Page 1


DESDE 1999

ÍNDICE

ano XV nº 162 setembro 2013

Plano b) Comunicação (PE)

CAPA Com diferentes formas e utilizações nas mais diversas áreas, o marketing de guerrilha vem sendo um tiro certeiro para grandes corporações, pequenas empresas e artistas independentes. 16

revista de comunicação e marketing NE

RECIFE•SALVADOR•FORTALEZA•NATAL JOÃO PESSOA•MACEIÓ•TERESINA ARACAJU•SÃO LUÍS • SÃO PAULO A Revista PRONEWS é uma publicação mensal de Walter Lins Pinheiro Junior Editora - ME Empresarial Tacaruna - Av. Governador Agamenon Magalhães, 3341, Sls. 205/206. Torreão. CEP: 50.070-160. Fones: (81) 3426.6144 / 3034.6144 :: EDITOR Walter Lins Jr. walter@revistapronews.com.br :: REDAÇÃO Luciana Torreão - subeditora, Ivelise Buarque e Matheus Torreão redacao@revistapronews.com.br :: COLABORADORES Joelli Azevedo

NA ROTA DO MÍDIA Em entrevista à PRONEWS, o gestor de Mídia da Morya e presidente do grupo de mídia de Pernambuco, Fred Teixeira, fala sobre sua gestão e a valorização do profissional de mídia pernambucano. 6

A VEZ DO CLIENTE O conceito de negócio do Bonaparte reflete potencial nordestino. 24

GIRO 8 FICHA TÉCNICA 10 E 31 GIRO BRASIL 12 DE OLHO NA CAMPANHA 26 NA WEB 29 CLICK 35 Todo mês uma agência diferente produz a capa da Revista PRONEWS. Participe pelo e-mail: redacao@revistapronews.com.br

:: PRODUTOR GRÁFICO Bruno Regis producao@revistapronews.com.br :: DEPTº FINANCEIRO Walter Lins Jr walter@revistapronews.com.br :: ASSINATURAS 81 3426.6144 / 3034.6144 producao@revistapronews.com.br :: REPRESENTANTES COMERCIAIS NS&A - CE - Aldamir Amaral (85 3264.0406/ 0576) - nsace@nsaonline.com.br RD Produções e Eventos - Ricardo Douglas (SE - 79 3044.7013/9972.2214) rdproducoes@infonet.com.br Omega Mídia - Renato (SP - 11 8403.0330) renato@omegamidia.com.br :: DISTRIBUIÇÃO LogResolve (PE - 81 2123.1455) Jornal Correio - Rede Bahia (BA - 71 3203.1812) Sistema Verdes Mares (CE - 85 3266.9902) www.verdesmares.com.br Omega Mídia - Renato (SP - 11 8403.0330) renato@omegamidia.com.br :: DADOS TÉCNICOS Impressão: Gráfica FacForm (81 3339.6566) grafica@facform.com.br Tiragem: 7.000 exemplares Formato: 22x30cm Tipologia: Humanist 521 BT Papel: Couché brilho 150g/m² Número de páginas: 40 As matérias assinadas por nossos colaboradores não representam, necessariamente, a opinião da revista.

4

WWW.REVISTAPRONEWS.COM.BR


NA ROTA DO MÍDIA

Luciana Torreão |

UM CAÇADOR DE TALENTOS EM BUSCA DA VALORIZAÇÃO DO MÍDIA Sempre com um pé nos números. Assim parecem ser os destinados ao setor de mídia. E com o gestor de Mídia da Morya Recife também foi assim. Fred Teixeira chegou a cursar engenharia civil na Universidade Estadual de Pernambuco (UPE), mas depois de um tempo percebeu que não era aquilo que queria. “Acho que o DNA falou mais alto e resolvi seguir a profissão do meu pai, publicitário e jornalista. Mas não foi só isso. Sempre gostei muito das áreas de comunicação, tanto que por pouco, antes de fazer engenharia, não fiz Jornalismo. Daí a chegar à Publicidade, foi um pulo”, comenta Fred, que também é presidente do Grupo de Mídia de Pernambuco. Segundo Fred, as dificuldades iniciais na carreira de mídia foram enormes, pois na faculdade havia aprendido muito pouco de mídia. “O maior desafio foi o de desenvolver a habilidade para me relacionar e negociar com os veículos. E também para controlar a ansiedade, pois tenho certa dificuldade de aceitar que o meu trabalho não ande em decorrência da espera por respostas de terceiros. Gosto de resolver as coisas sem dependência. Sou um tanto 'self service'. Mas a espera faz parte da vida do profissional de mídia e tive que me adaptar”. E, ao que parece, a dificuldade profissional inicial transformou-se em oportunidade futura para repassar aos outros, informações que ele não teve quando era aluno: ele partiu para outra carreira paralela, a de professor da disciplina de Mídia. “Eu já tinha vontade de ter esta segunda atividade, pois sempre gostei de ensinar. Dava aula particular de matemática desde que estava na 8ª série (atual 9º ano). Depois que estava no mercado, algumas vezes ministrei palestras e fui tomando gosto”. Num determinado período, conversou sobre a vontade de ensinar com uma amiga que já dava aulas na Uninassau. E, em 2007, quando surgiu para ela uma oportunidade de fazer um mestrado em Portugal, a mesma o indicou para o seu lugar na faculdade. “É muito bom este convívio com o pessoal que está chegando ao mercado, pois também aprendo muito. E é um orgulho muito grande pra mim quando vou aos eventos do mercado e encontro inúmeros ex- alunos, agora colegas de profissão. Sinto que fiz parte de um pouco da história deles. Costumo dizer que são os meus 'filhos acadêmicos'”, brinca Fred Teixeira. 6

Fred, inclusive, é praticamente um caçador de talentos na área de mídia e sempre que alguma agência ou colega precisam de indicação, recorrem às suas impressões e indicações, tanto como profissional, quanto professor. E ele é taxativo: só contrata graduados em publicidade. Nas horas vagas, seus principais hobbies estão ligados a futebol. Ele gosta de de assistir jogos de futebol, in loco ou na TV, torcendo sempre pelo Sport Club do Recife. Além disso, não abre mão de jogar a sua “pelada” semanal há 12 anos. Fora isso, ele gosta muito de cinema, mas não pode dizer que tem um gênero preferido. “Aprendi com um amigo o seguinte: vá assistir a um filme com o espírito deste filme e com certeza você gostará de muito mais títulos do que você imaginava”. Como é de praxe, a gente sempre quer saber o sonho de consumo de nossos entrevistados. E Fred ressaltou que o seu é morar em uma casa, de preferência em condomínio fechado. “Quanto à viagem, eu gosto mesmo é de viajar. Pra qualquer lugar é sempre bom. Novas experiências, novas culturas, etc. Gostaria de conhecer vários lugares do mundo, mas tenho um desejo de conhecer a Europa. Por outro lado, tenho muita curiosidade de conhecer mais lugares na América do Sul”. Na área gastronômica, o gestor de Mídia da Morya diz que gosta de quase tudo, mas três coisas lhe dão realmente muito prazer: massa, comida japonesa e cozinha regional. “Gostaria muito de saber cozinhar, mas acho que não nasci com esse dom. Quanto à bebida, gosto de um bom vinho e aprecio muito uma boa cerveja”. E o gosto por cozinha regional, inclusive, o faz ir, mensalmente, em busca de lugarzinhos pelo Recife e RMR para comer. Durante nosso bate papo, ele comentou que, geralmente, às terças-feiras, uma vez por mês, vai com outros publicitários explorar o que chama de “Drogas Pesadas”. Nada mais é do que conhecer barzinhos e restaurantes populares pouco conhecidos, mas que oferecem aquelas comidinhas típicas locais, como sarapatel, feijoada, buchada, etc. Quem quiser fazer um roteiro, pode consultar nosso publicitário guia, que ele faz um roteiro turístico gastronômico perfeito. Eu até anotei algumas dicas e dia desses, nós da PRONEWS iremos acompanhá-los nesta aventura gastronômica.


Por fim, uma frase que norteia muito do seu trabalho: “A riqueza de informação gera a pobreza de atenção” (Herbert Simon). “Acho que é uma frase que sintetiza bastante o cuidado que devemos ter como planejadores de mídia ao pensar nos resultados para os nossos clientes”. RPN – Sua gestão no Grupo de Mídia se encerra em dezembro. Que balanço você faz de sua atuação neste período? FRED TEIXEIRA – O balanço que faço da atuação desta diretoria é bastante positivo. Se tivesse que destacar três pontos, seriam eles: a aplicação da Prova de Certificação, o estreitamento da relação com a Abap e o Sinapro, e reconhecimento definitivo do Grupo de Mídia de Pernambuco como incentivador e promotor de aprimoramento para os mídias de Pernambuco. RPN – A certificação para os mídias, inclusive, foi uma das conquistas desta gestão. Fale um pouco sobre todo esse processo como aconteceu. FRED TEIXEIRA – A Prova de Certificação foi criada pelo Grupo de Mídia de São Paulo em 2010, como um instrumento para medir o conhecimento técnico dos mídias. Com o tempo, outros grupos de mídia foram aderindo à prova. Quando resolvemos aderir, sabíamos do tamanho do desafio, já que a prova aplicada nos outros estados é absolutamente a mesma aplicada em São Paulo, mercado em que os profissionais têm mais acesso às ferramentas de pesquisa de mídia. Inclusive é aplicada no mesmo dia e hora em todos os grupos de mídia. Então resolvemos aplica-la este ano e foi muito bom. Tivemos uma aprovação muito boa e notas também muito boas. RPN – Poucas pessoas se inscreveram nesta primeira prova. A que se deve isso? FRED TEIXEIRA – Acredito que se deve a certo receio, justamente por ser a mesma prova de São Paulo, mas acho que agora, com os resultados obtidos, teremos muito mais mídias interessados em fazer a prova de 2014. RPN – Você comentou que seu sonho de consumo como mídia seria o dia em que a compra de mídia e espaços acontecessem de modo “self service”. Acredita que esta realidade seria possível de realizar? FRED TEIXEIRA – Pra mim seria perfeito. Muitas vezes os trabalhos não andam porque não temos as respostas dos diversos veículos na mesma velocidade. Acredito que sistemas automáticos aju-

dariam bastante, pois muitas informações poderiam ser disponibilizadas, por exemplo, nos sites dos veículos. Claro que sempre precisaremos das pessoas, principalmente nas negociações, e neste sentido acredito que elas precisam se aprimorar mais na questão de respostas às necessidades de agências e anunciantes. Acho que ainda é uma realidade muito distante, mas acredito que seja possível. RPN – Assim como uma de nossas entrevistadas anteriores, a Tatiana Passos, você também concorda que o ponto de partida de um processo interno de campanha para um cliente deveria passar pelo gestor de mídia primeiro, para então chegar até a criação. Como essa realidade poderia ser mudada e o mídia passar a ter mais valor? FRED TEIXEIRA – Na verdade, mesmo que a passos curtos, isto já vem acontecendo. O mídia ganha cada vez mais espaço à medida que se percebe a sua importância no processo. Não existe a possibilidade de uma campanha de sucesso somente com uma boa criação. O planejamento de mídia é o que levará a mensagem ao público alvo, objetivo principal de qualquer campanha. Cada vez mais o mercado entende que o profissional de mídia não compra espaço. O mídia compra gente, ou seja, compra público-alvo. E este profissional é o mais preparado para saber onde está este público e o que ele consome de mídia. RPN – Além de atuar como agência, você é professor. Percebe algum interesse dos alunos em ingressar no setor de mídia? Já há mais interesse deles hoje do que antigamente? O que faz que a procurar por este departamento ainda seja pequena? FRED TEIXEIRA – Ainda percebo pouco interesse pela mídia, apesar de nos últimos anos o mercado ter ganhado bons novos profissionais nesta área. Fico muito feliz quando começo um semestre perguntando pelo interesse na área e dois ou três levantam as mãos, mas no final do período consigo mais dois ou três alunos interessados pelo setor. Por outro lado fico muito triste quando descubro jovens que decidiram pela mídia com os olhos voltados para as festas e os pequenos “mimos' que envolvem a nossa profissão. Acredito que a procura ainda seja pequena porque, além do glamour da criação, tem a questão da remuneração, já que, historicamente, os maiores salários numa agência são da criação e do atendimento.

7


GIRO DiGAÍ LANÇA E-BOOK Buscando oferecer conteúdo de qualidade para o público interessado em marketing digital, o Digaí lançou o e-book 16 Erros que impedem seu site de estar na primeira página do Google. O objetivo do livro é apontar as fontes de problemas aos profissionais envolvidos na criação e gestão de websites. Desse modo, eles podem melhorar seu ranking nos buscadores, o que aumentará seu tráfego e, consequentemente, trará mais clientes. Várias técnicas abordadas no livro são utilizadas no próprio Digaí, que está na primeira página do Google para dezenas de palavras-chave. Para baixar o e-book gratuitamente: http://dig.ai/62d8sGdZVl CRESCIMENTO DE LEITORES NA BAHIA Enquanto alguns mercados de jornal impresso, país afora, enfrentam dificuldades, o jornal Correio, depois da reforma editorial e gráfica, vem se beneficiando do crescimento de leitores na Bahia. Segundo as pesquisas quantitativas do Instituto Ipsos Marplan, que estuda hábitos de mídia e consumo, foram acrescentados ao mercado 160 mil leitores só na capital baiana. Somando a Grande Salvador, esse número chega a 361 mil. A pesquisa também traz comparativos do Jornal Correio com outros veículos em relação ao número de leitores todos os dias da semana, o mais lido nas cinco faixas etárias, em todas as classes sociais, por leitores exclusivos, entre outros resultados.

rão com um QR Code com diversas informações sobre a Árvore da Vida. Neste mesmo dia, foi veiculado nos principais jornais do Recife um anúncio de meia página sobre a Árvore da Vida. A ação contou como apoio logístico da Oia Promo. PROGRAMA ESTIMULA AGÊNCIAS DA BAHIA Profissionais de publicidade e empresários do ramo a partir de agora, podem contar com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - Sebrae-BA, para melhorar o desenvolvimento de suas empresas, através do projeto Comunicação e Gestão. Para o diretor de Operações do Sebrae-BA, Lauro Ramos, é uma excelente oportunidade de estreitar a relação com o segmento. “O Sebrae possui um conjunto de soluções e dicas que podem auxiliar na gestão dessas empresas de publicidade e no desenvolvimento do mercado”, destacou. O projeto consiste em um programa de qualificação em gestão, que tem o propósito de reduzir custos e gerar novos negócios para as agências, fortalecendo assim o mercado publicitário. VAGAMUNDO COMEMORA 30 ANOS

A Vagamundo colocar no ar nova campanha em homenagem aos seus 30 anos. Assinada pela Agência Tibério Palmeira, o Liquida Vagamundo tem divulgação em redes sociais, outdoors, newsletter, rádios e camisetas por toda a cidade. A marca 'do chapéu de Chaplin' que já é referência no cenário de moda masculina em Pernambuco fará uma grande promoção durante todo o mês de setembro para zerar o estoque. No Liquida Vagamundo o cliente encontra peças em alfaiataria clássica, malhas especiais e ainda acessórios diferenciados, como cintos, mochilas e gravatas.

