Page 1

ÓRGÃO MENSAL DE DIVULGAÇÃO ESPÍRITA PARA TODO O BRASIL • SETEMBRO DE 2015 • ANO 3 • Nº 24 • 21.000 EXEMPLARES • DISTRIBUIÇÃO GRATUITA www.institutocairbarschutel.org – www.associacaochicoxavier.com.br

Carta aos cônjuges Foto: http://www.alpinemountainchalets.com

Bonito poema de Casimiro Cunha aos casais. Veja página 7.

Volta Redonda (RJ) em grande destaque com o livro espírita

Jovens questionam, escritores respondem

Um estudo sobre o comodismo

Veja reportagem nas páginas 8 e 9

Veja na página 14.

Veja nas páginas 10 e 11.

Fechamento autorizado Pode ser aberto pela ECT


Setembro de 2015

Editorial

Alegria no ar

M

a t ã o a b re e v i ve o mês de setembro com a alegria e o entusiasmo de mais de 600 participantes inscritos para o Encontro Cairbar Schutel, provenientes de dezenas de cidades do estado de SP e de outros estados. É um momento aguardado e vivido intensamente, seja na elaboração da programação, em sua divulgação e mesmo na visualização quase diária das inscrições que vão sendo efetivadas no site. Os participantes inscritos desfrutam dos momentos de convivência, vivem confraternização, estudam, refletem, encontram-se. Objetivo é esse mesmo. Esta é a alma do movimento espírita: a fraternidade. Na arte, no estudo, no debate, nos encontros, nas palestras, na convivência, a razão é a mesma. É pelo ideal espírita que nos unimos! Com as surpresas oferecidas no evento e os saudáveis reencontros, ele fica depois na memória do bonito instante que passa rápida, mas chegou ao coração, valorizando o afeto. Queremos, pois, agradecer pela notável oportunidade, pelo apoio que veio de muitas fontes e por sua participação. Seja bem vindo! r

PÁGINA 2

No mês de nascimento Setembro relembra seu nome. Redação

institutocairbarschutel@gmail.com

C

airbar Schutel nasceu em setembro, dia 22, no ano de 1868, no Rio de Janeiro (RJ). A partir de Matão construiu um legado de grandeza evangélico doutrinária, com seus livros, a instituição, editora e publicações que fundou, mas especialmente com seu exemplo de humildade e devotamento ao bem. Seu comportamento caracteriza um autêntico homem de bem, tão bem expresso por Allan Kardec em O Evangelho Segundo o Espiritismo, necessidade premente de nossos tumultuados

dias, com as convulsões sociais em andamento. Por isso o Instituto Cairbar Schutel – instituição que surgiu inspirada pelo trabalho de Schutel – escolheu propositalmente o

Seu comportamento caracteriza um autêntico homem de bem, tão bem expresso por Allan Kardec (...).

mês de setembro para realizar o Encontro Anual Cairbar Schutel, sempre no fim de semana mais próximo do dia 22. Em sua 5ª. Edição, em 2015, atraiu centenas de pessoas, dezenas de cidades em sua realização. Desse compromisso de divulgação o Instituto assumiu o jornal que o leitor tem em mãos, como fruto direto do mesmo ideal e fundado por outros companheiros que decidiram por encaminhar a publicação para o ICS editar, o que foi uma ocorrência muito feliz, face aos frutos já colhidos. A presente edição comemora os dois anos de circulação do jornal. Com parcerias e patrocínios, o jornal tem tido impressionante alcance, motivando a mais trabalho e aumentando a responsabilidade. É que o nome Cairbar Schutel por si só já nos vincula à divulgação, perfil exato do nobre espírito que dedicou sua vida à divulgação do Espiritismo. Nada mais justo, pois, em setembro, ilustrar a página 2 – normalmente ocupada para destacar as obras e feitos de Schutel – para comemorar seu aniversário, com gratidão ao nobre seareiro. r


PÁGINA 3

Setembro de 2015

Preparando Educadores para um Novo Tempo Postura do educador tem expressivo papel. IBEM

O

educador é a chave da educação, dele dependem os educandos no seu desenvolvimento cognitivo e emocional. Mas não estamos falando apenas do profissional da educação, aquele que exerce o magistério. Incluímos aqui também os pais e responsáveis, pois o lar, a família, é local privilegiado de

educacao@educacaomoral.org

educação das novas gerações. A conjugação de esforços entre família e escola é fundamental para a melhor formação das crianças e jovens. Agora, o educador (seja professor, pai, mãe, avô, voluntário numa organização não governamental …), para ser a chave da educação, deve equilibrar seu falar com sua

Veja o que o IBEM está fazendo Fórum de Educação Estão abertas as inscrições para o Fórum de Educação dos Países de Língua Portuguesa – Novo Rumos para a Educação, que será realizado na cidade do Rio de Janeiro, nos dias 06 e 07 de novembro de 2015, numa parceria entre o IBEM e a UNISUAM. Teremos a participação dos educadores José Pacheco (Escola da Ponte/Projeto Âncora), Ronaldo Gomes (IBEM/Escola do Sentimento), Marcus De Mario (IBEM/ Escola do Sentimento), Aparecida Nunes (Conhecer) e Cláudia Dutra (Conhecer). Informações e inscrições em www.educacaomoral.org. Cursos a distância Você pode mergulhar no Projeto Educação Moral para Formação do Ser realizando os cursos de capacitação e qualificação desenvolvidos pelo IBEM através da Educação a Distância (EAD). De qualquer parte do Brasil professores, diretores escolares, coordenadores pedagógicos, estudantes de pedagogia, pais e educadores em geral podem estudar com o IBEM. È só acessar www.educacaomoral.org, escolher o(s) curso(s) e fazer sua matrícula. Os cursos possuem 30 horas/aula e são realizados em 4 semanas. Ao final o IBEM faz a entrega do Certificado. Contato Conheça o trabalho do IBEM em www.educacaomoral.org. Somos uma rede interativa de educadores trabalhando por uma nova educação. Faça contato através do e-mail educacao@educacaomoral.org, ou pelo telefone (21) 3439-0665. Também estamos no Facebook. Atendemos Escolas, Secretarias de Educação e Organizações Sociais de todo o Brasil. r

