Issuu on Google+

editorasermais.com.br 1


2 editorasermais.com.br


editorasermais.com.br 3


índice

Expediente A revista Ser Mais é uma publicação mensal. Ano 3 | Nº 44 Diretor Editorial: Mauricio Sita Diretora Executiva: Julyana Rosa Redator: Carlos Dias Diretora de Operações: Alessandra Ksenhuck Gerente de Projetos: Gleide Santos Projeto Gráfico: Henrique Melo Direção de Arte: Estúdio Mulata (www.estudiomulata.com.br) Relacionamento com o cliente: Claudia Lima Serviço ao Assinante: [11] 2659-0964 e [11] 2659-0968 assinaturas@revistasermais.com.br Cartas para a redação: rua Antônio Augusto Covello, 472 São Paulo - CEP 01550-060 redacao@revistasermais.com.br Orientamos para que as cartas com a opinião e crítica do leitor estejam assinadas e contenham nome e endereço completos, telefone e e-mail. A Ser Mais reserva-se o direito de selecionar e editar aquelas que poderão ser publicadas. O pedido de edições anteriores poderá ser feito através de qualquer uma das informações de contato supracitadas (carta, fax, telefone ou e-mail); e será atendido desde que haja disponibilidade de estoque. Central do Anunciante: publicidade@revistasermais.com.br [11] 2691-6706 Representante Comercial – Região Sul: Beth Meger Rua Cândido de Abreu, 140 - 5º andar / Cj. 509 Curitiba – Paraná – CEP: 80.530-901 [41] 7812-2898 Ser Mais é a revista oficial da AAPSA (Associação Paulista de Recursos Humanos e Gestores de Pessoas). Distribuição Exclusiva: Fernando Chinaglia Comercial e Distribuidora S/A Cadastre-se no site www.revistasermais.com.br para receber nossa newsletter. Impressão e Acabamento: Vox

6 7 8 14 16 18 23 26 27 28 42 43 44 46 48 50 52 55 56 58 60 62 64 66

Editorial Informação e conhecimento CONARH 2013 Essa Tal Felicidade Up to date Os líderes que as empresas buscam Cidadão 21 Moda, Beleza e Estilo 2.0 Neurolinguística avançada Gestão da felicidade no mundo corporativo MANUAL DO SUCESSO A primeira entrevista a gente nunca esquece Planejamento e fé! Uma metodologia para ajudar o processo de tomada de decisão Os 3 P´s para chegar ao pódio Ampliando seus horizontes Fun Learning Capital Espiritual Como o RH pode colaborar para reduzir o passivo trabalhista da empresa No alvo +vitrine Gaudencio responde +Expressão – Dá para fazer melhor Sigam-nos no twitter:

@EditoraSerMais1

Visitem nossa página no facebook: www.facebook.com/edit.sermais

Especialistas nesta edição André Percia

Dalmir Sant’Anna

4 editorasermais.com.br Marceli Marcelo Amaral

Ortega

Dirlene Costa

Marcio Sumay

Helena Ribeiro

Maria Helena Magalhães

Inácia Soares

Inês Restier

Nilson Redis Caldeira

Ômar Souki

Iran Ibrahim José Roberto Jacob Castilho Piqueira

Paulo Gaudencio

Reinaldo Polito

Leila Navarro

Werner Kugelmeier


20 24 30 36

40

www.revistasermais.com.br

24

36

Mudar ou ficar refém da mudança

Jogo Rápido Danilo Gentili

20

Por que a visão estratégica é tão importante?

30

CAPA Descubra como aproveitar as grandes oportunidades

40

Estratégia Global de Negócios

editorasermais.com.br 5


EDITORIAL Caro leitor , Você tem em suas mãos um número da Ser Mais com temática especial! Nesta edição, nossa equipe realizou a cobertura do 39º CONARH, o maior evento de Gestão da América Latina, do qual participaram grandes palestrantes de todo o País! Nas próximas páginas, conferirá a entrevista com um dos expositores do evento e também conhecerá os assuntos abordados na maior parte das palestras realizadas nos quatro dias de exposição! Alguns dos escritores da Editora Ser Mais estiveram presentes no congresso e lançaram seus livros, como os palestrantes Leila Navarro, colunista da revista, Antonia Braz, Carmen Janssen e Naldo Gama. Todos foram muito felizes na escolha da oportunidade para lançar suas obras e tiveram um grande público participando das sessões de autógrafos. Os livros Damas de Ouro, Felicidade 360º e Autocoaching de Carreira & de Vida, da Editora Ser Mais, foram todos lançados durante o CONARH! Além dessa matéria, a sua revista vem com uma super entrevista com Danilo Gentili! Quer saber mais sobre a carreira e a vida dele? Nosso redator Carlos Dias conversou com o humorista e traz um texto com novidades sobre ele! Está imperdível! E nesse clima de bom humor, nossa escritora Marceli Amaral traz um ótimo artigo sobre “Felicidade”. A autora trata de forma leve essa busca do ser humano em sentir-se bem, de encontrar na plenitude a realização. Vale muito a pena a leitura, em especial pelas questões que levanta, a exemplo da pergunta “Será mesmo que ter tudo e mais um pouco traz felicidade?” Independentemente da sua resposta, cabe a reflexão e, quem sabe, a mudança da maneira como “encara” o tema. Essa temática é ampla e engloba diversos setores da vida, seja o pessoal ou o profissional. No lado profissional, para alcançar o sucesso e ser feliz, é preciso primeiro saber o que as empresas e ou setor de atuação buscam. Para ajudá-lo a identificar os pontos mais importantes ao mercado de trabalho, a escritora Dirlene Costa escreveu um artigo muito atual com o título “Os líderes que as empresas buscam”. É incrível como em apenas poucas páginas foi capaz de sintetizar todas as qualidades que devem ser evidenciadas pelos profissionais atualmente. O texto vai bem além do perfil técnico desejado, mas trata do comportamental, motivo pelo qual as pessoas são desligadas das empresas. Não adianta ter apenas um belo currículo e/ou experiências quando o lado humano, o saber lidar com outros seres humanos é deixado de lado. Como solução, Dirlene propõe a atuação do Leader Coach, que prefiro não explicar aqui como funciona, mas aguçar a sua curiosidade para ir até o artigo. O assunto tratado pela especialista é de suma importância para as empresas, assim como o modelo de negócio e suas perspectivas. Nessa área fundamental, o leitor encontra excelente suporte no texto “Por que a Visão Estratégica é tão importante?”do escritor Marcio Sumay. Leia-o até o final e terá uma boa ideia de como melhorar e até implantar uma visão de negócio estratégia para a sua empresa! No mais, me despeço sem deixar de dizer que os demais conteúdos da revista também estão imperdíveis! Se pudesse, indicaria e comentaria cada um por aqui, mas deixo, agora, essa missão para você! Boa leitura e até a próxima!

Julyana Rosa Diretora executiva Editora Ser Mais

6 editorasermais.com.br


´ ROBERTO CASTILHO PIQUEIRA ARTIGO JOSE

Informação e

O

Conhecimento

costume de circular a maior parte do tempo pelo mundo acadêmico, por dever de ofício, pode levar um professor a não entender o raciocínio de senso comum ou algumas interpretações coletivas induzidas pelos meios de comunicação. Há cerca de oito anos eu estava em uma pequena viagem de trabalho na Alemanha e, por uma lista de correio eletrônico coletiva, trocava conversas com conhecidos que, nos idos dos anos 1960 haviam sido meus colegas de ginásio (hoje Fundamental II). Alguém na lista me perguntou se eu estava conseguindo falar Alemão e eu respondi que, para mim era um idioma muito difícil e que eu me atrapalhava com as declinações e com o gênero neutro. Logo uma alma pretensiosa, com pouco conhecimento de computação, mas maravilhada com a Internet postou trechos de várias disciplinas: física, matemática, química e outras, insinuando que eu era um pobre desinformado que não co-

José Roberto Castilho Piqueira Vice-Diretor da Poli-USP. Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo.

nhecia o novo deus, que tudo sabe. Como sei um pouco de física, fui ver o que havia do assunto naquela postagem. Um amontoado de tabelas que só teriam utilidade para quem conhecesse a matéria e precisasse de algum número específico como velocidade da luz ou constante dielétrica. É a impressão que alguns têm. Para que estudar se há uma entidade que sabe tudo e nos disponibiliza esse saber em um toque de tela ou teclado? Insisto que estudar ficou, agora, mais difícil. Não se trata mais de memorizar fatos, números ou equações conhecidas. A questão agora é como interpretar esse amontoado de bits. Como, a partir deles, formular novos problemas e esboçar suas soluções. Tentando aclarar meus pensamentos, tratei de ler um pouco sobre o assunto e encontrei algumas ideias sobre o humanismo, corrente filosófica que me agrada por colocar os seres humanos no topo da escala de importância. Isso não diminui as possíveis convicções religiosas de quem quer que seja, recomendando, apenas que, ao tratar de um problema de âmbito científico não se deve desprezar a racionalidade. Além disso, não se considera o sobrenatural e nem a autoridade, à priori. E esse é o ponto central de que quero falar. A internet ou qualquer site de busca, enciclopédia ou conteúdo não é por si só, fonte de conhecimento ou de verdade inquestionável. Lá está armazenada certa quantidade de informação, entidade física mensurável que possui, até, uma medida equivalente em energia. Nos bits dos sistemas de computa-

ção, assim como nas folhas impressas da famosa “Enciclopédia Britânica”, encontra-se informação, selecionada e avaliada por alguém que, para o bem ou para o mal, tem seu domínio. Há, ainda, a convicção de que a Internet é um agente da democratização, em todos os níveis. Cada um pode postar aquilo que bem entender, proporcionando o saber originário das múltiplas culturas e da diversidade. Entretanto, como não há seleção, textos e vídeos de real valor estarão misturados com ideias originárias dos mais diversos fanatismos e perversões. Não sou “tecnófobo”, se é que o termo existe. Acho a Internet e seus futuros avanços, ainda impensáveis, ferramenta que pode dar a Humanidade destinos que as pessoas de bem sonham: fraternidade, união entre povos, paz, democratização da água, da comida e da energia, só para citar alguns. Como, então, minimizar os efeitos nocivos citados anteriormente? Não sou partidário da censura, tampouco, pois ela colocará o filtro do sensor sobre a informação, privilegiando seu conhecimento e eventual interesse. Quem deve fazer a seleção do conteúdo? O usuário, consciente e conhecedor, isto é, praticante da cidadania que sabe que conhecimento é algo mais do que simples informação, acrescendo a ela a racionalidade e a ética. Adquirir informação é cada vez mais fácil. Adquirir conhecimento, nem tanto, passa por bons professores, boas leituras, boa música proporcionados por agentes educacionais bem pagos e motivados para a difusão do saber crítico e consistente. editorasermais.com.br 7


´ MATERIA CARLOS DIAS

Conarh – 2013 Mais de 23 mil pessoas participaram da 39ª edição do CONARH (Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas), promovido pela ABRH-Nacional com a promoção da ABRH-SP, entre os dias 19 e 22 de agosto, no Transamerica Expo Center, em São Paulo. Durante os quatro dias, o evento foi o ponto de encontro para trocas de experiências através de workshops, palestras que abordaram assuntos como liderança, sustentabilidade, qualidade de vida, treinamento, desenvolvimento e o contato com diversos profissionais das áreas envolvidas. É um fórum apropriado para a discussão de temas que dificil-

mente poderiam ser discutidos em outros lugares. Para a edição desse ano, antevendo os cenários e as tendências, o CONARH trouxe uma proposta inovadora para os participantes, objetivando provocar reflexões e soluções que os levassem a repensar o modelo de gerir o negócio através do tema Reinventar a Gestão: Uma Construção Coletiva. “O evento levanta uma temática de extrema importância para os executivos de rh, principalmente numa época que ele cada vez mais se posiciona como atividade estratégica para as empresas” explica Maurício Sita, presidente da Editora Ser Mais.

Estande da EXPO A EXPO Evento Premium, empresa especializada em palestras para o mundo corporativo e na produção de eventos de negócios, é conhecida internacionalemente por ter realizado eventos no mercado japonês e americano com a participação de mais de 100 mil visitantes. Com o know-how adquirido no exterior, em 2013, a empresa participa pela primeira vez do CONARH com uma seleção de palestrantes renomados

com temas que transitam como gestão, liderança feminina, vendas, motivação, comportamento, comunicação, educação, qualidade de vida, empreendedorismo e carreira, entre outros. Durante os quatro dias de evento, cerca de 3,5 mil pessoas passaram com lotação completa em todas as palestras. Ao todo, 32 palestrantes participaram no estande da EXPO Evento Premium. Para o presidente, Sergio Tinen, os

dias de eventos foram bons não somente pelas palestras, mas também pelos contatos com outras empresas e instituições de vários estados. “ O objetivo no Conarh 2013 era divulgar nossa marca e apresentar o casting de palestrantes Premium. Mas os resultados foram muito além do esperado. Recebemos dezenas de propostas que deverão ser fechadas nos próximos três meses“,comemora o CEO.

Ser Mais na Expo A Editora Ser Mais esteve presente nos quatro dias de evento juntamente com a EXPO Evento Premium. Além da venda e divulgação de livros, a Editora teve alguns lançamentos nesta edição de 2013. Entre as obras publicadas e lançadas estão o livro da escritora, Leila Navarro, “AutoCoaching de Carreira & Vida”; Damas de Ouro, com duas de suas coautoras, Antônia Braz e Carmen Janssen. Além da obra Felicidade 360°, com o escritor Naldo Gama. Os palestrantes estiveram na feira e realizaram sessão de autógrafos. Para Sergio, a parceria foi um sucesso. “Foi muito bom contar com a Editora Ser Mais, cuja competência e reputação agregaram grande valor ao nosso trabalho no evento. Esperamos que essa sinergia se repita em outros negócios”, complementa o CEO.

8 editorasermais.com.br

Sergio Tinen - CEO EXPO


Palestrantes no Estande da EXPO Além de seus principais conferencistas, a EXPO apresentou novos talentos que estão fazendo a diferença no desenvolvimento de líderes e equipes das corporações. Ao todo, foram realizadas em seu estande 31 minipalestras exclusivas sobre diversas áreas. Veja a seguir os temas de cada um dos palestrantes que se apresentaram

1

2

1. Cesar Galindo - “Como obter sucesso nas vendas”. Dentre os principais conceitos apresentados, apontou qualidades necessárias para um bom vendedor – ter bom humor, passar credibilidade e saber ouvir. Salientou ainda a importância de surpreender o cliente e fazer uma ótima pós-venda. 2. Carmen Jansen - “ Leve o prazer para o trabalho e obtenha melhores resultados” Carmen mostrou que o sexo pode e deve ser pensado como fator de motivação e traz como consequência produtividade e satisfação no trabalho. Para ela, a “inteligência sexual” pode propocionar não só prazer, mas uma maior energia tanto na vida pessoal como profissional. 3. Adriana Medeiros - “Ser feliz é uma escolha” Ser feliz não é obra do acaso, mas algo que construímos a partir de escolhas que fazemos ao longo de nossas vidas. Essa

4

3

foi o recado transmitido em sua palestra de otimismo e motivação. Para ela, alcançar a felicidade depende mais de fatores internos que externos. 4. Igor Medeiros - “Competência Emocional / A chave para conquistar vitórias extraordinárias” Competência técnica não garante êxito emocional. Com essa frase de impacto, Igor Medeiros mostrou que a competência em se lidar com a inteligência emocional é diferencial de quem alcança sucesso na vida pessoal e profissional. 5. Leonardo Gonzaga - “Aqueça-se! Existe cliente à sua espera” Leonardo Gonzaga mostrou que uma boa venda é feita de etapas que devem ser preparadas e vencidas. Para isso, utilizou a analogia entre o esporte e o mundo das vendas. Propôs a aplicação de estratégias do meio esportivo para conquistar clientes e superar resultados.

