Page 1


Almanaque das Olimpíadas

e Paraolimpíadas O Brasil de Oportunidades

Unigest Propaganda Ltda Brasília 2016


Almanaque das Olimpíadas e Paraolimpíadas - O Brasil de Oportunidades - Edição especial do Anuário Brasileiro de Economia, Turismo e Meio Ambiente. Editor e jornalista responsável Paulo Fayad André MTB / 8873 Diretora Editorial Drª Deijanete de Araújo Fayad Autor Paulo Fayad André Jornalistas Ana Beatriz Chacur Paula Lopes Pereira

Agradecimentos À SECOM - Governo Federal, aos patrocinadores, apoiadores e a todos que de uma forma ou de outra colaboraram para a realização desta obra. Os artigos assinados não expressam necessariamente o pensamento da Editora VOZ DE BRASÍLIA e são de responsabilidade de seus autores. Alguns ARTIGOS, CARTAS, ANÚNCIOS INSTITUCIONAIS e MATÉRIAS de cunho social ou filantrópico enviados com assinatura à Editora VOZ DE BRASÍLIA foram, ao seu critério, selecionados e resumidos para publicação sem custo para seus autores. É permitida a reprodução de dados e de informações contidos nesta publicação, desde que citada a fonte, com exceção do material fotográfico, cuja liberação deverá contar com a anuência de seus respectivos detentores dos direitos autorais.

Reportagem/Entrevista Anna Carolina Laurindo da Silva

Todo o conteúdo textual do livro poderá, a critério da Editora Voz de Brasília, sofrer correções ortográficas e de coesão para melhor adequá-lo ao estilo e público da obra.

Projeto Gráfico Editora Voz de Brasília

Todos os direitos reservados à Editora VOZ DE BRASÍLIA SGCV. Lote 15, Bloco C, Sala 404, Edifício Jade Home Office, Park Sul Brasília - DF - CEP 71215-650 Tel: +55 (61) 3361-0183 / 3036-3636 / 3039-3333 www.vozdebrasilia.com.br paulofayad@gmail.com

Diagramação Fábio Rodrigues de Souza Capa Fábio Rodrigues de Souza Fotografia A. Ricardo/Shutterstock, Alex Ferro, Alexandre Loreiro,André Motta, Cahê Mota, Ch. Du. Houx, Comitê Olímpico do Brasil, COI, Danilo Borges, Ericsson Racing Team, Felipe Frazão, Flávio Florido, Francisco Medeiros, Gabriel Heusi, Getty Images, Henrique Licht, Ismar Ingber, Ministério do Esporte, Miriam Jeske/ Heusi Action, Paul Daniels, Photo Edward, Rafael Bello/ Acervo COB, Renato Sette Câmara, Roberto Castro, Roberto Stuckert Filho/PR, Satiro Sodré, Sebastião Wolf, Ververidis Vasilis/Shutterstock, Vitaly Raduntsev, Wander Roberto, voluntários e arquivos Voz de Brasília. Revisão de Texto Márcia Batista Tradução Português/Inglês Alexandre Stella Pires Impressão Gráfica Ipiranga.

DADOS INTERNACIONAIS DE CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO (CIP) (CÂMARA BRASILEIRA DO LIVRO, SP, BRASIL)

André, Paulo Fayad Almanaque das Olimpíadas : o Brasil de oportunidades / Paulo Fayad André ; [tradução português/inglês Alexandre Stella Pires]. - Brasília : Unigest Propaganda, 2016. Vários colaboradores. Ed. bilíngue: português/inglês. Bibliografia. ISBN 978-85-63780-02-7 1. Esportes - Competições 2. Esportes - Rio de Janeiro (RJ) 3. Jogos olímpicos - Rio de Janeiro (RJ) 4. Jogos paralímpicos - Rio de Janeiro (RJ) 5. Olimpíadas - Brasil - História I. Título. 16-03362

CDD-796.480981

Índices para catálogo sistemático: 1. Brasil : Jogos olímpicos : Esportes : História 796.480981 2. Brasil : Olimpíadas : Esportes : História 796.480981


A

gradecemos a Deus, porque sem a ajuda Dele nada seria possível, mas agradecemos principalmente você, caro leitor, que está conosco nesta jornada da história dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, viajando pelo tempo e relembrando fatos marcantes, atletas que deixaram saudade e conquistaram grandes e memoráveis medalhas, além de um panorama detalhado de como foi o Rio 2016. We thank God, because without His help nothing would be possible, but we thank especially you, dear reader, who is with us on this journey of the history of the Olympic and Paralympic Games, traveling through time and remembering important facts, athletes who have left longing and conquered large and memorable medals, as well as a detailed overview of how will be the Rio 2016.


Índice Capítulo

1

Capítulo

2

13 História History

Capítulo

5

117

Capítulo

6

Cidades sede da Olimpíada Rio 2016

179 Rio 2016 Rio 2016

2016 Olympic

57

Games Host Cities

Primeira Participação do Brasil nas Olimpíadas Brazil’s First Participation in the Olympic Games

Capítulo

3

69 O Brasil

nas Olimpíadas Brazil in the Olympic Games

Capítulo

4

93 Atletas

Símbolos das Olimpíadas Olympic Games’ Symbol Athletes

301

Cerimônia de abertura da Olimpíada Rio 2016

319

Modalidades

337

Medalhistas

357

Classificação Geral

367

Legado da Olímpiada

367

Cerimônia de Encerramento

379

Paralimpíadas


Editorial

U

m delicioso passeio pela história dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. É assim que definimos este almanaque. Assim como tivemos muito prazer em produzir, esperamos que também aprecie a leitura, que começará com a história dos jogos, passando pela sua evolução, as participações do Brasil, alguns atletas que fizeram história e claro, a preparação do Rio 2016 e todas as cidades-sede, mas principalmente mostraremos todos os detalhes de como foi este grande evento no Brasil e quais os atletas que se destacaram. Desde sua primeira edição na Era Moderna, em 1896, em Atenas, até Londres, em 2012, os Jogos Olímpicos cresceram ao ponto de se transformarem no maior evento do planeta e único capaz de reunir delegações de mais de 200 países em uma mesma cidade. Para se ter uma ideia da força dos Jogos na atualidade, nem mesmo a Organização das Nações Unidas (ONU) consegue agregar tantas nações. Sem dúvida cada Capítulo daria um livro, mas tentamos resumir e trazer para você as informações mais importantes. Assim como os atletas símbolos das Olimpíadas, que existem muitos e claro, todos merecem estar aqui. Entretanto, não teríamos espaço suficiente para contar a trajetória e medalhas de cada um deles, por isso fizemos uma votação e, levamos em consideração o número de vitórias que cada um trouxe para o Brasil. Aproveito também este editorial para tirar uma dúvida, de você, leitor: afinal, o correto é: “Jogos Olímpicos”, “Olimpíadas” ou “Olimpíada”? A verdade é que as três formas estão corretas e caíram no uso popular. Mas até bem pouco tempo, especialistas em História dos Jogos Olímpicos, batiam o martelo para que fosse usada a expressão “Jogos Olímpicos”. Assim como existe também a dúvida se a forma correta é “paralimpíada” ou “paraolimpíada”. A questão vai muito além do certo ou errado, graças aos consideráveis avanços linguísticos no Brasil e no mundo. Enfim, a contagem regressiva e expectativa para os jogos foi linda, o percurso da tocha foi maravilhoso, assim como as cerimônias de abertura e encerramento, tanto da olímpiada quanto da paralimpíada, mas principalmente os atletas brasileiros, que brilharam e deixaram um legado lindo para o esporte nacional. Por falar em legado, quem esteve na cidade do Rio de Janeiro pôde conferir de perto todas as benfeitorias feitas, que vão muito além do transporte. E assim encerro por aqui, para deixar você desfrutar deste grande passeio pelos jogos, que fizemos com muito carinho. Fique com Deus.

Paulo Fayad Editor Editorial A delightful trip through the history of the Olympic and Paralympic Games. This is how we define this book. As we had such joy in producing it, we hope you also enjoy the reading, which starts with the history of the Games, passing through its evolution, Brazil’s participations, some athletes that made history and, of course, how is the preparation for Rio2016 and all host-cities. From its first Modern Era edition, in 1896, Athens, up to London in 2012, the Olympic Games grew to the point of becoming the planet’s greatest event and the only one capable of gathering delegations from over 200 countries in a single city. Just as an idea of the strength of the Games today, not even the United Nations (UN) is able to gather so many nations. There is no question that each chapter would provide for a book, but we have to summarize and bring you the most important information, and also athletes symbol of the Olympics, many and deserving to be here. However, we would not have sufficient space for talking about the trajectory and medals of each one of them, so we had a poll and considered the number of victories each brought to Brazil. I take this yearbook also to answer a reader’s question: so, the correct is: “Olympic Games”, “Olympics” or “Olympiad”? the truth is that the three forms are correct and became popular in their use. But until recently, specialist in Olympic Games history pointed towards the use of the expression “Olympic Games”. Thus, the countdown has already started and, after the Rio2016 Olympic and Paralympic Games we will see a legacy which shall make all Brazilians proud. And let the Games begin! I take the opportunity, also, to end with a statement from the great Baron de Coubertin, who adopted a motto that became world famous: “The important is not to win, but compete. And with dignity”. God bless you.


Marcelo Crivella

C

omo novo prefeito da cidade do Rio de Janeiro, fico extremamente orgulhoso em já assumir o cargo com tanto legado bonito deixado pelos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. Tivemos importantes mudanças em infraestrutura, economia, segurança, turismo e até mesmo em outras áreas. Mas algumas consequências menos palpáveis e igualmente relevantes fizeram da Rio 2016 um evento único. Algumas delas posso listar como: as trocas de experiência, os recordes batidos, os ganhos culturais, as mudanças de percepções, o “saber receber” e as oportunidades de transformar o Brasil por meio da prática esportiva, foram alguns dos legados intangíveis dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Por isso também fico muito orgulhoso em assinar essa publicação que, além de fazer uma viagem no tempo, mostrando desde a primeira edição na Era Moderna, em 1896, em Atenas, destaca como foi a Olimpíada na cidade maravilhosa. As cerimônias de abertura e encerramento, que foram espetáculos belíssimos e que impressionaram o mundo, nossos atletas que se destacaram, além dos atletas e acontecimentos durante os jogos. Mas ainda temos muito a fazer! Por isso, no meu governo, vamos ampliar um calendário de competições e brigar com outras cidades e até países para trazer o maior número possível de grandes eventos esportivos para a cidade. Temos que ter uma ocupação permanente desses espaços, até pelo dinheiro público que foi gasto na construção e também para ajudar os hotéis e pousadas a lotar. Com ajuda de todos quero construir uma cidade do Rio de Janeiro dos nossos sonhos. Gostaria ainda de aproveitar essa oportunidade para agradecer a todos e agradecer a Deus. Ninguém vence sozinho. A gente é apenas “aquele” que se elege um representante. Fiquem com Deus. Marcelo Crivella Prefeito do Rio de Janeiro (2017 a 2020). Marcelo Crivella As the new mayor of the city of Rio de Janeiro, I am extremely proud to take the post with so much beautiful legacy left by the Olympic and Paralympic Games. We have had important changes in infrastructure, economy, security, tourism and even in other areas. But some less palpable and equally relevant consequences have made Rio 2016 a unique event. Some of them I can list as: exchanges of experience, beaten records, cultural gains, changes in perceptions, “knowing how to receive” and opportunities to transform Brazil through sports practice were among the intangible legacies of the Olympic Games And Paralympic Games Rio 2016. That is why I am also very proud to sign this publication which, in addition to taking a trip back in time, showing from the first edition in the Modern Era in 1896 in Athens, highlights how the Olympics was in the wonderful city. The opening and closing ceremonies, which were beautiful spectacles that impressed the world, our outstanding athletes, as well as the athletes and events during the games. But we still have a lot to do! That is why in my government, we are going to expand a calendar of competitions and fight with other cities and even countries to bring as many great sporting events as possible into the city. We have to have a permanent occupation of these spaces, even for the public money that was spent on construction and also to help hotels and inns to fill. With the help of all, I want to build a city of Rio de Janeiro of our dreams. I would also like to take this opportunity to thank everyone and thank God. Nobody wins alone. We are just “the one” who elects a representative. Stay with God.

Foto: You Tube

Marcelo Crivella Mayor of Rio de Janeiro (2017 to 2020


Foto: KREOD Architecture


P E R N A M B U CO . D E S E N VO LV I M E N T O E M T O DA S A S D I R E ÇÕ E S .


Pernambuco não para de crescer. Grandes empreendimentos, como o Complexo de Suape, seguem a todo vapor. O Polo Automotivo da Jeep está promovendo uma verdadeira transformação na economia. Novas indústrias, de diversos segmentos, vêm gerando mais oportunidades, do Sertão ao Litoral. E com o Hub Azul, o estado se tornou o centro de conexões de voos da companhia no Nordeste. Com a atração de novos investimentos, estamos construindo um futuro cada vez melhor para os pernambucanos.

Operação Hub Azul » 64 voos diários para 24 cidades » Incremento de R$ 2,5 bilhões na economia » Expansão de 12,49% no PIB do turismo

Polo Automotivo da Jeep » 1ª fábrica da marca fora dos Estados Unidos » Produção de 250 mil veículos/ano

Polos de desenvolvimento » Polo de Tecnologia da Informação e Economia Criativa 250 empresas instaladas » Polo Cervejeiro Ambev, Brasil Kirin e Itaipava » Polo Gesseiro do Araripe 95% da produção nacional de gesso » Polo Energético Potencial para geração de 1.000GW de energia eólica

Complexo de Suape » Mais de 100 empresas em operação » Recordes sucessivos na movimentação de cargas » Melhor porto público do País


Capítulo

História Chapter 1 - History

1


Os grandes campeĂľes dessas disputas ganhavam uma coroa de louros e chegavam como verdadeiros herĂłis em suas respectivas cidades-estado. The great champions of these disputes gained a laurel wreath and arrived as true heroes in their respective city-states.

14


Foto: Reprodução

Uma História que vem de muito tempo

O

Olimpismo é baseado numa filosofia de vida que junta esporte, educação e cultura. Os valores de excelência, respeito e amizade ligam pessoas ao redor do planeta. Os Jogos começaram por volta de 776 a.C, em Olímpia, na Grécia. Este período marcou o início das disputas olímpicas que deram origem aos jogos de hoje. No início eles eram ligados a rituais religiosos, de culto a Zeus e, por conta do seu caráter sagrado, até as guerras paravam durante a competição, era a chama “trégua olímpica”. Assim se passaram 12 séculos com a ocorrência frequente dos jogos e, os ganhadores das competições eram aclamados como verdadeiros heróis e recebiam uma coroa de louros. Ao longo desses séculos, as disputas sucederam, sempre de quatro em quatro anos, até serem interrompidas durante o governo de Theodósio I. No ano 393 d.C., o imperador romano proibiu a realização, por considerá-la um ritual pagão. Muito tempo depois, o francês Barão Pierre de Coubertin, um grande entusiasta da educação através dos esportes, criou a noção moderna de Olimpismo, uma filosofia que coloca o esporte a serviço da humanidade. No dia 23 de junho de 1894, Coubertin criou o Comitê Olímpico Internacional (C.O.I). Aliás, é por isso que nessa data é comemorado o Dia Olímpico em todo o mundo. Dois anos depois, em 1896, a primeira edição dos Jogos Olímpicos da Era Moderna foi realizada em Atenas, na Grécia. O próprio Barão de Coubertin, criou em 1914 a maior representação dos Jogos Olímpicos. São eles os cinco anéis nas cores azul, amarelo, preto, verde e vermelha, unidos sobre o fundo branco, representam a união dos continentes e formam a Bandeira Olímpica. As cores foram escolhidas para garantir que todos os países do mundo tivessem pelo menos uma das cores de suas bandeiras nacionais representadas. Além dos Anéis Olímpicos, outros símbolos refletem os ideais do Movimento. O lema Citius, Altis, Fortius que em latim quer dizer, “mais rápido, mais alto e mais forte”, traz a essência da superação dos limites. A tocha é o elo entre os Jogos da Antiguidade e da Era Moderna. Já o fogo sagrado é considerado um elemento purificador. Depois de acessa em Olímpia, a chama passa por um revezamento que anuncia os Jogos e transmite uma mensagem de paz e amizade. Outros símbolos importantes são o Juramento Olímpico, que acontece desde Antuérpia, em 1920 e o hino, que foi criado na Grécia, na primeira edição dos Jogos e foi adotado pelo COI em 1958. Ele é executado em todas as cerimônias enquanto a bandeira Olímpica é hasteada. Já são quase cento e vinte anos desta nova etapa da história dos Jogos Olímpicos, que cresceram em importância esportiva e cultural. History / Olympic Games: History that comes from afar Olympism is based on a philosophy of life that gathers sports, education and culture. The values of excellence, respect and friendship connect people around the planet. The Games started at around 776 B.C, in Olympia, Greece. This period marked the onset of the Olympic disputes that originated today’s games. In the beginning they were connected to religious rituals, of adoration to Zeus and, due to their sacred character, even wars were interrupted during the competition, the so called “Olympic truce”. Thus 12 centuries passed with the frequent occurrence of the Games and, competition winners were acclaimed as true heroes and would receive a laurel wreath. Throughout these centuries, the disputes took place, always every four years, until being interrupted during Theodosius I government. In 393 B.C., the Roman emperor prohibited their realization for considering it a pagan ritual. A long time afterwards, French Baron Pierre de Coubertin, a great enthusiast of education through sports, created the modern notion of Olympism, a philosophy that places sports at the service of human kind. On 23 of June of 1894, Coubertin created the International Olympic Committee (I.O.C.). Incidentally, this is why Olympic Day is celebrated then all over the world. Two years after, in 1896, the first edition of the Modern Era Olympic Games was held in Athens, Greece. Baron de Coubertin, himself, created in 1914 the most important representation of the Olympic Games. They are the five rings in the colors blue, yellow, black, green and red, united over a white background, representing the union between the continents and making up the Olympic Flag. The colors were chosen so as to guarantee that all countries of the world had at least one of their national flag’s colors represented. Besides the Olympic Rings, other symbols reflect the Movement’s ideals. The motto Citius, Altis, Fortius which in Latin means “faster, tallest and strongest” brings the essence of overcoming limits. The torch is the link between the Games from Antiquity and those from the Modern Era. The sacred fire is considered a purifying element. After being lit in Olympia, the flame undergoes a relay announcing the Games and conveying a message of peace and friendship. Other important symbols are the Olympic Oath, that takes place since Antwerp, in 1920, and the Anthem, created in Greece, on the first edition of the Games and adopted by the IOC in 1958. It is performed in all ceremonies while the Olympic Flag is hoist. Almost one hundred and twenty years have gone in this new stage of the Olympic Games history, which grew in sport and cultural importance.

15


Em meio a tudo isso, em 1960, aconteceu em Roma, na Itália, a primeira edição dos Jogos Paraolímpicos ou Paralímpicos, envolvendo atletas com deficiências físicas, de modalidade, amputações, cegueira ou paralisia cerebral, além de deficientes mentais. E os Jogos de Barcelona, em 1992, representaram um marco para o evento, já que pela primeira vez os comitês organizadores dos Jogos Olímpicos (Comitê Olímpico Internacional – C.O.I) e Paralímpicos (Comitê Paralímpico Internacional – C.P.I) trabalharam juntos. São vinte e sete modalidades que compõem o programa dos Jogos Paralímpicos, sendo que vinte e cinco já foram disputados e duas estrearam na edição de 2016 dos Jogos. Já para os Jogos Olímpicos, foram quarenta e dois esportes, incluindo duas novas modalidades: golfe e rugby.

Hoje são disputadas edições de verão e de inverno. Sem falar que em 2010, aconteceram os primeiros Jogos Olímpicos da Juventude, em Cingapura. Dois anos depois, veio a primeira edição de inverno, realizada em Innsbruck, na Áustria. Somando tudo isso, já são cinquenta edições. Na primeira, em Atenas, eram apenas cerca de 240 atletas, de 14 países e 9 esportes. Em Londres, em 2012, foram aproximadamente 10.500 competidores, de 204 nações e 26 esportes. Os últimos Jogos de inverno aconteceram em 2014, em Sochi, na Rússia. E agora, em 2016, chegaram à América do Sul pela primeira vez, no Brasil, no Rio de Janeiro!

Amidst all this, in 1960 in Rome, Italy, the first edition of the Paralympic Games was held, involving athletes with physical disabilities, modalities, amputations, blindness or cerebral palsy, besides the mentally impaired. And the Barcelona Games, in 1992, represented a mark for the event, as for the first time the Olympic Games (International Olympic Committee – I.O.C.) and Paralympic Games (International Paralympic Committee – I.P.C.) organizing committees worked together. There are twenty-seven modalities composing the Paralympic Games program, with twenty-five already played and two that will debut in the 2016 edition of the Games. For the Olympic Games, there will be forty-two sports, including two new modalities: golf and rugby. Presently the Summer and Winter editions are held, without mentioning that in 2010 the first Youth Olympic Games, in Singapore. Two years later, the first Winter edition was held in Innsbruck, Austria. Adding all that, there were already held fifty editions. On the first, in Athens, there were about 240 athletes, from 14 countries and 9 sports. In London, 2012, there were approximately 10,500 competitors, from 204 nations and 26 sports. The last Winter Games took place in 2014, in Sochi, Russia. And now, in 2016, they arrive in South America for the first time, in Brazil, Rio de Janeiro! It will be a huge party with memorable celebrations. Foto: Ververidis Vasilis/Shutterstock

Atriz representando uma Alta Sacerdotisa, recebendo a chama olímpica durante a cerimônia de acendimento da tocha dos Jogos Olímpicos de Londres em 2012 em Olympia antiga. Actress representing a High Priestess, receiving the Olympic flame during the torch lighting ceremony of the London Olympic Games in 2012 in Ancient Olympia.

16


Foto: Reprodução

Primeira edição dos Jogos Olímpicos em Atenas

Foto: Reprodução

First Olympic Games in Athens

Em 1986 os Jogos Olímpicos foram retomados em Atenas

Foto: Reprodução

In 1986 the Olympic Games resumed in Athens

A emocionante prova dos 100 metros rasos: disputa pacífica entre nações The exciting the 100 meter dash: peaceful dispute between nations

17


Na GrĂŠcia Antiga, os gregos consideravam o fogo um elemento divino. In ancient Greece, the Greeks considered fire a divine element

18

Foto: Roberto Castro/brasil2016.gov.br


Tocha Olímpica

Quando falamos sobre a Tocha Olímpica ela tem um significado muito maior do que podemos imaginar, afinal, é uma história de quase três mil anos. Na Grécia Antiga, os gregos consideravam o fogo um elemento divino e mantinham chamas acesas em frente a seus principais templos – como o santuário de Olímpia, palco dos Jogos Olímpicos da Antiguidade – meses antes do início dos jogos. Para assegurar sua pureza, as chamas eram acesas por meio de uma “skaphia” – espécie de espelho côncavo que converge os raios do sol para um ponto específico e, para manter a tradição, esse ritual é realizado até hoje, nos mesmos moldes que antigamente. De 90 a 100 dias antes de cada edição dos Jogos, a chama Olímpica é acesa nas ruínas do Templo de Hera, na cidade de Olímpia, na Grécia. O cenário original é recriado para a solenidade, com mulheres caracterizadas como “saccomo sacerdodistas”, para acender a chama. É o elo entre os Jogos da Antiguidade e os Jogos da Era Moderna. Uma vez acesa, a chama é conduzida por meio de tochas, em um grande revezamento, até a cidade-sede dos Jogos. Na era moderna, a tocha é usada desde a edição de 1936, em Berlim. Na rota, uma série de festividades anuncia a chegada do evento. O revezamento termina com o acendimento da pira Olímpica na cerimônia de abertura, onde também será apagada na cerimônia de encerramento. Durante o percurso a Tocha é transportada por atletas e cidadãos comuns até o local da cerimônia de abertura. A cada edição, a cidade-sede cria a sua própria Tocha, que ganha novos desenhos e formas.

Olympic torch Speaking about the Olympic Torch, it has a much higher meaning than we can imagine, after all, this is almost a 3,000-year history. In Ancient Greece, the Greeks considered fire as a divine element and kept flames lit in front of their main temples – such as the Olympia sanctuary, stage for the Ancient Olympic games – months before the start of the Games In order to assure its purity, the flames were lit through a “skaphia” – type of concave mirror that converges sun rays to a specific point and, so as to maintain tradition, this ritual is performed until today as in ancient times. Around 90 to 100 days prior to each of the Games edition, the Olympic flame is lit at the Temple of Hera ruins, in the city of Olympia in Greece. The original scenario is recreated for the solemnity, with women characterized as “Saccomo priestesses”, to light the flame. It is the link between the Ancient games and the Modern Era Games. Once lit, the flame is conducted by torches in a huge relay up to the Games host city. In the modern era the torch has been used since the 1936 edition, in Berlin. In the route, a series of festivities announce the coming of the event. The relay ends with the lighting of the Olympic Pire at the opening ceremony; it will also be extinguished in the same place at the closing ceremony. During the trajectory the Torch is transported by athletes and common citizens to the opening ceremony venue. At each edition, the host city creates its own Torch, which gains new designs and shapes.

19


Foto: Roberto Castro/brasil2016.gov.br

Na GrĂŠcia Antiga, os gregos consideravam o fogo um elemento divino. In Ancient Greece, the Greeks considered fire as a divine element.

20


21


The original scenario is recreated for the solemnity, with women characterized as “Saccomo priestesses”, in order to light the flame

22

Foto: Roberto Castro/brasil2016.gov.br

O cenário original é recriado para a solenidade, com mulheres caracterizadas como “saccomo sacerdodistas”, para acender a chama


Foto: Roberto Castro/brasil2016.gov.br

Cerimônia de entrega da tocha olímpica ao Brasil, no estádio Panatenaico, em Atenas, na Grécia. Ceremony of delivery of the Olympic Torch to Brazil at the Panathenaic Stadium, in Athens, Greece.

Tudo isso representa um elo entre os Jogos da Antiguidade e os Jogos da Era Moderna. A competição entre os melhores atletas do mundo, confraternização entre os povos e, acima de tudo, a grande festa do esporte. A cerimônia para acender a tocha dos Jogos Olímpicos do Rio, aconteceu na Grécia, no dia 21 de abril de 2016, há exatos 95 dias do início dos jogos. Atrizes com figurino similar ao da Grécia antiga invocaram no templo de Hera (de 2.600 anos) o Deus Apolo, antiga divindade do sol. A “grande sacerdotisa”, interpretada por Katerina

Lehou, famosa atriz grega, captou os raios solares através de um espelho, que os desviou para acender a chama. Depois, em uma lenta coreografia, Lehou acendeu a tocha dos Jogos do Rio-2016, que teve como primeiro atleta do revezamento o ginasta grego Leftheris Petrounias, que a passou após alguns minutos ao ex-jogador de vôlei Giovane Gávio (dono de duas medalhas de ouro olímpicas, Barcelona-1992 e Atenas-2004). De lá a Tocha Olímpica percorreu mais de 20 mil km por terra, passou por aproximadamente 300 cidades e pelas mãos de 12mil condutores.

All this represents a link between the Ancient Games and the Modern Era Games, a competition between the world’s best athletes, gathering of peoples, and above all, a great sports festivity. The Rio Olympic Games torch lighting ceremony took place in Greece on 21 of April of 2016, at exact 95 days from the beginning of the Games. Actresses with costumes similar to those from Ancient Greece summoned at the Temple of Hera (2,600 years old) the god Apollo, ancient sun deity. The “great priestess”, played by Katerina Lehou, famous Greek actress, captured sun rays through a mirror which deviated them to light the flame. Afterwards, in a slow choreography, Lehou lit the Rio2016 Games torch, having as the first athlete on the relay Greek gymnast Leftheris Petrounias, who passed on the torch after a few minutes to former volleyball player Giovane Gávio (holder of two Olympic gold medals, Barcelona-1992 and Athens-2004). From there the Olympic Torch travelled over 20 thousand km by land, approximately 300 cities and through the hands of 12 thousand people. We will see more details of its path still in this chapter.

23


Foto: Roberto Castro/brasil2016.gov.br

A Tocha

Cada edição dos Jogos traz também uma Tocha para representar. Each edition of the Games also brings a Torch to represent it.

D

esde a edição de Berlim, em 1936, a Tocha Olímpica é usada como um símbolo ainda maior dos jogos. Já foram produzidas 18 Tochas, que são desenhadas por seus países sede dos Jogos Olímpicos, cada uma trazendo os símbolos que deseja passar. E claro, a nossa Tocha não ficou para trás, com cores, símbolos e até o Calçadão de Copacabana. Não faltam elementos de brasilidade na tocha dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Produzida de alumínio reciclado, a tocha tem como inovação o movimento automático realizado por suas linhas no momento de passagem da chama olímpica. O formato também foi cuidadosamente trabalhado para facilitar a pegada e a condução durante a maratona do revezamento, que contou com a participação de cerca de 12 mil pessoas, entre atletas, autoridades, personalidades e selecionados em concursos de patrocinadores. O desenho foi o resultado de um processo de seleção nacional com 76 inscritos que culminou na reunião de uma Comissão Julgadora multidisciplinar, formada por 11 membros reconhecidos por sua experiência na criação de produtos ou por seu destaque

24

no Movimento Olímpico. A comissão elegeu por unanimidade a agência de design Chelles & Hayashi, de São Paulo. A diretora de Marca do Comitê, Beth Lula, contou na época da divulgação para a imprensa que, para criar o desenho da Tocha do Revezamento dos Jogos Rio 2016, basearam-se no Espírito Olímpico, na natureza do nosso país, na diversidade harmônica e na energia do povo. “Utilizamos o traço específico da marca Rio 2016 para desenhar os seus contornos. Seus segmentos horizontais, uma vez abertos, revelam o céu, as montanhas, o mar e o solo representado pelo calçadão de Copacabana”, explicou Beth. Pode parecer meio óbvio, mas o processo tinha como objetivo fazer uma tocha que se parecesse com uma tocha – pois algumas edições dos jogos a “tocha” não se pareciam com uma. A equipe da agência selecionada foi buscar inspiração em fachos ancestrais, que eram feitos de palhas ou gravetos. Os estudos evoluíram até chegar ao produto final que terá 12.000 exemplares para levar a chama olímpica pelo país. O desenho final prioriza o conforto de quem carregá-la, tanto na textura quanto no local do encaixe

The Torch Since the Berlin edition, in 1936, the Olympic Torch is used as a greater symbol of the Games. 18 Torches have already been produced, designed by the Olympic Games host countries, each bringing symbols it desires to convey. Obviously, our Torch is not behind, with colors, symbols and even the Copacabana Boardwalk. There are plenty of elements representative of Brazil in the Rio2016 Olympic Games. Produced in recycled aluminum, the torch has as innovation the automatic movement performed by its lines when of the passing of the Olympic flame. The shape was also carefully designed so as to facilitate gripping and carrying during the relay marathon, which had the participation of 12 thousand people, from athletes, authorities, personalities and people selected in sponsor. The design resulted from a national selection process with 76 inscribed culminating with the meeting of a multidisciplinary Judging Commission, made up of 11 members recognized by their experience in the development of products or for their prominence in the Olympic Movement. The commission elected unanimously Chelles & Hayashi design agency, from São Paulo. The Committee’s Brand Director, Beth Lula, said at the time of the press conference that in order to create the design of the Torch for the Rio2016 Games Relay, they based themselves in the Olympic Spirit, in our country’s nature, in the harmonious diversity, and the people’s energy. “We used the specific feature of the Rio2016 brand to design its contours. Its horizontal segments, once open, reveal the


Foto: Alex Ferro/Rio 2016

da mão. A equipe trabalhou com peças prototipadas em diferentes materiais, mas o produto final será quase todo em alumínio reciclado, para diminuir o impacto ao meio ambiente causado durante a produção das tochas. Outro fator inovador foi o sistema de acendimento, que só funcionava após o giro de uma chave na parte de baixo da tocha que a faz expandir. Eram liberados, então, uma mistura de butano e propano para deixar a chama com cores bonitas. Quando o fogo carregado por um condutor se aproxima dessa mistura de gases acontece o “beijo”, e assim a chama olímpica foi transferida por todo o país com segurança – pois no instante do “beijo”, a tocha ganhava cores e movimento,

chegando a ficar 6,5 centímetros mais alta. Também foram feitos testes simularam ventos de até 120km/h, para evitar o imprevisto da flama apagar-se durante o percurso. O condutor também recebeu um breve treinamento sobre como manipular a tocha sem riscos por exemplo, pessoas com cabelos compridos foram instruídas a prendê-los. Também há na Tocha uma trava de segurança que impede a remoção do cilindro de gás e o acesso ao interior da tocha. Quando um condutor passava a chama adiante, sua tocha era imediatamente apagada e recolhida pela equipe do revezamento. Ela então retirava o gás que ainda havia, aciona a trava de segurança da manopla e disponibiliza a tocha livre de combustíveis.

sky, mountains, sea and land represented by the Copacabana Boardwalk”, explained Beth. It may seem obvious, but the process had as objective to develop a torch that would look like a torch – as in some editions of the Games the torch did not look like one. The team from the selected Agency sought inspiration in ancient torches, made of straws or sticks. Studies evolved until reaching the final products with 12,000 to take the Olympic flame through the country. The final design prioritizes comfort for those carrying it, as much in texture as on the gripping place. The team worked with prototyped parts in different materials, but the final product will be almost entirely in recycled aluminum, in order to decrease impact to the environment caused during the production of the torches. Another innovative aspect was the lighting system, which is only operational after the turning of a key in the inferior part of the torch which expands it, liberating a mix of butane and propane to provide beautiful colors to the flame. When the fire carried by a conductor nears such mix of gases, the “kiss” takes place, and as such the Olympic flame was transferred throughout the country in safety – as at the moment of the “kiss”, the torch gained colors and movement, reaching up to 6.5 centimeters higher. Tests were also performed simulating 120km/h winds so as to avoid the extinguishing of the flame during the trajectory. The conductor was also briefly trained in how to handle the torch without risks – for example, people with long hairs were instructed to tie them. The Torch also has a safety switch preventing the removal of the gas cylinder and access to the interior of the torch. When a conductor passed the flame ahead, his or her torch was immediately extinguished and collected by the relay team. The team then would remove the remaining gas, locked the grip safety switch and the torch is now free of fuels.

Evento de lançamento da Tocha Olímpica (julho/2015) Olympic Torch release event (July/2015)

25


Foto: Alex Ferro / Divulgação Rio 2106

Tochaparalimpica sede rio 2016

Foto: Alex Ferro / Divulgação Rio 2106

Torch Paralympic headquarters River 2016

Tochaparalimpica sede rio 2016 Torch Paralympic headquarters River 2016

26


Origem / Espírito Olímpico Sua origem, onde e como surgiu

C

Foto: Reprodução

ompetição entre os melhores atletas do mundo, confraternização entre os povos e, acima de tudo, a grande festa do esporte. Os Jogos Olímpicos – ou Olimpíadas – é um conjunto de provas esportivas de caráter mundial, disputada de quatro em quatro anos, em cidades escolhidas pelo Comitê Olímpico Internacional (C.O.I). É um dos mais importantes eventos do planeta, mobilizando populações de centenas de países e emocionando a todos com vitórias, recordes e histórias de superação. E desde quando existem esses jogos? É muito mais antigo do que podemos imaginar, existem registros que garantem o surgimento por volta de 2500 a.C – mas ainda não tinha este nome – como homenagem a Zeus, o maior dos deuses segundo a mitologia grega. Claro que de lá pra cá, muita coisa mudou, por começar pelo número de esportes, que eram apenas 5 e hoje já são 42, além das provas que eram exclusivamente masculinas e em outros moldes. Entretanto, os primeiros registros oficiais da existência dos Jogos datam de 776 a.C. No começo, a competição ocorria na Grécia, no Peloponeso, na confluência dos rios Alfeu e Giadeo, onde se ergueu a cidade de Olímpia que, a partir deste ano, cedeu seu nome para aquele que viria a ser a maior competição esportiva em toda história da humanidade, os Jogos Olímpicos, mais tarde, genericamente Olímpiadas. Participavam apenas os cidadãos livres, disputando provas de atletismo, luta, boxe, corrida de cavalo e pentatlo (que incluía luta, corrida, salto em distância, arremesso de dardo e de disco). Os vencedores eram recebidos como heróis em suas cidades e ganhavam uma coroa de louros. Mais tarde, os atletas se profissionalizam e passam a receber prêmios em dinheiro. Além da religiosidade, os gregos buscavam através dos Jogos Olímpicos a paz e a harmonia entre as cidades que compunham a civilização grega. Para disputar as competições esportivas, o evento era tão importante, que eram selados acordos de cessar-fogo e tréguas entre cidades inimigas antes da realização dos jogos. Mostra também a importância que os gregos davam aos esportes e a manutenção de um corpo saudável. No ano de 392 d.C., os Jogos Olímpicos e quaisquer manifestações religiosas do politeísmo grego foram proibidos pelo imperador romano Teodósio I, após converter-se para o cristianismo. Seu renascimento só aconteceu cerca de 1500 anos depois, graças aos esforços de um pedagogo e esportista francês, o barão Pierre de Coubertin, que viu no esporte e nos ideais Olímpicos gregos uma fonte de inspiração para o aperfeiçoamento do ser humano. A princípio, apenas homens eram admitidos na disputa, da qual passou a fazer parte, quase como um símbolo, uma homenagem perpétua dos Jogos à Grécia, a Maratona, corrida de fundo na distância de 42 quilômetros e 500 metros, a mesma percorrida por um soldado grego, que a correr levou até Atenas a notícia da vitória de seu exército na batalha Maratona, cidade da Ática, onde se combatiam os persas. Dada a notícia, caiu morto, tornando-se sinônimo da tenacidade. Por isso, a cidade de Atenas foi escolhida pelo Barão de Cobertin com muita propriedade para a retomada dos Jogos Olímpicos em 1896, passando a serem conhecidos como os Jogos da Era Moderna. Uma era que já não dava ao desporto o poder de interromper guerras, mas, ao contrário, era interrompido por elas. Nestes cem anos, o quadriênio olímpico silenciou seu toque de reunir nos anos de 1916, 1940 e 1944, durante a vigência das chamadas Primeira e Segunda Guerras Mundiais. Dos 13 países que participaram dos Jogos de 1896, em Atenas, aos 187 países e 10.788 atletas presentes em Atlanta, na 26ª Olimpíada da Era Moderna, mudaram conceitos, o amadorismo puro foi esquecido, o mercantilismo encontra cada vez mais espaço, os países investem milhões de dólares em suas delegações, os Jogos são a melhor vitrine que os participantes poderiam ter e a Barão Pierre de Couberti 27


Origin / Olympic Spirit: its origin, where and how it originated Competition between the best athletes in the world, confraternization between peoples and, above all, sport’s huge party. The Olympic Games – or Olympic Games – is a set of world sport competitions, played every four years, in cities chosen by the International Olympic Committee (I.O.C.). It is one of the most important events in the planet, mobilizing populations from hundreds of countries and moving all with victories, records and overcoming stories. And since when these games take place? They are much older than we can imagine. There are records that assure their appearance at around 2,500 B.C. – but it then had a different name – as a tribute to Zeus, the greatest of gods according to Greek mythology. Obviously, from then up to the present much has changed, starting with the number of sports, then only 5 and today already 42, aside from modalities exclusively for men and in other norms. However, the first official records of the existence of the Games date from 776 B.C. in the beginning, the competition took place in Greece, in the Peloponnese, at the confluence of the rivers Alpheus and Giadeo, where the city of Olympia stood and from that year on ceded its name to that which would become the greatest sport competition of the entire history of mankind, the Olympic Games, later more generically The Olympic Games. Only the free citizens would participate, competing in athletics, fighting, boxing, horse running and pentathlon (including fighting, running, long jump, javelin and disc throw). The winners were received as heroes on their cities and won a laurel wreath. Later the athletes became professionals and started receiving money prizes. Besides religiousness, the Greeks sought through the Olympic Games peace and harmony among cities composing the Greek civilization. In order to take part in the sport competition, the event was so important that cease fire treaties and truces were agreed between enemy cities before the Games would take place. This also shows the importance the Greeks gave to sports and a healthy body. In 392 A.D., the Olympic Games and any religious events were prohibited by Roman emperor Theodosius I, after converting himself to Christianism. Its rebirth only took place around 1,500 later, as result of efforts from a French pedagogue and sportsman, Baron Pierre de Coubertin, who saw in sports and Greek Olympic ideals a source of inspiration for the improvement of the human being.

28

Foto: Reprodução

máxima do Barão de Cobertin (Importante é competir, não vencer) está cada vez mais esquecida. Para Nelson Todt em seu livro Cerimônia dos Jogos Pan-Americanos 2007: uma avaliação a partir dos Paramêtros Olimpicos, defende que Coubertin acreditava que o Olimpismo como algo muito além de simples exercícios, mas como um complexo de participação, nos conduzindo à compreensão da Educação esportiva acessível para todos. Em 1924, foram criados também os Jogos Olímpicos de Inverno, realizados a cada quatro anos, no mesmo ano dos Jogos Olímpicos tradicionais. De 1994 para cá, passaram a acontecer de forma alternada. Outra importante inovação foi o surgimento dos Jogos Paralímpicos, em que competem atletas portadores de deficiências físicas, visuais ou mentais. A inspiração veio de 1948, quando Sir Ludwig Guttmann organizou, em Londres, uma competição envolvendo veteranos da II Guerra Mundial. Doze anos depois, a cidade de Roma recebia 400 atletas nos primeiros Jogos Paralímpicos da história. Desde então, o evento vem crescendo vertiginosamente.

A tenista inglesa Charlotte Cooper: atleta de importância na virada para o século XX, foi a primeira mulher a conquistar uma medalha olímpica. English tennis player Charlotte Cooper: important athlete at the onset of the 20th century, was the first woman to win an Olympic medal.

At first, only men were allowed in the dispute, of which became part, almost as a symbol, a perpetual homage of the Games to Greece, the Marathon, distance run with 42 kilometers and 500 meters in extension, the same covered by a Greek soldier that running brought to Athens the news of his army’s victory at the battle of Marathon, city in Attica, where they were fighting the Persians. News given, he dropped dead, becoming a symbol of tenacity. Thus, the city of Athens was chosen by Baron de Coubertin with much propriety for the resumption of the Olympic Games in 1896, now being known as the Modern Era Games. An era which no longer provided sports with the power of interrupting wars, but to the contrary, was interrupted by them. Over these one hundred years the Olympic quadriennium silenced in the years of 1916, 1940 and 1944, during the period of the so called First and Second World Wars. Of the 13 countries which took part in the 1896 Games in Athens, to the 187 countries and 10,788 athletes present in Atlanta, on the 26th Modern Era Olympic Games, concepts changed, pure amateurism was forgotten, mercantilism finds increasing space, countries invest millions of Dollars on their delegations, the Games are the best showcase participants could have, and Baron de Coubertin’s motto (Important is competing, not winning) is increasingly forgotten. For Nelson Todt in his book “Ceremony of the 2007 Pan-American Games: an analysis from the Olympic Parameters”, he defends that Coubertin believed in Olympism as something far beyond mere exercising, as a complex of participation, taking us to the comprehension of sports education accessible for all. In 1924, the Winter Olympic Games were also created, held every four years, on the same year as the traditional Olympic Games. From 1994 to the present, they started occurring alternately. Another important innovation was the appearance of the Paralympic Games, where athletes with physical, visual or mental disabilities. The inspiration came in 1948, when Sir Ludwig Guttmann organized in London a competition involving World War II veterans. Twelve years later, the city of Rome hosted 400 athletes in the history’s first Paralympic Games. Since then, the event has been vertiginously growing, with its last edition in Athens 2004, gathered 3,806 athletes from 136 countries. Presently, there are also the Paralympic Winter Games.


Símbolos Olímpicos representações do esporte Os Aros

I

nterligados sobre um fundo branco, nas cores azul, amarela, preta, verde e vermelha, os aros olímpicos foram idealizados em 1914 pelo Barão Pierre de Coubertin. Eles representam a união dos cinco continentes (Azul-Europa; Amarelo-Ásia; Preto-Africa; Verde-Oceania; Vermelho-América) e, pelo menos uma de suas cinco cores está presente na bandeira de cada um dos Comitês Olímpicos Nacionais vinculados ao COI. É a principal representação gráfica dos Jogos Olímpicos e a marca do próprio Comitê Olímpico Internacional. O símbolo do Comitê Olímpico Brasileiro une os aros olímpicos a uma representação da bandeira do Brasil. Os aros interligados simbolizam também o encontro dos atletas de todo o mundo durante os Jogos Olímpicos.

The Motto Citius, Altius, Fortius means, in Latin, “the fastest, the highest, the strongest”. This quote, created by Father Didon, Baron Pierre de Coubertin’s friend, serves as motto of the Olympic ideal and summarizes the posture an athlete needs to have in order to reach his or her objectives. Its essence is in overcoming limits, that is, more important than finishing first is exploring one’s own potential, giving his or her best and considering this a victory.

O Hino

C

riado na Grécia em 1896 pelo compositor Spirou Samara, com letra do músico Cositis Palamas, o Hino Olímpico foi adotado pelo COI em 1958. É executado em todas as cerimônias olímpicas oficiais, enquanto a bandeira olímpica é hasteada.

Olympic Symbols Representation of sports The Rings Interconnected over a white background, in blue, yellow, black, green and red the Olympic Rings were idealized in 1914 by Baron Pierre de Coubertin. They represent the union of the five continents (Blue – Europe; Yellow – Asia; Black - Africa; Green - Oceania; Red - America) and, at least one of its five colors is present in the flag of each of the National Olympic Committees linked to the IOC. This is the main graphic representation of the Olympic Games and the brand of the International Olympic Committee itself. The symbol of the Brazilian Olympic Committee joins the Olympic Rings to a representation of the Brazilian flag. The interconnected rings also symbolize the meeting of athletes from around the world during the Olympic Games.

O Lema

C

itius, Altius, Fortius significa, em latim, “o mais rápido, o mais alto, o mais forte”. Essa citação, criada pelo Padre Didon, amigo do Barão Pierre de Coubertin, serve como lema do ideal olímpico e resume a postura que um atleta precisa ter para alcançar seus objetivos. Sua essência está na superação dos limites. Ou seja, mais importante do que terminar em primeiro lugar é explorar o próprio potencial, dar o melhor de si e considerar isso uma vitória.

The Anthem Created in Greece in 1896 by composer Spirou Samara, with lyrics from musician Cositis Palamas, the Olympic Anthem was adopted by the IOC in 1958. It is performed in every official Olympic ceremony, while the Olympic Flag is hoisted.

O Juramento

The Oath Solemn commitment performed in public by the athletes and judges, the Olympic Oath occurs since the Antwerp Games in 1920. The text was modified in the Sidney Games, 2000, when it begun referring to the desire of competing without appealing to drugs. The present oath, presented during the opening ceremony, is as follows: “In the name of all the competitors, I promise that we shall take part in these Olympic Games, respecting and abiding by the rules which govern them, committing ourselves to a sport without doping and without drugs, in the true spirit of sportsmanship, for the glory of sport and the honor of our teams”. In the future, it is thought to insert the coaches into the oath.

C

ompromisso solene feito em público pelos atletas e juízes, o juramento olímpico acontece desde os Jogos de Antuérpia 1920. O texto foi modificado nos Jogos de Sidney 2000, quando passou a ter uma referência ao desejo de competir sem recorrer às drogas. O atual juramento, apresentado durante a cerimônia de abertura, é o seguinte: “Em nome de todos os competidores, prometo participar destes Jogos Olímpicos, respeitando e cumprindo com as normas que o regem, me comprometendo com um esporte sem doping e sem drogas, no verdadeiro espírito esportivo, pela glória do esporte em honra às nossas equipes”. Pensa-se, futuramente, em inserir os técnicos no juramento.

29


VIVER É UMA GRANDE CONQUISTA AJUDE MAIS PESSOAS A SEREM VENCEDORAS

Renato Incau, transplantado de coração, atleta de ciclismo

Proporcionar a outras pessoas a chance de continuar levando uma vida saudável e cheia de novas vitórias é algo que todos podemos fazer ao nos tornarmos doadores de órgãos. Uma decisão que demonstra amor e respeito pela maior de todas as conquistas: a vida. O SUS é o maior programa público de transplantes do mundo e ajuda cada vez mais pessoas a serem vencedoras. Assim como o Renato Incau, atleta transplantado de coração.

Seja doador de órgãos. Avise à sua família.

Seja doador de órgãos e avise à sua família. www.saude.gov.br/doeorgaos • #doeorgaos

30

O SUS é o maior programa público de transplantes do mundo.

MINISTÉRIO DA SAÚDE


Grandes acontecimentos após cada Olimpíada, o mundo nunca mais é o mesmo

A

s cerimônias de Abertura dos Jogos Olímpicos já representam um espetáculo e grande acontecimento, tanto para a cidade-sede, quanto para o mundo. Aliado aos elementos culturais propostos pelos países que organizam os jogos, reflete os valores e experiências de cada país sede. Em 1896, em Atenas, durante os primeiros jogos da Era Moderna, o rei declarou abertos os jogos com uma notória declaração: “ Eu declaro aberto os primeiros jogos olímpicos da era moderna.” Já a abertura dos jogos em 1908, em Londres, a parada dos atletas ganhou um aspecto distinto: todos os atletas, menos os americanos, desfilaram com seus uniformes,

carregando as bandeiras de seus respectivos países. Nos jogos seguinte, em 1912 em Estocolmo, fomos novamente surpreendidos com uma inovação, introduzindo no desfile a placa com os nomes das delegações. Nos jogos de Antuérpia (1920) dois elementos importantes do protocolo dos Jogos Olímpicos foram introduzidos: o juramento dos atletas e a bandeira olímpica. Em Los Angeles (1932) a chama Olímpica foi acesa em uma coluna. Apesar de tudo, foi em Berlim (1936) que a chama Olímpica se tornou parte integrante do protocolo. Ela foi acesa no Santuário de Olympia na Grécia e foi transportada por uma tocha até chegar no estádio olímpico de

Berlim, durante a Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos. Também temos outros grandes acontecimentos ao longo desses anos. Os Jogos Olímpicos já serviram de palco para várias manifestações políticas ao longo da história, como o fato de Adolf Hitler não ter ficado para a premiação do atleta norteamericano negro Jesse Owens ou o boicote nas Olimpíadas de Montreal, em 1976, onde 22 países africanos não participaram do evento, em protesto a uma viagem do time de rúgbi da Nova Zelândia à África do Sul, que vivia então em um regime de apartheid. Na década seguinte, os Jogos de Moscou (1980) e de Los Angeles (1984) foram marcados por dois boicotes: na

hoje capital da Rússia, em protesto à invasão soviética ao Afeganistão, os americanos convocaram delegações do mundo todo a não participarem daquela edição; como consequência, os soviéticos se recusaram a participar da Olimpíada seguinte, em solo americano. Outro grande acontecimento foi o direito que as mulheres conquistaram ao longo desses anos. Durante os Jogos Olímpicos da Grécia Antiga, as mulheres não podiam assistir ao evento e nem participar dele, segundo o livro ‘De banquetes y batallas’, do filósofo Javier Ortuño, fez com que Pherenice fosse condenada à morte por se travestir de homem para assistir à luta do filho boxeador Peisidouros.

Great events After every Olympic Game, the world is no longer the same. The opening ceremonies of the Olympic Games by themselves represent a spectacle and great event, as much for the host-city as for the world. Allied to the cultural elements proposed by the countries organizing the Games, they reflect the values and experiences from each host-country. In 1896, in Athens, during the first Modern Era Games, the king declared the Games open with a notorious statement: “I declare opened the first Olympic Games of the Modern Era.” On the 1908 games opening ceremony, in London, the athletes’ parade gained a distinctive aspect: all athletes, except the Americans, paraded with their uniforms, carrying the flags of their respective countries. On the following Games, in 1912 in Stockholm, we were again caught by surprise with an innovation introducing to the parade the sign with delegations’ names. At the Antwerp Games (1920) two important elements of the Olympic Games protocol were introduced: the Athletes Oath and the Olympic Flag. In Los Angeles (1932) the Olympic flame was lit on a column. In spite of everything, it was in Berlin (1936) that the Olympic flame became integrating part of the protocol. It was lit at the Olympia Sanctuary in Greece and was transported by a torch until arriving in Berlin’s Olympic Stadium, during the opening ceremony of the Olympic Games. We also had other great events throughout these years. The Olympic Games have already been stage for various political manifestations during history, such as the fact of Adolf Hitler not being present for the award ceremony for black North-American athlete Jesse Owens or the boycott at the Montreal Olympic Games, in 1976, where 22 African countries did not take part in the event, protesting against a trip of the New Zealand national rugby team to South Africa, then living under an apartheid regime. On the next decade, the Moscow (1980) and Los Angeles Games (1984) were marked by two boycotts: in today’s Russia capital city, protesting against the Soviet invasion of Afghanistan, the Americans called delegations from the entire world not to take part in that edition; as consequence, the Soviets refused to participate in the following Olympic Games, in American soil. Another great event was the right women conquered over these years. During the Ancient Greece Olympic Games, women could not watch the event nor participate in it, according to the book ‘De banquetes y batallas’, from philosopher Javier Ortuño, it had Pherenice condemned to death for dressing as a man so she would be able to watch her boxing son Peisidouro’s fight.

31


As mulheres conquistaram ao longo dos anos seu espaço na competição. Pódio feminino composto por Maja Wloszczowska (Polônia), Eva Lechner (Itália), e Jenny Rissveds (Suécia). Women conquered, through the years, their place on the competition. Women podium composed by Maja Wloszczowska (Poland), Eva Lechner (Italy), and Jenny Rissveds (Sweden).

During the modern editions of the Games, however, little by little women conquered the right of participating in competitions: in 1900, at the Paris Games, they were accepted in golf and tennis; in 1912, Stockholm, in swimming; in 1928, in Amsterdam, is some athletics competitions. In 1964, during the Tokyo Olympic Games, for example, at the same period movements for sexual and salary equity for women gained strength, they participated for the first time of the Olympic volleyball competitions.

32

The feminist movements for right to vote that emerged at the end of the 19th century and the higher participation of women in the labor Market during the two great world wars coincide with the increase in female participation in the Olympic Games. Today, the Olympic Games have 136 female events, 161 male and 9 mixed, without a doubt a huge advancement for all.

Foto: Alex Ferro / Divulgação Rio 2106

Durante as edições modernas dos Jogos, contudo, aos poucos, as mulheres foram conquistando o direito de participar das competições: em 1900, nos Jogos de Paris, foram aceitas no golfe e no tênis; em 1912, em Estocolmo, na natação; em 1928, em Amsterdã, em algumas competições de atletismo. Em 1964, durante a Olimpíada de Tóquio, por exemplo, na mesma época em que movimentos pela igualdade sexual e de salários para as mulheres ganhavam força, elas participaram, pela primeira vez, das competições olímpicas de vôlei. Os movimentos feministas por direito ao voto surgidos no final do século 19 e o aumento da conquista do mercado de trabalho pelas mulheres durante as duas grandes guerras coincidem com o aumento da participação feminina nas Olimpíadas. Hoje, os Jogos Olímpicos contam com 136 provas femininas, 161 masculinas e 9 mistas, sem dúvida um grande avanço para todos.


Linha do tempo uma viagem na histĂłria

A

primeira Olimpíada moderna ocorreu em 1896 em Atenas e distribuiu 43 medalhas em nove esportes. De lå para cå, o programa olímpico cresceu consideravelmente: Os jogos do Rio 2016 recebeu mais de dez mil atletas, de 206 países (e uma delegação composta por Atletas Olímpicos Refugiados), em 19 dias de disputas, lutando por 306 provas com medalhas. AtÊ hoje jå foram realizadas 27 ediçþes dos Jogos Olímpicos de Verão, sendo 6 na AmÊrica do Norte, 16 na Europa, 3 na à sia e 2 na Oceania. Confira a seguir a linha do tempo e os avanços dos últimos anos.

1886 t4FEF"UFOBT (SĂ?DJB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBTIPNFOT

1900 t4FEF1BSJT 'SBOĂŽB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O Brasil nĂŁo teve participação na competição e foi a primeira vez em que mulheres participaram dos jogos, ainda em um nĂşmero pequeno. Esportes coletivos como rĂşgbi, polo aquĂĄtico e futebol entraram na lista de esportes dos Jogos OlĂ­mpicos.

1904 t4FEF4BJOU-PVJT &TUBEPT6OJEPTEB"NĂ?SJDB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O boxe foi introduzido nas OlimpĂ­adas.

1908 t4FEF-POESFT *OHMBUFSSB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT Nesta edição dos jogos, durante a abertura os atletas desfilaram separados por paĂ­ses.

1920 t4FEF"OUVĂ?SQJB #Ă?MHJDB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O Brasil participou pela primeira vez dos Jogos OlĂ­mpicos e conquistou o 15Âş lugar no ranking com 3 medalhas (uma de cada: ouro, prata e bronze). Em 1920 foi criada a bandeira as OlĂ­mpiadas com o sĂ­mbolo: cinco anĂŠis entrelaçados em cinco cores: azul, amarelo, verde, vermelho e preto e o fundo totalmente branco o que representa a paz e a universalidade dos povos.

1924 t4FEF1BSJT 'SBOĂŽB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O Brasil participou, mas nĂŁo conseguiu alcançar ao pĂłdio e nĂŁo conquistou nenhuma medalha. Nesta edição foi feita a primeira transmissĂŁo atravĂŠs dos rĂĄdios e houve a primeira Vila OlĂ­mpica. Timeline A journey through history The first Modern Olympic Games took place in 1896 in Athens and awarded 43 medals in nine sports. Since then, the Olympic program grew considerably: Rio Games 2016 will host: 10,500 athletes, from 206 countries, in 17 days of events, fighting for 306 medal events. Until today 27 editions of the Summer Olympic Games were held, with 6 in North America, 16 in Europe, 3 in Asia and 2 in Oceania. Following, check out the timeline and advancements of past years. 1986 t)PTU"UIFOT (SFFDF t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFTNFO 1900 t)PTU1BSJT 'SBODF t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT XJUI men and 22 women. Brazil did not perform well in the competition, and it was the first time women participated in the Games, still in small numbers. Collective sports such as rugby, water polo and football joined the list of sports of the Olympic Games. 1904 t)PTU4BJOU-PVJT 6OJUFE4UBUFTPG"NFSJDB t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBM OVNCFS PG BUIMFUFT   XJUI  men and 6 women. Boxing was introduced in the Olympic Games.

1908 t)PTU-POEPO &OHMBOE t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t 5PUBM OVNCFS PG BUIMFUFT    XJUI 1,971 men and 37 women In this edition of the games during the opening athletes paraded separated by countries. 1920 t)PTU"OUXFSQ #FMHJVN t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t 5PUBM OVNCFS PG BUIMFUFT    XJUI 2,561 men and 65 women Brazil for the first time participated in the Olympic Games and placed 15th at the ranking with 3 medals (one of each: gold, silver and bronze). In 1920 the flag of the Olympic Games was created with the symbol: five interconnected rings in five colors: blue, yellow, green, red and black, and the background completely white representing peace and the people’s universality. 1924 t)PTU1BSJT 'SBODF t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t 5PUBM OVNCFS PG BUIMFUFT    XJUI 2,954 men and 135 women Brazil participated, but could not reach the podium and did not receive any medals. This edition marked the first radio transmission and the first Olympic Villa.

33


1928 t4FEF"NTUFSE� )PMBOEB t/ÞNFSPEFQBÓTFTQBSUJDJQBOUFT t/ÞNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT Os Jogos olímpicos foi patrocinado pela primeira vez, e patrocinador oficial da equipe dos EUA foi a Coca-Cola. As atletas mulheres começaram a participar dos esportes: natação e ginåstica. A participação brasileira não foi grande e não trouxe medalhas.

1932 t4FEF-PT"OHFMFT &TUBEPT6OJEPTEB"NĂ?SJDB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O Brasil estava em crise financeira e os participantes custearam as prĂłprias despesas para competir. A Maria Lenk, atleta brasileira foi a primeira mulher sul-americana a conseguir subir ao pĂłdio e conquistar uma medalha.

1936 t4FEF#FSMJN "MFNBOIB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT Nenhum atleta brasileiro conseguiu conquistar medalhas. Pela primeira vez os jogos foram televisionados, mas somente os AlemĂŁes puderam ver.

1948 t4FEF-POESFT 3FJOP6OJEP t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O basquete masculino conquistou uma medalha de Bronze, a Ăşnica conquista Brasileira.

1952 t4FEF)FMTĂ“ORVF 'JOMÉOEJB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT Foram construĂ­das duas Vilas OlĂ­mpicas, uma para os paĂ­ses socialistas e outra para os ocidentais. Os atletas brasileiros conquistaram 3 medalhas, 1 de ouro no salto triplo e 2 de bronze na natação e no salto em altura.

34

1928 t)PTU"NTUFSEBN )PMMBOE t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOEXPNFO The Olympic Games was sponsored for the first time, and the USA team’s official sponsor was Coca-Cola. The women athletes started taking part in sports: swimming and gymnastics. The Brazilian participation was not big and did not bring any medals. 1932 t)PTU-PT"OHFMFT 6OJUFE4UBUFTPG"NFSJDB t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOEXPNFO Brazil was under a financial crisis and participants had to pay for their own expenses in order to compete. Maria Lenk, Brazilian athlete, was the first South American woman to reach the podium and receive a medal. 1936 t)PTU#FSMJO (FSNBOZ t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOEXPNFO No Brazilian athlete receive medals. For the first time the Games were broadcast on TV, but only the Germans were able to watch. 1948 t)PTU-POEPO 6OJUFE,JOHEPN t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOEXPNFO Men’s basketball received a bronze medal, the only Brazilian achievement. 1952 t)PTU)FMTJOLJ 'JOMBOE t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOEXPNFO Two Olympic Villas were built, one for the socialist and another for the occidental countries. Brazilian athletes received 3 medals, 1 gold in the triple jump and 2 bronze in swimming and high jump. 1956 t)PTU.FMCPVSOF "VTUSBMJB t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOEXPNFO With the 24th place in the ranking Brazil received 1 medal in athletics.

1956 t4FEF.FMCPVSOF "VTUSĂˆMJB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT Com o 24Âş lugar no ranking o Brasil conquistou 1 medalha no atletismo.

1960 t4FEF3PNB *UĂˆMJB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT Foi criada a Volta OlĂ­mpica e pela primeira vez os EUA puderam ver as OlĂ­mpiadas Ă distância. As fitas das imagens dos jogos iam de aviĂŁo e os jogos eram vistos com atraso.


1964 t4FEF5Ă˜RVJP +BQĂ?P t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O basquete masculino mais uma vez conquistou uma medalha de bronze e o Brasil ficou em 35Âş no ranking. Pela primeira vez a Ă sia ĂŠ sede das OlimpĂ­adas.

1968 t4FEF$JEBEFEP.Ă?YJDP .Ă?YJDP t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT 3 medalhas conquistadas por atletas brasileiros, 1 prata no atletismo, 1 de bronze na vela e 1 de bronze no boxe.

1972 t4FEF.VOJRVF "MFNBOIB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O judĂ´ masculino e o atletismo trouxeram uma medalha de bronze cada e o Brasil ocupou o 35Âş lugar no quadro de medalhas.

1976 t4FEF.POUSFBM $BOBEĂˆ t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT A vela e o atletismo conquistaram medalhas de bronze, uma cada. Atletas foram submetidos ao exame antidoping.

1980 t4FEF.PTDPV 3ĂžTTJB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O Brasil ficou em 17Âş, e conquistou 4 medalhas: 2 medalhas na vela, 1 bronze no atletismo e outro na natação.

1984 t4FEF-PT"OHFMFT &TUBEPT6OJEPTEB"NĂ?SJDB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBTTFOEPIPNFOTFNVMIFSFT

1960 t)PTU3PNF *UBMZ t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOEXPNFO The Victory Lap was created and for the first time the USA were able to watch the Olympic Games from home. The tapes with images from the Games would go by plane and were watched with a delay. 1964 t)PTU5PLZP +BQBO t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOEXPNFO Brazilian men’s basketball again received a bronze medal and Brazil placed 35th in the ranking. For the first time Asia hosted the Olympic Games. 1968 t)PTU.FYJDP$JUZ .FYJDP t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOEXPNFO 3 medals received by Brazilian athletes, 1 silver in athletics, 1 bronze in sailing and 1 bronze in boxing. 1972 t)PTU.VOJDI (FSNBOZ t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOE XPNFO Male judo and athletics brought one bronze medal each and Brazil placed 35th on the medal board. 1976 t)PTU.POUSFBM $BOBEB t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOE XPNFO Sailing and athletics received bronze medals, one each. Athletes were submitted to drug tests.

1988 t4FEF4FVM $PSFJBEP4VM t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O destaque foi a estreia do esporte tĂŞnis de mesa.

1992 t4FEF#BSDFMPOB &TQBOIB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O Brasil conquistou 3 medalhas, vĂ´lei e judĂ´ masculino com ouro e uma de prata na natação.

1996 t4FEF"UMBOUB &TUBEPT6OJEPTEB"NĂ?SJDB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT Conquista de 15 medalhas brasileiras, 3 ouros, 3 pratas, e 9 bronzes. O vĂ´lei de praia estreitou nesta edição como modalidade esportiva das OlimpĂ­adas.

35


2000 t4FEF4ZEOFZ "VTUSĂˆMJB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O Brasil conquistou 12 medalhas, 6 pratas e 6 bronzes.

2004 t4FEF"UFOBT (SĂ?DJB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT Brasil conquistou 10 medalhas e o 16Âş lugar no ranking. 5 medalhas de ouro, 2 de prata e 3 de bronze.

2008 t4FEF1FRVJN $IJOB t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT No total, foram 15 medalhas pelos atletas brasileiros: 3 ouros, 4 pratas e 8 bronzes, alcançando o 23Âş lugar.

15 Brazilian medals received, 3 gold, 3 silver and 9 bronze. Beach volleyball debuted in this edition as an Olympic Game sport. 2000 t)PTU4ZEOFZ "VTUSBMJB t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOE XPNFO Brazil received 12 medals, 6 silver and 6 bronze. 2004 t )PTU"UIFOT (SFFDF t /VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t 5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOE XPNFO Brazil received 10 medals and the 16th place in the ranking. 5 gold, 2 silver and 3 bronze medals. 2008 t )PTU#FJKJOH $IJOB t /VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t 5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOE XPNFO In total, 15 medals for Brazilian athletes: 3 gold, 4 silver and 8 bronze, reaching 23rd place. 2012 t )PTU-POEPO 6OJUFE,JOHEPN t /VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t 5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOE XPNFO Brazil received 17 medals, occupying 22nd place in the overall ranking of the Games.

2012

Foto: Vitaly Raduntsev / Shutterstock.com

t4FEF-POESFT 3FJOP6OJEP t/ĂžNFSPEFQBĂ“TFTQBSUJDJQBOUFT t/ĂžNFSPUPUBMEFBUMFUBT TFOEPIPNFOTFNVMIFSFT O Brasil conquistou 17 medalhas, ocupando a 22ÂŞ posição no ranking geral dos Jogos. 1980 t)PTU.PTDPX 3VTTJB t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOE XPNFO Brazil placed 17th and received 4 medals: 2 medals in sailing, 1 bronze in athletics and another in swimming. 1984 t)PTU-PT"OHFMFT 6OJUFE4UBUFTPG"NFSJDB t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT XJUI NFOBOE XPNFO 1988 t)PTU4FPVM 4PVUI,PSFB t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOE XPNFO The highlight was the debut of table tennis. 1992 t)PTU#BSDFMPOB 4QBJO t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOE XPNFO Brazil received 3 medals, male volleyball and judo with gold and silver for swimming. 1996 t)PTU"UMBOUB 6OJUFE4UBUFTPG"NFSJDB t/VNCFSPGQBSUJDJQBUJOHDPVOUSJFT t5PUBMOVNCFSPGBUIMFUFT  XJUI NFOBOE XPNFO

36

POLĂ”NIA - CERCA DE 1967: um selo impresso no pĂłs POLĂ”NIA mostra executar, a sĂŠrie “Recurso olĂ­mpicaâ€?, circa 1967. POLAND – AROUND 1967: a seal printed in post POLAND exhibits running, series “Olympic Resourceâ€?, around 1967.


Países participantes A corrida pela conquista das medalhas

A

evolução do Movimento Olímpico durante o século XX obrigou o COI a adaptar os Jogos para o mundo da mudança das circunstâncias sociais. Alguns destes ajustes incluíram a criação dos Jogos de Inverno (para esportes do gelo e da neve), os Jogos Paralímpicos de atletas com deficiência física e visual (atualmente atletas com deficiência intelectual e auditiva não participam) e os Jogos Olímpicos da Juventude para atletas adolescentes. O COI também teve de acomodar os Jogos para as diferentes variáveis econômicas, políticas e realidades tecnológicas do século XX. Como resultado, os Jogos Olímpicos se afastaram do amadorismo puro, como imaginado por Coubertin, para permitir a participação de atletas profissionais. A crescente importância dos meios de comunicação gerou a questão do patrocínio corporativo e a comercialização dos Jogos. Consequentemente, também existe uma grande disputa para participação de atletas e países, por isso, existe uma corrida para a classificação dos Jogos. Os Jogos têm crescido em escala, a ponto de quase todas as nações serem representadas. Tal crescimento tem criado inúmeros desafios, incluindo boicotes, doping, corrupção de agentes públicos e terrorismo. A cada dois anos, os Jogos Olímpicos e sua exposição à mídia proporcionam a atletas desconhecidos a chance de alcançar fama nacional e, em casos especiais, a fama internacional. Os Jogos também constituem uma oportunidade importante para a cidade e o país se promover e mostrar-se para o mundo.

Ao longo de 2014, atletas de pelo menos 10 disciplinas Olímpicas - como basquetebol, hipismo e vela - e 12 Paralímpicas - dentre elas, o goalball, o futebol de 7 e o voleibol sentado - batalharam pela classificação para o maior evento esportivo do planeta. A classificação para os Jogos pode ser alcançada por meio da classificação pelo ranking mundial, das principais competições internacionais ou dos torneios classificatórios, específicos para isso. Muitas vezes, dois ou mais destes critérios são combinados. O Movimento Olímpico é atualmente composto por federações esportivas internacionais, comitês olímpicos nacionais (CONs) e comissões organizadoras de cada especificidade dos Jogos Olímpicos. Como o órgão de decisão, o COI é responsável por escolher a cidade anfitriã para cada edição. A cidade anfitriã é responsável pela organização e financiamento à celebração dos Jogos coerentes com a Carta Olímpica. O programa olímpico, que consiste no esporte que será disputado a cada Jogos Olímpicos, também é determinado pelo COI. A celebração dos Jogos abrange muitos rituais e símbolos, como a tocha e a bandeira olímpica, bem como as cerimônias de abertura e encerramento. Existem mais de 13.000 atletas que competem nos Jogos Olímpicos de Verão e Inverno, em 33 diferentes modalidades esportivas com cerca de 400 eventos. Os finalistas do primeiro, segundo e terceiro lugar de cada evento recebem medalhas olímpicas de ouro, prata e bronze, respectivamente.

Participating countries The race for the medals The evolution of the Olympic Movement during the 20th century compelled the IOC to adapt the Games into the world of social changes. Some of these adaptations included the development of the Winter Games (for ice and snow sports), the Paralympic Games for athletes with physical and visual disabilities (presently athletes with intellectual and hearing disabilities do not participate) and the Youth Olympic Games for adolescent athletes. The IOC also had to accommodate the Games to the various economic and political variables and technological realities of the 20th century. As result, the Olympic Games moved away from pure amateurism as imagined by Coubertin, into allowing participation of professional athletes. The growing importance of means of communication generated the issue of corporate sponsorship and marketing of the Games. Consequently, there is also a huge dispute for participation of athletes and countries, thus, there is a race for classification in the Games. The Games have been growing in scale, to the point that almost all nations being represented. Such growth has created several challenges, including boycotts, doping, public agent corruption and terrorism. Every two years, the Olympic Games and its exposure to the media provide unknown athletes with the chance of reaching national and, in special cases, international fame. The Games also constitute an important opportunity of promotion for the city and country where they can showcase themselves to the world. Throughout 2014, athletes from at least 10 Olympic sports – such as basketball, equestrian eventing and sailing – and 12 Paralympic sports – among them goalball, 7 football and seated volleyball - battled for classification for the greatest sport event of the planet. Classification for the Games may be reached by means of the world rankings, main international competitions or qualifying tournaments, specific for that. Many times, two or more of such criteria are combined. The Olympic Movement is presently composed of International Sport Federations, National Olympic Committees (CONs) and Organizing Committees from each specificity of the Olympic Games. As a decision making agency, the IOC is responsible for choosing the host-city for each edition. The host-city is responsible for the organization and financing to the celebration of the Games coherent with the Olympic Charter. The Olympic program, consisting in the sport which shall be played at each Olympic Game, is also determined by the IOC. The celebration of the Games comprises many rituals and symbols, such as the Olympic Torch and Flag, as well as the opening and closing ceremonies. There are over 13,000 athletes competing in the Summer and winter Olympic Games, in 33 different sport modalities with around 400 events. Finalists in first, second and third places on each event received Olympic gold, silver and bronze, respectively.

37


38


Foto: Alex Ferro / Divulgação Rio 2106

Thomas Bellucci fez uma partida de demonstração encerrando o evento e aprovou as condições da Arena. Thomas Bellucci played a demonstration match closing the event and approved the Arena conditions

39


Rio 2016 Olympic Games trademark

40

Foto: Ismar Ingber

Marca dos Jogos OlĂ­mpicos Rio 2016.


Modalidades a inserção dentro dos Jogos Olímpicos

A

s modalidades disputadas nos jogos modernos eram: atletismo, ciclismo, esgrima, ginástica, halterofilismo, luta livre, natação e tênis. Ao longo dos anos, a lista foi aumentando e, hoje, os Jogos Olímpicos contam com mais de 40 esportes. Abaixo listamos as modalidades que estiveram presentes nos Jogos Olímpicos do Rio 2016.

Atletismo Embora os primeiros registros de competições organizadas datem de 776 a.C., quando os gregos passaram a se reunir para disputar os Jogos Olímpicos, há indícios de que provas de atletismo já eram realizadas entre os egípcios e outras civilizações da Ásia antes das Olimpíadas gregas. O moderno formato do atletismo, com provas que englobavam uma variedade de provas de corrida, saltos, arremessos e eventos combinados, voltou a ganhar força no fim do século 19. Em 1896, com a disputa da primeira edição dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, o atletismo ganhou força e sua prática difundiu-se em todo o mundo nas décadas seguintes, sendo reforçada a partir de 1912, com a fundação da Federação Internacional de Atletismo (IAAF).

Badminton Ainda pouco popular no Brasil e caracterizado por ser um misto de tênis e vôlei de praia jogado com uma peteca e uma raquete, o badminton tem sua origem indefinida, mas a modalidade que se conhece hoje teve início na Índia. A entrada oficial do badminton nas Olimpíadas (quando a modalidade passou a distribuir medalhas) é recente. Sua primeira participação foi em Barcelona, em 1992, quando a Indonésia brilhou, com as conquistas das medalhas de ouro.

Basquete Pode-se dizer que a modalidade teve uma ascensão meteórica, pois em 1904, nos Jogos Olímpicos de St. Louis, o basquete apareceu como esporte de exibição. Sua entrada definitiva na competição veio em 1936.

Boxe Há registros longínquos da existência do boxe já no ano 3.000 a.C., no Egito. Mas foi na Grécia Antiga, no século 7 a.C., que a modalidade começou a tomar cara de esporte. A história do boxe, no entanto, é cheia de altos e baixos. Embora tenha feito parte das Olimpíadas da Grécia Antiga, quando os lutadores apenas protegiam as mãos com pedaços de couro, o boxe chegou a morrer. Logo, o boxe entrou nas Olimpíadas em 1904, em St. Louis. Desde então, passou por algumas mudanças importantes, como a obrigatoriedade do uso do capacete, determinada a partir dos Jogos de Los Angeles-1984; a adesão ao sistema eletrônico de pontuação, em Barcelona-1992; e a uniformidade da pontuação das lutas, em Pequim-2008. Outra mudança significativa ocorreu na última edição dos Jogos, em Londres-2012: a introdução do boxe feminino em três categorias (Mosca, até 51kg; Leve, até 60kg; e Meio-pesado, até 75kg).

Modalities Insertion into the Olympic Games The modalities played in the modern games were: athletics, cycling, fencing, gymnastics, weightlifting, wrestling, swimming and tennis. Throughout the years, the list increased and, today, the Olympic Games have over 40 sports. Below we listed the modalities which will be present in the Rio 2016 Olympic Games. Athletics Although the first records of organized competitions date from 776 B.C., when the Greeks started gathering for the Olympic Games, there are indications that athletics events were already being held between the Egyptians and other civilizations from Asia before the Greek Olympic Games. The athletics modern format with events comprising a variety of running, jumping, throwing and combined events, regained force at the end of the 19th century. In 1896, with the first edition of the Olympic Games of the Modern Era, athletics gained strength and its practice disseminated all over the world in the following decades, being reinforced from 1912, with the foundation of the International Association of Athletics Federations (IAAF). Badminton Still not too popular in Brazil and characterized for being a mix of tennis and beach volleyball played with a shuttlecock and a racket, badminton has a defined origin, but the modality known today started in India. The official entry of badminton in the Olympic Games (when the modality started awarding medals) is recent. Its first participation was in Barcelona, 1992, when Indonesia shone, receiving gold medals. Basketball It can be said that the modality had a meteoric ascension, as in 1904, at the St. Louis Olympic Games, basketball appeared as exhibition sport. Its definitive entry into the competition came in 1936. Boxing There are ancient records of the existence of boxing as far as the year 3,000 B.C., in Egypt. But it was in Ancient Greece, century 7 B.C., that the modality started developing as a sport. The history of boxing, however, is full of highs and lows. Despite being part of the Ancient Greece Olympic Games, when fighters only protected their hands with pieces of leather, boxing almost died. Soon boxing entered the Olympic Games in 1904, St. Louis. Since then, it underwent a few important changes, such as the mandatory use of helmets, determined starting in the Los Angeles Games –1984; the use of the electronic points system in Barcelona – 1992, and the uniformity of fight points in Beijing – 2008. Another significant change occurred in the last edition of the Games, in London – 2012: the introduction of women’s boxing in three categories (Flyweight, up to 51kg; Junior Lightweight, up to 60kg; and Middleweight, up to 75kg).

41


Canoagem Slalon A canoagem slalom estreou em Jogos Olímpicos na edição de Munique (1972). Depois disso, entretanto, ficou de fora entre 1976 e 1988, retornando apenas nos Jogos Olímpicos de Barcelona-1992. A partir de então, esteve presente em todas as edições.

Canoagem Velocidade A primeira participação da canoagem de velocidade em Jogos Olímpicos foi em 1936, em Berlim. Depois disso, a modalidade nunca mais deixou de estar presente na programação dos Jogos. A canoagem velocidade, praticada com caiaques ou canoas, é uma modalidade essencialmente de competição. É praticada em rios ou lagos de águas calmas com 9 raias demarcadas nas distâncias de 1.000, 500 e 200 metros. Iniciam-se com eliminatórias que classificam os barcos semifinalistas e finalistas.

Ciclismo BMX O BMX, também conhecido como bicicross, é o caçula do ciclismo. A origem da modalidade data das décadas de 1960 e 1970, época em que as vertentes mais tradicionais do esporte — estrada e pista — já faziam parte dos Jogos Olímpicos. O BMX fez sua primeira aparição olímpica nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008, com disputas tanto no masculino quanto no feminino. No Rio de Janeiro-2016 será a terceira vez que o BMX distribuirá medalhas em uma edição dos Jogos.

Ciclismo de Estrada O ciclismo de estrada foi a primeira modalidade a ser disputada em cima de uma bicicleta e fez parte do programa da primeira edição dos Jogos Olímpicos, em Atenas-1896. A primeira prova percorreu o mesmo trajeto que a tradicional maratona dos primeiros Jogos. Os ciclistas largaram em Atenas, foram até a cidade de Marathon e retornaram à capital grega. Embora tenha participado da primeira edição dos Jogos, o ciclismo de estrada não esteve presente nas três edições seguintes: Paris-1900, St. Louis-1904 e Londres-1908. O retorno se deu nos Jogos de Estocolmo, em 1912. Desde então, não houve mais interrupções na participação da modalidade.

Ciclismo Montain Bike Assim como o BMX, o mountain bike surgiu da curiosidade e da ânsia por aventura dos norte-americanos da década de 1970. A partir de então, não demorou tanto para que a modalidade chegasse aos Jogos Olímpicos. A estreia veio justamente no berço do esporte — os Estados Unidos — em Atlanta-1996.

42

Canoe Slalom Canoe slalom debuted in Olympic Games at Munich’s edition in 1972. After that, however, it was left out between 1976 and 1988, returning only in the Barcelona Olympic Games, 1992. From then on, it has been present in all editions. Canoe Sprint TThe first participation of canoe sprint in Olympic Games was in 1936, in Berlin. After that, the modality has never left the Games programs. Canoe Sprint, practiced with kayaks or canoes, is an essentially competition modality. It is practiced in rivers or lakes with calm waters and 9 lanes marked at 1,000, 500 and 200 meters. They start with qualifying that classify semi-finalist and finalist boats. BMX Cycling BMX, also known as BMX cycling, is cycling’s little brother. Its origin dates from the 1960s and 1970s, when the most traditional types of the sport – road and track – were already part of the Olympic Games. BMX had its first Olympic appearance in the Beijing Olympic Games, 2008, with competitions for men and women. In Rio de Janeiro – 2016 it will be the third time BMX will award medals at na edition of the Games. Road Cycling Road cycling was the first bike modality and was part of the program of the first edition of the Olympic Games, in Athens – 1896. The first event covered the same route as the traditional marathon of the first Games. Cyclists departed from Athens, went to the city of Marathon and back to the Greek capital. Despite being part of the first edition of the Games, road cycling was not present at the following three editions: Paris – 1900, St. Louis – 1904 and London – 1908. Its return took place at the Stockholm Games, in 1912. Since then, there were no more interruptions to its participation. Mountain Bike As well as BMX, mountain bike was developed from the North-Americans curiosity and desire for adventure in the 1970s. from then on, it did not take long for the modality to reach the Olympic Games. Its debut was exactly at the sport’s birth place – the United States, in Atlanta – 1996. Track Cycling As the road cycling events, track cycling was present on the program of the first edition of the Olympic Games of the Modern Era, in Athens – 1996. From then on the modality was only absent in one edition: Stockholm – 1912. That year only road events were played. Fencing The history of fencing in the Olympic Games begun in Athens, 1896, when events from the sport were held. Since then, fencing has never been absent in and edition of the Olympic Games. Football Football was played for the first time in Olympic Games at the Paris Games, in 1900. Then, the sport was still starting its development and only three nations were represented in the modality: Great Britain, France and Belgium. Great Britain defeated the French in the final match, 4 to 0, and the inventors of football became the first Olympic Champion in history. Despite being the country with the greatest number of trophies in World Cups (five), Brazil still dreams with Olympic gold. It came close in three occasions. The team played the final matches in the 1984 games in Los Angeles, in 1988 in Seoul, and in 2012, in London. It lost, respectively, to France, Soviet Union and Mexico. Artistic Gymnastics The practice of movements similar to those performed today in artistic gymnastics has accounts from Ancient Egypt. But historians point Greece as the birth place of gymnastics. The search for the perfect body in order to practice sports and improve military performance are at the modality’s genesis. Gymnastics is one of the four sports played since the first edition of the Modern Era Olympic Games, in 1896, Athens. The others are athletics, fencing and swimming. Trampoline Gymnastics The practice of trampoline gymnastics has not been part only from the 1980 Olympic Games in Moscow, due to a tragedy occurred then, when a gymnast suffered a fall and became tetraplegic. The accident’s negative influence and the fear that something similar could affect the image of the Olympic Games had the International Olympic Committee (IOC) delay for years the admission of the modality into the Olympic program. In 2000, finally trampoline gymnastics became part of the Olympic program, in Sydney. Rhythmic Gymnastics Opposite of artistic gymnastics, rhythmic gymnastics is a recent practice in human history. To the sound of music, the athletes must perform before a jury, in a spectacle of dance and movement, combined with one of the five apparatus: rope, ball, arch, ribbon or clubs. Its first participation in the Olympic Games took place in Los Angeles, 1984. Golf One of the news for the Rio de Janeiro Olympic Games, in 2016, golf returns as an Olympic sport after over a century of absence. The first and only participations of the modality in the Games occurred in Paris – 1900 and St. Louis – 1904. The news that golf would return to the Olympic program were confirmed in October 2009 by the International Olympic Committee (IOC).


Foto: Ismar Ingber

Nawal El Moutawakel (Presidente da Comissão de Coordenação do Comitê Olímpico Internacional para os Jogos Rio2016), Carlos Arthur Nuzman (presidente do Comitê Organizador Rio2016), Gilbert Felli (diretor executivo de Jogos Olímpicos do COI) e Jacques Rogge (presidente do Comitê Olímpico Internacional) com a Marca Rio2016. Nawal El Moutawakel (president of the International Committee’s Coordination Commission for the Rio2016 Games), Carlos Arthur Nuzman (president of the Rio2016 Organizing Committee), Gilbert Felli (IOC’s executive director for Olympic Games) and Jacques Rogge (president of the International Olympic Committee) with the Rio2016 trademark.

Ciclismo Pista A exemplo das provas de estrada, o ciclismo de pista estava presente no programa da primeira edição dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, em Atenas (1896). Desde então, a modalidade só ficou ausente de uma edição: Estocolmo (1912). Naquele ano, apenas as provas de estrada foram disputadas.

Esgrima A história da esgrima nos Jogos Olímpicos começou em Atenas, em 1896 houve, onde houve provas do esporte. Desde então, a esgrima nunca deixou de estar presente em uma edição das Olimpíadas.

Handball Despite becoming an official sport only in 1920, handball derives from several modalities in different ages. There are records of practices similar to handball in Ancient Greece, Rome and even in the Middle Ages. More recently, in the beginning of the previous century, the Danish practiced haaddbold, the Czechs played the hazena, the Uruguayans had the salon, and the Irish a modality equally similar to what handball is today. The first appearance of handball in the Olympic Games occurred in Berlin – 1936. Equestrian Eventing The connection between man and horse is millennial, and the first treaty on horse dressage for military purposes retraces to 1,360 B.C. As Olympic sport, equestrian eventing was first played in the 1990 Games in Paris, with jumping events. The modality only returned to the Olympic Games in 1912, in Stockholm, having after that appeared in all editions. Hockey Hockey debut in the Olympic Games occurred in London – 1908. Since then, only the Stockholm– 1912 and Paris Games – 1924 did not have the modality. Up to Montreal – 1976, hockey was only played in the men’s category. The women started battling for medals in Moscow – 1980

43


RioCentro - Pavilhão 6

Foto: RIO2016/BCMF Arquitetos

Rio Centro - Pavilion 6

Futebol

Golfe

O futebol foi disputado pela primeira vez em Olimpíadas nos Jogos de Paris, em 1900. À época, o esporte ainda engatinhava e apenas três nações estiveram representadas na modalidade: GrãBretanha, França e Bélgica. A Grã-Bretanha derrotou os franceses na decisão, por 4 a 0, e o país inventor do futebol se tornou o primeiro campeão olímpico da história. Apesar de ser o país com o maior número de troféus em Copas do Mundo (cinco), o Brasil ainda sonha com o ouro olímpico. Passou perto em três ocasiões. O time disputou as finais dos Jogos em 1984, em Los Angeles; em 1988, em Seul; e em 2012, em Londres. Perdeu, respectivamente, para a França, a União Soviética e o México.

Uma das novidades nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, o golfe voltou a ser um esporte olímpico depois de mais de um século de ausência. As primeiras e únicas participações da modalidade nos Jogos ocorreram em Paris (1900) e St. Louis (1904). A notícia de que o golfe voltaria ao programa olímpico foi confirmada em outubro de 2009 pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Ginástica artística A prática de movimentos semelhantes aos realizados hoje na ginástica artística conta com relatos no Egito Antigo. Mas os historiadores apontam a Grécia como o berço da ginástica. A busca pelo corpo perfeito para praticar esportes e para aperfeiçoar o desempenho militar estão na gênese da modalidade. A ginástica é um dos quatro esportes disputados desde a primeira edição das Olimpíadas da Era Moderna, em 1896, em Atenas. Os outros são atletismo, esgrima e natação.

44

Judo UContrary to modalities which history is not able to point who is the sport’s “inventor”, judo has incontestable DNA: its “father” is Japanese Jigoro Kano. The sport arrived in Brazil around 1922, but several years were necessary until judo became popular in Brazil. The process started in 1938, when a group of Japanese immigrants arrived in Brazil, from then on judo gained strength. Weightlifting Weightlifting entered the Olympic program since the beginning of the modern age. In Athens – 1896, the dispute was still not divided into weight categories. This occurred for the first time at the Antwerp Games – 1920. Women only started competing at the Sydney Olympic Games – 2000. Freestyle Wrestling Wrestling started being an event in the Ancient Greece Games, century 7 B.C. the sport’s Olympic debut happened in Saint Louis, 1904, with only North-Americans taking part. Greco-Roman Wrestling With the increased practice of wrestling in the 19th century all over Europe, the sport was included in the first edition of the Olympic Games of the Modern Era – Athens, 1896. Marathon Swimming Although marathon swimming is a new event in Olympic Games, being held for the first time at the Beijing Games, in 2008, evidences show that open water swimming events were already being held 2,000 years ago.


Ginástica de trampolim A prática da ginástica de trampolim só não fez parte das Olimpíadas de 1980, em Moscou, por conta de uma tragédia ocorrida à época, quando uma ginasta sofreu uma queda e ficou tetraplégica. A influência negativa do acidente e o medo de que algo parecido pudesse afetar a imagem das Olimpíadas fez com que o Comitê Olímpico Internacional (COI) adiasse durante anos a admissão da modalidade no programa olímpico. Em 2000, finalmente a ginástica de trampolim passou a integrar o programa olímpico, em Sydney.

Ginástica rítmica Ao contrário da ginástica artística, a ginástica rítmica é uma prática recente na história da humanidade. Ao som de música, as atletas devem protagonizar diante de um júri, num espetáculo de dança e movimentos, combinados com um dos cinco aparelhos: corda, bola, arco, fita ou maças. Sua primeira participação nas Olimpíadas aconteceu em Los Angeles, em 1984.

Handebol Embora tenha se tornado um esporte oficialmente apenas em 1920, o handebol deriva de diversas modalidades em variadas épocas. Há registros de práticas parecidas com o handebol na Grécia Antiga, em Roma e até mesmo na Idade Média. Mais recentemente, no início do século passado, os dinamarqueses praticavam o haaddbold, os tchecos jogavam o hazena, os urugaios tinham o salon e os irlandeses, uma modalidade igualmente parecida com o que é o handebol hoje. A primeira aparição do handebol nas Olimpíadas ocorreu em Berlim-1936.

Hipismo A ligação entre homem e cavalo é milenar, e o primeiro tratado de que se tem notícia sobre o adestramento de cavalos para fins militares remonta a 1.360 a.C.. Como esporte olímpico, o hipismo foi disputado pela primeira vez nos Jogos de 1900, em Paris, com provas de saltos. A modalidade só retornou às Olimpíadas em 1912, em Estocolmo, tendo, depois disso, aparecido em todas as edições.

Hóquei sobre grama A estreia do hóquei sobre grama nas Olimpíadas ocorreu em Londres (1908). De lá pra cá, apenas os Jogos de Estocolmo (1912) e de Paris (1924) não contaram com a modalidade. Até Montreal (1976), o hóquei sobre grama só foi disputado na categoria masculina. As mulheres começaram a brigar por medalhas em Moscou (1980).

Synchronized Swimming If compared to other sports, synchronized swimming may be still considered a baby. The first appearance of the modality in the Olympic Games was in Los Angeles – 1984. Synchronized swimming has another peculiarity that dates from its birth: the artistic character, as the modality appeared between the end of the 19th and beginning of the 20th century, as a real aquatic ballet. Swimming Despite not being such a natural exercise for the human being as walking or running, swimming has existed form ages. Practiced in Ancient Greece and by the Romans, among other peoples, swimming, although being popular, took a long time to become an organized competition, with its styles developing in different forms through history. Swimming events in Olympic pools only started at the London Games, 1908. Modern Pentathlon Modern pentathlon enthusiast, Baron de Coubertin was able to insert the modality in the Stockholm Games – 1912. For him, it would have a similar faith as the status enjoyed in Ancient Games, becoming one of the main Olympic Game events. The Baron’s forecast, however, did not materialize and modern pentathlon still battles for a place in the sun against modalities better accepted by the public. Water Polo Event being officially regulated only in 1911, water polo was already present at the second edition of the Olympic Games, in Paris (1900). For many years the modality was dominated by the truculence and physical strength of its athletes. But, little by little, technique gained its space and prevailed. Some rules helped this process, such as the increase in pool depth and limitation of ball possession to 35 seconds. Rowing Rowing’s Olympic debut was set for Athens 1896, but the races were cancelled due to bad weather and the official debut only took place in Paris 1900. Women participated for the first time in rowing competitions at the Montreal Games in 1976. Rugby At the Rio de Janeiro Games – 2016, rugby will be one of the new sports, along golf. But the modality already has its small Olympic history documented. It was held at the Paris Games – 1900, London – 1908, Antwerp – 1920 and Paris – 1924. In the four participations, France, Australia and United States (twice) became Olympic champions. Diving Despite being a modality in competition for over a century in Olympic Games, it was only at the Sydney edition, in 2000, that the synchronized diving competitions became part of the Olympic program. Here, athletes dive as duets, with the challenge of performing movements in an identical manner and at the same time. Taekwondo The origins for the sport’s techniques retrace to Korean dynasties from 50 years before Christ. At the Seoul Olympic – 1988 and Barcelona Games – 1992, taekwondo took part as exhibition sport. It was absent from the Atlanta Games – 1996 and returned in Sydney – 2000, went it was included in the Olympic program and started awarding medals. Tennis Tennis debuted on the first edition of the Olympic Games, in 1896, Athens. Until 1924, the Olympic Game titles were basically dominated by British, French and North-Americans. In Amsterdam – 1928, the modality was not part of the Olympic program only returning in Seoul – 1988. From the Sydney Games – 2000, Olympic tennis underwent a fundamental transformation. The tournament started counting points for the Professional Tennis Association (ATP) ranking, attracting the sports main players, who before would disregard the Olympic Games prioritizing the preparation for other tournaments. Table Tennis The sport debuted first in the Paralympic Games, in Rome 1960. Olympic participation came almost 30 years later in Seoul 1988. Archery At the Paris edition, in 1900, for the first time this modality was in competition, having been repeated at the St. Louis – 1904, London – 1908, and Antwerp – 1920 Games. Between 1924 and 1968, archery was withdrawn from the Olympic program, having returned only in 1972, in Munich, permanently until today. In Saint Louis 1904, archery became one of the first Olympic sports to open for women participation. Shooting Shooting has been present in the Olympic Games since its first edition, in 1896 in Athens. Until 1964, in Tokyo, only men participated. The first women competed in Mexico City – 1968, in events with men. Events exclusive for women appeared in Los Angeles – 1984, in two categories: air pistol and air rifle. Presently, shooting is played in 15 categories, with nine men and six women categories.

45


46


Foto: Alexandre Loureiro/Rio 2016 Divulgação

Jogadores da Seleção Brasileira comemoram o título no Desafio Internacional de Hóquei Sobre a Grama. Brazilian National Team players celebrate the title at the International Hockey Challenge.

47


Judô Ao contrário de modalidades cuja história não consegue apontar quem é o “inventor” do esporte, o judô tem DNA indiscutível: seu “pai” é o japonês Jigoro Kano. O esporte chegou ao Brasil por volta de 1922, mas foram necessários vários anos até que o judô se popularizasse no Brasil. O processo teve início em 1938, quando um grupo de japoneses desembarcou no Brasil, a partir dali, o judô ganhou força.

Levantamento de peso

Nado sincronizado

O levantamento de peso entrou no programa olímpico desde o início da era moderna. Em Atenas (1896), a disputa ainda não era dividida entre categorias de peso. Isso ocorreu pela primeira vez nos Jogos da Antuérpia (1920). As mulheres só começaram a competir nas Olimpíadas de Sydney(2000).

Se comparado a outros esportes, o nado sincronizado pode ser considerado ainda um bebê. A primeira aparição da modalidade nas Olimpíadas foi em Los Angeles-1984. O nado sincronizado tem outra particularidade que vem desde o seu nascimento: o caráter artístico. Isso porque a modalidade surgiu, entre o fim do século 19 e o início do século 20, como um verdadeiro balé aquático.

Luta estilo livre A luta começou a ser disputada nos Jogos da Grécia Antiga no século 7 a.C. A estreia Olímpica do esporte, aconteceu em Saint Louis 1904, contando apenas com disputas entre norte-americanos.

Luta greco-romana Com o aumento da prática da luta no século XIX em toda a Europa, o esporte foi incluído na primeira edição dos Jogos Olímpicos da Era Moderna - Atenas 1896.

Natação Apesar de não ser um exercício tão natural para o ser humano como caminhar ou correr, a natação existe há milênios. Praticada na Grécia Antiga e pelos romanos, entre outros povos, a natação, embora popular, demorou muito para se transformar em uma competição organizada, tendo seus estilos se desenvolvido de diferentes formas ao longo da história. A disputa da natação em piscinas Olímpicas teve início apenas nos Jogos Londres 1908.

Maratonas aquáticas Embora a maratona aquática seja uma disputa nova em Olimpíadas, tendo sido disputada pela primeira vez nos Jogos de Pequim, em 2008, evidências apontam que disputas de natação em águas abertas já eram disputadas há cerca de 2 mil anos.

Triathlon The sport appeared in the United States as an alternative training program for athletics competitors to keep in shape. The Olympic triathlon consists in an event composed of 1,500 meters swimming, 40 kilometers cycling and 10 kilometers running. Sailing Sailing should have been one of the sports in competition during the first edition of the Olympic Games, in 1896, Athens. However, unfavorable weather conditions prevented the events. Thus, the modality could only debut in the following edition, in Paris, 1900. Volleyball The modality’s history in the Olympic Games has an interesting and even uncommon fact. In Tokyo – 1968, volleyball entered the Olympic program simultaneously in the men and women competition. Since its debut, when the Soviet Union, among men, and Japan, among women, received the first gold medals, the modality did not stop being Olympic. Beach Volleyball The first beach volleyball matches were played in the 1920s, in the sands of Santa Monica, in California, United States. But it was only in 1996, at the Atlanta Games, that the modality became officially an Olympic sport.

48


Pentatlo Moderno

Remo

Entusiasta do pentatlo moderno, o Barão de Coubertin conseguiu inserir a disputa nos Jogos de Estocolmo (1912). Para ele, a modalidade teria um destino parecido ao status desfrutado nos Jogos da Antiguidade, tornando-se uma das principais disputas das Olimpíadas. A previsão do Barão, entretanto, não se concretizou, e o pentatlo moderno ainda luta por um lugar ao sol contra modalidades mais bem aceitas pelo público.

A estreia Olímpica do remo estava marcada para Atenas 1896, mas as regatas foram canceladas pelo mau tempo e a estreia oficial só aconteceu em Paris 1900. As mulheres participaram pela primeira vez das competições de remo nos Jogos de Montreal em 1976.

Polo Aquático

A estreia Olímpica do remo estava marcada para Atenas 1896, mas as regatas foram canceladas pelo mau tempo e a estreia oficial só aconteceu em Paris 1900. As mulheres participaram pela primeira vez das competições de remo nos Jogos de Montreal em 1976. Nos Jogos do Rio de Janeiro-2016, o rúgbi foi uma das novidades, ao lado do golfe. Mas a modalidade já tinha sua pequena história olímpica documentada. Foi disputada nos Jogos de Paris (1900), Londres (1908), Antuérpia (1920) e Paris (1924). Nas quatro participações, França, Austrália e Estados Unidos (duas vezes) sagraram-se campeões olímpicos.

Foto: Alexandre Loureiro/Rio 2016 Divulgação

Mesmo tendo sido regulamentado oficialmente apenas em 1911, o polo aquático marcou presença já na segunda edição dos Jogos Olímpicos, em Paris (1900). Por muitos anos, a modalidade foi dominada pela truculência e pela força física de seus praticantes. Mas, aos poucos, a técnica foi ganhando espaço e acabou prevalecendo. Algumas regras ajudaram no processo, como o aumento da profundidade das piscinas e a limitação de tempo por posse de bola para 35 segundos.

Rugbi

O mascote Olímpico, que representa a fauna brasileira, ganhou o nome de Vinicius. Já o mascote Paralímpico, uma união de traços da flora brasileira, chama-se Tom. The Olympic mascot, representing the Brazilian fauna, was called Vinicius. The Paralympic mascot, a mix of the Brazilian flora traces, is called Tom.

49


Foto: Alexandre Loureiro/Rio 2016 Divulgação

Badminton

Boxe

Boxing

50 Foto: Alexandre Loureiro/Rio 2016 Divulgação

Badminton


Foto: Alexandre Loureiro/Rio 2016 Divulgação

Evento teste hoquei na grama Hockey Test-Even

51


Pictogramas Esportivos Jogos Olímpicos Rio 2016 – Atletismo Rio 2016 Olympic Games Sport Pictograms

Tênis O tênis estreou logo na primeira edição dos Jogos Olímpicos, em 1896, em Atenas. Até 1924, os títulos olímpicos foram basicamente dominados por britânicos, franceses e norte-americanos. Em Amsterdã (1928), a modalidade não fez parte do programa olímpico e só retornou em Seul (1988). A partir dos Jogos de Sydney (2000), o tênis olímpico passou por uma alteração fundamental. O torneio começou a contar pontos para o ranking da Associação de Tenistas Profissionais (ATP), atraindo os principais nomes do esporte, que antes desdenhavam as Olimpíadas para priorizar a preparação para outros torneios.

Tênis de mesa Foto: Rio 2016

O esporte estreou primeiro nos Jogos Paralímpicos, em Roma 1960. A participação Olímpica veio quase 30 anos depois, em Seul 1988.

Saltos ornamentais

Tiro com arco

Apesar de se tratar de uma modalidade disputada há mais de um século em Olimpíadas, foi apenas na edição de Sydney, em 2000, que as competições de saltos sincronizados passaram a fazer parte do programa olímpico. Nelas, os atletas saltam em duplas, com o desafio de executar os movimentos de forma idêntica e ao mesmo tempo.

Na edição de Paris, em 1900, houve competição da modalidade pela primeira vez, tendo se repetido nos Jogos de St. Louis (1904), Londres (1908), e Antuérpia (1920). Entre os anos de 1924 e 1968, o tiro com arco deixou de fazer parte do programa olímpico, tendo retornado apenas em 1972, em Munique, de forma permanente até os dias de hoje. Em Saint Louis 1904, o tiro com arco tornou-se um dos primeiros esportes Olímpicos a se abrir para a participação das mulheres.

Taekwondo A origem das técnicas do esporte remonta a dinastias coreanas de 50 anos antes de Cristo. Nas Olimpíadas de Seul (1988) e de Barcelona (1992), o taekwondo participou como esporte de exibição. Ficou ausente dos Jogos de Atlanta (1996) e retornou em Sydney (2000), quando foi incluído no programa olímpico e passou a valer medalhas.

52

Tiro esportivo O tiro esportivo esteve presente nos Jogos Olímpicos desde a primeira edição, em 1896, em Atenas. Até 1964, em Tóquio, somente os homens participavam. As primeiras mulheres competiram na Cidade do México (1968), nas provas com os homens. As primeiras disputas exclusivamente femininas surgiram em Los Angeles (1984), em duas categorias: pistola de ar e carabina de ar. Atualmente, o tiro esportivo é disputado em 15 categorias, sendo nove masculinas e seis femininas.


Regata Internacional de vela.

Foto: Alexandre Loureiro/Rio 2016 Divulgação

International sailing regatta

Triatlo

Vôlei

O esporte surgiu nos Estados Unidos como um programa alternativo de treinamento para competidores de atletismo manterem a forma. O triatlo olímpico consiste em uma disputa de 1.500 metros de natação, 40 quilômetros de ciclismo e 10 quilômetros de corrida.

A história da modalidade nas Olimpíadas tem um fato interessante e até incomum. Em Tóquio (1968), o vôlei entrou no programa olímpico simultaneamente no masculino e no feminino. Desde a estreia, quando a União Soviética, entre os homens, e o Japão, entre as mulheres, conquistaram as primeiras medalhas de ouro, a modalidade não deixou de ser olímpica

Vela

Vôlei de praia

A vela deveria ter sido um dos esportes disputados na primeira edição das Olimpíadas, em 1896, em Atenas. Entretanto, condições meteorológicas desfavoráveis impediram a realização das provas. Com isso, a modalidade só pôde estrear na edição seguinte, em 1900, em Paris.

