Page 1

ÓRGÃO MENSAL DE DIVULGAÇÃO ESPÍRITA PARA TODO O BRASIL • OUTUBRO DE 2015 • ANO 3 • Nº 25 • 19.000 EXEMPLARES • DISTRIBUIÇÃO GRATUITA www.institutocairbarschutel.org – www.associacaochicoxavier.com.br

10 medidas

Foto: http://pontofinalmacau.wordpress.com

contra a corrupção Iniciativa do Ministério Público Federal movimenta o país. Veja páginas 4 e 5.

Divaldo Franco

EAC em Matão

Médium e expositor Divaldo Franco estará em Araras no dia 22 de novembro falando sobre “Autodescobrimento”.

Encontro Anual Cairbar Schutel ratifica sucesso e, em sua 5ª edição, reúne cerca de 800 pessoas.

Página 9

Fechamento autorizado Pode ser aberto pela ECT

Página 14

Veja o álbum de fotos do Encontro Anual Cairbar Schutel (EAC) 2015

Acesse: www.institutocairbarschutel.org


Outubro de 2015

Editorial

Sempre com Kardec

O

utubro sempre lembra o aniversário de Hippolyte Léon Denizard Rivail que, ao codificar o Espiritismo, ficou conhecido com o pseudônimo de Allan Kardec. Rivail nasceu no dia 03 de outubro de 1804 e em 18 de abril de 1857 oferece ao planeta a obra fundamental que deu origem ao Espiritismo, legando à humanidade uma obra educativa de alcance incomparável na orientação dos caminhos humanos. De seu trabalho organizador surgiram inúmeros esforços pela divulgação do Espiritismo. O recente EAC, realizado em Matão (SP), com quase 800 participantes, é uma dessas iniciativas de união e trabalho, no caso inspirado pelo ideal de um grande nome do Espiritismo: Cairbar Schutel, a quem muito devemos pelo exemplo de humildade e trabalho em favor do bem. Aprecie a presente edição, com grande destaque para o Codificador e outras matérias que vão prender a atenção do leitor. Afinal o objetivo da publicação é exatamente divulgar o Espiritismo, sempre com a lucidez de Kardec a orientar os caminhos. r

PÁGINA 2

A busca do êxito Texto de André Luiz traz grande compreensão. Aylton Paiva

paiva.aylton@terra.com.br

O

uvia um programa de televisão e o comentarista falava sobre os meios e recursos para se alcançar pleno sucesso na vida. E para ele sucesso na vida limitava-se apenas à vida material. Fiquei meditando algum tempo como o pragmatismo egoísta envolve as pessoas e elas pensam apenas em ter coisas materiais. O êxito não é alcançável apenas por coisas materiais, que são importantes, mas, também, e sobretudo pelos valores espirituais. Não há dúvida de que todas as pessoas desejam o êxito, ou seja, encontrar o sucesso em suas realizações. Muitos são os caminhos, hoje, indicados para o sucesso. Já se tornou um dístico a frase: Não desista dos seus sonhos! O êxito é apresentado através de muitas formas. Mentalização do objetivo, orações miraculosas, confiar em si mesmo. Acreditar na “conspiração do universo” a seu favor. Pois é, porém para encontrar o êxito é preciso saber usar os elementos para tal. O instrutor André Luiz oferece as seguintes reflexões: “O êxito espera por você, tanto quanto, vem exaltando quanto lhes

alcançaram as diretrizes. Largue qualquer sombra do passado ao chão do tempo, qual a árvores que lança de si as folhas mortas. Não se detenha, diante da oportunidade de servir. Mobilize o pensamento para criar vida nova. Melhore os próprios conhecimentos, estudando sempre. Saliente qualidades e esqueças defeitos. Desenvolva os seus recursos de simpatia e evite qualquer impulso de agressão. Se você pode ajudar, em auxílio de alguém, faça isso agora. Enriqueça o seu vocabulário com boas palavras. Aprendendo a escutar, você saberá compreender. A melhor maneira de extinguir o mal será substituí-lo com o bem. Destaque os outros e os outros destacarão você. Viva o presente, agindo e servindo com fé e alegria, sem afligir-se pelo futuro, porque, para viver amanhã, você precisará viver hoje. Habitue-se a sorrir. Recorde que desalento nunca auxiliou a ninguém. Não permita que a dificuldade lhe abra porta ao desânimo porque a dificuldade é o meio de que a vida se vale para melhorar-nos em habilitação e resistência. Ampare-se amparando os outros. Censura é uma fórmula das mais eficientes para complicar-se. Abençoe a vida e todos os recursos da vida onde você estiver. Nunca desconsidere o valor da sua dose de solidão, a fim de aproveitá-la em meditação e rea-

juste das próprias forças. Observe: todo tempo é tempo de Deus para restaurar e corrigir, começar e recomeçar.” Nessas reflexões André Luiz não apresenta apenas elementos para o êxito na vivência da vida material. Os livros, artigos, vídeos apresentam, geralmente, meios para se conseguir o êxito na vida material, que se traduz por dinheiro, poder, prestígio e posse de bens materiais. Dentro de alguns anos eles desaparecerão ou estarão em outras mãos. Os elementos mentais e espirituais que ele apresenta se projetam também pela continuidade da vida, na sua dimensão espiritual, com base nos princípios de equilíbrio, justiça e amor. Assim ele apresenta os ingredientes do êxito duradouro: não alimentar pensamentos negativos, trabalhar, criar vida nova, melhorar os conhecimentos, saber enxergar qualidade no “outro”, aprender a escutar, substituir o mal pelo bem, viver o presente sem se afligir com o futuro, sorrir, não desanimar, ajudar o “outro”, não desanimar, não destacar apena o “negativo”, abençoar a vida, aproveitar a solidão para meditar e reequilibrar as próprias forças Alerta, por final, que todo tempo é de Deus e Ele no-lo dá para que possamos: corrigir, restaurar, começar e recomeçar. Vivenciando esse programa, como não ter êxito? Óbvio: é um desafio! Vale a pena enfrentar? Você decide! r


