Page 1

MIGUEL BARBOSA SÓ PRECISA DE ESTAR PRESENTE NO ALGARVE


Nº 8 – OUTUBRO 2013 Os campeonatos caminham a passos largos para o seu desfecho e, numa altura em que a próxima temporada já deveria ter as linhas mestras definidas, tudo parece constar no segredo dos deuses… ou nem aí, ainda. A mudança e a reformulação de regulamentos e calendários era, desportivamente, uma das medidas mais necessárias para esta nova direção da FPAK. Consoante surgem novas “estórias e novelas”, constata-se que essas medidas são definitivamente urgentes. O que se passou na velocidade, com a secretaria a decidir o campeonato, é algo que só é visto no nosso país. Já vários intervenientes vieram a terreiro próprio defender a sua tese, mas é surreal que um piloto que vença todas as provas, não ostente o título de campeão nacional. Logo por aí se verifica quem terá sido o maior prejudicado, uma vez que participou num campeonato, venceu as suas cinco provas e, no final, andou lá a “fazer número”. Nos ralis, mais uma vez a secretaria parece querer ter o seu papel. Tudo porque há uma pontuação da Powerstage do Sata Rally Açores que não foi atribuída... Porque não foi definida essa mesma especial. Pois bem, o último rali desenrola-se daqui a mês e meio e até lá a questão tem de ficar resolvida, mas mais uma vez, fica a dúvida de como enquadrar um regulamento, em casos absolutamente insólitos.

FOTO DO MÊS

Mariana Neves de Carvalho conquistou a Taça das Senhoras no Open de Ralis © Nuno Pimenta

QUER FAZER PUBLICIDADE À SUA EMPRESA? QUER COLOCAR O SEU CARRO À VENDA? QUER ENVIAR UM COMUNICADO DE IMPRENSA? famalicaomotor@gmail.com

FICHA TÉCNICA FOTOS Capa: João Lavadinho, Autosport, Norte Rallyes e assessorias

de imprensa Fotos: João Lavadinho, Nuno Pimenta, Ralis Online, Autosport, Norte Rallyes, Rui Couto, Nuno Organista e assessorias de imprensa

Pole Position

INDICE 2 • Editorial 3 • Breves 4 • Pedro Salvador fecha com duas vitórias 8 • Tudo em aberto no CPR com triunfo de Moura 11 • Miguel Barbosa praticamente campeão no Grupo N 12 • O regresso de José Araújo 13 • Confirmação do título para Carlos Martins no Open 14 • Vitória nas Senhoras para Mariana 16 • Baião é a próxima etapa do Open 18 • Manuel Oliveira desponta nos Super Stock 19 • Mais um título para Luís Barros 21 • Inaugurado o Museu Automóvel em Famalicão 22 • Multimédia / Últimas / Agenda

LÁ POR FORA EM 60 SEGUNDOS Sem dar chances, Vettel a passos largos Duas corridas e outras tantas vitórias para o alemão da Red Bull. Em casa da Ferrari, em Monza, Sebastian Vettel dominou a prova, deixando Fernando Alonso a pouco mais de 5 segundos, enquanto Mark Webber fechou o pódio. As atenções viraram-se depois para solo asiático, onde em Singapura, Vettel voltou a não dar veleidades e obteve novo triunfo contundente, com Alonso a repetir o 2º lugar, desta feita com Raikkonen no 3º lugar. O finlandês confirmou entretanto o seu regresso à Ferrari, enquanto na Red Bull, Daniel Ricciardo irá ocupar o lugar de Mark Webber na próxima temporada. Um ponto para título de Sebastien Ogier Foi um autêntico golpe de teatro aquele que se assistiu no derradeiro troço do Rali da Austrália. Quando tudo se definia para que Ogier saísse de lá já com o título, eis que um furo no DS3 WRC de Mikko Hirvonen, faz com que Neuville suba uma posição e amealhe os pontos que adiam o título ao francês. O piloto da VW ganhou com naturalidade, deixando Thierry Neuville no 2º lugar, o quarto consecutivo, enquanto Hirvonen não foi além da 3ª posição. Vitória para AFC e pódio para Tiago Monteiro Regresso aos triunfos de António Félix da Costa nas World Series Renault. Depois de na primeira corrida, na Hungria, ter abandonado na volta inicial, o “Formiga” foi o mais veloz na segunda. Já no WTCC, a visita ao traçado de Sonoma foi positiva para Monteiro, com um 2º posto na 1ª corrida e um 5º na 2ª, enquanto em Suzuka, o piloto da Honda repetiu o pódio, mas desta feita com um 3º lugar na 2ª corrida, contrastando com uma desistência.


Nº 8 – OUTUBRO 2013

MÁRCIO PEREIRA VENCE EM BARCELOS Márcio Pereira e João Aguiar foram os grandes vencedores da 1ª Super Especial Nocturna de Barcelos, prova realizada a 14 de setembro e que contou com a participação de cerca de 70 equipas. O jovem piloto famalicense alcançou assim a primeira vitória da sua ainda curta carreira, pilotando o habitual Renault Twingo agora mais evoluído e competitivo.

Breves "Sinceramente não esperava este resultado, pois mesmo sabendo que o Twingo está cada vez mais competitivo, tinha a noção de que a concorrência seria muito forte. Das duas passagens pela especial, contava o melhor resultado e na última passagem conseguimos não cometer erros e tirar o máximo partido do carro, que não tínhamos testado", explica Márcio Pereira, que prossegue, "é uma vitória de toda a equipa A. Pereira Competição. Tenho de agradecer a dedicação do meu pai para evoluir este carro, a competência do meu navegador João Aguiar, mas também ao Jorge Futuro, Valter Correia, João Pedro Sousa, Marcos Rodrigues, Bruno Silva e a todos quantos me apoiaram." O piloto de Famalicão fará agora um interregno, devido a compromissos profissionais no estrangeiro.

IVO PINTO PREPARA EUROPEU

RICARDO COSTA COM ALTOS E BAIXOS NO OFFROAD Está na reta final a temporada do Campeonato de Portugal de Offroad, contando com a presença do jovem piloto famalicense Ricardo Costa. Apoiado pela estrutura da Macominho Sport, o piloto do Renault Megane esteve em bom nível na jornada realizada em Montalegre, naquela que foi a segunda visita da temporada à pista transmontana. Ricardo Costa foi dos pilotos mais rápidos na categoria Super 2000, sendo o 2º colocado na 1ª Manga e vencendo a 2ª, o que o deixava no lote de candidatos ao triunfo. Contudo, um toque em Rui Sirgado logo na primeira volta da Final hipotecava as aspirações do famalicense, que abandonava, mas somava os pontos equivalentes a um 6º lugar. Na etapa seguinte disputada ainda durante o mês de setembro na pista de Sever do Vouga, Ricardo Costa não marcou qualquer ponto e com isso foi relegado para a 5ª posição do campeonato S2000 e ainda viu o seu adversário direto distanciar-se, no que respeita ao Júnior. O jovem famalicense tem ainda duas jornadas pela frente, em Lousada e em Mação, onde tentará subir na classificação, liderada pelo já virtual campeão Rui Sirgado.

É mais um piloto que acentua a posição de Famalicão no topo do motociclismo nacional. Esta temporada Ivo Pinto esteve em foco e com exibições de grande nível, coroadas com três triunfos, sagrando-se assim Campeão Nacional de Enduro, na classe Verdes 2. A derradeira prova realizou-se com a Figueira da Foz sob pano de fundo, com o famalicense a não participar, mas marcando presença para levantar o troféu de campeão. “Uma lesão impediu-me, de participar e dessa forma festejar o título que já tinha conquistado virtualmente. Este título é para dedicar à minha família, aos meus companheiros do Team Bilracing, à própria equipa Bilracing e, em especial, ao meu assistente Jorge Lopes, que é parte importante deste título nacional”, revela Ivo Pinto. O piloto do Team Brex/Bilracing espera que a recuperação seja rápida, pois dentro dos seus objetivos está a participação na prova do Europeu, que se realiza em Ourém, no próximo mês de Outubro. “A lesão deixou-me um pouco apreensivo e colocou em dúvida esta participação, mas espero que tudo corra pelo melhor e que consiga estar bem o quanto antes, de forma a prosseguir a preparação para o Europeu”, finaliza o famalicense Ivo Pinto.


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Campeonato de Portugal de Montanha

Tiago Reis contentou-se com um 2º lugar e nem foi à Penha

Com tudo já decidido a favor de Tiago Reis, as duas últimas jornadas do Campeonato de Portugal de Montanha nem por isso perdiam interesse, pois ainda havia que decidir títulos em várias categorias. A reacender o caráter mítico de outrora, a Rampa do Caramulo voltou a encher-se de público e de máquinas em mais uma prova espetacular desta temporada, que culminou no derradeiro fim de semana de setembro com a segunda visita a Guimarães e subida ao cimo da Penha. Dupla vitória para Pedro Salvador, que assim garantiu o vice-campeonato, terminando com os menos 8 pontos face a Tiago Reis, que até nem marcou presença na prova nortenha. O famalicense garantiu cedo o título e se ainda foi ao Caramulo amealhar um 2º lugar, primou pela ausência na Penha, o que fez com que Salvador fosse o vencedor da Categoria 2. Nas restantes classes, António Nogueira venceu na Categoria 1, com tarefa facilitada pela ausência de Joaquim Teixeira na derradeira prova, enquanto na Categoria 3 e na 4, os títulos já estavam virtualmente na posse de José Pedro Gomes e Francisco Marrão, respetivamente.

RAMPA DO CARAMULO

Apesar do título já ter dono, nem por isso faltou emoção no Caramulo. Pedro Salvador pagou a fatura de um início de época atribulado com o seu principal adversário, Tiago Reis, a lograr atingir o seu primeiro campeonato na Montanha, mas o piloto do Juno CN11 não perdeu motivação e foi atrás da vitória nas provas que restavam. E se nisso pensou, melhor concretizou, com um claro e avassalador domínio em todas as subidas, coroadas com uma vitória incontestada, para além do recorde do traçado como cereja no topo do bolo. Tudo tentou Tiago Reis, mas o famalicense teve de se contentar com o 2º lugar, mesmo tendo apresentado um excelente andamento e que colocou o vencedor em sentido. Com uma primeira subida um pouco longe de Salvador, o piloto do Norma melhorou substancialmente nas duas restantes tentativas, mas nunca ao ponto de se superiorizar ao adversário.


