Page 1

24 HORAS FRONTEIRA

FAMALICENSES SEM SORTE NA FESTA DO TT


Nº 10 – DEZEMBRO 2013 Bandeira de xadrez na temporada de 2013 do desporto motorizado nacional. Ainda faltam disputar algumas provas, mas os principais campeonatos estão decididos e aponta-se já baterias para o ano que aí vem. No entanto, não deixa de ser inquietante que o marasmo federativo persista nesta altura, quando os projetos e orçamentos se definem. A FPAK tarda em divulgar por que linhas mestras se guiarão os campeonatos, nomeadamente o de ralis, pois na velocidade já deu um “lamiré” do que poderá ser, mas ainda muito esboçado. Sair um calendário provisório é muito pouco, ainda para mais quando poucas semanas depois surge a ideia de fazer regressar as rampas ao Campeonato Nacional de Velocidade. Ou seja, as ideias aparecem a espaços e deixa pilotos e equipas com espaço de manobra cada vez mais reduzido, adiando a definição dos seus objetivos para 2014. Nos ralis, o panorama é pior. Nem calendários, nem regulamentos e tudo o que se sabe é um apanhado de rumores. É indefinido o futuro do Open de Ralis e, até agora, a única confirmação é o regresso da nomenclatura de Campeonato Nacional de Ralis. Depois de se ter ouvido falar em tantos projetos interessantes, não deixa de ser injusto continuarem a ser exclusivamente os pilotos a ter ideias interessantes, precisamente, deixando a FPAK decidir o que quer e quando quer.

FOTO DO MÊS

Bruno Costa sagrou-se Campeão Regional de Ralis © Alex da Cunha Fotography

QUER FAZER PUBLICIDADE À SUA EMPRESA? QUER COLOCAR O SEU CARRO À VENDA? QUER ENVIAR UM COMUNICADO DE IMPRENSA? famalicaomotor@gmail.com

FICHA TÉCNICA FOTOS Capa: A. Roberto, Foto GTI e assessorias de imprensa Fotos: João Lavadinho, Nuno Pimenta, Ralis Online, Nuno Estevão, AIFA, Rui Couto, João Costa, José Mendes, Pedro Contente, Foto GTI e assessorias de imprensa

Pole Position

INDICE 2 • Editorial 3 • Breves 4 • Regional Norte coroa Bruno Costa 6 • Ricardo Moura conquista terceiro título no CPR 11 • Famalicenses azarados em Fronteira 13 • As classificações dos pilotos de Famalicão na FPAK 15 • Multimédia / Últimas / Agenda

LÁ POR FORA EM 60 SEGUNDOS Recordes para Sebastian Vettel O alemão da Red Bull fechou a temporada da Fórmula 1 com chave de ouro. Abu Dhabi, EUA e Brasil tiveram todos Vettel como vencedor, que conquistou nove triunfos consecutivos, num total de 13, igualando Schumacher no número de vitórias numa só época. Em Abu Dhabi, Mark Webber foi 2º, com Nico Rosberg a completar o pódio, enquanto em Austin, Romain Grosjean confirmou o excelente final de época com um 2º lugar, com Webber em 3º. O australiano encerrou as suas participações na F1 com um 2º lugar no Brasil, com Alonso a ser 3º. Ogier e VW imparáveis A hegemonia francesa no WRC parece ter tudo para continuar, pois Sebastien Ogier continua a ser o alvo a bater na provas do Mundial de Ralis. Em Inglaterra, o piloto do VW Polo WRC venceu categoricamente, somando assim a décima vitória da época em trezes possíveis. Com a lama e a chuva a fazer a habitual aparição na prova disputada em Gales, a VW esteve irrepreensível, pois Jari Matti Latvala confirmou o 2º lugar, enquanto Neuville despediu-se da Ford com o 3º lugar. O belga foi entretanto confirmado como piloto da Hyundai, a quem se juntará Juho Hanninen e a Dani Sordo. Na Citroën, as escolhas recaíram em Mads Ostberg e Kris Meeke, enquanto na Ford, deverão ser Hirvonen e Kubica os nomeados. Teste no DTM para António Félix da Costa Gorada a possibilidade de ingressar na F1 por via da Toro Rosso, António Félix da Costa parece apontar baterias noutra direção. Depois de ter sido 2º no GP de Macau, o jovem piloto testou um BMW do DTM, naquela que será a aposta para 2014. No entanto, “Formiga” manter-se-á na equipa Red Bull, assumindo as funções de piloto de testes.


