Page 1

Tribuna Portuguesa 2 a QUINZENA DE MARÇO DE 2018

Ano XXXVIII - No. 1266 Modesto, California | $2.00 / $45.00 Anual

NÃO VENHA À

ANTÓNIO COSTA

FÓRNIA!

2, 31

QUINZENÁRIO INDEPENDENTE AO SERVIÇO DAS COMUNIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA • WWW.PORTUGUESETRIBUNE.COM

CALI

PAULO TEVES HOMENAGEM

15

Sugestões

24

Mar 15 - Myron Cotta installed as new Bishop of Stockton Mar 15,16,17 - Conferência de Educação da LAEF em Tulare/Fresno Mar 17 - David Garcia Apresentação do novo CD na Banda Velha de San José Mar 24 - Aniversário da RTArtesia Abr 7 - Aniversário da POSSO em San José

ANOS

EUCLIDES ÁLVARES

8, 16-17

TEMPOS DE OUTRORA ANIVERSÁRIO

14


2

EDITORIAL

A

15 de Março de 2018

T

E BASTA MESMO!

ENOUGH IS REALLY ENOUGH!

comunidade portuguesa e luso-descendente da Califórnia gosta sempre de receber bem. Acontece que também devemos perceber que uma visita presidencial ou de um Primeiro Ministro é dispendiosa. Numa altura em que o Consulado Geral de Portugal em San Francisco — que apoia 13 estados do oeste americano incluindo o Hawaii e o Alaska numa dimensão geográfica que vai de Moscovo até Lisboa — passa por muitas dificuldades. Não há pessoal para atender os telefones já há alguns anos, não há candidatos às vagas — com um salário de apenas 1.600 Euros ($1.962 dólares por mês) numa cidade onde um apartamento tem renda mensal de $4.423 onde é possível encontrar alguém para preencher as vagas? — não há condições para receber os utentes (estacionamento, lavabos), houve um corte de 50% nas permanências consulares este ano, etc.

he Portuguese and Portuguese-American community of California always likes to host well. But we must also realize that a presidential visit or a Prime Minister’s visit is costly. At a time when the Consulate General of Portugal in San Francisco — which supports 13 states of the American West including Hawaii and Alaska in a geographic dimension that runs from Moscow to Lisbon — suffering many difficulties. There is no staff to answer the phones for a few years now, there are no job candidates for the openings — with a monthly salary of only 1,600 Euros ($1,962 dollars) in a city where an apartment has a monthly rent of $4,423 where is it possible to find someone for a position? —, there are no conditions to welcome its clients (e.g., lack of parking, no public restrooms), there was a cut of 50% in remote consular visits this year, etc.

Mas o Governo de Portugal teima em querer ficar na cidade de San Francisco. Não faz sentido nenhum! Ora vejamos, dos 346.172 Portugueses e luso-descendentes residentes na Califórnia, 4.503 ou apenas 1,3% reside na cidade e condado de San Francisco enquanto 66.662 são residentes na zona Sul da Baía. Com as dificuldades económicas de um país pequeno como Portugal, vejamos então os custos de um Consulado. O edifício do Consulado Geral em San Francisco foi adquirido pelo Estado Português em Outubro de 1987 por $800.000 e está agora avaliado em $7.185.521 dólares (5.836.439 Euros) ou seja um lucro de $6.385.521 dólares (5.186.9590 Euros). Uma antiga mansão na mais elegante ave-

nida de San José — The Alameda também conhecida pelo El Camino Real — que foi construída entre 1919 e 1920 por um industrial está agora à venda. Usámos essa propriedade que combina residências particulares com espaço de escritórios semelhante ao atual Consulado em San Francisco para fazer a análise se faria sentido transferir o Consulado de Portugal para o centro do Silicon Valley. Em quase todas as categorias, essa propriedade do Sul da Baía seria benéfica para os serviços consulares — desde a proximidade e acesso às comunidades portuguesas, melhor acesso aos transportes públicos e auto-estradas, melhorias de trabalho para os funcionários, possibilidade de subsidiar rendas aos funcionários, e melhores condições para a Cônsul Geral viver. E tudo por menor custo para o Estado Português. Portugal não seria o primeiro país a instalar o seu Consulado na cidade mais populosa da Área da Baía, a terceira mais populosa da Califórnia (depois de Los Angeles e San Diego) e décima mais populosa dos EUA. O Condado de Santa Clara é sede das mais prestigiosas firmas de alta tecnologia e se juntarmos os Condados adjacentes de San Mateo e Alameda, é aqui o coração do Silicon Valley. E Portugal sendo a Costa Oeste da Europa ficaria assim ainda mais próximo do centro tecnológico da Costa Oeste dos EUA. Por isso, Senhor Primeiro Ministro, antes de fazer uma visita à comunidade da Área da Baía, era mesmo melhor resolvermos a situação do Consulado de Portugal em San Francisco. Após isso, teremos todo o prazer e orgulho em o receber e dá-lo a conhecer a influência que as comunidades portugueses deste enorme estado têm na economia e sociedade locais e o orgulho que temos do nosso país de origem!

But the Government of Portugal insists on wanting to stay in the City of San Francisco. It does not make any sense! Let’s see, of the 346,172 Portuguese and Portuguese-Americans living in California, 4,503 or only 1.3% live in the City and County of San Francisco while over 66,662 are residents of the South Bay Area. With the economic difficulties of a small country like Portugal, let’s look at the costs of a Consulate building. The Consulate General building in San Francisco was purchased by the Portuguese Government in October 1987 for $800,000 and is now valued at $7,185,521 (Euro 5,836,439) or a profit of $ 6,385,521 (Euro 5,186,9590). An old mansion on San José’s most elegant boulevard — The Alameda also known as El Camino Real, or the Royal Highway —

Lista pronta, festas à porta

A

lista (parcial) das nossas FESTAS compilhada pela PFSA vai sair hoje na nossa edição. Queremos agradecer a todas as festas terem disponibilizado as datas dos seus eventos a tempo e horas. Pensamos que é a primeira vez que a publicamos em Março. Já é uma vitória. Para o ano vamos tentar que todos comuniquem com a PFSA para que possamos publicar em Fevereiro. Há muita gente de outros Estados e mesmo do Canadá que gostam de saber estas datas por causa das suas férias na California. Obrigado a todos. Na nossa próxima edicão publicaremos as ultimas 4 páginas das Festas. Nesta semana que entra vai ter lugar a Conferência de Educação promovida

pela Luso-American Education Foundation, que terá lugar em Fresno e Tulare nos dias 15 a 17 de Março. Um evento sempre muito bem organizado e que merece que todos os que puderem participem. Como se dizia antigamente - o saber não ocupa lugar - e sempre se aprende nestes dias. Esperamos ver muitos amigos. É só uma vez por ano, por isso desculpas há poucas para não irem, nem que seja para conviver com amigos, ver netos e ver alguns bons livros. Nós adoramos que nos venham visitar de Portugal. Mas, se organismos estatais portugueses com Sede na California estão num autêntico caos, por falta de funcionários, devido ao sistema obsoleto criado em Portugal, devemos esperar que se o Primeiro Ministro ou o Ministro dos Negócios Estrangeiros venham cá, tragam a resolução do problema que já tem muitos anos. Vir cá para jantar com 500 ou 600 pessoas sem nada fazer, sem nada trazer,

which was built between 1919 and 1920 by an industrialist is now on sale. We used this property that combines private residences with office space similar to the current Consulate in San Francisco to do the analysis to see if it would make sense to transfer the Consulate of Portugal to the heart of Silicon Valley. In almost all categories, this South Bay property would be beneficial to consular services — from proximity and access to the Portuguese communities, better access to public transit and freeways, improved working conditions for the Consulate employees, the possibility of subsidizing rents for Consulate employees, better conditions for the Consul General to live. And all this at a much lower cost to the Portuguese Government. Portugal would not be the first country to set up its Consulate in the Bay Area’s most populous city, the third most populous city in California (after Los Angeles and San Diego) and the tenth most populous city in the United States. Santa Clara County is home to the most prestigious high-tech firms and if we include the adjacent counties of San Mateo and Alameda, here is the heart of Silicon Valley. And Portugal being Europe’s West Coast would become closer to the high-tech center of the United States’ West Coast. Mr. Prime Minister, before making a visit to the Portuguese community of the San Francisco Bay Area, it would be recommended to resolve the situation of the Consulate of Portugal in San Francisco. After that, we will be extremely happy and proud to welcome you and showcase the influence that the Portuguese communities have had in the local economy and society across this huge state and the pride we have in our ancestral country! miguel ávila miguelavila@tribunaportuguesa.com

Crónicas do Perrexil J.B. Castro Avila

NÃO VALE A PENA. Por favor fiquem em Portugal. Não se envergonhem, porque gostaríamos de respeitar a organização política saida do 25 de Abril. Portugal não compreendeu ainda porque razão o Consulado está em San Francisco desde 1882. Razão muito simples. Nesses anos a maioria da nossa população, maioritáriamente ilegal, vivia em San Francisco e em Oakland. Passsados anos houve uma revolução de movimentação e hoje nessas áreas não vivem portugueses. E mais, aprendam de uma vez por todas que San Francisco políticamente não vale ABSOLUTAMENTE NADA. É zero absoluto. Tivemos Cônsules que adoravam viver e estar em San Francisco para poderem ter benesses de poder velejar com os seus ricos amigos e representar Portugal nalguns comes e bebes. Só, mais nada. O Consulado em San Francisco está numa das mais ricas zonas residenciais. Não há parque e o consulado nem quase tinha

quarto de banho. Muito pequeno e só para funcionários. Tudo evolui, mas verdade se diga que a nossa Comunidade também tem culpas no cartório, porque nunca criou um empenhamento de inscrição que fizesse ver a Portugal, que tínhamos, por exemplo, 100 mil portugueses inscritos no Consulado. Possivelmente só temos 300, o que é uma vergonha. E mais, até podemos dizer que das 600 pessoas que iriam/irão ao jantar 98% não estão inscritas no Consulado. Temos culpas nesta telenovela. Quando um Cônsul diz a um Ministro dos Negócios Estrangeiros que só tem 300 portugueses inscritos, o que é que havemos de esperar do Governo? NADA e com razão. Em resumo, queremos que Portugal resolva um assunto que hoje em dia nos afecta, mas também poderíamos ter melhor ajuizado a força que poderíamos ter, se fossemos responsáveis. Mas, mesmo assim devemos dizer BASTA.

Year XXXVIII, Number 1266 Mar 15th, 2018


15 de Março de 2018

Patrocinadores

3

In our next edition Na nossa próxima edição vamos conhecer a história destas vacas Jersey da Martins View Jersey Dairy de Newman. Para quem não está envolvido em leitarias, nem sonha as actividades que existem em todo o Estado acerca da apresentação de vacas em concursos, o que envolve centenas ou milhares de jovens, que semanlmente apresentam as suas vacas, ou mesmo de amigos seus.

- Semana do Emigrante - Tomada de Posse do novo Bispo de Stockton, Myron Cotta - Conferência de Educação de Tulare/Fresno - Tribuna Escolar


4

Cultura

15 de Março de 2018

PAGINA DE ARTES E LETRAS DO TRIBUNA PORTUGUESA

Apenas Duas Palavras Diniz Borges

d.borges@comcast.net

Carta-crítica sobre este livro:

Viagens pela escuridão (Memórias de uma doença) José Francisco Costa

M

eu caro Amigo,

Acabo de derramar o olhar pela última escritura que me enviou de um capítulo tão longo – e que espero esteja encerrado – sobre a sua jornada da existência que, como a tantos de nós, lhe caiu em sorte. Quero, desde já, agradecer–lhe a entrega desta pungente relação da sua dor, que eu aceito sobretudo como um gesto de abertura de alma entre amigos. Obrigado. Fui lendo, com algum sobressalto, as páginas desta viagem épica em que os heróis – o pai Francisco, a mãe Maria e o filho Evan - não se proclamam de imortais. Antes pelo contrário, vão morrendo para ressuscitar e ressuscitando para morrer. Simplesmente que aqui não se trata de ficção ou tentativa de redacção impressionista de acontecimentos que, de outra forma, passariam à margem da memória do tempo. A sua escrita dói. A sua narrativa inquieta-nos. Toda a mancha textual é, com ténues abertas de horizontes praticamente inatingíveis, uma nuvem negra que escurece o sol da esperança que, mesmo contra a certeza fatídica de que tudo se irá perder, é a última coisa que vai sobrevivendo no meio da tempestade que se abate, cruel, sobre o tão natural e simples desejo de uma existência normal. E aqui entraria uma reflexão mais prolongada – que não cabe na brevidade destas notas – sobre a abrangência significativa do título. Com efeito, o seu texto é, mais do que um relato insípido da constante incerteza dos passos perdidos na busca de uma solução (a cura do filho), o testemunho de um peregrino, com a alma e o coração feridos, em busca da terra prometida de curas anunciadas que pouco a pouco perdem a eficácia. É o caminho que se faz “escuridão”, daqui resultando um permanente embate com a pura impossibilidade. A viagem é escura porque realizada por dentro da própria escuridão (166). Viagem que poderá não chegar a qualquer termo. O livro é uma extensão do título em termos de sintagmática do não-futuro. Para além do presente, vai ficando um passado-presente, sempre vazio de qualquer germe de futuro. A dor/ sofrimento é um gerúndio sem outra modalidade que não a de um “agora” vazio de qualquer perspectiva: “A pior parte só começa quando se sobrevive fisicamente.” (218) Eu diria que toda a narrativa se desenvolve sob o pano negro de uma lembrança que para sempre afecta a existência das pessoas envolvidas, com realce para – espero

não exagerar - o autor/narrador da obra. Assim se justifica o subtítulo “ (Memórias de uma doença)”. Daqui resulta, a meu ver, uma escrita de pendor catártico e cariz testemunhal que leva o leitor à apreensão de alguns traços característicos da personalidade do autor. A meu ver, nas margens de todas as páginas do livro, se vai desenhando o retrato psicológico do próprio autor. O livro tem espaços reservados à “autoterapia” através da escrita, como se poderá verificar pela leitura atenta de algumas passagens, como por exemplo a sua “confissão” (226 - 228), e a carta que escreve ao Dr Brian Delaney (217), no final do capítulo XII, (215 - 218) que eu considero ser um desabafo premente, em relato comovente, de tudo o que tentou (mas não conseguiu na totalidade porque ninguém consegue, a nível da fala e da escrita, dizer o sofrimento). Há sempre algo que fica e que se sente e, talvez por isso, se torna indizível). Mas o livro aproxima o leitor do entendimento, embora superficial, de tanta dor – um calvário aparentemente sem ressurreição. Ainda, e a título de exemplo, veja-se a constante referência à “heroicidade” do Evan a contrastar com a fraqueza emocional do pai (56). Em várias ocasiões confessa ter questionado a sua existência, a sua função de pai. Atente-se ainda na revelação do sentimento de cul-

pa que torna ainda mais pesada a cruz que leva, mesmo no meio de alguma alegria circunstancial, como a que vive na festa de atribuição de bolsas de estudo da escola secundária em que o filho foi um dos contemplados: “Nessa altura, perguntei-me mais uma vez o que teríamos nós feito na vida para merecer, de entre todas as famílias ali concentradas, o destino aziago que nos calhara.’’(167) De realçar também o modo como, mesmo em termos literários, constrói a ambiência de abandono a que pai, mãe e filho estão relegados, neste “longo suplício (97), presos a esse “monstro que se chama A ESPERA” (19), que os coloca no “lado de fora da vida” (79). Esta modalidade (eu quase diria, tonalidade) de escrita aproxima-se da que reveste o conteúdo do seu Hard Knocks , pelo que

podemos afirmar que, em tal obra – relato também de outra “viagem” - não esgotou a sua fluência autobiográfica. Assim desviados, ou melhor, arrastados pela força centrífuga de tal destino, resta-lhes a inconfortável solução de se constituírem numa outra família, que tem insegurança como a outra “nossa casa” (173). Importa notar, a este propósito, o destaque que é dado à descrição de elementos estruturantes da referida “casa”. Abundam as referências aos médicos que, apesar das certezas da ciência e dos avanços tecnológicos, não conseguem ir para além dos seus próprios limites na procura da cura que todos esperam. No entanto, o autor expressa bem a sua preferência afectiva nas inúmeras situações em que descreve o papel preponderante dos profissionais de enfermagem no percurso trilhado por cada doente, e neste caso, o Evan, no encalce da cura. As enfermeiras dão o melhor das suas capacidades humanas e profissionais para que a “viagem” se torne menos sombria. São elas quem incute algum sentimento de segurança no doente e na família quando, segundo o narrador, curavam com humor, outras com paciência, e, ainda outras, com a beleza dos seus rostos. Eram todas (ou quase) as “irmãs do Evan” (170, por exemplo). A expressão “a nossa casa” adquire toda a sua força de significante metafórico quando se descreve a despedida do hospital pediátrico, “ […] sessenta semanas depois de o Evan ter começado os tratamentos, […]” (172) Transcrevo um curto excerto desta área da narrativa que torna explícito o significado da metáfora e, ao mesmo tempo, é mais um exemplo do estilo memorialista de pendor catártico do autor: […], nunca nos passou pela cabeça – nem ao Evan nem à Maria nem a mim – que nos desse para chorar … por termos de sair do hospital! Mas chorámos. O Evan em especial teve um grande desgosto ao despedir-se das suas ‘irmãs’. […], toda essa gente – (sic) se tornara parte da nossa família e do nosso ambiente. Tinham passado a ser ‘a nossa casa’. Ao partir, deixávamo-los pra trás. Deixando-os, partíamos sem a sensação de segurança que eles nos davam. E partíamos, com será compreensível, com o medo de que agora estava tudo acabado – e ficávamos sozinhos.” (173)* Como nota final desta reflexão, permita-me apontar alguns aspectos que poderão servir como sugestão para futuras análises do seu livro. O primeiro refere-se ao paralelismo que estabelece entre esta experiência e a sua própria imigração. O isolamento, a solidão, a incapacidade, natural ou imposta, para estabelecer vias de comunicação que possam levar à (re)integração no mundo da normalidade possível. Ou seja, o imigrante, tal como o doente, é um ser vulnerável. O processo de “cura” é longo, difícil, e poderá nunca terminar. Em segundo lugar, e pese embora a narrativa se desenvolva em ambiente de permanente consternação, pelas razões que resumida-