As primeiras partidas de vôlei de praia foram disputadas na década de 20, nas areias de Santa Monica, na Califórnia, nos Estados Unidos. Mas foi em 1996, nos Jogos de Atlanta, que a modalidade tornou-se oficialmente um esporte olímpico.

53


54

Foto: Alexandre Loureiro/Rio 2016 Divulgação


Maratona aquรกtica. Marathon Swimming

55


56


Capítulo Primeira Participação do Brasil nas Olimpíadas

2

Chapter 2 - Brazil’s First Participation in the Olympic Games

57


Antuérpia, na Bélgica. Cidade-sede das Olimpíadas, onde o Brasil teve a sua primeira participação. Antwerp, Belgium. Host city of the Olympics, where Brazil had its first participation. Foto: Pisaphotography

58


Primeira Participação do Brasil nas Olimpíadas

Primeira equipe Brasileira de Pólo Aquático participante dos Jogos Olímpicos da Antuérpia. Da esquerda para a direita, na frente: Alcides Pereira, Ângelo Gammaro e o capitão Edgar Leite Ribeiro; atrás: Orlando Amêndola, Abrahão Saliture, Agostinho Sá, Victorino Fernandes.

Foto: Art Photo

First Brazilian Water Polo Team, participating in the Antwerp Olympic Games. Left to right, in front: Alcides Pereira, Ângelo Gammaro and captain Edgar Leite Ribeiro; behind: Orlando Amêndola, Abrahão Saliture, Agostinho Sá, Victorino Fernandes.

A

estreia do Brasil nos Jogos Olímpicos aconteceu em 1920, em Antuérpia, na Bélgica. Participaram apenas 21 atletas, todos homens, em cinco modalidades: natação, saltos ornamentais, polo aquático, remo e tiro esportivo. Curiosamente, apesar de todas as mudanças que aconteceram nesses quase 100 anos, foi a Olimpíada que o país conseguiu a melhor colocação: 15º lugar, com apenas três medalhas. Depois disso, o Brasil participou de todas as Olimpíadas, exceto a de Amsterdã, em 1928, devido à crise financeira das bolsas. Nos Jogos de Londres em 2012, a delegação brasileira teve (até então) o recorde de 259 atletas participantes. Já nos Jogos Olímpicos de Inverno, a primeira participação do Brasil aconteceu em 1992, em Albertville. Participaram 6 homens e 1 mulher, todos competindo no esqui alpino e, infelizmente, desta vez não estreamos voltando com medalhas. De lá para cá já foram 30 participações em sua história, sendo 22 na edição de verão, 6 na edição de inverno, uma nos Jogos da Juventude de Verão e uma na edição de Inverno. Brazil’s First Participation in the Olympic Games Brazil’s debut in the Olympic Games took place in 1920, in Antwerp, Belgium. Only 21 athletes participated, all men, in five modalities: swimming, diving, water polo, rowing and shooting. Curiously, despite all changes that occurred over these almost 100 years, it was the Olympic Game edition where the country placed best: 15th place, with only three medals. After that Brazil participated in all Olympic Games, except in Amsterdam, 1928, due to the stock markets financial crisis. At the London Games in 2012, the Brazilian delegation was a record of 259 participating athletes. On the other hand, in the Winter Olympic Games, Brazil’s first participation occurred in 1992, in Albertville. 6 men and 1 woman participated, all competing in the alpine skiing competition and, unfortunately, this time we did not debut bringing home medals. Since then we had 30 participations in its history, with 22 in the Summer edition, 6 in the Winter edition, 1 in the Youth Summer Games and 1 in the Winter Youth Games.

59


Desfile da delegação norte-americana; os Jogos na Bélgica foram os primeiros no período pós-Primeira Guerra Mundial

Foto: Photo Edward

North-American delegation parade; the Belgium Games were the first in the Post- World War I period.

Desfile da delegação do Brasil na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos da Antuérpia (1920) tendo à frente três militares uniformizados com um deles carregando a bandeira nacional. Brazil’s delegation parade in the opening ceremony at the Antwerp Olympic Games (1920) with three military personnel in uniform up front, one of them carrying the national flag

60

Foto: Arquivo Pessoal


Estreia dourada A primeira Olímpiada a gente nunca esquece

A

primeira participação brasileira em Jogos Olímpicos foi na década de 20, em Antuérpia, na Bélgica. Cinco edições olímpicas já haviam sido disputadas quando o Brasil enviou essa delegação para participar dos Jogos pela primeira vez. A bordo do navio Curvello, cedido pelo governo federal, os 21 atletas enfrentaram quase um mês de viagem à Bélgica para levar adiante a missão de competir em provas de natação, polo aquático, remo, saltos ornamentais e tiro esportivo. Entretanto, alguns dados da Federação Paulista de Tiro Esportivo, mostram que a viagem não foi muito tranquila para os atletas. O navio não era muito bem preparado para transportar passageiros, com pequenos camarotes, sem ventilação ou mobiliário, além de pouca água a bordo. Durante uma escala na Ilha da Madeira, os atletas foram informados que de barco não chegaria a tempo para o início dos jogos. A solução? Desembarcaram em Portugal e seguiram por terra. Durante o trajeto de trem, a bagagem da equipe foi roubada em Bruxelas, perdendo assim armas e munições. Foi então que o Ministro Barros Moreira ofereceu 2.000 francos para a compra de novos materiais.

Nesta primeira edição, que aconteceu de 20 de abril a 12 de setembro de 1920, participaram 29 países e 2.626 atletas. Na cerimônia de abertura, coube a Afrânio Antônio da Costa, do tiro esportivo, ser o porta-bandeira do time nacional. Quando as provas começaram, foi justamente a equipe de tiro que se transformou no grande destaque do Brasil. Mas claro que não foi fácil para o Brasil. No dia 04 de agosto de 1920 a equipe brasileira de pistola livre foi sorteada para atirar no bloco “O”, entre as equipes norte-americanas e a sul-africana. O equipamento dos adversários era muito superior ao dos brasileiros, a única arma livre que a equipe possuía não permitia ter a menor esperança. Fernando Soledade foi o primeiro atirador brasileiro e seu resultado ruim confirmou imediatamente a inferioridade da arma, pois ele era um exímio atirador com esse tipo de arma. Vendo a situação da equipe brasileira, o Coronel Snyders, do Exército dos EUA ofereceu aos brasileiros duas armas novas,

Golden Debut The first Olympic Games we never forget The first Brazilian participation in Olympic Games was in the 1920s in Antwerp, Belgium. Five Olympic editions had already occurred when Brazil sent its delegation to take part in the games for the first time. Aboard the ship Curvello, ceded by the federal government, the 21 athletes faced almost a month of travel to Belgium to carry on the mission of competing in swimming, water polo, rowing, diving and shooting events. However, data from the Paulista Shooting Federation show that the trip was not too peaceful for the athletes. The ship was not well prepared for transporting passengers, with small cabins, no ventilation or furniture, besides little water on board. During a stop in Ilha da Madeira, the athletes were informed that the ship would not arrive in time for the start of the Games. The solution? Disembark in Portugal and continue by land. During the route by train, the team’s luggage was stolen in Brussels, thus losing weapons and ammunition. It was then Minister Barros Moreira offered 2,000 Francs for the purchase of new materials. On this first edition, held from 20 of April to 12 of September of 1920, participated 29 countries and 2,626 athletes. At the opening ceremony, it was Afrânio Antônio da Costa, from shooting, that borne the honor of carrying the national team’s flag. When the competition started, it was precisely the shooting team that became Brazil’s biggest highlight. But obviously it was not easy for Brazil. On 04 of August of 1920 the free pistol Brazilian team was chosen to shoot at block “O”, between the North-American and South-African teams. The adversaries’ equipment was much superior to that of the Brazilians, the only free weapon the team possessed would not allow for the slightest hope. Fernando Soledade was the first Brazilian marksman and his bad result immediately confirmed the weapon’s inferiority, as he was a distinguished marksman with that type of weapon. Noticing the situation of the Brazilian team, Colonel Snyders, from the USA Army, offered two new weapons to the Brazilians, especially developed for the American team by Colt. It was then that Army lieutenant Guilherme Paraense carried out the greatest feat of the Brazilian participation in the Antwerp Games. In the rapid fire (25m), he received the country’s first gold medal. Afrânio da Costa also took the podium, with the silver in the individual free pistol (50m). Brazil also received the bronze in the team free pistol, with Guilherme Paraense, Afrânio da Costa, Sebastião Wolf, Fernando Soledade and Dario Barbosa. Days later the news was received in Brazil regarding the achievement and was published by a newspaper, in a very picturesque manner, typical of the city of Rio de Janeiro of the 1920s: through a siren. With a crowd gathered before the newspaper’s head office, an employee wrote the content of a telegram from Antwerp on a blackboard: “Brazilians Guilherme Paraense and Afrânio Costa won the first Olympic world title for Brazil”. One of the newspaper managers hoisted the National Flag and all sang the National Anthem. The firefighters band played in honor of the Brazilians and the crowd celebrated at the bars. The Brazilians return did not take place at the small Curvello, but in a decent ship, with all expenses paid by the government. Several authorities and a crowd awaited the disembarking of the Brazilian delegation in order to meet and cheers the Olympic champion and runner-up. Magazine “Careta” published a huge picture, in the foreground appearing the Paranaense lieutenant and Afrânio Costa, proudly exhibiting their awards. In February 1921, at Fluminense’s headquarters, then President of the Republic Epitácio Pessoa, delivered a silver plate for the two sportsmen for their significant participations in Antwerp. Since then, Brazil participated of Olympic Games in France, USA, Germany, Tokyo, England, Finland, Australia, Sweden, Italy, Mexico, Canada, Soviet Union, South Korea, Spain, Greece, China and United Kingdom. Now, Brazil is the first South-American country to host an edition of the Olympic Games, with the victory of Rio de Janeiro candidacy to the Summer Olympic Games of 2016.

61


Foto: Photo Edward

desenvolvidas especialmente para a equipe americana pela fábrica da Colt. Foi então que o tenente do Exército Guilherme Paraense protagonizou o maior feito da participação brasileira nos Jogos da Antuérpia. No tiro rápido (25m), ele conquistou a primeira medalha de ouro do país. Afrânio da Costa também subiu ao pódio, com a prata na pistola livre (50m) individual. O Brasil ainda conquistou o bronze na pistola livre por equipes, com Guilherme Paraense, Afrânio da Costa, Sebastião Wolf, Fernando Soledade e Dario Barbosa. Dias depois a notícia sobre a conquista chegou ao Brasil e foi divulgada através de um jornal da época, de uma maneira bem pitoresca, típica da cidade do Rio de Janeiro, nos anos 20: Através de uma sirene. Com uma multidão reunida diante da sede do jornal, um funcionário escreveu num quadro negro o teor de um telegrama de Antuérpia: “Os brasileiros Guilherme Paraense e Afrânio Costa conquistaram o primeiro título mundial Olímpico para o Brasil”. Um dos diretores do jornal hasteou a Bandeira Nacional e todos cantaram o Hino Nacional. A banda do corpo de bombeiros tocou em homenagem aos brasileiro e a multidão foi comemorar nos bares. O retorno dos brasileiros não foi no pequeno Curvello, mas num navio decente, com todas as passagens pagas pelo governo. Inúmeras autoridades e uma multidão aguardavam o desembarque da delegação brasileira para conhecer e abraçar o campeão e o vice-campeão olímpico. A revista “Careta” publicou uma grande fotografia, na qual aparecem em primeiro plano, o tenente Paraense e Afrânio Costa, exibindo orgulhosamente seus prêmios. Em fevereiro de Primeiro medalhista de ouro do Brasil em uma Olimpíada, o atirador Guilherme 1921, na sede do Fluminense, o Presidente da Paraense posa ao lado de sua mulher. República da época, Epitácio Pessoa, entregou Brazil’s first gold medalist in the Olympics, shooter Guilherme Paraense poses next to his wife. uma placa de prata aos dois desportistas por suas magníficas participações em Antuérpia. De lá para cá, o Brasil já participou de Olimpíadas na França, EUA, Alemanha, Tóquio, Inglaterra, Finlândia, Austrália, Suécia, Itália, México, Canadá, União Soviética, Coréia do Sul, Espanha, Grécia, China e Reino Unido. Agora, o Brasil foi o primeiro País sul-americano a receber uma edição de Jogos Olímpicos, com a vitória da candidatura do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos de Verão de 2016.

62


O País-Sede A iniciativa, porém, não deu resultado. Quando se iniciaram as hostilidades, Coubertin fez pressão sobre os outros membros do comitê para mudar a sede dos Jogos para os Estados Unidos ou para a Escandinávia, regiões naquele momento não envolvidas no conflito. O COI recusou a proposta e, em 1915, quando se tornou evidente que a Alemanha não teria condições de abrigar os Jogos, a entidade anunciou o cancelamento da Olimpíada. O adiamento deu ao Brasil a chance de se preparar melhor para conseguir uma boa campanha na sua estreia em uma Olimpíada. Entretanto, uma das exigências dos belgas, que foram

invadidos pelos alemães, para abrigar a Olimpíada foi a exclusão dos países derrotados na Primeira Guerra, encerrada dois anos antes: Alemanha, Áustria, Bulgária, Hungria e Turquia. Dessa forma, pela primeira vez na história dos Jogos Olímpicos modernos, disputas políticas impediram a participação de algumas nações. Com pouco dinheiro para organizar o evento, os belgas construíram instalações precárias. A pista de atletismo, por exemplo, apresentava várias falhas e ficava impraticável em dias de chuva. Além disso, muitos atletas foram hospedados por famílias belgas. A competição só foi realizada

graças à ajuda financeira de uma comissão de armadores navais e de vendedores de diamantes. Apesar dos problemas, os Jogos de Antuérpia trouxeram inovações. Pela primeira vez foi feito o juramento olímpico, que já tinha sido utilizado de modo experimental nos Jogos Intermediários de Atenas, em 1906. O texto original era o seguinte: “Em nome de todos os competidores prometo que participaremos nestes Jogos Olímpicos respeitando e cumprindo suas regras, com verdadeiro espírito esportivo, para maior glória do esporte e honra de nossos países”.

Foto: Henrique Licht

D

ois anos após o fim da Primeira Guerra Mundial, a Bélgica foi o local escolhido pelo Comitê Olímpico Internacional para sediar a Olimpíada. Em um cenário de destruição, Antuérpia teve que se virar como pôde para abrigar o evento. O mais importante para as nações participantes era ter de volta os Jogos Olímpicos, cancelados em 1916 por conta do conflito. Ao indicar Berlim como sede da Olimpíada de 1916, o Barão de Coubertin, então presidente do Comitê Olímpico Internacional, ainda esperava contribuir para a paz na Europa e, assim, evitar o conflito.

Desfile da delegação do Brasil na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos da Antuérpia (1920) tendo à frente três militares uniformizados e um deles carregando a bandeira nacional. Brazil’s delegation parade in the opening ceremony at the Antwerp Olympic Games (1920) with three military personnel in uniform up front, one of them carrying the national flag.

63


Em Antuérpia, o texto foi modificado com a intenção de dar um tom menos nacionalista, alterando as últimas palavras. A construção “de nossos países” foi substituída por “de nossas equipes”. Em 1920, o belga Victor Boin foi o encarregado de pronunciar o juramento durante a cerimônia de abertura, com a mão direita levantada e a esquerda segurando a bandeira olímpica, em nome de todos os participantes. Pela primeira vez, somente os Comitês Olímpicos Nacionais puderam registrar os atletas participantes. Antes de 1920, algumas associações nacionais não oficiais enviavam representantes para as Olimpíadas. Também em Antuérpia apareceu a bandeira olímpica, com seus cinco anéis entrelaçados no fundo branco da paz, cada um de uma cor diferente (azul, amarelo, preto, verde e vermelho). Os anéis representam os continentes, mas, de acordo com o COI, é errado o conceito de relacionar uma cor específica a cada um deles. O comitê esclarece que as cores dos anéis, somada à branca da bandeira, representam todas as nações reunidas para participar da Olimpíada. Antuérpia, na Bélgica. Cidade sede das Olimpíadas, onde o Brasil teve a sua primeira participação. Antwerp, Belgium. Olympic Game host-city, where Brazil recorded its first participation.

Foto: Pisaphotography

The Host-Country Two years after the end of World War I, Belgium was the place chosen by the International Olympic Committee to host the Olympic Games. In a scenario of destruction, Antwerp had to get by on its own to host the event. The most important for the participating nations was having the Olympic Games back, cancelled in 1916 due to the conflict. When appointing Berlin as host for the 1916 Olympic Games, Baron de Coubertin, then president of the International Olympic Committee, still hoped to contribute for peace in Europe and, thus, avoiding the conflict. The initiative, however, resulted in nothing. When the hostilities begun, Coubertin pressured the other members of the committee so as to change the host of the Games to the United States or Scandinavia, regions then not involved in the conflict. The IOC refused the proposal and, in 1915, when it became obvious that Germany would not have conditions of hosting the Games, the entity announced the cancellation of the Olympic Games. The postponement gave Brazil a chance of better preparing in order to achieve a better participation at its debut in Olympic Games. However, one of the Belgian (invaded by the German) demands so as to host the Olympic Games was the exclusion of the countries defeated in World War I, ended two years earlier: Germany, Austria, Bulgaria, Hungary and Turkey. Thus, for the first time in the history of the Modern Olympic Games, political controversy prevented the participation of some nations. With little money to organize the event, the Belgians built precarious facilities. The athletics track, for example, presented several faulty spots and would become impracticable in rainy days. Besides, many athletes were lodged in Belgian family homes. The competition was only held thanks to the financial aid from a ship-owners and diamond seller’s commission. Despite the problems, the Antwerp Games brought innovation. For the first time the Olympic Oath was recited, as it had already been used experimentally at the Athens Intercalated Games in 1906. The original text was as follows: “In the name of all the competitors I promise that we shall take part in these Olympic Games, respecting and abiding by the rules which govern them, in the true spirit of sportsmanship, for the glory of sport and the honor of our countries”. In Antwerp, the text was modified with the intention of giving it a less nationalist tone, altering its last words. The construction “of our countries” was replaced by “of our teams”. In 1920, Belgian Victor Boin was the one in charge of reciting the oath during the opening ceremony, with his right hand raised and the left holding the Olympic Flag, on behalf of all participants. For the first time, only the National Olympic Committees were able to register participating athletes. Before 1920, some non-official national associations sent representatives to the Olympic Games. Also in Antwerp the Olympic Flag appeared for the first time, with its five rings connected on a white background of peace, each in a different color (blue, yellow, black, green and red). The rings represent the continents, but according to the IOC, it is incorrect the concept of relating a specific color to each of them. The committee states that the ring colors, added to the white from the flag, represent all nations united for participating in the Olympic Games.

64


Brasileiros que fizeram história

E

sta foi a primeira vez que o Brasil participou dos Jogos Olímpicos. A cidade de Antuérpia, na Bélgica, recebeu uma delegação composta por 21 atletas. Mesmo sendo uma experiência inédita, os brasileiros conseguiram três medalhas, todas no tiro esportivo: duas individuais e uma por equipe. Guilherme Paraense, tenente do Exército, foi o responsável pela conquista do primeiro ouro olímpico, no tiro rápido (25m) individual. Afrânio Antônio da Costa, que tinha fama de bom atirador, conseguiu a prata na pistola livre (50m) individual. Na mesma prova, só que por equipes, os dois ganharam o bronze junto com Sebastião Wolf, Fernando Soledade e Dario Barbosa. Durante os Jogos, os atletas brasileiros também demonstraram grande versatilidade. Orlando Amêndola e João Jório, por exemplo, disputaram provas em três modalidades: natação, remo e polo aquático. Outros três nadadores expandiram suas habilidades para mais um esporte além da natação: Abrahão Saliture (remo), Adhemar Ferreira Serpa e Angelo Gammaro (polo aquático). Embora fosse verão na Europa - os Jogos aconteceram em julho -, o frio era intenso e a temperatura da água da piscina registrava três graus no dia da primeira competição.

Da esquerda para a direita, Afrânio Antônio Costa e Dario Barbosa, participantes da equipe brasileira de Tiro dos Jogos Olímpicos da Antuérpia. From left to right, Afrânio Antônio Costa and Dario Barbosa, members of Brazilian Shooting Team at the Antwerp Olympic Games.

Foto: Photo Edward

Brazilians who made history This was the first time Brazil participated in the Olympic Games. The city of Antwerp, in Belgium, hosted a delegation composed of 21 athletes. Even being an inedited experience, the Brazilians received three medals, all in shooting: two individual and one team medal. Guilherme Paraense, Army lieutenant, was responsible for the first Olympic gold, in the individual rapid fire (25m). Afrânio Antônio da Costa, who was famous for being a good shooter, received the silver in the individual free pistol (50m). at the same event, this time for teams, both of them received jointly the bronze along Sebastião Wolf, Fernando Soledade and Dario Barbosa. During the Games, the Brazilian athletes also demonstrated great versatility. Orlando Amêndola and João Jório, for example, competed in event from three modalities: swimming, rowing and water polo. Another three swimmers expanded their abilities to another sport besides swimming: Abrahão Saliture (rowing), Adhemar Ferreira Serpa and Angelo Gammaro (water polo). Despite being summer in Europe – the Games took place in July –, the cold was intense and the water temperature registered three degrees on the first day of competitions.

65


Equipe Brasileira de Tiro com Armas de Guerra participante dos Jogos Olímpicos da Antuérpia. Da esquerda para a direita, Fernando Soledade, Guilherme Paraense, Mário Maurity, Afrânio Antônio Costa e Dario Barbosa no campo onde se realizou a prova. War Weapons Shooting Brazilian Team at the Antwerp Olympic Games. From left to right, Fernando Soledade, Guilherme Paraense, Mário Maurity, Afrânio Antônio Costa and Dario Barbosa in the field where the event was held.

66

Foto: Sebastião Wolf


Curiosidades das Olímpiadas de 1920 Futuro promissor O norte-americano John Brendan Kelly, pai da futura princesa de Mônaco, Grace Kelly, disputou as provas de remo e conseguiu um recorde: vencer dois títulos olímpicos em um intervalo de apenas 30 minutos, façanha que nenhum outro atleta alcançou atÊ hoje na história dos Jogos

VovĂ´ no pĂłdio Aos 72 anos, com a medalha de prata conquistada no tiro nos Jogos de AntuĂŠrpia, Oscar Swahn tornou-se o atleta mais velho da histĂłria a subir em um pĂłdio nas OlimpĂ­adas. Swahn fazia parte da equipe sueca na prova de alvo mĂłvel e competiu ao lado do filho, Alfred.

Curiosities from the 1920 Olympic Games Promising future North-American John Brendan Kelly, father of future princess of Monaco, Grace Kelly, competed in the rowing events and set a record: winning two Olympic titles in an interval of only 30 minutes, feat that no other athlete has equaled until today in the history of the Games.

Grandfather at the podium At 72 years of age, with the silver medal received for shooting in the Antwerp Games, Oscar Swahn became the oldest athlete in history to climb the podium in the Olympic Games. Swahn was part of the Swedish team at the moving target event and competed next to his son, Alfred.

Polyvalent Belgian Victor Boin received medals in different sports. In water polo, he received the silver in 1908 and bronze in 1912. In 1920, he received the silver, this time for fencing. Later, he would become the president of the Belgium Committee Olympic.

VocĂŞ sabia? t"TNVMIFSFTGPSBNNBJTOVNFSPTBTRVFFNFEJĂŽĂœFTBOUFSJPSFT  porĂŠm nĂŁo o suficiente para o crescente movimento feminista, que decidiu criar os Jogos Femininos em 1921, na cidade de Monte Carlo. t0BUMFUBOPSUFBNFSJDBOP.PSSJT,JSLTFZGPJEFUJEPQFMBQPMĂ“DJB belga ao voltar para seu hotel depois de celebrar a vitĂłria na prova de revezamento 4 x 100 m. Ao encontrar a porta do hotel onde estava hospedado trancada, Kirksey tentou escalar a parede para chegar ao seu quarto. Flagrado pela polĂ­cia, riram da sua cara quando ele afirmou ser campeĂŁo olĂ­mpico e que teria que participar da cerimĂ´nia de entrega da medalha no dia seguinte. O norte-americano ganhara tambĂŠm a prata nos 100 m e o ouro no torneio de rĂşgbi. Posteriormente, tornou-se mĂŠdico-chefe da prisĂŁo de San Quintin. t+PTFQI (VJMMFNPU  EF  BOPT  UJOIB TJEP EFTDPCFSUP QPS VN oficial do ExĂŠrcito francĂŞs em 1918. Durante a guerra, o francĂŞs venceu a prova de cross country da sua companhia. Com alguns meses de treinamento, Guillemot se transformou em um dos grandes destaques do

Polivalente O belga Victor Boin conquistou medalhas em diferentes esportes. No polo aquĂĄtico, ganhou a prata em 1908 e o bronze em 1912. Em 1920, ficou com a prata, dessa vez na esgrima. Mais tarde, ele se tornaria o presidente do ComitĂŞ OlĂ­mpico da BĂŠlgica. atletismo francĂŞs. Ganhou os 5.000 m, chegando na frente do lendĂĄrio finlandĂŞs Paavo Nurmi. Inscrito nos 10.000 m, foi avisado apenas uma hora antes da largada que a prova seria Ă s 14h15, e teve de correr sem fazer a digestĂŁo, o que lhe provocou fortes dores de barriga durante a prova. Apesar disso, ganhou a medalha de prata, façanha ainda mais valorizada quando se descobriu que correu com calçados dois nĂşmeros maiores que os seus, que haviam sido roubados. t"NPEBMJEBEFDBCPEFHVFSSB WFODJEBQFMPTCSJUÉOJDPT UFWFTVB Ăşltima aparição na OlimpĂ­ada de AntuĂŠrpia. Foi uma maneira de os europeus esquecerem os conflitos da Primeira Guerra Mundial. t"QĂ˜TBSFDMBNBĂŽĂ?PEFVNOBEBEPSBVTUSBMJBOP RVFBDVTPVVN adversĂĄrio norte-americano de ter-lhe dado um soco durante a final dos 100 m livre, os juĂ­zes decidiram realizar a prova novamente. O vencedor inicial, o havaiano Duke Kahanamoku, confirmou a vitĂłria, e o recorde mundial (1min00s4), batido na primeira final, foi validado.

Did you know? t8PNFOXFSFNPSFOVNFSPVTUIBOJOQSFWJPVTFEJUJPOT IPXFWFSOPUFOPVHIGPSUIFHSPXUIPGUIFGFNJOJTUNPWFNFOU UIBUEFDJEFEUPDSFBUFUIF8PNFOT8PSME(BNFTJO JOUIFDJUZPG.POUF$BSMP t/PSUI"NFSJDBO.PSSJT,JSLTFZXBTEFUBJOFECZ#FMHJBOQPMJDFSFUVSOJOHUPIJTIPUFMBGUFSDFMFCSBUJOHWJDUPSZBUUIFYSFMBZ'JOEJOHUIFEPPSPGUIFIPUFMXIFSFIFXBTTUBZJOHMPDLFE  Kirksey tried climbing the wall in order to reach his room. Caught by police, they laughed at him when he declared being an Olympic champion and that he would have to take part in the medal ceremony the next day. The North-American had also received the silver at the 100m and the gold at the rugby tournament. Later, he became chief doctor at the San Quintin prison. t+PTFQI(VJMMFNPU ZFBSTPGBHF XBTEJTDPWFSFECZB'SFODI"SNZPïDFSJO%VSJOHUIFXBS UIF'SFODINBOXPOUIFDSPTTDPVOUSZFWFOUBUIJTSFHJNFOU8JUIBGFXNPOUITPGUSBJning, Guillemot became one of the great highlights of French athletics. He won the 5,000m, beating the captionry Finnish Paavo Nurmi. Registered at the 10,000m, he was informed only one hour before the start that the event would be at 2:15 PM, and had to compete without being able to digest his food, having him develop strong stomach pains during the event. Despite that he received the silver medal, feat increasingly valued when it was also discovered that he competed with shoes two sizes bigger than his, which had been stolen. tɨFNPEBMJUZUVHPGXBS XPOCZUIF#SJUJTI IBEJUTMBTUBQQFBSBODFJOUIF"OUXFSQ0MZNQJD(BNFTɨJTXBTBNFBOTGPSUIF&VSPQFBOTUPGPSHFU8PSME8BS* After the complaint of an Australian swimmer, who accused a North-American adversary of having punching him during the 100m freestyle final, judges decided to hold the event one more time. The initial winner, Hawaiian Duke Kahanamoku, confirmed his win and the world record (1min00s4), beat at the first final, was validated.

67


68


3 CapĂ­tulo

O Brasi l nas OlimpĂ­adas Chapter 3 - Brazil in the Olympics

69


Jogos OlĂ­mpicos de Paris (1924) Atletismo, Corrida de 10.000 metros. Paris Olympic Games (1924) - Athletics, 10,000 relay

Foto: Photo Ch. Du. Houx

70


O Brasil nas Olimpíadas

C

onforme vimos no capítulo anterior, a estreia da delegação brasileira aconteceu em 1920 na Antuérpia e teve um início dourado, conquistando três medalhas. Desde então, dezenas de medalhas foram conquistadas, tanto ouro, como prata e bronze, durante as 21 edições dos Jogos Olímpicos de Verão que o Brasil participou e 6 edições dos Jogos Olímpicos de Inverno. A única edição em que o país não enviou atletas foi em 1928, em Amsterdã, devido à crise econômica que o país atravessava, não dispondo de recursos para enviar uma delegação que pudesse representar a nação. Ao todo, o Brasil já conquistou 108 medalhas, sendo 23 de ouro, 30 de prata e 55 de bronze, ocupando a 37ª colocação no ranking mundial de medalhas olímpicas. Vamos passear um pouco pela história do Brasil nas Olimpíadas. O bom desempenho na Antuérpia em 1920 não foi capaz de empolgar os dirigentes da Confederação Brasileira de Desportos (CBD). Quatro anos

depois, a entidade atravessava uma grave crise financeira e praticamente abriu mão da segunda participação brasileira em Olimpíadas. Com isso, a inscrição brasileira chegou a ser cancelada para os Jogos de Paris, em 1924, mas acabou revalidada dois meses antes do início dos Jogos, graças a Federação Paulista de Atletismo, que conseguiu recursos na última hora, mas os atletas não voltaram com medalhas. A história dos Jogos Olímpicos traz muitas curiosidades e detalhes que nem imaginamos que um dia possa ter acontecido. Depois de não participar dos jogos de 1928 devido à crise financeira, nas Olímpiadas de 1932, em Los Angeles, o governo brasileiro “financiou” a viagem dos atletas em troca de trabalho. A delegação embarcou com 50 mil sacas de café em um navio e tinha de vender a semente pelo caminho. Quem não vendesse não competiria. - Dos 69 atletas que foram para os Estados Unidos, 24 retornaram. Além dos esportistas que superaram a “eliminatória do navio”, outros 13 viajaram por conta própria, completando a

Brazil in the Olympic Games As we saw in the previous chapter, the debut of the Brazilian delegation took place in 1920 in Antwerp and had a golden beginning, winning three medals. Since then, dozens of medals were won, gold, silver and bronze in the 21 editions of the Summer Olympic Games which Brazil participated and 6 editions of the Winter Olympic Games. The only edition when the country did not send athletes was 1928 in Amsterdam, due to the economic crisis the country faced, with no resources to send a delegation that could represent the nation. Overall, Brazil has already won 108 medals, with 23 gold, 30 silver and 55 bronze, occupying the 37th position in the Olympic medal world ranking. Let us see a bit of Brazil’s history in the Olympic Games. The good performance in Antwerp, 1920, was not capable of excite the heads of the Brazilian Sports Confederation (CBD). Four years later, the entity was going through a serious financial crisis and practically waived the second Brazilian participation in Olympic Games. With that, the Brazilian registration was even cancelled for the Paris Games, in 1924, but was later revalidated two months before the start of the Games, thanks to the Paulista Athletics Federation, which was able to raise resources in the last minute; but they did not return with medals. The history of the Olympic Games brings about many curiosities and details that we never imagined could have happened. After not participating in the 1928 Games due to the financial crisis, in the 1932 Olympic Games in Los Angeles, the Brazilian government financed the athletes trip in exchange for labor. The delegation embarked with 50 thousand sacks of coffee in a ship and had to sell the seeds on their way there. Those who would not sell would not compete. – Of the 69 athletes that went to the United States, 24 returned. Aside from the athletes that overcame the “ship qualifying”, another 13 travelled on their own expenses, complementing the team. Therefore, 58 athletes represented Brazil on this edition

equipe. Foram, portanto, 58 atletas que representaram o Brasil nessa edição e, apenas uma mulher, a nadadora Maria Lenk, que se tornou a primeira atleta sul-americana a competir numa Olimpíada. Entre os homens, poucos se destacaram. O corredor Adalberto Cardoso, por exemplo, precisou de um esforço sobre-humano para disputar a prova dos 10.000 m. O navio brasileiro aportou em San Francisco, e Cardoso precisou ir a pé e de carona até Los Angeles. Depois de um dia, chegou ao local da prova, bastante atrasado. Cardoso juntou-se aos demais atletas quando faltavam só dez minutos para a largada. Com toda essa trapalhada, terminou a corrida em último. Sua história acabou rendendo notícias nos jornais norte-americanos. O “Los Angeles Times” apelidou o brasileiro de “O Homem de Ferro”. Quatro anos depois, nas Olímpiadas de 1936 em Berlim, mais uma vez, até o último minuto os atletas brasileiros não tinham certeza sobre a sua participação. Uma “rixa” entre a CBD (Confederação Brasileira

de Desportos) e o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) fez com que as entidades brigassem para ver quem levaria os atletas aos jogos. A disputa só foi decidida na véspera do embarque, em favor do COB, depois que a CBD concordou em fundir as equipes. Foram 95 atletas e nenhuma medalha. Após um período de 12 anos sem os jogos, devido a Segunda Guerra Mundial, que durou de 1939 a 1945, os Jogos Olímpicos renasceram graças ao entusiasmo de alguns membros do COI (Comitê Olímpico Internacional). Muitos atletas que tinham participado dos Jogos de 1936 morreram na guerra, mesmo assim, foram 59 países participantes (ao contrário de 49 nos jogos de 1936). Entretanto, o jejum de conquistas para o Brasil só terminou em Londres (1948) e, este feito foi conseguido no basquete masculino, que acabou por ser um fato isolado na delegação brasileira. Os Jogos de Helsinque em 1952, na Finlândia, marcaram o surgimento do primeiro herói da história olímpica do Brasil. O paulista Adhemar Ferreira da Silva superou o recorde mundial quatro

and only one woman, swimmer Maria Lenk, who became the first South American athlete to compete in Olympic Games. Amongst men, few stood out. Runner Adalberto Cardoso, for example, needed super-human efforts to compete in the 10,000-meter event. The Brazilian ship landed in San Francisco, and Cardoso had to go on foot and hitchhiking to Los Angeles. After a day, he arrived at the competition venue, extremely late. Cardoso joined the other athletes just ten minutes before the race. With all this mess up, he finished the race last. His story ended up providing news in North American newspapers. The “Los Angeles Times” nicknamed the Brazilian “Iron Man”. Four years later, in the 1936 Olympic Games in Berlin, once again the Brazilian athletes, up to the last minute were not sure about their participation. A dispute between CBD (Brazilian Sports Confederation) and COB (Brazilian Olympic Committee) had the entities fighting to decide which would take the athletes to the Games. The brawl was only decided on the day before departure, in favor of COB, after the CBD agreed in merging the teams. 95 athletes travelled and returned with no medals. After a 12-year period without the Games due to the Second World War, that lasted from 1939 to 1945, the Olympic Games were reborn thanks to the enthusiasms of a few COI (International Olympic Committee) members. Many athletes that participated in the 1936 Games died during the war, and still, the Games had 59 participating countries (opposed to 49 in the 1936 Games). However, the lack of achievements for Brazil only ended in London (1948) and this feat was attained by men’s basketball and was an isolated feat for the Brazilian delegation. The Helsinki in 1952, in Finland, marked the appearance of Brazil’s first Olympic hero. Paulista athlete Adhemar Ferreira da Silva beat the world record four times and became the main name in the Brazilian delegation in that edition, also becoming a national athletics myth. Despite shooter Guilherme Paraense having received the country’s first gold in 1920, in Antwerp, then

71


Foto: Photo Ch. Du. Houx

Jogos Olímpicos de Paris (1924) - Equipe de Natação do Reino Unido Paris Olympic Games (1924) – United Kingdom’s Swimming Team

vezes e, tornou-se o principal nome da delegação brasileira naquela edição, além de transforma-se em um mito do atletismo nacional. Embora em 1920, na Antuérpia, o atirador Guilherme Paraense tenha conquistado o primeiro ouro do país, naquela época os Jogos não tinham o mesmo prestígio que conquistaram nas décadas seguintes. Em 1956, em Melbourne, Adhemar foi mais uma vez o único atleta brasileiro a conquistar medalha. O Brasil marcou sua oitava participação nas Olímpiadas na capital da Itália com duas medalhas de bronze, conquistadas pelo basquete feminino e pela natação, com o nadador Manuel dos Santos Júnior. Adhemar também participou em Roma, mas terminou a edição de 1960 (sua despedida) sem se classificar para a final, ficando na modesta 14ª posição. Ainda assim, foi muito aplaudido no Estádio Olímpico. Mais tarde, viria a explicação para sua atuação abaixo da média: ele disputou a prova com um princípio de tuberculose. Já a edição seguinte foi muito marcante, não para o Brasil, mas para o mundo. Nenhum país fora da Europa havia sofrido tanto com a Segunda Guerra Mundial quanto o Japão, atingido por duas bombas nucleares. As Olímpiadas de Tóquio (1964) serviram para provar que os japoneses estavam renascendo. Foram investidos US$ 3 bilhões na construção de complexos esportivos, na infraestrutura e no sistema de transporte da cidade, na época 72

com mais de 10 milhões de habitantes. Grande parte desse valor veio (curiosamente) da ajuda dos Estados Unidos. Nessa edição o Brasil voltou com uma medalha de bronze no basquete masculino. O ano de 1968 no México foi repleto de surpresas, foram 68 recordes mundiais. Já o Brasil voltou três medalhas, conquistadas no atletismo, medalha de prata por Nelson Prudêncio que, já saboreava o recorde mundial e a medalha de ouro, quando foi derrotado pelo soviético Viktor Saneyev, ficando então com a medalha de prata. As outras duas medalhas de bronze vieram do boxe (Servílio de Oliveira) e da vela (Reinaldo Conrad e Burkhard Cordes). O Brasil também esteve bem próximo de outras duas medalhas: no basquete masculino, a seleção ficou em quarto, após perder a disputa para a União Soviética, assim como aconteceu na natação. Em 1972, em Munique, na Alemanha, os Jogos Olímpicos foram marcados por uma tragédia, que ficou conhecida como Setembro Negro. O gigantismo dos jogos se escondeu atrás de terrorismo e deixou uma mancha Olimpíada alemã. Terroristas palestinos invadiram a Vila Olímpica e mataram 11 integrantes da delegação de Israel. Ao todo foram 18 mortos, entre atletas, terroristas e policiais. Cogitou-se suspender os Jogos, mas o Comitê Olímpico Internacional decidiu manter a programação original. O Brasil participou com quase o mesmo número


Jogos Olímpicos de Paris (1924) Fred Tootell

Foto: Photo Ch. Du. Houx

Paris Olympic Games (1924) – Fred Tootell

de atletas da edição anterior, 89 contra 84 na Cidade do México. Presente outra vez em 13 modalidades, os brasileiros conquistaram duas medalhas de bronze, no atletismo e judô. Com a experiência recente do atentado a Munique, quatro anos depois deste grande incidente, os jogos de Montreal (1976) tiveram sua segurança reforçada. Cerca de 16 mil soldados protegeram a competição, e nenhuma ocorrência grave foi registrada. No Canadá, a delegação brasileira repetiu o desempenho de Munique, conquistando duas medalhas de bronze. Seguindo a tradição do atletismo, o salto triplo foi o destaque do país. Depois dos feitos de Adhemar Ferreira da Silva e Nelson Prudêncio em edições anteriores dos Jogos, foi a vez de João do Pulo subir ao pódio para levar o bronze. O segundo bronze do Brasil foi na vela, com a dupla Reinaldo Conrad e Peter Ficker. Para Moscou (1980), o Brasil enviou a maior delegação que, até então, havia representado o país em Jogos Olímpicos, foram 109 atletas. Com duas medalhas de ouro e duas de bronze, o país terminou em 17° no quadro geral de medalhas. Os jogos foram marcados também pelo boicote de 61 países, com isso, competições aguardadas como basquete, atletismo e natação perderam o brilho. Somente 80 países, o menor número desde 1956, estiveram presentes. Depois da debandada de Moscou, foi a vez de os soviéticos revidarem o boicote dos

Estados Unidos. Mas nem a ausência da União Soviética e seu bloco de aliados socialistas, como Cuba e a Alemanha Oriental, impediu que Los Angeles obtivesse um número recorde de países participantes: 140. Os Jogos também marcaram a volta da China à competição após 32 anos de ausência. Os Estados Unidos receberam uma Olimpíada depois de 52 anos. Bem-organizados, os Jogos de Los Angeles (1984) mostraram um show de tecnologia. Na cerimônia de abertura, o ponto alto foi quando um homem voou sobre o estádio Coliseum com uma mochila a jato. O Brasil voltou para casa com oito medalhas. A medalha de ouro foi conquistada por Joaquim Cruz, nos 800m do atletismo. As de prata vieram no futebol masculino, no vôlei masculino, no judô, com Douglas Eduardo de Brito Vieira, na natação, com Ricardo Prado (400m medley), e na vela, com Daniel Adler, Ronaldo Camargo Ribeiro Senff e Torben Schmidt Grael, na classe Soling. As medalhas de bronze foram conquistadas no judô, com Luiz Yoshio Onmura e Walter Carmona. Depois de três edições tumultuadas, a grande maioria dos países filiados ao Comitê Olímpico Internacional (COI) voltou a participar dos Jogos, na Coreia do Sul. Após os boicotes de africanos em Montreal-1976, dos norte-americanos em Moscou-1980 e dos soviéticos em Los Angeles-1984, a Olimpíada enfim foi disputada pelas maiores potências do esporte, com exceção de Cuba.

the Games did not have the same prestige from following decades. In 1956, Melbourne, Adhemar was once again the only Brazilian athlete to win a medal. Brazil marked its eighth participation in Olympic Games in the capital of Italy with two bronze, won by women’s basketball and swimming, with swimmer Manuel dos Santos Júnior. Adhemar was also present in Rome, but finished the 1960 edition (his farewell) without qualifying for the final, finishing in a modest 14th place. Anyway, he was much acclaimed at the Olympic Stadium. Later would come the explanation for his below average performance: he competed with an onset of tuberculosis. The next edition was outstanding, not only for Brazil, but for the entire world. No country outside Europe had suffered so much with the Second World War as Japan, hit by two nuclear bombs. The Tokyo Olympic Games (1964) proved the Japanese were being reborn. US$ 3 billion were invested in the construction of sport complexes, in infrastructure and in the transportation system of the city then with over 10 million people. Great part of this amount came (curiously) from United States aid. In this edition Brazil returned with a bronze medal in men’s basketball. The year of 1968 in Mexico was full of surprises: 68 world records. Brazil brought home three medals, won in athletics, silver for Nelson Prudêncio who was already starting to get a taste of the world record and the gold, when was beaten by Soviet Viktor Saneyev, ending then with the silver. The other two bronze medals came with boxing (Servílio de Oliveira) and sailing (Reinaldo Conrad and Burkhard Cordes). Brazil was also close to another two medals: in men’s basketball the national team finished fourth, after losing the game to the Soviet Union, as was also the case in swimming. In 1972, Munich, Germany, the Olympic Games were marked by tragedy, known as Black September. The Games gigantism hid behind terrorism and left an Olympic German stain. Palestinian terrorists invaded the Olympic Villa and killed 11 members of the delegation of Israel. Overall 18 dead, amongst athletes, terrorists and policemen. Interrupting the Games was pondered, but the International Olympic Committee decided to maintain the original schedule. Brazil participated with almost the same number of athletes as in the previous edition, 89 against 84 in Mexico City. Again present in 13 modalities the Brazilians won two bronze medals, in athletics and judo. With the recent experience of the Munich terrorist attack, four years after such a huge incident, the Montreal Games (1976) had its security strengthened. Around 16 thousand troops provided protection to the competition, and no serious event was registered. In Canada, the Brazilian delegation repeated Munich’s performance, winning two bronze medals. Following the tradition in athletics, triple jump was the country’s highlight. After the feats of Adhemar Ferreira da Silva and Nelson Prudêncio in previous editions of the Games, it was João do Pulo turn to climb the podium to receive the bronze. Brazil’s second bronze was in sailing, with duo Reinaldo Conrad and Peter Ficker. To Moscow (1980), Brazil sent the largest delegation that, until then, had represented the country in Olympic Games, with 109 athletes. With two gold and two bronze medals, the country finished 17th overall in the medal table. The Games were also marked by the boycott of 61 countries. With that awaited competitions, such as basketball, athletics and swimming lost their shine. Only 80 countries, the smallest number since 1956, were present. After Moscow’s “disband”, it was now time for the Soviets to return to the United States their boycott. But not even the absence of the Soviet Union and its block of socialist allies, such as Cuba and East Germany, prevented Los Angeles to host a record number of countries: 140. The Games also marked the return of China to the competition after 32 years. The United States hosted the Olympic Games after 52 years. Well organized, the Los Angeles Games (1984) were a technological show. In the opening ceremony, the highlight was a man flying over the Coliseum with a jet backpack.

73


Os brasileiros voltaram das Olímpiadas de Seul (1988) com seis medalhas: A medalha de ouro foi conquistada por Aurélio Miguel, no judô. As de prata vieram no atletismo, com Joaquim Cruz, nos 800m, e no futebol masculino. As de bronze foram conquistadas por Robson Caetano da Silva, no atletismo, nos 200m, e na vela, com Nelson Castanheira Barros Falcão e Torben Schimidt Grael, na classe Star, e Clinio Marcelino de Freitas Neto e Lars Schmidt Grael, na classe Tornado. Os Jogos de Barcelona (1992) foram históricos para o Brasil e, particularmente, para o vôlei nacional. Desde o início da década de 1980, a modalidade ganhava, a cada ano, mais e mais popularidade no país, com os atletas da Seleção Brasileira masculina sendo tratados como ídolos. A medalha de prata conquistada nas

Olimpíadas de Los Angeles-1984 só reforçou a situação. Oito anos depois, todo o trabalho foi coroado de forma magnífica. Para o Brasil, os Jogos de Atlanta, em 1996, representaram um momento histórico. Foi na cidade norte-americana que o país, pela primeira vez, superou a marca de 10 medalhas conquistadas em uma mesma edição olímpica. Os jogos contaram com a participação de mais de 10 mil atletas, de 197 países. Entretanto, os problemas de segurança ofereceram uma brecha a um episódio que abalou a competição. Na madrugada do dia 27 de julho, uma explosão no parque Centenário, no centro da cidade, deixou dois mortos e mais de 100 feridos. Medidas de segurança foram tomadas e os jogos retomados. As Olimpíadas de Sydney (2000) foram particularmente sofridas para os brasileiros. O que deveria ser

uma edição recheada de medalhas de ouro se transformou em uma sucessão de derrotas em decisões. Com isso, apesar de o país ter conquistado 12 pódios, foi a primeira vez, desde 1980, que o Brasil não voltou para casa com pelo menos uma medalha dourada na bagagem. Já as Olimpíadas de Atenas (2004), marcaram o retorno da competição ao berço dos Jogos, ficaram registradas na história como o momento olímpico mais vitorioso do país até então. O Brasil bateu o recorde de medalhas douradas em uma mesma edição, com a torcida festejando em cinco ocasiões a consagração de seus atletas. Somadas as outras cinco medalhas conquistadas (duas de prata e três de bronze), os brasileiros conquistaram, ainda, a melhor colocação da história no quadro geral de medalhas, com a 16ª posição geral.

E a cada edição das Olímpiadas a delegação brasileira fica melhor! Por exemplo, em Pequim (2008) o país enviou à China a maior delegação em toda sua trajetória olímpica. O número de 277 atletas incluiu, ainda, o recorde de mulheres brasileiras nos Jogos: 133. Além disso, outra marca foi estabelecida: a de 32 modalidades com esportistas brasileiros. Voltamos para casa com 15 medalhas. E para finalizar, as Olimpíadas de Londres (2012), que precederam os Jogos do Rio2016, foram particularmente especiais para o judô e a ginástica brasileiras. Nos tatames, os judocas do País, mantendo a tradição de conquistas olímpicas, voltaram para casa com quatro medalhas na bagagem. Foram ao todo 17 medalhas conquistadas, conquistando a posição de 22° lugar.

Jogos Olímpicos de Paris (1924) - Equipe de Atletismo do Brasil

Foto: Photo Ch. Du. Houx / acervo doado pela família de Frederico Guilherme Gaelzer

Paris Olympic Games (1924) – Brazil’s Athletics Team

74


Foto: Photo Ch. Du. Houx

Jogos Olímpicos de Paris (1924) - Fred Tootell Paris Olympic Games (1924) - Fred Tootel

Brazil returned home with eight medals. A gold medal was won by Joaquim Cruz, in the 800m dash. Silver medals came in men’s football, men’s volleyball, judo with Douglas Eduardo de Brito Vieira, in swimming with Ricardo Prado (400m medley), and sailing with Daniel Adler, Ronaldo Camargo Ribeiro Senff and Torben Schmidt Grael, in the Soling class. Bronze medals were won in judo, with Luiz Yoshio Onmura and Walter Carmona. After three troubled editions, most countries affiliated to the International Olympic Committee (COI) again participated in the Games, in South Korea. After the African boycott in Montreal-1976, North Americans in Moscow-1980 and the Soviets in Los Angeles-1984, the Olympic Games were at last disputed by the great powers of the sport, except for Cuba. Brazilians returned form the Seoul Olympic Games (1988) with six medals: gold won by Aurélio Miguel in judo, silver medals in

athletics with Joaquim Cruz, in the 800m dash, and men’s football. Bronze were received by Robson Caetano da Silva in athletics, in the 200m dash, and sailing with Nelson Castanheira Barros Falcão and Torben Schimidt Grael, in the Star class, and Clinio Marcelino de Freitas Neto and Lars Schmidt Grael, in the Tornado class. The Barcelona Games (1992) were historical for Brazil and especially for national volleyball. Since the beginning of the 1980s, the modality gained each year increased popularity in the country, with the men’s Brazilian National Team athletes being treated as idols. The silver medal won in the Los Angeles Olympic Games-1984 only bolstered the situation. Eight years later, all the work was crowned magnificently. For Brazil, the Atlanta Games in 1996, represented a historical moment. It was in the North American city that the country, for the first time, surpassed the mark of 10

medals received in a single Olympic edition. The Games had the participation of over 10 thousand athletes from 197 countries. However, security issues provided a breach for an episode that shook the competition. In the morning of June 27, an explosion at Centennial Park, downtown, left two dead and over 100 injured. Security measures were taken and the Games resumed. The Sydney Olympic Games (2000) were particularly hard for Brazilians. What should be an edition packed with gold medals became a succession of defeats in finals. With that, despite the country having reached 12 podiums, for the first time since 1980 Brazil did not bring at least one gold home. The Athens Olympic Games (2004), marked the return of the competition to its birthplace and were recorded in history as Brazil’s most victorious Olympic moment until then. Brazil beat its Golden medal record in a single edition with the crowd celebrating in five occa-

sions the consecration of its athletes. Added to another five medals won (two silver and three bronze), Brazilians had the best historical rank in the medal panel with the 16th overall place. And at every new edition of the Olympic Games the Brazilian delegation get better! For example, in Beijing (2008) the country sent China the largest delegation of its entire Olympic trajectory. The number of 277 athletes included, also, a record in number of women in the Games: 133. Added to that, another mark was established: 32 modalities with Brazilian athletes. We returned home with 15 medals. And finalizing, the London Olympic Games (2012), preceding the Rio2016 Games, were particularly special for Brazilian judo and gymnastics. On the tatamis, the country’s judokas, keeping the tradition of Olympic glory, returned home with four medals. Overall Brazil won 17 medals, ranking 22nd in the final standings.

75


Before the fame for interpreting Tarzan, Johnny Weissmuller won two golds for the USA in swimming.

76

Foto: Portal Gazetado Povo

Antes da fama ao interpretar o personagem Tarzan, Johnny Weissmuller ganhou dois ouros para os EUA na natação


Modalidades mais destacadas

O

Foto: Photo Ch. Du. Houx

atletismo é a modalidade mais antiga, mas em questão de maior número de medalhas nas Olímpiadas, está o voleibol com 20 (somando o vôlei de quadra e vôlei de praia, nas categorias feminino e masculino), seguida pelo judô, com 19 medalhas e a vela, com 17 medalhas. Não podemos deixar de lado a natação brasileira, que já rendeu 12 medalhas olímpicas ao País. Os números de medalhas para o judô vieram na virada do século, quando o esporte representou o início de uma nova fase, desde Atenas 2004, o país conquistou três ouros olímpicos, três pratas e treze medalhas de bronze. Dentre os principais medalhistas olímpicos podemos destacar Chiaki Ishii – japonês naturalizado brasileiro, que ganhou a primeira medalha olímpica para o Brasil (1972) -, Aurélio Miguel e Flávio Canto (que já penduraram o kimono), mas Tiago Camilo, Leandro Guilheiro, Sarah Menezes (primeira mulher a conquistar o Ouro no judô brasileiro), Mayra Aguiar e Rafael Silva, ainda são Jogos Olímpicos de Paris (1924) - Fred Tootell esperanças de medalhas. Paris Olympic Games (1924) - Fred Tootell A vela também tem um histórico lindo nos Jogos Olímpicos. Com 17 medalhas conquistadas para o Brasil, a equipe trabalha otimista com a missão de aumentar o número de pódios da modalidade nos Jogos Rio 2016. O atletismo por sua vez, vive situação oposta. Das 14 medalhas brasileiras nas Olímpiadas, apenas duas foram obtidas no século 21. Isso significa que a modalidade, apesar de continuar sendo a quarta que mais deu conquistas ao país, hoje não tem o mesmo prestigio. Para 2016, a expectativa do Comitê Olímpico do Brasil (COB) era alta: conquistar 27 medalhas e terminar a competição entre os dez países mais bem classificados. Não ficamos muito longe da meta: 13º lugar, com 19 medalhas conquistadas.

Most distinguished modalities Athletics is the oldest modality, but as for the greatest number of medals in Olympic Games, in volleyball with 20 (adding court and beach volleyball, women and men categories), followed by judo, with 19 medals and sailing with 17 medals. Let’s not forget Brazilian swimming, that has already given us 12 Olympic medals. The numbers of medals for judo came in the turn of the century when the sport represented the beginning of a new phase; since Athens 2004, the country won three Olympic gol-

ds, three silvers and thirteen bronze medals. Among the greatest Olympic medalists we can distinguish Chiaki Ishii – Japanese naturalized Brazilian citizen who won the first Olympic medal for Brazil (1972) -, Aurélio Miguel and Flávio Canto (already retired); but Tiago Camilo, Leandro Guilheiro, Sarah Menezes (first woman to win gold in Brazilian judo), Mayra Aguiar and Rafael Silva are still hopes for medals. Sailing also has a beautiful history in the Olympic Games. With 17 medals won for Brazil the team works with the mission of hopefully increasing the number of podiums for the modality in

the Rio2016 Games. Athletics in its turn lives opposing situation. From the 14 Brazilian medals in the Olympic Games, only two were received in the 21st century, despite still being the fourth in number of medals received. For 2016, the Brazilian Olympic Committee (COB) expectations are high: winning 27 medals and finishing the competition amongst the ten best ranked countries.

77


Quadros de medalhas

F

oram 21 edições dos Jogos Olímpicos de Verão que o Brasil participou, 108 medalhas, sendo 23 de ouro, 30 de prata e 55 de bronze, ocupando a 37ª colocação no ranking mundial de medalhas olímpicas. Confira a seguir o quadro de medalhas de todas as participações do Brasil.

Tabela: Portal Brasil 2016

Tabela: Portal Brasil 2016

Medal board Brazil participated in 21 editions of the Summer Olympic Games, 108 medals, with 23 golds, 30 silvers and 55 bronze, occupying the 37th place in the Olympic medals world ranking. Following is the medal table for all Brazilian participations


79

Tabela: Portal Brasil 2016

Tabela: Portal Brasil 2016


80

Tabela: Portal Brasil 2016

Tabela: Portal Brasil 2016


81

Tabela: Portal Brasil 2016

Tabela: Portal Brasil 2016


82

Tabela: Portal Brasil 2016

Tabela: Portal Brasil 2016


83

Tabela: Portal Brasil 2016

Tabela: Portal Brasil 2016


84

Tabela: Portal Brasil 2016

Tabela: Portal Brasil 2016


85

Tabela: Portal Brasil 2016

Tabela: Portal Brasil 2016


86

Tabela: Portal Brasil 2016

Tabela: Portal Brasil 2016


87

Tabela: Portal Brasil 2016

Tabela: Portal Brasil 2016


88

Tabela: Portal Brasil 2016


Melhor participação do Brasil

D

efinir uma única melhor participação do Brasil é complicado. Se avaliarmos pelo ponto da melhor classificação, diríamos que foi na sua estreia dourada na Antuérpia, em 1920, quando conquistou 3 medalhas (1 ouro, 1 prata e 1 bronze). Isso levou que ficasse em décimo-quinto na classificação, entretanto, também temos que levar em consideração que, naquela época, eram menos países competindo e, haviam menos modalidades olímpicas. Se fizermos a classificação pelo melhor resultado, este foi em Atenas, em 2004, quando o Brasil conquistou 5 medalhas de ouro, 2 de prata e 3 de bronze totalizando 10 medalhas. Foi o melhor resultado pelo número de medalhas de ouro o que deu ao Brasil o décimo-sexto lugar na classificação geral. E se levarmos em consideração o maior número de medalhas, foi em Londres (2012), quando conquistou 17 medalhas (3 de ouro, 5 de prata e 9 de bronze), superando o seu recorde de pódios (15, conseguidos em Pequim 2008 e Atlanta 1996). Apesar do bom número de medalhas, o Brasil ficou em vigésimo-segundo na classificação geral pelo número reduzido de medalhas de ouro. Como curiosidade, a pior colocação do Brasil na classificação geral (sem contar 1924, 1932 e 1936, jogos em que o Brasil participou, mas não ganhou nenhuma medalha) foi em Sidney, 2000. O nosso país ganhou um total de 12 medalhas, um bom número, mas foram 6 de prata e 6 de bronze. Como não ganhamos nenhuma de ouro, ficamos apenas na quinquagésima-segunda colocação. Isso tudo não estamos contando a participação do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio 2016.

Brazil’s best participation Determining Brazil’s single best participation is complicated. If we analyze using the best standing aspect, we would say it was its golden debut in Antwerp in 1920, with 3 medals (1 gold, 1 silver and 1 bronze). This lead Brazil to the 15th place overall, however, we also have to consider that at the time there were less countries competing and less Olympic modalities. If we decide for classification according to the best result, this was Athens in 2004, when Brazil won 5 gold, 2 silver and 3 bronze medals totaling 10 medals. This was the best result per number of gold medals, giving Brazil the 16th place in the overall standings. And if we consider the highest number of medals, this was London (2012), when Brazil won 17 medals (3 gold, 5 silver and 9 bronze), surpassing its record of podiums (15, in Beijing-08 and Atlanta-96). Despite the good number of medals, Brazil ranked 22nd in the overall standings due to the reduced number of gold medals. As curiosity, Brazil’s worst ranking in the overall standings (not considering 1924, 1932 and 1936, Games Brazil participated, but did not win medals) was Sidney 2000. Our country won a total of 12 medals, a good number, but 6 silver and 6 bronze medals. As it did not win any gold, we finished only in the 52nd position.

89


Sarah Menezes, Felipe Kitadai, Mayra Aguiar e Rafael Silva Sarah Menezes, Felipe Kitadai, Mayra Aguiar and Rafael Silva

Foto: CahĂŞ Mota

90


Memória da última participação do Brasil

N

os Jogos Olímpicos de Londres 2012, o Brasil encerrou a sua participação alcançando o número recorde de medalhas, mas sem conseguir seu melhor desempenho na história. Foram 17 medalhas vencidas nos 16 dias de competição, duas a mais do que o obtido nas edições de Atlanta 1996 e Pequim 2008. Entretanto, apenas três foram de ouro. Este número - que é o primeiro parâmetro na avaliação do desempenho dos países em Olimpíadas - o Brasil terminou Londres sem conseguir repetir o feito de Atenas 2004, quando o país subiu cinco vezes ao lugar mais alto do pódio. Londres 2012 foi particularmente especial para o judô e a ginástica brasileira. Nos tatames, os judocas do País, mantendo a tradição de conquistas olímpicas, voltaram para casa com quatro medalhas na bagagem. Rafael Silva, Mayra Aguiar e Felipe Kitadai faturaram o bronze. Entretanto, coube a uma atleta do Piauí o posto de grande estrela da modalidade. Sarah Menezes, da categoria peso ligeiro (até 48kg), disputou, em Londres, sua segunda Olimpíada e o resultado foi a medalha de ouro, com direito a vitória, na decisão, sobre a romena Alina Dumitru, que havia sido a campeã em Pequim-2008. Sarah, que conquistou o primeiro ouro do Brasil em Londres, tornou-se a primeira judoca do País a triunfar em uma Olimpíada.

Além de Sarah, o esporte brasileiro viu surgir, em Londres, um herói na ginástica artística. O paulista Arthur Zanetti, que em 2011 já tinha dado mostras de seu potencial ao se tornar o segundo melhor atleta do planeta na prova das argolas, com a conquista da prata no Campeonato Mundial, sagrou-se campeão da prova em Londres. Com isso, tornou-se o primeiro atleta do País a subir ao pódio olímpico na ginástica artística e escreveu seu nome como o primeiro latino-americano de todos os tempos a conquistar um ouro na modalidade em Olimpíadas. No vôlei feminino, a Seleção Brasileira do técnico José Roberto Guimarães chegou à Inglaterra disposta a repetir o resultado obtido em Pequim-2008, quando o time, finalmente, chegou ao tão sonhado ouro olímpico. Já as medalhas de prata vieram com a Seleção Brasileira de futebol masculino; com a Seleção Brasileira de vôlei masculino; no boxe, com Esquiva Falcão Florentino; na natação, com Thiago Pereira, nos 400m medley; e no vôlei de praia, com Alisson e Emanuel Rego. As medalhas de bronze foram conquistadas no boxe, com Adriana Araújo e Yamaguchi Falcão; no judô, com Rafael Silva, Mayra Aguiar e Felipe Kitadai; na natação, com Cesar Cielo, nos 50m livre; no pentatlo moderno, com Yane Marques; na vela, com Robert Scheidt e Bruno Prada, na classe Star; e no vôlei de praia, com Juliana e Larissa

Memory of the last participation of Brazil In the 2012 London Olympic Games, Brazil closed its participation reaching a record number of medals, but without achieving its history’s best performance. There were 17 medals received in the 16 days of competition, two over that received in Atlanta 1996 and Beijing 2008. However, only three golds. With this number – the first parameter for the analysis of performance of countries in Olympic Games – Brazil closed its participation in London without repeating the feat of Athens 2004, when the country climbed five times the highest place in the podium. London 2012 was particularly special for Brazilian judo and gymnastics. The country’s judokas, keeping the tradition of Olympic achievements, returned home with four medals. Rafael Silva, Mayra Aguiar and Felipe Kitadai won bronze. However, it was an athlete from Piauí the biggest star in the modality: Sarah Menezes, in the extra lightweight category (up to 48kg), competed in London in her second Olympics and the result was a gold medal, beating in the final Romanian Alina Dumitru, champion in Beijing-2008. Sarah, who won Brazil’s first gold in London, became the country’s first judoka to win in Olympic Games. Besides Sarah, Brazilian sport saw appear, in London, a hero in gymnastics. State of São Paulo born Arthur Zanetti, who in 2011 had already given signs of his potential becoming the world’s second best athlete in the rings event, winning silver in the World Championship, became the event’s champion in London. With this feat he became the country’s first athlete to go to the highest place in the podium in gymnastics and wrote his name as the first Latin America of all times to win gold in the modality in Olympic Games. In women’s volleyball, the Brazilian National Team of coach José Roberto Guimarães arrived in England decided to repeat the result obtained in Beijing-2008, when the team finally won the dreamed Olympic gold. The silver medals came with men’s football national team, with men’s volleyball, in boxing, with Esquiva Falcão Florentino, swimming with Thiago Pereira, in the 400m medley, and beach volleyball with Alisson and Emanuel Rego. The bronze medals came in boxing, with Adriana Araújo and Yamaguchi Falcão, judô with Rafael Silva, Mayra Aguiar and Felipe Kitadai, swimming with Cesar Cielo, in the 50m freestyle, modern pentathlon with Yane Marques, sailing with Robert Scheidt and Bruno Prada, in the Star class, and beach volleyball with Juliana e Larissa

91


92


4 Capítulo

Atletas símbolos das Olimpíadas Chapter 4 - Athletes Symbol of the Olympic Games

93


LONDRES - Dorney, Reino Unido 19 FEB 2016 Parte do Anéis olímpicos no início do Eton. LONDON - Dorney, United Kingdom 19 FEB 2016 Part of the Olympic rings at the start of Eton.

94

Foto: Paul Daniels


Atletas símbolos das Olímpiadas

E

m 2016, os melhores atletas Olímpicos e Paraolímpicos do mundo se reuniram no Rio de Janeiro para protagonizar o maior espetáculo esportivo do planeta. Antes disso, muito treino, suor, disciplina e determinação marcou a vida destes esportistas. Mas neste capítulo vamos relembrar fatos e personagens que marcaram a trajetória dos Jogos. Nesta lista, você encontra seis brasileiros que se destacaram e trouxeram medalhas de ouro para o Brasil, desde a estreia do país na competição, em 1920. Além de quatro atletas estrangeiros. São personagens de sucesso, que se superaram e emocionaram o torcedor. A seguir, inspire-se com as conquistas destes atletas, divirta-se com algumas curiosidades, identificar-se com seus hobbies e, venha emocionarse com as suas trajetórias. Além disso, vamos relembrar também aqui neste capítulo, fatos e personagens que marcaram a trajetória dos Jogos. Nesta lista, você encontra sete brasileiros que se destacaram e trouxeram medalhas de ouro para o Brasil, desde a estreia do país na competição, em 1920. Além de quatro atletas estrangeiros. São personagens de sucesso, que se superaram e emocionaram o torcedor. A seguir, inspire-se com as conquistas destes atletas, divirta-se com algumas curiosidades, identificar-se com seus hobbies e, venha emocionarse com as suas trajetórias.

Athletes Symbol of the Olympic Games In 2016, the world’s best Olympic and Paralympic athletes will gather in Rio de Janeiro to stage the greatest sport spectacle of the planet. Until then, much training, sweating, discipline and determination shall be marking these sportspersons’ lives. While they get prepared, you will get to know a bit more about each one of them: the hopefuls of the 2016 Olympic Games! We will also recollect, on this chapter facts and characters that marked the Games history. On this list you will find seven Brazilians who stood out and brought gold medals to Brazil, since the debut on the competition in 1920, and also four foreign athletes. These are success characters, who outperformed themselves and touched the fans. Next, get inspired by these athletes’ achievements, have fun with some curiosities, identify with their hobbies and, join us and be touched by their trajectories.

95


Maurren foi a primeira mulher da América do Sul a ganhar o ouro olímpico em evento individual. Maurren was the first South-American woman to win the Olympic gold in an individual event Foto: Alex Ferro/Rio2016

Foto: Agência AP

Após conquistar a medalha de ouro em 2008 After winning the gold medal in 2008

96


Maurren Maggi

Q

uem estava com saudade dessa grande atleta, pôde revê-la durante as Olímpiadas de 2016, só que desta vez, do outro lado, analisando e emocionando-se com os competidores

Natural da cidade de São Carlos, interior de São Paulo, Maurren Higa Maggi é saltadora e velocista brasileira. Tornou-se o maior nome da história do atletismo feminino do Brasil ao ganhar, aos 30 anos, medalha de ouro no salto em distância dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, saltando 7,04 metros. Durante mais de duas décadas no esporte, chegou a ser suspensa por dois anos pelo uso de doping pela Federação Internacional de Atletismo, mesmo após a comprovação da falta de intenção da atleta no uso da substância proibida pelas regras internacionais e sua absolvição por unanimidade nos tribunais esportivos brasileiros. Maurren também coleciona o título de recordista brasileira e sulamericana do salto em distância (7,26m) e tricampeão pan-americana em Winnipeg 1999, Rio 2007 e Guadalajara 2011 na mesma prova. Além disso, também conquistou Medalha de Prata no Mundial Indoor de Atletismo em Valência 2008, e bronze em Birmingham 2003. Foi por duas vezes na carreira a nº1 do ranking mundial do salto em distância feminino, em 1999 e 2003, e a nona melhor atleta da história da modalidade, em 1999, à época do seu salto de 7,26 m. Também por duas vezes recebeu o prêmio Atleta do Ano concedido pelo Comitê Olímpico Brasileiro. Durante o ano de 2014 chegou a Das Arenas aos bastidores, Maurren Maggi ficar sem patrocínio e, para continuar treinando, chegou a fazer uma em visita ao Comitê Rio 2016 “vaquinha” pela internet para arrecadar fundos. From the arenas to the backstage, Maurren Maggi in a visit to the Rio2016 Committee A campeã olímpica havia se animado para voltar aos treinos em 2015, mas uma lesão a afetou no início da temporada. Então, em abril do mesmo ano, durante uma transmissão ao vivo de uma rede de televisão, anunciou que iria se aposentar e trabalhar apenas como comentarista. “Não dá para fazer tudo com qualidade, tudo que você quer ao mesmo tempo”, disse Maurren, na época, com 38 anos. “Então este ano é o último da minha carreira. Acho que a gente merece ter uma Olimpíada decente, brilhante. Então este é o último ano meu, e ano que vem, é só Rede Globo”, disse durante a transmissão ao vivo. Portanto, para quem estava com saudade dessa grande atleta, sim, a veremos durante as Olímpiadas de 2016, só que desta vez, do outro lado, analisando os competidores. Maurren Maggi: towards the skies Born in the city of São Carlos, countryside of the State of São Paulo, Maurren Higa Maggi is a Brazilian jumper and sprinter. She became the greatest name in Brazil’s female athletics winning, at 30 years of age, a gold medal in the long jump at the Beijing Olympic Games in 2008, jumping 7.04 meters. For over two decades in sport, she was even suspended for two years for doping by the International Association of Athletics Federations, even after evidence was provided of the athlete’s lack of intentions in using a substance prohibited by international rules and her pardoning at Brazilian sport courts. Maurren also holds the Brazilian and South-American records for the long jump (7.26m) and she is three-time Pan-American champion in Winnipeg 1999, Rio 2007 and Guadalajara 2011 on the same event. She also won the silver medal at the World Indoor Championships in Valencia 2008, and bronze in Birmingham 2003. During her career she was twice the world rank number 1 at the women’s long jump, in 1999 https://pt.wikipedia.org/wiki/Maurren_Maggi - cite_note-3 and 2003, and the 9th best athlete

in the history of the modality, in 1999, when of her 7.26m jump. Twice she also received the award Athlete of the Year granted by the Brazilian Olympic Committee. During 2014 she lost her sponsorship and, in order to continue training she even “passed the hat around” on the Internet to collect funds. The Olympic champion had decided to get back to training in 2015, but an injury affected the beginning of the season. So, in April of the same year, during a live TV broadcast, she announced her retirement and declared she would work only as a commentator. “There is no way of doing all with quality, all you want at the same time”, said Maurren, then at 38. “So this is the last year of my career. I think we deserve having decent, brilliant Olympic Games. So this is my last year, and next year it is only Rede Globo”, said her. Therefore, for those who missed this great athlete, yes, we will see her during the 2016 Olympic Games, this time on the other side, analyzing the competitors.

97

Foto: Alex Ferro/Rio2016

em direção as alturas


O atleta Joaquim Cruz, em 1984, recebendo a medalha de ouro conquistada nas pistas

Foto: Arquivo pessoal do atleta

Foto: Arquivo pessoal do atleta

Athlete Joaquim Cruz, in 1984, receiving the gold medal won at the tracks

Joaquim Cruz comemora a histรณrica vitรณria nos 800m nos Jogos de Los Angeles, em 1984 Joaquim Cruz celebrates the historical win on the 800m in the Los Angeles Games, 1984

98


Joaquim Cruz única medalha de ouro nas pistas

E

para quem está também com saudade deste grande atleta, ele também estava nos jogos de 2016, desta vez no banco dos treinadores do Paralímpico. Joaquim Cruz acostumou-se a fazer história bem novo. Nasceu em Taguatinga, no Distrito

se campeão olímpico em uma prova de pista. Ele estava sem dúvida, muito preparado para a conquista e foi melhorando os seus tempos nas eliminatórias (1:45.66, 1:44.84 e 1:43.82). Na final conquistou o ouro com o recorde olímpico de 1:43.0 e livrou cinco metros de vantagem

Federal, no ano de 1963, após seus pais e

sobre Sebastian Coe, o segundo colocado. Joaquim Cruz voltou ao pódio olímpico na edição seguinte, em Seul (1988), quando ficou com a prata, também nos 800m. Já na história dos Jogos Pan-Americanos, o brasiliense é bicampeão dos 1.500m: em 1987, em Indianápolis (Estados Unidos), e em 1995, em Mar del Plata (Argentina). Joaquim foi o primeiro atleta brasileiro a ser mostrado ao vivo no Brasil (competindo, vencendo e recebendo a medalha olímpica) e também foi considerado, em uma pesquisa feita pela Revista IstoÉ, como um dos melhores atletas brasileiros do século XX.

cinco irmãos deixarem o interior do Piauí. Sua infância foi humilde, mas ainda novo, começou a conquistar grandes medalhas. Aos quinze anos já começou a destacar-se e, marcou o recorde mundial juvenil de 1’44’’’3 no Troféu Brasil de Atletismo no Rio de janeiro em 1981. Recebeu uma bolsa de estudos na Universidade de Oregon em 1983, após subir ao pódio no Campeonato Mundial de Atletismo, disputado em Helsinque, na Finlândia, conquistando medalha de bronze nos 800m. Em 1984, em Los Angeles, tornou-se o primeiro – e até hoje único – brasileiro a sagrar-

Joaquim Cruz: only gold medal on the tracks Joaquim Cruz got used to making history since young. He was born in Taguatinga, Federal District, in 1963, after his parents and five brothers and sisters leaving Piauí. His childhood was humble, but still young he started winning important medals. At fifteen he started to be noticed and set the world youth record of 1’44’’’3 at Troféu Brasil de Athtletics in Rio de Janeiro, 1981. He was awarded a scholarship from the University of Oregon in 1983, after his podium at the World Championships in Athletics, held in Helsinki, Finland, winning the bronze medal on the 800m. In 1984, in Los Angeles, he became the first – and still today the only – Brazilian to become Olympic champion in a track event. He was without a doubt extremely well prepared for the victory and improved his marks during the qualifying rounds (1:45.66, 1:44.84 and 1:43.82). at the final he won the gold with the Olympic record of 1:43.0 and five meters of advantage to the runner up, Sebastian Coe. Joaquim Cruz returned to the Olympic podium at the next edition, in Seoul (1988), when he received the silver, also on the 800m. In the history of the Pan-American Games, the Brasiliense is two-time Champion on the 1,500m: in 1987, Indianapolis (United States), and 1995 in Mar

Apesar de ter se aposentado há quase duas décadas, o corredor nunca se afastou do esporte. Atualmente, aos 52 anos, ele vive nos Estados Unidos e trabalha como consultor do Comitê Olímpico Americano, no núcleo de paradesporto. Já em Brasília, mantém um instituto que leva o seu nome, cujo foco é descobrir e treinar jovens atletas de famílias de baixa renda. E costuma dizer em suas entrevistas “correr, só por prazer”. Recentemente, durante entrevista coletiva ao lançar um livro sobre a sua biografia, falou sobre o esporte no nosso país. “No Brasil, ainda temos a mentalidade de se alegrar apenas com o fato de participar de uma Olimpíada. Não temos uma formação na base, desde cedo, para formar atletas para irem ao pódio e serem vencedores também na vida. Não se valoriza os atletas campeões, como no exterior”, enfatizou.

del Plata (Argentina). Joaquim was the first Brazilian athlete to be broadcast live in Brazil (competing, winning and receiving the Olympic medal) and was also considered, in a survey by IstoÉ magazine, one of the best Brazilian athletes of the 20th century. Despite being retired for almost two decades the sprinter has never left the sport. Presently, at 52 years of age, he lives in the United States and works as consultant for the American Olympic Committee, at the para-sports nucleus. In Brasília, he maintains an institute with his name, focused on discovering and training young athletes from low-income families. And he usually mentions on his interviews he “runs just for pleasure”. Recently, during a press conference when releasing his autobiography, he spoke about the sport in our country. “In Brazil, we still have the mentality of being happy just for taking part in an edition of the Olympic Games. We do not have a basic training, since early, so as to form athletes to reach podiums and be winners also in life. We do not value champion athletes, as abroad”, he emphasized. And for those who also miss this great athlete, he will also be in the 2016 Games, this time at the Paralympic coaches’ bench.

99


Cesar Cielo posa com suas medalhas de ouro conquistadas em 2013, Barcelona, Espanha.

Foto: Ricardo Bufolin/Divulgação

Foto: Satiro Sodre / Arquivo pessoal do atleta

Cesar Cielo poses with his gold medals won in 2013, Barcelona, Spain.

Durante treino em 2012 During training in 2012

100


Cesar Cielo Foto: Arquivo pessoal do atleta

braçadas de ouro

C

esar Augusto Cielo Filho, assim como os outros atletas que vimos até agora, também tem características de campeão: competitivo, adora um bom desafio e não gosta de perder. Nasceu em 1987 em Santa Bárbara d´Oeste e, começou na natação aos 8 anos. Antes praticava um pouco de judô e vôlei. Seu ídolo era Gustavo Borges, que depois virou conselheiro do nadador. Morou na cidade de Auburn, nos Estados Unidos, para estudar e treinar na universidade da região. Seu desempenho nas piscinas o tornou um dos principais nadadores da história brasileira. Ele foi o primeiro nadador brasileiro a vencer uma olimpíada. Ao longo da sua carreira, já conquistou tantas medalhas e recordes que, não conseguiremos mencionar todos aqui. Nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, conquistou duas medalhas, ouro nos 50 metros livres (conquistando recorde olímpico) e medalha de bronze nos 100 metros livres. Nos jogos seguinte, em 2012 em Londres, conquistou mais uma medalha de bronze nos 50 metros livre. O atleta já tem onze medalhas em Mundiais (de piscinas curta e longa), seis delas de ouro, ganhas em Com sua medalha conquistada nas sequência nos Mundiais de Roma/2009, Xangai/2011 e Olímpiadas de Londres (2012) Barcelona/2013, diz ainda buscar motivação para treinar With his medal won in the London Olympic Games (2012) e buscar ser o mais rápido do mundo. Em Jogos PanAmericanos já são outras sete medalhas douradas. Em seu site pessoal Cielo conta que os treinos para ser campeão são bem puxados. “Centésimos de segundo separam vencedor e perdedor, todos estão preparados. Então, a cabeça, a força mental, faz mesmo a diferença e, para isso, a motivação é fundamental”, comenta no site. Apesar de não ter conquistado sua vaga nas Olímpiadas de 2016, vale lembrar que Cesar Cielo é um herói nacional, nada vai apagar o que ele já fez por esse esporte.

Cesar Cielo: Golden strokes Cesar Augusto Cielo Filho, as well as the other athletes we saw up to now, also has characteristics of a champion: competitive, he loves a good challenge and does not like to lose. He was born in 1987 in Santa Bárbara d´Oeste and started in swimming at 8 years of age. Before that he practiced some judo and volleyball. His idol was Gustavo Borges, who later became the swimmer’s advisor. He lived in the city of Auburn, United States, in order to study and train at the University of Auburn. His performance at the pools made him one of the leading swimmers in Brazilian history. He was the first Brazilian swimmer to win an Olympic event. Throughout his career he won so many medals and beat so many records that are not able to mention them all here. In the Beijing Olympic Games, 2008, he won two medals, gold in the 50m freestyle (with the Olympic record) and the bronze medal in the 100m freestyle. In the following Games, in 2012, London, he won another bronze medal in the 50m freestyle.

The athlete already has eleven medals in World Championships (short and long course), six of them gold, won in sequence during the World Championships in Rome/2009, Shanghai/2011 and Barcelona/2013, and says he still has motivation to train and seek to be the fastest in the world. In Pan-American Games he already has seven gold medals. At his personal website Cielo tells that training to be a Champion is very demanding. “Hundredths of a second separate winner and loser, all are prepared. So, the mind, mental strength really makes the difference and, for that, motivation is key”, he comments. Despite not having won a seat in the 2016 Olympics, remember that Cesar Cielo is a national hero, nothing will erase what he has done for this sport.

101


Thiago posa com as 23 medalhas conquistadas nos Jogos Pan-Americanos que participou. Thiago poses with the 23 medals won in the Pan-American Games he participated.

102

Foto: Satiro SodrĂŠ


Thiago Pereira tubarão na piscina Foto: Arquivo pessoal do atleta

A

O atleta comemora a conquista de mais uma medalha The athlete celebrates yet another medal

Thiago Pereira: a shark in the pool Another great name in the pools is this one! Thiago Machado Vilela Pereira is a Brazilian swimmer, biggest medalist of all times in Pan-American Games, with 23 medals, being 15 golds. In London-2012, the athlete won a silver medal in the 400m medley event. Thiago swims since 6 years of age, but his debut took place in the Santo Domingo Pan-American Games, 2003. At 17, then, he surprised all handling the pressure of debuting and opening the medal count, with the silver in the 200m medley and bronze in the 400m medley. But it was at the 2007 Rio Pan-American Games that the swimmer from Volta Redonda became the Brazilian crowd’s “favorite”. Swimming at home, he simply had a blast, with six golds, one silver and a bronze. To finish up he beat the record for number of medals in a single edition. In the last edition of the Games, in Guadalajara 2011, Thiago repeated the admirable performance of Rio de Janeiro. The athlete won six golds, one silver and a bronze and, at 25 years of age, became the biggest Brazilian Champion in Pan-American Games. Adding up the six golds, two silvers and two bronze from the Games in Santo Domingo and Rio de Janeiro, Thiago accumulated 18 medals in the continental Olympic competition, one less than his idol Gustavo Borges. Recently questioned about his career and plans he answered: “All my career was developed thinking about the next Olympic Games. We are going to Rio, after that we will think about the next cycle. I think that many things can happen. I won’t say I will or will not be. I’ll let each year roll. And let’s go to Rio. I feel very blessed with all I had during my career and with what I have been accomplishing”. The Olympic medalist is also vice-president of FINA – International Swimming Federation’s Athletes Commission and member of the COB – Brazilian Olympic Committee’s Athletes Commission.

pesar de não ter conquistado nenhuma medalha no Rio 2016, Thiago brilhou nas piscinas mais uma vez. Thiago Machado Vilela Pereira é um nadador brasileiro, maior medalhista de todos os tempos dos Jogos Pan-Americanos, com 23 medalhas, sendo 15 de ouro. Em Londres-2012, o atleta conquistou a medalha de prata na prova dos 400 m medley. Thiago nada desde os dois anos de idade, mas a sua estreia aconteceu nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, em 2003. Aos 17 anos, na época, surpreendeu ao suportar a pressão da estreia e abrir o placar na contagem de medalhas, com a prata nos 200m medley e o bronze nos 400m medley. Mas foi no Pan Rio 2007 que o nadador de Volta Redonda virou o “queridinho” da torcida brasileira. Nadando em casa, simplesmente fez a festa, com seis ouros, uma prata e um bronze. Para completar, bateu o recorde de número de medalhas em uma mesma edição. Na última edição dos Jogos, em Guadalajara 2011, Thiago repetiu o admirável desempenho do Rio de Janeiro. O atleta conquistou seis ouros, uma prata e um bronze e, aos 25 anos, tornouse o maior campeão brasileiro em Jogos PanAmericanos. Somando os seis ouros, duas pratas e dois bronzes dos Jogos de Santo Domingo e do Rio de Janeiro, Thiago acumulou 18 medalhas na competição olímpica continental, uma a menos que seu ídolo Gustavo Borges. Questionado recentemente sobre a sua carreira e planos ele respondeu: “Toda a minha carreira sempre fiz pensando nos próximos Jogos Olímpicos. Vamos para o Rio, depois a gente pensa no próximo ciclo. Acho que muita coisa pode acontecer. Não vou falar que vou estar, nem que não vou estar. Vou deixar rolar cada ano. E vamos embora para o Rio. Me sinto bem iluminado com tudo que tive na minha carreira e o que venho conquistando”. O medalhista olímpico também é vicepresidente da Comissão de Atletas da FINA – Federação Internacional de Natação – e integrante da Comissão de Atletas do COB – Comitê Olímpico Brasileiro.

103


Uma lesão distanciou Sarah da sonhada medalha no Rio 2016.

Foto: Alex Ferro / Rio 2016

Foto: Alex Ferro / Rio 2016

The athlete intensified her training for Rio2016.

Sarah quer mudar sua categoria e intensificar os treinos para as próximas competições Sarah Menezes is anxious for repeating the feat of the last Olympic Games

104


Sarah Menezes representando as mulheres no judô

V

amos falar agora de mais um jovem talento, que destacou o Brasil nos últimos Jogos Olímpicos de Verão. A judoca brasileira Sarah Gabrielle Cabral de Menezes, entrou para a história dos esportes como a primeira mulher a receber uma medalha de ouro no judô brasileiro, durante a competição dos Jogos Olímpicos de Londres em 2012. Sarah nasceu em Teresina, no Piauí em 1990 e, sua história com o esporte começou aos nove anos, através de atividades da sua escola. “Tudo começou com uma brincadeira. Assisti a uma apresentação do judô na minha escola, pois eles iam introduzir as aulas para

os alunos. Lembro que gostei de cara e entrei logo para a primeira turma. Tudo começou como uma brincadeira, mas rapidamente comecei a treinar também no clube e, no mesmo ano, já estava competindo em campeonatos estaduais”, recorda a atleta. Contudo, a judoca do Piauí não imaginava, naquela ocasião, que nove anos depois, aos 18 anos já participaria de sua primeira Olímpiadas – em Pequim (2008), mas foi derrotada logo na primeira luta. Em 2009, já tinha conquistado o bicampeonato mundial de judô. No ano seguinte, em 2010, ganhou a medalha de bronze no Grand Slam - evento do

Sarah Menezes: representing women in judo Now let us talk about another Young talent that highlighted Brazil in the last Summer Olympic Games. Brazilian judoka Sarah Gabrielle Cabral de Menezes, went down in sports history as the first woman to receive a gold medal in Brazilian judo, during the competitions of the London Olympic Games in 2012. Sarah was born in Teresina, State of Piauí, in 1990 and, her history with sport started at 9 years of age, through activities in her school. “All started as children’s play. I watched a judo performance in my school, as they were introducing classes to students. I remember liking it right away and I joined the first group. All started as child’s play, but quickly I started training also at the club and, in the same year, I was already competing in state championships”, remembers the athlete. However, the judoka from Piauí did not imagine, then, that nine years later, at 18, she would participate in her first Olympic Games – Beijing (2008), but she was defeated in her very first fight. In 2009, she already was two-time judo world champion. A year later, in 2010, she won the bronze medal in the Grand Slam – event from the World Circuit of the International Judo Federation, in Tokyo.

Circuito Mundial da Federação Internacional de Judô, em Tóquio. Em 2011, ganhou a medalha de prata no Grand Slam em Paris. No mesmo ano, conquistou a medalha de bronze nos jogos Pan-americanos de Guadalajara. Entretanto, a conquista mais importante de Sarah foi a medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres em 2012. Com esse feito, foi a primeira mulher a conquistar uma medalha de ouro na história do judô brasileiro. O ouro de Sarah foi carregado de significados. Foi o primeiro do Brasil em Londres 2012, logo no primeiro dia oficial de disputas; o primeiro do judô em 20 anos; e a 17ª medalha do judô em Olimpíadas, tornando

a modalidade, provisoriamente, a mais vencedora entre todas as do Brasil na história dos Jogos, superando a vela, que acumula 16 medalhas. Na Olímpiada Rio 2016, infelizmente Sarah não conseguiu repetir a façanha de conquistar uma medalha olímpica. Entretanto, menos de uma semana após sofrer uma luxação no cotovelo direito na sua eliminação nos Jogos Rio 2016, a atleta já começou a fazer planos para o futuro, mais especificamente, a Olimpíada de Tóquio, em 2020. Em entrevista exclusiva ao SportTV, a judoca confirmou que está de mudança de categoria: pretende sair dos pesoligeiro (até 48kg) e passar para o peso meio-leve (até 52kg).

In 2011, she won the silver medal in the Grand Slam in Paris. In the same year, she won the bronze medal in the Pan-American Games of Guadalajara. However, Sarah’s most important achievement was the gold medal in the London Olympic Games, 2012. With this feat, she became the first woman to win a gold medal in the history of Brazilian judo. Sarah’s gold was loaded with meaning. It was Brazil’s first gold in London 2012, right at the first official day of events; the first for judo in 20 years; and the 17th medal from judo in Olympic Games, becoming the modality, provisionally, the winningest between all Brazil’s modalities in the history of the Games, surpassing sailing, which gathers 16 medals. For Rio2016, her coach Expedito Falcão, guarantees Sarah will surprise her opponents in the Olympic Games. “She is starting to change her way of fighting in order to surprise her opponents. The confederation and I are doing this job, trying to outline, with the multidisciplinary team composed of doctors, physical therapists, psychologists and nutritionists, support for her to fight well in the Rio Games”, concluded Expedito.

105


Torben com o seu irmão Lars e seu avô, Preben Schmidt

Ao longo de sua carreira, o atleta conquistou cinco medalhas olímpicas, sendo duas de ouro. Throughout his career, the athlete won five Olympic medals, with two golds.

106

Foto: Ericsson Racing Team / site oficial do atleta

Foto: Ericsson Racing Team / site oficial do atleta

Foto: Reprodução/ SportTV

Torben with his brother Lars and grandfather, Preben Schmidt

Um dos atletas mais vitoriosos do esporte nacional One of national sports most victorious athletes


Torben Grael o “turbina” brasileiro

Torben Grael: the Brazilian “turbine” And closing our highlight Brazilian athletes, Torben Grael collects Olympic medals of all colors. The yachtsman, nicknamed Turbine, won five Olympic medals, with two golds, and also five world titles. The passion for sailing is a family affair: Grael learned to sail with his grandfather at 5 years of age and started his career next to his brother Lars Grael, also an Olympic medalist. Born on 22 of July of 1960, yachtsman Torben Schmidt Grael, known around the world as Torben Grael, is the sailor with the highest number of Olympic medals in the world and the greatest Brazilian Olympic sportsperson of all times. Danish descendant, Torben Grael was taken sailing from 5 years of age by his grandfather with the ship Aileen, of the extinct 6m class, ship used by three Danish yachtsmen when conquering the silver in the Summer Olympic Games of 1912, in Stockholm. When he went to live, still Young in Niterói, he started sailing on Guanabara Bay with his brother, Lars. Very early he demonstrated talent and will to follow the saga of the maternal family, the Schmidts from Denmark, whose patriarch Preben was one of the pioneers of Brazilian sailing. Stimulated by his father, a military from the Army, and especially by his mother, Torben and his younger brother, Lars, followed the maternal uncles Axel and Erik, first great sailing champions, steps. In 1983, together, they won their first world title, in the Snipe class, in Porto, Portugal. This would only be the beginning that took him to the highest peak of world sports. There were over 30 Brazilian titles in several classes and types of ships: 6 world titles, 5 Olympic medals, a final of the America´s Cup, the oldest and most prestigious regatta in world sailing, and the landslide victory in the around the world regatta in 2009. Grael is considered the most complete sailor in the entire world, as he has shone in the three main types of sailing competitions: Olympic, oceanic and match race, a competition between only two sails. Presently he no longer competes, but for those who miss this great athlete, you will also see him in Rio2016, as he will be the Brazilian sailing coach. About the Olympic Games in Brazil, in an interview to the Rio2016 Portal about the challenges of such great event he declared: “It is not every day we have the Olympic Games at our home. This was the main reason that made me accept this challenge. It will be a very special event for Brazil and I am going to work to keep the good performance of Brazilian sailing in Olympic Games”, stated the greatest Olympic medalist. According to Torben, the work will be unceasing: “We have much to define, but knowing the competition venue is a very important factor”.

Preben foi um dos pioneiros da vela brasileira. Incentivado pelo pai, um militar do Exército, e principalmente pela mãe, Torben e seu irmão mais novo, Lars, seguiram os passos dos tios maternos Axel e Erik, primeiros grandes campeões de vela. Em 1983, em dupla, conquistaram seu primeiro campeonato mundial, na classe Snipe, no Porto, em Portugal. Isso seria apenas o começo que o levou ao mais alto do desporto mundial. Foram mais de 30 títulos brasileiros em diversas classes e tipos de barcos a vela: 6 títulos mundiais, 5 medalhas olímpicas, uma final de America´s Cup, a regata mais antiga e prestigiada da Vela mundial, e a consagradora vitória na regata de volta ao mundo em 2009. Grael é considerado o velejador mais completo de todo o globo, já que brilhou nos três principais tipos de competição de vela: a olímpica, a oceânica e em match race, uma competição entre apenas duas velas. Atualmente ele não compete mais, mas, para quem está com saudade deste grande atleta também o verá no Rio2016, pois será o técnico da vela brasileira.

Torben Grael foi anunciado como novo treinador-chefe do Brasil no Rio 2016 Torben Grael was announced as Brazil’s new head coach for Rio2016

Foto: Acervo COB/Rafael Bello

A

tAtualmente ele não compete mais, mas, está sempre presente nas competições de vela como técnico. O iatista, apelidado de Turbina, conquistou cinco medalhas olímpicas, sendo duas de ouro, além de cinco títulos mundiais. A paixão pela vela é familiar: Grael aprendeu a velejar com o avô aos cinco anos de idade e iniciou a carreira ao lado do irmão Lars Grael, também medalhista olímpico. Nascido no dia 22 de julho de 1960, o iatista Torben Schmidt Grael, mundialmente conhecido como Torben Grael, é o velejador com maior número de medalhas olímpicas no mundo e o maior esportista olímpico brasileiro de todos os tempos. Descendente de dinamarqueses, Torben Grael foi levado para velejar a partir dos cinco anos de idade, pelo avô no barco Aileen, da extinta classe 6m, que foi o barco usado por três velejadores dinamarqueses, na conquista da prata nos Jogos Olímpicos de Verão de 1912, em Estocolmo. Quando foi morar, ainda pequeno, em Niterói, ele começou a velejar na baía da Guanabara com seu irmão, Lars. Logo cedo, demonstrou talento e vontade de seguir a saga da família materna, os Schmidt, oriundos da Dinamarca, cujo patriarca

107


Phelps ĂŠ o maior medalhista dos Jogos OlĂ­mpicos Foto: site oficial do atleta

Foto: site oficial do atleta

Phelps is the biggest medalist of the Olympic Games

Em Londres (2012) conquistou quatro medalhas de ouro e duas de prata In London (2012) he won four gold and two silver medals

108


Michael Fred Phelps maior ganhador de medalhas olímpicas

C

onsiderado um dos maiores atletas de todos os tempos, o nadador norte-americano, Michel Fred Phelps (1985), quebrou trinta e sete recordes mundiais e conquistou o maior número de medalhas de ouro olímpicas em uma única edição. Este feito foi realizado nos Jogos de Pequim, na China, em 2008, onde conquistou oito medalhas de ouro nas piscinas. Diante destes resultados, Phelps superou as sete medalhas de ouro do compatriota Mark Spitz, conquistadas nos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972. Mas desde o começo de sua carreira já colecionada grandes feitos e vitórias. Estreou aos 15 anos nas Olímpiadas de Sydney (2000), no qual conquistou o quinto lugar na final dos 200m borboleta. Cinco meses após os jogos, bateu o recorde desta mesma prova, tornando-se o mais novo nadador de todos os tempos a bater um recorde mundial de natação. Quatro anos depois, em Atenas (2004), conquistou oito medalhas em uma Olímpiada (seis de ouro e duas de bronze), uma proeza, só alcançada anteriormente pelo ginasta russo Alexander Ditvatin nos Jogos Olímpicos em Moscou (1980) e pelo nadador Spitz que, quatro anos depois, em Pequim (2008) quebraria este recorde. Phelps bateu o recorde de maior número de medalhas de ouro em uma só edição das Olímpiadas! Em sua quarta Olímpiada, em Londres (2012), conquistou mais seis medalhas, tornando-se assim, o atleta mais medalhado de toda a história dos Jogos Olímpicos, com um total de 22 medalhas obtidas em três Jogos Olímpicos. Após este grande feito, anunciou no mesmo ano que estava encerrando a sua carreira, porém, dois anos depois, anunciou sua volta as raias mundiais em 2014. Michel Phelps se despediu da Olimpíada do Rio de Janeiro, com cinco medalhas de ouro e uma prata. O atleta aproveitou para anunciar o encerramento da sua carreira com a sensação de dever cumprido. “Como eu gostaria de encerrar minha carreira? Eu queria encerrar do meu jeito. Eu fui capaz de trabalhar muito, de fazer bons tempos, fiz sacrifícios. Eu acabei recompensado, e não tem nada melhor que isso”, disse o nadador ao canal SportTV.

Michael Fred Phelps: the greatest Olympic medal winner Considered one of the greatest athletes of all times, North-American swimmer, Michel Fred Phelps (1985), broke thirty-seven world records and won the highest number of Olympic gold medals in a single edition. This feat occurred in the Beijing Games, China, in 2008, where he won eight gold medals in the pools. With such results, Phelps surpassed the seven gold medals of countryman Mark Spitz, in the Munich Olympic Games, 1972. From the star of his career he already collected feats and victories. He debuted at 15 years of age in the Sydney Olympic Games (2000), where he placed 5th in the 200m butterfly final. Five months after the games he beat the world record in the same event, becoming the youngest swimmer of all times to beat a swimming world record. Four years later, in Athens (2004), he won eight medals in a single Olympic Game (six golds and two bronze), a prowess only previously attained by Russian gymnast Alexander Ditvatin in the Moscow Olympic Games (1980) and by swimmer Spitz, and four years later, in Beijing (2008) he would break such record. Phelps beat the record of greatest number of gold medals in a single edition of the Olympic Games! In his fourth Olympic Games in London (2012), he received another six medals, thus becoming the biggest medalist in the entire history of the Olympic Games, with a total of 22 medals obtained in three Olympic Games. After this huge feat, in the same year he announced that he was ending his career, however two years later he announced his comeback to world lanes in 2014. However, a few months after abandoning his retirement he was detained for driving under the influence of alcohol in the city of Baltimore (USA). This led him to be suspended by the American Federation (USA Swimming), and his detention also cost him presence in the World Championships 2015 in Kazan (Russia). Regarding his participation in the Olympic Games in Rio de Janeiro, it is still uncertain.

109


Roma 1960, onde conquistou cinco medalhas (3 ouro, 1 prata e 1 bronze) Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Rome 1960, where she won five medals (3 golds, 1 silver and 1 bronze)

Depois que se aposentou, virou técnica da equipe nacional de ginástica da União Soviética até 1977 After she retired, she became the coach for the Soviet Union’s national team until 1977

110


Larissa Semyonovna Latynina mulher de ouro

A

Larissa Semyonovna Latynina: golden woman Up to 2012 (when his mark was surpassed by Michael Phelps), she was the biggest Olympic medalist, with 18 medals (nine golds, five silvers and four bronze), in three Olympic Games. Gymnast Larissa Semyonovna Latynina, was born in 1934 in the Ukraine. Along her career she participated in three Olympic Games (Melbourne 1956, Rome 1960 and Tokyo 1964), representing the old Soviet Union, winning a total of eighteen medals – with nine golds – that made her the biggest woman Olympic medalist of all times. Latynina was also one of the most well-succeeded gymnasts in World and European championships (a total of fourteen in each one of the events), ten of them golds in World Championships. Larissa started her career as a ballerina and only later, opted for the artistic modality in gymnastics. Already graduated from high school she moved to the city of Kiev, to study at the Lenin Polytechnic Institute and continue training. There, Latynina would practice at the Burevestnik Voluntary Sports Society. In 1954, at 19 years of age, her first opportunity of competing internationally in a huge competition: the Artistic Gymnastics World Championships – held in Rome, Italy – where she won her first gold medal, team event. After the Tokyo Games in 1964, where she won her last two Olympic gold medals, and also another two bronze, Larissa retired from Olympic Game competitions and after participating in the Artistic Gymnastics World Championships, she became coach for the Soviet Union ‘s national team until 1977 and organized the gymnastics competition for the Moscow Olympic Games, in 1980. Presently she lives in Moscow with her children and grandchildren, but we may have the luck of seeing her in the grandstands, following the new generation of athletes.

té o ano de 2012 (quando sua marca foi passada por Michael Phelps), ela era a maior medalhista olímpica, com 18 medalhas (nove de ouro, cinco de prata e quatro de bronze), em três Jogos Olímpicos. A ginasta Larissa Semyonovna Latynina , nasceu 1934 na Ucrânia. Ao longo de sua carreira participou de três Jogos Olímpicos (Melbourne 1956, Roma 1960 e Tóquio 1964), representando a antiga União Soviética, conquistando um total de dezoito medalhas – sendo nove de ouro – que a tornaram a maior medalhista mulher olímpica de todos os tempos. Latynina também foi uma das ginastas mais bem-sucedidas em campeonatos mundiais e europeus (catorze no total em cada uma das competições), sendo dez delas, em mundiais, de ouro. Larissa iniciou sua carreira como bailarina e só em seguida, optou pela modalidade artística da ginástica. Já graduada, mudou-se para a cidade de Kiev, para estudar no Instituto Politécnico Lenin e

continuar a treinar. Lá, Latynina praticava na Sociedade Esportiva Voluntária Burevestnik. No ano de 1954, aos dezenove anos, veio sua primeira oportunidade de competir internacionalmente em uma disputa de grande porte: O Campeonato Mundial de Ginástica Artística - de edição realizada em Roma, na Itália – no qual conquistou sua primeira medalha de ouro, por equipes. Após os Jogos de Tóquio, em 1964, onde ganhou suas duas últimas medalhas de ouro olímpicas, além de mais duas de bronze, Larissa retirou-se das competições em Olimpíadas e após participar do Campeonato Mundial de Ginástica Artística de 1966, tornou-se técnica da equipe nacional de ginástica da União Soviética até 1977 e organizou a competição de ginástica dos Jogos Olímpicos de Moscou, em 1980.

111


Em 1988, Ian Millar levou o Canadá à quarta posição na disputa por equipes. In 1988, Ian Millar took Canada to the fourth place in the team event.

Foto: Getty Images / Jamie Esquire

Foto: COI

Millar em ação nos Jogos Sydney 2000 Millar in action at the 2000 Sydney Games

112


Ian Millar a lenda

V

eterano cavaleiro canadense, Ian Millar, aos 69 anos, possui dez edições de Olimpíadas em seu currículo. Sua primeira participação nos Jogos Olímpicos foi em Munique, em 1972, desde então, só não competiu em 1980 - ele já estava convocado para integrar a delegação canadense, mas viu o projeto Olímpico ruir por causa do boicote dos países aliados aos americanos, que se recusaram a competir em Moscou. Quando Millar fez sua estreia Olímpica, em 1972, o americano Mark Spitz encantou o mundo ao conquistar sete medalhas de ouro na natação. Quando esse recorde foi batido, 36 anos depois, por Michael Phelps, e o cavaleiro canadense também estava nos Jogos. Seu melhor resultado até hoje foi a medalha de prata, conquistada em Pequim (2008). Mesmo com a idade avançada, nem pensa em parar. O cavaleiro chega ao ponto até de competir com seus próprios filhos durante etapas de hipismo. Tanto o filho Jonathon, 40 anos, quanto Amy Millar, 38 anos, também enveredaram para o esporte que fez o pai alcançar sucesso. Mas qual o segredo para tamanha longevidade? Para Millar, a paixão pelo esporte: “vou continuar até quando for divertido”, resume. Pode ser que no hipismo o atleta seja um pouco coadjuvante de seu cavalo, mas, obviamente, o já avô atleta tem que se manter em forma. E isso não é problema para o cavaleiro. Infelizmente Millar não participou no Rio 2016, pois a sua principal montaria, Dixson, sofreu uma cirurgia e ficou fora de combate.