CIRCO NO DIA DA ÁRVORE A Circo criou para o seu cliente Morada da Paz ação diferenciada para divulgar a Árvore da Vida em Recife, aproveitando o 21 de setembro, Dia da Árvore. O serviço consiste na utilização das cinzas pós-cremação de um ente querido para o plantio de uma muda de árvore, em um local reservado no Morada da Paz, transformando assim, uma vida em outra. O objetivo do serviço é apresentar uma nova maneira, poética e simbólica, de perpetuar o sentimento. A ideia da ação consistiu na distribuição de duas mil mudas de Pau Brasil, nos bairros de Casa Forte e Boa Viagem. As mudas foram entregues em caixinhas explicativas, feitas com papel reciclado e ainda conta8

CONCEPTO ASSUME COMUNICAÇÃO DIGITAL DA PLANO B A Concepto Internet, especializada em sites e redes sociais, assume a comunicação digital da Plano B. Com 13 anos de estrada, a agência de propaganda profissionalizou a gestão de suas redes sociais com o objetivo de comunicar sua história, experiência e portfólio. E a Concepto foi a escolhida por oferecer características como inovação e foco em negócios. Não é de hoje que a Concepto atua com clientes de comunicação. A empresa desenvolve o portal GogoJob (www.gogojob.com.br) e criou os sites das agências Martpet (www.martpet.com.br) e Italobianchi (www.italobianchi.com.br), além de estar finalizando o site de Aponte Comunicação.


FICHA TÉCNICA CAMPANHA INTERATIVA COMBATE O FUMO A Ampla criou uma campanha de oportunidade para o Jornal do Commercio, aproveitando o Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado em 29 de agosto. Com o mesmo nível de impacto das campanhas tradicionais contra o tabagismo, porém mostrando o estrago que a fumaça produzida pelo cigarro provoca na coletividade e no corpo humano, a campanha pegou de surpresa os assinantes do jornal impresso e quem acessou a página do JC online. Na versão online, o leitor interage apagando a fumaça que aparece na tela com um toque (tablet ou smartphone) ou com o mouse (desktop). A mensagem “Se aqui o cigarro incomodou, imagine o que faz com o seu pulmão” surge na tela limpa. Já na versão impressa, os exemplares dos assinantes foram entregues com uma capa falsa, contendo a edição do dia encoberta por fumaça.

Agência: Ampla (PE) Cliente: Jornal do Commercio Atendimento: Aguinaldo Viriato, Renata Zanetti e Juliana Otaviano Direção de Criação: Humberto Montenegro e Juliana Lisboa Criação: Rafael Martins, Duda Leal e Ana Braga Arte Final: Marcelo Ramalho e Gean Swamy Mídia: Nilson Samico, Nice Gomes e Priscilla Leite Aprovação: Roseane Gonçalves e Gabriela Salazar

MUITO MAIS DO QUE SOL E MAR A Antares Comunicação inicia mais uma etapa da campanha desenvolvida para a Empresa Paraibana de Turismo (PBTur), intitulada 'Paraíba: muito mais do que sol e mar'. A ação já está na mídia há mais de um ano, e desta vez foram criados anúncios para divulgação em revistas nacionais. Como o próprio slogan já explica, todas as peças enfatizam os demais atrativos da Paraíba, que não podem ser resumidos em apenas “sol e mar”, entre eles, pontos históricos, gastronomia e a cultura. Peças publicitárias também serão instaladas em aeroportos e nos shoppings da Argentina. Agência: Antares Comunicação (PB) Cliente: Empresa Paraibana de Turismo (PBTur) Atendimento: Máximo Serpa Direção de arte: Aurélio Araújo Redação: Gustavo Pozzobon Mídia: Larissa Muniz 10


ANIVERSÁRIO RM EXPRESS A RM Express já está com campanha nova na rua. Para comunicar as ofertas especiais de aniversário, a Aporte Comunicação criou outdoors-lonados, backbus, jingles com ofertas, tabloides, anúncios, material de PDV e peças de internet. Usando elementos temáticos e muitas cores, a campanha traz toda a simpatia da atriz Ana Brasileiro, que aparece mais uma vez como garota propaganda da marca. Uma comunicação atrativa como as ofertas que os consumidores encontrarão em todas as lojas RM Express. Agência: Aporte (PE) Cliente: RM Express Atendimento: Frederico Franz Planejamento: Ângelo de Mello Mídia: Ana Paula Alcântara Diretor de arte: Bruno Bacci Redatora: Marcela Egito Produção: Eduardo Miranda Aprovação: Isabella Ferreira

JOGO DE PANELAS Os criativos da Blackninja e da pernambucana Indústrias Raymundo da Fonte vibrando com o ousado projeto criado pela agência para a Minhoto, que patrocinará o prêmio final do reality “Jogo de Panelas”, no programa matutino Mais Você, de Ana Maria Braga. O vencedor recebe R$ 10 mil. Para dar mais visibilidade à marca, a Minhoto traz também a atriz Dani Moreno, estrela de dois filmes, de 30 segundos, veiculados em Salvador, Recife, Aracaju e Manaus. Nas produções, a atriz dá dicas sobre como usar o vinagre Minhoto em receitas fáceis, como guisado com arroz branco e frango com batata frita. Além dos filmes, a campanha engloba, ainda, com outras peças gráficas como backbus, outbus e material para PDVs (pontos de venda). Agência: Blackninja Comunicação (PE) Cliente: Minhoto Atendimento: Flávia Oliveira Criação: Renata Gusmão, Daniel Zago e Bertone Balduíno Mídia: Carla Tenório RTVC: Lais Leleu Aprovação: Romero Longman e Rejane da Fonte 11


GIRO BRASIL desde o momento da entrada na ESPM, a experiência adquirida na escola até o momento atual de sua vida.

VEJA LANÇA CAMPANHA DE 45 ANOS O primeiro anúncio da campanha que celebra os 45 anos da revista Veja foi criado pela AlmapBBDO. A campanha é composta por cinco anúncios e peças para os meios digitais que destacam o objetivo da semanal que, desde o seu primeiro número em 1968, investiga os fatos a fundo para buscar a verdade e informar seus leitores sobre o que acontece no Brasil e no mundo. Na edição especial, como informa a “Carta”, a Veja revisitará, “com reportagens internacionais, investigações de fôlego e uma coletânea de artigos”, além de infográficos e fotos, 45 reportagens que fizeram e fazem a história. APLICATIVO PERSONALIZA EMBALAGEM DA BOMBRIL A Bombril lançou aplicativo no Facebook para que seus seguidores personalizem a embalagem do seu principal produto: o BomBril, que é sinônimo da categoria e ícone da criatividade da publicidade brasileira. A empresa tem como objetivo aproximar-se ainda mais do público e interagir de maneira divertida com os usuários. Desenvolvido pela agência iKomm, o aplicativo disponibiliza três opções de embalagem, nas quais o usuário poderá colocar a palavra que quiser e compartilhar em sua página do Facebook, marcando amigos e chamandoos para a brincadeira. As frases mais criativas poderão ser utilizadas nas embalagens reais do produto. Hoje a Bombril tem mais de 270 mil seguidores no Facebook, e o objetivo é fazer com que os consumidores interajam com a embalagem. QUEM FAZ TRANSFORMA "ESPM. Quem faz transforma". Esta é a nova assinatura institucional da ESPM e a primeira manifestação externa de reposicionamento da marca, construída a partir de um só conceito: transformação. Desenvolvida pela Dclemente & Associados, a campanha é composta por filmes publicitários de 15" e 30", veiculados em TVs aberta e fechada; spots de rádio de 30"; anúncios em mídia impressa e on-line; além de redes sociais, sempre contemplando as três praças da ESPM - São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Para apresentar este novo posicionamento, a ESPM não poderia optar por outros garotospropaganda que não os alunos e ex-alunos da escola. O design da campanha institucional mostra graficamente o processo de constante transformação que acontece com os personagens, 12

SEMANA NACIONAL DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS Para conscientizar a população para a falta de doadores, a agência Leo Burnett Tailor Made preparou ação de grande impacto para a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO) em parceria com o Conde Chiquinho Scarpa. A ideia foi despertar as pessoas para o absurdo que é enterrar um órgão saudável que poderia salvar a vida de alguém. Para ajudar a mudar isso, corajosamente e voluntariamente Chiquinho Scarpa comunicou em sua página no Facebook que iria enterrar o seu maior bem: um Bentley no valor de 1,5 milhão. A repercussão foi enorme e a opinião pública criticou fortemente a decisão do Conde, como era esperado. No dia do enterro, com a imprensa reunida para uma coletiva, a mensagem foi revelada e foi anunciada a abertura da Semana Nacional de Doação de Órgãos, organizada pela ABTO. O Conde Chiquinho, protagonista da ação, reforçou sua postura nobre, consciente e engajado com importantes causas sociais. BRASILEIROS CONFIAM MAIS NAS REDES SOCIAIS Na recente pesquisa global “Management Tools & Trends 2013”, da consultoria internacional de negócios Bain & Company, 85% dos respondentes do Brasil disseram acreditar que as mídias sociais melhoraram a relação das marcas com seus clientes e consumidores. Na América Latina (respondentes do Brasil e México), esse número cai para 76%. Ainda assim, é o maior índice de aceitação do canal, comparando-se com outras regiões: para a mesma pergunta, 48% dos entrevistados na América do Norte e 43% na Europa afirmaram que a social media melhora a conexão entre as marcas e os clientes. A pesquisa deste ano incluiu 213 executivos do Brasil e México, que atuam em empresas de diversas indústrias e tamanhos. OS 3 GREGOS DA BATAVO A Batavo, marca do segmento de lácteos da BRF, lançou para todo o país a campanha "Os 3 Gregos da Batavo". Criada pela NBS, a ação brinca com o fato de a marca ser a única com três Gregos: o Grego cremoso, o Grego líquido – exclusividade da marca – e o Gregó...rio, num jogo de palavras com o nome do comediante, que protagoniza o comercial, Gregório Duvivier, da Porta dos Fundos. Com filmes de 30 e 60" e concurso cultural no Facebook, a campanha está no ar na TV paga e internet.


PROFISSIONAIS DO ANO:

Ivelise Buarque |

OS CRIATIVOS E SEUS COMERCIAIS QUE DIVERTEM E INFORMAM Como um oscar, o Prêmio Profissionais do Ano apresenta anualmente trabalhos criativos provenientes de profissionais que concebem e transformam ideias em comerciais que divertem e informam. Um reconhecimento merecido para aqueles que fazem o “Show de Intervalo”, como considera a Rede Globo, criadora deste prestigiado evento (1978). E nesta 35º edição da seccional Norte – Nordeste, realizada no dia 28 de agosto, na Plenáriado Studio 5 de Convenções, em Manaus, não foi diferente. A festa, que contou com a participação dos atores Murilo Rosa e Emanuelle Araújo como os mestres de cerimônia, reuniu 500 convidados e realizadores dos melhores comerciais das regiões que foram recebidos em clima de cinema (com inspiração no blockbuster “Piratas do Caribe”). Com o apoio da TV Amazonas, a premiação global contou com 155 inscrições e 224 comerciais concorrentes de 56 agências e 71 produtoras, veiculados no sistema da emissora, entre abril de 2012 e março deste ano. Os trabalhos dos participantes foram julgados por onze profissionais do mercado. Eles selecionaram oito finalistas para duas categorias Campanha (que contou com três profissionais indicados) e Merca-

do (com cinco). A primeira integrou profissionais provenientes das agências Aliança (Recife), Ideia 3 (Salvador) e Lira Pub (Maceió). Na segunda, houve participantes da Ampla, Arcos e Martpet (Recife), Lume Comunicação (Salvador) e Art&C (Natal). Essas empresas concorreram nesta última etapa com os filmes “Tempo” da Vitarella (Ampla), “Tintas” da Folha de Pernambuco (Arcos), “Profecia” do Festival Cine-Pe (Martpet), “Cinema” do Governo do Rio Grande do Norte (Art&C) e “Liberte Seu Espírito” do Pena Surfwear (Lume); e as campanhas Fito PE para o Serviço Social da Indústria - Sesi (Aliança), Namorados: Jorge e Zélia para o Shopping Iguatemi Salvador (Ideia 3 Comunicação) e Perto de Você para Casa das Tintas (Lira Pub Comunicação Integrada). Mas, os grandes vencedores foram a Ideia 3 e Arcos. Com sua campanha que resgatou uma das imagens mais icônicas da cumplicidade e do companheirismo entre um casal (os escritores baianos Zélia Gatai e Jorge Amado), a Ideia 3 saiu com o prêmio na bagagem com o trabalho em parceria com a produtora RX 30 e a consagração dos criativos Wilton Oliveira, Paulo Sales, David Franco, Jan Hlavnicka e Leandro Dultra (Criação) e Moacir Mancha (Direção).

