Page 1

ÓRGÃO MENSAL DE DIVULGAÇÃO ESPÍRITA PARA TODO O BRASIL • FEVEREIRO DE 2016 • ANO 3 • Nº 29 • 16.000 EXEMPLARES • DISTRIBUIÇÃO GRATUITA www.institutocairbarschutel.org – www.associacaochicoxavier.com.br

Esperança

sempre

O momento do país e da sociedade mundial requer bom ânimo, disposição e atitude no bem, com respeito e com fraternidade. Página 9

Especulação moral? Afinal, o que nos move? Veja abordagem de Andres Gustavo Arruda. Página 7

Fechamento autorizado Pode ser aberto pela ECT

Escola do Sentimento

Reúnam-se para orar

Universidade de Marília é destaque

Iniciativa do IBEM está em expansão e pode abranger todo o país.

A potencialidade da prece em conjunto nas visões de León Denis e Frigéri.

Conheça na reportagem o Centro Universitário Eurípedes de Marília.

Página 3

Página 12

Página 5

Acesse: www.institutocairbarschutel.org


Fevereiro de 2016

Editorial

Ano promissor

A

pesar da crise moral e econômica que enfrenta o país, por mais paradoxal que possa parecer, vivemos um período promissor para a criatividade que podemos colocar em ação para os enfrentamentos que aí estão a exigir decisões. As crises, na verdade, são propulsoras do progresso e promovem despertamentos da sonolência que nos permitimos. Isso como nação, instituições e como individualidades. O ano trará muitas ocorrências felizes ao movimento espírita, com a pujança que lhe é própria. Pedimos que fiquem antenados para não perderem as notícias desta e das próximas edições, todas motivadoras para a coragem, o trabalho no bem e a confiança em Deus. Diferentes eventos farão os intercâmbios para o fortalecimento do imprescindível trabalho da divulgação espírita que orienta, esclarece, conforta. No mês (fevereiro) em que Schutel lançou sua RIE – Revista Internacional de Espiritismo, em 1925, há 91 anos, qual seria sua visão de futuro? Estamos vivendo o entusiasmo que ele projetou no tempo. Saibamos valorizar e honrar esse compromisso de amor ao ideal espírita. r

PÁGINA 2

Sem ressentimentos com os problemas familiares Página de André Luiz convida à convivência pacífica.

V

Do livro Vivendo o Evangelho, volume I, Antonio Baduy, IDE, item 42 – pag. 94

ocê lamenta os problemas familiares. Encontra o parente. E ele é antipático. Ama o filho. E ele é insensível. Fala com o irmão. E ele é estranho. Gosta do pai. E ele é agressivo. Acaricia a mãe. E ela é indiferente. Aprecia o primo. E ele é arrogante. Dialoga com o tio. E ele é mordaz. Admira o sogro. E ele é distante. Considera a nora. E ela é hostil. Respeita o cunhado. E ele é prepotente. Relações difíceis entre familiares são reajustes e compromissos, determinados por dívidas em existências passadas. Tolere e ajude, sem ressentimento, o familiar que não é simpático, fazendo por ele o melhor possível. No contexto da reencarnação, família não é simples reencontro. É oficina de trabalho. (Comentário para estudo do capítulo IV, item 19, de O Evangelho Segundo o Espiritismo) r Nota: Os volumes I e II do livro Estudando o Evangelho, estudam item por item de O Evangelho Segundo o Espiritismo. São comentários do espírito André Luiz, pela mediunidade Antonio Baduy Filho.

José Luiz Condotta Médico psiquiatra faz palestras em São Carlos e Matão: 19/fev – sexta, 20h – O Clarim, em Matão. 20/fev – sábado, 18h30 – Seara Espírita, em São Carlos. 21/fev – domingo, 09h – Nosso Lar, em Matão. Com o livro “Homem e Deus: construindo a felicidade”, em momentos de autógrafos.


PÁGINA 3

Fevereiro de 2016

Campanha pela Escola do Sentimento Projeto pode ser aplicado em qualquer escola. É uma visão transformadora da educação e do processo ensino-aprendizagem. Conheça, participe, colabore! Estamos engajados. IBEM

educacao@educacaomoral.org

V

ocê está sabendo que o Ministério da Educação lançou o Portal Inovação e Criatividade na Educação Básica, listando 178 instituições brasileiras que estão fazendo a diferença no ensino? O Instituto Brasileiro de Educação Moral – IBEM, também está engajado nesse trabalho de fazer a diferença, mantendo o projeto da Escola do Sentimento, que pode ser aplicado em qualquer escola, numa visão transformadora da educação e do processo ensino-aprendizagem. Nosso grande sonho é ver a Escola do Sentimento implantada,

realizada, acontecendo por todos os cantos deste nosso Brasil. Para isso mantemos o Clube Amigos do IBEM, do qual toda pessoa física acima de 18 anos pode participar, fazendo sua inscrição e contribuindo mensalmente com o Instituto com o valor mínimo de R$ 15,00. Assim formamos um Fundo Mantenedor que tem por objetivo auxiliar a construção da Escola do Sentimento, ou o financiamento às escolas que queiram se transformar em Escola do Sentimento. Se você não puder ter o compromisso mensal, pode realizar