Duas Palavras O mundo criativo luso-americano, as letras portuguesas na diáspora, têm uma amálgama de homens e mulheres que contribuem imenso para a nossa presença além-fronteiras. Umas dessas vozes é, simultaneamente, um dos nossos intelectuais e mais respeitados académicos no mundo luso-americano: Francisco Cota fagundes. É conhecido e reconhecido o trabalho deste académico no mundo ensaístico português. As suas pesquisas, os seus textos e livros publicados sobre várias vozes da literatura portuguesa são documentos preciosos. Mas Francisco Cota Fagundes também se tem dedicado à escrita criativa, começando com a sua autobiografia, publicada e apresentada durante um dos simpósios literários Filamentos da Herança Atlântica, no tempo em que, como escrevi recentemente numa nota nas redes sociais: Tulare ainda acreditava em utopias. Depois da Autobiografia Hard-Knocks, Francisco Cota Fagundes publicou outros livros criativos que vale a pena ler com atenção. O último livro, é baseado numa experiência muito difícil que este distinto académico atravessou com a sua família. Aqui fica o delicioso e poético texto de José Francisco Costa. Uma das nossas vozes da poesia e ficção narrativa da nossa diáspora. E o criador de algumas das letras mais significativas da música portuguesa nas nossas comunidades. Abraços diniz

mente apontei, a sua escrita deixa, de algum modo, uma nesga por onde se poderá vislumbrar uma réstia de esperança - seja quando se refere às outras crianças e jovens doentes (122-123, por exemplo), seja no modo como nos escreve as últimas notícias sobre o Evan, no Prólogo: […] já passámos a montanha mas ainda não saímos da floresta. Acreditamos, porém, que já começa a brilhar uma pequena luz sobre a escuridão dos últimos anos […] Caso se mantenham as suas atuais condições de saúde e estado mental, eu e a Maria pensaremos em nós como os pais mais felizes do mundo! (291) Quero dizer-lhe que lhe admiro a coragem de ter revelado o corpo doente e a alma também enferma do seu filho Evan, que a si próprio se vai ressuscitando, como bem demonstram os excertos do capítulo XI, com destaque para o discurso do Evan como orador convidado numa prova de Relay for Life, na universidade de Bowdoin (195-198). Este livro é a narrativa possível de um pai que sofre, na companhia da mulher e mãe, Maria, cujo silêncio, na narrativa, é também um grito abafado pela dor extrema. O sofrimento - que, por razões subentendidas ou subtilmente expressas no texto, é, na sua quase totalidade e extensão, somente partilhado com a esposa e um reduzido número de “amigos” – é o factor provocante da escrita em primeira pessoa, em que o autor/narrador, isolado no ermo da sua própria existência, sobressai como a mais autorizada testemunha do drama com que a vida o surpreendeu. Um grande abraço. José Francisco Costa Francisco Cota Fagundes. Viagem pela escuridão (Memórias de uma doença). Ponta Delgada: Ver Açor, Lda. 2017 Hard Knocks: An Azorean –American Odyssey (Memoir). Gávea-Brown: Providence, 2000


Opinião

15 de Março de 2018

Carta Aberta ao Barron E, já agora, ao meu amigo Jorge

C

aro Barron,

Tu não me conheces e, eu a ti, só te conheço de te ver em fotografias. Pareces bom pequeno, és alto e espigadote para a idade, bonitinho com o teu cabelinho despenteado e olhar melancólico. Ainda nem chegaste a teenager e já deves ter uma experiência de vida bastante enriquecedora ou, pelo menos, muito diferente dos moços da tua idade. Acontece, como se costuma dizer dos meninos do teu nível social, que nasceste com uma colher de prata na boca. E é capaz de ser verdade porque o teu irmão velho ainda mostra sinais disso, a colherinha deve-lhe ter torcido os dentes de tal modo que não lhe cabem na cavidade bucal. Por isso ele gosta de ir caçar elefantes, talvez para arranjar mais uns quilos de marfim. Em ti nunca reparei tal defeito, quem sabe pelo facto de nunca te ter visto abrir a boca para falar. E acho que fazes muito bem, o meu avô «Rato», da Graciosa, costumava dizer que “Caladinho e espertinho, assim se quer o menino”. Penso que ainda gozas da presença dos teus avós maternos no teu agregado familiar, é possível que o teu avô te diga coisas parecidas com as que eu aprendi com o meu. Aproveita os ensinamentos dele porque, por parte do homem que te trouxe ao mundo... não sei, ele tem conhecimentos muito limitados e só sabe é chamar nomes feios a toda a gente. Sabes, Barron, porque me decidi a escrever-te esta carta? Sim, eu sei que nunca a vais ler mas gostaria que soubesses que estou preocupado com o teu futuro. Eu tenho um neto que é apenas um ano mais novo do que tu e, claro, também estou preocupado com o futuro dele e das outras minhas netas. Vão ser tempos difíceis para ti e para os meus descendentes. Ainda estás numa situação mais privilegiada do que a deles, não te vai faltar o dinheirinho para que te possas inscrever na universidade que escolheres, não vais ter que te preocupar com seguros médicos ou comprar carros e,

5

"Crónicas de Hoje e de Sempre" João Bendito

joaobendito@yahoo.com acredito, namoradas não te vão faltar. Só espero que tenhas sempre a cabeça bem fria e livre de preconceitos para que possas fazer as melhores escolhas. Imagino que não venhas a ter uma juventude como os outros rapazes da tua idade. Se calhar poderias vir a ser um bom jogador de basquetebol ou coisa parecida mas penso que vai ser difícil que te deixem pôr os pés num ginásio. Nem sei que escola frequentas, se é publica ou privada. Ou se tens apenas tutores que te visitam nos apartamentos de luxo da tua família. Já agora, eu gostava de saber qual é a tua opinião sobre a ideia do teu progenitor em armar professores nas escolas públicas. Claro que bem sei que andas sempre rodeado e protegido por agentes dos Serviços Secretos e é assim mesmo que deve ser mas, atendendo que muitos alunos dos High Schools andam por ai a dar lições de civismo aos políticos, sempre gostava de saber o que te vai pela cabeça. Ou será que não sabes o que se passou há duas semanas na Flórida e, antes disso, noutras escolas da nossa América? É muito possível que a tua mãe te resguarde de veres notícias, ao contrário do teu papá que nem te protege da chuva, já foram várias as vezes que o vi a subir as escadas do AF1, de guarda-chuva a tapar a delicada guedelha, sem se preocupar que tu e a tua mãe apanhem uma molha das antigas. Ninguém escolhe a família para nascer. Tens a sorte de crescer sem preocupações financeiras e ao teu redor só existe gente bonita. Até a minha neta me diz, quando vê a tua irmã na TV (essa mesmo, a futura embaixatriz na Coreia do Sul), que ela é muito elegante, parece uma girafa a caminhar! Credo, as coisas que as crianças dizem, valha-nos Deus. Espero. Isso sim, que passes estes anos sem teres muitas brigas com o teu pai. O teu irmão caçador de feras não o podia ver nem pintado – parece-me que o sentimento era mútuo - mas agora são como unha na carne, cobrem-se com a mesma manta. Neste mundo dos negócios é assim que acontece, há que defender os interesses da família. Soa-te a máfia? Hoje ouvi uma notícia que me deixou contente e que sei vais gostar de saber: para

seguir o exemplo do Imperador Xi Jinping, da China, o teu papá anunciou (meio a brincar) que vai arranjar maneira de se tornar presidente perpétuo destes Estados (des)Unidos. Afinal ele e o chinocas são amigos c’ma porcos, como se diz na minha terra. Vais ver, ainda vais ser nomeado príncipe da América e herdeiro do trono real. Por sinal, o teu pai já tem um trono, reluzente e dourado, um shit-hole que lhe ofereceu o museu Guggenheim, de Nova York. Já é meio caminho andado. Agora ele só precisa de uma coroa, pode ser que a tua mãe lhe ofereça uma, daquelas que se põem por cima da testa. Espero que não te ofendas com o que escrevi nesta missiva. É do conhecimento geral que os filhos dos presidentes devem estar fora das bocas do mundo, imunes a toda e qualquer brincadeira de mau gosto. A minha intenção foi só, como disse acima, deixar-te saber o quão preocupado estou e pedir-te que, caso possas, nos ajudes a meter um pouco de senso comum na cabecinha tresmalhada do teu procriador. Se a gente tiver um bocadinho de sorte, pode ser que ele te ouça a ti, já que, julgo eu, ele só se ouve a si próprio. E à esganiçada da Kellyanne. Com os meus melhores cumprimentos...

PS. Eu disse-te no título desta carta, que a dirigia também ao meu amigo Jorge. Tu, Barron, não o conheces. Ele é, como tu, bom rapazin, muito educado e grande amigo de toda a gente da nossa comunidade. O Jorge não perde oportunidade de ajudar seja a quem for, sem benefício próprio. E é grande simpatizante das ideias políticas da tua família. O meu problema é que vou levar mais um raspanete do Jorge que, quando nos encontramos, me diz que gosta de ler as crónicas que escrevo logo que não belisque no teu pai. E, para mim, levar uma descompostura do Jorge é tão doloroso como uma visita ao DENTISTA! Para me reabilitar, vou ter que escrever uma crónica a propor ao governo português, talvez através de um Consul Honorário, para que o Jorge seja agraciado com o título de Comendador. Já há tantos, mais um não vai fazer diferença...

ULTIMA HORA

Forcados de Turlock vão pegar a Portugal e França Forcados de Merced pegam nas Sanjoaninas e São Jorge Segundo informações recebidas pelo Tribuna/Tauromaquia, podemos anunciar que o Grupo de Forcados de Turlock irá pegar no dia 9 de Agosto no Campo Pequeno (2 toiros), no dia 11 em Beja (3 toiros ) e a 14 em França onde pegarão 6 toiros. Mais uma grande oportunidade para que Portugal e desta vez a França poder admirar o valor e a aficion dos jovens Californianos.

Estes jovens de Turlock têm visitado várias vezes Portugal onde têm arrecadado vários prémios na Praça principal do País - Campo Pequeno. Os treinos deste ano já comecaram, até porque a primeira corrida terá lugar na Praça de Stevinson no dia 24 de Março de 2018. Um festival com a presença de Paulo Ferreira, Manuel de Sousa e Rui Daniel (vindo de Portugal). Forcados de Turlock e de Merced.

Toiros das ganadarias Joe Souza, LLC; Açoriana e Joe Alves/João Slveira. O Festival começa às 7 horas. Os portões abrem às 5 horas. Praça de Stevinson. Acabamos de receber a notícia que o Grupo de Forcados de Merced vai actuar nas Sanjoaninas no dia 29 de Junho e a 7 de Julho estarão na Semana Cultural das Velas.

(508)846-3324

TileMuralArt

TileMuralArt.com


6

Opinião

15 de Março de 2018

Tudo isto é FADO

P

Rasgos d'Alma

Luciano Cardoso

lucianoac@comcast.net

erguntaram-me outro dia se eu sabia o que era o fado. Eu disse que não sabia”… nem ainda sei ao certo se há, de facto, uma definição exata para esta riqueza genuína do nosso património cultural. Admito, no entanto, que só fiquei a conhecer melhor esta nossa maravilha musical depois de ter imigrado, já lá vão quatro décadas. Acabava de trocar a minha pequenina Terceira por esta imensa Califórnia. Trazia comigo aquele irriquieto bichinho das iniciativas culturais da juventude e toca a envolver-me em teatro ensaiado por puro amor à arte. O primeiro projeto levou-me logo ao extinto Clube Recreativo Família Portuguesa, em San Leandro – cidade então com rica presença lusa e onde me radiquei até hoje. Foi cá que tive a felicidade de conhecer Leonel Medeiros, um dos maiores artistas no exímio dedilhar da guitarra lusitana por estas bandas. Mestre Leonel, falecido há poucos meses, não só deliciou os portugueses destas paragens durante mais de meio século com o melódico trinar do seu cativo instrumento como inspirou vários jovens tocadores e fadistas que hoje o recordam com terna saudade. Dentre eles, o nosso multitalentoso Hélder Carvalheira, brilhante músico que a comunidade bem conhece, guarda

do Mr. Medeiros a melhor das impressões. “Passámos muitas horas juntos e a ele devo o fácil domínio deste mavioso instrumento que nos enche as medidas. Nestas coisas, conta tanto a vontade teimosa de se aprender como o jeito paciente de se ensinar. Ele tinha-o. Por isso, estou-lhe eternamente grato.” Ainda jovem residente de San Leandro, o Hélder começou por tocar em agrupamentos comunitarios (Arco-Íris, Lusitanos…) mas o seu amadurecimento como músico, aos poucos, trouxe-lhe a paixão pela guitarra que agora não larga. Sobretudo, após uma melindrosa operação cirúrgica obrigando-o a parar por algum tempo, regressa agora com revigorado incentivo que não pretende desaproveitar. O recente regresso deu-se precisamente na acolhedora cidade de San Pablo, onde o fado costuma ser sempre muito bem recebido. A fria noite de sábado (dia 3) pedia calor humano e a nossa gente correspondeu em grande. Casa cheia, refeição de requinte e um ambiente formidável fez com que nin-

guém arredasse pé durante mais de cinco horas seguidas. O programa teve início ainda antes das sete e já passava da meia noite quando os derradeiros aplausos fizeram levantar as cento e cinquenta pessoas visivelmente agradadas com o serão saboreado em pleno. Tratava-se de um jantar cujos fundos revertiam a favor da Irmandade do Espírito Santo local. Hélder Carvalheira convidou o seu irmão Alcino e o seu amigo Steve Soares para acompanharem um fantástico trio de vozes – Ânge-

da idade a afetar alguns dos nossos mais veteranos nestas andanças, há quem tema ou questione o futuro do fado por cá. Não sou desses. Pelo que me foi dado presenciar em San Pablo e depois de conversar com os briosos artistas da noite, vi nos seus olhos renovado orgulho nas nossas raízes e ardente paixão pela causa fadista. Exige-lhes sacrifícios adicionais por não serem profissionais mas, em contrapartida, oferece-lhes motivação extra porque o fazem, de mil amores, com clara vontade

la Brito, Linda Santos e David Garcia – que cantaram e encantaram quem lá foi. Tive a oportunidade de ir com a família e associarmo-nos às demais famílias num convidativo espaço onde se conviveu em português, inglês e até algum espanhol. Porque o fado é assim – atravessa fronteiras e desconhece barreiras. Sente-se bem cantado na nossa língua mas a sua linguagem tem claro apelo universal. Marisa, atual expoente máximo da nossa canção nacional, confessa notar com alguma frequência, nos seus concertos ao redor do globo, gente estrangeira de lágrima no olho. Mesmo que não entendam as palavras entoadas, subentendem os sentimentos expressos. Essa é a grande vitória do fado, que não tem de ser necessariamente melancólico ou colado à saudade para penetrar a alma de quem o escuta onde quer que seja por esse mundo fora. Nesta nossa cosmopolita Área da Baía de San Francisco, temos sido previlegiados ao longo dos anos com executantes de primeiríssimo plano a proporcionarem-nos inesquecíveis noites de fado. Com o peso

de se tornarem ainda melhores. Melhor impressionado, por mim, não podia ter ficado com aquela noite bem digerida à portuguesa no aprazível ambiente de San Pablo. Achei a organização do evento quase impecável e, ainda mais importante, vi toda a gente sair da sala respirando ar feliz.

OCTAVIO RAMALHO Broker Associate

Your Real Estate Consultant for Life!

From new construction to beautiful existing homes, I will help you find the perfect place to call HOME.

FIRST TIME HOME BUYERS • INVESTMENT HOMES NEW CONSTRUCTION • RANCHETTES Serving the Portuguese Community of the Bay Area & Central Valley

Call OCTAVIO for all your Real Estate needs! SELLERS • Call or Visit my Website to find out what your home is worth!

Direct: 888-314-5735 /OctavioRamalhoRealtor Cal BRE Lic# 01397526

homes@calloctavio.com www.newhouseca.com

Quando assim é – Viva o Fado! – estamos todos de parabéns.


15 de Março de 2018

Patrocinadores

Joe Matos

C

A

MADE

SANTA SA

Address: 3669 Llano Rd, Santa Rosa, CA 95407

IN

RO

CHEESE FACTORY

I F OR N I AL

St. Jorge Cheese is an Artisan Farmstead cheese made from our own cows’ raw milk

Open everyday from 9AM - 5PM Telefone: (707) 584-5283 • call to place your order via UPS with a 2 lbs minimum www.cheesetrail.org/cheesemakers/matos-cheese-factory

Maria Ribeiro Delas

7


8

Opinião

15 de Março de 2018

Água Viva

Artesia City Council meeting as seen by a young artesian

Filomena Rocha

filomenarocha@sbcglobal.net

E

"Um Chá Para a Conversa”

ste, até podia ser um bom título para um Programa de Rádio! Ou então, como os que eu já tive: O Chá das Cinco”, “Biscoitos e Chá de Bule”, entre outros à volta do Chá. Muitos outros, num tempo em que fazer Rádio era mais do que "botar palavra e música", deixando o gira-discos rodar como actualmente se faz. No meu tempo, era um missão, um modo de transmitir noticias com a verdade, entreter com graça sem ofender, ensinar sem a pretensão de saber tudo, com humildade e cortesia. Raramente no meu tempo o gira-discos tocava mais que duas faixas de música sem que o locutor falasse, a menos que fosse uma Rapsódia Portuguesa, alegre e bonita, que dispusesse bem os ouvintes, que logo nos chamavam para nos agradecerem a companhia alegre que conseguíamos transmitir. De contrário, já dizíamos que era "música a metro”, ou no Tempo Quaresmal, com temas próprios da época, e música de reflexão, após um Carnaval mexido com as danças teatralizadas tradicionais da Terceira e bailes de roda, nas 9 Ilhas dos nossos Açores. Nessa altura, o Rádio Clube de Angra era a bitola de audiências, embora houvesse a Estação Asas do Atântico da Ilha Santa Maria, com o locutor António Valente, infelizmente já falecido. Quantas lembranças para este mês, sobre Informação, que ficarão para outra altura. Ao chegar à California, deparei-me com vários locutores de diversos programas amadores, feitos sobretudo por pessoas que queriam estar em contacto com a Emigração; pessoas que acabavam de chegar dos Açores e de outras partes de Portugal e este, era o elo de conforto para quem saíra da sua terra à procura de melhores dias. Ao que mais achavam interessante, era a música portuguesa, e as palavras certas para mitigar a Saudade, e também as necessidades primárias, acolhendo os menos afortunados da sorte. À medida que o tempo corria, fui conhecendo estes ilustres conhecedores da Diáspora, Mimi Dias, já falecida. Miguel do Canto e Castro, meu bom amigo com 60 anos de Rádio…Deus te guarde! - Gen-

te mais sábia do que eu, pelo sofrimento, pela coragem, pela aprendizagem que tiveram da Vida nem sempre folgada e que muito ajudaram os imigrantes que chegavam, na sua integração. Euclides Alvares, entre outros que já tinham sido pioneiros da Radio, também tinha o seu programa, como a Voz dos Açores, que promovia as nossa raízes, e ao longo dos anos tem promovido não só os Artistas da Diáspora, como até os dos Açores, como eu e o meu marido, Manuel Mendes, assim como os demais artistas de outras partes, inclusive organizando um espectáculo quando aqui cheguei, com "Notícias da Ilha". Desde então, o nosso encontro criou laços de amizade, laços radiofónicos e jornalísticos. Euclides Alvares, tem sido um exemplo de força e empenho em cultivar a nossa língua, pelas tradições e contactos com outros mundos da Emigração que ele próprio tem percorrido, na saga do conhecimento e o estreitar de amizades, que só a Radio é capaz de fazer e manter, com muita vontade, estímulo, muita paciência, amor e o muito gosto necessários ao fortalecimento desta açorianidade e até portugalidade. É caso para dizer, Parabéns, Euclides! Por estes 40 anos de perseverança, por teres aprendido como autodidacta uma Arte de comunicar que nem sempre é para todos, mesmo os que se sentaram nos bancos da Universidade, e infelizmente se ufanam, de algo que nunca chegaram a fazer bem! Parabéns pelas vezes que saindo da California, representando os que ficaram, eu própria testemunhei, soubeste transmitir os seus pensamentos e vontades de serem mais e melhores. É bom, sempre que me é possível, colaborar contigo, levando mais longe outra voz dos Açores com orgulho, muito carinho pelos que ficam, e saudade para os que deixámos e sempre nos esperam de algum modo, ver regressar à terra de origem, para pôr a conversa em dia, acompanhados de um Chá, com os sabores da ternura, da amizade, da lembrança dos velhos tempos, que teimosamente ficaram no canto da memória, como musgo verde nas pedras da Ilha que nunca esquecemos…

O

n Monday February 12th, 2018 the cont roversial, proposed multipurpose building, named Artesia Live II, was approved by the Artesia City Council during a surprisingly packed City Hall meeting. Pro Artesia Live and the opposition were out in force that night, and passions ran high. The opposing side was rude, tactless and weak with facts. At the start of the meeting, someone shouted ‘bullshit’ during the Pastor's invocation; which, totally put a bad taste in my mouth. The pro side, however, presented their facts clearly and respectfully; all over the loud heckling of

the opposition. Furthermore, the opposition made a big show about the developer getting more than three minutes, which he was entitled to as this was his project and he wasn’t just a citizen speaking in support or in opposition. Despite the opposition’s anger that the developer was given more time to speak, most of the speakers for the opposing side went well beyond their time constraints; all the while ignoring Mayor Pro Tem Tony Lima's repeated calls to wrap up. Some of those speakers really only had conjecture to put forward. In fact, one of the speakers for the pro Artesia Live side effortlessly pointed out the lies in the opposition’s argument. To be fair, the opposing side did make some valid points. Why is Artesia Live I, the first of the two multipurpose buildings, approved months ago still a grass lot?