Ian Millar: the legend Veteran Canadian horseman, Ian Millar, at 69 years of age has ten Olympic Games on his curriculum. His first participation in the Olympic Games was in Munich, 1972. Since then he has not only competed in 1980 – he had already been called up to integrate the Canadian delegation, but saw the Olympic project collapse due to the boycott of the countries allied to the Americans, which refused to compete in Moscow. When Millar debuted in the Olympics in 1972, American Mark Spitz enchanted the world winning seven gold medals in swimming. When this record was beaten 36 years later by Michael Phelps, the Canadian horseman was also at the Games. His best result up to today was the silver medal, won in Beijing (2008). Even with the advanced age he doesn’t think about stopping. The horseman even competes against his own children in legs of the equestrian eventing. His son Jonathon, 40, and his daughter Amy Millar, 38, also followed his steps into the sport that made their father reach success. But what is the secret for such longevity? For Millar, the passion for the sport: “I am going to continue until it is fun”, he summarizes. It may be that in the equestrian eventing the athlete is a co-star for his or her horse, but, obviously the already grandfather athlete has to keep fit, and this is not a problem for the horseman. It seems that Ian Millar, a widower, is going far. The 2016 Olympic Games is an objective already fully realized and, soon he will parade his ranchero style – cowboy hat, boots, gold wristbands and shining rings are part of his model – in Rio de Janeiro.

113


Foto: Getty Images

Oscar Swahn ganhou medalha de ouro no tiro, aos 60 anos. Oscar Swahn won the gold medal in shooting, at 60 years of age

114


Oscar Swahn Foto: Getty Images

não existe idade para ser campeão

O

scar Gomer Swahn nasceu no dia 20 de outubro de 1847 e, é o mais velho campeão olímpico da história dos Jogos (participou de três Jogos Olímpicos). Atirador esportivo sueco, possui um extenso quadro de medalhas – Londres 1908 (2 medalhas de ouro, 1 de prata e 1 de bronze), Estocolmo 1912 (1 ouro e 1 de bronze) e Antuérpia 1920 (1 medalha de prata). O atleta mais velho a participar das olimpíadas é a mesma pessoa mais velha a ganhar uma medalha olímpica, Swahn bateu esses dois recordes nas olimpíadas e por isso é conhecido, e sempre falando quando assunto é Olimpíadas, ele participava da categoria tiro duplo ao veado, categoria que não existe mais nas olimpíadas. Sua primeira participação em uma olimpíada foi, em 1908, aos 60 anos, apenas um ano mais jovem do que Joshua Millner, o medalhista de ouro mais antigo na época. O atirador venceu na categoria de alvo móvel (um disparo) e ganhou sua primeira medalha de ouro. No dia seguinte, na mesma modalidade, mas por equipes, ele conseguiu sua segunda medalha de ouro. Ainda em 1908, encerrou sua participação com uma medalha de prata na prova do concurso por O quadro de medalhas olímpicas de Oscar Swahn é bem extenso equipes (5x100 jardas). Oscar Swahn’s Olympic medal board is very extensive Foi, portanto, nos Jogos de Estocolmo, em 1912, na Suécia, que se tornou o medalhista de ouro mais velho, carregando esse título até hoje. Nessa ocasião ele levou duas medalhas: uma de bronze na prova de alvo móvel e uma de ouro na prova por equipes. No auge dos seus 72 anos, Swahn voltou aos Jogos de Antuérpia em 1920 e conquistou a medalha de prata na prova por equipes. Nas olimpíadas de 1924 Oscar era vivo, mas estava muito doente e não participou dos jogos. Faleceu no ano de 1927 com 79 anos, mas até hoje é lembrado quando falamos em olimpíadas. Em todas as competições de equipe que Oscar Swahn entrou nos três Jogos Olímpicos de 1908, 1912 e 1920, ele foi acompanhado por seu filho Alfred Swahn, que também ganhou uma de bronze, uma medalha de prata e duas medalhas de ouro em provas individuais. Oscar Swahn: there is no age to be a champion Oscar Gomer Swahn was born on 20 of October of 1847 and is the oldest Olympic champion in the history of the Games (participated in three Olympic Games). Swedish sport shooter, he has na extensive medal board – London 1908 (2 gold medals, 1 silver and 1 bronze), Stockholm 1912 (1 gold and 1 bronze) and Antwerp 1920 (1 silver medal). The oldest athlete to compete in the Olympic Games and also the oldest person to win an Olympic medal, Swahn beat both these records in the Olympic Games, and he is known and mentioned whenever the subject is Olympic Games. He took part on the double shots running deer, category that no longer exists in the Olympic Games. His first participation in Olympic Games was in 1908, at 60 years of age, only a year younger than Joshua Millner, then the oldest gold medalist. The shooter won in the moving target (one shot) category and received his first gold medal. On the next day, in the same modality, but team, he won his second gold medal. Still in 1908, he ended his participation with a silver medal in the team (5x100 yards). It was, thus, in the Stockholm Games, in 1912 Sweden, that he became the oldest gold medalist, carrying this title until today. In that occasion he took two medals: one bronze in the moving target event and a gold in the team event. At the height of his 72 years, Swahn returned in the Antwerp Games, 1920, and won the silver medal in the team event. In the 1924 Olympic Games Oscar was alive, but was very ill and did not take part in the Games. He died in 1927, at 79 years of age, but even today he is remembered when we discuss Olympic Games. In all team competitions Oscar Swahn participated in the three Olympic Games in 1908, 1912 and 1920, he was followed by his son Alfred Swahn, who also won a bronze, a silver and two gold medals in individual events.

115


116


5 CapĂ­tulo Cidades sede da OlimpĂ­ada Chapter 5 - Host cities for the 2016 Olympic Games

117


A cidade do Rio de Janeiro foi escolhida pelo COI para organizar os Jogos de 2016. The city of Rio de Janeiro was chosen by the IOC to organize the 2016 Games

118

Foto: MinistĂŠrio do Turismo eske


Cidades sede da Olímpiada 2016

O

Rio de Janeiro é a cidade escolhida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) para organizar a primeira edição de uma Olimpíada na América do Sul. Passamos por uma grande seleção, mas conseguimos! O Brasil, aliás, foi o quarto país na história a organizar um Mundial de futebol e uma Olimpíada consecutivamente: os outros foram México (Jogos de 1968 e Copa de 1970), Alemanha (Jogos de 1972 e Copa de 1974) e Estados Unidos (Copa de 1994 e Jogos de 1996). Já as cidades sede brasileiras também tiveram que passar por uma grande seleção, pois o futebol é o único esporte com disputas fora da cidade que recebe as Olimpíadas. O processo para a seleção da cidade-sede deu início com a inscrição para a candidatura das cidades perante o Comitê Olímpico Internacional. Cada cidade inscrita apresentou

um documento especificando os planos a serem cumpridos, caso fosse escolhida para sediar o evento. Após análise desses processos, o COI elegeu as cidades efetivamente candidatas. A segunda fase do processo consistiu em um detalhamento do plano inicial, que seguiu de observação direta “in loco” nas cidades candidatas. Após essa etapa, seguiu para uma votação, válida apenas para membros oficiais do Comitê Olímpico Internacional, em que cada membro teve direito a um voto. Só então é que a cidade-sede foi efetivamente selecionada. A escolha, entretanto, coube à Federação Internacional de Futebol (FIFA) que definiu sete estádios, em seis capitais brasileiras, que irão receber as 58 partidas de futebol dos Jogos Olímpicos de 2016. O torneio masculino conta com 16 países e o feminino com 12 países. O Rio de Janeiro, sede olímpica, foi a única cidade que teve dois estádios selecionados:

o Engenhão e o Maracanã – que vai receber as finais tanto no masculino quanto no feminino. Os outros estádios foram: Arena Corinthians (em São Paulo), Arena Fonte Nova (em Salvador), Arena da Amazônia (em Manaus), o estádio Mané Garrincha (em Brasília) e o Mineirão (em Belo Horizonte). Apesar das ressalvas da FIFA sobre a distância e a diferença de fuso horário, a Arena da Amazônia, em Manaus, também entrou no calendário olímpico. “A entrada de Manaus no calendário Olímpico Rio 2016 enriquece o torneio com uma visita dos atletas de futebol a um dos locais mais icônicos do mundo. Tenho certeza que o Amazonas receberá o mundo Olímpico com uma celebração memorável”, destacou Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Organizador Rio 2016, citado pelo site Rio2016.com.

Agora conheça mais sobre cada um dos estádios - e cidades - que receberam as emoções do futebol olímpico.

Host cities for the 2016 Olympic Games Rio de Janeiro is the city chosen by the International Olympic Committee (IOC) to host the first edition of the Olympic games in South America. We overcame a huge selection process, and we won! Brazil as a matter of fact, will be the fourth country in history to organize a football World Cup and the Olympic Games consecutively: the others were Mexico (1968 games and 1970 Cup), Germany (1972 Games and 1974 Cup) and the United States (1994 Cup and 1996 Games). The Brazilian host cities also had to undergo a huge selection process, as football is the only sport with competition out of the city hosting the Olympic Games. The process for selection of the host city begun with the cities’ enrolment for candidacy along the International Olympic Committee. Each enrolled city presented a document specifying the plans to be met if it were chosen to host the event. After the analysis of such processes, the IOC elected the cities effectively candidate. The second phase of the process consisted in a detailing for the initial plan, followed by direct observation “in loco” at the candidate cities. After this stage, there was a voting, valid only for official members of the International Olympic Committee, where each member had the right to one vote. Only then the host city was effectively chosen.

The choice, however, was made by the International Football Federation (FIFA) which determined seven arenas, in six Brazilian capital cities that will host the 58 football matches in the 2016 Olympic Games. The men’s tournament has 16 countries and the women’s, 12. Rio de Janeiro, Olympic host, was the only city with two arenas selected: Engenhão and Maracanã – which will receive both men and women’s final matches. The other arenas will be: Arena Corinthians (in São Paulo), Arena Fonte Nova (in Salvador), Arena da Amazônia (in Manaus), Mané Garrincha stadium (in Brasília) and Mineirão (in Belo Horizonte). Despite FIFA’s reservations on the distance and difference on time zones, Arena da Amazônia, in Manaus, is also part of the Olympic schedule. “The entry of Manaus into the Rio2016 Olympic schedule enrichens the tournament with a visit from the football athletes to one of the most iconic places in the world. I am sure Amazonas will receive the Olympic world with a memorable celebration”, emphasized Carlos Arthur Nuzman, president of the Rio2016 Organizing Committee, mentioned by the Rio2016.com website. Now let’s get to know a little more about each one of the arenas – and cities – that will host the Olympic football thrills.

119


As linhas do Palácio do Planalto têm grande poder dinâmico, em que dominam os traços horizontais, jogando-se curvas e retas num efeito plástico de grande requinte. O autor do projeto é o arquiteto Oscar Niemeyer. Palácio do Planalto lines have huge dynamic power, dominated by horizontal lines, playing with curves and straight lines in a plastic effect of great sophistication. Architect Oscar Niemeyer is the project author.

120

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR


Brasília a capital do país se preparou para bater novo recorde

S

elecionada como uma das cidades sede, Brasília (DF) se preparou para reforçar a promoção da capital do Brasil como um importante destino turístico e repetir o sucesso da Copa do Mundo de 2014, quando o estádio Mané Garrincha recebeu o segundo maior número de turistas nacionais e estrangeiros entre as arenas do Mundial, e o Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek bateu recorde na operação de voos internacionais. Houve um aumento de 55% na operação e 870 pousos e decolagens no período da Copa, que resultaram em 1,66 milhão de passageiros desembarcados no Aeroporto Juscelino Kubitscheck. Segundo dados da Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF), Brasília recebeu 633 mil visitantes, sendo 488.903 nacionais e 143.743 estrangeiros. Foram 87 nacionalidades, sendo 29% colombianos, 15% argentinos e 10% norte-americanos.

Famosa pelas curvas de Oscar Niemeyer e pelo projeto urbanístico de Lucio Costa, Brasília conquistou os visitantes da Copa com suas peculiaridades. Ainda segundo dados da SeturDF, 93% dos turistas aprovaram a cidade e 98% pretendem voltar para visitá-la. A Copa do Mundo permitiu a Brasília mostrar que seus atrativos vão além do Patrimônio Cultural da Humanidade. Além da organização cartesiana, os brasileiros e estrangeiros que passaram por Brasília se encantaram com a grandiosidade da capital brasileira, com as possibilidades de desfrutar o Lago Paranoá, com o horizonte infinito e com um céu incomparável. Um dos sucessos foi a Torre de TV, que virou ponto de concentração de várias torcidas estrangeiras, e também de brasileiros, antes e depois dos jogos no Mané Garrincha, que já recebeu mais de 1,7 mil pessoas, desde sua inauguração, em jogos e shows realizados no local.

Brasília: the country’s capital prepares itself to beat a new record Selected as one of the host cities, Brasília (Federal District) is preparing for strengthen the promotion of Brazil’s capital as an important touristic destination and repeat the success of the 2014 World Cup, when Mané Garrincha stadium received the second largest number of national and international tourists amongst the Cup’s arenas, and Juscelino Kubitschek International Airport set the record in the operation of international flights. There was an increase of 55% at the operation and 870 landings and take offs during the World Cup, resulting in 1.66 million passengers disembarked at the Juscelino Kubitschek Airport. According to data from the Federal District’s Department of Tourism (Setur-DF), Brasília received 633 thousand visitors, with 488,903 national and 143,743 foreign. There were 87 nationalities, with 29% Colombians, 15% Argentinians and 10% North-Americans. Famous for the curves by Oscar Niemeyer and for Lucio Costa’s urbanistic project, Brasília won over visitors with its peculiarities. . The World Cup allowed Brazil to show its attractions go beyond the Humanity’s Cultural Heritage. Besides the Cartesian organization, Brazilians and foreigners that come through Brasília delighted themselves with the Brazilian capital’s grandiosity, with the possibility of enjoying Lago Paranoá (Paranoá Lake), with the infinite horizon and incomparable sky. A huge success was the Torre de TV, which became a concentration point for various foreign crowds and also Brazilians before and after matches at Mané Garrin-

Os dados divulgados pela Secretaria de Turismo do DF, logo após a Copa do Mundo, também mostraram que os turistas movimentaram R$ 1,3 bilhão na economia local. Isso significa que, na média, um casal que veio a Brasília para a Copa e ficou 4 dias gastou cerca de R$ 4 mil na cidade. Outro setor que teve crescimento durante o Mundial foi o comércio. De acordo com a Associação dos Artesãos, Artistas Plásticos e Manipuladores de Alimentos da Feira da Torre, o crescimento das vendas chegou a 1.000% na praça de alimentação, 300% nas bancas de souvenirs e 50% nas barracas de artesanato. O calendário de jogos dos jogos Olímpicos de Futebol Masculino e Feminino 2016 já foi divulgado pela Fifa e o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha vai receber a partida de abertura do torneio masculino, em uma quinta-feira,

4 de agosto, e também um dos jogos das quartas de final, no dia 13 de agosto. Para o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg “é uma vocação local ser um grande centro cultural e esportivo. O mundo inteiro vai parar para ver Brasília.” O antigo Mané Garrincha foi totalmente demolido para dar lugar a um estádio monumental, cuja fachada contém 288 pilares de 36 metros de altura que chamam atenção na paisagem da capital do país. Após a inauguração, em maio de 2013, mais de 70 mil torcedores lotaram as arquibancadas na abertura da Copa das Confederações daquele ano e em sete partidas da Copa do Mundo da FIFA 2014. Após o Mundial, o local fez valer o caráter de arena multiuso: além de partidas de futebol, o Mané vem sediando diversos shows de Beyoncé a Paul McCartney , corrida, partida de futsal e até casamento comunitário.

cha, receiving over 1.7 thousand people since its inauguration, in games and shows performed in the venue. Data disclosed by DF’s Tourism right after the World Cup, also showed that tourists moved R$ 1.3 billion at the local community. This means that, on average, a couple coming to Brasília for the Cup stayed 4 days and spent around R$ 4 thousand in the city. Another sector with growth during the World Cup was commerce. According to the Association of Craftsmen, Artists and Food Handlers of the Tour Fair, the sales growth reached 1,000% at the food court, 300% in souvenir stands and 50% at craft stands. The 2016 Olympic Games Men and Women Football schedules disclosed by FIFA and Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha will host the men tournament’s opening match, on a Thursday, 4 of August, and also one of the quarter-final matches, on 13 of August. For Federal District governor, Rodrigo Rollemberg “it is a local vocation to be a great cultural and sports center. The whole world will stop to see Brasília.” The old Mané Garrincha was fully demolished so as to give place for a monumental arena, with a façade of 288 36-meter high pillars catching the attention at the country’s capital landscape. After its inauguration, in May 2013, over 70 thousand supporters packed the seats for the opening of the Confederations Cup of that year and seven matches from the 2014 FIFA World Cup. After the Cup, the venue showed its multiuse character arena: besides football matches, Mané has been hosting several concerts – from Beyoncé to Paul McCartney –, running, futsal matches and even community marriages.

121


Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: futebol Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não houve. Capacidade: 72.788 lugares Status: em funcionamento Modalities in Olympic Game competition: football Modalities in Paralympic Game competition: None Capacity: 72,788 seats Status: in operation

122

Foto: Divulgação CopaDF


O antigo ManĂŠ Garrincha foi totalmente demolido para dar lugar a um estĂĄdio monumental em 2013. The old ManĂŠ Garrincha was fully demolished so as to give place for a monumental arena in 2013. .

123


Muito além do futebol... A Catedral Metropolitana de Brasília foi Projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, com cálculo estrutural do engenheiro Joaquim Cardoso, foi o primeiro monumento a ser criado em Brasília Brasília’s Metropolitan Cathedral was designed by architect Oscar Niemeyer, with calculations from engineer Joaquim Cardoso, it was the first monument to be created in Brasília

Foto: http://hostel7.com.br

C

onsiderada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura (Unesco), a capital federal, Brasília, reúne atrações que remontam à construção da cidade, inaugurada em 21 de abril de 1960, pelo então presidente Juscelino Kubitschek. Ao longo de seus 112,25 km² de área tombada, avistam-se prédios homogêneos, ruas largas e arborizadas, parques e setores pensados no bemestar da população e do visitante, que levam a assinatura do mestre do urbanismo, Lucio Costa, responsável pela elaboração do projeto-piloto. O modernismo arquitetônico, que rompe com o estilo ornamental e neocolonial, propondo traços geométricos mais livres, é destaque pelas mãos de Oscar Niemeyer, na Praça dos Três Poderes e nos Palácios do Planalto e da Alvorada. Alguns dos principais pontos turísticos da cidade incluem visitas aos palácios, museus e parques na cidade. Por exemplo, o Palácio do Planalto que citamos acima, é a sede do Poder Executivo e o local onde fica o gabinete presidencial. Foi um dos primeiros edifícios construídos na nova capital e o centro das comemorações da inauguração de Brasília. O projeto do Palácio impressiona pela pureza das linhas, com predomínio de traços horizontais e efeito plástico requintado. Far beyond football... Considered Humanity’s Cultural Heritage by the United Nations Organization for Education, Science and Culture (Unesco), the federal capital Brasília, gathers attractions that remount to the construction of the city, inaugurated on 21 of April of 1960, by then president Juscelino Kubitschek. Throughout its 112.25km² of historic area, one can view homogeneous buildings, wide and wooded streets, parks and sectors developed thinking on the population and visitors well-being, signed by the master of urbanism, Lucio Costa, responsible for the pilot project’s development. The architectural modernism, that ruptures with the ornamental and neo-colonial style, proposing freer geometric lines, is a highlight through the hands of Oscar Niemeyer, at Praça dos Três Poderes (Three Powers Square) and Palácios do Planalto and Alvorada. Some of the city’s main touristic points include visits to palaces, museums and parks. For example, Palácio do Planalto (Plateau Palace) mentioned above is the seat of the Executive Power and home of the presidential office. One of the first buildings constructed in the new capital and center for celebrations of Brasília’s inauguration. The Palácio’s Project impresses for the purity of lines, with predominance of horizontal traces and refined plastic effects.

124


Foto: Divulgação/Portal da Copa

Torre de Tv Digital em Brasília. Um projeto de Oscar Niemeyer Digital TV tower in Brasilia. Oscar Niemeyer project

125


126


O Palácio da Alvorada é designado como a residência oficial do Presidente do Brasil. Situa-se às margens do lago Paranoá, tendo sido o primeiro edifício inaugurado na Capital Federal, em 30 de junho de 1958.

Foto: Embratur

Palácio da Alvorada is designated as the official residence for Brazil’s president. It is located at the banks of Paranoá lake, being the first building inaugurated in the Federal Capital, on 30 of June of 1958.

127


O

utro grande projeto de Oscar Niemeyer, além de uma das mais importantes edificações do modernismo arquitetônico brasileiro, é o Palácio da Alvorada. Está localizado numa península que divide o Lago Paranoá em Lago Sul e Lago Norte e abriga a residência oficial do atual presidente da República. E para ser a residência oficial do vice-presidente da República, ao lado da lagoa que lhe deu o nome e também às margens do Lago Paranoá, está o Palácio do Jaburu. Ainda falando sobre as belíssimas construções da cidade, encontramos mais uma projetada por Niemeyer: o Palácio do Itamaraty. É o órgão do Poder Executivo responsável pelo assessoramento do presidente da República na formulação, desempenho e acompanhamento das relações do Brasil com outros países e organismos internacionais. Sua decoração possui um harmônico contraste entre as artes moderna e antiga, além de ser um importantíssimo ponto turístico. E claro, um dos pontos mais visitados por turistas, o Palácio do Congresso Nacional é um dos cartões postais de Brasília e está situado no extremo leste do Eixo Monumental. Ocupa um dos vértices do triângulo que delimita a Praça dos Três Poderes. Nos vértices da base do triângulo estão o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal. Também projetado por Niemeyer, o Palácio consiste em um edifício principal, na horizontal, que serve de plataforma para as cúpulas do Senado Federal e da Câmara dos Deputados. A cúpula menor, voltada para baixo, abriga o Plenário do Senado Federal. A cúpula maior, voltada para cima, abriga o Plenário da Câmara dos Deputados. Atrás do edifício principal e entre as duas cúpulas se encontram duas torres de 28 andares: uma delas pertence à Câmara e a outra ao Senado.

Another great Oscar Niemeyer project, besides one of the most important edifications of the Brazilian architectural modernism, is Palácio da Alvorada (Dawn Palace). It is located at a peninsula dividing Lago Paranoá (Paranoá Lake) in Lago Sul (South Lake) and Lago Norte (North Lake) and is the official home of the President of the Republic, Dilma Rousseff. and for being home of the Vice-President of the Republic, next to the lake giving its name and also at the margin of Lago Paranoá (Paranoá Lake), is Palácio do Jaburú (Jaburú Palace) Still talking about the extremely beautiful city constructions, we find another designed by Niemeyer: Palácio do Itamaraty (Itamaraty Palace). This is the department of the Executive Power in charge of advising the President of the Republic in the formulation, performance and following-up of Brazil’s relations with other countries and international agencies. Its decoration possesses an harmonic contrast between the modern and ancient arts, aside from being an extremely important touristic spot. And, obviously, one of the spots most visited by tourists, Palácio do Congresso Nacional (National Congress Palace) is one of Brasília’s post cards and is located in the far east of the Eixo Monumental (Monumental Axis). It occupies one of the vertexes of the triangle delimiting the Praça dos Três Poderes (Three Powers Square). At the vertexes of the triangle are Palácio do Planalto (Plateau Palace) and the Supremo Tribunal Federal (Federal Supreme Court). Also designed by Niemeyer, the Palace consists in a main building, in the horizontal, serving as platform for the Federal Senate and Chamber of Deputies domes. The smaller dome, turned down, is home of the Federal Senate Plenary. The bigger dome, turned up is home of the Chamber of Deputies Plenary. Behind the main building and between the two domes are the two 28-floor towers: one of them belonging to the Chamber of Deputies and another to the Senate.. “Architecture does not constitute a mere question of engineering, but a manifestation of the spirit, imagination and poetry” At Palácio do Congresso (Congress Palace), for example, the composition was developed due to such criteria, of the conveniences of architecture and urbanism, volumes, free spaces, visual opportunities and perspectives and, especially, the intention of providing it the character of monumentality, with the simplification of its elements and the adoption of pure and geometric shapes. From there resulted the entire design of the Palace and use of the local conformance, so as to create at the level of its surrounding avenues a monumental esplanade and over it fixing the domes that should hierarchically characterize it.

128

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

”Arquitetura não constitui uma simples questão de engenharia, mas uma manifestação do espírito, da imaginação e da poesia” No Palácio do Congresso, por exemplo, a composição se formulou em função desse critério, das conveniências da arquitetura e do urbanismo, dos volumes, dos espaços livres, da oportunidade visual e das perspectivas e, especialmente, da intenção de lhe dar o caráter de monumentalidade, com a simplificação de seus elementos e a adoção de formas puras e geométricas. Daí decorreu todo o projeto do Palácio e o aproveitamento da conformação local, de maneira a criar no nível das avenidas que o ladeiam uma monumental esplanada e sobre ela fixar as cúpulas que deviam hierarquicamente caracterizá-lo. Oscar Niemeyer.


O próprio arquiteto Oscar Niemeyer explica o projeto de criação do Palácio do Planalto: “Primeiro, separei as colunas do edifício e imaginei-me a caminhar por elas. E senti que as devia fazer diferentes, criando novos pontos de vista.” Oscar Niemeyer. Palácio da Alvorada is designated as the official residence for Brazil’s president. It is located at the banks of Paranoá lake, being the first building inaugurated in the Federal Capital, on 30 of June of 1958.

129


130


O Palácio do Itamaraty é a sede do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, situado em Brasília.

Foto: Embratur

Palácio do Itamaraty is headquarters to Brazil’s Ministry of Foreign Relations, located in Brasília

131


A

s principais obras do arquiteto Oscar Niemeyer em Brasília estão localizadas no Eixo Monumental. Partindo da Plataforma Rodoviária e percorrendo esse Eixo na direção leste, avista-se a Catedral Metropolitana, o conjunto da Esplanada dos Ministérios, o Palácio do Itamaraty, além do Palácio da Justiça. Por fim, chega-se à Praça dos Três Poderes, onde estão as sedes dos governos Executivo (Palácio do Planalto), Legislativo (Congresso Nacional) e Judiciário (Supremo Tribunal Federal). Mas falar em “cartão postal” da cidade é complicado, pois, além dos palácios já citados, temos também outros como o Eixo Monumental, o Supremo Tribunal Federal, o Memorial dos Povos Indígenas, Memorial JK, a Biblioteca Nacional de Brasília e o Complexo de Torre de TV. A cidade também abriga turismo religioso e, independente a religião que você segue, vale a pena conferir pela beleza em sua arquitetura pontos como a catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, a Igrejinha Nossa Senhora de Fátima e o Santuário Dom Bosco. E também, muito além da arquitetura, Brasília também oferece uma programação intensa de espetáculos, gastronomia, artesanato, rios e cachoeiras próximos a capital. Architect Oscar Niemeyer main works are located in Brasília in the Monumental Axis (Eixo Monumental). From the Plataforma Rodoviária (Bus Platform) and covering this Axis to the east, can be seen the Catedral Metropolitana (Metropolitan Cathedral), the set of the Esplanada dos Ministérios (Ministries Esplanade), Palácio do Itamaraty (Itamaraty Palace), and also Palácio da Justiça (Palace of Justice). At last, one reaches the Praça dos Três Poderes (Three Powers Square), where the headquarters of the Executive (Palácio do Planalto (Plateau Palace)), Legislative (Congresso Nacional (National Congress)) and Judiciary (Supremo Tribunal Federal (Federal Supreme Court)). But talking about the city’s “post card” is complicated, as, besides the already mentioned palaces, we also have others such as the Eixo Monumental (Monumental Axis), the Supremo Tribunal Federal (Federal Supreme Court), Memorial dos Povos Indígenas (Indigenous People Memorial), Memorial JK (JK Memorial), the Biblioteca Nacional de Brasília (Brasília’s National Library) and the Complexo de Torre de TV (TV Tower Complex). The city also houses religious tourism and, independent of the religion you follow, it is worthwhile visiting the city for checking out the beauty of its architectural spots such as the Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida (Metropolitan Cathedral), Igrejinha Nossa Senhora de Fátima and Santuário Dom Bosco (Dom Bosco Sanctuary). And also, way beyond architecture, Brasília also offers an intensive program with shows, gastronomy, crafts, rivers and waterfalls close to the capital. Foto: Filipe Frazão

132


O Palácio do Congresso Nacional é um dos cartões postais de Brasília. The National Congress is one of Brasília’s post cards.

133


A Avenida Paulista Ê considerada o principal ponto turístico da cidade. Avenida Paulista is considered the city’s main touristic spot

134

Foto: Embratur / Portal da Copa


São Paulo cidade natal de grandes atletas

P

rincipal centro financeiro do País, São Paulo é também referência no quesito esporte. Capital do Estado é um dos principais formadores de atletas Olímpicos do país. Ídolos nacionais como Adhemar Ferreira da Silva (atletismo), Arthur Zanetti (ginástica artística), Robert Scheidt (vela), Hortência (basquetebol), Neymar (futebol), Ricardo Prado (natação), Maurren Maggi (atletismo) e Tiago Camilo (judô), são alguns exemplos de medalhistas Olímpicos nascidos na região. Mas claro que existe muito mais que isso e, por diversos de outros motivos foi selecionada sede das partidas de futebol dos Jogos Olímpicos de 2016. Assim como Brasília, São Paulo também pretendeu superar as expectativas, como aconteceu durante a Copa do Mundo de 2014. De acordo com uma estimativa da Associação Brasileira de Viagens (ABAV), a cidade que mais recebeu turistas durante o campeonato foi a capital de São Paulo, que sediou seis confrontos e é o maior centro de chegada de estrangeiros ao País. Em seguida aparecem Rio de Janeiro, Brasília, Fortaleza e Salvador. Segundo a São Paulo Turismo (SPTuris), a cidade recebeu 540 mil turistas, sendo 220 mil estrangeiros. A estimativa inicial era de que a cidade recebesse 390 mil turistas para o evento. O gasto médio dos turistas e a sua permanência na cidade também surpreenderam o órgão municipal. O total gasto pelos turistas ficou em torno de R$1,8 bilhão. No período, os brasileiros deixaram em média R$2,2 mil na cidade. Já os estrangeiros desembolsaram R$4,9 mil – a estimativa era de um gasto médio de R$1,8 mil. Ainda segundo a pesquisa, 72,1% dos turistas deram notas entre 7 e 10 para a cidade de São Paulo. Além de pontos turísticos, a capital paulista é famosa pela agitada vida noturna e estar “acordada” 24 horas por dia. Não faltam opções de bares, baladas e restaurantes. A cidade é a mais indicada para quem quer curtição, cultura e experimentar diferentes gastronomias. E foi justamente o que a pesquisa apontou. Para os visitantes, os diferenciais positivos da cidade são gastronomia (26,4%) e vida noturna (21,6%). Sobre os meios de hospedagem, boa

parte ainda prefere os hotéis (26,1%) e a segunda opção é a casa de parentes ou amigos (19,1%). Quanto à mobilidade, os principais meios foram metrô (43%), ônibus (19%) e carro próprio (10%). Para o secretário municipal para Assuntos de Turismo e presidente da SPTuris, Wilson Poit, todos esses números comprovam que a cidade está preparada para grandes eventos. “Nossas pesquisas apontaram que a maioria dos turistas não tinham vindo a São Paulo. Não é o turista de negócios, não é aquele que já conhecia a cidade. São mais de 500 mil pessoas, quase a metade de estrangeiros e que disseram que vão voltar. Temos estatísticas de outras cidades que sediaram Copa que indicam que o turismo aumenta em 20% no ano seguinte e mais 20% no outro ano e esse é um legado bastante importante”, disse em 2014, quando a Prefeitura de São Paulo divulgou para a imprensa a Pesquisa de Demanda e Perfil do Torcedor da Copa do Mundo em São Paulo. Com relação ao legado da Copa, mais de 90% dos entrevistados afirmaram que o evento trouxe mais turistas para a cidade. A maioria também afirma que o mundial deixou um legado para São Paulo e acelerou obras importantes na capital. Entre os atrativos mais visitados a Avenida Paulista encabeça a lista com 17,87%, na sequência a Arena Corinthians (16,02%), Rua 25 de março (11,45%), Mercado Municipal (11,07%) e Vila Madalena (10,28%). E sobre o estádio que recebeu os jogos? A Arena Corinthians já foi palco de grandes eventos, como a abertura da Copa do Mundo, no dia 12 de junho de 2014, quando o mundo inteiro acompanhou a abertura do Mundial de futebol em Itaquera , quando o Brasil venceu a Croácia. Outros cinco jogos completaram a participação de São Paulo na Copa, com direito a duas partidas da vice-campeã Argentina. Passada a competição internacional, a arena passou a ganhar predominantemente os tons pretos e brancos da torcida do Corinthians e, está na lista dos pontos turísticos da cidade.

São Paulo: hometown for great athletes The country’s main financial center, São Paulo is also reference in sports. State capital it is one of the most important centers for the development of Olympic athletes in the country. National idols such as Adhemar Ferreira da Silva (athletics), Arthur Zanetti (artistic gymnastics), Robert Scheidt (sailing), Hortência (basketball), Neymar (football), Ricardo Prado (swimming), Maurren Maggi (athletics) and Tiago Camilo (judo), are a few examples of Olympic medalists born in the region. But obviously there is more than that and for several other reasons it was selected seat for 2016 Olympic Games football matches. As Brasília, São Paulo also intends on overcoming expectations as it also occurred during the 2014 World Cup. According to an estimate form the Brazilian Travel Association (ABAV), the city that hosted the greatest number of tourists during the tournament was the State of São Paulo’s capital, hosting six matches and this is also the greatest arrival center for foreigners in the country. Following are Rio de Janeiro, Brasília, Fortaleza and Salvador. According to São Paulo Tourism (SPTuris), the city received 540 thousand tourists, with 220 thousand foreigners. The initial estimate was that the city would receive 390 thousand tourists for the event. The average tourist expense and their stay in the city also surprised the municipal agency. The total spent by tourists was at around R$1.8 billion. During this period, Brazilians left an average of R$2.2 thousand in the city. On the other hand, foreigners disbursed R$4.9 thousand – the estimate was of an average expense of R$1.8 mil. Still according to the survey, 72.1% of tourists awarded grades between 7 and 10 to the city of São Paulo. Besides the touristic spots, the Paulista capital is famous for the exciting night life and for being “awake” 24 hours a day. There are plenty of options in bars, parties and restaurants. The city is more indicated for those who

seek fun, culture and trying different gastronomical options. And this was exactly what the survey showed. For visitors, the city’s positive differentials are gastronomy (26.4%) and night life (21.6%). Regarding accommodations, good part still prefers hotels (26.1%) and the second option is the home of friends or family (19.1%). As for mobility, the main means were the subway (43%), bus (19%) and own car (10%). For the municipal secretary for Tourism Issues and president of SPTuris, Wilson Poit, all such numbers attest the city is prepared for big events. “Our surveys show that the majority of tourists had not come to São Paulo. This is the first time. It is not the business tourist, not those who already knew the city. These are over 500 thousand people, almost half made up of foreigners and who said they will return. We have statistics from other cities that hosted the Cup indicating tourism increases in 20% in the following year and over 20% in the year after, and this is a very important legacy”, he said in 2014, when São Paulo’s City Hall disclosed to the press the World Cup Supporters Demand and Profile in São Paulo Research. Regarding the Cup’s legacy, over 90% of those interviewed stated the event brought more tourists to the city. The majority also states the world Cup left a legacy for São Paulo and accelerated important civil works in the capital city. Amongst the most visited attractions, Avenida Paulista heads the list with 17.87%, followed by Arena Corinthians (16.02%), Rua 25 de Março (11.45%), Mercado Municipal (11.07%) and Vila Madalena (10.28%). And what about the arena which will host the matches? Arena Corinthians has already been stage for huge events, such as the opening match of the World Cup, on 12 of June of 2014, when the entire world followed the football World Cup opening ceremony in Itaquera, with Brazil beating Croatia. Another five matches completed São Paulo’s participation in the Cup, with right to two matches from runner-up Argentina. After the international competition, the arena started gaining predominantly black and white colors from Corinthians supporters and is in the list of the city’s touristic spots.

135


Modalidades em disputa nos Jogos OlĂ­mpicos: futebol Modalidades em disputa nos Jogos ParaolĂ­mpicos: nĂŁo houve Capacidade: 48.000 lugares Status: em funcionamento Modalities in Olympic Game competition: Football Modalities in Paralympic Game competition: None Capacity: 48.000 lugares seats Status: in operation

136

Foto: Portal da Copa


Quem gosta de futebol nĂŁo pode sair da cidade sem conhecer o estĂĄdio que foi palco da abertura da Copa do Mundo 2014, a Arena Corinthians. Anyone who likes football can not leave the city without knowing the stadium that hosted the opening of the 2014 World Cup, Arena Corinthians.

137


Muito além do futebol...

C

onforme dissemos acima, entre os atrativos mais visitados durante a Copa do Mundo estão: a Avenida Paulista, na sequência a Arena Corinthians, a Rua 25 de março, o Mercado Municipal e o bairro da Vila Madalena. Vamos, portanto, falar um pouco sobre cada um deles. A Avenida Paulista é considerada o principal ponto turístico da cidade, pois revela toda a sua importância, não apenas como um polo econômico, mas também como centralidade cultural e de entretenimento. Ela abriga grandes empresas, bancos, consulados, hospitais, hotéis, instituições educacionais, cinemas, teatro e grandes centros culturais. Ela também é palco de grandes eventos, além de possuir diversas opções de lojas e restaurantes. É ainda um importante eixo viário da cidade ligando importantes avenidas. Movimentam-se diariamente pela Avenida Paulista milhares de pessoas oriundas de todas as regiões da cidade e de fora dela. O MASP (Museu de Arte de São Paulo) se destaca na Avenida pela sua construção e é um dos cartões-postais da cidade. Com um acervo permanente de oito mil peças tombadas pelo Patrimônio Histórico Nacional, é um dos mais importantes museus do hemisfério Sul, com obras dos mais renomados artistas nacionais e internacionais. Em frente ao Masp, do outro lado da Avenida, localiza-se o Parque Tenente Siqueira Campos, conhecido como Trianon. Seus 48.600m² de área abrigam a vegetação remanescente da Mata Atlântica com espécies nativas, compondo um cenário tranquilo, para as diversas opções de lazer e atividades que acontecem ali. Caminhando mais um pouco, sim, porque este passeio vale a pena fazer a pé, para poder conferir as belezas, além de admirar a mistura de moderno e antigo nas construções, que se compõem essa avenida de 2,8 quilômetros de extensão. Construído em 1935, a Casa das Rosas possui um lindo jardim e diversos programas culturais. A casa foi projetada pelo arquiteto Ramos de Azevedo e, a visita vale a pena apenas pela sua beleza. Na outra ponta da Avenida, encontramos o Conjunto Nacional, um centro comercial que abriga diversas lojas, cinema, um centro de exposições e apresentações, além de diversas opções de restaurantes. Ainda próximo à Avenida Paulista, mas é aconselhável ir de metrô, encontramos a Rua 25 de março, o maior centro de comércio da América Latina. Um lugar onde encontra mais de 3.500 pontos de vendas, com grande diversidade e preço baixo, além do comércio de rua, os famosos

138

camelôs, que disputam espaço com as lojas comerciais, vendendo os mais diversos produtos nacionais e importados, muitos deles sem o reconhecimento oficial. Nas proximidades da rua, também é possível encontrar diversas galerias que vendem produtos importados de baixo custo, com destaque aos aparelhos eletrônicos. Para fazer a pausa para o almoço, o aconselhável é que caminhe até o Mercado Municipal, sem dúvida um passeio imperdível, não apenas pela beleza e história do lugar, mas por oferecer diversas opções gastronômicas. O Mercado Municipal Paulistano (antigo Mercado Central) foi inaugurado em 1933. Possui mais de 10 m de pé direito, colunas, abóbodas e vitrais importados da Alemanha com temas agrícolas e agropecuários. É um importante centro de abastecimento e lazer, com grande variedade de produtos, desde hortifrutigranjeiros até algumas especiarias, que só podem mesmo ser encontradas lá, como infinitas variedades de temperos e especiarias a granel. É o único lugar onde é possível encontrar frutas fora de época e saborear o famoso sanduiche de mortadela. Ainda no centro da cidade, encontramos belíssimos e históricos pontos turísticos, como o Edifício Copan e o Edifício Itália, em ambos você consegue apreciar uma das mais bonitas vistas da cidade. Também vale a pena visitar o Largo São Bento, a Estação da Luz, Largo São Francisco, a Estação Júlio Prestes e o Viaduto do Chá. O ideal é fazer tudo isso de metrô ou caminhando, já que o taxi na cidade de São Paulo tem um preço um pouco elevado. Já a badalação é encontrada no bairro da Vila Madalena. Área boêmia mais famosa da cidade, e não tem preconceitos: abriga todas as turmas. Sejam casais, que namoram nos cantinhos, ou os desencanados botequeiros, todos encontram nas ladeiras do bairro um lugar para chamar de seu. O bairro oferece desde ótimas opções gastronômicas, até barzinhos e baladinhas para todos os gostos. E para finalizar nossas sugestões de pontos turísticos na cidade de São Paulo, temos o mais novo ponto da cidade, palco da abertura dos jogos da Copa do Mundo 2014, a Arena Corinthians. São mais de 158 mil m² de área, uma verdadeira cidade! Mas é aconselhável que ligue antes para informa-se sobre os dias de funcionamento. E, para quem é apaixonado por futebol, os outros estádios da cidade também oferecem visitas guiadas, já no Estádio do Pacaembu, além da visita, você pode conhecer o Museu do Futebol.


Foto: Embratur/Portal da Copa

Far beyond football... As we mentioned above, amongst the most visited attractions during the World Cup are: Avenida Paulista, followed by Arena Corinthians, Rua 25 de Março, Mercado Municipal and Vila Madalena. Therefore, let us talk a little about them. Avenida Paulista is considered one of the main touristic spots in the city, as it reveals all its importance not only as economic center, but also as cultural and entertainment centrality. It harbors big companies, banks, consulates, hospitals, educational institutions, movie theaters, theater and huge cultural centers. It is also stage for great events, aside from the various store and restaurant options. Still, it is an important city road connection, connecting important avenues. Daily thousands of people move through Avenida Paulista from all the city’s regions and from abroad. MASP (São Paulo Art Museum) stands out at Avenida for its construction and is one of the city’s post cards. With a collection of eight Thousand pieces protected by the National Historical Heritage, it is one of the most important museums in the southern hemisphere, with works from the most renowned national and international artists. In front of MASP, on the other side of the avenue, is located Parque Tenente Siqueira Campos (Lieutenant Siqueira Campos Park), known as Trianon. Its 48,600m² of area shelter vegetation remaining from the Atlantic Forest native species, composing a quiet scenario for several options in leisure and activities taking place there.

Walking a bit further, yes, as this tour is worthwhile to be done on foot, so as to allow the tourist to check out the beauties, besides admiring the mix of modern and old in constructions, composing this avenue of 2.8 kilometers in extension. Built in 1935, the Casa das Rosas (Roses House) has a beautiful Garden and several cultural events. The house was designed by architect Ramos de Azevedo and the visit is worthwhile for its beauty in itself. On the other end of the avenue we find the Conjunto Nacional, a commercial center with several stores, movie theater, an exhibition center and events, and several restaurant options. Still close to Avenida Paulista, but now advisable to get there by subway, we find Rua 25 de Março, the largest commerce center in Latin America. A place with over 3,500 points of sales, with great diversity and low prices, and also street vendors, the famous “camelôs”, fighting for space with the commercial stores, selling a wide range of national and international products, many of them without government approval. In the street’s vicinity it is also possible to find several galleries selling low cost imported products, with emphasis in electronic devices. For a lunch break, walk to Mercado Municipal, without a doubt an unmissable walk, not only for the place’s history and beauty, but also for offering several gastronomical options. Mercado Municipal Paulistano (old Mercado Central – Central Market) was inaugurated

A ponte Octávio Frias de Oliveira é uma ponte estaiada localizada na cidade de São Paulo, estado de São Paulo, Brasil. A ponte, que faz parte do Complexo Viário Real Parque. Octavio Frias de Oliveira bridge is a cable-stayed bridge in the city of São Paulo, São Paulo, Brazil. The bridge, is part of the Royal Park Road Complex.

in 1933, with ceiling height over 10m, with columns, arches and glass windows imported from Germany with agricultural and farming themes. It is an important supply and leisure center with a wide variety of products, from vegetables, fruits, meats to even spices which can only be found there, with uncountable varieties of seasonings and condiments in bulk. It is the only place where it is possible to find fruits out of season and taste the famous Mortadella sandwich. Also downtown, we find beautiful and historical touristic spots, such as Edifício Copan (Copan Building) and Edifício Italy (Italy Building), where, in both cases, you can enjoy one of the most magnificent views of the city. Also worthwhile visiting is Largo São Bento, Estação da Luz, Largo São Francisco, Estação Júlio Prestes and Viaduto do Chá. The ideal is visit all by subway or on foot, as taxi cabs in the city of São Paulo are somewhat expensive.

If you are looking for agitation and party, they are at the borough of Vila Madalena. The city’s most famous bohemian area, Vila Madalena does not know prejudice: it is home to all groups, be them couples wanting to date quietly, or the laidback joint lovers, all find in the slopes of the borough a place to call their own. The borough offers from great gastronomic options to small bars and parties for all tastes. And, finalizing our suggestions for touristic spots in the city of São Paulo, there is the new spot in town, stage for the 2014 World Cup opening ceremony and match: Arena Corinthians. With an area over 158 thousand m², it is a real city! But it is advisable to call so as to check operation days and hours. And for those crazy about football the other city arenas also offer guided tours. At Estádio do Pacaembú, besides the visit you can check out the Museu do Football (Football Museum).

139


Imagem do centro de SĂŁo Paulo a noite Image of downtown Sao Paulo at night

140

Foto: Embratur/Portal da Copa


141


142

Foto: Filipe Frazao


Museu de Arte de São Paulo, à noite, em São Paulo, Brasil São Paulo Art Museum, at night in São Paulo, Brazil

143


O Teatro Amazonas foi construído em estilo eclético e é um dos símbolos da era de ouro da cultura da borracha. Buildings at Avenida Paulista, São Paulo

144

Foto: Embratur / Portal da Copa


Manaus palco de espetáculos do futebol

P

or algumas vezes Manaus foi questionada sobre se participaria dos Jogos Olímpicos de 2016, devido a sua grande distância da cidade sede, o Rio de Janeiro. De carro são mais de 58 horas, mais de 4 mil quilômetros dividem as duas cidades. Entretanto e, felizmente, essa distância terá que ser contornada com a elaboração da tabela dos torneios olímpicos de futebol masculino e feminino. Ao divulgarem a entrada da Arena Amazônia no calendário dos jogos, durante entrevista coletiva, o presidente do Comitê Organizador para os torneios de futebol da Olimpíada e futuro presidente da CBF, Marco Polo del Nero, disse que os torneios de futebol seriam uma oportunidade fantástica de reviver o excelente clima visto durante a Copa do Mundo de 2014, não somente no Rio de Janeiro, mas em outras cinco cidades. “Elas fizeram um trabalho ótimo e agora podem usar os estádios e a infraestrutura já montada para unir o país para um grande evento mais uma vez”, complementou. A expectativa foi que a cidade conseguisse repetir, ou melhorar, os números alcançados durante a Copa de 2014. Com quatro jogos na Arena da Amazônia, com média de ocupação de 99% em todas as partidas, totalizando um público de 160.227. Os jogos contabilizaram índices positivos também na satisfação dos turistas. Um total de 119.925 pessoas estiveram em Manaus, deixando R$ 325,8 milhões à economia local. Estes dados foram apresentados pela prefeitura da cidade. No período dos jogos, durante o mês de junho 2014, passaram (entre embarques e desembarques) pelo Aeroporto Internacional Eduardo Gomes 260 mil passageiros, o que representou um aumento de 63% do fluxo em relação ao mesmo período do ano passado. Desse total, 200 mil passageiros vieram em voos domésticos e 60 mil em voos internacionais. Deve-se levar em consideração que muitos dos turistas internacionais deslocaram-se dentro do país de um Estado para o outro. A Copa do Mundo na Arena da Amazônia, que foi assistida, segundo a Fifa, por 240 milhões de pessoas em todo o mundo, promoveu uma arrecadação recorde no primeiro semestre do ano, de acordo com relatório da Sefaz, que aponta o montante de R$ 4,37 bilhões. No mês de junho bateu o teto de R$ 689,15 milhões, influenciada em parte pelas vendas de TVs no polo industrial. No setor do comércio o aumento de vendas contribuiu com R$ 1,55 bilhão em arrecadação do ICMS no semestre, enquanto nos serviços foram arrecadados R$ 369,06 milhões. Entre os estrangeiros, o índice de satisfação com a recepção e coordenação dos jogos na Arena da Amazônia chegou aos 99,6% de aprovação, e entre os turistas brasileiros ficou em 97,9%. Segundo o governador José Melo, além desses números conquistados durante o torneio, o legado é ainda maior. “Manaus, agora, é conhecida não só por suas belezas naturais, mas também pelo seu povo hospitaleiro e isso irá atrair investimentos, pois tenho certeza que muitos empresários já pensam em investir aqui para tornar o Amazonas um grande destino turístico” disse o governador.

E sobre o estádio que recebeu os jogos, a Arena Amazônia? Destacase por sua arquitetura, que homenageia a cultura amazonense e remete a um cesto indígena em sua fachada externa. As variadas cores das cadeiras foram inspiradas em frutas típicas da região. Inaugurada em março de 2014, recebeu quatro jogos da Copa do Mundo, incluindo o clássico mundial entre Itália e Inglaterra, que terminou com vitória dos italianos por 2 x 1. Além de servir de casa para os times do Estado, o estádio tem recebido jogos de grandes clubes brasileiros. Em 2014, foram disputadas na arena partidas válidas pela Copa do Brasil e pelo Campeonato Brasileiro. No início de 2015, Flamengo, Vasco e São Paulo disputaram no estádio um torneio amistoso durante a pré-temporada. Manaus: again stage for more football spectacles A few times Manaus was questioned if it would participate in the 2016 Olympic Games, due to its huge distance from the host city, Rio de Janeiro. By car it takes over 58 hours, more than 4 thousand kilometers divide the two cities. However, the distance will have to be bypassed with the elaboration of the men and women Olympic football tournaments. When revealing the participation of Arena Amazônia in the match schedule, during a press conference, Organizing Committee president for the Olympic Games football competitions and future CBF president, Marco Polo del Nero, declared that the football tournaments would be a fantastic opportunity for reviving the excellent ambiance from the 2014 World Cup, not only in Rio de Janeiro, but also in other cities. “They made a wonderful job and now are able to use the arenas and infrastructure already in place uniting the country for yet another great event”, he added. The hope now is that the city is able to repeat, or improve, the numbers reached during the 2014 Cup. With four games at Arena da Amazônia, with average occupancy of 99% in all matches, totaling an audience of 160,227. The matches showed positive indexes also in tourist satisfaction. A total of 119,925 people visited Manaus, leaving R$ 325.8 million for the local economy. These data were presented by Manaus’ city hall. During the Cup, in the month of June 2014, between arrivals and departures went through Eduardo Gomes International Airport 260 thousand passengers, representing an increase of 63% in flow compared to the same period of the previous year. From this total, 200 thousand passengers came in domestic flights and 60 thousand in international ones, considering that many international tourists moved from one state to another inside the country. The World Cup at Arena da Amazônia, watched, according to FIFA, by 240 million people all over the world, promoted a record revenue intake in the year’s first semester, according to a report from Sefaz, pointing to R$ 4.37 billion. In the month of June, it hit the high of R$ 689.15 million, influenced by TV sales on the industrial field. In the commerce sector the increase in sales contributed with R$ 1.55 billion in ICMS revenues in the semester, while the services sector had revenue of R$ 369.06 million. Among foreigners, the rate of satisfaction with the welcome and coordination of matches at Arena da Amazônia reached 99.6% of approval, and among Brazilian tourists, 97.9%. According to governor José Melo, aside from these numbers obtained during the tournament, the legacy is even greater. “Manaus, now, is known not only for its natural beauties, but also for its hospitable people, and this will attract investments, as I am sure many businessmen already think about investing here to make Amazonas a great touristic destination” said the governor. And what about the arena which will host the matches, Arena Amazônia? It stands out for its architecture, which pays homage to the Amazonense culture and remits to an indigenous basket at its external façade. The various chair colors were inspired by fruits typical of the region. Inaugurated in March 2014, it hosted four World Cup matches, including the world classic match between Italy and England, ending with an Italian victory, 2 x 1. Aside from being home for State teams, the arena has received matches from big Brazilian clubs. In 2014, several matches were played at the arena, valid for Brazil’s Cup and Brazilian National Championship. In the beginning of 2015, Flamengo, Vasco and São Paulo played a friendly tournament at the arena during the pre-season

145


Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: futebol Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não houve Capacidade: 48.480 lugares Status: em funcionamento Modalities for grabs in the Olympic Games: Football Modalities in dispute Paralympic Games: None Capacity: 48.480 lugares seats Status: In operation

A Arena Amazônia receberá seis partidas do torneio de futebol dos Jogos Olímpicos Arena Amazônia will host six matches of the Olympic Games football tournaments

146

Foto: Portal da Copa


147


Foto: Portal da Copa

148


A Arena Amazônia receberá seis partidas do torneio de futebol dos Jogos Olímpicos Arena Amazônia will host six matches for the Olympic Games football tournament

149


Foto: Embratur / Portal da Copa

Muito além do futebol...

Fotografia aérea de uma pequena parte da Amazonia Aerial shot of a small part of the Amazon

E

ngana-se em acha que encontrará em Manaus uma cidade pacata no meio da selva, muito pelo contrário! A metrópole, de 2 milhões de habitantes, já mostra os sintomas de um centro urbano que cresceu muito rapidamente, por isso, prepare-se para o trânsito carregado. No lugar da floresta, ergueu-se uma capital de concreto, marcada pela chegada das indústrias após a criação da zona franca durante o regime militar. É considerada uma das 20 melhores cidades para os negócios da América Latina, com a maior floresta tropical do mundo, destacandose ainda por seu patrimônio arquitetônico e cultural. Dos tempos áureos da borracha restou o esplendor de construções históricas como o impressionante Teatro Amazonas e o Mercado Municipal, reaberto após sete anos de reforma. 150

Mas, é claro, a natureza está ali pertinho, seja nos parques que foram preservados ou aventurandose. A cidade também é ponto de partida para emocionantes passeios que descortinam a floresta Amazônica. Manaus tem muito a oferecer aos turistas que lá chegam ávidos por um íntimo contato com o exotismo que viram nos documentários de TV. O programa básico e, também o mais famoso, é o tour de barco até o encontro dos rio Negro e Solimões, que correm lado a lado por seis quilômetros sem que as águas – uma barrenta e outra escura – se misturem. O passeio, entretanto, pode se estender, hospedando-se nos hotéis de selva, que existem para todos os gostos e necessidades, desde os mais luxuosos, que oferecem suítes com ar condicionado, aos mais rústicos, cujo ambiente é simples. Possuem em comum

entre eles, o permanente contato do visitante com a natureza. Em alguns hotéis de selva também é possível alimentar animais selvagens na própria mão: quatis, macacos e araras vêm se banquetear com os turistas. O Amazonas apresenta dois cenários para o turista. Na cheia as florestas alagadas oferecem um paisagismo onde os igapós são as trilhas. Na estiagem (seca) a opção é caminhar nas trilhas em terra seca, contemplando as espécies diurnas que vivem na floresta, tudo isso para quem gosta, e busca, doses de aventura. Alimentar botos, conhecer os costumes indígenas e observar vitórias-régias são algumas das opções mais procuradas. A observação de pássaros, répteis e plantas está incluída no “pacote”. Com 98% do patrimônio florestal preservado, o Amazonas possui uma biodiversidade que encanta.

Entretanto, a melhor maneira de descobrir as maravilhas naturais da maior bacia hidrográfica do mundo é a bordo de um barco. Seja nos grandes e luxuosos ou em pequenas embarcações, o turista deve estar preparado para se surpreender. Arquipélagos com centenas de ilhas – e praias – recortam a paisagem. Jacarés, botos cor-de-rosa, aves pernaltas e pequenos roedores saltam aos olhos. A biodiversidade da região amazônica é única e a mais rica do mundo. Suas florestas concentram 60% de todas as formas de vida do planeta, mas calcula-se que somente 30% de todas elas são conhecidas pela ciência. Estima-se em cerca de um milhão de espécies animais e vegetais, incluindo mais de 2.000 tipos de peixes, 2.500 tipos de pássaros, 3.500 tipos de árvores com mais de 30 cm de diâmetro e 300 espécies de répteis,


cobras e lagartos. Das 483 espécies de mamíferos existentes no Brasil, 324 vivem na Amazônia (67%). No período da seca, o labirinto natural revela inúmeras praias de areia branca. Além de esticar-se ao sol, o visitante não pode deixar de fazer trekking pelas ilhas e de se jogar com boias no rio. Na cheia, a dica é navegar por entre as maiores árvores da floresta de igapós. Além de aproveitar as praias que se formam na estiagem, vale participar da pescaria esportiva, a principal atividade econômica da região, que tem no tucunaré a sua estrela. Se tiver mais um tempinho na programação, vale a pena estender a viagem até Parintins. Conhecido por sediar o Festival Folclórico, uma das maiores manifestações culturais da América Latina. O Festival de Parintins acontece, anualmente, no último fim de semana de junho, onde competem o Boi Garantido, de cor vermelha, e o Boi Caprichoso, de

cor azul. O município possui uma vegetação típica da região amazônica, formada por florestas de várzea e de terra firme, tendo, ao seu redor, um relevo composto por lagos, ilhotes e uma pequena serra. A principal forma de transporte entre Parintins e os demais municípios é o fluvial, além do aéreo. Já a culinária típica amazonense é a base de peixes e frutas, a maioria dos pratos é saudável e leve, os caldos de peixe são destaque em restaurantes populares e refinados. Jaraqui, pirarucu, tambaqui, pacu e matrinxã, peixes com sabores inigualáveis que podem ser servidos na caldeirada, assado ou frito. O pirarucu é um dos maiores peixes de água doce do mundo, pode crescer até três metros de comprimento e pesar cerca de 250 kg. Existem também as iguarias com fama mundial, como: açaí, cupuaçu e o guaraná, frutas com alto poder energético. Fotografia aérea do Rio Amazônas na Amazônia

Foto: Embratur / Portal da Copa

Aerial photograph of the Amazon River in the Amazon

Beyond football... Cheating in think in Manaus found a quiet town in the jungle, on the contrary! The metropolis of 2 million inhabitants, is already showing the symptoms of an urban center that grew very quickly, so get ready for the loaded transit. In place of the forest, rose a concrete capital, marked by the arrival of industries after the creation of the free zone during the military regime. It is considered one of the 20 best cities for business in Latin America, with the largest rainforest in the world, standing out also for its architectural and cultural heritage. The heydays of rubber left the splendor of historic buildings as the impressive Teatro Amazonas and the Municipal Market, reopened after seven years of retirement. But, of course, nature is there close, whether in parks that have been preserved or venturing out. The city is also the starting point for exciting tours that unveil the Amazon rainforest. Manaus has a lot to offer to tourists who arrive there eager for a close contact with the exoticism that saw in TV documentaries. The basic program and also the most famous, is the boat tour to the meeting of the Rio Negro and Solimoes which run side by side for six kilometers without water - muddy and one dark - to mix. The tour, however, can be extended, staying in jungle lodges, which are for all tastes and needs, from the most luxurious, offering suites with air conditioning, the most rustic, whose environment is simple. They have in common between them, the permanent visitor’s contact with nature. In some jungle lodges it is also possible to feed wildlife in own hand: coatis, monkeys and macaws come to feast on the tourists. The Amazon presents two scenarios for the tourist. In full the flooded forests offer a landscape where igapós are the trails. In the dry season (dry) option is to walk the trails on dry land, contemplating the diurnal species that live in the forest, all this for those who like, and search, adventure doses. Food porpoises, know the indigenous customs and observe water lilies are some of the most popular options. Bird watching, reptiles and plants is included in the “package”. With 98% of preserved forest heritage, Amazon has a biodiversity that enchants.

However, the best way to discover the natural wonders of the largest river basin in the world is on board a boat. Be the large and luxurious or small boats, the tourist must be prepared to be surprised. Archipelagos with hundreds of islands - and beaches - cut out the scenery. Alligators, porpoises color pink, wading birds and small rodents jump to the eyes. The biodiversity of the Amazon region is unique and the richest in the world. Its forests account for 60% of all life forms on the planet, but it is estimated that only 30% of all of them are known to science. It is estimated that about one million plant and animal species, including more than 2,000 types of fish, 2,500 species of birds, 3,500 types of trees over 30 cm in diameter and 300 species of reptiles, snakes and lizards. Of the 483 species of mammals in Brazil, 324 live in the Amazon (67%). During the dry season, the natural labyrinth reveals numerous white sand beaches. In addition to stretch out in the sun, the visitor can not fail to do trekking and island to play with buoys in the river. In full, the tip is to navigate through the largest trees in the flooded areas of forest. In addition to enjoying the beaches that form in the dry season, participate in sport fishing, the main economic activity of the region, which has the tucunaré his star. If you have a little more time in the schedule, it is worth extend the trip to Parintins. Known for hosting the Folk Festival, one of the largest cultural events in Latin America. The Parintins Festival is held annually on the last weekend of June, where Racing Guaranteed Boi, red color, and the Capricious Ox, blue. The city has a typical vegetation of the Amazon region, formed by forests of lowland and upland, having around a relief composed of lakes, small islands and a small saw. The main form of transport between Parintins and other cities is the river, beyond the air. Already the Amazon typical cuisine is based on fish and fruits, most of the dishes are healthy and light, fish stocks are featured in popular and refined restaurants. Jaraqui, pirarucu, tambaqui, pacu and matrinxã, fish with unique flavors that can be served in stew, baked or fried. The arapaima is the largest freshwater fish in the world, can grow up to three meters long and weigh about 250 kg. There are also delicacies with worldwide fame, such as açaí, cupuaçu and guarana, fruits with high energy power.

151


O Elevador Lacerda é responsável por ligar a Cidade Baixa e a Cidade Alta de Salvador. Elevador Lacerda is responsible for connecting Salvador’s Cidade Baixa and Cidade Alta

152

Foto: Embratur / Portal da Copa


Salvador a cidade que nasceu como protagonista do país

O

Brasil começou pela Bahia, na cidade de Porto Seguro, no sul do Estado, onde hoje é a Baía de Cabrália, que Pedro Álvares Cabral aportou em busca de um “porto seguro”. Foi lá a celebração da primeira missa que marcou a chegada dos portugueses ao País, em 1500. As primeiras vilas surgiram ali e, em 1549 a cidade de Salvador foi declarada a primeira capital do Brasil. Claro que na época a sua localização era estratégica para os europeus – mas não há dúvida de que as belezas naturais também arrebataram os navegantes. Difícil até hoje não se impressionar com a paisagem das praias do norte, como Itapuã, eternizada por Dorival Caymmi, Vinicius de Moraes e Toquinho, ou mesmo da orla central, onde fica a Praia da Barra, famosa por seu farol. Mais que a natureza, o homem fez de Salvador lugar especial, na beleza das construções históricas, museus, gastronomia e hospitalidade. E foi justamente tudo isso que encantou os turistas durante a Copa do Mundo 2014, deixando um legado importante para a cidade. Segundo levantamento da Prefeitura de Salvador, através da Secretaria de Desenvolvimento, Turismo e Cultura (Sedes), em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Seção Bahia (ABIH-BA), constataram que, de 2.077 pessoas consultadas, 94% informaram que voltariam à cidade, comprovando a experiência positiva que tiveram. “Mesmo com problemas pontuais, as pessoas que vieram a Salvador se encantaram. A cidade entrou no clima da Copa. Os turistas foram embora com excelente impressão e vão multiplicar isso por onde forem. A grande concentração de pessoas no Centro Histórico é um grande legado, porque elas ajudaram a resgatar o Centro Histórico como lugar de lazer e entretenimento”, avaliou o prefeito ACM Neto.

A cidade recebeu durante os dias de jogos na Arena Fonte Nova cerca de 700 mil pessoas, sendo 70 mil estrangeiros e a ocupação hoteleira foi de 90%. Entre os entrevistados pela pesquisa, 33% foram estrangeiros, a maioria dos Estados Unidos (4,8%), seguidos da Alemanha (4,7%), Holanda (3,1%), Portugal (3%), Espanha e Inglaterra (2%, cada). Entre ou turistas brasileiros, predominaram os de São Paulo, Rio de Janeiro e Sergipe. “A cidade se mostrou extremamente capaz de receber um evento como a Copa do Mundo. Salvador passou no teste, fez bonito, principalmente porque o povo recebeu de braços abertos aqueles que nos visitaram. Tivemos a oportunidade de mostrar que Salvador é uma cidade mundial, que pode ter ainda mais desenvolvimento econômico. A Copa do Mundo deixou uma série de lições para a nossa cidade, como a importância de cuidar dos espaços públicos e de oferecer alternativas de entretenimento para o turista. Claro que nosso objetivo é sempre aperfeiçoar, sobretudo a cadeia ligada ao turismo”, afirmou o prefeito ACM Neto na época da divulgação da pesquisa. E sobre o estádio que recebeu os jogos, a Arena Fonte Nova? Se o objetivo é assistir a uma bela goleada, a Fonte Nova é um local predestinado para isso. Erguida após a demolição do antigo estádio de mesmo nome, a nova arena viu em sua reabertura uma goleada de 5 x 1 do Vitória sobre o Bahia – o clássico local. Dois meses depois, mais um Ba-Vi repleto de gols: 7 x 3, em novo triunfo do Vitória. Era o prenúncio da chuva de gols ocorrida durante os seis jogos da Copa do Mundo de 2014, incluindo Holanda 5 x 1 Espanha, França 5 x 2 Suíça e Alemanha 4 x 0 Portugal. A Fonte Nova também recebeu três partidas da Copa das Confederações em 2013 e proporciona emoções semanais aos baianos.

Salvador: the city that was born as the country’s protagonist Brazil started in Bahia, in the city of Porto Seguro, south of the state, where today is the Baía de Cabrália, where Pedro Álvares Cabral landed seeking a “safe harbor”. There was celebrated the first mass marking the arrival of the Portuguese to the country in 1500. The first villages appeared there and in 1549 the city of Salvador was declared Brazil’s first capital city. It is clear that at the time its location was strategic to the Europeans – but there is no doubt that the natural beauties also enchanted the sailors. It is hard even today to not notice the landscape of the north beaches, such as Itapuã, immortalized by Dorival Caymmi, Vinicius de Moraes and Toquinho, or even the central waterfront, where is found Praia da Barra, famous for its lighthouse. More than nature, men made of Salvador a special place, at the beauty of the historical buildings, museums, gastronomy and hospitality. And it was exactly all this that enchanted the tourists during the 2014 World Cup, leaving na important legacy for the city. According to a survey from Salvador city Hall, via the Department of Development, Tourism and Culture (Sedes) along with the Brazilian Association of the Hotel Industry – Bahia Section (ABIH-BA), it was verified that of 2,077 people consulted, 94% said they would return to the city, attesting the positive experience they had. “Even with small problems, people coming to Salvador were enchanted. The city got into the Cup’s atmosphere. The tourists went away with an excellent impression and will multiply it wherever they go. The huge gathering of people at the Historical Center is a huge legacy, as they helped to rescue the Centro Histórico as a place of leisure and entertainment”, analyzed mayor ACM Neto. The city received, during match days at Arena Fonte Nova around 700 thousand people, 70

thousand foreigners, and hotel occupancy was 90%. Amongst those interviewed by the survey, 33% were foreigners, the majority from the United States (4.8%), followed by Germany (4.7%), Holland (3.1%), Portugal (3%), Spain and England (2%, each). Amongst Brazilian tourists, the majority was from São Paulo, Rio de Janeiro and Sergipe. “The city showed itself extremely capable of receiving an event such as the World Cup. Salvador passed the test, did good, especially as the people welcomed with open arms those who visited us. We had the opportunity of showing Salvador is a world city that is able to receive even more economic development. The World Cup left a series of lessons to our city, such as the importance of caring for public spaces and offering entertainment alternatives for the tourist. Obviously our aim is always perfecting ourselves, above all the chain connected to tourism”, declared mayor ACM Neto when of the survey publicizing. Even for the traders from the Centro Histórico region, already used to welcoming tourists all year long, the amount of visitors moved by the World Cup surprised. According to the president of the Pelourinho Traders Association, Lenner Cunha, the World Cup was a “grateful surprise” and the expectation even higher post-event, now the arrival of the 2016 Olympic Games. And what about the arena which will host the matches, Arena Fonte Nova? If the objective is to watch a great “rout”, Fonte Nova is a place fated for that. Built after the demolition of the old arena of same name, the new arena watched on its reopening a 5 x 1 rout from Vitória over Bahia – the local classic. Two months later, another Ba-Vi packed with: 7 x 3, on a new Vitória win. It was the sign for the goal rain that took place during the 2014 World Cup matches, including Holland 5 x 1 Spain, France 5 x 2 Switzerland and Germany 4 x 0 Portugal. Fonte Nova also hosted three Confederations Cup matches in 2013 and provides weekly thrills to the Baianos.

153


Modalidades em disputa nos Jogos OlĂ­mpicos: futebol Modalidades em disputa nos Jogos ParaolĂ­mpicos: nĂŁo houve Capacidade: 50.000 lugares Status: em funcionamento Modalities for grabs in the Olympic Games: Football Modalities in dispute Paralympic Games: None Capacity: 50.000 lugares seats Status: In operation

Foto: Portal da Copa

154


155


Muito além do futebol...

P

ara conhecer bem a cidade a dica é vagar sem pressa! Comece o dia percorrendo os corredores do Mercado Modelo, mas cuidado para não comprar muito, lembre-se que terá que carregar tudo durante todo o passeio. Suba para a cidade alta utilizando o Elevador Lacerda, para encontrar a atração número um da cidade: o Pelourinho. Vamos agora só abrir agora uma aspa para falar sobre o elevador, pois sem dúvida é um passeio bem rápido, mas também imperdível. Foi o primeiro elevador no mundo a servir de transporte público e o mais alto desse tipo, quando foi inaugurado, em 8 de dezembro de 1873, dia de N.S. da Conceição da Praia. A função inicial do Elevador Lacerda era ligar a Cidade Baixa e a Cidade Alta de Salvador, mas hoje o equipamento tem um apelo mais turístico devido à vista deslumbrante da cidade, a 72 metros de altura. Tem capacidade total para 128 pessoas, nas quatro cabines e a viagem dura 22 segundos. Transporta, em média, mais de 750 mil pessoas por mês. Desembarque no Pelourinho e circule pelos museus, ateliês e igrejas do Centro Histórico, este passeio é obrigatório! A história deste bairro também é bem interessante e está ligada à história da própria cidade. Sua localização é estratégica – no alto, próximo ao porto e com uma barreira natural constituída por uma elevação abrupta do terreno, verdadeira muralha de até noventa metros de altura por quinze quilômetros de extensão, facilitando a defesa da cidade. Era um bairro eminentemente residencial, onde se concentravam as melhores moradias até o início do século XX e como centro comercial e administrativo. A partir dos anos 1950, o Pelourinho sofreu um forte processo de degradação, com a modernização da cidade e a transferência de atividades econômicas para outras regiões da capital baiana. Mais tarde, a partir de 1980, o Pelourinho transformou-se no que é hoje: um centro de efervescência cultural. Desde então passou a atrair artistas de todos os gêneros: cinema, música, pintura, tornando-o um importante centro cultural de Salvador.

156

Um pouco mais distante está o Farol da Barra, um dos pontos turísticos mais conhecidos da capital baiana, que a cidade começou a se desenvolver. O monumento foi colocado no topo de uma torre de alvenaria de 37 metros e foi o primeiro farol a ser construído no continente americano. É uma das construções mais belas da cidade. O universo gastronômico baiano também é um espetáculo à parte! No quesito gastronomia, aliás, as ofertas vão muito além do bolinho recheado com vatapá e camarão seco. Pratos à base de pescados, como moqueca, ensopado e bobó, e outros típicos do sertão, com carne de sol e feijão-verde, convivem com iguarias de influência africana, como o acarajé. As receitas típicas, que mesclam com perfeição ingredientes indígenas, africanos e portugueses, levam à mesa delícias como bobó, moqueca e caruru, sempre perfumados pelo azeite-de-dendê, sabores fortes que só a Bahia tem. Deixando a capital, a Bahia oferece incontáveis praias ao longo de mais de mil quilômetros de litoral, entrecortado por matas, lagoas e acidentes geográficos que tornam suas paisagens inesquecíveis. O Estado oferece roteiros organizados e muito bem estruturados para receber turistas: de resorts luxuosos e de padrão internacional, à pousadas mais simples em vila de pescadores. No interior, reservas ecológicas atraem aqueles que buscam roteiros de aventura e ecoturismo, como a Chapada Diamantina. Ainda no sertão, cresce o enoturismo no Vale do Rio São Francisco, feito até pouco tempo considerado impossível, uma vez que o clima tropical e seco nunca havia sido adequado para o cultivo de vinhedos. Hoje a região já produz 15% do vinho brasileiro, atrás do Vale dos Vinhedos, no Sul, tradicional produtor. A mistura de raças, culturas e credos, que recebeu doses generosas de alegria e sincretismo, conferiu a Salvador um astral único e arretado que atrai brasileiros e estrangeiros o ano inteiro. É no verão, entretanto, que a capital baiana ganha ainda mais brilho, com as festas populares que arrastam multidões atrás de imagens religiosas e, claro, dos trios elétricos.


Belíssimas praias compõem o cenário dessa linda cidade Foto: Embratur / Portal da Copa

Far beyond football... To get to know the city well the tip is take it slow! Start the day going through the corridors at the Mercado Modelo, but be careful not to buy too much, remember you will have to carry all during the whole tour. Go up to the high city using the Elevador Lacerda, and find the city’s number one attraction: Pelourinho. Now let us just open a remark to talk about the elevator, as it is without a doubt a quick and also unmissable tour. It was the first elevator in the world to serve a public transportation and the highest of its kind, when inaugurated on 8 of December of 1873, N.S. da Conceição da Praia’s day. The initial purpose of Elevador Lacerda was connecting the Cidade Baixa (Low City) and the Cidade Alta (High City) of Salvador, but today the equipment has a more touristic appeal due to the astonishing view of the city, at 72 meters of height. It has a total capacity for 128 people, on the four cabins and the trip lasts 22 seconds. It transports an average of over 750 thousand people per month. Get out at the Pelourinho and walk around through museums, workshops and churches from the Centro Histórico, this tour is mandatory! This borough’s history is also very interesting and is linked to the history of the city itself. Its location is strategic – high, next to the port and with a natural barrier constituted by an abrupt terrain elevation, a true wall up to

Astonishing beaches compose this beautiful city’s scenery

ninety meters in height by fifteen kilometers in extension, making easy to defend the city. It was an eminently residential borough, where the best houses were concentrated until the start of the 20th century. As a commercial and administrative center from the 1950s, Pelourinho suffered a Strong degradation process, with the city’s modernization and the transfer of economic activities to other regions of the Baiana capital. Later, from the 1980s, Pelourinho became what it is today: a center for cultural sparkle. Since then it started attracting artists from all genders: movies, music, painting, becoming an important cultural center for Salvador. A bit more distant is the Farol da Barra, one of the better known touristic spots in the Baiana capital, and which the city started developing. The monument was placed on top of a 37-meter high wooden tower and was the first lighthouse to be built in the American continent. It is one of the most beautiful constructions in the city. Bahia’s gastronomic universe is also a spectacle apart! In gastronomy, for that matter, the offers go far beyond the tidbits stuffed with vatapá and dry shrimp. Dishes based on fish, such as moqueca, ensopado and bobó, and others typical of the backcountry, such as corned beef and green beans, mingle with delicacies of African influence, such as acarajé. The typical recipes mixing with perfection Indigenous, African and

Portuguese ingredients, take to the table delights such as bobó, moqueca and carurú, always scented by the dendê oil, strong flavors that only Bahia has. Leaving the capital, Bahia offers uncountable beaches along the over one Thousand kilometers of coastline, cut by forests, lakes and landforms which make its landscapes astonishing. The state offers organized and very well structured itineraries for welcoming tourists: from luxury international standard resorts to simpler lodges in fishermen villages. In the countryside, ecological reservations attract those seeking adventure and ecotourism itineraries, such as Chapada Diamantina. Still in the backcountry, the wine tourism is growing at the Vale do Rio São Francisco, feat until a short time ago considered impossible, once the tropical and dry climate had never been adequate for harvesting vineyards. Today the region already produces 15% of the Brazilian wines, behind Vale dos Vinhedos, in the South, a traditional producer. The mix of races, cultures and beliefs that received generous doses of happiness and syncretism, conferred Salvador a unique and “arretado” spirit that attracts Brazilians and foreigners all year long. It is during the summer, however, that the Baiana capital gains even greater shine, with the popular festivals bringing huge crowds following religious images and, obviously, the electric trios.

157


158

Foto: Embratur / Portal da Copa


Foi no Farol da Barra que a cidade comeรงou a se desenvolver It was around Farol da Barra that the city started to develop

159


Mosaicos de Portinari incrementam igreja de SĂŁo Francisco de Assis. Portinari mosaics augment the church of SĂŁo Francisco de Assis

160

Foto: Embratur / Portal da Copa


Belo Horizonte a cidade que conquista

U

ma cidade que mistura a modernidade com ares do interior, assim é Belo Horizonte. Localizada entre montanhas, rodeada por cachoeiras e cidades históricas, a capital de Minas Gerais conta com um valioso patrimônio arquitetônico, uma combinação de construções e as linhas curvilíneas de Oscar Niemeyer, as mesmas que vimos mais adiante neste capítulo, quando falamos sobre Brasília. A cidade também foi eleita para sediar as partidas de futebol feminino e masculino dos Jogos Olímpicos de 2016. Com isso esperasse, assim como as outras sedes, uma grande movimentação econômica que isso trará. E claro, todos esperamos que sejam repetidos, ou melhorados, os números que vimos no legado deixado pelos jogos de 2014. Segundo dados divulgados pelo Portal da Copa, durante o período da Copa do Mundo de 2014, um total de 355 mil turistas estiveram em Belo Horizonte. A pesquisa foi feita pela Secretaria Extraordinária da Copa (SecopaMG) e, este balanço positivo da Copa na capital mineira foi apresentado pelo secretário municipal Extraordinário para a Copa, Camillo Fraga, e pelo secretário estadual Extraordinário para a Copa, Tiago Lacerda, durante uma coletiva de imprensa em julho de 2014.

O gasto médio desse visitante foi superior a R$ 1,2 mil, um valor 35% maior que o registrado no mesmo período do ano passado. O montante gerou uma receita direta superior a R$ 451 milhões. Se for considerada a receita indireta, a estimativa chega a R$ 1,6 bilhão, nos setores de comércio e serviços de Belo Horizonte. A taxa de permanência na cidade foi de 6,7 dias, tempo 37% maior que em 2013. Além de Belo Horizonte, 32% dos turistas visitaram outros municípios de Minas Gerais, como Ouro Preto, Mariana, Tiradentes e Brumadinho. A cidade de Belo Horizonte recebeu seis jogos da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014, quatro válidos pela primeira fase, um das oitavas de final e uma semifinal. A Seleção Brasileira jogou na capital mineira duas vezes. Nas oitavas de final, enfrentou o Chile e se classificou nos pênaltis. Na semifinal, foi surpreendida pela Alemanha e perdeu por 7 x 1. Os albergues tiveram o maior aumento na parcela de hospedagem. Em 2013, apenas 1,3% de todos os turistas da cidade ficavam em albergues. No período da Copa, esse número passou para 20%. Outros 19% se hospedaram em casa de amigos e parentes e 46% ficaram em hotéis e pousadas. A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) divulgou números que mostram uma taxa média de ocupação,

Belo Horizonte: the captivating city A city that mixes modernity with countryside atmosphere, this is Belo Horizonte. Located amongst mountains, surrounded by waterfalls and historical cities, the capital of Minas Gerais possesses a valuable architectural heritage, a combination of constructions and curvilinear outlines of Oscar Niemeyer, the same we see further ahead on this chapter, when discussing Brasília. The city was also elected to host men and women football matches during the 2016 Olympic Games. With this event it is expected that, as well as at other host cities, a huge economic movement will follow. And, obviously, we all hope the number we saw at the legacy left by the 2014 World Cup are repeated or improved. According to data revealed by the World Cup Portal, during the 2014 World Cup, a total of 355 thousand tourists were in Belo Horizonte. The survey was performed by the Extraordinary Cup Department (Secopa-MG) and, such positive Cup numbers at the capital of the state of Minas Gerais were presented by the extraordinary municipal secretary for the Cup, Camillo Fraga, and by the extraordinary state secretary for the Cup, Tiago Lacerda, during a press conference in July 2014. This visitor’s average expense was higher than R$ 1.2 thousand, amount 35% higher than that recorded in the same period of the previous year. The amount generated revenue higher than R$ 451 million. If considered the indirect revenue, the estimate reaches R$ 1.6 billion, in Belo Horizonte’s commerce and services sectors. The city’s permanence rate was of 6.7 days, period 37% higher than in 2013. Aside from Belo Horizonte, 32% of tourists visited other municipalities in Minas Gerais, such as Ouro Preto, Mariana, Tiradentes and Brumadinho.

entre 14 de junho e 8 de julho de 2014, de 75%, tendo alcançado 95% na véspera da seminal entre Brasil e Alemanha, no Mineirão. Camillo Fraga destacou os números positivos do Mundial para o processo de internacionalização de Belo Horizonte. “Depois da Copa, mais de 90% do público recomenda a cidade de Belo Horizonte e gostaria de voltar aqui. É um momento para o futuro da cidade como destino de turismo, de negócios, de eventos e também agora uma marca de turismo cultural”, finalizou Fraga. E sobre o estádio que recebeu os jogos, o Mineirão? Inaugurado em 1965, o Mineirão passou por ampla reforma e modernização para receber três jogos da Copa das Confederações de 2013 e outros seis do Mundial da FIFA de 2014. Desde a reinauguração, em dezembro de 2012, o maior estádio da capital mineira sediou diversos jogos do campeonato local, viu o Cruzeiro ser campeão brasileiro duas vezes (2013 e 2014) e foi o palco em que o Atlético levantou a Taça Libertadores da América (2013) e a Copa do Brasil (2014). Na Copa do Mundo, o Mineirão testemunhou golaços de craques como Lionel Messi, mas também ficará eternamente marcado como o cenário da derrota brasileira por 7 x 1 para a Alemanha, na semifinal da competição.

The city of Belo Horizonte hosted seven matches in the 2014 FIFA World Cup, four valid for the first round, one from the round of sixteen and one semi-final. The Brazilian national team played in the Mineira capital twice. In the round of sixteen it faced Chile and advanced after penalty kicks. At the semi-final, it was upset by Germany, losing 7 x 1. The hostels had the higher increase in accommodations. In 2013, only 1.3% of all tourists in the city stayed in hostels. During the Cup this number rose to 20%. Another 19% stayed in friends or relatives’ houses and 46% in hotel or inns. The Brazilian Hotel Industry Association (ABIH) disclosed numbers showing an average occupancy rate, between 14 of June and 8 of July of 2014, of 75%, having reached 95% before the semi-final between Brazil and Germany, at Mineirão. Camillo Fraga highlighted the World Cup’s positive numbers for the process of Belo Horizonte’s internationalization. “After the Cup, over 90% of the audience recommends the city of Belo Horizonte and would like to return. It is a moment for the city’s future as touristic, business, event destination and also, now, a mark of cultural tourism”, closed Fraga. And what about the arena which will host the matches, Mineirão? Inaugurated in 1965, Mineirão underwent broad renovation and modernization in order to host three matches in the 2013 Confederations Cup and another six in the 2014 FIFA World Cup. Since its new inauguration in December 2012, the biggest arena of the Mineira capital hosted several matches from the local championship, saw Cruzeiro become Brazilian champions twice (2013 and 2014) and was the stage where Atlético raised the Libertadores da América Cup (2013) and Copa do Brasil (2014). In the World Cup, Mineirão witnessed great goals from whizzes such as Lionel Messi, and will also be eternally marked as the stage for Brazil’s 7 x 1 defeat to Germany, in the competition’s semi-final.

161


Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: futebol Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não haverá Capacidade: 62.160 lugares Status: em funcionamento

Foto: Portal da Copa

Modalities for grabs in the Olympic Games: Football Modalities in dispute Paralympic Games: None Capacity: 62.160 lugares seats Status: In operation

162


Arena Mineirão recebeu o futebol masculino e feminino nas Olimpíadas Arena Mineirão will receive men and women football in the Olympic Games

163


Muito além do futebol...

A

trações não faltam na cidade! Por começar pela Igreja de São Francisco de Assis, localizada na Lagoa da Pampulha, que foi projetada por Oscar Niemeyer e o principal cartão-postal da cidade, ornamentada por 14 painéis de azulejo de autoria de Cândido Portinari retratando a Via Sacra. No entorno também encontramos grandes obras deste mestre, projetadas na década de 40: Museu de Arte da Pampulha e a Casa do Baile, um espaço para exposições que, inicialmente, abrigaria um restaurante e um salão de festas. Todo o espaço é contornado por jardins criados por Burle Marx. Já na Praça da Liberdade somos surpreendidos por lindos jardins, inspirados no Palácio de Versailles, com direito a fonte e coreto, conduzem à Paris; enquanto os prédios em estilo neoclássico (Palácio da Liberdade) e pósmoderno (Edifício Niemeyer) fazem referências aos anos 20 e 60, respectivamente. Enfim, o conjunto formado pela praça e seus arredores remete a uma viagem no

164

tempo, no espaço e na história. A praça reúne turmas diversas no diaa-dia, em especial aos domingos, quando os moderninhos passam por ali a caminho do cinema; os atletas aproveitam o espaço para corre e caminhar; e os boêmios tomam um chopinho nos bares ao redor. Outro ponto imperdível, ainda mais para quem gosta de apreciar uma deliciosa comida, é o Mercado Central. Lá você encontra de tudo: artesanato, moda, frutas, queijos, cachaças, doces, bares e até animais. O mais interessante é que esse não é um lugar “para turista ver”. Os belo-horizontinos de fato vão lá fazer compras e comer bem – o que significa que os preços não são inflados. Ele também é considerado o espaço mais democrático da cidade, onde reúne mais de 400 lojas, encontrando assim quase tudo - claro que as cachaças e queijos predominam nas prateleiras. A cidade oferece ao turista belos conjuntos arquitetônicos, passear pelas muitas áreas verdes, deliciar-se com a boa mesa e trocar dois dedos de prosa em algum boteco são as melhores atividades a serem

realizadas na capital. Imperdível também é assistir a espetáculos artísticos, levando-se em conta que a cidade é berço de companhias como Corpo (dança), Galpão (teatro) e Giramundo (teatro de bonecos). Botecos e saborear a deliciosa culinária também deve entrar no roteiro. Capital brasileira dos botecos, Belo Horizonte orgulha-se de ter o maior índice de bares por habitante do país. Há opções para todos os gostos - dos mais simples e tradicionais aos mais sofisticados e moderninhos. Já a culinária mineira tem fãs em diversas partes do mundo - afinal, quem resiste a um pão-de-queijo quentinho e a delícias típicas como feijão-tropeiro, costelinha, lombo com tutu e frango ao molho pardo? Se tiver um pouco mais de tempo, vale a pena esticar sua viagem para conhecer as cidades históricas como Ouro Preto, Diamantina, Tiradentes, São José Del Rei, Mariana, entre outras. Uma viagem pelo túnel do tempo para conhecer parte da história do Brasil e vivenciar pessoalmente tudo aquilo que está nos livros e se aprende na escola. As

cidades históricas de Minas Gerais possuem um rico e incomparável acervo artístico e arquitetônico, encontrados nas suntuosas igrejas, museus, ruas e casas que preservam toda a tradição e cultura. Marcadas pelo ciclo do ouro, escravidão e ideais revolucionários como a Inconfidência Mineira, as cidades históricas guardam relíquias como a arte barroca, conhecida no mundo inteiro pelas obras de artistas como Aleijadinho e Ataíde. O Estado possui o maior acervo barroco do Brasil e algumas cidades como Diamantina e Ouro Preto receberam o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. A religiosidade de Minas está expressa nas belíssimas igrejas e festas populares que atraem turistas de todas as partes, que se encantam com a hospitalidade de um povo tão acolhedor. Além de toda riqueza desse patrimônio as cidades históricas possuem várias atrações como festivais de cinema, de inverno, de gastronomia, os carnavais e principalmente as paisagens exuberantes das montanhas de Minas.


Capital brasileira dos botecos, Belo Horizonte orgulha-se de ter o maior índice de bares por habitante do País. Foto: Embratur / Portal da Copa

Far beyond football... The city offers many attractions! Starting with Igreja de São Francisco de Assis, located at Lagoa da Pampulha, designed by Oscar Niemeyer and the city’s main post card, ornate by 14 tile panels by Cândido Portinari portraying the Via Crucis. We also find on its surroundings famous art works, designed in the 1940s: Museu de Arte da Pampulha and Casa do Baile, a space for exhibitions that, initially would house a restaurant and a ball room. The entire space is surrounded by gardens created by Burle Marx. At Praça da Liberdade we are caught by beautiful gardens, inspired in the Palace of Versailles, with fountain and gazebo, taking us to Paris; while the neoclassic style (Palácio da Liberdade) and post-modern (Edifício Niemeyer) buildings make reference to the 1920s and 1960s, accordingly. Anyway, the set made up by the square and its surroundings remits to a travel through time, space and history. The square gathers different groups daily, especially on Sundays, when the trendy crowd passes by on their way to the movies; athletes enjoy the space for jogging and walking; and the bohemians have a beer at the surroundings bars. Another unmissable spot, even more for those who like to taste good food, is the Mercado Central. There you find everything: crafts, fashion, fruits, cheeses, cachaças, sweets, bars and even animals. The most interesting is that this is not a place “for tourists to see”. The people from Belo Horizonte, in fact, go there for shopping and eating well – which means prices are not high. It is also considered the city’s most democratic space with over 400 stores where you can find almost everything – obviously the cachaças and cheeses are predominant on the shelves. The city offers the tourist beautiful architectural ensembles, possibility of walking through many green areas, enjoy good food and nice chats in any of the “botecos” are the best activities to be done in the capital. Also unmissable is watching the art performances, considering the city

Brazilian boteco capital, Belo Horizonte prides itself for having the country’s greatest bars per inhabitant ratio

is the birth place for many companies such as Corpo (dance), Galpão (theater) and Giramundo (puppet theater). Botecos and tasting the delicious culinary must also be on the itinerary. Brazilian boteco capital, Belo Horizonte prides itself in having the country’s greatest bars per inhabitant ratio. There are options for all tastes – from the simple and traditional to the more sophisticated and trendy. The culinary from Minas Gerais has fans all over the world – after all, who resists to a warm cheese bread (pão de queijo) and the typical delicacies such as feijão-tropeiro, costelinha, lombo com tutu and frango ao molho pardo? If you have a bit more time, it is worthwhile extending your trip to historical cities such as Ouro Preto, Diamantina, Tiradentes, São José Del Rei, Mariana, among others. A trip through a time machine to get to know part of Brazilian history and live in person all found in history books and is learned at school. Minas Gerais historical cities possess a rich and incomparable artistic and architectural collection, found at the luxurious churches, museums, streets and houses that preserve all tradition and culture. Marked by the gold cycle, slavery and revolutionary ideals such as the Inconfidência Mineira, the historical cities keep relics such as baroque art, known all over the world for the works from artists such as Aleijadinho and Ataíde. The state is home for Brazil’s largest baroque collection and some cities such as Diamantina and Ouro Preto were awarded the title of Humanity’s Cultural Heritage. Minas Gerais religiousness is expressed in the astonishing churches and popular festivities which attract tourists from all over, enchanted with the hospitality of such a welcoming people. Besides all the riches from such heritage the historical cities host many attractions such as movie, winter, gastronomy festivals, and the carnivals and especially the exuberating landscapes from its mountains.

165


Do alto do Cristo Redentor o visitante tem uma das mais belas imagens da cidade. From the top of Christ the Redeemer, the visitor has one of the most beautiful images of the city.

166

Foto: Portal Brasil 2016 / MinistĂŠrio do Turismo


Rio de Janeiro continua lindo!

C

onsiderado o cartão postal brasileiro, o Rio de Janeiro é o ponto mais conhecido do Brasil no exterior e, desde que conquistou, em outubro de 2009, o direito de sediar os Jogos Olímpicos e os Jogos Paralímpicos de 2016, o governo federal atuou para que o legado do maior evento esportivo do planeta contemplasse todos os Estados e o Distrito Federal. Para a realização deste grande evento, foi necessário muito

preparação, propiciando uma infraestrutura para a realização dos Jogos. Mas, para quem acompanhou, não resta dúvida que fizemos isso brilhantemente. Por isso, deixaremos para a capítulo a seguir mais informações sobre os grandes desafios, o legado deixado pela Copa de 2014 e o legado que esperamos para a Olimpíada, além de analisar a economia e abordar as novidades dos jogos.

Vamos aproveitar agora, apenas para falar um pouco sobre os dois estádios da cidade que receberam os jogos e, um deles, o Engenhão, também foi palco das paralimpíadas. E sobre o estádio que recebeu os jogos, o Maracanã? Além de sediar dois momentos muito aguardados dos Jogos Olímpicos – a abertura e o encerramento – o mítico estádio voltou a receber o futebol mundial em 2016. Após as obras de reforma e modernização,

o novo Maracanã sediou três jogos da Copa das Confederações em junho de 2013, incluindo a final em que o Brasil sagrou-se campeão sobre a Espanha. No Mundial, o desejo de ver a Seleção em campo no maior estádio brasileiro não foi cumprido, devido à eliminação na semifinal. Mas os torcedores curtiram sete ótimos jogos, um deles a grande final entre Alemanha e Argentina, vencida pelos europeus.

Rio de Janeiro: it is still beautiful! Considered the Brazilian post card, Rio de Janeiro is Brazil’s most noted spot abroad and, since it was granted, in October 2009, the right to host the 2016 Olympic and Paralympic Games, the federal government has acted so the legacy of the world’s greatest sport event contemplates all states and the Federal District. For the achievement of such huge event, it will be necessary a lot of preparation developing an infrastructure for the Games. But we are sure we will do this well, as the city has also been host for the final of the Confederations Cup and received seven matches from the 2014 World Cup, including the final. Obviously we are now talking about a much bigger event, but we have already shown ourselves capable of welcoming tourists and developing a grandiose legacy for our cities. Therefore, we will show in this following chapter more information on the great challenges, the legacy left by the 2014 Cup and the legacy we expect from the Olympic Games, and also analyze the economy and approach the Games’ innovations. Now let us just take time to discuss a bit the two arenas in the city that will host Olympic Games matches and, one of them, Engenhão, will also be stage for the Paralympic Games. And what about the arena which will host the matches, Maracanã? Besides hosting two much anticipated moments from the Olympic Games – the opening and closing ceremonies – the mythical arena will again host world football in 2016. After the renovation and modernization works, the new Maracanã hosted three Confederations Cup matches in June 2013, including the final where Brazil became champion over Spain. During the World Cup, the desire of seeing the national team on the field of the greatest Brazilian arena was not fulfilled, due to the elimination in the semi-finals. But the supporters enjoyed seven great matches, one of them the great final between Germany and Argentina, won by the Europeans.

167


Modalidades em disputa nos Jogos OlĂ­mpicos: futebol Modalidades em disputa nos Jogos ParaolĂ­mpicos: nĂŁo houve Capacidade: 78.600 lugares Status: em funcionamento Modalities for grabs in the Olympic Games: Football Modalities in dispute Paralympic Games: In operation Capacity: 78.600 seats Status: in operation

168

Foto: Danilo Borges/Portal da Copa


O Estádio do Maracanã recebeu a partida final da Copa do Mundo da FIFA 2014, entre Argentina e Alemanha. Maracanã hosted the 2014 FIFA World Cup final match between Argentina and Germany.

169


O Estádio do Engenhão passou por uma reforma para receber as Olimpíadas. Engenhão Stadium underwent renovation to receive the Olympics.

E

o outro estádio, o Engenhão? O estádio foi construído para receber competições de atletismo e futebol nos Jogos Pan-Americanos de 2007. Conhecido como Engenhão por ser localizado no bairro Engenho de Dentro, o estádio agora pode ser chamado de Nilton Santos, após autorização da prefeitura em 2015 para a homenagem ao ex-lateral do Botafogo e da Seleção. O Engenhão já estava na programação para receber competições de atletismo

durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016. Agora, foi confirmado também como palco para jogos de futebol durante o evento. Arrendado para o Botafogo até 2027, o Engenhão já recebeu diversos jogos de futebol, inclusive uma partida da Seleção Brasileira válida pelas Eliminatórias para a Copa de 2010, quando o Brasil empatou com a Bolívia em 0 x 0. O estádio também já foi palco de eventos e shows, como as apresentações dos astros do rock Paul McCartney e Roger Waters.

Foto: Portal Brasil 2016

And the other arena, Engenhão? The arena was built for hosting athletics and football competitions in the 2007 Pan-American Games. Known as Engenhão for its localization in the borough of Engenho de Dentro, the stadium can now be called Nilton Santos, after authorization of the city hall in 2015 to pay homage to Botafogo and national team former player. Engenhão was already in the program for receiving athletics competitions during the 2016 Olympic and Paralympic Games. Now it was also confirmed as stage for football matches during the event. Leased to Botafogo until 2027, Engenhão has already hosted several football matches, including a Brazilian national team match valid for the 2010 World Cup qualifying, when Brazil tied with Bolivia, 0 x 0. The stadium has already been stage for events and concerts, with shows from rock stars Paul McCartney and Roger Waters.

170


171


Foto: Portal Brasil 2016

Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: futebol e atletismo Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: atletismo Capacidade: 60.000 lugares (45.000 lugares fixos e 15.000 temporários) Status: em funcionamento Modalities for grabs in the Olympic Games: Football and athletics Modalities in dispute Paralympic Games: athletics Capacity: 60.000 Lugares (45.000 Lugares Fixos e 15.000 temporários) Status: running

172


O Estádio do Engenhão passou por uma reforma para receber as Olimpíadas. Engenhão underwent renovation to host the Olympic Games

173


174

Foto: Embratur / Portal da Copa


RIO DE JANEIRO, BRASIL Vista aérea no Rio de Janeiro, Brasil. Possível ver Flamengo, Botafogo e Pão de Açúcar. RIO DE JANEIRO, BRAZIL Aerial view of Rio de Janeiro, Brazil. It is possible to see Flamengo, Botafogo and the Sugar Loaf.

175


Leme e Copacabana com palmas e mosaico de calรงada em Rio de Janeiro Leme and Copacabana with palms and sidewalk mosaic in Rio de Janeiro

176


Vista do horizonte de Rio de Janeiro e da topografia incrível do Cristo Redentor no Corcovado. Rio de Janeiro, Brasil. Neste caso pode ser visto algumas das ilhas em frente à Praia de Ipanema

Foto: Tacio Philip Sansonovski

View of Rio de Janeiro’s skyline and amazing topography from Christ the Redeemer, at Corcovado, Rio de Janeiro, Brazil. Some of the islands in front of Ipanema Beach can also be seen on this shot.

Praia de Leblon e de Ipanema Leblon and Ipanema Beaches

177


178


6 CapĂ­tulo Rio 2016 Chapter 6 - Rio 2016

179


Homem com o Símbolo da Olimpíadas: com vista para o Pão de Açúcar. Man with the Olympic symbol: overlooking Sugar Loaf.

180

Foto: Lazyllama


Rio2016

O

s Jogos Rio 2016 marcaram a primeira edição Olímpica da América do Sul, reunindo 10.500 atletas de 206 países. Não bastasse isso, centenas de milhares de turistas tomaram conta das ruas da Cidade Maravilhosa, tornando o Rio de Janeiro o centro do mundo por algumas semanas. Mas a contagem regressiva para este grande evento começou no dia 2 de outubro de 2009. Sete anos - e muito trabalho - separam os dois momentos históricos, que em 2016 teve diversas outras datas históricas, começando por 5 de agosto, quando começam oficialmente os Jogos Olímpicos. Mas para quem estava ansioso bem antes das competições, não precisou esperar até agosto para acompanhar competições de alto nível nas instalações Olímpicas do Rio. De janeiro a maio de 2016, 25 eventos-teste tomaram conta da cidade-sede em preparação para o maior evento esportivo do mundo, alguns valendo até vaga para os Jogos. O primeiro evento-teste aconteceu em 2014 e reuniu 326 atletas de 35 países na Baía de Guanabara, que foi palco das provas de vela na Olímpiada. A responsabilidade em sediar um grande evento como este foi grande, mas para isso, representantes do Rio de Janeiro e de Londres, estreitaram relações desde 2010 para aprender com os erros e os acertos da cidade londrina. Na ocasião, o presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, visitou o Parque Olímpico de Londres e se reuniu com representantes do Comitê Organizador Local. A ação fez parte do intercâmbio entre as duas cidades para os Jogos de 2016. A cerimônia de encerramento dos Jogos de Londres 2012 também marcou, de maneira simbólica, o início dos Jogos no Rio. O show foi trajado pela apresentação do gari Renato Sorriso, da cantora Marisa Monte e do cantor seu Jorge. O Rei Pelé também participou e rematou a participação brasileira no Estádio Olímpico ao som de Aquele Abraço. Para que tudo andasse conforme planejado até os jogos e, para que os estádios e moradias ficassem prontos até lá, a APO acompanhou de

perto - a APO (Autoridade Pública Olímpica), que foi uma das garantias oferecidas pelo Brasil ao Comitê Olímpico Internacional (COI), durante a candidatura da cidade do Rio para sediar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016. O objetivo da instituição era coordenar as ações governamentais para o planejamento e a entrega das obras e dos serviços necessários à realização dos Jogos. Em 2014 a APO implantou a Matriz de Responsabilidades. O documento englobava os compromissos assumidos pelos entes governamentais associados exclusivamente à organização e realização dos Jogos do Rio 2016. A Matriz relacionava projetos e responsabilidades pela execução e aporte de recursos. Nela estão relacionados os valores e prazos dos projetos que já tiveram pelo menos edital de licitação ou pedido de proposta publicados. A Matriz era um documento dinâmico, com atualizações semestrais, que tinha como objetivo garantir a transparência do processo e prestar contas à sociedade. A construção, reforma e operação de centros de treinamento para modalidades olímpicas e um centro de treinamento para 15 modalidades paralímpicas, também faziam parte da Matriz. A maior parte das instalações foi prevista para além de 2016, como legado para os próximos ciclos olímpicos. Os investimentos altos, têm proporcionado a construção e a consolidação de uma Rede Nacional de Treinamento, com unidades que beneficiarão brasileiros em todas as regiões, contribuindo para a formação de novas gerações de atletas. Segundo dados divulgados pelo Portal Brasil 2016, somente o investimento em infraestrutura física ultrapassou a marca de R$ 3 bilhões. São recursos destinados à construção de centros de treinamento de diversas modalidades, 254 Centros de Iniciação ao Esporte (CIEs), 47 pistas oficias de atletismo e dez instalações olímpicas no Rio de Janeiro, além de possibilitar a reforma e a construção, também na cidade do Rio, de locais de treinamento durante os jogos em unidades militares e na Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

181


Foto: Portal Brasil 2016 / MinistĂŠrio do Turismo

182


As praias são lindas e também um passeio imperdível. Manhã, tarde ou no finalzinho do dia para assistir o pôr do sol. The beaches are beautiful and also a tourist attraction. Morning, afternoon or late in the day to watch the sunset

183


Foto: Portal Brasil 2016 / Ministério do Turismo

O Theatro Municipal oferece diversas opções de concertos e espetáculos, além de ser um ponto turístico imperdível. The Theatro Municipal offers several options in concerts and spectacles, besides bwing a must see touristic attraction

Por um lado, enquanto nos preparávamos para receber este grande evento - que somaram mais de 300 disputas por medalhas em 19 dias! – nas quatro regiões do Rio de Janeiro e em outras cinco cidades do futebol. Outra data que marcou o ano foi o dia 21 de abril, onde começou o revezamento da tocha. Antes de acender a pira na cerimônia de abertura dos Jogos Rio 2016, a tocha olímpica passou por aproximadamente 300 cidades em todas as regiões do Brasil. A jornada começou na Grécia, onde a tocha foi acesa em Olímpia, cidade-berço dos Jogos Olímpicos. Após um rápido trajeto pelo País, a tocha foi entregue ao 184

Brasil no dia 27 de abril. Em 3 de maio, teve início o revezamento da tocha Olímpica Rio 2016 em Brasília. O revezamento foi feito, além dos carregadores, por um comboio de veículos, que deve passar por cerca de 500 localidades: 300 cidades receberão o revezamento propriamente dito e outras 200 assistirão à passagem do comboio com a chama exposta. Durante a rota do revezamento no Brasil, a tocha foi carregada por cerca de 12mil condutores, além de voar 10 mil milhas pelo País. O símbolo olímpico passou por 83 municípios escolhidos como “cidade celebração”: em cada um

desses locais, houve um grande evento, que incluiu show musical nacional e outras atrações. Todas as 27 capitais dos Estados e do Distrito Federal foram incluídas na lista. Já vimos, portanto, que o ano de 2016 foi inesquecível! Além de tudo isso, o turista pode conhecer essa cidade maravilhosa e, bonita por natureza. Do primeiro ao último minuto dos jogos, não faltou o que fazer, o que visitar e o que rever na cidade do Rio de Janeiro. Além das praias e de outros dois ícones geográficos – como o Corcovado e o Pão de Açúcar – a cidade também vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos.