Carlos Renato e os frames: “Tintas” para o jornal Folha de Pernambuco (Arcos)

14


A campanha já havia sido premiada ano passado como a melhor de shoppings da América Latina dos últimos 30 anos, no 12° Congresso Interacional do setor. “Acho que o mais importante foi o trabalho de pesquisa que antecedeu a criação propriamente dita. Mergulhamos no universo do casal, a vida dos dois, contamos com apoio da família, da Fundação Casa de Jorge Amado, tivemos acesso à casa do Rio Vermelho, a livros, objetos pessoais, tudo isso foi muito enriquecedor e inspirador. A energia que sentimos nas gravações lá na casa do Rio Vermelho foi muito positiva e posso dizer, com certa dose de superstição, que o universo conspirou a favor do trabalho”, destaca o sócio-diretor de Criação da Ideia 3, Wilton Oliveira. Para promover o Dia dos Namorados do mall, utilizaram-se do mote “A maior história de amor que a Bahia já viu”, a partir desta história de amor real, do casal que conviveu junto durante 56 anos. Para isto, a equipe se aprofundou em suas vidas diárias, sua relação com a família (filhos e netos) e o sucesso na literatura. Tudo isto foi realizado, inclusive, com a utilização de documentos e testemunhais dos protagonistas, do arquivo da Fundação Jorge Amado. “Foi um trabalho que contou com muito envolvimento de todos. Do cliente à produtora, passando pela criação da agência. Se você olhar a ficha técnica vai ver que tem a participação de muita gente e esse trabalho em grupo foi fundamental para o resultado final. Acho que sensibilidade é a palavra chave deste material e ela esteve presente na elaboração dos roteiros, na direção de cena, na escolha dos objetos, dos enquadramentos, enfim, foi um trabalho realizado com muito carinho e respeito por tudo que Jorge e Zélia representam para a Bahia e para o Brasil”, lembra Oliveira. A grande premiada na categoria Mercado foi a pernambucana Arcos com o expertise dos publicitários Carlos Renato Rocha, Genival Junior e João Saraiva (criação) e Cris

Vida (direção), que contaram também com a maestria da produtora paulista Cine, no comercial “Tintas” para a Folha de Pernambuco. “Com relação a este trabalho, é importante ressaltar a força e o peso do texto do filme. É um texto denso, reflexivo, carregado de significados e sentimentos. Não é um texto que a gente está acostumado a ver em campanhas publicitárias. O filme não é feito para provocar risos nem lágrimas, não tem celebridade. Além disso, outros elementos como a direção de arte, a trilha e a locução assumiram papéis importantes para valorizar ainda mais a ideia. Com tudo isso, não podemos deixar de apontar o mérito também da Folha de Pernambuco, que não só aprovou a ideia, como fez de tudo para viabilizar e fazer acontecer. Por isso, este prêmio é uma vitória de todos os envolvidos”, comenta Carlos Renato Rocha, diretor de Criação da Arcos. Não é a toa que “Tintas” foi um dos prestigiados nesta edição. O filme de um minuto é realmente cheio de significado para várias gerações, apontando momentos distintos da vida sócio-política do brasileiro, com a qual públicos de faixas distintas podem se identificar. Partindo de um conceito artístico aparentemente simples, com um bico de pena e tinta, mostra a importância do produto principal do jornal pernambucano: a informação, a partir de momentos específicos da evolução da história, e da comunicação. “Entregamos o job para a Cine, uma produtora muito parceira da Arcos e que tem em seu portfolio grandes cases de sucesso nacionais. Chamamos a Cris Vida para dirigir. Ela e sua equipe realmente se empenharam para fazer desse filme especial. Muita gente não sabe e não percebe, mas esse filme não é 100% computação gráfica. Ele também teve abertura de câmera, captação. O trabalho da Jamute na composição da trilha também merece muitos elogios”, pontua Rocha.

Wilton Oliveira, Idea 3 e a campanha que resgatou uma das imagens mais icônicas da cumplicidade e do companheirismo entre um casal (os escritores baianos Zélia Gatai e Jorge Amado)

15


CAPA

VALE TUDO NA ARTE DA GUERRILHA

Matheus Torreão |

Flashmob, PR Stunt, astroturfing, marketing de emboscada. Criadas originalmente para pequenas empresas se adaptarem aos curtos orçamentos, táticas do marketing de guerrilha vem sendo apropriadas por grandes corporações e artistas independentes Se os Estados Unidos não aprenderam tempos realizada pela revista Times, com 20 todas as lições que poderiam com a Guerra do milhões de cópias vendidas. A contribuição Vietnã, a insistência nos mesmos erros, defido publicitário foi fundamental para a criação nitivamente, não se aplica ao mercado publide verdadeiros cânones da história da publicidacitário norte-americano. A necessidade de de, como o Homem Marlboro e o Tigre Tony da concorrer com grandes corporações que marca de sucrilhos Kellogg's. Quanto aos princípios que caracterizam dispunham de orçamentos muito maiores fez o termo que designou, Levinson explica, a grosso as pequenas empresas engendrarem uma geramodo, em sua página oficial: trata-se de “atingir as ção de verdadeiros publicitários “vietcongs”, metas convencionais, tais como lucros e alegria, adaptando estratégias que seguiam os mesmos com métodos não convencionais, como investir preceitos básicos das ações militares que energia em vez de dinheiro”. Para ele, a pertideram a vitória ao país asiático. Dentre as Jay Conrad Levinson acredita que a maioria dos pequenos nência de se falar sobre o marketing de guerprincipais, buscar maneiras criativas e ousanegócios dá errada porque das de intervir nos espaços públicos, atingir falham em entender o marketing rilha hoje pode ser vista sob a luz de três fenômenos em andamento: a descentralizaum número massivo de pessoas com um ção do mercado graças ao declínio das grandes empresas, a mínimo de recursos, surpreender e recuar. Se a operação for acessibilidade das novas tecnologias e a quantidade de pequebem sucedida, os louros da batalha são muito boca a boca e nos negócios que têm surgido em número recorde. De acormídia espontânea. A criação deste conceito se deve especialmente a um do com Levinson, a maioria destes empreendimentos de homem: Jay Conrad Levinson, pai do hoje chamado marketing menor porte falha, principalmente, graças à dificuldade dos de guerrilha. Levinson é o autor do best seller Guerrilla Maradministradores em entenderem como o marketing funciona. “O pessoal de marketing pode ser dividido em duas keting, lançado em 1982, que recentemente integrou a lista categorias: aqueles que resistem à mudança e aqueles que dos 25 livros sobre negócios mais importantes de todos os acolhem a mudança. Os “guerrilheiros” estão na segunda categoria”, decretou Everton Cruz, publicitário, piloto de avião e sócio da Giravento Comunicação (PE) – primeira agência autorizada a realizar ações de propaganda aérea na região Nordeste –, que se coloca no time da inovação. Segundo ele, “as agências menores têm mostrado que é possível inovar e se adaptar nesse novo mercado de orçamentos cada vez mais reduzidos. Eles sabem que as melhores mudanças devem vir de si mesmos”. O flashmob realizado pela Globo Nordeste, no Shopping Recife, mobilizou 100 cantores e bailarinos

16


Eu sou da Lapa: astroturfing da agência Espalhe recrutou vários personagens famosos do bairro

No entanto, tratou logo de desfazer alguns malentendidos comuns em relação ao significado da expressão. Para Everton, marketing de guerrilha não é viralizar somente através das redes sociais, aparecer no Facebook ou abordar de maneira inconveniente sua lista de contatos até que alguém curta sua página. “O marketing de guerrilha muitas vezes envolve as mídias sociais, mas é mais que isso. Marketing de guerrilha é criativo, pessoal, out-of-the-box. E marketing de guerrilha não é ser barato, ou recorrer às táticas meia-boca só porque você não tem o cérebro ou o orçamento para fazer algo melhor”. GUERRILHA DE GIGANTES – A máxima de que 'é preciso de dinheiro para fazer dinheiro', portanto, não livrou sequer os guerrilheiros. Tanto que, hoje, as campanhas mais notórias do gênero na história recente foram contratadas por grandes corporações, que já trataram de se apropriar das táticas originalmente recorridas pelos pequenos negócios para aprimorálas através de seus generosos orçamentos disponíveis. No Nordeste, um dos cases de mais destaque nos últimos tempos foi o flashmob – mobilização relâmpago previamente ensaiada realizada em um espaço público para surpreender os transeuntes, geralmente um número de música e dança – feito pela Mercado Comunicação para a Rede Globo, no Shopping Recife. A ideia do flashmob começou com a mudança que o diretor geral da Globo, Celso Coli, resolveu implementar na Globo Nordeste. Mesmo sabendo dos riscos, ele resolveu apostar na ação e esperei que houvesse uma aceitação do público. “Eu não tinha ideia do que ia acontecer no momento”, confessa Ivanildo Holanda, diretor da agência. A campa-

nha não foi nem um pouco modesta: foram 17 câmeras espalhadas pela praça de alimentação do shopping, 100 pessoas participando da intervenção, dentre bailarinos e cantores – dentre eles, alguns de destaque na cena local, como André Rio, Cristina Amaral e os garçons cantores do Manhattan – e incansáveis ensaios gerais secretos durante a madrugada. Os gastos e os riscos assumidos pelo grau de falibilidade humana de tamanha superprodução, segundo Ivanildo, se pagaram por completo. “Você mede a reação das pessoas na hora. Olhares de fascinação, participação espontânea das pessoas, encantamento. É muito difícil achar alguma insatisfação nas pessoas que estavam na praça de alimentação naquele momento, dos clientes aos funcionários das lanchonetes”, contou, sobre o sucesso do flashmob que em pouco tempo tornou-se um viral na internet. A Mercado Comunicação também foi responsável por realizar duas ações de vídeo mapping 3D – projeção de vídeo sobre superfícies irregulares, geralmente fachadas de prédios e grandes construções - no Quartel do Derby, novamente para a Globo, durante o Natal Solidário promovido pela emissora em Recife. Ivanildo conta: “o que eu queria, depois de ver mais de cem mappings feitos pelo mundo era apresentar uma narrativa através deste recurso. Observei que na maioria dos casos estavam usando apenas os efeitos, e eu acho que contar a história é fundamental. Neste caso, a trilha conseguiu fazer isto sem uma única linha de texto”. A tecnologia, recente no Brasil, também é custosa e mobiliza um grande número de profissionais. Segundo o publicitário, entretanto, apesar do investimento envolvido, o conceito de marketing de guerrilha continua apropriado para designar este gênero de campanha. “Elas podem, sim, ser caracterizadas como tal, pois se apropriam de um espaço público de maneira surpreendente e terminam por trazer o público mais pra perto e causando emoção forte”. Ivanildo também explica porque grandes empresas, que tem plenas condições de investir nas mídias de massa tradicionais, têm buscado ações cada vez mais ousadas e arriscadas. “O objetivo é inovação, sem dúvida. Inclusive porque, através da Internet, hoje você pode ter uma repercussão e um alcance muito grande”. No Brasil, a agência com mais destaque especializada em marketing de guerrilha é a paulista Espalhe, que também se destaca pela sua lista de grandes clientes como Coca-Cola, Adidas e Halls. Dentre suas especialidades, está o astroturfing – gênero guerrilheiro que consiste em gerar movimentos que parecem espontâneos, mas na realidade foram forjados. 17


O canal NatGeo suspendeu o body artist Rafael Mendes a 50 metros do chão na Avenida Paulista durante duas horas em uma ação de PR Stunt

AstroTurf é uma famosa marca de grama sintética dos Estados Unidos (daí o sentido: fazer crescer algo aparentemente natural de forma artificial) e as origens do significado atual do termo surgiram nas campanhas políticas norte-americanas, sendo também conhecido como rent-a-crowd (alugue uma multidão) na Inglaterra. Ou seja, a ideia consiste em levar um número contratado de pessoas a se engajarem inicialmente em um movimento, de forma que estimule as demais a fazerem parte também. O case de astroturfing mais notório realizado pela Espalhe foi a campanha “Eu sou da Lapa”, para a incorporadora Kabin Segall. A empresa estava empenhada em divulgar o novo complexo de apartamentos Cores da Lapa, no Rio de Janeiro. O bairro, por sua vez, era conhecido mais pela vida noturna e o folclore em torno de seus lendários boêmios que por suas vizinhanças residenciais. A fim de quebrar este estigma – assim como o Homem Marlboro - cowboy e viril, tratou de transformar uma marca de cigarros femininos em ícone do universo masculino –, a Espalhe recrutou personagens notórios para iniciar uma nova onda de orgulho lapeano: a campanha “Eu sou da Lapa”, protagonizada pelos nascidos no bairro, que vendeu camisetas, broches, distribuiu panfletos e tomou uma repercussão enorme. Resultado: a venda em tempo recorde de todos os imóveis disponibilizados pela incorporadora. “Somos uma agência especializada em boca a boca. Usamos a criatividade de guerrilha para transformar nossos clientes em assunto”, diz o manifesto da Espalhe, que este ano completa uma década de existência. Uma das modalidades mais comuns de guerrilha explorada pela empresa é o PR Stunt – PR do inglês public relations (relações públicas) e stunt significando façanha ou proeza. Trata-se de ações que, pela insolitez, chamam a atenção da imprensa e são viralizadas nas redes sociais, gerando a tão cobiçada mídia espontânea. Uma delas foi feita para o canal National Geographic (NatGeo), durante o lançamento do programa Tabu, cujo 18

