Issuu on Google+

Revista Forum Estudante | Fevereiro 2017 | Edição n.º 293 | Disponível apenas por assinatura com o custo mensal de 1€

dossier Academias de verão Forum Estudante

Entrevista a Miguel Barbosa Eis a “Constituição do Estudante” Academias de verão Forum Estudante Aproveita!

especial prevenção rodoviária

protege-te dos 5 inimigos da segurança

Passatempos com prémios e mais prémios só para ti! Participa!

Afinal os jovens estão a ler mais


3 | Forum Estudante | Fev’17

/Sumário

PASSATEMPOS

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO: Estes passatempos decorrem até 28 de fevereiro. Apenas serão atribuídos prémios a residentes em Portugal e somente um prémio por pessoa e morada em cada passatempo. Só será aceite, de cada concorrente, uma participação por dia. O não preenchimento correto do formulário de participação em www.forum.pt/passatempos, leva à desclassificação do participante. Os vencedores residentes na área da grande Lisboa terão de levantar o prémio na nossa sede em Lisboa. Aos restantes, os prémios são enviados via CTT. Após notificação, os vencedores têm um prazo de 15 dias para reclamar o prémio. Os prémios devolvidos não serão reenviados. A idade máxima de participação é de 25 anos, inclusive, a confirmar por documento de identificação. OS PREMIADOS SÃO ANUNCIADOS EM FORUM.PT. NOTA: as cores e modelos apresentados podem não corresponder às imagens apresentadas.

www.forum.pt Telefone 218 854 730 FAX 218 877 666 Email geral@forum.pt Direção Gonçalo Gil goncalo.gil@forum.pt Fotografia Fábio Rodrigues, Gonçalo Gil Design Miguel Rocha miguel.rocha@forum.pt Redação Fábio Rodrigues fabio.rodrigues@forum.pt

FALTA DE MEMÓRIA? ESQUECE!

Assinaturas Paula Ribeiro Tel.: (218 854 730) pribeiro@forum.pt Anuidade: 10 10€

Para evitar que te esqueças de tudo, a Memofante e a Forum Estudante têm duas embalagens destas para te dar. Lembra-te de participar em www.forum.pt

Publicidade Félix Edgar (Tel.: 218 854 103) felix.edgar@forum.pt Comunicação José Maria Archer (Tel.: 218 854 780) Distribuição Vítor Silva (Tel.: 218 854 755) vitor.silva@forum.pt

GANHA UMA MOCHILA TOTTO!

A Totto e a Forum Estudante têm 10 mochilas para oferecer. Participa em www.forum.pt

ILUMINA O TEU CORAÇÃO

A Hama e a Forum Estudante têm para te oferecer 10 suportes de fotografias com led por ligação usb. Ilumina a tua secretária. Participa em www.forum.pt

SUMÁRIO 4 6 8 12 14 24 26 28 36 38 40

Escolas Visita ao Oceanário Futurália 10 anos a inovar PNL Afinal os jovens estão a ler mais Pancadas Vê a nova “Constituição do Estudante” Capital Jovem Segurança Rodoviária ACP Prémio inovação segurança rodoviária Brisa Student Drive Camp O que é a inspeção automóvel? Brisa Um parceiro para o desenvolvimento de Portugal BP Na vanguarda da prevenção rodoviária Fama Entrevista ao piloto Miguel Barbosa Academias de Verão Forum São para ti, participa

Produção Monterreina, Madrid Tiragem: 40 mil exemplares FORUM ESTUDANTE Revista de Cursos, Escolas e Profissões Propriedade e Edição de: PRESS FORUM, Comunicação Social, S.A. Capital Social: 60.000,00¤ NIF: 502 981 512 Periodicidade Mensal Depósito Legal n.º 510787/91 Registo ICS n.º 114179 Sede Tv. das Pedras Negras, nº 1 - 4.º 1100-404 Lisboa Tel.: 218 854 730 | Fax: 218 877 666

Administração Roberto Carneiro (Presidente) Rui Marques Francisca Assis Teixeira

#TEMA DE CAPA Prevenção Rodoviária Há 5 fatores que se assumem como a principal causa de morte entre os jovens (18 - 24 anos). Já conheces os teus principais inimigos na estrada? Páginas 16 a 23.

Revista Forum Estudante #293 // Fevereiro 2017 // e-mail: geral@forum.pt // www.forum.pt


4 | Forum Estudante | Fev’17

/Escolas

Dentro do Portal dos Oceanos No passado dia 17 de janeiro, um grupo de alunos da Escola Básica e Secundária de Manteigas “mergulhou” nos oceanos. A visita inseriu-se numa das novas atividades do Programa Educativo do Oceanário de Lisboa – programa em que já participaram, desde a sua criação, cerca de 60 mil jovens. Antes de passar o portal, os 35 alunos foram divididos em grupos, à entrada do Oceanário. É para um deles que o educador marinho se dirige: “Está frio, não está?”. “Bem, em Manteigas está mais”, apressa-se a completar. As mais de três dezenas de alunos estiveram em Lisboa no âmbito de uma

Matemática, Português e Educação para a Cidadania”, acrescenta. Durante a atividade “Portal dos Oceanos”, os alunos foram desafiados “a ser criativos e tomar decisões”, explica a responsável do Departamento de Educação do Oceanário, Teresa Pina. Depois de cruzarem o portal, os alunos

vão influenciar o momento de saída do Portal, durante o qual se encontra uma mensagem. “Os jovens regressam ao presente mas a viagem não acaba aí”, explica Teresa Pina que acrescenta: “depois de conhecerem o passado, os alunos voltam ao presente sabendo que o futuro depende deles”. Tal como em cada visita que é feita ao Oceanário, acrescenta Teresa Pina, o objetivo passa por “ligar o visitante emocionalmente aos oceanos”. Nessa missão, o papel unificador o Oceano pode ajudar a ilustrar o impacto das ação humana: “a proximidade entre as espécies que habitam do Oceanário demonstra a ligação entre todos”.

O mundo de plástico

visita de estudo de dois dias que incluiu o Convento de Mafra. De acordo com a professora de Biologia e Geologia dos alunos, Clara Fonseca, a passagem pelo Oceanário foi “uma escolha óbvia”. “Sobretudo devido à interdisciplinaridade destes ateliers – relaciona-se com a minha área [Biologia] mas também com

visitam os diferentes oceanos e as suas espécies de fauna e flora. Em cada um deles, são confrontados com um desafio e uma escolha. As perguntas (e decisões) recaem sobre temas como as alterações climatéricas, a poluição ou o consumo sustentável. Mais tarde, serão essas escolhas que

Durante a visita, entre perguntas e desafios, o educador marinho salienta um dado: “sabiam que é esperado que, em 2050, exista mais plástico do que espécies marinhas, nos oceanos?”. Uma das participantes, Daniela David, não sabia. “Não tinha noção desses números e fiquei surpreendida e triste”, revela. A aluna explica que está a considerar a atividade interessante, devido sobretudo ao seu gosto pela área da Biologia. Outro dos participantes, André Aldeia, visitou há pouco tempo o Oceanário com os pais. Nesta atividade, contudo, realça, ficou “a conhecer pormenores” que lhe escaparam. Pormenores que, garante, ficarão para o futuro. “Devia dar mais importância a estes dados. A partir de agora, quando ouvir algo nas notícias, vou prestar mais atenção”, conclui.


pub

5 | Forum Estudante | Fev’17

DICAS PARA ESTUDAR

5 LOCAIS DE ESTUDO

(MAIS OU MENOS CONVENCIONAIS) Não há dois estudantes iguais. Todos temos as nossas preferências quando chega à altura de abrir os livros. Do colchão que é mesa improvisada ao tapete da sala, qualquer coisa pode servir. Fica a conhecer algumas possibilidades. A Cama Desde tempos longínquos, a cama é utilizada por muitos estudantes como estação de trabalho. O que permite quadros pouco habituais: livros espalhados pela colcha, uma calculadora debaixo da almofada, um dicionário escondido atrás da botija de água quente. No estudo, vale tudo. Só não adormeças, por favor.

Tapete da sala O tapete da sala apresenta as mesmas vantagens do número anterior: um espaço de dimensões muito consideráveis. Tem ainda uma vantagem adicional. Não é um local propriamente confortável, o que te obrigará a estar desperto. Isto desde que não utilizes uma pilha de manuais como almofada.

C

M

Y

A mesa da cozinha Pode parecer pouco intuitiva, mas esta é uma das melhores opções: estrategicamente colocada, em princípio, a mesa da cozinha encontra-se afastada de muitas das distrações. Possui ainda a vantagem de ser espaçosa e, habitualmente, permitir o rápido acesso a mantimentos essenciais como bolachas ou cereais.

CM

MY

CY

CMY

K

O sofá Em teoria, o sofá está longe de ser uma das melhores opções. Confortável, normalmente com uma televisão nas imediações, esta peça de mobiliário oferece vários caminhos para interromper o estudo. Nomeadamente, tal como a cama, uma soneca discreta entre capítulos.

A varanda Tida por muitos como a melhor opção, a varanda oferece, com efeito, um ambiente único para o estudo. O ar fresco pode ajudar a ganhar motivação, a luz natural é um bálsamo para os olhos. Está, ainda assim, dependente da meteorologia. Para além de que pode acontecer qualquer coisa de interessante na vizinhança.


6 | Forum Estudante | Fev’17

/Futurália publirreportagem

NOVIDADES FUTURÁLIA 2017 Vem comemorar os 10 anos da Futurália com grandes novidades

Conferência Gap Year

Este ano vais encontrar a maior oferta educativa nacional e estrangeira. Não percas! Vem tirar as tuas duvidas sobre o conceito do “Gap Year”. As suas (des)vantagens, o motivo da mediatização do conceito e quais as suas mais-valias face ao mercado de trabalho actual.

C

M

Y

CM

Design e Multimédia

MY

3D / 2D Animation, Virtual Reality, 3D Scan, Interactive Installations são áreas que dominas? Vem saber tudo sobre Design and Multimedia Technology no Workshop de Multimédia

CY

CMY

K

O jogo em palco

The Game é a peça de teatro em inglês que estará em cena ao longo dos primeiros três dias da Futurália. Uma peça de teatro inovadora em que o espectador é transportado para o mundo dos videojogos.

O PALCO FUTURÁLIA ESPERA POR TI ! VEM COM A TUA TURMA OU OS TEUS PAIS À FUTURÁLIA. CONHECE AS MELHORES OPÇÕES DE FUTURO PARA TI! MARCA JÁ NA TUA AGENDA! DE 29 DE MARÇO A 01 DE ABRIL NA FIL – PARQUE DAS NAÇÕES

ORGAN


1ed0içãoa 29 marco a 1 abril 2017 - FIL

C

M

Y

CM

MY

CY

MY

K

O TEU FUTURO ESTA EM JOGO /avidaetua

#FUTURALIA ORGANIZAÇÃO

APOIO

MEDIA PARTNER

TRANSPORTADOR OFICIAL

/futuraliafil

OUTROS PARCEIROS


8 | Forum Estudante | Fev’17

/PNL

espaço “O LIVRO QUE TRAGO NA MOCHILA” Partilha connosco as tuas leituras: conta-nos o que andas a ler, o porquê da tua escolha e revela qual será a tua próxima leitura. Envia o teu testemunho para: geral@forum.pt

Afinal os jovens estão a ler mais É usual ouvir as frases “a juventude está afastada da leitura” ou “esta geração já não lê”. Contudo, as evidências apontam noutra direção. Quando, há dez anos, Cristopher Hitchens escreveu a crítica do livro Harry Potter e os Talismãs da Morte, para o jornal americano New York Times, o jornalista salientou o título do último capítulo – “19 anos depois”: “19 anos depois, e provavelmente muitas décadas mais tarde, existirão ainda milhões de adultos que recordarão a sua iniciação à literatura como um pequeno toque de Harry durante a noite”. Com esta frase, Hitchens procurou realçar a forma como a literatura juvenil representa, muitas vezes, uma mera iniciação à leitura e à descoberta do prazer que dela se pode retirar. E os estudos parecem demonstrar que, ao contrário do que muitas vezes se acredita, os jovens continuam a encontrar e cultivar esse gosto. Como relembra um estudo da editora McSweeney’s, a perceção de que os jovens liam muito mais há 20 anos existe. “Isto, obviamente, não é verdade”, ressalvam. Os autores recordam que, a nível mundial, segundo a UNESCO, a

faixa etária entre os 15 e os 24 anos é a que tem maior grau de literacia. Por outro lado, sagas como Harry Potter ou Crepúsculo – com milhares de milhões de livros vendidos em todo o Mundo – “popularizaram” a leitura. Como afirma Motoko Rich, no New York Times, o sucesso destas sagas “fez com que fosse mais fácil, para uma criança que pensava que ler era para ‘cromos’ pegar num livro”. Uma investigação de 2010 da Scholastic, por exemplo, demonstra que 62% das crianças entre os 9 e os 11 revela ler para “ser inspirado por histórias e personagens”. De igual forma, o relatório “Os Estudantes e a Leitura”, da autoria do Ministério da Educação, revela que 24% dos alunos do secundário dizem “gostar muito de ler” e que 5% são mesmo “viciados em leitura”. No artigo Os jovens estão a ler mais do que pensa, Hannah Withers e Lauren Ross concluem mesmo que “estamos a presenciar um renascimento do género literário para jovens adultos”. A aposta das editoras neste segmento reforça uma conclusão inevitável, garantem: “hoje em dia, ler é uma parte de se ser um jovem adulto”.

