Issuu on Google+

Nov.Idade Jornal do Projeto Gugu Edição nº 1 Novembro/2010

Coluna do Gugu Pág. 7

Pilates Saiba por que você deve fazer. Págs. 6 e 7


2Entrevista

Gugu quer ver toda a população idosa de Niterói saudável e feliz

alegria, entusiasmo...

C

arlos Augusto Bittencourt Silva é figura conhecida na cidade. Médico ortopedista, que fundou o maior programa de ginástica gratuita para a Terceira Idade de Niterói, o Projeto Gugu.

Quando surgiu o Projeto Gugu, você imaginava que tomaria as proporções atuais, com 37 núcleos em Niterói e um no Rio de Janeiro? Não imaginava e nem poderia. O sucesso inicial do projeto, que chamei de “ginástica na praia”, acho que dependeu de alguns fatos originais. Um grupo relativamente grande de senhoras, já de uma certa idade, se reuniu para fazer ginástica todas as manhãs na Praia de Icaraí. Elas utilizavam um rádio de pilha para marcar o ritmo dos exercícios e bastões para dar apoio e equilíbrio. Hoje, todos os grupos de ginástica fazem uso de música, camisas de uniforme e etc.

ele incorporou ao Projeto Gugu três novos núcleos: Teatro, Dança de Salão e o Coral. O do teatro não teve muita procura, mas os outros dois estão até hoje funcionando com sucesso absoluto. O de dança tem mais de 300 inscritos, e o coral é um dos melhores de Niterói.

Há idéias para expandir ainda mais o projeto, com a criação de novos núcleos? É o meu maior desejo. Os 37 núcleos não são o bastante para englobar todos os idosos que querem e necessitam fazer a nossa ginástica. A falta de um núcleo perto de suas residências não permite que muitas pessoas se beneficiem sob o ponto de vista de sua saúde física, psíquica e social, de tudo que o projeto tem para oferecer. A ginástica faz com que idosos diabéticos ou hipertensos parem ou diminuam os remédios que a doença os obriga a tomar.

Após 15 anos de projeto, quais foram as grandes vitórias alcançadas? A principal vitória é o indiscutível reconhecimento que toda a população de Niterói tem pelo projeto. É a comprovação dos benefícios significativos que traz para seus participantes. Na saúde física, melhora o equilíbrio dos idosos, tornando seus músculos mais fortes, diminui os riscos de quedas, que são um perigo para eles, e também ajuda na postura, porque evita a cifose senil, mais conhecida como corcunda. Já na saúde emocional, o convívio social muitas vezes cura a depressão. A presença de novos amigos no grupo gera alegria, entusiasmo e felicidade para cada indivíduo.

Como funcionam os núcleos de atividades diversificadas, como o de Dança de Salão, o de Teatro e o Coral? Quando o saudoso Eduardo Travassos foi secretário municipal,

Quais são os planos para os próximos anos? O mais importante é aumentar o número de núcleos. Atualmente,

temos mais de 20 pedidos por toda Niterói, vindos de diversas associações de moradores. A cidade tem cerca de 48 bairros, sendo que, em alguns, há necessidade de mais de um núcleo, para atender a todos. Os 37 núcleos existentes hoje só atingem 24 bairros, menos da metade do que seria o ideal. Continuaremos buscando novos parceiros para realizar meu grande sonho, que é o de ver toda a população idosa de Niterói feliz e saudável.

Nossa Capa

Yolanda Gonçalves de Almeida, 95 anos, frequenta o Projeto Gugu, Núcleo Icaraí, há 13 anos. Foto: Luciana Carneiro.

O Ingá está na internet! Agora só falta você. www.inga-tai.com

Anuncie: comercial@inga-tai.com


U

m estudo verificou que mulheres acima de 60 anos, que praticam 150 minutos por semana de atividades físicas moderadas, como caminhadas, consomem menos remédios, em comparação com as que não têm o mesmo hábito. A conclusão é de Leonardo José da Silva, no trabalho de mestrado “Relação entre nível de atividade física, aptidão física e capacidade funcional em idosos usuários do programa de saúde da família”, realizado na Universidade Federal de São Paulo com Bolsa da Fapesp. Silva acompanhou 271 mulheres com idade acima de 60 anos, que participaram do Programa de Saúde da Fa-mília, organizado pela Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul, na Grande São Paulo. As participantes, que cumpriram um progra-ma de exercícios varia-dos de no mínimo 150 minutos semanais, apresentaram consumo de medicamentos 34% menor, em comparação com as mais sedentárias. “Esse tempo mínimo de exercícios, de 2,5 horas semanais, é preconizado pela American Heart Association e pelo American College of Sports Medicine”, disse Silva à Agência Fapesp. Com menos de 10 minutos semanais de atividade física o indivíduo é considerado sedentário e, entre 10 e 150 minutos de exercícios por semana, ele é categorizado como insuficientemente ativo. Os resultados do estudo de Silva foram apresentados em maio no 3º International Congress Physical Activity and Public Health, realizado em Toronto, no Canadá. Silva contou com uma parceria entre a Unifesp e o Centro de

