Brasília 60 anos

Page 1





Brasília 2020




Editor e jornalista responsável Paulo Fayad André MTB / 8873 Gráfica e Editora Voz de Brasília Diretora Editorial Drª Deijanete de Araújo Fayad Autor Paulo Fayad André Jornalistas Paulo Fayad André Emanuelly Fernandes Francisco Junio Vieira da Silva Pedro Luiz Rodrigues Projeto Gráfico Editora e Gráfica Voz de Brasília Fábio Rodrigues de Souza Diagramação Fábio Rodrigues de Souza Luís Fernando Vilanova Capa Fábio Rodrigues de Souza Fotografia Agecom DF, Arquivo Público do Distrito Federal, Alan Santos, André Borges/ Agência Brasília, Bento Viana, Bruno Pinheiro/Setur, Britto Júnior, DênioSimões/Agência Brasília, Eduardo Rodrigues, Emília Silberstein, FernandoSantos, Gabriel Jabur, Horual Leon, Isac Nobrega, João Lopez de Souza,José Erigleidson Silva, Lapen fotografias, Lúcio Bernardo, Luiz Lemos, Mário Fontenelle, Nicholas César, Pablo Diego, Paulo Fayad, Pedro Ventura, Roberto Castro, Ricardo Araújo Leite, Suzy Machado, Toninho Tavares, Tony Winston, Walter Vinagre, Zaqueu Felipe e voluntários. Revisão de Texto Gráfica e Editora Voz de Brasília Tradução português/inglês _ Pedro Luiz Rodrigues Departamento Comercial Paulo Fayad André Luzia Câmara Jorge Aurélio Menezes Colaborador Renato Riela, Embaixador Pedro Luiz Rodrigues, Delfim da Costa Almeida, Secretaria de Turismo Vanessa Mendonça Patrocínio Sebrae, Shopping Boulevard, Bio Mundo e Mundo dos Filtros, Pastelaria Viçosa, Sabin, NWI, Òticas Brasiliense, Renata La Porta Buffet, Lord Perfumaria, Construtora Conbral, Construtora Paulo Octávio, Evolução Contábil, Dauto Lanternagem e Pintura, Old Brindes, Dr. José Saraiva Leite Filho, Planalto Vidros Especiais, Ferragens Pinheiro, Embaixada da Espanha, Hospital Anchieta Impressão Gráfica e Editora Voz de Brasília & Gráfica Movimento

Agradecimentos À SECOM - Governo Federal, ao Governo do Distrito Federal, aos patrocinadores, a todos os entrevistados, apoiadores e a todos que de uma forma ou de outra colaboraram para a realização desta obra. Os artigos assinados não expressam necessariamente o pensamento da Gráfica e Editora VOZ DE BRASÍLIA e são de responsabilidade de seus autores. Alguns ARTIGOS, CARTAS, ANÚNCIOS INSTITUCIONAIS e MATÉRIAS de cunho social ou filantrópico enviados com assinatura à Gráfica e Editora VOZ DE BRASÍLIA foram, ao seu critério, selecionados e resumidos para publicação sem custo para seus autores. É permitida a reprodução de dados e de informações contidos nesta publicação, desde que citada a fonte, com exceção do material fotográfico, cuja liberação deverá contar com a anuência de seus respectivos detentores dos direitos autorais. Todo o conteúdo textual do livro poderá, a critério da Gráfica e Editora Voz de Brasília, sofrer correções ortográficas e de coesão para melhor adequá-lo ao estilo e público da obra. Todos os direitos reservados à Gráfica e Editora VOZ DE BRASÍLIA, Shekinah Comunicação e Marketing Ltda CNPJ 02.580.160/0001-82 SGCV Lote 15 Bloco C Sala 402 - Ed. Blue Tree Jade Office - Park Sul - Brasília - DF CEP 71215-650 Tel: +55 (61) 3361-0183 / 3036-3636 www.vozdebrasilia.com.br paulofayad@vozdebrasilia.com.br Todas as entrevistas podem ser acessadas na integra no canal do youtube: Voz de Brasília TV

DADOS INTERNACIONAIS DE CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO (CIP) BIBLIOTECÁRIA: MARIA ISABEL SCHIAVON KINASZ, CRB9 / 626

André, Paulo Fayad A555 Almanaque Brasília 60 anos: um diamante lapidado / Paulo Fayad André – Brasília, DF: Editora Voz de Brasília, 2020. 400p.: il.; 35cm

ISBN 978-65-990029-0-8

1. Brasília (DF) – História. I. Título. CDD 981.74 (22.ed) CDU 981.7

O meio ambiente é a nossa casa



Apresentação

O

ano de 2020 apresenta uma Brasília sexagenária. A sessentona Brasília, ainda jovem para uma cidade se mostra cada vez mais importante para o cenário nacional. A cidade carrega em todos os seus cantos o suor e trabalho de pessoas admiráveis, vindas de todas as partes do país. Tudo começou com a coragem de um homem: Juscelino Kubitschek. JK superou críticas e o descaso de muitos, para levantar a cidade do leite e mel. Juscelino havia prometido entregar a nova capital em 1960 e cumpriu. Em 21 de abril de 1960 era inaugurada a cidade do sonho profético de Dom Bosco, hoje Patrimônio Cultural da Humanidade. JK faleceu em 1976. Morreu o homem, ficou a história e seu principal legado: Brasília. O Almanaque “Brasília 60 anos, um diamante lapidado”, vem trazendo a história dessa cidade passo a passo. É um compilado de belas fotos do presente e do passado, além de resumos que narram e apresentam os principais personagens responsáveis por colocar essa

cidade em pé. Aqui se conhecerá melhor os donos dos traços e das ideias que fizeram parte da construção da capital, além dos bravos Candangos que vindos do Brasil inteiro, levantaram Brasília. Esta obra traz uma série de entrevistas com as principais personalidades da capital: empresários de sucesso, políticos e embaixadores que moram e compartilham sua cultura com a cultura brasiliense. Nomes como, o jornalista Alexandre Garcia e o empresário Paulo Octávio, casado com a neta de JK, somam neste grande projeto, que visa contar os avanços da cidade nos últimos 60 anos. Dados estatísticos sobre várias áreas também são apresentados. Se encontra o registro sobre a economia, educação, agricultura, religião e cultura que cercam a cidade. Além de uma apresentação de futuros projetos que visam melhorar ainda mais essa bela cidade. Brasília chega aos 60 anos na sua melhor forma e mostra que ainda tem muito a oferecer a sua população e ao Brasil.

Presentation The year 2020 presents a sexagenarian Brasilia. The sixty-year-old Brasília, still young for a city, proves to be increasingly important for the national scene. The city carries in all its corners the sweat and work of admirable people, coming from all parts of the country. It all started with the courage of a man: Juscelino Kubitschek. JK overcame criticism and the neglect of many, to raise the city of milk and honey. Juscelino had promised to hand over the new capital in 1960 and complied. On April 21, 1960, the city of Don Bosco’s prophetic dream was inaugurated, today a World Heritage Site. JK died in 1976. The

ambassadors who live and share their culture with the culture of Brasilia. Names like journalist Alexandre Garcia and businessman Paulo Octávio, married to JK’s granddaughter, add up to this great project, which aims to tell the city’s progress over the past 60 years. Statistical data on several areas are also presented. There is a record of the economy, education, agriculture, religion and culture that surround the city. In addition to a presentation of future projects that aim to further improve this beautiful city. Brasília reaches the age of 60 at its best and shows that it still has a lot to offer its population and Brazil.

Autor man died, history and his main legacy remained: Brasília. The Almanaque “Brasília 60 years, a cut diamond”, has been bringing the history of this city step by step. It is a compilation of beautiful photos of the present and the past, as well as summaries that narrate and present the main characters responsible for putting this city on its feet. Here, the owners of the traces and ideas that were part of the construction of the capital will be better known, as well as the brave Candangos who came from all over Brazil, who raised Brasília. This work brings a series of interviews with the main personalities of the capital: successful entrepreneurs, politicians and


POLINIZAÇÃO

B

rasília tem tantas caras... Dá uma volta no Conic! Come pastel na Rodoviária! Há gente pra mais de légua. Visita uns condomínios, Expansões, minifúndios. Haja churrasqueira. Arre égua! Brasília é coroa d’água potável. Vai à prainha do Paranoá, Ao Parque Nacional, À Barragem do Descoberto. Vai ver preá no lombo do lobo- guará. Brasília tem cada coisa boa... Tem morangos no Incra, Domingo de prazeres nas asas, Clubes embriagados de Lago, Mas tem paredão elétrico ao redor das casas. Brasília tem cada imagem... Já viste os ipês floridos? E a caliandra? Parece miragem! Quer mais? Vai à Feira da Torre, Em tempos de estiagem! Cinqui entona: “Cidade Livre” - Plana’ltiva de Goiás. No teu beijo a gente Gama, Na’rea Alfa relaxa em paz. Sandra Fayad Poema selecionado em Concurso SESC- DF-2010

Pollination Brasília has so many faces ... Take a ride on Conic! Eat pastel at the bus station! There are people for more than a league. Visit some condominiums, Expansions, smallholdings. There is a barbecue. Dam mare! Brasília is the crown of drinking water. Go to Paranoá beach, To the National Park, Discovery Dam. You will see the turtle’s back. Brasília has every good thing ... There are strawberries at Incra, Sunday of pleasures on the wings, drunken clubs in Lago, But there is an electric wall around the houses. Brasília has each image ... Have you seen the flowering ipe trees? And the caliandra? It looks like a mirage! Want more? Go to the Tower Fair, In times of drought! Cinqui entona: “Cidade Livre” - Plana’ltiva de Goiás. In your kiss, Gama people, Na’rea Alfa relax in peace.

11


ÍNDICE

Brasília o sonho de muitos

15 Personagens importantes na construção de brasília

27

A realização do sonho

39 Fatos marcantes

73 Política na Capital

127 Brasília Empreendedora

179


Regiões Administrativas do Distrito Federal

251

A Capital do Mundo

287 Brasília Avança

393 Post Mortem

414 Referências Bibliográficas

420


Cruzamento dos Eixos Monumental e Rodoviário de Brasília

14

Foto: Mário Fontenelle - ARPDF


Brasília, O Sonho de muitos


Os sonhadores Marquês de Pombal Marquês de Pombal foi a primeira pessoa a manifestar o desejo de transferir a capital da Colônia para o interior do país, isso em 1751. Na ocasião, a capital do Brasil era Salvador. O cartógrafo italiano Francesco Tosi Colombina, explorador, geógrafo e engenheiro militar, por ele contratado e a serviço do Primeiro Governador de Goiás, Dom Marco de Noronha, Conde dos Arcos, elabora carta geográfica de Goiás e realça o valor estratégico do Planalto Central. A ideia da transferência era para proteger o poder de uma possível invasão marítima e para aumentar o desenvolvimento das outras regiões do país. Foto:Divulgação

Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes) Tiradentes é considerado um dos grandes nomes da história brasileira. Liderando os Inconfidentes Mineiros, ele reivindicava à Corte de Lisboa a mudança da capital para São João Del Rei, por vantagens estratégicas e segurança, e para um povoamento no interior. Republicano, Tiradentes lutava pela independência do Brasil de Portugal. A inauguração de Brasília se deu justamente no dia 21 de abril, data que se comemora o dia de Tiradentes. O então presidente Juscelino Kubitscheck, escolheu esse dia para prestar uma homenagem ao herói da inconfidência.

Foto:Divulgação

José Bonifácio de Andrade e Silva O Patrono da Independência do Brasil, sempre declarava que a capital deveria ficar no interior do país, não no litoral. No dia 20 de outubro de 1821, ele sugere, nas “Instruções dos Deputados Paulistas à Corte”, que se levante no interior do Brasil uma cidade central para a Corte, na latitude de 15° aproximadamente. Além disso, propõe à Assembleia Constituinte que a Capital do Império seja transferida para a Comarca de Paracatu do Príncipe, Minas Gerais. Ele sugeriu os nomes Brasília ou Petrópolis.

Foto:Divulgação

16


Hipólito José da Costa O da O do de

jornalista Hipólito José da Costa é o fundador do jornal Correio Braziliense. O primeiro número publicação foi realizado em Londres, e era feita em fascículos mensais, com cerca de 80 páginas. jornal foi proibido de circular no Brasil e em Portugal, pois os artigos pregavam a independência Brasil. Em 1816, Hipólito escreveu o artigo “Nova Capital, novas estradas e medidas para criação povoados” publicado no Correio Braziliense, onde defendeu a interiorização da capital do país.

Fotos:Divulgação

Francisco Adolfo de Varnhagen: o Visconde de Porto Seguro O Visconde de Porto Seguro foi outro defensor da transferência da capital. Inicialmente ele sugeria São João Del Rei, na sequência, observou que o Planalto Central era mais importante. Porto Seguro, era um historiador e diplomata, e chegou a realizar uma excussão sem apoio e financiamento do governo para encontrar a melhor área para demarcar o local que poderia receber a nova capital.

Foto:Divulgação

São João Bosco Em 4 de setembro de 1883, Dom Bosco, o padre fundador da congregação dos Salesianos, teve um sonho profético sobre o nascimento de uma rica e próspera civilização na América do Sul, entre os paralelos 15° e 20°. “Entre os graus 15 e 20, existia um seio de terra bastante largo e longo, que partia de um ponto onde se formava um lago. Então uma voz me disse repentinamente: quando vieres escavar os minerais ocultos no meio destes montes, surgirá aqui a Terra da Promissão, fluente de leite e mel. Será uma riqueza inconcebível”. Brasília foi erguida entre os paralelos sonhados por Dom Bosco 77 anos depois do sonho.

Fotos:Divulgação The dreamers Marquis of Pombal Marquis de Pombal was the first person to express his desire to transfer the capital of the Colony to the interior of the country in 1751. At the time, the capital of Brazil was Salvador. Italian cartographer Francesco Tosi Colombina, an explorer, geographer and military engineer, hired by him and in the service of the First Governor of Goiás, Archbishop Marco de Noronha, Count of Arcos, draws up a geographical map of Goiás and highlights the strategic value of the Central Plateau. The idea of ​​the transfer was to protect the power of a possible maritime invasion and to increase the development of other regions of the country. Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes) Tiradentes is considered one of the great names in Brazilian history. Leading the Inconfidente Miners, he demanded from the

Lisbon Court that the capital be moved to São João Del Rei, for strategic advantages and security, and for a settlement in the interior. Republican, Tiradentes fought for Brazil’s independence from Portugal. The inauguration of Brasilia took place on April 21, the date commemorating Tiradentes Day. The then president Juscelino Kubitscheck chose this day to pay tribute to the hero of the misconduct. José Bonifácio de Andrade e Silva The Patron of Independence of Brazil, always declared that the capital should be in the interior of the country, not in the coast. On October 20, 1821, he suggests, in the “Instructions of the Paulistas Deputies to the Court”, that a central city for the Court be raised in the interior of Brazil at a latitude of approximately 15 °. In addition, it proposes to the Constituent Assembly that the Capital of the Empire be transferred to the Paracatu do Príncipe District, Minas

Gerais. He suggested the names Brasilia or Petrópolis. Hipolito José da Costa The journalist Hipólito José da Costa is the founder of the newspaper Correio Braziliense. The first issue of the publication was made in London, and was done in monthly issues of about 80 pages. The newspaper was banned from circulating in Brazil and Portugal, as the articles preached the independence of Brazil. In 1816, Hipolito wrote the article “New, Capital, New Roads and Measures for the Creation of Villages”, published in Correio Braziliense, where he defended the interiorization of the country’s capital. Francisco Adolfo de Varnhagen: the Viscount of Porto Seguro The Viscount of Porto Seguro was another defender of the transfer of the capital. Initially he suggested St. John Del King, then noted that the Central Plateau was

more important. Porto Seguro, was a historian and diplomat, and even carried out an excursion without government support and funding to find the best area to demarcate the place that could receive the new capital. St. John Bosco On September 4, 1883, Don Bosco, the founding priest of the Salesian Congregation, had a prophetic dream about the birth of a rich and prosperous civilization in South America between the 15th and 20th parallels. “Between the 15th and 20th degrees, there was a fairly wide and long bosom of land, starting from a point where a lake formed. Then a voice suddenly said to me: When you come to dig out the hidden minerals in the midst of these hills, here will come the Promised Land, flowing with milk and honey. It will be unthinkable wealth. ” Brasilia was erected between the parallels dreamed by Don Bosco 77 years after the dream.

17


Missão Cruls

E

Os exploradores do Planalto Central m 1892, o então presidente Floriano Peixoto criou a “Comissão Exploradora do Planalto central do Brasil”, comandada pelo cientista belga Luiz Cruls, Diretor do Observatório Nacional. O trabalho era para a realização da demarcação da área que seria destinada ao novo Distrito Federal e ficou conhecida como Missão Cruls. A comissão era formada por 21 pessoas e demarcou um setor de 14.400km², que ficou conhecida como “Quadrilátero Cruls”.

Em sete de maio de 1894, Luiz Cruls publicou um relatório sobre o Planalto Central (topografia, fontes de energia, clima, caracterização do solo, geologia, fauna, flora), um verdadeiro estudo ambiental. O sucesso da missão resultou a criação da Comissão de Estudos da Nova Capital da União. No relatório apresentado por Luiz Cruls foi revelada uma região de incrível beleza panorâmica, de ótimo clima e de fauna e flora exuberantes, ou seja, de

Missão Cruls na Lagoa Feia (Formosa GO) Foto: Henrique Morize - 1892

18

condições mais que propícias para a implantação do novo centro do poder nacional. Os integrantes da Comissão Cruls eram compostos por: pesquisadores, geólogos, geógrafos, botânicos, naturalistas, engenheiros e médicos. Eles foram responsáveis por estudos científicos inéditos naquela região. Mapearam aspectos climáticos e topográficos. Estudaram a fauna, a flora, os cursos de rios e o modo de como vivia os habitantes locais.


Linha do tempo dos acontecimentos que antecederam a construção de Brasília 1750

O cartógrafo genovês Francisco Tossi Colombina elaborou a chamada Carta de Goiás, sugerindo a mudança da capital do Brasil para essa região. Há ainda registros históricos atribuídos ao Marquês de Pombal, segundo os quais o estadista português defendia a mudança da sede do governo para o vale do Amazonas.

1763 O Brasil passou a ter nova capital: o Rio de Janeiro (RJ), que sucedeu a Salvador (BA).

1810

Já existia a proposta de fixar a sede do governo no interior do país, longe dos portos, por questões estratégicas de segurança, o que dificultaria ataques de conquistadores.

1823

Ano da Constituinte do Império, quando José Bonifácio – conhecido pelo epíteto de “Patriarca da Independência” – apresentou projeto para mudar a capital do país, sugerindo o nome “Brasília” para a nova cidade.

1852 O parlamentar pernambucano Holanda Cavalcanti apresentou projeto ao Senado, dando continuidade à proposta de José Bonifácio.

Cruls Mission The explorers of the Central Plateau In 1892, then-President Floriano Peixoto created the “Exploring Commission of the Central Plateau of Brazil,” led by Belgian scientist Luiz Cruls, Director of the National Observatory. The work was for the demarcation of the area that would be destined for the new Federal District and became known as Mission Cruls. The commission was made up of 21 people and demarcated an area of ​​14,400km², which became known as the “Quadrilátero Cruls”. On May 7, 1894, Luiz Cruls published a report on the Central Plateau (topography, energy sources, climate, soil characterization, geology, fauna, flower), a true environmental study. The success of the mission resulted in the creation of the Union’s New Capital Studies Commission. In the report presented by Luiz Cruls, a region of incredible panoramic beauty, great weather and exuberant fauna and flowers was revealed, that is, more than favorable conditions. for the establishment of the new center of national power.

The members of the Cruls Commission were composed of: researchers, geologists, geographers, botanists, naturalists, engineers and doctors. They were responsible for unpublished scientific studies in that region. They mapped climatic and topographic aspects. They studied the fauna, flora, river courses and the way the locals lived. Timeline of events leading up to the construction of Brasilia 1750 - Genoese cartographer Francisco Tossi Colombina elaborated the so-called Carta de Goiás, suggesting the change of the capital of Brazil to this region. There are also historical records attributed to the Marquis of Pombal, according to which the Portuguese statesman defended the change of the seat of government to the Amazon valley. 1763 - Brazil started to have a new capital: Rio de Janeiro (RJ), which succeeded Salvador (BA). 1810 - There was already a proposal to establish the headquarters of the government in the interior of the country, away from ports, for strategic security reasons, which would hinder attacks by conquerors.

1823 - Year of the Empire Constituent, when José Bonifácio - known by the epithet of “Patriarch of Independence” - presented project to change the capital of the country, suggesting the name “Brasilia” for the new city. 1852 - Pernambuco parliamentarian Holanda Cavalcanti presented draft to the Senate, continuing José Bonifácio’s proposal. 1853 - Piaui Senator João Lustosa da Cunha Paranaguá - according to Marquês de Paranaguá - also presented a project on the subject. At the time, he spoke defending the change of the capital. 1877 - Francisco Adolfo de Varnhagen, the Viscount of Porto Seguro, Brazilian military, diplomat and historian, made the first trip to the Central Plateau to locate the future capital. Officialed by the Ministry of Agriculture, the adventure, made in donkey loin, was to indicate regions conducive to European colonization in Brazil. Varnhagen suggested the name of Empress to the new capital, which would be the seat of the Empire.

19


JK pensativo no cerrado

20

Foto: ARPDF


1853 O senador piauiense João Lustosa da Cunha Paranaguá – segundo Marquês de Paranaguá – também apresentou projeto sobre o tema. Na ocasião, discursou defendendo a mudança da capital.

1877 Francisco Adolfo de Varnhagen, o visconde de Porto Seguro, militar, diplomata e historiador brasileiro, fez a primeira viagem ao Planalto Central para localizar a futura capital. Oficializada pelo Ministério da Agricultura, a aventura, feita em lombo de burro, era para indicar regiões propícias à colonização europeia no Brasil. Varnhagen sugeria o nome de Imperatória para a nova capital, que seria a sede do Império.

1883

Ano do famoso sonho de São João Bosco – Dom Bosco –, italiano fundador da Congregação dos Salesianos. Em seu sonho, ele viu o surgimento de uma nova civilização, entre os paralelos 15° e 20° do hemisfério sul, numa região onde se formava um lago. Brasília está localizada no mesmo espaço geográfico delimitado pelo sonho, erguida às margens do Lago Paranoá – por esse motivo, Dom Bosco é o padroeiro da cidade, ao lado de Nossa Senhora Aparecida.

1891

A primeira Constituição da República estabelece, em seu artigo 3º, a área de 14 mil Km² no planalto central, a ser demarcada para a transferência da futura capital.

1892 Nomeada pelo presidente Floriano Peixoto, a Comissão Exploradora do Planalto Central, composta por 21 pessoas e chefiada pelo astrônomo e geógrafo belga Louis Ferdinand Cruls. A chamada Missão Cruls demarcou uma área de 14.400 Km², considerada adequada para a futura capital, que ficou conhecida como “Quadrilátero Cruls” (formado pelas áreas que incluíam as lagoas de Formosa Feia e Mestre D’Armas). Esse local foi o mesmo indicado por Varnhagen.

1894 Cruls apresentou ao governo republicano o relatório da comissão exploradora, que ficou conhecido como Relatório Cruls.

21


1896

Cruls apresentou um segundo relatório sobre o local demarcado, com informações sobre ligação ferroviária.

1922 Foi lançada a pedra fundamental da futura capital do país, perto da cidade de Planaltina, que integra atualmente o Distrito Federal.

1952

O Congresso Nacional aprovou lei determinando a realização de estudos conclusivos para a edificação da nova capital.

1955

Foram concluídos os estudos realizados por uma comissão chefiada pelo marechal José Pessoa, que contratou a empresa americana Donald Belcher & Associates, de Donald Belcher, para demarcar o local de construção da capital, cuja área foi fixada em 52 mil Km². Nesse mesmo ano, o presidente Café Filho aprovou a área.

1955

Em comício na cidade de Jataí (GO), o candidato à presidência da República, Juscelino Kubitschek prometeu transferir a capital do país para o Planalto Central, caso fosse eleito.

1956

O presidente Juscelino Kubitschek encaminhou ao Congresso a chamada Mensagem de Anápolis, propondo, entre outras medidas, a criação da Companhia Urbanizadora da Nova Capital, a futura Novacap. Propôs também o nome de Brasília para sede do governo. Aprovado pelo Congresso, o projeto se converteu na Lei 2.874/56. Nesse mesmo ano foi lançado o edital do concurso do plano piloto, publicado no Diário Oficial de 30 de setembro de 1956. Em outubro, o governo de Juscelino começou, efetivamente, a construção da cidade. Iniciou as obras da residência presidencial provisória, o futuro Catetinho, que foi concluído em nove dias. Começaram a ser construídos o primeiro aeroporto da cidade e o Palácio da Alvorada.

22


1957 O projeto de Lúcio Costa foi escolhido vencedor e começam as obras de construção do plano piloto.

1958 Foi feito o primeiro asfaltamento e fundada a cidade de Taguatinga.

1960 Brasília é inaugurada. As festividades para a inauguração começaram às 16h do dia 20 de abril. Na madrugada, uma missa celebrada pelo patriarca de Lisboa marca a inauguração da capital. Às 9h30 do dia 21 de abril foram instalados os três poderes da República: Palácio do Planalto, Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal (STF).

1883 - Year of the famous dream of St. John Bosco - Don Bosco - Italian founder of the Congregation of the Salesians. In his dream he saw the emergence of a new civilization between the 15th and 20th parallels of the southern hemisphere in a lake-forming region. Brasilia is located in the same geographical space delimited by the dream, erected on the shores of Lake Paranoá - for this reason, Don Bosco is the patron saint of the city, next to Nossa Senhora Aparecida. 1891 - The first Constitution of the Republic establishes, in its article 3, the area of ​​14 thousand km² in the central plateau, to be demarcated for the transfer of the future capital. 1892 - Named by President Floriano Peixoto, the Central Highlands Exploring Commission, composed of 21 people and headed by Belgian astronomer and geographer Louis Ferdinand Cruls. The so-called Cruls Mission demarcated an area of ​​14,400 km², considered suitable for the future capital, which became known as the “Quadrilátero Cruls” (formed by the areas that included the lagoons of Formosa, Feia and Mestre D’Armas). This place was the same indicated by Varnhagen. 1894 - Cruls presented to the republican government the report of the exploiting commission, which became known as the Cruls Report. 1896 - Cruls presented a second report on the demarcated site, with information on rail connection. 1922 - The cornerstone of the future capital of the country was laid, near the city of Planaltina, which is currently part of the Federal District. 1952 - The National Congress approved law determining the completion of conclusive studies for the construction of the new capital. 1955 - Studies by a commission headed by Marshal José Pessoa, who hired Donald Belcher’s American company Donald Belcher & Associates, were

completed to demarcate the construction site of the capital, whose area was set at 52,000 square kilometers. That same year, President Café Filho approved the area. 1955 – Em comício na cidade de Jataí (GO), o candidato à presidência da República, Juscelino Kubitschek prometeu transferir a capital do país para o Planalto Central, caso fosse eleito. 1956 – O presidente Juscelino Kubitschek encaminhou ao Congresso a chamada Mensagem de Anápolis, propondo, entre outras medidas, a criação da Companhia Urbanizadora da Nova Capital, a futura Novacap. Propôs também o nome de Brasília para sede do governo. Aprovado pelo Congresso, o projeto se converteu na Lei 2.874/56. Nesse mesmo ano foi lançado o edital do concurso do plano piloto, publicado no Diário Oficial de 30 de setembro de 1956. Em outubro, o governo de Juscelino começou, efetivamente, a construção da cidade. Iniciou as obras da residência presidencial provisória, o futuro Catetinho, que foi concluído em nove dias. Começaram a ser construídos o primeiro aeroporto da cidade e o Palácio da Alvorada. 1957 – O projeto de Lúcio Costa foi escolhido vencedor e começam as obras de construção do plano piloto. 1958 – Foi feito o primeiro asfaltamento e fundada a cidade de Taguatinga. 1960 – Brasília é inaugurada. As festividades para a inauguração começaram às 16h do dia 20 de abril. Na madrugada, uma missa celebrada pelo patriarca de Lisboa marca a inauguração da capital. Às 9h30 do dia 21 de abril foram instalados os três poderes da República: Palácio do Planalto, Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal (STF).

23


Monumento em homenagem aos candangos

Foto: ARPDF

24


Brasília 60 anos. Uma história de empreendedorismo, inovação e muita

Tudo a ver com os pequenos negócios. Nos 60 anos da nossa capital, nada mais justo do que homenagearmos também os empreendedores, responsáveis por grande parte do desenvolvimento e dos empregos gerados no DF. O empreendedorismo é a força que move o Brasil, e o Sebrae é a força do empreendedor brasileiro.

sebrae.com.br / 0800 570 0800

A força do empreendedor brasileiro. 25


Praça do Cruzeiro

Foto: Sálvio - ARPDF


Personagens importantes na construção de Brasília

Jogue o lixo no lixo


E

Juscelino Kubitschek

m setembro de 1902, em Diamantina, Minas Gerais, nascia Juscelino Kubitschek de Oliveira. Filho de João Cézar de Oliveira, caixeiro viajante falecido ainda jovem, e de Dona Júlia Kubitschek, professora primária. JK tinha uma irmã mais velha, Maria da Conceição, conhecida como Naná. Ela teve papel importante na formação da personalidade de JK. Eles foram criados na Rua Francisco, do velho Tijuco, que hoje é Diamantina. Quando criança, a cidade dos sonhos de Juscelino era Belo Horizonte, onde foi viver e trabalhar como telegrafista em maio de 1921. Em 1927, formou-se em medicina, tornando-se assistente de Júlio Soares, na 3ª Enfermaria de Clínica Cirúrgica. JK teve uma passagem pela Europa, e regressou

Juscelino Kubitschek In September 1902, in Diamantina, Minas Gerais, Juscelino Kubitschek de Oliveira was born. Son of João Cézar de Oliveira, a traveling salesman who died at a young age, and Dona Júlia Kubitschek, a primary school teacher. JK had an older sister, Maria da Conceição, known as Naná. She played an important role in shaping JK’s personality. They were created on Rua Francisco, from old Tijuco, which is now Diamantina. As a child, Juscelino’s dream city was Belo Horizonte, where he went to live and work as a telegraph operator in May 1921. In 1927, he graduated in medicine, becoming an assistant to Júlio Soares, at the 3rd Infirmary of Clinical Surgery. JK had a stint in Europe, and returned to Brazil in 1930, when he started to work at the Military Hospital, becoming a lieutenant colonel. In 1931, he married Dona Sarah, at the Nossa Senhora da Paz Church, in Ipanema, Rio de Janeiro, with whom he had two daughters: Márcia, who was born in 1943, and Maria Estela, who was adopted by the couple in 1947, at the time she was four years old. JK’s public life began in 1934, when he assumed his first position, that of Federal Deputy. In 1937 he lost his post after the coup that instituted the Estado Novo. Three years later he took over as mayor of Belo Horizonte, during this period he worked for the first time with Oscar Niemeyer, with whom he carried out the important work of the Pampulha complex. In 1951, he is elected governor of Minas Gerais, it is in his government that the creation of CEMIG (Centrais Elétricas de Minas Gerais) takes place. Juscelino Kubitschek achieved his greatest victory in politics, when on October 3, 1955, he won the elections for president of Brazil. JK belonged to the coalition that united the Social Democratic Party (PSD) and the Brazilian Labor Party (PTB). He assumed the presidency on January 31, 1956. His greatest achievement as president was the transfer of the federal capital to the central-west of the country. The eternal JK died on August 22, 1976, in a car accident at kilometer 165 of via Dutra, while traveling from São Paulo to Rio de Janeiro.

28

ao Brasil em 1930, quando começou a trabalhar no Hospital Militar, chegando a ser nomeado tenente-coronel. Em 1931, casou-se com Dona Sarah, na Igreja Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, no Rio de Janeiro, com quem teve duas filhas: Márcia, que nasceu em 1943, e Maria Estela, que foi adotada pelo casal em 1947, na ocasião ela tinha quatro anos. A vida pública de JK iniciou-se em 1934, quando assumiu seu primeiro cargo, o de Deputado Federal. Em 1937 ele perdeu o cargo, depois do golpe que instituiu o Estado Novo. Três anos mais tarde assumiu como prefeito de Belo Horizonte, neste período ele trabalhou pela primeira vez com Oscar Niemeyer, com quem realizou a importante

JK em Diamantina

obra do complexo da Pampulha. Em 1951 é eleito governador de Minas Gerais, é no seu governo que acontece a criação da CEMIG (Centrais Elétricas de Minas Gerais). Juscelino Kubitschek alcançou sua maior vitória na política, quando em 3 de outubro de 1955, venceu as eleições para presidente do Brasil. JK pertencia a coligação que unia o Partido Social Democrático (PSD) e o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Ele assumiu a presidência em 31 de janeiro de 1956. Sua maior realização como presidente foi a transferência da capital federal para o centrooeste do país. O eterno JK faleceu em 22 de agosto de 1976, em um acidente de carro no quilômetro 165 da via Dutra, quando viajava de São Paulo para o Rio de Janeiro.

Foto: ARPDF


ADMINISTRAÇÃO

BOULEVARD S H O P P I N G. INSPIRADO EM

Any Any | Bacio di Latte | C&A | Casa do Pão de Queijo | Dress To | Hering | Hering Kids | Kinoplex Kopenhagen | Mania de Churrasco | Marisa | Morana | Outer | Pecorino Trattoria | Renner | Ri Happy Riachuelo Mulher | SAJ Restaurante Árabe | Salão H.ex | Sergio’s | Sestini | Smart Fit | The Body Shop Uncle K | Vivo | Visão Hospital de Olhos e muitas outras opções para você.

B O U L E RVA R D B R AS I L I A .C O M . B R

/BOULEVARDSHOPPINGBSB

/BOULEVARDSHOPPINGBRASILIA

SETOR TERMINAL NORTE, CONJUNTO J, ASA NORTE, BRASÍLIA – DF

/BOULEVARDBRASILIA


Sarah Kubitschek, mãe e esposa

S

arah Luísa Lemos Kubitschek é a eterna primeira dama do Brasil. Nascida em 5 de outubro de 1908, ela era filha do Deputado Federal Jaime Gomes de Sousa Lemos e de Luísa Negrão. Em 1931, aos 23 anos, casou-se com Juscelino Kubitschek com quem teve duas filhas. A carreira política do marido lhe rendeu uma vida participativa em obras sociais, iniciando-se em Minas Gerais. Ela fundou a Organização das Voluntárias Sociais, que possuía obra assistencial em Minas: escolas, creches e distribuição de roupas, alimentos, cadeiras de rodas e aparelhos mecânicos para deficientes.

Foto: ARPDF

Lúcio Costa, dono dos traços da capital

L

úcio Marçal Ferreira Ribeiro Lima Costa, nasceu em 1902 em Toulon, França. O famoso arquiteto era filho do baiano engenheiro naval Joaquim Ribeiro da Costa e da professora Libânia Theodora Rodrigues. Por causa da profissão do pai, ele passou boa parte da sua infância viajando. Chegou a estudar na Inglaterra e na Suíça. Em 1917, já no Brasil, passa a fazer parte da Escola Nacional de Belas Artes, concluindo o curso de Arquitetura e Urbanismo, em 1924. Em 1957, ele venceu o concurso nacional para a elaboração do Plano Piloto de Brasília, tornando-se o dono dos traços do centro da nova capital do país. No dia 13 de junho de 1998 morreu no Rio de Janeiro.

Sarah Kubitschek, mother and wife Sarah Luísa Lemos Kubitschek is the eternal first lady of Brazil. Born on October 5, 1908, she was the daughter of Federal Deputy Jaime Gomes de Sousa Lemos and Luisa Negrão. In 1931, at the age of 23, he married Juscelino Kubitschek with whom he had two daughters. Her husband’s political career earned her a participatory life in social work, beginning in Minas Gerais. She founded the Social Volunteer Organization, which had assistance work in Minas Gerais: schools, day care centers and distribution of clothes, food, wheelchairs and mechanical devices for the disabled.

30

Lúcio Costa, owner of the capital’s traits Lúcio Marçal Ferreira Ribeiro Lima Costa was born in 1902 in Toulon, France. The famous architect was the son of Bahian naval engineer Joaquim Ribeiro da Costa and professor Libânia Theodora Rodrigues. Because of his father’s profession, he spent much of his childhood traveling. He even studied in England and Switzerland. In 1917, already in Brazil, he became part of the National School of Fine Arts, completing the course of Architecture and Urbanism in 1924. In 1957, he won the national competition for the elaboration of the Brasilia Pilot Plan, becoming the owner of the features of the center of the new capital of the country. On June 13, 1998, he died in Rio de Janeiro.

Foto: ARPDF


Oscar Niemeyer, o arquiteto das curvas

O

scar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho, nascido no Rio de Janeiro, em 1907, é o arquiteto brasileiro com o maior número de prêmios internacionais. Ele possui uma série de obras espalhadas pelo Brasil e pelo mundo, tornando-se um expoente na arquitetura mundial. Niemeyer formou-se em 1934 pela Escola Nacional de Belas Artes e é o responsável por tornar Brasília um museu a céu aberto. O arquiteto assinou obras importantes como: a Catedral, Congresso Nacional, Palácio da Alvorada, Palácio do Planalto, Supremo Tribunal Federal, entre outras. Além de assinar também obras famosas em outras cidades do Brasil, como a Passarela do Samba, no Rio de Janeiro. Oscar Niemeyer, faleceu no dia 5 de dezembro de 2012, poucos dias antes de completar 105 anos.

Foto: ARPDF

Israel Pinheiro, o primeiro prefeito de Brasília

I

srael Pinheiro da Silva, filho de João Pinheiro da Silva e de Helena de Barros Pinheiro, nasceu em Caeté, Minas Gerais, dia 4 de janeiro de 1896. Ele foi um importante político e engenheiro civil, sendo um dos responsáveis por comandar a construção de Brasília. Israel chegou também presidir a Companhia Vale do Rio Doce, no qual ficou até 1945. Com a vitória de JK para presidente do Brasil, tornouse presidente na Novacap, que foi responsável pela abertura de várias rodovias importantes ligando Brasília ao resto do país. Seu falecimento aconteceu em Belo Horizonte, em julho de 1973.

Foto: ARPDF

Oscar Niemeyer, the architect of the curves Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho, born in Rio de Janeiro in 1907, is the Brazilian architect with the most international awards. He has a series of works around Brazil and around the world, becoming an exponent in world architecture. Niemeyer graduated in 1934 from the National School of Fine Arts and is responsible for making Brasilia an open-air museum. The architect signed important works such as: the Cathedral, National Congress, Dawn Palace, Planalto Palace, Supreme Court, among others. In addition to signing famous works in other cities of Brazil, such as Passarela do Samba, in Rio de Janeiro. Oscar Niemeyer died on December 5, 2012, a few days before his 105th birthday.

Israel Pinheiro, the first mayor of Brasilia Israel Pinheiro da Silva, son of João Pinheiro da Silva and Helena de Barros Pinheiro, was born in Caeté, Minas Gerais, January 4, 1896. He was an important politician and civil engineer, being responsible for leading the construction of Brasilia. Israel also came to preside over the Vale do Rio Doce Company, which remained until 1945. With JK’s victory as president of Brazil, he became president at Novacap, which was responsible for opening several major highways linking Brasilia with the rest of the country. His death happened in Belo Horizonte, in July of 1973.

31


Bernardo Sayão, o descobridor

B

ernardo Sayão Carvalho Araújo, nasceu no Rio de Janeiro em 18 de junho de 1901. Formado em agronomia e medicina veterinária, dedicou sua vida para o desenvolvimento da região do centro-oeste do país. Foi Vice-Governador de Goiás e chegou a receber JK na sua primeira viagem a Brasília, em outubro de 1956. Trabalhou com Israel Pinheiro na Novacap, e é o responsável pela construção da Transbrasiliana, a rodovia Belém-Brasília. Sua morte aconteceu justamente neste projeto. Em 15 janeiro de 1959, durante a abertura da Belém--Brasília, uma árvore caiu sobre sua barraca. Ele morreu no mesmo dia quando era transportado para o hospital.

Foto: ARPDF

Athos Bulcão, um artista completo

A

thos Bulcão, nasceu em 2 de julho de 1918, no Catete, Rio de Janeiro. Aos cinco anos perdeu a mãe, Maria Antonieta da Fonseca Bulcão, e foi criado apenas pelo pai, Fortunado Bulcão. Durante sua vida acumulou as funções de pintor, escultor e desenhista. Chegou a iniciar o curso de medicina aos 18 anos, mas não deu continuidade dedicando toda sua vida à arte. As obras de Athos estão espalhadas por Brasília, convivendo com a população, como, nos azulejos da Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima, na 307 sul. É um dos responsáveis, por fazer de Brasília um museu a céu aberto. Faleceu em Brasília, dia 31 de julho de 2008.

Foto: ARPDF

32

Bernardo Sayão, the discoverer Bernardo Sayão Carvalho Araújo, born in Rio de Janeiro on June 18, 1901. Graduated in agronomy and veterinary medicine, he dedicated his life to the development of the Midwest region of the country. He was vice-governor of Goiás and received JK on his first trip to Brasilia in October 1956. He worked with Israel Pinheiro at Novacap, and is responsible for the construction of Transbrasiliana, Belém-Brasília highway. His death happened only in this project. On January 15, 1959, during the opening of Belém - Brasilia, a tree fell on its tent. He died the same day when he was transported to the hospital.

Athos Bulcão, a complete artist Athos Bulcão, born July 2, 1918, in Catete, Rio de Janeiro. At the age of five she lost her mother, Maria Antonieta da Fonseca Bulcão, and was raised only by her father, Fortunado Bulcão. During his life he accumulated as functions of painter, sculptor and draftsman. He even started medical school at the age of 18, but did not devote his entire life to art. As Athos’s works are scattered throughout Brasilia, living with the population, as in the tiles of the Church of Our Lady of Fatima, 307 south. He is one of those responsible for making Brasilia in an open air museum. Died in Brasilia, July 31, 2008.


Burle Marx, o paisagista

R

oberto Burle Marx, nasceu em São Paulo, 4 de agosto de 1909. Filho de uma pernambucana e de um alemão, seu avô era primo do famoso filósofo e sociólogo alemão Karl Marx. Seu amor por paisagismo surgiu aos sete anos, quando aprendeu a cuidar das flores com a mãe. Seu primeiro trabalho foi em Recife, quando projetou o jardim público da Praça de Casa Forte. Na década de 1960, começou a compor os jardins de Brasília, entre seus trabalhos estão: os jardins do Eixo Monumental, Parque Zoobotânico, Teatro Nacional, Parque da Cidade, Palácio do Jaburu, entre outros. Faleceu em 4 de junho de 1994, no Rio de Janeiro, tendo projetado mais de 2.000 jardins.

Foto: ARPDF

Marechal José Pessôa, o Determinado

J

osé Pessôa Cavalcanti de Albuquerque, o Marechal José Pessôa nasceu em 12 de setembro de 1885, em Cajazeiras, Paraíba. Era sobrinho de Epitácio Pessoa, Presidente da República de 1919 a 1922. Foi o responsável por encontrar o local preciso para a construção da nova capital, presidindo a Comissão de Localização, por 20 meses. A demarcação dos limites do Distrito Federal foi realizada em 11 dias pelo Serviço Geográfico do Exército. Pessôa faleceu em 16 de agosto de 1959, no Rio de Janeiro.

Burle Marx, the landscaper Roberto Burle Marx, born in São Paulo on August 4, 1909. Son of a Pernambuco and a German, his first period was the famous German philosopher and sociologist Karl Marx. Her love of landscaping arose at the age of seven when she learned to care for flowers with her mother. His first work was in Recife, when he designed the public garden of Praça da Casa Forte. In the 1960s, he began composing the gardens of Brasilia, among his works: the gardens of the Monumental Axis, Zoobotanical Park; National Theater, City Park, Jaburu Palace, among others. He died on June 4, 1994, in Rio de Janeiro, having designed more than 2,000 gardens.

Marshal Jose Pessôa the Determined Jose Pessôa Cavalcanti of Albuquerque, or Marshal Jose Pessôa was born on September 12, 1885, in Cajazeiras, Paraíba. It was the surname of Epitácio Pessoa, President of the Republic from 1919 to 1922. He was responsible for finding the necessary location for the construction of the new capital, chairing the Localization Commission for 20 months. The boundaries of the Federal District were demarcated in 11 days by the Army Geographic Service. People died on August 16, 1959, in Rio de Janeiro.

Foto: ARPDF

33


Ernesto Silva, o pioneiro da primeira hora

E

rnesto Silva, nasceu no Rio de Janeiro em 17 de setembro de 1914, ele foi um médico do exército brasileiro. É um dos pioneiros da fundação da nova capital. Foi diretor da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil - Novacap. Trabalhou com o Marechal José Pessôa, de quem recebeu o convite para ser secretário da Comissão de Localização da Nova Capital Federal. Conheceu a região do Planalto Central em 1955. Com a eleição de Juscelino, assumiu a presidência da Comissão de Planejamento da Construção e da Mudança da Capital Federal, em junho de 1956. Faleceu aos 95 anos de idade no dia 03 de fevereiro de 2010 em Brasília.

Foto: ARPDF

Os Candangos, os guerreiros trabalhadores

E

m 1956 iniciou-se as obras de construção de Brasília, e com ela a chegada de pessoas de todos os cantos do Brasil, em busca de trabalho e oportunidades. Esses trabalhadores receberam o nome de Candangos, termo muito utilizado atualmente para representar os filhos da capital. Na Praça dos Três Poderes se encontra um monumento de Bruno Giorgi, que se denomina Os Candangos, em homenagem a esses grandes pioneiros. Juscelino chamou esses homens corajosos de “bandeirantes do século XX”.

Ernesto Silva, pioneer of the first hour Ernesto Silva, born in Rio de Janeiro on September 17, 1914, was a Brazilian Army physician. It is one of the pioneers of the founding of the new capital. He was director of the Urbanizing Company of Nova Capital do Brasil - Novacap. He worked with Marshal José Pessôa, from whom he received the invitation to be secretary of the Localization Commission of the New Federal Capital. He met the Planalto Central region in 1955. With the selection of Juscelino, he assumed the presidency of the Planning and Change Planning Commission of the Federal Capital, in June 1956. He died at the age of 95 on February 3, 2010 in Brasilia..

34

The Candangos, the working warriors In 1956 began the construction work of Brasilia, and with it the arrival of people from all corners of Brazil, looking for work and opportunities. These workers were named Candangos, a term widely used today to represent the children of the capital. In the Square of the Three Powers is a monument of Bruno Giorgi, called Os Candangos, in honor of these great pioneers. Juscelino called these brave men “twentieth-century bandeirantes.”

Foto: ARPDF


35


Operários próximo ao Congresso Nacional Brasília

Foto: ARPDF

36


37


Palácio da Alvorada

38

Foto: Mário Fontenelle - ARPDF


A Realização do Sonho


O Projeto Ganhador do Concurso

U

ma das primeiras providências tomadas por Juscelino Kubitschek assim que assumiu a presidência do Brasil, foi iniciar o projeto para a mudança da capital. Em 30 de setembro de 1956 foi publicado no Diário Oficial da União, o edital do Concurso Nacional do Plano Piloto da Nova Capital do Brasil. Em março de 1957, a Comissão da Construção e da Mudança da Capital Federal, lançou o concurso para escolher o projeto arquitetônico e urbanístico que seria usado para levantar Brasília. O projeto vencedor foi do arquiteto e urbanista Lúcio Costa, que derrotou outros 26 concorrentes. Em 1987, Brasília teve seus traços reconhecidos pelo seu projeto moderno e foi considerada Patrimônio Mundial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Atualmente é a maior área urbana que é tombada no mundo.

The Contest Winner Projectr One of the first steps taken by Juscelino Kubitschek as soon as he assumed the presidency of Brazil, was to initiate the project to change the capital. On September 30, 1956, the notice of the National Contest for the Pilot Plan for the New Capital of Brazil was published in the Official Gazette. In March 1957, the Federal Capital Construction and Change Commission launched the contest to choose the architectural and urban design that would be used to raise Brasília. The winning project was by architect and urban planner Lúcio Costa, who defeated 26 other competitors. In 1987, Brasilia had its features recognized for its modern design and was considered a World Heritage Site by the United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization (Unesco). It is currently the largest urban area that is listed in the world.

40


Setor Comercial Sul Brasília-DF 1968

Foto: ARPDF

41


42


43


Primeira Missa Campal

H

oje onde se encontra a Praça do Cruzeiro, foi realizada a primeira missa em Brasília, em 1957. Este é o ponto mais alto do Planalto Central. A cerimônia, foi realizada pelo então arcebispo de São Paulo, Cardeal Dom Carlos Camelo de Vasconcelos Motta. Grandes personalidades estavam presentes, como: o presidente Juscelino Kubitschek, o vice-presidente, representantes diplomáticos, parlamentares e os candangos, trabalhadores que construíram a cidade. Nesta celebração Brasília recebeu a imagem de Nossa Senhora Aparecida, que se encontra até hoje na Catedral.

Primeira Missa Campal

44

Foto: ARPDF

First Campal Mass Today where Praça do Cruzeiro is located, the first mass was held in Brasilia, in 1957. This is the highest point of the Central Plateau. The ceremony was performed by the then Archbishop of São Paulo, Cardinal Dom Carlos Camelo de Vasconcelos Motta. Great personalities were present, such as: President Juscelino Kubitschek, the Vice President, diplomatic, parliamentary representatives and the candangos, workers who built the city. In this celebration Brasilia received the image of Nossa Senhora Aparecida, which is still today in the Cathedral.


A

Ermida Dom Bosco

Ermida Dom Bosco foi projetada pelo Oscar Niemeyer em homenagem ao santo italiano que leva seu nome: São

João Bosco, o Dom Bosco. Ela tem forma de pirâmide e está revestida em mármore branco. Ela foi construída entre o ponto

de passagem dos paralelos 15° e 20°, de acordo com o sonho profético do santo. A ermida foi inaugurada em quatro de maio

de 1957 e foi a primeira obra de alvenaria de Brasília, por orientação de Israel Pinheiro.

Don Bosco Chapel The Don Bosco Chapel was designed by Oscar Niemeyer in honor of the Italian saint who bears his name: São João Bosco, Don Bosco. It has a pyramid shape and is covered in white marble. It was built between the 15 ° and 20 ° parallel crossing point, according to the saint’s prophetic dream. The chapel was inaugurated on May 4, 1957 and was the first masonry work in Brasília, under the guidance of Israel Pinheiro.

Foto: ARPDF

Ermida Dom Bosco

45


Catetinho

Foto: ARPDF

O

Catetinho foi o primeiro palácio residencial de um presidente da república em Brasília. Ele recebeu o então presidente Juscelino Kubitschek durante a construção de Brasília. Projetado por Oscar Niemeyer, ele foi levantado em apenas 10 dias. Inaugurado em novembro de 1956. Ficou conhecido popularmente como o “Palácio de Tábuas”. Em 1959, foi tombado pelo Iphan. O Catetinho atualmente é um pequeno museu aberto a visitação pública. Lá se encontra um acervo que oferece para os visitantes uma ambientação da época. Catetinho Catetinho was the first residential palace of a president of the republic in Brasilia. He received then President Juscelino Kubitschek during the construction of Brasilia. Designed by Oscar Niemeyer, it was lifted in just 10 days. Inaugurated in November 1956. It became popularly known as the “Palacio de Tábuas”. In 1959, it was listed by Iphan. Catetinho is currently a small museum open to the public. There is a collection that offers visitors an atmosphere of the time.

46 Foto: ARPDF


Lago Paranoá

O

Lago Paranoá é o lago artificial que banha a cidade de Brasília. Sua concepção iniciou-se ainda durante a Missão Cruls, mas só foi consolidado durante a construção da capital, no governo de Juscelino Kubitschek. Ele é formado pelas águas represadas do Rio Paranoá. A barragem do Paranoá possui 48km² de área. Ele foi construído com a missão de aumentar a umidade em suas proximidades. Suas águas são responsáveis pela Usina Paranoá, que produz 23 megawatts, o que representa cerca de 3% a 4% do volume da energia elétrica consumida no Distrito Federal.

Lake Paranoá Lake Paranoá is the artificial lake that bathes the city of Brasilia. Its conception started even during the Cruls Mission, but it was only consolidated during the construction of the capital, under Juscelino Kubitschek’s government. It is formed by the dammed waters of the Paranoá River. The Paranoá dam has an area of 48 km². It was built with the mission of increasing the humidity in its surroundings. Its waters are responsible for the Paranoá Plant, which produces 23 megawatts, which represents about 3% to 4% of the volume of electricity consumed in the Federal District.

Foto: ARPDF

47


JK Planejando com Oscar Niemeyer, Israel Pinheiro e Lúcio Costa

48

Foto: ARPDF


49


Palácio da Alvorada

O

Foto: ARPDF Palacio da Alvorada Palácio da Alvorada is the official residence of the President of the Republic, being another work signed by the architect Oscar Niemeyer. The palace is located on a peninsula that divides Lago Sul and Lago Norte, its inauguration took place on June 30, 1958. The name of the palace was given by then President Juscelino Kubitschek, who honored the friend and Minister Victor Nunes Leal, who had been born in the district of Alvorada, in Minas Gerais. In addition, the president considers Brasilia, a dawn of a new day for Brazil.

Palácio da Alvorada é a residência oficial do Presidente da República, sendo mais uma obra assinada pelo arquiteto Oscar Niemeyer. O palácio se localiza em uma península que divide o Lago Sul e o Lago Norte, sua inauguração ocorreu em 30 de junho de 1958. O nome do palácio foi dado pelo então presidente Juscelino Kubitschek, que homenageou o amigo e Ministro Victor Nunes Leal, que havia nascido no distrito de Alvorada, em Minas Gerais. Além, do presidente considerar Brasília, uma alvorada de um novo dia para o Brasil.

Palácio do Planalto

O

Palácio do Planalto, que já foi conhecido como Palácio dos Despachos é outra grande obra assinada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, localizado na Praça dos Três Poderes. Ele foi levantado para ser a sede do poder executivo, abrigando o gabinete do presidente do Brasil, a Secretaria-Geral, a CasaCivil e o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. Sua construção iniciouse em 1958 e foi inaugurado em 21 de abril de 1960, junto com Brasília. O Palácio do Planalto simboliza o marco da transferência da capital para o centro-oeste do país.

Foto: ARPDF Palace of Alvorada The Planalto Palace, which was once known as Palácio dos Despachos is another great work signed by the architect Oscar Niemeyer, located in Praça dos Três Poderes. It was raised to be the seat of the executive branch, housing the office of the President of Brazil, the General Secretariat, the Civil House and the Institutional Security Office of the Presidency of the Republic. Its construction began in 1958 and was inaugurated on April 21, 1960, together with Brasília. The Planalto Palace symbolizes the landmark of the transfer of the capital to the central-west of the country.

50


Congresso Nacional

O

Congresso Nacional é outro palácio presente na Praça dos Três poderes com assinatura de Niemeyer. Ele representa o poder legislativo e foi construído em dois anos, sendo inaugurado junto com Brasília, em 1960. O Congresso é composto por duas torres e duas cúpulas: a côncava representa o Senado Federal e a convexa, a Câmara dos Deputados. No centenário de Oscar Niemeyer, em 2007, o Iphan tombou o prédio do Congresso Nacional.

Foto: ARPDF National Congress National Congress is another palace present at Praça dos Três Poderes with Niemeyer’s signature. It represents legislative power and was built in two years, being inaugurated together with Brasilia, in 1960. The Congress consists of two towers and two domes: the concave represents the Federal Senate and the convex, the Chamber of Deputies. In Oscar Niemeyer’s centenary in 2007, Iphan toppled the National Congress building.

Supremo Tribunal Federal

Foto: ARPDF

O

Supremo Tribunal Federal fecha a tríade de palácios da Praça dos Três Poderes, projetados pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Ele representa o poder judiciário e foi inaugurado junto com Brasília em 1960, assim como seus vizinhos: o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional. Localizado em frente ao prédio do STF se encontra a estátua, A Justiça, de Alfredo Ceschiatti. Além de abrigar solenidades, o palácio também recebe sessões plenárias.

Federal Court of Justice The Supreme Federal Court closes the triad of palaces at Praça dos Três Poderes, designed by architect Oscar Niemeyer. It represents the judiciary and was inaugurated together with Brasília in 1960, as well as its neighbors: the Planalto Palace and the National Congress. Located in front of the STF building is the statue, A Justiça, by Alfredo Ceschiatti. In addition to hosting ceremonies, the palace also hosts plenary sessions.

51


Rodoviária de Brasília 1969

52

Foto: ARPDF


53


O

Palácio do Itamaraty Palácio do Itamaraty é outro prédio com assinatura de Oscar Niemeyer. Sua inauguração aconteceu em 1970 e nele é abrigado a sede do Ministério das Relações Exteriores. Um dos objetivos do palácio era apresentar o Brasil para as personalidades estrangeiras. Por este motivo foi construído apenas com materiais nacionais, e só possui obras de artistas brasileiros ou naturalizados. O paisagismo é uma composição de Burle Marx.

Foto: ARPDF

O

Esplanada dos Ministérios

Esplanada dos Ministérios está localizada no Eixo Monumental, via que divide o Plano Piloto nos sentidos leste e oeste. A região comporta 17 prédios construídos de maneira uniforme, e abrigam os ministérios, os órgãos do Poder Executivo. Ao final da grande linha reta que forma a Esplanada, se encontra o Congresso Nacional, dando início a Praça dos Três Poderes. Sua inauguração se deu junto com Brasília, em 21 de abril de 1960 e todos os seus prédios foram projetados por Oscar Niemeyer.

Itamaraty Palace The Itamaraty Palace is another building signed by Oscar Niemeyer. Its inauguration took place in 1970 and it houses the headquarters of the Ministry of Foreign Affairs. One of the palace’s objectives was to introduce Brazil to foreign personalities. For this reason it was built only with national materials, and only has works by Brazilian or naturalized artists. Landscaping is a composition by Burle Marx. Esplanade of Ministries The Esplanada dos Ministérios is located on the Monumental Axis, which divides the Plano Piloto in the east and west directions. The region comprises 17 buildings constructed in a uniform manner, and houses the ministries, the organs of the Executive Branch. At the end of the great straight line

54

Foto: ARPDF


P

Inauguração de Brasília - 1960

residente Juscelino Kubitschek de Oliveira acena para a multidão que o aplaude ao chegar ao Supremo Tribunal Federal, na noite do dia 20 de abril de 1960 para a Missa

Foto: ARPDF

Solene de inauguração. Ao seu lado (D-E) o Legado Pontifício, Manuel Gonçalves Cerejeira, Dona Sarah e o Vice-Presidente João Goulart.

Inauguration of Brasília - 1960 President Juscelino Kubitschek de Oliveira waves to the crowd that applauds him on arriving at the Supreme Federal Court, on the night of April 20, 1960, for the inaugural Mass. Beside him (D-E) the Pontifical Legacy, Manuel Gonçalves Cerejeira, Dona Sarah and Vice-President João Goulart.

55


P

residente Juscelino e o Vice-Presidente João Goulart, em primeiro plano, sentados antes da Missa Solene de

JK emociona-se na Missa de Inauguração ao lado do vice-presidente João Goulart

inauguração de Brasília no Supremo Tribunal Federal no dia 20 de abril de 1960, 23h40min. Sob as vistas do vice-

presidente João Goulart e das pessoas próximas, o presidente Juscelino chora. O gigante desabou, mas se imortalizou

naquela que é a maior obra no Brasil, de qualquer governo. Ao chorar, JK fez o eloquente discurso silencioso das lágrimas.

Foto: ARPDF

President Juscelino and Vice President João Goulart, in the foreground, seated before the Solemn Mass for the inauguration of Brasília at the Supreme Federal Court on April 20, 1960, 11:40 pm. Under the eyes of Vice President João Goulart and those close to him, President Juscelino cries. The giant collapsed, but immortalized itself in what is the greatest work in Brazil, by any government. When crying, JK made the eloquent silent speech of tears.

56


J

uscelino acena para a multidão do parlatório do Palácio do Planalto sob o olhar do Vice-Presidente João Goulart, dia 21 de abril de

1960, inauguração de Brasília. Lucio Costa e Oscar Niemeyer haviam projetado uma cidade fantástica. Cabia a Juscelino

Kubitschek concretizá-la. E às 9 horas do dia 21 de abril de 1960, ele disse no Salão dos Despachos do Palácio do Planalto esta solene

Foto: ARPDF

frase: “Declaro inaugurada a cidade Brasília, Capital dos Estados Unidos do Brasil”.

JK acena para o povo ao lado do vice-presidente João Goulart

Juscelino beckons to the crowd at the Planalto Palace parliamentary hall under the eyes of Vice President João Goulart, April 21, 1960, the inauguration of Brasília. Lucio Costa and Oscar Niemeyer had designed a fantastic city. Juscelino Kubitschek was responsible for implementing it. And at 9 am on April 21, 1960, he said in the Dispatch Hall of the Planalto Palace this solemn phrase: “I declare the city of Brasília, Capital of the United States of Brazil, inaugurated”.

57


Todos na rua

58

Foto: ARPDF


59


Palácio do Planalto Foto: ARPDF

60


61


O povo Festeja

62

Foto: ARPDF


63


O povo assiste autoridades subindo a rampa do Palácio do Planalto

Foto: ARPDF



Apresentaçao da esquadrilha da fumaça na inaguração de Brasília

66

Foto: ARPDF


67


Fonte luminosa da Torre de TV 1977

68

Foto: Luiz Lemos ARPDF


69


Chegada do Papa João Paulo II à Brasília 1980

70

Foto: ARPDF


Fatos Marcantes

Um planeta bem conservado é a casa do futuro

71


N

Visita do Papa a Brasília o dia 30 de junho de 1980, o Papa peregrino João Paulo II visitou Brasília onde realizou o gesto célebre de ajoelhar-se e beijar o chão saudando a terra que acabava de pisar. A sua passagem por Brasília foi uma das maiores movimentações populares da capital brasileira.

Papa nas ruas de Brasília no Papamóvel 1980

72

Foto: ARPDF

Pope’s visit to Brasilia On June 30, 1980, pilgrim Pope John Paul II visited Brasilia where he made the famous gesture of kneeling and kissing the ground, greeting the earth he had just trod. His visit to Brasília was one of the biggest popular movements in the Brazilian capital.


Tricampeões da Copa de 1970

E

m 1970, no México, com a equipe formada por Pelé, Tostão, Rivelino, Carlos Alberto Torres entre outros, o Brasil tornou-se pela 3ª vez campeão do mundo ao vencer a Itália por 4 x 1. A seleção brasileira foi recebida em Brasília pela multidão de candangos e pelo Presidente da República Emílio Garrastazu Médici que levantou a Taça Jules Rimet.

Chegada dos jogadores da Seleção Brasileira de 1970

1970 World Cup three-time champions In 1970, in Mexico, with the team formed by Pelé, Tostão, Rivelino, Carlos Alberto Torres among others, Brazil became the world champion for the 3rd time when beating Italy 4 x 1. The Brazilian team was received in Brasília for the multitude of candangos and for the President of the Republic Emílio Garrastazu Médici who raised the Jules Rimet Cup.

Foto: ARPDF

73


Seleção brasileira de futebol é recebida pela multidão em frente ao Palácio do Planalto

74

Foto: ARPDF


75


Brasília em Números

A

sexagenária Brasília é uma das cidades mais importantes do Brasil. A capital se iguala em importância com as centenárias Rio de Janeiro e São Paulo. Com um Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 175,363 bilhões, dados de 2013, a cidade concentra 3,3% do PIB nacional. A população total também coloca Brasília entre as mais populosas do país, ocupando a quarta posição. A população é dividida em 52% do sexo feminino em 48% do masculino. A renda per capita média mensal é de R$ 1.489,57, e a população economicamente ativa (PEA) é de 1.534.000, que chega a 55%. Divididos por área, o setor de serviços possui a maior parcela da população ativa, com um total de 71,08%, seguido pelo comércio e reparação de veículos, com 19,12%.

2.906.574

210.067 134.111 207.045 51.816 62.763 190.495 44.975 23.562 479.713 133.171 29.535 258.457 125.559 99.525 146.906 28.981 40.098 36.394 15.641 138.562 51.709 52.990 8.453 19.803 38.429 100.683 26.882 67.238 1.990 72.733 8.288

3.000.000 2.800.000 2.600.000 2.400.000 2.200.000 2.000.000 1.800.000 1.600.000 1.400.000 1.200.000 1.000.000 800.000 600.000 400.000 200.000 0

-

Plano Piloto Gama Taguatinga Brazlândia Sobradinho Planaltina Paranoá Núcleo Bandeirante Ceilândia Guará Cruzeiro Samambaia Santa Maria São Sebastião Recanto das Emas Lago Sul Riacho Fundo Lago Norte Candangolândia Águas Claras Riacho Fundo II Sudoeste/Octogonal Varjão Park Way SCIA - Estrutural Sobradinho II Jardim Botânico Itapoã SIA Vicente Pires Fercal Distrito Federal

População

Gráfico 1 - População segundo as Regiões Administrativas Distrito Federal - 2015

Fonte: Tabela 1.1

Regiões Administrativas Fonte: IBGE

76


0,06

4,12

0,03

7,63

4,01

1,80

0,73

0,24

0,15

5

1,51

15

7,66

20

2,08

Percentual

25

18,74

21,69

30

10

-

29,54

Gráfico 2 - População segundo o nível de escolaridade Distrito Federal - 2015

0

Fonte: Tabela 3.2

Nível de Escolaridade

Fonte: IBGE

No setor de turismo, segundo dados do IBGE e Ministério do Turismo, a cidade possui 400 estabelecimentos específicos de hospedagem, além de 16.646 de unidades habitacionais, como suítes, apartamentos, quartos e chalés, possuindo uma capacidade de receber 38.877 hóspedes. No setor da indústria Brasília possui um PIB Industrial Anual de R$ 9,2 bilhões, com 117 mil trabalhadores empregados no setor. O salário médio da área é de R$ 2,319, sendo o terceiro maior do país. Os setores que se destacam no PIB da indústria do DF são: alimentos (27,8%), produtos de minerais não metálicos (25,2%) e bebidas (20,7%). Brasilia in Numbers The sixty-year-old Brasilia is one of the most important cities in Brazil. The capital is equal in importance with the centenary Rio de Janeiro and São Paulo. With a Gross Domestic Product (GDP) of R $ 175.363 billion, 2013 data, the city concentrates 3.3% of national GDP. The total population also places Brasilia among the most populous in the country, occupying the fourth position. The population is divided into 52% female and 48% male. The average monthly per capita income is R $ 1,489.57, and the economically active population (PEA) is 1,534,000, which reaches 55%. Divided by area, the service sector has the largest share of the working population, with a total of 71.08%, followed by trade and vehicle repair, with 19.12%. In the tourism sector, according to data from IBGE and the Ministry of Tourism, the city has 400 specific lodging establishments, as well as 16,646 housing units, such as suites, apartments, rooms and chalets, with a capacity to receive 38,877 guests. In the industrial sector Brasilia has an annual industrial GDP of R $ 9.2 billion, with 117 thousand workers employed in the sector. The average salary in the area is R $ 2,319, being the third highest in the country. The sectors that stand out in the DF’s industry GDP are: food (27.8%), non-metallic mineral products (25.2%) and beverages (20.7%).

77


A

Economia

economia do DF encontra nos setores de serviços, agropecuária e indústria seu ponto forte para o desenvolvimento. Segundo o Idecon-DF, que avalia o desempenho econômico do Distrito Federal, o ano de 2019

foi de ascensão na economia, registrando um aumento de 1,8%, comparando com o mesmo período do ano anterior. Esses dados mostram que o DF está em um caminho de crescimento nos próximos anos.

Os registros apontam uma melhora no consumo das famílias brasilienses e queda na inflação. Para continuar crescendo o DF foca na diminuição do desemprego para os anos seguintes. O Distrito Federal

também fechou 2019 com o menor índice de IPCA entre todas as regiões avaliadas, com uma variação de 2,52%. Isso faz a inflação dos mais pobres ser a menor do país.

Bons números alavacam a esperança do brasiliense por uma Brasília com menos desigualdade social: 10,00% 9,00% 8,00% 7,00% 6,00% 5,00%

Limite superior

Meta

4,31

4,00% 3,00%

3,76

3,27

Limite inferior

2,43

2,00% 1,00% 0,00% dez-16

jun-17

dez-17

jun-18 Brasil

IPCA – Variação percentual acumulada em 12 meses (%) – Brasil e Brasília – dezembro de 2019

78

dez-18

jun-19

dez-19

Brasília (DF) Fonte: IBGE/ Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre


5,76

4,90

4,89

4,76 4,48

4,45

4,45

4,31

4,13

411

4,00%

2,00%

1,90

4,07

3,85

3,74

3,63

3,59

3,52

1,82

1,62

1,38

1,29 1,02

1,49 1,22

1,08

1,07

1,14

1,15

1,36

1,23 0,97 0,61

0,67

Grande Vitória - ES

4,96

Rio Branco - AC

6,00%

INPC - Variação mensal

Fonte: IBGE/ Elaboração: Codeplan/Gecon-Nupre

Brasília - DF

Recife - PE

Salvador - BA

Rio de Janeiro - RJ

Porto Alegre - RS

Aracaju- SE

Curitiba - PR

São Luís - MA

Belo Horizonte - MG

Brasil

Campo Grande - MS

São Paulo - SP

Goiânia - GO

Fortaleza - CE

Belém - PA

0,00%

INPC - Variação acumulada no ano

Variação (%) mensal do INPC – Brasil e Regiões Pesquisadas – dezembro de 2019

Muito além de ser apenas o centro do poder nacional, Brasília mostra que possui um grande polo econômico. O mercado consumidor alcança a marca de 2,9 milhões de pessoas que possui uma renda média três vezes maior que a nacional.

Economy The economy of the DF finds in the services, agricultural and industry sectors its strong point for development. According to Idecon-DF, which evaluates the economic performance of the Federal District, 2019 was a year of growth in the economy, registering an increase of 1.8%, compared to the same period of the previous year. These data show that the DF is on a growth path in the coming years. The records point to an improvement in the consumption of families in Brasília and a drop in inflation. To keep growing, the DF focuses on reducing unemployment for the following years. The Federal District also closed 2019 with the lowest IPCA index among all evaluated regions, with a variation of 2.52%. This makes inflation of the poorest the lowest in the country. Much more than just being the center of national power, Brasília shows that it has a great economic pole. The consumer market reaches the mark of 2.9 million people who have an average income three times higher than the national one.

79


Educação

O

Instituto Ayrton Senna colocou o Distrito Federal em primeiro lugar nos indicadores nacionais de qualidade em infraestrutura da rede pública de escolas, em 2019. As escolas do DF despontam no topo pela infraestrutura física e auxílio das unidades educacionais de ensino fundamental. O GDF para continuar crescendo nos rankings de educação, irá inaugurar novas creches na cidade, para começar os 60 anos

em grande estilo. As cidades contempladas são: Ceilândia, com a CEPI Papagaio, Lago Norte, CEPI Cajuzinho, Samambaia, CEPI Periquito e Bem-te-vi e São Sebastião, CEPI Crixá. O Sol Nascente, que virou Região Administrativa em 2019, receberá a Escola Classe Juscelino Kubitschek, para estudantes da pré-escola e anos iniciais do ensino fundamental.

B.2.1.6

Evolução da população em idade escolar por faixa etária: Distrito Federal, 2010 a 2050 250

turmas_escolas!$1:$1048576

6 a 10 200

turmas_escolas

11 a 14

População (em mil)

0a3 150

15 a 17

100

4a5

50

0 2005

2010

2015

2020

2025

2030

2035

2040

2045

2050

Fonte: IAS/INSPER/Oppen Social com base em Projeções da População do IBGE. Fonte:IAS/INSPER/Oppen Social com base em Projeções da População do IBGE. Gráfico: Instituto Ayrton Senna

Education The Ayrton Senna Institute placed the Federal District in the first place in the national quality indicators in infrastructure of the public school network, in 2019. Schools in the DF stand out at the top due to the physical infrastructure and aid from the elementary education units. The GDF to continue to grow in the education rankings, will open new daycare centers in the city, to start 60 years in style. The cities covered are: Ceilândia, with CEPI Papagaio, Lago Norte, CEPI Cajuzinho, Samambaia, CEPI Periquito and Bem-te-vi and São Sebastião, CEPI Crixá. Sol Nascente, which became an Administrative Region in 2019, will receive Escola Juscelino Kubitschek School, for pre-school students and early years of elementary school.

80


Evolução da população de 0 a 3 anos, matrícula total e matrícula na rede pública em creche: Distrito Federal, 2007 a 2050 180

População

160

População e matrícula (em mil)

140 120 100 80 60 40

Matrícula total

Participação pública fixa Participação pública variável

20 0 2005

2010

2015 2020 Matrícula pública

2025

2030

2035

2040

2045

2050

Fonte: IAS/INSPER/Oppen Social com base no Censo Escolar do INEP e Projeções da População do IBGE. IAS/INSPER/Oppen com base no Escolarpública do INEP Projeções da População do IBGE. Nota: Asdoprojeções para constante a matrícula na rede pública emo Nota:Fonte: As projeções para a matrículaSocial na rede pública emCenso Participação fixae foram obtidas mantendo-se a participação setor público e igual a média para Participação pública fixa foram obtidas mantendo-se a participação do setor público constante e igual a média para o quinquênio 2014-2018. Já as projeções para a quinquênio 2014-2018. Já as projeções para a matrícula na rede pública em Participação pública variável foram obtidas projetando-se a participação do setor público a partir matrícula na rede pública em Participação pública variável foram obtidas projetando-se a participação do setor público a partir de sua tendência histórica – Gráfico: de sua tendência histórica. Instituto Ayrton Senna .

Matrículas na rede pública e taxa de crescimento anual por etapa da educação básica: Distrito Federal, 2018 e previsão para 2025 e 2050

B.1.1

Distrito creches Federal Etapa da educação básica

2018 (em milhares)

Previsão (em milhares)

Taxa de crescimento anual (%)

2025

2050

2008-2018

2018-2050

crechesCreche

1

2

4

-8,2%

4,4%

preesc Pré- escola

43

46

39

2,1%

-0,3%

ai

Anos iniciais

150

149

122

-2,2%

-0,6%

af

Anos finais

128

110

103

-1,4%

-0,7%

em

Ensino médio

83

76

79

2,2%

-0,2%

eb

Educação básica

406

382

347

-0,8%

-0,5%

AM RO

Fonte: IAS/INSPER/Oppen Social com base no Censo Escolar do INEP e Projeções da População do IBGE. Nota: As previsões foram feitas assumindo que a participação do setor pública iria permanecer inalterada e igual a média para o quinquênio 2014-2018. Fonte: IAS/INSPER/Oppen Social com base no Censo Escolar do INEP e Projeções da População do IBGE. RO Nota: As previsões foram feitas assumindo que a participação do setor pública iria permanecer inalterada e igual a média para o quinquênio 2014-2018. Gráfico: Instituto Ayrton Senna

81


Foto: Governo do Distrito Federal/Bento Viana

Brasília 82


Brasília 60 anos

www.oticasbrasiliense.com.br

83


A

UnB entre as melhores

Universidade de Brasília possui 559 laboratórios, 65 núcleos e 27 centros de pesquisa, além de 43 laboratórios direcionados ao ensino. Também conta com 60 unidades de apoio ao desenvolvimento científico, como: biblioteca, biotérios, observatórios, usinas, fábricas, viveiros, museus, coleções, entre outros.

Segundo a 16ª edição do ranking mundial de universidades Times Higher Education (THE) 2020, a UnB é a oitava melhor universidade do Brasil. A pesquisa avaliou 1300 instituições de 92 países. A UnB melhorou em quatro dos cinco critérios avaliados, são eles: ensino, pesquisa, citações e reconhecimento internacional. No

posicionamento mundial ela ficou entre as posições 801ª e 1000ª, já na América Latina ficou na 15ª posição. A UnB possui quatro campus, sendo eles: Campus Darcy Ribeiro, no Plano Piloto, em Planaltina, Faculdade UnB Planaltina, Ceilândia, Faculdade UnB Ceilândia e Gama, Faculdade UnB Gama.

P

Universidade de Brasília – Campus Darcy Ribeiro (Plano Piloto) rincipal campus com cerca de 500 mil m² de área construída. Seus primeiros prédios foram o Instituto Central de Ciências (ICC), a Biblioteca Central (BCE) e a Faculdade de Educação (FE). O nome do campus é uma homenagem ao fundador e primeiro reitor da universidade, o antropólogo Darcy Ribeiro.

Foto: Emília Silberstein

84


Foto: Nicholas César

Universidade de 85 Brasília


Foto: Roberto Castro

Lago Paranoá 86


87


Itaipu: um marco na história brasileira Há 47 anos, era assinado em Brasília um tratado que representou um marco na área de energias renováveis do país

E

Foto: Divulgação

ntre 1964 e 1985, o Brasil viveu sob o comando de militares, que derrubaram o então presidente João Goulart e permaneceram no poder por mais de vinte anos. Apesar de todas as polêmicas envolvendo o regime, foi nessa época que o país teve um grande crescimento econômico, com o PIB indo de 9,8% nos primeiros anos de ditadura, para 14% em 1973. A queda na inflação, que passou de 19,46% em 1968 para 15,6% em 1973, é um grande sinal desse crescimento que o

88

governo militar trouxe para o país, fortalecido pelo processo de estatização e de grandes construções que marcaram o período. Entre as principais obras realizadas durante o regime militar, pode-se destacar a construção da ponte Rio-Niterói, em 1969, no governo de Costa e Silva; a abertura da rodovia Transamazônica no governo Médici; e a implementação do programa nuclear no país, com a construção da primeira das três usinas que compõem o complexo nuclear de Angra dos Reis.

Porém, uma das mais importantes obras daquela época foi a construção da usina hidrelétrica de Itaipu, que até hoje é uma das principais fontes de energia elétrica do país. Apesar do chamado “milagre econômico” nos primeiros anos da ditadura militar, o Brasil de quarenta anos atrás ainda era um país movido a lenha e diesel. Prova disso é que, em 1973, ano da assinatura do Tratado de Itaipu, as principais fontes de energia do país ainda eram a madeira, com 38,8% e o petróleo, que representava

45,6% da matriz energética em terras tupiniquins. Mas com a crise do petróleo no começo da década de 70, governantes se viram obrigados a encontrar novas formas de geração de energia, afinal, de todo óleo utilizado por aqui, 78% era importado, o que acabava saindo caro para os cofres nacionais. Além disso, a demanda por energia elétrica só aumentava, afinal, o campo foi sendo deixado de lado por muitos, que viam nas cidades grandes uma oportunidade para crescer na vida.


Foto: Divulgação

Era preciso encontrar uma solução para esse problema, que já tinha soluções sendo estudadas há anos por especialistas da área. Um dos caminhos encontrados por governantes foi dar uma maior atenção a produção petrolífera brasileira, além de adotar uma nova fonte de energia para o país. Um grande exemplo dessa mudança é a construção de uma das maiores hidrelétricas do mundo, aproveitando o potencial energético do Rio Paraná, na fronteira entre Brasil e Paraguai. Os dois países protagonistas da obra de construção da maior geradora de energia limpa do mundo ainda viviam sob regime ditatorial militar quando os presidentes das duas nações, Stroessner pelo lado paraguaio e Médici representando o Brasil, se sentaram em Brasília, no dia 26 de abril de 1973, e assinaram o Tratado de Itaipu, dando um inicio definitivo a um projeto que já vinha sendo estudado há anos. Para se ter idéia do que estava por vir, com o concreto utilizado na construção da usina seria possível levantar 210 estádios como o Maracanã. Já com a quantidade de ferro e aço usados em Itaipu, 380 Torres Eiffel, como a de Paris, poderiam ser construídas.

Itaipu a milestone in Brazilian history 47 years ago, a treaty was signed in Brasilia that represented a milestone in the country’s renewable energy area Between 1964 and 1985, Brazil lived under the command of the military, who overthrew then President João Goulart and remained in power for more than twenty years. Despite all the controversies surrounding the regime, it was at that time that the country had great economic growth, with GDP going from 9.8% in the first years of the dictatorship, to 14% in 1973. The fall in inflation, which went from 19.46% in 1968 to 15.6% in 1973, is a great sign of this growth that the military government brought to the country, strengthened by the process of nationalization and major constructions that marked the period . Among the main works carried out during the military regime, the construction of the Rio-Niterói bridge in 1969 under the Costa e Silva government can be highlighted; the opening of the Transamazônica highway under the Médici government; and the implementation of the nuclear program in the country, with the construction of the first of the three plants that make up the nuclear complex in Angra dos Reis. However, one of the most important works of that time was the construction of the Itaipu hydroelectric plant, which until today is one of the main sources of electricity in the country. Despite the so-called “economic miracle” in the early years of the military dictatorship, Brazil forty years ago was still a country fueled by firewood and diesel. Proof of this is that,

in 1973, the year the Itaipu Treaty was signed, the main sources of energy in the country were still wood, with 38.8% and oil, which represented 45.6% of the energy matrix in Brazilian lands. But with the oil crisis in the early 1970s, government officials were forced to find new ways of generating energy, after all, of all oil used here, 78% was imported, which ended up being expensive for national coffers. In addition, the demand for electricity only increased, after all, the countryside was being left aside by many, who saw in big cities an opportunity to grow in life. It was necessary to find a solution to this problem, which had been studied for years by specialists in the field. One of the ways found by government officials was to give greater attention to Brazilian oil production, in addition to adopting a new source of energy for the country. A great example of this change is the construction of one of the largest hydroelectric plants in the world, taking advantage of the energy potential of the Paraná River, on the border between Brazil and Paraguay. The two countries involved in the construction of the largest clean energy generator in the world were still living under a military dictatorial regime when the presidents of both nations, Stroessner on the Paraguayan side and Médici representing Brazil, sat in Brasília on April 26, 1973, and signed the Itaipu Treaty, giving a definitive start to a project that had been studied for years. In order to have an idea of ​​what was to come, with the concrete used in the construction of the plant it would be possible to build 210 stadiums such as Maracanã. With the amount of iron and steel used in Itaipu, 380 Eiffel Towers, like the one in Paris, could be built.

89


Foto: Divulgação

Usina Hidrelétrica de Itaipu 90


91


Mãos à obra: os passos para a construção

A

ntes da assinatura definitiva do tratado que oficializava a construção de Itaipu, em 1966 os ministros das Relações Exteriores do Brasil e Paraguai, Juracy Magalhães e Sapena Pastor, já haviam assinado um documento chamado “Ata do Iguaçu”, onde o interesse dos dois países em estudar formas de aproveitar os recursos hídricos do rio Paraná foi selado. As primeiras pesquisas foram realizadas por técnicos brasileiros e paraguaios, que observaram um trecho do rio conhecido como Itaipu, que em tupi significa “a pedra que canta”, como sendo o ponto ideal para a construção de uma usina hidrelétrica. Estava traçada a área onde poderia acontecer a construção, indo Foz do Iguaçu, aqui no Brasil, e Ciudad Del Este, no Paraguai, até Salto Del Guairá, no norte do país, com extensão total de de 1.350 km². Estudos que comprovassem a viabilidade da construção ainda precisavam ser feitos, o que aconteceu em 1971, depois que as empresas PNC e ELC Electroconsult venceram a concorrência internacional no ano anterior e ficaram encarregadas de realizar as analises e o projeto da obra. Depois de tudo pronto, com local escolhido, estudos e projeto elaborados e o Tratado de Itaipu assinado, em 1974 foi criado a Itaipu Binacional, entidade administrada pelos dois países que seria responsável pelo gerenciamento e construção da usina. As obras tiveram inicio em 1975, executadas por um consórcio de construtoras liderado pela empresa Andrade Gutierrez, e levaram dez anos até que a usina de Itaipu fosse inaugurada.

