Page 1

EDIÇÃO

49 MARÇO 2015

3º Concurso Start Up Universitário conheceu os seus vencedores

Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação


Edição nº 49| MARÇO 2015

Editorial

3º Concurso Start Up Universitário conheceu os seus vencedores .......................................... 3 Colegas participaram pela segunda vez no Concurso Start Up Universitário .......... 3 Aconteceu pela primeira vez em Cabo Verde, a Semana de Inovação .................... 4 Programa PUM é socializado em Mindelo, Espargos e Praia .................................................. 4 Insolvência e Recuperação de Empresas na sessão do Negócio em Dia .............. 4

Frantz Tavares

Presidente da ADEI

Caro Empreendedor/Empresário, Neste mês ficamos a conhecer os projectos vencedores da 3ª Edição do Concurso Start Up Universitário. O programa de Consultoria de Especialistas Seniores da Holanda - PUM foi socializado nas cidades da Praia, Mindelo e Espargos. Em parceria com a Universidade de Las Palmas Gran Canárias, Fundação Universitária de Las Palmas e UNI-CV promovemos a Semana de Inovação, enquadrada no projecto UPInnovaCaV. Conheça ainda a CV Ocean, mais um projecto beneficiário dos programas de Desenvolvimento Empresarial da Agência, confira os artigos de opinião desta edição sobre “O desafio da Educação Empreendedora nas Escolas Secundárias”, “Liderando oportunidades” e “Um Ex-Emigrante Empreendedor: Padaria Toffer”. Ainda, visitamos os promotores dos projectos beneficiados no âmbito da Linha de Financiamento e Desenvolvimento do Negócio. Estivemos na Praça Alexandre Albuquerque na II Feira de Oferta Formativa e na Expo Cabo Verde celebrando o 40º Aniversário da Independência do nosso país. Junte-se a nós, o nosso lema é inovar para crescer. Boa leitura

Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação

Inovar para Crescer

Conheça a CV Ocean, mais um projecto beneficiário dos programas de Desenvolvimento Empresarial da ADEI no sector agronegócio ................................. 4 Artigo de Opinião: Um Ex-Emigrante Empreendedor: Padaria Toffer ........................... 5 Artigo de Opinião: O desafio da Educação Empreendedora nas Escolas Secundárias ............................................. 6 Artigo de Opinião: Liderando oportunidades .......................................... 6 REMPE – O que preciso saber? ................ 7


3º Concurso Start Up Universitário conheceu os seus vencedores

-

acessórios para consumo de tabaco) – ISCEE.

Após a apresentação e defesa dos planos de negócios desenvolvidos durante a 2ªfase, os projectos vencedores desta fase a nível nacional foram: Criação Galinhas caipiras (Criação de Galinhas Caipiras e Ovos Caseiros) – Universidade Lusófona – Mindelo, Gabinete de Projectos (Gabinete de Estudos e Projectos: destaque em maquetes físicas, casas modulares, reaproveitamento de aguas reutilizáveis) – Universidade Jean Piaget – Mindelo, Produção da Babosa /Extracção Gel e o Latex (Cultivo de Babosa afim de extrair o gel e o latex que contem nas suas folhas para exportação internacional) – UniMindelo, Kaldour (Produção, tratamento, engarrafamento e distribuição/comercialização de calda de cana de açúcar de forma natural) – UNICV, Aloegel (Cultivo e produção de Aloe Vera e produtos derivados) – ISCEE e CV Shop e Tabacaria (loja especializada em venda de

