Issuu on Google+

Gazeta Maiquiniquense

EDIÇÃO ESPECIAL

Tiragem 1200 exemplares Volume 9 edição 9 29 de Junho 2010

COMEÇA A REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA "NÃO PERGUNTE O QUE SUA CIDADE PODE FAZER POR VOCÊ, MAS O QUE VOCÊ PODE FAZER POR SUA CIDADE"

A

Frase acima proposta resume muito bem a atual situação político-social em que se encontra a nossa cidade, pois quando quem está no governo se nega a prestar contas de suas despesas custeadas pelo povo é este o pensamento que se deve vigorar. Nesta edição especial do Gazeta maiquiniquense, os cidadãos leitores desse jornal poderá ter acesso a boa parte das denúncias feitas pelo MCCM (movimento de combate a corrupção de Maiquinique). Esse trabalho contou com a participação de vários cidadãos, pelo vereador Juliano Silveira e pela equipe do Gazeta Maiquiniquense, afinal essa é uma ação a ser feita em equipe. Mobilizamos o maior número de pessoas possível. O apoio de gente notória e insuspeita na comunidade nos ajudou e tem nos ajudado muito, e após várias pesquisas, investigações e apurações, constataram boquiabertos o ROMBO assombroso que vem acontecendo nos cofres público de Maiquinique. Tamanho não foi o nosso espanto ao constatarmos que roubar dinheiro público é muito fácil, a julgar pela quantidade de corruptos flagrados a toda hora no país. Provas coletadas em vários casos revelam que os mecanismos de controle da administração pública ainda são frágeis e muitos se aproveitam disso sem a menor cerimônia. Os vestígios encontrados pelo MCCM indicam que os corruptos de nossa cidade agem como cupins. Estão sempre em bando e fazem apodrecer as estruturas democráticas de nossa cidade. Mas estamos vendo o que está acontecendo com a cidade vizinha de Itarantim, onde o prefeito daquele município responde a vários processos na justiça federal e no TCM, sendo ainda que o mesmo já fora afastado do cargo por duas vezes. Em Maiquinique também já tivemos nosso exemplos de gestores condenados pela justiça, exemplo disso são os ex-prefeitos Nivaldo

Souza Guimarães e José Francisco de Lacerda (Zé Tupete). Também já foram pegos pela justiça funcionários públicos e vereadores mancomunados para meter a mão no dinheiro público, exemplos disso são os vereadores Adilson Martins e Luciano Oliveira, processados pelo TCM, e o atual Secretário de administração Gimaldo Bispo dos Santos (Escurinho), também processado pelo TCM. Isso tudo são exemplos feios que nenhuma cidade, com certeza quer ter. Mas ao nos mostrarmos “indiferentes” e passivos a esses atos de corrupção, damos indiretamente carta branca para que esses porcos continuem a agir dessa maneira. Voltando ao caso de Maiquinique por exemplo, temos o vereador Luciano Oliveira, que também consta nessas denúncias, e que como já havíamos dito fora processado pelo TCM. No entanto o mesmo fora reeleito vereador dessa cidade, sem nenhuma manifestação de desaprovação ou de repúdio por parte dos cidadãos pelo seu vergonhoso ato. Pessoal, precisa de mais o que? Temos um processo do TCM provando que esse indivíduo não prestou conta do nosso dinheiro! Esse dinheiro foi para algum lugar, e com certeza não foi para o município. Precisamos mudar isso. Mais do que isso, precisamos acabar com esse tipo de atitude. Fizemos o nosso papel, fiscalizamos, denunciamos, trouxemos a luz da justiça o rosto dos que emporcalham a nossa cidade e fere a ética e a moral da população Maiquiniquense. Agora cabe a você, cidadão eleitor, que tem consciência do seu papel e reconhece a força que tem em mãos lutar conosco Confira nesta edição para por fim a esses absurdos. Levante-se e Sobrinho do prefeito humilha... Pg.2 grite, sua cidade preci- Crônica do leitor Pg. 3 sa de você! Aqui você Pg. 3 vive e aqui criará seus Biblioteca itinerante filhos, e eles os seu A cultura do eucalipto Pg. 4 netos. É mais do que O mapa da corrupção Pg. 6 justo que queira uma Pg. 7 cidade mais justa, éti- Uma piada séria Pg8. ca, bela, saudável, se- DENÚNCIAS gura, limpa... E muito mais denúncias... ”PENSEM NISSO!


Página 2

A

Sobrinho do prefeito humilha funcionários do hospital municipal de Maiquinique!!!

redação do Gazeta Maiquiniquense, sempre abriu espaço para que o cidadão possa participar da construção deste jornal. E essa participação se faz por meio de denúncias, críticas ou elogios a atual situação político-social pela qual passa nossa cidade. Foi através dessa participação que funcionários do hospital municipal e alguns cidadãos de nossa cidade pediram que publicássemos aqui uma reportagem sobre um fato revoltante que aconteceu no hospital. Gostaríamos de ir logo direto ao ponto e expressar aqui, não a minha, mas a revolta da maioria dos maiquiniquenses, que viram a menos de um ano e meio nossa cidade ser invadida por parentes do atual prefeito, que entraram de sola na administração de nossa cidade, e o resultado é o que estamos vendo agora. Bom, isso agente pode até tolerar, ainda que a muito contragosto. Mas o que não podemos tolerar aqui em NOSSA cidade é que “filhinhos de papai” vindo não se sabe de onde, humilhe os nossos conterrâneos da maneira como aconteceu no dia 15 de maio no Hospital municipal de nossa cidade, quando um Jovem, sobrinho da primeira Dama e que se mostrava visivelmente desequilibrado, agrediu de maneira vexamatória e humilhante, funcionários daquela repartição. O Código Penal Brasileiro, que fala sobre desacato, diz em seu Art. 331 que “Desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela é crime, imputando ao autor da agressão e ofensa a pena de detenção, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, ou multa. A ofensa constitutiva do desacato é qualquer palavra ou ato que redunde em vexame, humilhação, desprestígio ou irreverência ao funcionário. É a

N

GAZETA MAIQUINIQUENSE

o dia 24 de Maio deste ano, o prefeito da cidade vizinha de Itarantim, Gideão Mattos, fora afastado do cargo de executivo que ora ocupava naquele município. A justiça federal determinava ainda que ficaria suspenso por 10 (dez) anos os direitos políticos deste (ex) prefeito, além do que, o mesmo teria que pagar multa de 50.000,00 (cinqüenta mil reais) dentre

grosseira falta de acatamento, podendo consistir em palavras injuriosas, difamatórias ou caluniosas, vias de fato, agressão física, ameaças, gestos obscenos, gritos agudos etc. Um cidadão que estava presente no local, e alguns funcionários daquele hospital, procuraram a redação do gazeta, e clamaram por justiça. Uma vez que a maioria dos funcionários que estavam presentes no dia das agressões são contratados, e tiveram receio de reclamarem seus direitos, afinal, vivemos uma ditadura em nossa cidade hoje.

