Issuu on Google+

JORNAL DE INFORMAÇÃO REGIONAL – GONDOMAR · N.º 6 · DIRECTOR: PAULO F. SILVA

0,50€ · QUINTA-FEIRA, 18 DE OUTUBRO DE 2012

Escolas de Gondomar com boa avaliação

PÁG. 6

PÁG. 2

Prolongamento da Via do Nordeste abre ao trânsito em Novembro sem rotundas

J. PAULO COUTINHO

Autarquia elaborou estudo técnico e agora não quer investir 300 mil euros nas duas placas giratórias da nova via de Rio Tinto. PÁG. 16

Infante D. Henrique é o mais sério candidato aos títulos nacionais de remo

PÁG. 4 Palmira Neves não alinha na “pouca vergonha” de ver a casa onde mora há 65 anos passar de Gondomar para o Porto

População desconhece acerto de fronteiras

Gondomar e Porto corrigem Carta Administrativa de Portugal PÁG. 12

Concurso para remoção de resíduos de S. Pedro da Cova lançado até ao final do ano


a:

A Manhã | Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

2

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012 | A Manhã

3

ACTUAL Via do Nordeste

Prolongamento da Via do Nordeste inaugura no final de Novembro •• CÂNDIDO XAVIER [Infografia]

O

•• J. PAULO COUTINHO [Fotos]

EI R ARN

Placa giratória A A existência desta rotunda iria permitir a inversão de marcha, em direcção ao centro comercial

TRAÇADO DA VIA DO NORDESTE

ÁC OS

•• PAULO F. SILVA [Textos]

LINHA CP

A4

SC NCI FRA DR. AV.

Câmara mandou estudar hipótese de duas placas giratórias paralelas, para evitar transtornos de trânsito, mas não quer gastar agora 300 mil euros

Placa giratória B Permitiria fazer a ligação entre a Via do Nordeste e a existente Avenida Dr. Francisco Sá Carneiro

A

VI DO

E

RD

NO TE

ES

RIO TINTO

ROTUNDA DE REBORDÃOS

FE RR O

VI

ÁR I

A

AV. CONDUTA

TIN

FÂNZERES

TO

Obras Os trabalhos de construção da Via do Nordeste pararam a tempo da implementação das placas giratórias

Terreno onde o estudo prevê a construção das placas giratórias ainda está, praticamente, por intervencionar

RI O

PROLONGAMENTO DA VIA DO NORDESTE

R. FR

LIN

HA

D AV.

Repsol

IS ANC

área em destaque

RU A IA

ÁL

AM

S

UE

IG

DR

Acesso ao Parque Nascente

Quem chegar à Via do Nordeste vindo da Rua Amália Rodrigues fica impossibilitado de subir para o Parque Nascente, devido à existência de um separador central. Vice-presidente da autarquia admite rasgar o separador

RO

Estudo da Câmara sugere a construção de duas rotundas, junto à linha ferroviária, fazendo a ligação entre a Via do Nordeste e a Avenida Dr. Francisco Sá Carneiro

IRO

TE

TO

ES

E ARN

NO

PO R

DO

RD

Rotunda de Rebordãos É onde começa o prolongamento da Via do Nordeste. Será o local onde muitos condutores poderão ter que ir para inverter o sentido de marcha em direcção ao Parque Nascente

Trabalhos de construção da via centram-se agora na ligação à Rua Amália Rodrigues

SÁ C

VIA

CO

ntra-se em Rio Tinto vindo do Porto e na Rotunda de Rebordãos, à direita, vê-se que por ali nasce um novo arruamento. Desce-se a Avenida Dr. Francisco Sá Carneiro, em direcção ao centro da cidade, e lá está ele. Na Rua Amália Rodrigues, seja em que sentido for, as obras são iniludíveis. Avançam a bom ritmo desde o último Verão e, dentro de um mês, deverão estar concluídas. Mas de que estamos a falar? De um prolongamento da futura Via do Nordeste, entre Rebordãos e o Parque Nascente, última fase do protocolo assinado há uma década com a Câmara. A Via do Nordeste – que há-de ligar a zona de Rebordãos, em Rio Tinto, à Lipor, em Baguim do Monte, e à via estruturante Norte/Sul, sendo que a Lipor se comprometeu a construir a ligação entre estas duas vias com acesso directo à A4-nó de Ermesinde – é uma das velhas aspirações do município que já beneficiou, inclusive, de algumas candidaturas aprovadas no contexto do Quadro de Referência Estratégica Nacional, em 2009. Isso mesmo se pode constatar

reno naquele perímetro.

Via do Nordeste vai entroncar na Rua Amália Rodrigues, depois de passar por baixo da linha ferroviária

pela leitura do Orçamento para 2010 apresentado pela Câmara à Assembleia Municipal de Gondomar. “A continuação da construção de vias estruturantes, previstas no Plano Director Municipal, nomeadamente o início da construção da Via do Nor-

deste e do prolongamento desta ao Parque Nascente, em Rio Tinto, e a Via Norte-Sul e Nascente-Poente, que inclui a Avenida da Conduta, continuarão a ser uma das preocupações do Executivo camarário”, lê-se no referido documento. Mais. Nas Grandes Opções

do Plano dos anos de 2010 e 2011, a Câmara inscreveu, respectivamente, 2,5 milhões e 2,6 milhões de euros para a construção da ligação de Rebordãos (EN 12-1) e a linha de caminhode-ferro (parte da Via do Nordeste), além de 698 mil euros para a expropriação de um ter-

Mais segurança “Esta obra, que é um prolongamento da Via do Nordeste e vai ligar Rebordãos ao Parque Nascente, é uma via alternativa de acesso à zona comercial e é custeada pelo próprio Parque Nascente, já que a Câmara apenas disponibilizou os terrenos”, explicou, ao “A Manhã”, o vice-presidente da autarquia. “E a solução que for encontrada para aquele sítio será a que proporcionar mais segurança”, disse José Luís Oliveira. E quando? “Certamente que até finais de Novembro”, altura em que a via será aberta ao trânsito. Em causa está o acesso ao Parque Nascente através da Rua Amália Rodrigues, que agora irá ser interceptado pelo prolongamento da Via Nordeste em construção. “Aqui há uma década, a Rua Amália Rodrigues como ligação ao Parque Nascente era provisória”, lembra aquele responsável, “e a construção do Parque Nascente só foi feita contemplando este prolongamento, e não com a solução Amália Rodrigues”. Por isso, José Luís Oliveira admite, no limite, que até possa ser feito um corte à esquerda, para quem sobe, na junção da Rua Amália Rodrigues com o prolongamento em construção. “É uma hipótese”, afirma. Oliveira, responsável pelas Obras Municipais, reconhece que, em 2010, os técnicos da autarquia estudaram a possibilidade de instalação de duas placas giratórias (ver infográfico) – na Avenida Dr. Francisco Sá Carneiro e no prolongamento da Via do Nordeste, a poente da linha férrea –, para evitar transtornos que os automobilistas vão sentir. A intervenção foi contemplada no Plano de Actividades daquele ano e o seu custo actual é de cerca de 150 mil euros cada. “É uma hipótese que está temporariamente afastada. A Câmara não vai gastar dinheiro nessa obra. Não pode, nem deve fazê-lo, os tempos não o recomendam”.

EXPERIMENTAM-SE OS ERROS” A acusação é de Marco Martins, presidente da Junta de Freguesia de Rio Tinto, muito pouco satisfeito com a solução camarária para o previsível problema que vai surgir com a abertura ao tráfego do prolongamento da Via do Nordeste. “A postura da Câmara de Gondomar agora é: reconhecem-se os erros mas experimentam-se os erros para ver que impacto podem, ou não, ter nas populações”, dispara. Marco Martins lembra que, desde 2008, tem alertado a Câmara Municipal para o problema em causa, e que inclusivamente inventariou várias soluções alternativas, algumas, até, sem custos para o erário público. “Se pelo menos uma das placas giratórias fosse feita agora, ainda em fase de execução de obra, ficaria por cerca de 10 mil euros”. “Pelo que aparentemente irá acontecer, não tenho qualquer dúvida de que a zona central de Rio Tinto, em termos rodoviários, vai ser completamente estrangulada”, considera o presidente da Junta, inconformado com o que se desenha como futuro a partir de Novembro: “As pessoas que estão no centro de Rio Tinto e que queiram ir ao Parque Nascente passam, então, a ter duas alternativas – ou vão pela Rua da Ranha e Travessa de Vila Cova, onde em alguns locais não é possível o cruzamento de dois veículos, ou vão fazer mais dois quilómetros porque só poderão avançar pelo prolongamento da Via do Nordeste. Isto faz sentido? Ou será que vão interromper o separador central na intersecção com a Rua Amália Rodrigues? E como? Com semáforos?”


g:

A Manhã | Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

4

GONDOMAR Sociedade | Educação

Governo dá luz verde à remoção dos resíduos de S. Pedro da Cova

As 88 mil toneladas de resíduos perigosos estão depositadas nas imediações das piscinas e do Estádio do Laranjal

•• PAULO ALMEIDA [Texto] •• J. PAULO COUTINHO [Foto]

O

Conselho de Ministros autorizou, na semana passada, a remoção dos resíduos perigosos depositados em S. Pedro da Cova, entre 2001 e 2002. A decisão do Governo vai permitir o lançamento do concurso público internacional para a remoção, transporte, tratamento e depósitos de 88 mil toneladas de resíduos, avaliado em 13 milhões de euros. O presidente da Junta de S. Pedro da Cova manifestou

a sua satisfação pela decisão do Governo, esclarecendo que sem o mediatismo que o caso obteve e sem o protesto da população o problema ambiental não poderia ser resolvido. Daniel Vieira lembrou, no entanto, que o depósito dos resíduos perigosos na freguesia foi ignorado durante muito tempo. As 88 mil toneladas de resíduos, com elevadíssimos teores de chumbo, cádmio, crómio, arsénio e zinco, são oriundas da antiga Siderurgia Nacional da Maia e foram colocadas nas antigas escombreiras da mina de S. Pedro da Cova, sem tratamento, embora fossem consideradas pe-

los próprios poderes públicos, entre eles a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, como sendo inertes. A junta de freguesia efectuou análises aos depósitos, atestando a sua perigosidade, mas só em 2011, através do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, o Estado comprovou o problema ambiental e de saúde pública. Daniel Vieira, considerando que foi a luta das populações que colocou o problema na agenda mediática e dos dois últimos governos, admitiu também alguma pressão por parte da União Europeia, uma vez que “vai querer apurar respon-

sabilidades”. Dos 13 milhões necessários à remoção e tratamento dos resíduos, 85% são financiados através do Quadro de Referência Estratégica Nacional. O autarca refere ainda que “todas as instituições que intervieram neste caso têm que assumir as suas responsabilidades”, indicando que o inquérito crime, em que a junta de freguesia se constituiu assistente, permanece em segredo de justiça. Tonelagem Fonte da CCDRN disse, entretanto, ao “A Manhã” que o concurso público para a remoção dos resíduos perigosos

poderá ser lançado até ao fim deste mês. Dado o investimento envolvido aguarda-se que o Ministério do Ambiente decida se abre concurso ou delega esse processo na comissão de coordenação. Esta entidade refere que foram depositadas apenas 88 mil toneladas de resíduos e é sobre esse volume que incide o concurso. Todavia, as guias de transporte emitidas e pagas pela remoção dos resíduos da Siderurgia Nacional da Maia são referentes a 320 mil toneladas. A junta da freguesia mantém que esse é o volume de depósitos efectuados nas escombreiras da mina.