Na 3ª e última fase “Terminal de Negócios”, - os promotores das ideias fizeram a apresentação em formato “elevator‐pitch do respectivo projecto aos membros do Júri que seleccionaram os três melhores projectos. Assim, o grande vencedor foi o projecto Berdiana Natural, de dois licenciados da UNICV, que consiste no processamento e engarrafamento do-suco de cana natural. O segundo lugar coube ao projecto “Alogel”, de um grupo de 5 estudantes do ISCEE, que visa o cultivo e produção de aloe-vera (babosa) para a confecção de sabão, gel e óleo. Já o terceiro lugar ficou com o projecto “Natura Babosa”, da estudante da UniMindelo, virado para a extracção da babosa para produzir gel para empresas e produtos para exportação. Ao vencedor foi atribuído um prémio no valor de 500 mil escudos para implementação do negócio, o segundo classificado com 300 mil e o terceiro, 200 mil escudos. Esta terceira edição contou com a participação de 83 candidatos e 41 ideias de projectos, envolvendo os pólos universitários das ilhas de Santiago e São Vicente. Este projecto é resultado de um “Djunta Mon” entre o MESCI e a ADEI com forte colaboração das Universidades do País.

Colegas participaram pela segunda vez no Concurso Start Up Universitário CV SHOP e Tabacaria: Sim, tem tudo para dar certo e estamos dispostos a ir adiante com ele. Mesmo sem os prémios da Start Up, estamos preparados para procurar outras formas para implementação do negócio.

: O INOVAR foi à entrevista com os promotores de um grupo candidato “CV SHOP e Tabacaria”. Confira a particularidade deste grupo de amigos: INOVAR: Com a participação neste concurso, o que irá mudar na vossa vida? CV SHOP e Tabacaria: O conteúdo aprendido nessas semanas foi muito importante para o nosso crescimento profissional. A forma como vamos encarrar o mercado é agora diferente da forma que pensávamos. Agora sabemos quais as entidades que podem nos apoiar tanto na elaboração do plano de negócios como na implementação da mesma. INOVAR: Passaram para a última fase do concurso, como se sentem? CV SHOP e Tabacaria: Sentimos mais motivados, sabemos agora que o nosso projecto tem potencial para ir adiante. Estamos mais preparados para o mercado, agora sabemos como colocar o nosso plano em prática. INOVAR: Caso não forem os vencedores do concurso, pensam dar continuidade ao projecto?

INOVAR: O vosso grupo participou na edição anterior e não venceram. O que os motivou a participar novamente? CV SHOP e Tabacaria: O nosso espírito empreendedor acredita nas nossas potencialidades e no potencial do nosso projecto. Não desistimos fácil, o facto de podermos participar outra vez, nos deixou ainda mais motivados. E porque não? Já estivemos aqui uma vez, sabemos como funciona e todo o processo até o final do concurso. É um processo de aprendizado, aperfeiçoamento da ideia, criação de nova rede de contactos e elaboração do plano de negócio. Todo o envolvente do concurso é enriquecedor e nos ajuda de alguma forma a melhorar tanto pessoal como profissional. INOVAR: Incentivariam as pessoas a participar nas próximas edições do concurso? CV SHOP e Tabacaria: Claro que incentivaríamos, o caminho é difícil, mas é necessário ter muita persistência e coragem. Mas é muito bom, e no fim compensa. Candidatos da ilha de Santiago: Ghislene Alves, Paulo Santos e Silvino Alves | Projecto: CVSHOP e Tabacaria loja especializada em venda de acessórios para consumo de tabaco.


Aconteceu pela primeira vez em Cabo Verde, a Semana de Inovação

Insolvência e Recuperação de Empresas na sessão do Negócio em Dia

NEGÓCIO EM DIA Decorreu entre os dias 24 a 26, nas instalações da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Sotavento - CCISS, a Semana de Inovação, financiada pela União Europeia e promovida em parceira pela Universidade de Las Palmas Gran Canárias, Fundação Universitária de Las Palmas, UNI-CV e ADEI, visando incrementar e consolidar o ecossistema da inovação em Cabo Verde. A Semana teve por finalidade aumentar os níveis de desenvolvimento e integração socioeconómico da região ultraperiférica, através da criação de um espaço comum de colaboração e transferência de conhecimento entre o sector público, instituições de pesquisa e desenvolvimento e o sector privado. No primeiro dia, 24, decorreu uma Mesa Redonda sob o tema “A Inovação em Cabo Verde: A transferência de conhecimento e o papel das Universidades e do sector privado”, com o objectivo de se promover um diálogo de alto nível no que tange à Inovação em Cabo verde, e o papel do sector público e privado no ecossistema da inovação. Desta interacção foram extraídas um conjunto de orientações estratégicas, a serem posteriormente propostas e negociadas com as autoridades competentes.