título é auto-explicativo: discutir sobre temas que geralmente não são vistos com naturalidade pelo senso comum. O primeiro episódio trataria sobre modificações corporais e, na missão de divulgá-lo, a Espalhe acionou o blogueiro e body artist Rafael Mendes. Enquanto o Twitter da NatGeo transmitia tudo ao vivo, Rafael foi suspenso a 50 metros de altura por dois ganchos cravados na pele de suas costas, na Avenida Paulista, em plena hora do rush. Além da interação com o público e a visibilidade estratégica do local da ação, seu caráter inusitado gerou, em reportagens na grande imprensa, uma publicidade dez vezes maior proporcionalmente que o valor investido pelo canal. RISCOS DE DESASTRE – Se pode apresentar resultados extraordinários nos exemplos bem-sucedidos, no entanto, a guerrilha nem sempre compensa. Para Gil Sabino, com MBA em Gestão de Marketing, é necessário um estudo cuidadoso do mercado e das demandas culturais e sociais em que se insere o produto a ser vendido. Só então cliente e agência poderão decidir a melhor abordagem e o grau de ousadia das ações planejadas. “Nem sempre será o marketing de guerrilha que salvará o caixa da empresa. Às vezes é preferível investir em valores agregados ao produto, novos componentes, garantias, flexibilidade de pagamento, parceria com fornecedores e distribuidores, e muitos outros recursos”, opina. Para ter uma visão mais acurada da posição atual em que seu artigo ou serviço se encontra no mercado, Gil recomenda uma análise profunda dos tradicionais dos 4Ps: Produto, Preço, Praça e Promoção. “Isso inclui gerenciamento de preço, análise de comportamento do consumidor, branding, comunicação, comercialização, análise Swot para verificação de forças e fraquezas”, explica. Gil sugere inclusive os novos avanços da ciência na área do neuromarketing, que procura desvelar já na origem de onde vêm e como podem ser despertados os desejos de compra do consumidor. E alerta: “o marketing de guerrilha, por vezes, é um tiro no pé”. Casos onde a advertência de Gil se confirma, por sua vez, também não são poucos. A forma como assume riscos apostando em ações ao vivo, intervindo diretamente nos espaços públicos e contando com a grande incógnita que é a reação espontânea dos surpreendidos muitas vezes traz conseqüências desastrosas. Um dos exemplos recentes do tipo de fiasco a que se expõe quem aposta no marketing de guerrilha aconteceu em 2010, em uma ação da Twix. A Mars, corporação responsável pela marca, causou


Arcas da P&G causaram pânico no Rio de Janeiro, acionando o esquadrão anti-bombas. A repercussão foi extremamente negativa para a marca, que se desculpou em nota pública

furor anunciando que haveria uma 'chuva' do famoso chocolate na cidade de São Paulo, em um estacionamento, novamente na Avenida Paulista. Nas redes sociais, a boa nova foi devidamente espalhada e viralizada em pouco tempo, indicando que teríamos um grande case de sucesso pela frente. O saldo, no entanto, foi extremamente negativo. Os chocolates foram distribuídos manualmente, de forma desigual; havia mais papel picado chovendo que o produto em si e a partir de um determinado horário a área da ação foi restrita, fazendo muitas das duas mil pessoas que se aglomeraram com guarda-chuvas para apanhar os bombons voltarem para casa de mãos vazias e xingarem muito no Twitter. A hashtag #chuvadetwix foi parar nos trending topics, e da pior maneira possível. Outro caso ainda mais catastrófico foi para a conta da P&G, graças a uma campanha realizada no mesmo ano. Para promover a nova iniciativa da marca, o lançamento de um avião que entregaria prêmios em todo o país batizado de Avião do Faustão, foram espalhadas arcas de madeira em várias calçadas da cidade do Rio de Janeiro. O momento, entretanto, estava longe de ser dos mais oportunos: era o quarto dia seguido em que a capital estava sob a mira de ataques de traficantes. Temendo o pior, o esquadrão anti-bombas foi acionado, ruas foram isoladas e toda a operação policial transmitida ao vivo pela mídia. O resultado foi uma exposição nacional massiva manchando a imagem da marca e uma nota de retratação pública da P&G. Em outras palavras: um pesadelo acordado para qualquer gerenciador de crise.

telas e, com isso conseguiram alcançar o sucesso na comunidade em que intervieram e até a fama internacional, como o caso de Bansky, famoso em seu anonimato. Em seu livro Guerra e Spray, o mais notório e subversivo grafiteiro dos últimos tempos inclusive simplifica sua estratégia de ação: "Com uma lata comum de tinta de 400 ml você faz até 50 estênceis formato A4. Isso significa que da noite para o dia, você pode se tornar incrivelmente famoso/impopular numa cidade pequena por apenas dez libras" No Brasil, é possível pensarmos também em alguns artistas que, completamente desconhecidos, conseguiram divulgar o seu trabalho intervindo nas paredes das grandes cidades. É o caso d'Osgemeos, grafiteiros de São Paulo, que começaram colorindo as paredes de seu bairro na Paulicéia e hoje alcançaram o reconhecimento mundial, estampando as fachadas de diversos edifícios no mundo. Outro exemplo emblemático é o do profeta Gentileza que, através de seu estilo próprio de linguagem, conseguiu divulgar no Rio de Janeiro palavras que hoje figuram em diversas camisetas e criar o que hoje é tido com naturalidade como um jargão: “Gentileza gera gentileza”, criado no museu a céu aberto ao longo da Avenida Brasil. A estratégia do profeta era digna da amplitude de divulgação que alcançou: os quadros contendo as palavras de gentileza foram escritos nos viadutos da Avenida Brasil, na altura dos olhos dos usuários dos ônibus, garantindo assim a visibilidade constante de seu trabalho, assim como o fluxo contínuo de observadores. Iniciativas como as de Gentileza espalharam-se e, em diversos estados do país, existem hoje interventores urbanos

A ARTE DE GUERRILHA – Baixo custo e criatividade fazem do marketing de guerrilha uma opção de divulgação cada vez mais recorrida também no meio artístico. É prolífica a quantidade de artistas urbanos que utilizam as cidades como O Profeta Gentileza espalhou sua mensagem pintando estrategicamente viadutos da Avenida Brasil na altura da visão dos passageiros de ônibus 19


Rafa Mattos começou a espalhar mensagens de amor pela cidade, feitas a partir de materiais encontrados no lixo e, sem planejar, viralizou uma marca

estado, a Refazenda. “resolvi trabalhar com eles pela afinidade conceitual entre as marcas, ambas preocupadas com o âmbito social, a humanização e a propagação de coisas boas. Temos em andamento um projeto de associação das duas marcas para os próximos meses”, afirmou. que utilizam a cidade para defender e divulgar ideias. O designer carioca Rafa Mattos é um desses artistas que conseguiram incorporar a sua arte à estética da cidade em que vive. Em Recife há três anos, Rafa já desenhou mais de 500 mensagens de amor em pedras e pedaços de lixo espalhados pela capital pernambucana, e hoje já vende quadros cartazes com sua mensagem para diversas pessoas. O designer afirma que as intervenções surgiram a partir da vontade de passar uma mensagem, e que só depois percebeu as estratégias de comunicação utilizadas no processo: “Eu tinha um conceito: 'plante amor, colha o bem'. A marca, um regador. O produto, uma mensagem básica, e o meio de transmissão encontrado na esquina de uma das ruas mais movimentadas da cidade: o lixo. Orçamento, apenas tempo e amor”. A criatividade do artista, aliada com o pensamento técnico de divulgação de sua ideia, o amor, possibilitaram que ele, com um baixo investimento financeiro, pudesse ser reconhecido inclusive por publicitários de campanhas institucionais. O projeto que surgiu com tímidos regadores, repetidadamente espalhados pela cidade com as palavras “plante amor e colha o bem”, fixou-se na mente dos recifenses e cresceu retroalimentado pela aceitação do público. A ideia tímida transformou-se em um modo de vida: “Virou um projeto, mesmo não tendo nada projetual quando começou. Estabeleci parcerias com empresas privadas, governo, projetos sociais”, afirma Rafa, que hoje faz da alternativa a provedora de seu sustento. As mensagens de amor de Rafa Mattos recentemente foram convidadas para integrar a campanha da Prefeitura da Cidade do Recife, pela gentileza no transito, e o artista também foi chamado para participar da divulgação do Pacto Pela Vida, programa da Secretaria de Segurança do Estado de Pernambuco. Sobre a motivação dos convites, o designer acredita que lhe foram feitos por haver uma identificação da proposta humanizadora dos programas com os ideais de amor e fraternidade no convívio, defendidos na sua arte. Atualmente o desenhista tem em fase de planejamento uma parceria com uma importante empresa de moda do 20

GUERRILHA SONORA – Se as estratégias de guerrilha servem tão bem às artes plásticas, o mesmo também se aplica à aguerrida indústria da música. Em 1976, quando Alceu Valença aportou no Rio de Janeiro para apresentar seu show Vivo!, nas três primeiras noites só ouviu o som dos grilos. Chegado o dia seguinte, Alceu reuniu seus músicos – dentre eles Zé Ramalho –, fez um megafone de papel, ajuntou panelas e saiu pelas ruas de Copacabana anunciando o “maior espetáculo da Terra”. A repercussão foi tamanha que a imprensa deu as caras, as apresentações passaram a lotar e o Vivo! permaneceu em cartaz durante dois meses no teatro Tereza Rachel. Sem precisar ir tão longe no tempo nem no espaço, temos outro exemplo de músicos guerrilheiros naturais do mesmo estado: a banda pernambucana The Playboys. Neste caso, no entanto, a influência é menos a teatralidade irreverente Alceu Valença e mais a subversão inconseqüente dos Sex Pistols – lendária banda punk inglesa que alugou um barco chamado Queen Elizabeth e navegou o rio Tamisa até a frente do parlamento inglês para promover um verdadeiro “atentado” sonoro tocando canções agressivas e irônicas contra a Rainha no dia de seu Jubileu de Prata, em 1977. A iniciativa da The Playboys, assim como a dos Sex Pistols, também causou um grande furor na imprensa – com vantagem, no entanto, de ninguém ter ido parar na cadeia. A dificuldade para encontrar lugares para tocar com um bom público, na cidade do Recife, motivou a ousada e famosa empreitada do grupo, desta vez com a “invasão” de um espaço privado – o Festival Abril pro Rock. É o que poderíamos chamar, dentre os gêneros guerrilheiros, de marketing de emboscada: se aproveitar do público de um evento sem ter sido convidado (mais comumente designado quando empresas procuram agregar maliciosamente sua marca a um acontecimento ao invés de patrociná-lo e, atualmente, a grande dor de cabeça dos gestores de marketing Copa do Mundo de 2014). Dono de uma loja de discos e skate, João Neto, vocalista da The Playboys, alugou um estande do festival com a justificativa de vender discos e camisetas da banda no Abril


Emboscada punk: a banda Sex Pistols alugou um barco para tocar em frente ao Parlamento inglês no dia do Jubileu de Prata da Rainha em 1977

Pro Rock de 2005. “Na véspera falei com a pessoa responsável e disse que a gente tocava instrumento de brinquedo, perguntei se podíamos levar um amplificador para usar com a guitarra de brinquedo. No dia, levamos o equipamento completo”. João alega que a ideia do grupo, além de divulgar o trabalho, partia também da vontade de contrapor-se ao status de “cânone” do festival: “Tinha a história subversiva, porque o Abril Pro Rock representa uma entidade fixa, um ícone. Queríamos mexer com isso e, ao mesmo tempo, fazer propaganda. Sabíamos que poderiam ter nos mandado parar, e também que isso chamaria ainda atenção se acontecesse”. Os objetivos da empreitada foram alcançados: depois de tocar três vezes na noite, o vocalista afirma que por vezes havia mais gente vendo-os tocar do que acompanhando a programação do palco secundário do festival. O cantor punk gaúcho Wander Wildner também juntou-se ao grupo para acompanhá-los em uma das apresentações, o que só tratou de aumentar a repercussão da atitude. No dia seguinte, o grupo estampava as páginas dos três principais jornais do estado, a Folha de São Paulo e a revista Outra Coisa, do cantor Lobão. A publicidade gerada pela ação criativa possibilitou que a banda saísse da penumbra e conquistasse um espaço antes inexistente. Além da ação interventora, o grupo também fez o marketing de seu trabalho a partir das próprias letras de suas músicas, frequentemente relacionadas com sátiras da cena musical e cultural pernambucana. Uma delas, “Paulo André não me Ouve” – endereçada ao produtor e curador do Abril Pro Rock –, feita após a performance do grupo no festival, teve seu videoclipe transformado em um verdadeiro viral na região. “Foi a partir de nossas carências que inventamos uma forma alternativa de aparecer e de existir”, conta João Neto. A entrada forçosa no famoso festival pernambucano foi sucedida pelo convite de Paulo André para que o grupo integrasse a programação oficial dois anos depois; e já no ano anterior o grupo havia tocado no Recbeat, importante festival alternativo no carnaval do Recife. A escassez de festivais de música, além da carência de casas de show na cidade, provocaram outra ação que também

gerou muita mídia espontânea para o grupo. Pensando em realizar um trabalho social, contar com um público certo, ter um lugar para tocar e de quebra ainda chamar atenção, João Neto tomou a frente do Rock na Tamarineira – festival que acontece periodicamente no hospital psiquiátrico Ulysses Pernambucano, desde 2002, no melhor estilo “do it yourself” (“faça você mesmo”, lema do movimento punk). “Na primeira vez a The Playboys se apresentou de forma totalmente independente. Depois, tivemos a ideia de transformar a iniciativa em um mini-festival e conseguimos um patrocínio da Prefeitura”, conta. Hoje o Rock na Tamarineira já vai para sua décima edição, tem no currículo a participação de bandas de destaque cidade como Ave Sangria e Eddie e já serve de vitrine para novos grupos locais, além de ser uma forma de contato com o mundo externo muito valorizada pelos médicos e pacientes do hospital. A a ç ã o t a m b é m gerou uma série de publicidade positiva para o festival e, consequentemente, para a banda: saiu em todos os jornais do estado, televisão, internet e até gerou um documentário, realizado pela produtora Símio Filmes.

