Page 1

Capa | Gênesis Comunicação

ano XIV | janeiro de 2013


DESDE 1999

ÍNDICE

ano XIV nº 154 janeiro 2013

Gênesis Comunicação (PE)

CAPA Blogs de jornalistas e comunicadores se transformam na nova mídia e imprensa forte. 19

revista de comunicação e marketing NE

RECIFE•SALVADOR•FORTALEZA•NATAL JOÃO PESSOA•MACEIÓ•TERESINA ARACAJU•SÃO LUÍS • SÃO PAULO A Revista PRONEWS é uma publicação mensal de Walter Lins Pinheiro Junior Editora - ME Empresarial Tacaruna - Av. Governador Agamenon Magalhães, 3341, Sls. 205/206. Torreão. CEP: 50.070-160. Fones: (81) 3426.6144 / 3034.6144 :: EDITOR Walter Lins Jr. walter@revistapronews.com.br :: REDAÇÃO Luciana Torreão - subeditora, Ivelise Buarque e Matheus Torreão redacao@revistapronews.com.br

ENTREVISTA Rogério Covaleski fala sobre sua vivência profissional, a nova geração de publicitários e a hibridização da publicidade.. 14

:: COLABORADORES Anderson Lima e Marina Barbosa :: PRODUTOR GRÁFICO Bruno Regis producao@revistapronews.com.br :: DEPTº FINANCEIRO Nise Lins :: ASSINATURAS 81 3426.6144 / 3034.6144 producao@revistapronews.com.br

A VEZ DO CLIENTE Casas Bahia traz seu conceito de qualidade com facilidade de compras ao Recife. 24

GIRO 6 GIRO BRASIL 8 FICHA TÉCNICA 10 E 34 DE OLHO NA CAMPANHA 26 NA WEB 28 VITRINE 34 CLICK 37 EU RECOMENDO 40 Todo mês uma agência diferente produz a capa da Revista PRONEWS. Participe pelo e-mail: redacao@revistapronews.com.br 04

:: REPRESENTANTES COMERCIAIS NS&A - CE - Aldamir Amaral (85 3264.0406/ 0576) - nsace@nsaonline.com.br RD Produções e Eventos - Ricardo Douglas (SE - 79 3044.7013/9972.2214) rdproducoes@infonet.com.br Omega Mídia - Renato (SP - 11 8403.0330) renato@omegamidia.com.br :: DISTRIBUIÇÃO LogResolve (PE - 81 2123.1455) Jornal Correio - Rede Bahia (BA - 71 3203.1812) Sistema Verdes Mares (CE - 85 3266.9902) www.verdesmares.com.br Omega Mídia - Renato (SP - 11 8403.0330) renato@omegamidia.com.br :: DADOS TÉCNICOS Impressão: Gráfica FacForm (81 3339.6566) grafica@facform.com.br Tiragem: 7.000 exemplares Formato: 22x30cm Tipologia: Humanist 521 BT Papel: Couché brilho 150g/m² Número de páginas: 40

As matérias assinadas por nossos colaboradores não representam, necessariamente, a opinião da revista.

WWW.REVISTAPRONEWS.COM.BR


GIRO

NOVOS RECHEIOS Chegam ao mercado dois novos lançamentos da pernambucana Vitarella. É o Wafer Mega Recheio, com quatro camadas de recheio nos sabores Abacaxi e Limão. Em embalagens de 110 gramas, além dos lançamentos, o biscoito pode ser encontrado nos sabores chocolate, brigadeiro e morango. A ação para os lançamentos tropicais reúne material de ponto de venda que pode ser encontrado nos principais supermercados do Nordeste. TRIDENT EM CAMPANHA EXCLUSIVA NO NORDESTE Neste verão, a marca de gomas de mascar Trident, da Mondelēz International, apresenta mais uma campanha desenvolvida exclusivamente para o Nordeste, e Salvador é uma das regiões foco. A campanha terá filme produzido especialmente para a região, nas versões de trinta e cinco segundos, e que será desdobrado em diversas atividades durante o verão e o Carnaval. A marca aposta em grandes investimentos nas regiões de Pernambuco, Bahia e Ceará, de janeiro a março. Com o slogan “U-hu Refresh”, a campanha traz como principal mensagem mostrar que o produto tem muito mais refrescância, será veiculada nas principais emissoras de televisão, em mobiliário urbano e também nas rádios locais e mídias sociais. SANGUE RUBRO NEGRO A ação “Meu Sangue é Rubro Negro”, da Leo Burnett Tailor Made para o Clube Vitória e o Hemoba (Bahia), é capa da revista Directory #25, uma das principais publicações mundiais sobre criatividade em marketing direto. A revista traz a história deste case, que tirou o vermelho do time do Vitória, em uma ação inédita no mercado. A iniciativa foi feita em conjunto com o Hemoba, Hemocentro da Bahia, em prol da conscientização da população para a doação de sangue. Veja mais em www.directnewideas.com/ 06

BONITONAS DA ROTA NO PERNAMBUCANO 2013 Patrocinadora de seis times do interior do estado, a indústria de confecções Rota do Mar aposta alto no estilo “gostosona” para aumentar a exposição da marca no Pernambucano CocaCola 2013 – do qual também é patrocinadora oficial. A Rota do Mar levou quatro modelos para a festa de lançamento do torneio: Denise Rocha, mais conhecida como Furacão da CPI; a funkeira Valesca Popozuda; a ex-panicat Dani Bolina; e a dançarina Adriana Bombom. INVICTO SUSTENTÁVEIS Acompanhando a tendência de produtos sustentáveis, a Invicto entrou com toda a força no segmento de Lava roupas líquido e lançou os seus produtos com as fragrâncias Vida Radiante e Vida Vibrante. O harmonioso design da embalagem física é exclusivo e ficou a cargo da Emballa Design Estratégico, bem como o design de sua rotulagem sleeve. A embalagem exalta o grande poder removedor de manchas do produto e o seu rendimento, além da forte perfumação.

COMEMORAÇÃO AOS 350 ANOS DOS CORREIOS Os Correios chegaram à marca de 350 anos de serviços prestados aos brasileiros. Mas o desejo é ir ainda mais longe, sempre inovando e superando limites. É o que mostram os filmes da sua campanha institucional. Desenvolvida pela Link Comunicação & Propaganda (PE/BA), a campanha usa o conceito #vamaislonge, apostando nos sentimentos de confiança e brasilidade construídos pela instituição ao longo desse tempo. Além dos filmes, foram produzidos spots, anúncios para jornais e revistas, mídia exterior e ações nas redes sociais. Os VTs trazem uma série de imagens de paisagens, tendo como fundo, situações e cenários que traduzem a grandeza e a vitalidade do país.


EMPRESAS QUE MAIS RESPEITAM O CONSUMIDOR NO BRASIL Mais que boas vendas, hoje as marcas precisam conquistar a confiança dos consumidores para crescer e se consolidar no mercado. Pensando nisso, a Shopper Experience (SP) ouviu mais de 3.500 brasileiros para descobrir as empresas que mais respeitam seus clientes no país. A Nestlé saiu na frente do ranking final, que levou em conta fatores como a qualidade dos produtos e serviços oferecidos. A pesquisa foi realizada em parceria com a Revista Consumidor Moderno, do Grupo Padrão. No total, 44 empresas foram premiadas em 47 categorias. O estudo elegeu as melhoras marcas de segmentos como celulares, refrigerantes, veículos, supermercados, companhias aéreas, provedores de internet, revistas e cartões de crédito. A Shopper Experience também formulou um ranking geral que, além da Nestlé, conta com mais 16 empresas. Walmart, Natura, Visa, Americanas, Sky, Zaffari, GVT, Petrobras, Apple, Submarino, Brastemp, Extra, Saraiva, Electrolux, Banco do Brasil, Samsung e Pão de Açúcar foram as marcas mais bem avaliadas pelos entrevistados no quesito respeito ao consumidor. Segundo Roberto Meir, especialista em relações de consumo e publisher da revista Consumidor Moderno, essas organizações se destacaram porque são capazes de mostrar que respeitar o consumidor é uma prática possível. “Essas empresas entendem que a razão para sua existência é o cliente e, por isso, sabem que precisam ter uma relação de transparência com ele. Respeito é um ciclo que se renova quando empresa e consumidor se identificam”, explica Meir. Ele ainda diz que essa relação é construída com o tempo, de acordo com as atividades cotidianas das organizações, seus produtos e representantes comerciais. É nesse relacionamento cotidiano que os consumidores percebem as posturas das marcas diante das mais diversas situações. Assim, acabam definindo quais requisitos são importantes nas suas próprias definições de uma boa empresa. A pesquisa da Shopper Experience também procurou saber quais atributos as organizações precisam ter para serem bem avaliadas pelos consumidores. De acordo com a opinião dos entrevistados, a qualidade dos produtos e serviços ofere-

Marina Barbosa |

Nestlé saiu na frente do ranking geral, que conta com mais 16 marcas

cidos é o que mais pesa na análise de uma empresa. Mas também são considerados itens importantes a qualidade no atendimento, a responsabilidade em entregar o que foi prometido, a eficiência no pós-venda, a compreensão das necessidades dos clientes, a imagem no mercado, o compromisso com as causas ambientais, a honestidade na comunicação e a presença nas redes sociais. Este foi o décimo ano em que a pesquisa foi realizada e, para manter-se sempre atualizada com as novas formas de consumo, a Shopper Experience incrementou o estudo com questões relativas ao consumidor virtual. As compras on-line foram a grande novidade desta edição, que elegeu o Submarino como a marca que melhor realiza transações comerciais na internet. Já a Walmart foi eleita a organização com relacionamento mais eficaz nas redes sociais. “Temos acompanhado, ao longo de 10 anos, mudanças significativas na relação do consumidor com as marcas. Foram muitos avanços, mas ainda temos um longo caminho a percorrer no Brasil em busca de uma relação de respeito, que garanta ao consumidor os seus direitos”, afirma Stella Kochen Susskind, presidente da Shopper Experience e coordenadora da pesquisa. 07


GIRO BRASIL NOVA MARCA DE VODKA O Grupo Petrópolis acaba de lançar mais uma novidade: a vodka Nordka. Este será o segundo produto do Grupo Petrópolis dentro de uma categoria que registra crescimento de 30% ao ano no Brasil. A empresa já conta em seu portfólio com a Blue Spirit Unique e a sua versão Ice. Segundo Douglas Costa, diretor de mercado do Grupo Petrópolis, as vodkas produzidas pela empresa não competirão entre si, pois a Nordka estará direcionada a um segmento mais popular, enquanto a Blue Spirit é um produto Premium, de alto valor agregado. A SENSAÇÃO DE EXPERIMENTAR VIGOR GREGO Após inaugurar nova categoria de iogurtes no Brasil, a Vigor inicia segunda fase da comunicação do Vigor Grego. Campanha será exibida em cinemas e conta com humor e depoimentos reais. Com reações e demonstrando ‘água na boca’, alguns, entre milhões de consumidores que conheceram o Vigor Grego, tentam descrever a sensação de experimentar o iogurte, que inovou o mercado de lácteos e já é sucesso no Brasil. A partir dessa ideia, foram criados pela Fischer& Friends e produzidos pela Volcano Hotmind, dois filmes exibidos em 92 salas de cinema de São Paulo por três semanas. Também haverá veiculação em TV aberta e Pay TV. Além disso, foram desenvolvidas peças específicas para mídia impressa.

QUANTO MAIS VIAGENS MELHOR Os jovens adultos adoram viajar, curtir o máximo da vida e compartilhar suas experiências únicas. Por isso, em sua nova campanha, Coca-Cola zero traz o conceito “Quanto Mais Viagens Melhor”. Para estampar as embalagens da marca foram escolhidos os 100 destinos mais desejados pelos brasileiros, sendo 80 nacionais e 20 internacionais, que se somam a 50 novos nomes. Há destinos para todos os gostos: cidades cosmopolitas, praias paradisíacas, lugares montanhosos e exóticos. Entre eles estão: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Floripa, Milagres, Torres, Maraú, Jalapão, Londres e Dubai. A campanha contempla também filme para TV e conteúdos em mídias sociais.

08

VOCÊ PODE SER QUEM QUISER Com o mote “Você pode ser quem quiser”, o filme que lança o carnaval de Brahma deste ano tem como garota propaganda da marca a atriz Megan Fox, que convida os brasileiros a se transformarem neste carnaval. A propaganda da Brahma cria série de personagens que representam os fãs da folia em um grande bloco de rua e um típico vendedor de cervejas. A partir daí, personagens surgem em cena e a grande surpresa está no final, quando a atriz aparece na festa brasileira. O filme de 30”, desenvolvido pela Africa, foi gravado em dezembro nos estúdios de Hollywood e contou com uma equipe de 60 profissionais, entre eles americanos e brasileiros.

A 1ª VEZ COM A DEVASSA Com o conceito “E você, tá esperando o que para ter a sua primeira vez com uma Devassa?”, a marca Devassa lança campanha com o personagem Deco Silva, que incentivado pelo público tem sua primeira experiência com a cerveja. O filme foi desenvolvido pela Mood e produzido pela O2 Filmes. Nas cenas finais, as pernas de uma mulher misteriosa aparecem caminhando em direção ao personagem: a atriz Alinne Moraes. De forma irreverente e ousada, ela incentiva Deco e os consumidores a terem sua primeira vez com uma Devassa. A campanha inclui spots, merchandising em rádio, anúncios em revistas semanais, materiais de ponto de venda e ações na internet.


