Page 1

Ano 12 - Edição 137 Junho de 2017

Aterramento de redes de distribuição Implantação de poste autoaterrado como solução para falhas de aterramento Energia solar em sistema isolado Viabilidade técnica e econômica da geração solar em uma cidade flutuante Pesquisa exclusiva com fabricantes e distribuidores de dispositivos elétricos de proteção, manobra e comando


Sumário atitude@atitudeeditorial.com.br Diretores Adolfo Vaiser Simone Vaiser Coordenação de circulação, pesquisa e eventos Marina Marques – marina@atitudeeditorial.com.br Assistente de circulação, pesquisa e eventos Bruna Leite – bruna@atitudeeditorial.com.br Administração Paulo Martins Oliveira Sobrinho administrativo@atitudeeditorial.com.br Editora Flávia Lima - MTB 40.703 - flavia@atitudeeditorial.com.br Publicidade Diretor comercial Adolfo Vaiser - adolfo@atitudeeditorial.com.br Contatos publicitários Ana Maria Rancoleta - anamaria@atitudeeditorial.com.br Marson Werner - marson@atitudeeditorial.com.br Representantes Paraná / Santa Catarina Spala Marketing e Representações Gilberto Paulin - gilberto@spalamkt.com.br João Batista Silva - joao@spalamkt.com.br (41) 3027-5565

Suplemento Renováveis 53 Sistemas isolados: implantação de geração de energia solar fotovoltaica em uma comunidade fluvial na Amazônia.

Minas Gerais Simone Pukar – simonepukar@atitudeeditorial.com.br Direção de arte e produção Leonardo Piva - atitude@leonardopiva.com.br Denise Ferreira

10

MME lança centro de pesquisa de energia solar; Inscrições abertas para projeto de smart city; Manutenção preditiva aumenta rendimento de eólicas; Trópico completa 40 anos de atividades;

Consultor técnico José Starosta

Cemig automatiza sistemas de restabelecimento de energia; Eficiência energética movimentará bilhões de dólares nos próximos anos. Estas e outras notícias do setor elétrico brasileiro.

Colaborador técnico de normas Jobson Modena Colaboradores técnicos da publicação Daniel Bento, João Barrico, Jobson Modena, José Starosta, Juliana Iwashita, Marcelo Paulino, Roberval Bulgarelli e Sérgio Roberto Santos. Colaboradores desta edição: Alan Rômulo Queiroz, Antonio Carlos de Almeida Cannabrava, Benedito Edmundo Moura Ferreira, Carlos Fontinelle, Carlos Sotille, Davi Brasil, Diogo Biasuz Dahlke, Eduardo César Senger, Elton da Silva, Fábio Yuasa Niizu, Hirofumi Takayanagi, José Maurílio, Levi Pereira Pasqua, Luciene Queiroz, Luiz José Hernandes Jr., Manuel Steidle, Marco Silva, Mateus Duarte Teixeira, Otavio Mitsuru Shiono, Pedro Augustho Biasuz Block, Petrus Júnior, Rodney Fernando do Nascimento, Rosalice Mello e Telma Lopes. Revista O Setor Elétrico é uma publicação mensal da Atitude Editorial Ltda. A Revista O Setor Elétrico é uma publicação do mercado de Instalações Elétricas, Energia, Telecomunicações e Iluminação com tiragem de 13.000 exemplares. Distribuída entre as empresas de engenharia, projetos e instalação, manutenção, industrias de diversos segmentos, concessionárias, prefeituras e revendas de material elétrico, é enviada aos executivos e especificadores destes segmentos. Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores e não necessariamente refletem as opiniões da revista. Não é permitida a reprodução total ou parcial das matérias sem expressa autorização da Editora. Capa: Divulgação Rittal Sistemas Eletromecânicos Impressão - Ipsis Gráfica e Editora Distribuição - Correio

Atitude Editorial Publicações Técnicas Ltda. Rua Piracuama, 280, Sala 41 Cep: 05017-040 – Perdizes – São Paulo (SP) Fone/Fax - (11) 3872-4404 www.osetoreletrico.com.br atitude@atitudeeditorial.com.br

Filiada à

Painel de notícias

21

Fascículos

44

Aula prática – Proteção Aterramento de redes de distribuição com emprego de postes autoaterrados.

64

Pesquisa – Mercado de dispositivos elétricos de proteção, manobra e comando Segmento sente fortemente as consequências da crise econômica e prevê baixo crescimento para este mercado em 2017.

74

Espaço 5419 Sobre a obrigatoriedade do uso do Dispositivo de Proteção contra Surtos (DPS). Colunistas

76 77 78 80

Jobson Modena – Proteção contra raios

82

Dicas de instalação

Nunziante Graziano – Quadros e painéis José Starosta – Energia com qualidade Roberval Bulgarelli – Instalações Ex

Uma sugestão de lista de verificação para a segurança de equipamentos.

84

Ponto de vista PPPs de iluminação pública com tecnologia Led nacional.

3


Editorial

4

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Capa ed 137_b.pdf

1

6/27/17

8:27 PM

www.osetoreletrico.com.br

Ano 12 - Edição 137 Junho de 2017

Aterramento de redes de distribuição O Setor Elétrico - Ano 12 - Edição 137 – Junho de 2017

Novo millennium

Implantação de poste autoaterrado como solução para falhas de aterramento Energia solar em sistema isolado Viabilidade técnica e econômica da geração solar em uma cidade flutuante

Pesquisa exclusiva com fabricantes e distribuidores de dispositivos elétricos de proteção, manobra e comando

Edição 137

Você já ouviu falar dos millenials, certamente. E se você nasceu entre os anos de 1980 e 1995, você também é um

deles. Agora, se não se encaixa nessa faixa etária, você, fatalmente, está enfrentando a árdua tarefa de, obrigatoriamente, ter de entendê-los para uma convivência minimamente pacífica, já que eles estão por toda parte.

Esse termo um tanto quanto estranho diz respeito aos jovens que iniciaram sua fase adulta justamente no início do

milênio (ano 2000). Essa geração representa hoje 1,8 bilhão de pessoas em todo o mundo e parece que o Brasil está em 7º lugar na lista dos países com mais pessoas nessa faixa de idade, com 51 milhões, segundo a ONU. Dizem que esta é não apenas a maior geração que já conhecemos, mas talvez o último grande agrupamento de pessoas fácil de se generalizar.

Essa parcela bastante significativa da população é considerada por muitos especialistas como uma geração narcisista

e preguiçosa. Isso porque muitos ainda moram com os pais aos 29 anos, não se preocupam muito em fazer carreira em grandes empresas, gastam seu dinheiro em viagens pelo mundo e amam novas tecnologias, especialmente, para exibir suas vidas “perfeitas” e ganhar likes (daí o narcisismo).

No entanto, esses jovens entre vinte e trinta e cinco anos são conhecidos também por outras duas importantes

características: seu poder de compra e sua grande capacidade de interação. Eles interagem o tempo inteiro e prezam por qualidade e não quantidade. São grandes pensadores, planejadores, conectados (sempre) e questionadores. Quebram todas as regras dos escritórios e se você é o chefe veterano, terá que mudar um pouco sua forma de pensar para aproveitar o potencial dos millennials.

A consultoria Booz Allen afirmou que os millennials representam 44% da população economicamente ativa do

Brasil, em 2016, movimentando R$ 268 bilhões. Ou seja, não dá para ignorá-los, eles são, efetivamente, importantes colaboradores para qualquer empresa.

Um artigo publicado no ano passado na revista Meio e Mensagem enumerou algumas informações importantes que

devem ser conhecidas sobre essa geração: os millennials têm mais opiniões sobre tudo, mas possuem um alto índice de criatividade, maior do que qualquer outra geração, o que produz inovação. Eles querem ser empoderados, gostam de mudanças constantes, sabem de tudo (ou acham que sabem), entendem muito de tecnologia e esperam relações recíprocas com seus chefes. São difíceis de recrutar, motivar e gerenciar, mas podem ser aqueles que mais oferecem resultados.

O setor elétrico ainda é bastante conservador, mas a chegada dos millennials a posições de tomadas de decisões e os

avanços tecnológicos, especialmente, do mundo digital, transformarão este mercado em breve. Estamos preparados para a mudança?

Ótima leitura a todos!

Abraços,

flavia@atitudeeditorial.com.br Redes sociais

@osetoreletrico

www.facebook.com/osetoreletrico

@osetoreletrico

Revista O Setor Elétrico


6

Coluna do consultor

O Setor Elétrico / Junho de 2017

José Starosta é diretor da Ação Engenharia e Instalações e membro da diretoria do Deinfra-Fiesp. jstarosta@acaoenge.com.br

Ainda respiramos

Seria

que

deram brilho ao evento que aqueceu as

frequentavam a Rua General Câmara, na

turbinas para a Conferência Brasileira sobre

sempre querida cidade de Santos, tratar

Qualidade da Energia Elétrica (CBQEE),

os operadores do balcão de negócios de

que a mesma SBQEE realizará em Curitiba

Brasília de “seus filhos”. Da mesma forma

(PR), em agosto – www.sbqee.org.br/

comparar estes nossos representantes aos

cbqee. O material apresentado no evento

lendários homens da Sicília ou de Chicago

encontra-se no site da sociedade, na aba

do século 20 tambem não seria o suficiente.

eventos/workshop.

Gangsters,

nada

A FIEE, tradicional feira bianual do

parece adequado para qualificá-los. Talvez

setor eletroeletrônico brasileiro, acontece

estupradores pudesse ser a denominação

no final de Julho em novo local - www.fiee.

adequada aproximando-se daquilo que eles

com.br. Já no início de agosto, o nosso

fizeram com o nosso Brasil e merecendo

CINASE retorna à simpática cidade de

naturalmente o tratamento que os primeiros

Belém (PA), com um denso programa que

normalmente recebem.

promete intensas discussões técnicas para

ofensa

às

bandidos,

meninas

ladrões,

Como precisamos nos manter vivos,

continuamos

buscando

oportunidades

um público que deve superar as 500/600 pessoas – www.cinase.com.br.

de negócio em um mercado agressivo

e por vezes até cruel. A criatividade, a

mais uma vez o evento de referência nacional

competência, a esperança e a certeza de

de eficiência energética, o Congresso

que a fase vai passar são os combustíveis

Brasileiro de Eficiência Energética (Cobee),

dos homens de bem. Os eventos técnicos

agora em sua 14ª edição - www.cobee.com.

deste meio do ano são amostras desta

br. Simultaneamente ao Cobee, acontecerá

esperança. A Sociedade Brasileira de

a Expoeficiência.

Qualidade da Energia (SBQEE) realizou em

meados de junho na Escola Politécnica da

de

USP, em São Paulo (SP), um interessante

que

workshop sobre a revisao do módulo 8

oportunidades

do Prodist, da Aneel. Apresentações de

e,

altíssimo nível e temática bem escolhida

nos manter vivos, apesar dos que são

com foco nas mudanças da legislação,

injustamente lembrados como os “fihos das

impactos causados e soluções técnicas

meninas” e que insistem em quebrar o Brasil.

A Abesco, no final de agosto, realiza

Enfim, são três meses com programação boa

qualidade

certamente

em nos

para

fundamentalmente,

nossa

área

e

proporcionarão

achar o

as

oxigênio

saídas para


Painel de mercado

10

O Setor Elétrico / Junho de 2017

11

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Notícias relevantes dos mercados de instalações elétricas de baixa, média e alta tensões.

Mercado cativo versus mercado livre

Manutenção preditiva pode aumentar rendimento de eólicas em até 10%

Com tarifas de energia subindo, Tradener orienta consumidores na migração ao ambiente livre

Análise de vida útil dos equipamentos aumenta tempo de operação de turbinas eólicas

As projeções das tarifas de energia para

os próximos meses deverão ser mais elevadas

do que o início do ano, segundo indica a Tradener,

comercializadora

independente

é a principal estratégia para aumentar a

de energia elétrica e gás natural. Para a comercializadora,

além

das

rentabilidade dos parques eólicos, chegando a

condições

ganhos de mais de 10%, segundo análise da UL

climáticas, os consumidores estão arcando

DEWI, empresa da UL focada em > energias

com uma série de encargos embutidos na

renováveis. Uma das principais medidas para

conta de luz provenientes de uma má gestão

obter esta rentabilidade extra é por meio de

do setor.

análises de vida útil das turbinas, serviço que

Para garantir custos menores com energia, a

permite avaliar a situação de cada aerogerador, a

Tradener orienta aos consumidores que migrem ao mercado livre, a fim de garantir uma economia

migração ao mercado livre de forma segura.

da isonomia na medição dos ambientes, que

expressiva na conta de luz tendo em vista a

Os preços de energia continuam bastante

tornou menos burocrática e mais rápida a

elevação das tarifas nos próximos meses.

atrativos a partir de 2019, o que vem a

transição do consumidor ao ambiente livre.

ter

corroborar com a orientação da Tradener

economia no mercado livre até superior a

aos consumidores", analisa o presidente da

momento ideal para a migração ao ambiente

15%. Estamos postergando o início dos

companhia, Walfrido Avila.

livre de energia, já que a sinalização da bandeira

contratos para meados de 2018. Neste

Além da economia, outro fator que deve

vermelha aos consumidores deve permanecer

caso, a contratação de energia deveria

contribuir para a migração ao Ambiente de

em vigor até novembro e a tendência nos

ocorrer imediatamente de forma a garantir a

Contratação Livre (ACL) é a determinação

preços é de alta até o fim do ano.

"Os

consumidores

poderão

Aumentar a vida útil dos aerogeradores,

cuja vida útil média pode chegar a 20 anos,

De acordo com o executivo, este é o

possibilidade da máquina durar efetivamente 20 anos ou mais e as principais medidas a serem executadas para ampliar sua vida útil.

Recentemente, a UL DEWI publicou a

norma UL 4143 – Standard for Life Extension of Wind Turbines e vem conquistando as maiores

A avaliação final inclui o prazo para operação

para o planejamento do setor elétrico, para

concorrências internacionais para realização

segura do parque eólico e estimativas de custo

agentes financeiros, seguradoras e fabricantes

de avaliações de vida útil remanescente de

para manutenções e melhorias que possam

de equipamentos”, complementa Pereira.

parques eólicos.

aumentar a vida útil do ativo.

O serviço compreende uma série de

“Além dos proprietários do parque, este tipo

ações para otimizar o desempenho e a

análises de componentes de cada turbina, além

de análise beneficia toda a cadeia de valor da

disponibilidade dos aerogeradores tendem a

da compilação de dados sobre sua localização,

geração de energia eólica”, avalia o gerente de

melhorar o resultado financeiro de um projeto

Para especialista do Banco Mundial, não há como mudar o clima sem abordar o setor de energia

operação e carga de ventos recebida. A partir

operações da UL DEWI e UL AWS Truepower

em torno de 2% a 3%, o gerenciamento

destas informações, é gerado um modelo

no Brasil, Alexandre Pereira.

adequado da operação e manutenção pode

em computador que simula a operação do

“Este é um serviço que visa aumentar a

render até 5% a mais, ampliando o período

sem abordar o setor energético.

equipamento e determina a probabilidade de

rentabilidade e reduzir o risco de ocorrências

de atividade dos parques, gerando ganhos

duração de cada componente do aerogerador.

imprevistas, produzindo benefícios também

superiores a 10%.

Setor energético é fundamental para as mudanças climáticas Para o especialista sênior no Brasil do Banco Mundial, Christophe de Gouvello, não há como falar de mudanças climáticas Na opinião do especialista, o Brasil fez grandes avanços na questão do combate à emissão de gases do efeito estufa. Entre

2009 e 2014, o Brasil foi o único país de grande porte que cortou suas emissões absolutas pela metade nos últimos anos. "Mas boa parte deste avanço aconteceu devido à redução do desmatamento, especialmente na Amazônia. Com isso, o setor energético passa a representar uma maior porcentagem no quadro de emissões brasileiro", afirma.

Em uma palestra realizada em Brasília, no último dia 23 de junho, Gouvello apresentou pesquisas feitas nos últimos anos

e ressaltou que o setor elétrico brasileiro, atualmente, é vulnerável ao clima e às questões hidrológicas. Para solucionar este problema, é necessário mais incentivo à pesquisa e às energias renováveis.

vvSegundo o especialista, o Banco Mundial identificou dois grandes desafios para o Brasil. Um deles é migrar a ciência

sofisticada que já existe no país para a capacidade de prever possíveis danos. O segundo grande desafio seria manter a trajetória de baixo carbono e acelerar a curva de aprendizagem de energias limpas, incentivando o mercado para o crescimento de fontes renováveis.

O Banco Mundial e o Ministério de Minas e Energia mantêm uma parceria no Projeto de Assistência Técnica dos Setor de

Energia e Mineral (Projeto Meta), cujo objetivo é contribuir para a ampliação e a consolidação do avanço dos setores energético e mineral brasileiro, dando apoio à competitividade e ao crescimento econômico no país.

Com investimentos de aproximadamente US$ 53 milhões, o Meta prevê atender até o final de 2018 um total de 45

subprojetos/ações. Entre as propostas, estão a iniciativa Gás Para Crescer, estudos para a elaboração do Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE), suporte à modernização tecnológica do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e do Departamento Nacional de Política Mineral (DNPM), entre outros.

De acordo com a companhia, enquanto


Painel de mercado

12

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Inscrições abertas para projeto de smart city

13

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Ceará e o potencial eólico

ABDI e Inmetro estão cadastrando empresas de tecnologia interessadas em participar de projeto de demonstração de cidades inteligentes

De acordo com a FIEC, a exploração total do potencial eólico do Estado representaria investimentos de R$ 400 bilhões, além da criação de cerca de 1,2 milhões de empregos A Vestas, uma das maiores fabricantes

a Federação das Indústrias do Estado do

desse potencial, apenas 3% (2,6GW) já

de geradores eólicos, disponibilizou dados

Ceará (FIEC), a exploração total desse

estão em operação ou contratados.

preliminares do estudo “Relatório Especial

potencial representaria investimentos de R$

SiteHunt® – O Estado do Ceará, Brasil”. O

400 bilhões, além da criação de cerca de 1,2

da década de 1990 e tornou-se pioneiro no

relatório traz resultados da análise dos ventos

milhões de empregos.

estímulo à geração de energia eólica no Brasil,

obtidos por meio do SiteHunt, software que

“Esse enorme potencial influenciou na

com a implantação dos primeiros parques

pode fornecer desde uma visão geral do

escolha do Ceará para sediar nossa unidade

comerciais. Atualmente, o Governo do Estado,

recurso de vento em um continente, país

industrial no Brasil”, afirmou Adriano Barros,

através da SDE/ADECE, em conjunto com a

ou região até o layout de uma usina eólica

Diretor Institucional da Vestas. Já o Presidente

FIEC, está implementando uma agenda para

em

sistema

da Câmara Setorial de Energias Renováveis

a retomada do desenvolvimento da cadeia

foi desenvolvido pela própria Vestas, que

do Estado, Jurandir Picanço, destacou que,

produtiva de energia eólica.

determinada

localidade.

O

O Ceará descobriu essa vocação no final

também possui uma fábrica de aerogeradores no Ceará.

Os resultados obtidos para o Ceará são

de grande relevância, demonstrando que o estado possui condições excepcionais para a geração de energia eólica: ventos constantes, bem direcionados, com alto índice de aproveitamento e bem distribuídos

A Agência Brasileira de Desenvolvimento

é

uma

iniciativa

inédita

no

país

e

suas

soluções com

tecnológicas

Industrial (ABDI) e o Instituto Nacional de

objetiva trazer resultados efetivos para

contribuir

Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro)

a qualificação e a competitividade da

requisitos para conformidade tecnológica. empresas

a

definição

poderão

ou

dos

instituições

pré-

estão cadastrando empresas de tecnologia

indústria nacional, possibilitando a inserção

“As

e suas soluções para cidades inteligentes

de ativos certificados no mercado, além

acesso aos resultados, o que possibilitará

terão

que estejam interessadas em participar do

de estimular o desenvolvimento da cadeia

a melhoria e a qualificação de seus

projeto “Ambiente de Demonstração de

de produtos e soluções para Cidades

produtos e processos. Poderão também

Tecnologias

Inteligentes e Humanas”, afirmou Ferreira.

colaborar com a definição das referências

Fruto de um acordo de cooperação entre

Para

as

e requisitos tecnológicos mais adequados

a ABDI e o Inmetro, o projeto prevê a

empresas devem ser detentoras de soluções

para soluções de cidades inteligentes no

instalação de um ambiente real (minicidade)

existentes ou em fase de desenvolvimento,

Brasil”, acrescentou o especialista.

no campus do Instituto, em Xerém (RJ), onde

passíveis de testes e qualificação, bem

será possível a integração de diferentes

como fornecedoras de materiais e serviços

a se tornar uma vitrine viva e um guia para

produtos e soluções, permitindo testar,

associados

cidades

os demandantes de tecnologias para as

avaliar e qualificar estes produtos e soluções

inteligentes ou ainda institutos tecnológicos

Cidades Inteligentes (municípios e cadeia

quanto às questões de interoperabilidade,

e demais entidades atuantes no tema. A

de fornecedores), sendo um mecanismo

segurança,

empresa ou instituição interessada deve,

de orientação para os demais projetos

quesitos.

ainda, se comprometer em disponibilizar

de

De acordo com o presidente da ABDI,

suas soluções, realizando a instalação

complementou.

Guto Ferreira, os resultados dos testes

dos produtos e os ajustes necessários

Para

subsidiarão a definição de programas

para o seu funcionamento no ambiente de

instituição e registrar suas soluções no

de

para

Cidades

desempenho,

Inteligentes”.

entre

outros

se

inscrever

às

no

soluções

projeto,

para

“O Ambiente de Demonstração tende

Cidades

Inteligentes

inscrever

sua

no

Brasil”,

empresa

ou

demonstração do Inmetro/ABDI.

projeto do Ambiente de Demonstração

voltadas para cidades inteligentes, além

de Tecnologias para Cidades Inteligentes,

de propostas de medidas para estímulo

da Informação e Comunicações (TIC)

é

do mercado e o desenvolvimento das

da ABDI, Carlos Frees, as empresas ou

seguinte

indústrias. “O Ambiente de Demonstração

instituições interessadas em demonstrar

JyCiPffWqJgQ9KZR2.

conformidade

para

tecnologias

Segundo o especialista em Tecnologia

preciso

realizar

endereço:

um

cadastro

no

www.goo.gl/forms/

na área geográfica.

Desconsiderando o potencial offshore e

as áreas com restrições ambientais, o estudo concluiu que o estado do Ceará dispõe de 80 GW de potencial eólico acumulado, em velocidades superiores a 7,0 m/s. Nesse patamar, o potencial eólico torna-se mais atrativo economicamente. De acordo com

Accumulated potential, V110-2.2MW, Hub Height 95m

Wind speed

Area [km ] 2

Installable

Average

Production potential

potential [GW]

capacity factor

[TWh/year]

> 8.5 m/s

8596

18.9

0.71

117

8.0 - 8.5 m/s

5036

11.1

0.6

58

7.5 - 8.0 m/s

8653

19

0.54

90

7.0 - 7.5 m/s

14195

31.2

0.48

131

6.5 - 7.0 m/s

16284

35.8

0.41

129

6.0 - 6.5 m/s

21675

47.7

0.34

144

< 6.0 m/s

73624

162

0.25

354


Painel de mercado

14

O Setor Elétrico / Junho de 2017

15

O Setor Elétrico / Junho de 2017

MME lança centro de pesquisa de energia solar

Foto: Saulo Cruz/MME

Centro localizado em Petrolina (PE) receberá investimentos de R$ 152 milhões para pesquisas em energia renovável

Abertas as inscrições para prêmio de inovação EDP busca premiar projetos inovadores no setor de energia elétrica

Empreendedores têm até o próximo dia

23 de agosto para inscrever seus projetos no EDP Open Innovation 2017. O concurso global, que no ano passado já teve como vencedora uma equipe brasileira, está em busca de projetos inovadores que possam transformar o mercado de energia elétrica e, novamente, vai premiar a melhor startup com um prêmio de 50 mil euros.

Os interessados de qualquer localidade

podem se candidatar, por meio do site edpopeninnovation.edp.pt. Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho.

Em

seguida,

os grupos serão avaliados por um júri formado por representantes da EDP e do

No dia 21 de junho, o ministro de

todo o país", afirmou.

e 0,5 MW da Planta Tecnológica com a

Grupo Impresa, empresa de comunicação

Minas e Energia, Fernando Coelho Filho,

tecnologia fotovoltaica e configurações

parceira da companhia na edição deste

lançou o Centro de Referência em Energia

de

com rastreamento.

ano. Os 15 melhores trabalhos serão

Solar (Cresp) em Petrolina, Pernambuco.

Desenvolvimento. A primeira, chamada de

levados para um programa de aceleração

O Centro receberá investimentos de,

Planta Base, terá tecnologia fotovoltaica.

Fotovoltaica

de

em Portugal, no qual terão a chance de

aproximadamente, R$ 152 milhões para

A segunda planta, chamada de Planta

2018. Já as obras da Planta Tecnológica,

desenvolver e testar a solidez e a viabilidae

movimentar atividades de pesquisa e

Tecnológica,

contará

segundo o cronograma de implantação,

dos seus negócios.

desenvolvimento em energia renovável,

heliotérmica

de

devem encerrar no final de 2018.

além

também irá abrigar geração de energia

O

fotovoltaicas.

com tecnologia heliotérmica de torre

desenvolvimento da energia solar também

De acordo com o ministro, o centro

central. Sua missão será contribuir para o

se enquadra no objetivo do governo federal

será referência e ponto de encontro

desenvolvimento sustentável e a qualidade

em atender aos compromissos assumidos

de pesquisadores da área de novas

de vida da sociedade mediante a geração

pelo Brasil no Acordo de Paris e reduzir

tecnologias para energia. "O centro vai

e a aplicação do conhecimento científico e

em até 43% as emissões de gases de

atrair estudiosos de todas as universidades

tecnológico em energia solar.

efeito estufa na atmosfera até 2030, além

dinheiro, o EDP Open Innovation dará aos

do

Ao todo, a estrutura vai gerar 3 MW,

de aumentar para 18% a participação de

finalistas a oportunidade de apresentarem

tecnologias em torno do aproveitamento

com geração de 2,5 MW da Planta Base,

bioenergia sustentável na matriz energética

seus projetos no Web Summit, principal

de energias renováveis que vão beneficiar

com a usina fotovoltaica de alto rendimento,

do país.

evento europeu de inovação.

da

Nordeste

construção

para

de

desenvolver

plantas

novas

O Cresp compreenderá a instalação três

estruturas

de

Pesquisa

com

calha

&

tecnologia

parabólica

e

A previsão é que as obras da Planta terminem

incentivo

em

em

março

pesquisa

e

Esta segunda fase ocorre durante o mês

de outubro e será decisiva para que sejam escolhidas as três startups finalistas. As equipes terão, então, que apresentar suas soluções diante de um novo juri em um evento que acontece em 26 de outubro, em Lisboa, na qual também será definida a Grande Vencedora. Além do prêmio em


Painel de produtos

16

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Novidades em produtos e serviços voltados para o setor de instalações de baixa, média e alta tensões.

Terminais de compressão www.crimper.com.br

A Crimper apresenta para o mercado seus terminais de compressão fabricados

em cobre eletrolítico recozido de alta condutibilidade elétrica. O produto é estanhado pelo processo eletrolítico a fim de evitar oxidação.

A empresa disponibiliza uma variedade de furações para uma mesma seção nominal e

opções de um furo ou dois para uma ou duas compressões.

De acordo com a fabricante, os terminais são práticos e de grande utilidade em cabos

flexíveis. É possível ainda a fabricação sob encomenda conforme necessidades especiais de projeto.