Neste momento estou a reler “A Glória dos Traidores”, o livro VI de “As Crónicas de Gelo e Fogo”, escrito por George R. R. Martin. É uma obra de fantasia épica com uma intensa trama política, intrigas e jogos de poder, e contada segundo os pontos de vista (muitas vezes opostos) das várias personagens principais. A razão que me levou a pegar nestes livros pela primeira vez foi tratar-se de uma obra de fantasia, género que adoro, e também a recomendação de uma amiga. Quando terminar a coleção, gostava de ler algo de Kafka, que é daqueles autores que estou para ler há algum tempo, mas em que nunca peguei. Maria Marques Portela, Braga

WWW.PLANONACIONALDELEITURA.GOV.PT


12 | Forum Estudante | Fev’17

/Pancadas

CONSTITUIÇÃO DO ESTUDANTE

Preâmbulo

Nós, o Povo Estudante, de forma a alcançar os melhores resultados, cumprir os nossos objetivos, promover o conhecimento e evitar surpresas desagradáveis nas pautas, aqui elaboramos e estabelecemos esta Constituição do Estudante (CE).

Artigo Primeiro – Separação do Tempo de Estudo ˚1• Todo o tempo de estudo é dedicado, única e exclusivamente, ao estudo. ˚2• Durante este período de tempo, o Estudante deve renunciar aos inimigos do estudo, como Facebook, Instagram, Snapchat e o maléfico Youtube. ˚3• O Estudante compromete-se a não incorrer na “falsa leitura”, ou seja, a debitar letras, palavras e frases em voz alta enquanto, mentalmente, equaciona as melhores opções para o lanche. ˚4• A soberania do tempo de estudo, una e indivisível, reside no Estudantes que escolhe os períodos a que ele se dedica. ˚5• A independência assegurada pelo número anterior (4) é apenas suspensa assim se aproxime uma prova, teste ou exame, existindo, nesse caso, um período de estudo obrigatório.

Artigo Segundo – Tarefas Fundamentais do Estudante ˚1• O Estudante compromete-se a: {a}˚ Participar nas aulas sempre que possível, primando pela sensatez e evitando pedir a palavra para partilhar graçolas sem graça. Nos casos de graçolas com graça, a partilha torna-se obrigatória. {b}˚ Respeitar os momentos de trabalho de grupo, não desestabilizando as dinâmicas criativas ao fazer o resumo do episódio de ontem do Amor Maior – o Estudante não deve, jamais, ser spoiler. {c}˚ Não incorrer em comportamentos que coloquem o bemestar dos restantes alunos em causa, nomeadamente, fazer do tampo da mesa uma espécie de bateria ou batuque, nele tocando ritmos e percussões evidentemente irritantes para os demais.

Artigo Terceiro – Princípios de Boa Camaradagem ˚1• Todos os Estudantes são iguais perante a CE e gozam dos mesmos direitos e deveres. ˚2• O Estudante tem o direito a ser respeitado e o dever de respeitar. ˚3• Qualquer infração ao número anterior (2) implica uma grave falta para com a CE, punível perante deliberação do Povo Estudante. ˚4• O Estudante não deve troçar das falhas ou defeitos do colega, uma vez que nenhum estudante é perfeito e tendo em conta que existem, na maioria das casas, espelhos. ˚5• Se requisitado, o Estudante deve, por princípio, ceder os apontamentos. Porém, se existirem dúvidas quanto à possibilidade de devolução, o Estudante tem o direito de negar o pedido. Escrita com o acordo unânime do Povo Estudante, no mês de fevereiro do ano de dois mil e dezassete, é esta constituição assinada por todos os que concordem com os seus princípios e que procurem um Mundo repleto de felicidade comum e sucesso escolar.


Aconselho vivamente a fazerem uma experiência destas

HI THERE!

Sou a Marta, tenho 17 anos e estou a fazer o 12º ano nos EUA através da Multiway. Faz cerca de quatro meses que estou aqui em Canton, Ohio, e sempre que vejo os números a passarem fico muito ansiosa e triste. Não porque tenho imensas saudades de casa, mas sim porque o tempo está a passar muito rápido e num abrir e fechar de olhos esta experiência vai acabar. Este programa é de facto algo inesquecível! Em apenas quatro meses já tive tantas experiências incríveis! Agora sinto que tenho uma segunda casa, segunda família e, sobretudo, amigos para a vida!!!

Eu sempre fui uma pessoa que gosta do seu cantinho. Gosto do meu espaço, da minha rotina, e para quem a mudança não é aceite de braços abertos, mas sim com receio. Mas, numa conferência, ao ouvir testemunhos de pessoas que fizeram um ano académico numa “American High school”, o meu pequenino gene aventureiro deve ter-se expressado e... bem, agora estou aqui a viver o “American Dream”. Aconselho vivamente a fazerem uma experiência destas, porque é de facto algo inesquecível e que só traz vantagens futuras! Ultrapassem os vosso medos porque acreditem que nos arrependemos mais das coisas que não fazemos do que aquelas que fazemos! Marta

Gostavas de Estudar nos Estados Unidos, mas achas as Universidades caras?

NÃO TANTO QUANTO ESPERAS! Propomos:

✔ Acesso a uma Universidade Americana ✔ Uma experiência que nunca irás esquecer ✔ Melhorar o teu nível de Inglês ✔ Melhores perspectivas no acesso ao mercado de trabalho ✔ E a cereja no topo do bolo: Uma Bolsa de Estudo parcial! As inscrições para o ano de 2017/18 estão a decorrer neste momento. Não percas a oportunidade de também ter uma experiência fantástica. Contacta já com a Multiway.

multiway@multiway.org www.multiway.org Multiway.Cursosnoestrangeiro Tel.: 21 813 25 35

Av. E. U. América, 100 – 13º Fte. 1700-179 Lisboa


14 | Forum Estudante | Fev’17

/Capital Jovem da Segurança Rodoviária capitaljovemsegurancarodoviaria.pt

Só em 2015, morreram em todo o Mundo 1,25 milhões de jovens por acidente.

NORTE SEGURO A Capital Jovem da Segurança Rodoviária 2017 já arrancou e este ano é a vez da Área Metropolitana do Porto receber as inúmeras atividades relacionadas com esta temática. Ao longo deste ano, vais poder ver e participar em dezenas de atividades nos concelhos do Porto, Vila Nova de Gaia, Maia, Póvoa de Varzim e Matosinhos, os municípios que se associaram a esta iniciativa que tem por objetivo sensibilizar e contribuir para a redução dos números de sinistralidade rodoviária em Portugal e que atinge de forma dramática as gerações mais novas.

CÂMARA MUNICIPAL

EDUCAÇÃO

APOIO MEDIA

APOIOS

PROMOTORES

Os acidentes rodoviários são a segunda causa de ferimentos e deficiência permanente.


15 | Forum Estudante | Fev’17

/Capital Jovem da Segurança Rodoviária capitaljovemsegurancarodoviaria.pt

PROGRAMA As iniciativas já são muitas e até ao fim do ano muitas mais irão surgir, mas para já deixamos-te aqui algumas que não devias perder: Em março, podes assistir a um mega simulacro de acidente em Vila Nova de Gaia, organizado pelos Bombeiros Sapadores da cidade, enquanto no Porto, a Câmara Municipal, a FAP e a FAJD organizam um Fórum de Diálogo sobre Segurança Rodoviária. Estas mesmas instituições lançam nesse mês uma campanha de sensibilização em vídeo, realizada e protagonizada por estudantes universitários. Em abril, o grande acontecimento é o Brisa Student Drive Camp, um campo nas férias da Páscoa em que te podes inscrever já. 50 estudantes de todo o país irão rumar ao Porto para uma semana de atividades inesquecível e para mais… com tudo pago. Podes ver mais à frente nesta revista o que tens de fazer para te inscreveres e garantires o teu lugar. Mas abril não é só isto e podes ainda dar um salto à Sunset Party – álcool free que a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Porto vai organizar. Em maio, arranca no dia 1 a semana foco da CJSR e as atividades sucedem-se a um ritmo alucinante. O ACP vai proporcionar àqueles que ainda não têm carta, uma

“Primeira Aula de Condução”. Irá organizar também uma ação com o Rally de Portugal, onde poderás ver alguns dos carros que irão competir e interagir com pilotos. Nos dias 4 e 5 disputa-se a grande final do Desafio BP Segurança ao Segundo, um desafio criativo para estudantes do secundário e onde devias já estar inscrito, pois os prémios são muito apetecíveis e todos os finalistas ganham. Ao longo dessa primeira semana de maio, nos cinco municípios da CJSR,

vais poder assistir a simulacros de desencarceramento, percursos de obstáculos, ações da PSP, GNR e Bombeiros, workshops, conferências e muito, muito mais. Ainda em maio e aproveitando a Queima das Fitas do Porto, o Queimódromo vai ser palco de algumas ações. Daí até final do ano as atividades não vão faltar, para todos os que são da Área Metropolitana do Porto e os que não são, podem sempre dar lá um saltinho porque vai valer a pena.

Sabias que os condutores entre os 18 e os 24 anos são os que: Conduzem mais depressa

Têm o mais elevado índice de sinistralidade rodoviária (despiste e colisão)

Sofrem o maior número de acidentes graves

E que o período crítico destes acidentes é entre as 4h00 e as 8h00 da manhã, ao fim de semana?


16 | Forum Estudante | Fev’17

/Prevenção Rodoviária

5 INIMIGOS OS

DA SEGURANÇA Há 5 fatores que se assumem como a principal causa de morte entre os jovens (18 - 24 anos). Já conheces os teus principais inimigos na estrada?


17 | Forum Estudante | Fev’17

/Prevenção Rodoviária

muito importante. Imagina um condutor que visualize uma criança a 15 metros de distância. Um carro a 30 km/h evitaria o acidente. A 60 Km/h, a criança terá 20% de hipóteses de sobreviver.

Telemóvel Dispersão da atenção, o aumento do tempo de reação, a não manutenção da distância de segurança ou a má avaliação da velocidade. Tudo isto são consequências da utilização de um telemóvel ao volante. A uma velocidade moderada, um segundo perdido a olhar para um visor significam vários metros percorridos, nos quais um obstáculo pode surgir, por exemplo. Outras das condicionantes são o desrespeito da regra de cedência de passagem, a não sinalização das mudanças de direção, a má avaliação do posicionamento do veículo na via e a dificuldade na descodificação dos sinais e da sua memorização.

Cinto de Segurança

no caso de alguém com 1,2 g/L, o risco de morte na estrada é 16 vezes superior. Quando atinge o cérebro, o álcool inibe diversas capacidades, incluindo o controlo muscular e o equilíbrio. Como deves calcular estas são faculdades importantes para a condução de um veículo. Por outro lado, os efeitos do álcool no sistema nervoso são nefastos para quem está atrás do volante: audácia incontrolada, perda de vigilância e capacidades sensoriais (nomeadamente visuais) e percetivas (aumento do tempo de reação ou fadiga). Da mesma forma, o consumo de drogas limita as capacidades do condutor. Por essa razão, desde 2014, e em caso de acidente, é obrigatório fazer o teste de despistagem a estupefacientes.

Os números ajudam a explicar a importância do cinto de segurança. Num carro que siga a 50 km/h, depois do choque, o passageiro sem cinto leva uma força equivalente a cerca de 49 vezes o seu peso. Depois do acidente, esta força encontrará um duplo choque: com o interior do veículo e dos órgãos internos contra a estrutura óssea do corpo. Nesse aspeto, o cinto de segurança exerce uma força estabilizadora insubstituível e que permite, muitas vezes, em acidentes aparatosos, que condutores e passageiros saiam ilesos.

Fadiga

Velocidade Por diminuir o tempo de processamento de informação e de tomada de decisões, a velocidade continua a ser a principal causa de sinistralidade rodoviária. Por outro lado, a velocidade reduz o campo de visão e torna o veículo mais instável, aumentando, por exemplo, a distância de travagem. E esta é uma medida

Álcool e drogas Quanto maior a concentração de álcool no sangue, maior o risco de morte na estrada. Se com 0,50 g/L no sangue o risco aumenta duas vezes,

Normalmente, a fadiga é desvalorizada enquanto um fator de risco na condução. Muitas vezes, inclusive, uma sequência de cafés ou um bom CD são vistos como soluções. Contudo, a realidade é bem diferente. Vários estudos demonstram que os efeitos da fadiga são semelhantes aos do excesso do álcool. De resto, se estiveres 19 horas sem dormir, a tua performance ao volante será igual à de um condutor com uma taxa de álcool no sangue de 0,5 g/L. Ao fim de 24 horas, a equivalência passa para 1 g/L. O problema não é apenas adormecer ao volante. O mais banal dos cansaços é suficiente para provocar níveis de concentração mais baixos e tempos de resposta mais lentos.


