Page 1

Jornal dos Estudante da EEEP Alan Pinho Tabosa ­  Pentecoste  – CE | 11 de Novembro ­ 2013 Nº II

EDITORIAL Caro leitor, Essa é a nossa 2ª edição do Jornal InterAção. Nós adoramos fazer e esperamos que vocês gostem de ler, pois é feito para vocês. Olha só o que temos nesta edição: Dia das crianças na escola; SuperAção Enem 2013; Halloween: como foi a festa e Moda em Ação, por Léa Tabosa; História de Vida do Coordenador Renato Corrêa; Cantinho da Cultura: Dia do Livro, Tirinhas da Mafalda e a primeira parte do conto de terror: Vem Cá Gatinho, de Litelton e Leyllane. Participe você também do jornal. Mande dicas, matérias, perguntas, poesias, o que quiser. Dê a sua opinião no grupo da biblioteca no Facebook. Equipe do “Jornal InterAção”.

DIA DO LIVRO NA BIBLIOTECA EEEP ALAN PINHO TABOSA

Em comemoração ao Dia do Livro e da Biblioteca, na última quarta-feira, dia 30/10, tivemos o Projeto Partilha Literária de forma ampliada. Várias pessoas ficaram em grupos de três ou mais compartilhando os livros que mais gostaram de ler ou que estavam lendo, que foram também alguns dos mais lidos no semestre. Neste dia, os computadores permaneceram desligados para que todos dessem prioridade ao livro. Tivemos uma boa participação dos estudantes e professores, em torno de 50 pessoas, compartilhando suas leituras. Ao final, sorteamos 1 VALE LIVRO, e Dalvinha Oliveira (Aquic. 2º ano) foi a ganhadora! Este momento já rendeu novas ideias para continuarmos fazendo da leitura um hábito prazeroso em nossa escola. A Biblioteca.

MODA EM AÇÃO

ACONTECEU!

Por Léa Tabosa

O LOOK DO TERROR  Como   todos   sabem,   na

DIA DAS CRIANÇAS NA ALAN PINHO

No dia 11 de outubro, realizou-se na EEEP Alan Pinho Tabosa a festa em comemoração ao dia das crianças. A partir da iniciativa da professora de Biologia, Joyce Campelo, o evento foi realizado em parceria com o CRAS Sede I (Centro de Referência de Assistência Social). Além das crianças do CRAS, contamos com a presença das crianças dos bairros vizinhos à escola. Houve contação de histórias com a professora Geiciane Andrade e os estudantes Gabriel Sousa e Sabrina Aquino (Aquic. 1º), brincadeiras, pula-pula, distribuição de brinquedos e lanche. Foi super divertido!! Obrigada a todos que contribuíram com evento: estudantes, comerciantes, vereadores, professores e pais de estudantes. Vitória Sousa (Agro.2º)

Dia das Bruxas, 31 de outubro! Hahahaha

No dia 31 de outubro, às 19h, Sob a organização do Grêmio Escolar e a

ajuda

de

alguns

estudantes

e

funcionários da escola, foi realizada

a festa de Halloween. Tivemos sala do terror

e

espaços tematizados.

Muita gente marcou presença, com suas

maquiagens

e

fantasias

ao

estilo da noite, e se divertiram ao

som do DJ Gabriel Levi, da turma de

Informática

do

ano.

Contagiados pelo clima macabro, os participantes

retornaram

casas por volta das 22h.

às

suas

Gleidson Oliveira – Aquic. 2º

última  quinta­feira 31/10,   aconteceu,   aqui   na   escola   a   festa   de Halloween,   onde   muitos   se   fantasiaram   e fizeram suas maquiagem de assustar, haha! E eu, como   uma   admiradora   da   moda,   não   importa como ela seja, vim falar um pouco sobre os looks da festa. Havia pessoas de todos os tipos, Noivas Cadaver,   Zubis,   Mario   Bros,   Monstros   e   até mesmo   o   Naruto   compareceu  à  festa.   E   para concluir com chave de ouro, vou falar de cinco regrinhas básicas que não devem ser esquecidas na grande noite de terror. 1°­ Fantasia: Gente, é o essencial.  2°­ Maquiagem: É necessário para compor o look assustador... Búúh!  3°­ Cabelo: O cabelo, é a moldura do que você vai fazer no rosto.  4°­ Unhas: Para quem tem as unhas grandes,  é ótimo para fazer desenhos. E quem tem as unhas curtas, apostar em morcegos e abóboras é uma boa.  5°­ E no final, é claro, comparecer à festa! Até a próxima com mais dicas, tchau!!

