Page 1

Academias de verão Forum Estão quase a começar, inscreve-te já. É grátis!

Revista Forum Estudante | Junho 2017 | Edição n.º 297 | Disponível apenas por assinatura com o custo mensal de 1€

Politécnico de Coimbra

Trilha o caminho do sucesso Como a segurança rodoviária chegou às ruas do Porto

Fomos ao estúdio dos Grog Nation Quando os livros viram filmes


C

M

Y

CM

MY

CY

MY

K


sischool.wsu.ac.kr

WOOSONG UNIVERSITY

A verdadeira experiência internacional Vem estudar num país que ocupa a 5.ª posição no que diz respeito à qualidade da educação.

Muhammad Riyaz Hissain Bangladesh Gestão Hoteleira

Waranadda Boonchvay Tailândia Gestão Hoteleira

Khandoker Mohammad Ali Bangladesh Gestão Hoteleira

Sou aluno da Woosong University desde março 2016. Aqui, todas as disciplinas são lecionadas em inglês e o ambiente é amigável no que diz respeito aos colegas e professores. As residências universitárias e o campus são magníficos. Estou a tentar aprender mais e a continuar a adaptarme à cultura Coreana. Estou a adorar a experiência!

Adoro estudar na Woosong University, pois aqui obtenho mais do que uma formação académica: recebo alegria, amizade e ainda aprendo tudo sobre outras culturas.

Estudar na Coreia é divertido. Com o sistema educacional coreano, podemos usufruir de uma verdadeira experiência internacional, visto que todos os nossos professores são internacionais. Aqui crescemos juntos, tornamo-nos mais fortes e preparamos um futuro brilhante.

ersity Woosong ng Univ University Wooso

Oferta Formativa

› Gestão Hoteleira › Artes Culinárias › Gestão da Restauração e Catering › Tecnologias de Comunicação › Gestão

Currículo Americano

100% em Inglês Charles Boggio França Artes Culinárias

Prince Mohammad Shakil Mahmud Bangladesh Gestão Hoteleira

Todos os momentos que já vivi na Woosong University foram maravilhosos. Todas as memórias e experiências que levarei daqui irão ajudar-me nos meus objetivos, quer profissionais, quer pessoais. Estou muito contente por me terem dado esta oportunidade e agradeço a todos as pessoas que estão aqui para me ajudar.

Estou muito contente por ser um estudante na Woosong University, uma vez que posso usufruir de uma excelente educação, com flexibilidade e num ambiente intercultural. Através do contacto com professores e alunos de diferentes nacionalidades, sinto-me melhor preparado para trabalhar na indústria hoteleira, quando terminar a minha graduação.

Intercâmbio de estudante com Instituto Paul Bocuse, França

+ de 300

Universidades Internacionais parceiras 80% dos Professores e mais de 70% de alunos são

internacionais

Bolsas de Estudo Preços vantajosos e competitivos

SOL INTERNATIONAL SCHOOL

Mais informações: admission_sis@wsu.ac.kr


1 | Forum Estudante | Mai’17

/Sumário

PASSATEMPOS

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO: Estes passatempos decorrem até 30 de junho. Apenas serão atribuídos prémios a residentes em Portugal e somente um prémio por pessoa e morada em cada passatempo. Só será aceite, de cada concorrente, uma participação por dia. O não preenchimento correto do formulário de participação em www.forum.pt/passatempos, leva à desclassificação do participante. Os vencedores residentes na área da grande Lisboa terão de levantar o prémio na nossa sede em Lisboa. Aos restantes, os prémios são enviados via CTT. Após notificação, os vencedores têm um prazo de 15 dias para reclamar o prémio. Os prémios devolvidos não serão reenviados. A idade máxima de participação é de 25 anos, inclusive, a confirmar por documento de identificação. OS PREMIADOS SÃO ANUNCIADOS EM FORUM.PT. NOTA: as cores e modelos apresentados podem não corresponder às imagens apresentadas.

www.forum.pt Telefone 218 854 730 FAX 218 877 666 Email geral@forum.pt Direção Gonçalo Gil goncalo.gil@forum.pt Fotografia Fábio Rodrigues, Gonçalo Gil Design Miguel Rocha miguel.rocha@forum.pt Patrícia Basílio Redação Fábio Rodrigues fabio.rodrigues@forum.pt

SOL DA CAPARICA

A Forum Estudante tem bilhetes para te oferecer para o festival “O Sol da Caparica” e aulas de surfWild! De que estás à espera? Participa em www.forum.pt

Assinaturas Paula Ribeiro Tel.: (218 854 730) pribeiro@forum.pt Anuidade: 10€ Publicidade Félix Edgar (Tel.: 218 854 103) felix.edgar@forum.pt Comunicação José Maria Archer (Tel.: 218 854 780) Cátia Nogueira Natália Pirtac Distribuição Vítor Silva (Tel.: 218 854 755) vitor.silva@forum.pt Produção Monterreina, Madrid Tiragem: 40 mil exemplares

GANHA DUAS EMBALAGENS DE MEMOFANTE E MEMOFANTE SHOTS

Se queres ter memória de elefante, participa no passatempo da Memofante. A Forum Estudante e a Memofante têm para te dar duas embalagens de Memofante Estudantes SHOTS. Participa em www.forum.pt

FORUM ESTUDANTE Revista de Cursos, Escolas e Profissões Propriedade e Edição de: PRESS FORUM, Comunicação Social, S.A. Capital Social: 60.000,00¤ NIF: 502 981 512 Periodicidade Mensal Depósito Legal n.º 510787/91 Registo ICS n.º 114179

MARY KAY, COME HERE! Ganha produtos Mary Kay “Clear Proof” a linha revolucionária contra a acne. Participa em www.forum.pt

Sede Tv. das Pedras Negras, nº 1 - 4.º 1100-404 Lisboa Tel.: 218 854 730 | Fax: 218 877 666

Administração Roberto Carneiro (Presidente) Rui Marques Francisca Assis Teixeira

SUMÁRIO 5 7 10 12 14 17 29 38 50 62 64

Dicas para Estudar As golden rules dos exames BPSS Sabe como correu a grande final! PNL E quando os filmes nascem nos livros? Fama Uma semana ligada à segurança BP Segurança ao Segundo Sabe tudo sobre a grande final. Pancadas Confere a temperatura do teu humor. IPCoimbra Conhece o Politécnico que te coloca na rota do sucesso. FAMA Fomos ao estúdio dos GrogNation, em Mem Martins. Redescobrir a Terra O dia da Agricultura na Escola. Só Rir No verão, o riso anda no ar. HorosCópos Queres saber como vão ser as tuas férias?

Revista Forum Estudante #297 // Junho 2017 // e-mail: geral@forum.pt // www.forum.pt


pub

20.04.17_Af_Anúncio Forum Estudantes Santos Populares.pdf

5 | Forum Estudante | Jun’17

/Dicas para estudar

REGRAS

DOURADAS PARA OS EXAMES Os exames nacionais estão à porta e podem ser motivo de tensão e angústia. Confere os nossos conselhos para que tudo corra pelo melhor.

01Relativiza

Não há volta a dar: os exames nacionais são um passo importante na tua vida. Mas antes de entrares em hiperventilação, depois de leres esta frase, pensa que a angústia que estás a sentir já foi vivida por muitos e muitos estudantes antes de ti. A ansiedade é natural e deves procurar relativizar: pensa que só tens de dar o teu melhor, as consequências podem ficar para depois.

02Organiza

Estuda bem o teu calendário de exames para que não sejas apanhado de surpresa. Calendariza o teu estudo, de acordo com as matérias que sentes que precisam de ser mais trabalhadas. De igual forma, mantém o teu local (ou locais) de estudo arrumados, para que possas focar-te com maior facilidade no reforço dos conhecimentos. Se colocares todos os livros na secretária e tentares estudar tudo ao mesmo tempo, só vais prejudicar a tua produtividade.

03Treina

Procura resolver questões de exames nacionais anteriores e compara a tua resposta com os critérios de correção. Não desesperes se sentires que não

estás a conseguir bons resultados. O estudo serve, precisamente, para que descubras quais os pontos que precisas de reforçar. À medida que vais conseguindo resolver mais exercícios, vais sentirte mais confiante e sentir os níveis de ansiedade a baixar.

C

M

Y

04

Cuida

Tão importante como estudar é manter hábitos saudáveis. Alimenta-te e hidrata-te convenientemente, sem exagerar no departamento dos cafés, bebidas energéticas e doces. Marca tempos de descanso periódicos, para que possas realmente relaxar sem te sentir culpado e para mantenhas os níveis de motivação em alta.

05Acredita

Se cumpriste as quatro regras anteriores, a última chegará com naturalidade. Acredita nas tuas capacidades e no trabalho que desenvolveste. Ter uma boa nota num exame nacional está ao teu alcance. Não te prendas à ansiedade de pensar no que pode ou não “sair no exame” – essa é uma variável fora do teu controlo. Lembra-te das horas de estudo para que entres com confiança redobrada. Nem vai ser preciso desejar-te “boa sorte”.

CM

MY

CY

CMY

K

1

20/04/17

1


8 | Forum Estudante | Jun’17

/BP Segurança ao Segundo

BPSS. SEGURANÇA ATÉ À FINAL

2017

SABE MAIS EM BPSEGURANCAAOSEGUNDO.PT A Reitoria da Universidade do Porto recebeu a final do Desafio BP Segurança ao Segundo, nos passados dias 4 e 5 de maio. Vindas de vários pontos do país, as cinco equipas lutaram pelo título, filmando e editando um vídeo que sensibiliza para as principais causas de morte dos jovens nas estradas nacionais. Numa das salas da Reitoria da Universidade do Porto, a equipa verde vai colocando os adereços sobre a mesa: um relógio, um cinto, uma gravata, um par de brincos. À medida que os colegas vão preparando o cenário, o capitão de equipa, Hugo Cação, recorda o que há em comum entre estes objetos: “fazem clique”. O objetivo do vídeo da equipa verde, explica, é “criar uma narrativa com imagens de um quotidiano de um casal que vai sair de casa”. Através do seu vídeo, a equipa vinda do Instituto Técnico Artístico e Profissional de Coimbra procura salientar que, num dia normal, a estes objetos quotidianos, deve juntar-se o clique do cinto de segurança. “Há tantas coisas que nos habituamos a fazer automaticamente – esta devia ser mais uma delas”, reforça Hugo Cação. Um pouco antes, ao início da tarde do primeiro dia da final, durante a sessão de acolhimento, o Diretor da Forum Estudante, Gonçalo Gil explicou que cada equipa teria 2 horas para filmar e 2 horas para editar os seus vídeos que duram, no máximo 30 segundos.

Conforme relembrou o representante da Ogilvy, João Soares da Costa, este é um período de tempo bastante curto. “Em publicidade, estes trabalhos costumam durar um ou dois dias – este é um desafio intenso porque sabemos que vocês são capazes”, sublinhou.

5 equipas, 5 spots À imagem da equipa verde, os finalistas do BPSS escolheram os seus sets de filmagem, espalhando-se pelo interior e pelas imediações da Reitoria. Os temas dos vídeos são subordinados às cinco principais causas de morte de jovens nas estradas: fadiga, álcool

e drogas, não utilização do cinto de segurança, excesso de velocidade e uso do telemóvel ao volante. A equipa amarela decidiu contar uma história a outra escala, com protagonistas de outra dimensão. “São as miniaturas que vão contar a história”, explicou a participante Inês Simões. A equipa vinda da Escola Secundária D. Dinis quis mostrar, através da utilização de miniaturas, a apresentação de uma decisão e das suas consequências. Sob o tema de álcool e drogas, salientou Inês Simões, “queremos mostrar que temos de tomar as decisões no momento certo


pub

9 | Forum Estudante | Jun’17

/BP Segurança ao Segundo

e pensar nas consequências”. Para filmar o seu spot, a equipa azul escolheu um parque de estacionamento subterrâneo. O objetivo é simular um carro em movimento em que o condutor “decide não atender os vários telefonemas que recebe”, explica a participante Diana Pereira. A equipa vinda de Guimarães, da Escola Profissional Cisave, pretende “mostrar, em vez do que pode correr mal, o que se deve fazer neste lugar”.

Da fadiga à velocidade “É uma coisa que acontecer regularmente e que pode acontecer a toda a gente”, salienta Núria Palitos, da equipa vermelha. A participante fala do tema retratado no spot da sua equipa, vinda igualmente da Escola Secundária D. Dinis, em Chelas: a fadiga ao volante. Alertando para estes perigos, a equipa vermelha filma uma história do dia-adia, em que o protagonista “demonstra cansaço ao longo do dia”. Mais tarde, “tem um acidente devido à fadiga mas percebemos que tudo é um sonho”, acrescenta. A equipa branca, por sua vez, filma à entrada da Reitoria e coloca, lado-alado, um automóvel e um participante

sentado numa cadeira de rodas. “Vamos começar com uns planos do carro ao estilo de um anúncio, para captar a atenção”, explica Rita Araújo. Depois, há uma troca de olhares entre uma rapariga e aquele que parece ser o condutor. Quando o carro arranca, o plano fica preenchido apenas pelo jovem de cadeira de rodas: “queremos alertar para as consequências da velocidade excessiva e este contraste poderá trazer mais impacto”. Para a noite, ficou reservada a fase de edição dos vídeos, com os últimos acertos a serem realizados na manhã de dia 6 de maio. Pouco depois, durante a sessão de encerramento da semana foco da Porto Capital Jovem da Segurança Rodoviária, os cinco spots foram apresentados e conhecidas as preferências do júri. A vitória acabaria por sorrir à equipa verde, vinda do ITAP, com um vídeo que traça o paralelismo entre o a preparação de um casal para sair e a naturalidade de colocar o cinto de segurança. Para o capitão da equipa vencedora, Hugo Cação, a notícia chegou com alguma surpresa, uma vez que “havia trabalhos muito competitivos”. O estudante de 21 anos destaca ainda a “experiência incrível” que foi “trabalhar de perto com uma equipa profissional”. “Foi muito bom aprender com eles”, reforça. Desde do momento em que conheceram o Desafio BP Segurança ao Segundo, explica Hugo Cação, os participantes da equipa verde foram “atraídos pelo tema de sensibilização”, por ser uma forma de “tocar as pessoas”. Agora, conquistado o desafio, resta desfrutar do “grande prémio”: um passe de 5 dias para o Festival Sudoeste, na Zambujeira do Mar. “Em princípio, iremos todos juntos. E vamos tentar convencer o professor”, revela.

Quali ficate ;-) Entra em www.upt.pt e fica a conhecer tudo o que a Portucalense pode fazer por ti nesta fase tão decisiva para o teu futuro.

DIREITO SOLICITADORIA RELAÇÕES INTERNACIONAIS ECONOMIA GESTÃO GESTÃO DA HOSPITALIDADE GESTÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO INFORMÁTICA EDUCAÇÃO SOCIAL PSICOLOGIA TURISMO Segue-nos


pub

10 | Forum Estudante | Jun’17

/PNL

QUANDO OS FILMES NASCEM NOS LIVROS Grande parte das histórias que chegam às telas do cinema nasceram nas páginas de um livro. Conheces a inspiração na base destes filmes?

Stephen King – Rita Hayworth and Shawshank Redemption (1982) Primeiro classificado do ranking do IMDB, o filme “Os Condenados de Shawshank” goza de uma popularidade ímpar por todo o mundo. A história representada por Tim Robbins e Morgan Freeman foi inspirada num pequeno romance de Stephen King, publicado em 1982. Um artigo da Vanity Fair destaca que a adaptação “imita o ímpeto da narrativa, acrescentando alguns pontos no enredo e aumentando os temas do filme”.