18 | Forum Estudante | Fev’17

/Prevenção Rodoviária

O PEÃO AVANÇA… EM SEGURANÇA A obediência ao Código da Estrada não é exclusiva dos que se deslocam sobre rodas. Se utilizas a via pública, tens também um papel a cumprir. Conheces as regras do jogo? Num dos seus folhetos informativos, a Autoridade Nacional para a Segurança Rodoviária compara a via pública a “um jogo que temos de cumprir”. Neste jogo – tal como no xadrez, de resto – o peão é a peça mais desprotegida. “O peão é o utente mais vulnerável da via pública”, relembra a ANSR. Por esta razão, os peões devem zelar “pela sua própria segurança e pela dos outros”, sobretudo se estiverem em causa utentes ainda mais vulneráveis como idosos, cegos, deficientes motores ou crianças. Se acompanharmos uma criança, devemos dar-lhe a mão e levá-las pela parte interior do passeio.

Dentro das localidades, os peões devem caminhar o mais afastados possível da faixa de rodagem.

Outro ponto importante é ter atenção a garagens e oficinas de onde podem sair veículos. Se existir uma passadeira a menos de 50 metros, o peão está obrigado a utilizá-la. Contudo, salienta a ANSR, utilizar a passadeira não basta: é importante estabelecer contacto visual com os condutores, assegurando que eles se apercebem da presença. No caso de não existir uma passadeira, a ANSR aconselha o cruzamento em linha reta, sem correr nem parar, tendo atenção a veículos estacionados, em manobra ou a paragens de autocarro.

Fora das localidades, uma vez que os veículos “circulam a uma velocidade superior”, relembra a ANSR, é mais difícil calcular a distância dos carros que se aproximam. Isso obriga a um cuidado redobrado. A circulação deve ser feita pelo lado esquerdo, de frente para os veículos que se aproximam. Para uma maior segurança, os grupos devem seguir numa fila única. A ANSR relembra que é perigoso atravessar “nas curvas ou em lugares conde existam árvores, edifícios ou outros obstáculos”. Andar numa estrada fora das localidades à noite é especialmente perigoso. Nessa situação é absolutamente essencial “ser visto”. Por essa razão, devem utilizar-se refletores, lanternas (apontada para o chão) ou coletes.


20 | Forum Estudante | Fev’17

/Prevenção Rodoviária

SEGURANÇA SOBRE RODAS O Código da Estrada prevê, para quem anda de bicicleta, um conjunto de regras. Conheces os teus direitos e deveres? Uma das grandes alterações na utilização da bicicleta chegou em 2014. Esse foi o ano em que os velocípedes deixaram de ser obrigados a circular nas pistas que lhe são destinadas. Se considerar mais vantajoso, o ciclista pode circular juntamente com o restante trânsito. Por outro lado, a mesma alteração passou a permitir a circulação de ciclistas lado a lado, desde que não exista visibilidade reduzida – como em estradas de curvas apertadas – ou um trânsito intenso. Para além de poderem circular na estrada, juntamente com os veículos motorizados, os ciclistas passaram a

Virar à esquerda

poder viajar pelas bermas da estrada, desde que não perturbem os peões. Já nas cedências de passagem, os velocípedes passaram a ter prioridade sempre que se apresentem pela direita de um condutor.

Ver e ser visto “A chave da segurança na estrada” para um ciclista, destaca a Autoridade Nacional para a Segurança Rodoviária, é “ver e ser visto”. Com isto, pretendese salientar a importância de prever o comportamento dos outros e ainda de fazer com que os outros possam prever o seu. Para tal, é necessário sinalizar

Virar à direita 1

Virar à direita 2

todas as manobras e mudanças de direção (ver caixa). Aumentar a distância de segurança e ocupar o lado direito da via de trânsito são alguns dos exemplos. Para “ser visto”, relembra a ANSR, o ciclista deve usar refletores à frente (brancos), atrás (vermelhos) e nas rodas (brancos ou laranja). De noite ou em condições de visibilidade reduzida (como nevoeiro), é obrigatória a utilização de luzes branca e vermelha (à frente e atrás, respetivamente). Se houver uma avaria nas luzes, o código dita que o ciclista deve transportar a sua bicicleta à mão.

parar


STUDYABROADPORTUGAL

STUDY ABROAD PORTUGAL FEIRA DE OPORTUNIDADES A Study Abroad Portugal, a maior feira de informação para estudar no estrangeiro, regressa em Março. Atenção Lisboa, no dia 4 os olhos nacionais vão abrir-se para o estrangeiro. O mesmo acontece a 5 no Porto e a 7 no Funchal. A Study Abroad Portugal conta com uma lista de instituições parceiras que oferecem vários programas de complemento à educação formal, com a mais valia da experiência intercultural. A Feira tem programas para estudantes do ensino secundário, a licenciaturas, pós-graduações, mestrados, MBA’s, estágios profissionais ou cursos de línguas. A Study Abroad é abragente e oferece informações sobre as oportunidades para cada objetivo pessoal e profissional. O evento é gratuito e aberto a todo o público interessado, bastando apenas fazer uma inscrição no site ou presencialmente, no próprio dia. Brevemente será confirmado o local de Lisboa. A Study Abroad no Porto vai ocupar, durante um dia, o Crowne Plaza. No Funchal, a feira será realizada em duas escolas secundárias, na escolas secundárias Jaime Moniz e Francisco Franco. Para mais informações consultar o site: www.studyabroadportugal.pt.

SOBRE A STUDY ABROAD PORTUGAL:

A Study Abroad Portugal é uma feira de oportunidades para estudantes e profissionais. Permite, a todos, terem acesso a informações para estudar fora de Portugal. Desde jovens estudantes à procura de formação no estrangeiro, profissionais à procura de desenvolver skills ou que pretendem alavancar a sua carreira profissional e pessoal.

PARA MAIS INFORMAÇÕES CONTACTE:

info@studyabroadportugal.pt +351 916 552 132


22 | Forum Estudante | Fev’17

/Prevenção Rodoviária

ANO NOVO, NOVAS REGRAS Estão a ser preparadas algumas novidades para a carta de condução, em 2017. Mudanças relacionam-se com o prazo e forma de renovação, bem como a formação para exame. As alterações são incluídas no projeto “Carta Sobre Rodas”, iniciativa integrada no processo de simplificação dos processos administrativos e burocráticos. Nesse sentido, a principal alteração prende-se com o fato da morada ser retirada das cartas de condução. Desta forma, deixa de ser necessário renovar a carta, cada vez que se muda de casa. A morada fica na base de dados do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) e é atualizada automaticamente, depois da alteração no Cartão de Cidadão. Ainda no âmbito das renovações, esta poderá passar a ser feita

através da internet. O mesmo se aplica ao pedido de segundas vias (substituições). Os processos efetuam-se através do envio das digitalizações de todos os documentos necessários para o site do IMT. De resto, com o objetivo de tornar este o meio preferencial dos portugueses, o IMT oferece mesmo um desconto de 10% (3 euros) a quem utilizar o serviço online.

Primeiros socorros para primeiros condutores No final do ano passado, o jornal Público noticiou outra inovação – esta

relacionada com as aulas para tirar a carta de condução: a integração de aulas de primeiros socorros. Integrada no Plano Estratégico Nacional de Segurança (PENSE2020), da autoria da Autoridade Nacional para a Segurança Rodoviária, a medida é uma das 106 alterações propostas. Outras das alterações em estudo passam pela colocação nos automóveis de um sistema que emite um alerta automático em caso de acidente, pela obrigatoriedade do uso do capacete para ciclistas e ainda a possibilidade de permitir a análise de telemóveis para apurar a sua última utilização.


24 | Forum Estudante | Fev’17

/ACP publirreportagem

PRÉMIO INOVAÇÃO SEGURANÇA RODOVIÁRIA

UMA DISTINÇÃO COM FUTURO! Distinguir as ideias mais inovadoras na área da segurança rodoviária, fazê-las avançar para a fase de teste em protótipo e, depois, promovê-las junto de empresas e entidades para que as apliquem na via pública são as três etapas que compõem o objetivo do Prémio Inovação em Segurança Rodoviária, criado pelo Automóvel Club de Portugal e a BP, em parceria com a Agência Nacional de Inovação (ANI) e o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP). “Estes prémios são muito importantes e beneficiam a segurança rodoviária, ao mesmo tempo que estimulam

a investigação e a inovação universitárias, podendo até trazer vantagens ambientais”, referiu o presidente do ACP no momento da entrega do prémio vencedor e das duas bolsas de mérito da 1ª edição do prémio. Na cerimónia, Carlos Barbosa garantiu que “este prémio não se resume à entrega de um cheque, pois o clube vai também encaminhar os projetos para a Federação Internacional do Automóvel (FIA), o maior promotor mundial da segurança rodoviária, que possui uma vasta rede de parceiros multinacionais, dandolhes assim enorme visibilidade e viabilidade”. Barbosa adiantou ainda que a edição de 2017 irá ter muitas surpresas. Já o responsável pela Segurança da BP Portugal, Luís Costa e Silva, destacou “a lacuna que este prémio veio preencher em termos de segurança rodoviária, constituindo o

principal estímulo para os jovens nas universidades abordarem esta área”. Para Costa e Silva, “com este prémio torna-se mais fácil chegar ao mercado de trabalho”. Já Paulo Sá e Cunha, da Agência Nacional de Inovação, destacou que “em Portugal faz-se muita investigação e pouca inovação, o que também acontece com os projetos na área da segurança rodoviária, pelo que este prémio é uma excelente oportunidade de reverter esta situação”. Sá e Cunha exortou os premiados a “irem mais longe do que a fase dos protótipos e provar a sua aplicabilidade no quotidiano das cidades”. Também o representante do CRUP, Jorge Martins, referiu “ser muito importante que este prémio tenha continuidade”, acrescentando que “foi difícil ter de escolher estes três vencedores no meio de tantos projetos bons que foram apresentados”.

Francisco Duarte, vencedor da 1.ª edição do prémio Inovação e Segurança

VENEX é um tapete com 40 metros instalado antes das passadeiras que reduz a velocidade do veículo sem intervenção do condutor, ao mesmo tempo que gera energia elétrica, substituindo com muito mais eficácia e conforto as tradicionais lombas


26 | Forum Estudante | Fev’17

Brisa www.brisa.pt publirreportagem

A BRISA

O Grupo Brisa surgiu com a missão de ser um parceiro para o desenvolvimento de Portugal. Com os avanços na tecnologia e com a evolução das tendências, surgiu uma nova necessidade: promover mobilidade eficiente para as pessoas. Esta é a nova missão da empresa, o que motivou uma mudança de posicionamento, evoluindo a empresa da era das infraestruturas para a era da mobilidade.

45,1M € Investimento anual na rede

-21,92% Taxa de sinistralidade

16

Centros operacionais

A segurança rodoviária foi, desde sempre, definida como prioridade número um para a empresa, em diferentes dimensões. Desde a manutenção das autoestradas e da sinalização até à adoção de novos sistemas inteligentes de prevenção e resposta a acidentes rodoviários, somos o maior investidor privado em segurança rodoviária em Portugal. Este esforço continuado tem dado frutos ao longo dos anos, reforçando o facto de as autoestradas serem a infraestrutura rodoviária mais segura.

Autoestradas são 4x mais seguras A autoestrada é uma infraestrutura cujos recursos estão em conformidade com os mais elevados padrões de qualidade e tecnologia quando se trata de garantir que os utentes/clientes têm as melhores condições de segurança, altos níveis de serviço e uma experiência de condução confortável.

A Brisa tem uma ação direta sobre a segurança rodoviária nas dimensões de projeto e de operação. Assim, a aposta na informação e prevenção é contínua, atuando ao nível da qualidade das infraestruturas e dos sistemas, mas também junto de quem deles beneficia: as pessoas. Contribuindo para uma cultura de mobilidade segura e responsável através de diversos projetos que podes ver nas páginas seguintes.