PÁGINA 3

Outubro de 2015

Preparando Educadores para um Novo Tempo Postura do educador tem expressivo papel. IBEM

O

Instituto Brasileiro de Educação Moral – IBEM, numa parceria inédita com a UNISUAM, realizará na cidade do Rio de Janeiro, nos dias 06 e 07 de novembro, o Fórum de Educação dos Países de Língua Portuguesa, com o tema central “Novos Rumos para a Educação”. Educadores do Brasil, Portugal, Moçambique, Cabo Verde, Angola, Guiné-Bissau, Timor-Leste, São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial, estarão reunidos para conhecer

educacao@educacaomoral.org

e debater experiências educacionais transformadoras. O evento é aberto a todos os educadores interessados: professores, gestores escolares, coordenadores pedagógicos, supervisores escolares, orientadores educacionais, pedagogos, estudantes de pedagogia, educadores sociais e demais interessados. Teremos a participação confirmada do Prof. José Pacheco, que é Doutor em Educação, e inovou o ensino na famosa Escola da Ponte,

em Portugal, e que agora faz parte do Projeto Âncora, na cidade de Cotia, no estado de São Paulo. José

O Fórum de Educação tem por objetivos promover a sensibilização dos educadores para a necessidade de novos paradigmas na educação, com ênfase em metodologias transformadoras; definir e conceituar uma nova escola; destacar os valores humanos como base do processo educacional na formação do ser; esclarecer sobre as novas metodologias e apresentar atividades práticas para aplicação em sala de aula.

Veja o que o IBEM está fazendo Educação a distância De qualquer parte do Brasil professores, diretores escolares, coordenadores pedagógicos, estudantes de pedagogia, pais e educadores em geral podem estudar com o IBEM. È só acessar www.educacaomoral. org, escolher o(s) curso(s) oferecidos e fazer sua matrícula. Os cursos possuem 30 horas/aula e são realizados em 4 semanas. Ao final o IBEM faz a entrega do Certificado. Matrículas abertas para as turmas do mês de Outubro. Programa Vivendo Sempre em Paz É um programa oferecido gratuitamente para as Escolas e Organizações Sociais, distribuindo Cadernos de Atividades Educacionais sobre a Paz, que são autoaplicáveis pelos educadores. Os Cadernos trazem atividades para a sala de aula, textos para reflexão e jogos educacionais, tudo voltado para a cultura da paz. E não há necessidade de cadastro. Basta entra no site do IBEM e baixar os cadernos. Contato Conheça o trabalho do IBEM em www.educacaomoral.org. Somos uma rede interativa de educadores trabalhando por uma nova educação. Faça contato através do e-mail educacao@educacaomoral. org, ou pelo telefone (21) 3439-0665. Também estamos no Facebook. Atendemos Escolas, Secretarias de Educação e Organizações Sociais de todo o Brasil. r

Programação completa pode ser conferida em:

www.educacaomoral.org. Pacheco concedeu entrevista exclusiva, cuja leitura pode ser feita em http://www.unisuamnews.com.br/ prof-jose-pacheco-um-mestre-esua-nobre-missao. Também participarão do Fórum os educadores Ronaldo Gomes e Marcus De Mario, representando o IBEM, e que vão mostrar o projeto da Escola do Sentimento; e as educadoras Aparecida Nunes e Cláudia Duque, que vão encantar a todos com as atividades desenvolvidas pelo Centro Educacional Conhecer, da cidade de Leopoldina, no estado de Minas Gerais. A programação completa, que contempla palestras, exibição de vídeos e um pinga-fogo (perguntas e respostas com os palestrantes), pode ser conferida em www.educacaomoral.org.

Em novembro, esteja conosco na cidade maravilhosa do Rio de Janeiro. Reserve logo sua vaga. Os dias 06 e 07 de novembro reservam oportunidade única para todos os que fazem a educação. Informações e inscrições em www.educ ac aomoral.org, ou pelo telefone (21) 3439-0665, ou ainda pelo e-mail educacao@ educacaomoral.org. r

As educadoras Aparecida Nunes e Cláudia Duque vão encantar a todos com as atividades desenvolvidas pelo Centro Educacional Conhecer, da cidade de Leopoldina-MG.


PÁGINA 4

Outubro de 2015

As 10 medidas contra a corrupção Ministério Público Federal apresentou proposta. Redação

institutocairbarschutel@gmail.com

S

em vínculo partidário o momento difícil do país, q u e v i ve e m e s s ê n c i a grande crise moral, despertou iniciativa que merece ser conhecida. Para isso entrevistamos Tiago Cintra Essado, que é Promotor de Justiça, natural de Franca e residente em Rio Claro, ambos municípios paulistas. Presidente da Associação Jurídico-Espírita do Brasil suas

respostas oferecem farto material para reflexão. 1 - Como surgiu a iniciativa do MPF sobre as 10 medidas contra a corrupção? O MPF (Ministério Público Federal) apresentou este pacote de medidas a partir do desenvolvimento dos trabalhos da Operação Lava Jato, que apura desvios de verbas da Petrobrás. Ao lado da Polícia

Federal, é a instituição responsável pela condução dos trabalhos de acusação deste caso, que apura, em essência, a corrupção. 2 - Ela segue o modelo da Ficha Limpa? Exatamente. Busca-se coletar 1,5 milhão de assinaturas para viabilizar a deflagração de projetos de lei decorrentes das 10 medidas

contra a corrupção. Nesse aspecto, isso é muito interessante, pois ressalta a força popular no ambiente político. A iniciativa popular é um relevante instrumento na democracia brasileira, a permitir o início de projetos de lei a partir da manifestação do povo. 3 - Em termos práticos elas trariam benefícios sociais? Como? O pacote é amplo e por isso há medidas interessantes e outras não. Mas vejo com muito bons olhos a ênfase dada na educação, ampliando a conscientização popular sobre este mal social – a corrupção – que em síntese significa a ausência de ética e de respeito a próximo. Uma das medidas