Descreveremos abaixo o texto entregue a nós por esses cidadãos. Regra dos hospitais em qualquer lugar do mundo é manter os pacientes que estão em observação ou internados em devido repouso. Mas, segundo esses cidadãos que nos procuraram, no dia 15 de maio quarta feira, deu entrada no Hospital Municipal um indivíduo de nome Maicon, sobrinho do prefeito, aparentemente com problema de saúde. No momento que o mesmo chegou ao hospital, o médico não se encontrava no local. Foi quando o mesmo visivelmente transtornado começou a gritar e humilhar com palavras injuriosas os funcioná-

RAPIDINHAS

outras implicações. Isso tudo se deve as irregularidades denunciadas anos atrás, por cidadãos e autoridades políticas Itarantienses, que perceberam o rombo que esse prefeito vinha fazendo nos cofres públicos, quando o mesmo exercia seu mandato de prefeito em 2004, 2005, 2006, 2007 e anos posteriores. Agora eu lhes trago uma pergunta:

rios daquele hospital, dando ORDENS para que as auxiliares e Técnicas de enfermagem o atendesse de imediato. Mas talvez o que esse rapaz, que é estudante de fisioterapia, não saiba é que o pré-atendimento em um hospital deve ser feito pelo médico e não por auxiliares. Mas esse jovem mal educado não parou por aí, e achando pouco o vergonhoso teatrinho encenado por ele, após ter sido internado o mesmo numa atitude de total desrespeito ao regimento do hospital saiu do quarto onde estava e foi se sentar-se do lado de fora das dependências da enfermaria, para ficar se vangloriando com algumas amigas suas, dizendo que queria um leito exclusivo para ele. Com a chegada do pai da CRIANÇONA, sendo que a mãe do mesmo é irmã da primeira Dama, este fora transferido para a observação pediátrica, ala destinada exclusivamente a CRIANÇAS! Tal situação seria cômica se não fosse trágica e provocasse tanta indignação, pois, um homem de mais de 20 anos de idade já deixou de ter o privilégio de ficar na pediatria... As mães que estavam acompanhando seus filhos e os demais pacientes daquele Hospital acharam isso uma covardia, já que o mesmo não se encontrava em nenhum hospital particular, e além do mais todos os pacientes são iguais, ou melhor, deveria ser. Aqui cabe uma reflexão, simples e direta. É justo? Não sabemos onde isso vai parar, mas nós do Gazeta, assim como o povo de nossa cidade estamos perplexos com tal desrespeito. Afinal são nossos pais, mães, irmãs, tias filhos, avós que trabalham e freqüentam aquele hospital, e não podemos admitir que irresponsável nenhum os humilhe desta forma como foi dita acima. O que podemos nós, Maiquiniquenses, aprender com isso tudo? Estamos vendo a história dessa cidade vizinha se repetir aqui em nossa cidade, resta saber se, assim como os itarantienses, teremos também coragem para fiscalizarmos e denunciarmos as irregularidades vigentes em nosso município. Pensem nisso. A responsabilidade é de todos nós.


VOLUME 9 EDIÇÃO 9

S ou leitor do Gazeta des-

CRÔNICA DO LEITOR

de as primeiras edições, sempre elogiei o fato de nossa cidade agora ter um jornal impresso que pudesse informar e conduzir o povo a uma reflexão acerca de nossa política, nossa cultura e nosso social. Às vezes discordo de alguns pontos aqui proposto, e outras vezes, concordo. Adoro a leitura prazerosa desse jornal e o trabalho que esses rapazes vêm fazendo. Por isso resolvi escrever esse texto ao Gazeta Maiquiniquense para expressar um profundo sentimento de tristeza pelo que aconteceu em nossa câmara dia 8 do mês corrente. Peço perdão aos leitores que ora a lêem, por eu não ter aqui me identificado com o meu verdadeiro nome, é que sou funcionário da prefeitura contratado, e de maneira nenhuma gostaria de me expor. Assistindo a sessão da câmara de “vereadores” (?) de nossa cidade pude notar que o único compromisso desta câmara é com o Prefeito Jesulino Porto, a subserviência dos vereadores da situação é tamanha, que eles ignoram completa“(...)a subservi- mente o seu papel institucional, não ência dos vere- fiscalizam e as proposições legislaadores da situação é tamanha, tivas são pautadas na agenda do executivo, comportamento que enfraque eles ignoram completa- quece o poder legislativo. A única coisa que eles fazem são aprovar mente o seu papel instituprojetos de leis, que são pedidos cional, não fis- absurdos que o executivo manda calizam(...)” para o legislativo, e propaganda política de candidatos apoiados pelo prefeito, numa câmara onde se deveria discutir os assuntos que interessam a nossa cidade. Então percebi

O

por: anônimo

Página 3

que de uma Câmara como essa não se pode esperar grande coisa, pois, a maioria dos vereadores pensam apenas nas migalhas que o prefeito lhes oferecem (alguns empregos, aluguéis de carros e imóveis, atendimento a pedidos pessoais...), que ao que tudo indica são sobras do banquete e da farra que o executivo municipal vem realizando com o dinheiro público, tudo com a conivência da maioria dos edis daquela casa. Maiquinique, neste momento que completará 48 anos de emancipação, tem muito pouco a comemorar, a dívida social refletida na violência, no sucateamento da saúde e da educação, na falta de políticas públicas voltadas para as crianças, juventude e idosos, a falta de saneamento básico e de infra-estrutura na maioria dos bairros e a corrupção desenfreada que assola o município, demonstra que Maiquinique precisa resolver muitos problemas, ganhar muitos “presentes” para comemorar seu aniversário com festa e alegria. Como disse no começo desse “texto desabafo”, sou funcionário contratado do prefeito, admiro-o como pessoa, mas enquanto gestor, este tem deixado muito a desejar. Espero que as coisas mudem daqui pra frente, pois me sinto envergonhado em olhar nos olhos daqueles que, outrora eu havia pedido votos para o atual gestor, e que me olham com olhar de cobranças querendo uma explicação do por que as coisas estarem assim, explicação essa que eu não tenho, e talvez não a tenha. Quero agradecer a redação deste jornal por me oferecer este espaço para esse desabafo, mas a indignação que estava presa dentro de mim, acabava por me envenenar a alma e me fazer mal. Precisava desse “grito”, para me aliviar.

BIBLIOTECA ITINERANTE GAZETA MAIQUINIQUENSE

Gazeta Maiquiniquense tem o prazer de disponibilizar para o acesso público a sua biblioteca. A biblioteca possui um acervo com mais de 800 volumes de livros diversos ( Romances, Crônicas, Contos, Auto ajuda, Religiosos, Espirituais, Sociologia, Filosofia, História, Psicologia, dentre outros), vários DVDs com filmes para entretenimento e estudo, dezenas de teses e artigos científicos, revistas e jornais para pesquisas, além de aulas e assistências para a realização de pesquisas, trabalhos escolares e acadêmicos. A biblioteca será instalada no novo escritório do Gazeta Maiquiniquense, próximo ao Hospi-

tal Municipal. Para ter acesso a esse “círculo cultural” você não paga nada. Basta preencher a ficha de cadastro que serão

distribuídas nas escolas e comércios de nossa cidade, além de poder realizar a inscrição na própria biblioteca. A data para a inauguração da Biblioteca está prevista para ocorrer até o dia 5 de julho, mas os amantes da leitura que quiserem um tira gosto desse delicioso projeto, já poderão pegar o seu livro. Basta acessar o B l o g d o G a z e t a (maiquiniquevista.blogspot.com) olhar a lista de livros disponível nesse blog, escolher o que lhe agradar, e procurar por Rafael, Juliano ou Vicente para preencher a ficha de cadastro e pegar o seu livro.