Programa PUM é socializado em Mindelo, Espargos e Praia No âmbito do protocolo de cooperação assinado no ano transacto entre o PUM, CCB-AE, CCISS e ADEI, esteve no nosso país o Coordenador Sr. Henk Van der Spek no início do mês, para encontros com as empresas nas cidades do Mindelo, dos Espargos e da Praia, marcando assim o arranque da fase de preparação das empresas potencialmente beneficiárias do PUM (Programa de Consultoria de Especialistas Seniores da Holanda). Aos empresários participantes foram abordadas os aspectos práticos do programa, tais como: Critérios de Elegibilidade; Sectores e Áreas Elegíveis; Processo de Candidaturas; Despesas Elegíveis; Despesas sob responsabilidade das empresas beneficiárias, etc. O PUM é um Programa de Consultoria de Especialistas Seniores da Holanda que integra cerca de 3.200 profissionais voluntários, unidos pela missão de partilhar com empresários dos países em desenvolvimento e nos mercados emergentes, um importante manancial de conhecimento técnico e experiência profissional, em diversas áreas económicas e empresariais. Saiba mais em www.pum.nl

Decorreu no dia 31, a primeira sessão do Negócio em Dia deste ano sob o tema: Insolvência e Recuperação de Empresas: Aspectos Práticos. Esta foi ministrada pelo consultor económico e organizacional. Sr. António Baptista Tavares. As sessões de orientação empresarial consistem num evento interactivo, com o objectivo de facultar às MPME a oportunidade de trocarem de informações e experiências com especialistas sobre temas específicos que fazem parte das suas preocupações diárias de gestão. O Negócio em Dia, este ano, tem periodicidade mensal e as acções serão disponibilizadas na página web da Agência.

Conheça a CV Ocean, mais um projecto beneficiário dos programas de Desenvolvimento Empresarial da ADEI no sector agronegócio A CV Ocean, é uma empresa que actua no ramo de agronegócios tendo como áreas de actuação a Agricultura, Suinicultura e Avicultura, visando disponibilizar no mercado produtos de elevada qualidade, baseando no sistema de produção estritamente biológico. Comprometido com o ambiente, com a qualidade e segurança alimentar, mormente num contexto em que o país não dispõe de recursos técnicos e tecnológicos para avaliar os impactos dos agro-tóxicos sobre os produtos agrícolas e saúde humana. Embora recentemente constituída, a CV Ocean acumula uma experiência interessante de ambos os sócios, com uma ligação muito forte ao mundo rural, nomeadamente no ramo da produção agrícola (hortícolas e fruticultura), pecuária (criação de suínos, cabras e ovelhas) e transformação (secagem e defumação de pescado). O INOVAR foi à entrevista com os promotores Samora Barros e Edson Correia (SB e EC). Confira: INOVAR: Qual o motivo que o levou a procurar a ADEI? SB e EC: Tendo em conta, a necessidade de tornar a actividade que vinha sendo desenvolvido na área de agronegócios, numa perspectiva empresarial, notamos a


