Page 1

O sucesso cabe no manequim do comerciante Um caderno especial de 40 páginas presta homenagem ao comerciante, que acelera a economia com criatividade, acolhendo a nova classe C, mesmo com o governo tentando colocar o pé no freio.

Grécia fica com o caroço da azeitona Não bastasse a crise, quilo do produto, símbolo da nação e principal artigo de exportação, caiu de 3 para 1,5 euro. Pág. 17

Conclusão: 23h30

Ano 87 - Nº 23.416

www.dcomercio.com.br

SXC

São Paulo, sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

R$ 1,40

Jornal do empreendedor

Paulo Pampolin/Hype

CAIXA 1

'Guia' para o labirinto da Bolsa Cenário externo complica o quebra-cabeça da Bovespa, aumentando o risco do investimento. Pág. 13

Marcelo Sayao/Efe

PRA FOOOOOOOORA!

Leandro Moraes/Luz

Levi Bianco/News Free/AE

0 a 0. E lá vai a Seleção para os pênaltis. Elano bateu... fora. Thiago Silva perdeu. André Santos e Fred bateram... para fora. E lá vem a Seleção, eliminada pelo Paraguai, que fez 2. Esporte

HOJE Sol com pancadas de chuva Máxima 26º C. Mínima14º C.

AMANHÃ Nublado com chuva Máxima 19º C. Mínima 13º C.

ISSN 1679-2688

9 771679 268008

23416

Memorial de uma tragédia Parentes de vítimas de acidente aéreo celebram protocolo de construção de praça. Pág. 12

As histórias da Casa Número 1 Página 9


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

A nova esperança reside nas redes sociais que estão recebendo estímulos crescentes no governo Dilma. Antonio Delfim Netto

pinião

ROBERTO MATEUS ORDINE

A internet está produzindo mudanças profundas na eficiência produtiva e no comportamento dos homens. Não decifram, ainda, o indecifrável, mas já permitem mais e melhor flexibilidade às relações entre o trabalho e o capital.

DO FINSOCIAL AO SPED PIS/COFINS

N

DECIFRAR O INDECIFRÁVEL

O

s homens foram condicionados pelas leis da termodinâmica a capturar a energia disponível no seu meio ambiente (frutos, caça, água, madeira, etc.), para poder dispersá-la na produção de bens e serviços que atendem às suas necessidades vitais. É um processo físico que vem desde o Neolítico. A despeito dos enormes avanços civilizatórios e das extraordinárias teorias que explicam o desenvolvimento econômico, cada Nação continua hoje a ter de capturar a energia dispersa em seu território (ou importá-la do "vizinho") para consumi-la na produção da sua própria sobrevivência e movimentar a parafernália de "capital" (trabalho congelado do passado) para atender às necessidades da população crescente. O grande avanço reside no fato que a mudança da dimensão demográfica foi sugerindo a busca de mecanismos descentralizados de coordenação (os mercados) capazes de por em contato as "necessidades" da demanda com a "capacidade" produtiva de atendê-la. O mesmo processo de seleção "quase natural" foi suge-

ANTONIO DELFIM NETTO rindo que um Estado suficientemente forte, mas constitucionalmente limitado, ajustava-se melhor para dar "garantia" e controlar o funcionamento mais eficiente dos "mercados". A experiência mostrou que essa evolução paralela teve um subproduto fundamental: permitiu combinar a eficiência produtiva com a liberdade individual. Ela está longe, entretanto, de ser uma sociedade inclusiva, onde todo cidadão tem a mesma igualdade de oportunidade para realizar o seu potencial. Trata-se de um processo histórico que está longe de ter esgotada a sua capacidade para a construção de uma sociedade razoavelmente "justa". A história não acabou, a não ser no sentido de que hoje pa-