Saúde3

Por Fabio Reynol Agência Fapesp

mais movimento, menos medicamento

Estudos de Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul (Celafiscs). Guiomar Silva Lopes, professora do Departamento de Medicina Preventiva da Unifesp, e orientadora de Silva, considerou o programa oferecido pela cidade paulista aos idosos uma valiosa fonte de pesquisas. “Trata-se de uma população pequena e estável, o que facilita o acompanhamento dos participantes durante prazos mais longos”, disse. As atividades físicas disponibilizadas incluem caminhadas, exercícios de aprimoramento de força muscular, equilíbrio, flexibilidade e capacidade aeróbica. Há também visitas domiciliares, feitas por agentes de saúde, nas quais os idosos são incentivados a praticar atividades físicas frequentes, como ir ao mercado ou fazer um passeio a pé. O consumo de remédios das participantes da pesquisa foi avaliado por meio do cadastro da Secretaria Municipal da Saúde de São Caetano do Sul. Na base de dados estão registradas informações relevantes sobre todos os participantes do Programa de Saúde da Família, incluindo os medicamentos consumidos regularmente. Segundo Guiomar, os resultados do estudo poderão subsidiar políticas públicas que incentivem a atividade física, visando à prevenção e controle das doenças crônicas associadas ao envelhecimento, reduzindo despesas com remédios e internações.

Estudo revela que 150 minutos de exercícios semanais diminuem o consumo de remédios em 34%

“Podemos perceber a importância desse estudo ao constatar que o idoso consome, no mínimo, cinco medicamentos associados a doenças ligadas ao envelhecimento”, disse a orientadora. A relação causa e efeito

entre atividade física e consumo de medicamentos ainda está sendo estudada. A redução dos níveis de pressão arterial proporcionada pela atividade física é uma das hipóteses levantadas pelo estudo de Silva, uma vez que a doença é uma das mais comuns entre a população idosa, estando presente em mais da metade das pessoas acima de 60 anos. O diabetes, com prevalência de 25% entre idosos, é outra enfermidade afetada pelo nível de atividade física. “Há estudos indicando que exercícios respiratórios aumentam a sensibilidade do organismo à insulina”, comentou a professora da Unifesp. Esse efeito é importante para as pessoas em cujos organismos a insulina não atua de maneira eficiente. “A resistência à insulina tem alta prevalência na população idosa, e se caracteriza pela menor resposta à insulina, com aumento discreto da glicemia e da insulinemia. Estes fatores juntos contribuem para a obesidade e o aumento do risco de doenças cardiovasculares”, avaliou. A professora ressaltou que não são completamente conhecidas as razões que levam à menor participação masculina nessas atividades. “Sabemos que a mulher tem expectativa de vida um pouco maior do que a do homem, aumentando a frequência de mulheres viúvas e sozinhas, porém esse fato não explica a absoluta ausência masculina”, finalizou.

Parceria com o Centro Auditivo Telex O Projeto Gugu acabou de firmar parceria com o Centro Auditivo Telex, que tem endereços em

Icaraí e Centro da cidade. Agora, todos os participantes do Projeto Gugu serão levados para

a matriz do Centro Auditivo Telex, em Botafogo, para fazer exames, ouvir palestras

sobre saúde auditiva e, se for o caso, se submeter a tratamentos especializados.

Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt Diretora-Presidente: Rosana Nobre Machado Bittencourt Silva Diretor de Administração e Finanças: Sérgio Emilião Diretora de Desenvolvimento de Projetos: Regina Célia Corrêa Bittencourt Silva

Nov.Idade Jornal do Projeto Gugu

Edição nº 1 - Novembro/2010 10 mil exemplares Impressão: Gráfica Monitor Mercantil Editor: Marcio.G Coordenador de Redação: Fellipe Dias Revisão: Sandra Mello Criação, Projeto Gráfico, Diagramação e Comercialização: Mago Ideias Textos e fotografias: Comunicare Assessoria de Comunicação NOV.IDADE é uma publicação da Assessoria de Marketing da FUNCAB Assessor de Marketing: Marcio Gomes Assessor de Imprensa: Fellipe Dias Tel. 2611-9855 E-mail: marketing@funcab.org

FUNCAB

Niterói: Rua Presidente Backer, s/nº, Complexo Caio Martins. Icaraí CEP 24220-040 Brasília: SCN Quadra 02 - Lote D Torre B, Sala 431, Edifício Liberty Mall - DF. CEP 70710-500

www.funcab.org


4Lazer

C

NÚCLEOS DO PROJETO GUGU www.projetogugu.com.br Ginástica

peteca na praia

om nome e origem indígena, a peteca é totalmente brasileira. Segundo registros históricos, era praticada por índios que habitavam a região de Minas Gerais, muito antes da descoberta do Brasil. Com o passar dos anos, sua fabricação evoluiu: da trouxinha de pele de animal com pena de aves para uma pequena versão em borracha, com quatro penas sintéticas cuidadosamente encaixadas para formar ângulos retos entre si e aperfeiçoar sua capacidade aerodinâmica. As regras para o esporte começaram a ser definidas nos anos 70, quando surgiu a Federação Mineira de Peteca – FEMPE, primeira do Brasil. Com o passar do tempo, outras instituições ligadas à atividade foram criadas não só pelo País, mas também na Europa. Berlim, na Alemanha, é a sede da Federação Mundial de Peteca, a IIA (International Indica Association). Em Niterói, muitos adeptos se reúnem para jogar nas areias da Praia de Icaraí, em frente ao Clube Central. Segundo Tatá, “nome de guerra” do praticante há 40 anos, “nos finais de semana, as três

Icaraí I (praia, em frente à Pça. Getúlio Vargas), de 2ª a 6ª, de 7h às 8h, e sáb. e dom., de 8h30 às 9h30. Santa Bárbara (Pça. João Saldanha), de 2ª a 6ª, de 7h às 8h.

quadras ficam cheias. Tem grupo de mulheres, de terceira idade, de jovens. A peteca é para todo mundo”. Durante a semana, apenas uma quadra é utilizada por um grupo menor que, faça chuva ou faça sol, está lá de 9h às 10h. Quem quiser aderir à prática da peteca, basta aparecer no point e, em caso de dúvida, perguntar ao vendedor

de cocos do local. Peçanha, outro adepto, recomenda: “Depois da peteca matinal, o dia fica maravilhoso. Assim eu faço há 30 anos.” O grupo da Peteca da Praia de Icaraí reivindica a volta dos poços com mangueiras. O “atleta” Nilton alega que, com o calor do sol, as areias ficam tão quentes, que impossibilitam a prática de qualquer esporte.

Aulas grátis Cursos: Aulas programadas Tela Biscuit MDF latonagem Bauernmalerei Pintura sobre Tecido Scrapbook Desenho Artístico

S. Rosa (Posto de Saúde Santa Rosa Vital Brazil), de 2ªª a 6ªª, de 7h às 8h.

Preventório (Praia de Charitas, em frente ao Hospital Psiquiátrico), de 2ª a 6ª, de 8h30 às 9h30.

S. Lourenço (Igreja do Ponto Cem Réis), de 2ª a 6ª, de 7h às 8h. Fonseca (Horto Florestal), de 2ª a 6ª, de 7h às 8h. Largo da Batalha (Pça. Levi Carneiro Est. Caetano Monteiro s/nº), de 2a a 6ª, de 7h às 8h. Morro do Castro R. Teixeira de Freitas (pátio da Igreja Evangélica), de 2ª a 6ª, de 7h às 8h.

Rink (Praça ), de 2a a 6a, de 7h às 8h. Jurujuba (Centro de Saúde), de 2a a 6ª, de 7h às 8h.

Rua Maestro Felício Toledo, 551, Lojas 4 e 5. Centro, Niterói. Tel. 2729-1600

falecom@enfoquepapelaria.com.br

Ititioca R. Padre José Euger, n° 35 (Sec. Regional ), de 2ª a 6ª, de 7h às 8h. Caramujo (Ciep), de 2a a 6a, de 8h30 às 9h30.

Piratininga (praia, em frente ao quiosque Loura Gelada), de 2a a 6ª, de 7h às 8 h.

Artes

Cafubá (Pça. da Rótula), de 2ª a 6ª, de 7h às 8h.

Hortifruti (estacionamento da loja na Av. Marquês de Paraná), de 2ª a sáb., de 7h às 8h.