Nº 10 – DEZEMBRO 2013

FPAK LANÇA CALENDÁRIOS 2014 Ainda que não se saibam regulamentos, a Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK) lançou os calendários dos campeonatos nacionais. Esta denominação volta a ser utilizada, em detrimento daquela que se usou nos últimos anos, a de Campeonato de Portugal. O Nacional de Velocidade foi o primeiro a ser revelado, sendo que as datas anunciadas abrangem todos os campeonatos, isto é, Circuitos, Clássicos, Clássicos 1300 e Sport-Protótipos. O destaque vai para o regresso do traçado de Vila Real, depois de algumas temporadas ausente. 12 e 13 de abril – A designar 10 e 11 de maio – A designar 31 de maio e 1 de junho – A designar 21 e 22 de junho – Circuito de Vila Real 19 e 20 de julho – Autódromo do Algarve 6 e 7 de setembro – Autódromo do Algarve 22 e 23 de novembro – Circuito do Estoril (Taça de Portugal) No Nacional de Ralis, a principal novidade é a ausência do Rali Casinos do Algarve, entrando para o seu lugar o Rali de Castelo Branco. As três grandes provas (Rali de Portugal, Rali dos Açores e Rali Vinho Madeira) são pontuáveis apenas na 1ª etapa. 21 e 22 de fevereiro – Rali Serras de Fafe (terra) 8 e 9 de março – Rali Cidade de Guimarães (asfalto) 3 a 6 de abril – Vodafone Rali de Portugal (terra – 1ª etapa) 15 a 17 de março – Sata Rali Açores (terra – 1ª etapa) 14 e 15 de junho – Rali Vidreiro (asfalto) 1 a 3 de agosto – Rali Vinho Madeira (asfalto – 1ª etapa) 19 e 20 de setembro – Rali de Mortágua (asfalto) 7 e 8 de novembro – Rali de Castelo Branco (asfalto) Relativamente ao Nacional de TT, serão sete as provas que farão parte do calendário, com natural destaque para um novo rali a disputar na zona do Douro e que encerrará o campeonato. 25 e 26 de abril – Vinhos Ervideira Rali TT 31 de maio e 1 de junho – Baja Terras de Alcoutim 27 e 28 de junho – Baja TT Oleiros/Proença 12 e 13 de setembro – Baja TT Idanha-a-Nova 11 e 12 de outubro – Rali TT Serras do Norte 30 de outubro e 1 de novembro – Baja Portalegre 500 15 e 16 de novembro – Baja TT Rota do Douro Novidades também no calendário da Montanha, com o regresso da Rampa da Senhora da Graça, em Mondim de Basto, registando-se a saída da Rampa de Bragança. 26 e 27 de abril – Rampa da Penha I 10 e 11 de maio – Rampa da Falperra 24 e 25 de maio – Rampa da Serra da Estrela/Covilhã 5 e 6 de julho – Rampa do CAMI I 26 e 27 de julho – Rampa do CAMI II 6 e 7 de setembro – Rampa do Caramulo 27 e 28 de setembro – Rampa da Penha II 25 e 26 de outubro – Rampa da Senhora da Graça Aguardam-se agora novidades regulamentares, quando faltam pouco mais de dois meses para o início oficial da temporada dos campeonatos nacionais.

Breves


Nº 10 – DEZEMBRO 2013

Rali de Viana do Castelo

2º lugar na Maia foi o mote e 3º lugar no CAM Festival confirmou

Curiosamente, foram dois ralis um pouco “anormais” que encerraram a temporada do Campeonato Regional de Ralis Norte. Isto porque quer o Rali da Maia, quer o CAM Rali Festival se desenrolam, em grande parte, em circuito fechado, o que se traduz num espetáculo diferente mas mais próximo do público e de mais fácil organização por parte dos clubes. Contas feitas no final e o famalicense Bruno Costa foi o campeão regional nas 4RM, ele que durante várias temporadas foi um dos principais animadores deste campeonato e que em 2013 regressou em pleno. Rúben Moura conquistou igual feito nas 2RM, embora as vitórias nas duas últimas rondas tenham sorrido a Mário Barbosa e a José Machado.

RALI DA MAIA/CODE

POR UMA UNHA NEGRA!

Delineado em redor do Aeródromo de Vilar de Luz, concentrando aí uma só especial de 8,86km e que seria percorrida por quatro vezes, o Rali da Maia/Code teve bastante emoção e indefinição até ao final. Tudo em aberto nas contas do campeonato e com Mário Barbosa a dar o mote na fase inicial, colocando o seu Citroën Saxo Kit Car no topo da classificação e deixando os Mitsubishi de Luís Mota e Bruno Costa logo atrás, percebendo-se que dificilmente mais alguém se iria intrometer nesta discussão. Mário Barbosa mostrava-se muito forte e o famalicense tudo tentava para almejar a 1ª posição, isto já depois de ter superado Mota e de ter vencido uma das especiais, no entanto as intenções de Bruno Costa não passaram disso mesmo e Barbosa confirmou o triunfo à geral, enquanto Costa seria o melhor nas quatro rodas motrizes e via o título ficar bem mais perto. Luís Mota fechou o pódio, com os três primeiros classificados a ficarem separados por apenas 5,5 segundos. Rúben Moura foi o 4º, depois de um intenso duelo com Hélder Miranda. Na prova Extra, vitória de Nuno Cardoso, num Mitsubishi Lancer VIII e que não teve dificuldades de maior neste seu objetivo. Marco Cid foi o 2º, em mais uma prova de habituação ao Renault Clio S1600, mas já longe do vencedor e deixando igualmente a alguma distância o 3º classificado, o espanhol Daniel Martinez. O famalicense Pedro Carneiro foi 6º, no seu regresso ao volante do Seat Marbella, enquanto Rui Raimundo não foi além do 8º posto, depois de um furo, ele que também conduziu um Seat Marbella.

CLASSIFICAÇÃO FINAL POS

PILOTO

CO-PILOTO

CARRO

TEMPO

Mário Barbosa

Bruno Gonçalves

Citroën Saxo Kit Car

18m32,7s

Bruno Costa

José Janela

Mitsubishi Lancer VI

+ 2,4s

Luís Mota

Alexandre Ramos

Mitsubishi Lancer VII

+ 5,5s

Rúben Moura

José Moreira

Citroën Saxo

+ 1m29,5s

Hélder Miranda

José Machado

Seat Ibiza

+ 1m35,6s

Terminaram 12 concorrentes


Nº 10 – DEZEMBRO 2013

Rali de Viana do Castelo

CAM RALI FESTIVAL

JOSÉ MACHADO SURPREENDE Começa a ser tradição de início e fecho de temporada, esta prova que atraí um número recorde de participantes ao Circuito de Braga. Ainda que o Regional tenha tido somente nove carros, a prova respeitante ao Rali Sprint e à Regularidade somaram mais de 250 concorrentes, o que permite que toda a envolvente da prova não tenha tempos parados e haja sempre competição, com uma visibilidade de quase toda a prova.