Gestão de segurança www.schneider-electric.com.br

A Schneider Electric acaba de lançar um sistema integrado de

gerenciamento de segurança, que oferece alto desempenho em controle de acesso e detecção de intrusão. O sistema também permite a convergência de segurança e TI, incluindo vigilância por vídeo e gerenciamento de alarmes.

De acordo com a empresa, com o Security Expert, é possível compartilhar

informações criptografadas entre os principais sistemas para obter novos níveis de eficiência. Essa tecnologia está fortemente integrada ao SmartStruxure™ da Schneider, sistema de gestão de sistemas críticos de edifícios, para permitir decisões mais claras, respostas rápidas e máxima eficiência das instalações.

A consolidação dos dados de segurança é possível através de interfaces

amigáveis que abrangem estações de trabalho, estações web e dispositivos móveis. O Security Expert é indicado para aplicações em ambientes, como

O sistema Security Expert facilita o gerenciamento das situações de emergência e controle das informações que melhoram a eficiência da instalação.

hospitais, data centers, hotéis e edifícios comerciais.

Luminárias artesanais www.taschibra.com.br

A Taschibra destaca do seu portfólio os pendentes indicados especialmente para

iluminação decorativa. O produto conta com vidros artesanais fabricados pela Glax Vetreria, empresa recém adquirida pelo Grupo Taschibra. A aquisição permitiu a ampliação do mix de produtos, com a produção de peças que se destacam por cores e formas variadas, além da qualidade e elegância que proporcionam ao ambiente.

A empresa enaltece que as novidades apresentadas pela Taschibra propiciam aos

projetos delicadeza e riqueza de detalhes, além do fato de que a produção artesanal dos vidros garante um acabamento superior.

A Glax Vetreria, com sede em Pomerode (SC), produz, além dos vidros para utilização em pendentes

do Grupo Taschibra, peças de decoração. Todos os itens são fabricados com a técnica italiana de sopro, garantindo exclusividade e personalidade para os objetos.

Pendentes em vidro artesanal oferecem delicadeza e sofisticação aos ambientes.


Painel de empresas

18

O Setor Elétrico / Junho de 2017

19

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Um giro pelas empresas que compõem o setor elétrico brasileiro.

Trópico completa 40 anos de atividades

Especializada em iluminação, a Trópico

Iluminação da Trópico na Ponte JK, em Brasília (DF).

está comemorando 40 anos de atividades. Instalada na cidade de Indaiatuba (SP), a

empresa

fabrica

luminárias

Eletrosul e Shanghai Electric fecham acordo para construção de LTs Serão investidos R$ 3,27 bilhões nos projetos de transmissão de energia no Rio Grande do Sul

públicas,

A Eletrosul e a Shanghai Electric Power

industriais, decorativas e específicas para

Transmission and Distribution Engineering

projetos especiais.

(SPTDE), subsidiária da empresa chinesa

Fundada em 1977 na cidade de São Paulo

Shanghai Electric, assinaram um acordo

(SP), a empresa cresceu e transferiu suas

preliminar para a transferência total do

instalações, no ano de 1985, para a cidade

conjunto de projetos que compõem o Lote

de Indaiatuba, um importante polo industrial

A resultante do Leilão Aneel nº 004/2014,

da região de Campinas. A nova sede passou

que prevê a implementação e operação de

a ocupar, então, um terreno de 20.000 m², o

empreendimentos de transmissão de energia

que permitiu que a empresa ampliasse sua

no Rio Grande do Sul. O investimento total

linha de produtos, construindo uma unidade

foi orçado em R$ 3,27 bilhões para viabilizar

de produção dentro de um moderno conceito

a construção de 1,9 mil quilômetros de linhas

de gerenciamento de produção, incluindo

de transmissão, sete novas subestações e a

acabamento de peças, embalagens e envio

ampliação de 16 subestações existentes.

de produtos.

A

próxima

etapa

das

negociações

vida dos nossos clientes e profissionais do

investindo em soluções sustentáveis em

estabelecerá as condições detalhadas do

segmento”, diz o comunicado da companhia.

concordância com as novas necessidades

negócio, por meio de um acordo vinculativo,

organizacional concentrada em melhorar a

A empresa fornece soluções completas,

mundiais e por isso um dos grandes focos

incluindo

qualidade do segmento, proporcionando

desde o auxílio ao cliente na elaboração dos

de desenvolvimento e comercialização são as

cronograma de implementação e operação.

ponto de fornecimento eletroenergético no

pela Eletrosul no final de 2015 e consolidada

norte do Rio Grande do Sul e aumentarão a

em 2016, para a seleção de empresas

“A Trópico é uma empresa de iluminação

100%

nacional,

com

uma

estrutura

questões

relacionadas

ao

através da tecnologia e inovação, produtos

projetos luminotécnicos até o fornecimento

luminárias com Leds, mais eficientes e menos

A Shanghai Electric deve constituir uma

que possam melhorar a vida das pessoas, a

das luminárias. A companhia afirma que vem

poluentes.

Sociedade de Propósito Específico (SPE)

confiabilidade do fornecimento de energia na

interessadas em estabelecer uma parceria

para a construção, operação e manutenção

Região Metropolitana de Porto Alegre. O novo

para a implementação dos empreendimentos

dos futuros empreendimentos. O acordo

sistema de transmissão também permitirá o

do Lote A do Leilão Aneel de novembro

Cemig automatiza sistemas de restabelecimento

prevê a possibilidade de a Eletrosul exercer

escoamento de energia dos futuros parques

de 2014, incluindo seus quatro sublotes,

o direito de obter até 25% de participação na

eólicos no Estado.

proporcionando ao novo empreendedor a

Concessionária adquiriu equipamentos telecomandados para agilizar restabelecimentos de emergência

SPE.

O acordo obtido com a Shanghai Electric

receita anual permitida (RAP) de R$ 336

Os projetos estabelecerão um novo

é o resultado da chamada pública lançada

milhões, de acordo com o valor de referência.

médio de duração das interrupções.

O equipamento

trifásicos na rede de distribuição, que atende

“Com

a 8,2 milhões de clientes em Minas Gerais. A

esperamos uma melhoria nos indicadores

proteger o sistema elétrico e reduzir o efeito

concessionária está investindo cerca de R$ 80

que medem a qualidade do fornecimento

das falhas transitórias que interrompem o

milhões na compra desses equipamentos, que

de energia, com redução no tempo e na

fornecimento de energia, como o toque

devem melhorar a qualidade do fornecimento

quantidade das interrupções para os clientes

acidental de árvores na rede. Ele atua isolando

de energia em todas as regiões do estado.

da Cemig. Esperamos, ainda, redução no

o trecho com problemas e possibilitando a

Além disso, os novos aparelhos devem

número de interrupções, principalmente em

conexão em outro circuito próximo, que passa

diminuir os custos com deslocamentos das

redes rurais extensas e com número elevado

a ser a fonte de alimentação.

equipes durante os serviços de manutenção.

de clientes, cujo atendimento tende a ser

O religador atende à especificação

De acordo com o gerente de Automação

mais demorado devido à distância percorrida

técnica que assegura conformidade com o

e Planejamento da Operação da Distribuição

pelas equipes até os locais da manutenção”,

conceito de smart grid, acrescentando novas

da Cemig, Marcos Arruda, o grande benefício

afirma Marcos Arruda.

funcionalidades importantes para a operação

da instalação desse equipamento é o aumento

Além dos religadores trifásicos, a Cemig

do sistema elétrico, como localização a

da flexibilidade operativa, o que proporciona

está instalando 950 religadores monofásicos,

distância de defeitos na rede, reconfiguração

redução do número de clientes atingidos nas

que impactam na redução do número de

automática e oscilografia para análise de

interrupções e também redução do tempo

interrupções, principalmente nas áreas rurais.

ocorrências.

A Cemig está instalando 1.900 religadores

esses

novos

equipamentos,

O religador é instalado no poste para


20

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Apoio

Um giro pelas empresas que compõem o setor elétrico brasileiro.

Eficiência energética deve movimentar bilhões de dólares na próxima década Bree, empresa 100% brasileira, prevê crescimento de 30% no faturamento com origem no mercado externo para os próximos cinco anos

A demanda no Brasil e no mundo

ATERRAMENTO ELÉTRICO

para o mercado de eficiência energética

22

movimentará bilhões em 2017. Este é um assunto que todas as empresas do

Carlos Alberto Sotille, Hirafumi Takayanagi e José Maurílio da Silva Capítulo VI – Aterramento de cercas

setor estão vendo como crucial não somente para gerir as características

• Cercas transversais à rede de distribuição

operacionais de suas redes, mas como

• Cercas paralelas à rede de distribuição

um importante fator de aproximação

• Cercas próximas a aterramento do sistema primário

e fidelização do cliente, cada vez mais aberto a alternativas como

• Aterramento de estais

Geração Distribuída (GD) e contratos com terceiros, que garantam um

Ensaios em instalações elétricas industriais

fornecimento de energia estável as suas

26

instalações.

“Isso significa que temos uma

Mateus Teixeira, Pedro Block, Diogo Dahlke e Otavio Shiono

abertura para agregar nossos produtos

Capítulo VI – Estudos de eficiência energética para indústrias

a contratos de fornecimento de energia,

• Iluminação

garantindo não só o fornecimento propriamente dito, como os parâmetros

• Condicionamento ambiental

de qualidade necessários as instalações

• Sistemas motrizes

do cliente”, comenta o diretor geral da

• Análise tarifária

Bree, Rafael Wolf Campos.

O mercado da Brazillian Energy

• Medição e verificação

Efficiency (Bree), empresa 100% brasileira, se concentra historicamente

INTERNET DAS COISAS

na indústria e nas concessionárias de

34

transmissão e distribuição de energia. Em 2016, as vendas diretas de produtos

Rodney do Nascimento, Luiz José Hernandes e Fábio Niizu Capítulo VI – A Internet das Coisas habilitando novas formas de gerar valor ao negócio

às concessionárias representaram

ele observa que existem importantes

62% do faturamento. O mercado

mudanças em andamento no setor.

mercado de energia, como capacitores,

interno representa 95% das vendas

“O crescimento da área de geração

bancos de capacitores, filtros de

e o mercado externo está na mira da

distribuída exigirá novas políticas de

harmônicos, reatores e chaves. Atua

empresa. “A expectativa é alavancar

desregulamentação do setor elétrico,

ainda na integração de soluções,

o relacionamento com o mercado

exigindo que as concessionárias

fornecendo projetos completos –

externo com o objetivo de que 30%

passem a dedicar uma parte maior dos

turn key – na área de subestações, e

do faturamento venham de clientes de

investimentos em qualidade de energia,

soluções completas em qualidade de

outros países nos próximos cinco anos.

o mesmo ocorrendo no lado da carga,

energia.

E começamos o ano muito bem. No

ou seja, do consumidor. Tais mudanças

primeiro trimestre de 2017 já fechamos

permitirão a fidelização do cliente

o faturamento cresça na área da

acordos importantes com empresas

pela qualidade do serviço ofertado

qualidade da energia, hoje uma das

da Argentina e Paraguai”, comenta o

e a conquista de novos contratos de

maiores preocupações das agências

diretor Campos.

fornecimento baseados no pilar da

reguladoras e concessionárias de

• Conceitos e motivações

qualidade assegurada”.

energia elétrica.

• Processos chaves e fatores de sucesso

No mercado da América do Sul,

A Bree fabrica produtos voltados ao

O plano de negócios prevê que

• Drivers de transformação digital • Risco da disrupção • Desafios e oportunidades • Novos modelos de negócio

MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS

40

Alan Rômulo Queiroz, Eduardo César Senger e Luciene Queiroz Capítulo VI – Operações integradas – Parte 1

Fascículos

Painel de empresas


Apoio

Os aterramentos do trecho da cerca,

Por Carlos Sotille, José Maurílio e Hirofumi Takayanagi*

sob a faixa de passagem da rede, devem

Aterramento elétrico

22

23

Apoio

Capítulo VI Aterramento de cercas

tensões induzidas é separar eletricamente a cerca em um determinado número de seções.

ser executados cravando apenas uma haste

Caso haja possibilidade de queda de um

em ambas as extremidades submetidas ao

condutor-fase sobre a cerca, esta deve ser

seccionamento.

aterrada em ambos os lados de cada ponto

Para a equalização dos potenciais, essas

de seccionamento com, pelo menos, uma

hastes devem ser interligadas por um condutor

haste, devendo estes dois aterramentos serem

de material e bitola adequados enterrados no

eletricamente

solo. Este conjunto não pode ser conectado

mostra a Figura 2.

com o sistema de aterramento da rede de distribuição.

independentes,

conforme

Tal procedimento, apesar de não propiciar condições totais de segurança, aumenta a

b) Cercas paralelas à rede de distribuição

probabilidade de operação da proteção do alimentador por ocasião de contatos do condutor fase sobre a cerca. Como o número de fatores envolvidos no

Na revisão da norma ABNT NBR 16527-1 - Aterramento para sistema de distribuição - Parte 1 - Requisitos Gerais, publicada em outubro de 2016, no item referente ao aterramento de cercas, houve a preocupação de incluir a configuração

➢ Cercas transversais à configuração do aterramento d) Aterramento de estais.

a) Cercas transversais à rede de distribuição

quanto a seccionamento e aterramento

condutivo da cerca. Visando

e/ou

evitar

acidentes, a zona de influência envolvida deve ser limitada pelo seccionamento da cerca em limites tais que, quando do rompimento de um condutor, mesmo com seu "chicoteamento", este não toque nas

da cerca quando elas são construídas

São cercas construídas cruzando a faixa

paralelas ou transversais à configuração do

de passagem da rede de distribuição e,

O seccionamento da cerca deve ser feito

aterramento da rede de distribuição.

portanto, sujeitas à energização acidental,

com seccionadores adequados ou moirões

Esta preocupação visa ressaltar a

quando da ocorrência de rompimento dos

adicionais,

importância do seccionamento e do

condutores energizados sobre o material

construtivas mostradas nas Figuras a seguir.

partes de cerca fora do trecho seccionado.

aterramento das cercas, principalmente, quando elas são construídas transversal ou paralelamente à rede de distribuição com distanciamento horizontal menor que 30 metros em relação ao eixo da rede de distribuição, que poderá ser energizado por rompimento acidental dos condutores sobre

conforme

as

alternativas

cálculo das tensões induzidas é muito grande, cada paralelismo deve ser considerado um

eletromagneticamente,

caso individualizado, para fins de cálculo da

principalmente,

durante a ocorrência de faltas no sistema, quando existe a corrente de retorno pela terra.

distância máxima entre seccionamentos. Nos

estudos

é evidente a presença de animais, sugere-se

de cerca exposto ao paralelismo, da posição

a consideração de valores mais críticos para

relativa entre a cerca e a linha, da resistividade

limites de tensões de toque permissíveis.

do solo e da existência ou não do neutro multiaterrado na rede de distribuição. Tensões induzidas eletrostaticamente raramente são de valor apreciável e também dependem de

c) Cercas próximas a aterramentos do sistema primário

diversos fatores. A influência dos campos eletrostáticos e

Cuidados especiais devem ser tomados

eletromagnéticos em cercas situadas a uma

com relação a cercas localizadas dentro das

distância superior a 30 m do eixo da rede

zonas de influência do sistema primário, como

de distribuição é considerada desprezível,

aterramento dos religadores, reguladores,

portanto, não exige qualquer providência

banco de capacitores, postos de transformação

específica.

e demais equipamentos para evitar que:

ou eletromagnético. Neste capítulo, vamos abordar as seccionamento

e

aterramento das cercas nas seguintes condições: a) Cercas transversais à rede de distribuição; b) Cercas paralelas à rede de distribuição; c) Cercas próximas a aterramento do sistema primário: ➢ Cercas paralelas à configuração do aterramento

Figura 1 – Duas alternativas de seccionamento da cerca.

e

corrente de falta, mas também do comprimento

farpado ou por acoplamento eletrostático

para

aterramentos

seccionamentos de cercas, para locais em que

com material tipo arame galvanizado liso ou

configurações

de

A tensão não depende somente do valor da

A mais efetiva medida para limitar estas

a cerca que, normalmente, são construídos

Fascículo

minimizar

No caso de cercas paralelas às redes de distribuição, tensões podem ser induzidas

Figura 2 – Exemplos de aterramento eletricamente independentes.


Apoio

Aterramento elétrico

24

Apoio

➢ Elevações de potencial no solo ao redor do

➢ Cercas transversais à configuração do

➢ Nos sistemas trifásicos a quatro fios ou

aterramento primário sejam transferidas para

aterramento

sistemas a três fios com neutro secundário

pontos remotos por meio dos aterramentos

Seccionar o trecho de comprimento

contínuo, independentemente do tipo de

das cercas;

correspondente ao quádruplo da maior

poste, a segurança quanto ao contato acidental

➢ Pessoas localizadas dentro das referidas zonas

dimensão do aterramento simetricamente à

do condutor energizado poderá ser obtida

de influência (também sujeitas a eventuais

sua configuração, conforme a Figura 4.

interligando o estai ao neutro multiaterrado da

elevações de potencial) possam ser submetidas

Não havendo possibilidade de contato

a diferenças de potencial elevadas pelo contato

acidental dos condutores-fase com o trecho de

➢ Nos sistemas trifásicos a três fios com neutro

com trechos de cercas remotamente aterrados.

cerca resultante deste seccionamento, este deve

secundário descontínuo, o estai deve ser

ser mantido isolado da terra, caso contrário, este

aterrado ou isolado, considerando que:

Para minimizar as condições inseguras,

trecho de cerca seccionado deve ser aterrado:

quando não for possível realizar estudos

rede;

• Quando se promove o aterramento do estai, considera-se que o mesmo seja um

específicos, poderão ser adotados os seguintes

➢ em ambas as extremidades, se o aterramento

aterramento da rede;

critérios:

do primário cruzá-lo; ou

• No caso de postes de madeira, é

➢ apenas em seu ponto central, caso não haja

recomendável utilizar isoladores com alta

esse cruzamento.

resistência à descarga disruptiva para se

➢ Cercas paralelas à configuração do aterramento Seccionar o trecho de comprimento

d) Aterramento de estais

correspondente ao dobro da dimensão do aterramento (simetricamente à sua configuração), conforme mostra a Figura 3.

evitar a anulação dos efeitos de isolação proporcionados pelo poste; • A isolação deve ser colocada a uma altura

A maior preocupação representada neste

que represente um compromisso entre o

tipo de instalação está na ocorrência de um

eventual contato da fase com o estai e o

Não havendo possibilidade de contato

contato acidental do condutor energizado com

contato de pessoa ou animal com a porção

acidental dos condutores-fase com o trecho

o estai e a simultaneidade do contato de pessoas

aterrada do estai.

de cerca resultante deste seccionamento, deve

ou animais no mesmo e na terra adjacente.

ser mantido isolado da terra. Caso contrário,

Para minimizar as consequências do

Atenção especial deve ser dada aos

este trecho de cerca deve ser provido de um

contato das pessoas ou animais, o estai deve

isoladores de estai, tendo em vista que eles

aterramento composto de uma haste, em seu

ser efetivamente aterrado (podendo ser pela

introduzem um elemento mecanicamente

ponto central.

própria ancora) ou o trecho sujeito ao contato

fraco na construção da linha. E a manutenção

acidental deve ser isolado, ou seja:

de suas características elétricas é dificultada pela simples razão de que os defeitos não se tornam aparentes, como no caso dos isoladores

Fascículo

de linha. *Carlos Alberto Sotille é engenheiro eletricista, mestre em Ciências pela Coppe/ UFRJ e pesquisador. Atualmente, é diretor técnico da Sota Consultoria e Projetos Ltda. e membro da CE-03:102 – Comissão de estudos “Segurança em aterramento elétrico de subestações C.A.”, do Cobei. Figura 3 – Cercas paralelas à configuração do aterramento.

Figura 4 - Cercas transversais à configuração do aterramento.

Hirofumi Takayanagi é engenheiro eletricista e diretor técnico da JMV Consult. É secretário da comissão “Aterramentos elétricos”, do Cobei/ABNT. José Maurílio da Silva é pesquisador, doutor em físico química, especialista em corrosão pelo solo, trabalhou no Lactec e é membro da CE 03:102 – Comissão de estudos de “Segurança em Aterramento Elétrico de Subestações C.A”, que faz parte do Comitê Brasileiro de Eletricidade (CB-03), do Comitê Brasileiro de Eletricidade, Eletrônica, Iluminação e Telecomunicações (Cobei).

25


Apoio

Ensaios em instalações elétricas industriais

26

Apoio

Por Pedro Augustho Biasuz Block, Diogo Biasuz Dahlke, Otavio Mitsuru Shiono e Mateus Duarte Teixeira*

Capítulo VI Estudos de eficiência energética para indústrias

internacional que visa padronizar os

ações de eficiência energéticas possíveis

na padronização dos projetos, bem como

procedimentos de medição e verificação

de serem implementadas, cabendo ao

na projeção e verificação da economia

da performance de ações de eficiência

especialista envolvido definir quais são

obtida. Tal dificuldade justifica-se pela

energética. Tal protocolo será discutido

mais benéficas para cada instalação

grande diversidade de projetos de eficiência

em detalhes ao longo deste documento.

avaliada.

energética possíveis, bem como pelo fato de

Já o Propee consiste em um documento

importante categorizar as principais ações

que a economia total obtida depende também

mais abrangente, que visa padronizar

usualmente aplicadas, bem como definir

de características da instalação avaliada.

a elaboração de PEE, desde a etapa da

suas principais características.

a ser aplicada determinada instalação até a medição e verificação dos resultados

importância para o desenvolvimento de

obtidos.

Propee

vimento tecnológico, os sistemas de

PEEs. São eles:

consiste em um documento dirigido

iluminação atuais possuem um grande potencial

para elaboração e execução de PEEs

tecnologias de lâmpadas, principalmente

Verificação de Performance (PIMVP),

regulados pela Aneel. Apesar de o referido

a tecnologia Led, possuem uma eficiência

documento ser dirigido a concessionárias,

luminosa muito acima de suas tecnologias

ele se apresenta como um guia de qualidade

antecessoras. A eficiência luminosa de

para quaisquer PEEs, sejam eles regulados

uma lâmpada em lm/W consiste na relação

pela Aneel ou não.

entre o fluxo luminoso emitido pela

pela

Efficiency

Valuation

Procedimentos

do

Programa

de

das Empresas de Conservação de Energia (Abesco), a eficiência energética, também

(Aneel). O PIMVP consiste em um protocolo

consiste em usar de modo eficiente a energia para se obter um determinado resultado. Em outras palavras, eficiência energética consiste em consumir uma quantidade menor de energia para realização de uma eficientização

energética usualmente é realizado por meio da substituição de equipamentos antigos por equipamentos de novas tecnologias com menor consumo energético. Dentro desse tocante, a fim de utilizar sempre equipamentos energeticamente eficientes, é (PBE),

coordenado

Figura 1 – Selos Procel e Conpet.

pelo Inmetro. Esse programa fornece

Ressalta-se que a eficiência energética

tipo de prejuízo ao usuário da instalação.

informações quanto ao desempenho de

não consiste somente no ato da substituição

Ou seja, deve ser realizado um estudo

produtos ao consumidor, principalmente

de

outras

para garantir que os novos equipamentos

quanto

energética,

estratégias podem ser utilizadas visando

propostos atendam aos requisitos operativos

classificando-os entre A (mais eficiente) e

à redução do consumo energético, como

daquela instalação sem nenhum tipo de

E (menos eficiente). Adicionalmente, os

a instalação de detectores de presença ou

prejuízo ao usuário final. Por exemplo, não

produtos etiquetados que apresentam o

até mesmo projetos de conscientização de

se deve substituir um sistema de iluminação

melhor desempenho energético em sua

usuários e gestão energética.

que esteja adequado ao usuário por outro

à

eficiência

Ações de eficiência energética

de

eficientização.

Novas

lâmpada e a potência consumida, ou seja, quanto maior a eficiência luminosa, menos energia a lâmpada irá consumir para a

chamada de uso racional da energia,

etiquetagem

o

Devido ao considerável desenvol­

às distribuidoras de energia elétrica

pela Agência Nacional de Energia Elétrica

de

Essencialmente,

Iluminação

• Protocolo Internacional de Medição e

Eficiência Energética (Propee), elaborado

importante observar o programa brasileiro

é

por especialistas na área são de suma

De acordo com a Associação Brasileira

de

contexto,

citadas, dois documentos desenvolvidos

processo

deste

definição da ação de eficiência energética

Organization (EVO);

Um

Dentro

Tendo em vista as dificuldades supra­

elaborado

mesma tarefa.

Fascículo

projetos de eficiência energética consiste

equipamentos.

Diversas

categoria recebem um selo de eficiência

É importante ressaltar que qualquer

energética chamado Selo PROCEL para

Projeto de Eficiência Energética (PEE),

equipamentos elétricos e Selo Conpet para

independentemente do uso final que está

Um dos maiores desafios dentro do

equipamentos a gás.

sendo eficientizado, não deve gerar nenhum

contexto do planejamento e execução de

com menor nível de iluminação sob o pretexto da eficiência energética.

Existe uma variedade muito grande de

emissão de um mesmo fluxo luminoso.

27


Apoio

Apoio

Ensaios em instalações elétricas industriais

28

29

Figura 2 – Transitório oscilatório devido à energização de capacitores.

Um comparativo entre os valores

de energia elétrica como a redução da

e não necessita de alterações civis

de eficiência luminosa das principais

demanda na ponta. Nessa avaliação, os

robustas, apresentando-se, assim, como

tecnologias utilizadas no mercado é

principais fatores considerados, tanto no

alternativa interessante para sistemas

apresentado na Figura 2.

sistema atual, quanto no proposto, são a

de condicionamento ambiental. Já a

Outro fator relevante para avaliação

potência (lâmpada + reator), a quantidade,

eficientização de sistemas centralizados,

em projetos de PEE de iluminação consiste

o funcionamento em horas/ano e o FCP

com a utilização de equipamentos do

na vida útil das lâmpadas, parâmetro

(fator de coincidência na ponta).

tipo chiller, torres de resfriamento, entre

este que varia consideravelmente entre

Ressalta-se que, apesar do grande potencial

Led, vapor de sódio e de mercúrio possuem

de

tais

e do proposto para avaliação da eficiência

vida útil acima de 20.000 h, tecnologias

sistemas

possuem

energética de ambos os processos. A

como fluorescentes (6.000 a 8.000 horas)

representatividade significativa em plantas

substituição de equipamentos portáteis

e incandescentes (750 a 1.000 horas)

industriais, sendo mais relevantes em

por sistemas centralizados, raramente, é

apresentam

ambientes comerciais, escritórios, etc.

viável devido à necessidade de grandes

valores

consideravelmente

de

redução

sistemas

de

de

consumo

iluminação,

usualmente

não

inferiores.

do ciclo de funcionamento do sistema atual

investimentos em obras civis.