conduta, pois dar o próprio exemplo é fundamental. Focando mais especialmente no professor, de que adianta ele reclamar veementemente dos educandos, se por sua vez falha em seus compromissos, é desorganizado, desrespeita os outros etc.? Não há discurso em sala de aula que previna situações desagradáveis, se esse discurso teórico não é acompanhado pela autoridade moral, que somente é conquistada com o exercício constante da autoeducação. Por que o professor tem perdido a autoridade em sala de aula? O que está acontecendo para assistirmos quase diariamente notícias sobre violência de alunos contra professores? Desrespeito, xingamentos, agressões contra professores estão se tornando comuns no ambiente escolar. Diz-se que antigamente isso não acontecia. A autoridade do professor era inquestionável. Ai do aluno que fizesse bagunça, que faltasse com o respeito, que fizesse um gracejo fora de hora. Ia direto para a sala do diretor e tomava uma suspensão. E se chegasse em sala de aula sem o dever de casa feito, castigo! Não foram bons tempos. Era uma autoridade imposta, cerce-

adora da criatividade e liberdade do aluno. Fazia com que os alunos se sentissem diminuídos, humilhados mesmos, e, mesmo assim, não impedia a bagunça, a traquinagem e o desrespeito às regras, pois a indisciplina sempre existiu. Por esse motivo, de tanto gritar, ameaçar, suspender o professor perdeu a autoridade imposta e ficou sem nenhuma autoridade. Perdida a autoridade, o que se faz? Reconquistá-la! Para isso exige-se mudança de mentalidade e postura. A começar reconhecendo que o aluno é um ser humano com inteligência e afetividade. Merece respeito e amizade. E que aula com calor humano é muito melhor. Expulsar o aluno não é também uma violência? E violência pode resolver outra violência? Todo professor sabe que, durante sua formação, o que mais se houve como conselho dos professores mais experientes é que “não se pode perder o controle da turma”, “não se pode dar confiança aos alunos, senão eles abusam”, “para mantê-los quietos em sala pratique as faltas disciplinares”. E não são apenas conselhos, são ensinos transmitidos em muitas Faculdades de Pedagogia. Que o professor se trabalhe afetivamente. Que se reconheça no outro. Numa palavra: que faça todos os esforços para, como ser humano renovado e crente no potencial de seus alunos, obtenha gradualmente a autoridade moral de quem acredita na educação e ama o que faz. r


PÁGINA 4

Setembro de 2015

A holística expressão da realidade Tudo marcha na direção da unidade, pois que dela partem todos os rumos. Rogério Coelho

rcoelho47@yahoo.com.br

Q

uatrocentos anos antes da era cristã, Sócrates, o célebre filósofo grego, já possuía uma visão holística da vida, quando afirmou: “se os médicos levassem em conta não apenas o corpo somático, mas também o Espírito, eles acertariam mais em seus diagnósticos e, consequentemente, teriam mais sucesso nas curas...” Nesse passo, o Dr. Carneiro de Campos 1 ofereceu uma explicação a Manoel Philomeno de Miranda da qual todos nós podemos tirar proveito: “o Espiritismo é uma Doutrina que sintetiza o conhecimento humano em uma abrangência admirável. Nem poderia ser diferente, pois que foi revelado pelos Espíritos que se tornaram pioneiros do saber na Terra, e que, com a visão da vida ampliada no Além, ofereceram tudo quanto se faz imprescindível à felicidade dos seres. Tem a ver, portanto, com todos os ramos da

cultura em uma expressão holística da realidade, que se faz indispensável para o entendimento integral do homem e da vida. As doutrinas secretas ressurgem nele desvestidas dos mitos e rituais, facilitando o intercâmbio entre as inteligências encarnadas e desencarnadas, ampliando o quadro de informações através das Ciências, na sua faina de tudo explicar e submeter. Com esse arsenal de instrumentos próprios, o Espiritismo liberta as consciências das sombras e as conclama às escaladas desafiadoras do progresso. Por tal razão, a Casa Espírita avança para a condição de Educandário, fornecendo os contributos para o estudo e a análise das criaturas, libertando-as das crendices e superstições, ao tempo em que lhes oferece os recursos para a ação com liberdade sem medos, com responsabilidade sem retentivas,

perfeitamente lúcidas a respeito do destino que lhes está reservado, ele próprio resultado das suas opções e atitudes. Uma sociedade que se conduza fiel a esses conceitos e determinações torna-se justa, equânime e os membros que a constituam serão, sem dúvida, felizes... Tudo marcha na direção da unidade, pois que dela partem todos os rumos. No afã de penetrar a sonda da investigação no organismo universal, os cientistas constatam a interdependência das informações que detectam, umas em relação às outras, tão interpenetradas estão. A análise de qualquer conteúdo exige uma ampla malha de conhecimentos, a fim de bem captá-lo. O homem, em razão de seu largo processo de evolução, das suas vinculações ancestrais e experiências, não deve ser examinado apenas por um dos seus ângulos, seja físico, psíquico, emocional, social... Cada faceta da sua realidade traz embutidos outros aspectos e contributos que respondem pela manifestação e aparência daquela focalizada. Assim, na área da saúde, são muitos os fatores que respondem pelo equilíbrio ou desarmonia do indivíduo e, no que tange à de ordem espiritual, mais complexos se fazem os fatores que lhes dão origem ou os desarticulam. Nesse painel, a consciência exerce um papel preponderante por ser o árbitro da vida, a responsável por

todos os acontecimentos, o Deus em nós das antigas tradições de nossos antepassados. O homem realmente livre é consciente das suas responsabilidades, não necessitando de nada externo para os logros elevados a que se propõe. Torna-se-lhe condição essencial o conhecimento real, defluente da meditação e da vivência dos seus estatutos para seguir a marcha com a elevação indispensável à vitória. Certamente foi esta a ideia de Jesus ao preconizar-nos buscar a Verdade que nos torna livres”. r 1. FRANCO, Divaldo. Trilhas de Libertação. 3 ed. Rio [de Janeiro]: FEB, 1997, p. 73 a 79.

O homem, em razão de seu largo processo de evolução, das suas vinculações ancestrais e experiências, não deve ser examinado apenas por um dos seus ângulos, seja físico, psíquico, emocional, social... Cada faceta da sua realidade traz embutidos outros aspectos e contributos que respondem pela manifestação e aparência daquela focalizada.


