Page 1

boletim informativo

INDÚSTRIAS DE MADEIRA Edição Bimensal Janeiro | Fevereiro 2009

Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal

2008 em revista e perspectivas para 2009


depoimentos Nos tempos que correm, com a velocidade com que a informação nos chega através da televisão, dos jornais, da rádio e da Internet, obviamente que a crise económica e financeira não passa despercebida a ninguém. É, por isso, perfeitamente compreensível que a primeira reacção seja ficarmos alarmados. Consequentemente, perde-se o espírito de iniciativa e passa-se a olhar para tudo com negativismo. Contudo, a crise não se vai resolver só porque

Para o ano de 2009, a estratégia empresarial deve assentar numa aposta clara na internacionalização e na inovação. Neste âmbito, o Interwood, projecto conjunto da aimmp, dará seguramente um contributo essencial para a penetração sustentada em novos mercados. A crise internacional, sendo uma preocupação para todos os “players”, deve também ser vista como uma janela de oportunidade para aqueles que tenham a coragem de desenvolver projectos estratégicos diferenciadores.

ficamos preocupados. O que a fará passar serão os efeitos conjugados da sociedade civil e da governação. Em suma, é o nosso posicionamento enquanto empresários. Fica claro que, deixando passar o primeiro choque, aquilo que deixarmos de fazer, outros dificilmente o farão por nós. Mas também fica claro que defrontamos problemas derivados de factores externos, em relação aos quais nem somos culpados nem temos capacidade de actuação. Daí que temos de juntar à nossa moral a capacidade e o auxílio técnico para a resolução dos problemas. E por isso estamos a desenvolver junto do Governo o PASIMM – Plano de Apoio ao Sector das Indústrias de Madeira e Mobiliário, a ser apresentado ao sector brevemente.

Mário Nunes Presidente da Divisão dos Painéis de Madeira

Fernando Rolin Presidente da Divisão de Carpintaria e Presidente da Direcção

2

Nos últimos três anos, a aimmp estabeleceu uma relação de permanente presença nas empresas do sector e de enorme proximidade com a Administração Pública. Este trabalho incessante culminou na aprovação de um conjunto de projectos pelo QREN, cuja execução arranca em 2009, e que nos dão fundadas expectativas de estarem criadas condições para o desenvolvimento de um trabalho efectivo de apoio às Indústrias de Madeira e Mobiliário. Avizinham-se, assim, tempos de grandes desafios e de uma acrescida responsabilidade para a aimmp. Efectivamente, mais do que manifestações de intenção, assumimos o compromisso e a obrigação de implementar, em 2009, o PRODIMMP – Programa para o Desenvolvimento das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal. Não nos orientamos por discursos retóricos, mas sim para resultados concretos em favor das empresa, que são a nossa maior ambição e razão de existir. E, para alcançarmos os objectivos almejados, temos uma Direcção determinada e com visão estratégica e uma equipa pluridisciplinar, coesa e motivada. Maria Fernanda Carmo Secretária Geral

Que na difícil situação económica e conjuntural em que nos encontramos, os senhores empresários não percam a confiança e tomem decisões que permitam assegurar a sustentabilidade do seu negócio, conscientes de que as crises são passageiras e que temos de estar preparados para a fase seguinte, assegurando a qualidade que nos permita competir com os produtos concorrentes e com as exigências da procura. João Ferreira da Costa Presidente da Divisão de Exportação e Importação de Madeiras

A praga do Nemátodo e outros graves flagelos que se abateram sobre a Indústria de 1.ª Transformação de Madeira devem ser encarados como a derradeira oportunidade para a mobilização colectiva das empresas e demais agentes em torno da implementação de um plano que conduza à efectiva reestruturação de um sector extremamente carenciado. Neste contexto, assume particular relevância, em 2009, a concretização do Estudo das Serrações, aprovado pelo protocolo celebrado entre a aimmp e a Autoridade Florestal Nacional. António Cruz Presidente da Divisão do Corte, Abate e Serração de Madeiras

Em 2009, é essencial fomentar e reforçar os processos de reflexão conjunta sobre os problemas que afectam o sector do mobiliário com o objectivo de concertar estratégias, encontrar soluções para os problemas e adversidades que enfrentamos e sobretudo definir processos de cooperação entre as empresas do sector que nos permita ganhar massa crítica e ser competitivos no mercado global. Luciano Magalhães Presidente da Divisão do Mobiliário

ficha técnica

Indústrias de Madeira Propriedade AIMMP Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal | Presidente Fernando Rolin | Secretária-Geral Maria Fernanda Carmo Coordenação Editorial e Redacção Liliana Magalhães (liliana.magalhaes@aimmp.pt) | Colaboradores Filipa Pereira, Joana Nunes, Paulo Verdasca, Rui Barreira, Sara Machado, Vasco Teixeira Pedro | Projecto Gráfico Pedro Teixeira | Paginação Loja das Ideias | Fotografia Arquivo Fotográfico AIMMP | Impressão Tecniforma Print, S.A. Tiragem 2.500 exemplares | Distribuição Gratuita. Contactos Rua Álvares Cabral, 281 4050-041 PORTO · Tel. +351 223 394 200 · Fax 223 394 210 · Email aimmp@aimmp.pt · Web www.aimmp.pt


em revista …

janeiro em Portugal no Mundo Entra em vigor a nova lei do tabaco

Primeiro-ministro francês casa com

com forte impacto nos hábitos dos

a modelo Carla Bruni.

portugueses.

NA AIMMP E NO SECTOR

Formalizada a adesão à EFIC

F

oi a 30 de Janeiro que as empresas portuguesas de mobiliário passaram a estar representadas ao mais alto nível da Europa. O feito, ocorrido em Istambul, durante a mais importante feira de mobiliário da Turquia, a IMOB, foi conseguido pela aimmp ao formalizar a sua adesão à Confederação das Indústrias de Mobiliário Europeu (EFIC). Na EFIC, estão representadas as principais associações nacionais de mobiliário da Europa: Espanha, Itália, Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Turquia, Eslováquia e, agora, Portugal – países que representam mais de 65% da produção do sector naquele continente. Na sua génese, em 2006, esteve o sentimento de que é absolutamente necessária a união de forças para se conseguir exercer influência junto dos principais órgãos da União Europeia. A aimmp deu, assim, mais um importante passo na representação e defesa dos legítimos interesses da indústria de mobiliário português.

3

Projecto SIEFI apresenta resultados

D

epois de dois anos de implementação (2006 e 2007), o projecto SIEFI – Sistema de Informação Empresarial para o Fomento da Inovação chega ao fim, dando a conhecer, no início de 2008, os resultados das suas acções de consciencialização, difusão e orientação das empresas da euro-região Galiza – Norte de Portugal para a adopção de uma cultura inovadora. Aprovado no âmbito do INTERREG III, este projecto foi liderado pela Fundação para o Fomento da Qualidade Industrial e Desenvolvimento Tecnológico da Galiza, tendo contado com a colaboração de parceiros com grande representatividade sectorial, entre os quais a aimmp. Das suas acções resultaram: o lançamento de um sistema de informação para armazenamento de dados empresariais, tais como índices de inovação, de qualidade e da introdução das TIC; um mapa de servi-

ços que inclui um método de consulta daquele sistema, um modelo de inovação genérica e um modelo de inovação sectorial; e um Estudo sobre a situação da inovação na região norte de Portugal.


em revista …

fevereiro em Portugal no Mundo José Sócrates recebe o primeiro-

Raúl Castro é eleito presidente de

-ministro da França, François Fillon,

Cuba após 49 anos de chefia do seu

no âmbito do 3.º Encontro de Alto

irmão Fidel.