Veja o que o IBEM está fazendo Educação a distância De qualquer parte do Brasil professores, diretores escolares, coordenadores pedagógicos, estudantes de pedagogia, pais e educadores em geral podem estudar com o IBEM. É só acessar www.educacaomoral. org, escolher entre os cursos oferecidos e fazer sua matrícula. Os cursos possuem 30 horas/aula e são realizados em 4 semanas. Ao final o IBEM faz a entrega do certificado. Matrículas abertas para as turmas do mês de Março de 2016. Programa Vivendo Sempre em Paz É um programa oferecido gratuitamente para as Escolas e Organizações Sociais, distribuindo Cadernos de Atividades Educacionais sobre a Paz, que são auto-aplicáveis pelos educadores. Os Cadernos trazem atividades para a sala de aula, textos para reflexão e jogos educacionais, tudo voltado para a cultura da paz. E não há necessidade de cadastro, basta entrar no site do IBEM e baixar os cadernos. Contato Conheça o trabalho do IBEM em www.educacaomoral.org. Somos uma rede interativa de educadores trabalhando por uma nova educação. Faça contato através do e-mail educacao@educacaomoral.org, ou pelo telefone (21) 3439-0665. Também estamos no Facebook.

uma contribuição avulsa, seja através de depósito bancário ou através do PagSeguro (veja quadro com as explicações). E se não puder contribuir financeiramente, pode ser um divulgador de nossa campanha pela Escola do Sentimento junto a familiares e amigos. A Escola do Sentimento tem como proposta realizar, de forma integrada, o desenvolvimento emocional e cognitivo de crianças e jovens, num processo educacional por projetos, onde os educandos trabalham em grupos

de atividades e exploração do conhecimento. A Escola do Sentimento é proposta do IBEM para uma escola dinâmica, transformadora, ética e participativa, tendo por base o trabalho desenvolvido por Pestalozzi, e as modernas conceituações e experiências pedagógicas, entre elas as ideias e experiências de Freinet, de Paulo Freire e de José Pacheco. Participe da Campanha pela Escola do Sentimento. Juntos seremos força transformadora da educação. r

Campanha Escola do Sentimento Acesse www.educacaomoral.org e clique em Clube Amigos do IBEM ou Escola do Sentimento, e veja como participar dessa campanha pela transformação das escolas, do ensino e da educação. Sua colaboração é fundamental para que a Escola do Sentimento seja uma realidade. Você pode contribuir de três maneiras: 1 – Inscrevendo-se no Clube Amigos do IBEM, colaborando mensalmente com a quantia mínima de R$ 15,00. 2 – Fazendo um depósito avulso no Bradesco, agência 0663, conta 074393-3, CNPJ 03.322.662/0001-76. 3 – Realizando sua contribuição através do sistema PagSeguro.


PÁGINA 4

Fevereiro de 2016

Caricaturas O estudo perseverante do Espiritismo permite conhecê-lo devidamente. Rogério Coelho

rcoelho47@yahoo.com.br

S

abemos que a caricatura é um desenho que, pelo traço, pela escolha de detalhes, revela certos aspectos fisionômicos da pessoa, acentuando-se, assim, mais os defeitos ou fatos em que esteja envolvida. É, portanto, uma reprodução deformada de algo ou alguém. No teatro é a representação burlesca em que são comicamente imitadas pessoas e fatos; arremedo, farsa, sátira... Pois bem, existe certo tipo de inimigo da luz cuja técnica de ação é justamente usar o recurso da caricatura. Desenham, então, a caricatura do Espiritismo com o fim específico de denegri-lo. Ora, eles sabem muito bem o que é o Espiritismo, vez que todo

aquele que faz uma caricatura precisa estudar muito bem o modelo original. A partir daí, acentuando e revelando detalhes isolados, tecem o retrato distorcido ou tendencioso, com o qual pretendem iludir os ignorantes e desavisados, mostrando-lhes uma reprodução deformada. Os caricaturistas dessa ordem são de todos os tempos! O próprio Mestre Lionês já esteve às voltas com eles. Andam agora tentando “refinar” a Codificação. Não sem motivos Jesus já nos alertava contra os falsos profetas. O Espírita-Cristão jamais deverá negligenciar o estudo perseverante da Codificação Espírita a fim de reconhecer imediatamente uma “caricatura” quando com ela se deparar. Tal a imperiosa necessidade de esmiuçar até à exaustão os ensinamentos kardequianos para que estejamos