VOLUME 9 EDIÇÃO 9

“O que motiva o homem é a esperança De concretizar seus sonhos . E um homem motivado Deixa de ser Um mero expectador da vida Para fazer a historia .” (Willian Figueiredo)

QUEM ACREDITA SEMPRE ALCANÇA

Q

uando unimos nossas esperanças com a vontade de vencer, não há nada que possa nos impedir de realizar os nossos sonhos.Cada um acredita naquilo que pode ser, e em busca desta concretização, muitas vezes lutamos, perdemos, caímos e levantamos, mas o importante é que nunca devemos deixar de acreditar que podemos ser sempre além daquilo que a vida nos obriga a ser. Apesar das dificuldades encontradas, tanto financeira quanto social, ou até mesmo na educação adquirida, nunca irei deixar de acreditar que posso ser sempre algo mais...se eu não chegar onde sempre quis, tenho a certeza de que bem perto eu chegarei, o que não posso e voltar de mãos vazias. Ainda não consegui o que quero, mas já estou com os meus pés nesta grande estrada, dando os meus primeiros passos. Aqui estão os meus sinceros agradecimentos a todos aqueles que me ajudaram dar inicio a minha caminhada. Agradeço a todos vocês que acreditam em mim! Ao Gazeta Maiquiniquense, a prefeitura de Maiquinique, aos vereadores que assim contribuíram, aos comerciantes pela

P

Página 4

grande ajuda, aos amigos e colegas, a minha família e a meu Deus por ter usado todos vocês para mim ajudarem! “Sonhar é ser sempre um pouco mais....”(MATEUS RODRIGUES ROCHA DUARTE)

Obrigado, e que Deus possa me ajudar a fazer valer esse apóio e essa confiança que vocês depositaram em mim Mateus Rodrigues e o cientista norte-americano ganhador do prêmio Nobel de química em 2008!

DISCUSSÃO ( a cultura do eucalipto em Maiquinique)

assados 17 anos do início do plantio de eucaliptos no extremo sul da Bahia, estudo pedido pelo Ministério Público Estadual ao Instituto do Meio Ambiente (IMA) – órgão estadual responsável pela preservação e fiscalização ambiental – afirma que há “uma grave falta de governança, seja regional ou local, para lidar com a situação (dos plantios), que, de longe, ultrapassa os limites do controle ambiental”. Esse é um trecho de entrada de uma reportagem feita pelo jornal A TARDE de vitória da Conquista no dia 28 de fevereiro de 2009. E é evidente que tema tão polêmico quanto esse e que está causando diversas opiniões em nossa cidade, não poderia deixar de ter seu espaço aqui no Gazeta.

Na tumultuada sessão, do dia 8 de junho do corrente ano, na câmara de vereadores de nossa cidade, o professor e ambientalista Ivan, que vem fazendo junto com alguns amigos e simpatizantes, um trabalho exemplar de

proteção ambiental, falou acerca dessa, se a ocasião me permite, “PRAGA” da cultura do eucalipto. Não queremos aqui julgar se o plantio desse tipo de cultura (plantio) trará muitos ou poucos empregos para nossa cidade. Nem se ele trará muitos ou poucos investimentos, ou se nossa cidade será ou não melhor infraestruturada depois dessa cultura. Mas apenas para mostrar, com DADOS BEM REAIS E VISÍVEIS, os MALES e DANOS, muitas vezes IRREPARÁVEIS que esse plantio trouxe para as cidades onde ele foi aceito. Aqui segue mais um trecho da reportagem do A TARDE, onde pode-se perceber o quanto é preocupante essa situação, que já é considerada de descontrole. “Descontrole - O promotor João Alves Silva Neto é categórico em afirmar que o governo do Estado sempre soube que o plantio de eucalipto no extremo sul estava se desenvolvendo de forma descontrolada e sem observar as normas ambientais, sobretudo as que estavam nas condicionantes das licenças ambientais concedidas pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA). Ele garante já ter denunciado o problema diversas vezes. Silva Neto afirma que a expansão está tão grande que as feiras de Eunápolis estão sendo abastecidas com produtos agrícolas de Vitória da Conquista (sudoeste baiano) e de cidades do Espírito Santo. “Foi feito um levantamento com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e É ESTARRECEDORA A SITUAÇÃO”, garante.” Estudando ainda mais a fundo o polêmico assunto, podemos perceber que o descontrole no plantio não é


VOLUME 9 EDIÇÃO 9

Página 5

o único agravante desse tipo de cultura, a desertificação do solo onde se faz esse plantio é uma das principais conseqüência. Tanto assim que os locais onde se nota esse tipo de “PRAGA” são conhecidos por DESERTO VERDE, que é uma expressão utilizada pelos ambientalistas para se referir à monocultura do eucalipto e seus nefandos impactos socioambientais. Entre os principais efeitos deste crime ambiental, perpetrado na maioria das vezes com o apoio do poder público, destacamse: Desertificação, erosão dos solos, morte à biodiversidade (em florestas de eucalipto, normalmente só há formigas e caturritas), destruição de biomas (como é o caso da região sul baiana), concentração de terras (agravando a questão fundiária no Brasil) para cultivo de vastas extensões, atendendo à ânsia por lucros cada vez maiores por parte do capital estrangeiro, representado pelas corporações que detêm esse “poder”. A associação de proteção ao meio ambiente em Maiquinique, que tem como membros, cidadãos de grande importância em nossa cidade, respeitados e muitos deles professores formadores de opinião, em sua luta constante para a proteção desse nosso BEM MAIOR, se mos-

J

tram sobretudo preocupados mais ainda quando a questão da monocultura do eucalipto atinge diretamente o nosso Rio Maiquinique, que como já foi dito em edições anteriores do Gazeta, corre o risco de desaparecer. Com uma luta árdua, sem interesse algum, que não o de preservar o meio ambiente para as futuras gerações, eles vêm mostrando que não estão para brincadeiras, afinal, desafiar empresas multinacionais e poderosas como essas que querem o plantio em nossa região, não é nada fácil, acreditem. E o gazeta apóia esta iniciativa, estamos aqui não só no papel, afinal esta luta também é nossa.

INFORMAÇÃO AMIGA

á dissemos aqui em outra edição deste jornal que a função básica do Gazeta é contar histórias reais, das mais felizes até as mais tristes ou cheias de corrupção. É mostrar para a sociedade o que está acontecendo em nossa cidade. Para alguns pode não ser importante, para outros qualquer pessoa pode escrever ou falar sobre isso ou aquilo. Mas nós aprendemos o quanto que temos de ser imparciais, o quanto que temos que segurar os nossos sentimentos para não chorarmos diante de notícias tristes ou xingar alguém quando escrevemos algo sobre falcatrua ou corrupção. O campo de Jornalismo do Gazeta tem maturidade para reivindicar uma área própria, um espaço nas agências de pesquisa para que se faça justiça à sua importância e se reconheça o seu objeto. Podemos afirmar aqui q u e o G a z e ta Maiquiniquense hoje, tem uma função essencial na nossa sociedade. Ele é o divisor de águas, é o fiel escudeiro da democracia. Ele tem condições de denunciar onde estão ocorrendo os erros, de averiguar onde acontecem os fatos que interferem no regime demo-

crático e tem a função básica de educar a sociedade. E já há muito tempo nossa cidade se fazia carente de um jornal que tomasse a direção. Nós não somos “fazedores de cabe-

ças” como disse um certo vereador, pois, não consideramos o povo como indivíduos sem opiniões, incapazes de pensar. Somos apenas lapidadores de palavras. Nós tratamos o

povo como cidadãos capazes de tomar para si as informações aqui prestadas e moldá-las conforme seu grau de interesse. A função do jornalismo do Gazeta é trabalhar a informação, transmitindo-a de forma limpa, sólida e de uma maneira que cada pessoa possa usá-la para formação de idéias. Até mesmo por que, se alguém se sentir ofendido pelo conteúdo publicado aqui no Gazeta, tem o livre direito de resposta, além de poder adotar procedimentos legais frente a justiça para defender sua honra e integridade. Porém, até o presente o Gazeta não respondeu nenhum procedimento jurídico por suas publicações, o que caracteriza que até o momento estamos caminhando com a verdade, pois as publicações desse Jornal segue uma linha de transparência que GANHOU O RESPEITO até mesmo dos CORRUPTOS que o odeia por falar a verdade! Quem dirá o respeito do povo, que nos considera uma imprensa genuína que tem o papel de informar com exatidão, formando assim, neles próprios, os leitores, o processo gerador de CONHECIMENTO CONSCIENTE.


