{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

REVISTA

ED. 16 – IV TRIMESTRE DE 2018

Balanço evidencia principais avanços regulatórios conquistados pela entidade EVENTO ABCSEM realiza 15ª edição do Encontro de Viveiristas

NOTAS Confira os últimos acontecimentos


ÍNDICE

NOTAS DA ASSOCIAÇÃO

CAPA

Confira os últimos acontecimentos

Balanço evidencia principais avanços regulatórios conquistados pela entidade

Página 2

Página 3

EVENTO

ABCSEM realiza 15ª edição do Encontro de Viveiristas Página 6

EXPEDIENTE Conselho Editorial Marcelo Pacotte Jornalistas responsáveis Isabella Monteiro – MTB: 57224/SP Daniela Mattiaso – MTB: 47861/SP Projeto Editorial e Gráfico MyPress & Co.

A Revista da ABCSEM é uma publicação digital da Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas, que tem como objetivo divulgar informações sobre o mercado de hortaliças e flores. Este veículo de comunicação possui periodicidade trimestral, com visualização gratuita e circulação livre na WEB. As opiniões aqui expressas não refletem necessariamente a visão da ABCSEM. © Todos os direitos são reservados. É proibida a reprodução total ou parcial de textos e imagens sem autorização prévia.


NOTAS

NOV

Reunião Câmara Setorial

DA ASSOCIAÇÃO NOV

Reunião ABRASEM

A ABCSEM participou da discussão de propostas, ações e temas prioritários a serem tratados no decorrer do ano de 2019 pela Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem) e seus associados. Dentre os principais tópicos tratados estiveram: Planejamento Estratégico; Agenda com outras entidades; Comunicação; Legislação e Atuação Internacional.

DEZ

Inauguração da filial do Laboratório Agronômica

A ABCSEM esteve presente na reunião promovida pela Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Hortaliças, vinculada ao Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em Brasília (DF). Na ocasião, diversos temas importantes para o setor foram discutidos e compartilhados entre os representantes presentes. Os principais assuntos abordados foram: Apresentação do trabalho realizado pelo Grupo de Trabalho de Minor Crops; Estudo sobre o Perfil Tecnológico do Produtor de Hortifrúti no Brasil; INC 02/2018 - Apresentação do Sistema de Rastreabilidade desenvolvido pela CNA; Incentivo ao consumo de Hortifrúti - Proposta de ação no âmbito do Programa Saber e Saúde; Programa de padronização de medidas de embalagem Ceagesp/Abre ; Banco de dados de apoio à regularização de registro de agrotóxicos; Sugestões de demandas da cadeia produtiva de hortaliças ao novo governo; Aplicabilidade da INC 02/2018 versus inexistência de agrotóxico registrado para as pragas e doenças existentes; Padrões mínimos de qualidade – exigência a partir de janeiro de 2019; Revisão da NR 31(trabalhista); Andamento do PL 3.778/12 (embalagens) Relações Institucionais da CNA; e Relato da missão técnica do Ibrahort em Almería e Múrcia na Espanha. DEZ

A ABCSEM marcou presença na inauguração da filial do Laboratório Agronômica, localizada no Centro Empresarial do Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). O local servirá não apenas como ponto de coleta, como realizará também diversos tipos de análises exigidas para exportação de produtos.

Balanço Geral

Durante a Assembleia Geral Ordinária (AGO), ocorrida em dezembro, foram apresentados todos os trabalhos desenvolvidos pela ABCSEM ao longo do ano de 2018. Houve ainda a aprovação do orçamento e das anuidades aplicáveis para o exercício de 2019, bem como a aprovação da associação da ABCSEM ao International Seed Federation (ISF). Ao todo, 27 profissionais participaram na ocasião.


1 2

CAPA

Balanço evidencia principais avanços regulatórios conquistados pela entidade Forte atuação da ABCSEM no âmbito jurídico ao longo dos últimos cinco anos, trouxe resultados expressivos na melhoria das normativas que regulamentam o setor     Cada vez mais, ano após ano, a Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas (ABCSEM) atua na promoção de melhorias e conquistas para seus associados, principalmente no âmbito jurídico, no que se refere às regulamentações e leis vigentes do setor. O objetivo é claro: promover um maior desenvolvimento do mercado sementeiro nacional, por meio da modernização das normas no país. “Nosso trabalho tem sido contínuo no sentido de transpor os grandes entraves do setor, com a realização das atualizações necessárias em instruções normativas, a fim de facilitar e otimizar a comercialização de sementes de hortaliças e flores”, explica Marcelo Pacotte, diretor executivo da ABCSEM. Para isto, segundo Pacotte, ao longo dos últimos cinco anos, a entidade intensificou e aprimorou ainda mais esta atuação em parceria com a Associação Brasileira de