Num classificativa de 7km, disputada duas vezes em cada um dos sentidos, as diferenças não são muito ampliadas e qualquer erro paga-se caro, pois é quase impossível recuperar o tempo perdido. Aliás, Bruno Costa hipotecou uma provável vitória logo na primeira PEC, perdendo quase meio minuto para o líder e nem somando os tempos mais rápidos nas restantes conseguiu ir além do 3º lugar, mas sendo o melhor entre as quatro rodas motrizes. Assim, o piloto navegado por José Janela conquistou o seu principal intento, o título no Campeonato Regional de Ralis/Norte. José Machado foi o vencedor, ele que entrou muito bem e depois se limitou a gerir a vantagem face a Rúben Moura, ambos em Citroën Saxo. Bruno Costa foi então o 3º classificado, num rali que teve apenas sete concorrentes na chegada. Já no Rali Sprint, onde é perimitido qualquer carro participar, registo para a primeira vitória de João Barros no novo Ford Fiesta R5, depois de um animado duelo com o espanhol Sergio Vallejo, que tripulou um Porsche 911 GT3. Em carro idêntico, Gonçalo Manahú encerrou o pódio. Entre os 62 participantes que lograram terminar a prova, sublinhe-se a prestação dos famalicenses Márcio Pereira/João Aguiar, que levaram o Renault Twingo até ao 32º lugar, Luís Sousa/Inês Sousa foram 41ºs num Hyundai Getz e o regressado Pedro Rodrigues, com António Areal, levou o Seat Ibiza Tdi até ao 56º posto CLASSIFICAÇÃO FINAL POS

PILOTO

1º 2º 3º

CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO REGIONAL NORTE – 4RM

CO-PILOTO

CARRO

TEMPO

José Machado

Ricardo Faria

Citroën Saxo

19m00,5s

Luís Mota

101

Alexandre Ramos

101

Rúben Moura

José Machado

Citroën Saxo

+ 12,4s

Bruno Costa

José Janela

Mitsubishi Lancer VI

+ 13,9s

Bruno Costa

93

Ricardo Torres

50

4º Philippe Dangauthier

Paulo Araújo

Renault Clio RS

+ 28,7s

André Martins

50

Filipe Martins

43

Ludgero Leal

Peugeot 205 Rallye

+ 49,2s

Tiago Almeida

27

Ricardo Pinto

27

Manuel Pereira

18

Adriano Pereira

18

Celso Moura

Terminaram 7 concorrentes

CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO REGIONAL NORTE – 2RM

CLASSIFICAÇÃO FINAL RALI SPRINT POS

PILOTO

CO-PILOTO

CARRO

TEMPO

João Barros

Sergio Vallejo

Jorge Henriques

Ford Fiesta R5

17m19,5s

Júlio Bastos

111

José Moreira

93

Diego Vallejo

Porsche 911 GT3

+ 2,4s

Rúben Moura

93

Aníbal Pereira

86

Gonçalo Manahú

Bernardo Manahú

Porsche 911 GT3

+ 29,5s

Hélder Silva

Miguel Rodrigues

BMW 323i

+ 30,0s

António Dias

70

Jorge Galhardo

70

Manuel Senra

António Vieira

Peugeot 306 Maxi

+ 53,1s

António Campos

70

José Araújo

65

Emanuel Silva

65

António Campos

58

Terminaram 62 concorrentes


Nº 10 – DEZEMBRO 2013

Rali de Baião

Abandono de Bernardo Sousa foi a chave

Os ingredientes que iriam apimentar o Rali Casinos do Algarve eram de elevada qualidade e fazia prever um fecho verdadeiramente “quente” para o Campeonato de Portugal de Ralis. Três pilotos apontados ao título absoluto, com vantagem para Ricardo Moura perante Bernardo Sousa, embora estivessem praticamente dependentes das suas próprias prestações, enquanto Pedro Meireles se posicionava um pouco mais atrás, esperando o deslize de ambos. Com o sol a brilhar nas traiçoeiras estradas da Serra de Monchique, foi Ricardo Moura a lançar o mote e o primeiro a instalar-se no comando das operações. No entanto, Bernardo Sousa não deixava muita margem para o açoriano, ficando a apenas 0,1 segundos. Nas cabeças dos adeptos pairava à esperança de um duelo ao rubro até final, mas Bernardo Sousa contra-atacou de imediato, assumindo ele a liderança logo na PEC 2. O piloto do Ford Fiesta S2000 não ficaria por lá muito tempo, pois um furo fez com que perdesse em definitivo o comboio da frente e, quase como consequência, a possibilidade de chegar ao título. Com a vitória distante, Sousa não mais poderia fazer do que minimizar a perda e tentar chegar o mais à frente possível e esperar um deslize de Ricardo Moura. Se o furo o atrasara, o motor colocava-o fora de prova logo na especial seguinte e instalava-se a desilusão em Bernardo Sousa, esfumando-se de vez as suas pretensões ao título. Ricardo Moura seguia isolado na frente e geria a sua vantagem, bem como o sereno caminho até aquele que seria o seu terceiro título nacional, com Pedro Meireles a seguir um pouco mais atrás. No final da ronda matinal, a diferença entre os dois Skoda Fabia S2000 cifrava-se nos 26,9 segundos, com Meireles a ter Adruzilo Lopes bem mais perto, não podendo descurar o veterano piloto do Subaru Impreza. Longe do trio da frente vinha Carlos Martins, que se estreava aos comandos do Peugeot 207 S2000. A adaptação ao carro francês corria dentro do esperado, mas o ritmo ainda não era de quem luta pela frente, ainda assim o campeão do Open de Ralis ia deixando boas indicações. Miguel Barbosa já era campeão da Produção, feito que conseguiu logo na partida do rali, ia fazendo uma prova tranquila, mantendo um duelo animado com Diogo Gago, líder do CPR2 ao final das primeiras cinco classificativas. A correr, praticamente, no seu terreno, Gago seguia tranquilo na frente das duas rodas motrizes e dava um recital de condução.