Nível Portugal-França.

NA AIMMP E NO SECTOR

Interwood dá-se a conhecer na Exponor

C

4

om o objectivo de incrementar as exportações do sector, a aimmp desenvolveu um novo conceito de internacionalização e traçou os dez passos que uma empresa deve dar para entrar nos mercados externos de forma sustentada. Assim nasceu o Interwood, um projecto aprovado pelo QREN e tornado público num seminário realizado pela aimmp na 20.ª edição da Export Home, no Porto. Sob o tema Internacionalização – um novo conceito integrado, e contando com a intervenção de técnicos da AICEP, o evento divulgou a estratégia para um empresário exportar com 80% de certeza de sucesso e deu a conhecer os principais mercados-alvo. Ludgero Marques, então presidente da AEP, classificou esta sessão como “uma riqueza enorme” e a Fernando Rolin chamou de “um revolucionário na vida associativa da aimmp”. A Export Home contou ainda com um stand da Associação para prestar apoio aos empresários do sector e de onde partiram várias visitas aos expositores.

Fernando Rolin reúne-se com Michael Porter

O

presidente da aimmp, Fernando Rolin, na qualidade de membro da direcção da Confederação da Indústria Portuguesa, deslocouse aos Estados Unidos da América para se reunir com o economicista Michael Porter. Do professor da Harvard Business Scholl esperava-se o regresso a Portugal para actualizar o estudo sobre a competitividade da economia portuguesa encetado há 14 anos, a pedido do então primeiro-ministro Cavaco Silva e do seu ministro da Indústria,

Mira Amaral. Foi, pois, em 1994, que o especialista norte-americano deu origem ao Relatório Porter, apontando os caminhos do desenvolvimento da economia portuguesa. Entre as conclusões do estudo, é indicada a aposta nos clusters tradicionais. A deslocação de Fernando Rolin aos EUA foi ainda aproveitada para a realização de uma reunião no Banco Mundial, em Washington, com o propósito de se discutir a necessidade de um financiamento para a realização de um estudo sobre o mercado de Angola.


em revista …

março em Portugal no Mundo O presidente da República, Cavaco

108 milhões de eleitores russos ele-

Silva, visita Moçambique para assi-

gem o sucessor de Vladimir Putin na

nalar “um novo ciclo” nas relações

presidência da Rússia: Dmitri Med-

entre os dois países.

vedev.

NA AIMMP E NO SECTOR

Associação reforça oferta de serviços à indústria

V

ocação, especialização, pró-actividade, acreditação, independência e catalisação. Assumindo estes valores, a aimmp renovou a sua imagem, criou novos suportes de informação e reforçou os seus serviços de apoio às Indústrias de Madeira e Mobiliário. Aos Departamentos de Marketing-Comunicação, Produção e Administrativo-Financeiro foram afectas novas áreas de negócio: Estudos e Projectos; Sistemas de Qualidade; Recursos Humanos; Sistemas de Informação, Design e Web; Assistência Técnica; Assistência Jurídica e Tribunal Arbitral. Em cada uma destas áreas foi enquadrado um conjunto diversificado de serviços, modulares e integráveis entre si. Desta forma, a aimmp passou a afirmase, definitivamente, como uma empresa prestadora de serviços, vendo nos seus associados clientes e primando por, junto destes, estabelecer relações próximas e pessoais.

Já no que se refere às novas “roupagens” da aimmp, destaca-se uma imagem de marca mais moderna e a distribuição da sua Apresentação institucional, que dá a conhecer amplamente o perfil e os serviços da Associação.

5

Sector conta com novo programa de apoio ao desenvolvimento

A

pensar no incremento da competitividade da Fileira de Madeira e Mobiliário, durante o mês de Março, a aimmp esboçou um novo programa dirigido às empresas do sector: o PRODIMMP – Programa de Desenvolvimento das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal. Um trabalho que viria a culminar, no mês seguinte, na apresentação de um projecto conjunto aos Sistemas de Incentivos à Qualificação, no âmbito do QREN. Com este projecto, prevê-se, até 2013, disponibilizar

ao sector uma gama de serviços cuidadosamente identificados em função das reais potencialidades e debilidades da indústria portuguesa. Objectiva-se, deste modo, criar vantagens competitivas nos mercados nacional e internacional onde as empresas se posicionam ou pretendam vir a posicionar-se, ao mesmo tempo que se potencia a transferência de conhecimento, hábitos de reflexão estratégica e a consciência do uso das TIC nos modelos de gestão e controlo das empresas.


em revista …

abril em Portugal no Mundo As unidades de produção da Delphi,

A cantora Madonna lança o seu últi-

em Ponte de Sor, e da Yazaki Salta-

mo disco com o título: Licorice.

no, em Gaia, encerram, desempregando 450 e 400 trabalhadores, respectivamente.

NA AIMMP E NO SECTOR

Dirigente angolano visita empresas portuguesas

C

6

om o objectivo de conhecer as empresas da Fileira Florestal portuguesa e, entre estas, encontrar possíveis parceiros, Pedro Barros Katendi, director nacional da Agro-Indústria do Ministério da Indústria de Angola, veio a Portugal. A visita foi preparada e acompanhada pela aimmp , depois de esta ter apresentado ao Governo angolano uma proposta de parceria institucional para o desenvolvimento de projectos de indústrias de base florestal. Segundo o dirigente angolano, “não é aceitável nem compreensível que Angola, tendo uma área florestal tão grande, importe a quase totalidade dos produtos e derivados da exploração florestal”. Por isso há, seguramente, interesse na criação local de uma Fileira de Madeira e Mobiliário. A viagem foi ainda aproveitada para dar um pulo ao país vizinho e visitar a Feria Internacional del Mueble de Madrid, onde as empresas portuguesas Aleal e Belar Group ganharam três dos seis prémios atribuídos no certame.

AIMMP realiza Missão Empresarial à costa leste dos EUA

F

oi em Abril, logo após a aprovação do Interwood pelo QREN, que a aimmp, no âmbito daquele projecto e com a colaboração da AICEP, arrancou com a sua primeira acção de internacionalização, tendo em vista o fomento das exportações da Fileira de Madeira e Mobiliário de uma forma sustentada: uma Missão Empresarial à Costa Leste dos EUA. Durante dez dias, sete empresas do sector do mobiliário – ADC, Belar, DPM, Haut de Gamme, Irmãos Reunidos, Selecção Móveis e Tema - deslocaram-se por Nova Iorque, High Point e Florida, procurando conhecer as características da procura e as especificidades do mercado para garantir a adaptabilidade dos seus produtos, recolher

informações sobre canais de distribuição e pontos de venda, bem como estabelecer contactos empresariais. A missão contemplou ainda uma visita à feira de High Point, na Carolina do Norte, reconhecida como o principal evento do sector.


em revista …

maio em Portugal no Mundo José Sócrates inaugura, em Paços

Pela terceira vez na sua História, o

de Ferreira, a primeira unidade de

Manchester United vence a Taça dos

produção de móveis da Swedwood,

Campeões Europeus.

um investimento de 135 milhões de euros.