devidamente municiados contra as argumentações falaciosas e distorcidas dos inimigos da luz. É até mesmo nosso dever de Espíritas-Cristãos divulgar em espírito e verdade os sublimes ensinamentos de Jesus através das cristalinas lentes espiritistas de modo a legar aos pósteros, sem distorções, a formosa Doutrina elaborada pelos Benfeitores da humanidade em parceria com Kardec. Será sempre de grande utilidade atentar para estas palavras de Erasto1: “Nos momentos de transição qual o em que vivemos atualmente, urge desconfiar dos falsos profetas tanto como desmascará-los, vez que uma multidão de ambiciosos e intrigantes se arvoram em reformadores da humanidade... Desconfiai, pois, dos falsos profetas, máxime numa época de renovação, qual a presente, porque muitos impostores se dirão enviados de Deus. Eles procuram satisfazer na Terra à sua vaidade; mas uma terrível justiça os espera, podeis estar certos. É contra esses impostores caricaturistas da verdade que se deve estar em guarda, correndo a todo homem honesto o dever de desmascará-los.” r 1. KARDEC, Allan. O Evangelho Seg. o Espi-

ritismo. 129.ed. Rio [de Janeiro]: FEB, 2009, cap. XXI, item 9.

Bacelli em Araraquara (SP) 26 de fevereiro, sexta-feira, 20h = palestra na Casa da Fraternidade Chico Xavier – Rua João Velosa do Amaral, 187, Vale do Sol – tema livre 27 de fevereiro, sábado, das 14h30 às 18h = seminário no anfiteatro da UNIARA – Av. D. Pedro II (entre ruas 5 e 6), Prédio da Universidade. Tema: Mediunidade e Médiuns, das obras Mecanismos da Mediunidade e Nos Domínios da Mediunidade, Chico Xavier/André Luiz. Abertura com o grupo espírita FAMILIA COM JESUS. Informações pelo e-mail: gustavogandolfi@aasp.org.br – fone 16 9 8157 0932 ou pelo site: http://fraternidadechicoxavier.com.br/ e ainda: https://www.facebook.com/fraternidadechicoxavier/


PÁGINA 5

Fevereiro de 2016

Dedicação exemplar no ensino superior Missão é ensino superior também para quem não pode pagar na maior instituição espírita do país atuando na área acadêmica. Orson Peter Carrara

orsonpeter92@gmail.com

E

ntrevistamos Dr. Luiz Carlos de Macedo Soares, promotor de justiça aposentado vinculado a várias instituições espíritas de Marília (SP), onde reside, e presidente da Fundação de Ensino “Eurípides Soares da Rocha”, que mantém o Centro Universitário Eurípides de Marília – onde também exerce as funções de Reitor (voluntário, sem remuneração). Compactamos aqui em trechos parciais os destaques da entrevista, ainda inédita, que será publicada na íntegra pela revista eletrônica O consolador (portal www. oconsolador.com.br). A Fundação surgiu em 1965 por iniciativa do movimento espírita e levou para a cidade os primeiros cursos superiores; suas respostas oferecem a dinâmica do ideal espírita. (...) 3 - Considerando seus objetivos acadêmicos, quantos cursos existem atualmente em sua grade curricular? São 11 cursos superiores de graduação, sendo o curso de Direito com Nota Máxima pelo MEC, 8 cursos de pós-graduação Lato Sensu e o Mestrado em Direito que é Nota 3 pelas Capes. 4 - Há algum tipo de vínculo da instituição com o movimento espírita local? Qual e como? A instituição mantém vínculo permanente com a comunidade espírita de Marília e pode ser considerada a maior instituição espírita do Brasil atuando no Ensino Superior Brasileiro. Os membros da mantenedora da Fundação, são também membros do Educandário Dr. Bezerra de Menezes, do Hospital Espírita de Marília, do Instituto Assistencial Espírita de Marília e de vários centros espíritas de Marília.

Registro importante: para participar da mantenedora da Fundação é necessário que o companheiro seja membro atuante espírita. (...)

de diferentes grupos e níveis sociais, contamos com pessoal de nível básico na administração e de vários doutores e mestres na docência. Esse

5 - De seu histórico à frente da instituição, qual o maior aprendizado, considerando seu envolvimento pessoal com a Doutrina Espírita? Creio que posso afirmar sem dúvidas que o principal aprendizado é a prática dos ensinamentos da doutrina na administração da Fundação. São mais de 300 funcionários, pessoas

grupo muito heterogêneo, mais as responsabilidades com as finanças e o bem conduzir a instituição para que se mantenha dentro dos padrões saudáveis da economia é um desafio diário. Vale ressaltar ainda que a principal missão da Fundação é oferecer a oportunidade aos mais carentes de cursar o ensino superior, conforme