necessidade de ter acompanhamento de técnicos, especializados na implementação e seguimento das ideias num ponto de vista empresarial. INOVAR: Qual o programa a que se candidatou? SB e EC: Através do programa de desenvolvimento empresarial, o PME+. INOVAR: Como a ADEI apoiou a empresa? Considera que a assistência técnica do programa trouxe uma nova dinâmica à empresa? SB e EC: Com este apoio tivemos a oportunidade de elaborar um plano de negócio da empresa, o que ajudou na criação da empresa, trazendo ganhos notáveis na operacionalização da empresa bem como maior possibilidade de facilidade de financiamento da mesma. INOVAR: Quais as perspectivas da sua empresa a longo prazo? SB e EC: Pretendemos criar um estabelecimento próprio de comercialização dos produtos produzidos e, com vista a agregar o valor dos produtos da pesca, pretendemos criar uma instalação, que visa operacionalizar em grande escala os processos de transformação do pescado por fumagem, secagem e marinhagem, o que vai contribui para a operacionalização da exportação dos referidos produtos.

Artigo de Opinião: Um Ex-Emigrante Empreendedor: Padaria Toffer

anos. O promotor do negócio confessa que inicialmente não tinha experiência na área de panificação e que adquiriu esse knowhow com um velho amigo. Organização: Actualmente a padaria conta com cerca de 13 trabalhadores distribuídos da seguinte forma: 1 forneiro; 1 ajudante forneiro; 1 condutor; 1 balconista; 4 amassadores; 4 funcionários de limpeza e 1 responsável pela distribuição. Com cerca de 40 clientes distribui o pão para as zonas do Tarrafal, Cachaço, Lompelado, Canto fajã, Carvoeiros, Estância Bráz, Ribeira Brava e vendas ambulantes. Muitos são os eventuais problemas que podem surgir durante toda a produção do pão e sendo o forno eléctrico, as cortes de energia é uma ameaça á produção e qualidade do pão. Para ultrapassar essa ameaça o promotor teve que recorrer a aquisição de um gerador. Também como em qualquer organização a contabilidade organizada é um instrumento de gestão importante, João Brito diz-nos que a contabilidade auxilia-o e muito nas tomadas de decisões e a ter uma melhor controlo sobre o seu negócio. Fornecedores: Como se sabe o mercado local não oferece produtos básicos e em quantidades satisfatórias para a produção do pão tais como: leite, açúcar, trigo, melhorante, manteiga, coco entre outros pelo que todo o fornecimento é feito pela Copa e a Moave de São Vicente. Produtos: A Toffer oferece aos seus clientes bolachas doces, pão diversos designadamente: carcaça, trança, fruta, leite, doce e coco. Desses são produzidos cerca de 3 a 5 mil pão diariamente dependendo dos pedidos dos clientes e de épocas.

Alguns anos atrás pouco se falava do empreendedorismo em Cabo Verde, muitos tão pouco ouviram falar do empreendedorismo ou mesmo empreender não sabiam a designação dado a este. São casos de emigrantes que depois de muitos anos fora, regressam a Cabo Verde para um merecido descanso, muitos não conseguem ficar sem fazer uma actividade, assim investem em algum negócio com as experiências trazidas de outras paragens. Muitos emigrantes criavam seus negócios sem dar conta que estavam empreendendo e sendo grandes empreendedores de sucesso. A Padaria Toffer é mais um empreendimento de sucesso situada em Fajã de Baixo ilha de São Nicolau, iniciou as suas actividades no ano de 2003, fruto da ideia de um ex-emigrante da Alemanha, o Sr.º João Francisco Duarte Brito, que tinha o sonho de ter uma padaria tendo identificado uma oportunidade numa zona onde não existia esse tipo de negócio. Toffer é uma designação que surgiu da companhia de barco onde o Sr.º João trabalhou durante 43

Higiene e segurança no trabalho: A padaria prima pela higiene e qualidade nos seus produtos. Com isso tem um espaço arejado, trabalhadores devidamente uniformizados e recentemente com alargamento do espaço para a construção de casas de banhos, trocas do vestuário e sapatos para uso exclusivo dentro da padaria. Todos os trabalhadores são segurados. Constrangimentos: Desde a sua criação deparou-se com alguns obstáculos nomeadamente: a montagem dos equipamentos, dificuldade em encontrar um técnico especializado na área de manutenção do forno, formação na área panificação para os trabalhadores, despacho nos materiais e equipamentos importados, cálculo do preço do pão e a falta da união dos empresários nessa área. Dijinira Ramos | Técnica Gabinete do Empreendedor São Nicolau