NA AIMMP E NO SECTOR

Nemátodo leva à suspensão das exportações

P

lantas e madeira em bruto de coníferas hospedeiras de Nemátodo da Madeira do Pinheiro (NMP), originárias do território de Portugal continental, destinadas a transmissões intracomunitárias ou à exportação para países terceiros, passam a ser sujeitas a tratamento térmico. Assim o exige a Portaria publicada a 12 de Maio, que impõe que o tratamento adequado pelo calor atinja os 56.ºC durante pelo menos trinta minutos, atestado pela emissão de um certificado ou passaporte fitossanitário. Considerando estas medidas graves para a actividade das Indústrias de Madeira, a aimmp, para além de uma análise profunda da Portaria, entrou em contacto com os empresários do sector para recolher opiniões sobre o assunto, e, com isto, preparar uma intervenção junto do Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas. Esta situação acontece depois da Comissão Europeia ter sido notificada do apa-

7

recimento de dois novos focos do NMP em Arganil e na Lousã a 11 de Abril, e da exten-

Serrações contam com plano de apoio

O sector deverá preparar-se para um novo cenário fitossanitário.” A afirmação é do director-geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural e teve lugar numa Reunião de Acompanhamento do Nemátodo do Pinheiro, a 29 de Maio. Contando com a presença de várias associações sectoriais, entre as quais a aimmp, da Direcção-Geral dos Recursos Florestais e do secretário de Estado das Florestas, a iniciativa informou sobre o estabelecimento de um plano nacional de monitorização, que permitirá um diagnóstico e uma visão mais apurada da situação do país.

Para a indústria também foram apresentadas medidas de apoio que visam, fundamentalmente, garantir a sua sustentabilidade futura através da gestão dos stocks de madeira. Aqui se encontram as raízes do Plano Estratégico para a Reestruturação e Modernização da Indústria de Primeira Transformação de Madeira em Portugal, desenvolvido pela aimmp e financiado pelo Fundo Florestal Permanente. Este viria a culminar na assinatura de um protocolo com o Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e das Pescas e a Autoridade Florestal Nacional, a 20 de Outubro.

são da Zona de Restrição à região centro a 21 de Abril.


em revista …

junho em Portugal no Mundo O forte aumento dos combustíveis

Petróleo atinge preço mais alto de

leva camionistas a fazerem uma gre-

sempre.

ve nacional com forte impacto.

NA AIMMP E NO SECTOR

Industriais da serração discutem soluções

N

8

Lisboa recebe 3.º Congresso das Indústrias de Madeira, Mobiliário e Afins

Não aos problemas, sim às soluções” foi o mote do 3.º Congresso das Indústrias de Madeira, Mobiliário e Afins, que se realizou entre os dias 25 e 26 de Junho, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. E foi para encontrar soluções que, de forma inédita, todas as associações do sector se juntaram na organização desta iniciativa bienal. Um evento que contou com a presença de cerca de 200 congressistas e vários convidados ilustres, designadamente representantes de instituições públicas e privadas, quer de Portugal (como o IAPMEI, a AICEP, a CIP, a CCDRN,

a DGRF, a DGE, a ADI, a AEP e a AIP), quer da Europa (caso da CEI-Bois, da EFIC e da CONFEMADERA). Também Manuel Pinho, Castro Guerra e Augusto Santos Silva não faltaram ao encontro, deixando mensagens de apoio ao sector. “A disponibilidade de matéria-prima”, “Biomassa para produção de energia”, “As tendências do design na indústria de mobiliário”, “Certificação florestal como processo de controlo de boas práticas”, “Marketing e internacionalização”, “Negócios em Angola” e “A distribuição do mobiliário” foram os temas que estiveram em análise nesta edição que ficou pautada pelo sucesso.

uma altura em que a praga do Nemátodo da Madeira de Pinheiro avança no território português, a aimmp convidou todos os industriais de serração a juntarem-se numa reunião com o objectivo de, em conjunto, definirem soluções para o problema. O encontro teve lugar no dia 23 de Junho, no Centro de Negócios de Ourém, mesmo a tempo de levar para o 3.º Congresso das Indústrias de Madeira, Mobiliário e Afins uma proposta concreta para a reestruturação do sector. Em discussão estiveram as notícias alarmistas que vieram a público sobre o Nemátodo da Madeira de Pinheiro, a incapacidade individual de actuação por parte das empresas, a falta de uma posição clara dos produtores florestais sobre o fornecimento de madeira certificada às serrações, a possibilidade da substituição de pinho por florestas alternativas e, por fim, a necessidade da indústria se equipar e reestruturar.


em revista …

julho em Portugal no Mundo É assinado o memorando para a pro-

É resgatada Ingrid Betancourt, man-

dução, em Portugal, do computador

tida como refém havia seis anos pe-

portátil Magalhães.

las Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

NA AIMMP E NO SECTOR

Eleitos novos Órgãos Sociais para triénio de 2008/2010

A

25 de Julho, realizou-se, na sede da aimmp, as eleições dos órgãos sociais para o triénio de 2008/2010, tendo Fernando Rolin sido reeleito para o cargo de presidente. O acto eleitoral contou com uma lista única e registou uma participação sem precedentes. Fernando Rolin, em jeito de balanço sobre os seus últimos três anos na Direcção da Associação, afirmou: “Hoje somos uma das associações sectoriais portuguesas com melhor imagem e na qual a esfera pública acredita. Mostrámos, também, que podemos alterar a percepção que se tem do associativismo em Portugal.” Já no que se refere às linhas de actuação para o próximo triénio, o presidente destacou o desenvolvimento de todos os esforços para a criação de um pólo de

Projecto COMPIFIM chega ao fim

competitividade da Fileira de Madeira e Mobiliário e a criação de um programa para a reestruturação e modernização da serração portuguesa. Mas o maior empenho vai para a prossecução das conclusões do 3.º Congresso das Indústrias de Madeira, Mobiliário e Afins.

D

epois de seis anos de difíceis negociações, avanços, recuos e estrangulamentos de diversa ordem, o COMPIFIM – Programa para a Melhoria da Competitividade das Indústrias de Madeira é encerrado. Aquele que foi considerado, no seu arranque, o maior programa de intervenção no sector permitiu implementar em cerca de uma centena de empresas um conjunto de serviços complementares em áreas fundamentais: gestão estratégica, marketing, recursos humanos e formação, tecnologia e I&D. Paralelamente, levou-se a cabo uma ampla campanha de promoção da utilização dos produtos de madeira. Contudo, a execução do COMPIFIM enfermou de problemas significativos relacionados com a grande dimensão, a inexistência de uma estrutura capaz de o suportar, a concentração de grande número de acções num curto espaço de tempo e a inexistência de mecanismos prévios de financiamento, entre outros. Apesar disso, o know how adquirido com este projecto constitui-se num pilar fundamental para a definição dos novos programas de apoio ao sector.

9


em revista …

agosto em Portugal no Mundo Nélson Évora conquistou a medalha

Realizam-se os Jogos Olímpicos de

de ouro no triplo salto nos Jogos

Pequim, considerado o maior evento

Olímpicos de Pequim 2008, sendo

desportivo do ano: dez mil e quinhen-

a primeira e única medalha de ouro

tos atletas e 302 eventos de compe-

portuguesa nesta edição.

tição em 28 desportos.