5

editorasermais.com.br 9


´ MATERIA

6

6. Wagner Lopes - “Liderança e Motivação” O que o ex-jogador de futebol brasileiro naturalizado japonês, que defendeu o São Paulo e a Seleção Japonesa, tem a ensinar em liderança e motivação no ambiente corporativo? Ele mostrou que é possível montar um time vencedor utilizando táticas do futebol.

7

9. Marcela Claro - “Os segredos do líder coach” Marcela apresentou o líder coach, aquele que se comunica com competência, respeita códigos de honra, trabalha no presente com foco no futuro e, o mais importante, inspira outros a seguirem seus passos e alcançar o próprio sucesso por mérito pessoal.

7. Lúcia Helena S. Cordeiro - “Neolíder/Metacompetências: o segredo do sucesso” Para ela, as empresas estão precisando de novos líderes, com capacidade não apenas de liderar, mas de cativar e motivar sua equipe. Hoje em dia, quem faz diferença no mercado é quem alia habilidades de relacionamento interpessoal e lida com as diferenças.

10. Marcelo Pinto - “O método SMILE para gestão do humor no ambiente de trabalho” Marcelo Pinto explicou que, segundo pesquisa da Forbes e Gallup, o bom humor no ambiente de trabalho ajuda a diminuir as licenças médicas em 66% (Forbes) e reduzir a taxa de turnover em 51% (Gallup). Para obter tais resultados, é preciso aplicar o método SMILE.

8. Luciana Rondon - “Profissional Guerreiro” A palestrante mostrou que a persistência é uma habilidade para o despertar do profissional. Esse indivíduo usa a inteligência para potencializar seu relacionamento interpessoal e por meio dela, consegue obter sucesso na carreira imprimindo sua marca.

11. Márcio Mancio - “Supere-se e faça mais atitudes de resultados” Quem quer ter mais atitudes e resultados benéficos, precisa ousar e arriscar mais, tanto no campo pessoal como profissional. O palestrante apresentou por meio de brincadeiras com alegria como sair da zona de conforto e ter sucesso na carreira.

9

10 editorasermais.com.br

8

10

11


12

14

13

12. Noscilene Santos - “Coaching na liderança” Em sua palestra, comentou que o líder pode influenciar positivamente sua equipe, ao tomar as seguintes atitudes: praticar escuta ativa, sabendo ouvir o que seu interlocutor tem a dizer; ter uma comunicação ativa; dar um feedback construtivo e ser justo na avaliação do colaborador.

15. Solange Aguilera - “Comunicação, Liderança e Influência” A palestra serviu para confirmar uma teoria que muitos têm para si: a de que o ser humano faz uso da comunicação como um processo pelo qual mudamos sua forma para sermos aceitos pelos outros, e assim influenciar outros indivíduos a fazerem aquilo que desejamos.

13. Sérgio e Inês Campos - “Intuição: ferramenta decisiva para produtividade” Para a dupla, o profissional que desenvolve tal habilidade não só consegue estar um passo adiante dos outros, como também passa a enxergar o que os outros não veem, economizando tempo e dinheiro.

16. Tarcísio de Oliveira -“O poder da argumentação” Para Tarcísio, o poder da argumentação pode ir além, ultrapassando as fronteiras profissionais estendendo-se às nossas vidas pessoais. Ter uma boa argumentação, baseada em fatos lógicos, pode convencer o interlocutor de maneira positiva e benéfica a ambos.

14. Silney Beraldo -“A importância do sorriso na vida de qualidade” O sorriso tem o poder de abrir portas, amenizar situações difíceis, derrubar barreiras e até mesmo tornar as pessoas felizes. Por meio de história verídica, em que o sorriso é o protagonista, Beraldo não teme em afirmar que o mundo seria melhor se sorríssemos mais.

17. Joyce Moysés - “Juntos lucraremos” Joyce mostrou que equipe com mulheres, lado a lado com homens, em cargos de decisão, tendem a lucrar e inovar mais. Times que contam com mais mulheres, têm melhor performance, aumentando o grau de “sensibilidade social”.

15

16

17

editorasermais.com.br 11


´ MATERIA

18

6

19

18. Pereira Vencendo - “Vencendo em Vendas” Pereira mostrou que é possível obter resultados extraordinários como vendedor e se realizar profissionalmente, embora apenas 15% dos vendedores consigam alcançar a meta definida, segundo números apresentados por sua pesquisa. 19. Nelson Gonçalves – “Sem atitude nem Deus ajuda” A vida exige atitudes. O palestrante tratou do sucesso profissional em vendas, que ocorre principalmente quando o vendedor investe na qualidade de seu atendimento e busca agregar mais valor aos seus clientes. 20. Antonia Braz – “Os pilares do sucesso” Alcançar o sucesso profissional e ocupar cargos de liderança nos impõem desafios. Em sua palestra, Antonia Braz falou sobre a importância em desenvolver comportamentos e habilidades específicas para se destacar no mercado de trabalho. 21. André Menezes – “Impacto motivacional em resultados” Na apresentação de André Menezes, os participantes foram levados a um nível de motivação poucas vezes experimentado

22

12 editorasermais.com.br

7

20

8 21

por eles. Ele mostrou que as mudanças estão onde menos se espera e principalmente dentro de cada um. 22. Adriana Albuquerque –“Superação e resultados sensacionais” Com sua palestra, inspirou o público a sair da zona de conforto e assumir um compromisso com os resultados tanto pessoais como profissionais. Destacou a importância da postura proativa que todos devem ter diante dos desafios, assumindo como estilo de vida a motivação. 23. Robson Caetano – “Equipe, Organização, Motivação, Estratégia e Marketing” Medalhista olímpico, Robson Caetano expôs como decisões corretas, atitudes e muita determinação fizeram dele um dos atletas mais vencedores do Brasil. Ele fez uma analogia entre os desafios enfrentados nas pistas e no mundo dos negócios. 24. Marcelo Ortega – “Inteligência, motivação e comunicação em vendas” Em sua apresentação, Ortega falou sobre negociação e liderança, além de números que mostram a diferença entre o verdadeiro profissional de vendas e o vendedor mal preparado.

23

24


25

26

25. Professor Gretz – “O Líder dos Líderes” Listado entre os cinco principais palestrantes do país, o Professor Gretz provocou a plateia abordando a importância do comprometimento, da ética e da proatividade nos resultados pessoais e profissionais. 26. Leila Navarro – “Gestão por confiança: O desafio das corporações o século XXI” A palestrante mostou a importância em estabelecer um elo verdadeiro e confiável entre a corporação e seus colaboradores, um dos principais desafios daqui para frente e também grande diferencial competitivo, desde que sustentado pelas atitudes, transparência entre outras competências. 27. Simone Lucena – “O desafio da autoliderança” Cinco grandes desafios no processo de conquista da autoliderança foram expostos, gerando nos presentes uma reflexão sobre o atual estado de suas vidas e escolhas. Além disso, convidou a todos a construir um futuro diferente, seguindo novas crenças e direções. 28. Marcelo Homci – “Coaching para times de alta performance”

29

27

28

A palestra de Marcelo Homci envolveu os participantes com uma dinâmica em que todos constroem e vivenciam num grande jogo as características de times de alta performance, priorizando o crescimento com conteúdo comportamental. 29. Charles de Luc – “O método dos resultados agora e sempre” Segundo Charles de Luc, as empresas criam clientes. Vendedores de resultados criam seguidores agora e sempre. Ele explicou à plateia que vivemos hoje na Era da Revolução, que a antecipação e ação são ferramentas estratégicas com grandes resultados. 30. Marynês Pereira - Líder Premium: 4x mais resultados. Marynês focou sua apresentação no fato de que hoje o líder precisa abrir mão do modelo antigo e buscar o diferencial do novo líder Premium. Segundo ela, é possível ser feliz no trabalho. Mas, para isso, o autoconhecimento se faz necessário. 31. Naldo Gama –“Estratégias poderosas para uma carreira de sucesso” Com foco centrado no desenvolvimento pessoal e profissional, Naldo apresentou diversas ferramentas e estratégias para se alcançar os melhores resultados no ambiente.

30

31

editorasermais.com.br 13


ARTIGO MARCELI AMARAL

ESSA TAL FELICIDADE

M

uito ouvimos sobre felicidade, sobre essa busca incessante de quase todos nós por um estado de alegria e completude plenos, como se existisse algum lugar tempo-espaço onde nossas dores, medos e anseios desaparecessem por completo e onde nossos sonhos, desejos e maiores expectativas fossem realizados. Um lugar mágico, iluminado com nossas cores preferidas, perfumado, agradável e cheio de alegrias. Essa busca faz parte do inconsciente coletivo e não há mal nenhum em buscar essa tal felicidade, não fosse um erro de verbo. Se realmente deseja viver essa sensação, troque buscar pelo FAZER a felicidade. A ciência hedônica e vários estudos em psicologia tem comprovado que a felicidade é um estado de espírito que pode ser cultivado, aprendido e desenvolvido. Depende muito pouco da sua condição financeira ou status social, como muito se pensou. É óbvio que o mínimo de nossas necessidades ma-

14 editorasermais.com.br

teriais atendidas, como casa, alimentação, vestuário e lazer, tem papel determinante nessa sensação de bem- estar contínuo. Porém, quando passamos do conforto para o luxo, do necessário para o supérfluo, quando adquirimos um bem material que muito desejamos, o nível de felicidade real aumenta muito pouco. Estranho pensar assim, não?! Talvez porque fomos ensinados a BUSCAR a felicidade fora de nós: no ser amado, no filho, na casa, no carro novo, na carreira de sucesso. Todas essas conquistas são sim componentes de uma vida feliz e realizada, mas não o ponto principal. Quantas pessoas podemos mencionar, possuem tudo isso e mais um pouco e não estão felizes? Vivem desanimadas, tristes, necessitam de drogas, álcool, remédios para se manterem num estado de alegria ou alívio da dor? Isso acontece com muita frequência porque esquecemos ou nem descobrimos o caminho interno que estimula e produz hormônios que nos dão essa sensação de bem-estar. Por que entramos num estado


Marceli Amaral Coach Pessoal e Exectuiva pela Sociedade Brasileira de Coaching e certificada pelo BCI e Practitioner em PNL. Escritora do livro Coaching - A Solução da Editora Ser Mais. www.marceliamaral.com.br marcelicoach@gmail.com

um não está dando certo, vamos por outro. O que importa é um ter uma vida positiva. Então eu te pergunto: qual é o seu nível de felicidade real? Quantos dias no mês, ou horas do dia você se sente feliz e pleno? Quais são as pequenas coisas que você faz ou se proporciona que disparam esse estado de alegria? Quantos caminhos para a felicidade interna você construiu? Saber quem você é, o que está buscando de fato na vida, quais são seus gatilhos de felicidade é determinante para construir uma vida plena e feliz de verdade. Converse com você, se ouça, se observe, construa uma relação consigo mesmo e faça um acordo de ser feliz independente do que estiver acontecendo lá fora. Afinal, a felicidade que você construir só poderá ser sentida por você, mas pode ser transformada em sorrisos, abraços, palavras e gestos que fazem a diferença na vida dos que estão ao seu redor. Ser feliz é mais que um direito individual, é um patrimônio social. O mundo será bem melhor quando cada ser achar seu próprio caminho para a plenitude e a paz de espírito. Vamos começar?

automático de cumprir obrigações, pagar contas, defender nosso espaço, que deixamos de lado os pequenos prazeres individuais, como ler um livro, caminhar, praticar a atividade física que gostamos, estar com amigos, dar e receber carinho e afeto, enfim... Cada ser tem seus pequenos prazeres, seus valores individuais que precisam ser atendidos por ele mesmo, para que a felicidade seja uma companheira constante. Não importam as tristezas e perdas, pois elas acontecerão. Mas para quem tem a felicidade cultivada em si mesmo, a capacidade de superação, de encontrar soluções e ressignificar os acontecimentos de forma positiva é muito mais fácil. Você também deve conhecer pessoas que passaram por dores muito grandes, mas encontraram uma maneira de ver a situação que as permitiu logo voltarem ao seu eixo, isso porque a felicidade é seu estado natural. Em algum momento de suas vidas, elas aprenderam esse caminho, construíram conexões neurais para acessar esse estado com mais facilidade. Essas pessoas não têm apenas um caminho, mas vários para a alegria. Se

Quantas pessoas podemos mencionar, possuem tudo isso e mais um pouco e não estão felizes? Vivem desanimadas, tristes, necessitam de drogas, álcool, remédios para se manterem num estado de alegria ou alívio da dor?

editorasermais.com.br 15


^ SE ATUALIZAR UP 2 DATE NOVIDADES PARA VOCE

2

1

3

1 - Smartphone mais fino do mundo

Em evento próprio, a empresa chinesa Huawei lançou o aparelho que mede apenas 6,18 mm de espessura e é considerado o mais fino, definição da própria da empresa. O aparelho tem câmera frontal de 5 MP, processador quad-core de 1,5GHz, tela de 4,7 polegadas com 1280×720 pixels de resolução e a tecnologia Magic Touch, que possibilita o uso mesmo com luvas. O smartphone será equipado com versão Android 4.2.2 e chega ao mercado por aproximadamente R$ 1.300,00.

16 editorasermais.com.br

2 - Capacetes com recursos do Glass

A tecnologia proporcionada pelo Google Glass pode começar a ser vista em capacetes de motociclistas, seguindo assim o que atualmente só está disponível em capacetes de pilotos de caça. O capacete terá uma viseira interativa em que aparecerão informações para navegação. Suas funções serão como a de um GPS exibido em frente ao rosto do piloto, que não precisará parar para dar algum comando. O capacete tem a previsão de ser lançado em agosto de 2014 por US$ 1.500.

3 - Galaxy Note 8

O novo lançamento da Samsung, o Galaxy Note 8.0, tem uma tela de 8,0 1280x800 pixels, processador de 1.6GHz A9 quad-core, câmera traseira de 5 megapixels (além de uma câmera de 1.3 megapixels na parte frontal para chamadas de vídeo), 2GB de RAM e 16 ou 32GB de armazenamento , que pode ser expandida. O tablet roda o Android 4.1.2, e também possui Wi-Fi e GPS. O tablet está à venda nos EUA por US$ 399 em um contrato de dois anos. Os clientes que ainda comprarem um smartphone poderão obtê-lo por US$ 199.


5

4

6

4 - Baquetas e palhetas de guitarra para iPad

Use e abuse deste app, Garage Band, em seu aparelho tornado-o mais divertido e realista com estas baquetas e a palheta condutora. As pontas de borracha das baquetas não são prejudiciais a sua tela e foram desenvolvidas com o sistema soft-touch. Use sua palheta e tenha a sensação de tocar um instrumento real em qualquer momento e lugar. Esses acessórios são vendidos nos EUA por U$17.99.

5 - Show de luzes

Inspirado na fonte Bellagio de Las Vegas e com leds multicoloridos, estas caixinhas de som podem ser ligadas em seu iPod, mp3 player, ou computador através do cabo USB. A água dentro do acessório se movimenta de acordo com o ritmo escolhido e seus leds mudam de cor. O produto poder ser encontrado no site www.thinkgeek.com pelo preço de U$49.99.

