLITANA*


NTRE A DOR DA DOEN O SOFRIMENTO DA FI

E

18

cont... estado de minas - p. 13 - 13/04/2019

EPIDEMIA NA REGIÃO METROPOLITANA*

muito caract projeç prová habita senta 4.496, com 3 2.614, que já estão eles BH 300 e 4 não é mas q outras incidê sos/10 Na ontem de Saú avanç 13.713 média tal, 3. diagnó do. Ou vestig desde de inv ções. N mada As Região cretar veis re firma vem e do 44 aparec tros e

e que já to% das litana úde e mento tratae, enamendeixáo chão umeno em epresiando mdodo Esquatro imenmpus), que eis de ramas tentar espera da See indidência a, com habiessiores de ue ene têm

pe do Avenio Vera Lúcia vaem arido, újo, de sé. Ele nidade reclacorpo. conseois de e, pela pouco ssoas. m) eselma. icado ulher, ga em Único cisava consexou a corpo esmo. ei sete ntou o , desiemais. chorei

MEDI

cabeça,edesconfiandodedengue maisgrave.Mesmocomelanesse estado, tivemos que voltar sem que ela fosse atendida”, afirma Tiago.Naavaliaçãodele,ademora e dificuldade pioram o quadro do

história de peregrinação em busca de atendimento, enquanto aguardava na UPA Odilon Behrens. Ela disse que suspeitava estar com dengue, mesmo situação que a filha de 3 anos. Na

dengue era muito grande. O tempo todo chegava gente”, disse, enquanto acompanhava o menino na unidade Odilon Behrens, para onde foi transferido da Pampulha.

público da capital) estão extremamente lotadas. Daí a importância de salientar que, durante a semana, principalmente, as pessoas que estão em melhor condição de saúde, com menos

mico d BH an rar o Secret centro Concó rezinh reiro) amen O mu 12 leit diátri Behre blico f imedi profis 87 mé diatra “Já intere to. Na va ava de sem atendi impac das po abertu

Profile for Clipping Ministério Público de Minas Gerais

Clipping 13 a 15 de abril de 2019  

Clipping 13 a 15 de abril de 2019  

Advertisement