The Playboys em uma das primeiras apresentações no hospício da Tamarineira: ação acabou chamando a atenção de muitos curiosos, foi repercutida na imprensa e virou um festival

Tudo indica, com a velocidade que a publicidade vem se adaptando ao futuro, que todos estes gêneros aqui citados – PR Stunt, astroturfing, marketing de emboscada, flashmob, marketing viral, arte urbana – são apenas uma amostra das muitas formas e usos que as estratégias de guerrilha podem apresentar nos mais diversos campos de atuação. Em palavras mais precisas – seja você o CEO de uma grande corporação, candidato à presidência, grafiteiro ou vocalista de uma banda punk, um conselho é certo: conheça suas metas e elabore suas táticas. 21


DOGS CAN FLY APORTA NO NORDESTE Matheus Torreão |

Produtora paulista inaugurou este mês sua primeira filial, na cidade do Recife

Gleyson Ramos |

A produtora de vídeo Dogs Can Fly, atuante no mercado paulista há três anos, aporta este mês no Recife para a abertura de sua primeira filial fora de São Paulo. Criada pelos três sócios José Henrique Caldas, Ricardo Whatley e Guto Figueiredo, a empresa terá sua sede nordestina encabeçada por Yoran Jr., formado em cinema e antigo conhecido no meio publicitário pernambucano. “Hoje estou concretizando um sonho”, declarou realizado Yoran, no evento de apresentação da Dogs NE, na sala vip do multiplex Cinemark do Shopping Rio Mar. Após vários anos atuando como diretor de criação na O&M Propaganda, Level Comunicação e OEM Comunicação, o publicitário se mostrou plenamente otimista com a nova parceria: “agora deixo de ser concorrente para tornar-me fornecedor”, comemorou. Durante a cerimônia de inauguração, se pronunciaram também Rodrigo Rebouças e Tom Stringhini, diretores de audiovisual, Mônica Siqueira, diretora de atendimento, e Marcelo Siqueira, líder das empresas de tecnologia e efeitos especiais Mistika e Blank, respectivamente, parceiras da Dogs Can Fly. O último, inclusive, fez questão de destacar o potencial promissor da capital pernambucana, dando-lhe o título generoso de “melhor mercado para a publicidade depois de São Paulo”. Outro ponto de destaque no evento ficou por conta

do supervisor de efeitos Marcelo Siqueira, que ao introduzir os serviços de suas empresas de pós-produção Mistika e da Blank apresentou primeira vez em uma conferência pública o aplicativo Mistika Second Screen. O parceiro da Dogs Can Fly distribuiu iPads a todos os presentes, que sincronizados com o que era exibido na tela do cinema, ofereciam informações extras e dispositivos interativos para os espectadores. De acordo com Marcelo, o Mistika Second Screen já foi sondado por grandes corporações como a Coca-Cola e a Vivo, com ótima recepção. “Ficam boquiabertos, é uma ferramenta muito diferenciada”, orgulha-se. Para divulgar os serviços da nova filial, a partir deste mês, Yoran, Mônica e o sócio Guto iniciam um road show no Norte/Nordeste.As viagens seguem até novembro e vão passar pelas agências publicitárias e digitais de Pernambuco e estados próximos como Alagoas, Bahia, Ceará e Pará. Yoran também prometeu uma tabela de preços diferenciada para o mercado nordestino. “Como a demanda da Dogs Can Fly é grande, negociamos com nossas agências de pós-produção, a Mistika e a Blank, preços mais em conta para a região”, conta o criativo. Segundo Yoran, graças às parcerias, os clientes que requisitarem os serviços da Dogs Can Fly terão um material de padrão internacional por um valor abaixo da média do mercado. “Os equipamentos que trabalhamos para produzir vídeos de alta qualidade são muito dispendiosos, especialmente em São Paulo. Os nossos foram personalizados, feitos sob encomenda pelo fabricante por um valor especial, e com isso saímos na frente”. Yoran, no entanto, enfatiza: equipamento sozinho não faz verão. “Você precisa de profissionais qualificados, que entendam de arte. Alguém que trabalhe neste ramo precisa

“Hoje estou concretizando um sonho” Yoran Jr 22


Gleyson Ramos |

Equipe DogsNE

Gleyson Ramos |

saber quem é Da Vinci, Michelangelo, Monet”. Para ele, com a tecnologia à disposição, muitas agências vêm se apoiando em plugins e ferramentas digitais, o que mecaniza o tratamento das imagens. “Há certo movimento de 'instagramização' acontecendo, muitos simplesmente jogam um filtro pré-definido no vídeo”, contestou, denunciando certa acomodação de parte das produtoras de vídeo atualmente. Segundo o diretor executivo, sua ambição é elevar cada vez mais o nível das produções, inserindo os nordestinos entre os protagonistas da produção audiovisual nacional. “Poucas coisas nos deixam mais satisfeitos do que ouvir alguém duvidar incrédulo após saber que algum trabalho que fiz foi realizado em Recife. 'Foi feito aqui mesmo? Não é possível', alguns chegam a dizer”, se diverte Yoran. Foi a partir deste espírito, de buscar a excelência e sonhar sempre alto, que o nome da empresa foi cunhado. “Depois de algumas garrafas de vinho e um bom tempo de brainstorm, veio a ideia. Queríamos algo otimista, que fizesse as pessoas sonharem, passasse a ideia de que tudo é possível. Como todos gostam de cachorros, nada melhor que fazer eles voarem”, contou bem-humorado o sócio e diretor José Henrique Caldas, durante sua apresentação. Por sinal, é graças às ambições comuns de Caldas e Yoran que a Dogs NE agora existe, e já de início a nova filial se põe a meta audaciosa de dirigir 100 filmes em menos de dois anos. Motivos para manter o entusiasmo, por sua vez, não faltam: a arte de sonhar alto tem trazido resultados cada vez

mais promissores para a empresa. Hoje, a Dogs Can Fly possui 90 funcionários, bases de filmagem no Uruguai e na Argentina e conta com parceiros internacionais em outros países para produzir vídeos em basicamente qualquer lugar do globo. Dentre as agências de destaque que a produtora atende atualmente, no mercado nacional e estrangeiro, estão Young & Rubicam, AlmapBBDO, WMcCann, DM9DDB, Borghierh/Lowe, Cheil Brasil, Wunderman, Publicis Brasil, Leo Burnett e Neogama/BBH. Os filmes, vale frisar, não se restringem aos publicitários: a Dogs Can Fly também gera conteúdo para Discovery Networks, Grupo Fox, Turner, Viacom, Sky, Record, trabalhando com entretenimento, séries para TV, coproduções, production service e branded content. O casting de diretores, cujas principais peças foram apresentadas pela empresa durante a sessão de cinema, é outro motivo de orgulho para a Dogs Can Fly. Os profissionais com que a produtora conta no momento já foram agraciados em diversas premiações relevantes como Cannes, Festival de Publicidade Brasileiro, VMB, El Ojo, Prêmio Colunistas, About, Prêmio Abap, dentre outros. A sede da Dogs Can Fly Nordeste já está funcionando no 12º andar do prédio JCPM, no Pina, com a equipe completa e os integrantes do staff se adaptando mais que bem à cidade do Recife. “O lugar é uma maravilha, todos que chegaram estão muito satisfeitos”, contou Yoran Jr., natural da capital pernambucana. O segredo de uma adaptação tão rápida, segundo o publicitário, não é difícil de descobrir: “o único cômodo do escritório que não tem vista para o mar é o banheiro”. Criada pelos três sócios José Henrique Caldas, Ricardo Whatley e Guto Figueiredo, a empresa terá sua sede nordestina encabeçada por Yoran Jr. 23


A VEZ DO CLIENTE

MAIS DO QUE UM SISTEMA DE SUCESSO

Ivelise Buarque |

Grupo Bonaparte comemora 15 anos de atuação no mercado de alimentação com uma receita simples: qualidade e requinte em fast food de Pernambuco para o resto do país A gastronomia do dia a dia com requinte e sofisticação parte é a mais antiga e mais expressiva do Grupo que adotou é uma marca do Grupo Bonaparte, rede que há 15 anos atua mais uma marca, a Donatário (três anos mais velha que o Bonacom 70 lojas em 16 Estados e irá inaugurar mais sete unidades parte) e criou outra, o Monalisa. As três marcas são desenvoleste ano em Alagoas, Amapá, Ceará e Bahia. Ao longo desse vidas estrategicamente para o mesmo perfil consumidor, ao tempo, a empresa pernambucana construiu sua marca com que se refere à perfil de consumo, sócio econômico, sexo e esta bandeira, lançou outras duas e expandiu para outras três etário, elas destinam-se ao mesmo público”, diz Barreto. Contudo, cada uma tem sua própria personalidade e regiões brasileiras: Norte, Centro-Oeste e Sudeste. E, com imagem gastronômica, inclusive ao que se refere ao investiisto, tornou-se um dos que mais cresce no segmento de alimento para abertura de nova unidade. “As três têm volumes mentação fora de casa no Brasil. Uma história de semelhantes. Com isso consesucesso que começou quando guimos crescer em uma Leonardo Lamartine e o sócio mesma praça de alimentação Roberto Bitu aproveitaram a ampliando o share do Grupo abertura da quarta etapa do naquele mercado. Cada marca Shopping Recife, em 1998, apresenta-se com um diferenpara abrir um restaurante com cial, porém todas têm o comum novo conceito: o “fast promisso e o foco com a qualiservice”, serviço rápido de dade e frescor. Todos os nosatendimento. “Pioneira do sos produtos são preparados Grupo Bonaparte, a rede de na loja. Isso garante muito restaurantes Bonaparte comemais sabor ao produto consumora 15 anos de atuação no mido”, comenta Luiz. Segundo o gerente de marmercado de alimentação. Na keting e desenvolvimento época, os empresários resempresarial, a genética partiponsáveis pela criação da cular de cada um dos negócios marca e abertura do restaué uma das chaves do sucesso rante, apostaram em novo do negócio, apesar de algumas modelo de serviço diferente similaridades. Mas, na verdado que praticava nas praças de Gerente de marketing e desenvolvimento empresarial, Luiz Barreto Bisneto de, o Bonaparte representa alimentação”, lembra o gerenuma opção gastronômica que traz os pratos do dia a dia com te de marketing e desenvolvimento empresarial, Luiz Barreto requinte e mais sofisticação nos pratos comuns como o Bisneto. Quando surgiu já trazia em seu DNA a ideia de que conhecido parmegiana. O Donatário se diferencia pelo trabafast-food não precisava ser sinônimo de pratos mal apresentalho com frutos do mar, mais especificamente o camarão que é dos e com falta de requinte. E é esta proposta que o Grupo o carro-chefe da linha, que ainda apresenta em seu cardápio implantou em todas as nossas operações, representadas pelas pratos de carnes e aves. Já o Monalisa é inspirado na culinária franquias Bonaparte, Donatário e Monalisa. “A marca Bonamediterrânea e se distingue pelo atendimento de balcão onde 24


o público pode interagir mais com o chef de cozinha na hora do pedido. Essas marcas não só viraram sinônimo de refeições saborosas, variadas e de qualidade como também de alta gestão que lhe concedeu diversos prêmios como o Prêmio de Excelência em Franchising, oferecido pela Associação Brasileira de Franchising - ABF. Um reconhecimento importante para o Grupo que investiu e ainda investe forte neste trabalho com uma estratégia que foi adotada com o crescimento do negócio. “O sistema de franquias foi, sem dúvida, a decisão mais ousada para a marca. O restaurante ainda estava em formatação quando optou por padronizar seus processos e vender know how. Criou consistência e exportou a marca para vários estados do Brasil, invertendo a rota migratória das franquias que vinham do Sudeste para o Nordeste do país”, destaca Barreto.

muito na capital), amplia o trabalho de fidelização e amplia a representação da marca. Para se ter uma ideia do posicionamento atual, a recente inserção de quatro novas lojas em Salvador, por exemplo, a Bahia vai aumentar de 27 para 31% a representação da rede no Brasil, superando Pernambuco, até a abertura de novas franquias neste Estado. Mas, no segundo semestre de 2014, planejam abrir outras unidades pernambucanas em Vitória de Santo Antão, Paulista, Olinda e Camaragibe. Mas, apesar deste crescimento, o Grupo não deixa de lado outro importante investimento: a comunicação. O trabalho de comunicação é operacionalizado com as empresas Morya Comunicação, Concepto Marketing Digital (que monitora os perfis e aprimora a relação com os clientes nas mídias sociais do Grupo Bonaparte) e Le Porte Comunicação Integrada (responsável pela assessoria e que promove o relacionamento da marca com a imprensa em todo o Brasil). Com DE OLHO NO MERCADO – Ao longo dos anos, o Grupo se elas a diretoria mantém reuniões periódicas para planejamenesmerou para virar sinônimo de refeições saborosas, variadas to e acompanhamento das ações. “Este trabalho é gerido por e de qualidade. Mas o mim no Grupo Bonaparmotivo de maior orgute e coordenado pela lho é poder também Júlia Perrusi. É muito atender às necessidades importante este relaciodos franqueados e cliennamento com estes tes. E para isto apostou meios, pois agrega creem novidades em seus dibilidade ao trabalho cardápios (que ganha, de que temos desenvolvitempos em tempos, do. Aproxima nossa festivais diferenciados), imagem percebida ao posicionamento no merque realmente somos e cado gourmet e até temos desenvolvido no mesmo trabalho da mercado”, diz Luiz. A Picanha Josefina representa bem a política do Grupo Bonaparte: marca Bonaparte que Este trabalho r e c e b e u e l e m e n t o s fast-food não precisa ser sinônimo de pratos mal apresentados e com acontece em várias falta de requinte joviais. “frentes” incluindo camCom tudo isto, mantém recall de marca no Nordeste, panha institucional com duração de cerca de quatro meses e por exemplo, mercado que conhece bem e que domina em mais duas ações promocionais, além de quatro festivais gastodas as praças. Região em que investem ainda muito em virtronômicos para cada uma das marcas. “Este ano, a nossa tude do potencial. “O NE tem sido a 'bola da vez' de muitas marca já investiu em uma campanha nacional com premiação marcas nacionais e até internacionais. Há ainda muito potencide alto nível. Estivemos presentes em várias mídias em todos al de crescimento na região, mesmo para nós, que estamos os estados onde temos unidades, 14 no total, com rádio, TV presentes em praticamente todas as principais cidades. Há (Globo) e muito investimento em internet. Premiamos 15 muito desenvolvimento e com isso novos centros comerciais, clientes, cinco deles com passagens com acompanhantes para também o hábito de consumo tem mudado o que favorece Paris. Este próximo ano temos planejado mais de R$ muito o mercado de alimentação fora do lar que já alcança 1.000.000,00 em promoção das marcas. Com isso queremos cerca de 26% da receita bruta dos brasileiros”, diz Barreto. nos solidificar ainda mais e manter a liderança nos mercados E a expansão com novas unidades nas praças da Bahia em que atuamos”, pontua Luiz Barreto, reforçando o trabalho e de Alagoas reforça a nova estratégia do Grupo no mercado com a campanha de 15 anos desenvolvida pela Morya e que regional: a massificação em cidades de médio porte. Esta agrega ainda ação promocional. estratégia atende uma demanda reprimida (que consumia 25