NA AIMMP E NO SECTOR

Conclusões do Congresso nacional são divulgadas

D

10

Missão Empresarial a Moçambique gerou negócios

D

urante o mês de Agosto, a aimmp organizou uma Missão Empresarial a Moçambique - acção enquadrada no Interwood -, envolvendo dez das maiores empresas portuguesas do ramo dos materiais de construção e do mobiliário: Abel F. Neves, Belar, Colunex, DPM, Haut de Gamme, JAP, Soinca, Sonae, Valco e Viroc Portugal. A delegação portuguesa, que partiu para Maputo a 30 de Agosto, atribuiu a esta iniciativa um grau de importância acima dos 50%. O desenvolvimento de uma bolsa de contactos empresariais foi um dos objecti-

vos desta acção alcançados com maior sucesso: realizaram-se mais de 30 reuniões, sobretudo com distribuidores, arquitectos, empresários do sector do mobiliário e da hotelaria. Destes contactos, a maioria dos participantes perspectivaram o estabelecimento de entre dois a seis negócios, realizando mesmo encomendas, das quais 60% destinadas a distribuidores. A Missão Empresarial incluiu ainda uma visita à Feira Internacional de Maputo, reconhecida como o ponto de encontro dos homens de negócio com interesse no país e o espelho da economia moçambicana.

ar prioridade política ao pólo de competitividade das Indústrias de Madeira e Mobiliário, garantir o abastecimento de matéria-prima, estabelecer medidas de combate ao Nemátodo da Madeira do Pinheiro e regulamentar a utilização de biomassa para a produção de energia são alguns dos eixos sobre os quais assentam as conclusões do 3.º Congresso das Industrias de Madeira, Mobiliário e Afins, realizado no mês de Junho, em Lisboa. Essas conclusões passam a sustentar a estratégia de desenvolvimento do sector e a orientar a actuação futura das associações organizadoras do Congresso, designadamente nas suas conversações com o Governo. Finalmente reunidas num documento definitivo, a aimmp preocupou-se com a divulgação das mesmas junto do Governo, de reputadas instituições públicas e privadas e de todas as Indústrias de Madeira e Mobiliário, quer através do seu boletim informativo, quer de comunicados à Imprensa e de correspondência variada.


em revista …

setembro em Portugal no Mundo Lançamento de duas novas unida-

É anunciada a falência da quarta

des petroquímicas e de uma central

maior instituição bancária nos EUA,

eléctrica, no valor de 1000 milhões

com cerca de 150 anos: o banco Leh-

de euros, e que criará 500 empregos

man Brothers.

permanentes, em Sines.

NA AIMMP E NO SECTOR

FEFPEB realiza 61.º Congresso em Hamburgo

A

cidade alemã de Hamburgo recebeu, entre 17 e 20 de Setembro, o 61.º Congresso da Federação Europeia dos Fabricantes de Paletes e Embalagens de Madeira (FEFPEB), sob o lema As novas tecnologias e os desenvolvimentos futuros na embalagem. No encontro estiveram presentes mais de 250 congressistas, que centraram o debate na revisão da norma ISPM 15. Segundo Paulo Verdasca, presidente da FEFPEB, “não existe capacidade instalada, nem em Portugal, nem na Europa, para

que a ISPM 15 seja cumprida, no que respeita aos tratamentos fitossanitários”. Por isso, no congresso, defendeu-se a existência de um período de adaptação para o sector realizar os investimentos necessários ao cumprimento dos requisitos da norma. Em debate esteve também a propagação do Nemátodo da Madeira de Pinheiro em Portugal. Sobre este assunto, afirma Paulo Verdasca, “há um sentimento generalizado pela Europa de que o país tratou desta praga de forma negligente”.

AIMMP participa nas edições 500 Melhores Empresas

A

convite da Focus, a aimmp marcou presença nas páginas dedicadas às melhores associações do país da edição especial 500 Maiores Empresas, publicada pela revista em Setembro. A publicação destaca a reestruturação da serração portuguesa como a prioridade do sector e menciona a convicção da aimmp de “pertencer à indústria certa”. No mesmo mês, a Associação foi contactada pela Exame para ser a “voz” da Fileira de Madeira e Mobiliário de Portugal no seu suplemento 500 Maiores e Melhores Empresas. Neste, apontou-se a falta de matéria-prima como o principal problema do sector, ao passo que o futuro passa pela “tecnologia, novos produtos, qualificação humana e incremento da produção florestal”. Estas e outras solicitações dos media que se seguiram são um sinal claro do reconhecimento da aimmp como única representante de toda uma fileira, logo como a fonte de informação mais produtiva e credível sobre as suas indústrias.

11


em revista …

outubro em Portugal no Mundo Presidente da Toshiba, Atsutoshi

O antigo presidente finlandês Martti

Nishida, assina um memorando de

Ahtisaari é laureado com o Prémio

entendimento para a constituição de

Nobel da Paz, pelas suas numerosas

uma Rede de Investigação e Aprendi-

mediações de paz nos últimos 30

zagem em Portugal.

anos.

NA AIMMP E NO SECTOR

Fileira vai investir 100 milhões em Angola

12

A

proveitar a experiência portuguesa para, em 15 anos, criar em Angola uma Indústria de Transformação Florestal semelhante à que, em Portugal, demorou 35 anos a construir foi o desafio lançado pela aimmp ao Governo angolano que culminou, em Outubro, na apresentação de um estudo de viabi-

lidade técnica-económica para a instalação de Indústrias de Madeira, Mobiliário e Afins em diversas províncias angolanas. O projecto, encomendado pelo ministro angolano da Indústria, consiste na construção de um centro de formação profissional e de seis fábricas – uma de aglomerados de madeira, outra de pavimentos, duas de mó-

veis e duas carpintarias -, através de parcerias entre empresas locais e portuguesas. Totalizando um investimento de 100 milhões de euros, que se espera ver concluído no terreno em 2010, o projecto traduz-se na criação de 720 postos de trabalho directos e dois mil indirectos e vai permitir a construção de 2.200 habitações por ano.

Novas associações dinamizam clusters

N

a sequência do desafio lançado pelo Governo no âmbito do Programa Pólos de Competitividade, Portugal viu nascer duas novas estruturas associativas: a Associação para a Competitividade da Indústria da Fileira Florestal e a Associação para o Pólo de Excelência e Inovação das Empresas do Mobiliário de Portugal, das quais faz parte a aimmp. A primeira congrega todos os intervenientes de maior representatividade nos sectores da madeira, da cortiça, da pasta e do papel, tendo como missão contribuir

para que o país se torne mais competitivo na investigação, concepção, desenvolvimento, fabrico e comercialização de produtos e serviços associados à Fileira Florestal. Ao Ministério da Economia, esta organização apresentou uma candidatura para conseguir o reconhecimento de Pólo de Competitividade e Tecnologia, de vocação internacional. A segunda, por sua vez, uniu as cinco associações representativas do sector do mobiliário, tendo em vista a promoção da imagem e a valorização do mobiliário do país através da criação do Cluster do Mobiliário e Afins.


em revista …

novembro em Portugal no Mundo O Governo português decide naciona-

Barack Hussein Obama torna-se no

lizar o BPN por este se encontrar em

primeiro presidente negro dos Es-

situação de colapso devido a perdas

tados Unidos da América e o quinto

superiores a 700 milhões de euros.

mais jovem a tomar posse do cargo.