6 - Iluminação para iPhone

Projetado para o iPhone 4/4S, este prático conjunto inclui um estojo com uma luz de LED para filmar e fotografar em várias posições. Com este novo acessório, o usuário terá uma luz suave e natural para suas fotos em casos de pouca iluminação no ambiente, sessões de Skype ou chats de vídeo. U$ 69.99.

editorasermais.com.br 17


ARTIGO DIRLENE COSTA

Os LÍDERES que as

empresas

BUSCAM

A

té alguns anos atrás ser um bom chefe era suficiente para as empresas. O perfil era um profissional sério, comprometido, que dava ordens e seguia as normas da organização. A função por capacitar os profissionais ficavam a cargo da área de Recursos Humanos, quando em algumas empresas nem existiam Recursos Humanos, apenas Departamento de Pessoal. A chefia se responsabilizava no máximo por fazer reuniões com as equipes, isso os chefes mais abertos, pois alguns consideravam reuniões perda de tempo. Com a complexidade dos mercados e a concorrência, as empresas começaram a ver a necessidade de gestores. Profissionais que além de comandar pessoas e executar regras, precisavam entender do negócio, dos processos e da organização como um todo. Isso fez muitos profissionais buscarem atualizações em cursos de MBA, pós-graduação etc., pois começaram a ter dificuldades de lidar com tantas responsabilidades. As organizações começaram a cobrar fortemente por resultados, com

18 editorasermais.com.br

metas ousadas e colocando constantes desafios a estes gestores. Isso trouxe um perfil voltado para resultados e para o crescimento do negócio da empresa, reduzindo a quantidade de funcionários e aumentando a proporção de trabalho. A nova realidade exigia das equipes alta produtividade com muita pressão. Ser multifuncional passou a ser um diferencial profissional e quem não dava conta do recado tinha alto risco de ser demitido. Os gestores por sua vez, recebiam cada vez mais demandas com o menor número de pessoas, prazo de entrega, excelência, qualidade e menor custo. Isso trouxe uma dinâmica diferente para as organizações que pediam profissionais cada vez mais atualizados, multifuncionais, mas também reduziu muito a fidelidade das equipes junto às empresas, aumentando o turn over. Mesmo em empresas com altos salários começou a perder bons profissionais, além da perda de qualidade de vida dos gestores. Por isso, uma nova era começou, a da liderança. Era algo dito apenas em grandes cargos, personagens específicos, mas hoje é o que as empresas estão pedindo. Profis-


Com a complexidade dos mercados e a concorrência, as empresas começaram a ver a necessidade de gestores. Profissionais que além de comandar pessoas e executar regras, precisavam entender do negócio, dos processos e da organização como um todo.

sionais capazes de liderar grandes equipes, desenvolvendo, estimulando, potencializando competências e habilidades. Líderes que são bons gestores de seu próprio tempo e de sua vida pessoal e profissional. Um perfil que tem um bom autoconhecimento de suas forças e percebe as melhores oportunidades dentro da empresa para agregar valor ao seu trabalho e da sua equipe. Os aspectos emocionais e comportamentais começaram a ser levados em conta, pois são eles que dão suporte para um trabalho de alto desempenho para este novo líder. Não basta mais ter um bom conhecimento técnico e comandar bem, é preciso ter habilidades comportamentais excelentes para tirar o melhor das pessoas que trabalham com o líder. Pois liderar é influenciar e desenvolver pessoas para executar as ações planejadas de acordo com o objetivo estratégico da organização. E uma nova abordagem vem acompanhando o novo líder, que é o leader coach, que tem visão ampla do negócio, do mercado, da organização. Tem um bom autoconhecimento de suas forças, sabem quais são suas fraquezas e o que precisa lapidar. Bem como sabe avaliar as oportunidades. Conhece e trata individualmente as competências e habilidades de sua equipe direta e influencia positivamente a equipe indiretamente. Tem um excelente relacionamento com seus pares, construindo parcerias para atingir de forma mais rápida seus objetivos. E por fim, consegue mesmo com tudo isso ter qualidade de vida, ser feliz, pois sabe que isso é a estrutura para ser um grande líder. As ferramentas de coaching apoiam fortemente o novo líder nesta caminhada, trazendo novas perspectivas, visões e ações. O líder ganha satisfação, resultados, qualidade e uma equipe forte e de alta performance. Este é o líder que as empresas buscam hoje em dia. O líder agregador, parceiro, que faz perguntas, atento e um grande desenvolvedor de times de alto desempenho. É a liderança coaching atuante, caminhando e levando todos do ponto que estão ao ponto desejado. Um verdadeiro construtor e potencializador de talentos.

Dirlene Costa Consultora, treinadora e coach de executivos, líderes e equipes. Formação em Professional & Life Coaching e Leader Coaching pelo IBC. Master Coach em Finanças. Escritora dos livros Coaching & Mentoring e Treinamentos Comportamentais da Editora Ser Mais.

editorasermais.com.br 19


ARTIGO MARCIO SUMAY

Por que a Visão Estratégica é tão

IMPORTANTE?

A

principal diferença entre uma empresa de sucesso e uma outra com tendência de fracasso ou “quebrada”, geralmente, está nas decisões que são tomadas. Se não estiverem alinhadas com a visão estratégica do negócio podem gerar grande desperdício de caixa (financeiro), tempo, pessoas, conhecimento, mercado, tecnologia e estrutura, e todas estas dimensões são fatores altamente competitivos nos dias atuais para entregarmos serviços e produtos mercadologicamente interessantes. A visão é um exercício importantíssimos em todos os negócios e claro

20 editorasermais.com.br

que a maioria das empresas que possuem uma visão empresarial muito bem definida e comunicada para todos os níveis de gestão tem grandes chances de sucesso, já que as decisões serão tomadas com foco e as pessoas saberão em que direção colocar sua energia (tempo, conhecimento, recursos e foco). Taxista no Rio de Janeiro: imagine que você acabou de chegar no Aeroporto Internacional do Galeão no Rio de Janeiro, foi direto tomar um táxi e o motorista pergunta: “Para onde vamos?“ (ou seja, ele saber qual sua visão), se você responder com o destino final, certamente estará lá em um tempo mais, no en-

tanto, se você entrar no carro e não responder para onde quer ir, pode ser que chegue em algum lugar indesejado e muito tempo depois. Levando para sua realidade: o diretor da empresa é o “passageiro” (que deve saber onde deseja chegar) e o “taxista” são todos os gerentes ou líderes que conduzem as Pessoas, processos, tecnologia e os investimentos da empresa com FOCO para o “destino final”, ou seja, para a visão empresarial. Na Amaxi Coaching e Gestão e Pessoas realizamos consultorias de visão estratégica, business coaching e workshops (com o projeto Amaxi2CW) e neste conjunto de serviços é


1 - Como você quer que sua empresa esteja daqui a 1 ou 2 anos? 2 - Como deseja que a empresa seja reconhecida daqui a 5 anos? 3 - Quais recursos e ferramentas planeja utilizar para conquistar seus objetivos? Isso mostra que muitos empresários e líderes não estão preparados para “comandar o barco para o continente correto” e se você não tem claro “para onde quer ir”, como poderá definir as estratégias? A visão é o que a empresa deseja ser no futuro em um determinado tempo e a estratégia pode ser compreendida como a ponte que levará a empresa a alcançar sua Visão. Como alavancar os negócios a partir da visão estratégica É certo também que no cenário econômico atual absolutamente impre-

Marcio Sumay Master Coach, palestrante, empresário e docente universitário. Sócio-diretor da Golden Líder Coach Treinamentos. Escritor do livro Ser+ com Equipes de Alto Desempenho da Editora Ser Mais. marciofnweb@hotmail.com

visível, os diretores e líderes necessitam ter clara a visão e constantemente ajustar a estratégia de forma ágil e prática, por isso é muito importante que os líderes desenvolvam comportamentos como: capacidade de superação, flexibilidade, autoconhecimento (de suas fortalezas e debilidades), responsabilidade, criatividade, iniciativa, foco na solução, comunicação assertiva, motivação, integração da equipe, reconhecimento e feedbacks assertivos. A formação de líderes passa a ser um grande diferencial em ambientes alta-

A visão é um exercício importantíssimos em todos os negócios e claro que a maioria das empresas que possuem uma Visão Empresarial muito bem definida e comunicada para todos os níveis de Gestão tem grandes chances de sucesso

comum receber um “não sei” ou um “silêncio profundo” como resposta quando realizamos perguntas como:

mente competitivos e para suprir estas necessidade do mercado a Amaxi em parceria com a organização Condor Blanco Internacional, realiza seminários de formação de líderes na região de Ribeirão Preto e In Company em todo o Brasil, em 4 etapas: “Autoliderança e Projeto de Vida”, “Liderança de Equipes”, “Liderança

Empreendedora” e finalizando com o módulo Internacional no Chile “Líderes que formam líderes”. Em nossos projetos de business coaching conduzimos os diretores e gestores a refletirem sobre os resultados obtidos, objetivos a serem alcançados, na distância a ser percorrida até o objetivo e nas estratégias para conquista-lo. Com estas definições claras e organizadas em um plano estratégico, passamos para o de comunicação da visão envolvendo todos os níveis da organização frequentemente através de palestras, eventos de integração de equipes, comunicações internas e reuniões de comunicação, seguimos com coaching e workshops para melhorar as decisões dos líderes e maximizar a performance das equipes, sempre com acompanhamento dos resultados e feedbacks. Pela “era do conhecimento” que passamos e com o rápido crescimento da internet, redes sociais, tecnologias de comunicação, livros virtuais e outras tantas, temos acesso fácil a muitas teorias e ferramentas para realizar uma excelente Visão Estratégica, com fácil aplicação como o Ciclo PDCA, análise swot, análise das 5 Forças de Porter, matriz BCG, testes comportamentais. Mas, o grande segredo para utilizar todo este conhecimento está no Foco do negócio, no Aperfeiçoamento Constante de líderes e equipes, nas decisões rápidas e principalmente na simplicidade. Gosto muito de uma frase que diz: “Um plano deve ser uma trilha e não um trilho”.

editorasermais.com.br 21


22 editorasermais.com.br


´ POR UM PLANETA SUSTENTAVEL

Estrada elétrica ABASTECE VEÍCULOS A Volvo em parceria com a companhia de energia sueca Alstom se uniram para testar a ”estrada elétrica”. A principal crítica aos carros elétricos atuais gira em torno de suas baterias, que não seriam tão potentes, a ponto de não resistirem a uma viagem longa. Ao dirigir pela rodovia, o automóvel é carregado enquanto trafega. Entretanto, a companhia diz que ainda são necessários anos de pesquisa para melhorar a tecnologia.

PROJETO AQUAPOLO Construído para garantir o fornecimento de água de reúso industrial para abastecer o polo petroquímico da região do ABC paulista, o Aquapolo é um projeto pioneiro e sustentável, uma vez que utiliza esgoto tratado como insumo. O projeto está em funcionamento desde o fim de 2012. A cada mês, economiza 2,58 bilhões de litros de água, o suficiente para abastecer uma cidade de até 500 mil habitantes. O benefício vem de encontro às necessidades de consumo da região metropolitana de São Paulo, uma das cinco mais populosas do mundo.

ESPORTE SUSTENTÁVEL O mercado do running tem apresentado tecnologias que mostram a preocupação com o meio ambiente. Além das camisetas e shorts feitos com garrafas PET, bambu e algodão orgânico há também tênis biodegradáveis que se decompõem até 50 vezes mais rápido do que os convencionais. Os produtos fazem parte da linha de grandes marcas esportivas.

editorasermais.com.br 23


ARTIGO WERNER KUGELMEIER

Mudar ou ficar refém da mudança

por onde começar?

A

s empresas são seres vivos, embutidas em um ambiente vivo, portanto, estão sujeitas a mudanças não-desejadas; assim sendo, têm razão os críticos que questionam as empresas que tendem a perpetuar sua forma de operar. As empresas no mundo inteiro investem mais de US$ 50 bilhões por ano em honorários de “consultores da mudança”. Esse valor responde por apenas um terço do custo total com iniciativas desse tipo. No entanto, as pesquisas indicam que 70% desses esforços ficam significativamente aquém das expectativas (Richard Pascale, em HSM Set/Out 2004). Mudar é a oportunidade de se sair melhor! Esta é a idéia central dos projetos de gestão da mudança. O inesperado sempre causou impacto no ser humano; é mais fácil ficar na chamada zona de conforto, do que enfrentar o novo e se adaptar a ele. Perante as mudanças, as pessoas tendem a mostrar temores e resistências. Isso ocorre, principalmente, quando a transformação organizacional não foi

apresentada de forma transparente. O gestor empresarial precisa comunicar e praticar o discurso da mudança (walk the talk), assim como oferecer direção, incentivo e capacitação para sua equipe. Só assim, as mudanças podem se tornar a mola propulsora para o desenvolvimento do profissional, o qual, em conjunto com os demais colaboradores, gera os impactos desejados para a empresa como um todo. A pergunta é se a mudança é uma realidade a que as pessoas precisam estar atentas ou uma oportunidade para o aperfeiçoamento profissional; os dois aspectos estão implícitos na mudança. Quando as mudanças externas são maiores que a mudança interna, o seu impacto para a empresa  torna-se cada vez maior. Se a gente não compreender essa relação, mudar tornar-se-á algo difícil, uma “obrigação”. Contudo, se compreendermos essa relação, perceberemos que há uma oportunidade imperdível lá fora, ou seja, o “convite” para poder fornecer um produto ou serviço de real relevância para o cliente. O inverso também é válido: se a em-

presa estiver à frente de mudanças no mercado e você estiver perdendo terreno, fique atento, pois há grande probabilidade de você não estar desenvolvendo a competência que os clientes querem e a empresa precisa. Surge a pergunta: quem mais lucra com as mudanças: a empresa ou os colaboradores? Se colocarmos na balança a crença de que com uma mudança bem sucedida, a priori, é o cliente que lucra, podemos concluir que, “por tabela”, a empresa ganha e, consequentemente, o colaborador; estamos falando de um ganha/ganha/ganha. Por onde começar? Cabe à alta direção conseguir um comprometimento de todos em torno da aspiração comum de atender, ou melhor, superar as expectativas do cliente. Este mandamento implica em aceitar a mudança como um fenômeno natural. Depois, é preciso criar um plano para enfrentar a mudança. Converse com pessoas que já passaram pelo que você está passando; aproveite o momento para investir em idéias inovadoras e criativas no sentido de contribuir para alcançar os objetivos da mudança; torne-se mais proativo, estabelecendo um propósito ousado,

O gestor empresarial precisa comunicar e praticar o discurso da mudança (walk the talk), assim como oferecer direção, incentivo e capacitação para sua equipe. Só assim, as mudanças podem se tornar a mola propulsora para o desenvolvimento do profissional, o qual, em conjunto com os demais colaboradores, gera os impactos desejados para a empresa como um todo. 24 editorasermais.com.br


sabendo enfrentar obstáculos e construindo opções que o levem diretamente aos resultados esperados da mudança. Assim, você ganha terreno como um real Agente de Mudança. Exija dos gestores da empresa que eles comuniquem as razões da mudança, reativa ou proativa. Para onde estamos indo? Qual é o resultado esperado? Como cada um pode contribuir com o seu potencial

produtivo? Quais as competências e tarefas necessárias para alcançar o sucesso na mudança? Pesquisas indicam que aproximadamente 30% dos líderes não estão preparados para conduzir as pessoas para produzirem os resultados da organização. Faça-se lembrado para fazer parte de um comitê de mudança ou de uma força tarefa cuja incumbência é

executar uma mudança, p.ex., o lançamento de um novo produto ou serviço. Aceite indicadores de desempenho que levam ao resultado desejado da mudança, desde que claramente comunicados pelo gestor. Mudar é preciso e possível, antes de se tornar refém da mudança... Quer “Ser Mais”? Faça um testdrive! Favor disponha para um bata-papo pelo e-mail wkprisma@wkprsima.com.br

Werner Kugelmeier Diretor Proprietário da WK PRISMA Empresa de Treinamentos empresariais. www.wkprisma.com.br editorasermais.com.br 25


MODA, BELEZA E ESTILO

Verde Gucci com a Perrier Dentre os verdes nas garrafas e latas da Perrier, edição limitada (comemorativa dos 150 anos), estão também os tons do verão 2013/14. A famosa água francesa fez uma parceria com a Fundação Andy Warhol, que se incumbiu de dar a assinatura do pai da pop art com grafismo nas embalagens. O verde da moda se funde às marcas agregando ainda mais vida às peças.

Óculos mais indicados Os dois exemplares criados pela Ray-Ban, Wayfarer e o Aviador, há décadas são clássicos que combinam perfeitamente com o estilo do homem urbano atual. O primeiro, com uma pegada mais rocker e descolado e o segundo tem estilo que remete ao militar com toque esportivo. Ambos são os que combinam melhor tanto com o visual casual quanto social.