Artigo de Opinião: Liderando oportunidades

Artigo de Opinião: O desafio da Educação Empreendedora nas Escolas Secundárias Já reza a lenda que é de pequeno que se torce o pepino! Mais do que isso, é na educação que se trilha o caminho do sucesso. O desafio de se introduzir o empreendedorismo no ensino secundário, pauta-se pela necessidade de educar cidadãos para a vida! Cidadãos capazes de assimilar os “savoirs“ da vida : o saber ser, saber estar e saber fazer! Os objectivos que norteiam esta iniciativa são a necessidade de contribuir para a melhoria da qualidade de ensino e promoção de uma formação integral dos estudantes, facultando-lhes instrumentos relevantes para que continuem a aprender ao longo de toda a sua vida, fazendo face aos desafios da actualidade socioeconómica do país. A experiência piloto já está sendo implementada em 12 escolas secundárias a nível nacional: 6 concelhos e 9 municípios, envolvendo 102 Professores e Subdirectores Pedagógicos e 2.771 alunos de 9º, 10º e 12º, da via Geral e Técnica. É certo que o empreendedorismo vai muito mais além das fronteiras das escolas. Começa-se pela educação familiar, pelo estímulo á criatividade e ao desenvolvimento de atitudes e comportamentos responsáveis. Mas esta tarefa é amputada a diversos agentes de transformação social, sejam eles o próprio individuo, a família, a escola, a sociedade, as entidades público-privadas responsáveis á promoção do empreendedorismo, o Governo, etc. A ADEI, ocupa uma posição charneira neste processo de promoção e estímulo de uma cultura empreendedora e tem reforçado as intervenções nas escolas secundárias, trabalhando, antes de tudo na capacitação dos professores e na sensibilização destes sobre seus papéis enquanto promotores e impulsionadores de desenvolvimento do espirito empreendedor nos alunos, bem como a realização de actividades complementares á disciplina de empreendedorismo nas escolas que acolhem as experiências pilotos, mas também nas que ainda não foram abrangidas, preparando-os para que daqui a dois anos, altura da implementação do programa a nível nacional, estejam preparados para receber essa mais-valia na educação dos seus formandos. Para isto, desde o início do ano lectivo 2014/2015 tem-se desenvolvido diversas sessões de partilhas e trocas de experiências com alunos e professores das escolas secundárias a nível nacional, com um elevado grau de aceitação e participação por parte deste. O nosso horizonte é estimular e promover cada vez mais uma sociedade de cidadãos activos e empreendedores, capazes de contribuir para o desenvolvimento do nosso Cabo Verde. Já dizia Madre Teresa de Calcutá: “Sei que o meu trabalho é uma gota no oceano, mas sem ele, o oceano seria menor.” Com o esforço de todos, a passo e passo conseguiremos ter uma geração inspiradora de empreendedores. Benilde Carvalhal Empreendedorismo