27 | Forum Estudante | Fev’17

/Brisa www.brisa.pt publirreportagem

CENTRO COORDENAÇÃO OPERACIONAL O Centro de Coordenação Operacional assegura a centralização das operações de socorro, proteção, patrulhamento, assistência e informação aos automobilistas e restantes clientes. Criado em 2004 e situado em Carcavelos, no campus da sede do Grupo Brisa, o Centro de Coordenação Operacional (CCO) opera em conjunto com 16 Centros Operacionais distribuídos pelo país, garantindo uma eficaz gestão do tráfego na rede Brisa. Dotado de equipamentos de telemática

CCTV - Circuito Fechado de TV 500 Câmaras 80% Rede Coberta

Coordenação dos meios de assistência POS | GPS | Rádio | Telefone

inovadores e eficientes, transformase também numa importante fonte de informação para a análise de sustentabilidade do Grupo Brisa. É através dos equipamentos telemáticos que a Brisa recebe a maioria das informações. Este constante fluxo de informação permite

N.º de Assistência

Estações Meteorológicas

Receção e Devolução Assistência | Socorro | Proteção

Controlo Ambiental 35 Estações

prestar um melhor serviço ao cliente e manter as condições de circulação. Além dos equipamentos técnicos, a Brisa dispõe ainda de 71 viaturas que circulam na rede Brisa. A comunicação contínua destas viaturas e o controlo via GPS permite ao CCO efetuar uma distribuição eficaz dos recursos.

Registo de dados de incidências Ativação de Meios Informação de Meios

Redes de telefones de emergência SOS

Gestão de Túneis Ativação de Meios Informação de Meios

1461 postos de SOS Testes Regulares de Operacionalidade

As Responsabilidades do CCO O CCO é responsável por prestar todo o apoio necessário para o desempenho da atividade da Brisa nas suas

infraestruturas rodoviárias. Este apoio é realizado em estreita colaboração com os 16 Centros Operacionais que,

em caso de necessidade, estão também dotados com meios para assumir localmente o controlo das operações.


28 | Forum Estudante | Fev’17

Brisa www.brisa.pt publirreportagem

2017

PROMOVE SEGURANÇA RODOVIÁRIA ENTRE OS JOVENS O programa Brisa Student Drive Camp inclui várias atividades, que procuram proporcionar aos participantes um contacto direto com o mundo da condução e dos automóveis. Esta iniciativa, desenvolvida pela Brisa, em parceria com a Forum Estudante, quer promover o conhecimento das melhores práticas de segurança rodoviária e da condução segura, junto da população do ensino secundário e profissional, através da formação de 50 embaixadores, selecionados entre estudantes de todo o País. Os 50 alunos participantes no Brisa Student Drive Camp frequentam um módulo da Academia Brisa de Condução. Este módulo, no qual são transmitidos os principais conceitos associados à relação homem-máquinainfra-estrutura, culmina com dois simuladores, um de motociclos e outro de automóveis, nos quais os alunos têm a oportunidade de testar, na prática, os seus conhecimentos e reflexos perante situações inesperadas. Os participantes têm também a oportunidade de visitar um Centro de Inspeção Automóvel da Controlauto, para ficarem a conhecer e poderem aprender a valorizar a importância da verificação das condições operacionais dos veículos na perspetiva da segurança rodoviária preventiva. As estatísticas nacionais de segurança rodoviária vêm realçar a importância desta temática junto dos mais jovens. Apesar da sinistralidade rodoviária ter vindo a diminuir entre os mais jovens, cerca de 3 em cada 10 acidentes vitima pessoas com idade inferior a 25 anos. Os acidentes ocorridos ao fim-desemana são responsáveis por 40% das mortes e feridos graves em condutores entre os 18 e os 24 anos. Um terço destes acidentes ocorre entre a meianoite e as oito da manhã. Por outro

lado, metade do total de mortos e feridos graves nesta faixa etária resulta de despistes. “A inexperiência, as características psicológicas e os principais fatores de risco – como a velocidade, o álcool, a utilização do telemóvel, a não utilização do cinto de segurança ou a fadiga – são as principais causas de acidentes que envolvem jovens”, explica Luís Prazeres, responsável pelo projeto Academia Brisa de Condução. “Assim, estes jovens, que estão prestes a tirar a carta de condução, merecem a nossa particular atenção, no sentido da sua sensibilização para a temática da prevenção e segurança rodoviária, assim como de uma condução cívica e ecoeficiente”, acrescenta Luís Prazeres. A Brisa tem, desde sempre, como prioridade a criação de uma cultura de segurança rodoviária em Portugal. Nos últimos 15 anos, aumentou o foco e o trabalho na promoção de cadeias de comunicação sobre segurança rodoviária, para aumentar a eficácia das ações que

altos da programação da iniciativa Porto Capital Jovem da Segurança Rodoviária e é uma parceria da Brisa com a Forum Estudante, com as Câmaras Municipais do Porto, de Gaia, de Matosinhos, da Maia e da Póvoa de Varzim, o Instituto Politécnico do Porto e a Universidade do Porto, a Universidade Católica do Porto e a Universidade Portucalense, a BP Portugal e o Automóvel Club de Portugal.

desenvolve nesta matéria. O Brisa Student Drive Camp 2017 será um dos pontos

ente

lm Tota

IS l T Á GR 3 abri 9 a 1 017 2

Inscreve-te já para a edição de 2017 em www.studentdrivecamp.forum.pt


29 | Forum Estudante | Fev’17

/Brisa www.brisa.pt publirreportagem

Programa Educativo Brisa nas Escolas Hoje passageiros, amanhã condutores

condução mais segura, ética, ecológica e económica, criando uma cultura de condução, transversal à atividade profissional e vida privada, de acordo com os novos paradigmas de mobilidade rodoviária. A Brisa concretiza assim o desafio, que integra na sua missão, de proporcionar ferramentas, de melhoria comportamental, com impactos positivos na segurança rodoviária.

Campanhas de Segurança Rodoviária 2016 A criação do programa Primeiro a Segurança, desenvolvido em 2005, foi outro exemplo do envolvimento da Brisa com o público mais jovem. Destinado a alunos do 1º Ciclo do ensino básico, esta iniciativa tem contribuído para a criação de uma cultura de segurança rodoviária em Portugal e servir as comunidades locais com as quais a Brisa se relaciona. O objetivo é contribuir para a formação e educação deste público, através de ações que permitam o contacto e a experiência das crianças com os principais temas relacionados. Em 2013, o programa foi objeto de uma profunda revisão, com o desenvolvimento de novos conteúdos, novos materiais e ainda com o alargamento do seu âmbito ao tema do Ambiente e Biodiversidade. Esta nova vertente justificou a mudança da designação do programa para Programa Educativo “Brisa nas Escolas”. No fecho do ano letivo 2015/2016, o programa contou com a participação de 115 escolas, 15.156 alunos e 791 professores, dando assim continuidade ao compromisso assumido pela empresa. Para mais informações consulta o website do projeto em www.brisanasescolas.pt

Academia de Condução Mobilidade sustentável

Academia Brisa de Condução O projeto ABC de condução, iniciouse em 2011, com ações de formação orientadas para a melhoria da atitude e comportamento dos condutores, dotando-os de ferramentas (teóricas e práticas), para que realizem uma

Aula de Impacto A Aula de Impacto foi uma campanha de comunicação e de sensibilização dirigida aos jovens condutores com o objetivo de aumentar a sua consciência para a condução segura. O projeto foi o produto de uma parceria com a Leo Burnett, a Associação Salvador, a Escola de Condução Infante do Restelo e a Escola de Condução Tita. A campanha estreou, no dia 21 de

Março de 2016, nas redes sociais e em outros meios digitais, e contou com 5 vídeos online a documentar a primeira aula prática de jovens que estão a tirar a carta de condução. Porém, mais do que uma aula de condução, estes jovens foram surpreendidos com uma lição de vida. Com a participação especial de quatro sobreviventes de acidentes rodoviários, os alunos tiveram uma aula diferente e marcante, confrontando-se com os efeitos reais de uma condução de risco. Esta estratégia de prevenção, tem como foco principal a criação de uma cadeia de comunicação com os futuros condutores, por uma cultura de segurança rodoviária, mais

conhecedora e mais responsável. A campanha foi uma das mais virais do ano, tendo no espaço de uma semana atingido 1.6 milhões de visualizações, um alcance de mais de 3.7 milhões, 46 mil partilhas e superado os 20 mil likes.

Campanha de Natal Conduz com cuidado e avisa quando chegares A campanha de natal de 2016, “Conduz com cuidado e avisa quando chegares”, que adoptou o hashtag #avisaquandochegares teve como ponto de partida explorar os valores emocionais da quadra natalícia para lançar uma cadeia de comunicação nacional favorável à adoção de uma condução prudente e segura. A ideia central é a de que o importante numa viagem é chegar bem, para a alegria e felicidade dos que nos são mais queridos. A campanha contou com a participação de famílias verdadeiras, onde pais e mães falam sobre a preocupação de ter os filhos em viagem e de nunca avisarem quando chegam bem, e os filhos sobre a preocupação e os vários pedidos dos pais. A ação conta com 3 filmes, cada um com um tema específico: pais que não querem presentes, filhos que não percebem de tecnologia e coisas que as mães dizem, mas sempre com uma mensagem comum: todos nos preocupamos com a segurança de quem nos é querido. A Brisa renova e reforça, deste modo, o seu compromisso com a segurança rodoviária e com a promoção de uma cultura de segurança rodoviária que contribua para salvar vidas.


30 | Forum Estudante | Fev’17

/Brisa SDC

O QUE É A INSPEÇÃO AUTOMÓVEL? Provavelmente, soa-te a frase vinda do mundo dos adultos: “tenho de levar o carro à inspeção”. Contudo, assim que tires a carta e conduzas uma viatura, é tua responsabilidade assegurar que ela se encontra em condições para circular. Na Academia Forum, Brisa Student Drive Camp, vais poder visitar um Centro de Inspeções da Controlauto e ficar a saber tudo sobre este mundo. Para já, explicamos-te o essencial.

Na sua página, a Controlauto – grupo empresarial dedicado à exploração do controlo técnico automóvel – explica a razão pela qual a inspeção é um momento fundamental da segurança rodoviária. “A inspeção periódica obrigatória”, explicam, “visa confirmar com regularidade a manutenção das boas condições de funcionamento e de segurança dos veículos”. Por essa razão, periodicamente, todos os condutores levam as suas viaturas à inspeção automóvel, certificando que esta se encontra em condições para circular. No caso dos automóveis ligeiros de passageiros, por exemplo, a primeira inspeção faz-se “quatro anos após a primeira matrícula e, em seguida, de 2 em 2 anos, até perfazerem oito anos, e, depois, anualmente”, explica o Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), no seu site. Se for aprovada, a viatura recebe a validação na sua ficha de inspeção.

powered by

2017

apoios

Brisa Student Drive Camp é uma iniciativa inserida em EDUCAÇÃO


31 | Forum Estudante | Fev’17

/Brisa SDC

Anteriormente, era colocada uma pequena vinheta destacável no canto inferior do para-brisas. Contudo, desde 2012, essa prática deixou de ser obrigatória. E o que é, afinal, inspecionado? Para além das especificações gerais (documentos válidos, existência de chapas de matrícula, número do quadro, etc...), os técnicos de inspeção verificam o bom funcionamento dos sistemas de iluminação e visibilidade, suspensão, travagem, alinhamento de direção e emissão de gases. O condutor deve ainda possuir todos os equipamentos obrigatórios: triângulo de pré-sinalização e colete

retrorrefletor são os exemplos mais óbvios, sendo que é verificada a existência, o modelo e o estado de conservação. Para determinados veículos é ainda obrigatória a existência de equipamentos como extintor, tacógrafo ou caixa de primeiros socorros. E os “chumbos”? Uma vez que é a segurança na estrada que está em jogo, a inspeção automóvel é um momento de avaliação bastante detalhada do automóvel. Como tal, a taxa de reprovação pode ser considerada significativa. Em 2008, noticia o Expresso, fixava-se nos 20%, por exemplo.

O artigo dá ainda conta de uma diminuição gradual do número de chumbo o que, para o Presidente da Associação Nacional de Centros de Inspeção Automóvel, Fernando Teixeira, se relaciona com o próprio momento de inspeção. “A necessidade de ir à inspeção obriga as pessoas a ter o carro o mais atualizado possível”, explicou. A reprovação acontece cada vez que se registem um ou mais defeitos graves ou muito graves ou cinco defeitos leves. As irregularidades leves são as que “não afetam gravemente as condições de utilização do veículo”, explica a Controlauto. Já os defeitos graves estão ligados à falhas de segurança ou utilização ou ainda que ponham em causa a identificação do veículo. Por fim, os defeitos muito graves implicam a imobilização imediata do veículo ou a sua deslocação apenas até ao local de reparação. Ainda quanto aos defeitos leves, como não são impeditivos de circulação, podem ser registados na ficha de inspeção do veículo. Contudo, se na próxima inspeção estes não estiverem resolvidos, a reprovação é automática. E quando? A inspeção é marcada pelo condutor num centro de inspeção à sua escolha. Chegado ao centro, deve trazer consigo o Livrete e Título de Registo de Propriedade ou Documento Único Automóvel, para além da ficha da última inspeção (excetuando os casos em que se trata da primeira inspeção). A avaliação ao veículo é efetuada por um inspetor licenciado e dura cerca de 20 a 30 minutos (veículos ligeiros) e 30 a 40 minutos (nos veículos pesados). Durante o processo de inspeção é necessária a colaboração do condutor (conduzindo a viatura e cumprindo alguns pedidos dos técnicos). Por isso, este terá de acompanhar toda a avaliação.