PÁGINA 5

Setembro de 2015

Caridade com o selo moral Duas ações humanas são fundamentais. Cláudio Bueno da Silva

klardec1857@yahoo.com.br

O

s que têm o hábito de ler os livros de Allan Kardec notam que os espíritos trataram com insistência de dois temas relacionados às ações humanas e que são fundamentais para o bom desenvolvimento das nossas relações aqui na Terra e o aprimoramento das condições espirituais gerais. A oração é o primeiro deles. Expressando o diálogo com Deus podemos, através dela, louvar as

maravilhas que Ele criou e o amor que nos dispensa; agradecer pela vida e por tudo o que temos recebido sempre; e pedir à sua misericórdia. Quando se ora, está-se agindo pela vontade, movimentando energias que têm um objetivo, um alvo a ser alcançado: ser ouvido pelos bons espíritos, que são os agentes de Deus. Afirmam esses espíritos que a oração é o principal meio de comunicação que temos com as forças universais do Bem.

O segundo tema é a caridade, cuja prática mereceu dos espíritos e do Codificador os melhores textos, explicando e traduzindo o seu real significado e a sua vital importância. Os estudos espíritas mostram que a caridade importa muito para a condução satisfatória da vida pelos encarnados. Tendo a caridade duas motivações, a moral e a material, esta última é considerada por muitos a mais simples e fácil, bastando que doemos aquilo que não nos faz falta, pondo-nos quites com a nossa consciência. Mas não é tão simples assim. A

caridade material, que na verdade é a transferência de recursos a quem precisa, deve ser acompanhada do selo moral para que seja verdadeira, conforme ensina o Espiritismo. De que adianta o prato de comida, o pão, o cobertor, se não são envolvidos na embalagem do amor e da compreensão. Não foi à toa que Jesus recomendou: “Dai o pão a quem tem fome, a água a quem tem sede”, mas falou também do óbolo da viúva, descrevendo a cena em que a senhora humilde se desprende das únicas moedas de que dispunha e que provavelmente lhe fariam falta. Jesus, assim, com suas palavras, untou de amor o pão da caridade. Portanto, orando sempre e agindo com amor em qualquer circunstância, estaremos higienizando a nossa alma e criando atmosfera aprazível ao nosso redor. Essa é a melhor forma de agradar a Deus. r


PÁGINA 6

Setembro de 2015

Outros mundos para se cantar Procuremos sempre ser úteis, onde estivermos. Sidney Fernandes 1948@uol.com.br

D

rauzio Varella, no livro Carcereiros, narra um fato ocorrido com Dr. Javert, diretor-geral do presídio. Luizão, diretor de disciplina, confiava em Messias, prisioneiro de bom comportamento. Estava preocupado mesmo com Vanico, nordestino alto e forte, com fama de carregar peixeira na cinta. Descuidando-se do bem comportado Messias, não percebeu que dele veio o ataque. Quando se deu conta, já havia recebido quatro perfurações em seu tórax. *** Tempos mais tarde, já convalescendo, ouviu de um preso mais velho o comentário que lhe serviu de lição para o resto da vida: - Chefe, ninguém faz trança em rabo de burro bravo, o que mata é o coice de burro manso. *** Quando não somos sinceros, enganamos a nós mesmos. E se desencarnarmos escondendo algo de alguém, estaremos diante das nossas vítimas até que acertemos

nossas contas com elas. Não pode ser de outra forma. Na verdadeira vida, as aparências não mais enganam. Se aqui nos reverenciam pelo que temos, lá, o que importa mesmo, é o que somos. *** Mas, se nesta vida encontramos

manifestações de hipocrisia, dissimulação e falsa humildade, também temos maravilhosos exemplos de generosidade e sabedoria. Papai foi um dos primeiros a ter telefone em nossa rua. Logo descobri, encantado, que por detrás daquela es-

tranha caixa preta havia uma singular personagem. Ela chamava-se “informação, por favor”. E pelo jeito, era muito esperta. Tudo que a ela se perguntava, respondia com segurança e precisão. E foi numa tarde, em que mamãe saíra momentaneamente para visitar uma vizinha, que precisei da “caixa mágica”. Buliçoso, martelei meu dedo com as ferramentas de papai. Fiz menção de chorar. Mas, não havia plateia. Subi numa cadeira, peguei o telefone e falei: - Informação, por favor. Uma voz clara e suave respondeu: Informação. Choraminguei: - Machuquei o dedo. - Está sangrando? perguntou a doce voz. - Não! - respondi. - Vá até a geladeira e pressione o dedo no gelo. Vai passar. E passou mesmo. A partir daquele momento, a “lâmpada maravilhosa” era minha salvação. Tudo eu perguntava para aquela suave voz. Uma vez indaguei: - Como se soletra a palavra consertar? E ela mais uma vez me ajudou.

Certa ocasião morreu meu canário. Chorando, pedi ajuda para “informação, por favor”. E ela, pacientemente, me socorreu: - Paul, há muitos mundos para se cantar... Anos mais tarde, estava no aeroporto, de passagem pela minha cidade natal, em direção à universidade, peguei o telefone e falei sem pensar: - Informação, por favor. E a mesma voz atendeu. Perguntei: - Como se soletra a palavra consertar? Depois de longa pausa, a voz perguntou: - Seu dedo já sarou, Paul? Nunca me esqueci daquela generosa criatura e ela nunca se esqueceu de mim. Anos mais tarde, quando tentei novo contato, soube que ela havia falecido e deixado um bilhete para mim: - Paul, nunca se esqueça de que há outros mundos para se cantar... (Resumo de página da Internet “Telefone Amigo” - desconheço a autoria) *** Honrar Jesus somente com os lábios é ser hipócrita. Aparentar ter virtudes e não aplicar princípios em si mesmo é ter o coração longe dele. A todo momento surgem necessidades à nossa volta. Aproveitemos todas as oportunidades possíveis de sermos úteis. Honremos as potencialidades com que fomos aquinhoados pela divindade. Através da Doutrina Espírita lembramo-nos, a todo instante, de que existem outros mundos onde poderemos cantar. Vivamos de forma a merecermos, um dia, encontrarmo-nos nesses mundos.r