CLUBE DE RELATÓRIO COMBATE (1999) MINORITÁRIO (2002) Chuck Palahniuk - Fight Club (1996)

A película de David Fincher, protagonizada por Brad Pitt e Edward Norton baseou-se no romance homónimo de Chuck Palahniuk, publicado três anos antes, e é tido pela crítica como uma adaptação fiel. Segundo o jornal inglês The Guardian, “o filme aproxima-se muito do romance, tanto na história como no espírito, utilizando uma voz-off para lhe oferecer a voz distinta de Palahniuk”. De igual forma, seguindo os temas do romance, o filme incorpora elementos existencialistas e surrealistas.

Philip K. Dick – Minority Report (1956) Quase cinco décadas separam o filme realizado por Stephen Spielberg e a obra original – um conto da autoria do mestre de ficção científica Philip K. Dick. Ambos refletem sobre temas como o livrearbítrio e autoritarismo. A principal diferença está no protagonista: se a versão escrita de John Anderton é um agente de meia-idade, fora de forma e com pouco cabelo, a versão cinematográfica é representada por Tom Cruise: mais jovem, mais atlético e com bastante mais cabelo.

MULHERZINHAS (1994) Louisa M. Alcott - Little Woman (1868) Escrito durante do século XIX, o romance “As Mulherzinhas”, de Louisa May Alcott, foi adaptado várias vezes ao cinema. Em 1994, Gillian Armstrong realizaria a sua versão cinematográfica mais recente, contando com Wynona Ryder, Christian Bale e Kirsten Dunst no elenco. Ambos retratam a história de quatro irmãs e a sua passagem da infância para a idade adulta, durante a Guerra Civil Americana. O Huffignton Post destaca o livro como “um dos mais amados nos Estados Unidos” que “continua, 150 anos depois, a ser incrivelmente popular”.

Outras adaptações Apocalypse Now (1979) – Joseph Conrad – Hearts of Darkness (1899)

Laranja Mecânica (1971) – Anthony Burgess A Clockwork Orange (1962)

Trainspotting (1996) – Irvine Welsh – Trainspotting (1993)

Este País Não É Para Velhos (2007) – Cormac McCarthy – No Country For Old Men (2005)

WWW.PLANONACIONALDELEITURA.GOV.PT

pub

CONDENADOS DE SHAWSHANK (1994)


pub

pub


12 | Forum Estudante | Jun’17

/Capital Jovem da Segurança Rodoviária

PORQUE O PORTO

É A CAPITAL DA SEGURANÇA Durante quatro dias, a área metropolitana do Porto recebeu várias atividades integradas na semana foco da Porto Capital Jovem da Segurança Rodoviária. De simulacros de acidente a desencarceramentos, houve ainda espaço para a grande final do BP Segurança ao Segundo. Fica a saber mais sobre algumas destas ações.


13 | Forum Estudante | Jun’17

/Capital Jovem da Segurança Rodoviária

Foi perante uma plateia com cerca de 50 crianças que o subchefe dos Bombeiros Voluntários Sapadores do Porto, Óscar Silva, ligou para o 112. Atrás de si, em plena Praça D. João I, um carro encontravase capotado. Depois de fazer a ligação, Óscar Silva explicou aos presentes todos os processos envolvidos no desencarceramento de uma vítima de acidente. De resto, como salientou o Diretor do Departamento Municipal de Proteção Civil da Câmara Municipal do Porto, João Sedim, o objetivo desta ação foi, precisamente, “explicar tudo o que está envolvido” neste trabalho de socorro que, “por vezes, é desconhecido do público”.

O responsável destacou, por exemplo, o “trabalho de equipa” que é “fundamental, uma vez que cada segundo conta”. Este simulacro, realizado no centro do Porto, por volta das 12h00, marcou o arranque da semana foco da Capital Jovem da Segurança Rodoviária. Sensivelmente à mesma hora, junto ao edifício da Câmara Municipal de Matosinhos, realizavase o lançamento oficial da semana. Depois das apresentações, realizadas pelo CEO da Forum Estudante, Rui Marques, a vogal da direção do Automóvel Club Português (ACP), Margarida Pinto Correia, destacou este momento como “o pontapé de saída” para a campanha “Todos Somos Peões” - uma iniciativa que,

acrescentou, “pretende “lembrar a públicos de todas as idades que são peões e que, como tal, têm direitos e deveres”. Ainda durante esta abertura oficial, o Presidente da Câmara de Matosinhos, Eduardo Pinheiro, destacou a importância de comunicar com os jovens e, nesse sentido, sublinhou a presença dos D.A.M.A nesta ação. Durante o resto do ano e de semana foco, acrescentou, realizam-se, ao abrigo da Porto Capital Jovem da Segurança Rodoviária, em toda a área metropolitana do Porto, “iniciativas destinadas a públicos diversificados”, com foco na mensagem de segurança nas estradas.

Fica a saber tudo o que se passou em capitaljovemsegurancarodoviaria.pt PROMOTORES

CÂMARA MUNICIPAL

APOIOS

EDUCAÇÃO

APOIOS LOCAIS

VIATURA OFICIAL

MEDIA


14 | Forum Estudante | Jun’17

/Pancadas

MAU

O TERMÓMETRO DO HUMOR ESTUDANTIL

A vida de estudante é feita de vitórias, esperanças e conquistas. Mas também de derrotas e desilusões que trazem consequências ao nosso estado de espírito. Reconheces o teu humor na escala de Celsius?

100ºC

É uma antiga expressão portuguesa que o garante “o gajo estava tão nervoso que até fumo lhe saía pelas orelhas”. Ainda que, até aos dias de hoje, não exista registo de tão inusitado fenómeno, não deixa de ser uma imagem adequada. Fumo a sair pelas orelhas, vapor a sair pelo nariz, e o nosso caldo interno em ebulição completa, depois de tropeçar nas escadas, partir uma unha, perder a segunda caneta do dia, levar uma tampa, fazer um teste que corre mal, perder a terceira caneta do dia, deixar cair as gomas ao chão e perder o autocarro. Vapor e fumo, a sair por orelhas e não só, e umas quantas respirações e suspiros, para tentar arrefecer os ânimos internos.

41ºC

Reparem no quarenta e um. Ninguém diz “estava cheio de febre, com quarenta graus”. A formulação certa é “estava cheio de febre, com quarenta e tal”. A diferença está nos detalhes e, aos 40ºC de espírito são precisamente os detalhes que começam a chatear-nos. Será que o colega de carteira precisa de mesmo de mascar a pastilha tão ruidosamente? Será que esta fila da cantina tem de dar duas voltas à escola? Será que um dia posso comer um saco de gomas em paz, sem ter 20 pares de mãos esticados à minha volta? Tudo isto são questões pertinentes e que, embora não nos deixem maldispostos, nos começam a pesar no espírito, aquecendo as águas do mau-humor.

21ºC

Tida por alguns como a famosa “room temperature” [temperatura ambiente] a medida de 21ºC tem o condão de ser invisível. Durante um dia normal, ouvemse muitos “está calor”. Possivelmente, ainda mais se ouve “está frio”. Não se ouve muitas vezes, contudo, a pertinente observação: “que engraçado, não está quente, nem está frio, está assim, assim”. E quantas vezes não está assim o nosso humor? Nem está carne, nem está peixe,

nem assim, nem assado, está tudo normal, normalíssimo, normalérrimo e só vamos verdadeiramente valorizar esse estado quando a temperatura voltar a subir ou baixar.

0ºC

Todo o gelo tem os dias contados, meu caro, assim a temperatura se aproxime do zero. Aos poucos, o teu mau humor lá vai derretendo, pingando gotas de esperança aqui e ali. O dia começou mal mas começa a prometer: recebeste um convite promissor e reparaste que alguns colegas estão especialmente simpáticos hoje. Ainda não estás disponível para abandonar o mau humor, mas começas a pensar que é possível recuperar qualquer coisa.

-93,2ºC

Esta foi a temperatura mais baixa registada à superfície da Terra: 93,2 graus Celsius negativos. Coisa pouca. Se quiseres pensar numa sensação equivalente pensa no segundo seguinte a receberes uma má nota logo de manhã ou nas horas que se seguem à descoberta de que há um teste surpresa mais logo. As tentativas dos teus colegas e professores em interagir contigo são bem-intencionadas. Mas, a todos, devolves o mesmo olhar: gelo, puro gelo.

-273,15ºC

À simpática temperatura de 273 graus negativos, situa-se o “zero absoluto”, expressão que designa tecnicamente a “temperatura de menor energia possível”. Este não será, decerto, um estado desconhecido do estudante. Basta pensar nas manhãs chuvosas de segunda-feira ou nos dias em que os lençóis parecem feitos de uma matéria tão suave que será desconhecida da Ciência. Lentamente, lá vamos aquecendo os motores, dando passos lentos até à casa de banho, muitas vezes de olhos quase fechados, o que nunca é boa ideia, tendo em conta a quantidade de mobiliário pelo caminho. Fica a garantia: à primeira esquina pontiaguda, vais despertar.


16 | Forum Estudante | Jun’17

/Clínica ISPA

A REALIDADE, O QUE VEMOS E O QUE SOMOS Por Alexandre Vaz Psicólogo, Clínica ISPA

“A auto-observação acaba por ser, como a mente, um bom servo e um mau mestre.”

A mente humana está constantemente a avaliar o que se passa dentro e fora de nós. É, no fundo, a criadora de significados por excelência. “Um bom servo e um mau mestre”, chamavalhe o filósofo Alan Watts. Serve esta nossa mente de filtro da realidade, encaixando os milhões de estímulos do nosso mundo externo e interno num todo coeso. Acima de tudo, a mente pede organização – por mais logicamente “errada” que esta seja –, detestando o caos e a ambiguidade. Note-se a quantidade mínima ou nula de surpresa ou choque que normalmente sentimos no nosso dia-a-dia, mesmo em situações completamente novas ou incompreensíveis: a mente teoriza e acredita entender algo muito antes de ser possível esta chegar a alguma conclusão logicamente válida. Todos nós criamos o mundo em que habitamos. Baseando-nos na nossa história e experiências pessoais, nas nossas emoções do momento, entre (muitos) outros factores, acabamos por construir modelos de “como as coisas são”. Modelos em que acreditamos acerrimamente, sem sequer os questionarmos de tão “óbvios” que nos parecem. “É claro que as pessoas são fundamentalmente boas”, acredita um. “É claro que os outros não são de confiança”, acredita outro. Por outras palavras: diz-me como vês o mundo e dir-te-ei quem és. Talvez a pergunta mais importante seja esta: porque é que diferentes pessoas reagem de modo diferente à mesma situação? Tal como uma tela branca, tudo o que se passa dentro e fora de um ser humano está aberto à interpretação. E esta tela branca a que poderíamos chamar de “realidade” está constantemente a ser pintada – mesmo que não notemos, com uma tinta que é, maioritariamente, nossa. A auto-observação acaba por ser, como a mente, um bom servo e um mau mestre. Quando dominada, liberta-nos de muito do que dávamos por garantido (se é que a isso se possa chamar de algo desejável: como referimos, a mente não é fã destas ambiguidades). Por outro lado, uma auto-observação sem rédeas rapidamente se transforma em autoconsciência e, não raramente, em autocrítica. Mas apercebermonos que o nosso modo de “pintar a realidade” tem uma enorme vantagem: a possibilidade de reinventar o mundo que criamos. Esta possibilidade começa, precisamente, com uma tomada de consciência da nossa invenção, do nosso contributo para com tudo o que damos por garantido. Talvez por isso as palavras de Fernando Pessoa, no seu Livro do Desassossego: “O que vemos, não é o que vemos, senão o que somos”.


17 | Forum Estudante | Jun’17

/ISPA

publirreportagem

ISPA. IU ISPAMEDIA ISPA. PT

PIONEIROS DA PSICOLOGIA Com mais de 50 anos de história e tradição no Ensino e na Investigação e pioneiro na Psicologia em Portugal, o ISPA – Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida tem vindo a alargar as sua oferta formativa, mantendo o rigor de sempre.

MESTRADO INTEGRADO EM PSICOLOGIA Onde há pessoas há comportamento humano. A necessidade de o compreender e antecipar de forma científica é a razão pela qual a psicologia se tornou tão transversal na sociedade atual: vemos psicólogos a trabalhar nas mais diversas áreas como em hospitais, tribunais, prisões, escolas, empresas, na política, na polícia ou mesmo em publicidade. Desde há 50 anos que o ISPA é o local de referência para o ensino e investigação da Psicologia em Portugal. Aqui poderás aceder a conceitos, teorias, métodos e pilares éticos sempre com uma abordagem inovadora e pensamento crítico, participar em projectos de investigação e ainda pôr o conhecimento adquirido em prática, fazendo a tua primeira incursão no mercado de trabalho através do nosso reconhecido programa de estágios. Provas de acesso: Biologia e Geologia ou Matemática Aplicada às Ciências Sociais ou Português

LICENCIATURA EM BIOLOGIA Para compreender como funciona a vida é necessário conhecer os seus princípios e processos ao nível molecular, celular, do organismo, da população e do ecossistema. No ISPA encontras um consistente enquadramento teórico nas principais áreas da Biologia, bem como a oportunidade de participar em projectos de investigação logo desde o primeiro ano. O nosso plano de estudos engloba as vertentes laboratoriais e de trabalho de campo, tanto em ambientes marinhos como terrestres. No ISPA somos pela vida e garantimos um ensino que respeita o bem-estar, evitando o sacrifício injustificado de animais. Provas de acesso: Biologia e Geologia ou Física e Química ou Matemática

LICENCIATURA EM DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO O Desenvolvimento Comunitário é uma área de estudos emergente e proporciona uma formação multidisciplinar nas ciências sociais e humanas, orientada para a promoção de intervenções de mudança transformativa e de sustentabilidade ao nível das comunidades urbanas e/ou rurais. Abre perspectivas de carreira nos mais variados domínios da

intervenção comunitária, abrangendo a capacidade de planeamento e avaliação de projectos e programas com propósitos de mudança social transformativa em domínios cruciais como a promoção da integração comunitária, a prevenção da violência e a organização comunitária. Provas de acesso: Matemática aplicada às Ciências Sociais ou Português

LICENCIATURA EM BIOINFORMÁTICA A Bioinformática é uma área pioneira. Esta Licenciatura garante-te uma sólida formação multidisciplinar em informática, ciências da vida, matemática e estatística aplicada, abrindo perspetivasde carreira nas áreas da genómica, da exploração de dados biológicos, da aprendizagem automática, da modelagem e simulação e ainda nas áreas de programação, redes e bases de dados e na investigação científica. As saídas profissionais incluem empresas farmacêuticas, biotecnológicas, consultoria, tecnologias de informação e desenvolvimento software, entre outras. Provas de acesso: Biologia e Geologia ou Física e Química ou Matemática

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO BÁSICA (em parceria com a ESEI – Maria Ulrich) Muito prestigiado na área da educação, no ISPA é agora possível fazer a Licenciatura em Educação Básica, que dá acesso a uma consistente formação de base que te proporciona conhecimentos multidisciplinares sólidos e hábitos de trabalho rigorosos no domínio da investigação e planeamento educacional. Conhecerás experiências enriquecedoras no campo da educação que te permitirão uma intervenção sustentada no apoio a profissionais em diversos contextos de educação. No final da Licenciatura, serás capaz de refletir e intervir sobre os contextos e práticas educativas, compreendendo e analisandoas necessidades e os interesses das crianças, famílias e comunidades. Contamos contigo para contribuir para a melhoria da qualidade do funcionamento do sistema educativo. Provas de acesso: Português ou Biologia e Geologia ou Geografia ou História ou Inglês ou Matemática Aplicada às Ciências Sociais.