Clássico e

ousado

As misturas do preto e branco, ou também conhecido como P&B, estão mais do que nunca na moda e no look do dia a dia. Parece que dessa vez as grifes investiram forte em peças que caem bem na maioria das mulheres e são da tendência color blocking (bloco de cores). O objetivo é misturar duas ou mais cores vibrantes em um único look, já o visual mais básico e com cores menos chamativas rouba a cena das passarelas e nas ruas. 26 editorasermais.com.br

D&G The One Escolher o perfume ideal para o dia a dia de trabalho é fundamental, porque ele vai refletir seu estilo e projetar sua personalidade. Seja discreta. Prefira perfumes mais clássicos e mais elegantes que passam confiança e credibilidade para as pessoas ao seu redor. Este perfume está disponível nas lojas da Sephora por R$269,00 ou pelo site www.sephora.com.br


NOVIDADES DO MUNDO DA WEB

Oi lança GPS gratuito A Oi lançou aplicativo próprio de mapas e GPS. O programa permite navegar até mesmo offline e é integrado a redes sociais como Foursquare, Facebook e Twitter para pesquisar por locais, compartilhar localizações ou encontrar amigos que estejam próximos. Além disso, conta com visualizações em 2D e 3D e é gratuito para qualquer pessoa, independentemente da operadora em utilização. O Oi Mapas é uma versão customizada de outro aplicativo de GPS, o N.Life. O serviço está disponível para Android (a partir da versão 2.2).

Desenvolvedora do jogo planeja abrir capital A empresa King que é dona do jogo e sucesso tanto nos smartphones quanto no Facebook está tentando gerar ainda mais receitas em cima de seu hit. A companhia trabalha para chegar às bolsas de Wall Stre-

Contagem regressiva para o altar A ideia deste app nada mais é do que uma contagem regressiva até o grande dia e chega diariamente por meio de um alerta no smartphone do usuário. Os noivos têm à disposição uma ferramenta simples de usar. Eles podem fazer o cadastro no site www. wedday.com.br e seguir o passo a passo para iniciar a contagem, o que inclui a possibilidade de criar um evento e poder compartilhar o conteúdo com os convidados.

et e já contratou vários bancos, incluindo o JP Morgan e o Bank of America para iniciar a oferta pública de suas ações, antecipa o Wall Street Journal.

Concha y Toro lança versão mobile A Vinícola Concha y Toro lança a versão mobile de dois de seus vinhos. Marques de Casa Concha e Gran Reserva Serie Riberas foram escolhidos às versões para smartphone que trazem novidades das marcas para serem acessadas de qualquer lugar. O programa ainda permite que os usuários saibam a pontuação de cada vinho e podem visualizar informações para se aprofundar no estudo da bebida. Saiba mais em: www.marquesdecasaconcha.com.br / www.granreservaconaytoro.com

editorasermais.com.br 27


´ PERCIA COACHING ANDRE

Neurolinguística avançada

PARA CONSTRUIR METAS (Processo Prático)

Q

uem não se lembra de querer comprar um carro, um aparelho ou objeto e, a partir do momento em que pensava seriamente em adiquiri-lo, passou a vê-los em todos os lugares com muito mais frequência que o normal? Isso acontece porque quando decidimos prestar mais atenção em algo, nosso cérebro, ao mesmo tempo, diminui o foco daquilo o que não nos interessa e aumenta mais o foco do que interessa. Nós podemos TREINAR nossa mente para fazer isso de forma proposital: buscar a percepção os meios e

28 editorasermais.com.br

os caminhos para nos botar mais em contato com o que queremos, seja no âmbito pessoal ou profissional. Antes de qualquer coisa responda de forma honesta para si: O que eu quero – Especificamente? Onde eu estou sobre o que eu quero? Onde eu desejo chegar? Qual a IMPORTÂNCIA deste resultado em si e deste resultado na minha vida como um todo? A parte que ainda me mantinha contribuindo para eu estar onde estava antes de já começar a mudar, quer fazer o que por mim de mais impor-

tante me mantendo ainda nesta posição... ou... o que há de importante e para eu aprender sobre ter estado onde estive até agora pouco? O que eu desejo é possível, factível? O que depende de mim? Quando, onde, com quem e para que vou fazer a mudança desejada? Como eu e outros podemos ganhar com minhas conquistas em harmonia? O que preciso fazer no meu ambiente, sobre minhas ações para chegar mais perto do que quero? Quais recursos e capacidades estão disponíveis em mim? Como tudo isso pode ser feito da forma mais divertida e prazerosa possível? O que isso faz de bom por mim en-


quanto pessoa, para minha missão? O que/ quem / o que além de mim já ganha com o que eu faço? Depois de meditar sobre essas perguntas poderosas e escrevê-las em seu diário: 1 – Pegue um pedaço de papel em branco especial. 2 – Elabore e escreva no papel QUATRO frases com o verbo no PRESENTE dando uma idéia de MOVIMENTO E AÇÃO. EXEMPLOS: Eu aprendo e assimilo com prazer e facilidade as matérias para o concurso público. Eu me comunico de forma eficaz com minha equipe sensibilizando-me para combinar as necessidades individuais e de trabalho. Minha sexualidade flui de forma saudável e nós usufruímos de uma vida sexual frequente, prazerosa e criativa. Minha criatividade se manifesta todos os dias gerando insights, idéias e elaboração de projetos que alavancam nossos objetivos de trabalho. 3 – Reveja se o que escreveu está congruente com as perguntas que respondeu acima, e releia o papel algumas vezes. Dobre-o e sele-o.

4 – Três vezes por dia, durante um mês, você vai pegar o pedaço de papel com a mão oposta a que escreve e repetir algo mais ou menos assim (melhor se for mesmo com suas palavras, do seu jeito): “VOCÊ, mente Inconsciente, que organiza e coordena tantas coisas as quais não preciso chamar atenção, coordena o resto de mim para me levar de forma saudável, divertida, prazerosa e próspera para o que está escrito neste papel. E quanto mais eu me lembrar de esquecer das palavras específicas escritas nele, mais VOCÊ sintoniza-me e sincroniza-se com todas as coi-

Nós podemos TREINAR nossa mente para fazer isso de forma proposital: buscar a percepção os meios e os caminhos para nos botar mais em contato com o que queremos, seja no âmbito pessoal ou profissional.

sas, pessoas e situações as quais me farão conquistar o que desejo – ou algo muito melhor! – mais rápido do que qualquer um pode imaginar. Tal qual acredito que o sol que brilha lá fora e dá vida ao nosso mundo, acredito que tudo isso já está acontecendo neurologicamente no futuro agora presente na minha estrutura”. Procure tirar o foco da lembrança do que está escrito no papel e aumentar o foco nessas palavras, gerando IMAGENS, DIÁLOGOS INTERNOS e SENSAÇÕES, conectando-se com as EMOÇÕES e a IMPORTÂNCIA do resultado agora no futuro já presente na sua estrutura. 5 – Quando completar um mês, faça um ritual de despedida qualquer e queime o papel. 6 – Faça o que puder para ser congruente e consolidar ações consistentes com as coisas que no futuro já são parte do que tenta em vão resistir deixar já ser parte de você, completamente! Ponha seu foco noutra coisa importante e deixe esse plantio germinar, inconscientemente... Você vê o meu ponto? Escreva-me contando seus resultados!

André Percia Psicólogo clínico e hipnoterapeuta com formação internacional em Coaching. Coordenador de livros da Editora Ser Mais. youtube.com/Andrepercia apercia@terra.com.br

editorasermais.com.br 29


,

CAPA DALMIR SANT ANNA

DESCUBRA COMO APROVEITAR AS

OPORTUNIDADES E SER UMA PESSOA VITORIOSA NO AMBIENTE PESSOAL E NO AMBITO PROFISSIONAL

Onde estรก sua forรงa para acreditar nas suas habilidades e crer no potencial para

superar desafios?

30 editorasermais.com.br


Onde está sua força para acreditar nas suas habilidades e crer no potencial para

superar desafios?

A

vida é feita de oportunidades repletas de derrotas e vitórias. Para aproveitá-las o ser humano precisa expandir seus conhecimentos, desenvolver habilidades, explorar a curiosidade e evoluir com comprometimento, dedicação e satisfação. Considerar nas suas atividades diárias, três pilares que movem o comportamento humano: escolhas pessoais, satisfação profissional e a busca de uma qualidade de vida. Você não conseguirá demonstrar suas essências competências e desenvolver sua alta performance, ao jogar futsal de chuteira ou futebol de campo usando patins. Nesse sentido, não há como dizer “sinsalabim” e, em um passe de mágica, criar oportunidades na vida. Utopia gritar “abracadabra” e acreditar que haverá máxima retenção de talentos na sua equipe de trabalho. Uma pessoa com competência percebe que a vida é feita de oportunidades, sendo que, com as dificuldades aprende, desenvolve habilidades e supera desafios. Com as conquistas, jamais aceita ser, a mesma pessoa que antes.

editorasermais.com.br 31


Onde está sua coragem para agir? Lembro-me, que na minha adolescência, quando jogava futebol com meus amigos na escola, acreditava que transpirar a camisa bastava para vencer um jogo. Corria de um lado para outro do campo, com o objetivo de encontrar opções de jogada. Puro engano! Terminava o jogo frustrado e esgotado fisicamente, sem conseguir marcar nenhum gol. Hoje, com maturidade, acredito que não basta apenas correr exageradamente, sem apresentar resultados eficazes. Ao direcionar essa experiência para o ambiente corporativo, quero refletir com você, que alguns profissionais somente correm, mas esquecem de planejar, estudar e identificar oportunidades reais no mercado de atuação. Você conhece pessoas assim com esse perfil? Conhece pessoas que falam muito, mas na prática aproveitam muito pouco as oportunidades para apresentar resultados coerentes? Incrível como há pessoas que dizem, ser impossível inovar e gerar novas oportunidades no seu trabalho. Observe algo que vou relatar a seguir e procure indiferentemente do seu trabalho, vivenciar essa experiência. Tenho uma amiga que é proprietária de um salão de beleza. Quando observa no estacionamento alguém aguardando um cliente, ela solicita que uma funcionária sirva um chá, café, água ou suco. Você concorda que é algo interessante? Quantas vezes você já acompanhou uma pessoa em algum local e acabou esquecido, sem um mínimo de atenção, dentro do automóvel em um estacionamento, na recepção de um hotel ou na sala de espera de um consultório? Quando o gerente de uma agência

32 editorasermais.com.br

bancária levanta da cadeira e, de pé, realiza o cumprimento a um cliente que chegou, demonstra respeito e simpatia. Ao contrário de ficar digitando enquanto fala com o cliente pessoalmente ou ainda, conversar ao telefone apertando a mão de alguém, use de empatia e responda a pergunta: Você gostaria de receber o atendimento que está oferecendo? Jamais diga que é impossível inovar nas suas vendas e oferecer um atendimento diferenciado sem antes tentar! Nesse sentido, para fazer a rede balançar, será preciso aproveitar as oportunidades e jamais permanecer parado no banco de reservas. Demonstre coragem para agir. O momento é agora! Amanhã poderá ser tarde demais!


O jogo da sua vida pode estar aos 45 minutos do segundo tempo Tive a honra de entrevistar, no meu livro “Oportunidades”, o premiado humorista Shaolin (Francisco Jozenilton Veloso), que dotado de grande capacidade para assimilar costumes e mazelas da sociedade, contribuiu para difundir ainda mais, o contagiante humor popular brasileiro. Uma pergunta, em especial, marcou bastante a entrevista, quando questionei, se fosse possível viajar de volta 10 anos no tempo, que conselho o Shaolin daria a si, sobre o relacionamento com a família, com os amigos e sobre sua paixão ao trabalho humorístico? A resposta é digna de um homem vitorioso, afirmando que “não teria esperado tanto tempo para entrar de cabeça no humor, não teria temido o que a família iria pensar sobre as fraquezas pessoais e não teria chorado nas etapas fracassadas da vida, pois o lamento atrasa a criatividade. Se pudesse viajar de volta 10 anos no tempo, eu teria perguntado

mais e respondido menos”. Nesse sentido, perceba que há pessoas que entram em uma atmosfera de comodismo e não são capazes de perceber a velocidade da mudança e a necessidade de uma mudança de velocidade. Para manter-se sempre atualizado é preciso lembrar que sem conhecimento não há inovação, sem aprendizagem não há desenvolvimento e sem coragem ninguém chega a lugar algum para encarar novas oportunidades. Em algum momento da vida, você precisa acreditar que o jogo está zero a zero. E aos 45 minutos do segundo tempo, acontece um pênalti em favor do seu time. Quem irá fazer a cobrança é você. Não há como cruzar os braços e passar a decisão para outro atleta. Você precisar marcar o gol e fazer a diferença. Jamais permita ir para vestiário, sem antes, experimentar o gostinho da vitória. Lembre-se do pensamento do poeta cearense José de Alencar: “Quem não espera vencer, já está vencido”.

editorasermais.com.br 33


Vigiar seu ego pode contribuir para aproveitar oportunidades Sou professor de pós-graduação e aprecio muito quando nas aulas, há alunos que fazem questionamentos e demonstram curiosidade em aprender. Contemplo nas aulas que a curiosidade é a musa da inovação. Se examinarmos a vida dos grandes inventores, a curiosidade em descobrir novas oportunidades era um traço de suas personalidades. Dessa maneira, procure continuamente ser diferente sem deixar de ser eficiente. Pessoas que fazem a diferença acompanham os avanços tecnológicos, permanecem atentas aos serviços realizados, desenvolvem suas habilidades e buscam continuamente ser eficientes. Coloque em prática o desafio de prometer menos e fazer mais. Como em uma metáfora, perceba a existência de pessoas que fazem o próprio barco acompanharem as ondas e as evoluções da maré, sem erguer as velas para mudanças do percurso. Normalmente essas pessoas, ao olharem alguém conquistando uma vitória dizem: Essa pessoa é abençoada! Nasceu virada para a lua! Não são capazes de crer na capacidade existente na força do próprio motor de seu barco. Não acreditam no potencial de superar as ondas. O aprendizado é resultado da curiosidade em querer expandir conhecimentos e do exercício de saber cada vez mais. Maior conhecimento, naturalmente, abre novas oportunidades de realizações profissionais e pessoais. Porém, tenho a oportunidade de constatar, que algumas pessoas não disponibilizam parte de seu precioso tempo para planejar seus sonhos. Deixam de acreditar em si. Vigie seu ego e torne ele um aliado para contribuir juntamente com a autoestima, em uma melhor motivação. Entretanto, volto a repetir, vigie seu ego, pois 34 editorasermais.com.br

poderá ser prejudicial, quando usado para demonstrar autoritarismo, prepotência e arrogância. Acredito ser algo louvável sentir orgulho de conquistas, mas uma hipocrisia tornar suas conquistas um orgulho somente para inflar o ego diante de outras pessoas. O ciclo da oportunidade Busco continuamente apresentar nas palestras comportamentais, que o ser humano possui uma força intrínseca, para desafiar verdades que impõe como regra. Procuro gerar nos participantes, reflexões para manifestar que esforço e dedicação são fundamentais para atingir o pináculo profissional e a realização pessoal, entretanto, será essencial colocar em prática o ciclo da oportunidade que apresento a seguir:

ACEITAR RISCOS

MANTER PERSISTÊNCIA

OPORTUNIDADES

POSSUIR CONFIANÇA

GERAR OTIMISMO

Você imagina um general militar diante da tropa dizendo: Estou com muito medo! Será que vamos vencer nosso inimigo? O medo, para algumas pessoas é um aliado, no sentido de fortalecer suas reações de justificativas, mas para outras é um adversário a ser superado. Isso mesmo! Um adversário a ser


levado ao nocaute. Se uma equipe entrar em campo, para disputar a partida final de um campeonato com incertezas, terá grandes chances de ser derrotada. A insegurança e a ausência de confiabilidade serão maiores que o adversário. O que conduz algumas pessoas a desistirem facilmente de seus sonhos? A resposta converge para um denominador, de que perder a esperança faz o ser humano apagar as luzes de seu próprio caminho. Elaborei o ciclo das oportunidades, com ações funcionais para serem colocadas em práticas por você, com quatro fatores: aceitar riscos, possuir confiança, gerar otimismo e manter persistência. Pense em quantas oportunidades, podem estar presentes na sua vida, quando você “diz sim” para um primeiro passo. Aceitar correr riscos é uma ação efetiva para transformar ideias em realizações. A pessoa confiante desenvolve intrinsicamente, habilidades construtivas, que podem influenciar positivamente o andamento da vida e dos mais diversos projetos. Tudo é uma questão de acreditar nas próprias verdades. A pessoa otimista acredita que os obstáculos podem ser superados. As ações de uma pessoa otimista incrementam a inovação, favorecem a experimentação, e fazem com que estejam sempre dispostas a tentar melhorar fatores negativos em positivos. Com essa conduta, geram probabilidades de conseguir aproveitar oportunidades que outros indivíduos negligenciaram. Acreditam em uma força interior para realizar determinada tarefa.