NA AIMMP E NO SECTOR

Encontros para a Competitividade em Ourém

D

Futuro da floresta de pinho em debate

A

Federação Nacional das Associações de Proprietários Florestais organizou, em Coimbra, um seminário sob o tema Que futuro para a floresta de pinho em Portugal?, tendo como objectivo principal analisar a situação do Nemátodo da Madeira do Pinheiro (NMP) no país. Para isso, o evento contou com a participação de representantes das várias associações do sector, incluindo a aimmp, bem como com proprietários florestais, industriais e investigadores. Agir com rapidez e de forma concertada foram as palavras de ordem saídas deste seminário com vista à contenção do NMP. O encontro foi ainda aproveitado por Paula Barroso, engenheira florestal da aimmp, para denunciar a desadequação dos apoios do PRODER à realidade das empresas portuguesas: “A legislação só abrange as microempresas e exige-lhes uma autonomia financeira de 20%.” Por isso, a aimmp já en-

trou em contacto com o Governo a solicitar alterações ao Programa que visam facilitar o acesso das PME aos apoios.

ebater estratégias de competitividade para as Indústrias de Madeira foi o principal objectivo dos Encontros para a Competitividade, uma iniciativa do Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação (IAPMEI), organizada em parceria com a aimmp . A acção, que teve lugar no Centro de Negócios de Ourém, enquadra-se no programa de assistência empresarial do IAPMEI, que procura identificar as necessidades das empresas e respectivas soluções, bem como explorar dinâmicas de cooperação que resultem em oportunidades de crescimento para as PME. Nesse sentido, realizaram-se quatro workshops sobre temas que marcam a actualidade do tecido empresarial português, de que é exemplo a inovação e internacionalização – tema que contou com a intervenção de Maria Fernanda Carmo, secretária geral da Associação. Das conclusões desta sessão, em particular, destaca-se a “experiência relevante da aimmp a funcionar como factor demonstrativo, dinamizador e potenciador”.

13


… em revista

dezembro em Portugal no Mundo Cientistas portugueses consegui-

Comemora-se o 60.º aniversário da

ram, pela primeira vez, tornar o papel

Decalaração Universal dos Direitos

parte integrante de um transístor.

Humanos.

NA AIMMP E NO SECTOR

Sector explora oportunidades no Dubai

A

aimmp, com o apoio da AICEP

Portugal, levou ao Dubai, numa Missão Empresarial, dez empresários portuguesas do sector do mobiliário e dos materiais de construção, incluindo fabricantes de pavimentos, de estofos e de sofás. Maria Fernanda Carmo conta: “A nossa principal motivação era a prospecção de mercado. E, efectivamente, conseguimos adquirir o know-how suficiente para agora podermos apoiar as empresas da Fileira de Madeira e Mobiliário que queiram entrar naquele emirado árabe.”

14

AIMMP apresenta pacote anti-crise ao primeiro-ministro

A

aimmp apresentou ao primeiro-

-ministro, José Sócrates, um pacote de medidas de apoio para que as Indústrias de Transformação de Madeira e de Mobiliário possam enfrentar a actual crise económica e financeira. Tendo em conta a importância desta fileira para a economia nacional, a aimmp acredita que o Governo atenderá às suas reivindicações à semelhança do que já fez com a indústria automóvel e outros. Em declarações à Imprensa, Fernando Rolin explicou que “as empresas estão a

trabalhar a cerca de 50 por cento da capacidade instalada, devido à redução de encomendas”. O documento entregue ao Executivo contém como grandes linhas: processos de apoio inovadores, processos que potencializam os apoios existentes e aquilo que os empresários do sector estão disponíveis a dar como contribuição para a recuperação da economia do país.

Esta foi mais uma das acções da aimmp desenvolvidas no âmbito do Interwood, que desta feita contou com a participação das empresas Abel F. Neves, ADC, Anaric, Belar, Fenabel, Haut de Gamme, J. Dias, Sofamóvel, TemaHome e Viroc Portugal. A Missão Empresarial integrou ainda uma visita à principal feira de design de interiores no Médio Oriente, a Índex Dubai, onde, de 3 a 7 de Dezembro, se reuniram mais de 1000 marcas internacionais e cerca de 1700 prescritores.


o que nos espera …

no país e no mundo

O que precisamos de saber sobre o ano que agora começou 1. A CENA POLÍTICA

um veículo robotizado que deverá chegar a Marte entre Julho e Setembro de 2010. E a promessa da terapia genética experimental deverá, finalmente, tornar-se numa realidade clínica.

E

m termos políticos, 2009 promete ser um ano de mudanças para o mundo. E elas já começaram a dar sinais de si, com o novo Presidente dos Estados Unidos da América a tomar posse a 20 de Janeiro. Barack Obama é o primeiro negro da História a assumir um cargo de presidência nos EUA, estando a personificar o sonho americano. Obama enfrenta, contudo, e como o próprio a ela se referiu, a pior crise económica desde a Grande Depressão de 1929. Não será, por isso, de admirar que os ânimos arrefeçam quando (e se) ele for obrigado a adiar algumas das suas promessas eleitorais. Fora da América, estão marcadas eleições em diversos pontos do mundo. Na Índia e na Alemanha, há eleições legislativas. Na Indonésia, África do Sul, Irão e Afeganistão, haverá eleições presidenciais. Em Junho, os 27 países da União Europeia vão a votos para eleição do Parlamento Europeu – em função dos resultados deste acto eleitoral, os líderes da UE poderão voltar a nomear Durão Barroso para um novo mandato de presidente da Comissão Europeia. ELEIÇÕES EM PORTUGAL É ano de eleições legislativas e autárquicas. O primeiro-ministro, José Sócrates, enfrenta, por um lado, um PSD que já não está no estado em que se encontrava em 2005, embora ainda longe de uma forma política que possa ser considerada razoável; e, por outro, um PCP e um BE que ganham votos graças ao descontentamento de vários sectores da sociedade. Manuela Ferreira Leite já afirmou que será candidata ao cargo de primeira-ministra, embora vários sectores sociais-democratas tenham vindo a ser tudo menos discretos em termos de oposição interna. Manuel Alegre poderá avançar para a liderança de um novo partido ou movimento político, eventualmente com apoio do BE. E Santana Lopes poderá regressar à presidência da Câmara Municipal de Lisboa.

2. O ESTADO DAS NAÇÕES

O

ano de 2009 promete muita animação, em ciência, em evolução. No Dubai, vai ser inaugurado o edifício mais alto do mundo. A Barbie e o Astérix celebram o seu 50.º aniversário. Naquele que será o Ano Internacional da Astronomia, 400 anos depois da invenção do primeiro telescópio de Galileu, os cientistas vão fazer um mapa do cérebro e procurar planetas semelhantes à Terra. Em Junho, deverá começar a funcionar novamente o acelerador de partículas do CERN que procura descobrir a chamada “partícula de Deus”, que explica a origem da massa. Em Setembro, a NASA vai lançar o robô da Mars Science Laboratory,

TENSÕES SOCIAIS NO PAÍS A crise mundial tenderá a aumentar a tensão social, deixando no ar uma possível revolta democrática. Entretanto, o primeiro-ministro já assumiu que o Governo está empenhado “na protecção das famílias, especialmente as de menor rendimentos, protegendo-as das dificuldades que sentem e ajudando-as nas suas despesas principais”, destacando-se, na área social, a baixa dos juros no crédito à habitação. Entretanto, na educação, o Governo deverá continuar a enfrentar a luta dos professores contra o actual modelo de avaliação e a revisão do Estatuto de Carreira Docente, bem como a prevenir todas as formas de iliteracia e a incrementar a penetração e uso efectivo das TIC no sistema educativo. Por seu turno, as projecções do Instituto Nacional de Estatística deixam antever um ligeiro crescimento da população portuguesa ao longo dos próximos dez anos. Admitese, como possível, a estabilização, ou nova descida, da fecundidade e o aumento da esperança de vida. O maior peso da população idosa sobre a fracção activa irá levar a maiores pressões fiscais, para além da necessidade de reconversão das modalidades de reforma.