18 | Forum Estudante | Jun’17

/Politécnico de Lisboa

publirreportagem

MÚSICA, MAESTRO!

A ESML apresenta-se, no panorama nacional e internacional, como uma das principais escolas de referência, cumprindo a sua missão de oferecer a formação artística, técnica, tecnológica e científica, ao mais alto nível, de profissionais na área da Música.

Música de Câmara, cobrindo um vasto repertório, desde a Música Antiga à Música do Século XXI. A Orquestra Sinfónica, a Orquestra de Sopros, a Orquestra de Jazz, a Camerata Gareguin Aroutiounian, a Camerata Silva Dionísio e os diferentes Coros são os principais agrupamentos instrumentais e corais da ESML que, semanalmente ao longo do ano, vão ilustrando para o exterior, em eventos e concertos nas principais salas do país, o alto nível de profissionalismo e a abrangência e a diversidade da formação proporcionada.

O prestígio e distinção alcançados no panorama nacional e internacional têm se consolidado ao longo dos últimos anos, em resultado não só das suas origens e na reconhecida qualidade e nível internacional do seu corpo docente, mas também na dinâmica, diversidade, projeção e qualidade das suas realizações artísticas nos domínios da produção e divulgação artística, do ensino e da investigação, as quais ilustram e corporizam bem o seu compromisso com a constante procura da excelência, de abertura à inovação e à contemporaneidade. Localizada no Campus de Benfica do IPL, dispõe de instalações de reconhecido prestígio internacional, também no plano arquitectónico. Na prossecução da sua missão promove um ambiente de ensino/ aprendizagem dotado dos mais

altos padrões de exigência e de qualidade, orientando os estudantes no sentido do seu desenvolvimento com vista a desempenhos profissionais empreendedores, nacional e internacionalmente competitivos e socialmente relevantes, nas áreas das Artes e Indústrias Musicais. A ESML ministra os cursos de licenciatura em Música, em Tecnologias da Música e em Música na Comunidade (este, em associação com a Escola Superior de Educação de Lisboa), os cursos de Mestrado em Música e em Ensino da Música e os cursos de doutoramento em Artes Musicais (em associação com a Universidade Nova de Lisboa) e em Artes Performativas e da Imagem em Movimento (em associação com a Universidade de Lisboa). Na produção artística da ESML destacam-se os numerosos grupos de

A ESML está inserida na rede das mais prestigiadas escolas superiores de música europeias e mundiais, desenvolvendo uma estratégia de internacionalização da formação proporcionada, nomeadamente, através de parcerias e intercâmbios com mais de 30 escolas e conservatórios superiores de música de 14 países A ESML está inserida na rede das mais prestigiadas escolas superiores de música europeias e mundiais, desenvolvendo uma estratégia de internacionalização da formação proporcionada.

www.esml.ipl.pt


19 | Forum Estudante | Jun’17

/Politécnico de Lisboa

COMUNICAÇÃO É NA ESCS!

A Escola Superior de Comunicação Social (ESCS), do Politécnico de Lisboa, é a instituição de referência no ensino e na investigação nas áreas da Comunicação em Portugal.

A ESCS oferece, ainda, a oportunidade de os alunos participarem numa panóplia de atividades extracurriculares, as quais representam uma mais-valia para a sua formação pessoal, académica e profissional.

Visitas guiadas à ESCS A ESCS ministra quatro licenciaturas e quatro mestrados nas áreas do Audiovisual e Multimédia; do Jornalismo; da Publicidade e Marketing; e das Relações Públicas/Comunicação Empresarial. A Escola associa-se, também, a organizações de topo do mercado na implementação de cursos de pós-graduação em áreas inovadoras. A oferta formativa da ESCS alia a inovação científica e as tendências do mercado de trabalho, conjugando a componente concetual com saberes pragmáticos, tecnologia e experiências de cariz aplicado. Desta forma, a Escola procura antecipar as necessidades de formação dos futuros profissionais da Comunicação. A ESCS dispõe de um corpo docente altamente qualificado composto por doutorados e especialistas/ profissionais reconhecidos no mercado em que atuam e de um conjunto de equipamentos tecnológicos. A Escola está equipada com: estúdios de televisão e de rádio; redação multimédia;

salas de edição e pós-produção de vídeo; laboratórios multimédia e de informática; e laboratório de comunicação organizacional. Quanto à internacionalização, a Escola possui 60 acordos bilaterais, que permitem a mobilidade dentro e fora do espaço europeu (Erasmus+ e intercâmbio com o Brasil). Outra das mais-valias da ESCS passa pela sua articulação com empresas e organizações não governamentais, facilitando o acesso dos diplomados ao mundo profissional. A permanente abertura da Escola à sociedade permite estabelecer protocolos com entidades reputadas na área da Comunicação, como a produtora SP Televisão, a RTP, a agência de publicidade Ogilvy, a consultora de comunicação LPM, entre muitas outras. O sucesso dos alunos e diplomados é evidente, não só pela expressiva inserção no mercado de trabalho, mas também através da conquista de prémios nacionais e internacionais, em diferentes áreas da Comunicação.

Se quiseres marcar uma visita guiada à ESCS, envia um e-mail para gabcom@escs.ipl.pt, sugerindo uma data da tua preferência. O Gabinete de Comunicação responder-te-á, depois, a confirmar. Ficamos à tua espera!

Informações úteis (códigos da instituição e dos cursos) › Escola Superior de Comunicação Social: 3113 › Audiovisual e Multimédia: 9010 › Jornalismo: 9191 › Publicidade e Marketing (diurno): 9222 › Publicidade e Marketing (pós-laboral): 8439 › Relações Públicas e Comunicação Empresarial (diurno): 9231 › Relações Públicas e Comunicação Empresarial (pós-laboral): 8438

www.escs.ipl.pt


20 | Forum Estudante | Jun’17

/Politécnico de Lisboa

publirreportagem

EDUCAR PARA O FUTURO

Gostas de artes, mas também de novas tecnologias? Sempre sonhaste ser professor? Desejas trabalhar com crianças ou em contextos de intervenção social, cultural e educacional? Na ESELx tens a solução!

Descobre o que poderá ser o teu futuro profissional através da oferta educativa da Escola Superior de Educação de Lisboa (ESELx). Num primeiro ciclo de estudos, tens à tua disposição 5 cursos de licenciatura, de 180 créditos, todos eles como uma forte componente prática e de ligação à vida profissional. Algumas destas licenciaturas abrem-te portas para um segundo ciclo de estudos com acesso a um leque de profissões ainda mais vasto. Queres aprender uma nova profissão? Ser intermediário entre o público e os artistas? A licenciatura em Mediação Artística e Cultural proporciona-te trabalho em autarquias, museus, associações culturais, companhias de espetáculos e escolas de artes.

Gostas de artes, mas também de novas tecnologias? Sempre sonhaste assinar uma obra com o teu nome? Ser o designer de um objeto totalmente novo? O curso de Artes Visuais e Tecnologias dá-te a possibilidade de integrar oficinas de design, de artesanato, editoras livreiras, centros culturais, ou até quem sabe? - começar uma carreira artística. Tens competências musicais? Senteste vocacionado para dar respostas artísticas adequadas a diferentes públicos e contextos de intervenção comunitária? Com o curso de Música na Comunidade ficarás plenamente realizado, trabalhando com públicos diversificados, desempenhando cargos como os de músico, de animador

através da música, de coordenador de projetos musicais. Sempre desejaste trabalhar com crianças? Participar no seu desenvolvimento cognitivo, cultural e pessoal? É então para ti que se destina o curso de Educação Básica, que te permitirá não só ter a profissão de Técnico de Educação, como aceder a um segundo ciclo de estudos que te habilitará para a docência, como professor ou educador de infância. Gostarias de ter um papel mais interventivo na comunidade, ajudar a melhorar a qualidade de vida dos indivíduos, contribuir para o seu bem-estar social? Tens o curso certo: Animação Sociocultural. Poderás trabalhar em contextos de intervenção social, cultural e educacional, tais como ludotecas, bibliotecas, centros culturais, misericórdias, ateliers de tempos livres, museus, centros comunitários. Se quiseres obter mais informações sobre todas estas licenciaturas, mestrados e outras pós-graduações, consulta o nosso site.

www.eselx.ipl.pt


21 | Forum Estudante | Jun’17

/Politécnico de Lisboa

A TUA ENGENHARIA, DESDE 1852

O Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) é uma instituição de ensino superior público com uma experiência de 160 anos no domínio do ensino, da formação, da investigação e da prestação de serviços à comunidade.

OS NOSSOS CURSOS

conhecimentos e sua aplicação e são devidamente enquadrados por docentes com ligações próximas a empresas e outras instituições de elevado desenvolvimento tecnológico.

O ISEL possui uma oferta educativa abrangente na área da engenharia, tecnologia e matemática, que inclui os cursos clássicos de engenharia e ciclos em áreas emergentes e interdisciplinares, com elevadas taxas de empregabilidade e programas especialmente orientados para o mercado de trabalho. O ISEL disponibiliza muitos cursos em horários pós-laboral, formações preparatórias e cursos de pós-graduação, possibilitando a formação ao longo da vida. A estreita ligação ao meio empresarial é uma das marcas diferenciadoras do ISEL e está presente em todos os aspetos da vida académica: os nossos alunos caracterizam-se pela sua forte motivação para a aquisição de novos

O ambiente no ISEL caracterizase pela grande proximidade entre professores e alunos, um forte espírito de grupo e a possibilidade de realizar inúmeras atividades extracurriculares (nomeadamente a participação na Tuna Feminina, Estudantina Académica, atividades desportivas, projetos interdisciplinares como o ISEL Fórmula Student) que completam a tua formação pessoal e te preparam para os desafios futuros. O nosso campus encontra-se na zona oriental de lisboa – junto ao Parque das Nações, numa localização com excelentes ligações à cidade de Lisboa (paragem de metro à porta) e com instalações que incluem laboratórios, salas de aula, auditórios, biblioteca, residência de estudantes, campos polidesportivos, cantinas e bares.

Licenciaturas (1.º Ciclo - 3 anos) • Conservação e Reabilitação Urbana • Engenharia Biomédica • Engenharia Civil • Engenharia Clínica e Hospitalar • Engenharia Eletrónica e Telecomunicações e de Computadores • Engenharia Eletrotécnica • Engenharia Informática e Computadores • Engenharia Informática e Multimédia • Engenharia Informática, Redes e Telecomunicações • Engenharia Mecânica • Engenharia Química e Biológica • Matemática Aplicada à Tecnologia e à Empresa • Tecnologias e Gestão Municipal Mestrados (2.º Ciclo – 2 anos) • Engenharia Biomédica • Engenharia Civil • Engenharia de Eletrónica e Telecomunicações • Engenharia Eletrotécnica • Engenharia Informática e de Computadores • Engenharia de Manutenção • Engenharia Mecânica • Engenharia da Qualidade e Ambiente • Engenharia Química e Biológica • Engenharia de Redes de Comunicação e Multimédia • Análise e Controlo de Riscos Ambientais para a Saúde Outras formações • Cursos Preparatórios de Matemática e Física Para ingresso no ISEL através dos concursos especiais

www.isel.pt


22 | Forum Estudante | Jun’17

/Universidade de Aveiro

publirreportagem


23 | Forum Estudante | Jun’17

/Universidade de Aveiro


24 | Forum Estudante | Jun’17

/Universidade de Aveiro

publirreportagem


25 | Forum Estudante | Jun’17

/Universidade de Aveiro


26 | Forum Estudante | Abr’17

/ISCTE-IUL

95%*

publirreportagem

COMO SE EXPLICA ESTE NÚMERO?

O ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa regista uma das taxas de empregabilidade mais elevadas do país: 95%. Mas como se explica este número? Fomos conhecer o trabalho realizado, todos os dias, por quem pensa a carreira dos futuros diplomados.

Marina Ventura, coordenadora do Gabinete de Career Service e Alumni do ISCTE e Tiago Santos, do IBS Career Services, explicaram à Forum Estudante de que forma este instituto promove a empregabilidade dos seus estudantes.

* taxa de empregabilidade média do ISCTE-IUL ao fim de um ano após a licenciatura

No dia 15 de maio, o estudante do ISCTE-IUL, Gonçalo Vareta, passou grande parte da manhã no piso inferior do Edifício II deste instituto universitário. A razão é simples: Gonçalo foi um dos visitantes da Fórum de Empregabilidade para as Ciências Sociais que ali decorreu, durante os dias 15 e 16 e que juntou mais 50 empresas e instituições. “Este tipo de eventos é muito importante”, explica o estudante de mestrado em Psicologia Social e das Organizações, uma vez que “muitas vezes não se tem a noção das oportunidades que existem”. De resto, garante, “o ISCTE tem, desde que entramos, a preocupação de nos dar uma visão do mercado”. De acordo com a coordenadora do Gabinete de Career Service e Alumni do ISCTE, Marina Ventura, este Forum foi centrado, precisamente, “nas saídas


27 | Forum Estudante | Abr’17

/ISCTE-IUL

profissionais específicas dos cursos de ciências sociais do ISCTE”. Estes são objetivos que, explica, se inserem naquela que é a missão do gabinete que coordena: “trabalhamos todo o percurso dos alunos, desde o primeiro dia que entram no ISCTE”. Este é um trabalho não termina no final do curso. Marina Ventura relembra que estudos recentes comprovam o papel fundamental que os alumni [antigos alunos diplomados] têm na integração dos estudantes no mercado de trabalho. “Os antigos alunos são os maiores empregadores dos alunos de hoje”, reforça. A ligação do Career Service aos alumni, formalizada em 2015, criou, por isso, “uma sinergia positiva na integração dos dois serviços”.

Trabalhar a empregabilidade, todos os dias Diariamente, há trabalho realizado por profissionais do ISCTE, em prol

da empregabilidade dos seus alunos. Desde logo, realça Marina Ventura, através de contactos diários efetuados com empresas e organizações, uma vez que “é importante que seja a universidade a tomar a iniciativa”. Este trabalho, destaca, “tem impacto em todas as atividades que são mantidas com as empresas”, como ao nível dos estágios, fóruns, feiras ou workshops. Outra das vertentes do trabalho realizado passa pelo “contacto de proximidade”. “Temos de estar com os alunos, falar com eles”, explica a coordenadora, salientando a importância de manter uma postura ativa que seja centrada nos alunos, nas instituições e nos professores. Os docentes são, de resto, “grandes aliados neste trabalho – passam muito tempo com os alunos e conseguem passar a mensagem”. E qual a mensagem que se tenta passar aos alunos? De acordo com Marina Ventura, existem estratégias adequadas

a diferentes realidades. Para os alunos da área das tecnologias, por exemplo, devido à maior quantidade de ofertas de trabalho, tenta-se preparar os alunos para que “escolham o emprego e não para que sejam escolhidos”. Já relativamente às Ciências Sociais, a abordagem, muitas vezes, é no sentido de “desmistificar o preconceito de que não existe emprego nesta área”.