O Cristo Redentor foi eleito em 2007 uma das maravilhas do mundo moderno, mas muito antes disso, desde a sua construção em 1931 é parada indispensável para qualquer um que visite a cidade. Construído sobre o Morro do Corcovado, a estátua de 38 metros de altura está estrategicamente localizada para ser vista de todo ângulo da cidade. Feita de concreto armado e pedra-sabão, é a segunda maior escultura de Cristo no mundo, menor apenas que a Estátua de Cristo Rei de Swiebodzi, na Polônia. Já o outro ponto que o visitante não pode deixar é visitar


é o Pão de Açúcar. Uma pedra originária de um trabalho de 600 milhões de anos da natureza que promoveu um lugar encantador, em que todos os cantinhos nos remetem a uma vista deslumbrante. Muito aconchegante é realmente um ponto imperdível. Resumindo, a geografia do Rio é o que faz a cidade ser diferente de tantas outras. Você pode sentir o clima refrescante da serra e em minutos optar pela brisa da praia. Além do encontro da serra com o mar, a cidade é cheia histórias. Tem monumentos centenários, tradições culturais, ao mesmo tempo, é um caldeirão efervescente de novidades.

A música Do Leme ao Pontal, de Tim Maia, exalta as singulares praias cariocas: Ipanema, Copacabana e Leblon. Para melhor admirar o que a cidade tem de mais belo, basta subir ao Cristo Redentor ou pegar o bondinho até o Pão de Açúcar. Alguns turistas mais excêntricos, principalmente os estrangeiros, gostam de fazer passeio pelas favelas do Rio, mas isso não é aconselhável, a dica é ficar nos passeios mais tradicionais. Uma boa caminhada pelo Centro, reserva ótimas surpresas, como o Museu Nacional de Belas Artes, o Theatro Municipal, a Igreja de São Francisco da Penitência e a Ilha Fiscal, essa alcançada a bordo de uma escuna ou micro-

Rio de Janeiro: still beautiful The 2016 Rio Games will mark the first Olympic edition in South America, gathering 10,500 athletes from 206 countries. On top of that, hundreds of thousands of tourists will take the streets of the Wonderful City, turning Rio de Janeiro into the center of the world for a few weeks. But the countdown for this great event started on 2 of October of 2009. Seven years – and much work – separate the two historical moments that in 2016 have everything to be duly upstaged by other dates, starting with 5 of August, when the Olympic Games start. But for those who are anxious, it won’t be necessary to wait until August to follow the high level competitions at Rio’s Olympic facilities. From January to May 2016, 25 test events will take place in the host-city in preparation for the world’s greatest sport event, with some even qualifying for the Games. The first test events took place in 2014 and gathered 326 athletes from 35 countries at Guanabara Bay, which shall be stage for sailing competitions in the Olympics. The responsibility of hosting such a huge event is enormous, but for that representatives from Rio de Janeiro and London narrowed relations since 2010 in order to learn with the rights and wrongs from London. Then, the president of the Rio2016 Committee, Carlos Arthur Nuzman, visited London Olympic Park and met with representatives from the Local Organizing Committee. The action was part of the Exchange between the two cities for the 2016 Games. The 2012 London Games closing ceremony also marked, symbolically, the start of the Rio Games. The show had participation from street sweeper Renato Sorriso, singers Marisa Monte and Seu Jorge. Rei Pelé also participated and ended the Brazilian participation at the Olympic Arena to the sound of Aquele Abraço. For everything to go as planned until the Games and, for arenas and villas to be ready until then, APO is closely following - APO (Public Olympic Authority) is one of the assurances offered by Brazil to the International Olympic Committee (COI), during Rio’s candidacy for hosting the 2016 Olympic and Paralympic Games. The institution’s purpose is coordinating governmental actions for planning and delivering of works and services necessary for hosting the Games. In 2014 APO implemented the Responsibilities Matrix. The document comprises commitments borne by governmental entities solely associated to the organization and performance of the Rio2016 Games. The Matrix lists projects and responsibilities for the execution and contribution of resources. There, are listed amounts and deadlines for projects with at least one bidding notice or proposal request published. The Matrix is a dynamic document with bi-annual updates, that has as purpose assuring transparency to the process and rendering accounts to society. The construction, renovation and operation of training centers for Olympic modalities and a training center for 15 Paralympic modalities are part of the Matrix. Most of the facilities was forecast for beyond 2016, as legacy for the next Olympic cycles. High investments have enabled the construction and consolidation of a National Training Network, with units that will benefit Brazilians from all regions, contributing for the development of new generations of athletes. According to data disclosed by Portal Brasil 2016, the investment in infrastructure alone surpasses the mark of R$ 3 billion. These are resources aimed at the construction of training centers for several modalities, 254 Sport Initiation Centers (CIEs), 47 official athletics tracks and tem Olympic facilities in Rio de Janeiro, besides enabling the renovation and construction, also in Rio, of training venues during the Games in military units and at the School of Physical Education and Sports from Rio de Janeiro Federal University (UFRJ). While we prepare to host such huge event – adding over 300 contests for medals in 17 days! – in the four regions of Rio de Janeiro and in another five cities for football. Another date which

ônibus. Inaugurado em 1808, logo na chegada da família real portuguesa ao Brasil, o Jardim Botânico exibe o maior acervo de plantas do país, tendo as palmeiras-imperiais como protagonistas. Lá é possível ter contato com a natureza bem no meio da confusão da cidade. Outra dica e ponto turístico imperdível, é subir até o Morro da Urca para ver o sol se pôr é um programa lindo. Para quem tem fôlego, a opção é chegar ao topo do morro caminhando. A caminhada não é radical e muita gente tem optado por este caminho. Já a gastronomia também encanta o visitante, assim como as noites, que mostram que os cariocas realmente sabem curtir a vida.

shall mark the year will be 21 of April, when the torch relay will begin. Before lighting the pyre at the 2016 Rio Games opening ceremony, the Olympic torch will visit around 300 cities in all regions of Brazil. The journey starts in Greece, where the torch will bel it in Olympia, birth city for the Olympic Games. After a quick trajectory through the country, the torch will be delivered to Brazil on 27 of April. On 3 of May the Rio2016 Olympic torch relay will start in Brasília. The relay will be performed, besides the conveyors, by a vehicle convoy that shall pass through around 500 localities: 300 cities will host the relay itself and another 200 will watch the passage of the convoy with the exposed flame. During the relay route in Brazil, the torch shall be carried by around 12 thousand conveyors, besides flying 10 thousand miles through the country. The Olympic symbol will pass through 83 municipalities chosen as “celebration cities”: in each of these places there will be a big event including national music concerts and other attractions. All the 27 State capitals and the Federal District are included on such list. Therefore, we have seen that 2016 promises to be unforgettable! On top of all that the tourist will be able to check out this wonderful city, naturally beautiful. From the first to the last minute of the Games, there will be plenty to do, to visit and see again in the city of Rio de Janeiro. Aside from the beaches and other two geographic icons – Corcovado and Pão de Açúcar – the city has also been receiving a series of cultural and gastronomic attractions. The Cristo Redentor (The Christ) was elected in 2007 one of the wonders of the modern world, but long before that, from its construction in 1931, it is a mandatory stop for anyone visiting the city. Built over the Morro do Corcovado, the 38-meter high statue is strategically located so as to be seen from anywhere in the city. Made of reinforced concrete and soapstone, it is the second highest sculpture of the Christ in the world, smaller only than the Statue of Christ King from Swiebodzi, in Poland. Another spot the visitor cannot forget is Pão de Açúcar (Sugar Loaf ). This is a stone originated from 600 million of years of nature’s work promoting and enchanting spot, where every little corner remits to an astonishing view. Very cozy, it is really a must see place. Summarizing, Rio’s geography is what makes the city different from several others. You are able to feel the refreshing mountain climate and in minutes decide for a beach breeze. Aside from the mountain beach meeting, the city is full of stories. It has centenary monuments, cultural traditions, and at the same time it is a boiling cauldron effervescent with news. The song Do Leme ao Pontal, from Tim Maia, praises the singular Carioca beaches: Ipanema, Copacabana and Leblon. For better enjoying what the city has as most beautiful, just climb to the Cristo Redentor or catch the tram to Pão de Açúcar. Some more eccentric tourists, especially foreigners, enjoy visits to Rio’s chanty towns, which is not advisable; the tip is keeping to the more traditional tours. A good walk in Downtown Rio brings great surprises, such as Museu Nacional de Belas Artes, Theatro Municipal, Igreja de São Francisco da Penitência and Ilha Fiscal, the later reached onboard a schooner or mini-bus. Inaugurated in 1808, when the Portuguese Royal Family arrived in Brazil, Jardim Botânico exhibits the country’s largest collection of plants, with the Imperial Palm Trees as protagonists. There it is possible to be in contact with nature amidst the city confusion. Another must see touristic attraction is going up to Morro da Urca to see the sunset. For those with strength the option is getting there on foot. The walk is not radical and many people have opted for it. The gastronomy also enchants the visitors, as well as the nights, that show the Cariocas really know how to enjoy life.

185


Foto: Embratur / Portal da Copa

Museu de Arte Contemporânea de Niterói Projetado por Oscar Niemeyer foi inaugurado em 1996 e se tornou um dos mais famosos pontos turísticos da cidade de Niterói

Foto: Embratur / Portal da Copa

Niterói Contemporary Art Museum Designed by Oscar Niemeyer it opened in 1996 and became one of the most famous sights of the city of Niterói

RIO DE JANEIRO, BRASIL Vista aérea no Rio de Janeiro, Brasil. Possível ver Flamengo, Botafogo e Pão de Açúcar. RIO DE JANEIRO, BRAZIL Aerial view of Rio de Janeiro, Brazil. It is possible to see Flamengo, Botafogo and the Sugar Loaf.

186


Foto: Embratur / Portal da Copa

RIO DE JANEIRO, BRASIL Um dos pontos turísticos mais procurados do Rio de Janeiro é o Cristo Redentor com cerca de 2 milhões de visitantes por ano. RIO DE JANEIRO, BRAZIL - One of Rio de Janeiro’s most popular sights, Christ the Redeemer, receives about 2 million visitors a year

187


Visão geral do Parque Olímpico da Barra. Overview Olympic Park Bar

Foto: Gabriel Heusi/Brasil2016.gov.br

Visão geral do Parque Olímpico da Barra.

Foto: Gabriel Heusi/Brasil2016.gov.br

Overview Olympic Park Bar

188


Lives Sites o clima dos jogos no Brasil todo

M

Foto: André Motta/Brasil2016.gov.br

esmo para quem não conseguiu ingressos para todas as competições favoritas, tiveram outras opções para desfrutar do clima das instalações Olímpicas com os amigos. Foram oferecidos grandes espaços com telões, que serviram como ponto de encontro da torcida, conhecidos como “lives sites” – grandes espaços em áreas públicas, em diversas cidades, utilizados para promover a festa do esporte através da realização de eventos e atividades para todas as idades. A proposta foi fazer do Rio 2016 um evento sem fronteiras, levar a experiência olímpica para todos os povos, especialmente para jovens do Brasil e do mundo. Por isso, os Lives Sites foram instalados na Região O Boulevard Olímpico, no Rio de Janeiro, contou com uma Lives Sites que serviu como Portuária, onde antes ficava o Elevado ponto de encontro de torcedores durante os Jogos. da Perimetral, entre a Praça XV e o Olympic Boulevard , in Rio de Janeiro , featured a Lives Sites that served as a meeting point for fans during the Games Armazém 7; no Parque Madureira, na Zona Norte; e no Centro Esportivo Miécimo da Silva, em Campo Grande. O modelo ficou parecido com o que Copacabana recebeu durante a Copa do Mundo, com o Fifa Fan Fest, exibindo competições em telões e shows de artistas convidados. O público-alvo eram os cariocas e turistas que não tiverem ingresso para acompanhar o evento. Foram ainda disponibilizados 7,5 milhões de ingressos para os Jogos Olímpicos e 1,8 milhão para os Jogos Paralímpicos. O valor mínimo era de R$ 20 – a meia entrada para modalidades como futebol e levantamento de peso – e 3,8 milhões de ingressos custavam até R$ 70. Segundo o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, a ideia era que os Live Sites fossem uma boa opção para quem não tinha ingresso da Olimpíada pudesse acompanhar os Jogos. Além de assistir aos eventos de graça, o espectador pode divertir-se em shows em palcos instalados nos locais. A ideia também envolveu 15 cidades, sendo pelo menos duas em cada continente. A associação de tecnologia de última geração na transmissão a atividades interativas fez do maior evento esportivo do planeta uma celebração global, ao vivo, onde você estivesse. A arte também fez parte do maior evento esportivo do mundo. Enquanto os atletas brilham nas arenas, o Celebra, programa de cultura do Rio 2016, levou ao público uma mostra da diversidade cultural brasileira com centenas de atividades entre shows, apresentações de dança, exibição de filmes e exposições espalhadas pela cidade. Lives Sites: the Games atmosphere throughout Brazil Even those not able to get tickets for all their favorite competitions will have other options for enjoying the atmosphere of Olympic facilities with friends. Huge spaces will be offered with big screens, and promise to be the crowds meeting point, will be known as “lives sites” – huge spaces in public areas, in several cities used for promoting the celebration of sport through events and activities for all ages. The proposal is making Rio2016 an event with no boundaries, taking the Olympic experience to all people, especially to youth in Brazil and the world. Thus, the Lives Sites shall be set up at the Port Region, where once was the Elevado da Perimetral, between Praça XV and Armazém 7; at Parque Madureira, in the northern region, and at Centro Esportivo Miécimo da Silva, in Campo Grande. The model will be similar to the one Copacabana hosted during the World Cup, with the FIFA Fan Fest, broadcasting competitions on the big screen and concerts with invited artists. The

target audience are Cariocas and tourists without tickets for the events. 7.5 million tickets will be made available for the Olympic Games and 1.8 million for the Paralympic Games. The cheapest goes for R$ 20 – student/elderly tickets for modalities such as football and weightlifting – and 3.8 million tickets at up to R$ 70. According to Rio de Janeiro’s mayor, Eduardo Paes, the idea is that the Live Sites are a good option for those without tickets for the Olympics to follow the Games. Aside for watching the events for free, the spectator will be able to enjoy concerts in stages on these venues. The idea also involves 15 cities, with at least two in each continent. The association of the latest technology in transmission to interactive activities turns the world’s greatest sport event into a global celebration, live, wherever you are. Art is also part of the world’s greatest sport event. While the athletes are highlights in the arenas, Celebra, Rio2016 culture program, brings to the public a sample of the Brazilian cultural diversity with hundreds of concerts, dance presentations, movie and art exhibition through the city.

189


O Legado dos jogos

“H

á dois tipos de Jogos: os que servem à cidade e os que se servem da cidade”, dizia Pasqual Maragall, prefeito de Barcelona à época dos Jogos Olímpicos de 1992, na Espanha. Tomando a capital catalã como referência, a organização dos Jogos de 2016 trabalhou para que o Rio de Janeiro fosse enquadrado na primeira das opções. Dessa maneira, diversos projetos, tanto na capital carioca como em várias regiões do País, foram pautados na consolidação de um legado antecipado do evento. Para a cidade-sede dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, mais do que ser palco da principal festa do esporte mundial, o evento representou a oportunidade de realizar transformações que durarão bem mais do que os Jogos. A população, que viveu por alguns meses em meio a um imenso canteiro de obras, aguardava para aproveitar os legados prometidos: novas áreas esportivas; melhorias no sistema de transportes, com BRTs e extensão do metrô até a Barra da Tijuca; obras contra enchentes; novas escolas públicas; e, por fim, a revitalização da Região Portuária do Rio. Algumas obras foram entregues com uma certa antecipação, outras na “boca do gol”, quase as vésperas do início dos jogos, mas o importante é que tudo funcionou conforme estipulado. Entretanto, em alguns casos, o legado já pôde ser notado desde o começo. Por exemplo, os vizinhos à Vila dos Atletas, logo no início da sua construção, comemoraram as melhorias que a região de Jacarepaguá recebeu em função das obras olímpicas. A vila, onde foram alojados os cerca de 15 mil esportistas esperados para os Jogos Rio 2016, é vizinha ao Parque Olímpico, em Jacarepaguá. A construção dos 31 prédios de 17 andares foi de responsabilidade da iniciativa privada. As obras de Infraestrutura das vias públicas próximas à Vila dos Atletas, iniciadas em 2012, que seriam feitas pela prefeitura, foram incluídas no pacote de responsabilidades do vencedor da Parceria PúblicoPrivada do Parque Olímpico, desonerando os cofres públicos. Já o Parque Olímpico da Barra, por exemplo, palco de 25 modalidades Olímpicas e Paralímpicas em nove arenas. Logo o Parque Olímpico de Deodoro teve outras nove instalações – incluindo um Parque Radical – para receber atletas e fãs de 15 esportes. Ainda é muito cedo para dizer o verdadeiro legado, já que este livro foi finalizado logo após o término dos jogos, entretanto, os complexos prometem deixar uma importante herança para o desenvolvimento do esporte no país, atuando como centros de treinamento, aproximando a população das modalidades em áreas de lazer e capacitando a cidade a sediar novos eventos internacionais.

Serão 32 trens circulando pelo Centro e Região Portuária There will be 32 trains circulating through the downtown and port areas.

The Games’ Legacy “There are two kinds of Games: those serving the city and those who serve from the city”, said Pasqual Maragall, mayor of Barcelona when of the 1992 Olympic Games in Spain. Taking the Catalan capital as reference, the 2016 Games organization wants Rio de Janeiro included in the first option. Thus, several projects are ongoing in the Carioca capital and in several regions of the country, guided by the consolidation of the event’s anticipated legacy. For the host-city of the Olympic and Paralympic Games, more than being stage for the world’s main sport celebration, the event represents an opportunity of perform changes that shall last far beyond the Games. The population, living amidst a immense construction site, awaits to be able to enjoy the promised legacies: new sport venues, improvements in transportation, with the BRT and extension of the subway to Barra da Tijuca, works for prevention of floods, new public schools, and, at last, the revitalization of Rio’s port region. Some works are already finished; others are in final delivery phase. However, in some cases, the legacy may already be noticed at the beginning of construction. For example, the Athletes Villa, right at the onset of construction, enabled celebrating improvements the region of Jacarepaguá received due to Olympic works. The villa, where the almost 15 thousand athletes expected for the 2016 Rio Games will be lodged, is neighbor to the Olympic Park, in Jacarepaguá. The construction of the 31 17-story buildings is charged to the private initiative. The infrastructure works for public roads next to the Athletes Villa, started in 2012, which would be performed by the city hall were included into the package of responsibility of the winner of the Olympic Park Public-Private Partnership, unburdening the public coffers. The Barra Olympic Park, for example, shall be stage for 25 Olympic and Paralympic modalities in nine arenas. Soon the Deodoro Olympic Park will have another nine facilities – including a Radical Park – to receive athletes and fans from 15 sports. After the Games, the complexes promise to leave an important legacy for the development of the sport in the country, acting as training centers, bringing the population closer to modalities in leisure areas and qualifying the city to host new international events.

190


Foto: Portal Brasil 2016 / Ministério do Turismo

Later we will see in detail all works done in Rio de Janeiro, but the Games’ legacy will not remain only in Carioca soil, the entire country will benefit from the National Training Network. This Network will comprise from Olympic competition venues under construction or adaptation in Rio, to the 285 Sport Initiation Centers built in 263 municipalities in the country, with modality training centers, sport complexes and local city structures. Aside all that, regarding the financial legacy for the city’s tourism and economy, hoped to be reached with the hosting of the Rio games, it is important to analyze what the city gained with the 2014 World Cup, as we already have experience hosting great events. Far beyond the fields, hosting the World Cup in Brazilian soil left huge marks. The enormous structure surrounding the Cup’s organization had the integration of all participating spheres: 29 federal government agencies involved, 90 local public agencies and 2,200 public and private managers, taking part in 277 alignment and adjust meetings for the operational plans. And, obviously one of the legacies of easier identification is the construction and renovation of the 12 arenas, which has already brought benefits to the country. In the year of the World Cup, Brazil recorded the entry of 6,429,852 international tourists. For the first time the country surpassed the 6 million foreigners mark. Analyzing Rio de Janeiro, main Brazilian leisure touristic destination, it recorded the highest absolute growth in receiving foreigners in 2014. While in 2013 the State was the doorway for 1,207,800 international visitors, in 2014 the number rose to 1,597,153, an annual increase of 389,353 tourists from other countries. These data are part of the 2015 Tourism Statistical Yearbook, annual survey from the Ministry of Tourism. In the month of the start of the World Cup (June 2014), 251 thousand foreigners arrived in Brazil via the State of Rio de Janeiro, approximately 100 thousand more than the volume of tourists in February, month of Carnaval. In July, another 159 thousand arrived through Rio’s air and sea entrances, consolidating the period as the year’s third best, right behind the result of the month of December (224,794). The main countries sending foreign tourists to Rio were Argentina (284,795), Unites States (236,566) and France (118,242). Added, visitors from European nations were the most frequent: a total of 658,365, 40% more than the 469,228 from 2013. Also, the State of Rio de Janeiro received 483,060 South Americans, 13% more than the 427,220 recorded in 2013.

191


192

Foto: Catarina Belova


Vista noturna da praia de Copacabana Copacabana Beach Night view

193


Mais adiante veremos detalhadas todas as obras que foram feitas no Rio de Janeiro, mas o legado dos jogos não ficou apenas em solo carioca, todo o País foi beneficiado com a Rede Nacional de Treinamento. Essa Rede abarca desde as instalações de competição olímpicas em construção ou adaptação no Rio, até os 285 Centros de Iniciação ao Esporte que foram construídos em 263 municípios do País, passando por centros de treinamento de modalidades, complexos esportivos e estruturas locais das cidades. Além de tudo isso, para falar sobre o legado financeiro para o turismo e a economia da cidade, que estimava alcançar com a realização dos Jogos no Rio de Janeiro, é importante analisar o que a cidade ganhou com a Copa do Mundo de 2014, pois já temos uma experiência sediando grandes eventos. Muito além dos gramados, a realização da Copa do Mundo em solo brasileiro deixou grandes marcas. A enorme estrutura em torno da organização da Copa contou com a integração de todas as esferas participantes: foram 29 órgãos do governo federal envolvidos, 90 órgãos públicos locais e 2.200 gestores públicos e privados, participando, ao todo, de 277 reuniões de alinhamento e ajustes dos planos operacionais. E claro, um dos legados de mais fácil identificação é a construção e reforma dos 12 estádios, o que já tem trazido benefícios para o País. No ano da Copa do Mundo, o Brasil registrou a entrada de 6.429.852 turistas internacionais. Pela primeira vez, o país superou a marca dos 6 milhões de estrangeiros. Analisando o Rio de Janeiro, principal destino turístico brasileiro de lazer, registrou o maior crescimento absoluto na recepção de estrangeiros em 2014. Enquanto em 2013 o Estado foi a porta de entrada de 1.207.800 visitantes internacionais, em 2014 o número passou para 1.597.153, um incremento anual de 389.353 turistas de outros países. Os dados fazem parte do Anuário Estatístico de Turismo 2015, pesquisa anual do Ministério do Turismo. No mês de abertura da Copa do Mundo (junho de 2014), 251 mil estrangeiros chegaram ao Brasil pelo Estado do Rio de Janeiro, aproximadamente 100 mil a mais que o volume de turistas de fevereiro, mês do Carnaval. Em julho, mais 159 mil chegaram pelos portões aéreos

e marítimo do Rio, consolidando o período como terceiro melhor do ano, logo atrás do resultado do mês de dezembro (224.794). Os principais países emissores de turistas estrangeiros para o Rio foram a Argentina (284.795), os Estados Unidos (236.566) e a França (118.242). Somados, os visitantes de nações europeias foram os mais frequentes: 658.365 no total, 40% a mais que os 469.228 de 2013. Além disso, o Estado do Rio de Janeiro recebeu 483.060 sul-americanos, 13% a mais que os 427.220 registrados em 2013. Para o Ministério do Turismo, a evolução da cidade mostra o poder dos eventos internacionais na atração de visitantes para o país, amplificando a divulgação de atributos turísticos para o mundo. O número de turistas estrangeiros que chegou por cada Estado brasileiro não reflete o fluxo total de visitantes internacionais que passaram por cada Unidade da Federação em 2014. Os deslocamentos domésticos (terrestres, aéreas, fluviais e por cruzeiros) dos estrangeiros dentro do Brasil não foram contabilizados nesta pesquisa divulgada pelo Ministério do Turismo. Já os dois mais importantes pontos turísticos do Rio também receberam grande quantidade de visitantes: cerca de 296 mil foram ao Cristo Redentor, e 175 mil ao Pão de Açúcar. A média de visitantes no Corcovado é de cinco mil pessoas por dia, mas durante a Copa, foram registrados picos de até 12 mil em um único dia. Já o Pão de Açúcar, que recebe uma média diária de três mil, chegou a receber 8 mil passageiros no bondinho. Esses dados foram divulgados pela Secretaria do Turismo do Rio de Janeiro. Grandes obras de mobilidade pública também foram finalizadas para a Copa. A principal delas é a Transcarioca, ligação da Barra da Tijuca, na Zona Oeste, até a Ilha do Governador, na Zona Norte. Também foram executadas obras de duplicação de pistas, além da urbanização das áreas contempladas pelo BRT. O que temos agora para as Olímpiadas? No dossiê de candidatura, apresentado em 2009, eram 17 projetos de legado, depois o número subiu para 27. Vamos conferir alguns deles no legado para a mobilidade urbana na cidade:

For the Ministry of Tourism, the city’s evolution shows the power of international events in attracting visitors to the country, increasing the publicizing of touristic attributes to the world. The number of foreign tourists arriving at each Brazilian State does not reflect the total flow of international visitors passing through each Federation Unit in 2014. Domestic dislocations (land, air, river and cruises) of foreigners within Brazil were not accounted in the present survey disclosed by the Ministry of Tourism. The two most important touristic spots in Rio also received a great amount of visitors: around 296 thousand went to the Cristo Redentor, 175 thousand to Pão de Açúcar. The visitor average at Corcovado is of 5 thousand people a day, but during the Cup, there were records of peaks of up to 12 thousand in a single day. On the other hand, Pão de Açúcar, receiving a daily average of 3 thousand, received 8 thousand passengers on the trams. Such data were disclosed by Rio de Janeiro’s Department of Tourism. Huge urban mobility works were also delivered for the Cup. The main one, the Transcarioca, connecting Barra da Tijuca, in western Rio, to Ilha do Governador, in the northern part of the city. Road duplication works were also performed, besides the urbanization of areas contemplated by the BRT. What do we have now for the Olympics? At the candidacy dossier, presented in 2009, there were 17 legacy projects, and later the number rose to 27. Let us check a few of them out at the legacy for the city’s urban mobility:

194


Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT)

M

ais do que integrar o novo conceito de mobilidade urbana do Centro, com ênfase para o transporte público e o pedestre, o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) também vai devolver ao Rio uma característica inerente à cidade: o charme. Ao longo de 28 quilômetros de extensão e 32 paradas no percurso, o novo modal vai ligar pontos importantes como a Central do Brasil, Praça Mauá e, também vai conectar a Região Portuária e ao Aeroporto Santos Dumont, circulando em uma velocidade média de 15 quilômetros por hora. A previsão é beneficiar 300 mil passageiros por dia com a integração com metrô, trens, barcas, BRT e o teleférico da Providência.

Legado dos Jogos Rio 2016 dará novo fôlego ao transporte na capital fluminense.

Foto: André Motta/Brasil2016.gov.br

Legacy of the Rio 2016 Games will give new impetus to transport in the capital Rio de Janeiro

Light Rail (VLT) More than integrating Downtown’s new urban mobility concept, with emphasis in public transportation and pedestrians, the Light Rail (VLT) will also return to the city a characteristic inherent to it: its charm. Through its 28 kilometers in extension and 32 stops in its path, the new modal will connect important spots such as Central do Brasil, Praça Mauá and, will also connect the Port Region and Santos Dumont Airport, circulating at an average speed of 15 kilometers per hour. The idea is to benefit 300 thousand passengers a day with the integration to the subway, trains, ferries, BRT and Providência lift.

195


196

Foto: Catarina Belova


Vista noturna da praia de Copacabana Night view of Copacabana Beach

197


Ampliação do Elevado do Joá Foto: Renato Sette Camara/ Prefeitura do Rio de Janeiro

A ampliação do Elevado do Joá vai servir para melhorar o acesso entre a Zona Sul e a Barra da Tijuca. The magnification works for the Elevado do Joá will improve access between Zona Sul and Barra da Tijuca

A

s obras de construção de uma nova pista, dois túneis e uma ciclovia à beira-mar vão transformar o Elevado do Joá, uma das principais ligações entre a Zona Sul e a Barra da Tijuca. Serão construídas duas novas pistas e dois novos túneis paralelos aos atuais com 5 km de extensão. A obra, aumentará em aproximadamente 35% a capacidade viária do elevado. Também haverá uma ciclovia no viaduto atual, com vista para a praia de São Conrado.

Extension of Elevado do Joá The works for construction of a new lane, two tunnels and a new cycle path on the seaside will transform Elevado do Joá, one of the main connections between the Southern region of Rio and Barra da Tijuca. Two new lanes and two new tunnels will be built parallel to the present ones with 5 km in extension. The works will increase in approximately 35% the road capacity of the overpass. There will also be a cycle path on the present overpass, with view to São Conrado beach.

198


BRT Transolímpica e Transoeste

S

erá uma nova via expressa, livre de semáforos e com pistas exclusivas para o BRT. Vai atender 70 mil passageiros por dia e reduzir o tempo de viagem entre a Barra

da Tijuca e Deodoro em 54%. Serão 26 km de extensão (13 km de Via Expressa) e 17 estações. A futura Transolímpica, corredor que ligará o Recreio dos Bandeirantes a Deodoro,

vai agregar qualidade às viagens e diminuir o tempo de deslocamento das atuais duas horas e meia para apenas 30 minutos. Com 18 estações e três terminais, a Transolímpica

vai fazer integração com a Transoeste, no Recreio, com a Transcarioca, em Curicica, e com os trens da SuperVia, em Magalhães Bastos, Vila Militar e Deodoro.

Transolímpica: via expressa que liga o Recreio dos Bandeirantes a Deodoro

Foto: André Motta/ brasil2016.gov.br

Transolímpica: expressway linking Recreio Deodoro

Trans Olympic and Trans West BRT This will be a new express way, free of traffic lights and with exclusive lanes for the BRT. It will support 70 thousand passengers per day and reducing travel time between Barra da Tijuca and Deodoro in 54%. It will have 26 km in extension (13 km of express way) and 17 stations. The future Trans Olympic, corridor connecting Recreio dos Bandeirantes to Deodoro, will aggregate quality to travels and decrease dislocation times from the present 2.5 hours to only 30 minutes. With 18 stations and 3 terminals, the Trans Olympic will integrate with the Trans West, at Recreio, with Trans Carioca, at Curicica, and with the SuperVia trains, at Magalhães Bastos, Vila Militar and Deodoro.

199


Linha 4 do Metrô

A

Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro (Barra da Tijuca — Ipanema) vai transportar, a partir de 2016, mais de 300 mil pessoas por dia e retirar das ruas cerca de 2 mil veículos por hora/pico. Com a nova linha, o passageiro poderá utilizar todo o sistema metroviário da cidade com uma única tarifa. Serão seis estações (Jardim Oceânico, São Conrado, Gávea, Antero de Quental, Jardim de Alah e Nossa Senhora da Paz) e aproximadamente 16 quilômetros de extensão.

A Linha 4 do Metrô vai unir o Rio, integrar regiões e levar qualidade de vida a milhares de cidadãos. A nova linha entrará em operação em agosto de 2016. Será possível ir da Barra a Ipanema em 13 minutos e, da Barra ao Centro, em 34 minutos. O projeto representa a execução, de uma só vez, da mesma extensão de metrô subterrâneo existente no estado e é o maior legado em transporte que o Rio de Janeiro, seus habitantes e visitantes ganharam com os Jogos Olímpicos.

Trecho de circulação dentro de estação do metrô da Linha 4 do metrô que simula raias de natação.

Foto: Roberto Castro/brasil2016.gov.br

Circulation passage in the subway station Metro line 4 which simulates swimming lanes.

Subway Line 4 Line 4 (Barra da Tijuca - Ipanema) the most expensive work underway in Rio. The forecast is transporting, from 2016, another 300 thousand people a day and taking off the streets around 2 thousand vehicles per hour. There will be 6 stations (Jardim Oceânico, São Conrado, Gávea, Antero de Quental, Jardim de Alah and Nossa Senhora da Paz) and approximately 16 km in extension. Works were initiated in June 2010 with private and state government resources. Now, talking about the environment, Guanabara Bay is the main worry for the 2016 Games organization. At the candidacy in 2009, Rio borne the commitment of collecting and treating 80% of the sewage unloaded into the Bay. For the Olympics, eco barriers and eco boats will be installed. Eco barriers are floating devices placed in rivers and canals to control floating waste. There will be 17 eco barriers, more resistant than the 11 the government had already installed in

200

several spots and which broke down. Another 10 vessels (eco boats) will be hired for collecting the waste interfering in sailing and sports practice. Another legacy regarding the environment are the ongoing works that shall guarantee the sanitary system for the Olympic Axis, directly benefiting the regions of Barra and Jacarepaguá. The Elevatória Olímpica (Olympic Lift) will have capacity for pumping 1.1 thousand liters of sewage per second. According to Cedae – Rio de Janeiro’s State Company for Waters and Sewage – until 2007 the Barra region did not have a sewage system and with investments performed, the rate of collection and treatment went to 85%.


Centros Olímpicos Instalações das grandes competições

O

“coração” dos Jogos de 2016 se concentrou no bairro da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, que abrigou o Parque Olímpico e a Vila Olímpica e Paralímpica, entre outros. Já a região de Deodoro, localizada na Zona Oeste do Rio de Janeiro, foi palco das competições de hipismo, ciclismo mountain bike, ciclismo BMX, pentatlo moderno, tiro esportivo, canoagem slalom, hóquei sobre grama, rúgbi e basquete. Além de futebol de 7, tiro esportivo, hipismo e esgrima em cadeira de rodas nos Jogos Paraolímpicos. O bairro de Copacabana foi outro ponto que recebeu as competições. Privilegiados foram os atletas da marcha atlética, do ciclismo de estrada, das maratonas aquáticas, do triatlo, da vela, do vôlei de praia, do remo, da canoagem e do paratriatlo, que tiveram a oportunidade de tornar a visita a Copacabana um momento ainda mais inesquecível. E para terminar, a quarta região será do Maracanã, recebeu competições no Ginásio do Maracanãzinho e no Estádio Olímpico João Havelange, conhecido como Engenhão. Começando pelo bairro da Barra da Tijuca, cercada por praias e lagoas, na Zona Oeste da cidade, a região conta com 15 locais de

Starting with the borough of Barra da Tijuca, surrounded by beaches and lakes, the city’s western region has 15 competition venues, stage for 23 modalities. The area will be home to Barra Olympic Park – a 1.18 million square meter space with 9 facilities and a live site, broadcasting live competitions taking place in the arenas. Let’s talk a little bit about the facilities for competitions, starting with the golf course, which was built at Reserva de Marapendi, Barra region. This is a unique Olympic facility, located approximately 5 km from the Olympic and Paralympic Villa. It has capacity for 15,000 people and, after the Olympics shall be operated as a public facility, with the main purpose of promoting the sport in Brazil and South America. Another facility, located seaside, is Pontal, stage for competitions such as cycling (road – start and arrival point for time trial events) and race walking. In the Paralympic Games it will be stage for para-cycling (road - start and arrival point).

Olympic Centers: Competition facilities The “heart” of the 2016 Games will be concentrated in the borough of Barra da Tijuca, West region of Rio de Janeiro, home of the Olympic Park and Olympic and Paralympic Villa, among others. On the other hand, the region of Deodoro, located in Rio’s western region will be stage for competitions of equestrian events, mountain bike, BMX cycling, modern pentathlon, shooting, canoe slalom, hockey, rugby and basketball, and also football 7-a-side, shooting, equestrian events and wheelchair fencing in the Paralympic Games. The borough of Copacabana will be another spot receiving competitions. The athletes from race walking, road cycling, marathon swimming, triathlon, sailing, beach volleyball, rowing, canoe and para-triathlon, which will have the opportunity of turning the visit to Copacabana into an even more unforgettable moment. And lastly, the fourth region will be Maracanã, hosting competitions at Maracanãzinho Gymnasium and e no João Havelange Olympic Arena, known as Engenhão.

competição, que foram palco das disputas de 23 modalidades. A área abrigou o Parque Olímpico da Barra - um espaço de 1,18 milhão de metros quadrados, com nove instalações e um live site, que transmitiu ao vivo as competições que estiveram rolando nas arenas. Vamos conhecer um pouco sobre as instalações das competições, começando pelo campo de golfe, que foi construído na Reserva de Marapendi, na região da Barra. É uma instalação olímpica única, localizada a aproximadamente cinco quilômetros da Vila Olímpica e Paralímpica. Possui capacidade para 15.000 pessoas e, após a Olímpiada a ideia era que fosse operado como uma instalação pública, com o objetivo principal de promover o esporte no Brasil e na América do Sul. Outra instalação, localizada à beira-mar, é o Pontal, que foi palco de disputas como ciclismo (estrada - ponto de partida e chegada das provas de contrarrelógio) e marcha atlética. Já nos Jogos Paralímpicos foi palco do paraciclismo (estrada - ponto de partida e chegada).

201


Visão geral do Parque Olímpico da Barra Overview Olympic Park Bar

Foto: GabrielHeusi/BRASIL2016

202


203


A

gora o tão esperado! Vamos falar sobre o gigante Parque Olímpico do Rio 2016, onde ocorreram disputas de diversas modalidades olímpicas: basquete, ciclismo de pista, ginástica artística, ginástica de trampolim, ginástica rítmica, handebol, judô, luta greco-romana, luta livre, nado sincronizado, natação, polo aquático, saltos ornamentais, taekwondo, esgrima e tênis. O local recebeu, ainda, 10 modalidades paraolímpicas: basquete em cadeira de rodas, bocha, ciclismo, futebol de 5, goalball, judô, natação, rúgbi em cadeira de rodas, vôlei sentado e tênis em cadeira de rodas. Atendido por duas das novas linhas de BRT, a Transolímpica e a Transcarioca, o Parque Olímpico, formado por instalações esportivas e não esportivas, também foi um dos locais do principal legado esportivo dos Jogos Rio 2016: o Centro Olímpico de Treinamento (COT), voltado para atletas de alto rendimento. Após os Jogos de 2016, a proposta do Ministério do Esporte era que as instalações esportivas permanentes (três pavilhões, o Centro de Tênis, o Velódromo e o Parque Aquático Maria Lenk) fizessem parte do Centro Olímpico de Treinamento (COT). Os Ministérios do Esporte e da Educação, com apoio da Casa Civil/ PR, propuseram a constituição do Instituto Brasileiro do Esporte para fazer a gestão do COT e da Rede Nacional de Treinamento. Dentro do Parque Olímpico encontramos a Arena Olímpica, que foi palco das disputas de ginástica artística, rítmica e de trampolim. Já nos Jogos Paralímpicos recebeu o basquete em cadeira de rodas. Também encontramos dentro o Parque Aquático Maria Lenk, que foi construído para os Jogos Pan-Americanos Rio 2007. A área de competição foi projetada de acordo com os requisitos da FINA (Federação Internacional de Natação) para grandes competições internacionais e precisou de modificações mínimas para os Jogos Rio 2016. Ele recebeu os saltos ornamentais, nado sincronizado e polo aquático (primeira fase).

Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) Now, the long awaited! Let’s talk about the giant Rio2016 Olympic Park, where events from several Olympic modalities will take place: basketball, track cycling, gymnastics, trampoline gymnastics, rhythmic gymnastics, handball, judo, Greco-Roman wrestling, freestyle wrestling, synchronized swimming, swimming, water polo, diving, taekwondo, fencing and tennis. The venue will also host 10 Paralympic modalities: wheelchair basketball, bocce, cycling, football 5-a-side, goalball, judo, swimming, wheelchair rugby, sitting volleyball and wheelchair tennis. Supported by two new BRT lines, the Trans Olympic and the Trans Carioca, the Olympic Park, comprised of sport and non-sport facilities, shall also be one of the venues of 2016 Rio Games sport legacy: the Olympic Training Center (COT), aimed at high performance athletes. After the 2016 Games, the Ministry of Sports proposal is that the permanent sport facilities (three pavilions, Tennis Center, Velodrome and Maria Lenk Aquatic Center) become part of the Olympic Training Center (COT). The Ministries of Sports and Education, with support from the Casa Civil/PR, propose the construction of the Brazilian Sports Institute for the management of the COT and the National Training Network. Inside the Olympic Park we find the Olympic Arena, which shall be stage for competitions in gymnastics, rhythmic and trampoline. In the Paralympic Games it will host wheelchair basketball. Also inside the Olympic Park we can find the Maria Lenk Aquatic Center, built for the 2007 Rio Pan-American Games. The competition area was designed according to FINA (International Swimming Federation) requirements for great international competitions and will need minimum modifications for the 2016 Rio Games. It will host diving, synchronized swimming e water polo (first phase).

204


O complexo Aquรกtico Maria Lenk foi palco de grandes conquistas. The Maria Lenk Aquatic Complex was the scene of great achievements.

Foto: Miriam Jeske/Brasil2016.gov.br

205


206


Foto: Miriam Jeske/Brasil2016.gov.br

Campo OlĂ­mpico de Golfe, na Barra da Tijuca Olympic Golf Course, in Barra da Tijuca

207


Estรกdio Aquรกtico Water Games Olympic Center

Foto: Renato Sette Camara / Prefeitura do Rio

208


P

ara os Jogos Olímpicos, foram construídas no Centro Olímpico de Tênis 16 quadras, numa área de 9 hectares. Facilidades e arquibancadas temporárias foram utilizadas como apoio a infraestrutura permanente para atender aos requisitos dos Jogos. Também pudemos contar com o Estádio Olímpico de Esportes Aquáticos, com capacidade para 18 mil pessoas, que foi palco de momentos marcantes para a natação e polo aquático. As Arenas Cariocas (1, 2 e 3) também foram palco de memoráveis espetáculos. A Arena 1 (ou Hall Olímpico 1) foi palco do basquete, basquete em cadeira de rodas e rúgbi em cadeira de rodas. O espaço foi usado para treinamento de 12 esportes olímpicos e agora, após a conclusão dos Jogos, será totalmente integrada ao Centro Olímpico de Treinamento (COT), incluindo instalações permanentes multiuso com áreas para atletas e técnicos. A Arena Carioca 2, ou Hall Olímpico 2, foi palco do judô, luta olímpica e bocha. A partir de agora, após a conclusão dos Jogos, o judô terá instalações de treinamento permanentes dentro dele, incluindo vestiários exclusivos para atletas e áreas para técnicos. E por fim, a Arena 3 (ou Hall Olímpico 3), foi palco do taekwondo e esgrima. O Centro Olímpico de Handebol, ou Arena do Futuro, foi palco das modalidades de handebol e goalball. Já o Velódromo Olímpico foi palco do ciclismo e, a partir de agora, ficará totalmente integrada ao Centro Olímpico de Treinamento (COT). Já o Riocentro abrigou quatro pavilhões, que receberam diversas modalidades olímpicas e paralímpicas durante os Jogos do Rio 2016. No Pavilhão 2 serviu como a instalação do levantamento de peso e do halterofilismo e teve uma área total de 13.000 m2. O Pavilhão 2 também acomodou todas as instalações de treinamento do boxe em uma área separada e exclusiva. No Pavilhão 3 foi implantado um conceito pioneiro com uma grande quadra central, proporcionando uma atmosfera única para atletas e espectadores. Com área total de 25.000m2, o Pavilhão 3 também abrigou toda a área de treinamento do tênis de mesa. E o Pavilhão 4 acomodou todas as áreas de treinamento do badminton. Agora, após os jogos, o Riocentro continuará sendo o principal centro de exposições e convenções da cidade e as melhorias já programadas serão aceleradas devido arealização dos Jogos, deixando um beneficio imediato por sua viabilidade e sustentabilidade. For the Olympic Games, 16 courts were built in the Olympic Tennis Center in an area of 9 hectares. Provisional facilities and stands will be used as support to the permanent infrastructure so as to attend Games’ requirements. We shall also count with the Olympic Water Sports Arena, with capacity for 18 thousand people, which will be stage for memorable moments in swimming and water polo. The Carioca Arenas (1, 2 and 3) shall also be stage for memorable spectacles. Arena 1 (or Olympic Hall 1) will stage basketball, wheelchair basketball and wheelchair rugby. The venue will be used for training in 12 Olympic sports after the conclusion of the Games and shall be fully integrated to the Olympic Training Center (COT), including permanent multi-use facilities for athletes and coaches. The 5,000 permanent seat facility at Olympic Hall 1 will provide the COT with the infrastructure for local and regional competitions. Carioca Arena 2, or Olympic Hall 2, will be stage for judo, wrestling and bocce. After the conclusion of the Games judo will have permanent training facilities inside Olympic Hall 2, including locker rooms exclusive for athletes and areas for coaches. And lastly, Arena 3 (or Olympic Hall 3), will stage taekwondo and fencing. The Handball Olympic Center, or Arena of the Future, will host the modalities of handball and goalball. The Olympic Velodrome will be stage for cycling and after the Games it will be fully integrated into the Olympic Training Center (COT). Riocentro will be place for four pavilions, which will host several Olympic and Paralympic modalities during the Rio2016 Games. Pavilion 2 will be the facility for weightlifting with a total area of 13,000 m². Pavilion 2 will also be home to all facilities for boxing training in a separate and exclusive area. Pavilion 3 will implement a pioneer concept with a large central court, enabling a unique atmosphere for athletes and spectators. With a total area of 25,000m², Pavilion 3 will also be home for the entire table tennis training area. And Pavilion 4 will accommodate all badminton training areas. After the Games, Riocentro will continue being the city’s main exhibition and convention center and the improvements already forecast will be accelerated due to the Games, leaving an immediate benefit due to their feasibility and sustainability. Badminton will have permanent training areas in the Olympic Training Center, located next to Riocentro.

209


Visão geral do Centro Olímpico de Tênis, no Parque Olímpico da Barra. Overview of the Olympic Tennis Centre in the Olympic Park Bar.

210

Foto: Gabriel Heusi/Brasil2016.gov.br


211


A

gora mudando de bairro, a região de Deodoro, localizada na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O local ganhou três instalações permanentes: a Arena Deodoro, a pista de BMX e o circuito de canoagem slalom. A pista de mountain bike e a arena de rúgbi e de combinado do pentatlo moderno serão provisórias. Após os Jogos Olímpicos, o circuito de canoagem slalom e a pista de BMX farão parte do Parque Radical, que será o legado esportivo do evento para a região. Com cerca de 500 mil metros quadrados, o parque será o segundo maior da cidade (atrás apenas do Parque do Flamengo). Instalações esportivas terão uso combinado, como Centro Olímpico de Treinamento (COT) de atletas de alto rendimento e lazer da população, construído em uma região com poucas opções para a prática de atividades ao ar livre e grande concentração de população jovem. Teremos, portanto, neste complexo as seguintes instalações esportivas: Arena de Deodoro (ou Arena da Juventude), Estádio Deodoro (que será palco do rúgbi e pentatlo moderno), o Centro Nacional de Hipismo, o Centro Nacional de Tiro Esportivo, o Centro Aquático do Pentatlo Moderno e o Centro Nacional de Hóquei Sobre Grama. No complexo do Parque Radical teremos o Centro Olímpico de BMX, o Parque Olímpico de Mountain Bike e o Estádio Olímpico de Canoagem Slalom.

Now, changing boroughs, the Deodoro region, located in Rio’s western region. The locality will receive three permanent facilities: Arena Deodoro, the BMX track and the canoe slalom circuit. The mountain bike track and the rugby and modern pentathlon combined arenas will be provisional. After the Olympic Games, the canoe slalom circuit and the BMX track will become part of the Radical Park, which shall be the event’s sport legacy to the region. With around 500 thousand square meters, the park will the city’s second largest (behind only Parque do Flamengo). Sport facilities will have shared use, such as the Olympic Training Center (COT) for high performance athletes and leisure for the population, built in a region with few options for open air activities and gathering of the youth population. Therefore, we will have here at this complex the following sports facilities: Deodoro Arena (or Youth Arena), Deodoro Arena (stage for rugby and modern pentathlon), Equestrian Events National Center, Shooting National Center, Modern Pentathlon Water Center and National Hockey Center. At the Radical Park complex, we will have the BMX Olympic Center, Mountain Bike Olympic Park and the Canoe Slalom Olympic Arena.

Foto: Renato Sette Camara / Prefeitura do Rio

212


Visão geral do Parque Radical, com imagens das instalações de canoagem slalom e ciclismo BMX Overview Extreme Park, with images of slalom canoeing and cycling facilities BMX

213


Visão geral do Parque Olímpico de Deodoro, com a piscina do pentatlo, o Centro Nacional de Hóquei e a Arena da Juventude Overview Deodoro Olympic Park, with the pool of the pentathlon, the National Center for Hockey and Youth Arena

Foto: Gabriel Heusi/Brasil2016.gov.br

214


E

quando se fala no Rio de Janeiro, o nome Copacabana logo vem a cabeça. O bairro, conhecido mundialmente por suas calçadas de pedras formando ondas em preto e branco, e famoso, também, pela localização privilegiada — com vistas belíssimas do Pão de Açúcar e do Corcovado. Por sua localização, a praia de Copacabana é considerada o coração da Zona Sul do Rio de Janeiro e teve papel igualmente vital durante as Olimpíadas de 2016. O cartão postal transformou-se em um dos mais belos locais de competição dos Jogos. A Arena de Copacabana, foi palco tradicional de grandes competições de vôlei de praia, entretanto, suas instalações foram temporárias, apenas para acomodar as competições. O Forte de Copacabana recebeu o percurso das maratonas aquáticas (o local é regularmente utilizado para competições internacionais de triatlo). Os percursos de ciclismo e corrida estenderam-se ao longo da praia, garantindo uma atmosfera de grande vibração criada pelos milhares de espectadores na orla. Foram construídos ainda 5.000 lugares temporários ao longo da Av. Atlântica voltados para a praia, garantindo uma visão privilegiada de todo o percurso e de sua beleza natural. Já a Lagoa Rodrigo de Freitas foi palco do remo, canoagem e paracanoagem. Perto dali, no Parque do Flamengo, tivemos outra instalação dos jogos, a Marina da Gloria, que foi a primeira instalação testada para os Jogos Olímpicos, em etapa do Campeonato Mundial de Vela, em agosto de 2014. Um ano depois, foi realizado osegundo evento-teste da modalidade. E para fechar os bairros que receberão a competição, vamos falar agora sobre a Região Maracanã, localizada na Zona Norte do Rio de Janeiro, próximo ao centro. Os atletas viveram a experiência de competir And closing the boroughs receiving the competition, we now talk about the Maracanã region, located in the northern region of the city, next to the downtown area. The athletes will live the experience of competing in two of the most famous touristic spots in Rio de Janeiro and the country: Maracanã Arena and the Sambódromo, which have a highlight position when the issue are the football emotions and the happiness of Carnaval. Engenhão Stadium was built for the 2007 Rio Pan-American Games and will have its capacity temporarily increased from 45,000 to 60,000 spectators for the Olympic and Paralympic Games. Also, the Arena’s surroundings will receive huge urban interventions so as to facilitate its operations. Still about stadiums, there we have Maracanã Arena, another stage for great emotion. It was home for the 1950 World Cup and renovated for 2014 FIFA World Cup, having received on 13 of July the final match between Germany and Argentina, won by the German national team. Maracanã will be the stage for the Olympic and Paralympic Games opening and closing ceremonies and venue for football matches during the Olympic Games. Located inside the Maracanã nucleus we have Maracanãzinho Gymnasium, considered the home of Brazilian volleyball, the stadium of same name and Júlio de Lamare Aquatic Center. And for those who think Rio’s Sambódromo is only the stage for the Samba schools parade, you are mistaken. It will host the Olympic and Paralympic tournaments for archery, qualifying and final rounds, and also the marathon.

And speaking about Rio de Janeiro, the name Copacabana soon comes to mind. The borough, known all over the world for its stone sidewalks forming waves in black and white, is famous also for its privileged location – with astonishing views of Pão de Açúcar and Corcovado. Due to its location, Copacabana beach is considered the heart of Rio’s Southern region and will have an equally vital role during the 2016 Olympics. The post card will become one of the most beautiful competition venues of the Games. The Copacabana Arena will be a traditional stage for great beach volleyball matches and its facilities will be provisional, only accommodating the competition. The Forte de Copacabana will receive the marathon swimming course (the venue is regularly used for international triathlon competition). The cycling and running courses extend throughout the beach, assuring an atmosphere of huge vibration created by the thousands of spectators at seaside. Another 5,000 provisional seats will be built along Av. Atlântica facing the beach, guaranteeing a privileged view of the entire course and its natural beauty. Lagoa Rodrigo de Freitas will be stage for rowing, canoe and para-canoe. Close by, at Parque do Flamengo, we find another of the Games’ facility, Marina da Glória, the first facility tested for the Olympic Games, at one of the rounds of the Sailing World Championships, in August 2014. A year later, the modality’s second test event was held.

em dois dos pontos turísticos mais famosos do Rio de Janeiro e do pais: o Estádio Maracanã e o Sambódromo, que ocupam posição de destaque quando o assunto são as emoções do futebol e toda a alegria do carnaval. O estádio Engenhão foi construído para os Jogos Pan-Americanos Rio 2007 e teve sua capacidade temporariamente ampliada de 45.000 para 60.000 espectadores para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Além disso, o entorno do estádio recebeu grandes intervenções urbanas para facilitar a sua operação. Ainda falando sobre estádio, ele foi palco da final da Copa do Mundo de 1950 e foi reformada para a Copa do Mundo FIFA 2014, tendo recebido, no dia 13 de julho, a final entre Alemanha e Argentina, vencida pela seleção alemã. O Maracanã foi também palco das cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos e dos Jogos Paralímpicos, além de ter recebido as partidas de futebol. Localizada dentro do núcleo do Maracanã temos o Ginásio do Maracanazinho, considerada a casa do voleibol brasileiro, que inclui também o estádio de mesmo nome e o Parque Aquático Júlio de Lamare. E para quem pensa que o Sambódromo do Rio de Janeiro é apenas palco do desfile das escolas de samba no carnaval carioca, engana-se. Ele recebeu os torneios olímpico e paralímpico de tiro com arco, tanto as fases eliminatórias quanto as finais, além da maratona.

215


Os dados abaixo foram fornecidos pelo Portal Brasil 2016, um portal oficial do Governo Federal sobre os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. Os dados fornecidos foram atualizados em novembro de 2015

Campo Olímpico Arena Olímpica do Rio de golfe

O

campo de golfe será construído na Reserva de Marapendi, na região da Barra. É uma instalação olímpica única, localizada a aproximadamente cinco quilômetros da Vila Olímpica e Paraolímpica e sete quilômetros do Centro Principal de Imprensa (MPC, na sigla em inglês) e do Centro Internacional de Transmissões (IBC, na sigla em inglês), ao Sul da Avenida das Américas e ao Norte da Lagoa de Marapendi. Previsão de conclusão: finalizado Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: golfe Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não terá Capacidade: 15.000 pessoas Tipo de instalação: nova e permanente Ente financiador: Governo Municipal/privado Valor: R$ 60 milhões Executor: privado Legado: depois dos Jogos Olímpicos de 2016, será operado como uma instalação pública, com o objetivo principal de promover o esporte no Brasil e na América do Sul. Evento-teste: Aquece Rio Desafio de Golfe - 08/03/2016

Pontal

I

mortalizado na música “Do Leme Ao Pontal”, na voz de Tim Maia, o Pontal é uma região à beira-mar, na Zona Oeste da cidade. Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: ciclismo (estrada - ponto de partida e chegada das provas de contrarrelógio) e marcha atlética Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: paraciclismo (estrada - ponto de partida e chegada) Evento-teste: Copa Brasil de Marcha Atlética - 28/02/2016 The data below were provided by Portal Brasil 2016, official Federal Government portal on the Olympic and Paralympic Games. The data provided was updated in November 2015 Golf Olympic Course The golf course will be built in Reserva de Marapendi, Barra region. It is a unique Olympic facility, located approximately 5 km from the Olympic and Paralympic Villa and 7 km from the Main Press Center (MPC) and the International Broadcasting Center (IBC), south of Avenida das Américas and north of Lagoa de Marapendi. Forecast of conclusion: finalized Modalities held in the Olympic Games: golf Modalities held in the Paralympic Games: none Capacity: 15,000 people

216

C

oncluída para os Jogos Pan-Americanos Rio 2007, a Arena foi projetada para a ginástica artística. Está localizada dentro do Núcleo do Parque Olímpico do Rio e a apenas cinco minutos da Vila Olímpica e Paraolímpica. Previsão de conclusão: quarto trimestre de 2015 Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: ginástica artística, rítmica e de trampolim Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: basquete em cadeira de rodas Capacidade: 12.000 pessoas Tipo de instalação: já existente (construído para os Jogos PanAmericanos de 2007) – requer adaptações Ente financiador: em 2007: Prefeitura Valor: em 2007: R$ 127,4 milhões Executor: Prefeitura (para o Rio 2016) Legado: A Arena Olímpica do Rio é propriedade da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. A instalação, que se firmou como a maior arena da cidade, vem sendo utilizada regularmente para grandes eventos esportivos e culturais e shows. Após os Jogos, a Arena Olímpica do Rio continuará a ser extremamente importante, ajudando o Rio de Janeiro a atrair e sediar grandes eventos. Evento-teste: Aquece Rio Qualificatório Final de Ginástica - 16 a 22/04/2016. Type of facility: new and permanent Financing entity: Municipal Government/private Amount: R$ 60 million Executed by: private Legacy: after the 2016 Olympic Games, it will be operated as a public facility, with the main purpose of promoting sport in Brazil and South America. Test events: Aquece Rio Golf Challenge - 08/March/2016 Pontal Immortalized in the song “Do Leme Ao Pontal”, by Tim Maia, Pontal is a seaside region, in the city’s west region. Modalities held in the Olympic Games: cycling (road – start and arrival point for time trial events) and race walking Modalities held in the Paralympic Games: para-cycling (road – start and arrival point) Test events: Copa Brasil of Race Walking - 28/Feb/2016 Rio Olympic Arena Concluded for the 2007 Rio Pan-American Games, the Arena was designed for gymnastics. It is situated inside the Rio Olympic Park nucleus and only 5 minutes from the Olympic and Paralympic Villa. Forecast of conclusion: fourth quarter 2015 Modalities held in the Olympic Games: gymnastics, rhythmic and trampoline


Parque Aquático Maria Lenk

O

Parque Aquático Maria Lenk foi construído para os Jogos Pan-Americanos Rio 2007. A área de competição foi projetada de acordo com os requisitos da FINA (Federação Internacional de Natação) para grandes competições internacionais e precisará de modificações mínimas para os Jogos Rio 2016. Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: saltos ornamentais, nado sincronizado e polo aquático (primeira fase) Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não terá Capacidade: 5.000 pessoas Tipo de instalação: já existente (construído para os Jogos PanAmericanos de 2007) – requer adaptações Ente financiador: em 2007: Governo Federal e Prefeitura/ para 2016: PCRJ Valor: em 2007: R$ 60 milhões do Governo Federal + R$ 24,9 milhões da Prefeitura Obra de adequação: R$ 21,4 milhões Executor: Prefeitura (para o Rio 2016) Legado: O Parque Aquático Maria Lenk é de propriedade da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e atualmente é administrado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB). A instalação será totalmente integrada ao Centro Olímpico de Treinamento (COT), funcionando como um centro de excelência em todos os desportos aquáticos, além de ser utilizado para competições regionais e internacionais. Eventos-teste: Copa do Mundo de Saltos Ornamentais - 19 a 24/02/2016 / Torneio Qualificatório de Nado Sincronizado para os Jogos Olímpicos - 2 a 6/03/2016

Centro Olímpico de Tênis

O

Centro Olímpico de Tênis será parte do Centro Olímpico de Treinamento (COT). Para os Jogos Olímpicos, um total de 16 quadras foram construídas numa área de 9 hectares. Facilidades e arquibancadas temporárias serão utilizadas como apoio à infraestrutura permanente para atender aos requisitos dos Jogos. O Centro Olímpico de Tênis está localizado dentro do Núcleo do Parque Olímpico do Rio e muito próximo à Vila Olímpica e Paraolímpica, IBC/ MPC e de outras instalações importantes. Previsão de conclusão: primeiro semestre de 2016 Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: tênis Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: tênis em cadeira de rodas e futebol de 5 Capacidade: 10.000 pessoas (quadra central); 5.000 (quadra 2); 3.000 (quadra 3); 250 (sete outras quadras)

Tipo de instalação: nova e permanente Ente financiador: Governo Federal Valor: R$ 191,1 milhões (construção) + R$ 10,6 milhões (manutenção) Executor: Prefeitura/Privado Legado: Após a conclusão dos Jogos, nove quadras serão mantidas como parte do COT, deixando um sólido legado para o esporte, além de oferecer ao Brasil uma instalação de competição para a realização de grandes eventos de tênis. Evento-teste: Aquece Rio Brasil Masters Cup - 10 a 12/12/2015

Modalities held in the Paralympic Games: wheelchair basketball Capacity: 12,000 people Type of facility: existing (built for the 2007 Pan-American Games) – requires adaptations Financing entity: in 2007: City Hall Amount: in 2007: R$ 127.4 million Executed by: City Hall (for Rio2016) Legacy: Rio Olympic Arena is property of Rio de Janeiro City Hall. The facility, established as the city’s biggest arena, has been regularly used for big sport and cultural events and concerts. After the Games, Rio Olympic Arena will remain extremely important, helping Rio de Janeiro to attract and host important events. Test events: Aquece Rio Final Gymnastics Qualifying - 16 to 22/April/2016 Maria Lenk Aquatic Center Maria Lenk Aquatic Center was built for the 2007 Rio Pan-American Games. The competition area was designed according to FINA (International Swimming Federation) requirements for important international competitions and will need minimum modifications for the 2016 Rio Games. Modalities held in the Olympic Games: diving, synchronized swimming and water polo (first round) Modalities held in the Paralympic Games: none Capacity: 5,000 people Type of facility: existing (built for the 2007 Pan-American Games) – requires adaptations Financing entity: in 2007: Federal Government and City Hall/for 2016: Rio de Janeiro City Hall Amount: in 2007: R$ 60 million from the Federal Government + R$ 24.9 million from City Hall Adaptation works: R$ 21.4 million Executed by: City Hall (for Rio2016) Legacy: Maria Lenk Aquatic Center is property of Rio de Janeiro City Hall and is presently administered by the Brazil’s Olympic Committee (COB). The facility will be fully integrated into the Olympic Training Center (COT), operating as an excellence center for all water sports, besides being used for regional and international competition. Test-events: Diving World Cup - 19 to 24/February/2016 / Synchronized Swimming Qualifying Tournament for the Olympic Games - 2 to 6/March/2016 Olympic Tennis Center The Olympic Tennis Center will be part of the Olympic Training Center (COT). For the Olympic Games, a total of 16 courts were built in a 9 hectares’ area. Provisional facilities and stands will be used as support to the permanent infrastructure attending Games requirements. The Olympic Tennis Center is located inside the Rio Olympic Park nucleus and very close to the Olympic and Paralympic Villa, IBC/MPC and other important facilities. Forecast of conclusion: first semester 2016 Modalities held in the Olympic Games: tennis Modalities held in the Paralympic Games: wheelchair tennis and football 5-a-side Capacity: 10,000 people (center court); 5,000 (court 2); 3,000 (court 3); 250 (seven other courts) Type of facility: new and permanent Financing entity: Federal Government Amount: R$ 191.1 million (construction) + R$ 10.6 million (maintenance) Executed by: City Hall/Private Legacy: After the end of the Games, nine courts will be maintained as part of the COT, leaving a solid legacy to the sport, besides offering Brazil a competition facility for hosting big tennis events. Test events: Aquece Rio Brazil Masters Cup - 10 to 12/December/2015

217


Foto: Renato Sette Câmara/Prefeitura do Rio


Arena do Futuro, no Parque OlĂ­mpico da Barra Arena of the Future at the Olympic Park Bar


Foto: Gabriel Heusi/Brasil2016.gov.br


Arena de VĂ´lei de Praia, na Praia de Copacabana Maria Lenk Aquatic Park, the Olympic Park Bar


Estádio Olímpico de Arena Carioca 1 Esportes Aquáticos (Hall Olímpico 1)

O

Estádio está sendo construído no núcleo do Parque Olímpico do Rio, com localização de apenas dez minutos da Vila Olímpica e Paraolímpica. Previsão de conclusão: primeiro trimestre de 2016 Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: natação e polo aquático Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: natação Capacidade: 18.000 pessoas Tipo de instalação: nova e temporária Ente financiador: Governo Federal Valor: R$ 217,1 milhões (construção) + R$ 8,2 milhões (manutenção) Executor: Prefeitura/Privado Evento-teste: Troféu Maria Lenk de Natação - 15 a 20/04/2016 / Aberto Internacional de Natação (paraolímpica) - 22 a 24/04/2016 / Aquece Rio Torneio Internacional de Polo Aquático - 26 a 29/04/2016

Arenas Cariocas 1, 2 e 3 (Hall Olímpicos 1, 2 e 3)

P

revisão de conclusão: terceiro trimestre de 2015 Tipo de instalação: nova e permanente Ente financiador: PPP Valor: R$ 1,150 bilhão privado + R$ 535 milhões do governo municipal (inclui também IBC, MPC, Hotel e infraestrutura) Executor: Prefeitura/Privado Olympic Water Sports Arena The Arena is being built in the Rio Olympic Park nucleus, located only 10 minutes from the Olympic and Paralympic Villa. Forecast of conclusion: first quarter 2016 Modalities held in the Olympic Games: swimming and water polo Modalities held in the Paralympic Games: swimming Capacity: 18,000 people Type of facility: new and provisional Financing entity: Federal Government Amount: R$ 217.1 million (construction) + R$ 8.2 million (maintenance) Executed by: City Hall/Private Test events: Maria Lenk Swimming Trophy - 15 to 20/April/2016 / Swimming International Open (Paralympic) - 22 to 24/April/2016 / Aquece Rio International Water Polo Tournament 26 to 29/April/2016 Carioca Arenas 1, 2 and 3 (Olympic Halls 1, 2 and 3) Forecast of conclusion: third quarter 2015 Type of facility: new and permanent Financing entity: PPP Amount: R$ 1.150 billion private + R$ 535 million from the Municipal Government (also including IBC, MPC, Hotel and infrastructure) Executed by: City Hall/Private Carioca Arena 1 (Olympic Hall 1) The Olympic Hall 1 will be built inside the Rio Olympic Park nucleus. It is located 5 minutes from the Olympic and Paralympic Villa, and a short walk from the IBC/MPC. Modalities held in the Olympic Games: basketball Modalities held in the Paralympic Games: wheelchair basketball and wheelchair rugby Capacity: 16,000 people (7,500 permanent) Legacy: Olympic Hall 1 will be used in training for 12 Olympic sports after the end of the Games and shall be fully integrated into the Olympic Training Center (COT), including permanent multi-use facilities with areas for athletes and coaches. The 5,000 permanent seat facility at Olympic Hall 1 will provide the COT with infrastructure for local and regional competition.

222

O

Hall Olímpico 1 será construído no Núcleo do Parque Olímpico do Rio. Está localizado a cinco minutos da Vila Olímpica e Paraolímpica, podendo ser alcançada a pé do IBC/MPC. Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: basquete Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: basquete em cadeira de rodas e rúgbi em cadeira de rodas Capacidade: 16.000 pessoas (7.500 permanentes) Legado: O Hall Olímpico 1 será usado para treinamento de 12 esportes olímpicos após a conclusão dos Jogos e será totalmente integrada ao Centro Olímpico de Treinamento (COT), incluindo instalações permanentes multiuso com áreas para atletas e técnicos. A instalação de 5.000 assentos permanentes no Hall Olímpico 1 irá dotar o COT de infraestrutura para competições locais e regionais. Eventos-teste: Aquece Rio Torneio Internacional Feminino de Basquetebol - 15 a 17/01/2016 / Copa do Mundo das Américas de Halterofilismo - 21 a 23/01/2016 / Aquece Rio Torneio Internacional Feminino de Luta Olímpica - 30 e 31/01/2016 / Aquece Rio Torneio Internacional de Taekwondo - 20 e 21/02/2016 / Aquece Rio Torneio Internacional de Rugby em Cadeira de Rodas - 26 a 28/02/2016 / Aquece Rio Torneio Internacional de Judô - 8 e 9/03/2016 / Aquece Rio Campeonato Sul-Americano de Levantamento de Peso - 07 a 10/04/2016

Arena Carioca 2 (Hall Olímpico 2)

O

Hall Olímpico 2 será construído no Núcleo do Parque Olímpico do Rio. Está localizado a cinco minutos da Vila Olímpica e Paraolímpica, podendo ser alcançada a pé do IBC/MPC. Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: judô e luta olímpica Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: bocha Capacidade: 10.000 pessoas Legado: O Hall Olímpico 2 será usado para treinamento de 12 esportes olímpicos após a conclusão dos Jogos e será totalmente integrado ao Centro Olímpico de Treinamento (COT). O judô terá instalações de treinamento permanentes dentro do Hall Olímpico 2, incluindo vestiários exclusivos para atletas e áreas para técnicos. Test-events: Aquece Rio International Women’s Basketball Tournament - 15 to 17/January/2016 / Americas Weightlifting World Cup - 21 to 23/January/2016 / Aquece Rio International Women’s Wrestling Tournament - 30 and 31/January/2016 / Aquece Rio International Taekwondo Tournament - 20 and 21/February/2016 / Aquece Rio International Wheelchair Rugby Tournament - 26 to 28/February/2016 / Aquece Rio International Judo Tournament - 8 and 9/ March/2016 / Aquece Rio South American Weightlifting Championship - 07 to 10/April/2016 Carioca Arena 2 (Olympic Hall 2) Olympic Hall 2 will be built inside the Rio Olympic Park nucleus. It is located 5 minutes from the Olympic and Paralympic Villa, and a short walk from the IBC/MPC. Modalities held in the Olympic Games: judo and wrestling Modalities held in the Paralympic Games: bocce Capacity: 10,000 people Legacy: Olympic Hall 2 will be used in training for 12 Olympic sports after the end of the Games and shall be fully integrated into the Olympic Training Center (COT). Judo will have permanent training facilities inside Olympic Hall 2, including locker rooms exclusive for athletes and areas for coaches.


Arena Carioca 3 Velódromo (Hall Olímpico 3) Olímpico

O

Hall Olímpico 3 será construído no Núcleo do Parque Olímpico do Rio. Está localizado a cinco minutos da Vila Olímpica e Paraolímpica, podendo ser alcançada a pé do IBC/MPC. Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: taekwondo e esgrima Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: judô Capacidade: 10.000 pessoas Legado: O Hall Olímpico 3 será usado para treinamento de 12 esportes olímpicos após a conclusão dos Jogos e será totalmente integrado ao Centro Olímpico de Treinamento (COT). As lutas terão instalações permanentes de treinamento dentro do Hall Olímpico 3, incluindo vestiários exclusivos para atletas, áreas para técnicos e seis tapetes permanentes de treinamento. Eventos-teste: Finais do Grand Prix de Espada e Campeonato Mundial de Esgrima - 23 a 27/04/2016

Centro Olímpico de Handebol (Arena do Futuro)

O

Centro Olímpico de Handebol – Hall Olímpico 4 – será totalmente temporário. Está localizado no Núcleo do Parque Olímpico do Rio e a cinco minutos da Vila Olímpica e Paraolímpica, podendo ser alcançada a pé do IBC/MPC. Facilidades permanentes para atletas e oficiais técnicos serão acrescidas de áreas temporárias de apoio e de áreas para espectadores. Previsão de conclusão: finalizada Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: handebol Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: goalball Capacidade: 12.000 pessoas Tipo de instalação: nova e temporária Ente financiador: Governo Federal Valor: R$ 133,4 milhões (construção) + R$ 6,7 milhões (manutenção) Executor: Prefeitura/Privado Eventos-teste: Aquece Rio Torneio Internacional Masculino de Handebol - 29/04 a 01/05/2016 / Aquece Rio Torneio Internacional Masculino de Goalball - 04 e 05/05/2016 Carioca Arena 3 (Olympic Hall 3) Olympic Hall 3 will be built inside the Rio Olympic Park nucleus. It is located 5 minutes from the Olympic and Paralympic Villa, and a short walk from the IBC/MPC. Modalities held in the Olympic Games: taekwondo and fencing Modalities held in the Paralympic Games: judo Capacity: 10,000 people Legacy: Olympic Hall 3 will be used in training for 12 Olympic sports after the end of the Games and shall be fully integrated into the Olympic Training Center (COT). Fighting will have permanent training facilities inside Olympic Hall 3, including locker rooms exclusive for athletes, areas for coaches and six permanent training mats. Test-events: Fencing Grand Prix Finals and World Fencing Championship - 23 to 27/April/2016

E

stá localizado dentro do Núcleo do Parque Olímpico do Rio, próximo ao IBC/MPC e a menos de dez minutos da Vila Olímpica e Paraolímpica. Previsão de conclusão: quarto trimestre de 2015 Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: ciclismo (Pista) Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: ciclismo Capacidade: 5.000 pessoas Tipo de instalação: nova e permanente Ente financiador: Governo Federal Valor: R$ 137,7 milhões (construção) + R$ 5,9 milhões (manutenção) Executor: Prefeitura/Privado Legado: a instalação ficará totalmente integrada ao Centro Olímpico de Treinamento (COT). Evento-teste: Aquece Rio Desafio Internacional de Ciclismo de Pista - 30/04 e 01/05/2016 Foi necessário construir um novo velódromo porque o que existia da época dos Jogos Pan-Americanos de 2007 não foi aprovado pela União Ciclística Internacional para provas olímpicas. Para adaptá-lo ao padrão exigido pela UCI, o custo seria praticamente igual ao da construção de um novo

Handball Olympic Center (Arena of the Future) The Handball Olympic Center – Olympic Hall 4 – will be fully provisional. It is located inside the Rio Olympic Park nucleus and 5 minutes from the Olympic and Paralympic Villa, and a short walk from the IBC/MPC. Permanent facilities for athletes and coaches will be added of provisional support areas and spectator areas. Forecast of conclusion: finalized Modalities held in the Olympic Games: handball Modalities held in the Paralympic Games: goalball Capacity: 12,000 people Type of facility: new and provisional Financing entity: Federal Government Amount: R$ 133.4 million (construction) + R$ 6.7 million (maintenance) Executed by: City Hall/Private Test-events: Aquece Rio International Men’s Handball Tournament - 29/April to 01/ May/2016 / Aquece Rio International Men’s Goalball Tournament - 04 and 05/May/2016 Olympic Velodrome It is located inside the Rio Olympic Park nucleus, close to the IBC/MPC and less than 10 minutes from the Olympic and Paralympic Villa. Forecast of conclusion: fourth quarter 2015 Modalities held in the Olympic Games: cycling (track) Modalities held in the Paralympic Games: cycling Capacity: 5,000 people Type of facility: new and permanent Financing entity: Federal Government Amount: R$ 137.7 million (construction) + R$ 5.9 million (maintenance) Executed by: City Hall/Private Legacy: the facility will be fully integrated into the Olympic Training Center (COT). Test events: Aquece Rio International Track Cycling Challenge - 30/April and 01/May/2016 The construction of a new velodrome was necessary as the one in existence from the 2007 Pan-American Games was not approved by the International Cycling Union for Olympic events. In order to adapt it to the standard required by the UCI, the cost would be practically the same as that of the construction of a new one.

223


Foto: AndrĂŠ Motta/Brasil2016.gov.br

Estrutura montada na Lagoa Rodrigo de Freitas, palco do remo e da canoagem nos Jogos OlĂ­mpicos. Structure mounted on the Lagoa Rodrigo de Freitas, rowing and canoeing stage the Olympic Games.


Riocentro

O

local abrigará quatro pavilhões, que receberão diversas modalidades olímpicas e paraolímpicas durante os Jogos do Rio 2016. O Riocentro fica ao lado da Vila Olímpica e Paraolímpica, tão perto que dá para ir a pé. Além disso, fica localizado a apenas cinco minutos do Núcleo do Parque Olímpico do Rio e do IBC/MPC. Ente financiador: Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e paraolímpicos Rio 2016 Executor: Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016

Pavilhão 2

O

Pavilhão 2 será a instalação do levantamento de peso e do halterofilismo e terá área total de 13.000 m². O Pavilhão 2 também irá acomodar todas as instalações de treinamento do boxe em uma área separada e exclusiva. Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: levantamento de peso Modalidades em disputa nos Jogos paraolímpicos: halterofilismo Capacidade: 6.500 pessoas Legado: O Riocentro continuará sendo o principal centro de exposições e convenções da cidade e as melhorias já programadas serão aceleradas devido à realização dos Jogos, trazendo um benefício imediato por sua viabilidade e sustentabilidade. O levantamento de peso e o halterofilismo terão áreas de treinamento permanentes no Centro Olímpico de Treinamento, localizado ao lado do Riocentro.

Pavilhão 3

N

o Pavilhão 3 será implantado um conceito pioneiro com uma grande quadra central, proporcionando uma atmosfera única para atletas e espectadores. Com área total de 25.000m², o Pavilhão 3 também abrigará toda a área de treinamento do tênis de mesa. Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: tênis de mesa Modalidades em disputa nos Jogos paraolímpicos: tênis de mesa Capacidade: 6.500 pessoas Legado: O Riocentro continuará sendo o principal centro de exposições e convenções da cidade e as melhorias já programadas serão aceleradas devido à realização dos Jogos, trazendo um benefício imediato por sua viabilidade e sustentabilidade. O tênis de mesa terá áreas de treinamento permanentes no Centro Olímpico de Treinamento, localizado ao lado do Riocentro.

226

Pavilhão 4

O

Pavilhão 4 tem um pé direito de 12m e um moderno sistema de ar condicionado de baixa velocidade, proporcionando as melhores condições para a prática do badminton. Com área total de 25.000m², essa instalação também irá acomodar todas as áreas de treinamento do badminton. Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: badminton Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não terá Capacidade: 6.500 pessoas Legado: O Riocentro continuará sendo o principal centro de exposições e convenções da cidade e as melhorias já programadas serão aceleradas devido à realização dos Jogos, deixando um benefício imediato por sua viabilidade e sustentabilidade. O badminton terá áreas de treinamento permanentes no Centro Olímpico de Treinamento, localizado ao lado do Riocentro. Evento-teste: Aquece Rio Torneio Internacional de Bocha - 12 a 14/11/2015 / Aquece Rio Torneio Internacional de Tênis de Mesa - 18 a 21/11/2015 / Grand Prix de Badminton - 24 a 29/11/2015 / Aquece Rio Torneio Internacional de Boxe - 04 a 06/12/2015.

Pavilhão 6

U

m estádio construído especificamente para os Jogos Rio 2016 em uma área total de 14.000m², o Pavilhão 6 também irá acomodar todas as instalações de treinamento do boxe. Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: boxe Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: vôlei sentado Capacidade: 9.000 pessoas Legado: O Riocentro continuará sendo o principal centro de exposições e convenções da cidade e as suas melhorias já programadas serão aceleradas devido à realização dos Jogos, trazendo um benefício imediato por sua viabilidade e sustentabilidade. O boxe terá áreas de treinamento permanentes no Centro Olímpico de Treinamento, localizado ao lado do Riocentro.

Arena de Deodoro (Arena da Juventude)

A

Arena de Deodoro será uma instalação nova, localizada no coração da Região Deodoro, a menos de 300 metros da estação ferroviária da Vila Militar, podendo ser alcançada a pé a partir das competições dos outros esportes que serão disputados na região. Previsão de conclusão: primeiro trimestre de 2016 Tipo de instalação: nova e permanente Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: basquetebol e pentatlo moderno (esgrima)


Modalidades em disputa nos Jogos paraolímpicos: esgrima em cadeira de rodas Capacidade: 5.000 pessoas (2.000 assentos permanentes e 3.000 temporários) Ente financiador: Governo Federal Valor: ** Executor: Prefeitura Legado: A Arena será construída estrategicamente nessa região da cidade e irá ampliar o legado dos Jogos Pan-Americanos Rio 2007, que gerou um aumento significativo na participação esportiva entre os jovens de comunidades locais. Além disso, a Arena será integrada ao conjunto de instalações do Centro Olímpico de Treinamento (COT). Evento-teste: Segunda Etapa da Copa do Mundo da UIPM 10 a 14/03/2016

Arena de Rúgbi e Pentatlo Moderno (Estádio de Deodoro)

N

esta instalação temporária, serão realizadas as provas de Hipismo e Combinado (tiro e corrida) do Pentatlo Moderno, além das competições de rúgbi durante os Jogos Olímpicos. O estádio será construído sobre o campo de polo existente, ao lado da Arena de Deodoro e do Centro Aquático. A proximidade entre essas três instalações permitirá que os espectadores e clientes credenciados dos Jogos possam se deslocar a pé entre elas. Previsão de conclusão: primeiro trimestre de 2016 Tipo de instalação: temporária Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: rúgbi e pentatlo moderno (hipismo e combinado) Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: futebol de 7 Capacidade: 15.000 lugares Ente financiador: Governo Federal Valor: não divulgado Executor: Prefeitura Evento-teste: Aquece Rio Campeonato Internacional de Rugby Sevens - 05 e 06/03/2016 / Segunda Etapa da Copa do Mundo da UIPM - 10 a 14/03/2016 Riocentro The venue will be home of four pavilions, which will receive several Olympic and Paralympic modalities during the Rio2016 Games. Riocentro is next to the Olympic and Paralympic Villa, so close it is possible to get there on foot. Also, it is located only 5 minutes from the Rio Olympic Park nucleus and IBC/MPC. Financing entity: Rio2016 Olympic and Paralympic Games Organizing Committee Executed by: Rio2016 Olympic and Paralympic Games Organizing Committee Pavilion2 Pavilion 2 will be the weight lifting facility, with a total area of 13,000 m². Pavilion 2 will also accommodate all boxing training facilities in a separate and exclusive area. Modalities held in the Olympic Games: weight lifting Modalities held in the Paralympic Games: weight lifting Capacity: 6,500 people Legacy: Riocentro will continue being the city’s main exhibition and convention center and the improvements already forecast will be accelerated due to the Games, leaving an immediate benefit due to their feasibility and sustainability. Weight lifting will have permanent training areas

at the Olympic Training Center, located next to Riocentro. Pavilion 3 Pavilion 3 will implement a pioneer concept with a large central court, enabling a unique atmosphere for athletes and spectators. With a total area of 25,000m², Pavilion 3 will also be home for the entire table tennis training area. Modalities held in the Olympic Games: table tennis Modalities held in the Paralympic Games: table tennis Capacity: 6,500 people Legacy: Riocentro will continue being the city’s main exhibition and convention center and the improvements already forecast will be accelerated due to the Games, leaving an immediate benefit due to their feasibility and sustainability. Table tennis will have permanent training areas at the Olympic Training Center, located next to Riocentro. Pavilion 4 Pavilion 4 has a 12-meter high ceiling and a modern low speed air conditioning system, providing the best conditions for the practice of badminton. With a total area of 25,000m², Pavilion 3 will also be home for the entire badminton training area. Modalities held in the Olympic Games: badminton Modalities held in the Paralympic Games: none Capacity: 6.500 people Legacy: Riocentro will continue being the city’s main exhibition and convention center and the improvements already forecast will be accelerated due to the Games, leaving an immediate benefit due to their feasibility and sustainability. Badminton will have permanent training areas at the Olympic Training Center, located next to Riocentro. Test events: Aquece Rio International Bocce Tournament - 12 to 14/November/2015 / Aquece Rio International Table Tennis Tournament - 18 to 21/November/2015 / Badminton Grand Prix - 24 to 29/November/2015 / Aquece Rio International Boxing Tournament - 04 to 06/ December/2015 Pavilion 6 A stadium built specifically for the 2016 Rio Games in a total area of 14,000m², Pavilion 6 will also accommodate all boxing training facilities. Modalities held in the Olympic Games: boxing Modalities held in the Paralympic Games: sitting volleyball Capacity: 9,000 people Legacy: Riocentro will continue being the city’s main exhibition and convention center and the improvements already forecast will be accelerated due to the Games, leaving an immediate benefit due to their feasibility and sustainability. Boxing will have permanent training areas at the Olympic Training Center, located next to Riocentro. Deodoro Arena (Youth Arena) Deodoro Arena will be a new facility, located in the heart of Deodoro region, less than 300 meters from Vila Militar rail station, just a walk from other sports competitions being held in the region. Forecast of conclusion: first quarter 2016 Type of facility: new and permanent Modalities held in the Olympic Games: basketball and modern pentathlon (fencing) Modalities held in the Paralympic Games: wheelchair fencing Capacity: 5,000 people (2,000 permanent and 3,000 provisional seats) Financing entity: Federal Government Amount: ** Executed by: City Hall Legacy: The Arena will be strategically built on this region of the city and will broaden the 2007 Pan-American Games legacy, which generated a significant increase in sports participation amongst local communities’ youth. Also, the Arena will be integrated into the Olympic Training Center (COT) facilities. Test events: Second Round of the UIPM World Cup - 10 to 14/March/2016 Rugby and Modern Pentathlon Arena (Deodoro Stadium) The competitions of the Equestrian Events will be held here, and also shooting and running for the Modern Pentathlon, besides rugby matches during the Olympic Games. The stadium will be built over the existing polo field, next to Deodoro Arena and the Aquatic Center. The proximity between these three facilities will allow spectators and accredited customers of the Games to walk between them. Forecast of conclusion: first quarter 2016 Type of facility: provisional Modalities held in the Olympic Games: rugby and modern pentathlon (equestrian events) Modalities held in the Paralympic Games: football 7-a-side Capacity: 15,000 seats Financing entity: Federal Government Amount: not disclosed Executed by: City Hall Test events: Aquece Rio International Rugby Sevens Championships - 05 and 06/March/2016 / Second Round of the UIPM World Cup - 10 to 14/March/2016.

227


Foto: Miriam Jeske/Heusi Action


Vila dos Atletas, na Barra da Tijuca Athletes’ Village, in Barra da Tijuca


Foto: Miriam Jeske/Heusi Action


Vila dos Atletas, na Barra da Tijuca Athletes’ Village, in Barra da Tijuca


Centro Nacional de Hipismo

Centro Aquático do Pentatlo Moderno

Centro Nacional de Hipismo fica localizado no Núcleo de Deodoro próximo ao Centro Nacional de Tiro. Construído para os Jogos Pan-Americanos Rio 2007, o centro foi projetado de acordo com os padrões da Federação Equestre Internacional (FEI). O complexo tem área aproximada de 1.000.000 m². Suas instalações serão restauradas e ampliadas para o Rio 2016. A pista de cross-country, as pistas de treinamento e a arena de saltos e adestramento serão adaptadas e ampliadas. Haverá uma nova clínica veterinária e acomodações para tratadores e veterinários (72 apartamentos de 3 quartos), que ficarão como legado após os Jogos. Previsão de conclusão: segundo trimestre de 2016 Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: hipismo Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: hipismo Capacidade: 35.200 lugares (14.200 lugares na arena de salto e adestramento, sendo 1.200 permanentes e 13.000 temporários; 20 mil lugares para espectadores em pé e 1.000 assentos temporários na arena de cross country) Tipo de instalação: já existente – requer adaptações Ente financiador: Governo Federal Valor: ** Executor: Prefeitura Legado: Essa instalação será totalmente integrada às facilidades do Centro Olímpico de Treinamento localizado em Deodoro. Além disso, o centro continuará sendo utilizado na realização de grandes competições, como foram os V Jogos Mundiais Militares do CISM, em 2011. Evento-teste: Aquece Rio Concurso Completo Internacional de Equitação - 06 a 09/08/2015

Centro Aquático de Pentatlo Moderno será palco da competição de natação do Pentatlo Moderno. As outras provas do esporte serão realizadas em mais duas instalações: a Arena de Deodoro (esgrima) e a Arena de Rúgbi e Pentatlo Moderno (hipismo e combinado). Com cerca de 300 metros de distância das outras instalações, essa proximidade permitirá que os espectadores e clientes credenciados dos Jogos possam acompanhar de perto todos os eventos do esporte. A piscina será reformada. Previsão de conclusão: primeiro trimestre de 2016 Tipo de instalação: já existente – requer adaptações Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: Pentatlo Moderno (natação) Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não terá Capacidade: 2.000 lugares Ente financiador: Governo Federal Valor: ** Executor: Prefeitura Legado: O Centro Aquático receberá reformas e adequações e continuará a ser utilizado para treinamento de atletas integrado às demais instalações do Centro Olímpico de Treinamento. Evento-teste: Segunda Etapa da Copa do Mundo da UIPM - 10 a 14/03/2016

O

Centro Nacional de Tiro Esportivo

O

local foi construído para os Jogos Pan-Americanos Rio 2007 de acordo com os padrões da Federação Internacional e precisará de pequenos ajustes para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. O centro conta com instalações permanentes para atletas e oficiais técnicos, e está totalmente equipado com estandes para todas as modalidades do tiro esportivo. Previsão de conclusão: segundo trimestre de 2016 Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: tiro esportivo Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: tiro esportivo Capacidade: 7.577 lugares Tipo de instalação: já existente – requer adaptações Ente financiador: Governo Federal Valor: ** Executor: Prefeitura Legado: Atualmente utilizado como centro de treinamento de alto desempenho, essa instalação será totalmente integrada ao Centro Olímpico de Treinamento. Evento-teste: Campeonato do Mundo de Tiro Esportivo - 14 a 25/04/2016. 232

O

Centro Nacional de Hóquei Sobre Grama

D

eodoro é o lar da Seleção Brasileira de hóquei sobre grama. Nos Jogos Pan-Americanos Rio 2007, foram ali disputados os torneios de hóquei sobre grama e futebol de 5 e de 7. O novo centro a ser construído deverá garantir o pleno atendimento aos requisitos e exigências referentes à arena de competição olímpica. As duas quadras existentes serão adaptadas. Serão construídos vestiários, uma arquibancada permanente na quadra principal e um centro de administração. Durante os Jogos, o centro terá 8.000 lugares na quadra principal, sendo 2.500 permanente, e 5.000 assentos temporários na quadra secundária. Previsão de conclusão: finalizado Tipo de instalação: já existente – requer adaptações Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: hóquei sobre grama Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não haverá Capacidade: 8.000 pessoas (quadra principal) e 5.000 (quadra secundária) Ente financiador: Governo Federal Valor: ** Executor: Prefeitura Legado: Será mantido para o hóquei sobre grama como parte do Centro Olímpico de Treinamento. Evento-teste: Aquece Rio Campeonato Internacional de Hóquei na Grama - 24 a 28/11/2015


Centro Olímpico de BMX

O

Centro Olímpico de BMX ficará localizado dentro do Parque Radical. Uma pista permanente de BMX será construída, com o percurso entre 300m e 400m. As áreas de apoio serão temporárias. Previsão de conclusão: finalizado Tipo de instalação: nova e permanente Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: ciclismo (BMX) Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não terá Capacidade: 7.500 lugares (temporários) Ente financiador: Governo Federal Valor: ** Executor: Prefeitura Legado: A instalação de BMX será mantida após a conclusão dos Jogos Rio 2016 como legado para o treinamento esportivo de alto rendimento e também para o lazer. Evento-teste: Aquece Rio Desafio Internacional de BMX 03 e 04/10/2015

Parque Olímpico de Mountain Bike

C

om trechos diversificados e altamente técnicos, o Parque Olímpico de Mountain Bike será uma das três instalações do Parque Radical do Rio, que abrigará ainda as competições de ciclismo BMX e canoagem slalom. Previsão de conclusão: finalizado Tipo de instalação: temporária Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: ciclismo (mountain bike) Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não terá Capacidade: 25.000 em pé Ente financiador: Governo Federal Valor: ** Executor: Prefeitura Evento-teste: Aquece Rio Desafio Internacional de Mountain Bike - 11/10/2015 Equestrian Events National Center The Equestrian Events National Center is located inside the Deodoro Nucleus close to the National Shooting Center. Built for the 2007 Rio Pan-American Games, the center was designed according to International Equestrian Federation (FEI) standards. The complex has an approximate area of 1,000,000 m². Its facilities will be renovated and extended for Rio2016. The cross-country track, training tracks and jumps and dressage areas will be adapted and extended. There will be a new veterinary clinic and accommodations for handlers and veterinarians (72 3-room apartments), that will remain as legacy after the Games. Forecast of conclusion: second quarter 2016 Modalities held in the Olympic Games: equestrian events Modalities held in the Paralympic Games: equestrian events Capacity: 35,200 seats (14,200 seats at the jump and dressing arena, with 1,200 permanent and 13,000 provisional; 20 thousand seats for standing spectators and 1,000 provisional seats at the cross country arena) Type of facility: existing – requires adaptations Financing entity: Federal Government

Amount: ** Executed by: City Hall Legacy: This facility will be fully integrated into the Olympic Training Center facilities located in Deodoro. Also, the center will continue being used for big competitions, such as the 5th CISM World Military Games, in 2011. Test events: Aquece Rio International Equestrian Eventing - 06 to 09/August/2015 Shooting National Center The venue was built for the 2007 Rio Pan-American Games according to International Federation standards and will need small adjustments for the Olympic and Paralympic Games. The center has permanent facilities for athletes and coaches, and is fully equipped with ranges for all shooting modalities. Forecast of conclusion: second quarter 2016 Modalities held in the Olympic Games: shooting Modalities held in the Paralympic Games: shooting Capacity: 7,577 seats Type of facility: existing – requires adaptations Financing entity: Federal Government Amount: ** Executed by: City Hall Legacy: Used today as a high performance training center, this facility will be fully integrated into the Olympic Training Center. Test events: Shooting World Championships - 14 to 25/April/2016 Modern Pentathlon Water Center The Modern Pentathlon Aquatic Center will be stage for the modern pentathlon swimming competition. The remaining events of the sport will take place at another two facilities: Deodoro Arena (fencing) and Rugby and Modern Pentathlon Arena (equestrian events). With about 300 meters from the other facilities, such proximity will allow spectators and accredited customers of the Games to follow up-close all the sport’s events. The swimming pool will be renovated. Forecast of conclusion: first quarter 2016 Type of facility: existing – requires adaptations Modalities held in the Olympic Games: Modern Pentathlon (swimming) Modalities held in the Paralympic Games: none Capacity: 2,000 seats Financing entity: Federal Government Amount: ** Executed by: City Hall Legacy: The Aquatic Center will be renovated and will continue to be used for training of athletes integrated into the other Olympic Training Center facilities. Test events: Second Round of the UIPM World Cup - 10 to 14/March/2016 National Hockey Center Deodoro is the home of the Brazilian Hockey National Team. In the 2007 Rio

Pan-American Games, there were played the hockey and football 5-a-side and 7-a-side tournaments. The new center to be built shall assure full compliance to requirements and demands regarding the Olympic completion arena. The two existing courts will be adapted. Locker rooms and a permanent stand at the main court, and an administration center will be built. During the Games, the center will have 8,000 seats at the main court, with 2,500 permanent and 5,000 provisional seats at the secondary court. Forecast of conclusion: finalized Type of facility: existing – requires adaptations Modalities held in the Olympic Games: hockey Modalities held in the Paralympic Games: none Capacity: 8,000 seats (main court) and 5,000 (secondary court) Financing entity: Federal Government Amount: ** Executed by: City Hall Legacy: will be maintained for hockey as part of the Olympic Training Center. Test events: Aquece Rio International Hockey Championship - 24 to 28/November/2015 BMX Olympic Center The BMX Olympic Center is located inside the Radical Park. A permanent BMX track will be built, with 300 to 400 meters in length. Support areas will be provisional. Forecast of conclusion: finalized Type of facility: new and permanent Modalities held in the Olympic Games: cycling (BMX) Modalities held in the Paralympic Games: none Capacity: 7,500 seats (provisional) Financing entity: Federal Government Amount: ** Executed by: City Hall Legacy: The BMX facility will be maintained after the end of the 2016 Rio Games as legacy for high performance sport training and also for leisure. Test events: Aquece Rio International BMX Challenge - 03 and 04/October/2015 Mountain Bike Olympic Park With diversified and highly technical sections, the Mountain Bike Olympic Park will be one of three of Rio’s Radical Park facilities, which will also host the BMX and canoe slalom competitions. Forecast of conclusion: finalized Type of facility: provisional Modalities held in the Olympic Games: cycling (mountain bike) Modalities held in the Paralympic Games: none Capacity: 25,000 standing Financing entity: Federal Government Amount: ** Executed by: City Hall Test events: Aquece Rio International Mountain Bike Challenge - 11/October/2015

233


Foto: Mua LV

Museu do amanhĂŁ Museum of Tomorrow


Museum of Tomorrow

Museu do amanhã Museum of Tomorrow

Foto: Mua LV

Foto: Mua LV

Museu do amanhã


Estádio Olímpico de Canoagem Slalom

T

erá um percurso permanente com 280 metros de corredeiras. Previsão de conclusão: finalizado Tipo de instalação: nova e permanente Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: canoagem Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não terá Capacidade: 8.424 lugares temporários Ente financiador: Governo Federal Valor: ** Executor: Prefeitura Evento-teste: Aquece Rio Desafio Internacional de Canoagem Slalom - 26 a 29/11/2015

Estádio de Copacabana

P

alco tradicional de grandes competições de vôlei de praia, a Praia de Copacabana irá proporcionar uma atmosfera única para atletas e espectadores. O estádio será construído temporariamente para acomodar as competições. Previsão de conclusão: a definir Tipo de instalação: temporária Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: vôlei de praia Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não terá Capacidade: 12.000 lugares Ente financiador: Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016 Valor: a definir Executor: Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016 Evento-teste: Circuito Mundial de Vôlei de Praia - 01 a 06/09/2015

Executor: Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016 Eventos-teste: Aquece Rio Qualificatório de Triatlo Olímpico e Mundial de Paratriatlo - 01 e 02/08/2015 / Aquece Rio Desafio Internacional de Ciclismo de Estrada - 16/08/2015 / Aquece Rio Evento Internacional de Maratona Aquática - 22 e 23/08/2015

Lagoa Rodrigo de Freitas

A

Lagoa está localizada no coração da cidade, cercada por belas montanhas, pela Floresta da Tijuca e pela estátua do Cristo Redentor, no alto do Corcovado. O local fica a apenas dez minutos das praias e hotéis de Ipanema e Copacabana. Previsão de conclusão: a definir Tipo de instalação: permanente Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: remo e canoagem (velocidade) Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: remo e paracanoagem Capacidade: A definir Ente financiador: Governo Estadual Valor para reforma e adequações: R$ 7,6 milhões Executor: Governo Estadual Legado: Considerada a principal casa do remo e da canoagem brasileiros, a Lagoa receberá reformas que deixarão um legado para essas modalidades, incluindo acomodações para atletas em treinamento, uma nova torre de chegada e uma nova garagem de barcos. Os clubes de remo sediados na Lagoa e a Confederação Brasileira de Remo (CBR) serão beneficiados de forma significativa por essas melhorias. Eventos-teste: Campeonato Mundial Júnior de Remo 2015 - 05 a 09/08/2015 / Aquece Rio Desafio Internacional de Canoagem Velocidade - 04 a 06/09/2015

Forte de Copacabana Marina da Glória

O

percurso das maratonas aquáticas fica localizado nas águas calmas da Praia de Copacabana, protegidas pelo pontão natural onde se situa o Forte. O local é regularmente utilizado para competições internacionais de triatlo. Os percursos de ciclismo e corrida estendem-se ao longo da praia, garantindo uma atmosfera de grande vibração criada pelos milhares de espectadores na orla. Serão construídos ainda 5.000 lugares temporários ao longo da Av. Atlântica voltados para a praia, garantindo uma visão privilegiada de todo o percurso e de sua beleza natural. Previsão de conclusão: a definir Tipo de instalação: temporária Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: ciclismo (estrada), maratonas aquáticas e triatlo Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: atletismo (maratona), paratriatlo Capacidade: 5.000 lugares Ente financiador: Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016 Valor: a definir 236

A

Marina da Glória foi a primeira instalação testada para os Jogos Olímpicos, em etapa do Campeonato Mundial de Vela, em agosto de 2014. Um ano depois, foi realizado o segundo evento-teste da modalidade. Previsão de conclusão: quarto trimestre de 2015 Tipo de instalação: permanente Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: vela Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: vela Capacidade: 10.000 lugares Ente financiador: privado Valor: R$ 60 milhões Executor: privado Eventos-teste: Aquece Rio Regata Internacional de Vela - 02 a 09/08/2014 / Aquece Rio Regata Internacional de Vela - 15 a 22/08/2015


Estádio Olímpico João Havelange – Engenhão

O

estádio foi construído para os Jogos Pan-Americanos Rio 2007 e terá sua capacidade temporariamente ampliada de 45.000 para 60.000 espectadores para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. Além disso, o entorno do estádio receberá grandes intervenções urbanas para facilitar a sua operação. A utilização do Estádio Olímpico nos Jogos já está trazendo benefícios para o Engenho de Dentro, com a requalificação urbana do entorno do estádio e a criação da Praça do Trem, que vai resgatar os galpões ferroviários ao lado do estádio, que estavam abandonados. A reurbanização do entorno do estádio inclui a implantação, já finalizada, de 3,7 quilômetros de novas galerias de águas pluviais, em ruas fundamentais de acesso ao estádio, a fim de eliminar pontos críticos de alagamento; a reurbanização de aproximadamente 34 ruas do entorno do estádio e a restauração das estruturas dos galpões tombados das antigas oficinas ferroviárias e, ainda, a urbanização de uma grande área de praça, chamada Praça do Trem. Previsão de conclusão: primeiro semestre de 2016 Tipo de instalação: permanente Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: atletismo e futebol Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: atletismo Capacidade: 60.000 lugares (sendo 45.000 permanentes e 15.000 temporários) Ente financiador: Prefeitura Valor: R$ 33,5 milhões Executor: Prefeitura Legado: O Estádio Olímpico é de propriedade da Prefeitura do Rio de Janeiro e continuará sendo o principal palco do atletismo brasileiro para grandes competições. O atual arrendatário do estádio é o Botafogo Futebol e Regatas, o que garante a manutenção e a utilização da instalação. Os projetos de reurbanização do entorno do estádio fazem parte de uma iniciativa conjunta dos governos federal e municipal com o objetivo de revitalizar a região do Engenho de Dentro. Eventos-teste: Campeonato Iberoamericano de Atletismo - 14 a 16/05/2016 / Aberto Internacional de Atletismo (paraolímpico) 18 a 21/05/2016

Canoe Slalom Olympic Arena It will have a permanent course with 280 meters of rapids. Forecast of conclusion: finalized Type of facility: new and permanent Modalities held in the Olympic Games: canoe Modalities held in the Paralympic Games: none Capacity: 8,424 provisional seats Financing entity: Federal Government Amount: ** Executed by: City Hall Test events: Aquece Rio International Canoe Slalom Challenge - 26 to 29/November/2015 Copacabana Arena Traditional stage for big beach volleyball competitions, Copacabana beach will provide a unique atmosphere for athletes and spectators. The arena will be temporarily built to host the competitions. Forecast of conclusion: to be defined Type of facility: provisional Modalities held in the Olympic Games: beach volleyball Modalities held in the Paralympic Games: none

Capacity: 12,000 seats Financing entity: Rio2016 Olympic and Paralympic Games Organizing Committee Amount: to be defined Executed by: Rio2016 Olympic and Paralympic Games Organizing Committee Test events: World Beach Volleyball Circuit - 01 to 06/September/2015 Forte de Copacabana The course for marathon swimming is located in the calm Waters of Copacabana beach, protected by the natural pontoon where the Forte is situated. The place is regularly used for international triathlon competitions. The cycling and running courses extend throughout the beach, guaranteeing a vibrant atmosphere created by the thousands of spectators on the seaside. 5,000 provisional seats will also be built along Av. Atlântica facing the beach, guaranteeing a privileged view of the entire course and its natural beauty. Forecast of conclusion: to be defined Type of facility: provisional Modalities held in the Olympic Games: cycling (road), marathon swimming and triathlon Modalities held in the Paralympic Games: athletics (marathon), para-triathlon Capacity: 5,000 seats Financing entity: Rio2016 Olympic and Paralympic Games Organizing Committee Amount: to be defined Executed by: Rio2016 Olympic and Paralympic Games Organizing Committee Test-events: Aquece Rio Olympic Triathlon Qualifying and Para-Triathlon World Championships - 01 and 02/August/2015 / Aquece Rio International Road Cycling Challenge - 16/August/2015 / Aquece Rio International Marathon Swimming Event - 22 and 23/August/2015 Lagoa Rodrigo de Freitas The Lagoa is located in the heart of the city, surrounded by beautiful mountains, by Tijuca Forest and the Cristo Redentor, high up the Corcovado. It is only 10 minutes from beaches and hotel in Ipanema and Copacabana. Forecast of conclusion: to be defined Type of facility: permanent Modalities held in the Olympic Games: rowing and canoe (sprint) Modalities held in the Paralympic Games: rowing and para-canoe Capacity: To be defined Financing entity: State Government Amount for renovation and adaptations: R$ 7.6 million Executed by: State Government Legacy: Considered the main Brazilian rowing and canoe home, the Lagoa will be renovated leaving a legacy for such modalities, including accommodations for athletes under training, a new finish line tower and new boathouse. The rowing clubs located at the Lagoa and the Brazilian Rowing Confederation (CBR) will significantly benefit from such improvements. Test-events: 2015 Junior Rowing World Championship - 05 to 09/August/2015 / Aquece Rio International Canoe Sprint Challenge - 04 to 06/September/2015 Marina da Glória Marina da Glória was the first facility tested for the Olympic Games, in a round of

the World Sailing Championship, in August 2014. A year later, the second test event for the modality was held. Forecast of conclusion: fourth quarter 2015 Type of facility: permanent Modalities held in the Olympic Games: sailing Modalities held in the Paralympic Games: sailing Capacity: 10,000 seats Financing entity: private Amount: R$ 60 million Executed by: private Test-events: Aquece Rio International Sailing Regatta - 02 to 09/August/2014 / Aquece Rio International Sailing Regatta - 15 to 22/August/2015 João Havelange Olympic Arena – Engenhão The arena was built for the 2007 Rio Pan-American Games and will have its capacity temporarily increased from 45,000 to 60,000 spectators for the Olympic and Paralympic Games. Also, the Arena’s surroundings will receive huge urban interventions so as to facilitate its operations. The use of the Olympic Arena in the Games is already benefiting Engenho de Dentro, with urban requalification of the arena’s surroundings and the creation of the Praça do Trem, bring back the rail warehouses next to the stadium, which were abandoned. The arena surroundings reurbanization includes the already finalized implementation of 3.7 km of new storm water sewage systems in street key to arena access, thus eliminating critical flood points; the reurbanization of approximately 34 streets surrounding the stadium and renovation of heritage warehouses and rail workshops and, also, the urbanization of a huge square area, called Praça do Trem. Forecast of conclusion: first semester 2016 Type of facility: permanent Modalities held in the Olympic Games: athletics and football Modalities held in the Paralympic Games: athletics Capacity: 60,000 seats (45,000 permanent and 15,000 provisional) Financing entity: City Hall Amount: R$ 33.5 million Executed by: City Hall Legacy: O Olympic Arena is property of the Rio de Janeiro City Hall and will continue as the main stage for Brazilian athletics important competitions. The arena’s present lessee is Botafogo Football e Regatas, guaranteeing the facility’s maintenance and use. The reurbanization projects around the arena are part of a joint initiative from the federal and municipal governments with the objective of revitalizing the Engenho de Dentro region. Test-events: Spanish-American Athletics Championship - 14 to 16/May/2016 / International Athletics Open (Paralympic) - 18 to 21/May/2016

237


Foto: Divulgação


Foto: Mua LV

Museu do amanhĂŁ Museum of Tomorrow


Estádio Maracanã

P

alco da final da Copa do Mundo de 1950, a mítica arena foi reformada para a Copa do Mundo FIFA 2014, tendo recebido, no dia 13 de julho, a final entre Alemanha e Argentina, vencida pela seleção alemã. O Maracanã será palco das cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos e dos Jogos Paraolímpicos e receberá partidas de futebol nos Jogos Olímpicos. A arena, entretanto, não receberá competições durante os Jogos Paraolímpicos. Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: futebol Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não terá Capacidade: 78.600 lugares Legado: A reforma do Maracanã e do seu entorno é um projeto de grande importância para o Rio de Janeiro, qualificando uma das principais instalações esportivas da cidade e acelerando o desenvolvimento urbano da região, uma das prioridades do Rio.