A Manhã | Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012 | A Manhã

Rastreio do cancro da pele. O ACES de Gondomar e o Serviço de Dermatologia do Centro Hospitalar do Porto, com a colaboração da Câmara de Gondomar, efectuaram um rastreio gratuito do cancro da pele. A iniciativa, teve lugar no Multiusos, no fim-desemana passado, e foi visitada por várias centenas de pessoas.

6

g: Educação

Boas notas no “ranking” das escolas Manuel Bernardes, em Lisboa, que atingiu uma média de 14,5 valores em 194 exames, e que este ano está em quarto lugar, com uma média de 13,9 valores em 195 provas. Por regiões, metade dos distritos regista média negativa nos exames do Secundário deste ano e os valores baixaram em todos, com Coimbra a ter os melhores resultados, tal como aconteceu nos exames do Ensino Básico. Com 8699 exames realizados, Coimbra teve uma média global de 10,6 (em 20) e registou as melhores médias no contexto dos distritos nacionais e escolas portuguesas no estrangeiro em Biologia e Geologia (10,2), Filosofia (10,3), Física e Química (8,9) e História A (12,9). Coimbra conseguiu ainda a melhor média nas provas de Física e Química A (8,9), a disciplina com os piores resulta-

dos a nível nacional, com uma média de oito valores. 16.ª e 25.ª do distrito Os alunos do Colégio Horizonte que realizaram os 26 exames do 9.º ano a Português e Matemática tiveram uma média de 4,34 valores, colocando o colégio portuense em primeiro lugar numa tabela nacional com

1328 escolas. Entre os estabelecimentos de ensino do concelho de Gondomar, o destaque vai para o Externato Camões e o Externato Paulo VI, 16.º e 25.º classificados no “ranking” das escolas básicas do distrito do Porto, respectivamente, com uma média de 3,59 e 3,38 valores. A nível nacional, apenas

dois distritos conseguiram ter uma média positiva no conjunto dos exames de Matemática e Português do 9.º ano: em Coimbra e Leiria a média das 14.580 provas foi de três valores. O distrito com melhores resultados foi o de Coimbra, onde os alunos que fizeram as provas do 3.º ciclo conseguiram uma média de 3,07 valores.

RANKING DE ESCOLAS POR MÉDIA DA CLASSIFICAÇÃO FINAL Ensino Secundário (entre 705 estabelecimentos de ensino classificados a nível nacional) Lugar Escola

Nº alunos em exame

Média

1.º

Colégio N. Sr.ª do Rosário

Porto

561

144.83

2.º

Academia de Música de St.ª Cecília

Lisboa

66

143.21

3.º

Colégio Valsassina

Lisboa

203

140.42

18.º

Externato Paulo VI

Gondomar

665

127.72

35.º

Externato Camões

Gondomar

421

118.19

308.º Esc. Sec. de Rio Tinto

Gondomar

1153

95.74

352.º Esc. Sec. de Gondomar

Gondomar

825

93.65

566.º Esc. Sec. de S. Pedro Cova

Gondomar

406

79.02

567.º Esc. Sec. de Valbom

Gondomar

179

78.98

584.º Esc. Básica e Sec. à Beira Douro

Gondomar

84

73.71

Participação dos alunos nos projectos eco-escolas é determinante

Ensino Básico (entre 214 estabelecimentos de ensino classificados a nível distrital) Lugar Escola

Nº alunos

Média

Nº alunos

Média

(exame 9.º ano)

9.º ano

(exame 6.º ano)

6.º ano

1.º

Colégio Horizonte

Porto

26

4.35

22

3.68

2.º

Colégio Novo da Maia

Maia

64

4.08

92

3.88

3.º

Extern. Sag. Coração de Jesus

Porto

82

4.07

100

4.06

Terapia Ocupacional

Terapia da Fala

16.º

Externato Camões

Gondomar

58

3.59

48

3.42

· · ·

· · ·

25.º

Externato Liceal Paulo VI

Gondomar

178

3.38

240

4.03

46.º

Escola Sec. de Gondomar

Gondomar

252

3.12

49.º

Escola Básica de Rio Tinto n.º 2

Gondomar

218

3.10

415

3.12

58.º

Esc. Sec. de Rio Tinto

Gondomar

182

3.03

81.º

Escola Básica Marques Leitão

Gondomar

150

2.91

280

2.78

89.º

Escola Básica de Jovim

Gondomar

166

2.86

202

3.26

93.º

Escola Básica de Fânzeres

Recuperação funcional Mobilidade Integração sensorial e motora

Acompanhamento Psicológico · · · · ·

Estimulação Global Intervenção Precoce Orientação Vocacional Testes psicotécnicos para condutores Avaliação para entrada escolar antecipada

Intervenção em dificuldades de comunicação, gaguez, linguagem, fala e voz Estimulação sensorial e motora Intervenção terapêutica motora oral e facial

Apoio a crianças com NEE · · · ·

Dificuldades de aprendizagem Sobredotação Dislexia Acompanhamento de Pais e Professores

Praça Manuel Guedes, 240 R/C – Gondomar Tel. 22 463 57 32 – email: cliduca.gondomar@sapo.pt Largo do Centenário, 28 R/C – Valongo Tel. 22 422 11 83 – email: cliduca.valongo@sapo.pt

Gondomar

192

2.85

387

2.88

107.º Escola Básica de Gondomar

Gondomar

224

2.79

487

3.14

113.º

E. B. Frei Manuel de Santa Inês

Gondomar

172

2.77

254

3.00

122.º

E. B. de São Pedro da Cova

Gondomar

116

2.75

340

2.83

127.º

Escola Básica de Medas

Gondomar

194

2.72

200

2.67

134.º

Escola Básica de Rio Tinto

Gondomar

244

2.71

386

2.75

183.º

Escola Secundário de Valbom

Gondomar

122

2.48

Gondomar

174

2.19

202.º Esc. Sec. São Pedro da Cova

Educação :g

Bandeiras verdes Eco-Escolas para 1229 estabelecimentos de ensino

Estabelecimentos de ensino de Gondomar ficaram bem posicionados nas tabelas do Secundário e do Ensino Básico O Colégio de Nossa Senhora do Rosário, no Porto, teve os melhores resultados nos exames do Secundário e lidera uma lista de escolas onde nenhum estabelecimento público está entre os 20 primeiros. A lista foi elaborada a partir de dados fornecidos pelo Ministério da Educação e Ciência, considerando as 17 disciplinas em que tenham sido feitas mais de mil provas a nível nacional. Segundo esta listagem, o Externato Paulo VI e o Externato Camões, 18.º e 35.º classificados, são as melhores escolas secundárias do concelho de Gondomar. No primeiro lugar da lista surge a escola do Porto que teve uma média de 14,6 (em 20) nos exames nacionais feitos por 419 dos seus alunos, a mais alta de 491 estabelecimentos de ensino considerados. Em 2011, esta lista era liderada pelo Colégio

7

A Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) entregou na semana passada, bandeiras verdes Eco-Escolas a 1229 estabelecimentos de ensino de 209 municípios, premiando as suas “boas práticas de sustentabilidade”. “Este é o reconhecimento de todo o trabalho que foi feito ao longo do ano [lectivo anterior]”, afirmou José Archer, presidente da ABAE. Archer salientou que as escolas “implementaram o projecto e cumpriram os objectivos a que se tinham proposto num ano particularmente difícil, com várias alterações nas escolas, nomeadamente o desaparecimento da área escola e

as limitações das visitas e orçamentais”. O facto de 1229 escolas receberem o galardão “mostra o extraordinário empenho e motivação dos alunos, dos professores, das escolas e das comunidades onde estão inseridos”, referiu. Em 2011/2012 houve uma “diminuição marginal” do número de escolas a concorrer ao galardão em relação ao ano anterior, contudo, “houve um aumento de escolas premiadas”. “Mais de 85% das (1445) escolas inscritas foram premiadas”, sustentou aquele responsável. No projecto Eco-Escolas “todos são chamados a fazer parte da solução”, disse, “e é

importante que não se desista, porque é possível ser sustentável e é preciso olhar para o futuro”. Na cerimónia, que decorreu no pavilhão Multiusos, Valentim Loureiro frisou que “todas as questões ambientais são hoje de capital importância para o Mundo”. “Para ser saudável é preciso não conspurcar o ambiente”, disse o autarca, apelando ao ensino de boas práticas ambientais, além do português e da matemática, por exemplo. O Eco-Escolas envolve estabelecimentos desde o Pré-escolar ao Ensino Superior, abrangendo actualmente “17% das escolas do país”, referiu Margarida Gomes, da ABAE.


A Manhã | Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012 | A Manhã

Quinzena Missionária. Está em curso até dia 28, na paróquia de S. Cosme e S. Damião, em Gondomar, a Quinzena Missionária, orientada pelos missionários da Consolata de Águas Santas. Estão previstas animações e intervenções nas diversas eucaristias, bem como encontros com os movimentos e os organismos da paróquia.

8

g: Sociedade INTERVENÇÃO NA ZONA DA LEVADA ESTUDADA PELOS MESTRANDOS

Parque Nascente

Av. Dr. Francisco Sá Carneiro

Quinta das Freiras Linha do M etro

Zona da Ponte

A morte e o morrer. “A morte e o morrer entre o deslugar e o lugar”, tese de doutoramento do padre José Nuno Ferreira da Silva, capelão do Centro Hospitalar de S. João, do Porto, é lançada hoje em livro, às 11.30 horas, na Aula Magna da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Hospital de S. João).

