Page 1

Junho 2017

NĂşmero vinte e trĂŞs


PÁGINA

4

Editorial

D E STAQ UE S D E STA E D I Ç ÃO Página 7 - Entrega de Certificados de Mérito e Excelência Página 24 - S. Martinho, festa em grande Página 28 - Festa de Natal Página 38 - Desfile de Carnaval Página 40 - Dia do Agrupamento Página 44 - Secretários de Estado da Educação em Cinfães

FICHA TÉCNICA Esta publicação pertence ao Agrupamento de Escolas General Serpa Pinto - Cinfães Direção: Manuel António Pereira Coordenação: Helena Duarte Layout: Pedro Peixoto e Dora Ferreira Revisão Ortográfica: Helena Duarte Capa: Toni Afonso e Licínio Sardinha Fotografia: Sónia Botelho Impressão: Litogaia AG info@teq.pt Tiragem: 2500 exemplares Depósito Legal: 240864/06

REVISTA

Mais um ano letivo se aproxima do seu termo. Tempo de revisitar todo um tempo em que tentámos contribuir para o desenvolvimento pleno dos nossos alunos, quer em termos de aprendizagens académicas, quer em termos de desenvolvimento de capacidades de integração ou intervenção equilibrada na comunidade. Sim, porque, de facto, o que realmente pretendemos é contribuir para a plena formação de todos, de modo a garantir cidadãos conscientes e proativos. Não foi um ano fácil. Pelo contrário, para além dos constrangimentos financeiros impostos por uma administração hiperburocratizada, que tem vindo a desinvestir na educação e que tem retirado espaços de autonomia financeira às escolas, também nos deparámos cada vez mais com um largo deficit motivacional por parte dos alunos, o que obriga a um constante exercício de redirecionamento pedagógico, que nem sempre garante os objetivos propostos, planificados ou expectáveis. Os constrangimentos de natureza financeira obrigam-nos a que apenas façamos uma Revista Escolar, este ano letivo. De facto, tínhamos como objetivo que a mesma saísse trimestralmente mas, de todo, não é possível. Mesmo assim, aqui estamos a dar conhecimento de algumas das muitas mais atividades desenvolvidas ao longo deste ano. Atividades em que muitos participaram com empenho e que

ESCOLAR

muito dignificam a comunidade educativa. Assim, aliado a um conjunto de professores empenhado e motivado, que soube sempre criar as condições necessárias à plena integração dos alunos, que soube contribuir para diluir todas as situações de diferenciação negativa, tivemos assistentes, técnicos e operacionais, colaborativos e sempre atores participantes, e encarregados de educação muitas vezes presentes. Efetivamente, a escola continua a precisar de uma maior presença destes na escola. Precisamos de encarregados de educação mais atentos, mais participativos. É bom que confiem na escola, mas só com uma participação mais ativa junto dos seus educandos garantiremos de forma substantiva maior sucesso de todos os nossos alunos. Tivemos connosco, em situações diferenciadas, os dois Secretários de Estado da Educação. Momentos que muito nos orgulharam e dignificaram o Agrupamento. De facto, foram momentos únicos que valorizaram o nosso trabalho e a nossa comunidade e contribuíram para a promoção do trabalho de todos. Fomos, também, e pela quarta vez em cinco anos de concurso, agraciados com um Prémio especial do júri do Plano Nacional de Educação financeira, prémio Todos Contam, promovido pelo Banco de Portugal, ASF, CMVM e Ministério da Educação. Um motivo de orgulho redobrado e um forte estímulo à continuação de desenvolvimento de projetos que possam colaborar na formação e na valorização efetiva da nossa comunidade educativa. De referir também o projeto inovador, desenvolvido e executado no nosso agrupamento sobre o Orçamento Participativo. Os alunos do terceiro ciclo foram convidados a gerir uma verba de quinhentos euros. Apresentaram um projeto, promoveram o mesmo na escola e, no final, num processo eleitoral concorrido, foi aprovado um projeto que está a ser posto em prática neste momento. Um momento simbólico mas muito estimulante em termos de participação na vida da escola e no desenvolvimento de uma maior cultura democrática.

Editorial Queremos, de forma bem vincada, lembrar também o enorme esforço que se realiza nas escolas e Centros Escolares do nosso agrupamento. De facto, aliado a um espírito inovador que muito nos dignifica, regista-se uma dinâmica de intervenção, cooperação e articulação com a comunidade e com todas as estruturas do agrupamento, que garantem uma cada vez maior participação e intervenção pedagógica ativas. De realçar o enorme esforço por todos desenvolvido e que culminou no desfile de carnaval e, por altura do S. João, no desfile de marchas populares. Um enorme motivo de orgulho para o nosso agrupamento. Ainda no âmbito das atividades inovadoras, queremos valorizar a estratégia de modernização e universalização do nosso agrupamento. Assim, continuamos com o desenvolvimento de vários projetos e parcerias multilaterais com escolas de vários países europeus, através de projetos eTwinning, que colocam turmas do nosso agrupamento a trabalhar diretamente com turmas de outros países. Continuamos igualmente com projetos de parcerias com escolas europeias e com projetos de formação de professores e assistentes, a realizar no estrangeiro. De facto, vimos um nosso projeto, nessa área, ser aprovado, para os próximos dois anos, com um financiamento de cinquenta e três mil euros, projeto esse que permitirá deslocar vinte e seis professores e funcionários para formação específica em países diversos. É a segunda vez que tal acontece e motivo de orgulho redobrado, uma vez que apenas cerca de trinta projetos são aprovados anualmente. Queremos, igualmente, referir a importância que continuamos a dar à formação de adultos. De facto, o Centro Qualifica, anterior CQEP, continua a desenvolver atividades de incentivo, de forma a oferecer a adultos a possibilidade de mais formação. Este trabalho é desenvolvido no nosso concelho, mas também no concelho vizinho de Resende, e é responsável já pela maior escolarização de algumas centenas de adultos. Um desafio permanente para nós, que vamos continuar a criar as condições necessárias para que todos possam voltar à escola. Foi um ano rico de acontecimentos, de atividades e de empenho de todos. Foi um ano em que, de braço dado com as Juntas de Freguesia e com a Câmara Municipal, foi possível ir mais longe. A colaboração permanente destas, a solidariedade ativa do município, que sempre tem estado connosco no sentido de diluir dificuldades, são mais-valias fundamentais no processo de dignificação da escola e do trabalho nela realizada. Não podemos, igualmente, deixar de referir a enorme colaboração sempre recebida por

PÁGINA

5

parte do Conselho Geral e do seu presidente em particular. Muito agradecemos a todos. Registamos também que durante este mês se procedeu à eleição do diretor para os próximos quatro anos. Muito agradeço o apoio e confiança que me têm sido dados pela comunidade educativa. Porque mais um ano letivo se aproxima do seu termo, queremos deixar uma palavra de muito apreço a todos os docentes que connosco têm trabalhado e que, por razões de mobilidade e concurso nacional, irão mudar de escola no próximo ano. O agrupamento vai sentir a sua falta… deixarão saudades, com certeza e, mais do que isso, exemplo de profissionalismo, competência e entrega que constituirão uma referência para todos os alunos que com eles trabalharam. Para todos, para a comunidade educativa em geral… umas boas férias, quando for tempo delas. Cinfães, junho de 2017 O diretor Manuel António Pereira


PÁGINA

6

Receção aos Alunos

No dia 15 de setembro, reuniram-se, no pavilhão desportivo, centenas de alunos, pais/encarregados de educação, direção e professores , para assinalarem o arranque de mais um ano letivo. Entre palavras de boas-vindas, e com boa disposição à mistura, todos puderam apreciar a satisfação do (re)encontro, num momento especial que marcou o início de nova caminhada! Profª Helena Santos Duarte

PÁGINA

Entrega de Certificados de Mérito e Excelência

7

Foi no passado dia 18 de outubro que teve lugar a cerimónia de entrega dos certificados de mérito e de excelência atribuídos aos alunos do 2º e do 3º ciclos que, com brilhantismo, se distinguiram nos resultados escolares obtidos no ano letivo 2015/2016. Na mesa de honra, esteve presente o senhor Presidente do Conselho Geral, Doutor Jorge Ventura, o senhor Diretor do nosso Agrupamento de Escolas, Professor Manuel Pereira, a senhora Vereadora do Pelouro da Educação, Professora Graça Reis, e o senhor Presidente da Junta de Freguesia de Cinfães, Engenheiro João Henrique Mendes, aos quais, depois de proferirem palavras de felicitações e incentivo dirigidas, sobretudo, a todos os alunos distinguidos, coube também a missão de entregarem os certificados. A cerimónia, organizada pela Coordenação de Projetos, foi superiormente apresentada pelo professor António José Oliveira que, em colaboração com a professora Dora Ferreira, preparou e presenteou toda a assistência com um tocante vídeo contendo imagens dos alunos distinguidos na cerimónia, bem como imagens de crianças de outros lugares do mundo, às quais, tantas vezes, são negados os sonhos e a Paz. O vídeo teve, como banda sonora, a música “Land of Gold”, de Anoushka Shankar. A cerimónia contou, também, com alguns momentos de música e de poesia, o que muito embelezou e enriqueceu o momento vivido. Nesta cerimónia, estiveram presentes, para além de muitos professores e diretores de turma do ano letivo anterior, pais e demais familiares dos alunos envolvidos, que se quiseram juntar à festa do mérito e da excelência. Profª Helena Santos Duarte

REVISTA

ESCOLAR


PÁGINA

8

Entrega de Certificados de Mérito e Excelência

REVISTA

ESCOLAR

PÁGINA 9 PÁGINA 9

Entrega de Certificados de Mérito e Excelência


PÁGINA

10

O Halloween também já se festeja por cá...

Aula de Campo de Geografia

Esta atividade inseriu-se na lecionação do tema relacionado com a observação da paisagem. Ora, Cinfães tem na paisagem uma das suas principais potencialidades, com vista a desenvolver todos os recursos endógenos (o vale do Bestança, o rio Douro, os socalcos, a raça arouquesa, a neve, entre outros…), por forma a que o turismo possa criar emprego e, assim, melhorar as condições de vida da população local. Prof. José Sousa

Desde a decoração dos espaços escolares, o Concurso de abóboras, a “Caixa Trick or Treat”, a utilização da banda sonora Ghostbasters para o toque da campainha e o visionamento do filme na sala de convívio dos alunos, o sketch “How to make a good witch: love+music+books”, em colaboração com a Biblioteca e o Clube de Música, até à animação, nas salas dos professores, com a projeção do vídeo “Thriller”, de Mickael Jackson, tudo contribuiu para recriar as diferentes tradições que marcam esta época que tanto nos divertem. Prof.ª Cristina Marques

Parlamento dos Jovens Mais uma vez, a Escola Básica General Serpa Pinto aderiu ao Programa Parlamento dos Jovens. No presente ano letivo, esta interessante iniciativa da Assembleia da República lançou o debate sobre o tema “Os Jovens e a Constituição: tens uma palavra a dizer”. No passado dia 12 de janeiro, e enquanto decorria o período de campanha eleitoral, teve lugar, no Auditório Municipal de Cinfães, um debate alargado sobre o tema em destaque. Este debate contou com a presença do Presidente da Câmara, o Enfermeiro Armando Mourisco, e do Diretor do nosso Agrupamento, o Professor Manuel Pereira. Seguiram-se as eleições e a Sessão Escolar, com a presença dos 31 deputados eleitos, e na qual foi elaborado o Projeto de Recomendação da nossa Escola. Foram ainda eleitos os deputados que representarão a Escola na Sessão Distrital, no dia 20 de março: Efetivo - Vanda Moreira Efetivo - Tiago Dias Suplente - Rafael Resende É de salientar a forma exemplar como todos os alunos se comportaram, evidenciando um claro desenvolvimento de uma cidadania responsável. Prof. António Oliveira

ESCOLAR

11

Uma vez mais, o grupo disciplinar de Geografia proporcionou aos alunos das turmas do 7º ano de escolaridade uma aula diferente, em contexto de fora da sala de aula. Os alunos deslocaram-se ao centro da vila e elaboraram um esboço da paisagem que observaram, realçando os elementos naturais (as serras da Abobodeira e do Marão, bem como o vale do Douro) e humanos (casas, pontes e torres eólicas) mais salientes.

Uma vez que a comemoração do Dia do Halloween, também conhecido por Dia das Bruxas é uma tradição cada vez mais familiar no nosso país, o grupo disciplinar de Inglês do nosso Agrupamento convidou e envolveu toda a comunidade a participar, de forma original, nas diferentes atividades agendadas para a data. “Vestidos” do espírito da época, muitos dos nossos alunos deixaram-se contaminar por estas celebrações norte-americanas e contribuíram para criar um ambiente “assombroso” na escola, próprio para o dia.

REVISTA

PÁGINA


PÁGINA

12

Exercício Prático “A Terra Treme”

CURIOSIDADE

No dia 13 de outubro, às 10H30, realizou-se, no Agrupamento de Escolas General Serpa Pinto, um exercício público de cidadania no âmbito do Risco Sísmico.

Portugal está localizado numa zona relativamente instável, sendo considerado um país de nível sísmico moderado.

Promovido pela Autoridade Nacional de Proteção Civil, este exercício visou sensibilizar as diferentes comunidades para a preparação e autoproteção para o risco sísmico.

A ocorrência de sismos relaciona-se com o contexto tectónico do país. Portugal situa-se no interior da placa euroasiática, mas muito próximo da placa africana. Fica próximo da zona de fronteira entre a placa euroasiática e a placa africana, zona designada por fronteira de placas Açores - Gibraltar.