Ginásio do Maracanãzinho

P

Considerada a casa do voleibol brasileiro, a instalação fica localizada dentro do Núcleo do Maracanã, que inclui também o estádio de mesmo nome e o Parque Aquático Julio de Lamare. Um grande projeto de reforma foi posto em prática para os Jogos PanAmericanos Rio 2007. Para as Olimpíadas Rio 2016, o ginásio passará por reformas (quadras de aquecimento e sistema de iluminação). Previsão de conclusão: a definir Tipo de instalação: permanente Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: voleibol Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: não terá Capacidade: 11.800 lugares Ente financiador: Comitê Rio 2016 Valor: a definir Evento-teste: Fase Final da Liga Mundial - 14 a 19/07/2015

Maracanã Arena Stage for the 1950 World Cup, the mythical arena was renovated for 2014 FIFA World Cup, having received on 13 of July the final match between Germany and Argentina, won by the German national team. Maracanã will be the stage for the Olympic and Paralympic Games opening and closing ceremonies and venue for football matches during the Olympic Games. However, the arena will not host competitions during the Paralympic Games. Modalities held in the Olympic Games: football Modalities held in the Paralympic Games: none Capacity: 78,600 seats Legacy: Renovation of Maracanã and its surroundings is a very important project for Rio de Janeiro, qualifying one of the city’s main sports facilities and accelerating the region’s urban development, one of Rio’s priorities. Maracanãzinho Gymnasium Considered the home of Brazilian volleyball, the facility is located inside the Maracanã nucleus, also including que the arena with same name and Júlio de Lamare Aquatic Center. A huge renovation project was put into practice for the 2007 Rio Pan-American Games. For the Rio2016 Olympics, the gymnasium will undergo renovation (warm-up courts and lighting system). Forecast of conclusion: to be defined Type of facility: permanent Modalities held in the Olympic Games: volleyball Modalities held in the Paralympic Games: none Capacity: 11,800 seats Financing entity: Rio2016 Committee

240

Sambódromo

O

Sambódromo do Rio de Janeiro, palco do desfile das escolas de samba no carnaval carioca, irá receber os torneios olímpico e paraolímpico de tiro com arco, tanto as fases eliminatórias quanto as finais, além da maratona. Muito próxima do Maracanã, essa instalação passará por uma grande reforma para os Jogos. Para a maratona, 30.000 espectadores irão ocupar lugares ao longo dos 600 metros da “passarela do samba” garantindo um ambiente de festa na largada e na chegada da mais tradicional disputa olímpica. Tipo de instalação: permanente Modalidades em disputa nos Jogos Olímpicos: atletismo (maratona); tiro com arco Modalidades em disputa nos Jogos Paraolímpicos: tiro com arco Capacidade: 18.000 lugares (maratona), 3.800 lugares (tiro com arco) Ente financiador: Prefeitura/privado Valor: R$ 65 milhões (reforma e reparo das fundações e construção de novas arquibancadas) Executor: Governo Municipal (fundações)/privado (arquibancadas) Legado: A reforma do Sambódromo é um importante projeto de legado da Prefeitura do Rio de Janeiro, possibilitando a requalificação desse marco da cidade e garantindo a revitalização do seu entorno. O projeto dos Jogos Rio 2016 vai ao encontro dos objetivos de longo prazo para essa região da cidade, trazendo benefícios importantes e imediatos para as comunidades locais. Evento-teste: Aquece Rio Desafio Internacional de Tiro com Arco - 15 a 22/09/2015.

Amount: to be defined Test events: World League Final Round - 14 to 19/July/2015 Sambódromo Rio’s Sambódromo, stage for Samba school parades during the Carioca Carnaval, will receive the Olympic and Paralympic archery competitions, from qualifying to the finals, and also the marathon. Very close to Maracanã, this facility will undergo huge renovation for the Games. For the marathon, 30,000 spectators will occupy the seats throughout the 600 meters of the “Samba catwalk” guaranteeing a party environment at the start and finish lines of the most traditional Olympic competition. Type of facility: permanent Modalities held in the Olympic Games: athletics (marathon); archery Modalities held in the Paralympic Games: archery Capacity: 18,000 seats (marathon), 3,800 seats (archery) Financing entity: City Hall/private Amount: R$ 65 million (renovation and repair of foundations and construction of new stands) Executed by: Municipal Government (foundations)/private (stands) Legacy: Sambódromo’s renovation is an important legacy project of Rio de Janeiro City Hall, enabling this city’s landmark requalification and guaranteeing revitalization of its surroundings. The Rio2016 Games project meets the long term objectives for this region, bringing important and immediate benefits for local communities. Test events: Aquece Rio International Archery Challenge - 15 to 22/September/2015


Foto: Gabriel Heusi/Brasil2016.gov.br

Cristo Redentor em primeiro plano e Maracan達 e Maracan達zinho ao fundo Christ the Redeemer in the foreground and the background Maracan達 and Maracan達zinho


Grandes desafios

A

pós seis candidaturas, a pretensão brasileira de sediar uma Olimpíada virou realidade na 121ª Sessão do Comitê Olímpico Internacional (COI) em Copenhague, Dinamarca, realizada em 2 de outubro de 2009. Após três rodadas de votação, em que foram eliminadas, respectivamente, as cidadescandidatas Chicago, Tóquio e Madri, a Cidade Maravilhosa foi escolhida para sediar os XXXI Jogos Olímpicos de Verão e os XV Jogos Paraolímpicos de Verão, em 2016. A importância de sediar este grande evento - o maior evento esportivo mundial - é alta, assim como os desafios enfrentados. Durante os anos seguintes a eleição, os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos no Rio foram palco de discussões sociais e política. Muitos questionaram se os estádios ficariam prontos, ou se as melhorias em mobilidade urbana seriam feitas, ou até mesmo se teríamos condições em receber a quantidade de turistas esperada para grandes eventos como este. Os desafios sem dúvida foram e, ainda são muitos, mas de nada adianta “sabotar” uma conquista que já está em nossas mãos, não há como desistir de realizá-las, há, sim, que promovê-la como a melhor de todos os tempos até para incrementar nosso desenvolvimento como pessoas e como País. No entanto, deve-se ressaltar que com investimento sério para a realização dos Jogos, assim como a participação de governo

e de entidades civis, o Rio de Janeiro tem a chance de aproveitar a oportunidade para estabelecer metas de redução de desigualdades e de melhorias urbanas. As instalações olímpicas, como vimos neste capítulo estão em fase de finalização, ou muitas delas, já foram entregues. A questão de mobilidade urbana também está em andamento e, sem dúvida ficará como grande legado para o Rio de Janeiro. Mas ainda o grande desafio está na questão ambiental. Até o fechamento deste livro, a Baia de Guanabara, que será palco das provas de vela, continuava com um alto índice de poluição. Durante entrevista coletiva concebida em julho de 2015, em Kuala Lumpur, na Malásia, o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, afirmou que a limpeza da Baía de Guanabara é o principal desafio para os Jogos Olímpicos de 2016, mas estava positivo quando afirmou que sobre a limpeza da baía, foram apresentadas medidas que já estavam em andamento. O outro grande desafio está na questão na acessibilidade para receber os atletas paraolímpicos. Para as instalações não teremos problemas, pois tudo já foi planejado para recebê-los. Entretanto, existe grande dificuldade na mobilidade urbana, para locais que são o cartãopostal da cidade, como por exemplo o Cristo Redentor, e nas praias da cidade, como Copacabana.

Huge challenges After six candidacies, Brazilian intension of hosting the Olympics became reality at the 121st Session of the International Olympic Committee (COI) in Copenhagen, Denmark, held on 2 of October of 2009. After three rounds of voting, when candidate-cities Chicago, Tokyo and Madrid were respectively eliminated, the Wonderful City was chosen to host the 31st Summer Olympic Games and the 15th Summer Paralympic Games, in 2016. The importance of hosting such an important event – the world’s biggest sport event – is high, as well as the challenges to be faced. In the years following the election, the Olympic and Paralympic Games in Rio were stage for social and political discussions. Many questioned if the arenas would be ready or if the improvements in urban mobility would be done, or even if we would have conditions of welcoming the number of expected tourists for events such as this one. The challenges, without a doubt, were and still are many, but there is no point in “sabotaging” a victory already in our hands, there is no way of waiving this commitment, and there is, yes, how to promote the events as the best of all times even to increment our development as a people and country. However, it must be emphasized that with serious investment for hosting the Games, as well as the participation of the government and civil entities, Rio de Janeiro has the chance of taking this opportunity to determine goals for reduction of inequalities and urban improvements. The Olympic facilities, as seen in this chapter, are almost finalized and many of them have already been delivered. The issue of urban mobility is also ongoing and, without a doubt, will remain a great legacy for Rio de Janeiro. But the greatest challenge yet is in the environmental aspect. Up to the closing of this publication, Baía de Guanabara, stage of the sailing competitions, remained with a high pollution rate. During the press conference held in July 2015, in Kuala Lumpur, Malaysia, the International Olympic Committee (COI) president, Thomas Bach, declared the cleaning of Baía de Guanabara is the main challenge for the 2016 Olympic Games, but he was positive when he stated that ongoing measures were presented regarding the bay’s cleaning. Another big challenge is the issue of accessibility for welcoming the Paralympic athletes. For facilities there will be no problems, as all has been planned to receive them. However, there is huge difficulty regarding urban mobility in places that are post cards for the city, such as Cristo Redentor, and city beaches, such as Copacabana.

242


Foto: Embratur / Portal da Copa

Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) Carlos Arthur Nuzman , president of the Brazilian Olympic Committee (COB)

Economia e política

E

nquanto por um lado o povo brasileiro está feliz com o momento histórico em sediar os Jogos, por outro, encontram-se apreensivos pelo momento econômico que o País vive. O índice de inflação fechou o ano de 2015 em 10,67%, a maior taxa desde 2002, segundo dados fornecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os gastos com transporte, habitação e alimento não param de subir. Os números não deixam dúvidas sobre a gravidade da situação econômica brasileira. Os motivos que levaram a atual situação do País são muitos, mas existe um que merece destaque: a falta de planejamento estratégico de longo prazo para a economia. O governo vem trabalhando com uma estratégia de reação de fatores, uma verdadeira operação tapa buraco, onde medidas emergenciais são adotadas para tratarem problemas que seria facilmente resolvidos, se houvesse um planejamento macro.

Mas claro que temos esperança de reverter essa situação e, fechar o ano de 2016 com uma inflação menor. Como? Se analisarmos os outros Jogos Olímpicos, mais especificamente os de Los Angeles, em 1984, que foram considerados os mais bem-sucedidos de toda a história da competição, com um lucro de aproximadamente US$ 250 milhões, ficamos esperançosos com o retorno financeiro que trará ao Brasil. E qual foi o caminho que seguiram? Investiram em amplas parcerias com a iniciativa privada, e um bom retorno com a comercialização dos direitos de transmissão pela TV, venda de ingressos e produtos relacionados ao evento estão entre os vários fatores apontados pelos especialistas. Já nos Jogos Olímpicos de Atlanta (1996), os lucros foram mais modestos, de cerca de US$ 10 milhões, mas ainda assim um sucesso do ponto de vista econômico.

Analysis of the Pan Games in Toronto W While, in one hand, the Brazilian people are happy with the historical moment hosting the Games, on the other, they find themselves apprehensive due to the economic moment the country is living. The rate of inflation closed 2015 at 10.67%, the highest since 2002, according to data provided by the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE). Expenditures with transportation, housing and food are continuously rising. The numbers don’t leave room for doubts regarding the gravity of the Brazilian economic situation. The reasons that led the country to the present situation are many, but there is one deserving highlight: the lack of long term strategic planning for the economy. The government has been Working with a strategy of reaction of factors, a real stopgap operation, where emergency measures are adopted for dealing with issues that would be easily resolved if there was a macro planning. But, obviously, we hope to reverse the situation and close 2016 with less inflation. How? If we analyze the other Olympic Games, more specifically the 1984 Los Angeles Games, deemed as the most well-succeeded in the history of the competition, with profits of approximately US$ 250 million, we are hopeful for the financial return on investment the Games could bring to the country.

Mas vamos analisar as últimas Olimpíadas de Verão, que aconteceram em 2012 em Londres. Segundo relatório divulgado pelo governo, os jogos renderam ao Reino Unido 9,9 bilhões de libras — quase R$ 33 bilhões — desde o fim do espetáculo em novos investimentos. Deste total, quase 5 bilhões de libras vieram diretamente de outros países. Os gastos com a organização e a infraestrutura somaram 9 bilhões de libras (cerca de R$ 30 bilhões). O País também ganhou bastante com o turismo, tendo um significante aumento de 6% após o espetáculo. Traçando um cenário para o Brasil, tendo como base esses exemplos vitoriosos, dentro do atual quadro de retração econômica no mundo, receber no País dois megaeventos – como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos - em um curto período pode ser uma grande oportunidade, por todos os fatores que podem beneficiar o avanço econômico e social.

And what was the path followed? They invested in broad partnerships with the private initiative, and good return on investment with the commercialization of TV broadcast rights, ticket sales and products related to the event are amongst the various factors pointed out by specialists. On the other hand, in the 1996 Atlanta Olympic Games, profits were more modest, of around US$ 10 million, but still a success from the economic perspective. But let us analyze the last Summer Olympics, that took place in 2012, London. According to a report disclosed by the government, the Games brought to the United Kingdom 9.9 billion pounds – almost R$ 33 billion – since the end of the competitions in new investments. From this total, almost 5 billion pounds came directly from other countries. Expenditures with organization and infrastructure came to 9 billion pounds (around R$ 30 billion). The country also benefited with tourism, with a significant 6% increase after the Games. Drawing a scenario for Brazil, based on these victorious examples, in the present world’s economic retraction picture, hosting two mega events in the country – the World Cup and the Olympic Games – in such short period of time can be a great opportunity, due to all factors that may benefit the economic and social advancement.

243


Fabiana Murer levou a prata no salto com vara em Toronto.

Foto: GabrielHeusi/ Danilo Borges/brasil2016.gov.br

Fabiana Murer took the silver in the pole vault in Toronto

244


Análise dos Jogos Pan em Toronto

D

urante os Jogos Pan-Americanos de 2015, que aconteceu em Toronto, no Canadá, os atletas brasileiros fecharam a participação do Brasil com chave de ouro, deixando o País em terceiro lugar. Foram 141 medalhas conquistadas (41 de ouro, 40 de prata e 60 de bronze) e, deixou o País com a mesma colocação alcançada nas últimas duas edições do evento em Guadalajara (2011) e Rio de Janeiro (2007). O Brasil ficou atrás apenas dos Estados Unidos, primeiro lugar com 103 medalhas de ouro; e do Canadá, em segundo com 78 de ouro. O desempenho esperado do Brasil nos jogos coletivos, e também as vitórias em modalidades individuais, mantiveram Cuba afastada (que terminou na quarta posição). Segundo dirigentes, mesmo com 70% de estreantes na delegação brasileira, o resultado obtido cumpre meta de terminar entre os três melhores, além de ampliar o leque de modalidades em que o País é competitivo e, indicar que investimentos e incentivos estão alcançando o rumo pretendido. Um dos grandes destaques da delegação foi o desempenho do nadador Thiago Pereira, que deixou Toronto com cinco medalhas (três ouros, uma de prata e outra de bronze). Com isso, chegou a 23 e se tornou o maior o maior medalhista em jogos Pan-americanos da história. E, apesar do legado, o Pan de Toronto divide opiniões, pois foi o mais caro da história. Os investimentos se aproximaram de R$ 6,5

bilhões, quase o dobro do gasto no Pan do Rio, em 2007, orçado em R$ 3,3 bilhões. É importante lembrar também que não estamos falando apenas do legado esportivo, a cidade ganhou um bairro novo e um trem ligando o aeroporto Internacional de Toronto ao centro da cidade. Apesar da “marca” do evento ter ficado com Toronto, os jogos espalharam-se por 36 locais de competições, em 17 cidades pela região. A ideia foi espalhar para que assim, depois dos jogos, o legado de locais esportivos servisse de suporte para as crianças treinarem. Por um lado, a ideia foi muito interessante, já por outro lado, dificultou um pouco a questão da logística, já que algumas disputadas, por exemplo, chegaram a acontecer a uma distância de 305km uma da outra. De acordo com relatórios divulgados pelo Comitê Organizador, os Jogos custaram cerca de R$ 6,5 bilhões. O Pan mais caro da história gastou R$ 1.704 bilhão para construir novas instalações, R$ 1.927 bilhão em custos de operação, marketing e organização dos locais de competição, CAD R$ 1.797 bilhão na construção da Vila Olímpica, R$ 606 milhões em segurança, R$ 228 milhões em transporte e R$ 187 milhões para o projeto da tocha pan-americana. Os custos foram pagos por três níveis: o governo federal canadense, o município de Toronto e o Estado de Ontário. Entre erros e acertos, sem dúvida que os Jogos Pan-Americanos de 2015, em Toronto, deixaram um legado importante para o País.

Analysis of the Pan Games in Toronto During the 2015 Pan-American Games in Toronto, Canada, the Brazilian athletes ended Brazil’s participation in a high note, leaving the country in third place. With 141 medals won (41 gold, 40 silver and 60 bronze) Brazil had the same ranking reached in the previous two editions of the event in Guadalajara (2011) and Rio de Janeiro (2007). Brazil was behind only the United States, first place with 103 gold medals and Canada, second with 78 golds. Brazil’s expected performance at the collective games and also the victories in individual modalities kept Cuba behind (finished fourth). According to management, even with 70% newcomers in the Brazilian delegation, the result obtained fulfills the goal of finishing amongst the three best, besides broadening the scope of modalities where the country is competitive and indicating that investments and incentives are reaching their intentions. One of the biggest highlights in the delegation was the performance of swimmer Thiago Pereira, who left Toronto with five medals (3 golds, 1 silver and another bronze). With these he reached 23 and became the biggest medalist in the history of the Pan-American Games. And despite the legacy, the Toronto Pan splits opinions, as it was the most expensive in history. Investments reached almost R$ 6.5 billion, almost twice that spent in Rio’s Pan in 2007, estimated in R$ 3.3 billion. It is also important to remember that we are not only talking about sports legacy, as the city received a new borough and a train connecting Toronto’s international airport to the downtown area. Despite the event’s “brand” staying with Toronto, the games scattered through 36 competition venues in 17 cities in the region. The idea was to spread them so that after the games the legacy of sport venues would support children training. On one hand, the idea was very interesting, on the other, it made the issue of logistics somewhat difficult as some competitions, for example, took place even at distances 305 km of one another. According to reports disclosed by the Organizing Committee, the games cost around R$ 6.5 billion. The most expensive Pan in history spent R$ 1.704 billion in order to build new facilities, R$ 1.927 billion in operational costs, marketing and organization of competition venues, CAD R$ 1.797 billion in the construction of the Olympic Villa, R$ 606 million in security, R$ 228 million in transportation and R$ 187 million on the Pan-American torch design. Costs were borne in three levels: the Canadian federal government, the municipality of Toronto and the State of Ontario. Amidst hits and misses, there is no question that the 2015 Pan-American Games in Toronto, left an important legacy to the country.

245


Salto ornamental feminino Women’s Synchronized Diving

246


247

Foto: Gabriel Heusi


Atletas da Seleção Feminina de Rúgbi ao lado do ministro do Esporte, George Hilton, durante o evento-teste disputado em Deodoro Women Rugby Team athletes next to Minister of Sports, George Hilton, during the test-event held at Deodoro

248

Foto: Francisco Medeiros/ME


Novidade das Olimpíadas no Brasil

U

ma das novidades nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, é o Rúgbi e o Golfe, que voltam a ser considerados esportes olímpicos. As duas modalidades têm uma história interessante e, mais de um século de ausência nos jogos. As primeiras e únicas participações do golfe nos Jogos ocorreram em Paris-1900 e St. Louis-1904. A origem do golfe moderno data do século 15, na Escócia. Mas o esporte não foi bem aceito no início. Junto com o futebol, a modalidade chegou a ser banida, sob a acusação de atrapalhar a prática do arco e flecha, que não era apenas um esporte, mas importante também para a defesa dos escoceses à época. No Rio de Janeiro, a expectativa é de que 120 golfistas disputem as medalhas, sendo 60 no masculino e 60 no feminino. Agora falando sobre o rúgbi, seu surgimento tem duas vertentes a serem consideradas. A primeira remete à semelhança da modalidade com outras que já eram jogadas nas civilizações mais antigas, como entre os romanos, por exemplo. Ainda que alguns considerem o rúgbi uma simples evolução desses esportes, a criação em si é creditada ao estudante da Rugby School da Grã-Bretanha, William Webb, que durante uma partida de futebol, em 1823, pegou a bola com as mãos e correu até o gol. Polêmicas à parte, o fato é que nos Jogos do Rio, o rúgbi será uma das novidades, ao lado do golfe. Mas a modalidade já tem sua pequena história olímpica documentada. Foi disputada nos Jogos de Paris-1900, Londres-1908, Antuérpia-1920 e Paris-1924. Nas quatro participações, França, Austrália e Estados Unidos (duas vezes) sagraram-se campeões olímpicos. Em 2016, no entanto, estará em disputa uma modalidade chamada de rúgbi 7, com partidas mais velozes e dinâmicas. Essa versão, em que cada equipe joga com sete atletas, em vez de 15, foi criada na Escócia, no fim do século 19, mas só começou a ganhar o mundo em 1921, quando se realizou o primeiro torneio fora da Escócia. A Copa do Mundo do rúgbi 7 foi criada em 1993, entre os homens, e em 2009, para as mulheres.

News in Brazil Olympics News in the Rio de Janeiro Olympics in 2016, Rugby and Golf, are once again considered Olympic sports. Both modalities have an interesting history and over a century of absence in the games. The first and only participations of golf in the Games took place in Paris-1900 and St. Louis-1904. Modern golf ’s origins date from the 15th century in Scotland. But the sport was not well accepted at first. Along with football, the modality was even banned, under the accusation that its practice would harm the practice of archery, which was not only a sport, but also important for Scottish defense at the time. In Rio de Janeiro, it is expected that 120 golfers fight for medals, with 60 in the men’s and 60 in the women’s competition. Now, speaking about rugby, its appearance has two sides to be considered. The first remits to the similarity of the modality with others played in ancient civilizations, such as amongst the Romans, for example. Even if some consider rugby as a mere evolution of such sports, the creation itself is credited to a student at Rugby School in Great Britain, William Webb, who during a football match in 1823, caught the ball with his hands and ran to the goal. Controversies aside, the fact is that in the Rio Games, rugby will be one of the new sports, along golf. But the modality already has its small Olympic history documented. It was played in the Paris-1900, London-1908, Antwerp-1920 and Paris-1924 Games. In four participations, France, Australia and United States (twice) became Olympic champions. However, in 2016, the modality in play will be the called rugby sevens, with faster and more paced and dynamic matches. This version, where each team plays with 7 athletes instead of 15, was created in Scotland in the end of the 19th century, but only started taking the world in 1921, when the first tournament outside Scotland was held. The Rugby Sevens World Cup was created in 1993 for men and in 2009 for women.

249


Partida entre Brasil x Peru pelo evento-teste de rĂşgbi, no Parque OlĂ­mpico de Deodoro

Foto: Francisco Medeiro/ME

Rugby test-event match between Brazil and Peru, at Deodoro Olympic Park

250


Foto: Francisco Medeiro/ME

Partida entre Brasil x Peru pelo evento-teste de rĂşgbi, no Parque OlĂ­mpico de Deodoro Rugby test-event match between Brazil and Peru, at Deodoro Olympic Park

251


Atletas brasileiros

A

s maiores estrelas mundiais desfilaram seu talento por pouco menos de um mês na cidade do Rio de Janeiro. Sede dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o Brasil contou com uma delegação recorde na competição. Na maioria dos esportes, o Brasil teve ao menos um representante por ser o pais-sede. Claro que o atleta teve que suar, literalmente, para garantir a sua vaga. Além de índices técnicos que deveriam ser atingidos nas competições oficiais, como é o caso dos atletas da natação, atletismo, existem também classificações pelo rankeamento, como no caso de judô, tae kwon do e também classificações em torneios pré-olímpicos, geralmente para esportes coletivos. Por isso, seja na busca pelos melhores índices ou na luta pelo pódio em diferentes campeonatos ao redor do mundo, atletas e times de mais de 200 países se enfrentaram rumo a uma vaga no maior evento esportivo do planeta. Confira abaixo as modalidades e os atletas que representaram o Brasil!

Relação das vagas por modalidades e atletas que garantiram presença nos Jogos

Atletismo Feminino 31 Adriana Aparecida da Silva (maratona) Ana Cláudia Lemos (100m, 200m e 4x100m) Andressa Oliveira (lançamento do disco) Bruna Farias (4x100m) Cisiane Dutra Lopes (marcha atlética 20km) Cristiane dos Santos Silva (4x400m) Eliane Martins (salto em distância) Erica Rocha de Sena (marcha atlética 20km) Fabiana Moraes (100m com barreiras) Fabiana Murer (salto com vara) Fernanda Raquel Borges Martins (lançamento do disco) Flavia Maria de Lima (800m) Franciela Krasucki (100m e 4x100m) Geisa Arcanjo (arremesso de peso) Geisa Coutinho (400m e 4x400m) Graciete Carneiro Santana (maratona) Jailma de Lima (400m e 4x400m) Joana Ribeiro da Costa (salto com vara) Joelma das Neves Sousa (4x400m) Juliana dos Santos (3.000 com obstáculos) Kauiza Venâncio (200m e 4x100m) Keila Costa (salto em distância e salto triplo) Letícia Cherpe de Souza (4x400m) Maila Machado (100m com barreiras) Marily dos Santos (maratona) Nubia Aparecida Soares (salto triplo) Rosângela Santos (100m, 200m e 4x100m) Tabata Vitorino (4x400m) Tatiele de Carvalho (10.000m) Vanessa Spinola (heptatlo) Vitória Rosa (200m e 4x100m)

Masculino 36 Aldemir Gomes Junior (200m e 4x100m) Alexander Russo (4x400m) Altobeli Santos (3.000m com obstáculos) Augusto Dutra de Oliveira (salto com vara) Bruno Lins (200m e 4x100m) Caio Bonfim (marcha atlética 20km e 50km) Darlan Romani (arremesso do peso) Eder Souza (110m com barreiras) Hederson Estefani (400m, 400m com barreiras e 4x400m) Higor Silva Alves (salto em distância) Hugo Balduino (4x400m) João Vitor de Oliveira (110m com barreiras) Jonathan Riekmann (marcha atlética 50km) Jorge Henrique Vides (200m e 4x100m) José Alessandro Bagio (marcha atlética 20km) José Carlos Moreira (4x100m) Julio Cesar Miranda de Oliveira (lançamento do dardo) Kleberson Davide (800m) Lucas da Silva Carvalho (4x400m) Luiz Alberto Cardoso de Araujo (decatlo) Lutimar Paes (800m) Mahau Suguimati (400m com barreiras) Marcio Teles (400m com barreiras) Marilson Gomes dos Santos (maratona) Mario José dos Santos Junior (marcha atlética 50km) Moacir Zimmermann (marcha atlética 20km) Paulo Roberto de Almeida Paula (maratona) Pedro Burmann (4x400m) Peterson dos Santos (4x400m) Ricardo Mário de Souza (4x100m) Solonei Rocha da Silva (maratona) Talles Frederico (salto em altura) Thiago Braz da Silva (salto com vara) Thiago do Rosário André (1500m) Vitor Hugo dos Santos (100m, 200m e 4x100m) Wagner Domingos (lançamento do martelo) * Atualizado em 01 de agosto de 2016

252

Participating athletes The world’s biggest stars paraded their talent for a little less than a month in the city of Rio de Janeiro. Host the Olympic Games Rio 2016, Brazil had a record delegation in the competition. In most sports, Brazil had at least one representative to be the host country. Of course, the athlete had to sweat literally to secure your place. In addition to technical indexes that should be achieved in official competitions, such as the swimming athletes, athletics, there are also classifications by rankeamento, as in the case of judo, tae kwon do and also ratings in pre-Olympic tournaments, usually for sports collective. So is the search for the best rates or in the fight for the podium in different championships around the world, athletes and more than 200 countries teams met towards a spot in the biggest sporting event on the planet. Check out the modalities and the athletes who represented Brazil!.


Foto: EvrenKalinbacak/Shutterstock.com

Women* Adriana Aparecida da Silva (maratona) Ana Cláudia Lemos (100m, 200m e 4x100m) Andressa Oliveira (lançamento do disco) Bruna Farias (4x100m) Cisiane Dutra Lopes (marcha atlética 20km) Cristiane dos Santos Silva (4x400m) Eliane Martins (salto em distância) Erica Rocha de Sena (marcha atlética 20km) Fabiana Moraes (100m com barreiras) Fabiana Murer (salto com vara) Fernanda Raquel Borges Martins (lançamento do disco) Flavia Maria de Lima (800m) Franciela Krasucki (100m e 4x100m) Geisa Arcanjo (arremesso de peso) Geisa Coutinho (400m e 4x400m) Graciete Carneiro Santana (maratona) Jailma de Lima (400m e 4x400m) Joana Ribeiro da Costa (salto com vara) Joelma das Neves Sousa (4x400m) Juliana dos Santos (3.000 com obstáculos) Kauiza Venâncio (200m e 4x100m) Keila Costa (salto em distância e salto triplo) Letícia Cherpe de Souza (4x400m) Maila Machado (100m com barreiras) Marily dos Santos (maratona) Nubia Aparecida Soares (salto triplo) Rosângela Santos (100m, 200m e 4x100m) Tabata Vitorino (4x400m) Tatiele de Carvalho (10.000m) Vanessa Spinola (heptatlo) Vitória Rosa (200m e 4x100m)

ISTAMBUL, TURQUIA - 19 de setembro de 2015: Atletas correndo 1500 metros durante Europeia dos Clubes Campeões Copa Track and Juniors Campo Grupo A ISTAMBUL, TURKEY - 19 of September of 2015: Athletes running the 1500 meters during the Champion Clubs European Cup.

Men* Aldemir Gomes Junior (200m e 4x100m) Alexander Russo (4x400m) Altobeli Santos (3.000m com obstáculos) Augusto Dutra de Oliveira (salto com vara) Bruno Lins (200m e 4x100m) Caio Bonfim (marcha atlética 20km e 50km) Darlan Romani (arremesso do peso) Eder Souza (110m com barreiras) Hederson Estefani (400m, 400m com barreiras e 4x400m) Higor Silva Alves (salto em distância) Hugo Balduino (4x400m) João Vitor de Oliveira (110m com barreiras) Jonathan Riekmann (marcha atlética 50km) Jorge Henrique Vides (200m e 4x100m) José Alessandro Bagio (marcha atlética 20km) José Carlos Moreira (4x100m) Julio Cesar Miranda de Oliveira (lançamento do dardo) Kleberson Davide (800m)

Lucas da Silva Carvalho (4x400m) Luiz Alberto Cardoso de Araujo (decatlo) Lutimar Paes (800m) Mahau Suguimati (400m com barreiras) Marcio Teles (400m com barreiras) Marilson Gomes dos Santos (maratona) Mario José dos Santos Junior (marcha atlética 50km) Moacir Zimmermann (marcha atlética 20km) Paulo Roberto de Almeida Paula (maratona) Pedro Burmann (4x400m) Peterson dos Santos (4x400m) Ricardo Mário de Souza (4x100m) Solonei Rocha da Silva (maratona) Talles Frederico (salto em altura) Thiago Braz da Silva (salto com vara) Thiago do Rosário André (1500m) Vitor Hugo dos Santos (100m, 200m e 4x100m) Wagner Domingos (lançamento do martelo)

253


254

Foto: Andre Motta


Finais do Tiro com Arco Archery Finals

255


Badminton Feminino Lohaynny Vicente

Masculino Ygor Coelho

Basquete Feminino Armadoras Adrianinha Joice Tainá Alas Isabela Ramona Iziane Palmira Tatiane Ala/pivô Damiris Pivôs Clarissa Érika Kelly Santos Nadia

Masculino Armadores Marcelo Huertas Rafael Luz Raulzinho Alas Alex Garcia Marquinhos Alas-armadores Leandro Barbosa Vitor Benite Alas-pivôs Guilherme Giovannoni Rafael Hettsheimeir Pivôs Cristiano Felício Augusto Lima Nenê

Boxe

Feminino

Adriana Araújo (60kg) Andréia Bandeira (75kg)

Masculino

Patrick Lourenço (49kg) Julião Neto (52kg) Robenilson de Jesus (56kg) Robson Conceição (60kg) Joedison Teixeira (64kg) Michel Borges (81kg) Juan Nogueira (91kg)

CANOAGEM SLALOM

Feminino Ana Sátila (K1)

Masculino

Anderson Oliveira (C2) Charles Corrêa (C2) Pedro H. Gonçalves (K1) Felipe Borges (C1)

CANOAGEM VELOCIDADE Feminino

Ana Paula Vergutz (200m e 500m)

Feminino Raíza Goulão

Masculino Henrique Avancini Rubens Donizete

CICLISMO PISTA Masculino

Gideoni Monteiro (Omnium)

ESGRIMA

Feminino

Amanda Simeão (espada individual e equipe) Nathalie Moellhausen (espada individual e equipe) Rayssa Costa (espada individual e equipe) Taís Rochel (florete individual) Bia Bulcão (florete individual) Marta Baeza (sabre individual)

Masculino

Renzo Agresta (sabre individual) Nicolas Ferreira (espada individuale Celso Oliveira (1000m) equipe) Edson Silva (200m e 200m) Athos Schwantes (espada individual Erlon Souza (1000m) e equipe) Gilvan Ribeiro (200m e 1000m) Isaquias Queiroz (200m, 1000m e 1000m) Guilherme Melaragno (espada individual e equipe) Roberto Maehler (1000m) Guilherme Toldo (florete individual Vagner Souta (1000m) e equipe) Henrique Marques (florete individual e equipe) Ghislain Perrier (florete individual Feminino e equipe) Priscilla Carnaval

Masculino

Ciclismo BMX Masculino Renato Rezende

CICLISMO ESTRADA

Feminino Clemilda Fernandes Flávia Oliveira

Masculino Kléber Ramos Murilo Fischer

256

CICLISMO MTB

FUTEBOL

Feminino Goleiras Bárbara Aline Zagueiras Mônica Rafaelle Bruna Benites Érika Laterais Fabiana Poliana Tamires

Meio-campo Formiga Thaisa Andressinha Marta Atacantes Debinha Cristiane Andressa Alves Bia Zaneratto Raquel

Masculino Goleiros Weverton Uilson Defesa Marquinhos Rodrigo Caio Luan William Douglas Santos Zeca Meio-campo Walace

Rodrigo Dourado Thiago Maia Rafael Alcântara Renato Augusto Felipe Anderson Ataque Neymar Jr. Gabriel Gabriel Jesus Luan

GINÁSTICA ARTÍSTICA

Feminino Daniele Hypolito Flávia Saraiva Jade Barbosa Lorrane Oliveira Rebeca Andrade

Masculino Arthur Nory Mariano Arthur Zanetti Diego Hypolito Francisco Barretto Júnior Sérgio Sasaki

GINÁSTICA RÍTMICA

Individual geral Daniele Hypolito Flávia Saraiva Jade Barbosa Lorrane Oliveira Rebeca Andrade

Conjunto Emanuelle Lima Francielly Machado Gabrielle Moraes Jéssica Maier Morgana Gmach

GINÁSTICA TRAMPOLIM

Masculino Rafael Andrade


GOLFE Feminino Miriam Nagl Victoria Lovelady

Masculino Adilson da Silva

HANDEBOL

Feminino

Goleiras Bárbara Arenhart Mayssa Pessoa Armadoras Deonise Fachinello Eduarda Amorim Mayara Moura Centrais Ana Paula Rodrigues Belo Franciele Gomes da Rocha Pontas Alexandra Nascimento Fernanda França Jéssica Quintino Samira Rocha Pivôs Daniela Piedade Fabiana Diniz “Dara” Tamires Morena Araújo

Masculino

Goleiros César Almeida “Bombom” Maik Santos Armadores Haniel Langaro José Guilherme de Toledo “Zé” Leonardo Santos Oswaldo Guimarães Thiagus Petrus dos Santos Centrais Diogo Hubner Henrique Teixeira João Pedro Francisco da Silva Pontas André Martins Soares “Alemão” Fábio Chiuffa Lucas Cândido Pivôs Alexandro Pozzer “Tchê” BADMINTON (02) Female - 01 Lohaynny Vicente Male - 01 Ygor Rabbit

HIPISMO ADESTRAMENTO Giovanna Prado Pass João Victor Marcari Oliva Luiza Tavares de Almeida Pedro Manuel Tavares de Almeida

HIPISMO CCE Carlos Parro Márcio Appel Márcio Carvalho Jorge Ruy Leme da Fonseca

HIPISMO SALTOS Álvaro Affonso de Miranda Eduardo Pereira de Menezes Pedro Guimarães Veniss Stephan de Freitas Barcha

HÓQUEI SOBRE GRAMA

Masculino

Goleiros Rodrigo Faustino Thiago Bomfim Defensores Bruno Mendonça Christopher McPherson Ernst Rost-Onnes Stephane Vehrle-Smith Yuri Van Der Heijden Meias André Patrocínio Adam Imer Patrick Van Der Heijden Paulo Batista Junior Atacantes Bruno Paes Joaquín Lopez Lucas Paixão Matheus Borges Rodrigo Steimbach BASKETBALL (24) Female - 12 shipowning Adrianinha Joice Taina Alas

Isabela Ramona Iziane palmyra Tatiane Ala / Pivot Damiris pivots Clarissa Erika Kelly Santos Nadia Male - 12 shipowners Marcelinho Huertas Rafael Luz Raulzinho Alas Alex Garcia Marquinhos Alas-owners Leandro Barbosa Vitor Benite Wing-pivots Guilherme Giovannoni Rafael Hettsheimeir pivots Cristiano Felicio Augusto Lima baby BOXING (09) Female - 02 Adriana Araujo (60kg) Andreia Bandeira (75kg) Male - 07 Patrick Lawrence (49kg) Juliao Neto (52kg) Robenílson Vieira (56kg) Robson Conceicao (60kg) Joedison Teixeira (64kg) Michel Borges (81kg) Juan Nogueira (91kg) CANOE SLALOM (05) Female - 01 Ana Sátila (K1) Male - 04 Anderson Oliveira (C2) Charles Correa (C2) Peter H. Gonçalves (K1) Felipe Borges (C1) CANOEING SPEED (08) Female - 01 Ana Paula Vergutz (K1 200m and K1 500m) Male - 07 Celso Oliveira (K4 1000m) Edson Silva (K1 200m and K2 200m) Erlon Souza (C2 1000m) Gilvan Ribeiro (K2 200m and K4 1000m) Isaquias Queiroz (C1 200m, 1000m C1 and C2 1000m) Roberto Maehler (K4 1000m) Vagner Souta (K4 1000m) CYCLING BMX (02) Female - 01 Priscilla Carnival Male - 01 Renato Rezende CYCLING ROAD (04) Female - 02 Clemilda Fernandes Flavia Oliveira

Male - 02 Kléber Ramos Murilo Fischer CYCLING MTB (03) Female - 01 Raíza Goulão Male - 02 Henry Avancini Rubens Donizete CYCLING TRACK (01) Male Gideoni Monteiro (Omnium) FENCING (13) Female - 06 Amanda Simeon (individual sword and staff) Nathalie Moellhausen (individual sword and staff) Rayssa Costa (individual and team sword) Tais Rochel (individual foil) Bia Bulcão (individual foil) Marta Baeza (individual saber) Male - 07 Renzo Agresta (individual saber) Nicolas Ferreira (sword individuale team) Athos Schwantes (individual sword and staff) William Melaragno (individual and team sword) Guilherme Toldo (individual and team foil) Henrique Marques (individual and team foil) Ghislain Perrier (individual and team foil) FOOTBALL (36) Female - 18 goalkeepers Barbarian Aline Zagueiras Monica Rafaelle Bruna Soares Erika sides Fabiana Poliana Tamires Midfield Ant Thaisa andressinha marten attackers Debinha Cristiane Andressa Alves Bia Zaneratto Raquel Male - 18 goalkeepers weverton Uilson Defense Marquinhos Rodrigo Caio Luan

William Douglas Santos Zeca Midfield Walace Rodrigo Dourado Thiago Maia Rafinha Renato Augusto Felipe Anderson Attack Neymar Jr. Gabriel Gabriel Jesus Luan ARTISTIC GYMNASTICS (10) women’s team - 05 Daniele Hypolito Flavia Saraiva Jade Barbosa lorrane Oliveira Rebecca Andrade men’s team - 05 Arthur Mariano Nory Arthur Zanetti Diego Hypolito Francisco Barretto Junior Sergio Sasaki RHYTHMIC GYMNASTICS (06) Individual All - 01 Natalia Gaudio Set - 05 Emanuelle Lima francielly Machado Gabrielle Moraes Jessica Maier Morgana Gmach TRAMPOLINE GYMNASTICS (01) Male Rafael Andrade GOLF (03) Female - 02 Miriam Nagl Victoria Lovelady Male - 01 Adilson da Silva HANDBALL (28) Female - 14 goalkeepers Barbara Arenhart Mayssa Person shipowning Deonise Fachinello Eduarda Amorim Mayara Moura central Ana Paula Rodrigues Belo Franciele Gomes da Rocha tips Alexandra do Nascimento Fernanda França Jessica Quintino Samira Rocha pivots Daniela Piedade Fabiana Diniz “Dara” Tamires Morena Araújo Male - 14 goalkeepers Cesar Almeida “bonbon” Maik Santos

257


258

Foto: Pedro Martins/BWF


As irmãs Irmãs Lohayny e Luana Vicente durante eventoteste do badminton, realizado em um dos pavilhões do Riocentro. (nov/2015). Sisters Lohayny and Luana Vicente during badminton test events, held at one of the Riocentro pavilions. (Nov/2015)

259


260

Foto: Gabriel Heusi Action


Hรณquei Hockey

261


JUDÔ

Natação

Feminino

Feminino

Sarah Menezes (48kg) Erika Miranda (52kg) Rafaela Silva (57kg) Mariana Silva (63kg) Maria Portela (70kg) Mayra Aguiar (78kg) Maria Suelen Altheman (+78kg)

Masculino

Felipe Kitadai (60kg) Charles Chibana (66kg) Alex Pombo (73kg) Victor Penalber (81kg) Tiago Camilo (90kg) Rafael Buzacarini (100kg) Rafael Silva (+100kg)

LEVANTAMENTO DE PESOS Feminino Jaqueline Ferreira (75kg) Rosane Reis (53kg)

Masculino

Fernando Saraiva (+105kg) Mateus Gregório (105kg) Welisson Rosa (85kg)

Lutas Feminino

Joice Silva (58kg) Lais Nunes (63kg) Gilda Oliveira (69kg) Aline Silva (75kg)

Masculino Allan do Carmo

NADO SINCRONIZADO Beatriz (Bia) Feres (equipe) Branca Feres (equipe) Lara Teixeira (equipe) Lorena Molinos (equipe) Luisa Nunes Borges (dueto e equipe) Maria Bruno (equipe) Maria Clara Coutinho (equipe) Maria Eduarda Micucci (dueto e equipe) Pamela Nogueira (equipe)

262

Daiene Dias (100m borboleta) Daynara de Paula (100m borboleta e 4x100m livre e 4x100m medley) Etiene Medeiros (100m costas, 100m livre, 50m livre e 4x100m livre) Gabrielle Roncatto (4x200m livre) Graciele Herrmann (50m livre) Jessica Cavalheiro (4x200m livre) Jhennifer Conceição (100m costas e 4x100m medley) Joanna Maranhão (200m medley, 200m borboleta e 400m medley) Larissa Oliveira (100m livre, 200m livre, 4x100m livre, 4x100m medley e 4x200m livre) Manuella Lyrio (200m livre, 400m livre, 4x100m livre e 4x200m livre) Natália de Luccas (4x100m medley)

Masculino André Pereira (4x200m livre) Brandonn Almeida (400m medley e 1500m livre) Bruno Fratus (50m livre) Felipe França (100m peito) Gabriel Santos (4x100m livre) Guilherme Guido (100m costas e 4x100m medley) Henrique Martins (100m borboleta e 4x100m medley) Henrique Rodrigues (200m medley) Ítalo Duarte (50m livre) João de Lucca (200m livre, 4x100m livre e 4x200m livre) João Gomes Júnior (100m peito e 4x100m medley) Kaio Márcio (200m borboleta) Leonardo de Deus (200m costas e 200m borboleta) Luiz Altamir Melo (400m livre e 4x200m livre) Marcelo Chierighini (100m livre, 4x100m livre e 4x100m medley) Marcos Macedo (100m borboleta) Matheus Santana (4x100m livre) Miguel Valente (1500m livre) Nicolas Nilo Oliveira (100m livre, 200m livre, 4x100m livre e 4x200m livre)

Tales Cerdeira (200m peito) Thiago Pereira (200m medley) Thiago Simon (200m peito)

PENTATLO MODERNO Feminino Yane Marques

Masculino Felipe Nascimento

POLO AQUÁTICO Feminino

Amanda Oliveira Camila Pedrosa Diana Abla Gabriela Mantellato Izabella Chiappini Lucianne Barroncas Luiza Carvalho Mariana Rogê Duarte Marina Canetti Marina Zablith (capitã) Tess Oliveira (goleira) Victoria Chamorro (goleira) Viviane Bahia

Masculino Ádria Delgado Bernardo Gomes Bernardo Reis Rocha Felipe “Charuto” Silva Felipe Perrone (capitão) Gustavo “Grummy” Guimarães Ives Gonzales Jonas Crivella Josip Vrlic Paulo Salemi Rudá Franco Slobodan Soro (goleiro) Vinícius Antonelli (goleiro)

REMO

Feminino

Fernanda Nunes (Double Skiff Peso Leve Feminino) Vanessa Cozzi (Double Skiff Peso Leve Feminino)

Masculino

Willian Giaretton (Double Skiff Peso Leve Masculino) Xavier Vela (Double Skiff Peso Leve Masculino)

RÚGBI

Feminino Amanda Araujo Beatriz Futuro Claudia Telles Edna Santini Haline Scatrut Isadora Cerullo

Julia Sardá Juliana Esteves Luiza Campos Paula Ishibashi Raquel Kocchann Thais Bernal Balconi

Masculino André Luiz Silva Arthur Bergo Daniel Sancery Felipe Sancery Felipe Claro Silva Gustavo Albuquerque

Juliano Fiori Laurent BourdaCouhet Lucas Duque Martin Shaefer Moisés Duque Stefano Giantorno

MARATONAS AQUÁTICAS Feminino Ana Marcela Cunha Poliana Okimoto

Masculino Allan do Carmo

TAEKWONDO Feminino Iris Tang Sing (49kg) Julia Vasconcelos (57kg)

Masculino Venilton Teixeira (58kg) Maicon Andrade (+80kg)

TÊNIS Feminino

Paula Gonçalves (duplas) Teliana Pereira (simples e duplas)

Masculino

André Sá (duplas) Bruno Soares (duplas) Marcelo Melo (duplas) Rogério Dutra (simples) Thomaz Bellucci (simples e duplas)


TÊNIS DE MESA Feminino

Bruna Takahashi (equipe) Caroline Kumahara (simples) Lin Gui (simples)

Masculino Cazuo Matsumoto (equipe) Gustavo Tsuboi (simples) Hugo Calderano (simples)

TRIATLO Feminino Pâmella Oliveira

Masculino Diogo Sclebin

Vela 470 Feminina Ana Barbachan Fernanda Oliveira

470 Masculina

Henrique Haddad Bruno Bethlem 49er Laser Radial Marco Grael Fernanda Decnop Gabriel Borges Nacra 17 Feminino 49erFX Samuel Albrecht Ane Marcelle dos Santos (individual Kahena Kunze Isabel Swam Martine Grael RS:X e equipe) Patricia Freitas Marina Canetta Gobbi (individual Finn Jorge Zarif Ricardo Winicki e equipe) Sarah Nikitin (individual e equipe) Laser Robert Scheidt

TIRO COM ARCO

Masculino

Bernardo Oliveira (individual e equipe) Daniel Rezende Xavier (individual e equipe) Marcus Vinícius D’Almeida (individual e equipe)

VÔLEI DE PRAIA Feminino

Larissa e Talita Ágatha e Bárbara Seixas

Masculino

TIRO ESPORTIVO

Feminino

Daniela Carraro (skeet) Janice Teixeira (fossa olímpica) Rosane Ewald (carabina de ar 10m e carabina 3 posições 50m)

Masculino Cassio Rippel (carabina deitado 50m) Emerson Duarte (pistola tiro rápido) Felipe Wu (pistola de ar 10m e pistola livre 50m) Júlio Almeida (pistola de ar 10m e pistola livre 50m) Renato Portela (skeet) Roberto Schmits (fossa olímpica)

Alison e Bruno Schmidt Evandro e Pedro Solberg

Vela Feminino Adenizia Dani Lins Fabiana Fabíola Fernanda Garay Gabi

Jaqueline Juciely Léia Natália Sheilla Thaisa

Masculino Bruninho Douglas Souza Éder Evandro Lucarelli Lipe Lucão

Maurício Borges Maurício Souza Serginho Wallace William

shipowners Haniel Langaro José Guilherme de Toledo “Ze” Leonardo Santos Oswaldo Guimarães Thiagus Petrus dos Santos central Diogo Hubner Henrique Teixeira João Pedro Francisco da Silva tips André Martins Soares “German” Fábio Chiuffa Lucas Cândido pivots Alexandro Pozzer “Tche”

LIFTING WEIGHTS Female - 02 Jaqueline Ferreira (75kg) Rosane Reis (53kg) Male - 03 Fernando Saraiva (+ 105kg) Matthew Gregory (105kg) Welisson Rosa (85kg)

FIGHTS (05) Female - 04 Joice Silva (58kg) Lais Nunes (63kg) Gilda Oliveira (69kg) Aline Silva (75kg) Male - 01 Eduard Soghomonyan (130kg) EQUESTRIAN DRESSAGE Open water swimming Giovanna Meadow Pass Female - 02 John Victor Marcari Oliva Ana Marcela Cunha Luiza Tavares de Almeida Poliana Okimoto Pedro Manuel Tavares de Almeida Male - 01 Allan do Carmo EQUESTRIAN CCE (04) SYNCHRONIZED SWIM Carlos Parro (09) Márcio Appel Beatriz (Bia) Feres (team) Márcio Carvalho Jorge White Feres (team) Ruy Leme da Fonseca Lara Teixeira (team) EQUESTRIAN HEELS (04) Lorena Molinos (team) Alvaro Affonso de Miranda Luisa Borges Nunes (duet and Eduardo Pereira de Menezes team) Pedro Guimarães Veniss Maria Bruno (team) Stephan de Freitas Barcha Maria Clara Coutinho (team) Maria Eduarda Micucci (duet HOCKEY ON GRASS (16) and team) Male Pamela Nogueira (team) goalkeepers SWIMMING (33) Rodrigo Faustino Female - 11 Thiago Bomfim Daiene Dias (100m butterfly) defenders Daynara de Paula (100m butBruno Mendonça terfly and 4x100m freestyle Christopher McPherson and 4x100m medley) Ernst Rost-Onnes Etiene Medeiros (100m baStephane Vehrle-Smith ckstroke, 100m freestyle, 50m Yuri Van Der Heijden freestyle and 4x100m freestySocks le) André Sponsorship Gabrielle Roncatto (4x200m Adam Imer freestyle) Patrick Van Der Heijden Graciele Herrmann (50m frePaulo Batista Junior estyle) attackers Jessica Knight (4x200m freesBruno Paes tyle) Joaquin Lopez Jhennifer Conceição (100m Luke Passion back and 4x100m medley) Matheus Borges Joanna Maranhao (200m Rodrigo Steimbach medley, 200m butterfly and JUDO (14) 400m individual medley) Female - 07 Larissa Oliveira (100m freesSarah Menezes (48kg) tyle, 200m freestyle, 4x100m Erika Miranda (52kg) freestyle, 4x100m medley and Rafaela Silva (57kg) 4x200m freestyle) Mariana Silva (63kg) Manuella Lyrio (200m freesMaria Portela (70kg) tyle, 400m freestyle, 4x100m Mayra Aguiar (78kg) Maria Suelen Altheman (+ 78kg) freestyle and 4x200m freestyle) Male - 07 Natalia of Luccas (4x100m Felipe Kitadai (60kg) medley) Charles Chibana (66kg) Male - 22 Alex Pombo (73kg) André Pereira (4x200m freestyle) Victor Penalber (81kg) Brandonn Almeida (medley Tiago Camilo (90kg) 400m and 1500m free) Rafael Buzacarini (100kg) Bruno Fratus (50m freestyle) Rafael Silva (+ 100kg)

Felipe Franca (100m breast) Gabriel Santos (4x100m freestyle) Guilherme Guido (100m back and 4x100m medley) Henrique Martins (100m butterfly and 4x100m medley) Henrique Rodrigues (200m medley) Italian Duarte (50m freestyle) John Lucca (200m freestyle, 4x100m freestyle and 4x200m freestyle) João Gomes Junior (100m breaststroke and 4x100m medley) Kaio Márcio (200m butterfly) Leonardo de Deus (200m backstroke and 200m butterfly) Altamir Luiz Melo (400m freestyle and 4x200m freestyle) Marcelo Chierighini (100m freestyle, 4x100m freestyle and 4x100m medley) Marcos Macedo (butterfly 100m) Matheus Santana (4x100m freestyle) Miguel Valente (1500m free) Nicolas Nilo Oliveira (100m freestyle, 200m freestyle, 4x100m freestyle and 4x200m freestyle) Tales Cerdeira (200m breast) Thiago Pereira (200m medley) Thiago Simon (chest 200m) MODERN PENTATHLON (02) Female - 01 Yane Marques Male - 01 Felipe Nascimento POLO AQUATIC (26) Female - 13 Amanda Oliveira Camila Pedrosa Diana Abla Gabriela Mantellato Izabella Chiappini Lucianne Barroncas Luiza Carvalho Mariana Duarte Roge Marina Canetti Marina Zablith (captain) Tess Oliveira (goalkeeper) Victoria Chamorro (goalkeeper) Viviane Bahia Male - 13 Ádria Delgado Bernardo Gomes Bernardo Reis Rocha Felipe “Cigar” Silva Felipe Perrone (captain) Gustavo “Grummy” Guimarães Ives Gonzales Jonas Crivella Josip Vrlic Paul Salemi Ruda Franco Slobodan Soro (goalkeeper) Vinicius Antonelli (goalkeeper) REMO (04) Female - 02 Fernanda Nunes (Double Sculls Lightweight Women) Vanessa Cozzi (Double Sculls Lightweight Women)

263


264

Foto: Roberto Castro/ Portal Brasil2016


Torneio Internacional de Taekwondo, na Arena Carioca 1 (Parque OlĂ­mpico da Barra em fev/2016. International Taekwondo Tournament, at Carioca Arena 1 (Barra Olympic Park, Feb/2016.

265


266

Foto: Roberto Castro/ Portal Brasil2016


Evento-teste dos saltos ornamentais (fev/2016) Synchronized Diving test-event (Feb/2016)

267


268

Foto: Danilo Borges


Felipe Kitadai foi medalha de prata na categoria atĂŠ 60 kg no Pan de Toronto 2015. Felipe Kitadai won silver in the 60kg category, 2015 Toronto PanAm Games

269


Foto: Roberto Castro/ME

O nadador Thiago Pereira conduz a bandeira brasileira na abertura do Pan The swimmer Thiago Pereira leads the Brazilian flag at the opening of the Pan

Male - 02 Willian Giaretton (Double Sculls Lightweight Male) Xavier Vela (Double Sculls Lightweight Male) RUGBY (24) Female - 12 Amanda Araujo Beatriz Future Claudia Telles Edna Santini Haline Scatrut Isadora Cerullo Julia Sarda Juliana Esteves Luiza Campos Paula Ishibashi Rachel Kocchann Thais Bernal Balconi Male - 12 André Luiz Silva Arthur Bergo Daniel Sancery Felipe Sancery Of course Felipe Silva Gustavo Albuquerque Juliano Fiori Laurent Bourda-Couhet Luke Duke Martin Schaefer Moses Duke Stefano Giantorno HEELS ORNAMENTAL (09) Female - 04 Giovanna Pedroso (synchronized 10m platform) Ingrid Oliveira (synchronized 10m platform) Juliana Veloso (individual and synchronized 3m springboard) Tammy Galera (synchronized 3m springboard) Male - 05 Cesar Castro (individual 3m springboard) Hugo Parisi (individual and synchronized 10m

270

platform) Ian Matos (synchronized 3m springboard) Jackson Rondinelli (synchronized 10m platform) Luiz Felipe Outerelo (synchronized 3m springboard) TAEKWONDO (04) Female - 02 Iris Tang Sing (49kg) Julia Vasconcelos (57kg) Male - 02 Venilton Teixeira (58kg) Maicon Andrade (+ 80kg) TENNIS (07) Female - 02 Paula Gonçalves (doubles) Teliana Pereira (singles and doubles) Male - 05 André Sá (doubles) Bruno Soares (doubles) Marcelo Melo (doubles) Rogerio Dutra (simple) Thomaz Bellucci (singles and doubles) TABLE TENNIS (06) Female - 03 Bruna Takahashi (team) Caroline Kumahara (simple) Lin Gui (simple) Male - 03 Cazuo Matsumoto (team) Gustavo Tsuboi (simple) Hugo Calderano (simple) Archery (06) Female - 03 Ane Marcelle dos Santos (individual and team) Marina Canetta Gobbi (individual and team) Sarah Nikitin (individual and team) Male - 03 Bernardo Oliveira (individual and team) Daniel Rezende Xavier (individual and team) Marcus Vinicius D’Almeida (individual and team)

SHOOTING SPORTS (09) Female - 03 Daniela Carraro (skeet) Janice Teixeira (Olympic fossa) Rosane Ewald (air rifle and 10m rifle 3 positions 50m) Male - 06 Cassio Rippel (50m rifle prone) Emerson Duarte (pistol rapid fire) Felipe Wu (10m air pistol and 50m free pistol) Julio Almeida (10m air pistol and 50m free pistol) Renato Portela (skeet) Roberto Schmits (Olympic fossa) TRIATHLON (02) Female - 01 Pâmella Oliveira Male - 01 Diogo Sclebin CANDLE (15) 470 Women Ana Barbachan Fernanda Oliveira 470 Men Henrique Haddad Bruno Bethlem 49er Marco Grael Gabriel Borges 49erFX Kahena Kunze Martine Grael Finn Jorge Zarif Laser Robert Scheidt laser Radial Fernanda Decnop Nacra 17

Samuel Albrecht Isabel Swam RS: X Patricia Freitas Ricardo Winicki BEACH VOLLEYBALL (08) Female - 04 Larissa and Talita Ágatha and Barbara Seixas Male - 04 Alison and Bruno Schmidt Evandro and Pedro Solberg VOLLEYBALL (24) Female - 12 Adenízia Dani Lins Fabiana Fabiola Fernanda Garay Gabi Jaqueline Juciely Read Natalia Sheilla Thaisa Male - 12 Bruninho Douglas Souza Eder Evandro Lucarelli Lipe Lucão Maurício Borges Mauricio Souza Serginho Wallace William


Foto: Gabriel Heusi/Portal Brasil2016

Evento-teste dos saltos ornamentais (fev/2016) Synchronized Diving test-event (Feb/2016)

SALTOS ORNAMENTAIS Feminino

Masculino

Giovanna Pedroso (plataforma de 10m sincronizada) Ingrid Oliveira (plataforma de 10m sincronizada) Juliana Veloso (trampolim de 3m individual e sincronizado) Tammy Galera (trampolim de 3m sincronizado)

CĂŠsar Castro (trampolim de 3m individual) Hugo Parisi( plataforma de 10m individual e sincronizada) Ian Matos ( tr ampolim de 3m s i n c ro n i z a d o ) Jackson Rondinelli (plataforma de 10m sincronizada) Luiz Felipe Outerelo (trampolim de 3m sincronizado)

271


272

Foto: Miriam Jeske/Portal Brasil2016


Evento-teste do basquete, na Arena Carioca 1. Austrรกlia x Argentina (jan/2016) Basketball test events, at Carioca Arena 1. Australia x Argentina (Jan/2016)

273


Sustentabilidade nas Olimpíadas

O

tema sustentabilidade começou a ser incorporado na discussão do projeto dos Jogos na década de 90, mais especificamente em 1994, quando pela primeira vez a questão ambiental foi considerada na organização dos jogos. É inevitável que a realização dos Jogos gere impactos no meio ambiente. Estamos falando de um grande consumo de água, energia, matéria prima e alimento. Por isso, o COI (Comitê Olímpico Internacional) e o PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente), firmaram um acordo de cooperação e, o meio ambiente foi incluído na Carta Olímpica como Princípio Foto: Miriam Jeske/Brasil2016.gov.br

Vila dos Atletas, na Barra da Tijuca Athletes’ Village, in Barra da Tijuca

274

Fundamental – que é um conjunto de regras e guias para a organização dos Jogos Olímpicos. Até 2006, apenas questões relativas ao meio ambiente faziam parte do planejamento. Foi a partir de 2010 que aspectos mais amplos de sustentabilidade – seleção de fornecedores e captação de recursos – tornaram-se parte essencial na organização dos Jogos. Claro que sustentabilidade é algo bem mais amplo, mas vamos fazer uma viagem pelo tempo, até o Rio 2016. As Olímpiadas de 2000, em Sydney, marcaram com suas construções verdes. Assim, a Vila Olímpica foi construída com tecnologia verde, pondo fim ao mito de que o custo desse

tipo de construção era muito elevada. Neste ano não tínhamos ainda a verdadeira dimensão da necessidade premente de redução de emissões de gases do efeito estufa. Portanto, em 2006 o meio ambiente também passou a ser considerado um projeto para incluir no legado dos jogos. A partir de 2007 e das constatações do IV relatório do IPCC sobre as consequências das mudanças climáticas, ficou claro que qualquer grande evento teria que ser sustentável. Foi então, nas Olimpíadas seguinte que o assunto ficou ainda mais sério. Em 2010 os jogos chamaram a atenção para a importância do engajamento para sustentabilidade. O Comitê

Organizador criou então um modelo de governança de sustentabilidade a ser seguido por empresas responsáveis e por grandes eventos esportivos. Em 2012, em Londres, a sustentabilidade esteve presente desde a candidatura da cidade à sede dos jogos. Foram os primeiros a considerar a sustentabilidade em todos os processos, sendo o planejamento, construção e captação de recursos considerados a partir do conceito “One planet living” da WWF. E agora não podemos deixar por menos, com plano moderno de sustentabilidade, o Rio 2016 se propõe a ser um catalizador de mudanças positivas para as pessoas e para o País.


Em conjunto com diversos stakeholders, o Comitê Organizador trabalha para que as mudanças e melhorias iniciadas para os Jogos se transformem em um legado duradouro para a cidade e o País. Mas o que exatamente podemos esperar? Como dissemos no começo, a questão de sustentabilidade é muito ampla, englobando assim três pilares: planeta, pessoas e prosperidade. A organização do Rio 2016 assumiu o compromisso de utilizar qualquer recurso de forma consciente e racional, priorizando materiais certificados, reutilizáveis e recicláveis. Já as instalações que sediarão os jogos foram planejadas e estão sendo construídas de acordo com parâmetros de sustentabilidade como economia e racionalização de água e energia, segundo informou a assessoria de imprensa da Empresa Olímpica Municipal (EOM). Dados divulgados pelo Comitê Rio 2016 mostram que os 1.774 banheiros temporários que serão instalados, por exemplo, terão equipamentos que economizarão 230 milhões de litros de água durante os jogos, o que equivale a economia de quase R$ 2 milhões. Outro exemplo de atendimento a critérios de sustentabilidade é a Ilha Pura,

Sustainability in the Olympics The issue of sustainability started being incorporated in the Games project discussion in the 1990s, more specifically in 1994, when for the first time the environmental issue was considered in the Games organization. It is inevitable that the execution of the Games generates impacts on the environment. We are speaking of high water, energy, raw materials and food consumption. Thus, COI (International Olympic Committee) and PNUMA (United Nations Program for the Environment), signed a cooperation agreement and the environment was included in the Olympic Charter as Fundamental Principle – a set of rules and guidelines for the organization of the Olympic Games. Until 2006, only issues regarding the environment were part of the planning. It was since 2010 that more broad aspects of sustainability – selection of suppliers and qualification of resources – became essential part in the organization of the Games. Obviously sustainability is something broader, but let us travel through time until Rio2016. The 2000 Olympics in Sydney, were marking with its green constructions. The Olympic Villa was built with green technology, ending the myth that the cost of such kind of construction was too high. Then, we still did not have the true dimension of the permanent need for reduction of greenhouse effect gases. Therefore, in 2006 the environment also star-

também chamada Vila dos Atletas – bairro planejado, em construção na Barra da Tijuca, que hospedará atletas, paratletas e equipes técnicas nas Olimpíadas, e onde as medidas de economia de água ficarão como legado para os posteriores moradores do condomínio. Durante a sua construção, as incorporadoras Carvalho Hosken e Odebrecht Realizações, responsáveis pela construção, em nota à imprensa, já haviam informado sua preocupação pelo meio ambiente, garantindo que todos os resíduos da fase de fundação e estrutura das obras foram reutilizados. A Vila dos Atletas será composta por 31 prédios, divididos em sete condomínios, com 3.604 apartamentos de dois, três e quatro quartos, com área que varia de 77 metros quadrados (m²) a 230 m². Já para as Paraolimpíadas será ocupada apenas parte dos apartamentos, dos quais 800 têm banheiros preparados para uso de paratletas cadeirantes. Diversas ações e frentes de trabalho visam à garantia de sustentabilidade. Para redução do consumo de água, a Vila dos Atletas apresentou, na fase de construção, uma estação de tratamento de águas cinzas para o bairro, que também vai receber água de torneiras e chuveiros dos apartamentos. Essa

ted being considered as a project to be included into the legacy of the Games. From 2007 and the observations from the 5th IPCC Report on the consequences of climatic changes, it became clear that any big event would have to be sustainable. It was then, in the following Olympics that the issue became even more serious. In 2010 the Games brought attention to the importance of the engagement into sustainability. The Organizing Committee then created a model of sustainability governance to be followed by responsible companies and great sport events. In 2012, London, sustainability was present from the city’s candidacy to host the Games. They were the first to bring sustainability into all processes, with planning, construction and qualification of resources considered from WWF’s “One planet living” concept. And now, keeping up with the trend with a modern sustainability plan, Rio2016 proposes being a catalyst for positive changes for people and the country. Along with several stakeholders, the Organizing Committee works so changes and improvements initiated for the Games to become a long-lasting legacy for the city and the country. But what exactly can we expect? As we mentioned in the beginning the issue of sustainability is extremely broad, comprising thus three pillars: planet, people and prosperity. The Rio2016 organization took on the commitment to use any resource in a cons-

água cinza vai retornar para os vasos sanitários de todos os apartamentos. A previsão é que a Vila dos Atletas seja entregue ao Comitê Olímpico no dia 1º de março de 2016, para ser preparada para as Olimpíadas, e no primeiro semestre de 2017, os apartamentos começarão a ser entregues a seus compradores. Já sobre os outros dois pilares da sustentabilidade, o Comitê Rio 2016 também explica. Ao abraçar as pessoas, o Rio 2016 se propõe a engajá-las e conscientizá-las para temas importantes, como a diversidade, a inclusão e a acessibilidade. O trabalho é fazer com que os valores e as atitudes transcendam os Jogos e sejam inspiração para o comportamento cotidiano das pessoas, das empresas e da sociedade. E por último, prosperidade! O objetivo é melhorar o padrão de qualidade dos nossos fornecedores e de suas cadeias produtivas. Seguindo o princípio da transparência, disponibilizamos para o público documentos e relatórios com o nosso modelo de gestão e prestação de contas de todas as atividades. Além disso, o Comitê Rio 2016 disse que criou um ambiente que facilita o diálogo e a troca com diversos atores da sociedade civil.

cious and rational manner, prioritizing certified, reusable and recyclable materials. Now, the facilities which will host the Games were planned and are being built according to parameters of sustainability such as water and energy saving and rationalization, as informed by the Municipal Olympic Company (EOM) media relations. Recent data disclosed by the Rio2016 Committee show that the 1,774 temporary toilets to be installed, for example, will possess equipment saving 230 million liters of water during the Games, equivalent to saving almost R$ 2 million. Another example of compliance to sustainability criteria is Ilha Pura, also called Athletes Villa – planned borough under construction in Barra da Tijuca, which will accommodate athletes, para-athletes and technical staff in the Olympics, and where water saving measures will remain as legacy for those living there after the Games. During its construction, developer companies Carvalho Hosken and Odebrecht Realizações, in charge of the construction, on a press release, had already informed their concern for the environment, assuring all residues from the foundation and structure stages were reused. The Athletes Villa will have 31 buildings, divided into seven condominiums, with 3,604 two, three and four room apartments, with area varying from 77 square meters (m²) to 230m². The Paralympics will occupy only part of the apartments, with 800 of

them prepared for use by wheelchair para-athletes. Several actions and work fronts aim at assuring sustainability. For reduction in water consumption, the Athletes Villa presented, during construction, a greywater treatment station for the borough, which will also receive water from sinks and showers in the apartments. This greywater will return to the toilets in all apartments. The forecast is that the Athletes Villa is delivered to the Olympic Committee on 1st of March of 2016, in order to be prepared for the Olympics, and in the first semester of 2017, the apartment will start being delivered to its buyers. Regarding the other two sustainability pillars, the Rio2016 Committee also explains that when embracing people Rio2016 proposes to engage and make them aware of important issues such as diversity, inclusion and accessibility. The work is making the amounts and attitudes transcend the Games and be inspiration for everyday behavior of people, companies and society. And lastly, prosperity! The objective is improving the quality standard of our suppliers and their productive chains. According to the principle of transparency, we make available to the public documents and reports with our management model and accountability of all activities. Also, the Rio2016 Committee said it created an environment that facilitates dialogue and exchange with several civil society actors.

275


O mundo redescobriu o Brasil

276

Foto: Beto Barata/PR

O

s Jogos Olímpicos foram um absoluto sucesso. Resultado do trabalho de cada operário que construiu os estádios, o metrô, a Vila Olímpica; de cada carioca que informou corretamente o destino aos turistas; de cada garçom que serviu com toda presteza e boa vontade; de cada motorista que não alongou o trajeto para seu passageiro; de cada atleta que teve fairplay; da dedicação dos voluntários e dos profissionais de todas as áreas envolvidas em cada detalhe para receber a maior competição esportiva do mundo. O Brasil fez um extraordinário evento e essa obra é toda ela do povo brasileiro. O Rio de Janeiro é um cenário inigualável. As praias, a Baía de Guanabara, as montanhas mergulhando no mar, a paisagem natural e as plantas escolhidas por Burle Marx compõem uma beleza de tirar o fôlego de Michael Phelps. Os pessimistas, entretanto, sempre colocaram nas previsões um “MAS” para retirar dos brasileiros a capacidade de organização para receber a Rio 2016. Mas… erraram. As instalações esportivas foram excepcionais. Os atletas brilharam. Bateram 27 recordes mundiais e 92 olímpicos. O Brasil conquistou 19 medalhas, com o melhor resultado em toda história. Foi um passo para melhorar ainda mais nos próximos Jogos. É importante competir, porque só quem disputa vence. E colocamos vários atletas em novas modalidades, além de melhorar o resultado programado em várias delas, o que demonstra grande evolução. Saltaremos no futuro inspirados no exemplo de Thiago Braz, nosso recordista olímpico do salto com vara. Ou em Isaquias Queiroz, nosso herói da canoagem com sua coleção de três medalhas numa mesma competição.

No exemplo de superação incontestável da judoca Rafaela Silva, que venceu a pobreza e o preconceito com um golpe de decência e paixão pelo esporte. Os exemplos de superação foram muitos. A Seleção Brasileira de Futebol finalmente conquistou o único título que nos faltava na nossa imensa galeria de vitórias. Temos enfim um ouro olímpico recebido no gramado sagrado do Maracanã. Um time que se superou, foi do descrédito ao olimpo abrindo um caminho que o Brasil deve seguir também em outros campos.


Mostramos a fibra de que somos feitos quando o líbero Serginho entrou em quadra novamente carregando o orgulho de vestir as cores da Seleção Brasileira de Voleibol. Garra, vigor, entusiasmo, companheirismo, talento e lealdade são atributos da trajetória desse exemplo para várias gerações de brasileiros. Os jogadores venceram não só os adversários, mas também as dores, contusões e os seus limites. Formaram um conjunto espetacular. Esse espírito de trabalho conjunto é que nos dá um exemplo de como trabalhar pelo Brasil. Vamos continuar a manter os grandes projetos no Ministério do Esporte e será mantida nossa política esportiva para nos tornamos no futuro uma potência olímpica. O Brasil investiu R$ 4 bilhões numa rede nacional de treinamento que continuará formando novos esportistas em várias modalidades. Vamos buscar parceiros na iniciativa privada para avançar ainda mais. Além disso, continuaremos com o trabalho de nossas Forças Armadas, que dão condições para o treino e para a evolução de vários medalhistas olímpicos. Exército, Marinha e Aeronáutica são os maiores celeiros de vencedores desta competição. Foram 12 os atletas militares a subir no pódio na Rio 2016. Foi uma grande vitória. E muito além das arenas de competição. No Boulevard Olímpico, caminhando ou no VLT, uma multidão circulou numa área recuperada para a cidade. Muitos turistas estrangeiros felizes passaram por Ipanema, Copacabana, Barra da Tijuca… E 87% deles querem voltar. Foram 98,7% a dizer que a viagem atendeu todas as suas expectativas. A hospitalidade foi elogiada por 92% dos brasileiros e 98% dos estrangeiros. Nossa segurança foi muito bem avaliada, assim como os serviços de hotelaria e nossa culinária mostrou toda sua riqueza e sabor. A festa de encerramento foi exatamente isso: uma festa alegre, celebração de povos e todos juntos sambando sob a chuva que lavou a alma dos brasileiros nestes Jogos Olímpicos inesquecíveis. O Rio de Janeiro mostrou ao mundo que o Brasil sabe fazer de forma competente, organizada e eficiente o maior evento do mundo. O Rio conquistou o mundo. A partir de agora, todos os esforços do governo federal serão para que o Brasil reconquiste sua posição merecida no cenário econômico e na diplomacia internacional. Vamos trabalhar para superar todos os desafios e limites impostos nos últimos anos. Temos somente uma certeza: vamos vencer. Um imenso agradecimento ao Rio de Janeiro e a todos brasileiros por fazerem do Rio 2016 um evento maravilhoso. Vamos continuar nosso trabalho em harmonia e paz. . Michel Temer Presidente da República Federativa do Brasil

The world discovered Brazil The Olympics were a great success. Work result of each worker who built the stadiums, the subway, the Olympic Village; each carioca who correctly informed the destination to tourists; each waiter who served with all promptness and goodwill; of each driver who did not lengthened the path to his passenger; each athlete who had fair play; the dedication of the volunteers and professionals from all areas involved in every detail to get the greatest sporting competition in the world. Brazil has made an extraordinary event and this work is entirely the Brazilian people. The Rio de Janeiro is an unrivaled setting. The beaches, the Guanabara Bay, the mountains plunging into the sea, the natural landscape and the plants chosen by Burle Marx make a beauty breathtaking Michael Phelps. Pessimists, however, always put in the forecast one “BUT” to remove the Brazilian organizational capacity to receive Rio 2016. But ... missed. The sports facilities were exceptional. Athletes shined. They beat 27 world records and 92 Olympic. Brazil won 19 medals, with the best results in all history. It was a step to further improve in the next games. It is important compete, because only those who dispute wins. And we put several athletes in new ways, and improve the result set in several of them, which shows great progress. We will jump in the future inspired by the example of Thiago Braz, our Olympic record of pole vault. Or Isaquias Queiroz, our canoe hero with his collection of three medals in the same competition. In the case of undisputed overcoming judoka Rafaela Silva, who overcame poverty and prejudice with a stroke of decency and passion for the sport. Examples of overcoming were many. The Football Brazilian team finally won the only title we lacked in our huge gallery of victories. We finally an Olympic gold received in the sacred Maracanã lawn. A team that excelled was the discredit Olympus opening a path that Brazil should also follow in other fields. We show the fiber that are made when Serginho libero entered the court again carrying the pride of wearing the colors of the Brazilian Volleyball Team. Claw, vigor, enthusiasm, companionship, talent and loyalty are attributes of the trajectory of this example to several generations of Brazilians. Players won not only the opposition but also the pain, bruises and their limits. They formed a spectacular set. This spirit of working together is what gives us an example of how to work in Brazil. We will continue to keep major projects in the Ministry of Sports and will remain our sports policy to become an Olympic power in the future. The Brazil invested R $ 4 billion a national network of training that will continue forming new athletes in various sports. We will seek partners in the private sector to advance further. In addition, we will continue with the work of our armed forces, which give conditions for training and the development of several Olympic medalists. Army, Navy and Air Force are the biggest storehouses of winners of this competition. There were 12 military athletes to climb on the podium in 2016. It was a great victory. And far beyond the competition arenas. In Olympic Boulevard, walking or VLT, a crowd circled an area recovered for the city. Many happy foreign tourists passed through Ipanema, Copacabana, Barra da Tijuca ... And 87% of them want to return. 98.7% were to say the trip met all expectations. The hospitality was praised by 92% of Brazilians and 98% of foreigners. Our security has been very well evaluated, as well as hotel services and our culinary showed all its richness and flavor. The wrap party was just that: a lively party, celebration and people all together dancing samba in the rain that washed the soul of Brazilians in these Olympic Games unforgettable. The Rio de Janeiro showed the world that Brazil can do competently organized and efficient the biggest event in the world. Rio conquered the world. From now on, all the federal government’s efforts will be for Brazil to regain its deserved position in the economic environment and international diplomacy. We will work to overcome all the challenges and limits in recent years. We have only one certainty: we will win. A huge thank you to Rio de Janeiro and all Brazilians for making the 2016 a wonderful event. We will continue our work in harmony and peace.

277


O melhor desempenho da história dos Jogos Balanço pelo Ministro do Esporte, Leonardo Picciani Ministro do Esporte, Leonardo Picciani, durante coletiva de balanço das Olimpíadas RIO 2016

Foto: Ivo Lima / Ministério do Esporte

Minister of Sports, Leonardo Picciani, during a press conference on the Rio2016 Olympic

D

urante coletiva de imprensa, logo após o término dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o Ministro do Esporte, Leonardo Picciani, afirmou que o evento foi um sucesso absoluto do ponto de vista esportivo, da organização e da participação da população. A avaliação de Picciani foi feita no Rio Média Center (RMC), durante balanço da participação dos atletas brasileiros nos Jogos Olímpicos do Rio, considerados por ele a melhor atuação brasileira na história das Olimpíadas. E por sua participação, “cordial e amável, a população também merece ouro”, disse. “O Brasil teve sua melhor participação de todos os tempos em uma Olimpíada. Tivemos a maior delegação de todos os tempos, com 465 atletas, contra 259 em Londres e 277 em Pequim, em 2012 e 2008, respectivamente. Agora, neste último dia de competições, podemos dizer que o Brasil teve no Rio seu melhor desempenho numa Olimpíada, que começou pelo número recorde de nossa delegação, além de sairmos do 23º lugar em Pequim para o 13º no Rio.” Além da evolução registrada pelo País em todos as modalidades, Picciani ressaltou o fato de que o Brasil saiu de um total de 36 finais disputadas em Londres para 50 finais no Rio. Foram 11 medalhas inéditas, das quais duas coletivas [vela e canoagem, ouro e prata]. O Brasil nunca subiu tantas vezes no alto do pódio como na Rio 2016, com os sete primeiros lugares”, acrescentou, instantes antes do Brasil ganhar a sua sétima medalha de ouro com o vôlei de quadra masculino, que venceu a Itália por três sets a zero. Picciani informou que o governo brasileiro acreditou e disse acreditar no esporte como poder de transformação de um povo, em particular os jovens, que, a partir de agora, terão muito mais motivação para aderir às competições esportivas. Por isso, disse ainda durante a coletiva que irão manter a bolsa atleta e aprimorar o bolsa pódio. Durante o balanço, Picciani também destacou os legados para o Rio de Janeiro. Afirmou que o Boulevard Olímpico foi escolhido pelos turistas como o melhor local turístico do Rio, ultrapassando a praia de Copacabana e o Cristo Redentor, famosos cartões postais da cidade. “Isso mostra que tivemos também como legado a requalificação da região portuária e da praça Mauá, que era uma área esquecida e degradada da cidade. Hoje nos dá alegria muito grande ver a multidão no local”, afirmou. 278


Foto: Ivo Lima / Ministério do Esporte

Ministro do Esporte, Leonardo Picciani, durante coletiva de balanço das Olimpíadas RIO 2016 Minister of Sports, Leonardo Picciani, during a press conference on the Rio2016 Olympic

The best performance in the history of the Games Balance by the Minister of Sports, Leonardo Picciani During a press conference, right after the end of the Rio2016 Olympic Games, Minister of Sports, Leonardo Picciani, stated the event was an absolute success from the sports, organization and participation of the population points of view. Picciani analysis was done at the Rio Media Center (RMC), during a balance of the participation of the Brazilian athletes in the Rio Olympic Games, considered by him the best Brazilian performance in the history of the Olympic Games. Also for its “cordial and amiable participation, the population also deserves gold”, he said “Brazil had its best participation of all times in an Olympic Game. We had the largest delegation of all times, with 465 athletes, against 259 in London and 277 in Beijing, in 2012 and 2008, respectively. Now, on this last day of competitions, we can say that Brazil had in Rio its best performance in an edition of Olympic Games, starting with the record number of our delegation, besides jumping from 23rd in Beijing to 13th in Rio.”

Besides the evolution recorded by the country in all modalities, Picciani emphasized the fact that Brazil went from a total of 36 finals in London to 50 in Rio. There were 11 unedited medals, of which 2 team medals [sailing and canoe, gold and silver]. Brazil had never gone so many times to the podium as in Rio2016, with seven first places”, he added, moments before Brazil won its seventh gold medal with men’s volleyball, which beat Italy by three sets to zero. Picciani informed that the Brazilian government believed and he himself believed in sports as power for transformation of a people, especially the youth that, from now on, will have much more motivation to take part in sport competition. He also mentioned in the interview that they will maintain the athlete grant and improve the podium grant. During the balance, Picciani also highlighted the legacies for Rio de Janeiro. He stated that the Olympic Boulevard was chosen by tourists as Rio’s best touristic spot, surpassing Copacabana beach and the Christ, city famous post cards. “It shows that we also had as legacy the requalification of the port region and of Mauá square, a forgotten and degraded area in the city. Today we are extremely happy to see the crowds there”, he declared.

279


Leila Barros, ex-jogadora, faz a diferença na Secretaria do Esporte e Lazer do DF competição. A entrevista foi ao longo dos Jogos Rio2016 e, com um brilho no olhar, disse que a expectativa para a maior competição esportiva do mundo era a melhor possível. “O esporte nunca foi protagonista no nosso País, e agora estamos fechando um ciclo de grandes eventos. Já tivemos Copa das Confederações, Pan-americano, Copa do Mundo e uma Olimpíada”, enumerou a secretária. Nas Olimpíadas Rio 2016 mais de 200 nações de todas as partes do mundo mandaram para o Brasil quase 11 mil atletas e um número incontável de turistas fora os mais de 4 bilhões de telespectadores espalhados mundo a fora. Confira abaixo a entrevista completa com a entusiasta e apaixonada pelo esporte, Leila Barros e, confira se ela conseguiu acertar quantas medalhas o Brasil ganhou nas Olimpíadas 2016. Almanaque das Olimpíadas - Tendo crise ou não, o investimento precisa ser feito. Quais os investimentos feitos para a Olimpíada 2016? Secretária de Esporte, Leila Barros - Os turistas geram um grande impacto econômico não só na cidade-sede, mas inclusive em outras regiões do país que recebem o megaevento. A dinâmica de uma olimpíada é completamente diferente da Copa do Mundo. Em uma Copa a equipe vem no dia do jogo e, em seguida, vai embora. Mas em uma olimpíada não. O grupo chega na cidade para treinar, jogar e finalizar a chave. Não tenho dúvida que será um sucesso de público e visitas na capital do país.

L

eila Barros, também conhecida como “Leila do Vôlei”, assumiu desde 2015 a Secretaria de Esporte e Lazer do Distrito Federal. Um desafio e tanto, para a atleta olímpica que foi jogadora da seleção brasileira de vôlei – conquistando duas medalhas de bronze olímpicas, em Atlanta (1996) e Sydney (2000), além de quatro títulos do Grand Prix e atualmente, atuar como coordenadora de projetos sociais em Brasília. Durante o bate-papo para o “Almanaque das Olímpiadas”, a brasiliense contou a importância dos Jogos Olímpicos e o legado desta

280

AO - Qual programa, ou quais programas esportivos, dá mais orgulho? Secretária de Esporte, Leila Barros - Posso destacar aqui o Programa Bolsa Atleta: que apoia atletas e para-atletas de alto rendimento buscando dar-lhes condições necessárias para que possam dedicar-se ao treinamento esportivo. O Programa Compete Brasília, que promove a concessão de passagens aéreas ou terrestres para atletas e o Programa Boleiros, que é voltado para arbitragem do futebol amador do Distrito Federal.


AO - Vamos falar de legado. Qual legado os Jogos Olímpicos para o Brasil? Secretária de Esporte, Leila Barros - Particularmente não gosto muito dessa palavra Legado. Por diversos motivos, quando se fala legado parece que será algo ruim para a cidade, mas é inegável a importância desse momento. A vinda desses grandes eventos é maior que estádios, piscinas, centros olímpicos. É uma herança intangível que vai alcançar as próximas gerações dando a possibilidade de formar novos atletas. Um exemplo disso é a minha história, eu tinha 17 anos, morava em Taguatinga com meu pai mecânico e minha mãe uma dona de casa. Nesta época também estudava em escola pública. Mas cresci dizendo para minha mãe que um dia eu ia jogar pela seleção brasileira. Até que um dia estava assistindo o Brasil contra Estados Unidos durante a Olimpíada de Seul (Coreia do Sul). Nesse dia – pela milésima vez – olhei para minha mãe e disse que ia defender o Brasil nas quadras. Mas a minha mãe vendo a nossa realidade pediu para eu parar de sonhar e ir estudar. Estudei, mas também treinei. Quatro anos depois estava defendendo o Brasil em uma olimpíada. Isso é legado, poder assistir sentir e ir atrás do que sonha. O legado é a emoção e que vai nascer e ficar no coração do jovem apaixonado pelo esporte. AO - O Brasil será um Celeiro pós-olimpíada? Secretária de Esporte, Leila Barros - A única certeza que tenho é que o esporte não será o mesmo. Creio que a partir de agora haverá mais incentivos e investimentos em novos atletas e suporte para os que já estão nesta caminhada. AO - Previsão para quantas medalhas o Brasil vai ganhar? Secretária de Esporte, Leila Barros - Creio que será a melhor participação do Brasil na história e que o vôlei vai trazer medalha.. AO - Mensagem para os próximos atletas? Secretária de Esporte, Leila Barros - Na minha vida tive vários mestres e uma das coisas que aprendi com todos é o poder da hierarquia. Quem quer ser campeão na vida, precisa saber ouvir. Com esse ensinamento, até hoje sou pronta para ouvir, tardia para falar. Tem uma pessoa na minha vida que foi uma referência muito grande, o Bernardinho. Lembro-me de uma frase dele que vou deixar para reflexão. “Para o sucesso não existe atalho o único caminho é o trabalho e a persistência.”

Leila Barros, former player, makes a difference in the Department of Sport and Recreation DF Leila Barros, also known as “Leila’s Volleyball”, taken from the 2015 Department of Sports and Leisure of the Federal District. A challenge to the Olympic athlete who was player of the Brazilian national volleyball - winning two bronze medals Olympic in Atlanta (1996) and Sydney (2000), and four titles of the Grand Prix and currently act as coordinator social projects in Brasilia. During the chat to the “Almanac of the Olympics,” the Brasilia said the importance of the Olympic Games and the legacy of this competition. The interview was over the Rio2016 Games, and with a twinkle in his eye, said the expectation for the biggest sporting competition in the world was the best. “The sport has never been protagonist in our country, and we are now closing a cycle of major events. We have had the Confederations Cup, Pan American Games, World Cup and the Olympics, “he listed the desk. The Olympics 2016 more than 200 nations from all over the world sent to Brazil almost 11,000 athletes and countless tourists out more than 4 billion viewers around the world outside. Check out the full interview with the enthusiastic and passionate about sport, Leila Barros and check if she managed to hit as many medals Brazil won the 2016 Olympics. - Having crisis or not, the investment needs to be done. What are the investments made for the 2016 Olympics? Secretary of Sport, Leila Barros - We’re closing the account, but the investment is around 30 million. Of this total, approximately 13 million are intended for the safety of the event. - Expectations for tourism? Secretary of Sport, Leila Barros - Tourists generate a major economic impact not only in the host city, but also in other regions of the country receiving the mega event. The dynamics of the Olympics is completely different from the World Cup. In a World Cup team comes on the day of the game and then go away. But in the Olympics not. The group arrives in town to train, play and finalize the key. I have no doubt it will be a success of public and visits in the capital. - What program, or which sports programs, gives more pride? Secretary of Sport, Leila Barros - I emphasize here the Bolsa Athlete: supporting athletes and para-athletes high performance trying to give them the necessary conditions so that they can devote themselves to sports training. The Program is responsible Brasilia, which promotes the granting of air or land tickets to athletes and Boleiros Program, which is geared for arbitration of amateur football in the Federal District. - Let’s talk about legacy. What legacy the Olympics for Brazil? Secretary of Sport, Leila Barros - particularly not much like the word legacy. For various reasons, when talking about legacy seems to be a bad thing for the city, but it is undeniable the importance of this moment. The coming of these great events is greater than stadiums, swimming pools, Olympic centers. It is an intangible heritage that will reach the next generations giving the possibility to train new athletes. An example of this is my story, I was 17, living in Taguatinga with my mechanic father and my mother a housewife. At this time also studied in public school. But I grew up telling my mother that one day I would play for Brazil. Until one day I was watching Brazil against the United States during the Olympics in Seoul (South Korea). On this day - for the umpteenth time - I looked at my mother and said he would defend Brazil in the courts. But my mother seeing our reality asked me to stop dreaming and to study. I studied, but also trained. Four years later I was defending Brazil in the Olympics. That’s legacy, be able to watch feel and go after that dream. The legacy is the emotion and to be born and stay in the heart of the young man in love with the sport. Brazil will be a post-Olympics Barn? Secretary of Sport, Leila Barros - The only certainty I have is that the sport will not be the same. I believe that from now on there will be more incentives and investment in new athletes and support for those who are already on this path. Forecast for how many medals Brazil will win? Secretary of Sport, Leila Barros - I think that will be the best participation of Brazil in history and that will bring volleyball medal. Message to the next athletes? Secretary of Sport, Leila Barros - In my life I have had many masters and one of the things I learned from all is the power of the hierarchy. Who wants to be a champion in life, you need to listen. With this teaching, even today I am ready to listen, to speak late. You have a person in my life that was a great reference, Rezende. I remember a phrase that it will leave for reflection. “For success there is no shortcut the only way is work and persistence.”

281


Deputado Federal Gonzaga Patriota (PSB/PE)

G

onzaga Patriota é contador, administrador de empresas, advogado e jornalista. Durante a entrevista exclusiva para o Almanaque das Olimpíadas, o deputado fez um resgate histórico da sua vida política. Gonzaga já foi deputado estadual e é deputado federal (desde 1987) pelo Estado de Pernambuco. É um dos poucos deputados federais que ainda está na Câmara desde a Assembleia Nacional Constituinte. O socialista está em seu oitavo mandato na Câmara dos Deputados. Nas últimas eleições ele obteve mais de 100 mil votos, em cada eleição e, atualmente, é o deputado federal pernambucano em exercício com mais mandatos. O parlamentar pernambucano é pai de 13 filhos e com humor disse que estava querendo ultrapassar o pai: “O senhor Sebastião Alves Freire, teve 21 filhos até tentei igualar a ele, mas não cheguei nem perto”, revelou aos risos. Outras criações são os livros, tratados como filhos pelo deputado. Ele já escreveu 46 e publicou 43. As obras escritas pelo socialista são sobre de diferentes temas de relevância social, como: O Nordeste, seus problemas e as viabilidades para resolvê-los; Reforma Agrária; Alimentação, Educação e Saúde; Brasil: Economia Pelo Avesso; A Política Brasileira; Rodovias Brasileiras em ruínas; O Rio São Francisco Está Morrendo; Brasil Trânsito Violento; O Tocantins Vai Desaguar no São Francisco, dentre outros. Confira a seguir a entrevista do deputado federal, Gonzaga Patriota, onde ele destaca as parcerias voltadas para o esporte e ainda revelar quais os projetos, de sua autoria, lhes dão orgulho. Durante a conversa, o parlamentar também lembrou que participou da elaboração da Constituição Cidadã e que foi autor da proposta de aposentadoria para mulheres e homens do campo. Além disso, falou também sobre a importância dos Jogos Olímpicos para o Brasil e como ele deixou uma impressão positiva do País para outras nações. Almanaque das Olimpiadas - Qual foi a importância sobre os jogos para o Brasil? Deputado Federal, Gonzaga Patriota - Diziam que não íamos dar conta das Olímpiadas, mas os números e o espetáculo que foi o evento mostrou o contrário. Sabe por que não deu errado? Porque o povo brasileiro é guerreiro e mais do que pelos políticos, essa competição foi feita pelas mãos desse povo, que é muito patriota. O Brasil era conhecido pelo futebol, carnaval e corrupção, mas quem participou desse evento viu que somos mais do que isso. Somos organizados, atenciosos, trabalhadores e com certeza, o turista levou uma excelente impressão do Brasil para os seus continentes. Então, acredito que a Olimpíada enalteceu a nossa cultura de cidadania. AO - Seu Estado desenvolve alguma parceria voltada para o esporte? Deputado Federal, Gonzaga Patriota - Sei que o esporte é fundamental na construção da cidadania, mas há projetos mais urgentes lá para o interior de Pernambuco. Estou muito preocupado nos quesitos: emprego, distribuição de renda, moradia, cidadania, saúde, educação e segurança. Mesmo assim, tenho trabalhado para o desenvolvimento da prática do esporte. Na cidade de Afogados da Ingazeira, por exemplo, tem uma emenda de minha autoria de quase 1.000 (um milhão de reais), para energizar o estádio esportivo da cidade. O local é ótimo para a prática de esportes, mas ainda fica inativo durante a noite por causa da escuridão, agora isso vai mudou. Tenho também emendas destinadas para construção de quadras esportivas em várias cidades pernambucanas, com o intuito de democratizar o acesso ao esporte e ao lazer, incentivando a inclusão social e a produção cultural da população. Ajudei na reforma e ampliação do Estádio Cornélio Muniz, de Salgueiro e estou construindo a Praça da Juventude, em Petrolina, também para esportistas. 282

AO - De todos os seus títulos (O parlamentar é contador, administrador de empresas, advogado e jornalista) qual o deputado gosta mais? Adelio Silverio - Uso todos eles para atuar como deputado. Então, gosto de todas as formações, pois como contador preciso compreender a legislação fiscal, trabalhista, tributária e previdenciária. Já como administrador de empresas, atuo no planejamento, na organização e gestão. Como advogado, defendo os direitos dos cidadãos. Por último, ainda nas graduações que fiz, como jornalista, vivo diariamente a comunicação social, ou seja, para mim não tem como desvincular uma graduação da outra, pois elas se completam.


AO - O parlamentar já escreveu 46 livros, dos quais, 42 foram publicados e distribuídos gratuitamente para milhares de pessoas, Brasil a fora. Quais dessas publicações que o senhor deputado gostou mais de criar? Deputado Federal, Gonzaga Patriota - Sou apaixonado por todas, mas tem um que já vai para a décima edição e que tenho um carinho especial por ela, que é o: “Brasil: Trânsito Violento”. Sou o autor do Código de Trânsito Brasileiro e tenho um carinho muito especial pelo tema. O livro é muito lido por jovens que estão tirando a carteira de habilitação e isso é orgulho para mim. Há também o livro: “O Rio Tocantins Vai Desaguar no São Francisco”. O livro foi baseado no Projeto de Lei (6569/2013) de minha autoria, que trata sobre a interligação das bacias do Rio Tocantins com o Rio São Francisco. Essa obra de transposição garantirá a navegabilidade e a regularização do nível das águas do Rio São Francisco. A execução desse projeto é indispensável. Não se pode falar em transposição do Rio São Francisco para Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte, aonde a União já investiu mais de 12 bilhões de reais, sem garantir a regularização do nível desse rio. AO - Dos seus projetos qual é a “menina de seus olhos”? Deputado Federal, Gonzaga Patriota - Eu fui ferroviário e nunca aceitei passivamente acabarem com as ferrovias do Brasil, não tem lógica trocar um trem com capacidade de carga de três mil toneladas por 200 caminhões com 200 motoristas nas estradas com dois mil pneus comento asfalto. Fui o autor do projeto de lei da Ferrovia Transnordestina. A malha que prevê mais de 2,3 mil quilômetros de ferrovia para ligar o Sertão nordestino aos portos de Suape, em Pernambuco e Pecém, no Ceará, e beneficiar 81 municípios, sendo 19 no Piauí, 28 no Ceará e 34 em Pernambuco. Ainda fui o autor da proposta da maior distribuição de renda do País. A aposentadoria para mulheres e homens do campo. Eu fui ferroviário e nunca aceitei passivamente acabarem com as ferrovias do Brasil, não tem lógica trocar um trem com capacidade de carga de três mil toneladas por 200 caminhões com 200 motoristas nas estradas com dois mil pneus comento asfalto. Fui o autor do projeto de lei da Ferrovia Transnordestina. A malha que prevê mais de 2,3 mil quilômetros de ferrovia para ligar o Sertão nordestino aos portos de Suape, em Pernambuco e Pecém, no Ceará, e beneficiar 81 municípios, sendo 19 no Piauí, 28 no Ceará e 34 em Pernambuco. Ainda fui o autor da proposta da maior distribuição de renda do País. A aposentadoria para mulheres e homens do campo. AO - Gostaria de deixar uma mensagem para o povo Brasileiro? Deputado Federal, Gonzaga Patriota - Quero dizer para o povo Brasileiro que nenhuma crise é maior do que ele. São mais de 200 milhões brasileiros corajosos, determinados e fortes. Mas é preciso reforçar que o brasileiro precisa usar melhor a “arma” que tem. O voto. Precisa colocar alguém que lhe representa. Quem vende voto é um agente ativo de uma corrupção passiva. Temos que ter políticos que olhem para o Brasil e que tenha respeito pelo povo. A crise está aí, mas vamos sair dela, não será rápido, talvez não seja tão fácil, mas vamos nos recuperar. Afinal de contas, o Brasil tem o maior celeiro de agronegócio e ainda é a maior reserva de água doce do mundo. Temos tudo para sermos uma grande potência e referência para o mundo.