Nº 10 – DEZEMBRO 2013

Rali de Baião

Com tudo praticamente decidido em termos de campeonatos, as derradeiras três especiais serviriam apenas para confirmar as posições e marcariam uma espécie de consagração para Ricardo Moura. Sem problemas de maior, Moura venceu apenas a última passagem no Chilrão, mas alargou ainda assim a vantagem para Pedro Meireles, que ainda esboçou uma reação, no entanto viria a ser infrutífera. O piloto de Guimarães contentou-se com o 2º lugar, posição que lhe garantiu o vice-campeonato absoluto e título no agrupamento de Turismo. Adruzilo Lopes também tudo fez para fechar o ano com chave de ouro, vencendo ainda a Powerstage e conseguindo diminuir a desvantagem face a Meireles, no entanto o 3º lugar foi o resultado final. Um ano positivo para Lopes, que só não chega ao título devido à ausência na primeira prova, pois a partir daí dominou a Produção, ainda que num carro superior ao do adversário. Mostrando-se mais à vontade durante a tarde, Carlos Martins confirmou a 4ª posição, um resultado positivo para a sua primeira prova num S2000. À partida o próprio piloto saberia que acompanhar o ritmo da frente seria tarefa difícil, mas à medida que ia ganhando quilómetros com o carro, Martins foi juntando confiança e, mesmo sem correr riscos, obteve uma satisfatória CLASSIFICAÇÃO FINAL CPR POS

PILOTO

CO-PILOTO

Ricardo Moura

António Costa

Skoda Fabia S2000 1h07m44,9s

Pedro Meireles

Mário Castro

Skoda Fabia S2000

Adruzilo Lopes

Vasco Ferreira

Subaru Impreza R4

+ 48,4s

Carlos Martins

Pedro Conde

Peugeot 207 S2000

+ 2m47,6s

Diogo Gago

Jorge Carvalho

Peugeot 208 R2

+ 4m20,8s

Paulo Neto

Nuno R. Silva

Citroën DS3 R3T

+ 5m21,5s

Joaquim Bernardes

Pinho de Almeida

Renault Clio R3

+ 7m36,7s

Armindo Neves

Bernardo Gusmão

Peugeot 207 R3T

+ 9m37,2s

Marco Reis

Rui Raimundo

Fiat Punto HGT

+ 13m39,0s

10º

Vítor Calisto

António Cirne

Citroën Xsara

+ 38m13,8s

Terminaram 10 concorrentes

CARRO

TEMPO

+ 35,3s

prestação.

Começam a faltar adjetivos que classifiquem as exibições de Diogo Gago. Ao volante de um Peugeot 208 R2, o jovem piloto algarvio esteve novamente em nível impressionante, liderando de fio a pavio a classificação das duas rodas motrizes. Por sinal, o CPR2 não contou com os dois primeiros classificados no campeonato, João Barros e Ricardo Marques. A ausência do segundo, por motivos de saúde novamente, ditou a ausência do primeiro, que sagrou-se campeão antes do rali começar e que dessa forma assumiu novamente as funções de carro zero e testou o novo Ford Fiesta R5, que tripulará na próxima época. Miguel Barbosa/Alberto Silva não tiveram uma 2ª secção positiva, uma vez que não conseguiriam regressar a Portimão, com o Mitsubishi Lancer IX a debelar problemas de embraiagem. Ainda assim, nada esmureceu os festejos do título conquistado pela equipa famalicense na Produção. Paulo Neto mostrou-se em bom plano, levando o Citroën DS3 R3T até ao 6º lugar final, ainda que um pouco longe do vencedor do CPR2, ao passo que o 7º posto terminou Pedro Leone, que triunfou no Open, que como é hábito no Algarve, tem uma classificação conjunta. Mas o piloto do Ford Escort Cosworth só assumiu o comando após o abandono de Ricardo Teodósio. O algarvio, ao volante de um Mitsubishi Lancer VI, dominou completamente a parte inicial da prova e rodou mesmo nos lugares do pódio da classificação absoluta. No entanto, Teodósio era obrigado a encostar, com problemas no diferencial do seu carro e com Luís Mota também já fora de prova, os lugares cimeiros eram ocupados por nomes que, à partida, seriam outsiders. A partir do meio do rali, sensivelmente, Leone instalou-se na liderança, mesmo com Márcio Marreiros a pressionar fortemente, mas insuficiente para ameaçar a vitória. Marreiros contentou-se com o 2º lugar, enquanto Luís Nunes foi 3º já um pouco distante dos homens da frente.


Nº 10 – DEZEMBRO 2013 Gil Antunes confirmou a vitória no Open 2RM, ainda que tenha sido Paulo Santos o vencedor. O algarvio aproveitou o fator casa e com um Citroën Saxo muito bem preparado, não deu qualquer hipóteses aos adversários. Mesmo com alguns problemas de direção assistida, Gil Antunes viria a terminar o ano com nova vitória no Desafio Modelstand e um 2º lugar nas duas rodas motrizes, o que lhe permitiu chegar ao título num ano excelente para o piloto do Peugeot 206 GTI. João Soares encerrou o pódio desse campeonato, enquanto Marco Cid continuou a adaptação ao Renault Clio S1600 da melhor forma, terminando em 4º, na frente da dupla famalicense João Ruivo/João Peixoto. Eles que até começaram na frente do Desafio e rodaram sempre perto do mais direto adversário, contudo um problema na caixa de velocidades já nos últimos quilómetros do rali relegou-os para posições atrasadas, nomeadamente o 5º lugar nas duas rodas motrizes.