Visite o site das 10 medidas

www.combateacorrupcao.mpf.mp.br/10-medidas pretende viabilizar o investimento de 10 a 20% dos recursos da Administração Pública para ações de marketing sobre os malefícios advindos da corrupção. 4 - O que é preciso para sua aprovação? E quais os trâmites? É preciso que haja a adesão de, no mínimo, um por cento do eleitorado nacional, distribuído em 5 Estados, e não menos de três décimos por cento dos eleitores destes Es-


PÁGINA 5 tados. Com isso, apresenta-se o projeto de lei na Câmara dos Deputados, que seguirá as fases de todos os projetos de lei, ou seja, discussão sobre a constitucionalidade, o impacto financeiro, a

A corrupção tem um viés moral e espiritual, logo há uma cultura da corrupção permeada pelo tecido social. Medidas repressivas são importantes, entre elas a recuperação do patrimônio desviado e angariado a partir da corrupção.

votação tanto na Câmara quanto no Senado Federal, até o apreço pelo Presidente do Executivo. 5 - Se pudesse fazer uma síntese desse conjunto de 10 medidas, para

Outubro de 2015 melhor entendimento do leitor, como seria? As medidas buscam dar ênfase a medidas preventivas, entre elas como disse, ampliar as ações de marketing sobre o assunto, estabelecer um prazo de duração dos processos envolvendo casos de corrupção e também a implementação de ações de verificação da integridade de servidores públicos, simulando tentativas de corrupção. Essa última nos parece fora de propósito. Busca a criminalização do enriquecimento ilícito do agente público, o aumento de penas para os crimes de corrupção, a responsabilização dos partidos políticos pelo denominado “caixa 2”, a prisão preventiva para permitir a devolução do dinheiro desviado e a recuperação do lucro do crime. 6 - Qual delas lhe parece a mais sugestiva e mais importante? Algumas nos parecem essenciais, sobretudo a partir de uma visão espírita, como é o caso das

ações educativas. A corrupção tem um viés moral e espiritual, logo há uma cultura da corrupção permeada pelo tecido social. Medidas

A iniciativa do MPF tem a importância de conclamar a sociedade civil a uma maior conscientização sobre o problema da corrupção, cuja solução não está apenas no plano das leis. É fundamental que a sociedade vigie, controle, não incida em práticas de corrupção, desde pequenos atos a grandes desvios.

repressivas são importantes, entre elas a recuperação do patrimônio desviado e angariado a partir da corrupção. Nesses crimes o móvel é o lucro. Prender sem tirar o patrimônio amealhado não nos parece a melhor receita. 7 - De sua visão espírita e jurídica, o que gostaria de destacar? A iniciativa do MPF tem a importância de conclamar a sociedade

civil a uma maior conscientização sobre o problema da corrupção, cuja solução não está apenas no plano das leis. É fundamental que a sociedade vigie, controle, não incida em práticas de corrupção, desde pequenos atos a grandes desvios. 8 - De sua experiência jurídica, à luz do ensino espírita, o que merece maior atenção, pensando no conteúdo do Espiritismo? A sociedade brasileira está tendo uma oportunidade de amadurecimento no campo dos valores éticos-morais. Criticar é fácil. O difícil é construir. Daí a relevância de, para além do discurso, efetivamente buscarmos um agir ético em todas as nossas tarefas sociais, no lar, no trabalho, na casa espírita e na comunidade em geral. É a hora de colocarmos em prática o respeito ao próximo. 9 - Palavras finais A união neste momento é fundamental. A luta contra a corrupção é uma luta contra o egoísmo, contra o materialismo e a crença numa sociedade onde há espaço para todos, independentemente das posições. Daí a importância de nos conscientizarmos sobre o valor da ação correta, digna e coerente com princípios e padrões éticosmorais. Que possamos fazer a nossa parte. r


PÁGINA 6

Outubro de 2015

Aflições Elas são sim oportunidade para reflexão. Alan Diniz

alan_diniz@terra.com.br

V

amos vivendo um dia depois do outro e muitas vezes deixamos nos levar pela rotina. Talvez você não goste de todo da sua rotina, mas se acostuma. Talvez por estar sobrecarregado não queira mudar, talvez por estar deixando a vida te levar não esteja preparado para uma perturbação do seu modo atual de viver e quando isso acontece, aflição!

Estar aflito: que ou o que está com aflição ou angústia; preocupado, torturado, que ou quem está muito ansioso; agoniado, inquieto. Estar aflito não é bom, mas pode ser um excelente momento para refletir sobre sua vida. Jesus nos afirma “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” - João 16:33.

Às vezes fugimos da nossa vida vivendo a vida do outro. Vivemos para um marido ou uma esposa, vivemos para um filho, vivemos nos personagens de livros e novelas criando, pelo menos temporariamente, um personagem fictício que gostaríamos de ser, vivemos para o trabalho ou adotamos um comportamento tal que justificamos até o que não fazemos para estar melhor. Quando chega a aflição somos obrigados a rever nosso comportamento, a rever nossos propósitos na vida, a rever nossos planos. Somos obrigados a criar, a transformar, a escolher novos caminhos, novos paradigmas. Na hora da aflição imagine que você está sendo convidado a recomeçar, a olhar de novo para aquilo que o está a afligir, a entender como chegou naquele ponto. Como Jesus é “nosso guia e modelo”, Ele nos aponta nesta afirmação, do evangelho de João, que sofreu a aflição como nós, mas venceu através do Seu comportamento amoroso, dando a outra face, nos aponta o caminho a seguir, nos tornando ferramentas divinas de implantação de amor na Terra, nos tornando dóceis ao comando divi-

no, que sempre nos envolve com carinho e atenção nos colocando onde mais precisamos estar, não necessariamente onde gostaríamos, mas como Jesus fazendo a vontade de nosso pai. Segundo um anjo guardião em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, o verdadeiro mérito perante as provas consiste em sofrê-las, sem murmurar nas consequências dos males que lhe não seja possível evitar, em perseverar