ENEM 2013 O SuperAção Enem 2013 ocorreu no dia 25 de outubro, a partir das 19h. Uma grande equipe de universitários, liderada pelos professores Nonato Furtado e Regivaldo Nascimento, se mobilizou para o sucesso do evento. Enquanto os estudantes estavam distribuídos nas salas de aula, participando de atividades de relaxamento e recebendo dicas de redação, seus pais, também convidados este ano, participavam de uma agradável conversa com os gestores da escola sobre a importância de se apoiar os filhos neste momento decisivo de suas vidas. O evento encerrou-se com um delicioso jantar, em que pais, estudantes e professores se confraternizaram com alegria. Toda essa programação foi pensada para nos preparar melhor para o exame, que ocorreu nos dias 26 e 27 de outubro. Depois das correções de gabarito, aguardamos aciosos o resultado oficial, que sai em dezembro. Desajamos que muitos de nós tenham se saído bem neste Enem. Dávila Alvino (Agro 2º). Dalvinha Oliveira (Aqui. 2º)

PALAVRA DOS AUTORES DO CONTO

Olá, espero que vocês gostem do conto “Vem cá, gatinho!”. Ele faz parte de um livro que está em processo de criação. Pelo jornal, você poderá acompanhar, em três partes, a história de Jéssica, que após matar seu marido, aomeça a imaginar que está sendo perseguida pelo gato Bóris. Será que o gato está em busca de vingança? Ou será apenas fruto da imaginação de Jéssica? Não deixe de acompanhar e deixe seu comentário na página oficial da biblioteca no Facebook.


2

Jornal InterAção

História de Vida do Prof° Renato Corrêa Renato Corrêa   Cruz   nasceu em 10 de março de 1968, em Fortaleza­Ce. Na   sua   infância   e adolescência   estudou   apenas em   escolas   públicas.   Até   um pouco   antes   da   1ª   série,   sua   escola   só   lhe ensinava a fazer  cálculos. E só após a 1ª série começou   a   perceber   um   mundo   escolar totalmente   diferente   do   que   costumava vivenciar. Um fato engraçado, é que em toda sua vida estudou perto de sua casa, pois sua mãe era muito protetora. E por isso estudou em escolas quase sempre com a educação razoável. Quando   estava   cursando   o   terceiro ano   do   ensino   médio,   casou­se,   e   não   tinha   a intenção   de   continuar   estudando.   Mas   sua mulher   queria   ser  Assistente  Social.   E   foi   ela quem lhe incentivou a continuar estudando. E, desse   modo,  conseguiu   ingressar   no   curso   de Filosofia. Quando   já  estava   trabalhando   como professor,  logo após a aula,  pegou uma carona com   a   coordenadora   da   sua   escola,   e   ela   lhe falou   sobre   a   Aprendizagem   Cooperativa;   das pessoas   que   estudavam   debaixo   de   árvores,   e que   estavam   conseguindo   ingressar   na universidade.   Ele   achou   a   história   muito surpreendente e super engraçada. Alguns   dias   depois,  foram   escolhidas onze pessoas na sua escola para participarem de uma formação em  Aprendizagem Cooperativa  e Renato   Corrêa   era   uma  delas.   E   foi   nesta formação que  o  professor  Manoel  Andrade  lhe convidou   para   ser   coordenador   da   EEEP   Alan Pinho Tabosa. E ele aceitou. Atualmente,   está   muito   feliz   por trabalhar   nesta   escola.   E   por   conviver   com pessoas   tão   especiais.   Tem   como   algo determinante em sua vida, acreditar muito em si mesmo, independente do que as outras pessoas vão pensar ou vão falar, e acredita possuir uma autoestima e uma autoconfiança muito elevada. Por:   William   Araújo,     Jéssica   Castro  (Agro   1º) Gleidson Oliveira (Aqui. 2º)

RIR É O MELHOR REMÉDIO Doutrina militar

Dois primos vão servir o Exército. Chegando lá, são entrevistados pelo sargento: – Qual é o seu nome? – pergunta ao primeiro. – É Tonho. – Negativo. De agora em diante você será “Antônio”. E o que você está fazendo aqui? – Tô dando um tempo. – Negativo. Você está servindo à Pátria. E o que é aquilo? – pergunta apontando para a Bandeira do Brasil. – É a bandeira. – Negativo. De agora em diante ela é a sua Mãe. E, então, vira-se para o segundo e pergunta: – Qual é o seu nome? – É Carlos. – E o que você está fazendo aqui? – Servindo à Pátria. – E o que é aquilo? – apontando para a bandeira. – É minha tia, mãe de Tonho. Por Pedro Paulo da S. Bragança, São Paulo (SP) Veja mais em: http://www.selecoes.com.br/Jokes/funniest#sthash.e4H YpfLR.dpuf