Rali de Baião CLASSIFICAÇÃO FINAL OPEN POS

PILOTO

1º Pedro Leone 2º Márcio Marreiros 3º Luís Nunes 4º Paulo Santos 5º Gil Antunes 6º João Soares 7º Marco Cid 8º João Ruivo 9º João Castela 10º Marco Gonçalves Terminaram 11 concorrentes

CO-PILOTO

Bruno Ramos Rui Serra Paulo Costa Luís Santos Carlos Ramiro João Barata Vítor Hugo João Peixoto Ricardo Faria Pedro Arroja

CARRO

Ford Escort RS Mitsubishi Lancer VI Mitsubishi Lancer VI Citroën Saxo Peugeot 206 GTI Citroën Saxo Renault Clio S1600 Peugeot 206 GTI Peugeot 206 GTI Peugeot 206 2.0

TEMPO

1h13m29,8s + 25,9s + 1m04,0s + 2m47,5s + 3m09,7s + 3m37,0s + 3m49,9s + 4m47,5s + 5m49,0s + 25m17,4s

ADRUZILO LOPES / VASCO FERREIRA 3º Classificado e 1º Grupo N

Quando começamos não tínhamos qualquer tipo de objetivos no campeonato, uma vez que começamos mais tarde e não sabíamos quantos ralis íamos fazer. Nunca esteve em causa alcançar qualquer título. Mas depois de quatro participações, obter quatro vitórias nas Produção, dois segundos lugares e um terceiro à geral, é excelente. Este rali foi bom, embora pouco indicado para o Subaru. Estamos satisfeitos com o resultado e com a vitória na Power Stage. Valeu muito a pena o esforço feito para este ano. Foi bom para nós e para a equipa, pois demonstrámos que o Subaru Impreza R4 é um carro competitivo. Queria deixar um agradecimento à ARC Sport por todo o apoio ao longo de mais um ano.

JOÃO RUIVO / JOÃO PEIXOTO

16º Class., 5º no Open 2RM e 2º no D. Modelstand Até dois quilómetros do fim, o rali correu como planeado. A intenção para esta participação era o assegurar o segundo lugar do Desafio Modelstand e isso foi conseguido, depois precisávamos que o nosso principal adversário tivesse um azar para podermos ser campeões nacionais no Open 2RM. Estávamos a gerir isso, mas mesmo a terminar tivemos um problema com o seletor da caixa de velocidades. Fomos obrigados a parar a meio do último troço para engrenar uma mudança e prosseguir desta forma, perdendo algum tempo. Acabámos em segundo do Desafio e no Campeonato com menos uma prova, ganhámos dois ralis e por isso só podemos estar muito satisfeitos. Sabíamos que, quando começamos já tínhamos menos uma prova, mas mesmo assim ficámos dentro dos três primeiros, o que foi muito bom.


Nº 10 – DEZEMBRO 2013

Rali Cidade de Gondomar

MIGUEL BARBOSA / ALBERTO SILVA Abandono

Apenas com a obrigatoriedade de arrancar na última prova da temporada para conseguir vencer a Produção, realizamos uma prova muito tranquila e sem qualquer pressão em termos de resultados. Mantivemos desde o início do rali um ritmo bastante confortável com o objetivo claro de passar pelo pódio final e comemorar o meu primeiro título no CPR. Infelizmente, na penúltima especial um problema de embraiagem, que já vinha a sentir desde a manhã, agravou-se e fomos forçados a abandonar. Gostaríamos de ter terminado todas as provas do calendário mas nesta não conseguimos. Penso que fizemos uma temporada dentro das expectativas que traçamos e estamos muito satisfeitos com o nosso trabalho e toda a equipa merece este título. CLASSIFICAÇÃO CPR

CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO 2RM

Ricardo Moura

116

António Costa

91

Gil Antunes

111

Carlos Ramiro

101

Pedro Meireles

88

Mário Castro

88

João Ruivo

96

João Peixoto

81

Bernardo Sousa

83

Hugo Magalhães

83

Nuno Coelho

56

Pedro Alves

56

Adruzilo Lopes

67

Vasco Ferreira

67

Carlos Cruz

52

Paulo Santos

52

Miguel Barbosa

61

Nuno R. da Silva

63

Herculano Antas

51

Luís Silva

51

CLASSIFICAÇÃO CPR2

CLASSIFICAÇÃO CAMPEONATO 4RM

João Barros

84

Jorge Henriques

84

Carlos Martins

136

Pedro Conde

111

Ricardo Marques

61

Paulo Marques

61

Luís Mota

85

Alexandre Ramos

85

Diogo Gago

57

Bernardo Gusmão

38

Fernando Teotónio

72

Luís Morgadinho

72

Joaquim Bernardes

56

Pinho de Almeida

36

Diogo Salvi

70

Bruno Ramos

50

Paulo Neto

50

Rui Raimundo

34

Pedro Leone

50

Ricardo Torres

33

Pedro Meireles

83

Miguel Barbosa

84

Gil Antunes

172

Fábio Paço

72

Bernardo Sousa

60

Adruzilo Lopes

80

João Ruivo

160

Nuno Figueiredo

68

Ricardo Moura

57

Vítor Calisto

45

Herculano Antas

136

Rafael Cardeira

31

TURISMO

PRODUÇÃO

MODELSTAND

FASTBRAVO

Ricardo Moura faz o “Tri” Título de Miguel Barbosa na Produção Ritmo de Diogo Gago

altos & baixos Abandono de Bernardo Sousa Rali começa cedo e acaba tarde Muitas desistências no Open/Regional