VOLUME 9 EDIÇÃO 9

A

O MAPA DA CORRUPÇÃO EM MAIQUINIQUE

s Denúncias feitas pelo vereador Juliano Silveira com o apóio do Gazeta Maiquiniquense e do MCCM (Movimento de combate a corrupção em Maiquinique) caíram como uma BOMBA no colo do executivo e dos demais vereadores, que agora se vêem acuados pela espada afiada da Justiça e da democracia. Mas antes de enumerarmos as denúncias de corrupção do atual “DESGOVERNO PARTICIPATIVO ”, o Gazeta resolveu traçar o Mapa da corrupção que assola e enlameia a democracia de nossa cidade, para que o leitor tenha uma idéia mais clara de como, onde e quando a corrupção acontece, e assim poder tirar uma reflexão acerca dos textos que se seguirão Depois de alguns estudos realizados pelo Gazeta, chegamos a conclusão de que OS SINAIS EXTERIORES DE RIQUEZA são as evidências mais fáceis de serem percebidas e as que deixam mais claro que algo de errado ocorre na administração pública. Vemos isso diariamente em nossa cidade e esses sinais são perceptíveis quando o grupo de amigos e parentes das autoridades municipais exibe bens de alto valor, adquiridos de uma hora para outra, como carros e imóveis, e também na ostentação por meio de gastos pessoais incompatíveis com suas rendas, como viagens, festas, patrocínios, CONSTRUÇÃO E REFORMA DE CASAS, dentre outras coisas. Alguns passam a ter uma vida social intensa. Os corruptos assumem feições diversas. Há o do tipo GROSSEIRO e sem-vergonha, que encontra prazer em fazer demonstrações ostensivas de poder e riqueza, exibindo publicamente acesso a recursos extravagantes, tais como, CARRÕES DE LUXO, MANSÕES IMPONENTES, dentre outros, além de realizarem FESTINHAS E CHURRASCOS PARA SEUS CÚMPLICES PUXA-SACOS EM SUA HUMILDE MANSÃO. Geralmente, não se preocupa em ser discreto, pois necessita alardear o seu sucesso econômico e sua nova condição, mesmo quando os que estão a sua volta possam perceber que o dinheiro exibido não tem procedência legítima. Com esse tipo de corrupto, a apropriação de recursos públicos é associada a um desejo incontrolável de “subir” socialmente e de exibir essa ascensão. Como não encontra maneiras de enriquecer honestamente, recorre a meios ilícitos. Já o fraudador discreto tem formas de agir que tornam mais difícil a descoberta do ilícito. O dinheiro é subtraído discretamente, por

Página 6

meio de esquemas bem articulados com os fornecedores, o que torna sua descoberta mais difícil. O resultado dos golpes é aplicado longe do domicílio. Em geral, utiliza-se de "laranjas" (pessoas que, voluntariamente doam seus nomes e dados pessoais, para serem usados por esses ladrões), para contratarem com empresas fantasmas, lavar dinheiro sujo, ou se passar por dono de empresa desse mesmo gestor corrupto. Mas primeiro esse „GESTOR” precisa de uma garantia de que aqueles que podem lhe denunciar, não o faça...e, uma forma de prefeitos corruptos obterem apoio aos seus esquemas é buscando, de forma explícita ou sutilmente, o comprometimento dos vereadores com o desvio de dinheiro público. O envolvimento pode dar-se de forma indireta, por meio de compras nos estabelecimentos comerciais do vereador, o qual por sua vez é ameaçado pela interrupção dessas aquisições e por isso, muitas vezes, faz vistas grossas aos atos do prefeito ( isso nos lembra algo?). Outras maneiras que o prefeito usa para ganhar a “simpatia” de vereadores é pelo oferecimento de uma “ajuda de custo”, pela nomeação de parentes dos membros do legislativo municipal para cargos públicos e outras práticas de suborno e nepotismo, o que também nos lembra algo. Há, ainda, os casos em que os vereadores participam diretamente do es- “Não é de admirar, assim, que quema de corrupção, sendo recom- tais vereadores pensados por seu silêncio com uma sejam contráimportância mensal “doada” pelo pre- rios a qualquer feito. Não é de admirar, assim, que tipo de investitais vereadores sejam contrários a gação que se conqualquer tipo de investigação que proponha tra o prefeito.” se proponha contra o prefeito. Qualquer apoio desses vereadores a processos que apurem irregularidades na prefeitura (como criação de CPIs, processos de cassação etc.) traria como conseqüência a revelação do seu envolvimento. E assim, caros leitores, eles gralham, eles riem, eles debocham da inteligência do povo. Pois pensam que, basta fazer uma ou duas obras superfaturadas, e algumas propagandas demagógicas para que o povo fique cego a tudo isso dito acima, e que o povo tampe o nariz pra não sentir o mal cheiro dessa lama fedorenta que suja a nossa prefeitura...Será mesmo assim? Dia 3 de Outubro essa pergunta terá uma resposta, e espero, com a sincera esperança de que não seja ela positiva.


VOLUME 9 EDIÇÃO 9

M

onstesquieu, quando do lançamento da clássica divisão e independência dos poderes, nunca imaginaria que nos recantos desta cidade chamada Maiquinique, os interesses financeiros e econômicos poderiam sobrepor-se aos interesses dos poderes municipais que emanam do povo e em seu nome devem ser exercidos. Sendo assim, o Gazeta Maiquiniquense, o vereador Juliano Silveira e demais cidadãos que amam essa cidade vem apresentar a todos os cidadãos de Maiquinique, fatos e documentos que demonstram o lamaçal de irregularidades que está imerso o poder executivo de nossa cidade. Esclarecemos que, a fonte de muitas das informações que mostraremos aqui, estão nos documentos das prestações de contas das receitas e despesas do Município de Maiquinique ao TCM (Tribunal de Contas dos Municípios) referente ao exercício do ano de 2009. Ainda de forma introdutória e apenas para esclarecer algumas das muitas dificuldades que impuseram a nós no exercício de fiscalização das contas públicas, uma vez

P

UM GESTO DEMOCRÁTICO

que não se pudemos contar com apóio dos demais vereadores da câmara municipal de nossa cidade, pois se assim fosse, já teríamos aberto uma Comissão Parlamentar de Inquérito, trazemos ao conhecimento dos caros leitores que nossa primeira vitória das denúncias feitas, foi no que se refere as contas do exercício de 2009 que estavam disponíveis na prefeitura para que a população as olhassem e conferisse seus conteúdos. Porém, o Executivo Municipal de forma arbitrária e contrariando a Lei Complementar Estadual nº 6/91 colocou à disposição as contas do exercício 2009 apenas por duas horas diárias em total afronta à esta Lei, sendo que as referidas con-