I came into this whole issue on the fence and went to the meeting ready to hear what both sides had to say on Artesia Live II. But, the pro side won me over by the end of the night. I can see how they obtained so many signatures. If the opposition wants to be taken seriously they need concrete facts and a more respectful attitude. Being loud, lude and otherwise disrespectful of other opinions is not the way to win an argument. It only leaves the door wide open for your cause to be ridiculed.

Lisa Falcão Photos by Osvaldo Palhinha


Opinião

15 de Março de 2018

Ave, Mulher Cheia de (G)Raça

V

1 – breviário do calvário feminino amos lá! Acabem lá com isso de dizer que “a mulher é o mais belo defeito da natureza”. Embora não seja considerada deusa ou serpente, a Mulher é a princesa do maravilhoso barro humano que (na inevitável opinião do signatário) continua a ser a matéria-prima do Escultor supremo, ou seja, mercê do excelso talento do Criador, o barro inicial foi depressa transfigurado na mais fina porcelana genética… Vamos imaginar que a Mulher aprendeu a sorrir (com justificado desdém) desde quando ouviu dizer que era apenas o sal da cozinha masculina. Consta que nas religiões monoteístas (judaísmo, cristianismo, islamismo) a Mulher é tratada com calculada parcimónia, embora a tradição rabínica glorifique as (suas) mulheres-profetas (Rebecca, Susana); curiosamente, o tradicionalismo judaico ostenta algo em comum com o islamismo: a indisfarcável propensão para honrar o pragmatismo consuetudinário, relativamente à poligamia. Vejamos: quantas esposas conviveu

o patriarca Abraão?... A ligeireza desta conversa coloca-me vulnerável à tentação de fazer referências ao I Congresso dos Direitos da Mulher - Paris, 1878, época em que ficou registada a valorosa intervenção de Emily Ventun. Em Portugal, temos a inconfundível presença de Florbela Espanca… Se optarmos por não reparar no temperamento ‘misogynistic’ do apóstolo Paulo (deixemos o concílio de Trento para uma próxima conversa), o Cristianismo considera a Mulher como parte integrante do “povo escolhido”. Temos acesso à notícia de que o doce Rabi da Galileia prezava muito a proximidade das suas companheiras. O meigo JESUS sabia apreciar, em altíssimo grau, a beleza da convivialidade humana, com idosos, crianças, e enfermos, e até com humanos de outras etnias (jamais esqueceremos o episódio poético de Jesus com a jovem Samaritana, junto ao poço de Jacob…). Durante o forçado “cruzeiro colonial” da minha geração, aconteceram alguns episódios infelizes que o tempo e a geografia tentam arquivar nas catacumbas do silêncio… Não serve de atenuante admitir que “in the long run we are all dead”. Recordo que, em Moçambique, tomei nota do provérbio africano que nos lembra o seguinte: “a calmaria aparente das águas não

Ah, pobre de Cristo

A

Lugar dos Dois Caminhos, 3 de Março noite passada acabei um romance. Não acabei: concluí a primeira versão. Ainda me faltam semanas de revisões. Mas a estrutura, a arquitectura da narrativa, é a minha primeira demanda. É ela que me leva o sangue: a construção gradual das personagens, a rotação dos narradores, o desdobramento dos elementos da intriga, a visitação dos dispositivos de narração. E isso tem pelo menos as paredes de pé. A noite passada acabei um romance e agora sinto-me invencível. Até segunda-feira, dia em que começarei a dar-me conta das repetições, dos bordões e das incongruências, acharei que poderia subir os Himalaias, namorar com a Kate Winslet, voar sobre os centrais como o Jardel. É para este momento que vivemos. Às vezes perguntam-me por que gosto tanto de escrever. Suponho que façam as contas ao que ganha um escritor, quociente decepcionante até nos casos mais promissores. Costumo dizer que quando era adolescente me comportava tão mal que quem a mim se referisse só encontrava uma ressalva: “Mas, pronto, escreve bem.” No fundo, era isto ou uma vida no crime. Mas não é de escrever que gosto, como aliás já disseram tantos. Escrever é horrí-

9

Memorandum

João-Luís de Medeiros jlmedeiros@aol.com

garante a ausência de crocodilos”. Isto para acentuar que nos lares, nas escolas, nas fábricas (d’aqui e d’além) há milhões de mulheres que ainda vivem oprimidas, humilhadas, não obstante os sinais pseudo-animadores veiculados pelo propagandismo oficioso… 2 – Igualdade, Desenvolvimento e Paz (lema das Nações Unidas). Em 1945, dos 41 países co-fundadores da Instituicão “Nações Unidas”, apenas 30 Estados-membros garantiam a igualdade cívica das mulheres. Para ultrapassar tamanha disparidade, foi constituída uma Comissão incumbida da doutrina geral concernente aos direitos cívico-políticos da Mulher (1952). Entretanto, em 1972, as Nações Unidas aprovaram uma “resolução” no sentido de proclamar “1975 – Ano Internacional da Mulher”: a conferência foi realizada na capital do México, com a presença de de 1,000 representantes de 133 países. Numa apressada (sincera) pincelada poética, diria que a ponta final do século XX foi um período auspicioso no idealismo fraternal dos “descendentes” de Adão & Eva (alguns especialistas em hebraico sustentam que Adão significa “ser humano”, e Eva “ser vivo”). Não é novidade relembrar o nosso planeta continua envolvido pelo nevoeiro da crise

global: há quem prefira considerar que as crises não são castigos dos deuses – são apenas desafios para testar a eviterna enfermidade humana… Aliás, não precisamos de longas viagens para constatar a violência endémica (matar pr’a não morrer!) adentro das muralhas domésticas da existência humana… O ser humano é porventura o único animal consciente do seguinte: estar vivo faz parte do processo de ir morrendo lenta mas irreversivelmente. Hoje, data de celebrar a Mulher, seria porventura desperdiçar tempo numa eventual pesquisa para confirmar se Adão nasceu com ou sem umbigo! Contudo, temos o direito de imaginar que Adão nasceu devidamente apetrechado da ferramenta destinada a cumprir a missão da paternidade… …/… Vamos continuar a louvar o talento criador do supremo Escultor, que nos brindou com a deusa fraternal chamada EVA. Sim, caríssim@s, o meu espanto já vem de longe, desde que comecei a soletrar notícias da “abençoada diferença”. Ave, Mulher, cheia de (g)raça - “quem te fez todo o pão da minha fome?” O autor escreve de harmonia com a antiga grafia.

Regresso a Casa Um diário açoriano

Joel Neto

www.joelneto.com vel, um suplício tenebroso, no caso de um romance como até de uma crónica como esta. Escrever trata de superarmos os nossos limites, e os nossos limites são sempre menos excitantes do que gostaríamos. E, contudo, há esta sensação, momentânea e avassaladora, de se ter ido até ao fim. Conheço poucas realizações parecidas com esta de ter levado um romance até ao fim. Aquilo que nos alimenta é ter escrito, não escrever. Nos últimos três anos, visitei seis países. Enviei a mim próprio mais de quatro mil e-mails. Escrutinei três prateleiras de bibliografia. Afixei pelas paredes centenas de papéis. Fotografei lugares, documentos e até pessoas em quem julguei poder inspirar personagens. Importunei dezenas de amigos, conhecidos e mesmo desconhecidos em busca de pistas, esclarecimentos, opiniões, favores – tudo por causa do romance. E não foi o pior. Tive acessos de fúria. Distraí-me a meio de conversas com todo o tipo de gente que merecia uma conversa a sério. Guiei em excesso de velocidade, e muitas vezes levava os Metallica ligados no máximo, And the road becomes my bride, And the road becomes my bride, I have stripped of all but pride. Só não fiz qualquer check-up médico, como me comprometera, porque podia receber uma sentença de morte e isso tolher-me-ia na hora de acabar o romance. Estive sempre disposto a morrer. Só nunca estive disposto a não acabar o romance. Entretanto, metade da ilha zangou-se comigo e três quartos dos amigos de Lisboa

também. Quando estou em Lisboa não apareço, e se apareço só falo do romance. Quanto estou na ilha não vou aos bailinhos, nem às exposições, nem às touradas, nem ao Bodo, nem às verbenas, nem ao Dia de Amigos, nem aos casamentos, nem aos aniversários. E, se vou, fico para ali a fumar, sem saber o que dizer, porque só me ocorre falar do romance e já ninguém tem paciência para esse estupor desse romance que nunca mais sai, e oxalá ao menos seja alguma coisa de jeito, e de qualquer maneira a seguir vais dizer que estás a escrever outro romance e ninguém pode contar contigo na mesma, não é? É. Na verdade, é. A cada romance que escrevo preciso de mais silêncio, a cada ano que passa preciso de mais reclusão. Ao longo deste livro, habituei-me a ter o telemóvel sem som, depois no Não Incomodar, depois desligado. Deixei de visitar os meus pais em dias de semana. Reduzi o Facebook a links destas crónicas e fotografias do meu pomar, o meu último entretém para lá do body attack e do step, feitos como se tivesse 20 anos ou, mais provavelmente, houvesse enlouquecido. Há uns tempos, pus-me a fazer planos para montar um barracão ao fundo do quintal, um desses barracões de madeira a que os ingleses chamam shed, e onde não quero sequer electricidade. Nos últimos meses, enfiei papéis de jornal no sino do portão e, quando verifiquei que os carteiros – os meus amigos carteiros, o Emanuel e os outros, a quem devo tanto – continuavam a ter de fintar o problema, mandei construir uma caixa de correio gigante, com uma

porta gigante também, para levar encomendas e tudo. Mesmo assim, tive de inventar compromissos para não ter de estar em lugares, viagens para não ter de receber pessoas, doenças para nem sequer me tentarem recrutar. Tornei-me egoísta e mentiroso, mais ainda do que me tornara no romance anterior. E provavelmente vou ter de me tornar mais egoísta e mais mentiroso no próximo, caso contrário não haverá próximo, e eu com o sentimento de culpa ainda vivo, sem próximo romance é que não. Mas, pronto, a noite passada acabei um romance e agora sinto-me capaz até de confessar tudo. Fazia anos hoje – faço anos hoje – e queria oferecer-me essa concretização. Fazia 44 anos – faço 44 anos –, os mesmos com que morreu o meu tio Daniel, e precisava de acreditar que não morreria sem deixar pronta a melhor coisa que alguma vez fiz na vida. Deixei-a ontem à noite. De facto, não sei se está boa ou má, se está apenas gira ou nem sequer isso. Há pouco pus-me a pensar nela e ainda me pareceu a melhor que fiz. Felizmente, na segunda-feira vou voltar achar que sou estúpido e inábil e mesquinho e inútil, pelo que estará tudo bem na mesma. É sempre daí que vem o romance seguinte. -------------------------------------http://www.facebook.com/neto.joel http://www.joelneto.com/ * alguns destes textos são originalmente publicados no “Diário de Notícias”


10

Comunidade

15 de Março de 2018

INSPIRATION OF THE MONTH

M

y name is Mackenzie Gomes and I was the 2013-2014 District 4 Dairy Princess. Besides growing up on a third generation, family owned and operated registered holstein dairy farm in Willows, CA, serving as a Dairy Princess was easily one of the most influential experiences of my life. Unlike most Dairy Princess royalty, it wasn't until I was living over 300 miles from my family's dairy attending Cal Poly, San Luis Obispo that I realized I still wanted to serve in this role and returned home to participate! Although serving District 4 from such a distance required a major commitment to many hours on the road, it was worth every mile! As I traveled to classrooms, trade shows, community events, and more, I realized how passionate I am about educating the general public about our industry. This realization even led me to change my major at Cal Poly to Agricultural Communications,and then to begin my career in the dairy industry upon college graduation. Many of the ladies who served alongside me from other districts became some of my best friends in college, and several are now working in the dairy industry with me as well! Since handing over my crown, I have volunteered as a host of Dairy Princess Training Week, judged District 7's contest several times in Hanford, CA, and serve on District 6's Dairy Princess Contest Committee in Turlock, CA. I still enjoy staying in contact with the directors of the Dairy Princess Program, and the women who I have met through the experience by reconnecting at various industry events throughout the year. The Dairy Princess Program not only offers amazing opportunities, but also allows each princess to become part of a life-long community within the industry, made up of hard working, talented, inspiring, and passionate women. Most importantly, being a Dairy Princess allowed me to give back to the men and women who work so hard each day to provide dairy products to the world. The least we can do is be great advocates for their labor and livelihood in return! Note: Thanks to District 4 Dairy Princess on Facebook.

José Avelino Bettencourt

José Avelino Bettencourt, o sacerdote português que esta semana foi nomeado núncio apostólico e elevado a arcebispo pelo papa Francisco, vai ser o próximo embaixador do Vaticano na Arménia. A nomeação foi tornada pública esta quinta-feira pelos serviços da Santa Sé, e confirmada ao Observador pelo próprio diplomata. Desde 2012 que José Avelino Bettencourt é o chefe de protocolo do Vaticano — sendo por isso responsável pelo acolhimento de chefes de Estado estrangeiros que se reúnem com o líder da Igreja Católica –, função que agora abandona para assumir o mais alto posto da diplomacia da Santa Sé. “A Arménia é a nação cristã mais antiga, tanto que o patriarca de lá não é da Igreja Ortodoxa, mas sim da Igreja Arménia Apostólica. Como doutrina, a Igreja Católica e a Igreja Arménia não têm diferenças”, resume José Avelino Bettencourt em declarações ao Observador, a partir do Vaticano. Sublinhando que vai para “uma nação com uma história muito bonita“, José Avelino Bettencourt destaca a ligação entre o povo português e o povo arménio. “Basta pensar em Calouste Gulbenkian“, exemplifica, referindo-se ao empresário arménio que se radicou em Portugal, tendo dado um importante contributo à cultura portuguesa, ao deixar o seu grande espólio na fundação que criou com o seu nome em Lisboa. Bettencourt destaca ainda que a Arménia é “uma região de ponte” entre o Ocidente e o Oriente, onde vive “um povo que tem sofrido”. “O Papa esteve lá em 2016, ele mesmo quis ir visitar o país, o que é um sinal de proximidade entre a Igreja e aquele país, que tem uma comunidade católica pequena”, sublinha o recém-nomeado arcebispo, dizendo-se “muito honrado por ir para um lugar a que o Papa está atento”. O principal desafio, garante, será “representar o Santo Padre num contexto que

Liga 2017-2018

Porto perdeu pela primeira vez

tem uma dimensão ecuménica muito interessante, estando perto da pequena comunidade católica”. José Bettencourt é o segundo português a chegar ao mais alto nível da diplomacia vaticana, depois do cardeal Manuel Monteiro de Castro, que exerceu funções em Antígua e Barbuda, El Salvador, Honduras, África do Sul, Lesoto e Espanha. O arcebispo nomeado confirmou ao Observador que a ordenação como bispo decorrerá no dia 19 de março, pelas 17h00, na Basílica de São Pedro, em Roma. A ordenação acontece no dia em que se comemoram cinco anos da inauguração do pontificado de Francisco. O novo embaixador do Papa nasceu na ilha de São Jorge, nos Açores, em 1962. Ainda jovem, emigrou com a família para o Canadá, país onde fez a sua formação teológica e onde foi ordenado padre em 1993. Depois de ter passado por duas paróquias canadianas (incluindo uma comunidade de emigrantes portugueses), José Bettencourt entrou no serviço diplomático do Vaticano em 1999. Fez o doutoramento em Direito Canónico em Roma e começou a sua carreira diplomática na Nunciatura Apostólica no Congo, como conselheiro de nunciatura. Regressou a Roma em 2003 para ser nomeado monsenhor e assumir funções como capelão do Papa. Em 2012, o papa Bento XVI nomeou-o chefe de protocolo da Santa Sé, cargo em que ainda se mantém. Atualmente, é responsável pela preparação das visitas oficiais do Papa e pelo acolhimento de chefes de Estado estrangeiros no Vaticano. Em 2013, Cavaco Silva condecorou-o com a Ordem Militar de Cristo, pela sua “competência, lealdade e dedicação”.