Quando chega a aflição somos obrigados a rever nosso comportamento, a rever nossos propósitos na vida, a rever nossos planos. Somos obrigados a criar, a transformar, a escolher novos caminhos, novos paradigmas.

na luta, em se não desesperar, se não é bem sucedido. Não adianta nos isolarmos das pessoas para evitarmos as aflições, só estaremos fugindo de nós mesmos. Vamos permitir a aflição quando ela chegar, façamos a nossa parte, quebrando nosso orgulho, permitindo que a dor da injúria, da calúnia, do amor próprio ferido e humilhação o elevem a Deus, com muita fé, de que ele sabe o que é melhor para cada um de nós. r


PÁGINA 7

Outubro de 2015

A cura pelo magnetismo humano Capacidade pode ser utilizada por todos. Marildo Campos Brito 36odliram@gmail.com

S

egundo pesquisas realizadas desde o ano de 2000 como tema de mestrado pelo pesquisador Ricardo Monezi, e com estudos desenvolvidos recentemente pela USP (Universidade de São Paulo) conjuntamente com a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) comprovaram que a energia liberada pelas mãos tem o poder de curar qualquer tipo de mal-estar. E percebemos desta forma que o meio acadêmico e cientifico, a cada dia, vem investigando e demonstrando o que Jesus de Nazaré e seus seguidores já ministravam largamente em seu tempo, ou seja, a imposição de mãos, procurando aliviar e curar enfermos de toda procedência; como podemos perceber nestes dois exemplos narrados dos muitos que encontramos no Novo Testamento:- “E aconteceu estar de cama enfermo de febre e disenteria o pai de Públio, que Paulo foi ver, e, havendo orado, pôs as mãos sobre ele, e o curou.” (Ats 28:8). “Um surdo-mudo pedia para que Jesus pusesse a mão sobre ele para o curar.” (Marcos VII, 31 a 37). Portanto, a terapêutica utilizada pelos recursos das mãos, não só

remonta a mais alta antiguidade, como também, famosos e eminentes magnetizadores como barão de Du Potet, Jean de La Fontaine, Franz Anton Mesmer, Marquês de Puységur dentre outros, possibilitaram abrir os caminhos para o espiritismo, contribuindo positivamente com o trabalho que Allan Kardec desenvolveria mais

O Magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação; é pela fé que ele cura e produz esses fenômenos singulares, qualificados outrora de milagres.

poderá se desenvolver através do exercício constante e da vontade continuada, que passará a ser aumentada e melhor direcionada por bons espíritos que se interessará pelo magnetizador e o seu doente. Como uma das verdadeiras forças da natureza, regida por sábias leis do universo, foi o que o mestre Allan Kardec, igualmente na condição de magnetizador veio a afirmar categoricamente em O Evangelho Segundo o Espiritismo: [...] O Magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação; é pela fé que ele cura e produz esses fenômenos singulares, qualificados outrora de milagres. E se todos os encarnados estivessem bem persuadidos da força que

tarde através de suas obras. E por encontrarem-se nos mais diversos povos de culturas e religiões diferentes, independente da fé que sustentem, de métodos e técnicas que venham a aplicar, sabe-se que todo o ser humano, é dotado de uma menor ou maior capacidade de energia anímica, oriunda de seu próprio organismo, denominado como magnetismo animal, que

EM PORTO ALEGRE (RS)

têm em si, e se quisessem pôr sua vontade a serviço dessa força, eles seriam capazes de realizar o que, até hoje, chamou-se prodígios, e que é simplesmente um desenvolvimento das faculdades humanas [...] E a partir do momento que compreendermos que somos seres dotados e capazes de doarmos esta energia magnética em favor do nosso próximo, com intenção de promover-lhe a saúde e o reequilibrio fisico e perispiritual, estabelecendo uma ação continua no bem, colheremos sem dúvida, positivos e promissores resultados nesse sentido, sem contudo ficarmos acomodados e imaginando indefinidamente, de que o passe aplicado nas casas espíritas, seja sempre de total e exclusiva responsabilidade dos bons espíritos, que ali estão sim para secundar-nos e ajudar com os seus fluídos mais sutis, mas sem que, possamos jamais prescindir de fazer a nossa parte; conforme a sábia exortação de Jesus através de seus ensinamentos. “Ajuda-te! Que o céu te ajudará”. r


Outubro de 2015

Qualidade da reunião mediúnica Responsabilidade maior é dos integrantes. Andres Gustavo Arruda andres.gustavo57@hotmail.com

D

entre as atividades desenvolvidas numa Casa Espírita, a reunião mediúnica afigura-se de vital importância para o progresso moral tanto de encarnados como de desencarnados, dado o seu caráter essencialmente educativo. Consistindo em reunião terapêutica de enfermagem e assistência espiritual, e, ao mesmo tempo, de desenvolvimento mediúnico, exige do grupo de trabalhadores encarnados conhecimento aprofundado dos postulados espíritas, evitando-se, dessa forma, desvios doutrinários que tantos inconvenientes causam a prática da mediunidade com Jesus. De acordo com Manoel Philomeno de Miranda1: “[...] cabem aos membros reencarnados as responsabilidades e ações bem definidas, para que o conjunto se movimente em harmonia e as comunicações fluam com facilidade e equilíbrio. Todo o conjunto é resultado de interdependência, de um como do outro seguimento, formando um todo harmônico.” Nessa mesma linha, em relação às responsabilidades dos encarnados, leciona o Codificador2:

“[...] toda pessoa que entra numa reunião leva consigo os Espíritos que lhe são simpáticos. Segundo o seu número e a sua natureza, esses companheiros podem exercer sobre a reunião e sobre as comunicações uma influência boa ou má. Uma reunião perfeita seria aquela em que todos os membros, animados pelo mesmo amor pelo bem, só levassem consigo Espíritos bons. “Na falta da perfeição, a melhor reunião será aquela em que o bem supere o mal[...]Uma reunião é um ser coletivo cujas qualidades e propriedades são a soma de todas

(...) grupos onde prevalecem as disputas mesquinhas sobre quem é o médium principal (?), quem recebe o Espírito mais elevado, etc., tendem a cair no desfiladeiro das obsessões, mormente na obsessão por fascinação (...).

as dos seus membros, formando uma espécie de feixe. Ora, esse feixe será tanto mais forte quanto mais homogêneo.” (o grifo é nosso.) Ressaltemos, por oportuno, que é imprescindível que os membros do grupo mantenham bom relacionamento, a fim de manter a harmonia vibratória. Assim, grupos onde prevalecem as disputas mesquinhas sobre quem é o médium principal (?), quem recebe o Espírito mais elevado, etc., tendem a cair no desfiladeiro das obsessões, mormente na obsessão por fascinação – a mais difícil de ser tratada –, na qual não nos damos conta de que estamos sofrendo domínio pernicioso de entidades espirituais reivindicadoras.

PÁGINA 8 Daí porque é preciso que aja confiança entre o dirigente e todos os outros membros do grupo, consolidando, assim, uma relação de transparência, que, em nível de grupo mediúnico, não pode faltar, pois é dever dos que observam atitudes doutrinariamente inadequadas dos companheiros alertá-los, de sorte que o amor não prescinde da advertência, quando esta se fizer necessária. Já dizia o filósofo Friedrich Nietzsche: “Todas as verdades não ditas acabam se tornando criminosas”. Procuremos, pois, manter a qualidade de nossas reuniões mediúnicas, levando para elas o nosso melhor, espiritual, intelectual e moralmente falando. r 1. Página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na reunião mediúnica da noite de 28 de agosto de 2007, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia. Publicada em Reformador. Rio de Janeiro: FEB. Ano125. N.º 2.144. Novembro 2007, p. 414-416. 2. O Livro dos Médiuns, segunda parte – Cap. XXIX, Reuniões e Sociedades.


?????????

otica veja


Outubro de 2015

repetitiva que executávamos sem muito bem saber por quê. No livro Ética e vergonha na cara, do filósofo, educador e palestrante Mário Sérgio Cortella e do advogado, jornalista e professor universitário Clóvis Barros Filho, nos deparamos logo no primeiro capítulo, “A ética da conveniência”, com uma história interessante narrada por Cortella.

estava a pouca distância da linha de chegada e, confuso com a sinalização, parou para posar para fotos pensando que já havia cumprido a prova. Logo atrás vinha outro corredor, o espanhol Iván Fernández Anaya. E o que fez ele? Começou a gritar para que o queniano ficasse atento, mas este não entendia que não havia ainda cruzado a linha de chegada. O espanhol, então, o empurrou em direção à vitória. “Bom, afora o ato incrível de fair play, há uma coisa maravilhosa que aconteceu depois. Com a imprensa inteira ali presente, um jornalista, aproximando o microfone do corredor espanhol, perguntou: ‘Por que o senhor fez isso?’. O espanhol replicou: ‘Isso o quê?’. Ele não havia

“(...) Gostaria de iniciar este nosso bate-papo lembrando um fato que ocorreu no final de 2012, em Navarra, Espanha, e que tomou proporções consideráveis ao ser divulgado. “Em uma corrida de crosscountry, o queniano Abel Mutai, medalha de ouro nos três mil metros com obstáculos em Londres,

entendido a pergunta (...), pois não pensou que houvesse outra coisa a ser feita que não aquilo que ele fez. O jornalista insistiu: ‘Mas por que o senhor fez isso? Por que o senhor deixou o queniano ganhar?’. ‘Eu não o deixei ganhar. Ele ia ganhar’. O jornalista continuou: ‘Mas o senhor podia ter ganho! Estava na regra, ele não notou...’. ‘Mas qual

Você é corruptível? Tema está também nas pequenas ocorrências. Cássio Leonardo Carrara

cassiocarrara@gmail.com

O

tema “corrupção” parece ser inesgotável. Idas e vindas, de tempos em tempos, apenas com mudanças de local, personagens e motivações. Nos últimos meses, em especial, temos acompanhado denúncias infindáveis no Brasil envolvendo nomes importantes da política nacional. Ninguém parece estar a salvo! Fujam para as colinas!

Todo momento de crise profunda suscita, porém, uma reflexão; e refletindo sobre as atitudes dos outros, mas também sobre as nossas próprias – quem nunca foi corruptível que atire a primeira pedra –, temos a oportunidade de mudar o ângulo de visão sobre determinado assunto. Podemos crescer, evoluir, sair do conforto a que nos habituamos e mudar o ritmo da martelada

PÁGINA 10


PÁGINA 11 seria o mérito da minha vitória, qual seria a honra do meu título se eu deixasse que ele perdesse?’. E continuou, então, dizendo a coisa mais bonita que eu li envolvendo a questão da ética do cotidiano: ‘Se eu ganhasse desse jeito, o que ia falar para a minha mãe?’.” Tão rara foi a atitude do corredor espanhol que muitos o tomariam por tolo, deixando passar a oportunidade mais clara de alcançar a vitória. Vemos, no entanto, um grande exemplo de honestidade, essa sim ainda mais em falta nos diversos relacionamentos entre os seres humanos. “Qual seria o mérito da minha vitória?”, pergunta Anaya. Como ele poderia encarar a própria mãe quando ela soubesse que ele usou de artifícios ilegais para con-

