Page 1

12.000 EXEMPLARES – DISTRIBUIÇÃO GRATUITA ÓRGÃO MENSAL DE DIVULGAÇÃO ESPÍRITA – ARARAQUARA, BAURU E MATÃO/SP – JUNHO DE 2014 – ANO 1 – Nº 09

O serviço doméstico escraviza? E os anseios pessoais sem apoio da família? Consigo sensibilizar marido e filhos?

Foto: http://umlarcomcristo.wordpress.com

página 3

Inscreva-se para o Encontro Anual Cairbar Schutel - EAC 2014 Dias 20 e 21 de setembro de 2014 - UNIP Araraquara

Até 30 de junho/14 – valores menores nas inscrições Acesse: www.institutocairbarschutel.org


PÁGINA 2

Junho de 2014

Editorial

Política, futebol e serviço doméstico Os dois primeiros assuntos tomam conta do país. Em pleno mês da Copa do Mundo no Brasil, os bastidores políticos fervem no mesmo ano de eleição presidencial, com os rumores bem conhecidos da corrupção, do desgaste decorrente de ações distantes que devem nortear o comportamento humano. Nossos articulistas premiam o leitor com suas reflexões em torno de tais temas do momento brasileiro e mundial. Por outro lado, a matéria de capa destaca o permanente e rotineiro acúmulo de serviço doméstico diário com roupas, louça, refeições, etc. diante do justo anseio de crescimento pessoal, especialmente o feminino, diante muitas vezes da indiferença familiar com esse volume crescente de trabalho de uma casa. Ângela Moraes, com sua facilidade textual, nos premia com um belo conto para reflexões importantes dessa realidade cotidiana. O Tribuna do Espiritismo segue seu caminho com alegria e gratidão, contando sempre com o apoio de dirigentes, trabalhadores e frequentadores de nossas instituições espíritas para sua ampla distribuição aos leitores, ampliando a divulgação espírita. r

Conceitos de Cairbar Schutel Schutel: um gênio lutador. Orson Peter Carrara

orsonpeter92@gmail.com

O

saudoso Sérgio Lourenço, que viveu muitos anos em Presidente Prudente (SP), foi dedicado trabalhador espírita, palestrante de vastos recursos e ícone do movimento espírita em sua região, elaborou a obra Conceitos de Cairbar Schutel – fruto de pesquisa em seis das obras de Schutel, selecionando frases e pensamentos desse autor, classificando-as em ordem alfabética por assunto que tratavam. Os originais foram remetidos à editora em 1987, mas a 1ª. edição só foi publicada em 1991, após a desencarnação do organizador, ocorrida em 1990. Na apresentação da obra, Lourenço usa a expressão Um gênio lutador – para referir-se a Schutel – e inicia o prefácio com a frase: “Espíritos há que reencarnam na Terra com missões que deixam para a posteridade o valor do testemunho e da convicção (...)”. É o caso de Schutel. E Lourenço discorre em síntese biográfica esse valor do testemunho e da convicção do nobre cidadão que extrapolou os limites geográficos de Matão para projetar as luzes da Doutrina Espírita no planeta. Nos parágrafos finais da apresentação o autor comenta o escopo da obra: “(...) através da leitura e pesquisa em algumas de suas obras organiza-

mos este modesto trabalho. Catalogamos os conceitos que o Mestre colocava em suas argumentações (...), compilamos os conceitos e os colocamos em ordem alfabética (...)”. Selecionamos alguns desses conceitos ao leitor: a) No reconhecimento só age o interesse. Na gratidão é o amor que fala. b) A fidelidade é a pedra de toque com que se prova o caráter do homem.

c) A esperança está ligada à imortalidade; mas a fé é inseparável do Amor. d) O médium não é mestre, não é professor, mas, sim, discípulo. e) A prece tem um poder muito grande, muito maior do que se calcula. Concluímos a breve nota, esperando ter motivado o leitor, com outro valioso conceito de Cairbar: “Quem tem o Evangelho e não lê, não o segue; tem Jesus em sua casa, mas não O hospeda, nem O compreende. ” r