EUA x SÍRIA  Por José Arineto

Há um certo tempo a Síria queria ter   um   bom   arsenal   de   armas,   mas   mal sabia ela que futuramente iria prejudicar a si mesma. Há   algum   tempo   começou   a testar   suas   bombas   e   armas   nucleares, enquanto se alegravam em ver a potência de   suas   armas,   não   ligaram   para   as pessoas   que   estavam   no   local,   e   nisso, dentre   as   pessoas   haviam norte­amaricanos,   que   morreram   com   as explosões.  Os  EUA   pediu  a  Síria   que  desse as   armas   para   eles,   mas   não   aceitaram. Então   os   EUA   estão   guerreando   a   Síria. Como os sírios vão reagir eu não sei, mas muita gente irá morrer inocentemente.

DICA DE FILME  Sinopse de Em Chamas       Este   é   o   segundo   volume   da trilogia   Jogos   Vorazes, baseada   nos   romances   de Suzanne Collins. A saga relata a   aventura   de   Katniss (Jennifer   Lawrence),   jovem escolhida   para   participar  dos "jogos   vorazes",   espécie   de reality   show   em   que   um adolescente   de   cada   distrito   de   Panem, considerado   como   "tributo",   deve   lutar   com   os demais   até   que   apenas   um   saia   vivo.   Neste segundo   episódio   da   série,   após   a   afronta   de Katniss   à   organização   dos   jogos,   ela   deverá enfrentar   a   forte   represália   do   governo   local, lutando não apenas por sua vida, mas por toda a população   de   Panem. http://www.adorocinema.com/filmes/filme­196 666/ Estreia 15 de Novembro. Carlos Vígilio (Agro. 1º) Kalebe (Aquic. 2º)

Será que a Síria vai apelar para a ONU???  

NOVIDADES Em breve, teremos na biblioteca o lançamento do projeto CLUBE DO LEITOR. Você que goste de  ler   e  quer   partcipar   deste   clube,   aguarde maiores informações!! Nicelly Marques

ENTREGA DO PRÊMIO SPAECE 2012 Onze estudantes irão receber computadores pelo desempenho acadêmico alcançado no SPAECE 2012. São eles: Mayara Gama, do curso de Agroindústria; Andreza Pontes, Felipe Lessa, Gescilam Uchôa, Mariana Barbosa, Victor Cesar, do curso de Informática; Thais Mota, Leticia Nunes, Levi Oliveira, Milena Kelly e Monika Martins, do curso Acadêmico. O SPAECE - Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará, tem o objetivo de fornecer subsídios para a formulação, reformulação e melhorias da qualidade da educação. Segundo a escala de avaliação que vai de 0 a 500 pontos, recebe a premiação quem obtiver pontuação mínima de 325 na disciplina de Língua Portuguesa e 350 na de Matemática. Vale ressaltar que 2012 foi o primeiro ano de funcionamento da escola e apenas 180 estudantes participaram da avaliação. Os premiados irão receber o computador em uma cerimônia que será realizada no dia 12 de novembro no Centro de Eventos do Ceará em Fortaleza. Parabéns aos ganhadores e força nos estudos! Por Ednaldo Firmiano

A Fundação Itaú Criança lança mais uma vez a campanha Leia para uma criança...

Peça já a sua coleção no link abaixo, e leia para uma criança você também, isso muda o mundo!! https://ww2.itau.com.br/itaucrianca/index .htm

EXPEDIENTE

Redatores:  Carlos Virgílio, Willian Araújo e   Jéssica   Castro   (Agro.   1º   Ano).   Vitória Sousa,   Litelton   Firmiano,   Léa   Tabosa   e Dávilla   Alvino   (Agro.   2º   Ano).   Kalebe Sousa (Aquic. 2º Ano), José Arineto (Infor. 1º   ano).  Revisoras:  Prof.ª   Janayna   de Sousa   Maciel  e   Gláucia   Andrade. Diretores   de   Arte:   Renato   Corrêa (Coordenador   Escolar),   Nicelly   Marques (bibliotecária),  Dalvinha   Oliveira   e  José Gleidson (Aquic. 2º Ano) e Bruno Garcês (Aquic. 1º Ano).