UMA PIADA SÉRIA

arece piada, mas não é. Analisando a relação dos funcionários da prefeitura, que se encontra disponível no site do TCM (www.tcm.ba.gov.br, para aqueles mais descrentes) nos atentamos para um detalhe que talvez tenha passado desapercebido aos olhos dos fiscais dessa respeitável repartição, mas como nada escapa aos olhos sempre atentos do Gazeta, vimos na relação o nome da coordenadora pedagógica Andréia Santos Silva, irmã do (secretário?) de educação André Silva. Até aí tudo bem, mas quando olhamos na mesma lista a data de admissão dessa funcionária, não poderíamos deixar de achar graça de tamanho despautério. È que a mesma aparece nesta lista como se tivesse sido contratada em 1º de Janeiro de 1998!!! Agora imagine vocês que essa funcionária deva ter em torno de 25 e 26 anos, logo ela teria mais ou menos uns...14 ou 15 anos quando começou a trabalhar na prefeitura!!! Fico feliz em saber que o prefeito de nossa cidade esteja dando oportunidade para que nossos jovens ingressem no mercado de trabalho cada vez mais cedo. Imagine vocês uma jovem de 14 anos coordenando uma escola? Isso que é “pogresso”. E ainda dizem que essa administração não tem competência. Hum! Bom, até aí acreditávamos se tratar de um erro ou coisa parecida com o sistema do TCM, e até

Página 7

tas devem ficar à disposição do contribuinte durante os sessenta dias e no horário regular de funcionamento do órgão municipal; como se não bastasse, para espanto do vereador Juliano Silveira, tendo comparecido à Secretaria Municipal de Administração, fora informado pelo Secretário Sr. Gimaldo Bispo dos Santos (Escurinho) que o exercício de fiscalização previsto no edital somente lhe seria permitido apenas uma única vez durante os sessenta dias, o que seria cômico, se não fosse trágico, pois não existe a menor possibilidade de um cidadão vistoriar 12 (doze) lotes de documentação em apenas duas horas!. Mas afinal, o que havia de tão misterioso nessas pastas que o secretário não queria que a população visse? Nós encontramos essa resposta ao analisarmos as pastas, depois que a promotora mandou um ultimato obrigando a prefeitura e o senhor secretário a aumentar o número de horas que as pastas ficariam disponíveis ( de 2 horas para 5 horas!) e por quantos dias o cidadão quisesse analisá-las, dentro dos 60 dias que duraria o prazo.

pensamos em comunicar o fato aos nossos amigos, para que estes o corrigisse. Mas mudamos de opinião rapidinho quando vimos que o nome da Ilustríssima senhora Elenice Barros dos Santos, esposa do secretário de administração Gimaldo Bispo dos Santos (Escurinho), também figurava como sendo contratada desde 2 de janeiro de 1997, ou seja, 13 anos atrás. Mas sabemos que essa senhora não desempenhou nenhuma função na prefeitura durante os anos de 2004 a 2008, período em que fora “dispensada” do cargo que ocupava como contratada. Sem dizer que ela trabalha hoje, de forma irregular, pois a mesma, como eu disse acima, é esposa do secretário de administração, o que configura NEPOTISMO. Nós do Gazeta suspeitamos que a alteração dessa data de admissão seja proposital por parte da prefeitura, para que assim o NEPOTISMO dessa senhora, e da irmã do secretário de educação passe despercebido aos olhos da lei, pois se elas foram admitidas antes de seus parentes (irmão e marido) terem assumido o cargo de secretarias, o nepotismo não se configuraria. Mas existe provas de que isso tudo não passa de armação para enganar a lei e o bom senso do povo, e o Gazeta também denunciou mais essa irregularidade.


VOLUME 9 EDIÇÃO 9

D

O CINISMO EM PESSOA

entre as várias denúncias que o MCCM (Movimento de Combate a Corrupção de Maiquinique) fez, uma é de causar nojo.

A dos funcionários que recebem sem trabalhar! É sabido que o salário do servidor público, de acordo as determinações da lei trabalhista deve fazer jus a uma remuneração que corresponda a uma prestação do serviço executado para o órgão público; a quebra desta prestação (serviço-salário) provoca um dano irreparável aos cofres público municipal, visto que o servidor, embora não prestando serviços a que deveria se submeter, vem recebendo regularmente, obrigando a administração pública ter que contratar ou deslocar outros servidores que são de sua responsabilidade, a exemplo citamos os servidores abaixo: ZILDETE OLIVEIRA GAMA, fiscal de tributos, atualmente no exercício do mandato de vereadora, recebendo um salário de R$ 1.915,00 (um mil novecentos e quinze reais!!!), e aqui eu chamo a atenção dos leitores para um fato estarrecedor que aconteceu na sessão do dia 8 de junho deste ano, na câmara municipal, pois, quando citado pelo vereador Juliano Silveira que o nome desta vereadora figurava na lista de funcionários que recebem sem trabalhar, esta, vermelha de vergonha, (se é que ela sabe o que é isso...) e não tendo argumentos para justificar tamanho absurdo, começou a choramingar e a usar problemas de saúde da neta dela como desculpas do por que de ela não exercer o cargo e mesmo assim receber o salário, tentando com essa cena lamentável, comover a população que ali se fazia presente. O que só a deixou mais enrolada, pois, a população sacou na hora que aquilo tudo que ela dizia não passava de encenação para que a mesma tentasse se livrar das acusações. Está feito, as denúncias foram protocoladas, e esperamos ansiosos pelo veredicto que com certeza obrigará essa senhora a devolver aos cofres públicos o que foi subtraído deste por ela indevidamente. Mas, acreditem, a vereadora Zildete não é a única edil que recebe sem trabalhar. O presidente da câmara municipal de Maiquinique, Leonardo Levy Lacerda Campos, o “Léo de Minininha” também tira as suas “Pontinhas” dessa farra com o dinheiro público Leonardo Levy, recebe dos cofres públicos o equivalente a um salário mínimo (R$ 510,00) como auxiliar de serviços gerais Mas a farra não para por aí, na “BIZARRA” folha de pagamento da prefeitura aparece ainda alguns outros funcionários que também levam seu “salarinho” sem no entanto ter que mover um dedo para o merecer. É o caso do senhor Renato Cardoso Jardim, vigilante, que por sua vez é irmão do Secretário de Esporte Cultura e Lazer, Sr. Romildo Cardoso Jardim, neste caso o “servidor”, além de não prestar os serviços ao Município, ainda recebe um salário em valor superior àquele pago aos ocupantes do cargo de vigilante, recebendo um salário de R$ 800,00 (oitocentos reais), enquanto que os demais ocupantes deste cargo recebem apenas um salário mínimo. Para que os leitores tenham uma idéia mais clara do que isso representa de negativo para a nossa sociedade e para o nosso bem estar, apresentaremos aqui dados que em tese

Página 8

prova O QUANTO ESTAMOS

PERDENDO COM ESSA FARRA COM O NOSSO DINHEIRO.