PÁGINA 3

Junho de 2014

Conto espírita – A lâmpada do corpo Como conciliar o serviço doméstico incessante com os ideais de crescimento pessoal? Angela Moraes

angelafmd@gmail.com

Saúde ou doença Maria Alice era uma senhora extremamente dedicada à família e aos compromissos inerentes a ela. Com seu temperamento sério, exigente e metódico, assumira seu papel de manter a casa rigorosamente limpa, roupa e comida impecavelmente preparadas. Maria Alice se sentia, com isso, bem-sucedida na tarefa que Deus lhe havia confiado como mãe, conforme seu entendimento. Mas, por outro lado, sentia-se escrava de um trabalho cansativo e sem reconhecimento. Raras vezes conseguia assistir a um filme ou bater papo com o marido, uma vez que o serviço nunca acabava, e o assunto, sim. Sair com os filhos para um passeio só se não houvesse uma peça de roupa pra lavar, e o cesto se renovava diariamente. A falta de compromisso dos seus em manter a ordem, por sua vez, a magoava profundamente, gerando frustração e mágoa. Sentia-se incompreendida e sem valor. Assim, embora servisse com a dedicação do seu coração, intimamente o corpo fluídico de Maria Alice foi perdendo o brilho. Sem alegrias, sua energia interna não se renovava, e seus pensamentos sombrios acabaram tornando todo o seu corpo envolto em denso fluído deletério. Acordava cansada. Entidades de mesmo brilho espiritual enxergaram

em Maria Alice uma companhia e se avizinharam dela. Passaram a sugar-lhes fluido vital, enquanto sussurravam ideias ainda menos nobres em seu ouvido, a respeito da conduta do marido. A suspeita doera fundo no coração da dedicada mãe e esposa, de forma que uma colônia de microorganismos astrais parasitas se formaram em seu plexo cardíaco. Logo veio a hipertensão. E como não mudava sua postura íntima, a situação foi se agravando até o ataque cardíaco, fulminante. Ao despertar

arriscou em voz algo insegura. “Se assim entendia, nobre irmã, a execução do trabalho não deveria então ser motivo para satisfação do dever cumprido e alegria de servir? Melhor seria então ter buscado repartir o fardo do que agasalhar tamanho veneno fluídico na alma...”. “Mas como não assumir a cruz, se ninguém em casa se dispunha a me ajudar?”, redarguiu. “Bem, filha, você trabalhou em si o desapego e a compreensão? Tolerava o serviço feito por outrem, com as limitações ou imperfeições de cada um?”.

no mundo espiritual em situação fluídica precária, profunda revolta a acometeu: “Logo eu, que cumpri meu dever para com Deus e a família à risca!”, bradou em lágrimas. O mentor, bondoso, considerou: “Irmã, você enxergou o trabalho de forma penosa e escravizante, fazendo dele motivo de angústia, tristeza e solidão. O efeito no corpo físico e espiritual foi apenas consequência de sua postura mental”. O conceito era novo para ela. “Mas anjo”, interpelou, “era a função que Deus me havia confiado na Terra...”

Maria Alice se lembrara de não gostar de diarista nenhuma em sua casa, e também não aceitava que os filhos arrumassem seu quarto na hora em que quisessem ou pudessem. Tinha de ser no tempo dela. “Bem... ainda que eu tivesse esse desapego... como sensibilizaria os meus para me ajudarem? Estavam todos tão ocupados!”, ao que o mentor orientou: “Filha, nós conquistamos o espaço na vida das pessoas na medida em que também arrumamos tempo para elas na nossa vida”. A senhora lembrou-se dos

Foto: http://anaafonsoorganizer.com.br

São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso. Se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que há em ti sejam trevas, que grandes trevas serão!” (Mateus, 6: 22-23)