No entanto, PEEs de iluminação não

Fascículo

outros, necessita de um estudo detalhado

tecnologias. Enquanto tecnologias como

Condicionamento ambiental

A projeção e a verificação da economia

são realizados somente pela substituição

Sistemas de condicionamento ambien­

de PEEs de condicionamento ambiental

por equipamentos mais eficientes. Existem

tal, mais conhecidos como sistemas de

requer atenção especial. Isto deve-se ao

outras estratégias usualmente abordadas

ar condicionado, também não possuem

fato de o consumo energético de um

para redução do consumo de sistemas de

grande representatividade no consumo

sistema de condicionamento ambiental

iluminação, dentre as quais se destacam:

energético de ambientes industriais, visto

variar em função da temperatura ambiente

que usualmente sua aplicação é restrita

no local. Dessa forma, faz-se necessário

• Instalação de dispositivos de controle:

às áreas administrativas e escritórios. As

estimar o consumo de energia com

sensores de presença, dimmers, etc.;

principais técnicas para eficientização

base em uma previsão climática para

• Maior aproveitamento da iluminação

de sistemas de condicionamento ambi­

determinada localidade, fato este que

natural

ental

aumenta significativamente a incerteza na

com

redução

da

carga

de

iluminação artificial; •

Adequação

da

consistem

na

substituição

de

equipamentos, sejam eles portáteis ou instalação

elétrica

centralizados.

aumentado a divisão dos circuitos; • Campanhas para o uso consciente. Uma abordagem para estimar a redução

estimação.

Em instalações mais antigas, com equipamentos

portáteis,

Sistemas motrizes

usualmente

Os sistemas motrizes têm grande

é realizada a substituição de sistemas

representatividade no setor industrial,

de ar condicionado do tipo janela

respondendo

do consumo em sistemas de iluminação

por

split.

aproximadamente, 70% do consumo com

é apresentada no Módulo 4 do Propee,

Essa substituição gera uma redução

energia elétrica. No decorrer da vida útil de

que avalia tanto a redução do consumo

considerável no consumo de energia

um motor elétrico, em média, apenas 10%

equipamentos

do

tipo

por

uma

parcela

de,


Apoio

Fascículo

Ensaios em instalações elétricas industriais

30

Apoio

dos custos totais de operação correspondem a aquisição, instalação e manutenção do motor, sendo que os 90% restantes referem-se ao consumo de energia. No processo de transformação da energia elétrica em mecânica, como em qualquer outro processo de transformação de energia, são intrínsecas as perdas por

no ferro, perdas mecânicas, entre outras. motrizes,

é

importante

o

Figura 3 – Registro de consumo de energia.

levantamento dos dados de fabricação do

Este tipo de análise possibilita verificar

e a automação dos processos industriais

equipamento, bem como de informações

a correta especificação do motor evitando

podem muitas das vezes propiciar uma

sobre o histórico do equipamento, como

sobredimensionamento do equipamento.

economia significativa do consumo de

a realização de rebobinagens, que poderá

Adequar a potência do motor com a

energia. Também indiretamente podem ser

ser contabilizada na depreciação do

potência exigida pelo processo é um

quantificados outros benefícios indiretos,

rendimento do equipamento. A idade do

primeiro passo com grande impacto no

como a modernização dos processos

motor e a observação de suas condições de

consumo, uma vez que o rendimento do

produtivos, maior segurança e melhoria da

utilização poderão revelar o desgaste dos

motor elétrico varia exponencialmente com

confiabilidade da planta.

componentes do equipamento, que, por

a potência exigida. O sobredimensionamento de sistemas

sua vez, também prejudicam a eficiência

motrizes é um dos principais problemas

do equipamento.

Projetos customizados Nesse

item

foram

definidas

as

As análises de eficiência podem ter

verificado nas indústrias brasileiras, nos

principais ações de eficiência energética

menor ou maior grau de refinamento de

mais diferentes segmentos de atuação.

usualmente

acordo com as características do processo

Estima-se que o fator de carga (relação

à eficientização de sistemas motrizes,

a ser avaliado. Em sistemas motrizes

entre a demanda média e demanda

bastante representativos dos ambientes

com carregamento constante, é mais

máxima num determinado intervalo) é,

elétricos industriais. No entanto, não

fácil obter o desempenho do motor com

em média, igual a 45%, o que, no contexto

é possível limitar ações de eficiência

instrumentos de medições simples, como

industrial,

com

energética em algumas poucas categorias.

um alicate amperímetro de valor médio

cargas motrizes, indica deduzir a operação

Grande parte dos PEEs em ambientes

quadrático eficaz.

predominantemente

aplicadas,

com

destaque

abaixo da nominal destes equipamentos.

industriais deve ser realizada de forma

Em alguns casos mais complexos,

Isso incentiva a realização de programas

customizada, ou seja, o perfil energético do

é importante estar atento também a

de eficiência energética que resultem na

sistema produtivo deve ser cuidadosamente

eventuais variações do processo produtivo

elevação desse fator.

avaliado por um especialista, de forma que

A evolução tecnológica dos motores

seja possível determinar a melhor forma

de

elétricos, principalmente no que se refere

de aproveitamento energético do referido

parâmetros de controle, alterações do

ao emprego de novos materiais isolantes,

sistema.

tipo de produto fabricado, tipo de matéria

aprimoramento dos processos de fabricação

Ademais, aplicações não convencionais

prima, temperatura ambiente, etc.

que possam impactar no consumo do sistema

motriz,

como

alterações

modalidade tarifária também pode reduzir

verificação dos resultados das ações de

renováveis e sistemas de armazenamento

o custo médio deste insumo.

eficiência implementadas.

de energia. Além do principal benefício

As unidades consumidoras industriais

Ações relacionadas à melhoria da

ao usuário, a redução no valor da fatura

pertencentes ao grupo A possuem duas

qualidade da energia também podem

energética, o incentivo à utilização deste

opções de modalidade tarifária, a verde e

impactar

consumo

tipo de geração traz benefícios ao sistema

a azul. Uma vez que a modalidade tarifária

de energia de uma planta industrial.

na

redução

do

elétrico, o qual pode operar com menos

convencional para o grupo A foi extinta em

Exemplo disso está na aplicação de filtros

carregado, reduz perdas, entre outros.

junho de 2016.

distorções harmônicas. A eliminação de

por aquecimento de enrolamentos, perdas

sistemas

distribuída, preferencialmente de fontes

harmônicos juntos às cargas geradoras de

diferentes motivos, tais como: perdas Joule

Para analisar o desempenho dos

energética consistem na fácil medição e

e em novos materiais magnéticos, como os

devem ser consideradas, como sistemas de

Uma análise mais elaborada poderá

ímãs permanentes de terras raras, permitiu

gestão da eficiência energética e campanhas

ser realizada por meio de analisadores de

a redução da massa dos equipamentos,

de conscientização do uso responsável da

energia elétrica na qual são registradas

a

em

energia. Um sistema de gestão energética

características importantes relativas ao

temperaturas superiores, além da melhoria

bem elaborado permite ao usuário ter uma

funcionamento do motor elétrico como o

da eficiência.

avaliação completa do consumo energético

operação

dos

equipamentos

regime de operação, o tempo de partida, a

Nesse contexto, a substituição de

de suas instalações, identificando os

corrente de pico, entre outros parâmetros

motores elétricos antigos por motores de alto

principais pontos de consumo, bem como as

de interesse. A Figura 3 ilustra o registro

rendimento juntamente com a utilização

principais oportunidades de eficientização.

de consumo de um motor elétrico.

de softstaters/inversores de frequência

Outros benefícios de sistemas de gestão

A tarifa verde é indicada para unidades Análise tarifária

consumidoras que possuam baixo fator de

correntes harmônicas próximas à carga

A análise tarifária consiste em avaliar

carga no horário de ponta, com limitação

pode reduzir o consumo energético de uma

o histórico de consumo e da demanda de

na capacidade de modulação em tal posto

planta em até 3%, dependendo do montante

energia elétrica e identificar qual a melhor

horário. Diferencia-se da tarifa azul por

de cargas perturbadoras. Harmônicos

modalidade tarifária para uma determinada

obter uma única tarifa de demanda de

também são responsáveis pela elevação de

unidade consumidora obter o menor custo

potência independente do horário de

temperatura de motores de indução bem

de energia elétrica. Podendo resultar na

utilização sendo composta de Demanda na

como desequilíbrios de tensão. Motores

mudança de modalidade tarifária ou um

ponta e fora; Consumo na ponta; Consumo

trabalhando acima de sua temperatura

ajuste na demanda contratada.

fora da ponta.

nominal de serviço têm sua vida útil drasticamente afetada.

As ações de eficiência energética

A tarifa azul é indicada para unidades

irão reduzir o consumo e a demanda de

consumidoras que possuem fator de carga

Outra ação que, apesar de não constituir

energia elétrica, o que pode justificar uma

alto no horário de ponta, com capacidade

uma ação de eficiência energética em sua

redução da demanda contratada. Caso

de modulagem da carga em tal posto

concepção, traz benefícios energéticos

sejam implantadas medidas para melhoria

horário. A tarifa azul diferencia horários de

para as instalações é a utilização da geração

do fator de carga na ponta, a mudança de

utilização sendo composta de: demanda na

31


Apoio

Ensaios em instalações elétricas industriais

32

Apoio

ponta, demanda fora da ponta, consumo na

Valuation

ponta e consumo fora da ponta.

organização sem fins lucrativos que conta

Organization

(EVO),

uma

Uma análise simplificada pode ser

com a participação de voluntários de todo o

A constante evolução das tecnologias

realizada comparando o fator de carga na

mundo, apresenta um documento contendo

empregadas no setor industrial atrelada

ponta e o fator de carga de equilíbrio entre

os termos comumente empregados nos

à necessidade crescente da utilização dos

as tarifas verde e azul, sendo possível obter

estudos de economia de energia, além dos

recursos naturais de maneira sustentável,

um indicativo de viabilidade de mudança

tópicos relevantes a serem abordados em

evitando-se o desperdício, traz à tona uma

de modalidade tarifária. Caso o fator de

um plano de M&V.

grande oportunidade de atuação no cenário

carga na ponta da unidade consumidora for

O

menor que o fator de carga de equilíbrio,

fornecidas

então a modalidade tarifária verde é a

adoção de planos de M&V, mas que seja

importância ao setor industrial que mais

mais adequada. O fator de carga na ponta

mantido como premissa o atendimento

profissionais sejam capacitados, adquiram

para o período um mês pode ser calculado

à precisão, à relevância, à completude,

experiência e sejam inseridos em um

conforme a seguir.

ao conservadorismo, à consistência e à

processo de aprendizado continuado para

transparência do estudo.

lidar com a dinâmica dessas mudanças.

objetivo

geral

práticas

é

que

sejam

flexíveis

para

de otimização energética. Para

tanto,

é

de

fundamental

A adoção desse tipo de abordagem além

A adoção de atitudes mais conscientes e

de aumentar a confiança dos empresários,

eficientes propiciará como resultado maior

orienta sobre a solução de compromisso

competitividade e produtividade ao setor

Em que:

entre a precisão das medidas e seu custo,

industrial, além de maior disponibilidade

DPmax – Máxima demanda na ponta regis­

contribui na confecção dos termos do

de energia e consequentemente redução de

trada no período (kW);

contrato de performance e fornece um

impactos ambientais.

C p – Consumo na ponta no período (kWh).

método genérico e flexível sobre quais metodologias

E o fator de carga de equilíbrio pode ser calculado conforme a seguir.

podem

ser

criadas

e

utilizadas. O PIMVP não deve ser seguido como um tutorial, e o mesmo não abrange detalhamento extensivo sobre o projeto de ações de eficiência energética, sistemas de medição e instrumentação, análise

Em que:

estatística, entre outros detalhamentos.

TDPazul – Tarifa da demanda na ponta da

Portanto, é necessário que seja customizada

modalidade azul (R$/kW);

e estudada uma aplicação conforme a

TCPverde – Tarifa do consumo na ponta da

necessidade de cada projeto.

modalidade verde (R$/kWh);

Atualmente, a EVO mantém disponíveis

TCPazul – Tarifa do consumo na ponta da

três publicações do PIMVP, sendo o

modalidade azul (R$/kWh).

primeiro volume referente aos conceitos e opções para a determinação da economia

Fascículo

33

Conclusão

Medição e Verificação (PIMVP)

de energia e de água; o segundo volume a questões relativas à qualidade do ambiente

Uma gestão energética de qualidade

interno; e o terceiro volume orientativo,

requer que sejam utilizadas recomendações

contendo manuais de aplicações referentes

e práticas comuns de medição para que

ao primeiro volume.

se possa determinar de forma confiável e

A EVO também oferece um programa

correta a economia real de energia após a

para certificação profissional voltado aos

adoção de uma ação de eficiência energética

profissionais com experiência e formação

ou mesmo a utilização eficiente dos recursos

adequadas, no qual os alunos são avaliados

naturais e da energia final.

através de exame específico sobre o PIMVP Protocolo

que tem por objetivo verificar a capacidade

Internacional de Medição e Verificação

Nesse

contexto,

o

dos alunos no desenvolvimento e gestão de

(PIMVP), patrocinado pela Efficiency

planos de M&V.

*Pedro Augustho Biasuz Block é graduado em Engenharia Industrial Elétrica, com ênfase em Eletrotécnica na Universidade Tecnológica Federal do Paraná e atua como pesquisador dos Institutos Lactec. É aluno de mestrado na Universidade Federal do Paraná (UFPR) na área de estabilidade transitório de sistemas. Diogo Biasuz Dahlke é graduado em Engenharia Industrial Elétrica com ênfase em Eletrotécnica pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná e possui mestrado em Sistemas de Potência pela Universidade Federal do Paraná. Atualmente, é pesquisador dos Institutos Lactec, participando de projetos de pesquisa e de consultorias tecnológicas para o setor elétrico. Otavio Mitsuru Shiono é graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Paraná. Trabalha como Auxiliar Técnico nos Institutos Lactec, participando de projetos de pesquisa na área de sistemas de aterramento e sistemas elétricos de potência. Mateus Duarte Teixeira é graduado em Engenharia Industrial Elétrica pela UFSJ, com mestrado em Qualidade de Energia Elétrica pela UFU e Doutorado pela UFPR. É pesquisador dos Institutos Lactec e professor da UFPR. Também ocupa a vice-presidência da Sociedade Brasileira de Qualidade de Energia Elétrica (SBQEE). Continua na próxima edição Acompanhe todos os artigos deste fascículo em www.osetoreletrico.com.br Dúvidas, sugestões e outros comentários podem ser encaminhados para redacao@atitudeeditorial.com.br


Apoio

Por Rodney F. Nascimento, Fabio Niizu, Luiz José Hernandes*

Internet das Coisas

34

Apoio

Capítulo VI

alcançado por estas empresas é fruto

mudanças da era digital e ao efeito de

Este cenário se apresenta como um

de uma inovação tecnológica. Não é

uma disrupção. No setor elétrico não é

desafio a ser superado a partir da adoção

verdade! Sim, elas utilizam vários recursos

diferente. A complexidade e a diversidade

da Internet das Coisas. Neste contexto,

tecnológicos

oferecer

de tecnologias envolvidas muitas vezes

os dispositivos tendem a quebrar as

uma experiência diferenciada ao cliente,

inibem a adoção ou até mesmo a percepção

barreiras dos silos e terem os seus dados

porém utilizam tecnologias existentes, sem

de oportunidade de novos modelos de

combinados com dados de diferentes

grande apelo inovador.

gerar valor para a organização.

origens e perspectivas de interesses do

que

permitem

romperam os paradigmas de mercado ao

Estamos vivenciando um período

onda de transformação, contribuindo

de forma inesperada e conseguiram

extraordinário de transformação. Novas

com inúmeras ações empreendedoras

romper o status quo, conquistando espaço

questões

operacionais,

que entrelaçam o mundo físico e o

em um mercado dominado por grandes

políticas e regulatórias estão pressionando

digital. Considerada o principal driver de

organizações. Exemplos como o Uber,

as empresas do setor elétrico a agir. As

transformação digital da atualidade, a IoT

Airbnb, Spotify e Netflix conseguiram

empresas também enfrentam um cenário

compreende a combinação de diferentes

implantar com sucesso uma estratégia

tecnológico totalmente novo, que inclui

tecnologias

sensores,

de inovação disruptiva, estabelecendo

redes inteligentes, microgeração, gestão de

conectividade e mobilidade, computação

um novo modelo de atuação no mercado

energia sustentável e renovável, veículos

em nuvem, analytics, geolocalização e

e eliminado a participação de atores da

elétricos,

redes sociais), para atender a desafios de

cadeia de valor.

econômicas,

casa

inteligente

e

cidades

inteligentes. A

Fascículo

Nenhuma empresa está imune às

Todas estas inciativas empreendedoras

A Internet das Coisas habilitando novas formas de gerar valor ao negócio

conectividade

(dispositivos

e

diferentes setores da economia. pervasiva

e

a

É inegável que a tecnologia sempre

disponibilidade de sensores menores,

será um elemento importante no

mais baratos e mais inteligentes estão

processo de inovação. Entretanto,

derrubando barreiras para aplicações.

no âmbito da transformação

Da mesma forma, a coleta e a capacidade

digital, o valor real do “digital”

de análise de dados de diferentes origens

não

estão

a

crescendo

exponencialmente,

será

essencialmente

evolução

tecnológica,

possibilitando insights e oportunidades

mas sim, a capacidade e

valiosas para alavancar a eficiência ou

a agilidade de utilizar a

estabelecer novos fluxos de receita.

tecnologia para identificar

Drivers de transformação digital

uma

oportunidade

estratégia que promova uma mudança

Os efeitos da transformação digital dos negócios é, sem dúvida, o tema mais recorrente nos artigos e palestras da

e

colocar em prática uma significativa

na

forma de gerar valor.

O risco da disrupção

atualidade. Nesse cenário, a Internet das Coisas (IoT) está ganhando força e dando

No contexto de modelo de negócio, são

ainda mais corpo e velocidade nesta grande

vários os casos de empresas que surgiram

35

informação.

Muitos acreditam que o sucesso

IoT: desafios e oportunidades

negócio, produzindo novas informações, insights e oportunidades. As tecnologias disponíveis já permitem

realizarem com perfeição a modelagem de que

as

concessionárias

monitorem

serviços centrados em seus clientes alvos.

De um modo geral, muito já se

A partir de uma profunda compreensão

avançou em termos de digitalização dos

o

dos atores de seus ecossistemas de negócios

processos operacionais no setor elétrico,

produtos interoperáveis e padronizados,

(oferta e demanda), de suas necessidades e

por exemplo, a partir da comunicação

incluindo medidores e outros dispositivos

suas experiências, foi possível ofertarem

máquina a máquina (M2M) – recursos

inteligentes, capazes de se comunicar entre

serviços com tamanho valor percebido

de reconfiguração de rede atuam sobre

si e tomar decisões em tempo real.

(custo-benefício e usabilidade), que eles

dispositivos de forma rápida e eficiente.

Toda a massa de dados coletados

não apenas absorveram clientes dos

Entretanto, a maioria das redes e dos

possibilita a empresa interpretar padrões

concorrentes

consumo

eletricidade

princi­

dispositivos em operação atualmente

de

ainda possui um propósito específico,

problemas e soluções, alocar recursos

para o “jogo” consumidores que, até então,

ou seja, são utilizados em aplicações

de forma mais eficiente e criar novas

não se sentiam atraídos pela proposta de

confinadas, num relacionamento “peer to

formas de interação com os clientes,

valor vigente no mercado.

peer” e quase sempre delimitam um silo de

dando visibilidade sobre os seus dados de

mas,

identificar

usando

palmente, ampliaram o mercado, trazendo

existentes,

consumo,

de

rapidamente


Apoio

Internet das Coisas

36

Apoio

consumo. Com a evolução da maturidade digital

de padrões, é possível comparar

da organização, novas perspectivas de

o

valor surgirão, pois, o avanço no processo

a outros que sofreram

de

condições

transformação

possibilitará

maior

equipamento

específico

similares,

visibilidade, controle e inteligência sobre

predizendo o compor­

a operação e a cadeia de valor. Isso tende

tamento

a estimular a sensibilidade para novas

equipamento

oportunidades de inovação e habilitar

análise.

valor, como:

futuro

do em

Todo este conhe­ cimento per­mi­te que se

Novos

operacional

patamares em

de

eficiência

tomem ações preditivas

diferentes

processos

nos ativos para diminuir

operacionais;

consideravelmente

• Novas experiências e mecanismos de

interrupções não progra­

engajamento com os clientes;

madas. Da mesma maneira,

• Novos modelos de negócios e fluxos de

as interrupções programadas

receita.

podem ser otimizadas de acordo com

Eficiência operacional

Fascículo

37

Com a identificação e aprendizagem

as

as condições específicas que o ativo foi

seus efeitos sobre os hábitos e as relações

submetido, permitindo um maior retorno

entre as pessoas e as instituições. De

sobre o capital investido a partir do

acordo com a Fundação Getúlio Vargas,

A maioria das organizações que

aumento do tempo de utilização. Mesmo

a expectativa é de que, nos próximos dois

iniciaram projeto IoT tem como objetivo

quando necessária, a manutenção será

anos, o Brasil tenha mais de 236 milhões

aumentar a eficiência e reduzir custos.

realizada em um tempo menor, uma

de smartphones nas mãos das pessoas.

Utilizando dados que já são coletados ou

vez que o diagnóstico também pode ser

Naturalmente, o crescimento da sociedade

adicionando novos sensores nos produtos,

feito de forma automática. Além disso,

conectada deve ser tratado tanto na

por

dados

o reparo a ser realizado pode contar

dimensão de desafio, como oportunidade.

coletados em um equipamento, é possível

com o suporte de realidade aumentada,

identificar desgastes e prever falhas antes

que terá por base o histórico de dados e

se

da ocorrência, disparando o processo

procedimentos técnicos e de segurança,

mudanças de comportamento provocadas

de manutenção quando necessário. Isso

auxiliando a equipe de manutenção

nos consumidores, que, movidos por um

reduz o tempo e o número de paradas,

durante a execução do serviço. Aplicações

ritmo muito mais intenso de consciência

programadas ou não.

como essa certamente aumentarão a

coletiva

exemplo,

analisando

os

De um modo geral, os desafios caracterizam

(acesso

pelas

e

informação),

significativas

compartilhamento

segurança, a produtividade, reduzirão

de

Nesta perspectiva de valor, o caso

erros e encurtarão o ciclo de treinamento

patamares de expectativas em relação aos

demandam

novos

de uso em destaque é a digitalização de

e preparação dos profissionais para as

serviços, visando mais qualidade, maior

ativos, também conhecida pelo termo

atividades sobre uma grande diversidade

agilidade e transparência, além de novas

“gêmeo digital”, que consiste em coletar

de equipamentos.

possibilidades de interação: a qualquer

e armazenar os dados de sensoriamento

A evolução da maturidade da aplicação

relacionados a um dado ativo, por exemplo,

de IoT na perspectiva de eficiência

um transformador, agrupá-los e organizá-

operacional também vem habilitando a

Uma das ações para atender a esta

los em uma série histórica. O conjunto

oferta no mercado de um novo modelo

nova demanda é através da criação de

destes dados representa digitalmente o

de negócio, em que o produto físico é

aplicativos para dispositivos móveis que,

ativo, contendo as condições pelo qual o

vendido como serviço, gerando assim um

além oferecer ao cliente ferramentas para

mesmo foi submetido.

fluxo de receita recorrente ao fornecedor.

gerenciar o seu perfil de consumo, também

Através da digita­ lização do ativo e inteligência analítica, torna-se possível

Experiência do cliente

predi­zer quando este está na eminência de

momento, em qualquer lugar e a partir de qualquer dispositivo.

podem promover a eficiência energética, a partir do conceito lúdico de “gamification”, por exemplo, estimulando a interação de

uma falha, possibilitando agendar pa­ ra­

Atualmente observamos o rápido

pessoas em grupos para disputar prêmios

das programadas com grande precisão.

crescimento da sociedade conectada e os

em função do percentual de redução de


Apoio

Internet das Coisas

38

Apoio

maior

de

conservação

energética

e 1. Leading Digital: Turning Technology Into

ambiental. Esta

implementação

oportunidades

por

meio

Business Transformation (2015). Bonnet D.,

gera de

Westerman G., McAfee A..

novas

possibilidades para conhecer melhor os

2. How To Win At Digital Transformation

clientes e desenhar perfis baseado em

(2016). FORBES INSIGHTS.

dados (analytics), seja para inovar na oferta

3. Strategy, Not Technology, Drives Digital

de produtos e serviços (energia renovável e

Transformation

soluções para casa inteligente), seja para

Management Review.

criar novas formas de comunicação e

4. The Internet Of Things: Mapping The

engajamento com os clientes.

Value Beyond The Hype (2015). MCKINSEY

Atualmente,

não

(2015).

MITSLoan

GLOBAL INSTITUTE.

barreira

tecnológica para que o consumidor

países para adequar às concessionárias

pois permitem explorar as possibilidades

5. Digitising The Industry: Internet Of

monitore seu consumo, inclusive de

brasileiras.

de forma organizada e aderente à realidade

Things Connecting The Physical, Digital

brasileira e ao contexto de cada empresa

And Virtual Worlds (2016). Vermesan O.,

para geração de valor.

Friess P.. RIVER PUBLISHERS.

forma estratificada de seus principais “appliances”,

permitindo

O nível de adoção de geração

decisões

fotovoltaica distribuída já alcançou escala

inteligentes de uso em função de tarifas

impressionante na Austrália. No Brasil

Vale ressaltar algumas características

6. Como Produtos Inteligentes e Conectados

horárias e um melhor controle sobre o

superamos a marca de dez mil micro e

observadas em grande parte dos projetos

Estão Transformando A Competição (2015).

orçamento doméstico. A concessionária

minigeradoras fotovoltaicas distribuídas,

de IoT bem-sucedidos e que, de alguma

Porter M., Heppelmann J.. HARVARD

o dobro da quantidade projetada pela

forma:

BUSINESS REVIEW.

também potencializa seus benefícios à medida que os sinais de preços de tarifa

com novas funções de intermediação

sustentabilidade, dado que o transporte é

Empresa de Pesquisa Energética (EPE) em

estimulem o consumidor a moldar

em sua rede, balanceando o suprimento

responsável por grande parte das emissões

sua Nota técnica DEA 19/14, intitulada

• Pense grande: amplie o escopo de análise

efetivamente seu perfil de demanda, de

de energia convencional, com a oferta

de carbono. As concessionárias podem

“Inserção

para todo o ecossistema, analisando toda

forma a otimizar a capacidade da rede.

massiva e descentralizada de energia

criar programas de incentivo, em parceria

Distribuída no Brasil”.

distribuída e a carga variável. A obtenção

com fabricantes de veículos elétricos e

desse equilíbrio também passará por

híbridos.