Amadurecemos ao perceber nossas limitações e equívocos, contudo, crescemos ao maximizar resultados e as oportunidades, com o desenvolvimento de nossa alta performance. Como reflexão, quero que você pense nessa minha frase: “O medo de fracassar levou inúmeras pessoas a desistirem da concretização de seus sonhos”. Eliminar o boicote e a punição pessoal Encantem-se com suas conquistas, com seu trabalho, sua família, seus amigos, sua aparência física, seus estudos e sua espiritualidade. Imagine que cada conquista é um degrau, que gradativamente faz você chegar ao topo dos seus sonhos. Nenhum atleta conquista sua alta performance na primeira competição. É preciso tempo, às vezes anos, preparando o corpo e a mente para uma Olimpíada. Sempre que possível, realize o seguinte exercício: feche seus olhos e assuma uma postura confortável onde você está agora. Inspire profundamente e solte o ar lentamente. Vamos lá, coragem! Procure relaxar seu corpo, cada vez, que sentir o ar saindo do seu corpo. Agora com os olhos fechados e respirando lentamente, busque sentir seu coração pulsando. Talvez, seja a primeira vez, que você está oferecendo ao seu corpo, essa oportunidade de sensação de conforto, que gera em si mesmo. Continue respirando, pois agora é chegada a hora de mudar os hábitos antigos de uma visão limitada, com ações obsoletas. É necessário

eliminar o boicote e a punição pessoal. Mas como? Minha sugestão é que você substitua o que não serve mais, por hábitos saudáveis e que ajude você a ser mais feliz. Novas oportunidades e pensamentos otimistas podem surgir com esse exercício. Mas será preciso coragem para colocá-las em prática. Responda: O que você faria se conseguisse voltar os ponteiros do relógio e retornar no tempo? É incrível como há pessoas que vivem arrastando lembranças tristes do passado. Deixam de abraçar o presente como uma dádiva, vivendo sempre de maneira rancorosa. Como não é possível em um passe de mágica alterar sua história passada, note que o indivíduo ansioso quer estar no futuro nesse instante. O ser humano prudente aproveita o período presente para ser feliz. Como estudioso do comportamento humano, defendo que somos pessoas feitas de passado e de histórias, mas acredito que a principal pessoa beneficiada em viver o presente é você. Então, o que impede de colocar em prática o desejo de uma transformação nesse momento? Qual motivo impede você hoje, de deixar escapar de suas mãos, a oportunidade de ser feliz? Não tenha receio da relação positiva que pode existir entre o risco e a oportunidade. O passado serve como recordação e experiência. O amanhã pode ser tarde demais para você viver uma descoberta. Levante seus olhos, erga a cabeça e descubra que é encantador viver. Vamos tentar?

Dalmir Sant’Anna Mestrando em Administração de Empresas; pós- graduado em Gestão de Pessoas; bacharel em Comunicação Social; palestrante e professor de pós-graduação; autor de livros na área comportamental. dalmir.com.br

editorasermais.com.br 35


}

JO GO RÁ PI DO 36 editorasermais.com.br

Danilo Gentili

Humorista, escritor, cartunista, repórter e apresentador. Ele faz parte da nova geração de humoristas e da comédia stand´up. Danilo Gentili ganhou projeção nacional como integrante do programa de humor jornalístico Custe o Que Custar, da Rede Bandeirantes e atualmente apresenta o talk-show Agora é Tarde. O humor ácido é a sua marca e esta presente na maior parte de suas piadas, em sua essência. Por Carlos Dias

A piada sempre tem dois vieses, ofende alguns e mata de rir outros, como lidar com essa questão? A piada sempre faz a pessoa bem-humorada rir e a mal humorada se ofender. Eu trabalho para fazer rir as pessoas bem-humoradas. Se eu conseguir isso é porque trabalhei direito. Se eu me importar que a pessoa chata prefere se ofender do que se divertir, serei como um churrasqueiro se lamentando porque um vegetariano não quis provar a sua picanha. E eu sempre preferi me sentar na mesa com as pessoas que gostam de picanha do que com as que comem apenas alface. É sempre mais divertido.

Como foi o momento de transição saindo do CQC para o “Agora é tarde”? A ideia do programa ser no molde “late show” foi de sua escolha ou já era previsto um programa naquele segmento? Em 2008, entrei pro CQC e, em 2009, apresentei pra Band essa ideia, já garantindo no meu contrato na época que o programa sairia, pois a direção artística da época tinha adorado todo conceito. Depois de algum tempo, o programa foi ao ar - em junho de 2011 - com ótimas criticas e audiência e rapidamente ganhamos mais dias na grade e estamos aí até hoje.


Como foi fazer o filme “Mato sem cachorro” ao lado de Bruno Gagliasso e Leandra Leal? Foi uma experiência muito legal! Me sinto um felizardo de estrear no cinema dessa forma, porque o filme tem elementos bem especiais e diferentes do que se está acostumado a ver por aqui. O Bruno Gagliasso foi um grande cara comigo, muito generoso e atencioso. Eu era o estranho no ninho ali, pois não sou ator, e ele foi um grande amigo. Sobre o show que virou DVD, o “Politicamente Incorreto”, de 2010, qual foi a repercussão que teve naquele momento de Eleições no país? Haverá um novo para 2014? O show teve grande repercussão na época. Lembro-me que saia na rua no dia da eleição, para cobrir os votos no CQC, e as pessoas na rua me paravam para falar das piadas que tinha contado um dia antes. Foi um recorde de publico na transmissão on-line. Até hoje as pessoas baixam no Netflix , compram o livro e o DVD do show, comentam e replicam as piadas nas redes sociais. Está nos meus planos, sim, fazer um novo politicamente incorreto na véspera da próxima eleição presidencial. Talvez, esse show seja menos “querido”, porque, se eu chegar a fazer, serei mais pontual em algumas críticas e pontos de vista. Porém tudo depende da agenda da gravação do meu segundo filme, “Como se Tornar o Pior Aluno da Escola”. Se ele permitir que eu trabalhe nesse show,

então, teremos um “Politicamente Incorreto - 2”. Penso até em chamar de “Inimigo do Estado”. Você tem recebido prêmios pelo programa e reconhecimento da crítica por seu trabalho. Esperava, de certo modo, um sucesso desse tamanho com apenas dois anos no ar? Nunca trabalhei visando audiência, crítica ou prêmio. Sempre me aventuro em áreas como fã. Adoraria assistir um late night assim, um show de política na véspera da eleição e também ler um livro que critique como a escola é obsoleta. Queria que existisse um Comedy Club no Brasil. Então, começo a gostar de alguns temas e estilos, trabalho no negócio. Em 2010, juntamente com o Rafinha Bastos e o Italo Gusso, vocês criaram a primeira casa de stand´up do Brasil, a Comedy Club Comedians. Diante do sucesso, já pensam em expandir o projeto para novas cidades? Tenho, sim, algumas ideias de expansão. Algumas bem ousadas. Mas é como pensar em ter um novo filho, demora para planejar e criar coragem. Quando e como surgiu o interesse de ser comediante? Houve alguma influência de alguém que você gostava ou admirava? Eu cresci assistindo filme de comédia na sessão da tarde. Adorava ouvir a classe rindo de piadas que eu fazia durante a aula na quinta série. E, principalmente: odeio trabalhar. Então pensei, serei comediante.

editorasermais.com.br 37


38 editorasermais.com.br


editorasermais.com.br 39


ARTIGO HELENA RIBEIRO

E

Estratégia Global de Negócios

stratégia Global de Negócios é um tema desafiador para empresários e executivos, independente de ser uma grande, média ou pequena empresa. O acesso do consumidor em tempo real à informação e às facilidades de transição de produtos entre países, levam as empresas a mudarem suas estratégias de negócios adequando-se aos padrões impostos pelo mercado global. As corporações reestruturam-se analisando o comportamento dos consumidores e tendências de mercado. As oportunidades com a competitividade global transformaram o dinamismo dos mercados e a forma das empresas planejarem globalmente, além das estratégias locais. Haja vista o comércio online, que facilita para o

40 editorasermais.com.br

consumidor receber “seus desejos” em casa, de vários continentes! Cada vez mais os consumidores incorporam em seu DNA a cultura da informação em tempo real e a interatividade global é irreversível. Viajar para outros países e conhecer novas oportunidades de negócios estão virando comodidades também para médias e pequenas empresas, que contam com apoio de cooperativas para expansão global dos negócios. Com a competitividade global o relacionamento empresa x consumidor está cada vez mais fragilizado, pois o consumidor pesquisa preços, inovação, entre outras variáveis tangíveis e intangíveis. Hoje, as empresas não podem se dar ao luxo de esquecer que a experiência do cliente faz parte integrante das estratégias globais dos negócios dos produtos e serviços. E ações de marketing fornecem ferra-

mentas que possibilitam antecipar tendências de mercados complexos para se manter competitivo. Variáveis antes tidas como imutáveis, agora são substituídas por insights de mercado tão valiosos quanto uma fórmula industrial secreta. Infelizmente o processo de internacionalização das empresas brasileiras é desestimulado pelas altas tributações, alto custo de mão de obra x baixos custos de outros países e desindustrialização de alguns segmentos por falta de incentivos do governo. Grupos empresariais buscam apoios a órgãos como FIESP/CIESP para obtenção de subsídios para incorporar-se ao mercado internacional. Percebemos a importância da visão global e das estratégias dentro das empresas e no desenvolvimento dos executivos para que eles estejam preparados para atuarem no mercado de


Helena Ribeiro Coach Executivo; consultora organizacional; palestrante e escritora. Fundadora da Razão Humana Consultoria. Escritora do livro Coaching - Grandes Mestres da Editora Ser Mais. www.razaohumana.com.br www.helenaribeiro.com.br

empresas têm condições de fazer a diferença e escreverem suas histórias, tornando-se cada vez mais competitivas globalmente. Temos várias que acreditaram na estratégia global e investiram, entre elas: Embraer: Maurício Novis Botelho foi responsável pela reestruturação da empresa pautada em cinco pilares: Tecnologia; Equipe qualificada; Flexibilidade; Intensidade de capital e Indústria Global. Em 2012 foram inauguradas duas novas fábricas em Évora, Portugal. Marcopolo, Alpargatas, Natura, entre outras. Além dos grandes estilistas brasileiros em destaque, incluindo artesãos. Para que as oportunidades de negócios como o mercado global possam se tornar realidade com lucratividade e sustentabilidade, é imprescindível que os administradores tenham a visão global do seu mercado e um plano estratégico de negócios muito bem estruturado. Afinal, a globalização mesmo sendo planejada não garante o sucesso e perenidade de um negócio, mas sem visão e estratégia global, pouco provável sua viabilidade. Em suma, a internacionalização é um dos grandes desafios dos executivos e do Brasil, que continuará em destaque se houver esforço conjunto entre empresários e governo. Fazer do Brasil uma sede de empresas bem sucedidas internacionalmente fará com que o país encontre seu espaço na economia internacional do século XXI.

constante transformação global de negócios. E o modelo organizacional tem que se adaptar a estratégia global identificando novos nichos de mercado, oportunizando negócios com maior valor agregado ao cliente. Em cenário de internacionalização o planejamento global e estratégico de curto, médio e longo prazos assume uma posição prioritária na alta administração, envolvendo características inerentes aos complexos mercados externos; suas variáveis ambientais e a realidade dos impactos da globalização nos países emergentes. O Brasil está em crescimento em um cenário global favorável, mas necessita cada vez mais de capacitação técnica e comportamental para desenvolver as estratégias de negócios. Afinal, a competitividade global é ferrenha e as organizações continuam ávidas por executivos mais qualificados e com visão global. Mas como agir? Eis o desafio dos empresários em desenvolver o capital intelectual e humano, para oportunizar novos mercados que tragam melhores resultados, pois é meta das empresas serem cada vez mais competitivas e sustentáveis. Por isso, é de suma importância contar com profissionais capazes de pensar e agir estrategicamente com criatividade e ousadia para atuar no mercado global. Grandes histórias são marcadas por décadas, o Brasil e as

Viajar para outros países e conhecer novas oportunidades de negócios estão virando comodidades também para médias e pequenas empresas, que contam com apoio de cooperativas para expansão global dos negócios.

editorasermais.com.br 41


ARTIGO LEILA NAVARRO

Gestão da felicidade no mundo corporativo Tenho repetido muitas vezes em minhas palestras que a vida está cheia de feijão bom e, por incrível que pareça, quando faço essa simples associação as pessoas se despertam para uma nova realidade!

O

Butão, um pequeno reino encrustado na cordilheira do Himalaia, considerado um dos países mais felizes do mundo, trocou o conceito do Produto Interno Bruto (PIB) pelo de Felicidade Interna Bruta (FIB). Neste país, o importante é ser feliz! Quando trago esse conceito à realidade das organizações no Brasil observo que, de alguma forma, esse método de gerenciamento já faz parte do universo dos profissionais e negócios bem-sucedidos. A tendência mundial é unir trabalho e satisfação, porque é fato comprovado que a produtividade aumenta em proporção direta à satisfação das pessoas envolvidas, uma condição que está associada a uma pessoa feliz e só traz benefícios: lucro, reconhecimento, realização, tranquilidade, alegria e bem-estar. Cada vez mais as organizações estão buscando profissionais que se destacam por suas qualidades humanas, pela aptidão de aumentar seus recursos e suas potencialidades de forma contínua e integrada. As empresas modernas valorizam as pessoas harmoniosas e equilibradas, capazes de aliar à competência, à habilidade e à eficiência no trabalho também a alegria e a afetividade com que marcam sua vida, e, igualmente, levam para a vida pessoal o respeito e o empenho que dedicam ao trabalho – nesse cenário não cabe mais uma pessoa compartimentada e sim integrada em qualquer circunstância. 42 editorasermais.com.br

Um profissional de bem com a vida e feliz tem satisfação em exercer as atividades do dia a dia, é mais produtivo e impulsiona o crescimento na sua carreira. A felicidade é uma habilidade que pode ser aprendida, desenvolvida, aprimorada, gerenciada em todas as áreas da vida, inclusive na carreira. Ela está associada a características como alegria, criatividade, autoestima, assertividade e uma pessoa com essas condições têm posicionamento e atitudes diferenciadas: São mais rápidas para tomar decisões importantes; São menos afetadas por doenças e acidentes; Têm mais amigos e levam uma vida social mais saudável; São mais criativas e produtivas; São menos egoístas e mais solidárias; São menos reativos e mais proativos; E, importantíssimo, reagem positivamente às situações de adversidade e têm controle sobre o seu estado de espírito – afinal, também podem ser afetadas pela TPM hormonal, pelo trânsito, por uma demissão inesperada. O mais interessante de tudo isso é que podemos exercitar a habilidade de ser feliz! Faça um balanço do seu dia a dia e observe qual o percentual de coisas boas e de coisas ruins que tem acontecido. Você poderá se surpreender ao ver que aconteceram mais coisas boas do que ruins e que o resultado final é bom. Tenho repetido muitas vezes em minhas palestras que a vida está cheia de

feijão bom e, por incrível que pareça, quando faço essa simples associação as pessoas se despertam para uma nova realidade. O hábito de identificar as coisas boas pode ser exercitado desde a infância. Imagine a criança que chega da escola e escuta do pai ou da mãe perguntas como: o que você aprendeu de bom hoje? O que você gostou de fazer? Foi tudo bem na escola? O hábito de destacar as coisas boas e realmente importantes pode ser desenvolvido. Se isso não faz parte do seu dia a dia, que tal perguntar às pessoas do seu convívio o que aconteceu de bom no dia delas? Faça isso e muito provavelmente perceberá quantas coisas gratificantes têm acontecido ao seu redor. A felicidade está em momentos simples do cotidiano. Quem é feliz e, por isso mantém um largo sorriso estampado no rosto, permanece em um estado de inteligência elevado e isso, sem dúvida, é um grande diferencial no mundo dos negócios.