filhos reclamarem que ela colocava sempre o serviço em primeiro lugar, muitas vezes subtraindo-se a eventos familiares, passeios ou de conversação descontraída. De fato, percebia agora que ela não tivera tempo para eles... Ocorreu-lhe pensar que se tivesse participado mais das historias de vida de cada um, teria sido mais ajudada e, com isso, teria lhe sobrado tempo para atividades que sempre gostara como leituras, caminhadas... Ao pensar nisso, lembrou-se das vezes que tentou tomar essa iniciativa e sentiu-se culpada, quase em pecado, diante da tarefa que entendia lhe caber nesta vida. O mentor, acompanhando mentalmente sua reflexão, interpelou: “Filha, quando Jesus foi à casa de Marta e Maria, Marta correu para lhe oferecer o melhor jantar e a casa limpa e perfumada, deixando o Mestre em companhia de Maria, que lhe bebia as palavras com êxtase! Vendo a cena, Marta, sobrecarregada, pede ao Mestre que mande Maria ajudá-la, ao que ele responde: Marta, Marta... Maria ocupou a melhor parte, e essa não lhe será tirada. Você conhece essa passagem?”, perguntou. “Sim, abnegado benfeitor, e confesso que entendo o que Marta passava, não posso condená-la...”. “Certamente que não, minha filha. São escolhas. Marta escolheu o serviço, Maria a luz. Qual delas terá tido mais problemas de saúde naquela ocasião? Qual delas escolheu a melhor parte, a da felicidade e cura? O que vale refletir aqui, querida alma, é se, exatamente naquele dia, com a presença do Mestre em casa, Marta não poderia ter aberto uma exceção para aproveitar a visita sublime? Não significa que todos os demais dias não tenha cumprido com suas tarefas, até porque o trabalho é santificada oração”. Um brilho de entendimento passara finalmente pelos olhos daquela mãe. “Ainda é tempo de mudar, caro anjo?” arriscou em lágrimas. O mentor sorriu, com seu olhar doce e compreensivo, e estendeu-lhe a mão, convidando-a a nova jornada educativa. r


Junho de 2014

Mil pessoas lotam o CEAR com Haroldo Dutra Seminário em Araraquara trouxe a luz do Evangelho. Redação

O

C E A R – C e n t ro d e Eventos de Araraquara – ficou totalmente lotado em suas confortáveis instalações, com público de mil pessoas para o seminário de Haroldo Dutra com o tema Evangelho o Sol da Imortalidade. Promovido pelo Instituto Cairbar Schutel, o evento ocorreu no sábado, dia 17 de maio, das 14h30 às 18h, recebendo representações de aproximadamente oitenta cidades, provenientes de 4 estados. Com intensa divulgação veicula-

redacao@institutocairbarschutel.org

da especialmente pelo site e por esse periódico mensal. Iniciado às 14h30 com apresentação musical do grupo Coro Frater, proveniente de Matão, o evento também contou com lançamento do CD Número Infinito, produzido pelo SER – Sócio Organização de Espiritualidade e Religiosidade, do compositor araraquarense Zé Henrique Martiniano, que musicou versos do poeta Augusto dos Anjos – autor espiritual que mais contribuiu na obra Parnaso de Além Túmulo, da

psicografia de Chico Xavier –, e que apresentou alguns números musicais do citado CD, o evento estendeu-se, após intervalo de confraternização e autógrafos, até 18h, quando foi encerrado. As fotos estão disponíveis no site do Instituto – www.institutocairbarschutel.org. O expositor usou de intensa didática, com seu verbo fácil e claro, para destacar a excelência do Evangelho de Jesus, por meio de exemplos do cotidiano, onde o exercício da fraternidade é o cami-

PÁGINA 4 nho para a melhora de nós mesmos em favor de uma nova mentalidade calcada nos ensinos do Mestre da Humanidade. Na manhã do mesmo dia, Haroldo reuniu-se com dirigentes espíritas para oportuna troca de ideias também sobre o Evangelho, além de visitar o Memorial Cairbar Schutel, da Casa Editora O Clarim. r Nota: o SER pode ser acessado no portal www.portalser.org.

Acesse a versão PDF

ou visualização on line do jornal:

www.tribunadoespiritismo.org


PÁGINA 5

Junho de 2014

A Copa do Mundo no Brasil da fraternidade Somos afetados ou beneficiados pelas ações de todos. Donizete Pinheiro

de maneira harmoniosa e feliz, com o devido respeito à diversidade cultural e social. Os brasileiros nos consideramos um povo gentil e amigável, capaz de abraçar e bem acolher os estrangeiros, hábitos adquiridos desde a simplicidade dos índios de

É possível ver por trás de tudo a ação divina nos lembrando de que somos integrantes de uma só família universal (...).

acidentes e as catástrofes que matam milhares de pessoas em países distantes. Alegramo-nos com as habilidades dos artistas de todos os lugares e usamos uma avançada tecnologia desenvolvida por cientistas estrangeiros. É possível ver por trás de tudo a ação divina nos lembrando de que somos integrantes de uma só família universal e devemos aprender a conviver uns com os outros

para todos, tarefa que depende do esforço de cada brasileiro cristão. No entanto, vivemos no Brasil um momento delicado, em que a violência e a bárbarie se destacam em grandes e pequenas cidades, sem que se vislumbre para um tempo próximo a solução pacífica,