Os impactos da construção de Itaipu já foram vistos logo nos primeiros três anos de obra, quando mais de 9 mil casas foram construídas nas margens do rio Paraná, além de um hospital para atender os trabalhadores que levantavam a usina. Segundo a construtora responsável pelo projeto, a obra mobilizou 40 mil trabalhadores, espalhados nos canteiros e em escritórios no Brasil e Paraguai. O crescimento da região era inevitável, tanto é que, em dez anos, a população de Foz do Iguaçu saltou de 20 mil habitantes para mais de 100 mil. Botando na ponta do lápis, mais de 12 bilhões de dólares foram gastos na construção da usina, número esse que pode ir além, quando considerados os cerca de US$ 27 bilhões que foram pegos em empréstimos, para serem pagos ao longo dos anos. A barragem de Itaipu tem um comprimento de 7.919 metros e 196 de altura, constituída por seis seções, sendo elas a barragem lateral direita, barragem principal, estrutura de desvio, barragem de terra direita, barragem de enrocamento e barragem de terra esquerda. Com 170 km de extensão, a capacidade de seu reservatório é de 29 bilhões de m³ operando no nível máximo. No vertedouro, as 14 unidades de comportas que possuem 21 metros de altura e 20 de largura, conseguem dar vazão de até 62,2 mil m³/s, Uma novidade implantada na construção de Itaipu foi o desenvolvimento de tecnologias que possibilitaram a concretagem do rio a céu aberto, através de barragens que desviaram as águas. Isso reduziu 1/5 o custo da obra de abertura do canal da barragem, que originalmente seria feito submerso.

Hands on the construction steps Before the definitive signing of the treaty that made the construction of Itaipu official, in 1966 the ministers of Foreign Affairs of Brazil and Paraguay, Juracy Magalhães and Sapena Pastor, had already signed a document called “Ata do Iguaçu”, where the interest of both countries in studying ways to take advantage of the water resources of the Paraná River was sealed. The first surveys were carried out by Brazilian and Paraguayan technicians, who observed a section of the river known as Itaipu, which in Tupi means “the stone that sings”, as the ideal point for the construction of a hydroelectric plant. The area where construction could take place was planned, going from Foz do Iguaçu, here in Brazil, and Ciudad Del

rez, and took ten years before the Itaipu plant was inaugurated. The impacts of the construction of Itaipu were already seen in the first three years of the work, when more than 9 thousand houses were built on the banks of the Paraná River, in addition to a hospital to serve the workers who raised the plant. According to the construction company responsible for the project, the project mobilized 40,000 workers, scattered on construction sites and in offices in Brazil and Paraguay. The region’s growth was inevitable, so much so that in ten years, the population of Foz do Iguaçu jumped from 20 thousand inhabitants to more than 100 thousand. Putting it in the tip of the pencil, more than 12 billion dollars were spent on the construction of the plant, a number that can go further, when considering the approximate-

92

Este, in Paraguay, to Salto Del Guairá, in the north of the country, with a total extension of 1,350 km². Studies to prove the viability of the construction still needed to be done, which happened in 1971, after the companies PNC and ELC Electroconsult won the international competition in the previous year and were in charge of carrying out the analyzes and the project of the work. After everything was ready, with a chosen location, studies and project prepared and the Itaipu Treaty signed, in 1974 Itaipu Binacional was created, an entity administered by the two countries that would be responsible for the management and construction of the plant. The works started in 1975, carried out by a consortium of construction companies led by the company Andrade Gutier-

ly $ 27 billion that were taken in loans, to be paid over the years. The Itaipu dam is 7,919 meters long and 196 meters long, consisting of six sections, the right side dam, main dam, bypass structure, right earth dam, rockfill dam and left earth dam. With 170 km in length, the capacity of its reservoir is 29 billion m³ operating at the maximum level. At the spillway, the 14 units of gates that are 21 meters high and 20 meters wide, can deliver up to 62.2 thousand m³ / s, A novelty implemented in the construction of Itaipu was the development of technologies that enabled the concreting of the river in the open, through dams that diverted the waters. This reduced the cost of opening the dam channel by 1/5, which originally would have been submerged.


Foto: Divulgação

Usina Hidrelétrica de Itaipu 93


Foto: A. Hartung

Usina Hidrelétrica de Itaipu 94


Um marco para a diplomacia brasileira

S

Mas ao assinarem o Tratado de Itaipu, Augusto Stroessner e Emílio Garrastazu Médici marcavam um grande episódio diplomático entre Brasil e Paraguai, botando panos quentes em questões que vinham desde a Guerra do Paraguai, quando as duas nações lutaram em lados opostos. Por não possuir tecnologia e dinheiro para investir no consórcio, ficou acertado que o Brasil arcaria com a despesa sozinho, emprestando inclusive 100 milhões de dólares para o vizinho incluir sua parte no capital inicial. Em contrapartida, o Paraguai teria 50 anos para amortizar a dívida total. O pagamento, no entanto, não seria em dinheiro, mas sim em energia. Os dois países possuem uma parte igual de 50% da energia produzida pela usina, porém, pelos termos do tratado, caso uma das partes não use toda a sua cota, o sócio tem prioridade na compra do excedente, à preço de custo, muito abaixo do mercado. Usando apenas 15% do que é produzido por Itaipu para seu abastecimento total, o Paraguai repassa o que sobra de sua cota para o Brasil com preços baixos, como

firmada no tratado, que perderá sua validade daqui três anos, quando está programada uma renegociação desses valores. Paraguaios querem mais autonomia sobre sua energia que sobra, como a possibilidade de vender para outros países ou de vender para o Brasil, porém, com preços de mercado, e não de custo como é feito atualmente. Em 2009, houve uma revisão nos valores pagos pelo Brasil ao Paraguai, passando de US$ 120 milhões para US$ 360 milhões anuais. Apesar disso, até 2023, ano que os termos do tratado perdem validade, o Paraguai continua pagando sua dívida com o Brasil. Ao todo, a obra custou quase 30 bilhões de dólares, com o Brasil assumindo a dívida feita no exterior. Ela deve ser quitada também em 2023, liberando quase 70% do orçamento anual da Itaipu, que atualmente é usado para quitar essa dívida. Em um trecho do tratado, fica claro a cordialidade entre os dois países, além de demonstrar que o interesse das nações não era infringir a soberania nacional um do outro, mas sim de utilizar todo potencial energético da região que corta Brasil e Paraguai.

Foto: Divulgação

e uma sociedade com familiares ou amigos já pode ser algo difícil muitas vezes, imagine ter dois países, com interesses diferentes, como sócios de uma grande empresa? Além de tudo que Itaipu representa para o cenário internacional de geração de energia, a construção da gigante binacional representou também um grande marco para a diplomacia entre os dois países sul-americanos. A idéia inicial de aproveitar o potencial energético do rio Paraná com a construção de uma usina hidrelétrica começou a ser estudada e programada pelo lado brasileiro, porém, isso representaria usar um trecho de fronteira entre o Brasil e Paraguai. E a movimentação brasileira começou a chamar a atenção dos paraguaios, que pressionaram diplomaticamente o vizinho para que, caso uma usina fosse construída ali, ela pertencesse aos dois países. Os técnicos brasileiros que trabalhavam no projeto desde os anos 60 tinham o desejo de que o lado brasileiro pagasse apenas royalties pelo parcial das águas paraguaias, e não que a usina fosse dividida entre os dois países.

95


I

A importância da Binacional Itaipu

Foto: Divulgação

taipu possuí 20 unidades geradoras, sendo dez na freqüência de 50HZ, rede elétrica paraguaia, e dez na freqüência 60 Hz, usada na rede elétrica brasileira. Para se ter idéia do quão absurdo isso é, cada uma dessas unidades possui uma capacidade de 700 megawtts, o que seria suficiente para abastecer uma cidade com 1,5 milhões de pessoas. Caso o Brasil decidisse usar o petróleo como principal fonte de energia do país, seriam necessários 536 mil barris de petróleo por dia para atingir a potência de Itaipu. Isso talvez explique o porquê da energia hidrelétrica representar 90% da matriz energética brasileira. Segundo o site da Binacional Itaipu, cada unidade geradora é composta por um gerador, uma turbina e seus auxiliares. A turbina é formada por uma série de pás ligadas a um eixo acoplado ao gerador. A pressão da água que entra na turbina, por meio do conduto forçado, produz um movimento giratório do eixo, o qual, por meio de um campo magnético induzido dentro do gerador, gera eletricidade. Ou seja, a energia hidráulica é transformada em energia mecânica quando a água passa pela turbina, fazendo com que esta gire. No gerador, que está acoplado à turbina, a energia mecânica é transformada em energia elétrica. Depois desse processo, o sistema de transmissão de Itaipu faz conexão com as três subestações da Central Hidrelétrica, sendo uma de 50Hz, outra de 60 Hz e uma convencional de 50 Hz, que se interligam com os Sistemas Interconectados do Paraguai e Brasil. Para a energia chegar até o Brasil, Furnas e Copel realizam o escoamento, por meio de duas correntes, de 50 Hz e 60 Hz. A energia excedente de nossos vizinhos utiliza a corrente contínua de Furnas, de 50 Hz. Já a de 60 Hz usa o sistema de 765 kV de Furnas e o de 525 Kv da Copel. As duas correntes são explicadas pois, a energia de 50 Hz de Itaipu, que é a rede elétrica do Paraguai, não pode se integrar diretamente ao sistema brasileiro, que tem o 60 Hz como rede. Ela precisa ser convertida e escoada até Ibiúna, São Paulo, que para seja novamente convertida em freqüência 60 Hz e entre na rede brasileira. Itaipu é a maior responsável pelo abastecimento de energia elétrica no Brasil, com 96

mais de 20% vindo da usina, abastecendo principalmente as regiões sul, sudeste e partes do centro-oeste do país. Exemplo da sua importância na geração de energia elétrica para o país foi quando, em 10 de novembro de 2009, um grande blackout atingiu ao menos 18 estados brasileiros. Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais, Goiás, Acre, Rondônia, Bahia, Sergipe, Paraíba, Alagoas, Pernambuco e Rio Grande do Norte, foram pontos onde diversas cidades ficaram completamente apagadas naquele dia, por conta de problemas em Itaipu. Desde que começou a operar, em 1985, a usina já produziu mais de 2,68 bilhões de MWh. Só em 2019, foram produzidos 79.444.510 megawatts-hora. A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta terra. Outro impacto que Itaipu trouxe para o Brasil foi o alavanque econômico de alguns municípios. A binacional já pagou mais de 4 bilhões de dólares em forma de royalties para o Tesouro Nacional, que aplica esse dinheiro na qualidade de vida da população, na educação, saúde, moradia e saneamento básico de cidades próximas a usina, e que tiveram parte de suas terras afetadas pela barragem. E é claro que o turismo não podia ficar de fora dos grandes impactos de Itaipu, que já fez com que mais de 2 milhões de pessoas visitassem Foz do Iguaçu, desde a inauguração da binacional, para conhecer as instalações da hidrelétrica e as belezas daquela região.


Itaipu e a retomada da economia nacional pós-pandemia

S

e antes Itaipu já tinha um papel fundamental, que ia muito além de ser uma das maiores fontes de energia elétrica para o país, hoje as atividades da usina parecem ser pontos fundamentais na retomada econômica brasileira no período pós-pandemia de covid-19. Em meados de março, o novo coronavírus chegou ao país, e as medidas de segurança recomendadas por órgãos sanitários, como o isolamento social, foram uma forma de evitar a propagação do vírus, mas afetaram diretamente a economia de vários estados brasileiros, paralisando atividades e fechando comércios. Nesse contexto, o papel de Itaipu, principalmente para a região onde está localizada, vai muito além de gerar energia. Passa a ser a de uma importante agente de retomada econômica. O investimento em obras de infraestrutura em cidades próximas à sua localização é um marco da usina, prova disso são dois novos projetos que vêm sendo desenvolvidos pela administradora do consórcio, que além de melhorias na infraestrutura da região, irá alavancar a economia local e nacional. A primeira dessas obras é a construção da Ponte da Integração Brasil-Paraguai, que ligará os dois países, assim como a Ponte da Amizade, e terá 760 metros, com pistas de 3,7 metros de largura em cada faixa e acostamento de 3 metros. Calcula-se que cerca de R$ 460 milhões foram investidos na obra, de acordo com a Itaipu Binacional. Além disso, o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu passará por uma ampliação, o que representa um investimento no

turismo local, muito procurado por brasileiros e estrangeiros por conta das belezas naturais da região. O investimento contínuo da Itaipu Binacional, seja em obras na própria usina ou em infraestrutura local, se tornam uma grande ajuda para a economia nacional, com a oferta de empregos e o fortalecimento do turismo, que corresponde a cerca de 8% do PIB nacional.

The importance of Binacional Itaipu Itaipu has 20 generating units, ten in the 50 Hz frequency, Paraguayan power grid, and ten in the 60 Hz frequency, used in the Brazilian power grid. To get an idea of ​​how absurd this is, each of these units has a capacity of 700 megawatts, which would be enough to supply a city with 1.5 million people. If Brazil decided to use oil as the country’s main source of energy, it would take 536,000 barrels of oil per day to reach Itaipu’s power. This may explain why hydroelectric energy represents 90% of the Brazilian energy matrix. According to the Binacional Itaipu website, each generating unit consists of a generator, a turbine and its auxiliaries. The turbine is formed by a series of blades connected to an axis connected to the generator. The pressure of the water that enters the turbine, through the penstock, produces a rotating movement of the shaft, which, through a magnetic field induced inside the generator, generates electricity. In other words, hydraulic energy is transformed into mechanical energy when water passes through the turbine, causing it to rotate. In the generator, which is coupled to the turbine, mechanical energy is transformed into electrical energy. After this process, the Itaipu transmission system connects with the three substations of the Hydroelectric Power Station, one 50Hz, the other 60Hz and the conventional 50Hz, which interconnect with the Interconnected Systems of Paraguay and Brazil. For energy to reach Brazil, Furnas and Copel carry out the flow, using two currents, 50 Hz and 60 Hz. The surplus energy from our neighbors uses the direct current from Furnas, 50 Hz. The 60 Hz uses the 765 kV system from Furnas and the 525 Kv system from Copel. The two currents are explained because the 50 Hz energy from Itaipu, which is Paraguay’s electrical network, cannot be directly integrated into the Brazilian system, which has 60 Hz as a network. It needs to be converted and drained to Ibiúna, São Paulo, to be converted back to 60 Hz frequency and enter the Brazilian network. Itaipu is the main responsible for the supply of electricity in Brazil, with more than 20% coming from the plant, supplying mainly the south, southeast and parts of the central-west of the country. An example of its importance in generating electricity for the country was when, on November 10, 2009, a major blackout reached at least 18 Brazilian states.

Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais, Goiás, Acre, Rondônia, Bahia, Sergipe, Paraíba, Alagoas, Pernambuco and Rio Grande do North, were points where several cities were completely erased that day, due to problems in Itaipu. Since it started operating in 1985, the plant has produced more than 2.68 billion MWh. In 2019 alone, 79,444,510 megawatt-hours were produced. The largest generator of clean and renewable energy on planet Earth. Another impact that Itaipu brought to Brazil was the economic leverage of some municipalities. The binational has already paid more than 4 billion dollars in royalties to the National Treasury, which invests this money in the quality of life of the population, in education, health, housing and basic sanitation in cities close to the plant, and which had part of their lands affected by the dam. And it is clear that tourism could not be left out of the great impacts of Itaipu, which has already made more than 2 million people visit Foz do Iguaçu, since the opening of the binational, to see the hydroelectric facilities and the beauty of that region. Itaipu and the resumption of the post-pandemic national economy If before Itaipu already had a fundamental role, which went far beyond being one of the biggest sources of electric energy for the country, today the activities of the plant seem to be fundamental points in the Brazilian economic recovery in the post-pandemic period of covid-19. In mid-March, the new coronavirus arrived in the country, and the safety measures recommended by health agencies, such as social isolation, were a way to prevent the spread of the virus, but they directly affected the economy of several Brazilian states, paralyzing activities and closing trades. In this context, Itaipu’s role, especially for the region where it is located, goes far beyond generating energy. It becomes an important economic recovery agent. The investment in infrastructure works in cities close to its location is a milestone of the plant, proof of this are two new projects that have been developed by the consortium administrator, which in addition to improvements in the region’s infrastructure, will leverage the local and national economy. The first of these works is the construction of the Brazil-Paraguay Integration Bridge, which will connect the two countries, as well as the Friendship Bridge, and will be 760 meters long, with 3.7 meters wide lanes on each strip and 3 meters shoulder. . It is estimated that approximately R $ 460 million was invested in the work, according to Itaipu Binacional. In addition, the Foz do Iguaçu International Airport will undergo an expansion, which

97


Foto: Divulgação

Setor Comercial Sul Brasília 98


99


Foto: Bruno Pinheiro/Setur

Santuário Dom Bosco 100


101


Religião na Capital -

58,51

Gráfico - População segundo a religião declarada Distrito Federal - 2015

60

0,53

0,71

0,04

10

0,09

20

3,31

30

8,74

20,17

40

7,89

Percentua l

50

0

B

Fonte: Tabela 1.5

Religião

rasília é uma cidade de maioria absoluta cristã, sendo que 58,51% da população é católica, 20,17% protestante tradicional e 8,74% protestante pentecostal. Ao todo a capital abriga mais de 800 templos das mais diversas doutrinas e denominações religiosas. O Templo da Boa Vista é um dos locais mais visitado, muito se deve por ser ecumênico, atraindo assim pessoas de todas as crenças. Fundado em 1989, ele funciona 24h por dia e recebe mais de um milhão de visitas por ano. Sua forma é de pirâmide, e no local existe uma pedra que é considerado o maior cristal puro do mundo, que simboliza o ecumenismo total e a presença unificada de Deus. A religiosidade brasiliense provém desde sua formação. Historicamente a cidade foi sonhada por um santo católico, o italiano São João Bosco, que hoje é o padroeiro da cidade e possui dois famosos templos com seu nome: o Santuário Dom Bosco e a Ermida Dom Bosco. Ambos os locais são altamente visitados e contribuem no turismo religioso da capital.

Religion in the Capital Brasilia is a city with an absolute Christian majority, 58.51% of the Catholic population, 20.17% traditional Protestant and 8.74% Pentecostal Protestant. By making a capital city it houses more than 800 temples of the most diverse doctrines and religious denominations. The Boa Vista Temple is one of the most visited, most must be ecumenical, places that capture people like all diseases. Founded in 1989, it operates 24 hours a

102

day and receives over one million hits a year. Its form is a pyramid, and there is no stone that is considered the largest pure crystal in the world, symbolizing total ecumenism and the unified presence of God. The Brazilian religiosity is proven since its formation. Historically, a city was dreamed by a Catholic saint, the Italian Saint John Bosco, who today is the standard of the city and has the famous temples named after him: Sanctuary Don Bosco and Hermitage Don Bosco. Both places are highly visited

and do not contribute to religious tourism of the capital. Still in the Catholic faith found the Metropolitan Cathedral of Brasilia, with a different architecture designed by architect Oscar Niemeyer. Located in downtown Brasilia, it attracts all people as crimes for its look. In Asa Sul, locate the Central Baptist Church of Brasilia, which has embraced the evangelical evangelical faith since 1967. In the city of Nucleo Bandeirante, you will find the first Baptist Church of the Capital, besides

using an avenue of churches, contemplating all the examples as beliefs, especially an evangelical one. Brasilia also opened the Terra Pura Buddhist Temple on the South Wing, which opened in 1964, no place like Japanese descendant families can revive an ancient Japanese tradition. On the north side of the city is an Islamic mosque, either the only one in Brasilia and the largest in Latin America, or the temple was erected in classical Arabic architecture.


Ainda na fé Católica encontramos a Catedral Metropolitana de Brasília, com uma arquitetura diferenciada projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Localizada no centro de Brasília, ela atrai pessoas de todas as crenças pelo seu visual. Na Asa Sul, se localiza a Igreja Batista Central de Brasília, que abraça a fé protestante evangélica desde 1967. Na cidade do Núcleo Bandeirante se encontra a primeira Igreja Batista da Capital, além de possuir uma avenida de igrejas, contemplando templos de todas as crenças, em especial a evangélica. Brasília também abriga o Templo Budista Terra Pura, na Asa Sul, que foi inaugurado em 1964, no local as famílias descendentes japonesas podem reviver a velha tradição nipônica. No lado norte da cidade se encontra uma mesquita islâmica, ela é a única de Brasília e a maior da América Latina, o templo foi erguido em autêntica arquitetura árabe.

Foto: Roberto Castro - MTUR

103


As Estátuas dos Evangelistas 104


Foto: Bruno Pinheiro/Setur

105


Foto: Roberto Castro

Igrejinha Nossa Senhora 106 de Fátima


Foto: Bento Viana

Catedral Rainha da Paz

Foto: Bento Viana

Templo Busdista 107


Foto: Pablo Diego

Cultura

Show do DJ Brasiliense Alok

B

rasília é patrimônio Cultural da Humanidade, possuindo mais de 112km² de área tombada, a cidade é um verdadeiro museu a céu aberto. No pequeno quadrilátero localizado no Planalto Central a cultura se confunde com a história da própria cidade. Além de uma arquitetura e urbanismo moderno, a capital também é recheada de cultura popular, resultado da sua população vinda de todos os cantos da cidade.

108

Por vários anos Brasília foi considerada a Capital do Rock, pois lançou para o Brasil as famosas bandas Capital Inicial e a Legião Urbana do eterno Renato Russo, mas o que se nota nos últimos anos é uma mudança de cara no estilo brasiliense. Hoje o rock está acompanhado pelo fenômeno sertanejo, o movimento hip-hop e rap e a música eletrônica. No rap e hip-hop a capital está muito bem representada pelos artistas GOG, DJ Jamaika

e Japão, que fazem sucesso pelas regiões administrativas. No rap Flora Matos e o cantor Hungria, puxam a fila. O rapper Hungria já ultrapassou as fronteiras de Brasília, em plataformas de música ele possui mais de 1,4 milhão de ouvintes mensais, além de contar com parcerias de sucesso. Na música eletrônica o DJ Alok é o maior representante do estilo no país. Alok, é nascido em Goiânia, mas criado em Brasília. O jovem iniciou a

carreira na capital. A música sertaneja está representada pelos locais Pedro Paulo e Matheus e Cleber e Cauan. Além de receber anualmente grandes festivais do estilo, que ajudam a alavancar a economia da capital. Com 60 anos Brasília é a capital do Rock, do sertanejo, da música eletrônica, do Rap e do Hip Hop, conseguindo manter também sua fama de maior cidade brasileira para se fazer turismo cívico.


BRASÍLIA 60 ANOS

PAULOOCTAVIO 45 ANOS O trabalho continua

Juscelino Kubitschek

Nos 60 anos de Brasília, a PaulOOctavio comemora 45 anos gerando emprego, trazendo desenvolvimento e mantendo vivos os sonhos de JK e seus companheiros.


110


Foto: Eduardo Rodrigues

A

Kaká e Lúcio. Jogadores brasilienses

Culturel Brasilia is a Cultural Heritage of Humanity, having over 112km² of listed area, the city is a true open air museum. In the small quadrangle located on the Central Plateau, culture blends with the history of the city itself. In addition to modern architecture and urbanism, the capital is also full of popular culture, the result of its population from all corners of the city. For several years Brasilia was considered the Capital of Rock, because it launched to Brazil the famous bands Capital Inicial and the Urban Legion of the eternal Renato Russo, but what has been noticed in recent years is a change of face in the Brazilian style. Today rock is accompanied by the country phenomenon, the hip-hop and rap movement and electronic music. In rap and hip hop the capital is very well represented by the artists GOG, DJ Jamaika and Japan, who are successful in the administrative regions. In rap Flora Matos and singer Hungary pull the line. Rapper Hungary has already crossed Brasilia’s borders, on music platforms he has more than 1.4 million monthly listeners, as well as having successful partnerships. In electronic music DJ Alok is the largest representative of the style in the country. Alok is born in Goiânia, but raised in Brasilia. The young man began his career in the capital. Country music is represented by locals Pedro Paulo and Matheus and Cleber and Cauan. In addition to hosting major style festivals annually, they help leverage the capital’s economy. Almost 60 years old Brasilia is the capital of Rock, country music, electronic music, Rap and Hip Hop, managing to maintain its reputation as the largest Brazilian city for civic tourism.

Sports The capital of Brazil has been standing out in the national sports scene. The city for years maintained a hegemony in basketball, arousing a great interest for the sport in all Brazilians. The Universe / Brasilia won three times the title of the National Basketball League. In the seasons of 2009/10, 2010/11 and 2011/12, in Brasilia time, the NBB Cup consolidates itself as a powerhouse in Brazilian basketball. The Coming of Sobradinho Caio Bonfim is one of the biggest sports highlights of the capital. Athlete of the Athletic March, Caio is an expert at 20km, proof that he is guaranteed in a quarter in the Rio Olympics, the best position of the Brazilian in history. The rider is a Brazilian medal hope for the Tokyo Olympics. Ornamental Jumps Brasilia continues to maintain its prominence, with the young Luís Felipe Moura, who started training at Gama and today is not in the center of excellence of the sport at UnB, and Andressa Mendes, despite the carioca, is part of the DF team of jumps Ornamental. In the main sport of the country, Brasilia also maintains its prominence. In its 60 years of age, the capital produces several titles that decide national and international titles in football. The last Brazilian athlete to be considered the best soccer player in the world was the Brazilian Kaka. In the last world title of the Brazilian team, Lucio, a defender born in the capital, was one of 11 holders. The athlete was also the team captain for many years. For the future as Brazilian bets are the young Felipe Anderson and Reinier, born in Guará.

Esporte

capital do Brasil vem se destacando no cenário esportivo nacional. A cidade por anos manteve a hegemonia no basquete, despertando um grande interesse pela modalidade em todos os brasilienses. O Universo/ Brasília ganhou por três vezes o título da Liga Nacional de Basquete. Nas temporadas de 2009/10, 2010/11 e 2011/12, o time de Brasília levantou a taça da NBB, se consolidando como uma potência no basquete brasileiro. Vindo de Sobradinho Caio Bonfim é um dos maiores destaques esportivos da capital. Atleta da Marcha Atlética, Caio é especialista nos 20Km, prova que ele garantiu um quarto lugar nas Olimpíadas do Rio, melhor posição de um brasileiro na história. O marchador é uma esperança brasiliense de medalha, para as Olimpíadas de Tóquio. Nos Saltos Ornamentais Brasília segue mantendo seu destaque, com o jovem Luís Felipe Moura, que começou treinando no Gama e hoje está no centro de excelência da modalidade na UnB, e Andressa Mendes, que apesar de carioca, faz parte da equipe do DF de saltos ornamentais. No principal esporte do país, Brasília também mantém seu destaque. Nos seus 60 anos de idade a capital produziu diversos craques que decidiram títulos nacionais e internacionais no futebol. O último atleta brasileiro a ser considerado o melhor jogador de futebol do mundo, foi o brasiliense Kaká. Já no último título mundial da seleção brasileira, Lúcio, zagueiro nascido na capital, era um dos 11 titulares. O atleta foi também o capitão da seleção por muitos anos. Para o futuro as apostas brasilienses são os jovens Felipe Anderson e Reinier, nascido no Guará. 111


112

SUA ESCOLH


HA NATURAL

113


Foto: Roberto Castro

Congresso Nacional 114


115


Foto: André Borges/ Agência Brasília

116

Teatro Nacional


117


Foto: Agência Brasília

Torre Digital 118


119


B

Agricultura

Agriculture Brasilia is known for its beautiful monuments and few people know that they are also exhibited in the agricultural area, one of its strong points. The territory of the Federal District consists of 70% of rural areas. According to data from the Secretariat of Agriculture, Supply and Rural Development (Seagri) or sector employs about 30 thousand people, and the Gross Production Value (VBP) of the DF is around R $ 2.5 billion. Virtually all DF administrative regions have rural areas, including the city center, such as the Plano Piloto. A large part is in Planaltina, Paranoá and Brazlândia. Soybeans, corn, sorghum, beans and wheat are the strengths of Planaltina and Paranoá, as the capital’s largest grain producers. Brazlândia is known for its vegetable production, besides being known as strawberry city. The Strawberry Festival, inclusive, is a landmark in the city. As regions of Sobradinho, Gama and São Sebastião, also stand out in the sector. As cities have a diversified production, they also host a dairy and beef cattle, a poultry, a fish farming and a swine.

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

rasília é conhecida por seus belos monumentos e o que poucas pessoas sabem é que também se destaca na área da agricultura, um dos seus pontos mais fortes. O território do Distrito Federal é constituído por 70% de áreas rurais. Segundo dados da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri) o setor emprega cerca de 30 mil pessoas, sendo que o Valor Bruto da Produção (VBP) do DF está em torno de R$ 2,5 bilhões. Praticamente todas as regiões administrativas do DF têm área rural, incluindo o centro da cidade, como o Plano Piloto. A grande parte está em Planaltina, Paranoá e Brazlândia. Soja, milho, sorgo, feijão e trigo são os fortes de Planaltina e Paranoá, as maiores produtoras de grãos da capital. Brazlândia se destaca pela produção de hortaliças, além de ser conhecida como a cidade do morango. A Festa do Morango, inclusive, é um marco na cidade. As regiões de Sobradinho, Gama e São Sebastião, também se destacam no setor. As cidades possuem uma produção diversificada, hospedando também a pecuária de leite e de corte, a avicultura, a piscicultura e a suinocultura.

120


121


122


Foto: Bruno Pinheiro/Setur

123


124


Política na Capital

Cuidar do meio ambiente é uma questão educacional, moral e social


N

Presidente Jair Messias Bolsonaro o dia 28 de outubro de 2018, foi eleito em segundo turno o 38º Presidente do Brasil, para o mandato de 2019 a 2022. Nascido em Glicério, São Paulo, em 21 de março de 1955, Jair Messias Bolsonaro, ganhou as eleições com 55,13% dos votos válidos. Filho dos descendentes italianos, Perci Geraldo Bolsonaro e Olinda Bonturi, ele é capitão da reserva do Exército brasileiro. Eleito pelo PSL, em novembro de 2019 assinou sua desfiliação ficando temporariamente sem partido. Antes de alcançar o posto máximo do país, Bolsonaro foi aluno da Escola Preparatória de Cadetes do Exército, em Campinas. Em 1977, graduou-se na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, no estado do Rio de Janeiro. Em 1983, forma-se em Educação Física, quando chegou na patente de capitão. Sua carreira política iniciou-se em 1988, quando foi eleito vereador para a Câmara Municipal do Rio de Janeiro, pelo Partido Democrata Cristão (PDC). Pelo PDC foi eleito pela primeira vez Deputado Federal nas eleições de 1990, quando renunciou seu mandato de vereador do Rio de Janeiro, para assumir a vaga na Câmara dos Deputados, em 1991. No ano de 1993, participou da fundação do Partido Progressista Reformador (PPR), que era uma fusão do PDC e do Partido Democrático Social (PDS). Nas eleições de 1994, Bolsonaro foi reeleito Deputado Federal pelo estado do Rio de Janeiro. Sua principal plataforma de campanha era a luta pela melhoria salarial para os militares. Ele também defendia o fim da estabilidade dos servidores públicos. Em 1995, filiou-se ao Partido Progressista Brasileiro (PPB), partido resultado da união entre o PPR e PP. No seu segundo mandato, Bolsonaro foi indicado para a Comissão de Trabalho, administração e Serviço Público. Em 1998 foi para o seu terceiro mandato, e chegou a sair candidato da Comissão de Direitos Humanos. Seu quarto mandato foi confirmado nas eleições de 2002, neste ano filiou-se ao PTB, em 2005 deixa o partido e entra no PFL, no mesmo ano filia-se ao Partido Progressista (PP). Em 2006 e 2014, Jair alcança mais dois mandatos de Deputado Federal, somando assim sete mandatos no cargo. Em 2016, filiou-se ao PSC, no ano seguinte chegou a iniciar negociações com o Patriotas. A vida política de Jair Messias Bolsonaro, começa a mudar, quando decide sair da zona que já dominava, o legislativo, e tenta atingir novos objetivos, o executivo, lançando sua candidatura para Presidente da República nas eleições de 2018, filiando-se ao PSL. A campanha do então candidato foi feita basicamente através das redes sociais. Jair, apostou em discursos conservadores e de combate à corrupção. Uma das suas principais bandeiras era a liberação das armas para combater a violência. Jair Messias Bolsonaro venceu os dois turnos das eleições de 2018, tendo disputado o segundo com o candidato petista, Fernando 126

Haddad. Sua vitória interrompeu um ciclo de seis eleições que só eram vencidas por PT e PSDB. Bolsonaro, se declara como um presidente defensor da família, constituição, democracia e da liberdade. Durante a campanha das eleições que saíra vencedor, Jair sofreu um atentado no dia seis de setembro. O então candidato foi esfaqueado no abdômen, enquanto fazia campanha na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais. A partir desse episódio, Bolsonaro evitou sair de casa, por questões de segurança. O agressor do presidenciável foi preso, e diagnosticado com problemas mentais. Jair Messias Bolsonaro foi casado três vezes. Com sua primeira esposa, Rogéria Nantes Nunes Braga, ele teve três filhos, os também políticos: Flávio, Carlos e Eduardo Bolsonaro. No seu segundo casamento com, Ana Cristina, nasceu seu quarto filho homem, Renan Bolsonaro. Sua atual esposa e primeira-dama do Brasil é Michelle de Paula Firmo Reinaldo, com quem tem sua única filha, Laura. President Jair Messias Bolsonaro On October 28, 2018, the 38th President of Brazil was elected in a second round, for the term of 2019 to 2022. Born in Glicério, São Paulo, on March 21, 1955, Jair Messias Bolsonaro, won the elections with 55 , 13% of valid votes. Son of Italian descendants, Perci Geraldo Bolsonaro and Olinda Bonturi, he is captain of the Brazilian Army reserve. Elected by the PSL, in November 2019 he signed his parade and was temporarily without a party. Before reaching the highest position in the country, Bolsonaro was a student at the Army Cadets Preparatory School in Campinas. In 1977, he graduated from the Military Academy of Agulhas Negras, in Resende, in the state of Rio de Janeiro. In 1983, he graduated in Physical Education, when he reached the rank of captain. His political career began in 1988, when he was elected councilor for the City Council of Rio de Janeiro, by the Christian Democratic Party (PDC). For the PDC, he was elected for the first time as a Federal Deputy in the 1990 elections, when he resigned his mandate as councilor of Rio de Janeiro, to take his place in the Chamber of Deputies in 1991. In 1993, he participated in the founding of the Progressive Reform Party ( PPR), which was a merger of the PDC and the Social Democratic Party (PDS). In the 1994 elections, Bolsonaro was re-elected Federal Deputy by the state of Rio de Janeiro. Its main campaign platform was the fight for better pay for the military. He also advocated an end to the stability of public servants. In 1995, he joined the Brazilian Progressive Party (PPB), a party resulting from the union between the PPR and PP. In his second term, Bolsonaro was appointed to the Labor, Administration and Public Service Commission. In 1998 he went to his third term, and he even left the Human Rights Commission candidate. His fourth term was confirmed in the 2002 elections, this year he joined the

PTB, in 2005 he leaves the party and joins the PFL, in the same year he joins the Progressive Party (PP). In 2006 and 2014, Jair achieved two more terms as Federal Deputy, thus adding seven terms in office. In 2016, he joined the PSC, in the following year he even started negotiations with Patriotas. The political life of Jair Messias Bolsonaro, begins to change, when he decides to leave the area he already dominated, the legislature, and tries to achieve new objectives, the executive, launching his candidacy for President of the Republic in the 2018 elections, joining the PSL . The campaign of the then candidate was basically made through social networks. Jair, bet on conservative and anti-corruption speeches. One of its main flags was the release of weapons to combat violence. Jair Messias Bolsonaro won the two rounds of the 2018 elections, having disputed the second with the PT candidate, Fernando Haddad. His victory interrupted a cycle of six elections that were only won by PT and PSDB. Bolsonaro, declares himself as a president defending the family, constitution, democracy and freedom. During the election campaign that won, Jair suffered an attack on the sixth of September. The then candidate was stabbed in the abdomen while campaigning in the city of Juiz de Fora, in Minas Gerais. From that episode, Bolsonaro avoided leaving home, for security reasons. The aggressor of the presidential candidate was arrested, and diagnosed with mental problems. Jair Messias Bolsonaro was married three times. With his first wife, Rogéria Nantes Nunes Braga, he had three children, also politicians: Flávio, Carlos and Eduardo Bolsonaro. In her second marriage to Ana Cristina, her fourth male child, Renan Bolsonaro, was born. His current wife and first lady of Brazil is Michelle de Paula Firmo Reinaldo, with whom he has his only female daughter, Laura.


Foto: Alan Santos - PR


A posse

O

Foto: Alan Santos - PR

Capitão reformado do Exército, Jair Bolsonaro, tomou posse para presidente do Brasil aos 63 anos em primeiro de janeiro de 2019. O evento foi acompanhado por 115 mil

128

pessoas, segundo dados do Governo Federal, e entrou para história por ser a posse com maior aparato de segurança já visto. Apesar da grande segurança, Bolsonaro desfilou de

carro aberto acompanhado pela esposa, Michelle e seu filho Carlos Bolsonaro. Houve dois discursos, o primeiro foi no Congresso Nacional e o outro já com a faixa presidencial no parlatório do Planalto. O

diferencial da cerimônia, foi o discurso da primeira-dama em Libras, que antecedeu ao do presidente. Michelle é conhecida por seu engajamento nas caudas de pessoas com deficiência.


Histórico Político Vereador do Rio de Janeiro - 1989 - 1990 Deputado Federal - 1991 - 2018 Presidente da República - 2019 - 2022

The possession The retired Army Captain, Jair Bolsonaro, took office as President of Brazil at the age of 63 on January 1, 2019. The event was attended by 115 thousand people, according to Federal Government data, and went down in history because it was the possession with the greatest security apparatus already seen. Despite great security, Bolsonaro paraded in an open car accompanied by his wife, Michelle and his son Carlos Bolsonaro. There were two speeches, the first was in the National Congress and the other with the presidential sash in the Planalto’s parliament. The differential of the ceremony was the speech of the first lady in Libras, which preceded that of the president. Michelle is known for her engagement in the tails of people with disabilities. Political History Councilor of Rio de Janeiro - 1989 - 1990 Federal Deputy - 1991 - 2018 President of the Republic - 2019 - 2022

129


130

Foto: Isac Nobrega - PR


131


Prefeitos Nasceu dia 4 de janeiro de 1896, na cidade de Caeté - MG. No governo de Juscelino Kubitschek, foi nomeado presidente da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap). Com a inauguração da cidade, foi nomeado por Juscelino como primeiro prefeito da nova capital. Faleceu em 06 de julho de 1973. ISRAEL PINHEIRO Prefeito 17.4.1960 a 31.1.1961

Israel Pinheiro He was born on January 4, 1896, in the city of Caeté - MG. In the government of Juscelino Kubitschek, he was appointed president of the Urbanization Company of Nova Capital do Brasil (Novacap). With the inauguration of the city, he was appointed by Juscelino as the first mayor of the new capital. He died on July 6, 1973.

Nasceu em Araxá - MG, dia 12 de janeiro de 1926. Foi prefeito da Capital Federal de 6 de fevereiro a 25 de setembro de 1961. Implantou a estrutura administrativa da prefeitura e iniciou a urbanização da Asa Norte.

PAULO DE TARSO SANTOS Prefeito 6.2.1961 a 25.9.1961

Nascido em Luziânia - GO, dia 24 de abril de 1915, foi o primeiro secretário de Governo do Distrito Federal, presidente da Novacap, prefeito interino do Distrito Federal de 5 de maio de 1960 a 5 de agosto de 1960 e presidente do Tribunal de Contas do Distrito Federal. Desempenhou papel de relevância, tanto na mudança da capital para o Planalto Central quanto na consolidação de Brasília como metrópole.

SEGISMUNDO MELLO Prefeito Interino 5.5.1960 a 5.8.1960

Segismundo Mello Born in Luziânia - GO, on April 24, 1915, he was the first government secretary of the Federal District, president of Novacap, acting mayor of the Federal District from May 5, 1960 to August 5, 1960 and president of the Court of Auditors of the Federal District. It played a relevant role, both in moving the

Nasceu em Ruy Barbosa - BA, dia 9 de abril de 1924. Em 1956, assumiu o cargo de diretor-adjunto do IBAM. Em 1961, foi nomeado pelo Presidente da República Secretário-Geral de Administração da Prefeitura do Distrito Federal e, posteriormente, prefeito interino do Distrito Federal, de setembro a outubro de 1961.

DIOGO DE MELLO Prefeito Interino 25.9.1961 a 13.10.1961

BAYARD LUCAS DE LIMA Prefeito Interino 1.2.1961 a 6.2.1961

Diogo De Mello He was born in Ruy Barbosa - BA, on April 9, 1924. In 1956, he assumed the position of deputy director of IBAM. In 1961, he was appointed by the President of the Republic Secretary-General of Administration of the Prefecture of the Federal District and, subsequently, acting mayor of the Federal District, from September to October 1961.

Nasceu em Pedreira - SP, dia 26 de outubro de 1921. Ocupou interinamente a Prefeitura no período de 13 de outubro a 6 de novembro de 1961, durante o regime parlamentarista do então Primeiro Ministro Tancredo Neves.

Nasceu em Bagé - RS, dia 15 de maio de 1906. Ocupou a prefeitura de Brasília, interinamente, por cinco dias, de 1º a 6 de fevereiro de 1961, sob a presidência de Jânio Quadros. General reformado, exerceu como médico em Brasília diversas funções, entre elas a de diretor do Hospital Distrital. Segismundo Mello He was born in Bagé - RS, on May 15, 1906. He occupied the city of Brasília, temporarily, for five days, from February 1 to 6, 1961, under the presidency of Jânio Quadros. A retired general, he held several positions as a doctor in Brasilia, including director of the District Hospital.

Paulo De Tarso Santos He was born in Araxá - MG, on January 12, 1926. He was mayor of the Federal Capital from February 6 to September 25, 1961. He implemented the administrative structure of the city hall and started the urbanization of Asa Norte.

Ângelo Dário Rizzi He was born in Pedreira - SP, on October 26, 1921. He temporarily occupied the City Hall from October 13 to November 6, 1961, during the parliamentary regime of the then Prime Minister Tancredo Neves.

ÂNGELO DÁRIO RIZZI Prefeito Interino 13.10.1961 a 6.11.1961 Fotos: ARPDF

132


Nasceu em Alfenas - MG, dia 14 de abril de 1920. Diplomata, exerceu a chefia da Casa Civil do expresidente Juscelino Kubitschek, foi governador do Estado da Guanabara em 1960, e prefeito de Brasília no período de 6 de novembro de 1961 a 22 de agosto de 1962. Em seu curto mandato destacam-se o ajardinamento e arborização de 15 superquadras da Asa Sul do Plano Piloto. JOSÉ SETTE C. FILHO Prefeito 6.11.1961 a 22.8.1962

José Sette C. Filho He was born in Alfenas - MG, on April 14, 1920. A diplomat, he served as head of the Civil House of ex-president Juscelino Kubitschek, was governor of the State of Guanabara in 1960, and mayor of Brasília in the period from November 6, 1961 to August 22, 1962. In his short term, the gardening and afforestation of 15 super blocks of the Asa Sul of Plano Piloto stands out.

Nasceu no Rio de Janeiro, dia 19 de maio de 1925. Formou-se em Engenharia pela Escola de Engenharia da UFRJ. Substituiu o prefeito José Sette Câmara de agosto de 1962 a abril de 1964, a convite do presidente João Goulart. Dentre as obras de sua gestão destacam-se: Mercado da SAB, Parque do Gama e o Hospital do Gama. IVO DE MAGALHÃES Prefeito 22.8.1962 a 6.4.1964

Ivo De Magalhães Born in Rio de Janeiro, on May 19, 1925. He graduated in Engineering from the School of Engineering at UFRJ. He replaced Mayor José Sette Câmara from August 1962 to April 1964, at the invitation of President João Goulart. Among his management works are: Mercado da SAB, Parque do Gama and Hospital do Gama.

Nasceu em São Paulo - SP, dia 10 de março de 1909. Exerceu várias funções públicas, entre elas ministro do Trabalho (interino), secretário de Educação e Cultura do Distrito Federal. Ocupou interinamente a prefeitura do Distrito Federal de 3 a 6 de abril de 1964.

LUIZ CARLOS VICTOR PUJOL Prefeito Interino 3.4.1964 a 6.4.1964 Fotos: ARPDF

LUIZ CARLOS VICTOR PUJOL He was born in São Paulo - SP, on March 10, 1909. He performed several public functions, among them Minister of Labor (interim), Secretary of Education and Culture of the Federal District. He temporarily occupied the prefecture of the Federal District from April 3 to 6, 1964.

Nasceu em Cordeiro - RJ, dia 23 de fevereiro de 1922. General do Exército, foi prefeito interino do Distrito Federal de 6 de abril de 1964 a 18 de maio de 1964. Ivan de Souza Mendes He was born in Cordeiro - RJ, on February 23, 1922. General of the Army, he was acting mayor of the Federal District from April 6, 1964 to May 18, 1964.

IVAN DE SOUZA MENDES Prefeito Interino 6.4.1964 a 18.5.1964

Nasceu na cidade do Rio de Janeiro - RJ, dia 27 de julho de 1910. Nomeado pelo presidente Castelo Branco, assumiu a Prefeitura do Distrito Federal cercado do respeito da população. Estruturou-a de modo definitivo de maio de 1964 a março de 1967.

PLINIO REIS ALMEIDA Prefeito 18.5.1964 a 15.3.1967

Plinio Reis Almeida He was born in the city of Rio de Janeiro RJ, on July 27, 1910. Appointed by President Castelo Branco, he assumed the City Hall of the Federal District surrounded by the respect of the population. It was structured in a definitive way from May 1964 to March 1967.

Nasceu em Catalão - GO, dia 23 de agosto de 1932. Exerceu vários cargos na Administração do Distrito Federal, dentre eles chefia do Departamento de Edificações e assistente da Diretoria da Novacap, Subprefeito do Núcleo Bandeirante, diretorsuperintendente da Sociedade de Habitações de Interesse Social – SHIS, e, finalmente, foi o último Prefeito do Distrito Federal, de WADJÔ DA COSTA GOMIDE março de 1967 a outubro de 1969. Último Prefeito 31.3.1967 a 30.10.1969

WADJÔ DA COSTA GOMIDE He was born in Catalão - GO, on August 23, 1932. He held various positions in the Administration of the Federal District, among them head of the Department of Buildings and assistant to the Board of Novacap, Deputy Mayor of Núcleo Bandeirante, director-superintendent of the Society of Interest Housing Social - SHIS, and, finally, was the last Mayor of the Federal District, from March 1967 to October 1969.

133


Governadores Nasceu em São Gabriel - RS, dia 29 de outubro de 1920. Chegou ao Governo do Distrito Federal como tenente-coronel do Exército. Primeiro Governador do Distrito Federal, preocupouse com Educação, Cultura, Saúde e Bem-Estar. Nomeado dia 4 de novembro de 1969, foi empossado em 12 de novembro de 1969 e governou até 2 de abril de 1974. Faleceu em 12 de dezembro de 1997. HÉLIO DA SILVEIRA Primeiro Governador 4.11.1969 a 2.4.1974

Hélio Da Silveira He was born in São Gabriel - RS, on October 29, 1920. He joined the Federal District Government as lieutenant colonel in the Army. First Governor of the Federal District, he was concerned with Education, Culture, Health and Welfare. Appointed on November

Nasceu em São Luiz - MA, dia 7 de abril de 1928. Nomeado pelo presidente Ernesto Geisel, notabilizou-se pela revolução viária. Destacam-se: Ponte Costa e Silva, viadutos da W3 Sul e Norte, Via Estrutural, duplicação da L2 Norte, Viaduto do Setor Militar Urbano, Parque Sarah Kubitschek. Faleceu em 1994. ELMO SEREJO FARIAS Governador 2.4.1974 a 29.3.1979

Nasceu em São Gabriel - RS, dia 27 de maio de 1915. No Governo do Distrito Federal, foi Secretário de Finanças e Presidente do Banco de Brasília - BRB, eventualmente substituiu o então governador.

ANTÔNIO FRAGOMENI Governador Interino 24.1.1973 a 29.1.1973

Antônio FragomenI He was born in São Gabriel - RS, on October 29, 1920. He joined the Federal District Government as lieutenant colonel in the Army. First Governor of the Federal District, he was concerned with Education, Culture, Health and Welfare. Appointed on November 4, 1969, he was sworn in on November 12, 1969 and ruled until April 2, 1974. He died on December 12, 1997.

AIMÉ ALCIBÍADES LAMAISON Governador 29.3.1979 a 2.7.1982

Nasceu em Porto Alegre - RS, dia 27 de abril de 1932, foi governador interino de 14 de março a 2 de abril de 1974. Antônio FragomenI He was born in São Gabriel - RS, on October 29, 1920. He joined the Federal District Government as lieutenant colonel in the Army. First Governor of the Federal District, he was concerned with Education, Culture, Health and Welfare. Appointed on November 4, 1969, he was sworn in on November 12, 1969 and ruled until April 2, 1974. He died on December 12, 1997.

OCTÁVIO ODÍLIO DE OLIVEIRA Governador Interino 14.3.1974 a 2.4.1974

134

JOSÉ ORNELLAS FILHO Governador 2.7.1982 a 3.4.1985

Elmo Serejo Farias He was born in São Luiz - MA, on April 7, 1928. Appointed by President Ernesto Geisel, he became famous for the road revolution. The highlights are: Ponte Costa e Silva, viaducts of W3 Sul and Norte, Via Estrutural, duplication of L2 Norte, Viaduto do Setor Militar Urbano, Parque Sarah Kubitschek. He passed away in 1994.

Nasceu em Passo Fundo - RS, dia 21 de novembro de 1918. Ocupou vários cargos no DF: Secretário de Segurança Pública, presidente do Conselho Superior de Informações e Operações Policiais – CONSIOP, Chanceler da Ordem do Mérito de Brasília; Presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo e governador nomeado por Decreto Presidencial. Em sua gestão destacam-se as obras da Rodoferroviária e as instalações atuais da Novacap.

Nasceu no Estado do Rio de Janeiro, dia 30 de novembro de 1921. Foi subsecretário-geral, diretor administrativo e diretor de Recursos Humanos do MEC e vicepresidente das Telecomunicações Brasileiras – TELEBRÁS – de onde saiu para ser Governador do Distrito Federal. Destacamse as rodovias DF-250; trecho do entroncamento da DF-130/DF250; BR-040 km “0” divisa do DF/GO; BR-251 Brasília/Unaí e DF-180 Brazlândia até a divisa do Distrito Federal com Goiás. Fotos: ARPDF


Nasceu em Luz - MG, dia 3 de outubro de 1943. Economista e historiador. Acumulou o cargo de Governador do Distrito Federal com o de Ministro do Interior (1985 até 1987). Ronaldo Costa Couto Born in Luz - MG, on October 3, 1943. Economist and historian. He accumulated the position of Governor of the Federal District with that of Minister of the Interior (1985 until 1987).

RONALDO COSTA COUTO Governador Interino 3.4.1985 a 8.5.1985

JOSÉ APARECIDO DE OLIVEIRA

Governador 9.5.1985 a 19.9.1988

Joaquim Roriz He was born in Luziânia - GO, on August 4, 1936. In 1988 he was appointed Governor of the Federal District. In the first government, the following stand out: creation of the Satellite City of Samambaia; implemented the Health area, with the construction and renovation of health posts and hospitals; installed the “Itinerant Government” in nine satellite cities, on the North Peninsula and on the South Lake; carried out administrative reform of the GDF and numerous urbanization works and services.

Nasceu em Conceição do Mato Dentro - MG, dia 17 de fevereiro de 1929. O presidente José Sarney nomeou-o Governador do Distrito Federal. Em sua gestão destacamse: construção do Panteão da Democracia e da Liberdade; Pira da Pátria; construção do Museu de Arte Moderna, Gran-Circo Lar e Casa do Cantador. Obteve o reconhecimento, pela UNESCO, de Brasília como Patrimônio Cultural da Humanidade. construction of the Museum of Modern Art, Gran-Circo Lar and Casa do Cantador. It obtained the recognition, by UNESCO, of Brasília as Cultural Heritage of Humanity

JOAQUIM RORIZ Governador 20.9.1988 a 12.3.1990

Sebastião (DF-135), Rodovia Diogo Machado de Araújo (DF-140) and the Pavilhão de Feira and Parque da Cidade Events. He is a hotel entrepreneur.

WANDERLEY VALLIM Governador Interino 9.3.1990 a 1.1.1991

Governador Interino de 1985 a 1988 Fotos: ARPDF

Guy Affonso Gonçalves He was born in Belo Horizonte - MG, on August 4, 1932. He was substitute governor of José Aparecido de Oliveira, in several periods: 9.12.85 to 12.12.85; 14.2.86 to 28.2.86; 6.1.87 to 1.29.87; April 30, 2007 to May 29, 2007; 10.1.87 to 15.11.87; 13.1.88 to 2.11.88 and 24.6.88 to 7.7.88. Joaquim Roriz

Nasceu em Belo Horizonte - MG, dia 4 de agosto de 1932. Foi governador substituto de José Aparecido de Oliveira, em vários períodos: 9.12.85 a 30.12.85; 14.2.86 a 28.2.86; 6.1.87 a 29.1.87; 30.4.87 a 29.5.87; 10.1.87 a 15.11.87; 13.1.88 a 11.2.88 e 24.6.88 a 7.7.88.

GUY AFFONSO GONÇALVES

José Aparecido De Oliveira He was born in Conceição do Mato Dentro - MG, on February 17, 1929. President José Sarney appointed him Governor of the Federal District. In his management, the following stand out: construction of the Pantheon of Democracy and Freedom; Pira da Pátria;

Nasceu em Ituverava - SP, dia 12 de agosto de 1936. ViceGovernador em 1988. Governador, inaugurou o acesso à Agrovila São Sebastião (DF-135), à Rodovia Diogo Machado de Araújo (DF140) e ao Pavilhão de Feira e Eventos do Parque da Cidade. É empresário hoteleiro.

Wanderley Vallim He was born in Ituverava - SP, on August 12, 1936. Vice-Governor in 1988. Governor, inaugurated access to Agrovila São

In the second term, the following stand out: construction and inauguration of the 1st subway section - Park Shopping-Samambaia, construction of several units of the Center for Integral Attention to Children and Adolescents - CAIC; asphalt paving in urban settlements; Nossa Quadra, Nossa Vida Program; implementation of CEB public lighting; provision of CAESB drinking water and sewage infrastructure services.

Nasceu em Luziânia - GO, dia 4 de agosto de 1936. Em 1988 foi nomeado Governador do Distrito Federal. No primeiro governo destacam-se: criação da Cidade-Satélite de Samambaia; implementou a área da Saúde, com a construção e reforma de postos de saúde e hospitais; instalou o “Governo Itinerante” em nove cidades satélites, na Península Norte e no Lago Sul; fez reforma administrativadoGDFenumerosas obras e serviços de urbanização.

JOAQUIM RORIZ Governador 1.1.1991 a 31.12.1994

No segundo mandato destacamse: construção e inauguração do 1º trecho do metrô - Park ShoppingSamambaia;construção de várias unidades do Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente - CAIC; pavimentação asfáltica nos assentamentos urbanos; Programa Nossa Quadra, Nossa Vida; implementação de iluminação pública da CEB; prestação de serviços de infraestrutura de água potável e esgotos sanitários da CAESB.

135


Nasceu em Belo Horizonte MG, dia 22 de outubro de 1943. Vice-Governadora do Distrito Federal de 1991 a 1994, Governo Joaquim Roriz. Dia 5 de agosto de 2000 faleceu aos 56 anos.

Nasceu em Itagibá - BA, dia 28 de junho de 1950. Em 1994 foi eleita vice-governadora ao lado de Cristovam Buarque, e em 2002, deputada distrital.

Márcia Kubitschek Born in Belo Horizonte - MG, on October 22, 1943. Vice-Governor of the Federal District from 1991 to 1994, Joaquim Roriz Government. On August 5, 2000 he died at the age of 56..

Arlete avelar sampaio She was born in Itagibá - BA, on June 28, 1950. In 1994 she was elected vice-governor alongside Cristovam Buarque, and in 2002, district deputy.

MÁRCIA KUBITSCHEK Governadora Interina de 1991 a 1994

ARLETE AVELAR SAMPAIO Governadora Interina várias vezes de 1995 a 1998

Em 1998 foi novamente governador do Distrito Federal pelo PMDB, para o mandato de janeiro de 1999 a dezembro de 2002. Nesse período, destacam-se: o Serviço de Atendimento Imediato ao Cidadão - Na Hora; Balão do Aeroporto; Viadutos de Samambaia e Balão do Torto; Restaurantes Comunitários; Programa de Fortalecimento às Famílias de Baixa Renda (Pró-Família); a construção e inauguração da Ponte JK; e a construção do Hospital do Paranoá.

Nasceu no Rio de Janeiro, dia 1 de abril de 1956. De 1993-1994, presidiu a Câmara Legislativa do Distrito Federal, sendo Governador interino do Distrito Federal. Benício Da Cunha Mello He was born in Rio de Janeiro, on April 1, 1956. From 1993-1994, he presided over the Legislative Chamber of the Federal District, being interim Governor of the Federal District.

JOAQUIM RORIZ Governador 1.1.1999 a 31.12.2002

BENÍCIO DA CUNHA MELLO Governador Interino 20.9.1993 a 26.9.1993

Joaquim Roriz In 1998 he was again governor of the Federal District for the PMDB, for the term from January 1999 to December 2002. During this period, the following stand out: the Citizen’s Immediate Customer Service Na Hora; Airport Balloon; Viaducts of Samambaia and Balloon of the Torto; Community Restaurants; Program to Strengthen Low-Income Families (Pro-Family); the construction and inauguration of the JK Bridge; and the construction of the Paranoá Hospital.

CRISTOVAM BUARQUE Governador 1.1.1995 a 31.12.1998

Nasceu dia 20 de fevereiro de 1944, em Recife - PE. Governador do Distrito Federal, implantou o Programa Bolsa-Escola; 4ª faixa da Ponte do Bragueto; Ala Central do Complexo Aeroportuário de Brasília e Centros de Ensino.

Nasceu em São Sebastião do Paraíso - MG, dia 23 de junho de 1934. Em 1979 foi indicado como administrador Regional de Taguatinga, Deputado Federal em 1990, foi reeleito em 1994 e, em 1998, eleito vice-governador de Joaquim Roriz.

Christov Buarque He was born on February 20, 1944, in Recife - PE. Governor of the Federal District, implemented the Bolsa-Escola Program; 4th lane of Ponte do Bragueto; Central Wing of Brasília Airport Complex and Teaching Centers.

Benedito Domingos He was born in São Sebastião do Paraíso - MG, on June 23, 1934. In 1979 he was appointed as Regional Administrator of Taguatinga, Federal Deputy in 1990, was reelected in 1994 and, in 1998, elected Vice-Governor of Joaquim Roriz.

BENEDITO DOMINGOS Governador Interino várias vezes de 1999 a 2002

Fotos: ARPDF

136


JOAQUIM RORIZ Governador 1.1.2003 a 31.3.2006

Eleito pela quarta vez governador do Distrito Federal, em 2002 pelo PMDB, para o mandato de 2003 a 2006. Nesse período, destacam-se: Programa Renda Universidade; reforma e ampliação do Centro de Convenções Ulysses Guimarães; Barragem de Corumbá IV; reformas na Fonte Luminosa da Torre de TV; Restaurante Comunitário do Recanto das Emas; e a revitalização do sistema viário do Pistão Sul. Joaquim Roriz Elected for the fourth time governor of the Federal District, in 2002 by the PMDB, for the mandate from 2003 to 2006. During this period, the following stand out: Programa Renda Universidade; renovation and expansion of the Ulysses Guimarães Convention Center; Corumbá IV Dam; renovations to the TV Tower’s Luminous Fountain; Recanto das Emas

Governadora, atuou em melhorias urbanas. Determinou que feiras livres e permanentes fossem fiscalizadas pelo GDF. Determinou aumento do patrulhamento nas quadras do Plano Piloto, dupla “Cosme e Damião”. Inaugurou a Casa do Diabético, em Planaltina. Instituiu 3º turno em três centros de saúde e ampliou atendimento em outros. MARIA DE LOURDES ABADIA Governadora 1.4.2006 a 31.12.2006

Nasceu em Bela Vista - GO, dia 14 de agosto de 1944. Em 1987, foi eleita deputada federal; em 1991, deputada distrital; em 1995, nomeada secretária de Turismo do Distrito Federal; em 1999 deputada federal e em 2002 vice-governadora do Governo de Joaquim Roriz.

MARIA DE LOURDES ABADIA Governadora Interina de 2003 a 2006

Maria De Lourdes Abadia She was born in Bela Vista - GO, on August 14, 1944. In 1987, she was elected federal deputy; in 1991, district deputy; in 1995, appointed Secretary of Tourism of the Federal District; in 1999 federal deputy and in 2002 deputy governor of Joaquim Roriz’s government.

JOSÉ ROBERTO ARRUDA Governador 1.1.2007 a 16.03.2010

José Roberto Arruda He was born on January 5, 1954, in Itajubá, Minas Gerais. In 2002, elected federal deputy. In 2006, elected Governor of the Federal District in the first round. His main works: Expansion of the Bezerrão Stadium;

FÁBIO BARCELLOS Governador Interino várias vezes de 2005 a 2006 Fotos: ARPDF

Maria De Lourdes Abadia Governor, worked on urban improvements. It determined that free and permanent fairs were supervised by the GDF. It determined an increase in patrolling on the blocks of the Plano Piloto, a duo “Cosme e Damião”. Inaugurated the Casa do Diabético, in Planaltina. It instituted a 3rd shift in three health centers and expanded care in others.

Nasceu dia 5 de janeiro de 1954, em Itajubá, Minas Gerais. Em 2002, eleito deputado federal. Em 2006, eleito Governador do Distrito Federal no primeiro turno. Suas principais obras: Ampliação do Estádio Bezerrão; construção de 23 escolas, do Shopping Popular da Rodoferroviária, Hospital de Santa Maria e quatro viadutos na EPTG, asfalto em várias cidades do DF. No total, foram mais de 2.000 obras catalogadas. construction of 23 schools, Shopping Popular da Rodoferroviária, Hospital de Santa Maria and four viaducts at EPTG, asphalt in several cities in the Federal District. In total, more than 2,000 works were cataloged. Fábio Barcellos He was born in Rio de Janeiro on June 10, 1963. He was president of the Civil Police

Nasceu no dia 13 de fevereiro de 1950 em Lavras, Minas Gerais. A carreira política começou em 1990, quando foi deputado federal. Em 1998 voltou a ser eleito deputado federal e em 2002 chegou ao Senado Federal. Foi eleito vice-governador no primeiro turno em 2006.

Nasceu no Rio de Janeiro em 10 de junho de 1963. Foi presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal e desempenhou papel fundamental nas conquistas da categoria. Foi eleito deputado distrital pelo Partido Liberal - PL, hoje no PFL. Foi presidente da Câmara Legislativa do DF, biênio 2005/2006. Union of the Federal District and played a fundamental role in the category’s achievements. He was elected district deputy by the Liberal Party - PL, today in the PFL. He was president of the Legislative Chamber of DF, biennium 2005/2006.

Community Restaurant; and the revitalization of the Piston South road system.

PAULO OCTÁVIO PEREIRA Governador Interino de 1.1.2007 a 23.02.2010

Paulo Octávio Pereira He was born on February 13, 1950 in Lavras, Minas Gerais. His political career began in 1990, when he was a federal deputy. In 1998 he was again elected federal deputy and in 2002 he reached the Federal Senate. He was elected vice-governor in the first round in 2006.

137


Nasceu dia 26 de novembro de 1959, em Piripiri – PI. Um dos fundadores do Sindicato dos Policiais Civis – SINPOL. Eleito em dois mandatos para Deputado Distrital, chegou à presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa e à vicepresidência da Comissão de Constituição e Justiça. Implantou o acompanhamento das contas da Câmara via internet. Foi da Secretaria de Justiça e Cidadania.

ALÍRIO DE OLIVEIRA NETO Governador Interino Alírio De Oliveira Neto 1.2.2008 a 6.2.2008 He was born on November 26, 1959, in Piripiri - PI.

Nasceu em Ceres – GO em 20 de junho de 1953. Foi Subsecretário de Alimentação e Promoção Social da Secretaria de Estado de Solidariedade em 2002. Exerceu mandato de Deputado Distrital nas legislaturas de 19992002, 2003-2006 como suplente e de 2007-2010.

WILSON FERREIRA DE LIMA Governador Interino Início 23.2.2010 a 19.04.2010

One of the founders of the Civil Police Union - SINPOL. Elected in two terms as District Deputy, he became president of the Human Rights Commission of the Legislative Chamber and vice-president of the Constitution and Justice Commission. Implemented the monitoring of the Chamber’s accounts via the internet. It was from the Department of Justice and Citizenship.

LEONARDO PRUDENTE Governador Interino 9.1.2009 a 12.1.2009

Nasceu dia 16 de agosto de 1960, em Goiânia. Em 2004 foi Secretário de Estado de Trabalho do Governo do Distrito Federal. Líder do Governo na Câmara de 2007 a 2008, vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar na Legislatura 20032006. Presidente da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças no biênio 2007-2008. Deputado Distrital em dois mandatos e Presidente da Câmara Legislativa no biênio 2009-2010. Leonardo Prudente He was born on August 16, 1960, in Goiânia. In 2004 he was Secretary of State for Work of the Government of the Federal District. Government leader in the Chamber from 2007 to 2008, vice-president of the Commission for the Defense of Human Rights, Citizenship, Ethics and

NÍVIO GONÇALVES Governador Interino 7.9.2009 a 9.9.2009

138

ROGÉRIO ROSSO Governador 17.04.2010 a 31.12.2010

Christov Buarque He was born on February 20, 1944, in Recife - PE. Governor of the Federal District, implemented the Bolsa-Escola Program; 4th lane of Ponte do Bragueto; Central Wing of Brasília Airport Complex and Teaching Centers. Wilson Ferreira De Lima He was born in Ceres - GO on June 20, 1953. He was Undersecretary for Food and Social Promotion of the State Secretariat for Solidarity in 2002. He served as a District Deputy in the legislatures of 1999-2002, 2003-2006 as an alternate and from 2007-2010 .

Natural do Rio de Janeiro, formado em Direito pela Universidade de Brasília e especialista em Marketing. Começou na vida política como aliado do exgovernador Joaquim Roriz (PSC), tendo sido indicado por ele administrador de Ceilândia, uma das maiores unidades administrativas do Distrito Federal em 2004. Foi também Presidente da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) em 2007. Parliamentary Decorum in the 2003-2006 Legislature. Chairman of the Economy, Budget and Finance Commission for the 2007-2008 biennium. District Deputy in two terms and President of the Legislative Chamber in the 2009-2010 biennium. Rogério Rosso Born in Rio de Janeiro, graduated in Law from the University of Brasília and specialized in Marketing. He started in political life as an ally of ex-governor

Nasceu dia 8 de julho de 1941, Rio Pardo de Minas. Em 1992 foi promovido, por merecimento, a Desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios. Membro do TJDFT - Conselho Consultivo do Projeto Justiça Comunitária - 2000; Corregedor do TJDFT - 2000/2002; Vice-Presidente e Corregedor do TRE/DF – 2000/2002. Eleito Presidente do TRE/DF - 2004/2006. Eleito Presidente do TJDFT - 2008/2010.


139


Foto: Roberto Castro

Praça dos Cristais 140


141


Foto:Governo do Distrito Federal/Bento Viana

Esplanada dos Ministérios 142


143


Foto:Governo do Distrito Federal/Bento Viana

Vegetação do cerrado 144


145


Foto:Lapin fotografia

Vista da torre de tv digital 146


147


Fotos: Divulgação

Agnelo Queiroz Governador eleito 2011 a 2015

Agnelo dos Santos Queiroz Filho (PT), venceu as eleições de 2010 para o Governo do Distrito Federal, em segundo turno com 66,1% dos votos válidos, contra 33,9% de Weslian Roriz. O então governador tentou reeleição, mas foi derrotado em segundo turno. Foi no Governo Agnelo que aconteceu a construção do atual Estádio Mané Garrincha, que recebeu jogos durante a Copa do Mundo de 2014, entre eles a disputa do terceiro lugar entre Brasil e Holanda.

Rodrigo Rollemberg Rodrigo Sobral Rollemberg (PSB), won the 2014 elections for the Government of the Federal District, in the second round with 55.5% of the valid votes, against 44.44% of Jofran Frejat. Rollemberg attempted re-election in 2018, but was defeated in the second round. In his government he managed to increase the number of doctors specialized in Family Health, from 314 to 499, an increase of 58.9%. The single ticket was also implemented in the Rollemberg government.

Agnelo Queiroz Agnelo dos Santos Queiroz Filho (PT), won the 2010 elections for the Government of the Federal District, in the second round with 66.1% of the valid votes, against 33.9% of Weslian Roriz. The then governor tried for re-election, but was defeated in the second round. It was during the Agnelo Government that the construction of the current Mané Garrincha Stadium took place, which hosted games during the 2014 World Cup, including the dispute for third place between Brazil and the Netherlands.

Fotos: Divulgação

Rodrigo Rollemberg Governador Eleito 2015 a 2018

Fotos: Divulgação

Ibaneis Rocha Governador Eleito 2019

148

O estreante político Ibaneis Rocha Barros Junior (MDB), venceu as eleições de 2018 para o Governo do Distrito Federal, em segundo turno com 69,79% dos votos válidos, contra 30,21% de Rodrigo Rollemberg que tentava a reeleição. Ibaneis é advogado e filiado ao MDB. Sua trajetória política inicia-se justamente na disputa pelo governo do Distrito Federal em 2018. Sua candidatura foi oficializada em agosto de 2018, com o empresário Paco Brito, como seu vice. Ibaneis foi uma das grandes surpresas das eleições, por ser um completo desconhecido para a maioria da população do DF. Nas primeiras pesquisas ele aparecia com apenas 2% das intenções de votos. Na última pesquisa antes do primeiro turno ele já despontava em primeiro, com 43% das intenções.

Rodrigo Sobral Rollemberg (PSB), venceu as eleições de 2014 para o Governo do Distrito Federal, em segundo turno com 55,5% dos votos válidos, contra 44,44% de Jofran Frejat. Rollemberg tentou a reeleição em 2018, mas foi derrotado em segundo turno. No seu governo ele conseguiu o aumento de médicos especializados em Saúde Familiar, saindo de 314 para 499, uma alta de 58,9%. O bilhete único também foi implementado no governo Rollemberg.

Ibaneis Rocha Political debutant Ibaneis Rocha Barros Junior (MDB), won the 2018 elections for the Federal District Government, in a second round with 69.79% of the valid votes, against 30.21% of Rodrigo Rollemberg who was trying for reelection. Ibaneis is a lawyer and affiliated with the MDB. His political trajectory begins precisely in the dispute for the government of the Federal District in 2018. His candidacy was made official in August 2018, with businessman Paco Brito, as his deputy. Ibaneis was one of the big surprises of the elections, as he is a complete unknown to the majority of the population of DF. In the first polls he appeared with only 2% of the vote intentions. In the last survey before the first round, he was already in first place, with 43% of the intentions


N

Ibaneis Rocha Governador do Distrito Federal

o dia 28 de outubro de 2018, foi eleito em segundo turno o 19º governador do Distrito Federal, para o mandato de 2019 a 2022. Nascido em Brasília, em 10 de julho de 1971, Ibaneis Rocha Barros Junior é o primeiro governador eleito nascido na cidade. Ele saiu vencedor com 69,79% dos votos válidos, contra o então governador Rodrigo Rollemberg. Filho do administrador Ibaneis Rocha e da auxiliar de enfermagem Maria Mercedes, ele nasceu no Hospital de Base, mas viveu sua infância no interior do Piauí. Ibaneis é um advogado e filiado ao MDB. Sua trajetória política inicia-se justamente na disputa pelo governo do Distrito Federal em 2018. Sua candidatura foi oficializada em agosto de 2018, com o empresário Paco Brito, como seu vice. Ibaneis foi uma das grandes surpresas das eleições, por ser um completo desconhecido para a maioria da população do DF. Nas primeiras pesquisas ele aparecia com apenas 2% das intenções de votos. Na última pesquisa antes do primeiro turno ele já despontava em primeiro, com 43% das intenções. As eleições de 2018 foram marcadas pela renovação política. Saindo os medalhões e entrando novas caras. Ibaneis faz parte dessa nova política. Mesmo pertencendo a uma legenda tradicional, como o MDB, o então candidato apresentava projetos de renovação para capital. A escolha pelo partido era pra conseguir uma melhor estrutura para sua campanha. Antes de alcançar o posto máximo da capital, Ibaneis formou-se em direito pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Ele também possui pós-graduação em Direito processual do trabalho e direito processual civil. Em 1990, abriu seu próprio escritório de advocacia. Em 2008 e 2009, foi vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Entre 2013 e 2015, presidiu a seccional da OAB-DF. Na juventude Ibaneis chegou a trabalhar como feirante, empacotador e comerciante. Hoje seu escritório de advocacia é uma das maiores referências no DF. Ele possui uma média de 80 mil clientes espalhados pelo Brasil, atuando nas áreas de Direito Administrativo, Direito Sindical e Direito trabalhista. Ibaneis Rocha foi apresentado nas eleições 2018 como o candidato milionário. Ele declarou uma fortuna de R$ 93,7 milhões. Casado com a também advogada Mayara Noronha, o governador do Distrito Federal tem três filhos: Caio e João Pedro, do seu primeiro casamento com a contadora Luzineide de Carvalho, e Mateus, fruto da sua atual relação.

Ibaneis Rocha Governor of the Federal District On October 28, 2018, the 19th governor of the Federal District was elected in a second round, for the term of 2019 to 2022. Born in Brasília, on July 10, 1971, Ibaneis Rocha Barros Junior is the first governor-elect born in City. He won with 69.79% of the valid votes, against then governor Rodrigo Rollemberg. Son of the administrator Ibaneis Rocha and nursing assistant Maria Mercedes, he was born at the Base Hospital, but lived his childhood in the interior of Piauí. Ibaneis is a lawyer and affiliated with the MDB. His political trajectory begins precisely in the dispute for the government of the Federal District in 2018. His candidacy was made official in August 2018, with businessman Paco Brito, as his deputy. Ibaneis was one of the big surprises of the elections, as he is a complete unknown to the majority of the population of DF. In the first polls he appeared with only 2% of the vote intentions. In the last survey before the first round, he was already in first place, with 43% of the intentions. The 2018 elections were marked by political renewal. Leaving the medallions and entering new faces. Ibaneis is part of this new policy. Even though it belonged to a traditional legend, such as the MDB, the then candidate presented renovation projects for capital. The choice for the party was to get a better structure for its campaign. Before reaching the top position in the capital, Ibaneis graduated in law from the Centro Universitário de Brasília (UniCeub). He also holds a postgraduate degree in procedural labor law and civil procedural law. In 1990, he opened his own law firm. In 2008 and 2009, he was vice president of the Brazilian Bar Association (OAB). Between 2013 and 2015, he chaired the section of the OAB-DF. In his youth Ibaneis came to work as a marketer, packer and

Fotos: Divulgação

149


Entrevista exclusiva com o Ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni nix Lorenzoni é o atual Ministro da Cidadania. Nascido em Porto Alegre, em 1954, ele é hoje, um dos homens mais importantes do governo Bolsonaro. A equipe da Voz de Brasília traz com exclusividade uma entrevista com o Ministro, onde ele fala de sua entrada na vida política, suas impressões a respeito dos primeiros meses do governo e explica sua relação com Brasília. - Como que um médico veterinário se enveredou pela política? – Eu comecei pela veterinária. Logo depois de formado fui convidado para presidir uma associação de especialistas, depois eu fui para o sindicato dos veterinários. Ajudei a fundar a Federação Nacional dos Veterinários. Fizemos o primeiro dissídio da categoria, lá no Rio Grande do Sul. Daí acabei convencido por Guilherme Afif Domingos a entrar no antigo PL, e em 1994 obtive minha primeira eleição para Deputado Estadual. Fiquei no PL por 10 anos, e em primeiro de maio de 1997, o Jorge Bornhausen me levou para o PFL e estou aqui desde então. - O senhor possui quantos mandatos? – São sete mandados consecutivos como Deputado Federal

Voz de Brasília Onyx Lorenzoni

Voz de Brasília Onyx Lorenzoni

Exclusive Interview with Chief Minister of the House Onyx Lorenzoni Onix Lorenzoni is the current Chief Minister of the Civil House. Born in Porto Alegre in 1954, he is today one of the most important men in the Bolsonaro government. The Voice of Brasilia team uniquely brings an interview with the Minister, where he talks about his entry into political life, his impressions of the government’s early months and explains his relationship with Brasilia. Brasilia Voice - How did a veterinarian get into politics? Onyx Lorenzoni - I started with the vet. Soon after graduation I was invited to chair an association of specialists, then I went to the vets’ union. I helped found the National Federation of Veterinarians. We made the first agreement of the category, there in Rio Grande do Sul. Then I was convinced by Guilherme Afif Domingos to enter the old PL, and in 1994 I obtained my first election for State Deputy. I was in PL for 10 years, and on May 1, 1997,

150

3 - Voz de Brasília - O Senhor

como amigo do Presidente da República foi o primeiro parlamentar a vestir a camisa e a defender a candidatura dele. O que te levou a fazer isso? Qual era seu pensamento naquele momento? – Primeiro que eu via que o Brasil caminhava para um abismo. Eu escrevi quatro livros sobre o período em que o PT esteve no poder. Ano passado eu lancei o último, que é o final de uma trilogia chamada, A máfia da estrela, onde eu conto toda a trajetória do PT, até chegar ao poder e depois a queda do império, que é o nome que eu dei ao livro. Eu via que nós caminhávamos para uma situação onde era necessário mudar o rumo de condições do Brasil. Eu tive a honra de ser líder em 2007, do hoje presidente, na época Deputado Jair Bolsonaro, ele teve uma curta passagem pelo PFL. Ele pegou o período de transição do PFL para o Democratas. Nós já tínhamos ficado ombro a ombro, naquele pequeno grupo que defendeu o direito à legítima defesa, durante o estatuto do desarmamento, ali nós nos aproximamos. Em 2007 nossa amizade se consolidou. De lá pra cá nós tivemos inúmeras questões que lutamos juntos, e quando veio o ano de 2017, ele conversou comigo e eu conversei com ele, e tem uma cena muito interessante quando ele me convidou para trabalhar,

Onyx Lorenzoni

Jorge Bornhausen took me to the PFL and I have been here ever since. Brasilia Voice - How many terms do you have? Onyx Lorenzoni - There are seven consecutive warrants as Federal Deputy 3 - Voice of Brasilia - The Lord as friend of the President of the Republic was the first parliamentarian to wear his shirt and defend his candidacy. What led you to do this? What was your thought at that moment? Onyx Lorenzoni - First I saw that Brazil was heading for an abyss. I wrote four books about the period when the PT was in power. Last year I launched the last one, which is the end of a trilogy called The Star Mafia, where I tell the whole path of the PT, until I came to power and then the fall of the empire, which is the name I gave to the book. . I saw that we were heading for a situation where it was necessary to change the course of conditions in Brazil. I had the honor of being a leader in 2007, today President, then Deputy Jair Bolsonaro, he had a short stint at the PFL. He took the transi-

tion period from the PFL to the Democrats. We had already stood shoulder to shoulder, in that small group that defended the right to self-defense, during the disarmament statute, there we approached. In 2007 our friendship was consolidated. Since then we had a lot of issues that we fought together, and when 2017 came, he talked to me and I talked to him, and there’s a very interesting scene when he invited me to work so we could walk together. I went to his office and he asked if I would help with the campaign. I did a lot of pondering, he did some more. We adjusted in the distant 2017, then we started to have lunch and dinner at my house to gather parliamentarians and at the end of the conversation I reached out to him and said that would be with him to kill or die. In the figurative sense of going into combat. When there was a small crisis in the campaign, we met in São Paulo and when we left the meeting we went to the Hospital. He was hospitalized after the attack, and he joked with me that he didn’t know his part was to die. He is a great friend, a person who I have deep admiration and respect, and

Foto: Paulo Fayad

O


pra gente caminhar juntos. Eu fui ao gabinete dele e ele perguntou se eu iria ajudar na campanha. Eu fiz uma série de ponderações, ele fez outras. Nos ajustamos, no hoje distante 2017, aí começamos a fazer almoços e jantares na minha casa para reunir parlamentares e no final da conversa eu estendi a mão para ele e disse, que estaria com ele para matar ou morrer. No sentido figurado de vamos para o combate. Quando aconteceu uma pequena crise na campanha, nós nos reunimos em São Paulo e quando saímos da reunião fomos para o Hospital. Ele estava hospitalizado depois do atentado que sofreu, e ele brincou comigo dizendo que não sabia que a parte dele era a de morrer. Ele é um grande amigo, uma pessoa que tenho profunda admiração e respeito, e é um líder que conduziu o Brasil para este novo momento. É muito fruto das nossas orações também. Sabe que sou um homem de fé, e o Brasil todo

is a leader who led Brazil to this new moment. It is very fruit of our prayers as well. You know that I am a man of faith, and Brazil has long prayed for God to intervene. I have no doubt that he raised the most unlikely of deputies. He has chosen and has empowered him and all of us who are on the team to change Brazil. 4 - Voice of Brasilia - I would like the Lord to speak a little about corruption. Teach us a little about the 10 anti-corruption measures. Onyx Lorenzoni - There are two major anti-corruption operations. The first was Clean Hands, which marked an epoch in Italy. One of the problems of Operation Clean Hands, which both Curitiba’s team of prosecutors and today Minister Sérgio Moro, at the time judge of the 13th Curitiba Court, dealt with, is that it later confronted the Italian bureaucratic political establishment. After it ended because Italy had not taken effective measures to institutionalize the fight against corruption, Italy experienced even worse times than it did at the time of the operation. So the 10 measures emerged as a formula to make the country re-

durante muito tempo orou para que Deus pudesse intervir. Não tenho dúvida nenhuma que ele levantou o mais improvável dos deputados. Escolheu e tem capacitado ele e a todos nós que estamos na equipe para mudar o Brasil.

4 – Voz de Brasília

– Eu queria que o Senhor falasse um pouco sobre o tema corrupção. Ensine para nós um pouco sobre as 10 medidas contra a corrupção. – Existem duas grandes operações de combate a corrupção. A primeira delas foi a Mãos Limpas, que marcou época na Itália. Um dos problemas da operação Mãos Limpas, que tanto a equipe de Curitiba de procuradores, quanto o hoje Ministro Sérgio Moro, na época juiz da 13ª Vara de Curitiba, se debruçaram, é que depois ela fez um enfrentamento com o estamento político burocrático italiano. Depois que ela se encerrou, por não ter havido tomadas medidas efetivas

Onyx Lorenzoni

flect on this, that the Lava Jato operation was not just an episode in Brazilian life, and that we could have structural, behavioral changes important in society to face this. great cancer, which for many years affected Brazil, which was the issue of corruption in the public sector, and thank God President Bolsonaro was a person whom God raised and the Brazilians embraced exactly with this flag of John 8:32: truth, and the truth shall make you free. So maybe this is one of the forces that comes from the word of God and that Captain Bolsonaro, as a candidate, took over and practices in his government, and that today we are free from the situation we lived in, where every company that came here at the Planalto Palace or another public office, I knew I had to leave a toll, pay a bribe. Thank God this is over in our country. We need to make it culturally consolidated. We can not forget, Brazil is the country that took advantage of everything, being smarter than others. This all needed to be modified, and the 10 measures was an attempt made by the Federal Prosecutor.

de institucionalização do combate a corrupção, a Itália viveu momentos ainda piores que vivia na época da operação. Então as 10 medidas surgiram como uma fórmula de fazer com que o país refletisse sobre isso, de que a operação Lava Jato, não fosse apenas um episódio na vida brasileira, e que a gente pudesse ter modificações estruturais, comportamentais importantes na sociedade pra enfrentar esse grande câncer, que durante muitos anos afetou o Brasil, que foi a questão da corrupção no setor público, e graças a Deus o presidente Bolsonaro foi uma pessoa que Deus levantou e os brasileiros abraçaram exatamente com essa bandeira do João 8:32: Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Então, talvez essa seja uma das forças que vem da palavra de Deus e que o Capitão Bolsonaro, enquanto candidato, assumiu e pratica no seu governo, e que hoje

The anti-crime package itself, presented by Minister Moro, goes in the same direction, legal changes as well as cultural changes. Changes that work with prevention. The president always says: God has given us an opportunity and we have to honor that. We have to do it seriously, with dignity and with the truth always. 5 - Voice of Brasilia - How does the Minister reconcile public life with private life? Onyx Lorenzoni - My wife and I get up very early, and we maintain a sport practice so we can take the bounce and be prepared for the good fight here. A lot of faith, we get up everyday by putting our knees on the floor. Asking Him to guide us and direct us. We are here with an honorable task of governing a beautiful country like ours, to make this whole change, ranging from cultural change, to ideological repositioning of the country, to bringing the truth to the public’s relationship with the world. private. We welcome people here and they all say that all this change we’ve been making is noticeable thanks to

a gente está liberto daquela situação que nós vivíamos, em que cada empresa que entrava aqui no Palácio do Planalto ou em outra repartição pública, sabia que tinha que deixar um pedágio, pagar uma propina. Isso graças a Deus acabou no nosso país. Nós precisamos fazer isso se consolidar culturalmente. A gente não pode esquecer, o Brasil é o país que levava vantagem em tudo, do ser mais esperto que os outros. Isso tudo precisava ser modificado, e as 10 medidas foi uma tentativa feita pelo Ministério Público Federal. O próprio pacote anticrime, apresentado pelo Ministro Moro, vai na mesma direção, de mudanças legais, mas também mudanças culturais. Mudanças que trabalham com a prevenção. O presidente diz sempre: Deus nos deu uma oportunidade e nós temos que honrar isso. A gente tem que fazer isso com seriedade, com dignidade e com a verdade sempre.