Cortesia de João Francisco Gomes in Observador


15 de Março de 2018

The First and Only Restaurant with a Michelin Star in San José

Executive Chef, David Costa Pastry Chef, Jessica Carreira

Accepting Reservations for Dinner

1614 Alum Rock Ave. San José, CA 408.926.9075 | www.adegarest.com

Patrocinadores

11


12

Opinião

15 de Março de 2018

A presença aliada na Ilha Terceira durante a II Guerra Mundial

N

Notas Históricas Francisco M. Nogueira franciscomgl@gmail.com

este ano de 2018 vão-se completar 75 anos do Acordo dos Açores (17 de agosto de 1943) e, por conseguinte, da chegada de estrangeiros para as obras da Base das Lajes. O período da presença aliada, sobretudo britânica, foi marcado por uma fase de novidades e mudanças no modus vivendi da população, não só a nível económico, mas também das mentalidades, da sociedade e, claro, da cultura terceirense. Na madrugada de 8 de outubro de 1943,

e, com isso, implantar o desporto na Ilha. Os britânicos cedo se aperceberam que os locais jogavam bem futebol e foram muitas vezes derrotados. Essa situação feriu o orgulho dos britânicos, que mandaram vir para a Terceira 3 (outros dizem 4) jogadores da seleção inglesa. Os estrangeiros chegavam a comer nas mesas do Espírito Santo e participavam nas touradas à corda. Houve também troca de conhecimento, de técnicas e de processos no campo científico, sobretudo na meteorologia e nas artes, em que participaram figuras relevantes no meio terceirense, como os casos de José Agostinho e de Maduro Dias. Durante este período ouviram-se os primeiros acordes de Jazz na Ilha, tocados

uma sexta-feira, três milhares de militares britânicos chegaram a Angra do Heroísmo. A população terceirense foi apanhada de surpresa pela chegada dos estrangeiros, contudo as ordens superiores, que ditavam a obrigação de ajuda no desembarque, foram cumpridas “à risca”. Desembarcaram, no Porto de Pipas, 20 mil toneladas de material para o Aeródromo das Lajes. Dias depois começavam as obras na pista, mas as sucessivas necessidades de ampliação, levaram o Governo britânico a pedir a Oliveira Salazar o envolvimento norte-americano no arquipélago. Em janeiro de 1944, os norte-americanos desembarcaram na Terceira, não como militares, mas como técnicos especializados, uma imposição do Presidente do Conselho de Ministros português. Os EUA tinham ambições maiores e pediram, também, a concessão de facilidades nos Açores, neste caso, em Santa Maria. O Acordo foi assinado a 28 de novembro de 1944, após um longo e difícil processo de negociação. A interação com os locais permitiu aos britânicos envolverem-se na vida social da Ilha, participando em várias festas, convivendo alegremente com os terceirenses. O incentivo britânico ao futebol e ao atletismo permitiu a realização de jogos entre locais e estrangeiros, assim como torneios

essencialmente no Café Royal e no Café Atlântico. Os britânicos criaram ainda uma sala de cinema no Acampamento nas Lajes, mas o teatro Angrense exibia na mesma semanalmente filmes, quer fossem americanos, quer portugueses (em 1944, a maioria dos filmes americanos apresentados no Teatro Angrense eram datados de 1941). A relação também teve aspetos negativos. Os britânicos estavam proibidos de participar nos bailes locais, mas “incentivados” pelo abuso do whisky, apareciam e tentavam dançar com as jovens, o que originou várias cenas de confronto. Criou-se a 1ª polícia militar em Portugal para supervisionar a situação. Para o recolhimento dos embriagados foram criadas as chamadas “brigadas de salvamento”, que recolhiam os militares embriagados pela Ilha fora. A “má-língua” apelidava essas viaturas das “camionetas dos cães”. Foram muitos os portugueses que fizeram parte destas “brigadas”, principalmente porque levar estes militares de volta para o Aeródromo, era sinal de que recebiam uma recompensa, um chá quente e umas bolachas, bens que grande parte da população não possuía. Com a construção de tabernas, ao longo da estrada Praia-Lajes, muitas casas de prostituição surgiram aí, pois era a solu-

ção encontrada para evitar a aproximação dos britânicos às mulheres locais. Contudo, foi preciso criar um calendário: “Segundas e Quintas-feiras para as liberdades amorosas dos britânicos, Terças e Sextas para os americanos e Quartas e Sábados para os portugueses, o Domingo era dia de penitência para todos”. Houve também um surto de crimes de furto, bidons, botas, etc, mas estes não eram censurados pelas autoridades portuguesas devido à miséria pela qual passava a população terceirense. Cândido Pamplona Forjaz conta-nos nas suas Memórias uma história que reflete esta situação: “uma noite um dos gatunos em ação avistou pela fenda que separava a tenda (iluminada) do terreno – um soberbo par de botas e logo nele viu presa fácil. Deitou mão por essa fenda para puxar as sedutoras botas mas, com grande surpresa sua, elas não cederam: eram de um soldado que, de pé e imóvel, fazia a barba.” Os terceirenses festejaram a vitória aliada na Guerra e as principais figuras britânicas abandonaram a Ilha, pois a ordem do Governo inglês era para regressarem ao seu país, porém a concessão de facilidades era muito importante para os EUA, que atrasaram a saída britânica da Ilha, enquanto tentavam “convencer” Salazar da importância da permanência norte-ameri-

seria apenas utilizado para a aviação militar, veio reacender os ânimos terceirenses. Os locais só pensavam na perda de terras, de dinheiro e de trabalho por causa das obras da pista das Lajes. A contestação popular foi forte. Salazar resolveu a situação, trazendo os norte-americanos de Santa Maria para a Base das Lajes, onde estão até hoje ininterruptamente. A 6 de outubro de 1946, os britânicos saíram definitivamente da Terceira. O impacto da presença britânica na Terceira é visível, diretamente nas obras do Aeródromo, Porto militar da Praia, na Aldeia Novas das Lajes e no Juncal, e indiretamente na mentalidade dos terceirenses, sobretudo na sua relação com o desporto e no surgimento de palavras novas. Os problemas com os britânicos influenciaram indelevelmente a relação posterior com os norte-americanos, apesar destes terem tentado manter-se afastados de problemas, pois a relação delicada e difícil entre Salazar e os EUA, não permitia grandes controvérsias e os norte-americanos sabiam disso. Atualmente, o estudo da presença britânica tem sido relegado para segundo plano, sobretudo devido à importância que a Base das Lajes teve para os EUA durante a segunda metade do século XX. Há uma

cana nos Açores. A Inglaterra conseguiu, então, promover uma aproximação entre Portugal e EUA. No final da Guerra, os terceirenses estavam descontentes com o facto das indemnizações, por terem visto as suas terras na zona das Lajes expropriadas, não terem sido ainda pagas pelo Estado. E para piorar, a notícia que o Aeródromo das Lajes

certa inferiorização no papel que os britânicos desempenharam na Terceira, o que não pode, nem deve acontecer, pois a concessão de facilidades à Inglaterra foi o prolongamento da “velha aliança” de 1373 e é um retrato vivo das nossas Relações Internacionais e um “pequeno” grande contributo da Terceira para a História Mundial.


15 de Março de 2018

Otília Frayão

N

tinha velejado em solitário de Gibraltar até New York, sem escalas e em 80 dias. A bordo levava mantimentos para duas semanas, tempo estimado pelo britânico para uma viagem até Gibraltar, com possíveis escalas em São Miguel e Madeira. Iniciava, deste modo, a última tirada da sua travessia do Atlântico em solitário. O que se segue (e que, em 1986, já me havia sido contado pelo saudoso João Carlos Fraga) vem minuciosamente (d)escrito num livro que só agora me chegou às mãos e que de há muito ansiava ler: Temptress Returns (Putnam, London, 1952), da autoria do próprio Edward Allcard. Retomemos a narrativa da dita viagem. Após uma noite fria com vento soprando de NW e passada enregelado ao leme, Allcard deparou-se com uma jovem mulher que assomou à escotilha, “com lágrimas nos olhos e ar muito assustado como que apanhada numa armadilha e sem esperança. Tinha cabelos negros batidos pelo vento, um rosto belo, olhos grandes e castanhos, lábios carnudos, pequeno nariz e queixo redondo”. Era Otília Frayão que, 24 horas antes, embarcara clandestinamente no “Temptress”, iniciando assim a viagem que iria modificar a sua vida. A intromissão da faialense no projeto de Allcard (atravessar o Atlântico em solitário nos dois sentidos) levou-o a alterar a rota para sul. Ainda tentou dissuadir Otília de continuar a viagem e deixá-la em São Miguel, de onde poderia regressar ao Faial. Mas era “tremenda” a decisão dela em deixar as ilhas para trás. Conhecendo a mentalidade faialense, “avaliadas

Opinião

13

Ao Cabo e ao Resto

ou a aventura de uma passageira clandestina

ão é impunemente que se nasce numa lha onde a terra é pouca, o mar é vasto e o sonho é enorme. Nos inícios de Janeiro do ano de 1951 a faialense Otília Frayão tinha 23 anos de idade e era bonita, inteligente e culta. Escrevia poemas que exprimiam sonho de viagem, desejo de aventura, aspiração de fuga. Num deles, intitulado “Raízes, assim desabafava: “Oh! este desejo de partir/ e não voltar./ Este receio de ficar/ por não poder partir./ Esta brusca saudade/ daquilo que existe lá longe/ no meio, princípio e fim/ dessas águas de sombra…/ Este querer doloroso…/ que salta, geme e se espalha/ por coisas nunca vividas/ que grita enlouquecido/ a dor de não poder entrar/ no porto que não quero ver./ Luz que não quero acender/ e que em vão procuro apagar”. Um dia, fugindo a um ambiente familiar sufocante, e insatisfeita com a vida cinzenta e opressiva da ilha, dirigiu-se ao cais e meteu-se, ocultamente, dentro do veleiro “Temptress”, construído em madeira e aparelhado em yawl, que, três meses antes, aportara à Horta para reparações resultantes de vários temporais que o açoitaram durante a viagem desde New York, de onde aparelhara a 24 de Agosto de 1950. A bordo, o navegador solitário Edward Allcard, arquitecto naval inglês, preparava-se para zarpar. No ano anterior

Victor Rui Dores

victor.dores@sapo.pt

as consequências daquele imprevisto e os efeitos negativos de um desembarque num porto português”, ficou então decidido aceder ao pedido de Otília e transportá-la até Inglaterra, para onde manifestamente queria ir. De imediato, e de forma voluntária, Otília começou a aprendizagem que fez dela uma inesperada navegadora. Para surpresa do skipper, embora um pouco enjoada e apreensiva, a corajosa faialense passou para o leme e, segundo Allcard, “corria-lhe nas veias sangue dos antigos navegadores portugueses”. A meados de Janeiro de 1951, o “Temptress” é apanhado por um violento temporal. Durante seis dias a pequena embarcação é fustigada por mar alteroso e vento forte. A rota teve que ser alterada e Casablanca passou a ser a alternativa mais lógica a Gibraltar. Otília tinha adquirido o estatuto de marinheira, cozinhando e registando, no seu diário de bordo, as incidências da viagem. Finalmente, após 24 dias de mar, o “Temptress” fundeava em Casablanca, no dia 1 de fevereiro de 1951. Durante alguns dias Otília descansou, visitou livrarias e tirou partido das delícias daquela cidade cosmopolita e do calor do sol africano. A notícia da sua grande aventura espalhara-se por todo o mundo e um magote de jornalistas e fotógrafos abeiraram-se, curiosos, da açoriana que, tendo aprendido a lidar com o Oceano Atlântico no Inverno, enfrentava agora a ferocidade dos media. A jovem aventureira começou a receber correspondência proveniente das mais diversas latitudes, até que um dia deparou com o telegrama de uma senhora de Londres, oferecendo-lhe a passagem de avião e alojamento por um ano. Aceitou de imediato e rumou a Inglaterra. Aqui termina o relato de Temptress Returns e o convívio entre Allcard e Otília. Meses depois, com a venda da história da sua viagem a um semanário britânico, Otília resolveu os seus compromissos financeiros e passou a ser uma mulher inde-

pendente, traçando o rumo da sua própria vida. Acabaria por casar com um inglês de ascendência nobre e hoje, com 91 anos de idade, vive em Berdun, Espanha. Nunca deixou de escrever poesia, versejando também em inglês e castelhano. Pedro da Silveira e Ruy Galvão de Carvalho antologiaram alguns dos seus poemas, de nítida inspiração simbolista. A épica aventura da faialense seria amplamente noticiada em jornais e revistas de todos os quadrantes e, mais tarde, lembrada por conhecidas personalidades do mundo náutico: Ben Carlin, Olivier Stern-Veryn, Tony Vasey, Tom Cunliffe... A história chegou mesmo ao conhecimento do escritor galego Camilo Joé Cela que, em jeito de ironia, escreveria uma crónica intitulada “Eduardo Allcard e señorita Otília – el Robinson y su Beatrice”. João Carlos Fraga, Irene de Amaral e o autor destas linhas (que, baseado na história de Otília, escreveu há mais de 30 anos um conto intitulado “Grimaneza, ou um barco chamado desejo”, posteriormente também transformado em peça de teatro) deram conta desta mulher para quem o mar se abriu como um caminho para a Liberdade e para o Mundo, já que a errância sempre fora a sua maneira de perseguir a Felicidade e o Sonho.


14

Comunidade

15 de Março de 2018

24° Aniversário do GF tempos de Outrora

Realizou-se no Salão de Festas da IES de San José, a festa do 24° Aniversário do Grupo Folclórico Tempos de Outrora. Entraram mais jovens para o grupo este ano, como foi referido pelo David Garcia. Houve apresentação da nova Direcção, presidida pelo jovem Também se assitiu à entrega de uma Bolsa de Estudo ao Victoria M Hilário e tambem o novo Presidente Manuel Soares teve palavras de amizade e de despedida do Felip Silveira que começa uma nova vida em Santa Clara, como Polícia.

Manul Soares, novo Presidente do Grupo agradece o que o Felip Silveira ofereceu ao Grupo por muitos anos, indo agora prosseguir uma carreira na Policia de Santa Clara

A nova Direcção do Grupo Folclórico Tempos de Outrora, presididia por Manuel Soares (ultimo da direita)

Victoria M. Hilário - recipiente da Bolsa de Estudo oferecida pelo Grupo Tempos de Outrora


15 de Março de 2018

15

Paulo Teves

A nossa missão consiste em intensificar o relacionamento entre a Diáspora e os Açores Paulo César Câmara Teves Nascido em: 08-04-1981

– Habilitações Académicas: Licenciatura em Ciência Política e Relações Internacionais, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa; Pós-Graduação em Ecologia Humana e Problemas Sociais Contemporâneos, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa. – Experiência Profissional: •​Diretor Regional das Comunidades, no XI Governo Regional dos Açores; •​Agosto de 2011: nomeado Diretor de Serviços da Emigração, Imigração e Regressos, da Direção Regional das Comunidades; •​Coordenador do Gabinete de Emigração e Regressos, da Direção Regional das Comunidades, de fevereiro de 2009 a agosto de 2011; •​Nomeação definitiva no quadro de Pessoal da Direção Regional das Comunidades como Técnico Superior de Ciência Política e Relações Internacionais, desde 1 de abril de 2007; •​Responsável pelo Núcleo de Informação da Direção Regional das Comunidades de junho de 2006 a agosto de 2011; •​Funções de Técnico Superior de 2ªclasse, contratado a termo certo, na Direção Regional das Comunidades, Horta, de 28 de maio de 2004 a 31 de março de 2007; •​Estágio no Gabinete de Informação e Relações Externas da Direção Regional das Comunidades, ao abrigo do Programa Estagiar L, de 1 de outubro de 2003 a 27 de maio de 2004.

1 Como é que recebeu a notí-

cia de que ia ser reconhecido na Califórnia em Março?

Foi com grande emoção que recebi a notícia do reconhecimento do trabalho que tem sido desenvolvido junto das comunidades açorianas da Diáspora, que se manifesta com a honrosa atribuição do prémio “Construindo Pontes entre os nossos dois Mundos” – “Building Bridges between our two Worlds”. Esta distinção reflete o empenho de toda a equipa da Direção Regional das Comunidades que, diariamente, diligencia em prol dos nossos açorianos que estão espalhados pelo mundo. Constitui, sem dúvida, o reforço do nosso compromisso em responder, cada vez mais, às aspirações e prioridades das nossas Comunidades e uma responsabilidade acrescida de continuar a promover, preservar e divulgar a nossa identidade arquipelágica.

2

No ano passado, quais foram as maiores dificuldades que teve em relação ao que tinha projetado nos anos anteriores? O empenho e o trabalho que é realizado por todos é de tal dedicação e entrega que torna possível encontrar sempre novas formas e novos caminhos para solucionar eventuais dificuldades. Um permanente diálogo e a prossecução de objetivos comuns, convergentes com os interesses da Região Autónoma dos Açores e da sua Diáspora, têm possibilitado o reforço da nossa presença no mundo, através da afirmação da nossa identidade , pela

qual somos reconhecidos dentro e fora do arquipélago. A nossa ação tenta corresponder à dinâmica das nossas comunidades, que, ano após ano, se vai mudando e adaptando a novas formas de relacionamento e de presença nas múltiplas sociedades onde se encontram radicadas. A título de exemplo, no ano transato, promovemos o curso de formação “Açores 2017”, uma iniciativa nova que contribuiu para aprofundar e estreitar a interação entre os jovens da Diáspora, promovendo, em simultâneo, uma relação de familiaridade e de proximidade dos mesmos com a Região. Esta ação permitiu não apenas reforçar o importante papel que eles têm nas suas comunidades, relevando e valorizando a importância de pertencerem a instituições da Diáspora açoriana, mas também dotá-los de informações e ferramentas eficazes a uma maior abrangência na sua atuação na comunidade em prol dos Açores, nas mais variadas áreas.

3 Sabemos

do bom trabalho que a vossa Direção Regional tem feito acerca dos repatriados. Para aqueles que não estão a par do vosso trabalho, pode elaborar mais sobre o assunto? O acolhimento e integração de todos os açorianos na nossa sociedade, no caso concreto dos açorianos emigrados e dos regressados, quer voluntária, quer compulsivamente, são uma prioridade na nossa ação, uma vez que consideramos essencial que todos os que optem por um percurso migratório estejam plenamente inseridos e sejam atores participativos no desenvolvimento sociocultural nas comunidades onde se inserem. Atuamos em parceria, e em constante comunicação, com diversas instituições que desenvolvem trabalho ao nível da intervenção social nas comunidades açorianas dos Estados Unidos da América, do Canadá, das Bermudas e na Região Autónoma dos Açores, por forma a apoiar a integração dos emigrantes e dos regressados. A Região dispõe de duas redes de apoio à receção e integração dos cidadãos regressados compulsivamente: uma rede externa - Rede Internacional de Organizações de Serviço Social - que funciona em articulação com os Consulados de Portugal nos EUA e no Canadá e com diferentes organizações comunitárias sediadas nas áreas de residência dos cidadãos açorianos emigrados. Esta rede permite a receção de informação sobre o cidadão, desde a data da sua chegada, o ponto de entrada, a condição psicossocial, de entre outras, antes da sua vinda para território nacional. Estes dados permitem, por sua vez, ao Governo dos Açores acionar, com a devida antecedência, uma rede interna - Rede de Suporte Sócio Cultural à Mobilidade Humana – que dispõe de mecanismos internos de apoio adequados a cada indivíduo, junto das entidades responsáveis pelo seu acolhimento e integração na Região. Para cada cidadão é desenhado um plano próprio, com vista a minimizar a situação de deportação e a promover a sua integração na realidade insular açoriana. No entanto, compete, ainda, à Direção Regional das Comunidades assegurar, em todas as ilhas, o atendimento público a emigrantes, regressados, candidatos a emigrantes e imigrantes. Através de di-

versos técnicos, o nosso gabinete de atendimento ao público tem um universo de cerca de 13 mil utentes, que, entre 2006 e 2017, realizou mais de 140 mil atendimentos, em todo o arquipélago. Este apoio consiste em inúmeros serviços, destacando, de entre muitos, pedidos de pensões de vários países (EUA, Canadá, França, etc.), preenchimento de IRS canadiano e norte americano, pedidos e/ou renovações de passaportes, pedidos de cidadania /nacionalidade do Canadá e dos EUA, etc. Este serviço é assegurado diariamente no Faial, na Terceira e em São Miguel, sendo efetuadas deslocações frequentes ao Corvo, à Graciosa, a Santa Maria, aos diferentes concelhos de São Jorge, do Pico e das Flores e aos concelhos mais distantes de Ponta Delgada (Nordeste e Povoação).