Nº 8 – OUTUBRO 2013 É certo que Tiago Reis esteve sempre mais perto do vencedor do que esteve o 3º classificado de si e aí, a luta foi bem mais interessante de seguir, com a diferença mínima a separar João Fonseca de Paulo Ramalho, num duelo travado por dois Juno CN09. Fonseca entrou bem, mas não conseguiu suplantar o seu principal rival nas duas primeiras subidas, embora a subida realizada no primeiro dia facilmente se percebeu que não entraria nas contas, pois ambos rodaram em 1m25, para no dia seguinte baixarem significativamente. Aliás, foi na última tentativa que João Fonseca ultrapassou Ramalho e com isso confirmou um lugar no pódio. Para Paulo Ramalho, a confirmação é outra, nomeadamente, de uma época em que não conseguiu rodar ao nível apresentado noutras temporadas, ficando mais uma vez fora dos três mais rápidos, ainda que seja precisamente o 3º lugar aquele que confirmou em termos de campeonato. Sem pressão de maior, ainda assim a rodar com o recente Porsche 997 GT3-R de circuitos, António Nogueira foi um natural 4º classificado, rodando bem perto dos dois homens que lutaram pelo degrau mais baixo do pódio, tendo-os superado inclusive na primeira subida. O veterano piloto preferiu não correr riscos e deixou a luta para os pilotos dos protótipos e cingiu-se à Categoria 1, onde a vitória surgiu com larga margem. Joaquim Teixeira foi 2º, superando por menos de um segundo Carlos Torres, um piloto que fez ralis na década de 80 e 90, encontrando-se parado há vários anos, correndo aqui com o Porsche 911 GT4 (ex-Martine Pereira).

Nas hostes famalicenses, Luís Silva efetuou duas subidas muito equilibradas, abdicando da derradeira, mas não se livrando de um susto… na Super Especial da Trofa! Sim, o piloto do BMW 320is veio até à Trofa no final do primeiro dia, mas deu um toque e deixou marcas no carro alemão, mas graças a um esforço extra da equipa, conseguiu alinhar no segundo dia do Caramulo e confirmou a boa prestação sendo o 5º na Categoria 1. Mais atrás, na 11ª posição desta categoria terminou Edgar Reis, que depois de alguns problemas no Renault Clio RS2000, não conseguiu subir mais lugares na tabela.

Campeonato de Portugal de Montanha

CLASSIFICAÇÃO 1ª SUBIDA - GERAL POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Pedro Salvador

Juno CN11

1m18,533s

Tiago Reis

Norma M20F

1m21,897s

António Nogueira

Porsche 997 GT3-R

1m24,574s

Paulo Ramalho

Juno CN09

1m25,269s

João Fonseca

Juno CN09

1m25,643s

(…) 7º

Luís Silva

BMW 320is

1m31,056s

16º

Edgar Reis

Renault Clio RS 2000

1m37,901s

Terminaram 27 concorrentes

CLASSIFICAÇÃO 2ª SUBIDA - GERAL POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Pedro Salvador

Juno CN11

1m18,275s

Tiago Reis

Norma M20F

1m20,190s

Paulo Ramalho

Juno CN09

1m22,640s

António Nogueira

Porsche 997 GT3-R

1m23,050s

João Fonseca

Juno CN09

1m23,280s

(…) 9º

Luís Silva

BMW 320is

1m31,831s

16º

Edgar Reis

Renault Clio RS 2000

1m36,602s

Terminaram 26 concorrentes

CLASSIFICAÇÃO 3ª SUBIDA - GERAL POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Pedro Salvador

Juno CN11

1m18,539s

Tiago Reis

Norma M20F

1m20,680s

João Fonseca

Juno CN09

1m22,410s

Paulo Ramalho

Juno CN09

1m23,166s

António Nogueira

Porsche 997 GT3-R

1m24,214s

Edgar Reis

Renault Clio RS 2000

1m41,564s

(…) 16º

Terminaram 24 concorrentes

CLASSIFICAÇÃO FINAL POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Pedro Salvador

Juno CN11

2m36,808s

Tiago Reis

Norma M20F

+ 4,062s

João Fonseca

Juno CN09

+ 8,882s

Paulo Ramalho

Juno CN09

+8,998s

António Nogueira

Porsche 997 GT3-R

+ 10,456s

Joaquim Teixeira

Seat Leon Supercopa

+ 22,566s

Carlos J. Torres

Porsche 997 GT4

+ 22,991s

Manuel Pereira

Mitsubishi Lancer VI

+ 24,298s

Luís Silva

BMW 320is

+ 26,079s

10º

Miguel Ferreira da Silva

Mitsubishi Lancer IX

+ 27,533s

Edgar Reis

Renault Clio RS 2000

+ 37,695s

(…) 16º

Terminaram 22 concorrentes (Os Clássicos têm classificação separada)


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Campeonato de Portugal de Montanha

RAMPA DA PENHA 2 Foi com os holofotes já quase desligados que a Penha recebeu a segunda visita da caravana do Campeonato de Portugal de Montanha, ou pelo menos, aqueles que ainda acharam conveniente fazer as derradeiras subidas da temporada. Várias ausências de vulto, nomeadamente a de Tiago Reis, João Fonseca e de Joaquim Teixeira, que assim entregava praticamente o título na Categoria 1 a António Nogueira. Quem não vacilava era Pedro Salvador, pois mesmo com o piso bastante escorregadio, devido às fortes chuvas sentidas no norte do país, não levantava pé e começava a cavar um fosso alargado para a concorrência. Era Nogueira quem ficava no 2º posto, impondo o Porsche face a vários 4x4 presentes e que saíam benefíciados no traçado molhado, casos de Manuel Pereira e o irmãos Nelson e Herlander Trindade. Pelo meio, ainda Paulo Ramalho se imiscuía no 4º lugar, com dificuldades para rubricar tempos condizentes com o Juno CN09. Com um Mitsubishi Lancer VI, Luís Silva ainda ia ganhando a mão ao carro, enquanto Martine Pereira regressava com o Alfa Romeo 156, mas seguia longe dos principais nomes da Categoria 1.

CLASSIFICAÇÃO 1ª SUBIDA - GERAL POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Pedro Salvador

Juno CN11

1m32,653s

António Nogueira

Porsche 997 GT3

1m40,341s

Manuel Pereira

Mitsubishi Lancer VI

1m44,813s

Paulo Ramalho

Juno CN09

1m47,579s

Nelson Trindade

Mitsubishi Lancer IX

1m47,690s

Luís Silva

Mitsubishi Lancer VI

1m48,432s

13º

Martine Pereira

Alfa Romeo 156 S2000

1m55,287s

(…)

Terminaram 27 concorrentes

CLASSIFICAÇÃO 2ª SUBIDA - GERAL POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Pedro Salvador

Juno CN11

1m37,846s

António Nogueira

Porsche 997 GT3

1m40,238s

Pedro Castañon

Silvercar S2

1m44,048s

Manuel Pereira

Mitsubishi Lancer VI

1m44,145s

Nelson Trindade

Mitsubishi Lancer IX

1m47,787s

Luís Silva

Mitsubishi Lancer VI

1m48,716s

Terminaram 26 concorrentes

CLASSIFICAÇÃO 3ª SUBIDA - GERAL POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Manuel Pereira

Mitsubishi Lancer VI

1m45,485s

Luís Silva

Mitsubishi Lancer VI

1m47,206s

Nelson Trindade

Mitsubishi Lancer IX

1m47,436s

Bernardo Sá Nogueira

Renault Clio RS 2000

1m48,181s

Herlander Trindade

Subaru Impreza

1m49,161s

Martine Pereira

Alfa Romeo 156 S2000

1m51,305s

Terminaram 19 concorrentes

Na 2ª subida, o filme de Salvador foi idêntico, ou seja, toada bastante rápida, com o piloto do Juno CN11 a decidir logo ali a vitória. O tempo não dava tréguas e os tempos registados por Pedro Salvador confirmavam mais um triunfo incontestado. Igualmente António Nogueira alargou a margem nesta subida e abdicaria da derradeira tentativa, enquanto o espanhol Pedro Castañon mostrava maior adaptação ao Silvercar e rubricava o 3º tempo. Manuel Pereira volta a levar a melhor entre os pilotos dos 4x4, com Luís Silva a subir na tabela. Por fim e com os dois primeiros a não tomarem presença, o destaque vai para o despiste de Castañon, ainda que o espanhol tenha sido 4º classificado, fruto dos tempos obtidos nas subidas anteriores. Manuel Pereira termina esta jornada com um tempo mais rápido, batendo o famalicense Luís Silva, que foi 2º, na frente de Nelson Trindade. Depois de não ter largado na subida anterior, Martine Pereira é 6º nesta subida, o que lhe garantiu o 11º lugar final. Contas feitas, vitória para Salvador, António Nogueira segura o 2º posto, com ambos a levarem para casa os títulos na Categoria 2 e 1, respetivamente. Manuel Pereira encerrou o pódio, com Luís Silva a levar o Mitsubishi Lancer VI até ao 6º posto da geral, sendo o 4º na Categoria 1 no final da temporada, dividida entre o BMW e o Mitsubishi. POS 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º

CLASSIFICAÇÃO FINAL PILOTO CARRO Pedro Salvador Juno CN11 António Nogueira Porsche 997 GT3 Manuel Pereira Mitsubishi Lancer VI Pedro Castañon Silvercar S2 Nelson Trindade Mitsubishi Lancer IX Luís Silva Mitsubishi Lancer VI Bernardo Sá Nogueira Renault Clio RS 2000 Herlander Trindade Subaru Impreza Miguel Ferreira da Silva Mitsubishi Lancer IX Hugo Araújo Westfield Sport 1600 Martine Pereira Alfa Romeo 156 S2000

Terminaram 27 concorrentes (Os Clássicos têm classificação separada)

TEMPO 3m10,499s + 10,080s + 18,459s + 23,047s + 24,627s + 25,139s + 26,051s + 27,717s + 30,180s + 35,167s + 36,093s


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Campeonato de Portugal de Montanha TIAGO REIS

2º na Rampa do Caramulo / Ausente na Rampa da Penha O Caramulo é uma região com muita história no automobilismo nacional e por isso queria muito estar presente, embora tenha rodado sem pressão. Foi um fim de semana para desfrutar da festa em torno do desporto motorizado. Não corri qualquer risco e só pensei em terminar, mas mesmo sem pressões fui 2º e a equipa fez um ótimo trabalho, nesse sentido a festa tem ainda um melhor sabor. Agradeço o empenho e o apoio de toda a equipa, familiares e amigos, que foram incansáveis ao longo da temporada. Agora é tempo de preparar a próxima temporada com calma.