seus estatutos iniciais, e vejo que aí é que está o grande aprendizado manter viva esta chama da caridade e da fraternidade, mesmo em tempos mais duros da economia. (...) 7 - Algo marcante que gostaria de destacar? Desde o início atendemos alunos carentes com bolsas de estudo integrais ou parciais. São dois momentos marcantes: o primeiro quando eles nos procuram para fazer o vestibular e posteriormente a matrícula. Os pais trazem os sonhos, trazem a esperança de ver seu(a) filho(a), muitas vezes, o(a) único(a) que no meio familiar teve a chance de chegar até o ensino superior. Precisam da bolsa de estudos para ver este sonho realizado. Passam pelo Núcleo de Assistência Social, fazem a entrevista e quando se enquadram no perfil da carência estão aptos a integrar o quadro discente. É a primeira parte do sonho realizado. A segunda parte, a mais feliz ainda, é quando no dia da formatura a família inteira está presente, trazem cartazes “você venceu”, “você conseguiu”, “parabéns pela conquista”, “você é vencedor(a)...” e enchem o ambiente de aplausos e de uma alegria contagiante. É ali que vejo que tudo valeu a pena, valeu acreditar no ser humano, valeu manter o ideal dos nossos pioneiros, valeu cada minuto que passo aqui na Fundação. 8 - Suas palavras finais. (...) Tenho um sonho de que os homens se conscientizem de que a vida só tem sentido quando praticamos o amor ao próximo. Já experimentei algumas vezes a alegria de ver um ex-aluno que foi bolsista, retornar à Fundação e fazer a doação de livros para a biblioteca como forma de agradecimento por tudo que recebeu. E de encontrar um destes bolsistas, depois de anos, e ficar sabendo que ele está ajudando a financiar os estudos de alguém mais necessitado. Em cada turma nova que formamos, todos os anos, pelo menos 35% dos alunos são bolsistas ou receberam alguma ajuda para concluir os seus estudos. (...) r


PÁGINA 6

Fevereiro de 2016

Encontro Nacional Yvonne Pereira Inscrições e informações: ideleyp@gmail.com 24 3347-7340 24 98848-1521


PÁGINA 7

Fevereiro de 2016

O labor espírita e o problema da especulação É oportuno indagarmos a nós mesmos sobre o móvel de nossas ações. Andres Gustavo Arruda andres.gustavo57@hotmail.com

E

m seu primeiro discurso pronunciado nas reuniões gerais dos espíritas de Lyon e Bordeaux, Allan Kardec advertiu os confrades para um problema que então grassava em algumas instituições espíritas: a especulação. De início, teceu considerações acerca da especulação material, uma vez que alguns grupos estavam cobrando entrada das pessoas que assistiam às sessões. Ademais, mencionou outro tipo de especulação, que chamou de especulação moral. É dizer: “a satisfação do orgulho, do amor próprio (sic). É o caso dos que acreditam, sem interesse pecuniário, fazer do Espiritismo um pedestal honorífico para se colocarem em evidência”1 (grifos nossos). E, atualmente, isto ocorre por que, não raras vezes, alguns de nós, lidadores espíritas, transferimos nossas ambições relativas às coisas materiais para as coisas divinas.2 Desta forma, frequentemente imaginamos que, na tarefa que abraçamos, somos insubstituíveis, e que somente nós temos condições de executá-la.

Sucede que raciocinamos como se fôssemos um corpo que possui um Espírito e não um Espírito temporariamente vestido de um corpo de carne. Outrossim, esta perspectiva faz com que nos apeguemos a nós mesmos, inclusive aos próprios cargos. Alargando a conceituação, temos a questão 895 d’O Livro dos Espíritos, que nos auxilia na compreensão do tema em apreço: 895. À parte os defeitos e os vícios sobre os quais ninguém se enganaria, qual é o indício da imperfeição? O interesse pessoal. As qualidades morais são geralmente como a douração de um objeto de cobre, que não resiste à pedra de toque. Um homem pode possuir qualidades reais que o fazem para o mundo um homem de bem; mas essas qualidades, embora representem um progresso, não suportam em geral a certas provas e basta ferir a tecla do interesse pessoal para se descobrir o fundo. O verdadeiro desinteresse é de fato tão raro na Terra que se pode admirá

-lo como a um fenômeno, quando ele se apresenta. O apego às coisas materiais é um indício notório de inferioridade, pois quanto mais o homem se apega aos bens deste mundo, menos compreende o seu

(...) frequentemente imaginamos que, na tarefa que abraçamos, somos insubstituíveis, e que somente nós temos condições de executá-la. Sucede que raciocinamos como se fôssemos um corpo que possui um Espírito e não um Espírito temporariamente vestido de um corpo de carne.