Outubro de 2015 seguir o que tanto ansiava. Com certeza não foi essa a educação que recebeu, e ele tinha plena consciência disso, pois mais do que ouvir os conselhos da mãe, internalizou nas próprias atitudes e não se deixou corromper, mesmo diante de uma facilidade tão evidente. O grande obstáculo para agirmos de acordo com os ensinamentos que sabemos serem corretos está no nosso próprio egoísmo. Quantas não são as situações em que “tiramos vantagem” de algo ou alguém para benefício próprio? Quando furamos a fila no cinema, estacionamos por cinco minutos na vaga destinada aos idosos ou não devolvemos o troco excessivo que o atendente de caixa nos repassou por engano, estamos atrasando o nosso próprio progresso

moral e alimentando ainda mais o egoísmo que insiste em habitar os nossos sentimentos. Allan Kardec aborda os espíritos sobre o egoísmo em O Livro dos Espíritos, do qual trazemos as respostas às questões 916 e 917: “(...) Os homens, quando se houverem despojado do egoísmo que os domina, viverão como irmãos, sem se fazerem mal algum, auxiliandose reciprocamente, impelidos pelo sentimento mútuo da solidariedade. Então, o forte será o amparo e não o opressor do fraco e não mais serão vistos homens a quem falte o indispensável, porque todos praticarão a lei de justiça (...).” (916) “De todas as imperfeições humanas, o egoísmo é a mais difícil de desenraizar-se porque deriva da

influência da matéria, influência de que o homem, ainda muito próximo de sua origem, não pôde libertar-se e para cujo entretenimento tudo concorre: suas leis, sua organização social, sua educação. O egoísmo se enfraquecerá à proporção que a vida moral for predominando sobre a vida material e, sobretudo, com a compreensão, que o Espiritismo vos faculta, do vosso estado futuro, real e não desfigurado por ficções alegóricas.” (917) Portanto, procuremos sempre lutar contra as tentações a que frequentemente somos submetidos, enxergando o mal que provocamos aos outros pelo benefício que proporcionamos a nós mesmos. Cultivar esse tratamento igualitário é enriquecer-se moralmente. r


PÁGINA 12

Outubro de 2015

Homenagem a Kardec No mês de nascimento do Codificador – que nasceu em 03 de outubro de 1804, extraímos respostas de Richard Simonetti em transcrição do site do autor. Richard Simonetti

richardsimonetti@uol.com.br

01

– Se estabelecêssemos contato com Kardec, por manifestação mediúnica, o que poderia sugerir para completar sua obra? No que há de fundamental a doutrina espírita está inteira, contida nas obras básicas. Provavelmente sua preocupação seria ampliar a visão do mundo espiritual, como destaca… “é preciso que a vida futura não deixe no espírito nem dúvida, nem incerteza; que seja tão positiva quanto a vida presente, que é a sua continuação, do mesmo modo que o amanhã é a continuação do dia anterior. É necessário seja vista, compreendida e, por assim dizer, tocada com o dedo…” 02 – Qual o maior destaque em Allan Kardec? Há muitos méritos no maravilhoso trabalho do codificador da Doutrina Espírita. O grande destaque, talvez, seja o fato de ter instituído a fé racional, aquela “capaz de encarar a razão face a face, em todas as épocas”. 03 – Qual a abordagem que mais o sensibiliza?

A necessidade de exercitarmos o bem, procurando, no serviço prestado ao semelhante, o grande recurso para nos livrarmos do egoísmo, o sentimento gerador que aniquila todas as esperanças de felicidade e justiça social na terra, razão pela qual enfatizou que “fora da caridade não há salvação.” 04 – Qual a seria a sua metodologia para a disseminação da Doutrina Espírita de forma ef iciente e produtiva? A dedicação dos espíritas, compondo grupos atuantes a desenvolver serviços em favor de uma sociedade melhor, sensíveis às misérias humanas, união sustentada pela disposição em relevar limitações e falhas recíprocas, em empenho de “Trabalho, Solidariedade e Tolerância.” 05 – Como podemos corresponder às expectativas de Kardec, tornando-nos legítimos adeptos? Se o Espiritismo objetiva acelerar nossa evolução, estimulandonos à reforma íntima, certamente o codificador espera levemos em consideração que “reconhece-se o

verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que empregue no sentido de domar suas paixões”. 06 – Considerando a importância da prática mediúnica, que distingue o espiritismo, porta de contato com o mundo dos espíritos, o que Kardec esperaria de nós nesse mister?

Há muitos méritos no maravilhoso trabalho do codificador da Doutrina Espírita. O grande destaque, talvez, seja o fato de ter instituído a fé racional, aquela “capaz de encarar a razão face a face, em todas as épocas”.

O grande problema da prática mediúnica são os interesses escusos, vaidades e ambições a favorecer lamentáveis desvios, cumprindo-nos, por isso buscar garantias “na moralidade reconhecida dos médiuns e na ausência de todas

as causas de interesse material ou de amor-próprio que pudessem estimular-lhes o exercício das faculdades mediúnicas que possuam, porquanto essas mesmas causas podem levá-los a simular as que não possuem”. 07 – Qual o modelo que Kardec nos sugeriria para um comportamento compatível com os ideais doutrinários? Jesus, personalidade maior da humanidade, governador espiritual de nosso planeta. “Deus no-lo ofereceu como o mais perfeito modelo e a doutrina que ensinou é a expressão mais pura da lei do senhor, porque, sendo Ele o mais puro de quantos têm aparecido na terra, o Espírito Divino o animava” 08 – O que Kardec nos recomendaria hoje? Sem dúvida, assinaria embaixo a mensagem publicada em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, que tem por autor o espírito da verdade: “Espíritas, amai-vos, este o primeiro ensinamento; Instruí-vos, este o segundo”. r


PÁGINA 13

Outubro de 2015

Allan Kardec – o Codificador do Espiritismo

Missão de Allan Kardec

Data de 3 de outubro sugere homenagem.