UMA HISTÓRIA DE VIDA AMPLA Seu Queiroz – Uma História de Vida Ampla, livro autobiográfico do publicitário fundador da Ampla Comunicação, já está publicado e disponível na sede da agência, em Recife. Seu Queiroz, falecido em julho do ano passado, já tinha o livro pronto há cerca de dez anos, mas o manteve engavetado até a família convencê-lo a lançar com a proximidade do seu aniversário de 90 anos. Ele deixara tudo pronto e revisado, e coube a família fazer o lançamento póstumo no mês passado. “Seu Queiroz era um contador de histórias inveterado, coisa de quem viveu intensamente cada momento da vida e que nasceu com o dom da comunicação”, conta sobre o pai Queiroz Filho, atual presidente da Ampla e diretor da ABAP Nacional. Segundo ele, Seu Queiroz sempre foi muito cobrado para escrever um livro de memórias e, no início dos anos 2000, convidou o amigo jornalista Ronildo Maia Leite para ser seu ghostwriter e dar início aos trabalhos. “O livro retratou maravilhosamente a vida dele. Até porque foi ele mesmo o narrador e Ronildo teve o grande mérito de não modificar o estilo de Seu Queiroz falar, porque

Serviço: Livro Seu Queiroz: uma história de vida Ampla Quanto: R$ 50,00 À venda na sede da Ampla Comunicação Rua José Bonifácio, nº 100 (térreo) – com Virgínia Grécia. Contato: 81.3227.8712 - Fax: 81.3227.8714 / virginia.grecia@ampla.com.br 09

Matheus Torreão|

além de ser um grande escritor, Ronildo conhecia muito bem meu pai e era seu contemporâneo”, explicou Queiroz Filho. Ambos, Ronildo e Seu Queiroz, trabalharam juntos na Abaeté Propaganda, onde Seu Queiroz passou de contínuo (atual papel do office boy) a diretor-geral da empresa. Lá ficou por 20 anos até fundar a Ampla, nos idos de 1973. E é esta trajetória de vida impressionante - da criança que saiu de Chã Grande (Zona da Mata do estado de Pernambuco) com a mãe para vender mexericas na feira e “terminou por vender ideias”, nas palavras de Queiroz Filho, a contada no livro, com direito a muitos dos 'causos' de Seu Queiroz. “Eu não tenho uma história preferida. Todas as histórias contadas no livro têm a marca do meu pai”, garante o atual presidente da Ampla. O trabalho ainda conta com ilustrações do cartunista Lailson, que contribuem para o tom divertido da narrativa. Segundo Queiroz Filho, a ideia partiu do próprio Seu Queiroz. “Lailson foi o primeiro diretor de Arte da Ampla e eles eram muito amigos. Os dois trabalharam juntos na Abaeté, antes mesmo de existir a Ampla. Meu pai era um homem do início do século passado, de uma época que nem todo mundo tinha condições de 'tirar retrato'. E foi uma ótima ideia, porque Lailson ilustrou passagens da vida dele que estavam apenas nas suas recordações”, comentou. Para Queiroz Filho, a história do pai não se confunde somente com a história da Ampla, uma das agências de maior destaque do Norte / Nordeste, mas com a história da publicidade do estado, sendo ele também fundador do Sindicato das Agências de Propaganda de Pernambuco e uma referência no ramo. “O legado que ele deixou não pertence à família, mas ao mercado publicitário. Além de ser um pioneiro do segmento, de atuação nacional como representante de Pernambuco à frente do Sindicato, ele foi um professor para muitos profissionais pernambucanos e a Ampla, uma escola. Muitos são nossos concorrentes hoje, como donos de agência, e isso nos enche de orgulho”, declarou. O livro custa R$ 50 e se encontra à venda exclusivamente na sede da Ampla. Todo dinheiro arrecadado, a pedido de Seu Queiroz, será doado para o Abrigo Cristo Redentor, instituição que atende idosos de baixa renda, localizada em Cavaleiro, Jaboatão dos Guararapes.


FICHA TÉCNICA

BLOCO DE OFERTAS Para divulgar as ofertas da Ritto para o Carnaval a Viamídia criou a campanha “Bloco de Ofertas Ritto”. A campanha marca os preparativos para o Carnaval e convida os foliões a aproveitarem a baixa no IPI e o emplacamento grátis, oferecido pela concessionária, para curtir o carnaval com uma Suzuki na garagem. A campanha foi veiculada no Jornal A Tarde. Agência: Viamídia Publicidade (BA) Cliente: Miwah Diretor de Atendimento: Americo Neto Atendimento: Ellen Garabini Direção de Criação: Neca Boullousa Criação: Flávio José e Bernardo Moscovits Produção: Eli Borges Mídia: Alan Abreu

SABOR DO VERÃO SÃO BRAZ Explorando o mote do clima agradável de sol e férias, a São Braz lançou na mídia sua campanha institucional – Sabor do Verão. A iniciativa, criada pela Aporte tem como foco mostrar que a marca está presente no dia a dia da mesa do seu público-consumidor com produtos em diversos segmentos alimentícios. O plano de mídia é formado por outdoor, jingle e VT de 30”, produzido pela Luni e com direção de Lula Queiroga. "No verão é assim: tem sempre São Braz” foi o slogan usado pela agência. Agência: Aporte (PE) Cliente: São Braz Atendimento: Gabriella Gonnelli /Ricardo Caldas Diretor de Criação: Paulo Diretor de Arte: Guilla Miranda Mídia: Ana Paula de Alcântara Produção Gráfica: Eduardo Miranda RTV: Camila Guedes Aprovação: Fred Dominguez

NOVOS HORIZONTES Com campanha de divulgação criada pela agência Ideia 3, a JVF empreendimentos imobiliários, acaba de lançar o Felice Pituaçu, empreendimento localizado em um ponto privilegiado de Salvador com vista para o mar e também do Parque de Pituaçu. Para o lançamento, a agência criou campanha com o mote “Invista em novos horizontes”e explora a localização do empreendimento, destacando nas peças a proximidade com supermercados, shoppings, escolas, faculdades, restaurantes e tudo que o dia a dia do clienteJVF precisa, convidando-o a desfrutar de um novo estilo de vida. A campanha de divulgação conta com spot para rádio, peças de outdoor, internet e gráficas como folhetão, folder combate, panfleto, anúncios e diversas ações promocionais. Agência: Ideia 3 (BA) Cliente: JVF Empreendimentos Imobiliários Diretoria de atendimento: Renata Schubach Diretor de criação: Wilton Oliveira Redação: Wilton Oliveira e David Franco Direção de arte: Leandro Dultra Mídia: Enrique Cerqueira Produção: Vilma Palma, Thais Luna, Gilson Azevedo e Talitha Oliveira 10


PERTINHO DO MAR A MV2 Comunicação acaba de lançar a campanha da Construtora Célia Tavares (Ceta), que volta à mídia com a divulgação do Edifício Parc Del Mar, localizado em Candeias, Jaboatão dos Guararapes (PE). Além dos vários benefícios como a estrutura de lazer e a localização, o empreendimento vai oferecer prêmios para quem visitar o stand e o apartamento decorado. A cada mês, será sorteado um cupom de R$ 500 em compras na Tok & Stok. As peças incluem anúncios de jornal, painel lonado, impresso, stand de vendas, ações diferenciadas em localizações estratégicas e um plano de incentivo à equipe de vendas. Agência: MV2 Comunicação (PE) Cliente: Ceta Atendimento: Isabela Parizio e Fernando Marrocos Planejamento: Elmo do Val Criação: Elmo do Val, Miguel Solando e Marcílio Correia Diretor de criação: Leonardo Vasconcelos Mídia: Dedé Silva Produção: Alessandra Melo Assistente de produção: Catarina Moro

COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER A DM/Blackninja desenvolveu para a Secretaria da Mulher do Governo de Pernambuco a campanha “Basta de Violência contras as Mulheres”. O carro-chefe da iniciativa é um filme, com veiculação em todo o Estado, e abordagem dirigida àquelas mulheres que sofrem violência dentro de suas casas. O objetivo é diminuir o número de agressões e, fazer com que uma grande maioria, que teme em não denunciar com medo de represálias, ligue para a Ouvidoria da Mulher. O plano de mídia integra anúncio, outdoor, backbus e banner. Agência: DM/Blackninja (PE) Cliente: Secretaria da Mulher do Governo de Pernambuco Atendimento: Cynthia Beltrão, Diego Espíndola Diretor de Criação: Lenílson Lima Redator: Ian Thomé Diretor de Arte: Bertone Balduíno Arte Final: Rosalvo Pereira Produtor Gráfico: Durval Sanchez Mídia: Melissa Fernandes e Camilla Gomes Aprovação: Cristina Buarque

NOVIDADE NO SEGMENTO DE FERRO, AÇO E ALUMÍNIO A Nordeste Comunicação acaba de criar campanha da mais nova empresa no segmento de ferro, aço e alumínio, a Guerraço, empresa genuinamente pernambucana. A ideia é mostrar que a mesma chegou para ser parceira e construir junto com o cliente, tudo referente a ferro aço e alumínio para qualquer tipo de obra. As peças usadas na campanha foram: - mídia exterior (outdoor, topbus e painéis), mídia eletrônica (VT de 30'' e spot de 30''). Agência: Nordeste Comunicação (PE) Cliente: Guerraço Criação: Sérgio Roberto, Deyvson Felipe Redação: Sérgio Roberto Aprovação: Romulo Liberal

11


NÃO BASTA ESTAR NA REDE, TEM QUE APARECER PARA CRESCER Ivelise Buarque |

Otimização de sites é uma grande estratégia de marketing para as empresas der o consumidor contemporâneo é preciso compreender a Sabe quando você faz uma busca na internet e aparece 'lógica das redes'. Estudo ZMOT (Zero Moment of Truth), exatamente aquela indicação de link certo para uma página? Por desenvolvido pelo Google, revela que o processo tradicional de exemplo, se você procurar pela expressão “Marketing Digital”, compra, antes dividido em três etapas (estímulo da propagano que aparece na página principal, entre os três primeiros resulda, contato com o produto no ponto de venda e experiência de tados, será o Wikipedia e o Portal de Marketing Digital em uso do produto), não acontece mais sem passar pela internet. quase todos os buscadores mais usados (como Google, Yahoo, Agora, após reconhecer uma necessidade ou despertar um Bing, entre outros). É algo curioso e, muitas vezes, parece até desejo de compra, o consumidor utiliza a internet (notadamenum jogo de loteria, mas não é. Na verdade, isto é pura estratéte o próprio Google) e as redes sociais para buscar informações gia de marketing, uma coisa até fácil de fazer, para alguns, é e reviews sobre produtos, comparar preços, pesquisar depoiclaro! “Pesquisas revelam que 90% dos usuários da web fazem mentos e insatisfações de outros clientes, pesquisa por produtos e serviços na interalém de trocar informações e partilhar net antes de realizar uma compra. Pense experiências com amigos e até mesmo que sua empresa pode estar perdendo com desconhecidos durante o período boas oportunidades de negócios por não pré-compra¨, destaca Fábio Albuquerestar presente no momento da busca”, que, gerente de marketing da TV Tambaú diz Natanael Oliveira, consultor e estratee coordenador do MBA em Marketing gista em Marketing Digital e fundador da Digital da Faculdade Estácio Idez (PB). Nordeste SEO (CE). SEO ou otimização de site é A força das buscas é realmente considerada como parte do marketing impressionante. Um buscador como o digital. Esta é uma técnica muito imporGoogle representa atualmente o maior tante para qualquer website ou blog que do mundo com cerca de 456 milhões de queira aparecer bem posicionado nas visitantes únicos por mês e 2,5 bilhões de buscas e receber muitas visitas, uma vez visualizações de páginas por dia. Sua que esta estratégia ajuda a promover a rede de display, que consiste nos parceisua página. Este processo de comunicaros do Google (Adsense), ganham dinhe- Natanael Oliveira, Nordeste SEO (CE) ção depende muito do conteúdo dos iro promovendo as propagandas do sites e é controlada pelo buscador, em virtude do que se deseja Google que também é a maior plataforma de publicidade onliencontrar. Mas, independente disto, há uma certeza: ele resulta ne. Diante esse cenário, percebemos como a busca e as redes em média em 60% a 70% dos cliques e, consequentemente, sociais devem fazer parte do planejamento estratégico de em impacto do usuário. “Esta é uma ferramenta que proporciqualquer empresa dentro do ambiente digital. A internet e a comunicação mediada por computador ona diversos retornos quando o usuário faz pesquisa de algum permitiram o surgimento de um movimento geral de virtualizatema numa ferramenta de busca (Google, Bing etc). Sua grande ção da informação e da comunicação, afetando profundamente vantagem é ser uma publicidade sob demanda, ou seja, o anúna vida social e as trocas culturais entre os indivíduos. “O markecio só aparece para um público interessado no serviço. E as ting e a publicidade devem compreender o comportamento do possibilidades são diversas. Além do anúncio dos resultados de consumidor e, cada vez mais, observa-se que para compreenbusca, é possível exibi-los nas redes de sites e blogs filiados, 12