15


o que nos espera …

no país e no mundo

16

3. A CRISE ECONÓMICA

4. ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

E

Q

m 2009, a especulação vai continuar, mas espera-se que sob melhor controlo pelos mecanismos reguladores do sector financeiro da estrutura económica dos países. O crescimento económico mundial, em termos de PIB/DGP, vai continuar a desacelerar, em especial nos países que até agora eram considerados de economias desenvolvidas, passando dos 2,0% de 2008 para apenas 1,0% em 2009. A falta de um plano económico na UE não irá permitir a recuperação a curto prazo da grave situação de recessão, que corre o risco de degenerar em retracção, uma vez que a banca não tem liquidez financeira para apoiar a recuperação do tecido produtivo. Com uma quebra da produção a atingir os 0,4%, deverão surgir oito milhões de novos desempregados nos próximos dois anos. É de admitir que as taxas de juro na UE/ Zona Euro voltem a descer para 2,25% e que, se (como tudo indica) não houver recuperação económica, este indicador poderá descer até 1,75 no final do terceiro trimestre. Todavia, subsiste o problema dos spreads altos cobrados pela banca. Entretanto, no mundo emergente, há países que irão conseguir manter um crescimento sólido. Assim, vai acelerar-se a transferência de poder para países como o Brasil, a Rússia, a Índia e a China. Será ainda de admitir uma maior estabilidade nos preços do crude. CONJUNTURA NACIONAL Em 2009, o PIB irá sofrer uma retracção, caindo para um crescimento negativo de entre –0,3% e –0,5%. A pouca procura externa e a sobrevalorização do euro em relação ao dólar vão-se reflectir numa queda das exportações de –3%, em relação a 2008. Por sua vez, a quebra no consumo e no investimento privado – resultante da taxa de endividamento das famílias e da dificuldade de acesso ao crédito bancário - irá reflectir-se na queda das importações na ordem dos 6%. À menor procura alia-se uma menor inflação – parâmetro que deverá oscilar entre 1,4 e 1,6%. O resultado deste cenário no indicador “desemprego” é a subida, que este ano deverá atingir os 8,8%. Esta grave cena económica poderá prolongar-se até 2010 dependendo da gestão política de uma série de indicadores. O pri-

meiro deles tem a ver com o investimento total (FBCF): com a queda prevista no investimento privado e fuga do investimento estrangeiro (que, até Abril de 2008, caiu 47%), o indicador “FBCF” deverá cair para –1,7%. Porque a política de “protecção” às PME tem sido nula, é de prever que Portugal não terá possibilidade de crescer em competitividade. No que respeita ao endividamento, Portugal está a atingir níveis preocupantes: a dívida pública irá sofrer um agravamento considerável, com a OCDE a prever que o défice orçamental se aproxime dos 4,6% do PIB. Para minimizar a derrapagem certa do défice, o Banco de Portugal preconiza uma descida do consumo público – este indicador deverá sofrer uma queda de 0,2%.

uando, em 2001, foi estabelecido o Protocolo de Quioto, ficou decidido que 2009 seria o ano mais importante para as alterações climáticas. Neste contexto, em Dezembro, realiza-se a Cimeira de Copenhaga, na qual se vai procurar estabelecer um acordo com vista à redução de emissões de gases com efeito de estufa. O degelo dos pólos é uma das consequências apontadas pelos cientistas do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas. Em 2008, a área coberta por gelo atingiu o mínimo, a 12 de Setembro, de 4,5 milhões de quilómetros quadrados. Por isso, as preocupações com o ambiente continuarão na ordem do dia, sendo a mudança dos paradigmas que regem a sociedade de consumo actual uma prioridade. Assim, depois de introduzir formas de redução de emissão nas fábricas e nos carros, a Comissão Europeia vai focalizar-se na instituição de novas regras para os 27. ENERGIAS RENOVÁVEIS NO PAÍS Num cenário marcado pelas preocupações com as alterações climáticas, as energias alternativas, de que são exemplo os biocombustíveis, ganham uma maior força. Reconhecida a importância destas para o desenvolvimento de Portugal, é inquestionável a necessidade de investimento em fontes renováveis, tanto quanto o é nas seis centrais térmicas licenciadas de forma a assegurar um adequado equilíbrio entre competitividade e sustentabilidade.

Fontes: General Vizela Cardoso (in Previsão do Estado da Economia Nacional para 2009), Público, Expresso, Sol, Visão, Exame, The Economist.


o que nos espera

no país e no mundo

PRINCIPAIS FEIRAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS 2009 MOBILIÁRIO FEIRA

DATA

LOCAL

WEB

 xportHome - Mobiliário, Iluminação e Artigos de Casa E para Exportação

3 a 7 de Março

Porto, Portugal

www.exporthome.exponor.pt

Intercasa - Salão Internacional de Mobiliário, Iluminação e Decoração

3 a 11 de Outubro

Lisboa, Portugal

www.intercasa.fil.pt

Interiors Birmingham

18 a 21 de Janeiro

Birmingham, Reino Unido

www.interiorsbirmingham.com

IMM Cologne - Feira Internacional de Mobiliário

19 a 25 de Janeiro

Colónia, Alemanha

www.imm-cologne.com

Isalone - Salão Internacional do Móvel

22 a 27 de Abril

Milão, Itália

www.cosmit.it

ICFF- International Contemporary Furniture Fair

16 a 19 de Maio

Nova Iorque, EUA

www.icff.com

Maison&Objet

4 a 8 de Setembro

Paris, frança

www.maison-objet.com

Feira Internacional do Mobiliário - Habitat Valencia

Setembro

Valencia, Espanha

fim.feriavalencia.com

Index Dubai

14 a 17 de Novembro

Dubai, Emirados Árabes Unidos

www.indexexhibition.com

 ebel - International Exhibition for Furniture, M Fittings and Hupholstery

23 a 27 de Novembro

Moscovo, Rússia

www.meb-expo.ru

Nacionais

Internacionais

17 MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO FEIRA

DATA

LOCAL

WEB

Tektónica - Feira Internacional de Construção e Obras Públicas

19 a 23 de Maio

Lisboa, Portugal

www.tektonica.fil.pt

Concreta - Feira Internacional de Construção e Obras Públicas

20 a 24 de Outubro

Porto, Portugal

www.exponor.concreta.pt

BAU - Arquitectura, Materiais e Sistemas

12 a 17 de Janeiro

Munique, Alemanha

www.bau-muechen.de

Domotex - International Flooring Fair

17 a 20 de Janeiro

Hannover, Alemanha

www.domotex.de

Mosbuild - Feira Internacional de Construção e Interiores

31 de Março a 3 de Abril

Moscovo, Rússia

www.mosbuild-expo.com

Construmat - Salón Internacional de la Construcción

20 a 24 de Abril

Barcelona, Espanha

www.construmat.com

Interbuild

18 a 21 de Outubro

Birmingham, Reino Unido

www.interbuild.com

Batimat - Le Salon International de la Construction

2 a 7 de Novembro

Paris, França

www.batimat.com

Nacionais

Internacionais

TECNOLOGIAS E EQUIPAMENTOS FEIRA

DATA

LOCAL

WEB

Internacionais Interzum

13 a 16 de Maio

Colónia, Alemanha

www.interzum.com

LIGNA - World Fair for the Forestry and Wood Industries

18 a 22 de Maio

Hannover, Alemanha

www.ligna.de

 OW - Annual Fair for Components and Accessories for Furniture Z and Interiors Design