Jornal InterAção

“VEM CÁ, GATINHO!” Por Litelton Firmiano, Leyllane Ramos

- Pronto! Jéssica balançava a colher no copo para ajudar a dissolver o cianureto. No outro lado da cozinha, Marlon, seu marido, colocava a ração para Bóris, seu gato. - O seu café está pronto – disse ela – se você não beber logo vai esfriar. Quando casaram, Jéssica já vislumbrava como seria a morte de seu marido. Tiros? Facadas? Asfixia? Envenenamento? O pescoço vai quebrar? Eram várias as opções, mas tinha que ser uma que fosse possível “esconder” sua participação. Ela também visava a herança que iria receber. Carros, casas, apartamentos são fichinha para o que vou receber em dinheiro. Uma viagem a Miami, três apartamentos em Nova York, joias, joias e mais joias... Agora tinha que se concentrar no café com cianureto que preparava para Marlon. Ela atravessou a cozinha e pôs em cima da mesa a caneca de café enquanto o marido brincava com seu gato cinza. - Pare de brincar com isso e tome seu café. Como você vai se aguentar no trabalho dessa forma? - ela já estava impaciente. - Calma, meu amor, Bóris é nosso amigo. - Bóris... você fica mais com esse gato do que comigo. - Não diga isso – o marido se levanta e dá um pequeno beijo na mulher. Não me beije, desgraçado, morra logo! Marlon senta à mesa e dá um gole no seu café. Nesse momento, Jéssica se senta junto ao marido e Bóris sobe nas pernas do homem. Enquanto alisa as costas do gato, Marlon sente algo queimar em sua garganta. Ele se levanta atordoado, levando a mão ao local da dor. - Graças a Deus – bradou a mulher – pensei que você não fosse morrer nunca! – Marlon encarou a loura à sua frente enquanto Bóris pulava em sua direção. O gato parecia preocupado. O homem encostou-se na mesa e conseguiu murmurar um “desgraçada!” antes de cair morto no chão. Jéssica não conseguiu conter a gargalhada e começou a pular de alegria. - Morra, peste! Morra! - gritava ela enquanto tirava o gato de cima do corpo de Marlon. Com uma só patada, Bóris arranhou a bochecha esquerda da moça, que o soltou instintivamente. O gato se aninhou novamente ao corpo. - Quem vê, pensa que vocês eram uma só alma. – ao falar isso, ela chuta o felino e começa a puxar o corpo para a sala. - Agora tenho que me livrar do presunto. Jéssica corre para o telefone e disca 911 Alô? O desgraçado do meu marido finalmente morreu. Venha tirar essa praga daqui. - Alô? Meu marido caiu morto no chão – choros – me ajude. Socorro! - Calma! Qual a sua localização? Depois de dar o endereço, a mulher foi à cozinha, pegou uma taça e bebeu um gole de vinho. Ela esticou a mão brindando alguma figura

3 invisível.

- À minha vitória! O gato se aproximou da mulher e começou a encará-la. - Depois me livro de você! A mulher dá a curva pelo gato sem perceber que ele ainda a encarava. O serviço de emergência chegou e não conseguiu reanimar o homem. Ela também não pediu autópsia. - Era um homem doente. – dizia ela entre lágrimas. No velório, Jéssica estava de vermelho Vestida para matar! Ops, já matei. e chorava junto ao caixão. Alguns amigos passavam por lá. A mãe e o irmão de Marlon se fizeram presentes desde o início do velório. A velha ficava num canto da sala, parada, apenas observando. baixinho.