você no Google, por exemplo?”, lembra Ludmilla Velozo, segmentar por horário e regiões geográficas”, destaca o especonsultora de MKT Digital da Martpet (PE). Para isto, é precicialista em marketing digital e CEO da empresa Zarabatana so ter uma ideia de como os motores de busca funcionam e os Digital, Sergio Akash (RJ), relacionando o trabalho de busca fatores que consideram importante para influenciar o posiciocom os links patrocinados. Interligada com anúncios em displays, links patrocinanamento das páginas nos sites de busca. Posteriormente, deve-se fazer as escolhas das palados e o conteúdo como propaganda, a otimização é uma vras-chave corretas para continuar o processo de criação de estratégia essencial hoje e, por isto, deve começar antes um site otimizado, que pode ser desenvolvido com tag title mesmo da criação do site, a partir da escolha das palavras(que é uma das tags mais importantes para chave certas, que é o fator mais importanos mecanismos de busca). Neste caso, é te deste trabalho. Com este artifício, seu preciso sempre incluir a palavra-chave site pode aparecer nas primeiras páginas principal do seu site no começo da tag title de resultado ou até mesmo na primeira e usar títulos curtos. O body (o conteúdo posição em poucos dias, ou a médio e do site em si), onde se deve incluir as palalongo prazo. E existem diversas ferramenvras-chaves do seu código html; tag tas que ajudam neste processo, como o strong (que dá ênfase nas palavras-chave Google Adwords e Google Insight. “Eu utilizadas no site otimizado), entendida sou um fanático pelo Google, não é modispelos mecanismos de busca como as palamo, é paixão mesmo, quando na faculdade vras-chave mais importantes. O atributo eu usava o buscador CADÊ? eu já percebia alt (que serve para dar um texto alternatia potencialidade que os mecanismos de vo para as imagens), sendo usada junto da buscas iriam proporcionar para todo muntag img; a Url (o próprio domínio do site), do. Com a evolução do Google e a liberaque usa as palavras-chave nos nomes dos ção de plataformas de gestão de conteúarquivos como estratégia de otimização. do, monitoramento, webanalytics e Sergio Akash, Zarabatana Digital (RJ) E, por fim, a metatag keywords e descripoutras dezenas de ferramentas, vi que os tion, que servem para informar palavrascaras que fazem o Google são de fato 'Deuchave e descrições precisas sobre cada página do site, diferenses' do meio digital. O que apareceu de mais novo e que está ciando-as para melhorar o acesso dos usuários. meio tímido, mas que ganha a cada dia mais corpo é o Google A definição do posicionamento de um site, resumidaPlus. Essa plataforma que não se trata apenas de mais uma mente, é feita a partir da aplicação de uma série de algoritiRede Social, é percebida por mim também como a grande mos, onde os mecanismos de buscas avaferramenta de gestão de mídias sociais do liam o código do site, o conteúdo do site e Google. Acredito numa evolução constana estrutura da página. “O site que consete desta ferramenta e de interações cada gue se posicionar na busca orgânica não vez maiores”, diz o especialista Rogério paga pelo clique recebido. Tudo isso não é Angelim, consultor e gerente de Markenovidade para ninguém, diariamente váriting e Planner Digital da Imobiliária Eduaros web sites são lançados na web, mas, do Feitosa (PE). fica a pergunta: Será que esses sites realReforçar sua imagem na rede atramente estão gerando negócio para essas vés da otimização do seu site não é uma empresas? Afinal, somente ter uma página coisa tão fácil assim, pois exige alguns na internet, pode realmente aumentar as conhecimentos e habilidades de quem vai vendas? Torná-la conhecida mundialmenotimizar. Mas, utilizando-se as estratégias te? A resposta é: obviamente, que não. adequadas, os resultados são positivos. Muitas empresas ainda não perceberam “Para longo prazo, a estratégia de otimizaque o mesmo cuidado que se tem na ção (SEO - Search Engine Optimization) é fachada da loja, na recepção, nos móveis uma série de ações que fazem com que a Ludmilla Velozo, Martpet (PE) da empresa, também se faz necessária no página tenha mais visibilidade dentro da ambiente online. Afinal, o seu web site atuará como uma ferplataforma de busca do Google e outros buscadores. Para isso ramenta de marketing e vendas 24 horas por dia e sete dias tem que se estudar o 'vocabulário da empresa', ou seja, quais por semana”, ressalta Oliveira (CE). as palavras chaves que as pessoas usariam para encontrar 13


ENTREVISTA

Anderson Lima |

DE OLHO NO PROCESSO ESTRATÉGICO Natural da capital do Paraná, Curitiba, Rogério Covaleski é doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, mestre em Comunicação e Linguagens pela UTP, especialista em Propaganda e Marketing pela ISPG/SPEI e graduado em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela PUCPR. Ao todo, são 25 anos de experiência no mercado profissional de comunicação, em agências, anunciantes, veículos e fornecedores. Há 13, Rogério atua também no ambiente acadêmico como professor e coordenador de cursos de graduação e pós-graduação na área de Comunicação Social. É ainda autor dos livros Cinema, publicidade, interfaces, de 2009, e Publicidade híbrida, 2010; ambos pela Maxi Editora. Atualmente, é chefe do Departamento de Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco, onde leciona no curso de Publicidade e Propaganda e no Programa de Pós-graduação em Comunicação. Na entrevista a seguir, Rogério Covaleski fala sobre sua vivência profissional, a nova geração de publicitários e a hibridização da publicidade. REVISTA PRONEWS – Você possui 25 anos de experiência no mercado profissional de comunicação, em agências, anunciantes, veículos e fornecedores. E há 13 anos atua, também, no ambiente acadêmico. Como essas duas vivências se somam e se completam? ROGÉRIO COVALESKI – A passagem por diferentes atores do ambiente profissional possibilitou-me uma somatória de experiências e distintos olhares, pois o ponto de vista sob cada uma dessas óticas propicia, a partir dessa vivência, a condição de ponderação e maturidade nas análises e soluções de problemas comunicacionais, seja de qual ordem forem. Atuei na direção de agências de comunicação integrada, valendo-me de passagens por emissoras de rádio e televisão, da prática em produtoras de áudio e vídeo, da proximidade e interlocução com a produção gráfica, da atuação em anunciantes de diferentes segmentos mercadológicos. Todo esse percurso contribuiu para uma melhor condição de troca, interação e reflexão no ambiente acadêmico. Entendo como essencial, a todo professor, a vivência prática na área de atuação profissional – só assim me sinto capaz de teorizar e propor reflexões acerca da comunicação publicitária, tendo-a praticado e vivenciado. Comunicação essa que se adapta às evoluções teóricas na academia, que galga maior cientificidade, aderência e reflexão, e às transições da prática no mercado, sujeitas a uma dinâmica desenfreada, sobrepujada por avanços tecnológicos e 14

comunicacionais que sucedem em velocidade espantosa. Aglutina linguagens oriundas de outros gêneros comunicativos, que somam às expressões artísticas – que também a subsidiam –, para permanecer em sua condição hegemônica, geradora e mantenedora de hábitos de consumo, que sustentam, por extensão, toda uma indústria de informação persuasiva. Mas, como campo de pesquisa ou de atuação profissional, a publicidade permanece em constante transição e, de modo concomitante, requer evolução frequente; pesquisadores e publicitários necessitam dialogar em prol de teorias e práticas convergentes. Nesse sentido, tenho tentado contribuir, buscando um estreitamento de relações e a constante sinergia entre mercado e academia. RPN – O que tem diferenciado os jovens que estão chegando ao mercado dos profissionais que já atuam no meio? Estamos formando profissionais melhores? COVALESKI – Estamos em processo de revisão. Como não rever modelos de comunicação e abordagem diante do cenário contemporâneo de comunicação? Em um contraponto ao pensamento de Marshall McLuhan, de que “a quantidade de informação é que gera a qualidade da informação”, hoje se pensa em ensinar os estudantes a usar a mente não como hard disk, mas como memória RAM. Recomenda-se que não se acumule informação, pois ela se defasa cada vez mais rapidamente. O cérebro precisa de espaço livre para associar as inter-relações entre fatos e dados para gerar soluções – gerar nexos, como defendem Walter Longo e Zé Luiz Tavares. As mentes estão hoje abarrotadas de commodities informacionais. É preciso estabelecer uma condição de trabalhar com a mente livre, de concluir processos, relacionando ideias com as informações disponíveis a um toque de dedo. É mais importante, neste momento, ter acesso à informação do que armazená-la. Como uma das consequências mais sintomáticas desta nova ordem comunicacional, percebe-se uma corrida pela correção dos processos de formação e aprendizagem dos futuros profissionais de comunicação. No lugar de especialistas ou generalistas, melhor seria formar nexialistas, capazes de gerar conexões entre o aprofundamento da especialização e a multidisciplinaridade da generalização. O processo criativo, a exemplo do ambiente mediático como um todo, também passa por um período de complexificação, pois se as linguagens interagem, os consumidores interagem; inevitavelmente novos modelos híbridos surgirão. Já hoje, não seria exigir demais que o conhecimento e o repertório cultural do criador publicitário devessem ser tão diversificados,


Rogério Covaleski: 25 anos de experiência no mercado profissional de comunicação, em agências, anunciantes, veículos e fornecedores

heterogêneos e multiculturais quanto está se tornando a publicidade em si, para assim se adequarem à nova cultura híbrida; para se comunicarem com um novo público, cujo repertório também tende à hibridização. RPN – No ano de 2010, você lançou o livro Publicidade Híbrida, resultado de uma tese de doutorado que investigou o processo de hibridização da publicidade, que viria a ser a interação das ações publicitárias com outras formas de expressões comunicativas e artísticas e, sobretudo, com os produtos midiáticos de entretenimento. Já se passaram dois anos desde então. Em qual estágio esse processo se encontra nos dias de hoje? COVALESKI – Esta nova publicidade, hibridizada, constituinte do novo produto midiático que está se formando, deve ser vista como uma manifestação cultural em sua totalidade, como um signo visível de sua unidade. Nela são diminuídas as diferenças entre os estratos culturais que se cruzam, produzindo um pluralismo generalizado, sem, contudo, engendrar novas segmentações, mesmo que esteja de momento, mais suscetível à experimentação daqueles que acessam e interferem nas mensagens e vivenciam novos papéis. Estimula o público a agir, a analisar, a discutir, a pensar. Constitui um meio comunicativo capaz de abarcar os interesses mercadológicos do anunciante e as interferências sublevadas do público-receptor. Nesse contexto, se pensar é

produzir esteticamente, a publicidade híbrida busca em temas cativantes e em imagens impactantes a ilustração para o pensamento do potencial consumidor, proporcionando a ele desfrutar de conteúdo entretível e informacional, capaz de induzi-lo a interagir com a fonte emissora e a disseminar a experiência aos seus pares. Compõe-se de uma unidade de construção estética de forma e conteúdo, pensada para ser sorvida em exercício de fruição e sem preconceito. O público-receptor é cada vez mais próativo no processo de comunicação e protagonista de novos papéis, alterando sensivelmente a relação entre enunciadores e enunciatários: desde a enunciação discursiva à criação e à emissão partilhada, o que se ratifica é a condição de novo meio comunicativo à publicidade hibridizada – o entretenimento publicitário interativo. Este novo produto midiático que propusemos, à época, não é visionário e nem mais embrionário, apresenta-se como alternativa a um modelo estandardizado de publicidade; por isso o vemos como insurgente, mas não insensível a ponto de refutar o passado em seus padrões tradicionais e, sim, como proposta criativa à obsolescência de uma comunicação publicitária não afeita à contemporaneidade e às convergências midiáticas de ambientes, a cada dia, mais mediatizados. Vislumbramos uma publicidade envolta em uma nova estética, repleta de narrativas transmidiáticas, na qual há consonância com as exigências dos consumidores contemporâneos e participação ativa das comunidades de conhecimento. 15


Marina Barbosa |

PUBLICIDADE CONQUISTA MAIS ESPAÇO NOS CENTROS URBANOS Hoje em dia não há mais locais específicos para a publicidade. As mensagens que propagam marcas e aparelhos ocupam cada vez mais espaço e nos surpreendem onde menos esperamos: no trânsito, no trabalho, no supermercado, no elevador e no ônibus. Pensando nisso, a Associação Brasileira de Mídia Digital Out of Home (ABDOH) e a Ipsos-Marplan fizeram uma parceria para estudar a chamada mídia digital out of home. Ou seja, aquela mensagem publicitária que é colocada em locais inusitados, como TVs instaladas nas filas dos supermercados ou nos elevadoArnold Correia, presidente da ABDOH res. pados em sete diferentes perfis, de acordo com seus comporA pesquisa constatou que esse tipo de tamentos, atitudes, assuntos de interesse, lazer e relações mídia chama cada vez mais a atenção das pessoas. Hoje, a com as tecnologias. A consultoria acredita que os indivíduos mídia digital out of home já é o quarto meio de comunicação de cada um desses grupos apresentam comportamentos mais visto pela população brasileira acima dos 13 anos, persemelhantes na hora de fazer decisões de consumo ou uso de dendo apenas para a TV aberta, o rádio FM e a mídia out of serviços. A pesquisa traçou os seguintes perfis: home. De acordo com o levantamento, 60% dos brasileiros Batalhadoras: Donas de casa acima dos 30 anos, das com mais de 13 anos notaram a mídia digital out of home nos classes C e D, com nível de instrução mediana. São cautelosas últimos 30 dias, o que representa mais de 27 milhões de pescom dinheiro, mas gostam de experimentar novos produtos e soas. O estudo também mapeou os lugares em que essa platamarcas. Jovens bem-sucedidos: Jovens das classes A e B, entre forma é mais percebida. Entre eles, supermercados, ônibus, 25 e 34 anos, com ensino superior. Trabalham, mas moram shoppings, restaurantes, metrôs, farmácias, rodoviárias, elecom a família. São audaciosos e empreendedores. Indepenvadores, aeroportos e academias. dentes: Homens casados da classe C, com mais de 30 anos e O sucesso da mídia digital out of home é tanto que essa instrução mediana. São metódicos e colocam o trabalho em já é a segunda mídia mais vista na cidade de São Paulo. Já em primeiro lugar. Tradicionais: Indivíduos das classes B e C, entre Curitiba, Florianópolis e Fortaleza, ela ocupa a terceira posi20 e 49 anos, com instrução mediana. São conversadores e ção do ranking de plataformas mais populares. “Hoje o merorganizados, porém consumistas. Bem-resolvidos: Indivíduos cado publicitário conta com um verdadeiro mix de opções, o das classes A e B, entre 30 e 59 anos, com alto nível de instruque incrementa os produtos de marketing. Podemos combição e poder aquisitivo. Trabalham e buscam manter-se atualinar meios diferentes e ampliar nossas oportunidades de penezados. No consumo, são equilibrados. Ousados: Indivíduos tração e divulgação”, explica o presidente da ABDOH, Arnold das classes B e C, entre 13 e 24 anos, com instrução mediana. Correia. Seguindo essa tendência, a mídia digital out of home Vivem com os pais e querem ir além, por isso são impetuosos. vem sendo utilizada em conjunto com outros meios, como a São consumistas, valorizam marcas e o cartão de crédito. TV, a rádio e a internet. Conectados: Estudantes entre 13 e 24 anos, das classes B e C, Ao ouvir os brasileiros sobre as plataformas publicitáque vivem com os pais. São otimistas e ligados a tecnologia. rias, a Ipsos-Marplan aproveitou para traçar perfis que identiGostam de usar novas marcas e produtos. ficam os consumidores do país. Os entrevistados foram agru16