LUÍS SILVA

9º na Rampa do Caramulo / 6º na Rampa da Penha No Caramulo não foi uma boa jornada, pois queria andar no pódio, mas a embraiagem não colaborou e só fiz duas subidas para evitar problemas e perder mais pontos no campeonato. Já na Penha, vim com o intuito de testar o Mitsubishi, até pelo tipo de traçado que apresenta, muito técnico e encadeado, onde uma viatura de tração integral se adapta melhor. A chuva foi o maior adversário, dificultou muito o andamento, assim pensei unicamente nos pontos. Terminar o campeonato em 4º é positivo, não fossem os problemas e o resultado poderia ter sido outro, mas as corridas são assim e agora há que preparar o futuro. Ainda tive a oportunidade de subir com o BMW no Rali Sprint, fiz duas subidas e terminei em 7º, mas é complicado conduzi-lo nestas condições sem correr grandes riscos.

EDGAR REIS

16º na Rampa do Caramulo / Ausente na Rampa da Penha Ainda estava a recuperar de uma intervenção cirúrgica, mas este era mais um desafio. A prova correu sem grandes sobressaltos e estou satisfeito com o meu desempenho. Participar no Caramulo é o cumprir de um sonho, pois esta região, para além de toda a envolvente desportiva, organiza uma verdadeira festa de promoção ao desporto motorizado. Não participei na Penha, pois não havia nada a ganhar nem nada a perder, vamos começar a decidir as coisas para a nova temporada com calma, mas até lá conto participar ainda nas 24 Horas de Fronteira.

RALLYSPRINT AJUDOU À FESTA Para além dos concorrentes do Campeonato de Portugal de Montanha, a Rampa da Penha contou com um Rally Sprint, que ajudou a que mais pilotos estivessem presentes, sendo benéfico em termos de espetáculo para o público, mesmo apesar da muita chuva sentida. A vitória sorriu a Alberto Mosquera (Renault Megane), com somente 0,399s face a José Rodrigues, em Honda Civic. Com três subidas em crescendo, o espanhol efetuou o melhor tempo na derradeira tentativa (para o Rally Sprint só conta uma das três subidas), ficando assim com o saboroso triunfo. João Silva, num Subaru Impreza, terminou na 3ª posição. Os famalicenses marcaram presença com resultados positivos, pois Daniel Silva (VW Polo) viria a terminar em 5º e Luís Silva foi 7º no seu BMW 320is, num total de 17 concorrentes classificados.


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Rallye de Mortágua

Acidente de B. Sousa na PEC 2 marca o rali

Com os holofotes direcionados para a possível conquista do título por parte de Bernardo Sousa, o Rallye de Mortágua foi bastante animado e teve o condão de dar um novo ânimo ao Campeonato de Portugal de Ralis. Se Sousa tinha até aqui somado por vitórias as suas participações, nomeadamente, em Fafe, Guimarães e Vidreiro, o mesmo se pode dizer que Ricardo Moura estava no local certo, na hora certa e venceu em Mortágua, deixando o seu adversário numa posição bem menos confortável quando apenas resta uma prova para o fecho da temporada e onde tudo se irá decidir.

Até foi Bernardo Sousa a lançar o mote, ao rubricar o tempo mais rápido na Super Especial que abriu a prova, na noite de 6ª feira, mas com os homens dos Skoda a ficarem perto, pelo que se antevia um rali discutido entre os três. O jovem madeirense participou em Mortágua com um Peugeot 207 S2000 (o mesmo com que Basso triunfou na Madeira), em virtude de não conseguir colocar o Fiesta S2000 em solo português a tempo da prova. Já Adruzilo Lopes, no Subaru Impreza WRX, bem tentava aproximar-se deste trio, mas a superioridade dos S2000 era notória, pelo que contentava-se com o 4º tempo, na frente dos principais candidatos à vitória nas 2 rodas motrizes, encabeçados por João Barros, mas com Diogo Gago logo atrás. Foi um estreia muito positiva dos Peugeot 208 R2 nos ralis nacionais, com Gago a bater-se bem, assim como Bruno Magalhães, que demorou um pouco a reencontrar o ritmo de condução de um carro de tração dianteira, bem como tinha o seu 208 R2 calçado com pneus Kumho, um pouco mais lentos que os Michelin que Gago utilizou. Mais atrás e com o olhar focado no título da Produção, o famalicense Miguel Barbosa não corria riscos e rubricava o 7º tempo.


Nº 8 – OUTUBRO 2013 Com os tempos próximos na Super Especial, antevia-se que o dia seguinte com dupla passagem por Felgueira, Trezói e Caparrosinha, fosse de intenso duelo entre Bernardo Sousa e Ricardo Moura, mas esse mesmo confronto não chegou ao final da primeira especial do dia. Tudo porque Bernardo Sousa sofreu um violento despiste numa zona muito rápida, capotando sete vezes, originando mesmo uma ida ao hospital para ele e para o navegador Hugo Magalhães. Apenas umas mazelas e nada de grave a confirmar, no entanto não se livraram de um valente susto. A partir daqui, Moura instalou-se no comando das operações e começou a amealhar segundos atrás de segundos até ao final da secção matinal, onde chegou já com vantagem a rondar os 20 segundos face a Adruzilo Lopes. Sim, não se surpreenda pois era o piloto do Subaru, navegado pelo famalicense Vasco Ferreira, quem seguia em 2º, mas só na derradeira classificativa da manhã lá chegou, pois Pedro Meireles dava um toque num gancho, deixou o carro ir abaixo e hipotecou quase por definitivo a tarefa de pressionar o líder do rali.

Quem já não chegou ao final da 1º secção foi Diogo Gago, navegado por Jorge Carvalho. O jovem algarvio entrou com o pé direito e mostrou-se muito à vontade com o Peugeot 208 R2, revelando profundo conhecimento do carro francês. Gago liderava o CPR2 quando um pneu descolou da jante e originou uma saída de estrada, deixando João Barros confortavelmente na 1ª posição das duas rodas motrizes. Com dificuldades em desligar o “chip” do S2000 e configurá-lo para o 208 R2, Bruno Magalhães cumpria tranquilamente a estreia do carro francês da equipa Inside Motor, um carro diferente do de Gago ao nível da gasolina e dos pneus. Já Miguel Barbosa queixava-se de uma extrema degradação de pneus, ainda que o famalicense do Mitsubishi Lancer IX tivesse algum cuidado extra para não deitar por terra a luta pela Produção. Em crescendo estava a prestação de Carlos Oliveira e do famalicense José Janela, que regressava aqui ao Porsche 911 GT3, ainda que seguissem em 9º, mas perto de Paulo Neto e Armindo Neves, dois pilotos a baterem-se bem na parte

Rallye de Mortágua da manhã e que lutavam entre si pelo degrau mais baixo do pódio nas 2 rodas motrizes. A fechar o Top-10, o açoriano Sérgio Silva que trouxe até ao Continente o seu Subaru Impreza WRX, estando ainda à procura do melhor ritmo. Sem levantar pé, Ricardo Moura continuou a somar triunfos nas classificativas da tarde e a aumentar a sua vantagem sobre Adruzilo Lopes, que iam sustendo os ataques de Pedro Meireles. O piloto do Skoda Fabia S2000 foi o único que bateu o pé a Moura, rubricando o tempo mais rápido na última PEC, por sinal a Powerstage, somando assim mais três pontos. No entanto, o esforço de Meireles foi inglório, por Adruzilo Lopes esteve muito bem, não deixando que o seu 2º lugar fosse colocado em risco. Lá na frente, impávido e sereno, Ricardo Moura somou nova vitória em Mortágua, reaproximando-se da 1ª posição do campeonato, ele que tem já uma pontuação máxima conquistada no Sata Rally Açores.

Também confortavelmente na 4ª posição terminou João Barros, obtendo novo triunfo no CPR2 e aproveitando da melhor forma a ausência de Ricardo Marques. Assim, o piloto do Renault Clio S1600 saltou para a liderança do campeonato, ficando a apenas 5 pontos do título. Certo é que as posições pouco se alteraram na parte da tarde, pois Bruno Magalhães segurou o 5º lugar, ainda que Miguel Barbosa tenha feito um forcing final para ultrapassá-lo. O piloto famalicense aumentou o seu ritmo nas segundas passagens, mas contentou-se com a 6ª posição e festejou o título na Produção, assumindo que estará presente no Algarve (ver caixa). Paulo Neto esteve muito bem durante a tarde, reforçando a sua posição no pódio das duas rodas motrizes e o 7º posto final, na frente de Sérgio Silva, também ele com um ritmo mais vivo durante a tarde. Quem caiu para o 9º lugar foi Armindo Neves, ainda que em termos de CPR2 tenha sido igual, na frente de Vítor Calisto, que aproveitou os problemas de Marco Reis e Carlos Oliveira para subir na tabela. O piloto do Fiat Punto HGT, navegado pelo famalicense Rui Raimundo, sofreu vários problemas de travões e limitou-se a gerir o andamento para atingir o final da prova, enquanto Carlos Oliveira viu um furo comprometer a sua prestação.