President Jair Bolsonaro, who has this frank way of being, this humble way of being, direct, true way. In John 8:32, God made him choose this verse, and God empowers him and makes him exercise it in daily life. I think maybe this is a big difference from the Bolsonaro government, from the governments that preceded us. Here is the truth, however hard and difficult it may be, but always it. This ends up building a relationship of trust with the population. We know we got here it wasn’t for us. We are here to fulfill a mission God has given us. We will honor Him and honor Brazil. 6 - Voice of Brasilia - When the parliamentarian is elected, he comes to Brasilia and spends most of his life in the capital. We are now making the “Brasilia 60 years” Almanac. I wanted you to draw a parameter of your state with Brasilia and leave a message for the city that will be 60 years from now. Onyx - Brasilia has been slowly entering my heart over all these years, to the point of marrying a daughter from Brasilia. My wife is

151


Foto: Divulgação

Paulo Henrique Costa, Diretor do Banco BRB

E

m entrevista exclusiva, o pernambucano Paulo Henrique Costa conta um pouco de sua história e do sucesso que se tornou o Novo BRB na sua gestão. Concursado, inicialmente saiu do agreste e foi para São Paulo, tendo estudado na Inglaterra, mas destacou que sempre namorava com Brasília, contou como foi sua vinda para a Capital do Brasil, em que seu pai lhe deu uns trocados para que pudesse se aventurar pelo Planalto Central, aqui ele se casou e criou suas filhas. Contou como o Banco de Brasília se tornou na potência que é hoje, destacou a parceria do Banco com a Nação Rubro Negra e como o Banco expandiu para mais de 5.030 municípios brasileiros. Destacou a importância do Banco que tem um olhar para os mais necessitados. O Presidente Paulo Henrique disse nesta entrevista que a essência do BRB que foi criado para o desenvolvimento de Brasília e consequentemente do Brasil. Disse como o Banco de Brasília mudou sua história e se expandiu para além das atividades normais de um Banco para o Banco Digital. Destacou a parceria com a torcida do Flamengo e da importância da parceria com a Nação Rubro negra e que pela primeira vez um Banco e um time de futebol se juntam para construir um novo negócio e o resultado de tudo isso é dividido entre todos. Paulo Henrique falou sobre a parceria do Banco com o setor produtivo buscando as linhas de crédito diferenciadas que o BRB implantou para atender ao empresariado de diversas formas. Ele destacou que o Governador Ibaneis o orientou na importância de ter um BRB maior e mais forte, destacou 152

as mais de 1.400 obras que o governo vem realizando para melhorar a qualidade de vida do povo do Distrito Federal. Considerando a importância do BRB, destacou os números que você poderá ver e ouvir na entrevista completa pelo canal do Youtube. No final da entrevista o presidente do BRB abriu seu coração e convidou o povo do Distrito Federal e do Brasil, destacando que o BRB é a casa do povo do Brasil. In an exclusive interview, Paulo Henrique Costa, from Pernambuco, tells a little about his history and the success that the New BRB became during his administration. With a public examination, he initially left the countryside and went to São Paulo, having studied in England, but highlighted that he was always dating Brasília, told how he came to the Capital of Brazil, in which his father gave him some change so that he could venture into the Central Plateau, here he got married and raised his daughters. He told how Banco de Brasília became the power it is today, highlighted the Bank’s partnership with Nação Rubro Negra and how the Bank expanded to more than 5,030 Brazilian municipalities. He highlighted the importance of the Bank, which has a look at the most needy. President Paulo Henrique said in this interview that the essence of the BRB was created for the development of Brasília and consequently of Brazil. He told how Banco de Brasília changed its history and expanded beyond the normal activities of a Bank to Banco Digital. He highlighted the partnership with Flamengo fans and the importance of the partnership with Nação Rubro negra and that for the first time a Bank and a football team come together to build a new business and the result of all this is shared between all. Paulo Henrique spoke about the Bank’s partnership with the productive sector, seeking the differentiated lines of credit that BRB implemented to serve the business community in different ways. He highlighted that Governor Ibaneis guided him on the importance of having a bigger and stronger BRB, highlighted the more than 1,400 works that the government has been carrying out to improve the quality of life of the people of the Federal District. Considering the importance of BRB, he highlighted the numbers that you will be able to see and hear in the full interview on the Youtube channel. At the end of the interview, the president of BRB opened his heart and invited the people of the Federal District and Brazil, highlighting that the BRB is the home of the people of Brazil.


Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

153


P

Paco Britto, vice-governador de Brasília

aco Britto, 55 anos, é carioca e chegou na capital em 1974 acompanhado seu avô Flávio Britto, ex-senador do Amazonas. Ele é conhecido pelo seu importante papel nos bastidores da política do Distrito Federal, sendo presidente do partido Avante do DF. Formado em Administração pela Universidade de Ribeirão Preto, Paco é casado com a advogada e empresária Ana Paula Hoff, juntos há 32 anos o casal tem três filhos. Em um bate-papo com o Grupo Voz de Brasília, Paco Britto falou sobre sua trajetória profissional e sua missão como vice-governador. – Hoje o senhor é vice-governador de Brasília. Qual foi seu caminho até chegar a capital? – Eu sou carioca e fui morar no Amazonas com meu avô e com meus pais a princípio, lá houve uma separação e eu sou filho de avô. Vim pra Brasília em 1974 e não sai mais. Hoje eu me considero candango de coração, amo essa cidade e aqui tive meus filhos, eu construí raízes. Casei aqui e tenho três filhos maravilhosos: Catharina, Cristiano e Flávio. – Foi difícil se adaptar à nova cidade? Como foi seus primeiros anos na capital?

Voz de Brasília Paco Britto

Voz de Brasília

Paco Britto, Deputy Governor of Brasilia Paco Britto, 55, is from Rio de Janeiro and arrived in the capital in 1974 accompanied by his grandfather Flávio Britto, a former senator from Amazonas. He is known for his important role behind the scenes of Federal District politics, being president of the Avante party of the DF. Graduated in Business Administration from the University of Ribeirão Preto, Paco is married to lawyer and businesswoman Ana Paula Hoff, together for 32 years the couple has three children. In a chat with the Voice Group of Brasilia, Paco Britto spoke about his professional career and his mission as deputy governor. Voice of Brasilia - Today you are deputy governor of Brasilia. What was your way to reach the capital? Paco Britto - I am from Rio de Janeiro and I lived in the Amazon with my grandfather and my parents at first, there was a separation and I am a grandfather’s son. I came to Brasilia in 1974 and no longer leaves. Today I consider myself candango at heart, I love this city and here I had my children, I built roots. I married here and have three wonderful chil-

154

Paco Britto

– Eu vim muito jovem, e comecei a estudar aqui em algumas escolas, fiz faculdade aqui e fora daqui, e voltei para terminar a faculdade. Com isso na década de 1990, nós começamos já a trabalhar. Sempre fui independente, agora é a primeira vez em cargo público. Antes tive uma experiência pública de seis a oito meses, mas não quis. Eu quis ir para a iniciativa privada, eu gosto de trabalhar, produzir, gerar empregos é isso que eu gosto. Comecei a trabalhar e conhecer todo mundo, e chegamos onde chegamos, atualmente como vice-governador, em uma chapa vitoriosa com o governador Ibaneis, que nós estamos vendo o resgate de Brasília. Com pessoas que querem o bem de Brasília. Que amam Brasília. – Mesmo antes de virar vice-governador de Brasília, o senhor sempre esteve presente na política local. Como foi a criação do partido que ajudou a fundar? – O partido já era fundando e nós tínhamos um deputado federal naquela época. Hoje é o Avante antes era o antigo PTdoB, de um nós fomos para quatro e hoje já temos nove deputados federais e dois suplentes de senadores.

Voz de Brasília Paco Britto

dren: Catharina, Cristiano and Flavio. Brasilia Voice - Was it difficult to adapt to the new city? How was your early years in the capital? Paco Britto - I came very young, and started studying here in some schools, went to college here and out of here, and came back to finish college. With that in the 1990s, we started working. I was always independent, now is the first time in public office. I had a public experience of six to eight months before, but I didn’t want to. I wanted to go to the private sector, I like to work, produce, create jobs that is what I like. I started working and getting to know everyone, and we got to where we arrived, currently as deputy governor, on a victorious plaque with Governor Ibaneis, that we are seeing the rescue of Brasilia. With people who want the good of Brasilia. Who love Brasilia. Brasilia Voice - Even before becoming vice governor of Brasilia, you were always present in local politics. How was the creation of the party that you helped found? Paco Britto - The party was already founding and we had a federal deputy at that time. Today is Avante before it was the old


Voz de Brasília

–A sua chapa com o Ibaneis possuía apenas 2% nas pesquisas e saiu vencedora. Como o senhor avalia essa reviravolta nas eleições de 2018? – Lógico que tudo é designo de Deus, mas não considero milagre, foi uma determinação e muito trabalho do governador, em uma chapa construída com pessoas bem descentes, que queriam e ainda querem o bem do nosso Distrito Federal. Quando nós começamos tínhamos 0,7%, não chegávamos a 1%, mas com a determinação e a garra dele, a obstinação, ele perseguiu esse lugar e essa cadeira no Distrito Federal e nós fomos juntos. Me lembro bem que não participávamos de debates e em uma entrevista, em uma determinada emissora, viraram pra ele e perguntaram dos 2% nas pesquisas e ele respondeu que estava feliz, pois com essa projeção

Paco Britto

iria ganhar no primeiro turno, pois foi o único que dobrou o percentual. O governador é uma pessoa muito rápida de raciocínio, tem um belo palanque é um excelente advogado. Ele gosta de estar no meio do povo.

desde a época da transição, capitando recursos para o Governo do Distrito Federal, e a execução das obras estão sendo feitas na maior transparência possível. Como foi feito também as escolas compartilhadas. Tudo está sendo feito na maior transparência possível.

compartilhamento, eles sentiram isso também e sabem que precisam do Distrito Federal.

Voz de Brasília

- Brasília se transformou em um canteiro de obras. Qual o principal planejamento do governo? – Nós temos excelentes executivos e secretários que tocam realmente a cidade junto com a gente. São pessoas descentes e corretas. Com isso nós estamos indo para a rua. Nós pegamos uma cidade esfacelada, infelizmente 10, 12 anos. Anos que não tinha nada. Pegamos uma cidade sem projetos. Não tinha projetos executivos nenhum e nós estamos determinados em fazer os projetos, e fazer os investimentos necessários. Para isso estamos rodando todos os ministérios

– O GDF e o Governo Federal aparentemente possuem uma boa relação. Como é o relacionamento com o Governo Federal? – Hoje nós podemos falar que estamos muito bem alinhados, mais muito bem mesmo. Compartilhando informações do governo, compartilhando com a área militar também os problemas de segurança do Distrito Federal, porque afinal de contas nós somos hospedeiros da república e de mais de 185 organizações internacionais. Precisamos ter esse

– O senhor conhece nosso projeto do Almanaque Brasília 60 anos. O que acha do projeto? – Estamos montando esse projeto junto com você, porque é projeto bom, afinal são 60 anos da capital do país. Uma capital desenvolvida por um visionário, o Juscelino Kubitschek, que reuniu gente de todos os cantos. Quem vem pra Brasília ama. Ama Brasília. Nós temos que participar desse seu projeto, porque você já fez o dos 50 anos, e vai fazer dos 70 e 80 anos através dos filhos e os netos. O dos 50 anos foi feito com um material excelente e uma excelente produção. Uma qualidade impecável, senão não a lei Rouanet não tinha te aprovado. Você passa não pelo crivo do DF, mas pelo do Brasil.

PTdoB, from one we went to four and today we already have nine federal deputies and two alternate senators. Voice of Brasilia - His plate with Ibaneis had only 2% in the polls and was the winner. How do you rate this turnaround in the 2018 elections? Paco Britto - Of course everything is God’s design, but I don’t consider it a miracle, it was a determination and a lot of work by the governor, in a plate built with very decent people, who wanted and still want the good of our Federal District. When we started we had 0.7%, not 1%, but with his determination and his will, his stubbornness, he chased this place and this chair in the Federal District and we went together. I remember well that we did not participate in debates and in an interview, in a particular station, turned to him and asked about 2% in the polls and he said he was happy, because with this projection would win in the first round, because it was the only one that doubled the percentage. The governor is a very quick thinking person, has a beautiful stage and is an excellent lawyer. He likes to be among the people.

Brasilia Voice - Brasilia has become a building site. What is the main government planning? Paco Britto - We have excellent executives and secretaries who really touch the city with us. They are decent and right people. With that we are going to the street. We took a broken city, unfortunately 10, 12 years. Years that had nothing. We took a city without projects. There were no executive projects and we are determined to do the projects and make the necessary investments. For this we are running all the ministries since the time of transition, raising funds for the Government of the Federal District, and the execution of the works are being made as transparent as possible. As was also done the shared schools. Everything is being done as transparently as possible. Brasilia Voice - The GDF and the Federal Government apparently have a good relationship. How is the relationship with the Federal Government? Paco Britto - Today we can say that we are very well aligned, but very well indeed. Sharing government information, sharing with the

military area also the security problems of the Federal District, because after all we are hosts of the republic and more than 185 international organizations. We need to have this sharing, they felt it too and they know they need the Federal District. Brasilia Voice - You know our project for the Almanaque Brasilia 60 years. What do you think about the project? Paco Britto - We are setting up this project with you, because it’s a good project, after 60 years in the capital of the country. A capital developed by a visionary, Juscelino Kubitschek, which brought together people from all corners. Who comes to Brasilia loves. Loves Brasilia. We have to participate in this project of yours, because you have already turned 50, and will turn 70 and 80 through your children and grandchildren. The 50 years was made with an excellent material and an excellent production. An impeccable quality, otherwise the Rouanet law had not approved you. You pass not through the sieve of the DF, but through Brazil.

Voz de Brasília Paco Britto

Voz de Brasília Paco Britto

Paco Britto

Foto: Paulo Fayad

155


Construção do Congresso Nacional

156

Foto: Domínio Público / Acervo Arquivo Nacional


Benevides Filho reforça “reformas tributária e da previdência são prioridade”

M

Deputado federal pelo PDT-CE quer aplicar medidas que deram certo no estado em todo o Brasil

auro Benevides Filho é economista, professor e político brasileiro. Formado em Economia pela Universidade de Brasília, Mauro completou sua formação na Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos. Leciona na Universidade Federal do Ceará, estado onde atuou ativamente na política. Foi secretário de finanças de Fortaleza, na prefeitura de Ciro Gomes. Em 1990, eleito deputado estadual, licenciou-se para assumir a Secretaria de Planejamento do Ceará, durante a gestão de Ciro Gomes. Também coordenou a programa econômico quando Ciro candidatou-se à presidência. Benevides Filho já atuou como secretário de Fazenda e de Administração do estado do Ceará. Em entrevista ao Grupo Voz de Brasília, contou sobre a admiração que sente pelo pai, sobre sua atuação na política e o que espera para o futuro do Brasil. Confira:

Voz de Brasília -

Voz de Brasília –

Quais são as suas principais bandeiras políticas? Como pretende atuar na Câmara dos Deputados?

Você se inspira na trajetória política de seu pai, Mauro Benevides?

Venho à Brasília, trazendo um pouco da minha experiência durante tantos anos no serviço público. Quero promover o ajuste fiscal cearense e recompor a capacidade de investimento do governo de estado. O Ceará hoje é o estado com maior volume de investimento, graças às medidas que tomamos lá e, portanto, quero trazer essa forma de ajeitar o setor público. Quero contribuir em matérias relevantes como a reforma da previdência, a reforma tributária, que é altamente injusta pois beneficia os mais ricos e prejudica os mais pobres. A gente precisa acabar também com essa história do governo estar abrindo mão de receita através dos Refis (Programa de Recuperação Fiscal). Na última campanha presidencial coordenei o programa econômico do candidato Ciro Gomes e, certamente, quero usar aquele aprendizado para propor ações que possam contribuir para que o Brasil cresça, se desenvolva e gere emprego.

O exemplo de homem público que ele representa para o país é notável. Com 54 anos de vida pública, jamais foi envolvido com qualquer possibilidade de condicionamento equivocado dentro da Casa (Câmara dos Deputados) ou em qualquer cargo que ocupou. É impressionante a forma carinhosa como as pessoas o veem, tanto na Câmara como no Senado, o admiram pelo seu comportamento retilíneo. Ele é conhecido por sempre ouvir as pessoas, é parceiro daquelas categorias que estavam em dificuldades. Por isso eu trago, para este meu mandato, uma responsabilidade muito grande, não só no nome, mas também na minha atuação dentro desta Casa. Ele assegurou, por exemplo, o Fundo Constitucional do Nordeste Brasileiro, que hoje já conta com quase R$ 270 bilhões disponíveis para o crescimento econômico daquela região.

Mauro Benevides Filho

Mauro Benevides Filho – Com toda certeza.

Mauro Benevides Filho - Primeiro a gente vai

compartilhar conhecimentos. É um tema um pouco árido, mas a reforma da previdência tem dois pisos importante: primeiro é a questão fiscal. O Brasil precisa recompor a sua capacidade em investimento porque a dívida pública cresce muito com o passar dos anos. O Brasil já começa a criar possiblidades de fazer até um default dessa dívida (mudança nas condições de pagamento), o que seria drástico para a economia brasileira, para o investimento nacional e internacional.

Benevides Filho reinforces “tax and pension reforms are top priority” Federal deputy for the PDT-CE wants to implement measures that have worked out in the state all over Brazil Mauro Benevides Filho is an economist, professor and Brazilian politician. Graduated in Economics from the University of Brasília, Mauro completed his training at Vanderbilt University in the United States. He teaches at the Federal University of Ceará, where he acted actively in politics. He was secretary of finance of Fortaleza, in the city hall of Ciro Gomes. In 1990, elected state deputy, he graduated to assume the Planning Department of Ceará, during the management of Ciro Gomes. He also coordinated the economic program when Ciro applied for the presidency. Benevides Filho has served as Secretary of Finance and Administration of the state of Ceará. In an interview with Grupo Voz de Brasília, he talked about his admi

Voz de Brasília

– Como você pretende atuar para que a reforma da previdência ocorra? Foto: Paulo Fayad

157


Rafael Prudente, a cara nova da política brasiliense

N

O distrital é o mais jovem a assumir a presidência da CLDF aos 35 anos ascido em Brasília, Rafael Cavalcanti Prudente, é filho de pai goiano e mãe pernambucana. O empresário cresceu em Brasília e ama a Capital Federal não só pela sua beleza arquitetônica e paisagística, mas pelo povo guerreiro e trabalhador que diariamente zela e honra o nome da cidade. O empresário é casado com Pollyanna Vaz Prudente. O casal tem dois filhos, Rafael e Samuel. O Grupo Voz de Brasília entrevistou o parlamentar. Confira. – Hoje você está em um dos cargos mais importantes para a política da capital. Como foi sua trajetória até chegar à presidência da CLDF? – Primeiro eu tive uma boa escola dentro de casa. Eu nasci aqui em Brasília, em 1983, moramos em várias cidades no interior

Voz de Brasília

Rafael Prudente

do Goiás e após meus 11 anos retornamos aqui para Brasília. Meu pai virou funcionário de uma empresa que trabalhava na parte de prestação de serviços e depois teve a oportunidade de montar seu próprio negócio. Quando eu fiz 15 anos eu fui convidado para trabalhar na empresa para eu pagar minhas contas. Comecei no almoxarifado da empresa, aos 18 anos fui promovido para motorista. Eu acho que é assim que tem que começar, não é porque você faz parte de uma empresa familiar que tem que começar na direção da empresa. Foi com esse trabalho, em especial o de motorista e almoxarifado que eu paguei a minha faculdade. Na política a nossa principal pauta sempre foi a geração de empregos. Geração de novas empresas e

Stopover fosters tourism economy Sales manager of the Meliá Hotels Chain defends agreement between GDF and Portuguese airline In March of this year, the governor of the Federal District Ibaneis Rocha signed a protocol of intentions, together with the president of the Portuguese airline TAP, to make Brasília a Stopover city. In practice, European tourists who make connections in the Brazilian capital, can spend two to five days staying in the city. The sales manager of the hotel chain Meliá Tércio de Mello spoke about this and other issues in an interview with the group Voz de Brasília. Check out: Voz de Brasília - How was your decision to work with sales and tourism? Tércio de Mello - Since I was born with easy communication, I have been a salesman since I was a child. I used to pick up cicadas at school and sell them. I worked with building materials, clothes, real estate. Then a friend appeared saying that he had a vacancy in the sales area at a hotel. I fell in love because it is so much fun and it doesn’t have one day like the other. I specialized until I reached the Meliá chain. Voz de Brasília - What is the main audience that Meliá serves? Tércio de Mello - We received a lot of businessmen, company employees, many lawyers, people linked to the government. It is basically corporate during the week. On weekends, the famous come. It is important to help the city create a culture, we do this by offering attractive rates. This year, we hosted Tim Burton, one of the greatest Hollywood directors today. We invest a lot in the wedding market, we have guests, families who come to accompany the bride and groom on the weekend. Voz de Brasília - What are the differentials of the network? Tércio de Mello - There are so many! We give a lot of treats to guests: wine, chocolate, candy. The female guest who stays more than two days receives a cream from Granado, we have Natura amenities. We have ecological rooms, chromotherapy shower, VIP area. We are very pleased with guests. Voice of Brasilia - What is your vision of Brasilia? Tércio de Mello - Brasília is the capital of all Brazilians. It is a place that outsiders, it seems they already know, because they see politics on TV all the time. But Brasília is not just about politics. The city is made up of Brazilians, an entire country. Last year we reached the rate of more than half the population born here. Only 50.5% are born here. This is fantastic, it is the face of Brazil because there are people from all over Brazil. It is a very pleasant city to live in,

158

de novos negócios. Essa foi nossa principal plataforma das eleições de 2014. – Você assumiu a Câmara e a presidência de um dos maiores partidos do Brasil. Como é essa responsabilidade? – Nós temos uma responsabilidade tripla. Primeiro com o mandato, com os compromissos que nós fizemos com as pessoas. A

Voz de Brasília Rafael Prudente

Foto: Paulo Fayad

outra missão é chefiar o poder legislativo, chefiar essa instituição tão complexa que é a Câmara. E um terceiro desafio que nos foi dado pela executiva nacional do MDB. O partido entendeu esse momento de renovação e de mudança e nos convidou para assumir o MDB aqui em Brasília durante esse período de dois anos. Para que a gente possa conversar com novos filiados, trazer novas pessoas, discutir novas ideias.


Eduardo Pedrosa, Deputado Distrital filiado ao PTC

E

Eduardo faz parte da renovação política brasiliense

Voz de Brasília Eduardo Pedrosa Voz de Brasília Eduardo Pedrosa

Meet Eduardo Pedrosa, District Deputy for PTC affiliate Eduardo Weyne Pedrosa, 30, is part of the renewal in the Legislative Chamber of the DF. He is in his first term and has already filed more than 60 bills, as well as giving up compensation money, which ensures savings to the public coffers. The young man is nephew of Eliane Pedrosa, name already known in the political environment of the Federal District. In an exclusive interview, Eduardo spoke with the Voice Group of Brasilia. Check out. Brazilian Yearbook - You are a son of Brasilia. How did a young man have fun in Brasilia when you were 14, 15? Eduardo Pedrosa - I lived in Asa Norte a great period of my life. Today there are games, video games, but in my time we used to go down very far from the building and there I made a lot of friends. It was where we built bonds of friendship. That’s where I grew up, my origin. I’m in love with the city, Brasilia has things that are very special. AB - Brasilia changes every day, you saw a lot of things being built. What most marked you? EP - First of all, what really impresses me in Brasilia is the balloons and the earwigs that we have. We grow up seeing this, and when we go to other places it’s different. Now building, it was the JK Bridge. I think it’s a wonderful monument is very beautiful, and very practical. It is a large work, which we are very proud of when people outside show the postcards of the Federal District. AB - The name Pedrosa refers to several companies. Do you operate in these companies or did you work? EP - I never worked in my family companies. I undertook from an early age, I set up my own business with 16 to 17 years. At the time we consolidated an infrastructure company, I wanted to work in the area, I thought it was great. I was always a big fan of seeing the really concrete things being done. It took a few years for the business to start, but then it started walking and I was doing other things. When we enter this world of entrepreneurship one thing leads to another, I met many people. I am very proud of the work I did in my companies, like what my family did here in the capital. We have to stop demonizing the businessman in Brazil. I think the work that was done created a lot of jobs and helped a lot of people. I am very proud of my family history

porte, que a gente tem muito orgulho quando as pessoas lá fora mostram os cartões postais do Distrito Federal. – O nome Pedrosa remete para várias empresas. Você atua nessas empresas ou atuou? – Eu nunca atuei nas empresas da minha família. Eu empreendi desde cedo, eu montei meu próprio negócio com 16 para 17 anos. Na época a gente consolidou uma empresa de infraestrutura, eu queria trabalhar na área, eu achava o máximo. Eu sempre fui muito fã de ver as coisas realmente concretas sendo executadas. Demorou alguns anos para o negócio deslanchar, mas depois começou a andar e fui fazendo outras coisas. Quando a gente entra nesse mundo do empreendedorismo uma coisa vai levando a outra, fui conhecendo muitas pessoas. Tenho muito orgulho do trabalho que desempenhei nas minhas empresas, como o que minha família fez aqui na capital. A gente tem que parar de demonizar o empresário no Brasil. Eu acho que o trabalho que foi feito gerou muitos empregos e ajudou muitas pessoas. Eu sou muito orgulhoso da história da minha família – Estamos construindo um projeto para os 60 anos de Brasília. Qual sua opinião sobre esse projeto? – Primeiramente quero parabenizar vocês pela iniciativa. Me coloco a disposição para ajudar no que for possível. Eu tenho presidido aqui na Câmara a comissão de turismo, então acho fundamental a gente desenvolver as coisas maravilhosas que a gente tem aqui na cidade. Vender isso para os outros estados.

Voz de Brasília Eduardo Pedrosa

Voz de Brasília Eduardo Pedrosa

Fonte: Paulo Fayad

duardo Weyne Pedrosa, 30 anos, faz parte da renovação na Câmara Legislativa do DF. Ele está no seu primeiro mandato e já protocolou mais de 60 projetos de lei, além de abri mão da verba indenizatória, o que garante uma economia aos cofres públicos. O jovem é sobrinho da Eliane Pedrosa, nome já conhecido no meio político do Distrito Federal. Em entrevista exclusiva, Eduardo conversou com o Grupo Voz de Brasília. Confira. – Você é um filho de Brasília. Como um jovem se divertia em Brasília quando você tinha seus 14, 15 anos? – Eu morei na Asa Norte um período grande da minha vida. Hoje tem jogos, videogame, mas na minha época a gente descia muito para baixo do prédio e ali fiz muitos amigos. Era onde a gente construía laços de amizade. Foi onde cresci, minha origem. Eu sou apaixonado pela cidade, Brasília tem coisas que são muito especiais. – Brasília se transforma a cada dia, você viu muita coisa ser construída. O que mais te marcou? – Primeiro o que me marca muito em Brasília é os balões e as tesourinhas, que a gente tem. A gente cresce vendo isso, e quando vamos para outros lugares é diferente. Agora de construção mesmo, foi a Ponte JK. Eu acho que é um monumento maravilhoso é muito bonito, e muito prática. É uma obra de grande

159


Júlio Cesar Ribeiro, Deputado Federal pelo Distrito Federal Nascido em São Paulo, Julio Cesar construiu sua carreira política em Brasília

J

úlio Cesar, 44 anos, nasceu em São Bernardo do Campo, São Paulo, mas reside em Brasília há alguns anos. Ele é casado com Sônia Helena Duarte há 25 anos. Sua carreira política foi formada na capital do país. Pastor licenciado da Igreja Universal, ele foi eleito pela primeira vez para a Câmara dos Deputados, nas eleições de 2014 havia sido o deputado distrital mais votado do DF, além de ser exsecretário de Esporte. O Anuário Brasileiro conversou com o deputado. Confira. – Você já foi Deputado Distrital e secretário de esporte. Como é a vida de um Deputado Federal? – Eu até imaginava que era mais tranquila. Já fui secretário de esporte e deputado distrital, e agora federal. Eu cheguei a pensar que fosse mais suave, mas percebi que não. Aqui nós temos comissões terças, quartas e quintas-feiras. Temos o plenário. Temos as pessoas quem vêm a nosso gabinete. O detalhe é que como sou de Brasília, eu nunca vou embora, então sempre estou aqui. Sempre nós estamos atendendo audiências públicas, então é uma vida muito agitada, mesmo assim encontramos tempo para visitar algumas cidades satélites e fazer um relacionamento com as pessoas. A gente não pode deixar as pessoas que tanto nos ajudaram a chegar até que de lado. Por isso faço questão de estar próximo da população. – Quais os principais projetos que você tem trabalhado? – Como distrital eu sempre via projetos mais locais e que atendesse a população de Brasília. Agora qualquer projeto que a gente realiza procuramos abranger o país todo. Como por exemplo, estamos lutando para fazer que as empresas contratem idosos. Porque a gente vê que quando as pessoas chegam ali nos seus 60, 65 anos existe uma dificuldade de arrumar um emprego. Se nem os jovens estão conseguindo, imagina as pessoas da melhor idade. Então a gente quer levar um incentivo as empresas que contratem os idosos. – O senhor é um deputado que veio do meio evangélico. Gostaria que o senhor desse um recado cristão para as pessoas. – Gostaria de dizer a todas as pessoas que elas devem acreditar naquilo que é colocado dentro do coração delas. Porque muitas vezes as lutas, as dificuldades e os problemas, eles vêm para todo mundo, mas como nós cremos em um Deus vivo, no Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó, Deus de Israel. Então é como diz a palavra: Tudo é possível a aquele que crê. Eu sempre carrego dentro de mim essa palavra e sei que as lutas virão, mas a vitória será muito maior.

Voz de Brasília Júlio Cesar

Voz de Brasília Júlio Cesar

160

Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília Júlio Cesar

Meet Julio Cesar Ribeiro, Federal Deputy for the Federal District BJulio Cesar, 44, was born in Sao Bernardo do Campo, Sao Paulo, but has lived in Brasilia for a few years. He has been married to Sônia Helena Duarte for 25 years. His political career was formed in the country’s capital. Licensed pastor of the Universal Church, he was elected for the first time to the House of Representatives, in the 2014 elections he had been the most voted district deputy of the DF, besides being former secretary of Sport. The Brazilian Yearbook talked with the deputy. Check out. Brazilian Yearbook - You have been District Deputy and Secretary of Sports. What is the life of a Federal Deputy like? Julio Cesar - I even imagined it was more peaceful. I have been sports secretary and district deputy, and now federal. I even thought it was softer, but realized not. Here we have commissions Tuesdays, Wednesdays and Thursdays. We have the plenary. We have the people who come to our office. The detail is that since I’m from Brasilia, I never leave, so I’m always here. We are always attending public hearings, so it’s a very busy life, yet we find time to visit some satellite cities and make a relationship with people. We cannot leave the people who have helped us so much to get to one side. That’s why I make a point of being close to the population. AB - What are the main projects you have been working on? JC - As a district I always saw more local projects that would meet the population of Brasilia. Now any project we carry out we try to cover the whole country. For example, we are struggling to get companies to hire seniors. Because we see that when people get there in their 60s, 65s, it’s hard to get a job. If not even young people are succeeding, imagine the best age. So we want to bring an incentive to companies that hire the elderly. AB - You are a deputy who came from the evangelical milieu. I would like you to give a Christian message to people. JC - I would like to tell everyone that they should believe in what is put into their hearts. Because often the struggles, the difficulties and the problems, they come to everyone, but as we believe in a living God, the God of Abraham, Isaac and Jacob, God of Israel. So that’s how the word goes: Everything is possible to him who believes. I always carry that word inside me and I know the fights will come, but the victory will be much greater.


Fausto Ruy Pinato, Deputado Federal por São Paulo

F

austo Pinato, 42 anos está no seu segundo mandato como Deputado Federal por São Paulo. Atualmente é filiado ao PP (Partido Progressista) e está nas frentes parlamentares Brasil-China e BRICS. Também é o presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR). – Esse é seu segundo mandato como Deputado. Como foi sua trajetória até chegar aqui? – Eu sou do interior estado de São Paulo, de família humilde, mas eu sempre tive o sonho de ser deputado federal. Eu fazia aqueles livros e autoajuda e sempre escrevia na primeira opção deputado federal. E era impossível ser deputado federal. Na minha trajetória tem muita fé, persistência. No meu primeiro mandato eu entrei com 22 mil votos, puxado pelo Celso Russomano. Já no segundo mandato, proporcionalmente eu fui o segundo deputado que mais cresceu, perdendo apenas para o Eduardo Bolsonaro. Fico feliz, é cansativo, mas vale a pena. – O senhor é presidente de uma comissão. Como é estar em um cargo como esse?

Voz de Brasília Fausto Pinato

Voz de Brasília

Fausto Pinato – Não é fácil, mas está sendo muito

gratificante. Tem as discussões, mas existe muito respeito, eu procuro centralizar a comissão. Eu administro até a oposição, nunca tive nenhum problema. Tenho um grande orgulho de fazer parte dessa bancada. Uma bancada que é família e que defende o pequeno, o médio e o grande agricultor. – O senhor também é presidente da Frente Parlamentar Brasil-China. Qual a importância da China para o país? – Eu tenho amizades com os chineses e sempre gostei da cultura deles. Eu estou nessa frente desde 2015, sou autor do dia da Imigração Chinesa, então eu estudei toda essa questão. Quando a gente fala da China é uma questão que temos que desmitificar um pouco, a China é uma grande oportunidade. É um país que vende oportunidades. Nós precisamos saber administrar aquilo que nós temos. Nós temos que ser bastante inteligente com nossa relação com a China e não ficar apenas na soja. Precisamos agregar valor para gerar emprego. Na nossa relação eu vejo muito mais convergências do que qualquer tipo de divergências. É nossa maior parceira comercial. – E o que o senhor pode nos falar sobre o BRICS? – O BRICS para quem não sabe é um projeto ambicioso, e foi inserido com Rússia, China, Índia, África do Sul e Brasil. A intenção é aproximar os continentes, para que possa de certa forma trazer benefícios e que possa melhorar a vida das pessoas. É a pauta do momento.

Voz de Brasília Fausto Pinato

Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília Fausto Pinato

Meet Fausto Ruy Pinato, Federal Deputy for Sao Paulo Fausto Pinato, 42 is in his second term as Federal Deputy for São Paulo. It is currently affiliated with the PP (Progressive Party) and is on the Brazil-China and BRICS parliamentary fronts. He is also the chairman of the Committee on Agriculture, Livestock, Supply and Rural Development (CAPADR). Brazilian Yearbook - This is his second term as Deputy. How was your journey until you got here? Fausto Pinato - I am from the state of São Paulo, from a humble family, but I always had the dream of being a federal deputy. I made those books and self-help and always wrote in the first option federal deputy. And it was impossible to be a federal deputy. In my career there is a lot of faith, persistence. In my first term I entered with 22 thousand votes, pulled by Celso Russomano. Already in the second term, proportionally I was the second deputy who grew up, second only to Eduardo Bolsonaro. Glad, it’s tiring, but it’s worth it. AB - You are chairman of a committee. What is it like to be in a position like this? FP - It’s not easy, but it’s been very rewarding. There are discussions, but there is a lot of respect, I try to centralize the commission. I manage until the opposition, never had any problems. I am very proud to be part of this workbench. A workbench that is family and defends the small, medium and large farmer. AB - You are also president of the Brazil-China Parliamentary Front. How important is China for the country? FP - I have friendships with the Chinese and always liked their culture. I’ve been on this front since 2015, I’m the author of Chinese Immigration Day, so I studied this whole question. When we talk about China, we have to demystify a little, China is a great opportunity. It is a country that sells opportunities. We need to know how to manage what we have. We have to be very smart about our relationship with China and not just about soy. We need to add value to create jobs. In our relationship I see much more convergence than any kind of divergence. It is our largest trading partner.

161


Moderação e equilíbrio na tomada de decisões Vice-Presidente da Câmara dos Deputados, Marcos Antônio Pereira, afirma que essas são qualidades indispensáveis na política

E

m seu primeiro mandato como deputado federal, Marcos Antônio Pereira, presidente do partido Republicanos, fala com exclusividade para a Voz de Brasília sobre sua carreira, os objetivos de sua sigla e a situação atual do país. Confira a íntegra da entrevista.

Voz de Brasília

Deputado nos fale um pouco sobre sua trajetória na política.

Dep. Marcos Antônio Pereira

Apesar de já ter me filiado a um partido no passado, meu ingresso de fato na política partidária aconteceu em maio de 2011, quando assumi a presidência nacional do então Partido Republicano Brasileiro (PRB), hoje Republicanos. Minha primeira grande missão, naquele ano, era preparar o partido para as eleições municipais de 2012. Meu teste de fogo foi coordenar a campanha do deputado federal Celso Russomanno a prefeito de São Paulo. Fizemos uma campanha enxuta, mas eficiente. Russomanno chegou a liderar as pesquisas a maior parte do tempo, mas terminou em terceiro lugar com mais de 1,2 milhão de votos. A partir dali, começamos a planejar o crescimento das bancadas estaduais e federal, o que de fato aconteceu em 2014. Saltamos de oito deputados federais para 21, superando todas as projeções 162

dos especialistas e da imprensa. Rodei o Brasil todo construindo o partido e atraindo novas lideranças. Novos crescimentos aconteceram em 2016 e em 2018, quando elegemos 30 deputados federais, um senador e 42 deputados estaduais. Hoje somos uma das maiores bancadas em Brasília com 33 deputados federais e dois senadores. Vale lembrar que, em maio de 2016, fui convidado a assumir o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, onde permaneci por 20 meses até me afastar para concorrer pela primeira vez ao cargo de deputado federal. No período, avançamos fortemente na desburocratização do setor produtivo - em especial no comércio exterior -, construímos a nova política automotiva (Rota 2030), fundamental para o setor que emprega mais de 1,6 milhão de pessoas, e fui um dos responsáveis pela consolidação do acordo Mercosul-União Européia, que infelizmente tem enfrentado dificuldades para ser concretizado. Em 2018, portanto, fui eleito deputado federal e no meu primeiro mandato me tornei vice-presidente da Câmara com uma votação expressiva dos colegas parlamentares. Tanto na minha vida privada como na pública me pauto sempre pelo diálogo, pela moderação e o equilíbrio nas tomadas de decisões. Creio que esse seja um ponto forte que muitas vezes falta na discussão

política atual.

VB - Como o Republicanos

trabalha para a construção de um país melhor?

MP - É importante destacar

que o Republicanos é um partido conservador, moderado, um importante ponto de equilíbrio na política brasileira. Nossas bases são sólidas de tal modo que somos o único partido que cresce desde sua fundação, em 2005. Somos também um dos poucos partidos orgânicos dentro do espectro brasileiro. Isso permite que nossas bancadas estejam sempre alinhadas com o propósito maior de fazer a boa política pensando nos interesses públicos. Esse comportamento se estende aos estados e municípios. Do ponto de vista estrutural, o Republicanos é o primeiro e único partido a constituir uma faculdade reconhecida pelo MEC. Nossa Fundação Republicana Brasileira (FRB) é um exemplo de conduta e faz chegar na ponta cursos de qualificação política e de línguas estrangeiras tanto para filiados como para qualquer cidadão que tenha interesse. Somos também um dos poucos partidos que investem pesado na atração e qualificação da mulher para a vida pública. Acredito que temos contribuído significativamente com o avanço, tanto da discussão ideológica, quanto para os

resultados concretos que o cidadão espera das mulheres e homens públicos.

VB - Como foram as eleições

municipais de 2020 para o partido?

MP - O Republicanos mais

que dobrou o número de prefeitos eleitos em 2020, chegando a 211 em todo o Brasil, sendo 30 mulheres. O partido ainda disputa o segundo turno em cinco cidades. Foram eleitos 2.604 vereadores, quase mil a mais que em 2016. Também fomos o partido que mais elegeu vereadores em capitais. Foram 53 contra 50 do PT, que


foi o segundo. Essa é a prova de que temos um projeto políticopartidário consistente que encontra eco na sociedade.

VB - Qual sua visão sobre o

cenário político atual?

MP- A pandemia do novo

coronavírus trouxe um cenário imponderável não apenas na saúde, mas também na economia e na política. Precisamos enxergar o problema por esse prisma e entender que 2021 será um ano igualmente ou mais difícil que 2020. As reformas estruturais que o Brasil precisava passar foram adiadas pela emergência da situação e isso certamente afetará a competitividade do país. Para nosso conforto, se é que podemos dizer assim, a situação lá fora é igualmente desesperadora. Como sabemos muito bem, a economia dita as regras do jogo político, e é justamente esse o ponto de inflexão que deverá reger as narrativas eleitorais de olho em 2022. Entendo também que, somente quando tivermos uma vacina segura é que poderemos

retomar nossa vida normalmente apesar de, na prática, já estejamos fazendo isso ainda que não haja plena segurança em fazê-lo. Diante de tudo isso penso que devemos o mais breve possível retomar a agenda de reformas, seguir tirando o peso do Estado de cima de quem produz e gera emprego e avançar na construção de um país mais moderno e eficiente. É uma longa caminhada até lá, mas precisamos dar esses passos iniciais.

VB - O que podemos esperar

na política mundial nos próximos dois anos?

MP - Os olhos do mundo

estavam voltados para as eleições americanas. Com a derrota de Donald Trump e da sua política nacionalista, para muitos países fica a expectativa da abertura de um novo leque de oportunidades. Sinceramente, não sei a que proporção isso poderá ocorrer considerando que os Estados Unidos estão polarizados. O “trumpismo” segue forte por lá. Há ainda outros quatro atores cruciais neste cenário - China, União Européia, Índia e Rússia - que estão em constante movimentação no contexto geopolítico e econômico, mas é fato que tudo, isso somado à pandemia do novo coronavírus (e sua “segunda onda” mundo afora), tornam o ambiente até certo ponto imponderável. Penso que o Brasil deveria ser pragmático na diplomacia de modo a evitar perdas econômicas por questões menores que interessam a uns poucos grupos mais exaltados.

n his first term as federal deputy, Marcos Antônio Pereira, president of the Republicans party, speaks exclusively to Voz de Brasília about his career, the objectives of his acronym and the current situation in the country. Check out the full interview. Voice of Brasilia Deputy tell us a little about your trajectory in politics. Dep. Marcos Antônio Pereira Despite having joined a party in the past, my de facto entry into party politics took place in May 2011, when I assumed the national presidency of the then Brazilian Republican Party (PRB), today Republicans. My first major mission, that year, was to prepare the party for the 2012 municipal elections. My fire test was to coordinate the campaign by federal deputy Celso Russomanno for mayor of São Paulo. We ran a lean, but efficient campaign. Russomanno led the polls most of the time, but finished third with more than 1.2 million votes. From there, we started to plan the growth of state and federal benches, which in fact happened in 2014. We jumped from eight federal deputies to 21, surpassing all projections by experts and the press. I traveled around Brazil building the party and attracting new leaders. New growth took place in 2016 and in 2018, when we elected 30 federal deputies, a senator and 42 state deputies. Today we are one of the largest benches in Brasilia with 33 federal deputies and two senators. It is worth remembering that, in May 2016, I was invited to take over the Ministry of Industry, Foreign Trade and Services, where I remained for 20 months until I left to run for the first time as a federal deputy. During the period, we advanced strongly in reducing the bureaucracy of the productive sector - especially in foreign trade -, we built the new automotive policy (Route 2030), fundamental for the sector that employs more than 1.6 million people, and I was one of those responsible for the consolidation of the Mercosur-European Union agreement, which unfortunately has faced difficulties to be implemented. In 2018, therefore, I was elected federal deputy and in my first term I became vice-president of the Chamber with an expressive vote by the parliamentary colleagues. Both in my private and public life, I am always guided by dialogue, moderation and balance in decision-making. I believe that this is a strong point that is often lacking in the current political discussion. VB - How do Republicans work to build a better country? MP - It is important to highlight that the Republicans is a conservative, moderate party, an important point of balance in Brazilian politics. Our bases are so solid that we are the only party that has grown since its founding in 2005. We are also one of the few organic parties within the Brazilian spectrum. This allows our benches to be always aligned with the main purpose of making good policy with public interests in mind. This behavior extends to states and municipalities. From a structural point of view, the Republicans are the first and only party to constitute a faculty recognized by the MEC. Our Brazilian Republican Foundation (FRB) is an example of conduct and brings political qualification and foreign language courses to the forefront both for members and for any citizen with an interest. We are also one of the few parties that invest heavily in attracting and qualifying women for public life. I believe that we have contributed significantly to the advancement, both of the ideological discussion, and to the concrete results that the citizen expects from public women and men. VB - How were the 2020 municipal elections for the party? MP - Republicans more than doubled the number of elected mayors in 2020, reaching 211 across Brazil, 30 of whom are women. The party is still running for the second round in five cities. 2,604 councilors were elected, almost a thousand more than in 2016. We were also the party that most elected councilors in capitals. There were 53 against 50 of the PT, which was the second. This is proof that we have a consistent political-party project that finds an echo in society. VB - What is your view on the current political scenario? MP- The new coronavirus pandemic brought an imponderable scenario not only in health, but also in the economy and politics. We need to see the problem in this light and understand that 2021 will be an equally or more difficult year than 2020. The structural reforms that Brazil needed to go through were postponed by the emergence of the situation and this will certainly affect the country’s competitiveness. For our comfort, if we can say so, the situation out there is just as desperate. As we know very well, the economy dictates the rules of the political game, and that is exactly the tipping point that should govern the electoral narratives with an eye on 2022. I also understand that only when we have a safe vaccine can we resume our lives normally - although, in practice, we are already doing this even though there is no full security in doing so. In view of all this, I think that we must resume the reform agenda as soon as possible, continue to take the weight of the State off those who produce and generate jobs and move forward in building a more modern and efficient country. It is a long walk there, but we need to take these initial steps. VB - What can we expect in world politics in the next two years? MP - The eyes of the world were on the American elections. With the defeat of Donald Trump and his nationalist policy, for many countries the expectation of opening a new range of opportunities remains. Honestly, I don’t know how much that could happen considering that the United States is polarized. “Trumpism” is still going strong there. There are still four other crucial players in this scenario - China, the European Union, India and Russia - that are in constant movement in the geopolitical and economic context, but it is a fact that all of this, added to the pandemic of the new coronavirus (and its “second wave” world) outside), make the environment imponderable to a certain extent. I think that Brazil should be pragmatic in diplomacy in order to avoid economic losses due to minor issues that are of interest to a few more exalted groups.

Assista a íntegra da entrevista em nosso canal oficial no Youtube www.youtube.com/vozdebrasíliatv


Izalci promete emprego no DF e resgate de valores éticos Senador quer investimento em empreendedorismo e reforma tributária urgente

I

cachoeiras para todo lado. Há muito o que se explorar”, afirma. Além do turismo, Izalci reforça a necessidade de se investir em iniciativas que fomentem o empreendedorismo. “Minha maior preocupação é gerar emprego e renda, além de dar aos jovens a oportunidade de empreender. As incubadoras terão um papel relevante nesta empreitada e tudo isso vai ser fruto da parceria da Comissão com os governos e com o DF. Vamos explorar os fundos nacionais de desenvolvimento. Nós temos hoje muitos mecanismos para viabilizar tudo isso”, explica o senador. Com longa trajetória política, Izalci já foi deputado distrital, secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, atuou como deputado federal e foi membro de diversas comissões, como a da CPI da Petrobrás. Apesar de contribuir significativamente no legislativo, o senador confessa que possui apreço pelas atividades do executivo. “Tive que ir para o Senado por força das circunstâncias, mas sempre gostei do executivo. Lá que você vê as coisas acontecerem, as coisas mais concretas. Sempre tive o desejo de contribuir mais com o Brasil e com o DF”, explica. Izalci diz que, inclusive, tem vontade de ser candidatar à governador do DF em um futuro não muito distante. “É evidente que tenho Foto: Divulgação

ndicado pelo presidente da Casa Davi Alcolumbre e eleito pela maioria do Senado, o senador Izalci Lucas assumiu, em fevereiro deste ano, a presidência da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado Federal. Em seu primeiro mandato como senador, Izalci fez bonito no Distrito Federal, recebendo mais de 400 mil votos. Também contador e professor, o político do PSDB diz que seu compromisso à frente da Comissão é com a geração de emprego. “O problema mais grave do DF atualmente é o desenvolvimento econômico. O desemprego está muito grande e nós temos que investir muito no turismo e no desenvolvimento regional. Brasília tem um potencial imenso de turismo, seja religioso, seja cívico. Temos ambientes de turismo rural,

164

vontade, empenho e acho que tenho condições de fazer um bom trabalho como governador, mas depende muito das circunstâncias, do momento, das composições. Estou aberto e à disposição para contribuir com o DF”, declara Izalci. Sobre sua atuação no Senado, o contador conta que tem altas expectativas com relação à reforma da previdência. Para ele, o déficit chegou à um nível insuportável e, mesmo sem texto oficial ainda, a matéria exige urgência na discussão. “Nós teremos que enfrentar essa situação o mais rápido possível e acho que a hora é agora. A população já reconhece a importância dessa mudança e o governo fez todo um discurso nessa linha. Já temos uma reforma interna do INSS, pois há uma corrupção muito forte. Acredito que em seis ou oito meses teremos a reforma aprovada”, especula o senador. Além da reforma da previdência, Izalci também prevê o debate de outras medidas urgentes, como o combate ao crime e a questão dos altos impostos cobrados no Brasil. “Vamos iniciar o projeto anticrime proposto por Moro e que já foi entregue a Câmara. Além disso, vamos focar também na reforma tributária, focar em colocar eficiência no serviço público. Não dá mais para pagar tanto imposto sem ter nada em troca. Vamos acabar com aparelhamento do Estado, pois

há corrupção para todo lado e dar educação e segurança de qualidade”, garante. Resgate de valores Com o crescente uso das redes sociais, tanto pela população, quanto pelo meio político, Izalci diz que ficou mais fácil saber quais os anseios do cidadão brasileiro. “Há uma necessidade de se recuperar certos valores. Não existe mais disciplina, hierarquia, não existe mais respeito pelo professor, nem mesmo pelo patrimônio público. Os valores da família, ético e morais, precisamos resgatar isso. Temos que colocar o Brasil para crescer de novo”, finaliza o senador. Izalci promises employment in the Federal District and redemption of ethical values Senator wants investment in entrepreneurship and urgent tax reform Appointed by the president of Casa Davi Alcolumbre and elected by the majority of the Senate, Senator Izalci Lucas assumed the presidency of the Committee on Regional Development and Tourism of the Federal Senate in February of this year. In his first term as senator, Izalci made beautiful in the Federal District, receiving more than 400,000 votes. Also accountant and teacher, the politician of the PSDB says that his commitment at the head of the Commission is with the generation of employment. “The most serious problem in DF today is economic development. Unemployment is very high and we have to invest heavily in tourism and regional development. Brasilia has an immense potential for tourism, whether religious or civic. We have rural tourism environments, waterfalls everywhere. There is much to explore, “he says. In addition to tourism, Izalci reinforces the need to invest in initiatives that foster entrepreneurship. “My biggest concern is to generate jobs and income, as well as giving young people the opportunity to start. Incubators will play a relevant role in this endeavor and all this will be the result of the Commission’s partnership with governments and the Federal District. Let’s explore the national development funds. We have many mechanisms today to make it possible, “explains the senator.japproved,


O caminho é o fim, e o fim é o caminho Durante seu primeiro mandato, a deputada federal Bia Kicis (PSL) afirma que lutar pelo o que acredita é algo que vale a pena

D

epois de 24 anos atuando como procuradora no Distrito Federal, a preocupação com o cenário político e a necessidade de fazer algo para melhorar o país surgiu em Beatriz Kicis. Ela, naquela época, encontrou na militância uma forma de tentar mudar as coisas. Em meados de 2014, a expresidenta Dilma Rousseff tentava uma reeleição pelo Partido dos Trabalhadores, mesmo em meio a uma crise institucional e econômica que atingia o país. Isso não agradava parte da população, que organizou naquele ano inúmeros atos contra a presidenta em exercício, como manifestações e acampamentos em frente ao Congresso Nacional, pedindo o impeachment da governante. Foi nesse cenário que Bia Kicis começou a ter um contato mais direto com os políticos e militantes que compartilhavam de suas visões e valores, como o então deputado federal, Jair Bolsonaro. Além desse convívio mais próximo com a política nacional, a deputada federal relembra que algumas amizades que fez no período de ativismo, “começaram a me provocar para eu me candidatar”. Nas eleições de 2018, seguindo a onda bolsonarista que tomava conta do país, Bia Kicis foi eleita deputada federal pelo Partido

Republicano Progressista (PRP), com mais de 86 mil votos. Para ela, a explicação para uma novata na política ter conseguido tal resultado, além do apoio que recebeu do atual presidente Jair Bolsonaro, foram as pautas que levantava desde o início de sua militância, como a adoção do voto impresso e a derrubada da “velha política”. “A primeira vez que eu concorri, fui eleita, porque eu creio que eu represento uma grande parcela da população que não se sentia representada pelos políticos que a gente tinha aqui, no Distrito Federal”, aponta. Em entrevista exclusiva para a Voz de Brasília, a agora deputada federal pelo Partido Social Liberal (PSL), afirma que nesses quase dois anos de mandato seu trabalho continua sendo o mesmo, sempre buscando cumprir a agenda que a fez ser eleita, lutando pelo o que acredita. “O meu mandato é para servir ao morador, ao cidadão de Brasília. Servir com muito trabalho e servir para que você seja cada vez mais livre. E que você tenha um Estado eficiente. Nós queremos tirar o Estado do cangote do empresário, do trabalhador, do pequeno agricultor, do médio, do grande, de todos”, afirma. Sobre o cenário político atual, Bia Kicis entende que o problema

agora não é mais o antigo inimigo da onda bolsonarista que invadiu o país e ganhou espaço nas eleições de 2018, mas sim outros. “Hoje não é mais que seja o PT, mas a esquerda, esse progressismo avassalador, que não respeita a soberania dos países, não respeita a autodeterminação dos povos, não respeita os valores cristãos”, finaliza. Para assistir esse bate papo na íntegra, acesse nosso canal oficial no Youtube, a Voz de Brasília. After 24 years acting as a prosecutor in the Federal District, the concern with the political scenario and the need to do something to improve the country arose in Beatriz Kicis. At that time, she found in militancy a way to try to change things. In a 2014 interview, ex-president Dilma Rousseff was trying to win re-election by the Workers’ Party, even in the midst of an institutional and economic crisis that hit the country. This did not please part of the population, which organized that year numerous acts against the incumbent president, such as demonstrations and camps in front of the National Congress, requesting the impeachment of the governor. It was in this scenario that Bia Kicis began to have a more direct contact with the politicians and activists who shared her views and values, such as the then federal deputy, Jair Bolsonaro. In addition to this closer relationship with national politics, the federal deputy recalls that some friendships she made during the period of activism, “so as to provoke me to apply”. In the 2018 changes, following the bolsonarista wave that took over the country, Bia Kicis was elected federal deputy by the Progressive Republican Party (PRP), with more than 86 thousand votes. For her, an explanation for a newcomer in politics to have achieved such a result, in addition to the support I receive from the current president Jair Bolsonaro, were the guidelines that she raised since the beginning of her activism, such as the adoption of the printed vote and the overthrow of the “old woman”. politics “. “The first time I ran,

I was elected, because I believe that I represent a large portion of the population that did not feel represented by the politicians that we had here, in the Federal District”, she points out. In an exclusive interview with Voz de Brasília, the now federal deputy for the Social Liberal Party (PSL), affirms that in these almost two years of her mandate her work remains the same, always trying to fulfill the agenda that made her elected, fighting for the who believes. “My mandate is to serve the resident, the citizen of Brasília. Serve with hard work and serve so that you are more and more free. And that you have an efficient state. We want to remove the State from the neck of the entrepreneur, the worker, the small farmer, the medium, the large, everyone ”, he says. Regarding the current political scenario, Bia Kicis understands that the problem is no longer the former enemy of the bolsonarista wave that invaded the country and gained space in the 2018 elections, but others. “Today it is no longer the PT, but the left, this overwhelming progressism, which does not respect the sovereignty of countries, does not respect the self-determination of peoples, does not respect Christian values”, he concludes. To watch this chat in full, access our official YouTube channel, Voz de Brasília

165


Gonzaga Patriota, Deputado Federal por Pernambuco

L

uiz Gonzaga Patriota, 73 anos, nasceu em Sertânia, Pernambuco. Além da carreira política é também, administrador, advogado, contador e jornalista. Está em seu oitavo mandado como Deputado Federal, pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB). A Voz de Brasília conversou com o deputado. Confira. – A sua história já gerou até livros, mas eu queria ouvi-la do senhor. Conte um pedacinho da história do Gonzaga Patriota? – Meu pai teve 21 filhos, eu fui o sexto. Meu pai não podia permitir que nenhum filho estudasse, era uma meninada trabalhando na roça, para vender um pouquinho do leite para comprar o gás, ou o sal que não produzia na roça. Aos nove anos eu disse para minha mãe que queria me casar com uma professora, e ela disse para esquecer porque eu era analfabeto. Fui descobrir o que era ser analfabeto e ali decidi que iria me casar com uma professora, comecei a estudar com 15 anos de idade, consegui aprender telegrafia. Logo com 17 anos me casei pela primeira vez. Eu tinha o objetivo de me casar com uma professora e inclusive me casei logo com três. No primeiro casamento tive seis filhos, no segundo quatro e no terceiro dois. Fiquei com 12 filhos. Eu entrei na política, me candidatei para prefeito em 1976 pelo MDB, consegui apenas 499 votos. Em 1982, me candidatei a deputado estadual, fiz mais de 15 mil votos. – Os jovens não sabem o que é a telegrafia. O que seria o telégrafo? – Na minha época não tinha televisão, praticamente não tinha telefone, mas tinha o telégrafo, o código Morse que eu aprendi. Era uma forma de se comunicar, por isso trabalhei por uns anos na rede ferroviária como telegrafista. Depois de lá fiz concurso para professor, depois advogado, contador. – Estamos fazendo o projeto dos 60 anos de Brasília e há mais de 20 anos produzimos um Anuário. O que acha dessas iniciativas? – Queria falar primeiro do Anuário Brasileiro, pouco gente sabe da importância do que tem no conteúdo desse anuário. Ele é muito importante, estou falando porque já li vários durante muitos anos. Eu também vi o Almanaque dos 50 anos de Brasília, tinha tantas fotos antigas da cidade. A Esplanada sendo preparada para ser construída. Tudo de importante sobre Brasília está nesse Almanaque dos 50 anos. Tive a oportunidade de ver um pouquinho do projeto dos 60 anos e já percebi a importância. Em 1986 quando me elegi deputado federal, eu fiz questão de pegar minha mulher e meus filhos para morar em Brasília. A maioria dos deputados deixam as famílias nos seus estados, e vão só na sexta-feira. Morando aqui, eu passo a semana em casa. Então eu vejo Brasília como o pulmão do Brasil. Aqui está o parlamento, o coração do povo brasileiro.

Voz de Brasíli

Voz de Brasíli Gonzaga Patriota Voz de Brasíli

Gonzaga Patriota

166

Foto: Paulo Fayad

Gonzaga Patriota

Meet Gonzaga Patriota, Federal Deputy of Pernambuco Luiz Gonzaga Patriota, 73 years old, born in Sertânia, Pernambuco. In addition to political career also, administrator, lawyer, accountant and journalist. He is in his eighth term as federal deputy, by the Brazilian Socialist Party (PSB). The Brazilian Yearbook talks with the deputy. Check out. Brazilian Yearbook - Your story has even spawned books, but I wanted to hear from you. Tell a little piece about Gonzaga Patriota’s story? Gonzaga Patriota - My father had 21 children, I was the sixth. My father could not allow any child to study, it was a girl working in the fields, to sell a little milk to buy gas, or the salt she did not produce in the fields. At age nine I told my mom I wanted to marry a teacher, and she told me to forget why I was illiterate. You found out or what was analyzed and decided to marry a teacher, start studying at the age of 15, learn telegraphy. At the age of 17 I got married for the first time. I had the goal of marrying a teacher and even married soon with three. In the first marriage and six children. I was left with 12 children. I got into politics, mayoral candidates in 1976 for the MDB, getting only 499 votes. In 1982, as a candidate for state deputy, I made over 15 million votes. AB - Young people do not know what a telegraphy is. What would be the telegraph? GP - In my day there was no television, almost no telephone, but there was the telegraph or Morse code that I learned. It was a way of communicating, so I worked for a few years on the rail network as a telegraph operator. After taking the contest for teacher, after lawyer, accountant. AB - We are doing the project of 60 years of Brasilia and for over 20 years produced in the Yearbook. What do you think about these initiatives? GP - I would like to speak first of the Brazilian Yearbook, little know the importance of the content that exists in the Yearbook. He is very important, I’m talking because for several years now. I also saw the 50 years old Almanac from Brasilia, there were so many old pictures of the city. The Esplanade being prepared to be built. All the important things about Brasilia are in this 50-year-old Almanac. I had the opportunity to see a project of 60 years and already realized the importance. In 1986, when I was elected federal deputy, I made sure to get my wife and children to live in Brasilia. Most MPs leave as families in their states, and only go on Friday. Living here, I spend a week at home. So I see Brasilia as the lung of Brazil. Here is the parliament, the heart of the Brazilian people.


Confúcio Moura, Senador da república por Rondônia

C

onfúcio Aires Moura, 71 anos, é Senador pelo estado de Rondônia, filiado ao MBD. Nascido em Tocantins, ele é médico e casado com Maria Alice Moura, com quem tem duas filhas: Bárbara e Débora. Confúcio foi deputado federal por três mandatos, em 2010 foi eleito governador e em 2014 reeleito. Em abril de 2018 renunciou o cargo para se candidatar ao Senado. Sua trajetória política foi sempre por Rondônia. Confira a entrevista concedida ao Grupo Voz de Brasília. – Na sua infância o senhor morou aqui em Brasília. Como foi essa experiência? – Exatamente, eu morava na Vila Planalto que naquela época ainda não era Vila Planalto. Era um acampamento, um alojamento de uma empresa construtora aqui de Brasília. Ali existia um enfileirado de casas de madeira, não tinha asfalto, era chão batido. Meu pai era um dos candangos, ele trabalhava nessas obras. Então eu passei uma fase aqui, da minha infância até a primeira adolescência, fiquei até a inauguração de Brasília em 1960. Aqui era um descampado, se a gente quisesse chupar um picolé tinha que ir até o Núcleo Bandeirante, a antiga Cidade Livre. – Sua trajetória política foi construída em Rondônia. Como foi seu caminho até chegar lá? – Eu nasci no Goiás, em uma região que mais tarde virou Tocantins. A cidade onde nasci, hoje é Tocantins. Meu pai inquieto como era, logo cedo veio morar em Goiânia. Neste vai e vem eu terminei cursando medicina em Goiânia. Ao terminar o curso de medicina, eu vi pelos jornais que estava surgindo um novo estado, era Rondônia. Já formado e vendo muitas pessoas indo para essas regiões, nessa leva eu fui também. Eu fui para Ariquemes, uma vila de seringueiros na beira de um rio e que tinha uns garimpos por perto. Fui lá esperar a cidade crescer. – E quando o médico virou político? – Naquela época tinha um deputado federal, o Jerônimo Santana,

Voz de Brasília Confúcio Moura

ele tinha um discurso demolidor. Ele atacava os coronéis e os generais, e eu passei a admirá-lo e ele chegava por lá e o acompanhava. O tempo foi passando e nos anos 80 eu me candidatei a prefeito e perdi a eleição. Depois dessa campanha eu ocupei o cargo de Secretário de estado da Saúde, já no governo Jerônimo que foi o governador eleito. Aí eu comecei as disputas e fui prefeito da cidade duas vezes, deputado federal três vezes. – O senhor também foi governador duas vezes e está agora pela primeira vez como senador. Quais suas pretensões no Senado? – Mesmo com minha idade e experiência de muitos cargos, eu estou aqui debutando. Então quando se chega em uma instituição nova, o que temos que fazer é ser humilde. A gente não pode atropelar as lideranças consagradas. Temos que deixar o espaço e o tempo, e as oportunidades chegarem a você gradualmente. Minha primeira etapa este ano foi fazer uma boa relação com os colegas. Ficar conhecido com eles, para a gente poder estabelecer uma relação muito boa.

Voz de Brasília

Confúcio Moura

Meet Confucius Moura, Senator of the Republic by Rondônia Confucius Aires Moura, 71, is a senator from the state of Rondônia, affiliated to the MBD. Born in Tocantins, he is a doctor and married to Maria Alice Moura, with whom he has two daughters: Barbara and Deborah. Confucius was a federal deputy for three terms, in 2010 was elected governor and in 2014 reelected. In April 2018 he resigned his post to run for Senate. His political trajectory was always by Rondônia. Check out the interview granted to Grupo Voz de Brasília. Brasieliro Yearbook - In your childhood you lived here in Brasilia. How was this experience? Confucius Moura - Exactly, I lived in Vila Planalto which at that time was not Vila Planalto. It was a camp, an accommodation of a construction company here in Brasilia. There was a row of log houses there, no pavement, no dirt floor. My father was one of the candangos, he worked on these works. So I spent a phase here, from my childhood to early adolescence, I stayed until the opening of Brasilia in 1960. Here was a field, if we wanted to suck a popsicle we had to go to the Bandeirante Nucleus, the old Free City. AB - His political trajectory was built in Rondônia. How was your way to get there? CM - I was born in Goiás, in a region that later became Tocantins. The city where I was born, today is Tocantins. My father, restless as he was, soon came to live in Goiânia. In this coming and going I ended

Voz de Brasília

Voz de Brasília Confúcio Moura

Foto: Paulo Fayad

Confúcio Moura

167


Secretária do Turismo no DF quer movimentar Torre Digital Reativação dos CATs faz parte dos planos de promoção ao turismo em Brasília

V

anessa Mendonça é economista e publicitária. Já foi diretora nacional no Ministério do Turismo e atuou como gerente de marketing durante oito anos, atendendo empresas como Volkswagen Regional Centro-Oeste e Norte, Furnas Centrais Elétricas, Ministério das Comunicações, Ministério do Desenvolvimento Social, Coca-Cola, Audi, UniCeub, Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Em entrevista ao grupo Voz de Brasília, contou sobre os planos para o turismo do DF. – Como a sua vivência em Brasília contribui para a gestão do turismo no DF? - Estou em Brasília há 30 anos. Vim a convite da Gazeta Mercantil e me encantei com a cidade. Tive a oportunidade de conhecer o potencial da nossa cidade para se colocar como principal destino turístico. – Quais os principais objetivos da sua gestão? - Nesses primeiros meses o objetivo foi resgatar os principais pontos turísticos que são os Centros de Atendimento ao Turista (CAT). Conseguimos reinaugurar os CATs na Praça dos Três Poderes, Asa Sul e Asa Norte. Vamos reativar o da Torre Digital, o da Rodoviária Interestadual e o do Aeroporto. Nossa equipe está bastante qualificada e em condições de mostrar uma nova Brasília. – O que você mais gosta em Brasília? - Brasília é encantadora em qualquer ângulo que agente procure observar e perceber o quanto ela foi pensada e planejada. Temos parques fantásticos, é arborizada, conhecida como cidade parque, cidade jardim. Só Brasília oferece isso. – Qual a perspectiva de crescimento do turismo na sua gestão? - Estamos muito felizes com os resultados alcançados até agora. Foi divulgado pela imprensa que a busca de turistas pelo destino Brasília cresceu 150%. Um dos principais motivos é o anúncio do stopover com a TAP que garante a entrada de 20 mil europeus. A Latam também anuncia três novos voos e Gol, mais um voo direto. São 10 voos diretos em Brasília. Essa acessibilidade que nosso aeroporto oferece é um grande diferencial competitivo. – Está animada para os 60 anos de Brasília? - Nós celebraremos os 60 anos de Brasília com muito amor, muita criatividade, muito reconhecimento a esse empreendedorismo. Vamos olhar para os próximos 60 anos e convidamos o mundo para vir conhecer Brasília. Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília Vanessa Mendonça

Voz de Brasília Vanessa Mendonça

Voz de Brasília Vanessa Mendonça

Voz de Brasília Vanessa Mendonça

Voz de Brasília Vanessa Mendonça

Together, these categories account for about 1/4 of the Product Gross Domestic Product (GDP) and generate approximately 25.5 million direct and formal jobs. Maximum representative of the approximately 5 million companies in the goods, services and tourism trade, CNC was founded on September 4, 1945. Born in Manaus, Tadros holds a law degree from the University of Amazonas and has worked as an entrepreneur in the tertiary sector since 1974. In addition to his commercial and union activities, he is the author and co-author of several books and a member of the Amazonian Academy of Letters, of the Geographic Institute and History of Amazonas and the Academy of Sciences, Arts and Letters of Amazonas. President José Roberto Tadros received us for an exclusive interview, given to Journalist Paulo Fayad, from Editora Voz de Brasília, check out an excerpt below. Voz de Brasília - President, tell us a little about your trajectory until you reach the head of CNC. José Roberto Tadros - It was a long journey, fifty-two years. I was vice president of the union, president of the union, administrator of Sesc in the Amazon, president of the Federation of Commerce and Sesc and Senac in Amazonas as well, president of foreign trade of the National Trade Confederation, administrator and vice president for the entire Amazon, first vice president of CNC and finally president of CNC by majority will in the 2018 election. Voice of Brasilia - CNC brings together the federations in the states, tell our readers what CNC is. José Roberto Tadros - President Vargas, in favor of the interests of businessmen, who was concentrated in Trade Associations, which were eclectic institutions, since it brought together from primary activity, agriculture, secondary activity, industry, such as tertiary activity, commerce and services, all within the same environment, so he created a segmented environment for each of these institutions. At the top of the pyramid was the Confederations. However, CNC’s performance goes beyond defending the interests of these segments. The Confederation also manages one of the largest social development systems in the world - the Social Service for Commerce (Sesc), with operations in the areas of education, health, culture and leisure, and the National Service for Commercial Learning (Senac), the main professional education agent focused on the goods, services and tourism trade sector.

168


Leila Barros, a eterna Leila do Vôlei fala como saiu do mundo do esporte para a política

Foto: Divulgação.

A ex-atleta foi a primeira mulher eleita senadora pelo Distrito Federal com 17,76% dos votos válidos

A

brasiliense Leila Barros, 47 anos, está no seu primeiro mandato como Senadora da República. Este é o primeiro cargo eletivo da ex-jogadora de vôlei, que foi Secretária de Esportes e Lazer do Distrito Federal, no governo do Rodrigo Rollemberg. Nas eleições de 2018 ela foi a candidata ao Senado mais votado pelo DF, foram 467.787 votos. Com isso a iniciante ficou à frente de velhos conhecidos da política de Brasília, como: Izalci e Cristovam Buarque. Como atleta ela é tricampeã do Grand Prix, campeão Pan-americana e medalhista de bronze nas Olimpíadas de Atlanta em 1996. Em um bate-papo com o Grupo Voz de Brasília, Leila falou sobre sua vida na cidade e política. - Eu queria que a senhora contasse um pouco sobre sua infância em Brasília. - Eu tenho memórias maravilhosas de Brasília. Eu sou da época do Rogério Pithon Farias. Hoje Parque da Cidade Sarah Kubitschek, mas na época ele era o Pithon Farias. Eu fiz parte de uma geração que viu a inauguração da piscina de ondas. Sou da época do Legião Urbana, do

Voz de Brasília

Leila Barros

Aborto Elétrico, que era o Legião antigo. Foi uma época tão incrível de Brasília. A cultura bombava, a cidade era alegre. Eu podia sair de casa de manhã para jogar vôlei entre as ruas de Taguatinga, no final do dia voltava para casa e nada acontecia. Brasília tinha uma pureza e uma energia muito bacana. Eu sou bem barrista quando se fala em Brasília. Aqui tem vida, tem pessoas trabalhadoras, tem esporte, tem música, tem parques, tem um planejamento urbano maravilhoso. Eu cresci em Taguatinga, na Ceilândia, na Feira da Ceilândia, até me emociono, porque Brasília traz muita coisa boa para mim. – Conte um pouco da sua trajetória. - As pessoas acham que eu caí de paraquedas na vida política. Na verdade, na minha vida inteira eu fiz política, porque eu sempre fui uma pessoa inconformada com as diferenças sociais, com as segregações. Desde muito nova eu sentia isso já na pele. Dentro do esporte tinha a dificuldade de ser mulher. Eu sou de uma geração desbravadora. Filha de nordestino, meu pai era de uma geração que não via futuro no esporte. Hoje as pessoas têm compreensão do que é o esporte, que é cidadania, formação. Isso me fortaleceu para trabalhar em outros setores. Retornando a Brasília, como atleta consagrada, eu comecei a trabalhar no terceiro setor. Montei uma instituição junto com uma amiga, a Ricarda, também da seleção. Fiz algumas parcerias com o governo local e fui me apaixonando com as questões sociais da cidade. Me senti na obrigação de dar minha contribuição. Foi por isso que me apaixonei por política, quando percebi o poder da caneta. De mudar e transformar vidas. Então pensei que no dia que eu parasse eu queria entrar na política para de alguma forma ajudar as pessoas.

Voz de Brasília Leila Barros

Voz de Brasília

- Como a Senhora encara essa confiança que Brasília lhe depositou para o Senado? - Eu encaro que estou vivendo hoje uma missão. O mínimo que tenho que fazer é dar o meu máximo aqui dentro. Primeiro é ser coerente. Eu não posso falar e não agir igual. Meu primeiro desafio foi no dia da votação para presidente do Senado, porque tive que abrir o meu voto, expor em quem eu estava acreditando. Brasília depositou tanta confiança em mim, que chego aqui todo dia com sangue nos olhos e a faca nos dentes. É um ambiente com o processo mais lento, que você tem que fazer a política. A Casa tem um ritmo, e temos que respeitar, mas não deixar de fazer política, de conversar, de ser coerente, de ser transparente. É assim que tenho conduzido a minha vida aqui. Eu encaro isso aqui com muita responsabilidade.

Leila Barros

Leila Barros, the eternal Leila do Volleyball talks how she left the world of sports for politics The former athlete was the first woman elected senator by the Federal District with 17.76% of the valid votes The Brazilian Leila Barros, 47, is in her first term as Senator of the Republic. This is the first elective post of the former volleyball player, who was Secretary of Sports and Leisure of the Federal District, under the government of Rodrigo Rollemberg. In the elections of 2018 she was the candidate to the Senate most voted by the DF, were 467,787 votes. With this the starter was ahead of old acquaintances of the politics of Brasília, like: Izalci and Cristovam Buarque. As an athlete she is threetime Grand Prix champion, Pan American champion and bronze medalist at the 1996 Atlanta Olympics. In a chat with Grupo Voz de Brasília, Leila talked about her life in the city and politics. Brazilian Yearbook - I wanted you to tell a little about your childhood in Brasilia. Leila Barros - I have wonderful memories of Brasilia. I’m from the time of Rogério Pithon Farias. Today Park City Sarah Kubitschek, but at the time he was the Pithon Farias. I was part of a generation that saw the inauguration of the wave pool. I am from the time of the Urban Legion, of the Electric Abortion, which was the old Legion. It was such an incredible time in Brasilia. The culture bombed, the city was gay. I could leave the house in the morning to play volleyball between the streets of Taguatinga, at the end of the day I would go home and nothing happened. Brasília had a very good purity and energy. I’m pretty much a barista when it comes to Brasilia. It has life here, it has working people, it has sports, it has music, it has parks, it has a wonderful urban planning. I grew up in Taguatinga, Ceilândia, Ceilândia Fair, until I get emotional, because Brasilia brings a lot of good to me.somehow help people.

169


Um diamante que está sendo lapidado Marcelo Piauí, atual administrador da Ceilândia, conta um pouco sobre a missão de estar à frente da administração da maior cidade do Distrito Federal eilândia ainda é vista por muitos com certo preconceito, principalmente por aqueles que não costumam andar pelas regiões administrativas do DF. Mas quem conhece a cidade sabe que é lá a verdadeira face do povo candango vive. São rostos e sotaques que chegaram há algumas décadas na região, seguindo o sonho de ter uma vida melhor na nova capital do país, e acabaram encontrando em Ceilândia seus lares, formando ao longo dos anos a identidade desse povo, conhecido por sua receptividade e força de vontade. Um lugar plural, com pessoas vindas dos mais diferentes cantos do país, que acabaram construindo essa imagem de uma cidade onde tudo acontece, da região onde há espaço para todos, do rap ao repente, e todas as outras manifestações que fazem da Ceilândia um dos lugares mais democráticos do Distrito Federal. Esse é um traço mais marcantes que o atual administrador da maior cidade do Distrito Federal, Marcelo Piauí, enxerga, exaltando a “força e esse lado fraterno de seu povo, que encantam todos que conhecem Ceilândia”. Para ele, o desafio administrar a maior região do DF é de uma enorme responsabilidade, trabalhando para lapidar esse grande diamante bruto que ainda é Ceilândia, buscando mostrar que a cidade é uma das maiores não só do Distrito Federal, como também de todo o país. Advogado por formação, Marcelo já passou por diversos cargos no Governo do Distrito Federal, e desde dezembro de 2019 está a frente de uma das mais importantes regiões administrativas do DF, e acredita que o sucesso de uma gestão acontece quando todos, da população até o governo, se unem para buscar melhorias. “Administrar uma cidade do tamanho da Ceilândia exige muita responsabilidade, mas o governador Ibaneis Rocha tem tido um carinho muito especial com a cidade e seus moradores. Em todas as áreas ele vem trabalhando muito, junto com os secretários e todos os servidores do Distrito Federal, em todas as áreas, com muito cuidado, e mesmo nesse momento em que vivemos, de pandemia, o governo tem trazido muita coisa positiva, zelado da cidade e das pessoas que moram aqui. Então, termina sendo uma grande alegria administrar nossa cidade, porque é um governo integrado com a Administração Regional da Ceilândia”, afirma. Segundo o administrador, cuidar da Ceilândia é um grande prazer, além de uma chance de exercer o que considera ser uma vocação que poucos nascem com ela, a de ajudar pessoas, o que aprendeu em suas raízes nordestinas, com sua família, e levou para sua vida. Assista a íntegra da entrevista em nosso canal oficial no Youtube www.youtube.com/vozdebrasíliatv 170

Foto: Paulo Fayad

C

Fastest place to become an entrepreneur is in Brasilia Entrepreneurship Secretary of the Federal District, Mauro Roberto da Mata, reveals that the city is one of the best in the country for those looking to undertake The word of recent years - and of the near future - perhaps it is entrepreneurship. Experts have already stated that the sector will be fundamental for the country’s economic recovery in the post-pandemic period, and considering this, in 2020 the State Secretariat for Entrepreneurship (SEMP) was created in the Federal District. In addition to providing support to the city’s businessmen, the portfolio was created with the aim of encouraging, more and more, those who seek to become their own bosses, but who still encounter bureaucracy. In order to solve these problems, decree 41.015, by Governor Ibaneis Rocha, regularizing Pró-DF II, in addition to creating Desenvolve - DF, aiming to facilitate the life of city entrepreneurs, by facilitating the opening of companies on land belonging to the Terracap, and create solutions for those who seek to regularize their situations. According to Mauro Roberto da Mata, Secretary of Entrepreneurship in the Federal District, this is a way of making the city grow, “generating jobs and income”. Even though the portfolio has been in existence for a short time, the fruits of the work developed have already been harvested by everyone involved in the sector. In an interview with Voz de Brasília, Roberto da Mata cites the Federal, Commercial and Industrial Board of the Federal District as a great example of this advance. “We are being a mirror for the whole of Brazil. Our commercial board is the first placed when it comes to the opening of companies in the country ”. According to the secretary of the portfolio, in Brasilia it takes a day and an hour to complete all the necessary steps for an entrepreneur to open his business. This advance, according to the secretary, has a lot to do with Simplifica PJ, linked to the portfolio and which brings together 15 institutions to support legal entities. Located in Taguatinga Norte, the entrepreneur who seeks Simplifica PJ is able to have access to governmental and financial institutions, professional councils and to


A união faz a força

E

Foto: Divulgação.