Bem como frisava Oscar Wilde, “toda forma de arte é absolutamente inútil”. Sendo assim, para grande parte dos artistas, unir o pragmatismo necessário para administrar os negócios e o caos da criação é tarefa quase herculeana, ainda mais quando inserimos na equação todas as possibilidades de ferramentas virtuais que surgem a cada dia para divulgação de suas obras na vasta infinitude que é o âmbito digital. Pensando nisto, Lucas Contaifer, brasiliense radicado no Rio de Janeiro desde a vida adulta, e seu hoje sócio Leonardo Brandão deram à luz Café das 4 – consultoria de marketing digital especializada em artistas independentes e produtoras de eventos. Os dois, que trabalharam durante anos como roadies (profissionais técnicos que acompanham os artistas nos shows e nas turnês), tiveram das experiências na estrada o insight para preencher esta lacuna no mercado. “A minha experiência como roadie foi base para a criação da agência, na estrada pude observar os diversos públicos e a maneira que os fãs de relacionam com os artistas e a partir daí criei o modelo de negócio que tirou a Café das 4 do papel. Ainda vou muito a shows para gerar conteúdo pros meus clientes ou simplesmente para assistir. Da muita saudade da estrada, mas minha coluna não aguentaria mais aquele ritmo”, confessa Lucas, recordando sem saudade dos amplificadores e instrumentos que suas costas costumavam carregar. Dentre os serviços oferecidos, o “Pacote Full” da Café das 4 contempla a gestão de toda a presença do cliente na Renan Bacellar |

Lucas Contaifer e o sócio Leonardo Brandão, Café das 4

internet. Desenvolvimento e manutenção de sites, produção de design e conteúdo para redes sociais, monitoração das redes, criação de ações promocionais, elaboração de planos de mídia digital e desenvolvimento de aplicativos para Facebook. Cada equipe formada pela agência carioca atende de dois a três clientes, a depender da demanda, e é formada por cinco profissionais de diversas áreas: um gestor de conteúdo, um designer, um programador, um analista de redes sociais e profissional de atendimento. E as opções de serviço variam. “Para artistas menores temos planos com duração menor. Ao invés de contratos de um ano em que cuidamos de todos os passos que o artista dá, temos um plano para lançamento de discos ou clipes, com duração de três meses. Alguns também optam por serviços específicos, como a criação de um site ou aplicativo para Facebook. Nós tentamos sempre viabilizar os projetos, independente do tamanho do cliente, prezando sempre por preços que tornem possível a entrega de serviços com qualidade diferenciada. Para clientes maiores a gente desenvolve planos que possibilitem que toda a presença na internet esteja ao mesmo nível dos maiores artistas do mundo, consequentemente o investimento é um pouco maior”, explica Lucas. E nos pouco mais de dois anos de vida, a agência criada em 2010 só tem colhido frutos e acumulado clientes, passeando inclusive por outros universos além do artístico, hoje já pequeno demais para os saltos da Café das 4. Dentre os principais, estão grandes como GEO Eventos, Farm e Som Livre, bem como artistas populares tal Forfun, Scracho e Felguk. A mais nova parceira, inclusive, é a Turner Media, empresa responsável por canais de tv a cabo como o Cartoon Network. E com tantos logros se sucedendo, não sobra lugar nem para sentir falta da dos tempos das turnês. “Nossos clientes acabam se tornando grandes amigos, a Café se torna parte da equipe dos artistas, e sempre que posso viajo junto com alguma banda. Assim mato a saudade da estrada e reencontro os amigos sem precisar carregar uma bateria nas costas”, finalizou Lucas aliviado. Aos que quiserem, pois, entrar em contato ou conhecer mais o trabalho da Café, basta acessar: www.cafedas4.com. 17

Matheus Torreão |

CAFÉ COM CHEIRO DE MÚSICA


INFORMAÇÃO DIFERENCIADA NO DIÁRIO DO NORDESTE PLUS A nova ferramenta, exclusiva para o Ipad, propicia aos usuários uma versão de segunda a sexta-feira, a partir das 19 horas O Diário do Nordeste lançou um novo produto, de conteúdo inédito, para ser acessado de forma exclusiva através do iPad. Diferenciado da publicação impressa, que chega às bancas e aos assinantes todos os dias bem cedo, o Diário do Nordeste Plus, a nova ferramenta de informação, propicia aos usuários uma versão disponibilizada de segunda a sexta-feira, a partir das 19 horas. “Com mais essa plataforma, estamos entrando numa nova era do jornalismo com experiência inovadora. Somos o primeiro jornal do Ceará a adotar essa ferramenta e o primeiro do Nordeste a utilizá-la de forma diferenciada. O conteúdo apresentado será exclusivo e ainda vamos antecipar algumas colunas, que serão disponibilizadas para aqueles que acessarem o iPad”, enfatiza Ildefonso Rodrigues, diretor editor do Diário do Nordeste. O projeto faz parte da iniciativa do veículo de fortalecer sua presença no ambiente virtual. Esse trabalho teve início a partir da implantação da TV DN, no fim de 2011. Para ler o Diário do Nordeste Plus, o leitor baixará o 18

conteúdo na app store. No Panorama, matérias de última hora, frases do dia, números, vídeos exclusivos da TV DN e comentários dos internautas; Na página 2, um tutorial que mostrará como proceder para acessar as diversas ferramentas, como vídeos, fotos ampliadas, estatísticas e demais conteúdos virtuais. Dentre outras novidades, está à disposição as colunas dos jornalistas Roberto Maciel, Tom Barros, Egídio Serpa, Pompeu Vasconcelos e Neno Cavalcante. São disponibilizadas duas colunas a cada edição virtual. Outra novidade é a galeria de fotos, que retrata os principais acontecimentos do dia. A ferramenta terá como característica também muitos infográficos e ilustrações animadas. A interatividade será uma das principais marcas do roteiro veiculado no Diário do Nordeste Plus. O usuário que estiver à procura de um bom filme para assistir pode, por exemplo, além de ler a sinopse, acionar a galeria de fotos e ver o trailer.


CAPA

A NOVA ERA DO JORNALISMO

a notoriedade na mídia em todo o Nordeste. “Como leitor de De acordo com o Dicionário Priberam da Língua Poralguns blogs jornalísticos (Ricardo Noblat, Marilene Felinto e tuguesa, eles são uma página de Internet com características o pessoal do nosso 'Acerto de contas'), acho que talvez os de diário, atualizada regularmente. Ele se desenvolveu na jornalistas tenham mais liberdade para opinar sobre assuntos rede ao longo da década de 1990 e ganhou o nome weblog do polêmicos”, comenta o professor de língua, literatura inglesa, seu pioneiro Jorn Barger (também autor de um dos primeiros João Martins, mestre em Teoria da Literatura (UFPE) e doutoFAQ - Sistema de perguntas e respostas sobre determinado rando em Literatura e Cultura (UFPB). tema), abreviado posteriormente para blog por Peter MerIsto porque, segundo o jornalista e blogueiro Luiz holz. E agora esta ferramenta deixou de ser um mero registro Nassif (www.advivo.com.br), o fazer jornalístico “não é só contínuo do “eu” e passou a ganhar novos formatos, com o fazer matérias, escrever releases, ter passar do tempo. E não é à toa. Nos acesso às fontes. É preciso entender a últimos dez anos, por exemplo, os blocomunicação como ferramenta de gueiros se reinventaram com o cresciguerra e agir como gestor, uma vez que mento da web colaborativa, conhecida as redes sociais atuam de forma pouco como web 2.0, passando a compartilhar seletiva. O trabalho é maior do que receitas, comentários, escritos literárinunca: é organizar e sistematizar inforos pessoais e links, entre outras coisas. mações, unificar o que é crítico, fazer Inclusive, como fonte jornalística, figuuma leitura especial do que está sendo rando entre as principais fontes de notídito e o que está por trás daquela notícias, muitas vezes me primeira mão. cia, assegurando assim uma forma adeComo passaram a significar quada de agir em cada situação” (opipáginas na Internet fáceis de serem nião emitida em sua apresentação, intiimplantadas e publicadas, os blogs protulada Blogs Jornalísticos e Corporatiporcionaram uma nova forma de gerar vos: Uma Nova Forma de Comunicamais conteúdo, inclusive segmentado e ção, no IV Fórum de Comunicação do de interesse para um público específico. Governo Federal no Nordeste). E, desta forma, se tornaram alvos de corporações, empresas, organizações UM NOVO MODELO – Apesar do governamentais e não governamentais fervor de alguns críticos que considee, hoje, de comunicadores que atrelam Cinthya Leite, jornalista (PE) ram os blogueiros parasitas da velha suas informações às redes sociais virtumídia (como o crítico à blogosfera e jornalista irlandês Trevor ais para criar fluxo de acesso aos seus canais. Esses são hoje os Butterworth, do Newsweek e do Daily Beast), os blogs jornacasos sucesso da mídia brasileira que estão no topo da visibililísticos são a nova mídia. Uma mídia alternativa que busca se dade do público atual, como o Blog do Noblat, do jornalista sustentar sozinha, em meio a alguns entraves econômicos. Ricardo Noblat, vinculado ao Globo, que é referência como Por isto, a vinculação com grandes grupos de comunicação é um dos primeiros a desenvolver este trabalho. Mas, os exemuma saída para a sobrevivência. “Para os veículos, é importanplos ainda são vários. Blogs, desenvolvidos e assinados por te ter blogs como parceiros porque amplia o leque de conteúprofissionais de comunicação, estão galgando o caminho para 19

Ivelise Buarque |

Jornalista e comunicadores dão nova cara a informação com competência, responsabilidade e leitura crítica Brasil afora, trazendo uma nova mídia forte para a comunicação brasileira


Fábio Cardoso, repórter e colunista de Economia do Correio da Paraíba (PB)

do oferecido ao público de uma maneira rápida, diversificada e com uma linguagem menos formal, já que os blogs permitem uma comunicação sem grandes cerimônias. Para os blogueiros, é importante estar vinculado a um veículo/portal porque dá para ganhar visibilidade e credibilidade”, diz a jornalista Cinthya Leite (PE), criadora do Casa Saudável (www.casasaudavel.com.br), parceiro do NE10, do Jornal do Commercio. A repórter setorista de saúde do Jornal do Commercio, desde 2003, teve a ideia de criar o blog num fim de semana de puro descanso, em Porto de Galinhas. Mas, o projeto se desenvolveu ao longo de nove meses e lançado com a proposta de compartilhar informações sobre saúde e orientar a população de maneira séria. E neste caso, o seu papel é enorme. “Levo muito a sério o blog. E sou muito cuidadosa com o conteúdo que publico, deixando claro no rodapé do blog que todas as informações apresentadas na página têm objetivo exclusivamente educacional e jamais substituem uma consulta com o médico ou outro profissional de saúde. É esse lema que me pauta no dia a dia. Fazer jornalismo em saúde é ser um profissional, acima de tudo, orientado pela educação em saúde. Acredito que toda essa preocupação e cuidado ajuda a gente a ganhar espaço na web”, destaca Leite. E o projeto é realmente um sucesso hoje, em seus quase dois anos e meio de atividade. Mas, o trabalho não para por aí para a jornalista que aposta constantemente no planejamento. E, para ela, este processo vem recheado com muito trabalho, produtividade responsabilidade, ética, comprometimento, reflexão, diálogo com o público em geral e bastante reciclagem. Aliado a uma roupagem nova ao longo de um determinado período de tempo, isto tudo ajuda o trabalho a alcançar o êxito desejado. Observa-se, naturalmente, que o 20