PÁGINA 7

Setembro de 2015

Marcelino Pão e Vinho Filme espanhol é de 1955. Valdenir de Paiva Baggio valdenir.v.09@uol.com.br

J

á tinha ouvido comentários sobre este filme e, por indicação, incluímos ele em nossa videoteca. Quase cinco anos depois resolvi assisti-lo. Não sei que “magia” existe por trás deste filme antigo, em preto e branco, quase ingênuo, mas que contém uma pureza que nos sensibiliza. Talvez por vivermos uma vida diferente, mais agitada, com menos convívio, muita informação, pouco tempo para reflexão é que, ao reduzirmos nosso ritmo para acompanhar um simples filme antigo, nos emocionamos às lágrimas por gestos, palavras, olhares e expressões que tanto nos fazem falta nos dias atuais. Admito que o jeito ingênuo do menino, sua pureza, sua educação, suas travessuras e sua carência trouxeram à tona sentimentos antigos, represados, esquecidos, adormeci-

dos e, não sei explicar, parece que me sinto agora renovado, fortalecido, inspirado, consolado e animado a seguir a vida em paz. Talvez a parte mais emocionante, todos irão concordar, seja a

Carta aos cônjuges Pelo Espírito Casimiro Cunha. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Livro: Cartas do Evangelho. Lição nº 08.

que ele se encontra com Jesus, mas para mim, todas as tomadas em que o rosto do menino é enquadrado expressaram um algo mais do que dezenas de outros filmes poderiam me dizer.

Em um universo novo em que vivemos, em que os valores estão deturpados, em que a desonestidade e falta de caráter se fazem intrínsecas, em que a moral e os bons costumes se eclipsaram, assistir um filme como este é como encontrar um oásis no próprio deserto. Poucos concordarão com minhas palavras, acharam um filme monótono, chato e sem graça. Isso porque este filme foi feito para ser assistido com o coração. Se você ainda tem um, assista-o. Não irá se arrepender. Boas lágrimas... que elas limpem seu coração e renovem sua fé. r

Porventura, já se viu Coração sobre a cabeça? Ou ambos em separado, Funcionando em vida avessa?...

Intriga e relaxamento São treva e calamidade, Trazendo consigo o atrito Que queima a felicidade.

Meus irmãos, o matrimônio É um instituto divino, Onde o trabalho em comum É luz de amor e de ensino.

São ambos um corpo só, Em doce consagração. Se o homem é a cabeça, A mulher é o coração.

Se a mulher é sentimento, Se o homem é luta e ação, Devem ambos ser unidos No plano da educação.

Se há lutas pelo caminho, A ventura dos casais Consiste em reconhecer Que o perdão nunca é demais.

O lar é um templo sagrado De vida superior, Onde começa no mundo A lei sublime do amor.

Cada um no seu lugar, São iguais pelo dever No santo esforço que as mãos Nunca cessam de fazer.

Para que um lar seja o pouso Do carinho e da esperança, Jamais se esqueça o regime Do amor e da confiança.

Quem recebeu a Missão Desse Instituto de Amor Tem Solenes Compromissos Perante as Leis do Senhor.

Toda a harmonia terrestre, Em circunstâncias quaisquer, Tem seu início sagrado No marido e na mulher.

Sem a máxima união Na intimidade do lar, Esse corpo transcendente Não consegue funcionar.

Harmonia em toda a casa Faz da vida um campo em flor. Ciúme é a erva daninha Que mata as rosas do amor.

Façam, pois, do Lar Terrestre A Estrada de Salvação, Onde Jesus Plante as Flores De Vida e de Redenção. r


PÁGINA 8

Setembro de 2015

27ª Feira do Livro Espírita de Volta Redonda (RJ) Memorial Zumbi, conhecido marco da cidade, recebe o evento. Redação

O

Centro Espír ita S eguidores do Cristo e o IDELEYP – Instituto Difusão e Estudo do Livro Espírita Yvonne Pereira, realizam de 27 de setembro a 12 de outubro de 2015, a 27ª. edição da tradicional e consagrada Feira do Livro Espírita de Volta Redonda (RJ). Com extensa programação (vide box) e abertura no dia 27/09, domingo, às 15h, o evento se estende com várias atividades culturais agregadas à divulgação espíritas, cujos livros são oferecidos ao público com descontos de até 60% e facilidades no parcelamento com cartão de crédito. O evento mantém parceria com a publicação do jornal Tribuna do Espiritismo e a presente edição circula na cidade com um mil exemplares.

institutocairbarschutel@gmail.com

Informações: e-mail: flespiritavr@ gmail.com, ou pelos telefones: (24) 988481520 - (24) 988481521.

Nota: A programação poderá sofrer alterações até o início da Feira.

Fique atualizado na programação: www.facebook.com/livroespiritavr r


PÁGINA 9

Setembro de 2015

Em edições anteriores da Feira, procura por livros (à esquerda) foi intensa e palestras atraíram a atenção dos visitantes.

Programação agregada ao evento (palestras e apresentações) 27/09-domingo – 15h – abertura, 18,30h Sara Bentes, 19h Sinézio Griman (RJ) 28/09-segunda – 19h – Roni Ricardo Maia (RJ) 29/09-terça – 19,30h – Grupo Vocal Joanna de Angelis (RJ) 30/09-quarta – 19,30h – Antonio Carlos Ghirlinzoni (RJ) 01/10-quinta – 19,30h – Carlos Figueira Sant´ana (RJ) 02/10-sexta – 19,30h – Cândida (RJ) 03/10-sábado – 16h – Bate papo com escritor 03/10-sábado – 17,30h – Maria Olegária (RJ) 03/10-sábado – 19h – Grupo Vocal Benedito Honorato (RJ) 03/10-sábado – 19,30h – Pedro Camilo (BA) 04/10-domingo – 10h – Hélio Ribeiro (RJ) 04/10-domingo – 15h – Bate papo com escritor 04/10-domingo – 15h – Pedro Camilo (BA) 04/10-domingo – 17h – Bate papo com escritor 04/10-domingo – 18,30h – Adriano Calsone 05/10-segunda – 19,30h – Gerson Simões Monteiro 06/10-terça – 19,30h – Alan Vilches (SP) 07/10-quarta – 19,30h – Célio Cosme de Faria (RJ) 08/10-quinta – 19,30h – Orson Peter Carrara (SP)