Ilha da Conceição (Clube Azul e Branco), de 2ª a 6a, de 7h às 8h. Participantes do Clube da Peteca de Icaraí chamam: “quem quiser jogar, é só parecer”...

Palmeiras (R. Célio Gouveia - Pça. da Palmeira), de 2ª a 6ª, de 7h às 8h.

Barreto II (Pça. Enéas de Castro ), de 2ª a 6ª, de 8h30 às 9h30. Rio do Ouro (Centro Comunitário Paulo Henrique), de 2ª a 6ª, de 8h30 às 9h30. Barreto I (Parque Palmir Silva) de 2ª a 6ª, de 8h30 às 9h30. São Francisco (praia, em frente ao Restaurante A Mineira), de 2ª a 6ª, das 8h30 às 9h30. Largo do Marrão (Pça. Raul de Oliveira Rodrigues), de 2ª a 6ª, de 8h30 às 9h30. Engenho do Mato (Pça. Irene Lopes Sodré, em frente ao Médico de Família), de 2ª a 6ª, de 8h30 às 9h30.

Engenhoca (Clube 11 Unidos), de 2ª a 6ª, de 7h às 8h.

Cubango (ao lado do Colégio Dr. Memória), de 2a a 6ª, de 8h30 às 9h30.

Cantagalo (Ciep do do Cantagalo), de 2ª a 6ª, de 7h às 8h.

Ingá (Pça. em frente às Sendas) de 2ª a 6ª, de 8:30 às 9:30h.


NÚCLEOS DO PROJETO GUGU (continuação)

Clube Novidade

O CARTÃO DE DESCONTOS DO PROJETO GUGU

Bay Market (Centro) de 2ª a sáb. de 8h30 às 9h30h Maria Paula (Pça Tancredo Neves), de 2a a 6ª, de 8h30 às 9h30. Ponta da Areia (Pça. Dr. Vitorino), de 2ª a 6ª de 8h30 às 9h30. Jacaré (Est. Frei Orlando 124 A /Qd Comunitária), de 2ª a 6ª, de 8h30 às 9h30. Coronel Leôncio (Campo de Futebol), de 2ª a 6ª, de 8h30 às 9h30. Bairro Chic Pça. Guadalajara, de 2ª a 6ª, de 8h30 às 9h30h. Campo de São Bento (Qda. cimentada), de 2a a 6a , de 17h. às 18h. Madureira (Pça. Armando Cruz Shopping Tem Tudo), de 2ª a sáb., de 8h às 9h. Dança de Salão Caio Martins - 2ª, 4ª e 5ª feira, de 13h às 18h, e 6ª, de 13h às 17h. Coral ASPERJ - Rua Dr. Celestino, 107/4º, Centro, 2ª e 6ª, das 14h às 17h.

Para você que deseja patrocinar um núcleo: Tel. 2611-9855

Agora, os mais de 4 mil participantes do Projeto Gugu, que há 15 anos promove aulas de ginástica gratuitas na cidade, vão ganhar descontos especiais em estabelecimentos comerciais e de serviços, dos segmentos os mais variados, em Niterói. Roupas, Acessórios, Medicamentos, Perfumaria, Diagnósticos Médicos, Presentes, Salões de Beleza, Móveis e Decoração, Escolas, Cursos etc.

Filiando-se ao Clube Novidade, sua logomarca aparece no Jornal Nov.Idade, que circula em Niterói e entre todos os integrantes do Projeto Gugu. VOCÊ, PARTICIPANTE DO PROJETO GUGU, PEÇA JÁ SEU CARTÃO. VOCÊ, EMPRESÁRIO OU PROFISSIONAL LIBERAL QUE DESEJA PARTICIPAR DO CLUBE, OFERECENDO DESCONTOS, ENTRE EM CONTATO: 2611-9855 ( das 14h. às 17h.)

SEU PRODUTO E/OU SERVIÇO FILIADOS AO CLUBE NOVIDADE GARANTEM CONSUMO E VISIBILIDADE À SUA EMPRESA

Qualidade de vida e autoestima sempre em alta...

5


6Corpo

N

o início do século XX, o atleta alemão Joseph Humbertus Pilates, que sofria de raquitismo, asma e febre reumática na infância, desenvolveu um sistema de exercícios diferenciado. Preocupado em encontrar soluções para suas debilidades físicas, praticou diversas modalidades esportivas e, conjugando várias delas, criou movimentos focados na melhora da flexibilidade, da consciência corporal, do equilíbrio e da força, sem a hipertrofia muscular. Durante a Primeira Guerra Mundial, atuando como enfermeiro, aplicou, com um estilo muito particular, exercícios em pacientes mutilados que, mesmo feridos e acamados, conseguiam fortalecer os músculos com segurança. Batizado em homenagem a seu criador, o método Pilates, atividade bastante comum nos dias de hoje, consiste

Apareça e cresça!