Casa Saudável sobrevive da sua vontade de passar adiante informações sobre saúde e bem-estar de maneira ética e dinâmica. Contudo, os investimentos certos também são necessários para não deixar a peteca cair. “Se eu disser que o Casa Saudável sobrevive de anúncios e posts patrocinados, estarei mentindo. Clínicas, entidades, associações médicas, indústrias farmacêuticas e marcas associadas ao segmento alimentício já anunciaram no blog e/ou solicitaram posts patrocinados. E isso me deixa muito satisfeita porque mostra o interesse dessa rede de anunciantes em associar nomes tão fortes ao Casa Saudável, sempre produzido com tanto cuidado e ética. Como diz meu pai (e, claro, professor), Iúri Maia Leite, que é publicitário, o reconhecimento que vem do mercado é tão valioso que é impossível mensurar. E isso, a cada dia, me dá inspiração para que eu possa fazer as pessoas mais felizes através das palavras no blog e no impresso. Vem daí o meu combustível”, ressalta. A construção da reputação é um fator importante para um blog e vem na rebarba da imagem do profissional, lógico. Foi a imagem positiva do repórter e colunista de Economia do Correio da Paraíba, Fábio Cardoso (PB), que deu credibilidade e confiança ao seu Turismo em Foco (www.turismoemfoco.com.br). A proposta começou quando ele escrevia sobre turismo no jornal, onde não havia muito espaço e ainda se tinha pouco interesse da editoria geral, que não via muita importância no segmento. “Turismo foi sendo inserido aos poucos e, consequentemente, até pela falta de espaço em outros veículos, o tema começou a fluir muito e as pessoas da área a me procuram mais, para divulgar suas empresas, seus destinos, seus eventos, etc. O espaço, então, começou a ser conquistado naturalmente, pois havia poucas opções e o Turismo em Foco passou a ser alvo das assessorias de imprensa de todos os setores que envolvem o turismo. Passou a ser pauta dos veículos de comunicação também. Hoje, muitos portais pegam matérias do meu blog, inclusive, muitas agências de viagens que têm sites”, destaca Cardoso, que acredita que é preciso pesquisar, ser curioso o tempo todo e ter dedicação e prazer pelo que faz. Para ele, este trabalho não é nada fácil uma vez que os blogs, assim como os portais de notícias, têm que ser atualizados o tempo todo para criar interesse. E é esta dedicação e busca por um diferencial e as melhores notícias que fazem com que o blog tenha mais reconhecimento, mais leitores e, consequentemente, seja mais procurado, não só por leitores em busca por novas informações como também até por interessados em anunciar e patrocinar. “Os blogs sobrevivem


Emanoel Glicério, do Diário da Sulanca (PE)

com acessos, que ampliam a oportunidade de negócios com as empresas. Quanto mais acessos, maior a barganha por publicidade. As empresas ganham muito, sem dúvida, em especial, na área de Turismo, onde quase 25% decidem curtir férias em determinado destino buscando informações na Internet. Aliás, na área do Turismo penso que tudo se faz via internet, desde buscar informações até a compra de um pacote turístico, inclusive, o pagamento dos pacotes”, lembra Fábio. NOTÍCIAS DA REGIÃO - A diversidade das notícias contribui para o sucesso da investida. Esta foi a lição aprendida pelo radialista potiguar Marcos Dantas (http://marcosdantas.com/), que, com 15 anos de atividade profissional na comunicação, criou em dezembro de 2005 o seu blog. “Naquela época estava surgindo os blogs na internet, e vi que seria um lance bem interessante levar a prática que adquiri na redação da emissora para um site. Comecei divulgando apenas notícias da minha cidade, e em pouco tempo as pessoas foram se acostumando a acessar o conteúdo. Cresceu a minha responsabilidade de manter o blog atualizado e, em questão de meses e no máximo um ano, eu já me via cobrindo quase todo o Estado do Rio Grande do Norte. Na medida em que eu postava conteúdos variados, as outras emissoras de rádio e outros blogs que iam surgindo passaram a repercutir as matérias do meu Blog. E isso fez com que ele conquistasse um espaço muito bom, tanto na mídia radiofônica como na web”, lembra Dantas, para quem algumas regras do bom jornalismo precisam ser observadas nos blogs, como em qualquer outro veiculo de comunicação como checar as noticias antes de divulgá-la. Apesar de ter surgido de uma necessidade de Dantas (diretor de jornalismo da Rádio Caicó, em Seridó) em se adaptar as novas tendências da comunicação, ele tenta mantê-lo sempre atualizado com notícias que sejam do interesse da comunidade e que sirvam de elo entre as pessoas e os demais segmentos da sociedade. No Blog Marcos Dantas, 80% das informações são direcionadas para o jornalismo político, mas o conteúdo é ainda bastante variado para atender o leitor fiel com uma cobertura ainda de esporte, cotidiano, policial, religioso. Uma média 40 de atualizações diárias de notícias, que geram resultado mais do que expressivo para o trabalho e para a imagem deste profissional. “Hoje eu tenho meu conteúdo jornalístico repercutido nos informativos de todas as emissoras de rádio da minha região, e em jornais com circulação regional e estadual. Fruto de um tra-

balho sério que fazemos há oito anos”, diz ele, que está satisfeito pela liberdade de gerar o conteúdo que lhe apetece, mas questiona a falta de visão do empresariado para o canal, especialmente em sua região (RN). Trabalhar as notícias no interior de qualquer estado realmente é, muitas vezes rico, em termos de informações (devido à carência de canais), porém as dificuldades de manutenção da mídia é bem maior, naturalmente. Mas, isto não apaga o comprometimento ou espanta o empenho de quem investe seus esforços nesta ferramenta. “Fazer sucesso nas mídias digitais se tornou uma tarefa fácil, é só ter criatividade e uma boa estratégia de divulgação. O difícil é conseguir credibilidade e confiança, já que muitos boatos circulam na internet como se fossem noticias oficiais. Por isso, é importante a responsabilidade na hora de checar a informação, para não cometer erros que podem colocar em risco a credibilidade do blog. Boas fontes contribuem para esse sucesso e, se o trabalho for feito com seriedade, mesmo sem ser conhecido, o profissional pode ganhar respaldo e credibilidade”, pontua Emanoel Glicério, do Diário da Sulanca (PE), que começou como uma forma de tentar aperfeiçoar o que ele aprendia na universidade. O www.diariodasulanca.com ganhou notoriedade ao expor, no início de 2008, o grupo de extermínio Thundercats em que um dos membros estava lotado no gabinete de deputado estadual na região (Toinho do Pará). E tenta sair da mesmice com estratégia específica, focando sua pauta na notícia política 100% voltada para o pólo de confecções. E, por isto, o Diário da Sulanca reflete bem a imagem do jornalismo, desenvolvido em blogs de muitas cidades de interior. Muitas vezes, eles são as únicas fontes de informação e, consequentemente, 21


Carlos Britto, jornalista e radialista em Petrolina(PE)

tem grande potencial de visibilidade. “Isso acontece pela facilidade de se criar um blog. Um jornal impresso tem um custo muito alto, rádios, mesmo se forem comunitárias, sempre acabam nas mãos de políticos, o que faz com que os blogs se tornem um meio mais fácil e democrático de levar a informação até a população”, diz Emanoel. Além de levar a notícia de forma democrática para o internauta/ leitor, os blogueiros procuram sempre fazê-los refletir sobre o contexto, apesar das opiniões contrastantes sobre a influência com a opinião própria junto ao público. Foi em função do ponto de vista do jornalista que o Blog do Carlos Britto se popularizou entre seu público. “No início eu vivia no dilema de não opinar, de dar a notícia isenta de minha opinião e as cobranças começaram e foram crescendo. O pessoal mandava e-mail ou fazia comentários esperando a minha opinião. E, então, percebi que até mesmo quem não concordava, respeitava o que eu dizia, mesmo que tivesse opinião contrária. Isso foi atiçando o debate, estimulando o contraditório e hoje, acho que mediamos um grande fórum de discussão. Mas, para chegar a isso precisei começar e ir conquistando. No primeiro mês 600 pessoas, no segundo duas mil e hoje já temos uma média de 25 mil acessos todos os dias. O Blog foi se moldando e me moldando. Acho que quem ainda não é conhecido, ou reconhecido, precisa se credibilizar, e o respeito nasce daí”, destaca o jornalista e radialista Carlos Britto, que atua no Sertão, na última cidade do estado de Pernambuco (Petrolina). O blog sobrevive de anunciantes, mas, como está na fronteira, os anúncios geralmente são originários dos governos de Pernambuco e da Bahia. Contudo, sua meta é atrair mídias nacionais (como bancos, refrigerantes, cervejas e outros produtos) para continuar independente. Mas, enfrenta 22

não só o desafio de ultrapassar a distância e os entraves como também a mentalidade do mercado local que ainda acha caro um anúncio na internet. Mesmo assim, não se deixa derrotar e vê um grande futuro pela frente. “Eu acho que essa aposta ainda é tímida aqui pra gente do interior. Convencer alguém de mídia nacional a investir num blog nos confins do interior é um desafio enorme. Mas o medidor de audiência pode ajudar. As agências precisam abrir mais os olhos para essa nova plataforma que explodiu. No interior de todas as cidades, nos sítios, já têm computadores. Nós estamos dentro dele e na vida das pessoas”, ressalta. Ter perseverança e promover permanente investimento no processo de produção da página é acima de tudo fundamental. Até mesmo porque para esses profissionais a receita do sucesso dos blogs é a mesma em qualquer ambiente, virtual ou não. “Você pode ter sucesso comercial e não ter em termos de credibilidade e até acesso. Você pode ter acesso e credibilidade e não se viabilizar comercialmente. Temos de ter consciência que estamos chegando num admirável mundo novo, como espécie de 'bandeirantes', abrindo picada na mata. Temos alegrias, tristezas, muito aprendizado. Quem se afobar cedo e desejar uma projeção estelar em tempo recorde, vai quebrar a cara”, comenta Carlos Santos, que atua há 26 anos no mercado, e hoje está a frente do www.blogcarlossantos.com.br, considerado um das primeiras páginas com características profissionais do Rio Grande do Norte. Estando entre um dos cinco ou seis mais acessados do estado e sendo o mais acessado do interior desse estado, o seu blog começou em 2006 por pura curiosidade, mas posteriormente sentiu a necessidade de dar outros saltos à proposta inicial. “Um caminho que vi como fundamental, logo no começo quando resolvi investir nesse canal de comunicação, era a necessidade de profissionalizá-lo. Fiz um planejamento plurianual, baseado numa tríade: fase do conhecimento, fase da fidelização e fase da profissionalização. Na primeira, conhecer a nova tecnologia, dominar sua linguagem e se fazer conhecido na infovia (conjunto de linhas digitais por onde trafegam os dados das redes eletrônicas). Na segunda, 'amarrar' um considerável número de webleitores como fiéis à leitura. A última é da profissionalização, com amparo comercial e sobrevivência como veículo. Essas são etapas encadeadas. Não são estanques. Ao mesmo tempo, são sempre inconclusas, pois estamos sempre tentando conhecer mais, ampliar fidelização e melhorar no aspecto da profissionalização. Meu


Eliomar de Lima, Jornal O Povo (CE)

blog foi o primeiro a ter um departamento comercial próprio, a investir em layout moderno e não os gratuitos ofertados por alguns sistemas internacionais e nacionais, além de apostar em mídia exterior e através de outros veículos, promoções, etc”, comenta Santos, que acha que, em muitos casos a vinculação de um blog com um portal, já consolidado e de boa projeção, também ajuda a alavancar a imagem. CASAMENTO PERFEITO – A parceria de uma página com um meio de comunicação convencional realmente ajuda a aumentar a audiência. E, com isto, não só o conteúdo ganha mais visibilidade, como o profissional pode conquistar boas repercussões nos campos da imagem e do financeiro, em muitos casos. “Temos patrocínios, mas não sobrevivemos só por isso. Somos de um grupo de comunicação - O Povo, que nos convidou para ser blog parceiro. Agregou nossa audiência ao portal e nos fortaleceu a imagem e a força de repercussão também. Houve uma boa troca de prestígio, já que tenho 29 anos de mercado e uma imagem bem sedimentada de público”, pontua o Jornalista e radialista Eliomar de Lima (CE), do Blog do Eliomar (http://blog.opovo.com.br/blogdoeliomar/), que teve a idéia de entrar na blogosfera na mesa de um bar com amigos. O profissional, que se inspirou em projetos como o Blog do Noblat, baseia seu trabalho no uso de três “Cs” como chama: Conteúdo, Continuidade e Credibilidade, este último focado na responsabilidade com que atua na área. Esta receita é oportuna para Eliomar que já era conhecido no segmento impresso e, na rede, conseguiu agregar um novo público, que deu maior dimensão à carreia. “Para mim, ser um blogueiro de sucesso no mundo das notícias é investir no conteúdo. Meu caso é jornalismo com prioridade para temas políticos e alguns da atualidade, do cotidiano. Faço uma miscelânea com fatos locais e nacionais, sempre procurando levar o meu leitor a um cenário geral do País, sem precisar se esquecer de sua taba. Manter a atualização sempre e investir em novidades também como vídeos ou assuntos que possam gerar polêmica ou mais audiência. Aliás, audiência só se conquista com um bom conteúdo que gere credibilidade. É necessário ter foco, persistência e responsabilidade no que escrever sempre”, ressalta. Se para o blogueiro este casamento é interessante, para o veículo é também bastante vantajoso, pois dá uma refrescada na sua comunicação com o público. E neste caso os blogueiros se integram a rede como mais um diferencial da informação do grupo. “Tratamos nossos blogueiros por igual. Nossa rede é plural; cada um atinge um público específico. Entretanto, podemos destacar um blog que ganhou ao longo

dos anos bastante destaque: Blog do Eliomar. O jornalista é considerado no meio um nome de grande valor para web. Ele já trabalha em O Povo há 25 anos”, destaca Michel Victor Queiroz, editor do portal O Povo Online (CE), que lembra que começaram a investir nestes canais em 2006, com o lançamento de blogs coletivos das editorias (Gol, Política e Buchico), com os próprios repórteres. Hoje, contam com blogs próprios e parceiros, que ganham a marca O Povo em que está embutida a credibilidade, a tradição, tecnologia e a visibilidade que este grande meio de comunicação possui. E o Grupo, em contrapartida, ganha uma comunicação mais direcionada e a possibilidade de criação ampla de nichos que, pelos espaços tradicionais são tratados de forma curta, como: de entretenimento, moda, saúde, esportes, esmaltes e casamento. “O mercado, principalmente nos últimos dois anos, acompanha bem o desenvolvimento das 'novas' tecnologias e investe cada vez mais no segmento. Estamos em processo de mudança de pensamento e cultura, as empresas já entenderam que os blogs deixaram de ser um diário de adolescente há tempos e que o público de um blog pode ser melhor direcionado do que veículos com um público mais plural. Por exemplo: para uma empresa de cosmético é bem interessante anunciar ou patrocinar um blog que fale sobre esmaltes - o público será mais direcionado”, diz Queiroz, que acredita que o processo de qualificação dessas redes se dará naturalmente - a medida que entrar investimentos pelas empresas, público e mercado. “Para nós, o processo comercial é simples. Caso haja venda, os valores são repartidos para ambas as partes. Porém, ainda não destacamos o investimento comercial da área. Nossa atenção inicial é focar na qualidade de conteúdo, navegação e layout da ferramenta”, frisa. 23