destino. Pelo desinteresse, ao contrário, ele prova que vê o futuro de um ponto de vista mais elevado. (grifos nossos) Passemos, agora, à conceituação de desinteresse material e desinteresse moral. Kardec

entendeu por desinteresse moral a abnegação, a humildade, a ausência de toda a pretensão orgulhosa, de todo o pensamento personalista colocados a serviço da doutrina. No que tange ao desinteresse material, a expressão é autoconceitual, consistente, pela obviedade, na ausência de todo desejo de retribuição pecuniária.3 Asseverou o Codificador, noutra oportunidade, que o desinteresse material é improfícuo se não for acompanhado pelo mais completo desinteresse moral.4 Em nossas atividades doutrinárias será oportuno, portanto, indagarmos a nós mesmos sobre o móvel de nossas ações. Até que ponto não estamos sendo movidos pela especulação – moral sobretudo, pois a material, nos dias de hoje, é mais rara – ou pela presunção? Perguntemos a nossa consciência e ela nos responderá. r 1. KARDEC, Allan. Viagem Espírita em 1862, p. 48. 2. Cf. A Coragem da Fé, pp. 4-5. 3; Cf. Viagem Espírita em 1862. 4. Cf. Revista Espírita de Março de 1864.


Fevereiro de 2016

Por que Deus permite que os Espíritos nos excitem ao mal? Reflexão está em torno da questão 466 de “O Livro dos Espíritos”. Luiz Paulo Quevedo

luizpauloquevedo@hotmail.com

A

resposta dos Espíritos na obra em questão está assim: O maior inimigo do homem é o egoísmo, que dele deriva o orgulho, o ciúme e outros

Mas a pessoa que alimenta os sentimentos contrários ao bem se

Se soubéssemos das artimanhas das trevas da ignorância para nos degradar e nos aproximar da infelicidade, insegurança, depressão, com certeza buscaríamos a mudança de hábitos constantemente.

adjetivos que deveríamos erradicar do nosso vocabulário e extinguir da memória da humanidade, mas quem alimenta estes sentimentos somos justamente nós; isso faz com que se crie um bloqueio mental sobre o que acontece ao nosso redor, ficamos cegos perante a imensidade de conhecimento e belezas que este planeta pode nos proporcionar: o simples pôr do sol, o lindo cantar de um pássaro, a inocência do olhar de uma criança, o amor na proteção de sua mãe com seu filho.

confina em momentos supérfluos, em vícios, se isola, deixa de fazer uma amizade ou abraçar quem ama pelo seu orgulho, mesmo entre seus familiares e seus amigos; não consegue se sentir em paz pelo confl ito que existe dentro de sua mente, por se considerar o “melhor”. Acaba por mutilar o seu corpo espiritual e físico, trazendo

enfermidades, preocupações e noites em claro. Para este irmão

PÁGINA 8

que convive com este sentimento em seu coração não existe paz, pois ele abre portas para que o negativismo faça morada em seu íntimo, daí se faz a lei de causa e efeito, o que você pensa você atrai. Mas nosso Pai todo compassivo em seu amor, determinou para cada um de nós um anjo da guarda que busca constantemente a nossa evolução mesmo que seja a pequenos passos. Se soubéssemos das artimanhas das trevas da ignorância para nos degradar e nos aproximar da infelicidade, insegurança, depressão, com certeza buscaríamos a mudança de hábitos constantemente. Tenhamos fé, perseverança, e não deixemos que estes sentimentos façam morada em nosso ser, pois o maior inimigo do homem é ele próprio que alimenta. Daí a importância da melhora moral que atrai a influência dos bons espíritos. A decisão da melhora moral ou da acomodação é sempre nossa! r


PÁGINA 9

Fevereiro de 2016

Esperança sempre! Momento histórico pede firmeza moral Tiago Cintra Essado

Presidente da AJE-Brasil (Associação Jurídico-Espírita do Brasil), www.ajebrasil.org.br

“O

s Espíritos do Senhor, que são as vir tudes dos céus, como um imenso exército que se movimenta, ao receber a ordem de comando, espalhamse sobre toda a face da Terra. Semelhantes a estrelas cadentes, vêm iluminar o caminho e abrir os olhos aos cegos.” Eis o início do prefácio de “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, pelo Espírito da Verdade. Dimensionar essa dinâmica espiritual é uma necessidade imprescindível para os dias atuais, em que o pessimismo campeia solto, inclusive entre os religiosos.