Uma máquina de Ultra Som como esta que você vê na foto ao lado, é uma das mais modernas do mercado hoje, e custa em média R$ 34.900,00( Trinta e quatro mil e novecentos reais). Dados encontrados no site (www.fisiomed.com). Vemos diariamente mulheres grávidas tendo de se deslocar de nossa cidade para a cidade de Itapetinga ou Vitória da Conquista para poder realizar um enxame de ultra-som, sendo ainda que essas mulheres gastam um absurdo para a realização desse enxame, que deveria ser lhes oferecido de graça! Mas a matemática não mente; se somássemos os valores do salário de R$ 1.915,00 que a vereadora Zildete Gama recebe indevidamente e descaradamente sem (...)Vemos diatrabalhar, somente nestes 1 ano e mei- riamente muo de desgoverno participativo, tería- lheres grávidas mos um montante de R$ 36,385,00 ( tendo de se de Trinta e seis mil oitocentos e noventa deslocar nossa cidade e cinco reais), ou seja, daria para ad- para a cidade quirir essa máquina de ultra-som e de Itapetinga ainda sobraria muito dinheiro ou Vitória da Há ainda um outro ponto impor- Conquista(...) tante que pede uma reflexão mais profunda do leitor. Uma sessão convencional de hemodiálise tem, em média, a duração de 4 horas e freqüência de 3 vezes por semana. Entretanto, de acordo com as necessidades de cada paciente, a sessão de hemodiálise pode durar 3 horas e meia ou até mesmo 5 horas, e a freqüência pode variar de 2 vezes por semana até hemodiálise diária para casos seletos. Quem precisa passar por esse tipo de tratamento ou quem tem algum parente ou ente querido que trave essa batalha diária pela vida, sabe muito bem o quanto é difícil lidar com essa situação. Há em Maiquinique muitos cidadãos que precisam desse tratamento quase que diariamente para sobreviver, e esses cidadãos têm que se deslocarem de Maiquinique para a cidade de Vitória da Conquista vários dias na semana, o que só duplica o seu sofrimento e torna mais dura a sua luta. Agora percebam o cúmulo do absurdo e do desrespeito a essas pessoas. Cada máquina de hemodiálise como esta da figura ao lado, custa em torno de R$ 24 mil, dados disponível em (www.fmcag.com.br). Novamente se somarmos os valores do salário que o vereador “Léo de Minininha” e o vigilante Renato Jardim, recebem sem trabalhar, teríamos um valor total de R$ 24,890 (Vinte e quatro mil oitocentos e noventa reais!!!). O que daria para compra essa máquina de hemodiálise e sobraria dinheiro para se comprar ainda 3 cestas básicas para dar a famílias carentes. Pensem nisso.


VOLUME 9 EDIÇÃO 9

D

DAS AJUDAS DE CUSTO ABUSIVAS E ILEGAIS

as inúmeras irregularidades encontradas pelo MCCM (Movimento de Combate a Corrupção em Maiquinique) no FUNDEB-60, as ajudas de custo são as que mais comprovam a exclusão político-social que a atual gestão impôs aos profissionais de educação de nossa cidade. A ajuda de custo não tem natureza salarial, qualquer que seja o valor pago, por se tratar de verba indenizatória com a finalidade específica de cobrir despesas do empregado em decorrência de mudança do local de trabalho. O parágrafo 2º, Artigo 457 da CLT (consolidação das leis do trabalho) por sua vez firma que: § 2º - Não se incluem nos salários as ajudas de custo, assim como as diárias para viagem que não excedam de 50% do salário percebido pelo empregado." Mas o que se vê nas pastas da prestação de contas da prefeitura é de causar nojo. A ajuda de custo paga aos profissionais da área de educação vem sendo lamentavelmente feita de forma ilegal e pesso“(...)a referida al, ferindo de morte os princípios acima ajuda de cus- citados; isto porque o prefeito de Maito não é dis- quinique, embora sem nenhuma previtribuída de forma iguali- são legal, vem desprezando de forma escandalosa aqueles a quem deseja, haja tária dentre os profissio- vista que a referida ajuda de custo não é nais que tem distribuída de forma igualitária dentre direito(...)” os profissionais que tem direito. Mas quando analisadas essas pastas, identificamos que dentre mais de cem profissionais que trabalha na área educacional, apenas 24 destes receberam a dita “ajuda de custo”, os quais são:

PASTA DE FEVEREIRO/MARÇO 2009

Josele Fernanda P. Dias Moreira Ajuda de custo no valor de R$ 145, 00 reais. Adriana Fontes Cunha Ajuda de custo no valor de R$ 279,00 reais Alene Oliveira Guimarães Ajuda de custo no valor de R$ 305,00 reais André Santos Silva Ajuda de custo (diária) no valor de R$ 800,00 reais Andréia Santos Silva Ajuda de custo no valor de R$ 367,00 reais Averaldo Alves Lacerda Ajuda de custo no valor de R$150,00 reais Dulcera Ferreira Cruz Azevedo Ajuda de custo no valor de R$ 230,00 reais Edna Pires Novaes Santos Silva Ajuda de custo no valor de R$ 250,00 reais Eliza Brito Lacerda Ajuda de custo no valor de R$ 150,00 reais Geórgia Souza Batista Ajuda de custo no valor de R$ 363,00 reais Gionete Oliveira Silva Santos Ajuda de custo no valor de R$ 367,00 reais

Página 9

Jucicássia Moreira Pinto de Souza Ajuda de custo no valor de R$ 250, 00 reais. Marineuza Fonseca Pinheiro Ajuda de custo no valor de R$ 145,00 reais Mirilene Brito dos S. Lacerda Ajuda de custo no valor de R$ 150,00 reais Nacimar dos Santos Brito Ferraz Ajuda de custo no valor de R$ 145,00 reais Nicilângela Patrícia S. Campos Ajuda de custo no valor de R$ 367,00 reais Noelí Pires do nascimento Ajuda de custo no valor de R$ 170,00 reais Renata Cardoso Jardim Ajuda de custo no valor de R$ 367,00 reais Rogéria Jaciane Santana Meira Ajuda de custo no valor de R$ 167,00 reais Sileni Bleza Cunha Oliveira Ajuda de custo no valor de R$ 200,00 reais Silvano Leal de Oliveira Reis (Silvano da rádio) Ajuda de custo no valor de R$ 350, 00 reais Valdelício Antunes da Luz Ajuda de custo no valor de R$ 180,00 reais Valéria dos Santos Vieira Ajuda de custo no valor de R$ 350,00 reais Valéria Ferreira Silveira Moreira Ajuda de custo no valor de R$ 315,00 reais Zivana Lima Silveira Ajuda de custo no valor de R$ 367,00 reais

Assim, após ler essa vergonhosa lista percebemos que

há nitidamente uma preferência do prefeito com relação aos servidores citados acima, pois conforme dito anteriormente, o senhor prefeito distribui a verba do fundeb 60/40 a seu bel prazer, ignorando completamente os princípios que regem a administração pública, e todo e qualquer princípio ético e moral que rege a nossa sociedade. E é sabido de todos que essa pouca vergonha nada mais é do que um resultado de barganha política e dos compromissos eleitorais assumidos dois anos atrás. Esse tipo de barganha política gera um prejuízo, se mantidas as médias mensais, de R$7.659,00 (sete mil seiscentos e cinqüenta e nove reais)!!! O que em um ano e meio de governo, se mantidas as médias dessas “ajudas de custos”, daria um total exorbitante de R$ 137.862,00 (CENTO E TRINTA E SETE MIL OITOCENTOS E SESSENTA E DOIS REAIS)!!! Com todo esse dinheiro aplicado na cidade, poderíamos ter hoje uma Patrol, que tanto se especula, e não precisaria a prefeitura vender o nosso patrimônio. Poderíamos a essa hora ter uma BIBLIOTECA PÚBLICA que tanto se necessita em nossa cidade. Poderíamos também ter a disposição no Hospital Municipal uma MÁQUINA DE RAIO X, que tanto se prometeu em épocas de eleições. Mas a reflexão do que poderíamos fazer com todo esse dinheiro que é DADO a apadrinhados políticos da atual gestão, fica a critério do amigo leitor, que tem aqui a oportunidade de esclarecer suas dúvidas e refletir se isso é correto, ético, moral e humano....Pensem Nisso.