A VEZ DO CLIENTE

A TRADIÇÃO E A DEDICAÇÃO TOTAL DA CASAS BAHIA Ivelise Buarque |

Grupo lança nova loja-conceito no RioMar Shopping, em Pernambuco, reforçando seu projeto de expansão no Nordeste entrada em Pernambuco, a Casas Bahia atinge a marca de 44 Quando chegou em 1952 ao Brasil, o empreendedor filiais no Nordeste. A expectativa é chegar a 100 lojas no Norpolonês Samuel Klein idealizava uma nova vida no país, mas deste nos próximos dois anos. 70% da expansão prevista da trouxe na bagagem um sonho que se tornou um grande grupo rede se dará para o Nordeste. Em que hoje integra 559 lojas em 15 Pernambuco, até o primeiro semesestados com o aporte de aproximatre de 2013, a rede prevê inaugurar damente 57 mil colaboradores. pelo menos mais duas unidades no Assim é a Casa Bahia, um negócio Recite (Rua do Hospício e Imbiribeifundado em 1957 com a primeira ra)”, diz Roberto Fulcherberguer, loja em São Caetano do Sul, em São vice-presidente comercial da ViavaPaulo. De lá para cá muita coisa rejo (considerada a 9ª maior empremudou, mas os princípios da rede sa de eletroeletrônicos do mundo). continuam e se expandem no país A Viavarejo é uma holding com a recente inauguração da prique abriga as marcas Casas Bahia, meira unidade em Pernambuco, no Pontofrio e a Nova Pontocom (emcharmoso e recém construído Riopresa de ecommerce) e tem como Mar Shopping. Este mais novo guidance para 2012 R$ 25,7 bilhões. empreendimento recebeu investiE para este negócio que avança na mentos de R$ 2,2 milhões para região mantém grandes planos, pauimplantação do projeto com layout tados hoje na ideia de que a compra diferenciado, em 1.674m 2 , num Samuel Klein, fundou em 1957, a Casa Bahia é a realização de um sonho para os consumidores, para o qual formato conceito, que evidenciam os lançamentos do mercao produto se torna um trofeu, trazendo orgulho e auto estima do e as novidades do universo tecnológico, com os produtos e, muitas vezes, significando uma mudança de vida para o cliacessíveis para experimentação dos consumidores. “Com a Com a entrada em Pernambuco, a Casas Bahia atinge a marca de 44 filiais no Nordeste

24


ente. “De uns anos para cá, o aumento do poder de consumo das classes populares, mais notadamente da classe C, vêm atraindo a atenção de todos. Há dados que confirmam um crescimento de mais de 40 milhões de consumidores na classe C em oito anos, ou seja, em 2003 tínhamos 65 milhões de pessoas pertencentes a classe C. A projeção para 2014, é que mais 12,6 milhões de pessoas passem a fazer parte desta fatia da população. No entanto, há 60 anos a Casas Bahia está a serviço da base da pirâmide social brasileira. A rede conhece profundamente os hábitos, valores e necessidades das classes populares e vem acompanhando e contribuindo para a ascensão social e econômica desses brasileiros”, destaca Fulcherberguer. Para tanto, a Casas Bahia trabalha com um padrão de atendimento e acesso facilitado ao crédito, com condições especiais de pagamento (todas as bandeiras de cartão de crédito, dinheiro, cheque ou parcelamento no carnê), que marcam a trajetória da marca em seus quase 60 anos de atuação. Esta facilidade para a clientela foi um dos motivadores do sucesso no empreendimento do octogenário Samuel Klein, que, na década de 60, transformou o seu sonho de prosperar em um país onde se podia viver em paz, num negócio. Considerada uma das 20 marcas mais valiosas da América Latina, segundo pesquisa da Brand Finance, no ranking de 2012. “O foco de atuação da marca Casas Bahia está nos públicos C, D E, e tem como premissa ser a loja que realiza os sonhos da grande massa de brasileiros, através do acesso facilitado. A expansão da rede esta focada em regiões como o Nordeste do país, que, hoje, apresenta um índice de crescimento acima da média nacional”, comenta o vice-presidente comercial da Viavarejo. NOVO CENÁRIO - Atenda às mudanças e desejos do seu público, a Casas Bahia aposta no potencial da Classe C, que hoje apresenta maior poder econômica, acesso à educação e inclusão digital (cerca de 67,9 milhões de pessoas), segundo indicadores como o PNAD - 2009 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios). E foi este fator que motivou, entre outras coisas, a criação de uma fábrica própria de móveis, a Bartira, que é a maior fábrica do Brasil em seu segmento de atuação. Com mais de 100 mil m² de área construída, instalada em Santo André, no ABC paulista, esta marca fabrica cerca de quatro milhões de itens por ano: mais de 100 mil dormitórios; 180 mil módulos de cozinha; 30 mil estantes e racks por mês. “Em nossa fábrica, incrementamos a qualidade e o design dos móveis, seguindo tendências mundiais. Nossos profissionais hoje vão às feiras internacionais em busca de tendências. Além disso, empregamos tecnologia italiana de última geração com rigorosos critérios de qualidade. Vendemos cozinhas moduladas, semelhantes às planejadas comercializadas pelas lojas

especializadas. Temos camas box, o que representa um paradigma bem diferente de anos atrás quando o cliente entrava em nossas lojas e queria apenas um colchão de espuma. O design dos produtos tem acompanhado o que de mais moderno há no mercado, principalmente em matéria prima e acabamento”, ressalta Roberto. As instalações do Centro de Tecnologia da empresa, localizado no complexo da matriz, em São Caetano do Sul, têm classificação de disponibilidade nível 3, de acordo com o IBM Real Estate Engineering Group, ou classificação Tier III pelos critérios do Uptime Institute, que significa garantir operação 24 horas/dia, em sete dias da semana e 365 dias no ano, ou seja, disponibilidade de 99,99% ao processamento de dados da rede. Toda a gestão da empresa é feita em tempo real por meio de um programa desenvolvido especialmente para monitoramento de vendas, faturamento, produtos, reposições de mercadorias, controle de entregas, entre outras atividades. “Para atingir as metas, a empresa investe em planejamento estratégico e em sua gente (treinamento das equipes). Na área de marketing, realizamos pesquisas contínuas, inovamos nos formatos, para atrair a atenção do público que se pretende atingir e criamos propagandas que geram identificação com nossos clientes”, diz Fulcherberguer. Com isto, a Casas Bahia não só motiva constantemente seu corpo de colaboradores (57 mil pessoas), como mantém uma ampla logística formada por 22 centros próprios de distribuição, capaz de atender o número de 1,3 milhão de entregas, inclusive, em meses de pico, como dezembro. E assim é constantemente citada em pesquisas de recall dos brasileiros, em virtude do seu trabalho estratégico de comunicação que abrange, por dia, cerca 54.1 milhões de domicílios com TV, anunciando em sete emissoras de TV aberta e, também, em 11 canais por assinatura. Seu plano de mídia ainda integra outras 548 emissoras de rádio, 116 jornais e diversas modalidades de mídia out-ofhome: outdoor, mobiliário urbano, busdoor, taxidoor, propaganda aérea, TV Minuto (Metrô), Painel Metro, Painel Trem, TV em ônibus. “Nosso planejamento é trabalhado anualmente alinhado às estratégias e objetivos definidos pelo negócio. A cada trimestre revisamos os meses seguintes para avaliar novas oportunidades ou ajustes que se façam necessário. E o trabalho de comunicação é realizado pela agência de comunicação Y&R, que está conosco há 10 anos. Ele é realizado em conjunto com o marketing, o departamento comercial e a agência, garantindo assim, mais eficiência nos resultados. Trabalhamos focados em levar a melhor oportunidade aos nossos consumidores. Em cada diferente canal, seja ele de ativação ou de comunicação procuramos adaptar a linguagem ao modelo, buscando com isso, maior eficiência em nossas ações”, enfatiza Roberto Fulcherberguer. 25


DE OLHO NA CAMPANHA

CAMPANHA VOU DE BREMEN Bem humorada e criativa, a campanha criada pela Marta Lima Comunicação (PE) para as concessionárias Bremen mostra como as pessoas se sentem ao dirigir um Volkswagen. São caras e bocas e muita cor que acompanham o conceito “Vou de Bremen. Vou de Volkswagen”, que se desdobrará também para a comunicação de varejo da marca. A campanha inclui filme institucional, anúncios, sinalização e jingle

ANIMAÇÃO PEGAPOP A JWT criou animação para o lançamento do picolé PEGAPOP deskasca, que foi anunciado em novembro pela Sorvetes Garoto. O vídeo, com produção da Vetor Zero/Lobo e direção de Nando Cohen e Gabriel Nóbrega, mostra o macaco Luka, que é apaixonado por sorvete. Além do filme, que reproduzido em TV aberta, a campanha também é composta por painéis espalhados pelo Sambódromo do Rio de Janeiro e anúncios em revistas que circulam durante o carnaval. O esforço de comunicação também inclui um site (www.pegapopgaroto.com.br) que em breve abrigará um game que poderá ser compartilhado no Facebook e estará disponível para Android e IOS. Ambos foram desenvolvidos pela Agência CASA com gerenciamento de projetos da Mutato – do Grupo JWT. O PEGAPOP deskasca é o único picolé que descasca do mercado brasileiro. Tem sabor de baunilha e é envolto em sorvete comestível sabor banana, que remete a uma “casca”, semelhante a uma gelatina consistente, que pode ser descascada como se fosse a fruta de verdade. 26


Marcus Quintanilha Filho | quintaba@hotmail.com

BABEL DE MERCADO

27


rigirmos essa “Babel de mercado” e alinhar os entendimentos, a definição mais fiel para a assessoria de imprensa seria a utilização de ferramentas de comunicação com o objetivo de gestão da imagem e relacionamento entre pessoas físicas ou jurídicas com a imprensa. Outra discordância, principalmente entre o mercado publicitário e as organizações é o significado de “merchandising”. Para o marketing, é o conjunto de técnicas responsáveis pela informação e apresentação dos produtos no ponto de venda (PDV), com o objetivo de aumentar as vendas. Sua origem data da década de 1930, nos EUA, quando as lojas com balcão começaram a valorizar as vitrines e perceber aumento na demanda pelos seus produtos. No entanto, para o mercado de comunicação, esse termo é utilizado para a prática de

inclusão sutil de produtos, serviços ou marcas em conteúdos audiovisuais. Na verdade, o termo correto para essa ação seria “merchandising editorial” ou “Tie in”. O Brasil, como um dos cinco mercados publicitários do mundo, deve também refletir nosso talento na vanguarda do conhecimento técnico. Não podemos falar em “línguas” diferentes dentro do mesmo país e ainda mais, discordando e distorcendo conceitos copiados aleatoriamente. E assim como nossa qualidade criativa e comercial, devemos buscar a excelência no conhecimento nas áreas de comunicação, marketing ou P&P. Dessa forma, clientes, agências e veículos estarão preparados para desenvolver campanhas valiosas e conhecimento novo a partir de uma linguagem unificada.


NA WEB WWW.HYPENESS.COM.BR Com 700 mil visitas mensais, o Hypeness é um site criado por jovens criativos e empreendedores que traz novidades sobre os mais variados temas, divididos em nove categorias disponíveis na interface do site: arte, casa, estilo, design, inovação, negócios, entretenimento, publicidade e sustentabilidade. A proposta editorial prima pela absorção de conteúdo rápida e simplificada, com textos curtos, imagens grandes e um grande repertório de vídeos. Uma ótima opção para quem quer se manter por dentro das tendências sem perder muito tempo

WWW.GROOVESHARK.COM Pra quem gosta de ouvir música no computador, o site é uma ótima opção, contando com um dos mais completos bancos de música da internet. As canções são categorizadas por estilo, autor e álbum, oferecendo ao usuário também indicações de novos artistas baseadas no seu gosto musical. Além disso, a ferramenta pode ser utilizada como uma rede social, na qual os internautas podem criar e compartilhar listas de reprodução, bem como seguir outros ouvintes para acompanhar suas atualizações musicais. O site conta com uma interface simples e acessível mesmo aos mais desacostumados com as mídias digitais, e um certeiro sistema de buscas.