BRISA STUDENT DRIVE CAMP

TODO O MUNDO AUTOMÓVEL EM CINCO DIAS São cinco dias (entre 9 e 13 de abril) em alta rotação, para que saibas tudo sobre automobilismo e segurança rodoviária. De experiências em estrada (primeira aula de condução), à pista

(corrida de karts), passando pelos simuladores de condução, no Brisa Student Drive Camp poderás retirar conhecimentos que podem fazer a diferença no teu futuro enquanto condutor.

Organizada em parceria com a Brisa, esta academia é totalmente gratuita – com alojamento e alimentação incluídos. Só precisas mesmo de te inscrever em studentdrivecamp.forum.pt


32 | Forum Estudante | Fev’17

/BP publirreportagem

BP PORTUGAL

PREVENÇÃO EM VÁRIAS FRENTES

São mais de 23 milhões de quilómetros sem acidentes rodoviários graves e quase 2 milhões de horas sem acidentes de trabalho. Resultados apresentados inserem-se na política “Zero Acidentes”, realça o presidente da BP Portugal, Pedro Oliveira. A cultura de “Zero Acidentes”, garante a BP, é vivida “na atividade diária da empresa e em todos os projetos em que está envolvida”. O objetivo passa por “garantir as seguranças das suas pessoas, dos seus processos e das comunidades onde marca presença”. De resto, a BP Portugal é considerada um exemplo nesta matéria dentro do Grupo BP. “O Grupo BP tem como aspiração no mundo operar com Zero Acidentes. Em Portugal, orgulhamonos muitíssimo do facto de já termos transformado essa aspiração numa realidade”, salienta o presidente da BP Portugal, Pedro Oliveira. A cultura de segurança, esclarece, não se resume às apostas na prevenção ou gestão do risco. Passa também pela promoção e apoio a projetos na área da educação e formação em segurança

rodoviária. Pedro Oliveira destaca mesmo a prestação da empresa ao nível de segurança rodoviária e as iniciativas dinamizadas para promover a educação nesta área.

Os projetos BP Para além de apoiar o projeto Etapa Segura – uma campanha de educação para a segurança rodoviária para as crianças do 1.º ciclo de escolaridade – a BP criou o BP Segurança ao Segundo. Este programa de prevenção rodoviária procura promover uma cultura de segurança e prevenção juntos dos jovens futuros condutores, tendo em conta que o risco de morte em acidente de viação, para um jovem entre os 18 e os 24 anos, é 30%

superior ao da restante população. Desenvolvido em parceria com a Forum Estudante, o Automóvel Club de Portugal e a Associação Salvador, este projeto tem a sua edição de 2017 já a decorrer e contou com a participação, desde a sua criação em 2012, de quase 11 mil alunos e 400 escolas secundárias de todo o país. Além da segurança, a prevenção não é esquecida. A 17 de novembro, em Portimão, a BP avaliou a capacidade de resposta e de implementação de medidas de autoproteção do Posto de Abastecimento da Raminha – o FUELEX 2016. O exercício terminou com “nota positiva de todos os envolvidos”, revela a BP. Também em novembro, nos dias 10 e 11, a BP promoveu um conjunto de iniciativas na área de segurança no Lagoas Park, em Oeiras. Estas ações eram abertas aos trabalhadores de todas as empresas que ali desenvolvem a sua atividade. Foram abordados temas como a Carta de Condução por pontos, “dicas” para a segurança infantil e ainda um simulador de capotamento. Por fim, 2016 foi ainda o ano em que surgiu o Prémio de Inovação Segurança Rodoviária 2016, criado pela BP com a colaboração da Agência Nacional de Inovação e o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas. Nesta primeira edição, a vitória sorriu a um aluno da Universidade de Coimbra (FCTUC). Podes ficar a saber tudo sobre esta iniciativa e o projeto vencedor na próxima página.


33 | Forum Estudante | Fev’17

/BP publirreportagem

REDUZIR MELHOR A VELOCIDADE O vencedor da primeira edição do Prémio Inovação em Segurança Rodoviária, Francisco Duarte, foi distinguido pelo seu trabalho de doutoramento em sistemas de transportes – o projeto Venex. O sistema assume-se como alternativa às tradicionais “lombas” que se encontram antes das passadeiras.

O prémio de 10 mil euros foi entregue a Francisco Duarte pela organização deste concurso – iniciativa do Automóvel Club de Portugal e da BP Portugal, com a parceria do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas e da Agência Nacional de Inovação. O sistema apresentado por Francisco Duarte permite substituir as tradicionais lombas usadas como dissuasoras de velocidades antes das passadeiras por um “tapete” de 40 metros que obriga o veículo a abrandar a velocidade. Esta nova alternativa, explica a organização, em comunicado, “tem como mais-valias o conforto, a ausência de ruído e ainda a geração de energia elétrica que poderá fornecer semáforos e luzes”. Para além do prémio monetário, o aluno da Universidade de Coimbra conquistou ainda a oportunidade de divulgar o seu projeto junto de entidades e empresas nacionais e internacionais de excelência na área da prevenção e segurança rodoviária. Essa foi uma das ideias sublinhadas pelo presidente do ACP, Carlos Barbosa, durante a cerimónia de

entrega dos prémios. Para Carlos Barbosa, “é uma satisfação enorme podermos contribuir para alavancar o que de melhor se faz nas universidades em prol da segurança rodoviária e que, muitas vezes, por falta de oportunidade, cai no esquecimento.” Na mesma cerimónia, o responsável

“à semelhança do que se passa na BP, também em Portugal se possa acreditar em Zero Acidentes na estrada” Luis Costa Silva

pela área da segurança da BP Portugal, Luís Costa Silva, sublinhou a importância de promover a investigação e a inovação de projetos e soluções na área da segurança rodoviária no País para que, “à semelhança do que se passa na BP, também em Portugal se possa acreditar em Zero Acidentes na estrada”. Esta primeira edição do Prémio Inovação Segurança Rodoviária distinguiu ainda uma equipa de alunos de Mestrado, também da Universidade de Coimbra, e uma aluna de Mestrado da Universidade da Beira Interior, com duas bolsas de mérito no valor de 500 euros. A equipa de alunos de mestrado é responsável pela criação de um dispositivo wearable que permite aos ciclistas indicar com antecedência a sua intenção de virar e travar. Já a aluna de Mestrado, Inês Seco, foi distinguida pelo desenvolvimento de um dispositivo portátil não invasivo para monotorização contínua da concentração de álcool no sangue que faz a leitura através de uma amostra de suor.


34 | Forum Estudante | Fev’17

/BP Segurança ao Segundo www.bpsegurancaaosegundo.pt

Vai uma voltinha? Ficar de cabeça para baixo dentro do automóvel não é uma experiência agradável, mas nós ensinamos-te como sair em segurança, caso (e esperamos que não) isso alguma vez te aconteça.

2017

ON THE ROAD O roadshow BP Segurança ao Segundo 2017, já roda pelo país. Entre 17 e 19 de janeiro, as secundárias Alberto Sampaio, em Braga, Filipa de Vilhena, no Porto e Almeida Garrett, em Vila Nova de Gaia, foram as três primeiras paragens do BPSS. A cada escola, o BP Segurança ao Segundo leva um workshop sobre sinistralidade rodoviária entre os jovens, sensibilizando para os cinco maiores fatores de risco associados a esta causa e contando para tal com os testemunhos do piloto Miguel Barbosa e de Cristiano Magalhães, representante da Associação Salvador. Durante a presença do roadshow BPSS na escola, todos os alunos podem também experimentar um simulador de capotamento, de condução de motociclo ou de condução sob efeito de álcool. Parte importante deste roadshow é dar a conhecer o

Parceiros

Desafio BP Segurança ao Segundo, uma competição criativa destinada a equipas de alunos entre o 9º e o 12º ano e ensino profissional, cuja primeira fase termina a 10 de março e consiste na submissão através do site www.bpsegurancaaosegundo.pt de um cartaz sobre prevenção e segurança rodoviária e centrada nos 5 fatores de risco (Ver caixa). O BPSS estará em Coimbra no dia 1 de fevereiro na E.S. Avelar Brotero e dia 2 em Lisboa, na Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho, terminando em Aveiro, no dia 15 de fevereiro, na Secundária Homem Cristo.

Apoio Institucional

Apoio


35 | Forum Estudante | Fev’17

/BP Segurança ao Segundo Na Secundária Almeida Garrett, Maria Elisa Oliveira, vereadora da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, deu o seu apoio ao BPSS, iniciativa inserida na Capital Jovem da Segurança Rodoviária, na qual Gaia é um dos promotores

Em Braga, a Vereadora da Juventude e do Desporto, Sameiro Araújo, referiu a importância da iniciativa, que já teve a sua final naquela cidade, em 2014

O piloto Miguel Barbosa e Cristiano Magalhães (à direita) da Associação Salvador, são dois dos embaixadores BPSS e estiveram no roadshow a partilhar as suas experiências.

Já não havia mais espaço no átrio da Almeida Garrett para todos os que queriam experimentar os simuladores.

Como participar? Para concorrer, na 1ª fase (até 10 de março), cada equipa deverá criar um cartaz, original, que transmita uma mensagem, explícita ou implícita, sobre prevenção e segurança rodoviária, subordinada a um dos temas chave – 5 principais fatores de risco de acidentes rodoviários no nosso País: › Condução sob o efeito de álcool ou drogas; › Velocidade excessiva; › Uso de telemóvel durante a condução; › Não utilização de cinto de segurança; › Condução em situação de fadiga ou cansaço Apurados os semifinalistas, estes serão desafiados a criar um storyboard para um spot vídeo, com o apoio da equipa do BP Segurança ao Segundo e subordinado, também, a um dos 5 temas referidos. As 5 equipas finalistas apuradas, disputarão a Final Nacional do Desafio “BP Segurança ao Segundo”, que terá lugar no Porto, integrada no evento “Capital Jovem da Segurança Rodoviária” em 4 e 5 de maio de 2017.

Prémios! O BPSS é um concurso e como tal, tem prémios. Para as 5 equipas finalistas, juntámos uma mão cheia de prémios bem apetecíveis. Queres saber? Aqui vai. Como costumamos dizer no roadshow, começas por ganhar Experiência e Juizinho J. Também muito importante, todas as equipas terão o seu spot a passar na RTP, que é parceira do projeto (Ver caixa). Mas há mais! Todos os elementos da equipa vencedora recebem um passe de três dias para um festival de verão enquanto os elementos da equipa classificada em 2º lugar receberão um bilhete de 1 dia para o mesmo festival. Sabemos que gostavas de saber qual, mas só vamos dizer durante a segunda fase do BPSS. Para todos os outros elementos das equipas que ficarem em 3º, 4º e 5º lugares, reservámos tablets e auscultadores. E não são só os alunos que ganham. Como cada equipa tem que ter um professor coordenador, também eles ganharão vales de combustível BP, para que possam circular de borla!

RTP em direto, a entrevistar Miguel Barbosa

A RTP apoia o BPSS Desde a edição passada que a RTP é um importante parceiro desta iniciativa, disponibilizando tempo de emissão para passar os spots finalistas na televisão. Estes spots servirão como campanha de sensibilização rodoviária e serão emitidos entre junho e outubro. O programa Portugal em Direto esteve a acompanhar o roadshow no Porto e passou a reportagem no dia 18, que pode ver em RTP Play.

O simulador de mota é seguro e não é preciso usar o capacete, mas já que estava ali à mão… O simulador de condução sob o efeito de álcool, parece mais fácil do que é na realidade.


,

,I_ _ _ _ _ _ _ _

_

• Até 100‹ por mês. Não inclui bebidas alcoólicas. • • Na l ' compra no valor de 20‹.

1 1


38 | Forum Estudante | Fev’17

/Fama

“AS MENTALIDADES E OS JOVENS ESTÃO A MUDAR” Depois de uma carreira recheada de títulos nacionais nas modalidades de todo o terreno (sete) e velocidade (dois), Miguel Barbosa cumpriu, em 2016, uma nova aposta: o Campeonato Nacional de Ralis. O piloto explicou à Forum qual a estratégia para o futuro e garantiu ainda que sente nos jovens portugueses uma maior preocupação com os perigos existentes na estrada. Completaste, no final do ano passado, a tua primeira participação no Campeonato Nacional de Ralis, alcançando um terceiro lugar absoluto. Qual o balanço que fazes dessa experiência? O balanço é muito positivo. Foi a nossa primeira época de ralis, onde enfrentámos um plantel que, além de numeroso, tinha muita qualidade – com vários campeões nacionais e mais de 12 carros capazes de discutir a vitória. Foi um ano bastante duro, em termos de competição. Mas isso foi bom porque obrigou-nos a uma maior exigência. Terminámos com um terceiro lugar na geral – o que superou as nossas expectativas – mas queremos mais. Quando começámos este projeto, sabíamos que, para alcançar os resultados pretendidos, este é um projeto a três anos. Acho que foi uma aposta ganha a todos os níveis. Sentimos uma grande paixão da parte dos portugueses e dos nossos fãs pela nossa entrada no mundo dos ralis. Isso mostra que foi a aposta certa e vamos mantê-la.