O exercício A TERRA TREME teve a duração de um minuto. Pretendeu-se, sobretudo, envolver a comunidade escolar nesta ação de sensibilização e de preparação, contribuindo de uma forma ativa para o aumento da preparação dos indivíduos, enquanto responsáveis de primeira linha pela sua autoproteção em situação de emergência. Os 3 gestos BAIXAR, PROTEGER, AGUARDAR estão largamente consensualizados entre a comunidade científica nacional e internacional como sendo a melhor resposta para nos podermos salvar em caso de sismo. A TERRA TREME é um exercício que pretende alertar e sensibilizar a população sobre como agir antes, durante e depois da ocorrência de um sismo. O exercício ajudará a população a conhecer e praticar os 3 gestos que podem salvar vidas em caso de sismo. Porque uma sociedade PREPARADA e CONHECEDORA dos perigos vigentes é uma sociedade mais RESILIENTE. Prof. José Sousa Coordenador do Clube da Proteção Civil Coordenador de Segurança do Agrupamento

Portugal está numa zona de transição entre uma região intraplaca e uma região de fronteira. Esta é responsável por deformações tectónicas geradoras de atividade sísmica. O Sul de Portugal tem sido mais afetado por sismos do que a região Norte. O Algarve, a zona litoral a sul da Figueira da Foz, incluindo o vale inferior do rio Tejo, a área metropolitana de Lisboa e a península de Setúbal são as zonas de maior risco sísmico. Daí a importância de dinamizar o exercício “A Terra Treme”.

REVISTA

ESCOLAR

Bullying e Ciberbulling

PÁGINA

13

A Secção de Programas Especiais do Destacamento Territorial de Lamego, realizou uma ação de sensibilização em sala, relacionada com a temática “Bullying e Ciberbullying – 3º ciclo”, com o objetivo de transmitir à comunidade escolar os conhecimentos necessários à prevenção de situações de Bullying e Ciberbullying. Esta ação foi realizada, no Agrupamento de Escolas General Serpa Pinto – Cinfães, para a turma do 3º ciclo do Curso de Educação e Formação de Cozinheiro, tendo estado presentes 24 alunos e um professor. Prof. José Sousa Coordenador do Clube da Proteção Civil Coordenador de Segurança do Agrupamento


PÁGINA

14

PÁGINA

Quem Sou Eu?

Lembrar a Amizade Amigos secretos para mais tarde revelar, É dia de festa, o Natal está a chegar. Para a Dulce, houve um rico bacalhau e veio mesmo a calhar! Para o Sr. Diretor, rosas e vermelhas para o fazerem corar. Para a Elisabete, azeitonas e broa na cesta. Ai que tão rico manjar! Para a Helena, que belos sonetos o Tó Zé se pôs a declamar. Para a Madalena, o anti-stress pôs todos os presentes a quererem tocar! Para o Zé, que se diz bombeiro, a viatura passou melhor a estacionar. Para a Olinda, de sedutora Mãe Natal se irá disfarçar. Para a Isabel, muito carinho lhe souberam dar. Doces, flores e néctares ainda vieram para este farto cabaz, Mas o mais especial de todos, a mim se fez chegar, Cheirava a Rosmaninho e que bela amizade veio consolidar!

O Sentido da Vida Num gesto simples De um olhar vago Encontrei o horizonte Longínquo e pouco nítido. Deixei lá a menina Que imaginou como seria Transpor o sonho E viver feliz! Vagueou sem destino E procurou serenamente Entre suas amigas cintilantes Um coração perdido por ser achado! Nessa quimera inesperada A realidade clara despontou

Profª Cristina Marques

15

Da pupila amolecida Para a íris colorida! Foi uma história imaginada Num globo bem desenhado Com contornos de amor Nuances de amizade Traços de tranquilidade Dégradés de afabilidade Deixando carícias suaves No sentido da vida! Prof.ª Elisabete Barbosa

Descrever-me parece fácil, mas não é, visto que falar sobre nós próprios nunca o é. Não sou mais nem menos que ninguém, e não gosto de quem acha que seja. O meu nome é o mais comum de todos, Maria. Embora pareça um nome simples e seja muito utilizado, cada Maria é diferente e eu não sou exceção. Sendo a rapariga mais alta da turma, considero-me, assim, uma rapariga alta, pelo menos para quem anda no 7º ano! Fisicamente, tenho cabelos castanhos, compridos e ondulados, mas prefiro utilizar o cabelo apanhado, com o famoso rabo-de-cavalo. Tenho os olhos negros, quase pretos, já me compararam até com uma coruja! Neste momento, sinto-me moderna porque uso aparelho, digo isto porque, pelo que dizem, está na moda. Psicologicamente, tenho um feitio que não é fácil, para além de preguiçosa sou muito teimosa. Sou boa amiga para quem meu amigo é; não guardo rancores nem mágoas de ninguém. Sou muito frontal, tudo o que tiver a dizer, digo. Com esta descrição até pareço uma rapariga explosiva, mas, na verdade, sou mais calada e mais tímida do que devia. Interiormente, toda a explosão acontece, por fora, nada demonstro. Resumidamente: esta sou eu, sem vírgulas nem acrescentos, simplesmente o verdadeiro “eu”! Maria Campelo, 7ºA

Página do Meu Diário Cinfães, 24 de Setembro de 2016 Querido Diário, As aulas este ano não são tão interessantes, pois a turma é diferente das que sempre tive. Da turma do ano passado só restamos oito, os outros alunos que eram da minha turma ficaram distribuídos por turmas diferentes. Não é que não goste dos meus novos colegas, mas tenho pena de, pelo menos o João, não ter ficado connosco, pois ele acompanhou -me sempre desde o 1º ano. Sabes? Eu não tenho a certeza se ele sente o mesmo, pois adaptou-se muito bem aos outros colegas… Hoje, cruzei-me no corredor com o meu professor de Matemática do quinto e do sexto. Perguntou-me se as aulas estavam a correr bem. Respondi-lhe que sim, mas não tão bem como no ano passado. Ele disse que no próximo período iriam correr melhor, porque sempre fui um bom aluno. Simpático, como sempre, o professor Óscar! Mas, voltando à turma e para terminar este assunto, tenho uma certa pena de não podermos continuar juntos. Afinal, fomos amigos tanto tempo, que sinto algumas saudades, agora. Olha, já me ia esquecendo, não posso ir jantar sem te contar isto: sabes que amanhã são postos à venda os bilhetes para o Porto vs Sporting, mas desta vez não posso ir. Já viste?! Logo eu, que não falho um clássico no Dragão!!! É verdade, nem quis acreditar quando o meu pai me disse que não podíamos ir! Infelizmente, o meu pai trabalha ao sábado e não tem como chegar a tempo ao jogo. Ai, se tu soubesses como eu gosto de ir ao Dragão, e como me faz bem aquele ambiente em dias de jogo! Mas, pelos vistos, vai ser diferente - tenho de ver na televisão, mas vai ser divertido na mesma, pelo menos, oxalá que o Porto ganhe! Agora já estou cansado. Vou brincar com o meu cão, mas acerca dele falo-te noutro dia - e olha que a história dele é bem interessante…! Lourenço Costa, nº 10, 7ºC

REVISTA

ESCOLAR


PÁGINA

16

Página do Meu Diário

Página do Meu Diário

22/12/2014 Querido diário, Hoje, vim de avião até ao lugar onde a minha mãe está a trabalhar. Para mim, este dia foi um dia marcante, porque me reencontrei com a minha melhor amiga! Já há dez dias que não a via. Ela partiu para a Suíça no dia 10 de dezembro, por isso eu estava ansiosíssima. Foi a primeira vez que tive esta experiência de a ter longe de mim. Mas hoje foi o meu dia de sorte, pois pude abraçá-la e dar-lhe beijinhos, outra vez. Faltam dois dias para a noite de Natal. O que seria o Natal sem a minha mãe? Seria o primeiro Natal sem a pessoa mais importante da minha vida! “Viva! Acabámos agora de aterrar! Mal posso esperar por ver os meus tios, para eles me levarem ao encontro da minha mãe” – pensei, à chegada. Não podia estar mais feliz!!! Quando vi os meus tios, fiquei muito feliz, porque gosto muito deles e já há algum tempo que não os via. Abracei, de tal maneira, a minha prima, que ela quase sufocava! Entretanto, entrámos no carro e seguimos para Aigle, onde moram os meus tios. Eu, o meu pai e a minha irmã fomos lá almoçar, só depois é que fomos para Nendaz, onde estava a minha mãe. Estava tão ansiosa por ver a minha mãe que não comi quase nada. Depois do almoço, os meus tios levaram-nos a Nendaz. Estava tão agitada e contente, que nem conseguia falar com tanta ansiedade! “Chegámos”- disse eu ao meu pai. Subimos as escadas do prédio onde morava a minha mãe. Quando a vi, nem hesitei um segundo: corri e abracei-a com tanta força que ela quase caía…! Este momento foi muito emocionante! Chorei de alegria! Este foi, com certeza, um dos dias mais felizes da minha vida! Nunca o esquecerei! Carolina Rodrigues, nº 3, 7ºA

Eu Sou uma Nuvem … Eu sou uma nuvem porque gosto de ar puro… Porque sofro as transformações da vida… Porque amo a natureza… Porque sou livre… Porque também choro… Porque sou sonhador… Porque, por momentos, sou leve, suave e macio… Porque gosto de voar… Porque há dias em que escureço o meu céu… Porque também me apaixono pelo sol… Porque me deixo levar pelas coisas boas… Porque tenho um bom e fiel vento para me guiar… Porque gosto de ir com os ventos…! 8º B – Texto coletivo (Português) REVISTA

ESCOLAR

PÁGINA

17

Cinfães, 23 de janeiro de 2017 Querido Diário, Hoje foi um dia muito especial: o aniversário do meu pai! Tudo começou há uma semana quando eu e a minha mãe decidirmos fazer-lhe uma festasurpresa. Fizemos uma lista de convidados, escolhendo os seus verdadeiros amigos, aqueles que têm estado com ele nos bons e maus momentos, alguns desde a sua infância. A minha mãe começou por lhes telefonar para os convidar, dizendo-lhes o dia, o local e a hora, sem esquecer uma coisa muito importante: guardar segredo! Isto era o principal para tudo dar certo! Depois, pensámos fazer um PowerPoint com os momentos mais marcantes da vida do meu pai. Achámos uma brilhante ideia! Decidimos meter mãos à obra! Tivemos muito trabalho, porque foi necessário digitalizar fotos mais antigas, cortar, recortar, copiar, colar, etc. Tudo isto durou até muito perto da hora do jantar, sempre com um “friozinho” na barriga, sem sabermos se iria dar certo. Enquanto nós andávamos atrapalhados com o trabalho, víamos o meu pai cada vez mais triste, porque nenhuns dos amigos que ele convidava para comer uma fatia de bolo aceitava o convite. Mas, por outro lado, como hoje é segundafeira, um dia normal de trabalho, ele compreendeu… Aproximou-se a hora do jantar e, nem imaginas, meu diário, o esforço que eu fiz para ele não entrar em casa! Fui ter com ele à garagem, pedi-lhe para não subir e demorei-o algum tempo porque, o que ele não sabia, é que era hoje que nós íamos jantar fora. Quando a minha mãe desceu para se juntar a nós e lhe disse que tínhamos que sair, ele estranhou, mas concordou. Lá o fomos orientando para chegarmos ao restaurante. Durante a tarde fui lá deixar o bolo, o projetor e o computador. Sabes, quando chegámos, as luzes estavam todas desligadas e todos os amigos escondidos. Entrámos e, de repente, todos lhe cantaram os parabéns! A cara do meu pai era um misto de felicidade e espanto - todos aqueles que haviam recusado o seu convite estavam ali presentes! Comemos, assistimos ao PowerPoint que muito o emocionou e cantámos os parabéns. O dia está a terminar tarde, mas vai ficar inesquecível nas nossas memórias. Hoje, senti que contribui para a felicidade que o meu pai traz no rosto. Rui Barbedo, nº 15 , 7ºC

Falando de Mim… Sou uma pessoa simples, costumo usar roupa confortável e sapatilhas. Tenho o cabelo meio ruivo, sardas e olhos castanhos-claros. Não sou gorda, mas magra também não; a minha professora de ballet diz que sou musculada, mas acho que, para uma rapariga que dança ballet como eu, devia ser ainda mais. Mas, apesar disso, sinto-me bastante bem com o meu corpo. Não tenho o hábito de confiar muito nas pessoas, gosto de me dar bem com toda a gente, mas nem sempre confio. Acho que não sou uma adolescente com a vida facilitada nem muito feliz. Principalmente, desde que o meu pai faleceu. Desde aí, fecho-me muito, e deixei de gostar de conviver com outras pessoas. Sou um pouco tímida, gosto de ter o meu mundo, o mundo da dança, da música, dos meus sonhos, das minhas “parvoíces”, das minhas paixões, das minhas recordações, dos meus sentimentos. Não gosto de confusões, nem do meu feitio. Às vezes, sou irritante e magoo as pessoas. Já tentei mudá-lo várias vezes, mas é impossível, pois já faz parte de mim mesma. Gosto de estudar e tirar boas notas, pois pretendo ir estudar para a Royal Academy of Dance, em Londres, e tenho de ser boa aluna. Por norma, fico “de pé atrás” com algumas pessoas, pois, digamos, que tenho um “sexto sentido” bastante apurado, e consigo perceber quando as pessoas me estão a mentir ou a ocultar algo. Às vezes sinto-me diferente, ou até mesmo “anormal”, não sou parecida com ninguém, e acho que ninguém me entende, e isso faz com que me afaste um pouco das pessoas. Gosto de passar despercebida. Se pudesse tornava-me invisível. Acho que isso me facilitava a vida. Quando alguém me magoa, guardo a mágoa só para mim, não conto a ninguém, apenas ao papel, que considero o meu melhor amigo, pois é ele quem me alivia as maiores dores que sinto. Há dias em que não me apetece falar com ninguém, apenas estar na sala de ballet a dançar, a ouvir as músicas mais tristes, a chorar ou a escrever. Muita confusão baralha-me, muitas pessoas sufocam-me, pessoas a falarem sobre mim atrapalham-me. Por isso, prefiro ter o meu mundo. Gosto de ter amigos e, dos poucos que tenho, acho que todos são verdadeiros, o que é um grande conforto! E este é o meu autorretrato! Beatriz Rodrigues, Nº2, 7ºA


PÁGINA

18

As Nossas Leituras

CURIOSIDADE Sophia de Mello Breyner Andresen nasceu no Porto a 6 de novembro de 1919 e faleceu em Lisboa a 2 de Julho de 2004. Foi uma das mais importantes poetisas portuguesas do século XX. Foi a primeira mulher portuguesa a receber o mais importante galardão literária da língua portuguesa,o Prémio Camões, em 1998. O seu corpo encontra -se no Panteão Nacional, desde 2014. A sua produção literária abrange, sobretudo, a poesia e o conto e faz parte dos programas escolares.