Criamos e produzimos jornais, revistas e impressos para sua loja, sua farmácia, seu consultório, seu clube, seu hospital, seu estaleiro, sua clínica, seu supermercado, sua associação, seu condomínio, seu gabinete, sua festa, sua academia e até, quem sabe, para sua padaria... Quem não aparece não cresce!

Mago Ideias

Sempre uma boa nova para seu negócio. contato@magoideias.com

pilates melhora flexibilidade, equí

na prática de mais de 500 exercícios que trabalham mente e corpo, sem exageros, melhorando a postura e reduzindo o stress. Exercitando vários grupos musculares ao mesmo tempo, principalmente abdômen, coluna e região pélvica, a atividade é focada na qualidade dos movimentos conjugados de alongamento e força, que demandam concentração e controle do corpo. Ao invés de realizar várias repetições, o método prioriza os exercícios feitos menos vezes. Os movimentos são mais precisos, sempre contínuos, podendo ser executados no solo ou em equipamentos específicos, projetados especialmente para a prática, com molas, faixas elásticas e bolas suíças. De acordo com as fisioterapeutas Cristina Picanço e Natalia Mota, do Estúdio de Fisioterapia Cuidando do Seu Bem-Estar, no Centro de Niterói, o método Pilates é uma atividade própria para todas as idades: “Oriento desde adolescentes até senhoras com mais de 70 anos. A melhoria é rápida na condição geral do corpo, e não tem contraindicações, porque a força do exercício é controlada”, afirma Cristina. Segundo Natalia, os praticantes idosos relatam grande melhora na qualidade de vida. “Eles sentem maior segurança para subir escadas e, principalmente, para

O professor Raphael Emilião defende a prática de exercício aeróbico como complemento da atividade

atravessar as ruas”. A dona de casa Jorgiana Folly, 74 anos, paciente do Estudio, pratica o Pilates uma vez por semana, há 2 anos, e diz estar muito mais ágil. “Sinto muita diferença. Parei por um

mês, por causa de uma cirurgia, e quando voltei me senti mole. Percebi que o melhor é não parar nunca mais”, acredita. Para Raphael Emilião, fisioterapeuta que trabalha capacitando

profissionais em Pilates, e mantém um estúdio na Academia Pro Quality, na Região Oceânica de Niterói, é recomendável complementar a atividade com um exercício aeróbico, para


ílíbrio e força trabalhar a parte cardiovascular. “O Pilates é um exercício de força com consciência respiratória e muscular. A parte aeróbica não é trabalhada, mas também precisa de atenção”, alerta. A dona de casa Carmelita Oliveira, 73 anos, paciente de Raphael, conta que, após três anos praticando o Pilates, já não sente mais dores. “O médico queria operar meu ombro, mas o Pilates me livrou. Hoje não tenho mais dores”, testemunha. Para Conchita Camargo, 62 anos, a atividade é um exercício intermediário entre a ginástica e a yoga. “Vi os bons resultados em outras pessoas, com relação a dores e postura, e resolvi fazer também”. Segundo especialistas, as aulas devem ser sempre supervisionadas por um profissional da área, que direcione o aluno ou o grupo. E, para que o corpo se condicione aos movimentos, trazendo os benefícios esperados e planejados por Pilates, as aulas devem acontecer, no mínimo, uma vez por semana.

Academia Pró Quality: Tel. 2619-1991 Raphael Emilião: Tel. 7800-8166 Estúdio Cuidando do Seu Bem-Estar: Tel. 2721-0534