O presente momento pelo qual transita o País e a sociedade mundial requer bom ânimo, disposição e atitude no bem, com respeito e com fraternidade. “Eu vos digo, em verdade, que são chegados os tempos em que todas as coisas devem ser restabelecidas no seu verdadeiro sentido, para dissipar as trevas, confundir os orgulhosos e glorificar os justos.” A busca da verdade, a implementação da justiça, do amor e da caridade entre os homens devem fazer parte do roteiro de vida de todo cidadão ético. Vê-se a atualidade do texto que resume

a obra que trata essencialmente da ética e da moral dentro da Doutrina Espírita. “As grandes vozes do céu ressoam como o toque da trombeta, e os coros dos anjos se reúnem. Homens, nós vos convidamos ao divino concerto; que vossas mãos tomem a lira, que vossas vozes se unam e, num hino sagrado, se estendam e vibrem, de um extremo do Universo ao outro.” O convite é a cada um de nós, todos dotados de potencialidades divinas. Precisamos fazer parte deste concerto divino e universal, sem perda de tempo. Não é possível dissiparmos energias com triviali-

Olhos azuis Preconceitos... que incoerência. Raymundo Rodrigues Espelho

A

mídia tem registrado comentário sobre o racismo. Jornal Nacional (TV Globo) tem focalizado as lamentáveis ocorrências sofridas pela jornalista afrodescendente, Maria Julia Coutinho, a moça do tempo. A prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível. Mas a dificuldade em aceitar todos

espelho@myhands.com.br

os valores no leque das diferenças é que perpetua o preconceito. Vejamos o que nos falam os intelectuais e homens do bem do passado: É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito (Einstein), O preconceito é uma opinião não submetida à razão (Voltaire), Detesto o racismo porque o vejo como algo bárbaro (Mandela)

Enfrentar preconceito é o preço que se paga por ser diferente (Gasparetto), Somos todos escravos da lei, para que possamos ser livres (Pe Cícero), O preconceito é uma opinião não submetida à razão (Voltaire). Vejamos o que nos fala Allan Kardec em O Livro dos Médiuns, XXIV 266: “... rejeite-se, sem hesitação, tudo o que vá contra a lógica e o

dades, com ressentimentos pretéritos, com ilusões que nos cegam. Os tempos atuais pedem foco no que é positivo. O fato negativo serve de refl exão para não incidirmos no erro e melhor planejarmos nossos próximos passos. Somente isso. Trabalhar com vontade, com alegria, com humildade, respeitando a todos, eis os ingredientes para fazermos parte desta equipe divina, que anseia e aguarda por nossa presença. “Homens, irmãos amados, estamos juntos de vós. Amai-vos também uns aos outros e dizei, do fundo de vosso coração, fazendo a vontade do Pai que está no Céu: “Senhor! Senhor!” e podereis entrar no Reino dos Céus.” Com esse resumo de “O Evangelho Segundo o Espiritismo” resta-nos refletir sobre nosso real desejo de engrossar esse caldo, aceitando a vontade do Pai. Esperança para isso nunca deve faltar. r bom-senso ... este meio é único, porque não há comunicação má que resista a uma crítica rigorosa “. Este crime que ainda é praticado no Brasil foi legalmente abolido pela LEI ÁUREA sancionada pela princesa Isabel no dia 13 de maio de 1888 dando liberdade total aos negros. Nós, principalmente nós que somos espíritas, temos a obrigação de respeitar a todos os nossos semelhantes sem distinção de raça, cor, ou nacionalidade. Nunca poderemos nos esquecer que somos todos filhos do mesmo Pai. r

3º Encontro Sob a luz do Evangelho em São Carlos-SP Tema: Desvelando o Evangelho: a obra de Kardec e Emmanuel. Data: 05 de março (sábado). Local: A. E. Obreiros do Bem – (R. Vivaldo Lanzoni, 200). Horário: das 13 às 20h. Participação: Coral Canto do Canto. Palestrantes: Márcio Correa e Saulo Cesar (NEPE/FEB). Formato: Palestra, Seminário, Grupos de estudos, Diálogo e perguntas Inscrições: pelo e-mail nepepaulodetarso@gmail.com ou na secretaria da casa. No dia do evento serão recolhidos alimentos não-perecíveis para doação


PÁGINA 10

Fevereiro de 2016

Animais Todos devemos respeito aos animais. Davis Glaucio Quinelato

dglaucio@hotmail.com

N

o presente momento que escrevo este artigo, fico pensando o quanto a Doutrina Espírita nos conforta e a cada dia mais, nos orienta sobre vários assuntos atuais. De alguns anos para cá, de certa monta, não é por acaso, um tema que vem recebendo grande orientação espiritual, com o lançamento e publicação de vários livros, é sobre nossos irmãos animais. Chico Xavier em sua passagem pelo planeta, sempre demonstrou o carinho e respeito por todas as criaturas, seja, pelos cães, gatos, cavalos, vacas e até formigas. Percebe-se caro amigo(a) leitor(a), toda a maldade praticada para com os nosso irmãos animais, também é levada em conta na questão das lesões à lei de amor. Faz-se necessário entender, que os animais estão no planeta para aprendizados e também serem amados; neste sentido, de nada adianta sermos cristãos somente dentro da Casa Espirita, Templo Evangélico ou

Missa dominical. Temos que dosar nossas atitudes em busca de um planeta cada vez melhor para todas as formas de vidas.