09/10-sexta – 10,30h – Orson Peter Carrara (SP) (lembrando Auto de Fé de Barcelona e aniversário FLEVR) 09/10-sexta – 19,30h – Orson Peter Carrara (SP) 10/10-sábado – 15h – Bate papo com escritor Roberto Carvalho 10/10-sábado – 17h – Thiago Trindade (RJ) 10/10-sábado – 19h – Luis Hu Hivas (SP) 11/10-domingo – 10h – Wellerson Santos (MG) 11/10-domingo – 15h – Bate papo com escritor 11/10-domingo – 16h – Wilson Logobucco (RJ) 11/10-domingo – 17,15h – Deusa Samu (SP) 11/10-domingo – 17,30h – 5º. Sarau de Arte Espírita Grupo Vocal Joanna de Angelis, Sara Bentes, Mocyr Camargo Peça Teatral: Aconteceu na Casa Espírita 12/10-segunda – das 9,30 às 12h – 21ª. Feirarte (a criança na Feira do Livro) – Arena do Memorial Zumbi 12/10-segunda – das 10 às 12h – Deusa Samu Seminário Luto e Perda – vagas limitadas – É necessário retirar convite antecipado. 12/10-segunda – 14,30h – Deusa Samu 12/10-segunda – 16h – Wellerson Santos (MG) 12/10-segunda – 17,30h – Luis Hu Rivas. 12/10-segunda – 19h – André Luís Rosa (SP) Encerramento da 27ª. FLE - VR


Setembro de 2015

O grande obstáculo Um estudo sobre o comodismo. Alessandro Viana de Paula

vianapaula@uol.com.br

O

título deste artigo referese a uma lição extraída da obra “Nossas Riquezas Maiores”, psicografada pelo confrade José Raul Teixeira, onde a benfeitora espiritual Thereza de Brito aborda a questão do comodismo. Ela assevera que “Se você se detiver a examinar as múltiplas dificuldades que impedem seu crescimento mais dinâmico para Deus, com sinceridade, verificará que elas se apóiam no comodismo”.

De fato, o comodismo, que é a expressão infeliz do egoísmo e da preguiça, tem gerado inúmeros prejuízos para o nosso processo evolutivo, tanto que o espírito Joanna de Angelis, no livro “Conflitos Existenciais”, aponta a preguiça como sendo um dos conflitos a infelicitar a criatura humana, a se expressar como “propensão para a inatividade, para não trabalhar, também conhecida como lentidão para executar qualquer tarefa, ainda

caracterizada como negligência, moleza, tardança”, sendo, dessa forma, desvio de conduta. Joanna de Ângelis ainda nos adverte que um dos prejuízos causados é o não aproveitamento correto do tempo, e a religião espírita nos ensina que estar no corpo através do processo da reencarnação é uma abençoada oportunidade que Deus nos concede, visando o progresso intelecto-moral. Sem duvida, uma das maiores

Há espíritas que limitam-se a frequentar o templo religioso apenas para ouvir o evangelho e receber o passe, sem que se preocupem em se instruir melhor no campo doutrinário, pouco se empenhando para domar as más inclinações e para conquistar as virtudes.

lamentações dos espíritos após a morte física, diz respeito ao mau uso do tempo, porque deixamos de realizar tarefas, aprendizados e boas ações que contribuiriam para a conquista da própria felicidade. Thereza de Brito enfatiza que “por meio do comodismo, um sem número de seres estaciona na romagem terrena, quando tanto temos a realizar, conscientes do pouco tempo de que dispomos no mundo, embora esse tempo humano, se bem administrado, torne-se suficiente para os labores que nos cabe efetuar”.

PÁGINA 10 Joanna de Angelis diz que essa conduta enfermiça lentamente vai fragilizando-nos, abrindo campo para as ideias perturbadoras, que poderão se converter em pessimismo, desinteresse, tédio, vazio existencial, depressão, podendo culminar em condutas de autodestruição, tais como o suicídio direto e os vícios que fragilizarão a saúde física e mental. Ademais, sabemos que o comodismo, por lei de afinidade, atrairá espíritos ociosos, que tentarão ampliar os efeitos negativos da conduta enfermiça, inspirando desânimo, amolentamento, apatia, preguiça e sono. Há inúmeras justificativas para o comodismo, sendo que muitos têm o hábito de postergar tudo para o futuro, pensando que no amanhã as coisas estarão melhores; outros, por serem jovens, acreditam que podem adiar os compromissos nobres e a tarefa de espiritualização; alguns, pelo fato de serem idosos, acham que é tarde demais para qualquer realização pessoal. Anote-se que não sabemos quando regressaremos para a pátria espiritual, nosso verdadeiro lar, de forma que qualquer adiamento das conquistas espirituais, seja por comodismo ou por ignorância, constitui-se em risco de grave porte, uma vez que os compromissos postergados poderão nunca se concretizar na atual reencarnação, gerando pesados débitos e pendências para o espírito, sobretudo por termos aprendido com a veneranda doutrina espírita que lamentaremos pelos males causados e pelo bem que deixamos de fazer a nós mesmos e ao próximo. Para os idosos, à luz da imortalidade da alma e da reencarnação, sabemos que todo aprendizado nobre e toda conquista moral será patrimônio do espírito, que tornará o retorno ao mundo espiritual e as próximas vidas físicas mais felizes e com menos sofrimento.


PÁGINA 11 Lembra-nos, o espírito Thereza de Brito, que muitos religiosos também paralisam-se no comodismo, porque julgam-se salvos para sempre, todavia, enfatize-se que Jesus não endossou tal conceito e nos ensinou que a cada um será dado segundo suas obras, tendo inaugurado a religião do amor. No movimento espírita notamos a presença do comodismo. Aliás, essa imperfeição moral pode se manifestar de duas formas, isto é, há aqueles que nada realizam ou produzem o mínimo no campo das conquistas espirituais, e há indivíduos que realizam dentro dos padrões normais, mas que poderiam estar ousando muito mais na esfera do bem.