9

Sociedade :g

Bloco de Esquerda exige devolução da Casa de Gramido J. PAULO COUTINHO

Estrada da Circunvalação

Centro de Saúde

Av. do Rio Tinto

Escola Rio Tinto

Requalificação da Levada proposta por futuros arquitectos paisagistas •• PAULO ALMEIDA [Texto]

A

zona da Levada, em Rio Tinto, tem sido um laboratório para os alunos do Mestrado de Arquitectura Paisagista, da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Contém todos os ingredientes sobre como não se deve

construir cidade: volumetria variada dos edifícios, dois cursos de água com relevância, sendo que um deles, o rio Tinto, se encontra parcialmente entubado, diversas acessibilidades, incluindo uma linha de metro, terrenos agrícolas encravados em zona habitacional e com alguma indústria, áreas com elevada densidade populacional. Foi a partir deste cenário do

Formadesaída - Consultoria e Gestão Lda Rua D. Afonso Henriques, n.º 1686 4435-003 Rio Tinto Email: formadesaida@gmail.com Tel. 224 075 480/81/82 Fax 224 934 532 Tlms. 917 528 896 / 919 355 599

vale do rio Tinto, entre a Quinta das Freiras e a Rua Afonso de Albuquerque, que os mestrandos Catarina Ferreira, Daniel Oliveira, Iolanda Araújo e José Costa elaboraram uma proposta concreta para renovar a paisagem e resolver uma série de problemas com que as pessoas dali se debatem diariamente. Os alunos propõem o desentubamento do rio, a criação de redes de vegetação nas suas margens, a criação e estabilização de taludes, a criação de percursos pedonais, deslocação das indústrias que ainda laboram nas margens do rio Tinto, alterações na rede viária. Todas as soluções propostas serão divulgadas pelos alunos, sábado, pelas 14 horas e 45 minutos, na Escola Secundária de Rio Tinto, na presença da docente responsável pelo trabalho, Isabel Silva. A apresentação dos alunos, no âmbito da disciplina Impacto e Recuperação da Paisagem, surgiu a con-

Estudo propõe a valorização da actividade agrícola que ainda se pratica junto às margens do rio Tinto vite do Movimento em Defesa do Rio Tinto. Agricultura José Costa, um dos autores, alertou que as propostas do estudo – que “A Manhã” divulgará na próxima edição – “são consideradas em contexto académico, não estávamos limitados a nenhum orçamento e o que tentámos fazer foi o que seria o melhor cenário”. De qualquer forma, contam os alunos, houve alguma preocupação em tornar o projecto exequível. As soluções encontradas resultam ainda de um trabalho prévio realizado por cerca de

30 alunos do curso de Mestrado em Arquitectura Paisagista, a realização de um inquérito à população da Levada. E os resultados não deixam dúvidas sobre o que os rio tintenses pretendem para o curso de água: 87% querem o seu desentubamento e gostariam de ter passeios nas suas margens. Catarina Ferreira relevou a importância do inquérito na realização das propostas, “pensamos que as pessoas têm uma palavra a dizer”. Uma das propostas do estudo, explicaram os autores, é a valorização agrícola, mesmo que privada, da actividade que ainda se pratica nas suas margens: “isto pode chocar os residentes, mas ainda há características rurais em Rio Tinto e decidimos, como arquitectos paisagistas e a pensar no futuro do território, que a agricultura sirva de identidade do terreno para que mais tarde o território possa ser valorizado”.

A direcção do Bloco de Esquerda, que esteve reunida domingo com militantes num restaurante de Valbom, exige à Câmara Municipal de Gondomar a denúncia do contrato de comodato da Casa Branca do Gramido com a Universidade Lusófona. Segundo o BE, o imóvel foi adquirido pela autarquia em 1989, recuperado em 2006, com dinheiro público ao abrigo do Programa Polis, e entregue, em 2009, à universidade privada com o compromisso de ali instalar “um curso superior de aeronáutica, bem como uma biblioteca pública”, além da garantia de conservação do edifício. O Bloco, em comunicado, refere que “o município de Gondomar não ganhou nada com este negócio ruinoso. O investimento público foi desbaratado e a população não tem acesso a um dos lugares da sua memória histórica”. O documento, assinado por Catarina Martins, diz ainda que a Câmara deve obrigar a Universidade Lusófona, “no cumprimento do contrato assinado e que previa obrigações de conservação, ao pagamento das urgentes obras de recuperação do edifício”. A Casa Branca do Gramido encontra-se actualmente encerrada, tendo sofrido um incêndio no ano passado. Classificado como imóvel de interesse público desde 2002,

Louçã lembrou as contradições dos partidos do Governo

o edifício nunca esteve aberto à comunidade. Queda do Governo Francisco Louçã, num outro registo, disse ao “A Manhã” que a coligação governamental deve cair, mesmo que o Orçamento de Estado – onde se espera um “gigantesco massacre fiscal” – seja aprovado. O líder do Bloco destacou as contradições da troika, com o Fundo Monetário Internacional a dizer que este caminho é cada vez mais perigoso e a Comissão Europeia a insistir no caminho da austeridade, explicando que se o governo continuar, “daqui a um ano só nos podem pedir mais aumento de impostos, novos cortes no subsídio de desemprego, novos cortes no Serviço Nacional de Saúde, coisas impensáveis do ponto de vista dos direitos”.

Louçã recordou o objectivo da moção de censura apresentada na semana passada, explicando que se não há maioria no Parlamento para demitir o governo, “há cada vez mais maioria no país para o demitir. Os governos caiem pela pressão popular”. Lembrou também “as contradições flagrantes” entre os partidos da coligação e a desagregação política do PSD e do CDS, “com todas a luminárias da direita a falar de assalto à mão armada, quando se referem ao orçamento”. “O colapso da mentira, o colapso da degradação da política tem um peso enorme e faz com que este governo não tenha mais duração. Se este governo continua um mês, é uma tragédia; continuar três anos, nem pensar”, terminou. ¬ Paulo Almeida

Campo do S. Pedro da Cova vendido a qualquer preço A direcção da Associação Desportiva de S. Pedro da Cova já foi notificada pelo Tribunal de Gondomar do resultado da diligência de venda de activos, que ocorreu em Setembro, e onde não compareceram interessados. O processo de notificação significa que a agente de execução, Eva Paula Pedro, pode vender as instalações do clube por qualquer preço favorável à liquidação da dívida e não tem que avisar o clube das negociações. A A.D. S. Pedro da Cova tem uma dívida de 28 mil euros a uma empresa de transportes da Maia. As anteriores direcções nunca liquidaram a verba em falta e também não responderam às notificações judiciais. O tribunal colocou

então o complexo desportivo à venda, que se encontra avaliado em 2,4 milhões de euros, e é apresentado no “site” de editais electrónicos como “prédio urbano destinado a terreno para construção com 45 800 metros quadrados”. Não tendo surgido interessados na diligência de Setembro, a agente de execução tem agora liberdade para vender o imóvel por negociação particular, o que significa que pode aceitar qualquer oferta, não havendo um preço fixado. Carlos Rodrigues, presidente da comissão administrativa que gere o clube, pediu apoio à Câmara Municipal e também o adiamento da venda do imóvel à agente de execução. O responsável do clube queixa-se da falta de apoio dos sócios.


A Manhã | Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012 | A Manhã

Novo portal da Lipor. No âmbito da comemoração do 30.º aniversário, a Lipor vai promover, em breve, o lançamento de um novo portal na internet, que deverá marcar um novo momento no projecto e na marca Lipor. Objectivo: reforçar a estratégia de activação da marca junto dos seus públicos externos e internos.

10

g: Sociedade

“Anime” japonesa aterrou em Gondomar

J. PAULO COUTINHO

Universo de fantasia pode ser acompanhado a partir da televisão, cinema, vídeo e jogos de computador

11

Sociedade :g

Contar uma história à Europa •• ORLANDO CASTRO

J. PAULO COUTINHO

Para o ano há mais... com certeza!

Dezenas de bancas ofereceram inúmeras atracções para os aficionados

“Adolescentes excêntricos”, dizia alguém à entrada do Iberanime, que ocupou o Multiusos no passado fim-de-semana, assistindo à chegada dos fãs nortenhos de “Anime” – animação japonesa. Os fãs chegavam com as suas cabeleiras lilás, azul-turquesa, maquilhagem carregada, fatos especiais e com adereços estranhos, como sabres, pistolas de raios. Vistos de perto, havia muitos adolescentes, raparigas e rapazes, quase todos acompanhados pelos pais. Mas também muitos adultos, absorvidos por esta cultura urbana, multimédia, desenvolvida no Japão e que se tem vindo a alargar ao mundo ocidental. “Anime” quer dizer animação, desenhos animados. É a palavra japonesa que designa um universo de fantasia que pode ser acompanhado a partir da televisão, dos jogos de vídeo, da banda-desenha-

Durante os dois dias do evento, no Multiusos, foram vendidos mais de seis mil ingressos da (“manga”), do cinema e de produtos oriundos da internet. Os desenhos animados japoneses e a estética “anime” entraram em Portugal nos anos 1980, através das séries televisivas Heidi e Pedro, conquistando milhares de crianças. A partir daí nunca mais deixaram de chegar novos heróis, cada vez mais sofisticados, expondo um universo próprio, onde se multiplicam as capacidades e poderes das personagens, que só crianças e adolescentes iniciados conseguem perceber. Surgem heróis como Pokémon, Dragon

Ball, Lupin III e muitos outros que só alguns conseguem identificar. A “anime” japonesa é um negócio de vários milhares de milhões de euros. Não admira que a Embaixada do Japão tenha representação do Iberanime. Lá dentro, no Multiusos, dezenas de stands ofereciam inúmeras atracções para os aficionados, transformando o pavilhão num enorme e ruidoso parque de diversões: karaoke, demonstrações de artes marciais, concurso de cosplay (“costume play”, representação de uma personagem), jogos de cartas, workshops de origamis, caligrafia e culinária japonesas, stands de venda de “manga” e bonecos. Entrar no Iberanime é entrar num mundo de fantasias coloridas. Cerca de seis mil bilhetes foram cobrados durante os dois dias do evento. ¬ Paulo Almeida

Com o chamado “rosário pequeno” terminaram as festas que, de 8 de Setembro a 14 deste mês, fizeram com que (quase) todos os caminhos viessem dar a Gondomar. Do ponto de vista religioso, o rosário é uma devoção instituída por S. Domingos e que consiste em rezar 15 vezes um pai-nosso e 15 vezes dez ave-marias em honra dos passos da infância, paixão e ressurreição de Jesus Cristo, e das dores, alegrias e glórias da Virgem Maria, dividindose em três terços, um “rosário pequeno” deverá corresponder a um terço. Por outro lado, a visão profana e popular corresponde a “queimar os últimos cartuchos” das festividades, muito similar ao que acontece em qualquer feira do país profundo, lembrando Chico Buarque que, no seu “Fado Tropical”, dizia “Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal: ainda vai tornar-se um imenso Portugal!”. Os feirantes aproveitaram os últimos dias para, como se fossem os primeiros, meter na caixa todos os poucos euros que os visitantes gastaram. No meio de uma generalizada opinião de que a as festas não deram para pagar as despesas, lá aparece um ou outro feirante que contraria a regra. “Não, não é tanto como se pinta”, diz um vendedor de todo o tipo de bugigan-

gas enquanto, do lado de trás da tenda montada na Rua de Igreja, devora com a mulher um frango acabado de comprar. “Fica bem dizer que está tudo em crise. Há anos que ando nisto e todos dizem sempre a mesma coisa. Crise para a frente, crise para trás. Mas a verdade é que nos vamos aguentando sempre”, diz Gajanand, indiano no aspecto, português no vernáculo da linguagem feirante. Também os vendedores africanos, sempre com um sorriso cativador, garantem que “a coisa está a ir”. Abdoulaye, um senegalês com quase dois metros de altura, fala mal português (“língua custa muito”) mas, na verdade, os produtos falam por si e só basta saber dizer o preço. “Eu vive bem. Vai a tudo lado. Come se tem, se falta espera amanhã ver. Vive onde pode”, diz sem receio de ser. Já para a senhora Rosa, com frutaria montada junto à Universidade Sénior, “tudo vai mal”. Ao contrário de muitos dos seus colegas, os produtos que vende são perecíveis “e não dá para guardar e vender na feira seguinte”, lamenta enquanto atira para um caixote algumas peças de fruta já inaproveitáveis. “Os clientes bem olham, mas há cada vez mais gente que só come com o olhar…”. ¬ Orlando Castro

A

associação Ala Nun’ Álvares de Gondomar é parceira, juntamente com instituições de França, Polónia, Itália, Áustria e Holanda, do projecto europeu “Teel me a story” . Trata-se de uma iniciativa no âmbito do programa “Aprendizagem ao Longo da Vida” e inserido na aCção “Grundtvig”. O projecto “Tell Me a Story” (‘Conta-me uma his-

tória’) reúne vários membros de grupos de teatro com o objectivo de explorar questões de comunicação intercultural por meio das actividades teatrais. Visa igualmente promover as ligações europeias entre idosos e jovens artistas não profissionais de teatro, incentivando a comunicação entre os europeus, promovendo a tolerância e a solidariedade entre gerações nas diferentes culturas da Europa. Assim, o diálogo entre gerações, o processo de aprender a

aprender, o combate à exclusão social, a promoção do conhecimento entre jovens e idosos, entre as instituições de educação de adultos, serão enriquecidos pelas diferentes entradas provenientes de outros parceiros europeus. A aprendizagem inter-geracional para promover uma vida activa representa um desafio importante. No caso português, representado pela Ala Nun’Álvares, a ideia é apoiar os prestadores de educação de adultos, formadores e instituições para enfrentar esses desafios, conferindo valor e visibilidade à educação informal de adultos no contexto da aprendizagem ao longo da vida. Nesse processo de aprendizagem, aquela associação propõe abordar os tópicos “Mitos e lendas”, “Técnicas de teatro” e “Inclusão Social”.