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Ministério dos Transportes, Dnit e demais órgãos coligados, estão a serviço dos cidadãos ou a serviço dos bolsos dos políticos e suas parentadas? Eis a pergunta que não pode deixar de ser feita neste

momento, diante das bandalhices que são divulgadas todos os dias pela imprensa. O despudor invadiu o governo federal? Leila E. Leitão - São Paulo SP- Pedagoga

rece inútil prosseguir buscando "curtos-circuitos" produzidos por ideias de cérebros peregrinos. Estamos apenas num ponto do desconhecido caminho escondido nas entranhas do futuro tecnológico induzido por ele mesmo e que, por definição, é indecifrável. O exemplo mais típico é a internet, que está produzindo mudanças profundas na eficiência produtiva e no comportamento dos homens. Não decifram, ainda, o indecifrável, mas já permitem mais e melhor flexibilidade às relações entre o trabalho e o capital que o emprega e seguramente vão alterar a organização da sociedade. Claramente – ainda que haja riscos produzidos pela miopia popular que às vezes tenta substituir a "lenta justiça" pela "rápida vingança" – a

nova esperança reside nas redes sociais que estão rece bendo estímulos crescentes no governo Dilma pela ação revolucionária do ministro Paulo Bernardo e a cada momento reafirmam a sua importância.

O

Brasil está em situação melhor do que a maioria dos países, mas é ilusão supor que estejamos protegidos das nossas próprias intempéries e das crises importadas. Temos de consolidar as políticas fiscal e monetária inteligentes e conservadoras como as que estamos fazendo. Além disso, é preciso insistir no papel ativo do Estado-Indutor na criação de um mercado altamente competitivo internamente e cuidadosamente protegido externamente. Essas são tarefas do Poder Executivo, que só poderá realizá-las com o suporte da sociedade. Deve procurar ampliá-lo melhorando sua comunicação com os brasileiros e profissionalizando o serviço público. ANTÔNIO DELFIM NETTO É PROFESSOR EMÉRITO DA FEA-USP, EX-MINISTRO DA FAZENDA, DA AGRICULTURA E DO PLANEJAMENTO

EX-PRESIDENTE Elle não tinha prometido, entre outras coisas, que, ao se afastar do Planalto, iria assar coelhinhos em sua chácara? Elle não afirmou que iria ensinar o ex-Presidente (este sim

com maiúscula) a como ser um ex e sugeriu que ex deve cuidar dos netinhos? Aparecida Dileide Gaziolla S.Bernardo do Campo - SP

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cláudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

o início da década de oitenta, diante da catástrofe que atingiu Santa Catarina, o governo federal criou o Finsocial, por meio do DL 1940/82. Em princípio, aquela nova contribuição social tinha por objetivo atender, em caráter emergencial e provisório, a população castigada por fortes chuvas. Nada mais justo, naquele momento, diante da tragédia social, numa época em que as chuvas e deslizamentos não eram comuns. Só que, de lá para cá, aquela contribuição emergencial continuou, transformando-se na atual Cofins e a alíquota, que era de 0,5% sobre a receita da empresa, hoje gira em torno de 3% sobre o faturamento. E, nas hipóteses em que o cálculo dessa contribuição social se faz por meio do sistema de débito e crédito, o custo ainda pode ser maior, quando o valor do crédito é rejeitado pelo Fisco. Agora, na era da tecnologia da informática, quando foram introduzidas a Nfe, o Sped Fiscal e o Sped Contábil, a arrecadação da Cofins passa a ser calculada na forma do SPED PIS/Cofins, já valendo a partir deste ano, para as empresas acompanhadas e as enquadradas no sistema de Lucro Real. Apenas as empresas com Lucro Presumido ou Arbitrado foram adiadas para Janeiro de 2012.

O Estado se esquece de que as empresas, além da preocupação fiscal, precisam cuidar de seus negócios para não sucumbirem.

sistema fiscal esbarra na qualificação profissional e na falta de mão de obra qualificada, como se viu em várias reportagens na imprensa. As próprias empresas de informática estão encontrando dificuldades para rodar esses programas.