FICHA TÉCNICA ANJO BOM DA BAHIA A Leiaute, em parceria com a RX 30 e UN Comunicação Digital, criou para a OSID – Obras Sociais Irmã Dulce – a campanha “Seja também um anjo bom da Bahia”, a fim de arrecadar recursos para a ampliação do Hospital Santo Antônio (construção das unidades de hemodiálise e banco de sangue). O Hospital Santo Antônio, que faz parte das Obras Sociais, destaca-se entre os hospitais mais bem equipados da Bahia, porém necessita dessa ampliação. Para incentivar e estimular as doações, a ação convida a população a se tornar também um anjo bom da Bahia – como Irmã Dulce é conhecida. As peças incluem filme e spot de 30”, anúncio de jornal, outdoor, busdoor, superbanner e mídias sociais. Agência: Leiaute (BA) Cliente: OSID – Obras Sociais Irmã Dulce Atendimento: Marcelo Carneiro Direção de Criação: Rogério Chetto Criação: Bernardo Badaró, Patrícia Almeida e Roberto Lemos Produção RTVCW: Marcelo Costa, Lara Lima e Renata Scavuzzi Mídia: Cláudio Freitas e Márcia Guimarães Aprovação: Mariana Pimentel CAMPANHA EDUCATIVA A Link Comunicação & Propaganda assina a nova campanha de prevenção de acidentes do Ministério dos Transportes (MT). O objetivo é sensibilizar e conscientizar a população para o respeito às regras e à sinalização, evitando comportamentos irresponsáveis como excesso de velocidade e ultrapassagens perigosas. A principal peça da é um filme que mostra, de forma impactante, as tragédias decorrentes das atitudes irresponsáveis ao volante, principalmente excesso de velocidade e imprudência nas ultrapassagens. A mensagem tem um forte apelo emocional: trabalha com a culpa de quem provoca o acidente. Além de filmes de 30 e 60 segundos, a ação terá banners, spot e mídia exterior – TVs em metrôs, ônibus, rodoviárias, aeroportos, elevadores, shoppings. Agência: Link Comunicação & Propaganda (BA) Cliente: Ministério dos Transportes Atendimento: Frederico Melo e Marcus Soares Diretor de Criação: Antonio Meireles Redator: Cássio Antunes Diretor de Arte: Sílvio Rodrigues Produção: Telma Rocha Mídia: Humberto Montemurro e Georgiana Xavier Aprovação: Laura Couto Almeida e Sheila Santos Portal BLOCO DA BRILUX O carnaval chegou e a Brilux coloca seu bloco na rua. Com o conceito "Nosso Bloco é Campeão", a marca está presente na maior festa popular do Brasil com campanha desenvolvida pelo Gruponove. A iniciativa conta com os principais produtos da família Brilux. Nos filmes, com imagens inteiramente produzidas em 3D, as embalagens se transformam em fantasias, em divertidas situações carnavalescas. A ação conta com filmes, vinhetas, jingle, material de mídia exterior e PDV. As peças estão sendo veiculadas em Recife e Salvador. Cliente: Gurponove (PE) Cliente Brilux Planejamento: Eduardo Breckenfeld, Marília Lacerda Atendimento: Fernanda Navarro, Giovanni Di Carlli Criação: Aliwton Carvalho, Eduardo Fialho Direção de Criação: Aliwton Carvalho, Gustavo Rêgo Mídia: Naciara Figueirêdo Aprovação: Rejane Paranhos, Romero Longman 30


PARA MORAR, CURTIR OU INVESTIR A Casa Comunicação é a agência responsável pela campanha de lançamento do empreendimento Muro Alto Condomínio Clube da construtora L.Priori. Com o conceito "para morar, curtir ou investir", a agência criou três filmes com a participação do ator Marcelo Serrado, mostrando de forma criativa todos os diferenciais e features do produto. Além de TV, a campanha está sendo veiculada nos principais jornais de Pernambuco, outdoor, rádio, internet e nos stands de venda (Muro Alto e Boa Viagem). Agência: Casa Comunicação (PE) Cliente: Priori Empreendimentos Atendimento: Luciana Rocha, Letícia Rezende e Sofia Lima Criação: Álvaro Guimarães, Luis Moura, Airton Santos Planejamento: Ricardo Rique Produção: Rafaella Santaguida Mídia: Rui Brito Aprovação: Carlos Eduardo Priori filho

UMA NOVA MARCA Com 20 anos de mercado e lojas na Bahia, Paraíba e Pernambuco, a Fiori sempre evoluiu com o objetivo de oferecer um excelente atendimento. E agora sua nova marca traduz este posicionamento. Para comunicar a mudança, a Marta Lima Comunicação (PE) desenvolveu peças que destacam a marca e que trazem também os tradicionais mascotes das campanhas da Fiori, os cabeçudos. Agência: Marta Lima Comunicação (PE) Cliente: Fiori Atendimento: Marcela Andrade e Tati Asfora Direção de criação: Daniela Krause Direção de arte: Barbara Carneiro Redação: Nanda Areias Produção: Jamahe Lima Mídia: Marcela Alves

DOAÇÃO DE SANGUE PARA O CARNAVAL O Hemope inicia a divulgação de campanha para doação de sangue para o Carnaval, com objetivo de estimular a população a doar sangue e ampliar o nível de estoque durante as festas de Momo. A Dois Comunicação foi responsável pela criação do conceito. Além da Dois Comunicação também colaboram com a divulgação e elaboração das peças gráficas, além de VTs e spots, as seguintes empresas: TV Globo, RTV Produções, Escritório de Jornalismo Consultoria de Comunicação, Buzzina, Rota Mídia Exterior, MXM Gráfica, Dialgraf, Diarios Associados, Folha de Pernambuco e as rádios Maranata, 102 FM, Recife e Nova Brasil. As peças incluem filme veiculado na TV Globo, spot de 30”, outbus, anúncios para jornal, cartazes, panfletos e faixas. Agência: Dois comunicação (PE) Cliente: Hemope Atendimento: Mara França Direção de Criação: Filipe Cavalcanti Direção de Arte: Rian Lins Redação: Gilvan Barbosa Mídia: Mirella Silva Produção Gráfica: Yuri Laurentino Aprovação: Seabra Neto 31


BONS MOTIVOS PARA SE LER Ivelise Buarque |

Estratégias de marketing contribuem para mudanças no mercado editorial “Chegando em casa, não comecei a ler. Fingia que não o tinha, só para depois ter o susto de o ter. Horas depois abri-o, li algumas linhas maravilhosas, fechei-o de novo, fui passear pela casa, adiei ainda mais indo comer pão com manteiga, fingi que não sabia onde guardara o livro, achava-o, abria-o por alguns instantes. Criava as mais falsas dificuldades para aquela coisa clandestina que era a felicidade”. Neste trecho da obra Felicidade Clandestina da escritora brasileira de origem judia, nascida na Ucrânia, Clarice Lispector (1920 - 1977), descrevia sua ardorosa paixão pela literatura. Um amor que, apesar das previsões pessimistas dos últimos anos, em virtude das novas tecnologias, ainda não morreu. Hoje, o mercado editorial caminha de mãos dadas com o marketing e, desta forma, as publicações impressas ganham o posicionamento de um produto com uma atenção especial que vai além de colocar anúncios em jornais, ou colocar cartazes em livrarias, como no passado. Atualmente, as editoras trabalham um posicionamento estratégico para destacar seu catálogo de publicações. E os resultados estão se mostrando. Pesquisa recente (o Pyxis Consumo) do Ibope Inteligência pontuou que os brasileiros vão fechar os gastos em livros e publicações impressas numa margem de R$ 8,23 bilhões, o que representa um incremento de 14,5% em relação ano passado. “As editoras fazem forte ação nas mídias sociais. Buscam fazer forte ação de promoção em livrarias, mas também investem cada vez mais em venda direta, via internet. Uma campanha de marketing bem feita ajuda a editora ter mais espaços nas livrarias e pontos de vendas. Autores renomados são bastante divulgados renovando seus contratos com as editoras, diferenciando e posicionando a obra”, destaca Juliana Oliveira, gerente da Trevisan Editora. Todas essas estratégias diferenciadas estão dando um verdadeiro gás ao mercado, que antes estava fadado ao esmorecimento. Reflexos disto são o crescimento de livrarias e a ampliação de pontos de vendas alternativas de publicações (como supermercados, delicatessens, e lojas de conveniências). O que mostra que este mercado ainda tem realmente muito potencial, especialmente entre o público da Classe B que 32

corresponde a mais de 24% dos domicílios brasileiros e que responderá ainda por cerca 52% dos gastos com livros. Desta forma, todos aos investimentos são bens vindos e conquistam o consumidor e o escritor. “O que agrada o autor não é simplesmente se a editora irá colocar um anúncio de seu livro em revistas ou jornais, é o posicionamento editorial da obra bem forte no mercado. Apesar de marketing dos livros sempre ter existido, o que esta mudando é a profissionalização. Não é só publicar um livro. Essas estratégias vêm fazendo parte das negociações entre autores e editoras. Às vezes é o próprio autor que pede isso antes, ao negociar sua obra. Ele recebe várias propostas e avalia as diferentes estratégias de lançamento, mas não existe uma regra. O que precisa prevalecer é que o editor deve adorar o livro que está contratando e a editora inteira tem que se empenhar naquela obra. Os departamentos de vendas e o comercial também precisam acreditar. É aí que o livro tem chance de conquistar leitores”, ressalta Oliveira. Naturalmente, cada editora tem um planejamento específico adequado aos seus investimentos e metas de vendas. Naturalmente, estas estratégias dependem muito do segmento e do porte das editoras, assim como os seus prazos de desenvolvimento variam de acordo com o tipo e grau de complexidade de cada uma das ações. “No caso da Trevisan, são utilizadas estratégias de marketing para produtos impressos e digitais, como a 'compra de espaços' em livrarias e de 'banners' em sites. A editora está investindo no layout de seus títulos: capas atrativas, bem chamativas e com cores impactantes”, diz Juliana, que vê nas redes sociais uma grande oportunidade das editoras se aproximarem com o seu público-alvo, permitindo uma conversa mais direta e com feedback em tempo real. Muito diversificados, os investimentos das editoras dependem atualmente do segmento, num processo de trabalho focado a cada categoria específica, por exemplo. O que proporciona resultados cada vez melhores. “Norteadas pela segmentação de portfólio, as categorias de publicação seguem os apelos dos diversos nichos, respeitando suas especificidades e padrões característicos. Tal estratégia respeita, ainda, os apelos relativos a cada público. Quanto mais seg-


Ricardo Almeida, Clube de Autores

mentadas e focadas as estratégias, melhores são os resultados. O nível de eficiência está diretamente ligado à adequação da linguagem e mensagem destinada a cada um dos públicos abordados”, pontua Clécio Oliveira, gerente de marketing, P&D, da Editora FTD. Neste caso, as estratégias segmentadas são mais eficientes sejam em campanhas simples ou em projetos complexos que envolvem vários canais e convergência midiática. “A FTD promove ações de relacionamento com seus diversos públicos por meio dos inúmeros canais disponíveis no mercado. Estes vão desde os meios mais tradicionais, passando pelas novas tecnologias e meios digitais e inclui, ainda, a superfície de contato com o mercado por meio da prestação de serviços. O que se configura um sistema de parceria B2B, promovendo o sucesso de nossos clientes intermediários, as escolas (redes privada e pública), passando pelos educadores, alunado e respectivas famílias. Sem contar com os diversos distribuidores em vários níveis e formas de interação com a Editora”, destaca Clécio, que também reforça que as mídias sociais se tornaram ferramentas importantes para o mercado atual. NOVO CENÁRIO - “Hoje, a Vida e Consciência promove lançamentos, sessões de autógrafos, promoções em datas comemorativas, feiras, eventos, concursos culturais e campanhas promocionais focadas nos segmentos e canais de distribuição em que atuamos. E o desenvolvimento dos projetos depende do tipo e grau de complexidade da ação. No caso dos lançamentos, o prazo de planejamento é maior por necessitar de uma estratégia mais elaborada para a divulgação do material junto aos distribuidores e consumidores. Quanto às ações de catálogo, são criadas campanhas específicas com cada canal de venda”, comenta Danusa Schwartz, gerente de marketing e produto da editora que atua muito com publicações das categorias romances e crônicas espiritualistas, fatos e estudos, desenvolvimento pessoal, metafísica moderna, infantil e infanto-juvenil. “A editora também atua nas redes sociais Twitter e Facebook, que a cada mês ganham novos seguidores, além de manter um relacionamento com blogs, fornecendo informações e livros para promoção. No Facebook, temos 7.463 seguidores e nos perfis do Twitter possuímos 40.000 seguidores no @zibiagasparetto e 6.745 seguidores no @vidaconsciencia”, ressalta.