Fala, 7 Gugu! caros leitores

É O fisioterapeuta Raphael Emilião (acima) trabalha também capacitando profissionais em Pilates. A fisioterapeuta Natália Mota (embaixo) informa que pacientes idosos relatam melhora de qualidade de vida após a prática

com muita alegria e satisfação, até com um pouco de orgulho, que lançamos hoje o nosso jornal, primorosamente feito pelo nosso homem de marketing, o jornalista Marcio Gomes. Era um antigo sonho meu, não só pela importância que representa para a FUNCAB um meio de comunicação que nos permita um diálogo indispensável com todos aqueles que nos prestigiam com seu apoio, sua colaboração, como também para que possamos realizar tudo que nos propusemos, quando criamos o Projeto Gugu Bittencourt em Niterói. A história é a seguinte: em 1995, cerca de 30 e poucas senhoras me procuraram na Univerti, ao término de uma palestra que fiz, sobre “Medicina Ortomolecular e melhoria da saúde dos idosos”, onde ressaltei a importância do exercício físico, para que conseguisse um local onde elas pudessem fazer ginástica, naquela época, bem mais difícil do que hoje. Como nos anos anteriores, trabalhando em São Pedro da Aldeia como médico, mantive um grupo grande de clientes fazendo ginástica comigo diariamente, obtendo um resultado excelente, que até me surpreendeu, principalmente com os idosos, combinei com elas fazer na Praia de Icaraí uns exercícios, diariamente, sendo eu o professor. Assim começou o que, dois ou três anos depois, viria a ser o Projeto Gugu Bittencourt, integrando o Projeto Nomes da Prefeitura de Niterói. A certa altura, a Prefeitura exigiu que todos os projetos do “Nomes” fizessem uma fundação ou um instituto. Assim, seria assinado um convênio pelo qual a subvenção seria repassada com mais controle, e a Prefeitura ficaria livre de quaisquer ônus empregatícios com os voluntários de cada programa. Assim surgiu a FUNCAB - Fundação Carlos Augusto Bittencourt. O começo foi de sacrifício. Para pagar os funcionários da fundação, o dinheiro saía do meu bolso, mas hoje, graças à competência da minha filha, Rosana, e do diretor, Sergio Emilião, que é um dirigente justo, mas rigoroso, a FUNCAB está bem de finanças, e até ajuda o Projeto Gugu, além de manter convênios, com o Ministério do Esporte, para realização, em Niterói e São Gonçalo, dos programas Segundo Tempo e Esporte e Lazer na Cidade (Pelc), trazendo benefícios sociais para milhares de pessoas nestes últimos anos. Os 37 núcleos de ginástica, coral e dança de salão do Projeto Gugu poderiam servir a mais pessoas, porém, por desconhecimento da existência deles, por grande parte da população da cidade, muita gente não aproveita os reais benefícios que proporcionam. Minha esperança é a de que, com os 10 mil exemplares do nosso jornal, este problema seja minimizado. A FUNCAB tem ainda mais projetos sociais e culturais, e faz concursos para estados e municípios de todo o Brasil, o que melhora muito a sua receita, mas por incrível que pareça, só não consegue fazer concursos em Niterói, inclusive, da nossa Prefeitura. Enfim, espero que os nossos leitores apreciem o nosso jornal, e estamos prontos para receber colaboração e sugestões de todos.


8Moda

S

Por Philomena Moreno, editora de moda

em regras a seguir, se o assunto é sair por aí, a passear pela cidade, que é generosa em espaços públicos. Nada de lenço e documento. A palavra de ordem deve ser conforto. Esqueça saltos mirabolantes e bolsas muito grandes - aliás, é melhor deixar a bolsa em casa ou, quando muito, tirar da gaveta uma pequena, à tiracolo, e usá-la enviesada, para não correr o risco de perdê-la (ou de algum gatuno, na Moreira César, sair a surrupiá-la...). Um vestidinho básico, tipo chemisier, fica ótimo para desenhar seu dia. E já que estamos na primavera, vem aí o verão, abuse das estampas e dos tons mais claros. O poá é chique. Se os netos dão trabalho, e seguem a correr pelas areias da praia, o bom mesmo é lançar mão de uma boa e “sambada” calça jeans, sem perigo de errar. Se o sol tiver saído, optar pelo maiô de corte olímpico e cor escura é chance de não errar. A maquiagem deve ser bem leve: no máximo, um blush discreto e um batom igualmente imperceptível. E pode esquecer de retocar no meio do caminho. Puro descompromisso... Ouse nas bijoux. As coloridas e graúdas estão na moda! Só tome cuidado para não parecer uma árvore de Natal. Se usar brincos, esqueça o colar - ou vice-versa. E bom fim de semana!

Acima, Maria Aurora Gimenez Lau (sentada) usa saia e blusa (acervo pessoal) pautadas no xadrez, e colar de pérolas Leader Magazine. Rosangela Travassos veste blusa laranja (cor da moda) Thruston, calça Dona Bis, pulseira Haver e colar Leader Magazine. Mariana Travassos de vestido rosa com poá vermelho, ótima combinação, da griffe Thaís Leão. Ao lado, Lenita Costa (à direita) com vestido jeans de botões vermelhos Thruston, Leda Diniz com vestido em estampa pied de poule (um clássico) da Leader Magazine. Monique Diniz (centro) veste short Thais Leão e blusa com decote drapeado, da Leader Magazine.