Novos modelos de negócio

outros

modelos

de

negócio,

da

Geração

Fotovoltaica

a cadeia de valor do negócio: clientes,

Estamos apenas engatinhando na

usuários, parceiros, fornecedores, etc.;

adoção de veículos elétricos no Brasil,

• Conecte com o negócio: alinhe as

como

A partir da adoção crescente do carro

mas o cenário de adoção na Europa é

oportunidades identificadas à estratégia

Em todos os setores da indústria, a

programas de resposta à demanda, com a

elétrico no Brasil, será possível promover a

extremamente arrojado, com a oferta

da organização, levantando as ideias

Internet das Coisas vem transformando

concessionária concedendo descontos e

modulação da curva de carga, estimulando

de modelos por todas as grandes

dissonantes, detalhando o business case e

negócios e criando novas oportunidades

abatimentos aos clientes para permitirem

via tarifas diferenciadas, a recarga dos

montadoras.

avaliando as capacidades dos stakeholders.

para produtos e serviços de valor agregado

o controle, por exemplo, de cargas do

veículos

e, consequentemente, novos fluxos de

consumidor,

demanda mais baixa.

receita. Para isso, o desenvolvimento

climatização.

de um ecossistema de parceiros de inovação

Fascículo

39

Referências

consumo, colaborando para um objetivo

torna-se

fundamental

para

como

aquecimento

ou

Algumas concessionárias estão se destacando

no

cenário

mundial,

elétricos

para

períodos

de

Conclusão

ao

Algumas concessionárias brasileiras

A partir daí, leve adiante apenas o que vale

atingem marcas de centenas de milhares

apena (trade-off);

de consumidores de baixa tensão com

• Comece pequeno: tire os planos do papel,

telemedição, enquanto a comunidade

fazendo testes em pequena escala. Defina

europeia poderá ter em 2020 dois terços de

o modelo, os processos, os indicadores

seu parque com medição inteligente.

de sucesso. Avalie parcerias com o

ganhar agilidade e as capacidades digitais

oferecer soluções completas para casas

O potencial de gerar valor oferecido

necessárias para atender às expectativas

inteligentes e edifícios conectados. De um

pela Internet das Coisas ao setor elétrico é

Ignorar este processo de transformação,

ecossistema e refine o modelo até alcançar

dos clientes.

modo geral, estas soluções incluem desde

incontestável, mesmo considerando o seu

ou simplesmente não definir uma estratégia

as condições necessárias para implantar

No contexto da geração distribuída,

o gerenciamento de consumo, geração e

perfil conservador, fruto de uma atividade

a respeito, pode representar a perda

em escala maior;

as concessionárias poderão perceber

armazenamento, até o controle remoto

intensiva em capital, forte regulação e uma

significativa de eficiência, produtividade e

• Seja ágil: defina o roadmap de

uma

modelo

de diferentes dispositivos, por exemplo, o

evolução tecnológica relativamente lenta

novas receitas.

desenvolvimento e implantação, formalize

convencional de negócio, à medida que a

ar-condicionado ou o motor da piscina.

no passado, em comparação com outros

complexidade de operação da rede cresça

Neste cenário, vale destacar que vender o

setores já impactados pela era digital.

significativamente, com o aumento da

quilowatt não consumido pode se tornar

Esta onda de transformação já se faz

patrocínio da alta administração e a

energia injetada, provocando ao mesmo

um negócio tão, ou mais, atrativo do que

presente no setor, ainda com velocidade

formalização de iniciativas de pesquisa

Esses cuidados são essenciais para

tempo dificuldade no controle do nível

o consumido.

e intensidade de impacto pontual no

e desenvolvimento, implementação de

que a organização alcance os benefícios

outra

Brasil, mas com perspectivas de grandes

novas tecnologias, estímulo às “startups”

esperados com a transformação digital

de

perspectiva de valor a ser explorada,

mudanças. Há ainda a vantagem da

e experimentação de novos modelos de

que a Internet das Coisas pode propiciar

negócio surgirão para a concessionária,

tanto sob o aspecto de negócio, quanto de

observação do que ocorre em outros

negócio são fatores críticos de sucesso,

à indústria.

disrupção

em

seu

de tensão e potencial redução da receita. Possivelmente,

novos

modelos

A

mobilidade

elétrica

é

Como mudança

em

qualquer

iminente

e

cenário

de

relevante,

o

as parcerias e viabilize os recursos para inovação.

*Rodney Fernando do Nascimento é bacharel em Administrador de Empresa, com MBAs em Gerenciamento de Projetos e em Comunicação com o Mercado. Com mais de 20 anos de experiência em empresas de tecnologia, atualmente exerce a função de Analista de Marketing na Fundação Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (CPqD). Luiz José Hernandes Jr. é Mestre em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas, tem formação em Leadership Development Program – Graduate Business School – University of Virginia, especialização em Administração. É economista pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e Engenheiro Eletricista com ênfase em eletrônica digital, pela Escola Federal de Engenharia de Itajubá. Tem 27 anos de experiência no setor elétrico, como executivo da CPFL e da AES Eletropaulo. É consultor independente há mais de oito anos. Fábio Yuasa Niizu possui graduação em Engenharia de Computação pela Universidade Estadual de Campinas e MBA em Gestão Estratégica em Marketing pela ESAMC. Atua com pesquisa e desenvolvimento desde 1994, passando por grandes empresas como IPT, Alcatel, Nortel e VIVO. Atualmente, trabalha como Especialista em Inovação na Fundação CPqD. Continua na próxima edição Acompanhe todos os artigos deste fascículo em www.osetoreletrico.com.br Dúvidas, sugestões e outros comentários podem ser encaminhados para redacao@ atitudeeditorial.com.br


Apoio

Manutenção de equipamentos elétricos

40

Apoio

Por Alan Rômulo Queiroz, Eduardo César Senger e Luciene Queiroz*

e aumentar o ciclo de vida das reservas norueguesas. Por este motivo, várias empresas que operam na plataforma continental norueguesa estão trabalhando na implantação das Operações Integradas como uma ferramenta para atingir metas de segurança, confiabilidade e eficiência

Capítulo VI

operacional.

Operações integradas – Parte 1

Para que os benefícios das Operações Integradas sejam notáveis, os processos Figura 2 – Processos de trabalho convencionais e processos de trabalho das Operações Integradas.

Este capítulo apresenta os principais conceitos e motivações para a implantação das Operações Integradas em empresas que operam em campos offshore de petróleo na Noruega e a importância da manutenção para redução dos custos operacionais dentro dessa filosofia de trabalho. Embora essa filosofia tenha sido desenvolvida pelo setor petrolífero, a aplicação de seus conceitos é válida para qualquer outra área, considerando adequações em função de particularidades de cada segmento.

Conceitos e motivações O leito do Mar do Norte contém várias áreas conhecidas de interesse no que diz

Fascículo

Processos chaves e fatores de sucesso

respeito à recuperação de petróleo e gás natural desde a década de 1960. Muitas plataformas de petróleo foram estabelecidas dentro das áreas mais promissoras, muitas das quais ainda estão realizando operações, atualmente. De acordo com a EIA (U.S. Energy Information Administration), a Noruega produziu, em 2013, uma média de 1,8 milhões de barris de óleo equivalente por dia, sendo o 15º maior produtor de petróleo do mundo. Contudo, a produção de petróleo norueguesa está sendo reduzida em razão do amadurecimento dos campos, como ilustra a Figura 1. O Brasil produziu,

Figura 1 – Produção de petróleo na Noruega desde a década de 1980.

no mesmo ano, uma média de 2,7 milhões

também é conhecido como “eOperations”,

de barris de óleo equivalente por dia,

“Smart Fields”, and “iField”.

ficando em 12º lugar no ranking mundial.

Operações Integradas é um termo

dos

utilizado para o uso de novas tecnologias

plataforma

e processos de trabalho nas organizações.

continental norueguesa fez com que as

A Figura 2 ilustra os métodos de trabalho

empresas operadoras tivessem que trabalhar

convencionais comparados com os métodos

na mudança e no desenvolvimento de novos

de trabalho propostos pelas Operações

métodos relacionados aos seus processos de

Integradas.

Esse campos

rápido

amadurecimento

localizados

na

trabalho. Um desses foi denominado “IO

O conceito começou a ser introduzido

– Integrated Operations”, termo utilizado

no início dos anos 2000, na indústria

pela Norwegian Oil Industry Association

petrolífera norueguesa. A definição de

(Oljeindustriens Landsforening), mas que

Operações Integradas, de acordo com

de trabalho devem estar integrados e dinâmicos através de todas as disciplinas envolvidas, tanto onshore, quanto offshore,

a companhia de petróleo Statoil, é “o

Operações Integradas integra os pilares de

envolvendo

emprego de dados em tempo real e novas

tecnologia, de processos de trabalho e de

fornecedores, e as informações sobre as

empresas

operadoras

e

tecnologias para remover barreiras entre

organização, fazendo uso dessa integração

operações devem estar disponíveis para

disciplinas, grupos de especialistas técnicos

para otimizar custos e recursos humanos.

todas as partes envolvidas, em tempo real. Para isso, é necessária uma profunda

e da empresa". Contudo, o conceito de

Os principais objetivos das Operações

Operações Integradas envolve mais recursos

Integradas são maximizar a produção

mudança

do que apenas tecnologia. O conceito de

de óleo, reduzir os custos de produção

existentes em algumas áreas, especialmente

dos

processos

de

trabalho

41


Apoio

Apoio

Manutenção de equipamentos elétricos

42

43

Figura 3 – Principais processos de trabalho que necessitam de mudanças para aplicação da metodologia de Operações Integradas.

aquelas que possuem grande impacto na

e devem ter autonomia para tomada de

• Kaarstad, M.; Rindahl, G. Shared collaboration surfaces

geração de valor agregado e redução de

decisões, quando necessário;

to support adequate team decision processes in an

custos. Isto inclui as áreas de planejamento

• As equipes devem ter acesso às

e perfuração de poços, completação

informações das instalações de produção

de poços, otimização de processos e

em tempo real e trabalhar em um ambiente

gerenciamento da manutenção. A Figura 3

colaborativo;

Continental Shelf”. Disponível em www.norskoljeoggass.no.

ilustra os principais processos de trabalho.

• As equipes devem utilizar filtros de

• Queiroz, A. R. S. Estratégia de manutenção de

ao

informação, como sistemas de alarmes

equipamentos elétricos em unidades offshore de produção

gerenciamento da manutenção, objeto

inteligentes, e manter os processos em

desta pesquisa, o processo deve englobar

limites aceitáveis, distantes das faixas de

principalmente

alarme e trip.

Especificamente

a

em

relação

monitoração

do

estado de uma instalação por meio do

desenvolvimento

das

estratégias

Referências

de manutenção, vital para garantir o cumprimento dos requisitos legais, garantir a disponibilidade dos equipamentos e otimização dos custos de manutenção.

Fascículo

Para

a

Norwegian

Oil

Industry

Association, os principais pontos chaves

• Andersen, S. “Improving Safety through Integrated Operations”. Dissertação (Mestrado em Segurança, Saúde e Meio Ambiente). Norwegian University of Science and Technology, Noruega, 2006. • Bekkeheien, T. “Introducing Event-Driven Business Process Management to Integrated Operations: A Case

para o sucesso das Operações Integradas

Study”. Dissertação (Mestrado). Universidade de Oslo,

são:

Noruega, 2010. • EIA - U.S. Energy Information Administration.

• Iniciativas de melhoria devem ser priorizadas nos processos que geram maior valor agregado, como perfuração, completação

de

poços

e

gestão

da

manutenção; • O planejamento, priorização e execução de atividades devem ser integrados entre todos os processos chaves; • As equipes operacionais devem ser alocadas de acordo com as competências

Disponível em http://www.eia.gov/countries/. • Gonzales, J. J.; Qian, Y.; Sveen, F. O.; Rich, E. “Helping prevent information security risks in the transition to integrated operations”, Telektronikk. Vol. 1, p.29-37, 2005. • Hauge, S.T. “A study of Integrated Operations on the Norwegian Continental Shelf ”. Dissertação (Mestrado em Ciências e Tecnologia). Universidade de Stavanger,

integrated operations setting. In: “ESREL 2011”. França, 2011. • Norwegian Oil Industry Association. “Integrated Work Processes: Future work processes on the Norwegian

de petróleo e gás baseada na filosofia de operações integradas. Tese (Doutorado em Ciências – Engenharia Elétrica). Universidade de São Paulo, 2016. • Ringstad, A. J.; Andersen, K. Integrated operations and the need for a balanced development of people, technology and organisation. In: “International Petroleum Technology Conference”. Dubai, 2007.

*Alan Rômulo Silva Queiroz é engenheiro eletricista graduado pela Universidade Santa Cecília (Santos – SP), mestre e doutor em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Eduardo César Senger é engenheiro eletricista e doutor pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. É professor livre-docente na área de Proteção de Sistemas Elétricos pela Universidade de São Paulo e coordenador do Laboratório de Pesquisa em Proteção de Sistemas Elétricos (Lprot). Luciene Coelho Lopez Queiroz é bacharel em Ciências da Computação graduada pela Universidade Católica de Santos e mestre em Engenharia da Computação pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

Noruega, 2011. • Holst, B.; Nystad, E. Oil & Gas offshore/onshore Integrated Operations – introducing the Brage 2010+ project. In: “IEEE 8th Human Factors and Power Plants”. Noruega, 2007.

Continua na próxima edição Acompanhe todos os artigos deste fascículo em www.osetoreletrico.com.br Dúvidas, sugestões e outros comentários podem ser encaminhados para redacao@atitudeeditorial.com.br


44

Aula Prática

O Setor Elétrico / Junho de 2017

45

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Por Antonio Carlos de Almeida Cannabrava, Benedito Edmundo Moura Ferreira e Levi Pereira Pasqua*

Aterramento de redes de distribuição com a utilização de postes autoaterrados desenvolvimento e implantação

de surtos atmosféricos. No sistema de

área urbana como na área rural, a maioria

carcaça do equipamento. Os aterramentos

aterramento

industrial,

das empresas costuma utilizar sistemas de

da rede são realizados, em geral, no poste

é considerado que o solo se comporta

aterramento com até três hastes verticais

do equipamento, na carga do consumidor e

como uma resistência pura. No entanto,

alinhadas, sendo o espaçamento entre

no poste em final de linha.

em frequências muito altas ou frentes de

elas o próprio comprimento da haste.

onda muito rápidas, a capacitância do solo

Considerando

deverá ser levada em consideração, pois a

configurações de aterramento variam de 3

resistência de terra passa a ser considerada

a 20 hastes de aterramento interligadas.

uma impedância.

Para os sistemas de distribuição de

No Brasil, as empresas de energia

energia elétrica, a descarga atmosférica

O

em

frequência

os

casos

especiais,

as

Desenvolvimento Aterramento estrutural aterramento

estrutural

tem

se

O aterramento elétrico cumpre uma

constitui-se, fundamentalmente, de uma

elétrica utilizam nas redes de distribuição o

constitui-se na principal causa de danos

mostrado um eficiente recurso para a

importância em um sistema de distribuição

função

de

estrutura condutora que é enterrada no

sistema de aterramento através de hastes

e sobretensões devido à configuração

dissipação de correntes de descargas

de energia elétrica, sendo uma ligação

distribuição de energia elétrica, devendo

solo, de modo a garantir um bom contato

verticais sendo os tipos mais comuns a

predominantemente aérea das linhas e sua

atmosféricas.

intencional à terra com o objetivo de fornecer

atender, dentre vários requisitos, àqueles

elétrico com a terra através de eletrodos de

haste cantoneira de aço zincado e a haste

grande extensão. No Brasil temos uma das

têm recolhido critérios e experimentos que

à instalação um caminho de impedância

estabelecidos quanto aos valores de tensão

aterramento.

cilíndrica aço-cobreada, de 2,40 m ou

maiores incidências de raios do mundo e

mostram uma confiabilidade razoável para

adequada por onde pode circular uma

de passo e de toque. Entretanto, em locais

O objetivo do aterramento elétrico é

3,00 m de comprimento. Com relação aos

pelo menos um terço dos desligamentos

essa técnica, desde que se observem os

corrente elétrica, seja ela derivada de uma

em que o solo apresenta valores elevados

proporcionar uma superfície equipotencial

valores de resistência de terra estipulados

das redes de distribuição é causado por

cuidados básicos de projeto e execução.

falta ou descarga atmosférica. A corrente

de resistividade surgem dificuldades que

no solo dentro dos valores aceitáveis, ou

pelas empresas de energia elétrica, existe

descargas atmosféricas diretas ou indiretas.

As descargas indiretas, embora menos

como elementos de aterramento na década

O aterramento elétrico é de fundamental

essencial

em

um

sistema

As

normas

internacionais

As fundações passaram a ser utilizadas

de falta é uma corrente elétrica que circula

nem sempre são superadas no sentido

seja, os valores de gradientes de tensão

uma faixa de valores limites típicos que

em um caminho fechado incluindo a fonte e

de obedecer às exigências citadas nas

que aparecem na superfície do solo deverão

varia de 10 ohms a 80 ohms, dependendo

severas, ocorrem com maior frequência.

de 1960 na Alemanha. Os projetistas

a carga. No caso da descarga atmosférica,

normas

O

estar dentro dos limites suportáveis por

se a rede é urbana ou rural.

Usualmente, os para-raios protegem

constataram que, como as fundações

a corrente do raio circula pela terra para

aterramento elétrico é basicamente uma

animais e seres humanos. Os sistemas

os

dos

permanecem úmidas no subsolo, a massa

neutralizar as cargas induzidas no solo. A

conexão elétrica ao solo em que a eficácia

de aterramento são representados por

aterramento, tanto para área rural quanto

equipamentos da rede e também podem

de concreto apresenta uma resistividade

circulação de correntes no solo dá origem

está no valor da impedância de terra. A

resistências, indutâncias e capacitâncias

urbana, constata-se que os sistemas de

ser instalados na baixa tensão. O condutor

semelhante à de um solo de resistividade

ao aparecimento das tensões de toque e

principal função é a proteção de pessoas,

que

importante,

aterramento utilizados pelas empresas de

neutro é multiaterrado e comum às redes de

média

passo.

animais e equipamentos. O aterramento

particularmente

incidência

energia elétrica são semelhantes. Tanto na

média e baixa tensão, estando conectado à

americana,

técnicas

e

especificações.

desempenham

papel

quando

da

Comparando todas as configurações de

terminais

de

média

tensão

a

baixa.

Segundo

atribui-se

ao

a

prática

concreto

de


46

Aula Prática

O Setor Elétrico / Junho de 2017

fundações uma resistividade em torno de

Em outros países, como a Nova

30 Ohm.m. A prática alemã, no entanto,

Zelândia, já se adota a utilização de

aponta valores entre 120 Ohm.m e 500

"sistemas de aterramento integral" em

Ohm.m. Desde 1925, a União Alemã das

postes de concreto de redes de transmissão

Centrais Elétricas possui diretrizes para

e distribuição, principalmente em função

utilização das armaduras das fundações

da segurança do eletricista. Durante o

como eletrodos de aterramento. A norma

aterramento

alemã publicou em 1979 (caderno 35 da

cruzetas e outras partes metálicas do topo

VDE) a inclusão no sistema de aterramento

do poste devem ser interligados para

das fundações dos edifícios residenciais.

formar uma zona equipotencial para um

No fim da década de 1970, os americanos

trabalhador montado no poste.

temporário,

47

O Setor Elétrico / Junho de 2017

condutores,

Figura 1 – Aterramento de transformadores - área rural.

incluíram recomendações para utilização de embutidos em concreto. O Green Book

Poste autoaterrado - Motivação e desenvolvimento na CPFL

(ANSI/IEEE

sistemas de aterramento com condutores Standard

142-1982),

que

Define-se como poste autoaterrado o

trata especificamente de sistemas de

poste de concreto armado, de qualquer

aterramento, menciona em várias seções

tipo ou seção, concebido de tal forma que

as vantagens de se utilizar as armaduras do

as barras de aço longitudinais da armação

concreto como eletrodos de aterramento.

da estrutura também são utilizadas com

Devido a esta antiga utilização, as

a função de eletrodo de aterramento

normas de proteção de estruturas contra

da instalação elétrica a que pertence. O

descargas atmosféricas brasileiras, ABNT

projeto de desenvolvimento do poste

NBR 5419:2005, a ABNT NBR 5410:2004

autoaterrado se fundamentou na busca

e a internacional IEC 61024-1-2:1998

de maior confiabilidade do aterramento,

incluíram a utilização das ferragens das

eficiência da proteção e diminuição de

estruturas e fundações de concreto armado

queima de transformadores da rede de

como parte integrante de um sistema de

distribuição. Auditoria interna realizada

aterramento.

pelo

Alguns exemplos de utilização de

e Engenharia de Manutenção da CPFL

concreto em sistemas de aterramento são

em aterramentos da distribuição, em

mostrados em pesquisas experimentais,

obras recentes em áreas urbanas e rurais

considerando-se

malhas

durante os anos de 2010/2011, mostrou

convencionais

hastes

e

com e

hastes

condutores

Departamento

inconformidade

nos

de

Planejamento

resultados

de

envolvidos em concreto. Os resultados das

medição de aterramento em instalações

pesquisas comprovaram a eficiência do uso

com equipamento, tanto na área rural

do concreto nas hastes de aterramento. Os

como na área urbana, comparado com

valores da impedância de terra para hastes

os valores especificados, como pode

envolvidas em concreto são menores em

ser observado na Figura 1 e na Figura 2,

relação às hastes convencionais e também

respectivamente.

mostram

características

semelhantes

Figura 2 – Aterramento de transformadores - área urbana.

A auditoria também identificou muitas

Figura 3 - Conector solto e cabo desconectado da haste.

Desta auditoria concluiu-se que cerca

transformadores da rede de distribuição.

de 40% dos aterramentos na área rural e urbana apresentavam problemas que

Modelo desenvolvido

poderiam contribuir para a ocorrência de falhas no sistema de distribuição quando

solicitado por sobretensões.

desenvolvimento do poste autoaterrado

foram os seguintes:

Os

objetivos

específicos

para

o

quanto ao comportamento em função da

falhas de aterramento decorrente dos

frequência.

serviços de execução da instalação, tais

como:

instalados diretamente no solo é dificil de ser detectada pelas empresas de

1 – Desenvolver dispositivo de conexão

o aterramento das redes de distribuição

• Conexão mal feita/contato ruim;

distribuição de energia elétrica. Não existe

vergalhão-terra considerando a corrente

deve ser considerado. Em um solo com

• Cabo desconectado da haste;

critério

de dissipação para terra e o efeito de pilha

resistividade média de 700 Ohm.m, o

• Falta de interligação entre hastes;

aterramento

Segundo Raizer, o uso dos postes de

concreto como alternativa para melhorar

Em geral, a deterioração dos eletrodos

de

manutenção

periódica

do

aterramento, que somente é investigado

galvânica.

• Falta da haste.

quando ocorrem os problemas.

2 – Pesquisar a composição e resistividade nestas

do concreto como dissipador da corrente,

equivalente a um sistema com três hastes

regiões com problemas de aterramento

sem perda de resistência mecânica do

de 2,4m/16mm interligadas.

ocorridas na execução da instalação.

um aumento no índice de queima de

poste, considerando o efeito de descargas

poste

através

apresenta

da

um

ferragem

do

comportamento A Figura 3 ilustra exemplos de falhas

Constatou-se

também


Aula Prática

48

O Setor Elétrico / Junho de 2017

atmosféricas através da armadura.

da massa de concreto especificada pela

3 – Pesquisar dispositivos que permitam

CPFL para fabricação de postes de rede de

a medição do aterramento realizado pelo

distribuição é a classe III de agressividade

poste autoaterrado, em áreas urbanas e

ambiental definida na NBR 12655. Nesta

rurais, sem necessidade de desinterligação

condição

do terra para medições, além de viabilizar

apresentar 300 kg/m³ de cimento (mínimo)

fácil acesso ao eletricista sem necessidade

e fck característico do concreto de 30 MPa

de subir em escadas ao nível da rede

(mínimo).

secundária.

4 – Avaliar o desempenho em instalações

autoaterrado e a Figura 5 o conector em

pilotos na rede de distribuição da CPFL e

aço inox.

o

concreto

utilizado

deve

A Figura 4 ilustra a topologia do poste

definir metodologia para aplicação na rede

para

certificação

interesse em conseguir uma composição do concreto o mais resistente possível no sentido de minimizar o processo corrosivo e do ponto de vista do aterramento importa

conseguir

um

concreto

que

ofereça um caminho de baixa impedância, para que as correntes possam escoar mais facilmente da armadura para a terra, ou seja, um concreto de baixa resistividade

obter concretos de alta resistência e baixa resistividade.

6 – Testar a aplicação no processo

produtivo de fabricantes de postes para

A resistividade do concreto apresenta-se

como

homologação de fornecedores.

uma

propriedade

extremamente

sensível e muitos são os fatores que a influenciam. São importantes para a

O poste auto aterrado deve ser fabricado

resistividade do concreto aqueles fatores

e inspecionado conforme a norma NBR

que estão diretamente ligados à sua

8451 – partes 1 a 4 e a especificação técnica

composição, como a relação água/cimento,

CPFL GED 16409/2015, atentando-se para

o consumo de cimento utilizado, o tipo de

as particularidades:

Do ponto de vista estrutural, há

possam parecer contraditórios, é possível

do

produto.

melhor as condições de aterramento.

para alguns estudiosos estes dois objetivos

5 – Realizar ensaios mecânicos e elétricos laboratórios

concreto, de modo a poder controlar

ou alta condutibilidade elétrica. Embora

de distribuição da concessionária. em

49

O Setor Elétrico / Junho de 2017

cimento, o tipo de agregado e os aditivos.

São utilizados 2 conectores de ater­

Para a realização de ensaios de resistividade

ramento vergalhão-terra embutidos no

do concreto, foram moldados corpos de

poste sendo um superior para interligação Figura 4 - Poste autoaterrado CPFL.

dos condutores de aterramento e um inferior acima da linha de engastamento do

prova (CPs) prismáticos (10x10x17 cm), conforme mostra a Figura 6.

poste para medições de aterramento. O componente de conexão à terra é um grampo prisioneiro em forma de Z, apropriado para fixação mecânica no vergalhão de ferro da armação do poste de concreto e com ponto para acesso na face externa do poste (Figura 5). São fabricados em chapa de aço inox 316 L ou em duralumínio revestido com níquel e estanho. O

aço

longitudinal

da

armadura

Figura 5 – Conector de aterramento em aço inox. Figura 6 - Corpos de prova para ensaios de resistividade.

do poste é utilizado como eletrodo de aterramento. O vergalhão mestre onde são posicionados os conectores de aterramento

Resistividade do concreto e o concreto condutivo

As medidas foram feitas com terrômetro

de quatro terminais pelo método de

não pode ter emendas e deve possuir

Wenner, conforme visto na Figura 7.

diâmetro mínimo de 8mm.

Abaixo da linha de engastamento

do aterramento estrutural que o concreto é

No período de cura do concreto

do poste o concreto seco deve possuir

elemento suficientemente condutor para

(cura seca) verifica-se um aumento na

resistividade elétrica aparente menor ou

que se escoem para a terra as correntes

resistividade do concreto ao longo do

igual a 20 Ohm.m considerando-se o uso

de descarga. Sendo assim, convém que se

tempo em função da perda de umidade

de concreto de base condutiva.

tenha um conhecimento mais detalhado

superficial e perda de água da mistura na

A dosagem e controle tecnológico

das propriedades físicas e químicas do

reação do concreto. Após 28 dias de cura

De fato, está implícito em toda a filosofia


50

Aula Prática

O Setor Elétrico / Junho de 2017

de

Figura 7 - Ensaio de resistividade do concreto.

Concreto condutivo é um composto cimento

agregados

obtido a partir da destilação das misturas

capazes

de carvões minerais coqueificantes em

de melhorar a condutibilidade elétrica

fornos especiais. É um material sólido de

do concreto sem afetar a qualidade do

diversas granulometrias.

composto endurecido quanto à penetração

de contaminantes e a sua resistência

resistividade elétrica cinco a nove vezes

mecânica

concreto

menor comparada com a resistividade do

condutivo desenvolvido no projeto é

concreto convencional, como pode ser

uma massa onde os agregados de alta

observado no gráfico da Figura 9.

à

com

compressão.