VOLUME 9 EDIÇÃO 9

DA PRÁTICA DO NEPOTISMO

N O dia 12 de Fevereiro de 2010, o prefeito de Maiqui-

nique assinou um termo de conduta com a promotoria federal do trabalho, que o intimava a realizar o concurso público no prazo de até noventa dias, 3 meses. Mas o prefeito preocupado com seus parentes, e com parentes de seus secretários que mamam ás custas da prefeitura, recorreu a todos os recursos judiciais possíveis, adiando esse prazo para mais 90 dias. Com essa manobra antiética e imoral, o prefeito garantia os cargos aos seus apadrinhados políticos e estes não correriam o risco de perderem sua vaga para algum cidadão mais capaz e maior instruído. Gostaria de parabenizar o nosso renovado e experiente “Ali Babá” por ter conseguido impedir mais uma forma de progresso para nossa cidade, sem falar do quanto esse ato foi imoral e injusto. Mas o Gazeta e o MCCM não se dão por vencidos tão fácil assim. Começamos uma verdadeira operação de “CAÇA AS BRUXAS”, analisando pasta por pasta com a relação dos servidores públicos municipais disponível no site do TCM (www.tcm.ba.gov.br), e a partir do sistema de acompanhamento de pagamento de pessoal – SAPPE – do Tribunal de Contas dos Municípios, encontramos o que já era de nosso conhecimento e aposto que de todos os leitores do Gazeta, que o Prefeito Municipal tem nomeado e contratado para ocupar cargos públicos seus parentes, bem como alguns secretários também têm contratado parentes para cargos dessas secretarias.

A LISTA “GENEALÓGICA” Francisco Roberto S. Coutinho – Motorista contratado, cunhado da primeira dama, Srª Eliane da Paz Lira, Secretária de Assistência Social. Ariana Dias Aguayo Souza Santos – Professora Nível II (Contratada), esposa de Marcos Aurélio Souza Santos, nomeado Secretário de Obras Geórgia Souza Batista e Leandro Souza Batista, sobrinhos do prefeito Jesulino Souza Porto nomeados para os cargos de Coordenador Pedagógico. Embora os dados apresentados pelo TCM apontem Geórgia e Leandro como efetivos, apenas Geórgia fora aprovada em concurso público, mas para o cargo de auxiliar adminis-

Página 10

trativa, porém ambos foram nomeados para exercer o cargo de coordenador pedagógico. Mas o mais impressionante é que Leandro Souza Batista não exerceu um dia sequer a sua profissão, pois o mesmo nunca fora visto em escola alguma trabalhando, o que também o caracteriza como funcionário fantasma. Agora a piada: Leandro recebeu no mês março de 2009 R$ 227,94 reais de aulas extras. Só se ele estiver ensinando na escola do Gasparzinho fantasminha camarada! Andréia Santos Silva, Coordenadora Pedagógica, irmã do Secretário de Educação, André Santos Silva e do Vereador Adriano Santos Silva. Essa, como foi dito na página 7 desta edição, está contratada desde 1º de janeiro 1998, quando a mesma ainda tinha apenas 14 anos de idade! Amanda Silva Leite, fisioterapeuta, contratada pela Vitafision, cunhada da Secretária de Saúde Aline Oliveira Guimarães. Helenice Barros dos Santos, Auxiliar de Serviços Gerais, esposa do secretário de administração Gimaldo Bispo dos Santos. Além dos fortes indícios de nepotismo acima apontados é de conhecimento do gazeta, do MCCM e da comunidade local que ainda trabalham no Município de Maiquinique, cujo vínculo trabalhista ainda não pudemos identificar as pessoas de: Dernilson Souza Porto e Daíres Souza Porto, irmãos do prefeito, Elizabete da Paz Lira, irmã da primeira dama e Secretária de Ação Social. Apenas pra melhor esclarecimentos dos fatos, chamamos a atenção do amigo leitor para o fato de que muitas dessas nomeações não passam de meros contratos para tentar enganar a lei e a justiça, o que não deixa de ser um ato BURRO, uma vez que é de conhecimento de todos que todos esses cidadãos acima citados, trabalham para a prefeitura. É... Caríssimos companheiros as nossas opções são; ficar no espeto ou cair na brasa com essa atual gestão, o que nos serve como consolo é que nessas eleições de outubro temos a chance de dar um basta em todas essas irregularidades e acabar de vez com esses absurdos, que fere tanto a imagem de nossa cidade, e assim limparmos o antro que se tornou a prefeitura

PARA REFLETIRMOS Nas favelas, no senado Sujeira pra todo lado Ninguém respeita a constituição Mas todos acreditam no futuro da nação Que país é esse? Que país é esse? Que país é esse? No Amazonas, no Araguaia iá, iá, Na Baixada Fluminense

Mato Grosso, nas Gerais e no Nordeste tudo em paz Na morte eu descanso, mas o Sangue anda solto Manchando os papéis, documentos fiéis Ao descanso do patrão Que país é esse? Que país é esse? Que país é esse?

Que país é esse? Terceiro mundo, se for Piada no exterior Mas o Brasil vai ficar rico Vamos faturar um milhão Quando vendermos todas as almas Dos nossos índios num leilão Que país é esse? Que país é esse? Que país é esse?


VOLUME 9 EDIÇÃO 9

A

FEBEACI 3

bre espaço que “nois tá chegano”. “É nóis é nóis é nóis de nooovo!” E eles chegam e entram de sola nesse festival de besteiras que assola a cidade nº 3 (FEBEACI 3). Como assim, de quem nós estamos falando? Ora minha senhora, estamos falando das “OTORIDADES PULÍTICAS” de nossa querida e adorável cidade, que sempre dão um jeitinho de sair aqui no FEBEACI. E não por acaso, é cada besteira que agente aqui na nossa humilde inteligência nos sentimos verdadeiros “Einstein”. Mas como disse o vereador Carlito Barbosa, leitor assíduo do Gazeta, na sessão do dia 8 de junho na câmara de nossa cidade: “não podemos ter esse “eogoísta”.(????) Com isso ele quis dizer... É... Deixa prá lá. Mas o que realmente importa é o apóio desse vereador ao meio ambiente, onde o mesmo falou uma frase que encheu de lágrimas, os olhos daqueles que o ouviam naquela ocasião; “sem ALGA não há vida”.... Bom...A “alga” também tem sua importância não é pessoal. Mas tudo bem. Pensar nunca foi o forte daquela casa legislativa mesmo. Falando em casa, quem entende muito bem desse assunto mesmo, é o vereador Luciano Oliveira, que na mesma sessão do dia 8 de maio, respondendo as denúncias do MCCM de que o mesmo tem uma casa alugada á prefeitura no valor de 800 reais, diz: “parece que A CASA MINHA já está condenada, que na realidade não é minha, nunca foi minha, então parece até que estou ganhando dinheiro dentro de MINHA CASA... (...) Me desculpe o meu ânimo mas quando se falou da MI-