Leila Navarro Palestrante motivacional, autora de 14 livros, entre eles, “Talento para ser Feliz”, “Talento à prova de crise” , “O poder da superação”, “Obrigado, equipe” e “Autocoaching de Carreira & de Vida”, da Editora Ser Mais. leilanavarro.com.br


editorasermais.com.br 43


´ INACIA SOARES

COMPORTAMENTO

A primeira entrevista a gente nunca esquece

I

Por isso, evite o desastre!

magine seus clientes, amigos e familiares ligando a TV para assistir ao jornal da noite e você estar lá, dando uma entrevista. Será uma surpresa para todos, que nem vão prestar atenção ao que você diz de tão empolgados por conhecer a pessoa que está falando na televisão. Seu celular vai começar a tocar, mensagens vão chegar no seu e-mail e, no dia seguinte, até o vizinho que nunca trocou mais que meia dúzia de palavras com você vai cumprimentá-lo no elevador com certa simpatia. E o melhor será quando você chegar ao trabalho. Você se tornou uma celebridade! Todos o cumprimentam e o telefone vai tocar muitas vezes. Será uma manhã meio perdida, mas altamente lucrativa, pode acreditar.

Estar na mídia é transmitir uma mensagem de sucesso. Quem está na capa da revista, na manchete do jornal, ou participa de um debate na rádio, destaca-se da multidão. Parece ser uma pessoa mais capaz e mais bem-sucedida do que as outras. Quando estamos na mídia transmitimos uma indelével impressão de competência. E em muitas das situações que vão derivar dessa fama, ninguém vai pedir para ver seu currículo. Já que prendi a sua atenção com essa mera hipótese da fama, quero aproveitar para preparar você para quando a sua oportunidade chegar. Quando o artista pop norte-americano Andy Warhol disse, em 1968, que “no futuro todas as pessoas teriam 15 minutos de fama” ele se referia ao crescimento dos veículos de comunicação, mas

44 editorasermais.com.br

44


COMPORTAMENTO

rem entrevistados por assuntos que não estejam relacionados aos negócios. Bobagem. Uma pauta bem feita, ainda que em outra seara, fortalece os negócios. Mostra que você é conhecido, que tem uma vida interessante, que é bem relacionado, enfim, mostra que você tem outras fontes de conhecimento que não aquelas advindas do competitivo mundo empresarial. Conselho de amiga: se o convite chegou em uma hora em que você está ocupadíssimo, resista a dizer não. Jornalistas nem sempre dão uma nova chance a pessoas que não se mostram disponíveis. A menos que você seja a pauta - ocasião mais rara quando sua empresa está comprando ou sendo comprada, quando a falência bateu à sua porta ou quando o produto que você está lançando é mesmo inovador - você será facilmente trocado pelo próximo nome da lista do produtor. E olhe, a lista dos bons produtores dos veículos que valem mais a pena - são realmente muito longas.

Agora que você disse sim ao seu primeiro convite, meu último conselho: pare tudo e vá se arrumar. Aparecer mal vestido ou com o cabelo mal cortado, será péssimo para sua imagem. Certa vez, convidei um grande empresário para uma entrevista, justamente quando ele chegava de longas férias. Estava com os cabelos longos, barba por fazer e um figurino esportivo demais. Ele disse que estava em nova fase e que iria daquele jeito displicente à entrevista. Eu disse que não me importava, pois afinal, o que ele tinha a dizer aos meus telespectadores era muito importante. A pauta era quente! Sabe como ele chegou no dia entrevista? Cabelos cortados, barba feita e um terno impecável. Eu ri muito quando o vi e ele logo me disse: “Os concorrentes, e também meus clientes, podem interpretar mal uma imagem desleixada.” Viu? Estar na mídia pode ser um salto para seus negócios ou para sua carreira. Mas trabalhe para que este salto não seja direto para o abismo.

ele jamais deve ter imaginado o tamanho da mídia que temos hoje. São milhares de canais de televisão, rádio, jornais, revistas e sites de notícias, mundo afora. Isso significa que há várias oportunidades para quem tem o que dizer. Portanto, duas dicas: aproveite muito bem o primeiro convite ou trabalhe para ser convidado a primeira vez. Outros convites, certamente, virão. A contratação de uma assessoria de imprensa é importante. Jornalista entende jornalista. Muitos assessores já trabalharam em redações e conhecem as rotinas que podem enlouquecer um entrevistado ou dar a ele a primeira oportunidade de estar na mídia. Uma das primeiras providências da assessoria será preparar um currículo super completo sobre a sua trajetória profissional e de vida. Saber tudo sobre você mostrará suas múltiplas experiências, talentos e expertises. Um hobby seu poderá ser a chance para participar de uma boa entrevista. Há empresários que não gostam muito de se-

Estar na mídia é transmitir uma mensagem de sucesso. Quem está na capa da revista, na manchete do jornal, ou participa de um debate na rádio, destaca-se da multidão.

Inácia Soares Jornalista, apresentadora de TV, professora de pós-graduação e palestrante em temas ligados à comunicação e carreiras. Escritora do livro Ser+ com Criatividade e Inovação da Editora Ser Mais. www.inaciasoares.com.br

editorasermais.com.br 45

45


^

OMAR SOUKI

OTIMISTA

Planejamento e fé!

P

lanejamento é uma palavra ligada ao mundo corporativo. Tem a ver com marketing, metas de vendas, estratégia de crescimento e resultados positivos. Fé é algo relacionado à religião, a acreditar em algo que não se vê, mas que se sente no coração. Como falar de planejamento e fé como se fossem uma só coisa? Vivi por quase três décadas envolvido com o mundo dos negócios, quando não era estudando e lecionando estratégias de comunicação, era ministrando palestras em empresas. Mas, em 2008, desacelerei esse processo e

passei a investir mais no meu desenvolvimento espiritual. Não abandonei os negócios, mas busquei cultivar mais a minha fé. Mesmo os livros que escrevi a partir de então, passaram a refletir esse meu encantamento com algo que não se pode ver, mas sentir. Ampliei o meu entendimento daquela frase do Abílio Diniz, presidente do Grupo Pão de Açúcar: “A única garantia de um negócio é a fé do empresário”. A fé não é apenas a garantia de nossos empreendimentos, mas também a esperança de uma vida próspera. É preciso acreditar para se ver. Só vemos as coisas nas quais acreditamos. A realidade tan-

46 editorasermais.com.br

46

to empresarial quanto espiritual se baseia na fé! Enquanto a pessoa não crê, as coisas não deslancham. Você já viu algum líder bem sucedido sem visão de futuro? O que é a visão de futuro? É acreditar em algo que ainda não se pode ver. Na inauguração de Disney World na Flórida, nos Estados Unidos, Walt já tinha falecido. Na ocasião, um repórter fez para Roy, irmão de Walt Disney, o seguinte comentário: “Seria ótimo se Walt pudesse estar aqui hoje, não é?”. Roy respondeu: “É justamente porque ele já esteve é que nos podemos hoje inaugurá-lo”. Em um tratado milenar de estratégia, Sun Tzu, oferece 5


OTIMISTA

passos fundamentais para aqueles que têm fé no planejamento: 1. O caminho moral. Para se ter sucesso na vida e nos negócios é importante acreditar no bem. O que estou empreendendo é bom para todas as partes envolvidas (inclusive a natureza)? Somente perduram os empreendimento alicerçados no bem. A força moral é superior à força física. Mais cedo ou mai s tarde, o bem vence o mal. 2. O céu. Representa os movimentos externos, o contexto: noite e dia, estações do ano. É importante saber interpretar os sinais externos (política, eco-

nomia, movimentos sociais, natureza) para tomar decisões acertadas. 3. A terra. Capacidade física da organização: localização, ambiente físico, equipamentos, tecnologia, comunicação interna e externa. Agilidade na comunicação e na mobilização de recursos. 4. A liderança. Foco em valores: visão de futuro, fé, sabedoria, honestidade, compaixão, coragem e entrega pessoal. O líder deve se pautar por valores que transcendem o seu ego humano. Deve mirar o bem estar da organização e da comunidade. 5. O método. Para o sucesso de qual-

Como falar de planejamento e fé como se fossem uma só coisa? Vivi por quase três décadas envolvido com o mundo dos negócios, quando não era estudando e lecionando estratégias de comunicação, era ministrando palestras em empresas.

quer empreendimento é importante que haja disciplina. Inspirar pelo exemplo. Fornecer orientações claras sobre a missão, os valores e a estratégia a ser seguida. O líder bem sucedido é também aquele que comunica essas coisas, com clareza, ao falar e, principalmente, ao agir. Duas coisas que, aparentemente pertencem a esferas diferentes, planejamento e fé, se dão as mãos e inspiram o coração das pessoas bem intencionadas. Ao seguir os passos de uma sabedoria milenar sentimos que o bem, pode sim, através de planejamento e fé, vencer o mal.

Ômar Souki Presidente do conselho administrativo da Simeon — Estratégia e Desenvolvimento. Escritor dos livros Ser+ Líder, Ser+ em Vendas I e II, Ser+ com PNL, Ser+ em Comunicação e Manual Completo de PNL, pela Editora Ser Mais. Ph.D. em comunicação pela Ohio University. www.souki.com.br omarsouki@bol.com.br

editorasermais.com.br 47

47


NILSON REDIS CALDEIRA

CORPORATIVO

Uma metodologia para

AJUDAR O PROCESSO de tomada de decisão Nada é mais difícil, portanto mais precioso, do que ser capaz de tomar decisões. Napoleão Bonaparte

A

tomada de decisão é um processo inerente à gestão do negócio fazendo parte de forma intrínseca do processo de administração de uma empresa. Em um dia executivos e empresários tomam várias decisões que influenciam de forma decisiva os seus negócios e apesar de terem consciência da importância destas decisões, muitas vezes são tomadas sem a devida atenção e concentração que este processo requer. Como seria se as decisões a serem tomadas no dia a dia fossem amparadas por uma metodologia? Quais seriam os benefícios? Este artigo propõe uma metodologia para apoiar as toma-

das de decisões dos empresários e executivos e permitir a possibilidade de melhores resultados e impactos positivos.

Metodologia Eisenhower

Dwight Eisenhower foi presidente dos Estados Unidos entre 1953 e 1961 e comandante das Forças Aliadas durante a Segunda Guerra Mundial. Foi um dos pioneiros em entender que a guerra consistia muito mais em uma logística bem elaborada e organizada do que em soldados capazes e armas modernas. Pragmático, transferiu sua experiência militar na gestão organizacional. A metodologia consiste na classificação das decisões em quadrantes conforme a figura que segue:

48 editorasermais.com.br

48


CORPORATIVO

Aplicando a metodologia Eisenhower no seu dia a dia

O gráfico é interpretado da seguinte forma. A linha horizontal relata a probabilidade da realização do evento após a tomada de decisão. Na linha vertical é avaliado o impacto desta decisão nos negócios. A partir desta matriz criam-se 4 quadrantes que contribuem para o empresário e executivo tomarem a melhor decisão. Vejamos quais são estas orientações: Prioridade 1 – Impacto elevado e alta probabilidade Em função da importância desta decisão ela precisará ser tomada com o máximo de reflexão e atenção, pois os resultados terão alta probabilidade de acontecer e terão impacto significativo nos negócios. Exemplo: decisões estratégicas como compras de maquinários, abertura de novas filiais e expansão dos negócios.

Prioridade 2 – Impacto elevado e probabilidade reduzida Neste caso a decisão deve ser tomada com uma atenção inferior ao do quadrante 1, pois apesar do impacto desta decisão ser alto, os resultados relativamente previsíveis. Exemplo: normalmente alocamos neste quadrante decisões tomadas com relação aos processos e desempenho na empresa. O líder deve-se ocupar neste quadrante com a possibilidade de melhoria da gestão destes processos e ações de melhoria de capacitação profissional da sua equipe. Prioridade 3 – Impacto reduzido e alta probabilidade Este é a típica decisão que deverá ser delegada, pois o impacto é baixo para os negócios e com certeza tomará tempo desnecessário do líder. Exemplo: ações táticas do dia-a-dia relativas a decisões comerciais, operacionais, financeiras e administrativas que já

estão previstas como negociações, pagamentos e operação do negócio. Prioridade 4 – Impacto reduzido e baixa probabilidade São aquelas decisões que o líder não deve se envolver mesmo, pois os resultados e impactos são muito baixos. Segundo Eisenhower a alternativa é simplesmente negligenciar qualquer atenção ou esforço com esta ação. Exemplo: uma situação corriqueira é a preocupação dos líderes com relação a processos desnecessários como a famosa e excessiva atenção com o “custo dos copinhos de café” ou “checando relatórios de despesas”. Quando o executivo se presta a tais atividades deve rever conceitos de confiança e credibilidade dos seus processos e da sua equipe. Que tal começar a exercitar suas tomadas de decisões com a segurança do Método Eisenhower?

Nilson Redis Caldeira Diretor da Reconectar Desenvolvimento Humano e Organizacional. Escritor do livro Coaching - A Solução da Editora Ser Mais. www.reconectar.com.br nilson@reconectar.com.br

editorasermais.com.br 49

49


MARCELO ORTEGA

VENDAS

Os 3 P´s

para chegar

I

ao Pódio

ndependentemente do seu modelo de vida, se você é vendedor, não importa o tempo de mercado, experiência em vendas ou nos produtos e serviços que vende, assuma metas e determine prazo para isso ocorrer. Compare as vendas com a sua vida e verifique se tem estabelecido tempo para atingir seus objetivos pessoais. Geralmente quem pratica o estabelecimento de metas pessoais, atinge metas empresariais com mais facilidade. Lembre-se: a vida da gente é como um veleiro, mudando dois milímetros no leme na partida, podemos nos distanciar quilômetros na chegada.

“Não adianta correr, se não sabe para onde está indo” É preciso ter 3 P´s para atingir metas: Prazos: Prazo é a definição de tempo esti-

mado para atingir a meta. Metas de curto prazo ajudam muito na conquista de metas maiores, de médio ou longo prazo. É preciso ter foco no dia, na semana, para chegar na meta do mês. O que você precisa fazer hoje para chegar onde quer amanhã. É como escrever um livro. Tenho que ter minha meta diária de páginas a serem preenchidas para atender a expectativa da editora quanto a entrega desta obra completa. Não posso simplesmente fazer o livro sem disciplina, sem tempo, sem planejamento de capítulos, paginas, palavras por páginas. A venda, a vida, qualquer projeto que tenhamos precisa de estratégia, planejamento e preparação. Sua atitude perante as tarefas é o que determina o resultado. Acha que é fácil escrever um livro? Só quem o faz, sabe o quanto tempo demora, o

50 editorasermais.com.br

50

quanto é preciso pesquisar, ler, reler, revisar e criar o tempo todo. Como vendedor que sou, antes de autor, palestrante ou consultor, declaro que a venda é a escola mais maravilhosa de planejamento estratégico que se pode ter na vida. Quem vive de vender aprende a competir, disputar espaço, controlar ansiedade, trabalhar sob pressão, contar com os outros, construir alternativas e ter sempre um norte a seguir, por que sem isso, não a venda não passa de um passa tempo sem graça e sem sucesso. Possibilidades: Ter um plano alternativo para cada meta. Qual é seu plano A, seu plano B ou C. Quando assumimos compromisso com nossas metas, definimos um prazo para que elas sejam atingidas, criamos um cenário de estresse possível, eminente, quase que certo.