Referiste que este é um projeto a três anos. Qual era o objetivo para este primeiro ano? O objetivo era fazer quilómetros – o que é fundamental nesta aprendizagem. Procurámos não comprometer essa aprendizagem com acidentes. Isso implicaria não fazer a prova e não conhecer os troços. Agora estamos num

outro patamar, mas a linha tem de continuar a ser esta. Este ano, vamos dedicar-nos aos ralis a tempo inteiro. Queremos fazer, nos ralis,

o mesmo percurso que fizemos no todo o terreno [conquista de sete campeonatos nacionais]. Para isso temos de estar 100% focados na modalidade. É isso que vai acontecer em 2017.

A tua aposta, nos últimos anos, passou sobretudo pelo todo o terreno e a velocidade – quais são as principais diferenças para o mundo dos ralis? Muitas (risos). É um carro completamente diferente com um peso completamente diferente. Também tem tração às quatro, como estava habituado, mas fazemos troços quer em terra, quer em asfalto. A grande diferença está sobretudo no figurino das provas. Ou seja, enquanto no todo o terreno temos provas muito longas em que guiamos no desconhecido – é essa a arte do todo o terreno, “guiar ao improviso” – nos ralis, não. Passamos pelos troços antes, tiramos notas, curva a curva, metro a metro. Uma coisa é passar em velocidade de treino, a tirar notas, outra coisa é passar em velocidade de corrida. Temos de ter em conta que a nossa concorrência já conhece os troços de cor e salteado, em ritmo de corrida. Está aí um dos nossos maiores handicaps e é nisso que temos trabalhado.

Tanto no campeonato nacional de todo o terreno como no nacional de ralis, contas com a colaboração do Miguel Ramalho, enquanto


39 | Forum Estudante | Fev’17

/Fama

copiloto. Podes explicar-nos um pouco melhor o seu papel e como se processa a vossa ligação?

nos apercebermos dos perigos que existem na estrada. Mesmo para esta entrevista, vim de mota, e foi preciso ter atenção redobrada. Se não circular com atenção, é fácil ser apanhado num acidente. Ao longo dos anos, vamos ganhando essa experiência. As corridas sempre me deram bastante à-vontade com as máquinas. Perceber o que o carro é capaz de fazer, o tempo que demora a travar, são coisas que as pessoas, por vezes, não têm noção. Até se pode circular a uma velocidade reduzida, mas apenas 10 km/h a mais ou a menos fazem a diferença de conseguir parar numa passadeira ou não. Mas houve coisas que só aprendi com o passar da idade

corridas. Na estrada, nada disso acontece. Sobretudo, é impossível, nas estradas, seja em que país for, ter as condições que existem numa pista. Temos que saber que, na estrada, não vamos contar com todo o apoio que temos nas corridas e, por isso, é impossível ter o mesmo comportamento.

depois tem de haver uma confiança muito grande, algo que só se adquire ao longo de alguns anos. Já estamos junto há bastante tempo – costumo dizer que isto é quase como se fosse um casamento (risos) – e já nos percebemos quase sem falar, hoje em dia.

e com a experiência do dia a dia enquanto condutor. Fui ganhando essa perceção de que é preciso ter bastante respeito e cuidado na estrada.

A tua ligação com o mundo automóvel começou muito cedo. Consegues precisar o momento em que te apercebeste do respeito que é necessário ter pela estrada e pela condução?

São muitas (risos). Em competição, o objetivo é ganhar, ser o mais rápido. Não temos de nos preocupar com os outros. Estamos perfeitamente seguros, vestidos a rigor, com carros especiais protegidos para o efeito. Sabemos que temos médicos, helicópteros, ambulâncias… Sentimo-nos perfeitamente seguros e sabemos que apenas temos de fazer o nosso trabalho: andar o mais rápido possível e ganhar as

Segundo. Temos de tentar chegar aos futuros condutores. A BP, juntamente com os parceiros deste projeto, encontrou uma forma inovadora, onde os futuros condutores estão a trabalhar nestes assuntos sem se darem conta, assimilando estes princípios de forma descontraída. Mas tenho a certeza de uma coisa: trabalhos como este têm funcionado. Eu próprio, quando entro no carro, se por algum motivo me esqueço do cinto, são os meus filhos – que têm entre 4 a 6 anos – a relembrar-me que preciso de o colocar. Penso que isso demonstra que as mentalidades e os jovens estão a mudar. Mas ainda há um longo caminho. Há muitos acidentes, muitas mortes e este é um trabalho que nunca tem fim.

O Miguel é uma peça fundamental nos projetos de todo o terreno e ralis. É um copiloto que dispensa apresentações. Já foi campeão do Mundo e várias vezes campeão nacional e tem muita experiência. É um excelente profissional mas, acima de tudo, é alguém com que tenho uma relação muito boa. Começou por ser uma relação profissional mas, hoje em dia, é primeiro uma relação de amizade. O copiloto tem de ser alguém com quem exista uma empatia muito grande porque são muitas horas dentro do carro, onde se vivem maus e bons momentos. E

Desde miúdo que ando muito de mota e essa é uma boa forma de se perceber os perigos que há na estrada. Obviamente, quando somos miúdos – e esse é o perigo – tudo parece um mundo de rosas. Não

Quais são as principais diferenças entre conduzir em competição ou na estrada?

Sentes que, ao longo da tua carreira, tens conseguido passar esse conhecimento específico aos jovens? É difícil, obviamente. Os jovens não têm noção dos perigos que existem. Por isso, é que estes temas têm de ser tratados de forma diferente, como são no BP Segurança ao

Fotos ©Jorge Cunha/AIFA


40 | Forum Estudante | Fev’17

/Sports Week www.sportsweek.forum.pt

100%

SAUDÁVEL

Rio Maior vai acolher 50 estudantes do ensino secundário e profissional de todo o país para mostrarem as suas capacidades e conhecerem o que a cidade e a ESDRM tem para oferecer. A Sports Week, tal como nome indica, é ideal para quem gosta de desporto, e de um estilo de vida saudável, sendo que podes, através da experiência acumulada durante estes dias, ficar com uma ideia mais clara do que é viver ativamente em ligação próxima

com a realidade desportiva. E o melhor desta semana? Não pagas nada! O Que é? Uma semana dinâmica, interativa e pedagógica na qual poderás desenvolver as tuas capacidades

powered by

físicas, competitivas e de equipa. O programa desenvolve-se tanto indoor como outdoor e podemos dizerte como foi em 2016. Em pavilhão podemos fazer uma aula dedicada ao fitness com salto à corda, trampolim, praticar cycling, entre

apoios


41 | Forum Estudante | Fev’17

/Sports Week

QUANDO?

3 a 8 de Julho de 2017

ONDE? Rio Maior

PARA QUEM?

Estudantes do ensino secundário ou ensino profissional

COMO PARTICIPAR?

Para participar, apenas necessitas de preencher a ficha de inscrição em www. sportsweek.forum.pt e esperar pelo nosso contacto. O prazo termina a 10 de junho. Não percas esta oportunidade! Esta Academia é uma iniciativa organizada pela Forum Estudante e pela Escola Superior de Desporto de Rio Maior do Instituto Politécnico de Santarém, com o apoio da Câmara Municipal de Rio Maior entre outros parceiros importantes desta semana dedicada ao desporto e ao estilo de vida saudável.

outros. Aprender algumas técnicas de Karaté ou subir uma parede de escalada foram mais duas atividades com muito sucesso. A Investigação no Desporto, é imprescindível nesta semana e aí podese interagir com vários instrumentos de medição de massa gorda, massa magra, percentagem de água no corpo humano, entre outras características. Em paralelo houve oportunidade de aprender reanimação e técnicas de Suporte Básico de Vida. “À conversa com um Desportista” é uma das ocupações noturnas da Sports Week e se no ano passado a atleta

Susana Feitor esteve connosco, para este ano vais ter de esperar para saber quem será. E porque uma vida saudável não é só desporto, Ricardo Rosa, aluno de Nutrição Humana e Qualidade Alimentar na Escola Superior Agrária de Santarém, proporcionou uma sessão dedicada à alimentação equilibrada, onde os presentes aprenderam a fazer barritas energéticas caseiras e naturais. Estavam uma delícia! Foram também muitas as atividades outdoor na SportsWeek. Entre elas foi possível praticar paintball, slide e alguns jogos em equipa.

Entre as várias atividades de contacto com natureza foi possível fazer um passeio de BTT, escalada e rapel em parede natural e um workshop de fabrico de mel. Uma das aventuras planeadas foi a visita à gruta de Alcobertas, que segundo Tiago Laurentino, da Cooperativa Terra Chã e antigo aluno da ESDRM, tem “210 metros de comprimento”, sendo que as galerias chegam a atingir os “9 metros de altura”. Num registo mais descontraído, foi possível visitar as Salinas de Rio Maior e passar uma tarde na piscina.


42 | Forum Estudante | Fev’17

/IPStartupWeek www.ipstartup.forum.pt

IPSTARTUP O SÍTIO ONDE AS IDEIAS VÃO CRESCER A incubadora de ideias de negócio do Politécnico de Setúbal assinala, este mês, dois anos de atividade. A sua missão é “assegurar a promoção e acompanhamento dos empreendedores oriundos da comunidade IPS”. Sabe mais sobre esta estrutura que terás a oportunidade de conhecer durante a academia IPStartupWeek. Para se crescer, é necessário espaço. Mas não só. Para além de espaço físico, um projeto empreendedor tem muito a ganhar se for inserido num meio que junta conhecimentos úteis e especializados, bem como o acesso a uma rede de clientes e parceiros. O objetivo é prestar um apoio numa primeira fase, permitindo que, numa etapa posterior, o negócio se fixe

em “estruturas mais próximas do mercado”. Essencialmente, um grupo de empreendedores que se fixe na IPStartupWeek terá acesso a três tipos de meios, relembra o IPS: “físicos (edifício e equipamentos), humanos (rede especializada de recursos humanos do IPS) e ligação a entidades externas (parceiros)”. Especificamente, a incubadora de ideias

powered by

de negócio presta alguns serviços: do apoio e orientação na criação do plano de negócios, passando pela formação, consultoria especializada, acesso a laboratórios, entre outros. Podem candidatar-se a este apoio os projetos de final de curso nas escolas do IPS, que resultem de investigação científica ou tenham sido apresentados no concurso Poliempreende.

apoio


43 | Forum Estudante | Fev’17

/IPStartupWeek

Fica a co n alguns d hecer melhor o pela IPSt s projetos incuba artup. dos

Os projetos da IPStartup

Envia A plataforma Envia é focada na gestão de correio expresso de encomendas, com o objetivo de “reduzir custos e encurtar prazos”. A empresa define a sua missão como “auxiliar as micro, pequenas e médias empresas a aumentar a sua produtividade e eficiência”. Para tal, permite o acesso a preços mais competitivos nos serviços de expedição.

Pedro Dias A empresa Pedro Dias procura “a inclusão global da pessoa com deficiência ou incapacidade permanente”. Desta forma, entende que a inclusão é “um processo global onde a pessoa com deficiência tem um papel central” e onde a sociedade civil e as empresas têm “um papel colaborativo muito importante”.

Switch Case

Magic Bit Solutions Esta produtora de jogos digitais atua em todas as plataformas. A sua especialização são jogos educativos (projetados para as necessidades das crianças); advergames (jogos que promovem produtos ou serviços) e ainda Serious Games (que melhoram a formação e motivação dos funcionários).

Movimentando-se na criação e projeção da comunicação digital, a Switch Case adianta que utiliza “uma metodologia inovadora e acessível”, para várias plataformas e ferramentas. “A inovação é a chave para nos diferenciar no mundo tecnológico”, sublinham.

TenPrev A TenPrev oferece um sistema integrado de monitorização inteligente da Saúde no Trabalho. O objetivo é a prevenção, evitando lesões e doenças. Esta abordagem smart é alcançada pelo desenvolvimento e integração de sensores inteligentes na roupa, sendo possível monitorizar em tempo real várias variáveis biomédicas.

Há 50 vagas para a Semana do Empreendedorismo, Academia IPSstartup Week. Inscreve-te já para não perderes o teu lugar! A inscrição é grátis e todas as despesas estão incluídas. Marca na tua agenda: 24 a 29 de julho.

IPSSTARTUP.FORUM.PT

QUERES SABER MAIS SOBRE O MUNDO DO EMPREENDEDORISMO? Organizada pela Forum Estudante e pelo Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), a Academia IPStartupWeek é uma semana dedicada ao empreendedorismo. Desta forma, Setúbal vai acolher 50 estudantes do ensino secundário e profissional de todo o país, com todas as despesas incluídas. A organização garante que não se trata de um mero “faz de conta” e que “não vais passar os dias fechado numa empresa”. O objetivo é “dar largas à imaginação e à criatividade” e que, de uma forma divertida, possas desenvolver as tuas competências empreendedoras e perceber como usá-las. Para fazer a tua inscrição, apenas tens de preencher o formulário em ipstartup.forum.pt e esperar pelo contacto da Forum Estudante.