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Rallye de Mortágua

SEM ADVERSÁRIOS NO CPR2 O título parece fluir naturalmente a favor de João Barros. O piloto do Renault Clio S1600 praticamente resolveu a questão já em Mortágua, aproveitando da melhor forma a ausência do até então líder Ricardo Marques. Enquanto esteve em prova, Diogo Gago foi um osso duro de roer, mas a partir do momento em que o jovem piloto acabou fora de estrada, João Barros apenas geriu o andamento que o fez atingir a terceira vitória da época entre as duas rodas motrizes, juntando a mais duas obtidas no Open de Ralis. Para 2014, Barros já assumiu que estará ao volante de um Ford Fiesta R5, com o objetivo de lutar pelo título nacional.

REGIONAL PARA RAUL AGUIAR Paralelamente, disputou-se a última jornada do Regional Centro, um campeonato cujo campeão já era conhecido, Carlos Martins. Ricardo Teodósio lançava mote nas primeiras especiais (o Regional cumpria apenas as segundas passagens), aliando a rapidez ao seu conhecido virtuosismo. No entanto, uma avaria levou ao abandono de Teodósio, com Raúl Aguiar a assumir a liderança na derradeira PEC, ficando o pódio completo por João Soares (Citroën Saxo) e André Cabeças, que estreou o Mitsubishi Lancer VI. O famalicense Justino Reis, navegador de Eduardo Veiga, desistiu com problemas mecânicos no Ford Escort, quando estavam no encalce do 3º classificado.

ADRUZILO LOPES / VASCO FERREIRA 2º classificado

Foi um resultado muito bom. Terminar a prova na 2ª posição no meio de dois S2000 é excelente. Com este calor o Subaru é bastante mais penalizado que os outros, pois tudo sofre mais em termos mecânicos. Este foi o terceiro excelente resultado da época.

MIGUEL BARBOSA / ALBERTO SILVA 6º classificado

No Caramulo não foi uma boa jornada, pois queria andar no pódio, mas a embraiagem não colaborou e só fiz duas subidas para evitar problemas e perder mais pontos no campeonato.

MARCO REIS / RUI RAIMUNDO 11º classificado

Queríamos ganhar ritmo e fazer quilómetros depois de várias desistências. Fomos melhorando, mas um problema nos travões provocou alguns calafrios. Resolvemos o problema de forma a só ter travões nas rodas da frente, mas isso, num rali como este, é fazer o rali no limite de uma saída de estrada. Levamos o carro até ao fim, e assim percebemos nesta fase em que nível estamos para a concorrência.

CARLOS OLIVEIRA / JOSÉ JANELA 12º classificado

Num rali com a estrada muito suja, não é fácil conduzir este carro. Não evitamos alguns piões, para além de um furo que obrigou a rodar com o pneu de emergência. Ainda assim, o Porsche desperta curiosidade e atenções e é um possível projeto para 2014.


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Rallye de Mortágua

PEC 1 – SUPER ESPECIAL

PEC 2 – FELGUEIRA 1

PEC 3 – TREZÓI 1

PEC 4 – CAPARROSINHA 1

POS

PILOTO

TEMPO

POS

PILOTO

TEMPO

POS

PILOTO

TEMPO

POS

PILOTO

TEMPO

B. Sousa R. Moura P. Meireles A. Lopes J. Barros D. Gago M. Barbosa S. Silva B. Magalhães J. Bernardes

1:32,0 + 1,0 + 1,2 + 2,3 + 4,6 + 4,7 + 5,8 + 7,2 + 7,4 + 7,9

R. Moura P. Meireles A. Lopes D. Gago J. Barros B. Magalhães M. Barbosa A. Neves C. Oliveira J. Sousa

5:16,4 + 3,8 + 4,1 + 14,0 + 18,4 + 22,0 + 28,7 + 36,0 + 49,0 + 50,4

R. Moura P. Meireles A. Lopes J. Barros D. Gago B. Magalhães M. Barbosa P. Neto C. Oliveira S. Silva

11:48,8 + 7,4 + 12,9 + 44,8 + 48,1 + 1:00,5 + 1:11,6 + 1:15,7 + 1:22,6 + 1:24,7

R. Moura A. Lopes P. Meireles J. Barros B. Magalhães P. Neto M. Barbosa C. Oliveira A. Neves S. Silva

8:27,9 + 0,8 + 13,4 + 24,8 + 40,7 + 42,8 + 45,5 + 50,3 + 55,9 + 56,9

2º 3º 4º

5º 6º 7º 8º 9º 10º

2º 3º 4º

5º 6º 7º 8º 9º 10º

PEC 5 – FELGUEIRA 2

PEC 6 – TREZÓI 2

POS

PILOTO

TEMPO

POS

PILOTO

TEMPO

R. Moura P. Meireles A. Lopes J. Barros B. Magalhães M. Barbosa S. Silva C. Oliveira P. Neto A. Neves

5:17,7 + 0,3 + 1,6 + 13,2 + 24,5 + 28,0 + 28,8 + 29,5 + 30,2 + 30,8

R. Moura P. Meireles A. Lopes J. Barros M. Barbosa S. Silva P. Neto B. Magalhães A. Neves V. Calisto

11:51,8 + 4,0 + 4,0 + 47,8 + 1:01,9 + 1:05,8 + 1:08,3 + 1:11,1 + 1:19,8 + 3:20,1

2º 3º 4º 5º

6º 7º 8º 9º 10º

PEC 7 – CAPARROSINHA 2 POS 1º 2º 3º

4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

PILOTO

TEMPO

P. Meireles 8:29,9 R. Moura + 1,2 A. Lopes + 1,6 J. Barros + 36,3 M. Barbosa + 39,8 P. Neto + 40,9 S. Silva + 43,6 B. Magalhães + 51,8 A. Neves + 58,9 V. Calisto + 2:22,3

2º 3º 4º 5º 6º 7º

8º 9º 10º

2º 3º 4º

5º 6º 7º 8º 9º 10º

2º 3º 4º

5º 6º 7º 8º 9º 10º

Ricardo Moura imparável e moralizado Muito público ao longo de todo o rali Novas especiais e acessos fáceis

altos & baixos Acidente de Bernardo Sousa Pontuações da FPAK ainda por esclarecer Toque de Meireles terminou luta pela vitória

MIGUEL BARBOSA /ALBERTO SILVA (QUASE) CAMPEÕES DA PRODUÇÃO Mesmo com o 2º lugar em Mortágua, a dupla famalicense Miguel Barbosa/Alberto Silva festejou o título no agrupamento de Produção… ainda que o mesmo não esteja garantido.

RICARDO MARQUES AUSENTE A ausência do líder do CPR2 foi um dos pontos em destaque em Mortágua. O piloto do Citroën C2 R2 Max, navegado pelo famalicense Paulo Marques, viu a saúde pregar-lhe uma partida e impedir a presença no rali. Assim, Marques caiu para o 2º lugar do campeonato e viu, praticamente, esfumaremse as hipóteses de chegar ao título nas duas rodas motrizes.

Ao piloto do Mitsubishi Lancer IX, pouco falta para confirmar esse objetivo, ou melhor, apenas terá de participar no Rali Casinos do Algarve e, independentemente do resultado, assegura o título. Tudo porque a vitória na Produção garante 20 pontos e apesar de Barbosa somar, em termos reais, apenas mais 4 do que Adruzilo Lopes, irá amealhar 20 pontos pendentes do Rali de Portugal, mas para tal suceder terá que participar nas cinco provas convencionais do Campeonato de Portugal de Ralis. O famalicense terá então que estar presente no Algarve e a partir daí festejar o título… mais uma vez e, dessa feita, absolutamente confirmado. Sem dúvida uma temporada de grande nível do jovem piloto famalicense, que se prepara, tudo indica, para dar o salto para um R5.


Nº 8 – OUTUBRO 2013 POS

PILOTO

1º Ricardo Moura 2º Adruzilo Lopes 3º Pedro Meireles 4º João Barros 5º Bruno Magalhães 6º Miguel Barbosa 7º Paulo Neto 8º Sérgio Silva 9º Armindo Neves 10º Vítor Calisto 11º Marco Reis 12º Carlos Oliveira Terminaram 12 concorrentes 1º 2º 3º 4º 5º 1º 2º 3º 4º 5º 1º 2º 3º

Rallye de Mortágua CLASSIFICAÇÃO FINAL CO-PILOTO

António Costa Vasco Ferreira Mário Castro Jorge Henriques Nuno R. da Silva Alberto Silva Paulo Fiúza Fernando Nunes Bernardo Gusmão António Cirne Rui Raimundo José Janela

CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO ABSOLUTO Ricardo Moura 91 1º Hugo Magalhães Bernardo Sousa 83 2º Mário Castro Pedro Meireles 69 3º António Costa Miguel Barbosa 61 4º Alberto Silva Adruzilo Lopes 51 5º Vasco Ferreira CLASSIFICAÇÃO CPR 2RM/2L João Barros 84 1º Jorge Henriques Ricardo Marques 61 2º Paulo Marques Joaquim Bernardes 40 3º Jorge Carvalho Diogo Gago 30 4º Bernardo Gusmão Paulo Neto 29 5º Rui Raimundo TURISMO PRODUÇÃO Pedro Meireles 66 1º Miguel Barbosa Bernardo Sousa 60 2º Adruzilo Lopes Ricardo Moura 57 3º Ivo Nogueira

83 69 66 61 51 84 61 30 26 24 84 60 42

NOTA: As classificações apresentam-se com as pontuações extras (apenas utilizadas se participarem na derradeira prova)

CARRO

Skoda Fabia S2000 Subaru Impreza WRX Skoda Fabia S2000 Renault Clio S1600 Peugeot 208 R2 Mitsubishi Lancer IX Citroën DS3 R3T Subaru Impreza WRX Peugeot 207 R3T Citroën Xsara Fiat Punto HGT Porsche 997 GT3

TEMPO

52m46,7s + 25,1s + 27,9s + 3m07,7s + 4m35,8s + 4m39,1s + 5m18,0s + 5m35,2s + 5m52,7s + 14m27,8s + 15m14,0s + 16,17,2s

REGRESSO EM AGUIAR DA BEIRA Pontuável para o Critérium do Centro, o Rali de Aguiar da Beira, sob a égide do Clube Automóvel da Marinha Grande foi uma excelente oportunidade para vários pilotos testarem, tendo em vista a presença no Rali de Mortágua. A correr em casa, a equipa ARC Sport inscreveu Ricardo Moura e Adruzilo Lopes, os dois pilotos que viriam a animar a prova em Aguiar da Beira, com o açoriano a impor naturalmente o Skoda Fabia S2000. Adruzilo, navegado pelo famalicense Vasco Ferreira, contentou-se com o 2º lugar, a pouco mais de 10 segundos do vencedor. A encerrar o pódio, e sendo também ele um piloto da ARC Sport, Sérgio Silva preparou da melhor forma a sua prestação na prova do CPR, com um excelente resultado, ele que tripulou um Subaru Impreza.