Nº 10 – DEZEMBRO 2013

Rali Casinos do Algarve

CPR PEC 1 – CHILRÃO 1

PEC 2 – FÓIA 1

POS

PILOTO

TEMPO

POS

R. Moura B. Sousa P. Meireles A. Lopes C. Martins D. Gago M. Barbosa P. Neto S. Silva J. Bernardes

9:13,0 + 1,0 + 4,5 + 12,4 + 17,5 + 38,6 + 45,4 + 46,4 + 52,1 + 55,0

2º 3º 4º 5º

6º 7º 8º 9º 10º

2º 3º 4º 5º

6º 7º 8º 9º 10º

PEC 3 – MONCHIQUE 1 POS 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

PILOTO

TEMPO

R. Moura 7:38,0 P. Meireles + 7,3 A. Lopes + 11,9 C. Martins + 12,2 M. Barbosa + 34,4 D. Gago + 36,2 P. Neto + 41,7 S. Silva + 48,7 J. Bernardes + 1:10,4 A. Neves + 1:18,5

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

PILOTO

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

B. Sousa 8:02,4 R. Moura + 7,6 A. Lopes + 16,6 P. Meireles + 17,6 C. Martins + 28,8 M. Barbosa + 39,2 D. Gago + 46,1 S. Silva + 49,3 P. Neto + 1:04,1 J. Bernardes + 1:11,4

POS 1º 2º 3º 4º 5º

6º 7º 8º 9º 10º

TEMPO

POS

R. Moura P. Meireles B. Sousa A. Lopes C. Martins D. Gago M. Barbosa P. Neto J. Bernardes S. Silva

9:13,3 + 3,0 + 4,4 + 5,3 + 11,1 + 37,3 + 40,5 + 42,8 + 45,4 + 46,6

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

POS 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

TEMPO

R. Moura 9:14,5 P. Meireles + 7,3 A. Lopes + 8,5 C. Martins + 16,3 D. Gago + 38,7 P. Neto + 43,2 J. Bernardes + 53,8 A. Neves + 1:01,2 M. Reis + 1:45,0 V. Calisto + 2:23,5

PILOTO

TEMPO

P. Meireles 7:41,0 R. Moura + 4,4 A. Lopes + 12,0 C. Martins + 15,8 D. Gago + 16,6 P. Neto + 30,2 M. Barbosa + 39,7 J. Bernardes + 1:03,6 A. Neves + 1:08,4 M. Reis + 1:47,9

3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

6º 7º 8º 9º 10º

PILOTO

TEMPO

R. Teodósio 7:44,7 M. Marreiros + 27,8 R. Tabaio + 40,8 P. Leone + 44,9 P. Santos + 52,4 L. Nunes + 53,9 G. Antunes + 55,5 J. Ruivo + 59,1 N. Venâncio + 1:00,8 J. Martins + 1:07,0

PEC 4 – CHILRÃO 2 POS 1º 2º

3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

PILOTO

TEMPO

R. Teodósio 9:30,0 P. Leone + 30,7 M. Marreiros + 31,4 L. Nunes + 33,1 M. Cid + 47,6 R. Tabaio + 53,5 P. Santos + 56,5 G. Antunes + 1:01,8 J. Soares + 1:02,6 J. Martins + 1:04,1 PEC 6 – MONCHIQUE 2 PILOTO

TEMPO

M. Marreiros P. Leone L. Nunes J. Ruivo P. Santos G. Antunes M. Cid J. Soares N. Venâncio J. Castela

8:23,5 + 1,2 + 17,4 + 17,5 + 19,8 + 20,3 + 24,4 + 35,2 + 48,8 + 49,8

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

2º 3º 4º 5º

6º 7º 8º 9º 10º

PEC 7 – CHILRÃO 3 1º

+ 10:49,4

10º

10º

8:53,6 + 7,6 + 16,1 + 19,2 + 29,6 + 29,6 + 32,0 + 34,8 + 35,4 + 42,5

8:10,5 + 4,5 + 10,0 + 16,3 + 33,0 + 37,0 + 1:03,2 + 1:23,8 + 1:57,2

R. Tabaio M. Marreiros L. Nunes P. Leone J. Ruivo P. Santos J. Soares J. Martins G. Antunes M. Cid

A. Lopes R. Moura P. Meireles C. Martins P. Neto D. Gago J. Bernardes A. Neves M. Reis V. Calisto

8:24,2 + 20,1 + 30,6 + 43,9 + 45,3 + 51,4 + 54,4 + 56,5 + 59,6 + 59,6

POS

POS

TEMPO

R. Teodósio P. Leone M. Marreiros P. Lança R. Tabaio P. Santos L. Nunes J. Santos G. Antunes J. Martins

TEMPO

TEMPO

PILOTO

PILOTO

PILOTO

R. Teodósio 9:36,4 P. Leone + 15,2 L. Mota + 33,5 P. Lança + 37,4 M. Marreiros + 39,1 L. Nunes + 47,9 R. Tabaio + 52,1 J. Martins + 55,9 P. Santos + 59,5 E. Antunes + 1:00,4

PEC 2 – FÓIA 1 POS

PEC 5 – FÒIA 2

PEC 8 – FÓIA 3

TEMPO

POS

POS

PILOTO

PEC 3 – MONCHIQUE 1

PILOTO

PEC 6 – MONCHIQUE 2 TEMPO

A. Lopes 8:13,9 R. Moura + 1,8 P. Meireles + 3,9 M. Barbosa + 24,6 D. Gago + 28,6 P. Neto + 38,4 J. Bernardes + 52,2 C. Martins + 1:07,9 A. Neves + 1:27,8 M. Reis + 1:48,9 PILOTO