O

O concreto condutivo apresentou uma

resistividade elétrica como a brita e a areia foram substituídos total ou parcialmente

Testes de certificação

seca, os CPs foram umedecidos durante

por agregados condutivos tais como o

Foram

um minuto e os testes demonstraram

carvão coque, o sulfato de cobre ou o

que

grafite dentre outros.

a

umidade

superficial

contribuiu

51

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Figura 10 - Ensaio de tensão suportável de impulso atmosférico.

duas séries - com polaridade positiva e

impulso até 60 KV, evidenciando melhor

seguintes ensaios para certificação do

polaridade negativa.

desempenho e maior confiabilidade deste

produto:

• Deverão ser aplicados cinco impulsos de

modelo de poste autoaterrado.

realizados

e

aprovados

os

decididamente para reduzir a resistividade

Em função dos custos menores e de

do concreto. O gráfico da Figura 8 mostra

suas características físico-químicas com

1 – Ensaio de curto-circuito e aquecimento

polaridade negativa com resistor de cerca

Instalações-piloto

a evolução dos valores da resistividade ao

baixa presença de enxofre, a massa de

das conexões, conforme a ABNT NBR

de 100 Ohm em série.

longo dos dias de teste para quatro tipos

concreto condutivo foi feita substituindo-se

5370 - Conectores de cobre para ligações

de formulações de concreto (duas amostras

integralmente

aéreas de condutores elétricos em sistemas

A Figura 10 ilustra o setup para

por postes autoaterrados, em cinco regiões

cada).

metalúrgico fino. O coque metalúrgico é

elétricos de potência.

ensaio do poste e a execução do teste no

da CPFL no Estado de São Paulo (Valinhos,

2 – Ensaio de névoa salina nos conectores

laboratório de alta tensão.

Campinas, Pradópolis, São Carlos e Bofete),

conforme a ABNT NBR 8094 – Material

Todos

postes

com grande incidência de raios, solo com

metálico revestido e não revestido -

autoaterrados testados apresentaram baixa

alta resistividade e alto índice de queima

Corrosão por exposição a névoa salina.

impedância frente às tensões de impulso

de transformadores, tanto em área urbana

3 – Ensaio de tensão suportável de impulso

de alta frequência. Os postes autoaterrados

como área rural.

atmosférico conforme a ABNT NBR IEC

com

60060-1: 2013 - Técnicas de ensaios

apresentaram impedância relativamente

postes com aterramento (transformador

elétricos de alta tensão - Definições gerais

menor que os postes autoaterrados com

e final de rede) e os postes adjacentes

e requisitos de ensaio.

base de concreto convencional, em função

ao transformador na área urbana, e

4 – Ensaios mecânicos do poste conforme a

da menor resistividade elétrica do concreto

substituição do poste do transformador e

norma ABNT NBR 8451-1:2011.

condutivo.

dois postes adjacentes na área rural.

a

brita

por

coque

tensão com o mesmo valor de crista com

substituição de 156 postes convencionais

Figura 9 - Resistividade elétrica do concreto convencional versus condutivo.

os

base

Todos Figura 8 - Resistividade elétrica do concreto convencional.

Foram realizadas instalações-piloto com

modelos

de

os

de

concreto

modelos

condutivo

de

postes

Visando

garantir

a

confiabilidade

da instalação também foram previstas

autoaterrados,

durante

os resultados dos ensaios de tensão

de

impulso

KV,

a substituição dos para-raios de média

suportável de impulso atmosférico no poste

comportaram-se satisfatoriamente para as

tensão existentes por novos e a instalação

autoaterrado realizado em laboratório de

correntes descarregadas para terra. Não

de para-raios de baixa tensão em cada

alta tensão definido como a seguir:

foram observados danos nos postes.

posto de transformação. A Figura 11

mostra a execução de uma instalação.

Dentre os ensaios acima, destacam-se

tensão

de

aplicações

O critério utilizado foi a substituição dos

de

20

Nas aplicações de tensão de impulso

• Ensaio: tensão suportável de impulso

de 40 kV e 60 kV nos postes autoaterrados

atmosférico

de concreto convencional, observou-se

• Tipo de onda: normalizada 1,2/50

a perfuração do concreto no ponto da

microssegundos.

descarga disruptiva com a fita metálica,

• Amplitude da tensão: lote 1: 20 kV e 40

tanto com a resistência de aterramento

kV; lote 2: 30 kV e 60 kV.

ideal do laboratório (< 1 Ohm), como com

• A aplicação do impulso deverá ser feita

a resistência de aterramento acrescida do

no conector superior do poste (interligado

resistor de 115 Ohm.

com a ferragem interna) e a medição deve

Nos postes autoaterrados circular e

ser feita na base do poste através de fita

duplo T com a base de concreto condutivo

metálica envolvente no concreto e aterrada.

não foram observados quaisquer danos

• Deverão ser aplicados cinco impulsos de

(perfurações) no concreto, decorrentes

tensão com o mesmo valor de crista em

das descargas disruptivas com tensão de

Figura 11 - Instalação em Valinhos (SP).


52

Aula Prática

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Figura 12 – Medições de aterramento (valores em Ohms).

Foram

de

do que o valor do próprio solo onde está

aterramento dos transformadores e finais de

sendo construído o sistema de aterramento.

circuito antes da substituição dos postes e

A utilização do concreto condutivo na base do

medições de aterramento de todos os postes

poste contribui para a redução da resistência

autoaterrados após a instalação para efeito

de terra, com consequente diminuição das

de comparação. Os resultados obtidos são

diferenças de potencial de toque e de passo.

apresentados na Figura 12.

Depois

realizadas

da

as

instalação

medições

dos

O poste de rede autoaterrado garante por

postes

si só o aterramento, eliminando totalmente

autoaterrados, desprezando-se os resultados

a possibilidade de danos mecânicos na

fora da média e do desvio padrão, verificou-se

instalação em áreas rurais e estradas de terra.

uma redução média no valor da resistência de

Também simplifica a instalação em áreas

aterramento das instalações de 81,8%.

urbanas eliminando a necessidade de quebra de pisos e calçadas.

Conclusões

Considera-se também que um sistema

de aterramento tradicional com haste de O aterramento estrutural tem se mostrado

cantoneira de aço galvanizado tem uma vida

um eficiente recurso para a dissipação de

útil esperada de oito anos ao passo que

correntes de surtos. As normas internacionais

o poste com aterramento integrado com

têm recolhido critérios e experimentos que

a ferragem da armação tem uma vida útil

mostram uma confiabilidade razoável para

esperada de, pelo menos, 30 anos.

essa técnica, desde que se observem os

Além de aumentar segurança e a

cuidados básicos de projeto e execução,

confiabilidade da instalação o poste autoater­

e o Brasil, seguindo a tendência mundial,

rado, diminui custos de manutenção e

recomenda e estabelece critérios de utilização

contribui para diminuir o índice de queima de

do aterramento estrutural nas normas ABNT

transformadores da rede de distribuição.

NBR 5410:2004 e ABNT NBR 5419:2005.

A vantagem da utilização das armaduras

de concreto como terra é que o mesmo fica sob o nível do solo, mantendo sempre certo grau de umidade, assim seu valor de APOIOresistividade é baixo, comumente muito menor

Referências [1] Bezerra, S. R. C. - Avaliação de sistemas de aterramento considerando a utilização de condutores e hastes envolvidos em concreto. 2011. Dissertação de Mestrado em Ciências – Programa de Pós-Graduação em Energia da

Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. [2] Souza, J. C. N. - Modelagem de redes aéreas com retorno por terra em sistemas de distribuição de energia elétrica para analises de falta de alta impedância. Dissertação (Mestrado), Universidade do Maranhão, Maranhão, 2006. [3] Affonso, O. - Simulação do aterramento no sistema MRT. Dissertação (Mestrado) - Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001. [4] Vicente O., Estudo sobre o Comportamento Elétrico do Concreto utilizado em Sistemas de Aterramento Estrutural, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica da Universidade Estadual de Londrina, Mestrado em Engenharia Elétrica, Londrina, 2010. [5] De Souza, K. T.; Moura, R. F; Cintra, G. - Aterramento, Escola Técnica Federal de Palmas, I Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte Nordeste de Educação Tecnológica João Pessoa - PB – 2007. [6] Raizer A., Steinbch, V., Coelho V. L. e Valente JR, W. (UFSC), Dias, G. A. D. (PUC-RS), Silveira J. L. (CEFET-SC), De Lima M. R. e Guimarães P. C. B. (CELESC), Almaguer, H. D. e Mustafá T. I. A. H. (FURB), - Avaliação da Influência da Resistência de Aterramento e Impedância de Surto na Operação do Sistema de Distribuição da Concessionária, 2007. [7] Conti A. de, Visacro S., A Simplified model to represent typical grounding configurations applied in medium-voltage and low voltage distribuition lines. International Symposium On Lightning Protection, Foz do Iguaçu, 2007. [8] Gomes G. L., Sistema de aterramento e proteção contra raios utilizando ferragens do concreto armado. Encontro Nacional de Instalações Elétricas, São Paulo, ENIE 2006. [9] Marshall, W. - Earth Bonding of Reinforcing Cages on Older Concrete Poles: Part 2, LineTech Consulting Ltd, EEA Conference and Exhibition 2009, Christchurch – Nova Zelandia, 2009. [10] Jeff Roberts J., Altuve H. J. e Hou D., Análise dos Métodos de Proteção contra faltas à terra nos Sistemas da Distribuição aterrados, não aterrados e compensados, Schweitzer Engineering Laboratories, Inc., Pullman, WA USA, 2013. [11] Ferreira B. E. M., Cannabrava A. C. A. e Pasqua L. P. - Testes de Resistividade do Concreto - Relatório Técnico - P&D – Estruturas de Redes de Distribuição com aterramento integrado com a ferragem interna – Poste Autoaterrado para Redes Urbanas e Rurais – Cabeça de Série – CPFL – 2012. [12] Ferreira B. E. M.; Pasqua, L. P., Cannabrava, A. C. A., Pirotello, A. L – Aterramento da Distribuição - Relatório do Estado da Arte - P&D –Estruturas de Redes de Distribuição com aterramento integrado com a ferragem interna – Poste Autoaterrado para Redes Urbanas e Rurais – Cabeça de Série – CPFL – 2012. [13] NBR 14039 - Instalações elétricas de média tensão de 1,0 kV a 36,2 kV – 2005. [14] CPFL GED 16409 – Especificação Técnica Poste autoaterrado, 2015. * Benedito Edmundo Moura Ferreira é engenheiro eletricista e engenheiro do trabalho com diversos cursos de especialização na área da engenharia elétrica. Trabalha no segmento de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias e materiais para sistemas de distribuição e transmissão e ministra cursos de especialização na área. É sócio proprietário da Matos Ferreira Engenharia e Serviços Ltda. Levi Pereira Pasqua é técnico eletrotécnico e possui licenciatura em Matemática. Trabalha no segmento de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias e materiais para sistemas de Distribuição e Transmissão e ministra cursos de formação e complementação técnica de eletricistas de empresas de energia elétrica. É colaborador da Matos Ferreira Engenharia e Serviços Ltda. Antonio Carlos Almeida Cannabrava é formado pelo Inatel - Instituto Nacional de Telecomunicações de Santa Rita do Sapucaí e possui MBA em Gestão de Ativos – Modalidade Extensão Universitária com formação pela UNICAMP e CPDEC (Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Educação Continuada). É engenheiro sênior na CPFL Energia. Desde 2007 atua na área de Normas/Padrões e Manutenção da Diretoria de Engenharia da CPFL Energia.

Renováveis ENERGIAS COMPLEMENTARES

Ano 1 - Edição 12 / Junho de 2017

Energia solar em sistema isolado Implanação de geração solar fotovoltaica em uma comunidade na Amazônia APOIO


Solar

54

Artigo

Artigo

Solar

Por Carlos Fontinelle, Elton da Silva, Marco Silva, Rosalice Mello, Telma Lopes, Davi Brasil e Petrus Júnior*

Desenvolvimento da energia solar fotovoltaica no Brasil

telhados e fachadas de edifícios residenciais,

se ela sobe, a habitação acompanha esse

centralizados. Nesta modalidade, grandes

movimento, o mesmo ocorrendo quando

respectiva energia solar fotovoltaica gerada

centrais de geração são contratadas para

chega a vazante, fenômeno chamado de

no Brasil no período de 2014 a 2024 são

atender à demanda energética nacional. A

ciclos das marés. Além disso, não são

apresentadas na Figura 1.

Figura 3 apresenta o número de instalação de

somente as habitações que são flutuantes,

sistemas fotovoltaicos em geração distribuída

comunidades inteiras possuem essas

1, a estimativa de energia solar fotovoltaica

no Brasil. Verifica-se que no período de 2014

características, com igrejas, escolas,

gerada para a matriz energética brasileira

a 2015, as instalações passaram de 332

restaurantes, feiras, tudo sobre troncos

pode alcançar 1.319 MWp. Estima-se,

para 1604, ou seja, um aumento de 383%.

gigantes flutuando no rio”.

ainda, que em 2018 o Brasil deve estar

No período de 2015 a junho de 2016, essa

entre os 20 países com maior geração deste

capacidade aumentou para 3.811, o que

elétrica às famílias da Comunidade do

tipo de energia, caso levado a contento o

representa um aumento de 138%. E em

Catalão por conta de inúmeras interrupções

investimento nesta modalidade de energia.

janeiro de 2017, a Agência Nacional de

ocasionadas por quedas de árvores e

Este setor de energia deve movimentar cerca

Energia Elétrica (Aneel) registrou 7.528

galhos, a interrupção constante de energia

de R$ 100 bilhões e abastecer 2,7 milhões

conexões. Em termos de potência instalada, a

que abastece o Município de Iranduba, a

de pessoas com sistema fotovoltaico. A

energia gerada pelo sol totaliza uma potência

necessidade de criar infraestrutura adequada

capacidade que, em 2016, foi de 23MW

instalada de 57.606 KW.

para distribuição de energia elétrica às

(0,02% da matriz energética brasileira) deve

unidades consumidoras por meio de cabos

alcançar 7.000 MW (3% da matriz energética

interligados aos postes são fatores que

brasileira) em 2024, com aumento estimado

justificaram a elaboração desse trabalho.

de 104,4% ao ano durante este período.

os objetivos específicos foi a realização de

flutuante se adequa automaticamente às constantes cheias e vazantes do rio, indo de acordo com o ritmo das águas:

sistema solar fotovoltaico na Amazônia com área geográfica de 1.559.159,148 km²,

Catalão”, faz parte do município de Iranduba e

intimamente relacionado à energia elétrica.

população de 4.001.667 habitantes, 2,57

está localizada a 25 km de Manaus, no lago do

Comunidades situadas em localidades

hab/m² e que enfrenta enormes dificuldades

Catalão, por via fluvial.

remotas que apresentam dificuldades de

de acesso à energia elétrica por parte da

acesso à rede de energia elétrica e, mesmo

sua população interiorana, devido ao seu

flutuantes são feitas em madeira com

aquelas que possuem acesso, sofrem

isolamento em relação a sua capital, a cidade

poucas divisões internas e suspensas por

com a precariedade de manutenção dessa

de Manaus.

grandes troncos de madeira que permitem

rede. Os moradores dessas comunidades

a flutuação das mesmas, as habitações são

dependem da energia elétrica para satisfazer

a 27 km de Manaus, compõe a região

suas necessidades e melhorar o Índice de

metropolitana, situado à margem esquerda

força do rio não as carregue conforme sua

Desenvolvimento Humano (IDH) do município.

do rio Solimões. A comunidade em estudo

correnteza. Essa é uma alternativa muito

é conhecida como “Cidade Flutuante do

funcional para a região, pois a habitação

O desenvolvimento humano atual está

O Amazonas é o maior Estado do Brasil

O município de Iranduba, localizado

De acordo com [3]: “as casas

presas por cordas em árvores para que a

O fornecimento inadequado de energia

As constantes quedas de energia

A evolução da capacidade instalada e a

Observa-se que, conforme mostra a Figura

O setor de energia solar fotovoltaica no

comerciais, industriais e públicos. A geração centralizada ganha impulso a partir de leilões

Materiais e métodos A metodologia utilizada para alcançar

causam danos econômicos, financeiros e

Brasil foi impulsionado a partir de 2012,

uma visita na “Cidade Flutuante do Catalão”

sociais aos moradores e comerciantes pelas

quando a Aneel publicou a RN 482/2012, que

no dia 23 de outubro de 2016 para efetuar

perdas de gêneros alimentícios e avaria dos

regulamentou a conexão e a compensação de

um levantamento de campo. Quatro etapas

eletrodomésticos. Existe, ainda, o prejuízo no

geradores distribuídos. A partir daí esse setor

nortearam o desenvolvimento deste trabalho.

que tange à educação com a interrupção de

energético vem se destacando dentro de dois

aulas na única escola da comunidade.

grandes segmentos: a geração distribuída e a

Etapa 1 – Revisão bibliográfica

geração centralizada.

inesgotável e não agride o meio ambiente, é

bibliográfica por meio de normas técnicas

ideal para localidades que têm dificuldades de

de sistemas solares fotovoltaicos em

A energia solar, além de ser limpa,

A geração distribuída abrange a instalação

Nesta etapa foi realizada a revisão

vigentes, a saber:

acesso à energia elétrica convencional como é o caso da Comunidade do Catalão, que possui fornecimento precário de energia elétrica pela concessionária, sofre com a dificuldade de manutenção na rede de energia elétrica e com o deslocamento constante dos flutuantes devido à enchente e à vazante do rio.

Este tipo de energia requer um baixo

custo de manutenção, além de ser totalmente modular, ou seja, o sistema gerador fotovoltaico pode ser projetado de acordo com a demanda e a necessidade do cliente, de forma a facilitar a instalação e não comprometer todo o sistema, garantido assim maior confiabilidade. O presente trabalho tem por objetivo realizar uma avaliação técnico-econômica de implantação de um sistema fotovoltaico isolado (autônomo) na referida comunidade.

Figura 1 – Evolução de capacidade instalada e energia solar gerada. Fonte: EPE [11].

55


Solar

56

Artigo

Artigo

Solar

a) Norma Regulamentadora Nº 493, de

05 de julho de 2012 da Aneel: estabelece

levantados apresentados na Tabela 1,

(2). O Levantamento de Carga (LC) corresponde

os procedimentos e as condições de

verificou-se que os meses de janeiro e maio

ao somatório das potências nominais de todos

fornecimento por meio de Microssistema

apresentam os menores níveis de irradiação

os aparelhos elétricos em uma instalação

Isolado de Geração e Distribuição de Energia

solar diária média mensal considerando o

elétrica, conforme a Equação (1):

Elétrica (MIGDI) ou Sistema Individual de

plano horizontal como referência. Para o

Geração de Energia Elétrica com Fonte

plano inclinado igual à latitude temos que o

Intermitente (SIGFI) [6];

mês de janeiro é o mês mais crítico, sendo

b) ABNT NBR 5410: estipula as condições

HSP = 4,38 kWh/m².dia. A grandeza HSP

adequadas para o funcionamento usual e

(Horas de Sol Pleno) corresponde ao valor

seguro das instalações elétricas, ou seja,

acumulado de energia solar ao longo de um

até 1.000 V em tensão alternada e 1.500 V

dia. O programa fornece também os dados

em tensão contínua. Esta norma é aplicada

de irradiação solar no plano horizontal para

principalmente em instalações residenciais e

localidades próximas para os doze meses do

prediais [13];

ano, conforme a Figura 4.

c) NR 10: esta Norma Regulamentadora (NR) fixa as condições mínimas exigíveis para

Figura 2 – Vista panorâmica da Comunidade. Fonte: Autores, (2016).

De acordo com os dados de irradiação

57

comunidade foram utilizadas as Equações (1) e

(1) Em que: LC: Levantamento de carga [kW]; Pe: potência nominal do aparelho elétrico [W].

O Consumo Médio Diário (CMD)

corresponde ao somatório da energia consumida diariamente por cada aparelho de

Com a utilização de GPS, foi verificado

uma instalação elétrica, conforme Equação (2):

que a comunidade está na latitude 4º sul,

garantir a segurança dos empregados que

portanto, a inclinação que melhor se adequa

trabalham em instalações elétricas, em suas

a inclinação do arranjo fotovoltaico é de 10º

diversas etapas, incluindo projeto, execução,

na direção norte, conforme a Figura 5. Este

Em que:

operação, manutenção, reforma e ampliação

aumento de ângulo é para que não haja sobre

CMD: consumo médio diário [W/d];

e, ainda, a segurança de usuários e terceiros.

os painéis o acúmulo de corpo estranho que

Pe: potência nominal do equipamento [W];

(2)

venha comprometer a potência do gerador

Nmd: número médio de horas diárias de

Etapa 2 – Levantamento de dados

fotovoltaico.

utilização do equipamento [W/d];

ηinv : eficiência do inversor [%];

Durante o levantamento de campo,

Para realizar o levantamento de carga

e consumo de uma residência típica da

foram coletados os dados necessários

ηbat : eficiência global da bateria [%].

para a elaboração do projeto do sistema fotovoltaico, tais como: localização geográfica da comunidade, levantamento de carga e consumo energético de uma residência típica e quantificação da radiação solar global incidente. Verificou-se que a comunidade é composta por 106 casas com 110 famílias. Para o levantamento de dados da localização

Figura 3 – Residência típica da comunidade. Fonte: Autores, (2016).

geográfica da Comunidade do Catalão foi

utilizado um GPS. As coordenadas geográficas

comunidade que apresenta cobertura adequada

médias mensais para os doze meses do

dessa localidade são: 03° 09’ 32,47” S e 59°

para instalação de um sistema fotovoltaico.

ano coletadas pela Estação Meteorológica

54’ 47,36” W.

de Superfície (EMS), localizada na cidade

da localidade foi utilizado o programa

de Manaus, que está distante 3,7 km da

solarimétrico SunData. A Tabela 1 apresenta

Comunidade do Catalão.

A Figura 2 apresenta uma vista

panorâmica da Comunidade do Catalão.

A Figura 3 apresenta uma residência típica da

Para levantamento da irradiação solar

os dados contendo as insolações diárias Figura 4 – Irradiação solar no plano horizontal para localidades próximas. Fonte: Adaptado de [16].

Linha perpendicular à superfície do painel

Tabela 1 – Recurso solar disponível

Cálculo no Plano Inclinado Estação: Manaus

Município: Manaus, AM-BRA

Latitude: 3,1019º S

Longitude: 60,025º O

β

Distância do ponto de referência: (3,08º S; 60º O);: 3,7 km

γs

Irradiação solar diária - média mensal [kWh/m2, dia]

Inclinação

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Nov

Dez

Média Delta

þ Plano Horizontal

0º N

4,45

4,51

4,52

4,50

4,44

4,73

5,12

5,64

5,64

5,48

5,26

4,79

4,92

1,20

þ Ângulo igual a latitude

3º N

4,38

4,47

4,51

4,54

4,52

4,84

5,24

5,72

5,66

5,44

5,17

4,70

4,93

1,35

þ Maior média anual

4º N

4,35

4,45

4,51

4,55

4,54

4,88

5,27

5,76

5,66

5,42

5,14

4,66

4,93

1,40

þ Maior mínimo mensal

0º N

4,45

4,51

4,50

4,50

4,44

4,73

5,12

5,64

5,64

5,48

5,26

4,79

4,92

1,20

# Ângulo

∝ S

Linha paralela ao solo

N

Figura 5 – Ângulo de inclinação do módulo e ângulo de inclinação da incidência dos raios solares. Fonte: Autores, (2016).


Solar

58

Artigo

Para dimensionamento inicial do

Solar

Tabela 2 – Levantamento de carga e consumo

projeto, foi considerado o valor do consumo médio de energia dos aparelhos eletrodomésticos levando-se em consideração quantas horas por dia ele é utilizado.

Artigo

Vale ressaltar que este valor é

estimado, pois o uso do aparelho pode variar de um dia para outro ou pode ser diferente de acordo com a pessoa que o utiliza. Alguns desses dados foram consultados e obtidos no site do Programa Nacional de Conservação de Energia

Item

Aparelho

01

Lâmpada

(w)

0,9

8

0,9

5

90

1

TV LED 20"

02

Tabela 4 – Dimensionamento do Banco de baterias

Eficiência 0,85 0,85

de descarga (Wh)

(A.h)

(V)

588,24

50

42.428

1728

24

baterias do banco 16

240

BAT. Série BAT. Paralelo Total

Geladeira 300L

1

200

10

0,9

0,85

2614,38

Ventilador

2

65

8

0,9

0,85

1359,48

493/2012

Máquina de

1

1500

2

0,9

0,85

3921,57

2

8

16

Tabela 5 – Dimensionamento do controlador de carga

lavar roupas 0,9

1

1000

1

Ferro de

0,85

1307,19

0,9

4

20

1

Aparelho de som

0,85

2884

Total

Voc

Isc

Painéis

Painéis

em série

em paralelo

104,58

Qtd

Qtd

(V)

(A)

10,606

3

4

38,1

8,98

passar roupas

Elétrica (Procel), ligado ao Ministério de

(A.h)

(%)

2

04

07

nominal

(Dias)

03

06

do banco

711,11

RN

05

Quantidade de

Autonomia Profundidade Capacidade Capacidade Tensão Capacidade

Consumo

(h/dia) do inversor das baterias (wh/dia)

8,5

8

Eficiência

Uso

Quantidade Potência

59

P - Entrada

Corrente Nominal

(A)

(W)

(A)

26,94

646,56

40

I - Entrada

Minas e Energia (MME). A Tabela 2 resume o levantamento de carga efetuado e o

Em que:

consumo calculado.

NPFV: Número de painéis fotovoltaicos [painéis];

Etapa 3 – Dimensionamento e

PPFV: Potência do Painel Fotovoltaico

especificação

[Wp].

Em que: NBS: Número de baterias ligadas em série; Vbat: Tensão da bateria utilizada [V];

Dimensionamento do banco de baterias a) Capacidades de carga do banco de

catálogos de fabricantes para obtenção

baterias

(W)

2.884

3.000

A Tabela 7 apresenta o custo estimado do projeto. Tabela 7 – Orçamento do projeto

Cbat: Capacidade de carga de cada bateria Item

[Ah].

Material

Qtd Capacidade

Dimensionamento do controlador de carga

sites de fornecedores para cotação de

(5)

preços (orçamento).

(10)

As equações (3) a (11) calculam (6)

os componentes principais (módulos

Em que:

fotovoltaicos, baterias, controlador de carga e inversor) que compõem o sistema

CG: Corrente máxima do controlador de carga [A];

(7)

paralelo;

Em que:

Fotovoltaico (GFV)

PGFV: Potência do Gerador Fotovoltaico [Wp]; HSP: Hora de Sol Pleno no Plano do Painel Fotovoltaico [h/d].

(4)

Frete

2

Bateria Estacinária

16

240Ah

3

Controlador de carga

1

45A

R$ 999,00

R$ 999,00

R$ 999,00

4

Inversor

1

3000W

R$2.500,00

R$2.500,00

R$2.500,00

5

Materiais diversos

1

-

R$ 500,00

R$ 500,00

R$ 500,00

6

Instalação

1

-

R$ 3.000,00

R$ 3.000,00

R$ 3.000,00

bateria;

(11)

fe: fator de envelhecimento da bateria; CBI: Capacidade do banco de baterias [Ah];

VBB: Tensão do banco de baterias [V].

do dimensionamento do gerador fotovoltaico,

As Tabelas 3 a 6 apresentam o resultado

banco de baterias, controlador de carga e b) Número de baterias em série e em paralelo

inversor, respectivamente.

Consumo

HSP

Potência do

Potência nominal

Quantidade

(Wh/dia)

(kWh/m , dia)

GFV (Wp)

do módulo (Wp)

de módulos

10606

4,4

3013

260

12

2

R$ 1.099,00 R$ 17.584,00 R$ 17.584,00

R$ 34.411,00

A Figura 6 apresenta o diagrama de blocos do projeto do Sistema Fotovoltaico Isolado (SFI)

Tabela 3 – Dimensionamento do GV

b) Número de painéis fotovoltaicos

R$ 9.828,00

260W

ft: fator de temperatura da bateria;

Em que:

R$ 9.828,00

12

Dimensionamento do inversor

PDmax: Máxima profundidade de descarga da

R$ 819,00

Módulo Solar

dimensionado para uma residência típica da Comunidade do Catalão.

fotovoltaico utilizado [A].