Setembro de 2015 Há espíritas que limitam-se a frequentar o templo religioso apenas para ouvir o evangelho e receber o passe, sem que se preocupem em se instruir melhor no campo doutrinário, pouco se empenhando para domar as más inclinações e para conquistar as virtudes. Passam-se vários anos e continuam a mesma pessoa, com as mesmas reclamações e limites. São os efeitos grave do comodismo. Haverá confrades espíritas que realizam o trivial, pois frequentam os grupos de estudos da Casa Espírita, alguns atuam na área da mediunidade e envolvem-se em alguma tarefa caritativa, procurando ser uma pessoa melhor, sem

um esforço hercúleo, mas dentro dos padrões da normalidade e com um potencial para ofertar mais na área do amor e do conhecimento. São os efeitos menos drásticos do comodismo. Certamente haverá aqueles que superaram o desânimo circunstancial e dedicam-se com fervor aos compromissos doutrinários e assistenciais, obviamente sem descuidar das lides familiares e profissionais. Raramente desistirão dos compromissos assumidos e procurarão se qualificar sempre, sobretudo através do autoconhecimento e do estudo, para executar as tarefas com elevação. São aqueles que estão ousando no campo do bem, procurando sempre ser mais útil, sem tempo para a preguiça, e colherão naturalmente os bons frutos, porque superaram o obstáculo do comodismo. Na atualidade, temos que estar atentos porque a vida moderna nos oferta muitas comodidades, de tal sorte que tenderemos a descansar em demasia, viajar demais, ficar em casa usufruindo com exagero das facilidades e dos confortos, tudo em prejuízo do nosso progresso espiritual. Jesus disse que o Pai trabalha e que Ele também sempre estará a serviço do amor, portanto, não negligenciemos os tesouros do

Na atualidade, temos que estar atentos porque a vida moderna nos oferta muitas comodidades, de tal sorte que tenderemos a descansar em demasia, viajar demais, ficar em casa usufruindo com exagero das facilidades e dos confortos, tudo em prejuízo do nosso progresso espiritual.

corpo físico e das horas, realizando sempre a serviço da vida e do amor. Thereza de Brito encerra a citada lição, orientando-nos da seguinte forma: “Acorda e saia dessa nociva esteira. Ore e busque o Senhor, que trabalha sempre, como o Pai. Ilumine-se com o alentado ensejo que a vida lhe oferece, e quando perceber que já não tem gosto, nem disposição, para a realização do bem em você mesmo, busque, imediatamente, o socorro médico ou a assistência dos passes e da prece, pois, com toda certeza, você estará sob o contágio pertinaz de alguma doença ou debaixo de soez influenciação obsessiva”. r


PÁGINA 12

Setembro de 2015

O duplo etérico é um conceito espírita? Espiritismo requer estudo e pesquisa para ser bem compreendido. Alexandre Fontes da Fonseca

afonseca33@gmail.com

O

conceito de duplo etérico é controverso no meio espírita. Ele aparece em obras de autores respeitados como André Luiz, além de outros. De tanto falarem, muitos pensam que esse conceito é genuinamente espírita, mas a grande verdade é que ele não é, isto é, não foi definido nem por Kardec, nem pelos Espíritos. Na verdade, “duplo etérico” é um conceito esotérico. Ele é chamado de “Linga Sharira” e significa “na teosofia, o 3º princípio na constituição setenária do homem, que é levemente mais etéreo que o corpo físico (sthula sharira).”1 Em outras palavras, o “duplo etérico” seria um dos “sete corpos” do esoterismo. Para não dizer que Kardec nunca utilizou o termo “duplo etérico”, ele aparece uma única vez na questão 4 do item 128 do capítulo VIII do Livro dos Médiuns2: 4ª Dar-se-á que a matéria inerte se desdobre? Ou que haja no mundo invisível uma matéria essencial, capaz de tomar a forma dos objetos que vemos? Numa palavra, terão estes um duplo etéreo no mundo invisível

como os homens são nele representados pelos Espíritos? “Não é assim que as coisas se passam. Sobre os elementos materiais disseminados por todos os pontos do

Questões sobre como “filtramos” os fluidos, o que são “fluido vital”, “aura”, etc. não podem ser respondidas por um conceito de “duplo etérico” que não é espírita. Mas podem ser explicados por conceitos espíritas como o de princípio vital e fluido vital como se pode ver no item II da Introdução e cap. IV da primeira parte de O Livro dos Espíritos.

espaço, na vossa atmosfera, têm os Espíritos um poder que estais longe de suspeitar. Podem, pois, eles concentrar à sua vontade esses elementos e darlhes a forma aparente que corresponda

à dos objetos materiais.” (Grifo em negrito, meus). Da forma como Kardec faz a pergunta, é fácil perceber que ele considerava o conceito de “duplo etérico”, como a simples existência de um segundo corpo de natureza fluídica, assim “como os homens são nele representados pelos Espíritos”. Ou seja, “duplo etérico” não é nem “camada” nem “corpo” do perispírito. Questões sobre como “filtramos” os fluidos, o que são “fluido vital”, “aura”, etc. não podem ser respondidas por um conceito de “duplo etérico” que não é espírita. Mas podem ser explicados por conceitos espíritas como o de princípio vital e fluido vital como se pode ver no item II da Introdução e cap. IV da primeira parte de O Livro dos Espíritos (LE)3. Vejam que os Espíritos, na questão 628 do LE, afirmaram que são os conceitos espíritas que tem que explicar os conceitos esotéricos, e não o contrário. A Espiritualidade tem insistido na valorização de nossos estudos pelo Espiritismo. Veja,

por exemplo, trechos inteiros de mensagens de Bezerra e Camilo, pela mediunidade de Chico Xavier, Divaldo P. Franco e Raul Teixeira, transcritos na parte final do artigo intitulado “A Pureza Doutrinária e a Ciência” publicado em O Consolador4. Aqui, encerramos com as seguintes palavras de Eurípedes Barsanulfo:5 “Continuamos convosco, renovando nossos mais sinceros votos de um trabalho fervoroso, comprometido, idealista, estudado, dissecado, meditado, instruído, amadurecido, balizado, abençoado e, sobretudo, incrustado em Allan Kardec!” (grifos em negrito, meus). r 1. Tirado do link da Wikipedia: http:// pt.wikipedia.org/wiki/Linga_sharira. 2. KARDEC, A. O Livro dos Médiuns. Editora FEB, 62ª Edição, Rio de Janeiro (1996). 3. KARDEC, A. O Livro dos Espíritos. Editora FEB, 76ª Edição, Rio de Janeiro (1995). 4. FONSECA, A. F. “A Pureza Doutrinária e a Ciência”, O Consolador 319 (2013), link de acesso: http://www.oconsolador. com.br/ano7/319/especial.html. 5. Mensagem psicografada pelo médium Emanuel Cristiano na noite de 20/04/2014 no Centro Espírita “Allan Kardec” de Campinas/SP.