4 Pensa que a diáspora açoriana tem compreendido bem o vosso trabalho? E os resultados?

O compromisso do Governo dos Açores em promover ações inclusivas de ambos os lados do Atlântico, numa dinâmica e perfeita simbiose de interesses análogos - os Açores, o seu povo e a sua Diáspora -, tem sido bem perspetivado em todas as comunidades. Esta anuência manifesta-se através do desenvolvimento de esforços e projetos comuns, que têm contribuído para a promoção de um diálogo que envolve, quer as comunidades de acolhimento , quer as instituições e açorianos que delas participam. Esta partilha tem sido verdadeiramente enriquecedora, concorrendo para a afirmação de um espírito fraterno e solidário entre os açorianos de todo o mundo. Esta colaboração, envolvência e entrega das comunidades de acolhimento representa, por si, uma aceitação e compreensão do nosso trabalho, que tem resultado em várias parcerias, com vista à promoção de um diálogo e de um intercâmbio entre culturas verdadeiramente enriquecedores. Temos notado um acréscimo de parcerias entre agentes dos Açores e das comunidades em algumas áreas, nomeadamente cultural, social, educacional, enumerando algumas, o que reflete tanto o dinamismo de ambos os lados, como a vontade de estreitar os laços que nos unem. É notório o empenho de inúmeras organizações na preservação da nossa identidade, na valorização do nosso povo e na afirmação da nossa região fora do espaço insular, numa maior abrangência de ação, quer em termos de territorialidade, quer

no que se refere a áreas de promoção. Esta dedicação, na sua maioria voluntária e movida pelo amor à sua terra de origem ou dos seus pais e avós, tem ajudado a diminuir a distância que nos separa e a manter viva a Açorianidade.

5 Quais são os projetos ou co-

projetos que a vossa Direção Regional tem em relação aos Estados Unidos? A Direção Regional das Comunidades mantém uma forte cooperação com muitas organizações culturais, sociais e de promoção da língua portuguesa nos Estados Unidos da América, apoiando os respetivos planos de atividades e concedendo, anualmente, incentivos financeiros a diversos projetos que se candidatam ao nosso sistema de apoios, assistindo-se a um aumento das candidaturas apresentadas. Mantemos, de igual modo, um profícuo e contínuo diálogo com bastantes entidades e agentes das nossas comunidades no sentido de acompanharmos as necessidades e as aspirações das mesmas. A nossa missão consiste em intensificar o relacionamento entre a Diáspora e os Açores, apostar na juventude como fator de continuidade do que foi concretizado até agora e diversificar áreas de intervenção no que toca à divulgação dos Açores no mundo, promovendo, cada vez mais, o conhecimento da vivacidade da nossa Diáspora no arquipélago.

6 O Tribuna ao vosso dispor

Gostaria de relevar o importante trabalho desenvolvido pelo Tribuna Portuguesa, que, desde 1979, tem valorizado a nossa comunidade nos Estados Unidos da América e, em particular, a do Estado da Califórnia. Neste jornal é espelhada, e bem, a força da nossa comunidade, que, através de um sem número de organizações, agentes e líderes, promove a nossa Região e o nosso País e dignifica o nosso Povo. A todo este imenso património humano, dos que atualmente estão à frente dos desígnios das nossas organizações àqueles que os antecederam e aos pioneiros fundadores, gostaria de expressar a minha sincera admiração e o meu mais profundo reconhecimento.


“Voz Dos Açores” EUCLIDES ÁLVARES 16

Comunidade

15 de Março de 2018

Liduíno Borba 1 março 2018

Euclides Álvares

nasceu em 1944 na freguesia de Santa Bárbara, ilha Terceira, Açores. Fez a sua humilde vida com a família até ingressar na tropa, quando tinha 20 anos de idade. Assentou praça em São Miguel, na Bateria, mas foi transferido para a Força Aérea, em Tancos, tendo sido mobilizado para a Base 9, em Luanda, Angola, onde foi escriturário na secretaria da polícia. Recebeu algumas condecorações pelo reconhecimento do seu trabalho. Regressou vivo e são à sua ilha Terceira. Em 1971 casou com a sua amada Gabriela Godinho, natural da freguesia dos Biscoitos e seguiram a sua vida de casal exemplar até aos dias que correm. Em 1973 emigraram para a Califórnia, cidade de Hilmar, onde viriam a nascer os seus dois filhos – David e Marco, o orgulho da continuação familiar – que já lhes deram 6 netos. Uma família unida, fraterna, solidária e feliz. Trabalhou muito, assim como a esposa, na conhecida “Fábrica das Galinhas”, até se reformarem com a idade legal. Euclides não emigrou para fugir à guerra, como tantos bem o fizeram, porque já a tinha cumprido, nem para fugir à fome porque isso nunca aconteceu em sua casa, embora não restasse muito. Emigrou para conseguir uma vida mais condigna da que tinha e valeu a pena. Mais um emigrante “amputado”: corpo na América e alma na Terceira. Como todo o emigrante, levou na bagagem toda a língua, tradições e culturas portuguesas, que numa primeira oportunidade são colocadas em lugar visível. Associações como o Açoriano Sport Club, a Casa dos Açores, a Fundação Portuguesa de Educação para o Centro da Califórnia, o programa de rádio a “Hora Católica”, a União Portuguesa do Estado da Califórnia, o VALER, a Igreja de Nossa Senhora da Assunção dos Portugueses, o Canal 49, angariação de fundos para diversas causas (que ultrapassam os quatro milhões de dólares), são organizações e ajudas que tiveram a sua participação como fundador ou membro diretivo. Muitas das atividades desenvolvidas pela nossa comunidade emigrada têm uma grande

contribuição direta ou indireta de Euclides Álvares. Tem contribuído com excelentes textos para variadas finalidades. Conta uma estória com muita graça. No dia 4 de março de 1978 – um sábado – foi para o ar o primeiro programa “VOZ DOS AÇORES”, realizado por Euclides Álvares, transmitido na estação de rádio KLBS, em Los Banos, então propriedade dos MacAdms, que mais tarde viria a ser comprada por Batista Vieira (São Jorge) e José Rosa (Faial) e, mais tarde ainda, só propriedade de Batista Vieira. Durante 23 anos este programa esteve no ar nesta estação. Foi seu “professor”, de toda esta aventura radiofónica, o saudoso pioneiro Frank Mendonça. Em novembro de 2001, após algumas conturbadas negociações, o programa passou para a concorrente KIGS, a emitir com os seus estúdios na cidade de Hanford, também no Vale de São Joaquim, com os seus anunciantes e patrocinadores e com muita audiência. A KIGS foi a primeira estação portuguesa a emitir através da internet, neste caso com a chegada dos novos programas. Em meados de 2012 o programa “VOZ DOS AÇORES” passou a ser transmitido via internet, através de www.radioportugalusa.com, que também absorveu outros programas independentes. Atualmente, o programa é transmitido também noutras estações da internet como radiolusalandia. com, radiotvartesia.com, vozdosacores.com, e rádio azores Canadá. Neste dia 4 de março de 2018 o programa “VOZ DOS AÇORES” comemora 40 anos ininterruptos de emissão, em língua portuguesa, agora para todo o mundo. Nesta data são emitidas 4 horas aos sábados e 2h15m aos domingos. Tem uma dezena e meia de colaboradores espalhados pelos Açores, Madeira, Lisboa, Brasil, Canadá, Angola e Macau. Todo o serviço de anúncios públicos relacionados com eventos de organizações portuguesas, igrejas, folclore, futebol e festas do divino espírito santo é feito gratuitamente. As entidades consulares, nacionais e regionais sempre tiveram os microfones abertos para a divulgação das suas atividades. Nestes 40 anos de emissão foram realizados 2080 programas semanais e entrevistados mais de 2500 convidados, ligados à nossa comunidade e governança portuguesas, como presidente da república, primeiro ministro, ministros, secretários de estado e regionais e muito outros membros. O Carnaval terceirense na Califórnia tem tido a sua divulgação, em direto, para além-fronteiras, por iniciativa e através do programa “VOZ DOS AÇORES”, ultimamente também via vídeo, com a colaboração de João Manuel Dias, responsável pelo Media Group, que coordena o site www. radioportugalusa.com. Tudo isto sempre e só EM PORTUGUÊS… Euclides Álvares é membro da Associação de Rádios de Inspiração Cristã, com sede em Lisboa. Toda esta atividade radiofónica, em prol da nossa comunidade, já o levaram a várias parte do mundo como (naturalmente) Açores, Continente Português, Canadá, Brasil, Macau, China e a outros Estados Americanos para participar em encontros, conferências, palestras e outros eventos. É um caso muito sério de entrega total a um programa e à língua portuguesa. Euclides Álvares e o seu programa “VOZ DOS AÇORES” têm recebido alguns reconhecimentos públicos, como: • Medalha de Mérito das Comunidades Portuguesas; • Placa de honra da Medalha de Mérito do Governo da República de Portugal; • Certificado de reconhecimento de serviço de utilidade pública pela Assembleia Legislativa do Estado da Califórnia (que se saiba o único até a esta data); • É membro da Confraria do Vinho Verdelho dos Biscoitos, único confrade na diáspora; • A Radio Voz dos Açores sediada em Santa Bárbara, (freguesia natal de Euclides Álvares) ilha Terceira, com coordenação de Ildeberto Rocha, integrada no Media Group, atribuiu este nome à rádio em homenagem ao fundador do programa “VOZ DOS AÇORES” – Euclides Álvares. Força. Só há um caminho: sempre em frente. Parabéns Euclides. VIVA A “VOZ DOS AÇORES”.

C

C

O c

P C s d s

V n

Q K r a r d c q c c m a r A r p p

Q a q e

C p t n


40

Entrevista

15 de Março de 2018

17

Anos de Rádio na California 1978 2018

CONVERSANDO COM O O que é que uma pessoa pensa depois de contabilizar 40 anos de Rádio?

Penso que esta caminhada foi muito curta e muito longa. Curta no tempo, porque os anos voaram, longa porque sacrifiquei todos os fins de semana destes 40 anos radiofónicos. Mas creio que valeu a pena. Honro-me de servir e nunca me servir da comunidade. Vamos falar no futuro. Como é que vês esta nova Rádio via internet?

Quando saí com os meus colegas da KLBS para a KIGS, o gerente Tony Vieira e a família Vieira, proprietários, prometeram-nos e cumpriram, passar também a transmitir via internete. Como se sabe, foi a primeira estação portuguesa que apostou nesta nova maneira de fazer rádio. Em poucos meses, eu e todos os meus colegas começamos a aperceber do número de pessoas que nos escutavam dentro e fora da California. Depois com a cobertura de diversas festas religiosas, culturais, como o Carnaval em directo, desde Turlock para todo o mundo, verificamos que havia muitas pessoas ligadas, além deste Estado, como na Costa Leste, Canadá, Açores, em especial, além da área de cobertura da KIGS. A rádio na internete, é o presente e o futuro. Tem menores custos, mais ouvintes, audição excelente e qualquer pessoa até com um telefone pode escutar a sua rádio preferida. Qual serão as qualidades oferecidas para alguém "sintonizar" os vossos programas, quando temos à nossa mercê cerca de 50 mil estações via internet?

Cada estação tem a sua linha. Umas dedicam-se ao desporto, outras à música, etc.. No meu caso, como produtor independente, a transmitir em 3 rádios na California, uma em Toronto e outra em Santa Bárbara -Terceira

(minha terra natal). A riqueza da rádio é ter vozes diferentes, com temas diversificados, intercalados com boa música que vá ao agrado dos ouvintes. Existirem milhares de rádios na internete, isso agrada-me, porque o ouvinte tem por onde escolher e vai sempre ouvir o que é mais do seu agrado. Penso que, no meu caso, estas rádios que transmita VOZ DOS AÇORES, tem uma equipa de amadores, com mais de 400 anos de experiência, que servem muito bem e gratuitamente, as nossas organizações e comunidade em geral. Reina aqui o o velho e nobre adagio popular “UNIÃO FAZ A FORÇA”. Pois crédito seja dado à Diáspora Média Grupo na pessoa do seu presidente João Manuel Dias.

munitárias, como foram feitas até agora?

Depois deste esforço todo, e compreendendo que as nossas idades já vão avançadas, o que é que o Euclides pensa do futuro?

A idade não perdoa, mas olha para o pai da comunicação social nestas paragens. O velhote, nosso comum amigo MIGUEL CANTO E CASTRO, com 86 anos às costas, com quase 60 anos de microfone, segue em frente. Tal como as festas comunitárias vão continuar e ainda bem, a rádio vai acompanhá-las e creio com gente mais culta e melhor preparada do que eu. Acredito, sim.

Foi o Charrua que disse, sobre o passado, presente e futuro, esta brilhante quadra: O passado é letra morta, O presente, é guerra e paz, O futuro, bate à porta, Sem dizer o que nos traz. Nunca se sabe, se quaquer dia aparece um jovem interessado nisto. No Hawaii existe um programa de rádio, que toca música portuguesa e o locutor apenas fala inglês. Cheguei mais a minha mulher à California no dia 13/Out/73. Ouvia comentar, nos primeiros anos, que as nossas festas estavam condenadas a acabar. Pois em vez de acabarem, aumentaram. Acredito que mesmo indo à bruxa, levando uma galinha preta, duas rãs e o rabo de um coelho, não vos saberia dar a resposta. Haverá alguém com "doença" bastante para continuar esta façanha de semanalmente encher o ar com actividades radiofónicas co-

A rádio contamina. E os cerca de dúzia e meia de colaboradores, cronistas e poetas amadores na sua maioria, a viverem na California e em outros países, que colaboram na VOZ DOS AÇORES, fazem-no porque gostam de comunicar com os ouvintes. Digo sempre: “A VERDADEIRA RÁDIO FAZ-SE POR AMOR, NÃO POR DINHEIRO”. Claro que é necessário publicidade para cobrir as inúmeras despesas que isto acarreta mensalmente. Um profundo agradecimento, a todos os anunciantes, alguns dos quais conosco, desde a primeira emissão. Realidade, realidade, qual é o futuro da rádio?

O Tribuna ao dispor

Assisti e colaborei no nascimento do Tribuna. Fui amigo pessoal do seu fundador e director João Brum, de saudosa memória. Mantive sempre bom relacionamento com os todos os directores e proprietários do Tribuna Portuguesa, assim como contigo e a tua estimada família. Espero que continuemos a fazer esta caminhada lado a lado, tendo sempre em mente, difundir o nosso património e o bom nome dos portugueses nestas paragens da costa do Pacífico, que escolhemos para viver com as nossas famílias e amigos, sem nunca nos esquecermos da terra-berço. Obrigado. Bem hajam.


18

Tauromaquia

15 de Março de 2018

Tourada à Corda

Quarto Tércio José Avila

josebavila@gmail.com As touradas à corda devem ter começado nos fins dos anos 60's e durante alguns anos ainda havia algumas. Depois houve uma certa retracção, mas nos ultimos anos voltaram em força. Hoje, podemos dizer que temos por ano cerca de 12 a 13 touradas à corda, que entusiasmam muita gente. Uma das histórias mais interessantes aconteceu há muitos anos quando Frank Borba deu uma tourada à corda em Mountain View em 1980 e ao chegar a casa em Escalon, já noite, reparou que faltava um toiro no camião. Foi avisada a polícia que nada descobriu. Passado duas semanas ou mais, uma senhora que tinha vacas nos cerrados no Altamont Pass descobriu que tinha entre as suas vacas um animal que nunca tinha visto. Recordo-me de me terem dito que foi muito dificil ir buscar o toiro àqueles terrenos. Outra historia, neste caso de abuso de confiança, aconteceu com um senhor que pediu para ajudar na corda, magoou-se e processou o ganadero, que durante muitos anos andou a pagar esse processo. Nunca gostámos de falar sobre as touradas à corda porque na realidade é um "jogo" perigoso para os nossos ganaderos e para os que gostam de brincar. Aqui não é a Terceira. Aqui processam-se pessoas de um minuto para o outro. Aqui podem-se estragar boas vontades ao sopro de um paso-doble. Amizades podem ser destruídas ao som de um telefonema de um advogado. Aqui não temos o Serviço Nacional de Saude, gratuito, como na Terceira. Aqui fia mais fino.

Fotos de Fernando Moniz


Manuel Cabral

Patrocinadores

15 de Março de 2018

PADARIA

POPULAR BAKERY

19

organista • vocalista

Manuel Cabral ORGANISTA • VOCALISTA

Grande selecção de productos de mercearia

baked fresh daily!

Papo-secos • Pão de trigo • Bolo do Pico • Pão de Milho • Biscoitos • Rosquilhas • Massa Sovada Bolos de Casamento, Baptisados, Aniversários

Qualidade é a nossa preocupação!

Os nossos productos estão à venda nos bons super mercados!

Telefone: 408.258.2800 1636 Alum Rock Ave., San Jose, CA 95116

Musica Bem Portuguesa e Inglesa Contacto: 562.924.3509

Sabado, 24 de Março 2018 Musica Bem Portuguesa

Contacto: 562.924.3509 Cavaleiros

Paulo Ferreira (Hilmar)

Manuel Sousa (Turlock)

espada • Rui Daniel (Portugal)

forcados

Amadores de Turlock George Martins Jr. (Cabo)

Amadores de Merced João Azevedo (Cabo)

6 novilhos 6 2 - Joe Souza, LLC (Stevinson) 2 - Açoreana (Stevinson) 2 - Joe Alves & João Silveira

Portões abrem às 5:00 P.M. Começa às 7:00 P.M.