DE OLHO NA CAMPANHA

POR DIAS MAIS FEMININOS A Natura acaba de lançar a campanha “Kriska – Por Dias mais Femininos”. Desenvolvida pela Taterka, essa será a primeira peça publicitária da marca na mídia desde seu lançamento, em 1995. Kriska faz um convite à mulher ser verdadeira com ela mesma, de forma espontânea, feminina e cheia de personalidade. A música “Da Menina”, da cantora Tulipa Ruiz, que participou do Edital Natura Musical de 2011, inspirou esse universo. A canção fala da liberdade feminina e de seus detalhes, abordada nos trechos: “Descobre o peito / Pinta a boca e beija o espelho / Que reflete a silhueta que você acabou de descobrir / Perfuma a nuca / Perfuma o pulso / Sente o seu perfume/ E sai de salto por aí”. A peça será veiculada nas TVs aberta e fechada, entre setembro e novembro, em um filme de 30”, com cortes de 15”, 7” e 5”. A campanha foi criada personificando a mulher de Kriska, explorando a feminilidade em atitudes e momentos do dia a dia. Kriska é uma linha de perfumaria e desodorantes que marcou época e ganhou fidelidade junto ao público feminino, consolidando-se como a sexta maior marca de perfumaria feminina no Brasil (Kantar Panel – Ano Móvel 1ºT 2013).

EFEITOS, RESPONSABILIDADES E ESCOLHAS

Em setembro é comemorada a Semana Nacional de Trânsito, que este ano tem como tema Álcool, outras drogas e a segurança no trânsito: efeitos, responsabilidades e escolhas. No Espírito Santo, a campanha foi criada pela agência Ampla (PE), que traz um olhar inovador sobre o tema, com foco nos sentimentos que acompanham os responsáveis por acidentes pelo resto da vida. A nova campanha procura tratar de forma inovadora e impactante um assunto que já não é nenhuma novidade: o risco de beber e dirigir. As peças conseguem falar de forma criativa, sem deixar de lado a seriedade do tema. Foram produzidos três filmes. Cada um ressalta um sentimento (culpa, vergonha e arrependimento), mostrando que ao cometer um acidente, estando alcoolizado, a pessoa vai conviver com esses sentimentos para o resto da vida. Além dos vts, a campanha é composta de spot, que explora as letras de músicas que costumam estimular o consumo de bebida alcoólica, e peças gráficas (anúncios, outdoors, empenas e vinhetas).

26


PROJETO EMPRESÁRIO GOURMET ELEGE VENCEDOR DA 1ª EDIÇÃO dar um executivo destaque do mercado para, a cada mês, escolher uma noite e atuar como chef deste restaurante, numa ação ousada de gastronomia e networking. “A nossa ideia foi reunir, fora do ambiente corporativo, às redes de contatos desses empresários que criaram seus pratos e trouxeram para cá funcionários, sua família, transformando o restaurante num amplo ambiente de confraternização e networking”, destaca Otavio Moraes. A empreitada foi sucesso em sua primeira edição, batendo recorde de vendas de até 150 pratos só de convidados da ação nos dias do evento, que quiseram prestigiar os nomes participantes do ano passado. Na ocasião, os anfitriões do projeto também deram a largada para a edição 2013 e apresentaram os novos nomes do mercado que pilotarão a cozinha do restaurante neste segundo semestre: Hissa Hazin, que aconteceu em setembro – ex-proprietário do saudoso restaurante Salamaleque; Leonardo Macêdo, empresário da Mister Carnes; Jessé Correia, empresário do Canal da Construção; Álvaro Dantas, médico e dono do Hvisão; Armando Garrido, advogado; Lóris Giacomelli, empresário da loja de móveis Finger Boa Viagem; e Lúcia Santos, da Galeria Amparo 60. Juliane Kerhle |

O Juri elegeu o vencedor da I Edição do Projeto Empresário Gourmet, que aconteceu no Restaurante Tapa de Cuadril entre os meses de maio e novembro de 2012. Ao todo foram sete empresários e executivos do mercado que, por uma noite, pilotaram as caçarolas do restaurante, reunindo suas redes de relacionamento. Os nomes que participaram da primeira edição foram: Ricardo Lustosa, diretor da Ortoclin; Cristina Veiga, superintendente do Shopping Guararapes; Paulo Magnus, presidente da MV; Alexandre Figueirôa, diretor da Icorp; Fernando Santos, coordenador do Colégio Militar; João Luiz Perez, diretor da Provider e Marcelo Santos, diretor da Bandeirantes Outdoor. O prato escolhido foi o Medalhão Veiga, criação da superintendente do Shopping Guararapes, Cristina Veiga – Medalhão de Filé Mignon ao molho de gorgonzola com salada de rúcula ao molho de manga. A receita entra a partir de agora no cardápio do restaurante, fazendo menção ao nome de sua autora. O empresário Gourmet é autoria do empresário Paulo Brol Filho, dono restaurante sede do evento, em conjunto com o sociólogo e empresário Otavio Moraes, ambos amantes da enogastronomia. A ideia de Brol e Moraes é convi-

RECEITA DO PRATO VENCEDOR Iª EDIÇÃO

MEDALHÃO DE FILET MIGNON AO MOLHO GORGONZOLA E SALADA DE RÚCULA COM MANGA Cristina Veiga Ingredientes: 4 medalhões de filé mignon – aproximadamente 110 gramas cada um; Batatas bolinhas; 150 gramas de queijo gorgonzola; 150 ml de creme de leite; Modo de preparo do molho: No liquidificador, bata a água, a manga, o azeite, o suco de 100 ml de leite; limão e sal. Sirva a salada com o molho. Salsinha picada misturada com azeite; Azeite; Modo de preparo do prato: Descasque as batatas bolinhas, cozinhe-as e depois as Pimenta do reino a gosto; doure numa frigideira com um pouco de azeite. Corrija o sal e reserve. Misture numa Sal; vasilha o queijo gorgonzola, o leite e o creme de leite, e aqueça tudo numa frigideira em Rúcula; fogo brando, até começar a derreter o queijo. Reserve. Salgue, sele e doure os medalhões Manga em pedaços. dos dois lados numa frigideira grande com um pouco de azeite. Adicione 50 ml de vinho tinto ou branco se desejar mais umidade e um filé mais ao ponto. Importante a carne não Molho: estar gelada, mas a temperatura ambiente. Reserve. 1/4 de xícara (chá) de água; 1/2 manga cortada em cubos; Montagem do prato: Num prato coloque os medalhões de um lado, as batatas de outro 2 colheres (sopa) de azeite; e entre eles ou sobre o medalhão espalhe o creme de gorgonzola. Sirva as folhas de rúcula 2 colheres (sopa) de suco de limão; com 2 pedaços de manga e regue. Dê uma cor ao prato espalhando uma colher de salsinha sal a gosto. no azeite sobre as batatas. Sirva imediatamente. 27


GLOBO NORDESTE LANÇA PROJETOS ESPECIAIS Evento reuniu clientes e toda a mídia da capital pernambucana Depois de apresentar seus projetos regionais na Feira Planejamento foi, aliás, a palavra de ordem entre os de Eventos da Rede Globo, em São Paulo, a Globo Nordeste publicitários presentes. Todos eles destacaram a importância lançou, no Recife, as oportunidades comerciais 2013/2014. O de ter acesso antecipado às oportunidades de mídia para evento, realizado no Barchef Mercado Gourmet, contou com poder planejar. “Para o planejamento ser mais assertivo, é a presença de mais de 200 pessoas entres clientes, convidados imprescindível conhecer os projetos no detalhe e com anteda emissora e todo o mercado publicitário do Recife. cedência”, afirma Fred Teixeira, presidente do Grupo de Foram apresentados cerca de 30 projetos da emissoMídia de Pernambuco. ra – entre planos comerciais, eventos, internet, programas da Já Giovanni Di Carlli, sócio-diretor do Gruponove, Globo Nordeste, campanhas de vídeo e oportunidades de ressaltou a importância e a preocupação da emissora com o comercialização – em diferentes segmentos como esportivo, merchandising, uma vez que a Globo Nordeste conta agora cultural, educacional, infancom uma profissional – til e regional. Entre eles, Manuela Maciel – direcionapodemos destacar: 1) Evenda exclusivamente para esta tos – São João da Capitá, área e já comemora três Paixão de Cristo de Nova clientes locais com ações de Jerusalém, São João do Normerchandising na progradeste e Natal Solidário; 2) mação nacional da emissoProgramas locais – Globo ra. “Ter um profissional para Verão e Especial Musicais de atuar exclusivamente com Fim de Ano; 3) Internet – merchandising estimula o Fliporto 2013 e Blog Viver mercado e proporciona Noronha; 4) Campanhas de mais oportunidades e ofervídeo – Datas Comemoratitas de mídia para as marcas vas e dicas de saúde, educalocais, o que faz a diferença Mariana Fantato, André Torreta e Iuri Maia ção, moda e beleza. para o nosso cliente”, disse Este é o segundo ano consecutivo que a Globo Norele. deste traz para o mercado local os projetos apresentados em O ponto alto do evento foi a participação do publicitáSão Paulo. “Sentimos a necessidade de lançar localmente tamrio e escritor, André Torretta, que fez uma palestra com o bém nossas oportunidades comerciais e assim aproximar, tema De Pernambuco para o Nordeste – Como regionalizar sua ainda mais, emissora, clientes e agências de publicidade”, diz comunicação. Ele abordou pontos como a necessidade de Mariana Fantato, gerente de marketing da Globo Nordeste. pesquisar as características e personalidades próprias da Para Iuri Leite, diretor comercial da Globo Nordeste, região, conhecer o mercado e a comunicação locais e aprea iniciativa mostra o quanto a Globo acredita na região e no sentou peculiaridades de cada estado do Nordeste. “Para potencial de mercado do Nordeste. “Apresentamos os projecomunicar no Nordeste, é preciso descobrir o que a região tos para que todos os convidados e profissionais de mídia tem de igual e não se preocupar apenas com o folclore e com possam olhar e se planejar para o Nordeste, buscando assim os diferencias de cada estado nordestino. E o que temos de formar mercado, gerar consumo e estimular o cliente a igual e melhor? Nosso humor, nossa estética, nossa cor e conhecer melhor este novo mercado”, completa ele. nossa alegria”, finaliza ele. 28


NA WEB WWW.DESIGNERD.COM.BR O Designerd nasceu em outubro de 2009, como um projeto de faculdade. O objetivo do blog sempre foi levar aos estudantes e profissionais da área de design e web design dicas e links úteis. Ao longo do tempo, várias parcerias foram firmadas e cada vez mais pessoas conheciam o blog, que hoje já conta com mais de 60 mil fãs no Facebook. O blog é atualizado frequentemente com vídeos, ilustrações, fotografias, novidades, curiosidades e dicas sobre design gráfico e web design.

HTTP://BLOGCITARIO.BLOG.BR O Blogcitário é um blog sobre publicidade, marketing, viral e guerrilha – tema da matéria de capa nossa edição deste mês. O website é gerido pelo publicitário soteropolitano Caio Costa, diretor da Orfeu Comunicação. A página oferece sempre artigos de opinião, dicas e notícias sobre o mercado da propaganda, além de compartilhar cases interessantes (e bizarros) realizados por marcas de destaque.


FICHA TÉCNICA

MANIFESTAÇÕES O Diario de Pernambuco tem 187 anos de história. É o jornal há mais tempo em circulação na América Latina. Ao longo desse tempo, ficaram registrados nas páginas do Diario os acontecimentos mais importantes da história de Pernambuco, do Brasil e do Mundo. A nova campanha criada pelo Gruponove promove um passeio por essas histórias, a partir de um novo conceito e um novo posicionamento: O grande jornal dos pernambucanos. O conteúdo jornalístico é o protagonista da narrativa, que vai unindo fatos relacionados entre si, ao longo do tempo, até as consequências nos dias atuais. A comunicação institucional contempla filmes, spots, anúncios e mídia exterior. Dois filmes foram criados pelo Gruponove, com tema “Ciclistas” e outro com o tema “Manifestações”.