Foto: http://www.copa2014.gov.br

A

copa do mundo no Brasil é um fato e vai acontecer apesar de todos os justos argumentos a ela contrapostos, se considerarmos os bilhões de reais gastos para a sua realização e a precariedade da nossa educação, saúde e segurança. Problemas, negócios e política à parte, devemos reconhecer que o mundo do futebol, e dos esportes em geral, tem promovido o congraçamento dos povos e o aprimoramento das relações, permitindo a troca de experiências, o conhecimento dos usos e costumes, com isso diminuindo, ainda que aos poucos, os preconceitos quanto à raça, cor, cultura, etc. O mundo está pequeno e globalizado. Somos reciprocamente afetados ou beneficiados pelas ações de todos. Ficamos preocupados com os conflitos entre a Ucrânia e a Rússia. Entristecem-nos os

donizete.pinheiro@gmail.com

que não depende apenas de um revide policial mais enérgico, mas de ações civilizatórias e educacionais. Teme-se até por um agravamento durante os jogos, por ações de grupos criminosos revoltados e interessados na desordem, da qual imaginam se locupletar. Por isso, durante ou depois da copa, vença quem vencer, que a presença de irmãos de outras terras em nosso país seja um estímulo ao exercício da fraternidade, do amor ao próximo, como nos foi recomendado por Jesus, oferecendo-lhes o nosso carinho, respeito e as nossas preces de paz. r

nossa Terra de Santa Cruz, que se abriram aos portugueses, espanhóis e africanos. E então o coração brasileiro não teve ressalvas para mais tarde receber em nosso solo os italianos, os japoneses, os alemães e os libaneses. Humberto de Campos, pela psicografia de Chico Xavier, afirmou que o Brasil é a pátria do Evangelho e tem o compromisso de irradiar a paz e a fraternidade


Junho de 2014

PÁGINA 6

Solicitamos a gentileza de fixar esta página em local visível.

SUELY CALDAS SCHUBERT em Araraquara-SP Tema: Transtornos mentais e obsessão - Data: 06 de agosto, quarta-feira, 20h Local: CEAR – Centro de Eventos de Araraquara. Rua Ivo Antonio Magnani, 430 - Fonte Luminosa (próximo ao Gigantão)

Entrada Franca Promoção das casas espíritas e USE Araraquara, com apoio do Instituto Cairbar Schutel.


PÁGINA 7

Junho de 2014

Lançamento – Autores reunidos para estudar o “desejo” Em seu 17º. livro, Orson Peter Carrara convidou vários amigos, autores e palestrantes, para compor o estudo do tema Desejo. Cada autor ofereceu uma contribuição diferente, entre contos, uma mensagem psicografada entre reflexões doutrinárias dos conhecidos autores.

Angela Morais

Cláudio B. da Silva

Donizete Pinheiro

Guaraci L. Silveira

Lucy Dias Ramos

Marcus De Mario

Ricardo O. Forni

Rogério Coelho

Wellington Balbo

Com a participação dos psicólogos:

André Luis Bordini

Carlos H. Vernier

Dario Schezzi


PÁGINA 8

Junho de 2014

Jogo da Copa Em favor da paz no país. Cláudio Bueno da Silva

klardec1857@yahoo.com.br

que transportava na mochila, não deixou de pensar em como a linguagem mágica do futebol conseguia juntar pessoas tão diferentes e estranhas, se comunicando entre si quase sem dificuldade. Uma competição esportiva, continuava refletindo, misturava num vagão de metrô cidadãos de várias raças e idiomas que, na infantilização das brincadeiras,

pequena multidão que procurava as saídas. Ajeitou a bolsa, agora nas costas, preocupado com a severa vigilância que encontrou na estação. Teve a impressão de que todos o olhavam. Parecia enxergar ironia e censura nos sorrisos que lhe dirigiam casualmente. Queria sair logo dali e encontrar a turma com quem combinara o protesto, pela Internet. Algumas