Durante entrevista à Voz de Brasília, o ex-senador Ulisses Riedel diz acreditar no amor e solidariedade entre os povos como forma de construir um mundo melhor

m seus primeiros anos, Brasília era muito mais que a nova capital do país. Para muitos, ela representava a chance de construir uma nova vida, mesmo que para isso fosse necessário muita coragem e ousadia. Ulisses Riedel foi uma dessas pessoas, que enxergaram as diversas oportunidades que a cidade possuía para os sonhadores. Por isso, em 1971 o advogado e professor decidiu deixar o Rio de Janeiro, onde advogava para doze sindicatos, e vir para Brasília, local para onde o Tribunal Superior do Trabalho foi transferido. Com isso, o advogado mostrou uma ousadia gigantesca, indo na contramão de seus colegas que, em sua maioria, nem pensavam na possibilidade de deixar a estabilidade de seus empregos no Rio para se aventurar em uma nova cidade. “Eu sempre tive muito entusiasmo por Brasília, pelo novo, pela nova capital, e resolvi ousar. Essa ousadia foi muito importante na minha vida, pois quando cheguei aqui eu era mais ou menos único. Não haviam advogados locais especializados no tribunal”, explica Riedel, em entrevista exclusiva à Voz de Brasília. Os bons resultados dessa decisão estão aí, na história. Ulisses Riedel, além de estar a frente de um dos escritórios de advocacia mais

respeitados do país, a Advocacia Riedel, também participou da formação de novos advogados, lecionando em uma das universidades de maior destaque do Planalto Central. Por seus serviços prestados para a cidade, seja como advogado, professor ou senador, Riedel recebeu o título de Cidadão Honorário de Brasília, em 2020, além de diversos prêmios no âmbito da advocacia. No entanto, durante a entrevista, Ulisses Riedel mostra um pouco mais sobre outra face sua, a de humanista e cabeça pensante sobre o futuro da humanidade. Além de seu extenso currículo no mundo das leis, o advogado e professor é um dos criadores da União Planetária, uma Organização da Sociedade Civil que surgiu em 1997 com o objetivo de unir pessoas dispostas a fazer o bem. Em seus primeiros anos, a OSC apoiava projetos sociais, educacionais e de comunicação no país e no mundo, sempre buscando disseminar a positividade de cabeças que acreditavam no relacionamento saudável entre todos como o principal fator para a evolução da humanidade. “Quando nós fundamos, com outras pessoas valiosas, a união planetária, nós entendemos que era preciso trabalhar para fazer um mundo melhor. E para isso, é preciso divulgação do que há mais nobre e mais ético”, explica Riedel. Para que esse pensamento fosse passado para todos, em 2007 surgiu a TV SUPREN, com sinal para mais de 20 estados do país, e que se diferenciava de outras televisões por diversos motivos. Além de ser totalmente voluntária e sem anúncios, o foco da emissora é espalhar notícias positivas, por entender que a comunicação é um fator importante na construção de uma sociedade moderna. “Eu sempre achei muito importante as comunicações. O que a gente divulga, se

dissemina e se espalha. Se divulgamos coisas ruins, más, perversas, nós estamos disseminando estas coisas. Eu sempre achei muito importante a gente disseminar o bem, o comportamento ético, a fé, o entusiasmo, a alegria e a confiança nesse mundo que já é tão difícil”. Ao ser questionado sobre formas de melhorar o mundo, o lado jurídico de Riedel acredita que é necessário respeitar o poder constituinte, alinhando isso com uma união entre povos, através da solidariedade e amor. Para ele, na medida em que isso se tornar uma verdade e uma nova mentalidade para todos, acabará virando uma lei universal, afinal, “não são as leis que mudam os costumes, mas sim os costumes que mudam as leis”. Assista a íntegra da entrevista em nosso canal oficial no Youtube www.youtube.com/vozdebrasíliatv A união faz a força Durante entrevista à Voz de Brasília, o ex-senador Ulisses Riedel diz acreditar no amor e solidariedade entre os povos como forma de construir um mundo melhor In its early years, Brasília was much more than the country’s new capital. For many, it represented the chance to build a new life, even if it required a lot of courage and daring. Ulisses Riedel was one of those people, who saw the various opportunities that the city had for dreamers. For this reason, in 1971 the lawyer and professor decided to leave Rio de Janeiro, where he was a lawyer for twelve unions, and to come to Brasília, where the Superior Labor Court was transferred. With that, the lawyer showed a gigantic boldness, going against his colleagues who, for the most part, did not even think about the possibility of leaving the stability of their jobs in Rio to venture into a new city. “I always had a lot of enthusiasm for Brasília, for the new, for the new capital, and I decided to dare. This boldness was very important in my life, because when I got here I was more or less unique. There were no local lawyers specialized in the court, ”explains Riedel, in an exclusive interview with Voz de Brasília. The good results of this decision are there, in history. Ulisses Riedel, in addition to leading one of the most respected law firms in the country, Advocacia Riedel, also participated in the training of new lawyers, teaching at one of the most prominent universities in the Central Plateau. For his services rendered to the city, whether as a lawyer, professor or senator, Riedel received the title of Honorary Citizen of Brasília in 2020, in addition to several awards in the scope of law. However, during the interview, Ulisses Riedel shows a little more about another face of hers, that of humanist and thinking head about the future of humanity. In addition to his extensive curriculum in the world of law, the lawyer and professor is one of the creators of the Pstitu

171


Terracap: a maior companhia imobiliária do país Em entrevista à Voz de Brasília, Izidio Santos comenta sobre seu trabalho à frente da empresa

C

riada a partir de uma lei de 12 de dezembro de 1972, a Terracap é uma empresa pública do Governo do Distrito Federal, fundada para gerir terras públicas (seja no campo da sustentabilidade, responsabilidade social, ambiental ou econômica) e fomentar negócios na região, ofertando empreendimentos imobiliários no DF. Em 1997, começou a ser conhecida como Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal, sendo oficialmente responsável por

implementar programas e projetos de apoio ao desenvolvimento econômico e social do DF, segundo o Decreto nº 18.061/1997. Izidio Santos é o atual nome à frente da Terracap, que tanto já fez pelo Distrito Federal, e em entrevista exclusiva à Voz de Brasília, o presidente afirmou que seu trabalho, e de sua equipe, segue focado em continuar esse legado. “Nós viemos para fazer engenharia, estamos fazendo e os resultados estão aí”, afirmou Santos, que ainda revelou as próximas frentes de trabalho 172

da Terracap em regiões do Distrito Federal. “A próxima grande regularização será em Arniqueiras, que já teve início no final de 2020, quando levamos a registro ao cartório a primeira ub [sic] e com isso vamos fazer o mesmo processo de Vicente Pires. Nós vamos regularizar o que existe lá e, num futuro próximo, fazer as obras de infraestrutura necessárias”. Segundo o presidente, essas obras de infraestrutura serão de, “drenagem, a capitação de águas de chuva, asfalto, meio fio, calçadas, e outros serviços agregados”.

Created from a law of December 12, 1972, Terracap is a public company of the Government of the Federal District, founded to manage public lands (whether in the field of sustainability, social, environmental or economic responsibility) and to promote business in the region, offering real estate developments in the DF. In 1997, it began to be known as the Development Agency of the Federal District, being officially responsible for implementing programs and projects to support the economic and social development of the Federal District, according to Decree nº 18.061 / 1997. Izidio Santos is the current name at the head of Terracap, which has already done so much for the Federal District, and in an exclusive interview with Voz de Brasília, the president stated that his work, and that of his team, remains focused on continuing this legacy. “We came to do engineering, we are doing it and the results are there,” said Santos, who also revealed Terracap’s next work fronts in regions of the Federal District. “The next major regularization will be in Arniqueiras, which started at the end of 2020, when we took the first ub [sic] to the registry and with that we will do the same process as Vicente Pires. We will regularize what is there and, in the near future, carry out the necessary infrastructure works ”. According to the president, these infrastructure works will consist of, “drainage, the capture of rainwater, asphalt, curbs, sidewalks, and other aggregate services”. To check out the full interview, on the official channel of Voz de Brasília, point the camera of your cell phone at the QR Code of this page,Located in Taguatinga Norte, the entrepreneur who seeks Simplifica PJ is able to have access to governmental and financial institutions, professional councils and to serve Micro and Small Companies in one place, which speeds up and reduces the bureaucracy in the process of opening companies in the city. . Roberto da Mata, who is the son of the capital, says he is passionate about Brasilia and that his work, in addition to being extremely technical, also has a lot of love involved, so that the city grows more and more, and summarizes the objectives of SEMP. “The secretariat, itself, has been struggling to foster job creation together with entrepreneurs, to make life easier for the entrepreneur and to open up for the qualification of entrepreneurs in the DF”, he says.

Assista a íntegra da entrevista em nosso canal oficial no Youtube www.youtube.com/vozdebrasíliatv


Mirella Ximenes comenta sua atuação a frente da Subsecretaria de Difusão e Diversidade Cultural do DF Em menos de um ano na pasta, os avanços já foram visíveis, afirma subsecretária

A

Subsecretaria de Difusão e Diversidade Cultural (SDDC) é um órgão vinculado à Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do DF criada com o objetivo de cuidar dos projetos culturais da cidade, que são realizados através de emendas parlamentares. Atualmente, a Subsecretaria é comandada por Mirella Ximenes, que tomou posse do cargo em 2020, em meio à pandemia de Covid-19. Mesmo com os problemas desencadeados pela crise sanitária, enfrentados não só pela pasta, como por toda sociedade, o objetivo de Mirella foi dar um meio de vida para todos os trabalhadores da cultura do Distrito Federal, através de ferramentas como termos de fomento, ações afirmativas, atividades educacionais e treinamento profissional. Segundo Mirella, o DF foi a região do país com melhor desempenho na área cultural durante a pandemia, e a explicação vem da pluralidade cultural da capital do Brasil. Para 2021, a subsecretária revela que o objetivo é cumprir os projetos do calendário fixo da Secretaria, como o aniversário da capital, e continuar no principal projeto desenvolvido no último ano: a atuação cultural nas regiões administrativas do DF. “Vamos solidificar isso. Estamos, inclusive, fazendo um levantamento dos gerentes culturais de todas as regiões administrativas do DF e vamos fomentar a cultura em absolutamente todas”, afirmou.

Created from a law of December 12, 1972, Terracap is a public company of the Government of the Federal District, founded to manage public lands (whether in the field of sustainability, social, environmental or economic responsibility) and to promote business in the region, offering real estate developments in the DF. In 1997, it began to be known as the Development Agency of the Federal District, being officially responsible for implementing programs and projects to support the economic and social development of the Federal District, according to Decree nº 18.061 / 1997. Izidio Santos is the current name at the head of Terracap, which has already done so much for the Federal District, and in an exclusive interview with Voz de Brasília, the president stated that his work, and that of his team, remains focused on continuing this legacy. “We came to do engineering, we are doing it and the results are there,” said Santos, who also revealed Terracap’s next work fronts in regions of the Federal District. “The next major regularization will be in Arniqueiras, which started at the end of 2020, when we took the first ub [sic] to the registry and with that we will do the same process as Vicente Pires. We will regularize what is there and, in the near future, carry out the necessary infrastructure works ”. According to the president, these infrastructure works will consist of, “drainage, the capture of rainwater, asphalt, curbs, sidewalks, and other aggregate services”. To check out the full interview, on the official channel of Voz de Brasília, point the camera of your cell phone at the QR Code of this page,Located in Taguatinga Norte, the entrepreneur who seeks Simplifica PJ is able to have access to governmental and financial institutions, professional councils and to serve Micro and Small Companies in one place, which speeds up and reduces the bureaucracy in the process of opening companies in the city. . Roberto da Mata, who is the son of the capital, says he is passionate about Brasilia and that his work, in addition to being extremely technical, also has a lot of love involved, so that the city grows more and more, and summarizes the objectives of SEMP. “The secretariat, itself, has been struggling to foster job creation together with entrepreneurs, to make life easier for the entrepreneur and to open up for the qualification of entrepreneurs in the DF”, he says.

Assista a íntegra da entrevista em nosso canal oficial no Youtube www.youtube.com/ vozdebrasíliatv

173


A cultura no Distrito Federal em 2020 Bartolomeu Rodrigues, Secretário de Cultura e Economia Criativa do DF, conversa com o Jornalista Paulo Fayad da Voz de Brasília

O

último ano foi um dos mais desafiadores para toda a sociedade, mas como a arte é um dos motores da vida, o setor cultural tentou se adaptar e buscar soluções para continuar cumprindo seu papel social e emocional para o país. E na capital do Brasil, a história não foi diferente. “Nós tivemos que nos reinventar, fazer a reinvenção da cultura”, revela Bartolomeu Rodrigues, secretário de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal, em um breve resumo de 2020. Um dos fenômenos culturais que surgiram durante o último ano foram as lives, com artistas e músicos apresentando seus trabalhos pela internet. Enxergando isso como uma das várias possibilidades, a pasta responsável pelo fomento da cultura no DF decidiu investir. Mas o trabalho não parou por aí, numa busca constante por soluções para os desafios impostos pela pandemia de Covid-19 “Nós tivemos aqui, dentro da secretaria, uma preocupação muito grande de buscar todas alternativas, todas as saídas legais e possíveis. Nós temos aqui, se não o maior, um dos maiores fundos de investimento em cultura”, afirma Bartolomeu. A pasta afirma ter ampliado o leque de atuação tentando simplificar os editais, fazendo com que o recurso disponível chegasse aos artistas e trabalhadores da indústria cultural que antes encontravam dificuldades de chegar até a verba. Além de comentar sobre o trabalho realizado em 2020, Bartolomeu Rodrigues também respondeu perguntas sobre o futuro da cultura no Distrito Federal e os próximos passos que a Secretaria trilhará para apoiar, cada vez mais, os artistas da capital.

The last year was one of the most challenging for the whole of society, but as art is one of the engines of life, the cultural sector tried to adapt and seek solutions to continue fulfilling its social and emotional role for the country. And in the capital of Brazil, the story was no different. “We had to reinvent ourselves, to reinvent culture,” reveals Bartolomeu Rodrigues, Secretary of Culture and Creative Economy of the Federal District, in a brief summary of 2020. One of the cultural phenomena that emerged during the last year was the lives, with artists and musicians presenting their work over the internet. Seeing this as one of several possibilities, the portfolio responsible for promoting culture in the DF decided to invest. But the work did not stop there, in a constant search for solutions to the challenges imposed by the pandemic of Covid-19 “We had a great concern here, within the secretariat, to seek all alternatives, all legal and possible solutions. We have here, if not the largest, one of the largest investment funds in culture ”, says Bartolomeu. The portfolio claims to have expanded the range of activities trying to simplify the notices, making the available resources reach artists and workers in the cultural industry who previously found it difficult to reach the funds. In addition to commenting on the work carried out in 2020, Bartolomeu Rodrigues also answered questions about the future of culture in the Federal District and the next steps that the Secretariat will take to support, more and more, the artists of the capital.

174

Assista a íntegra da entrevista em nosso canal oficial no Youtube www.youtube.com/vozdebrasíliatv


Renato Riella é jornalista, com mais de 40 anos de atuação. Em entrevista exclusiva ao jornalista Paulo Fayad, Riella conta como escolheu a capital pra trabalhar e fazer história. A resident of Brasília, since 1973, Riella as she is known, knows the Capital very well. He was editor-in-chief of the most famous newspaper in the capital, Correio Brasiliense and participated in various governmental administrations in the Federal District. He was secretary of government and worked with Former Governor Joaquim Roriz with whom he has a very special affection. Lots of luggage on the professional file. In addition to being a journalist, his academic background is architecture. He has already had more than one hundred jobs, done more than a thousand consultancies where he works as a political and business marketing consultant and more than two thousand events. It really isn’t for any mortal, all that baggage. Very optimistic, he believes in better days for Brasilia and Brazil even in the face of a global pandemic. He also believes that the Government of the Federal District and the Federal Government will make an excellent management. But, of everything he lived in Brasilia, he declares, “The six years I worked with the ex-governor Joaquim Roriz were really remarkable because the degree of greatness in those six years was wonderful”. Thus, Riella insists on extolling Roriz’s achievements and his work in front of the capital for four terms and the courage to do great works that marked the capital, such as the construction of the subway.

M

orador de Brasília, desde 1973, Riella como é conhecido, conhece muito bem a Capital. Foi chefe da redação do Jornal mais famoso da capital, Correio Brasiliense e participou de várias gestões do Governo do Distrito Federal. Foi secretário de governo e trabalhou com o Ex Governador Joaquim Roriz com quem guarda um carinho muito especial. Muita bagagem na ficha profissional. Além de jornalista, a sua formação acadêmica é arquitetura. Já teve mais de cem empregos , fez mais de mil consultorias onde atua como consultor de marketing político e empresarial e mais de dois mil eventos. Realmente, não é para qualquer mortal, toda essa bagagem. Muito otimista, acredita em dias melhores para Brasília e para o Brasil mesmo diante de uma pandemia mundial. Acredita também que o Governo do Distrito Federal e o Governo Federal farão uma excelente gestão. Mas, de tudo que viveu em Brasília, declara, “ marcante mesmo foi os seis anos que trabalhei com o ex-governador Joaquim Roriz porque o grau de grandeza nesses seis anos foi maravilhoso”. Assim, Riella faz questão de exaltar os feitos de Roriz e seu trabalho a frente da capital por quatro mandatos e a coragem de fazer grandes obras que marcaram a capital, como a construção do metrô. Assista a íntegra da entrevista em nosso canal oficial no Youtube www.youtube.com/vozdebrasíliatv


A defesa da mulher é uma luta constante

C

elina Leão (PP) é um desses nomes conhecidos da política candanga, com um currículo repleto de serviços prestados à Brasília no âmbito do funcionalismo público, que a faz ser uma das políticas mais conhecidas da cidade. Apesar de ser natural de Goiânia – GO, sua carreira no meio da política começou na capital do país, quando atuou como Secretária de Juventude de Brasília, e Assessora Especial de Gabinete, na Câmara Legislativa. Hoje, Celina já fala como uma verdadeira candanga, e destaca as belezas que a cidade possuí. “Eu não conheço ninguém que more em Brasília e não se apaixone pela nossa cidade. Um lugar que acolhe a todos os brasileiros que vêm pra cá, o centro da discussão de vários poderes”, afirma. Em 2011, a administradora por formação decidiu fazer seguir carreira política, disputando as eleições do ano anterior, onde foi eleita para seu primeiro mandado como deputada distrital do Distrito Federal. Por lá, Celina permaneceu por dois mandatos, chegando até a presidir a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), até que em 2018 foi eleita deputada federal pelo DF. Entre as principais pautas defendidas pela deputada na Câmara está a defesa dos direitos femininos, que Celina acredita ser uma luta diária, precisando de muito esforço para enfrentar o machismo ainda existente na sociedade. Em entrevista à Voz de Brasília, realizada antes da pandemia de COVID-19, Celina conta que até mesmo no mundo da política a mulher ainda sofre preconceito, citando episódios pessoais. “Eu tive que aprender a lidar com isso já desde o meu primeiro mandato. Com muita firmeza, muita postura, sempre se impondo, porque querendo ou não, a mulher ainda é vítima de muito preconceito. Eu brinco até que existe um termo muito novo chamado ‘violência política’, porque às vezes quando você quer falar de uma deputada, em vez de você falar da conduta profissional dela, ataca a vida particular dela”, explica. De acordo com a deputada, que é preside a Frente Parlamentar dos Direitos da Mulher, para que aconteçam mudanças realmente significativas, é preciso que a sociedade por inteiro discuta o assunto, para que haja uma mudança de mentalidade de todos. “É algo que precisa ser desenvolvido com mudança de pensamento. Não é só um assunto para as mulheres, como também para os homens, para a sociedade civil organizada, pelas igrejas”, finaliza. Atualmente, Celina Leão está à frente da Secretaria de Esporte e Lazer do Distrito Federal desde maio de 2020, quando se afastou de seu mandato como deputada federal para assumir a pasta a convite do Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. Assista a íntegra da entrevista em nosso canal oficial no Youtube www.youtube.com/vozdebrasíliatv 176

Foto: Paulo Fayad

Em entrevista à Voz de Brasília, Celina Leão revela que os direitos da mulher é uma de suas preocupações na Câmara dos Deputados

The defense of women is a constant struggle In an interview with Voz de Brasília, Celina Leão reveals that women’s rights is one of her concerns in the Chamber of Deputies The defense of women is a constant struggle In an interview with Voz de Brasília, Celina Leão reveals that women’s rights is one of her concerns in the Chamber of Deputies Celina Leão (PP) is one of those well-known names in candanga politics, with a curriculum full of services provided to Brasília in the scope of public service, which makes it one of the best known policies in the city. Despite being a native of Goiânia - GO, her career in the midst of politics began in the country’s capital, when she served as Youth Secretary of Brasília, and Special Adviser to the Cabinet, in the Legislative Chamber. Today, Celina already speaks like a real candanga, and highlights the beauties that the city has. “I don’t know anyone who lives in Brasília and doesn’t fall in love with our city. A place that welcomes all Brazilians who come here, the center of the discussion of various powers, ”he says. In 2011, the administrator by training decided to pursue a political career, disputing the elections of the previous year, where she was elected for her first term as district deputy of the Federal District. There, Celina remained for two terms, until she presided over the Legislative Chamber of the Federal District (CLDF), until in 2018 she was elected federal deputy by the DF. Among the main guidelines defended by the deputy in the Chamber is the defense of women’s rights, which Celina believes is a daily struggle, needing a lot of effort to face the machismo still existing in society. In an interview with Voz de Brasília, held before the COVID-19 pandemic, Celina says that even in the world of politics, women still suffer prejudice, citing personal episodes. “I had to learn to deal with this since my first term. Very firmly, a lot of posture, always imposing herself, because like it or not, women are still victims of a lot of prejudice. I joke until there is a very new term called ‘political violence’, because sometimes when you want to talk about a deputy, instead of you talking about her professional conduct, you attack her private life, ”he explains. According to the deputy, who chairs the Parliamentary Front for Women’s Rights, for really significant changes to happen, it is necessary that society as a whole discuss the matter, so that there is a change in the mentality of all. “It is something that needs to be developed with a change in thinking. It is not just a matter for women, but also for men, for organized civil society, for the churches ”, he concludes. Currently, Celina Leão has been in charge of the Sports and Leisure Department of the Federal District since May 2020, when she stepped down from her mandate as federal deputy to assume the portfolio at the invitation of the Governor of the Federal District, Ibaneis Rocha.


Lugar mais rápido para se tornar empresário é em Brasília Secretário de Empreendedorismo do Distrito Federal, Mauro Roberto da Mata, revela que cidade é uma das melhores no país para quem busca empreender palavra dos últimos anos – e de um futuro próximo – talvez seja empreendedorismo. Especialistas já afirmaram que o setor será fundamental para a retomada econômica do país no período póspandemia, e pensando nisso, em 2020 a Secretaria de Estado de Empreendedorismo (SEMP) foi criada no Distrito Federal. Além de dar apoio aos empresários da cidade, a pasta foi criada com o objetivo de incentivar, cada vez mais, aqueles que buscam se tornar seus próprios patrões, mas que ainda esbarram na burocracia. Para solucionar esses problemas, o decreto nº 41.015, do Governador Ibaneis Rocha, regularizando o Pró-DF II, além de criar o Desenvolve – DF, visando facilitar a vida dos empreendedores da cidade, com a facilitação na abertura de empresas em terrenos pertencentes à Terracap, e criar soluções para os que buscam regularizar suas situações. Segundo Mauro Roberto da Mata, Secretário de Empreendedorismo do DF, essa é uma forma de fazer a cidade crescer, “gerando empregos e renda”. Mesmo que a pasta tenha pouco tempo de existência, os frutos do trabalho desenvolvido já vêm sendo colhidos por todos envolvidos no setor. Em entrevista à Voz de Brasília, Roberto da Mata cita a Junta Comercial, Industrial e Serviços do Distrito Federal como grande exemplo desse avanço. “Nós estamos sendo espelho para todo o Brasil. Nossa junta comercial é a primeira colocada quando o assunto é a abertura de empresas no país”. De acordo com o secretário da pasta, em Brasília se leva um dia e uma hora para realizar todos os trâmites necessários para um empreendedor abrir seu negócio. Esse avanço, segundo o secretário, tem muito a ver com o Simplifica PJ, vinculado a pasta e que reúne 15 instituições de apoio às pessoas jurídicas. Localizado em Taguatinga Norte, o empreendedor que busca o Simplifica PJ consegue ter acesso a instituições governamentais, financeiras, conselhos profissionais e ter atendimento às Micro e Pequenas Empresas, em um só local, o que acelera e desburocratiza o processo de abertura de empresas na cidade. Roberto da Mata, que é filho da capital, se diz um apaixonado por Brasília e que o seu trabalho, além de extremamente técnico, também tem muito amor envolvido, para que a cidade cresça cada vez mais, e resume os objetivos da SEMP. “A secretaria, em si, vem lutando para fomentar a geração de emprego juntos aos empresários, para facilitar a vida do empresário e dar abertura para a qualificação do empresariado do DF”, afirma. Assista a íntegra da entrevista em nosso canal oficial no Youtube www.youtube.com/vozdebrasíliatv

Foto: GDF

A

Fastest place to become an entrepreneur is in Brasilia Entrepreneurship Secretary of the Federal District, Mauro Roberto da Mata, reveals that the city is one of the best in the country for those looking to undertake The word of recent years - and of the near future - perhaps it is entrepreneurship. Experts have already stated that the sector will be fundamental for the country’s economic recovery in the post-pandemic period, and considering this, in 2020 the State Secretariat for Entrepreneurship (SEMP) was created in the Federal District. In addition to providing support to the city’s businessmen, the portfolio was created with the aim of encouraging, more and more, those who seek to become their own bosses, but who still encounter bureaucracy. In order to solve these problems, decree 41.015, by Governor Ibaneis Rocha, regularizing Pró-DF II, in addition to creating Desenvolve - DF, aiming to facilitate the life of city entrepreneurs, by facilitating the opening of companies on land belonging to the Terracap, and create solutions for those who seek to regularize their situations. According to Mauro Roberto da Mata, Secretary of Entrepreneurship in the Federal District, this is a way of making the city grow, “generating jobs and income”. Even though the portfolio has been in existence for a short time, the fruits of the work developed have already been harvested by everyone involved in the sector. In an interview with Voz de Brasília, Roberto da Mata cites the Federal, Commercial and Industrial Board of the Federal District as a great example of this advance. “We are being a mirror for the whole of Brazil. Our commercial board is the first placed when it comes to the opening of companies in the country ”. According to the secretary of the portfolio, in Brasilia it takes a day and an hour to complete all the necessary steps for an entrepreneur to open his business. This advance, according to the secretary, has a lot to do with Simplifica PJ, linked to the portfolio and which brings together 15 institutions to support legal entities. Located in Taguatinga Norte, the entrepreneur who seeks Simplifica PJ is able to have access to governmental and financial institutions, professional councils and to

177


CARLOS AYRES BRITTO – O jurista poeta Em entrevista exclusiva à Voz de Brasília, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Ayres Britto, conta um pouco de sua história e traz um panorama sobre o atual cenário do país

J

Foto: Paulo Fayad

urista, advogado, professor, poeta e ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, o mais alto poder judiciário brasileiro. O currículo de Carlos Augusto Ayres de Freitas Britto é tão extenso quanto o seu riquíssimo acervo de citações e metáforas literárias. Nascido na pequena cidade à beira do Rio São Francisco, Propriá, no interior sergipano, Ayres Britto é uma daquelas figuras plurais de nosso país. Talvez Ayres Britto seja conhecido nacionalmente por seu trabalho no STF, porém, antes disso, o advogado passou por diversos cargos importantes, como o de Procurador-Geral de Justiça e Consultor-Geral do Estado de Sergipe. Além disso, lecionou direito em algumas das universidades mais importantes do país, como a Federal de Sergipe e a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Em 2003, seu conterrâneo e então presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva decidiu nomear Ayres Britto como ministro do Supremo Tribunal Federal, onde o advogado sempre se mostrou um grande humanista sendo relator de diversos processos com grande repercussão social, além de presidir a corte no ano de 2012. O ex-ministro cita que, a partir desse convite, chegou a Brasília de “mala e cuia, empolgado com a possibilidade de morar na capital que já o encantava antes, em visitas, quando ainda exercia outras funções no meio jurídico. Durante a entrevista, Ayres Britto não poupou elogios à cidade, que sempre o encantou por sua arquitetura e arborização, além do que alguns costumam chamar de “mar brasiliense”. “Se o céu de Brasília cobrasse pedágio às nuvens, elas pagariam de bom grado pela honra de elas pertencerem ao céu de Brasília”, afirma. Hoje, já aposentado do STF, Ayres Britto se dedica a seu escritório de advocacia localizado na cidade, e ainda é figura de destaque e autoridade no que diz respeito ao país. Com seu jeito particular de ser, ao ser questionado sobre as últimas polêmicas do país, a alma do jurista e do poeta se unem para buscar a solução de problemas em suas duas principais paixões: as leis e a arte. Falando sobre uma de suas primeiras paixões, a literatura, o ex-ministro acredita que os livros possuem um papel fundamental na formação social e política de um país, afinal, “a literatura abre os poros da nossa inteligência. Areja mentalmente cada um de nós. Facilita a articulação das idéias. Além de ser um prazer enorme, um deleite”. Já quando perguntado sobre a solução para a crise que o país enfrenta, o poeta é enfático ao dizer que o aquilo que muitos buscam está do nosso lado, no mais importante documento do país. “Quando me falam em crise, eu mentalmente falo: ‘Constituição nela!’. Por que nossa constituição tem resposta para tudo, ela é de muita qualidade”. CARLOS AYRES BRITTO - The jurist poet In an exclusive interview with Voz de Brasília, the former Minister of the Supreme Federal Court, Ayres Britto, tells a little about his history and gives an overview of the current scenario in the country Jurist, lawyer, professor, poet and ex-minister of the Supreme Federal Court, the highest Brazilian judiciary. Carlos Augusto Ayres de Freitas Britto’s curriculum is as extensive as his extremely rich collection of quotations and literary metaphors. Born in the small town on the banks of the São Francisco River, Propriá, in the interior of Sergipe, Ayres Britto is one of those plural figures of our country. Perhaps Ayres Britto is known nationally for his work at the STF, however, before that, the lawyer had several important positions, such as the Attorney General of Justice and Consultant General of the State of Sergipe. In addition, he taught law at some of the most important universities in the country, such as Federal de Sergipe and Pontifical Catholic University of São Paulo. In 2003, his countryman and then president of the republic, Luiz Inácio Lula da Silva decided to appoint Ayres Britto as minister of the Supreme Federal Court, where the lawyer has always shown himself to be a great humanist, reporting on several cases with great social repercussions, in addition to presiding over the case. cut in the year 2012. The ex-minister mentions that, as a result of this invitation, he arrived in Brasilia with a “suitcase and cuia, excited about the possibility of living in the capital that had already enchanted him before, on visits, when he still performed other functions in the legal field. During the interview, Ayres Britto did not spare praise for the city, which has always enchanted him for its architecture and afforestation, in addition to what some people usually call the “brasiliense sea”. “If the sky in Brasilia took a toll on the clouds, they would gladly pay for the honor of belonging to the sky in Brasilia,” he says. Today, already retired from the STF, Ayres Britto dedicates himself to his law firm located in the city, and is still a prominent figure and authority with regard to the country. With their particular way of being, when asked about the latest controversies in the country, the soul of the lawyer and the poet unite to seek the solution of problems in their two main passions: laws and art.

178

Assista a íntegra da entrevista em nosso canal oficial no Youtube www.youtube.com/vozdebrasíliatv


Brasília Empreendedora

Cuidar da água é cuidar da vida

179


Óticas Brasiliense tem mais de 30 anos de mercado Lojas possuem laboratórios com a tecnologia mais avançada de Brasília

C

arlos Alberto é fundador das Óticas Brasiliense, uma das mais antigas da capital e o laboratório de lentes com tecnologia mais avançada do DF. Há 30 anos no mercado, Carlos Alberto construiu um legado baseado no empreendedorismo, coragem e determinação. Confira a entrevista concedida à Editora Voz de Brasília: – Como foi sua chegada em Brasília? Sou baiano, cheguei em Brasília há

Voz de Brasília Carlos Alberto -

50 anos. Vim com meus pais. Morava em Taguatinga, morei lá os 40 primeiros anos. Tenho família, amigos e netos aqui em Brasília. – Como foi a entrada para o ramo das óticas? Eu iniciei uma sociedade com meu irmão, achamos um ramo bom. Nos especializamos e hoje temos as mais variadas lentes e tecnologias de laboratórios. Graças a Deus.

Voz de Brasília Carlos Alberto

Voz de Brasília – Você planejou sua sucessão nos negócios? Carlos Alberto - Tenho

três filhos que estão comigo nas lojas, estamos firmes. Hoje ninguém tem mais sucessores, mas eles me acompanham.

Voz de Brasília

– Como você se sente ao participar do anuário? - Foi um prazer muito grande participar do anuário, pois

Carlos Alberto

Óticas Brasiliense has over 30 years in the market Stores have laboratories with the most advanced technology of Brasilia Carlos Alberto is founder of Óticas Brasiliense, one of the oldest in the capital and the most advanced technology lens laboratory in DF. In the market for 30 years, Carlos Alberto built a legacy based on entrepreneurship, courage and determination. Check out the interview with Editora Voz de Brasília: Brasilia Voice - How was your arrival in Brasilia? Carlos Alberto - I’m from Bahia, I arrived in Brasilia 50 years ago. I came with my parents. I lived in Taguatinga, I lived there for the first 40 years. I have family, friends and grandchildren here in Brasilia. Brasilia Voice - How was the entrance to the optics business? Carlos Alberto - I started a partnership with my brother, we found a good branch. We specialize and today we have the most varied lenses and laboratory technologies. Thank God. Brasilia Voice - Did you plan your business succession? Carlos Alberto - I have three children who are with me in the stores, we are firm. Nobody has successors anymore, but they come with me. Voice of Brasilia - How do you feel about participating in the yearbook? Carlos Alberto - It was a great pleasure to participate in the yearbook, because he speaks in full the history of Brasilia. An excellent work of the Group. Voice of Brasilia - What is Brasilia special to you? Carlos Alberto - Brasilia has always been the sky city, sun city. Very large expectation of opportunities. A totally independent city of intelligent people who seek quality. Foto: Paulo Fayad

180

ele fala na íntegra a história de Brasília. Um excelente trabalho do Grupo. – O que Brasília tem de especial para você? - Brasília sempre foi a cidade céu, cidade sol. Expectativa muito grande de oportunidades. Cidade totalmente independente, de pessoas inteligentes, que buscam qualidade.

Voz de Brasília Carlos Alberto


O

Patrícia Calmon, a herdeira da Pastelaria Viçosa A Viçosa faz parte da história de Brasília há 60 anos

jornalista Paulo Fayad, conversou com Patrícia Calmon a proprietária da pastelaria Viçosa, a mais antiga e famosa da capital. Confira: – A Viçosa tem uma história de sucesso em Brasília. Como é manter uma empresa viva por mais de 60 anos? – E acredito que o segredo disso tudo é a base e a estrutura que meu pai montou na época. Aqui nós temos funcionários de mais de 40 anos, então esse know-how, essa expertise foi passando de uma geração para outro. – Onde começou a pastelaria Viçosa?

Voz de Brasília

Patrícia Calmon Voz de Brasília

Patrícia Calmon

– Começou na Rodoviária do Plano Piloto na década de 1960, bem no início com meu pai. – A uns anos atrás depois de festas e bailes da cidade, o point era ir à pastelaria Viçosa. A Viçosa ainda faz pastel com caldo de cana? – Claro, é o carro chefe. A história dela gira em torno do pastel, alguns brincam até que é a comida típica de Brasília. A cidade e a Viçosa eu acredito que cresceram juntas. A história de sair da balada e ir para a rodoviária comer acontecia muito. Na época não tinha loja de conveniência, não tinha essa facilidade de achar locais para comer tarde da noite, então as pessoas realmente iam pra Viçosa e ficou a nostalgia. – A Viçosa começou com seu pai. Conte um pouco dessa história.

Voz de Brasília

Patrícia Calmon

Voz de Brasília

Patrícia Calmon – Os meus pais

iriam sair de lua de mel e na época os ônibus interestaduais estavam ali na rodoviária, e eles perderam o ônibus. Eles ficaram por lá esperando o próximo e o seu Eugênio Apolônio passou vendendo pastéis em uma cesta e eles resolveram experimentar. Ele gostou muito e falou que eles poderiam melhorar ainda mais, e que quando voltasse da lua de mel poderiam fazer o negócio. E assim eles fizeram. Conseguiram as concessões e desenvolveram um produto melhorado. Com o tempo o seu Eugenio resolveu vender a parte dele e meu pai comprou. – Como funciona se uma escola, ou clube ou até mesmo um evento quiser contratar a Viçosa? – Nós temos a área de eventos na empresa é só ligar na empresa e pedir para falar nesse setor. Neste contato nós procuramos saber o tamanho do evento para dar uma resposta satisfatória para esses clientes.

Voz de Brasília

Patrícia Calmon

Patricia Calmon, the heiress of Pastry Viçosa Viçosa has been part of Brasilia’s history for 60 years The journalist Paulo Fayad, talked with Patrícia Calmon the owner of the pastry shop Viçosa, the oldest and most famous in the capital. Check out: Brasilia Voice - Viçosa has a success story in Brasilia. What is it like to keep a company alive for over 60 years? Patricia Calmon - And I believe the secret of all this is the basis and structure that my father set up at the time. Here we have employees from over 40 years, so this know-how, this expertise has been passed from one generation to another. Brasilia Voice - Where did the Viçosa Pastry Start? Patrícia Calmon - It started at Plano Piloto Bus Station in the 1960s, right at the beginning with my father. Brasilia Voice - A few years ago after parties and dances in the city, the point was to go to the Viçosa pastry shop. Does Viçosa still make pastel with sugarcane juice? Patricia Calmon - Of course, it’s the flagship. Her story revolves around the pastel, some joke until it is the typical food of Brasilia. The city and Viçosa I believe grew up together. The story of getting out of the club and going to the bus station to eat happened a lot. At the time there was no convenience store, there was no facility to find places to eat late at night, so people really went to Viçosa and was nostalgia. Voice of Brasilia - Viçosa started with its father. Tell a little of this story. Patricia Calmon - My parents were going out on a honeymoon and at the time the interstate buses were there at the bus station, and they missed the bus. They stood there waiting for the next one and their Eugenius Apollonius passed selling crayons in a basket and they decided to try it. He liked it a lot and said they could make it even better, and that when they got back from their honeymoon they could do business. And so they did. They got the concessions and developed an improved product. In time his Eugenio decided to sell his part and my father bought it. Brasilia Voice - How does it work if a school, club or even an event wants to hire Viçosa? Patrícia Calmon - We have the events area in the company just call the company and ask to speak in this sector. In this contact we seek to know the size of the event to give a satisfactory response to these clients.

181


Entrevista com o empresário Wesley Moura, proprietário da empresa Evolução Contábil

V

A Evolução Contábil é uma das maiores empresas de contabilidade da capital

oz de Brasília – Você é um filho de

Brasília e teve uma grande caminhada até chegar na posição atual. Como foi sua trajetória? – Nasci e fui criado aqui em Brasília. Eu comecei morando no Guará, onde vendi jornal nas ruas. Isso foi muito gratificante na minha vida, um aprendizado para cada vez eu crescer mais. Trabalhei como office boy no escritório de contabilidade, não apenas no escritório da gestão do meu pai.

Wesley Moura

Voz de Brasília

– Seu pai te ensinou primeiro a caminhar para depois assumir a responsabilidade? – Com certeza, e meu pai também começou muito de baixo. Ele foi pintor, cobrador de ônibus. Então até ele ser um empresário, até ele adquirir um escritório de contabilidade, até ele se formar em contabilidade, ele veio subindo uma escada. Ele passou essa escadinha para a gente seguir esses degraus, porque nada é fácil. – Você foi assumindo a liderança do escritório aos poucos. Como você se aperfeiçoou até chegar à direção do escritório. – Eu comecei como office boy e depois passei a ser encarregado do departamento fiscal. Fui pegando experiência e fazendo alguns cursos. Sempre gostei de fazer vários cursos, até para ir domando várias áreas. Do departamento fiscal eu fui para o contábil, e eu fui assumindo as outras áreas do escritório. Isso decorreu um certo tempo, eu tenho minha carteira assinada

Wesley Moura

Voz de Brasília

Foto: Paulo Fayad

Wesley Moura

182

desde os 12 anos de idade. Então desde os 12 anos eu comecei a seguir essa trilha, hoje estou com 37 anos, no mesmo ramo e no mesmo caminho. Foi assim que conseguimos ser uma liderança dentro de Brasília, hoje trabalhamos com mais de 300 empresas dentro do Distrito Federal. – Você está a frente de vários projetos sociais. Comente sobre eles. – Independente da política eu sempre gostei desse trabalho social. Doação de sopas em hospitais, igrejas. A gente também apoia ao esporte. Eu acho isso fundamental, porque o esporte resgata os jovens. Ele tira os jovens da criminalidade, tira da rua e para mim é importante hoje a gente estar investindo no esporte. – Estamos fazendo uma proposta cultural para os 60 anos de Brasília. Qual a importância desse projeto? – São 60 anos de Brasília e a Evolução Contábil vai estar presente nesse projeto para dar um prêmio para os vencedores.

Interview with businessman Wesley Moura, owner of Evolution Accounting Accounting Evolution is one of the largest companies capital accounting Brasilia Voice - You are a son of Brasilia and had a great walk until you reached your current position. How was your career? Wesley Moura - I was born and raised here in Brasilia. I started living in Guará, where I sold newspapers in the streets. This was very rewarding in my life, a learning for each time I grow bigger. I worked as an office boy in the accounting office, not just in my father’s management office. Brasilia Voice - Did your father first teach you how to walk and then take responsibility? Wesley Moura - Absolutely, and my father also started very low. He was a painter, a bus collector. So until he was a businessman, until he acquired an accounting office, until he graduated from accounting, he came up a ladder. He passed this step for us to follow these steps, because nothing is easy. Brasilia Voice - You gradually took over the leadership of the office. How you perfected yourself until you reached the office management.

Voz de Brasília Wesley Moura

Voz de Brasília

Wesley Moura

Wesley Moura - I started as an office boy and then I was in charge of the tax department. I was getting experience and taking some courses. I always liked to take several courses, even to go taming various areas. From the tax department I went to the accounting department, and I took over the other areas of the office. It has been a while since I have my wallet signed since I was 12 years old. So since I was 12 years old I started to follow this trail, today I am 37 years old, in the same branch and in the same way. This is how we managed to be a leader within Brasilia, today we work with over 300 companies within the Federal District. Voice of Brasilia - You are at the forefront of various social projects. Comment on them. Wesley Moura - Regardless of politics I always liked this social work. Donation of soups in hospitals, churches. We also support the sport. I think this is fundamental because sport rescues young people. It takes young people out of crime, takes them off the street and for me it is important today that we are investing in sports. Brasilia Voice - We are making a cultural proposal for Brasilia’s 60th anniversary. How important is this project? Wesley Moura - 60 years of Brasilia and Accounting Evolution will be present in this project to give a prize to the winners.


V

Entrevista com Cléa Nunes proprietária da empresa “Minha Cadeira” oz de Brasília – Você é baiana de Euclides da Cunha. Como chegou em Brasília?

Cléa Nunes – Na realidade eu fui gerada em Brasília. Minha mãe engravidou aqui em Brasília, no Gama, e quando chegou na gestação, no nono mês ela foi pra Bahia. Então eu fui gerada em Brasília, mas nasci em Euclides da Cunha e lá fiquei até meus 23 anos. Em 1999 eu já tinha me casado, e por conta de situações de mercado a gente optou vim pra Brasília. Minha mãe já estava morando aqui. Ela veio em 1976 e não ficou, mas em 96 ela veio e acabou firmando aqui em Brasília. A loja da Cléa chama Minha Cadeira. Por que você escolheu esse nome para seu empreendimento? – Eu queria montar uma empresa que tivesse algo especial. Algo que personalizasse para o cliente de forma mais fácil. Eu imaginei que uma cadeira é algo tão importante, mas é importante quando ela é considerada minha cadeira. Então eu vou abrir a “Minha Cadeira”. Então cada um tem sua própria cadeira personalizada? - Basicamente sim. Porque cadeira é igual sapato. Cadeira precisa estar ajustada ao biótipo do usuário. Então na hora de escolher uma boa cadeira. O que seria uma boa cadeira? Uma boa cadeira é aquela que lhe deixa confortável, a que te proporciona um bem-estar maior, que te proporciona uma maior produtividade. Então o personalizado seria: precisar comprar uma cadeira que apoie minha região lombar, que me deixe confortável, que tenha ajustes para me deixar mais produtiva. A técnica de construir uma cadeira não parece ser fácil como muitos pensam. É verdade que precisa de uma série de profissionais? Precisa de vários profissionais de vários ramos. Na realidade até o ergonomista, uma peça fundamental. No Brasil eles pegam um biótipo mediano do brasileiro e acaba fazendo vários tipos de cadeira, vários moldes. O que diferencia é saber escolher o produto adequado. O usuário final acaba que não sabe escolher e termina optando pela aparência e não pelo conforto. Esteticamente as cadeiras são muito boas, muito bonitas, mas usando que a gente vai conseguir identificar se vai ser confortável ou não.

Voz de Brasília – Cléa Nunes Voz de Brasília Cléa Nunes

Interview with Cléa Nunes, owner of the company “Minha Cadeira” Brasilia voice - you Bahia Euclides da Cunha. How did you get to Brasilia? Cléa Nunes - Actually I was raised in Brasilia. My mother got pregnant here in Brasilia, Gama, and when he arrived in pregnancy, in the ninth month she went to Bahia. So I brought in Brasilia, but I was born in Euclides da Cunha and stayed there until I was 23 years old. In 1999 I had already married, and because of market conditions we chose came to Brasilia. My mother was already living here. She came in 1976 and was not, but at 96 she came and ended up signing here in Brasilia. Brasilia voice - The Clea store called My Chair. Why did you choose this name for your venture? Clea Nunes - I wanted to set up a company that had something special. Something that would customize for the customer more easily. I imagined that a chair is so important, but it is important when it is considered my chair. Then I will open My Chair.

Brasilia Voice - So each has their own custom chair? Cléa Nunes - Basically yes. Because chair is like a shoe. Chair must be adjusted to the user’s biotype. So when it comes to choosing a good chair. What would be a good chair? A good chair is one that makes you comfortable, which gives you a greater well-being, which gives you greater productivity. So the custom would be: need to buy a chair to support my lower back, which let me comfortable, that has adjustments to make me more productive. Brasília The voice technique to build a chair does not seem to be easy as many think. Is it true that you need a lot of professionals? Clea Nunes- Need several professionals from various branches. In fact even the ergonomist, a key piece. In Brazil they take an average of the Brazilian biotype and end up doing various types of chair, various molds. What differentiates is knowing how to choose the right product. The end user just knows not choose and ends opting for appearance and not for comfort. Aesthetically the chairs are very good, very beautiful, but using that we will be able to identify whether it will be comfortable or not.

Foto: Cléa Nunes

Voz de BrasíliaCléa Nunes-

183


Gil Campos, CEO da empresa Forma Office

E

m 2008, Gil Campos junto com Gilberto Schoffen fundaram a Forma Office, com o objetivo de vender mobiliário de escritório. Já nos primeiros anos a empresa passou a fornecer mobiliário para Órgãos Públicos e empresas privadas de todo o país. - Você possui uma trajetória de sucesso na capital. Como você veio para Brasília? – Eu costumo dizer que sou um pouquinho de Brasília, porque nasci em um a cidade aqui perto. Sou de Unaí, Minas Gerais, que a gente fala que é um bairro de Brasília. Todo mundo que nasceu em Unaí tem alguma ligação com Brasília, estamos muito próximos, a apenas 150km. Os meus avôs moravam aqui, então vínhamos visitar. Lembro até hoje onde moravam, era na QND 36 de Taguatinga. Então desde criança nós frequentávamos bastante Brasília. Nessa época quando eu vinha passear aqui, eu devia ter uns cinco anos. – Você vinha a passeio, mas como foi criando raízes em Brasília? Quando seus pais se mudaram para capital? – Na verdade meus pais não se mudaram pra Brasília. Eu me casei muito cedo e fui embora para uma cidade chamada Rio Claro, que fica no interior de São Paulo. Acabou que minha família foi para lá junto comigo, minha mãe e meus irmãos. Meus pais se divorciaram e meu pai ficou em Unaí. Em eu entrava no shopping com sol e saia estava 1996, meu ex-marido foi morar em Brasília, chovendo. Isso me fazia uma grande falta, e e comprou um hotel no centro da Ceilândia e a gente não pode trabalhar só por causa de por isso viemos viver aqui. Trabalhamos juntos, dinheiro. Então sai, fiquei desempregada, mas depois do divórcio eu achei que precisava com dois filhos. Eu achei emprego em uma trabalhar sozinha e fui distribuir meu currículo loja de recursos humanos chamada Realize no Park Shopping. Eles estavam inaugurando Funcional, lá vendia móveis coorporativos uma loja chamada Sacada, é uma rede do Rio e eu fui trabalhar lá de vendedora. Comecei de Janeiro. Fui selecionada e comecei a trabalhar a achar interessante, mas achava muita coisa como vendedora. Trabalhei lá por um ano. junta e misturada. Eu acreditava que as – Por que você pessoas deveriam entender o que era aquilo, saiu do Park Shopping e qual foi seu destino então comecei a estudar móveis. Comecei depois de lá? a ler, a buscar certificados, comecei a – Eu saí do shopping personalizar. Passei por outras lojas e em uma porque eu ficava muito tempo. Eles queriam delas, a Linear Móveis, eu conheci o Gilberto que eu gerenciasse as lojas, mas eu neguei. Eu Schoffen que fundou comigo a Forma Office, sou uma pessoa que precisa ver o dia. Às vezes e hoje ela já tem 11 anos.

Voz de Brasília Gil Campos Voz de Brasília Gil Campos

Voz de Brasília

Foto: Divulgação

Gil Campos

184

Meet Gil Campos, CEO of Forma Office In 2008, Gil Campos and Gilberto Schoffen founded a Forma Office, with the objective of selling office furniture. Already in the early years when a company began to provide equipment for public agencies and private companies throughout the country. Voice of Brasilia - You have a successful track record in the capital. How did you come to Brasilia? Gil Campos - I say I’m a little bit of Brasilia, because I was born in a city near here. I am from Unaí, Minas Gerais, which speaks people who are a neighborhood of Brasilia. Everyone who was born in Unai has some connection with Brasilia, we are very close, only 150 km. My grandparents lived here, so we came to visit. I still remember where we live, it was in QND 36 of Taguatinga. So since we were a child we frequented Brasilia a lot. At that time, when I came to pass here, I deviated five years. Brasilia Voice - You were walking, but how was your roots in Brasilia? When did your parents move to the capital? Gil Campos - Actually my parents didn’t move to Brasilia. I got married very early and left for a city called Rio Claro, which is in the interior of São Paulo. It turned out that my family went there with me, my

mother and my brothers. My parents divorced and my father stayed in Unai. In 1996, my ex-husband went to live in Brasilia and bought a hotel in downtown Ceilândia so we came to live here. We worked together, but after the divorce, I thought I needed to work alone and went to distribute my resume at Park Shopping. They were opening a store called Sacada, a chain in Rio de Janeiro. Select and start working as a seller. I worked there for a year. Brasilia Voice - Why did you leave Park Shopping and what was your destination after there? Gil Campos - I go shopping because it’s a long time. They want me to run the stores, but I denied it. I am a person who needs to see the day. Sometimes I walked into the mall with sunshine and skirt was raining. This has been a great fault for me, and a people cannot work just because of money. So I left, I was unemployed, with two children. Realize Functional, there sold corporate furniture and went to work there as a saleswoman. Start to find it interesting, but find a lot together and mixed. I believe people understand what it was, so they start studying furniture. Start reading, looking for certificates, I started to customize. Go through other stores and one of them, Linear Móveis, I know Gilberto Schoffen who founded with me in Forma Office, and today she is 11


Janete Vaz é uma das fundadoras do Grupo Sabin Nascida em Anápolis, ela vive em Brasília há 40 anos e relembra sua trajetória de sucesso

goiana Janete Vaz é uma das fundadoras do Grupo Sabin, rede de 235 laboratórios de saúde, espalhados por mais de 46 cidades brasileiras. Aos 23 anos ela se formou em bioquímica, na Universidade Federal do Goiás e se mudou para Brasília. Em 2013, lançou o grupo Mulheres do Brasil, em parceria com as amigas Luiza Helena Trajano, Sônia Ress e Chieko Aoki. O objetivo é construir um país com um mercado de trabalho melhor para as mulheres. Em um bate-papo com o Grupo Voz de Brasília, Janete Vaz falou sobre sua trajetória profissional. – Conte um pouco sobre a história do Sabin. – São 35 anos de história, o Sabin começou

Voz de Brasília Janete Vaz

em 1984. Eu cheguei em Brasília recém-formada, com um filho de sete meses. Eu vim de Anápolis, e já queria ser empreendedora, eu queria ter meu próprio negócio. Fui trabalhar em um laboratório onde a Sandra estava e comecei a formatar isso. Buscando sócios, convidei a Sandra e mais outros dois colegas, até o dia que ela aceitou. Nós duas começamos com três colaboradores. Começamos fazendo tudo no edifício de clínicas. Um período onde Brasília também estava começando. Costumo dizer que Brasília é uma cidade muito generosa, ela recebeu todos nós e a gente tem essa dívida. Começamos com três colaboradores e hoje já são 5200. – Janete Vaz fala sobre seus 40 anos em Brasília.

Voz de Brasília

Foto: Paulo Fayad

A

Janete Vaz – Quando

nós chegamos aqui, Brasília era uma criança. Era uma cidade que no domingo ficava vazia. Todo mundo voltava para sua terra, para sua cidade. Chegamos aqui em 1980 com o diploma, com um sonho e com muita vontade de vencer. Assim como Brasília estava começando, o que nós sentíamos é que tinha um alinhamento entre o que Brasilia estava promovendo e aquilo que nós queríamos. Eu sabia que aqui eu teria muito mais condições que se eu ficasse em Anápolis. Eu morei na 302 Norte, depois na Octogonal. Em relação a outras capitais do país, Brasília continua sendo a cidade da esperança, da segurança, mas a gente sabe que o mundo mudou, a tecnologia mudou e todo mundo mudou seus hábitos. Hoje nós temos um modo de viver bem diferente do que era antigamente.

Voz de Brasília –

Janete Vaz deixa uma mensagem para os jovens empreendedores. – Eu diria para confiar bastante em si mesmo, que você tenha um sonho, tenha um propósito. O que faz você chegar onde você quer é focar em um propósito. A partir daí você vai buscar adquirir conhecimento. Você vai buscar os caminhos para trilhar. O outro é você ter esperança e otimismo. Por mais difícil que seja o processo que você esteja passando, precisa ter muito entusiasmo e entender que cada dificuldade é uma oportunidade de conhecimento. – Qual o legado do Sabin? – Valorizar as pessoas. Entender que as pessoas são extremamente importantes em qualquer tipo de negócio.

Janete Vaz

Voz de Brasília Janete Vaz

Janete Vaz is one of the founders of Sabin Group Born in Anapolis, she has lived in Brasilia for 40 years and recalls her successful career Goiana Janete Vaz is one of the founders of Sabin Group, a network of 235 health laboratories, spread over 46 Brazilian cities. At 23 she graduated in biochemistry at the Federal University of Goiás and moved to Brasília. In 2013, she launched the group Women of Brazil, in partnership with friends Luiza Helena Trajano, Sônia Ress and Chieko Aoki. The goal is to build a country with a better labor market for women. In a chat with the Voice Group of Brasilia, Janete Vaz talked about her professional career. Brasilia Voice - Tell us a little about Sabin’s history. Janete Vaz - It’s 35 years of history, Sabin started in 1984. I arrived in Brasilia recently, with a son of seven months. I came from Anapolis, and already wanted to be an entrepreneur, I wanted to have my own business. I went to work in a lab where Sandra was and started formatting it. Seeking partners, I invited Sandra and two other colleagues until the day she accepted. We both started with three contributors. We started by doing everything in the clinic building. A period where Brasilia was also beginning. I often say that Brasilia is a very generous city, it received us all and we have this debt. We started with three employees and today there are 5200. Brasilia Voice - Janete Vaz talks about her 40 years in Brasilia. Janete Vaz - When we arrived here, Brasilia was a child. It was a city that was empty on Sunday. Everyone went back to their land, to their city. We arrived here in 1980 with the diploma, with a dream and eager to win. Just as Brasilia was starting, what we felt was that there was an alignment between what Brasilia was promoting and what we wanted. I knew that here I would be much better off than if I stayed in Anapolis. I lived at 302 North, then Octagonal. In relation to other capitals of the country, Brasilia remains the city of hope, of security, but we know that the world has changed, technology has changed and everyone has changed their habits. Today we have a very different way of life than it used to be. Brasilia Voice - Janete Vaz leaves a message for young entrepreneurs. Janete Vaz - I would say to trust yourself a lot, that you have a dream, have a purpose. What gets you where you want is to focus on one purpose. From there you will seek to acquire knowledge. You will find the ways to go. The other is you have hope and optimism. However difficult the process you are going through, you need to be very enthusiastic and understand that every difficulty is an opportunity for knowledge. Brasilia Voice - What is Sabin’s Legacy? Janete Vaz - Valuing people. Understand that people are extremely important in any type of business.

185


Sandra Costa fala sobre sua carreira e empreendedorismo

A

Moradora de Brasília há 40 anos ela é sócia-fundadora do Grupo Sabin

mineira Sandra Costa é uma das fundadoras do Grupo Sabin, rede de 235 laboratórios de saúde, espalhados por mais de 46 cidades brasileiras. Formada em farmácia e bioquímica, Sandra é especialista em análises clínicas, controle de qualidade de medicamentos e análise de alimentos, pela Universidade federal de Minas Gerais. Além de ser Presidente do Conselho e Grupo Sabin, Costa é presidente do Conselho Empresarial de HIV/AIDS do Distrito Federal. Em um bate-papo com o Grupo Voz de Brasília, Sandra Costa falou sobre sua trajetória profissional. – Fale um pouco sobre quem é Sandra Costa. – Eu nasci em Minas Gerais e mudei com minha família para Belo Horizonte ainda adolescente. Eu trago algumas convicções que me acompanham até hoje. Eu sei da importância da educação e do valor do trabalho. Isso é uma coisa que

Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília Sandra Costa

186

sempre me acompanhou e acompanha até hoje. Eu acredito na importância da gentileza e da humildade, como sinais de aprendizado, de respeito e nunca de subserviência. Trago comigo das mulheres fortes da minha família, principalmente a minha mãe, que é minha referência. Ela era uma costureira lá de Minas Gerais, a tenho como inspiração inclusive no empreendedorismo. – Como surgiu o Sabin? – Sonhos só fazem sentido se tiver muito trabalho e conhecimento. Eu sempre tive muita paixão por aprender. Me formei na Universidade de Minas Gerais e mudei pra Brasília em 1979. Cheguei recém-formada, recém-casada e com meu primeiro filho com 6 meses de vida. Chegamos aqui em Brasília, uma cidade cheia de oportunidades, principalmente na área de saúde. Comecei a trabalhar em um laboratório, que era o terceiro maior de Brasília. Ali eu tive muitas oportunidades de crescer profissionalmente. Um ano depois a Janete Vaz chegou e tínhamos muitas coisas em comum. Ela dizia que estava ali, mas queria era montar um laboratório. O tempo passou e em 1984 eu perguntei para ela se a ideia de montar um laboratório ainda estava de pé. E foi assim que tudo começou. Naquela época o Brasil estava

Voz de Brasília Sandra Costa

passando por um momento de crise. Começamos com três colaboradores, eu falo que o Sabin nasceu do coração e da mente de duas mulheres dispostas a promover a saúde. – Como foi o crescimento do Sabin? – O Sabin cresceu impulsionada por dois aceleradores: o técnico e o científico. A gente sempre buscou essa qualidade participando de todos os congressos médicos. Buscando o melhor não somente no Brasil, mas também lá fora. Mesmo em situações que já estão boas, a gente sempre acha que pode melhorar. Isso nos fez dar saltos de inovação e ser reconhecida pela comunidade médica. Os médicos são os grandes influenciadores do nosso negócio. Nós somos o maior laboratório de capital privado com duas acionistas. Isso dá para a gente liberdade, agilidade, velocidade nas decisões e autonomia para a gente trazer novas tecnologias. As decisões aqui são rápidas. Hoje estamos em 11 estados e no Distrito Federal. – Quais são os três passos para o sucesso? – Coragem, autoconfiança e obstinação. São ingredientes básicos que estão na frente de qualquer empreendedor.

Voz de Brasília Sandra Costa

Voz de Brasília Sandra Costa

Sandra Costa talks about her career and entrepreneurship She has lived in Brasilia for 40 years and is a founding partner of the Sabin Group. The mining company Sandra Costa is one of the founders of Sabin Group, a network of 235 health laboratories, spread over 46 Brazilian cities. Graduated in pharmacy and biochemistry, Sandra specializes in clinical analysis, drug quality control and food analysis from the Federal University of Minas Gerais. In addition to being Chairman of the Sabin Board and Group, Costa is chairman of the Federal District HIV / AIDS Business Council. In a chat with the Voice Group of Brasilia, Sandra Costa talked about her professional career. Brasilia Voice - Tell us a little about who Sandra Costa is. Sandra Costa - I was born in Minas Gerais and moved with my family to Belo Horizonte as a teenager. I bring some convictions that accompany me to this day. I know the importance of education and the value of work. This is something that has always accompanied me and accompanies to this day. I believe in the importance of kindness and humility as signs of learning, respect and never subservience. I bring with me from the strong women in my family, especially my mother, who is my reference. She was a seamstress from Minas Gerais, I have her inspiration even in entrepreneurship. Brasilia Voice - How did Sabin come about? Sandra Costa - Dreams only make sense if you have a lot of work and knowledge. I always had a lot of passion for learning. I graduated from the University of Minas Gerais and moved to Brasília in 1979. I arrived recently graduated, newly married and with my first child at 6 months of age. We arrived here in Brasilia, a city full of opportunities, especially in healthcare. I started working in a laboratory, which was the third largest in Brasilia. There I had many opportunities to grow professionally. A year later Janet Vaz arrived and we had a lot in common. She said she was there, but she wanted to set up a lab. Time passed and in 1984 I asked her if the idea of ​​setting up a lab was still up. And that’s how it all began. At that time Brazil was going through a moment of crisis. We started with three collaborators, I say Sabin was born from the heart and mind of two women willing to promote health.


Feliz Aniversário

Brasília

Grupo

SIA Tr. 17 (61)3234-1021 SIA Tr. 3/4 (61)3234-2921

SOF Sul (61)3234-3317 Guará II (61)3382-3611

Taguatinga (61)3356-1616

Brasília - DF 187


Alexandre Garcia relembra histórias de Brasília

A

Com mais de 50 anos de carreira, o jornalista é um dos embaixadores do turismo brasileiro

lexandre Eggers Garcia, 78 anos, é um dos principais jornalistas do país. Nascido em Cachoeira do Sul, Rio Grande do Sul, ele atuou nos principais jornais do país. Recentemente saiu da Rede Globo e passou a trabalhar de forma independente, escrevendo para vários veículos e participando de mais de 311 programas de rádio. Em um bate-papo com o Grupo Voz de Brasília, Alexandre Garcia falou sobre sua trajetória profissional e contou histórias marcantes sobre Brasília. – Essa semana se comemora o aniversário do Memorial JK e Juscelino faria 117 anos neste mês de setembro. Conhece alguma história marcante sobre esses momentos? – Dia 12 de setembro JK faria 117 anos, eu acho que ele foi, talvez, o maior estrategista. Na prática ele foi um tático, ele pós em prática uma estratégia de 1891, quando foi promulgada a primeira constituição da república, em que ficou

Voz de Brasília

Foto: Paulo Fayad

Alexandre Garcia

188

estabelecido que a União reservaria 14.400 km² no interior do país para futura capital. Juscelino desafiado por um eleitor, lá em Jataí, disse que sim, que iria construir Brasília, tal qual como determinava a constituição. Ele construiu Brasília em apenas três anos. Eu desafio que se encontre outro presidente, cujo aniversário é lembrado todos os anos. Lembrado porque ele fez uma mudança estratégica no Brasil. O país era um caranguejo preso ao litoral, havia claro o trabalho dos bandeirantes em São Paulo. Duas capitais planejadas: Belo Horizonte e Goiânia. Traziam o país para o interior. Veio na pata do boi, veio no ouro, no café, mas esse foi o maior movimento. O Brasil que é um continente, só foi realmente conquistado a partir da construção de Brasília. Com a grande rodovia Belém Brasília e as outras que se seguiram, no sentido leste e oeste. Hoje nós temos a maior produção de alimentos exatamente no Centro-Oeste e não havia na época, era um cerradão. Graças a Brasília o Brasil se expandiu, os brasileiros ocuparam o seu território e hoje a produção do CentroOeste garante a nossa balança comercial.

Voz de Brasília – Você faz parte

da história do Memorial JK. Como aconteceu seu envolvimento na construção do Memorial? – Eu fui muito amigo do Sílvio Caldas, grande cantor brasileiro. Ele ficava hospedado na minha casa e anoite pegava o violão e a gente ia gravando as conversas. Em uma dessas conversas ele me disse que a Dona Sarah Kubitschek chora muito porque ela gostaria de construir um memorial para o Juscelino, uma coisa bem discreta, pequena, fora de Brasília, mas próxima, porém ela acha que o governo militar não deixaria. Ele achava que se eu conseguisse um encontro para ele com o presidente Figueiredo, ele iria expor essa ideia. Eu era subsecretário de imprensa do Palácio do Planalto, no dia seguinte perguntei ao ministro Golbery, ele foi falar com o presidente, voltou e disse que podia chamar o Sílvio porque o presidente estava aberto a conversar sobre esse assunto. Sílvio conversou com o presidente e ouviu que Dona Sarah poderia ir conversar com ele sobre o memorial, porque estava na hora da revolução corrigir um erro com relação a Juscelino.

Alexandre Garcia

Alexandre Garcia recalls stories from Brasília With over 50 years of career, the journalist is one of the ambassadors of Brazilian tourism Alexandre Eggers Garcia, 78, is one of the leading journalists in the country. Born in Cachoeira do Sul, Rio Grande do Sul, he worked in the main newspapers in the country. He recently left Rede Globo and started working independently, writing for various media and participating in more than 311 radio programs. In a chat with Grupo Voz de Brasília, Alexandre Garcia spoke about his professional career and told remarkable stories about Brasília. Voice of Brasilia - This week celebrates the anniversary of the JK Memorial and Juscelino would be 117 years old this September. Do you know any remarkable story about these moments? Alexandre Garcia - September 12th JK would be 117 years old, I think he was, perhaps, the greatest strategist. In practice, he was a tactician, after the practice of the strategy of 1891, when the first constitution of the republic was promulgated, in which it was established 14,400 km² of the Union, in the interior of the country for the future capital. Juscelino challenged for a voter, back in Jataí, said yes, that he would build Brasilia, as determined by the constitution. He built Brasilia in just three years. I challenge you to find another president, which anniversary is remembered every year. Remembered why he made a strategic change in Brazil. The country was a crab trapped on the coast, there was clearly the work of the pioneers in São Paulo. Two planned capitals: Belo Horizonte and Goiânia. They brought the country inland. It came in the leg of the ox, it came in gold, in coffee, but that was the biggest movement. Brazil, which is a continent, was really conquered from the construction of Brasilia. With a large Belém Brasília highway and others that follow, without east and west direction. Today, we have a greater production of food exactly in the Midwest and there was not at the time, it was a cerradão. Thanks to Brasilia or Brazil, if expanded, the occupied Brazilians or their territory and today the production of the Midwest guarantees our trade balance. Voice of Brasilia - You are part of the history of Memorial JK. How did you get involved in the construction of the Memorial? Alexandre Garcia - I was very good friends with Sílvio Caldas, a great Brazilian singer. He stays at my house and joins in with pickup or guitar and keeps recording as conversations. In one of these conversations, he told me that Dona Sarah Kubitschek cries a lot because she would like to build a memorial for Juscelino, something very discreet, small, for Brasília, but close, but she thinks that the military government has not let it. He thinks he can find a meeting for President Figueiredo, who will expose this idea. He was under-secretary of press at the Planalto Palace, the next day the consultation with Minister Golbery, he went to speak with the president, came back and said he could call silvio because the president was open to talk about this matter. Silvio talked to the president and heard that Dona Sarah could talk to him about the memorial, because it was time for the


C

Cosete Ramos: “JK uniu o Brasil em Brasília” osete Ramos Gebrim, 78 anos, presidente da Associação de Mulheres que Amam Brasília, é gaúcha. Nascida em Alegrete, a cerca de 500 Km da capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, a professora veio para Brasília em 1950. Filha de um deputado federal, Cosete chegou na cidade em fevereiro de 1960 e ingressou no primeiro e único centro de ensino da época, o Caseb. “Comissão de Administração do Sistema Educacional de Brasília, foi a primeira escola, que levou o nome da comissão designada para planejar o sistema educacional de Brasília”, conta. Foi lá que Cosete vivenciou muitas de suas memórias marcantes envolvendo a capital do Brasil. Fã do presidente Juscelino Kubitschek, ela lembra da aula inaugural do Caseb, dirigida pelo próprio, no dia 19 de maio de 1960. “Abre o portão e entra JK, a juventude daquela época, que era apaixonada por ele, avançou em cima: ‘presidente! JK! Juscelino!’. Ele abriu um sorriso e todo mundo queria tocar nele. Ele foi entrando no colégio e mais de 360 alunos em volta dele. Ele disse: ‘nada mais importante para Brasília, depois da inauguração, do que a abertura dos cursos ginasiais da cidade’”, lembra a professora. Foram as experiências no Caseb e um empurrãozinho do então presidente do Brasil, JK, que levaram Cosete a escolher a educação como propósito de vida. Ao final de 1960, das nove professoras que finalizavam o curso, Cosete, que também foi a primeira líder estudantil eleita por voto direto em Brasília, também foi a oradora do baile de formatura. Na ocasião, JK foi paraninfo. “Eu recebi do próprio, um legado para a educação. Nas palavras dele: ‘depois do discurso da oradora da turma Cosete Ramos, vejo agora mais tranquilo o destino da educação do Planalto’. Eu com 17 anos recebendo estas palavras de um presidente e isso determinou a minha vida”, explica. “Depois do que JK disse, só pensei em fazer Pedagogia. E ali decidi ser uma grande educadora. E o caminho era estudar”, conta. Cosete cursou Pedagogia na Universidade de Brasília, trabalhou por 25 anos no Ministério da Educação, fez mestrado na Universidade da Califórnia e doutorado na Universidade da Flórida. Escreveu mais de 50 livros educacionais. Falou para mais de 350 mil pessoas no Brasil e fora sobre Educação. “Honrei o legado que JK me entregou com a minha vida dedicada a isso”, declara. Cosete Ramos: “JK united Brazil in Brasilia” Cosete Ramos Gebrim, 78, president of the Association of Women Who Love Brasília, is from Rio Grande do Sul. Born in Alegrete, about 500 km from the capital of Rio Grande do Sul, Porto Alegre, the teacher came to Brasília in 1950. The daughter of a federal deputy, Cosete arrived in the city in February 1960 and entered the first and only center of teaching at the time, Caseb. “Management Committee for the Educational System of Brasília, it was the first school that took the name of the commission designated to plan the educational system of Brasília,” he says. It was there that Cosete experienced many of his remarkable memories involving the capital of Brazil. A fan of President Juscelino Kubitschek, she remembers the inaugural class at Caseb, led by himself, on May 19, 1960. “Open the gate and JK, the youth of that time, who was in love with him, stepped up: ‘ president! JK! Juscelino! ’. He broke into a smile and everyone wanted to touch him. He was entering the college and more than 360 students around him. He said: ‘nothing more important for Brasília, after the inauguration, than the opening of junior high schools in the city’ ”, recalls the teacher.

It was the experiences at Caseb and a little push from the then president of Brazil, JK, that led Cosete to choose education as a life purpose. At the end of 1960, of the nine teachers who finished the course, Cosete, who was also the first student leader elected by direct vote in Brasília, was also the speaker of the prom. At the time, JK was a paraninfo. “I received a legacy for education from myself. In his words: ‘after the speech by the Cosete Ramos class speaker, I now see the destiny of education in Planalto more calm’. At the age of 17, I received these words from a president and that determined my life ”, he explains. “After what JK said, I only thought about doing Pedagogy. And there I decided to be a great educator. And the way was to study ”, he says. Cosete studied Pedagogy at the University of Brasilia, worked for 25 years at the Ministry of Education, received a master’s degree at the University of California and a doctorate at the University of Florida. He wrote more than 50 educational books. He spoke to more than 350 thousand people in Brazil and abroad about Education. “I honored the legacy that JK gave me with my life dedicated to that”, he declares.

189


Bispo Rodovalho relembra seu processo de conversão até a fundação do Ministério Sara Nossa Terra

R

obson Rodovalho é o fundador, presidente e Bispo do Ministério Sara Nossa Terra. Ele é formado em física pela Universidade Federal de Goiás, além de também possuir formação em teologia e cursos de especialização em filosofia e medicina natural. Conhecido como Bispo Rodovalho, ele é casado há 43 anos com Maria Lúcia Rodovalho, pai de três filhos e avô de quatro netos. Na política foi Deputado Federal por um mandato (2007-2010). Em um batepapo com o Grupo voz de Brasília, o Bispo Rodovalho falou sobre sua trajetória religiosa e sua relação com Brasília. Confira – O senhor tem uma longa trajetória religiosa. Como começou sua caminhada cristã? – Eu sou de uma família onde minha mãe era espírita e meu pai católico. Pela influência da minha mãe eu acabei entrando profundamente no espiritismo. Nós morávamos em Anápolis, e

Voz de Brasília

Foto: Paulo Fayad

Bispo Rodovalho

190

foi lá que eu pude presenciar muito dos centros espíritas, participar de diversas correntes. Meu pai era fazendeiro e na fazendo tinha muitos centros espíritas também, por influência do meu avô materno que era um homem muito rico e que doou, inclusive, algumas casas para o funcionamento dos centros espíritas em Anápolis. O resultado disso não foi bom para mim. Não foi bom porque eu me perdi na adolescência, na violência, na droga, na bebida. Isso trouxe muita consequência, muita dor, muito acidente, muita perca de coisas preciosas. Nesta noite escura foi quando eu me tornei amigo de um pessoal da igreja presbiteriana, que começaram a me evangelizar discretamente. A mim e minha irmã, e a minha mãe também. Acabamos meio que conhecendo um pouco da bíblia. Eu não conhecia a bíblia, nunca tinha visto uma até os 14, 15 anos de idade. - O que seria essa evangelização discreta? – Não era uma evangelização muito forte. Não era uma evangelização ostensiva como a gente faz hoje. Foi uma questão mais de amizade. A minha irmã estudava em uma escola chamada Couto Magalhães, que hoje é uma universidade em

Voz de Brasília Bispo Rodovalho

Anápolis e a família dos Fanstone, Dr Fanstone, que é o presidente fundador da Universidade Evangélica de Anápolis tem duas filhas e elas se tornaram muito amigas da minha irmã, e tiveram uma convivência muito forte. Minha irmã sofreu um acidente com o Dr Fanstone, onde morre uma menina amiga delas. Elas iam estudar em Goiânia. Minha irmã no acidente fica em uma situação muito grave, em coma profundo. Eu espírita não acreditava em nada, foi a primeira vez que fiz uma oração na minha vida. Ali eu levanto o rosto e falo com Deus. Que se ele existisse poderia salvar minha irmã. Logo em seguida o Senhor salvou minha irmã. Ali eu vi o grande milagre de Deus. Depois tiveram outros milagres que aconteceu comigo, na minha vida. Por fim eu fui em um acampamento com uns amigos da igreja presbiteriana, e um pastor pregou e fez um apelo no final pra quem quisesse aceitar Jesus, ele iria orar por aquela pessoa. Eu e uma outra menina espírita fomos para frente e recebemos a oração. Naquele momento não aconteceu nada, mas a noite inteira eu não consegui dormir e comecei a ter um êxtase. Comecei a ouvir a voz de Deus, Jesus falando comigo, comecei a chorar. Eu percebi que era um novo nascimento. Ali a minha vida muda.

Bishop Rodovalho remembers his conversion process until the foundation of the Sara Nossa Terra Ministry Robson Rodovalho is the founder, president and Bishop of the Sara Nossa Terra Ministry. He has a degree in physics from the Federal University of Goiás, as well as training in theology and specialization courses in philosophy and natural medicine. Known as Bishop Rodovalho, he has been married for 43 years to Maria Lúcia Rodovalho, father of three children and grandfather of four grandchildren. In politics, he was a Federal Deputy for a term (2007-2010). In a chat with Grupo voz de Brasília, Bishop Rodovalho spoke about his religious trajectory and his relationship with Brasília. check out Voice of Brasilia - You have a long religious trajectory. How did your Christian walk begin? Bishop Rodovalho - I am from a family where my mother was a spiritist and my father was Catholic. Due to my mother’s influence, I ended up getting deeply into spiritualism. We lived in Anápolis, and it was there that I was able to witness many of the spiritist centers, participate in several currents. My father was a farmer and in the farm he had many spiritist centers too, under the influence of my maternal grandfather who was a very rich man and who even donated some houses for the functioning of the spiritist centers in Anápolis. The result of this was not good for me. It was not good because I got lost in my teens, in violence, in drugs, in drinking. This brought a lot of consequences, a lot of pain, a lot of accidents, a lot of missing precious things. That dark night was when I became friends with people from the Presbyterian church, who began to evangelize me discreetly. Me and my sister, and my mother too. We ended up kind of knowing a little bit of the Bible. I didn’t know the bible, I had never seen one until I was 14, 15 years old. Voz de Brasília - What would this discreet evangelization be? Bishop Rodovalho - It was not a very strong evangelization. It was not an ostentatious evangelization as we do today. It was more a matter of friendship. My sister was studying at a school called Couto Magalhães, which today is a university in Anápolis and the Fanstone family, Dr Fanstone, who is the founding president of the Evangelical University of Anápolis has two daughters and they became very close friends with my sister, and they had a very strong coexistence. My sister had an accident with Dr Fanstone, where a girl friend of hers dies. They were going to study in Goiânia. My sister in the accident is in a very serious situation, in a deep coma. I a spiritist did not believe in anything, it was the first time I said a prayer in my life. There I look up and speak to God. That if he existed he could save my sister. Soon after, the Lord saved my sister. There I saw the great miracle of God. Then there were other miracles that happened to me, in my life. Finally I went to a camp with some friends from the Presbyterian church, and a pastor preached and made an appeal at the end to anyone who wanted to accept Jesus, he would pray for that person. Another spiritist girl and I went ahead and were prayed for. At that moment nothing happened,


Buffet ganhador de prêmio se diferencia no ramo

R

Inovação, criatividade e ética são as marcas registrada da gastrônoma e empresária Renata La Porta

enata La Porta é carioca, mas escolheu Brasília para ser a casa do seu negócio. Fundadora do Renata La Porta Buffet, eleito duas vezes o melhor da cidade pelo o Encontro Gastrô, e do Espaço Renata La Porta, ela fala sobre sua chegada em Brasília e seu segredo para ser uma empresária de sucesso. Confira a entrevista concedida do Grupo Voz de Brasília: – Como foi sua chegada em Brasília? - Meus pais resolveram se mudar para Brasília por questões profissionais. Minha mãe é economista e meu pai, já falecido, é administrador de empresas. Eles resolveram recomeçar a vida em Brasília. Eu amo morar aqui, mas minha chegada foi um pouco difícil pois a cidade é muito diferente do Rio de Janeiro. Quando chegamos tinha um “quê” meio agrícola, e

Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília Renata La Porta

foi bem diferente, um choque cultural. Mas logo Brasília me cativou e se tornou minha cidade de coração. Sou candanga assumida. Fiquei pouco tempo aqui, no entanto, pois me mudei para a Suíça, onde estudei por três anos Altos Estudos Comerciais, que é um misto de finanças com gestão. Estudei na Universidade de Lausanne e lá trabalhei muito em restaurantes, lanchonetes, cozinha, limpeza. Quando eu voltei com quase 20 anos, conheci melhor Brasília. Como você descobriu que queria comandar um buffet? - Eu acho que o buffet começou quando eu nasci. É uma paixão, um dom. Eu sempre fui apaixonada por gastronomia. Minha mãe conta que quando eu era muito pequena, estávamos no mercado e eu queria pegar

Grupo Voz de Brasília Renata La Porta

um queijo minas que tinha o desenho da vaca inteira e ela sempre comprava um outro queijo minas que tinha um desenho só da cara da vaca. Um dia ela resolveu comprar os dois queijos para comparar e o queijo que eu queria era mais cremoso e muito melhor que o outro, que era mais borrachudo. Com quatro anos eu comi escargot e me apaixonei. Sempre comi muitos frutos do mar, minha família tem uma cultura de muita diversidade gastronômica, em uma época em que o brasileiro tinha um paladar mais restrito. Meus pais sempre gostaram de explorar a gastronomia, tinham oportunidade de viajar, conhecer bons restaurantes e eu sempre muito apaixonada por estes lugares. Eu acho que não tinha outra coisa para fazer da minha vida a não ser mexer com gastronomia.

Buffet ganhador de prêmio se diferencia no ramo Renata La Porta is from Rio, but chose Brasília to be the home of her business. Founder of Renata La Porta Buffet, twice elected the best in town by the Encontro Gastrô, and of Espaço Renata La Porta, she talks about her arrival in Brasília and her secret to being a successful businesswoman. Check out the interview given by Grupo Voz de Brasília: Voice of Brasilia - How was your arrival in Brasilia? Renata La Porta - My parents decided to move to Brasília for professional reasons. My mother is an economist and my father, now deceased, is a business administrator. They decided to start life again in Brasilia. I love living here, but my arrival was a little difficult as the city is very different from Rio de Janeiro. When we arrived there was a “what” about agriculture, and it was quite different, a culture shock. But soon Brasilia captivated me and became my city at heart. I am an accepted candanga. I stayed here for a short time, however, as I moved to Switzerland, where I studied Altos Estudos Comercial, which is a mix of finance and management, for three years. I studied at the University of Lausanne and there I worked a lot in restaurants, cafeterias, cooking, cleaning. When I came back when I was almost 20, I got to know Brasilia better. Grupo Voz de Brasília - How did you find out you wanted to run a buffet? Renata La Porta - I think the buffet started when I was born. It is a passion, a gift. I have always been passionate about gastronomy. My mother says that when I was very young, we were at the market and I wanted to get a Minas cheese that had the design of the whole cow and she always bought another Minas cheese that had a design just for the face of the cow. One day she decided to buy the two cheeses to compare and the cheese I wanted was more creamy and much better than the other, which was more rubbery. At the age of four I ate escargot and fell in love. I always ate a lot of seafood, my family has a culture of great gastronomic diversity, at a time when the Brazilian had a more restricted palate. My parents always liked to explore gastronomy, had the opportunity to travel, visit good restaurants and I was always very passionate about these places. I don’t think I had anything else to do with my life except mess with gastronomy.

191


Conheça Haidée Neves, do Instituto Éden

Instituto Éden, dentre outras atividades, mantém em pleno funcionamento a Escola IEHN – Instituto de Educação Haidée Neves, que atende em regime de semi-internato, de segunda a sextafeira, 306 crianças de 01 a 03 anos de idade provenientes de famílias carentes, sendo que todos os serviços prestados são com 100% por cento de gratuidade. Às famílias carentes são distribuídas cestas básicas, em programas assistenciais mensais.

Voz de Brasília

– A senhora tem uma longa caminhada na educação. Como chegou em Brasília? – Eu sou uma pioneira, tenho 40 anos trabalhando na educação em Brasília e aqui estou com esse trabalho social que hoje completa 28 anos. Eu sou goiana, mas posso dizer que sou quase brasiliense, porque aqui construí minha vida, minha formação acadêmica, minha construção de personalidade. Estou aqui servindo Brasília e a população. – Há 40 anos atrás era tudo mais difícil. Como a senhora entrou no ramo da educação? – Eu comecei na Caixa Econômica Federal, lá trabalhei como escriturária, depois como psicóloga e foi lá que surgiu a ideia. Eu sempre quis ajudar as pessoas e recebi essa ideia de trabalhar na educação, porque eu tinha muita energia e me preocupava muito com a educação. De lá eu comecei a trabalhar, fundei a escola Pedacinho do Céu, e depois fundei o Éden, essa instituição que hoje completa 38 anos. Hoje nós temos oito unidades,

Haidée Neves

Voz de Brasília Haidée Neves

192

funcionamos no Riacho Fundo, Recanto das Emas, Santa Maria, na Samambaia que temos duas, Ceilândia, Brazlândia e Sobradinho. Temos crianças de quatro meses a seis anos, e estamos aqui dando o melhor de nós para a população de baixa renda. AB – Quantas crianças vocês atendem? – Nós temos 1600 crianças de quatro meses a seis anos. – É importante contar como essas crianças chegam até aqui. Como acontece o acolhimento? – Nós temos um termo de colaboração com a Secretaria de Educação, então quem faz essa triagem é a própria Secretaria através das regionais das cidades satélites, porque é muito difícil, aqui mesmo no Riacho Fundo tem lista de mais de 1200 famílias querendo uma vaga. Ficaria muito difícil para nós, a Secretaria tem um sistema de gerenciamento de vagas e uma forma de pontuar a necessidade das famílias. Nós só recebemos, damos cinco refeições diárias, uniformes, agenda e agora até o tratamento dentário, que é uma ação particular nossa. – Estamos fazendo o Almanaque para os 60 anos de Brasília. Qual sua impressão sobre esse projeto? – É um projeto maravilhoso. Uma cidade, um país sem o registro da sua história e da sua cultura, ela praticamente não existe. Sem registro não existe história, então acho o Almanaque uma iniciativa maravilhosa que precisa de toda atenção e contribuição.