D

a parte do Fisco, a questão foi mais simples – porque além de equipamento sofisticado e mão de obra da melhor qualidade, houve tempo e esforço concentrado para o desenvolvimento dos novos programas fiscais. Ao contribuinte, porém, além da falta de tempo para a implantação desse sofisticado

E

ste cenário, no entanto, passa a ser assustador para os contribuintes. Isto porque de um lado temos uma máquina fiscal de última geração, conhecida por "tiranossauro", e, do outro lado, o contribuinte que ainda está na era do "arco e flecha". O massacre fiscal do "tiranossauro" será catastrófico para os contribuintes que não conseguirem se adaptar a tempo no novo mundo fiscal. O quadro poderá lembrar a Idade Média, quando os senhores feudais tinham total domínio sobre o povo. Só que naquela época surgiu o Robin Hood para ajudar os indefesos. Este pessimismo tem razão de ser diante das profundas mudanças que certamente desequilibrarão ainda mais a relação Fisco/contribuinte. Uma das razões para isto é que a maioria das pequenas e médias empresas não está preparada para enfrentar a nova realidade. Além disso, as grandes empresas, mesmo possuindo um boa estrutura fiscal, estão encontrando várias dificuldades técnicas, que independem de recursos financeiros. A sofisticação técnica do novo

programa fiscal, faltam recursos de todas as formas. O Estado se esquece de que as empresas, além da preocupação fiscal, precisam cuidar de seus negócios para não sucumbirem. O simples desvio de atenção do administrador poderá ser suficiente para complicar a vida da empresa. Pobre empreendedor brasileiro que, além das dificuldades para gerir seus negócios, agora terá de desembolsar mais um pouco do seu capital de giro para cumprir o novo programa fiscal. Bem que o governo poderia diminuir esse ônus do contribuinte, ampliando-lhe o prazo e permitindo que o novo custo fiscal fosse abatido do imposto a pagar. Seria o mínimo que o bom senso requer diante de tão profundas mudanças. ROBERTO MATEUS ORDINE É VICE-PRESIDENTE DA ACSP

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Chefia de Reportagem: Teresinha Leite Matos (tmatos@acsp.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro (aribeiro@dcomercio.com.br) Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Fernanda Pressinott, Kleber Gutierrez, Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Eliana Haberli, Evelyn Schulke, e Sérgio Siscaro Repórteres: Anderson Cavalcante (acavalcante@dcomercio.com.br), André de Almeida, Fátima Lourenço, Geriane Oliveira, Ivan Ventura, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mário Tonocchi, Neide Martingo, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente PL Arthur Gebara Jr. (agebara@acsp.com.br) Gerente Executiva Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3197, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3046 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3737 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3123 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

o

3

A ARTICULAÇÃO DO MOVIMENTO REVOLUCIONÁRIO UNIFICA TERRORISMO E DESINFORMAÇÃO.

pinião

Divulgação

THOMAS L. FRIEDMAN

ADAPTE-SE. OU MORRA.

O

Guerrilheiros de Chiapas, no México: derrotados no terreno militar, eles obtinham, porém, tudo o que queriam no campo político.

A tradição revolucionária ( PARTE 3 - FINAL)

A

monstruosa superioridade do movimento revolucionário ante seus adversários de todos os matizes não se limita, é claro, ao campo da desinformação estratégica. Nada se compara à sua capacidade de mobilização de massas em qualquer país do mundo, quando não em todos eles, e em tempo quase instantâneo. Dois exemplos clássicos: (1) A guerrilha de Chiapas, que, derrotada mil vezes no terreno militar, acabava obtendo tudo o que queria no campo político, graças aos protestos que se seguiam imediatamente, em dezenas de países, a cada vitória do governo mexicano. (2) As manifestações populares que se seguiram em prazo recorde ao atentado mortífero de dezembro de 2003 na Espanha, voltadas, não contra os terroristas, mas contra... o governo espanhol. Nesses episódios, como em centenas de outros, salta aos olhos a articulação do movimento revolucionário, unificando terrorismo, desinformação e protestos de massa. A invulnerabilidade política da guerrilha de Chiapas serviu de modelo para o estudo The Advent of Netwar , de John Arquilla e David F. Ronfeldt, publicado pela Rand Corporation, que pode ser descarregado do site h tt p :/ / ww w.r a nd .o rg/ p ub l ic ations/MR/MR789/, que pioneiramente descreveu a nova estrutura "em redes", infinitamente mais eficaz, que havia substituído a velha hierarquia monolítica dos partidos revolucionários. A mobilização instantânea dessa rede colocava o governo mexicano numa luta inglória contra um inimigo evanescente, "onipresente e invisível", que nenhuma força armada poderia jamais controlar. (V. o meu artigo "Em plena guerra assimétrica", DC, 24 de julho de 2006, h t t p : / / w w w . o l a v o d e c a r v alho.org/semana/060724dc.html). O caso espanhol ilustra ainda mais claramente a força da hegemonia cultural como preparação do terreno para grandes operações que articulam desinformação e protestos de massa. Ante a brutalidade dos atentados, um governo conservador intoxicado e enfraquecido por temores "politicamente corretos", plantados na mente da classe dominante com décadas de antecedência, sentiu-se inibido de ferir suscetibilidades islâmicas e preferiu, num primeiro momento, atribuir o crime ao ETA, a