O primeiro de muitos passos Em comum, todas as atividades disponíveis para os alunos do ISCTE, na área da empregabilidade partem de um pressuposto: “nada deve ser obrigatório”, salienta a coordenadora. Os estudantes são sensibilizados para a importância de se prepararem e aumentarem as suas competências, nomeadamente ao nível da procura ativa de emprego. A reação, garante, tem sido muito positiva: “há um grande interesse dos estudantes

Gonçalo Vareta é aluno de mestrado em Psicologia Social e das Organizações e visitou o Fórum de Empregabilidade da Escola de Ciências Sociais e humanas


28 | Forum Estudante | Abr’17

/ISCTE-IUL

publirreportagem

IBS CAREER FORUM 2017 EM NÚMEROS

53 44 6 370 900

empresas presentes

apresentações institucionais

workshops temáticos

speed interviews

alunos inscritos em participar nas atividades que promovemos”. Este conjunto de ações promovidas responde a várias necessidades dos estudantes: existe um programa de estágios, nomeadamente de verão, um conjunto de workshops, ao longo do ano, destinados a reforçar competências importantes (construção de CV, preparação de entrevistas ou competências transversais, por exemplo) e ainda um serviço de mentoring que coloca em ligação direta estudantes e diplomados do ISCTE que estão hoje no mercado de trabalho. Ao longo dos últimos anos, temse registado um maior interesse e preocupação dos alunos na sua empregabilidade, salienta Marina Ventura. Por outro lado, ressalva, existe também uma “maior ingenuidade” que leva, muitas vezes, os estudantes a “serem permeáveis ao que ouvem, sem verificar se é real”. Nesse sentido, o trabalho realizado no gabinete que coordena, assume uma dimensão fundamental, ao levar os alunos a “dar um primeiro passo” no sentido de pensar a sua própria carreira. “Tudo o que fazemos é trabalhar com eles a sua integração no mercado de trabalho”, conclui.

Preparar a gestão No trabalho de preparação do futuro dos estudantes, existe ainda uma estrutura adicional: o IBS Career Service. Conforme explica Tiago Santos, um dos técnicos deste gabinete, a sua criação surgiu em 2004, quando o ISCTE “sentiu que havia necessidade de ter uma atuação distintiva e permanente com as empresas de gestão”. Este serviço exclusivo da ISCTE

Business School, acrescenta, procura “preparar os alunos para o processo de Recurso Humanos cada vez mais exigente”. Para tal, é necessário “ser uma ponte entre os alunos e as empresas, compreendendo as necessidades de cada um”. Para além do serviço personalizado que é prestado, este gabinete promove simulações de entrevistas, sessões de elaboração de CV’s, bem como workshops práticos em parceria com os empregadores e visitas às empresas. Tiago Santos realça ainda a plataforma online disponibilizada e que agrega todas as oportunidades de emprego e estágio disponíveis para os alunos. Na tentativa de diversificar o contacto dos alunos com o mundo do trabalho, o IBS Career Service dinamiza, anualmente, uma Feira de Emprego de dois dias (o Career Forum IBS – ver caixa), um evento centrado na ligação com as startups e reguladores económicos (IBS Career Conect) e ainda um outro destinado a empresas que recrutem para o estrangeiro, embaixadas e câmaras do comércio (Go Abroad Week). “Tentamos dar uma resposta 360º aos alunos”, explica Tiago Santos. As atividades realizadas junto dos alunos servem também para desenvolver competências. “As empresas procuram conhecimentos técnicos mas não só”, explica Tiago Santos, sublinhando características como polivalência, flexibilidade, gestão do tempo ou resolução de problemas. É também nesse sentido que o IBS Career Service pretende caminhar: “queremos fundar os alicerces para que os alunos sejam aquilo que o mercado de trabalho está à procura”.

FÓRUM DAS TECNOLOGIAS E ARQUITETURA - FISTA 2017

70 900

empresas de IT participantes

estudantes inscritos

INTERNSHIP FAIR DAS CIÊNCIAS SOCIAIS 2017

47 150

organizações participantes

estudantes inscritos

OUTROS DADOS

350

estudantes colocados em estágio curricular

60 78%

estudantes em estágio de verão

dos diplomados estão a trabalhar numa área relacionada com o curso

70%

estão satisfeitos com o seu percurso profissional


SALTA PARA O FUTURO


30 | Forum Estudante | Jun’17

/Politécnico de Coimbra

publirreportagem

O QUE DISTINGUE O POLITÉCNICO DE COIMBRA?

Localizado na “cidade dos estudantes”, o Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) assume-se como uma das maiores instituições de ensino superior portuguesas. Conhece os traços que diferenciam o IPC: da amplitude da oferta formativa à cultura estudantil de Coimbra, passando pelo acompanhamento próximo dos alunos e pela ligação direta ao mercado de trabalho.

39

55

CTeSP

Licenciaturas

61

57

Pós-Graduações

Mestrados

Outra das características distintivas do Politécnico de Coimbra relaciona-se com a cidade e a sua história. Como salienta Rui Antunes, Coimbra tem “uma cultura própria de cidade universitária, com uma média de 40 mil estudantes”. Devido a esta essência, a cidade conta com inúmeras estruturas – como bibliotecas ou cantinas – dedicadas a todos os estudantes da cidade. Como resultado, é possível encontrar, em qualquer parte da cidade, serviços disponíveis para os alunos.

Olhos no futuro, mãos à obra

Entre Licenciaturas, Mestrados, PósGraduações ou CTeSP, são mais de 200 as formações ministradas pelo Politécnico de Coimbra. Contudo, quando refere a amplitude da oferta formativa, o Presidente do IPC, Rui Antunes, não destaca apenas o número absoluto de cursos: “abrangemos todas as áreas de formação – das artes às engenharias, passando pela agricultura

ou saúde”. De forma a transmitir este conhecimento especializado, o IPC integra seis unidades de ensino centradas em diferentes áreas do saber. Algumas destas escolas são das mais antigas da cidade de Coimbra, um dado que coloca em evidência a experiência acumulada pelo Politécnico de Coimbra e que é transmitida diariamente para os seus alunos.

Ainda que seja uma instituição com história, o IPC pauta-se pela modernidade, ressalva o seu Presidente. Enquanto instituição de ensino politécnico, o Politécnico de Coimbra é orientado para as profissões e para a prática. Como tal, os seus estudantes podem contar com muitas atividades laboratoriais, oficinas, estágios e contactos com empresas. A integração dos estudantes em estágio é uma preocupação específica do Politécnico de Coimbra, salienta Rui Antunes. “Os estudos mostram que os cursos que incluem estágio garantem uma maior facilidade em entrar no mundo do trabalho”, explica,

É uma das maiores instituições portuguesas de ensino politécnico e integra seis unidades de ensino:

www.esac.pt

www.esec.pt

www.estescoimbra.pt

www.estgoh.ipc.pt

www.iscac.pt

www.isec.pt


31 | Forum Estudante | Jun’17

/Politécnico de Coimbra

O IPC e o Emprego

O Politécnico de Coimbra dispõe, neste momento, de três estruturas que visam garantir a empregabilidade dos seus estudantes. Para que os estudantes contactem com esta realidade desde primeiro ano, é dinamizado o Centro Carreiras. Este acompanhamento é feito também depois de terminada a formação, através do Observatório de Empregabilidade. De forma a estimular e auxiliar a ação empreendedora dos seus estudantes, o IPC conta ainda com o INOPOL, uma Academia de Empreendedorismo que funciona como incubadora dos projetos dos alunos.

acrescentando que, no futuro, todos os cursos do IPC deverão incluir um estágio curricular. Neste momento, existem milhares de aluno a fazer estágios, tanto em Portugal como no estrangeiro – um número que resulta dos contactos com centenas de empresas de diversas áreas. Este contacto é fundamental para que o IPC continue a cumprir as expectativas das empresas, relativamente às competências que deve ter um licenciado. Nessa missão, o IPC tem um espírito que não limita a ser académico, equilibrando esta vertente com uma forte componente profissional.

11.000 Estudantes

“É preciso ter pessoas que se dedicam à investigação e que têm um conhecimento teórico da profissão mas também ter o lado prático presente”, destaca Rui Antunes. Na ligação entre Ensino Superior e o mundo do emprego, é também necessária uma ação em várias frentes e, por essa razão, o IPC conta com diversos projetos nesta área (ver caixa).

Ao lado dos estudantes Um dos princípios base do IPC é a proximidade aos seus estudantes. No Politécnico de Coimbra, um aluno pode contar com um acompanhamento e auxílio a vários

530 Professores

70%

níveis: no apoio social, na integração na cidade, na possibilidade de mobilidade internacional, na sua valorização profissional ou no apoio ao empreendedorismo, são alguns dos exemplos. O acompanhamento do estudante, desde o primeiro dia, é também uma mais-valia para a instituição, realça Rui Antunes, uma vez que o contacto direto com os alunos é fundamental: “cada aluno é único e conhecê-lo traduz-se numa maior riqueza para a instituição”. De resto, para o Presidente do IPC, novos contactos e conhecimentos vão traduzir-se sempre numa maior riqueza futura. Do ponto de vista dos estudantes do Politécnico de Coimbra, por exemplo, a possibilidade de contactar com alunos oriundos de vários países e áreas do saber poderá ser decisiva. “São os contactos que fazemos enquanto somos estudantes que nos acompanham para a vida”, conclui Rui Antunes.

Professores Doutorados ou Especialistas

350

Funcionários


32 | Forum Estudante | Jun’17

/Politécnico de Coimbra

publirreportagem

UM APOIO MAIS PRÓXIMO

“Que nenhum aluno deixe de estudar por dificuldades financeiras” é a missão dos Serviços de Ação Social do IPC (SASIPC). Mas de que formas é prestado auxílio aos estudantes? Sabe mais sobre a flexibilidade e proximidade dos apoios sociais do Politécnico de Coimbra. A principal resposta da ação social em Portugal, a nível do ensino superior, são as bolsas da Direção Geral de Ensino Superior. Porém, como explica o Administrador dos SASIPC, Filipe Reis, há sempre alunos que não são abrangidos e necessitam de ajuda. Nesse ponto, os serviços de ação social do Politécnico de Coimbra procuram encontrar soluções para os alunos que vão ficando fora do sistema. É neste âmbito que surgem iniciativas como o A2Es – um programa de bolsas de estudo assente no princípio da solidariedade e para o qual são destinados 2% do valor total das propinas. No mesmo sentido, a BAAS – Bolsa de Atividades de Apoio Social permite aos alunos acederem a uma bolsa. Para ficar abrangido por este programa, os estudantes devem colaborar em atividades de apoio social: ajudar nos bares e cantinas, nas atividades de divulgação do IPC, na gestão do parque desportivo, etc... Embora existam regulamentos pensados para abranger o maior número de estudantes, há sempre casos diferentes e imprevistos e que, muitas vezes, necessitam de um apoio imediato. Para fazer frente a estas necessidades, o Politécnico de Coimbra integra ainda o Fundo Solidário do Instituto Universitário

2.500 Bolseiros

5

Cantinas

Justiça e Paz, “o Programa de Apoio mais flexível e que permite apoiar quem precisa mas cuja situação específica não se enquadra em nenhum dos outros programas”, destaca Filipe Reis. De acordo com o Administrador, há um fator diferenciador nos apoios sociais prestados pelo IPC: “a grande proximidade entre assistentes sociais e alunos”. Qualquer estudante que tenha dificuldades, bate à porta e pode conversar com a assistente social na sua Escola e encontrar o apoio mais adequado.

Quando o desporto também apoia Olhando para o desporto como um elemento complementar à saúde física e mental, os Serviços de Ação Social do IPC prestam apoio quer às atividades de lazer dos estudantes, quer às iniciativas de lazer ou de competição das Associações de Estudantes. Para além da disponibilização de um Parque Desportivo, que inclui campo de relva natural, um polidesportivo e um ginásio de apoio às atividades de lazer e treino de competição, os SASIPC apoiam as AEs no desporto de competição, seja ao nível da FADU, seja no desporto federado. O exemplo de maior sucesso é o Núcleo de Rugby da AEESAC, duas vezes campeão nacional feminino.

6

Residências

As assistentes sociais estão nas escolas do Politécnico de Coimbra em horário alargado. Segundo o Administrador, este é um dado muito importante: “o facto de estarem sempre nas escolas e recebermos as pessoas, para que partilhem as suas dificuldades, permite ajudar o agregado familiar de forma mais adequada”. “Não há a burocracia do primeiro contacto”, reforça.

Apoio definitivo mas flexível Até se encontrar a solução definitiva, existe uma ajuda transitória. No caso de haver casos excecionais de emergência, quando um aluno não tem dinheiro para comer, por exemplo, é prestado apoio e acompanhamento até a situação ser normalizada. Também relativamente aos apoios de alojamento, existe flexibilidade. Ainda que exista a prioridade em garantir acomodações aos alunos bolseiros, estão alojados nas residências do IPC muitos alunos que não se enquadram nos critérios da DGES mas que possuem dificuldades económicas. De igual forma, o desporto e o acesso à saúde não são esquecido pelos serviços de ação social do IPC. Para além de condições para a prática desportiva (ver caixa), os alunos do Politécnico de Coimbra têm acesso a consultas gratuitas de Psicologia.

352 Camas

120 MIL Refeições/Ano


33 | Forum Estudante | Jun’17

/Politécnico de Coimbra

O IPC NO CENTRO DO MUNDO

Estabelecendo-se como uma das apostas estratégicas do IPC, a internacionalização assume várias formas e programas. De portas abertas para o Mundo, o Politécnico de Coimbra assegura ainda uma diversidade de trajetos internacionais aos seus estudantes. Conhece algumas das rotas. Dar a conhecer a instituição ao exterior, salienta o Vice-Presidente do IPC, Nuno Ferreira, é uma das missões mais importantes para uma Instituição de Ensino Superior. Nesse sentido, num contexto globalizado, existe, cada vez mais, “a aposta forte em protocolos internacionais, quer na Europa, quer no Mundo”, para criar um ambiente internacional dentro da instituição.

O que é o Erasmus Mundus? Este programa europeu procura melhorar a qualidade do ensino superior, através da cooperação académica entre instituições de ensino superior de todo o Mundo. Desta forma, um estudante pode fazer o seu percurso académico passando por diferentes países e instituições. Existem três linhas de ação: a criação conjunta de cursos, parcerias ou projetos de cooperação internacional. Nesta internacionalização, a língua surge com uma dupla relevância. Se por um lado, o IPC tem apostado na oferta formativa em língua inglesa, tem procurado também alimentar “a relação especial” com alguns países Lusófonos. Angola, Cabo Verde, Moçambique ou Brasil são alguns dos exemplos. No caso de Angola e Cabo Verde, os protocolos têm sido assinados com as instituições de ensino superior, câmaras municipais e direções das províncias. Já no exemplo brasileiro, o IPC assinou recentemente um protoloco com o

com

45 Países

350

Protocolos Internacionais

Instituto Nacional de Estudo e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira — uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação (MEC). Este é um acordo “muito importante”, destaca Nuno Ferreira, uma vez que esta entidade é responsável pela promoção das instituições nacionais e internacionais no Brasil. “Desde que assinámos o protocolo, temos recebido muitos pedidos de informação de brasileiros, para saber mais sobre vários cursos”, acrescenta. O número de alunos internacionais do IPC, neste momento, ultrapassa os 800, com os mais variados países de origem: do Nepal, Vietname, Índia, Rússia ou China.