Haidée Neves

Voz de Brasília Haidée Neves

Meet Haidée Neves of the Eden Institute The Eden Institute, among other activities, keeps the IEHN School - Haidée Neves Institute of Education in full operation, which caters for semi-boarding, from Monday to Friday, 306 children from 01 to 03 years old from families all services provided are 100% free. Poor families are given basic food baskets in monthly care programs. Brazilian Yearbook - You have a long walk in education. How did you get to Brasilia? Haidée Neves - I am a pioneer, I am 40 years old working in education in Brasilia and here I am with this social work that today turns 28 years old. I am from Goiás, but I can say that I am almost Brazilian, because here I built my life, my academic background, my personality construction. I’m here serving Brasilia and the population. AB - 40 years ago it was all harder. How did you get into education? HN - I started at Caixa Econômica Federal, where I worked as a clerk, then as a psychologist and that’s where the idea came from. I always wanted to help people and I got this idea of working ​​ in education because I had a lot of energy and I was very concerned about education. From there I started working, I founded the Pedacinho do Céu school, and then I founded Eden, this institution that is now 38 years old. Today we have eight units, we operate in Riacho Fundo, Recanto das Emas, Santa Maria, in Fern we have two, Ceilândia, Brazlândia and Sobradinho. We have children from four months to six years old, and here we are doing our best for the low-income population. AB - How many children do you attend? HN - We have 1600 children from four months to six years. AB - It is important to tell how these children get here. How does the reception happen? HN - We have a collaboration agreement with the Department of Education, so who does this sorting is the Secretariat itself through the regional satellite cities, because it is very difficult, right here in Riacho Fundo has list of over 1200 families wanting a place . It would be very difficult for us, the Secretariat has a vacancy management system and a way to punctuate the needs of families. We only get, we give five meals a day, uniforms, schedule and now until the dental treatment, which is a private action of ours. AB - We are making the Almanac for the 60 years of Brasilia. What is your impression of this project? HN - It’s a wonderful project. A city, a country without a record of its history and culture, it hardly exists. Without a record there is no story, so I find Almanac a wonderful initiative that needs all the attention and input.

Voz de Brasília

Haidée Neves

Foto: Paulo Fayad

O


V

Paulo Muniz, presidente da Construtora CONBRAL e do CODESE/DF

oz de Brasília – A CONBRAL tem

50 anos de existência. Faça um panorama da história de sucesso da empresa. - A CONBRAL o nome dela já diz: é a sigla de Construtora Brasília, CONBRAL. Essa sigla é uma homenagem a Brasília, fomos fundamos em 1968, meu irmão Ennius Muniz é o fundador, na época estudante de arquitetura. É uma empresa familiar. Hoje os filhos estão aqui na empresa também. Nestes 50 anos fizemos mais de um milhão e trezentos metros quadrados de obras. Somos pioneiros no Guará II, na Samambaia, em Águas Claras. Temos hoje em Águas Claras, mas de 1500 apartamentos entregues, fizemos algumas obras muito importantes na cidade, uma delas que nos orgulha muito é a nova sede do Sabin. Essa nova sede, inclusive, tem o selo gold de sustentabilidade, que é um selo de reconhecimento internacional. Muito nos orgulha ter trabalhado todo esse tempo em Brasília, mas também já tivemos filial em Goiânia, no Goiás. Também já executamos obras em Roraima e em Manaus. Somos uma empresa com uma história consolidada. – Você tem bastante história em Brasília. Como foi sua chegada na capital? – Eu cheguei em Brasília com dois anos de idade, em 1961. Eu brinco que não tive o privilégio de nascer em Brasília, mas cresci com Brasília. Eu sou apaixonado por Brasília, acompanhei de perto a história. Meu pai era fã de Juscelino, viemos de Minas por causa disso, a gente sempre acompanhou muito de perto o crescimento da cidade. Eu era o mais novo da casa e brinco que comi muita poeira, tenho essa terra vermelha de Brasília no meu sangue. – E como se deu sua trajetória profissional? – Eu trabalho aqui na construtora desde o final de 1975. Desde criança eu

Paulo Muniz

Voz de Brasília Paulo Muniz

Voz de Brasília Paulo Muniz

tinha o sonho de ser engenheiro, acho que por conta da construção de Brasília. Desde o jardim de infância eu já falava que seria engenheiro. Comecei muito cedo aqui, tive a oportunidade de vim trabalhar com meu irmão, e isso se solidificou porque eu comecei na área técnica, e fiz cursos técnicos. Fui estudar engenharia em Uberaba e mesmo na fase de estudante não abandonei os projetos. Quando formei trabalhei em outra empresa por um ano e meio e depois assumi a diretoria técnica da CONBRAL e até hoje respondo por ela. Dos mais de 1 milhão e 300 m² que a CONBRAL construiu eu conheço todas as obras. – Você construiu uma carreira admirável. Quais seriam três passos para alcançar o sucesso? – Eu acredito que foco, humildade e confiança no país e nas pessoas.

Voz de Brasília

Paulo Muniz

Education Meet Paulo Muniz, President of Construtora CONBRAL and CODESE / DF Brazilian Yearbook - CONBRAL has 50 years of existence. Make an overview of the company’s success story. Paulo Muniz - CONBRAL her name already says: it is an acronym of Construtora Brasília, CONBRAL. This acronym is a tribute to Brasilia, was founded in 1968, my brother Ennius Muniz is the founder, at the time student of architecture. It is a family business. Today the children are also here in the company. Nests 50 years over one million and million square meters of works. We are pioneers in Guará II, in Fern, in Águas Claras. We have today in Águas Claras, more than 1500 apartments delivered, some very important works in the city, one of which we are very proud of is a new Sabin headquarters. This new headquarters even has the gold seal of sustainability, which is an internationally recognized seal. We are very proud to work all this time in Brasilia, but we have also had a branch in Goiânia, Goiás. We have also performed works in Roraima and Manaus. We are a company with a consolidated history. Brazilian Yearbook - You have a lot of history in Brasilia. How was your arrival in the capital? Paulo Muniz - I arrived in Brasilia at the age of two, in 1961. I joke that I don’t have the privilege of being born in Brasilia, but grow up in Brasilia. I’m in love with Brasilia, I followed close to a story. My father was a fan of Juscelino, we came to Minas because of this, a people who always followed very close to the growth of the city. I was the youngest of the house and the earring that with a lot of dust, I have this Brasilia red earth in my blood.

193


Paulo Octávio e sua trajetória de sucesso

P

A empresa Paulo Octávio possui 45 anos de sucesso na história de Brasília

aulo Octávio Alves Pereira, 69 anos, é um dos mais importantes empresários de Brasília. Formado em direito pelo UniCeub ele já foi vice-governador do Distrito Federal e chegou a ser empossado como governador interino em 2010. Ele é técnico em transações imobiliárias e atua no mercado imobiliário desde 1976, com as empresas das Organizações Paulo Octávio. Em um bate-papo com o Grupo Voz de Brasília, Paulo Octávio falou sobre sua trajetória profissional e contou como chegou na capital federal. – Você é um dos maiores empresários de Brasília. Como o Paulo Octávio veio parar na capital do Brasil? – O meu pai se empolgou muito com o governo JK em Minas Gerais, eu sou de Lavras, uma cidade do Sul. Quando JK fez algumas promessas como candidato ao governo, meu pai que era do partido de oposição não acreditou. Com o passar do tempo JK implementou todas as medidas que tinha lançado em sua candidatura ao governo de Minas Gerais e com isso foi conquistando

Voz de Brasília Paulo Octávio

o meu pai. Algumas vezes o presidente JK, ainda como governador de Minas esteve em Lavras e o meu pai o recebeu e se entusiasmou com aquela história de Brasília. Quando Juscelino ganhou a presidência e falou que ia construir Brasília, meu pai acreditou, nesse político que conseguia fazer tantas coisas, quer como prefeito de Belo Horizonte, ou governador de Minas. Meu pai começou a se encantar com a história e com a construção de Brasília, e fez uma visita em 1958 quando ela ainda estava em construção. Ele se empolgou com essa ideia e decidiu que iria morar nessa nova cidade. Brasília foi inaugurada em 1960 e em 1961 meu pai se mudou para Brasília. Em 1962 eu cheguei aqui com o resto da família: minha mãe e meus dois irmãos e fomos morar na 106 Sul. – Seu pai demonstrou muita coragem vindo para Brasília ainda no início e com filhos pequenos. Naquela época as escolas eram mais difíceis aqui na região? – Não era. Brasília foi construída de uma forma bem interessante e na frente da quadra que eu morava já tinha uma escola classe funcionando perfeitamente. Eu já estava no ginásio e fui para o CASEB e lá era um primor de escola. A minha irmã que estudava na escola classe, a tarde ela tinha Escola Parque na 308, que também já estava funcionando a todo vapor com ótimos professores. O projeto educacional de Brasília começou muito bem, ele foi iniciado já com a inauguração de Brasília. – Você chegou em Brasília aos 12 anos. Cresceu e se desenvolveu em Brasília. Como foi sua caminhada até se tornar o profissional que é hoje? – Já muito jovem eu me interessava em estudar e trabalhar. Eu comecei a trabalhar aos 15 anos. Eu tinha um vizinho que estava lançando um pecúlio, um tipo de um seguro e como ele era amigo do meu pai, eu me candidatei para ser um vendedor dele. Ele me deixou trabalhar, e nas horas vagas eu vendia

Voz de Brasília Paulo Octávio

Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília

194

Paulo Octávio


esse pecúlio para professores, para amigos do meu pai. Eu me esforçava para tentar ter uma independência financeira. Ter um dia ativo, uma renda própria, isso sempre foi coisas minhas. Com o tempo comecei a trabalhar com fundos de investimento e alguns deram ótimos resultados. Estudei economia na UnB durante dois anos e meio e depois transferi para Direito no UniCeub, eu chegava a vender os fundos de investimentos para os professores. Aos 20 anos passei a trabalhar com imóveis, com 25 anos achei que estava na hora de montar uma empresa e inaugurei a Paulo Octávio Investimentos e vai fazer agora quase 50 anos. – Sua caminhada foi de estremo sucesso, além de muito trabalho é sempre necessário contar com a ajuda de Deus. Como é sua fé? – Eu sou do interior de Minas e minha família sempre fui muito religiosa. Então eu

Voz de Brasília

Paulo Octávio

tive uma educação muito boa, muito consolidada em uma família tranquila. Eu tive sempre a presença de Deus na minha vida toda. O tempo me ensinou que você tem que manter a fé, que é uma benção. A fé em Deus que ajuda você acreditar quer as coisas podem ser resolvidas, acreditar que tem uma mão acima de você de ajudando. Também devo muito a formação que eu recebi. Comecei em um grupo escolar em Lavras, com a formação educacional, uma escola pública muito boa no Sul de Minas. Depois eu vim aqui para o CASEB, passei pela UnB. Minha educação sempre foi em escola pública e muito boa. Valorizo muito a escola pública brasileira. Como eu trabalhava muito acabei me formando em Direito no UniCeub, por ser o único curso que tinha a noite naquela época. – Eu gostaria que você falasse sobre a empresa Paulo

Voz de Brasília

Octávio hoje. Você tem ideia de quantas pessoas você emprega e como sua empresa movimenta a economia no Brasil? – Realmente os números são grandiosos. No ano passado nos assinamos a carteira de trabalho número 50 mil. Não que tenhamos hoje 50 mil funcionários, mas durante esses 45 anos de empresa, nós empregamos e demos trabalho para 50 mil pessoas. Isso é muito significativo. Eu me lembro quando fomos assinar a carteira número 50 mil, que chamamos o trabalhador, que era um pedreiro que está com a gente até hoje. Nós comemoramos esse número. Hoje a Paulo Octávio está em várias atividades: estamos na construção civil, na área de hotelaria, na de shopping center, na de automóveis, comunicações, ou seja, em vários seguimentos. Hoje nos devemos ter entre 4 mil ou 5 mil funcionários. Que são os trabalhadores que fazem parte das Organizações Paulo Octávio.

Paulo Octávio

Paulo Octávio and his successful career The company Paulo Octávio has 45 years of success in Brasilia’s history Paulo Octávio Alves Pereira, 69, is one of the most important businessmen in Brasilia. A law graduate from UniCeub, he was a deputy governor of the Federal District and was sworn in as interim governor in 2010. He is a real estate transactions technician and has been active in the real estate market since 1976, with the companies of the Paulo Octávio Organizations. In a chat with the Voice Group of Brasilia, Paulo Octavio talked about his professional career and told how he arrived in the federal capital. Brazilian Yearbook - You are one of the biggest businessmen in Brasilia. How did Paulo Octávio end up in the capital of Brazil? Paulo Octávio - My father was very excited about the JK government in Minas Gerais, I am from Lavras, a southern city. When JK made some promises as a candidate for the government, my father from the opposition party did not believe it. Over time JK implemented all the measures he had launched in his candidacy for the government of Minas Gerais and with that was conquering my father. Sometimes President JK, still as governor of Minas Gerais, was in Lavras and my father received him and was enthusiastic about the history of Brasilia. When Juscelino won the presidency and said he was going to build Brasilia, my father believed in this politician who could do so many things, either as mayor of Belo Horizonte, or governor of Minas Gerais. My father began to marvel at the history and construction of Brasilia, and paid a visit in 1958 when it was still under construction. He got excited about this idea and decided that he would live in this new city. Brasilia was inaugurated in 1960 and in 1961 my father moved to Brasilia. In 1962 I arrived here with the rest of the family: my mother and my two brothers and we moved to 106 South. AB - Your father showed great courage coming to Brasilia at the beginning and with small children. At that time were schools more difficult here in the region? PO - It was not. Brasília was built in a very interesting way and in front of the block I used to live there was a perfectly functioning class school. I was already in the gym and I went to CASEB and there was a school primor. My sister who was in high school class, in the afternoon she had Park School at 308, which was also already running full speed with great teachers. The educational project of Brasilia started very well, it started already with the inauguration of Brasilia. AB - You arrived in Brasilia at 12 years old. It grew and developed in Brasilia. How was your walk to become the professional you are today? PO - Already very young I was interested in studying and working. I started working at 15 years old. I had a neighbor who was launching a cash crop, a kind of insurance, and since he was my father’s friend, I applied to be his salesman. He let me work, and in his spare time I sold this money to teachers, to my father’s friends. I struggled to try to have financial independence. Having an active day, an income of my own, that was always my thing. Over time I started working with mutual funds and some gave great results. I studied economics at UnB for two and a half years and then transferred to law at UniCeub, I even sold investment funds to teachers. At 20 I started working with real estate, at 25 I thought it was time to set up a company and inaugurated Paulo Octávio Investimentos and will now be almost 50 years. AB - Your journey was very successful, and much work is always necessary with the help of God. How is your faith? PO - I am from Minas Gerais and my family has always been very religious. So I had a very good education, very consolidated in a quiet family. I have always had God’s presence in my whole life. Time has taught me that you have to keep the faith, which is a blessing. The faith in God that helps you believe things you want can be resolved, believing that you have a helping hand above you. I also owe a lot to the training I received. I started in a school group in Lavras, with the educational background, a very good public school in the south of Minas. After I came here to CASEB, I went through UnB. My education has always been in public school and very good. I value the Brazilian public school very much. As I worked a lot I graduated in law at UniCeub, being the only course I had at night at that time. AB - I would like you to talk about Paulo Octávio today. Do you have any idea how many people you employ and how your company moves the economy in Brazil? PO - Really the numbers are great. Last year we signed the work card number 50 thousand. Not that we have 50,000 employees today, but during those 45 years of business, we employed and worked for 50,000 people. This is very significant. I remember when we signed the wallet number 50 thousand, we called the worker, who was a bricklayer who is with us to this day. We celebrate this number. Today Paulo Octávio is in various activities: we are in construction, in the hotel area, in the shopping center, in the automobile area, in communications, that is, in several segments. Today we must have between 4,000 or 5,000 employees. Which are the workers that are part of the Paulo Octávio Organizations.

195


De pioneiro a empresário de sucesso

D

Dauto Coelho é um dos maiores empresários do ramo automotivo na capital

e lixador de automóveis a um grande empresário do ramo automotivo. Dauto Coelho, 51 anos, comanda 14 empreendimentos: quatro na área de lanternagem, (DAUTO LATERNAGEM), e cinco de tintas automotivas (DAUTO TINTAS). As lojas estão espalhadas pelo Distrito Federal com unidades em Águas Claras, Setor de Oficinas, Guará, Setor de Indústrias e Abastecimento, Ceilândia, dentre outros. Sob a liderança do tocantinense, trabalham mais de 300 funcionários. Confira. – Você é um pioneiro na capital. Como foi sua chegada em Brasília? – Eu sou do interior do Tocantins e vim para Brasília aos 16 anos. Nós viemos para a capital nos aventurar. Eu sou de uma família de 12 irmãos, e vim aqui para tentar a sorte. Cheguei em Brasília em 1982, no Cruzeiro velho. Fiquei muito tempo por lá. Meu

Voz de Brasília Dauto Coelho

primeiro emprego foi de feirante, eu vendia verduras na feira e hoje estou aqui trabalhando no setor automotivo. – Como era a vida em Brasília quando você chegou na cidade? – Era muito diferente. Eu vim da roça e não sabia nada, eu fui ver televisão em Brasília, foi muito difícil. Na época eu mal sabia o que era carro, passava no Cruzeiro Velho e via aqueles automóveis isolados na rua e ficava na curiosidade do porquê estavam isolados com jornais. Eu nem sabia o que era pintura automotiva, e por coincidência eu fui parar em uma oficina para arrumar carro. – Como funciona sua empresa hoje? Você atende o cliente final e as seguradoras? – Nós temos bastante parceria com os clientes finais, que são o mais importante e temos uma parceria muito forte com as seguradoras

Voz de Brasília Dauto Coelho

Voz de Brasília Dauto Coelho

e concessionárias. Hoje nós somos também uma distribuidora de tintas automotivas. Além de pintar os carros nós distribuímos tintas. Estamos em dois ramos, então atende o cliente final que é nosso foco, seguradora que dá o volume e as concessionárias. – Hoje sua empresa é uma das maiores de Brasília. Você tem ideia de quantos empregos a Dauto oferta? – Hoje diretamente nós temos 300 funcionários. Já chegamos a ter 400, mas diminuiu com a crise. Nosso objetivo é voltar a crescer. – Estamos com o projeto do Almanaque de Brasília 60 anos. Qual sua análise sobre nosso projeto? – Eu acho muito bom e muito importante. Estamos na capital do país e é muito importante você continuar com esse trabalho focando na nossa cultura.

Voz de Brasília Dauto Coelho

Voz de Brasília Dauto Coelho

Foto: Paulo Fayad

Meet Dauto Coelho businessman and pioneer of the capital From car sander to a big businessman in the automotive business. Dauto Coelho, 51 years old, runs 14 projects: four in the area of ​​bodywork (DAUTO LATERNAGEM), and five of automotive paints (DAUTO PAINTS). The stores are spread throughout the Federal District with units in Águas Claras, Workshop Sector, Guará, Industry and Supply Sector, Ceilândia, among others. Under Tocantinense’s leadership, more than 300 employees work. Check out. Brasíleiro Yearbook - You are a pioneer in the capital. How was your arrival in Brasilia? Dauto Coelho - I am from Tocantins countryside and I came to Brasilia at 16 years old. We came to the capital to venture out. I am from a family of 12 brothers, and I came here to try my luck. I arrived in Brasilia in 1982, in the old cruise. I stayed a long time there. My first job was a marketer, I was selling vegetables at the fair and today I am here working in the automotive sector. AB - What was life like in Brasilia when you arrived in the city? DC - It was very different. I came from the countryside and I knew nothing, I went to watch TV in Brasilia, it was very difficult. At the time I hardly knew what a car was, I passed the Cruzeiro Velho and saw those isolated cars on the street and was curious why they were isolated with newspapers. I didn’t even know what automotive painting was, and coincidentally I ended up in a car repair shop. AB - How does your company work today? Do you serve the end customer and insurers? DC - We have a lot of partnership with end customers, which is the most important and we have a very strong partnership with insurers and dealers. Today we are also a distributor of automotive paints. In addition to painting the cars we distribute paints. We are in two branches, so it serves the end customer who is our focus, volume insurer and dealers. AB - Today your company is one of the largest in Brasilia. Do you have any idea how many jobs Dauto offers? DC - Today we directly have 300 employees. We already had 400, but it decreased with the crisis. Our goal is to grow back. AB - We are with the project of the Almanac of Brasilia 60 years. What is your analysis about our project? DC - I think it’s very good and very important. We are in the capital of the country and it is very important that you continue this work focusing on our culture.

196


Foto:Divulgação

Setor comercial 197 Norte


Um homem de fé forte “Jesus é o meu reitor permanente, ele é o que me diz o que eu devo fazer”, explica o Reverendo Izaías Maciel

H

á poucas décadas, o mundo vivia o terror da Segunda Guerra Mundial, provocada pelo preconceito, intolerância e o pensamento antissemita que causou um dos episódios mais tristes da história da humanidade. Passar por um período de guerra pode ser algo traumático para todos os envolvidos, porém, aqueles que estão diretamente ligados com o horror do conflito, tudo que é visto em um campo de batalha pode ser um divisor de águas. minada, o veículo onde o mesmo estava acabou sendo arremessado “há um metro acima do chão”, como lembra. O acontecimento acabou trazendo um grave problema para sua saúde. Isso fez com que o Reverendo ficasse cerca de 30 dias sem conseguir comer, afinal, sua fratura havia sido no maxilar, o que o impossibilitava de mastigar até que se recuperasse. Depois de correr risco de morte, e de visto, ouvido e vivido todo o horror da guerra, decidiu fazer um voto: caso sobrevivesse, dedicaria o restante de sua vida para ajudar o próximo. No início da década de 40, a Segunda Guerra Mundial já estava prestes a chegar a seu fim, quando Izaías Maciel foi convocado pelo Exército Brasileiro para prestar serviços na Itália, onde o jovem que estava na casa dos vinte anos acabou se deparando com um cenário de devastação, tristeza e miséria. Chegando ao front de batalha, Izaías Maciel foi colocado na chefia da Assistência Social, por ter chamado a atenção de seus superiores pelo seu jeito de ser e por sua fé. 198

Em entrevista à Voz de Brasília em 2019, o Reverendo relembra a importância de sua missão naquele período, que ia além do cuidado físico. “Levei muito a sério a responsabilidade de fazer com que os outros vissem em mim a pessoa que falava que não estávamos sós, que tinha alguém que ia na nossa frente: Deus”. Nesse período, Izaías Maciel acabou sofrendo um grave acidente que reforçou ainda mais a sua fé. Ao passar por uma zona

Como relembra Izaías Maciel, essa foi uma época determinante para fortalecer sua fé e seguir o caminho da filantropia, ajudando o outro. “Conviver com muitas pessoas necessitadas, que não tinham o mínimo condição de se fortalecerem sem receber recursos para sua manutenção”, fez esse sentimento surgir. Retorno ao Brasil Depois que a guerra acabou, Izaías Maciel retornou ao Brasil e começou a trabalhar em prol do

próximo. Seu primeiro serviço social foi a construção de um pequeno ambulatório, entregue para a administração regional do Núcleo Bandeirante, para que a população mais necessitada pudesse receber atendimento em uma época onde esse tipo de serviço era escasso no Distrito Federal. No início foi difícil. O Reverendo lembra que era preciso buscar, “aonde tinha alguma coisa, para fazer aquilo rende ao ponto de poder ser dividido com os que não tinham nada”. Cinco anos após sua primeira obra, outros cinco ambulatório já haviam sido entregues para entidades evangélicas. Outro grande marco na história de Izaías Maciel foi a criação da primeira rádio evangélica no país, onde a mensagem de amor ao próximo era transmitida. Ele relembra que, “o povo ficou muito admirado de ter um jovem que veio da guerra com aqueles pensamentos de buscar recursos de quem têm para dar a quem não têm”. Ordem dos Ministros Evangélicos no Brasil e no Exterior - OMEBE


Já são mais de 78 anos de sua vida inteiramente dedicados às causas sociais. E nesse meio tempo, uma das realizações mais emblemáticas do Reverendo Izaías Maciel foi a criação da Ordem dos Ministros Evangélicos no Brasil e no Exterior – OMEBE, em 17 de outubro de 1972. A entidade, presidida por Izaías de Souza Maciel até hoje, possuí mais de nove entidades sociais, filantrópicas e Policlínicas Populares (SESE), como lares de idosos e crianças e centros para dependentes químicos, prestando serviço há mais de 70 anos para milhares de pessoas. Segundo o Reverendo Izaías Maciel, o principal guia de seu trabalho são as escrituras sagradas. “No princípio, todas as coisas eram diferentes. Todos os cristãos

acreditavam que o que faziam não era deles próprios, mas sim um auxílio, uma orientação do próprio mestre Jesus Cristos. Então, tudo que se faz em benefício do pobre, daqueles que estão desamparados, só está cumprindo a Bíblia. Ela [Bíblia] nos ensina, claramente. Existe um capítulo que diz, ‘tive fome e me destes de comer, tive sede de me destes de beber, era estrangeiro e me hospedaste, estive nu e me vestisse, preso e foste me visitar, entra no gozo do meu Senhor’. Ou seja, abra sua Bíblia, em Mateus:25, leia o capítulo todo, e você encontrará a resposta para o porquê de buscar ajudar nosso semelhante”, finaliza.

For decades, the world experienced the terror of World War II, caused by prejudice, intolerance and anti-Semitic thinking that caused one of the saddest episodes in human history. Going through a period of war can be traumatic for everyone involved, however, those who are directly connected with the horror of the conflict, everything seen on a battlefield can be a watershed. In the early 1940s, a Second World War was about to end, when Izaías Maciel was summoned by the Brazilian Army to provide services in Italy, where the young man in his twenties ended up facing a scenario of devastation, sadness and misery. Arriving at the battlefront, Izaías Maciel was placed in charge of Social Assistance, for having called the attention of his superiors for his way of being and for his faith. In an interview with Voz de Brasília in 2019, the Reverend recalls the importance of his mission in that period, which went beyond physical care. “I took the responsibility of making others see me as the person who spoke who does not personalize alone, who had someone who was in front of us: God”. During that period, Izaías Maciel ended up suffering a serious accident that further strengthened his faith. When passing through a mined area, the vehicle where it was ended up being thrown “one meter above the ground”, as he recalls. The event ended up bringing a serious problem to his health. This caused the Reverend to be unable to eat for about 30 days, after all, his fracture had been in his jaw, making it impossible for him to chew until he recovered. After taking the risk of death, and having seen, heard and experienced all the horror of the war, he decided to take a vow: if he survived, he would dedicate the rest of his life to helping others. As Izaías Maciel recalls, this was a decisive time to strengthen his faith and follow the path of philanthropy, helping others. “To live with many necessary people, not least the condition of strengthening themselves without receiving resources for their maintenance”, this feeling arises. Return to Brazil After the war ended, Izaías Maciel returned to Brazil and started working for the benefit of others. His first social service was the construction of a small clinic, delivered to the regional administration of Núcleo Bandeirante, so that the most needy population could receive care at a time when this type of service was scarce in the Federal District. At first it was difficult. The Reverend recalls that it was necessary to seek, “where there was something, to do that it yields to the point of being able to be shared with those who had nothing”. Five years after his first work, another five outpatient clinics had already been delivered to evangelical entities. Another major milestone in the history of Izaías Maciel was the creation of the first evangelical radio in the country, where the message of love for one’s neighbor was transmitted. He recalls that, “the people were very surprised to have a young man who came from the war with those thoughts of seeking resources from those who have to give to those who do not have”. Order of Evangelical Ministers in Brazil and Abroad - OMEBE More than 78 years of his life have been dedicated entirely to social causes. And in the meantime, one of the most emblematic achievements of Reverend Izaías Maciel was the creation of the Order of Evangelical Ministers in Brazil and Abroad - OMEBE, on October 17, 1972.

Foto: Paulo Fayad

The entity, chaired by Izaías de Souza Maciel until today, has more than nine social, philanthropic and Popular Polyclinic entities (SESE), such as homes for the elderly and children and centers for drug addicts, providing services for over 70 years to thousands of people . According to Reverend Izaías Maciel, the main guide of his work is the sacred scriptures. “In the beginning, everything was different. All Christians believed that what they did was not their own, but an aid, an orientation from the master Jesus Christos himself. So, everything that is done for the benefit of the poor, of those who are helpless, is only fulfilling the Bible. It [Bible] teaches us, clearly. There is a chapter that says, ‘I was hungry and you gave me food, I was thirsty you gave me drink, I was a foreigner and you stayed with me, I was naked and dressed, arrested and went to visit me, enter the joy of my Lord’. In other words, open your Bible, in Matthew: 25, read the whole chapter, and you will find the answer to why you seek to help our fellow man ”, he concludes.

199


Conheça Paulo Vieira, o criador do Método Cis

P

aulo Vieira é um escritor, palestrante e presidente da Febracis, uma empresa de Coaching brasileira. Ele é o criador do Método CIS e do Coaching Integral Sistêmico, considerados um desdobramento do coaching tradicional, com uma abordagem que utiliza ferramentas cognitivas e emocionais. – Você é conhecido por transformar as vidas das pessoas. Qual seu ideal para impactar e mudar a vida de milhares de pessoas? –A ferramenta que nós temos do Coaching Integral Sistêmico é muito poderosa e nos tornamos a maior empresa de coaching do

Voz de Brasília Paulo Vieira

mundo. São 1200 funcionários espalhados pelo Brasil e pelo mundo, como: Boston, Orlando, Angola, todas as capitais do Brasil. Nós entendemos a responsabilidade. Quando se tem algo grande, isso também te dá uma responsabilidade grande. Temos feito um trabalho técnico, formando profissionais para o Brasil e pelo mundo, mas também um trabalho voluntariado muito grande. Já treinamos três mil policiais gratuitamente, no DEPEN (Departamento Penitenciário nacional) somase umas 400 pessoas treinadas, também de forma gratuita. Hoje eu e minha esposa temos uma instituição que ampara duas mil crianças. Nós trabalhamos forte no Coaching Integral

Sistêmico e não perdemos nenhuma oportunidade de fazer voluntariado. – Nos treinamentos gratuitos que você oferece para os funcionários públicos, qual sua principal abordagem? – Recentemente eu treinei seis mil funcionários do GDF gratuitamente. Eu treino nas nossas habilidades, como em performance, restaurando emoções, em coaching, em inteligência emocional. Eu treino na base. As pessoas que estão ali elas sabem dar um atendimento melhor. A pergunta é: elas querem dar esse atendimento melhor? Elas estão emocionalmente preparadas para dar esse atendimento melhor?

Voz de Brasília Paulo Vieira

Então trabalhamos o antes. Trabalhamos na base cognitiva, em uma base emocional. Mudando a consciência e a mentalidade das pessoas. – Estamos trabalhando no projeto Brasília 60 anos, com a produção de um Almanaque. Qual mensagem você poderia deixar sobre Brasília? – O Brasil muda quando algo acontece em Brasília. As pessoas em Brasília elas têm a caneta na mão, a decisão na mão. Brasília é onde as coisas acontecem. Então eu te convido para cá, para ser um influenciador para participar deste projeto, para você entender Brasília. Eu te convido a estar conosco nessa comemoração dos 60 anos da cidade.

Voz de Brasília Paulo Vieira

Óticas Brasiliense has over 30 years in the market Paulo Vieira is a writer, speaker and president of Febracis, a Brazilian coaching company. He is the creator of the CIS Method and Systemic Integral Coaching, considered an offshoot of traditional coaching, with an approach that utilizes cognitive and emotional tools. Brazilian Yearbook - You are known for transforming people’s lives. What is your ideal for impacting and changing the lives of thousands of people? Paulo Vieira - The tool we have for Systemic Integral Coaching is very powerful and we have become the largest coaching company in the world. There are 1200 employees in Brazil and around the world, such as: Boston, Orlando, Angola, all the capitals of Brazil. We understand the responsibility. When you have something big, it also gives you a big responsibility. We have been doing a technical work, training professionals for Brazil and around the world, but also a great volunteer work. We have already trained three thousand police officers for free, in the DEPEN (National Penitentiary Department) there are about 400 trained people, also for free. Today my wife and I have an institution that supports two thousand children. We work hard on Systemic Integral Coaching and don’t miss any opportunity to volunteer. AB - In the free training you offer to civil servants, what is your main approach? PV - I recently trained 6,000 GDF employees for free. I train in our skills, such as performance, restoring emotions, coaching, emotional intelligence. I train at the base. The people who are there know how to give better service. The question is: do they want to give this service better? Are they emotionally prepared to give better care? So we worked the before. We work on the cognitive basis, on an emotional basis. Changing people’s consciousness and mindset. AB - We are working on the Brasilia project 60 years ago, with the production of an Almanac. What message could you leave about Brasilia? PV - Brazil changes when something happens in Brasilia. The people in Brasilia they have the pen in hand, the decision in hand. Brasilia is where things happen. So I invite you here, to be an influencer to participate in this project, to understand Brasilia. I invite you to be with us in this celebration of 60 years of the city. Foto: Paulo Fayad

200


“Advocacia é arte refinada”, afirma João Paulo Todde Fundador da primeira firma de advocacia do Centro-Oeste fala sobre a trajetória do seu negócio

J

oão Paulo Todde Nogueira é CEO e sócio-fundador Todde Advogados. Com 11 anos de existência, seu negócio foi inspirado em escritórios estrangeiros. Todde passou por consultorias americanas, canadenses, espanholas, inglesas e italianas. Seu nicho de atuação, por questões estratégicas e de gestão administrativa, é de processos selecionados, desenvolvendo teses que atendam aos clientes em larga escala. “Pegamos menos clientes e mais processos de cada um. E somente clientes com saúde financeira. E mesmo na nossa área de penal, temos critérios de seleção baseados nos nossos valores. Não atendemos por exemplo, crimes contra a mulher e nem contra infantes”, explica o advogado. Confira a entrevista concedida do Grupo Voz de Brasília: – Vocês se definem como uma firma e não um escritório, qual a diferença? – Somos a primeira firma de advocacia do Centro-oeste. Significa que temos uma gestão empresarial profissionalizada, totalmente livre de intervenções do fundador e livre da dinâmica familiar. Se eu ou meus sócios se ausentam da firma, ela continua funcionando a todo vapor, pois temos rotinas de trabalho. Assim, podemos servir mais e não ficamos limitados ao que somente eu sou capaz de fazer. Atendemos hoje como fullservice, atendemos quinze áreas do direito. Essa estrutura permite que nos espelhemos no que há de mais moderno no exercício da advocacia.

Voz de Brasília João Paulo

foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília – Você sempre teve espírito empreendedor. Como você executa suas metas? João Paulo – Todos me conhecem muito pela advocacia,

mas não foi a minha primeira empresa. Teve maior proporção porque trazia resultados além do esperado e meu propósito sempre foi resultado. Eu sempre encarei que não tinha sonhos, mas sim metas. Desde jovem eu coloquei metas agressivas, sempre com prazos e tudo. Eu sempre busquei pavimentar o caminho para atingir minhas metas. Trabalhei várias frentes na minha vida. A primeira capacitação, nunca parei e acho que isso é essencial em qualquer campo. Investir na postura, na capacidade de relacionamento, em saber construir soluções. E fortalecer o psicológico. Eu investi também em diversos cursos nesta área. E investir na sua relação consigo e com o outro. – Há muitas obras de arte em sua sala de trabalho. Qual o simbolismo disso? – O direito é caracterizado como arte. A advocacia é a arte mais refinada, assim com a música, a pintura. A arte de apresentar ideias, se posicionar, de atrair atenção para construir uma ideia, da capacidade da oratória. E advocacia é a capacidade de postulação de alguém em prol de outrem. Essa intimidade das artes é o que faz que este escritório seja repleto de obras, para entender que a arte inspira arte e faz com que se aumente a sua capacidade criativa.

Voz de Brasília João Paulo

“Advocacy is refined art”, says João Paulo Todde Founder of the first Midwestern law firm talks about a trajectory of his business João Paulo Todde Nogueira is CEO and founding partner Todde Advogados. With 11 years of existence, its business was inspired by foreign offices. Todde went through American, Canadian, Spanish, English and Italian consultancies. Your niche, for strategic and management reasons, is a selection process, developing theses that serve large-scale clients. “We take fewer customers and more processes from each. And only clients with financial health. And in our penalty area, you have quick access to selection in our values. We do not attend, for example, crimes against women or against infants, ”explains the lawyer. Check out an interview granted by the Brasilia Voice Group: Anuário Brasileiro - You are defined as a company and are not an office, what’s the difference? João Paulo - We are the first Midwestern law firm. It means that we have a professional company, totally free of traffic and free from family dynamics. If you or my business are absent from the firm, it will continue to operate at full steam, as we have work routines. So we can serve more and we are not limited to what I can do. We serve today as a full service, we serve fifteen areas of law. This structure allows us to mirror that there is no further law practice. AB - You always had the entrepreneurial spirit. How do you work your goals? JP - Everyone knew me a lot about law, but I didn’t go to my first company. It had more evidence because it brings beyond reason and my reason always results. I always have no dreams, but goals. Since I was young I set aggressive goals, always with deadlines and everything. I have always sought the path to goals. I worked several times in my life. The first training was never and was considered essential in any field. Invest in posture, relationship skills, knowledge of new solutions. And strengthen the psychological. I invested a lot in area. And in your own relationship with yourself and the other.

201


Entrevista com Ivan Soares da Inpress Brasil Especializada em Comunicação Visual, a Inpress virou referência na região van Soares é o fundador da Inpress Brasil, empresa especializada em comunicação visual. Criada em 1999, hoje é uma das referências no setor no mercado do Centro-Oeste e de todo o Brasil. Em um bate-papo com o Grupo Voz de Brasília, Ivan Soares falou sobre sua trajetória profissional e como funciona seu trabalho com a Inpress. – Brasília sempre se mostrou uma cidade para empreendedores. Como você chegou na capital? – Eu sempre fui um cara de muita visão, eu comecei na realidade fora de Brasília com pinturas de letras, pintando faixas, painéis, placas. Eu sempre tive uma preocupação com o futuro, e eu senti que Brasília além de ser o lugar da oportunidade é o lugar do futuro. Quando cheguei aqui em Brasília, algumas pessoas já comentavam comigo que a pintura de letra na Europa era uma profissão falida, e eu me preocupava afinal eu vivo disso, foi quando eu conheci as máquinas de recorte. Que era as máquinas de fazer adesivo, então saímos da mão, da brochinha, e começamos a utilizar as lonas e adesivo vinil colados nessas lonas. Em seguida começaram as máquinas de impressoras a base de água, era uma trabalheira para fazer um banner e você ainda corria o risco de no meio a cabeça falhar e você ter que começar tudo novamente. Começamos com uma lojinha no Gama, com 30m², uma máquina de crachá, uma de recorte e saímos para o futuro. Da brocha para o desenvolvimento dos painéis em recorte, depois migramos para a base d’agua e a Inpress Brasil foi a terceira empresa a adquirir um equipamento de impressão solvente, que tem proteção contra os raios ultravioletas. – A localização da sua empresa é de ótimo acesso. Como você veio parar neste local? – Hoje nós estamos no setor gráfico do Núcleo Bandeirante. A nossa sede aqui, comporta 750m² de área construída, já está pequeno para nosso espaço. Nós começamos no Gama com 30m² dentro de uma loja no shopping, cedida pelo atual administrador. Depois alugamos um imóvel no SIA, que era uma loja só de mais ou menos 100m². Lá chegamos a ocupar 400m². Depois construímos esse prédio aqui, e quando viemos pra cá achamos que era suficiente e hoje o dobro seria talvez o ideal para nos atender, mas estamos felizes e em crescimento. Hoje no Centro-Oeste não conheço nenhuma outra empresa que tenha a estrutura física, de equipamentos e de mão de obra qualificada que nos ajudou a chegar exatamente onde nós estamos.

Voz de Brasília Ivan Soares

Voz de Brasília Ivan Soares

202

Interview with Ivan Soares from Inpress Brasil Specializing in Visual Communication, a region-facing printer Ivan Soares is the founder of Inpress Brasil, a company specialized in visual communication. Created in 1999, today is one of the industry references in the Midwest market and throughout Brazil. In a chat with the Voice Group of Brasilia, Ivan Soares talked about his professional career and how his work with Inpress works. Brasíleiro Yearbook - Brasilia has always shown a city for entrepreneurs. How did you get to the capital? Ivan Soares - I was always a guy with a lot of vision, I started the reality for Brasilia with letter paintings, paintings, panels, plates. I always had a concern for the future, and I felt that Brasilia, besides being the place of opportunity, is the place of the future. When I arrived here in Brasilia, some people already commented to me about letter painting in Europe, when they were a bankrupt profession, and I worried after I live it alive, when I knew the clipping machines. Which was like adhesive machines, so we got out of hand, out of the brochure and started using canvases and the vinyl stickers sticking to them. Then it started as water-based printing machines, it was a working tool to make a banner and you still ran the risk of not having your head fail and you started all over again. Come with a shop in Gama, with 30sqm, a badge machine, a clipping machine and we left for the future. The broach for the development of the cutout panels, then we migrated them to the water base and Inpress Brasil was a third company to purchase oil printing equipment that has protection against ultraviolet rays.

Foto: Paulo Fayad

I

AB - Your business location is the best access. How did you get to this place? IS - Today we are in the graphic sector of the Bandeirante Center. Our headquarters here, with 750sqm of built area, is already small for our space. We started at Gama with 30m² inside a store in the mall, provided by the current administrator. After a property in SIA, which was a shop with about 100sqm. We got to occupy 400m². After building this building here, and when you think it was enough and today or twice, maybe ideal to meet, but we are happy and growing. Today in the Midwest there is no other company that has a physical structure, equipment and skilled labor that will help us get to where we are. AB - Talk to the service offered by Inpress. Who are your main clients? IS - We are a company that for 20 years in the market, I do not know. There may be, but I don’t know, any other here in our region that has nine approvals. We are approved by Spoleto, Claro, Vivo, CVC, Atacadões Day by Day, among others. Inpress is a partner of these companies throughout Brazil, my area of ​​activity mainly thinking about the cost is more in the Midwest. It does all the internal and external visual communication since the project. Inpress is one of the few companies that has a design department. Without outsourcing, we have today: engineers, architects, product design and several other interns in this area. We make the project to the end result. AB - Directly and indirectly you are responsible for several families. How many employees does Inpress employ? IS - We are directly staffed with 48 employees and I believe more than 30 contractors.


Délcio Rodrigues resolveu problema da saúde em Taguatinga Focado em soluções, médico inovou ao fundar hospital fora do Plano Piloto

D

élcio Rodrigues fundou o Hospital Anchieta há 23 anos, com o propósito de melhorar o acesso à saúde da população fora do Plano Piloto. Primeiro hospital particular de Taguatinga, o Anchieta inova até hoje, mesclando gestão familiar, foco na excelência e qualidade, o hospital se destaca no tratamento que dá aos pacientes e a cultura estabelecida entre os funcionários. Em um bate-papo com o Grupo Voz de Brasília, Délcio contou um pouco de sua trajetória de vida e o que o motivou a seguir com o sonho de um hospital verdadeiramente focado no humano. – O senhor veio ainda jovem para Brasília. Como foi sua chegada na capital?

Voz de Brasília

Délcio Rodrigues

Foto: Paulo Fayad

- EEu me confundo com a história de Brasília. Cheguei aqui aos 18 anos, com o objetivo de complementar meus estudos.

Eu vim de Patos de Minas, MG. A escola brasileira de um modo geral, era bastante efervescente no sentido de dar uma consciência política para o jovem. Eu estava bastante antenado do processo político que o país vivia, pós-revolução de 1964, redemocratização. Eu queria seguir a carreira diplomática, ia prestar Direito na Universidade de Brasília, mas sofri uma decepção muito grande com o Pedro Aleixo ter sido impedido de assumir o poder. Desisti do caminho que eu queria seguir por medo de frustração e decidi fazer Medicina, pois estaria em contato direto com o ser humano.

Voz de Brasília

– Em todos esses anos como médico, o senhor já viveu grandes experiências. Como foi sua trajetória na medicina?

Délcio Rodrigues

- Eu sempre tive uma vontade de me enveredar pelo serviço público. Comecei no Hospital dos Servidores da União que hoje é o da UnB, fiz especialização e fiz um concurso nacional para ginecologia e obstetrícia. Fui contratado como médico ginecologista neste hospital, posteriormente fiz concurso para Fundação Hospitalar e trabalhei por alguns anos lá. Senti uma descontinuidade nas políticas públicas de saúde. Os programas eram interrompidos, feitos como política de governo e não de estado. Esta decepção me levou para a iniciativa privada, me

afastando do serviço público. Meu foco era levar saúde onde houvesse demanda, onde o povo precisava. E Taguatinga era uma cidade que tinha uma população maior e não tinha nenhum hospital privado lá. – Quais dificuldades você enfrentou?

Voz de Brasília Délcio Rodrigues

- As demandas de saúde tinham que ser atendidas pelo Plano Piloto, o que inchava o sistema. Por outro lado, os profissionais de saúde não queriam se estabelecer na periferia e a população de Taguatinga ficava desassistida. Em Taguatinga, comecei a me reunir com alguns colegas médicos para definir um plano de saúde que atendesse as demandas da região e que fosse inteiramente privado. Um dos obstáculos, era fazer com que o corpo de profissionais acreditasse na possibilidade de haver um centro hospitalar operando em Taguatinga. Nós construímos isso com a visão de que o centro médico atendesse o cidadão na globalidade de suas demandas de saúde. AB – O Anchieta é referência na região. Como está o hospital hoje? Dr. - Começou com 20 mil m2 e hoje nós temos um complexo de 62 mil m2 funcionando. Só o hospital tem mais de 1,2 mil funcionários e o complexo, tem quase três mil.

Délcio Rodrigues solved health problem in Taguatinga Focused on Solutions, Doctor Innovated by Founding Hospital Pilot Plan Forums Délcio Rodrigues founded Hospital Anchieta 23 years ago to improve access to health for the population outside the Pilot Plan. Taguatinga’s first private hospital, Anchieta innovates to date, blending family management, focus on excellence and quality, the hospital stands out in its treatment of patients and the culture established among its staff. In a chat with the Voice Group of Brasilia, Délcio told a little about his life trajectory and what motivated him to follow with the dream of a truly human-focused hospital. Brazilian Yearbook - You came still young to Brasilia. How was your arrival in the capital? Délcio Rodrigues - I confuse myself with the history of Brasilia. I arrived here at 18 years old, with the purpose of complementing my studies. I came from Patos de Minas, MG. The Brazilian school in general was quite effervescent in the sense of giving a political conscience to the young. I was quite attuned to the political process the country was going through, after the 1964 post-revolution, redemocratization. I wanted to pursue a diplomatic career, I was going to study law at the University of Brasilia, but I was very disappointed that Pedro Aleixo was prevented from taking power. I gave up the path I wanted to follow for fear of frustration and decided to do medicine because I would be in direct contact with the human being. AB - In all these years as a doctor, you have had great experiences. How was your career in medicine? Dr. - I always had a desire to embark on public service. I started at the Union Servers Hospital, which is now UnB’s, I specialized and I took a national competition for gynecology and obstetrics. I was hired as a gynecologist at this hospital, later I applied for Foundation Hospital and worked for a few years there. I felt a discontinuity in public health policies. The programs were interrupted, made as a government policy and not a state policy. This disappointment led me to private enterprise, moving me away from public service. My focus was to bring health where there was demand, where the people needed it. And Taguatinga was a city that had a larger population and had no private hospital there. AB - What difficulties did you face? Dr. - Health demands had to be met by the Pilot Plan, which bloated the system. On the other hand, health professionals did not want to settle in the periphery and the population of Taguatinga was unassisted. In Taguatinga, I began meeting with some fellow doctors to define a health plan that would meet the demands of the region and be entirely private. ed to look for alternatent

203


José Roberto Tadros O lucro é a mola propulsora do desenvolvimento e distribuição de renda

A

frente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), José Roberto Tadros, é o Presidente da entidade sindical de um dos principais setores da economia do País.Juntas, essas categorias respondem por cerca de 1/4 do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e geram aproximadamente 25,5 milhões de empregos diretos e formais. Representante máxima dos cerca de 5 milhões de empresas do comércio de bens, serviços e turismo, a CNC foi fundada em 4 de setembro de 1945. Nascido em Manaus, Tadros é formado em Direito pela Universidade do Amazonas e atua como empresário do setor terciário desde 1974. Além das suas atividades comerciais e sindicais, ele é autor e coautor de diversos livros e membro da Academia Amazonense de Letras, do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas e da Academia de Ciências, Artes e Letras do Amazonas. O Presidente José Roberto Tadros nos recebeu para uma entrevista exclusiva, concedida ao Jornalista Paulo Fayad, da Editora Voz de Brasília, confira um trecho abaixo. - Presidente, conta um pouco da sua trajetória até chegar à frente da CNC. - Foi uma longa caminhada, cinquenta e dois anos. Fui vice presidente de sindicato, presidente de sindicato, administrador do Sesc na Amazônia, presidente da Federação do Comércio e do Sesc e Senac no Amazonas também, presidente de comércio exterior da Confederação Nacional do Comércio, administrador e vice presidente para a Amazônia toda, primeiro vice presidente da CNC e finalmente presidente da CNC por vontade da maioria na eleição de 2018. - A CNC congrega as federações nos estados, fale para os nossos leitores o que é a CNC. - O Presidente Vargas, em prol dos interesses dos empresários, que estava concentrado nas Associações Comerciais, que eram instituições ecléticas, pois congregava desde a atividade primária, a agricultura, atividade secundária, a indústria, como a atividade terciária, comércio e serviços, tudo dentro de um mesmo ambiente, então ele criou um ambiente segmentado para cada uma dessas instituições. No topo da pirâmide estava as Confederações. No entanto, a atuação da CNC vai além de defender os interesses desses segmentos. A Confederação administra, também, um dos maiores sistemas de desenvolvimento social do mundo – o Serviço Social do Comércio (Sesc), com atuação nas áreas de educação, saúde, cultura e lazer, e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial

Voz de Brasília José Roberto Tadros

204

Foto: Voz de Brasília

Voz de Brasília José Roberto Tadros


Voz de Brasília José Roberto Tadros

(Senac), principal agente da educação profissional voltada para o setor do comércio de bens, serviços e turismo. – Essas escolas e faculdades tecnológicas são só para os empresários e seus filhos? – No começo, isso estava voltado para eles. Mas com o crescimento do país e o aumento das necessidades, e por essa ser uma área que o governo não atua, afinal ele oferece apenas instrução formal, com faculdades clássicas como direito, medicina, engenharia, economia, agronomia e etc, isso mudou. Em nível de Senac, nós criamos faculdades tecnológicas e ocupamos um espaço que o estado talvez não tivesse jamais condições de ocupar. Nem tampouco de oferecer lazer, esporte, cultura e saúde para os filhos dos trabalhadores e para a sociedade. Hoje, nós rompemos essa barreira e abrimos para a população, para atender essas necessidades. Porém, é preciso entender que o Sesc e Senac não são “oba-oba”. Lá, nós desenvolvemos um trabalho sério. – Muitos atletas famosos saíram do Sesc, né? – Exatamente. Aí você tem cultura como outro exemplo, com muitos cineastas e pessoas versadas nas artes plásticas saindo de lá. Enfim, nós estamos, ao mesmo em tempo que damos esporte, lazer e cultura, também preparamos aqueles que têm talento para essas atividades para amanhã ter uma fonte de renda e viver desta profissão.

Voz de Brasília José Roberto Tadros

José Roberto Tadros Profit is the driving force of development and income distribution The front of the National Confederation of Trade in Goods, Services and Tourism (CNC), José Roberto Tadros, is the President of the union entity of one of the main sectors of the country’s economy. Together, these categories account for about 1/4 of the Product Gross Domestic Product (GDP) and generate approximately 25.5 million direct and formal jobs. Maximum representative of the approximately 5 million companies in the goods, services and tourism trade, CNC was founded on September 4, 1945. Born in Manaus, Tadros holds a law degree from the University of Amazonas and has worked as an entrepreneur in the tertiary sector since 1974. In addition to his commercial and union activities, he is the author and co-author of several books and a member of the Amazonian Academy of Letters, of the Geographic Institute and History of Amazonas and the Academy of Sciences, Arts and Letters of Amazonas. President José Roberto Tadros received us for an exclusive interview, given to Journalist Paulo Fayad, from Editora Voz de Brasília, check out an excerpt below. Voz de Brasília - President, tell us a little about your trajectory until you reach the head of CNC. José Roberto Tadros - It was a long journey, fifty-two years. I was vice president of the union, president of the union, administrator of Sesc in the Amazon, president of the Federation of Commerce and Sesc and Senac in Amazonas as well, president of foreign trade of the National Trade Confederation, administrator and vice president for the entire Amazon, first vice president of CNC and finally president of CNC by majority will in the 2018 election. Voice of Brasilia - CNC brings together the federations in the states, tell our readers what CNC is. José Roberto Tadros - President Vargas, in favor of the interests of businessmen, who was concentrated in Trade Associations, which were eclectic institutions, since it brought

together from primary activity, agriculture, secondary activity, industry, such as tertiary activity, commerce and services, all within the same environment, so he created a segmented environment for each of these institutions. At the top of the pyramid was the Confederations. However, CNC’s performance goes beyond defending the interests of these segments. The Confederation also manages one of the largest social development systems in the world the Social Service for Commerce (Sesc), with operations in the areas of education, health, culture and leisure, and the National Service for Commercial Learning (Senac), the main professional education agent focused on the goods, services and tourism trade sector. Voz de Brasília - Are these technological schools and colleges only for businessmen and their children? José Roberto Tadros - In the beginning, this was aimed at them. But with the growth of the country and the increase in needs, and because this is an area that the government does not act, after all it offers only formal education, with classic faculties such as law, medicine, engineering, economics, agronomy and etc., that has changed. At the Senac level, we created technological faculties and occupied a space that the state might never have been able to occupy. Nor does it offer leisure, sports, culture and health to the children of workers and to society. Today, we have broken this barrier and opened it up to the population, to meet these needs. However, it is necessary to understand that Sesc and Senac are not “woo-woo”. There, we developed serious work. Voice of Brasilia - Many famous athletes left Sesc, right? José Roberto Tadros - Exactly. Then you have culture as another example, with many filmmakers and people versed in the visual arts leaving there. Anyway, we are, at the same time that we give sport, leisure and culture, we also prepare those who have talent for these activities so that tomorrow they can have a source of income and live off this profession.

205


Cláudia Maldonado é presidente da ADVB e trabalha para melhorar o turismo brasiliense

C

láudia Maldonado é presidente da Associação Brasileira dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil no DF (ADVB /DF) e Presidente do Brasília e Região Convention & Visitors Bureau. Em entrevista para o Grupo Voz de Brasília, Cláudia contou sobre sua trajetória. Confira. – Nossa entrevista será diferente, porque temos como cenário o Lago Paranoá. Gostaria que você inclusive falasse sobre ele. O que você acha do Lago? – Ele é 92% despoluído, isso é muito bacana. É um índice internacionalmente reconhecido. Fica entre a segunda e terceira maior marinha do Brasil, isso também é um diferencial e poucas pessoas que não são aqui da terra conhecem e sabe disso. E é lindo. Qual é a cidade que tem um lago desse tamanho? Uma cidade tombada. Só Brasília. Cada vez mais a gente se apaixona e ama essa cidade. – Você é presidente do Convention & Visitors Bureau. Fale um pouco sobre ele. – A gêneses do Convention, ou seja, onde ela nasceu, é do associativismo. Tinha um movimento em Londres e em Detroit, das cidades se organizar para atrações de negócios. E daí vem a estrutura que o Convention virou, a gente representa os interesses da iniciativa privada no turismo. Nossa função é captar negócios para a cidade, promover. Isso é muito bacana, porque no momento que estamos vivendo é uma sinergia quase que total com o GDF, com a Secretaria de Turismo, se não seria impossível trabalhar. Então é um momento privilegiado que a capital do Brasil está vivendo. Se a gente parar para pensar, o que une o Brasil é Brasília. Porque eu sou do Rio, meu marido é de Minas e Brasília é nossa capital. – Você dedica sua vida ao turismo de Brasília. Como é seu trabalho de divulgação? – O GDF está fazendo um trabalho fantástico de promoção de turismo cívico, mas a iniciativa privada também tem que fazer sua parte. Então a Federação do Comércio, a Associação hoteleira o Convention & Visitors Bureau e a ADVB, a gente está se unindo para que isso entre na grade curricular do ensino médio e fundamental. A gente tem apoio do Senador Izalci. Queremos fazer que o Brasil inteiro conheça Brasília. Isso é um trabalho unido e integrado. Eu não lembro de Brasília ter vivido uma oportunidade tão especial e tão única. Brasília é uma cidade muito nova, mas a gente cobra dela uma maturidade de capital do país. – Estamos fazendo o Almanaque dos 60 anos de Brasília. O que você achou do projeto? – Esse projeto tem linhas transversais, ele não visa só um público mais vários. Isso é importante, porque você tem um leque de oportunidades para que a iniciativa privada possa aportar recursos e visibilizar o projeto. Ao mesmo tempo ele serve como indutor de políticas públicas. É uma oportunidade única viver os 60 anos de Brasília.

Voz de Brasília

Cláudia Maldonado

Voz de Brasília Cláudia Maldonado

Cláudia Maldonado is president of ADVB and works to improve tourism in Brasilia Cláudia Maldonado is president of the Brazilian Association of Brazilian Sales and Marketing Managers in DF (ADVB / DF) and President of Brasília and Region Convention & Visitors Bureau. In an interview with Grupo Voz de Brasília, Cláudia told about her trajectory. Check out. Voice of Brasilia - Our interview will be different, because we have Lake Paranoá as a scenario. I would like you to even talk about it. What do you think of the lake? Cláudia Maldonado - He is 92% clean, this is very cool. It is an internationally recognized index. It is between the second and third largest navy in Brazil, this is also a differential and few people who are not here on earth know and know it. And it’s beautiful. What city has a lake this size? A city listed. Only Brasilia. More and more people fall in love and love this city. Voz de Brasília - You are president of the Convention & Visitors Bureau. Talk a little about him. Cláudia Maldonado - The genesis of the Convention, that is, where she was born, belongs to associations. There was a movement in London and Detroit, from cities to organize themselves for business attractions. And from there comes the structure that the Convention became, we represent the interests of the private sector in tourism. Our function is to capture business for the city, to promote. This is very cool, because at the moment we are living, it is almost a total synergy with the GDF, with the Secretariat of Tourism, if it would not be impossible to work. So it is a privileged moment that the capital of Brazil is experiencing. If we stop to think, what unites Brazil is Brasilia. Because I’m from Rio, my husband is from Minas and Brasília is our capital. Voice of Brasilia - You dedicate your life to tourism in Brasilia. How is your promotion work? Cláudia Maldonado - GDF is doing a fantastic job of promoting civic tourism, but the private sector also has to do its part. So, the Trade Federation, the Hotel Association, the Convention & Visitors Bureau and ADVB, we are uniting so that this will enter the curriculum of high school and elementary school. We have the support of Senator Izalci. We want to make the whole of Brazil know Brasilia. This is a united and integrated work. I do not remember Brasilia having lived such a special and unique opportunity. Brasilia is a very new city, but we demand a maturity of the country’s capital. Voice of Brasilia - We are doing the Almanac of 60 years of Brasilia. What did you think of the project? Cláudia Maldonado - This project has transversal lines, it does not only target a more diverse audience. This is important, because you have a range of opportunities for the private sector to contribute resources and make the project visible. At the same time, it serves as an inducer of public policies. It is a unique opportunity to live 60 years of Brasilia.

Voz de Brasília Cláudia Maldonado

206

Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília Cláudia Maldonado

206


Dr. Luiz Guerra

D

O professor e advogado Luiz Guerra

r. Luiz Guerra também é advogado, jurista e empresário e conversou com exclusividade com o Grupo Voz de Brasília. Confira. – O senhor vive em Brasília há muitos anos. O que te trouxe para a capital? – Eu vim para Brasília aos 17 anos de idade. Vim em 14 de março de 1977. Meu pai já falecido, era funcionário internacional da ONU e o escritório era no Rio de Janeiro, mas com a transferência da capital todos os organismos internacionais da época, foram obrigados a mudarem para Brasília. Ele como funcionário internacional também veio. Eu o acompanhei, afinal era menor de idade e dependente financeiro dele. – Então o senhor chegou em Brasília quando ela também tinha 17 anos. O que um jovem fazia na Brasília de 1977? – Foi muito difícil a adaptação, porque eu vinha do Rio de Janeiro. Eu estava acostumado com o futebol, Maracanã e praia. Chegar em Brasília e ver esse cerradão aqui, tudo vermelho. Terra vermelha. As opções de lazer eram poucas. Brasília até hoje é assim, tem um monte de pessoas de vários lugares do Brasil e hoje do mundo, então existia uma grande dificuldade de se relacionar. Me lembro que meu primeiro ano em Brasília não foi fácil, até que eu um dia depois de estar muito triste de morar na capital federal, posso dizer até que foi o Espírito Santo de Deus, eu acordei e vi o sol. Quando vi o sol, percebi que tinha uma árvore que chegava na janela do apartamento que eu morava na 207 sul, ali houve um despertar, passei a olhar a cidade com outros olhos. Vi jardins, vi canteiros lindo, eu vi essa grama que tem a mão de Deus, porque tem momentos que ela morre e depois volta com todo o verde. Com isso fiquei apaixonado pela cidade. Na época uma das opções de lazer dos jovens era passear pelo Gilberto Salomão. Lá tinha alguns restaurantes, bares e boates. – Entrando na sua carreira. Como é subir os degraus para alcançar o sucesso? – Eu tiraria a palavra sucesso, porque pode ser sinônimo de orgulho e quero tirar isso pois não faz parte da minha vida. Toda caminhada tem seus percalços e suas dificuldades. Falo isso como professor, eu dei aula por 30 anos na faculdade de direito do Ceub. A gente vê que os jovens hoje entram na universidade e nem sabe bem o que querem. Isso não acontecia muito no meu tempo, na época que eu estudei as pessoas eram mais focadas naquilo que queria. A carreira se constrói como se faz uma casa. É tijolo atrás de tijolo. Se faz a base e depois se constrói as paredes. Queria dizer aos jovens que precisamos fazer algo que a gente ama, pois uma carreira é aquilo que você se vincula para eternidade. No meu caso eu entrei para o direito, eu queria fazer direito, cursei, fui um aluno brilhante, muito esforçado. A partir desse esforço veio o resultado da minha vida.

Voz de Brasília Luiz Guerra

Voz de Brasília Luiz Guerra

Together, these categories account for about 1/4 of the Product Gross Domestic Product (GDP) and generate approximately 25.5 million direct and formal jobs. Maximum representative of the approximately 5 million companies in the goods, services and tourism trade, CNC was founded on September 4, 1945. Born in Manaus, Tadros holds a law degree from the University of Amazonas and has worked as an entrepreneur in the tertiary sector since 1974. In addition to his commercial and union activities, he is the author and co-author of several books and a member of the Amazonian Academy of Letters, of the Geographic Institute and History of Amazonas and the Academy of Sciences, Arts and Letters of Amazonas. President José Roberto Tadros received us for an exclusive interview, given to Journalist Paulo Fayad, from Editora Voz de Brasília, check out an excerpt below. Voz de Brasília - President, tell us a little about your trajectory until you reach the head of CNC. José Roberto Tadros - It was a long journey, fifty-two years. I was vice president of the union, president of the union, administrator of Sesc in the Amazon, president of the Federation of Commerce and Sesc and Senac in Amazonas as well, president of foreign trade of the National Trade Confederation, administrator and vice president for the entire Amazon, first vice president of CNC and finally president of CNC by majority will in the 2018 election. Voice of Brasilia - CNC brings together the federations in the states, tell our readers what CNC is. José Roberto Tadros - President Vargas, in favor of the interests of businessmen, who was concentrated in Trade Associations, which were eclectic institutions, since it brought together from primary activity, agriculture, secondary activity, industry, such as tertiary activity, commerce and services, all within the same environment, so he created a segmented environment for each of these institutions. At the top of the pyramid was the Confederations. However, CNC’s performance goes beyond defending the interests of these segments. The Confederation also manages one of the largest social development systems in the world the Social Service for Commerce (Sesc), with operations in the areas of education, health, culture and leisure, and the National Service for Commercial Learning (Senac), the main professional education agent focused on the goods, services and tourism trade sector.

Voz de Brasília Luiz Guerra

Foto: Paulo Fayad

207


Educação é prioridade

A

Reitora do Centro Universitário IESB fala sobre educação e conta um pouco da história da instituição

208

de 82% estão empregados em suas áreas de formação. Nossa preocupação é formar pessoas prontas para introduzirem transformações no mundo”, afirma a professora. A reitora conta que o caminho para o sucesso não foi fácil e que precisou de muita persistência. “A história do IESB é de muita superação. Eu não tinha dinheiro nenhum, vivia de duas aposentadorias. E o crescimento foi muito rápido. Foi uma experiência que mostrou que, nós, mulheres, conseguimos chegar no topo. O IESB é considerado a melhor instituição de Brasília”, relembra. Ela conta que o segredo para o sucesso é vencer medos e se propor a aprender. “Sucesso é algo que nós aprendemos. Quando você aprende a fazer sucesso, ele cresce. E ele deve fazer parte da nossa vida. Invista muito em você e seja muito competente. Não tenho medo de arriscar e errar e por fim, seja forte”. O IESB, que hoje possui cerca de 1300 funcionários, está em processo de expansão. Atualmente, possui unidades em funcionamento nas Asas Sul e Norte e em Ceilândia. Estão previstas a construção de mais dois campus, em Valparaíso e Águas Claras, além da expansão através do programa de educação à distância. “Nossa equipe sonha alto”, comenta Eda.

Education is a priority Dean of the IESB University Center talks about education and tells a little about the institution’s history Education is one of the most important pillars of a nation. In Brasilia, the dean of the Centro Universitário IESB Eda Machado is one of the illustrious characters in the commitment to make Brazil a country of well-formed citizens. Master and PhD in Education from The Pennsylvania State University, Pennsylvania, United States, Eda completed her postdoctoral research on education system innovations at the Max-Planck Institute in Berlin, Germany. She has been in charge of one of the capital’s largest educational institutions since 1993. In an interview with the Voz de Brasília group, Eda spoke about the need to prioritize education as a public policy and the importance of investing in programs such as ProUni and FIES. For her, “people don’t necessarily need to go to university. Not that the University needs to be elitist in class, but on an intellectual level. The government has an obligation to provide scholarships to low-income students, who are brilliant, and we also provide many types of scholarships, ”he explains. Eda says that she founded the institution with the intention of contributing to the formation of perfect citizens and professionals. “IESB has trained more than 40 thousand professionals in 20 years. And according to a survey conducted by the institution, about 82% are employed in their training areas. Our concern is to train people ready to introduce changes in the world ”, says the teacher. The dean says that the path to success was not easy and that she needed a lot of persistence. “The history of the IESB is a great success. I had no money, I lived on two pensions. And the growth was very fast. It was an experience that showed that we women made it to the top. The IESB is considered the best institution in Brasilia ”, he recalls. She says that the secret to success is to overcome fears and set out to learn. “Success is something that we learn. When you learn to be successful, it grows. And it must be part of our life. Invest a lot in yourself and be very competent. I’m not afraid to risk and make mistakes and finally, be strong ”. The IESB, which today has about 1300 employees, is in the process of expanding. Currently, it has units in operation in the South and North Wings and Ceilândia. The construction of two more campuses, in Valparaíso and Águas Claras, is planned, in addition to expansion through the distance education program. “Our team dreams big”, comments Eda.

Foto: Divulgação

educação é um dos pilares mais importantes de uma nação. Em Brasília, a reitora do Centro Universitário IESB Eda Machado é um dos personagens ilustres no engajamento em fazer do Brasil um país de cidadãos bem formados. Mestre e Doutora em Educação pela The Pennsylvania State University, Pensilvânia, Estados Unidos, Eda concluiu seu pós-doutorado sobre inovações do sistema de educação no Instituto Max-Planck em Berlim, Alemanha. Ela está desde 1993 à frente de uma das maiores instituições de ensino da capital. Em entrevista ao grupo Voz de Brasília, Eda falou sobre a necessidade de se priorizar a educação como política pública e da importância de se investir em programas como o ProUni e o FIES. Para ela, “as pessoas não necessariamente precisam ir para a Universidade. Não que a Universidade precise ser elitista em classe, mas em nível intelectual. O governo tem a obrigação de fornecer bolsas para alunos de baixa renda, que são brilhantes e, nós também fornecemos muitos tipos de bolsa”, explica. Eda conta que fundou a instituição com a intenção de contribuir na formação de perfeitos cidadãos e profissionais. “O IESB já formou mais de 40 mil profissionais, em 20 anos. E de acordo com uma pesquisa realizada pela instituição, cerca


Diretor Geral do Mackenzie conta história de sucesso da instituição professor Walter Eustáquio Ribeiro é o Diretor Geral do Mackenzie Brasília. Ele é formado em Relações Internacionais, pela Universidade de Brasília. Foi assessor da presidência do Banco do Brasil por mais de 30 anos. –O Mackenzie possui uma história de sucesso em todo Brasil. Como começou tudo?

Voz de Brasília

Walter Eustáquio Ribeiro - O Mackenzie é

uma escola que tem tradição e pioneirismo na educação. Tem tradição em inovar. Nós somos de 1870, completando este ano 150 anos. Tudo começou na casa de um casal missionário presbiterianos, Reverendo George e Mary Ann Annesley Chamberlain. Eles na sala de estar da sua casa iniciam uma sala mista, ou seja, meninos e meninas. Três alunos na mesma sala. Já foi uma inovação para o Brasil daquela época. Imagina, onde já se viu, homens e mulheres na mesma sala de aula. Isso em 1870 foi motivo de comentários na imprensa da grande São Paulo. De lá para cá essa escola tem sido abençoada a cada dia. Um projeto de Deus. Eu costumo dizer que Deus enviou esse casal de missionários presbiterianos

para o Brasil, para começar um projeto de Deus. Por isso ele é um projeto extremamente vitorioso. – No Brasil o Mackenzie possui essa história vitoriosa. Como ele chegou em Brasília?

Voz de Brasília

Walter Eustáquio Ribeiro – Em 1958, as nossas

irmãs também missionárias americanas, começaram o Instituto Nacional Presbiteriano de Educação. Já inovando naquela época também. Daí nós temos um salto em 1996, que nós inauguramos o Campus parecido com o que temos hoje. Já com alunos da educação infantil até o Ensino Médio. Quando cheguei aqui há oito anos, nós tínhamos mil e poucos alunos, hoje temos mais de 2300 alunos. Já ampliamos o ensino bilíngue, temos middle school e high school com a Universidade do Missouri. Os nossos alunos têm dupla certificação. Eles terminam o ensino fundamental e o ensino médio brasileiro e o ensino fundamental, middle school, e o ensino médio, high school com a escola americana que é nossa parceira. Nas formaturas, temos dupla formatura.

Mackenzie’s General Director tells the institution’s success story Professor Walter Eustáquio Ribeiro is the General Director of Mackenzie Brasília. He holds a degree in International Relations from the University of Brasilia. He was advisor to the presidency of Banco do Brasil for over 30 years. Brazilian Yearbook - Mackenzie has a success story throughout Brazil. How did it all start? Walter Eustáquio Ribeiro - Mackenzie is a school that has tradition and pioneering in education. It has a tradition of innovating. We are from 1870, completing 150 years this year. It all started at the home of a Presbyterian missionary couple, Reverend George and Mary Ann Annesley Chamberlain. They in the living room of their house start a mixed room, that is, boys and girls. Three students in the same room. It was an innovation for Brazil at that time. Imagine, where you’ve seen yourself, men and women in the same classroom. This in 1870 was the subject of comments in the press of the greater São Paulo. Since then, this school has been blessed every day. A project of God. I usually say that God sent this couple of Presbyterian missionaries to Brazil, to start a project of God. So it is an extremely successful project. Brazilian Yearbook - In Brazil, Mackenzie has this victorious history. How did he get to Brasilia? Walter Eustáquio Ribeiro - In 1958, our American missionary sisters started the Instituto Nacional Presbiteriano de Educação. Innovating at that time too. So we have a jump in 1996, when we inaugurated the Campus similar to what we have today. Already with students from kindergarten to high school. When I arrived here eight years ago, we had a thousand students, today we have more than 2300 students. We have already expanded bilingual education, we have middle school and high school with the University of Missouri. Our students have double certification. They finish elementary school and Brazilian high school and elementary school, middle school, and high school, high school with the American school that is our partner. In graduations, we have double graduation.

Foto: Paulo Fayad

O

209


Negócio de família Adney Jayme continua o legado do pai na empresa Planalto Vidros especiais

P

lanalto é uma das primeiras empresas de Brasília. Como foi essa trajetória? Adney Jayme – A Planalto Vidros Especiais é uma empresa que veio evoluindo junto com Brasília. Ela foi fundada em 1958 pelo meu pai, Eujácio Cristiano de Oliveira. Ele nasceu aqui antes da cidade ser construída, em 1940, em Brazlândia. Ele andava nesse trajeto de Brasília a Luziânia, depois de Brasília a Anápolis, antes mesmo de existir nossa capital. Ele viu muitos momentos antes mesmo na inauguração. – Como seu pai entrou para esse seguimento de vidros? – O primeiro serviço dele foi em Anápolis, em uma vidraçaria, como faxineiro. Inclusive, anos depois ele me colocou neste ramo também como faxineiro. Na época eu ainda tinha 12 anos de idade, ele cortou minha mesada e disse que eu teria que trabalhar para ter dinheiro. Então meu pai veio para Brasília, deixando Anápolis pensando em vender areia. Aqui estava construindo e demandando muita necessidade de areia, e ele como havia andado neste cerrado muito antes de Brasília, ele sabia onde encontrar areia. Em uma dessas entregas ele encontrou seu antigo patrão, e ele foi incentivado a voltar a trabalhar com vidro. Esse senhor o deu uma carga de vidro e disse para ele pagar quando puder. Em uma semana meu pai já tinha vendido a carga de vidro, voltou e comprou duas. Ele estava armazenando o vidro em um quarto de pensão. – Vocês são referência com trabalhos com vidros em Brasília. Só vocês fazem vidros curvos na capital? – Sim, nós temos quatro tipos de fornos. O forno de curvatura, o de fusão das peças, o de têmpora e o de laminação. Em termos de fornos nós temos os quatro possíveis. Ainda há uma possibilidade de a gente adquirir o forno que se chama, forno de têmpera química, que ele faz dopagem e vidro. Esse é um projeto que estamos alavancando para o ano que vem. A dopagem e vidro é retirar dele uma substância, no caso o sódio, e entra com outro elemento, o potássio. Todo celular recebe esse vidro. Por incrível que pareça, esse vidro foi descoberto por um brasileiro em 1973, na Unicamp. Essa tecnologia ficou aberta, era uma tecnologia de uma faculdade e outras empresas fora do Brasil a fez virar um produto industrial. Todo smartphone recebe essa tela.

Voz de Brasília Adney Jayme

Family business Adney Jayme continues his father’s legacy at Planalto Vidros Especiais Planalto is one of the first companies in Brasilia. How was this trajectory? Adney Jayme - Planalto Vidros Especiais is a company that has evolved along with Brasília. It was founded in 1958 by my father, Eujácio Cristiano de Oliveira. He was born here before the city was built, in 1940, in Brazlândia. He walked this route from Brasília to Luziânia, after Brasília to Anápolis, before our capital even existed. He saw many moments even before the inauguration. Voz de Brasília - How did your father get into this glass segment? Adney Jayme - His first job was in Anápolis, in a glass shop, as a janitor. Years later, he also put me in this business as a janitor. At the time I was still 12 years old, he cut my allowance and said that I would have to work to have money. Then my father came to Brasília, leaving Anápolis thinking about selling sand. Here he was building and demanding a lot of sand, and since he had been in this savannah long before Brasilia, he knew where to find sand. In one of these deliveries he met his former boss, and he was encouraged to return to working with glass. This gentleman gave him a load of glass and told him to pay when he can. Within a week my father had already sold the glass cargo, came back and bought two. He was storing the glass in a boardinghouse. Voz de Brasília - You are a reference with glass work in Brasília. Do you only make curved glass in the capital? Adney Jayme - Yes, we have four types of ovens. The curvature furnace, the melting furnace, the temple furnace and the lamination furnace. In terms of ovens we have the four possible ones. There is still a possibility for us to acquire the oven that is called the chemical tempering oven, which does doping and glass. This is a project that we are leveraging for next year. The doping and glass is to remove a substance from it, in this case sodium, and it enters with another element, potassium. Every cell phone receives this glass. Incredibly, this glass was discovered by a Brazilian in 1973, at Unicamp. This technology was open, it was a technology

210

Foto: Divulgação

Voz de Brasília Adney Jayme


Visionário, proprietário da Conbral conta como foi trilhar a estrada do sucesso em Brasília Com mais de 54 anos de trajetória empresarial, Ennius Muniz teve a humildade de errar para acertar os 71 anos de vida do empresário Ennius Muniz, mais de 50 deles foram dedicados a duas das mais tradicionais empresas da capital, a construtora Conbral e a Lord Perfumaria. A história do jovem que chegou a Brasília com um sonho, que décadas depois se tornou realidade, se cruza com a de muitos que enxergaram na nova capital do país um “lugar de prosperidade”, como o mesmo define a cidade. Porém, nem só de flores foi a trajetória do empresário em Brasília. Desde 1968 no ramo, a Conbral, mais antiga empresa de construção civil em atividade no DF, enfrentou muitos momentos delicados em sua história. De acordo com Ennius, o setor sofre com agressões externas, principalmente vindas do governo e, sustentar-se no mercado exige muito planejamento. Mas ao invés de desanimar, Ennius enxergou na adversidade uma oportunidade de crescer. “Em umas dessas, percebi que não deveria ter todos os investimentos no ramo da construção civil. Quando o setor entrava em crise, eu entrava em crise verticalmente”, afirma o empresário. Disposto a arriscar e sem medo de errar, Ennius diversificou sua atuação e conta que ainda demorou até compreender o caminho para o sucesso. “Eu segui a máxima de que o grande negócio era diversificar e hoje vejo que foi um erro. O grande negócio é se especializar. Eu fui para o ramo do turismo, do reflorestamento, postos de gasolina. Até chegar à Lord Perfumaria. Eu percebi que não tinha expertise, não dominava tantos seguimentos. Saí pela porta da frente em todos eles e fiquei com a Lord”, relembra. Em pouco tempo, Ennius se encantou pelo varejo. De acordo com ele, observar suas ações e estratégias terem resultado imediato, fez com que ele se sentisse seguro na atividade. “Na construção civil só vai ter resultado quatro,

cinco anos depois. Então foi importante, me ajudou a custear várias coisas e eu tive um segundo negócio interessante”, conta. A partir daí, o empresário só expandiu seus negócios já consolidados. O grupo comprou também a Lady Perfumaria e iniciou o trabalho com franquias. Investiram em posicionamentos diferentes para cada marca, que hoje contam com um público cativo e reconhecimento internacional no ramo. Para o empresário, acreditar no potencial de seus filhos e investir em suas carreiras, também é outro segredo de sucesso. Ao lado do irmão, Paulo Muniz, e de dois de seus quatro filhos, Marcus Vinícius, 45, e Adriana Karina, 48, Ennius executa um plano de sucessão em suas empresas. Segundo Ennius, Brasília ainda continua sendo, mesmo depois de vários anos após sua chegada na cidade, um local com muitas oportunidades de crescimento, e aposta no pioneirismo da capital para prever o sucesso. “Os empresários devem vir para Brasília. É uma oportunidade de fato. Eles vão ajudar a cidade a crescer. Foram os aventureiros que construíram Brasília e que venham novos para ajudar a desenvolver. Aqui sempre terá grandes oportunidades. Nenhuma cidade no Brasil dá tanta oportunidade”, finaliza.

Visionary, owner of Conbral tells how it was to walk the road of success in Brasília With over 54 years of business experience, Ennius Muniz had the humility to make mistakes to get it right Of the 71 years of the life of businessman Ennius Muniz, more than 50 of them have been dedicated to two of most traditional companies in the capital, the construction company Conbral and Lord Perfumaria. The story of the young man who arrived in Brasilia with a dream, which decades later became a reality, intersects with that of many who saw in the new capital of the country a “place of prosperity”, as the city defines. However, the entrepreneur’s trajectory in Brasilia was not just about flowers. Since 1968 in the business, Conbral, the oldest civil construction company in operation in DF, has faced many delicate moments in its history. According to Ennius, the sector suffers from external aggressions, mainly from the government, and sustaining itself in the market requires a lot of planning. But instead of being discouraged, Ennius saw adversity as an opportunity to grow. “In one of these, I realized that I should not have all investments in the construction industry. When the sector went into crisis, I went into crisis vertically ”, says the businessman. Willing to take risks and without fear of making mistakes, Ennius diversified his performance and says that it still took him a while to understand the path to success. “I followed the maxim that the big deal was to diversify and today I see that it was a mistake. The big deal is to specialize. I went to the tourism business, reforestation, gas stations. Until you reach Lord Perfumaria.

Foto: Paulo Fayad

D

211


H

Brasília, jovem aos 60

Foto: Divulgação

á pouco mais de seis décadas, um presidente visionário teve a coragem de construir, em um espaço geográfico estratégico e escolhido cuidadosamente, a capital do País. Hoje, não é só a arquitetura dessa jovem cidade que chama atenção. Mesmo com “poucos” anos de existência, nossa capital já é considerada uma das mais admiradas do mundo, e recebeu da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. São inúmeros os motivos de tanta glória. Brasília, por exemplo, conseguiu atingir o segundo maior crescimento entre as capitais de todo o Brasil, cerca de 2,09%, com 2.974.703 habitantes, segundo pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgada em 2017. Nós estamos na terceira maior capital do Brasil, que já ultrapassou até mesmo Salvador. E isso impacta diretamente em nosso desenvolvimento econômico. Também somos a primeira das quatro capitais brasileiras no ranking mundial da consultoria Mercer sobre qualidade de vida. Classificada em 108º lugar, ultrapassamos o Rio de Janeiro (118º), São Paulo (122º) e Manaus (127º). O destaque não acaba por aí: conquistamos o topo da lista do Pnud (Programa das Nações Unidas Para Desenvolvimento), o que indica “muito alto desenvolvimento humano”. Notoriedade também na medicina, Brasília é a primeira no número de médicos por habitante no País. Segundo estudo da USP (Universidade de São Paulo) e do CFM (Conselho Federal de Medicina), divulgado em 2018, existem 13.215 profissionais de medicina no DF, o que representa cerca de 4,35 médicos para cada grupo de mil habitantes. A média nacional é de 2,18 por mil. Curiosidades também nos rodeiam, pois somos donos de um recorde mundial e continental. Temos, em nosso quadradinho, a maior bandeira do mundo, hasteada na Praça dos Três Poderes, com 286m². O maior parque urbano da América Latina também está aqui. Com 420 hectares, o Parque da Cidade de Brasília chega a ser maior que o icônico Central Park, de Nova York. Grandes nomes, como Lúcio Costa, que planejou a cidade, e Oscar Niemeyer, que fez projetos dos principais prédios públicos da capital federal (Congresso, o Palácio do Planalto, o Palácio da Alvorada e a Catedral), fazem parte da nossa história. O objetivo, segundo o então presidente Juscelino Kubitschek, era deslocar o eixo político do País para fora da região sudeste. Com isso, foram construídas novas estradas e, concomitantemente, outras cidades do Brasil se desenvolveram Tudo isso parece que foi previsto, em um projeto ambicioso nomeado “cinquenta anos em cinco”. A ideia tomou proporções inimagináveis. Foi aqui, nesta cidade, que vimos grandes concepções se estabeleceram. Aqui que meus filhos nasceram e cresceram, lugar que também tomei como sede para um projeto que hoje beneficia milhares de médicos por todo o País, a Anadem (Sociedade Brasileira de Direito Médico e Bioética). Como a maior rede de blindagem profissional do Brasil, temos como missão o zelo pelo exercício ético da Medicina e da Odontologia, o fortalecimento dos fundamentos do Direito Médico e a criação de medidas que assegurem a Segurança do Paciente e a qualidade dos serviços assistenciais.