Sim, e que sobrevive ao corpo”. Esclarecem, contudo, na mesma questão que “É também uma alma, se quiserdes; isso depende do sentido

Na pergunta 597 de O Livro dos Espíritos, Alan Kardec pergunta ao Espírito de Verdade: “Visto que os animais têm uma inteligência que lhes faculta certa liberdade de ação, haverá neles algum princípio independente da matéria?

que se dá a essa palavra; ela, porém, é inferior à do homem.” Importante, todavia, considerar que na questão 601, da mesma obra, eles respondem que igualmente os animais seguem uma lei progressiva como os seres humanos.

E são tratados e muito bem recebidos em colônias espirituais próprias após o fenômeno de morte física. Esse questionamento foi apontado por André Luis junto ao seu mentor, quando perguntado sobre o funcionamento do processo evolutivo dos animais. Destaque-se, inclusive, a resposta do item 283 em O Livro dos Médiuns: “Depois da morte do animal, o princípio inteligente, que estava nele, fica em estado latente; logo é utilizado por certos Espíritos, encarregados desse cuidado, para animar novos seres nos quais continua a obra da sua elaboração. (...)” Portanto, é mais que notável dentro da Doutrina Espirita, o zelo e apoio aos animais. Seja na atitude prática da mudança de hábito alimentar abstendo-se do sofrimento desnecessário aplicado aos animais de matadouros, pelo apoio voluntário às entidades que desempenham seu papel de proteção aos animais, ou mesmo pela divulgação de mensagens edificantes. Sejamos todos Amigos desses seres em evolução chamados nossos irmãos animais. Sugerimos inclusive aos leitores buscarem as questões 592 a 610 de O Livro dos Espíritos, especialmente a 607 que aborda com precisão a questão evolutiva. r

Papel do médium nas comunicações espíritas O Livro dos Médiuns traz valioso tesouro de conhecimentos. Redação

O

capítulo XIX da obra em destaque, na 2ª. parte, é específico na temática. Os Espíritos Erasto e Timóteo assinaram o item 225, do qual destacamos trecho parcial: “(...) Assim, quando encontramos em um médium o cérebro povoado de conhecimentos adquiridos na sua vida atual e o seu

institutocairbarschutel@gmail.com

Espírito rico de conhecimentos latentes, obtidos em vidas anteriores, de natureza a nos facilitarem as comunicações, dele de preferência nos servimos, porque com ele o fenômeno da comunicação se nos torna muito mais fácil do que com um médium de inteligência limitada e de escassos conhecimentos anteriormente adquiridos. (...) Com

um médium, cuja inteligência atual, ou anterior, se ache desenvolvida, o nosso pensamento se comunica instantaneamente de Espírito a Espírito, por uma faculdade peculiar à essência mesma do Espírito. Nesse caso, encontramos no cérebro do médium os elementos próprios a dar ao nosso pensamento a vestidura da palavra que lhe corresponda e

isto quer o médium seja intuitivo, quer semimecânico, ou inteiramente mecânico. Essa a razão por que, seja qual for a diversidade dos Espíritos que se comunicam com um médium, os ditados que este obtém, embora procedendo de Espíritos diferentes, trazem, quanto à forma e ao colorido, o cunho que lhe é pessoal. (...).” r


PÁGINA 11

Fevereiro de 2016

Ao Brasil, ao movimento jurídico espírita, ao cidadão Mensagem traz importante alerta, convida ao bem e traz otimismo. Cedida pela AJE

T

razemos aos leitores, em transcrição parcial, mensagem mediúnica obtida na reunião do grupo de estudos do Núcleo Rio Claro, da AJE-SP (Associação Jurídico-Espírita de São Paulo), de 12/08/2015, dada por Espírito trabalhador do movimento jurídico-espírita brasileiro: (...) O movimento jurídico-espírita hoje alcança um estágio que já havíamos previsto há um tempo. Agradecemos o esforço dos companheiros espalhados em todo país, voltados para uma justiça mais humana, para uma justiça por mais paradoxal que isso possa parecer, mais justa. É que ainda, infelizmente, somos acometidos pelos erros do pretérito. Nosso passado tortuoso envolto em crimes, em vaidades, em tristes cenários, empata-nos ainda de maneira profunda e constante nos dias atuais em tristes tragédias. Não é à toa que assistimos a verdadeiras tragédias romanas. Os circos forenses da atualidade são de diferente espécie. Não temos mais o antigo coliseu, mas temos lutas cruéis em nome do poder, um poder muito pequeno, um poder transitório que só dificulta a vida de todos nós e em especial de milhares de espíritos sedentos por justiça. Portanto irmãos, o nosso trabalho não é fácil, mas é preciso que

secretaria@ajebrasil.org.br

tenhamos consciência disto, que na seara do Cristo nada é fácil; que na seara do Cristo a dor e o espinho andam juntos com o trabalho. Não há um só discípulo do Cristo que tenha um caminhar tranquilo, um caminhar cheio de flores, de serenidade, de maravilhas sobretudo mundanas.