Sementes e Mudas (Abrasem). Dentre as principais ações realizadas em conjunto estiveram a promoção de eventos específicos para discussão de normativas, a criação de novos grupos de trabalho para tratar de temas específicos (como exportação e tratamento de sementes, por exemplo) e o fortalecimento do relacionamento com órgãos públicos e demais instituições ligadas ao setor. Com isso, diversos avanços significativos no âmbito jurídico foram obtidos e já estão contribuindo para alavancar ainda mais o desenvolvimento e o crescimento dos negócios no setor sementeiro de hortaliças (os resultados podem ser conferidos no quadro “Normativas Publicadas“, nesta matéria). Agora, neste ano de 2019, o trabalho permanecerá de forma consistente, dando continuidade na condução dos processos que ainda permanecem em andamento e que estão sendo legitimados pela entidade (vide o


4 3

quadro “Normativas em Acompanhamento”). “Os desafios na área legislativa ainda são muitos, mas a ABCSEM continuará trabalhando com grande afinco na melhoria das normas que regulamentam o comércio de sementes e mudas no país, visando a desoneração das atividades comerciais dos associados no mercado brasileiro e internacional”, afirma o executivo. Ainda de acordo com ele, vale destacar que neste processo todos saem ganhando, “tanto os associados, que melhoram seus negócios, quanto o Brasil, que ganha legislações mais modernas e atualizadas, condizentes com a realidade mercadológica atual”, reforça Pacotte. Dentre os principais pontos de suporte oferecidos pela entidade aos associados, na área legislativa estão: contato junto à fiscalização do Ministério da Agricultura (Mapa) para a solução de problemas em importações e exportações; contato com os

departamentos específicos do órgão, nos casos de morosidade na realização de procedimentos e cumprimento de prazos; realização de denúncias junto ao ministério; contato com autoridades nacionais e internacionais para resolução de eventuais conflitos, ligados à legislação; organização e realização de treinamentos específicos; e realização de visitas. Além disto, a ABCSEM promove ainda eventos especiais visando fomentar o conhecimento sobre os principais assuntos relevantes para o setor. Nos últimos cinco anos, 26 eventos foram realizados para um público especializado de quase três mil pessoas. Para este ano, já estão confirmados os seguintes eventos: IV Workshop DFIA/Vigiagro, em Campinas/SP (Agosto/19); VIII Seminário Nacional de Tomate de Mesa, em Goiânia/GO (Setembro/19); e o XVI Encontro de Viveiristas, em Nova Friburgo/RJ (Outubro/19).


1 2

EVENTO

ABCSEM realiza 15ª edição do tradicional Encontro de Viveiristas Com formato itinerante, evento busca promover conhecimentos e profissionalização para produtores de mudas em diferentes regiões do país

Já bastante tradicional no setor, o Encontro de Viveiristas promovido pela Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas (ABCSEM) teve sua 15ª edição realizada no dia 25 de outubro de 2018, na cidade de Londrina (PR). Destinado aos viveiristas e produtores de hortaliças, bem como para estudantes, pesquisadores e demais profissionais ligados à área, o evento visa promover a capacitação técnica e a atualização de conhecimentos sobre este segmento de mercado, por meio de palestras ministradas por renomados especialistas da área. Esta edição do evento contou com o patrocínio das empresas: Feltrin, Sakata, Takii Seed, Limagrain e Ginegar Polysack. Na oportunidade, os participantes puderam esclarecer dúvidas, debater assuntos relacionados à prática do dia a dia, bem como trocar experiência com outros

profissionais. A programação do evento contemplou os principais temas relacionados à produção de mudas com qualidade. Durante sua palestra, Pedro Furlani, engenheiro agrônomo e sócio da consultoria agrícola Conplant, destacou que há 10 anos não havia tanta oferta e qualidade de substratos como hoje. “Antes tínhamos mais substratos mistos, com diferenças de qualidade entre lotes, mas hoje há um padrão de qualidade melhor, mais uniforme, para atender as necessidades dos viveiristas”, salientou. Segundo ele, a espuma fenólica está sendo gradativamente deixada de ser usada no mercado, por ter um grande impacto ambiental, mas há outras opções mais eficientes e biodegradáveis como a turfa e a casca de fibra de coco; assim como os substratos residuais, como casca de arroz carbonizada, serragem de fibra de coco e madeira, resíduos de cortiça, etc. O especialista explicou ainda que “quanto