212

Brasília, young at 60 Just over six decades ago, a visionary president had the courage to build, in a strategic and carefully chosen geographical space, the country’s capital. Today, it is not only the architecture of this young city that draws attention. Even with “few” years of existence, our capital is already considered one of the most admired in the world, and has received from UNESCO (United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization) the title of Cultural Heritage of Humanity. There are countless reasons for so much glory. Brasília, for example, managed to achieve the second highest growth among the capitals of all of Brazil, about 2.09%, with 2,974,703 inhabitants, according to a survey by IBGE (Brazilian Institute of Geography and Statistics) released in 2017. We are in the third largest capital in Brazil, which has already surpassed even Salvador. This directly impacts our economic development. We are also the first of the four Brazilian capitals in the world ranking of the Mercer consultancy on quality of life. Ranked 108th, we surpass Rio de Janeiro (118th), São Paulo (122nd) and Manaus (127th). The highlight does not end there: we are at the top of the UNDP (United Nations Development Program) list, which indicates “very high human development”. Also renowned in medicine, Brasília is the first in the number of doctors per inhabitant in the country. According to a study by USP (University of São Paulo) and CFM (Federal Council of Medicine), released in 2018, there are 13,215 medical professionals in DF, which represents about 4.35 doctors for each group


O representante da educação de qualidade em Brasília

F

Ceub

Dr. Getúlio Américo Moreira Lopes é o reitor do Uni ormado em Direito e Administração pelo próprio UniCeub, Dr. Getúlio conversou com o Grupo Voz de Brasília para falar sobre essa trajetória de sucesso. – O UniCeub é uma instituição extremamente respeitada em Brasília. Como foi o nascimento dessa instituição? – Meu pai veio para Brasília com João Goulart e na sequência ele foi candidato a deputado federal, e voltou em 1963 já como deputado. Os anos foram de passando e foi ficando cada vez mais apaixonado pela cidade e tornou-se um deputado diferente, que já veio para morar. Eles consideravam meu pai um deputado praticamente de Brasília, naquela época não tinha. Em 1967 existia um colégio pequeno na região de onde é

Voz de Brasília Getúlio Américo

o Santuário Dom Bosco, e os donos queriam ampliá-lo e fazer um colégio melhor. Meu pai foi convocado para isso e falou com eles, que para colégio ele não topava, mas enfrentaria o desafio de se fazer uma universidade. Porque Brasília precisava muito deste local, para as pessoas se encontrarem e se desenvolver culturalmente. – Seu pai foi um visionário, hoje o UniCeub é uma grande instituição. Quais foram as dificuldades encontradas na época? –A primeira dificuldade é que eles não tinham muito capital, mas eles toparam o desafio. Várias pessoas agregaram a ideia, muitos professores, políticos, que tiveram essa vontade de fazer o Ceub, e aplaudiram e juntaram um corpo forte, que depois se transformou no conselho da faculdade. Nós começamos oficialmente em 1968, naquela época estavam começando as universidades particulares, tinham poucas e acabamos sendo aprovados. Nosso ato de aprovação foi transmitido pela Voz do Brasil. Eles transmitiram nosso primeiro ato oficial tornandose faculdade, não éramos ainda Centro Universitário.

Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília Getúlio Américo

Voz de Brasília

Qual a diferença de faculdade e centro universitário? – Você pode fazer Universidade, Faculdade ou Centro Universitário, e as diferenças são as autonomias e o ensino. A qualidade do ensino. A faculdade tem menos compromissos e menos exigências do MEC. O Centro Universitário já tem exigências como uma Universidade, só que tem menos exigências com pesquisas não precisa possuir professores doutores. O centro universitário com essa autonomia pôde crescer e foi muito participativo com a ampliação do ensino superior particular. – Qual foi o principal objetivo que você alcançou com o UniCeub? – Agora em julho acabamos de formar a primeira turma de medicina. Esse era um sonho do meu pai, que ele não pode realizar vivo, mas eu tive a felicidade com o apoio de toda equipe aqui do Ceub de conseguir implantar o curso de medicina. Tivemos a aula da saudade e falei que eles eram a personificação do sonho do meu pai.

Getúlio Américo

Voz de Brasília Getúlio Américo

The representative of quality education in Brasilia Dr. Getúlio Américo Moreira Lopes is the rector of UniCeub With a degree in Law and Administration from UniCeub himself, Dr. Getúlio spoke with Grupo Voz de Brasília to talk about this successful trajectory. Voice of Brasilia - UniCeub is an extremely respected institution in Brasilia. How was the birth of this institution? Getúlio Américo - My father came to Brasília with João Goulart and afterwards he was a candidate for federal deputy, and returned in 1963 already as a deputy. The years went by and he became more and more in love with the city and became a different deputy, who has already come to live. They considered my father a deputy practically from Brasilia, at that time he didn’t have one. In 1967, there was a small school in the region where the Don Bosco Sanctuary is located, and the owners wanted to expand it and make a better school. My father was summoned for this and spoke to them, that for college he did not agree, but would face the challenge of starting a university. Because Brasilia really needed this place, for people to meet and develop culturally. Voz de Brasília - Your father was a visionary, today UniCeub is a great institution. What were the difficulties encountered at the time? Getúlio Américo - The first difficulty is that they did not have much capital, but they took up the challenge. Several people added the idea, many professors, politicians, who had this desire to do Ceub, and applauded and joined a strong body, which later became the faculty council. We officially started in 1968, at that time private universities were starting, there were few and we ended up being approved. Our approval act was transmitted by Voz do Brasil. They transmitted our first official act becoming a college, we were not yet a University Center. Voz de Brasília - What is the difference between college and university center? Getúlio Américo - You can go to University, College or University Center, and the differences are autonomies and teaching. The quality of teaching. The faculty has fewer commitments and less demands from the MEC. The University Center already has requirements as a University, only that it has fewer requirements with research, it does not need to have PhD professors. The university center with this autonomy was able to grow and was very participative with the expansion of private higher education. Voz de Brasília - What was the main objective you achieved with UniCeub? Getúlio Américo - Now in July, we have just formed the first medical class. This was my father’s dream, which he cannot make alive, but I was happy with the support of the entire team here at Ceub to be able to implement the medical course. We had the nostalgia class and I said that they were the embodiment of my father’s dream.

213


E

O legado do Escritor Lourival Lopes ntrevista com o grande escritor de Brasília, Lourival Lopes, Um homem que chegou em Brasília, entusiasmado pela Alvorada, que era o início de uma nova era no Planalto Central. “Lanço o meu olhar para o futuro do meu país” esta frase de Juscelino Kubitschek norteou a empolgação deste escritor que veio em busca de progresso, trabalhou, estudou e passou no concurso para servidor do Senado Federal. Considera que o Governo Militar foi bom para o Brasil. Quem assistir a entrevista toda vai saber desta história e opinião única de um baluarte desta capital. O escritor Lourival é contra o derramamento de sangue, mas a mudança da mentalidade deve ocorrer para que o povo amadureça. Acha que não precisamos mais disso, mas naquela época era necessário a intervenção militar. Lembrou da CVV, Centro de Valorização da Vida e da Central da Paz. Fundou uma editora, a Otimismo onde edita até hoje palavras de sabedoria para reflexão das pessoas, o livro de bolso. Elogiou o trabalho que estamos fazendo para homenagear os 60 anos de Brasília. Vale a pena assistir aqui no QR Code abaixo toda a íntegra desta entrevista.

Entrevista concedida ao jornalista Paulo Fayad

The legacy of the writer Lourival Lopes Interview with the great writer from Brasília, Lourival Lopes, A man who arrived in Brasilia, enthusiastic about Alvorada, which was the beginning of a new era in the Central Plateau. “I take a look at the future of my country” this sentence by Juscelino Kubitschek guided the excitement of this writer who came in search of progress, worked, studied and passed the contest to serve in the Federal Senate. He considers that the Military Government was good for Brazil. Those who watch the entire interview will know this story and the unique opinion of a bastion in this capital. The writer Lourival is against bloodshed, but the mentality must change in order for the people to mature. He thinks we don’t need this anymore, but at that time military intervention was necessary. He remembered CVV, the Life Valuation Center and the Peace Center. He founded a publishing house, Optimismo, where he edits words of wisdom to reflect on people, the pocket book. He praised the work we are doing to honor the 60 years of Brasilia, it is worth watching here in the QR Code below the entire interview.

Foto: Paulo Fayad

214


Reinvenção garante vida longa a empresa

A

Empresário Vicente Faria conta como remodelou seu negócio para resistir às mudanças de mercado empresa Logística & Distribuição VIP DF foi desenvolvida a partir da necessidade de um operador logístico especializado e qualificado na prestação de serviços, para atender os clientes de Distrito Federal. Em janeiro do ano de 2000, o empreendedor Vicente Faria aproveitou sua experiência com mais de 10 anos, para criar uma empresa especializada com uma proposta de atuação diferenciada na área. O sucesso veio rápido, obtendo reconhecimento no mercado por meio de parcerias sólidas e verdadeiras. Em meio a importantes clientes, a VIP DF é representante exclusiva do Grupo Abril Comunicações, desde a

criação da empresa, realizando a distribuição de revistas para todos os assinantes do Distrito Federal e Entorno. Além do Grupo Abril, atende agências de propaganda, construtoras, sindicatos e outros ramos que demandam entregas com eficiência. O fundador da empresa, Vicente Faria, conversou com o grupo Voz de Brasília e contou um pouco da sua trajetória. Confira:

Voz de Brasília

– Como foi a sua chegada em Brasília? - Eu era funcionário do Grupo Abril em Belo Horizonte, cuidava da distribuição. Em 1999, o grupo desenvolvia o projeto em Brasília e me pediram que viesse para Brasília, pois era uma cidade mais

Vicente Faria

movimentada e que precisava de alguém com experiência. Cheguei em Brasília em 13 de dezembro daquele ano e nunca mais voltei. Virou minha terra. – Fale um pouco da sua empresa. Construí minha empresa que, faz todo o atendimento aos assinantes Abril do DF e do entorno. Há 20 anos trabalho com distribuição porta a porta, vendas para bancas e distribuição de e-commerce agora, acompanhando o mercado. – Você acha que as publicações impressas vão acabar com o advento da internet? - O mercado de publicações impressas no Brasil, houve uma redução

Voz de Brasília Vicente Faria

Voz de Brasília Vicente Faria

drástica no volume, tanto de assinantes, como em bancas. Eu não diria que isso é só devido à internet. Nós passamos por uma crise e as pessoas priorizam seus gastos e abrem mão de passar em uma banca e comprar uma revista. Mas é um mercado que ainda está ativo. O que estamos fazendo para evoluir e acompanhar o mercado é atender o e-commerce. Isso veio reparar essa perda de movimentação das publicações. Eu acredito que a revista impressa nunca vai deixar de existir. Quando surgiu o rádio, disseram que o jornal ia acabar de existir e isso não aconteceu. Existe uma tendência de incluir outros tipos de publicações no mercado, como os colecionáveis.

Reinvention ensures long life for the company Entrepreneur Vicente Faria tells how he remodeled his business to resist market changes The company Logística & Distribuição VIP DF was developed from the need for a specialized and qualified logistics operator in the provision of services, to serve customers in the Federal District. In January 2000, the entrepreneur Vicente Faria took advantage of his experience with more than 10 years, to create a specialized company with a proposal of differentiated performance in the area. Success came quickly, gaining recognition in the market through solid and true partnerships. Among important customers, VIP DF is the exclusive representative of the Abril Comunicações Group, since the creation of the company, carrying out the distribution of magazines to all subscribers in the Federal District and Surroundings. In addition to the Abril Group, it serves advertising agencies, construction companies, unions and other branches that demand efficient deliveries. The company’s founder, Vicente Faria, spoke with the group Voz de Brasília and told a little about his trajectory. Check out: Anuário Brasileiro - How was your arrival in Brasília? Vicente Faria - I was an employee of the Abril Group in Belo Horizonte, took care of distribution. In 1999, the group developed the project in Brasilia and asked me to come to Brasilia, as it was a busier city and needed someone with experience. I arrived in Brasilia on December 13 of that year and never came back. It became my land. AB - Tell us a little about your company. VF - I built my company that does all the service to Abril subscribers in DF and the surrounding area. For 20 years I have been working with door-to-door distribution, sales to newsstands and e-commerce distribution now, following the market. AB - Do you think that print publications will end the advent of the internet? VF - The printed publications market in Brazil, there was a drastic reduction in the volume of both subscribers and newsstands. I would not say that this is only due to the internet. We went through a crisis and people prioritize their spending and give up going to a newsstand and buying a magazine. But it is a market that is still active. What we are doing to evolve and follow the market is to serve e-commerce. This came to repair this loss of movement in publications. I believe that the printed magazine will never cease to exist. When the radio came on, they said the newspaper was going to end and it didn’t. There is a tendency to include other types of publications on the market, such as collectibles.

Foto: Paulo Fayad

215


O empresário Adelmir Santana completa 56 anos de uma história de sucesso na capital

O

empresário e político Adelmir Araújo Santana, 74 anos, foi presidente da Fecomércio-DF por 17 anos. A entidade administrada pelo Sesc, Senac e Instituto Fecomércio. Também já presidiu o Conselho Deliberativo do Sebrae-DF. Entre 2007 e 2011 foi Senador da República pelo Distrito Federal, ao substituir o Paulo Octávio. - Você veio para Brasília muito jovem. O que te motivou? - Brasília é fruto de um sonho. Um sonho de Juscelino Kubitschek e que contatou todos nós que viemos. Juscelino efetivamente foi o maior empreendedor do século passado. Ele tinha uma capacidade enorme de convencimento. Quando eu era muito jovem, ainda nos primórdios da construção, já estava pronto para completar 18 anos para Brasília. Logo quando concluir a maior idade e me mudar para a cidade, em 1963. Eu vi o surgimento de muitos edifícios, muitas

Voz de Brasília Adelmir Santana

foto: Paulo Fayad

216

vias, muitas obras públicas. Realmente vivenciei essa consolidação de Brasília, essa cidade modificou a vida de todos nós que viemos para cá. - O senhor chegou em Brasília em 1963, quando aqui não havia nada. Como era a vida nessa época? - Desde jovem eu era muito focada nesta questão de Brasília, uma capital do país. Eu vim para uma cidade para ser funcionário da empresa chamada DCT, Departamento de Correios e Telégrafos. Graças à participação de alguns políticos, eu já me relacionei com senadores e deputados, apesar de ser menor de idade e sempre gostar muito de política. Quando cheguei aqui na cidade estava um caos, muitas greves e muitas confusões. Com uma revolução de 1964, minha nomeação no DCT foi anulada e eu tive uma vida muito difícil nos últimos meses de Brasília, porque na época em que era possível até a possibilidade de voltar a capital para o Rio de Janeiro. Fique aqui por um período longo, praticamente desempregado, com mais algumas economias. Mais um dos primeiros dias na Asa Norte, depois fui para

Voz de Brasília

Adelmir Santana

Taguatinga, em seguida para Sobradinho, onde fixei minha residência. Fiquei lá até 1970. Me tornei funcionário público do GDF. Fiquei por sete anos. Estude uma das primeiras turmas do UniCeub. Também trabalhei na indústria farmacêutica onde permaneceu por 15 anos. - O senhor tinha estabilidade no serviço público e pediu demissão. Quando começa sua vida empresarial? - na indústria farmacêutica e comecei como vendedor propagandista. Depois cheguei a gerente de equipe, supervisor de equipe, gerente de filial, gerente de divisão e o meu sonho era presidente de laboratório. Mas eu não falava inglês fluente e fui mandado embora como gerente de divisão. Era um cargo alto. Depois dessa demissão que fato começa minha vida empresarial. Eu ganhava muito bem e me remunerava com tudo o que eu tinha direito, então montei a minha primeira farmácia em 1986. A primeira foi composta por outras coisas e termina com 29 drogarias, até que seja vendida pelo grupo Drogasil, isso tem nove anos.

Voz de Brasília

Adelmir Santana

Entrepreneur Adelmir Santana celebrates 56 years of success in the capital The businessman and politician Adelmir Araújo Santana, 74, was president of Fecomércio-DF for 17 years. The entity managed by Sesc, Senac and Instituto Fecomércio. He has also chaired the Deliberative Council of Sebrae-DF. Between 2007 and 2011 he was Senator of the Republic for the Federal District, replacing Paulo Octávio. Anuário Brasileiro - You came to Brasília very young. What motivated you? Adelmir Santana - Brasília is the result of a dream. A dream of Juscelino Kubitschek and who contacted all of us who came. Juscelino was effectively the greatest entrepreneur of the last century. He had an enormous capacity for convincing. When I was very young, still in the early stages of construction, I was ready to turn 18 for Brasília. Right when I was older and moved to the city in 1963. I saw the appearance of many buildings, many roads, many public works. I really experienced this consolidation of Brasília, this city changed the lives of all of us who came here. AB - You arrived in Brasilia in 1963, when there was nothing here. What was life like at that time? AS - Since I was young I was very focused on this issue of Brasilia, a capital of the country. I came to a city to be an employee of the company called DCT, Department of Posts and Telegraphs. Thanks to the participation of some politicians, I have already had relationships with senators and deputies, despite being a minor and always very fond of politics. When I arrived here in the city it was chaos, a lot of strikes and a lot of confusion. With a 1964 revolution, my appointment at DCT was canceled and I had a very difficult life in the last months of Brasilia, because at the time it was even possible to return the capital to Rio de Janeiro. Stay here for a long time, practically unemployed, with a few more savings. Another one of the first days at Asa Norte, then I went to Taguatinga, then to Sobradinho, where I settled my residence. I stayed there until 1970. I became a public employee at GDF. I stayed for seven years. Study one of the first UniCeub classes. I also worked in the pharmaceutical industry where I stayed for 15 years. AB - You had stability in the public service and you resigned. When does your business life begin? AS - in the pharmaceutical industry and started out as a salesman. Then I became a team manager, team supervisor, branch manager, division manager and my dream was lab president. But I did not speak fluent English and was dismissed as a division manager. It was a high position. After this dismissal, my business life really begins. I earned very well and paid for everything I was entitled to, so I set up my first pharmacy in 1986. The first was composed of other things and ends with 29 drugstores, until it is sold by the Drogasil group, this is nine years old.


Foto: Governo do Distrito Federal/Bento Viana

Clube de golf 217


“Nível de educação dos brasilienses é impressionante”, diz advogado Kildare Meira conta que sempre se surpreende com a organização, gentileza e acolhimento da cidade

A

Covac Sociedade de Advogados atua há 10 anos em diversas áreas do Direito, com advogados especialistas que prestam atendimento em escritórios localizados em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Kildare Araujo Meira, um dos associados do escritório, conversou com o grupo Voz de Brasília e contou um pouco sobre a atuação no terceiro setor, com entidades religiosas. Confira: – Conte um pouco da sua trajetória até chegar em Brasília. - Eu sou paraibano, da cidade Patos. Terminei o ensino médio lá e fui fazer Direito na Universidade Federal da Paraíba. Vim para Brasília ao concluir o curso, para trabalhar em um escritório. Estou há 20 anos em Brasília. Aqui me casei e tive três filhos. – Como surgiu a Covac? - A Covac tem 11 anos. Resolvemos nos juntar para formar essa sociedade. Temos uma atuação muito específica no terceiro setor, no setor de educação, com organizações religiosas e nos setores filantrópicos. Temos filiais no Rio de Janeiro e em São Paulo. Somos extremamente especializados. Eu, por exemplo, tenho expertise em imunidade tributária. – Como você enxerga Brasília? - Antes de chegar em Brasília, eu tinha aquela imagem da cidade do poder, da cidade fria. E eu encontrei outra realidade. Cheguei em 2000 e achei uma cidade acolhedora, de um nível intelectual muito bom. O nível de educação do brasiliense me chamou muito a

Voz de Brasília Kildare Meira Voz de Brasília Kildare Meira

Fonte: Paulo Fayad

Voz de Brasília Kildare Meira

atenção. Eu lembro de uma comemoração de Sete de Setembro na qual eu via as pessoas se organizarem em filas sem ter ninguém coordenando. Inclusive lembro de ouvir comentários de turistas “Nossa, as pessoas aqui se organizam em fila sem ninguém pedir”. O respeito ao ser humano me impressiona muito, O respeito à faixa de pedestre. Não existe preconceito, quem vem do Norte, Nordeste, Sul, se encontra e tudo corre bem. Eu digo que Brasília é uma ilha cercada de Brasil por todos os lados. - O que você espera da comemoração do aniversário de Brasília e do lançamento do Almanaque? - É essencial comemorar o aniversário dessa cidade. Seus valores, seus fundamentos. Comemorar a coragem de Juscelino e dos milhares de candangos que vieram para cá. A gente luta sempre para mostrar a Brasília que é formada pelas pessoas que vivem aqui, contra a Brasília que é mostrada nos noticiários, do Congresso Nacional, dos escândalos. Um projeto como esse é essencial para contribuir para a formação da imagem dessa cidade. – Você tem contribuído com o Governo do Distrito Federal. Fale um pouco sobre isso. - Quem muito recebe, tem que devolver. Eu tenho uma dívida de gratidão com essa cidade. Por seis anos eu servi a comunidade através da OAB, procurando fomentar a qualidade das entidades do terceiro setor, que são importantes para a construção dessa cidade. O Ibaneis me convidou para atuar como assessor de assuntos religiosos e terceiro setor, é uma atividade que estou desenvolvendo similar ao que eu fazia na OAB. Articular as entidades, sendo um canal de comunicação entre o governo e essas instituições. Os graves problemas só serão solucionados se a gente envolver toda a comunidade e as igrejas e ONGs fazem parte da solução.

Voz de Brasília Kildare Meira

Voz de Brasília Kildare Meira

“The level of education of Brasilienses is impressive”, says a lawyer Kildare Meira says that she is always surprised by the organization, kindness and hospitality of the city Covac Sociedade de Advogados has been working for 10 years in several areas of law, with specialist lawyers who provide services in offices located in São Paulo, Rio de Janeiro and Brasília. Kildare Araujo Meira, one of the firm’s associates, spoke with the group Voz de Brasília and told a little about the performance in the third sector, with religious entities. Check out: Voice of Brasilia - Tell us a little about your trajectory until you arrive in Brasilia. Kildare Meira - I’m from Paraíba, from the city of Patos. I finished high school there and went to law school at the Federal University of Paraíba. I came to Brasília when I finished the course, to work in an office. I’ve been in Brasilia for 20 years. Here I got married and had three children. Voice of Brasilia - How did Covac come about? Kildare Meira - Covac is 11 years old. We decided to come together to form this society. We have a very specific role in the third sector, in the education sector, with religious organizations and in the philanthropic sectors. We have branches in Rio de Janeiro and São Paulo. We are extremely specialized. I, for example, have expertise in tax immunity. Voz de Brasília - How do you see Brasília? Kildare Meira- Before arriving in Brasília, I had that image of the city of power, of the cold city. And I found another reality. I arrived in 2000 and found a welcoming city, with a

218


Cirurgião de renome Múcio Porto está à frente de sua clínica especializada em cirurgia plástica e estética há mais de dez anos ascido em Patos de Minas, o doutor Múcio Porto chegou à capital com apenas sete anos. De família muito pobre, viu no estudo uma forma de realizar os sonhos dele e de outras pessoas. Referência nacional em cirurgia plástica, Porto conversou com o Grupo Voz de Brasília sobre sua trajetória. Confira: – Como foi sua chegada em Brasília? - Cheguei aqui com parte da família em 3 de agosto de 1969. Eu não tinha ideia do que era Brasília, tinha apenas sete anos. Fomos morar no Guará I. Fomos a quinta família a mudar para lá. Não tinha água, luz, asfalto. A gente foi se organizando e os outros irmãos foram vindo também. Estudei em várias escolas do Guará I. Em 1975 fui estudar no Plano Piloto, onde terminei o ensino médio. Trabalhei como menor aprendiz no Banco do Brasil e aquilo era uma honra para quem vinha de família pobre. – Você venceu pelo estudo? - Minha mãe sempre falava que a única herança que ela podia deixar para a gente era um diploma. Existia essa preocupação de famílias muito pobres em estudar. Meu avô era muito pobre, analfabeto e já tinha essa cabeça. Estudo é algo que ninguém te tira. Estudar em escolas públicas naquela época era muito boa. A gente teve uma boa formação. – Como decidiu trabalhar com cirurgia plástica? - Em 1971, eu passei férias em Patos de Minas, onde nasci, na casa da minha irmã mais velha. Minha sobrinha, na época com pouco mais de um ano, teve um acidente com óleo quente e queimou o pescoço. Ela teria que fazer uma plástica na cicatriz e aquilo me chamou a atenção. Eu já entrei na medicina querendo ir para essa área. Mesmo assim que sempre acompanhei outras áreas, plantões, porque acho que um médico deve ser completo. Deve ter sua especialidade, mas, acima de tudo, humanidade. – Como foi a formação em cirurgia plástica? - Eu me graduei em cirurgia geral no Hospital das Forças Armadas e depois fiz a prova do professor Ivo Pintagy. Eu mandava cartas para ele perguntando sobre os processos para fazer a prova. Eu passei na prova, fiz o curso na PUC do Rio de Janeiro. Foram três anos de preparação, cirurgia reparadora, estética, queimados e etc. Eu fui convidado para ser residente da clínica do Dr. Ivo, às vezes ele deixava a gente terminar uma cirurgia ou começar uma cirurgia. – E a trajetória da sua clínica? - Montei minha clínica em Brasília, porque já era o meu plano. Achava que era um bom lugar, sempre gostei daqui. O início foi muito difícil. Como não tinha condições financeiras, já comecei em dívida. Mas quando você já tem desenhado na sua cabeça o que você quer da vida,

Voz de Brasília Múcio Porto

Voz de Brasília Múcio Porto Voz de Brasília Múcio Porto

Voz de Brasília Múcio Porto

Voz de Brasília Múcio Porto

Foto: Paulo Fayad

N

as coisas não parecem tão difíceis. A gente recebia as ligações e dizia que não tinha horário, mesmo com a agenda livre. Depois ligávamos de volta, dizendo que havia surgido uma vaga. Era uma estratégia de marketing. Na cirurgia plástica o mais difícil é provar para você mesmo que você é capaz de realizar aquilo que o paciente quer. – Quais as opções de procedimentos na sua clínica? - Hoje temos uma miríade de opções de tratamento. Temos as cirurgias, que não vão acabar ainda. Mas temos opções pouco invasivas, são tecnologias baseadas em preenchedores. Eu sempre coloco as opções não invasivas para os pacientes antes de falar em cirurgia. Para o rejuvenescimento facial, temos três grupos de tratamento. Os fios de sustentação, que começaram nos anos 1950, fazem um sanfonamento do tecido gorduroso. Duram em média dois anos, eles levantam a gordura facial. Temos também reposições de tecidos, vários tipos de preenchedores. O ácido hialurônico é o carro-chefe desse tratamento. Ele é biocompatível e estimula a produção de colágeno. E temos as tecnologias de estimular a pele, que são a radiofrequência e o microagulhamento.

Voz de Brasíli Múcio Porto

“I am grateful for Brasília”, says cyclist Abraão Azevedo International athlete, he has already competed in Europe and South Africa One of the greatest references in Brazilian Mountain Bike, Abraão Azevedo has been Pan-American XCO champion, XCO master world champion and eleven times national champion. Born in Goiás and for more than 30 years in Brasília, Azevedo has a sincere love and gratitude for the city. In a chat with Grupo Voz de Brasília, Abraão Azevedo talks about his career and the sport. Check out. Brazilian Yearbook - Cycling is not popular in Brazil. How did you find out about the sport? Abraão Azevedo - I had contact with cycling more as a leisure. As a child, we made some trips by bicycle, went to make the family a group, it was a route of about 80 km away. As t

219


De pai para filho Os doutores Julian Rodrigues e Flory Machado estão à frente da Clínica Ortholife

A

clínica Ortholife foi idealizada com o objetivo de atender pacientes com as mais diversas necessidades ortopédicas em Brasília. Foi fundada em 2010 e hoje conta com uma equipe de especialistas de destaque no cenário de Brasília. Atualmente existem duas unidades, na Asa Sul e Asa Norte. A Voz de Brasília traz com exclusividade uma entrevista com pai e filho. Confira. –Dr. Flory o senhor é um pioneiro de Brasília. Como você chegou na capital? – Literalmente eu cheguei de carona de caminhão. Eu fazia medicina no Rio Grande do Sul, e tinha um colégio meu que foi fazer estágio em Santa Catarina, e ele sabendo que eu era ligado ao futebol e ao trauma do esporte, ele me falou que Brasília por estar começando era um lugar para eu iniciar. Naquela época a gente lutava com muita dificuldade, estudante de família simples. Então fui pra Belo Horizonte de ônibus e depois de carona com um caminhão. Chegando em Brasília eu fui conversar com o diretor do Hospital de Base, porque ele era gaúcho, Dr. Adir Prates Flores. Eu vim fazer o último ano de medicina aqui em Brasília. – É a primeira vez que entrevista pai e filho juntos e isso me orgulha muito. Qual a influência do seu pai na sua escolha pela medicina? – A história do meu pai se confunde com a história de Brasília. Ele chegou aqui em 1968 e se tornou uma parte dessa cidade. Ele adotou Brasília como sua casa, teve seus filhos aqui, continuou exercendo a profissão que ama e me ensinou a gostar disso desde sempre. Eu cresci nos corredores do Hospital de Base e no Hospital Universitário, que antes se chamava Presidente Médici. Eu cresci dentro deste ambiente por conta da influência dele. Me perguntam se eu fiz medicina por causa do meu pai, e eu sempre falo que ele nunca pediu para que eu fizesse, mas fiz por causa do exemplo dele. No dia que eu falei que iria fazer medicina, ele se surpreendeu e se emocionou. Eu fiz minha faculdade em Minas Gerais, e voltei pra Brasília. Ele não queria que eu ficasse aqui, mas acabei voltando, porque eu queira seguir os passos do

Voz de Brasília Flory Machado

Voz de Brasília

Foto: Paulo Fayad

Julian Rodrigues

220

Voz de Brasília

exemplo que tive a minha vida todo. – Seu filho mencionou que o senhor atendia grandes autoridades. Como foi ter esse privilégio? – Eu atendi vários ex-presidentes, mas vou falar do povão. Porque todos esses atendimentos se deram, porque eu nasci dentro da medicina do esporte aqui em Brasília e meu nome se tornou muito conhecido, eu era médico só de hospital público. O Hospital de Base e o Universitário. Várias personalidades que chegaram a mim, me falavam que tinha sido indicado pelo motorista. Esses personagens importantes de Brasília, vieram trazidos pelos funcionários deles.

Flory Machado

From father to son Doctors Julian Rodrigues and Flory Machado are in charge of Clínica Ortholif International athlete, he has already competed in Europe and South Africa Doctors Julian Rodrigues and Flory Machado are in charge of Clínica Ortholif The Ortholife clinic was created with the objective of assisting patients with the most diverse orthopedic needs in Brasília. It was founded in 2010 and today it has a team of outstanding experts in the Brasilia scene. There are currently two units, at Asa Sul and Asa Norte. The Brazilian Yearbook brings an exclusive interview with a father and son. Check out. Voice of Brasilia –Dr. Flory, you are a pioneer in Brasília. How did you get to the capital? Flory Machado - I literally came by truck. I was doing medicine in Rio Grande do Sul, and I had a college of mine that went to do an internship in Santa Catarina, and when he knew that I was connected to football and the trauma of the sport, he told me that Brasilia for starting was a place for me start. At that time we struggled with difficulty, a simple fam-

ily student. So I went to Belo Horizonte by bus and after a ride with a truck. Arriving in Brasília, I went to talk to the director of Hospital de Base, because he was from the state of Rio Grande do Sul, Dr. Adir Prates Flores. I came to do the last year of medicine here in Brasilia. Voice of Brasilia - It is the first time that I interview father and son together and that makes me very proud. What is your father’s influence on your choice of medicine? Julian Rodrigues - My father’s story is confused with the story of Brasília. He arrived here in 1968 and became a part of that city. He adopted Brasilia as his home, had his children here, continued to exercise the profession he loves and taught me to enjoy it forever. I grew up in the corridors of the Hospital de Base and at the University Hospital, which used to be called Presidente Médici. I grew up in this environment because of his influence.


Passado, presente e futuro da rede Fujioka Em uma rara entrevista à Voz de Brasília, Teruo Fujioka conta um pouco de sua história e da empresa que fundou com o irmão

Q

uando foi fundado, em 11 de maio de 1964, em Goiânia, o Fujioka era uma pequena empresa que funcionava em uma sala de trinta metros, onde Teruo e Susumi Fujioka, na casa dos 20 anos, de idade começavam a trabalhar tirando fotos para documentos, casamentos e aniversários. Tudo isso com uma câmera emprestada. Era uma época onde ainda não era possível fazer fotos de qualidade em aparelhos modernos e compactos, como as câmeras digitais ou até mesmo os smartphones. Teruo Fujioka, um dos fundadores da empresa, relembra que ele e seu irmão, Susumi, além de carregarem o peso dos equipamentos, ainda “iam de bicicleta até os eventos, em um tempo onde os equipamentos eram todos muito grandes e pesados”. Quase seis décadas se passaram, e mesmo que o mundo tenha sofrido mudanças, o Fujioka ainda se mantém de pé, sendo uma das principais empresas na área da fotografia e tecnologia do país, com cerca de 57 lojas físicas espalhadas pelo Brasil. Manter uma empresa por 57 anos viva no mercado não é para qualquer um. Teruo Fujioka, durante entrevista concedida na LIDE Brasília, evento que reuniu empresários de cidade, explica que um dos principais pontos para o sucesso é acompanhar a inovação. “Quando iniciamos na fotografia, notamos que o mercado era dominado pela Kodak, com 70% do mercado mundial, e a Fuji, que tinha em torno de 20%. Nós sentimos, naquele momento que, se ficássemos dependentes só da fotografia, não era algo seguro”. Foi ai que o Fujioka passou a investir na comercialização de produtos, e não só de fotografias. Começaram, então, a serem vendidos porta retratos, máquinas fotográficas, rádios portáteis e telefones nas lojas. Agora, o que se nota é uma empresa que continua caminhando ao lado da inovação. Há mais de 30 anos, o Fujioka é um dos maiores distribuidores nacionais de produtos tecnológicos em vários estados brasileiros. Além disso, Teruo Fujioka revela que a empresa também está focada na venda B2B, que busca fazer o comércio direto com pessoas jurídicas, com diversos centros de distribuição espalhados pelo país. Já a ligação do Fujioka com Brasília é antiga, desde 1979, quando foi inaugurado a primeira unidade da empresa na cidade, que hoje abriga, além das inúmeras lojas, um dos maiores centros de distribuição do Centro-Oeste, localizado no Polo JK, com mais de 25 mil metros. Teruo Fujioka revela ter grande carinho pela cidade, da qual participou e viveu a construção de sua história, dizendo acreditar que Brasília é um dos principais motores econômicos da região. “Em nome da família Fujioka, gostaria de agradecer ao acolhimento da

população de Brasília, que nos acolheu e nós tivemos muito sucesso nessa cidade. eu sempre digo que, o que seria de Goiás se nós não tivéssemos Brasília aqui no centro de Goiás”, finaliza.

When it was founded, on May 11, 1964, in Goiânia, Fujioka was a small company that operated in a thirty-meter room, where Teruo and Susumi Fujioka, in their 20s, started to work taking photos for documents , weddings and birthdays. All with a borrowed camera. It was a time when it was not yet possible to take quality photos on modern and compact devices, such as digital cameras or even smartphones. Teruo Fujioka, one of the founders of the company, recalls that he and brother, Susumi, in addition to carrying the Para assistir esse bate papo his weight of the equipment, still “went by bicycle na íntegra, acesse nosso canal to the events, at a time when the equipment was all very large and heavy”. oficial no Youtube, a Voz de Almost six decades have passed, and even though the world has undergone changes, Brasília. Fujioka still stands, being one of the main companies in the area of ​​photography and technology in the country, with about 57 physical stores spread across Brazil. Keeping a business alive for 57 years is not for everyone. Teruo Fujioka, during an interview with LIDE Brasília, an event that brought together city entrepreneurs, explains that one of the main points for success is to follow innovation. “When we started in photography, we noticed that the market was dominated by Kodak, with 70% of the world market, and Fuji, which had around 20%. We felt, at that moment, that if we were dependent only on photography, it was not safe ”. It was there that Fujioka started to invest in the commercialization of products, and not only of photographs. Then, portraits, cameras, portable radios and telephones began to be sold in stores. Now, what is noticeable is a company that continues to walk alongside innovation. For over 30 years, Fujioka has been one of the largest national distributors of technological products in several Brazilian states. In addition, Teruo Fujioka reveals that the company is also focused on B2B sales, which seeks to do direct trade with legal entities, with several distribution centers throughout the country. Fujioka’s connection with Brasilia has been old since 1979, when the company’s first unit was opened in the city, which today houses, in addition to the numerous stores, one of the largest distribution centers in the Midwest, located at Polo JK, with more than 25 thousand meters. Teruo Fujioka reveals his great affection for the city, in which he participated and lived the construction of its history, saying he believes that Brasília is one of the main economic drivers of the region. “On behalf of the Fujioka family, I would like to thank the people of Brasília who welcomed us and we were very successful in that city. I always say that what would be in Goiás if we didn’t have Brasília here in the center of Goiás ”, he concludes. To watch this chat in full, access our official YouTube channel, Voz de Brasília.

221


T

Ares Line faz parte do Brasil

Ares Line is part of Brazil I had the opportunity to interview Roberto Zuccato, president of Ares Lines, together with its Director Piero de Rin. They came to Brazil, directly from Italy, exclusively for the inauguration of the Show Room of Forma Office. A company that is in 70 countries in the world and today is represented by Gil Campos da Forma Office, who made a joint venture to build together the main factory for office furniture and the most ergonomic chairs in Brazil. In a relaxed interview, the two told us how this technology transfer between Italy and Brazil works. Forma Office’s CEO explained the connection she had with Ares Lines and how she is introducing it in Brazil from Oiapoque to Xuí, extolling the quality of products and challenging consumers to quote prices and product quality. Roberto Zuccato also spoke about the company’s progress in the USA and Honk Kong, watch the full interview for you to understand the depth and importance of this partnership that is formed between two giants in the international market.

Foto: Paulo Fayad

ive a oportunidade de entrevistar Roberto Zuccato, presidente da Ares Lines, juntamente com seu Diretor Piero de Rin. Eles vieram ao Brasil, diretamente da Itália, exclusivamente, para a inauguração do Show Room da Forma Office. Uma empresa que está em 70 países do mundo e hoje é representado pela Gil Campos da Forma Office que fizeram um joint venture para juntos construírem a principal fábrica de móveis de escritório e as cadeiras mais ergonométricas do Brasil. Em entrevista descontraída, os dois nos contaram como funciona esta transferência de tecnologia entre a Itália e o Brasil. A CEO da Forma Office explicou a conexão que teve com a Ares Lines e como a está introduzindo no Brasil do Oiapoque ao Xuí, exaltou a qualidade dos produtos e desafiou os consumidores a fazerem a cotação de preços e da qualidade dos produtos. Roberto Zuccato falou ainda sobre os avanços da empresa nos EUA e Honk Kong, assista a integra desta entrevista para que você tenha o entendimento da profundidade e da importância desta parceria que se forma entre duas gigantes do mercado internacional.

Entrevista concedida ao jornalista Paulo Fayad 222


Investidor de Coragem Richard Dubois ntrevistei Richard Dubois, um empresário de estirpe internacional, poliglota, que Deus escolheu para administrar um dos maiores Complexo Esportivo do Brasil. Onde foi a entrevista? Claro, Foi no Estádio Nacional de Brasília, agora conhecido como ARENA BSB. Um homem que trabalho no mundo inteiro, fez a gestão da COPA FIFA 2015 e percebendo que os grandes estádios brasileiros ficariam ociosos, resolveu encampar este desafio de transformar o estádio no maior centro esportivo e recreativo de Brasília, construirá um Boulevard ao redor do Estádio.

Richard se apaixonou por Brasília, mudou de mala e cuia para a capital do Brasil a fim de dar todo seu tempo no projeto que sonhou. Senti uma grande empolgação em suas palavras, apesar de falar com voz mansa e bem calculada, me revelou um homem simples e humilde que valoriza muito a família e principalmente seus pais, com emoção peculiar em sua voz me contou suas experiências e planos.

Entrevista concedida ao jornalista Paulo Fayad Courage Investor Richard Dubois I interviewed Richard Dubois, in a businessman of international strain, polyglot, whom God chose to manage one of the largest Sports Complex in Brazil. Where did the interview go? Of course, it was at the National Stadium in Brasilia, now known as ARENA BSB. A man who works all over the world, managed the COPA FIFA 2015 and realizing that the big Brazilian stadiums would be idle, decided to take on this challenge of transforming the stadium into the largest sports and recreational center in Brasilia, he will build a Boulevard around the Stadium. Richard fell in love with Brasília, changed his suitcase and cuia to the capital of Brazil in order to give all his time in the project he dreamed of. I felt a great excitement in his words, despite speaking in a quiet and well-calculated voice, he revealed to me a simple and humble man who values ​​his family and especially his parents, with a peculiar emotion in his voice, told me his experiences and plans. It is worth watching the entire interview on the youtube channel, point your phone camera at the QR Code and have fun.

Foto: Paulo Fayad

E

223


Turismo é aposta econômica em Brasília Empresários do ramo veem grande possibilidade de crescimento

H

á mais de 30 anos, Yoshihiro Karashima se dedica a receber turistas na capital brasileira. Apaixonado por Brasília, o diretor e fundador da Prestheza Turismo fala sobre as oportunidades que a cidade oferece na área. Confira: – Como foi sua chegada em Brasília?

Voz de Brasília Yoshihiro Karashima - Eu sou sansei

(a terceira geração nascida fora do Japão). Nasci em Sacramento, Minas Gerais, e vim pra Brasília em 1972. Me apaixonei por essa cidade desde o primeiro momento que cheguei na rodoviária, entrando pelo Eixo Monumental. Estava amanhecendo o dia, em janeiro, pleno verão, o sol nascia no Leste em direção ao Congresso Nacional, aquele momento maravilhoso. Fico até emocionado de contar. Me entreguei totalmente a essa cidade, ela me deu tudo que tenho hoje, minha família, meu negócio. – Quando começou a trabalhar com turismo?

Voz de Brasília

Yoshihiro Karashima - Assim que cheguei

associações voltadas para promover o turismo em Brasília e no Brasil Central. Como foi isso?

Yoshihiro Karashima - Com a Prestheza

Turismo em plena atividade, sempre procurei aproximar as pessoas do mesmo ramo. No caso, pessoas do turismo receptivo. Promover trabalhos, ações agregadoras e fortalecedoras de todo o setor. Eu fui convidado a participar de várias entidades voltadas para a questão turística e social. No início dos anos 2000, tivemos muito relacionamento com o Sebrae e eles estavam com ações para fortalecer o turismo receptivo. Eles estavam estimulando a criação de roteiros integrados. Eu reuni o pessoal de Brasília, da Chapada dos Veadeiros, Pirenópolis, alguns empresários do Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e criamos associações de turismo receptivo. Aqui, consolidamos a Associação Brasiliense de Agências de Turismo Receptivo (Abare) e uma associação em cada estado que citei. Unindo todas, criamos a Federação Brasil Central de Turismo Receptivo (Febractur). Eu presidi tanto a Abare como a Febractur. – Qual a perspectiva para o turismo receptivo nos próximos anos?

fui contratado uma agência de viagens no aeroporto. Eu estava passando e alguém me ofereceu o emprego, porque eles precisavam de alguém que falasse outras línguas. Em 1979, fui para a MS Turismo, onde fiquei até 1986. No mesmo anos, abri a Prestheza Turismo.

Yoshihiro Karashima - Temos tido

– Você atuou bastante em

passar de dois a cinco dias,

Voz de Brasília

224

entre conexões aéreas), que para Brasília é estratégico. Tanto para a cidade tanto para o Brasil central. A Europa ocidental tem muito interesse no Brasil central. E Brasília é o melhor hub aéreo que temos no Brasil, porque está equidistante dos principais destinos do Brasil.

Tourism is economy class in Brasilia Entrepreneurs in the country see great potential for growth For more than 30 years, Yoshihiro Karashima has dedicated himself to the Brazilian capital. Passionate about Brasilia, the director and founder of Prestheza Turismo talks about the opportunities that the city offers in the area. Check out: How did you arrive in Brasilia? Yoshihiro Karashima - I am sansei (a third generation born outside of Japan). I was born in Sacramento, Minas Gerais, and I came to Brasilia in 1972. I fell in love with this city from the first moment I arrived at the bus station, entering through the Monumental Axis. It was in January, in mid-summer, the sun was rising in the East toward the National Congress, that wonderful moment. I’m so excited to tell you. I give myself totally to my city, she gave me everything I have today, my family, my business. AB - When did you start working with tourism? YK - As soon as I arrived I was hired a travel agency at the airport. You were passing and someone offering the job, because they needed someone who spoke other languages. In 1979, I went to MS Tourism, where I stayed until 1986. No side years, I opened Prestheza Tourism. It has already been enough to promote tourism in Brasilia and Central Brazil. How was that? YK - With a Prestheza Tourism in full activity, always sought as people of the same branch. No case, incoming tourism people. Promote work, aggregating and strengthening actions of the entire sector. I was invited to participate in various entities focused on a tourism and social issue. In the early 2000s, we had a lot of relationship with Sebrae and events with actions to strengthen receptive tourism. They were encouraging the creation of integrated roadmaps. I gathered the staff from Brasília, Chapada dos Veadeiros, Pirenópolis, some entrepreneurs from Goiás, Mato Grosso and Mato Grosso do Sul, and we created receptive tourism associations. Here, we have consolidated a Brazilian Association of Incoming Tourism Agencies (Abare) and an association in each state I mentioned. Uniting all, it creates a Central Brazil Federation of Receptive Tourism (Febractur). I presided over both Abare and Febractur. AB - What is the outlook for receptive tourism in the coming years? YK - It was not yet possible to obtain more information about TAP at the stoppage (possibility of spending two days between the airlines), which is Brasília. Both for the city and for central Brazil. Western Europe has a lot of interest in Central Brazil. And Brasília is the best air hub we have in Brazil, because it is equidistant from the main destinations in Brazil. From here direct flights to almost all capitals. A TAP brings passengers from all over Europe and their connection in Brasilia on almost all flights. AB - What are the city’s losses?

Voz de Brasília

muito apoio da TAP na questão do Stopover (possibilidade de Foto: Paulo Fayad


General Paulo Assis

Paulo Assis Reserve general, consultant, president of Golfobrás and political mentor responsible for taking General Hamilton Mourão, vice president of the Republic to compose the ticket with President Jair Bolsonaro. In an interview with Voz de Brasília, General Assis, talks about his career as a military man in Brasília. Brasília Yearbook - To start our interview, tell me a little about your history with Brasília. General Paulo Assis - It all started in 1977, when I was in Brasília for the first time to take a course at the National School of Information. I enjoyed the experience so much that I put Brasilia in my future plans. In 1980, I managed to return to Brasilia and took the opportunity to take the course of Colonel Tosta. I attended the course and passed first. After the course I was classified in Manaus but with my mind thinking about returning to Brasilia. In 1986, I returned and was assigned to the General Secretariat of the Army, which directly assisted the Minister of the Army. From 1988 to 1993 I stayed in Rio de Janeiro, but after 1994 I returned to Brasilia again where I received the noble mission to be attaché in Canada, and later also in Washington, representing the country. In 2001, I moved to the reserve where I would have to take up residence. I chose Brasília. Here in Brasília, there is an important detail: I entered politics to help personally elect the Bolsonaro-Mourão duo. Why? Bolsonaro was my parachutist student and Mourão was twice from my staff, once in Rio de Janeiro and once in Manaus. So, I participated intensively in the electoral campaign, then headed the transition team of the vice presidency and after taking office, I left. Voice of Brasilia - General, how is the military’s family facing the mission to serve the country? General Paulo Assis - The military’s family is itinerant, the wife has to accompany her husband. I served in several states and the family always together. In relation to children, it is not always good, because when they manage to form a friendship group, it is time to leave, and somewhere else they will have to start all over again. Wives are true warriors.

G

Foto: Paulo Fayad

eneral da reserva, consultor, presidente da Golfobrás e mentor político responsável por levar o general Hamilton Mourão, vicepresidente da República a compor a chapa com o Presidente Jair Bolsonaro . Em entrevista à Voz de Brasília, General Assis, fala sobre a sua trajetória como militar em Brasília. – Pra começar a nossa entrevista, me conte um pouco da sua história com Brasília. – Tudo começou em 1977, quando estive pela primeira vez em Brasília para fazer um curso na Escola Nacional de Informação. Gostei tanto da experiência que coloquei Brasília em meus planos futuros. Em 1980, consegui voltar à Brasília e aproveitei para fazer o curso do Coronel Tosta. Frequentei o curso e passei de primeira. Terminado o curso fui classificado em Manaus mas com a cabeça pensando em voltar para Brasília. Em 1986, voltei e fui lotado na Secretaria Geral do Exército, que assessorava diretamente o Ministro do Exército. De 1988 a 1993 fiquei no Rio de Janeiro, mas após1994 voltei à Brasília novamente onde recebi a nobre missão

Voz de Brasília General Paulo Assis

para ser adido no Canadá, e posteriormente também em Washington, representando o país. Em 2001, passei para a reserva onde teria que fixar residência. Escolhi Brasília. Aqui em Brasília, tem um detalhe importante: Entrei na política para ajudar pessoalmente a eleger a dupla Bolsonaro-Mourão. Porque? O Bolsonaro foi meu aluno paraquedista e o Mourão foi duas vezes do meu estado maior, uma no Rio de Janeiro e outra em Manaus. Então, Participei intensamente da campanha eleitoral, depois chefiei a equipe de transição da vice presidência e após a posse, me afastei. – General, como fica a família do militar diante da missão em servir o país? – A família do militar é itinerante, a esposa tem que acompanhar o marido. Servi em vários estados e a família sempre junto. Em relação aos filhos, nem sempre é bom, pois quando eles conseguem fazer um grupo de amizade, já está na hora de ir embora, e em outro lugar terá que começar tudo novamente. As esposas são verdadeiras guerreiras.

Voz de Brasília General Paulo Assis

225


José Saraiva Filho, advogado, poeta e empresário “Brasília nasceu para ser o sol da integração nacional. Brasília surge para o Brasil como um raiar de um sol de um novo tempo”

O

nós sacrificaremos muitas pessoas com sofrimento e tristeza que é o sentimento que o desemprego gera aos jovens. A reforma trabalhista então, tem o viés no sentido de adequação das relações de trabalho para esse mundo moderno que se avizinha. E a tecnologia tende a mudar profundamente essas relações de trabalho. O jovem hoje precisa ser formado no universo onde ele estabeleça as relações profissionais diferente - Nosso principal cliente hoje é na do que foram dos seus pais ou de área administrativa, civil e trabalhista, seus avós, e essa compreensão e com grande foco em recursos, onde aceitação cultural é necessária para fiz mestrado em processo civil o desenvolvimento do país e para a especialmente na área de recursos. proteção dessas pessoas. Estudei e tenho estudado muito a atuação dos tribunais e em particular – Pra falar com eloquência e dos tribunais superiores . Hoje estou maestria descobrimos que o nosso cursando um doutorado na pontifícia entrevistado é poeta e escritor. Fale Universidade Católica de São Paulo um pouco sobre os seus livros. ( PUC-SP), onde fiz também o meu mestrado. É uma alegria e um – È um grande desafio estímulo estudar para desenvolver um escritor amador como eu profissionalmente com a sociedade. transformar suas reflexões e – expressões em arte. A poesia é uma Sobre a reforma trabalhista, o Senhor forma de expressão e pensamento porque ela é a síntese, e como nas poderia dar uma breve síntese? palavra em geral, principalmente – A ideia de reforma busca adaptar inspirada na religião cristã, ela o Brasil aos tempos modernos. expressa tudo aquilo que precisa Não há mais como nós vivermos ser refletido. atrelados à uma realidade mundial, cultural, política e econômica que não mais existe tecnologicamente . Esse reconhecimento é fundamental, sobretudo pensando no futuro dos nossos jovens que precisam encontrar um ambiente de trabalho mais adequado ao mundo moderno, século XXI. Se o país não se adequar, advogado José Saraiva Filho, chegou em Brasília ainda garoto, na década de 70. Muito dedicado e estudioso, fez o curso de direito na Universidade de Brasília e continua fazendo vários cursos de especialização para prestar um serviço de excelência aos seus clientes. A Voz de Brasília entrevistou esse ilustre da nossa capital.

Voz de Brasília – Qual o área de atuação do seu escritório? José Saraiva Filho

Voz de Brasília

Voz de Brasília

José Filho

José Saraiva Filho, lawyer, poet and businessman “Brasília was born to be the sun of national integration. Brasilia’s rise to Brazil like a ray of sunshine from a new time ” The lawyer José Saraiva Filho, arrived in Brasília as a boy, in the 70’s. Very dedicated and studious, he took a law course at the University of Brasília and continues taking several specialization courses to provide an excellent service to his clients. Voz de Brasília interviewed this graph of our capital. Voz de Brasília - What is the area of ​​your office? José Saraiva Filho - Our main client today is in the administrative, civil and labor areas, with a strong focus on resources, where he did a master’s degree in civil proceedings, especially in the area of ​​resources. Study and have studied a lot the performance of the courts and, in particular, of the superior courts. Today I am pursuing a doctorate at the Pontifical Catholic University of São Paulo (PUC-SP), where I also did my master’s degree. It is a joy and an incentive to study professionally with society. Voz de Brasília - About a labor reform, could you give a brief demonstration? José Saraiva Filho - An idea of ​​reform seeks to adapt Brazil to modern times. We can no longer live in tune with a world, cultural, political and economic reality that no longer exists technologically. This recognition is essential, especially considering the future of our young people who need to find a work environment more suited to the modern world, 21st century. If the country is not adequate, we will sacrifice many people with suffering and sadness, which is the feeling that unemployment generates young people. Labor reform, then, has no sense of adapting labor relations for this modern world ahead. And technology tends to profoundly change these working relationships. Young people today need to be trained in the universe in which they must establish professional relationships different from that of parents or children, and this cultural understanding and acceptance is necessary for the development of the country and the protection of these people. Voz de Brasília - To speak with eloquence and discoveries mastery that our interviewee is a poet and writer. Tell us a little about your books. José Saraiva Filho - a great challenge for an amateur writer like me to transform his reflexes and expressions into art. A poetry is a form of expression and thought, because it is an expression, and as in words in general, mainly inspired by the Christian religion, it shows everything that needs to be reflected.

Saraiva

226

Foto: Voz de Brasília

José Saraiva Filho


A excelência dos produtos personalizados de Edgard Rocha

A

Old Brasil Produtos Personalizados trabalhamos com taças, canecas, copos de vidro, cristal, ou inox por processo de jateamento por óxido de alumínio que cria um efeito permanente no produto, dando assim um efeito de requinte e sofisticação. – Você é filho de Brasília. Como é sua trajetória de vida como brasiliense? – Eu nasci em Brasília e sempre morei aqui na Ceilândia. Me casei jovem, com 17 anos, minha esposa tinha 16 anos. Graças a Deus hoje estamos firmes nessa luta. Desde cedo cai no mundo para trabalhar para poder sustentar e dar tudo que minha família merece. Hoje tenho três filhos maravilhosos e uma esposa magnífica. Meus pais me ajudaram demais, me deram uma educação sensacional e hoje eu estou aqui muito feliz de poder estar criando algo de bom para o futuro dos meus filhos. – Você criou uma empresa de personalização. Como foi a criação da Old Brasil? – Em 2014 eu tive a necessidade de fazer algo. Eu trabalho a noite de vigilante há 10 anos, então eu ficava de dia sem fazer nada. Eu sempre gostei de produtos personalizados e comecei a pesquisar sobre isso e com um investimento de 600 reais começamos lá no fundo de casa. Era eu, minha esposa e meu filho mais velho. Começamos do zero. Foi com os amigos e os parentes que foram comprando um copo, comprando uma taça. Com isso a gente foi trabalhando, crescendo e hoje estamos aqui há cinco anos, vendendo para o Brasil todo. – Como é sua estrutura de venda? – Nós trabalhamos pela internet, há três anos possuímos uma loja física. Agora estamos ampliando. A gente vende para o Brasil todo usando a internet. Essas redes, como: mercado livre, OLX, vários sites. Mas o que fez fortalecer hoje é a credibilidade e o melhor marketing que existe que é o boca-boca. Para você ter uma ideia até para fora do país a gente acaba vendendo. Ainda não é muita coisa, mas estamos vendendo. O último pedido agora, eu mandei para Miami. Foram 15 taças saindo da Ceilândia para Miami. Então é usando as redes sociais e a credibilidade que aos poucos nós vamos alcançando. – Estamos com o projeto dos 60 anos de Brasília, produzindo um Almanaque. O que você diria para os brasilienses e as pessoas do Brasil inteiro sobre os 60 anos da nossa capital? – Brasília é linda é maravilhosa, os brasilienses são todos uns amores e recebem bem os visitantes e os turistas. Eu sempre falo pras pessoas aproveitarem essa cidade, porque Brasília é maravilhosa.

Voz de Brasília Edgard Rocha

Voz de Brasília Edgard Rocha

Meet Edgarg Rocha, Owner of Old Brazil Custom Products Old Brasil Custom Products We work with cups, mugs, glass cups, crystal, or stainless steel by blasting process by aluminum oxide that creates a permanent effect on the product, thus giving an effect of refinement and sophistication. Brazilian Yearbook - You are the son of Brasilia. How is your life trajectory like brasiliense? Edgard Rocha - I was born in Brasilia and always lived here in Ceilândia. I married young, 17 years old, my wife was 16 years old. Thank God we are firm in this fight today. From an early age, he falls into the world to work to support himself and to give everything my family deserves. Today I have three wonderful children and a magnificent wife. My parents helped me so much, they gave me a great upbringing and today I am very happy to be creating something good for my children’s future. AB - You have created a personalization company. How was the creation of Old Brasil? ER - In 2014 I had the need to do something. I’ve been a night watchman for 10 years, so I was doing nothing during the day. I always liked custom products and started researching it and with an investment of 600 reais we started there at home. It was me, my wife and my oldest son. We started from scratch. It was with friends and relatives that they bought a glass, bought a glass. With that we were working, growing and today we have been here for five years, selling to Brazil all over. AB - How is your sales structure? ER - We work on the internet, for three years we have a physical store. Now we are expanding. We sell to Brazil all over the internet. These networks, such as: free market, OLX, various sites. But what made it stronger today is the credibility and the best marketing out there that is word of mouth. To give you an idea even out of the country we end up selling. Not much yet, but we are selling. The last order now, I sent it to Miami. There were 15 cups leaving Ceilandia for Miami. So it is using social networks and credibility that we are gradually achieving. AB - We are with the project of 60 years of Brasilia, producing an Almanac. What would you say to Brazilians and people all over Brazil over the 60 years of our capital? ER - Brasilia is beautiful and wonderful, Brazilians are all in love and welcome visitors and tourists. I always tell people to enjoy this city, because Brasilia is wonderful.

Voz de Brasília Edgard Rocha

Voz de Brasília

Edgard Rocha

Foto: Paulo Fayad

227


Foto: Governo do Distrito Federal/Bento Viana

Asa Sul Brasília 228


229


Osório Adriano Filho, empresário e grande pioneiro da Capital

O

“...Brasília não é a capital da esperança, Brasília é a realidade”

sório Adriano Filho, o jovem determinado que trocou a carreira promissora de engenharia nos Estados Unidos para construir a capital federal. Pioneiro, com muita habilidade, deixou a sua marca tanto na construção da capital, tanto como empresário de sucesso à frente do grupo Brasal, como fundador e presidente. Conheça um pouco mais da sua história nessa entrevista concedida à equipe do Anuário Brasileiro. – Como foi sua chegada em Brasília?

Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília

230

Filho

Osório

Adriano

- Eu morava nos Estados Unidos e me formei em engenharia civil. Quando me formei, fui convidado por uma empresa americana para trabalhar na construção da capital do Brasil. Fui o único brasileiro convidado pela empresa e talvez até porque falava bem o inglês. Aqui fiquei e contribui com a construção da capital prestando meus serviços como engenheiro civil. – Quando o Senhor participou da

Voz de Brasília

construção de Brasília, qual foi o fato mais marcante?

Filho

Osório

Adriano

– D Osório Adriano Filho - Nós os pioneiros somos muito orgulhosos em ter ajudado esta cidade a ficar em terceiro lugar em desenvolvimento atrás logicamente do estado de São Paulo e Rio de Janeiro. E também, saber que foi uma das primeiras cidades do país a atingir três milhões de habitantes. Assim, sem dúvida, Brasília é o melhor lugar do Brasil para se viver.

Voz de Brasília - Qual

o caminho que o Senhor seguiu após a inauguração da capital?

Osório

Adriano

Filho - Eu vivi Brasília com

tudo que a cidade oferecia com muito entusiasmo pois o nosso presidente Juscelino , o fundador da nossa capital, nos proporcionava sonhar, mesmo sendo muito criticado por trazer a capital para o cerrado. Assim, mesmo com as dificuldades de uma cidade nova, casei em 1962, fixei minha residência, minha família e o meu trabalho aqui.

Osório Adriano Filho, businessman and great pioneer of the Capital “..Brasilia is not the capital of hope, Brasília is the reality” Osório Adriano Filho, the determined young man who changed his promising engineering career in the United States to build the federal capital. Pioneer, with great skill, left his mark both in the construction of the capital, as well as a successful businessman ahead of the Brasal group, as founder and president. Know a little more of its history in this interview given to the Voz de Brasília team. Anuário Brasileiro - How was your arrival in Brasília? Osório Adriano Filho - I lived in the United States and I graduated in civil engineering. When I graduated, I was invited by an American company to work in the construction of the capital of Brazil. I was the only Brazilian invited by the company and maybe even because I spoke English well. Here I stayed and contributed to the construction of the capital, rendering my services as a civil engineer. AB - When you participated in the construction of Brasília, what was the most striking fact? OA - D Osório Adriano Filho - We pioneers are very proud to have helped this city to be in third place in development behind the state of São Paulo and Rio de Janeiro. Also, to know that it was one of the first cities in the country to reach three million inhabitants. So, without a doubt, Brasília is the best place in Brazil to live. AB - What path did the Lord follow after the inauguration of the capital? Osório Adriano Filho - I lived Brasilia with everything that the city offered with great enthusiasm because our president Juscelino, the founder of our capital, allowed us to dream, even though he was criticized for bringing the capital to the cerrado. So, even with the difficulties of a new city, I got married in 1962, I established my residence, my family and my work here.


Das leis ao empreendedorismo

W

Pioneiro em advocacia na capital, Wilfrido possui outros empreendimentos

ilfrido Augusto Marques fundador de escritório pioneiro na Capital Federal, possui firme atuação na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Em 2013, exerceu a presidência da Comissão de Defesa da Cidadania Tributária na OAB, perante o Conselho Federal. De 2010 a 2015, presidiu a Comissão de Relações Internacionais, na Seccional do Distrito Federal. Wilfrido conversou com o Grupo Voz de Brasília sobre sua trajetória em Brasília. Confira:

Voz de Brasília – Quando você chegou a Brasília? Wilfrido Augusto Marques

- Eu morava em Dourados (MS), com 13 anos, quando começou a construção de Brasília, eu ouvia no rádio todos os dias a Voz de Brasília, ouvia o hino da cidade. Isso me encantava. Muitos anos depois, vim para São Paulo, buscando oportunidade de trabalho e de lá, surgiu a chance de vir para cá. Cheguei em 1968, tudo que eu imaginava, consegui fazer aqui. Constitui família e carreira. São 50 anos que estou na cidade e, 45 anos de carreira. – O que você acha da cidade?

representa para o mundo. Entre elas, a de Nostradamus, que fala sobre uma civilização que seria transitória para um novo tipo de comunidade, no altiplano central. Temos a de Dom Bosco, nos seus livros, fala de uma cidade que jorraria leite e mel. Essa é Brasília. Somos privilegiados. São tantas pessoas, de tantos lugares, que vieram abraçar essa cidade. – O que é a Casa Wilfrido?

Voz de Brasília Wilfrido Augusto Marques

- Gramado recebe seis milhões de pessoas por ano, mais do que o Brasil recebe de estrangeiros. É o segundo destino turístico do Brasil. Há seis anos comprei uma propriedade lá e resolvemos fazer uma casa de eventos, que - As profecias sobre o que Brasília não havia em Gramado algo capaz de atender

Voz de Brasília Wilfrido Augusto Marques

From laws to entrepreneurship Pioneer in law in the capital, Wilfrido owns other ventures Wilfrido Augusto Marques Founder of a pioneering law firm in Capital Federal, has a strong presence in the Brazilian Bar Association (OAB). In 2013, he held the presidency of the Tax Citizenship Defense Commission at OAB, before the Federal Council. From 2010 to 2015, he chaired the International Relations Commission, in the Federal District Section. Wilfrido spoke with the Brasilia Voice Group about his career in Brasilia. Check out: Brazilian Yearbook - When did you arrive in Brasilia? Wilfrido Augusto Marques - I lived in Dourados (MS), at the age of 13, when the construction of Brasilia began, I listened to the Brasilia Voice every day on the radio, listened to the city’s anthem. It enchanted me. Many years later, I came to São Paulo, looking for a job opportunity and from there came the chance to come here. I arrived in 1968, everything I imagined, I could do here. It is family and career. I’m 50 years in the city and 45 years of career. AB - What do you think of the city? WAM - The prophecies about what Brasilia represents to the world. Among them, Nostradamus, who talks about a civilization that would be transient to a new type of community in the central highland. We have Don Bosco’s, in his books, he speaks of a city that would spout milk and honey. This is Brasilia. We are privileged. So many people from so many places came to embrace this city. AB - What is Casa Wilfrido? WAM - Gramado receives six million people a year, more than Brazil receives from foreigners. It is the second tourist destination of Brazil. Six years ago I bought a property there and decided to make an event house, which in Gramado did not have something able to meet this demand. Casa Wilfrido was completed in 14 months. Today, two of my children live there. AB - Governor Ibaneis invited you to a position in the GDF. Why did you decline? WAM - Ibaneis has a very strong and important history of Brasilia’s law firm. We did a very important job together which was bringing the Minister of Commerce from Belgium, came to Brazil to attend a seminar on the customs sector. When Ibaneis elected, in a gesture of affection and friendship, he invited me to be secretary of international relations, but I had to make a choice for my various projects. But I think he will be an excellent governor.

essa demanda. A Casa Wilfrido ficou pronta em 14 meses. Hoje, dois filhos meus vivem lá. – O governador Ibaneis te convidou para um cargo no GDF. Por que recusou? - O Ibaneis tem uma história muito forte e importante da advocacia de Brasília. Nós fizemos um trabalho muito importante juntos que foi trazer o ministro do Comércio da Bélgica, veio ao Brasil para participar sobre um seminário sobre o setor aduaneiro. Quando o Ibaneis de elegeu, em um gesto de muito carinho e amizade, ele me convidou para ser secretário de relações internacionais, mas eu tive que fazer uma opção pelos meus vários projetos. Mas acho que ele será um excelente governador.

Voz de Brasília

Wilfrido Augusto Marques

Foto: Paulo Fayad

231


Da mecânica à mineração, empresário aposta na diversidade

R

Variar no ramo de atuação foi segredo do sucesso empresarial de um pioneiro de Brasília enato Samuel Fonseca, fundador da Sermatech Comércio de Máquinas Industriais foi um dos pioneiros em Brasília e no Setor de Oficinas. Após expandir seu negócio para o ramo da mineração, Fonseca pretende continuar investindo em empreendimentos na cidade. Em entrevista ao grupo Voz de Brasília, ele falou da sua trajetória na cidade. Confira: – Como foi sua chegada a Brasília e o nascimento da sua empresa? - Eu era militar, fiz mecânica na Marinha e vim servir em Brasília, em 1970. Casei na Catedral. Passei uma época em São Paulo, para trabalhar nas usinas de açúcar e álcool. Em 1980, retornei para Brasília como gerente comercial da fábrica de cimentos Ciplan. Depois fiz concurso para o departamento de engenharia dos Correios. Em 1986, pedi demissão de lá e fui realizar o meu sonho de ser o meu próprio patrão, abrindo a Sermatech. – Você ampliou seus negócios para outros ramos. Como foi isso? - Com espírito empreendedor, percebemos que tínhamos que diversificar. Compramos um prédio, abrimos o hotel JK. E ainda pensando em diversificar, arrematamos em um leilão judicial, uma fazendo na Chapada Diamantina, onde fundei a mineradora Ecoserv. Meu objetivo era fazer uma avaliação da terra e aumentar o capital social da Sermatech. Só percebi o potencial de garimpo quando percebi uns mineradores saindo de lá com pedras e eles me contaram que faziam daquilo um meio de vida. Peguei algumas daquelas pedras e trouxe para Brasília para saber se tinha algum valor agregado. Eu me preocupei muito com a preservação do meio ambiente. Nós em Brasília temos essa consciência ambiental. Fechei um contrato com o pessoal da Geologia da UnB. Encontraram tanto material farto, ali era uma fonte imensurável de estudo. – E como você lidou com a burocracia para explorar essa terra? - Nós gastamos muito para liberar licença ambiental, licença de exploração, mas com persistência, conseguimos. Fazemos parte do desenvolvimento energético quando implantamos dentro das nossas terras, um parque eólico. Lá temos capacidade para iluminar uma cidade do tamanho de Brasília, Anápolis e Goiânia juntos. Já tem quase seis anos com torres de medição dentro nas nossas terras e vamos colocar mais 44 torres de geração de energia eólica. – Qual a sua relação com Brasília? - Eu amo essa cidade, construí e cresci aqui. Essa cidade é abençoada por Deus, o céu é mais claro, o ar é mais puro, a água é mais limpa. Ainda é a capital das

Voz de Brasília Renato Samuel Fonseca

Voz de Brasília Renato Samuel Fonseca

Voz de Brasília Renato Samuel Fonseca

232

Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília Renato Samuel Fonseca

oportunidades, ainda há espaço. Os grandes hospitais estão vindo para Brasília. Nossa rede pública também está aumentando, vamos sentir orgulho disso. O corpo empresarial de Brasília está muito otimista e investindo muito. From mechanics to mining, Varying in the industry was a secret of success of a pioneer from Brasília Renato Samuel Fonseca, founder of Sermatech Comércio de Máquinas Industriais was one of the pioneers in Brasília and in the Workshop Sector. After expanding his business to the mining sector, Fonseca intends to continue investing in projects in the city. In an interview with the group Voz de Brasília, he spoke of his trajectory in the city. Check out: Voice of Brasilia - How was your arrival in Brasilia and the birth of your company? Renato Samuel Fonseca - I was in the military, I did mechanics in the Navy and I came to serve in Brasília, in 1970. I got married in the Cathedral. I spent some time in São Paulo, to work in the sugar and alcohol mills. In 1980, I returned to Brasília as the commercial manager of the Ciplan cement factory. Then I did a competition for the engineering department of the Post Office. In 1986, I resigned from there and went to fulfill my dream of becoming my own boss, opening Sermatech. AB - You have expanded your business to other branches. How was that? RSF - With an entrepreneurial spirit, we realized that we had to diversify. We bought a building, opened the JK hotel. And still thinking about diversifying, we won a judicial auction, one taking place in Chapada Diamantina, where I founded the mining company Ecoserv. My goal was to make an assessment of the land and increase Sermatech’s share capital. I only realized the potential for gold mining when I noticed some miners leaving there with stones and they told me that they made it a way of life. I took some of those stones and brought them to Brasilia to see if they had any added value. I was very concerned with preserving the environment. We in Brasília have this environmental awareness. I closed a contract with the Geology staff at UnB. They found so much material, it was an immeasurable source of study. Voz de Brasília - And how did you deal with the bureaucracy to explore this land? RSF - We spent a lot to release an environmental license, an exploration license, but with persistence, we did it. We are part of energy development when we set up a wind farm within our lands. There we have the capacity to light up a city the size of Brasília, Anápolis and Goiânia together. It is almost six years old with measurement towers inside our lands and we are going to place 44 more wind power generation towers. AB - What is your relationship with Brasília? RSF - I love this city, I built and grew up here. This city is blessed by God, the sky is clearer, the air is purer, the water is cleaner. It is still the capital of opportunities, there is still space. The big hospitals are coming to Brasilia. Our public network is also growing, let’s be proud of it. Brasília’s corporate body is very optimistic and investing a lot.


Entrevista com Marcos André, CEO da NWI

NWI é uma empresa que reúne os componentes necessários para assegurar aos seus clientes o melhor desempenho: soluções escaláveis, flexibilidade de conectividade e plataformas, estrutura física de alto desempenho e prestação de serviços de alta qualidade. O Grupo Voz de Brasília conversou com Marcos André, o fundador da NWI. Confira. – Por que você decidiu vim para Brasília? – Primeiro que eu já tenho família aqui há muitos anos, desde a época da construção da cidade. Meu avô ajudou muito Juscelino aqui em Brasília, mas eu vim parar em Brasília porque o meu pai era militar da Marinha e veio servir em Brasília. Foi assim que cheguei e fiquei. Meu pai foi embora, foi morar em Recife e eu fiquei desde então em Brasília. - Você veio, estudou aqui, começou a trabalhar. Como é sua história com Brasília? – Quando eu cheguei eu estudei no Colégio Militar. Filho de militar, fui estudar no Colégio Militar, cheguei a estudar em outras escolas e fiz faculdade de matemática no UniCeub e fiquei em Brasília. Comecei a trabalhar em informática porque o meu pai conseguiu um estágio para mim no EMFA, o Estado-Maior das Forças Armadas, que não existe mais. O estágio era não remunerado, mas eu fui aprendendo e desenvolvendo, até que eu consegui meu primeiro emprego como programador. Foi na Imprensa Nacional, onde ganhei meu primeiro salário. Então fui só desenvolvendo, virei analista, comecei a dar consultorias. Nessa de consultoria tive que abrir uma empresa, depois virei lojista de informática. O tempo foi passando, a gente vai se adaptando, então entrei no ramo de telecom. – De onde veio o nome NWI? – A loja que nós tínhamos antigamente chamava Net World e esse é um nome muito difícil para as pessoas reproduzirem. Então eu peguei só as iniciais. Era Net World Internet, aí coloquei NWI e resolvi o problema. – Você já é nosso parceiro no Anuário. Gostaria que falasse um pouco sobre sua participação no Anuário e sobre os projetos que viu, como o Almanaque Brasília 60 anos. – Eu já participo com vocês desse projeto há muitos anos. Já deve ter uns 10 anos. Isso agrega muito valor porque nosso nome está nas repartições públicas. Ajuda muito porque muita gente vê e folheia. Sempre tem pessoas comentando do seu trabalho aqui com a gente. Isso é muito bem-vindo, além de ajudar Brasília para o país todo.

Voz de Brasília Marcos André

Voz de Brasília Marcos André

Voz de Brasília Marcos André

Voz de Brasília Marcos André

Foto: Paulo Fayad

A

Interview with Marcos André, NWI CEO NWI is a company that brings together the components needed to ensure your customers the best performance: scalable solutions, connectivity and platform flexibility, high performance physical structure and high quality service delivery. The Voice Group of Brasilia spoke with Marcos André, the founder of NWI. Check out. Brazilian Yearbook - Why did you decide to come to Brasilia? Marcos André - First I have had family here for many years, since the construction of the city. My grandfather helped Juscelino a lot here in Brasilia, but I came to Brasilia because my father was a navy soldier and came to Brasilia. That’s how I arrived and stayed. My father left, went to live in Recife and I’ve been staying ever since in Brasilia. AB - You came, studied here, started working. How is your story with Brasilia? MA - When I arrived I studied at the Military College. The son of a military man, I went to study at the Military College, got to study at other schools and did a mathematics college at UniCeub and stayed in Brasilia. I started working in computer science because my dad got an internship for me at EMFA, the Armed Forces General Staff, which no longer exists. The internship was unpaid, but I was learning and developing until I got my first job as a programmer. It was in the National Press, where I earned my first salary. So I was just developing, I became an analyst, I started to give consulting. In this consulting I had to start a company, then I became a computer retailer. As time went by, we adapted, so I went into the telecom business. AB - Where did the name NWI come from? MA - The store we used to call Net World and that is a very difficult name for people to reproduce. So I just got the initials. It was Net World Internet, so I put NWI and solved the problem. AB - You are already our partner in the Yearbook. I would like you to talk a little about your participation in the Yearbook and about the projects you saw, such as Almanaque Brasilia 60 years. MA - I have been participating with you in this project for many years. It must be about 10 years old. This adds a lot of value because our name is in public offices. It helps a lot because a lot of people see and leaf through. There are always people commenting on your work here with us. This is very welcome, besides helping Brasilia for the whole country.

233


Délcio Rodrigues resolveu problema da saúde em Taguatinga

D

Focado em soluções, médico inovou ao fundar hospital fora do Plano Piloto

Voz de Brasília

Délcio Rodrigues

- EEu me confundo com a história de Brasília. Cheguei aqui aos 18 anos, com o objetivo de complementar meus estudos. Eu vim de Patos de Minas, MG. A escola brasileira de um modo geral, era bastante efervescente no sentido de dar uma consciência política para o jovem. Eu estava bastante antenado do processo político que o país vivia, pós-revolução de 1964, redemocratização. Eu queria seguir a carreira diplomática, ia prestar Direito na Universidade de Brasília, mas sofri uma decepção muito grande com o Pedro Aleixo ter sido impedido de assumir o poder. Desisti do 234

caminho que eu queria seguir por medo de frustração e decidi fazer Medicina, pois estaria em contato direto com o ser humano.

Voz de Brasília

– Em todos esses anos como médico, o senhor já viveu grandes experiências. Como foi sua trajetória na medicina?

Délcio Rodrigues

- Eu sempre tive uma vontade de me enveredar pelo serviço público. Comecei no Hospital dos Servidores da União que hoje é o da UnB, fiz especialização e fiz um concurso nacional para ginecologia e obstetrícia. Fui contratado como médico ginecologista neste hospital, posteriormente fiz concurso para Fundação Hospitalar e trabalhei por alguns anos lá. Senti uma descontinuidade nas políticas públicas de saúde. Os programas eram interrompidos, feitos como política de governo e não de estado. Esta decepção me levou para a iniciativa privada, me afastando do serviço público. Meu foco era levar saúde onde houvesse demanda, onde o povo precisava. E Taguatinga era uma cidade que tinha uma população maior e não tinha nenhum hospital privado lá. – Quais dificuldades você enfrentou? As demandas de saúde tinham que ser atendidas pelo Plano Piloto, o que inchava o sistema. Por outro lado, os profissionais de saúde não queriam se

Voz de Brasília Délcio Rodrigues

estabelecer na periferia e a população de Taguatinga ficava desassistida. Em Taguatinga, comecei a me reunir com alguns colegas médicos para definir um plano de saúde que atendesse as demandas da região e que fosse inteiramente privado. Um dos obstáculos, era fazer com que o corpo de profissionais acreditasse na possibilidade de haver um centro hospitalar operando em Taguatinga. Nós construímos isso com a visão de que o centro médico atendesse o cidadão na globalidade de suas demandas de saúde.

Délcio Rodrigues solved health problem in Taguatinga Focused on Solutions, Doctor Innovated by Founding Hospital Pilot Plan Forums Délcio Rodrigues founded Hospital Anchieta 23 years ago to improve access to health for the population outside the Pilot Plan. Taguatinga’s first private hospital, Anchieta innovates to date, blending family management, focus on excellence and quality, the hospital stands out in its treatment of patients and the culture established among its staff. In a chat with the Voice Group of Brasilia, Délcio told a little about his life trajectory and what motivated him to follow with the dream of a truly human-focused hospital. Brazilian Yearbook - You came still young to Brasilia. How was your arrival in the capital? Délcio Rodrigues - I confuse myself with the history of Brasilia. I arrived here at 18 years old, with the purpose of complementing my studies. I came from Patos de Minas, MG. The Brazilian school in general was quite effervescent in the sense of giving a political conscience to the young. I was quite attuned to the political process the country was going through, after the 1964 post-revolution, redemocratization. I wanted to pursue a diplomatic career, I was going to study law at the University of Brasilia, but I was very disappointed that Pedro Aleixo was prevented from taking power. I gave up the path I wanted to follow for fear of frustration and decided to do medicine because I would be in direct contact with the human being. AB - In all these years as a doctor, you have had great experiences. How was your career in medicine? Dr. - I always had a desire to embark on public service. I started at the Union Servers Hospital, which is now UnB’s, I specialized and I took a national competition for gynecology and obstetrics. I was hired as a gynecologist at this hospital, later I applied for Foundation Hospital and worked for a few years there. I felt a discontinuity in public health policies. The programs were interrupted, made as a government policy and not a state policy. This disappointment led me to private enterprise, moving me away from public service. My focus

Foto: Paulo Fayad

élcio Rodrigues fundou o Hospital Anchieta há 23 anos, com o propósito de melhorar o acesso à saúde da população fora do Plano Piloto. Primeiro hospital particular de Taguatinga, o Anchieta inova até hoje, mesclando gestão familiar, foco na excelência e qualidade, o hospital se destaca no tratamento que dá aos pacientes e a cultura estabelecida entre os funcionários. Em um bate-papo com o Grupo Voz de Brasília, Délcio contou um pouco de sua trajetória de vida e o que o motivou a seguir com o sonho de um hospital verdadeiramente focado no humano. – O senhor veio ainda jovem para Brasília. Como foi sua chegada na capital?


“Empreendedorismo é herança de família”, diz Janine Brito

J

Filha do empresário do aço que chegou em Brasília a convite de Juscelino começou servindo café anine Brito conta a história da Pinheiro Ferragens, uma empresa que comemora aniversário junto com Brasília e já está no coração da cidade. Confira a entrevista concedida do grupo Voz de Brasília: – Como foi a fundação da empresa em Brasília? – Temos um orgulho muito grande pela história da Pinheiro Ferragens. A empresa foi fundada em 1960, pelo meu pai, Getúlio Pinheiro de Brito, que veio a Brasília a convite de Juscelino Kubitschek. Ele atuava no ramo de fornecimento de aço no Rio de Janeiro e era um grande visionário. Chegou aqui e resolver fundar Pinheiro Ferragens. Foi muito difícil porque ele não tinha condições financeiras e não tinha estrutura na cidade para quem estava chegando. Ele carregou ferragens nas costas, ele mesmo era o caixa. Fazia de tudo. - Como é a participação da família no negócio? – Eu ia para empresa desde pequena fazer cafezinho. Ele sempre levou os familiares para trabalhar com ele. Eu comecei a trabalhar com meu pai há 30 anos. Trabalhar efetivamente foi quando comecei a cuidar da imobiliária, quando ele tinha uma construtora. Hoje, a Pinheiro é gerida por todos os irmãos e mais um primo, que é um irmão de coração para mim. Ele é nosso braço direito. Nós cinco cuidamos de todo o grupo Pinheiro de Brito e a gestão é compartilhada. Eu sou CEO e curadora do meu pai, tomo as decisões executivas da empresa. – Qual o segredo do sucesso da empresa?

Voz de Brasília Voz de Brasília Voz de Brasília Janine Brito Voz de Brasília

Janine Brit

– Meu pai, talvez por não ter tido uma formação acadêmica, sempre atuou com seu instinto empreendedor e deu muito certo. Ele passou isso para os filhos. Eu, apesar de ter estudado muito, aprendi a maior parte do que sei com meu pai. Nós sempre trabalhamos no azul, nós nunca contraímos dívidas, não gostamos muito disso. Não assumimos muitos compromissos financeiros e estamos sempre de olho nas crises do nosso país. Somos campeões de crises econômicas. Passamos por muitas moedas até chegar no Real, tivemos aquele período do overnight, a Pinheiro Ferragens tradicionalmente se manteve no azul. Então as crises vão e vem e nós continuamos do mesmo jeito. – Há planos de expansão da empresa? – Nós estamos com muitos planos de modernização e desenvolvimento da empresa. Planos de expansão funcionam assim: nós acompanhamos o mercado e estamos expandindo para o Goiás, abrindo nossa primeira loja em Valparaíso. Sempre fazemos o planejamento para não afetar a saúde financeira da empresa. Estamos começando as obras agora e esse é nosso grande sonho e maior objetivo 2019/2020.

Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília Janine Brit

”Entrepreneurship is a family heirloom,” says Janine Brito Daughter of the steel businessman who arrived in Brasilia at the invitation of Juscelino began serving coffee Janine Brito tells the story of Pinheiro Ferragens, a company that celebrates its anniversary with Brasilia and is already in the heart of the city. Check out the interview granted by the Voice of Brasilia group: Brazilian Yearbook - How was the company founded in Brasilia? Janine Brito - We are very proud of the history of Pinheiro Ferragens. The company was founded in 1960, by my father, Getúlio Pinheiro de Brito, who came to Brasilia at the invitation of Juscelino Kubitschek. He was active in the steel supply business in Rio de Janeiro and was a great visionary. He arrived here and decided to found Pinheiro Ferragens. It was very difficult because he had no financial conditions and no structure in the city for those who were arriving. He carried hardware on his back, he himself was the cashier. He did everything. AB - How is family participation in business? Janine Brito - I was going to the company since I was little to make coffee. He always took the family to work with him. I started working with my dad 30 years ago. Working effectively was when I started looking after real estate when he had a construction company. Today, Pinheiro is run by all the brothers and one more cousin, who is a brother of heart for me. He is our right arm. The five of us take care of the whole Pinheiro de Brito group and the management is shared. I am CEO and curator of my father, I make the executive decisions of the company. AB - What is the secret of the company’s success? JB - My father, perhaps because he did not have an academic background, always acted with his entrepreneurial instinct and it worked very well. He handed it to his children. I, despite having studied hard, learned most of what I know from my father. We always work on blue, we never take on debt, we do not like it very much. We do not make many financial commitments and we are always watching our country’s crises. We are champions of economic crises. We passed through many currencies until arriving at Real, we had that period of overnight, the Pinheiro Ferragens traditionally stayed in the blue. So crises come and go and we continue the same way.p

235


Edmar Mothé, CEO da Bio Mundo e Mundo dos Filtros

apixaba, Edmar Mothé, concedeu entrevista ao jornalista Paulo Fayad, contando a sua trajetória de sucesso à frente das empresas Bio Mundo e Mundo dos Filtros. Chegou em Brasília aos 22 anos com o desejo de empreender. Sem dinheiro e somente com o sonho, morou em república na Capital Federal . Na república, foi convidado a ser vendedor porta a porta. Começou vendendo seguros, planos de aposentadoria e empréstimo descontado em folha para funcionário público na esplanada dos ministérios. Na segunda etapa foi também corretor de imóveis, onde fundou o primeiro empreendimento, uma imobiliária. Começou o mundo dos filtros com uma pergunta. Qual o consumidor desse produto? E já tinha a resposta? Todo mundo que bebe água. Desse modo nasceu a empresa Mundo dos Filtros, com três quiosques no maior shopping de Brasília. Em presa sólida, está nos melhores pontos comerciais de Brasília, levando a pureza da água para todo o Brasil. Consumidor de produtos naturais, Edmar Mothé fundou a Bio Mundo, empresa de produtos naturais, que computa mais de 40 anos de experiência no varejo. Está presente nos estados do Distrito Federal, Rio de Janeiro, Goiás, Minas Gerais, Tocantins, Maranhão, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo e abriu expansão para todo o país. Com mais de cem lojas, a empresa vem promovendo saúde e bem estar na vida das pessoas e conta com o mix de produtos mais completo e variado do país com produtos exclusivos da marca Bio Mundo. Com o DNA de entrega de resultados, é incansável naquilo que acredita. Sinal disso, hoje a sua família está totalmente engajada no negócio e trabalham afinco para trazer qualidade dos seus produtos, com preço acessível a todos os consumidores. Gerando quase dez mil empregos diretos e indiretos, a marca Bio Mundo e Mundo dos Filtros é referência entre os consumidores mais exigentes.

236

Foto: Divulgação

C

Edmar Mothé, CEO of Bio Mundo e Mundo dos Filters Capixaba, Edmar Mothé, gave an interview to journalist Paulo Fayad, telling his successful trajectory ahead of the companies Bio Mundo and Mundo dos Filters. He arrived in Brasilia at the age of 22 with the desire to undertake. Without money and only with his dream, he lived in a republic in the Federal Capital. In the republic, he was invited to be a door-to-door salesman. He began by selling insurance, retirement plans and discounted loans to public servants on the esplanade of ministries. In the second stage, he was also a realtor, where he founded the first development, a real estate company. He started the world of filters with a question. What is the consumer of this product? And already had the answer? Everyone who drinks water. In this way the company Mundo dos Filters was born, with three kiosks in the largest mall in Brasilia. A solid company, it is in the best commercial spots in Brasilia, taking the purity of water throughout Brazil. A consumer of natural products, Edmar Mothé founded Bio Mundo, a natural products company, which has more than 40 years of retail experience. It is present in the states of the Federal District, Rio de Janeiro, Goiás, Minas Gerais, Tocantins, Maranhão, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná and São Paulo and has opened expansion to the whole country. With over one hundred stores, the company has been promoting health and well-being in people’s lives and has the most complete and varied product mix in the country with exclusive products from the Bio Mundo brand. With the DNA of delivering results, he is tireless in what he believes. A sign of this, today his family is fully engaged in the business and they work hard to bring the quality of their products, with an affordable price to all consumers. Generating almost ten thousand direct and indirect jobs, the Bio Mundo and Mundo dos Filters brand is a reference among the most demanding consumers.


Foto: Alexandre Marino

Quadras do plano piloto 237


Brasília 238


239

Foto: Daniel Costa


Foto: Lapin Fotografia

Universidade 240 de Brasília


241


Foto: Lapin Fotografia

Praça dos Cristais 242


243


Foto:Ricarod Araújo Leite

Procuradoria Geral da União 244


245


Foto: Lapin Fotografia

Praça dos Cristais 246


247


Foto:Júnior Brito

lago

248 Paranoá


249


250


Regiões Administrativas do Distrito Federal

Recicle lixo e ganhe oportunidades


Regiões Administrativas

E

ssa divisão foi oficializada pela lei nº 6.545/64. Atualmente existem trinta e três RA’s (Regiões Administrativas), também conhecidas como cidades satélites, com exceção do Plano Piloto. Cada RA possuí uma administração regional, com um administrador indicado pelo governador do DF. Fazendo uma comparação ao resto do Brasil, as regiões administrativas seriam semelhantes aos municípios dos estados.

RA - I Plano Piloto Em 1957 a Novacap promoveu um concurso que escolheu o projeto para o Plano Piloto de Brasília. Lúcio Costa saiu campeão. A estrutura do Plano Piloto foi construída em três anos, o traçado era dois eixos cruzando-se em ângulo reto, como uma cruz, com um dos seus eixos arqueados para ganhar uma forma de avião. Por este motivo o setor residencial do Plano Piloto é chamado de Asa Norte e Asa Sul, sendo o corpo do avião o Eixo Monumental. É no Plano Piloto que se abriga os setores hoteleiros de Brasília e os principais monumentos planejados por Oscar Niemeyer. Foto: Agência Brasília

RA - II Gama O Gama está localizado a 30 Km de Brasília, e é considerada a capital do entorno do DF, pois é polo econômico e geográfico para as cidades do Novo Gama, Valparaíso, Cidade Ocidental, Luziânia e Santo Antônio do Descoberto, todas pertencentes ao estado do Goías. A RA II nasceu entre as fazendas Gama, Ponte Alta, Ipê e Alagado, sua fundação se deu em 12 de outubro de 1960. Seus primeiros moradores vieram de uma invasão localizada na barragem do Paranoá, além dos moradores transferidos da Vila Planalto e da Vila Amauri, que foi submersa pelo lago Paranoá. Também recebeu muitas pessoas que viviam no Setor de Indústrias de Taguatinga. O Gama abriga o time de futebol de maior sucesso da capital, a Sociedade Esportiva do Gama, 12 vezes campeão do Campeonato Brasiliense.

Administrative Regions The Administrative Regions of the Federal District is the way the capital is divided. This form of division was made official by Law No. 4,545 / 64. There are currently 33 RA’s (Administrative Regions), also known as satellite cities, with the exception of Brasília, which is the Pilot Plan. Each RA has a regional administration, with an administrator appointed by the governor of the DF. The administrative regions, making a comparison to the rest of Brazil, would be similar to the municipalities of the states.

252

RA - I Plano Piloto In 1957 Novacap held a contest that chose the project for the Plano Piloto de Brasília. Lúcio Costa emerged champion. The structure of the Plano Piloto was built in three years, the layout was two axes crossing at right angles, like a cross, with one of its axes arched to gain an airplane shape. For this reason, the residential sector of Plano Piloto is called Asa Norte and Asa Sul, the body of the plane being the Monumental Axis. It is in the Plano Piloto that Brasilia’s hotel sectors and the main monuments planned by Oscar Niemeyer are sheltered.


RA - III - Taguatinga

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Taguatinga foi fundada em 5 de junho de 1958, dois anos antes da inauguração de Brasília. Foi a primeira cidade a receber os moradores da Vila Amauri, um núcleo operário que ficava na região que se formou o lago Paranoá. Em 1970, o governador Hélio Prates da Silveira, reconheceu Taguatinga oficialmente como cidade, por meio do Decreto 571/70. A cidade é cortada pelo Ribeirão Taguatinga e possui três setores. O Setor Comercial, formado pela Avenida Central com sua praça, a quadra comercial, a sede dos serviços administrativos regionais e demais estabelecimentos, e os setores Norte e Sul, que possui as quadras residenciais, comerciais e industriais.

RA - IV - Brazlândia A cidade de Brazlândia é o lado mais verde do DF. Seu nome surgiu em homenagem a família mais antiga da região, a de João Braz Queirós. Sua criação se deu em 5 de junho de 1933 e sua área total possui 474,83Km². A RA recebe tradicionais festas todo ano, sendo a principal a Festa do Morango. Ela é dividida em cinco setores: Setor tradicional, Setor Sul, Setor Norte, Vila São José e Setor Veredas. Brazlândia fica a 50km do Plano Piloto e é formada por centenas de propriedades rurais, agrícolas e pecuárias. Um dos grandes atrativos da cidade é o Santuário Menino Jesus, que é o segundo maior santuário do país, atrás apenas do Santuário de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida do Norte. Foto: Tony Winston /Agência Brasília

RA - V - Sobradinho

Foto: Tony Winston /Agência Brasília RA - II Range The Gama is located 30 km from Brasília, and is considered the capital of the surroundings of the DF, as it is an economic and geographic hub for the cities of Novo Gama, Valparaíso, Cidade Ocidental, Luziânia and Santo Antônio do Descoberto, all belonging to the state of Goias. RA II was born between the Gama, Ponte Alta, Ipê and Alagado farms, its foundation took place on October 12, 1960. Its first residents came from an invasion located in the Paranoá dam,

in addition to the residents transferred from Vila Planalto and Vila Amauri, which was submerged by Lake Paranoá. It also received many people who lived in the Industry Sector of Taguatinga. Gama is home to the capital’s most successful soccer team, Sociedade Esportiva do Gama, 12 times champion of the Brasiliense Championship. RA - III - Taguatinga Taguatinga was founded on June 5, 1958, two years before the inauguration of Brasília. It was the first city to receive the residents of

Sobradinho foi inaugurada em 13 de maio de 1960, sua oficialização como cidade satélite aconteceu pelo Decreto n º571, de 1967. O planejamento urbanístico da cidade foi feito pela Novacap, para abrigar as famílias que chegavam na cidade. Localizada a 22km de Brasília, Sobradinho foi criada para ser um local residencial. O nome da cidade passa por lendas, como a que conta que existia um velho cruzeiro de madeira rústica, as margens de um ribeirão em uma fazenda, onde teria sido construídas duas casas do pássaro João-de-barro, em cima do braço direito do cruzeiro. Por esse motivo esse ponto passou a ser chamado como “Cruzeiro do Sobradinho” ou “Sobradinho do Cruzeiro”. Vila Amauri, a working nucleus that was in the region where Lake Paranoá was formed. In 1970, Governor Hélio Prates da Silveira, officially recognized Taguatinga as a city, through Decree 571/70. The city is crossed by Ribeirão Taguatinga and has three sectors. The Commercial Sector, formed by Avenida Central with its square, the commercial block, the headquarters of regional administrative services and other establishments, and the North and South sectors, which have residential, commercial and industrial blocks.

RA - IV - Brazlândia The city of Brazlândia is the greenest side of the DF. Its name came in honor of the oldest family in the region, that of João Braz Queirós. Its creation took place on June 5, 1933 and its total area is 474.83Km². RA hosts traditional parties every year, the main one being the Strawberry Festival. It is divided into five sectors: Traditional sector, Southern sector, Northern sector, Vila São José and Setor Veredas. Brazlândia is 50 km from Plano Piloto and is formed by

253


Foto: Dênio Simões/Agência Brasíliao

Centro de Taguatinga 254


255


Foto: João Lopez de Souza

Assentamento Pequeno William 256em Planaltina - DF


257


Foto: Lapin Fotografia

Plano Piloto

258


259


RA - VI - Planaltina Situada há 40km de Brasília, Planaltina foi criada em 19 de agosto de 1859 pela lei nº 03 da Assembléia Provincial de Goiás. A cidade iniciou sua história, logo após a passagem da Comissão Cruls, que estudou a região que seria a futura capital. Em 1922 o presidente Epitácio Pessoa lançou o decreto nº 4494, determinando o assentamento da Pedra Fundamental, onde pretendia-se construir a nova capital. Planaltina hoje é um dos pontos turísticos do DF, e conta com a lagoa Bonita, a Cachoeira do Pipiripau, o Centro Histórico e o Vale do Amanhecer. Além de atrair centenas de pessoas todos os anos para sua famosa Via Sacra no Morro da Capelinha. Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasíliao

RA - VII - Paranoá O Paranoá foi criado em 1964, pela Lei nº 4.545, de 10 de dezembro, o detalhe é que a sua Administração Regional só foi criada em 1989, por esse motivo, até essa data ela foi subordinada ao Gama. A região do Paranoá possui uma área de 851,94 Km² e localiza-se em uma área contígua ao lado da Barragem do Lago Paranoá, entre a Estrada Parque do Paranoá, Estrada parque Contorno e Estrada Parque Tamanduá. Dentro das suas extremidades existem unidades de conservação, são elas: Área de Proteção Ambiental – APA do Lago Paranoá, Área de Relevante Interesse Ecológico – ARIE do Lago Paranoá e a Área de Captação do Tamanduá, administrada pela Caesb.

Foto: Pedro Ventura / Agência Brasília

RA - VIII - Núcleo Bandeirante O Núcleo Bandeirante está localizado onde ficava as fazendas goianas Bananal, Vicente Pires e Gama. É uma das cidades mais tradicionais da capital pela sua importância antes da inauguração de Brasília. A cidade exercia uma função comercial durante o período da construção da capital. O Núcleo Bandeirante está localizado onde ficava às fazenzdas goianas Bananal, Vicente Pires e Gama. Em 1960 a cidade seria desmontada, o que encadeou um movimento de moradores para sua fixação, o Movimento Pró-Fixação e Urbanização do Núcleo Bandeirante (MPFUNB). Em 1961, aconteceu a fixação da cidade, por meio da Lei nº 4.020 Foto: Gabriel Jabur/Agencia Brasilia hundreds of rural, agricultural and livestock properties. One of the great attractions of the city is the Sanctuary Menino Jesus, which is the second largest sanctuary in the country, behind only the Sanctuary of Nossa Senhora Aparecida, in Aparecida do Norte. RA - V - Sobradinho Sobradinho was inaugurated on May 13, 1960, its officialization as a satellite city was made by Decree No. 571 of 1967. The urban

260

planning of the city was done by Novacap, to house the families that arrived in the city. Located 22 km from Brasília, Sobradinho was created to be a residential location. The name of the city goes through legends, like the one that tells us that there was an old rustic wooden cruise, on the banks of a stream in a farm, where two houses of the bird João-de-mud would have been built, on top of the right arm of the cruise. For this reason, this point came to be called “Cruzeiro do Sobradinho” or “Sobradinho do Cruzeiro”.

RA - VI - Planaltina Planaltina is located 40km from Brasília, the region was created on August 19, 1859 by Law No. 03 of the Provincial Assembly of Goiás. Then came the District of Mestre D’armas, which belonged to the municipality of Formosa. The city began its history, shortly after the passage of the Cruls Commission, which studied the region that would become the future capital. In 1922, President Epitácio Pessoa issued Decree 4494, determining the settlement of Pe-

dra Fundamental where the new capital was intended to be built. Today Planaltina is one of the tourist attractions of the DF, and has the Bonita pond, the Cachoeira do Pipiripau, the Historic Center and the Vale do Amanhecer. In addition to attracting hundreds of people every year to its famous Via Crucis in Morro da Capelinha. RA - VII - Paranoá Paranoá was created in 1964, by Law No. 4,545, of December 10, the detail is that its


RA - IX - Ceilândia A Ceilândia foi criada em 1989, pela Lei 11.921. A cidade sustenta o segundo maior colégio eleitoral do DF, ela surgiu a partir da Campanha de Erradicação de Invasões (CEI), que aconteceu em 1971, pelo GDF, daí surgiu o nome Ceilândia. A RA divide-se nos setores M, N, O, P e Q. A cidade é conhecida por ser um centro de difusão da cultura nordestina. A 24km do Plano Piloto, a Ceilândia possui uma área de 232 Km². Um dos principais eventos que acontece na cidade é o Maior São João do Cerrado, o evento reúne mais de 300 mil pessoas em três dias de festival. Foto: Tony Winston / Agência Brasília

RA - X - Guará O Guará foi fundado em 5 de maio de 1969. A nova cidade satélite tinha o objetivo de abrigar funcionários públicos do GDF. Com o aumento populacional, o Guará atingiu um grande desenvolvimento social e econômico, passando a ser uma das regiões administrativas com maior renda per capita do Distrito Federal. Aconteceram alterações recentes no Plano Diretor da RA permitindo a construção de prédios de apartamentos com até 20 andares e de novas quadras residenciais em áreas limítrofes à Candangolândia e ao Núcleo Bandeirante. O Guará é dividido em: Guará I e II. O nome da cidade tem como origem o Córrego Guará, que passa por toda sua área, sendo batizado assim em homenagem ao lobo-guará, uma espécie encontrada no Planalto Central.

Foto: Tony Winston / Agência Brasília

Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

RA - XI - Cruzeiro

Foto: Andre Borges/agência Brasília

Nas terras da fazenda Bananal ocorreu em 1955 a ocupação do Cruzeiro, para receber funcionários públicos do Rio de Janeiro que estavam sendo transferidos para Brasília. Em 1958 começaram as construções de casas geminadas para abrigar os novos moradores. O Cruzeiro faz parte do Plano Piloto e foi fundado em novembro de 1959. A equipe comandada por Lúcio Costa foi a responsável pelo projeto urbanístico do local. No início a região recebeu o nome de Setor de Residências Econômicas Sul (SRES), atual Cruzeiro Velho. O Cruzeiro Novo, surge no final dos anos 60, e é abrigado por funcionários públicos do GDF e da iniciativa privada. A RA do Cruzeiro foi criada pela Lei nº 049 em 25 de outubro de 1989, assim passou a ser a RA XI, deixando de pertencer a RA I - Brasília. A região é formada pelo Cruzeiro Velho e Cruzeiro Novo.

Regional Administration was only created in 1989, for this reason, until that date it was subordinated to Gama. The Paranoá region has an area of 851.94 ​​ km² and is located in a contiguous area next to the Lago Paranoá Dam, between the Parque do Paranoá Road, the Parque Contorno Road and the Parque Tamanduá Road. Within its ends there are conservation units, which are: Environmental Protection Area - APA of Lago Paranoá, Area of ​​Relevant Ecological Interest - ARIE of Lago Paranoá and the Tamanduá Catchment Area, managed by Caesb. RA - VIII - Bandeirante Nucleus Núcleo Bandeirante was the first occupation of candangos in Brasília, at the time it was called Cidade Livre. It is one of the most traditional cities in the capital due to its importance before the inauguration of Brasília. The city had a commercial function during the period of construction of the capital. The Núcleo Bandeirante is located where Bananal, Vicente Pires

and Gama were located in Goiás. In 1960 the city would be dismantled, which chained a movement of residents for its fixation, the Movement for the Fixation and Urbanization of Núcleo Bandeirante (MPFUNB). In 1961, the city was established, through Law No. 4,020. RA - IX - Ceilândia Ceilândia was created in 1989, by Law 11,921. The city supports the second largest electoral college in the DF, it arose from the Invasion Eradication Campaign (CEI), which took place in 1971, through the GDF, hence the name Ceilândia. RA is divided into sectors M, N, O, P and Q. The city is known for being a center for the diffusion of Northeastern culture. 24 km from Plano Piloto, Ceilândia has an area of 232 ​​ km². One of the main events taking place in the city is the Greater São João do Cerrado, the event brings together more than 300 thousand people in three days of the festival.

261


Foto: Gabriel Jabur / Agencia Brasília

A Praça Padre Roque no Núcleo Bandeirante é uma homenagem ao Padre Pioneiro Roque Valiati, que lutou para que a antiga Cidade Livre se transforma-se em cidade satélite 262


263


Foto: Maurilio Quadros

Memorial JK

264


265


Foto: Lapin Fotografia

Catedral de Brasília 266


267


RA - XII - Samambaia Samambaia foi fundada em 25 de outubro de 1989, para receber famílias carentes vindas de várias partes do Distrito Federal. A oficialização da RA aconteceu pela Lei 49 e decreto 11.291, tornando-se assim a RA XII do DF. O projeto urbanístico da cidade foi feito 11 anos antes, em 1978, pelo Plano Estrutural de Organização Territorial (PEOT). Em 1985 os primeiros moradores chegaram na região. O local que recebeu a cidade pertencia ao Núcleo Rural Taguatinga, que era formado por várias chácaras produtoras de hortaliças, frutas, verduras e flores. O nome Samambaia é em homenagem ao córrego que corta a região, onde a nascente se encontra abaixo das quadras residenciais 127 e 327 e é encontradas as plantas da espécie samambaia.

Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

RA - XIII - Santa Maria Localizada a 26 Km de Brasília, Santa Maria é formada pelas áreas da Marinha, Saia Velha e o Pólo JK. Em volta da cidade passa dois ribeirões: o Alagado e Santa Maria, que é o responsável pelo nome da cidade. As primeiras ocupações ocorreram em 1991. O Núcleo Rural Santa Maria era uma área rural do Gama até 1992, mas, através do decreto nº 14.604 de 1993, a cidadã passa a ser uma RA própria e é fundada oficialmente em 10 de fevereiro de 1993, sendo resultado de um programa de distribuição de lotes realizado pelo GDF.

Foto: Toninho Tavares / Agência Brasília

RA - XIV - São Sebastião A cidade de São Sebastião começou a ser ocupada em 1957, através de olarias que se instalaram na região, na ocasião para suprir a demanda da construção civil por materiais. Em 25 de junho de 1993, São Sebastião que era uma Agrovila ganhou o status de Região Administrativa, pela Lei 467/93. O nome da cidade é uma homenagem a um dos primeiros comerciantes a morar no local, o “Seu Sebastião”. Ele retirava areia no rio São Bartolomeu e vendia para as construtoras da Companhia Urbanizadora de Brasília (Novacap), o pioneiro era chamado também de Tião Areia. São Sebastião está localizada nas desapropriações das fazendas Papuda, Taboquinha e Cachoeirinha. Foto: Tony Winston/Agencia Brasilia RA - X - Guará Guará was founded on May 5, 1969. The new satellite city was intended to house GDF public officials. With the population increase, Guará reached a great social and economic development, becoming one of the administrative regions with the highest per capita income in the Federal District. Recent changes have occurred in the RA Master Plan allowing the construction of apartment buildings with up to 20 floors and new residential blocks in areas bordering Candangolândia and Núcleo Bandeirante. Guará is divided

268

into: Guará I and II. The name of the city comes from the Córrego Guará, which passes through its entire area, being named after the maned wolf, a species found in the Central Plateau. RA - XI - Cruzeiro In the lands of the Bananal farm, the occupation of Cruzeiro occurred in 1955, to receive civil servants from Rio de Janeiro who were being transferred to Brasília. In 1958 construction began on semi-detached houses to house the new residents. Cruzeiro is part of the Plano

Piloto and was founded in November 1959. The team led by Lúcio Costa was responsible for the urban design of the place. In the beginning, the region received the name of Southern Economic Residency Sector (SRES), currently Cruzeiro Velho. Cruzeiro Novo emerged in the late 1960s and is housed by public officials from GDF and the private sector. RA do Cruzeiro was created by Law No. 049 on October 25, 1989, so it became RA XI, ceasing to belong to RA I - Brasília. The region is formed by Cruzeiro Velho and Cruzeiro Novo.

RA - XII - Fern Samambaia was founded on October 25, 1989, to receive families of invasions and backyard funds, coming from various parts of the Federal District. The officialization of the RA took place by Law 49 and Decree 11,291, thus becoming RA XII of the DF. The city’s urban design was done 11 years earlier, in 1978, by the Structural Plan for Territorial Organization (PEOT). In 1985 the first residents arrived in the region. The place that received the city belonged to the Núcleo Rural Taguatinga, which was formed by several


RA - XV - Recanto das Emas

Foto: Dênio Simões / Agência Brasília

O Recanto das Emas foi criado em 28 de julho de 1993 pela Lei nº 510/93 e regulamentada pelo Decreto nº 15.046/93. O objetivo era atender o programa de assentamento do GDF e acabar com as invasões que acontecia na RA I - Brasília. Nas redondezas da cidade existe um sítio arqueológico chamado “Recanto”, e na área é muito comum o arbusto “canela-de-ema”, daí provém o nome Recanto das Emas. Alguns antigos moradores também contam que na região havia uma grande quantidade de emas, uma espécie muito comum no cerrado. Localizada a 25,8 Km de Brasília, a cidade fica próxima da Samambaia, Gama e Riacho Fundo II.

RA - XVI - Lago Sul O Lago Sul foi criado pela Lei nº 643, de 10 de janeiro de 1994. Ele possui uma densidade demográfica de 147,76 hab/Km², e possui um potencial natural para manter o mais alto índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do planeta. A Região administrativa recebe esse nome por se localizar na margem Sul do Lago Paranoá. Ela foi desmembrada da RA I - Brasília, mas continua sujeita às diretrizes urbanísticas estabelecidas para Brasília. A cidade é zona de influência da área tombada do Distrito Federal e possui um IDH de 0,945, maior que o índice da Noruega e Suécia, além de ter uma renda média anual per capita de R$ 23.956,09, que significa 40% da renda total da população do DF. Foto: Toninho Tavares / Agência Brasília

RA - XVII - Riacho Fundo I

Foto: Pedro Ventura / Agência Brasília farms producing vegetables, fruits, vegetables and flowers. The name Samambaia is in honor of the stream that cuts through the region, where the source is located below residential blocks 127 and 327 and plants of the fern species are found. RA - XIII - Santa Maria Located 26 km from Brasília, Santa Maria is formed by the areas of the Navy, Saia Velha and the Pole JK. Around the city there are two riversides: Alagado and Santa Maria, which is responsible for the name of the city. The first

occupations occurred in 1991. The Núcleo Rural Santa Maria was a rural area of ​​Gama until 1992, through decree No. 14,604 of 1993, the city gains its own RA and is officially founded on February 10, 1993, resulting from a batch distribution program carried out by the GDF. RA - XIV - São Sebastião The city of São Sebastião began to be occupied in 1957, through potteries that were installed in the region, at the time to supply the demand of civil construction for mate-

Em 13 de março de 1990 para extinguir favelas na periferia, o governo criou o programa de assentamento, e loteou a Granja Riacho Fundo. A RA XVII surge pela Lei nº 620/93 e o Decreto nº 15.514/94. O Riacho se localiza às margens do ribeirão Riacho Fundo. Os primeiros moradores da cidade vieram de invasões do Bairro Telebrasília. A Granja Riacho Fundo sediou a Residência Oficial dos Governos Militares, logo após, o local foi transformado em Instituto de Saúde mental. Atualmente, é considerado uma área de preservação ambiental (APA), pois possui uma grande contribuição ecológica para o país. No ano de 1994 foi criado o parcelamento do Riacho Fundo II, sendo uma cidade integrada ao Riacho Fundo I, em 2003, houve a separação criando-se uma nova Região Administrativa. rials. On June 25, 1993, São Sebastião, which was an Agrovila, gained the status of Administrative Region, by Law 467/93. The name of the city is a tribute to one of the first traders to live in the place, “Seu Sebastião”. He removed sand from the São Bartolomeu River and sold it to the construction companies of the Companhia Urbanizadora de Brasília (Novacap), the pioneer was also called Tião Areia. São Sebastião is located in the expropriations of the Papuda, Taboquinha and Cachoeirinha farms.

RA - XV - Recanto das Emas Recanto das Emas was created on July 28, 1993 by Law No. 510/93 and regulated by Decree No. 15,046 / 93. The objective was to meet the GDF settlement program and end the invasions that occur in RA I - Brasília. On the outskirts of the city there is an archaeological site called “Recanto”, and the “canelade-ema” shrub, from the name or the name Recanto das Emas, is very common. Some former residents also contaminated the region where there were a large number of

269


Foto: Tony Winston/Agência Brasília

Ermida Dom Bosco – Lago Sul 270


271


Foto: Pedro Ventura / Agência Brasília

Vista aérea do centro do Riacho Fundo I 272


273


Foto: Daniel Costa

Museu Nacional 274


275


RA XVIII - Lago Norte Entre 1960 e 1965 foi criado um projeto urbanístico feito pela Novacap, para o Setor Habitacional Individual Norte (SHIN) e o Setor de Mansões do Lago Norte (SML). Entre as primeiras edificações do local está o Clube do Congresso. Em 1970 a Fundação Educacional cedeu aos professores um financiamento de lotes na região SHIN, na ocasião a região era pouco valorizada por falta de atrativos. Foi assim que entre 1975 e 1982 a Península Norte de consolidou. A Região Administrativa do Lago Norte foi criada oficialmente pela Lei nº 641, de 10 de janeiro de 1994 e regulamentada pelo Decreto nº 15.516/94. Antes estava vinculada a RA I - Brasília. Um dos pontos turísticos da cidade é a Torre de TV Digital, projetada pelo Oscar Niemeyer. Foto: Gabriel Jabur / Agência Brasília

RA XIX - Candangolândia A Candangolândia é a cidade-mãe da capital, por ter recebido o núcleo central da construção de Brasília. Foi ela que abrigou os pioneiros que levantaram a cidade. O primeiro acampamento foi construído em 1956 pela Novacap, e nele existia escolas, posto de saúde, restaurantes e demais instalações. Na cidade ainda se encontra construções de madeira da época. A Candanga é uma das menores cidades satélites do DF e o nome da região é uma homenagem aos trabalhadores que construíram Brasília, que eram chamados de candangos.

Foto: Gabriel Jabur / Agência Brasília

RA XX - Águas Claras Águas Claras está a 20 Km de Brasília e seu nome é uma homenagem ao córrego Águas Claras, que nasceu na região e abastece o Lago Paranoá. A Lei nº 385 de dezembro de 1992, autorizou a implantação do Bairro de Águas Claras dentro da Região Administrativa de Taguatinga. A cidade só virou uma RA separada através da Lei nº 3.153 de 6 de maio de 2003, transformando assim na RA XX. A cidade satélite de Águas Claras possui quatro estações de metrô, são elas: estação Arniqueiras, Águas Claras, Concessionárias e Estrada Parque. Foto: Gabriel Jabur / Agencia Brasília emus, a species very common in the cerrado. Located 25.8 km from Brasília, the city is close to Samambaia, Gama and Riacho Fundo II. RA - XVI - South Lake Lago Sul was created by Law No. 643, of January 10, 1994. It has a demographic density of 147.76 inhabitants / km², and has a natural potential to maintain the highest Human Development Index (HDI) on the planet. The administrative region gets its name from finding the south shore of Lake Paranoá. It was separated from RA I - Brasília, but remains subject to the necessary urban guidelines for Brasília. The city is an area of ​​influence of the protected area in the Federal District and has an HDI of 0.945, the highest index in Norway and Sweden, in addition to an average annual per capita income of R $ 23,956.09, which means 40% of the total income of the DF population. RA - XVII - Riacho Fundo I On March 13, 1990, for the extinction of favelas in the periphery, the government created the settlement program and allotted Granja Riacho Fundo. An increase in RA XVII by Law No. 620/93

276

and Decree No. 15,514 / 94. The Riacho is located on the banks of the Riacho Fundo stream. The first residents of the city came from invasions in Bairro Telebrasília. A Granja Riacho Fundo hosted the Official Residence of Military Governments, or the place was transformed into an Institute of Mental Health, it is currently considered an area of ​​environmental preservation (APA), as it has a great ecological contribution. In 1994, Riacho Fundo II was created or parceled out, being a city integrated to Riacho Fundo I, in 2003, a new administrative region was created. RA - XXVII - Botanical Garden Recanto das Emas was created on July 28, 1993 by Law No. 510/93 and regulated by Decree No. 15,046 / 93. The objective was to attend the GDF settlement program and end the invasions that happened in RA I - Brasília. On the outskirts of the city there is an archaeological site called “Recanto”, and in the area the “canela-de-ema” shrub is very common, hence the name Recanto das Emas. Some former residents also say that in the region there were a large number of emus, a species very common in the cerrado. Located 25.8 km from Brasília, the city is close to Samambaia, Gama and Riacho Fundo II.


RA XXI - Riacho Fundo II O Riacho Fundo II é resultado da luta da população por direito a moradia. Em 1995 um grupo de pessoas ficaram acampadas na beira da pista, próximo a rotatória do Recanto das Emas, manifestando pelo direito de habitação. A região pertencia a RA Riacho Fundo e era um grande descampado de cerrado. Em 2001, foi criada a subadministração regional do Riacho Fundo II, mas a independência e criação da RA XXI só viria em 2003. A cidade é formada pelas quadras Norte, Centrais, Sul e quadras industriais, além dos conglomerados agrourbanos de Brasília (CAUB I e II).

Foto: Pedro Ventura / Agência Brasília

RA XXII - Sudoeste/Octogonal A Região Administrativa do Sudoeste e Octogonal foi criada em 6 de maio de 2003, pela Lei nº 3.153, que oficializou a criação da RA XXII e desmembramento da RA IX do Cruzeiro. A região é basicamente toda urbana e possui áreas residenciais, setores comerciais, quadras mistas, o Hospital das Forças Armadas (HFA) e o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). As áreas conhecidas como Octogonais foram criadas pelo Decreto nº 2.705 de 12 de setembro de 1974. Já em 19 de dezembro de 1988, o Conselho de Arquitetura, Urbanismo e Meio Ambiente (CAUMA), aprovou o Projeto de Urbanismo URB 147/88, chamando de Setor de Habitações Coletivas Sudoeste, sendo homologado pelo Decreto 11.433 de 30 de janeiro de 1989. A RA está localizada na área tombada pelo Patrimônio Histórico da Humanidade. Foto: Renato Araújo / Agência Brasília

RA XXIII - Varjão As terras do Varjão na década de 1950 pertenciam à Fazenda Brejo ou Torto, localizadas em Planaltina. Na década seguinte iniciou-se a ocupação da Vila Varjão, e as primeiras famílias desenvolviam atividades agrícolas. Através do Decreto nº 13.132 de abril de 1991, o GDF criou a Vila Varjão, a partir de então deu-se início a elaboração de um projeto urbanístico para implantação definitiva da cidade. Em 1998, por meio do Decreto 19.022 foi criada a Comissão Urbanizadora e de Legalização da Vila Varjão. A criação da RA XXIII aconteceu oficialmente em 6 de maio de 2003, através da Lei nº 3.153. Antes o Varjão era inserido no espaço geográfico do Lago Norte. RA - XXVIII - Itapoã Itapoã was an irregular occupation belonging to Sobradinho, even though it was closer to Paranoá. The invasion grew and attracted migrants from various regions of Brazil. The Government of the Federal District on January 3, 2005, created the Administrative Region of Itapoã, thus being able to offer better conditions for the large number of people who already lived there. According to data from the 2015/16 PDAD, the city already has 68,587 inhabitants. RA - XXIX - SIA The Industry and Supply Sector (SIA) was created to receive companies that needed large spaces to receive their facilities and develop their industry and supply activities. Hence the name of the city. Several car, motorcycle and nau-

tical dealerships are located in the region. In addition to the famous Import Fair. The city is also home to large companies like Petrobrás and Texaco, with their fuel storage tanks. There are also two freight train stations at SIA. RA XVIII - North Lake Between 1960 and 1965, an urban project was created by Novacap, for the Northern Individual Housing Sector (SHIN) and the Mansions of the North Lake Sector (SML). Among the first buildings on the site is the Clube do Congresso. In 1970 the Fundação Educacional gave teachers a financing for lots in the SHIN region, at the time the region was underrated due to the lack of attractions. It was thus that between 1975 and 1982 the North Peninsula consolidated. The Administrative Region of Lago Norte was officially created by Law No. 641, of January 10,

1994 and regulated by Decree No. 15,516 / 94. Before it was linked to RA I - Brasília. One of the city’s tourist attractions is the Digital TV Tower, designed by Oscar Niemeyer. RA XIX - Candangolândia Candangolândia is the mother city of the capital, for having received the central core of the construction of Brasília. It was she who housed the pioneers who raised the city. The first camp was built in 1956 by Novacap, and there were schools, health clinics, restaurants and other facilities. In the city you can still find wooden constructions of the time. Candanga is one of the smallest satellite cities in the DF and the name of the region is a tribute to the workers who built Brasília, which were called candangos.

277


Foto: Dênio Simões / Agência Brasília

278

Início do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA)


279


RA - XXIV - Park Way Por sua grande reserva ecológica e importantes recursos hídricos, o Park Way é conhecido pela sua grande preservação do meio ambiente. O Setor de Mansões Park Way (SMPW) foi criado em 13 de março de 1961 e mantém sua característica principal intacta: é um bairro 100% residencial. A cidade pertencia a RA VIII – Núcleo Bandeirante, porém, em 29 de dezembro de 2003 se tornou independente. A área rural da cidade é chamada de Vargem Bonita, e o local é um dos maiores produtores de hortaliças do DF, além de concentrar um dos maiores redutos nipônicos do Distrito Federal. Os pioneiros de origem japonesa vieram do estado de São Paulo incentivados pelo Governo de JK. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

RA - XXV - SCIA/Estrutural A Cidade Estrutural se originou de uma invasão de catadores de lixo, próximo ao aterro sanitário do DF, ela também compõe o Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA), que foi criado em 1989, em frente à Vila. Nesta época se previa a retirada da invasão. Várias tentativas foram feitas e nenhuma alcançou o sucesso esperado. No começo da década de 1990 o conjunto de barracos da região próximos ao lixão ampliou-se e formou a “Invasão da Estrutural”, com o crescimento passou a ser chamada de Vila Estrutural e pertencer a RA do Guará. Em janeiro de 2004 a Lei nº 3.315 criou o Setor Complementar de Indústria e Abastecimento como RA e a Vila Estrutural passou a ser sua sede urbana. Foto: Toninho Tavares / Agência Brasília

RA - XXVI - Sobradinho II Sobradinho II foi separada de Sobradinho em 27 de janeiro de 2004, por meio da Lei nº 3.314. A cidade fica localizada a 24 km do Plano Piloto. Em 1990 foi criado o Programa de Assentamento de População de Baixa Renda e foi através dele que começou a surgir os primeiros indícios de uma nova RA. Em agosto de 1991, o governo desapropriou as glebas de terras situadas nas fazendas Paranoazinho e Sobradinho, ambas localizadas na cidade. A primeira missa comemorativa pelo aniversário da cidade foi em 11 de outubro de 1991, essa é a data escolhida para comemorar o aniversário de Sobradinho II. RA XX - Águas Claras Águas Claras is 20 km from Brasília and its name is a tribute to the Águas Claras stream, which was born in the region and supplies Lake Paranoá. Law No. 385 of December 1992, authorized the establishment of the Bairro de Águas Claras within the Administrative Region of Taguatinga. The city only became a separate RA through Law No. 3,153 of May 6, 2003, thus becoming RA XX. The satellite city of Águas Claras has four subway stations, namely: Arniqueiras, Águas Claras, Concessionárias and Estrada Parque stations.

280

RA - XXIV - Park Way The Park Way is known for its great preservation of the environment, the city has ecological reserves and important water resources. The Park Way Mansion Sector (SMPW) was created on March 13, 1961 and keeps its main characteristic intact: it is a 100% residential neighborhood. The city belonged to RA VIII - Núcleo Bandeirante, the creation of its own RA took place on December 29, 2003. The rural area of ​​the city is called Vargem Bonita, and the place is one of the largest vegetable producers in DF, in addition to concentrate one of the largest Japanese strongholds in the Feder-

Foto: Gabriel Jabur / Agencia Brasília al District. The pioneers of Japanese origin came from the state of São Paulo encouraged by the Government of JK. RA - XXV - SCIA / Structural The Structural City originated from an invasion of garbage collectors, close to the landfill of DF, it also makes up the Complementary Industry and Supply Sector (SCIA), which was created in 1989, in front of the Vila. At that time, the invasion was expected to withdraw. Several attempts have been made and none have achieved the expected success. At the beginning of the 1990s, the set of shacks in the region

close to the landfill expanded and formed the “Invasão da Estrutural”, with the growth it started to be called Vila Estrutural and belong to RA do Guará. In January 2004, Law No. 3,315 created the Supplementary Industry and Supply Sector as RA and Vila Estrutural became its urban headquarters. RA - XXVI - Sobradinho II Sobradinho II was separated from Sobradinho on January 27, 2004, through Law No. 3,314. The city is located 24 km from Plano Piloto. In 1990, the Low Income Population Settlement Program was created and it was through it that the first signs


RA - XXVII - Jardim Botânico A região administrativa é composta basicamente por condomínios fechados. A área antigamente pertencia às fazendas Taboquinha e Papuda, embora haja controvérsias quanto à correta delimitação de cada uma. O Jardim Botânico surgiu inicialmente em 1999 como Setor Habitacional Jardim Botânico, criado pelo Decreto 20.881, em áreas então pertencentes a São Sebastião. A criação da região administrativa se deu em 31 de agosto de 2004, pela Lei 3435. O nome Jardim Botânico, é derivado do Jardim Botânico de Brasília, área de preservação ambiental que se localiza na região administrativa do Lago Sul, em área vizinha à região administrativa do Jardim Botânico.

RA - XXVIII – Itapoã

Foto: Renato Araújo / Agência Brasília

O Itapoã era uma ocupação irregular pertencente a Sobradinho, mesmo ficando mais próximo do Paranoá. A invasão cresceu e atraiu migrantes de várias regiões do Brasil. O Governo do Distrito Federal em 3 de janeiro de 2005 criou então a Região Administrativa do Itapoã, podendo oferecer assim melhores condições para o grande número de pessoas que ali já viviam. Segundo dados do PDAD de 2015/16, a cidade já possui 68.587 habitantes.

RA - XXIX - SIA O Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) foi criado para receber empresas que necessitavam de grandes espaços para receber suas instalações e desenvolverem suas atividades de indústria e abastecimento. Por isso o nome da cidade. Na região está localizada várias concessionárias de automóveis, motos e náuticas. Além da famosa Feira dos Importados. A cidade também abriga grandes empresas como Petrobrás e Texaco, com seus tanques de armazenamento de combustível. Também se encontra no SIA, duas estações de trens de carga.

Foto: Dênio Simões / Agência Brasília

of a new RA began to emerge. In August 1991, GOverno expropriated the plots of land located on the Paranoazinho farm and on the Sobradinho farm, both located in Sobradinho. The first commemorative mass for the city’s anniversary was on October 11, 1991, this is the date chosen to commemorate Sobradinho II’s birthday. RA - XXVII - Botanical Garden Recanto das Emas was created on July 28, 1993 by Law No. 510/93 and regulated by Decree No. 15,046 / 93. The objective was to attend the GDF settlement program and end the invasions that happened in RA I - Brasília. On the outskirts of the city there is an archaeological site called “Recanto”, and in the area the “canela-de-ema” shrub is very common, hence the name Recanto das Emas. Some former residents also say that in the region there were a large number of emus, a species very common in the cerrado. Located 25.8 km from Brasília, the city is close to Samambaia, Gama and Riacho Fundo II. RA - XXVIII - Itapoã Itapoã was an irregular occupation belonging to Sobradinho, even though it was closer to Paranoá. The invasion grew and attracted migrants from various regions of Brazil. The Government of the Federal District on January 3, 2005, created the Administrative Region of Itapoã, thus being able to offer better conditions for the large number of people who already lived there. According to data from the 2015/16 PDAD, the city already has 68,587 inhabitants.

281


XXX - Vicente Pires Vicente Pires foi criada em 2009, através da Lei nº 4.327 de 26 de maio, antes a região pertencia a Taguatinga. Na década de 1960, a cidade foi habitada por índios e nos anos 70 por fazendeiros. No ano de 2010, a administração regional de Vicente Pires realizou um concurso, para escolher seus símbolos cívicos, como: bandeira, hino e brasão. Os participantes eram alunos de escolas públicas e particulares da região. Foto: Andre Borges / Agência Brasíliao

RA - XXXI - Fercal Fercal nasceu em meados de 1956, mas foi em 1961 a partir da autorização do então Presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek, para Manoel Demóstenes instalar uma mineradora, a Sociedade Fertilizantes Calcáreos Ltda. (Fercal), na então Fazenda Sobradinho, que a região teve maior crescimento. Com a instalação dessa mineradora na região, teve-se a oferta de emprego como atrativo para pessoas que vinham de todas as regiões do país, principalmente da região nordeste do país, povoando-a e dando-lhe o nome da mineradora. Fercal já fez parte de outras duas regiões administrativas, Sobradinho (de 1964até 2004]) e posteriormente de Sobradinho II (de 2004 a 2012). Em 29 de janeiro de 2012, Fercal foi desmembrada de Sobradinho II e passou a ter administração própria, tornando-se região administrativa.

Foto: Pedro Ventura / Agência Brasília

RA - XXIX - SIA The Industry and Supply Sector (SIA) was created to receive companies that needed large spaces to receive their facilities and develop their industry and supply activities. Hence the name of the city. Several car, motorcycle and nautical dealerships are located in the region. In addition to the famous Import Fair. The city is also home to large companies like Petrobrás and Texaco, with their fuel storage tanks. There are also two freight train stations at SIA. XXX - Vicente Pires Vicente Pires was created in 2009, through Law 4,327 of May 26, before the region belonged to Taguatinga. In the 1960s, the city was inhabited by Indians and in the 70s by farmers. In 2010, Vicente Pires’ regional administration held a contest to choose its civic symbols, such as: flag, anthem and coat of arms. Participants were students from public and private schools in the region. RA - XXXI - Fercal Paranoá was created in 1964, by Law No. 4,545, of December 10, the detail is that its Regional Administration was only created in 1989, for this reason, until that date it was subordinated to Gama. The Paranoá region has an area of ​​851.94 km² and is located in a contiguous area next to the Lago Paranoá Dam, between the Parque do Paranoá Road, the Parque Contorno Road and the Parque Tamanduá Road. Within its ends there are conservation units, which are: Environmental Protection Area - APA of Lago Paranoá, Area of ​​Relevant Ecological Interest - ARIE of Lago Paranoá and the Tamanduá Catchment Area, managed by Caesb.

282


RA - XXXII - Sol Nascente e Pôr do Sol A mais nova região administrativa do Distrito Federal, Sol Nascente/ Pôr do Sol, fez parte de Ceilândia por 20 anos, até que em 14 de agosto de 2019 foi desmembrada. Com uma área total de 40,49 km²,a região possuí uma população estimada de 78.892 habitantes. Hoje, a RA é dividida em dois setores habitacionais: Sol Nascente e Pôr do Sol.

RA - XXXIII – Arniqueiras Arniqueiras é a mais jovem cidade satélite do Distrito Federal. Criada em 30 de setembro de 2019, por meio da Lei nº 6.371. Dados divulgados pelo GDF dão conta que a cidade possui cerca de 45.000 habitantes, a RA nasce do desmembramento de áreas que pertenciam a RA XX - Águas Claras. Foto: Tony Winston / Agência Brasília

RA - XV - Recanto das Emas Recanto das Emas was created on July 28, 1993 by Law No. 510/93 and regulated by Decree No. 15,046 / 93. The objective was to attend the GDF settlement program and end the invasions that happened in RA I - Brasília. On the outskirts of the city there is an archaeological site called “Recanto”, and in the area the “canela-de-ema” shrub is very common, hence the name Recanto das Emas. Some former residents also say that in the region there were a large number of emus, a species very common in the cerrado. Located 25.8 km from Brasília, the city is close to Samambaia, Gama and Riacho Fundo II. RA - XXXIII - Arniqueiras Arniqueiras is the youngest satellite city in the Federal District. Created on September 30, 2019, through Law No. 6,371. Data released by the GDF show that the city has about 45,000 inhabitants, the RA is born from the dismemberment of areas that belonged to RA XX - Águas Claras.

283


Foto: Toninho Tavares / Agência Brasília

Vista aérea da Vicente Pires 284


285


Foto: Bruno Pinheiro / SETUR

Palácio da Justiça 286


A Capital no Mundo

Água é o patrimônio da humanidade


O

O Primeiro presidente Mexicano no Brasil Brasil e o México possuem uma excelente relação e muito se deve aos esforços do Presidente Juscelino Kubitschek e Adolfo López Mateos, que foi presidente do México entre 1958 e 1964. López Mateos foi o responsável por iniciar uma abertura econômica e cultural com outros países na América Latina, com o objetivo de estreitar os laços. Aproveitando essa oportunidade, JK convidou o mexicano para visitar o Brasil e conhecer a nova capital do país. A visita ocorreu em 1960, e foi a primeira vez em que um chefe de estado mexicano pisava em solo brasileiro desde a independência dos dois países. Em sua passagem por Brasília, López Mateos compareceu a uma cerimônia solene no Congresso Nacional, onde o vicepresidente João Goulart discursou. Mateos também proferiu algumas palavras, falando da importância da formação de um pensamento nacionalista nos povos deste hemisfério, além de abordar a necessidade da reforma agrária. “Nenhum país conseguirá emancipar seu povo do jugo da escravidão, se não conseguir abolir os restos do feudalismo dos campos, fazendo com que retornem à comunidade as terras improdutivas para que possam ser distribuídas com o apoio técnico e financeiro do Estado, a autênticos agricultores, capacitados para explorá-los em benefício do povo e do país.” Adolfo Lópes Mateos López Mateos também conheceu o Supremo Tribunal Federal, além de participar de um banquete no Palácio do Itamaraty (Ministério de Relações Exteriores do Brasil). Nos discursos ocorridos nessa ocasião, os presidentes do México e Brasil deixaram claro o interesse de manter uma colaboração bilateral entre os países.

First Mexican President in Brazil Brazil and Mexico have an excellent relationship and much is due to the efforts of President Juscelino Kubitschek and Adolfo López Mateos, who was president of Mexico between 1958 and 1964. López Mateos was responsible for initiating an economic and cultural opening with other countries in Latin America, with the objective of strengthening ties. Taking advantage of this opportunity, JK invited the Mexican to visit Brazil and, consequently, to visit the new capital. The fact occurred in 1960 and it was the first time that a Mexican head of state stepped on Brazilian soil, since the independence of the two countries. While in Brasília, López Mateos attended a solemn ceremony at the National Congress, where a speech by Vice President João Goulart took place. Mateos also spoke a few words, talking about the importance of forming nationalist thinking in the peoples of this hemisphere, in addition to addressing the need for land reform. “No country will be able to emancipate its people from the yoke of slavery if it is unable to abolish the remnants of feudalism in the fields, causing unproductive lands to re-

288

Foto: Divulgação


Barack Obama em Brasília O Brasil foi o primeiro país da América do Sul que o presidente americano visitou

A

família Obama aterrizou em solo brasiliense em março de 2011. O presidente Obama, com a primeira-dama, Michelle, e as filhas, Malia e Sasha, e sua sogra Marian Robinson foram recebidos na base aérea de Brasília pelo comandante da base, o coronelaviador Geraldo Correia Lyra Junior, pelo então embaixador americano, Thomas Shannon e por uma equipe do Itamaraty. A agenda do então presidente dos Estados Unidos incluía reuniões de trabalho com a presidenta Dilma Rousseff, onde trataram de assuntos mútuos da agenda bilateral, regional e global. Matérias como comércio e investimentos recíprocos, ciência, tecnologia e educação também foram pautados. A passagem de Barack Obama pelo Brasil foi a primeira viagem do presidente à América do Sul, na ocasião o roteiro também incluía posteriormente o Chile. Foto: Divulgação

Presidente Barack Obama durante sua chegada ao Palácio do Planalto em Brasília turn to the community so that they can be distributed with the technical and financial support of the State, to authentic farmers, trained to exploit them for the benefit of the people and the country. ” Adolfo Lópes Mateos López Mateos also visited the Federal Supreme Court, in addition to participating in a banquet at the Itamaraty Palace (Ministry of Foreign Affairs of Brazil). In the speeches that took place on that occasion, the presidents of Mexico and Brazil made clear the interest in maintaining bilateral collaboration between the countries.

Foto: Divulgação

Barack Obama in Brasilia Brazil was the first country in South America that the American president visited The Obama family landed on Brasilian soil in March 2011. President Obama, with first lady, Michelle, and daughters, Malia and Sasha, and his mother-in-law Marian Robinson were received at the air base in Brasilia by the base commander, aviation colonel Geraldo Correia Lyra Junior, by the then American ambassador, Thomas Shannon and by a team from the Foreign Ministry. The agenda of the then President of the United States included working meetings with President Dilma Rousseff, where they discussed mutual issues on the bilateral, regional and global agenda. Subjects such as trade and reciprocal investments, science, technology and education were covered.

289


China e Brasil colaboram há 45 anos

A

Embaixador chinês acredita em expansão das relações econômicas entre os dois países China tem um novo embaixador no Brasil. Yang Wanming assumiu o posto na última semana de dezembro de 2018 e já serviu como embaixador em Buenos Aires, entre setembro de 2014 e 2018. Ele acompanhou a Cúpula do G20 que se realizou nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro do ano passado na capital portenha. Em entrevista ao grupo Voz de Brasília, falou sobre a experiência de viver em Brasília, as relações entre Brasil e China. Confira: – Fale um pouco sobre sua trajetória profissional como diplomata. - Sou diplomata de carteira há 30 anos e atuo principalmente na América Latina e Caribe. Toda minha vida tem sido dedicada às relações de amizade entre a China e essa região. Servi na embaixada da China na Argentina e no México. Fui diretor geral no departamento da América Latina e Caribe no Ministério dos Negócios e Fronteiras da China. Fui embaixador também no Chile. Assumi o cargo no Brasil em dezembro de 2018. Já tinha vindo ao Brasil umas doze vezes. Conheço Brasília e outras cidades do Brasil. – Fale um pouco sobre sua trajetória profissional como diplomata. - Sou diplomata de carteira há 30 anos e atuo principalmente na América Latina e Caribe. Toda minha vida tem sido dedicada às relações de amizade entre a China e essa região. Servi na embaixada da China na Argentina e no México. Fui diretor geral no departamento da América Latina e Caribe no Ministério dos Negócios e Fronteiras da China. Fui embaixador também no Chile. Assumi o cargo no Brasil em dezembro de 2018. Já tinha vindo ao Brasil umas doze vezes. Conheço Brasília e outras cidades do Brasil. – No que mais os dois países estão colaborando? - No campo da ciência e tecnologias, estão sendo desenvolvidas cooperações em múltiplos setores como, aeroespacial, tecnologia da informação, agronegócios, agricultura, medicina, assim como energia. Por exemplo, o quinto satélite do programa da cooperação espacial será lançado na China ainda esse ano – O que você acha de Brasília? Y - Como patrimônio histórico e cultural da humanidade, Brasília é uma cidade dinâmica, moderna e agradável de morar. É importante e conhecida a nível mundial. Sua arte arquitetônica é muito conhecida e muitos turistas chineses vem a Brasília para conhecer melhor o Brasil. É uma cidade de irmã da antiga capital da China, espero que nesses 60 anos ela fique mais próspera e bela.

Voz de Brasília Yang Wanming

Voz de Brasília Yang Wanming Voz de Brasília ang Wanming

290

Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília Yang Wanming

China and Brazil collaborate for 45 years Chinese ambassador believes in expanding economic relations between the two countries China has a new ambassador in Brazil. Yang Wanming took office last week of December 2018 and has served as ambassador in Buenos Aires between September 2014 and 2018. He accompanied the G20 Summit and recorded on November 30 and December 1 last year in Buenos Aires capital. In an interview with the Voice of Brasilia group, he spoke about the experience of living in Brasilia, such as relations between Brazil and China. Check out: Voice of Brasilia - Tell us a little about your professional career as a diplomat. Yang Wanming - I’ve been a portfolio diplomat for 30 years and mainly in Latin America and the Caribbean. My whole life has been devoted to the friendly relations between China and this region. Served at the Chinese embassy in Argentina and Mexico. Director General of the Department of Latin America and the Caribbean of the Ministry of Business and Borders of China. I was ambassador also in Chile. He took office in Brazil in December 2018. He had come to Brazil a few times. I know Brasilia and other cities in Brazil. Voice of Brasilia - Tell us a little about your professional career as a diplomat. Yang Wanming - I’ve been a portfolio diplomat for 30 years and mainly in Latin America and the Caribbean. My whole life has been devoted to the friendly relations between China and this region. Served at the Chinese embassy in Argentina and Mexico. Director General of the Department of Latin America and the Caribbean of the Ministry of Business and Borders of China. I was ambassador also in Chile. He took office in Brazil in December 2018. He had come to Brazil a few times. I know Brasilia and other cities in Brazil. Voice of Brasilia - What is the field of culture like? Yang Wanming - Cultural and human exchange has been very rich. In recent years, China has held a series of cultural festivals, exhibitions of historical heritage, artistic performances in Brazil. Brazilian football has many fans in China. Relationships are entering a new phase of development. Voice of Brasilia - What do you think of Brasilia? Yang Wanming - As a historical and cultural heritage of humanity, Brasilia is a modern, modern and pleasant city to live. It is important and known worldwide. His architectural art is well known and many Chinese tourists come to Brasilia to get to know Brazil better. It is a sister city of the ancient capital of China, I hope it is 60 years old and looks more beautiful and beautiful.


Uma relação que tem tudo para crescer Em sua primeira missão como embaixador da Eslôvenia, Gorazd Rencelj acredita que as relações com o Brasil podem crescer

P

A relationship that has everything to grow In his first mission as ambassador of Eslôvenia, Gorazd Rencelj believes that relations with Brazil can grow On the verge of completing 30 years of independence, Slovenia is still a young country, which was part of the former Socialist Federal Republic of Yugoslavia until 1991, when its territory became independent. Although it is only a few years old, the region, located in Eastern Europe, is promising, with trade relations being the main economic engine in the country. According to Gorazd Rencelj, about 85% of the local GDP comes from exports, making its economy one of the most open in the world. Brazil is the first country where Rencelj took on a post as ambassador, in addition to being Slovenia’s first trading partner in South America, with a bilateral partnership of around US $ 500 million, an extremely important scenario for a nation that exports has one of its greatest strengths. In an interview with Voz de Brasília, the ambassador reveals that a large part of Slovenia’s exports are manufactured products with high added value, such as “pharmaceutical products, paper, cardboard, aluminum, instruments and electrical machines”. The products imported from Brazil that arrive there, for the most part, are raw materials such as soybean oil, coffee beans and refined products from the oil industry. According to the ambassador, this is a good relationship for both countries, which can grow and become even stronger in the coming years, with very positive expectations. “As economies grow again, we can do much more, especially with the European Union and Mercosur free trade agreement, which has the potential to transform,” he explains. In addition to the successful commercial relationship, Garozd Rencelj praises one of the main features of the country, of being a region that is very receptive to everyone. “I want to give a special thanks to the wonderful capital of this large and very beautiful country. And Brasilia, which welcomed us very well, me and my family. We feel very welcome here ”, he concludes.

Foto: Paulo Fayad

restes a completar trinta anos de independência, a Eslovênia ainda é um país jovem, que fez parte da antiga República Socialista Federativa da Iugoslávia até 1991, quando seu território se tornou independente. Ainda que possua poucos anos de existência, a região, localizado no Leste Europeu, se mostra promissor, com as relações comerciais sendo o principal motor econômico do país. Segundo Gorazd Rencelj, cerca de 85% do PIB local vem da exportação, tornando sua economia uma das mais abertas do mundo. O Brasil é o primeiro país onde Rencelj assumiu um posto como embaixador, além de ser o primeiro parceiro comercial da Eslovênia na América do Sul, com uma parceria bilateral que gira em torno de 500 milhões de dólares, um cenário extremamente importante para uma nação que tem nas exportações uma de suas maiores forças. Em entrevista à Voz de Brasília, o embaixador revela que boa parte das exportações da Eslovênia são produtos manufaturados de alto valor agregado, como, “produtos farmacêuticos, papel, papelão, alumínio, instrumentos e máquinas elétricas”. Já os produtos importados do Brasil que chegam por lá, em sua maioria, são matérias primas como óleo de soja, café em grãos e produtos refinados da indústria petrolera. De acordo com o embaixador, essa é uma relação boa para ambos países, que pode crescer e se tornar ainda mais forte nos próximos anos, com expectativas muito positivas. “A medida que as economias voltam a crescer, nós podemos fazer muito mais, especialmente com o acordo União Européia e Mercosul de livre comércio, que tem um potencial transformar”, explica. Além da relação comercial de sucesso, Garozd Rencelj exalta um dos principais traços do país, de ser uma região muito receptiva a todos. “Quero fazer um agradecimento especial para a maravilhosa capital deste país grande e muito belo. E Brasília, que nos acolheu muito bem, eu e minha família. Nós nos sentimentos muito bem vindos aqui”, finaliza.

291


José Ignacio Piña Rojas, embaixador do México no Brasil

V

oz de Brasília – O México é um país irmão e que o brasileiro possui muita ligação. Como foi sua trajetória até aqui? Piña Rojas – Eu sou da Cidade do México e sou diplomata de carreira. Tenho muitos anos na carreira de diplomata e sou

especializado em países da América Latina e Caribe, e sempre estive nas embaixadas como embaixador. O Brasil é o país mais importante para o México na América Latina e Caribe. É o principal sócio comercial do México nesta região, é o principal destino dos mexicanos nessa região. Por isso o Brasil é um país muito importante para nós. É um parceiro. Por isso me sinto muito honrado do presidente do México ter me escolhido para ser embaixador aqui. Estou muito contente em Brasília, minha esposa e eu desfrutamos muito dessa cidade. Uma cidade que acolhe muito bem os estrangeiros e visitantes. – A embaixada do México é uma construção muito linda. Como foi a construção dessa embaixada aqui no Brasil? – Nós mexicanos ficamos orgulhosos de ter essa grande embaixada, que foi construída nos anos 70, sobre um terreno que foi doado pelo governo do Brasil ao México nos anos 60. O primeiro Chefe de Estado que visitou Brasília foi o presidente do México acompanhado do então presidente Juscelino, isso em janeiro de 1960. Foi uma visita histórica e muito bonita. O presidente Adolfo López Mateos foi o primeiro presidente mexicano a visitar o Brasil. Foi ao Rio de Janeiro, quando a capital ainda era lá, mas a convite de Juscelino Kubitschek ele passou por Brasília para ver a nova capital um pouco antes da sua inauguração. Eles sobrevoaram a capital Brasília. Nesta ocasião o presidente Kubitschek formalizou a doação do terreno onde se construiu a embaixada do México, anos depois. – As pessoas podem vir conhecer essa embaixada histórica? – Claro que sim. Podem vir conhecer nossa embaixada. Este ano completamos 45 anos da colocação da primeira pedra da embaixada e vamos ter um evento aqui para celebrar esse acontecimento. – Como são as relações comerciais entre Brasil e México? – O Brasil é o principal parceiro comercial do México. E para o Brasil o México é o sétimo parceiro em nível global. Hoje podemos dizer que a parceria e o comércio entre os dois países passam dos 10 milhões de dólares ao ano. O Brasil é a primeira economia da América Latina e o México é a segunda economia e a primeira economia exportadora da América Latina. Então o potencial das nossas economias é enorme, estamos trabalhando para chegarmos em acordos muito mais amplos do que já temos. Um dos meus objetivos aqui é buscar uma maneira de promover o comércio e os negócios de ambos os países. O Brasil é o principal destino dos investimentos mexicanos na América latina.

Voz de Brasília Piña Rojas

Voz de Brasília Piña Rojas Voz de Brasília Piña Rojas

292


Brasil e México, uma parceria econômica estratégica O grande potencial que representa a relação econômica entre Brasil e México é um desafio amplamente compartilhado pelos governos e setores privados dos dois países. Com um mercado que se aproxima de 340 milhões de consumidores, as duas maiores economias da América Latina deram passos importantes para estabelecer uma parceria estratégica. Exemplos de avanços nessa direção são: o Acordo sobre Cooperação e Assistência Administrativa Mútua em Assuntos Aduaneiros (assinado em 23 de julho, 2018); o Acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos (entrou em vigor em 7 de outubro, 2018) e o livre comércio bilateral de veículos leves (em vigor desde 19 de março, 2019). A instalação do Conselho Empresarial Brasil-México (10 de setembro, 2019); o protocolo que define um período de transição de três anos ao livre comércio de veículos pesados e suas peças (a partir de julho, 2023); e a abertura recíproca de mercados para as importações de arroz brasileiro e feijão mexicano (anunciada em 11 de maio, 2019), são outros fatos concretos do esforço que vem sendo feito nesse sentido. Sem um amplo acordo comercial, Brasil e México coincidentemente ocupam a 7ª posição em participação no comércio exterior de cada país, com trocas por cerca de US $ 11 bilhões em 2019. O potencial dessas trocas poderia ser muito maior no caso que se concretize uma expansão significativa do Acordo de Complementação Econômica Nº 53 (em vigor desde 2003), que concede preferências a 795 produtos (150 agrícolas e 645 do setor industrial); ou seja, apenas 17% dos itens tarifários totais. Brasil e México também poderiam ter papel estratégico na integração produtiva da América do Norte e da América do Sul, vinculando cadeias de valor por meio de produtos exportados por ambos os países. Como seria o caso, por exemplo, de autopeças brasileiras que poderiam servir de insumos para a indústria automotiva mexicana, que exporta fortemente para os Estados Unidos.

José Ignacio Piña Rojas, Mexican Ambassador to Brazil Brasilia Voice - Mexico is a sister country and the Brazilian has a lot of connections. How was your path so far? Piña Rojas - I am from Mexico City and I am a career diplomat. I have many years as a diplomat and I specialize in Latin American and Caribbean countries, and have always been at embassies as an ambassador. Brazil is the most important country for Mexico in Latin America and the Caribbean. It is Mexico’s main trading partner in this region, it is the main destination of Mexicans in this region. That is why Brazil is a very important country for us. It is a partner. That is why I feel very honored that the president of Mexico chose me to be ambassador here. I am very happy in Brasilia, my wife and I enjoyed this city very much. A city that welcomes foreigners and visitors very well. Brasilia Voice - The Mexican Embassy is a very beautiful building. How was the construction of this embassy here in Brazil? Piña Rojas - We Mexicans are proud to have this large embassy, ​​which was built in the 1970s, on land that was donated by the Brazilian government to Mexico in the 1960s. The first Head of State to visit Brasilia was the President of Mexico accompanied from then President Juscelino, this in January 1960. It was a very beautiful and historic visit. President Adolfo López Mateos was the first Mexican president to visit Brazil. He went to Rio de Janeiro, when the capital was still there, but at the invitation of Juscelino Kubitschek he passed through Brasilia to see the new capital shortly before its inauguration. They flew over the capital Brasilia. On this occasion President Kubitschek formalized the donation of the land on which the Mexican embassy was built years later. Brasilia Voice - Can people come to know this historic embassy? Piña Rojas - Of course I do. You can come meet our embassy. This year we celebrate 45 years of the embassy’s first stone laying and we will have an event here to celebrate that event. Brasilia Voice - How are the trade relations between Brazil and Mexico? Piña Rojas - Brazil is Mexico’s main trading partner. And for Brazil, Mexico is the seventh global partner. Today we can say that the partnership and trade between the two countries exceed $ 10 million a year. Brazil is the first economy in Latin America and Mexico is the second economy and the first exporting economy in Latin America. So the potential of our economies is huge, we are working to reach much wider agreements than we already have. One of my goals here is to look for a way to promote trade and business in both countries. Brazil is the main destination for Mexican investments in Latin America. The great potential represented by the economic relationship between Brazil and Mexico is a challenge widely shared by governments and private sectors in both countries. With a market approaching 340 million consumers, the two largest economies in Latin America have taken important steps to establish a strategic partnership. Examples of progress in this direction are: the Agreement on Cooperation and Mutual Administrative Assistance in Customs Matters (signed on July 23, 2018); the Investment Cooperation and Facilitation Agreement (entered into force on October 7, 2018) and the bilateral free trade in light vehicles (in force since March 19, 2019). The installation of the Brazil-Mexico Business Council (September 10, 2019); the protocol that defines a three-year transition period to the free trade in heavy vehicles and their parts (from July, 2023); and the reciprocal opening of markets for imports of Brazilian rice and Mexican beans (announced on May 11, 2019), are other concrete facts of the effort being made in this regard. Without a broad trade agreement, Brazil and Mexico coincidentally occupy the 7th position in participation in the foreign trade of each country, with exchanges for about US $ 11 billion in 2019. The potential of these exchanges could be much greater if an expansion is achieved significant part of the Economic Complementation Agreement No. 53 (in force since 2003), which grants preferences to 795 products (150 agricultural and 645 from the industrial sector); that is, only 17% of the total tariff items. Brazil and Mexico could also play a strategic role in the productive integration of North and South America, linking value chains through products exported by both countries. As would be the case, for example, of Brazilian auto parts that could serve as inputs for the Mexican automotive industry, which exports strongly to the United States.

293


Tradições compartilhadas

Em entrevista à Voz de Brasília, o embaixador da Bélgica no Brasil, Patrick Herman, fala um pouco sobre a relação entre os dois países e suas familiaridades Brasil e Bélgica são dois países que possuem uma relação de longa data. Mas ao contrário do que alguns possam pensar, essa ligação não vem somente do aspecto econômico. Para se ter idéia, a história da criação de Brasília está diretamente ligada com o trabalho de um belga. No século 18, o astrônomo e geógrafo Louis Cruls chefiou a missão que levava seu sobrenome – Missão Cruls – onde especialistas desbravaram e demarcaram a área no Planalto Central onde posteriormente seria construída a capital. Anos mais tarde, o marechal José Pessoa – que deu continuidade ao trabalho de Cruls, realizando outra missão na região com o mesmo objetivo de demarcar o local – recebeu uma condecoração pelo então rei da Bélgica, por seus serviços prestados durante a guerra. Quem conta essa história é o embaixador da Bélgica no Brasil, Patrick Herman, que serviu na África, China, Estados Unidos, União Européia e Indonésia antes de vir para o Brasil, trazendo uma visão capaz de demonstrar a intensidade das relações entre os dois países. “Marechal Pessoa era sobrinho do presidente Epitácio Pessoa, que foi um grande amigo do rei belga, e José Pessoa, ao mesmo tempo, foi um herói da Primeira Guerra Mundial. Poucos oficiais do Exército Brasileiro fizeram parte desse período, na França e Bélgica, mas um deles era José Pessoa, que foi condecorado pelo rei”. Essas relações cresceram ao longo dos anos e hoje, o que se ver, são dois países parceiros, como explica Herman. “A relação tecnológica e comercial entre os dois países é muito antiga. Mas, especialmente no início do século XX, a Bélgica era o segundo investidor no Brasil. Agora existe um ranking do Banco do Central que aponta a Bélgica como o segundo investidor final estrangeiro, depois dos Estados Unidos e antes da Espanha. No raking geral, acho que somos o quinto ou sexto”, afirma. Atualmente, os químicos, petroquímicos, farmacêuticos, biotecnologia, mineração e açúcar, são os principais produtos que alimentam as relações comerciais entre os dois países. No Brasil existem cerca de 100 companhias belgas com investimentos importantes no país. As empresas brasileiras com investimentos na Bélgica giram em torno de 15 a 20 empresas. Em sua vida pessoal, o embaixador também revela ter uma ligação com o país. Durante a Primeira Guerra Mundial, seu avó morou no Brasil trabalhando como agricultor de café, e cem anos depois, Herman também veio morar aqui, em missão oficial. Segundo Patrick Herman, os dois países possuam tradições que parecem ser compartilhada, como o “futebol e a cerveja”, e por isso ele enxerga familiaridades entre os povos.

294

Foto: Paulo Fayad

O

China and Brazil collaborate for 45 years Chinese ambassador believes in expanding economic relations between the two countries China has a new ambassador in Brazil. Yang Wanming took office last week of December 2018 and has served as ambassador in Buenos Aires between September 2014 and 2018. He accompanied the G20 Summit and recorded on November 30 and December 1 last year in Buenos Aires capital. In an interview with the Voice of Brasilia group, he spoke about the experience of living in Brasilia, such as relations between Brazil and China. Check out: Voice of Brasilia - Tell us a little about your professional career as a diplomat. Yang Wanming - I’ve been a portfolio diplomat for 30 years and mainly in Latin America and the Caribbean. My whole life has been devoted to the friendly relations between China and this region. Served at the Chinese embassy in Argentina and Mexico. Director General of the Department of Latin America and the Caribbean of the Ministry of Business and Borders of China. I was ambassador also in Chile. He took office in Brazil in December 2018. He had come to Brazil a few times. I know Brasilia and other cities in Brazil. Voice of Brasilia - Tell us a little about your professional career as a diplomat. Yang Wanming - I’ve been a portfolio diplomat for 30 years and mainly in Latin America and the Caribbean. My whole life has been devoted to the friendly relations between China and this region. Served at the Chinese embassy in Argentina and Mexico. Director General of the Department of Latin America and the Caribbean of the Ministry of Business and Borders of China. I was ambassador also in Chile. He took office in Brazil in December 2018. He had come to Brazil a few times. I know Brasilia and other cities in Brazil. Voice of Brasilia - What is the field of culture like? Yang Wanming - Cultural and human exchange has been very rich. In recent years, China has held a series of cultural festivals, exhibitions of historical heritage, artistic performances in Brazil. Brazilian football has many fans in China. Relationships are entering a new phase of development. Voice of Brasilia - What do you think of Brasilia? Yang Wanming - As a historical and cultural heritage of humanity, Brasilia is a modern, modern and pleasant city to live. It is important and known worldwide. His architectural art is well known and many Chinese tourists come to Brasilia to get to know Brazil better. It is a sister city of the ancient capital of China, I hope it is 60 years old and looks more beautiful and beautiful.


295


Embaixador da Namíbia convida brasileiros a conhecer país

A

Com pouco turismo, país oferece muitas opções de passeio, como safaris e visitas ao deserto

s paisagens da Namíbia são de impressionar até mesmo os turistas com olhar mais diversificado. Com uma natureza espetacular, uma indústria de turismo estruturada e um ambiente seguro para viajantes, o país africano desafia preconceitos com relação a África e tem atraído cada vez mais brasileiros. O embaixador da Namíbia, o senhor Sr. Samuel Sheefeni Nuuyoma, conversou com o grupo Voz de Brasília e nos convidou a visitar seu país. Confira: – Você já tinha vindo ao Brasil? Já trabalhou na América do Sul?

Voz de Brasília

Sr. Samuel Sheefeni Nuuyoma - O Brasil é o primeiro

país da América do Sul que trabalho. Pessoas do Brasil acolhem igual as

pessoas da Namíbia. Eu convido aos brasileiros a visitarem a Namíbia, lá não precisa de visto, assim como namibianos não precisam de visto para entrar aqui. Lá temos muito turismo, safari.

Voz de Brasília

– Como são as relações comerciais entre Brasil e Namíbia?

Sr. Samuel Sheefeni Nuuyoma - Namíbia e Brasil

tem negócios muito bons. O Brasil exporta açúcar, arroz para a Namíbia e para países que fazem fronteira com a gente. Nós possuímos um porto que abastece Zâmbia, Gana, Zimbábue, Botswana, Angola e outros. Aqui no Brasil, nós usamos o porto de Santos. Temos escritório em São Paulo e estamos desenvolvendo muitas discussões com a comunidade de negócios no Brasil.

Voz de Brasília

– Quais as discussões importantes no momento?

mais

Voz de Brasília

– Qual foi a sua primeira impressão do Brasil?

Sr. Samuel Sheefeni Sr. Samuel Sheefeni Nuuyoma - Eu também Nuuyoma - Quando eu cheguei gostaria de informar que o Brasil compra peixe da Espanha, mas o peixe que a Espanha vende, vem da Namíbia. Por isso, o peixe aqui é tão caro. Eu quero desenvolver uma relação de compra desse peixe direto com a Namíbia. A distância é bem pequena entre os dois países, leva no máximo duas semanas de barco. a – Você está com uma roupa típica da África. Fale um pouco sobre ela.

Voz de Brasíli

Sr. Samuel Sheefeni Nuuyoma –

(Risos). Estou com uma roupa típica da África, o material e a confecção foi feita em Gana. Na África, nós compartilhamos.

no Brasil, fiquei muito confuso. Não parecia que eu tinha saído da Namíbia. A atitude e a maneira como as pessoas vivem aqui são bem parecidas com Namíbia. A única diferença é a língua. Eu gostaria de parabenizar as pessoas no Brasil, são muito amigáveis. Eu convido a todos para irem para fora e investir no exterior. Como os chineses, que estão investindo ao redor do mundo e estão fazendo muito dinheiro. O investimento feito em Namíbia é muito vantajoso, por exemplo. Assim você se conecta ao mundo e a economia no país sempre será boa.

“Brasilia was designed to bring people together,” says Colombian ambassador Diplomat commends city dwellers for the kindness, joy and welcome of foreigners Darío Montoya was born in Medellin, Colombia. He is an industrial engineer and specialist in Finance and Formulation and Evaluation of Private Investment Projects at the University of Antioquia. Has studies in Technology Management in several universities. With over 25 years of experience in technology, business and entrepreneurship, he was appointed to be the ambassador of Colombia in Brazil. Montoya arrived in Brasilia in early 2019 and is already doing an excellent job in front of the embassy. In an exclusive interview for the Voice Group of Brasilia, Darío Montoya tells how his first months in Brazil are being. Brasilia Voice - You are in the country for a short time. How was your arrival in Brazil? Darío Montoya - I come to Brazil with many expectations. I realized that it was a very large country, but with many similarities to Colombia. These are happy countries that share the Portunhol, we have some business. We can complement the economic relationship, the technological collaboration, and we can include both countries in a better Latin America. It is a privilege to be here as Colombian ambassador. Voice of Brasilia - Talk about your stay in Brasilia. What do you think about life in the capital? Darío Montoya - Brasilia is a quiet, very safe, comfortable city. The population is very kind. I had the best reception from kind, cheerful and respectful people. The organization of the city is unique in the world. You don’t know a city the size of Brasilia that is so organized. Every detail of its urbanism and distribution has a high planning. It’s very nice to live here on business. It is a pleasure to meet each institutional building here, this organization, the green of the parks this is Brasilia. I feel proud and I really hope that the inhabitants of Brasilia will give me a little bit of Brazilian citizenship, because I will spend many years of work here. Sure, wonderful. I already have friends in Brasilia. It’s amazing how this city is designed to bring people together. Brasilia Voice - Brasilia concentrates many embassies. Tell me something special about the Colombian Embassy? Darío Montoya - The Colombian embassy was built in 1981 by Cesar Barney, a renowned architect in the country. When he heard about the construction of Brasilia, he came to look for work. He worked with Niemeyer on building the city. He was later invited to work on the construction of the Colombian embassy. It is a Colombian work of art and architecture in Brasilia.

296


“Brasília foi desenhada para aproximar pessoas”, diz embaixador colombiano

D

Diplomata elogia habitantes da cidade por amabilidade, alegria e acolhimento dos estrangeiros

arío Montoya nasceu em Medellín, Colômbia. É engenheiro industrial e especialista em Finanças e Formulação e Avaliação de Projetos de Investimento Privado da Universidade de Antioquia. Tem estudos em Gestão Tecnológica em várias universidades. Com mais de 25 anos de atuação em tecnologia, negócios e empreendedorismo, foi indicado para ser o embaixador da Colômbia no Brasil. Montoya chegou em Brasília no início de 2019 e já faz um excelente trabalho à frente da embaixada. Em entrevista exclusiva para o Grupo Voz de Brasília, Darío Montoya conta como está sendo seus primeiros meses no Brasil. – Você está no país a pouco tempo. Como foi sua chegada ao Brasil? Chego ao Brasil com muitas

Voz de Brasília Darío

Montoya

expectativas. Percebi que era um país muito grande, mas com muitas semelhanças com a Colômbia. São países alegres, que compartilham o portunhol, temos alguns negócios. Podemos complementar a relação econômica, a colaboração tecnológica, e podemos incluir os dois países em uma melhor América Latina. É um privilégio estar aqui como embaixador da Colômbia. – Fale sobre sua estadia em Brasília. O que você acha da vida na capital? - Brasília é uma cidade tranquila, muito segura, cômoda. A população é muito amável. Tive a melhor recepção de gente amável, alegre e respeitosa. A organização da cidade é única no mundo. Não se conhece uma cidade do tamanho de Brasília tão organizada

Voz de Brasília

Darío Montoya

assim. Cada detalhe de seu urbanismo e distribuição tem um alto planejamento. É muito agradável viver aqui a trabalho. É um prazer conhecer cada edifício institucional aqui, é essa organização, o verde dos parques isso tudo é Brasília. Eu me sinto orgulhoso e espero muito que os habitantes de Brasília e me deem um pouquinho de cidadania brasiliense, pois passarei aqui muitos anos de trabalho. Com certeza, maravilhosos. Já tenho amigos em Brasília. É incrível como esta cidade está desenhada para aproximar as pessoas.

Voz de Brasília – Brasília

concentra muitas embaixadas. Conte algo especial sobre a Embaixada colombiana? - A embaixada de Colômbia foi construída em 1981 por Cesar Barney, um arquiteto muito renomado no país. Quando ele soube da construção de Brasília, veio buscar trabalho. Trabalhou com Niemeyer na construção da cidade. Mais tarde, foi convidado para trabalhar na construção da embaixada colombiana. É uma obra de arte e arquitetura colombiana em Brasília.