GRANDES ATITUDES Lançada no dia em que se comemora a Independência do Brasil, 07 de setembro, momento importante para a sociedade, a nova campanha institucional da Câmara Municipal de Salvador, traz para o dia a dia dos soteropolitanos a proposta de uma nova atitude em prol da cidade. Intitulada de Campanha Cidadania, esta é uma criação da agência Ideia 3. Com expressões como “bom dia”, “com licença”, “obrigado” e “posso ajudar?”, que representam uma atitude de respeito, gentileza e solidariedade, a Ideia 3 desenvolveu um job completo, que contou com peças para busdoor, outdoor, spot e citação para rádio, email marketing, banners para internet, além de presença nas redes sociais. Agência: Ideia 3 (BA) Cliente: Câmara Municipal de Salvador Direção de Atendimento: Roberto Barreto Atendimento: Naianne Ministro Direção de Criação: Chico Salles Diretor de Arte: André Lopes, Antonio Leolino Produção Gráfica: Vilma Palma, Puã Irundy, Luiz Antônio Produção Eletrônica: Liz Roberta RTVC: Gladson Amaral, Renata Scavuzzi Direção de Mídia: Ana Maria Almeida Supervisão de Mídia: Eva Figueiredo Redator: Rodrigo Cores Arte Finalização: Luiz Carvalho, Rogerio Souza 30

Agência: Gruponove (PE) Cliente: Diários Associados Atendimento: Giovanni Di Carlli, Felipe Mattoso, Gabriela Arruda e Maurício Guenes Planejamento: Ana Clara Quidute e Eduardo Breckenfeld Criação: Aliwton Carvalho, Eduardo Migliorini e Hans Liesen Direção de Criação: Aliwton Carvalho e Gustavo Rêgo Finalização: Jader Melo - Mídia: Maríllia Pontes e Bruna Albuquerque Direção de Mídia: Pablo Fernandes Produtora de RTVC: Júlia Menescal Aprovação: Isabelle Gayoso


FABIANA KARLA NO BANCO POSTAL DOS CORREIOS A atriz e comediante Fabiana Karla é a garota propaganda da nova campanha criada pela Link Comunicação & Propaganda para o Banco Postal dos Correios. A escolha da garota propaganda reflete o perfil do Banco Postal. Fabiana Karla tem popularidade e fácil interação com toda a sociedade. Por ser dos Correios, o Banco Postal também é popular e de fácil acesso. Peças de TV, revista, web, folhetos, pontos de venda e mobiliários urbanos vão incentivar a abertura de contas e apresentar vantagens e benefícios aos clientes, tais como a capilaridade, horário de atendimento, produtos e serviços, deixando claras características como conveniência, solução, proximidade, bancarização e confiança. Assista ao filme da campanha: http://youtu.be/J49N0BmxhnE Agência: Link Comunicação & Propaganda (PE) Cliente: Banco Postal dos Correios Atendimento: Frederico Melo, Marcus Soares e Fabiano Costa Planejamento: Angela Chaves Direção de Criação: Antônio Meireles Redator: Antônio Meireles, Nilton Junior e Cássio Antunes Diretor de Arte: Sílvio Rodrigues Produção de RTVC: Telma Rocha Mídia: Humberto Montemurro, Georgiana Xavier e Pedro Salim Aprovação: Graziela Cavagionni, Ronaldo Takahashi e Laurência Mendonça.

CONEXÃO NAP Massapê lançou neste mês de setembro a campanha “Conexão NAP 2014”. O evento tem como objetivo fazer com que os pais e os alunos que entrarão no ensino médio em 2014 se familiarizem com a escola (estrutura, corpo docente, proposta pedagógica, etc.), através de um dia cheio de atividades na própria sede do NAP. A campanha abre o caminho para as ações de matrícula do final do ano e também direciona a linha de comunicação que a escola seguirá até agosto de 2014. As peças serão veiculadas em mídia exterior, Frontlight, Backbus e Painel de LED, Mídia Mall e em ações digitais, fechando a estratégia traçada pela agência.

Agência: Massapê Comunicação (PE) Cliente: Colégio NAP Atendimento: Raul Cantarelli e Carol Alves Planejamento: Anselmo Albuquerque Direção de Criação: Henrique Pereira e Leonardo Siebra Direção de Arte: Henrique Pereira, Paola Fernandes e Almir Moura Arte Final: Fernando Ribeiro Redação: Leonardo Siebra e Clarice Freire Produção: Tamires de Kássia Mídia: Natália Lelis e Jaime Amorim Aprovação: Daniel Lafayette e Helder Moura

31


90,3 - JC NEWS

Ivelise Buarque |

MUDANÇAS NO MERCADO RADIOFÔNICO TRAZEM MAIS NOTÍCIAS PARA OUVINTES PERNAMBUCANOS Uma nova onda está mexendo com o mercado radiofônico e publicitário em Pernambuco, que ao invés de apenas uma rádio que toca notícias, conta agora com duas emissoras locais: a Rádio CBN Recife e a JC News. Depois de anos vinculada a um dos maiores grupos de comunicação do Estado (Sistema Jornal do Commercio de Comunicação), a primeira se integra à Rede Nordeste de Comunicação, trazendo o tradicional conceito que lhe tornou conhecida pelo público. E a segunda chega cheia de novidades e com o aporte do próprio SJCC.

Essas mudanças vão além da frequência e ainda estão levando os ouvintes a se adaptarem ao atual cenário, mas com a certeza de qualidade de informação em várias frentes. “As principais mudanças foram a ida da CBN para a Rede Nordeste de Comunicação, a chegada da jornalista Alexandra Torres para ancorar o CBN Total, à tarde, entre 14h e 17h, substituindo Aldo Vilela e a inovação na equipe esportiva, mesclando profissionais experientes com jovens profissionais, trazidos do mercado por conta de se destacarem no que fazem”, pontua o âncora da CBN Recife, Mário Neto.

O superintendente do SJCC, Rodolfo Tourinho e sua equipe com radialistas de peso. A programação também pode ser acompanhada ao vivo pele internet

32


97,1 - CBN/RECIFE

Capitaneada por Paulo Fernandes Neto, a CBN/Recife e os âncoras Alexandra Torres e Mário Neto, mescla profissionais experientes com jovens profissionais, reforçando o plano da emissora de buscar o constante aperfeiçoamento

Com o slogan “A rádio que você já conhece, com a programação que você confia, agora em nova frequência! CBN, a rádio que toca notícia!”, a CBN Recife começou sua veiculação na frequência FM 97,1 a partir do dia 01 de setembro. Uma nova estação, um novo endereço, mas com promessa de manter a mesma competência na proposta All News. “O recomeço é desafiante e conta com uma equipe motivada e empenhada em proporcionar conteúdo de qualidade para nossos públicos. A CBN Recife continua com a mesma definição. O padrão é o mesmo exigido pela Rede CBN”, comenta Neto. Comanda pelo experiente Paulo Fernandes Neto, diretor executivo da CBN Recife, que trouxe a experiência de 35 anos nas rádios do Sistema Jornal do Commércio de Comunicação, a emissora conta agora com nova equipe que foi preparada conjuntamente para manter o padrão da Rede. “A equipe foi formada boa parte por profissionais, colunistas e colaboradores que já estavam no prefixo anterior: eu, Débora Pereira, Erick França, Jota Geraldo, Sandra Bitencourt, Luciano Salamacha, Marcos Alencar. E ainda agregou alguns que já haviam passado pela emissora como Alexandra Torres, Ravi Soares, Bárbara Travassos e outros que foram trazidos do mercado com ampla experiência, como Léo Medrado, Ale-

xandre Costa e Uaci Matias”, destaca Mário. Com a trupe reunida e preparada, definiu-se a programação que é praticamente a mesma, exceto com apenas algumas mudanças pontuais. A grade da emissora começa às 6h com Mário Neto apresentando os destaques dos jornais de Pernambuco, conversando com os jornalistas da Rede Globo Nordeste na previsão do Bom Dia Pernambuco e interagindo com os ouvintes sobre as notícias de trânsito, através do twitter.com/cbntransito. “Depois conversamos com o jornalista Inaldo Sampaio sobre os destaques políticos do dia e também com a equipe esportiva sobre como será o dia dos principais clubes pernambucanos”, diz. Ainda mantém o CBN Recife, programa local da manhã (das 9h às 11h), com produção Débora Pereira, técnica de Jota Geraldo e reportagem de Ravi Soares e Julia Arraes que inclui entrevistas sobre assuntos polêmicos e atuais que interessam ao grande público nos segmentos de política, economia, saúde, cultura, tecnologia, empreendedorismo e comportamento. Um dos destaques desta nova frequência é naturalmente a parceria com a emissora local da rede global de televisão com participação dos seus profissionais e a repercussão de seus destaques seja a previsão dos seus telejornais, destaques do portal G1Pernambuco. 33


Contudo, a programação também traz boas indicações nova rádio, estimulamos ainda mais a participação dos nossos já conhecidas e outros que já agradam o público, como os quajornalistas, para unirmos forças”, diz Tourinho. Mas, o aproveitamento do staff da redação do dros Revista Eletrônica, com Sandra Bitencourt, Visão EmpreJC/NE10 é talvez uma das grandes novidades da rádio. O públisarial com Luciano Salamacha e Trabalhismo em Debate com co ganha acesso a novas vozes, conhecidas apenas pelo conteúMarcos Alencar e Quatro em Campo, programa local com a do escritor nos bastidores do sistema, com destaque para Inês equipe esportiva. “O destaque é uma programação mais dinâCalado (portal NE10), Mirella Martins (Blog Social1), Marcelo mica, com informações rápidas e constantes, inclusive em meio Cavalcanti (Blog do Torcedor), Janaína Lima (Suplementos) e aos breaks comerciais, para contemplar os ouvintes com conJamildo Melo (Blog do Jamildo), por exemplo. “Pernambuco teúdo e prestação de serviço 'full time'. O diferencial é esta agora conta com uma rádio all news focada no noticiário. O nova dinâmica dada à programação e o fato de interagirmos Estado ganhou um novo veículo ancorado pela credibilidade e mais rapidamente com os ouvintes por utilizarmos as redes qualidade do jornalismo do SJCC. E todos os nossos veículos sociais (Twitter e Facebook) como fontes de informação, intesão muito integrados no que diz respeito a conteúdo. Estimularatividade, de pauta e prestação de serviço”, comenta Neto, mos muito o perfil do profissional multimídia e esta é mais uma que reforça que o plano da emissora é buscar o constante aperiniciativa para continuarmos pondo em prática esse modelo”, feiçoamento. A JC News mantém boa parte do seu time de peso na ressalta o superintendente. Com isto, a emissora 90,3 mantém a marca contínua frequência FM 90,3 MHz com o aporte de cerca de 190 jornana história do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação: listas, vinculados ao Sistema Jornal do Commercio, que traz a inovação, focando-se sempre na integração uma cobertura de todo o Grande Recife às tendências de comunicação no Brasil e no e mais 29 municípios. São aproximadamundo. E o mesmo acontece com o markemente 16 programas comandados por ting que se mantém sempre afinado com o 12 âncoras, entre os quais estão Joffre mercado, mantendo como um ponto forte a Melo, Graça Araújo, Aldo Vilela, Éden capacidade de atendimento. Um trabalho Pereira e Carlos Miguel. “O retorno desenvolvido por uma equipe comercial, que temos tido é o melhor possível. A coordenada pelo gerente comercial, Elton audiência está respondendo muito bem Rocha, com vasta experiência adquirida atraà nova rádio pelo perfil de nossos âncovés de anos de trabalho. “A flexibilidade para ras e, principalmente, por termos 24h atender às necessidades dos clientes é um de notícias. Temos colunistas, jornalisRodolfo Tourinho, SJCC dos nossos diferenciais. A equipe comercial tas, colaboradores nacionais, e as notície de marketing já tem um bom relacionaas do Brasil e do mundo são dadas sempre com o olhar permento com o mercado, que está recebendo muito bem a nova nambucano. O que estimula uma identificação com a audiência. emissora, principalmente pela credibilidade que o SJCC e o Temos cerca de 190 profissionais de jornalismo nos veículos Grupo JCPM têm”, pontua Tourinho. que formam o Sistema Jornal do Commercio e nada mais coeComo uma rádio all news, a JC News mantém o comrente que usar toda essa força jornalística integrada”, destaca o promisso de levar notícias o tempo todo para o ouvinte, seguinsuperintendente do SJCC, Rodolfo Tourinho. do o conceito hard news,que mistura uma grade variada de A grande conta com programas como JC News apreprogramas produzidos com forte apelo jornalístico. E nesta sentado ao longo do dia por diversos âncoras diferentes (mas gama encontram-se as notícias em tempo real comandadas por com uma proposta pessoal em cada um), o Bate bola Esportivo grandes nomes do jornalismo local e nacional como Claudio (com Ralph de Carvalho), o JC News Erosdita (talk show com a Humberto, Simon Franco, Sandra Boccia e outros que possusexóloga Julieta Jacob), o JC Esporte 10, JC News Música (prinem colunas sobre assuntos variados como negócios e emprecipais destaques do mundo da música pelo colunista José Telles) endedorismo. “Sobre a programação e o jornalismo, temos e Entrevistas da Semana, por exemplo. “São 24h de notícias por uma grade de programação bem variada, com âncoras, colunisdia, de domingo a domingo. Um grande Estado agora tem uma tas locais e nacionais, além da equipe da Escrete de Ouro no grande rádio. Nós temos hoje cerca de 190 jornalistas no grupo futebol. Pensamos muito bem nesta grade para atender ao e a notícia que essas pessoas captam todo dia estão na rádio JC ouvinte. O veículo rádio é muito dinâmico e é isso que estamos News. Para fazermos uma grande rádio, temos que ter grandes colocando em prática. O ouvinte tem 24h de notícias no ar. A locutores e fomos buscar os melhores de Pernambuco. É uma hora que ligar o rádio, ele terá as notícias quentes, discussões, rádio que todo pernambucano esperava. A ideia de integrarcolunas, quadros”, ressalta o superintendente do SJCC. mos os veículos do Grupo já é praticada há alguns anos. Com a

O veículo rádio é muito dinâmico e é isso que estamos colocando em prática. O ouvinte tem 24h de notícias no ar.