PEC 1 – CHILRÃO 1 TEMPO

PEC 4 – CHILRÃO 2

PEC 7 – CHILRÃO 3 POS

PILOTO

POS

PEC 5 – FÒIA 2 POS

OPEN

2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º

PILOTO

TEMPO

P. Leone 9:54,4 L. Nunes + 14,3 M. Marreiros + 18,3 M. Cid + 19,2 P. Santos + 39,1 J. Soares + 41,9 J. Ruivo + 46,3 G. Antunes + 49,4 J. Castela + 1:04,5 M. Gonçalves + 1:25,8

PEC 8 – FÓIA 3 POS 1º 2º 3º 4º 5º

6º 7º 8º 9º 10º

PILOTO

TEMPO

P. Leone 8:51,7 M. Marreiros + 2,4 L. Nunes + 18,2 M. Cid + 30,8 J. Soares + 34,6 G. Antunes + 35,8 P. Santos + 50,5 J. Castela + 1:05,1 M. Gonçalves + 1:19,9 J. Ruivo + 2:10,4


Nº 10 – DEZEMBRO 2013

Circuito Outono/Estoril

Despiste na 1ª volta deixa de fora alguns favoritos

A habitual festa de encerramento do Todo-o-Terreno nacional teve como palco Fronteira e já celebres 24 Horas/Vodafone. Com muito frio, mas com o sol a afastar a lama presente em algumas das últimas edições, o lote de candidatos era grande, encabeçados pela equipa vencedora do ano passado, onde figurava o famalicense Paulo Marques.

Cedo se percebeu que seria a equipa da Vodafone, liderada por José Pedro Fontes e pelo campeão de TT, Miguel Barbosa, aquela que teria mais argumentos, com Fontes a rubricar o recorde do traçado logo nos treinos cronometrados. Ainda que estas provas não se decidam tanto pela rapidez, o mote estava lançado e só mesmo um azar mecânico poderia relançar os dados. Se é verdade que provas de longa duração não se decidem nos treinos, também é comum não serem as primeiras voltas a ditaram o seu desfecho, mas em Fronteira tudo é possível e viria mesmo a ser durante a volta inaugural que uma violento despiste deixou de fora uma série de candidatos. Entre eles, Paulo Marques, que culminava assim um fim de semana para esquecer, já depois de nos treinos não ter ido além de um lugar fora do Top-20. Aos comandos de um MMP Evo 2, o piloto de Famalicão não evitou o embate num carro que já se tinha despistado e viu depois atrás de si outros concorrentes baterem em cadeia. Num total de oito carros envolvidos, o abandono era inevitável para Paulo Marques e ainda para uma equipa de famalicenses, nomeadamente da família Reis, com Avelino, Tiago e Edgar Reis, também eles no meio do embate, que deixava a Renault Scenic em mau estado. CLASSIFICAÇÃO FINAL POS

PILOTO

CARRO

TEMPO

A. Coimbra/L. Silva/J. P. Fontes/M. Barbosa/N. Clerget

JMS BMC-EV2

110 voltas, em 24h02m00,9s

F. Florentin/P. Lamic/A. Garden/P. Silveira/F. Lavilhé

BMC RR 2M

a 4 voltas

S. Vincendeau/G. Serazin/P. Tollemer/G. Patrick

Propulsion ORYX

a 7 voltas

F. Cuisinier/A. Combier/A. Passemard

Toyota KDJ 95

a 9 voltas

J. Rato/F. Serra/C. Pinto/P. Pinto

Mazda BT-50

a 11 voltas

P. Santos/A. Marques/Elisa Marques/M. Gameiro

Nissan Navara

a 53 voltas

(…) 53º

Classificaram-se 58 concorrentes


Nº 10 – DEZEMBRO 2013

Circuito Outono/Estoril

Lá na frente tudo tranquilo para a equipa Vodafone, que para além de José Pedro Fontes e Miguel Barbosa, contava com António Coimbra, Luís Silva e o francês Nicolas Clerget. Com um JMS BMC-EV2 muito bem preparado e sem problemas mecânicos de maior, a equipa teria na equipa luso-francesa de Mário Andrade os maiores adversários, mas o abandono destes facilitaria ainda mais o caminho para a vitória, até porque foram estas as únicas que se mantiveram na liderança. Cumpridas as 24 horas da prova, seriam 4 as voltas de diferença para os 2ºs classificados, um BMC RR, tripulado por François Florentin, Paul Lamic, Anthony Garden, Pedro Silveira e Francis Lavilhé. Os franceses estiveram em bom plano, uma vez mais, ocupando ainda o lugar mais baixo do pódio por intermédio de Sebastien Vincendeau, Gaetan Serazin, Philippe Tollemer e Guillaume Patrick, eles que conduziram um protótipo ORYX. Ao volante de uma Mazda BT-50, os 5ºs classificados foram a melhor equipa totalmente nacional, com João Rato, Filipe Serra, Carlos Pinto e Paulo Pinto. Contornando os contratempos da melhor forma, a equipa foi subindo na tabela gradualmente, embora já a uma distância de duas voltas para os 4ºs classificados, o Toyota liderado por Frank Cuisinier. Nas 58 equipas que lograram terminar esta dura maratona, referência para as prestações da famalicense Elisa Marques, que incluída numa equipa totalmente feminina, terminou na 53ª posição. Os restantes pilotos de Famalicão não seriam classificados, curiosamente todos em Nissan Navara e com problemas na bomba de combustível, uma situação que causou algum desconforto, uma vez que esse mesmo problema teria origem no gasóleo fornecido no local. Exceção feita à equipa Competisport, composta por José Janela/José Santos/Filipe Silva, que conduziram um Suzuki Jimny, mas também não chegavam ao fim, com um rolamento de uma roda a ditar esse desfecho.