Federal Deputy Gonzaga Patriota (PSB / PE) Gonzaga Patriota is an accountant, business manager, lawyer and journalist. During an exclusive interview to the Almanac of the Olympics, the deputy made a historical review of his political life. Gonzaga has been a state representative and is currently a federal deputy (since 1987) by the State of Pernambuco. It is one of the few congressmen who is still in the House since the Constituent Assembly. The socialist is in his seventh term in the House. In the last election he won more than 100,000 votes, and currently is the federal deputy in Pernambuco exercise more mandates. The parliamentary Pernambuco is the father of 13 children and humorously said he was willing to overcome his father: “You Sebastiao Alves Freire, had 21 children tried to match him, but my wife did not want to,” he said to laughter. Other creations are books, treated as children by Rep. He has written and published 42. The works written by the socialist are on different topics of social relevance, such as the Northeast, its problems and the feasibility to solve them; Land reform; Food, Education and Health; Brazil: Economy By Averse; The Brazilian policy; Brazilian Highways in ruins; among others. Check out the following interview of Congressman, Gonzaga Patriota, where he highlights the partnerships aimed at sports and even reveal which projects of his own, gives you more pride. During the conversation, the MP also recalled that participated in the preparation of the Citizen Constitution and was the author of retirement proposal for women and men in the field. He also talked about the importance of the Olympic Games for Brazil and as he left a positive impression of the country to other nations. - What was the importance of the Games for Brazil? Congressman, Gonzaga Patriota - we said we were not going to report on the Olympics, but the numbers and the spectacle that was the event showed otherwise. Do you know why not went wrong? Because the Brazilian people is a warrior and more than by politicians, this competition was made by the hands of the Brazilian people, which is very patriotic. Brazil was known for football, carnival and corruption, but who participated in this event saw that we are more than that. We are organized, attentive, workers and sure tourists will take an excellent impression of Brazil to other continents. So, I believe the Olympics praised our culture of citizenship. - In his State develops some partnership focused on the sport? Congressman, Gonzaga Patriota - I know that the sport is essential in building citizenship, but there are more urgent projects there for the interior of Pernambuco. I am very concerned in the categories: employment, income distribution, housing, citizenship, health, education and security. But even so, I have worked for the development of sport practice. In the city of Afogados da Ingazeira, for example, you have an amendment my almost $ 1 million to put electricity in the sports stadium of the city and surroundings. The location is great for sports, but was inactive during the night because of darkness now that has changed. The amendment was also

intended for construction of sports courts in order to democratize access to sport and leisure, encouraging social inclusion and cultural production of the population. - Of all the titles (The parliamentarian is an accountant, business manager, lawyer and journalist) which Mr like most? Congressman, Gonzaga Patriota - Use all of them to act as deputy. Then, like all the training because as precise accountant to understand the tax, labor, tax and social security legislation. Already as administrator need to act in the planning, organization and management. As a lawyer must defend the rights of citizens. Being a journalist living daily the media, that is, for me does not like unlink a graduate of the other, as they are completed. - The MP has written and published 42 books. Which of these publications that Mr liked most to create? Congressman, Gonzaga Patriota - I am in love with all, but has already goes to the ninth edition and I have a special affection is: “Brazil, Violent Transit”. I am the author of the Brazilian Traffic Code and have a very special affection for the subject. The book is widely read by young people who are taking the driver’s license and that is pride for me. There is also the book: “The Tocantins River will flow into the San Francisco”. The book was based on the Draft Law (6569/2013) of my own that comes on linking the basins of the Tocantins River to the Rio São Francisco. This work of transposition ensure navigability and the water level of regularization of San Francisco. The implementation of this project is essential. One can not speak in transposition of the São Francisco without guaranteeing the regularization of the river level. - Of their projects which is the “apple of his eye”? Congressman, Gonzaga Patriota - I was never accepted passively rail and do away with the railroads in Brazil, has no logical change a train with a load capacity of three thousand tons for 200 trucks with 200 drivers on roads with two thousand comment on asphalt tires. I was the author of the bill of Transnordestina Railroad. The mesh that provides more than 2300 kilometers of railway to connect the northeastern backlands to Suape port in Pernambuco state and Pecém, in Ceará, and benefit 81 municipalities, 19 in Piaui, Ceara 28 and 34 in Pernambuco. Also was the author of the proposal of the largest income distribution in the country. The retirement for women and men in the field. - I would like to leave a message for the Brazilian people? Congressman, Gonzaga Patriota - I want to tell the Brazilian people that no crisis is greater than he. More than 200 million Brazilians courageous, determined and strong. But it is necessary to strengthen the Brazilian needs to better use the “weapon” that has. The vote. You have to put someone representing you. Who sells vote is an active agent of a passive corruption. We have to have politicians who look to Brazil and has respect for people. The crisis is there, but we will get out of it will not be fast, may not be so easy, but we will bounce back. After all, Brazil has the largest storehouse of agribusiness and still is the largest freshwater reserve in the world. We have everything to be a great power and a reference for the world.

283


Em tempos de Crise tire o “S” e crie o seu próprio futuro

“É

preciso estabelecer metas e tentar alcança-las, com crise e sem crise, qualquer ser humano precisa fazer isso”. - AGRONEGÓCIO X OLIMPÍADAS. “O que mantém o atleta é a motivação, garra, disposição e isso também sustenta o empresário. O esporte é conquista de ideais. Nesse momento vence quem é o melhor e no setor empresarial também”.

Entrevista com o empresário Wilfrido Augusto Marques Advogado, empresário, administrador e empresário rural. Para Wilfrido Augusto Marques as atividades se completam, mas os olhos brilham mesmo, quando o tema agronegócio surge na entrevista. Ele faz questão de deixar claro que o segmento é o somatório de todas as suas atividades. O mato-grossense traz a memória que o Agronegócio “é o único setor produtivo do país que ainda emprega”. E dá números. Ele lembra que o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que o Brasil tem mais de 204 milhões de habitantes. Por isso é cada vez mais evidente a necessidade de alimentos. “Não há crise que abale o segmento. Afinal de contas todo mundo precisa comer”. Para a obra “OLIMPÍADAS RIO 2016, BRASIL DE OPORTUNIDADES”, um dos mais conhecidos advogado tributário de Brasília, fala sobre o maior evento esportivo do mundo sobre os gargalos do agronegócio. As expectavas para 2016 e os sonhos para os próximos anos também não ficaram de fora da conversa. O empresário revelou projetos para a primeira Escola Superior do Agronegócio Internacional. Ele que é idealizador do projeto mencionou uma iniciativa inédita no Brasil entre a instituição e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR). AO - Estamos no ano do maior evento esportivo do mundo. O que esperar desse momento?

Almanaque das Olimpíadas - Todo Empresário é um grande atleta, que trabalha a vida toda para se manter em destaque. O que o mantém nas pistas da corrida empresarial? Wilfrido Marques - Cito uma frase do criador de uma das reder de supermercados conhecida mundialmente, Sam Walton. Ele fala para tirar da palavra crise o S e depois crie. São nesses momentos que surgem ideias revolucionárias. O grande desafio que tenho na vida é vencer as batalhas que surgem ao longo da vida. Sou advogado há 42 anos e comecei em Brasília como vendedor de livros, ações, títulos de clubes, imóveis e depois fui parar na advocacia. Lutando, construindo, conquistando e levando sempre em meus projetos as atividades do campo. Quando você entende o potencial da sua origem nada pode te parar. O que mantém o atleta é a motivação, garra, disposição e isso também sustenta o empresário. O esporte é conquista de ideais. Nesse momento vence quem é o melhor e no setor empresarial também. Se o empresário não tiver criatividade e determinação ele não constrói. Então, continuar em destaque não tem segredo. É preciso estabelecer metas e tentar alcança-las, com crise e sem ela qualquer ser humano precisa fazer isso. 284

Wilfrido Marques - A Copa do Mundo deixou pontos positivos e mostrou ao planeta que o Brasil tem capacidade de produzir e realizar grandes eventos. Creio que não será diferente durante as Olimpíadas. O Brasil precisa de notoriedade mundial. Nos Países que acontece esses grandes eventos o resultado é altamente produtivo e agregador. AO - O senhor não tem parceria com o governo, com quais órgão mantem parceria? Wilfrido Marques - Neste segmento de agronegócio o Brasil ainda engatinha. Apesar do País ser um grande produtor de alimentos ele não tem uma estrutura de negócio. Costumo dizer o seguinte: da porteira para dentro sabemos fazer o serviço, mas da porteira para fora o dever de casa não é feito, ou seja, o homem do campo faz o que é preciso, mas os políticos, ainda não. Quando você não houve a voz de sua vocação o conflito é certo. Então há necessidade de parcerias de entidades não governamentais, pois elas sofrem junto com a gente com a falta de patrocínio e entendem nossas necessidades. Infelizmente temos uma administração pública que não prestigia e nem estimula a produção do campo. Atualmente desenvolvo uma parceria com a Confederação Nacional da Agricultura que é uma entidade representativa de classe.


Eles não tinham estrutura física para funcionar e encontraram na fazenda “Sanga Puitã”. Uma sede. Como sempre fui um amante da causa Agro houve essa fusão entre uma instituição que precisava de uma estrutura e alguém que precisa da força que tem a institucionalidade. Confederação Nacional da Agricultura. Só para ter uma ideia desse trabalho em conjunto. Já levei neste período mais de duzentas delegações para a fazenda de 2002 até este ano. Mas é um resultado ainda tímido, entretanto com o trabalho em conjunto com a Confederação esse número pode dobrar em pouco tempo. AO - O senhor tem o costume de dizer que o agronegócio mantem o Brasil. O senhor ainda acredita nisso? Wilfrido Marques - Atualmente esse é o único setor produtivo que contrata. O Brasil segue uma tendência mundial, ou seja, mas de 50 por cento do que o País exporta hoje vem do campo. Não é o entusiasmo do momento, mas sim a realidade dos fatos. O agronegócio precisa ser a principal atividade do Brasil quando isso acontecer muita gente volta para o campo. O Brasil precisa atender sua vocação. Neste ano, de 2016 estamos quebrando o recorde de produção de soja, serão 100 milhões de toneladas, saímos de 90 para 100 milhões. O crescimento é exponencial sendo um dos maiores do mundo. Posso ainda citar alguns exemplos. Austrália (produz e exporta carne bovina) e nova Zelândia (produz e exporta de carne ovina) são exemplos para o brasil. São países pequenos com dificuldades, mas são um dos 10 maiores do mundo quando o assunto é agronegócio. Lá os governos estimulam e apoiam. Tem politica pública para os setores. Aqui no Brasil, fazendeiros são tratados muitas vezes com desprezo, mas é bom destacar que essa é a vocação do País. Quando você não houve a voz de sua vocação o conflito é certo. Nós somos um País que tem terra e clima favorável. Nos últimos vinte anos pouquíssimos foram às ações de governo para o campo. Mas mesmo assim o setor cresce. Não é exagero dizer que neste momento o único setor que produz no Brasil é o agronegócio.. AO - O que esperar de 2016? Wilfrido Marques - Acredito que cada ano é melhor que o outro. Em 1998, nos exportamos 19 bilhões de dólares. Em 2014 foram 240 bilhões em exportações de diversos setores. Mais de 50% disso é do agronegócio, minério, petróleo, entre outros. O setor alavanca o Brasil. Existem muitas cidades brasileiras que chamo de ilhas de prosperidade. Nas regiões como Goiânia, Uberaba, campo grande, londrina, ponta grossa ou Maringá não há crise. Os locais são prósperos, bonitos, arrumados, com empregos, mas qual a vocação?! O agronegócio. Posso dizer - sem dúvida alguma que o segmento é o investimento do momento. AO - Quais são os sonhos do senhor? Wilfrido Marques - É fazer com que o Agronegócio seja reconhecido no País e que os políticos olhem com bons olhos o setor que sustenta a nação.

In crisis times take the “S” and create their own future Attorney, businessman, administrator and rural businessman. For Wilfrido Augusto Marques the activities add to each other, but his eyes really spark when the issue of agribusiness comes up in the interview. He really wants to make clear that the segment is a summation of all his activities. Born in the State of Mato Grosso, he brings with him the memory that Agribusiness “is the only productive sector in the country that still provides jobs”. And he provides numbers. He also reminds that the last survey from the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE) showed that Brazil has a population of over 204 million people. Thus, it is increasingly obvious the need for food. “There is no crisis that distresses the segment, after all everyone needs to eat”. For the publication “RIO2016 OLYMPIC GAMES, BRAZIL OF OPPORTUNITIES”, one of the most famous tax attorneys in Brasília, speaks about the world’s biggest sport event and about the bottlenecks of agribusiness. Expectations for 2016 and dreams for coming years were also discussed in the conversation. The businessman disclosed projects for the first International Agribusiness University. He, the project’s mentor, mentioned an initiative unedited in Brazil between the institution and the National Service for Rural Education (SENAR). EVERY BUSINESSMAN IS A GREAT ATHLETE, WORKING THEIR ENTIRE LIVES TO STANDOUT. WHAT KEEPS YOU IN THE ENTREPRENEURIAL RUN TRACKS? ANSWER: “I mention a sentence from the creator of one of the world’s most important supermarket chains, Sam Walton. Ele fala para tirar da palavra crise o S e depois crie. These are the moments when revolutionary ideas appear. The big challenge in life is winning the battles that come up during your life. I have been an attorney for 42 years and started in Brasília as a salesman for books, stocks, club memberships, real estate and afterwards ended up in advocacy. Fighting, building, conquering and always bringing in my projects the activities of the land. When you understand the potential of your origin nothing is able to stop you. What drives the athlete is motivation, gusto, disposition, and this also supports the businessman. Sport is conquering ideals. Then, the best wins, and that is also the case in the business sector. If the businessman does not have creativity and determination, he will not build. So, there is no secret for remaining in the spotlight. It is necessary to establish goals and trying to reach them. With crisis or not every human being needs to do that”. WE ARE IN THE YEAR OF THE WORLD’S BIGGEST SPORT EVENT. WHAT CAN WE EXPECT FROM THIS MOMENT? ANSWER: “The World Cup left us positive aspects and showed the world Brazil is capable of producing and executing important events. I believe it won’t be different during the Olympic Games. Brazil needs world notoriety. In countries that host such event the result is highly productive and aggregating.” YOU HAVE NO PARTNERSHIPS WITH THE GOVERNMENT. WITH WHAT AGENCIES DO YOU MAINTAIN PARTNERSHIPS? ANSWER: “In the agribusiness segment, Brazil is still a toddler. Despite being a great producer, the country does not have a business structure. I like to say: from the gate in we know how to do it, but from the gate out homework is not done, in other words, the countryman does what is necessary, but the politicians still don’t. when you don’t listen to the voice of your calling, conflict is certain. So there is need for partnerships from nongovernmental entities, as they also suffer with the lack of sponsorship and understand our needs. Unfortunately, we have a public administration that does not honor us nor stimulates production in the field. Presently I am developing a partnership with the National Agriculture Confederation, which is a class representative entity. They did not have the structure to be operating and found it at “Sanga Puitã”. A head office. As I have always appreciated the Agriculture cause, this fusion occurred between an institution that needed structure and someone in need of the strength the institution has. National Agriculture Confederation. To give an idea of this joint work I have already taken, during this period, over two hundred delegations to the farm, from 2002 until today. But this is still a timid result. But with joint work with the Confederation this number may double in a short time.” YOU USUALLY SAY THAT AGRIBUSINESS MAINTAINS BRAZIL. DO YOU STILL BELIEVE THIS? ANSWER: “Nowadays this is the only productive sector hiring. Brazil follows a world trend, that is, over 50% of what the country exports comes today from the field. This is not just the excitement of the moment, but reality of facts. Agribusiness needs to be the main activity in Brazil, and when this occurs, many will return to the field. Brazil needs to answer its calling. In 2016 we are breaking the soy production record. 100 million tons. We went from 90 to 100 million. The growth is exponential and one of the biggest in the world. I can still mention a few examples. Australia (produces and exports beef ) and New Zealand (produces and exports sheep) are examples for Brazil. These are small countries with difficulties, but are amongst the 10 biggest in the world when the issue is agribusiness. There governments

285


AO - Fale a respeito da escola internacional que o senhor mantem. Wilfrido Marques - É a menina dos meus olhos e a grande realização do meu trabalho. Porque ela é a única da América e é uma escola que vem com um espírito de inovação na agricultura, agropecuária nacional. A ideia de criar uma inteligência do agronegócio me entusiasma. Lá há turmas especiais de capacitação de especialização. E daqui há a dois anos o local vai oferecer pós-graduação e mestrado. AO - E quais as entidades internacionais já visitaram a fazenda Sanga Puitã? Wilfrido Marques - A lista é extensa. Mais de duzentas delegações internacionais prestigiaram o nosso trabalho e se entusiasmaram com o que temos a oferecer. Lembro-me da vice-presidente da china, embaixadores dos estados unidos, Nova Zelândia, Austrália, Alemanha, Itália, Paraguai e Panamá. No geral o que mais chamou a atenção nessas visitas é que essas autoridades chegam ao Brasil com a ideia de que somos o celeiro do mundo. Na fazenda consigo mostra isso. Lá tem um laboratório de genética, inseminação transferência de embriões, plantio e colheita de trigo, soja, milho, feijão além de fabrica de ração. Tudo isso é integrado, ou seja, em menos de 60 quilômetros de Brasília existe uma propriedade super organizada com estrutura de primeiro mundo e ainda é referência para outras culturas. AO - Neste ano foi realizada uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) com a fazenda Sanga Puitã. Como ela vai ser desenvolvida? Wilfrido Marques - A iniciativa é inédita no País. O acordo prevê uma parceria técnico-científica, educacional e cultural para a realização de atividades práticas, cursos, seminários, pesquisas e treinamentos na área da agricultura, pecuária, biotecnologia de reprodução e do agronegócio em geral. As ações serão desenvolvidas na ESAI, que vai ficar dentro da fazenda Sanga Puitã – um espaço de aproximadamente mil hectares localizado na divisa do Distrito Federal com Goiás – cerca de 60 quilômetros de Brasília. Outra ação da parceria será desenvolver ações de intercâmbio e cooperação internacional. A ESAI servirá de espaço permanente para a realização de visitas técnicas e outros eventos destinados a delegações nacionais e internacionais de diplomatas, políticos, empresários e demais agentes de interesse do setor..

286

stimulate and support. They have public policy for the sectors. Here in Brazil, farmers are treated many times with disdain, but it is important to emphasize that this is the country’s calling. When you don’t hear your calling, conflict is certain. We are a country with favorable climate and land. Over the past twenty years few were the government actions for the field. But despite all this the sector grows. I am not exaggerating when saying that the only sector producing in Brazil is agribusiness.” WHAT TO EXPECT FROM 2016? ANSWER: “I believe each year is better than the previous one. In 1998, we exported 19 billion Dollars. In 2014 we had 240 billion in exports in several sectors. But 50% of this comes from agribusiness, ore, oil among others. The sector leverages Brazil. There are many Brazilian cities I call islands of prosperity. In regions such as Goiânia, Uberaba, Campo Grande, Londrina, Ponta Grossa or Maringá there is no crisis. These places are prosperous, beautiful, neat, with Jobs, but what is the calling?! Agribusiness. I can say – without question – that the segment is the investment of today.” WHAT ARE YOUR DREAMS? “They are making Agribusiness acknowledged in our country and that politicians looks with good eyes the sector that support the nation.” COULD YOU TALK ABOUT THE INTERNATIONAL SCHOOL YOU MAINTAIN? ANSWER: “It is the apple of my eyes and the great achievement of my work. As it is the only school in the Americas, it brings a spirit of innovation to national agriculture and farming. The idea of creating an agribusiness intelligence excites me. There are special groups for qualification and specialization. And in two years the venue will offer post-graduation and master’s degrees.” AND WHAT INTERNATIONAL ENTITIES HAVE ALREADY VISITED FAZENDA SANGA PUITÃ? ANSWER: “The list in enormous. Over two hundred international delegations honored our work and got excited with what we have to offer. I remember China’s vice-president, ambassadors from the United States, New Zealand, Australia, Germany, Italy, Paraguay and Panama. In general, what most caught my attention during such visits was that the authorities came to Brazil with the idea we are the world’s barn. At the farm I am able to show them that. There we have a genetics laboratory, insemination, transfer of embryos, planting and harvesting of wheat, soy, corn, beans, besides a ration plant. All integrated, that is, in less than 60 km from Brasília there is an extremely organized property, with first-world structure and also reference for other cultures.” THIS YEAR A PARTNERSHIP WAS FIRMED BETWEEN THE NATIONAL SERVICE FOR RURAL EDUCATION (SENAR) AND FAZENDA SANGA PUITÃ. HOW WILL IT BE DEVELOPED? ANSWER: This is an unedited initiative in the country. The agreement comprises a technical-scientific, educational and cultural partnership for the development of practical activities, courses, seminars, research and training in the area of agriculture, farming, reproduction biotechnology and agribusiness in general. The actions shall be developed at ESAI, which will be setup inside Fazenda Sanga Puitã – a space with approximately 1,000 hectares located in the border between the Federal District and the State of Goiás – around 60 km from Brasília. Another of the partnership’s actions will be developing international exchange and cooperation actions. ESAI will be a permanent space for technical visits and other events aimed at national and international delegations of diplomats, businessmen and other agents interested in the sector.


Foto: KREOD Architecture

287


NOVO LAR MUDANÇAS Uma empresa experiente que atua há três décadas no ramo de transportes de mudanças por todo o Brasil e por todo o mundo

N

o mercado competitivo é preciso coragem, determinação e um pouco de ousadia para não cair no esquecimento”. Assim o empresário David Antônio de Oliveira começou a carreira de sucesso no setor de serviços em mudanças e transportes de bens móveis residenciais, comerciais e de cargas em geral. M Uma Pesquisa da Confederação Nacional do Comércio afirma que o Brasil passa pela pior crise dos últimos 15 anos. O levantamento mais recente da confederação revelou outro dado preocupante: Quase 100 mil lojas fecharam as portas no Brasil ao longo dos anos. Mas o que poderia deixar qualquer empreendedor com os nervos à flor da pele, fez com que o empresário Wilson Luís dos Santos remasse contra a maré. Neste ano de 2016 - isso mesmo no auge da crise econômica - ele decidiu diversificar de ramo empresarial. O goiano de 45 anos sempre trabalhou no ramo de veículos, mas em outubro deste ano decidiu adicionar ao currículo, o ramo de transportadora. O empresário revelou que o amigo, Mauro Augusto Cardoso, foi essencial nesta jornada. Mauro incentivou Wilson na compra do empreendimento e a parceria de anos só aumentou deste então, Wilson é o atual presidente da empresa e o Mauro, que tem experiência de 25 anos em mudanças internacionais, é o novo gerente. A NOVO LAR MUDANÇAS existe em Brasília desde 1990 e, carrega em seu histórico, mais de trinta mil mudanças. A viagem mais longa que os caminhões levaram foi para a fronteira do Brasil com a Colômbia. Para a obra “OLIMPÍADAS RIO 2016, BRASIL DE OPORTUNIDADES” Wilson Luís dos Santos, que é casado com Miracir Cardoso Azevedo e pai de quatro filhos, conta o que espera desse novo empreendimento e como vai fazer alinhar as duas profissões. Almanaque das Olimpíadas - Por que decidiu diversificar o ramo empresarial? Wilson Luís dos Santos – Sempre gostei de mudanças tanto no trabalho quanto na vida pessoal. Gosto de novas experiências e creio que as mudanças nos proporcionam boas oportunidades. Mas quero deixar claro que não vou deixar o ramo de veículos. Os dois empreedimentos tão diferentes - em algum momento se completam e isso vai se alinhando ao longo dos dias. AO - Pretende mudar o nome da empresa “NOVO LAR MUDANÇAS”? Wilson Luís dos Santos – Não. Afinal de contas já são quase trinta anos de solidez no mercado.

288

AO - Vai expandir a “NOVO LAR MUDANÇAS”? Wilson Luís dos Santos – Os planos para os próximos anos é aumentar a atuação da empresa dentro da capital. Pretendo futuramente trabalhar com licitações e levar o nome da empresa para dentro dos órgãos públicos. Quero ter uma empresa que seja um referencial de mudanças e criar empregos.


AO - Quais os diferenciais da “NOVO LAR MUDANÇAS”? Wilson Luís dos Santos – Qualidade no atendimento relacionado em logística. Isso é fundamental em qualquer ramo. Os colaboradores da empresa sempre buscam os melhores resultados e desenvolvam os trabalhos com segurança. Também há outra questão: Não prometo o que não pode ser cumprindo. Um empresário precisa ser transparente com o cliente. Quando damos uma data de entrega ela certamente será honrada. AO - Qual é o perfil da clientela da “NOVO LAR MUDANÇAS”? Wilson Luís dos Santos – A empresa é especializada em mudanças nacionais, internacionais, comercial, logística, domésticas, ou seja, não existe um perfil de cliente. Quem precisar de mudanças, prima pela qualidade, bom preço e eficiente tem na “NOVO LAR MUDANÇAS” uma grande parceria. AO - Antes de encerrar a entrevista deixe uma mensagem para o povo brasileiro. Wilson Luís dos Santos – Brasília continua sendo a terra de oportunidades. Basta ter fé e acreditar que os projetos vão dar certo. Tenho um versículo bíblico que gosto muito e gostaria de deixar para os leitores da obra “OLIMPÍADAS RIO 2016, BRASIL DE OPORTUNIDADES”: “Até aqui nos ajudou o senhor.” SERVIÇO: SITE: www.novolarmudancas.com.br TELEFONE:+ 55 61 3361-2010/ 9 8607-5549 ENDEREÇO: SCIA 14 Conjunto 7 Lote 2 – Cidade do Automóvel Brasília, DF E-mail: comercial@novolarmudancas.com.br

Novo Lar Mudanças “An expert company operating for three decades in the moving field throughout Brazil and the world”. A survey from the Confederação Nacional do Comércio (National Commerce Confederation) states Brazil is undergoing the worst crisis of the last 15 years. The confederation’s most recent survey revealed other troublesome data: almost 100 thousand businesses closed their doors in Brazil over these years. But what could make any entrepreneur edgy, had businessman Wilson Luís dos Santos paddling against the tide. In 2016 – that’s right, at the peak of the economic crisis – he decided to diversify business areas. The 45-year-old Goiano always worked in the automotive field, but in October of this year he decided to add to his résumé the moving field. The businessman revealed that his friend, Mauro Augusto Cardoso, was essential on this journey. Mauro stimulated Wilson to acquire the business and the partnership from years has, since then, only grown. Wilson is presently the company’s president, and Mauro, with 25 years of experience in international moving, is the new manager. NOVO LAR MUDANÇAS is present in Brasília since 1990 and carries in its history over 30 thousand moving jobs. The longest trip from its trucks was to the frontier between Brazil and Colombia. For the work “OLIMPÍADAS RIO 2016, BRASIL DE OPORTUNIDADES” Wilson Luís dos Santos, married to Miracir Cardoso Azevedo and father of four children, tells what he expects from this new enterprise and how he is going to align the two professions. - Why did you decide to diversify the business field? Wilson Luís dos Santos – I have always enjoyed change, both in professional and personal life. I like new experiences and I believe changes provide us with good opportunities. But I want to clearly state I am not going to leave the automotive field. The two enterprises – so different – in a given moment complement each other and this will align itself through time. - Do you intend on changing the company’s name, “NOVO LAR MUDANÇAS”? Wilson Luís dos Santos – No. After all it has been almost thirty years in the market. - Are you going to expand “NOVO LAR MUDANÇAS”? Wilson Luís dos Santos – Plans for the coming years include increasing the company’s operations within the capital city of Brasília. In the future I intend on working with public biddings, taking the company’s name to public agencies. I want to have a company which is reference in moving and creation of jobs. - What are “NOVO LAR MUDANÇAS” differentials? Wilson Luís dos Santos – Quality in service related to logistics. This is key in any field. Company collaborators always seek the best results and develop their work with security. There is also another issue: I do not promise that which cannot be delivered. A businessman needs to be transparent with his or her client. When we determine a date for delivery it will surely be honored. - What is the profile of “NOVO LAR MUDANÇAS” clients? Wilson Luís dos Santos – The company specializes in national, international, commercial, logistic, domestic moving, in other words there is no defined client profile. Those in need of moving, exceeding quality, good price and efficiency have in “NOVO LAR MUDANÇAS” a great partner. - Before closing the interview, leave a message for the Brazilian people. Wilson Luís dos Santos – Brasília is still the land of opportunities. You just need to keep having faith and believing projects will work out. There is a Bible verse I really like and would like to leave to the readers of “OLIMPÍADAS RIO 2016, BRASIL DE OPORTUNIDADES”: “Thus far the Lord has helped us.” SERVICE Address: SCIA 14 Conjunto 7 Lote 2 – Cidade do Automóvel Telephones: + 55 61 3361-2010 // 9.8607-5549 Website: www.novolarmudancas.com.br E-mail: comercial@novolarmudancas.com.br

289


O crescimento não para!

N

seu jeito, com a garantia de um espaço de alto padrão na sua casa.

Tornamos a casa como sua digital, única, aqui as possibilidades são infinitas! Henrique Stedile Bertolazzi O jovem empresário Henrique Stedile Bertolazzi, já carrega no sangue a receita do sucesso. Aos 26 anos ele é responsável por administrar a Bontempo, empresa que personaliza e desenvolve móveis planejados de alto padrão. Um negócio que começou pequenininho em 1978 e hoje tem diversas franquias de sucesso espalhadas pelo Brasil. A cidade escolhida para montar a fábrica de 10 mil metros quadrados foi São Marcos, no Rio Grande do Sul. Começaram ali a construção dos pavilhões da fábrica no terreno, que ela ocupa ainda hoje. E desde então, a cada ano, a Bontempo lança novas linhas, sempre à frente da concorrência. Por exemplo, em 1988 lançou a Free Open, conceito inovador no setor moveleiro nacional, o móvel contava com abertura de portas na vertical a partir de tecnologia italiana e, se tornou o carro chefe da marca. A família Stedile, sempre foi ligada ao empreendedorismo desde sua imigração da Itália até o Brasil. Para se ter uma ideia, do potencial empresarial da família, já são cinco gerações atuando na fabricação de móveis planejados em todo o Brasil. A loja de Brasília se junta as quarentas franquias espelhadas pelo País. Mas o sonho da família Stedile em ter uma loja na capital do País foi muito bem planejado. A fábrica continuou no Sul, mas o pai de Henrique, Jean Stedile, levou a família para Brasília com uma meta já traçada: abrir uma empresa na capital federal. O sonho se realizou em 1999. Assim, aos dezesseis anos Henrique se juntou ao patriarca da família no árduo esforço de fazer crescer a empresa. Inicialmente a loja foi aberta dentro de um shopping, mas a procura pelo trabalho foi tanta que o empresário decidiu levar o comércio para o Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), e desde maio de 2016 a Bontempo Brasília está em um novo endereço, tudo para melhor atender o cliente e mostrar a variedade dos produtos. começa a falar da empresa, a timidez desaparece e a ousadia e a força de um empreendedor surgem. Almanaque das Olimpiadas 2016 - Por que escolher a empresa diante de tantos comércios do ramo?! Henrique Stedile - Não escolhi o ramo, ele me escolheu. Creio também que o fato da empresa ser familiar faz com desperte o interesse por esse mercado. 290

406

AO - A “Bontempo” é uma empresa familiar que deu certo? Henrique Stedile - Sem dúvida. Acaba que este ambiente familiar empresarial, se torna um diferencial do nosso serviço. Além do mais, você conhece as necessidades da empresa por inteiro. Na verdade até potencializa a aceitação da empresa no mercado. AO - O que faz um cliente buscar o serviço da empresa? Henrique Stedile - A qualidade do produto. Desde a matéria prima até a fabricação, trabalhamos com o que há de melhor e mais moderno no mercado. Um exemplo disse é o nosso “Parque Fabril”. Ele é referência no País tornando o produto diferenciado. Além do mais, é todo automatizado e é considerado o melhor centro de pintura do brasil. Depois tem a questão dos serviços prestados aqui. Temos uma equipe de montagem própria e trabalhamos com os melhores fornecedores do setor. Outro diferencial é o quadro funcional da empresa. A grande maioria de nossa equipe é formada nas áreas de comercialização dos nossos produtos. AO - A crise que atravessa o País influencia no faturamento? Henrique Stedile - Sim, caiu em torno de dez por cento nos últimos meses. Esse período estimulou a mudança física da loja. Saímos de dentro de um shopping para montar o “Showroom” no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). Essa novidade com certeza vai impulsionar as vendas. Outra questão da crise é que ela não discrimina ninguém, ou seja, os nossos clientes também foram atingidos por ela. E pensando neles encontramos algumas alternativas para o tão sonhado projeto sair do papel, neste caso, oferecemos produtos alternativos para desenvolver o trabalho. Essas opções não comprometem a qualidade do serviço e ainda tem o benefício do preço mais justo. Com isso, aprendi que a crise pode nos trazer oportunidades. AO - Cada empresário é um atleta olímpico não oficial, acorda cedo, dorme tarde, trabalha incansavelmente de sol a sol, o que o impede a abrir as portas de sua empresa todos os dias? Henrique Stedile - A superação. Algumas vezes me sinto um técnico. O empresário precisa se atualizar constantemente para não ser apenas mais um no mercado. Precisa ainda treinar a equipe para sempre buscar resultados cada vez melhores. Só aqui em nosso “Showroom” temos 70 funcionários que precisam ser diariamente estimulados para que haja sempre equilíbrio emocional dentro da equipe.


AO - Você tem o costume de dizer que a “BonTempo” oferece possibilidades infinitas? Henrique Stedile - A superação. Algumas vezes me sinto um técnico. O empresário precisa se atualizar constantemente para não ser apenas mais um no mercado. Precisa ainda treinar a equipe para sempre buscar resultados cada vez melhores. Só aqui em nosso “Showroom” temos 70 funcionários que precisam ser diariamente estimulados para que haja sempre equilíbrio emocional dentro da equipe. AO - AFINAL DE CONTAS, É OU NÃO É CARO O MÓVEL PLANEJADO? Henrique Stedile - Depende muito. Já apareceu cliente aqui em nossa loja que caiu na armadilha do “barato que sai caro”, foi em um marceneiro - que alguém disse que era bom - e deixou um projeto na mão dele. Mas o móvel não saiu como esperado teve que pagar várias vezes para o mesmo produto. Fora a chateação e o tempo perdido. Mas quando o cliente vai direito a uma empresa que tem nome como a “BonTempo”, é 100% de certeza que o produto vai sair como planejado. Essa satisfação é tão certa que hoje oferecemos sete anos de garantia, sem custo adicional, para qualquer produto da loja. Sem contar a durabilidade, serão anos e anos de muita satisfação e ainda tem a questão estética e a funcionalidade. AO - Qual o perfil do cliente da empresa? Henrique Stedile - Costumo dizer que o nosso cliente é a pessoa que busca qualidade, bom preço e funcionalidade para sua casa. Eles veem ate nós querendo uma casa bem arrumada para recepcionar a família e amigos. São muito exigentes, sabem o que é bom e são pontuais nos pagamentos, pelos menos os meus cliente (risos). AO - Quais os planos da “BONTEMPO” para os próximos anos? Henrique Stedile - O nosso próximo trabalho engloba uma linha de projetos focada em escritórios corporativos. Será a primeira vez que o grupo vai trabalhar neste segmento e estamos muito ansiosos para ver o resultado que será lançado no m deste ano. AO - Qual mensagem você deixa ao povo Brasileiro? Henrique Stedile - Para que tenham perseverança. Acredito que o pior já passou. Agora é acreditar, fazer a sua parte para que o Brasil volte a crescer e junto com ele o povo volte a prosperar. SERVIÇOS Site: www.bontempo.com.br Telefone: +55 61 3361-6666 Endereço: Setor de Indústria e Abastecimento - trecho 2 lote 765 Brasília, DF Email: brasilia@bontempo.com.br

shopping mall in to setup 4 - Wee left crisisa in the country uencesthe theshowroom billing? at the Growth notOngoing to! growth! and Supply Sector (SIA). Thismonths. news will surely it fell around ten percent in recent New showroom Bontempo store promises toto bringYes,Industry New Bontempo store showroom promises booststimulated sales. Another regarding theofcrisis that it does is period the issue physical change the isstobring innovative linesand andinfinite endless possibilities to to leave innovative lines possibilities for you that is, customers have also left discriminate inside a mallanyone, to mount theour “Showroom” make the of your toassurance gua- re. theenvironment ambiance exactly yourway style,exactly, with the of We a not hit by and it. And thinking we found is novelty will some alin Sectorbeen Industry Supply (SIA).on them rantee ahigh highstandard standard of room in home.. your home. space in your for the anxiously project take form, certainlyternatives boost sales. Another issuedreamed of the crisis is to that We make a digital single, here the unique, Wethe turnhouse your as home into your fingerprint, case, we offeragainst alternative products it does in notthisdiscriminate anyone, that for is, work our developossibilities are possibilities endless! are infinite! here the pment. theofquality of customers wereThese also options a ected do bynot it. compromise And thinking Henry Henrique Stedile Bertolazzi Stedile Bertolazzi the some servicealternatives and also have a fairer oprice. With them nd tothe thebenefit dreamofproject e young HenriqueStedile Stedile Ber- brinYoungbusinessman businessman Henrique Bertolazzi, that Iin have thatocrisis can bring opportunities theheground, thislearned case, we er alternative products to us. tolazzi,gsalready carries recipe for success. in his blood theblood recipethe for success. At 26 years of age Eachwork. businessman is a non-official Olympic athdevelop the ese options do not comproAt 26 he is responsible for managing the Bontemis responsible for managing Bontempo, a company tothat He/she wakesand upstill early, sleeps late, tworks of tiremise thelete. quality of service have the bene po, a company develops high furnitucustomizesthat and customizes develops highand standard projected price. With that, I learned crisisprevents can lessly from throughout the that day.the What you standard furniture. A small business thatand be-todaythe re. customized A business that started very in 1978 hasfairest opportunities. opening your company’s doors every day? gan teeny in success 1978 and today throughout has severalBrazil. successful bring usfrom several franchises entrepreneur is an unoI feel cial like Olympic Overcoming. Sometimes a technician. franchises throughout Brazil. The city chosen for receiving the 10,000 m² factory5 - Each athlete,The wake up early, sleep works tirelessly businessman needs late, to constantly update himself ewas citySão chosen to build factory of Grande 10 thousand Marcos, in thethe state of Rio do Sul. There from dawn to dusk, whichjust prevents ere which square meters was St. in Rio Grande do Sul.pavilions for not becoming anotheropening one in the domarket. He was started theMark, construction of the factory’s day?for always seeking increasingly began the construction ofpresent the factory the ground needsbusiness to trainevery the team it occupies to the days.halls Andonsince then, each ors year,of your Sometimes feel a technician. that it occupies today. Andnew sincelines, then,always every ahead year, Bonbetter results. Here a tourI showroom alone we have 70 Bontempo releases of the com-Overcoming. e entrepreneur needs to tobebeupdated constantly tempo launches newexample, lines, always ahead of the compeemployees that need stimulated daily so there is petition. For in 1988 it released the Free Open, be not just another Stillteam. need to train tition. For example, in 1988 launched Free Open, emotional balancemarket. within the innovative concept in the nationalthefurniture segment,tothe sta to always bettersay results. here inoffers our unliinnovative concept in the domestic furniture industry,system the based You get usually that Only Bontempo furniture counted with vertical door opening have 70 employees who need to be mobile had doors technology opening vertically from the Italian technomitedwe possibilities? on Italian and became brand’s flagship.“Showroom” stimulated every day so there is always emotional ba- Let me logy and became the agship of the Our objective is making dreams come true. The Stedile Family hasbrand. always related to entreprethea team. Stedile e family hasimmigration always been from linkedItaly to entregive you simple example: we can get the color the custoneurship since its to Brazil.lance For within Do has youalways have the habitof of preneurship since immigrating from Italy topotential, Brazil. To thought andsaying turn itthat intoBonreality. There an idea of the family’s entrepreneur this is the6 - mer possibilities? get an idfifth ea ogeneration f the familyWorking business in pothe tentmanufacturing ial, are already of tempo alsoendless issues of measurements. The customer can define pro- oareers goalasishe toor fulshellwishes, dreams. give aallsimple ve generations workingininBrazil. the manufacture of joins custo-the otherOurthem butI will obviously need to be wijected furniture Brasília store wethe can make the color that the customer mized furniture in Brazil. Brasilia store joins the example, thin functional. It cannot, for example, upset the consforty franchises arounde the country. always of and make it reality. ere are forties franchises mirrored country. truction structure. Imagination here knows no islimits. The But the Stedilethe Family dream of having a store in dreamed customer candone set was them as youa cage for Butthe thecountry’s dream ofcapital Stedilewas family a store in sues most exotic eservice we have building well having planned. The factory re- measures. course has to stay within e fac-Jean like, the country’s verybut wellHenrique’s planned. father, Sheeverything requested a four-meter-high cagethe composing mainedcapital in thewas South, Ste- butanofartist. functional, can not,We forbuilt example, tory continued theFamily south, to butBrasília the father her ambiance. it and it undermine was fantastic.the We provide dile, tookinthe withofanHenry, already deterstructure of the building. Imagination has no limits Jean Stedile, the family to Brasilia a goal capital. guidance, but we cannot remove the customer touches. minedmoved goal: opening a company inwith the federal here. e most we didfurniture was put togealreadyThe drawn: open a business the federal Afterexotic all, service projected is or is it dream became reality in 1999. So, at capisixteen Henther an artist. She asked to make a cage of tal. erique dream came in 1999. notfor expensive? joined thetrue family’s patriarchus,in atthesixteen hard effort of a cage to amake the environment of it.that We came to Henrique joined the family patriarch in the arduous four metersIthigh varies lot. There were customers making a company grow. did andour it was guides, e ort to grow the company. storefantastic. that hadWe fallen intobut the we trapcanof not the “cheap Initially the store was opened in a shopping mall, take thebecame customer’s face. They went to a furniture maker – Initially the storefor wastheir opened mall,that butthe thebusinesexpensive”. but requests workinside were asuch all, it is not expensiveasorgood planned demandsman for labor was to such businessman deciwho someone mentioned – andmobile? left the design decided takethat thethe business to the Industry and7 - After largely.But Client has appeared herecome in out as ded to Supply take theSector trade for Industry and May Supply Sector on his hands. the furniture did not (SIA), and since 2016 BontempoIt depends our shop that fell trap up of “cheap out ex-times for (SIA), and sinceisMay is a new expected andinto theytheended paying many Brasília in a2016 newBontempo address, allBrasilia for better supporting pensive”, was product. a cabinetmaker - someone said it address,their all tocustomer better serve customertheand showofthe theitsame Not to mention the annoyance and and the showcasing variety products. was good - and left But a project in his hand. goes But straight the variety of products. wasted time. when the customer to a Read below the full interview with the shy young does not company go as expected to pay it several Check full interview withthe thecompany shy young such as had Bontempo, is 100% sure manout thatthewhen talking about leavesmobile the reputable times same will product. Outside hassleSuch and satisfacman, who when he starts talking theand comthethe product be delivered as the planned. shyness behind and shows theabout strength audacity of for when the pany, shyness disappears and the courage and the wasted time. tion isBut so certain thatcustomer today wewill offerbeaentitled seven-year waran entrepreneur. to a company thatno hasadditional a name like it isproduct, strength of Why an entrepreneur ranty, with costs,Bontempo for any store choose the come. company in face of the many that the product will There come will out be as years plan-of much 1 -businesses Why choose thesame company so many 100% sure not mentioning durability. in the area ofbefore activity?! ned. satisfaction is satisfaction so aesthetics sure that and today we o er trades branch ?! not choose the area, it chose me. I also believe and isalso functionality. I did seven-year warranty at no extra cost, for any product I did notthe choose branch, he chose I alsobusiness What is the company’s customer profile? that fact ofthethe company being me. a family durability be seeking believe brings that the fact tothat company is familiar from the store. I likeNot to to saymention that ourthe customer is a will person interest suchthe market. years of greatprice satisfaction and still have makes awaken interest inathis market.family business? years and quality, good and functionality for the his or her Is Bontempo successful aesthetics and They functionality. 2 - Bontempo that business worked? environhome. come to us desiring a tidy home so as to Withoutis aa family doubt. business This family the welcome pro le of family the company’s customer? Noment doubt. Finishathis businessinfamily, becomes receiveisand and friends. They are very becomes differential our service. Besides, you8 - What say that know our customer is the and person a di erential of company’s our service.needs. Besides, you itknow demanding, what is good are who punctual on know all In fact, even the potentiatesI often good price and my functionality to your whole by needs. In factineven enhances the seeks quality, their payments, at least customers (laughs). thebusiness company’s acceptance the market. home. eyWhat see until we want a plans neat for house wel- years? company’s What market acceptance. are Bontempo’s the to coming makes a customer seek the company’s service? come familyOur andnext friends. ey are very demanding, 3 - What does quality. a customer of to themanufacjob comprises a project line focused on Product Fromget thethe rawservice materials what is goodItand payments, at company? corporate offices. willpunctual be the first time the group will turing, we work with the best and most modern inthey the know least mywork client emarket. qualityAnofexample the product. From rawPark”. materials in (laughs). this segment and we are very anxious to see the is our “Industrial It is reference What are thereleased plans of foryear. the coto manufacturing, work the with the very best and Besides,9 - result, being at Bontempo the end of the in the countrywe making product differentiated. ming years?1What is your message for the Brazilian people? most modern inautomated the market. said our it is fully andAnis example consideredis Brazil’s best painencompasses a range focused pro- Now it “Manufacturing It is is a reference in of theservices coun-renderedOur nextBework perseverant. I believe the of worst has gone. ting center.Park”. Then there also the issue ces. It will thesorst timegrows that the o doing try making di erentiated product.team Moreover, is believing, yourbepart Brazil again and, here. the We have our own assembly and workit withjects the in corporate work in this segment we are very eager to is all automated andin istheconsidered the bestdifferential Brazil isgroup with it, its people again and prospers. best suppliers business. Another the will see isthe resultsSERVICES: that will be released later this year. painting center. effective. en thereThe is the question of of service company’s great majority our teams messageSetor do you the Brazilian people? - trehere. We havedesign our own assembly team Address: de leave Indústria e Abastecimento in the and architecture areas.and Theworked knowledge this10 - What To cho have perseverance. I believe that the erence is with top industry suppliers. Another of diour 2 lote 765 group has reflects in the marketing products. worst Now it is to believe, do your part the sta ofDoes the company. e vast majority of our Store: Bontempo the crisis through which the country is is over. grow www.bontempo.com.br again and, along with it, the team is going formed in the areas of design and architectu- for Brazil to Website: affect revenues? thrive. re. e knowledge this group is ten re ected the thepeople E-mail: brasilia@bontempo.com.br Yes, it hasthat dropped around percentinover past again marketing of our products. Telephone: (61) 3361 - 6666 months. This period stimulated the store’s physical move.

!"#

291


Tendências que atravessam gerações Em entrevista exclusiva, o responsável pela Ibramar Mármores e Granitos, Sr Adelio Silverio Rosa Filho, conta o segredo de quase quatro décadas de sucesso trabalhando com estes materiais nobres, elegantes e que nunca saem de moda.

C

onsiderado um produto nobre para decoração de interiores e exteriores, o mármore e o granito possuem vantagens que vão do requinte à beleza, transformando-o numa escolha elegante e inteligente e que nunca saem de moda. Por sua versatilidade eles podem ser utilizados em fachadas de prédios, pisos, tampos de móveis, pias, paredes, além de nichos e colunas, sempre deixando os ambientes muito sofisticados. Não é à toa que desde 1977, a Ibramar Mármores e Grantitos está presente no mercado brasiliense. Fundada pelos sócios Otávio Junqueira (que já tinha experiência em comércio) e por Giuseppe Pinori (de origem italiana e com conhecimento no ramo de marmoraria), desde então, oferece as mais variadas cores e padrões de materiais Nacionais e Importados. E o segredo de tanto sucesso? O sucesso não pode ser definido somente como triunfo ou êxito, ele pode ser definido também como aquilo que sucede, isto é, aquilo que acontece. A resposta para isso está no que acontece dentro da empresa, que nada mais é do que o fator humano. E o Sr Adelio Silveiro Rosa Filho faz parte disso! Um ano depois da inauguração da loja o jovem, Adelio - na época com 19 anos – integrou ao grupo de funcionários. Dentro da loja, o primeiro emprego foi como office boy. Por ela passou por todos os setores e em 1991 se tornou sócio e, desde 2003 se tornou o atual dono da empresa. Em entrevista exclusiva para “OLIMPÍADAS RIO 2016, BRASIL DE OPORTUNIDADES” Adelio Silverio Rosa Filho, revela que aprendeu durante a caminhada empresarial que a tradição e a qualidade precisam ser levadas a sério. Os temas são tão relevantes que, o mineiro de Patos de Minas, fez questão de revelar uma coisa simples, mas muito importante para a clientela: “O número de telefone da empresa é o mesmo, há mais de 25 anos: (61) 3234-3231, assim você cria laços com os consumidores. Contamos ainda com uma nova central telefônica com o número: (61) 2105-3231”. O carinho com que trata a empresa só perde para a família. Casado com Rosângela Rodrigues Silverio, com quem tem dois filhos, Adelio destaca que a estrutura familiar é importantíssima para desenvolver um trabalho com Ética, Respeito e Qualidade. Almanaque das Olimpiadas - Fale sobre Ibramar Indústria Brasileira de Mármore. Quantos anos de mercado e onde esta estabelecida? Adelio Silverio - É uma empresa fundada pelo Sr. Otávio Junqueira - que já tinha experiência em comércio - e pelo Sr. Giuseppe Pinori, este de origem italiana e com conhecimento no ramo de marmoraria. Um ano depois de ser inaugurada eu entrei na empresa para trabalhar, em 1978. Comecei como office boy e no decorrer dos anos fui crescendo na empresa. Passei por todos os setores. Em 1991 ingressei como sócio da empresa e desde então, a empresa passou por três divisões societárias e em 2003 assumi a empresa sozinho. Em 2011, a matriz da empresa - que ficava no Setor de Indústrias e Abastecimento - SIA trecho 3 - foi para um setor destinado à implantação de empresas em Samambaia (pró-DF). Toda produção e maquinário foram transferidos para a nova sede. Mas para manter a proximidade com nossos clientes, que já estavam acostumados com a empresa no SIA, alugamos uma loja no pró - DF do setor, que 292

está localizado no trecho 17 rua 15 lote 40, onde mantemos o showroom e o administrativo da empresa. Afinal de contas o Setor de Indústria é o centro comercial para quem busca produtos de reforma, construção e tudo relacionado a obras. As mudanças foram feitas para trazer mais qualidade ao serviço e conforto para os clientes. No quesito produto, a nossa mercadoria é de procedência do maior estado produtor e fornecedor de granito Brasileiro, o Espírito Santo. Contamos também com Mármores nacionais e importados da Itália, Portugal, Espanha, Turquia, Grécia, entre outros países. AO - Quais os diferenciais que a empresa oferece? Adelio Silverio - Grande parte de nossos clientes vem da tradição da nossa empresa. Creio que o diferencial é manter esse padrão de qualidade e a busca constante por novos produtos. Tenho orgulho de dizer que a nossa clientela hoje, chega à terceira geração, ou seja, atendemos o avô, pai e agora o neto nos procura na busca por produtos e serviços da Ibramar. Posso dizer, com toda certeza, que o nosso acabamento também é um diferencial de execução. Prezamos muito pela qualidade. AO - Decidir por mármore e granito durante uma obra é luxo? Adelio Silverio - De maneira nenhuma. Mármores e granitos fazem toda a diferença no ambiente. São tendências que atravessam gerações e não são desnecessárias, muito pelo contrário. Os dois elementos são componentes essências de qualquer obra. AO - Qual é a estrutura funcional da marmoraria ibramar? Adelio Silverio - Atualmente há vinte colaboradores no show room, atendimento e na matriz de Samambaia - DF. AO - Qual é o perfil dos clientes da loja? Adelio Silverio - A maioria é particular, porém também trabalhamos com construtoras e Órgãos Públicos. Na época em que o Distrito Federal era o paraíso da construção civil, principalmente durante a construção do Sudoeste e Águas Claras, adquirimos confiança de grandes empresas, que nos procuram até


hoje. Além disso, contamos com a parceria de engenheiros, arquitetos e designers. Nós temos clientes de todas as classes sociais, pois os nossos produtos cabem no bolso de quem procura qualidade e bom preço. AO - Quais os planos empresarias para um futuro próximo? Adelio Silverio - Continuar oferecendo nossos produtos com qualidade e pontualidade, satisfazendo o cliente. Além disso, ser referência no Distrito Federal e Região, no segmento de mármores e granitos, que satisfaça o desejo do consumidor, integrando e agregando resultados para colaboradores, parceiros e acionistas. AO - A crise que atravessa o País influencia no faturamento? Adelio Silverio - Drasticamente. Muitos empresários – e eu me coloco no meio tiveram que enxugar a máquina neste período de crise. É uma situação muito difícil demitir funcionário. Nesta crise o quadro funcional caiu aproximadamente, 50 por cento. O faturamento também declinou, visto que o atual quadro político econômico do Brasil nos leva a algo parecido com uma gangorra financeira. Tivemos meses de queda na casa de 30 por cento e meses de 50% de déficit. Hoje, estamos recuperando, mas a passos lentos. AO - Cada empresário é um Atleta Olímpico não oficial, acorda cedo, dorme tarde, trabalha, incansavelmente, de sol a sol, o que fazer para abrir as portas de sua empresa todos os dias? Adelio Silverio - No momento, todo mercado busca soluções seja em promoções ou parcerias. Há também a busca por produtos alternativos com preços menos elevados e que agregue qualidade no nosso serviço. AO - Antes de encerrar a entrevista deixe uma mensagem para o povo brasileiro. Adelio Silverio - Estamos vivendo um grande momento no Brasil. Há promessas de mudança política e econômica. Independente, de questões partidárias, acredito que tudo vai melhorar, mas preciso ser realista e acho que essa melhora será de médio a longo prazo. O País estava paralisado, agora acordou para voltar a estabilizar, fortalecer e voltar ao crescimento.

SERVIÇOS Empresa: A Ibramar Mármores e Grantitos Site: www.marmorariaibramar.com.br E-mail: marmorariaibramar@gmail.com Telefones: (61) 2105-3231 (61) 99986-3234

Trends that cross generations In an exclusive interview, the person in charge of Ibramar Mármores e Granitos, Mr. Adelio Silverio Rosa Filho, reveals the secret of almost four decades of success working with such noble, elegant materials that never go out of fashion. Considered noble products for interior and exterior decoration, marble and granite have advantages that go from sophistication to beauty, being an elegant and intelligent choice, and one that never goes out of fashion. Due to their versatility they may be used in building façades, floors, furniture tops, sinks, walls, besides niches and columns, always leaving ambiances very sophisticated. It is not by chance that since 1977 Ibramar Mármores e Granitos is present in the Brasília market. Founded by partners Otávio Junqueira (with previous experience in commerce) and Giuseppe Pinori (of Italian origin and knowledge in the field of marble factories), since then offering various colors and patterns for national and imported materials. And the secret for such success? The success cannot be defined only as triumph or achievement, it can also be defined as that which succeeds, in other words, that which happens. The answer for that is in what takes place inside the company, nothing more than the human factor. And Mr. Adelio Silveiro Rosa Filho is part of that! A year after the store inauguration young Adelio – then 19 years of age – became part of the personnel. In the store, the first job was as an office boy. There he went through all sectors; in 1991 he became partner, and since 2003 he is the company owner. In an exclusive interview for “RIO 2016 OLYMPICS, BRAZIL OF OPPORTUNITIES” Adelio Silverio Rosa Filho, reveals he learned, during his entrepreneur path, that tradition and quality need to be taken seriously. These issues are so relevant that the native of Patos de Minas, state of Minas Gerais, insists in revealing a simple, but extremely important thing for the clientele: “The company’s telephone number has been the same for over 25 years: +55 (61) 3234-3231, that is how you develop ties with consumers. We also have a new telephone exchange number +55 (61) 2105-3231”. The kindness with which he treats the company only loses to his family. Married to Rosângela Rodrigues Silverio, with whom he has two children, Adelio emphasizes that family structure is extremely important in order to develop work with Ethics, Respect and Quality. - Let’s talk about Ibramar Indústria Brasileira de Mármore. How many years is it in the market and where is it established? Adelio Silverio – it is a company founded by Mr. Otávio Junqueira, with previous experience in commerce, and Giuseppe Pinori, of Italian origin and knowledge in the field of marble factories. A year after inauguration I started working there, in 1978. I started as an office boy and throughout the years I grew in the company. I went through all sectors. In 1991 I became a partner in the company and since then the company underwent three partnership split-ups, and in 2003 I took over the company alone. In 2011, the company’s headquarters – which was in the Industries and Supply Sector – SIA Trecho 3 – was moved to a sector aimed to the implementation of companies in Samambaia (pro-DF). All production and machinery were transferred to the new headquarters. But in order to keep the proximity with our clients, already used to the company at SIA, we rented a store in the sector’s pro-DF, located at Trecho 17 Rua 15 Lote 40, where we maintained the company’s showroom and administration. After all the Industry Sector is the commercial center for those seeking products for renovation, construction and everything related to civil construction. The move was done so as to bring more quality to the service and comfort to clients. Regarding product,

our goods come from the largest granite producer and supplier state in Brazil, Espírito Santo. We also have national and imported marbles from Italy, Portugal, Spain, Turkey, Greece, among other countries. - What differentials does the company offer? Adelio Silverio – The majority of our clients result from our company’s tradition. I believe the differential is keeping the standard of quality and constantly seeking for new products. I am proud to say that today our clientele is in its third generation, that is, we do business with the grandfather, father and now the grandchild seeks us looking for Ibamar products and services. I can say, for sure, that our finishing is also a differential in execution. We value quality very much. - Is deciding for marble and granite in a construction work luxury? Adelio Silverio – By no means. Marbles and granites make all the difference to ambiance. They are trends that cross generations and are not unnecessary; on the contrary. The two elements are key components of any work. - What is the functional structure for Ibramar Marble Factory? Adelio Silverio – Presently there are twenty collaborators at the show room, support and at the Samambaia – DF head office. - What is the profile of the store’s clients? Adelio Silverio – The majority is private, however we also work with construction companies and public departments. When the Federal District was the heaven for civil construction, especially during the construction of the Sudoeste and Águas Claras, we won the trust of big companies, who are our clients until today. Also, we have engineers, architects and designers as partners. We have clients from all social classes, as our products fit into the budget of those seeking quality and good prices. - What are the business plans for the near future? Adelio Silverio – Continue offering our products with quality and punctuality, satisfying the client. Also being reference in the Federal District and region, in the segment of marbles and granites, satisfying the customer desire, integrating and aggregating results to collaborators, partners and stockholders. - Does the crisis which the country currently goes through influence revenue? Adelio Silverio – Drastically. Many businessmen – and I place myself among them – had to cut down on their businesses during this period of crisis. It is a very difficult situation having to let an employee go. In this crisis the number of employees dropped approximately 50 percent. Revenue has also declined, as the present political and economic scene in Brazil takes us to something similar to a financial seesaw. We had months with a decrease of around 30 percent and months with a 50 percent deficit. Today we are recovering, but in small steps. - Each businessman is a non-official Olympic athlete, wakes up early, sleeps late, works tirelessly, from dusk until dawn; what can you do to open the doors of your company every day? Adelio Silverio – Presently, the entire market seeks solutions, be it in promotions or partnerships. There is also the search for alternative products with more suitable prices and that aggregate quality to our service. - Before closing the interview, please leave a message to the Brazilian people. Adelio Silverio – We are living a great moment in Brazil. There are promises of political and economic changes. Putting political party issues aside, I believe everything will get better, but I need to be realistic and I think it will take place in the mid and long term. The country was in a standstill, it now has awaken so as to return to stability, strengthen itself and go back to growth.

293


Não existe sorte. Existe oportunidade e trabalho. A proprietária da TEC – LAR AR CONDICIONADO, conta sobre a sua trajetória e como conseguiu alcançar o sucesso dessa grande empresa. AO - Qual é a estrutura funcional da Tec-lar ar condicionado? Maria de Fátima - Temos uma loja física com trinta funcionários AO - Qual é o perfil dos clientes da loja?

E

m entrevista para a obra “OLIMPÍADAS RIO 2016, BRASIL DE OPORTUNIDADES” a professora e empresária Maria de Fátima Santos da Silva conta sua trajetória. Em janeiro de 1978, Fátima decidiu mudar a própria sorte. Saiu de Pedreira, uma cidade do Maranhão, para alçar voos maiores. Chegou à Brasília com 16 anos foi morar com uma tia no Guará. O primeiro emprego na capital, empregada doméstica. Depois foi trabalhar em um mercado e, neste período, trouxe um - dos quinze irmãos - que morava no Maranhão para Brasília. Para ajudar nas despesas, o rapaz conseguiu um emprego no comércio de ar condicionado que ficava na 102 norte. Ele arrumava bomba ejetora e refrigeração. Entre um emprego e outro, Maria de Fátima terminou o magistrado, mas exerceu a profissão por pouco tempo. A vida seguia tranquilamente quando 1977 eles foram surpreendidos com uma proposta. O dono da loja de ar condicionado queria passar o ponto. Mas na época, eles não tinham o dinheiro para comprar o local, Maria de Fátima decidiu vender a linha telefônica para realizar, junto com o irmão, o sonho de ser dono de uma empresa. Os tempos já foram difíceis, com muito humor ela conta que uma fruta era a refeição do dia e que chegou a dormir na empresa - por falta de dinheiro para pegar ônibus. Hoje, ela revela que agora os tempos são outros. A Tec-lar ar condicionado chega à terceira década de existência comemorando a liderança no setor de revenda de ar condicionado em Brasília. A única coisa que não mudou foi a simpatia de uma mulher guerreira e determinada.

Maria de Fátima - O ar condicionado já foi considera um produto de luxo, hoje é uma necessidade. Ainda mais em Brasília que tem clima praticamente desértico. Então, neste contexto, o nosso cliente é o que busca melhor qualidade de vida sem deixar para trás o custo beneficio. Os nossos aparelhos tem um avançado sistema de filtragem que pode ajudar a eliminar desde poeira e impurezas até bactérias e vírus. AO - Q u a i s o s p l a n o s e m p r e s a r i a s pa r a u m f u t u r o p r óx i m o ? Maria de Fátima - Expandir o nosso trabalho. Para curto e médio prazo aumentar o estoque. Para médio e longo prazo construir outras unidades.. AO - A crise que atravessa o país influenciou no faturamento da Tec-lar ar condicionado? Maria de Fátima - Essa atual crise me fez lembrar o conturbado período de crise na economia na era Collor. Foi um tempo de desespero empresarial teve congelamento de preços, salários e o que mais afetou minha empresa foi quando ele suspendeu poupanças, contas correntes e outras aplicações financeiras. Era com essas aplicações que eu pagava funcionários e fornecedores. Precisei de muita fé, paciência e trabalho para erguer a empresa e honrar com os salários da minha equipe. A crise atual não abalou tanto a empresa quanto nos anos 90, mas deixou um rastro de destruição também. Entre 2014 e 2015 tinha oitenta funcionários. Em 2016, trinta funcionários prestam serviços para a Tec-Lar. E nosso faturamento caiu em torno de trinta por cento.

Almanaque das Olímpíadas - Fale sobre sua empresa, quantos anos tem, onde esta estabelecida?

AO - O que o empresário precisa fazer para não fechar as portas nesta crise?

Maria de Fátima - A loja foi inaugurada 1980, mas foi em 1984 que a comprei. Atualmente ficamos no Setor de Oficinas norte. A loja é bem fácil de ser encontrada, não apenas pela sinalização visual que instalamos, mas também por ficar perto um dos mais famosos e conhecidos parques ecológicos de Brasília, a Água Mineral.

Maria de Fátima - É preciso ter o velho e bom jogo de cintura. Primeiro precisamos quebrar paradigmas. Sem falsa demagogia, o meu lucro é a satisfação do cliente. Também é preciso trabalhar com produtos de alta qualidade e qualificar o quadro funcional. Além de oferecer

294


comodidade ao publico alvo. Na Tec-lar ar condicionado o cliente encontra tudo em um só lugar. Desde o atendimento residencial para fazer a avaliação até a instalação. Vale destacar que o compromisso da Tec-lar não termina na venda ou instalação do equipamento. Há um amplo serviço pós-venda que visa não apenas prestar a melhor assistência técnica, como também atender a qualquer solicitação do cliente. Há também o quesito estoque. Estamos em um momento do imediatismo. Então, sempre tento deixar o estoque cheio. Outra questão que precisa ser levada em conta é deixar o produto com a cara do cliente. Aqui ele pode ser personalizado. Nossa equipe faz o condicionamento técnico do aparelho para adequar a necessidade do cliente. Se fizer um bom trabalho, em algum momento, o reconhecimento chega. AO- Cada empresário é um Atleta Olímpico não oficial, acorda cedo, dorme tarde, trabalha incansavelmente de sol a sol, o que você tem feito para a porta de sua empresa continuar aberta? Maria de Fátima - Tenho certeza que todo atleta quer ser o primeiro em sua modalidade. O sonho é o pódio, mas há espaço apenas para três. Aí vence o melhor. O mesmo acontece na vida empresarial. Não existe sorte. Existe oportunidade e trabalho. Quando há necessidade, vou de obra em obra para ver se precisam de ar condicionado ou se conhecem alguém que precise. Tem época que coloca o cartão de visita de porta em porta. Em algum momento você vai ser visto e lembrado. A gente precisa correr atrás e resolver o que precisa ser resolvido. AO - Mensagem para o povo brasileiro. Maria de Fátima - Quero deixar o conceito de dignidade e respeito. Com isso você entra e sai de cabeça erguida em qualquer momento, crise e lugar.

SERVIÇOS Empresa: Tec-lar ar condicionado Endereço: SOF Norte Q 04 Conj “G” Nº 126 próximo a Água Mineral de Brasília Telefone: (61) 3465-2322 Site: www.teclardf.com.br

There is no luck. There is opportunity and work TEC – LAR AR CONDICIONADO owner, tells about her trajectory and how she was able to reach success with such a big company. In an interview for “RIO 2016 OLYMPICS, BRAZIL OF OPPORTUNITIES” teacher and businesswoman Maria de Fátima Santos da Silva tells her story. In January 1978, Fátima decided to change her own luck. She left Pedreira, a city in Maranhão, in order to reach higher grounds. She reached Brasília at 16 years of age and went to live with an aunt in the neighborhood of Guará. The first job in the capital: house maid. After, she went to work in a market and, during this period, she brought one – of the fifteen siblings – living in Maranhão to Brasília. In order to help with expenses, the boy was able to find a job in the air conditioning sector, at 102 Norte. He would repair injection pumps and refrigeration. In between jobs, Maria de Fátima finished teacher training, but did not exercise the profession for long. Life continued peacefully when in 1977 they were surprised with a proposal. The owner of the air conditioning store wanted to sell it. But at the time they did not have the money to acquire it. Maria de Fátima decided to sell a telephone line (a valuable commodity at the time) in order to fulfill, along with her brother, the dream of being a company owner. Times have been hard, but with lots of humor she tells that a fruit was her daily meal and that she even slept in the company for not having money to pay the bus fare. Today, she reveals times have changed. Tec-Lar Ar Condicionado reaches the third decade of its existence celebrating the leadership in the air conditioning resales sector in Brasília. The only thing that did not change was the congeniality of a fighting and determined woman. - Let’s talk about your company. How old is it and where is it established? Maria de Fátima Santos da Silva: The store was inaugurated in 1980, but it was in 1984 that I bought it. Presently we are located in the North Workshops Sector. It is very easy to find the store, not only due to the visual signs we installed, but also for being close to one of the most famous and known ecological parks in Brasília, the Água Mineral. - What is the functional structure for Tec-Lar Ar Condicionado? We have a physical store with thirty employees. - What is the profile of the store customers? Air conditioning has already been considered a luxury product, and today it is a necessity. Even so in Brasília, with its almost desert climate. So, in such a context, our client is someone seeking better quality of life without leaving behind the cost benefit. Our devices have an advanced filtering system which is capable of eliminating from dust and impurities or bacteria and viruses. - What are the business plans for the near future? Maria de Fátima Santos da Silva: Expanding our work. In the short and mid-terms increase our stock. In the mid and long terms built other units. - Did the crisis which the country currently goes through influenced Tec-Lar Ar Condicionado revenues? Maria de Fátima Santos da Silva: The present crisis reminded me of the turbulent period of the Collor era economic crisis. It was a time of business despair, with price and salary freezing, and what affected most my company was when he suspended savings accounts, current accounts and other financial investments. With such investments I would pay employees and suppliers. I needed much faith, patience and work to get the company back up and pay my team’s salaries. The present crisis did not shake the company as much as in the 1990s, but it also left a trail of destruction. Between 2014 and 2015 I had eighty employees. In 2016, thirty employees provided services for Tec-Lar. And our earnings dropped around thirty percent. - What does the businessman need to do to not close down in such a crisis? Maria de Fátima Santos da Silva: It is necessary to have the good old flexibility. First we need to break down some paradigms. With no false demagogy, my profit is customer satisfaction. It is also necessary to work with high quality products and qualify personnel, aside from offering convenience to the target audience. At Tec-Lar Ar Condicionado the customer finds everything in a single place. From residential support for evaluation up to setup. It is important to emphasize that Tec-Lar’s commitment does not end with the sale or setup of equipment. There is a broad post-sales service aiming not only at rendering the best technical support, but also attending any customer request. There is also the stock issue. We are in an immediacy moment. So, I always try to have a full stock. Another issue that needs to be raised is leaving the product with the customer face. Here it can be customized. Our team performs the device’s technical conditioning so as to adapt it to the customer needs. If you do a good job, in a specific moment, recognition comes. - Each businessman is a non-official Olympic athlete, wakes up early, sleeps late, works tirelessly, from dusk until dawn; what can you do to open the doors of your company every day? Maria de Fátima Santos da Silva: I am sure that every athlete wants to be the first in his or her modality. The podium is the dream, but there is space for only three. Then, the best wins. The same takes place in the business life. There is no luck. There is opportunity and work. When it is needed, I go from site to site to check if they need air conditioning or if they know someone who does. There are times when I place our business card door to door. In a determined moment you will be seen and remembered. We need to go after solving what needs to be solved. - Message for the Brazilian people. Maria de Fátima Santos da Silva: I want to leave the concept of dignity and respect. With that you go in and get out with your head up high at any moment, crisis and place.

295


REQUINTE DESIGN DE INTERIORES Decorar da melhor forma cada espaço, levando em consideração, conforto, estética, funcionalidade e praticidade

O

Almanaque das Olimpíadas entrevistou a proprietária da loja “REQUINTE DESIGN DE INTERIORES”, a baiana Ermita Oliveira Dias Neta, bastante reconhecida por seu trabalho e determinação. Mas até chegar - a este reconhecimento – foi preciso muito esforço. Antes de começar o próprio negócio ela foi trabalhar com o irmão, Demériton Oliveira Dias. E, foi com ele, que aprendeu a exercer a arte de planejar um ambiente. A parceria sempre foi muito boa, mas depois de cinco anos juntos, adquiriu confiança e crescimento profissional e decidiu abrir a própria loja, com a ajuda do marido Jonatas Jose da Silva. “Só tenho a agradecêlo pelo cuidado tem comigo ao longo dos anos e, por acreditar em meus projetos”, disse Ermita. A loja própria foi inaugurada em 2009, em um pequeno espaço, em Águas Claras. “No inicio alugamos uma sala muito pequena, só porque era mais barato”, revela a empresária. Com ajuda da única colaboradora, Vanicelia Barbosa de Oliviera, o empreendimento foi progredindo e hoje a loja fica dentro do “Park Design Shopping”. No início era um pequeno ponto de atendimento aos clientes. Foram dois anos neste tipo de exposição. Em 2013, o shopping passou por uma grande reforma e foi nesse período que Ermita viu uma oportunidade. “Fui com a cara e a coragem falar com o senhor Sérgio Sebba, (o dono do Park Design Shopping). Ele não me conhecia e não sabia da minha história, mas simplesmente me deu uma grande oportunidade, cedendo um espaço no shopping.” Para Ermita, ele é um exemplo de empresário. “Infelizmente o individualismo, egoísmo e ganância, estão no dia a dia do ramo empresarial. É difícil ter uma pessoa como o senhor Sebba. Ele é um empresário, atencioso e preocupado com o próximo, uma raridade dentro do setor empresarial.”, elogia Ermita. Mãe de duas meninas, uma de 14 e 17 anos, a empresária chegou a Brasília com 20 anos, em 1991. Junto com o pai, Florentino Henrique Dias, e a mãe, Maria das Neves Oliveira Dias, veio em busca de uma vida melhor. Nos primeiros anos na capital focou em concurso público. Até passou em alguns, mas ao fazer o curso superior de design de interiores, percebeu que seria mais feliz sendo empresária. Almanaque das Olimpiadas - Fale sobre a Requinte design de interiores. Quantos anos de mercado e onde esta estabelecida? Ermita Oliveira Dias Neta - É uma empresa com ambiente familiar com trabalhos diferenciados para o público. O nosso serviço é decorar da melhor forma cada espaço, levando em consideração, conforto, estética, funcionalidade e praticidade. Mas sem deixar de lado a identidade e a rotina dos moradores da residência. Temos seis funcionários treinados, capacitados e dedicados. A empresa foi fundada no dia 22 de julho de 2009 era uma pequena loja, em Águas Claras. Mas depois mudamos as instalações para o Park Design Shopping. AO - Como surgiu o nome da empresa? Ermita Oliveira Dias Neta - É Foram listados vários nomes para batizar a loja, mas me apaixonei pela palavra requinte. Além de representar muito bem o que pretendo para a loja que é a busca pela sofisticação e pela perfeição. Os nossos clientes buscam realizações de sonhos e nós somos a ferramenta desse sonho. 296

AO - Para qual cômodo de uma residência o trabalho requinte design de interiores é mais procurado? Ermita Oliveira Dias Neta - Trabalhamos mais com quarto e sala. O forte na empresa é cortina, persiana e papel de parede. Mas estamos expandindo o nosso ramo a cerca de um ano começamos a trabalhar com móveis, solto e planejado. AO - Quais os diferenciais que a empresa oferece? Ermita Oliveira Dias Neta - O nosso diferencial é o atendimento. O objetivo é superar as expectativas do cliente e conquista-lo já no primeiro contato. Se o atendimento não for satisfatório, é certo que o cliente nunca mais volta. Mas se a primeira impressão for positiva, o cliente se torna fiel e ainda faz a propaganda da empresa para seu circulo de amizade. Outro diferencial é a pontualidade em nossos serviços. Tenho orgulho em dizer que não chegamos atrasados em um compromisso, isso significa que tenho respeito, compromisso e dever com meu cliente e com minha empresa. Por último e não menos


importante é a Pós-venda. A interação entre empresa e cliente após a conclusão do pedido, é uma forma de formar um vínculo e dizer para o cliente que estamos sempre a disposição. AO - Decidir por design de interiores durante uma obra é luxo? Ermita Oliveira Dias Neta - O design é uma necessidade. As pessoas compram cortinas, por exemplo, em busca de privacidade. Hoje, ninguém tem dinheiro para gastos desnecessários, por isso quem decide por um trabalho de design de interiores busca funcionalidade. Ainda tem outra questão, as pessoas têm ficado cada vez menos em casa e querem encontrar em seu lar conforto e um espaço bonito, isso só se tem com um profissional de design. AO - Quais os planos empresarias para um futuro próximo? Ermita Oliveira Dias Neta - Depois que fechei a loja em Águas Claras fiquei apenas aqui no Park Design Shopping, mas ultimamente estou vendo a necessidade de expandir esta unidade. Hoje o espaço é de 55 metros, mas até 2018 vamos chegar a 200 metros. AO - A crise que atravessa o País influencia no faturamento? Ermita Oliveira Dias Neta - Como a maioria dos empresários a nossa empresa foi afetada com a crise que assolou o País. Nos últimos anos o faturamento caiu em 40%, nesse período foi preciso fazer alguns ajustes para se manter no mercado. AO - Aproveitando este cenário Olímpico, como você compara o seu ramo profissional ao esporte? Ermita Oliveira Dias Neta - Eu sou muita família e observo que o vôlei também é. Por isso valorizo e admiro bastante esta modalidade. A gente não ouve falar de má conduta desses jogadores, eles ganham na raça e jogam de coração. A equipe tanto masculina quanto feminina, são determinadas e unidas. AO - Antes de encerrar a entrevista deixe uma mensagem para o povo brasileiro. Ermita Oliveira Dias Neta - Nunca desista de seus sonhos e nada é impossível. Quando abrir a loja em uma sala pequena nunca imaginava que ia ter um empreendimento dentro de um shopping. Se eu falasse isso naquela época o povo ia dizer que era loucura, mas eu acreditei em mim mesma. Nada vem fácil, é preciso muito trabalho, fé e determinação para conseguir o que deseja.

SERVIÇOS Empresa: Requinte Design de Interior Endereço: SGCV Sul Lote 9 - Guará, Park Design Shopping Telefone: (61) 3042-0101 / 99607 - 8761 Site: www.requintedesigndeinteriores.com.br

REFINEMENT INTERIOR DESIGN Decorate the best way each space, taking into account comfort, aesthetics, functionality and practicality. The Almanac of the Olympics interviewed the owner of the shop “REFINEMENT INTERIOR DESIGN” Bahian Ermita Oliveira Dias Granddaughter, widely recognized for his work and determination. Until then - this recognition - it took a lot of effort. Before starting her own business she was working with his brother, Demériton Oliveira Dias. And it was with him, who learned to practice the art of planning an environment. The partnership was always very good, but after five years together, gained confidence and professional growth and decided to open his own shop with the help of her husband Jonathan Jose da Silva. “I just have to thank you for the care has me over the years, and believe in my projects,” Ermita said. The store itself was opened in 2009 in a small space in Aguas Claras. “At first we rented a very small room, just because it was cheaper,” says the businesswoman. With the help of the only collaborator Vanicelia Barbosa de Oliviera, the project was progressing and today the store is inside the “Park Shopping Design”. At first it was a small point of customer service. Two years in this type of exposure. In 2013, the mall underwent a major renovation and was in this period that Ermita saw an opportunity. “I went with the face and the courage to speak to Mr. Sergio Sebba, (the owner of the Park Design Shopping). He did not know me and did not know my story, but just gave me a great opportunity, giving a space in the mall. “ For Ermita, he is a businessman example. “Unfortunately individualism, selfishness and greed, are the day to day business branch. It is difficult to have a person like you Sebba. He is a businessman, considerate and concerned neighbor, a rarity in the business sector. “, Praises Ermita. Mother of two girls, one 14 and 17, the businesswoman arrived in Brasilia with 20 years in 1991. Along with his father, Florentino Henrique Dias, and his mother, Maria das Neves Oliveira Dias came in search of a better life . In the early years in the capital focused on public tender. Even he passed on some, but to do a degree in interior design, he realized he would be happier with businesswoman. Talk about Refinement of interior design. How many years of market and where it established? Ermita Oliveira Dias Neta - is a company with a family atmosphere with differentiated work to the public. Our service is the best way to decorate each space, taking into account comfort, aesthetics, functionality and practicality. But without forgetting the identity and the routine of the residents of the residence. We have six trained, empowered and dedicated employees. The company was founded on July 22, 2009 was a small shop in Clearwater. But then we moved the facilities to Park Design Shopping. As the company name come from? Ermita Oliveira Dias Neta - were listed several names to christen the store, but I fell in love with the word refinement. In addition to representing very well what I want to store that is the quest for sophistication and the per-

fection. Our customers seek achievements of dreams and we are the tool that dream To which room of a residence interior design refinement work is most wanted? Ermita Oliveira Dias Neta - work more with bedroom and living room. The company is strong in curtain, blinds and wallpaper. But we are expanding our branch about a year we started working with furniture, loose and planned. - What are the advantages that the company offer? Ermita Oliveira Dias Neta - Our difference is the service. The goal is to exceed customer expectations and conquer it in the first contact. If the service is not satisfactory, it is certain that the customer never returns. But if the first impression is positive, the customer becomes loyal and still makes the company’s advertisement for your circle of friendship. Another difference is the punctuality in our services. I am proud to say that we arrived there late on a compromise, it means I have respect, commitment and duty to my client and my business. Last but not least is the after-sales. The interaction between company and customer upon completion of the application, is a way to form a bond and telling the client that we are always available. - Decide for interior design during a work is luxury? Ermita Oliveira Dias Granddaughter. - No. The design is a must. People buy curtains, for example, for privacy. Today, no one has money to unnecessary spending, so who decides for design work interior search functionality. Has another question, people have become less and less at home and want to find in your home comfort and a beautiful space, this only have with a professional design. - What are the entrepreneurial plans for the near future? Ermita Oliveira Dias Neta - After I closed the shop in Clearwater was just here in Park Design Shopping, but lately I’m seeing the need to expand this unit. Today the space is 55 meters, but by 2018 will reach 200 meters. - The crisis in the country influences the billing? Ermita Oliveira Dias Granddaughter. Like most entrepreneurs our company was affected by the crisis that hit the country in recent years revenues fell by 40% in this period had to make some adjustments to stay on the market. - Taking advantage of this Olympic scenario, how do you compare your professional branch to the sport? Ermita Oliveira Dias Granddaughter - I’m a lot of family and watch the volleyball also. So I appreciate and admire quite this mode. We do not hear about misconduct of these players, they win the race and play from the heart. The staff both male and female, are determined and united. - Before closing the interview leave a message to the Brazilian people. Ermita Oliveira Dias Neta - Never give up your dreams and nothing is impossible. When you open the store in a small room I never imagined it would be a venture into a mall. If I told it then people would say it was crazy, but I believed in myself. Nothing comes easy, it takes hard work, faith and determination to get what you want.

297


Vidros mais do que especiais

Mais de 60 anos de história e uma trajetória de muito sucesso, fazem parte da Glassin, uma das empresas mais antigas do Distrito Federal.

A

ntes de relatar o presente momento da Glassin, a história da empresa precisa ser contada. Adiney Jayme de Oliveira, segunda geração no ramo vidreiro conta a origem dela. Ele revela que seu pai, Eujácio Cristiano de Oliveira, deu origem ao empreendimento. O senhor Oliveira, como é mais conhecido no ramo, nasceu em 1940 em terras hoje pertencentes a Capital Federal, onde viveu sua infância, e na adolescência, foi conduzido á Anápolis para uma melhor educação dele e dos irmãos. Nesta nova cidade teve a primeira experiência profissional na arte do vidro. Aos dezoito anos, motivado pela notícia da construção da Capital decidiu mudar para Brasília indo direto para a conhecida “Cidade Livre” (atualmente Núcleo Bandeirante). Como conhecia - como ninguém as terras Candangas - comercializava areia nas obras. E, foi em uma dessas entregas que encontrou seu ex-patrão. Ele incentivou o senhor Oliveira a retomar para o ramo vidreiro e, como forma de estímulo, recebeu dele sua primeira carga em empréstimo. Foi então, que nasceu a “VIDRACARIA PLANALTO”. O feeling para os negócios era tão grande que o senhor Oliveira vendeu todo o produto em apenas uma semana. Deste então, não parou mais de trabalhar 298

no setor. Seus serviços daquela época permanecem até hoje em monumentos como o Palácio do Planalto, o Palácio da Alvorada e a Torre de TV. Outras obras importantes como a Universidade de Brasília (UNB), o Hospital Sarah Kubitschek e a Estação Rodoviária também são alguns dos trabalhos da VIDRAÇARIA PLANALTO. Mas o senhor Oliveira não fez tudo sozinho contou com a ajuda de dois irmãos Acácio de Oliveira (in memoria), Nicácio de Oliveira (in memoria) e do Roberto Neto Siqueira. Durante a entrevista, Adiney Jayme, também revelou que ajudava o seu pai na empresa, mas mesmo sendo o filho de um dos donos, a vida dentro da empresa não foi moleza. Começou em 1982, aos 14 anos. Nas férias escolares fazia a faxina no local. Depois passou a ser o office boy, em seguida passou a ser motorista, vendedor, auxiliar de escritório e só depois - de formado em 1991 - começou a administrar uma filial da empresa no Setor de Indústria. Anos depois, o pai dele inaugurou um galpão que fica na Via Estrutural, Chácara 123 lote 1C, Vicente Pires. Lá havia um espaço enorme vazio e uma única máquina para beneficiar vidros. “Foi um desafio e tanto. Até hoje sinto um frio na barriga quando me lembro desse momento foi um marco para mim como empresário.”

Atualmente, o local em nada lembra o galpão vazio de 2006. Adiney transformou o espaço em uma unidade fabrilda“VIDRAÇARIA PLANALTO” com inúmeros funcionários e máquinas. Hoje, o jovem empreender é presidente da Associação Brasiliense de Vidraçarias, (ABRAVID) e membro da Associação Brasileira de Distribuidores

e Processadores de Vidros Planos (ABRAVIDRO). Ele não é só engajado na busca por melhorias para o setor, mas ousado também. Decidiu que estar na hora de mudar o nome da empresa. Ao longo da entrevista para o Almanaque, explica o porquê da mudança do nome da unidade fabril de: VIDRAÇARIA PLANALTO para GLASSIN.

Almanaque das Olimpiadas - Quantas lojas existem da “VIDRAÇARIA PLANALTO”? Adiney Jayme - É preciso ficar claro, que atualmente há uma loja de varejo e uma fabril. Para expandir os negócios e dar conta da demanda temos as loja fabril que fica na Via Estrutural. Já o varejo fica na Asa Norte há quase 60 anos. Desde então, oferece qualidade, tradição e credibilidade para os moradores do Distrito Federal e de regiões próximas da Capital. AO - Por que está querendo mudar o nome da empresa que há quase sessenta anos está na memória da população brasiliense? Adiney Jayme - Hoje a empresa é conhecida apenas como vidraçaria. Mas ela é mais do que isso. Também é uma indústria, motivo pelo qual estamos visando outros mercados além disso, fora de Brasília o nome “Planalto” não é tão representativo. 2016 é ano de renovo, por isso, estamos preparando os nossos clientes para essa transição. AO - Quais os planos da Glassin para os próximos anos? Adiney Jayme - Expandir o mercado da indústria. Vamos instalar pontos em São Paulo e Salvador. A capital baiana foi escolhida por conta de uma parceria desenvolvida com o arquiteto Ruy Espinheira. Ele tem dado uma atenção especial para o desenvolvimento de alguns produtos novos que nós trabalhamos. Em São Paulo, um empresário da região do ABC tem sinalizado a necessidade de uma indústria com o perfil da Glassin para a cidade dele. O mercado paulista é incomum, ele absorve muito rápido e, é nisso que estou apostando para os próximos anos. Outra grande expectativa é pela linha gourmet que vai ser apresentada ao público até o fim deste ano. É uma linha exclusiva para todo tipo de comida.


AO - Quais os diferenciais que a Gl a ssin of e re c e at ua lm e nt e ? Adiney Jayme - Nós trabalhamos com vidros especiais como o antibactericida. Ele auxilia na eliminação de até 99,9% das principais bactérias encontradas em sua superfície. Outro diferencial é o Vidro Led, que tem como ponto forte uma nova textura e uma iluminação embutida traz um apelo visual para compor um efeito artístico no ambiente. Temos ainda o vidro “Glass Inviolable”, mais seguro e mais resistência que os vidros convencionais. É um produto que está abrindo novos níveis de desemprenho. Ainda temos uma linha exclusiva para box de banheiro que é o Laminado Termo-Endurecido, ele é mais seguro para o dia a dia. E, tem mais, impossibilita qualquer acidente doméstico. AO - Qual é o perfil dos clientes da loja? Adiney Jayme - O mercado é sensível à construção civil, mas quando comecei a trabalhar com vidro só mansão tinha box de vidro temperado, mas graças ao crescimento do setor este cenário mudou. O leque de clientes da Glassin é maior que qualquer outra indústria de vidros atendemos desde restaurantes, com a linha de prataria, até bancos a procura de vidros invioláveis e, também, aplicações em residências. AO - Qual a influência da crise na empresa? Adiney Jayme - Entendo que muitas vezes a crise é terra de oportunidades. Uma empresa com a nossa idade já enfrentou várias, AI5, Inflação Zero, Plano Collor e, em todas, a empresa cresceu. Não sendo muito diferente neste momento acabamos de adquirir um terreno para expandir a fábrica. AO - Cada empresário é um Atleta Olímpico não oficial, acorda cedo, dorme tarde, trabalha, incansavelmente, de sol a sol. Qual atleta você tem como referência? Adiney Jayme - O jogador Pelé. Acredito que o Edson Arantes poderia ser destaque em qualquer outro esporte. Ele é um esportista completo além de ser o atleta do século. Como Pelé, nós os “industriais comerciantes” precisamos ter o desempenho do Rei. Sendo destaque em nosso setor e encantando o consumidor com nossos produtos e ainda driblar os desafios diários. AO - Antes de encerrar a entrevista, deixe uma mensagem para o povo brasileiro. Adiney Jayme - Não há inverno que dure para sempre. Ao meu ver, estamos passando uma grande revolução com mudança positivas. É um grande feito a ser vivido pelas novas gerações, ou seja, o melhor ainda está por vir..

SERVIÇOS Empresa: Glassin Endereço: Via Estrutural Chácara 123 lote 1C, Vicente Pires E-mail: glassin@glassinbrasil.com.br Telefone: (61) 3597-4488 Site: www.glassin.com.br Empresa: Planalto Vidros Endereço: Unidade varejo: 704 norte - Bloco “E” - Loja “09” E-mail: planaltotemperados@gmail.com Telefone: (61) 3326-4488 Site: www.planaltovidros.com.br

More than special glasses More than 60 years of history and a history of very successful part of Glassin, one of the oldest companies in the Federal District. Before reporting this time of Glassin, the company’s history needs to be told. Adiney Jayme de Oliveira, second generation in the glass industry has its origin. He reveals that his father, Eujácio Cristiano de Oliveira gave the undertaking. Mr. Oliveira, as it is known in the business, was born in 1940 on land now belonging to the Federal Capital, where he lived his childhood and adolescence, was conducted will Anapolis to better his education and brothers. In this new city had the first professional experience in glass art. At eighteen, motivated by the news of the construction of Capital decided to move to Brasilia going straight to the familiar “Free City” (now Casco). As I knew - as no one Candangas land - marketed sand in the works. And it was in one of those deliveries that met his former employer. He encouraged Mr. Oliveira to return to the glassmaking industry, and as a stimulus, it received its first load on loan. It was then that was born the “glazier PLATEAU”. The feeling for business was so great that Mr. Oliveira sold any product in just a week. Since then, he never stopped working in the sector. Their services that era remain today in monuments such as the Presidential Palace, the presidential palace and the TV Tower. Other important works such as the University of Brasilia (UNB), the Hospital Sarah Kubitschek and the bus station are also some of the work of the glazier PLATEAU. But Mr. Oliveira has not done it alone had the help of two brothers Acacio de Oliveira (in memory), Nicácio de Oliveira (in memory) and Roberto Siqueira Neto. During the interview, Adiney Jayme, also revealed that he helped his father in the company, but even being the son of one of the owners, life within the company was no cakewalk. It began in 1982, at age 14. In the school holidays was to clean up the site. Later he became the office boy, then became a driver, salesman, office clerk and then - graduating in 1991 - began to administer a subsidiary of the Industry Sector. Years later, his father opened a warehouse that is located on Via Structural, Chacara 123 Lot 1C, Vicente Pires. There was a huge empty space and a single machine to benefit glasses. “It was a challenge. Today feel the goose bumps when I remember that moment was a milestone for me as an entrepreneur. “ Currently, the site does not remember the empty shed 2006. Adiney transformed the space into a factory of “glazing PLATEAU” with numerous employees and machines. Today, the young undertake is president of the Association Brasiliense Vidraçarias (ABRAVID) and member of the Brazilian Association of Distributors and Plans Glass Processors (ABRAVIDRO). It is not only engaged in the search for improvements for the sector, but also bold. It decided to be time to change the company name. Throughout the interview to the almanac explains why the change of name of the plant of: glasswork PLANALTO to GLASSIN. - How many stores are the “glazier PLATEAU”? Adiney Jayme - It must be clear that there is currently a retail store and a factory. To expand business and meet the demand we have the factory store is in via Structural. But the retail is in the North Wing for almost 60 years. Since then, it offers quality, tradition and credibility to the residents of the Federal District and surrounding areas of the capital. - Why are you trying to change the company

name that almost sixty years ago in memory of Brasilia population? Adiney Jayme - Today the company is known only as glazing. But it is more than that. It is also an industry, which is why we are targeting other markets in addition, outside of Brasilia named “Plateau” is not as representative. 2016 is year of renewal, so we are preparing our customers for this transition. - What are the plans of Glassin for the coming years? Adiney Jayme - Expand the industry market. We will install points in São Paulo and Salvador. The Salvador was chosen because of a partnership developed with the architect Ruy Espinheira. He has given special attention to the development of some new products we work. In São Paulo, a businessman in the ABC region has signaled the need for an industry with the profile of Glassin to his city. The São Paulo market is unusual, it absorbs very quickly and that’s what I’m betting for years to come. Another great expectation is the gourmet line that will be presented to the public later this year. It is an exclusive line for all kinds of food. - What are the differentials that currently offers Glassin? Adiney Jayme - We work with special glasses as the anti-bacterial. It aids in the elimination of up to 99.9% of the main bacteria found on its surface. Another difference is the LED glass, which has the strength of a new texture and a recessed lighting brings a visual appeal to compose an artistic effect on the environment. We also have the glass “Glass inviolable”, safer and more resistance than conventional glass. It is a product that is opening new levels of desemprenho. We still have an exclusive line for bathroom stall that is laminated thermoset, it is safer for the day to day. And what’s more, it precludes any domestic accident. - What is the profile of the store’s customers? Adiney Jayme - The market is sensitive to construction, but when I started working with glass mansion had only box tempered glass, but thanks to the growth of the sector has changed this scenario. The Glassin’s customer range is greater than any other glass industry serve from restaurants, with the line of silverware, to banks looking for resealable glass and also applications in homes. - What is the influence of the crisis in the company? Adiney Jayme - I understand that often the crisis is a land of opportunities. A company with our age has faced several, AI5, Zero Inflation, Collor Plan and, in all, the company grew. Not being very different at this point just to acquire land to expand the factory. - Each entrepreneur is an Olympian unofficial, wake up early, sleep late, works tirelessly, from sunrise to sunset. What athlete you have as a reference? Adiney Jayme -. The player Pele Edson Arantes I believe that could be featured in any other sport. He is a complete athlete and is the athlete of the century. As Pelé, we “industrial traders” need to have the performance of the King. Being featured in our industry and delighting the consumer with our products and even dribble the daily challenges. - Before closing the interview, leave a message to the Brazilian people. Adiney Jayme - No winter lasts forever. In my view, we are experiencing a great revolution with positive change. It’s a great achievement to be experienced by new generations, that is, the best is yet to come.

299


300


CerimĂ´nia de abertura da OlimpĂ­ada Rio 2016 Chapter 9 - Opening ceremony of the 2016 Rio Olympics

301


302


303


Foto: Getty Images

CerimĂ´nia de abertura dos Jogos Rio 2016

Foto: Getty Images

CerimĂ´nia de Abertura dos Jogos Rio 2016

304


305

Foto: Getty Images


Fogos de artifício iluminam o Maracanã durante apresentação de Jorge Ben Jor.

Foto: Getty Images

Fireworks illuminate Maracanã during Jorge Ben Jor’s performance.

306


Cerimônia de abertura da Olimpíada Rio 2016

Foto: Getty Images

N

Gisele Bundchen desfila ao som de Garota de Ipanema. Gisele Bundchen goes down the catwalk to the sound of Girl from Ipanema

Rio2016 Olympic Games Opening Ceremony On August 5 the whole world was able to watch the event with almost four hours, with lights, fireworks, choreographies, and musical numbers, besides much technology and innovation. In a simple, creative and dynamic manner, the festivity directed by Fernando Meirelles, Daniela Thomas, Andrucha Waddington and Rosa Magalhães, with executive production of Abel Gomes, showcased Brazil to the world in an honest manner, impressing the audience. The ceremony took place at Estádio Jornalista Mário Filho, Maracanã and, begun with a walk through the country’s history and music, but not those for the foreigners to watch, packaging a Brazil for export. It seemed a festivity for ourselves, with animation and casualness typical of Brazilians. The ceremony started with aerial images of Rio and presentation from the International

Olympic Committee president, Thomas Bach, and UM’s secretary general, Ban Ki-Moon, with Michel Temer, acting president, next to them. After, Paulinho da Viola performed a thrilling rendition of the National Anthem, with the participation of a string ensemble. It was the first musical number from a ceremony where our musicality was the headliner and portrait of our diversity. From then on the moment was of telling the country’s story, from when there was nothing, passing through the appearance of forests, presence of the indigenous peoples, intepreted by Parintins festival dancers. Joining lit elastics, the dancers formed three huts. With acrobatics and much dancing, the ceremony showed then the arrival of the Portuguese on their caravels and of the Africans, with the feet of some locked and wood posts on the backs of others representing slavery.

o dia 5 de agosto o mundo inteiro pôde acompanhar as quase quatro horas de evento, que contou com luzes, fogos de artifício, coreografias e shows musicais, além de muita tecnologia e inovação. De forma simples, criativa e dinâmica, a festa dirigida por Fernando Meirelles, Daniela Thomas, Andrucha Waddington e Rosa Magalhães, com produção executiva de Abel Gomes, apresentaram o Brasil ao mundo de forma honesta e impressionou o público. A cerimônia aconteceu no Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã e, começou com um passeio pela história e pela música do país, mas não daqueles para gringo ver, empacotando um Brasil para exportação. Pareceu uma festa nossa para nós mesmos, com a animação e descontração típicas dos brasileiros. A cerimônia começou com imagens aéreas do Rio e a apresentação do presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, e do secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, ao lado deles, estava o presidente interino *Michel Temer. Depois, Paulinho da Viola fez uma emocionante interpretação do hino nacional, que contou com a participação de um conjunto de cordas. Foi a primeira apresentação musical de uma cerimônia em que a nossa musicalidade foi o carro-chefe - e o retrato da nossa diversidade. A partir daí foi o momento para contar a história do país, desde quando não havia nada, passando pelo surgimento das florestas, a presença dos povos indígenas, interpretados por dançarinos do festival de Parintins. Juntando fios de elásticos iluminados, os dançarinos formaram três ocas. Com acrobacias e muita dança, a cerimônia mostrou então a chegada dos portugueses em suas caravelas e dos negros africanos. Os pés de alguns deles presos e traves de madeira nas costas de outros representavam a escravidão. Mais tarde chegaram os imigrantes árabes, italianos, japoneses e outros, mostrando assim a nossa mestiçagem cultural do país. Conforme cada grupo étnico entrava no campo, o solo que representava a floresta era alterado, indicando as mudanças no meio ambiente causadas por eles. Later came the Arab, Italian, Japanese and other immigrants, thus showing our country’s cultural mix. As each group would enter the field, the soil representing the forest was altered, indicating changes in the environment caused by them. At the end of the presentation of the peoples came the time for representing Brazil’s industrialization. From the rural to the urban nation, buildings were “built” in a video at the center of the stadium, with right to dancers jumping from one balcony to another. In one side, a vertical metallic structure was installed at Maracanã, where dancers choreographed by Deborah Colker, were able to show a bit of the national swing. “Construção” (“Construction”), from Chico Buarque, was chosen in order to showcase this urban concrete movement. Following, a prototype of history’s first airplane, 14 Bis, national pride icon, even lifted

off. Piloted by a Santos Dumont look-alike, flew over Rio’s touristic spots, such as Christ the Redeemer, now with song “Samba do Avião” (“Airplane Samba”), from Tom Jobim. This moment of the ceremony was applauded by the audience, however it generated much controversy in the social media (especially amongst the Americans, who attribute the first flight in history to the Wright brothers). Controversies aside, at that stage of the celebration, interbreeding was clear, there was only the need to exhibit its manifestations. It was then that the song from the father of Bossa Nova gave rise to a musical journey through Brazil. The tributes started with the son of Tom Jobim, Daniel Jobim, interpreting “Garota de Ipanema” (“Girl from Ipanema”), while model Gisele Bündchen walked down the catwalk towards the piano. All over projections of Oscar Niemeyer designs.

*Na época Michel Temer ainda era presidente interino e foi oficializado no cargo em 31 de agosto de 2016, após o impeachment da presidente Dilma Roussef.

307


Foto: Getty Images

CerimĂ´nia de abertura dos Jogos Rio 2016 CerimĂ´nia de Abertura dos Jogos Rio 2016


309

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images


Ao final da apresentação dos povos foi a vez de representar a industrialização do Brasil. Da nação rural à urbana, prédios foram “erguidos” em vídeo no centro do estádio, com direito a dançarinos pulando de um terraço ao outro. Já em uma lateral, uma estrutura metálica vertical foi instalada no Maracanã, onde bailarinos coreografados por Deborah Colker, puderam mostrar um pouco da ginga nacional. “Construção”, de Chico Buarque, foi a escolhida para mostrar este movimento de concreto urbano. Em seguida, um protótipo do primeiro avião da história, o 14 Bis, ícone do orgulho nacional, até levantou voo. Pilotado por um sósia de Santos Dumont, passou pelos pontos turísticos do Rio, como o Cristo Redentor, desta vez embalado por “Samba do Avião”, de Tom Jobim. Este momento foi bastante aplaudido pelo público, entretanto gerou muita polêmica nas redes sociais (principalmente entre os americanos, que atribuem o primeiro voo da história aos irmãos Wright). Polêmicas à parte, àquela altura da festa, a miscigenação já estava clara, faltava apenas exibir suas manifestações. Foi então que a composição do pai da Bossa Nova abriu deixa para um passeio musical pelo Brasil. As homenagens começaram com o filho de Tom Jobim, Daniel Jobim, interpretando “Garota de Ipanema”, enquanto a modelo Gisele Bündchen desfilava pelo gramado em direção ao piano. Tudo isso sobre projeções de traços de Oscar Niemeyer. Em seguida, a festa foi da bossa ao funk. As estruturas que representavam a industrialização do país se transformaram em uma

grande favela. Dançarinos quebravam no passinho enquanto Ludmilla se apresentava. Depois foi a vez de Elza Soares, no alto de seus 79 anos, cantar uma versão modernizada de “Canto de Ossanha”, de Vinicius de Moraes e Baden Powell. A atração seguinte foi a dupla Zeca Pagodinho e Marcelo D2, que fez uma versão de “Deixa a Vida Me Levar” misturando rap e samba. O hip hop continuou em evidência com as apresentações de Karol Conká e MC Soffia. A organização não esqueceu techno brega, representado pela Gang do Eletro. Para encerrar o pout-pourri musical, a canção escolhida foi uma que é a cara do Brasil: “País Tropical”, de Jorge Ben. A parte festiva também deu lugar a um alerta global. O foco passou a ser os problemas ambientais, como alta emissão de gás carbônico, aquecimento global e derretimento das geleiras. A cerimônia tomou um tom otimista quando as atrizes Fernanda Montenegro e Judi Dench declamaram o poema “A Flor e a Náusea”, de Carlos Drummond de Andrade, acompanhadas de imagens da natureza. Esta parte foi encerrada com o anúncio de que cada um dos atletas presentes depositaria uma semente em mudas que serão plantadas no Parque Radical de Deodoro. Logo foi a vez dos atletas desfilarem pelo Maracanã. Ao contrário de outros Jogos em que a abertura ocorreu em estádio com pista de atletismo, os atletas das 207 delegações apenas cruzaram o campo, o que deixou a cerimônia mais rápida. Em mais uma inovação, a placa com os nomes dos países, foi levada por um ciclista, em uma bicicleta enfeitada por plantas. Os esportistas donos da casa foram seguidos de

Brazilian flag is hoisted at the opening ceremony

310

Foto: Getty Images

Bandeira brasileira é hasteada na cerimônia de abertura.


Foto: Getty Images

504 ritmistas de escolas de samba, que acompanharam a canção “Aquarela do Brasil”. As solenidades seguintes foram marcadas por homenagens a lendas do esporte brasileiro. Marta, Oscar Schmidt, Torben Grael, Sandra Pires, Joaquim Cruz e Emanuel carregaram a bandeira olímpica. Coube a Robert Scheidt fazer o juramento dos atletas.

Cerimônia de Abertura dos Jogos Rio 2016 Rio2016 Games opening ceremony.