“A missão dos reformadores está cheia de escolhos e de perigos e a tua é rude, disso te previno, porque é o mundo inteiro que se trata de agitar e de transformar.” - Espírito Verdade (Obras Póstumas) “Escrevo esta nota no dia 01/01/1867, dez anos e meio depois que esta comunicação me foi dada, e verifico que ela se realizou em todos os pontos, porque experimentei todas as vicissitudes que nela me foram anunciadas. Tenho sido alvo do ódio de implacáveis inimigos, da injúria, da calúnia, da inveja e do ciúme; têm sido publicados contra mim infames libelos; as minhas melhores instruções têm sido desnaturadas; tenho sido traído por aqueles em quem depositara confiança, e pago com a ingratidão por aqueles a quem tinha prestado serviços. A Sociedade de Paris tem sido um contínuo foco de intrigas, urdidas por aqueles que se diziam a meu favor, e que, mostrando-se amáveis em minha presença, me detratavam na ausência. Disseram que aqueles que adotavam o meu partido eram assalariados por mim com o dinheiro que eu arrecadava do Espiritismo. Não mais tenho conhecido o repouso; mais de uma vez, sucumbi; sob o excesso do trabalho, tem-se-me alterado a saúde e comprometido a vida. “Entretanto, graças à proteção e à assistência dos bons Espíritos, que sem cessar me têm dado provas manifestas de sua solicitude, sou feliz em reconhecer que não tenho experimentado um único instante de desfalecimento nem de desânimo, e que tenho constantemente prosseguido na minha tarefa com o mesmo ardor, sem me preocupar com a malevolência de que era alvo. Segundo a comunicação do Espírito Verdade, eu devia contar com tudo isso, e tudo se verificou.” - Allan Kardec

Transcrito do site www.institutoandreluiz.org

A

llan Kardec nasceu Hippolyte Léon Denizard Rivail, em 03 de Outubro de 1804 em Lyon, França, no seio de uma antiga família de magistrados e advogados. Educado na Escola de Pestalozzi, em Yverdum, Suíça, tornou-se um de seus discípulos mais eminentes. Foi membro de várias sociedades sábias, entre as quais a Academie Royale d’Arras. De 1835 à 1840, fundou em seu domicílio cursos gratuitos, onde ensinava química, física, anatomia comparada, astronomia, etc. Dentre suas inúmeras obras de educação, podemos citar: “Plano proposto para a melhoria da instrução pública” (1828); “Curso prático e teórico de aritmética (Segundo o método de Pestalozzi)”, para uso dos professores primários e mães de família (1829); “Gramática Francesa Clássica” (1831); “Programa de cursos usuais de química, física, astronomia, fisiologia”(LYCÉE POLYMATIQUE); “Ditado normal dos exames da Prefeitura e da Sorbonne”, acompanhado de “Ditados especiais sobre as dificuldades ortográficas (1849). Por volta de 1855, desde que duvidou das manifestações dos Espíritos, Allan Kardec entregou-se a observações perseverantes sobre esse fenômeno, e, se empenhou principalmente em deduzir-lhe as consequências filosóficas. Nele entreviu, desde o início, o princípio de novas leis naturais; as que regem as relações do mundo visível e do mundo invisível;

reconheceu na ação deste último uma das forças da Natureza, cujo conhecimento deveria lançar luz sobre uma multidão de problemas reputados insolúveis, e compreendeu-lhe a importância do ponto de vista religioso. As suas principais obras espíritas são: “O Livro dos Espíritos”, para a parte filosófica, e cuja primeira edição surgiu em 18 de Abril de 1857; “O Livro dos Médiuns”, para a parte experimental e científica ( Janeiro de 1861); “O Evange-

Por volta de 1855, desde que duvidou das manifestações dos Espíritos, Allan Kardec entregou-se a observações perseverantes sobre esse fenômeno, e, se empenhou principalmente em deduzir-lhe as consequências filosóficas.

lho Segundo o Espiritismo”, para a parte moral (Abril de 1864); “O Céu e o Inferno”, ou “A Justiça de Deus segundo o Espiritismo” (Agosto de 1865); “A Gênese, os Milagres e as Predições ( Janeiro de 1868); “A Revista Espírita”, jornal de estudos psicológicos. Allan Kardec fundou em Paris, a 1º de Abril de 1858, a primeira Sociedade Espírita regularmente

Destaque de Obras Póstumas

constituída, sob o nome de “Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas”. Casado com Amélie Gabrielle Boudet, não teve filhos. Trabalhador infatigável, desencarnou no dia 31 de março de 1869, em Paris, da maneira como sempre viveu: trabalhando. (“Obras Póstumas”, Biografia de Allan Kardec, edição IDE) r


PÁGINA 14

Outubro de 2015

Lar, o evento – que igualmente acolheu crianças, adolescentes e jovens – recebeu também a Banda Carta de Bordeaux, da capital paulista, motivando intensa par-

zaram o ambiente. Realizado na sede da SOREMA – tradicional clube da cidade – o EAC ocorre pela 5ª. vez e contou com a participação das editoras IDE (que completou 52 anos na data do evento) e CLARIM, inclusive com a distribuição gratuita da revista Dicas de Leitura, com reportagem sobre Cairbar, o Memorial, divulgando a RIE/ CLARIM e do próprio Instituto C Schutel e o do jornal Tribuna

ticipação juvenil, que em muitos momentos conduziu o evento, inclusive com apresentação dos palestrantes. Transmitido ao vivo pela Rede Amigo Espírita, o evento contou ainda com o brilho do CORO FRATER e do grupo PAZLHAÇADA, ambos de Matão (SP), que descontraíram e sensibili-

do Espiritismo. Álbum de fotos pode ser visualizado no site do Instituto. Acesse para ver: www. institutocairbarschutel.org . O tema central foi Um desafio chamado família. No final do evento foi lida mensagem de Cairbar Schutel, obtida por psicografi a durante o evento e que publicaremos na próxima edição. r