2 a 5 de Junho

Saragoça, Espanha

www.zow.es


o que nos espera …

na aimmp e no sector

PASIMM

Pacote de medidas de apoio ao sector em conversação no Ministério da Indústria

O

18

pacote de medidas anti-crise dirigido às empresas da Fileira de Madeira e Mobiliário que a aimmp apresentou, no final do ano passado, ao primeiroministro português já se encontra em conversações no Ministério da Indústria e Inovação. A ser brevemente e amplamente apresentado ao público, o pacote já tem nome: PASIMM – Plano de Apoio ao Sector das Indústrias de Madeira e Mobiliário, que consiste, sobretudo, numa adaptação das medidas transversais ao sector, às suas necessidades e cultura, complementada por um conjunto de especificidades necessárias. “É, efectivamente, um programa de trabalho, assente em ideias claras e enquadradas, com o qual se pode contribuir para as políticas do Governo, fazendo chegar os apoios já disponíveis aos nossos empresários”, explica Fernando Rolin. Apoio à interface Floresta/Indústria, estímulo ao emprego e à sua maior quali-

Medidas para o curto prazo • 1. Apoio à interface Floresta/Indústria: articular os apoios à floresta com os das PME de 1.ª transformação de madeiras.

ficação, apoio às insuficiências financeiras, ajustamento ao perfil industrial e tecnológico do sector e incentivo selectivo à procura são os cinco eixos estratégicos em que assenta o PASIMM [ver caixa]. O presidente da aimmp está confiante nos resultados das conversações com o Ministério da Indústria e Inovação, considerando o peso socioeconómico do sector – representa 54.000 postos de trabalho e um saldo comercial de 400 milhões de euros: “Representamos umas 40 ou 50 empresas Qimonda.”

• 2. Estímulo ao emprego e à sua maior qualificação: qualificação dos trabalhadores em substituição de horas de trabalho e agilização do lay-off. • 3. Apoio às Insuficiências Financeiras: dotação específica para o sector nas linhas de crédito a PME e nos seguros de crédito; agilizar acesso e pagamento de incentivos pelo QREN. • 4. Ajustamento ao Perfil Industrial e Tecnológico do Sector: apoiar a melhoria de eficiência dos processos produtivos e conversão para novos perfis de especialização industrial; fundo para operações de concentração empresarial. • 5. Incentivo Selectivo à Procura: incentivar a reciclagem de mobiliário e produtos de madeira na compra de novos produtos; políticas de procura pública para os produtos do sector.


o que nos espera …

na aimmp e no sector

Nemátodo da Madeira de Pinheiro

Associações combatem doença que ameaça Indústrias de Primeira Transformação Estudo das serrações portuguesas Já arrancou o Plano Estratégico para a Reestruturação e Modernização da Indústria de Primeira Transformação de Madeira em Portugal, desenvolvido pela aimmp, contando com um apoio de 144 mil euros atribuídos pelo Fundo Florestal Permanente.

A

situação do Nemátodo da Madeira de Pinheiro (NMP) em Portugal, e mais recentemente em Espanha, levanta inúmeras incógnitas sobre a evolução do mercado das embalagens de madeira, pelo que as associações nacionais e europeias têm-se desdobrado em esforços para identificar as melhores formas de combater esta praga, ao mesmo tempo que defendem imagem da embalagem de madeira. A última directiva da União Europeia (2008/954/EC) deixa Portugal num embargo técnico ao impor o tratamento de toda a madeira que sai de Portugal: tratamento térmico para madeira cortada; e por fumigação para partículas de madeira, estilha, costaneiros e demais restos. Já para todo o tipo de embalagem, caixa ou palete de madeira exige-se marcação de acordo com a norma ISPM15. Em 2009, impõe-se, pois, a rápida definição e implementação de medidas correctivas que possibilitem o levantamento das restrições impostas às exportações dos pro-

dutos de madeira portugueses e que estão a deixar as empresas à beira do abismo. Aposta na investigação Neste contexto, deposita-se particular esperança na realização de dois estudos que vão permitir a recolha de informação fundamental para a tomada de acções correctivas no combate ao NMP: o Estudo de Biocidas, a realizar em parceria com a Universidade de Coimbra; e a Análise do ciclo de vida do NMP, que inclui a definição dos métodos de recolha de amostra em paletes de madeira para localizar o insecto vector, sob a coordenação de Edmundo Soares e com o apoio de Hugh Heavens. Já para permitir às empresas que continuem a trabalhar com um determinado grau de segurança e a operar com paletes velhas e usadas, foi aprovada a norma portuguesa NP 4487. Por sua vez, a Federação Europeia dos Fabricantes de Paletes e Embalagens de Madeira criou uma task force com o objectivo de negociar junto da União Europeia a implementação da norma fitossanitária ISPM 15 a nível europeu.

Este estudo enforma um trabalho de campo intensivo, que permitirá à aimmp informar a Produção e os Agentes reguladores da Administração Pública sobre os consumos anuais de madeira de pinho previstos para os próximos anos. Informação de crucial importância para fazer face à propagação do NMP, na medida em que a oferta de material lenhoso necessita de ser repensada, e que as serrações carecem de uma profunda reestruturação de modo a dar resposta aos novos desafios.

19


o que nos espera …

na aimmp e no sector

PRODIMMP Consultadoria

Novos serviços impulsionam desenvolvimento do sector

F

20

oi aprovado o PRODIMMP – Programa para o Desenvolvimento da Indústria de Madeira e Mobiliário de Portugal, que a aimmp apresentou numa candidatura conjunta aos Sistemas de Incentivos à Qualificação, no âmbito do QREN, em Abril passado. Este projecto, a cinco anos, visa apoiar o desenvolvimento sustentado da Fileira de Madeira e Mobiliário, impulsionando a sua competitividade. Para servir esse intuito, um dos seus principais eixos de actuação é a Consultadoria. O programa abrange, pois,

a oferta às empresas de um conjunto vasto de serviços cuidadosamente identificados em função das reais debilidades e potencialidades do sector [ver caixa]. O PRODIMMP Consultadoria afirma-se, assim, como uma oportunidade única para as empresas realizarem os investimentos indispensáveis ao sucesso dos seus negócios, por um lado, contando com o apoio de consultores experientes e a supervisão da aimmp, e, por outro, beneficiando de incentivos do QREN que podem ir até aos 45%.

Deste modo, o programa concorre para: potenciar vantagens competitivas nos mercados nacional e internacional; mapear a cadeia de valor, identificando oportunidades de melhoria; criar hábitos de reflexão estratégica, disponibilizando modelos de planeamento e controlo; consciencializar as empresas para a necessidade de adoptar sistemas de apoio à tomada de decisão, nomeadamente sistemas de gestão e TIC; e garantir a sustentação do know how transferido.