Página 11

realmente fiquei chateado... Mas afinal, a casa é ou não é do senhor? Bom, todos sabem a resposta, e isso pode até ser relevante, mas daí o vereador Luciano dizer que “(...) Existem coisas erradas e elas devem ser corrigidas(...)E é normal de qualquer administração que ela tenha erros...” Mas e quando esses erros custam milhões aos cofres públicos? E quando esses erros representam o mal funcionamento da saúde de uma cidade? Ou o mal funcionamento de serviços básicos e de assistência social? Tudo bem caro edil, suas desculpas serão analisadas pelo povo, e ele perdoará, se conveniente, essa sua afirmação. Mas resposta danada mesmo as denúncias do MCCM, quem deu foi a vereadora Zildete Oliveira Gama, que recebe um salário de R$ 1915,00 reais, sem trabalhar! Palavras da edil daquela casa; “eu “tô” tranqüila..., eu “tô” perfeitamente tranqüila, pois eu sou uma serva do senhor, e eu sou conhecedora da palavra EU SEI O QUE É CERTO EU SEI O QUE É ERRADO., EU TENHO CONCIÊNCIA DISSO”. De qual deus ela está falando mesmo? Do meus Deus que não é! Afinal de contas, o meu Deus é justo e é ético, e receber um salário de 1915,00 reais por mês indevidamente às custas do povo não é nada justo e nem tão pouco ético. E assim o festival de besteiras que assola a cidade vai se estendendo cada vez mais. E o “circo dos animaizinhos” vai dando sua contribuição para a destruição da democracia de uma cidade maltratada e humilhada por indivíduos que têm como único compromisso, o enriquecimento próprio. NHA CASA

MAIS UMA VITÓRIA DA DEMOCRACIA!

D enunciamos aqui na edição passada (8ª edição) o des-

caso da prefeitura municipal para com os garis e varredores de ruas de nossa cidade. Como fora colocado por esse jornal, através de fatos confirmados pelos próprios trabalhadores, estes vinham sofrendo diversas humilhações do atual secretário de limpeza urbana, Senhor “José Biribico”, que inclusive chegava a agredi-los e a assediálos moralmente, não reconhecendo a grande importância que esses profissionais desempenham em nossa sociedade. Uma das irregularidades com os garis e varredores faladas aqui no Gazeta 8, foi no que diz respeito ao fardamento destes, pois, todos os trabalhadores desse setor não possuíam nenhuma farda que os mesmos pudessem usar para se proteger da poeira ou dos perigos de contaminação com o contato constante do lixo urbano e industrial. A farda veio ( calça/shorte, camisa/camiseta)

mas pela sua simplicidade não chega nem perto de um fardamento decente, com todos os requisitos básicos preenchidos para a segurança e o conforto desses trabalhadores. A secretaria de limpeza urbana ainda está muito longe de reconhecer e respeitar os garis e varredores de nossa cidade como profissionais, pois se isso já tivesse ocorrido, junto com o fardamento mixo que os mesmos demoraram 1 ano e meio para fazerem, viriam também, luvas, botas, bonés, protetores solares, isso só o básico. Sem falar ainda no adicional de insalubridade, que até agora não foi nem cogitado pelo senhor prefeito. Enquanto isso, vemos funcionários sem necessidade alguma receberem absurdos de ajudas de custo, ao passo que nossos garis continuam a ser oprimidos. Mas o gazeta continuará a lutar por esse profissionais.


VOLUME 9 EDIÇÃO 9

DOS VEREADORES QUE CONTRATAM COM O MUNICÍPIO

O cinismo vai ao alto na administração municipal,

quando falamos dos vereadores que mantêm contratos com o município, seja por meio de aluguéis de imóveis, seja por meio de aluguéis abusivos de veículos, ou pelo recebimento de propinas e vantagens para parentes dos mesmos. O art. 45 da Lei Orgânica Municipal em simetria com o artigo 85 da Constituição Estadual, proíbe o vereador de manter contrato com a prefeitura, ou qualquer órgão público. Mas o que todos os cidadãos maiquiniquenses vêem é os vereadores de Maiquinique se fartarem com contratos absurdos e ilegais com a prefeitura de nossa cidade.

OS “ espertinhos” Dos vários vereadores que recebem vantagens do prefeito municipal, dentre eles se destacam o vereador: Fabrício Brito Lacerda, que é proprietário de um veículo automotivo marca VW, modelo Kombi, cor branca, placa JOI 4607 utilizada no transporte escolar, tendo como motorista o senhor Leônidas Cardoso Farias. Todos tem conhecimento de que esse veículo é do vereador Fabrício Lacerda, no entanto alertamos os caros leitores para a possibilidade de que o referido veículo tenha sido transferido para um “laranja” com o objetivo de burlar a legislação, o que poderá ser facilmente comprovado caso algum cidadão queira procurar no DETRAN o histórico de proprietários do referido veículo; a posse e talvez a propriedade do veículo em nome deste vereador é fato notório na cidade de Maiquinique, uma vez que este sempre é encontrado na posse do veículo e muitas vezes empresta o mesmo para outras pessoas. Celi Ferraz de Souza, é proprietário do veículo, caminhão Mercedes Bens, cor vermelha, placa MYL 0110, contratado ao Município no transportes de feirantes, neste caso, o absurdo é tão gritante que o vereador, talvez ciente de sua ilegalidade teve o disparate de forjar um contrato de locação do referido veículo com seu

Página 12

próprio irmão, portanto, os pagamentos feitos pelos cofres público ao vereador tem como credor o seu irmão Juracy Ferraz de Souza, num valor de R$ 4.217,59 mensalmente. Carlito Barbosa Caires: Esse é o cinismo em pessoa. É de conhecimento de toda a população que o mesmo possui um veículo de placa policial Nº JRF4764 tipo ônibus, que faz o transporte de estudantes para a cidade de Itapetinga. No entanto esse vereador faz-se de dissimulado quando alguém lhe pergunta sobre a posse do referido ônibus. Outro vereador que leva o cinismo ao extremo é o nobre edil, Luciano Oliveira. Este, como também é de conhecimento de todos os cidadãos, possui uma casa alugada absurdamente á prefeitura pelo valor de 800 reais mensal! Mas se alguém fala dessa casa dele, o mesmo logo fica nervoso, e se diz injustiçado por tal comentário, pois, segundo ele, “ aquela casa tinha muito barulho e eu não estava suportando ficar ali, então aluguei ela, e aluguei outra casa em um lugar mais tranqüilo.” Gostaria de saber quando tudo isso começou? Não éramos assim. Em algum momento o tecido da vergonha municipal começou a “rasgar”. Tínhamos vergonha quando éramos chamados pela professora para mostrar o dever de casa e não o tínhamos feito; quando convidávamos a namorada para tomar sorvete e faltava dinheiro para pagar a conta; quando esquecíamos de levar presente numa festa de aniversário; quando cometíamos alguma indelicadeza com alguém – sem querer ou querendo. Hoje as pessoas erram e nem se tocam em corrigir, fazem serviço com defeito e não estão nem aí, mentem, sem nenhum remorso, roubam o dinheiro de crianças, do povo, e nem se dignam em “disfarçar” Sim, realmente, em Maiquinique a vergonha parece está acabando. E se a vergonha acabar…


GAZETA MAIQUINIQUENSE