N: Número de dias de autonomia;

(3)

Preço com

Total

Isc: Corrente de curto-circuito do painel

CB: Capacidade do banco de baterias [Wh];

a) Potência do GFV

Preço Total

1

NPP: Número de painéis fotovoltaicos em

fotovoltaico projetado. Dimensionamento de Gerador

Preço Unitário

de especificações técnicas e consulta em

Potência do inversor

(W)

NBP: Número de baterias ligadas em paralelo;

equipamentos que compõem o projeto do sistema fotovoltaico, pesquisas em

Carga Instalada (9)

Nesta etapa, foi realizado o

dimensionamento de materiais e

Tabela 6 – Dimensionamento do inversor

(8)

Figura 6 – Projeto de SFI. Fonte: Autores (2016).


Solar

60

Características do sistema projetado Painel fotovoltaico a) Tipo: silício policristalino; b) Quantidade células: 60 (6x10); c) Potência nominal unitária: 260 Wp. Banco de baterias a) Capacidade unitária da bateria: 240 A.h; b) Tipo de bateria: chumbo ácido estacionária; c) Profundidade máxima de descarga da bateria: 50%; d) Eficiência da bateria: 85%; d) Tensão de alimentação do banco: 24V.

Artigo c) Os moradores possuem, em sua maioria,

elétricas das moradias. O ideal seria postes de

os seguintes eletrodomésticos: lâmpadas

madeira.

fluorescentes, televisão, ventilador, máquina

de lavar roupas, geladeira, aparelho de som e

8, que a cabeação elétrica que interliga os

ferro elétrico;

postes às residências fica lançada e exposta

d) As instalações elétricas dos postes até

na superfície do solo. O ideal que esses cabos

as residências não obedecem às normas

elétricos ficassem enterrados no solo. Isso

técnicas vigentes no tocante à prevenção de

evitaria o risco de choques elétricos.

riscos de acidentes por choques elétricos e por

descargas elétricas.

improvisada para subir no poste, que já está

Pode-se observar, por meio da Figura

Na Figura 9, pode-se observar uma escada

comprometido devido à ação de cupins. Não é

A Figura 7 apresenta suporte de madeira

aconselhável realizar os trabalhos em altura por

inadequado para sustentação dos cabos

conta das condições inseguras e precárias desse

elétricos que faz parte das instalações

poste e da proximidade à rede de energia elétrica.

Controlador de carga a) Corrente nominal: 40 A; b) Possui o recurso do MPPT. Inversor a) Potência nominal de saída: 3 kW; b) Eficiência: 90%.

O MPPT (Maximum Power Point Tracking –

Rastreamento do Ponto de Máxima Potência) é um recurso do controlador de carga que tem a função de maximizar a produção de energia do painel fotovoltaico, proporcionando o maior rendimento possível do sistema.

No projeto proposto, para o cálculo da

energia produzida pelos painéis fotovoltaicos,

Figura 7 – Forquilha de madeira que sustenta a cabeação elétrica. Fonte: Autores, (2016).

foi usado o método da insolação. Para este tipo de método, deve ser usado um controlador de carga com recurso de MPPT.

A tensão de alimentação da instalação dos

aparelhos eletrodomésticos é de 127 Vca. Etapa 4 – Análise dos dados

Nesta última etapa, foi realizada a análise

da viabilidade técnica e econômica do projeto.

Resultados e discussões

Durante a visita de campo, foram

evidenciadas as seguintes características da Comunidade do Catalão: a) As casas são de madeira, possuem poucos cômodos e foram construídas sobre toras de madeira flutuantes de açacu; b) O açacu dura décadas;

Figura 8 – Cabeação elétrica lançada no solo. Fonte: Autores, (2016).

Figura 9 – Escada improvisada para subir no poste. Fonte: Autores, (2016).


Solar

62

Artigo

Análise técnica do projeto

Artigo

Solar

No projeto, foi indicada a bateria de chumbo

para Todos, do Governo Federal, torna-se mais

alcançado de acordo com o método proposto.

Isolado de Geração e Distribuição de Energia

[17] Programa de Conservação de Energia

ácido estacionária com eletrólito líquido, pois

caro e agride o meio ambiente com abertura de

Elétrica de Usina Fotovoltaica com Simulação

Elétrica – PROCEL INFO [18] Villalva, M.; Gazoli, J. Energia Solar

Neste contexto, a utilização de energia

este tipo é muito difundido no mercado devido

ramais e com a sua manutenção deficitária.

solar fotovoltaica na referida Comunidade

Computacional. 2015. 77p.

da Comunidade do Catalão foi usada uma

ao seu custo reduzido e é o mais empregado

mostrou-se técnica e economicamente viável,

[6] AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA.

Fotovoltaica: Conceitos e Aplicações. São Paulo:

EMS da cidade de Manaus, pois o programa

nos sistemas fotovoltaicos autônomos. O

12/12/2012, a concessionária Amazonas

o que reduziria os impactos ambientais e os

Resolução Normativa 493

Érica, 2012.

valores das faturas de energia elétrica dos

[7] AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA.

[19] Guascor Solar do Brasil - <http://www.

consumidores locais.

Resolução Normativa 482

guascor.com.br>

[8] AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA.

[20] AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA –

Referências

Resolução Normativa 687

www.aneel.gov.br

[1] INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E

[10] IEA – International Energy Agency.

ESTATÍSTICA. Disponível em: <http: //www.ibge.

Technology Roadmap: Solar Photovoltaic Energy.

gov.br. Levantamento divulgado em 28 de agosto

[11] EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA. Plano

de 2015.

Decenal de Energia – PDE 2024 [12] MINISTÉRIO

[2] INSTITUTO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO

DAS MINAS E ENERGIA. Disponível em: http://

AMAZONAS

www.mme.gov.br

[3] Espaço Viva Mais – www.espacovivamais.

[13] ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS

com.br.

TÉCNICAS. NBR 5410: Instalações elétricas de

[4] Pinho, João Tavares (Org.); Galdino, Marco

baixa tensão. Rio de Janeiro:2004.

Antônio (Org.). Manual de Engenharia para

[14] MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO.

sistemas fotovoltaicos. 2. ed. rev. e aum. Rio de

NR-10: Segurança em instalações e serviços em

da Amazonia (Itegam).

Janeiro: [s.n.], 2014.

eletricidade. Portaria MTE 598/2004

Davi do Socorro Barros Brasil e Petrus

[5] Ramos, M.P. Dimensionamento e

[15] Google Maps.

Alcântara Junior são professores da

Especificação Técnica de Microssistema

[16] SUNDATA. Potencial Solar.

Universidade Federal do Pará (UFPA).

Durante o levantamento do recurso solar

SunData não localizou uma EMS na cidade

banco de baterias foi dimensionado para

Em sua Nota Técnica nº 032 de

Distribuidora de Energia S.A. propôs em sua

de Iranduba. Essa opção não compromete o

alimentar o consumo durante dois dias,

revisão do Plano de Universalização da área

levantamento de dados de insolação, pois a

caso não haja produção de energia em dias

rural do Amazonas, o atendimento a 90.643

EMS de Manaus fica a 3,7 km da Comunidade.

chuvosos ou nublados.

ligações, num montante de investimentos

A presença de uma bateria ou de um banco de

de R$ 3,7 bilhões, tendo como meta de

baterias num projeto de sistema fotovoltaico

custo do sistema fica elevado. Os fatores de

universalização o ano de 2021. Verifica-se

autônomo é necessária pelos seguintes

envelhecimento (fe) e temperatura (ft) das

que o valor do investimento do serviço elétrico

motivos:

baterias não foram considerados nos cálculos

tradicional dividido pela quantidade de

do projeto, pois encarecia demais o projeto.

ligações chega ao valor de R$ 40.819,47 por

a) Proporciona fornecimento constante de

residência, sendo superior aproximadamente

energia para o consumidor;

de insolação e a falta de energia elétrica dura,

18,62% (R$ 6.408,47) em relação ao valor

b) Evita desperdício de energia gerada

em média, dois dias, o dimensionamento

do projeto da Comunidade do Catalão, que

quando o consumo é baixo, permitindo seu

do banco de baterias atende à demanda da

é de R$ 34.411,00. Além disso, o sistema

armazenamento para uso posterior, nos

unidade consumidora.

de energia solar proporciona menor impacto

Para uma quantidade de dias maiores, o

Como a localidade possui boas condições

momentos em que houver pouca ou nenhuma radiação, como no período da noite e nos dias

ambiental e baixo custo de manutenção,

Análise econômica do projeto

nublados e chuvosos;

assim como possui uma vida útil dos painéis fotovoltaicos de aproximadamente 25 anos.

c) O banco de baterias é necessário

para estabilizar a tensão fornecida aos

se torna viável para esta comunidade por ser

por meio de parcelas mensais, ficando assim

equipamentos ou ao inversor eletrônico.

uma energia sustentável de menor impacto

um ganho de sete anos, sem levar em conta os

ambiental, limpa e de fácil manutenção.

acréscimos que poderão ocorrer na fatura de

Em qualquer projeto de sistema

Verificou-se que o custo da energia solar

Esse projeto pode ser pago em 18 anos

Segundo [19], “O sistema é de simples

energia elétrica convencional, aumentando a

fotovoltaico não é recomendável o uso

operação e baixo custo de manutenção, já

economia no referido período.

de baterias automotivas convencionais.

que não demanda grande quantidade de

Aplicações fotovoltaicas exigem o uso de

material. Praticamente, limita-se à troca de

mobilidade e a redução de acidentes durante

baterias estacionárias. O quadro 1 apresenta

baterias a cada três anos, além do prazo de

os períodos de cheias e vazantes do rio com a

as diferenças técnicas entre esses dois

garantia dos módulos solares ser entre 20 e

implantação desse sistema.

tipos de baterias referentes às aplicações

25 anos”. O custo de implantação do sistema

fotovoltaicas.

convencional de rede elétrica do Programa Luz

Quadro 1 – Diferenças técnicas entre as baterias estacionária e automotiva com ênfase em aplicações fotovoltaicas

Vale ressaltar, ainda, a praticidade, a

Conclusões

Verificou-se que é possível, conforme

os procedimentos e as condições de fornecimento de energia elétrica descritos na

Bateria Estacionária

Automotiva

Aplicações fotovoltaicas

Fornece corrente elétrica por

Fornece corrente elétrica por

Necessitam de corrente elétrica

períodos prolongados.

um curto período de tempo.

por períodos prolongados.

Possui descarga rápida.

Possui descarga lenta.

Necessitam de baterias com descarga lenta.

Possui taxa de descarga

Possui taxa de descarga

Necessitam de taxas de descargas

menor.

maior.

menores de baterias.

Possui capacidade de reserva Possui capacidade de reserva

Necessitam de baterias com

maior.

menor.

capacidade de reserva maior.

Pode suportar centenas de

Não suporta uma descarga

Necessitam de baterias que

ciclos de descarga e recarga.

completa.

suportem vários ciclos de descarga e recarga.

RN nº 493/2012, o projeto de um sistema fotovoltaico tipo SIGFI como alternativa para fornecimento de energia elétrica para localidades isoladas.

Para exemplificar o estudo de

viabilidade de implantação de energia solar na Comunidade do Catalão, no interior do Amazonas, optou-se por um projeto que contém o dimensionamento e as especificações técnicas de componentes de um SIGFI destinado ao atendimento de uma Unidade Consumidora (residência) dessa Comunidade e que teve o seu objetivo

[9] Portal Solar - http://www.portalsolar.com.br

*Carlos Gomes Fontinelle é engenheiro eletricista e professor do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM) e engenheiro eletricista da Infraero (Aeroporto Internacional de Manaus Eduardo Gomes). Elton de Jesus Correa da Silva, Marco Lourenço Silva, Rosalice Chaves Mello e Telma do Socorro da Silva Lopes são engenheiros do Instituto de Tecnologia Galileo

63


64

Pesquisa - Dispositivos elétricos de proteção, manobra e comando BT-MT

O Setor Elétrico / Junho de 2017

65

O Setor Elétrico / Junho de 2017

acreditavam em um crescimento modesto para 2016, de apenas 4%,

Entre os principais canais de vendas utilizados pelas

e de 2% para o mercado como um todo. Projetavam, naquela ocasião,

companhias

acrescentar 1% de novas contratações ao seu quando de colaboradores,

distribuidores/atacadistas, as revendas/varejistas e as vendas

projeção que se repete na pesquisa realizada neste ano.

diretas ao cliente final.

pesquisadas,

destacam-se,

nessa

ordem,

os

No levantamento publicado nas páginas a seguir, são ainda disponibilizadas informações como perfil das empresas consultadas,

principais

canais

de

vendas

Principais canais de vendas

empregados,

certificações conquistadas, produtos mais comercializados e opiniões a respeito de faturamento de mercados específicos deste setor de dispositivos de proteção, manobra e comando de baixa e média tensão. Confira.

Telemarketing

13% Internet

Números do mercado brasileiro de dispositivos elétricos

17%

Venda direta ao cliente final

A maior parcela das empresas pesquisadas apontou o

67%

segmento industrial como principal segmento de atuação, assim como já foi registrado nessa mesma pesquisa realizada há um ano.

67%

Principais segmentos de atuação

Revendas de materiais elétricos Distribuidores / Atacadistas

73%

Residencial

35%

Os

Comercial

56%

gráficos

a

seguir

ilustram

os

dispositivos

mais

comercializados em detrimento de outros para desempenhar

Montadores de painéis

63%

Industrial

87%

funções similares e/ou que se enquadram em uma mesma categoria de produtos. Percebe-se, por exemplo, que o Dispositivo de Proteção contra Surtos (DPS) é mais popular do que os Dispositivos Diferenciais Residuais (DR), mesmo sendo o uso de ambos recomendado por norma técnica. Em outras categorias, como relés MT, observa-se um gráfico mais equilibrado, o que dá

Dispositivos em crise Mercado de dispositivos elétricos de proteção, manobra e comando sente fortemente as consequências da crise econômica e prevê baixo crescimento para o setor neste ano de 2017

O ano parece que não será dos melhores para o mercado de

as pesquisadas, a desaceleração da economia brasileira e a crise

dispositivos elétricos. Fabricantes e distribuidores destes produtos

política são os principais freios no motor da indústria nacional e os

esperam crescimento médio para este mercado de apenas 2%

principais entraves para a evolução deste mercado de dispositivos

para o ano de 2017. É o que revela pesquisa realizada pela revista

elétricos.

O Setor Elétrico com cerca de 50 empresas deste segmento.

Participaram da pesquisa, em sua maioria (58%), empresas

As companhias que participaram do levantamento afirmaram

com faturamento médio de até R$ 20 milhões – montante referente

ter apresentado em 2016 crescimento médio de 5% na

apenas ao registrado no segmento de dispositivos de proteção,

comparação com o ano anterior e projetam para 2017 elevação

manobra e controle.

média de 6%, o que revela um otimismo comedido, que deve

Os números apresentados neste ano são bastante similares

acontecer, especialmente, a partir do segundo semestre. Segundo

aos constatados na pesquisa do ano passado, em que as empresas

a entender que todos os dispositivos são requisitados.


Pesquisa - Dispositivos elétricos de proteção, manobra e comando BT-MT Disjuntores BT

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Iluminação BT

67

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Dispositivos MT

Questionadas quanto ao faturamento anual total de alguns

mercados específicos, as empresas consideraram, por exemplo, 3%

Outros 18%

18%

Abertos

Acessórios para disjuntores

que o setor de dispositivos de proteção e seccionamento de

13% 28%

Minuteria

Pára-raios

37%

Interruptor para iluminação

24%

média tensão fature anualmente acima de R$ 500 milhões. Já o

Disjuntores

mercado de dispositivos de proteção de baixa tensão deve faturar

18%

até R$ 10 milhões por ano, segundo afirmaram 50% das empresas

Acessórios para fusíveis

15%

pesquisadas.

Disjuntormotor

Dispositivos de proteção 26% Relés BT

5%

16% 13%

16%

16%

8%

5%

18% 26%

16%

18%

3%

3%

16% 26%

16%

13% 13%

de baixa tensão

Relés MT

Dispositivos BT

Acima de R$ 500 milhões

Fusíveis

De R$ 200 milhões a R$ 500 milhões

19%

Variador de luminosidade

De R$ 100 milhões a R$ 200 milhões

5%

Mini-disjuntores

Acessórios para disjuntores

De R$ 30 milhões a R$ 50 milhões

26% 35%

De R$ 10 milhões a R$ 30 milhões

Caixa moldada

De R$ 50 milhões a R$ 100 milhões

Percepção sobre o tamanho anual total de mercados específicos

21%

Até R$ 10 milhões

66

Dispositivos de comando, controle, seccionamento, 13%

4%

Outros 26%

Outros relés de proteção eletrônicos

21%

De falta à terra

43%

24%

Dispositivos Diferenciais Residuais (DR)

29%

acionamento e sinalização de baixa tensão

De falta à terra

Outros relés de proteção eletrônicos

Dispositivos de proteção e seccionamento de

13%

média tensão

22%

25%

De subtensão 27%

Outros relés de proteção eletromêcanicos

De subtensão

57%

Dispositivos de proteção contra Surtos (DPS)

22%

Outros relés de proteção eletromêcanicos

No tocante ao faturamento das empresas (fabricantes e

distribuidoras)

de

dispositivos

que

participaram

deste

levantamento, foi apurado que a maior parte delas (58%) apresenta faturamento médio bruto de até R$ 20 milhões por ano.


68

Pesquisa - Dispositivos elétricos de proteção, manobra e comando BT-MT Faturamento bruto anual médio das empresas pesquisadas

O Setor Elétrico / Junho de 2017

de apenas 2% para o mercado no geral. Questionadas sobre possíveis contratações, na média, a expectativa é de agregar 1% de recursos

5%

humanos aos seus respectivos quadros de colaboradores atuais.

Acima de R$ 200 milhões

11%

37%

Até R$ 5 milhões

De R$ 80 milhões até R$ 200 milhões

Como outros segmentos de mercado vêm apontando nas pesquisas

setoriais realizadas por esta publicação, as fabricantes e distribuidoras de dispositivos elétricos também apontam a desaceleração da

5%

economia brasileira e a crise política como principais fatores inibidores

De R$ 60 milhões até R$ 80 milhões

do crescimento.

11%

FATORES QUE DEVEM INFLUENCIAR O MERCADO DE DISPOSITIVOS DE PROTEÇÃO, MANOBRA E COMANDO

De R$ 40 milhões até R$ 60 milhões

21%

10%

De R$ 5 milhões até R$ 20 milhões

De R$ 20 milhões até R$ 40 milhões

6% 15%

Falta de confiança dos investidores

Se, na pesquisa realizada em 2016, as empresas projetavam

crescimento médio de 4% para aquele ano, nesta edição, as companhias revelaram ter crescido efetivamente 5% no período. Para 2017, a expectativa de crescimento médio é de 6% para as empresas e

Desvalorização da moeda brasileira

Crescimento médio para o mercado em 2017

5%

18%

9%

Contratação média de colaboradores em 2017

2%

26%

Desaceleração da economia brasileira

Crise política

Previsões de crescimento

1%

Programas de incentivo do governo

1%

Crescimento médio das empresas em 2016 comparado ao ano anterior

6%

Crescimento médio das empresas em 2017

Falta de normalização e/ou legislação 4%

Incentivos por força de legislação ou normalização

15%

Setor da construção civil desaquecido 5%

Projetos de infraestrutura 1%

Crise internacional


X

X

DECORLUX

(41) 3029-1144

www.decorlux.com.br

Curitiba

PR

X

DIGIMEC

(11) 2969-1600

www.digimec.com.br

São Paulo

SP

D'Light

(11) 2937-4650

www.dlight.com.br

Guarulhos

SP

E4 Engenharia Elétrica

(65) 3665-1648

www.e4engenharia.com.br

Cuiabá

MT

EATON

0800-003 2866

www.eaton.com.br

Porto Feliz

SP

ECO ELETRICIDADE

(24) 3336-4895

www.ecoeletricidade.com.br

Volta Redonda

RJ

EFE-SEMITRANS

(21) 2501-1522

www.efesemitrans.com.br

Rio de Janeiro

RJ

X

X

ELETRICTECK

(16) 3877-5510

www.eletricteck.com

Ribeirão Preto

SP

X

X

X

X

ENERBRAS

(41) 2111-3000

www.enerbras.,com.br

Campo Largo

PR

X

X

X

X

EMBRASTEC

(16) 3103-2021

www.embrastec.com.br

Ribeirão Preto

SP

X

Exatron

0800 541 3310

www.exatron.com.br

Porto Alegre

RS

X

FINDER

(11) 2147-1550

www.findernet.com

São Caetano

SP

X

X

X

GE DO BRASIL

0800 595 6565

www.br.geindustrial.com

Contagem

MG

X

X

X

Holec

(11) 4191-3144

www.holec.com.br

Boituva

SP

X

INFRA ENGENHARIA

(11) 3312-0200

www.infraengenharia.com.br

São Paulo

SP

JNG materiais elétricos

(11) 2090-0550

www.jng.com.br

São Paulo

SP

Kienzle Controls

(11) 2249-9604

www.kienzle-haller.com.br

São Paulo

Kraus & Naimer

(11) 2198-1288

www.krausnaimer.com.br

Cotia

Kron Medidores

(11) 5525-2000

www.kron.com.br

LEGRAND

0800 118008

Lukma Electric

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X X

X

X X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

São Paulo

SP

CHINT GROUP

(11) 3266-7654

www.chint.net

São Paulo

SP

X

Clamper

(31) 3689-9500

www.clamper.com.br

Lagoa Santa

MG

X

DECORLUX

(41) 3029-1144

www.decorlux.com.br

Curitiba

PR

X

X

DIGIMEC

(11) 2969-1600

www.digimec.com.br

São Paulo

SP

D'Light

(11) 2937-4650

www.dlight.com.br

Guarulhos

SP

E4 Engenharia Elétrica

(65) 3665-1648

www.e4engenharia.com.br

Cuiabá

MT

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

EATON

0800-003 2866

www.eaton.com.br

Porto Feliz

SP

X

X

X

X

X

X

X

X

X

ECO ELETRICIDADE

(24) 3336-4895

www.ecoeletricidade.com.br

Volta Redonda

RJ

X

X

X

EFE-SEMITRANS

(21) 2501-1522

www.efesemitrans.com.br

Rio de Janeiro

RJ

X

X

X

X

X

ELETRICTECK

(16) 3877-5510

www.eletricteck.com

Ribeirão Preto

SP

X

X

X

X

X

X

X

ENERBRAS

(41) 2111-3000

www.enerbras.,com.br

Campo Largo

PR

X

X

X

X

EMBRASTEC

(16) 3103-2021

www.embrastec.com.br

Ribeirão Preto

SP

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

GE DO BRASIL

0800 595 6565

www.br.geindustrial.com

Contagem

MG

X

X

X

X

X

X

X

Holec

(11) 4191-3144

www.holec.com.br

Boituva

SP

X

X

X

X

X

INFRA ENGENHARIA

(11) 3312-0200

www.infraengenharia.com.br

São Paulo

SP

X

X

X

X

JNG materiais elétricos (11) 2090-0550

www.jng.com.br

São Paulo

SP

X

X

X

X

Kienzle Controls

(11) 2249-9604

www.kienzle-haller.com.br

São Paulo

SP

X

X

Kraus & Naimer

(11) 2198-1288

www.krausnaimer.com.br

Cotia

SP

Kron Medidores

(11) 5525-2000

www.kron.com.br

São Paulo

SP

X

LEGRAND

0800 118008

www.legrand.com.br

São Paulo

SP

X

Lukma Electric

(17) 2138-5050

www.lukma.com

São José do Rio Preto

SP

MarGirius

(19) 3589-5000

www.margirius.com.br

Porto Ferreira

SP

Megabras

(11) 3254-8111

www.megabras.com

São Paulo

SP

Mersen do Brasil

(11) 2348 2360

www.mersen.com/pt

Cabreúva

SP

X

X

Metaltex

(11) 5683-5700

www.metaltex.com.br

São Paulo

SP

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

www.legrand.com.br

São Paulo

SP

X

X

X

(17) 2138-5050

www.lukma.com

São José do Rio Preto

SP

X

MarGirius

(19) 3589-5000

www.margirius.com.br

Porto Ferreira

SP

X

Megabras

(11) 3254-8111

www.megabras.com

São Paulo

SP

Mersen do Brasil

(11) 2348 2360

www.mersen.com/pt

Cabreúva

SP

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

Metaltex

(11) 5683-5700

www.metaltex.com.br

São Paulo

SP

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

MTM

(11) 4125-3933

www.mtm.ind.br

São Bernardo do Campo

SP

X

X

X

X

X

X

X

X

X

MTM

(11) 4125-3933

www.mtm.ind.br

São Bernardo do Campo

SP

OBO BETTERMANN

(15) 3335-1382

www.obo.com.br

Sorocaba

SP

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

OBO BETTERMANN

(15) 3335-1382

www.obo.com.br

Sorocaba

SP

OMICRON SERVICE

(11) 5061-8566

www.omicroservice.com.br

São Paulo

SP

X

X

X

X

X

X

X

X

OMICRON SERVICE

(11) 5061-8566

www.omicroservice.com.br

São Paulo

SP

Pextron

(11) 5543-2199

www.pextron.com.br

São Paulo

SP

X

X

X

X

X

X

Pextron

(11) 5543-2199

www.pextron.com.br

São Paulo

SP

PHOENIX CONTACT

(11) 3871-6400

www.phoenixcontact.com.br

São Paulo

SP

X

X

X

X

X

X

PHOENIX CONTACT

(11) 3871-6400

www.phoenixcontact.com.br

São Paulo

SP

POWER SOLUTIONS

(11) 3181-5157

www.powersolutionsbrasil.com.br

São Paulo

SP

POWER SOLUTIONS

(11) 3181-5157

www.powersolutionsbrasil.com.br

São Paulo

SP

PROSEG

(31) 3423-5812

www.prosegbh.com.br

Belo Hte

MG

X

X

X

X

X

X

PROSEG

(31) 3423-5812

www.prosegbh.com.br

Belo Hte

MG

REHTOM

(19) 3818-5858

www.rehtom.com.br

Mogi Guaçu

SP

X

X

X

X

X

X

X

REHTOM

(19) 3818-5858

www.rehtom.com.br

Mogi Guaçu

SP

Sassi Medidores

(11) 4138-5122

www.sassitransformadores.com.br

Taboão da Serra

SP

X

X

X

X

X

X

X

Sassi Medidores

(11) 4138-5122

www.sassitransformadores.com.br

Taboão da Serra

SP

SEL

(19) 3515-2000

www.selinc.com.br

Campinas

SP

X

X

SEL

(19) 3515-2000

www.selinc.com.br

Campinas

SP

Siemens

0800 11 94 84

www.siemens.com.br

São Paulo

SP

X

X

Siemens

0800 11 94 84

www.siemens.com.br

São Paulo

SP

SOBRETENSÃO

(47) 3338-4484

www.sobretensao.com.br

Blumenau

SC

SOBRETENSÃO

(47) 3338-4484

www.sobretensao.com.br

Blumenau

SC

Soprano

(54) 2101-7070

www.soprano.com.br

CaXis do Sul

RS

X

STECK

(11) 2248-7000

www.steck.com.br

São Paulo

SP

X

STRAHL

(11) 2818-3838

www.strahl.com

São Paulo

SP

X

TEE

(19) 3875-9868

www.tee.com.br

Indaiatuba

SP

X

THS-Elektrofuse

(15) 3225-5060

www.elektrofuse.com.br

Sorocaba

SP

X

Treetech

(11) 2410-1190

www.treetech.com.br

Atibaia

SP

X

VARIXX

(19) 3301-6900

www.varixx.com.br

Piracicaba

SP

X

X

X

Weg

(47) 3276-4000

www.weg.net

Jaraguá do Sul

SC

X

X

X

Weidmuller

(11) 4366-9600

www.weidmueller.com.br

Diadema

SP

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X X X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