Atualidade de Kardec – Força da lógica espírita

S

eria fazer uma ideia bem falta do Espiritismo crer que ele haure sua força na prática das manifestações materiais e que assim, entravando essas manifestações, pode-se miná-lo em suas bases. Sua força está em sua filosofia, no apelo que faz à razão e ao bom senso. (...) Fala uma linguagem clara, sem ambiguidade. Nele, nada há de místico e de alegorias suscetíveis de falsas interpretações. Ele quer ser compreendido por todos, porque é chegado o tempo de fazer o homem compreender a verdade. Longe de se opor à difusão da luz, a quer para todos. Não reclama uma crença cega, mas quer que saiba porque se crê. Apoiando-se sobre a razão, será sempre mais forte do que aqueles que e apoiam sobre o nada. r Item VI da Conclusão de O Livro dos Espíritos


PÁGINA 13

Setembro de 2015

“Avogelização” Uma experiência inédita! Da revista eletrônica O Consolador

www.oconsolador.com.br

E

ntrevistamos Lúcia Ortiz, de São Carlos (SP), vinculada à Obreiros do Bem, que vem se dedicando à inédita experiência da “avogelização”. A íntegra da entrevista será ainda publicada na revista eletrônica O Consolador – www.oconsolador.com.br , mas trazemos aos leitores trechos parciais de suas respostas. Lúcia é Doutora em História da Ciência, é natural de São Paulo e coordena o departamento de família e de assistência social da entidade onde atua. 1) O que é avogelização? Trata-se de uma extensão do Setor de Evangelização às pessoas idosas, em atividades programadas no mesmo horário destinado aos demais grupos já em funcionamento. (...) O objetivo geral é estabelecer uma rede de apoio mútuo e acolhimento, de valorização das pessoas mais velhas e de reflexão conjunta e construtiva sobre temas e preocupações comuns nessa fase da vida (...). 5) Qual o perfil dos participantes? O perfil dos participantes até o momento são senhoras, não necessariamente viúvas mas em estado de solidão. Até o momento, não tivemos a visita de nenhum senhor. (...) 7) De sua experiência já acumulada, o que gostaria de transmitir aos leitores?

Gostaria de provocar com alguns questionamentos: a) Sabemos lidar bem com esse contingente envelhecido?

b) De maneira geral, atendemos algumas prioridades dessa população? (...) c) Qual a visibilidade do idoso no Centro Espírita? (...)

Aos pais, às mães, evangelizadores e professores

9) Suas palavras finais Nosso trabalho está completando seus primeiros seis meses de vida e vem sendo ministrado pelos psicólogos espíritas Almir Del Prette e Zilda A. P. Del Prette, e pela senhora Maria José Castilho. Segundo Almir, “a Avogelização é uma classe que agrupa os idosos interessados em conversar, aprender e cooperar em atividades no Centro, na família e na comunidade. (...)”. (...). r

G. E. Seara do Mestre

Site e facebook ampliam divulgação. claudia2704@gmail.com

Solicitamos a divulgação do endereço do site e do facebook de evangelização espírita. Vinculado ao site de evangelização (com apostilas gratuitas, histórias separadas por temas, aulas, ideias, técnicas, material para capacitação de evangelizadores e muito mais): www.searadomestre.com.br/evangelizacao. Foi criado no facebook um endereço com dicas, técnicas, ideias e aulas

para a evangelização espírita: www. facebook.com/evangelizacaoseara. Para colaborar com a divulgação da evangelização espírita, enviem para o e-mail claudia2704@gmail. com sugestões de técnicas e aulas que deram certo e que podemos compartilhar com outros evangelizadores através do site e facebook. Evangelização é o amor em ação!!!


PÁGINA 14

Setembro de 2015

Jovens questionam Inúmeros questionamentos que 31 escritores responderam. Grupo Espírita-Esperantista Pac-horo (Hora da Paz) e Assoc. Ed. Espírita F.V. Lorenz

E

m segunda edição, revista e ampliada, e participação especial de Marlene Nobre e Suely Caldas Schubert, o GEEP e a editora Lorenz disponibilizam a obra O Jovem Espírita Quer Saber que reúne questionamentos de mocidades espíritas de diversos estados do país e que dezenas de escritores respondem.Temas como liderança, evasão das mocidades espíritas, Internet, globalização, cidadania, Bullyng, namoro, sexo, homossexualidade, alimentação, drogas lícitas e ilícitas, timidez, depressão suicídio, gravidez na adolescência, entre outros fascinantes temas estão reunidos na

obra que surge em virtude do sucesso da primeira edição. Com Prefácio de Marcelo Teixeira na 1ª. edição e de Suely Caldas Schubert na 2ª. edição, a obra está com bonita capa e diagramação, apresentando-se no formato 17x24cm e com 232 páginas, traz síntese biográfica de Leopoldo Machado e também a letra da conhecida Canção da Alegria Cristã. Ilustrado, o livro surge em momento oportuno na história do movimento espírita nacional, face aos desafios da atualidade – especialmente para a juventude –, e diante

Dois ônibus para Guaxupé Várias cidades se unem para o tradicional evento mineiro. Redação

institutocairbarschutel@gmail.com

C

omo vem ocorrendo há vários anos, quase há uma década, diferentes grupos de várias cidades organizam-se em caravanas para participação no Encontro Chico Xavier, que sempre ocorre no último fim de semana de julho de cada ano, em Guaxupé (MG). Em carros, vans e ônibus fretados ou viagem individual, vários amigos se encontram e se reencontram para o esperado momento de alegria, estudo e confraternização, na saudável acolhida dos mineiros de Guaxupé. Matão tem organizado caravana com ônibus fretados há vários anos e em 2015 fomos com dois ônibus completos, com participantes de Araraquara, São Carlos, Matão, Borborema, Boa Esperança do Sul, Dobrada, Mineiros do Tietê,Taquaritinga, Motuca e São José do Rio