dirigia ao estádio onde duas forças do futebol mundial se enfrentariam. Embora não se tratasse de jogo da seleção brasileira, curiosamente vários torcedores estrangeiros vestiam camisa amarela, gesticulando e cantando músicas próprias dos campos de futebol, num clima amistoso e divertido. Dalton os olhava dissimuladamente, e apesar da concentração que procurava manter sobre aquilo

se esqueciam dos problemas que pudessem ter em seus países de origem, bem longe dali. Muitos deles jamais se mostrariam tão desinibidos se não estivessem no Brasil, um país cuja expansividade natural do seu povo é capaz de contagiar até o menos entusiasmado dos torcedores de futebol. Dalton observava tudo aquilo, quando o trem chegou ao seu destino. Desembarcou e se infiltrou na

pedras, alguns artefatos explosivos, tubos de spray e outros objetos, faziam a mochila pesar um pouco. Conseguiu passar pelas catracas sem ser molestado, andou e se aproximou do estádio. As cores das camisas e bandeiras se embaralhavam ao longo do trajeto, da mesma forma que se misturavam europeus, americanos, africanos, afunilando-se perto dos portões de entrada.

Foto: http://www.folha.com.br

Conservai a paz entre vós.” Paulo1 A ansiedade fez Dalton avançar sobre a faixa de segurança pintada no chão da estação, a tal ponto que o trem do metrô, ao chegar, roçou perigosamente sua mochila. Assim que as portas se abriram, meteu-se num canto do carro cheio, disposto a não encarar ninguém. Grande parte dos passageiros se

Enquanto procurava identificar os aliados no meio da multidão, circulava para não chamar a atenção dos agentes da segurança. Notou muitos idosos e crianças, famílias inteiras rindo e passando, antegozando as alegrias do jogo no estádio novo. Grupos festivos e despreocupados seguiam para lá. O clima descontraído da praça, de certo modo, contrariava Dalton, que não se sentia nem calmo, nem confortável naquele lugar, pensando que dali a alguns instantes teria que fazer uso do material que trouxera para protestar. Caminhando para a posição onde achava que deveriam estar os manifestantes, buscou identificá-los e quase abalroou um senhor cadeirante, conduzido por uma jovem vestida numa camiseta de clube espanhol. Aprumou-se, envergonhado, enquanto os dois seguiram rindo. Ouviu apenas que o senhor disse algo à moça que ele não entendeu: – Wat prachtig land is Brasilië!2, - e que ela, voltando-se e olhando para ele, falou, em castelhano perfeitamente compreensível: – Y tienen un gran pueblo!3 Dalton percebeu que os turistas falavam cordialmente do Brasil e do seu povo e isso o contrariou ainda mais. Já não estava tão certo do que devia fazer. Nisso, ouviu gritos e palavras de ordem de uma chusma de mascarados que se aproximavam com os braços erguidos e os punhos cerrados, dispostos a enfrentarem a polícia já posicionada para garantir a ordem. Aquela visão perturbadora fez Dalton escolher imediatamente outra direção, e antes que estourasse o confronto se retirou da praça, como quem afirmasse para si mesmo que quando precisasse dizer “não”, poderia fazê-lo de muitas outras maneiras. r 1. Novo Testamento,1ª Carta aos Tessalonicenses, 5-13 2. Frase no idioma holandês, colhida na Internet: “Que belo país é o Brasil!” 3. “E tem um grande povo!”


PÁGINA 9

Junho de 2014

Política e Espiritismo Entrevista com Marcos Papa. Extraído parcialmente da revista eletrônica O consolador

www.oconsolador.com

V

ereador em Ribeirão Preto (SP), Marcos Papa fala sobre a relação entre Política e Espiritismo e qual é, diante disso, a postura do ideal espírita. A entrevista foi publicada originariamente na revista eletrônica O consolador – www.oconsolador.com e selecionamos os principais trechos, direcionando o leitor para a íntegra da entrevista na edição 360, de 27 de abril/14, daquela publicação digital. Marcos é espírita de nascimento na mesma cidade, formado em Direito e preside a Unificação Kardecista, fornecendo-nos amplo material para o necessário amadurecimento político à luz dos ensinos espíritas.