Soprano

(54) 2101-7070

www.soprano.com.br

CaXis do Sul

X

X

X

X

X

X

X

X

X

STECK

(11) 2248-7000

www.steck.com.br

São Paulo

X

X

X

X

X

X

X

X

X

STRAHL

(11) 2818-3838

www.strahl.com

São Paulo

SP

TEE

(19) 3875-9868

www.tee.com.br

Indaiatuba

SP

X

X

X

X

X

THS-Elektrofuse

(15) 3225-5060

www.elektrofuse.com.br

Sorocaba

SP

X

X

X

X

X

Treetech

(11) 2410-1190

www.treetech.com.br

Atibaia

SP

VARIXX

(19) 3301-6900

www.varixx.com.br

Piracicaba

SP

Weg

(47) 3276-4000

www.weg.net

Jaraguá do Sul

SC

Weidmuller

(11) 4366-9600

www.weidmueller.com.br

Diadema

SP

X X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

RS

X

X

X

SP

X

X

X

São Caetano

SP

X

X

Porto Alegre

São Paulo

X

X

www.findernet.com

X

X

X

www.exatron.com.br

X

X

X

(11) 2147-1550

X

X

X

0800 541 3310

X

X

X

FINDER

X

X

X

Exatron

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

SP

X

X

X

SP

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

www.beghim.com.br

X

X

X

(11) 2942-4500

X

X

X

Beghim

X

X

X

X

SP

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X X

X

X X

X

X X

X X

X

X X

X

X

X

São Bernardo do Campo

Minuteria

X

MG

X

X

www.alumbra.com.br

Variador de luminosidade

SP

Lagoa Santa

X

X

(11) 4393-9300

Interruptor para iluminação

São Paulo

www.clamper.com.br

X

X

SP

Alumbra

Religadora

www.chint.net

(31) 3689-9500

X

X

Fusível

(11) 3266-7654

Clamper

X

X

São Paulo

Seccionadora fusível

CHINT GROUP

X

X

www.abb.com.br

Seccionadora

X

X

(11) 3688-8886

Reversora

X

X

SP

ABB

Comutadora

SP

X

UF

Guarulhos

Iluminação BT

Manual

São Paulo

X

Cidade

www.acabine.com.br

Chaves BT

Automática

www.beghim.com.br

X

Site

A.Cabine Mat. Elétricos (11) 2842-5252

Outros

(11) 2942-4500

X

Outros relés de proteção Eletrônicos

Beghim

X

X

X

Outros relés de proteção Eletromecânicos

X

X

De subtensão

X

X

De falta à terra

X

X

Relés BT

Dispositivos Diferenciais Residuais (DR)

X

X

Chaves de trans­­ferência BT

Dispositivos de proteção contra Surtos (DPS)

X

X

Dispositivos BT

Outros

SP

X

X

Acessórios para fusíveis

São Bernardo do Campo

X

Tipo cartucho

www.alumbra.com.br

X

Telefone

Tipo D

(11) 4393-9300

X

EMPRESA

Tipo NH

Alumbra

X

X

X

Outros

X

X

Acessórios para disjuntores

X

X

Disjuntor-motor

X

X

Mini-disjuntores

X

X

Caixa moldada

X

Oferece treinamento técnico para os clientes

SP

Tem corpo técnico especializado para oferecer suporte ao cliente

São Paulo

Importa produtos acabados

www.abb.com.br

X

Dispositivos de comando, controle, seccionamento, acionamento e sinalização de baixa tensão

Dispositivos de proteção de baixa tensão - DISJUNTORES Fusíveis BT

Exporta produtos acabados

(11) 3688-8886

X

71

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Disjuntores

Possui programas na área de responsabilidade social

ABB

X

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Dispositivos de proteção de baixa tensão Possui serviço de atendiemnto ao cliente por telefone e/ou internet

UF SP X

Possui certificado ISO 14001 (ambiental)

Cidade Guarulhos

Internet

Site www.acabine.com.br

Telemarketing

Telefone (11) 2842-5252

Venda direta ao cliente final

Comercial

X

EMPRESA A.Cabine Mat. Elétricos

Revendas/Varejistas

Industrial

X

Distribuidores/Atacadistas

Serviços (manutenção, montagem de painéis, etc.)

X

Principal canal de vendas

Montadores de painéis

Distribuidora

Fabricante

X

Residencial

Principal segmento de atuação

Empresa

Possui certificado ISO 9001 (qualidade)

Pesquisa - Dispositivos elétricos de proteção, manobra e comando BT-MT

Abertos

70

X

X

X

X

X

X

X

X

X

RS

X

X

X

SP

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X X

X

X X

X X

X

X X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X


72

Pesquisa - Dispositivos elétricos de proteção, manobra e comando BT-MT Dispositivos de comando, controle, seccionamento, acionamento e sinalização de baixa tensão

X

SP

Alumbra

(11) 4393-9300

www.alumbra.com.br

São Bernardo do Campo

SP

Beghim

(11) 2942-4500

www.beghim.com.br

São Paulo

SP

CHINT GROUP

(11) 3266-7654

www.chint.net

São Paulo

SP

Clamper

(31) 3689-9500

www.clamper.com.br

Lagoa Santa

MG

DECORLUX

(41) 3029-1144

www.decorlux.com.br

Curitiba

PR

DIGIMEC

(11) 2969-1600

www.digimec.com.br

São Paulo

SP

D'Light

(11) 2937-4650

www.dlight.com.br

Guarulhos

SP

X

X

X

E4 Engenharia Elétrica

(65) 3665-1648

www.e4engenharia.com.br

Cuiabá

MT

X

X

X

EATON

0800-003 2866

www.eaton.com.br

Porto Feliz

SP

X

ECO ELETRICIDADE

(24) 3336-4895

www.ecoeletricidade.com.br

Volta Redonda

RJ

X

EFE-SEMITRANS

(21) 2501-1522

www.efesemitrans.com.br

Rio de Janeiro

RJ

ELETRICTECK

(16) 3877-5510

www.eletricteck.com

Ribeirão Preto

SP

ENERBRAS

(41) 2111-3000

www.enerbras.,com.br

Campo Largo

PR

EMBRASTEC

(16) 3103-2021

www.embrastec.com.br

Ribeirão Preto

SP

Exatron

0800 541 3310

www.exatron.com.br

Porto Alegre

RS

X

FINDER

(11) 2147-1550

www.findernet.com

São Caetano

SP

X

GE DO BRASIL

0800 595 6565

www.br.geindustrial.com

Contagem

MG

Holec

(11) 4191-3144

www.holec.com.br

Boituva

SP

INFRA ENGENHARIA

(11) 3312-0200

www.infraengenharia.com.br

São Paulo

SP

X

JNG materiais elétricos

(11) 2090-0550

www.jng.com.br

São Paulo

SP

X

Kienzle Controls

(11) 2249-9604

www.kienzle-haller.com.br

São Paulo

SP

Kraus & Naimer

(11) 2198-1288

www.krausnaimer.com.br

Cotia

SP

Kron Medidores

(11) 5525-2000

www.kron.com.br

São Paulo

SP

LEGRAND

0800 118008

www.legrand.com.br

São Paulo

SP

Lukma Electric

(17) 2138-5050

www.lukma.com

São José do Rio Preto

SP

X

MarGirius

(19) 3589-5000

www.margirius.com.br

Porto Ferreira

SP

X

Megabras

(11) 3254-8111

www.megabras.com

São Paulo

SP

Mersen do Brasil

(11) 2348 2360

www.mersen.com/pt

Cabreúva

SP

Metaltex

(11) 5683-5700

www.metaltex.com.br

São Paulo

SP

MTM

(11) 4125-3933

www.mtm.ind.br

São Bernardo do Campo

SP

OBO BETTERMANN

(15) 3335-1382

www.obo.com.br

Sorocaba

SP

OMICRON SERVICE

(11) 5061-8566

www.omicroservice.com.br

São Paulo

SP

Pextron

(11) 5543-2199

www.pextron.com.br

São Paulo

SP

PHOENIX CONTACT

(11) 3871-6400

www.phoenixcontact.com.br

São Paulo

SP

POWER SOLUTIONS

(11) 3181-5157

www.powersolutionsbrasil.com.br

São Paulo

SP

PROSEG

(31) 3423-5812

www.prosegbh.com.br

Belo Hte

MG

REHTOM

(19) 3818-5858

www.rehtom.com.br

Mogi Guaçu

SP

Sassi Medidores

(11) 4138-5122

www.sassitransformadores.com.br

Taboão da Serra

SP

SEL

(19) 3515-2000

www.selinc.com.br

Campinas

SP

Siemens

0800 11 94 84

www.siemens.com.br

São Paulo

SP

SOBRETENSÃO

(47) 3338-4484

www.sobretensao.com.br

Blumenau

SC

Soprano

(54) 2101-7070

www.soprano.com.br

CaXis do Sul

RS

STECK

(11) 2248-7000

www.steck.com.br

São Paulo

SP

STRAHL

(11) 2818-3838

www.strahl.com

São Paulo

SP

TEE

(19) 3875-9868

www.tee.com.br

Indaiatuba

SP

THS-Elektrofuse

(15) 3225-5060

www.elektrofuse.com.br

Sorocaba

SP

Treetech

(11) 2410-1190

www.treetech.com.br

Atibaia

SP

VARIXX

(19) 3301-6900

www.varixx.com.br

Piracicaba

SP

X

X

Weg

(47) 3276-4000

www.weg.net

Jaraguá do Sul

SC

X

X

Weidmuller

(11) 4366-9600

www.weidmueller.com.br

Diadema

SP

X X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

Outros relés de proteção Eletrônicos

X

São Paulo

Outros relés de proteção Eletromecânicos

X

www.abb.com.br

De subtensão

Sinalizadores em geral

X

(11) 3688-8886

De falta à terra

Sensores em geral

X

ABB

Pára-raios

Relé de Impulso

X

UF SP

Acessórios para fusíveis

Contato

X

Cidade Guarulhos

Fusíveis

Chave fim de curso

X

Site www.acabine.com.br

Acessórios para disjuntores

Botoeira

X

Telefone (11) 2842-5252

Relés MT

Disjuntores

Temporizador

X

A.Cabine Mat. Elétricos

Outros

Inversor de freqüência

Dispositivos MT

Chave de partida de motor

EMPRESA

Dispositivos de proteção e seccionamento de média tensão

Outros BT

Soft starter

Motor BT

O Setor Elétrico / Junho de 2017

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X X X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X

X

X

X X

X

X X

X

X

X

X

X

X

X X

X X X

X

X

X

X

X X

X

X

X

X

X X


Espaço 5419

Espaço 5419

O Setor Elétrico / Junho de 2017

75

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Por Sergio Roberto Santos*

É obrigatório o uso do DPS?

pelas operações de chaveamento ou a

Jamais poderemos esquecer dos

dificilmente protegerá toda instalação

atuação dos DPSs tipo II.

condutores

também

elétrica, de energia e sinal, mas, em

A instalação de apenas um DPS

devem ser protegidos, seja pelos DPSs

algumas situações, poderá ser a solução

não permite proteger vários pontos

específicos para sinal, ou por outro tipo

para a proteção de apenas parte dela.

da

de MPS. É muito comum não pensarmos

instalação,

com

necessidades

de

sinal

que

Referências

mesmo

que os condutores de sinal também

tempo contra a condução de uma

conduzem correntes de surto para o

parcela da própria corrente da descarga

interior dos equipamentos e, por isso,

1 – Zonas de Proteção Contra Raios.

atmosférica e as correntes induzidas

devem ser protegidos.

Revista O Setor Elétrico, edição 114, junho

por ela. Caso o escopo do projeto

de 2015. Disponível www.osetoreletrico.

comtemple

NBR

diferentes,

protegendo

uma

ao

proteção

parcial,

A leitura da parte 4 da norma ABNT 5419:2015

demonstra

que

a

com.br/2016/2015/08/26/zonas-deprotecao-contra-raios

relativa apenas à proteção da entrada

instalação dos DPSs não é obrigatória,

de energia, de parte da instalação ou

mas poderá ser a melhor opção para

exemplo.

de um único equipamento, poderá ser

proteção da instalação contra os efeitos

*Sergio Roberto Santos é engenheiro

a duas perguntas recorrentes sobre os

suficiente a instalação de apenas um

de uma descarga atmosférica direta ou

eletricista e membro da comissão de estudos

Dispositivos de Proteção contra Surtos

transitórias

único DPS.

indireta. A instalação de apenas um DPS

CE 03:64.10, do CB-3 da ABNT.

(DPS) dentro do contexto da norma

pelas

ABNT NBR 5419:2015 – Proteção contra

equipamentos, devendo ser utilizados

Descargas Atmosféricas:

em

O objetivo deste artigo é responder

Os DPSs limitam as sobretensões a

valores

instalações conjunto

suportáveis

elétricas

com

e

outras

seus

medidas

chamadas de proteção contra surtos • A norma obriga a utilização do DPS?

(MPS).

• Apenas um DPS é suficiente para

alternativas

atender à ABNT NBR 5419:2015?

quando

Sempre à

existirão instalação

necessários,

soluções de

DPSs,

cabendo

ao

projetista das MPSs determinar a melhor A norma ABNT NBR 5419:2015

relação entre a eficácia, economicidade

não obriga a utilização dos DPSs.

e conveniência das soluções aplicáveis.

Obrigatório é garantir que, para dada

Em relação à segunda pergunta,

edificação, o risco existente da perda de

os DPSs são classificados em três

vidas humanas, serviços públicos, bens

tipos, cada um com a sua finalidade

de valor cultural e prejuízos econômicos

específica. O DPS tipo I realiza a

fique dentro de um valor considerado,

equipotencialização

pelos critérios da norma, tolerável. No

fronteira entre as Zonas de Proteção

que se refere às instalações elétricas e

contra Raios (ZPR)¹ 0B e 1. Os DPSs

aos DPSs, isto significa que um surto

tipo II protegem a instalação contra

de corrente ou sobretensão transitória

sobretensões

causada pelas descargas atmosféricas

por descargas atmosféricas remotas,

não poderá causar um incêndio, danificar

operações

um

equipamento,

comprometer

de

principal

transitórias

na

causadas

chaveamento

ou

a

um

atuação do DPS tipo I, sendo instalados

dispositivo de segurança ou até mesmo

entre as ZPRs 1 e 2. Já os DPSs tipo III

prejudicar o funcionamento do sistema

são instalados junto aos equipamentos,

de ar condicionado responsável pela

entre as ZPRs 2 e 3, para protegê-los

conservação de uma pinacoteca, por

também contra sobretensões causadas


76

Proteção contra raios

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Quadros e painéis

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Jobson Modena é engenheiro eletricista, membro do Comitê Brasileiro de Eletricidade (Cobei), CB-3 da ABNT, onde participa atualmente como coordenador da comissão revisora da norma de proteção contra descargas atmosféricas (ABNT NBR 5419). É diretor da Guismo Engenharia | www.guismo.com.br

77

*Nunziante Graziano é engenheiro eletricista, mestre em energia, redes e equipamentos pelo Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (IEE/USP), Doutor em Business Administration pela Florida Christian University, membro da ABNT/CB-003/CE 003 121 002 – Conjuntos de Manobra e Comando de Baixa Tensão e diretor da Gimi Pogliano Blindosbarra Barramentos Blindados e da GIMI Quadros elétricos |nunziante@gimi.com.br

Quadros e painéis Cada um faz o que quer A crise econômica que assola o país

mais de 30 anos para ajudar a remover

os serviços de um laboratório estrangeiro

apresenta uma faceta perversa ao mercado

barreiras técnicas ao comércio – o acordo

para

de quadros e painéis, notadamente, os de

ILAC apoia a aceitação dos resultados

além das despesas apimentadas com

baixa tensão, que sofrem agora a influência

de laboratórios acreditados), o que torna

aquele risco cambial já conhecido para

executar

os

ensaios

desejados,

na atualização técnica dos conjuntos de

a busca de um certificado com validade e

frete e seguro internacionais, despesas

Sociedade: um conjunto de seres que

de risco que consta da parte 2 da ABNT

ser adotadas por essa sociedade para o

manobra e controle de baixa tensão.

reconhecimento internacionais uma busca

aduaneiras, etc., o destemido fabricante

convivem de forma organizada. A palavra

NBR 5419 na PDA – Proteção contra

bem de todos. Assim, não importa se seus

trabalhosa e onerosa.

brasileiro deve ainda considerar que os

vem do Latim societas, que significa

Descargas Atmosféricas na proteção de

anos de experiência te dão a certeza da

IEC

Não obstante, os novos requisitos

valores a serem pagos ao laboratório no

"associação amistosa com outros".

prédios comerciais, residenciais, inclusive

inocuidade da medida em um local com aquela situação específica. Se a lei te

Conjuntos de manobra e comando de

técnicos

no que tange à proteção da instalação Lei: regra, prescrição escrita que emana

elétrica e equipamentos contra surtos de

diz para fazer, faça e, se não concordar

baixa tensão - Parte 1: Regras gerais

características

da autoridade soberana de uma dada

tensão. Argumentei que a aplicação dessa

com essa lei, vá discuti-la no momento em

e da ABNT NBR IEC 61439-2:2016

-

sociedade e impõe a todos os indivíduos

parte da norma, como citado no CDC*,

que a mesma estiver sendo revista. Este

Conjuntos de manobra e comando de

baixa tensão e barramentos blindados,

Isso resulta, na prática, em um acréscimo

a obrigação de submeter-se a ela sob

Código de Defesa do Consumidor, seria

é um dos pilares que sustentam (ou pelo

baixa tensão - Parte 2: Conjuntos de

em especial aqueles com capacidades

de 33% ao valor do serviço contratado,

pena de sanções.

irrestrita. Qual não foi minha surpresa ao

menos deviam) as regras de convivência

manobra e comando de potência, o

de corrente nominal superiores a 4000A

visto que quando se contrata um serviço

ser contestado pois, na opinião deles, a

no Brasil.

mercado brasileiro tem o prazo de cinco

e/ou suportabilidade às correntes de

no exterior, paga-se imposto de renda.

anos, a contar da data da publicação em

curta-duração acima de 65kA/1s, ambas

Parece brincadeira, mas não é!

*Código de Defesa do Consumidor

02/05/2017, para atualizar seus produtos

dependendo da impedância dos corpos de

Das más notícias acima devemos

(parcial)

conforme a nova diretriz. Ou seja, no exato

prova, na maioria das situações supera a

também considerar que os fabricantes

momento em que estamos no fundo do

capacidade dos nossos laboratórios, fato

nacionais ainda têm uma desvantagem

CAPÍTULO V - Das Práticas Comerciais

poço (assim esperamos), temos que nos

que nos obriga a procurar laboratórios no

temporal. As multinacionais, principalmente

- SEÇÃO IV: Das Práticas abusivas

preparar para grandes investimentos em

exterior, onde despesas evidentemente

as de origem europeia, estão vivenciando

“Art. 39. É vedado ao fornecedor de

projeto, desenvolvimento e ensaios dos

correm de Dólares ou Euros. Isso, no

essa

quadros, painéis e barramentos blindados

momento turbulento da nossa economia,

19/08/2011, quando foi publicado o

de baixa tensão.

acrescenta o risco cambial a todo o pacote

primeiro

vêm

de incertezas aos quais o desenvolvimento

Ed. 2.0 b - Low-voltage switchgear and

em pequenas quantidades, há que se

de um produto por si só já é bastante

controlgear assemblies - Part 1: General

considerar ainda que a grande maioria dos

grande.

rules”, nesta publicação, ou seja, o seu

laboratórios nacionais não tem acreditação

Não fossem todas as informações do

prazo de convivência com a nova versão já

A sociedade brasileira atual tem sua

adoção das MPS – medidas de proteção

organização baseada em algum algoritmo

contra

randômico bastante particular e que não

dependeriam da anuência do contratante.

nos cabe discutir neste momento.

do inicio do texto.

Desde sempre nota-se que há vários

surtos

seriam

facultativas

Apresentado o fato retomo o raciocínio

motivos pelos quais pessoas descumprem

Do

ponto

de

vista

regras:

especialmente

de

pesquisa,

interesse,

desconhecimento,

e

científico em

e, que

Com as publicações da ABNT NBR 61439-1:2016

Errata

1:2017

-

para

verificação

das

exterior sofrerão acréscimo de 25% de

performance

dos

Imposto de Renda calculado “por dentro”,

conjuntos de manobra e controle de

como se diz no jargão da contabilidade.

de

versão

da

IEC-61439

desde

mau

padrões podem e devem ser quebrados

produtos ou serviços dentre outras

caráter, etc. O intuito desta abordagem

para ampliação do conhecimento, há

práticas abusivas:

não é condenar esses atos, mas trazer o

tantas variáveis envolvidas que a adoção

XIII - colocar, no mercado de consumo,

assunto à baila para que cada interessado

de

qualquer produto ou serviço em

se enquadre no motivo que desejar

proteção podem se tornar tão particular e

desacordo com as normas expedidas

e melhore seu posicionamento como

influenciar tão pouco no resultado de um

pelos órgãos oficiais competentes ou,

cidadão, ou não.

único local que a relação custo x benefício

se normas específicas não existirem,

distintos

pode sugerir a não adição dessas medidas.

pela Associação Brasileira de Normas

Inmetro, muito menos ILAC (do inglês

parágrafo anterior uma areia movediça

findou e, notadamente, todas chegaram ao

professores, de reputação ilibada e, com

Mas devemos considerar que a sociedade

Técnicas ou outra entidade credenciada

International

aterrorizante,

mercado brasileiro com seus novos painéis

convicções

E m

distintas,

conversa

com

rebeldia,

dois

vários

tópicos

normalizados

da

Como

notícias

ruins

Laboratory uma

nunca

Accreditation

cabe

ainda

uma

última

fascículo

da

“IEC

cooperação

informação que pode surpreender aos

na conhecida “versão 61439”.

61439-1

o mais alto grau de conhecimento em

não está apenas no laboratório e regras

pelo Conselho Nacional de Metrologia,

Cooperation,

PDA, me vi debatendo sobre qual seria a

comuns, embasadas em pesquisas, mas

Normalização e Qualidade Industrial

internacional de organismos de acreditação

desavisados. Quando se decide embarcar

Agora, resta-nos correr atrás. Boa

obrigatoriedade da execução da análise

adaptadas para a coletividade e devem

(CONMETRO)”.

de laboratórios e de inspeção formada há

um equipamento para o exterior, contratar

sorte!


78

Energia com qualidade

O Setor Elétrico / Junho de 2017

José Starosta é diretor da Ação Engenharia e Instalações e membro da diretoria do Deinfra-Fiesp. jstarosta@acaoenge.com.br

Limites das distorções harmônicas nas instalações elétricas

O tratamento dos limites das distorções

outras variáveis como o tipo ou aplicação

harmônicas nas instalações é sempre um

de carga. É importante notar que estas

assunto considerado pelas equipes de

normas

que

estabelecem

limites

de

distorção de tensão da fonte para a carga.

eletromédicos ou mesmo a instalação de

a carga distorcida é maior que 2 e as

um filtro no local.

impedâncias dos circuitos de distribuição

de cada instalação é relativo ao tipo

Não há regras gerais, principalmente,

são desprezíveis). A IEEE 519 apresenta

de carga que se está tratando. Em um

para a distribuição de baixa tensão, mas é

um critério para limitação das correntes

barramento específico de alimentação de

fundamental que a fonte esteja de acordo

harmônicas, com o objetivo de preservar a

motores de sistema de bombeamento de

com as especificações dos equipamentos

distorção de tensão nos barramentos.

água ou refrigeração, por exemplo, poderia

de utilização e cargas em função da sua

ter uma tolerância maior de distorção

sensibilidade e imunidade.

de

alimenta

O comportamento e o controle da

• Os limites de compatibilidade são em

em

distorção harmônica de corrente estão

geral referenciados ao PAC;

mesmo hospital e a própria IEEE 519 assim

relacionados

tensão.

• Deve-se entender a compatibilidade entre

considera nos limites recomendados.

Portanto, não é usual e, de forma geral, não

fontes e cargas nos principais barramentos

Destas conclusões, ações corretivas

faz sentido se preocupar com controle de

das instalações, checando, sempre que

seriam tratadas de forma seletiva (a

correntes harmônicas em situações com

necessário, com medições adequadas;

exemplo do servidor acima mencionado),

baixas distorções de tensão (normalmente

• Soluções corretivas devem ser tomadas

como

onde a relação da potência da fonte com

onde as distorções de tensão não são

Outro ponto importante característico

tensão

que

equipamentos

Comportamento da instalação

79

O Setor Elétrico / Junho de 2017

a

aquele

que

eletromédicos

alimentação

por

UPS

um

dos

à

distorção

de

Algumas conclusões:

adequadas e podem incluir desde a Até aí, nada que esteja fora dos

especificação de melhores equipamentos, mudanças de fontes e das instalações,

manutenção quando algum equipamento

operação não tratam dos comportamentos

padrões

não

alguma

das cargas distorcidas e nem sobre a

Um

análise

instalação

causa específica não seja identificada. As

especificação de instrumentos de medição

deve considerar o comportamento das

corretivas;

normas aplicáveis são diversas e possuem

que são tratadas por outras normas como

instalações elétricas quando alimentam

• Cuidados devem ser tomados, pois a

as da família IEC 61000 referenciadas ao

estas cargas distorcidas. Em uma análise

interligação dos barramentos da indústria

final do texto.

“vertical” do diagrama unifilar, espera-se

pode sofrer interferências de outros onde

que a impedância aumente da fonte para a

as cargas não lineares estejam alimentadas

dos

carga e assim será o comportamento das

e mesmo onde outros fenômenos possam ocorrer como as ressonâncias harmônicas.

opera

adequadamente

abordagens

em

diversos

e

cenários

considerados.

Ponto de Acoplamento Comum (PAC)

A questão principal nas instalações

industriais

(e

estamos

tratando

naturais

ponto

de

uma

importante

pesquisa.

nesta

de

filtros

e

outras

ações

barramentos internos das plantas) estaria

distorções de tensão da instalação. Serão

As normas consultadas relativas aos

na imunidade das cargas às distorções

também incrementadas da fonte para a

limites das distorções harmônicas de

de tensão de alimentação das mesmas

carga

tensão e de corrente em instalações tratam

(e naturalmente aos outros distúrbios

das impedâncias as cargas não lineares

• ANEEL- Prodist - Módulo 8 – Revisão 8

de forma geral dos limites desejáveis nos

que não são ora tratados), e que pode

que causam a circulação das correntes

• IEC 61000-3-2/IEC 61000 3-3/IEC

pontos de acoplamento comum e que pode

ser interpretada como a capacidade de

harmônicas.