Darío Montoya

“Brasilia was designed to bring people together,” says Colombian ambassador Diplomat commends city dwellers for the kindness, joy and welcome of foreigners Darío Montoya was born in Medellin, Colombia. He is an industrial engineer and specialist in Finance and Formulation and Evaluation of Private Investment Projects at the University of Antioquia. Has studies in Technology Management in several universities. With over 25 years of experience in technology, business and entrepreneurship, he was appointed to be the ambassador of Colombia in Brazil. Montoya arrived in Brasilia in early 2019 and is already doing an excellent job in front of the embassy. In an exclusive interview for the Voice Group of Brasilia, Darío Montoya tells how his first months in Brazil are being. Brasilia Voice - You are in the country for a short time. How was your arrival in Brazil? Darío Montoya - I come to Brazil with many expectations. I realized that it was a very large country, but with many similarities to Colombia. These are happy countries that share the Portunhol, we have some business. We can complement the economic relationship, the technological collaboration, and we can include both countries in a better Latin America. It is a privilege to be here as Colombian ambassador. Voice of Brasilia - Talk about your stay in Brasilia. What do you think about life in the capital? Darío Montoya - Brasilia is a quiet, very safe, comfortable city. The population is very kind. I had the best reception from kind, cheerful and respectful people. The organization of the city is unique in the world. You don’t know a city the size of Brasilia that is so organized. Every detail of its urbanism and distribution has a high planning. It’s very nice to live here on business. It is a pleasure to meet each institutional building here, this organization, the green of the parks this is Brasilia. I feel proud and I really hope that the inhabitants of Brasilia will give me a little bit of Brazilian citizenship, because I will spend many years of work here. Sure, wonderful. I already have friends in Brasilia. It’s amazing how this city is designed to bring people together. Brasilia Voice - Brasilia concentrates many embassies. Tell me something special about the Colombian Embassy? Darío Montoya - The Colombian embassy was built in 1981 by Cesar Barney, a renowned architect in the country. When he heard about the construction of Brasilia, he came to look for work. He worked with Niemeyer on building the city. He was later invited to work on the construction of the Colombian embassy. It is a Colombian work of art and architecture in Brasilia. Foto: Paulo Fayad

297


Antonio Bernardini fala sobre sua trajetória e sobre a relação Brasil e Itália

A

O Embaixador da Itália no Brasil admira a velocidade com que Brasília se desenvolveu ntonio Bernardini, 62 anos, é embaixador da Itália no Brasil desde 2016. Formado em ciências políticas pela Universidade de Bari, ele iniciou na carreira diplomática em 1984. Em 2018, Bernardini foi condecorado com a GrãCruz da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho, prêmio que homenageia quem se destaca no exercício de sua profissão, para quem serve de exemplo para a sociedade, ou que contribuiu para o engrandecimento do Brasil. A honraria é dada pelo Tribunal Superior do Trabalho. Em um bate-papo como Grupo Voz de Brasília, Antonio Bernardini falou sobre sua trajetória até chegar a Brasília. – Conte sobre sua trajetória. - Eu estava trabalhando no Ministério de Relações Exteriores e me falaram desta possibilidade de chegar em Brasília como embaixador. Uma oportunidade única, o Brasil é um país muito importante para a Itália. Muita gente não sabe, mas no Brasil mora 1% da população italiana. Chegar aqui como embaixador foi importantíssimo, mas também um desafio para melhorar as relações entre Itália e Brasil. Estamos trabalhando muito no campo econômico, mas também no campo cultural e político. Temos um futuro lindíssimo, com muita alegria e muito entusiasmo

Voz de Brasília Antonio Bernardini

vamos continuar a trabalhar para melhorar as nossas relações. – Quais suas impressões sobre Brasília? – É muito interessante para mim que estou chegando de uma cidade como Roma, que tem mais de 2700 anos, olhar um pouco o que foi feito em 60 anos de Brasília, essa cidade que foi criada no cerrado. Uma cidade que tem hoje muitos milhões de moradores, uma cidade moderna que está aumentando de tamanho e relevância, não apenas como capital, mas também como rica de iniciativas e economia. Essa transformação da cidade em um prazo muito curto é maravilhoso é uma coisa impressionante. Temos que parabenizar os brasileiros pelo resultado que foi feito aqui em Brasília. – Qual a história da embaixada italiana em Brasília? – O Brasil estava construindo a nova capital e falou com todos os governos de outros países para realizar embaixadas com uma característica importante. Embaixadas que pudessem dialogar com o modernismo da arquitetura brasileira, com essa realização do urbanista Lúcio Costa. Na Itália, naquele momento o Ministro das Relações Exteriores achou que era importante escolher uma pessoa representativa da engenharia e arquitetura italiana naquele momento. A escolha foi pelo engenheiro Pier

Voz de Brasília Antonio Bernardini

Voz de Brasília Antonio Bernardini

Luigi Nervi realizador de grandes obras. Nosso prédio aqui em Brasília é uma das embaixadas da Itália mais admirada no mundo inteiro. Temos 41 anos aqui e ainda produzimos emoção com nosso prédio. Se isso acontece é porque o engenheiro era muito bom. – Quais as principais empresas italianas no Brasil? – Este ano a Pirelli vai celebrar 90 anos de presença no Brasil. É muito interessante, porque muitos brasileiros acham que a Pirelli é uma empresa Brasileira. A Fiat é outra empresa italiana, que agora se chama FCA. Temos também a TIM. Essas as maiores, mas a característica da Itália são as pequenas e médias empresas. No Brasil temos 1000 empresas italianas, pequenas e médias. Uma presença muito forte sobre as áreas industrializadas deste país. – O embaixador parabeniza Brasília – Brasília celebra aniversário no mesmo dia da cidade eterna, Roma. Só posso desejar sucesso, alegria, serenidade pelo futuro. Em 60 anos Brasília realizou coisas magnificas, com certeza irá permanecer uma referência importante no mundo inteiro. Espero que essa coincidência do aniversário de Brasilia ser no mesmo dia do de Roma, possa continuar essa boa relação entre Itália e Brasil, e Brasília e Roma. arte e arquitetura colombiana em Brasília.

Voz de Brasília Antonio Bernardini

Voz de Brasília Antonio Bernardini

Antonio Bernardini talks about his career and about the relationship between Brazil and Italy Italian Ambassador to Brazil admires speed with which Brasilia developed Antonio Bernardini, 62, has been Italy’s ambassador to Brazil since 2016. A graduate in political science from the University of Bari, he began his diplomatic career in 1984. In 2018, Bernardini was awarded the Grand Cross of the Order of Judicial Merit of Labor. , an award that honors those who excel in the exercise of their profession, for those who serve as an example to society, or who contributed to the aggrandizement of Brazil. The honor is given by the Superior Labor Court. In a chat like Grupo Voz de Brasília, Antonio Bernardini talked about his career until arriving in Brasilia. Voice of Brasilia - Tell us about your career. Antonio Bernardini - I was working at the Ministry of Foreign Affairs and was told about this possibility of arriving in Brasilia as an ambassador. A unique opportunity, Brazil is a very important country for Italy. Many people do not know, but in Brazil lives 1% of the Italian population. Getting here as ambassador was very important, but also a challenge to improve relations between Italy and Brazil. We are working hard in the economic field, but also in the cultural and political field. We have a beautiful future, with great joy and enthusiasm we will continue to work to improve our relations. Brasilia Voice - What are your impressions of Brasilia? Antonio Bernardini - It is very interesting for me that I am coming from a city like Rome, which is over 2700 years old, to look a little at what was done in 60 years of Brasilia, this city that was created in the cerrado. A city that today has many millions of re

298


A

“A ponte JK deveria ser dourada”, dispara embaixador de Israel

Embaixada de Israel localizava-se, inicialmente, na antiga capital do Brasil, a cidade do Rio de Janeiro. Em 1964, foi transferida para Brasília. O então Embaixador de Israel, Yossef Nahmias, recebeu da Prefeitura de Brasília, o lote 38 na Avenida das Nações para a construção da futura sede da Embaixada. O prédio, de estrutura térrea, foi inspirado na cruz grega e desenhado pelo arquiteto David Reznik. O grupo Voz de Brasília conversou com o atual embaixador Youssy Shelley. Ele falou de sua paixão pela cidade e da relação entre Brasil e Israel. Confira: - O embaixador fala sobre a construção da embaixada: - A embaixada de Israel foi criada em 1965. Antes disso, ela funcionava no Rio de Janeiro. Quando decidiram trocar a embaixada toda para Brasília, após a criação da cidade, fizemos uma competição entre arquitetos e o melhor projeto foi escolhido. Esse edifício recebeu um prêmio de arquitetura em Israel. Ele foi muito bem planejado para a área seca e com preocupações ambientais. Pode-se observar que após quase 50 anos, tudo parece novo, os materiais usados foram de primeira qualidade, a construção foi muito boa. - A embaixada de Israel no Brasil é a mais bonita do mundo? - Nós gostamos de dizer isso. Tem alguns estilos mesclados, o moderno e o Vitoriano. mas cada um gosta, mas acho que é bem para nós, para receber as pessoas para mostrar Israel.

Voz de Brasília Yossy Shelley

Voz de Brasília Yossy Shelley

Voz de Brasília - Qual a sensação que o senhor teve ao chegar em Brasília? Yossy Shelley - Brasília é um pouco

parecida com Berseba, minha cidade natal, e um pouco parecida com Telavive. Em Telavive, vinte e quatro horas ligada, não dorme, a luz, o barulho, um engarrafamento de vez em quando. Em Berseba, tudo tranquilo, tem lugares calmos. Berseba também foi planejada, então aqui tem setor policiais, setor hoteleiro, setor de embaixadas, por isso acho que é me acostumei rapidamente. Rio de Janeiro, São Paulo, já são diferentes, você não sabe aonde ir, se perde na arquitetura. É difícil dos Ministério estarem lá, por exemplo. Kubitschek, que deu os primeiros passos da criação de Brasília, merece um prêmio Nobel. Ele foi um visionário, uma pessoa que pegou um lugar no centro do Brasil, no meio do nada e colocou uma capital deste porte. Esta capital agora é uma luz, o governo está aqui, todos juntos, todos reunidos. Acho maravilhoso! - A embaixada de Israel vai colaborar para os 60 anos de Brasília? - Fazemos muitas coisas culturais em Brasília. Por exemplo, somos os primeiros que fazem os jardins Bíblicos no Jardim Botânico. Nós gostamos muito Brasília. Se você vai entrar no meu Instagram verá que estou divulgando Brasília sempre. Gosto muito da terceira ponte. Eu falei com o Governador: “vamos pintar a terceira ponte de dourado”. É um grande orçamento, Brasília

vai ser dourada, Jerusalém dourada. Imagine a noite, tudo dourado com as luzes. - O embaixador parabeniza Brasília pelos seus 60 anos. - Parabéns para Brasília por nos apoiar sempre! Parabéns às autoridades, ao governo, ao governador Ibaneis e sua equipe. Parabéns o Brasil! Espero que esta aliança com o Governo Federal e Brasília dê bons frutos e acho que temos um grande potencial aqui para fazer mais. Sabemos que Brasília está fazendo parque tecnológico, tem algumas coisas para atrair pessoas neste centro. - Como é a relação entre Brasil e Israel? - Temos um carinho muito grande pelo Brasil. É uma relação baseada em amizade, parcerias econômicas, parcerias políticas. É um bom relacionamento, e muito respeito e colaboração.

Voz de Brasília Yossy Shelley

Voz de Brasília Yossy Shelley

Voz de Brasília Yossy Shelley

“The JK bridge should be golden”, shoots Israel’s ambassador The Israeli Embassy was initially located in the former capital of Brazil, the city of Rio de Janeiro. In 1964, it was transferred to Brasília. The then Ambassador of Israel, Yossef Nahmias, received from the City Hall of Brasília, lot 38 on Avenida das Nações for the construction of the future headquarters of the Embassy. The single-story building was inspired by the Greek cross and designed by architect David Reznik. The Voz de Brasília group spoke with the current ambassador Youssy Shelley. He spoke of his passion for the city and the relationship between Brazil and Israel. Check out: Brazilian Yearbook - The ambassador talks about the construction of the embassy: Yossy Shelley - The Israeli embassy was created in 1965. Before that, it operated in Rio de Janeiro. When they decided to move the entire embassy to Brasília, after the creation of the city, we had a competition between architects and the best project was chosen. This building received an architectural award in Israel. It was very well planned for the dry area and with environmental concerns. It can be seen that after almost 50 years, everything looks new, the materials used were of first quality, the construction was very good. AB - Is the Israeli embassy in Brazil the most beautiful in the world? YS - We like to say that. It has some mixed styles, the modern and the Victorian. but everyone likes it, but I think it’s good for us, to welcome people to show Israel. AB - How did you feel when you arrived in Brasília? YS - Brasília is a little like Beersheba, my hometown, and a little like Tel Aviv. In Tel Aviv, twenty-four hours on, you don’t sleep, the light, the noise, a traffic jam every now and then. In Beersheba, everything is quiet, there are quiet places. Beersheba was also planned, so there are police departments, hotels, embassies, so I think I got used to it quickly. Rio de Janeiro, São Paulo, are already different, you don’t know where to go, you get lost in architecture. It is difficult for the Ministry to be there, for example. Kubitschek, who took the first steps of creating Brasília, deserves a Nobel prize. He was a visionary, a person who

299


Primeira Embaixadora a dar uma entrevista exclusiva para o Canal Voz de Brasília

A

Embaixadora de Gana Abena P. A. Busia abriu as portas da residência oficial no Brasil para nos receber e conceder um belíssima entrevista. Descontraída, usando um traje típico do seu país. Super simpática, respondeu a todas as perguntas, explicou que Gana importa muitos produtos do Brasil, mas que só exporta para o nosso país o CACAU, que é considerado o melhor do mundo. Falou ainda sobre a trajetória de sua tradicional família em Gana e pasmem, da independência de Gana da Inglaterra, lembrando que dia 21 de abril é dia do aniversario da Rainha, mesmo dia da inauguração de Brasília.

First Ambassador to give an exclusive interview to Canal Voz de Brasília Ghanaian Ambassador Abena P. A. Busia opened the doors of the official residence in Brazil to receive us and give a wonderful interview. Relaxed, wearing a costume typical of your country. Super friendly, answered all questions, explained that Ghana imports many products from Brazil, but that it only exports CACAU to our country, which is considered the best in the world. He also spoke about the trajectory of his traditional family in Ghana and amazingly, the independence of Ghana from England, remembering that April 21st is the Queen’s birthday, the same day as the inauguration of Brasilia.

foto: Paulo Fayad

300


Embaixador da Coreia do Sul, Kim Chan-woo

O

South Korean Ambassador Kim Chan-woo Brazil has a vast area of ​​8,510,000 square kilometers, (37 times that of the Korean peninsula and 85 times that of the Republic of Korea), which makes this country the fifth largest in the world, in terms of land area. Having the eighth largest GDP in the world and with a population of approximately 210 million (IBGE 2017), Brazil is, in fact, as well as nominally, the largest and most populous country in South America. Brazil has a vast area of ​​8,510,000 square kilometers, (37 times that of the Korean peninsula and 85 times that of the Republic of Korea), which makes this country the fifth largest in the world, in terms of land area. Having the eighth largest GDP in the world and with a population of approximately 210 million (IBGE 2017), Brazil is, in fact, as well as nominally, the largest and most populous country in South America. Ambassador Kim Chan-woo gave us an exclusive interview in which he highlighted the special date on which South Korea and Brazil celebrated 60 years of diplomatic relations. In addition, he told us about the -hoepag- in which the 60th is celebrated. anniversary of a person or a city, which is considered the completion of a 60 year cycle of the eastern zodiac, a date celebrated with pomp. All this and much more is on the Youtube Channel that can be accessed through the QR Code below.

Foto: Paulo Fayad

Brasil é dotado de uma vasta área com 8.510.000 quilômetros quadrados, (37 vezes a da península coreana e 85 vezes a da República da Coreia), o que faz deste país o quinto maior do mundo, em termos de área terrestre. Detendo o oitavo maior PIB mundial e com população de aproximadamente 210 milhões (IBGE 2017), o Brasil é, de fato, bem como nominalmente, o maior e mais populoso país da América do Sul. O Brasil é dotado de uma vasta área com 8.510.000 quilômetros quadrados, (37 vezes a da península coreana e 85 vezes a da República da Coreia), o que faz deste país o quinto maior do mundo, em termos de área terrestre. Detendo o oitavo maior PIB mundial e com população de aproximadamente 210 milhões (IBGE 2017), o Brasil é, de fato, bem como nominalmente, o maior e mais populoso país da América do Sul. O Embaixador Kim Chan-woo nos concedeu uma entrevista exclusiva em que ressaltou a data especial em que a Coreia do Sul e o Brasil comemoraram 60 anos de relações diplomáticas. Além disso, falou-nos do -hoepag- em que se comemora os 60o. aniversário de uma pessoa ou de uma cidade, que é considerado a conclusão de um ciclo de 60 anos do zodíaco oriental, data celebrada com pompa. Tudo isto e muito mais está no Canal do Youtube que pode ser acessado através do QR Code abaixo.

301


Agemar Sanctos , Embaixador do Brasil na Armênia e Pedro Luiz, do Brasil para o mundo

A

Voz de Brasília teve a oportunidade de entrevistar dois embaixadores ao mesmo tempo, o Embaixador do Brasil na Armênia Agemar Sanctos e o Embaixador do Brasil para o mundo Pedro Luiz Rodrigues, o Pedrinho para os amigos. Eles contaram histórias que os livros não contam. Cada minuto desta entrevista vale a pena ser sorvido como néctar. O Agemar, aviador, se aventurou por Brasília e tem em seu acervo muitas fotos belíssimas, contou a história e a geografia do Rio de Janeiro, de Brasília, da Armênia e do mundo. O nosso Pedrinho contou pérolas que valem a pena serem ouvidas de sua própria boca. Por isso, eu convido a todos para assistirem esta bela entrevista com todos os seus detalhes, basta direcionar a câmara de seu celular para o QR Code abaixo e se deliciar com as histórias vibrantes e engraçadas contadas por estes dois baluartes da história de Brasília.

Agemar Sanctos, Ambassador of Brazil to Armenia and Pedro Luiz, from Brazil to the world Voz de Brasília had the opportunity to interview two ambassadors at the same time, the Ambassador of Brazil to Armenia Agemar Sanctos and the Ambassador of Brazil to the world Pedro Luiz Rodrigues, Pedrinho to his friends. They told stories that books don’t tell. Every minute of this interview is worth drinking as nectar. Agemar, an aviator, ventured through Brasilia and has in his collection many beautiful photos, told the history and geography of Rio de Janeiro, Brasilia, Armenia and the world. Our Pedrinho counted pearls that are worth hearing from his own mouth. So, I invite everyone to watch this beautiful interview with all its details, just direct the camera of your cell phone to the QR Code below and be delighted with the vibrant and funny stories told by these two bastions of the history of Brasília

Foto: Paulo Fayad

302


Ibrahim Alzeben: “o homem deve ser útil à humanidade” Embaixador palestino acredita que Brasília tem localização abençoada

O

embaixador palestino em Brasília Ibrahim Alzeben concedeu uma entrevista ao Grupo Voz de Brasília na qual elencou as três etapas para ser uma pessoa plena e de sucesso. De acordo com ele, “paz e consciência limpa são essencial”. Além disso, “ser útil para a humanidade é um dever de todo ser humano”. Alzeben também falou sobre as relações da Palestina com o Brasil e sobre Brasília, cidade que o acolheu em 1989. Confira: – Quando começaram as relações entre Palestina e Brasil? - As relações da Palestina com o Brasil começaram em 1975. A primeira representação da Palestina foi em 1979. A primeira sede foi no Lago Sul, fomos mudando. Depois firmamos no Setor de Embaixadas Norte.

Foto: Ramon Moser UFRGS

Voz de Brasília Ibrahim Alzeben

Voz de Brasília

– Quais as diferenças entre Brasília daquela época e a cidade de hoje? - Brasília era uma cidade nova, um estilo novo para mim. Era muito diferente, não só as construções, mas as relações sociais me impactaram muito. Houve bastante mudança de lá para cá. A vida é mais complexa, as necessidades são maiores. A cidade cresceu muito, o estilo de vida já não é mais o mesmo. Mas é uma cidade maravilhosa, diversa, com muito futuro para todos que tem o privilégio de passar por aqui. – O que você mais gosta em Brasília? - Gosto muito da localização, no coração do Brasil. Não tem engarrafamento. O clima é muito interessante, mesmo sendo seco, considero o clima muito bom. E quero destacar que

Ibrahim Alzeben

Voz de Brasília Ibrahim Alzeben

a alma de Brasília é o Lago. Ninguém pode conceber Brasília sem o Lago. – Qual a sua avaliação das relações entre Brasil e Palestina? - Estamos muito satisfeitos com as relações entre Brasil e Palestina. Sinto que o dever foi cumprido. Nossa embaixada é bonita e conseguimos trazer algo da arquitetura palestina. Essa embaixada é um presente aos brasilienses e uma maneira de dizer “obrigada” a estas relações. – O que você espera para Brasília no futuro? - Que seja a cidade mais representativa do Brasil e seja símbolo da civilização humana moderna. Vocês tem tudo para que esta cidade seja mais maravilhosa ainda e Deus abençoou esta terra com uma localização muito importante e com um povo muito criativo.

Voz de Brasília Ibrahim Alzeben

Voz de Brasília Ibrahim Alzeben

Ibrahim Alzeben: “man must be useful to humanity” Palestinian ambassador believes that Brasilia has a blessed location The Palestinian ambassador in Brasilia Ibrahim Alzeben gave an interview to Grupo Voz de Brasilia, in which he listed the three steps to be a full and successful person. According to him, “peace and a clean conscience are essential.” In addition, “being useful to humanity is a duty of every human being”. Alzeben also spoke about Palestine’s relations with Brazil and about Brasilia, a city that welcomed him in 1989. Check out: Brazilian Yearbook - When did the relations between Palestine and Brazil begin? Ibrahim Alzeben - Palestine’s relations with Brazil began in 1975. The first representation of Palestine was in 1979. The first headquarters was in the South Lake, we have been changing. Then we signed up for the North Embassy Sector. AB - What are the differences between Brasília from that time and today? IA - Brasilia was a new city, a new style for me. It was very different, not just the buildings, but the social relations impacted me a lot. There has been a lot of change back and forth. Life is more complex, needs are greater. The city has grown a lot, the lifestyle is no longer the same. But it is a wonderful city, diverse, with a future for all that has the privilege of passing through here. AB - What do you like best in Brasília? IA - I really like the location, in the heart of Brazil. There is no bottling. The weather is very interesting, even being dry, I consider the weather very good. And I want to emphasize that the soul of Brasilia is the Lake. No one can conceive Brasilia without the Lake. AB - What is your assessment of the relations between Brazil and Palestine? IA - We are very pleased with the relations between Brazil and Palestine. I feel duty was fulfilled. Our embassy is beautiful and we managed to bring something of Palestinian architecture. This embassy is a gift to Brazilians and a way of saying “thank you” to these relations. AB - What do you expect for Brasilia in the future? IA - Let it be the most representative city of Brazil and be a symbol of modern human civilization. You have everything to make this city even more wonderful and God has blessed this land with a very important location and a very creative people.

303


Embaixador da Alemanha Dr. Georg Witschel “Brasília é uma cidade moderna com uma arquitetura deslumbrante e única”

D

esde setembro de 2016, Dr. Georg Witschel é Embaixador da República Federal da Alemanha no Brasil em Brasília. Nessa breve entrevista, ele nos conta um pouco da sua trajetória como embaixador. Para começar nossa entrevista, como o Senhor veio para o Brasil? Como diplomata de carreira, comecei o serviço em 1993,

Voz de Brasília

-

Voz de Brasília

Embaixador,

a

embaixada

da Alemanha em Brasília tem algumas características peculiares, pode nos falar um pouco? - A embaixada da Alemanha em Brasília, é uma das maiores embaixadas da Alemanha no mundo inteiro, temos uma equipe grande trabalhando aqui, entre 90 a 95 pessoas. Dessas, uma boa mistura de pessoas entre germanos brasileiros, brasileiros e alemães

Georg Witschel

Foto: Paulo Fayad

Georg Witschel

primeiro em Israel, Eslovênia, Nova Iorque,Ottawa, Jakarta e finalmente em Brasília. Como funcionário alemão, solicitei o posto de Brasília e fui atentido em meu pleito. Em Brasília, há mais de três anos, aprendi bem o português, apesar de ser uma lingua difícil, principalmente a gramática.

304

juntos, a fim de promover essa harmonização. Nossas relações políticas, econômicas e culturais sobrevivem às mudanças de governo da Alemanha e Brasil, por isso uma relação intensa e muito sustentável independente de governo. Brasil, não é simplesmente um país, é a soma de vários continentes juntos, América, África e Europa, tudo isso só o Brasil. German Ambassador Dr. Georg Witschel “Brasília is a modern city with stunning and unique architecture” Since September 2016, Dr. Georg Witschel is Ambassador of the Federal Republic of Germany to Brazil in Brasilia. In this brief interview, he tells us a little about his career as an ambassador. Anuário Brasileiro - To start our interview, how did you come to Brazil? Georg Witschel - As a career diplomat, I started the service in 1993, first in Israel, Slovenia, New York, Ottawa, Jakarta and finally in Brasilia. As a German official, I applied for the post in Brasilia and was attacked in my plea. In Brasília, more than three years ago, I learned Portuguese well, despite being a difficult language, mainly grammar. AB - Ambassador, the German embassy in Brasilia has some peculiar characteristics, can you tell us a little? GW - The German embassy in Brasilia, is one of the largest German embassies in the world, we have a large team working here, between 90 to 95 people. Of these, a good mix of people between Brazilian Germans, Brazilians and Germans together, in order to promote this harmonization. Our political, economic and cultural relations survive the changes of government in Germany and Brazil, so an intense and very sustainable relationship independent of government. Brazil is not just a country, it is the sum of several continents together, America, Africa and Europe, all of this just Brazil.


“Me sinto candango”, diz García Casas

F

Embaixador espanhol sente orgulho de viver em Brasília

ernando García Casas, embaixador da Espanha conversou com o Grupo Voz de Brasília e declarou todo o seu amor pela cidade que o acolheu nos últimos anos. Ele falou também sobre as relações espanholas com o Brasil e deixou um belo recado a todos os brasilienses. Confira: – Como foi a implantação da embaixada espanhola em Brasília? – A embaixada foi transferida do Rio de Janeiro para Brasília em 1972. A primeira vez que a embaixada aqui foi habitada, foi em 1º de outubro de 1975, dez dias antes da Data Nacional da Espanha, o mesmo dia de Nossa Senhora Aparecida aqui no Brasil. Foi construída por um arquiteto espanhol muito conhecido, Rafael Leoz, especialista em projetar centros de grandes dimensões. São quatro edifícios. O governo brasileiro sempre insistiu que a arquitetura tinha que ser importante, já que a cidade é um dos experimentos mais interessantes na área e configura patrimônio da humanidade neste quesito. O governo

Foto: Divulgação

Voz de Brasília Fernando García Casas

espanhol investiu bastante nesta construção, se comparar com outras embaixadas é bem diferente. Nossa embaixada tem uma característica que nos coloca em contato com a cidade, isso é muito importante, pois não podemos ficar isolados no prédio. – Qual a sua relação com a cidade? E como é a relação da Espanha com o Brasil? – Muito da minha vida profissional foi na América Latina. Minha primeira vez no Brasil, em 1999, foi na Cúpula da União Europeia com a América Latina e, a segunda vez foi em 2002, na Cúpula das Nações Unidas sobre desenvolvimento e meio-ambiente. Do ponto de vista das relações, somos parceiros, amigos e aliados. No âmbito político, econômico e culturais, temos mais de 800 mil brasileiros na Espanha e mais de cem mil espanhóis no Brasil. Somos uma parte integrante da miscigenação da sociedade brasileira. – O que você mais gosta na capital? – Eu tenho a mesma idade que Brasília e ela está muito mais preservada que eu mesmo. Sempre gostei muito dos espaços da cidade, da quadra, do céu, da natureza. Fico muito feliz de morar aqui. Tenho viajado muito pelo Brasil, em oito meses, visitei 10 estados e sempre que retorno para cá, é como chegar em casa.

Voz de Brasília Fernando García Casas

Voz de Brasília Fernando García Casas

”I feel like a candango”, says García Casas Spanish Ambassador feels proud to live in Brasilia Fernando García Casas, the ambassador of Spain, spoke with Grupo Voz de Brasilia and declared his love for the city that has welcomed him in recent years. He also spoke about Spanish relations with Brazil and left a beautiful message to all Brazilians. Check out: Brazilian Yearbook - How was the implantation of the Spanish embassy in Brasilia? Fernando García Casas - The embassy was transferred from Rio de Janeiro to Brasilia in 1972. The first time the embassy here was inhabited, it was on October 1, 1975, ten days before the National Date of Spain, the same day as Our Lady Appeared here in Brazil. It was built by a well-known Spanish architect, Rafael Leoz, who specializes in designing large centers. There are four buildings. The Brazilian government has always insisted that the architecture had to be important, since the city is one of the most interesting experiments in the area and configures the patrimony of humanity in this matter. The Spanish government invested heavily in this construction, if compared to other embassies is quite different. Our embassy has a characteristic that puts us in contact with the city, this is very important, because we can not be isolated in the building. AB - What is your relationship with the

city? And how is Spain’s relationship with Brazil? FGC - A lot of my professional life was in Latin America. My first time in Brazil in 1999 was at the European Union Summit with Latin America, and the second time was in 2002 at the UN Summit on Development and Environment. From the point of view of relationships, we are partners, friends and allies. In the political, economic and cultural sphere, we have more than 800 thousand Brazilians in Spain and more than one hundred thousand Spaniards in Brazil. We are an integral part of the miscegenation of Brazilian society. AB - What do you like best in the capital? FGC - I am the same age as Brasília and she is much more preserved than I am. I always liked the spaces of the city, the court, the sky, the nature. I’m very happy to live here. I have traveled a lot through Brazil, in eight months, I visited 10 states and whenever I return here, it is like getting home. AB - Would you recommend that a Spanish invest in Brazil? FGC - Connectivity has grown a lot. We now have direct flights from Brazil to Spain. An agreement with a Spanish company for domestic flights in Brazil was recently signed by the Tourism Minister. This reduces costs, generates income and employment, and brings many opportunities. There are many Spanish companies operating in Brazil. I would recommend that Spaniards invest in Brazil. There are many

305


Rússia e Brasil relação antiga e duradoura Embaixador russo bate papo sobre os mais de 190 anos de relações diplomáticas entre os dois países

S

306

Russia and Brazil Old and lasting relationship Russian ambassador talks about more than 190 years of diplomatic relations between the two countries Sergey Pogóssovitch Akopov has been a diplomat since 1976 when he graduated from the Moscow State Institute of International Relations with the USSR Ministry of Foreign Affairs. He served at the Embassies of Costa Rica (1976-1980), Brazil (1983-1988), Chile (1990-1996) and was Minister Counselor of the Embassy of the Russian Federation in Brazil (1999-2003). Relations between Brazil and Russia are already over 190 years old and have only been suspended twice: during the Russian Revolution and in the Cold War. “Relations between the two countries and peoples have a long history. Regardless of the possible circumstances, relations have always been fraternal and warm, ”says the ambassador. In the 1970s, the Russian embassy, ​​like so many others, established its headquarters in Brasilia. Akopov says that in the early years, the embassy operated in three apartments purchased on the South Wing. Only in 1974 was the current embassy building opened. “It is a unique and historic building with a very specific architectural value. It was made by the chief architect of Moscow, one of the most famous of the time of the Soviet Union. Awarded several awards in its category, ”he recalls. “The building looks similar to the Bremen wall. There are 15 towers that symbolize the 15 Soviet republics that formed the Union, ”explains Akopov.

Foto: Paulo Fayad

ergey Pogóssovitch Akopov é diplomata desde 1976, quando se formou pelo Instituto Estatal das Relações Internacionais de Moscou junto ao Ministério dos Negócios Estrangeiros da URSS. Serviu nas Embaixadas da Costa Rica (1976-1980), do Brasil (1983-1988), do Chile (1990-1996) e foi Ministro-conselheiro da Embaixada da Federação da Rússia no Brasil (1999-2003). As relações entre Brasil e Rússia já completaram mais de 190 anos e só foram suspensas duas vezes: durante a Revolução Russa e na Guerra Fria. “As relações entre os dois países e povos tem uma história já bastante longa. Independentemente das circunstâncias possíveis, as relações sempre foram fraternais e calorosas”, conta o embaixador. Na década de 1970, a embaixada da Rússia, como tantas outras, criou sede em Brasília. Akopov conta que nos primeiros anos, a embaixada funcionou em três apartamentos comprados na Asa Sul. Só em 1974 foi inaugurado o atual prédio da embaixada. “É um prédio único e histórico, com um valor arquitetônico muito específico. Foi feito pelo o arquiteto chefe de Moscou, um dos mais famosos da época da União Soviética. Laureado em vários prêmios em sua categoria”, relembra. “O prédio tem um aspecto parecido com a muralha de Bremen. São 15 torres que simbolizam as 15 repúblicas soviéticas que formavam a União”, explica Akopov. As duas nações tem se esforçado para ampliar as relações e descobrir novas áreas de cooperação. “Queremos que o intercâmbio bilateral seja maior. Brasil é o principal parceiro econômico e comercial na América Latina, o que representa mais da metade do intercâmbio comercial com a região. Mas gostaríamos de ter cifras maiores. Ano passado foram $ 5 bilhões de intercâmbio bilateral”, esclarece. “Estamos desenvolvendo muito bem a parceria na área de energia, gás natural e petróleo. Uma grande estatal russa tem um projeto na Amazônia, onde há boas reservas de gás natural”, completa.


Rostyslav Tronenko, Embaixador da Ucrânia no Brasil Rostyslav Tronenko, 57 anos, é nascido na cidade de Sumy, Ucrânia. Ele já foi Embaixador em Portugal e antes de ocupar o cargo no Brasil, esteve no país entre 1999 e 2001 como Ministro Conselheiro da Embaixada da Ucrânia. Tronenko, ocupa o cargo de Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da Ucrânia no Brasil desde 2012. – Antes de ocupar o cargo de Embaixador o senhor já esteve antes no Brasil. Como foi sua trajetória até o cargo atual? – Já é a segunda vez que estou aqui no Brasil em missão. A primeira vez foi em 1999/2001, mas meu primeiro encontro com Brasília, a capital federal, data-se de 1995. Por isso é a terceira vez nos últimos 24 anos. – O senhor é casado com uma brasileira? – Sim, minha esposa é curitibana e isso ajuda a melhorar no português. Tenho uma professora em casa. Nós nos casamos na Ucrânia, mas nos conhecemos em Viana, quando ela estudava na Europa e eu trabalhava em missão junto com as Organizações internacionais na cidade. – Qual a relação da Ucrânia com o Brasil? – Os primeiros ucranianos chegaram ao Brasil em 1870 e os primeiros registros na Ilha das Flores, no Rio de Janeiro, foram em agosto de 1891. E a relação é ótima, este ano celebramos 10 anos da parceria estratégica e estamos gratos ao presidente Jair Messias Bolsonaro e ao seu governo. Em janeiro deste ano exatamente no dia 25, ele publicamente apoiou a independência, a soberania e a integridade da Ucrânia, durante o encontro com o presidente do nosso país. – Sobre a relação comercial. O que o Brasil exporta para a Ucrânia e o que a Ucrânia exporta para o Brasil? – O comércio e a economia e a base das relações políticas. Não adianta declarar uma parceria estratégica sem ter essa base econômica e comercial forte. O Brasil está importando da Ucrânia fármacos, insulina, também vários tipos de máquinas, adubos para agronegócio e fertilizantes. Em troca a Ucrânia está exportando os produtos do agronegócio do país, como: café, cacau, fumo entre outros. Claro, que nós trabalhamos para diversificar a pauta do nosso intercâmbio comercial e estamos felizes que pouco a pouco estamos voltando ao patamar de troca comercial, que atingimos há 10 anos. Claro que por várias razões a nossa troca diminuiu, tanto de um lado como do outro. Mas esse ano a troca comercial já superou os resultados do ano passado. Nós temos a CIC, a Comissão Intergovernamental de Comércio e economia e estamos trabalhando juntos do Itamaraty e do governo do Brasil para realizar a seguinte reunião dessa comissão, para mostrar a vontade dos dois governos para aumentar nossas relações bilaterais.

Voz de Brasília Rostyslav Tronenko

Voz de Brasília Rostyslav Tronenko

Foto: Paulo Fayad

Voz de Brasília Rostyslav Tronenko

Meet Rostyslav Tronenko, Ambassador of Ukraine to Brazil Rostyslav Tronenko, 57, is born in the city of Sumy, Ukraine. He has been an Ambassador to Portugal and before taking up his position in Brazil, he was in the country between 1999 and 2001 as Minister Counselor of the Ukrainian Embassy. Tronenko has held the position of Ambassador Extraordinary and Plenipotentiary of Ukraine in Brazil since 2012. Brazilian Yearbook - Before occupying the position of Ambassador you have been to Brazil before. How was your path to the current position? Rostyslav Tronenko - This is the second time I am here in Brazil on a mission. The first time was in 1999/2001, but my first meeting with Brasilia, the federal capital, dates from 1995. That’s why it’s the third time in the last 24 years. AB - Are you married to a Brazilian? RT - Yes, my wife is from Curitiba and it helps to improve in Portuguese. I have a teacher at home. We were married in Ukraine, but we met in Viana when she was studying in Europe and I worked on a mission with the international organizations in the city. AB - What is the relationship of Ukraine with Brazil? RT - The first Ukrainians arrived in Brazil in 1870 and the first records on Flores Island in Rio de Janeiro were in August 1891. And the relationship is great, this year we celebrate 10 years of strategic partnership and we are grateful to President Jair Messiah Bolsonaro and his government. In January of this year exactly on the 25th, he publicly supported the independence, sovereignty and integrity of Ukraine during the meeting with the president of our country. AB - About the business relationship. What does Brazil export to Ukraine and what does Ukraine export to Brazil? RT - Trade and the economy and the basis of political relations. There is no point in declaring a strategic partnership without having such a strong economic and trade base. Brazil is importing from Ukraine drugs, insulin, also various types of machines, agribusiness fertilizers and fertilizers. In return, Ukraine is exporting agribusiness products such as coffee, cocoa, tobacco and others. Of course, we work to diversify our trade exchange agenda and we are happy that little by little we are returning to the level of trade, which we reached 10 years ago. Of course, for a variety of reasons our exchange has slowed on both sides. But this year the trade has already surpassed last year’s results. We have the CIC, the Intergovernmental Commission on Trade and Economy, and we are working together with Itamaraty and the Brazilian government to hold the next meeting of this committee, to show the willingness of both governments to increase our bilateral relations.

Voz de Brasília Rostyslav Tronenko

307


Foto: Raphael Ribeiro/BCB

Fachada do Banco Central 308 do Brasil


Brasília

Parabéns

www.nwi.com.br

comercial@nwi.com.br

309 (61) 3322-3200


Foto: Bento Viana - GDF

Asa Sul - DF 310


311


Foto: Bento Viana - GDF

Esplanada dos Ministérios 312


313


Foto: Lapin Fotografia

314

Fonte Torre de TV


315


Foto: Bento Viana - GDF

Pontão do Lago Sul 316


317


Foto: André Borges/ Agência Brasília

Palácio do Itamaraty

318


319


Foto: André Borges / Agência Brasília

Congresso Nacional

320


321


Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Rodoviária do Plano Piloto 322


323


Foto: André Borges/ Agência Brasília

Superior Tribunal de Justiça 324


325


Foto: Luís Tajes / Setur

Esquadrilha da fumaça 326


327


Foto: Luís Tajes / Setur

Casal Sarah e Juscelino Kubitschek 328


329


Foto: Luís Tajes / Setur

Palácio do Itamaraty

330


331


E

As Sete Maravilhas de Brasília

m 1987, ao completar 27 anos, Brasília passa a figurar ao lado de cidades milenares como Jerusalém e Cairo, na condição de Patrimônio Cultural da Humanidade. A iniciativa da escolha das Sete

Maravilhas de Brasília foi do Bureau Internacional de Capitais Culturais (IBOCC), com sede em Barcelona, Espanha. O objetivo é divulgar o patrimônio cultura da cidade de forma lúdica e didática, estimulando novas

The Seven Wonders of Brasilia In 1987, when he turned 27, Brasília started to appear alongside ancient cities such as Jerusalem and Cairo, as Cultural Heritage of Humanity. The initiative to choose the Seven Wonders of Brasilia was from the International Bureau of Cultural Capitals (IBOCC), based in Barcelona, ​​Spain. The objective is to disseminate Brasilia’s cultural heritage in a playful and didactic way, stimulating new tourist routes that allow visitors to discover the city’s wealth of heritage. In June 2008, Internet users chose the seven wonders from a list of 25 works. More than 64 thousand votes were counted, sent exclusively by electronic mail. All were selected by the Superintendence of Brasília of the National Historical and Artistic Heritage Institute (IPHAN).

rotas turísticas que permitam aos visitantes conhecer a riqueza patrimonial da capital do país. Os internautas escolheram durante o mês de junho de 2008 as sete maravilhas, em uma lista de 25 obras. Foram

contabilizados mais de 64 mil votos, enviados exclusivamente por correio eletrônico. Todos foram selecionados pela Superintendência de Brasília do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Cathedral The Metropolitan Cathedral of Nossa Senhora Aparecida was designed by Oscar Niemeyer and Joaquim Cardozo, engineer responsible for structural calculations. The cornerstone was laid on September 12, 1958. The structure was completed in 1960 and inaugurated on May 31, 1970, with transparent external glass. It is 70 m² in diameter, from which 16 concrete columns rise. The baptistery has ceramic tiles on its walls, painted by Athos Bulcão. The altar was donated by Pope Paul VI. The roof consists of a stained glass window with 16 fiberglass pieces in shades of blue, green and brown,

6º 7º

332


A

Catedral

Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida foi projetada por Oscar Niemeyer e Joaquim Cardozo, engenheiro responsável pelo cálculo estrutural. A pedra fundamental foi lançada em 12 de setembro de 1958. A estrutura foi concluída em 1960 e inaugurada em 31 de maio de 1970, já com os vidros

externos tranparentes. Possui 70 m² de diâmetro, de onde se elevam 16 colunas de concreto. O batistério tem em suas paredes lajotas de cerâmica, pintadas por Athos Bulcão. O altar foi doado pelo Papa Paulo VI. A cobertura é composta de um vitral com 16 peças em fibra de vidro em tons de azul, verde e marrom, inseridas entre os

pilares de concreto e pintadas por Marianne Peretti. Na entrada, num pilar pintado por Athos Bulcão, passagens da vida de Maria, mãe de Jesus. A Via Sacra é de Di Cavalcanti. Na praça de acesso ao templo encontram-se quatro esculturas de bronze, representando os evangelistas Mateus, Marcos, Lucas e João.

No interior, as esculturas de três anjos, suspensos por cabos de aço, criados por Alfredo Ceschiatti com a colaboração de Dante Croce. O campanário, composto por quatro sinos doados pela Espanha, completa o conjunto da obra.

inserted between the concrete pillars and painted by Marianne Peretti. At the entrance, on a pillar painted by Athos Bulcão, passages from the life of Mary, mother of Jesus. The Way of the Cross is by Di Cavalcanti. In the square of access to the temple are four bronze sculptures, representing the evangelists Mateus, Marcos, Lucas and João. Inside, the sculptures of three angels, suspended by steel cables, created by Alfredo Ceschiatti with the collaboration of Dante Croce . The bell tower, composed of four bells donated by Spain, completes the work.

333


Foto: Luís Tajes / Setur

Memorial JK 334


335


Foto: Brito Junior

Ponte JK

336


337


D

Congresso Nacional esde 1960 o Congresso Nacional passou a ter sede em Brasília. É projeto de Oscar Niemeyer seguindo o estilo da arquitetura brasileira moderna. Nas duas cúpulas se localizam os plenários: virada para baixo, o

Senado; virada para cima, a Câmara dos Deputados. Entre as cúpulas há duas torres que formam um H com 28 andares, que são os anexos I do Senado e da Câmara e abrigam atividades administrativas. O Congresso ocupa, também, outros

National Congress Since 1960, the National Congress has been based in Brasília. It is a design by Oscar Niemeyer following the style of modern Brazilian architecture. The plenaries are located in the two domes: face down, the Senate; facing upwards, the Chamber of Deputies. Between the domes there are two towers that form an H with 28 floors, which are annexes I of the Senate and the Chamber and house administrative activ-

338

edifícios vizinhos, alguns deles interconectados por túneis. Situado no meio do Eixo Monumental, principal avenida de Brasília, constitui com o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal a Praça dos Três Poderes.

Desde 1987 o prédio está inserido no patrimônio da Unesco como peça urbanística do Plano Piloto de Brasília. Em 6 de dezembro de 2007 foi tombado pelo IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

ities. The Congress also occupies other neighboring buildings, some of which are interconnected by tunnels. Located in the middle of the Monumental Axis, Brasilia’s main avenue, it forms the Praça dos Três Poderes with the Planalto Palace and the Supreme Federal Court. Since 1987 the building has been part of Unesco’s heritage as an urban piece of the Plano Piloto de Brasília. On December 6, 2007, it was listed by IPHAN - National Historical and Artistic Heritage Institute.


R

Palácio da Alvorada

esidência oficial do Presidente da República, à margem do Lago Paranoá. Projetado por Oscar Niemeyer, foi o primeiro monumento inaugurado em Brasília. Tornou-se, na década de 1950, ícone da arquitetura moderna brasileira, símbolo de

progresso cultural e técnico do Brasil. Juscelino recusou o primeiro projeto feito por Niemeyer por falta de monumentalidade e pediu ao arquiteto que refizesse os traços para “construir um palácio que daqui a cem anos ainda fosse admirado”. O nome Alvorada foi

Palace of the Dawn Official residence of the President of the Republic, on the shore of Lake Paranoá. Designed by Oscar Niemeyer, it was the first monument inaugurated in Brasilia. In the 1950s, it became an icon of modern Brazilian architecture, a symbol of cultural and technical progress in Brazil. Juscelino refused Niemeyer’s first project for lack of monumentality and asked the architect to redo the lines to “build a palace that in a hundred years would still

dado por JK, ao ser questionado sobre o porquê, respondeu: “Que é Brasília, senão a alvorada de um novo dia para o Brasil?”. O formato de seus pilares externos deu origem ao símbolo e emblema da cidade, presente no brasão do Distrito Federal.

As colunas imortalizadas por Niemeyer apoiam-se no chão por um de seus vértices fazendo, aparentemente, desaparecer a ideia de peso, como que pousando o edifício no solo de Brasília.

be admired”. The name Alvorada was given by JK, when asked why, he replied: “What is Brasília, if not the dawn of a new day for Brazil?”. The shape of its external pillars gave rise to the symbol and emblem of the city, present in the coat of arms of the Federal District. The columns immortalized by Niemeyer are supported on the floor by one of its vertices, apparently making the idea of weight disappear, as if landing the building on Brasilia’s soil.

339


Foto: Luís Tajes / Setur

Biblioteca Nacional 340


341


Foto: Lapin Fotografia

Jardim Botânico 342


343


Foto: Lapin Fotografia

Jardim Botânico 344


345


Palácio do Planalto

P

rojeto de Oscar Niemeyer, as obras de construção do Palácio do Planalto iniciaram em 10 de julho de 1958. Dois anos depois, em 21 de abril de 1960, foi inaugurado, juntamente com a

nova capital, Brasília. Localizado na Praça dos Três Poderes, o prédio possuí quatro pavimentos, com 36 mil metros quadrados e quatro anexos. O Palácio do Planalto encanta pela beleza de

suas colunas, assim definidas nas palavras do seu arquiteto: “leve como pensas pousando no chão”. Os jardins foram planejados por Roberto Burle Marx. Várias carpas de origem japonesa

Planalto Palace Oscar Niemeyer’s project, is in the Praça dos Três Poderes. Construction work began on July 10, 1958. Inaugurated on April 21, 1960, the opening day of Brasília. The building has four floors, with 36 thousand square meters and four annexes. The Planalto Palace

346

enfeitam o espelho d’água. Na fachada posterior do palácio está o heliponto, construído em 1990, com a finalidade de atender os deslocamentos aéreos de curta distância do presidente.

enchants with the beauty of its columns, as defined in the words of its architect: “Light as feathers resting on the floor”. The gardens were planned by Roberto Burle Marx. Several carp of Japanese origin adorn the water mirror. On the rear facade of the palace is the helipad, built in 1990, with the purpose of attending to the President’s short-distance air travel.


I

Templo da Boa Vontade

naugurado em 21 de outubro de 1989, o Templo da Boa Vontade segue a linha arquitetônica da cidade, porém, se diferencia por ser a única pirâmide com sete lados, além de passar a sensação de que flutua sobre o solo.

O prédio todo em mármore branco traz em seu topo, pesando 21 quilos, o maior cristal já descoberto. Seu piso é todo em granito, com a forma de “espiral cósmica”, sendo usado pelos visitantes para

Temple of Good Will Opened on October 21, 1989, it follows the architectural line of the city, but differs in that it is the only pyramid with seven sides, in addition to giving the feeling that it floats on the ground. The whole building in white marble brings, at the top, with 21 kilos the largest crystal ever discovered.

caminhadas de meditação. Sob o solo, também passa uma corrente de água que desemboca em uma fonte dentro do templo. A forma piramidal do Templo da Boa Vontade, o veio

d’água subterrâneo que alimenta a fonte no centro da nave, além do imenso cristal em exposição permanente, atraem místicas e espiritualistas de todas as partes do mundo.

The floor is all in granite, in the shape of a “cosmic spiral”, being used by visitors for meditation walks. Under the ground a stream of water flows into a fountain inside the temple. The pyramidal shape of the Temple of Good Will, the underground water vein that feeds the fountain in the center of the nave, in addition to the immense crystal on permanent display attract mystics and spiritualists from all over the world.

347


P

Santuário Dom Bosco

rojeto assinado por Carlos Alberto Naves e desenho urbanístico de Roberto Burle Marx, o Santuário Dom Bosco

foi inaugurado em 1980. Suas instalações ocupam 10 mil metros quadrados. No exterior, 80 colunas de 16 metros fecham-se em arcos

ogivais. No interior, o lustre de 3,5 metros de altura, com 74 mil peças de vidro de Murano, é obra do arquiteto Alvimar Moreira.

Os vitrais projetados por Cláudio Naves e fabricados pelo artista belga Van Doornes refletem 12 tonalidades de azul.

Dom Bosco Shrine OProject signed by Carlos Alberto Naves and urban design by Roberto Burle Marx, Santuário Dom Bosco was inaugurated in 1980. Its facilities occupy 10,000 square meters. Outside, 80 columns of 16 meters are closed in pointed arches. Inside, the 3.5 meter high chandelier, with 74 thousand pieces of Murano glass, is the work of the architect Alvimar Moreira. The stained glass windows designed by Cláudio Naves and manufactured by the Belgian artist Van Doornes reflect 12 shades of blue.

348


Ponte Juscelino Kubitschek

I

naugurada em 15 de dezembro de 2002, liga o Lago Sul, Paranoá e São Sebastião à parte central do Plano Piloto. Obra do arquiteto Alexandre Chan, foi considerada em 2002

como a ponte mais bonita do Mundo e já acumula vários prêmios internacionais. A estrutura da ponte tem quatro apoios com pilares submersos no Lago Paranoá. Os três vãos de 240

metros são sustentados por três arcos assimétricos e localizados em planos diferentes, com cabos tensionados de aço colocados em forma cruzada. Seus arcos assimétricos

lembram o movimento de uma pedra quicando sobre a água. Sua beleza arquitetônica rendeu fotos em cartões postais. É, reconhecidamente, um dos pontos turísticos mais belos de Brasília.

Juscelino Kubitschek Bridge Inaugurated on December 15, 2002, it connects Lago Sul, Paranoá and São Sebastião to the central part of the Plano Piloto. Work by architect Alexandre Chan, it was considered in 2002 as the most beautiful bridge in the world and has already won several international awards. The structure of the bridge has four supports with pillars submerged in Lake Paranoá. The three 240-meter spans are supported by three asymmetrical arches and located on different planes, with tensioned steel cables placed in a cross shape. Its asymmetrical arches resemble the movement of a stone bouncing on water. Its architectural beauty yielded photos on postcards. It is, admittedly, one of the most beautiful tourist spots in Brasilia.

349


Foto: Guerric

350

Praça dos Três Poderes


351


Foto: Lapin Fotografia

Lago Paranoá 352


353


Foto: Francisco Aragão

Praça e Palácio do Buriti 354


355


Foto: Lapin Fotografia

Lago Paranoá

356


357


Foto: Agência Brasília

Ginásio Nilson 358 Nelson


359


Foto: Luís Tajes / Setur

Vista aérea da Esplanada dos 360 Ministérios


361


Foto: Douglas Protázio

Palácio da Alvorada 362


363


Foto: Agência Brasília

Igreja 364 Bosco Dom


365


Foto: Lapin Fotografia

Torre de TV 366



Foto: Agência Brasília

Estádio 368 Garrincha Mané


369


Foto: Gabriel Castilho

Teatro Pedro 370 Calmon - SMU


371


Foto: Agência Brasília

Apresentação da 372 Esquadrilha da Fumaça


373


Foto: Douglas Protazio

Onça pintada 374 Zoológico de Brasília


375


C

A Capital do Turismo Cívico

om sua diversidade de atrativos, em sua maioria, culturais e cívicos, Brasília desponta no cenário turístico brasileiro. As Férias na Capital Federal podem ser mais atraentes do que se pensa. Os brasileiros têm recorrido a Brasília pelo seu turismo cívico singular. A cidade possui monumentos significativos da história e isso faz com que os visitantes apreciem esses bens públicos. A Praça dos Três Poderes, por exemplo, é um amplo espaço cívico e arquitetônico que integra os Três Poderes da República (Executivo, Legislativo e Judiciário): do lado sul, o Supremo Tribunal Federal, sede do Poder Judiciário; ao centro o Congresso Nacional, sede do Poder Legislativo; e do lado norte, o Palácio do Planalto, sede do Poder Executivo. O grande diferencial desses monumentos e de outros espaços de Brasília é a

376

integração da arte à arquitetura que abriga o poder cívico. Brasília cívica e arquitetônica é o resultado do gesto ousado do fundador, o então presidente Juscelino Kubitschek aliado ao projeto urbanístico de Lucio Costa e dos monumentos de autoria de Oscar Niemeyer. A ação empreendedora do engenheiro Israel Pinheiro reuniu técnicos de diferentes formações e envolveu grande parte da população, brasileiros que migraram de vários estados do país. Pontos Turísticos: Aeroporto Internacional; Espaço Lucio Costa; Esplanada dos Ministérios; Memorial JK; Palácio da Alvorada; Palácio da Justiça; Palácio do Buriti; Palácio do Itamaraty; Palácio do Planalto; Panteão da Pátria Tancredo Neves; Praça dos Três Poderes; Supremo Tribunal Federal; Torre de TV; Universidade de Brasília Museus: Catetinho;

Memorial JK; Museu da CEF; Museu da Imprensa Nacional; Museu de Armas do DF; Museu de Arte Moderna de Brasília; Museu de Valores do Banco Central; Museu Histórico de Brasília; Museu Histórico de Planaltina; Museu Postal e Telegráfico da ECT; Museu Vivo da Memória Candanga. Ecoturismo: Cachoeira de Saia Velha; Chapada dos Veadeiros; Cristalina; Lagoa Bonita Lagoa Formosa; Linda Serra dos Topázios; Mumunhas; Pipiripau; Pirenópolis; Poço Azul; Salto do Corumbá; Salto do Itiquira; Salto do Tororó; São Domingos. Religião: Catedral; Catedral Militar; Cidade da Paz; Cidade Eclética; Ermida Dom Bosco; Igreja Messiânica; Igrejinha; Mesquita; Oratório do Soldado; Santuário Dom Bosco; Seicho-no-iê; Templo Budista;Templo da Boa Vontade (LBV); Vale do Amanhecer

Turismo Rural: Belas paisagens, muito verde, animais, descanso e diversão, além da gastronomia diversificada. Tudo isso e muito mais poderá ser encontrado pelo turista que optar pelo roteiro rural. O intuito é resgatar as raízes do Brasil e mostrar a riqueza que existe na diversidade cultural, mostrar para o brasiliense que os paraísos ecológicos podem estar mais perto do que se imagina. Por exemplo, no Poço Azul, próximo ao Lago Oeste, o turista encontra águas límpidas e azuladas, cascatas, corredeiras, cachoeiras e uma caverna inundada pelas águas. Nas proximidades desses locais existe uma enorme diversidade de propriedades rurais, onde, além de trilhas bucólicas, é possível praticar esportes radicais. Boa parte dessas propriedades já conta com infraestrutura adequada para receber turistas ecologicamente corretos.


Foto: Maurício Medeiros

Palácio do Itamaraty 377


Foto: Lapin Fotografia

Plano Piloto

378


379


Foto: Lapin Fotografia

Vista da torre de tv digital 380


381


Foto: Ricardo Araújo Leite

Ponte JK 382


383


Foto: Brito Junior

Brasília 384


385


Foto: Lapin Fotografia

Pôr do sol no sudoeste 386


387


Foto: Roberto Castro

Parapente no 388 Paranoá Lago


Feliz Aniversário

Brasília

(61) 3226-9023 juridico@evolucaocontabil.com.br

389


Foto: Francisco Aragão

Quartel General do Exército 390


391


Foto: Paulo Fayad

Ipê amaralo 392


Brasília Avança

Água: economizar pra não faltar


N

os últimos anos, Brasília se transformou. A cidade, inicialmente projetada para receber 500 mil habitantes, hoje já possuí quase 3 milhões de moradores. As mudanças na capital são vistas a olho nu, por quem anda pela cidade.

C

Brasília ontem e hoje

atedral de Brasília e os Evangelistas – 1970 (Arquivo Nacional. Fundo Agência Nacional)

Catedral de Brasília e os Evangelistas

Foto: Leonardo Sá / Agência Senado The Capital of Civic Tourism In recent years, Brasilia has changed. The city was initially designed to receive 500 thousand inhabitants, today it has almost 3 million. The changes are seen with the naked eye, by those who walk around the city.

394

Brasília yesterday and today Brasília Cathedral and the Evangelists - 1970 (National Archive. Fundo Agência Nacional)


Foto: Bento Viana/Governo do Distrito Federal

395


A

Brasília do futuro

capital está sempre em transição e as obras para sua melhoria são sempre visíveis para toda população. Existe uma lista de obras já autorizadas pelo governo, que farão a diferença no visual de Brasília nos próximos anos:

Estádio Mané Garincha em contrução para a Copa do Mundo de 2014

Brasilia of the future The capital is always in transition and the works for its improvement are always visible to the entire population. There is a list of works already authorized by the government, which will make a difference in the look of Brasília in the coming years: Private consortium takes over the management of Mané Garrincha The Mané Garrincha Stadium was renovated for the 2014 World Cup, the city even received the dispute for third place in the competition, a match played between Brazil and the Netherlands. After the end of the competition, the stadium started to host some matches of the Brasiliense and Brazilian Championship, in addition to hosting major events, such as concerts, book fairs and Campus Party. Since July 2019, the administration of the stadium was shared between a private consortium and Terracap, as of February 4, the Arena BSB consortium assumed full manage-

396

Foto: Bento Viana/Governo do Distrito Federal

ment of the space and will be ahead for 35 years. In addition to the stadium, they will also manage the Nilson Nelson Gymnasium and the Cláudio Coutinho Aquatic Complex, which together form the structure named Arenaplex. This management transfer aims to reduce GDF expenses. Mané Garrincha was the most expensive stadium built for the 2014 World Cup, with an estimated cost of 1.7 billion. The place never managed to raise more than its expenses. The DF government spent around R $ 700 thousand a month to maintain it. In addition to saving, GDF also aims to profit from the stadium consortium. During the administration, the government expects to receive R $ 50.5 million per year, in addition to 5% of the complex’s revenue.


O

Consórcio privado assume a gestão do Mané Garrincha estádio Mané Garrincha foi reformado para ao Copa do Mundo de 2014, quando recebeu, entre outros jogos, a disputa de terceiro lugar da competição, partida disputada entre Brasil e Holanda. Após o término da competição, o estádio passou a receber alguns jogos do Campeonato Brasiliense e Brasileiro, além de receber grandes eventos, como shows, feiras do livro e Campus Party. Desde julho de 2019, a administração do estádio era compartilhada entre um consórcio privado e a Terracap, porém, a partir de 4 de fevereiro, a Arena BSB assumiu a gestão total do espaço e ficará a frente por trinta e cinco anos. Além do estádio, eles também irão administrar o Ginásio Nilson Nelson e o Complexo Aquático Cláudio Coutinho, que juntos formam a estrutura nomeada Arenaplex. Essa transferência de gestão visa diminuir os gastos do GDF. O Mané Garrincha foi o estádio mais caro construído para a Copa do Mundo de 2014, com um custo estimado em 1,7 bilhão. O local jamais conseguiu arrecadar um valor maior que dos seus gastos. O governo do DF gastava em torno de R$ 700 mil por mês para mantê-lo. O GDF, além de economizar, também visa lucrar com o consócio do estádio. Durante a administração o governo espera receber R$ 50,5 milhões por ano, além de 5% do faturamento do complexo.

Parte externa do Estádio Mané Garrincha construído Foto: Roberto Castro/Mtur

397


Foto: Agência Brasília

Estádio 398 Garrincha Mané


Interior do Estádio Mané Garrincha Foto: Roberto Castro/Mtur

399


Foto: Arquivo Nacional

Construção do Congresso Nacional, maio de 1959

400


Foto: Pedro França / Agência Senado

Congresso Nacional dos dias atuais 401


Foto: Agência Brasília

Rampa do 402 Congresso Nacional


Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

403


Foto: Arquivo Nacional / Fundo Agência Nacional

Palácio da Alvorada, fevereiro de 1962

404


405


406


Palácio da Alvorada atual Foto: Mercado Viagens

407


Foto: Agência Brasília

Câmara Legislativa do408 Distrito Federal


409


Obras previstas para os próximos anos Revitalização da Praça do Povo no Setor Comercial Sul Construção do viaduto que dá acesso ao Terminal Rodoviário Sul, no Setor Policial Sul Viaduto da Estrada Parque Indústrias Gráficas (EPIG) Reforma da Ponte Costa e Silva Recuperação da Avenida Hélio Prates e a construção do túnel que ligará a Estrada Parque Taguatinga à avenida Elmo Serejo Construção de escolas no Sol Nascente, Paranoá e São Sebastião BRT na Região Sudoeste, ligando Varjão e Itapoã Expansão da linha do Metrô de Samambaia Construção de 500 moradias populares em Samambaia Entrega da Delegacia do Sol Nascente Centro Sul Hospitalar com 140 leitos Previsão de construção de 13 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) Construção de 15 creches para atender as famílias de Planaltina, Recanto das Emas e Gama Implementação de asfalto, calçada e rede de águas pluviais em Vicente Pires

Obras de novas estações no Metrô/DF Foto: Renato Araujo / GDF

410


Works planned for the coming years Revitalization of Praça do Povo in the Southern Commercial Sector Construction of the viaduct that gives access to the South Bus Terminal, in the Southern Police Sector Viaduto da Estrada Parque Indústrias Gráficas (EPIG) Renovation of the Costa e Silva Bridge Recovery of Avenida Hélio Prates and construction of the tunnel that will connect the Parque Taguatinga road to Avenida Elmo Serejo Construction of schools in Sol Nascente, Paranoá and São Sebastião

Foto: Renato Alves/GDF

BRT in the Southwest Region, connecting Varjão and Itapoã Expansion of the Samambaia Metro line Construction of 500 popular houses in Samambaia Delivery of the Rising Sun Police Station South Hospital Center with 140 beds Construction of 13 Basic Health Units (UBSs) planned Construction of 15 nurseries to serve the families of Planaltina, Recanto das Emas and Gama Implementation of asphalt, sidewalk and rainwater network in Vicente Pires

Melhorias no asfalto de Vicente Pires 411


Foto: Agência Brasília

Rodoviária 412 Interestadual


413


Post Mortem

414


N

ascido em 4 de agosto de 1936, em Luziânia (GO), Joaquim Domingos Roriz governou o Distrito Federal por quatro mandatos. Sua carreira política começou ainda na sua cidade, quando foi eleito Vereador na década de 1970. Em 1978, tornou-se o Deputado Estadual mais votado pelo PMDB no estado, quatro anos depois elegeu-se Deputado Federal. Em 1986 se tornou vice-governador de Goiás, na chapa do governador Henrique Santillo. Também acumulou o Ministério da Agricultura e Reforma Agrária no começo do governo Collor, e o cargo de Senador, que renunciou ainda no primeiro ano. Roriz foi casado por 58 anos com Weslian Roriz, com quem teve três filhas: Wesliane, Liliane e Jaqueline Roriz. No Distrito Federal, Roriz criou raízes e alcançou uma popularidade pouco vista na política local. Seu primeiro mandato como governador do DF aconteceu em 1988 por indicação do então presidente da república, José Sarney. Na época o Distrito Federal não elegia seu próprio representante, a situação era chamada de governo biônico. Já em 1990 foi eleito em primeiro turno para seu segundo mandato, sua vice-governadora era Márcia Kubitschek, filha de Juscelino Kubitschek, o presidente que deu vida a Brasília. O retorno de Roriz ao governo do Distrito Federal, aconteceu nas eleições de 1998, quando venceu Cristovam Buarque, e assumiu seu terceiro mandato. Em 2002 foi reeleito derrotando Geraldo Magela, neste que seria seu quarto e último mandato a frente da capital. Roriz chegou a ganhar para Senador em 2006, mas renunciou cinco meses depois, encerrando assim seu legado político em Brasília. Entre as principais heranças de Roriz na capital estão: a primeira linda do metrô, a ponte JK e a transferência de várias favelas para novos assentamentos. Muito dos seus eleitores fiéis foram conquistados por lotes distribuídos pelo governador. O Político foi conhecido como o “governador das obras”, já que em seus governos aconteceram grandes construções, incluindo novas cidades satélites, como a Samambaia. Além de ser o “governador do povo”, por manter um contato muito íntimo com a população mais carente. A saúde do ex-governador do Distrito Federal se agravou em 2013. Ele sofria de uma doença renal crônica e diabetes, doença responsável pela amputação da sua perna direita em 2017. Em 2018 foi diagnosticado com Alzheimer em estágio grave, além de uma isquemia cardíaca. Roriz faleceu em 27 de setembro de 2018, aos 82 anos. Ele foi velado no Memorial JK por 17 horas e arrastou uma multidão de populares que foram se despedir do eterno governador.

Foto: Antônio Cruz - Agência Brasil

Joaquim Roriz, o eterno governador

• • • • • • • • • • • • •

1962 a 1965: Vereador de Luziânia, cidade no Entorno do DF 1979 a 1982: Deputado Estadual de Goiás 1983 a 1986: Deputado Federal por Goiás 1987: Prefeito interventor de Goiânia (GO) 1987 a 1988: Vice-governador de Goiás 15/3/1990 a 30/3/1990: Ministro da Agricultura e Reforma Agrária 1988 a 1990: Governador do DF indicado por José Sarney 1991 a 1994: Segundo mandato de Governador do DF 1999 a 2002: Terceiro mandato de Governador do DF 2003 a 2006: Quarto mandato de Governador do DF 2007: Senador (de fevereiro a julho) 2010: candidatou-se ao governo do DF, mas desistiu da candidatura e lançou a mulher Weslian Roriz 2015: Recebeu o título de Cidadão Honorário de Brasília

Joaquim Roriz, the eternal governor Joaquim Domingos Roriz, was born in Luziânia, Goiás, on August 4, 1936, and ruled the Federal District for four terms. His political career started in his city, when he was elected City Councilor in the 1970s. In 1978, he became the State Deputy most voted by the PMDB in the state, four years later he was elected Federal Deputy. In 1986 he became vice-governor of Goiás, on the list of governor Henrique Santillo. He also accumulated the Ministry of Agriculture and Agrarian Reform at the beginning of the Collor government, and the position of Senator, who resigned in the first year. Roriz was married for 58 years to Weslian Roriz, with whom he had three daughters: Wesliane, Liliane and Jaqueline Roriz. In the Federal District, Roriz took root and achieved a popularity little seen in local politics. His first term as governor of the Federal District took place in 1988 at the indication of the then president of the republic, José Sarney. At the time, the Federal District did not elect its own representative, the situation was called bionic government. In 1990 he was elected in the first round for his second term, his vice-govern

415


Oscar Niemeyer, o artista da capital

Foto: Carlos Magno

O

Foto: Isac Nóbrega/PR

Oscar Niemeyer é considerado o maior arquiteto brasileiro

O Palácio da Alvorada é uma das heranças deixadas por Oscar Niemeyer. O palácio é a casa oficial do presidente da república e exibe as curvas características do arquiteto Oscar Niemeyer, the artist of the capital Rio de Janeiro architect Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho, was born on December 15, 1907. Niemeyer is one of the people directly responsible for Brasília being an open-air museum and a world heritage site. He is considered one of the most impactful figures in modern architecture. In addition to the monuments scattered around the capital, it is also possible to find works by the artist, in Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte, New York, Paris and Italy. Niemeyer was known for being “the master of curves”, because his works had a design of pure elegance and genius, being easy to recognize. The architect’s features were unmistakable. In 1967 he moved to Franca, as he was prevented from working in Brazil by the military dictatorship, it was

416

arquiteto carioca Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho, nasceu em 15 de dezembro de 1907. Niemeyer é um dos responsáveis direto por Brasília ser um museu a céu aberto e patrimônio da humanidade. Ele é considerado uma das figuras mais impactantes na arquitetura moderna. Além dos monumentos espalhados pela capital, também é possível encontrar obras do artista, no Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte, Nova Iorque, Paris e Itália. Niemeyer era conhecido por ser “o senhor das curvas”, pois suas obras possuíam um design de pura elegância e genialidade, sendo de fácil reconhecimento. Os traços do arquiteto eram inconfundíveis. Em 1967 mudouse para Franca, pois foi impedido de trabalhar no Brasil pela ditadura militar, foi neste período, especificamente em 1971, que ele inicia em outra área, quando lança sua primeira coleção de móveis na Europa. Um dos seus diferenciais sempre foi a impecável lucidez mesmo com a idade avançada. Em 2007 ao completar 100 anos recebeu a medalha do Mérito Cultural do Brasil, e teve 35 das suas obras tombadas. Em 2011, foi inaugurado o Centro Cultural Internacional Oscar Niemeyer, em Avillés, na Espanha, mostrando todo o reconhecimento mundial que o arquiteto possuía. Incansável. Essa era uma das principais características de Niemeyer. Dono de mais de 600 projetos, ele nunca parou de trabalhar, aos 104 anos ainda criava no seu ateliê, localizado em Copacabana. Em 2011, lançou o livro “As igrejas de Oscar Niemeyer”, mesmo ateu, ele havia projetado vários templos famosos, como a Catedral de Brasília. Oscar Niemeyer foi casado duas vezes: com Annita Baldo, com quem teve sua única filha, Anna Maria Niemeyer, e Vera Lúcia Cabreira, que se casou dois anos depois da morte da primeira esposa. O arquiteto faleceu em 5 de dezembro de 2012 aos 104 anos, ele havia perdido a filha em junho do mesmo ano.

in this period, specifically in 1971, that he started in another area, when he launched his first collection of furniture in Europe. One of its differentials has always been its impeccable lucidity even with old age. In 2007, when he turned 100 years old, he received the Medal of Cultural Merit of Brazil, and had 35 of his works listed. In 2011, the Oscar Niemeyer International Cultural Center was opened in Avillés, Spain, showing all the worldwide recognition that the architect had. Tireless. This was one of Niemeyer’s main characteristics. Owner of more than 600 projects, he never stopped working, at 104 he was still creating in his studio, located in Copacabana. In 2011, he launched the book “The churches of Oscar Niemeyer”, even an atheist, he had designed several famous temples, such as the Cathedral of Brasilia. Oscar Niemeyer was married twice: to Annita Baldo, with whom he had his only daughter, Anna Maria Niemeyer, and Vera Lúcia Cabreira, who married two years after the death of his first wife. The architect died on December 5, 2012 at the age of 104, he had lost his daughter in June of the same year.


ISMAEL MENDES - Os sonhos não morrem com a idade

D

epois de ser obrigado, por problemas de saúde, a parar de dirigir, Ismael Mendes decidiu que era hora de vender tudo e descansar. Mas aquilo não significava o fim para o homem que trabalhou toda sua vida com transporte de cargas. Mesmo tendo em mente que era hora de desacelerar o ritmo de vida, percebeu que não conseguia ficar parado, sem fazer nada. Foi quando colocou o sonho de voar em prática. Trocou os volantes, que antes guiavam carretas pelas estradas do país, para desbravar o céu. A vontade de voar era tamanha que, antes mesmo de tirar seu brevê, a carteira de motorista para pilotos de avião, Ismael já tinha comprado seu primeiro avião de pequeno porte, além de construir um hangar no Aeroclube de Luziânia (GO). Caso não conseguisse a autorização, segundo ele, arrumaria alguém para pilotar. Mas o céu não ia deixar de sobrevoar. Porém, não foi preciso. No ano de 2004, aos 57 anos, começou o curso. Depois de cursar cinco matérias teóricas e ter 40 horas de vôo registradas, conseguiu a permissão para pilotar, aos 59 anos de idade. Normalmente, aspirantes a piloto começam esse curso ainda jovens, mas a idade não foi problema para o homem que acreditava que velhice depende mais da mente do que a data de nascimento. “Você não pode desanimar. Eu considero que a pessoa é velha quando ela para de criar, de querer fazer alguma coisa. Isso envelhece. Hoje tem pessoas com 40 anos que já são velhas, que não tem mais disposição. Eu me mantenho vivo por essa vontade”. A força de vontade também foi importante para que Ismael conseguisse realizar seu sonho. Ainda que muitas pessoas acreditem que voar é algo de outro mundo, um dos maiores nomes do Aeroclube de Luziânia sempre gostava de levar em suas viagens e passeios pessoas que ainda não tinham voado, para explicar, mostrando na prática, que pilotar não é algo de outro mundo. “Tem muito piloto que gosta de fazer pano preto, todo aquele drama, como se fosse a coisa mais difícil. Mas não é nada disso. Qualquer um, com um pouquinho de boa vontade, que queira se dedicar, consegue. Não tem aquela aura toda não”, relembra em entrevista à Voz de Brasília TV. Assista a entrevista na íntegra no nosso canal oficial no Youtube: Voz de Brasília TV.

Foto: Paulo Fayad

Ismael Mendes não perdeu o sonho de voar ao longo dos anos

Meet Ismael, pilot of Luziânia Aeroclub Brazilian Yearbook - You have been a pilot for many years. How did you start your aviation career? Ismael Mendes - I always dealt with commerce and had a trailer carrier. As I had a health problem and could no longer drive, I decided to sell everything. Since I could never stand still and always dreamed of airplanes, I decided to try to see if I could learn to fly. AB - Usually people start walking younger. How old were you when you started? IM - I was 57 when I started the course and finished 59. My wife thought I was going crazy, but I decided to give it a try. So I went to Luziania Air Club to let me know what it was like. Had to do five theoretical subjects, you really want to learn. I did and passed the theoretical part, then went to classes and with 40h of flight had already got the summary. AB - What is the history of this hangar here in Luziânia? You who built it? IM - Before taking the license, I had already bought the plane. At the time, I had nowhere to store and talked to the president of the Aeroclube at the time, and could buy an area to build the hangar. So I stayed here. I ended up living here a few years ago and became a family play area. AB - You are an example of perseverance, teaching that it is never too late to learn. What message would you give people about this? IM - You cannot be discouraged. I think the person is old when he stops creating, wanting to do something. It gets old. Today there are 40 years old who are already old and no longer in the mood. I kept myself alive because of this desire, already wanting to invent other things to do. AB - I saw that there are frequent takeoffs and landings here. How is the air traffic here at the Aeroclube? IM - At airports like Luziânia, which has no control, there are worldwide rules for the procedure of landings and takeoffs on uncontrolled runways. Then you have the right directions, the right altitude and the right headlands. Therefore, among the pilots themselves, there is a coordination to avoid problems.

417


Paulo de Tarso, o segundo prefeito de Brasília

B

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

rasília já possuiu prefeitos antes de ser administrada pelos primeiros governadores. O primeiro deles foi Israel Pinheiro, que esteve a frente da cidade de maio de 1960 até janeiro de 1961. Na sequência assumiu Paulo de Tarso, mineiro, nascido em 1926, que ficou entre fevereiro e agosto de 1961, durante o governo de Jânio Quadros. Tarso foi considerado pelo então presidente como um dos melhores homens públicos daquela geração. Ele também foi Ministro da Educação, já na gestão de João Goulart. Advogado, Paulo de Tarso Santos, foi conselheiro emérito do Tribunal de Contas de São Paulo. Além da prefeitura do Distrito Federal, ele também acumulou o cargo de Vereador de São Paulo, em 1964 e duas legislaturas como Deputado Federal. Durante a ditadura militar viveu no Chile como exilado político, entre 1964 e 1970, quando trabalhou na Organização das Nações Unidas (ONU). Em 1983, foi secretário da Educação de São Paulo, no governo de Franco Montoro. Paulo de tarso faleceu em 13 de julho de 2019, aos 93 anos em São Paulo.

Oscar Niemeyer, the artist of the capital Rio de Janeiro architect Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho, was born on December 15, 1907. Niemeyer is one of the people directly responsible for Brasília being an open-air museum and a world heritage site. He is considered one of the most impactful figures in modern architecture. In addition to the monuments scattered around the capital, it is also possible to find works by the artist, in Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte, New York, Paris and Italy. Niemeyer was known for being “the master of curves”, because his works had a design of pure elegance and genius, being easy to recognize. The architect’s features were unmistakable. In 1967 he moved to Franca, as he was prevented from working in Brazil by the military dictatorship, it was

418

Documentos oficiais de Paulo de Tarso Santos, prefeito de Brasília de fevereiro a agosto de 1961. Acervo do Arquivo Público do Distrito Federal


Foto: Antônio Cruz - Agência Brasil

Toniquinho, o questionador

E

m 1955 Juscelino Kubitschek estava em campanha para a presidência do Brasil. Entre os vários comícios realizados pelo então candidato, um deles entrou para a história de Brasília. O famoso comício de Jataí, cidade do Goiás, realizado em 4 de abril daquele ano. Na ocasião, o goiano Antônio Soares Neto, ficou marcado por pressionar JK a cumprir a promessa da transferência da capital do Rio de Janeiro para o Planalto Central. O corretor de seguros, Toniquinho JK, como ficou conhecido depois do episódio, aos 29 anos, fez o seguinte questionamento para Juscelino: “O senhor prometeu cumprir a Constituição. Nela está prevista a transferência da capital para o interior do país, o senhor vai cumprir também isso?”. JK se mostrou surpreso, mas diante da multidão que acompanhava o comício em Jataí, não teve alternativa a não ser afirmar que cumpriria a promessa. Em documentário produzido pela Secretaria do Território e Habitação do DF, JK afirmou que aquela pergunta o fez pensar sobre a mudança da capital. “Confesso que, até aquela altura, eu não havia pensado nesse assunto, mas quando Toniquinho me colocou o problema, pensei subitamente. Dei um ou dois segundos de espera e disse: ‘Se a Constituição exige a construção da nova capital, vou respeitá-la’”. Toniquinho faleceu em novembro de 2019, aos 94 anos.

Toniquinho, the questioner In 1955 Juscelino Kubitschek was campaigning for the presidency of Brazil. Among the various rallies held by the then candidate, one of them made history in Brasilia. The famous rally in Jataí, city of Goiás, held on April 4 of that year. On the occasion, the Goiano Antônio Soares Neto, was marked by pressuring JK to ful-

fill the promise of transferring the capital of Rio de Janeiro to the Central Plateau. The insurance broker, Toniquinho JK, as he became known after the episode, at the age of 29, asked Juscelino the following question: “You promised to comply with the Constitution. It is planned to transfer the capital to the interior of the country, will you also comply with that? ”.

JK was surprised, but in the face of the crowd that accompanied the rally in Jataí, he had no alternative but to state that he would keep his promise. In a documentary produced by the Secretariat of Territory and Housing of the Federal District, JK stated that that question made him think about the change in the capital. “I confess that,

until that time, I had not thought about this subject, but when Toniquinho asked me the problem, I suddenly thought. I gave a second or two of waiting and said: ‘If the Constitution requires the construction of the new capital, I will respect it’ ”. Toniquinho passed away in November 2019, at the age of 94.

419


Referências Bibliográficas Arquivo Público do Distrito Federal Brasília 50 anos, a História em Painéis. Realização Arquivo Público do Distrito Federal . Brasília, 2010. Secretaria de Turismo Administração Regional de Águas Claras Administração Regional de Brazlândia Administração Regional da Candangolândia Administração Regional da Ceilândia Administração Regional do Cruzeiro Administração Regional do Gama Administração Regional do Guará Administração Regional do Itapoã Administração Regional do Jardim Botânico Administração Regional do Lago Norte Administração Regional do Lago Sul Administração Regional do Núcleo Bandeitrante Administração Regional do Paranoá Administração Regional do ParkWay Administração Regional de Planaltina Administração Regional do Recanto das Emas Administração Regional do Riacho Fundo Administração Regional do Riacho Fundo II Administração Regional da Samambaia Administração Regional de Santa Maria Administração Regional de São Sebastião Administração Regional do SCIA Administração Regional do SIA Administração Regional do Sobradinho Administração Regional do Sobradinho II Administração Regional do Sudoeste/Octogonal Administração Regional de Taguatinga Administração Regional do Varjão Revistas Revista Brasília - nº07 pág. (s) 8 e 9, nº10 pág. (s) 15, nº 16, pág. (s) 10, nº 17, pág. (s) 1, nº 40 pág. (s) 43,52,66,71,75,83, edição especial, nº 45,46,47 e 48.

Revista de Arquitetura e Artes plásticas. Rio de Janeiro. Dez1958. Volume 2 nº11 pág. 07 Livros MENDES, Manuel. O cerrado de casaca. Ed.Thesaurus. Brasília, 1995. TAMANINI, Lorenço Fernando. Memória da Construção. Ed. Royal Court. Brasília, 1994. pág. 195, 196. Livro Memórias do DF – 2009 – Fundação Banco do Brasil VAITSMAN, Maurício. Quanto custou Brasília. Editora Pôsto de Serviço – coleção Livro Verde. 1ª edição pág. 32 a 34 e 88 KOTSCHO, Ricardo.Explode um novo Brasil: Diário da campanha das Diretas Já - Editora Brasiliense, São Paulo, 1984. Sítios eletrônicos Renato Alves. Distritais adiam mudança para novo prédio da Câmara que está pronto. As obras custaram três vezes mais que o preço inicial. 15jun2010. Disponível em http://www.correiobraziliense. com.br Ascom/Vice-governadoria. Rodoviária interestadual fica pronta em junho. 10jun2010. Disponível em http://www.agenciabrasilia. df.gov.br Ascom/Terracap. Nova feira da Torre funcionará em julho. 10jun2010. Disponível em http://www.agenciabrasilia.df.gov.br Blogspot. Brasília acelera para implantação do VLT. 10jun2010. Disponível em http://aguasclarasdf.com Agência Brasília / Ascom-ST. Linha verde, um marco do Brasília Integrada. 10jun2010. Disponível em http://www.st.df.gov.br Mariana Santos – Agência de Comunicação. 10jun2010.Disponível em http://www.agenciabrasilia.df.gov.br


Agência Brasília. Anatel Visita Torre Digital. 10jun2010. Disponível em http://www.tribunadobrasil.com.br Marcos Paulo Lima – Agência Brasília. Brasília é a 16ª cidade a transmitir sinal digital de alta definição. 10jun2010. Disponível em http://www.agenciabrasilia.df.gov.br Natália Chaves – Agência Brasília. Primeiro bairro ecologicamente correto do Brasil começa a sair da planta. 10jun2010. Disponível em http:// www.agenciabrasilia.df.gov.br

https://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/JK/biografias/israel_ pinheiro https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/brasilia/ brasilia.pdf https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2007/04/20/ brasilia-uma-historia-com-mais-de-200-anos https://chicosantanna.wordpress.com/2015/09/07/ha-93anosera-lancada-a-pedra-fundamental-de-brasilia/ https://www.fundathos.org.br/ http://www.aman.eb.mil.br/ultimas-noticias/220homenagem-ao-marechal-jose-pessoa

Projeto Memória. Os críticos de Brasília. 10jun2010. Disponível em: http://www.projetomemoria.art.br

https://www.agenciabrasilia.df.gov.br/2019/05/09/brasiliauma-historia-de-amor-de-ernesto-silva/

http://www.candangolandia.df.gov.br

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2007/04/20/ brasilia-uma-historia-com-mais-de-200-anos

http://www.aguasclarasonline.com http://www.saude.df.gov.br http://www.ceb.com.br http://www.caesb.df.gov.br http://www.portalbrasil.net

http://www.cultura.df.gov.br/catetinho/#targetText=A%20 ideia%20da%20constru%C3%A7%C3%A3o%20 d e , % 2 C % 2 0 n o % 2 0 H o t e l % 2 0 Ambassador%2FRJ.&targetText=A%20pedido%20de%20 JK%2C%20o,10%20de%20novembro%20de%201959. h t t p s : / / w w w. e s t u d o p r a t i c o . c o m . b r / p a l a c i o - d a alvorada-residencia-oficial-do-presidente-dobrasil/#targetText=O%20Pal%C3%A1cio%20da%20 Alvorada%20%C3%A9,oficial%20do%20Presidente%20do%20Brasil.&targetText=Localizado%20numa%20 pen%C3%ADnsula%20que%20divide,em%20 alvenaria%20na%20nova%20capital.

http://www.candangofest.com.br

https://catedral.org.br/historia

http://www.cfw.com.br

http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-03/ ha-60-anos-lucio-costa-vencia-concurso-para-escolha-deprojeto-de-brasilia

Indicadores Sociodemográficos IBGE 2006 - 2007 - 2008 Pesquisa Nacional por amostra de Domicílios PNAD 2008 / PNVD 2005 Brasil em Números – IBGE 2009 Agência Senado IBGE - Contagem da População - 1954 Contagem da População - 1958 Censo Experimental de Brasília - 1959 Censo Demográfico - 1960 - 1970 - 1980 - 1991 -2000 Contagem da População - 1996 SEPLAN/CODEPLAN - Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios - PDAD


422


423