VENDAS

Isso ocorre, por que um dos fatores que mais estressa uma pessoa não é a meta que ela tem para atingir, nem o trabalho em excesso que ela precisa executar. O que estressa, de fato, é a possibilidade de não realizar ou fazer o que deve ser feito. As pendencias incomodam em grande proporção. As preocupações, como sempre digo, “pré-ocupam” nossa mente e nos impedem de sermos criativos na busca de possibilidades melhores, de alternativas claras e efetivas para chegarmos onde queremos. Se sua meta não estiver sendo atingida dentro do prazo de uma semana, logo poderá se repetir nas semanas seguintes, ou meses e anos. Conheço muitas pessoas que vivem no campo da ilusão Sonho é o que fazemos com a realidade enquanto sonhamos e ilusão é o que a realidade faz conosco enquanto nos iludimos, concorda? O caminho para não se iludir, nem tornar os outros reféns de suas falsas metas, tenha sempre mais de uma estratégia e plano para conquistar o que quer. Se seu objetivo é vender 1 milhão por mês, tenha em mente que precisa vender 250 mil por semana, ou 50 mil por dia (de segunda a sexta). Este é seu plano estratégico lógico. Agora, se não é possível esta conta, crie seu plano real, seu plano A com base no seu histórico de vendas, no seu volume de negócios em andamento, de possíveis novos clientes, na sua taxa de conversão de oportunidades de venda em negócios fechados.

Tenha um Plano B, caso note que seu volume de conversão não está dentro do ideal. Por exemplo, se a cada 10 clientes que você fala, apenas 2 compram, você conclui que sua taxa de conversão é de 20%. Se precisa vender 1 milhão por mês, terá que fomentar 5 milhões em propostas, certo? mas você não tem tudo isso de volume de prospecção. Neste caso você tem suas possibilidades. Plano B: melhorar sua conversão. Plano C: aumentar sua carteira de clientes, Plano D: renegociar sua meta com seu chefe, pedindo ajuda nas suas opções anteriores. O que você não pode, é chegar no final do mês, do trimestre ou no prazo limite para atingimento do

Metas de curto prazo ajudam muito na conquista de metas maiores, de médio ou longo prazo. É preciso ter foco no dia, na semana, para chegar na meta do mês. resultado e dizer que não vai dar. Mude o leme de seu veleiro durante o trajeto, ou chegará num lugar desconfortável e distante demais do pódio onde ficam os melhores em vendas. O que permite que você seja mais que

a média do vendedores, é o seu engajamento com a empresa e com seu líder. Entusiasmo, automotivação, “sangue nos olhos”. Seja um obstinado a conseguir algo e irá contagiar os outros a lhe ajudarem a chegar lá. Positividade A positividade é o elemento essencial para se tornar um vendedor. Tem gente que age como um profeta trágico dizendo todo dia que não pode vender mais, que não irá conseguir isso ou aquilo, que o mundo não é bom, que a vida é dura e que não tem sorte. Você conhece alguém assim? Então se esta pessoa não for você, saia de perto dela agora mesmo, por que isso pega. Se esta pessoa é você, atreva-se a mudar A positividade é a razão para o sucesso. Os “nãos” serão enfrentados por todos nós vendedores, por que é uma característica do negócio de ser vendedor, empreendedor, consultor de vendas, gestor ou contato comercial. Quem lida com publico, tem que saber ouvir “nãos”, mas jamais deve alimentá-los dentro de sua cabeça. Em vez de pensar naquilo que pode dar errado, naquilo que “não” vai acontecer. Comece a pensar ao contrário. Pense: eu não quero ficar pobre e acredite, é o que você vê em sua mente e tem grandes chances de se tornar... ainda mais. Em vez disso: pense, eu quero ficar rico, cheio de bons clientes e realizar grandes vendas. A sua fisiologia, de novo entra em cena, e você se vê nesta situação. O positivo tem mais chance de se tornar um campeão!

Marcelo Ortega Vendedor, Treinador, Palestrante e Fundador do Instituto Marcelo Ortega Autor dos Best-Sellers: Sucesso em Vendas e Inteligência em Vendas – Ed. Saraiva www.institutomarceloortega.com.br - Formando Treinadores e Líderes Educadores www.marceloortega.com.br editorasermais.com.br 51

51


~ MARIA HELENA MAGALHAES

DESENVOLVIMENTO HUMANO

Ampliando seus Horizontes

Missão de Negócios no Exterior

E

stamos em um tempo de um mundo sem fronteiras e já não bastam termos um bom produto, preços competitivos e dominar um segundo idioma. Todo aquele que tem ligação com o mundo dos negócios tem enfrentado nos últimos tempos um novo e imenso desafio originado pela globalização humana. A escala de diferentes culturas é enorme e, embora estejamos cruzando fronteiras, tentando transpor obstáculos para negociar relacionando-nos com os outros, trocando informações e aprendendo novas ideias, as dificuldades culturais podem ser o fator do sucesso ou fracasso de uma empresa. Conhecer hábitos e costumes básicos dos locais onde se pretende fe-

char negócios, podem determinar a assinatura de um bom contrato com empresários estrangeiros. Tudo vai depender de como você utiliza essa habilidade adquirida com referência ao conhecimento dos outros, como você desenvolve sua Inteligência Cultural e a coloca em prática quando está em outros países. Segundo David C.Thomas e Kerr Inkson, a Inteligência Cultural - ou quociente cultural - incorpora a capacidade de interagir efetivamente através das diferentes culturas. Para mergulharmos em uma cultura diferente devemos antes de tudo ter a mente aberta e nos livrarmos de preconceitos ou ideias pré-concebidas, que em geral são baseados na nossa própria experiência cultural. Um grande exemplo de costume “diferente e estranho” é o típico suco de rã tomado em Surquillo, um bairro de Lima. Isto mesmo. As rãs estão vi-

52 editorasermais.com.br

52

vas e ficam todas amontoadas num aquário e quando o cliente pede um suco, o vendedor pega a rã, dá algumas batidas numa mesa para ela morrer, retira a pele e bate no liquidificador juntamente com outros produtos que irão ajudar na saúde da pessoa que o tomar. Um pouco difícil para outras culturas não?? Coisas que às vezes um viajante de negócios encontra. Já tomei vinho de cobra, comi cobra, escorpião e besouros, tudo para tornar uma negociação internacional mais efetiva e conseguir criar um canal de comunicação cultural. Mas nunca comi cachorro ou tomei esse suco de rã! Durante muitos anos minha empresa tem realizado centenas de missões empresariais, principalmente para a Ásia e percebemos durante esse período que o planejamento de uma viagem de negócios é suma-


DESENVOLVIMENTO HUMANO

mente importante. Aliás, a falta de planejamento poderá ser o diferencial para o insucesso. Participar de uma missão empresarial é um ótimo investimento que pode trazer muito retorno mas que deve ser muito bem analisado para que nada falhe. Primeiramente qual é o objetivo da Missão? Feira? Rodadas de Negócios? Visitas técnicas? Prospecção? O que buscar? Com quem falar? Como negociar? Tivemos casos de empresários que foram para a Ásia conosco para grandes feiras e que sequer se lembravam de levar os cartões de visita suficientes para distribuir. Ou pior, levavam o cartão sem nenhum preparo internacional, com os dados feitos para cá e não para outros países. Exemplo: tel: (xx11) 3333.3333. Sem o nome da cidade muitas vezes e pior, nem do Brasil (com s ou z). Como alguém da China, por exemplo vai entrar em contato de novo com essa pessoa? Essas coisas podem parecer insignificantes, mas não são. Pequenos detalhes dizem muito sobre uma pessoa ou a empresa. Lógico que hoje a preparação dos empresários é muito superior e esse tipo de falhas raramente acontecem, mas sempre é bom lembrar. Em virtude disso, começamos a preparar um pequeno guia para os participantes das missões que informa sobre qual a voltagem do lugar – aconselhamos aqui a levar aparelhos bivolt sempre - tipos de tomadas, noções de história, geografia, principalmente costumes e a cultura do outro povo incluindo etiqueta internacional, que tipo de roupa usar, tipo de comida que iriam encontrar, etc. Quem procura negócios na Ásia, por exemplo, deve saber que muitos dos hábitos dos povos da região são ditados pela superstição e religião. Em Taiwan, China, Japão e outros países da região, en-

trar em aposentos, salas e casas, assim como templos, sem tirar os sapatos é falha grave. Apresentar cartões de visitas é quase um ritual. Na China, os títulos e os cargos expressos no cartão são muito importantes. Outra característica típica dos orientais é não olhar nos olhos quando conversam porque, para eles, é invasão de privacidade, afinal os olhos são as janelas da alma. Os países ocidentais por sua vez também tem as suas regras. Na Alemanha, por exemplo, cumprimentar com uma das mãos nos bolsos é extremamente rude. Saber escutar o outro é algo que os brasileiros ainda tem que tomar muito cuidado, pois com a nossa ansiedade, muitas vezes atropelamos as pessoas enquanto elas falam e isso pode causar alguns constrangimentos. Uma vez na China, um dos empresários que estava comigo e que era muito impaciente perdeu o negócio porque falava ao mesmo tempo que o negociador chinês e de forma áspera. Eu estava no meio traduzindo e auxiliando na negociação e quase morri de vergonha quando o outro se levantou e disse que não faria mais negócios com “esse senhor”. Na Índia, por sua vez aconteceu o contrário. Alguns empresários fecharam bons negócios só porque, diante do embaraço dos indianos para comer à moda francesa de garfo e faca, decidimos comer com as mãos como os anfitriões. Além disso, pedimos que eles nos ensinassem a comer assim, pois achávamos bem interessante aprender sobre os costumes deles. A frase, “em Roma faça como os romanos” é perfeita e as palavras, observação, flexibilidade e adaptação são primordiais para o empresário internacional que quer ter sucesso.

Maria Helena Magalhães Mestre em comunicação, pós-graduada em Adm. Geral; Marketing Internacional e Coach. Escritora do livro Coaching - Grandes Mestres da Editora Ser Mais. www.dbitrade.com.br mariahelena@dbtriade.com.br

editorasermais.com.br 53

53


54 editorasermais.com.br


Aqui você aprende inglês e se diverte. A cada edição são novas piadinhas e vocabulários diferentes para enriquecer o seu outro idioma.

TO SETTLE DOWN

TO SETTLE DOWN: acalmar-se, aquietar-se, ficar menos ativo, descansar, estabelecer-se, fixar-se.

Why are you so nervous? Just settle down; you’ll be just fine. Porque você está tão nervoso? Acalme-se, você vai ficar bem.

After an adventurous life in the army, he decided to settle down in the country. Depois de uma vida aventurosa no exército, ele decidiu se fixar no campo.

We’ll go into town when things settle down after the recent riots. Nós iremos para a cidade quando as coisas se acalmarem depois das revoltas recentes.

TO LOOK AROUND: TO LOOK AROUND: olhar em volta, olhar ao redor, dar uma olhada

She went to the shopping center to take a look around the department store. Ela foi ao shopping center para dar uma olhada na loja de departamentos. Look around you and see how many people there are on the beach. Olhe à sua volta e veja quantas pessoas estão na praia. He looked around at the sound of a woman’s voice and saw she had arrived. Ele olhou ao seu redor ao ouvir o som da voz de uma mulher e viu que ela havia chegado.

FEELING BETTER You’ll feel much better once you’ve given up hope.

VOCABULARY HELP •

give up - desistir

hope - esperança

Fences Quando pessoas ou coisas seguem um caminho circular e retornam ao mesmo ponto, visitar, circular, rodar. A slightly more than middle-aged couple were out for a drive through the countryside. They reached a familiar spot in the road, and the wife says, — Sweetheart, let’s do the same thing we did here forty years ago! The husband stops the car. His wife backs against the fence, and he immediately jumps her like a bass on a june bug. They make love like never before. She was SCREAMING, and GYRATING, and SHAKING uncontrollably. When it was all over, much to her husband’s surprise, she passed out cold. After he had revived her, and got her back into the car, the husband, quite astounded, says, Darling’, you sure never moved like that forty years ago... or any time since that I can remember. The woman, gasping for breath, finally able to speak, says: — Honey, forty years ago that @#!!*& fence wasn’t ELECTRIFIED!

VOCABULARY HELP •

fences - cercas

middle-aged - de meia idade

couple - casal

drive - passeio de carro

countryside - campo, região rural

familiar spot - local familiar

jump - pular

scream - gritar

shake - sacudir

all over - acabado

pass out - desmaiar

astounded - surpreso

gasping for breath - tentando respirar

forty years ago - quarenta anos atrás

editorasermais.com.br 55


ARTIGO IRAN IBRAHIM JACOB

Capital Espiritual Um novo modelo empresarial

Q

uando se fala em Capital Espiritual , a primeira coisa que é sujeita a vir no pensamento das pessoas é uma empresa onde os funcionários ficam meditando, usando velas e incensos. Nada disto! Capital Espiritual é um novo modelo empresarial que trabalha a consciência dos colaboradores. O que mede a competência profissional de alguém? Até a alguns anos, media-se a inteligência pelo QI (quociente de inteligência), que é a capacidade da pessoa em aprender, memorizar, raciocinar com rapidez e lógica. Os profissionais daquele tempo eram selecionados pelo QI e pelo currículo que apresentavam às empresas. Entretanto,

56 editorasermais.com.br

muitos destes superdotados em conhecimento, não sabiam se relacionar bem com os outros. Muitos não gostavam de trabalhar em equipe, não acatavam ordens dos superiores e eram difíceis de lidar. No final desta fase, cerca de 87% das empresas preferiram demitir este tipo de funcionário, abrindo mão de profissionais competentes por questões comportamentais. No início da década de 90, surgiu o QE (Quociente Emocional) ou inteligência emocional, como parâmetro para selecionar profissionais. O QE é a habilidade de perceber emoções, acessar e gerar emoções para auxiliar os pensamentos, entender emoções e, efetivamente, regular emoções para promover crescimento intelectual e emocional. Na realidade as empresas estavam

procurando pessoas mais dóceis, mais sociáveis e que se entrosavam melhor com os colegas de trabalho. Atualmente, além de competência intelectual e emocional, as maiores e mais conceituadas empresas do mundo vêm selecionando os seus colaboradores através do conceito de QS (Quociente Espiritual), ou inteligência espiritual. Assim, o termo “capital espiritual” é definido como a quantidade de conhecimento e habilidades espirituais disponíveis a um indivíduo ou cultura, aplicando-se aqui espiritual como a percepção de uma organização ou pessoa sobre por que ela existe, o que deseja fazer e qual a sua responsabilidade (princípios, valores e propósitos). Na realidade, uma empresa com alto capital espiritual é aquela que emprega colaboradores com


Iran Ibrahim Jacob Autor do Projeto Meu funcionário-Meu Amigo Aumentando o Capital Espiritual das empresas de todo o Brasil. iranjacob@gmail.com www.iranjacob.com.br www.youtube.com/iranjacob

hospitais, cerimônias fúnebres e casamentos, prevenção de estresse e síndromes nervosas, além de aconselhamento psicológico e apoio espiritual. Mas qual a razão de tanta mudança no mundo empresarial? Afinal, a maioria dos empresários, ainda, não é tão ligada a questões sobre o sentido da vida e do mundo. A resposta é que os bens materiais que eles produzem, as lógicas produtivistas que incentivam, o universo de valores que inspira suas práticas não devem estar sendo suficientes. Há um vazio profundo, um buraco imenso dentro destes empresários, levantando questões como gratuidade e espiritualidade, futuro da vida e da Terra. Esse buraco existencial é do tamanho de Deus, como disse o filósofo Blaise Pascal. Por enquanto, estamos só começando a redescobrir o que sempre existiu: que não estamos aqui por acaso e que não somos seres humanos tendo experiências espirituais, mas seres espirituais tendo experiências humanas.

O que mede a competência profissional de alguém? Até a alguns anos, media-se a inteligência pelo QI (quociente de inteligência), que é a capacidade da pessoa em aprender, memorizar, raciocinar com rapidez e lógica.