|

Técnica

Unidade

Inovação

e

O futuro corporativo só será uma realidade para quem ousar. A liderança na sua forma tradicional tem os dias contados e para seguir em frente é necessário apostar fortemente na inovação. Não existirá mais a ideia de concentração num determinado mercado, as empresas precisarão ter a capacidade de abranger cada vez mais mercados diferenciados, diversificando os seus negócios e pulverizando os riscos. Terão ainda de ser capazes de atender a massas e a um leque mais personalizado de clientes, claro que para isso será necessário ter à frente executivos “agressivos” e audazes, pessoas que não se acomodam. A estratégia de governar de dentro para fora está cada vez mais ultrapassada, é necessário que se tenha consciência da concorrência e tentar sempre fazer melhor, apostando na constante actualização/capacitação de quem está à frente do negócio. O que se vê muitas vezes é a acomodação de muitas empresas ao perceberem que são líderes de mercado em determinado segmento, os executivos não criam mais nada, não identificam oportunidades de crescimento uma vez que já se conseguiu o que à partida acreditava-se ser a meta. Essa atitude tem custado a vida a muitas corporações, visto que por atrás de quem está comodamente sentado, crente que já chegou ao topo e que consequentemente não tem com o que se preocupar, estão outros tantos com ideias novas, novos produtos e almejando novos nichos de mercado. Há sempre a possibilidade de crescimento, para quem ousa e planeia. Um planeamento eficaz requer uma boa comunicação dentro da corporação. Não se deve seguir única e exclusivamente as ideias rígidas e tradicionalistas dos executivos mais antigos e nem descartar as ideias arrojadas dos mais jovens, há que se encontrar um equilíbrio que conduzirá ao bom senso e isso só é possível com uma boa comunicação. A estratégia tem de estar bem definida e a equipa coesa, sob pena de naufragar nas primeiras tempestades. Chiavenato (1999) já dizia que “para dirigir pessoas não basta apenas dar ordens e instruções, comunicar e motivar. É preciso ainda liderar”. Na actual conjuntura já não é producente uma empresa cujo dono é soberano, em que nada acontece sem que ele dê a ultima palavra. Muitas empresas buscam o crescimento em matéria de competitividade, conseguem-no, mas pecam na insistência do modelo centralizador de gestão e acabam sufocadas. É vital uma liderança democrática, os líderes só nascem em ambientes onde lhes é possível criar, ousar, e se destacar. Futuramente terá sucesso a empresa que vender qualidade, essa será a grande oportunidade. Com a necessidade de se ter atitudes cada vez mais sustentáveis, as oportunidades virão para quem venda actividades e não “coisas”. As oportunidades existem desde que haja persistência, ideias claras e bem definidas (estratégia), audácia e capacidade de assumir riscos. Samira Lélis| Técnica Unidade Desenvolvimento Empresarial


REMPE – O que preciso saber?

A certificação de uma micro ou pequena empresa é feita oficiosamente pelo organismo competente do departamento governamental responsável pela área do desenvolvimento do sector privado, com base nos documentos que provam a existência da sociedade comercial ou da actividade empresarial, no caso de pessoa singular. A certificação é feita por um meio adequado, com o respectivo número de ordem repartido por ilhas e acompanhada de um cartão de identificação, a regular através a portaria do membro do Governo responsável pela área do desenvolvimento do sector privado. Saiba mais no capítulo III, Art. 14 - Lei nº 70/VIII/2014, de 26 de Agosto de 2014

Fique atento na página web da ADEI: • Cabo Verde foi nomeado para prémio Most Activities per capita a ser atribuído no GEC Milan. • Cidades da Praia e Mindelo acolhem formação em COMFAR III – Computer Model for Feasibility Analysis and Reporting no próximo mês de Abril : • ADEI apoia a iniciativa Building Global Innovators Program. A 6ª Edição está aberta e as candidaturas podem ser feitas até ao dia 24 de Maio.

Envie suas dúvidas e sugestões para: adei@adei.cv Rua Dr. Júlio Abreu nº3 Plateau CP nº710 Tel.:2601980 /90 Fax.:2616042

Rua Patrice Lumumba Mindelo CP nº 100 Tel.:2317623 Fax.:2318517

Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação

Inovar para Crescer

Visite-nos em www.adei.cv http://adeiadei.blogspot.com e nas Redes Sociais


Propriedade: Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação | Colaboradores: Sálua Barbosa e Helga Almeida Edição: Sálua Barbosa e Helga Almeida | Paginação: Helder Cardoso | Distribuição: Gratuita

20| SETEMBRO 2012 2012

Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação

Inovar para Crescer

www.adei.cv

Março 2015

Inovar Março 2015  
Inovar Março 2015  
Advertisement