O livro O Cavaleiro da Dinamarca, de Sophia de Mello Breyner Andresen, encantoume particularmente, pois transmite uma mensagem que, para mim, é preciosa: mesmo que tenhamos que passar por muitas adversidades, devemos cumprir as nossas promessas para não desiludirmos quem mais nos ama. O que mais me agradou na narrativa foi o facto de o Cavaleiro honrar sempre a sua palavra, recusando convites tentadores para ficar noutras cidades completamente diferentes da sua terra. O Cavaleiro, para além de ser generoso, é também altruísta, uma vez que pensa mais nos outros do que nele próprio, sendo o exemplo de Homem que todos deveríamos ser. É surpreendente o exemplo que nos dá: é íntegro e bom, porém, na sua oração da noite de Natal, na gruta de Belém, pede para ser sempre melhor para todos os que o rodeiam. Com este livro, aprendi que são sobre-

Pais e Filhos Mãe - Trabalho o dia inteiro Não tenho tempo p’ra nada Tenho falta de dinheiro E vivo desconsolada.

Filho 2 - Mãezinha, eu já cheguei E já me pus a pensar Não conheço outra lei Senão aos filhos tudo dar.

Mãe - Ó filho, eu não percebo onde queres chegar Se não pagar a quem devo À cadeia vou parar.

- Chega a conta de água e luz Todos os meses p’ra pagar E a casa não produz Para os gastos suportar.

- Também quero um telelé Porque o meu já está velho Hoje a vida é como é Os outros são nosso espelho.

- Os meus filhos querem tudo Não há ninguém que não queira Vinda a idade, contudo, Pensarão doutra maneira.

- Que vai ser da minha vida Em tal situação Sou uma mulher perdida Em busca de solução.

- Se não tens possibilidade Procura um crédito bancário Porquê tanta ansiedade? É um procedimento diário.

Assim, recomendo a leitura deste livro, porque tem uma história belíssima com muitos ensinamentos que nos ajudarão a superar algumas dificuldades da vida. Por outro lado, a escritora descreve tudo de forma tão bela, rica e pormenorizada, que nos consegue transportar para dentro da história.

- Tenho marido e canalha E despesa permanente O marido não trabalha Por se encontrar doente.

- Pede primeiro, depois paga Eu sou um bom conselheiro Há muita gente sem nada Que assim consegue o dinheiro.

- Se ao menos os meus filhos Tivessem compreensão Evitaria os sarilhos Desta triste condição.

- Arranja cartão de crédito Que é dinheiro de plástico Assim resolves o débito Com um remédio fantástico.

Filha - Ó mãezinha, porque choras? Porque te caem as lágrimas? Tu não vês que já são horas De acabar com essas lástimas!

Mãe - Oh que triste sina a minha Mulher desafortunada Que vive triste e sozinha E muito endividada.

- Estou a chegar da escola Vamos àquilo que interessa Só vou pousar a sacola Atende-me que tenho pressa.

Filho 3 - Eu também quero um Nintendo P’ra jogar o dia inteiro Ó mãezinha, eu não entendo Para que queres o dinheiro.

Carolina Madureira, nº 4, 7º A

Sou da serra! Sou serrana! Em granito esculpida! Feita de rocha firme, Mas com uma lágrima escondida! Foi neste horizonte imenso, Que despertei para a vida.

Protegida pelas gentes, Puras, simples e afáveis, Cresci a pensar que o mundo, Era uma sucessão de factos intensos e… agradáveis.

REVISTA

ESCOLAR

19

tudo as nossas atitudes, no dia-a-dia, que nos fazem ser quem somos, que nunca nos devemos contentar com aquilo que somos, pois podemos e devemos ser sempre pessoas ainda melhores; aprendi que devemos sempre tentar cumprir as nossas promessas e deveres, porque não podemos deixar de pensar em quem nos ama e em quem nos quer ver fazer o melhor para o bem de todos. Aprendi, também, que há certos desejos que não custam a realizar, mas que devemos pensar nas consequências que poderão trazer. Há certas ocasiões em que a vida nos põe à prova, e é nesses momentos que não devemos perder a esperança nem a força… também o Cavaleiro, quando regressou a casa, estava tão perto e quase perdeu a esperança, mas os anjos guiaram-no.

Serranias

Guardo na minha memória, Lembranças felizes da infância. Quando os dias decorriam, Entre urzes e carquejas, Que libertavam nos ares, A sua intensa fragância.

PÁGINA

Puro engano! Grande logro! À medida que crescia, Iam ficando para trás os bailaricos da aldeia, Os saudáveis convívios! E, a paleta de cores todos os dias se esbatia! Sei agora que aquele tempo, Que não consigo esquecer, Serviu para me ensinar, Que tudo é impossível …. Até acontecer! Prof.ª Isabel Casarões

- Preciso de um computador E também de uma consola Mostra que me tens amor Ou me passo da carola. - Tenho colegas e amigas Que têm coisas melhores Ó minha mãe, não me digas Que tenho de ser das piores. Mãe - Ó minha filha querida, Não te queria dizer não, Mas as circunstâncias da vida Levam-me à ponderação.

- Compra-me já um tablet Que me está a fazer falta Para ir à internet Comunicar com a malta. - Tu só pensas em poupanças Não olhas para os meus gostos Minha mãe, diz às Finanças Que te perdoem os impostos. - Se queres ter sempre dinheiro Para as minhas aventuras Organiza um mealheiro E não pagues as faturas

- Ó meus filhos, pensai bem Assim como os demais Não peçais aos vossos pais Aquilo que eles não têm. - Poupar, poupar e poupar Nem que seja um vintém É o futuro acautelar Nunca fez mal a ninguém. Os três filhos - A nossa mãe tem razão Gerir a casa é seu lema Como vamos nós então Resolver o problema? - Vamos, pois, refletir. E procurar a solução Pr’a nossa mãe ajudar Vamos tentar conseguir E p’ra mostrar boa lição Havemos de cá voltar. Prof. Mário Crescêncio


PÁGINA

20

Breve Apontamento Demográfico sobre Cinfães

A demografia (ciência que se dedica ao estudo da população) está na ordem do dia! Todos os dias são dadas a conhecer notícias sobre esta temática: natalidade, mortalidade, envelhecimento populacional, despovoamento do interior, emigração… constituem termos com que as pessoas cada vez mais se vão familiarizando. Não há dúvidas que o conhecimento sobre a realidade populacional é fundamental para a correta tomada de decisões por parte das entidades com competências governativas (desde a escala nacional até à escala da freguesa). ANOS

Natalidade

Mortalidade

Crescimento Natural

2011

165

212

- 47

2012

135

224

- 89

2013

140

242

- 102

2014

131

253

- 122

2015

123

232

- 109

2016

155

225

- 70

Desde a crise económico-financeira que tomou conta do país em 2010 que se têm vindo a agudizar os problemas demográficos do país. Como sabemos, qualquer crise financeira tem implicações a nível social. Cinfães não foge à regra. Concelho localizado numa zona deprimida do Interior, com os constrangimentos que se conhecem, não é de estranhar que a regressão demográfica seja, também aqui, bem evidente. Analisando o número de nascimentos verificados desde o ano 2011 (dados do INE), é patente a redução verificada a este nível até 2015.

Fonte: INE e Pordata Contudo, o ano 2016 marca uma viragem na tendência regressiva: o aumento da natalidade no ano passado em relação a 2015 é significativo! Se em 2015 apenas se registaram 123 nascimentos, em 2016 o valor da natalidade foi o maior dos últimos cinco anos: 155!!! No entanto, com um número de óbitos ANOS Índice de Enve- População com menos de População com mais de anual superior a 200 indivíduos, o lhecimento 15 anos (%) 64 anos (%) crescimento natural de Cinfães 2011 140 14,7 20,6 tem vindo a ser continuadamente negativo. 2012 145 14,3 20,8 Um outro indicador demográfi2013 150 14,1 21,1 co bastante utilizado para uma correta caraterização da realidade 2014 154 13,9 21,4 demográfica dos territórios é o 2015 161 13,5 21,8 índice de envelhecimento (a relação entre a população idosa e a população jovem). Aqui, os dados disponibilizados pelo INE apenas vão até 2015. Indo de encontro ao que se passa no país, em Cinfães, o número de idosos por cada 100 jovens não tem cessado de aumentar. Esta evolução é consequência da quebra registada no número de jovens e do aumento gradual da esperança média de vida, o que leva a um aumento da população idosa. Aliás, analisando a proporção de população jovem na população total é visível a mesma tendência regressiva: a população com menos de 15 anos representava, em 2015, apenas 13,5% da população a residir em Cinfães. Pelo contrário, a população idosa não pára de aumentar. Convém esclarecer que esta tendência demográfica não é exclusiva de Cinfães. Bem pelo contrário! Excetuando alguns concelhos do litoral, nomeadamente os situados nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto, a grande maioria dos 308 concelhos de Portugal registam a mesma realidade da verificada em Cinfães: a natalidade a diminuir, a proporção da população jovem em declínio, o aumento do envelhecimento populacional… Aliás, a realidade demográfica cinfanense nem é das piores. Apesar das fragilidades socioeconómicas próprias de Cinfães, o declínio verificado no número de nascimentos não é tão gravoso como o registado em muitos outros concelhos do Interior! E o ano 2016, com o aumento da natalidade, dá claros sinais de esperança!!! Há que saber enfrentar o panorama demográfico atual, não como uma fatalidade, mas sim como um desafio. A adoção de políticas de cariz natalista e de proteção das famílias mais carenciadas que têm filhos constituem decisões políticas que visam proporcionar uma melhoria nas condições de vida das populações locais, ao mesmo tempo que desempenham um papel fundamental para continuar a manter este território como sustentável em termos demográficos. O “Inverno demográfico” que tomou conta da Europa (e consequentemente do nosso país) há já vários anos tem de ser encarado de frente. Cabe ao poder político (central e local) dar o sinal de esperança. Entretanto, há que valorizar o que aconteceu em 2016, onde se registou um aumento considerável da natalidade em Cinfães. É uma boa notícia e que permite pensar que a interioridade não tem de ser uma fatalidade. De facto, Cinfães tem um conjunto de potencialidades (a nível agrícola, da criação de gado, da silvicultura e do turismo) que, efetivamente, desenvolvidas de forma sustentável irão proporcionar melhores condições de vida à população local… Pedro Peixoto (Prof. de Geografia) REVISTA

ESCOLAR

Notícias do Centro Qualifica

PÁGINA

21

Com a entrada em vigor em 1 de janeiro de 2017 da Portaria nº 232/2016, de 29 de agosto, o Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional do Agrupamento de Escolas General Serpa Pinto (CQEP) extingue-se para dar lugar ao Centro Qualifica (CQ), dando continuidade ao trabalho desenvolvido no âmbito da qualificação de adultos. Em jeito de balanço do trabalho realizado nos últimos tempos, e no que diz respeito aos resultados monitorizados pela ANQEP I. P. no período compreendido entre 1 de outubro de 2015 e 31 de dezembro de 2016, o CQEP alcançou as metas contratualizadas com uma percentagem de execução superior a 50% em todas as etapas, nomeadamente “inscritos”; “encaminhados”; “em processo de RVCC e “certificados”. De salientar que a percentagem de execução ao nível dos “certificados” foi de 106,9%, correspondente a 62 certificações, 39 do nível básico e 23 do nível secundário. No intuito de continuar com o trabalho feito até então, o coordenador do CQEP na pessoa do Professor Mário Teixeira e a sua equipa técnico-pedagógica têm realizado sessões de sensibilização e esclarecimento sobre as ofertas de educação e formação profissional disponíveis, sobre a relevância da aprendizagem ao longo da vida junto dos diferentes públicos que residem, trabalham ou estudam na nossa área de intervenção, nomeadamente nas Escolas Básicas de Cinfães, Nespereira, Piães, São Cristóvão e na Santa Casa da Misericórdia de Cinfães. Presentemente estão a decorrer processos de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências, tanto para o nível básico (9º ano) como secundário (12º ano) nas seguintes localidades: São Cristóvão, Oliveira, Nespereira, Cinfães e Resende. Como forma de nos mantermos atualizados e unirmos sinergias em prol de uma melhor educação e formação de adultos, a equipa técnico-pedagógica tem estado presente nos seguintes eventos: reunião dos CQEP’s da CIM do Tâmega e Sousa (Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa), realizada na Escola Secundária de Lousada; seminário “Territórios em Rede para a Qualificação” realizado no Auditório da CEPSU em Vila Nova de Famalicão; seminário “Educação Permanente e Aprendizagem ao Longo da Vida. Que valorização?”, promovido pelo CQEP do Agrupamento de Escolas de Pinheiro, e na reunião da CIM do Tâmega e Sousa, realizada na Escola Secundária de Penafiel, no âmbito do Plano Integrado e Inovador de Combate ao Abandono Escolar e Promoção do Sucesso Educativo. Seja qual for o quadro normativo, o Agrupamento de Escolas General Serpa Pinto, pretende continuar a apostar na educação e formação de adultos, proporcionando à população residente em Cinfães e Resende a possibilidade de aumentar os seus níveis de escolaridade e consequentemente a valorização pessoal e profissional das mesmas.