JANELA NA CATALUNHA O conceituado navegador famalicense José Janela prepara-se para nova incursão internacional. Entre os dias 24 e 27 de outubro, Janela estará presente no Rali da Catalunha, fazendo equipa com João Fernando Ramos, repetindo assim o feito do Rali de Portugal. Tal como na prova lusa, o carro será um Mitsubishi Lancer X, da equipa espanhola RMC Motorsport. Com uma temporada algo intermitente no Campeonato de Portugal de Ralis, onde tem navegado Carlos Oliveira, ainda neste recente Rali de Mortágua, com um furo a originar muito tempo perdido, Janela enfrenta assim mais um desafio no Mundial de Ralis, ele que tem mais de uma dezena de presença nesse campeonato. No ano passado, João Fernando Ramos e José Janela foram 46ºs classificados na Catalunha.

A luta das 2 rodas motrizes foi ganha por Paulo Neto, que dominou a seu belo prazer, deixando em 2º lugar uma dupla famalicense. Quer na lista de inscritos, quer nos tempos online, surgia um irreconhecível António Carvalho, ao volante de um Citroën C2, que ia ganhando ritmo e melhorando os seus registos. Pois bem, se António Carvalho não lhe diz nada, talvez José Araújo já lhe seja familiar. De fato, foi apenas uma “troca pelos nomes pelo qual o piloto famalicense não ficou célebre. Araújo, que brilhou nos anos 90 nos Iniciados e no Nacional, com o endiabrado Nissan Micra e depois lutando taco a taco com Armindo Araújo no Troféu Saxo, deu um “cheirinho” em Aguiar da Beira, sendo navegado por Armando Costa e terminou em 7º.


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Rali Cidade de Gondomar

Somou o quarto triunfo da temporada

Era uma questão de tempo e paciência. Depois de ter entrado a todo o gás no Open de Ralis, somando vitórias e lugares no pódio, cedo se percebeu que Carlos Martins seria o grande candidato ao título, ficando apenas no ar, quando o piloto do Mitsubishi iria confirmar virtualmente esse título. Pois, o Rali de Gondomar serviu de palco para a concretização desse objetivo, com Martins a somar nova vitória, a quarta desta temporada. Depois de na Super Especial ter sido Nuno Cardoso o mais veloz, quando a prova do Gondomar Automóvel Sport se desenrolou nos pisos de terra, Carlos Martins saltou logo para o comando, com Cardoso a abandonar numa fase precoce, deixando o foco de interesse para a discussão do 2º lugar, onde surgiam três nomes.

Luís Mota era o mais direto perseguidor, mas a mais de meio minuto, enquanto Diogo Salvi parecia estar em condições de acabar com os azares que o perseguiram durante a época, batendo Vìtor Pascoal. De regresso aos ralis, o piloto do Mitsubishi Lancer VII encontrava o seu ritmo apenas no último troço da manhã, ao ser o mais rápido e com isso reaproximar-se da luta pelo pódio.

As segundas passagens mostravam-se bastante massacradas, com os pisos duros a dificultarem a tarefa de pilotos e mecânicas. Se Carlos Martins passou incólume e garantiu a tão desejada vitória, já Diogo Salvi não tinha a mesma sorte e era obrigado a abandonar. Com um ritmo mais vivo, Vítor Pascoal superava Mota, ainda que este tenha sofrido um furo que o deixou arredado da luta pela 2ª posição. Sem conseguir acompanhar a discussão pelo pódio, Fernando Teotónio somou um positivo 4º lugar em termos de campeonato, na frente de Gil Antunes, que fica assim a uma pequeno passo de garantir os títulos a que se propôs. Herculano Antas e Nuno Coelho classificaram-se logo atrás, enquanto o famalicense João Ruivo ainda recuperou até ao 9º lugar final.

A secção matinal acabava com praticamente tudo definido nas duas rodas motrizes, uma vez que João Ruivo dava um toque e penalizava na ligação, deixando muito mais à vontade Gil Antunes, quando até aí a diferença entre eles rondava os cinco segundos. Assim, Antunes poderia gerir convenientemente a vantagem face a concorrência, pensando no campeonato das duas rodas motrizes e, claro está, no Desafio Modelstand. CLASSIFICAÇÃO FINAL POS

PILOTO

1º Carlos Martins 2º Vítor Pascoal 3º Luís Mota 4º Fernando Teotónio 5º Gil Antunes 6º Herculano Antas 7º Nuno Coelho 8º Sérgio Vaz 9º João Ruivo 10º João Castela (…) 12º Júlio Bastos 18º Mariana Carvalho Terminaram 23 concorrentes

CO-PILOTO

CARRO

TEMPO

Pedro Conde Luís Ramalho Alexandre Ramos Luís Morgadinho Carlos Ramiro Luís Silva Pedro Alves Ilberino Santos João Peixoto Ricardo Faria

Mitsubishi Lancer VIII Mitsubishi Lancer VII Mitsubishi Lancer IV Mitsubishi Lancer VI Peugeot 206 GTI Peugeot 206 GTI Peugeot 206 GTI Peugeot 206 GTI Peugeot 206 GTI Peugeot 206 GTI

49m33,5s + 38,5s + 1m41,3s + 2m28,4s + 3m42,9s + 4m54,0s + 5m01,0s + 5m21,3s + 5m23,1s + 5m45,1s

Paulo Marques Alexandra Santos

BMW M3 Peugeot 206 GTI

+ 7m40,4s + 12m01,4s


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Rali Cidade de Gondomar

MARIANA GARANTE TAÇA DAS SENHORAS Os objetivos da dupla do Team Neves de Carvalho, Mariana Carvalho/Alexandra Santos, eram claros, terminar para amealhar os pontos necessários para a conquista de mais um título. E foi o que aconteceu, comandando o Peugeot 206 GTI, assistido pela Macominho Sport, Mariana e Xana controlaram os acontecimentos, e liderando a prova feminina na totalidade conquistaram a vitória nesta categoria, ao que somam ainda o título entre as senhoras na presente temporada. “O nosso objetivo foi alcançado, terminamos mais um desafio e vencemos mais uma etapa. Esta é uma prova muito exigente em termos mecânicos, onde todos os cuidados são poucos, mas felizmente tudo correu bem”, confessava a famalicense Mariana Neves de Carvalho. Em relação ao título conquistado, o segundo consecutivo, a dupla apoiada pela Louropel, Politejo, sao-carlos.com, Enciel Projectos, JNC Outlet, Hidma, Pneus Lino, Macominho Sport, imagIN e Masterlevel, mostra-se muito satisfeita acrescentando, “esse era o grande objetivo da época, e conseguimo-lo. Estamos muito satisfeitas pois apesar tudo ter corrido pelo melhor, não foi um ano fácil. Agradeço o empenho de toda a equipa Macominho Sport, foram sempre incansáveis para connosco na preparação do carro, e o apoio dos meus familiares e amigos, pois este título é de todos”.

JOÃO RUIVO / JOÃO PEIXOTO

9º classificado / 5º Desafio Modelstand Ao nível do ritmo competitivo foi o que estávamos à espera, ou seja, muito bom, mas tivemos uma ligeira saída de estrada no terceiro troço quando estávamos na luta pela vitória. Demos um toque numa pedra e recuamos uma roda o que, na ligação para o Parque de Assistência, provocou dois furos, depois da roda ter ficado a tocar na carroçaria, e uma penalização de 1m10s. Conseguimos chegar até 5º, ficando a apenas 1,8s do 4º. De qualquer forma foi bom, pois pontuámos, mas com as contas muito complicadas para o primeiro lugar. No entanto, para o segundo está tudo em aberto e dependemos de nós. Estamos com um bom ritmo, vencemos três dos seis troços e por isso só podemos estar esperançados para o que falta da época. Foi pena este azar, mas quem anda depressa para vencer corre riscos e nós sofremos com isso.

Mariana Neves de Carvalho e Xana Santos ainda tem mais uma prova a realizar no programa da presente época, e, estarão novamente em ação no Rali de Baião que se realiza nos dias 11 e 12 de Outubro

MANUEL PINTO / HUGO PINHEIRO Abandono

Nas verificações voltaram a por em causa a ficha de Homologação, colocando inclusive a possibilidade de não nos deixarem alinhar no rali. No rali em si começamos mal com um engano na super especial que nos valeu uma penalização. Foi a primeira vez que rodamos com os pneus do Troféu Rallycar e pura e simplesmente os pneus não funcionam, não conseguimos ter aderência, o carro fica sem travagem, sem tração e andamos sempre a ver quando é que vamos ter uma saída de estrada. Ainda assim enquanto tivemos em prova, conseguimos dominar o troféu com uma grande vantagem, mas na primeira especial da tarde, uma ponteira da direção cedeu e tivemos que terminar a nossa prova mais cedo.