44 | Forum Estudante | Fev’17

/Semana Tanto Mar www.tantomar.forum.pt

What’s SUP?

O stand up paddle (SUP), é um desporto cada vez mais popular em todo mundo e Portugal não é exceção. Hoje em dia, é quase certo que quando vás a uma praia onde se costume surfar, encontres alguém, em pé, numa prancha e a segurar um remo. Apesar de existirem indícios milenares de algumas formas de SUP em tribos africanas e sul-americanas, o SUP moderno terá nascido no Havai, na famosa praia de Waikiki, nos anos 40 do século passado. Surgiu como uma maneira de os instrutores de surf havaianos vigiarem os seus grupos

de alunos, pois estando em pé numa prancha tinham maior visibilidade. Não deixando de ser surfistas, os instrutores ocasionalmente apanhavam umas ondas, usando o remo para conduzir a prancha. O SUP veio trazer uma lufada de ar fresco às modalidades de surf, permitindo a mais gente a prática de um desporto de mar, pois tem uma curva de aprendizagem menor que a maioria das outras, para além da sua grande versatilidade que oferece a possibilidade não só de surfar as ondas, mas também de fazer passeios

uma iniciativa

recreativos, quer no mar quer em águas calmas, ou competições de corrida. Sendo uma excelente forma de exercício físico e proporcionando ótima visibilidade tanto acima da água como dentro dela, o SUP é um dos desportos que mais cresce no mundo, estando inclusivamente a atrair atletas de windsurf, surf e bodyboard.

Stand Up Paddle em havaiano diz-se: Hoe He’e nalu


45 | Forum Estudante | Fev’17

/Semana Tanto Mar

UMA ESCOLA VIRADA PARA O MAR

Localizada junto à costa de Peniche e com vista para o Cabo Carvoeiro, a Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar do Instituto Politécnico de Leiria (ESTM/IPLeiria) estabelece a sua relação com o mar através de duas áreas: o Turismo e a Ciência e Tecnologia. Em concreto, a sua oferta formativa consiste em 10 licenciaturas, 8 mestrados e 6 Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP), que se dividem pelos setores do Turismo, da Hotelaria, da Biologia e da Tecnologia. Com cerca de 1300 estudantes, a ESTM/IPLeiria conta ainda com um conjunto de laboratórios e salas práticas que, para além de garantirem condições de qualidade para a formação dos seus estudantes, suportam a atividade de investigação desenvolvida por duas unidades: o Grupo de Investigação em Turismo (GITUR) e o Grupo de Investigação em Recursos Marinhos (GIRM). A estas vertentes formativa e de investigação, juntase também um compromisso com o desenvolvimento regional, através de um conjunto de serviços orientados para a comunidade e para as empresas. Tudo isto sem esquecer a importância da internacionalização. Através de projetos como o “TedQual” e o “Campus do Mar”, a ESTM/ IPLeiria garante a sua aposta na certificação e cooperação internacional.

financiamento

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO MAR

apoios

Para que fiques a conhecer tudo sobre as potencialidades dos oceanos, a Forum organiza, em parceria com a Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar, do Politécnico de Leiria, a Academia Tanto Mar – uma semana de atividades em que poderás ficar a conhecer o mar em profundidade. Para participar, só precisas mesmo de fazer a inscrição gratuita em www.tantomar.forum.pt. Depois, é só esperar o nosso contacto.

Centro de Formação Profissional das Pescas e do Mar

ESTALEIROS NAVAIS DE PENICHE SA

United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization

Man and the Biosphere Programme


46 | Forum Estudante | Fev’17

/I Love We www.ilovewe.forum.pt

SEMANA DE EXPERIÊNCIAS E EMOÇÕES!

O Xisto da Lousã

Com a companhia da associação ACTIVAR, vais fazer um percurso pedestre à aldeia de Xisto do Talasnal, na Serra da Lousã.

Mergulho na natureza

Numa tarde quente de Verão vais poder desfrutar da magnífica piscina natural da Lousã. Por isso já sabes, leva o fato de banho!

powered by

#ilovewe16

apoios


47 | Forum Estudante | Fev’17

/I Love We

Organizada em parceria com a Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC), do Instituto Politécnico de Coimbra, a I Love We vai mostrar-te as várias facetas da comunicação num percurso alargado que irá do Desporto à Comunicação Social ou Organizacional, passando pela Animação, Arte e Desporto, ou mesmo por

Língua Gestual, Música, Teatro e Turismo. As muitas atividades que irás ter durante a semana vão ensinar-te mais sobre estas áreas, de forma divertida e sempre com muito convívio à mistura. E como estamos numa cidade de estudantes, vais poder absorver alguma da vida académica da ESEC e do próprio Instituto Politécnico de Coimbra.

Os Limites Invisíveis

Vais poder desenvolver atividades com crianças em ambiente natural, visitando o Choupal na companhia do projeto Limites Invisíveis.

ESEC TV

Criada em 2003, a ESEC TV produz há 11 anos para a RTP 2 um magazine cultural sobre Coimbra, transmitido semanalmente. Durante a semana, vais estar em contacto constante com a equipa da ESEC TV, trabalhando as tuas competências ao nível da comunicação social.

À noite também é dia

Os dias vão ser cheios, mas guardámos algumas atividades para mais tarde. Um Sunset, ou uma caminhada na Night Runners são duas delas.

Como participar? Para participar, apenas necessitas de preencher o formulário em www. ilovewe.forum.pt e esperar pelas nossas instruções. Não percas tempo.


48 | Forum Estudante | Fev’17

/Leiria-In www.leiria-in.forum.pt

UMA REGIÃO, MUITA PRODUÇÃO É habitual ouvir-se falar do desenvolvimento do tecido industrial da região de Leiria. Mas quais as características desta região? Segundo o estudo Estratégia de Desenvolvimento e de Intervenção para a Sub-região AMLEI no espaço CCI – Rede IDT, o distrito de Leiria “é considerado um dos mais atrativos a nível nacional para a fixação de população e possui uma estrutura económica, industrial e empresarial de grande projeção”. A mesma fonte destaca alguns concelhos dentro do distrito (Marinha Grande, Batalha e Leiria e Porto de Mós, Alcobaça, Caldas da Rainha e Peniche) e ainda alguns setores específicos da indústria local. Cerâmica, Cristalaria e Vidro Estes são setores com ligações

históricas à região de Leiria. Em 1745, a Real Fábrica de Vidros foi transferida para a Marinha Grande, devido à abundância de matérias-primas (sobretudo areia) existentes na região. A partir daí, esta indústria diversificou e complexificou-se, sobretudo com a chegada da revolução industrial. Como um dos ramos deste setor, surge

também a indústria cristaleira, com forte representação na região de Leiria. De igual forma, como pode ler-se no site da exposição Cerâmica – Reflexo de uma Cultura, a cerâmica “consolidou ao nível industrial no século XX”. Nesse sentido, é destacado o papel das olarias e fábricas de louça do oeste do distrito de Leiria para “alavancar

partners

Câmara Municipal da Marinha Grande

media partners

Semana da

Indústria powered by

sponsors


49 | Forum Estudante | Fev’17

/Leiria-In

da região de Leiria são empresas internacionais.

Matérias plásticas

a industrialização da cerâmica” hoje registada.

Moldes O método de moldação por injeção é um dos mais populares métodos de produção em massa. A página Wiki Engenharia, da autoria do Instituto Politécnico de Leiria, explica o processo: o material sólido é fundido, forçado sob pressão para um molde fechado e, por fim, arrefecido até poder ser removido, mantendo a forma. Por esta razão, a indústria dos moldes assume um grande protagonismo nas técnicas de produção atuais, ao permitir rentabilizar investimentos, facilitando a velocidade e a qualidade da reprodução. Desta forma, muitos dos clientes das fábricas de moldes

A primeira fábrica de plásticos do país – a Nobre & Silva – surgiu em Leiria no ano de 1927. 70 anos depois, em 1997, era criado o primeiro mestrado em Engenharia de Polímeros, na Marinha Grande. A ligação da região de Leiria com esta indústria é histórica e mantém-se até aos dias de hoje. Quanto ao futuro, o empresário do setor, Pedro Colaço, citado pelo Jornal de Leiria, não tem dúvidas: “os plásticos vieram para ficar e a sua indústria também”.

Atividade Piscatória A tradição da pesca é milenar, no concelho de Peniche. No seu site, a Câmara Municipal de Peniche chama à atenção para os pesos de rede em cerâmica, da época romana, por exemplo, como testemunho da importância regional deste recurso económico. As principais transformações, adiantam, deram-se durante o primeiro quarto do século XX – um período em que foi introduzida a traineira e a técnica da pesca de cerco. Simultaneamente, durante o século passado foram desenvolvidas indústrias relacionadas com esta atividade na região: congelação, conservas e construção naval.

Leiria-In: Por dentro da Indústria De forma a dar-te a conhecer tudo sobre a indústria da região de Leiria, o Instituto Politécnico de Leiria juntou-se à Forum Estudante para te oferecer uma semana de atividades, onde não vai faltar espaço para diversão: idas à praia e ao parque

aquático são apenas alguns dos exemplos. Para te inscreveres, basta preencheres o formulário em www. leiria-in.forum.pt e esperar o nosso contacto, para conheceres os passos seguintes.

O Instituto Politécnico de Leiria Iniciando a sua atividade em 1980, o IPLeiria integra cerca de 12 mil estudantes, divididos pelas suas cinco escolas superiores: Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, Escola Superior de Tecnologia e Gestão, Escola Superior de Saúde (Leiria), Escola Superior de Artes e Design (Caldas da Rainha) e Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (Peniche). No total, estas cinco escolas integram um total de 48 licenciaturas (em regime diurno, pós-laboral e de ensino à distância), 45 mestrados, 23 pós-graduações e 25 cursos de especialização tecnológica. Os cursos, por sua vez, estão relacionados com diversas áreas do conhecimento: artes e design; ciências empresariais e jurídicas; educação e comunicação; engenharia e tecnologia; saúde e turismo. A oferta formativa do IPLeiria distingue-se ainda pela forte ligação às empresas, uma característica demonstrada no protocolo assinado com a NERLEI – Associação Empresarial da Região de Leiria e a CEFAMOL – Associação Nacional da Indústria de Moldes. Este acordo assenta em três ações: formação em contexto empresarial, transmissão do conhecimento e ações de responsabilidade social. Outra das grandes apostas do IPL é a investigação científica. Nesse campo, as suas atividades dividem-se por 13 unidades de investigação e duas delegações, das quais se destacam o Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentado do Produto – CDRsp, distinguido com um “excelente” pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.


50 | Forum Estudante | Fev’17

/Redescobrir a Terra

19 | maio | 2017

A iniciativa Dia Nacional da Agricultura na Escola está integrada no programa Redescobrir a Terra, que visa desenvolver uma estratégia nacional e um programa de ações, tendo em vista a sensibilização e a capacitação dos jovens portugueses para a importância estratégica da agricultura, do mundo rural e do desenvolvimento sustentável para Portugal. Tem o objetivo de reaproximar uma nova geração de portugueses a

estas áreas, de modo a desenvolver a consciência cívica da necessidade do País apostar nestes domínios e despertar novas vocações profissionais para as carreiras no sector.

Conceito Mobilizar as escolas do 2.º e 3.º ciclo do ensino básico e ensino secundário e profissional para o Dia Nacional da Agricultura na Escola para que

uma iniciativa

Parceiros

Escola Profissional Agrícola

Afonso Duarte


51 | Forum Estudante | Fev’17

/Redescobrir a Terra

desenvolvam atividades de divulgação/ promoção da agricultura junto dos seus alunos, dentro do espaço físico da sua escola, tendo em vista a sensibilização para a importância estratégica da Agricultura e do desenvolvimento sustentável do País.

Agricultores, Direção Geral de Educação, Instituições de Ensino Superior e Associação Portuguesa de Escolas Profissionais Agrícolas (APEPA).

Para quê? Contribuir para a introdução do conhecimento do “Mundo” da Agricultura moderna e sustentável, abordando, em cada ano, um tema especifico de uma forma lúdicapedagógica, despertando assim potenciais vocações para o setor.

Para quem? Alunos do 5º ao 12º ano de escolaridade, do ensino regular e profissional.

Com quem? O DNAe conta com o envolvimento de um conjunto de parceiros, nomeadamente a CAP e respetivas Associações de

Com que meios? • Forum Estudante – Equipa de projeto. • CAP – Rede de associações. • Kit Dia Nacional da Agricultura na Escola – IP Bragança, CAP e Forum Estudante.