PÁGINA

22

Prevenção Rodoviária

“A Secção de Programas Especiais do Destacamento Territorial de Lamego, no dia 25 de outubro, realizou duas ações de sensibilização, relacionadas com a temática “Prevenção Rodoviária”, para os alunos do Jardim-de-Infância e do 1.º Ciclo do Centro Escolar de Oliveira do Douro-Cinfães, com o objetivo de sensibilizar os alunos para o cumprimento das regras de segurança quando circulam na via pública, a pé, de bicicleta e, também, quando são passageiros de automóveis e de transportes públicos. Prof. José Sousa Coordenador do Clube da Proteção Civil

Torneio Rummikub

PÁGINA

23

Inserida nas atividades de encerramento de final do primeiro período letivo, e no âmbito do plano de atividades do grupo disciplinar de Matemática da Escola E.B. 2,3 General Serpa Pinto, realizou-se, no dia 16/12/2016, o Campeonato de "Rummikub", coordenado pela Professora Ana Berta Póvoa. Após a fase de eliminatórias, realizou-se a final, que foi vencida pelo aluno Frederico Ferreira, do 9ºB. Esta atividade teve uma adesão muito elevada por parte dos alunos, participando, na mesma, aproximadamente 80 alunos como jogadores, e 9 alunos como juízes do campeonato. De modo a tornar os alunos mais pró-ativos e responsáveis pela realização deste tipo de atividades, o papel de juízes e parte da organização da atividade ficaram a cargo de alguns alunos do nono ano, que se voluntariaram para tal. De referir ainda que, na era da globalização em que vivemos, a realização deste tipo de atividades, em que os alunos aprendem e desenvolvem capacidades e destrezas matemáticas através de atividades lúdicodidáticas, reveste-se de extrema importância, porque permite aos alunos melhorar os seus resultados escolares, não só nesta disciplina, mas também nas restantes, permitindo também aumentar a velocidade e capacidade de raciocínio lógico-dedutivo, bem como a motivação e interesse pelas atividades escolares propostas e o próprio gosto pela escola. Profª Ana Berta Póvoa

REVISTA

ESCOLAR


PÁGINA 26 PÁGINA 26

Numeracy @ English

Mensagem da Consultora Externa

Em jeito de balanço, sonhando com as férias que já sorriem para nós... Caros Amigos: Aproxima-se o final de mais um ano letivo, que já começa a "deixar saudades"...! ...Momentos de trabalho intenso, de convívio estreito, de interações a nível intraescolar e, em crescendo, a nível extraescolar, caminhando-se - devagarinho - para um verdadeira Comunidade Educativa. ...Momentos de construção, desenvolvimento e avaliação conjunta de projetos, processos e produtos... ...Momentos de análise, reflexão, balanços, melhorias, nos quais se partilham os sucessos - com alegria; as incertezas - com espírito atento e proativo; e as dificuldades/momentos menos bons com incentivo, estímulo e determinação. Neste contexto, cabe-me felicitar, vivamente, o profissionalismo, dedicação e "polivalência" dos diferentes atores educativos em serviço na Escola, que, através da sua ação individual, setorial e /ou coletiva - ajudam a promover o bem-estar, alegria e segurança dos alunos, contribuindo para o seu desenvolvimento como pessoas - a nível dos "saberes académicos", "Saber ser", Saber estar", "saber fazer", "saber viver em relação com os outros"... Com um até breve... , deixo aos alunos, pais, Conselho Geral, Direção, professores, técnicos, auxiliares de ação educativa, assistentes administrativos e demais colaboradores, uma saudação muito calorosa e grata, com votos de umas férias reconfortantes. Tem sido muito gratificante colaborar estreitamente, há já 7 anos, como Consultora Externa de um Agrupamento com um clima e cultura Organizacionais tão positivas e promotoras de sucesso… Dr.ª Engrácia Castro

Mobilidades Internacionais Sendo esta uma escola dinâmica e empreendedora, vocacionada para a promoção da cidadania europeia, esta tem vindo a candidatar-se a vários projetos de mobilidade de professores e de alunos. Um dos principais objetivos destes projetos é a construção de uma identidade europeia de forma a chegar à compreensão da multiculturalidade como fator de desenvolvimento individual e coletivo, e à aquisição de competências linguísticas e interdisciplinares, essenciais na promoção do sucesso educativo no contexto e exigências do séc. XXI. Um dos projetos de mobilidade intitulado “Numeracy@ English”, integrado no programa Erasmus+, é constituído por 9 escolas de 8 países: a nossa escola E B 2,3 de Cinfães (escola coordenadora), uma da Croácia (Cakovec), uma da Letónia (Liepaja), uma de Espanha (Ilhas Canárias), uma de França (Besançon), uma da Itália (Luca), outra da Polónia (Brodnica) e duas da Irlanda do Norte (Belfast). Este ano letivo, foi realizada uma reunião transnacional de aprendizagem em Lucca, Itália, de 14 a 19 de maio. Em representação da nossa escola, estiveram presentes o professor Paulo Vasconcelos, que é o Coordenador do projeto, e as professoras Mónica Ferreira e Helena Botelho. O outro projeto Erasmus+ tem a designação de “Emotional Intelligence as the Key to Child’s Success” e é composto pelos seguintes países: Portugal, Espanha, Chipre, Islândia, Irlanda do Norte, Itália, Bulgária e Polónia. No âmbito deste projeto, realizaram-se este ano letivo dois encontros: um primeiro, em Varna, Bulgária, em Janeiro, no qual estiveram presentes as professoras Dulce Pereira e Dora Ferreira, e um segundo, no mês de maio, em Mérida, Espanha, com a presença dos professores Dulce Pereira, Cristina Marques, José Sousa e Pedro Peixoto. Prof.ª Helena Botelho REVISTA

ESCOLAR

PÁGINA

27

Sob a égide dos Projetos Erasmus +, ocorreu entre os dias 5 e 12 do pretérito mês de novembro, mais um Encontro do Projeto NUMERACY @ ENGLISH com os parceiros oriundos da Croácia, Espanha, França, Irlanda do Norte (Ligoniel e Saint Vicent de Paul), Itália, Letónia, Polónia e Portugal. Desta feita os elementos que representaram Portugal foram o Sr. Diretor Manuel Pereira, o Coordenador do Projeto Paulo Vasconcelos e quatro professoras. O IV Encontro ocorreu na Letónia, país que majestosamente, estendeu um manto de neve fofa para nos receber, surpreendendo não só os visitantes como até os naturais, que não a esperavam por essa altura do ano. A sensação térmica era abaixo de zero, mas isso era sobejamente compensado com a brancura da neve que cobria tudo e emprestava às paisagens uma beleza digna de postais ilustrados. A primeira cidade que calcorreámos e que nos cativou foi Riga. De lá fomos de autocarro para Liepäja, onde nos instalámos. O trajeto entre Liepäja e a Escola em Kaletu foi feita, de autocarro e nos cerca de trinta minutos que gastávamos a paisagem conseguia surpreender-nos apesar da constante brancura, ora eram uns veaditos que se vislumbravam ao longe, ora era uma quinta bem cuidada a perder-se na vasta planície, ou então, um conjunto de plantas com maçãs vermelhinhas a sobressaírem na brancura da paisagem e deixadas, propositadamente, para os veados…enfim, tudo era de uma beleza singular. A associar a esta beleza inebriante houve a atenção cuidada e o calor avassalador dos anfitriões que, em momento algum, nos deixou sentir deslocados, desenraizados num país estrangeiro. Não esquecendo o confirmar e cingir dos laços criados com os parceiros ao longo dos encontros prévios e que iam tornando cada dia um dia mais especial que o anterior. Foi uma semana assoberbada! Para além dos diversos workshops (Música, Expressões, Matemática), houve várias reuniões, apresentações de trabalhos realizados por cada um dos países parceiros, apresentações essas foram feitas tanto pelos alunos como pelos professores dos países presentes. Esses trabalhos, uns foram “trabalhos de casa”, concretizados em cada país, outros foram produzidos durante a semana. Houve visitas a turmas nas quais assistimos a aulas e tomámos contacto com o Sistema Educativo Letão. E cada país, ainda teve à sua responsabilidade uma turma para desenvolver um tema, dando uma aula, interagindo com os alunos. Foi uma semana recheada de pontos altos na qual se observou partilha de culturas, de saberes, e de sabores; encontros com individualidades locais; visitas e passeios/visitas guiadas por pontos e edifícios interessantes e parques idílicos; …foi uma semana ocupada, mas temperada com amizade e boa disposição. Prof.ª Margarida Barbosa


PÁGINA

32

PÁGINA

Consumer Talks – Gerir € Poupar Decorreu no passado dia dois de novembro de 2016, no Agrupamento de Escolas General Serpa Pinto (AEGSP) de Cinfães – Biblioteca Escolar, a sessão Consumer Talks – Gerir € Poupar, dinamizada pela coordenadora do projeto de Educação Financeira e Tributária, professora Ana Gören.

Três Dicas sobre a Poupança Não digas, escreve! Não chega dizeres para ti próprio: “tenho tudo controlado” Um orçamento só funciona se for escrito. Antes de pagares a outros, paga a ti próprio primeiro! A poupança é fundamental para assegurares a tua segurança financeira. Deves encará-la como uma despesa, uma despesa com o teu futuro. Regista-a no topo da lista de prioridades, antes das restantes despesas.

A sessão contou com a presença da oradora Dr.ª Ana Passos, especialista na área financeira e membro do gabinete de apoio ao sobre-endividamento da Associação para a Defesa do Consumidor – DECO. Esta sessão teve como destinatários os alunos do oitavo ano de escolaridade e alunos do curso de educação e formação. As Consumers TALKS têm como objetivo informar os alunos sobre os temas de consumo, promovendo o debate e discussão para decisões mais conscientes, responsáveis e sustentáveis aos desafios impostos pela sociedade. A sessão permitiu aos nossos alunos compreender a diferença entre o necessário e o supérfluo, relacionar despesas e rendimentos, avaliar os riscos e incertezas no plano financeiro; caracterizar os meios de pagamento, compreender o funcionamento do sistema bancário e financeiro; saber o que é a poupança e quais os seus objetivos; compreender a importância da ética nas questões financeiras; saber que existem direitos e deveres relativamente a questões financeiras e evidenciar a relevância do planeamento a médio e longo prazo.

Atenção aos pequenos gastos! Muita gente concentra a sua atenção nas despesas importantes e despreza os pequenos gastos. Contudo, despesas diárias de poucos euros, ou até cêntimos, podem representar, ao fim de um mês, uma soma importante, capaz de desequilibrar o orçamento.

Prof.ª Ana Gören Coordenadora do projeto de Educação Financeira e Tributária

33

Projeto de Educação Financeira vence Prémio O Agrupamento de Escolas General Serpa Pinto (AEGSP) de Cinfães foi vencedor do prémio especial do júri da 5ª edição do concurso nacional “Todos Contam”- ano letivo 2016-2017. Este concurso distingue anualmente os melhores projetos de Educação Financeira a implementar nas escolas em cada ciclo de ensino, desde o pré-escolar até ao ensino secundário. O desafio é uma iniciativa do Conselho Nacional de Supervisores Financeiros, Banco de Portugal, Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões e do Ministério de Educação através da Direção Geral de Educação e da Agência Nacional para Qualificação e do Ensino Profissional. A entrega do prémio ocorreu no dia dois de novembro de 2016, na Escola Secundária da Amadora e contou, entre outros, com a presença do Secretário de Estado da Educação, Professor Doutor João Costa e a presidente do júri e exministra de educação, Dr.ª Isabel Alçada. Neste prémio é reconhecida a excelência do projeto apresentado pela professora Ana Gören, bem como o empenho e o esforço que o AEGSP tem dedicado à educação financeira junto dos alunos ao longo dos cinco anos de existência do concurso “Todos Contam”. É de destacar que é pela quarta vez que o AEGSP é premiado. Uma das novidades do projeto é a articulação entre a educação financeira e tributária. O projeto está estruturado de tal forma, que permitirá aos nossos alunos obter uma visão integradora dos diferentes conceitos presentes no âmbito da educação financeira, a nível da microescala, como por exemplo, a gestão da semanada ou do orçamento familiar que serão aplicáveis e interpretáveis a nível da macroescala, como por exemplo, a gestão do orçamento escolar, da autarquia ou do país. Pretende-se assim transmitir aos nossos alunos uma visão integradora dos diferentes conceitos implícitos na educação financeira e tributária, e sensibilizá-los para a importância do Estado como regulador e promotor de uma maior justiça social, podendo cada um dos membros da comunidade educativa (aluno, funcionário, professor e encarregado de educação), na sua esfera de ação, com cidadania e responsabilidade, dar o seu contributo para essa meta tão nobre. Prof.ª Ana Gören

Desporto Escolar Em Jeito de Balanço

Chega ao fim mais um ano pleno de competição, nas diversas modalidades. Todos os grupos-equipa tiveram um comportamento meritório, quer do ponto de vista desportivo, quer social, razão pela qual a escola se deve sentir orgulhosa dos seus alunos/desportistas. Dos resultados propriamente ditos, há a destacar o 1º lugar alcançado pelas grupos de Basquetebol Infantis B Feminino e de Futsal Infantil B Masculino. No próximo ano letivo, voltaremos a contar contigo …

REVISTA

ESCOLAR

Prof. Manuel Marques


PÁGINA

34

Clube Ciência Viva na Escola

Curso CEF Cozinheiro

PÁGINA

35

Somos uma turma constituída por vinte e quatro elementos. Temos ambições, objetivos e projetos, como todos os nossos colegas do Agrupamento de Escolas General Serpa Pinto, Cinfães.

Ao longo do ano letivo, estão a ser desenvolvidas diversas atividades práticas e laboratoriais no Clube Ciência Viva. As atividades dinamizadas visam despertar o interesse pela Ciência, sensibilizar os alunos para a relevância da Ciência na interpretação dos fenómenos do dia-a-dia, promover a interdisciplinaridade e desenvolver o espírito crítico e criativo. Como exemplos de atividades desenvolvidas podemos enfatizar: a aventura CSI; a sublimação do iodo; o chá em caixas de papel; o lançamento de foguetes; os enfeites da árvore de Natal do presépio químico; a extração e separação de pigmentos fotossintéticos por cromatografia; a construção de um submarino; a observação do espetro de absorção da clorofila; os processos de separação de misturas por cristalização; a construção de um submarino. Com o objetivo de envolver a comunidade educativa, o clube dinamiza um painel onde são expostos cartazes construídos pelos alunos relativos a algumas atividades desenvolvidas no clube, bem como informação pertinente no âmbito das Ciências Naturais e Físico-Químicas. Alunos e professores do Clube Ciência Viva

Frequentamos o primeiro ano do Curso de Cozinheiro e terminaremos o nosso percurso escolar, no próximo ano letivo. Vindos de outras turmas e mesmo de outras escolas, optamos por este curso, sobretudo, pela componente prática que ele nos oferece – a formação na área de cozinha. Cremos que, a nível profissional, teremos algumas garantias.