Participativa, na qual pressionamos os eleitos e concursados a executarem a agenda necessária a cada comunidade. Sem isso continuaremos a pagar impostos caríssimos e termos serviços públicos ruins, o que nos obriga a pagar duas vezes, pela segurança, educação e saúde por exemplo e nem termos excelência no cumprimento dos orçamentos. (...)

mos mais espaços nas instituições públicas, teremos preponderantemente pessoas éticas promovendo as transformações necessárias ao bem comum. (...) 5 - Por que a política seduz tanto a ponto de corromper muitos? O poder não muda ninguém; ele revela! Se já realizamos em nós os valores éticos universais

O poder não muda ninguém; ele revela! Se já realizamos em nós os valores éticos universais de justiça, fraternidade, caridade e lealdade por exemplo, nada nos corromperá.

1 - Como medir o nível de amadurecimento político do país? Amadurecemos politicamente, mas ainda temos muito a avançar. A Democracia Representativa no Brasil está praticamente falida. Elegemos representantes que não vem trabalhando pelos reais interesses da sociedade e sim pelos seus próprios, em conluio com poderes econômicos, num círculo vicioso cruel e insustentável como ensina a Lei de Conservação em O Livro dos Espíritos. Urge evoluirmos para a Democracia

2 - De que forma ligamos os temas Política e Espiritismo? Pela caridade! Exercendo cidadania, exigindo nossos direitos e levando a quem não tem o que a Vida nos deu graças a Deus. Aprendemos a fazer o bem para sermos felizes e não para ir ao “céu”. Quando decididamente levarmos essa atitude para o exercício da cidadania promoveremos a maior revolução pacífica que a Terra já assistiu. A medida que nos sensibilizarmos pelas necessidades da comunidade e assumir-

de justiça, fraternidade, caridade e lealdade por exemplo, nada nos corromperá. Se estamos realizando aos poucos, posto que reencarnados na Terra, é bom lembrar que muito em breve estaremos reunidos perante a Vida com aqueles que intercederam em favor do nosso reencarne, os que nos ajudaram a escrever o nosso planejamento reencarnatório e nos será perguntado o que fizemos dos Talentos que nos foram confiados. Todos reencarnamos com tendências; hoje somos a síntese de um

processo evolutivo multimilenário. Escolher quais tendências alimentar, o que plantar, é da nossa conta. A colheita será obrigatória. Aprendemos que “a cada um será dado segundo suas obras”. 6 - Qual a postura ideal do espírita diante da política? Defender o interesse público sempre, incondicionalmente e primar por ações que venham dar transparência ao trato com a coisa pública. Usar o instrumento da política para servir a comunidade e não para servir-se dela. (...) 8 - E as grandes reformas políticas que o país precisa, em que estágio se encontram? Muito atrasadas porque ferem interesses cristalizados por uma burocracia ineficiente e vampiresca. Quando a sociedade tomar a sábia decisão de cuidar do que é dela, aos poucos promoveremos mudanças saudáveis. 9 - Como formar uma mentalidade política saudável no grande público? Somos divinamente vocacionados para a fraternidade mas ainda estamos egoístas. Somos uma família universal e precisamos despertar para a necessidade de uma postura socialmente fraterna. Seremos cobrados por isso porque as oportunidades estão diante de nós, mas cada alma faz seu próprio despertar. Aprenderemos pelo amor e pela dor a assumir atitudes em defesa de uma sociedade mais justa e fraterna e para isso fatalmente deveremos nos envolver com questões políticas. Somos comandados por políticos. Eles criam as leis que regulam nossa vida em sociedade. Ou tomamos a iniciativa e reagimos ou regularão nossas vidas como bem entendem. Aprenderemos a identificar os profanadores dos ideais de progresso e justiça e os baniremos da vida pública. (...) r