Detido em Gondomar por tráfico de droga A GNR deteve, na semana passada, sete homens, com idades compreendidas entre os 18 e 29 anos, suspeitos de tráfico de droga em Vila Real e em Gondomar, tendo igualmente, nessa operação, aprendido seis quilos de haxixe, segundo revelou fonte daquela força policial. A operação resultou de uma investigação sobre tráfico de droga que decorria desde o início do ano. O capitão Gonçalves Lima, da GNR de Vila Real, disse à agência Lusa que os militares realizaram 10 buscas domiciliárias e em viaturas, que culminaram na de-

tenção dos sete homens. Segundo aquele responsável, a GNR deteve seis pessoas em Vila Real e uma outra em Gondomar. Na sequência da operação foram apreendidos seis quilos de haxixe, outras quantidades de drogas como canabis ou cocaína, 10 telemóveis, três viaturas e ainda dinheiro, cuja quantia não foi revelada. A investigação foi desencadeada pelo Núcleo de Investigação Criminal de Vila Real e contou com a participação de militares de outros destacamentos, como Gondomar, num total de 41 homens.


r:

12

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012 | A Manhã

PUB

A Manhã | Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

REPORTAGEM Limites do concelho outros, mas essa coisa de tratarem as pessoas como se elas fossem propriedade dos senhores que colocam e recolocam estradas ao seu gosto, não é algo que eu aceite”, afirma Manuel António Marques, terminando a dizer que “é preciso voltar a ter o que havia noutros tempos – respeito”.

A quem aqui dorme pouco interessa se o dormitório é em Rio Tinto ou no Porto

Palmira Neves mora no número 2755 da Estrada Exterior da Circunvalação há 65 anos e não alinha com a “pouca vergonha de quererem que passe a viver no Porto”

A Rua Nova das Areias passará na íntegra para o concelho de Gondomar

Quem aqui vive vai mudar de concelho sem mudar de sítio

Ao fim de 300 anos só nos faltava essa! Acerto de “fronteiras” entre Gondomar e Porto promete não ser pacífica para cidadãos que vivem nas zonas atingidas

•• ORLANDO CASTRO [Texto] •• J. PAULO COUTINHO [Fotos]

A

s câmaras municipais do Porto e de Gondomar decidiram, à revelia de algumas das juntas de freguesia envolvidas, “acertar fronteiras” entre os dois municípios. Como referimos na edição anterior do “A Manhã”, a zona de Rebor-

dãos, que, até agora, pertence a Rio Tinto, é uma das que vai transitar para a geografia portuense. É uma espécie de ilha criada pelas engenharias que alteraram o itinerário da Estrada Exterior da Circunvalação, criando um beco sem saída, um túnel quase totalmente abandonado e uma dor de cabeça para os que teimam em lá continuar a viver. O moderno empreendi-

mento habitacional ali situado, com algumas dezenas de moradores, especifica que a sua localização fica a 300 metros do Porto e a cinco minutos do Hospital de S. João. A referência a Rio Tinto não é feita, e tem alguma razão de ser. Enclave Neste enclave de Rebordãos existem dois tipos de habitantes. Os que ali dormem e os

que ali vivem. Aos primeiros pouco interessa se o dormitório é em Rio Tinto ou no Porto e, tudo indica, com a passagem para a jurisdição portuense vão ver os seus imóveis valorizados. Os outros, muitos nados e criados neste lugar, não estão pelos ajustes, prometem luta e até recordam que já protagonizaram reacções (foi o caso da luta por uma passagem inferior de acesso a Rio Tinto) que obrigaram à presença da Polícia.

Manuel António Marques, proprietário da principal casa agrícola, “cujos terrenos foram esquartejados ao longo dos últimos anos”, garante “que vai dar luta” para continuar a ter este seu património, “apesar de retalhado, na freguesia de Rio Tinto”. “A minha família está aqui, em Rebordãos, em Rio Tinto, em Gondomar, há mais de 300 anos”, afirma este membro da sétima geração da fa-

“Se o meu pai voltasse cá ficaria certamente maluco com o que fizeram aos nossos terrenos”

mília Manuel António, acrescentando que, “apesar dos meus 72 anos, vou lutar para que tal não aconteça”. E, mostrando a sua revolta enquanto explica o que as novas vias fizeram aos seu património, acrescenta: “Se o meu pai voltasse cá ficaria certamente maluco com o que fizeram aos nossos terrenos e com o que continuam a querer fazer”. “Eu sei que os tempos são

“Pouca vergonha” Ali ao lado, num conjunto de habitações onde ainda se notam os sinais do progresso dos tempos em que a rua (a Estrada Exterior da Circunvalação) tinha saída e, por isso, movimento (agora só funciona um rudimentar barbeiro), Palmira Neves também não alinha com “essa pouca vergonha de quererem que passe a viver no Porto”. Mora no número 2755 há 65 anos. “Com estas alterações mais recentes já ninguém sabe onde fica a minha casa. Quando tenho necessidade de chamar uma ambulância, por exemplo, eles não encontram a morada. Tenho de ir ali para a esquina fazer de sinaleira”, conta com a visível tristeza de quem se sente marginalizada. Palmira Neves, enquanto pede às netas para irem ver o fogão que ficou ligado, olha para aquele ilha “até há bem pouco tempo movimentada e cheia de vida”, encolhe os ombros num sinal interrogativo do tipo “o que é que eu hei-de fazer?”. Faz-se silêncio. Mas, de repente, ganha novo fôlego e afirma: “Como se já não bastasse o que nos roubaram e querem agora, sem falarem connosco, dizer que deixamos de ser de Rio Tinto e passamos para o Porto. Essa não!” Quando disse às netas para se afastarem, tudo indicava que iria usar alguma expressão vernácula. Mas não. Palmira limitou-se a um lamúrio: “Digam a essa gente para pararem de brincar connosco. Mas digam mesmo”.


14

…QUE TENHO PELA MINHA FORMAÇÃO ACADÉMICA.

OPINIÃO Joaquim Barbosa | João Maria Neves Pinto

Os nossos tempos

JOAQUIM BARBOSA Linguísta

A

Verdes”, que pretendiam saber “Que motivos levaram a ARSN a encerrar a urgência do centro de saúde de Gondomar após as 20 horas?” Ainda que a redação da resposta, que “Os Verdes” enviaram à Assembleia Municipal, merecesse uma análise lógico-discursiva que não cabe nos limites desta crónica, é possível perceber duas coisas: i) que “Não existia em Gondomar nenhum “serviço de urgência”, pois serviço de urgência significa enquadramento hospitalar, o que nunca foi o caso” e que “O que existia e

passou a encerrar aos dias úteis era um serviço de atendimento de situações urgentes”; ii) que “todo o concelho de Gondomar está organizado em Unidades de Saúde Familiar” e que “Todas as USF deste concelho estão organizadas com atendimento até às 20 horas”. Dando de barato a tentativa, arrogante, de explicar a diferença entre “urgência” e “situações urgentes” (Ó homem, nós apreciamos e cultivamos nabos, mas não o somos!), preocupame a razão invocada para o encerramento do SASU: não é novidade que,

independentemente das suas virtudes, a autonomia organizativa, funcional e técnica das USF é um caminho aberto para a privatização dos cuidados primários de saúde; mas a organização dos cuidados primários de saúde em USF impede a existência de um serviço de atendimento de situação urgentes? Por outro lado, sabendo que as USF assentam na livre adesão dos trabalhadores que as integram, incompatível com situações de trabalho precário, que vai acontecer aos quase 4 mil trabalhadores a termo que integram as USF, com a mais recente ameaça de despedimentos na feita pelo Governo? E quem (ou o que é que) vai substituir as USF que não tiverem condições para continuar? O autor escreve de acordo com a última reforma ortográfica.

FICHA DE ASSINATURA

JOÃO MARIA NEVES PINTO

A subscrição de uma assinatura anual é a melhor forma de garantir a recepção do Semanário A Manhã. Envie-nos a presente ficha devidamente preenchida, acompanhada do respectivo pagamento, e, após recepção da mesma e boa cobrança, passará a receber o seu jornal na morada que nos indicar.

Escritor

A

Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN) encerrou no fim de março o Serviço de Atendimento de Situação Urgentes (SASU), que funcionava no Centro de Saúde de Gondomar das 20 às 23horas, mantendo apenas o horário das 8 às 21 aos sábados, domingos e feriados. Apesar da oposição da autarquia e das manifestações dos utentes – um deles continua com termo de identidade e residência, arguido do “crime” de manifestação ilegal –, a decisão mantém-se prejudicando quem, em caso doença aguda, preferia ir ao SASU em vez de ir sobrecarregar as urgências hospitalares. Decidi falar do SASU ao ler a resposta do Chefe de Gabinete do Ministro da Saúde a uma pergunta dos deputados José Luís Ferreira e Heloísa Apolónia, do Partido Ecologista “Os

QUEM DEVE ÉS TU E QUEM PAGA SOU EU?!...

ESTOU NO GOVERNO PARA PAGAR AO ESTADO A DÍVIDA DE GRATIDÃO...