5ª. edição do EAC em Matão Quase 800 pessoas, de 59 cidades, participaram do evento. Redação

institutocairbarschutel@gmail.com

O

Encontro Anual Cairbar Schutel, de Matão (SP), de realização do Instituto Cairbar Schutel, reuniu centenas de pessoas num clima de alegria e gratidão, nos encontros e reencontros. Com palestras de Nazareno Feitosa (DF), Alessandro Viana

de Paula (SP), Ivana Raisky, Cintia Vieira e Bruno Raoni (GO), mais participação de Luiz Cláudio da Silva, Wilson Frungilo Jr, Fernando Arrobas, João Tiago Garcia, Reginaldo Córdoa, Eli Quaresma (SP) e grupo de Araraquara (SP), que dramatizou o Evangelho no

Cidades presentes no EAC São Paulo: Matão, Araraquara, Guarulhos, Ipuã, Uchoa, Botucatu, Borborema, Jaboticabal, Rio Claro, Taquaritinga, Bauru, Itápolis, São Carlos, São José dos Campos, Santo André, Avaré, Penápolis, Motuca, Campo Limpo Paulista, São Paulo, Itatiba, Mineiros do Tietê, Dobrada, Jaguariúna, Campinas, Barretos, São João da Boa Vista, Ourinhos, Catanduva, Orlândia, Ituverava, Amparo, Dourado, São Bernardo do Campo, Tabatinga, Piracicaba, São Joaquim da Barra, Monte Alto, Santópolis do Aguapeí, Boa Esperança do Sul, Morungaba, Cotia, Carapicuíba, Iracemápolis, Itapira, Santa Rita do Passa Quatro, Brotas, Araras, Rincão, Itapetininga e Atibaia. Minas Gerais: Guaxupé; Rio de Janeiro: Rio de Janeiro; Mato Grosso do Sul: Campo Grande; Goiás: Goiânia; Distrito Federal: Brasília.


PÁGINA 15

Outubro de 2015

Ensinos que ficam para sempre

Tropeços e desgostos Basta que o desejes e a vida te revelará múltiplos caminhos de reajuste e libertação.

Do valoroso capítulo Dificuldades e obstáculos.

Emmanuel

Cairbar Schutel

Extraído do livro “Mãos Unidas”, de Chico Xavier

Extraído parcialmente do livro O Espírito do Cristianismo

(...) Jesus nos assevera a impossibilidade de não haver tropeços na Terra, porque sendo o nosso mundo um dos mais atrasados do Sistema Planetário, sem os ´tropeços´ os homens não fariam a sua evolução. A evolução nasce da luta, do trabalho para a perfeição; e, para que haja luta, é necessário que haja tropeços; e, para que haja trabalho, é indispensável que este trabalho esteja por fazer. Nos planos morais e espirituais de nossa esfera sucede a mesma coisa que no plano material. Todos fomos criados simples e ignorantes, mas perfectíveis, dotados de inteligência para realizar a nossa perfeição, e, para termos o mérito da nossa elevação, é preciso

que esse trabalho seja feito por nós mesmos. (...) E para conseguir tudo isso, temos de lutar contra os ´tropeços´: lutamos contra as feras e vencemos as feras; lutamos contra as matas e vencemos as matas; lutamos contra as montanhas e vencemos as montanhas! (...) Assim também acontece na esfera moral como na espiritual. Nosso mundo vai se libertando sucessivamente das mazelas do passado. (...) Todo esse trabalho de destruição e edificação é uma luta contra ´tropeços´, que empreendemos e na qual os ´tropeços´ são vencidos. Todo o trabalho produz fadiga; toda a luta causa dor; mas é da luta e do trabalho que vêm a felicidade e a perfeição.” r

B

eneficência raramente observada: poupar aos outros a participação nos tropeços ou desgostos que nos afetem a vida. Pensa na inquietação que experimentas quando familiares e amigos te comunicam um problema pessoal, que não consegues resolver, e, tanto quanto possas, procura dissipar, por ti mesmo, as nuvens de aflição que, porventura, te ensombrem o campo íntimo. Para isso, entrega-te às tarefas novas, cuja execução se te faça compatível com as próprias forças e nas quais te reconheças útil aos demais. Se não poder efetuar, de imediato, semelhante esforço, desloca-te, pouco a pouco, do mundo mental menos ajustado ao encontro de atividades diferentes das obrigações rotineiras, suscetíveis de propiciarte refazimento ou renovação. A leitura de um livro edificante... Uma visita construtiva... O passo na direção daqueles que atravessam dificuldades maiores, no objetivo de auxiliá-los... O aprendizado de técnicas que enriqueçam a personalidade... Tudo o que deves esquecer, tanto aquilo que te compete lembrar, é de suma importância, não somente em socorro da restauração própria, como também no apoio à

essa beneficência genuína, em que o teu silêncio é valioso fator de imunização da paz, naqueles que te rodeiam, principalmente naqueles a quem mais amas. Se a criatura a quem confias no capítulo da perturbação ou da enfermidade não dispõe de recursos suficientes para melhorar-te a situação, a queixa em que extravasas é tão-somente um processo de amargurar os entes amados ou um meio de expulsá-los de teu convívio. Guarda o teu sofrimento e mostra-o unicamente àqueles amigos que te possam medicar com segurança, para não destruíres o apoio e a colaboração daqueles sobre os quais te sustentas. Basta que o desejes e a vida te revelará múltiplos caminhos de reajuste e libertação. Sai de ti mesmo, carregando a tua dor, ao encontro de dores maiores que nos cercam, em todas as direções, a fim de minorá-las e regressarás, cada dia, a ti mesmo, trazendo uma partícula nova a mais de compreensão, - da bendita compreensão de que todos somos irmãos, sob a paternidade de Deus, - com dever claro e simples de auxiliar-nos uns aos outros, a fórmula mais alta de assegurarnos o equilíbrio constante ou o reequilíbrio integral. r


REMETENTE:

Instituto Cairbar Schutel. Outubro de 2015

Caixa postal 2013

15997-970 - Matão-SP

PÁGINA 16

Tribuna do Espiritismo - outubro de 2015  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you