Serviços do PRODIMMP Consultadoria

TECHWOOD • Auditorias de produtividade, análise tecnológica e optimização de lay-outs; • Auditorias energéticas e Planos de Melhoria. QUALIWOOD • Sistemas de gestão da qualidade; • Certificação de produto – Marcação CE.

GESTWOOD • Planeamento e gestão estratégica continuada. AMBIWOOD • Auditoria ambiental; • Implementação de sistemas de gestão ambiental ISSO 14000:2000.

FORESTWOOD • Certificação de produto – cadeia de responsabilidade; • Auditoria de produtividade às empresas de serração e Plano de Melhoria.


o que nos espera …

na aimmp e no sector

Formwood

Programa de Formação-Acção reforça competências profissionais das PME

21

R

econhecida por dinamizar a inovação na indústria, a aimmp foi seleccionada como entidade beneficiária do Programa de Formação-Acção para PME, no âmbito do Programa Potencial Humano (POPH), desenvolvido pelo Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação (IAPMEI). Tendo em conta que a qualificação é uma ferramenta de valorização dos recursos humanos de uma empresa, com este projecto a aimmp ambiciona contribuir para o reforço das competências profissionais nas microempresas e PME, nomeadamente através da melhoria das metodologias e dos processos de gestão, modernização e inovação.

Mas este projecto traz uma novidade. Para ultrapassar os condicionalismos da formação “tradicional”, cada acção formativa prevê momentos em que os participantes - um por cada empresa - poderão partilhar entre si os conhecimentos adquiridos nas suas próprias experiências profissionais. Quanto a metodologias de formação, estas vão incidir em dois tipos de intervenção: a individualizada, na qual se procura adaptar a acção às necessidades específicas de cada empresa; e a padronizada, ou seja, com um programa igual para todos os participantes. As acções de formação vão ter início este ano, em datas ainda a anunciar, terminando no primeiro semestre de 2010.

Áreas de formação prioritárias - Internacionalização; - Características de Competitividade; - Novos Mercados e novas Oportunidades de Negócios; - Recrutamento, Fidelização e Desenvolvimento de Quadros; - Mudança de Cultura, Comportamentos e Mentalidades Organizacionais; - Estratégia e Gestão Geral; - Gestão do Conhecimento e Inovação; - Benchmarking e Constituição de Parcerias; - Ambiente, Gestão de Desperdícios e Reciclagem.


o que nos espera …

na aimmp e no sector

Interwood

Projecto de internacionalização aposta no aumento das exportações

P

rosseguindo o objectivo de apoiar a Fileira de Madeira e Mobiliários nos seus processos de internacionalização, em 2009, a aimmp dá continuidade ao projecto Interwood – um programa de acções integradas e sucessivas que garante às empresas uma boa preparação para o estabelecimento em mercados internacionais de forma sustentada.

22

Missões empresariais aos mercados com maiores potencialidades, participação nas principais feiras internacionais e organização de showrooms são algumas das acções previstas para este ano e que têm sempre por base o intuito de “transformar o grau de 20% de incerteza de êxito com que actualmente se vai a este género de eventos em 80% de certeza de êxito”, afirma o presidente da aimmp.

Enquadrado no QREN e contando com o apoio da AICEP, o Interwood defende a existência de dez passos para internacionalizar: definição dos mercados-alvo; selecção das empresas; mini-diagnósticos às empresas inscritas; missões aos mercados; estudos de mercado; workshops sobre como participar em feiras; participação em feiras; follow-up de reflexão; visita de compradores de referência a Portugal; e análise de sustentação.

ACÇÕES INTERWOOD 2009

DATA *

LOCAL

Feira de Mobiliário Interiors Birmingham

18 a 21 Jan.

Birmingham, Reino Unido

Feira Alimentaria

15 a 18 Mar.

Valladolid, Espanha

Missão Empresarial República Checa e Polónia

19 a 26 Mar.

Praga, Rep. Checa - Varsóvia, Polónia

Missão Venezuela e Brasil

a combinar

Caracas, Venezuela - São Paulo, Brasil

Salão Internacional do Móvel de Milão

22 a 27 Abr.

Milão, Itália

Missão Empresarial Argélia e Tunísia

a combinar

Argel, Argélia - Tunes, Tunísia

Missão Empresarial Alemanha e Suíça

14 a 21 Mai.

Colónia, Alemanha - Geneva, Suíça

Feira de Mobiliário ICFF – Inter. Contemporary Furniture Fair

16 a 19 Mai.

Nova Iorque, Estados Unidos

Mostra de Mobiliário

Junho

Casablanca, Marrocos

Casa Ideal FILDA

14 a 19 Jul.

Luanda, Angola

Casa Ideal FACIM

31 Ag. a 6 Set.

Maputo, Moçambique

Casa Ideal CONSTRÓI Angola

15 a 18 Out.

Luanda, Angola

Feira de Materiais de Construção – INTERBUILD

18 a 21 Out.

Birmingham, Reino Unido

Missão Empresarial Líbia e Egipto

25 a 31 Out.

Tripoli, Líbia - Cairo, Egipto

Feira de Logística e Transporte – LOGITRANS

16 a 18 Nov.

Madrid, Espanha

Missão Empresarial Rússia e Ucrânia

23 a 28 Nov.

Moscovo, Rússia - Kiev, Ucrânia


o que nos espera …

na aimmp e no sector

Associative Design

Fileira Casa com novo posicionamento no mercado internacional

A

aimmp acaba de criar uma nova

marca que visa reposicionar a Fileira Casa Portuguesa no mercado internacional. Associative Design é o nome que promete promover a qualidade e o design dos produtos portugueses ao mais alto nível, daí apresentarse com a assinatura The Best of Portugal. A sua primeira promoção pública aconteceu já entre os dias 18 e 21 de Janeiro, na feira Interiors Birmingham, no Reino Unido, e

vai ter continuidade nos certames de Itália, EUA, Angola, Moçambique, Dubai, entre outros eventos. A Associative Design nasceu de um projecto desenvolvido pela aimmp, tendo como missão promover uma rede de cooperação entre as empresas da Fileira Casa. Na prática, a marca focaliza-se na organização de stands colectivos que primam pela decoração – arquitectos e decoradores conjugam produtos de diferentes empresas dan-

do forma a interiores capazes de atrair os consumidores para a oferta portuguesa. O desenvolvimento de parcerias com outras marcas/projectos para a partilha de experiências e de potencialidades também está na mira da Associative Design, por forma a levar a Fileira Casa portuguesa mais longe. Exemplo disso é a parceria já encetada com a Portugal Brands, marca com a qual se pretendem abordar os mercados de Inglaterra, EUA, Itália, França e Japão.

Próximos Passos da Associative Design

DATA

LOCAL

Zona Tortona – Sign of Design

22 a 27 de Abril

Milão, Itália

ICFF – International Contemporary Furniture Fair

16 a 19 de Maio

Nova Iorque, EUA

FILDA – Feira Internacional de Luanda

14 a 19 de Julho

Luanda, Angola

FACIM – Feira Internacional de Maputo

31 de Agosto a 6 de Setembro

Maputo, Moçambique

100% Design – Showroom de Interiors Contemporâneos

24 a 27 de Setembro

Londres, Reino Unido

Index Dubai

14 a 17 de Novembro

Dubai, Emirados Árabes Unidos

Showroom de Decoração

A definir

Óbidos

23


Boletim Jan - Fev - 2010  

Boletim aimmp

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you