Ainda o SASU de Gondomar

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012 | A Manhã

#06 © ONOFRE VARELA

o:

A Manhã | Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

recente manifestação de 15 de Setembro em Lisboa, veio mostrar um crescente descontentamento na sociedade portuguesa. Mais pareceu um acordar de um povo que não se apercebia da situação em que estava. O agravar da situação financeira e económica do país, só começou a ser patente aos seus olhos, quando sentiu o colapso da economia, na sua pele. Até lá, a dialética dos partidos políticos, que dominaram quase sempre este regime pós 25 de Abril, manteve o povo satisfeito, num bem-estar que ninguém se interrogava, donde vinha. Portugal nasceu numa forma de governo, a que se designou chamar de Monarquia, em 1140. O seu percurso de nação foi, com os seus altos e baixos, momentos de riqueza e dificuldades, um dos mais belos, cantado e proclamado por um Camões nas suas estrofes. Na verdade, poucos países se podem gabar de ter dado novos mundos ao mundo. Em 5 de Outubro de 1910 uma revolução substituiu-lhe o seu sistema de governo, para República. Várias razões estão por detrás deste acontecimento mas, duas importa aqui destacar: a crise económica de 1891, e a maneira como a nação interpretava aquilo que era a falta da defesa do Ultramar, pelo sistema monárquico. Durante 16 anos a República, a que se poderá designar melhor como, a primeira, implantou-se na sociedade portuguesa. As diversas fações políticas, os diversos partidos políticos, a desordem social, a incompetência administrativa, a falta de valores, levaram o país ao descalabro, social e económico. Em 28 de Maio de 1926 deu-se naturalmente uma revolução, que levou ao poder uma ditadura militar. Em 1927 Portugal teve que pedir à Sociedade das Nações um empréstimo financeiro que, não foi concedido. É neste contexto que

é oferecido a Salazar, o Ministério das Finanças. Salazar, apoiado na ditadura militar, conduz o país com prioridade para os setores financeiro, económico, social e político. As suas medidas, num critério rígido da prioridade do equilíbrio orçamental, revelam-se eficazes. Portugal, não só equilibrou as suas contas públicas, como as fortaleceu. O Estado Novo veio a ter o seu fim, com a revolução de 25 de Abril de 1974, novamente pelas forças armadas. O principal fator que veio a causar o derrube do Estado Novo, é agora novamente o Ultramar português. Desta vez é derrubado um regime, não pelo facto de não saber defender o Ultramar, mas por o defender. O novo regime desfaz-se rapidamente desse Ultramar, a qualquer preço. O elemento preponderante do mesmo, de nome Mário Soares, quando foi interrogado sobre o que fazer com os 500.000 portugueses brancos a viver nesses territórios, deu como solução: “atirem-se aos tubarões”. O povo português devia ter-se apercebido aí, o futuro que também lhe estava reservado. A segunda República, acabou por ficar dominada pelo socialismo do seu partido. Com todos os defeitos que caracterizaram a primeira, acrescentoulhes ainda o seu gene defeituoso de menino rico, com tiques marxistas. Esbanjou o património em dinheiro e ouro herdados, atafulhou-se em camiões TIR de euros oferecidos pela União Europeia, e ainda pediu emprestado valores incontáveis de dinheiro, acabando no seu último governo Sócrates, na bancarrota. O povo português tem muito que pensar sobre esta segunda República, e sobre as razões do seu descalabro. O autor escreve de acordo com a última reforma ortográfica.

Subscrevo o Semanário A Manhã pelo período de um ano (52 edições), aproveitando os valores da campanha de lançamento (até 31.12.2012). Residentes Gondomar 20 €

Residentes fora do concelho 25 €

Residentes Europa 50 €

Residentes resto do Mundo 75 €

Nome Morada Código Postal

Localidade

Contacto telefónico Email Forma de pagamento Transf. bancária – NIB: 0035.0095.0000.1455.6301.2 (enviar comprovativo) Cheque Morada onde deseja receber o Semanário A Manhã (se diferente da indicada acima) Morada Código Postal

Localidade

Os nossos dados Semanário A Manhã / IR - Imprensa Regional CRL Rua Dr. José Maria dos Santos Moura, nº 114, 4º D – 4435-483 Rio Tinto ir.cooperativa@gmail.com • assinaturas.amanha@gmail.com

LEITORES Neste espaço de Opinião, há também lugar às cartas dos leitores. Ficamos, pois, a aguardar que nos envie o seu texto de opinião para ir.cooperativa@gmail.com com indicação “Carta do Leitor”. Os textos não podem exceder os 1000 caracteres e são da total responsabilidade dos seus autores. Apenas se aceitam textos acompanhados da respectiva identificação do seu autor: nome, morada, cópia de documento de identificação e contacto telefónico. “A Manhã” reserva-se ao direito de não publicar os textos na íntegra.


d:

A Manhã | Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

16

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012 | A Manhã

Futebol de rua. A selecção portuguesa de futebol de rua, que integrou o jovem Daniel “Dani” Miranda, de S. Pedro da Cova, terminou o campeonato do Mundo em 5.º lugar. O campeonato foi ganho pelo Chile, que jogou a final com a equipa anfitriã, o México.

DESPORTOS Remo | Automobilismo | Futebol

Infante D. Henrique quer ganhar tudo em 2013 J. PAULO COUTINHO

tados surgem em 2011, prolongam-se este ano e, em 2013, o Clube Naval Infante D. Henrique é o mais sério candidato aos títulos nacionais.

•• PAULO ALMEIDA

N

ova época, novo campeonato. O Naval Infante D. Henrique é, neste momento, o clube português mais importante no remo. Venceu este ano a Taça de Portugal e sagrou-se campeão nacional de clubes, com o maior número de vitórias e lugares cimeiros, nos escalões femininos e masculinos, em todas as classes, dos infantis aos veteranos. Repetiu o feito do ano passado, onde já havia ganho tudo o que havia para ganhar em Portugal. “Não tenho o número de cabeça, mas penso que no ano passado tivemos 70 e tal atletas campeões nacionais”, diznos Ildeberto Pinto Ribeiro, o presidente do clube de Valbom, que tem a sede e centro de treinos em Gramido. “Além de termos muitos campeões nacionais, o nosso objectivo é alcançar muitos primeiros lugares, não o escondemos. O clube tem também uma componente social importante, como o remo de lazer ou o remo para pessoas com deficiência”, refere o presidente do Infante D. Henrique, explicando que o Centro de Desportos Náuticos de Gramido é entendido como “um equipamento que nos foi posto à disposição pela sociedade civil e que por isso temos que retribuir”. “Milagre” Ildeberto Pinto Ribeiro começou a praticar remo no final da década de 1960, no clube valboense, que foi fundado em 1925.

Ildeberto Pinto Ribeiro, presidente do clube valboense, acredita que clube vai conquistar todos os títulos nacionais

Em 2011 tivemos mais de 70 atletas campeões nacionais”

Graças ao esforço da geração que se iniciou na mesma altura, o clube foi crescendo e ganhando dimensão, “apesar de estarmos instalados num barracão sem condições nenhumas”. O objectivo passou a ser a construção de uma sede e centro de treinos e adquiriu-se o terreno onde estão instalados, ao mesmo tempo que crescia o número de atletas. A construção do centro “passou a ser um sonho

onde nós sentíamos que podíamos lá chegar. De repente aconteceu uma coisa chamada Polis e isso foi quase um milagre, foi como se nos tivesse saído o totoloto”, refere o presidente do clube. Nesta fase o clube não obtinha grandes resultados nas competições. A partir do momento em que o Centro de Gramido começa a funcionar, em 2009, tudo muda. Os resul-

Federação insolvente O sucesso do Infante contrasta com a situação da Federação Portuguesa de Remo (FPR), na qual o clube está representado. A FPR está em processo de insolvência e “corre sérios riscos de ser extinta”, adianta Pinto Ribeiro. “Esta situação deveu-se a uma gestão ruinosa, totalmente irresponsável, do presidente (Rascão Marques). Nós apoiámo-lo no primeiro mandato, não era um indivíduo que caiu aqui de pára-quedas, estava ligado à Académica de Coimbra. Mas, infelizmente, revelou-se um indivíduo prepotente, que tinha por princípio afastar quem pensasse diferente, e nós, ao fim de dois anos, passámos de apoiantes à oposição” referiu. As dívidas da FPR foram acumulando, sobretudo depois do Campeonato Europeu de Remo, em 2010, culminando com o pedido de insolvência, por parte de uma empresa de transporte, e ascendem a cerca de um milhão de euros. O Infante faz parte da comissão administrativa que gere e tenta salvar a instituição, que tem estatuto de utilidade pública. Contudo, a participação do remo português em competições internacionais está em risco de ser suspensa, por falta de apoios. Quanto às competições nacionais, deverão ser os próprios clubes a assegurar a sua continuidade.

17

Automobilismo :d

Inscrições superam expectativas no 7.º Rali de Gondomar Troféu Modelstand pode ficar decidido na penúltima prova do campeonato •• PAULO F. SILVA

A

pesar de já estar encontrada a dupla virtual vencedora do Campeonato Open de Ralis deste ano – Fernando Peres-José Pedro Silva, em Mitsubishi Evo VII –, o 7.º Rali Cidade de Gondomar, que se disputa nos próximos dias 26 e 27, está a suscitar grande interesse, a avaliar pelo número de inscrições que, à hora do encerramento desta edição, já deram entrada nos serviços do Gondomar Automóvel Sport (GAS): bem mais de três dezenas. A possibilidade do Troféu Modelstand ficar decidido na prova de Gondomar é bem capaz de explicar o êxito já conquistado (em 2011 registaram-se 40 inscrições) e de que poucos estariam à espera, sobretudo num quadro de crise económica e financeira mundial que, naturalmente, retrai pilotos e marcas. É que Dio-

go Gago recuperou a liderança do troféu precisamente no último Rali de Loulé, disputado no início deste mês, e está a uma simples vitória de assegurar o triunfo final, curiosamente, no seu ano de estreia. Na luta pelo troféu está também Gil Antunes, que não foi feliz na prova algarvia, tendo sido forçado a abandonar à quarta prova especial. Ambos quererão, arriscamos nós, abraçar o prémio da temporada, isto é, tripular, em 2013, um Peugeot 207 RXC (com

especificações de troféu) com as despesas de participação pagas, nas cinco provas do Campeonato de Portugal de Ralis 2L/2RM. Nestes últimos dias, o GAS assegurou, também, a realização de uma demonstração de “drift”, na noite da superespecial, algo a que ninguém fica indiferente.

Três vezes dois O 7.º Rali Cidade de Gondomar arranca no dia 26, pouco depois das 21 horas, com a primeira prova especial de classificação (PEC), a superespecial de Gondomar, com 1600 metros de extensão, no centro da cidade de Gondomar. No dia seguinte, sábado de manhã, os concorrentes cum-

Apesar da crise económica, o GAS arrisca-se a superar este ano as 40 inscrições do ano passado no Rali de Gondomar

prirão três provas especiais, Gens/Covelo (6,93 quilómetros), Medas (8,97 quilómetros) e Vilarinho (12,24 quilómetros), este último a repetir, à tarde, e que estabelecerá, em definitivo, a tabela classificativa. De referir, em relação ao troço de Vilarinho, em Melres, que foram suprimidos os últimos 900 metros em relação à especial já conhecida (e tão do agrado público!) por razões de segurança, como explicou, na apresentação da prova, Paulo Magalhães, o director do rali.

FOTO: JOSÉ MENDES


A Manhã | Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

Taça de Portugal. O Gondomar vai defrontar o Gil Vicente no próximo sábado, pelas 15 horas, em jogo antecipado da Taça de Portugal. Os bilhetes custam cinco euros para os sócios e oitos euros para o público geral.

18

d: Futebol

Golo de Bosingwa não chegou

O JOGO S. Pedro da Cova

J. PAULO COUTINHO

A Associação Desportiva de S. Pedro da Cova fez um jogo desastrado, domingo, na recepção ao Futebol Clube de Alpendorada, sofrendo três golos e marcando dois, e continuando a perder lugares na Liga de Honra da Associação de Futebol do Porto. O clube gondomarense começou logo por sofrer um golo aos seis minutos, após jogada de insistência da equipa de Marco de Canaveses, que terminou com remate de Ricardo Ferreira. O S. Pedro não baixou os braços e ganhou ascendente sobre o adversário, até chegar ao golo, aos 26 minutos, por Bessa. Mesmo assim o Alpendorada revelou ser uma equipa perigosa, tendo criado várias situações de perigo junto da equipa mineira.