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Rali Cidade de Gondomar PEC 1 – SUPER ESPECIAL

CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO 2RM 1º

Gil Antunes

93

Carlos Ramiro

68

João Ruivo

61

Paulo Santos

52

Carlos Cruz

52

Luís Silva

52

Herculano Antas

52

Jorge Henriques

50

João Barros

50

Pedro Alves

48

CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO 4RM

PILOTO

TEMPO

POS

PILOTO

TEMPO

N. Cardoso D. Salvi V. Pascoal C. Martins L. Mota G. Antunes P. Moreira R. Moura H. Antas N. Coelho

1:53,8 + 0,3 + 0,3 + 3,0 + 3,3 + 3,6 + 3,9 + 4,1 + 4,7 + 4,7

C. Martins N. Cardoso L. Mota D. Salvi V. Pascoal F. Teotónio C. Resende J. Ruivo G. Antunes P. Moreira

5:49,5 + 7,3 + 7,4 + 14,7 + 21,5 + 31,7 + 32,2 + 34,0 + 35,3 + 40,7

2º 3º 4º

5º 6º

Carlos Martins

136

Pedro Conde

111

Luís Mota

73

Alexandre Ramos

73

Fernando Teotónio

72

Luís Morgadinho

72

Diogo Salvi

55

Ricardo Torres

33

10º

André Martins

33

Filipe Carvalho

30

MODELSTAND

FASTBRAVO

PILOTO

TEMPO

10:24,3 + 0,9 + 8,4 + 18,0 + 20,3 + 36,8 + 58,1 + 58,8 + 59,0 + 1:10,5

136

Nuno Figueiredo

48

31

3º 4º

TEMPO

POS

PILOTO

TEMPO

C. Martins V. Pascoal L. Mota D. Salvi F. Teotónio J. Ruivo P. Moreira H. Antas G. Antunes S. Vaz

5:51,1 + 5,2 + 5,3 + 7,0 + 19,6 + 29,1 + 35,4 + 36,5 + 37,6 + 39,8

C. Martins V. Pascoal F. Teotónio G. Antunes J. Ruivo N. Coelho J. Castela S. Vaz H. Antas A. Mota

7:30,6 + 6,9 + 24,9 + 40,7 + 41,3 + 43,5 + 44,6 + 49,4 + 50,7 + 51,6

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

2º 3º

4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

PEC 7 – VILARINHO 2 POS

PILOTO

TEMPO

V. Pascoal L. Mota C. Martins F. Teotónio J. Ruivo G. Antunes S. Vaz N. Coelho H. Antas P. Moreira

10:20,4 + 12,4 + 16,6 + 37,8 + 39,5 + 49,3 + 56,1 + 57,0 + 1:03,8 + 1:17,0

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º

9º 10º

S1000 NEM AQUECEU A estreia do Seat Marbella S1000, um protótipo da Fastbravo que utiliza motor de moto, caixa sequencial e tração integral, ficou-se pela super especial. A fiabilidade do carro traiu as aspirações de Eugénio Madureira.

Título nas 4RM para Carlos Martins Regresso de Vítor Pascoal Público continua a marcar presença

altos & baixos Dureza das especiais/Muitos abandonos Taças banais para quem tanto gasta Falta de projetos de 2 rodas motrizes

PEC 4 – VILARINHO 1

V. Pascoal C. Martins L. Mota D. Salvi F. Teotónio G. Antunes H. Antas J. Castela N. Coelho J. Bastos

Herculano Antas

PILOTO

9º 10º

POS

7:23,3 + 12,0 + 16,4 + 25,1 + 27,6 + 40,1 + 44,8 + 46,0 + 47,4 + 49,9

PEC 6 – MEDAS 2

C. Martins D. Salvi L. Mota V. Pascoal F. Teotónio G. Antunes R. Matos J. Ruivo H. Antas J. Castela

53

PEC 5 – GENS/COVELO 2

POS

Fábio Paço Rafael Cardeira

TEMPO

1º 3º

PILOTO

140 103

PEC 3 – MEDAS 1

Gil Antunes João Ruivo

POS

1º 3º

PEC 2 – GENS/COVELO 1

POS

6º 7º 8º 9º 10º

2º 3º 4º 5º

6º 7º 8º 9º 10º

REGIONAL NORTE POR DECIDIR O Rali de Gondomar pontou para o Regional Norte, tendo em Júlio Bastos, navegado pelo famalicense Paulo Marques, o vencedor nas duas rodas motrizes, enquanto Luís Mota foi o natural 1º classificado nas quatro rodas motrizes. O campeonato está em aberto, quando ainda restam três provas por realizar. O Rali do CAMI foi adiado para 16 de novembro, sendo assim o Rali de Viana do Castelo o próximo confronto. As contas estão ao rubro, pois nas 2RM é Júlio Bastos quem lidera, somando 86 pontos, mais 11 do que Ruben Moura, que abandonou em Gondomar. Também António Dias, que soma 70 ponto, não foi feliz na prova do GAS. Já nas 4RM, o comandante é Luís Mota, com 83 pontos, enquanto o 2º posto é ocupado ainda pelo famalicense Bruno Costa, que já amealhou 68.


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Rali de Baião

Baião pode decidir o que falta

PROVA: Rali de Baião/Vida Natural CLUBE ORGANIZADOR: Clube Automóvel de Amarante DATA: 12 de outubro PONTUÁVEL: Campeonato de Open de Ralis Campeonato de Portugal Júnior de Ralis Desafio Modelstand Troféu Fastbravo CENTRO OPERACIONAL: Parque da feira PÓDIO: Agrupamento de Escolas de Vale de Ovil DIRETOR DE PROVA: André Magalhães QUILOMETRAGEM (Total/PEC’s): 143,76/63,28

Se Gondomar teve o condão de resolver o campeonato das 4 rodas motrizes, Baião tem os holofotes direcionados para as 2 rodas motrizes, onde tudo se encontra por decidir. Carlos Martins venceu em Gondomar e com isso confirmou o título, com duas provas ainda por disputar. Sem pressão a partir de agora, Martins pode saborear a sua conquista e possivelmente irão surgir candidatos a querer terminar o ano com o gosto pelo triunfo. A correr praticamente em casa, Vítor Pascoal será um deles, assim com Diogo Salvi, que se prepara para dar o salto para o CPR depois de uma época para esquecer. Também Luís Mota e Fernando Teotónio poderão ter uma palavra a dizer na discussão dos lugares da frente, num rali onde as viaturas de tração integral sairão naturalmente favorecidas. Mas tudo se centra nas 2 rodas motrizes e no Desafio Modelstand, onde Baião pode ditar o vencedor. Gil Antunes é quem melhor se encontra posicionado, podendo gerir o seu andamento face aos adversários. Na cabeça desse lote surge João Ruivo. O piloto famalicense teve problemas nas duas últimas provas e atrasou-se, mas tenta um deslize do seu rival e continuar a depender de si para chegar, pelo menos, ao vice-campeonato em ambas as competições. Também Nuno Coelho e Herculano Antas tem vindo a animar quer o campeonato, quer o troféu e podem ter alguma influência neste rali, que conta até ao momento com pouco mais de duas dezenas de inscritos, quando falta ainda uma semana para o seu fecho.

12 DE OUTUBRO DE 2013 PARTIDA ASSISTÊNCIA 10’ PEC 1 – ABOBOREIRA 1 PEC 2 – BAIÃO 1 PEC 3 – ABOBOREIRA 2

9,32 KM 13,65 KM 9,32 KM

REAGRUPAMENTO SAÍDA PARQUE FECHADO ASSISTÊNCIA 30’ PEC 4 – QUEIMADA 1 PEC 5 – BAIÃO 2 PEC 6 – QUEIMADA 2

8,67 KM 13,65 KM 8,67 KM

ASSISTÊNCIA 10’ CHEGADA PILOTO ANDRÉ MOTA ANTÓNIO ALMEIDA CARLOS MARTINS DIOGO SALVI FERNANDO TEOTÓNIO FILIPE LEITE FILIPE NOGUEIRA GIL ANTUNES HERCULANO ANTAS JOÃO CASTELA JOÃO CORREIA JOÃO RUIVO JOSÉ MACHADO JÚLIO MAIA LUÍS MOTA LUÍS ROCHA MARIANA CARVALHO NUNO COELHO NUNO FIGUEIREDO PAULO MOREIRA PEDRO CLARIMUNDO PEDRO LEONE RICARDO MATOS RICARDO TEODÓSIO SALVADOR GONZAGA VÍTOR PASCOAL VÍTOR RIBEIRO

INSCRITOS PROVISÓRIOS NAVEGADOR EURICO ADÃO SÉRGIO GRANADO PEDRO CONDE PAULO BABO LUÍS MORGADINHO HUGO MONTEIRO VALTER CARDOSO CARLOS RAMIRO LUÍS SILVA RICARDO FARIA JOÃO BARRETO JOÃO PEIXOTO ANÍBAL PEREIRA ALEXANDRE RODRIGUES ALEXANDRE RAMOS NN ALEXANDRA SANTOS PEDRO ALVES NUNO CORREIA NN ANTÓNIO CONDE BRUNO RAMOS CARLOS MATOS JOSÉ TEIXEIRA PAULO LOPES LUÍS RAMALHO FERNANDO SOUSA

11H30 11H35 12H00 12H50 13H40 14H10 15H35 15H40 16H20 17H15 18H05 18H40 19H00 CARRO

MITSUBISHI LANCER VI NISSAN MITSUBISHI LANCER VII MITSUBISHI LANCER VIII MITSUBISHI LANCER VI RENAULT CLIO NISSAN MICRA PEUGEOT 206 GTI PEUGEOT 206 GTI PEUGEOT 206 GTI MITSUBISHI LANCER VI PEUGEOT 206 GTI CITROËN SAXO PEUGEOT 206 GTI MITSUBISHI LANCER IV PEUGEOT 206 GTI PEUGEOT 206 GTI PEUGEOT 206 GTI SEAT MARBELLA OPEL CORSA OPC PEUGEOT 206 GTI FORD ESCORT COSWORTH MAZDA 323 4WD MITSUBISHI LANCER IV MITSUBISHI LANCER VII MITSUBISHI LANCER VII MITSUBISHI LANCER VI


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Circuito Braga 2

Novadriver desiste após os treinos… 4 carros em pista!