Passado o cerimonial, a música brasileira voltou a tomar conta do espetáculo. O Carnaval serviu para esquentar o clima para o momento mais esperado da noite: o acendimento da pira olímpica. Gustavo Kuerten passou a tocha para a Hortência, que a levou até o maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima, responsável por

Afterwards, the festivity went from Bossa to funk. The structures representing the country’s industrialization transformed into a huge shanty town. Dancers performed while Ludmilla sang. After it was Elza Soares turn, from the height of her 79 years of age, to sing a modernized version of “Canto de Ossanha” (“Ossanha Song”), from Vinicius de Moraes and Baden Powell. The following attraction was a duet with Zeca Pagodinho and Marcelo D2, with a version of “Deixa a Vida Me Levar” (“Let Life Lead Me”) mixing rap and samba. Hip hop continued in the spotlight with performances by Karol Conká and MC Soffia. The organization did not forget the “tacky techno” represented by Gang do Eletro. Closing the musical potpourri, the song chosen was one with Brazil’s face: “País Tropical” (“Tropical Country”), from Jorge Ben. The party side also gave way to a global alert. The focus became the environmental issues, such as high emission of carbon gas, global warming and glacier melting. The ceremony took on an optimistic tone when actresses Fernanda Montenegro and Judi Dench recited the poem “A Flor e a Náusea” (The Flower and the Nausea), from Carlos Drummond de Andrade, accompanied by images of nature. This part was closed with the announcement that each one of the athletes present would deposit a seed in seedlings which shall be planted at Parque Radical de Deodoro. Soon was time for the athletes to walk through Maracanã. Contrary to other Games where the opening ceremony took place in a stadium with running tracks, the athletes from the 207

incendiar o símbolo dos Jogos. O recipiente com o fogo foi içado à altura de uma escultura de espelhos que, refletindo a luz do fogo, encantou o lotado Maracanã. Todo mundo imaginava que a abertura da Olimpíada tivesse espontaneidade e criatividade. Mas a intensidade das mensagens de tolerância à diversidade e de

respeito ao ambiente em meio às crises do mundo surpreenderam e emocionaram. Assim como a festa de abertura, a cerimônia de encerramento das Olimpíadas deve abordar o tema da história do povo brasileiro, cuja mensagem, em um momento que o mundo vive uma onda de xenofobia, é a de que a imigração é positiva.

delegations only crossed the field, leaving the ceremony quicker. In another innovation, the sign with the names of the countries was carried by a cyclist in a bicycle adorned with plants. The host country athletes were followed by 504 rhythmists from a samba school, following the song “Aquarela do Brasil” (“Brazil’s Watercolor”). The following functions were marked by tributes to legends of Brazilian sports. Marta, Oscar Schmidt, Torben Grael, Sandra Pires, Joaquim Cruz and Emanuel carried the Olympic flag. Robert Scheidt recited the athletes’ oath. After the ceremonial, the Brazilian music again took charge of the spectacle. Carnaval served to heat up the atmosphere for the most awaited moment of the night: the lighting of the Olympic pyre. Gustavo Kuerten passed the torch to Hortência, who took it to marathon runner Vanderlei Cordeiro de Lima, in charge of setting the symbol of the Games on fire. The recipient with fire was lifted to the height of a mirror sculpture that, reflecting the light of fire, enchanted a crowded Maracanã. Everyone imagined an Olympic opening ceremony with spontaneity and creativity, but the intensity of messages of tolerance to diversity and respect to the environment amidst world crisis, surprised and moved deeply. As well as the opening ceremony, the Olympics closing ceremony shall also approach the theme of Brazilian people history, with the message, when the world lives a xenophobic wave, is that immigration is positive.

311


CerimĂ´nia de abertura dos Jogos Rio 2016

Foto: Getty Images

CerimĂ´nia de Abertura dos Jogos Rio 2016

312


313


Fogos de artifício formam a palavra “Rio” na Cerimônia de Abertura Fireworks form the word “Rio” at the opening ceremony

314

Foto: Getty Images


Imprensa internacional

A

festa foi tão linda que surpreendeu não apenas a imprensa local, como a estrangeira também. “O Rio está pronto para fazer história”, estampou a CNN em seu site. “Espetacular”, resumiu um dos jornalistas do americano New York Times e ainda afirmou que a vibração vista no Maracanã é diferente daquela de outros Jogos Olímpicos. “Esses são Jogos Olímpicos básicos, consciente em relação a orçamento –mesmo com a cerimônia de abertura deslumbrando”. Já o jornal Washington Post ressaltou que o público acompanhou em coro o “cantor de samba muito amado” Zeca Pagodinho. “Os brasileiros conhecem as letras de centenas e centenas de músicas, portanto esses coros são muito comuns”, disse o Post. Enquanto isso, o argentino Olé destacou a alegria, o movimento e as luzes da festa, “que se estenderam desde o chão até os céus”, escreveu o jornal. A rede BBC destacou a reação positiva de seus leitores nas redes sociais e elogiou a cerimônia com um twitter em sua conta no microblog: “Não sei quanto a vocês, mas nós estamos impressionados até agora pela #CerimoniadeAbertura da #Rio2016. Uau!” A preocupação ecológica foi um dos pontos que mais chamou a atenção, segundo o inglês The Guardian. Os aros olímpicos do Rio 2016 “foram formados por árvores para refletir o tema ambiental que percorreu a cerimônia de abertura”, destacou o periódico, elogiando a trilha sonora do evento. O britânico The Guardian elogiou a apresentação de Daniel Jobim, neto do compositor Tom Jobim, da famosa Garota de Ipanema. O jornal ressaltou que essa é a “segunda música mais tocada na história”, atrás apenas de Yesterday, dos Beatles, mas a cerimônia de abertura “nos lembrou que Garota de Ipanema é 20 MILHÕES DE VEZES MELHOR QUE YESTERDAY”, brincou a publicação. E não poupou ainda elogios à modelo Gisele Bündchen. O argentino Clarín anunciou em sua manchete que o “Rio vibra com uma festa repleta de música, cores e esporte” e elogia a cerimônia e a cidade “por suas cores, por seus fogos de artifício, por sua música, por sua gente, pelo Cristo Redentor, aliás ao fundo como perfeito protetor, ícone universal de uma cidade na qual cabem vários mundos”.

International Press The celebration was so beautiful that it surprised not only the local, but also the foreign press. “Rio is ready to make history”, stamped CNN on its website. “Spectacular”, summarized one of the journalists from the New York Times and also stated that the excitement seen at Maracanã is different from that of other Olympic Games. “These are basic Olympic Games, aware in regards to budget – even with the opening ceremony fascinating”. The Washington Post emphasized that the audience followed in a chorus the “much beloved samba singer” Zeca Pagodinho. “Brazilians know the lyrics of hundreds and hundreds of songs, so these choruses are very common”, wrote the Post. Meanwhile the Argentinian Olé highlighted the party’s joy, movement and lights, “which extend from the ground to the heavens”, wrote the newspaper. BBC network highlighted the positive reaction from its readers in social networks and praised the ceremony with a tweet on its account on the microblog: “I don’t know about you guys, but we are flabbergasted so far by #Opening Ceremony from #Rio2016. Wow!”

The ecological concern was one of the aspects that most caught the attention, according to the British The Guardian. The Olympic rims from Rio2016 “were formed by trees to reflect the environmental theme that covered the opening ceremony”, emphasized the periodical, praising the event’s soundtrack. The Guardian eulogized Daniel Jobim’s presentation, composer Tom Jobim’s grandson, of the famous Girl from Ipanema. The newspaper pointed out that this is the “second most played song in history”, only behind Yesterday, from The Beatles, but the opening ceremony “reminded us that Girl from Ipanema is 20 MILLION TIMES BETTER THAN YESTERDAY”, joyfully declared the publication. And it did not spare praises to model Gisele Bündchen. Argentinian Clarín announced on its headline that “Rio vibrates with a party bursting with music, color and sport” and praisses the ceremony and the city “for their colors, fireworks, their music, their people, Christ the Redeemer, by the way on the background as a perfect protector, universal icon of a city where many worlds fit”. And Frebnch L´Equipe summarized: “Festive and touching”.

315


CerimĂ´nia de abertura dos Jogos Rio 2016

Foto: Getty Images

Rio2016 Games opening ceremony


317


318


Modalidades Arrangements

319


Esportes

O

mundo parou do dia 05 a 21 de agosto para conferir os Jogos Olímpicos Rio 2016 – as partidas de futebol começaram um pouco antes. Foram então apenas 19 dias de competições, 42 modalidades, em 306 provas que valiam medalhas e 206 países. As provas aconteceram em 32 locais de competições em quatro pontos do Rio de Janeiro: Barra, Copacabana, Deodoro e Maracanã. Além do Rio, outras cinco cidades brasileiras receberam partidas de futebol: Belo Horizonte, Brasília, Manaus, Salvador e São Paulo. A Olimpíada Rio 2016 vai entrar para a história do Brasil, não só por ter sido a primeira no país (além da primeira na América Latina), mas porque, em casa, o time olímpico brasileiro alcançou sua melhor marca de medalhas nos Jogos Olímpicos. Ao fim dos jogos, a delegação brasileira somou 19 medalhas: 7 de ouro, 6 de prata e 6 de bronze. Quem esteve no Rio de Janeiro, ou em algum estádio de competição, com certeza nunca mais vai esquecer essa emoção. Os atletas brasileiros então fizeram bonito - muito bonito por sinal - em suas lutas e conquistas. Foi a maior delegação da história, com 465 atletas defendendo o Brasil em várias modalidades (em Londres 2012 foram 259 atletas). O atletismo foi o esporte com mais representantes (67). Enquanto no badminton, ginástica de trampolim, golfe, hóquei sobre grama e rúgbi fomos estreantes. Confira a seguir todas as modalidades dos jogos e um resumo de como o Brasil esteve em cada uma.

Sports The world stopped between 05 and 21 of August to check out the Rio2016 Olympic Games – and the football matches started a little earlier. There were 19 days of competitions, 42 modalities, in 306 medal events, and 206 countries. The events took place in 32 venues in four points in Rio de Janeiro: Barra, Copacabana, Deodoro and Maracanã. Aside from Rio, another five Brazilian cities hosted football matches: Belo Horizonte, Brasília, Manaus, Salvador and São Paulo. Rio2016 Olympic Games will go into Brazil’s history, not only for being the first in the country (and first in Latin America), but also because at home the Brazilian Olympic Team reached its best medal mark in Olympic Games. At the end of the Games, the Brazilian delegation had received 19 medals: 7 gold, 6 silver, and 6 bronze.

320

Those who were in Rio de Janeiro, or in any competition venue, will definitely never forget such emotion. The Brazilian athletes left a good impression – very good by the way – on their fights and achievements. It was the biggest delegation in the history of the Games, with 465 athletes defending Brazil in various modalities (in London 2012 there were 259 athletes). Athletics was the sport with more representatives (67), while badminton, trampoline gymnastics, golf, hockey and rugby we were debutants. Following check out all the modalities and a summary of how Brazil did in each of them.


321


Usain Bolt faz o seu tradicional símbolo “raio”, após conquistar medalha de ouro nos 200m.

Foto: Roberto Castro/Brasil2016

Usain Bolt makes his traditional “lightning” sign, after winning the gold medal in the 200m.

322


Atletismo

U

m dos esportes mais tradicionais dos Jogos Olímpicos, o atletismo é disputado desde Atenas 1896, primeira edição da era moderna. Hoje ele tem suas divisões em corrida, saltos, lançamentos e arremessos e também o que distribui o maior número de medalhas: 141, sendo 47 de ouro. No Rio 2016 foram 67 atletas brasileiros, que literalmente suaram a camisa para o país. O Atletismo do Brasil cumpriu as metas estabelecidas em seu Programa de Preparação Olímpica para o Rio 2016 e seu desempenho global nos Jogos foi superior em mais de 100 % ao obtido na edição anterior, disputada em Londres em 2012. Na capital britânica, o Atletismo nacional fez três finalistas em provas de pista e campo e colocou dois corredores entre os oito primeiros na maratona. O melhor resultado individual m Londres foi o quinto lugar de Marilson dos Santos na maratona.

Nos três anos que antecederam os Jogos do Rio, a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) seguiu o Programa de Preparação Olímpica, elaborado por seus especialistas em parceria com o Comitê Olímpico do Brasil (COB). Para cumprir as disposições do Programa, a CBAt contou com recursos do patrocínio da CAIXA verbas do Plano Brasil Medalha, implantado pelo Governo Federal em 2012 além de apoio do COB. No Rio os brasileiros fizeram 11 finais e ainda colocou um atleta no ponto mais alto do pódio: Thiago Braz da Silva, ganhador da medalha de ouro no salto com vara, com recorde olímpico, sul-americano e brasileiro. Portanto, 17 vezes os brasileiros derrubaram as melhores marcas da temporada, sendo que no salto com vara a marca de 6,03 m do Braz. Além de ganhar a medalha de ouro, Thiago ainda superou o recorde olímpico anterior, que era 5,97 m e fora estabelecido pelo francês Renaud Lavillenie em Londres 2012 (Lavillenie levou a medalha de prata no Rio).

FINALISTAS NO RIO 2016 1 - Altobeli Santos da Silva / 3.000 m com obstáculos 2 - Thiago Braz da Silva / salto com vara 3 - Darlan Romani / Arremesso do peso 4 - Geisa Arcanjo / arremesso do peso 5 - Wagner Domingos / lançamento do martelo 6 - Luiz Alberto Cardoso de Araújo / decatlo (10º lugar) 7 - Caio Bonfim / marcha 20 km

8 - Caio Bonfim / marcha 50 km 9 - Erica Rocha de Sena / marcha 20 km 10 - 4x100 m masculino / Ricardo Mario, Vitor Hugo, Bruno Lins, Jorge Vides 11 - 4x400 m masculino / Pedro Burmann, Alexander Russo, Peterson Santos, Hugo Balduino

Além dos brasileiros, todos os atletas dos outros países merecem ser parabenizados, pois foi um espetáculo assistir as competições. Mas, para quem não acredita que o raio cai duas vezes no mesmo local, ele cai! E caiu três vezes! Estamos falando o jamaicano Usain Bolt, que se tornou um fenômeno global em Pequim 2008 ao conquistar três medalhas de ouro, quebrando recordes em todas as provas que disputou: 100m, 200m e 4x100m. Como se não bastasse, em Londres 2012 e agora no Rio 2016, ele repetiu a dose.

Athletics One of the most traditional sports in Olympic Games, athletics is in play since Athens 1896, first edition of the modern era. Today it is divided in running, jumps, throws, and it is also the modality distributing the highest number of medals: 141, with 47 gold. In Rio2016 there were 67 Brazilian athletes who, literally, sweat their shirts for the country. Brazil athletics fulfilled the goals established on its Olympic Preparation Program for Rio2016 and its overall performance in the Games was higher in over 100 % to that obtained in the previous edition, held in London 2012. At the British capital, national athletics had three finalists in track and field events and had two runners amongst the eight best in the marathon. The best individual result in London was the fifth place for Marilson dos Santos in the marathon. In the three years before the Rio Games, the Brazilian Athletics Confederation (CBAt) followed the Olympic Preparation Program, elaborated by its specialists in a partnership with the Brazilian Olympic Committee (COB). In order to fulfill the Program’s provisions, CBAt had resources from CAIXA sponsorship, sums from Medal Brazil Plan (Plano Brasil Medalha), implemented by the Federal Government in 2012, besides support from COB. In Rio Brazilians reached 11 finals and also placed an athlete in the podium’s highest place: Thiago Braz da Silva, Golden medal winner in the pole vault event, with the Olympic, South American and Brazilian record. Therefore, for 17 times Brazilians surpassed the season’s best marks. Besides winning the gold medal, Thiago also surpassed the previous Olympic record, which was 5.97m established by Frenchman Renaud Lavillenie in London 2012 (Lavillenie took the silver in Rio).

RIO2016 FINALISTS 1 - Altobeli Santos da Silva / 3,000m hurdles 2 - Thiago Braz da Silva / Pole vault 3 - Darlan Romani / Shot put 4 - Geisa Arcanjo / Shot put 5 - Wagner Domingos / Hammer throw 6 - Luiz Alberto Cardoso de Araújo / Decathlon (10th place) 7 - Caio Bonfim / 20km race walk 8 - Caio Bonfim / 50km race walk 9 - Erica Rocha de Sena / 20km race walk 10 - 4x100m relay / Ricardo Mario, Vitor Hugo, Bruno Lins, Jorge Vides 11 - 4x400m relay / Pedro Burmann, Alexander Russo, Peterson Santos, Hugo Balduino Aside from the Brazilians, all athletes from other countries deserve to be congratulated, as it was a spectacle to watch the competitions. But, for those who don’t believe lightning doesn’t fall twice in the same spot, it does! And it fell three times! We are speaking about Jamaican Usain Bolt, who became a global phenomenon in Beijing 2008 winning three gold medals, braking records in all events he took part on: 100m, 200m and 4x100m. as if not enough, in London 2012 and now in Rio2016, he repeated the feat.

323


Thiago Braz conquistou medalha de ouro no salto em altura

324

Foto: Roberto Castro/Brasil2016

Thiago Braz conquistou medalha de ouro no salto em altura


A brasileira Erica Sena esteve boa parte do tempo entre as atletas que lideravam a prova de 20km da marcha atlÊtica, mas terminou em 7° lugar. Brazilian Erica Sena for good part amongst the athletes leading the 20km race walk event, but finished in 7th place. Foto: Francisco Medeiros/Brasil2016/ME

325


Badminton

A

inda pouco popular no Brasil e caracterizado por ser uma misto de tênis e vôlei de praia jogado com uma raquete e uma peteca, que voa a 300 km/h, o badminton exige reflexos rápidos dos jogadores – e atenção máxima do público. O esporte, que estreou em Barcelona 1992, tem torneios masculinos e femininos, individuais e de duplas, além de duplas mistas e o Brasil fez a sua estreia no Rio 2016, com a atleta Lohaynny Vicente competindo no individual feminino e Ygor Coelho, no individual masculino. Os brasileiros não conquistaram medalhas, mas já foi uma grande vitória estarem competindo. A atleta de 20 anos se tornou a primeira brasileira a disputar a modalidade em Jogos Olímpicos. “Independentemente de não ter conseguido medalha, sempre vou ser lembrada por isso”, disse Lohaynny em entrevista após ser derrotada. A atleta contou com o apoio da torcida, da comissão técnica e da Confederação Brasileira de Badminton, que continua a ser a responsável pela ascensão dessa guerreira. Já Ygor Coelho não passou para as oitavas de final da competição, mas levantou a torcida brasileira com as suas jogadas. Aos 19 anos Ygor se tornou o primeiro representante masculino do Brasil no badminton numa edição de Jogos Olímpicos e o segundo brasileiro a entrar em quadra. “Foi especial, porque essas pessoas viram toda a minha trajetória e estão me vendo aqui agora”, disse o atleta. E assim ficamos na expectativa de conquistas de medalhas para este esporte, que tem tudo para ser um sucesso entre os brasileiros.

Badminton Not yet popular in Brazil and characterized for being a mix of tennis and beach volleyball played with a racket and a shuttlecock flying at 300 km/h, badminton requires quick reflexes from players – and a lot of attention from the audience. The sport, which debuted in Barcelona 1992, has men’s and women’s competitions, singles and doubles, besides mixed doubles, and Brazil debuted in Rio2016, with athlete Lohaynny Vicente competing in the women’s singles and Ygor Coelho in the men’s singles competitions. The Brazilians did not win medals, but it was already a victory having participated. The 20-year-old athlete became the first Brazilian to compete in the modality in Olympic Games. “Independent of not having won a medal, I will always be remembered by this”, said Lohaynny in an interview after being defeated. The athlete had the support from the crowd, technical staff and the Brazilian Badminton Confederation, which continues being responsible for the ascension of this warrior. Ygor Coelho did not move on to the final sixteen in the competition, but raised the Brazilian crows with his plays. At 19 years of age he became Brazil’s first male representative in badminton in Olympic Games and the second Brazilian to get into the courts. “It was special, as these people saw my whole trajectory and are seeing me here now”, said the athlete. And so we hope for medals for this sport, that has everything to become a success amongst Brazilians.

Basquetebol Basketball AA spectacle of dribbles, dunks and throws. Basketball is part of the Olympic program since Berlin 1936 and now, in the Rio2016 Games, it celebrated the 80th anniversary in the Olympic program. Twelve men and women national teams fought for the podium, but unfortunately the Brazilians did not win a medal, opening space for the United States, which won gold, with both men’s and women’s teams. With the men’s team, the Brazilians did not move on to the final eight. Croatians, Spanish, Lithuanians and Argentinians finished tied with eight points (three wins and two losses) against seven from the Brazilians (two wins and three losses) and assured their spot on the final eight. the women’s Brazilian national team finished in sixth and last place in group “A”, with five points (five losses), and did not qualify to the final eight. Despite the results, the Brazilians national teams fought with hard in the courts.

326

U

m show de dribles, enterradas e arremessos. O basquetebol integra o programa Olímpico desde Berlim 1936 e agora, nos Jogos Rio 2016, comemorou o aniversário de 80 anos no programa Olímpico. Doze seleções masculinas e doze femininas disputaram o pódio, mas infelizmente os brasileiros não conquistaram medalha, abrindo espaço para os Estados Unidos, que ganhou o ouro, tanto com a equipe masculina quanto a feminina. Com a equipe masculina, os brasileiros não passaram para as quartas de final. Croatas, espanhóis, lituanos e argentinos terminaram empatados com oito pontos (três vitórias e duas derrotas) contra sete dos brasileiros (duas vitórias e três derrotas) e garantiram a vaga nas quartas de final. Já a Seleção Brasileira Feminina encerrou em sexto e último lugar no grupo “A”, com cinco pontos (cinco derrotas), e não se classificou para as quartas de final. Apesar dos resultados, a as equipes brasileiras lutaram com muita garra em quadra.


O time masculino contra a argentina

Foto: Danilo Borges/ME/Brasil2016

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Men’s team against Argentina

Equipe feminina e masculina jogaram com muita garra nos jogos Rio 2016. Women’s and men’s teams fought hard in the Rio2016 Games.

327


328


Conceição X Ouminha da França Conceição X Ouminha from France

329


Boxe

F

Robson Conceição conquistou a medalha de ouro no Boxe

Foto: Roberto Castro/Brasil2016

Robson Conceição won the gold medal in boxing

Cruzado, direto, jab... Um único golpe pode fazer a diferença no boxe. O Brasil esteve representado por nove atletas e conquistou a medalha de ouro com Robson Conceição, na categoria 60kg.

Boxing End of the head protection, professionals allowed to participate and changes in the point system. Many changes in the Olympic boxing between London 2012 and Rio2016. Seeking to improve the Olympic modality, historically contended only by amateurs, to the hyped world of the professional stars, AIBA (International Boxing Association) promoted several changes that were showcased during the Games. The head protectors, mandatory item since the Los Angeles Games in 1984, were no longer worn. They were prohibited. One of the purposes of exposing the athlete’s faces was facilitating their recognition by the spectators. This change, however, was valid only for the men’s tournament. Women’s category, which debuted in the 2012 London Olympics, remained with the mandatory use of the helmet. Hook, uppercut, jab... a single blow may make the difference in boxing. Brazil was represented by nine athletes and won the gold medal with Robson Conceição, in the 60kg category. Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

im do capacete, liberação da participação de profissionais e mudanças no sistema de pontuação, enfim, muita coisa mudou no boxe olímpico entre Londres 2012 e a Rio 2016. Buscando aproximar a modalidade da Olimpíada, historicamente disputada por amadores, ao badalado mundo das estrelas profissionais, a Aiba (Associação Internacional de Boxe) promoveu diversas alterações que puderam ser conferidas durante os jogos. Os protetores de cabeça, item obrigatório desde os Jogos de Los Angeles, em 1984, não foram mais usados. Foram proibidos. Um dos objetivos ao expor o rosto dos atletas é facilitar o reconhecimento dele pela torcida. Esta mudança, no entanto, só valeu para o masculino. A categoria feminina, que estreou nas Olimpíadas de Londres 2012, seguiu com o uso obrigatório do capacete.

Juan Nogueira lutando pelas oitavas de final Juan Nogueira fighting on the final eight round

330


Canoagem Slalom

P

arquibancada te apoiando é um grande incentivo. Ao contrário do que muitos dizem, não acho que competir em casa seja uma pressão. Eu gostei muito”, disse o atleta, de 23 anos. Assim como ele, outros brasileiros também fizeram história nessa modalidade. A dupla Charles Corrêa e Anderson Oliveira, que de adversários, tornaram-se parceiros, também chegaram as semifinais. Ainda representando o Brasil, tivemos Felipe Borges (C1)

Foto: Foto:Roberto RobertoCastro/Brasil2016 Castro/Brasil2016

ela primeira vez tivemos um brasileiro chegando na final da canoagem Slalom, Pedro Henrique da Silva, o Pepê, mas infelizmente o pódio foi inteiramente europeu na prova individual masculina, deixando o brasileiro em sexto lugar. Pepê fez bonito nas águas do Estádio de Canoagem Slalom, em Deodoro e o apoio da torcida foi determinante para isso. “Incrível percorrer o circuito e ouvir a torcida vibrando. Saber que têm várias pessoas na

e representando as mulheres, Ana Sátila (k1). Foi a maior delegação (cinco atletas) e o melhor resultado (final no K1 masculino) da história do Brasil na modalidade. O Brasil saiu dos Jogos com a sensação de dever cumprido e com expectativa de um crescimento ainda maior para o próximo ciclo olímpico. Para o presidente da Confederação Brasileira de Canoagem, João Tomasini Schwertner, todos os objetivos planejados foram atingidos e os resultados são todos para se

comemorar. “Participamos dos Jogos em alto nível, figurando entre os melhores do mundo numa modalidade dominada historicamente pelos europeus. Estivemos numa final olímpica pela primeira vez na Canoagem Slalom e hoje possuímos um dos canais (Canal Rio) mais modernos do mundo para a prática do esporte. A expectativa é que evoluiremos ainda mais e chegaremos mais fortes nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020”, ressaltou.

Canoe Slalom For the first time we had a Brazilian reaching the Canoe Slalom final, Pedro Henrique da Silva, known as Pepê, but unfortunately the podium was entirely European in the men’s singles event, leaving the Brazilian in sixth place. Pepê impressed in the waters of the canoe slalom stadium, in Deodoro, and the crowd’s support was key for that. “It was incredible to go through the circuit and hear the crowd cheering on. Knowing there are many people in the audience supporting you in a huge incentive. Contrary to what many say, I don’t think competing at home is a huge pressure. I enjoyed it very much”, said the 23-year-old athlete. As well as him, other Brazilians also made history on this modality. Duo Charles Corrêa and Anderson Oliveira, who from adversaries became partners, also reached the semifinals. Also representing Brazil, we had Felipe Borges (C1) and representing women, Ana Sátila (k1). This was the biggest delegation (five athletes) and the best result (final on the men’s K1) in Brazil’s history in the modality. Brazil left the Games with the sensation of accomplishment and with the hope of an even higher growth for the next Olympic cycle. For Brazilian Canoeing Federation president, João Tomasini Schwertner, all planned objectives were reached and the results are all reason for celebration. “We participated in the Games in high level, amongst the best in the world in a modality historically dominated by the Europeans. We were present in an Olympic final for the first time in Canoe Slalom and presently we have one of the most modern channels in the world (Rio Channel) for the practice of the sport. We expect to develop even more and we will get to the 2020 Tokyo Olympic Games even stronger”, he emphasized.

O brasileiro Pepê ficou entre os finalistas da modalidade

Foto: Flávio Florido/Exemplus/COB

Brazilian Pepê was amongst the finalists in the modality

A dupla Chales Corrêa e Anderson Oliveira Duo Charles Corrêa and Anderson Oliveira

331


Canoagem Velocidade Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Canoe Sprint Those who watched Canoe Sprint competitions were surely thrilled with our athletes. It was emotion from beginning to end. Brazilian canoeing said goodbye to the Rio2016 Olympic Games as one of the most victorious sports in the competition, and Isaquias Queiroz as the only athlete in the Brazilian Olympic history to win three medals in a single edition of the Games, with two silver medals and one bronze. It is also important to celebrate the fact that Brazil reached the Rio2016 Olympic Games with its biggest delegation in history – eight athletes, also emphasizing that seven of these canoeists won their spots in international events and only one integrated the team with the spot aimed for Brazil as the host country of the Rio2016 Games. Without a doubt this represents a positive and significant result for Brazilian canoeing. For Brazilian Canoeing Federation president, João Tomasini Schwertner, the results obtained in Rio de Janeiro reflect the work and support received by Brazilian canoeing over the past few years, and also generate good expectation for the future of the sport in the country.

Canoagem Velocidade – C2 1000m. Canoe Sprint – C2 1000m

Q

uem assistiu as competições da Canoagem de Velocidade com certeza vibrou com os nossos atletas, foi emocionante do começo ao fim. A Canoagem Brasileira despediuse dos Jogos Olímpicos Rio 2016 como um dos esportes mais vitoriosos da competição e, Isaquias Queiroz,

como o único atleta de toda história olímpica do Brasil a conquistar três medalhas numa mesma edição dos Jogos, foram duas medalhas de prata e uma de bronze. É importante comemorar também o fato do Brasil chegar nos Jogos Olímpicos Rio 2016 com sua maior delegação da história -

oito atletas. Ressaltando ainda que sete desses canoístas conquistaram a vaga dentro da água em eventos internacionais e apenas um integrou a equipe com a vaga destinada ao Brasil por ser país-sede do Rio 2016. Sem dúvida isso representa um resultado positivo e significante para a Canoagem Brasileira.

Para o presidente da Confederação Brasileira de Canoagem, João Tomasini Schwertner, os resultados conquistados no Rio de Janeiro refletem o trabalho e o apoio recebido na Canoagem Brasileira nos últimos anos, mas também geram uma boa expectativa para o futuro do esporte no país. Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

A dupla brasileira Isaquias Queiroz e Erlon de Souza Brazilian duo Isaquias Queiroz and Elron de Souza

332


Ciclismo BMX

O

BMX mundial comemorou muito a sua terceira participação em jogos olímpicos e nessa modalidade tivemos dois grandes atletas representando o nosso país: Priscila Carnaval e Renato Rezende. O esporte mais uma vez causou muita emoção e disputas incríveis durante os três dias de competição. Priscila chegou até as semifinais, entretanto, a medalha de ouro ficou com a grande campeã colombiana Mariana Pajon, seguida pela americana Alise Post com a prata e a venezuelana Stefany Hernandez com o bronze. Já

na prova masculina prevaleceu a juventude e o talento do americano Connor Fiels que levou a medalha de ouro. O holandês Jelle Van Gorkom ficou com a prata e o colombiano Alberto Ramirez com o bronze. Renato também mostrou muita garra para superar os obstáculos das quartas de final da competição masculina, que contou com a presença dos melhores pilotos da atualidade. Depois de três corridas muito disputadas, o brasileiro acabou na oitava colocação da fase e não avançou para as semifinais.

Cycling BMX World BMX celebrated strongly its third participation in Olympic Games, and we had two great athletes representing the country on this modality: Priscila Carnaval and Renato Rezende. The sport once again caused much excitement and had incredible contests during the three days of competition. Priscila reached the semifinals, however, the gold medal was won by the great Colombian champion Mariana Pajon, followed by American Alise Post with the silver, and Venezuelan Stefany Hernandez with the bronze. On the men’s competition the youth and talent of American Connor Fiels prevailed as he took the gold medal. Dutch Jelle Van Gorkom received the silver and Colombian Alberto Ramirez bronze. Renato also showed hard fight so as to overcome the obstacles of the men’s final eight competition, where the best cyclists of today were present. After three hard fought races, the Brazilian finished in the eight spot and did not reach the semifinals..

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Classificatórias no Parque Radical de Deodoro Qualifying at Parque Radical de Deodoro

Classificatórias no Parque Radical de Deodoro Qualifying at Parque Radical de Deodoro

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

333


Ciclismo de estrada

O

time brasileiro, formado por Murilo Fischer, Kleber Ramos, Clemilda Fernandes e Flávia Oliveira, mesclou experiência com o frescor da nova geração e chegou motivado para fazer do evento em casa a melhor participação do país na história dos Jogos. Na prova masculina, os brasileiros fizeram uma prova bastante técnica, chegando a aparecer entre os líderes em vários momentos. Murilo Fischer completou a prova na 64ª colocação e Kleber Ramos acabou não finalizando o percurso. Já no Ciclismo de Estrada feminino, Clemilda Fernandes e Flávia Oliveira representaram a equipe brasileira e pedalaram ao lado de outras 66 ciclistas na disputa por medalhas. Flávia realizou uma excelente prova,

sempre estando no grupo principal da competição, principalmente nos momentos de maiores dificuldades nas subidas. Nos últimos metros a holandesa Anna Breggen arracou sozinha e cruzou a linha de chegada em primeiro lugar para comemorar a medalha de ouro. A sueca Emma Johansson ficou com a prata e a italiana Elisa Longo conquistou o Bronze. O grupo que contava com a brasileira Flávia Oliveira completou a prova com apenas 20 segundos de diferença. Com o resultado, a atleta cravou seu nome na história e conquistou o melhor resultado do Ciclismo de Estrada do Brasil em Jogos Olímpicos. Clemilda Fernandes também teve um bom desempenho, mas teve problemas mecânicos e completou na 51ª colocação.

Ciclismo Mountain Bike Foto: Roberto Castro /Brasil2016/ME

Prova de Mountain Bike Masculino Men’s Mountain Bike Event

O

Brasil chegou motivado na disputa contando com três representantes: Henrique Avancini e Rubens Donizete no masculino; e Raiza Goulão no feminino. Entretanto, infelizmente, não tivemos boas conquistas. Henrique terminou a prova em 23o lugar. Logo no início do circuito, o brasileiro chegou a ficar em quarto lugar, mas não resistiu na posição por muito tempo. Henrique é sete vezes campeão brasileiros e três vezes campeão pan-americano. Nas provas de ciclismo internacional, Henrique compete pela equipe alemã Cannondale Factory Racing. Já o atleta Rubens Valeriano, o Rubinho, ficou na 30a posição. Os competidores enfrentaram muita lama após as chuvas, o que deixou o circuito de 4,8 km mais difícil. Em alguns trechos tiveram que carregar a bicicleta. São trilhas sinuosas, subidas e obstáculos de pedras e raízes. O ciclista Nino Schurter, da Suíça, levou o ouro. Jaroslav Kulhavu, da República Tcheca, ficou com a prata. O italiano Carlos Nicolas, foi o bronze. Já no feminino, a brasileira Raiza Goulão ficou em 20° lugar. A medalha de ouro ficou com a sueca Jenny Rissveds, a prata com a polonesa Maja Wloszowska e a bronze com a canadense, Catharine Pendrel. 334


Ciclismo Pista

O

atleta Gideoni Monteiro, único representante do país na competição, não apenas se emocionou com o calor da torcida local que esteve presente no velódromo olímpico na Barra da Tijuca, como vibrou bastante com o 13º lugar na disputa da Omnium, prova mais complexa do cronograma da modalidade. O ouro foi para o italiano Elia Viviani, seguido pelo multicampeão, o britânico Mark Cavendish, prata, e pelo dinamarquês Lasse Norman Hassen, bronze. Uma curiosidade em relação às bicicletas da pista é que elas não possuem freio e contam com apenas uma marcha. Devido a alta velocidade atingida pelos atletas durante as provas, o uso do freio poderia causar acidentes e apresentar grande risco aos competidores. Outra curiosidade é saber que a última participação do Brasil em uma prova de ciclismo de pista nos Jogos Olímpicos foi há 24 anos, com Fernando Louro, na prova por pontos, em Barcelona 1992. O Mundial na Inglaterra era a última oportunidade para os ciclistas somarem pontos no ranking olímpico da UCI e apenas os 18 melhores países carimbavam passaporte para o maior evento poliesportivo do mundo. Na época, Gideoni encerrou a prova na 18ª posição, colocando o Brasil em 15º lugar no ranking olímpico, a frente de grandes adversários, como Espanha, México e Canadá.

Cycling Road The Brazilian team, with Murilo Fischer, Kleber Ramos, Clemilda Fernandes and Flávia Oliveira, mixed experience with the freshness of the new generation and arrived motivated so as to make of the event the country’s best participation in the history of the Games. In the men’s event, the Brazilians had a very technical race, even figuring amongst the leader in various moments. Murilo Fischer completed the event in the 64th place and Kleber Ramos was not able to complete the race. In the women’s cycling road event, Clemilda Fernandes and Flávia Oliveira represented the Brazilian team and pedaled along another 66 cyclists fighting for medals. Flávia had an excellent race, always on the competition’s main group, especially in the most difficult moments on climbs. Over the final meters Dutch Anna Breggen pulled away and crossed the finish line in first place to celebrate the gold medal. Swedish Emma Johansson received silver and Italian Elisa Longo won the bronze. The group with Brazilian Flávia Oliveira finished the event only 20 seconds behind. With the result, the athlete wrote her name in history and had the best result of Brazilian cycling road in Olympic Games. Clemilda Fernandes also had good performance, but had technical problems and completed the event in 51st place.

Cycling Mountain Bike Brazil arrived motivated to the competition with three representatives: Henrique Avancini and Rubens Donizete in the men’s competition, and Raiza Goulão in the women’s. however, unfortunately, we did not perform well. Henrique finished the event in 23rd place. Right at the start of the circuit, the Brazilian reached fourth place, but was not able to resist for long. Henrique is a seven-time Brazilian champion and three-time Pan-American champion. On international cycling events, Henrique competes for German team Cannondale Factory Racing. On the other hand, athlete Rubens Valeriano, known as Rubinho, placed 30th. The competitors faced much mud after the rains, which left the 4.8km circuit even harder. In some sections some athletes had to carry the bikes. There were sinuous tracks, climbs and stone obstacles, and roots. Cyclist Nino Schurter, from Switzerland, took the gold. Jaroslav Kulhavu, from the Czech Republic won the silver. Italian Carlos Nicolas, received the bronze. In the women’s, Brazilian Raiza Goulão placed 20th. The gold medal was won by Swedish Jenny Rissveds, silver by Polish Maja Wloszowska, and the bronze by Canadian Catharine Pendrel.

Cycling Track Athlete Gideoni Monteiro, the country’s sole representative in the competition, was not only moved by the heat from the crowd present at the Olympic velodrome at Barra da Tijuca, but was also extremely thrilled with the 13th place in the Omnium event, the most complex event in the modality schedule. Gold went to Italian Elia Viviani, followed by the British multi-champion Mark Cavendish, with the silver, and Danish Lasse Norman Hassen, bronze. A curious fact regarding track bicycles is that they do not have brakes and have a single gear. Due to the high speed reached by the athletes during the competition, the use of breaks might cause accidents and present high risk to competitors. Another curiosity is knowing that the last Brazilian participation in a cycling track event in Olympic Games was 24 years ago, with Fernando Louro, at the points event, in Barcelona 1992. The England World Cup was the last opportunity for cyclists to add points to the UCI’s Olympic ranking and only the 18 best countries would stamp their passports to the biggest multi-sport event in the world. Then, Gideoni finished the event in the 18th position, putting Brazil in 15th place in the Olympic ranking, better ranked than great adversaries such as Spain, Mexico and Canada.

335


336


Medalhistas Medalists

337


Medalhistas

A

ssim como vimos nos últimos capítulos, os Jogos Olímpicos Rio 2016 chegaram ao fim com a maior delegação brasileira na história da competição, além do número de medalhas (19) e sua colocação na classificação geral (13º). Um recorde de pódios! Foram sete medalhas de ouro, seis de prata e seis de bronze. O Time Brasil conquistou medalhas em 12 modalidades: atletismo, boxe, canoagem, velocidade, futebol, ginástica artística, judô, maratonas aquáticas, taekwondo, tiro esportivo, vela, vôlei e vôlei de praia. Canoagem e maratona aquática nunca haviam trazido medalhas para o país. Além disso, foram inúmeros destaques esportivos do Time Brasil no Rio 2016. As três medalhas de Isaquias Queiroz, algo inédito na história olímpica brasileira, o primeiro ouro do boxe e do futebol masculino, além da medalha de tiro esportivo depois de quase 100 anos, entre outros muitos destaques. Por isso este capítulo é dedicado a eles! Os atletas brasileiros que conquistaram medalhas e se destacaram. Conheça um pouco mais sobre a sua trajetória, conquistas e lutas.

Q

uem acompanhou a vitória do brasileiro Thiago Braz da Silva no salto com vara, aquele que levou os espectadores à loucura no Estádio Olímpico, emocionou quem estava assistindo pela TV e desencadeou uma cadeia de comentários e menções nas redes sociais, nem imagina o que está por trás de tudo isso. O jovem de 22 anos de Marília deixou para trás o favorito, o francês Renaud Lavillenie, que dois anos atrás “voou” a uma altura de 6,03 metros, quebrando o recorde anterior estabelecido em 1993 pelo gigante do salto com vara, o ucraniano Sergey Bubka. O sucesso de Thiago pode ter sido uma surpresa para os torcedores brasileiros, mas o currículo do atleta nos últimos anos o credenciou como um dos grandes nomes do salto com vara no Rio. Campeão mundial júnior em 2012, ele tinha até a véspera da grande final, 5,92 m como sua melhor marca, que o colocava como um dos melhores do mundo. Sargento da Força Aérea Brasileira e tido como uma das grandes

338

promessas do esporte, ele amadureceu rápido e escolheu o Rio para brilhar. Mas para brilhar, o atleta batalhou desde cedo. Teve de superar dificuldades para chegar aonde chegou. Abandonado pela mãe e criado pelos avós, a família contou ao GloboEsporte (da TV Globo), que por dias o menino esperou pela mãe com uma mochila nas costas - até se dar conta de que ela não vinha mais. Mas no seu caminho, ele teve apoio da família. Foi seu tio, o atleta Fabiano Braz, que o atraiu para a modalidade. O jovem talento começou a ser polido pelo técnico Élson Miranda de Souza, marido e técnico da recordista do salto com vara, Fabiana Murer. À medida que suas conquistas iam se acumulando, chamou a atenção do técnico ucraniano Vitaly Petrov, conhecido por orientar ninguém menos que o compatriota Bubka e a russa Yelena Isinbayeva. Há cerca de dois anos, Thiago passou a treinar com Petrov, seu atual técnico.

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Thiago Braz da Silva: no topo do mundo

Durante a prova que conquistou a medalha de ouro During the event where he won the gold medal Medalists As seen in the previous chapters, the Rio2016 Olympic Games came to an end with the largest Brazilian delegation in history, and also the number of medals (19) and its final general standing (13º). A record of podiums! There were seven gold medals, six silvers and six bronze. Team Brazil won medals in 12 modalities: athletics, boxing, canoe sprint, football, artistic gymnastics, judo, marathon swimming, taekwondo, shooting, sailing, volleyball and beach volleyball. Canoe and marathon swimming had never brought medals to the country. Aside from that, there were several highlights for Team Brazil at Rio2016. The three medals from Isaquias Queiroz, unedited feat in Brazilian Olympic history, the first boxing and men’s football golds, and also the medal in shooting after almost 100 years, amongst many other feats. So this chapter is dedicated to them! The Brazilian athletes who received medals and stood out. Know a little more about their paths, victories and challenges.


Robson Conceição: persistir, sempre

Q

uem vê o boxeador Robson Conceição no ringue, de porte franzino, não imagina como batalhou antes de conquistar a sua primeira medalha de ouro, no boxe masculino até 60kg. No Rio 2016 lutou contra os melhores atletas da atualidade. Encarou o fortíssimo uzbeque Hurshid Tojibaev em sua segunda luta, pelas quartas de finais. Depois, não de intimou com o cubano tricampeão mundial Lazaro Alvarez, em uma semifinal eletrizante, de pura técnica. E depois, em seu combate decisivo, na final, lutou com sabedoria contra o surpreendente francês Sofiane Oumiha, se impondo na batalha e, consequentemente, levando ao delírio a maravilhosa torcida que lotou o pavilhão 6 do Riocentro. E o “segredo” de tudo isso? “Sonhar, nunca desistir, ter fé, pois fácil não é, e nem vai ser”. É essa a frase de uma música do MC Gui, junto de um símbolo de duas mãos em sinal de reza, que aparece no perfil de WhatsApp do lutador Robson Conceição, o primeiro boxeador da história do Brasil a ganhar medalha de ouro em uma edição de Jogos Olímpicos. Antes disso, o atleta havia perdido 10 lutas. “Imagine se desistisse? Hoje sou campeão olímpico. Queria agradecer a todos que incentivaram muito. É um orgulho lutar por esse país”, falou o campeão. A persistência e preparação valeram a pena e transformaram Robson no primeiro brasileiro campeão olímpico no boxe. Antes dele, o País só havia conquistado quatro medalhas em Olimpíadas: uma prata com Esquiva Falcão (Londres-2012) e três bronzes com Yamaguchi Falcão e Adriana Araújo (também em 2012) e Servílio de Oliveira (Cidade do México-1968). E como começou tudo isso? Nascido e criado em um bairro pobre de Salvador (BA), o pugilista começou a treinar luta no quintal da própria casa para brigar na rua e demorou a descobrir o caminho certo, dentro do esporte. Foi graças a um amigo, que iniciou em uma academia e percebeu seu talento para a modalidade.

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

O atleta batalhou muito antes de conquistar sua primeira medalha de ouro

The athlete battled much before winning his first gold medal

Thiago Braz da Silva: on top of the world Those who followed Brazilian Thiago Braz da Silva victory in the pole vault, that lead the crowd at the Olympic Stadium to a frenzy, deeply moved those watching on TV and unleashed commentaries and mentions in social media, cannot imagine what is behind this feat. The young 22-year-old from Marília left behind the favorite, French Renaud Lavillenie, that two years ago “flew” at a height of 6.03 meters, breaking the previous record established in 1993 by pole vault legend, Ukrainian Sergey Bubka. Thiago’s success may have been a surprise for Brazilians, but the athlete’s curriculum over the past years accredited him as one of the great names of the pole vault event in Rio. Junior World Champion in 2012, up to the great final his best mark was 5.92m, placing him as one of the best in the world. Brazilian Air Force sergeant and considered one of the big sport promises, he grew up quickly and chose Rio to shine.

But in order to shine, the athlete overcame challenges early. He had to overcome difficulties to get where he did. Abandoned by his mother and raised by grandparents, the Family told GloboEsporte (Globo TV), that for days the young boy waited for his mother with a backpack on – until he realized she would not return. But on his path he had support from his family. It was his uncle, athlete Fabiano Braz, that brought him to the modality. The young talent started to be developed by coach Élson Miranda de Souza, husband and coach of pole vault record breaker, Fabiana Murer. As his accomplishments were accumulating, he caught the attention of Ukrainian coach Vitaly Petrov, known for guiding nobody less than compatriot Bubka and Russian Yelena Isinbayeva. At about two years ago, Thiago begun training with Petrov, his present coach.

Robson Conceição: persist, always Those who see boxer Robson Conceição in the ring, slender built, do not imagine how he battled before winning his first gold medal in men’s boxing, 60kg category. In Rio2016 he fought against today’s best athletes. Faced the strong Uzbek Hurshid Tojibaev on his second fight for the final eight. After, he was not intimidated by three-time world champion Cuban Lazaro Alvarez, in a thrilling semifinal, of pure technique. And later, in his decisive bout, he fought with knowledge against surprise French Sofiane Oumiha, imposing himself in the battle and, consequently leaving the crowd that packed pavilion 6 at Riocentro ecstatic. And the “secret” of it all? “Dream, never give up, have faith, because it is not easy and will never be”. This is a phrase from a song from MC Gui, along with the symbol of two hands praying, that shows up on the WhatsApp page of fighter Robson Conceição, the first boxer in

Brazil’s history to win the gold medal in the Olympic Games. Before that, the athlete had lost 10 bouts. “Imagine if I had quit? Today I am the Olympic champion. I want to thank all who encouraged me very much. I am proud to fight for this country”, said the champion. Persistence and preparation were worthwhile and made Robson the first Brazilian Olympic champion in boxing. Before him, the country had only received four medals in Olympic Games: a silver with Esquiva Falcão (London 2012) and three bronze with Yamaguchi Falcão and Adriana Araújo (also in 2012) and Servílio de Oliveira (Mexico City 1968). And how did it all begin? Born and raised in a poor neighborhood in Salvador (BA), the boxer started training fighting in the backyard of his own house to fight in the streets and took long to find the right path in the sport. It was thanks to a friend that he went to a gym and who noticed his talent for the modality.

339


Futebol masculino: primeiro ouro olímpico

F

oram necessários 64 anos, 13º tentativas, mas a seleção brasileira enfim chegou ao tão sonhado ouro nos Jogos Olímpicos. Numa conquista que serve de redenção para uma geração de jogadores que, pelo menos, desde a Copa do Mundo no Brasil, em 2014, vinha sendo apontada como desprovida de grandes craques, assim como a responsável pelo rebaixamento da seleção brasileira do papel de protagonista para o de coadjuvante no futebol mundial. Quis também o destino que o ouro fosse proporcionado por uma vitória sobre

a Alemanha, país que derrotou o Brasil por 7x1 na semifinal do Mundial de 2014. O feito de agora passou longe de ser encarado pelos brasileiros como uma revanche para o fiasco do resultado da seleção brasileira na Copa do Mundo. A seleção olímpica alemã esteve presente no Maracanã com apenas um jogador que estava no Mundial, o zagueiro reserva Mathias Gunter. Entretanto, isso não prejudicou o gostinho de vitória e revanche saboreado por todos os brasileiros, já que a perseguição ao ouro olímpico, último grande título que faltava ao Brasil no futebol, ganhou

contornos de obsessão nas últimas décadas. Sentimento este que acabou ficando ainda maior, catalisado nestes Jogos Olímpicos, pelo fato do elenco jogar em casa, na primeira Olimpíada na América do Sul. Para quem acompanhou a partida, foram 120 minutos de muita tensão, um ótimo teste para as pessoas cardíacas, mais os minutos extras na prorrogação, onde a decisão ficou ainda mais nervosa. Partindo para a emocionante disputa de pênaltis, o goleiro Weverton defendeu a quinta cobrança dos alemães. Já Neymar fez o do Brasil e garantiu o inédito ouro olímpico.

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Men’s football: first Olympic gold 64 years were necessary, 13 attempts, but the Brazilian national team finally reached the long dreamed gold in Olympic Games. In a victory that serves as redemption for a generation of players that, at least, since the World Cup in Brazil, 2014, was being pointed out as lacking great whizzes, as well as the one responsible for relegating the Brazilian national team from a protagonist to supporting role in world football. Destiny also provided the gold medal would come in a win over Germany, country that de-

Depois dos pênaltis eletrizantes, a equipe brasileira venceu a Alemanha After the thrilling penalty kicks, the Brazilian team beat Germany

Final do Futebol Masculino Brasil X Alemanha no Maracanã

feated Brazil by a score of 7x1 in the 2014 World Cup semifinal. Today’s feat is far from being considered by Brazilians as payback for the fiasco result of the Brazilian national team in the World Cup. The German Olympic team was present in Maracanã with only one player from the World Cup, reserve defender Mathias Gunter. However, this detail did not change the taste of victory and rematch for all Brazilians, as the search for Olympic gold, last important title that Brazil needed in football, gained outlines of obsession over the past decades. This feeling became even greater, catalyzed in the present Olympic Games, as this was a home tournament, in the first Olympic Games in South America. For those who followed the match, there were 90 minutes of much tension, an excellent test for cardiac people, added of another 30 minutes in extra time, where the final became even more tense. At the penalty kicks, goalkeeper Weverton defended the first German kick. Neymar scored for Brazil and assured the unedited Olympic gold.

340

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Men’s football final between Brazil x Germany at Maracanã


Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Rafaela Silva: Exemplo de superação Rafaela Silva reescreveu sua história no Rio2016 Rafaela Silva rewrote her history in Rio2016

A medalha de ouro de Rafaela Silva marcou o fim de um ciclo após a eliminação e ofensas racistas nos Jogos de Londres (2012)

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Rafaela Silva gold medal marked the end of a cycle after the elimination and racist abuse at the London Games (2012)

N

ascida e criada na Cidade de Deus, comunidade carente da zona oeste do Rio de Janeiro, a medalha de ouro, conquistada pela judoca Rafaela Silva, representou muito mais do que apenas uma medalha, representou superação da atleta, além de marcar o fim de um ciclo que começou no dia 30 de julho de 2012. Cotada como favorita nos Jogos de Londres, Rafaela foi eliminada nas oitavas de final naquele dia. Para piorar, teve de ouvir ofensas racistas de internautas descontentes com a derrota. Após ser chamada de “macaca” e ler que “era uma vergonha para a família”, havia tomado uma decisão: parar de lutar. Entrou então em uma perigosa depressão que, só conseguiu se recuperar com a ajuda da psicóloga Nell Salgado, que assumiu o posto de coach da judoca e ajudou que recuperar a sua autoestima. A “nova Rafaela” começou a dar resultado rápido. Em 2013, ela se tornou campeã mundial de judô. O título trouxe de volta a confiança perdida com a derrota em Londres e com as postagens ofensivas. Respeitada no circuito da arte marcial, só faltava uma conquista: a redenção olímpica. Para os Jogos do Rio, desejava que nada fosse como em 2012. “Isso ficou guardado em mim. Só entrava na competição pensando no que passei em Londres, que era uma sensação que não queria passar novamente”. Diferente da outra edição, ela não chegou aos Jogos do Rio como favorita. Na preparação, optou pela tranquilidade de Mangaratiba aos agitos da Vila Olímpica. “Fiquei só dois dias na Vila Olímpica. Era muita descontração, muito ídolo por lá. Preferi ter um foco e ficar treinando com a equipe de judô.” E assim, uma Rafaela mais calma e sobretudo muito guerreira, conquistou a tão sonhava medalha de ouro olímpica. A atleta reescreveu a sua história olímpica, da eliminação à consagração. Passou a ter consciência de que precisava treinar mais e fazer diferente das outras atletas.

Rafaela Silva: example of excelling Born and raised at Cidade de Deus (City of God), a needy community in the West region of Rio de Janeiro, the gold medal, won by judoka Rafaela Silva, represented much more than just a medal, it represented the athlete overcoming adversity, besides marking the end of a cycle that begun on 30 of July of 2012. Rated as favorite in the London Games, Rafaela was eliminated in the final sixteen on that day. Worsening, she had to hear racist insults from internet users unhappy with her defeat. After being called “monkey” and read that “she was a shame for her family”, she had decided: stop fighting. She then went into a huge depression, from which she was only able to recover with the aid of psychologist Nell Salgado, who took over the role of coach for the judoka and helped her to regain self-esteem. The “new Rafaela” quickly started showing results. In 2013, she became a world Champion in judo. The title brought back the lost confidence with the defeat in London and the offensive postings. Respected in the martial arts circuit, only one title was missing: Olympic redemption. For the Rio Games, she desired nothing like 2012. “That remained inside me. I entered the competition thinking about what I had gone through in London, a feeling I did not want to go through again”. Different from the previous edition, she did not come to the Rio Games as favorite. During preparation she opted for tranquility in Mangaratiba instead of the agitation of the Olympic Villa. “I stayed for only two days in the Olympic Villa. It was too much relaxation, many idols there. I preferred focusing and training with the judo team.” And thus, a calmer, and above all, great warrior Rafaela won the dreamed Olympic gold medal. The athlete rewrote her Olympic history, from elimination to acclamation, she started being aware she needed to train more and do different from the Other athletes.

341


Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Kahena Kunze e Martine Grael conquistaram medalha de ouro

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Kahena Kunze and Martine Grael won the gold medal

Após confirmação do ouro, a dupla comemorou After confirmation of the gold, the duo celebrated

Martine Grael e Kahena Kunze: Meninas de ouro

O

utra medalha de ouro conquistada pelo Brasil foi na vela feminino, pela dupla Martine Grael e Kahena Kunze. As meninas terminaram a regata das medalhas em primeiro lugar, numa chegada disputadíssima, com vantagem de só dois segundos para a dupla vice-campeã, da Nova Zelândia, e garantiram o lugar mais alto do pódio na classe 49erFX. Esta é a primeira vez na história que o Brasil conquista uma medalha de ouro com uma dupla feminina na vela. A única medalha que o país já havia vencido com uma dupla feminina havia sido em Pequim 2008, quando Fernanda Oliveira e Isabel Swan levaram o bronze na categoria 470.

E para quem está achando familiar os sobrenomes das meninas, sim! O talento está no sangue. Martine Grael é filha de Torben Grael, dono de cinco medalhas olímpicas, e sobrinha de Lars Grael, que conquistou duas. É a oitava conquista dos Grael. Já a sua parceira, Kahena Kunze, também é filha de velejador. Seu pai, Claudio Kunze, foi campeão mundial júnior da classe Pingüim em 1973. Juntas Kahena Kunze e Martine Grael já haviam conquistado a prata nos Jogos Pan-Americanos de Toronto 2015 e o ouro no Mundial de 2014. Essa dupla promete ainda muitas emoções e conquistas.

Martine Grael and Kahena Kunze: golden girls Another gold medal won by Brazil, in women’s sailing by duo Martine Grael and Kahena Kunze. The girls finished the medal regatta in first place, in a tight finish, with only two seconds of lead to the runner-up duo, from New Zealand, and assured the highest spot on the podium in the 49erFX class. This is the first time in history that Brazil wins a gold medal with a women duo in sailing. The only medal the country had received by a women duo was in Beijing 2008, when Fernanda Oliveira and Isabel Swan took bronze in the 470 category. And for those feeling familiar the girls’ surnames, yea! The talent is in their blood. Martine Grael is daughter of Torben Grael, holder of five Olympic medals, and niece of Lars Grael, who won two. It is the Graels’ eighth achievement. On the other hand, her partner, Kahena Kunze, is also daughter of a sailor. Her father, Claudio Kunze, was junior world champion in the Penguin class in 1973. Together Kahena Kunze and Martine Grael had already won silver in the 2015 Toronto Pan-American games and gold in the 2014 World Championship. This duo is still hope for much excitement and achievements.

342


Vôlei Masculino: Tricampeão olímpico

A

pesar do resultado na última partida ter sido 3 sets para o Brasil a 0 da Itália (25/22, 28/26 e 26/24), quem assistiu à partida, teve doses extras de emoção. Após duas pratas seguidas em Jogos Olímpicos, a seleção masculina de vôlei

finalmente subiu um degrau a mais no pódio na Rio-2016. Com tanta comemoração, os atletas dedicaram a medalha de ouro até para quem não acreditava ser possível chegar à conquista e comemoraram o fim do “quase” de uma geração que havia

A Campanha do Brasil no Rio 2016 07/08 - Brasil 3 x 1 México 09/08 - Brasil 3 x 1 Canadá 11/08 - Brasil 1 x 3 EUA 13/08 - Brasil 1 x 3 Itália 15/08 - Brasil 3 x 1 França 17/08 - Brasil 3 x 1 Argentina 19/08 - Brasil 3 x 0 Rússia 21/08 - Brasil 3 x 0 Itália

batido na trave muitas vezes. As medalhas douradas de Barcelona 1992 e Atenas 2004 ganharam companhia. O resultado pôs fim também a um longo e incômodo jejum. Até então, o último título havia sido conquistado no Mundial da Itália, em 2010.

Entre um aplauso e outro para os jogadores do Brasil, a torcida premiou também o treinador Bernardinho. O orgulho de técnico bicampeão, dono de sete medalhas olímpicas em nove participações nos Jogos.

Male Volleyball: Olympic triple champion DDespite the result of the final match being Brazil 3 x 0 Italy (25/22, 28/26 and 26/24), the audience watching the match had extra doses of excitement. After two consecutive silvers in Olympic Games, the men’s volleyball national team finally went a step higher on the Rio2016 podium. With much celebration, the athletes dedicated the gold medal even to those who did not believe possible the achievement and celebrated the end of the “almost” of a generation that had had almost got there too many times. The golden medals of Barcelona 1992 and Athens 2004 received company. The result also put an end to a long and uncomfortable abstinence. The last title was won in 2010 in

the Italy World Cup. Between a cheer and another for the Brazilian players, the crowd also rewarded coach Bernardinho. The pride of two-time champion coach, holder of seven Olympic medals in nine participations in Games. Brazil’s Campaign in Rio2016 07/08 - Brazil 3 x 1 Mexico 09/08 - Brazil 3 x 1 Canada 11/08 - Brazil 1 x 3 USA 13/08 - Brazil 1 x 3 Italy 15/08 - Brazil 3 x 1 France 17/08 - Brazil 3 x 1 Argentina 19/08 - Brazil 3 x 0 Russia 21/08 - Brazil 3: 0 Italy

Final do Vôlei de Quadra Masculino Brasil X Itália no Maracanãzinho Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Men’s Volleyball Final between Brazil x Italy in Maracanãzinho

343


Alison Cerutti e Bruno Schmidt: Fim do jejum

A

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

lison Cerutti e Bruno Schmidt deram fim a um jejum de 12 anos do Brasil no vôlei de praia conquistando a medalha de ouro. Na partida decisiva venceram os italianos Nicolai e Lupo, por 2 sets a 0 (21/19 e 21/16). A vitória fez com que o Brasil conquistasse o torneio na praia pela primeira vez desde Ricardo e Emanuel, em Atenas-2004. “Eu sou campeão olímpico, cara. Nós somos campeões olímpicos, o Brasil é campeão olímpico”, comemorou Alison ao canal Sportv. Também para o mesmo canal de televisão Bruno Schmidt relevou no final da partida, “estou tão cansado, você não tem ideia. Duas semanas sem dormir, não consegui dormir nenhum dia, quatro horas no máximo. Estou exausto, cansado”, revelou e ainda agradeceu ao pai, Luiz Felipe, pela permanência na carreira. “Coisa de filme.” É assim que Alison definiu a arrancada que ele e o parceiro Bruno Schmidt deram na temporada 2015 do campeonato mundial de vôlei de praia. Além de garantir a vaga para os Jogos de 2016 com uma rodada de antecipação, a sequência de conquistas nos Grand Slams dos Estados Unidos, Holanda Japão, Polônia e Suíça igualou o recorde de pódios consecutivos alcançado em 1999 por outra dupla brasileira, Emanuel e Loiola.

Mas como “nem tudo são flores”, o trajeto até a grande conquista também foi difícil para os atletas. Os parentes do Alison torciam o nariz para a opção de ser jogador, achavam que era impossível crescer na vida com o esporte e consideravam que vôlei não é profissão. Ao contrário de Alison, a família de Bruno sempre esteve ligada ao esporte. Bruno é sobrinho de Oscar Schmitd, o “Mão Santa” do basquete brasileiro, irmão de Julia, também atleta do vôlei, e filho de Luís Felipe, militar da marinha, “o mais tarado por esportes”, nas palavras de Bruno. Entretanto, para Bruno, o 1,85 m de altura era um fator que poderia limitar a carreira. “Foi muito complicado apostar no sonho dele”, afirma o pai Luis Felipe. “Apesar do talento, o Bruno não tinha a característica mais importante para o vôlei, a altura. Fomos a vários especialistas e todos os médicos disseram que ele já estava no limite do crescimento.” Mesmo assim, o garoto não desistiu e compensou a baixa estatura (para os padrões do vôlei) com uma capacidade técnica invejável. Que bom que nossos atletas não desistiram da carreira e venceram mais este desafio. Also for the same TV channel Bruno declared at the end of the match, “I am so tired, you have no idea. Two weeks with no sleep, I could not sleep for a single day... a maximum of four hours. I am exhausted, tired”, he said and thanked his father, Luiz Felipe, for continuing his career. “Like in the movies.” This is how Alison defined the run him and his partner Bruno Schmidt had during the 2015 season of the beach volleyball world championships. Aside from assuring a place in the 2016 Games with one round in advance, the consecutive wins in the United States, Holland, Japan, Poland and Switzerland Grand Slams equaled the consecutive podiums from 1999 for another Brazilian duo, Emanuel e Loiola. But as “not everything is only flowers”, the path to the huge achievement was also difficult for the athletes. Alison’s parents did not like his decision of becoming a player, they thought it was impossible to develop in life with sports

and considered volleyball is not a profession. On the other hand, Bruno’s Family has always been linked to sports. Bruno is nephew of Oscar Schmitd, the “Holy Hand” of Brazilian basketball, brother of Julia, also a volleyball athlete, and son of Luís Felipe, Navy officer, “the craziest person for sports”, on Bruno’s words. However, for Bruno, the 1.85m in height was a factor that could limit his career. “It was very complicated to bet on his dream”, declares his father Luis Felipe. “Despite the talent, Bruno lacked the most important characteristics for volleyball: height. We went to several specialists and all doctors said that he had reached the limit of his growth.” Even so, the boy did not give up and made up for the low height (for volleyball standards) with an enviable technical Quality. Excellent that our athletes did not give up their careers and overcame yet another challenge. Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

A dupla trabalhou em sintonia no jogo decisivo The duo worked in tune in the decisive match Alison Cerutti and Bruno Schmidt: end of the drought Alison Cerutti and Bruno Schmidt ended the 12-year Brazilian drought in beach volleyball winning the gold medal. In the final they beat Italians Nicolai and Lupo, 2 sets to 0 (21/19 and 21/16). The title had Brazil win the beach tournament for the first time since Ricardo and Emanuel, in Athens 2004. “I am an Olympic Champion, man. We are Olympic champions, Brazil is Olympic champion”, celebrated Alison to SporTV channel.

344

Alison e Bruno, campeões olímpicos Alison e Bruno, Olympic champions


Isaquias Queiros dos Santos: É tetra!

country’s only athlete to win three medals in a single edition of the Olympic Games, but also enters into the history of Olympic canoe becoming the first athlete from the canoe category to win three medals in the same competition. Isaias won medals for canoe sprint, canoe duo 1,000 and canoe single 200m events. Before Isaquias the feat of receiving three medals in a single edition of the Games was only achieved in the kayak category by Vladimir Parfenovich (Moscow 1980), Lars-Erik Moberg and Agneta Anderson (Los Angeles 1984), Vanja Gesheva and Birgit Schimdt (Seoul 1988) and Rita Koban (Barcelona 1992).

Isaquias flew in the water of Lagoa Rodrigo de Freitas

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Isaquias Queiroz dos Santos: four-time champion The Olympic Games would not be the same without a Baiano from Ubaitaba, who in the canoe, became the first Brazilian athlete to win three medals in a single edition of the Games. Isaquias Queiros dos Santos assured he was very happy with his performance in the Olympic Games, and it could not be different! “Lagoa Rodrigo de Freitas was very beautiful with the Brazilian crowd. I not only want to thank them but also everyone in Brazil that followed on TV, on the internet. These medals are for you all!” – he declared after winning the medals. With the result, Isaquias not only enters into the Brazilian sport history being the

Isaquias voou nas águas da Lagoa Rodrigo de Freitas

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

A

Olimpíada não seria a mesma sem o baiano de Ubaitaba, que na canoagem, se tornou o primeiro atleta brasileiro a conquistar três medalhas numa mesma edição dos Jogos. Isaquias Queiros dos Santos garantiu que estava muito feliz pelo meu desempenho na Olimpíada, e não poderia ser diferente! “A Lagoa Rodrigo de Freitas estava muito linda com a torcida brasileira, não só quero agradecer a eles como a todo mundo do Brasil que acompanhou pela TV, pela internet. Essa medalha é para todos vocês!” – declarou após conquistar as medalhas. Com o resultado Isaquias entra não só para a história do esporte brasileiro, sendo o único atleta do país a conquistar três medalhas em uma mesma edição dos Jogos Olímpicos, como também para a história da canoagem olímpica ao se tornar o primeiro atleta da categoria canoa a obter três medalhas na mesma competição. Isaias venceu a prova de canoagem velocidade, canoa dupla 1.000m e a canoa individual 200m. Antes de Isaquias o feito de adquirir três medalhas na mesma edição dos Jogos só foi conquistado na categoria caiaque por Vladimir Parfenovich (Moscou 80), Lars-Erik Moberg e Agneta Anderson (Los Angeles 84), Vanja Gesheva e Birgit Schimdt (Seul 88) e Rita Koban (Barcelona 92).

Com o seu parceiro Elron de Souza Silva, conquistou sua terceira medalha na canoagem velocidade 1000m With his partner Elron de Souza Silva, he won his third medal in canoe sprint 1,000m.

345


Erlon de Souza: A virada Canoagem Velocidade – C2 1000m – Isaquias Queiroz e Elron de Souza Silva

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Canoe Sprint – C2 1,000m – Isaquias Queiroz and Elron de Souza Silva

U

m rapaz tímido e contido, o baiano Erlon de Souza, quando não estava na sala de casa, num cantinho que chamava de seu, era na margem do rio das Contas que dona Eliete encontrava o filho. A costureira da pequena Ubatã, no interior da Bahia, trabalhava firme para sustentar suas três crianças. Erlon Souza, o do meio, gostava de nadar naquelas águas. Ainda novinho, descobriu que poderia brincar e ainda ajudar a mãe. Subiu numa canoa de madeira e virou tirador de areia. Remava com uma vara que tinha 4m e uma pá na ponta. Tinha braços fortes. Até que um certo dia foi convencido pelos amigos a se juntar a eles numa atividade divertida. Conheceu a canoagem em 2005, no projeto Segundo Tempo e adorava mais cair do que se equilibrar em cima do barco. De lá pra cá treinou duro, ganhou importantes títulos, conheceu seu parceiro Isaquias e conquistou a tão sonhada medalha olímpica. Mas seus planos não param por aí.

Erlon de Souza: the turning point A shy and reserved Young man, Baiano Erlon de Souza, when not in his home living room, a place he called his own, it was at the banks of a river, Rio das Contas, that “dona” Eliete would find her son. The seamstress from the small city of Ubatã, in the countryside of the state of Bahia, worked hard to provide for her three children. Erlon Souza, the middle child, liked to swim in those waters. Still very Young he found out that he could play and also help his mother. He hopped into a wood canoe and became a sand “remover”. He would row with a 4-meter pole and a spade on one extremity. He had strong arms. And one day he was convinced by friends to accompany them on a fun activity. He met canoeing in 2005, in the project Segundo Tempo and preferred falling out than balancing himself on the boat. From that time to today he trained hard, won important titles, met his partner Isaquias and won the coveted Olympic medal. But his plans do not end there.

346


Arthur Zanetti: volta ao pódio Arthur Zanetti na prova das argolas que sagou-se campeão olímpico pela segunda vez.

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Arthur Zanetti in the rings event where he again became an Olympic champion.

Medalha de prata nas argolas masculino Silver medal in men’s rings

O

Rio 2016 representou a segunda Olimpíada da carreira de Arthur Zanetti e sua segunda medalha olímpica. O ginasta, ouro nos Jogos de Londres/2012, conquistou a medalha de prata quatro anos depois, no Rio, apoiado pela família e pela torcida que lotou a Arena Olímpica. “Foi mais difícil do que em Londres, mas ganhar a prata em casa é mais gostoso do que o ouro fora”, disse o brasileiro, que somou a nota 15.766. O grego Eleftherios Petrounias foi o campeão, com 16.000, e o russo Denis Abliazin conquistou o bronze com 15.700. “É maravilhoso, um resultado incrível que vai ficar na minha memória. Não tenho como descrever. Tenho que agradecer a todo mundo que me ajudou: família, amigos, patrocinadores, não posso esquecer de ninguém. Vocês fizeram parte dessa história. E dá um gostinho a mais para poder estar na próxima Olimpíada”, disse Arthur. O vice-campeonato olímpico consagra um ciclo de muitas vitórias para Zanetti. Depois do ouro em Londres, Arthur conquistou o título mundial em 2013 na Antuérpia (Bélgica) e ficou com a medalha de prata no ano seguinte, no Mundial de Nanning (China). Em 2015, alcançou um título que faltava à sua coleção: o ouro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. No Mundial de Glasgow, em outubro, Arthur não disputou a final das argolas. Mas seu principal objetivo na competição era coletivo: ajudar o Brasil a conquistar a inédita classificação olímpica por equipes, o que aconteceu.

Arthur Zanetti: return to the podium Rio2016 was the second Olympic Games in the career of Arthur Zanetti and his second Olympic medal. The gymnast, gold in the London 2012 Games, won the silver four years later, in Rio, supported by his Family and the crowd which packed the Olympic Arena. “It was harder than in London, but winning the silver at home is better than winning the gold away”, said the Brazilian, who received 15,766 points. Greek Eleftherios Petrounias was the Champion, with 16,000, and Russian Denis Abliazin won the bronze with 15,700. “It is wonderful, an incredible result that will be marked in my memory. I don’t know how to describe it. I have to thank all who helped: Family, friends, sponsors, I can’t forget anyone. You are part of such history. And it gives an extra taste to be in the next Olympic Games”, said Arthur. The Olympic vice-championship acclaims a cycle of many victories for Zanetti. After the gold in London, Arthur won the world title in Antwerp (Belgium) and received the silver the following year, in the Nanning World Championships (China). In 2015, he reached the title that was missing in his collection: the gold in the Pan-American Games of Toronto. In the Glasgow World Championships, in October, Arthur did not compete in the rings finals. But his main objective in the competition was collective: help Brazil to win the unedited Olympic team qualification, which occurred.

347


Diego Hypólito: sonho conquistado

J

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

á vimos até agora que vida de atleta não é moleza. Mas Diego Hypólito é sinônimo de superação. Praticamente fora da Olimpíada do Rio 2016 alguns meses antes da competição, ele batalhou bastante e conseguiu a sua suada vaga. Hypólito já havia participado das duas Olimpíadas anteriores. Em Pequim (2008), após se classificar em primeiro lugar no solo, o ginasta foi para a sua primeira decisão olímpica favorito a ganhar a primeira medalha da história da ginástica para o Brasil. Entretanto, uma queda na sua apresentação -de bunda- o deixou apenas em sexto lugar na decisão. Quatro anos depois, em Londres (2012), outra queda, de cara, ainda na fase classificatória deixando Diego longe da sonhada final. “Foi minha terceira Olimpíada. Na primeira eu caí de bunda, na segunda caí de cara e nessa cai em pé”. E foi assim que ele conquistou a tão sonhada medalha olímpica. Incentivado por colegas e fãs e demonstrando muita força interior, Diego Hypólito tentou novamente em casa. Evitou criar expectativas de medalha e repetiu que sua principal meta era apenas não sofrer quedas. Com uma apresentação formidável, permaneceu de pé e, com 15.533 de nota, só foi superado pelo britânico Max Whitlock. De quebra, ainda subiu ao pódio ao lado do compatriota Arthur Nory, 22 anos, seu fã confesso. “Eu não sei explicar o quanto estou feliz. Torcida brasileira, povo brasileiro, se meu sonho foi possível, o de todos é possível. Acreditem sempre e não desistam quando os outros disserem que vocês não podem”, discursou, em entrevista à Rede Globo.

Diego Hypólito conquistou medalha de prata no solo

Muita determinação e superação marcam a trajetória deste atleta Much determination marked this athlete’s path

348

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Diego Hypólito won the silver medal in the floor event

Diego Hypólito: dream fulfilled Up to now, we noticed that the life of an athlete is not easy. But Diego Hypólito is synonym of comeback. Practically out of the Rio2016 Olympic Games a few months before the event, he battled hard and received his spot. Hypólito had already participated in the two previous Olympic Games. In Beijing (2008), after qualifying in first in the floor exercise, the gymnast went to his first Olympic final as favorite for winning the first medal in the history of gymnastics for Brazil. However, a fall during his set – on his bottom – left him only in sixth place. Four years later in London (2012), another fall, on his face, still in the qualifying round, leaving Diego out of the dreamed finals. “This were my third Olympic Games. On the first I fell on my bottom, on the second I fell on my face and on this one I fell on my feet”. And it was as such that he won his dreamed Olympic medal. Encouraged by friends and fans and showing Strong inner strength, Diego Hypólito tried again, this time at home. He avoided creating medal expectations and repeated that his main goal was avoiding falls. With a formidable presentation, he remained on his feet and, with 15,533, was only surpassed by British Max Whitlock. And on top of it stepped into the podium along his fellow countryman Arthur Nory, 22 years of age, his fan. “I cannot explain how much I am happy. Brazilian crowd, Brazilian people, if my dream was possible, everyone’s is possible. Always believe and never give up when others say you cannot do it”, he stated in an interview to Globo TV.


Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Felipe Almeida Wu: Quebra do jejum

Felipe Wu abriu o quadro de medalhas para o Brasil

Felipe Almeida Wu: end of the hiatus Brazil started the spate of Olympic medals with him, the 24-year-old athlete from São Paulo. Felipe Almeida Wu took the silver medal in the 10m air pistol event. The crowd present at the Shooting Olympic Center, in Deodoro, was able to watch history in the making in the final. Brazil did not win a medal in shooting since the 1920 Antwerp Games, when Guilherme Paraense gave the country its first Olympic win, considering all modalities. Still in Belgium, Brazil reached the podium another two times – with Afrânio da Costa and the free pistol team. “This is an honor. Everyone would tell me about this medal in 1920. I am very happy I was able to make this dream come true. I hope people get more interested in shooting and more people are able to represent the country”, said Wu. Felipe Wu reached the status of Brazilian shooting promise when he won the silver in the first Youth Olympic Games in Singapore, 2010. Then, the modality remained practically in obscurity and the Young man did not receive the necessary support. He only begun attracting investments in 2015, after winning the gold medal in the Toronto Pan-American Games, assuring a spot for Rio2016, and mention that he trained on his home’s backyard for lacking a more appropriate place. Before the Olympic Games, he started receiving the Podium Sponsorship, from the Ministry of Sports, and dedicating exclusively to shooting.

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Felipe Wu inaugurated the medal board for Brazil

O

Brasil começou a enxurrada de medalhas olímpicas com ele, o atleta paulistano de 24 anos. Felipe Almeida Wu levou a medalha de prata na pistola de ar 10m. A torcida que esteve presente no Centro Olímpico de Tiro, em Deodoro, pode ver a história sendo escrita na final. O Brasil não conquistava uma medalha no Tiro Esportivo desde os Jogos de Antuérpia, em 1920, quando Guilherme Paraense deu ao país sua primeira conquista olímpica, considerando todas as modalidades. Ainda na Bélgica, o Brasil foi ao pódio outras duas vezes - com Afrânio da Costa e a equipe de pistola livre. “É uma honra. Todo mundo me falava dessa medalha em 1920. Fico muito feliz que consegui realizar esse sonho. Espero que a

pessoas se interessem mais pelo tiro e mais pessoas possam representar o país”, disse Wu. Felipe Wu ganhou o status de promessa do tiro esportivo brasileiro quando ganhou a prata na primeira edição dos Jogos Olímpicos da Juventude, em Cingapura, em 2010. À época, a modalidade vivia praticamente na obscuridade e o garoto não recebeu o apoio necessário. Ele só passou a atrair investimentos em 2015, depois de ganhar a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, garantir vaga no Rio 2016, e contar que treinava no quintal de casa por falta de um local mais apropriado. Antes das Olimpíadas, passou a receber a Bolsa Pódio, do Ministério do Esporte, e a se dedicar exclusivamente ao tiro. Em 2015 começou a dedicar-se apenas ao esporte e desde então, vem conquistando grandes resultados In 2015 he begun dedicating himself solely to sport and, since then, has been achieving great results.

349


Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Dupla alemã bateu brasileiras e levaram o ouro German duo beat the Brazilians and took the gold

Agatha e Barbara conquistaram medalha de prata Agatha and Barbara won the silver medal.

Ágatha Bednarczuk e Bárbara Seixas: estreantes brilhantes

A

s estreantes em jogos olímpicos, Ágatha e Bárbara, representaram muito bem o Brasil no pódio da modalidade. Depois de surpreender e vencer a até então invicta em olimpíadas Walsh na semifinal, as meninas não resistiram ao bom voleibol das alemãs Ludwig e Walkenhorst, que conquistaram a medalha de ouro, deixando as brasileiras com a medalha de prata. Apesar do resultado, este não ofuscou o talento da paranaense e da carioca. As duas brilharam na competição ao chegar a uma final em sua primeira

350

Olimpíada e ainda conseguiram quebrar a invencibilidade da norte-americana Kerri Walsh, uma lenda do vôlei de praia mundial, na semifinal. As jovens ainda tinham muitas chances de disputar novamente um torneio olímpico, já que a conquista da medalha de prata turbinou um currículo já recheado de títulos como o Mundial de 2015, na Holanda. Entretanto, na semana seguinte ao resultado, a dupla anunciou que iria separar-se. Uma pena para o esporte, mas sucesso com as suas novas duplas.

Ágatha Bednarczuk and Bárbara Seixas: bright debutants: Debutants in Olympic Games, Ágatha and Bárbara, represented Brazil extremely well in the modality’s podium. After surprising and beating until unbeaten in Olympic Games Walsh in the semifinal, the girls did not resist to the good volleyball from Germans Ludwig and Walkenhorst, who won the gold medal, leaving the Brazilians with the silver. Despite the result, the talent from the natives of the states of Rio de Janeiro and Paraná was not dimmed. Both shined in the competition reaching a final on their first Olympic Games and also ended the unbeaten streak of North-American Kerri Walsh, a legend of world beach volleyball in the semifinal. The Young women would still have many chances for competing again in an Olympic tournament, as the silver medal has enhanced a curriculum already filled with titles such as the 2015 World Championship, in Holland. However, on the week after the result, the duo announced they were splitting up. A pity for the sport, but success with their new partners.


Arthur Mariano: Do tatame para o ar

Q

Dedicação e esforço foram os ingredientes para o sucesso de Arthur Dedication and effort were the ingredients for Arthur’s success Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

uem vê o campeão Arthur Mariano não imagina que um dia sonhava em ser faixa preta no judô. Mas enquanto suava o quimono no tatame, os olhos e a mente do garoto estavam em outro lugar: voando! E como tudo na vida tem um motivo e segue o seu curso, mais tarde surgiu a oportunidade do jovem Arthur realizar o seu sonho. Graças aos exemplos de Diego Hypólito e Daiane dos Santos, descobriu sua paixão pela ginástica aos 10 anos (em 2004). Arthur resolveu dedicar-se inteiramente a ginástica, no individual geral que contempla seis modalidades (solo, salto, barra fixa, paralelas, argolas e cavalo com alças) demandando uma dedicação maior, com 7 horas de treinos diários. Em julho de 2016 foi incorporado pelo Comando da Aeronáutica (COMAER) como um dos novos 34 sargentos no Programa de Atletas de Alto Rendimento. Desta forma, passa a possuir a graduação de TerceiroSargento, integrando o Quadro de Sargentos da Reserva de 2ª Classe Convocados. Os militares atletas representam as Forças Armadas do Brasil em torneios desportivos militares nacionais e internacionais. Sua dedicação e esforço deram frutos: foi 2º lugar na Copa do Mundo, na categoria individual geral e 4º lugar em salto nos Jogos da Juventude. Atualmente é o 4º no ranking mundial na modalidade Barra Fixa e 3º no solo nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Arthur Mariano conquistou medalha de bronze no solo Arthur Mariano won the bronze medal in the floor event Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Arthur Mariano: the mat to the air Those who see champion Arthur Mariano do not imagine that one day he imagined being a black belt in judo. But while he sweated into his kimono on the tatami, the boy’s eyes and mind were in another place: flying! And as everything in life has a reason and follows its path, later came the opportunity for young Arthur to fulfill his dream. Thanks to examples from Diego Hypólito and Daiane dos Santos, he discovered the passion for gymnastics at 10 (in 2004). Arthur decided to fully dedicate himself to gymnastics, in the general individual event with six modalities (flor, vault, horizontal bar, parallel bars, rings, and pommel horse) demanding a higher dedication, with daily 7-hour training sessions. In July 2016 he was incorporated by the Air Force Command (COMAER) as one of the 34 new sergeants in the High Performance Athletes Program. This way, he becomes third sergeant, integrating the 2nd class reserve sergeants called. The armed forces athletes represent Brazil’s Armed Forces in national and international sport tournaments. His dedication and effort bore fruits: he placed 2nd in the World Cup, in the general individual event and 4th in the vault at the Youth Games. Presently he is in 4th place in the world ranking for the horizontal bar and 3rd in the floor event in the Rio2016 Olympic Games.

351


Rafael Silva: Gigante no tatame

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Rafael Silva won bronze medal in judo category up to 100kg

entretanto, recuperou-se rápido e derrotou o holandês Roy Meyer, chegando a briga pelo bronze, que foi lindamente conquistada. Assim, nosso atleta subiu pela sua segunda vez no pódio olímpico. O pódio coroa um momento de superação do atleta de 29 anos, que por pouco não ficou fora dos Jogos Olímpicos por causa de uma lesão no ombro. Ele passou meses longe do tatame e quase perdeu a vaga para David Moura. No final, conseguiu se recuperar a tempo, obteve os pontos no ranking e pôde representar o Brasil na categoria. Rafael também possui em seu currículo conquistas nos Campeonatos Mundiais e nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara em 2011. Rafael Silva: a giant on the tatami WThose who heard the nickname “baby” for the native of the state of Mato Grosso do Sul Rafael Silva, yes, the one who competes in the +100kg category, don’t understand quite well, but let us explain. Despite the size, Rafael is famous for being calm, introspective and is known for being “a nice guy”. Hence the nickname Baby. Before fights, however, he leaves his calm temperament aside and likes to watch MMA bouts and listen to hard rock. Rafael arrived at the Games with two objectives: winning a medal and defeating French Teddy Riner, considered the world’s best in the category. Unfortunately, it was not this time he defeated Riner, the Frenchman who limited the Brazilian’s dreams. Baby, however, quickly re-

352

Q

uem ouve o apelido “baby” do sul-matogrossense Rafael Silva, sim, aquele que compete na categoria +100kg, fica sem entender muito, mas vamos explicar. Apesar do tamanho, Rafael é famoso por ser tranquilo, introspectivo e tem fama de ser “bonzinho”. Daí surgiu o apelido Baby. Antes das lutas, porém, ele deixa o temperamento calmo de lado e gosta de assistir lutas de MMA e ouvir músicas de rock pesado. Rafael chegou nos jogos com dois objetivos: conquistar uma medalha e derrotar o francês Teddy Riner, considerado o melhor do mundo na categoria. Infelizmente não foi dessa vez que derrotou Riner, o francês que limitou os sonhos do brasileiro. Baby,

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Rafael Silva conquistou medalha de bronze na categoria judô acima de 100kg

Rafael é mais um atleta símbolo da sua superação Rafael is more a symbol of athlete overcomingl covered and defeated Dutch Roy Meyer, reaching the battle for the bronze, beautifully achieved. Thus, our athlete stepped for the second time on the Olympic podium. The podium crowns an overachievement for the 29-year-old athlete, who was almost out of the Olympic Games due to a shoulder injury. He spent months away from the tatami and almost lost his place to David Moura. In the end, he was able to recover on time, obtained points in the ranking and was able to represent Brazil in the category. Rafael also has in his curriculum wins in World Championships and Pan-American Games of Guadalajara in 2011.


Mayra Aguiar: A mais jovem das veteranas

A

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

Foto: Roberto Castro/Brasil2016/ME

os 24 anos, a gaúcha Mayra Aguiar já participou de três olimpíadas e possui medalhas em todas as competições importantes de sua modalidade. No Rio 2016 ela conquistou medalha de bronze ao derrotar a cubana Yalennis Castillo, na categoria -78 kg. A judoca brasileira ganhou a terceira medalha do Brasil e a segunda na modalidade nesta edição dos Jogos. Com o feito, Mayra iguala Aurélio Miguel, Leandro Guilheiro e Tiago Camilo, todos com duas medalhas em Jogos Olímpicos no judô. “Conquistar uma medalha é uma satisfação enorme para o atleta. Temos que virar a chave, esfriar a cabeça e esquecer a luta que passou. Uma experiência muito grande e um aprendizado. Sim, lembrei de Londres. Quando caímos, temos que aprender a levantar rápido e concentrar na próxima luta”, afirmou a medalhista. Tão jovem e tão determinada. Engana-se quem pensa que Mayra vai parar por aqui, ela quer mais, mais conquistas e mais desafios. Não é à toa que sua citação favorita é: “Somente se aproxima da perfeição quem a procura com constância, sabedoria e, sobretudo, humildade” (Jigoro Kano)

Mayra Aguiar: the youngest of veterans At 24, the native of the state of Rio Grande do Sul Mayra Aguiar has already participated in three Olympic Games and has medals in all important competitions of her modality. In Rio2016 she won the bronze medal defeating Cuban Yalennis Castillo, in the category -78 kg. The Brazilian judoka won Brazil’s third medal and the second in the modality on this edition of the Games. With the feat, Mayra equals Aurélio Miguel, Leandro Guilheiro and Tiago Camilo, all with two medals in Olympic Games in the judo event. “Winning a medal is a huge satisfaction for the athlete. We have to switch the key, cool down our head and forget the fight is over. A huge learning experience. Yes, I remembered London. When we fall, we have to learn to get back up quickly and concentrate on the next fight”, said the medalist. So Young and so resolute. Are mistaken those who think she will stop here, she wants more, more achievements and challenges. It is not by chance that her favorite quote is: “only those who seek with steadfastness, wisdom, and above all, humility near perfection” (Jigoro Kano)

353


Poliana Okimoto: conquista no susto, mas merecedora

A

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

primeira medalha de uma mulher brasileira na natação veio da maratona aquática e a atleta Poliana Okimoto só descobriu que ficou com o bronze alguns minutos depois do fim da prova. Essas provas são bem complicadas, pois além de nadar no mar – o que já torna a prova bem desafiadora – a nadadora ainda precisa resistir aos chutes, cotoveladas involuntárias, ou não, das adversárias e ainda vencer uma corrida. O Brasil tinha duas representantes na prova dos 10 km: Poliana Okimoto e Ana Marcela Cunha, mas foi a Holanda que levou a medalha de ouro com Sharon von Rouvendal. Já a disputa pelo segundo lugar foi muito mais difícil, mas a francesa Aurelie Muller tocou no portão de chegada antes da italiana Raquele Bruni, com Poliana chegando logo na sequência, na quarta colocação. Entretanto, minutos depois, surgiu a notícia que a francesa tinha sido desclassificada por ter praticamente montado na italiana na hora da chegada. Sendo assim, prata para Bruni, bronze para...Poliana! A primeira medalha da história da natação feminina do Brasil. Medalha mais do que merecida, que vem sendo batalhada desde 2012, na Olimpíada de Londres, quando Poliana precisou abandonar a prova por conta de uma hipotermia, chegou a desmaiar e foi parar no centro médico. Poliana coleciona ainda medalhas nos Campeonatos Mundiais e nos Jogos Pan-Americanos

Poliana Okimoto, medalhista olímpica na maratona aquática (bronze) Poliana Okimoto, Olympic medalist in marathon swimming (bronze)

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

Maratona aquática feminina Poliana Okimoto: scare, but deserving win The first medal of a Brazilian woman in Women’s marathon swimming swimming came in the marathon swimming event and athlete Poliana Okimoto only noticed she had won the bronze a few minutes after the end of the event. These events are very complicated, as besides swimming in the sea – what itself makes the event extremely challenging – the swimmer also needs to resist to kicks, involuntary nudges, or not, from competitors and still win the race. Brazil had two representatives in the 10km event: Poliana Okimoto and Ana Marcela Cunha, but it was Holland that won the gold medal with Sharon von Rouvendal. The race for second place was much more difficult, but French Aurelie Muller touched the arrival gate before Italian Raquele Bruni, with Poliana following right behind, in fourth. However, minutes later, the news that the French had been disqualified for having practically mounted on the Italian on the finish line. That way, silver for Bruni, bronze for... Poliana! Brazil’s first medal for women’s swimming. Medal more than deserved, as it has been in development since 2012 in the London Olympic Games, when Poliana had to abandon the event due to hypothermia: she fainted and ended up in the medical center. Poliana collects medals also in World Championships and Pan-American Games.

354


Maicon Siqueira: O inesperado e surpreendente

E

Taekwondo acima de 80kg masculino Men’s taekwondo above 80kg

Foto: Francisco Medeiros/Brasil2016/ME

para fechar este capítulo com chave de ouro – e medalha de bronze – vamos falar sobre o atleta Maicon Siqueira, que fez história e, no último dia de competição da nossa modalidade, tornouse o primeiro homem a conquistar a medalha olímpica no Taekwondo nacional. Um inesperado pódio olímpico, já que o atleta nunca esteve entre os principais lutadores do País. Para o ex-pedreiro mineiro de Justinópolis, que entrou no alto rendimento há apenas três anos, a conquista da medalha de bronze poderá mudar tanto a sua vida como a de todos os praticantes e atlet as do esporte, ajudando a revelar novos talentos. “Tanto na minha vida como de todos os que praticam Taekwondo acredito que algo vai mudar. Gostaria muito que o Brasil inteiro tivesse uma melhor atenção para o meu esporte, para os talentos que nós temos. Quero que todos treinem e lutem, acreditando que podem alcançar os seus sonhos!” defendeu Maicon. Essa é a segunda medalha olímpica do Brasil na história do Taekwondo. A outra foi conquistada por Natália Falavigna, também de bronze, nos Jogos de Atenas, em 2004. Naquela mesma Olimpíada e, depois, em 2012, Diogo Silva chegou à disputa do bronze, mas foi derrotado. Foi uma conquista inédita para a minha modalidade e uma conquista inédita para mim, para toda a minha família e meus amigos queridos”, acrescentou Maicon.

Maicon Siqueira: the unexpected and surprising And closing this chapter with a Golden key – and bronze medal – we will talk about athlete Maicon Siqueira, who made history and, on the last day of competition of the modality, became the first man to win the Olympic medal for national taekwondo. An unexpected Olympic podium, as the athlete has never been amongst the country’s main fighters. For the former builder born in Justinópolis, state of Minas Gerais, who became a high performance athlete only three years ago, winning the bronze medal may change his life and that of all other fighters in taekwondo, helping to develop new talents “As much in my life as in the lives of those practicing taekwondo I believe something will change. I would like very much that the entire country would pay better attention to my sport, to the talents we have. I want all to train and fight, believing they can attain their dreams!”, declared Maicon. This is Brazil’s second Olympic medal in taekwondo’s history. The other was won by Natália Falavigna, also bronze, in the Athens Games, 2004. On those same Olympic Games and and after in 2012, Diogo Silva reached the fight for bronze, but was defeated. “It was na uneditd achievement for my modality and unedited for me, for my entire family and dear friends”, added Maicon.

355


356


Classificação Geral Overall Ranking

357


Classificação geral Ouros inéditos, recordes quebrados, história sendo feita... Teve de tudo nesta que foi uma emblemática edição dos Jogos Olímpicos

O

Participaram da Olímpiada 207 delegações e mais de dez mil atletas. São os Jogos Olímpicos mais numerosos da história. Entretanto, quase metade dos países, trouxeram equipes de até dez competidores e apenas 78 deles voltaram com alguma medalha para casa. A menor delegação foi Tuvalu, um arquipélago da Oceania de 10 mil habitantes, que foi representada nos jogos por um atleta (Timuani Etimoni). Outros países que também vieram com poucos atletas representando foram: Belize, Gâmbia e Vanuatu, que juntos não somaram 11 atletas. Vale lembrar que o importante é competir. Isso é o que move os atletas destes países com poucas expectativas de resultados expressivos. As delegações com poucos atletas, geralmente vindas de países com pequenas populações, trazem algumas curiosidades, como San Marino - uma pequena república de 61km² encravada no norte da Itália - que participou com apenas cinco atletas, mas uma satisfação enorme em ser um país de 33 mil habitantes participante deste grande evento. Foram, portanto, 206 países e uma delegação composta por Atletas Olímpicos Refugiados, nascidos em países como Síria, Sudão do Sul, Etiópia e República Democrática do Congo. Foram dez competidores escolhidos pelo COI, estreando uma delegação formada por vítimas de conflitos. Overall Ranking Unprecedented golds, broken records, history on the make... There was a bit of everything on this, an emblematic edition of the Olympic Games. 207 delegations participated in the Olympic Games and over ten thousand athletes. These were the most numerous Olympic Games in history. However, almost half of the countries brought teams of up to ten competitors and only 78 of them returned home with a medal. The smallest delegation was from Tuvalu, a 10 thousand people archipelago in Oceania, represented in the Games by a single athlete (Timuani Etimoni). Other countries also came with few representing athletes: Belize, Gambia and Vanuatu, together adding up to 11 athletes. It is worth remembering that the important is to compete. This is what moves the athletes from these countries with little expectation regarding expressive results. The delegations with few athletes, usually from countries with small populations,

358

Na classificação geral de medalhas, os Estados Unidos lideraram conquistando 121, seguidos pelo Reino Unido e a China na terceira colocação. Depois do furacão chinês que passou pelos americanos na Olímpiada de Pequim 2008, os Estados Unidos voltaram com tudo para “botar ordem na casa”, conquistando a primeira colocação no quadro geral de medalhas pela segunda (Londres 2012 e Rio 2016). Mais uma vez, eles voltaram para casa com um número recorde de medalhas e garantindo assim, seu primeiro lugar. Com 1.021 ouros, 794 pratas e 707 bronzes, o país é o maior medalhista Olímpico da história, ausente apenas em Moscou 1980, totalizando 2641 medalhas. Independente da classificação, foram dias que ficarão para a memória. Teve de tudo: medalhas inéditas, recordes quebrados, esportistas se tornando lendas, choro, risos, dor, alegria, emoção... Não foram poucos os momentos marcantes dos Jogos Rio 2016, já famosos por um dos mais alegres de todos os tempos. Além dos brasileiros que já vimos no capítulo anterior, também tivemos grandes destaques dos atletas estrangeiros. O irreverente e extremamente carismático, o jamaicano Usain Bolt, fez o Estádio Olímpico explodir ao confirmar sem sustos o triplo-triplo. Ou seja, pela

bring some curiosities, such as San Marino – a small republic of 61km² imbedded in the north of Italy – which participated with only five athletes, but with enormous satisfaction in being a 33 thousand inhabitant country participating in such an event. There were, thus, 206 countries and a delegation composed of Refugee Olympic Athletes, born in countries such as Syria, South Sudan, Ethiopia, and Democratic Republic of Congo. There were ten athletes chosen by the IOC, debuting a delegation made up of conflict victims. In the overall medal board, the United States lead with 121, followed by the United Kingdom and china in third. After the Chinese hurricane that overcame the Americans in the 2008 Beijing, the United States came back strong to “put the house in order”, placing first in the medal board for the second consecutive time (London 2012 and Rio2016). Again, they returned home with a record number of medals and thus assuring the first place. With 1,021 golds, 794 silvers,

terceira vez consecutiva, ele conquistou o ouro nos 100m, 200m e no revezamento 4x100m. Foi a sua despedida das pistas, mas tornou-se uma lenda para o esporte. Já o maior medalhista Olímpico de todos os tempos, Michael Phelps veio aos Jogos Rio 2016 com um objetivo fixo na cabeça: conquistar o ouro nos 200m borboleta, aquele que em Londres 2012 foi de Chad Le Clos. E o objetivo foi alcançado. Ele superou o sulafricano e não escondeu a emoção ao terminar a competição. O atleta ganhou ainda outros quatro ouros e uma prata, possivelmente as últimas medalhas Olímpicas de sua carreira. Outro destaque foi o britânico Mo Farah na prova dos 10.000m que teve contornos de dramaticidade. Ele vinha em um bom ritmo, quando simplesmente tropeçou e caiu. Muitos poderiam ficar abalados, mas ele levantou, continuou a prova e conquistou a medalha de ouro. Outro destaque foi a lutadora japonesa Kaori Icho, que conquistou seu quarto ouro consecutivo. Além de todas essas emoções, os dias de jogos foram regados de emoções extras, como casamento na Vila Olímpica, pedido de casamento, torcida abraçando a adversária, moradora de comunidade conquistando o ouro...Nos Jogos Rio 2016, o bem venceu!

and 707 bronzes, the country is the biggest medalist in the history of Olympic Games, absent only in Moscow 1980, totaling 2,641 medals. Independent of classification, these were days that will remain in our memory. There was a bit of everything: unprecedented medals, broken records, athletes becoming legends, cries, laughter, pain, joy, emotion... there were many remarkable moments in the Rio2016 Games, already famous for being one of the happiest of all times. Aside from the Brazilians who we have already checked out in the previous chapter, we also had great highlights from foreign athletes. The irreverent and charismatic Jamaican Usain Bolt made the Olympic Stadium explode when easily confirming the triple-triple, that is, for the third consecutive time he won the gold in the 100m, 200m and the 4x100m relay. It was his farewell from the tracks, becoming a legend for the sport. On the other hand, the biggest medalist in the history of the Olympic Games, Micha-

el Phelps, came to the Rio2016 Games with a single objective: winning the gold in the 200m butterfly, that which was won in London 2012 by Chad Le Clos. And the objective was reached. He beat the South African and did not hide the emotion when finishing the event. The athlete also won another four golds and one silver, possibly the last Olympic medals of his career. Another highlight was British Mo Farah in the 10,000m event with contours of drama. He was in a good pace when he simply stumbled and fell. Many would be shaken, but he got up, continued the race and won the gold medal. Another highlight was Japanese judoka Kaori Icho, who won her fourth consecutive gold. Aside from all this excitement, the days of the Games were packed with extra excitement, such as marriage at the Olympic Villa, marriage proposal, crowd embracing the adversary, Rio born athlete winning the gold... in the Rio2016 Games, good won!


Foto: Danilo Borges/ME/Brasil2016

Michel Phelps conquistando medalha de ouro nos 200m Medley

Foto: Roberto Castro/ME/Brasil2016

Michael Phelps winning gold in the 200m Medley

Usain Bolt na prova dos 200m Usain Bolt in the 200m event

359


Classificação histórica para o Brasil

O

Historical position for Brazil The Rio2016 Olympic Games reached the end and the biggest Brazilian delegation in history said farewell with a record 19 podiums. Brazil performed the best preparation for a delegation in Olympic Games and this enabled the best result in the country’s history. This power of sports is the biggest legacy that an event, the size of the Olympics, can leave for a country. Such work and investment will continue providing results in the next cycle. But this was only possible thanks to actions implemented by the Brazilian Olympic Committee that in 2009, when Brazil won the right of hosting the Olympic Games, prepared, with the aid of the Olympic Brazilian Confederations, a guide for the sustainable development of all Olympic modalities. Within such planning, there were seven pillars for the preparation of Team Brazil: support for training and competition, use of Sport Sciences, support to Brazilian athletes and coaches, availability of medical services and physical therapists, acquisition of sport equipment, hiring of foreign coaches, and monitoring of international results. For the COB’s Sports Executive Director, Marcus Vinícius Freire, the expressive increase in medalist modalities, number of finals and semifinals in Rio2016 showed the evolution of Brazilian sport, as well as the number of medals won in the event. “From our standpoint, an Olympic power is amongst the top ten at the medal board and wins medals in over ten modalities. COB works so that Brazil become an Olympic power and we are in the right track” he said during a press conference after the event.

360

suporte para treinamentos e competições; utilização das Ciências do Esporte; apoio a atletas e aos técnicos brasileiros; disponibilização de serviços médicos e fisioterapeutas; aquisição de equipamentos esportivos; contratação de técnicos estrangeiros; e monitoramento de resultados internacionais. Para o diretor executivo de Esportes do COB, Marcus Vinícius Freire, o aumento expressivo de modalidades medalhistas, número de finais e semifinais no Rio 2016 mostram a evolução do esporte brasileiro, assim como o número de medalhas conquistadas no evento. “Na nossa concepção, uma potência olímpica está no Top 10 do quadro geral de medalhas e conquista medalhas em mais de 10 modalidades. O COB trabalha para que o Brasil seja uma potência olímpica e estamos no caminho certo, afirmou durante coletiva de imprensa pós evento.