34


MEU CORAÇÃO TEM MORADA EM MEUS OLHOS

Praia de Atapuz (Goiana PE), depois de um dia inteiro de chuva, amanheceu assim. Fotografia pra mim é coisa séria... Fotografia é loucura! E, loucura das boas. Ao mesmo tempo é terrível não se contentar em guardar apenas na memória: as paisagens, a fauna, a flora, as coisas, as pessoas, as emoções... A luz... Temos que “levar pra casa” como pedras que se garimpam; tesouros que se encontram... Não me importa se acham lindas as minhas fotografias... Não digo isso por orgulho! São frutos de um oficio de contemplação, meditação... De amor. É a melhor parte em mim... Eu sei... CÂMERA NIKON D7000 MODELO: DSLR ISO: 100 TEMPO DE EXPOSIÇÃO: 1/3200s ABERTURA: f/5.6 DISTÂNCIA FOCAL: 150mm

SOLAR ABRE AS PORTAS DA FÁBRICA DA FELICIDADE A Solar, empresa integrante do Sistema Coca-Cola Brasil, abriu as portas da Fábrica da Felicidade para consumidores e admiradores. No local, os visitantes são recebidos para fazer um tour monitorado pela história do refrigerante e vivenciar a magia da fabricação da bebida mais famosa do mundo. Durante a visita, com recursos tecnológicos de última geração, todos serão convidados a ter uma experiência memorável em “busca” da fórmula secreta da Coca-Cola. “Queremos que a Fábrica da Felicidade vire um ponto turístico do nosso estado e proporcione momentos de alegria e descontração para todos os que nos visitarem. Nosso objetivo é proporcionar uma experiência com a marca e provar que a nossa fórmula secreta é a felicidade”, explica Luiz Collier, diretor da Regional Leste da Solar. Ao chegar à Fábrica da Felicidade, os visitantes são recebidos pela monitora guia virtual, a Wendy, que faz o convite oficial para uma viagem no tempo. O grupo passa por vários ambientes: primeiro conhecem a Sala de Soda, que reproduz a loja onde o refrigerante era vendido no século XIX. No ambiente, as pessoas interagem com John Pemberton, o inventor da fórmula da Coca-Cola, e ficam sabendo como o refrigerante se tornou conhecido em todo o mundo e passou a fazer parte da nossa cultura. O circuito da Fábrica da Felicidade dura cerca de 60 minutos. 35

Kika Domingues | domingueskika@gmail.com

CLICK


PERFIL

Ivelise Buarque |

VISÃO E OUSADIA PARA INOVAR No passado, não bastava ter um sonho para fazê-lo acontecer. Hoje, os modelos de negócios propiciam a auto realização e, atrás desta necessidade, o publicitário Edgar Andrade pautou sua diversificada carreira, iniciada como estagiário da agência de publicidade pernambucana Aliança Comunicação, onde desenvolveu a pesquisa inicial do Festival Sesi Bonecos do Mundo, um dos principais cases da agência assim como o Cine Sesi que leva o cinema brasileiro para o interior do País. Um início de carreira que traçou os primeiros caminhos para a nova jornada profissional na Hub Criativo e em uma área totalmente nova no país: a economia criativa, movimento que abraçou bem antes desse termo virar moda no Brasil. “Para mim o conceito economia criativa é mais um conceito. Um termo que entrou na moda e que todo mundo de uma hora para outra assumiu como novo. Primeiro que de novo só tem o termo. Desde Mozart que descobriu que não dava pra se sustentar fazendo apresentações na sua cidade e criou a turnê, passando pela invenção do gramofone que gerou a primeira revolução da música em escala, passando pela impressão da bíblia até o surgimento da internet. São todos elementos históricos de processos de inovação revolucionários que causaram algum ou grande impacto no mundo e na história da humanidade”, diz ele, que vê como primeiro termômetro dessas mudanças hoje o contato das novas gerações com a própria tecnologia. O comportamento das pessoas, olhar e pensamento que elas têm sobre o consumo refletem o impacto desses novos movimentos que resultam, inclusive, em um novo perfil de consumidor. “Minha mãe sentou em frente a um computador pela primeira vez com mais de 50 anos, passou dois anos jogando paciência até criar coragem para realizar sua primeira compra on-line. Já eu, sentei pela primeira vez aos 12 e vivi a chegada da internet ao Brasil. Meu filho nasceu num mundo conectado, navega sozinho e acha um absurdo não ter internet na rua. Esse novo perfil já existe e será cada vez menos apegado às coisas e mais apegado as experiências”, pontua ele. Nesta rede global, a conexão é essencial para o dia a dia de cada cidadão que pode experimentar as maravilhas 36

desta vida conectada, que traz benefícios e dúvidas ainda para muitos. “A filha do professor de Design Contemporâneo da UFPE, André Neves, hoje com 12 anos, ganha metade da mesada em paypal e usava esse crédito para comprar roupas para suas bonecas virtuais. O que impulsionava minha mãe ao consumo era o intervalo da novela. O que me impulsiona ao consumo são as indicações dos amigos. Como vai ser quando a geração do meu filho for determinante no consumo eu não sei. Só sei que venho acompanhando o comportamento dessa geração com olhos de lince, pois sei que vai gerar grandes oportunidades de negócios”, frisa confiante. Em sua opinião, o que existe hoje é um processo de mudança de valores e de comportamento que estão transformando cada vez mais a sociedade. Uma era pautada pelo colaborativismo, pela sustentabilidade e pela integralização. “Nunca na minha vida imaginei que venderia meu carro e começaria a ir a pé para o trabalho. Não tomei essa decisão por seguir algum movimento e sim porque percebi que caminhar três quilômetros e pegar um taxi quando necessário era uma atitude mais inteligente e econômica que usar um carro. Sou um pequeno exemplo dessa mudança que vai impactar radicalmente o desenho das cidades e o comportamento das pessoas”, destaca.


Diante disto tudo, ele entende que estamos vivendo um processo intenso de debate sobre a ocupação dos espaços públicos, sobre os direitos e deveres do cidadão e do poder público que já provocou choques sociais imensos em alguns países. Algo que estamos começando encarar com pequenas adaptações nos cotidianos das grandes cidades como a integração das bikes em metrópoles brasileiras como Brasília, Recife, Rio de Janeiro, Aracaju e São Paulo que mantém ou estão desenvolvendo ciclofaixas e ciclovias para maior mobilidade. Com isto, observamos que a população passa a encarar o mundo ao seu redor com maior conscientização e responsabilidade. E esta nova visão também tem enveredado para o âmbito profissional onde encaramos um novo cenário, onde novas tendências são o imperativos para a atual bolsa financeira: conhecimento, inovação e ideias. “Seremos cada vez mais 'pessoas' e menos 'coisas' como fomos com muita intensidade até os anos 90. Esse arrodeio todo foi feito para destacar uma quantidade imensa de oportunidades de negócios que estão surgindo e surgirão daqui pra frente. Mas o fundamental é focar nas oportunidades e não nos conceitos”, reforça este idealista que começou este mesmo processo como consultor freelancer de marketing na concepção de projetos próprios, como a boate Super 8. Este projeto em particular tinha como proposta a criação de uma casa noturna no formato de museu com destaque para a história do cinema pernambucano. Apesar de reunir em sua inauguração grandes cineastas locais numa homenagem a Fernando Spencer, a ideia inicial para a casa ficou vetada apenas à ambientação e Edgar, que queria fazer a diferença e ousar, voltou-se para outras iniciativas. Foi quando partiu para outros desafios entre as quais a criação da primeira agência de marketing de relacionamento do Recife e reformulação do Funcultura como um dos colaboradores, após convite para trabalhar no Governo do Estado de Pernambuco, já na gestão de Eduardo Campos. Posteriormente, passou a se envolver na articulação política do Estado com o Governo Federal e com outros Estados, que lhe rendeu convidado para Secretário Executivo do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura, cargo que ocupou por três mandatos, até 2010. E durante este período preocupou-se com a questão da Economia Criativa que naquele período não despertava o interesse

de ninguém e, desta forma, tornou-se Coordenador de Economia Criativa da Fundarpe (Fundação de Cultura do Governo de Pernambuco). Um caminho que traça atrás da geração de oportunidades para si e para muita gente que, como ele, busca alcançar o sucesso e a realização profissional. “Tive um professor de marketing que me intrigava muito. Ele sempre falava dos segredos e caminhos para o sucesso dos negócios ou das marcas. Ele passava uma certeza e pretensa genialidade que me incomodava e me fazia perguntar: 'se ele é tão bom assim porque tá dando aula nessa faculdade e não ficou rico ainda?'. Agora assim como eu tem um bocado de gente tentando. E acredito que se houvesse incentivo público ao risco, e sobretudo ao erro, já teríamos alguns cases de impacto mundial”, comenta Edgar. Ele vê nos cenários e movimentos como o da economia criativa e startups grandes oportunidades para atingir essas metas. E não é para menos. Os exemplos estão ao nosso redor e definitivamente conquistaram não só o país, mas sim o mundo. Ou seja, uma referência do que hoje é possível fazer mesmo sem genialidade de grandes mestres das artes e da criação contemporânea como Andy Warhol ou David Ogilvy. “Romero Brito para mim é um bom exemplo de um cara que ficou rico ao explorar sua arte com o licenciamento de produtos. Sem dúvida é um case. Porém, eu não acho suas peças tão atraentes como antes nem acho chique ter um jogo de louças ou uma sandália com sua arte estampada”, diz ao ser sondado sobre o papel deste artista pernambucano neste movimento de economia criativa que tanto cresce mundo afora. Apostando no fortalecimento das parcerias entre a iniciativa privada e o poder público para a criação de novas perspectivas no Estado e no país, lançou mão de vários esforços juntamente com outros idealizadores para a criação do Instituto Delta Zero, uma associação de mais de 50 empresários criativos, uma espécie de Porto Digital da Economia Criativa que nasceu em 2012 com o apoio do Governo do Estado. Mas, seu espírito empreendedor e ativo ainda o levou para outras frentes de atuação como consultor da Joystreet no projeto OJE - Olimpíadas de Jogos Digitais e Educação, que já roda em Pernambuco, Rio de Janeiro e no Acre, com mais de 125 mil alunos envolvidos; colaborador do ISS - Institute of Social Studies of Rotterdam num estudo sobre o cenário da economia criativa em Recife, financiado pelo Banco Mundial; e consultor de Economia Criativa do British Council no Brasil.

Romero Brito para mim é um bom exemplo de um cara que ficou rico ao explorar sua arte com o licenciamento de produtos.

37


FENAPRO PROPÕE MEDIDAS PARA AMPLIAR A REGIONALIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO Maior evento do País focado no desenvolvimento da propaganda regional, o III Fórum Mercados Brasileiros reuniu mais de 200 profissionais da indústria da comunicação em São Paulo, com o objetivo de discutir as oportunidades regionais do setor. Promovido pela Fenapro (Federação Nacional das Agências de Propaganda) a Aba (Associação Brasileira de Anunciantes), o evento contou com a participação de representantes de agências, como Talent, África, Paim e Advance; institutos como Nielsen, Ibope Inteligência e Ipsos Media CT, e veículos como TV Globo Nordeste, Grupo RBS e Organizações Jaime Câmara, entre outros. O presidente da Fenapro, Ricardo Nabhan, destacou que o Brasil é o quinto mercado mundial de publicidade, com investimentos de U$ 19 bilhões, mas, em termos per capita, isto representa pouco - apenas US$ 98 / ano na média nacional, patamar que cai para apenas US$ 40 nos mercados do interior. Estes números demonstram o grande potencial de desenvolvimento da propaganda no interior do País, o qual deve ser aproveitado no momento em que as agências e veículos se deparam com desafios como a incorporação de anunciantes regionais por outros nacionais, o que tira negócios da região e afeta todo o setor. “É preciso buscar um pacto pela prosperidade dos negócios nas diversas regiões, e isto só ocorrerá por meio da união entre concorrentes e os diversos segmentos da indústria, com foco na criação de novos mercados”, reiterou Nabhan. Tema do último Congresso da Indústria da Comunicação, que aprovou uma série de recomendações para estimular os negócios regionais da comunicação, o movimento de 38

regionalização, contudo, ainda caminha lentamente, e requer maior participação da indústria da propaganda. “A regionalização não vem por decreto, só vai acontecer se agências, anunciantes e veículos trilharem o caminho para viabilizá-la. Há muito por fazer, mas muito do que está sendo feito já está dando certo”, destacou. O presidente do Sinapro-SP (Sindicato das Agências de Propaganda do Estado de São Paulo), Geraldo de Brito, também ressaltou a importância de se desenvolver todos os mercados regionais. “Isto é fundamental para que o País como um todo cresça e se desenvolva”, afirmou. Para o VP executivo da Aba (Associação Brasileira de Anunciantes), Rafael Sampaio, há dois esforços a serem feitos nessa direção: os anunciantes nacionais precisam ampliar seus investimentos regionais, e as empresas regionais, que ainda não são anunciantes, devem começar a investir em comunicação. “É a ação desses regionais que gera a necessidade maior do anunciante nacional investir mais e melhor nessas regiões”, ressaltou. De acordo com ele, com exceção do México, nenhum outro País da América Latina tem potencial maior de mercado que os 12 maiores mercados brasileiros. “Os anunciantes, portanto, têm que ampliar sua capacidade de agir regionalmente, ou até mesmo localmente”, destacou. O presidente da Fenapro propôs um roteiro para se acelerar e aproveitar as oportunidades regionais, que inclui colocar em prática as recomendações do painel Regionalização do V Congresso da Indústria Comunicação, realizado em 2012, e o que foi discutido no Fórum.


Revista pronews162  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you