Depois de vir a terreiro a polémica instalada entre Carlos Vieira e o Team Novadriver, liderado por César Campaniço, em virtude de só este ter sido campeão, devido a uma inscrição tardia por parte de Vieira e do finlandês Mikko Eskelinen, eis que o Circuito Braga 2 foi novo e apimentado episódio desta novela.

Carlos Vieira passou para o Lamborghini da Veloso Motorsport, fazendo equipa com Patrick Cunha, num questão de compromisso perante os patrocinadores, como explicou. O que é certo é que nem foi preciso chegar à corrida para novos acontecimentos surgirem. Com o melhor tempo registado nos treinos, a dupla do Lamborghini suplantou os dois Audi R8 LMS da Novadriver, tripulados por Campaniço (já coroado campeão) e Eskelinen, e ainda o segundo por João Ramos/João Figueiredo, partindo por isso para as duas horas de corrida na frente. Mas se os carros já eram poucos (os Mercedes da Sports & You e o Porsche de António Nogueira não participaram), menos ficaram quando a Novadriver recolhe os seus carros e não participa na prova, alegando problemas de aquecimento nos R8 LMS. Uma situação que estalou o verniz e agudizou a polémica com Carlos Vieira, pois este foi um natural vencedor da prova, juntamente com Patrick Cunha, ao que somou as vitórias conquistadas anteriormente em todas as provas disputadas… mas devido ao erro na inscrição, não foi campeão. O acontecimento de Braga não passou despercebido à FPAK, que instalou um inquérito para averiguação dos

fatos deste estranho sobreaquecimento súbito de ambos os carros, o que originou que a prova não fosse pontuável para o campeonato. Numa corrida absolutamente monótona e sem qualquer interesse, tal a superioridade do Lamborghini e uma vez que só restavam carros da categoria GT Cup em pista, o 2º lugar foi para Pedro Marreiros/Nuno Batista, que ainda aguardam o desfecho da corrida de Portimão, para saberem se são ou não campeões nesta classe. Encerrando o pódio, João Batista/Renato Machado/Amândio Dias, também eles em Porsche 911. O outro carro em pista abandonou a poucas voltas do final, como protesto face ao sucedido no fim de semana, sendo ele tripulado por Gonçalo Manahu e Manuel Castro. Um fecho insólito e polémico, que nada abona em favor do automobilismo nacional, prometendo ainda correr muita tinta até à próxima temporada. Regras e regulamentos são para cumprir, mas não há necessidade de complicar tanto nem de impedir que um piloto que vença todas as provas, seja impedido de ser campeão nacional.

CLASSIFICAÇÃO CORRIDA POS

EQUIPA

CARRO

Vieira/Cunha

Lamborghini Gallardo

Baptista/Marreiros

Porsche 911

Baptista/Machado/Dias

Porsche 911


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Circuito Braga 2

SUPER STOCK Esta competição que foi lançada esta temporada tem o condão de juntar em pista carros pouco onerosos para correr, bem como várias gerações de pilotos, contrastando veteranos com jovens oriundos do karting. Prova disso foi o vencedor de ambas as corridas em Braga, o famalicense Manuel Oliveira, que tripulou um Alfa Romeo GTV 2000. Largando em 2º, Oliveira superou o outro Alfa Romeo de Alexandre Nogueira, isolando-se na frente da corrida e terminando com larga margem face ao adversário. No entanto, Nogueira desistia e deixava Jorge Santos no 2º posto, com Lourenço Mendes a levar o VW Golf até 3º. CLASSIFICAÇÃO 1ª CORRIDA POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

1º 2º

Manuel Oliveira

Alfa Romeo GTV

12v em 20m44,173s

Jorge Santos

Alfa Romeo GT Veloce

+ 17,797s

Lourenço C. Mendes

VW Golf GTI

+ 23,252s

POS

PILOTO

CARRO

Manuel Oliveira

Alfa Romeo GTV

CLASSIFICAÇÃO 2ª CORRIDA

Jorge Leite

BMW 2002 Tii

Jorge Santos

Alfa Romeo GT Veloce

Na 2ª corrida, até foi Nogueira quem viu a bandeira de xadrez na 1ª posição, mas irregularidades nos travões ditaram a sua desclassificação. Assim, Manuel Oliveira subiu ao degrau mais elevado do pódio novamente, com Jorge Leite a ocupar o 2º posto, enquanto Jorge Santos desceu uma posição face à corrida inicial.

TEMPO

PÓS HISTÓRICOS Também uma competição que vai cimentando a sua posição nas pistas nacionais, ora com mais, ora com menos concorrentes, mas sempre com bastante animação e andamentos equilibrados. Nesta prova, a aparição do BMW M3 de João Carlos Mendes veio retirar esse equilíbrio, pois cedo se isolou na frente da primeira corrida, deixando a jovem Rita Azevedo no 2º lugar e a levar a melhor sobre Paulo Mendes. Para o segundo confronto, o filme foi idêntico, pois Mendes foi para a frente e de lá não mais saiu, com Rita Azevedo a seguir na 2ª posição durante grande parte da corrida, até abandonar a 5 voltas do final. Assim, Paulo Mendes subiu uma posição e Hugo Mesquita ocupou o 3º lugar final.

SINGLE SEATERS Vários anos depois, Miguel Cristóvão voltou aos monolugares e com uma vitória na 1ª corrida. Fernando M. Gaspar foi 2º e Gonçalo Jordão terminou em 3º. No segundo confronto na pista de Braga, Gaspar subiu ao lugar mais alto do pódio, Nuno Santos melhorou a sua prestação ao ser 2º, enquanto Cristóvão foi 3º, ele que já correra em fórmulas na década de 90.

CLASSIFICAÇÃO 1ª CORRIDA POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

João Carlos Mendes

BMW M3

19v em 30m33,167s

Rita Azevedo

Toyota Starlet

+ 17,661s

Paulo Mendes

Citroën AX Sport

+ 1m02,623s

POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

João Carlos Mendes

BMW M3

19v em 30m58,550s

Paulo Mendes

Citroën AX Sport

+ 37,839s

Hugo Mesquita

Fiat Uno

+1 volta

POS

PILOTO

CARRO

Miguel Cristóvão

Mygale SJ97

Fernando Mayer Gaspar

Van Diemen FR 98Z

Gonçalo Jordão

Mygale SJ01

POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Fernando Mayer Gaspar

Van Diemen FR 98Z

14v em 20m34,193s

Nuno Santos

Mygale SJ100

+ 2,965s

Miguel Cristóvão

Mygale SJ97

+ 4,183s

CLASSIFICAÇÃO 2ª CORRIDA

CLASSIFICAÇÃO 1ª CORRIDA TEMPO

CLASSIFICAÇÃO 2ª CORRIDA


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Circuito Braga 2

CLÁSSICOS Os Clássicos ainda vão proporcionando corridas animadas, salvando um pouco a honra da velocidade na última visita a Braga.

Com domínio desde os treinos, cedo se percebeu que Luís Barros iria dominar as provas do Campeonato de Portugal de Clássicos, ele que era apontado como o grande candidato ao título nos H81. E assim foi, pois o piloto famalicense venceu sem chances a primeira corrida, sendo que atrás de si a luta era interessante de seguir, saindo favorável a António Nogueira. Joaquim Jorge via o motor atrasá-lo nesse confronto pelo 2º lugar, vendo mesmo Rui Costa ultrapassá-lo e assim terminaria em 4º. CLASSIFICAÇÃO 1ª CORRIDA POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Luís Barros

Porsche 930 Turbo

21v em 30m47,397s

António Nogueira

Ford Capri

+ 14,820s

Rui Costa

Ford Escort RS

+ 24,398s

Joaquim Jorge

Ford Escort RS

+ 24,813s

Jorge Areia

Opel Kadett GTE

+ 1 volta

CLASSIFICAÇÃO 2ª CORRIDA POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Joaquim Jorge

Ford Escort RS

21v em 30m38,586s

António Nogueira

Ford Capri

+ 16,018s

Hélder Silva

BMW 323

+1 volta

Jorge Areia

Opel Kadett

+ 1 volta

Rui Costa

Ford Escort RS

+ 1 volta

Na última corrida do fim de semana, Luís Barros voltou a instalar-se no comando das operações, mas o turbo do Porsche partiu, originando o abandono ao piloto de Famalicão, ainda que já tivesse conquistado o título com a vitória na corrida anterior. Joaquim Jorge assumiu a liderança e foi amealhando segundos face a António Nogueira, que repetiu o 2º posto, sentindo algumas dificuldades pois o motor do Ford Capri falhava várias vezes. Hélder Silva terminou em 3º, sem andamento para os homens da frente, superando Jorge Areia nesse objetivo.