Na segunda parte, o S. Pedro da Cova criou uma grande oportunidade, mas o remate foi para fora, seguido de novo remate, mas para as mãos do guarda-redes Mika. Na resposta, uma sucessão de amarelos a meio campo, para Zé d’Angola e André, aos 67 minutos. Da falta do lateral mineiro resulta um livre e o Alpendorada gfanha vantagem, com golo de Litos. Pouco depois, aos 72 minutos, em jogada de insistência do lateral direito, Miguel Mota falha a intercepção e a bola sobra para Litos, que faz o desvio para dentro da baliza. O S. Pedro da Cova não desistiu, com o Alpendorada fechado na sua área, mas abusou do lançamento de bolas para a área, sem grandes resultados.

A JORNADA

Mesmo sem golos, o Sousense teve uma boa jornada na deslocação ao Coimbrões, com quem já jogou duas vezes esta época, sempre com maus resultados. A equipa da Foz do Sousa subiu dois lugares e tirou a de Gaia da frente da tabela. O

Sobe e desce em Gondomar

II DIVISÃO NORTE Mirandela – Gondomar

CLASSIF.

II DIVISÃO CENTRO 2-1

J V E D M S P

Coimbrões – Sousense

CLASSIF.

0-0

J V E D M S P

2

Bessa (28’) e Bosingwa (78’)

Alpendorada

SETE DIAS Sugestões para a semana • 18 a 24 de Outubro

20

Música

Estádio do Laranjal (relvado)

DIREITOS RESERVADOS

Espectadores Cerca de 300 Árbitro Nuno Lopes Assistentes André Vilaça e Bruno Nogueira A. D. S. Pedro da Cova Miguel Mota, Pedro Gomes, Abel (Cristiano, 65’), Castro, Manuel André n, Vitinha (Pedro Félix, 83’), Nuno Martins (Paulo Silva, 45’), Zé d’Angola n, Bosingwa, Bessa, Bertinho. Treinador: Sérgio Espírito Santo

Desta vez Vitinha alinhou na equipa inicial do S. Pedro da Cova

As esperanças foram depositadas em Bosingwa, lateral direito, que ia recebendo as bolas dos companheiros. Num desses lançamentos, passou o defesa contrário, junto à linha final, com uma sucessão de fintas

e rematou à baliza, quase sem ângulo, conseguindo um golo de belo efeito. A equipa da casa perdia aos 78 minutos e continuava balanceada no ataque, mas já não conseguiu chegar ao golo. ¬ Paulo Almeida

F. C. Alpendorada Mika n, Bruno Azevedo, Hugo Sousa (Diogo, 69’), André Moreira, Flávio, Rafa (Pedro 83’), Litos n, Emanuel, Hélder Silva n, João Santos, Tiago n. Treinador: Vareira

Gondomar, com menos sorte, foi a Mirandela perder por 2-1, num jogo conturbado, com 13 amarelos (sete para Gondomar), e mantém o penúltimo lugar. Na Divisão Honra, derrota em casa para o S. Pedro da Cova, enquanto o S.C. Rio Tinto foi a

S. Martinho conquistar um ponto, no empate a uma bola. Na 1.ª Divisão Série 2, o Ataense continua os bons resultados. Na deslocação a Eiriz, bateu o Águias por uma bola, e mantém o segundo lugar. O Gens foi ao Marco empatar a zero, enquanto o C.A.

Rio Tinto perdeu com o Maia Lidador em casa. Na 2.ª Divisão Série 1, o Melres continua goleador e bateu o Aldeia Nova por 5-0. O Estrelas de Fânzeres continua em maré negra; recebeu o vizinho Medense, que marcou por três vezes, sem resposta.

DIVISÃO HONRA AFP

I DIVISÃO SÉRIE 2 AFP

II DIVISÃO SÉRIE 1 AFP

S. Pedro Cova – Alpendorada 2-3 S. Martinho – Rio Tinto 1-1 CLASSIF.

J V E D M S P

Rio Tinto – Maia Lidador Águias de Eiriz – Ataense AD Marco 09 – Gens CLASSIF.

1-2 0-1 0-0

J V E D M S P

Melres – Aldeia Nova 5-0 Estrelas Fânzeres – Medense 0-3 CLASSIF.

J V E D M S P

5 4 1 0 11 2 13

1º Cinfães

5 3 2 0 12 6 11

1º Perafita

5 3 2 0 7 1 11

1º Pedrouços

5 4 0 1 13 5 12

1º Inter Milheirós 4 3 1 0 7 2 10

2º Mirandela

5 3 1 1 8 6 10

2º Coimbrões

5 3 2 0 10 6 11

2º Nogueirense

5 3 2 0 11 6 11

2º Ataense

5 3 2 0 7 3 11

2º Os Lusitanos

4 2 2 0 9 3

8

3º Limianos

5 2 3 0 4 2

9

3º Anadia

5 3 1 1 4 2 10

3º Baião

5 3 2 0 6 1 11

3º Gondim-Maia

5 3 1 1 8 5 10

3º SC Campo

4 2 2 0 6 3

8

4º Tirsense

5 2 3 0 8 6

9

4º Benf. C. Branco 5 2 3 0 9 6

9

4º Lixa

5 3 0 2 7 2

9

4º Moc. Sangemil 5 2 3 0 6 4

9

4º Melres DC

4 2 1 1 10 2

7

5º Vizela

5 2 3 0 4 2

9

5º Sp. Espinho

5 2 3 0 3 1

9

5º Candal

4 2 2 0 3 0

8

5º Aliança Gandra 5 2 2 1 9 5

8

5º Águas Santas

4 2 1 1 9 7

7

6º Ribeirão

5 2 2 1 5 4

8

6º Ac. Viseu

4 2 1 1 9 4

7

6º D. Sandinenses 5 2 2 1 8 5

8

6º Castêlo Maia

5 2 2 1 4 4

8

6º Canelas 2010 3 2 1 0 6 3

7

7º Famalicão

5 2 2 1 6 5

8

7º S. João Ver

5 2 1 2 6 5

7

7º Barrosas

5 2 2 1 9 8

8

7º Citânia Sanfins 5 2 1 2 4 2

7

7º GD Aldeia Nova 4 2 1 1 8 9

7

8º Padroense

5 2 2 1 3 5

8

8º Cesarense

5 2 1 2 5 6

7

8º S. Pedro Cova 5 2 0 3 7 7

6

8º AD Marco 09

5 2 1 2 6 5

7

8º At. Vilar

3 2 0 1 6 4

6

9º Varzim

5 1 3 1 3 2

6

9º Tourizense

5 1 3 1 8 7

6

9º Valonguense

5 1 3 1 2 2

6

9º SC Nun´Alvares 5 2 1 2 8 10

7

9º Medense

4 2 0 2 7 7

6

10º Fafe

5 2 0 3 4 5

6

10º Tocha

5 1 2 2 6 6

5

10º Serzedo

5 2 0 3 4 5

6

10º Vila Caiz

5 2 0 3 7 10

6

10º FC São Romão 3 1 1 1 5 5

4

11º Amarante

5 1 1 3 5 4

4

11º Sousense

5 1 2 2 5 7

5

11º Sobrado

5 2 0 3 5 8

6

11º Águias de Eiriz 5 2 0 3 5 8

6

11º CD Torrão

4 1 1 2 6 6

4

12º Boavista

5 0 4 1 1 3

4

12º Pampilhosa

5 1 2 2 6 9

5

12º Canidelo

5 1 2 2 5 6

5

12º Leões Seroa

5 2 0 3 10 9

6

12º CD Portugal

4 1 1 2 7 8

4

13º Infesta

5 1 0 4 5 8

3

13º Operário

4 1 1 2 6 7

4

13º S. Martinho

4 1 2 1 8 9

5

13º Alfenense

5 2 0 3 4 7

6

13º Arcozelo

3 1 1 1 8 4

4

14º Vilaverdense

5 0 3 2 3 8

3

14º AD Nogueirense 5 1 0 4 4 9

3

14º Rio Tinto

5 1 2 2 5 7

5

14º Maia Lidador

5 1 3 1 4 5

6

14º M. G. da Costa 3 0 1 2 3 7

1

15º Gondomar

5 0 2 3 5 8

2

15º Sp. Bustelo

5 0 2 3 1 7

2

15º Alpendorada

5 1 2 2 5 8

5

15º Folgosa Maia

5 1 3 1 5 5

6

15º Ramaldense

3 0 1 2 1 8

1

16º Joane

5 0 2 3 3 8

2

16º Lusitânia

5 0 2 3 4 10

2

16º Perosinho

5 1 1 3 4 8

4

16º Gens

5 1 1 3 3 6

4

16º Estr. Fânzeres 4 0 1 3 0 12

1

17º Oliv. Douro

5 1 1 3 5 10

4

17º FC Vilarinho

5 1 1 3 4 8

4

17º Sp. S. Vitor

0

18º Ermesinde

5 0 1 4 3 11

1

18º CA Rio Tinto

5 0 1 4 3 9

1

Próxima jornada: 28 Outubro · 17h Sousense – Tocha

19

3

Tiago (6’) e Litos (69’, 72’)

1º Desp. Chaves

Próxima jornada: 28 Outubro · 17h Gondomar – Limianos

s:

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012 | A Manhã

Próxima jornada: 21 Outubro · 16h Oliveira do Douro – S. Pedro da Cova Rio Tinto SC – Dragões Sandinenses

Próxima jornada: 21 Outubro · 16h Ataense – SC Nun´Álvares Castêlo da Maia – CA Rio Tinto Gens – Águias de Eiriz

4 0 0 4 5 13

Próxima jornada: 21 Outubro · 16h At. Vilar – Melres DC Inter Milheirós – Estrelas Fânzeres Medense – CD Torrão

SÁBADO, 20. Encontro luso-espanhol de orfeões, integrado na iniciativa “Outubro em Música”, organizada pela Junta de Freguesia de S. Pedro da Cova, que decorre até ao último sábado de Outubro. Este sábado, às 21.30, na cripta da Igreja

18 EDUCAÇÃO. O Gabinete de Apoio e Orientação Psicológica apresenta “Poupança versus Consumismo”, no âmbito da iniciativa “Sentados na Almofada”. Sessão a decorrer na Casa da Juventude de Gondomar, às 10

Matriz de S. Pedro da Cova, vão actuar o Orfeão de S. Pedro da Cova, o Orfeão de Rio Tinto e o Grupo Psallite. Do lado de lá da fronteira, chegam as vozes do Coral do Centro Vecinal Cultural de Valladares (Vigo, Galiza) e do Orfeão de Valladolid. horas (sujeito a inscrição prévia).

19 EXPOSIÇÃO. Último dia para ver a exposição “A propósito de um calendário”, na sede da ARGO - Associação Artística de Gondomar.