Estudar em mobilidade Cada vez mais, é valorizada pelo mercado de trabalho uma experiência académica internacional. Como tal, o Politécnico de Coimbra tem assinado protocolos com diversas instituições, nomeadamente do norte da Europa e da Turquia. Segundo Nuno Ferreira, os destinos preferidos dos alunos são Finlândia, Lituânia, Estónia e Espanha. Outra das formas de internacionalização são os cursos Erasmus Mundus (ver caixa), onde os alunos podem estudar em universidades e politécnicos

800 Estudantes estrangeiros

300

Estudantes em mobilidade

de vários países. O Politécnico de Coimbra criou, em conjunto com outras instituições europeias, o curso de Mestrado em Mobilidade Eléctrica e Sistemas de Energia. Tal como em outras formações internacionais, explica o Vice-Presidente, o objetivo é “juntar competências destas universidades e potenciar um determinado grau académico”. Desta forma, pretende-se criar outros mestrados internacionais tais como o Biomedical Laboratory Sciences, onde o IPC conta com a parceria de universidades americanas e sul-coreanas, bem como de empresas internacionais. Esta tem-se revelado uma opção apelativa para os estudantes. Na última edição do concurso, este mestrado contou com 350 candidatos para 20 lugares. Para garantir outras vias de internacionalização aos seus estudantes, o Politécnico de Coimbra integra ainda a Prime Network, uma rede internacional de 19 instituições de ensino superior e que promove a colaboração entre estudantes de vários países. Cada projeto apresentado deve incluir alunos de instituições de três países diferentes, sendo que as 20 melhores ideias são apuradas para um concurso final.


34 | Forum Estudante | Jun’17

/Politécnico de Coimbra

publirreportagem

CONHECIMENTO APLICADO

Uma importante valência das instituições de ensino superior é a investigação científica e a respetiva ligação ao mundo empresarial. Fica a conhecer algumas das formas como o Politécnico de Coimbra cria mais-valias, em proximidade com as empresas. De acordo com o Pró-Presidente do Politécnico de Coimbra, Mário Velindro, a cooperação institucional entre o IPC e o mundo empresarial representa uma oportunidade de promover e desenvolver competências em diversos ramos do saber. “O crescimento das empresas tem, cada vez mais, na sua génese a investigação aplicada, cujos resultados são integrados nos processos produtivos”, explica. O estabelecimento de protocolos de cooperação entre o IPC e as empresas tem-se afirmado como uma importante via para assegurar a integração das inovações metodológicas e processuais nos sistemas produtivos, facilitando a inserção profissional dos recémlicenciados, através de uma adequada política de estágios profissionalizantes. O relacionamento entre as empresas e o IPC, acrescenta o Pró-Presidente, também se apresenta como um dos fatores de suporte de desenvolvimento do território, através da construção de “condições favoráveis à emergência de um meio inovador, dotado de um potencial produtivo competitivo, cujo fator central se apoia na inovação”. Mário Velindro relembra que são conhecidas as dificuldades de ligação entre estes dois polos, destacando que podem vir a ser simplificadas através dos recém-criados Centros de Inovação Tecnológicos (CIT) e dos Laboratórios Colaborativos. Estes projetos visam estreitar o relacionamento entre as empresas e as instituições de ensino

superior: “dada a importância que temos vindo a dar a este assunto, o caminho que se está a traçar facilitará ainda mais a nossa tarefa”. No campo da inovação, destaca-se o trabalho realizado pelo i2A, o Instituto de Investigação Aplicada que centraliza a gestão dos projetos de investigação do IPC (ver caixa). Para o Diretor do i2A, Carlos Dias Pereira, esta estrutura garante uma maior facilidade na relação com as empresas, uma vez que “uma parte significativa dos projetos são feitos em copromoção” com as mesmas. O Diretor destaca que as áreas de investigação são “muito vastas e envolvem empresas de vários setores”. Até setembro, o número de projetos nacionais vai chegar aos 20, sendo que estão também em curso “oito projetos de grande envergadura financiados pelo programa Horizon 2020”, garante Carlos Dias Pereira.

Melhorar produtos, acrescentar valor Nos seus diversos projetos de investigação e ligação às empresas, o Politécnico de Coimbra trabalha para melhorar os produtos que são fabricados em Portugal, acrescentandolhes valor através da investigação. A ideia é que, depois, as empresas possam aparecer no mercado interno e externo. Nesta dinâmica entre Ensino Superior e mundo empresarial, destaca-se o programa Interface,

lançado recentemente, que prevê a aproximação das empresas e das instituições de ensino superior, em laboratórios colaborativos. Para Mário Velindro, esta é uma oportunidade de ligar efetivamente os mundos do conhecimento e do trabalho. Nesse âmbito, destaca, o Politécnico de Coimbra tem cumprido o seu papel, “acompanhado a par e passo todas as alterações e modificações”. “Estamos preparados para receber novos desafios”, conclui.

Alguns dos projetos do i2A Investigando em diversos sectores, o Politécnico de Coimbra agrega, no i2A, uma variedade de projetos de investigação científica. Aqui ficam alguns exemplos. Para saber mais sobre cada um deles e conhecer muitos mais, visita www.iia.pt • Fallsensing • Medirad • Au2 Medronheiro • Cs2 Castanha • Invader IV • TRUflavours • PIGS+CARE • +AGRO • iSQAPER • SOILCARE • LIVESEED • FAirWAY • URBANGAIA • LIFE-PAYT


35 | Forum Estudante | Jun’17

/Politécnico de Coimbra

PRIORIDADE AO EMPREGO

No Politécnico de Coimbra, a empregabilidade não começa depois de concluído o curso. A ligação ao mundo do trabalho é pensada diariamente, em diferentes plataformas, e efetivada através de diversas parcerias. Este ano letivo, o IPC procurou trabalhar a empregabilidade de uma nova forma, explica o Vice-Presidente do IPC, Paulo Sanches. “Fomos diretamente às escolas, de uma forma mais proativa e mais próxima dos alunos”, acrescenta. O resultado foi a realização de diversos workshops que cumpriram um duplo objetivo: garantir algumas das competências transversais mais valorizadas pelo mercado de trabalho e, por outro lado, ajudar a preparar a entrada no mercado de trabalho. A nova aposta insere-se no também recente Centro de Carreiras – um projeto que é desenvolvido ao longo dos três ou quatro anos de licenciatura. Nesse sentido, os objetivos vão também evoluindo, de acordo com a progressão do aluno. Em relação aos estudantes dos primeiros anos, o foco está na sensibilização para a preparação do seu currículo, num processo de choaching. Conforme os estudantes se vão aproximando do final do

curso, o enfoque incide nas formas de procura de trabalho. No âmbito do Centro de Carreiras, é possível aos alunos integrar o Programa Trilhos. Neste projeto, a ideia é a exploração das opções de carreira e o estímulo do conhecimento do mercado de trabalho. Observando as carreiras De forma a garantir os níveis de empregabilidade dos seus estudantes, é necessário acompanhar as suas carreiras, depois de alcançados os diplomas. Com essa meta em mente, foi criado recentemente o Observatório de Empregabilidade. “O objetivo é fazer, de uma forma mais sistemática, o acompanhamento dos nossos diplomados”, realça Paulo Sanches. Para tal, este observatório junta as valências de duas outras estruturas do IPC: o Instituto de Investigação i2A e da Academia de Empreendedorismo INOPOL. Realizada a primeira fase de contacto com os diplomados, o VicePresidente do IPC garante que “os

resultados são bastante interessantes” e que o objetivo é tornar este contacto regular.

Uma academia para empreender No Politécnico de Coimbra, a preocupação com o emprego não se resume à preparação para o mercado de trabalho. Igualmente importante é o apoio e o estímulo à criação do próprio emprego. É neste ponto que surge o INOPOL – a Academia de Empreendedorismo do IPC. Conforme recorda Paulo Sanches, a sua função tem sido de “apoiar a criação de empresas”, por parte dos alunos, tanto na implementação como na primeira fase de atividade. Outra das valências desta estrutura é a sua ligação às empresas e o seu papel na criação de estágios – uma missão já cumprida em cada escola do IPC mas que é complementada com a ação do INOPOL. De igual forma, esta incubadora conta ainda com um espaço de apoio aos estudantes do IPC, de forma a encontrarem a sua inserção no mercado de trabalho.


36 | Forum Estudante | Jun’17

7

/Politécnico de Coimbra

publirreportagem

RAZÕES QUE TORNAM COIMBRA A CIDADE DOS ESTUDANTES

Há muito tempo ajustada à vida dos estudantes, a região de Coimbra oferece condições únicas para quem nela prossegue a sua vida académica. Conhece 7 razões que tornam Coimbra um local ideal para ser estudante.

1

Um em cada três habitantes é estudante (em média)

Sendo uma cidade de média dimensão, Coimbra tem uma população de cerca de 140.000 habitantes, segundo os dados de 2011. Com uma comunidade de estudantes de cerca de 40.000 estudantes, podes contar com uma cidade orientada para a vida académica e em que a facilidade de contacto com outros colegas te vai proporcionar uma fácil integração.

2

Há muitas estruturas dedicadas aos estudantes (e não só)

A notoriedade da vida académica é uma realidade em Coimbra há muito tempo. Por essa razão, um pouco por toda a cidade e região existem estruturas dedicadas ao serviço dos estudantes: cantinas, zonas de estudo, bibliotecas… Isto sem contar com os convívios e festas que se espalham pela cidade e que aproximam todos os estudantes.

3

Os estudantes são parte ativa da cidade (e região)

Com uma comunidade académica tão representativa, é natural que os estudantes assumam protagonismo em áreas importantes da cidade, como o desporto ou a cultura. Aqui, destaca-se o trabalho diário realizado pelas associações de estudantes, onde poderás encontrar um espaço para crescer ou encontrar vocações.

4

Preços e qualidade de vida (mais baixos)

O mercado está ajustado à vida dos estudantes. Tanto na cidade como na região de Coimbra, poderás encontrar preços acessíveis, nomeadamente no que toca ao arrendamento.

5

É (mesmo) no Centro!

A região de Coimbra situa-se na região Centro de Portugal, ocupando, por isso, um local estratégico do ponto de vista da acessibilidade. Nesse sentido, podes contar com muitos e variados acessos: da A1 à linha ferroviária do Norte, passando pela ligação pelo IP3 ao interior.

6

Natureza e Património (ou vice-versa)

Da Alta à Baixa de Coimbra, encontram-se diversos pontos de interesse histórico, cultural ou arquitetónico: da Sé Velha ao Museu Nacional Machado de Castro, passando pelo Mosteiro de Santa Clara-a-Velha ou pelo recém-inaugurado Convento de São Francisco. A região também conta com uma riqueza única – em Oliveira do Hospital, estarás muito próximo do Parque Natural da Serra da Estrela, bem como de uma tranquilidade e qualidade de vida diferentes.

7

Há oportunidades para quem estuda (ou estudou)

Muitos dos estudantes do Politécnico de Coimbra são oriundos de outras zonas do país e acabam por se fixar na região. Não sendo uma cidade industrial, Coimbra oferece várias oportunidades de trabalho, nomeadamente na área dos serviços, saúde ou tecnologias. Em Oliveira do Hospital, a indústria é rainha, oferecendo oportunidades de trabalho qualificado em várias áreas.

www.ipc.pt PolitecnicodeCoimbra politecnicodecoimbra


37 | Forum Estudante | Jun’17

/Val do Rio

publirreportagem

DOIS PÓLOS… UMA MISSÃO

Presente em Oeiras e no Estoril, a Escola Profissional Val do Rio (VR) divide a sua área de formação entre a tecnologia, a arte, a comunicação, a área social e a saúde. Ao fim de quase três décadas a formar milhares de jovens, esta instituição define como principal preocupação “valorizar e potenciar o talento dos seus alunos”.

www.valdorio.net

Ao descrever a sua missão, a VR Apoiase em quatro pilares: a formação humana, a gestão privada, a ligação ao tecido empresarial e os programas internacionais. De que forma é que cada uma destas apostas estratégicas se reflete no dia-a-dia de um aluno?

Formação Humana “Cada aluno é único” – este é o lema defendido pela VR. Neste sentido, os estudantes têm a possibilidade de ser acompanhados por professores que apoiam cada etapa do seu percurso escolar e pessoal. De igual forma, é garantida a oportunidade de assistir a aulas de Ética Social e Profissional, com o objetivo de encontrar novos caminhos e escolhas individuais, tendo por base valores humanos universais. Por outro lado, a “educação não é apenas técnica”. É por essa razão que uma das prioridades na VR é o enriquecimento das competências sociais, comunicativas e culturais. De resto, a VR salienta que esta educação personalizada e atenta às

características do aluno garantirá o seu sucesso no futuro.

A Gestão Os nossos alunos estão no centro da nossa preocupação com a gestão do financiamento atribuído pelo Ministério da Educação e Ciência. Tendo em vista o progresso dos estudantes, são adquiridos os equipamentos e softwares utilizados no mercado de trabalho atual. Esta gestão privada bem-sucedida permite também trazer para a escola os melhores profissionais, garantindo a transmissão de conhecimentos relevantes e atualizados.

A Internacionalização Com um mercado de trabalho cada vez mais global, a VR tem reforçado a sua aposta nos programas internacionais. Este é, de resto, salientado como um dos principais elementos diferenciadores para os estudantes. Com protocolos e parcerias assinados com escolas e empresas de Espanha, França, Reino Unido ou Alemanha, são possibilitadas aos alunos novas experiências que completam a sua formação, sem qualquer custo adicional.

A Ligação às empresas A relação próxima com o mercado de trabalho reflete-se também na ligação com as empresas mais conceituadas do mercado. Esta é uma vertente essencial já que permite aos alunos o contacto direto com o mundo laboral. No final, os estudantes aumentam o seu nível de empregabilidade e o seu conhecimento da realidade profissional, ainda antes de entrarem no mercado de trabalho.

Informações e Pré-inscrições email: secretaria@valdorio.net URL: www.valdorio.net telefone: 214 413 072


38 | Forum Estudante | Jun’17

/Fama

NO ESTÚDIO COM OS GROG NATION Depois de vários EP’s e Mixtapes, os Grog Nation lançaram em maio o seu primeiro álbum [“Nada é por acaso”]. A Forum foi ao estúdio do grupo, em Mem Martins, saber mais sobre este trabalho, as dinâmicas criativas e os objetivos para o futuro. Na vossa página de Facebook, descrevem Grog Nation como “mais do que uma crew, uma linha de pensamento”. Qual é essa linha de pensamento? Nastyfactor: Na verdade, são até cinco formas de pensar que convergem na Grog Nation. Como somos cinco elementos, cada um escreve as suas letras e coloca o seu ponto de vista nas músicas. Acaba por ser essa a linha de pensamento: as diferentes ideias convergirem todas no mesmo conceito.

E de que forma é que se harmonizam essas diferentes visões? Papillon: Em primeiro lugar passa por ser o mais transparente possível no que estás a fazer. Ao mesmo tempo, temos de dar espaço uns aos outros. É um processo que vai do individual para o coletivo: estás a criar algo para o coletivo mas, individualmente, tens de ser honesto. Tudo para que possas trazer o teu melhor e para que, mais tarde, enquanto grupo, possamos lapidar e encaixar as peças do puzzle.

E sentem que essa característica “do individual para o grupo” é um fator que influencia? Papillon: É uma característica que tem mais-valias e tem desvantagens. Por exemplo, os artistas a nível individual conseguem ter uma mensagem mais retilínea e chegar mais rápido às pessoas. No nosso caso, como somos um grupo, a mensagem não é tão homogénea e há sempre partes que quem ouve gosta mais ou menos. Mas temos a vantagem de as coisas fluírem muito melhor criativamente: estás constantemente a fazer brainstorming com outras pessoas. E em termos de prática e execução, é tudo mais rápido, porque somos cinco pessoas a trabalhar em equipa.

Quando estão em palco, sentem vantagens por estar em grupo? Que mais-valias é que sentem? Neck: A energia. Às vezes, até posso estar num dia mau e, de repente, no palco, sinto a energia deles – a energia contagia. Quando chegamos ao palco, desligamos, deixamos de ser nós e passamos a ser outra pessoa.