PÁGINA 10

Junho de 2014

Eventos importantes em julho de 2014 Redação

redacao@institutocairbarschutel.org

Osvaldo Cruz (SP) 20 de julho de 2014- domingo Confraternização Regional Espírita Domingo – das 07 às 14h Palestrantes: Roosevelt Thiago, Orson Peter Carrara e Ditinha Calixto. Tema central: Evangelho: Luz eterna em nossas vidas Local do evento: Centro do Professorado Paulista R. Sílvio Vasques Calçada, 240, Não há necessidade de inscrição Informações e contatos: Izaias Claro = izaiasclaro@uol.com.br ou pelo telefone (18) 99751-1421 Do programa: O programa é iniciado com o café musical com o casal Sérgio e Marlene Santos, de Uberaba (MG), tendo participação do Coral Espírita de Tupã e da cantora Margarete Áquila e em 2014 homenageia a Comunidade Espírita Joanna de Ângelis, de Osvaldo Cruz (SP). Guaxupé (MG) 25 a 27 de julho de 2014 VI Encontro Anual Chico Xavier Sexta 25 – 20h – Pré-abertura do evento com apresentação musical de Margarete Áquila e palestra de Ditinha Calixto, de José Bonifácio (SP). Sábado 26 – das 14 às 21h e Domingo 27 – das 08 às 12h30. Palestrantes: Manolo Quesada, Paulo Henrique Bueno, Izaias Claro e Orson Peter Carrara. Participação musical: Leleco, Margarete Áquila, Sergio e Marlene Santos. Local do evento: Escola Barão de Guaxupé – Rua Alvarenga Peixoto, 19 – Vila Rica Na noite de sábado, haverá apresentação da peça teatral profissional, o monólogo Gandhi – um líder servidor, com ator João Signorelli, com vários trabalhos na Globo e Bandeirantes. Não haverá taxa de inscrição. Tema central: A importância do Evangelho iluminando mentes em tempos de transição Informações e contatos: Ismael Batista - ismael-palestras@hotmail.com ou pelo telefone: (35) 8822 5557

Causa e Efeito: não esqueça – 03 de julho nos cinemas Filme de André Marouço aborda as causas das aflições e faz refletir sobre a responsabilidade das ações e decisões. Lotemos as salas de cinema para que o filme permaneça bastante tempo em cartaz. Veja o trailer do filme e a reportagem publicada no Tribuna do Espiritismo, edição de maio/14 acessando nosso site: www.institutocairbarschutel.org.


PÁGINA 11

Junho de 2014

Revista eletrônica completa 7 anos ininterruptos Desde que fundada em abril de 2007, a revista já foi acessada em 114 países de todos os continentes do globo Redação

redacao@institutocairbarschutel.org

N

a edição 357, de 06 de abril de 2014, a conhecida revista eletrônica O Consolador completou 7 anos de atividades ininterruptas. A primeira edição circulou no dia 18 de abril de 2007, expressiva data de comemoração dos 150 anos de O Livro dos Espíritos. A motivação de fundação da revista está explicitada na Carta ao Leitor do número de estreia, disponível no site. A razão primeira foi a possibilidade de a custo praticamente zero divulgar a doutrina espírita em todo o planeta, sem limitação ao público espírita, visto que uma publicação na internet atinge todas as pessoas, independentemente do lugar em que moram e do seu credo religioso. Os números registrados de 18 de abril de 2007 a 31 de março de 2014 são impressionantes: 5 continentes, 114 países, 3.762.319 downloads de textos publicados, 5.889.300 visitas ao website e 20.135.319 impressões da publicação. Entrevistamos um dos fundadores e atual Diretor de Redação, Astolfo Olegário de Oliveira Filho, que também é editor do jornal “O Imortal”. Natural de Astolfo Dutra (MG), é autor do livro “20 Lições sobre Mediunidade” (editora Leopoldo Machado, 2003), palestrante e está integrado ao Centro Espírita Nosso Lar e Comunhão Espírita Cristã, em Londrina (PR), onde reside. Atualmente é diretor da EVOC – Editora Virtual O Con-

tários frequentes entre nós que dirigimos a revista. O primeiro é o aumento da correspondência recebida dos leitores e o aprofundamento das questões apresentadas à redação, o que nos leva a acreditar que a credibilidade da revista vem se ampliando ao longo do tempo. O outro fato é o crescimento gradativo dos números relativos a downloads, visitas ao site e impressões da revista.

solador, na mesma cidade. Astolfo respondeu às seguintes questões:

é remunerado. Todos colaboram de forma voluntária e gratuita.