61000-3-4 – Limites de emissão de

ser considerado de forma aproximada

estes equipamentos operarem sem falha

O

como o ponto de entrega de energia

quando tais eventos ocorrem e até quais

1

da concessionária ao consumidor. Na

proporções. Assim, um servidor de TI, com

400kVA com baixo fator de potência com

compatibilidade em sistemas públicos de

literatura internacional este PAC é tratado

especificação que possa apresentar uma

distorção harmônica de corrente de 30%

baixa tensão

como PCC.

tolerância à distorção total de tensão de

na 5ª harmônica e 10% na 7ª harmônica

• IEC 61000-2-4 – Níveis de

5% ou 8% deverá ser alimentado dentro

alimentada com circuito com distância de

compatibilidade em instalações industriais

harmônicas de tensão – DTT (Prodist)

destas

uma

150 metros (dimensionado conforme a

• IEC 61000-4-30 – Sistemas de medição

ou THDV (internacional) – são tratadas e

monitoração ou medição das harmônicas

ABNT NBR 5410) originado em Trafo de

• IEEE1159- Monitoração de Qualidade

apresentam valores limites pelas normas:

(e/ou

forma

750 kVA em alimentação exclusiva. Vale

de Energia

Módulo 8 do Prodist, IEEE 519, IEC,61000-

conveniente em ponto tão próximo quanto

notar o comportamento da distorção total

• IEEE 519 – Harmônicas em Sistemas

2-2, EM 50160 e outras, com valores não

possível onde tal servidor estaria operando

de tensão THDV nos dois barramentos,

elétricos

exatamente iguais e que variam entre

responderia a esta condição de operação.

junto ao transformador (da ordem de 4,8%)

5% a 10% de conteúdo harmônico total,

Caso as premissas não fossem atendidas,

e junto à carga (7,5%), confirmando, então,

dependendo da tensão de alimentação e

ações corretivas seriam necessárias.

as previsões iniciais com o aumento da

Particularmente,

as

distorções

características. outras

Somente

variáveis)

de

proporcionalmente

exemplo

considera

ilustrado

uma

carga

ao

na

Referências

aumento

Figura

trifásica

corrente por equipamentos

de

• IEC 61000-2-2 – Níveis de

Figura 1 – Simulação do comportamento da distorção de tensão e outras variáveis em sistema de alimentação industrial.

1

Distorção Total de Tensão – DTT (prodist) ou

THDV (internacional)


80

Instalações Ex

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Roberval Bulgarelli é consultor técnico e engenheiro sênior da Petrobras. É representante do Brasil no TC-31 da IEC e no IECEx e coordenador do Subcomitê SC-31 do Comitê Brasileiro de Eletricidade (Cobei).

Novos certificados de competências pessoais IECEx emitidos para profissionais “Ex” do Brasil

81

O Setor Elétrico / Junho de 2017

60079 e ISO/IEC 80079, abrangendo o

e que necessitam evidenciar os seus

e reparo. Nos Documentos Operacionais

ciclo total de vida das instalações industriais

conhecimentos, qualificações e experiências

destes sistemas são indicados os seguintes

contendo atmosferas explosivas, incluindo a

requeridas nestas Unidades de Competências

requisitos:

certificação de empresas de prestação de

“Ex”, os profissionais envolvidos nas atividades

serviços, de competências pessoais “Ex” e

de classificação de áreas, projeto, montagem,

• Os instaladores “Ex” devem possuir

de equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”,

inspeção, manutenção, reparos, segurança,

certificação nas Unidades de Competência

serve para preencher uma grande “lacuna”

supervisão,

Ex 001, Ex 003, Ex 006 e Ex 008;

existente no processo de certificação “Ex” de

outros profissionais que executam trabalhos

muitos países.

relacionados a atmosferas explosivas.

certificação nas Unidades de Competência

Sob o ponto de vista de segurança

Tais atividades incluem, entre outros,

Ex 001, Ex 004, Ex 007 e Ex 008;

industrial, levando em consideração a grande

profissionais

áreas

• O pessoal envolvido com as atividades de

quantidade de não conformidades que são

de

operação,

processo,

manutenção “Ex” devem possuir certificação nas

verificadas nas inspeções das instalações

eletricidade,

instrumentação,

automação,

Unidades de Competência Ex 001 e Ex 004;

“Ex” existentes, bem como os graves

telecomunicações,

suprimento,

acidentes e explosões que ocorrem neste

fabricantes de equipamentos e sistemas,

certificação nas Unidades de Competência

gerenciamento,

que

segurança,

operação

atuam

nas

mecânica,

e

Os

Os

inspetores

projetistas

“Ex”

devem

“Ex”

devem

possuir

possuir

Foram emitidos em 26/05/2017, dentro

Equipamentos para Atmosferas Explosivas

certificadas, apresentando evidências de que

tipo de instalações, decorrentes destas não

laboratórios de ensaios, organismos de

Ex 001 e Ex 009;

do sistema IECEx - Sistema Internacional da

do Labelo (Laboratórios Especializados em

se manteve neste período atuando na área

conformidades, pode ser verificado que

certificação de produtos e organismos de

• Os reparadores “Ex” devem possuir

IEC para o ciclo total de vida das Instalações

Eletroeletrônica, Calibração e Ensaios) da

das atividades “Ex” certificadas, bem como

somente a certificação dos equipamentos

certificação de pessoas, organismos de

certificação nas Unidades de Competência

“Ex”, novos Certificados de Competências

PUC de Porto Alegre/RS. É membro de

atualizada em relação a eventuais novas

“Ex” não é suficiente para garantir a segurança

acreditação,

Ex 001 e Ex 005;

Pessoais em atmosferas explosivas para

Comissão de Estudo do Subcomitê SC-31

edições das normas técnicas “Ex” aplicáveis.

das instalações em atmosferas explosivas,

provedores de treinamentos.

• Os auditores envolvidos com atividades de

profissionais do Brasil. Os Certificados para

do Cobei (ABNT / CB-003).

nem das pessoas que nelas trabalham.

Devem ser destacadas e esclarecidas

auditorias, avaliações e inspeções gerenciais

as Unidades de Competências Pessoais Ex

http://iecex.iec.ch/iecex/iecexcertpersons.

competências pessoas “Ex” foram emitidos

Para

de

as diferenças e as interfaces que existem

em instalações elétricas, de instrumentação,

000 e Ex 001 foram emitidos para Roberval

nsf/xpi/9C771373FA92E6A1C125812C00

pela UL do Brasil, que é um Organismo de

conformidade normativa e de segurança

entre as Unidades de Competências Ex

de automação, de telecomunicações e

Bulgarelli, Rüdiger Röpke, Antonio Manfrin e

4B8C93?open#

Certificação

pessoais

industrial das instalações “Ex”, ao longo

001 a Ex 010 e as funções de trabalho das

mecânicas “Ex” devem possuir certificação

(ExCB)

do ciclo total de vida das instalações “Ex”,

pessoas que possuam tais competências.

nas Unidades de Competências Ex 002, Ex 008, Ex 009 e Ex 010.

Estes certificados de conformidade de

acreditado

Ricardo Rossit.

de no

Competências sistema

IECEx

a

elevação

dos

níveis

organismos

reguladores

e

Ricardo Rossit é técnico mecânico e

desde 27/04/2016. A UL do Brasil é um

existe também a necessidade da certificação

As certificações de acordo com as Unidades

em

engenheiro eletrônico e trabalha na Sense

Organismo de Certificação de Competências

prioritária

prestação

de Competências Ex não definem a função

Eletrônica, engenheiro eletricista e trabalha

Eletrônica. É membro de Comissão de Estudo

Pessoais “Ex” brasileiro acreditado pelo

de serviços “Ex” (incluindo classificação

de uma pessoa, mas somente as atividades

Para

na Petrobras / Refinaria Presidente Bernardes

do Subcomitê SC-31 do Cobei (ABNT /

IECEx nas Unidades de Certificação Ex

de áreas, projeto, montagem, inspeção,

para as quais a pessoa demonstrou ser

conformidade normativa e de segurança

de Cubatão (RPBC). É membro de Comissão

CB-003).

000 (Conhecimentos e percepções básicas

comissionamento, manutenção e reparos de

competente.

industrial ao longo do ciclo total de vida das

de Estudo do Subcomitê SC-31 do Cobei

http://iecex.iec.ch/iecex/iecexcertpersons.

para adentrar em uma instalação contendo

equipamentos e instalações “Ex”), bem como

A definição do escopo das funções

instalações “Ex”, existe também a necessidade

(ABNT / CB-003).

nsf/xpi/BC2C08A0153B5CCEC125812C0

áreas classificadas) e Ex 001 (Aplicação

da certificação prioritária das competências

de

pelo

da certificação prioritária das empresas

http://iecex.iec.ch/iecex/iecexcertpersons.

059E4C8?open#

dos princípios básicos de segurança em

pessoais “Ex” dos profissionais que executam

empregador (ou empresa contratante dos

de prestação de serviços “Ex” (incluindo

Roberval

Bulgarelli

é

técnico

empresas

de

trabalho

normalmente

é

feita

a

elevação

dos

níveis

de

atmosferas explosivas).

tais atividades.

serviços), pelo proprietário ou operador da

classificação de áreas, projeto, montagem,

Para estes processos de certificação

O IECEx é o sistema de certificação

Para que estes níveis de segurança

planta. Uma definição geral do escopo das

inspeção, comissionamento, manutenção e

internacional

nsf/xpi/3754BF4B5EAB8F67C125812A00 5D695D?open#

das

foram

internacional da IEC para a segurança ao

possam ser elevados, há a necessidade

funções dos profissionais que trabalham em

reparos de equipamentos e instalações “Ex”),

Rüdiger Röpke é graduado em Engenharia

realizados no Brasil, em português. A

longo do ciclo total de vida das instalações

de uma nova postura com relação a este

áreas classificadas foi também considerada

bem como da certificação prioritária das

Elétrica – Especialidade Eletrônica e Técnicas

existência deste tipo de sistema internacional

elétricas

atmosferas

problema, com a adoção de um ponto de

nos sistemas do IECEx de certificação de

competências pessoais “Ex” dos profissionais

de Controle. Trabalhou na Basf do Brasil e é

de certificação de competências pessoais

explosivas. O IECEx conta com a participação

vista de certificação que não fique limitado

empresas de prestação de serviços de

que executam tais atividades, nos níveis de

consultor sobre equipamentos e instalações

“Ex” no Brasil torna disponível e acessível para

de 33 países. O Brasil é um país membro

somente à certificação dos equipamentos

projeto, montagem, inspeção e manutenção,

execução ou de supervisão.

elétricas em atmosferas explosivas. É membro

os profissionais brasileiros a possibilidade de

do IECEx desde 2009, tendo participado

“Ex”, mas incluindo também a certificação das

os quais também definem os requisitos de

Os

de Comissão de Estudo do Subcomitê SC-31

obtenção de certificados de competências

ativamente desde então no processo de

pessoas e das empresas de prestação de

competências pessoais dos empregados

pessoais “Ex” já emitidos pela UL do Brasil

do Cobei (ABNT / CB-003).

pessoais em atmosferas explosivas no Brasil,

elaboração

serviços em áreas classificadas.

destas empresas.

para profissionais brasileiros estão disponíveis

http://iecex.iec.ch/iecex/iecexcertpersons.

sem a necessidade de se deslocar para

sistemas de certificação de competências

Desde o lançamento pelo IECEx do

Podem ser citados como exemplos das

para acesso público no sistema online de

nsf/xpi/39AF2B314B5E7B2AC125812C00

outros países ou de efetuar os exames em

pessoais "Ex", de empresas de prestação de

sistema internacional de certificação de

interfaces e de diferenças entre as funções

certificação do IECEx. A pesquisa pode ser

43C719?open#

outras línguas.

serviços "Ex" e de equipamentos elétricos e

competências pessoais “Ex” da IEC em 2010

de trabalho e as atividades das Unidades de

feita pelo nome da pessoa ou pela localização

mecânicos "Ex".

até o presente momento, já foram certificadas

Competências Ex 001 a Ex 010, os sistemas

do profissional (Brasil) ou pelo campo

IECEx,

os

exames

A validade da certificação de competências

e

mecânicas

e

de

em

aperfeiçoamento

dos

certificados

sobre

competências

engenheiro

pessoais é de cinco anos. Após este período,

A existência de sistemas de certificação

mais de 1.530 pessoas de 37 países. Podem

do IECEx de certificação de empresas

Organismo de Certificação (ExCB - ULBR).

eletrônica.

a pessoa certificada necessita evidenciar

“Ex” elaborados pelo IECEx, totalmente

ser citados como exemplos de pessoas

de prestação de serviços “Ex” de projeto,

h t t p : / / i e c e x . i e c . ch / i e c e x / e x s . n s f / e x _

Trabalha no Laboratório de Ensaios de

que continua “competente” nas unidades

com base nas normas internacionais IEC

que

instalação, montagem, inspeção, manutenção

pe.xsp?v=p

Antonio eletricista

Manfrin com

ênfase

é em

trabalham

em

áreas

classificadas


82

Dicas de instalação

O Setor Elétrico / Junho de 2017

83

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Equipe Omega Engineering

Riscos potenciais relacionados à segurança Riscos mecânicos Há proteções na área de operação? Há alguma parte móvel que está exposta (correntes, correias, engrenagens, volantes, etc.)? Há quaisquer partes mecânicas expostas que talvez sejam de quina afiada ou que, de outra forma, constituem algum risco (parafusos, quinas, etc.)?

Lista de verificação para a segurança de máquinas

A máquina foi devidamente fixada ao piso ou a outras estruturas, de acordo com a necessidade? Foram instadas chaves limitadoras adequadas para interromper a operação assim que determinado limite for ultrapassado? Riscos elétricos A máquina foi configurada de acordo com códigos e padrões aplicáveis? A máquina foi devidamente aterrada? A fonte de energia foi apropriadamente protegida, incluindo fusíveis? As conexões elétricas foram todas bem-feitas? Há risco de choque elétrico em virtude de conexão exposta? Todos os fios ou quaisquer componentes elétricos potencialmente perigosos foram devidamente identificados? Há alguma fiação sobre o piso por onde os trabalhadores têm de passar?

Deve-se sempre dar a mais alta prioridade

qualquer plano de segurança, incluindo:

A lista a seguir deverá ser cuidadosamente

preenchida. Observe que a resposta certa

Outros riscos

• Riscos mecânicos

(indicando uma situação de segurança) nem

Os trabalhadores usam proteção contra ruído produzido pela máquina?

segurança ajudam a garantir a segurança de

• Riscos elétricos

sempre é 'sim' ou 'não'. Dessa forma, todos

O ambiente proporciona condições de segurança para o trabalhador (temperatura, umidade, radiação, etc.)?

seus funcionários, além de ser uma prática

• Outros riscos

são encorajados a dar a devida atenção a

A iluminação é suficiente para que a máquina possa ser operada com segurança?

empresarial, simplesmente, inteligente. Parar

• Equipamento de proteção

como vão analisar as perguntas que seguem.

uma máquina, uma fábrica ou mesmo o

• Manutenção e reparo

Além das orientações contidas neste

local de trabalho para tratar de um incidente

• Proteções

artigo técnico e nos questionários de

relacionado a segurança pode ter um alto

• Treinamento

segurança, encoraje todos (desde a gestão

à segurança em instalações com maquinário de

produção.

Medidas

apropriadas

de

custo em termos de acidente com perda de

até os funcionários) a adotar práticas de Na sua vasta maioria, as práticas de

O piso encontra-se seco e seguro para a movimentação do trabalhador? Foram implementados os aspectos ergonômicos necessários (descanso de braço, altura do teclado, altura e ângulo do monitor)? Equipamento de proteção Foram fornecidos os equipamentos de segurança necessários? Quais outros equipamentos ainda são necessários? Os trabalhadores foram treinados para usar corretamente os equipamentos de proteção?

tempo, perda de receita e, provavelmente,

envolvendo questões de seguro. Incidentes

segurança em todas essas áreas são muito

relacionados à segurança também podem se

conhecidas. O grande desafio em qualquer

tornar a fonte de outros obstáculos em termos

chão de fábrica ou local de trabalho é adotar

de relatórios, auditorias e questões legais.

o hábito de verificar tudo antes de iniciar a

É preciso se esforçar bastante para

Os registros de manutenção da máquina encontram-se afixados na máquina?

Uma das medidas para garantir um

operação de uma máquina. Geralmente, os

criar e manter um ambiente de trabalho

Os registros de manutenção estão atualizados?

ambiente de trabalho mais seguro começa

operadores acabam colocando em segundo

seguro. Mas, de início, você pode avaliar

Os trabalhadores são treinados a rever orientações sobre manutenção, a fim de garantir a pronta disponibilidade da máquina?

com a criação de uma cultura que coloca a

lugar as questões envolvendo a operação de

os riscos existentes em sua empresa. Há

Os profissionais de manutenção são treinados em procedimentos de segurança, por exemplo, como desligar a energia da máquina?

segurança em primeiro lugar, iniciando o bom

determinada máquina e, com isso, podem se

quaisquer

exemplo dado por gestores e supervisores. Os

esquecer de dar atenção a erros potenciais

e

gestores podem deixar bem claro que, para

ou de que talvez não estejam seguindo as

segurança e que precisam ser tratados em

eles, segurança é coisa séria. Por exemplo,

melhores práticas para sua própria segurança.

termos de consertos, melhorias ou novos

se o presidente da empresa fizer uma visita ao chão de fábrica, ele ou ela deverá sempre fazer questão de usar óculos de segurança,

segurança responsáveis nas instalações.

Os trabalhadores usam vestimentas apropriadas para operar o maquinário de forma segura (sem joias, sem roupas muito frouxas, calçados apropriados, cabelo preso atrás, etc.)?

O resultado final Manutenção e reparo

riscos

equipamentos,

envolvendo que

máquinas

comprometem

a

equipamentos? É necessário disponibilizar

Lista de verificação para a segurança de máquinas

botas ou quaisquer outros itens exigidos de

outros equipamentos de segurança para os

Proteções Há uma chave geral para desligamento total do maquinário? Os controles de partida e parada encontram-se ao alcance das mãos? Os controles de partida e parada já foram testados? Há proteções contra materiais perigosos (lubrificantes, produtos químicos, sucatas, etc.)? As proteções são apropriadas para trabalhadores de todos os tamanhos?

funcionários? Na sequência, elabore uma

São disponibilizados equipamentos de atendimento a emergência apropriados? Quais equipamentos adicionais seriam necessários?

lista de verificação de proteção de máquinas

Foi disponibilizado um kit de primeiros socorros (incluindo uma estação lava-olhos)?

toda a equipe. Caso o presidente deixe de

Apresentamos, a seguir, uma lista de

e programe um treinamento para explicar a

cumprir esses procedimentos de segurança,

verificação, juntamente com perguntas que

razão dessa lista e suas vantagens. Assim

Treinamento

ele vai estar demonstrando que o restante do

podem ser revistas regularmente, cobrindo

que as questões de segurança se tornarem

Todos os trabalhadores presentes no ambiente de trabalho foram treinados a como utilizar o maquinário de forma apropriada?

pessoal também poderá contornar as regras.

questões relacionadas tanto a equipamentos

parte de sua rotina diária, à medida que

Todos os trabalhados presentes no ambiente de trabalho receberam treinamento sobre as características de segurança da máquina

Em segundo lugar, ter à mão uma lista

de segurança quanto a componentes, tais

você lidera pelo exemplo, faz uso de listas

(proteções, controles de partida/parada, etc.)?

de verificação de segurança pode ajudar

como chaves limitadoras nas máquinas.

de verificação para proteção de máquinas

os trabalhadores a se certificar de que o

Porém, de igual importância, são as práticas

e elabora procedimentos e outras práticas

ambiente de trabalho é seguro. Há inúmeros

e políticas para que os funcionários possam

saudáveis para os trabalhadores, a segurança

tópicos

tomar medidas adicionais necessárias, a fim

passa a fazer parte das atividades normais da

de evitar qualquer risco.

empresa – de uma empresa mais segura.

relacionados

à

segurança

de

máquinas que devem ser considerados em

Todos os trabalhadores presentes no ambiente de trabalho foram treinados a como reagir da forma correta ao se defrontar com questões de segurança? O manual de operações e documentações relacionadas à máquina encontram-se disponíveis e atualizados? Os procedimentos operacionais são documentados no local onde a máquina está instalada? Foram disponibilizados diagramas elétricos, hidráulicos e pneumáticos da máquina e encontram-se atualizados? Foram disponibilizados manuais operacionais e documentação pertinente no idioma dos trabalhadores?

Sim Não Não sei


84

Ponto de vista

O Setor Elétrico / Junho de 2017

PPPs para iluminação pública com tecnologia Led nacional

Prefeituras ganharam

e

uma

Governos

Estaduais

este

valor

estratégico

economia do valor da energia utilizada.

da tecnologia Led, com potencial de

As instituições de P&D&I, como a

oferecer com eficácia serviços à sociedade

oferecer melhores serviços com por meio

Fundação CERTI, comemoram o avanço de

que estão sob sua responsabilidade. Um

de equipamentos de fabricação brasileira,

Belo Horizonte e já visualizam PPPs como

dos exemplos é a iluminação pública, cujo

o BNDES optou por oferecer condições

um modelo consistente de concessão e

impacto na segurança da população, tanto

de financiamento a luminárias Led com

profissionalização de serviços públicos, que

no tráfego de veículos, como na segurança

tecnologia nacional.

utilizem tecnologias nacionais.

do pedestre, é perceptível no dia a dia dos

Com isso, instituições de P&D&I têm

A iluminação pública brasileira, de

brasileiros.

a possibilidade de auxiliar os fabricantes

acordo com dados da Abilux e BNDES, é um

As parcerias público-privadas (PPPs)

destes produtos a desenvolver soluções

mercado de R$ 20 bilhões em equipamentos

são uma opção para que a iluminação

para a temática, através do mercado criado

e que afeta diretamente a qualidade de vida

pública, assim como demais necessidades

por juros menores e maior competitividade

das pessoas. É necessária, neste momento,

de

para a indústria nacional.

a conscientização de autoridades públicas

das

oportunidade

Identificado

de

organização

nova

cidades

sejam

oferecidas com mais qualidade e menores

Vale

destacar

que

os

custos para a gestão pública e o cidadão.

para

desenvolvimento

O BNDES está investindo, a partir

de

critérios

para que esta possibilidade seja viabilizada

de

produtos

e as negociações com as concessionárias

a

legislação

sejam efetuadas. Afinal, os brasileiros

deste ano, nas principais cidades do país,

brasileira, são regulados pelas Portarias

almejam viver melhor e ter acesso a vias

a fim de oferecer melhorias nos serviços

950/06 do MCTIC, que não apenas

seguras e bem iluminadas nas cidades.

prestados pelas Prefeituras, principalmente,

atestam,

à população. Nesta linha, o banco está

projeto e o desenvolvimento de produtos

oferecendo financiamento de PPPs que

e equipamentos com base eletrônica. No

substituam o parque das luminárias com

mesmo contexto, a portaria 1.309/13 do

lâmpadas a vapor de sódio e mercúrio por

MCTIC especifica, normatiza e padroniza

luminárias inteligentes com Leds.

o

Os Leds, com custos globais de

componentes eletrônicos semicondutores

utilização reduzidos à metade, ganhos

no país.

na eficiência energética e eliminação de

lâmpadas que contém materiais altamente

de iluminação pública com luminárias Led,

tóxicos, como o mercúrio, trazem boas

sendo pioneira no Brasil no setor. Na metade

razões para que estes investimentos sejam

de maio de 2017, o Prefeito Alexandre Kalil

feitos.

assinou a ordem de serviço de revitalização

A

grande

quantidade

de

o

tecnologia,

projeto

mas

e

segundo

também

o

incentivam

desenvolvimento

o

de

Belo Horizonte já iniciou sua iniciativa

pontos

e ampliação da iluminação pública. Kalil se

públicos a serem iluminados, estimada em

empenhou numa negociação intensa com

15 milhões de luminárias no Brasil, abrem

a concessionária de energia da capital

também uma significativa oportunidade de

mineira e conseguirá, com isso, garantir

Por Manuel Steidle, diretor do Centro de

negócio para os fabricantes nacionais de

45% de redução no consumo de energia

Conversão Digital e Mecatrônica da Fundação

luminárias.

na cidade e aumento de 10% a 50% de

CERTI.


86

Índice de anunciantes

O Setor Elétrico / Junho de 2017

Alpha Equipamentos 13 (11) 3933-7533 vendas@alpha-ex.com.br www.alpha-ex.com.br

ExSuper 75 (15) 4062-9447 exsuper@exsuper.com.br www.exsuper.com.br

Brametal 63 (27) 2103-9400 comercial@brametal.com.br www.brametal.com.br

Fastweld (11) 2425-7180 fastweld@fastweld.com.br www.fastweld.com.br

Cablena 49 (11) 3587-9590 vendas@cablena.com.br www.cablena.com.br CBQEE 85 www.sbqee.org.br/cbqee Chardon Group 4 (11) 4033-2210 wvalentim@chardongroup.com.br www.chardongroup.com.br Cinase 8 e 9 (11) 3872-4404 cinase@cinase.com.br www.cinase.com.br Clamper Fascículos (31) 3689-9500 / 0800 7030 55 comunicacao@clamper.com.br www.clamper.com.br Cobrecom 17 (11) 2118-3200 cobrecom@cobrecom.com.br www.cobrecom.com.br 4ª capa

Conexled (11) 2334-9393 www.conexled.com.br Crossfox 11 (11) 2902-1070 www.crossfox.com.br 3ª capa e Fascículos

D’Light (11) 2937-4650 vendas@dlight.com.br www.dlight.com.br Embramat 33

(11) 2098-0371 embramat@embramataltatensao.com.br www.embramataltatensao.com.br Enerbrás 35 0800 645 3052 sac@enerbras.com.br www.enerbras.com.br Engerey 41 (41) 3022-3050 www.engerey.com.br

23

Gazquez 6 (11) 3380-8080 vendas@gazquez.com.br www.gazquez.com.br Gimi Pogliano 37 (11) 4752-9900 www.gimipogliano.com.br 47

Minuzzi 66 (19) 3272-6380 minuzzi@transformadoresminuzzi.com.br www.transformadoresminuzzi.com.br Novemp 5 e Fascículos (11) 4093-5300 vendas@novemp.com.br www.novemp.com.br Paratec 51 (11) 3641-9063 vendas@paratec.com.br www.paratec.com.br Patola 31 (11) 2193-7500 vendas@patola.com.br www.patola.com.br

IFG (51) 3488-2565 www.ifg.com.br

Phoenix Contact 43 (11) 3871-6400 www.phoenixcontact.com.br

Intelli 25 (16) 3820-1614 ricardo@intelli.com.br www.grupointelli.com.br

Rittal 57 (11) 3622-2377 info@rittal.com.br www.rittal.com.br

2ª capa

Itaim Iluminação (11) 4785-1010 vendas@itaimiluminacao.com.br www.itaimiluminacao.com.br Itaipu Transformadores 15 (16) 3263-9400 comercial@itaiputransformadores.com.br www.itaiputransformadores.com.br KRC 68 (11) 4543-6034 comercial@krcequipamentos.com.br www.krcequipamentos.com.br Lukma Electric 29 (17) 2138-5050 lukma@lukma.com www.lukma.com Maccomevap 27 (21) 2687-0070 comercial@maccomevap.com.br www.maccomevap.com.br

Sassi Medidores 65 (11) 4138-5122 sassi@sassitransformadores.com.br www.sassitransformadores.com.br SIMPASE 69 www.simpase.com.br SNPTEE 73 contato@xxivsnptee.com.br www.xxivsnptee.com.br Technomaster 19 (21) 2580-4001 vendas@technomaster.net www.technomaster.net THS 67 (11) 5666-5550 vendas@fuses.com.br www.fuses.com.br 48

Trael (65) 3611-6500 comercial@trael.com.br www.trael.com.br

Megabrás 59 (11) 3254-8111 vendas@megabras.com.br www.megabras.com

Unitron 61 (11) 3931-4744 vendas@unitron.com.br www.unitron.com.br

Melfex 46 (11) 4072-1933 contato@melfex.com.br www.melfex.com.br

WEG (47) 3276-4000 info-br@weg.net www.weg.net

7


O Setor Elétrico (Edição 136 - Maio/2017)  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you