Transformamo-nos, num bom sentido. É como se fôssemos só um e isso torna o espetáculo bonito.

E o que é que caracteriza um concerto dos Grog Nation? Papillon: Fazendo o paralelo com a música que fazemos, a nossa música é muito humana. Não estamos constantemente a tentar parecer algo que não somos. Por fazemos as coisas dessa forma, é natural que qualquer pessoa possa, se prestar atenção à música e sentir a vibe, se deixe contagiar. Vamos estar sempre um passo à frente de quem não faz isso. Penso que essa honestidade transparece para as pessoas e é isso que nos distingue.

Relativamente a este álbum, há uma tendência generalizada para o lançamento do single, por que razão escolheram este formato? Nastyfactor: desde 2012, temos por hábito lançar trabalhos: mixtapes, EP’s, etc… Achamos que faz sentido, até porque somos muitos, para conseguir passar uma mensagem. Isso é também um desafio muito maior. Seria mais fácil ficarmos um ano a fazer músicas e selecionar uma para ser single. Mas preferimos tentar fazer o maior número de músicas possível, para fazer um trabalho consistente. E procuramos ter algo que ligue as músicas e que contextualize tudo.

Têm influências de outros grupos de rap? Conseguem encontrar exemplos em que digam “isto é um bocado Grog”? Nastyfactor: Hoje em dia, temos. Não começámos com essas referências mas, ao longo do tempo, fomo-nos identificando com vários grupos. O primeiro exemplo que me recordo são os “Cone Crew”, do Brasil, a nível de personalidade. Prizko: Os Wu-Tang também. Até porque, quando começámos, erámos sete. Neck: Beastie Boys também. Factor: Ao longo do tempo, também observámos o que faziam outras

crews. Aprendemos muito com os Dealema, por exemplo, que é um coletivo histórico. Acabámos até por os conhecer e falar sobre isso, inevitavelmente, sobre como é ter um grupo.

Relativamente a essa ligação com figuras históricas do rap português, vocês têm colocado em evidência a importância que personalidades de uma outra geração tiveram no vosso trajeto, como Bob da Rage Sense, D-Mars, Valete, Sam the Kid… Papillon: Em qualquer indústria ou área, existem sempre as pessoas que vieram antes. As pessoas que criaram o caminho para quem, hoje em dia, está a prosperar. E acho que é importante, para quem vai surgindo, entender o que foi feito antes. Felizmente, em termos pessoais, existe um contacto direto – o Sam The Kid, por exemplo, produziu para o nosso álbum. Penso que foi


39 | Forum Estudante | Jun’17

/Fama

um dos fatores que nos fez chegar até aqui: o respeito pelas pessoas que estiveram cá antes de nós.

E relativamente ao que é fazer rap ou hip-hop hoje em dia, quais pensam que são as principais diferenças para esses tempos? Nastyfactor: Há muitas diferenças. É tudo muito mais fácil, em todos os aspetos: a nível de material, de conhecimentos, de referências… Neck: E de espalhares o teu trabalho.. Nastyfactor: Exato. E, por exemplo, quem começou, não tinha muitas referências de rap em português. Agora, já as temos. Depois, hoje, é muito mais fácil arranjar material: mesmo que não invistas muito dinheiro e se tiveres conhecimentos – que até podes adquirir no Youtube – podes fazer álbuns e álbuns sem gastar dinheiro. E há ainda uma facilidade em espalhar a tua música. Podes fazer uma carreira só com um interface e um microfone em casa.

De resto, recentemente, numa entrevista, referiram que a relação do hip-hop com a indústria musical tinha mudado ao longo dos últimos anos. De que forma? Factor: Antigamente, o hiphop era uma coisa muito mais marginalizada. Era para nichos, por assim dizer. Hoje em dia, o nicho cresceu muito (risos). Começou a ter uma projeção

muito maior e os artistas começaram a querer profissionalizar-se um pouco mais. Por isso, há um interesse das duas partes: tanto da parte da indústria musical que, claro, quer fazer o seu trabalho, como dos artistas que, muitas vezes, também querem dar um passo importante que não conseguiriam dar, se não estivessem associados à indústria. Papillon: Por exemplo, hoje em dia, a indústria é, praticamente, a internet. A internet veio dar um pontapé na porta de tudo o que existia antes. Hoje em dia, com material e conhecimento suficiente, consegues entrar na indústria sem pedir permissão a ninguém.

É inevitável a pergunta: porquê Grog Nation? Nastyfactor: Quando já havia a vontade de formarmos um grupo, eu meti na cabeça que só o deveríamos fazer quando tivéssemos um nome mesmo fixe. Certa vez, um amigo estava a explicar-me como tirar carraças da pele. E disse que tínhamos de pôr perfume para as carraças ficarem “grogues”. Entretanto, ele continuou a falar – falou, falou, falou – mas eu já não ouvi mais nada (risos). Só fiquei com a palavra “Grog”. Depois pensei, éramos sete a rimar, na altura, e juntei a palavra “Nation” porque o objetivo também era crescer. Acabei por enviar uma mensagem a todos só a dizer “GROG NATION” (risos).

Hoje em dia, podem dizer que estão num ponto diferente desse tempo, o que esperam alcançar a partir daqui? Papillon: A expectativa é uma coisa que tem de ser gerida (risos). Nós sabemos o nosso valor, sabemos o que queremos fazer e trabalhamos o melhor que podemos com aquilo que temos. O nosso objetivo é melhorar cada vez mais. Nastyfactor: Temos conseguido atingir as metas que temos. Para este álbum, a meta era fazer um trabalho mais profissional. Esse foi o nosso objetivo e não temos como objetivo ganhar um Globo de Ouro nem n… Papillon [interrompe]: Se bem que… Se vier… (risos) Nastyfactor: Temos objetivos internos, sobretudo. Melhorar cada vez mais e sentirmo-nos satisfeitos com o que estamos a fazer. No próximo álbum, vamos ter de nos superar a esse nível. Fotos de Sara Facão


40 | Forum Estudante | Mai’17

/PolitécnicoLX

DESCOBRE TUDO O QUE PODES SER

Quer descobrir a tua vocação? Ou apenas confirmar o que sentes? A Academia Politécnico LX permite-te descobrir mais sobre vários mundos, para que conheças melhor as tuas opções. Fica a conhecer algumas das atividades que poderás realizar, entre 10 e 15 de julho, em Lisboa.

CIÊNCIAS

No campo científico podes contar com atividades nas áreas da Química, Física e Eletrónica. A relação da Química com a Investigação Criminal, experiências com “frigoríficos e chocolates” e mergulhar “nas entranhas de motores e máquinas” são alguns exemplos.

TURISMO

A Academia Politécnico LX inclui visitas ao Castelo de São Jorge, a miradouros da cidade de Lisboa e ainda uma visita cultural, em parceria com a EGEAC (Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, E.M).

COMUNICAÇÃO

Profissionais desta área vão acompanhar-te para que realizes algumas atividades nos estúdios de TV e Rádio. No final, poderás ter uma noção mais clara do que é estudar e trabalhar no mundo da comunicação.

inscreve-te em www.politecnicolx.forum.pt #thebesttimeofyourlife #somospolitecnicodelisboa


41 | Forum Estudante | Mai’17

/PolitécnicoLX

10 a 15 de julho de 2017

INSCRIÇÕES ABERTAS A Academia Politécnico LX é uma iniciativa da Forum Estudante, em parceria com o Politécnico de Lisboa. Realiza-se de 10 a 15 de julho, em Lisboa, e tem como lema “Podes ser o que quiseres”. Para participar, preenche o formulário em www.politecnolx.forum.pt e espera o nosso contacto para conhecer os passos seguintes.

ECONOMIA

As ciências económicas não são esquecidas: terás oportunidade de fazer diversas atividades práticas relacionadas com o mundo da Gestão, Economia, Contabilidade e Administração como, por exemplo, um desafio ao estilo de “Shark Tank”.

ARTES

O mundo artístico é uma das áreas em que a vocação é mais importante. Como tal, poderás realizar uma atividade no Teatro Nacional D. Maria II (que envolverá uma peça de teatro e uma visita ao backstage), bem como conhecer o mundo da Dança e do seu estudo. Podes ainda contar com uma mostra de cinema.

powered by

SAÚDE

Durante a semana, serão várias as áreas em destaque neste sector. Pensar a nutrição no ano de 2050 e conhecer o que envolve a mundo da ortoprotesia são alguns dos exemplos.


42 | Forum Estudante | Jun’17

/I Love We

www.ilovewe.forum.pt

COMUNICAÇÃO É DIVERSÃO

Queres fazer uma viagem pelas várias vertentes da comunicação? Teatro, música, desporto ou animação são algumas das paragens desta jornada promovida pela Escola Superior de Educação de Coimbra, em parceria com a Forum Estudante (ver caixa). Fica a saber tudo sobre um dos dias da edição de 2016, passado na aldeia do Talasnal, no coração da Serra da Lousã.


43 | Forum Estudante | Jun’17

/I Love We

26 de junho a 1 de julho de 2017

A aldeia do Talasnal foi o primeiro destino do terceiro dia. Para aproveitar o ar fresco da manhã, seguiu-se em direção à Lousã, para uma caminhada até à Aldeia de Xisto. A subida permitiu aos jovens observar a beleza natural da serra e trilhar caminhos desenhados em tempos antigos. Na chegada ao topo, foi possível recuperar energias e explorar o Talasnal, uma aldeia em recuperação, no seio da serra da Lousã, e que integra a Rede das Aldeias de Xisto. Os jovens foram conhecer a Casa da Eira, um espaço de acolhimento aos visitantes, que nasceu da iniciativa da Activar – uma associação que desenvolve projetos de carácter social, nas áreas da juventude e do turismo da natureza, entre outros.

powered by

#ilovewe17

Pouco depois deu-se início às atividades. Alguns dos exercícios do dia foram direcionados em torno da inclusão social e desenvolvimento de uma consciência cívica. Foi ainda lançado um desafio aos participantes da semana. Os docentes de Arte e Design da ESEC, Chuva Vasco e Pedro Maia, propuseram a criação de um objeto artístico baseado numa espécie da região – o veado – utilizando farripas de madeira para formar uma estrutura semelhante ao espécime. Depois do almoço desceu-se a serra até às piscinas naturais, onde os participantes desfrutaram de uns mergulhos refrescantes e uns momentos de descanso e convívio.

apoios

powered by

#ilovewe17

Durante a Academia I Love We, poderás conhecer as várias faces da comunicação: Desporto, Comunicação Social ou Organizacional, Animação, Arte e Desporto, Língua Gestual, Música, Teatro e Turismo são algumas das vertentes que poderás explorar. As muitas atividades desta semana vão permitir-te conhecer mais sobre cada uma destas áreas, de forma divertida e em conjunto com 50 estudantes de todo o país. A participação é gratuita e só precisas mesmo de ir até ilovewe.forum.pt e preencher o formulário de inscrição.


44 | Forum Estudante | Jun’17

/IPBeja

10

publirreportagem

RAZÕES PARA ESCOLHER O IPBEJA

O Instituto Politécnico de Beja conta com quatro escolas superiores e uma oferta formativa de mais de 30 cursos. Sabe mais em studyinalentejo.com.

1

5

Os cursos do IPBeja têm uma crescente notoriedade junto das entidades empregadoras por terem planos de estudos ajustados às necessidades do mercado de trabalho, dos quais fazem parte estágios integrados.

O IPBeja situa-se numa das cidades mais seguras de Portugal, onde as quentes noites de verão favorecem a diversão e o convívio sob um imenso céu estrelado, tão perto da reserva Dark Sky Alqueva; tal como os dias longos e luminosos favorecem a descoberta de uma das regiões menos poluídas da Europa.

PATRIMÓNIO, CULTURA E TURISMO O IPBeja beneficia do facto de estar numa cidade e numa região onde a história milenar se traduz num vasto património e numa cultura de múltiplas expressões, com destaque para a Arte Chocalheira, o Cante Alentejano ou a gastronomia com base na Dieta Mediterrânica, reconhecidas pela UNESCO como património imaterial da humanidade.

6

9

A dimensão do IPBeja proporciona um ambiente de proximidade entre professores e alunos. A proximidade da comunidade académica potencia um forte sentido de pertença e preservação de tradições académicas, mantidas pela associação de estudantes e comissões de curso, perfeitamente entrosadas com a comunidade envolvente.

A investigação aplicada ao contexto socioeconómico regional tornam o Instituto parceiro fundamental na transferência de tecnologia e conhecimento necessários ao desenvolvimento da região. O envolvimento de alunos em atividades experimentais e de investigação é prática comum no IPBeja, fomentando assim a empregabilidade e o empreendedorismo.

RECONHECIMENTO E NOTORIEDADE DA FORMAÇÃO

SEGURANÇA E QUALIDADE AMBIENTAL

2

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA E ACESSIBILIDADES

Sediado na cidade de Beja, este instituto está à mesma distância de Lisboa (177km) e Sevilha (217km); a 110 km de Sines e próximo do Cabo de S. Vicente, localizado no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, no Algarve. A cidade de Beja é servida por transportes rodoferroviários, e possui um aeroporto internacional em desenvolvimento.

3

QUALIDADE DO CAMPUS, LOCALIZAÇÃO E TRANSPORTES

O campus do IPBeja tem as 4 escolas, residências e serviços de apoio ao aluno concentrados num único espaço a 5 minutos a pé do centro histórico da cidade, local onde se situam os principais pontos de diversão noturna.

4

APOIOS SOCIAIS E ALOJAMENTO

PROXIMIDADE E TRADIÇÕES DA COMUNIDADE ACADÉMICA

7

DIVERSIDADE CULTURAL, INCLUSÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO

O IPBeja oferece um ambiente inclusivo de grande diversidade cultural, resultado da tradição de bem receber que tão bem caracteriza o povo Alentejano. Os estudantes internacionais representam mais de 40 países diferentes.

8

INVESTIGAÇÃO, EMPREGABILIDADE E EMPREENDEDORISMO

10

COLABORAÇÃO EM REDE COM A COMUNIDADE

O IPBeja promove o trabalho em rede e as parcerias regionais, nacionais e internacionais. Destaca-se o trabalho em rede com escolas, autarquias, associações, produtores, incubadoras e empresas.

O IPBeja promove medidas de apoio social complementares às Bolsas da Direção Geral de Ensino Superior, devidamente ajustadas às necessidades individuais e à integração de cada estudante.

www.studyinalentejo.com


46 | Forum Estudante | Jun’17

/That’s All Digital

www.thatsalldigital.forum.pt

ACADEMIA TAD. O QUE É A INTERNET DAS COISAS? Durante a academia That’s All Digital vais poder ficar a conhecer por dentro as novidades do mundo digital e tecnológico. Atividades de realidade virtual, robótica ou programação são o diaa-dia desta semana. A participação é gratuita e só tens mesmo de te inscrever (ver caixa). Para já, contamos-te tudo sobre uma das realidades com que lidarás: a Internet das Coisas. Numa altura em que a realidade virtual ameaça tornar-se uma presença em muitos lares, fica a saber um pouco da sua história. Para conhecer em profundidade esta e muitas outras tecnologias digitais, não percas a oportunidade de participar na Academia Forum Estudante That’s All Digital.