Preto. Muitos foram pela primeira vez e outros já são veteranos, mas a alegria foi imensa e as repercussões muito positivas. No caso específico de Matão, havia representações

de várias instituições da cidade. E o evento, como de hábito, nunca deixa a desejar. Acolhimento, afeto, carinho, alegria, farta alimentação e uma programação esmerada. Com

da grandeza do conhecimento espírita, exposto de maneira clara pelas dezenas de conhecidos autores, articulistas e palestrantes do país. Pedidos podem ser feitos diretamente à Editora Lorenz pelo telefone 21 2450-4768 ou 2452-9039, pelo e-mail editora_lorenz@uol. com.br ou ainda nas distribuidoras. É sem dúvida obra para ser oferecida aos filhos adolescentes e jovens e farto material para debate em reuniões de estudos ou mesmo em eventos específicos para jovens. r

(...) reúne questionamentos de mocidades espíritas de diversos estados do país e que dezenas de escritores respondem.

impecável organização e laboriosa equipe o Encontro Chico Xavier motivou o surgimento do EAC – Encontro Anual Cairbar Schutel, já em sua 5ª. edição em 2015. E os participantes já solicitam nova excursão em 2016. Fique atento. Inscreva-se também para o próximo ano. E pense na hipótese de organizar uma caravana também de sua cidade. r


PÁGINA 15

Setembro de 2015

Ainda o Padre Germano Médium Chico Xavier psicografou expressivo conto do generoso espírito.

C

omo se sabe a notável Amália Domingo Soler (devotada espírita na Espanha) organizou o livro Memórias, que traz experiências do bondoso espírito Padre Germano e que foram ditadas por psicofonia. O prefácio da obra é de 1900, que está editada no Brasil por 3 editoras. O livro pode ser qualificado como muito emocionante e altamente instrutivo retratando episódios da vida desse religioso que consagrou-se a consolar os humildes e os oprimidos, sofrendo perseguições pelos ideais cristãos que defendia. Há pouco mais de dois anos, eu e Francisco Coelho, à época residindo em Matão, fizemos dezenas de palestras para divulgar a obra, contando casos das confissões ouvidas pelo sacerdote e transformadas em contos de muitos ensinos e reflexões, emocionando os leitores, face à humildade e sabedoria do bondoso espírito. Eis que em receita releitura do livro Trinta Anos com Chico

Xavier, de Clóvis Tavares – de larga e proveitosa convivência com o médium, com muitos aprendizados relatados na importante obra que precisa estar conosco novamente na divulgação de seu expressivo conteúdo –, deparo-me com a psicografia de um conto de Germano, em

1931 (li o livro de Clóvis há décadas, já não me lembrava), e que também foi publicado pela revista Reformador em 1932. E Clóvis nos premia com o valoroso conto em seu livro, intitulando o capítulo como Da mensagem do Padre Germano aos nossos dias. Não resisti ao desejo de motivar o leitor a reencontrar esse tesouro doutrinário. O livro de Clóvis, por si só, já é um tesouro doutrinário, enriquecido que está com várias situações vividas por Clóvis junto a Chico e seus exemplos de vida, além de várias psicografias e casos, onde também está a mensagem de Germano. Não deixe de ler, leitor. O aprendizado será intenso e emocionante. Ambas as capas que ilustram a presente matéria são de edição do I DE. As obras podem ser adquiridas diretamente no site da editora: www. idelivraria.com.br. r

Rio Claro (SP) recebe o espetáculo “Paulo e Estêvão”

E

m montagem da Cia. Mensageiros de Teatro, a USE Rio Claro promove o espetáculo “Paulo e Estêvão”, do extraordinário livro de mesmo nome, de Emmanuel/Chico Xavier. A data é 13 de setembro, domingo, às 19h30, no Teatro do Centro Cultural Roberto Palmari, em Rio Claro (SP). Com apoio da Secretaria Municipal de Cultura e patrocinadores, os ingressos antecipados estão a R$ 20,00 (no dia somente na bilheteria do Teatro e a R$ 30,00) e podem ser adquiridos em todas as instituições espíritas da cidade, Livraria Espírita Páginas de Luz ou Loja Clau Xerox. Informações: useirc@gmail.com ou pelo telefone 19 3533 5956. r

Orson Peter Carrara

orsonepeter92@gmail.com

O livro de Clóvis, por si só, já é um tesouro doutrinário, enriquecido que está com várias situações vividas por Clóvis junto a Chico e seus exemplos de vida, além de várias psicografias e casos, onde também está a mensagem de Germano. Não deixe de ler, leitor. O aprendizado será intenso e emocionante.


REMETENTE:

PÁGINA 16

Instituto Cairbar Schutel. Setembro de 2015

Caixa postal 2013

15997-970 - Matão-SP

Sábia advertência O Espiritismo é um campo de atividades difíceis. Herculano Pires

Extraído da contracapa de livro da Edicel.

N

ão se pode exercer qualquer atividade sem primeiro aprender o que ela é, qual sua finalidade, quais são suas regras, quais as dificuldades e inconvenientes que devem ser evitados. Para fazer as coisas mais simples, temos de aprender a fazê-las e adquirir treinamento na prática. Mas, quando se trata de Espiritismo, muita gente pensa que basta assistir umas sessões para poder fazer tudo e dentro de pouco tempo tornar-se mestre no assunto. Entretanto, o Espiritismo, como ensinava Kardec, é um campo de atividades difíceis (...), exigindo dos

seus praticantes conhecimento seguro de sua natureza e finalidade, de suas possibilidades e dificuldades. Por isso muita gente fracassa na prática espírita, caindo em situa-

ções confusas, ensinando aos outros uma porção de coisas erradas, trocando as mãos pelos pés e escorregando sem perceber em obsessões e fascinações. (...) r

Tribuna do Espiritismo - setembro de 2015  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you