Foto: Danilo Borges/Brasil2016/ME

s Jogos Olímpicos Rio 2016 chegaram ao fim e a maior delegação brasileira na história da competição se despediu com o recorde de 19 pódios. O Brasil realizou o melhor trabalho de preparação de uma delegação em Jogos Olímpicos e isso possibilitou o melhor resultado da história do país. É este poder do esporte o maior legado que um evento, no porte da Olimpíada, pode deixar para um país. Esse trabalho e investimentos seguirão repercutindo em resultados no próximo ciclo. Mas isso foi possível graças as ações implantadas pelo Comitê Olímpico do Brasil que, em 2009, quando o Brasil conquistou o direito de sediar os Jogos Olímpicos, preparou, com a ajuda das Confederações Brasileiras Olímpicas, um guia para o desenvolvimento sustentável de todas as modalidades olímpicas. Dentro deste planejamento, havia sete pilares para a preparação do Time Brasil:

Robson Conceição


Quadro de medalhas Ǚ

ǥ

ǔ

ǦǡǦǓǞ

˃

ǧǥǓ

ǗǥǦǓǖǡǥǧǠǛǖǡǥ

ˆˈ

˅ˉ

˅ˊ

˃˄˃

˄

ǕǚǠ

ǕǚǛǠǓ

˄ˈ

˃ˊ

˄ˈ

ˉ˂

˅

ǙǔǤ

ǙǤȊ˭ǔǤǗǦǓǠǚǓ

˄ˉ

˄˅

˃ˉ

ˈˉ

ˆ

Ǥǧǥ

ǘǗǖǗǤǓȎȊǡǖǓǤȢǥǥǛǓ

˃ˋ

˃ˊ

˃ˋ

ˇˈ

ˇ

ǙǗǤ

ǓǞǗǟǓǠǚǓ

˃ˉ

˃˂

˃ˇ

ˆ˄

ˈ

ǘǤǓ

ǘǤǓǠȎǓ

˃˂

˃ˊ

˃ˆ

ˆ˄

ˉ

ǜǢǠ

ǜǓǢȊǡ

˃˄

ˊ

˄˃

ˆ˃

ˊ

Ǔǧǥ

ǓǧǥǦǤȈǞǛǓ

ˊ

˃˃

˃˂

˄ˋ

ˋ

ǛǦǓ

ǛǦȈǞǛǓ

ˊ

˃˄

ˊ

˄ˊ

˃˂

ǕǓǠ

ǕǓǠǓǖȈ

ˆ

˅

˃ˇ

˄˄

˃˃

ǝǡǤ

ǤǗǢȢǔǞǛǕǓǖǓǕǡǤȐǛǓ

ˋ

˅

ˋ

˄˃

˃˄

ǠǗǖ

ǢǓȔǥǗǥǔǓǛǪǡǥ

ˊ

ˉ

ˆ

˃ˋ

˃˅

ǔǤǓ

ǔǤǓǥǛǞ

ˉ

ˈ

ˈ

˃ˋ

˃ˆ

ǠǬǞ

ǠǡǨǓǬǗǞȉǠǖǛǓ

ˆ

ˋ

ˇ

˃ˊ

˃ˇ

ǓǬǗ

ǓǬǗǤǔǓǛǜȊǡ

˃

ˉ

˃˂

˃ˊ

˃ˈ

ǗǥǢ

ǗǥǢǓǠǚǓ

ˉ

ˆ

ˈ

˃ˉ

˃ˉ

ǝǓǬ

ǕǓǬǓǣǧǛǥǦȊǡ

˅

ˇ

ˋ

˃ˉ

˃ˊ

ǚǧǠ

ǚǧǠǙǤǛǓ

ˊ

˅

ˆ

˃ˇ

˃ˋ

ǖǗǠ

ǖǛǠǓǟǓǤǕǓ

˄

ˈ

ˉ

˃ˇ

˄˂

ǝǗǠ

ǣǧȑǠǛǓ

ˈ

ˈ

˃

˃˅

˄˃

ǧǬǔ

ǧǬǔǗǣǧǛǥǦȊǡ

ˆ

˄

ˉ

˃˅

˄˄

ǜǓǟ

ǜǓǟǓǛǕǓ

ˈ

˅

˄

˃˃

˄˅

Ǖǧǔ

ǕǧǔǓ

ˇ

˄

ˆ

˃˃

˄ˆ

ǥǩǗ

ǥǧȐǕǛǓ

˄

ˈ

˅

˃˃

˄ˇ

ǧǝǤ

ǧǕǤȉǠǛǓ

˄

ˇ

ˆ

˃˃

361


362

Ǚ

ǥ

ǔ

ǦǡǦǓǞ

˄ˈ

ǢǡǞ

ǢǡǞțǠǛǓ

˄

˅

ˈ

˃˃

˄ˉ

ǕǤǡ

ǕǤǡȉǕǛǓ

ˇ

˅

˄

˃˂

˄ˊ

ǤǥǓ

ȈǘǤǛǕǓǖǡǥǧǞ

˄

ˈ

˄

˃˂

˄ˋ

ǕǬǗ

ǤǗǢȢǔǞǛǕǓǦǕǚǗǕǓ

˃

˄

ˉ

˃˂

˅˂

ǔǞǤ

ǔǗǞǓǤǧǥ

˃

ˆ

ˆ

ˋ

˅˃

ǕǡǞ

ǕǡǞțǟǔǛǓ

˅

˄

˅

ˊ

˅˄

ǛǤǛ

ǛǤȊ

˅

˃

ˆ

ˊ

˅˅

ǥǤǔ

ǥȐǤǨǛǓ

˄

ˆ

˄

ˊ

˅ˆ

ǦǧǤ

ǦǧǤǣǧǛǓ

˃

˅

ˆ

ˊ

˅ˇ

ǗǦǚ

ǗǦǛȚǢǛǓ

˃

˄

ˇ

ˊ

˅ˈ

ǥǧǛ

ǥǧȔȎǓ

˅

˄

˄

ˉ

˅ˉ

ǢǤǝ

ǤǢǖǖǓǕǡǤȐǛǓ

˄

˅

˄

ˉ

˅ˊ

ǙǗǡ

ǙǗȚǤǙǛǓ

˄

˃

ˆ

ˉ

˅ˋ

ǙǤǗ

ǙǤȐǕǛǓ

˅

˃

˄

ˈ

ˆ˂

ǔǗǞ

ǔȐǞǙǛǕǓ

˄

˄

˄

ˈ

ˆ˃

ǦǚǓ

ǦǓǛǞȉǠǖǛǓ

˄

˄

˄

ˈ

ˆ˄

Ǥǡǧ

ǤǡǟȑǠǛǓ

˃

˃

˅

ˇ

ˆ˅

ǟǓǥ

ǟǓǞȈǥǛǓ

˂

ˆ

˃

ˇ

ˆˆ

ǟǗǪ

ǟȐǪǛǕǡ

˂

˅

˄

ˇ

ˆˇ

ǓǤǙ

ǓǤǙǗǠǦǛǠǓ

˅

˃

˂

ˆ

ˆˈ

ǥǨǝ

ǗǥǞǡǨȈǣǧǛǓ

˄

˄

˂

ˆ

ˆˉ

ǓǤǟ

ǓǤǟȑǠǛǓ

˃

˅

˂

ˆ

ˆˊ

ǥǞǡ

ǗǥǞǡǨȑǠǛǓ

˃

˄

˃

ˆ

ˆˋ

ǞǦǧ

ǞǛǦǧȉǠǛǓ

˂

˃

˅

ˆ

ˇ˂

ǠǡǤ

ǠǡǤǧǗǙǓ

˂

˂

ˆ

ˆ


Ǚ

ǥ

ǔ

ǦǡǦǓǞ

ˇ˃

ǛǠǓ

ǛǠǖǡǠȐǥǛǓ

˃

˄

˂

˅

ˇ˄

ǦǢǗ

ǦǓǛǢȐǕǚǛǠǗǥǓ

˃

˂

˄

˅

ˇ˅

ǔǧǞ

ǔǧǞǙȈǤǛǓ

˂

˃

˄

˅

ˇ˅

ǨǗǠ

ǨǗǠǗǬǧǗǞǓ

˂

˃

˄

˅

ˇˇ

ǗǙǫ

ǗǙǛǦǡ

˂

˂

˅

˅

ˇˇ

ǦǧǠ

ǦǧǠȔǥǛǓ

˂

˂

˅

˅

ˇˉ

ǔǤǠ

ǔǓǤǗǛǠǗ

˃

˃

˂

˄

ˇˉ

ǨǛǗ

ǨǛǗǦǠȊ

˃

˃

˂

˄

ˇˋ

ǔǓǚ

ǔǓǚǓǟǓǥ

˃

˂

˃

˄

ˇˋ

ǕǛǨ

ǕǡǥǦǓǖǡǟǓǤǘǛǟ

˃

˂

˃

˄

ˇˋ

ǛǡǓ

ǓǡǛ

˃

˂

˃

˄

ˈ˄

ǓǞǙ

ǓǤǙȐǞǛǓ

˂

˄

˂

˄

ˈ˄

ǛǤǞ

ǛǤǞǓǠǖǓ

˂

˄

˂

˄

ˈˆ

ǛǠǖ

ȔǠǖǛǓ

˂

˃

˃

˄

ˈˆ

ǟǙǞ

ǟǡǠǙȚǞǛǓ

˂

˃

˃

˄

ˈˈ

ǛǥǤ

ǛǥǤǓǗǞ

˂

˂

˄

˄

ˈˉ

ǘǛǜ

ǘǛǜǛ

˃

˂

˂

˃

ˈˉ

ǜǡǤ

ǜǡǤǖȉǠǛǓ

˃

˂

˂

˃

ˈˉ

ǝǡǥ

ǝǡǥǡǨǡ

˃

˂

˂

˃

ˈˉ

ǢǧǤ

ǢǡǤǦǡǤǛǕǡ

˃

˂

˂

˃

ˈˉ

ǥǛǠ

ǥǛǠǙǓǢǧǤǓ

˃

˂

˂

˃

ˈˉ

Ǧǜǝ

ǦǓǖǜǛǣǧǛǥǦȊǡ

˃

˂

˂

˃

ˉ˅

ǔǖǛ

ǔǧǤǧǠǖǛ

˂

˃

˂

˃

ˉ˅

ǙǤǠ

ǙǤǓǠǓǖǓ

˂

˃

˂

˃

ˉ˅

ǠǛǙ

ǠȔǙǗǤ

˂

˃

˂

˃

363


364


365


366


Legado da OlĂ­mpiada Olympic Legacy

367


Foto: Francisco Medeiros/ME

Boulevard Olímpico.- Ao fundo, réplica do avião 14 Bis usado na cerimônia de abertura e o Museu do Amanhã. Olympic Boulevard. In the background, replica of the 14-Bis airplane used at the opening ceremony and the Museum of Tomorrow

Legado da Olímpiada

N

ão há dúvidas que o País superou as ameaças de segurança, zica vírus e, provou mais uma vez, que o brasileiro é capaz de organizar e entregar um grande evento. O Brasil e a cidade do Rio, o povo brasileiro, conseguiram surpreender e encantar o mundo com sua receptividade e calor humano. As cerimônias de abertura e encerramento foram verdadeiros shows de tecnologia e arte, que mostraram ao mundo todas as cores da cultura carioca e brasileira. Para além disso, atletas que, até então, viviam no anonimato se destacaram e conquistaram os lugares mais altos nas modalidades mais improváveis e menos valorizadas no país. Agora, quando falamos em legado dos Jogos Olímpicos Rio 2016, devemos não apenas abordar o que isso representou para o esporte, mas também o que representou para o País. Na questão esporte, não há dúvidas que foi a melhor Olímpiada para os atletas brasileiros, conquistando 19 medalhas, alcançando assim uma inédita classificação de 13° lugar no quadro geral de medalhas. Nos últimos Jogos Olímpicos, em Londres 2012 e Pequim 2008, o Brasil obteve três ouros. Agora, este número mais do que dobrou – foram 7 medalhas. O Brasil também conseguiu melhorar ainda sua posição no quadro de medalhas histórico das Olimpíadas. O País subiu de 33º para 29º lugar e ultrapassou a 368

Equipe Unida da Alemanha, a Ucrânia, a Equipe Olímpica (com atletas independentes) e a Grécia. Agora o País está com 128 medalhas. “Temos o dever cumprido. Os atletas brasileiros foram espetaculares em todos os sentidos e isso vai abrir as portas que sempre desejamos para o futuro do esporte brasileiro, com modalidades que até então não tínhamos popularidade, mas tivemos resultados importantes”, afirmou o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, em coletiva de imprensa realizada após os Jogos. A realização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro deixará uma série de benefícios para o esporte nacional. “O Brasil tem hoje profissionais muito qualificados, em todos os setores do esporte. Treinadores, gestores, cientistas, médicos, psicólogos, fisioterapeutas, entre outros. Firmamos o conceito de equipes multidisciplinares, indispensáveis para condução do esporte de alta performance. A movimentação natural, em torno de um ciclo olímpico, desenvolvido dentro do país, deu uma visibilidade inédita às 42 modalidades do programa dos Jogos. Foram sete anos de investimentos, que proporcionaram a construção de centros de treinamento e instalações esportivas espalhadas por todo o país”, analisou Jorge Bichara, gerente geral de Performance Esportiva, também durante a coletiva de imprensa.


Legado para a cidade e país

E

m 17 dias de Olímpiada, a cidade do Rio de Janeiro recebeu 1,17 milhão de turistas, sendo mais de 400 mil turistas estrangeiros, atingindo 94% de ocupação hoteleira. Os visitantes vindos dos Estados Unidos somaram 17% do total, seguidos dos turistas argentinos (12%) e alemães (7%). Os três espaços abertos do Boulevard Olímpico (Porto Maravilha, Parque Madureira e Miécimo da Silva em Campo Grande), atraíram cerca de 4 milhões de pessoas, com transmissão de competições e variada agenda de eventos. Os Jogos reuniram ainda 11.303 atletas de 206 países (além da delegação de refugiados), que disputaram 42 modalidades olímpicas em 32 arenas. As

competições foram transmitidas para cerca de 5 bilhões de espectadores no mundo. Ao todo, 26 mil jornalistas credenciados fizeram a cobertura. No Rio Media Center (RMC), na Cidade Nova, 6,7 mil jornalistas de 102 países acompanharam o dia a dia da cidade. Na área de transporte, foram realizadas cerca de 4 milhões de viagens e vendidos 800 mil cartões RioCard Jogos Rio 2016. O sistema de BRT transportou 11,7 milhões de passageiros, sendo que aproximadamente 2,2 milhões de pessoas usaram os serviços especiais do BRT Rio, criados para atender deslocamentos às instalações olímpicas. A média diária em todo o sistema foi de cerca de 700 mil passageiros. Já o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) transportou

Olympic Legacy There is no doubt that the country surmounted the safety threats, Zica virus and, proved once again that Brazilians are capable of organizing and delivering a mega event. Brazil and the city of Rio, the Brazilian people, were able to astound and enchant the world with their receptivity and warmth. The opening and closing ceremonies were true technology and art events, that showcased to the world all colors from the Carioca and Brazilian cultures. Aside from that, athletes who, until then, lived in anonymity went into the spotlight and reached the highest places in the most improbable and less valued modalities in the country. Now, when we speak of Rio2016 Olympic Games legacy, we must not only approach what it represented to sport, but also what it represented to the country. Regarding sports, there is no question that this was the best Olympics for Brazilian athletes, winning 19 medals, thus reaching an unedited 13th place in the medal board. In the past Olympic Games, London 2012 and Beijing 2008, Brazil won three golds. Now, this number more than doubled – 7 gold medals. Brazil was also able to improve its position in the Olympics historical medal board: the country went from 33rd to 29th surpassing the United Germany Team, Ukraine, the Olympic Team (with independent athletes) and Greece. Now the country has 128 medals. “We have fulfilled our duty. Brazilian athletes were spectacular in all senses and this is going to open doors we always desired for the future of Brazilian sports, in modalities not popularity up to the present, and we had important results”, declared COB president, Carlos Arthur Nuzman, in a press conference after the Games.

721.703 passageiros em 3.306 viagens no trecho compreendido entre a Rodoviária Novo Rio e o Aeroporto Santos Dumont. O tempo médio de percurso foi de 36 minutos. O MetrôRio bateu o recorde histórico de usuários no dia 17, quando transportou 1,121 milhão de passageiros. Entre os dias 5 e 21, o MetrôRio transportou 13,9 milhões de passageiros nas suas três linhas (1, 2 e 4). De acordo com o secretário estadual de Transportes, Rodrigo Vieira, “a integração dos modais de transporte é o grande legado dos Jogos. A parceria entre os órgãos fez com que a mobilidade fosse referência nesse grande evento, garantindo a circulação dos cariocas e visitantes”. O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, destacou

The Olympic Games in Rio de Janeiro will leave a series of benefits for national sports. “Brazil today has extremely qualified professionals in all sectors of sports.” Coaches, managers, scientists, doctors, psychologists, among others. We have set the concept of multidisciplinary teams, indispensable for the development of high performance sports. The natural movement, surrounding an Olympic cycle developed in the country, gave unedited visibility to the 42 modalities for the Games program. There were seven years of investments that enabled the construction of training centers and sports facilities scattered around the country”, analyzed Jorge Bichara, General Manager for Sport Performance, also during a press conference. Legacy for the city and country In 17 days of Olympic Games, the city of Rio de Janeiro received 1.17 million tourists, with over 400 thousand foreign tourists, attaining 94% of hotel occupation. Visitors from the United States added 17% of the total, followed by Argentinian (12%) and German (7%) tourists. The three open Olympic Boulevard spaces (Porto Maravilha, Parque Madureira and Miécimo da Silva in Campo Grande), attracted around 4 million people with broadcast of competitions and a varied schedule of events. The Games gathered also 11, 303 athletes from 206 countries (and also the refugees delegation), who participated in 42 Olympic modalities in 32 arenas. The competitions were broadcast for about 5 billion spectators worldwide. Altogether, 26 thousand authorized journalists covered the event. At the Rio Media Center (RMC), in Cidade Nova, 6.7 thousand journalists from 102 countries followed the city’s everyday life.

em coletiva após o encerramento dos jogos, o legado que deixaram para o Rio, citando avanços que já estão impactando o dia-a-dia dos cariocas, como o túnel Marcelo Alencar, os novos trens da Supervia, a Transoeste e a Transolímpica com o novo sistema de BRTs para deslocamento da população. “Sempre disse que seriam jogos do legado, da economia de recursos públicos, no custo, no prazo e sem elefante branco. E é isso que entregamos”, comemorou o prefeito carioca. O Brasil conseguiu realizar a maior Olimpíada de todos os tempos. Que isso fique na história. Que essa memória não se perca, não apenas na lembrança, mas na prática, com mudanças reais e diárias na sociedade.

In the transport sector, around 4 million travels were undertaken and 800 thousand RioCard Rio2016 Games cards were sold. The BRT system transported 11.7 million passengers, with approximately 2.2 million people using the BRT Rio special services, created for supporting dislocations to Olympic facilities. The daily average in the entire system was of around 700 thousand passengers. The Light Rail (VLT) transported 721,703 passengers on 3,306 trips in the section comprised between Novo Rio Bus Terminal and Santos Dumont Airport. The average time for the trip was 36 minutes. MetrôRio broke the historical user record on the 17th of the month transporting 1.121 million passengers. Between the 5th and 21st, MetrôRio transported 13.9 million passengers on its three lines (1, 2 and 4). According to the State’s Secretary of Transport, Rodrigo Vieira, “the transport integration is the great legacy of the Games. The partnership between the agencies made of mobility a reference on such a huge event, guaranteeing the circulation of Cariocas and visitors”. Rio de Janeiro’s Mayor, Eduardo Paes, highlighted in a press conference after the end of the Games, the legacy left for Rio, mentioned that have already impacted the city everyday life, such as the Marcelo Alencar tunnel, the new Supervia trains, the Transoeste and the Transolímpica with the new BRTs system for population transport. “I always said these would be legacy, economy of public resources Games, with cost, on time and with no white elephant. And that is what we delivered”, celebrated the Carioca mayor. Brazil was able to host the greatest Olympic Games of all times. May this remain in the history books. May this memory never be lost, not only in practice, but with real and daily changes in society.

369


370


CerimĂ´nia de Encerramento Closing Ceremony

371


372

Foto: Francisco Medeiros/ME


A cerimĂ´nia de encerramento tambĂŠm encantou a todos pela sua beleza. The closing ceremony also charmed everyone by its beauty

373


Cerimônia de Encerramento: festa de cores, música e muita emoção

A

ssim como a cerimônia de abertura encantou o Brasil e o mundo resgatando o orgulho carioca, conquistando por sua beleza e grandiosidade, a de encerramento não ficou para trás, e trouxe a sensação de dever cumprido, fechando com chave de ouro os 17 dias olímpicos que contaminaram a cidade. Um período que parece tão curto, mas capaz de abarcar competições de 42 modalidades, disputadas por atletas de 207 delegações. Entre elas, pela primeira vez na história, um time formado exclusivamente por refugiados. Foi uma linda celebração de amizade e da cultura popular brasileira, com direito a samba, forró e frevo, que fizeram parte do playlist do evento. Antes de ganhar o merecido descanso, contudo, o fogo olímpico que percorreu todo o Brasil ainda veria muito mais. No mesmo palco em que a seleção masculina de futebol conquistou o inédito ouro nos Jogos, o gramado cedeu espaço à atuação de centenas de pessoas, em desfiles, danças e músicas ao longo da cerimônia de encerramento. Assim como na cerimônia de abertura, Santos Dumont mais uma vez surgiu como referência, na cerimônia de encerramento. Ao som de “Odeon”, de Ernesto Nazaré, imagens históricas do inventor do avião indicavam também a contagem regressiva para a festa começar. Projeções de engrenagens de relógio no chão marcaram o tempo. Em seguida, coreografias formaram paisagens marcantes do Rio, como Pão de Açúcar, Corcovado e Arcos da Lapa. Os dançarinos formaram ainda os No final da cerimônia, fizeram referência a próxima sede dos Jogos Olímpicos.

Foto: Getty Images

At the end of the ceremony, reference was made to the next host city of the Olympic Games

374

aros olímpicos. A partir de então, seguiu-se uma sequência musical reverenciando mestres como Pixinguinha, Braguinha e Noel Rosa. Martinho da Vila, suas três filhas e uma neta cantaram “Carinhoso” e “As Pastorinhas”, ganhando a companhia de um coral com 27 crianças. O Hino Nacional teve destaque na sequência, acompanhado por uma forte percussão e coro das crianças, que simbolizaram as estrelas da bandeira nacional, projetada no chão. Era a senha para a entrada dos atletas das 207 delegações no estádio, que, ao contrário da cerimônia de abertura, que entraram divididos, desta vez entraram todos juntos, simbolizando assim a união e amizade entre os povos. Neste momento, a festa prestou homenagem também a Carmem Miranda, que ajudou a construir a imagem do Brasil no exterior. A cantora Roberta Sá relembrou seus sucessos, como “Tico-Tico no Fubá”, ao som também da gravação da voz da própria Carmem Miranda. Ao longo da entrada de todas as delegações, 14 passistas de frevo se apresentaram, ao som de clássicos do gênero. Ao som do DJ Kygo e da cantora Julia Michaels, os atletas fizeram a festa com “Carry Me”. Em seguida o Canal Olímpico (uma nova plataforma digital que tem o objetivo e exibir eventos esportivos ao vivo, notícias e grandes momentos do esporte) exibiu um vídeo com atletas dançando. Na etapa seguinte da cerimônia, a arte popular e ancestral do Brasil ganhou destaque, com referências às pinturas rupestres e indígenas. Outro momento destacou


Foto: Getty Images

a palavra “saudade”, que só existe em português. O cantor e compositor Arnaldo Antunes recitou “Poema Saudade”, embalado por projeções. O segmento seguinte destacou o artesanato manual brasileiro, citando as mulheres rendeiras e com uma imensa trama de renda surgindo no estádio. O Grupo Corpo entrou em cena para apresentar uma coreografia que fazia alusão às artes feitas com barro, lembrando Mestre Vitalino. Ao som de “Bachianas Brasileiras nº 5”, de Heitor Villa-Lobos, um vídeo com os melhores momentos da Olimpíada do Rio foi exibido no telão, levando o público ao delírio. A etapa seguinte da cerimônia A cerimônia representou uma linda celebração de amizade e da cultura popular brasileira.

The closing ceremony also fascinated for its beauty

The closing ceremony represented a beautiful celebration of friendship and Brazilian pop culture

apresentou a próxima sede. As palavras “arigato” e “obrigado” surgiram numa coreografia com crianças. Em um jogo de efeitos com recursos de personagens de videogames, o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, surgiu vestido como o personagem de “Super Mario Bros” no centro do Maracanã, como se tivesse atravessado a Terra de Tóquio ao Rio. Cumprida a missão brasileira, a bandeira olímpica foi passada a Tóquio, sede dos Jogos de 2020. Ao término da apresentação japonesa, as luzes mostraram a frase “See you in Tokyo” (Nos vemos em Tóquio). Closing Ceremony: celebration of colors, music and much emotion The same way the opening ceremony enchanted Brazil and the world redeeming the Carioca pride, conquering for its beauty and greatness, the closing ceremony did not fall behind and brought the feeling of duty accomplished, finished with a flourish the 17 Olympic days that contaminated the city. A period that seems so short, but capable of comprising competitions from 42 modalities, with athletes of 207 delegations. And among them, for the first time in history, a team formed exclusively of refugees. It was a beautiful celebration of friendship and of the Brazilian pop culture, with samba, forró and frevo, part of the event’s playlist. Before the deserved rest, however, the Olympic flame that covered the entire country of Brazil would see much more. At the same stage where the men’s national football team won the unedited gold in the Games, the field gave way to the performance of hundreds of people

Foto: Getty Images

A cerimônia de encerramento também encantou a todos pela sua beleza.

in parades, dances and songs throughout the closing ceremony. To the sound of “Odeon”, from Ernesto Nazaré, historical images of the inventor of the airplane also indicated the countdown for the start of the celebration. Screenings of clockworks on the ground marked the time. Following, choreographies formed remarkable Rio landscapes, such as Pão de Açúcar, Corcovado and Arcos da Lapa. Dancers also formed the Olympic rings. From then on, a musical sequence reverenced masters as Pixinguinha, Braguinha and Noel Rosa. Martinho da Vila, his three daughters and a granddaughter sang “Carinhoso” (“Affectionate”) and “As Pastorinhas” (“The Bo Peeps”), accompanied by a choir with 27 children. The National Anthem was the highlight following, accompanied by Strong percussion and a children’s choir, symbolizing the National Flag stars, screened on the ground. This was the password for the athletes from the 207 delegations to enter the stadium, who, different from the opening ceremony, ente-

red all together, symbolizing thus the union and friendship between the nations. At this moment, the party also paid homage to Carmem Miranda, who helped to build Brazil’s image abroad. Singer Roberta Sá revisited Carmem Miranda’s hits, such “Tico-Tico no Fubá”, to the sound of the original recording with the voice of Carmem Miranda herself. During the entrance of all delegations, 14 frevo dancers presented themselves to the sound of classics of the genre. To the sound of DJ Kygo and singer Julia Michaels, the athletes partied with “Carry Me”. Following the Olympic Channel (a new digital platform with the purpose of exhibiting live sport events, news and great moments) showed a video with athletes dancing. In the subsequent stage of the ceremony, Brazil’s pop and ancient art gain emphasis with references to rupestrian and indigenous paintings. Another moment highlighted the word “saudade”, that only exists in Portuguese. Singer and composer Arnaldo Antunes recited “Poema Saudade”, along with screenings. The

following segment showcased the Brazilian handcrafts, mentioning the lace maker women and a huge scheme appearing at the stadium. Grupo Corpo entered the stage to present a choreography that made allusion to the arts made with clay, remembering Mestre Vitalino. To the sound of “Bachianas Brasileiras nº 5”, from Heitor Villa-Lobos, a video with the best moments of the Rio Olympics was exhibited in the big screen, taking the audience into a frenzy. The next stage of the ceremony presented the next host city. The words “arigato” and “obrigado” appeared in a choreography with kids. In an effect game with resources from videogame characters, Japan’s Prime Minister, Shinzo Abe, appeared dressed as the character “Super Mario Bros” in the center of Maracanã, as if having crossed the Earth from Tokyo to Rio. Brazilian mission accomplished, the Olympic flag was passed on to Tokyo, host of the 2020 Games. At the end of the Japanese presentation, the lights showed the sentence “See you in Tokyo”.

375


Cumprida a missão brasileira, a bandeira olímpica foi passada a Tóquio, sede dos Jogos de 2020.

Foto: Getty Images

Brazilian mission accomplished, the Olympic flag was passed on to Tokyo, host city of the 2020 Games

376


377


378


ParalimpĂ­adas Paralympic Games

379


Atleta Australiano Eric Russell com o Dr Ludwing Guttmann em 1976

Foto: Reprodução

Australian athlete Eric Russell with Doctor Ludwing Guttmann, 1976

380


Paralimpíadas

A

história dos Jogos Paraolímpicos ou Paralímpicos é muito interessante. As primeiras competições esportivas para deficientes físicos, começaram como uma forma de reabilitar os soldados feridos na Segunda Guerra Mundial, muitos voltavam para casa mutilados. A iniciativa partiu do neurologista e neurocirurgião alemão, Ludwing Guttmann, que cuidava de pacientes vítimas de lesão medular ou de amputações de membros inferiores. O médico desenvolveu uma nova filosofia de tratamento para os seus pacientes que unia trabalho e esporte. Com o sucesso do novo sistema e, inspirado nos Jogos Olímpicos, Guttmann promoveu, em 1948 (no dia 28 de julho), o primeiro evento esportivo exclusivo para portadores de deficiência, os Jogos Desportivos de Stoke Mandeville, na Inglaterra. Apenas 14 homens e duas mulheres participaram. Já em 1952, os Jogos de Mandeville ganharam projeção, contando com a participação de 130 atletas portadores de deficiência. Tornou-se então uma competição anual. Em 1958, quando a Itália se preparava para sediar as XVII Olimpíadas de Verão, Antonio Maglia, diretor do Centro de Lesionados Medulares de Ostia, propôs que os Jogos de Mandeville do ano de 1960 se realizassem em Roma, após as Olimpíadas. Foi então, neste ano, que aconteceram os primeiros Jogos Paralímpicos. A competição teve o apoio do Comitê Olímpico Italiano, e contou com a participação de 240 atletas de 23 países. Com o sucesso dos jogos o esporte se fortaleceu e fundou-se a Federação Mundial de Veteranos, a fim de discutir regras e normas

técnicas. Ao longo dos anos, a competição foi crescendo muito. Por problemas de organização, as Paralimpíadas de 1968 e 1972 ocorreram em cidades diferentes da sede das Olimpíadas, constituindo exceções na história dos Jogos Paraolímpicos. Em 68 aconteceu em Tel Aviv, em Israel, porque a Cidade do México desistiu de receber devido a problemas financeiros e por falta de acessibilidade para as pessoas em cadeira de rodas nos locais de competição. Já em 72 a cidade de Munique, na Alemanha Ocidental, também desistiu de organizar os jogos por causa da falta de acessibilidade na Vila Olímpica, entretanto, o País ofereceu outra opção e as Paralimpíadas foram realizadas em Heidelberg. Neste mesmo ano foi a primeira participação do Brasil nos jogos. As Paralimpíadas são disputadas a cada quatro anos, nos mesmos locais onde são realizadas as Olimpíadas, usando a mesma estrutura montada para os atletas olímpicos. Nos próximos jogos, durante os dias 7 a 18 de setembro de 2016, serão disputadas em 11 dias, 528 provas com medalhas divididas em 23 modalidades, incluindo duas estreias: canoagem e triatlo. As modalidades são divididas em categorias funcionais de acordo com a limitação de cada atleta, para que haja equilíbrio. Os Jogos Paralímpicos envolve pessoas com deficiências físicas (de mobilidade, amputações, cegueira ou paralisia cerebral) ou deficientes mentais. Além de modalidades adaptadas, como atletismo, basquetebol, natação, esqui alpino e tênis de mesa, há esportes disputados exclusivamente por deficientes, como a bocha, goalball, voleibol sentado e futebol de cinco.

Paralympic Games The history of the Paralympic Games or Paralympic Games is very interesting. The first sport competitions for the disabled started as a means of rehabilitating wounded soldiers from World War II, as many returned home mutilated. The initiative came from German neurologist and neurosurgeon, Ludwing Guttmann, who cared for patients victim of medullar lesions or lower limb amputees. The doctor developed a new treatment philosophy for his patients, gathering labor and sport. With the success of the new system and inspired in the Olympic Games, Guttmann promoted in 1948 (on July 28th) the first sports event exclusively for disabled people, the Stoke Mandeville Sports Games, in England. Only 14 men and 2 women participated. In 1952, the Mandeville Games gained notoriety with the participation of 130 disabled athletes. From then on, it became a yearly competition. In 1958, when Italy was preparing to host the 17th Summer Olympics, Antonio Maglia, director of Ostia’s Centre for Medullar Injuries, proposed the 1960 Mandeville Games would be held in Rome, after the Olympics. It was in that year that the first Paralympic Games took place. The competition was supported by the Italian Olympic Committee and had the participation of 240 athletes from 23 countries. With the success of the Games, the sport became stronger and the Veterans’ World Federation was funded, in order to discuss rules and technical norms. Throughout the years, the competition grew. Due to organisation issues, the 1968 and 1972 Paralympic Games were held in cities other than the Olympics, being exceptions in the Paralympic Games history. In 1968 it was held in Tel Aviv, Israel, as Mexico City waived hosting the Games due to financial problems and lack of accessibility for people in wheelchairs in competition venues. In 1972 the city of Munich, West Germany, also waived hosting the Games due to the lack of accessibility of the Olympic Villa. However, the country offered another option and the Paralympic Games were held in Heidelberg. This was Brazil’s first participation in the Games. The Paralympic Games are held every four years, in the same venues of the Olympics, using the same structure assembled for the Olympic athletes. During the next Games, between 7 and 18 of September of 2016 (11 days), 528 medal events divided into 23 modalities, including two debuts: canoe and triathlon. The modalities are divided in functional categories according to each athlete’s limitations, so there is a balance. The Paralympic Games involve disabled (mobility, amputations, blindness or cerebral palsy) or mentally disabled people. Besides adapted modalities, such as athletics, basketball, swimming, alpine skiing and table tennis, there are sports played exclusively by disabled athletes, such as bocce, goalball, sitting volleyball and football 5-a-side.

381


Foto: Reprodução

Atletas competindo nas Paralimpíadas Athletes competing in the Paralympic Games

Atletas competindo nas Paralimpíadas

Foto: Reprodução

Athletes competing in the Paralympic Games

382


Exemplo de superação

Foto: Reprodução

Example of overcoming limits

383


Uma superação de limites

A

famosa frase do Barão de Coubertin, hoje desgastada nas Olimpíadas, parece ganhar mais sentido como slogan dos atletas paralímpicos, pois eles sabem e sentem que realmente “o importante não é ganhar uma medalha, mas simplesmente competir”. O atleta paralímpico antes de competir nacional e internacionalmente teve que competir com ele mesmo; sem dúvida, superar esse primeiro obstáculo subjetivo não tem medalha que possa premiá-lo. Por isso, a maior glória para o atleta deficiente é o obstáculo que ele já venceu por conseguir chegar até os jogos, com muita motivação

e perseverança. Mesmo quem não aspira ser atleta, pelo menos pode encontrar inspiração e coragem em acompanhar as notícias, onde termina se identificando com aqueles que superaram as inúmeras dificuldades com muita luta, coragem, persistência e dedicação por algum esporte. Saber que há pessoas que apesar das dificuldades de toda ordem foram à luta e venceram no esporte, pode irradiar otimismo, levantar a autoestima e reorientar as perspectivas em muita gente. Se cada um dos atletas das olimpíadas tem sua história específica de sofrimentos e superação dos seus próprios limites, cada atleta paralímpico carrega uma história de fazer filme

Abertura dos Jogos Desportivos de Stoke Mandeville, na Inglaterra (1952) Opening of the Stoke Mandeville Sports Games, England (1952)

384

para cinema. Existem aqueles que nasceram com deficiência e aqueles que adquiriram uma deficiência ao longo da vida. Há atletas com lesão medular, poliomielite, amputação de pernas e de braços, deficiência visual e mental. Tem até atletas que antes competiam nos Jogos Olímpicos e, após algum tipo de acidente, passaram a competir nos Paralímpicos. Os atletas com deficiência física são classificados em cada modalidade esportiva através do sistema de classificação funcional. Este sistema visa classificar os atletas com diferentes deficiências físicas em um mesmo perfil funcional para a competição. Tem como meta garantir que a conquista de uma medalha por um

atleta seja fruto de seu treinamento, experiência, motivação e não devido a vantagens obtidas pelo tipo ou nível de sua deficiência. Na natação, por exemplo, são 10 classes para o nado de costas, livre e golfinho, 10 classes para o medley e 9 classes para o peito. Os atletas com deficiência visual, já passam por uma classificação médica, baseada em sua capacidade visual. Entre os atletas com deficiência visual, há somente 3 classes. Apesar destas classificações serem aceitas pelo Comitê Paraolímpico Internacional – IPC, existe muita polêmica em relação a estes sistemas e muitos atletas são protestados durante as competições. Foto: Reprodução


Somente o bocha, o goalball, o rugby e o halterofilismo são modalidades que foram criadas especificamente para a participação dos deficientes. De maneira geral as adaptações das modalidades convencionais para a participação dos atletas com deficiência são mínimas. Como é o caso das corridas com deficientes visuais, nas classes T11 e T12 onde são permitidos guias. A divulgação dos Jogos Paralímpicos fez com que ficássemos admirados, ou mesmo perplexos com a performance de atletas em cadeira de rodas, no atletismo, no basquetebol, de atletas cegos seguindo uma bola com guizo no futebol e de atletas sem braços e pernas competindo na natação. Estas imagens, agora, devem ficar registradas para repensarmos sobre nossas opiniões, conceitos e ações em relação a estas pessoas que estão com certeza muito próximas de nós, mas que só adquirem

visibilidade social nesse tipo de competição. De acordo com os dados do CENSO 2000, o Brasil tem cerca de 14,5% pessoas com deficiência, portanto, são demandantes de projetos de inclusão social. Todos reconhecem que à dimensão psíquica, física e social do esporte paraolímpico é muito significativa para os atletas, mas também contribui para a construção de um mundo verdadeiramente pluralista, que sabe respeitar e conviver com as diferenças sejam elas quais forem. As pessoas com deficiências física e mental não precisam de nossa pena, ou de nossa compaixão, mas sim de estímulo, demonstração de apoio e de luta conjunta pela democratização das oportunidades de acesso para além do âmbito dos jogos, para que tenham uma existência cotidiana digna e feliz.

Overcoming limits Baron de Coubertin’s famous sentence, and presently worn out in the Olympics, seem to gain more sense with the Paralympic athletes’ slogan, as they know how and feel what is really “important is not winning a medal, but simply competing”. The Paralympic athlete, before competing national and internationally, had to compete against him/herself; without a doubt, there is no medal able to reward the overcoming of this first subjective obstacle. Therefore, the greatest glory for the disabled athlete is the obstacle he/she already overcame arriving to the Games, with much motivation and perseverance. Even those not aspiring being an athlete, may find inspiration and courage following the news, identifying with those that have overcome the uncountable difficulties with much fight, courage, persistence and dedication for some sport. Knowing there are people that despite difficulties of all sorts faced obstacles of all kinds and won in sports may irradiate optimism, raise self-esteem and reorient perspectives in many people. If each one of the Olympic athletes has their own history of sufferings and overcoming their own limits, each Paralympic athlete carries a movie-making history. There are those who were born with a disability and those who acquired one during their lives. There are athletes bearing medullar lesions, poliomyelitis, leg and arm amputations, visual and mental disability, and there are even those who previously competed in the Olympic Games and, after some kind of accident, started competing in the Paralympic Games. Disabled athletes are classified in each sport modality through a functional classification system. This system aims at classifying athletes with com different disabilities in a same functional profile for competition. It has as purpose assuring that the winning of a medal by an athlete is result of his/her training, experience, motivation and not due to advantages obtained by the kind or level of his/her disability. In swimming, for example, there are 10 classes for backstroke, freestyle and dolphin, 10 classes for medley and 9 classes for breaststroke. The visually disabled athletes already undergo a medical classification, based on their visual capability. There are only 3 classes for visually disabled athletes. Despite these classifications being accepted by the International Paralympic Committee – IPC, there is much controversy regarding these systems and many athletes are questioned during the competitions. Only bocce, goalball, rugby and weightlifting are modalities created especially for disabled participation. Generally, the adaptations of conventional modalities for participation of disabled athletes are minimal, as is the case with visually impaired running, in classes T11 and T12 where guides are allowed. The publicizing of the Paralympic Games amazed us and even made us perplexed with the performance of athletes in wheelchairs, in athletics, basketball, of blind athletes chasing a ball with a bell in football and athletes with no arms and legs competing in swimming. These images, now, must be recorded for us to rethink our positions on such opinions, concepts and actions related to these people, who are definitely very close to us, but who only receive social visibility in these kinds of competition. According to data from CENSO 2000, Brazil has around 14.5% disabled people, therefore, they demand social inclusion projects. All acknowledge that the psychological, physical and social dimension of Paralympic sports is extremely significant for the athletes, and it also contributes to the construction of a really pluralist world, that respects and knows how to live with differences, whatever these may be. Physically and mentally disabled people do not need our pity or our compassion, they need our incentive, demonstrations of support and joint fight for democratization of opportunities of access to beyond the scope of the Games, so they have an everyday dignified and happy existence.

385


Evento teste de Bocha Aquece Rio Aquece Rio Bocce Test-Event

386


387 Foto: Miriam Jeske/Heusi Action


O Brasil nas Paraolimpíadas

A

primeira participação brasileira nos Jogos Paralímpicos foi em 1972, na cidade de Heidelberg, na Alemanha. O Brasil contou com uma delegação de 20 atletas, todos homens e, disputou provas no tiro com arco, no atletismo, na natação e no basquete em cadeira de rodas, mas não faturou nenhuma medalha. Entretanto, o gostinho do primeiro pódio chegou quatro anos depois, em 1976 em Toronto (Canadá). Curiosamente, o pódio inédito foi alcançado pelo pioneiro do movimento paralímpico no Brasil. Robson Sampaio de Almeida foi o responsável por trazer para o país, em 1958, o esporte como meio de reabilitação, ao lado de Aldo Miccolis, quando fundaram o Clube do Otimismo no Rio de Janeiro. Nos Jogos de Toronto, Robson conquistou a prata no lawn bowls, um tipo de bocha na grama, em dupla com Luiz Carlos “Curtinho”. Neste mesmo ano, também tivemos participando a primeira mulher brasileira. Depois do auge, contando com 33 representantes, em nove modalidades, na edição de Toronto, o Brasil teve uma participação bem mais modesta nos Jogos de Arnhem, em 1980 na Holanda. Levando apenas 14 homens, de três modalidades, para a competição, a delegação nacional retornou novamente sem medalhas. Naquele ano, pela primeira vez, houve a participação de paralisados cerebrais nos Jogos Paralímpicos. E, em 1984 nos Estados Unidos, começou o auge do Brasil no esporte paralímpico. O País que, até então, só havia conquistado uma medalha nos Jogos, em Toronto (1976), subiu 28 vezes ao pódio, competindo em apenas duas modalidades. Os jogos foram divididos em duas cidades americanas, Nova York e Stoke Mandeville. As brasileiras Márcia Malsar e Anelise Hermany foram as responsáveis por ganhar um ouro, três pratas e dois bronzes no atletismo. Outras 22 medalhas foram conquistadas por outros atletas, como Amintas Piedade e Luiz Cláudio Pereira, que levaram, cada um, dois ouros e duas pratas. Miracema Ferraz também fez bonito, com um ouro e cinco pratas. Brazil in the Paralympics The first Brazilian participation in the Paralympic Games was 1972, in the city of Heidelberg, Germany. Brazil had a delegation of 20 athletes, all men, and was present in archery, athletics, swimming and wheelchair basketball events, but did not win any medals. However, the taste of the first podium arrived four years later, in 1976, Toronto (Canada). Curiously, the unedited podium was reached by the Paralympic movement pioneer in Brazil. Robson Sampaio de Almeida was responsible for bringing to the country, in 1958, sport as a means of rehabilitation, along Aldo Miccolis, when they founded the Optimism Club in Rio de Janeiro. In the Toronto Games, Robson won the silver in lawn bowls, a kind of grass bocce, in a duet with Luiz Carlos “Curtinho”. In the same year, we had also the participation of the first Brazilian woman. After the pinnacle, with 33 representatives in 9 modalities in Toronto, Brazil had a much more modest participation in the Arnhem Games, in 1980, Holland. With only 14 men, in 3 modalities, the national delegation returned once again with no medals. That year, for the first time, there was the participation of cerebral palsy athletes in the Paralympic Games. And in 1984, in the United States, the Brazilian heydays started in Paralympic sports. The country, that up to that moment had only won a medal in the Games, in Toronto (1976),

388

Em 1988 em Seul, na Coreia, vimos novamente o número da delegação brasileira aumentar. Foram 61 atletas que competiram em cinco modalidades, conquistando assim 28 medalhas, igualando o desempenho geral dos Jogos de 1984. A exemplo do que ocorreu na edição anterior, os brasileiros tiveram amplo sucesso no atletismo e na natação. O Brasil subiu 16 vezes ao pódio graças ao atletismo e outras 9 graças à natação. Já a novidade veio no tatame: Jaime de Oliveira, Júlio Silva e Leonel Cunha Filho foram os primeiros atletas do Brasil a conquistar uma medalha paralímpica no judô. Luiz Cláudio Pereira, além de repetir as medalhas de ouro nas provas de lançamento de dardo e no arremesso de peso — sagrando-se bicampeão paralímpico em ambas —,chegou a sua quinta medalha de ouro nos Jogos ao vencer também a prova de lançamento de dardo. Mais do que isso, o brasileiro quebrou o recorde mundial do peso e do dardo e o recorde paralímpico do disco. E, para despedir-se em grande estilo, nos jogos seguintes, em Barcelona, na Espanha, conquistou seu 6º ouro paraolímpico ao vencer a prova do arremesso de peso. Para completar, quebrou o recorde mundial com 9,03m. A exemplo de Luiz Cláudio, Suely Guimarães também deixou seu nome marcado naquele ano. Conquistou o ouro no lançamento de disco e estabeleceu o novo recorde mundial da prova com a marca de 22,4m. Entretanto, a participação do Brasil em 1992 não foi das melhores. Depois de conquistar 28 medalhas em Seul-1988, o Brasil subiu ao pódio apenas 7 vezes na Espanha. Mas se faltou quantidade, sobrou qualidade. Em 1996 o Brasil levou para Atlanta, nos Estados Unidos, uma delegação de 60 atletas, sendo 19 mulheres na equipe, um recorde até aquela edição. Antes dos Jogos daquele ano, o Brasil tinha levado um total de 29 mulheres para as seis primeiras Paralimpíadas. Em Atlanta, as meninas brasileiras competiram no atletismo, na natação, no tênis de mesa, no basquete em cadeira de rodas e na esgrima em cadeira de rodas. Os destaques foram Ádria dos Santos, com três medalhas de prata; Maria José Alves, que levou dois bronzes; e Suely Guimarães, bronze no arremesso de disco.

reached the podium for 28 times, competing in only two modalities. The Games were divided in two American cities, Nova York and Stoke Mandeville. Brazilians Márcia Malsar and Anelise Hermany were responsible for winning a gold, 3 silvers and 2 bronze in athletics. Another 22 medals were won by other athletes, as Amintas Piedade and Luiz Cláudio Pereira, who took, each, 2 golds and 2 silvers. Miracema Ferraz also made a good impression, with a gold and 5 silvers. In 1988, Seoul, Korea, again we saw the Brazilian delegation increase in number. There were 61 athletes competing in 5 modalities, winning thus 28 medals, matching the general performance at the 1984 Games. As in the previous edition, Brazilians had broad success in athletics and swimming. Brazil reached 16 podiums thanks to athletics and another 9 in swimming. News came in the tatami: Jaime de Oliveira, Júlio Silva and Leonel Cunha Filho were Brazil’s first athletes to win Paralympic medals in judo. Luiz Cláudio Pereira, besides repeating the gold medal in the javelin and shotput events – becoming two-time Paralympic Champion –, reached his fifth gold medal in the Games winning the discus throw. More than that, the Brazilian broke the world record in the shotput and javelin and the Paralympic record in the discus throw. And, closing in great style, in the following Games, in Barcelona, Spain, he won his 6th Paralympic gold at the sho-

tput event, also breaking the world record with 9.03m. As Luiz Cláudio, Suely Guimarães also left her name marked that year. She won the gold in the discus throw and established a new world record for the event with the mark of 22.4m. However, Brazil’s participation in 1992 was not a good one. After winning 28 medals in Seoul-1988, Brazil reached the podium only 7 times in Spain. But if we lacked quantity, we had plenty of quality. In 1996 Brazil took to Atlanta, United States, a delegation with 60 athletes, 19 women in the team, a record up to that edition. Before that year’s Games, Brazil had taken a total of 29 women to the first six Paralympic Games. In Atlanta, the Brazilian girls competed in athletics, swimming, table tennis, wheelchair basketball and wheelchair fencing. The highlights were Ádria dos Santos, with 3 silver medals, Maria José Alves, who took 2 bronze, and Suely Guimarães, bronze in the discus throw. A record number of 122 countries, plus the athletes from independent Timor East, participated in the 2000 Sydney Games, in Australia. Brazil won a total of 22 medals, with 6 golds, 10 silvers and another 6 bronze, finishing in 24th place. Competing at home and with the support of the crowd, Australia surpassed the United States and finished in first place in the overall medal board ranking. The Americans, who had lead the Games consecutively since 1976, finished fifth.


389

Tabelas retiradas do Portal Brasil 2016

Tabelas retiradas do Portal Brasil 2016

Tabelas retiradas do Portal Brasil 2016


390

Tabelas retiradas do Portal Brasil 2016

Tabelas retiradas do Portal Brasil 2016

Tabelas retiradas do Portal Brasil 2016


391

Tabelas retiradas do Portal Brasil 2016

Tabelas retiradas do Portal Brasil 2016

Tabelas retiradas do Portal Brasil 2016


392

Tabelas retiradas do Portal Brasil 2016

Tabelas retiradas do Portal Brasil 2016


Um número recorde de 122 países, mais os atletas independentes do Timor Leste, participaram dos Jogos de Sidney em 2000, na Austrália. O Brasil conseguiu 22 medalhas no total, com seis de ouro, dez de prata e outras seis de bronze, terminando na 24ª colocação. Atuando em casa e com apoio da torcida, a Austrália desbancou os Estados Unidos e terminou na primeira colocação geral no quadro medalhas. Os americanos, que vinha liderando seguidamente desde 1976, terminaram na quinta posição. Os Jogos Paralímpicos de Atenas em 2004 serviu como um marco para os atletas brasileiros, pois foi a primeira disputa depois que a Lei Agnelo/Piva passou a garantir recursos de forma perene para o paradesporto. Com melhores condições e mais estrutura para treinar e competir no ciclo paraolímpico, os esportistas do país desembarcaram na Grécia bem preparados, e isso se refletiu no número

de conquistas. O Brasil conquistou 33 medalhas (foram 12 de prata e 7 de bronze), estabelecendo um recorde na história do paradesporto nacional, que viria a ser superado quatro anos depois, em Pequim-2008. O resultado final dos Jogos na China colocou o Brasil entre as 10 maiores potências do paradesporto nacional. O Brasil conquistou 47 medalhas, sendo 16 de ouro, 14 de prata e 17 de bronze. Resultado? Pela primeira vez na história o Brasil encerrou sua participação em uma Paralimpíada entre os 10 primeiros do quadro de medalhas, terminando na 9ª colocação. Nos jogos de 2012 em Londres, mais uma vez nossos atletas brasileiros surpreenderam. A delegação fez com que o país chegasse ao sétimo lugar no quadro geral de medalhas, subindo duas posições em relação aos Jogos de Pequim, em 2008. Foram 21 medalhas de ouro, 14 de prata e oito de bronze, totalizando,

assim, 43 subidas ao pódio. O grande destaque da delegação brasileira foi o nadador Daniel Dias. O porta-bandeira do país na cerimônia de abertura “voou” nas águas e conquistou nada menos que seis medalhas de ouro, vencendo todas as provas individuais que participou em Londres. Os Jogos Paralímpicos de Londres também entraram para a história como a edição com participação recorde de atletas e países. Foram 4.200 competidores de 165 nações de todo o mundo, que disputaram 20 esportes e mais nove modalidades específicas. Outro destaque dos Jogos foi a grande quantidade de quebra de recordes mundiais. Foram nada menos que 199 marcas superadas, contra “apenas” 39 dos Jogos Olímpicos. Como acabamos de ver, ao longo da participação nos jogos, os atletas brasileiros melhoraram a cada edição e provaram que são bons, uma verdadeira potência paralímpica.

The 2004 Athens Paralympic Games were a mark for the Brazilian athletes, as this was the first competition since Agnelo/Piva Law assured continuous resources for Paralympic sports. With better conditions and structure for training and competing in the Paralympic cycle, the country’s athletes arrived in Greece well prepared, and this reflected in the number of feats. Brazil won 33 medals (12 silver and 7 bronze), establishing a record for national Paralympic sports, which would be surpassed four years later in Beijing-2008. The final result of the China Games placed Brazil among the 10 biggest world Paralympic powers. Brazil won 47 medals, with 16 gold, 14 silvers and 17 bronzes. Result? For the first time in history Brazil ended its participation in a Paralympic Game among the first 10 countries in the medal board, in 9th place. In the 2012 London Games, again our Brazilian athletes marveled the world. The delegation made the country reach the 7th place in the overall medal board, up 2 positions compared to the Beijing Games in 2008, with 21 gold medals, 14 silvers and 8 bronzes, thus totaling 43 podiums. The Brazilian delegation’s biggest highlight was swimmer Daniel Dias. The country’s flag bearer in the opening ceremony “flew” in the Waters and won nothing less than 6 gold medals, winning all individual events he took part in London. The London Paralympic Games also went into history as the edition with a record participation of athletes and countries. There were 4,200 competitors from 165 nations from all over the world, in 20 sports and another 9 specific modalities. Another of the Games’ highlights was the huge amount of world records broken. There were 199 marks surpassed, against “only” 39 in the Olympic Games. As we have just seen, throughout the participation in the Games, the Brazilian athletes improved edition by edition and proved their worth, a real Paralympic power. Therefore, the expectations for the Rio2016 Paralympic Games is high, also based on our results in the last Parapan-Am Games in Toronto.

393


Evento teste de Halterofilismo ParalĂ­mpico Paralympic Weightlifting Test-Event

394


395 Foto: Miriam Jeske/Heusi Action


André Oliveira se prepara para o salto em distância André Oliveira prepares for the long jump

Foto: Bruno de Lima/CPB

396


Parapan em Toronto Brasil campeão

O

s atletas brasileiros enceraram a participação em Toronto (Canadá), com a campanha mais vitoriosa da história dos Jogos Parapan-Americanos. Os números de 2015 traduzem a performance de uma potência esportiva. Foram 257 medalhas conquistadas pela delegação nacional, com 109 ouros, 74 pratas e 74 bronzes, um desempenho bastante superior a melhor até então, que tinha sido obtida em casa, no Parapan de 2007. No Rio de Janeiro, foram 228 medalhas, com 83 ouros, 68 pratas e 77 bronzes. Para se ter uma ideia do domínio brasileiro, o segundo lugar no quadro geral, o Canadá, não chegou à metade das medalhas de ouro brasileiras, conquistando apenas 50. Os americanos ficaram com o terceiro lugar, conquistando 40 medalhas de ouro. Praticamente, de cada três ouros, uma era brasileira. Mas qual foi a modalidade que mais se destacou? Ou o atleta? Seria injusto falar de uma pessoa especifica, ou apenas os atletas que conquistaram alguma medalha. A vitória desses esportistas começou a partir do momento que decidiram fazer diferente e, não viram a sua necessidade especial como um empecilho para ser campeão. Foram 270 atletas que representaram o país em Toronto e, sem dúvida, todos eles mereciam a medalha de ouro. Voltamos para casa com 257 medalhas e uma satisfação enorme. Cada atleta tem uma história de vida e superação, que, sem dúvida, daria um livro para abordar a trajetória de cada um. Alguns nasceram com deficiência, outros ficaram devido algum acidente ao longo da vida. Para além de medalhas e pódios, o esporte deve servir e dar exemplos de inclusão e superação pessoal.

Parapan in Toronto: Brazil champion The Brazilian athletes ended their participation in Toronto (Canada), with the most victorious campaign in the Parapan-Am Games history. The 2015 numbers translate the performance of a sports power. There were 257 medals won by the national delegation, with 109 golds, 74 silvers and 74 bronzes, a performance extremely superior to the best to date, at home in the 2007 Parapan-Am, in Rio de Janeiro with 228 medals, 83 golds, 68 silvers and 77 bronzes. Na example of the Brazilian dominance, Canada, the second ranked country in the overall board, did not reach half of the Brazilian gold medals, winning only 50. The Americans placed third, winning 40 gold medals. Practically, from each 3 golds, one was Brazilian. But what was the modality with the highlight? Or the athlete? It would be unfair mentioning only a specific person, or only the athletes that won any medals. These sportspeople’s victory begun at the moment they decided to do different and did not see their special need as an obstacle for becoming champions. 270 athletes represented the country in Toronto and, without a doubt, all deserved the gold medal. We brought home 257 medals and an enormous satisfaction. Each athlete has a history of life and overcoming adversities that without a doubt would provide material for writing each one’s trajectory. Some were born with disabilities, others became disabled due to accidents during their lives. Aside from medals and podiums, sports must serve as and provide examples of social inclusion and personal achievement.

397


O Brasileiro Jonathan Santos no lanรงamento do disco. Brazilian Jonathan Santos in the discus throw.

Foto: Bruno Lima / CPB

398


Daniele Bernardes vibra com o bronze no judĂ´.

Foto: PatrĂ­cia Santos / CPB

Daniele Bernardes celebrates the bronze in judo

399


Incentivando os atletas Registro dos 100m costas em Londres-2012 100m backstroke in London-2012

Foto: Márcio Rodrigues/CPB

O

resultado em Toronto é reflexo, também, de uma política de investimentos em atletas e no Comitê Paralímpico Brasileiro. Das 257 medalhas conquistadas, 254 (98%) foram para contemplados com a Bolsa Atleta ou a Bolsa Pódio do Ministério do Esporte. Individualmente, já que houve atletas que ganharam mais de uma medalha, 181 subiram ao pódio. Desses, 112 recebem a BolsaAtleta e 69, a Bolsa Pódio. O Ministério do Esporte tem, ainda, dois convênios ativos com o Comitê Paralímpico 400

Brasileiro (CPB). O primeiro deles, de R$ 38.213.180,05, é destinado à preparação e treinamento de seleções permanentes em 16 modalidades (atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, ciclismo, esgrima em cadeira de rodas, futebol de 5, futebol de 7, goalball, halterofilismo, judô, natação, remo, rúgbi em cadeira de rodas, tiro esportivo, vela, e voleibol sentado). Voltado para o ciclo olímpico de 2016, o convênio engloba custos de transporte terrestre e aéreo no Brasil e no exterior, hospedagens, alimentação, contratação de

recursos humanos (coordenador de modalidade, técnicos, assistentes técnicos, psicólogo, fisioterapeuta, fisiologista, nutricionista, médico, massoterapeutas, mecânicos, preparador físico, árbitros, classificador funcional, delegado técnico, enfermeiro), aquisição de uniformes, materiais e equipamentos esportivos. Também inclui a realização de competições, a participação em torneios e períodos de treinamento e intercâmbio para jovens. Outro convênio, de R$ 1,8 milhão, foi destinado a propiciar

a participação da missão brasileira nos Jogos Parapan-americanos de Toronto 2015. Entre 2010 e 2011, o ministério firmou outros convênios com o CPB, no valor de R$ 19.277.131,31, para a preparação de atletas e seleções de várias modalidades para diversas competições no Brasil e no exterior, intercâmbio, aquisição de materiais e equipamentos. Entre elas os Jogos Paralímpicos de Londres 2012 e o Parapan de Guadalajara. No Parapan do México o Brasil terminou em primeiro. Em Londres, em sétimo, a melhor de sua história.


Stimulating the athletes Toronto’s result is the result of a policy of investment in athletes and in the Brazilian Paralympic Committee. Of the 257 medals received, 254 (98%) were for holders of the Athlete Scholarship or the Podium Scholarship from the Ministry of Sports. Individually, as some athletes won more than one medal, 181 reached the podium. From these, 112 received the Athlete Scholarship and 69, the Podium Scholarship. The Ministry of Sports also has two active covenants with the Brazilian Paralympic Committee (CPB). The first one, of R$ 38.213.180,05, is aimed at the preparation and training of permanent national teams in 16 modalities (athletics, wheelchair basketball, bocce, cycling, wheelchair fencing, football 5-a-side, football 7-a-side, goalball, weightlifting, judo, swimming, rowing, wheelchair rugby, shooting, sailing, and sitting volleyball). Aimed at the 2016 Olympic cycle, the covenant comprises land and air transportation costs in Brazil and abroad, accommodations, food, hiring of human resources (modality coordina-

tor, coaches, technical assistants, psychologists, physical therapists, physiologists, nutritionists, doctors, massotherapists, mechanics, physical trainers, referees, functional classifiers, technical delegates, nurses), acquisition of uniforms, sports materials and equipment. It also includes the ghosting of competitions, participation in tournaments and training and exchange periods. Another covenant, of R$ 1.8 million, was aimed at enabling the Brazilian mission participation in the 2015 Toronto Parapan-Am Games. Between 2010 and 2011, the ministry signed other covenants with the CPB, in amount of R$ 19.277.131,31, for preparation of athletes and national teams in various modalities for several competitions in Brazil and abroad, exchange, acquisition of materials and equipment, among them the 2012 London Paralympic Games and the Guadalajara Parapan-Am Games. In Mexico’s Parapan-Am Games Brazil finished first. In London, Brazil finished in seventh place, its best rank in history.

Em ação: Alan Fonteles durante as eliminatórias dos 100m. In action: Alan Fonteles during the Paralympic Games 100m qualifying

Foto: Buda Mendes/CPB

401


Evento teste de Halterofilismo Weightlifting Test-Event

Foto: Getty Images

402


403


Jogador do Brasil passa por quatro adversรกrios no futebol de 5 Brazilian player overcomes 4 adversaries in 5-a-side football

404


Foto: Fernando Maia / CPB

405


Um dos maiores legados deixados pelos Jogos ParalĂ­mpicos One of the biggest legacies left by the Paralympic Games

Foto: Roberto Castro/ brasil2016.gov.br

406


Instalações estrutura de ponta

U

Facilities: state-of-the-art structure One of the biggest legacies left by the Paralympic Games will be the Brazilian Paralympic Center, in São Paulo. The space will the world’s most equipped with state-of-the-art for 15 modalities (athletics, wheelchair basketball, bocce, swimming, wheelchair fencing, football 5-a-side, football 7-a-side, goalball, weightlifting, judo, rugby, table tennis, wheelchair tennis, triathlon and sitting volleyball). Located at Parque Estadual Fontes do Ipiranga, in an area from the State of São Paulo’s government, under administration of the State Department for Rights of the Disabled, the Training Center is associated to the Brazilian Paralympic Committee (CPB). The total investment for its construction was of R$ 264.7 million (works) and R$ 24 million (acquisition of equipment). From this total, the Federal Government financed R$ 145 million (works) and R$ 20 million (acquisition of equipment and materials) and the Government of the State of São Paulo pitched in R$ 119.7 million (works) and R$ 4 million (equipment). The CPB now equals the world’s best Paralympic Training Centers: China also has facilities for 15 sports, but no tis a single venue; South Korea concentrates its sports – however in lesser number – and Ukraine has a renovated center, old home for Olympic sports. At the Paralympic Center there will also be an area for development of sport sciences and research. At the Training Center there will be indoor and outdoor sport facilities, dormitories for 280 people, dining hall, laundry room, gym, support rooms and changing rooms, besides the Sports Medicine and Sciences Center. The structure will be used for training, competition, and exchanges between national teams, besides fostering the development of new generations, development of professionals and advancement of sport sciences. In the city of Rio de Janeiro the legacy will also be huge. The Rio2016 Olympic and Paralympic Villa was designed to support and assure full accessibility of environments for hosting Paralympic athletes. In the competition centers, there will be, for example, 700 accessible bathrooms, besides common areas that shall provide support not only to wheelchair users, but also to visually disabled and reduced mobility athletes. The city’s public transportation was also tested and the number of adapted buses increased for better supporting the athlete and the tourist. The test events, taking place since January 2016, served for the city to analyze and improve accessibility points. For example, the Canadian wheelchair rugby team was in Rio and praised the exit from the airport to the hotel, gym and competition venues. José Higino, from the Brazilian national team, also commented: “I can say that this idea of putting ramps in hotels and the arena was very good as no one wastes time using the bus elevator. Everyone gets in at once, it is a lot faster”, he observed. Without a doubt we are ready for hosting this mega event. Welcome athletes and tourists!

m dos maiores legados deixados pelos Jogos Paralímpicos será o Centro Paralímpico Brasileiro, em São Paulo. O espaço será o mais completo do mundo, uma estrutura de ponta para 15 modalidades (atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, natação, esgrima em cadeira de rodas, futebol de 5, futebol de 7, golbol, halterofilismo, judô, rúgbi, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas, triatlo e voleibol sentado). Localizado no Parque Estadual Fontes do Ipiranga, em área do governo do Estado de São Paulo, sob administração da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o CT conta com a parceria do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). O investimento total da sua construção foi de R$ 264,7 milhões (para obras) e de R$ 24 milhões (para aquisição equipamentos). Desse total, o governo federal financia R$ 145 milhões (nas obras) e R$ 20 milhões (na aquisição de equipamentos e materiais esportivos) e o governo do estado de São Paulo entra com R$ 119,7 milhões (obras) e R$ 4 milhões (equipamentos). O CPB agora se equipara aos maiores CTs Paralímpicos do mundo: a China também tem instalações para 15 esportes, mas não em um único local; a Coreia do Sul concentra seus esportes – que, no entanto, são em menor número – e a Ucrânia tem um centro reformado, antiga sede de esportes Olímpicos. No Centro Paralímpico também haverá uma área para desenvolvimento das ciências esportivas e para pesquisa. No local, haverá instalações esportivas indoor e outdoor, alojamentos para 280 pessoas, refeitório, lavanderia, academia, salas de apoio e vestiários, além do Centro de Medicina e Ciências do Esporte. A estrutura será utilizada para treinamentos, competições e intercâmbios entre seleções, além de possibilitar o desenvolvimento de novas gerações, a formação de profissionais e o avanço das ciências do esporte. Já na cidade do Rio de Janeiro o legado também será grande. Por isso a Vila Olímpica e Paralímpica dos Jogos Rio 2016 foi pensada para atender e garantir a completa acessibilidade dos ambientes para receber os atletas Paralímpicos. Nos centros de competições, serão, por exemplo, cerca de 700 banheiros acessíveis, além das áreas comuns, que precisam atender não só a cadeirantes, mas também aos atletas com deficiência visual e com mobilidade reduzida. O transporte público da cidade também foi testado e ampliado o número de ônibus adaptados, para atender melhor o atleta e turista. Os eventos testes, que aconteceram desde janeiro de 2016, serviram para a cidade analisar e melhorar os pontos de acessibilidade. Por exemplo, a equipe canadense de rugby em cadeira de rodas esteve no Rio e elogiou, desde a saída do aeroporto, até hotel, academia e os lugares das competições. José Higino, da seleção brasileira, também elogiou. “Eu posso dizer que esta ideia de colocar rampas nos hotéis e na arena ficou bem bacana porque não se perde o tempo usando o elevador do ônibus. Todo mundo entra de uma vez, fica bem mais rápido”, observou.

407


Brasil e JapĂŁo duelam no goalball feminino Brazil and Japan duel in women goalball

408


Foto: Fernando Maia / CPB

409


O CPB agora se equipara aos maiores CTs Paralímpicos do mundo CPB now equates to the world’s greatest Paralympic Training Centers

410


Foto: Fernando Maia / CPB

411


Jogos Paralímpicos Rio 2016

Recordes mundiais, marcas histórias e desempenhos de mais alto nível marcaram as disputas nas arenas dos Jogos

O

s Jogos Paralímpicos Rio 2016 reuniu 4.369 atletas, de 163 países em 528 provas valendo medalhas: 225 femininas, 265 masculinas e 38 mistas. Durante 11 dias de competições, mais uma vez o mundo parou para acompanhar o desempenho e conquistas desses grandes atletas. De 7 a 18 de setembro de 2016 torcemos, gritamos e nos emocionamos com esses vencedores, que já são campeões desde o momento que decidiram participar do maior evento de superação do planeta. Se ser atleta é se superar a cada momento, o que dizer de um paratleta? É treino, disciplina e dedicação em dobro – ou bem mais do que isso. Ser paratleta é viver o esporte de todas as maneiras possíveis e nunca imaginadas: usando as mãos, os cotovelos, o peito, o queixo, a cabeça ou até mesmo os cinco sentidos.

E foi lindo acompanhar a seleção brasileira! O Brasil terminou em 8º lugar no quadro geral de medalhas: foram 72 medalhas no total, sendo 14 de ouro, 29 de prata e 29 de bronze. Apesar de ter conquistado mais medalhas que nos jogos de Londres (2012), a colocação do Brasil ficou pior, porque houve menos medalhas de ouro, que contam mais pontos na classificação geral. A modalidade em que mais foram conquistadas mais medalhas pelo Brasil foi o atletismo, com 33, seguido da natação com 19 medalhas. Com recordes quebrados, marcas históricas e soberanias impressionantes, os atletas mostraram ao mundo a força do paradesporte. Os Jogos Paralímpicos representam o esporte em seu mais alto grau de excelência, por isso vamos ver a seguir um resumo de alguns momentos que reforçam essa ideia.

Cerimônia de abertura

A

ssim como a cerimônia da Olimpíada , que encantou o mundo, a cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos não ficou para trás, com um lindo espetáculo de cores, luzes e sons. Entretanto, infelizmente, não foi televisionada pela televisão aberta no Brasil. Com o tema “Todos têm coração”, teve como diretores criativos nomes renomados como Marcelo Rubens Paiva, Fred Gelli e Vik Muniz. Logo após uma contagem regressiva, a entrada do atleta paralímpico Aaron Wheelz que desceu uma megarrampa em sua cadeira de rodas, acompanhado por fogos de artifício, deu o tom da festa que destacou assuntos importantes como superação, inclusão e igualdade. Roda de samba com Pretinho da Serrinha, Diogo Nogueira e Monarco e uma projeção

412

que transformou o Maracanã em uma grande piscina para o nadador Daniel Dias (medalhista das Paralimpíadas de Pequim e Londres, com 10 medalhas de ouro, 1 de prata e 1 de bronze), deram continuidade na apresentação. O Hino Nacional foi tocado pelo maestro João Carlos Martins ao piano, enquanto voluntários formavam a bandeira do Brasil no gramado. Depois foi a vez do irreverente mascote dos Jogos Olímpicos, Vinícius, entrar no palco com o vestido usado por Gisele Bündchen na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos. Com graça e elegância, ao lado de seu fiel escudeiro Tom, mascote Paralímpico, que a partir de então assumiu o protagonismo. Na entrada das delegações, assim como na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos – quando os atletas entraram

carregando mudas de plantas –, os paratletas foram convidados a participar do espetáculo. Cada equipe trazia uma peça de quebracabeça que, ao final, ajudava a compor uma obra exclusiva de Vik Muniz com imagens de rostos de atletas paralímpicos. Ao fim do desfile, o próprio artista encaixou a última peça do quebra-cabeças, que se transformou em um coração pulsante, simbolizando o lema da festa. Quem assistiu, com certeza se emocionou (se não assistiu, corre e assiste no youtube). Outro destaque da cerimônia foi a paratleta do snowboard e medalhista de bronze em Sochi 2014, Amy Purdy, que encantou o público ao dançar com um robô, com uma belíssima apresentação em ritmo de samba. A intenção foi mostrar a relação entre seres humanos e tecnologia, que mudou a vida de tantas pessoas com

deficiência. A Chama Olímpica chegou ao Maracanã conduzida pelo atleta Antônio Delfino, que a passou para Marcia Malsur, primeiro grande personagem do movimento Paralímpico no país. Coube a Clodoaldo Silva, o “Tubarão Paralímpico” da natação, com 13 medalhas no currículo, a missão e a honra de ver à sua frente a escada, aparentemente intransponível, transformar-se numa rampa que o conduziu até a pira Paralímpica. O encerramento da cerimônia ficou a cargo do cantor Seu Jorge, que fechou a festa com “E vamos à luta”, de Gonzaguinha, e “É preciso saber viver”, de Roberto Carlos e Erasmo Carlos. Logo após a cerimônia, a pira instalada em frente a Igreja da Candelária, no Boulevard Olímpico no Centro do Rio, foi acesa automaticamente, com uma queima de fogos.


Um dos momentos mais lindos e emocionantes da cerimônia, quando a Amy Purdy dançou com um robô One of the most beautiful and thrilling moments in the ceremony, when Amy Purdy danced like a robot.

Foto: Danilo Borges/Brasil2016

No final da cerimônia, fizeram referência a próxima sede dos Jogos Olímpicos.

Foto: Danilo Borges/Brasil2016

A cerimônia encantou todos os espectadores

Foto: Gabriel Heusi/Brasil2016

Rio2016 Paralympic Games Opening Ceremony

The dazzled all spectators

Rio2016 Paralympic Games World records, historical marks and high level performances set the tone of competitions at the Games’ arenas The Rio2016 Paralympic Games gathered 4,369 athletes, from 163 countries in 528 medal events: 225 women, 265 men e 38 mixed. During 11 days of competition, the once again the world sopped to follow the performance and achievements of such great athletes. From 7 to 18 of September of 2016 we cheered, shouted and were moved by these winners, champions from the moment they decided to participate in the greatest overcoming event in the planet. If being an athlete is overcoming each moment, what to say of a para-athlete? It is twice the training, discipline and dedication – or much more than that. Being a para-athlete is living sports in all manners possible and never imagined: using the hands, elbows, chest, chin, head or even the five senses. And it was awesome to follow the Brazilian National Team! Brazil finished in 8th place in the overall medal board: 72 medals overall, with 14 gold, 29 silver and 29 bronze. Despite having won more medals than in the London Game (2012), Brazil’s ranking was worst, as there were less gold medals, which add more points to the overall classification.

The modality in which Brazil won more medals was athletics, with 33, followed by swimming with 19 medals. With broken records, historical marks and impressive dominances, the athletes showed the world the strength of para-sports. The Paralympic Games represent sport at its highest level of excellence, so following we will check out a summary of some moments that add to such idea. Opening ceremony As the Olympic Games’ ceremony, which dazzled the world, the Paralympic Games opening ceremony was not behind, with a beautiful performance of colors, lights and sounds. However, it was not aired on open TV in Brazil. With the theme “All Have Hearts”, had as creative directors renowned names such as Marcelo Rubens Paiva, Fred Gelli and Vik Muniz. Right after a countdown, Paralympic athlete Aaron Wheelz entered descending a mega-ramp on his wheelchair, accompanied by fireworks, set the tone highlighting important issues such as overcoming, inclusion and equality. Samba with Pretinho da Serrinha, Diogo Nogueira and Monarco and a screening that transformed Maracanã in a huge swimming

pool for swimmer Daniel Dias (medal winner at the Beijing and London Paralympics, with 10 gold medals, 1 silver and 1 bronze), continued the presentation. The National Anthem was played by Maestro João Carlos Martins on the piano, while volunteers formed the Brazilian flag on the field. After, it was the irreverent Olympic Games mascot, Vinícius, turn to enter the field with the dress used by Gisele Bündchen in the Olympic Games opening ceremony. With grace and elegance, next to its sidekick Tom, Paralympic mascot, that from that moment on became the protagonist. When the delegations entered the field, as well as in the Olympic Games opening ceremony – when the athletes entered carrying seedlings –, the para-athletes were invited to participate in the spectacle. Each team would bring a piece of the puzzle that, in the end, helped to compose an exclusive work by Vik Muniz with images of Paralympic athletes. At the end of the parade, the artist himself placed the last piece, which became a beating heart, symbolizing the party’s theme. Those who watched, were surely touched (if you did not watch it, go now check it out on YouTube).

Another ceremony highlight was snowboard para-athlete and bronze medalist in Sochi 2014, Amy Purdy, who enchanted the audience dancing like a robot, with an extremely beautiful presentation in the rhythm of samba. The intention was to show the relation between human being and technology, which changed the lives of so many disabled people. The Olympic Flame arrived at Maracanã lead by athlete Antônio Delfino, who passed it on to Marcia Malsur, first great personage of the country’s Paralympic movement. Clodoaldo Silva, the “Paralympic Shark” from swimming, with 13 medals on his curriculum, had the mission and honor of seeing in front of him the stairs, apparently impassable, becoming a ramp that took him to the Olympic pyre. Singer Seu Jorge was in charge of the closing of the ceremony, ending it with “E vamos à luta” (“Let’s go to battle”), from Gonzaguinha, and “É preciso saber viver” (“Knowing how to live is necessary”), from Roberto Carlos and Erasmo Carlos. Right after the ceremony, the pyre installed in front of Igreja da Candelária (Candelária Church), at the Olympic Boulevard, downtown Rio, was automatically lit with fireworks.

413


Brasil conquistou medalha de ouro no Futebol de 5

Foto: Ministério dos Esportes

Foto: Ministério dos Esportes

Brazil won the gold medal in Football 5-a-side

Daniel Dias (BRA) nas eliminatórias dos 100m livre masculino Daniel Dias (BRA) in the men’s 100m Freestyle qualifying

414


Um festival de recordes

Medalha de bronze para as meninas do Tênis de Mesa

O

Foto: Ministério dos Esportes

Bronze medal for the Table Tennis girls

s atletas dos Jogos Rio 2016 não estavam atrás apenas das medalhas. Em 11 dias de competição na Cidade Maravilhosa, nada menos do que 210 recordes mundiais foram batidos em quatro esportes. A maior parte das quebras aconteceu no Estádio Aquático Olímpico, casa da natação, que viu 116 marcas caírem. Foram 68 no atletismo, 13 no halterofilismo e 12 no ciclismo de pista. Vamos começar portanto a lista falando do nosso brasileiro, o nadador Daniel Dias. Não bastou apenas competir em casa, ele queria fazer história. E fez! Com quatro ouros, três pratas e dois bronzes, ele foi ao pódio em todas as provas que disputou no Rio 2016 e chegou a 24 medalhas Paralímpicas na natação, tornando-se o recordista do esporte entre os homens, superando o australiano Matthew Cowdrey. Outro recorde quebrado, e talvez o mais impressionante, veio no halterofilismo. Ouro em Londres 2012, o iraniano Siamand Rahman focou sua preparação para o Rio 2016 em uma meta específica: ser o primeiro a quebrar a barreira dos 300kg no esporte. Ele conseguiu, e com estilo. Depois de garantir o ouro com 305kg (e impressionantes 70kg de diferença para o vice-campeão), o gigante chocou o mundo ao erguer 310kg. Se teve show do homem mais forte, também teve do mais veloz. Conhecido como o atleta Paralímpico mais rápido do mundo, o irlandês Jason Smyth justificou sua fama no Estádio Olímpico. O astro conquistou o tricampeonato Paralímpicos dos 100m rasos da classe T13 com o tempo de 10s64, pouco acima de seu recorde mundial da distância, de 10s46. Quem também teve motivos para comemorar foi Alessandro Zanardi. O ex-piloto italiano de Formula1 competiu em três provas do ciclismo de estrada no Rio 2016 e deixou os Jogos com dois ouros (no contrarrelógio H5 e no revezamento misto H2-5) e uma prata (na prova de estrada H5), conquistada no dia do aniversário de 15 anos do acidente que resultou na perda de suas duas pernas. O italiano é, agora, o maior medalhista da história do esporte, com quatro ouros e duas pratas. A festival of records The Rio2016 Games athletes were not only after the medals. In 11 days of competition in the Cidade Maravilhosa (Wonderful City), nothing less than 210 world records were beaten in four sports. The largest part of records broken took place in the Olympic Water Stadium, home of swimming, with 116 marks broken, with 68 in athletics, 13 in powerlifting and 12 in cycling track. Therefore, let us begin the list speaking of our Brazilian, swimmer Daniel Dias. It was not enough to compete at home, he wanted to make history. And he did! With four golds, three silvers and two bronze, he reached the podium in all events he competed in Rio2016 and reached 24 Paralympic medals in swimming, becoming the record holder amongst men, surpassing Australian Matthew Cowdrey. Another broken record, and maybe the most impressive, came in powerlifting. Gold in London 2012, Iranian Siamand Rahman focused his preparation for Rio2016 in a specific goal: being the first to break the 300kg barrier in the sport. And he did it with style. After assuring the gold with 305kg (and impressive 70kg of difference to second place), the giant chocked the world lifting 310kg. If there was a performance by the strongest man, there was also the fastest. Known as the world’s fastest Paralympic athlete, Irish Jason Smyth justified his fame in the Olympic Stadium. The star won his third Paralympic championship in the dos 100m, class T13 with 10s64, a bit above his world record for the distance, of 10s46. Another who also had reasons for celebrating was Italian Alessandro Zanardi. The former Formula1 driver competed in three cycling road events in Rio2016 and left the Games with two golds (against the clock H5 and mixed relay H2-5) and one silver (road event H5), won on the 15-year anniversary of the accident which resulted in the loss of his two legs. The Italian is now the biggest medalist in the sport’s history, with four golds and two silvers.

415


Abbaspour (IRI) nas quartas de final do Tiro com Arco classe W2

O Brasil das medalhas

Somayeh Abbaspour (IRI) in the Archery class W2 final 8

416

Rakel Mateo (ESP) durante a prova de triatlo feminino classe PT2W Rakel Mateo (ESP) during the women’s Triathlon class PT2W event

Foto: Heusi Action / Miriam Jeske

Brazil of medals IIn the football 5-a-side Brazil also remained sovereign. The men’s Brazilian National Team, undefeated since the inclusion of the sport in the Paralympic Games of Athens (2004), won its fourth consecutive gold. We also have athlete Ricardo Oliveira, who won the gold medal in the long jump and his sister, Silvânia Costa, who also won the long jump class F11 event (totally blind). Claudiney Batista broke the Paralympic record, which was from Cuban Leonardo Diaz (44.63m in London-2012), thus winning the gold in the discus throw class F56, with the distance of 45.33m. Daniel Martins in athletics also received a Golden medal, as did Shirlene Coelho in the javelin throw and Alessandro Silva in the discus throw. On the other hand, Petrucio Ferreira reached the podium in the 100m T47 (amputees), also breaking the world record, finishing the event in 10s57. Still talking about Brazil’s Golden achievements: nice meeting you, we are from bocce! The Brazilian athletes presented the sport, little known to the majority of the audience, in great style: gold and silver in the team finals. In the class BC3 competition, the Paralympic debutants Antônio Leme, Evelyn Oliveira and Evani Soares surprised favorite South Korea and win the unedited result in the category. In athletics the gold medal was also assured by the 4x100m relay team. Diogo Ualisson, Gustavo Araújo, Daniel Silva and Felipe Gomes also established the new Paralympic record at Engenhão, with the mark 42s37. Wow! 72 medals! This is a lot of medals for great athletes that, without a doubt, deserve a book only for them, to describe all obstacles they overcame before breaking records. But we will try as much as possible, in this chapter, to offer you, the reader, a summary of their achievements. Still talking about the medal rain, we cannot forget to honor Odair Santos, who won the silver medal. Still on the tracks we have Fábio Bordignon (silver medal in the 100m T35 and 200m T35), Rodrigo Parreira (bronze medal in the 100m T36 and silver medal in the long jump), Teresinha de Jesus (bronze medal in the 100m T47), Yohanson Nascimento (bronze medal in the 100m T47) and Verônica Hipólito (bronze medal in the 400m T38). The athletics teams and duets also made history on the tracks.

Foto: Miriam Jeske/ brasil2016.gov.br/ HeusiAction

N

o futebol de 5 o Brasil também continuou soberano. A seleção brasileira masculina, invicta desde a inclusão do esporte nos Jogos Paralímpicos em Atenas (2004), conquistou seu quarto ouro consecutivo. Temos ainda o atleta Ricardo Oliveira, que conquistou medalha de ouro no salto em distância e sua irmã, Silvânia Costa, que também venceu a disputa do salto em distância da classe F11 (cegos totais). Claudiney Batista bateu recorde paralímpico, que era do cubano Leonardo Diaz (44.63m alcançados em Londres-2012), conquistando assim o ouro no lançamento de disco classe F56, com uma distância de 45.33m. Daniel Martins no atletismo também conquistou uma dourada, além de Shirlene Coelho no lançamento de dardo e Alessandro Silva no lançamento de disco. Já Petrucio Ferreira subiu no topo do pódio dos 100m T47 (amputados), batendo ainda recorde mundial, terminando a prova em 10s57. Ainda falando sobre as conquistas douradas do Brasil: Prazer, somos da bocha! Os atletas brasileiros apresentaram o esporte, pouco conhecido para a maioria do público, em grande estilo: ouro e prata nas finais por equipes. Na disputa da classe BC3, os estreantes paralímpicos Antônio Leme, Evelyn Oliveira e Evani Soares surpreenderam a favorita Coreia do Sul para conquistar o resultado inédito na categoria. No atletismo a medalha de ouro foi garantida também pela equipe de revezamento 4x100m. Diogo Ualisson, Gustavo Araújo, Daniel Silva e Felipe Gomes ainda estabeleceram novo recorde paralímpico no Engenhão, com o tempo de 42s37. Ufa! Foram 72 medalhas! É muita medalha para grandes atletas que, sem dúvida, merecem um livro apenas deles, para contar todos os obstáculos que venceram antes de quebrar recordes. Mas vamos fazer o possível neste capítulo para oferecer, a você leitor, um resumo de suas conquistas. Ainda falando sobre a chuva de medalhas, não podemos deixar de prestigiar Odair Santos, que conquistou medalha de prata. Ainda nas pistas temos Fábio Bordignon (medalha de prata nos 100m T35 e 200m T35), Rodrigo Parreira (medalha de bronze nos 100m T36 e medalha de prata no salto a distância), Teresinha de Jesus (medalha de bronze nos 100m T47), Yohanson Nascimento (medalha de bronze nos 100m T47) e Verônica Hipólito (medalha de bronze nos 400m T38). As equipes e duplas no atletismo também fizeram história nas pistas.


Foto: HeusiAction/AndreMotta

O Brasil enfrentou a China na disputa pelas semifinais do Goalball feminino dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 Brazil faced China in the women’s Goalball semifinals in the Rio2016 Paralympic Games.

Fase preliminar da Bocha Mista na Arena Carioca 2

Foto: Heusi Action / Gabriel Heusi

Qualifying round – Mixed Bocce at Carioca Arena 2

417


Todos merecem medalhas!

I

ndependente de terem conquistado medalha, as seletivas para participarem dos jogos já foi uma grande prova de superação. Tinham os atletas que eram favoritos, mas infelizmente, no dia da prova, não conquistaram a esperada medalha. Por outro lado, tivemos grandes surpresas com outros atletas estreantes. O que importa foram as emoções que eles nos proporcionaram. Foram 279 atletas, sendo 181 homens e 98 mulheres, formando a maior delegação brasileira em uma edição dos Jogos Paralímpicos. Um total de 23 acompanhantes (atletas-guia, calheiros e goleiros) e 195 profissionais técnicos, administrativos e de saúde, também fizeram parte da comitiva, que contou com 497 pessoas na Vila dos Atletas. Pela primeira vez na história, o país teve representantes em todas as 22 modalidades que faziam parte do programa dos Jogos Paralímpicos. Saiba quem são os atletas paralímpicos que participaram dos Jogos do Rio

Atletismo Feminino 60 vagas garantida Alice de Oliveira Correa Aline dos Santos Rocha Ana Claudia Maria da Silva Edneusa de Jesus Santos Dorta Indayana Pedrina Moia Martins do Couto Izabela Silva Campos Jenifer Martins dos Santos Jerusa Geber dos Santos Kelly Cristina Barreto Peixoto Lorena Salvatini Spoladore Maria de Fátima Fonseca Chaves Marivana Oliveira da Nóbrega Poliana Fátima Sousa de Jesus Raíssa Rocha Machado Renata Bazone Teixeira Roseane Ferreira dos Santos Sheila Finder Shirlene Santos de Souza Coelho Silvânia Costa de Oliveira Tascitha Oliveira Cruz Terezinha de Jesus Correia dos Santos Terezinha Aparecida Guilhermina Thalita Vitória Simplício da Silva Verônica Silva Hipólito Masculino Alan Fonteles Cardoso de Oliveira Alessandro Rodrigo da Silva Alex Douglas Pires da Silva Ariosvaldo Fernandes da Silva Caio Vinícius da Silva Pereira Cícero Valdiran Lins Nobre Claudiney Batista dos Santos Daniel Mendes da Silva Daniel Tavares Martins Diogo Ualisson Jerônimo da Silva Edevaldo Pereira da Silva Edson Cavalcante Pinheiro Fábio da Silva Bordignon Felipe de Souza Gomes Flávio Reitz Gustavo Henrique Faria Araújo Jeohsah Bezerra dos Santos

418

João Victor Teixeira de Souza Silva Jonathan de Souza Santos José Humberto Rodrigues Júlio César Agripino dos Santos Kesley Josué Pereira Teodoro Lucas Prado Mateus Evangelista Cardoso Mauro Evaristo de Sousa Odair Ferreira dos Santos Paulo Flaviano Pereira Petrúcio Ferreira dos Santos Renato Nunes da Cruz Ricardo Alves Nunes Ricardo Costa de Oliveira Rodrigo Parreira da Silva Thiago Paulino dos Santos Wallace Antônio de Oliveira dos Santos4 Yeltsin Francisco Ortega Jacques Yohansson do Nascimento Ferreira Basquete em cadeira de rodas 24 vagas garantidas Feminino Ana Aurélia Mendes Rosa Andreia Cristina Santa Rosa Farias Geisa Rodrigues Vieira Geisiane de Souza Maia Brito Ivanilde Cândida da Silva Jéssica Silva Santana Lia Maria Soares Martins Lucicléia da Costa e Costa Paola Klokler Perla dos Santos Assunção Rosália Ramos da Silva Vileide Brito de Almeida Masculino Amauri Alves Viana Celestino Luciano Suursoo Dwan Gomes dos Santos Edjúnior José do Bonfim Erick Epaminondas da Silva Gelson José da Silva Júnior Leandro de Miranda Marcos Cândido Sanchez da Silva Paulo César dos Santos Paulo Roberto Barcelos Dauinheimer Pedro Henrique Vieira

Rodrigo Arão de Carvalho Bocha 10 vagas garantidas Antônio Leme Dirceu José Pinto Eliseu dos Santos Evani Soares da Silva Calado Evelyn Vieira de Oliveira Guilherme Germano Moraes José Carlos Chagas de Oliveira Lucas Ferreira de Araújo Maciel de Souza Santos Marcelo dos Santos Canoagem 5 vagas garantidas Feminino Débora Raiza Ribeiro Benevides Mari Christina Santilli Masculino Caio Ribeiro de Carvalho Fernando Rufino de Paulo Luís Carlos Cardoso da Silva Ciclismo 4 vagas garantidas Feminino Jady Martins Malavazzi Márcia Ribeiro Gonçalves Masculino Lauro César Mouro Chaman Soelito Gohr Esgrima em cadeira de rodas 5 vagas garantidas Feminino Mônica da Silva Santos Masculino Fábio Luiz Damasceno Jovane Silva Guissone Rodrigo Massarutt da Silva Sandro Colaço de Lima Futebol de 5 8 vagas garantidas*

Masculino Cássio Lopes dos Reis Damião Robson Sousa Ramos Gledson da Paixão Barros Jeferson da Conceição Gonçalves Raimundo Nonato Alves Mendes Ricardo Steinmetz Alves Severino Gabriel da Silva Tiago da Silva *Os goleiros, que não possuem deficiência visual, serão Luan de Lacerda Gonçalves e Vinícius Tranchezzi Holzsauer. Futebol de 7 14 vagas garantidas Masculino Diego Delgado da Silva Fabrizio Arlindo Nascimento de Oliveira Felipe Rafael da Silva Gomes Fernandes Celso Alves Vieira Gilvano Diniz da Silva Hudson Hyure do Carmo Januário Igor Romero Rocha Jônatas Santos Machado José Carlos Monteiro Guimarães Leandro Gonçalves do Amaral Marcos dos Santos Ferreira Maycon Ferreira de Almeida Wanderson Silva de Oliveira Wesley Martins de Souza Goalball 12 vagas garantidas Feminino Ana Carolina Duarte Ruas Custódio Claudia Paula Gonçalves de Amorim Oliveira Gleyse Priscila Portioli Henrique Neusimar Clemente dos Santos Simone Camargo Rocha Victoria Amorim do Nascimento Masculino Alex de Melo Sousa Alexsandre Almeida Maciel Celente José Roberto Ferreira de Oliveira Josemarcio da Silva Sousa


Leomon Moreno da Silva Romário Diego Marques Halterofilismo 4 vagas garantidas Feminino Marcia Cristina de Menezes Terezinha Mulato dos Santos Masculino Bruno Pinheiro Carra Evânio Rodrigues da Silva Hipismo 4 vagas garantidas Marcos Fernandes Alves Rodolpho Riskalla de Grande Sérgio Froes Ribeiro de Oliva Vera Lúcia Martins Mazzilli Judô 12 vagas garantidas Feminino Alana Martins Maldonado Deanne Silva de Almeida Karla Ferreira Cardoso Lúcia da Silva Teixeira Araújo Michele Aparecida Ferreira Masculino Abner Nascimento de Oliveira Antônio Tenório da Silva Arthur Cavalcante da Silva Halyson Oliveira Boto Harlley Damião Pereira Arruda Rayfran Mesquita Pontes Wilians Silva de Araújo Natação 32 vagas garantidas Feminino Beatriz Borges Carneiro Camille Rodrigues Ferreira Cruz Cecília Kethlen Jerônimo de Araújo Edênia Nogueira Garcia Joana Maria Jaciara da Silva Neves Euzébio Mariana Gesteira Ribeiro Maiara Regina Pereira Barreto Patrícia Pereira dos Santos Raquel Viel Regiane Nunes Silva Rildene Fonseca Firmino

Susana Schnarndorf Ribeiro Verônia Mauadie de Almeida Masculino Andre Brasil Esteves Andrey Pereira Garbe Caio Amorim Muniz de Oliveira Carlos Alonso Farrenberg Clodoaldo Francisco da Silva Correa Daniel de Faria Dias Felipe Caltran Vila Real Gabriel Cristiano Silva de Souza Guilherme Batista Silva Ítalo Gomes Pereira Lima Lucas Lamente Mozela Matheus Rheine Correa de Souza Phelipe Andrews Melo Rodrigues Roberto Alcalde Rodriguez Ruan Felipe Lima de Souza Ruiter Antônio Gonçalves Silva Talisson Henrique Glock Thomaz Rocha Matera Vanilton Antônio do Nascimento Filho Remo 4 vagas garantidas Feminino Cláudia Cícero dos Santos Sabino Josiane Dias de Lima Masculino Michel Gomes Pessanha Renê Campos Pereira Rugby em cadeira de rodas 12 vagas garantidas Masculino Alexandre Keiji Taniguchi Alexandre Vitor Giuriato Anderson Kaiss Bruno Damaceno Ferreira Davi Rodrigues Coimbra de Abreu Gilson Dias Wirzma Júnior Guilherme Figueiredo Camargo José Higino Oliveira Souza José Raul Schoeller Guenther Júlio Cezar Braz da Rocha Lucas França Couto Junqueira Rafael Hoffmann Tênis em cadeira de rodas 8 vagas garantidas Feminino

Natália Mayara Azevedo da Costa Rejane Cândida da Silva Masculino Carlos Alberto Chaves dos Santos Daniel Alves Rodrigues Maurício Pommê Rafael Medeiros Gomes Rodrigo Campos Oliveira Ymanitu Geon da Silva Tênis de mesa 17 vagas garantidas Feminino Bruna Costa Alexandre Cátia Cristina da Silva Oliveira Danielle Rauen Jennyfer Marques Parinos Joyce Fernanda de Oliveira Thaís Fraga Severo Masculino Aloísio Alves de Lima Júnior Carlos Alberto Carbinatti Júnior Claudiomiro Segatto David Andrade de Freitas Diego Moreira Guilherme Marcião da Costa Iranildo Conceição Espíndola Israel Pereira Stroh Luiz Filipe Guarnieri Manara Paulo Sérgio Salmin Filho Welder Camargo Knaf Tiro com arco 7 vagas garantidas Feminino Fabíola Lorenzi Dergovics Jane Karla Rodrigues Thaís Silva e Carvalho Masculino Andrey Muniz de Castro Diogo Rodrigues de Sousa Santos Francisco Macicledes Barbosa Cordeiro Luciano Reinaldo Rezende Tiro esportivo 4 vagas garantidas Feminino Débora da Silva Rodrigues Campos Masculino Alexandre Augusto Galgani Carlos Henrique Prokopiak Garletti Geraldo von Rosenthal

Triatlo 2 vagas garantidas Feminino Ana Raquel Montenegro Batista Lins Masculino Fernando Aranha Rocha Vela 6 vagas garantidas Antônio Marcos do Carmo Antônio Nuno de Castro Santa Rosa Bruno Landgraf das Neves Herivelton Ferreira Anastácio José Matias Gonçalves de Abreu Marinalva de Almeida Vôlei sentado 24 vagas garantidas Feminino Ádria Jesus da Silva Camila Maria Leiria de Castro Edwarda de Oliveira Dias Gizele Maria da Costa Dias Janaína Petit Cunha Jani Freitas Batista Laiana Rodrigues Batista Nathalie Filomena de Lima Silva Nurya de Almeida Silva Pâmela Pereira Paula Angeloti Herts Suellen Cristine Dellangelica Lima Masculino Anderson Ribas da Silva Carlos Jacó Valtrick Glemboski Daniel Jorge da Silva Fabrício da Silva Pinto Frederico Dória de Souza Gilberto Lourenço da Silva Levi César Gomes Renato Oliveira Leite Rodrigo Alves de Mello Vagner Batista da Silva Wellington Platini Silva da Anunciação Wescley Conceição de Oliveira

They all deserve medals! Independent of having won medal, the qualifying rounds for participating in the Games was an achievement itself. There were athletes who were favorite, but unfortunately on event day, did not win the so expected medal. On the other, we had huge surprises on debuting athletes. What matters is the thrill they provided. 279 athletes, 181 men and 98 women, making up the biggest Brazilian delegation in a single Paralympic Games edition. A total of 23 companions (guide athletes and goalkeepers) and 195 technical, administrative and health professionals were also part of the delegation, with 497 people in the Athletes Villa. For the first time in history, the country had representatives in all 22 modalities part of the Paralympic Games program. Know who were the Paralympic athletes participating in the Rio Games:

419


Encerramento com muita emoção

A

Foto: Heusi Action / Miriam Jeske

ssim como a cerimônia de abertura dos Jogos foi linda e emocionante, a de encerramento não deixou por menos. Um dos destaques foi a homenagem feita ao ciclista iraniano Bahman Golbarnezhad, que morreu durante a prova de ciclismo de estrada. Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, abriu a cerimônia com um lindo discurso. “Missão cumprida! Realizamos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos espetaculares. Esse Brasil, que amamos tanto, mostrou ao mundo do que somos capazes. Toda essa celebração começou com um sonho, fazendo o Rio uma cidade olímpica. Foram 20 anos na construção desse momento. Para muitos, era impossível. Para o Rio, e para o Brasil, não. O que era impossível aconteceu. Hoje estamos aqui, neste momento histórico, fechando um ciclo mágico. Rio, cidade olímpica e paraolímpica. O povo brasileiro mostrou responsabilidade, coragem, garra e muita determinação. Brasileiros nunca desistem!”, completou Nuzman. O presidente do COB ainda fez questão de elogiar tanto a Olimpíada quanto a Paraolimpíada antes de desejar sorte ao Japão. “Os Jogos Rio-2016 aproximaram mundos, venceram preconceitos. Terminamos essa jornada melhores como cidadãos, temos que ter muito orgulho. Ficarão para sempre na história do esporte mundial. Construiremos nosso futuro inspirado nos atletas. Parabéns, Rio! Parabéns, Brasil! Boa sorte, Flavio Reitz na final do salto Tóquio-2020! Muito obrigado”, finalizou. em altura classe T42 no Na sequência começou o espetáculo, com muita alegria, Estádio Olímpico nos Jogos música e cores. O Maracanã recebeu uma festa mais musical e Paralímpicos Rio 2016 menos cênica. Entre os músicos que participaram estavam grandes Flavio Reitz in the High Jump class nomes como: Vanessa da Mata, Ivete Sangalo, Nação Zumbi, T42 final at the Olympic Stadium, Rio2016 Paralympic Games Armandinho, Gaby Amarantos, Andreas Kisser, entre outros. Primeira fase dos 5000m masculino classe T54 no Estádio Olímpico nos Jogos Paralímpicos Rio 2016

Foto: Heusi Action / Miriam Jeske

First round of the men’s 5000m class T54 at the Olympic Stadium, Rio2016 Paralympic Games

420


Cerimônia de encerramento - Jogos Paralímpicos Rio 2016 Closing Ceremony - Rio2016 Paralympic Games

Foto: Heusi Action / Miriam Jeske

Foto: Heusi Action / Miriam Jeske

Closing with plenty of emotion The same way the Games opening ceremony was beautiful and thrilling, the closing ceremony followed its footsteps. One of the highlights was the tribute to Iranian cyclist Bahman Golbarnezhad, who died during the cycling road event. Carlos Arthur Nuzman, Brazilian Olympic Committee president, opened the ceremony with a beautiful speech. “Mission accomplished! We held spectacular Olympic and Paralympic Games. This Brazil we love so much showed the world what we are capable of. All this celebration started with a dream,

Cerimônia de encerramento - Jogos Paralímpicos Rio 2016 making of Rio an Olympic city. 20 years passed during the construction of this moment. For many, it was impossible. For Rio and Brazil, it was not. What was impossible happened. We are here today, in this historical moment, closing a magical cycle. Rio, Olympic and Paralympic city. The Brazilian showed responsibility, courage, enthusiasm and much determination. Brazilians never give up!”, completed Nuzman. The COB president insisted in praising both the Olympic and Paralympic Games before wishing luck to Japan. “The Rio2016 Games brought worlds closer, overcame prejudice.

The closing ceremony also delighted the audience with so much beauty

We finish this journey better as citizens, we have to be extremely proud. They will remain forever in world sports history. We will build our future inspired on the athletes. Congratulations, Rio! Congratulations, Brazil! Good luck, Tokyo 2020! Thank you very much”, he ended. Right after begun the spectacle with much happiness, music and colors. Maracanã hosted a more musical and less scenic celebration. Amongst the participating musicians were great names as: Vanessa da Mata, Ivete Sangalo, Nação Zumbi, Armandinho, Gaby Amarantos, Andreas Kisser, among others.

421


Referências Bibliográficas BENTO, J. O. Desporto, cidade, natureza. Introdução ao tema. In.: L. P. DaCosta (org.) Meio ambiente e desporto. Uma perspectiva internacional. Porto: Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, 1997. BITTENCOURT, A. C. Cidades candidatas versus cidades olímpicas: o processo de eleição, o sucesso, o fracasso, a modelagem e os conceitos de real valor. In.: O. Tavares & L. P. DaCosta (orgs) Estudos Olímpicos. Rio de Janeiro: Editora Gama Filho, 1999. CARDOSO, M. O arquivo das olimpíadas. São Paulo: Panda Books, 2000. CASHMAN, R. Olympic Countdown. Diary of the Sydney Olympics. Sydney: Walla Walla Press, 1999. CASHMAN, R. Sport in the national imagination. Sydney: Walla Walla Press, 2002. CONSTANTINO, J. M. Desporto, cidade e natureza: espaço público e cultura ecológica. In.: L. P. DaCosta (org.) Meio ambiente e desporto. Uma perspectiva internacional. Porto: Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, 1997. DANTAS, Gabriela Cabral Da Silva. “Origem dos Jogos Olímpicos”; Brasil Escola. Disponível em <http:// brasilescola.uol.com.br/educacao-fisica/origem-dos-jogos-olimpicos.htm>. Acesso em 03 de janeiro de 2016. FRANCE, A.; ROCHE, M. Sport mega-events, urban policy and youth identity: sigues of citizenship and exclusión in Sheffield. In.:M. Roche (ed.) Sport, popular culture and identity. Aachen: Meyer & Meyer: 1998. GARCÍA, B. La dimensión cultural de los macro-eventos em el 2004. Potenciales y limitaciones para una experiencia sostenible. Portal Iberoamericano de Gestión Cultural. www.gestioncultural.org, 2004. HILLER, H. H. Toward a science of Olympic outcomes: the urban legacy. In.: M. Moragas, C. Kennett e N. Puig (eds) The legacy of the Olympic Games 1984-2000. Barcelona/Lausanne: Olympic Studies Centre of the Autonomous University ofBarcelona/ Olympic Studies Centre of the International Olympic Committee, 2003. LOPEZ, A. A. La aventura olímpica. Madrid: Campamones, 1992. PORTAL BRASIL 2016 “País-Sede”, “Jogos Olímpicos”, “Medalhistas”, “Modalidades”. Disponível em http://www.brasil2016.gov.br/pt-br. Acesso em 06 de janeiro de 2016.

422


PORTAL RIO 2016 “Atletas”. Disponível em http://www.rio2016.com/atletas. Acesso em 06 de janeiro de 2016. PORTAL RIO 2016 “Os Jogos Olímpicos”. Disponível em http://www.rio2016.com/jogos-olimpicos. Acesso em 06 de janeiro de 2016. RONDINELLI, Paula. “O Brasil nos Jogos Olímpicos”; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola. uol.com.br/educacao-fisica/o-brasil-nos-jogos-olimpicos.htm>. Acesso em 05 de janeiro de 2016. RUBIO, K. Memória e imaginário de atletas medalhistas olímpicos brasileiros. Tese de Livre Docência. Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2005. TAVARES, O. Esporte, movimento olímpico e democracia: o atleta como mediador. Tese de doutorado. Programa de Pós-graduação em Educação Física. Universidade Gama Filho. Rio de Janeiro, 2003. TZANOUDAKI, S. The modern Olympic City: the passage from modernism to post-modernism in Olympic design. In.: M. Moragas, C. Kennett e N. Puig (eds) The legacy of the Olympic Games 1984-2000. Barcelona/Lausanne: Olympic Studies Centre of the Autonomous University of Barcelona. VERBRUGGEN, H. The IOC, the Olympic Movement, the host city: a common legacy. In.: M. Moragas, C. Kennett e N. Puig (eds) The legacy of the Olympic Games 1984-2000. Barcelona/Lausanne: Olympic Studies Centre of the AutonomousUniversity of Barcelona.

423


EDITORA


EDITORA

Profile for Fábio R. de Souza

Livro das olimpiadas 2016  

Livro Dedicado à cobertura das Olimpíadas 2016 realizadas no Brasil.

Livro das olimpiadas 2016  

Livro Dedicado à cobertura das Olimpíadas 2016 realizadas no Brasil.

Profile for fabinrs
Advertisement