47 | Forum Estudante | Jun’17

/That’s All Digital

26 de junho a 1 de julho 2017 Imagina que recebes uma mensagem por volta da hora de almoço: “estamos sem leite – podes comprar mais?”. Tudo normal, poderás pensar. O único detalhe é que não foi ninguém da tua família ou um colega de casa a enviar a mensagem. Foi mesmo o teu frigorífico. Depois de analisar com as câmaras internas, foi o próprio eletrodoméstico que reparou que o último pacote de leite acabava hoje a validade. O conceito base da Internet das Coisas é “conexão”. Conexão de dispositivos à internet, a aplicações, aos utilizadores e até a outros dispositivos. Por essa razão, a ideia não é propriamente inovadora. Como relembra o jornal inglês The Guardian, já em 1989 foi apresentada a primeira torradeira conectada à internet. O conceito de Internet of Things ou Internet das Coisas, contudo, ultrapassa a ideia de uma “casa inteligente”. O mesmo artigo sublinha que, “a uma outra escala, inclui cidades inteligentes, com sinais de trânsito conectados ou caixotes do lixo que sinalizam quando necessitam de ser esvaziados”.

Um artigo da revista americana Wired por outro lado, explica que estes objetos conectados podem ir “de uma escova de cabelo a uma balança”. “Dispositivos para indústrias ou consumidores estão a receber chips para colecionarem e enviarem dados”, reforçam. De acordo com o portal IOT Council, as grandes vantagens deste novo modelo aplicam-se a diferentes âmbitos: “pode oferecer-nos o melhor feedback na área da saúde mental e

física, os melhores recursos baseados em monitorização ao segundo, as melhores decisões analisando os padrões de mobilidade e o melhor alinhamento possível entre os fornecedores locais com potencial global”.

A necessidade de segurança A tecnologia inteligente existente, acrescenta o artigo da Wired, é apenas “a infância da Internet of Things”. À medida que milhões e milhões de objetos são ligados à rede, haverá necessidade de garantir a sua segurança. A Samsung, por exemplo, destacou a importância de garantir que estas tecnologias não estão “a correr à frente do seu tempo”, assegurando que incluem todas as medidas de segurança. Até 2020, 7.3 mil milhões de dispositivos terão de ser seguros pelos seus fabricantes. Este crescimento acelerado da Internet das Coisas vai criar uma grande necessidade de profissionais nestas áreas. Conforme sublinha o especialista Timothy Chou, durante a conferência

DigitalNow2017, este crescimento “vai levar a mudanças significativas nos trabalhadores atuais e nos do futuro”. “Teremos de aprender de forma diferente”, reforçou. Por essa razão, no futuro, as competências nas áreas da tecnologias digitais serão cada vez mais necessárias. Não só do ponto de vista da inovação em termos tecnológicos mas também do ponto de vista da segurança informática.

powered by

Para que possas saber mais sobre a área das tecnologias digitais, as suas mais-valias e potencial, a Forum Estudante e o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave juntam-se para te oferecer, de forma totalmente gratuita, uma semana de atividades em Barcelos: a Academia That’s All Digital. Para participar nesta semana de atividades que se realiza entre os dias 26 de junho e 1 de julho, só necessitas de te inscrever em thatsalldigital.forum.pt


48 | Forum Estudante | Jun’17

/IPCA

publirreportagem

APOIOS SOCIAIS AJUDAM ESTUDANTES DO IPCA A PROSSEGUIR ESTUDOS NO ENSINO SUPERIOR O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), em Barcelos, disponibiliza aos seus estudantes uma série de apoios sociais que vão para além da Bolsa de Estudo atribuída pela Direção Geral do Ensino Superior (DGES).

O objetivo é permitir que todos os interessados possam prosseguir os seus estudos no ensino superior, independentemente da sua situação financeira, procurando também reduzir ao mínimo possível a penalização das famílias. Através dos seus Serviços de Ação Social, o IPCA dispõe de um Fundo de Emergência que concede apoios a

fundo perdido para acorrer a situações de grave carência económica por parte dos seus estudantes, nomeadamente daqueles não enquadráveis no processo de atribuição de bolsas de estudo. Este fundo suporta despesas com alimentação na cantina do IPCA, despesas com transporte, despesas de reprografia, papelaria e livraria e, ainda, despesas com saúde (medicamentos, taxas moderadoras, etc.)

Os estudantes do IPCA podem também integrar uma Bolsa de Colaboradores. Trata-se de mais um apoio social que funciona através da sua participação em atividades do IPCA e pela atribuição de um apoio monetário proporcional ao número de horas prestadas pelo aluno.

Além destes apoios, são ainda disponibilizadas refeições a preço económico nas cantinas do Campus de Barcelos e dos polos de Braga e Guimarães (2,40 euros por almoço/jantar) e nos diversos bares existentes. Os estudantes dispõem, igualmente, de apoios ao nível de serviços de saúde e de transporte, com ligações por autocarro a preços reduzidos entre Guimarães, Braga e Barcelos. A todos estes apoios há ainda a acrescentar o facto de o IPCA dispor, atualmente, de uma propina para os cursos de licenciatura de apenas 780 euros anuais, com possibilidade de pagamento em 10 prestações mensais. Para os Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP), a propina no corrente ano letivo é de 650 euros anuais, podendo ser paga nas mesmas condições.


50 | Forum Estudante | Jun’17

/Redescobrir a Terra www.redescobriraterra.forum.pt

EPACSB visita à Escola Básica de São Tomé de Negrelos

O DIA EM QUE A AGRICULTURA

FOI À ESCOLA No passado dia 19 de maio, comemorou-se o Dia Nacional da Agricultura nas Escolas em Portugal – uma iniciativa da Forum Estudante e da Confederação dos Agricultores Portugueses (CAP) que mobilizou mais de 200 escolas de todo o país. Exposições, passatempos, aulas especiais, encontros com profissionais e atividades de campo foram algumas das ações realizadas nas escolas portuguesas, no âmbito do Dia Nacional da Agricultura na Escola. No total, mais de 200 escolas do

EB 2.3 de Alpendorada planta Tomateiros

ensino básico e ensino secundário desenvolveram atividades de divulgação e promoção da agricultura junto dos alunos. O objetivo passou por mostrar aos jovens portugueses a realidade do setor agrícola, evidenciando a forma como este

desempenha um papel essencial no desenvolvimento sustentado e integrado do país. Cada escola envolvida contou com o apoio de um kit pedagógico, desenvolvido pelo Instituto Politécnico de Bragança, que incluiu sugestões de

UALG visita Agrup. Escolas Padre António Aleixo


51 | Forum Estudante | Jun’17

/Redescobrir a Terra

Escola Secundária de Camarate

Agrupamento de Escolas de Alter do Chão

Centro Escolar da Chainça

Agrupamento de Escolas de Sta. Clara (Guarda)

EB 2,3 de Manhete organiza uma Feira Verde

PRORURIS (Associação Agrícola) visita o Agrupamento de Escolas D. Afonso III – Vinhais

atividades a realizar. Simultaneamente, foi ainda lançada a app AgriQuiz em que os jovens estudantes podem testar os seus conhecimentos sobre o setor agrícola. Na Escola Básica e Secundária Passos Manuel, uma das escolas associadas à iniciativa, marcaram presença o Secretário de Estado da Educação, João Costa, o Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, o Presidente da CAP, Eduardo Oliveira e Sousa, o CEO da Forum Estudante, Rui Marques, e o Engenheiro da CAP, Jorge Azevedo. Na sessão de abertura, estiveram presentes mais de 120 estudantes e professores do 10º, 11º e 12º ano, que tiveram a oportunidade de ouvir as palavras dos convidados. O técnico da CAP, Jorge Azevedo, explicou que a agricultura é um setor económico como outro qualquer: as pessoas estão nesta área porque dá dinheiro. “A ideia da agricultura ser a

típica imagem de alguém com uma enxada na mão está ultrapassada”, salientou. Jorge Azevedo acrescentou ainda que Portugal é um dos países da União Europeia que tem os alimentos mais baratos e com mais qualidade - uma consequência da política agrícola comum. Ao contrário do que é pensado pela maioria das pessoas, ressalvou, a Política Agrícola Comum (PAC) não existe para beneficiar os agricultores. Antes, serve para garantir que os consumidores tenham acesso a produtos de qualidade, saudáveis e baratos.

A medicina da terra O Presidente da CAP, Eduardo Oliveira e Sousa, relembrou que, se vamos duas vezes por ano ao médico, por dia, recorremos à agricultura mais de cinco vezes. Esta é essencial e o que nos dá vida, sendo por isso um património. Dirigindo-se aos jovens, o Secretário de Estado da Agricultura e

Alimentação, Luís Medeiros Vieira, deixou três mensagens: o que comemos todos os dias não nasce nos supermercados, não podemos desperdiçar alimentos e, por fim, devemos aprender a comer melhor. De igual forma, o Secretário de Estado da Educação, João Costa, deixou claro que os jovens devem escolher a profissão querem, sem olhar apenas à empregabilidade ou notoriedade, mas sim à felicidade da escolha. “Apenas pessoas com conhecimento e competências podem ser felizes e fazer os outros felizes”, referiu o Secretário de Estado da Educação. Após a sessão de abertura, o Secretário de Estado da Educação, João Costa, plantou uma nespereira e o Presidente da CAP, Eduardo Oliveira e Sousa, e o Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira, plantaram dois loureiros, nas hortas biológicas da Escola Básica e Secundária Passos Manuel.

uma iniciativa

apoios

parceiros

Escola Profissional Agrícola

Afonso Duarte


52 | Forum Estudante | Jun’17

/Sportsweek

www.sportsweek.forum.pt

SPORTS WEEK 2017 A SEMANA DO DESPORTO NA CIDADE DO DESPORTO

DESPORTO EM TODOS

OS TERRENOS

Se gostas de fazer desporto e de ter um estilo de vida saudável, os cinco dias da Academia Sports Week são indicados para ti. Mostra o teu dinamismo e inscreve-te já. Durante a Academia Sports Week, vais poder conhecer Rio Maior – a “Cidade do Desporto” – praticar inúmeras atividades, conhecer profissionais da área e ainda a Escola Superior de Desporto de Rio Maior. E, quem sabe, podes até encontrar uma vocação profissional? De 3 a 8 de julho, Rio Maior vai acolher uma semana exclusivamente dedicada ao desporto e ao estilo de vida saudável. A Academia Sports Week é um projeto dinamizado pela Escola Superior de Desporto de Rio Maior do Instituto Politécnico de Santarém, em parceria com a Forum Estudante. Para que conheças tudo o que o desporto tem para te oferecer, o programa é muito variado. Fica a conhecer os cinco ambientes que te esperam.

Para poderes fazer parte desta aventura, só tens de te inscrever em www.sportsweek.forum.pt e esperar para saber se foste um dos 50 estudantes selecionados. A participação é gratuita!


53 | Forum Estudante | Jun’17

/Sportsweek

3 a 8 de julho de 2017

Ar livre Como é óbvio, o futebol não podia faltar. Mas o desporto não fica por aqui. Juntamente com a tua equipa, vais travar batalhas de Paintball e treinar a pontaria no tiro com arco.

Interiores Fazer atividades no interior não significa aborrecimento. Se achas que não tens muito jeito para a dança, vais aprender uns passos de HipHop, para poderes passar a arrasar na noite. Para aprenderes a relaxar, podes contar com aulas de Yoga e, para que te saibas defender, os desportos de combate não podiam faltar.

Montanha Num terreno mais instável e rochoso, vais subir às alturas com a escalada e descer com o rappel. Nada como aproveitar as colinas montanhosas para um percurso de BTT.

Piscina Já alguma vez tiveste a oportunidade de jogar polo aquático? Não? Então esta será a tua primeira vez. Este é um desporto parecido com o andebol, ou seja, as duas equipas utilizam as mãos para tentar colocar a bola dentro da baliza da equipa adversária. A diferença, como o nome indica, é que estarás dentro de água.

Na praia De prancha na mão, vais tornar-te um “ás” do Bodyboard, do Surf e do Stand Up Paddle. Vais poder aprender técnicas que te podem ser úteis no futuro. E porque na areia também se pode fazer muita coisa, vais poder desafiar os teus 49 colegas para um jogo de vólei de praia.

SPORTS WEEK 2017 A SEMANA DO DESPORTO NA CIDADE DO DESPORTO

powereb by

apoios


54 | Forum Estudante |Juni’17

/Leiria-In

www.leiria-in.forum.pt

UMA VISITA À CASA DA TECNOLOGIA

Se gostas de estar sempre a par das últimas tendências tecnológicas, a Leiria-In é a academia ideal para ti. Se quiseres ser um dos 50 participantes, só tens de te inscrever gratuitamente (ver caixa). Fica a conhecer uma das realidades que poderás encontrar durante esta semana: o CDRSP. Foi já ao final da tarde que os participantes do Leiria-In visitaram as novas instalações do Centro de Desenvolvimento Rápido e Sustentado do Produto (CDRSP) do Politécnico de

Leiria. Aí, os cinquenta participantes puderam “conhecer vários tipos de tecnologia: da mais convencional, utilizada na indústria, a tecnologias aditivas mais vanguardistas ligadas

à área da saúde”, explicou a investigadora Carla Moura. Desta forma, durante cerca de uma hora e meia, os jovens participantes do Leiria-In puderam interagir com


55 | Forum Estudante |Juni’17

/Leiria-In

10 a 15 de julho de 2017

Liga-te à tecnologia!

tecnologia de ponta, conhecendo máquinas de impressão 3D, de prototipagem rápida, bem como dispositivos de automação e robótica. Durante a visita, diversos cientistas foram apresentando os seus projetos de investigação, ligados à área da indústria e das tecnologias da saúde. Depois de, desde 2007, funcionar em instalações cedidas pela Câmara Municipal da Marinha Grande, este centro de investigação mudou-se em novembro de 2015 para um novo espaço. “Estas instalações foram pensadas desde a raiz para esta realidade e são adaptadas à ciência que tentamos desenvolver”, salientou Carla Alves. Quanto à visita dos estudantes, a investigadora expressou o desejo

de que esta possa ser uma ajuda no despertar de vocações: “Embora tenhamos o conhecimento dos livros, o contacto fístico com os projetos pode fazer despertar o bichinho”. Criado em maio de 2007, o Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentado de Produto (CDRsp) é, actualmente, um dos 3 centros de excelência em Engenharia Mecânica da Fundação para a Ciência e Tecnologia. Esta estrutura assume-se como uma unidade orgânica do Instituto Politécnico de Leiria, descrevendose, no seu site, como um centro que “procura contribuir para o avanço da ciência e tecnologia, conduzindo a produtos mais eficientes, adequados e eficientes”.

A Academia Leiria-In decorre entre os dias 10 e 15 de julho, em Leiria. Organizada pela Forum Estudante e pelo Instituto Politécnico de Leiria, em conjunto com parceiros, esta é uma oportunidade de passar uma semana única em ligação direta à tecnologia. O Leiria-in promete uma semana cheia de atividades ligadas à robótica e ao mundo da indústria, em várias áreas. Workshops, visitas a empresas, atividades com moldes e vidro, piscina, praia, caminhadas e muita animação é o que te espera. A inscrição é gratuita e muito simples: basta preencheres o formulário em www.leiria-in.forum.pt. Depois, é só esperar o nosso contacto, para conheceres os passos seguintes.

Semana da

Indústria

powered by

partners Câmara Municipal da Marinha Grande


56 | Forum Estudante | Jun’17

/IPStartupWeek

www.ipstartup.forum.pt

24 a 29 de julho

‘Bora?