Impressões digitais

Pigmentos fotossintéticos (cromatografia)

Cristais de sulfato de cobre

Alimentação Saudável

No Dia Mundial da Alimentação, os encarregados de educação prepararam, na cantina da nossa Escola, umas deliciosas espetadas de fruta fresca com maçãs, morangos e ananás, que comemos com chocolate quente. Veio também, do Centro de Saúde de Cinfães, a enfermeira Letícia Silva para falar acerca dos bons hábitos alimentares. Ficámos curiosas e fomos à Biblioteca Escolar (BE) procurar livros sobre os alimentos saudáveis. A Biblioteca Escolar tem livros com histórias onde aprendemos que a alimentação é importante para a nossa saúde. Sabias que há alimentos que protegem os dentes? Pois é! Os alimentos como o queijo, o leite, a fruta e os hortícolas fazem bem aos dentes. Então, na BE fizemos três longas tiras coloridas para a Cantina da Escola. As tiras foram feitas em cartão e pintadas por nós. Na tira verde, colámos uma cara redonda sorridente com as palavras “Todos os dias” e os nossos colegas desenharam alimentos e lá colámos: um grande copo de água, frutos secos, frutas, hortícolas, leguminosas, peixe, leite, pão escuro e um frango. Depois fizemos o mesmo com a tira amarela, mas com uma cara também redonda mas já menos alegre, com as palavras “Alguns dias”, e foram desenhados e colados: cereais para o leite, pão de forma, bolachas maria e bolachas de água e sal. Finalmente, a tira vermelha, com uma cara triste, com dentes partidos e estragados e com as palavras “Dias de Festa”, e os alimentos: chocolates, batatas-fritas, coca-colas, gomas, gelados, queques e bolachas com chocolate. Agora, os nossos colegas do Jardim-de-Infância, e os do 1.º ao 4.º ano, e também os encarregados de educação, quando vão à Cantina almoçar, veem e ficam bem informados! Filipa Sequeira e Lara Silva, 4.º Ano Escola Básica de São Cristóvão REVISTA

ESCOLAR

Em geral, somos uma turma feliz. Procuramos ajudarmo-nos uns aos outros, dentro e fora dos espaços de trabalho, e participamos em muitas atividades, em conjunto, tal como aconteceu na Ceia de Natal, na Feira de São Martinho e nas Janeiras. Evidentemente que existem alguns conflitos, mas temos uma equipa de professores e/ou formadores que nos ajuda, todos os dias, a alcançarmos bons resultados escolares, bem como a resolver os nossos problemas pessoais. Neste ponto, assumimos que os conselhos dos professores e/ou formadores têm sido sempre fundamentais. O GAAF também detém um papel primordial, no que se refere à nossa conduta. Em suma, todos, a seu modo, nos tentam orientar para sermos melhores, hoje, do que o que fomos, ontem. Sem desprimor para nenhum docente desta escola, salientamos o papel do nosso Chefe de Cozinha pelos saberes imensos que partilha connosco. Somos ainda gratos pela sua infinita disponibilidade e gigante dedicação, nas inúmeras atividades que desenvolvemos com ele. Por tudo o que acabamos de expor, sentimo-nos orgulhosos e cheios de coragem para continuarmos a evoluir, em termos pessoais e sociais, tal como percebemos, claramente, nas sessões de formação que tivemos do Projeto Eira. Deveria ser possível para os nossos colegas poderem beneficiar destes momentos muito ricos de formação. Para terminar, acreditamos ser capazes de conseguir obter o sucesso pelo qual estamos, diariamente, a lutar. A turma CEF Cozinheiro 1º ano


PÁGINA

37

Diretor Manuel Pereira participa, em Edimburgo, em Cimeira Internacional

De 29 a 31 de março, teve lugar a 7ª Cimeira Internacional denominada “International Summit on the Teaching Profession”, que teve lugar na Escócia, na qual participou, a convite do Ministério da Educação o nosso Diretor, Dr. Manuel Pereira. A comitiva portuguesa, composta por sete elementos, contou, para além do diretor Manuel Pereira, com a presença de outras figuras de proa ligadas ao mundo da educação, nomeadamente a Srª Secretária de Estado, Drª Alexandra Leitão, e a Srª Diretora da DGAE, Drª Luísa Oliveira. Portugal foi convidado a participar, pela primeira vez, nesta cimeira, em resultado da melhoria substancial alcançada nos exames do Programa internacional de Estudantes - Pisa (Programme for International Student Assessement), critério que subjaz à seleção dos participantes internacionais neste fórum, que se realizou, pela primeira vez, em 2011, em Nova Iorque. A nossa comunidade educativa congratula-se com o honroso convite dirigido ao Diretor Manuel Pereira, para participar nesta 7ª Cimeira Internacional, uma vez que a sua presença neste evento muito prestigia e dignifica também a nossa instituição, representando um claro e inequívoco reconhecimento do trabalho desenvolvido em prol da causa da educação, em particular no concelho de Cinfães. Profª Helena Santos Duarte


PÁGINA

40

Dia do Agrupamento

Dia do Agrupamento

No ano transato, o dia 20 de abril, data que assinala o nascimento do patrono da escola, General Serpa Pinto, foi adotado como o Dia do Agrupamento. Passado um ano, a escola quis assinalar esta efeméride de forma a envolver toda a comunidade educativa e mostrar o que de melhor se tem alcançado com o trabalho e o empenho de todos. O dia das comemorações começou logo, pela manhã, com uma sessão de abertura, onde se entoou “A Portuguesa”, se declamaram vários poemas alusivos à figura do nosso patrono e, por fim, procedeu-se à entoação do Hino da Escola, que encerrou este momento celebrativo. A parte da tarde foi marcada pela cerimónia de entrega do prémio especial do júri do concurso “Todos contam”, com a presença de diversas individualidades, entre as quais se destacaram o Secretário de Estado da Educação, Dr. João Costa e a Administradora do Banco de Portugal, a Profª Dr.ª Elisa Ferreira. A música marcou o final das cerimónias com a primorosa atuação dos alunos do Clube de Música, num miniconcerto que revelou o forte interesse dos alunos deste concelho por esta arte. O dia findou com um agradável jantar-convívio ao qual o pessoal docente e não docente do Agrupamento já se habitou e que tão bem define esta “cultura de escola”. Profª Cristina Marques

REVISTA

ESCOLAR

PÁGINA

41


PÁGINA

42

Encontro de Música 2017

Encontro de Música 2017

PÁGINA

43

Foi no pretérito dia 31 de março que o nosso Agrupamento levou a efeito o Encontro de Bandas Escolares, agendado no seu Plano Anual de Atividades, e que, à semelhança do ano transato, muito entusiasmou o público presente no Auditório Municipal. Este ano, o programa contava com as atuações de dez bandas escolares vindas de vários pontos do país, para deleite dos nossos alunos e professores presentes. Queremos deixar o nosso apreço às bandas convidadas, oriundas da Escola EB 2/3 de Souselo, do Agrupamento de Escolas Álvaro Coutinho, do Agrupamento de Escolas de Gouveia, da Escola Básica e Secundária Sacadura Cabral – Celorico da Beira, da Escola Básica de Campo de Besteiros, do Agrupamento de Escolas de Moimenta da Beira, do Agrupamento de Escolas Infante D. Henrique – Viseu, do Agrupamento de Escolas Marinha Grande – Poente, e da Escola EB 2/3 de Perafita – Matosinhos, que marcaram o dia com momentos únicos. Para o encerramento do Encontro de Música, nada mais apropriado do que fazer subir ao palco a nossa “prata da casa”, permitindo que a Banda Escolar do Agrupamento pudesse também agraciar a plateia com as brilhantes atuações dos nossos alunos. Estamos certos que este evento, esmeradamente planeado pelos professores António Oliveira, Adelino Soares e Augusto Teotónio, muito contribuiu para que este dia fosse novamente um marco importante para a formação musical dos nossos alunos. A todas as bandas que amavelmente visitaram o nosso Agrupamento e que nos agraciaram com os seus talentos, um sincero obrigado! Ao Dr. Serafim Rodrigues, Vice-Presidente da Câmara Municipal, um bem-haja pela sua presença, em representação do Município. Profª Cristina Marques

REVISTA

ESCOLAR

Mais um Selo de Qualidade no eTwinning Foi no Instituto de Educação da Universidade do Minho, em Braga, que, no passado dia 31 de março, o prof. Paulo Vasconcelos foi galardoado com mais mais uma Bandeira eTwinning pelo reconhecimento do seu projeto Numeracy @English. A entrega do Selo de Qualidade decorreu durante a sessão de divulgação de “O eTwinning e o Perfil do aluno do século XXI”, dinamizada pela embaixadora eTwinning da Região Norte, Dra. Teresa Lacerda, na qual participaram também as professoras Cristina Marques, Helena Botelho e Mónica Ferreira. Serve a ocasião para felicitar o professor Paulo Vasconcelos por, uma vez mais, colocar a nossa escola na rota destes projetos europeus eTwinning, que, estamos certos, criam e fomentam uma perspetiva inovadora e gratificante para alunos e docentes envolvidos. Profª Cristina Marques


PÁGINA

46

Notícias de Nespereira

Notícias de Nespereira

PÁGINA

47

No decorrer do 1º período, desenvolveram-se algumas atividades que foram de encontro às preferências dos nossos alunos.

As crianças da turma 1 e 2 do Jardim-de-Infância de Nespereira vivenciaram, até ao momento, diversas atividades de articulação, entre elas destacamos:

No Dia Mundial da Alimentação, os alunos participaram na confeção de uma gelatina, que serviu de sobremesa no dia seguinte.

- O Dia Mundial do Sorriso, que foi comemorado, realizando uma reflexão conjunta «Quando sorrimos?», efetuando registos coletivos e elaborando smiles, que foram transportados ao peito por todas as crianças, difundindo alegria e provocando sorrisos nas pessoas com quem nos cruzávamos nas ruas.

Pelo S. Martinho, realizou-se o tradicional magusto: assaram -se as castanhas, colocaram-nas num cartucho previamente elaborado, deliciaram-se com elas bem quentinhas e acompanhadas de um sumo. As crianças cantaram canções alusivas à festividade e divertiram-se bastante, enfarruscando-se uns aos outros.

- O projeto Nespereira Natal, que contou com a participação empenhada de todos os encarregados de educação na elaboração de presépios, que estiveram expostos, durante a época natalícia, no hall de entrada da Escola Básica de Nespereira, para toda a comunidade educativa. Foram muitos e variados os trabalhos expostos, tendo as famílias respondido ao desafio lançado de utilizar materiais recicláveis. Este projeto foi de tal forma envolvente, que o 1º Ciclo achou pertinente também participar.

O encerramento do período culminou com a festa de Natal, no Centro Paroquial de Nespereira, promovida pelas Juntas de Freguesia de

Nespereira e de Fornelos. Esta festividade teve a Presença do Grupo de Teatro da Casa do Povo de Nespereira, com a peça – “ O Natal no Mundo”. Os alunos cantaram canções alusivas ao Natal nos diversos países, receberam um cachecol oferecido pela escola e, por fim, tiveram a tão desejada vinda do Pai Natal com presentes da Câmara Municipal de Cinfães e das Juntas de Freguesia de Nespereira e Fornelos, culminando com um delicioso lanche. Este espetáculo de danças, canções e dramatizações encerrou, com brilhantismo, este período escolar. EB1 de Nespereira

REVISTA

ESCOLAR

- O Cantar dos Reis, projeto vivido pelas crianças do pré – escolar, que percorreram as diversas ruas da Vila, transmitindo alegria e votos de um Bom Ano a toda a comunidade, mantendo, assim, viva a tradição. Neste âmbito, antecipadamente, foi realizado uma recolha de cantares junto dos encarregados de educação, estabelecendo a articulação com a família. Visitámos casas particulares, estabelecimentos comerciais, os Bombeiros Voluntários e, para terminar, a Junta de Freguesia, que nos presenteou com um vasto lanche. Neste encontro estiveram presentes membros da Junta e da Assembleia de Freguesia. - O Projeto de Ciências, que teve início neste período com o lançamento de desafios a nível experimental, em que as crianças foram colocadas perante hipóteses do que poderia acontecer na criação de um boneco de neve, tendo por base o sal e a água. Nesta atividade foram explorados vários conceitos, tais como: dissolve/não dissolve, evapora/ não evapora, quente/ morno/frio e exploradas sensações tácteis e ainda a consistência dos materiais para modelagem. JI de Nespereira


PÁGINA

48

Notícias de S. Cristóvão

Notícias de S. Cristóvão

PÁGINA

49

Musical “A Bela e o Monstro no Gelo”

Dia Mundial da Poupança

No dia 6 de dezembro, a nossa turma, na companhia dos restantes colegas da escola, foi a Matosinhos assistir ao musical “A Bela e o Monstro no Gelo”, além de irmos ver as iluminações de Natal de um shopping (que se situava perto do espetáculo) e ver/falar com o Pai Natal.

No dia 31 de outubro, comemorou-se “O Dia Mundial da Poupança”. A nossa escola não se esqueceu deste dia e resolveu comemorá-lo, realizando algumas atividades alusivas ao dia e ao tema.

O dia começou cedo, com uma viagem de autocarro até Matosinhos. Quando chegámos, fomos passear pelo shopping para observarmos as iluminações, estarmos com o Pai Natal e almoçarmos. Foi muito giro! Até tirámos uma foto com o Pai Natal, conversámos com ele e ainda tivemos direito a um brinde da Mãe Natal! O almoço foi agradável e o convívio entre nós foi ainda melhor, pois, enquanto esperávamos pela hora do espetáculo, tivemos tempo para algum divertimento/brincadeira.