9

roupas para passear pela cidade Talita Salin Saker de vestido listrado Thaís Leão e colar Thruston. Marin Salim Saker de vestido pink Dona Bis. As crianças vestem Leader Magazine. Beleza: Fabíola Felix (Paulo Robert Coiffeur) Fotos: Luciana Carneiro. Produção: Comunicare

Parabólica Fellipe Dias Os esmaltes coloridos são a cara do verão. Desde os pastéis até os mais vibrantes. Escolha uma cor que combine com você, e arrase. O verão será um prato cheio para quem gosta de chapéus. Eles estarão maiores e mais charmosos, sendo usados tanto para proteger do sol, em caminhadas e passeios de manhã, quanto para dar um toque diferente à roupa. Os acessórios dão todo o charme à roupa. Para a nova estação, a aposta é a mistura de materiais: pérolas com dourado e metais com acrílico são bons exemplos. Mas é sempre bom lembrar que moderação e discrição fazem toda a diferença.

As cores que mais serão vistas nas ruas e nas vitrines vão do look todo branco até composições com cores vibrantes, como o laranja, o vermelho e o verde claro. Sapatos baixinhos, sapatilhas e sandálias abertas e bem confortáveis são as dicas para passear com segurança, firmeza, beleza e elegância no verão. Se você ainda guarda os óculos de sol de outras estações, aproveite. Os modelos mais modernos são, coincidentemente, os mais retrôs, com cara de antigamente. Os tecidos-chave para esse verão serão os mais leves e fresquinhos. Eles imprimem elegância e despojamento.

NITERÓI COROA FASHION

O PROJETO GUGU APRESENT A APRESENTA A 1ª SEMANA DE MODA DO BRASIL EXCLUSIV A EXCLUSIVA PARA A TERCEIRA IDADE. FAÇA SEU DESFILE, MOSTRE SEU PRODUTO. TEL. 2611-9855


10Nutrição

A

Delícia Receita de Enedina Vicência de Andrade (núcleo de dança de salão)

os benefícios da ração humana

constante busca por um estilo de vida saudável, muito focado na alimentação balanceada e livre de excessos, motivou nutricionistas e médicos a desenvolverem uma combinação de grãos e farelos que virou mania e ganhou adeptos, sendo batizada de ração humana. A mistura é formada por, pelo menos, 10 ingredientes variados, todos naturais. Considerada por muitos como milagrosa, porque promete perda de peso, rejuvenescimento e bom funcionamento do intestino, entre outros benefícios, a ração humana leva ingredientes como linhaça, fibra de trigo, granola e colágeno. Fácil de preparar e de comer, já que pode ser ingerida com frutas, sucos, caldos ou sopas, na mistura há quem acrescente ainda soja em pó, farelo de aveia, gergelim, levedo de cerveja, açúcar mascavo e até amêndoas e castanhas. As combinações devem ser feitas de acordo com o gosto e a dieta de cada pessoa. Na opinião da nutricionista funcional Teresa Rodriguez, especialista em medicina ortomolecular, o ideal é fazer uso da mistura de maneira balanceada. “O consumo deve ser assistido por um profissional, porque o excesso de fibra no organismo também faz mal. Um adulto deve ingerir de 25g a 30g, diariamente, para não perder outras substâncias, também úteis ao corpo”, ensina. A dona de casa Marly Maia, 66 anos, usava alguns ingredientes, como granola e aveia, há 10 anos. Desde o

Mistura ajuda a diminuir o colesterol, e dá mais energia, garantem os médicos ano passado, adicionou gelatina em pó, farelo de trigo, flocos de milho e até levedo de cerveja, e sentiu melhora na pele e na disposição durante o dia. “Se me chamarem para ir à rua, eu imediatamente respondo ‘Vamos agora!’ ”, exemplifica. Além de auxiliar no emagrecimento, já que estabiliza o sistema digestivo e diminui a absorção da gordura, a ração humana também controla o colesterol e o diabetes, aumenta a resistência orgânica, regula o intestino e