ESTIMULA A TUA

CRIATIVIDADE

São cinco dias para preparar o futuro. A Academia IPStartupWeek é um espaço onde poderás, entre os dias 24 e 29 de julho, desenvolver e apurar as tuas capacidades empreendedoras e interpessoais. A participação é gratuita (ver caixa) e trazemos-te o exemplo de um dos desafios que te será colocado. No auditório da Escola Superior de Ciências Empresariais do IPSetúbal, a docente Teresa Costa que começou por perguntar aos participantes da IPStartupWeek o que significava para eles empreendedorismo. Arriscar, gerir e investir foram algumas das respostas da audiência. Teresa Costa explicou que existem “várias perspetivas sobre o empreendedorismo”, mas cada vez mais é “difícil falar de empreendedorismo sem falar de inovação”. Das palavras passou-se à prática. A primeira atividade do dia consistiu num “brainstorming”, em que cada equipa constituída por cerca de seis elementos

tinha que apresentar 20 ideias em 20 minutos. Entre “semáforos aéreos”, a “robots salva-vidas”, passando por “headphones que avaliam o tipo de música a reproduzir segundo o humor”, muitas foram as ideias que circularam pela sala. Mas porque umas são mais viáveis que outras, depois de enumerados os tópicos, estes circularam pelas outras equipas que deveriam riscar aqueles que, consoante determinadas regras, como por exemplo uma ideia similiar pré-existente, a falta de um nicho de mercado, seriam menos passíveis de sucesso.

Depois desta fase de depuração, os jovens puderam então discutir qual seria a melhor ideia. Esta escolha foi feita mediante alguns critérios de avaliação, como “a ideia mais inovadora”, ” a que corresponde a uma necessidade mais urgente” e, ainda, “aquela que terá uma procura de mercado maior”.

Elevator pitch! No final, cada equipa escolheu a sua melhor ideia, por forma a fazer um “poster” destinado a apresentação. Assim sendo, cada grupo pôde mostrar a sua ideia a todos os outros participantes.


57 | Forum Estudante | Jun’17

/IPStartupWeek

24 a 29 de julho de 2017

Desporto Comunicação Laboratório de Empreendedorismo Praia Desafios Ideias Workshops

Aposta em ti mesmo Originalidade e inovação não faltaram durante a sessão em que os jovens expuseram os seus projetos. Desde “Red Move”, uma bateria recarregável através do movimento, ao “Zé, o robot salva-vidas”, um humanóide capacitado para defender pessoas, bem como à marca “Bikinis Never Wet”, de fatos

de banho com capacidade de autosecagem e, ainda, uma aplicação para desligar redes sociais durante épocas de estudo (“NO DISTRACTION”) muitas foram as ideias que se pautaram pela criatividade. “Senso sente”, “Turn Off”, “Wear It” e “Giragsol” foram outras das iniciativas em destaque.

powered by

Na Academia IPStartupWeek, poderás colocar-te à prova e desenvolver as tuas competências. Tudo isto com a praia e o sol de Setúbal como pano de fundo. Desafios em equipa, desporto, workshops, peddy-papers, concursos de criatividade e muita diversão são aquilo que te espera, em Setúbal, entre os dias 24 e 29 de julho. A Forum Estudante e o Politécnico de Setúbal juntam-se para te oferecer esta oportunidade, ou seja, a participação é totalmente gratuita. Só tens mesmo de te inscrever em www.ipstartup.forum.pt e esperar o nosso contacto.

apoios


58 | Forum Estudante | Jun’17

/Portugal Social on the Road

portugalsocialontheroad.forum.pt

METE MÃOS À OBRA E APANHA ESTA BOLEIA

A Academia Portugal Social on The Road é ideal para quem não gosta de perder um desafio e que quer fazer a diferença. Prepara a tua mala e durante cinco dias vais andar à boleia do autocarro social na região do grande Porto.


59 | Forum Estudante | Jun’17

/Portugal Social on the Road

24 a 29 de julho de 2017

Para que conheças grande parte do trabalho social realizado em Portugal, é necessário ires ao terreno, ao local onde se faz a diferença. De 24 a 29 de julho, vais poder conhecer diferentes instituições de solidariedade e zonas do Porto. Vais ter oportunidade de pôr à prova o teu lado solidário e humanitário, enquanto ajudas pessoas que precisam do teu apoio e fazes parte das diferentes atividades lúdicas que vão ser

desenvolvidas com os pacientes das diferentes instituições. Durante estes dias, para além destas visitas vais conhecer muitas pessoas, vais poder praticar outras atividades de lazer e de convívio e passear pela cidade do porto. Acreditamos que esta semana é uma mais-valia para ti: vais descobrir um novo mundo e vais-te descobrir a ti próprio. Aconselhamos que leves muitos pacotes de lenços de papel, porque vais soltar aquela lágrima no canto do olho. Esta semana solidária é uma iniciativa da Forum Estudante e da Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES), para que possas ter uma das maiores aventuras da tua vida e conhecer alguns exemplos de solidariedade e entreajuda que existem no país.

Para fazeres parte desta trip tens que ser estudante do 9ª ano, do ensino secundário ou ensino profissional e submeter a tua inscrição em www.portugalsocialontheroad.forum.pt. Depois apenas tens que esperar para saber se foste um dos 50 selecionados.

powered by


60 | Forum Estudante | Mai’17

/Tanto Mar

www.tantomar.forum.pt

A ÁGUA ESTÁ FIXE!

Uma semana para conheceres tudo o que o mar tem para te oferecer – desporto, lazer, turismo investigação científica e empreendedorismo. É esta a oferta da Academia Tanto Mar, em que a Forum Estudante e a Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar se juntam para te possibilitar sete dias de diversão e novas amizades (ver caixa). Estás convencido? Vem refrescar a tua vida!


61 | Forum Estudante | Mai’17

/Tanto Mar

31 de agosto a 7 de setembro de 2017

HÁ TANTO MAR EM PENICHE

Sabias que o mar é um dos recursos naturais mais importantes do nosso planeta? O mar é um componente vital para a biosfera e representa 97,2% de toda a água presente no nosso planeta. Por isso, criámos esta academia: para poderes explorá-lo, conhecer a sua história e saber a melhor forma de aproveitar os seus benefícios. O resultado final é uma semana passada em Peniche, totalmente virada para o mundo do mar e cheia de experiências que nunca vais esquecer. Vais ter a oportunidade de fazer surf, fazer o teu batismo de mergulho e

semana

tanto academia de verão

mar

conhecer as profundezas do mar, ir ao arquipélago das Berlengas, visitar navios da Marinha portuguesa, entre muitas outras coisas divertidas. O melhor de tudo? Isto é apenas uma amostra de tudo o que poderás fazer durante a Semana Tanto Mar: vais conhecer pessoas novas, divertir-te, conviver, tudo de forma gratuita! É verdade, não precisas de te preocupar com nada. Enquanto te divertes vais poder abrir os teus horizontes e entender se esta pode ou não ser uma área que queres seguir a nível profissional.

financiamento

Para participar na 8ª edição da Tanto Mar – que se realiza de 31 agosto a 7 de setembro, em Peniche- basta seres estudante do ensino secundário ou do ensino profissional e submeter a tua inscrição em www.tantomar.forum.pt. Para completares a tua inscrição é ainda necessário que entregues um trabalho sobre o tema “O Mar Português” para tantomar@forum.pt. Depois, é só esperar o nosso contacto a informar que foste um dos 50 estudantes selecionados.

apoios MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO MAR

Centro de Formação Profissional das Pescas e do Mar

ESTALEIROS NAVAIS DE PENICHE SA


62 | Forum Estudante | Jun’17

/SóRir

Todos nós temos um amigo assim.

Está tanto calor que o Salvador Dalí podia ser considerado realista.

Calor, sol, praia, festivais... como não amar

O VERÃO? Tu que estás chateado e de mau humor e procuras uma luz que acenda o teu sorriso, uma gargalhada que te encha a alma... Aprecia! Ah, e não te esqueças, se tiveres uma boa piada ou foto, envia-nos para geral@forum.pt

VERÃO

EXPETATIVAS vs REALIDADE Aquele momento em que estás na água...

O outfit perfeito para um festival de verão.

Corpo de verão...

...prontinho para o inverno.

CALOR? O que é isso?

Receita mágica para emagrecer Com o chegar do verão uma mulher decide ir ao médico. No consultório pergunta: - Doutor, como é que eu faço para emagrecer? O médico responde: - Basta a senhora mover a cabeça da esquerda para direita e da direita para esquerda. Diz a mulher: - Quantas vezes doutor? E o médico responde: - Todas as vezes que lhe oferecerem comida…

Qual o tempo?

Pernas ou salsichas? Eis a questão!

…e sentes algo a tocar-te no pé.

O professor para o aluno : - Menino, eu vou, tu vais, ele vai à praia. Que tempo é ? - Verão com certeza, senhor professor.

A pesquisa mais famosa na véspera do verão

“Dunas, são como divãs”


pub

pub

OFERTA FORMATIVA 2017 LISBOA ÁUDIOVISUAIS E PRODUÇÃO DOS MÉDIA Técnico Especialista em Desenvolvimento de Produtos Multimédia Nível 5 (1.500 horas) Cursos de Especialização Tecnológica

CIÊNCIAS INFORMÁTICAS Técnico Especialista em Gestão de Redes e Sistemas Informáticos Nível 5 (1.375 horas) Cursos de Especialização Tecnológica

Técnico Especialista em tecnologias e Programaçao de Sistemas de Informação Nível 4 (1.375 horas) Aprendizagem (DUAL)

ELETRÓNICA E AUTOMAÇÃO Técnico de Eletrónica, Automação e Computadores Nível 4 (3.625 horas) Aprendizagem (DUAL)

Técnico de Eletrónica Médica Nível 4 (3.625 horas) Aprendizagem (DUAL)

Técnico Especialista em Automação, Robótica e Controlo Industrial Nível 5 (1.560 horas) Cursos de Especialização Tecnológica

Técnico Especialista e Telecomunicações e Redes Nível 5 (1.560 horas) Cursos de Especialização Tecnológica

PORTO Áudiovisuais e Produção dos Média Técnico Especialista em Desenvolvimento de Produtos Multimédia Nível 5 (1.500 horas) Cursos de Especialização Tecnológica

Ciências Informáticas Técnico Especialista em Gestão de Redes e Sistemas Informáticos Nível 5 (1.375 horas) Cursos de Especialização Tecnológica

Eletrónica e Automação Técnico de Eletrónica, Automação e Comando Nível 4 (3.625 horas) Aprendizagem (DUAL)

Inscrições Abertas

Modalidades Aprendizagem Dual Educação e Formação de Adultos Especialização Tecnológica Vida Ativa Formação Modular

www.cinel.pt Lisboa Rua Jau - Alto de Santo Amaro Tel: 214 967 700 Email: cinel@cinel.pt

Porto R. de S. Rosendo nº 377 Tel: 225 363 210 Email: cinel.porto@cinel.pt


64 | Forum Estudante | Jun’17

/HorosCópos

INACREDITÁVEIS, AO PONTO DE NÃO ACREDITARES QUE ESTÁS DE FÉRIAS!

Amigos leitores, aproximamo-nos a passos largos do verão, das férias e coisas afins. Bem sei que poderão faltar ainda algumas tarefas. Mas decidi vasculhar os astros para encontrar algumas previsões do vosso verão. Há de tudo: de marmitas para a praia ao Museu das Cascas de Banana. Preparados? Caranguejo (21/06 a 20/07)

Escorpião (23/10 a 21/11)

Peixes (20/02 - 20/03)

O nativo de Caranguejo tem tudo pensado para o verão. Uma combinação de praia, esplanadas, piscina e festivais. Contudo, tal como um maratonista no granizo, nem sempre tudo vai correr bem. Prepara-te para a combinação tardes no sofá, Playstation, Instagram e Spotify. Podia ser pior!

Um conselho muito específico e relevante para os nativos de Escorpião. Quando chegares à praia, depois de te descalçares e meteres os pés na areia, não penses “ah, eu aguento, é só um bocadinho”. Calça-te, por favor. Essa tua corrida em bicos de pés não tem estilo e é escusada.

Os peixes gostam de água (lole). São daqueles que, na praia, só estão a pensar no próximo mergulho. Um conselho, caro nativo de Peixes. Não leves o telemóvel contigo, a não ser que queiras acabar a fazer um live de caça submarina.

Leão (21/07 a 22/08)

Sagitário (22/11 a 21/12)

A tendência dos nativos de leão para instagramarem as férias compulsivamente pode trazer-lhes problemas de equilíbrio. Sobretudo quando visitarem o Museu das Cascas de Banana, ali perto do Jardim das Urtigas, onde fica a Fonte do Tropeção.

Os nativos de Sagitário têm uma resolução muito importante para este verão: acordar cedo para “aproveitar”. Reparem nas aspas. Incertos sobre o que é que vão ao certo aproveitar, decidirão dar uma volta na cama e dormir até às três da tarde.

Virgem (23/08 a 22/09)

Capricórnio (22/12 a 19/01)

Os nativos de Carneiro vão tentar “ir menos às redes sociais, para aproveitar”. Reparem nas aspas. Todo o plano irá por água abaixo quando chegarem à praia ao pôr-do-sol. “Tenho de aproveitar este céu, men, isto é raro”, vão dizer, sem se aperceberem que, sem filtros, é só mesmo mais um pôr-do-sol. Algo que acontece, literalmente, todos os dias.

Vais encontrar o amor da tua vida este verão. Quem? Encontrei na Galáxia de Alfa Centauro alguma informação: posso avançar que cheira muito bem, que te vai ajudar quando mais precisares, que se chama Biafine e que é um creme óptimo para as queimaduras de primeiro grau que apanhaste por achar que “este sol já não queima”.

Há verões inesquecíveis. O verão em que conheces o amor da tua vida. Em que fazes uma viagem única por paisagens exóticas. Em que lês o livro que vai mudar a tua visão do Mundo. Depois, há verões esquecíveis. Em que acordas às três da tarde, comes cereais, vês televisão, fazes uns posts e vais dormir. Faz a tua escolha.

Balança (23/09 a 22/10)

Essa ideia de levar iogurtes para a praia pode sair-te cara. Uma peça de fruta continua a ser uma melhor opção. Uma maçã trincada em câmara lenta dá bom aspeto. Agarrar um pêssego com um ar confiante dá estilo. Consegues dizer o mesmo de uma garrafinha com bifidus não-sei-do-quê?

Boas notícias! Os nativos de balança vão encontrar muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, muitas, mas mesmo muitas vírgulas.

Aquário (21/01 - 19/02)

Carneiro (21/03 - 20/04)

Touro (21/04 - 20/05) Por falar em pôr-do-sol na praia, nativos de Touro, temos de conversar. Chega de dúvidas e ansiedades. De pensar em contrariedades. Eu leio a vossa ansiedade nas estrelas: querem saber se a vossa paixão é correspondida, antes de se mostrarem vulneráveis a alguém. Com toda a honestidade, talvez não seja. Mas quando fores com esse alguém ver o pôr-do-sol na praia, quando ambos estiverem enquadrados por uma luz perfeita, quando essa luz se retirar aos poucos, como que para vos deixar a sós, lembra-te que os verões não nascem memoráveis. Mas que se podem tornar inesquecíveis. Boa sorte.

SIGNO DO MÊS

AS TUAS AS FÉRIAS VÃO SER

Gémeos (21/05 a 20/06) Os nativos de Gémeos vão entrar num novo verão ainda sem saber de cor a sua própria idade, esquecimento tão usual como desculpável. Ainda assim – por mera coincidência – a sua memória será reavivada muito rapidamente, depois de conversarem com os seguranças de alguns estabelecimentos noturnos.


#297 Revista Forum Estudante - Junho 2017  

Na edição de junho, trazemos-te mais de 60 páginas em grande: passámos pelo estúdio dos GrogNation, em Mem Martins, e rumámos à cidade dos e...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you