#1 – Paulo Marques

#37 – Avelino Reis/Tiago Reis/Edgar Reis

#38 – Luís Silva/Rui Fernandes/Hugo Andrade/Vítor Pereira

#47 – Miguel Jorge Barbosa

#58 – Luís Barros/Vasco Barros

#38 – José Janela/José Santos/Filipe Silva

#86 – Nuno Branco

#87 – Elisa Marques

Os vencedores por categoria: T1 – S. Vincendeau/G. Serazin/P. Tollemer/G. Patrick (Propulsion ORYX) T2 – D. de Lorenzo/A. de Lorenzo/L. Cenzi (Toyota Land Cruiser) A – A. Santos/J. Amado/R. Santo (Nissan Navara) B – G. Antunes/J. Ramos/D. Correia/C. Santos (Opel Astra) C – J. Rato/F. Serra/C. Pinto/M. Pinto (Mazda BT-50) E – A. Coimbra/L. Silva/J. P. Fontes/M. Barbosa/N. Clerget (JMS BMC-EV2)


Nº 10 – DEZEMBRO 2013

Classificações FPAK

O balanço da classificação final nos campeonatos

CLÁSSICOS Luís Barros

1º CP Clássicos – Categoria 4/Clássicos 81

Vasco Barros

3º Taça Nacional de Clássicos Pós-Históricos – Categoria 2/PH90 3º Troféu Nacional de Baixa Cilindrada (TNBC)

MONTANHA Tiago Reis

1º CP Montanha – Absoluto 2º CP Montanha – Categoria 2

Martine Pereira

9º CP Montanha – Absoluto 9º CP Montanha – Categoria 1

Luís Silva

12º CP Montanha – Absoluto 4º CP Montanha – Categoria 1

Edgar Reis

16º CP Montanha – Absoluto 10º CP Montanha – Categoria 1

VELOCIDADE Manuel Oliveira

Manuel Barros

7º Super Stock – E3

4º Desafio Único – FEUP 2

César Machado

Vasco Barros

6º CP Sport Protótipos – CN 25º Desafio Único – FEUP 2

6º Desafio Único – FEUP 2


Nº 10 – DEZEMBRO 2013

Classificações FPAK

RALIS - PILOTOS Miguel Barbosa 5º CP Ralis – Absoluto 1º CP Ralis – Produção

João Ruivo

2º Open de Ralis – 2RM 2º Desafio Modelstand

Mariana Carvalho

18ª Open de Ralis – 2RM 1ª Open de Ralis – Equipa Feminina

Bruno Costa

1º Regional de Ralis/Norte

RALIS – NAVEGADORES Vasco Ferreira

4º CP Ralis – Absoluto 2º CP Ralis – Produção

Alberto Silva

6º CP Ralis – Absoluto 1º CP Ralis – Produção

Paulo Marques

11º CP Ralis – Absoluto 5º CP Ralis – Turismo 2º CP Ralis 2L/2RM – Absoluto 2º CP Ralis 2L/2RM – Até 1600cc

José Janela

12º CP Ralis – Absoluto

Hugo Pinheiro

12º Open de Ralis – 2RM

Guilherme Pereira

13º CP Ralis – Absoluto 9º CP Ralis – Turismo 7º CP Ralis 2L/2RM – Absoluto 4º CP Ralis 2L/2RM – 1601/2000cc 15º Open de Ralis – 2RM

Rui Raimundo

5º CP Ralis 2L/2RM – Absoluto 3º CP Ralis 2L/2RM – 1601/2000cc

João Peixoto

2º Open de Ralis – 2RM 2º Desafio Modelstand

Sérgio Rocha

25º Open de Ralis – 2RM 11º Desafio Modelstand

João Aguiar

20º Open – 2RM


Nº 10 – DEZEMBRO 2013

Multimédia / Últimas / Agenda

Assista aos melhores vídeos do desporto motorizado famalicense. Basta clicar na imagem e sinta toda a adrenalina!

RALI CASINOS DO ALGARVE by rallymania

ACIDENTE 24H FRONTEIRA by A2comunicação

CAM RALLY FESTIVAL

by bunnings

A FECHAR Decorre nos próximos dias 14 e 15 de dezembro, no Circuito de Braga, as habituais 6h de Braga, prova que faz cair o pano na velocidade nacional. Destinadas aos Clássicos, a prova minhota atrai, geralmente, um bom número de concorrentes, juntando alguns dos participantes no Campeonato de Portugal de Clássicos, bem como vários pilotos que aparecem esporadicamente e aproveitam esta festa de final de temporada para tirarem os seus carros da garagem. Paralelamente e, tal como nos últimos anos, também o Desafio Único estará presente, para uma prova de resistência de 4h, onde estarão em pistas os três carros desta competição monomarca (Alfa Romeo 156, Fiat Punto e Fiat Uno). O dia 14 (sábado) está destinado à prova do Desafio Único e treinos para as 6h, ficando a corrida para domingo, com início marcado para as 10h.

O fim do ano está aí a chegar, mas durante largos anos, a passagem de ano tinha um colorido especial no seio dos desportos motorizados. Dia 1 de Janeiro em Paris, significava partida para a grande aventura do Dakar e a festa fazia-se a dobrar. Paulo Marques foi um dos grandes nomes da prova que abria a temporada e representava um duro desafio para pilotos e máquinas. O famalicense estreou-se em 1994, abandonando, mas no ano seguinte termina o seu primeiro Dakar em 15º e ficaram gravados momentos como este, com Bernardo Vilar.


Famalicão Motor nº10 - Dezembro 2010  

Edição nº10 Dezembro 2013

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you