Como? Através de atividades desenvolvidas pela escola (professores, alunos), tais como exposições, passatempos, aulas especiais, encontros com profissionais, entre outros. Será produzido um kit pedagógico para auxílio às atividades no Dia Nacional da Agricultura na Escola (DNAE), desenvolvido pelo Instituto Politécnico de Bragança, com a colaboração dos parceiros do Consórcio Redescobrir a Terra. Este kit conterá ideias e materiais que auxiliarão os professores e alunos a desenvolver as atividades mais adequadas à sua escola e comunidade. A inscrição das escolas para o Dia Nacional da Agricultura na Escola (DNAe) é realizada através de plataforma online, presente no site Redescobrir a Terra (www. redescobriraterra.forum.pt).

Quero ser embaixador* do Dia Nacional da Agricultura na Escola (DNAe). O que tenho de fazer? • Compromisso da participação no Dia Nacional da Agricultura na Escola – até 15 de março. •S  ugestão ou indicação das escolas a visitar na área de influência – até 15 de março. • Identificação dos meios disponíveis (humanos, técnicos e materiais) – até 15 de março. •C  onclusão do planeamento das escolas a visitar – até 8 de maio.

O que tenho de fazer para a minha Escola participar? • Inscrição da Escola no site www.redescobriraterra. forum.pt - até 15 de fevereiro. • Indicação da pessoa responsável na Escola pela dinamização - até 28 de fevereiro •P  laneamento do Dia Nacional da Agricultura na sua Escola, em conjunto com a Forum Estudante - até 31 março. *Associado CAP, Escolas Superiores Agrárias e Escolas Profissionais Agrárias.

Edição 2017 | Tema: A Dieta Mediterrânica

Horticultura

Frutas

Azeite


52 | Forum Estudante | Fev’17

/Música

Inscrições abertas para o II DJ contest Pelo segundo ano consecutivo, o Festival do Secundário vai levar a cabo o concurso de DJ’s amadores. Este concurso é destinado a todos os que têm vontade de ser DJ e queiram mostrar as suas qualidades na matéria. Condição obrigatória é não terem

É editado este mês “Bowie 70”, álbum de tributo a David Bowie, que reúne 13 temas do músico desaparecido no ano passado. Todas as versões são produzidas e instrumentadas por David Fonseca que também canta uma delas. O álbum conta com a participação de nomes ilustres da música nacional, como António Zambujo, Rita Redshoes, Aurea, Ana Moura, Camané, Rui Reininho, Manuela Azevedo, Catarina Salinas, Tiago Bettencourt, Márcia, Afonso Rodrigues e Marta Ren, convidados por David Fonseca para darem voz às restantes 12 músicas.

Alinhamento do álbum 1. Absolute Beginners - Tiago Bettencourt 2. Modern Love - Manuela Azevedo 3. Let’s Dance - Afonso Rodrigues

pub

qualquer tipo de contrato discográfico ou agente. Para participar tens de ser estudante, com idade compreendida entre os 16 e 21 anos e com inscrição efectuada no Festival do Secundário 2017. Se achas que tens o que é preciso para seres o próximo Garrix ou Aoki, inscreve-te já em www.festivalsecundario.com

Bowie 70

4. Life on Mars? - António Zambujo 5. Space Oddity - Camané 6. Blue Jean - Catarina Salinas 7. Fame - Marta Ren 8. Heroes - Rita Redshoes 9. This is Not America - Márcia 10. The Man Who Sold The World Ana Moura 11. Starman - Aurea 12. Where Are We Now? - Rui Reininho 13. Lazarus - David Fonseca

16 > 26 MAR 2017 www.monstrafestival.com


53 | Forum Estudante | Fev’17

/Clínica ISPA

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DO TEMPO

ESTUDAR E DIVERTIR

É preciso viver para aplicar as teorias à prática da vida.

Por Cláudia Martins Psicóloga Clínica da Clínica ISPA

Os jovens alunos dos dias de hoje vivem sob grande pressão por parte das suas famílias, escola, professores, amigos e colegas e pela própria sociedade, para serem os melhores, para terem muito sucesso em tudo o que fazem. Vivemos numa sociedade onde há pouco espaço para a falha, para a dúvida ou mesmo para “o não saber” o que fazer na vida. Que curso escolher? Que profissão seguir? Têm saídas profissionais ou não tem? A adolescência e o início da fase adulta são fases fulcrais no desenvolvimento do ser humano, é uma fase de procura e descoberta de quem somos, por onde queremos ir e de experiências. Como podemos escolher o que não conhecemos? Para que as escolhas que fazes nesta fase da tua vida, sejam o mais aproximadamente possível daquilo que desejas e que possas vir a sentir-te realizado a nível pessoal e profissional é preciso explorar, descobrir, para além dos livros e dos conteúdos académicos. Existe um mundo para além do

meio escolar. A Escola é apenas um instrumento necessário para que possas descobrir a diversidade de coisas que há no mundo. E perceberes com discernimento que caminhos seguir com consciência e responsabilidade. Numa cadeira de Psicologia da Universidade, enquanto aluna que fui, um professor disse-nos “querem ser psicólogos? Querem aprender psicologia? Então peguem nos livros e vão estudar para o café, vão discutir em grupo essas teorias, façam tertúlias, pensem em voz alta e em conjunto, divirtam-se e serão bons profissionais”. Penso que naquela época não percebi bem o que o professor queria dizer, mas hoje enquanto Psicóloga Clínica de muitos adolescentes e jovens adultos, percebo e acredito que a receita para o sucesso passa por uma boa gestão do tempo. É preciso teres tempo para estudar sim, adquires as aprendizagens. Mas não só, é preciso também teres tempo para saíres com os teus amigos, teres momentos de lazer e diversão. É preciso viver para aplicar as teorias à prática da vida.


54 | Forum Estudante | Jan’17

/SóRir

Partes-me todo, boneca!

ILOVEYOU

Tenho uma pinta...!

O amor é lindo... bom, pelo menos quase sempre. Tu que estás chateado e de mau humor e procuras uma luz que acenda o teu sorriso, uma gargalhada que te encha a alma... Aprecia! Ah, e não te esqueças, se tiveres uma boa piada ou foto, envia-nos para geral@forum.pt

Queres ser a minha sapinha?

Carneiro com pouca lã

Paraíso

Diz a ovelha para o carneiro: - Tens tão pouca lã… Diz ele: - Mas viemos fazer amor ou tricô?

Adão e Eva passeavam pelo Paraíso. E a Eva pergunta: - Adão, amas-me? E o Adão, resmungando: - E tenho outra escolha?

Amor... líquido

Pijama do amor

Um homem sentado, com a mulher, na varanda de casa, diz: - Eu amo-te… - Este és tu a falar ou já é a cerveja? – responde prontamente a mulher. E diz o homem: - Sou eu��� a falar com a cerveja!

Uma jovem de 18 anos foi passar o fim de semana na casa dos avós. Quando chega a noite, a moça vai para o seu quarto, despe toda a roupa e deita-se na cama. A avó entra no quarto e pergunta assustada: – O que é isso, minha neta? – Isso o quê, avó? – Estás sem roupa… – Não, avó, estou a usar o pijama do amor - responde a jovem. – Extraordinário – diz a velhinha. Chega a noite, o velhinho entra no quarto e vê a velhinha nua. – O que é isso, mulher? – Isso o quê, meu querido? – Estás aí deitada sem roupa? E ela responde: – Não estou sem roupa, estou a usar o pijama do amor… E o velhote diz: – Pelo menos podias tê-lo passado a ferro…!!!

Copianço Para celebrar o Dia Dos Namorados, um casal vai jantar fora. Enquanto escolhiam os pratos, ele tentou lembrar-se de alguma coisa bonita para dizer à namorada. Olhou para o lado e ouviu um casal de namorados: “Queres mel, minha abelhinha? Queres morangos, meu moranguinho?” Inspirado, o rapaz, vira-se para a namorada e diz-lhe: - Queres presunto, minha porquinha?

Pára de ser banana!

Igualzinho ao Titanic!


55 | Forum Estudante | Fev’17

/HorosCÓPOS

Aquário

(20/01 a 18/02) Sei o que tens pensado, caro Aquário: o teu cupido anda com má pontaria. Eu confirmo. Há setas disparadas, sim, corações afiados cuspidos à lei da metralhadora, sem dúvida. Mas é possível que te tenha calhado um cupido com 8.75 dioptrias. Prevêse um 14 de fevereiro difícil.

Vejo nas cartas que o amor está no ar... tal como uma imensidade de outras coisas

Fevereiro é o mês em que o amor se junta aos clássicos azoto, oxigénio, dióxido de carbono, vapor de água, entre outros gases. alguns deles, nada nobres. Mas isso é outra conversa. Vocês querem mesmo saber é o que é que São Valentim vos reserva, não é? Eu faço-vos a vontade.

Peixes (19/02 a 20/03)

Caranguejo (21/06 a 20/07)

Boas notícias, nativo de Peixes! A pessoa que mais queres que repare em ti neste mundo vai, finalmente, olhar para ti. Claro que será depois de tropeçares nas escadas, deslizares pelo chão e meteres duas portas de cacifo para dentro. Mas… É um começo!

Os caranguejos vão ser os sortudos do mês. Tudo vai correr bem. Até podes escrever um poema com um verso onde se leia “adoru-te imemso”. Não importa. Ninguém resistirá aos teus encantos. Há meses assim. Aproveita!

Carneiro (21/03 a 20/04)

Leão (21/07 a 22/08)

Os nativos de Carneiro são gente previdente. Já garantiram as prendas de Dia dos Namorados com dois meses de antecedência. Falamos especificamente de caixas de bombons que sobraram no Natal. Infelizmente, alguns deles vão esquecer-se que o chocolate também tem data de validade.

As idas ao cinema são sempre um clássico do romantismo. Isto é o que os nativos de Leão dirão, enquanto compram um bilhete duplo para o Assassin’s Creed. E não me ouvirão dizer que não é indicado, por mais que perguntem pelo La La Land!

Touro (21/04 a 20/05) É importante que os nativos de Touro se convençam de uma coisa: um “gosto” no Instagram não é uma prenda. Colhe uma flor, faz um desenho, atira um beijo. Sabemos que até aparece lá um coração e tudo, mas, em boa verdade, não é a mesma coisa.

Gémeos (21/05 a 20/06) Contagiados por uma fúria romântica inesperada, os nativos de Gémeos vão esgotar o stock de chocolates do supermercado do bairro – coisa que vai surpreender o Senhor Abílio da mercearia. Já que vais oferecer um Twix, escreve pelo menos um bilhete dizendo: “amo-te duas vezes”.

Virgem (23/08 a 22/09) Esta história pode ser-te útil, nativo de Virgem. Conheci um dia uma vidente no Deserto de Atacama que me fez uma previsão. Disse-me ela: “Esótanga, o amor é um mistério que não queremos ver respondido, um semivazio que não queremos preencher, uma incógnita que”. Infelizmente, adormeci a meio da frase.

Balança (23/09 a 22/10) Isto não quer dizer, cara Balança, que eu não conheça o amor. Oh, sim. Ainda hoje sonho com a Mestra Mentira Falsov – a cartomante russa que me leu as mãos e me disse: “um dia vais ser vidente”. Bons tempos que já não

voltam. É com prazer que te digo, nativo de Balança: ganha coragem e envia a mensagem que estás a adiar!

Escorpião (23/10 a 21/11) Os búzios dizem-me que os nativos de Escorpião estão a planear um número musical para o Dia dos Namorados: uma serenata noturna com uma interpretação humilde do “Solta-se o Beijo”. Infelizmente, os vizinhos pensarão mesmo que se tratam de gatos a miar e vai chamar a polícia. Fica a intenção.

Sagitário (22/11 a 21/12) Eu sei, nativos de Sagitário. Sei que, na vossa cabeça, tudo corre como nos filmes. Chegam em slow motion perto do vosso interesse amoroso. É fim de tarde, o sol esconde-se. Um foco de luz cai sobre vocês e o resto da escola desaparece. O pior é que o foco de luz é a lanterna do telemóvel do Pedro “Distraído” que voltou a perder as chaves. Melhor que nada.

Capricórnio (22/12 a 19/01) Para ti, Capricórnio, tenho um sábio conselho: ouve o teu coração. Consegues ouvir? Faz pum, pum, pum, pum? Boa. Agora escreve uma letra de hip-hop romântica ao som dessa batida. Apenas não te entusiasmes muito nem o faças depois de correr. Podes não ter flow para tanto.


Powered by

2017

O concurso FCT NOVA Challenge pretende contribuir para estimular a criatividade e o espírito inovador dos jovens estudantes pré-universitários, conducente ao reforço vocacional e à promoção do talento nas áreas de Engenharia, Ciências e Tecnologias. A Direção-Geral da Educação reconheceu a importância deste concurso no âmbito do ensino das ciências e tecnologias do nível secundário de educação, considerando que poderá constituir um valioso contributo para promover o interesse e a aprendizagem naquelas áreas.


#293 Revista Forum Estudante - Fevereiro 2017