Este novo investimento das editoras nas mídias sociais traz novos horizontes ao trabalho estratégico, contribuindo para uma divulgação mais rápida das novidades, promoções, lançamentos e troca de informações, além de ajudar a formar um consumidor mais crítico e em busca de produtos com maior qualidade de conteúdo. E, desta forma, Twitter, Facebook e engines como Google e Youtube são, em teoria, ferramentas importantes neste mercado, atualmente. “As redes sociais são usadas com muita parcimônia, dado o nível de responsabilidade atrelado ao negócio (Educação)”, opina Clécio. E, realmente, a aplicação delas como estratégia segue neste universo uma postura própria e adequada para estabelecer esta nova interação com o leitor integrado às redes, inclusive na construção de um relacionamento dele com o autor. “As mídias sociais são ferramentas fundamentais mesmo porque permitem uma aproximação independentemente do local físico em que os autores se encontram. Via Facebook, conseguimos fazer palestras online, transmitir eventos e nos engajar com cada um dos autores; via Twitter, conseguimos passar as principais informações relacionadas a tudo o que impacta o mercado editorial; via blog, nos aprofundamos em temas relevantes para escritores; via SlideShare, subimos os arquivos das palestras; e assim por diante. Sem redes sociais, o próprio relacionamento ficaria prejudicado principalmente por estarmos vivendo hoje em uma era de relacionamento personalizado em escala”, diz Ricardo Almeida, diretor-presidente do Clube de Autores, uma empresa de autopublicação, que é líder em publicação gratuita e impres33


são sob demanda de livros produzidos por autores independentes. Primeiro site brasileiro que possibilita ao escritor publicar sua obra sem tiragem mínima - sob demanda - e sem nenhum tipo de custo, a proposta congrega mais de 12 mil autores e acervo com cerca de 16 mil títulos e 160 mil exemplares vendidos. “Quanto mais engajado fica o autor com o processo de divulgação, mais resultados de vendas ele tem - e mais experiente fica em todo o ciclo de produção editorial, algo importantíssimo para qualquer escritor”, comenta Almeida, que frisa que hoje cada vez mais pessoas estão lendo e escrevendo. “Autores precisam aprender a lidar com um mercado em que eles são, invariavelmente, os seus próprios empresários. Isso requer um conhecimento que editoras já acumularam em anos. O compartilhamento desse conhecimento é fundamental para que todo o mercado consiga crescer de forma harmônica e, ao mesmo tempo, intensa”, destaca. Hoje, o conhecimento que as editoras vêm agregando já dá um norte quanto ao futuro deste mercado no país. E assim como observamos em todos os segmentos, a perspectiva é digital, uma vez que as novas tecnologias estão abrindo

novos horizontes e possibilitado uma nova integração para o público. “Acredito que as editoras serão cada vez mais produtoras de conteúdo, disponibilizando ao mercado na forma de e-books e do tradicional livro impresso. Mais do que nunca é muito importante a missão das editoras como o grande polo do mercado editorial, descobrindo novos autores e permitindo que a produção intelectual, científica, didática e literária do país chegue à sociedade de maneira organizadas, profissional sob a tutela das leis e com todo o respeito dos direitos autorais”, coloca Juliana Oliveira. E este novo mundo da leitura promete ser bastante promissor, inclusive por estarmos entrando numa era em que as gerações terão mais integração com o meio digital do que com o tradicional impresso. “O mercado editorial deverá ter um futuro promissor, principalmente pelo crescimento das vendas dos livros digitais. Por isto, queremos estar alinhados com a modernidade e com os comportamentos atuais, sendo que nossas estratégias contemplam investir em empreendimentos que nos ajustem às mudanças de mercado e, mais notadamente, às expectativas de nossos leitores”, frisa Danusa Schwartz.

Especializado em Direito da Comunicação, com ênfase no Direito de Imagem, Direito Autoral, Direito Trabalhista, Administração de Passivo e Recuperação de Créditos Rua Francisco Alves, 105 Sl 101, Ilha do Leite, Recife-PE. Fone: (81) 30387310


Detalhe da obra ‘Eu vi Estelita’ com fotografia de Priscila Buhr

com seus respectivos título, autor e descrição (por vezes, Formado por quatro jovens curadores, o coletivo inclusive, não resta saída que não seja a intuitiva – este repórcuratorial UNA lança agora a segunda edição da revista homôter participou da brincadeira). nima e bienal que reúne 31 obras – ilustrações, tatuagens, Ainda de acordo com Sebba, a UNA não procura design, fotografias, performances e instalações – dos mais priorizar exclusivamente jovens artistas e / ou artistas locais, variados países; a UNA Azul. A UNA Azul é a sucessora da assim como não leva tanto em conta outros fatores externos, UNA Vermelha, edição de estreia lançada em 2010, e con- como contemplar certo número de países participantes, por templou trabalhos de artistas do Brasil, Cabo Verde, Portugal, exemplo. Para o designer, o que a curadoria essencialmente Espanha e Euskal Herria (País Basco). procura, é o ineditismo dentre as proSegundo Sebba Cavalcante, curador e projetista postas enviadas. “Buscamos revelar gráfico da revista, a divulgação aconnovas possibilidades e caminhos estétece tanto pelo site, que tem partes ticos, bem como mensagens que nos traduzidas para o espanhol, e em sejam caras. Já resgatamos obras parte pelas próprias redes de contato esquecidas por alguns artistas consapessoais dos organizadores. “É um grados, caminhos criativos que foram trabalho difícil e de continuidade, que relegados por não renderem séries também parte de pesquisas, atrás do merecedoras das paredes de galerias. que é interessante para cada um. Se Trabalhos que foram pouco divulgados manteve uma média de 200 a 250 ou utilizados em outros meios, fora do trabalhos inscritos ao todo, entre as universo artístico, também nos inteduas edições”. A proposta editorial da UNA ressam”, esclareceu. A edição, que teve seu lançaé bem curiosa: não possui anúncios de mento recentemente no bar Central, qualquer gênero, as páginas não têm em Recife, segue disponível para a número e as informações das obras só venda nas livrarias Cultura e Saraiva, aparecem ao final da revista. Sendo pelo valor de R$35. O mesmo vale assim, a revista pode causar estranhapara a publicação anterior, a UNA mento ao leitor desacostumado ao Vermelha. Se a revista seguirá sendo fazê-lo ter um primeiro contato com A revista UNA bienal e quais seus planos futuros, cona obra despido de quaisquer direciocontemplou trabalhos de artistas do Brasil, tudo, já são detalhes que o grupo opta namentos, como é de praxe. A intenCabo Verde, Portugal, Espanha e ção por trás desse conceito, no Euskal Herria (País Basco) por manter sigilosos. “Já isto, se falar perde a graça”, brincou Sebba. entanto, vai por um caminho diametralmente oposto a um minimalismo, garante Sebba, ao contrário do que poderia se presumir antecipadamente. “Queremos é valorizar cada obra isoladamente, e ao mesmo tempo apresentar o conjunto, a massa de imagens no objeto impresso. Valorizar este objeto em si também. Fazê-lo objeto de deleite, de desejo, de inquietação. Neste sentido, não haver interferência nas obras como números de páginas, é fundamental”. Nesta edição, em particular, o sumário tradicional foi substituído por outro no qual o público é convidado para interagir ativamente: são dadas figurinhas das obras à parte, as quais o leitor é incumbido da tarefa de relacioná-las

Já resgatamos obras esquecidas por alguns artistas consagrados, caminhos criativos que foram relegados por não renderem séries merecedoras das paredes de galerias. 35

Matheus Torreão |

TUDO AZUL NA NOVA EDIÇÃO DA UNA


Amândio Cardoso | amandio@agenciacirco.com.br

UM RINGUE PARA A CRIATIVIDADE No final do mês de outubro um jornal daqui do Recife publicou um caderno especial para homenagear a inauguração de um grande shopping. Nada mais justo. No mesmo dia, um midiático publicitário escreveu, em sua rede social, dando os parabéns pela iniciativa, enaltecendo a quantidade de anúncios publicados, porém ressaltou a baixa qualidade da criatividade e relevância dos anúncios homenageando a abertura do shopping. Concordo com ele. E o que fazer para reverter isso? Fico pensando que o cuidado com a boa propaganda é um bem que nós publicitários temos que preservar. Lembrei-me de uma conversa que tive, em São Paulo, no ano 2000, com um famoso publicitário local, hoje, diretor de criação numa multinacional em Londres. Dizia ele: “Amândio, meu caro, será que os clientes e anunciantes do Recife e do Nordeste, como um todo, precisam de criatividade? Provavelmente não.” A falta de competitividade é a nossa grande inimiga. Para que uma marca necessite fazer uma publicidade relevante é preciso mais disputa de mercado. Vejo grandes varejistas, marcas de grande consumo, sem dar a mínima para a criatividade. Será que essas empresas acreditam que fazer propaganda é apenas comprar espaço e estar na mídia? Um caminho para se entender isso, pode ser o de que vivemos num mercado em desenvolvimento (econômico e social), onde a maioria 36

da população é composta por analfabetos, semi analfabetos ou que vivem na marginalidade do consumo. E assim, esses empresários devem pensar: onde há lugar para a boa propaganda, o bom design de produto, etc? Para quê? Quem vai ser o consumidor da ideia publicitária? Concluem com isso que uma peça publicitária não precisa ser “nenhuma Brastemp“ para divulgar o seu serviço ou produto. O fator econômico e social é fundamental para se “produzir” e formar um grande mercado publicitário. Mas nada disso deve ser uma desculpa para não fazer propaganda, ou fazer mau uso dela. O que sobra em nosso mercado é um grande engessamento por parte das empresas. Imagine você um produto de grande consumo, num mercado onde há, de fato, concorrência, fazendo uma publicidade insossa. O que aconteceria? Ou o cliente mudaria imediatamente de agência ou os consumidores mudariam de produto. Não haveria outra hipótese. Nós publicitários não deveríamos ser pautados por grandes verbas, vestidas de pequenas pretensões. Acredito que a disputa de mercado faz com que a nossa atividade seja mais respeitada e procurada. As boas ideias necessitam de um ringue para brigar pela tão cobiçada percepção do consumidor. Sem um ringue para lutar não há conquista. Sem conquista não há mudanças. Sem mudanças não há criatividade.


CLICK

Pelo vão, já vão centenas de anos Pelo vão, já vão centenas de vidas em várias contendas Pelo vão, já foram portugueses, holandeses, africanos e indígenas Pelo vão, foi a história Pelo vão, hoje vai o turista pela beleza Pelo vão, vai o orgulho de nossa história E assim a moldura de pedra conta a história Para quem souber ouvir, para quem quiser ouvir O tempo e o vento adentram o forte e visita a maravilhosa vista do Forte de Orange

Forte Orange | Itamaracá | PE | Brasil

Câmera: Nikon D60 Abertura: f/13 Velocidade: 1/250s ISO: 200 Distância Focal: 26mm

Marcus Vinicius Serafim Sousa | mvss@mviniciussousa.adv.br

MOLDURA DE PEDRA


EU RECOMENDO GIFTING: COMO OFERECER BRINDES, ENCANTAR CLIENTES E FAZER BONS NEGÓCIOS, Marina Pechlivanis, Auli de Vitto, Cláudio Mello e João de Simoni, 200 páginas, Campus Elsevier. O livro explica a fascinação das pessoas pelos chamados “brindes” ou “presentes”? Como entender a necessidade de colecioná-los? Afinal, o que pode ser considerado um“gift” corporativo? A qual campo de prática mercadológica estes “gifts” pertencem: comunicação, marketing, promoção, relacionamento, mídia, experiência? A obra é dividida em quatro capítulos, cada um escrito por um dos autores que compõem uma narrativa única, composta por diferentes aspectos do tema. O objetivo do livro é desvendar seus significados, sua história, aplicações, resultados, destrinchando as artimanhas desta estratégia que descende da ancestral prática de trocar objetos, experiências e sensações. MOTIVAÇÃO E FORMAÇÃO DE EQUIPES NA GESTÃO PÚBLICA, Paulo Rodrigues, 80 páginas, Editora SGAmarante Editorial Com informalidade e bom humor, Paulo Rodrigues, administrador público graduado pela FGV, aponta neste livro alguns dos principais desafios do dia a dia das instituições públicas e propõe alternativas para superá-los. A afirmação de que o principal fator de motivação é o reconhecimento do trabalho, resume a ideia principal do autor, que nesta obra também aborda a importância estratégica de formar equipes competentes na gestão pública. O livro mostra em detalhes os caminhos para a formação dessas equipes e de como é possível manter um bom nível de motivação mesmo em situações adversas e com as todas as limitações inerentes à administração pública. ACREDITE, ESTOU MENTINDO – CONFISSÕES DE UM MANIPULADOR DAS MÍDIAS, Ryan Holiday, 264 38

Páginas, Companhia Editora Nacional O autor Ryan Holiday é um estrategista de mídia e exmarketeiro, que se tornou polêmico nos Estados Unidos ao expor a fragilidade da mídia americana, principalmente os blogs, sites e as redes sociais. No livro, segundo ele, a grande imprensa se pauta através dos veículos online e influenciá-los é muito fácil. A obra mostra em detalhes a vulnerabilidade do sistema de mídia e o passo a passo para manipular o ciclo de notícias online, plantar uma história dentro de um grande site e fazer qualquer história aparecer na TV, em rede nacional. As denúncias de Holiday são resultado de sua experiência nos bastidores de blogs, grandes sites e agências de relações públicas. Em vez de capítulos extensos, o livro está dividido em duas partes, constituídas de textos curtos, que se completam. MIDIAS SOCIAIS NA ORGANIZAÇÃO - COMO LIDERAR IMPLEMENTANDO MÍDIAS SOCIAIS E MAXIMIZAR OS VALORES DE SEUS CLIENTES E FUNCIONÁRIOS, Anthony J. Bradley e Mark P. McDonald, 288 páginas, M.books. Nesta obra, os autores compartilham conhecimentos de seus estudos de mais de quatrocentas organizações do mundo todo – incluindo Xilinx, Ford Motor Company e Cemex – que têm usado as tecnologias sociais para conseguir sucessos que seriam inimagináveis há poucos anos. O livro enfatiza habilidades e planejamentos necessários para o mesmo na implantação de Mídias Sociais, enfocando disciplinas que devem ser utilizadas, tais como Visão, Estratégia, Propósito, Orientação e Adaptação. É um guia prático de liderança para obter-se o máximo da colaboração das pessoas envolvidas na implantação de Mídias Sociais na Organização. Todo líder deve entender as possibilidades das mídias sociais transformarem a maneira com que cultivam seus negócios.


Revista pronews154  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you