QS elevado. Pessoas mais fáceis de lidar, com capacidade de perdoar o próximo, comprometidas verdadeiramente com o trabalho, com uma consciência global mais abrangente, ecologicamente comprometida e com visão espiritual que corresponde aos princípios divinos. Ao empresário que deseja fazer a diferença não basta acumular capital financeiro e intelectual, é preciso espiritualidade. Espiritualidade aqui relacionado com as qualidades do espírito humano – tais como paz, amor, compaixão, tolerância, perdão, contentamento e responsabilidade - qualidades que trazem felicidade tanto para a própria pessoa quanto para os outros. Não basta ter sucesso, é preciso marcar sua história. Atualmente, no mundo dos negócios, o termo Espiritualidade nas empresas define esta diferença. Há quem afirme que só sobreviverão as empresas que adotarem este novo parâmetro, o capital espiritual, que fortalece os recursos humanos de qualquer organização, proporcionando qualidade de vida de forma globalizada. Em fevereiro de 1999, o Fórum Econômico Mundial, reunido em Davos, na Suíça, dedicou-se a debater “as âncoras espirituais para o novo milênio”. Companhias americanas como Pizza Hut e Wal Mart estão contratando capelães que ficam à disposição 24 horas por dia para o cuidado religioso de seus funcionários, prestando serviços como visitas em

editorasermais.com.br 57


^

ARTIGO INES RESTIER

B

Como o RH pode colaborar para reduzir o passivo trabalhista da empresa

oas práticas de Gestão de Pessoas podem ser eficazes no auxilio da compreensão dos riscos trabalhistas e no planejamento de políticas uniformes de combate a essas ações. Hoje, como sempre, é cada vez mais difícil se prever um cenário com um mínimo de riscos, e com um mercado cada vez mais competitivo, somando-se todas essas tecnologias da informação disponíveis, as empresas deparam-se com ações trabalhistas como se fossem empresas irresponsáveis não cumpridoras de regras e obrigações. Analisemos os desdobramentos que as empresas tiveram com as assinaturas, pela Presidente Dilma, das leis abaixo, em Dezembro de 2012:

- sobre Licenças e Terceirizações... Quais foram os maiores problemas causados por elas? Uma correria desfocada para ajustar métodos e procedimentos internos! Portanto, gostaria de registrar aqui, a importância do RH alinhar alguns procedimentos objetivando minimizar os riscos de passivos trabalhistas observando as necessidades de pré-contratação: perfis de cargos, faixas salariais, benefícios concedidos, disponibilidades total ou parcial, acessos ao Banco de Dados, horários a serem cumpridos, etc. Em seguida, a própria contratação, que nada mais é que os termos pré-definidos acima, aceitos e devidamente assinados pelas partes interessadas e principalmente, com prazos definidos caso necessário.

Hoje, como sempre, é cada vez mais difícil se prever um cenário com um mínimo de riscos, e com um mercado cada vez mais competitivo, somando-se todas essas tecnologias da informação disponíveis, as empresas deparam-se com ações trabalhistas como se fossem empresas irresponsáveis não cumpridoras de regras e obrigações.

58 editorasermais.com.br

Também é essencial Auditorias Internas frequentes para avaliar o estado real do passivo trabalhista da empresa, identificando e apontando pontos frágeis e orientando a elaboração de planos de ação corretivos. Após esta fase, os treinamentos são remédios eficientes, e se somados a uma disciplina monitorada, apresentam resultados positivos. Portanto, o que temos aqui? Essencialmente, mudanças de hábitos, com a adoção de práticas diárias, independentemente do nível hierárquico dos profissionais da empresa, contribuindo para um bom clima organizacional e uma relação saudável entre empregado e empregador. Cada organização deve ter por princípio e diretriz, o desenvolvimento de métodos para identificar suas necessidades, fazendo da livre negociação a maneira mais civilizada e democrática de cobrar obrigações e reivindicar direitos, garantindo condições dignas de trabalho.

- 12.511 : que modifica a concessão de bolsas de estudos pelas empresas

- 12.513 : sobre Trabalho a Distância, com grande impacto no que diz respeito às horas extras

Inês Restier Consultora em Treinamento e Desenvolvimento Empresarial. Coautora dos livros: Ser+ com T&D; Ser+ em Comunicação e Manual das Múltiplas Inteligências, todos da Editora Ser Mais.


editorasermais.com.br 59


EBX

A EBX, holding que controla todas as empresas X, de Eike Batista, pode ser dividida para facilitar a venda das operações do grupo. As companhias deixarão de ser interligadas e a estratégia simplificaria a negociação dos ativos. O objetivo desta venda é que a EBX se torne uma gestora de ativos que permanecem com o empresário após a venda. O processo aconteceria mesmo sem a crise que assola o grupo do bilionário, mas isso somente em 2016, quando todas as empresas estivessem em plena fase operacional.

Toshiba vai instalar sistema elétrico em metrô do Rio A empresa fornecerá os sistemas elétricos para a rede de trens do metrô do Rio de Janeiro, um pedido estimado em 6 bilhões de ienes (R$ 2,7 bilhões). O pedido, realizado pelo consórcio China National Machinery que se encarrega das obras do metrô carioca, será entregue entre setembro de 2013 e dezembro de 2014. A modernização do sistema de metrô é uma das prioridades nas duas maiores cidades do país - São Paulo e Rio de Janeiro - para “aliviar os frequentes engarrafamentos”.

Brasileiras caem no ranking de melhores cias áreas As companhias aéreas brasileiras apresentaram piora no desempenho no ranking geral da Skytrax, que elege as melhores empresas do segmento no mundo. Em 2012, a TAM aparecia na 32ª posição na lista. Neste ano, caiu para o 39º lugar. A Azul era a 54ª do ranking e despencou para o 67º lugar. A Gol

60 editorasermais.com.br

nem sequer aparece na relação, que conta com 100 companhias aéreas. A Azul venceu na categoria melhor empresa aérea de baixo custo da América do Sul e ficou em décimo lugar entre as de menor custo do mundo. A Gol aparece em segundo lugar neste segmento, seguida por Aires, Easyfly e VivaColombia.


DANÇA DAS CADEIRAS Starbucks®

Norman Baines assume o cargo de diretor-geral da Starbucks® para o Brasil. Nos últimos oito anos, atuou na rede Applebee’s como gerente geral para as Américas do Sul e Central. É profundo conhecedor do mercado varejista na América Latina. Seu trabalho é focado em novos negócios e operações. Chega para liderar o plano de expansão da rede no Brasil.

Tetra Pak do Brasil

Movie&Art

Catho

A empresa anuncia Aluisio Ragazzi Fonseca como novo vice-presidente de Processing Systems. O executivo, anteriormente ocupava o cargo de diretor corporativo de Recursos Humanos desde 2011.

A empresa reforça seu time de diretores de cena com a contratação de Ricardo Santini, jovem profissional que tem cinco anos de carreira e portfólio que inclui filmes para Sky, Mitsubishi, Blackberry, Livraria Cultura e Instituto Goethe.

Alexandre de Freitas é o novo diretor Comercial Varejo da empresa. Com ampla experiência em planejamento estratégico, marketing, vendas e novos negócios, chega à empresa com o desafio de incrementar as frentes de negócios da empresa.

Fonte: assessorias de imprensa das empresas.

editorasermais.com.br 61


Marketing No Brasil Durante dez anos, o auO livro aborda temas como brand equity, mídias e estatísticas. Ensina de maneira completa como gerenciar o marketing mix e um guia repleto com mais de 100 dicas, para orientar tanto os profissionais com pouca experiência, que buscam fortalecer conceitos, quanto aqueles mais experientes, que necessitam de alguma inspiração. Editora: Campus Riccardo Morici R$ 52,90

62 editorasermais.com.br

Holding Familiar e Suas Vantagens

Planejamento de Carreira e Networking

A obra é dedicada aos benefícios da constituição de uma holding familiar visando uma estratégia de como ordenar o patrimônio de uma família ou mesmo para otimizar a estruturação corporativa de uma empresa na sucessão do comando empresarial, prevenindo conflitos familiares, preservar o poder econômico da família e, mesmo, servir ao planejamento tributário.

Este livro foi escrito para fornecer ampla visão das etapas envolvidas no planejamento de uma carreira e focaliza a importância da construção e da manutenção de uma poderosa rede de apoio que o ajudará neste percurso. Em seis capítulos, a obra abrange assuntos como planejamento de carreira e processo de networking, autoavaliação e tomada de decisão, pesquisa, procura de oferta de empregos e preparação para mudanças.

Editora: Atlas Gladston Mamede e Eduarda Cotta Mamede R$54,90

Editora: SENAC Aggie White R$ 20,60

E-business - Estratégias para alcançar o sucesso no mundo digital Os autores apresentam uma estrutura de aplicação inovadora, que conduz à migração de um modelo tradicional de fazer negócios ao modelo do e-business. A partir de experiências pessoas com empresas líderes, esboçam um quadro claro dos benefícios e desafios que as empresas enfrentam hoje e identificam os princípios fundamentais do projeto de construção de um bem-sucedido plano de e-business. Editora: BOOKMAN Ravi Kalakot e Marcia Robinson R$ 93,00

*Fonte: assessorias de imprensa das editoras.

VITRINE DE SUCESSOS


Sugestão de Sucesso

MARKETING DE RELACIONAMENTO:

AÇÕES PARA O FUTURO Como implantar e avaliar resultados

Lançamento da Editora Pearson, o livro apresenta o conceito de marketing de relacionamento mostra como implantar e avaliar seus resultados. Segundo os autores Iná Futino Barreto e Edson Crescitelli diante do aumento da competitividade, desenvolvimento tecnológico e mudança de comportamento dos clientes, fizeram com que as organizações repensassem novas estratégias para obter vantagens competitivas e sustentáveis ao mesmo tempo. O foco, que antes se concentrava apenas na conquista de novos clientes, agora a empresa passa a compreender as necessidades dos clientes e oferecer produtos adequados às suas necessidades, estimulando, assim, sua fidelização.

Todo mês, uma escolha para você ampliar seu conhecimento e Ser Mais! editorasermais.com.br 63


COLUNA PAULO GAUDENCIO

SUA PERGUNTA... Tenho dificuldade para relacionar-me com alguns colegas de trabalho. Creio que minha timidez atrapalhe um pouco na hora de fazer a minha opinião valer diante de alguns problemas na empresa. Como posso me impor sem me indispor com as demais pessoas, ainda mais quando tenho certeza de que minhas soluções são boas? Mariana Peixoto

...GAUDENCIO

RESPONDE

É interessante que você fale que a causa de sua opinião não tenha o valor devido é a timidez. Este é o sintoma que está atrapalhando você. Se eu perguntar para o tímido porque ele é assim, a resposta certamente vai ser: “é porque eu me sinto inferior”. Não tenho esta impressão. Para mim, o tímido quer abrir a boca e sair Sófocles, Platão e Chico Anísio na mesma frase. Ele se cobra a perfeição. Por não conseguir atingi-la, ele cala a boca. Existe um episódio frequente com o tímido. Ele tem uma ideia. Ela é boa, mas não diante da perfeição que o tímido se cobra. Fica quieto. A reunião continua e no fim dela alguém chega a ideia que o tímido já teve. Ela é considerada uma ótima ideia. E o tímido se pergunta: “Por que eu não falei antes?”. O que ele não consegue ver é que o inimigo é a perfeição que se cobra. Você continua perguntando: “Como posso me impor sem indispor com as demais pessoas?”. Ai está a sua saída. Chama-se requalificação da agressividade. Como você deve ter notado, a ideia foi considerada boa e a pessoa valorizada. O mesmo poderia acontecer com você. A verdadeira função do impulso agressivo é a colocação de limites, não bater no outro. Se você conseguir repensar seu uso da agressividade, poderá chegar a procurar a excelência (que deve ser o objetivo) e não a perfeição (que você se cobra). Qual a diferença? Estou respondendo à sua carta. Suponhamos que você goste da resposta e me dê uma nota 9,2. Vou ficar feliz e tentar melhorar a resposta porque a nota pode ser maior. Se eu estiver atrás da perfeição, ficarei deprimido, porque faltam 0,8 para o 10 (que eu me cobro). Paulo Gaudencio Junho/2013

Paulo Gaudencio Psiquiatra formado pela Faculdade de Medicina na Universidade de São Paulo (USP). Dedica-se há mais de 40 anos à psicoterapia de grupo e à pesquisa científica.

Você também procura respostas? pergunteaogaudencio@revistasermais.com.br 64 editorasermais.com.br


A seção de anúncios mágicos da Ser Mais

editorasermais.com.br 65


~

EXPRESSAO REINALDO POLITO

Dá para fazer

MELHOR

T

alvez você já tenha ouvido falar do Guarda Luizinho. Ele trabalhou como guarda de trânsito nos anos 1970 em frente ao prédio do Mappin, no cruzamento da Rua Xavier de Toledo com a Praça Ramos de Azevedo. Numa atividade onde tudo é feito sempre da mesma maneira ele conseguiu se destacar. Se um carro parasse sobre a faixa de pedestres, de maneira bem-humorada abria as portas dos dois lados do veículo e pedia que algumas pessoas passassem por dentro. Conseguiu se destacar e deixar seu nome na história por causa do seu jeito próprio de ser. Quantos professores que tivemos ensinando a mesma matéria e uns mais que outros se destacaram porque também fizeram a diferença. Jamais vou me esquecer do professor Ulisses Ribeiro. Ele conseguiu ser querido por todos que frequentaram suas aulas de matemática, uma matéria que geralmente provocava muita resistência nos alunos. Magrinho, sorridente, simpático sabia não só o nome de cada um dos alunos, como também de seus pais. Tinha interesse genuíno nas pessoas. Quando percebia alguém desatento sacava um pedacinho de giz do bolso 66 editorasermais.com.br

do jaleco e com pontaria impressionante acertava a testa do aluno. Todos riam, se divertiam e aprendiam. Quando faleceu, a cidade de Araraquara, no interior de São Paulo, parou para homenageá-lo. Estavam reunidas ali várias gerações dizendo obrigado ao admirável mestre. Fez história. Fez a diferença. Recentemente recebi um e-mail de um garçom, Tinti Marco, que durante décadas também fez a diferença com seu trabalho preparando com maestria o lendário Fettuccine Alfredo, no não menos lendário Restaurante Alfredo Di Roma. Ele me escreveu para desejar sucesso e realizações neste ano. Na verdade estava se despedindo de alguns clientes com quem teve contato durante toda sua vida de trabalho naquele restaurante. Tinti Marco com sua roupa branca, gravata borboleta preta, calvo e sempre elegante preparava em rigorosos quarenta segundos os pratos que seriam servidos. Quando atendia um casal, entregava sorridente a travessa original para a mulher desejando buona fortuna, e o segundo prato ao homem. Ora, preparar um prato de fettuccine para misturar bem o macarrão com o molho branco não parece ser tarefa muito especial. Nas mãos de Tinti Marco, entretanto, era. Voltei a Roma recentemente para tratar da reedição

do meu livro na Itália e fui ao Alfredo. Senti um vazio enorme, pois Tinti já havia se aposentado. Tinti Marco soube fazer história e a diferença com seu trabalho. Assim como o Guarda Luizinho, o professor Ulisses Ribeiro e tantos outros que cruzam a nossa vida esse garçom fez com que uma atividade comum e exercida por tantos ao redor do mundo fosse destacada. Essa é uma boa reflexão para todos nós. Afinal, desenvolvemos o nosso trabalho com a paixão devida para conseguirmos assim fazer a diferença? Ou apenas cumprimos com disciplina o que for preciso fazer? Sempre há tempo para uma mudança de postura. Talvez seja esse o caminho para que possamos nos sentir realizados e felizes.

Reinaldo Polito Mestre em Ciências da Comunicação, palestrante, professor de expressão verbal e autor consagrado. www.polito.com.br


editorasermais.com.br 67


68 editorasermais.com.br


Sermais edicao 44