Os meninos do Jardim-de-Infância contribuíram na construção da nossa porca Rosinha, que tem como objetivo a colocação de moedas que andem soltas lá por casa. No final do ano, iremos contar e o dinheiro que estiver lá dentro, que nos irá ajudar na visita de estudo que iremos realizar no terceiro período. Através da nossa porca Rosinha foi inventado um slogan “ Cêntimo a cêntimo vamos encher o nosso porquinho mealheiro”. Para além desta atividade, todos os alunos da escola fizeram um íman para colocar num sitio bem visível, na despensa de casa, que tinha como título: - “Gestos para poupar antes de ir às compras”

Mal chegámos à tenda do tão esperado acontecimento que iríamos assistir, ficámos encantados! Não tínhamos imaginado que seria um lugar tão incrível! A ansiedade que sentíamos era evidente que, por vezes, tínhamos um certo receio do que iria acontecer… Porém, depressa os nossos medos desapareceram; o espetáculo começara e, com ele, a magia… Este musical contava a história de uma princesa e de um monstro, mais propriamente de um feitiço, que, no final, ficou desfeito. Terminado o espetáculo, estava na hora de regressar a casa/escola… Foi uma visita de estudo excelente que nunca esqueceremos, pois tivemos a oportunidade de viver uma experiência muito bonita, enriquecedora e diferente do que estamos habituados. Estamos todos muito felizes por termos ido e expectantes por uma próxima aventura! Alunos do 1º e 2º Anos – Escola Básica de São Cristóvão

- Passar a revista à despensa, frigorífico e congelador; - Fazer uma lista de produtos a comprar; - Não fazer compras com fome. E assim se passou o Dia Mundial da Poupança, e nós todos os dias chegamos a casa com uma novidade interessante para contar aos nossos pais. É tão bom aprender!...

Alunos do 2º e 3º Anos - Escola Básica de S. Cristóvão

Dia Nacional do Pijama Este ano, a nossa escola aderiu, pela primeira vez, à “Missão Pijama”, e no dia 21 de novembro fomos todos de pijama: alunos, professoras e assistentes operacionais. Nos dias que antecederam “O dia Nacional do Pijama”, lemos a história “A Fada que partiu a asa”, da editora Mundos de Vida, e construímos a Casa dos Pijamas, que se tratava de um mealheiro, cujo objetivo era angariar fundos para esta missão. Cada aluno levou a sua casinha, para realizar o peditório junto de familiares e amigos. Depois de reunirmos todos os donativos, concluímos que o objetivo fora atingido. Foi um dia diferente e muito divertido, que esperamos se repita no próximo ano letivo. O lema desta iniciativa, que nunca devemos esquecer, é “Todas as crianças têm direito a crescer numa família”. Alunos do 3º e 4º Anos Escola Básica de São Cristóvão

REVISTA

ESCOLAR


PÁGINA

Culinária em Santiago de Piães

50

Feirinha do Outono em Santiago de Piães

No dia 27 de outubro, realizou-se na nossa escola a “Feirinha do Outono”. Todos nós, juntamente com os nossos pais, contribuímos com produtos hortícolas (couves, batatas, cebolas, feijão, abóboras, feijão-verde, nabos, pimentos, tomate, alface…), frutos (castanhas, nozes, figos, marmelos, romãs, limões, maçãs) e outros produtos como: mel, ovos, marmelada e compotas, que confecionámos na escola, e diversos bolos feitos em casa pelas nossas mães. Juntamente com as nossas educadoras, visitámos a feira, observámos e explorámos os produtos expostos. Fizemos também uma simulação de compra e venda. Levámos notas e moedas, comparámos os preços dos produtos, quais os mais baratos e os mais caros. Aprendemos como se pode poupar, comprando só o que é essencial, mediante o dinheiro que temos, e não tudo o que queremos. Sala 1 e sala 2 Jardim-de-Infância de Santiago de Piães

PÁGINA

51

Menu “Ano Novo” Entradas: Pataniscas de Piães/ Pãezinhos de Marmelada/Canapés de Feirinha Pratos: Cabrito assado à simulacro/ Arroz de Magusto/ Folhadinho à pijaminha /Camarão à especial Sobremesas: Mousse “ à mesa de natal” /CheeseCake de Histórias/Gelatina à Janeiras

Preparação do Menu Duração: 4 meses Entradas Pataniscas de piães- uma receção da escola às crianças, misturado com a farinha dos moinhos, bacalhau, muito apetite e um bom par de mãos dos Encarregados de Educação. Pãezinhos de Marmelada- partir marmelos com muito carinho, juntar açúcar de entusiasmo infantil, deixar cozer e servir com um pão de alegria. Canapés de Feirinha- misturar alimentos de boa qualidade, com o entusiasmo das crianças e comunidade escolar, enchendo a barriguinha com pão de chouriço caseiro. Pratos Cabrito assado à simulacro- temperar bem as regras de proteção para quando a terra tremer estarmos prontinhos a defender. Arroz de Magusto- é necessário misturar sorrisos de muitas crianças, um dia 11 de Novembro, castanhas bem quentinhas e grãozinhos de brincadeiras ao sol de Outono. Folhadinho à pijaminha- juntar a magia da leitura das Fadas com uma alegre canção da missão e resulta num divertido e diferente dia do “Pijama”, envolvidos em massa crocante. Camarão à especial- descascar várias necessidades educativas especiais com ternura e respeito por todos os que são diferentes. Sobremesas Mousse à Mesa de Natal- imaginação, amor, carinho, alegria, teatro e música bem misturados solidifica com muitos beijos e abraços dos mais pequenos. CheeseCake de Histórias - aventuras, histórias, fábulas, magia e muitas crianças, fonte de inspiração, um cheirinho da Biblioteca e leituras misturadas com o aroma fresco da escola de Piães origina um prazer inesquecível. Gelatina à Janeiras- mistura-se o frio com o calor da alegria das crianças, o som dos instrumentos musicais e pares de belas vozes cantando e aquecendo os corações de toda a gente para receber o novo ano. Alunos do 2.º e 4.º anos - Escola Básica de Santiago de Piães

REVISTA

ESCOLAR


PÁGINA

52

Notícias de Louredo

Notícias de Santiago de Piães e de Louredo

19 Poetas da Turma A de Piães

O Magusto Escolar

À Ana Beatriz dou-lhe um beijo no nariz. Ao Dinis Manuel dou- lhe um rolo de papel. Ao Gonçalo compro um cavalo. A Matilde Ferreira, quero sempre à minha beira. Ao Paulo Miguel, paleta com pincel. Ao Rodrigo ofereço pão de trigo. Ao Constantino tomate com pepino. Ao Dinis Monteiro, no Natal dou um pinheiro. À Inês Correia, com lã faço uma meia. À Inês Soares, um fato p’ra ir aos mares. À Inês Raquel, um brinco e um anel. À Leonor componho o aquecedor. Ao Manuel, bolachinha com mel. À Fatinha, um belo prato de sopinha. Ao Rui, dar banho, eu fui! Ao Simão dou pudim de limão. Ao Tiago Manuel peço um doce pastel. Ao Tomás, um balde e duas pás. Ao Tiago André, leitinho com café.

No dia 11 de novembro, os alunos, professores e auxiliares da Escola Básica de Louredo, comemoraram o dia de São Martinho, fazendo o tradicional magusto escolar no recreio da escola.

PÁGINA

53

Logo pela manhã desse dia, os alunos viram um PowerPoint com a Lenda de São Martinho, cantaram cantigas relacionadas com as castanhas, leram provérbios sobre esta época do ano e pintaram um desenho numa folha que serviu para fazer um cartucho para colocarem as castanhas. Depois do intervalo da manhã, e já no recreio, espalharam a caruma, deitaram as castanhas e um pouco de sal por cima, e os professores acenderam a fogueira. Passado algum tempo, ouviram-se as castanhas a estalar e logo ficaram assadas. Imediatamente, cada um começou a recolher as castanhas para o seu cartucho e a degustá-las. Estavam deliciosas... No final, seguiram-se as brincadeiras, principalmente as pinturas da cara, com cinza, ficando todos enfarruscados. Alunos do 1º e 3º anos da Escola de Santiago de Piães

Foi uma manhã muito divertida, muito bem passada, mantendose a tradição. Turma B - 2º 3º anos - Escola Básica de Louredo

A Festa de Natal em Louredo A festinha de Natal de EB de Louredo realizou-se no dia 15 de dezembro. ÀS 9h e 30m os alunos tinham que estar presentes na escola para ultimar os preparativos e rever algumas atividades que iriam apresentar aos nossos pais, familiares e amigos. À hora marcada os nossos apresentadores deram início ao espectáculo, que se prolongou por cerca de duas horas. O nosso espetáculo foi constituído por canções em português e inglês, dramatizações de autos de natal e de anedotas, coreografias de músicas, etc… Pelo meio do espetáculo tivemos a visita do nosso Presidente de Junta de Freguesia, professor Paulo Vasconcelos, que dirigiu uma pequena mensagem de Natal. Os nossos pais trouxeram algumas iguarias de Natal para que todos os alunos se deliciassem num lanche saboroso. Mas nós depressa nos fartamos do lanche…. Esperávamos e gritavamos com muito entusiasmo pelo pai Natal… mas afinal não foi um Pai Natal, mas sim uma Mãe Natal….Ofereceu às meninas uma caneca da Soy Luna e aos meninos uma caneca do Paw Patrol. Também tivemos a oferta de uma mochila da CM de Cinfães e a oferta de um Pai Natal de chocolate, oferta do Minipreço. Foi um dia muito divertido com todas as pessoas que estiveram e desejaram estar presentes na nossa festinha de Natal. Turma A EB de Louredo

REVISTA

ESCOLAR

Acrósticos de Outono O outono é uma estação do ano Uma época em que o tempo começa a arrefecer Tudo fica um pouco mais triste O vento começa a soprar e No ar veem-se folhas a voar e O sol deixa de brilhar Rodrigo – 3º ano

O outono é uma estação do ano Um dia há sol, outro chuva ou trovoada Todos temos de nos agasalhar O São Martinho temos de festejar Nos magustos há castanhas para saborear O vinho novo também é para provar Beatriz – 3º ano

O outono é colorido Uma estação do ano bonita Tempo de castanhas e cogumelos Os dias começam a ficar pequenos e frios Nesta estação caem as folhas das árvores e Os animais procuram abrigos José – 3º ano

O outono é Uma estação do ano Tempo das nozes, dióspiros Ouriços, castanhas e romãs Nos campos fazem-se as colheitas, umas vezes boas Outras vezes más

Francisco – 3º ano


PÁGINA

54

BE de S. Cristóvão e Santiago de Piães

BE de S. Cristóvão e Santiago de Piães

A Biblioteca Escolar no 1.º Ciclo e Jardim-de-Infância Aprender com a biblioteca escolar é nome de um referencial da RBE (Rede de Bibliotecas Escolares) que temos vindo a implementar nas nossas Bibliotecas Escolares (BE) e a que, neste ano de 2016-2017, damos continuidade, por nos apresentar as BE num paradigma que motiva as práticas e projetos que temos vindo a concretizar e também estar atentos a outros novos. Apresenta-nos as bibliotecas escolares como “… um espaço educativo integrador de muitas literacias - digital, da leitura, da informação, dos media,… -, cada vez mais decisivo para as aprendizagens e a capacitação plena das crianças e dos jovens que as utilizam formal ou informalmente”.

Apresentamos, neste sentido, algumas atividades em que os nossos alunos estiveram envolvidos, com grande entusiasmo. Partindo de um conjunto de ideias e sugestões propostas pela Biblioteca Ativa n.º 3 da RBE, para o mês de outubro, com o tema “Aprende a codificar o teu mundo,” as Bibliotecas Escolares de São Cristóvão e BE de Santiago de Piães celebraram o Mês Internacional da Biblioteca Escolar (MIBE), lançando os seguintes desafios: 1 - Pintura de Cartazes; 2 – Ler para os pais; 3 – Mensagens Secreta; 4 – Intercâmbio de Marcadores; 5 - Códigos da Rota do Românico.

PÁGINA

55

Continuamos com o projeto Ler e contar é o que está a dar – “Os grandes leem aos pequenos”, em parceria com a Biblioteca Escolar da EB 23 e a Biblioteca Municipal de Cinfães, com a adesão da maioria dos alunos que já sabem ler. Estes prepararam leituras de livros, da nossa BE, desenhos e pequenas perguntas sobre as histórias, para lerem aos colegas do Jardim-de-Infância (JI) e dos 1.º anos. Entretanto, também apresentam em sala de aula o livro escolhido aos colegas, o que implica a realização de um resumo e de uma descrição dos autores ilustradores e editora, assim como referência à capa e contracapa, em colaboração com os professores e educadoras das turmas. Ambos os Centros Escolares (São Cristóvão e Santiago de Piães) assinalaram o Dia Mundial da Alimentação onde também a BE participou, colocando em prática o projeto SOBE – saúde oral e alimentação. Os alunos construíram, em cartão, 3 faixas grandes com as cores dos semáforos (verde, amarelo e vermelho) para o espaço da cantina, com o objetivo de todos os alunos poderem facilmente identificar os alimentos saudáveis e que podem comer todos os dias e os outros os menos saudáveis e que só deverão comer em alguns dias ou só nos dias de festa. A este respeito foi elaborado um pequeno texto, por alguns alunos de 4.º ano e que também aparece publicado nesta revista escolar, dando conta de todos os pormenores para vos alertar e incentivar a desenvolverem hábitos de alimentação saudáveis. Agora, com o nome de Oficina de Desenvolvimento da Língua Portuguesa, o antigo Plano de Desenvolvimento da Língua Portuguesa, continua a ser trabalhado por todos os professores e educadores privilegiando-se “… o domínio da Leitura como porta de entrada a todos os outros domínios do conhecimento” Como prometido deixamos, então, o desafio para descodificares a mensagens secreta.

Os alunos construíram cartazes, um livro gigante com recurso a materiais reciclados, cartão e papelão; na feirinha de outubro, montaram uma banca de histórias e leram aos pais histórias, a 1 Euro cada; descodificaram mensagens secretas, a partir de frases do texto “As bibliotecas” do escritor Walter Hugo Mãe, de que vos deixamos um exemplo, para vocês descodificarem; foram desafiados a elaborar um marcador para livros com uma mensagem codificada que depois trocaram com alunos de outra escola; utilizaram, em grupo, o conjunto dos sete jogos de tabuleiro e atividades da Rota do Românico, que convidam a uma viagem lúdica pela arte, história, geografia e cultura dos 12 municípios que a integram.