•••

TEATRO. No âmbito do 13.º Festival de Teatro da Cidade de Rio Tinto, mais uma noite de teatro, com a actuação do Grupo Dramático e Beneficente de Rio Tinto, com a Revista “Afinal é só promessas”, no Salão Paroquial de Corim, às 21.30 horas. DR

MÚSICA. A ATITUNA – Tuna Feminina da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, em parceria com a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Gondomar, levam a efeito o primeiro Encontro Solidário de Tunas, “Atitude Solidária”, com o objectivo de angariar dinheiro e bens alimentares para apoiar as famílias mais carenciadas em situação de risco. Espectáculo às 20.30 horas, no Auditório Municipal.

•••

LEITURA. A Biblioteca Municipal, no âmbito da iniciativa ‘Histórias para Bebés’, promove a leitura de “Adivinha quanto eu gosto de ti”, de Sam McBratney. Às 11 horas.

•••

LEITURA. A Biblioteca Municipal continua a promover a ‘Hora do conto’. Este sábado, “Contos do Arco da Velha: O Caldo de Pedra”, de Maria Teresa dos Santos Silva. Às 16.30 horas.

criação para crianças a partir de 1 anos, inspirada na lenda “A Moura do Rio Douro”. São apresentadas duas sessões, às 10 e às 11.30 horas, na Biblioteca Municipal. DR

•••

EXPOSIÇÃO. Último dia, também, para ver a exposição “Faz de conta”, patente no Lugar do Desenho - Fundação Júlio Resende, com trabalhos Joana Jorge. DR

21 EXPOSIÇÃO. Último dia para ver a mostra colectiva de trabalhos de “Artistas de Gondomar”, integrada nas Festas do Concelho. Patente no Auditório Municipal.

… EXPOSIÇÃO. Até dia 27, na Biblioteca Municipal, colectiva de Fotografia “Olhares sobre Gondomar”, com trabalhos dos alunos da Universidade Sénior de Gondomar. •••

EXPOSIÇÃO. Até 31 de Outubro, na Biblioteca Municipal, “A unidade da multiplicidade: os Arquivos como construtores da identidade”, organizada pela Área Metropolitana do Porto. •••

•••

TEATRO. O Teatro e Marionetas de Mandrágora apresenta “Benilde Bzzzoira”, uma

EXPOSIÇÃO. Até 10 de Novembro, na Casa da Juventude de Rio Tinto, pinturas de Daniel Fernandes.


A Manhã | Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

20

:

ROTEIRO Cinemas

Farmácias de serviço

CINEMA

FARMÁCIAS

ZON LUSOMUNDO PARQUE NASCENTE

ESTREIA HOJE

PARA ROMA, COM AMOR COMÉDIA • M12 Sessões: 13.20/16.05/ 18.50/21.35 e 00.15 h.

PATRULHA DE BAIRRO COMÉDIA • M12 Sessões: 13.50/16.20/ 19.20/22.05 e 00.40 h.

DE SERVIÇO

PERMANENTE DIA 18

COMÉDIA • M12

Conduzidas por Júlio Cesar, as legiões de Roma invadiram a Britânia. Mas uma aldeia continua a resistir. A rainha dos bretões resolve enviar o seu leal funcionário Anticlímax à Gália para procurar ajuda junto de outra aldeia, famosa pela sua heroica resistência aos romanos... ESTREIA HOJE

COMÉDIA • M12 Sessões: 12.40/15.30/ 18.30/21.30 e 00.35 h.

Gondomar S. Cosme DIA 19

Farmácia do Monte Valbom DIA 20

Farmácia Quinta da Igreja Fânzeres DIA 21

Rio Tinto DIA 22

Farmácia Carrilho

Bela Vista – Fânzeres DIA 23

Farmácia Pereira Rio Tinto

RESIDENT EVIL: RETALIAÇÃO 2D ACÇÃO/TERROR • M16 Sessões: 14.10/16.30/ 19.30/22.00 e 00.25 h.

DIA 24

Farmácia Fonseca Fânzeres

REFORÇO DIA 18

Farmácia Central Rio Tinto

THE POSSESSION – POSSUÍDA TERROR • M16 Sessões: 14.20/16.40/ 19.40/22.15 e 00.40 h.

DIA 19

Farmácia Marques Baguim do Monte DIA 20

Farmácia da Areosa Areosa - Rio Tinto DIA 21

BRAVE INDOMÁVEL (2D) ANIMAÇÃO • M4 Sessões: 13.45/16.15/ 18.45; Dom. 11.15 h.

Farmácia Central

Gondomar S. Cosme DIA 22

Farmácia do Chão Verde Rio Tinto DIA 23

AMOR, FELICIDADE, CASAMENTO COMÉDIA • M12 Sessões: 13.00/15.20/ 17.40/21.10 e 23.40 h.

TELEFONES

ÚTEIS

Câmara Municipal

224660500

Farmácia Cardoso

Farmácia Moura

BALAS E BOLINHOS – O ÚLTIMO CAPÍTULO

ASTÉRIX E OBÉLIX: AO SERVIÇO DE SUA MAJESTADE

Telefones úteis

Farmácia Cruz Maia Gondomar S. Cosme DIA 24

Farmácia Central Valbom

Forças de segurança PSP Gondomar 224663370 PSP Rio Tinto 224853850 PSP Valbom 224830053 224830858 GNR Polícia Mun. 224662710 Bombeiros Areosa Gondomar Melres S. Pedro Cova Valbom

229732009 224830001 224760640 224833118 224830041

Juntas de Freguesia Baguim Monte 224899666 Covelo 224760850 Fânzeres 224853480 Foz do Sousa 224542709 Gondomar 224833552 224500387 Jovim Lomba 255766346 Medas 224760676 Melres 224760275 Rio Tinto 224890287 S. Pedro Cova 224663990 Valbom 224648760

Publicidade

u:

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012 | A Manhã

21

UTILIDADES Curiosidades

Acessórios

CURIOSIDADES

Xadrez-boxe está na moda Um desporto que promove um inusitado casamento está a ganhar adeptos e a conquistar seguidores na Grã-Bretanha, desde 2008: o xadrez-boxe. O desporto é inteiramente disputado num ringue e a dupla de participantes alterna um “round” de boxe com uma partida de xadrez. A modalidade foi concebida no mundo da ficção, numa

história em BD do artista francês Enki Bilal. Mas, aos poucos, acabou por fazer a sua transição para o mundo real. Em 2003, a capital da Holanda, Amesterdão, recebeu o seu primeiro campeonato. Agora, até mesmo a prestigiada casa de espectáculos londrina Royal Albert Hall acolhe noites dedicadas ao desporto, com sucesso de público.

ACESSÓRIOS

Um colete que permite dar e receber abraços... via Facebook

Equipamentos Municipais Auditório 224642373 Biblioteca 224664770

TAKEN - A VINGANÇA A CILADA ACÇÃO

História de dois amigos que se juntam para levar a cabo um detalhado assalto, mas que acabam inimigos quando um resolve fugir com o produto do roubo. Quando finalmente o lesado fica frente-afrente com o seu amigo de longa data, é obrigado a tomar uma decisão que irá mudar para sempre a sua vida. EM CARTAZ PARANORMAN (2D) ANIMAÇÃO/AVENT. • M6 Sessões: 13.25/15.50/ 18.15/21.00 e 23.30; Dom. 11.00 h.

ACÇÃO/DRAMA • M12 Sessões: 13.30/16.00/ 18.50/21.40 e 00.00 h.

ENCOMENDA ARMADILHADA ACÇÃO • M12 Sessões: 14.00/16.20/ 19.20/21.50 e 00.10 horas

ARBITRAGE – A FRAUDE DRAMA/THRILLER • M12 Sessões: 13.40/16.30/ 19.15/21.50 e 00.25 horas

LOOPER – REFLEXO ASSASSINO ACÇÃO/F. CIENTÍFICA • M16 Sessões: 13.10/16.00/ 18.50/21.40 e 00.30 horas

Já é possível aos amantes das novas tecnologias e fãs do Facebook receber e dar abraços através da tecnologia sem fios. A ideia surgiu após uma conversa sobre relações de longa-distância e limitações que interfaces como o Skype apresenta e levou uma equipa de estudantes cientistas do MIT (Massachusetts Institute of Technology, nos Estados Unidos), liderada por Melissa Chow, a criar o “Like-AHug”, um colete insuflável com ligação ao Facebook que insufla simulando um

abraço no usuário sempre que os amigos naquela rede social “gostem” de uma fotografia, de um vídeo ou de uma actualização de estado da pessoa que o veste, ou seja, desde que façam “Like” a qualquer publicação no Facebook. O colete não substituirá, certamente, o afecto de um abraço de carne e osso, mas promete, pelo menos, dar uma ajuda. O “Like-A-Hug” (que se pode traduzir por “Como um abraço”, mas que joga aqui no duplo sentido

do termo “Like”) “permitenos sentir o calor, o apoio ou o amor que sentimos quando recebemos abraços na vida real”, explica Melissa Chow, uma das autoras do projecto universitário. Além disso, também permite retribuir o gesto à pessoa que originalmente fez “Gosto” no Facebook, bastando, para isso, apertar o colete e esvaziá-lo. O colete assume-se com uma ferramenta social, “aproximando as pessoas apesar da distância física”, refere a estudante.

O professor mais velho do Mundo vai fazer 100 anos

O padre Geoffrey Schneider, que vai completar 100 anos em Dezembro, foi certificado pelo Guiness World Record, o livro dos recordes, como o professor em actividade mais velho do Mundo. Geoffrey Schneider lecciona Religião e Moral no norte de Sidney, na Austrália, desde 1965. Schneider conta que se sente honrado por poder continuar a dar aulas e que muitos fariam o mesmo se tivessem a saúde e a energia necessárias. Questionado sobre uma possível reforma, responde que espera poder leccionar em 2013, mas não quer fazer planos além disso.


o:

A Manhã | Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

22

ÓCIO Passatempos

Palavras cruzadas 1

2

3

4

5 6

Horóscopo Sudoku

7

8

9 10 11

1

Difícil

***

Originário do Japão, trata-se de um jogo de lógica muito simples e viciante. O objectivo é preencher o quadrado 9x9 com números de 1 a 9, sem repetir números em cada linha e em cada coluna. Também não se pode repetir números em cada quadrado de 3x3.

2

6

3

2

4

2

4

3 4

6

9

7

9

2

3

4

8

1

9

8 9 3

10

9 5

11

8

© SEMANÁRIO “A MANHÔ

HORIZONTAIS 1 - A planta brassicácea mais conhecida de Gondomar. Freguesia de Gondomar. 2 - Vírus causador de febres hemorrágicas. 3 - Serve para fazer cigarros. Porco (popular). 4 - Prece. 5 - Diz-se de uma pessoa inoportuna. 6 - Primeiro nome do responsável pelo grafismo deste jornal. Autores (abrev.). 7 Que tem armilas. Nota musical. 8 - Bário (s.q.). Ao acaso (inv.). Irmãos de pai ou de mãe. 9 - Diz-se dos olhos dos invertebrados em que as imagens se reflectem. 10 - Ter pena. Vogais. Feminino de mau. 11 Instrumento musical de sopro. VERTICAIS 1 - Filho do filho ou da filha, em relação ao avô ou à avó.