20

Opinião

15 de Março de 2018

Cabelo branco

A

gora que estou reformado, e com velha forma ... resolvi virar-me à leitura de mil e um artigos do meu bom e já falecido pai, Franciso do Canto e Castro, publicados durante mais de seis décadas em vários jornais dos Acores, Continente e Brasil. Tenho uma cópia do jornal "A CIDADE" Angra do Heroismo, 22 de Novembro de 1925, com o seu primeiro artigo, "Á Memória de Sacadura Cabral", tinha ele 22 anos de idade. E desde então nunca mais parou de escrever sobre a beleza da sua terra, os Açores, e sobre os nossos escritores e poetas Açorianos, do Continente e Brasil onde viveu durante trinta anos. O que me impressionou mais foi a maneira gentil, simples e sincera como escrevia sobre esta ou aquela pessoa, apoiando e enaltecendo os seus dotes pessoais e profissionais, encorajando-os sempre positivamente. Eu, não sou jornalista nem poeta, mas seguindo o seu exemplo, gostaria de apresentar um seu amigo, Evaristo Dias da Silva, brasileiro, e o seu artigo, FOLHAS SOLTAS:

Miguel Canto e Castro radiocastro@yahoo.com

"Acabo de receber, de uma amiga de infância, uma carta melancólica em que me dá notícia do aparecimento do seu primeiro cabelo branco. Esta querida amiga, que consegue reunir, a um espírito brilhante, uma grande e profunda cultura, não pode ao escrever-me, disfarçar o seu grande drama. A razão do pânico justifica-se. É que a mulher, mesmo culta, mesmo inteligente, mesmo superior, entende, justamente porque se não esquece de que é mulher, que a beleza só é possível no apogeu da vida. Ora isto é um engano. Há claridades outonais muito mais belas do que alvoradas primaveris. O sol, na sua trajetória para o poente, tem mais ouro do que o sol da manhã. Uma mulher não deve sentir-se irremediávelmente infeliz, diante do seu primeiro cabelo branco! É um acidente que não indica o começo da derrocada, mas o princípio da maturação deliciosa. Ao esplendor que nos fere os olhos, sucede sempre a luz indecisa, mas tão doce, do entardecer. A vida seria uma coisa terrível se nos mantivesse, eternamente, no auge da força! E quem suportaria o dia sem a ideia da noite? A lei dos contrastes é o grande segredo da felicidade humana! Lembram-se daquele conto encantador do nosso Eça de Queiroz, "A Perfeição", em que Ulisses, prisioneiro do Calipso, se sente, dentro da Ilha Ideal de Ogigia, o mais infeliz dos homens? E o gemido que solta, como um grito -- "O' Deusa imortal, eu morro com saudades da morte!"-- não

SUCCULENTS DELIGHT

F

rom cymbidiums to succulents is the direction my garden is going as of now. I have never been much of a gardener, but it feels like I have a newfound hobby—growing succulents. Here on the Monterey Peninsula  you can find the most interesting gardens, full of different kinds of succulents. I think they are delightful and beautiful. Most importantly, they grow so easily you don't even have to have a green thumb. Several years ago my late brother-in-law, Gabriel, came to our house one day saying he had some orchids to share and insisted on planting them for us. He was an expert with plants and flowers, and his garden always looked like something out of a magazine. We started out with three pots of the cymbidiums. At first we would get only a few blooms, and I was not impressed by them. However, my husband, who would rather grow a bush or a tree, started respecting the orchids and transferring them into other pots. Before long we had several pots around the house with several blooms in each. Sometimes I would pick them by the armful and take them with me to the bank where I worked and pass them out to special customers. At some point I become known as the “Orchid Lady.”  Ten years later I still walk downtown every now and then and hear “Oh, I remember you. You’re the orchid lady.” People really in-

Cantinho do Miguel

é, como á primeira vista parece, uma figura de retórica. É a saturação atingida por aqueles que, só pelos contrastes, podem diferenciar o bem do mal, reconhecendo que nenhum valor teria um céu azul, se o mesmo céu, antes ou depois, não se apresentasse plúmbeo, feio e agreste. Não minha querida amiga, não deve olhar com alarme, para o seu primeiro cabelo branco. Ele ficará, simplesmente, como um fio de prata, entre os seus cabelos pretos. Deixe falar as suas amigas mais novas que, por certo, a aconselharão a pintar o intruso, não as atenda, nem lhes faça a vontade. Encare a vida com grandeza, e prepare-se para transpor o limiar da nova estação. Se a Primavera é linda pela sua sinfonia floral, o Outono não o é menos, com o perfume intenso dos seu frutos. E não pense que o amor foge com a mocidade! Não foge de modo nenhum. O amor não vive de aparências. Vive do fogo interior e do sincronismo de duas almas. O resto nao é amor. É fogo de palha, partida de buraco, ou competição esportiva. Se posso dar-lhe um conselho querida amiga : aceite, com ternura, o seu primeiro cabelo branco!

Memórias Judy Avila judyravila@gmail.com tulips, maybe zinnias. This was fun, but short-lived, because as soon as the deer come by they eat every flower in sight. I was forever replacing flowers and complaining. One day my sister Dora suggested I grow succulents in my little garden. I didn’t even know exactly what she meant, but I listened while she explained how easy they grow and that she even had a friend that wanted to thin his out and could share some with me. The next time she showed up, she had a box full of different plants of various kinds all in the succulent family. The beauty of them is that you just stick these twigs in the dirt even without roots and they grow. Last year we attended a show in Castroville called “SUCCULENT EXTRAVAGANZA.”  I can honestly say that it was amazing and breathtaking. We had never seen so many kinds of these beautiful species. They seem addicting to me! I wanted to buy dozens of them, but I had to be discreet and smart so as not to spend a ton of money. I just love my succulent garden, thanks to my sister who is always there for me.

sisted on finding out what I did to grow such beautiful orchids, but literally I didn’t do anything. I believe they just liked the spot they were in and the sun and water they received.

In more recent years we had a new fence put in along the house and I told my husband that I would like a little “Garden of Eden” along the fence where I could plant some spring flowers like Gerbera daisies,


15 de Março de 2018

Patrocinadores

21

Sanders Meat Service & Shop

We are your Steak and Tri-trip specialists, and we are well known for our Peppersticks and Game Processing Sanders Meat Service is a dependable meat shop that offers quality USDA meats and cuts to the Turlock, CA area. We are owned and operated by Helio & Angela Couto, and we proudly serve all of the Northern and Central California. We cater to all occasions, and our game season is during hunting season (July–December).

Angela & Helio Couto USDA

Certifie M E AT S &

d

CUT S

• Vacuum pack • Double wrap • Cut to specification • Custom butchering • Curing and smoking • Peppersticks and jerky • USDA Certified meats for sale at flea markets

1220 South Avenue • Turlock, CA 95380 • Phone: 209-634-7525 www.SandersMeatService.com

We will be available after hours up until 9:00 PM. Please call for appointment. We offer shipping of Linguiça & Peppersticks with a 10 lb minimum.


22

Festas

15 de Março de 2018

I • 15 de Março de 2018

Suplemento da Tribuna Portuguesa

Festas Schedule 2018 From March through June

Courtesy of PFSA • Phone: 510-483-7676 • www.mypfsa.org • email: mypfsa@mypfsa.org

BRYTE/WEST SACRAMENTO, CA

Mailing: P.O. Box 885, Bryte/West Sacramento, CA 95605 Phone No. 916-421-5768 Dennis Freitas www.SanPedroAssociation.org email: lfreitas@calcompserv.com SATURDAY, MARCH 24, 2018 Festa de San Pedro - Bryte/West Sacramento, CA Hall/Park: 708 North Hobson Avenue, Bryte/West Sacramento, CA 95605 1:00 p.m. Easter Party for all SPA members, families and guests. Easter Egg Hunt, Raffle and Lunch. The annual SPA membership meeting will be held immediately after lunch. Voting for new directors will be conducted as well as a discussion about the 97th Festa in June. Park opens and closes at 7:00 p.m. Procession; presentation in the São Pedro Capela with the queens and s statues followed by Carne do Espeto; Bingo and Kids’ game, St. Peter’s Door Contest, etc. NOTE: As San Pedro Association is a Maderian membership.

ESCALON, CA

Azores Band of Escalon, Hall: 1436 First Street, Escalon, CA 95320 Contact: Paul Costa, President (209) 502-0763 www.azoresbandofescalon.com SATURDAY, MARCH 24, 2018 5:00 p.m. Mass @ St. Patrick’s Church in Escalon 6:00 p.m. Concert by Azores Band of Escalon 7:00 p.m. Fish Dinner (paid) 9:00 p.m. Dance until 12:00 a.m. Music “To Be Announced” SUNDAY, MARCH 25, 2018 12:00 p.m. Doors Open 1:00 p.m. Concerts by the Invited Bands Trip Lunch for everyone present

SANTA CLARA, CA

Nossa Senhora de Fatima, Santa Clara, CA, Hall: 1375 Lafayette Street, Santa Clara, CA 95050 | Phone No. Erica Toste 408-838-7836 www.facebook.com/NSFsantaclara SUNDAY, APRIL 08, 2018 1:00 p.m. Doors Open 2:00 p.m. Card Party Filhós for sale in the early morning. We take Preorders!

CHOWCHILLA, CA

Sociedade Flor Açoriana, Chowchilla, CA Hall: 800 S. 3rd Street, Chowchilla, CA 93610 | Phone No. 559-665-4961 MONDAY, APRIL 02, 2018 - FRIDAY 04/06/2018 7:00 p.m. Rosary SATURDAY, APRIL 07, 2018 9:00 a.m. Distribution of sopas until 12:00 p.m. 6:00 p.m. Praying of the Rosary at the Chapel 7:00 p.m. Sopas will be served 9:00 p.m. Dance with music by “Chico Avila” 9:30 p.m. Presentation of Queens, side maids and Committee SUNDAY, APRIL 08, 2018 8:30 a.m. Formation of the procession 10:00 a.m. Mass celebrated at Saint. Columba 213 Orange Avenue, Chowchilla. Music by Dena Sousa and Elizabeth Mendonca 11:00 a.m. Procession will return to chapel 12:00 p.m. Sopas will be served to those present 2:00 p.m. Auction 6:00 p.m. Praying of the Rosary in the Chapel 7:00 p.m. Sopas will be served to those present 8:00 p.m. Dance with music by “Chico Avila” 9:00 p.m. Presentation of Queens and side maids

MOUNTAIN VIEW, CA

I.F.E.S. Portuguese Association, Mt. View, CA Hall: 432 Sterling Road, Mt. View, CA 94043 Contact: 408-592-9185 | Email: info@ifessociety.org Facebook: www.facebook.com/ifessociety | www.ifessociety.org SATURDAY, APRIL 14, 2018 6:00 p.m. Queens Dinner (paid) Dance with music by Chico Avila

DOS PALOS, CA

Dos Palos D.E.S. Association, Dos Palos, CA, Hall: 1357 Elgin Avenue, Dos Palos, CA 93620, Mail: P.O. Box 293. Dos Palos, CA 93620 Phone No. 209-392-3375 Bob Bertão | Email: bobormaria@gmail.com SATURDAY, APRIL 21, 2018 11:00 a.m. Bode de Leite followed by cattle auction SUNDAY, APRIL 22, 2018 10:00 a.m. Parade forms at DES Hall 11:00 a.m. Mass at Sacred Heart Church Sopas served at hall following return from church. Auction after lunch. Sopas serving in the evening followed by dance with presentation of Queens and Committee.

PETALUMA, CA

Senhor Santo Cristo Society, Petaluma, CA, Hall: 4649 Bodega Ave., Petaluma, CA, 94952 | (707) 236-1219 or (707) 953-1984 Mailing: P.O. Box 750937, Petaluma, CA 94975-0937 SATURDAY, APRIL 21, 2018 6:00 p.m. Novena. Mass, followed by Candlelight Procession followed by refreshments and Dance TUESDAY, MAY 22, 2018 10:30 a.m. Mass at St. Vincent’s Church, Petaluma 11:30 a.m. Senhor Santo Cristo Procession 2:00 p.m. Lunch 4:00 p.m. Filarmonica Concerts 6:00 p.m. Dance

BUHACH, CA

Senhor Santo Cristo, Buhach, CA Buhach Hall: 2889 Buhach Road, Merced, CA FRIDAY, APRIL 27, 2018 6:30 p.m. Mass, followed by Folklore performance SATURDAY, APRIL 28, 2018 10:00 a.m. Formation of the parade 11:00 a.m. Bodo de Leite 1:00 p.m. Lunch, followed by Auction 5:00 to 6:00 p.m Confessions 6:00 p.m. Mass at Immaculate Conception Church 7:00 p.m. Procession, Rosary, followed by Caçoila dinner 9:00 p.m. Dance and Presentation of Queens SUNDAY, APRIL 29, 2018 10:00 a.m. Festa do Senhor Santo Cristo, Procession 11:00 a.m. Mass; Procession following return of Parade, Lunch of “Sopas” will be served 2:00 p.m. Auction 6:30 p.m. Rosary 7:00 p.m. Sopas will be served again 8:00 p.m. Dance 9:30 p.m. Presentation of Board of Directors and Queens

UNION CITY, CA

S.D.E.S. of Alvarado, Union City, CA, Hall: 30846 Watkins Street, Union City, CA 94587 | Phone No. 510- 489-1837 SATURDAY, APRIL 28, 2018 8:00 p.m. Presentation of Queens and Dance SUNDAY, APRIL 29, 2018 12:00 p.m. Mass at the Hall. Festa Parade forms; Auction and entertainment following the mass sopas will be served during the afternoon there will be auction; bazaar and other activities

OAKDALE, CA

I.M.D.E.S. Oakdale, CA, 5748 Albers Road, Oakdale Contact for more information 510-206-3155 SATURDAY, APRIL 28, 2018 10:00 a.m. Various Social Activities SUNDAY, APRIL 29, 2018 10:00 a.m. I.M.D.E.S. Festa do Espirito Santo, Sopas & Auction

OAKDALE, CA

F.E.S. Oakdale, CA, Hall: 140 North Lee Avenue, Oakdale, CA 95361 Mailing: P.O. Box 709, Oakdale, CA 95361 SATURDAY, MAY 05, 2018 7:00 p.m. to 9:00 p.m. Presentation of Queens 9:00 p.m. Dance until 12:00 a.m. Music by “Sem Duvida”


Festas

15 de Março de 2018

23

Festas Schedule 2018 • II ANTIOCH, CA

Our Lady of Fatima, Antioch, CA, Hall: 1313 A Street, Antioch (Hall behind Holy Rosary Church) | Phone No. (925) 757-4476 THURSDAY, MAY 03, 2018 7:00 p.m. Recitation of the Rosary FRIDAY, MAY 04, 2018 7:00 p.m. Rosary 7:30 p.m. Mass at Holy Rosary Church SATURDAY, MAY 05, 2018 7:00 p.m. Mass: Holly Rosary Church followed by Candlelight Procession Refreshments following in school hall SUNDAY, MAY 06, 2018 9:00 a.m. Forming of the Parade 10:30 a.m. Mass at Holy Rosary Church 1:00 p.m. Lunch and Auction Performance by “Grupo Folclórico Alma Ribatejana”

SAN LEANDRO, CA

I.D.E.S. of Alvarado Street, San Leandro, CA, Hall: 790 Antonio Street, P.O. Box 781, San Leandro 94577 | Phone No. 510-483-2322 / 510-385-2847 President: Joe Mendes SATURDAY, MAY 05, 2018 3:00 p.m. Official opening of the Festa with Holy Mass and blessing of the meat. Presentation of the Queens and their Court SUNDAY, MAY 06, 2018 10:30 a.m. Mass at the hall, followed by parade Lunch will be served, followed by Auction

SOUTH SAN FRANCISCO, CA

I.F.D.E.S. Gilroy, CA, Hall: 250 Old Gilroy Road and Monterey Streets Phone No. 408-842-4389 SATURDAY, MAY 05, 2018 9:00 p.m. Queen’s Presentation and Dance with Chico Avila SUNDAY, MAY 06, 2018 9:00 a.m. Parade Formation 11:00 a.m. Mass at St. Mary’s followed Festa Celebration; Sopas; Bazaar & Auction

Senhor Santo Cristo, South San Francisco, CA, Hall: 41 Oak Avenue, South San Francisco, CA 94080 | Phone No. 650-872-9618 or 650.873.6124 SATURDAY, MAY 05, 2018 6:00 p.m. Rosary 7:00 p.m. Hors d’oeuvres and sweets 8:00 p.m. Confirmation of the Queens and Celebration, Dance SUNDAY, MAY 06, 2018 8:45 a.m. Parade forms at Santo Cristo Hall, located at 41 Oak Avenue, South San Francisco 9:00 a.m. Parade begins, proceed to Mater Dolorosa Church 10:00 a.m. Mass at Mater Dolorosa Church 11:15 a.m. Parade processes back to Santo Cristo Hall 12:30 p.m. Lunch is served 2:30 p.m. Auction; dancing and more!

HILMAR, CA

WATSONVILLE, CA

GILROY, CA

Casa dos Açores Festa do Espirito Santo, Hilmar, CA Hall: 8385 Lander Avenue | Phone No. 209-669-6246 MONDAY, APRIL 30, 2018 - FRIDAY, MAY 04, 2018 7:00 p.m. Prayer of the Rosary at the Casa dos Açores FRIDAY, MAY 04, 2018 7:00 p.m. Prayer of the Rosary at the Holy Rosary Church in Hilmar 8:00 p.m. Fado Night SATURDAY, MAY 05, 2018 11:00 a.m. Bodo de Leite: 1:00 p.m. Blessing of the animals and auction 1:30 p.m. Blessing of the gifts given in honor of the Holy Ghost 3:00 p.m. Portuguese style roasted meat (caçoila) will be served 4:00 p.m. Auction inside the hall, bazaar, restaurant and bar ongoing throughout the afternoon 7:00 p.m. Prayer of the Rosary at the Holy Rosary Church in Hilmar 8:30 p.m. Dance SUNDAY, MAY 06, 2018 10:30 a.m. Salute to the Casa dos Açores by the bands 11:00 a.m. Procession from Casa dos Açores to the Hilmar church 12:00 p.m. Mass Procession to follow through the neighborhood of Hilmar to the Portuguese Hall 1:30 p.m. Lunch of “Sopas” and beef will be served to all present 4:00 p.m. Auction inside the hall; Bazaar, restaurant and bar ongoing throughout the afternoon Cantoria

LINCOLN, PLACER COUNTY CA

A.P.D.E.S. Espirito Santo, Lincoln, Placer County, CA Mailing Address: P.O. Box 1123, Lincoln, Ca 95648 65 Mc Bean Park Drive, Lincoln, CA SATURDAY, MAY 05, 2018 8:00 p.m. Procession of the Past & New Queens and the Espirito Santo to the park chapel as the Crown will be placed in the Chapel for public viewing. 9:00 p.m. Formal Announcement of the Past & New Queens with their court, along with the APDES Directors and Officers will take place inside the McBean Park PavilionDancing with live music will take place in the McBean Park Pavilion until 12:00 a.m. SUNDAY, MAY 06, 2018 10:00 a.m. Mass @ St. Joseph Catholic Church 280 Oaktree Lane, Lincoln Crowning of the New Incoming Queens will take place at end of Church (bus shuttle will be provided from McBean Park to the Church before and after mass) 11:00 a.m. Sopas served until 3:00 p.m. 11:30 a.m. to 12:30 p.m. Annual Festa Parade of Queens with Crowns and visiting societies through downtown Lincoln. Release of the Dove and playing of the Hymns 1:00 p.m. Auction until 5:00 p.m. 6:00 p.m. Dancing to live music. Booths with traditional linguiça sandwiches; games; food and other activities int the afternoon THURSDAY, MAY 03, 2018 - SUNDAY, MAY 6, 2018 Carnival Rides and Games at the Park

RIVERBANK, CA

St. Frances of Rome Catholic Church, 2827 Topeka Street, Riverbank, CA Phone: 209-869-2996 THURSDAY, MAY 03, 2018 6:30 p.m. Novena FRIDAY, MAY 04, 2018 - SATURDAY, MAY 05, 2018 7:30 p.m. Mass followed by Candle light procession SUNDAY, MAY 06, 2018 10:30 a.m. Mass followed by procession followed by Lunch and Auction

Our Lady of Fatima, Watsonville, CA, Hall: 124 Atkinson Lane Phone No. 831-728-4789 | Email: cpnsfwatsonville@yahoo.com THURSDAY, MAY 03, 2018 Rosary Begins SATURDAY, MAY 05, 2018 7:00 p.m. Mass followed by Candlelight Procession SUNDAY, MAY 06, 2018 9:00 a.m. Procession; Mass; Luncheon followed by Auction and dance with Chico Avila