Joel Oliveira - professor bibliotecário REVISTA

ESCOLAR


PÁGINA

56

XI Encontro de Cantares de Janeiras de Meridãos

Foi com enorme prazer e satisfação que este foi, já, o décimo primeiro ano, sem interrupções, que realizámos esta atividade. Esta que foi dirigida, não só à Comunidade Escolar, Pais e Encarregados de Educação, mas também à Comunidade Educativa, sendo mesmo extensiva à Comunidade em geral. Tem sido uma atividade que nos dá muita satisfação levar a cabo embora nos ocupe para lá do horário normal, pois tem lugar à noite, mas é a pensar nos nossos familiares, naqueles que trabalham, que este horário foi o escolhido, desde início e a noite dá-lhe um certo encanto. De ano para ano, em especial nos pretéritos três anos, os contornos do Encontro têm-se vindo a diferenciar… Esta atividade já conheceu melhores dias, mas o nosso objetivo é honrar e manter a tradição, que está difícil de conservar. Este ano foi mesmo complicado! Tanto que, pela primeira vez, não houve um Encontro propriamente dito. Por falta de grupo que colaborasse connosco, fomos um e um só Grupo – O GRUPO DOS ALUNOS DE MERIDÃOS. Mas…como estavam reunidas as condições mais importantes para que o mesmo se realizasse – desmedida vontade de cantar, enorme prazer em nos ouvir, o profissionalismo do Prof. João e a colaboração das nossas professoras e educadora e assistentes, foi só encetar e avançar com a obra. Então, no dia 27 de janeiro, pelas 18 horas e 30 minutos, sensivelmente, teve início o nosso XI ENCONTRO DE CANTARES DE JANEIRAS, no qual o nosso Grupo de Alunos de Meridãos entoou sete canções, sendo quatro delas acompanhadas instrumentalmente pelo Prof. João e as três últimas foram acompanhadas com instrumentos tocados pelo Prof. e por nós. Se formos a avaliar pelas quantidades de palmas, correu mesmo, mesmo bem!!!! No entanto, mais valioso do que isso é sentirmos o coração cheio por pressentirmos que fizemos os outros felizes! É gratificante ver os rostos de satisfação, quiçá de orgulho, quando tudo termina e nos deslocamos a casa a recordar momentos vividos minutos atrás!!! Para não se fugir ao já “institucionalizado” por cá, havia um bem recheado Cabaz de Janeiras que foi sorteado pela nossa querida Leonor, colega que nos deixou este ano letivo e que nos veio fazer uma visita neste dia. Para surpresa nossa o Cabaz saiu à nossa Prof. Rosa que já hoje andou a distribuir por nós algumas iguarias do mesmo, pois … quer levar nada ou quase nada para casa!!!!

Texto elaborado pelos alunos da Turma A (coadjuvados)

REVISTA

ESCOLAR

PÁGINA

Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

57

A Secção de Programas Especiais do Destacamento Territorial de Lamego, realizou uma ação de sensibilização alusiva ao Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, no dia 2 de dezembro, para os alunos do Centro Escolar de Oliveira do Douro – Cinfães. Esta ação teve como objetivo sensibilizar a comunidade educativa, para o respeito para com os direitos de igualdade e não discriminação das pessoas com deficiência, procurando alterar comportamentos sociais fundamentados em preconceitos e garantir que as pessoas com deficiência possam usufruir dos seus direitos. Prof. José Sousa Coordenador do Clube da Proteção Civil

Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres A Secção de Programas Especiais do Destacamento Territorial de Lamego, nos dias 25 e 28 de novembro, realizou ações de sensibilização dirigidas às turmas do 9º ano, do Agrupamento de Escolas General Serpa Pinto – Cinfães, no âmbito do “DIA INTERNACIONAL PELA ELIMINAÇÃO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER” com o objetivo de sensibilizar para a necessidade de prevenir os comportamentos violentos contra a Mulher. Sensibilizamos a comunidade escolar para uma consciencialização para a igualdade de género e promoção de uma cultura de não-violência. Transmitimos a mensagem de preocupação com a segurança dos cidadãos, criando um clima de confiança. Prof. José Sousa Coordenador do Clube da Proteção Civil


PÁGINA

58

Notícias da Escola Básica de Cinfães

Começaram as aulas! No dia 15 de setembro, quinta-feira, os alunos da Escola Básica de Cinfães – 1º Ciclo e Educação Pré-Escolar – iniciaram mais um ano letivo e, para começar da melhor forma, tiveram a visita de dois grandes amigos, o Alfa e a Zuna. Foi com grande emoção, entusiasmo e bastante excitação que todas as crianças da escola, dos 3 aos 10 anos, receberam o seu grande amigo Alfa que, desta vez, veio acompanhado da amiga Zuna. O Alfa e a Zuna aproveitaram para desejar um ótimo ano letivo a todos os alunos, fazendo algumas recomendações importantes, e prometeram acompanhá-los ao longo do ano, fazendo outras visitas. Antes de partir, o Alfa fez questão de apresentar uma banda que conheceu nas férias de verão e que vai acompanhar os alunos do 1º ano, a banda TOP! Ao som do hino desta magnífica banda, alunos, professores e assistentes operacionais, todos cantaram e dançaram com grande animação! Até breve, Alfa e Zuna! Ficamos a aguardar a vossa visita! Os alunos da turma do 3º F da Escola Básica de Cinfães Jardim-de-Infância de Nespereira

O Outono O outono é uma das quatro estações do ano. Esta estação do ano começa no dia 22 de setembro e acaba no dia 21 de dezembro. Nesta altura, os dias ficam mais curtos e as noites mais longas. Começa o frio, o vento sopra muito e cai a chuva. As pessoas vestem roupas mais quentes e até já calçam botas! As folhas das árvores mudam de cor para vermelho, castanho e amarelo e começam a cair para o chão. No outono, comem-se castanhas, uvas, romãs, figos, dióspiros e frutos secos. Fazem-se as vindimas, as desfolhadas e as queimadas. Comemoramos o Dia de S. Martinho, comemos castanhas assadas e ainda festejamos o S. Miguel, fazendo a nossa Feirinha na escola. Que estação do ano tão bonita! Texto elaborado pelos alunos do 2ºC

ESCOLAR

PÁGINA

59

A Professora Mary

O Início das Aulas

REVISTA

Notícias da Escola Básica de Cinfães

A professora Mary é oriunda das Ilhas Canárias e estuda Educação Primária na Universidade de Las Palmas, na Gran Canaria. Veio para o nosso agrupamento em setembro de 2016. A professora Mary é muito alta, magra, tem o cabelo muito comprido e preto, usa óculos e é muito bonita. Na nossa escola, começou por visitar algumas turmas, ficando depois a acompanhar a nossa, o 4º H da professora Manuela. Ao longo do 1º período, só vinha duas vezes por semana à nossa sala, mas a partir do 2º período passou a vir quase todos os dias. Nós gostámos logo muito dela, mas à medida que o tempo foi passando, ainda passámos a gostar mais, pois andava sempre muito alegre, sorridente, simpática e muito amiga. Através da internet, levou-nos a viajar até à sua terra natal. Ensinou-nos a falar e escrever muitas palavras e expressões em espanhol e nós também adorávamos ouvi-la falar na sua língua. Esforçou-se muito por aprender a falar, ler e escrever em português. Era engraçado, pois nem sempre nós percebíamos o que nos tentava dizer e nem sempre ela nos conseguia perceber, mas nunca desistimos! Acompanhou-nos nas várias atividades que fizemos pela vila de Cinfães, ajudou-nos a fazer trabalhos para decorar a nossa sala de aula, corrigiu trabalhos de Matemática, realizou connosco vários jogos, como por exemplo, o jogo da mímica e o trivial relacionado com conteúdos das várias disciplinas. Quando a professora Manuela tinha de sair da sala, tomava muito bem conta de nós! Gostava muito de nos ouvir ler textos diversos, declamar poemas e adorava assistir aos teatros que apresentávamos. Ajudava a tirar fotografias, a filmar e a avaliar a nossa atuação. Estava sempre muito atenta aos diálogos e debates que fazíamos sobre os nossos trabalhos, as nossas atitudes e os diversos comportamentos que se veem na sociedade em geral. No 1º período, acompanhou-nos à visita de estudo que fizemos pelos vários monumentos da vila de Cinfães e no 2º período fez questão de ir connosco cantar as Janeiras pelas ruas e instituições da nossa vila, até ao Auditório Municipal, onde estiveram presentes os encarregados de educação. Nas férias de Natal, a professora Mary visitou Veneza e de lá trouxe muitas fotografias. Com elas, explicou-nos os monumentos e outros espetos muito interessantes daquela bela cidade. Trouxe-nos, ainda, uma “máscara” de Veneza que está colocada na parede da nossa sala. Disse que era para nos “ motivar”. Que amorosa! A professora Manuela e a professora Mary comparavam o ensino em Portugal com o ensino em Espanha. Diziam-nos que estavam a fazer uma partilha de experiências. Ficou muito admirada por nós aprendermos tanto sobre a história de Portugal e achou muito interessante. Disse também que na Matemática nós fazíamos os exercícios depois de compreendermos, que não era mecanizado, como quando ela era criança. Foi uma experiência muito enriquecedora para nós. Desenvolvemos uma grande amizade e procurámos, pouco a pouco, com o nosso carinho, que ela não sentisse tanto as saudades de casa. Em fevereiro, a prof. Mary vai regressar à sua terra e nós vamos ficar com muitas, muitas saudades, mas sabemos que ela se vai lembrar de nós! Por isso, até já combinámos, que se vier comemorar connosco o dia do seu aniversário, 15 de julho, nós oferecemos o bolo! Professora Mary: ¡Gracias por todo! El afecto, atención, ayuda, amistad ... Hasta que un día, quién sabe, en Portugal o España ... nos volvemos a ver ... Muchos besos de estudiantes y profesores de la Escola Básica de Cinfães.


PÁGINA

60

Notícias da Escola Básica de Cinfães

Notícias da Escola Básica de Cinfães

PÁGINA

Regressar É Giro Rever E Saber Sorrir Os amigos ouvir!

Halloween To celebrate Halloween in a fun and creative way, 3rd and 4th grade English students and their teachers, using recycled materials, made several crafts, such as: Jack O’ Lantern, postcards, ghosts, masks, spiders and witches. Internal competitions took place in schools to promote student’s interaction and motivation. The outcome was fantastic as you can see in the photos. The teachers: Paula Teixeira and Catarina Cebolo

Alfabeto Letras ou Fonemas Altas ou Baixas Escrevem-se Todas Ordenadas!

Christmas

During Christmas festivities, 3rd and 4th grade English students made Christmas postcards to share with students from 5th to 9th grades. This activity took place in the last two weeks before Christmas break. It was a wonderful opportunity to create a "liaison" between schools from 1°ciclo and eb23 in Cinfães. The activity itself was extremely productive and fulfilling. All students, teachers included, enjoyed it and had lots of fun. The teachers: Catarina Cebolo and Paula Teixeira

Às aulas Sempre

Ativas Usar Livros Abrir Sonhar e partir...

61

Magusto no dia de S. Martinho A escola a realizar Gostosas castanhas a comer Umas canções a cantar Saltar à corda e correr Todos juntos a dançar O outono a festejar!

Neste Natal especial A família reunida Tão feliz que é A gruta iluminada Lá nasceu Jesus Festa de Natal Eu vou festejar Lindas prendas Inverno a chegar Zás, toca a abrir os meus presentinhos e o Natal a brincar sem estragar! Natal Bem Quentinho O inverno está gelado Com flocos de neve pelo ar E vento forte a soprar Trovoada a ribombar… E nós à lareira a festejar

Dia Importante As portas cantar De noite E a festejar

Nas férias eu vou-me constipar Para a minha mãe me poder tratar E eu em casa a descansar Quentinho vou poder ficar Sem ninguém me chatear E as Janeiras poder treinar!

Rir à gargalhada É uma alegria Ir a todo o lugar Sentir foguetes a estalar

O Natal a acabar O Ano Novo a chegar As “Boas Festas” a dar As Janeiras a cantar

Inverno gelado Neve e geada Vento a soprar E chuva torrencial! Resistimos ao frio polar Nós, à lareira, nesta época especial O Natal e as Janeiras a festejar. . .

E todos em grupo a cantar!

REVISTA

ESCOLAR

2º D da Escola Básica de Cinfães


PÁGINA

62

Notícias da Escola Básica de Cinfães

Notícias da Escola Básica de Cinfães

PÁGINA

Saudades da Mary

Natal na Escola Básica de Cinfães Este ano, a nossa Festa de Natal aconteceu em dois dias diferentes, no dia 15 e no dia 16 de dezembro. No dia 15 de dezembro, de manhã, estivemos no Auditório de Cinfães, a assistir ao espetáculo: “Frank el Crauwn”, com o artista cinfanense Hugo Vieira. Foi um espetáculo interessante e diferente daqueles que temos visto. No final, cantamos algumas canções que aprendemos nas aulas de Música e de Inglês.

No dia seguinte, 16 de dezembro, último dia de aulas, depois de realizarmos várias atividades dedicadas ao Natal, tivemos uma surpresa na escola: um lanche muito saboroso, com bolo, bola e um sumo para todos os alunos. Soube mesmo bem! Foi um momento de alegre convívio e espírito natalício. Antes de sairmos da escola para umas merecidas férias, ainda recebemos um Pai Natal de chocolate. Gostaríamos de agradecer à Junta de Freguesia de Cinfães por nos ter oferecido estes belos presentes de Natal! Os alunos da Escola Básica de Cinfães

Trabalho de grupo sobre o Sistema Solar Tudo começou, quando a nossa professora propôs que a turma fizesse um projeto para a construção de um modelo do Sistema Solar. Apresentou-nos alguns exemplos na internet e ficámos logo muito entusiasmadas com a ideia. Olhámos umas para as outras e nos nossos olhares era possível “ler”: “vamos fazer?”