Utensílio para pendurar chapéus ou roupa. 2 - Parte que rodeia exteriormente a boca do chapéu. Instrumento rústico para lavrar a terra. 3 Mulher idiota ou aparvalhada. Consoantes. 4 - Saudação. Que merece ou inspira ódio ou grande aversão. 5 - Liga de ferro e carbono. Aquilo que se deduz de certos factos. 6 - Décima sétima letra grega que corresponde ao nosso “r” (inv.). Fórmula do verbo datar. 7 - Olá. O sentimento mais puro. Nome do bispo auxiliar da Diocese do Porto. 8 Levante. Titânio (s.q.). 9 - Pessoa que deixou de ser alguma coisa. …Nun’Álvares. Vogais. 10 - Que usa toga. Nota musical. 11 - Rezo. Género de répteis sáurios que vivem nas regiões quentes.

6 2

9

*

-15% GABINETE DE PSICOLOGIA

DRA. MARINA CARNEIRO COELHO

CARNEIRO. Semana de sorte. Os astros estão do seu lado. Problemas antigos podem solucionar-se num ápice. A sua criatividade está em alta. A sua paixão pode revelar-se. Fique atenta(o) a pequenas demonstrações.

7

GÉMEOS. Nem todos são iguais a si. Tenha cuidado com as “ boas intenções” alheias. O segredo é a alma do negócio, deixe ficar os seus planos em segredo. Valorize mais a sua relação, com vista ao futuro. CARANGUEJO. Aproveite para realizar um sonho antigo. A sua boa disposição vai ajudar bastante para que ele se concretize de modo positivo e feliz. Aprecie uma boa conversa com amigos e/ou familiares. Seja verdadeira(o) e frontal. Todos a(o) compreenderão. LEÃO. Deixe fluir o seu lado emocional, mostrando sensibilidade, equilíbrio e disponibilidade. Os astros favorecem os relacionamentos sinceros e profundos. Boa altura para se revelar em todo o seu ser. Dê oportunidade aos seus sonhos. VIRGEM. Astral muito promissor na área profissional e pessoal. Se puder, faça uma aposta no jogo. Vida amorosa desmotivada. Essa sua possessividade poderá não ser o melhor caminho. Seja conciliador(a) e mostre a sua afectuosidade. BALANÇA. Não acredite em tudo o que lhe prometem. Avalie cada situação com cuidado. A saúde causa-lhe alguma preocupação; trate de averiguar se há ou não razão para isso. Encontre o equilíbrio nas suas actividades. Faça algo que lhe dê realmente prazer.

Pós-Graduada em Tratamento Psicológico Licenciada em Psicologia Membro Efectivo da Ordem dos Psicólogos nº 83

ESCORPIÃO. Chegou a hora de colocar em prática os seus projectos mais ousados e aumentar o seu círculo de amizades. Aproveite o momento para se reconciliar com amigos e com o amor. Uma postura optimista perante a vida ajudará a melhorar.

Programação Neurolinguística. Hipnose Terapêutica. Regressão (Método Brian Weiss e outros)

SAGITÁRIO. Altura indicada para inovar as suas actividades profissionais; renove a sua esperança de melhoria. É preciso acompanhar as tendências actuais. No campo afectivo enfrentará obstáculos, mas terá todas as condições para sair vencedor(a).

Tratamentos: Depressão, ansiedade, perturbações alimentares, dificuldades de concentração/aprendizagem, fobias, traumas e outros

Soluções

4 1

5

18 a 24 de Outubro

TOURO. Com boas ideias e prudência poderá gerar lucros. Clima de segurança familiar. Faça programas diferentes, viva novas emoções. A sua alegria contagiará todos à sua volta. Divirta-se, mas cuidado com as despesas extras!

1

5

Horóscopo

* Desconto aplicável na primeira consulta

Rua Júlio Dinis, 728-5º sala 518 Porto Tlm. 916680712 www.hipnose-regressao.com.pt

CAPRICÓRNIO. A defesa de um amigo injustiçado poderá trazer-lhe dissabores. Se souber manter a calma, chegará ao fim com o dever cumprido. Não aja por impulso. Reserve momentos de descanso e lazer. A sua criatividade mental está em alta. AQUÁRIO. Mostre toda a sua força de vontade. Encare as novas oportunidades profissionais de maneira positiva. O contacto intelectual com outros abrirá novos e interessantes horizontes na sua vida. A sua capacidade de persuasão está em alta. PEIXES. A sua sensualidade e sorte estão em alta. Aproveite. Páre de sonhar e tente levar à prática o que deseja. Bom semana para tentar a sua sorte. Tente auxiliar quem precisa e que tanto espera de si.

4

5

2

3

6

7

5

1

8

4

9

6

3

8

7

2

1

9

8 9 1 3 7

7 1 3 4 9

2 5 5 4 6

6 8 2

6 5 9 2 3 8 4 1 7

2 4 8 7 6 1 9 3 5

9 6 4

1 8 2

8 9 2 7

5 3

1 7 5

6

3 4

3 7 5 6 1 4 2 9 8

VERTICAIS: 1 - NETO. CABIDE. 2- ABA. ARADO. 3 - BOBA. NM. 4 - OLÁ. ODIOSO. 5 - AÇO. ILAÇÃO. 6 - OR. DATO. 7 - OI. AMOR. PIO. 8 - ICE. TI. 9 - EX. ALA. IO. 10 - TOGADO. MI. 11 - ORO. OSGA. HORIZONTAIS: 1 - NABO. COVELO. 2 - ÉBOLA. 3 - TABACO. TO. 4 - ORAÇÃO. 5 MELGA. 6 - CÂNDIDO. AA. 7 - ARMILAR. DO. 8 - BA. OAT. TIOS. 9 IDOSCÓPIO. 10 - DO. AO. MA. 11 - OBOÉ.


a5: A Manhã | Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

Propriedade e edição: IR - Imprensa Regional, CRL Sede e Redacção: Rua Dr José Mª Santos Moura, 114, 4º D – 4435-483 Rio Tinto NIPC 510 263 542 Tlm. 968 563 361 · ir.cooperativa@gmail.com

24

Director: Paulo F. Silva Director-adjunto: Paulo Almeida Redacção: Cândido Xavier, J. Paulo Coutinho (Fotografia), Onofre Varela (Cartoon), Orlando Castro, Paulo Almeida e Paulo F. Silva Grafismo: Cândido Xavier Dep. Comercial: Luiz Miguel Almeida (Tlm. 917 300 338)

ATÉ QUINTA

EM CIMA DA HORA

redaccao.amanha@gmail.com assinaturas.amanha@gmail.com Impressão: Empresa do Diário do Minho Rua Santa Catarina, 4A · 4710-306 Braga Distribuição: Folhas&Papelotes Tiragem: 3000 exemplares Periodicidade: Semanal Reg. ERC: 126269 Depósito legal: 348531/12 Siga-nos em www.facebook.com/pages/ Semanário-A-Manhã

JÚLIO ROLDÃO

O melhor ténis de mesa no Multiusos

Câmara de Gondomar espera assinar 200 protocolos

É já este fim-de-semana que terá lugar, no Pavilhão Multiusos, entre as 10 e as 19 horas, a 15.ª edição do Torneio de Ténis de Mesa da Ala Nun’Álvares de Gondomar. O torneio está inserido no calendário da Federação Portuguesa de Ténis de Mesa e é uma das provas de referência no país. A edição deste ano conta com quase 500 inscrições, de 39 clubes de todo o país. Iniciados, cadetes, juniores e seniores são as classes que o torneio abrange, em dois dias de competição. Paralelas à competição, vão acontecer diversas iniciativas, como a prova para populares, já amanhã, às 21 horas. Podemse inscrever todos aqueles que tenham uma paixão em comum – o ténis de mesa. Durante o fim-de-semana haverá um espaço para os interessados em experimentar a modalidade, bem como uma área dedicada aos mais novos. No sábado, depois do torneio, a Ala Nun’Álvares de Gondomar promove um jantar para celebrar o aniversário do clube e para homenagear os campeões nacionais da época 2011/12. O jantar está aberto ao público em geral e realiza-se também no Pavilhão Multiusos. A Ala Nun’Álvares é, actualmente, uma das principais referencias no ténis de mesa nacional. E, já em Novembro, vai disputar a Final da Supertaça contra o CTM Mirandela.

O prazo para entrega de candidaturas de apoio ao movimento associativo terminou na sexta-feira. Não foi possível apurar, até à hora do fecho desta edição, qual o número de processos recebidos pela Câmara Municipal. Mesmo assim, fonte da autarquia revelou que eram aguardadas cerca de 200 propostas de protocolo. Trata-se de uma previsão que segue os números dos últimos quatros

anos. Em 2011, a autarquia assinou 197 protocolos com 162 associações do concelho, 88 do sector cultural, 83 da área do desporto e 26 do sector social. Os programas de apoio ao associativismo local estão divididos pelas três áreas mencionadas, totalizando um investimento camarário de cerca de um milhão de euros. O Programa de Apoio ao Associativismo Desportivo está orçado

em 580 mil euros; o Programa de Apoio ao Associativismo Cultural e Recreativo, em 250 mil euros; e o Programa de Apoio à Acção Social, que visa contribuir para atenuação dos fenómenos de pobreza e exclusão social, está orçado em 160 mil euros. O vereador da Acção Social, Fernando Paulo, convocou as associações para uma acção de esclarecimento, que teve lugar no passado dia 2.

Reunião pública com protesto à porta Os trabalhadores da Águas de Gondomar vão estar hoje concentrados em frente aos Paços de Concelho, em protesto pelo aumento do horário de trabalho. Acompanham-os uma delegação do Sindicato dos Trabalhado-

res da Administração Local, para questionar o Executivo, reunido em sessão pública a partir das 10 horas. Na reunião camarária serão discutidas, entre outros assuntos, a prorrogação do prazo de conclusão das obras

de requalificação do pavilhão desportivo da EB2,3 de Fânzeres, a beneficiação da EB1 de Jancido, a construção do centro infantil dos Carregais – S. Cosme e a construção do Centro Escolar de Baguim do Monte.

Jornalista com actividade suspensa

Mulher polícia toda encharcada

Na semana passada, num daqueles dias em que choveu a bem chover, ao conduzir, em Gondomar, a carrinha comercial de dois lugares que habitualmente conduzo, fui mandado parar por uma jovem mulher polícia literalmente encharcada da cabeça aos pés. Apercebi-me que ela estava toda molhada quando baixei o vidro da janela da porta do condutor, umas décimas de segundo antes dela perguntar se eu não me importava, face à violência da chuva, que ela se sentasse ao meu lado, no lugar do morto. Eu disse que sim, que fizesse o favor de entrar. Mal entrou, descalçou os sapatos (que podiam torcer-se, tal era a água) e, acto contínuo, perguntou-me se eu, por acaso, não teria, no carro, uns jornais velhos que lhe dispensasse para ela improvisar umas palmilhas capazes de absorver a humidade. Dei-lhe um exemplar de “a Manhã” e ela identificou logo a minha fotografia. “Este aqui é você”, atirou a rir, perguntando de imediato se eu não me importava de levar com um dos pés dela na cara. Sempre a rir, e sem me deixar responder, disse que a situação lhe lembrava outra, ainda mais estranha, a envolver um sapato de senhora que voou numa auto-estrada, história que prometeu contar quando voltar a mandar-me parar.


MANHA06_web