- Deve ser louca. – disse a viúva

- O que disse? - perguntou Elvis, o irmão de Marlon. - Nada. Em certo momento, alguns homens entraram no velório e chamaram Jéssica para um lugar um pouco afastado. - Desculpe por entrarmos assim – começou um deles – mas achamos a morte de seu marido um pouco estranha. Gostaríamos de pedir a permissão para investigação, você sabe, o Marlon era um homem de negócios, tinha inimigos, qualquer um poderia matá-lo. Jéssica pensou por um momento e acabou concordando. Ela foi para a sala e olhou para o caixão. Nunca me senti feliz com você. De repente, Bóris pulou no caixão e, ajeitando-se sobre o corpo do dono, começou a olhar a viúva. Era um olhar fundo. Jéssica sentiu um frio na espinha. O gato a olhava com um olhar frio e penetrante, como se naqueles olhos transmitissem mágoa e ódio com um forte desejo de Matar? Vingança? avançar na mulher. Era um gato preparado para atacar, como uma cobra se prepara para dar o bote. O gato a olhava fixamente e ela sentiu novamente um arrepio subir a sua espinha. É loucura minha... Um gato querendo me matar?! - Tirem esse gato de cima do meu marido! – ordenou ela. Mas ninguém se mexeu. O gato começou a miar, mas aquilo mais parecia um chiado. Os seus pelos se eriçaram e ele começou a andar, ainda sobre o caixão, em direção a Jéssica. -O gato vai atacar! – gritou um dos presentes. Jéssica começou a ficar com medo. Ela toca sua bochecha com o arranhão. Bóris pula em sua direção. Quando ela percebe o ataque, grita e põe as mãos na frente ao rosto em sinal de defesa. O gato cai em cima dela e crava as unhas nas mãos da mulher. Os convidados avançam e tentam tirar o gato de cima da moça, mas ele insistia. As unhas rasgavam a carne da mulher com toda a garra possível. Finalmente o felino é retirado de cima de Jéssica e o levam para o quarto. Elvis pega Jéssica e a dirige à cozinha. Mas antes de sair, a viúva olha o caixão mais uma vez e percebe uma leve alteração no rosto do falecido: um pequeno sorriso? - Ele está sorrindo... – diz ela de forma leve. - O que disse? – pergunta o cunhado. - Nada. – responde a viúva ao perceber que não havia sentido no que ela estava falando, até porque ela olhou novamente e viu que o rosto

do marido continuava o mesmo. Na cozinha, Elvis ajuda a moça a fazer um curativo nas mãos. - Obrigada. – ela fala olhando no fundo dos olhos do rapaz e dando-lhe um pequeno beijo em sua boca. - Não faça isso! – fala Elvis – Meu irmão acaba de morrer. - Melhor para nós. Ela olha a porta e percebe que está trancada. A moça o beija novamente. Ele corresponde. Nada melhor do que ter os dois. Esse é melhor. Infelizmente ele não vai comigo para... para... qualquer lugar, meu dinheiro me dará o que eu quiser. Ela ainda o beijava quando sentiu uma presença. Rapidamente ela olha pra trás e vê Bóris sentado na mesa os observando. - Gato maldito! – diz ela entre os dentes. - É só um gato que parece que não gosta de você. - E quem disse que eu gosto dele? Jéssica vai se aproximando aos poucos do gato dizendo “bichano, bichano”. O gato sai da mesa e vai para a sala, só então a mulher percebe que a porta da cozinha estava aberta e que Dona Catarina, mãe de Elvis e Marlon, estava parada observando a situação. - O...olá, Dona Ca...Catarina. – diz a mulher gaguejando. A velha apenas se retira, sem falar ou expressar nada. - Mãe, espere, por favor. – o rapaz sai apressado atrás da mãe. Jéssica olha para o caixão novamente e vê sentando, bem embaixo do caixão, o gato Bóris olhando-a novamente, com o mesmo olhar. De supetão, ele levanta a pata na direção da viúva e sai, para algum lugar desconhecido. Todos saíam do cemitério e Jéssica ficou olhando o túmulo do marido. Então virou-se e foi saindo de lá. Ela não gostava de cemitérios. Mas antes de sair definitivamente, ela dá mais uma olhada para o túmulo e vê um gato cinza Bóris? sentado, encarando o túmulo. Com um salto, ele já estava em cima do mesmo. Jéssica se apressa a ir conferir se era Bóris. Ela acelera o passo, desesperada para ter a certeza. Impossível! Ela para a poucos metros de distância e tapa os ouvidos quando o gato começa a miar alto. Rapidamente, Bóris vira seu rosto para encarar a mulher e avança em sua direção. Corra, Jéssica, corra! O que é isso? Medo de um gatinho. O gato ia se esguiando e chiando na direção de Jéssica. Ele te perseguiu. Ele quer te matar! TE MATAR! O gato já estava bem próximo quando levanta a pata mostrando as garras afiadas. As imagens do arranhão na bochecha e do ataque no velório vieram como um lampejo na cabeça de Jéssica. FUJA!!! A mulher começou a correr a caminho do portão. O carro estava lá. Parado. Parado... Como esse gato veio parar aqui? Mas ela não ficou esperando respostas, simplesmente entrou, sentou, e foi para casa. Quando ela entrou em casa e trancou a porta, sentiu um alívio. Tudo estava acabado. O marido morto. O amante fora dali. A herança chegando. E o gato também. Não, o gato não. Era apenas um gato de cemitério! Psicopata e assassino... Continua...

2ª edição Jornal InterAção  
2ª edição Jornal InterAção  
Advertisement