Queridos amigos é preciso união, é preciso trabalho, é preciso que andem de mãos dadas para suportarem juntos esse momento de dificuldade pelo qual passa o nosso querido Brasil.

Andar com o Cristo, andar em direção ao Cristo requer abnegação, requer em primeiro lugar o despojamento das vaidades das ilusões e como diz o texto do Evangelho, é necessário abrirmos mãos por anseios, por posições terrenas, por status, por momentos de glória materiais que só nos trazem os devaneios da alma, dificultando esta caminhada ao lado e em direção ao Cristo. Portanto meus amigos, o momento atual exige-nos paciência, exige-nos esforço, exige-nos atitu-

de. É preciso que cada um tenha em mente esses pressupostos para seguirmos juntos na seara do Cristo. É um caminhar individual, mas também coletivo. O grupo que estamos formando não é novo, mas também guarda as reminiscências pretéritas que vez ou outra surgem fortes para os momentos de desestabilização, de desarmonia, daí a necessidade do orai e do vigiai permanente, constante, perene. É preciso que no caminhar do movimento jurídico-espírita haja essa compreensão, que o trabalho consiste, numa síntese, na introdução de o Evangelho no mundo da justiça, o que requer, antes de mais nada, a introdução de o Evangelho no coração de cada um de nós que trabalhamos nesse universo. (...) Queridos amigos é preciso união, é preciso trabalho, é preciso que andem de mãos dadas para suportarem juntos esse momento de dificuldade pelo qual passa o nosso querido Brasil. Deem as mãos, levantem as cabeças e coloquem-se a caminhar. Caminhar é uma diretriz importante para o momento presente, e o Brasil com dimensões continentais guarda veredas infinitas para que caminhemos sem perder de vista a infinitude do tempo, sem perder de vista que quem começa no

trabalho do Cristo não tem prazo para terminar. Portanto, tenham em mente que estamos apenas no início, trata-se de um processo que se encontra numa fase muito rudimentar, muito inicial e há muito o que fazer. Daí a necessidade de todos os companheiros permanecerem em equilíbrio, em serenidade, mas conscientes de que o trabalho precisa ser feito. Há muitos espaços para que haja essa permeabilizacão das ideias cristãs no mundo da justiça. Portanto meus amigos, chegou a hora desse movimento ser alavancado em solos brasileiros para que mais adiante com uma força já conquistada, força essa de natureza moral e espiritual, esse movimento possa também caminhar para os nossos irmãos de outras pátrias terrenas, porque no fim nós vivemos numa só pátria num só grupo universal, tudo sob o comando de um só Pai, sem distinções de raças e de credos, de cores e de nacionalidades, de línguas e de percepções, e é para isso que precisamos caminhar, para esse universo plural, multifacetado, amplo, imenso. Portanto amigos, seguimos adiante, façamos a nossa parte, com a certeza de que estamos engatinhando nesse processo, há muito o que ser feito. r


REMETENTE:

PÁGINA 12

Instituto Cairbar Schutel. Caixa postal 2013

Fevereiro de 2016

15997-970 - Matão-SP

Reúnam-se para orar Atos dos Apóstolos, cap. XII, v. 12

S

obre o o tema, Léon Denis, em Depois da Morte* (cap. LI, A Prece), escreveu: “(...) A prece feita em conjunto é um feixe de vontades, de pensamentos, raios, harmonias, perfumes, que se dirige com mais poder para seu objetivo. Ela pode adquirir uma força irre-

sistível, uma força capaz de sustentar, abalar as massas fluídicas. Que alavanca para a alma ardente que coloca nesse impulso tudo o que há de grande, de puro, de elevado nela! Nesse estado, seus pensamentos jorram, como uma corrente imperiosa, em generosos e poderosos

eflúvios. (...) O homem traz em si um motor incomparável, do qual não sabe tirar senão um medíocre partido. Para  fazê-lo funcionar, duas coisas são suficientes, todavia, a fé e a vontade (...)”. O artigo Oração e Vigilância, em Reformador, de abril/02, assinada por Mário Frigéri, destaca exatamente o que diz Denis na obra referida: “(...) Em essência, nisto consiste a Vigilância ou Meditação: é ficar silenciosamente em stand by, mentalmente vazio mas fantasti-

camente alerta. Não vale cochilar ou adormecer (...)” E sugere: “(...) Portanto, na próxima vez que Orar, procure em seguida  Vigiar  (...), ficando sereno, extático, na mais absoluta quietude e paz interior, a fim de aguardar e receber a resposta suprema, caso esteja esperando por uma. É o que o Cristo espera daqueles que aspiram ao discipulado real, através desse diálogo de alma para alma (...), conforme o caminho revelado por Ele na Sua Oração ao Pai (...)”. r

Tribuna do Espiritismo - fevereiro de 2016  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you