CLÁSSICOS 1300 Com a divisão dos campeonatos de clássicos por anos (H71, H75 e H81), nem por isso a animação foi menor. Na primeira corrida disputada, Vítor Araújo foi o mais forte, ele que até partiu da segunda fila, mas com a ausência na prova de Rui Azevedo e Miguel Ferreira a não conseguir suster os ataques, o piloto do Datsun 1200 foi o mais rápido. Ferreira terminou em 2º e Fernando Soares conquistou a 3ª posição. A história do segundo confronto foi diferente, pois Miguel Ferreira levou a melhor e defendeu a liderança com unhas e dentes, pois Vítor Araújo tentava repetir a vitória. O piloto do Ford Escort RS cortou a meta com pouco mais de dois segundos de vantagem face a Araújo, enquanto Fernando Soares repetiu o lugar no pódio. CLASSIFICAÇÃO 1ª CORRIDA

CLASSIFICAÇÃO 2ª CORRIDA

POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

Vítor Araújo

Datsun 1200

16v em 25m22,210s

Miguel Ferreira

Ford Escort RS

16v em 25m32,160s

Miguel Ferreira

Ford Escort RS

+ 4,167s

Vítor Araújo

Datsun 1200

+ 2,308s

Fernando Soares

Fiat 128 Coupe

+ 50,728s

Fernando Soares

Fiat 128 Coupe

+ 1m03,332s

Carlos Cruz

Datsun 1200

+ 1m24,817s

Fernando Charais

Datsun 120 Y

+ 1m34,530s

Fernando Charais

Datsun 120 Y

+ 1m35,668s

Paulo Antunes

Datsun 1200

+ 1 volta


Nº 8 – OUTUBRO 2013 OS CAMPEÕES CONHECIDOS Clássicos (H71) – Domingos S. Coutinho Clássicos (H75) – António Nogueira Clássicos (H81) – Luís Barros Clássicos (TNCC) – Jorge Areia Clássicos 1300 (H71) – Francisco Sanchez Clássicos 1300 (H75) – Miguel Ferreira Clássicos 1300 (H81) – Ângelo Ribeiro Pós Históricos – Rita Azevedo

TAÇA DE PORTUGAL SÓ EM DEZEMBRO Depois de vários avanços e recuos, levando mesmo a que de três passasse para apenas uma prova, a Taça de Portugal de Circuitos vai mesmo realizarse. O Autódromo do Estoril será o palco da derradeira prova da temporada das pistas nacionais, marcada para os dias 30 de novembro e 1 de dezembro.

Circuito Algarve 2 MAURO MARQUES REGRESSA AO EUROPEU GT4 E VAI À TAÇA Compromissos profissionais impediram o piloto famalicense de marcar presença na jornada de Andertorp, mais uma etapa do European Trophy GT4. Essa foi a segunda ausência de Mauro Marques na competição, depois de no rescaldo da presença na prova do CPC da Boavista, o Aston Martin Vantage GT4 ter sofrido vários danos, cujas peças para repará-lo não chegaram à Veloso Motorsport a tempo de Marques e Fábio Mota tomarem parte da jornada de Spa Francochamps. A última jornada da competição europeia tem lugar em Zandvoort, na Holanda, e tudo indica que Mauro Marques irá voltar aos comandos do carro britânico para fechar a temporada com uma boa prestação. Para além da presença na derradeira prova do European Trophy GT4, o famalicense deverá participar na Taça de Portugal, no Estoril.

No entanto, a fórmula de três provas foi materializada em três corridas ao longo do fim de semana, o que promete trazer bastante animação e vários carros que estão parados ou não foram tão habituais durante a temporada do Campeonato de Portugal de Circuitos/GT.

MOTORSHOW E AUTOCLÁSSICO SÂO ESTE FIM DE SEMANA

SPORT PROTÓTIPOS COM PROVA ADIADA Por solicitação do organizador, a ACDME, o Circuito do Outono/ACDME, previsto para os dias 12 e 13 de outubro foi cancelado. A prova, que para além do Campeonato de Portugal de Sport-Protótipos, englobará ainda o Troféu Abarth 500 e as Single Seaters Series passará para o fim de semana da Taça de Portugal, ou seja, todas estas competições irão realizar-se no dia 1 de dezembro, naquela que será a última jornada da velocidade nacional de 2014.

É já um evento enraizado no desporto motorizado e no automobilismo nacional, em geral. A partir do dia 4 e até 6 de outubro, a Exponor, em Matosinhos, recebe mais uma edição do Autoclássico, em conjunto com o Motorshow. A 11ª edição do certame organizado pela Eventos del Motor tem na parte competitiva, um dos focos de atenção, ainda que este ano não haja um convidado internacional. No entanto, a lista de participantes conta com muitos dos melhores pilotos portugueses, entre eles os famalicenses Miguel Campos e Miguel Barbosa, para além de Adruzilo Lopes, Pedro Leal, Vítor

Pascoal, João Barros, Carlos Martins ou Ricardo Teodósio, o espetacular recordista de vitórias no Motorshow. As portas abrem às 15h de 6ª feira e encerram pelas 20h de domingo, num fim de semana que se espera de muita animação e com um bonito colorido ao longo de todo o evento, que conta com inúmeras exposições, concentrações. Um evento a não perder e que merece, sem dúvida, uma visita.


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Museu do Automóvel Antigo

Projeto renvoado do Clube do Automóvel Antigo e Clássico

Reconhecida por muitos especialistas como a capital do automóvel antigo, por força das vastas e riquíssimas coleções existentes, há muito que Famalicão e os aficionados pediam um museu para albergar e expor alguns desses exemplares. Depois de um projeto intermitente, por fim, a Câmara Municipal e o Clube do Automóvel Antigo e Clássico avançaram e colocaram de pé um museu, localizado no Lago Discount, em Ribeirão. Vinte anos depois do sonho se ter iniciado por parte do CAACVNF, no dia 14 de setembro foi finalmente inaugurado, contando com a presença de centenas de populares, para além do vicepresidente da Câmara, Paulo Cunha. Este é o primeiro espaço dedicado ao automóvel na região norte e a sua criação está ligada á história do próprio clube, que desde a sua fundação em 1993, ambiciona este grande projeto. Paulo Cunha destacou a parceria do município com o CAACVNF, bem como com o Lago Discount, possibilitando assim a realização deste sonho. “Esta iniciativa mostra que, quando há parcerias e se unem esforços para concretizar um objetivo, é mais fácil de o conseguir realizar”, disse o edil famalicense. “Este é mais um museu que vem enriquecer a rede museológica do concelho e é mais um bom motivo para que as pessoas visitem Famalicão”. Contente estava Amadeu Silva, diretor do museu, presidente e sócio fundador do Clube Automóvel. “Este era um projeto com 20 anos, que agora está concretizado”, afirmou, indicando que o seu espólio merece ser visitado. A maioria dos automóveis e motos que constam da exposição pertencem à região Norte e entre eles podem ser apreciadas verdadeiras raridades, entre as quais um modelo Ford T, que data de 1912 (este foi o primeiro carro a ser fabricado em série). Alexandra Pinto, do Lago Discount, reforçou a importância do museu naquele quarteirão comercial, tendo grandes expectativas quanto à atração de mais visitantes. Agendadas estão já visitas guiadas às crianças das escolas, que terão ainda direito a ateliês. Uma família com dois filhos pode visitar o museu por 7,5 euros, mas as entradas são totalmente gratuitas até aos 12 anos e aos visitantes com mais de 65 anos. O preço de um bilhete para apenas uma pessoa é de 2,5 euros.

VOLTA AO MINHO VAI PARA A ESTRADA ESTE MÊS Em mais uma organização do Clube Automóvel Antigo e Clássico de V. N. Famalicão, a Volta ao Minho realiza-se no próximo dia 19 de outubro. A prova é pontuável para o Troféu ACCAN, da Associação de Clubes de Automóveis Antigos do Norte, no entanto ainda não foram divulgadas mais informações sobre o percurso da Volta ao Minho. A prova de regularidade histórica deverá, no entanto, contemplar partida e chegada em Famalicão, passando depois por várias estradas da região minhota.


Nº 8 – OUTUBRO 2013

Multimédia / Últimas / Agenda

Assista aos melhores vídeos do desporto motorizado famalicense. Basta clicar na imagem e sinta toda a adrenalina!

FINAL MONTALEGRE (S2000) by offroadportugal

RALI DE MORTÁGUA by rallymania

A FECHAR

RALI CID. DE GONDOMAR

by movielight

AGENDA OUTUBRO

Duas bajas e duas vitória para Miguel Barbosa/Luís Ramalho. Tudo parece fácil no Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno, com Barbosa a somar o 6º título nacional de TT.

3/6 5/6 6 8/12

Logo em Oleiros, Barbosa fez questão de confirmar esse objetivo, vencendo categoricamente, com o pódio a ficar completo por Pedro Grancha e José Mendes, depois dos problemas terem obrigado ao abandono de Nuno Matos, Hélder Oliveira, entre outros.

10/12

Coroado com o título, nem por isso Miguel Barbosa levantou pé em Idanha-a-Nova, com nova vitória e um avanço colossal face à concorrência. Já a mais de 30 minutos, Edgar Condenso foi 2º, garantindo o título nos T2, deixando Alexandre Franco em 3º, a mais de uma hora do vencedor.

13

11/12 12/13 12/13 13 18/20 19 20 20 24/27 25/26 25/26 26/27 26/27

27 27

RALI DE FRANÇA (WRC) RALI DO FAIAL (CRM) GP COREIA DO SUL (F1) RALI DE PORTUGAL HISTÓRICO (RGH) RALI SANREMO (CER) RALI DE BAIÃO (OPEN/CRRN) CIRCUITO OUTONO ACDME (TPC/CPSP) OFFROAD LOUSADA 2 (CPOFR) GP MALÁSIA (MOTO GP) GP JAPÃO (FÓRMULA 1) ALGARVE HISTORIC FESTIVAL VOLTA AO MINHO (REGULARIDADE) 6 HORAS DE FUJI (FIA ENDURANCE) GP AUSTRÁLIA (MOTO GP) RALI DE ESPANHA (WRC) RALI DE VIANA CASTELO (CRRN) RALI ILHA DO PICO (CRA) TAÇA DE PORTUGAL DE KARTING OFFROAD MAÇÃO 1 (CPOFR) GP INDIA (F1) GP JAPÃO (MOTO GP)

Há dez anos, Miguel Campos viveu o apogeu da sua carreira, com uma presença no Campeonato da Europa de Ralis. O famalicense venceu 4 ralis e assumiu a candidatura ao título, no entanto a concorrência forte do belga Thiry impediram-no de chegar a esse objetivo, contentando-se com o vice-campeonato. No Rallye de Antibes-Azur, onde tudo se decidiu, Miguel Campos foi 2º, a 25,1 do seu maior adversário.


Famalicão Motor - nº8 - Outubro 2013  

Edição nº8 - Outubro 2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you