1- Quantas pessoas envolvidas atualmente com a publicação, inclusive considerando a tradução? Cada edição da revista compõese de 30 matérias – entrevistas, artigos, mensagens, reportagens, colunas fixas, noticiário etc. Das 30 matérias, seis são publicadas também em inglês e espanhol: carta ao leitor, editorial, entrevista, especial, estudo do pentateuco kardequiano e página dirigida às crianças. Participam diretamente do preparo de cada edição 28 pessoas, incluindo o pessoal da parte técnica e da revisão, mas ninguém

4 - O que mais lhe chama a atenção? Dois fatos têm-nos chamado a atenção e são motivos de comen-

5 - Algo que gostaria de acrescentar? Aproveitamos a oportunidade para agradecer a boa vontade, a gentileza e o entusiasmo com que todos os nossos colaboradores participam deste projeto, cujo sétimo aniversário comemoramos em abril último. Sem a colaboração dessas pessoas seria impossível ter chegado aonde chegamos. Acesse o site para conhecer e divulgar: www.oconsolador.com e conheça cada link na página inicial. Há muita informação disponível. r


PÁGINA 12

Junho de 2014

USE Bauru e USE Estadual aniversariam em junho Um mês de importantes efemérides espíritas. Redação

redacao@institutocairbarschutel.org

Quem prepara os produtos comercializados durante a Feiramor? Todos são voluntários, tanto os que preparam os alimentos com muito carinho como os que elaboram os artesanatos. Os possuidores do dom artístico na pintura, no bordado, na costura, no crochê e em outras artes, são pessoas dedicadas que se reúnem durante o ano nas

há um grupo precisando de ajuda. Se for a doação de algum trabalho pronto, artesanato ou alimento, o mesmo poderá ser entregue à coordenação da Feira que encaminhará a uma das instituições participantes. Muitos de nossos voluntários não são espíritas, são pessoas que desejam fazer o bem ao próximo e se identificam com o trabalho.

Foto: http://pt.wikipedia.org

A

conhecida USE Bauru, oficialmente Use Intermunicipal Bauru, com sede à Rua Virgílio Malta, 7-60, no centro da cidade, aniversaria em junho, pois que fundada em 08 de junho de 1946. Congregando dezenas de instituições na cidade e região, a instituição mantém livraria aberta ao público no mesmo endereço, clube do livro, edita o jornal Olhar Espírita e realiza o tradicional evento chamado FEIRAMOR, que surgiu em 1988 e visa unir e confraternizar as casas espíritas da cidade e região, contemplando três áreas de visitação: praça de lanches e salgados; praça de artesanatos e praça de sobremesa, livros e atividades juvenis, em amplo espaço de convivência e trabalho. Das informações disponíveis virtualmente, extraímos os importantes trechos que merecem divulgação para estímulo do mesmo trabalho em outras cidades: Como surgiu a 1ª FEIRAMOR? Foi em 1988. Com a proposta de concentrar em um único local e na mesma data os diversos grupos espíritas que isoladamente comercializavam artesanatos e alimentos angariando recursos para os compromissos de final do ano.

A cidade de Bauru (SP).

diversas Casas Espíritas ensinando e aprendendo trabalhos manuais. E o resultado... trabalhos belíssimos realizados com muito amor. Qualquer pessoa pode ser voluntária? Sim. Durante o ano os interessados poderão procurar uma das casas participantes ou, durante a feira, a coordenação do evento e se oferecer para o trabalho. Sempre

E a receita financeira da Feira, como é distribuída? Cada entidade participante é responsável pela aquisição da matéria prima e pela venda final do seu produto, portanto os caixas são individuais. Para facilitar ao frequentador da feira, criou-se o caixa único e a venda de vales. Mediante a apresentação desses vales as instituições são reembolsadas

em 100%, portanto toda a renda é revertida às instituições. Quem organiza a Feira? A realizadora do evento é a União das Sociedades Espíritas USE Intermunicipal Bauru, que não é um centro espírita, mas a soma, a união dos centros espíritas. Sua finalidade é promover e estimular a organização do movimento, facilitando o intercâmbio entre os grupos espíritas com o objetivo de contribuir para a sua melhoria e o progresso geral do Espiritismo. A USE Bauru pode ser visitada, com muitas informações disponíveis, pelo link http://useintermunicipalbauru.blogspot.com.br/ e também pelo www.facebook.com/ USEintermunicipalbauru. No mesmo mês, há outras efemérides importantes, das quais destacamos: a) Desencarnação de Camille Flammarion, em 03 de junho de 1925; b) Fundação da USE – União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo, em 05 de junho de 1947; c) Desencarnação de Ernesto Bozzano, em 24 de junho de 1943; d) Fundação da Sociedade Pró Livro Espírita em Braile, em 30 de junho de 1953, entre outras datas. r

Tribuna do espiritismo junho 2014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you