4 3

mais inerte o substrato melhor, porque os nutrientes são melhor aproveitados. É indicado aplicar a solução nutritiva e depois irrigar, mas tem que tomar cuidado para que a irrigação excessiva não lave o substrato e leve embora os nutrientes por lixiviação”, alerta Furlani. Sebastião Azevedo, coordenador de Melhoramento Genético do Tomateiro da Sakata Seed Sudamerica, palestrou sobre os benefícios da enxertia, uma grande aliada da produção de hortaliças, que teve início no Brasil em 1980, com o pepino, tendo se expandido para as solanáceas, em 1990. Com o principal objetivo de proporcionar vigor de plantas, produtividade e qualidade de frutos, a enxertia cresceu muito no país nos últimos anos, sobretudo em tomate, tendo aumentando no período de 2011 a 2017, de 776 mil mudas para mais de 10 milhões de mudas enxertadas, respectivamente. O profissional salientou que a técnica possibilita ainda colheitas múltiplas por longo ciclo e tolerância à variação de temperatura. “No Brasil, a importância principal da adoção da enxertia na horticultura é a resistência à Ralstonia e a importância potencial é a busca por maior produtividade, vigor e outras resistências”, comentou. Diante disso, “o viveirista que quiser investir na produção de mudas de enxertia, deve especializar-se não só na técnica em si, como no manejo,

considerando as condições ideais de estrutura, irrigação, luminosidade, sanidade e mão de obra”, orientou Azevedo. Evelyn Araújo, engenheira agrônoma e especialista em fitopatologia da consultoria Conqualy, destacou em sua palestra diversas medidas que são fundamentais para a produção de mudas com maior segurança fitossanitária e qualidade. De acordo com a especialista, o desempenho da semente vai depender principalmente das etapas iniciais do desenvolvimento, que correspondem ao manejo, irrigação, nutrição, etc. O uso inadequado de tecnologias gera um desequilíbrio do sistema imunológico da planta, em virtude de fatores de estresse, o que resulta na predisposição ao aparecimento de doenças e também de pragas. A melhor maneira de controlar as doenças é a adoção de medidas preventivas e controle integrado”, salientou na ocasião. Para Evelyn, a organização e profissionalização são fundamentais para o sucesso do viveiro. “O viveiro é uma empresa e precisa ser encarado como tal. Por isto, é preciso fazer análise crítica das limitação e deficiências enfrentadas pelo viveiro, além de estabelecer metas para melhorias e projeções futuras de crescimento do negócio. Os colaboradores devem ter treinamentos especializados para maior profissionalização”, enfatizou.

Palestrantes e participantes reunidos durante o Encontro em Londrina (PR)


DEPOIMENTOS CONFIRA, ABAIXO, AS OPINIÕES DE ALGUNS PARTICIPANTES DO EVENTO

“É a primeira vez que participo de um evento da ABCSEM. Vim com o objetivo de saber mais sobre as tendências de mercado e evoluir. E como o nosso setor é bastante difícil, com muitas exigências, é um grande desafio. Mas acredito que este encontro foi um espaço oportuno para colocarmos nosso ponto de vista e trocarmos ideias que possam ajudar a todos os viveiristas. As palestras foram interessantes. Todo novo conhecimento agrega”. WALTER YOSHIO KAMEOKA, VIVEIRISTA DE PARANACITY (PR)

“Eu vim para me atualizar sobre as informações e tecnologias novas, pois a gente acaba se esquecendo durante o tempo, além de também fazer contato com outros profissionais. Este tipo de experiência agrega bastante, tanto para nós que somos os proprietários, como também para os nossos funcionários, que poderão nos auxiliar posteriormente, no dia a dia, a colocar em prática o que aprendemos aqui e para repassar também aos nossos clientes”. KAIO PEREIRA OCANI, VIVEIRISTA DE BORRAZÓPOLIS (PR)

“Já participei de outros encontros de viveiristas e acho importante estar sempre em busca de novos conhecimentos e informações. Eu achei bem interessante a parte de inovações no manejo, apresentação de novos materiais e diferentes possibilidades de produção, como a enxertia. Para mim esta troca de experiências com outros participantes é fundamental, porque nós viveiristas temos que pensar no produtor também, levar estas informações para ele e, é claro, aprimorar cada vez mais a nossa produção”. CRISTIANO GOUVEIA ESPERANÇA

DE

OLIVEIRA,

VIVEIRISTA

DE

NOVA

“Já participei umas três ou quatro vezes dos eventos promovidos pela ABCSEM e acho que o apoio da entidade na resolução de problemas relacionados à legislação é fundamental para o setor. Esta parte de atualização teórica é muito importante, é uma escola para aprimoramento de novos conhecimentos e novas tecnologias que podemos passar a utilizar e repassar também para outros produtores. Estes encontros são importantes para valorizar nosso segmento". GILBERTO YOSHIO NICIO, VIVEIRISTA DE IBIPORÃ (PR)


Todo o setor brasileiro de sementes e mudas de hortaliças, flores e ornamentais se reúne aqui

Profile for My Press & Co.

Revista da ABCSEM  

Edição 16 - IV Trimestre de 2018

Revista da ABCSEM  

Edição 16 - IV Trimestre de 2018

Profile for mypressco
Advertisement