ajuda na desintoxicação do organismo. Contudo, quem é diabético ou tem problemas cardíacos, é melhor evitar açúcar mascavo, cacau e o guaraná em pó. Para Sueli Figueiras, 64 anos e usuária há mais de 20 anos, a ração humana foi uma consequência de um hábito antigo. “Na cozinha, quando eu preparava algum prato que deveria levar pão, substituía por aveia, que adoro. Com o tempo, passei a misturar outros cereais com frutas e iogurte”, diz. Atualmente, ela

complementa a receita com casca de ovo triturada e casca de maracujá. “Tenho dificuldade para dormir. O maracujá acalma e acaba ajudando a relaxar”, acredita. Rosalmira Pinheiro, aposentada de 77 anos, começou a misturar os farelos às frutas, por indicação da neta de 21 anos, que emagreceu quatro quilos. “Não como a ração para perder peso, e sim para regular o organismo”, explica. Para uma ingestão correta da mistura, recomenda-se o consumo de líquidos, e que ela seja usada como um complemento, e não como um substituto de refeições. Como a prescrição da ração é individual, é indicado que se procure um nutricionista para que cada pessoa receba a dosagem apropriada, entretanto, especialistas dizem que três colheres ao dia não causam mal algum. “O bom é manipular sua própria receita em uma casa de grãos, já que cada pessoa tem uma dieta diferente”, aconselha a nutricionista Carla Pires.

Bolinhas de Queijo Ingredientes: ½ kg de queijo minas frescal, 2 xícaras de farinha de trigo com fermento, 2 tabletes de magarina, 2 ovos, 100g de queijo parmesão ralado, Óleo de soja suficiente para fritar.

Modo de preparo: Amasse o queijo minas com um garfo, acrescente metade da farinha (1 xícara) e os demais ingredientes. Misture até obter uma massa homogênea. Acrescente o restante da farinha, até que a massa não agarre nas mãos. Faça bolinhas pouco maiores que uma colher de chá. Frite em uma frigideira funda, com óleo em quantidade suficiente para cobrir as bolinhas. Mande também sua receita para publicação: Rua Visconde de Itaborai, 166/2º, CEP 24030-092. A/C do Marketing


F

Badalação 11

oi um acontecimento que parou a cidade, a festa dos 15 anos do Projeto Gugu, no Clube Canto do Rio. Ao som da banda Pop Music, 15 alunas, que participam do projeto há 15 anos ininterruptos, dançaram a valsa com 15 alunos do núcleo de Dança de Salão. Os professores, todos, marcaram presença e, sempre animados, tiraram as “debutantes” para dançar. A valsa foi coreografada pela professora Rose, de dança de salão. No time das “debutantes” estavam: Clemilda Farias, Maria Tereza Santos, Maria Augusta Mota, Maria De Carvalho, Aldina De Souza, Iolanda Da Silva, Alcy Real, Enecéia Da Rocha, Laurinda Fernandes, Dulce Rodrigues, Nurimar Nunes, Ilda de Oliveira, Maria José Oliveira, Maria Flor De Maio e Luiza Silva Menezes. Entre os dançarinos, Antônio Julho Dias, Antonio Galdino, Marcus Vinícius Da Silva Cruz, Paulo Roberto Barbosa, Sebastião Pinto, Amós Dias, Mário Barbosa, Daniel Sampaio Crispim, José Luiz Soares Da Costa, Marcos Aurélio Costa Ramos, Henrique Jorge Ramos, Constantino, Neumar Castro de Brito, Almir Dias e José Mauro De Souza. Na ocasião, várias pessoas foram homenageadas. Vejamos as fotos.

baile de “debutantes”...

1

As debutantes foram maquiadas com produtos Natura ofertados pela consultora Cristiane Hortifruti é nosso patrocinador

Núcleo São Francisco

2

3

7

5 6

8 Núcleo Icaraí

9

4

Núcleo Fonseca

1 - Gugu com as debutantes; 2 - Gugu e Regininha com Aurora Gimenez Lau; 3 - O funcionário mais antigo, Ricardo José Figueiredo, também foi homenageado; 4 - O gerente do Hortifruti de Icaraí, Andrea Dadalto, homenageia a aluna mais idosa, Yolanda Gonçalves (capa do nosso jornal); 5 Gugu e Regininha receberam a equipe da Funcab: Sergio Emilião, Pamela, Rosana e Marcia Bittencourt Silva; 6 Silvana Ribeiro Santos, a professora mais antiga do projeto, também foi homenageada; 7 - A animada equipe de professores, sempre sorridente; 8 - Talita Salin recebeu a homenagem das mãos do deputado federal Marcelo Itagiba; 9 - Iara Coutinho Cruz também foi festejada.



JORNAL NOV.IDADE Nº 1