ARTESIA, CA

Nossa Senhora de Fatima, Artesia, CA, D.E.S. Hall: 11903 Ashworth, Artesia | Phone No. 562-865-4693 or 562-865-6283 SATURDAY, MAY 12, 2018 8:00 p.m. Candlelight Procession, followed by Dance SUNDAY, MAY 13, 2018 Mass and Procession from Holy Family Church, followed by sopas at D.E.S. Hall

CROWS LANDING, CA

Crows Landing Pentecost Association, Crows Landing, CA C.P.C.A. Hall: 4th & G Street | Mailing: P.O. Box 1180, Hilmar, CA Phone No. 209-837-4484 WEDNESDAY, MAY 09, 2018 - FRIDAY, MAY 11, 2018 7:00 p.m. Rosary at the Hall Chapel FRIDAY, MAY 11, 2018 8:00 p.m. Fados SATURDAY, MAY 12, 2018 10:30 a.m. Bodo de Leite; Folklore dance; Lunch; Auction, Rosary and dance with Chico Avila. Presentation of Queens, Maids and Officers SUNDAY, MAY 13, 2018 10:00 a.m. Crows Landing Festa Parade; Mass; sopas; auction, sopas served for dinner. Dance and presentation of Queens and dance with Chico Avila

ELK GROVE, CA

PFSA Council No. 118 Festa do Senhor Espirito Santo, Elk Grove, CA Hall: 10427 E. Stockton Blvd., Elk Grove, CA 95624 Phone 916-533-7347 Website: Elk Grove PFSA or SES Portuguese Hall 118 SUNDAY MAY 6, 2018 - WEDNESDAY, MAY 09, 2018 7:00 p.m. Praying of the Rosary |Oração do Rosário THURSDAY, MAY 10, 2018 7:00 p.m. Mass for the sick | Missa dos Doentes FRIDAY, MAY 11, 2018 7:00 p.m. Praying of the Rosary | Oração do Rosário 9:00 p.m. Night of Fados | Noite de Fados SATURDAY, MAY 12, 2018 7:00 p.m. Praying of the Rosary |Oração do Rosário 7:30 p.m. Caçoila Dinner | Jantar de Caçoila 9:00 p.m. Dance and Presentation of the Festa Committee & Queens SUNDAY, MAY 13, 2018 2:00 p.m. Portuguese Mass | Missa em Português Live Auction | Leilão 8:00 p.m. Sopas Dinner | Jantar de Sopas


24

Festas

15 de Março de 2018

III • Festas Schedule 2018 HAYWARD, CA

Nossa Senhora de Fátima, Hayward, CA, Hall: Bom Jesus Milagroso 21160 Ocean View Drive | Phone No. 510-581-4034 SATURDAY, MAY 12, 2018 4:00 p.m. Doors open 8:00 p.m. Dance until Midnight SUNDAY, MAY 13, 2018 12:00 p.m. Doors open. Followed by Afternoon Mass 3:00 p.m. Auction until 6:00 p.m. 6:00 p.m. Dance until 10:00 p.m.

Suplemento da Tribuna Portuguesa 1:30 p.m. Auctioning of donations 7:00 p.m. Traditional sopas & meat will be served to all 9:00 p.m. Music and Dance 9:30 p.m. Presentation of the Queens and Officers

BUHL, IDAHO

Festa do Espirito Santo, Kerman, CA, S.B.F. Portuguese Hall: 14910 West C Street | Phone No. 559-213-4244 or Jerry Miguel 559-288-9609 SUNDAY, MAY 13, 2018 10:00 a.m. Parade Gathering 11:00 a.m. Mass @ St. Patrick’s Church Sopas served for lunch / Sopas served for dinner 8:00 p.m. Grand March begins. Dance

I.D.E.S. Festa do Espirito Santo, Buhl, ID, Hall: 1631 Poplar Street, Buhl MONDAY, MAY 14, 2018 - FRIDAY, MAY 18, 2018 7:00 p.m. Rosary prayed nightly, refreshment served after rosary SATURDAY, MAY 19, 2018 2:30 p.m. Blessing of gifts and cattle 3:00 p.m. Cattle auction 6:15 p.m. Rosary 7:00 p.m. Dinner. Grand March followed by dancing SUNDAY, MAY 20, 2018 11:15 a.m. Parade starts 12:00 p.m. Mass & crowning 1:00 p.m. Traditional sopas lunch, auction and bazaar 7:00 p.m. Dinner followed by Dance

MOUNTAIN VIEW, CA

CHICO, CA

KERMAN, CA

I.F.E.S. Portuguese Association, Mt. View, CA, Hall: 432 Sterling Road, Mt. View, CA 94043 | Contact: (650) 967-2759 | Email: info@ifessociety.org Facebook: www.facebook.com/ifessociety | Website: www.ifessociety.org SUNDAY, MAY 06, 2018 - FRIDAY MAY 11, 2018 7:00 p.m. Rosary SATURDAY, MAY 12, 2018 6:00 p.m. Rosary, Dance, presentation of the Board of Directors & Queens SUNDAY, MAY 13, 2018 8:30 a.m. Parade forms departing at 9:00 a.m. 10:00 a.m. Mass at St. Joseph’s Catholic Church; Sopas immediately following the conclusion of the parade, followed by Concerts by the Bands, Auctions

NOVATO, CA

I.D.E.S. I. Portuguese Hall, Hall: 901 Sweetser Avenue, Novato Phone No. 415-883-7354 (secretary) SUNDAY, MAY 13, 2018 9:00 a.m. Parade leaves the Hall 10:00 a.m. Mass at Our Lady of Loreto Church 11:00 a.m. Sopas e Carne after parade returns; followed by Band Concerts and dance 6:00 p.m. Dinner followed by Dance with Manuel Jacinto until 10:00 p.m.

PESCADERO, CA

I.D.E.S. Festa do Espirito Santo, Chico, CA Hall: 1401 Broadway, Chico (14th & Broadway) SUNDAY, MAY 20, 2018 10:00 a.m. Mass at St. John’s Church, 435 Chestnut & Mass followed by Lunch

FRESNO, CA

C.P.D.E.S. Fresno/Eaton CA, Hall: 172 W. Jefferson Avenue, Fresno, CA Phone No. 559-486-6060 FRIDAY, MAY 18, 2018 5:00 p.m. Blessing of the Meat at the Hall SATURDAY, MAY 19, 2018 Rosary at the hall followed by dance SUNDAY, MAY 20, 2018 11:00 a.m. Parade begins at Washington Union High School (corner of Lincoln and Elm) Mass at St. Jude Catholic Church (208 W. Jefferson, Fresno) after mass, parade will return to the hall where a lunch of “sopas” followed by auction 7:00 p.m. Dinner 8:30 p.m. Grand March 8:00 p.m. Dance until midnight

HALF MOON BAY, CA

Nossa Senhora de Fatima, San Jose, CA, Five Wounds Church, 1375 East Santa Clara St. San Jose | Church Phone No. 408-292-2193 SATURDAY, MAY 12, 2018 Fundraiser Dinner after 5:30 Mass and Candlelights SUNDAY, MAY 13, 2018 10:30 a.m. Mass & Procession & Dinner

I.D.E.S. Society Inc., Half Moon Bay, CA, Hall: 735 Main Street, Half Moon Bay | Phone No. 650-726-27291 MONDAY, MAY 14, 2018 - THURSDAY, MAY 17, 2018 7:00 p.m. Rosary at the Hall FRIDAY, MAY 18, 2018 7:00 p.m. Rosary; followed by Performances by Portuguese Dancers SUNDAY, MAY 19, 2018 6:00 p.m. Parade to Church for Rosary, followed by Dinner 9:00 p.m. Dance and Presentation of Queens SUNDAY, MAY 20, 2018 9:00 a.m. Parade to Our Lady of Pillar Church I.D.E.S. Celebration 11:15 a.m. Mass followed by Lunch and auction MONDAY, MAY 21, 2018 Auction

STRATFORD, CA

HANFORD, CA

Pescadero I.D.E.S. Society, Hall: Stage Road, Pescadero SATURDAY, MAY 12, 2018 7:00 p.m. Rosary; followed by activities at the hall SUNDAY, MAY 13, 2018 10:00 a.m. Parade; Sopas & Auction

SAN JOSE, CA

I.D.E.S. OF STRATFORD, CA, Hall: I.D.E.S. 19617 Empire, Stratford, CA 93266 | Phone No. 559-947-3088 THURSDAY, MAY 03, 2018 7:00 p.m. Rosary at the Hall until Saturday May 12, 2018 SUNDAY, MAY 13, 2018 10:30 a.m. Parade formation at the hall in route to church 11:00 a.m. Mass at St. Joseph’s Church 11:00 a.m. First serving of Sopas. Sopas will be served again following return of Parade: followed by Auction 6:00 p.m. Sopas will be served for dinner 7:00 p.m. Dance and Grand March

BUHACH, CA

Buhach Pentecost, Inc., Buhach, CA, Hall: 2889 Buhach Road, Merced, CA Phone No. 209-358-9801 WEDNESDAY, MAY 16, 2018 - FRIDAY MAY 18, 2018 7:00 p.m. Praying of the rosary in the chapel SATURDAY, MAY 19, 2018 11:00 a.m. Bodo de Leite, blessing of the animals, sweetbread, milk, and cheese will be served to all attending 7:00 p.m. Praying of the rosary in the chapel 7:30 p.m. Dinner will be served to all attending 9:00 p.m. Music and Dance 9:30 p.m. Presentation of the Queens and Officers SUNDAY, MAY 20, 2018 10:00 a.m. Formation of the parade at Buhach Hall to Immaculate Conception Church 11:00 a.m. Mass at Immaculate Conception Church. Traditional sopas & meat will be served

Festa do Espirito Santo, Hanford, CA, Hanford Fraternal Hall: 1015 N. 10th Avenue, Hanford, CA 93230, Mailing: P.O. Box 272, Hanford, CA 93232 | Contact: Walter Mendes 559-805-3312 Email: wsmendes@aol.com | www.facebook.com/hanfordcelebration MONDAY, MAY 14, 2018 - FRIDAY, MAY 18, 2018 6:00 p.m. Rosary Nightly until May 18, 2018 SATURDAY, MAY 19, 2018 7:00 p.m. Rosary 8:00 p.m. Traditional Cantoria SUNDAY, MAY 20, 2018 9:30 a.m. Parade assembling in front of Fraternal Hall 11:15 a.m. Mass at St. Brigid Catholic Church following mass parade will return to hall, “sopas” will be served 8:00 p.m. Dance until 12:00 a.m.

HOLLISTER, CA

S.D.E.S. Portuguese Lodge, Hollister, CA, Hall: 695 Seventh Street, Hollister, CA 95023 | Phone No. (831) 637-2827 SATURDAY, MAY 19, 2018 9:00 p.m. Presentation of Queens & Dance with “Sem Duvida” SUNDAY, MAY 20, 2018 9:00 a.m. Parade; Mass and Sopas

Courtesy of www.mypfsa.org


Festas

15 de Março de 2018

25

Festas Schedule 2018 • IV LIVERMORE, CA

I.D.E.S.L. P. Livermore/Pleasanton, CA, St. Michael’s Church 458 Maple Street, Livermore | Hall: 326 Maple Street, Livermore Phone No. 925-216-3953 MONDAY, APRIL 02, 2018 Triduum Starts and runs for 6 weeks, please contact 925-216-3953 for time and locations SATURDAY, MAY 19, 2018 6:00 p.m. Members Only Dinner SUNDAY, MAY 20, 2018 10:30 a.m. Procession to church followed by 11:00 a.m. Mass; procession back to the hall; followed by sopas

MENTONE, CA

P.A. Club, Mentone, CA, Hall: 1133 Crafton Ave. | Phone No. 909-794-9050 SATURDAY, MAY 19, 2018 6:00 p.m. Rosary followed by Music and Social SUNDAY, MAY 20, 2018 Mass with crowning of the Queens at Holy Name of Jesus Church 115 Olive Avenue, Redlands followed by parade at the Portuguese American Club Hall. Please call for actual time of events

MODESTO, CA

SUNDAY, MAY 20, 2018 9:00 a.m. Parade Formation at the Hall to Saint Agnes Church 10:00 a.m. Parade departs to Saint Agnes Church 11:00 a.m. Solemn Mass at Saint Agnes Church 12:00 p.m. Parade departs to Hall, followed by Lunch and concerts 7:00 p.m. Queens Ball with presentation of Royal Court followed by Dance

SANTA MARIA, CA

D.E.S. CLUB Santa Maria, CA, Hall: 615 W. Chapel Street, Santa Maria, CA 93456 | Phone No. 805-922-3538 (Odette Pinheiro) desclubofsmv@gmail.com | www.thedesclub.com SATURDAY, MAY 19, 2018 Recitation of Holy Rosary; Presentation of the Queens; Refreshments and Dance SUNDAY, MAY 20, 2018 Parade Leaves DES Hall; Mass at St. John Newman Church

SAUSALITO, CA

I.D.E.S.S.T. Sausalito, CA, Hall: 511 Caladonia Street SUNDAY, MAY 20, 2018 10:30 a.m. Parade; Mass; Lunch, Band Concert

VALLEJO, CA

M.P.P.A. Festa do Espirito Santo, Modesto, CA, Hall: 432-6th Street, Modesto Phone No. 209-538-3389 SATURDAY, MAY 19, 2018 Bodo de Leite, followed by Lunch; dance; Presentation of Queens and Committee SUNDAY, MAY 20, 2018 8:30 a.m. Parade; Mass; sopas; auction with sopas 6:00 p.m. Dance

S.C.D.E.S. Vallejo, CA, Hall: 242 Contra Costa Street, P.O. Box 4207 Vallejo, CA 94590 | Phone No. 707-554-6809 SUNDAY, MAY 20, 2018 10:00 a.m. Parade formation at the hall 11:30 a.m. Mass at St. Basil’s Church 1225 Tuolumne Street, Kerman. After mass parade will return to hall 1:00 p.m. Lunch of Traditional “Sopas” will be served

NEWMAN, CA

Festa do Espirito Santo, Antioch, CA, PFSA Council #23 Hall 111 W. 10th Street, Antioch | Phone No. 925-754-2407 MONDAY, MAY 21, 2018 - SATURDAY, MAY 26, 2018 7:00 p.m. Rosary to Friday 05/26/2018 SATURDAY, MAY 26, 2018 6:00 p.m. Rosary; followed by dinner of sopas SUNDAY, MAY 27, 2018 11:00 a.m. Mass; Sopas; Auction and Concert by Filarmonica (no parade)

F.D.E.S. Newman, CA, Hall: 1361 R Street, Mailing: P.O. Box 474 Newman, CA 95360 | Phone No. 209-777-9299 WEDNESDAY, MAY 16, 2018 - FRIDAY, MAY 18, 2018 7:00 p.m. Praying of the Rosary in the Chapel SATURDAY, MAY 19, 2018 10:30 a.m. Formation of the Bodo de Leite (cow parade) outside of the Newman Hall 11:00 a.m. Bodo de Leite procession starts with the traditional Pezinho. After the Bodo de Leite returns to hall, a lunch will be served to everyone present. Following lunch will be an auction, bazaar and folklore dance performances 7:30 p.m. Praying of the Rosary in the Chapel 9:00 p.m. Dance 9:30 p.m. Presentation of the Queens and Officers SUNDAY, MAY 20, 2018 10:00 a.m. Formation of the parade at the Newman FDES hall 10:30 a.m. Procession of the parade from the hall to St. Joaquim’s Church 11:00 a.m. Solemn Mass. Sopas will be served to everyone present 2:30 p.m. Auction of gifts and all day bazaar 7:00 p.m. Praying of the Rosary in the Chapel. After the Rosary, sopas will be served to everyone present. 8:00 p.m. Dance 9:30 p.m. Presentation of the Queens and Officers

SACRAMENTO, CA

S.P.H.S.S. Sacramento, CA 95831, Hall: 6676 Pocket Road Phone No. 916-965-1843 MONDAY, MAY 14, 2018 - FRIDAY, MAY 18, 2018 Singing of the Rosary SATURDAY, MAY 19, 2018 5:00 p.m. Dinner; followed by Singing of the Rosary at 8:00 p.m. with Presentation of the Queens and Dance SUNDAY, MAY 20, 2018 10:00 a.m. Mass at St. Maria’s Church; Parade immediately after mass; followed by sopas

SAN DIEGO, CA

U.P.S.E.S. San Diego, CA, Hall: 2818 Avenida de Portugal, San Diego, CA 92106 | Phone No. 619-223-5880 | www.upses.com Email: manager@upses.sdcoxmail.com SUNDAY, MAY 13, 2018 7:00 p.m. Rosary Starts until Thursday May 17, 2018 Different activities throughout the days FRIDAY, MAY 18, 2018 6:00 p.m. Flag Raising and opening of the Festa Bazaar 7:00 p.m. Open Air Rosary 8:00 p.m. Youth Rosary 9:00 p.m. Music SATURDAY, MAY 19, 2018 4:30 p.m. Dedication Mass and Crowning for the Festa 2018 5:30 p.m. Music 6:30 p.m. Procession to Saint Agnes Church 7:00 p.m. Novena at Saint Agnes Church followed by Candlelight Procession back to hall Music and food 9:00 p.m. Dance

ANTIOCH, CA

ARCATA, CA

Sociedade da Santissima Trindade, Arcata, CA, Hall: 1185 - 11th Street Phone No. 707-822-9521 SATURDAY, MAY 26, 2018 5:30 p.m. Bean and Linguiça Dinner, followed by Bailinho; Presentation of the Queens and Dance SUNDAY, MAY 27, 2018 9:30 a.m. Parade; Mass; Sopas; Auction and Dance

ARTESIA, CA

Artesia Portuguese Soccer Club Tournament Hall: 11903 East Ashworth Avenue, Artesia Hall: 562-865-4693 | Call the hall for information on various events FRIDAY, MAY 25, 2018 - SUNDAY, MAY 27, 2018 Tournament Festivities MONDAY, MAY 28, 2018 Bullfights

NORTH OAKLAND, CA

I.D.S.T. de North Oakland, El Cerrito, Hall: 6712 Portola Drive, El Cerrito, CA | Phone No. Marlene Goulart 510-872-5281 SUNDAY, MAY 27, 2018 11:00 a.m. Mass at St. John’s Church Sopas will be served after parade returns to Hall

FREEPORT/CLARKSBURG, CA

Freeport/Clarksburg Festa, Hall: 54113 South River Road Phone No: 559-486-6060 WEDNESDAY, JUNE 27, 2018 5:00 p.m. Dinner, public is invited SUNDAY, MAY 27, 2018 10:00 a.m. Parade starts 11:00 a.m. Mass at St. Joseph’s Church 1:00 p.m. to 3:00 p.m. Lunch of Sopas de Carne

LEMOORE, CA

Lemoore Trinity Assn., Lemoore, CA, Hall: 470 Champion Mail: P.O. Box 692, Lemoore, CA | Phone No. 559-924-1969 SUNDAY, MAY 27, 2018 9:00 a.m. Parade line up at St. Peters Church 870 North Lemoore Avenue 10:00 a.m. Mass at St. Peter’s Catholic Church Followed parade returns to Trinity Hall followed by Lunch; Auction; Dinner served in the evening Grand March and Dance