¡Hola! Yo soy Mary, tengo 21 años, estudio el Grado de Educación Primaria en la universidad de Las Palmas de Gran Canaria y vengo de España, de las Islas Canarias. Hace unos meses me puse en contacto con Paulo Vasconcelos para venir a este bonito país, Portugal. Después de darme una respuesta afirmativa, hice las maletas y cogí un avión hasta Oporto. El 28 de septiembre llegué a Cinfaës y empecé a conocer lo que sería mi hogar por unos meses. Además, ese día conocí al equipo directivo, administrativo, funcionarios y a mi agradable tutora, Margarida. Durante estos meses he tenido la suerte de trabajar con diferentes profesores y alumnado en: EB 2 3, Complexo de Primaria, Meridäos y Secundaria. Dentro de unos días vuelvo a mi isla y quería despedirme

Entretanto, algumas mães compraram-nos o material e no sábado reunimo-nos, tal como tinhamos combinado. Depois de analisados os tamanhos de cada uma das esferas, começámos por pintar os planetas e o astro principal, respeitando as cores, e as diferenças de tamanho entre eles. A Joana pintou o Sol, Mercúrio, Marte e Saturno, a Rafaela pintou Júpiter, a Lara Sofia pintou Vénus, a Beatriz pintou a Lua, a Marisa, Úrano e a Ana Luísa, Neptuno e o nosso lindo planeta, a Terra. Depois de pintarmos os planetas e o Sol, a mãe da Joana ajudou-nos a recortar e forrar a caixa com papel azul. Enquanto os planetas secavam, fomos brincar. De seguida, misturámos as cores e demos uns retoques nos planetas. Nós gostámos muito de realizar este trabalho, porque foi feito em equipa e, a divertirmo-nos, aprendemos ainda mais sobre o Sistema Solar. Queremos agradecer à mãe da Joana por ter ajudado na realização deste trabalho, nomeadamente por ter disponibilizado o espaço e o seu tempo. Trabalho realizado pelas alunas da turma do 4º H da Escola Básica de Cinfães: Ana Luísa, Beatriz, Joana, Lara Sofia, Marisa e Rafaela

ESCOLAR

Olá! Eu sou a Mary, espanhola (das Ilhas Canárias). Tenho 21 anos e estudo Educação Primária na Universidade de Las Palmas, na Gran Canaria. Há alguns meses, entrei em contacto com o professor Paulo Vasconcelos para vir para este bonito país, Portugal. Quando me respondeu afirmativamente, fiz as malas e viajei para o Porto! Cheguei a Cinfães a 28 de setembro e comecei a conhecer aquela que seria a minha casa por alguns meses. Nesse dia, conheci também a equipa da direção do Agrupamento de Escolas de Cinfães, os funcionários administrativos e assistentes operacionais e ainda a minha simpática tutora, a professora Margarida. Durante estes meses, tive a sorte de trabalhar com diferentes professores e alunos, não só na Escola EB 2,3 de Cinfães, escola-sede do Agrupamento, como também na Escola Básica de Cinfães, na Escola de Meridãos e na Escola Secundária. Dentro de alguns dias volto para a minha ilha, mas antes de dizer adeus, gostaria de agradecer a oportunidade que me deram e a forma como me receberam nestes meses tão frios.

No recreio, combinámos que íamos para casa da Joana, no sábado, pelas 16horas e 45 minutos.

REVISTA

63

agradeciendo la oportunidad y el trato que he recibido durante estos fríos meses. Muchas gracias en especial a Margarida y profesoras del pequeño gran colegio de meridaos, Paulo Vasconcelos, la dirección y Filomena, Manuela y profesoras del complexo (por hacerme sentir como en casa), profesoras de enseñanza especial de EB 2 3 y a los funcionarios por su agradable sonrisa.

Gostaria de deixar um agradecimento especial à professora Margarida e à professora Manuela, sem esquecer as outras professoras e funcionárias, não só da pequena escola de Meridãos, como também da escola Básica de Cinfães, por me fazerem sentir como se estivesse em casa. Obrigada ainda ao professor Paulo Vasconcelos, à direção do Agrupamento e à professora Filomena, aos professores do ensino especial da EB 2,3 e aos funcionários pelo seu agradável sorriso. Por fim, muito obrigada a cada uma das crianças que conheci. São muito especiais para mim. Foi um prazer. Beijinhos!


PÁGINA

64

Notícias da Escola Básica de Cinfães

As Janeiras

Quando começámos a cantar Foi uma enorme alegria Toda a gente ficou contente Com as Janeiras neste dia!

Saímos da Escola Básica Preparados para a cantoria Todos muito bem-dispostos Para ser um grande dia. Passámos pela Câmara Numa enorme cantarola Depois de darem dinheiro Perguntaram-nos como ia a escola. Fomos cantar as Janeiras Ao senhor Presidente, Estavam todos a pensar: -Esta música é excelente! Ao Lar de Idosos também fomos Para aos nossos velhinhos cantar Fomos espalhar muita ternura E os tempos passados lembrar! Cantar as Janeiras neste lugar Foi coisa fabulosa Não nos queriam largar Era gente muito amorosa! Quem nossas melodias ouviu, Foi de grande simpatia, Mas quem mais se destacou Foi o senhor presidente, pela sua alegria. Continuámos a viagem Com muita fantasia Até que chegámos À Junta de Freguesia.

Seguimos para a E.B.2.3 Que é sede do Agrupamento Cantamos ao senhor Diretor, Que nos ouviu muito atento. Nas escadas, em frente, Cantaram e tocaram os meninos Fizeram uma festa tão grande Que nem pareciam pequeninos! Seguimos para o Auditório Com vontade de cantar, Fazer o ensaio, pôr os laços E as cordas vocais afinar. Meninos e meninas No palco reunidos, Mas que grande emoção, Todos de branco vestidos! Foi um dia espetacular Pela vila a caminhar Onde pudemos cantar Para algum dinheiro ganhar. O que pensaram os pais Destas melodias de encantar? Todos estavam orgulhosos, Certamente a adorar! 4º G ano – Escola Básica de Cinfães

Notícias da Escola Básica de Cinfães

ESCOLAR

65

Feirinha de S. Miguel No dia 30 de setembro de 2016, no dia seguinte ao dia de S. Miguel, entre as 9 e as 14 horas, alunos, professores e assistentes operacionais realizaram a tradicional “Feirinha de S. Miguel”, no recinto exterior da Escola Básica de Cinfães. No dia anterior e também no próprio dia, os alunos trouxeram um pouco de tudo: abóboras, cebolas, batatas, chuchus, salsa, cenouras, alfaces, feijões, castanhas, maçãs, uvas, limões, laranjas, pimentos, nozes, avelãs, malaguetas, repolhos, tronchudas, tartes, bolos, bolas, doces, gomas, sumos, pipocas, gelatina, roupas, brinquedos...até um canário, vários coelhos e uma coelha prenha! Os pais foram muito simpáticos e generosos com as suas ofertas, mostrando vontade em colaborar com a escola dos seus filhos. Os produtos foram colocados na bancada de cada turma para serem vendidos, com a ajuda dos alunos, das professoras e assistentes operacionais. As bancadas estavam todas muito bonitas! Cada menino também fez as suas compras, pois trouxe um euro! Muitos deles deliciaram-se com os doces, divertiram-se com os brinquedos que adquiriram e venderam também os produtos, fazendo os cálculos necessários para ninguém sair prejudicado. As crianças estavam muito alegres e felizes por verem os seus pais e outros familiares ou vizinhos a fazerem compras na feirinha da nossa escola. Tivemos ainda o prazer de contar com a presença do Sr. Diretor do nosso Agrupamento, Prof. Pereira, e outros elementos da direção. Viveram-se momentos de boa disposição e muito convívio, quer entre as crianças, quer entre os adultos. Nesta feirinha, ficámos a conhecer melhor as famílias dos alunos desta escola, bem como toda a comunidade de Cinfães e ainda recebemos algum dinheiro para a escola gastar quando precisar. Os alunos e os professores agradecem a todos os familiares os produtos que ofereceram, bem como a sua presença, pois só com a sua ajuda foi possível manter esta tradição, realizando-se esta feirinha com muito sucesso! Alunos da turma do 4º H da Escola Básica de Cinfães No dia 30 de setembro Foi a feira de S. Miguel Havia lá quase tudo Desde legumes ao mel.

No dia da feirinha Estava um tempo de verão Todos se divertiram Alguns até caíram ao chão.

Havia ovos e frutos Havia salsa em raminhos Havia muito feijão E também alguns docinhos.

Com tantos produtos para vender A feirinha estava a abarrotar - Comprem uma, levem duas! - Está quase tudo a acabar.

A feira foi no espaço Da escola onde estudo As bancas estavam cheias Mas vendeu-se quase tudo.

Todos foram à feira Foi uma grande diversão Até a nossa professora Comprou abóboras e feijão.

Feirinha de S. Miguel Tradição da nossa escola Ganhámos algum dinheiro Para a nossa sacola.

A feira já passou E correu tudo muito bem Esperamos que para o ano Haja esta feira também.

A nossa querida feirinha Foi bonita de se ver Até tínhamos uma coelhinha Que estava prenha a valer! REVISTA

PÁGINA

Alunos da turma do 4º H da Escola Básica de Cinfães


PÁGINA

66

Notícias de Oliveira do Douro

Dia Mundial da Alimentação

Feirinha de S. Martinho

No dia 17 de outubro comemorámos, na nossa escola, o Dia Mundial da Alimentação. Para celebrarmos este dia, realizámos diversas atividades. Visualizámos e explorámos um Powerpoint sobre a roda dos alimentos, entoámos canções e elaborámos um painel sobre as regras de bom comportamento a manter na cantina. Com a ajuda das nossas Professoras e Assistentes Operacionais, confecionámos deliciosas espetadas de fruta! Foi um dia muito saboroso e divertido!

Notícias de Oliveira do Douro

EB1 de Oliveira do Douro, 4ºD

No dia onze de novembro, realizou-se, na nossa escola, a feirinha de São Martinho. Todas as turmas prepararam a sua banca para a venda de produtos. Estes produtos foram oferecidos pelos pais, encarregados de educação e comunidade educativa. Com estas ofertas, conseguimos juntar diversos produtos, tais como: produtos hortícolas da época, fruta, compotas, bolos, brinquedos, artesanato, roupa, bijuteria, entre outros. Também tivemos uma banca com os produtos da nossa horta biológica. Este ano, tivemos a participação especial dos idosos do Centro Social e Bem-Estar de Oliveira do Douro, com uma banca, para venderem os seus produtos. Vieram muitas pessoas à nossa feirinha e compraram muitas coisas. Todos os alunos colaboraram na organização e na venda dos produtos. Foi muito divertido. O sucesso deste evento deve-se à colaboração e participação dos pais, encarregados de educação, familiares, alunos, docentes, assistentes operacionais e comunidade em geral. A todos, deixamos o nosso agradecimento. Alunos da Turma C - 3º e 4º anos da Escola Básica de Oliveira do Douro

Plano de Educação Financeira e Tributária No âmbito do Plano de Educação Financeira e Tributária, um dos subtemas que abordámos, no primeiro período letivo, foi “ Necessidades e Desejos”. Na nossa sala de aula, foram organizados diversos debates que nos permitiram compreender a diferença entre o necessário e o supérfluo. Todos nós percebemos as diferenças entre “necessitar” e “querer” e, acima de tudo, compreendemos que não devemos gastar mais do que o necessário, pois pode comprometer a satisfação de necessidades no futuro. Em grupo, elaborámos um pequeno cartaz sobre este tema. EB1 de Oliveira do Douro, 4ºD

REVISTA

ESCOLAR

e Profª Olívia Sequeira

PÁGINA

67


PÁGINA

68

Notícias de Oliveira do Douro

A Desfolhada

Notícias de Oliveira do Douro O inverno é uma estação

Numa tentativa de recriar tempos antigos, a Escola Básica de Oliveira do Douro organizou em conjunto com os idosos do Centro Social e Bem Estar desta localidade, no dia 22 de setembro, uma tradicional desfolhada ao ar livre, transformando o recreio numa grande eira. O milho foi colhido na nossa horta biológica.

Estação muito fria

Respeitando este costume muito antigo, os alunos e os utentes da instituição fizeram uma grande roda para participar neste trabalho agrícola durante o qual se retira a espiga ou maçaroca do milho. Alguns recordaram com saudade esta tarefa que praticaram muitas vezes na juventude. Enquanto alunos e idosos trabalhavam entusiasmados e iam amontoando as espigas em cestos, a alegria entre todos era contagiante. Sempre que saía uma espiga vermelha havia um beijinho para dar. Acompanhado por cantares, o encontro foi uma festa!

Jardim que tem o boneco de neve

Fria com chuva e vento Vento a soprar forte Forte cai a neve no meu jardim Neve que é branquinha Branquinha também é a minha camisola Camisola bem quentinha Lareira que dá calor Calor tira o frio desta estação Estação do inverno.

Deste modo, aprendemos uns com os outros a importância de reviver tradições passadas como um legado dos mais velhos a preservar pelos mais novos. Na verdade, o respeito pelos usos, costumes e tradições deve ser conservado e nada melhor do que serem transmitidos pelos mais velhos aos mais novos, através de atividades como esta. EB1 de Oliveira do Douro - Turma B

ESCOLAR

69

Inverno é Neve a cair Vamos brincar com a neve E bem agasalhados e com Risos e muita alegria No quintal vamos fazer o boneco de neve O inverno é divertido.

Quentinha como a lareira

A realização da desfolhada à moda antiga procurou ajudar a preservar este costume popular associado à lavoura e à vida comunitária que antigamente unia vizinhos e familiares e procurou também juntar gerações antigas com as gerações mais novas, ou seja avós e netos.

REVISTA

PÁGINA

Turma A - E.B.1 de Oliveira do Douro


Design Capa: Toni Afonso

geral@aecinfaes.pt Rua Capitão Salgueiro Maia 4690-047 Cinfães Portugal T 255 560 100 F 255 560 109

Revista Escolar do AEGSP - nº 23  
Revista Escolar do AEGSP - nº 23  

Edição nº 23 da Revista Escolar do Agrupamento de Escolas General Serpa Pinto de Cinfães

Advertisement