26

Festas

15 de Março de 2018

V • Festas Schedule 2018

Suplemento da Tribuna Portuguesa

LOS BANOS, CA

7:15 p.m. Presentation of Presidents & Queens 8:00 p.m. The Holy Rosary will be recited in the John X. Bettencourt Memorial Chapel 9:00 p.m. Dance with Chico Avila SUNDAY, MAY 27, 2018 9:30 a.m. Parades forms and departs from SPDES 10:30 a.m. Mass St. John’s Catholic Church 232 South Adams Road, after parade arrives at St. John’s 11:00 a.m. First serving of traditional “Sopas” in Pavilion 11:45 a.m. Parade returns to SPDES second serving of traditional “Sopas” in Pavilion 12:30 p.m. Auction Portuguese Culture Pavilion 7:00 p.m. Evening serving Traditional “Sopas” 8:00 p.m. Grand March - Social Hall 8:45 p.m. to 12:00 a.m. Dance with Chico Avila

D.E.S. Assn. Los Banos, CA, Hall: 1155 I Street | Phone No. 209-826-9976 SATURDAY, MAY 26, 2018 11:00 a.m. Bodo de Leite 9:00 p.m. Dance with music by “Sem Duvida” SUNDAY, MAY 27, 2018 9:30 a.m. Parade line up, followed by Mass at 11:00 a.m. followed Lunch of “Sopas” 2:00 p.m. Auction 8:00 p.m. Dance music by “Luso Tones”

PETALUMA, CA

Petaluma Holy Ghost Society, Petaluma, CA, Hall: 4649 Bodega Ave., Petaluma, CA, 94952 | Phone No.707-762-4015 FRIDAY, MAY 25, 2018 6:30 p.m. Rosary 7:30 p.m. Presentation of Queens SUNDAY, MAY 27, 2018 9:00 p.m. Parade line up 9:45 a.m. Mass at St. Vincent’s Church; followed by lunch. Dinner @ 7:00 p.m. 10:30 a.m. Lunch 3:00 p.m. Concert by Musical Bands until 5:00 p.m. 5:00 p.m. Dance until 7:00 p.m. and 8:00 p.m. to 10:00 p.m. 7:00 p.m. Dinner

SAN LUIS OBISPO, CA

Portuguese Holy Spirit Society, San Luis Obispo, CA, Hall: 6565 Edna Road, San Luis Obispo, CA, Mailing: P.O. Box 15532, San Luis Obispo, CA 93406-5532 | Phone No. 805-541-3229 SATURDAY, MAY 26, 2018 6:00 p.m. Rosary 6:30 p.m. Sale of Linguiça; Hot Dogs and refreshments 7:00 p.m. Dance 8:00 p.m. Presentation of Queens, followed by the Grand March 9:30 p.m. Bread and Cheese will be served SUNDAY, MAY 27, 2018 8:00 a.m. Parade will assemble at Public Parking Lot #14 (corner of Palm and Nipomo, across Reis Mortuary), 8:40 a.m. Procession to Mission San Luis Obispo for 9:00 a.m. Mass & Queen’s Coronation 10:15 a.m. Parade will return to the parking lot, then drive to Trinity Hall 6565 Edna Street, where it will reassemble and proceed to the hall 11:15 a.m. Serving of the traditional “sopas”, followed by an auction of homemade crafts, baked goods and donated items

SANTA CLARA, CA

S.E.S. Corp. Santa Clara, CA, Hall: 1375 Lafayette Street, Santa Clara, CA 95050 | Phone No. 408-243-0811 SUNDAY, MAY 13, 2018 - FRIDAY MAY 25, 2018 7:00 p.m. Rosary at the SES Chapel SATURDAY, MAY 26, 2018 3:00 p.m. Performances by Folclórico groups of San Jose and Hilmar 6:00 p.m. Entrega de Esmolas; Rosary; Dance and presentation of Queens SUNDAY, MAY 27, 2018 9:30 a.m. Parade; Mass; Sopas; Concerts

SELMA, CA

Selma Portuguese Azorean Assn., Selma, CA 1245 E. Nebraska Avenue Mailing address: P.O. Box 734, Selma, CA 93662 Contact: Kathy Alves @ kalves5959@verizon.net SATURDAY, MAY 26, 2018 6:00 p.m. Introduction of Queens; Followed by Dance until 11:00 p.m. SUNDAY, MAY 27, 2018 9:30 a.m. Parade formation 10:00 a.m. Parade departs for Church; followed by Mass 11:00 a.m. Sopas will be served 12:00 p.m. Sopas will be served; Followed by Auction 7:00 p.m. Sopas will be served 8:00 p.m. Presentation of Queens and Courts; with Grand March and Dance to Follow

STOCKTON, CA

C.P.S.C. Stockton, CA, Hall: 9650 Thornton Road, Stockton, CA 9525 Mail: P.O. Box 317 Galt, CA 95234 | Phone No. 209-464-3924 SATURDAY, MAY 26, 2018 7:00 p.m. Rosary; Dinner; Coronation of Queens and Dance SUNDAY, MAY 27, 2018 9:30 a.m. Formation of Parade 11:30 a.m. Mass followed by lunch and various activities

TIPTON, CA

S.P.D.E.S. Tipton, CA, Hall: 250 South Evans Road, Tipton SUNDAY, MAY 20, 2018 - FRIDAY, MAY 25, 2018 7:00 p.m. The Holy Rosary will be recited each evening in the John S. Bettencourt Chapel SATURDAY, MAY 26, 2018 6:00 p.m. Bodo de Leite St. John’s Church Procession to SPDES Grounds Sweet Bread and Milk will be served

TURLOCK, CA

Festa do Espirito Santo, Turlock, CA, Hall: 777 Geer Road, Turlock Turlock Ballroom | Phone No. 209-634-3425 WEDNESDAY, MAY 23, 2018 7:00 p.m. Daily Rosary begins FRIDAY, MAY 25, 2018 Fados SATURDAY, MAY 26, 2018 7:00 p.m. Rosary 9:00 p.m. Followed by Dance with “Progresso” 10:00 p.m. Presentation of Queens and Committee SUNDAY, MAY 27, 2018 8:00 a.m. Parade formation @ 528 North Golden State Blvd., Turlock CA 9:30 a.m. Mass at Sacred Heart Church followed by sopas; auction; Sopas served again at 6:00 p.m. 8:00 p.m. Dance with “Progresso” MONDAY, MAY 28, 2018 8:00 p.m. Bullfights at Stevinson

WATSONVILLE, CA

I.S.T.W. Watsonville Holy Spirit, Watsonville, CA, Hall: 124 Atkinson Lane Phone No. 831-728-4789 | Email: cpnsfwatsonville@yahoo.com SATURDAY, MAY 26, 2018 6:00 p.m. Rosary; followed Dinner and Dance with Alcides Machado SUNDAY, MAY 27, 2018 9:30 a.m. Parade; followed by Mass @ 11:00 a.m. at St. Patrick’s Church followed by continuation of Parade; sopas will be served to the community 5:00 p.m. Live Auction and Dance with Erminio Lemos

FERNDALE, CA

Eel River Valley Assn., Ferndale, CA Portuguese Hall: Ocean Avenue (between 5th & Main/Francis Street) SATURDAY, JUNE 02, 2018 6:30 p.m. Rosary; followed by bean and linguiça dinner SUNDAY, JUNE 03, 2018 9:30 a.m. Formation of Parade 10:30 a.m. Mass 12:00 p.m. Lunch at the Portuguese Hall 2:00 p.m. Auction and dancing at the Humboldt County Fairground 7:00 p.m. Dinner at the Portuguese Hall

RIVERDALE, CA

S.T. Hall, Riverdale, CA, Hall: 2975 W. Mt. Whitney Avenue SUNDAY, JUNE 03, 2018 10:00 a.m. Parade from Hall to St. Ann’s Church; Mass @ 11:00 a.m. sopas served @11:00 a.m.; 1:00 p.m. and again @ 7:00 p.m. 1:30 p.m. auction, followed by Dance @ 8:00 p.m. presentation of the Queens & Directors @ 9:00 p.m.

SALINAS, CA

A.F.D.E.S. Portuguese Hall, Salinas, CA, 490 San Benito Road, Salinas, CA Phone No. 831-422-8319 | Email: AFDESSalinas@gmail.com SATURDAY, JUNE 02, 2018 8:00 p.m. Introduction of the Queens and Board, followed by Dance SUNDAY, JUNE 03, 2018 10:00 a.m. Parade forms at the Hall, followed by Mass at Hall after Mass, the traditional “sopas” will be served, followed by auction and dance

SEBASTOPOL, CA

Sebastopol Holy Ghost Hall, Hall: 7960 Mill Station Road, Sebastopol, CA Phone No. (707) 823-2702 SUNDAY, JUNE 03, 2018 9:15 a.m. Parade; Mass @ St. Sebastian’s Church; sopas served @ 10:45 a.m.; Noon & 1:30 p.m., dancing from 2:00 to 10:00 p.m. dinner will be served @ 6:30 p.m.

Courtesy of www.mypfsa.org


Festas

15 de Março de 2018

27

Festas Schedule 2018 • VI STEVINSON, CA

Hall: 2962 Lander Avenue, Stevinson, CA 95374 Mailing: P. O. Box 57, Stevinson, CA 95374 | Contact: 209-678-3010 Email: stevinsonpentecost@gmail.com SATURDAY, JUNE 02, 2018 11:00 a.m. Bodo de Leite; followed by Auction; Lunch; and Dance Presentation of the Queens. Dance with “Sem Duvida” SUNDAY, JUNE 03, 2018 10:30 a.m. Parade forms; 11:00 a.m. Mass at St. Mary’s Church followed by sopas lunch and auction; Sopas will be served in the evening followed by dance with “Sem Duvida” MONDAY, JUNE 04, 2018 8:00 p.m. Bullfights at the Stevinson Arena

TRACY, CA

I.P.F.E.S. Tracy, CA, Hall: 430 W. 9th Street, Tracy, Phone No. 209-835-9909 SATURDAY, JUNE 02, 2018 8:00 p.m. Presentation of Queens and Dance SUNDAY, JUNE 03, 2018 9:00 a.m. Parade line up at 9:00a.m. Mass @ 10:30 a.m. after mass, sopas, lunch and auction

MOUNTAIN VIEW, CA

S.F.V. Lodge, Mt. View, CA, Hall: 361 Villa Street, Mountain View, CA 94041 Phone No. 650-967-8549 SATURDAY, JUNE 02, 2018 7:00 p.m. Rosary followed by dance 8:00 p.m. Presentation of the Queens & Committee SUNDAY, JUNE 03, 2018 11:30 a.m. Mass at Saint Joseph’s Church. Parade to return to hall after Mass. Sopas; auction & dance

STEVINSON, CA

Hall: 2962 Lander Avenue, Stevinson, CA 95374 Mailing: P. O. Box 57, Stevinson, CA 95374 | Contact: 209-678-3010 Email: stevinsonpentecost@gmail.com SATURDAY, JUNE 02, 2018 11:00 a.m. Bodo de Leite; followed by Auction; Lunch; and Dance Presentation of the Queens. Dance with “Sem Duvida” SUNDAY, JUNE 03, 2018 10:30 a.m. Parade forms; 11:00 a.m. Mass at St. Mary’s Church followed by sopas lunch and auction, sopas will be served in the evening followed by dance with “Sem Duvida” MONDAY, JUNE 04, 2018 8:00 p.m. Bullfights at the Stevinson Arena

TULARE, CA

T.D.E.S. Hall Tulare, CA, Hall: 515 North “I” Street, Tulare Phone No. (559) 331-1835 MONDAY, MAY 28, 2018 6:00 p.m. Tasca dos Tres open 7:00 p.m. Praying the Rosary at T.D.E.S. Chapel 8:00 p.m. Portuguese 4 Students Dance Group TUESDAY, MAY 29, 2018 11:00 a.m. Cattle Auction at Tulare Sales Yard, followed by donor lunch 5:00 p.m. A Tasca dos Tres open 6:00 p.m. “Brianca” / Blessing of the animals 7:00 p.m. Praying of the Rosary at T.D.E.S. Chapel WEDNESDAY, MAY 30, 2018 6:00 p.m. A Tasca dos Tres open 7:00 p.m. Praying of the Rosary at T.D.E.S. Chapel followed by the blessing of the bread and distribution of “Rosquilhas”, a tradition of the island of Pico THURSDAY, MAY 31, 2018 6:00 p.m. A Tasca dos Tres open 7:00 p.m. Praying of the Rosary at T.D.E.S. Chapel 8:30 p.m. Marcha de São João, kids and adults march followed by dance with DJ FRIDAY, JUNE 01, 2018 5:00 p.m. Praying of the Rosary at TDES Chapel 6:00 p.m. A Tasca dos Tres open 7:00 p.m. Bloodless Bullfights at T.D.E.S. hall. Dance to follow by DJ SATURDAY, JUNE 02, 2018 10:00 a.m. Distribution of “Esmolas” those who received a ticket 12:00 p.m. Donors Lunch 6:00 p.m. A Tasca dos Tres open & bazaar 7:00 p.m. Praying of the Rosary in the Chapel Followed by the Crowning of the 2018 Queens and Attendants 8:00 p.m. Cantoria inside T.D.E.S. hall; “Cantadores” Jose Placido (Fall River), Jose Custodio (Fall River), Manuel Dos Santos (Artesia), Adelino Toledo (Hilmar), Joao Rodrigues (Tulare) Tocadores: Helder Toste; Rafael Ormonde; Michael Vieira and Joshua Avila 8:00 p.m. Dance outside, live music by “562” SUNDAY, JUNE 03, 2018 10:10 a.m. Presentation of the Flags & Formation of the Procession @ T.D.E.S. Hall 11:00 a.m. Sopas will be served at T.D.E.S. hall and bazaar opens 11:15 a.m. Mass at St. Aloysius Church

1:00 p.m. Live Auction and Bazaar will follow throughout the day 7:00 p.m. Traditional sopas and meat to be served to all 7:30 p.m. Folklore Group Saudade do Bravo inside the hall 8:00 p.m. Grand march inside the hall 8:30 p.m. Dancing outside, with DJ MONDAY, JUNE 04, 2018 6:00 p.m. A Tasca dos Tres open 7:00 p.m. Vacada, followed by Dance to follow by DJ

SAN JOSE, CA

Dia de Portugal Festival, San Jose, CA | History (Kelly) Park, Phelan and Senter Streets, Mailing address: Portuguese Heritage Society of California, P. O. Box 18277 SATURDAY, JUNE 09, 2018 10:00 a.m. Food and various activities throughout the day 12:30 p.m. Parade

MANTECA, CA

M.R.P.S., Manteca, CA, Hall: 133 N. Grant Street | Phone: 209-823-2442 SATURDAY, JUNE 09, 2018 7:00 p.m. Rosary SUNDAY, JUNE 10, 2018 9:30 a.m. Parade; Mass at St. Anthony’s Church; sopas; auction; dance Sopas served again in the evening

PATTERSON, CA

F.D.E.S., Patterson, CA, Hall: 501 Ward Avenue | Phone No. 209-892-7637 SATURDAY, JUNE 09, 2018 10:00 a.m. Bodo de Leite; Auction; Luncheon; Rosary; Presentation of Queens and Dance SUNDAY, JUNE 10, 2018 9:30 a.m. Parade; Mass; Sopas; Auction & Dance

SAN PABLO, CA

San Pablo Holy Ghost Association, San Pablo, CA, Hall: 13831 San Pablo Avenue, San Pablo, CA | Email: SPHGA@comcast.net | 707-592-1799 SUNDAY, JUNE 10, 2018 10:30 a.m. Parade starts @ Maple Hall; Mass @ St. Paul’s Church 12:00 a.m. Sopas (first serving) 1:30 p.m. Sopas (priority seating to parade participants) 2:00 p.m. Dance and Auction

VISALIA, CA

P.P.A. V., Visalia, CA, Hall: 820 East Main Street, Visalia, CA 93292 Contact: Tony Pereira 559-804-9957 Email: tollcrew5@springvillewireless.com MONDAY, JUNE 04, 2018 - THURSDAY JUNE 7, 2018 7:00 p.m. Rosary FRIDAY, JUNE 08, 2018 6:00 p.m. Rosary followed by “Pezinho” com bezerros enfeitados & cantoria SATURDAY, JUNE 09, 2018 12:00 p.m. Donators Luncheon 6:00 p.m. Rosary followed by blessing of the Queens SUNDAY, JUNE 10, 2018 9:30 a.m. Flag Raising Ceremony 9:45 a.m. Procession to St. Mary’s Catholic Church 608 North Church Street, Visalia 9:00 p.m. Grand March

HAYWARD, CA

PFSA Council Co.5/36 I.D.E.S. Hayward, Hall: 1105 “C” Street, Hayward Phone No. 510-581-8518 MONDAY, JUNE 11, 2018 - THURSDAY JUNE 15, 2018 Praying of the Rosary in the Chapel SATURDAY, JUNE 16, 2018 6:00 p.m. Crown Exchange from Hall to All Saints Church 8:00 p.m. Dance 9:00 p.m. Presentation of Queen & Committee SUNDAY, JUNE 17, 2018 9:45 a.m. Formation of the Parade 11:00 a.m. Mass, followed by return of the parade to the hall, lunch of sopas will be served followed by auction and activities during the afternoon followed by Dance

ORLAND, CA

Holy Ghost Portuguese Club, Orland, Glen County Fairgrounds SUNDAY, JUNE 17, 2018 9:30 a.m. Parade 10:00 a.m. Mass 12:00 p.m. Sopas served 6:30 p.m. Sopas served

Wishes everyone a successful festa celebration! www.mypfsa.org

Dates and times subject to change without notice. The publisher of this list is not responsible for the accuracy of the information provided herein.


28

Patrocinadores

15 de Março de 2018

Sousa’s Discount Food & Liquor 1584 Washington Blvd., Fremont, CA 94539 • Telefone: 510.659.8366 • Fax: 510.659.6369

Tudo mais barato! –Abilio e Fátima Sousa

Bacalhau

$9.99/lb Large

/sousasfoodnliquors

6-pack Mini $6.99

Reg $8.99

Queijo do Topo São Jorge $7.99/lb

Casal Garcia $4.99/ea per case

Aveleda

Vinho Verde

$5.99/ea

Largest Selection of Brazilian & Portuguese Foods!


Patrocinadores

15 de Março de 2018

29

Cupão de Assinatura SIM! Desejo ser assinante do Tribuna Portuguesa. Por favor enviem-me o jornal para o endereço seguinte: Nome:

23

edições por ano

Endereço: Cidade:

Estado:

Zip code: Telefone: Email: Enviar com um cheque de $45.00 por ano para: Tribuna Portuguesa

P.O. Box 579866, Modesto, CA 95357-5866


30

English Section

15 de Marรงo de 2018

I love saying: I Am Portuguese!


15 de Marรงo de 2018

English Section

31

Why the consulate should leave san francisco now! It's all in the math, mr. prime minister!


32

Ultima Pรกgina

15 de Marรงo de 2018

15th, March, 2018  
15th, March, 2018  
Advertisement