OLAVO DE CARVALHO guerrilha basca. Em menos de vinte e quatro horas a massa organizadíssima, claramente preparada de antemão, estava nas ruas protestando contra a ineficiência do governo em localizar os verdadeiros culpados. Foi o fim do gabinete conservador (v. meu artigo "Exemplo didático", Jornal da Tarde, 25 de março de 2004, h t t p : / / w ww. o l a v o d e c a r v alho.org/semana/040325jt.htm).

P

or favor, pensem um pouco e respondam: existe no mundo alguma articulação direitista, conservadora ou reacionária habilitada a brincar assim de gato e rato com os governos revolucionários como estes fazem com todos os demais governos? Vejam só o caso da Rússia: com o seu contingente duplicado, a KGB conta, hoje em dia, com milhares de pseudópodos espalhados pelo mundo, operando legalmente sob o disfarce de bancos, indústrias, firmas de consultoria, o diabo; tem ademais a seu serviço a máfia russa, que desde o começo dos anos 90 possui o domínio sobre todas as grandes redes criminosas do mundo, da Sibéria à Venezue-

la e à Colômbia (v. Claire Sterling, Thieves' World: The Threat of the New Global Network of Organized Crime, New York, Simon & Schuster, 1994, bem como Helène Blanc e Renata Lesnik, L’Empire de Toutes les Mafias, Paris, Presses de la Cité, 1998), mais o terrorismo islâmico que é criatura sua (v. Ion Mihai Pacepa, The Arafat I Knew e m h t t p : / / w w w . w e i zma nn .a c. il /h ome /c om ar ti n/ israel/pacepa-wsj.html) e todos os movimentos revolucionários militantes do mundo, agora unidos a ela por laços cada vez mais complexos e difíceis de rastrear. Que poder, no mundo, jamais se organizou para enfrentar uma coisa dessas? Por favor, não caiam no ridículo de mencionar a CIA, organização incomparavelmente menor, cuja inermidade ante essa máquina infernal já se comprovou centenas de vezes. Para piorar ainda mais as coisas, resta o fato de que a elite econômica ocidental, que uma opinião pública boboca pode ainda imaginar empenhada em defender a democracia e a liberdade, há muitas décadas já se deixou seduzir pela proposta de "governo mundial",

Com o contingente duplicado, a KGB (símbolo acima) conta, hoje em dia, com milhares de pseudópodos espalhados pelo mundo, operando sob o disfarce de bancos e indústrias.

que traz as marcas inconfundíveis do ideal revolucionário: um projeto de sociedade hipotética a ser realizado mediante a concentração do poder. Concentração aliás muito mais densa que aquela prevista em qualquer dos projetos revolucionários anteriores, já que baseada no total controle da psicologia das massas por uma elite de "engenheiros comportamentais" iluminados (v. Pascal Bernardin, Machiavel Pédagogue – Ou le Ministère de la Réforme Psychologique, Éd. Notre-Dame des Grâces, 1995). A convergência desse projeto com a utopia socialista é tão acentuada que, nos países ocidentais, a KGB não precisa gastar um tostão para promover a demolição "politicamente correta" da moral e das instituições: o serviço é feito inteiramente sob os auspícios da elite globalista bilionária, em cuja vanguarda se destacam George Soros e a família Rockefeller.

O

segredo da hegemonia revolucionária é simples: continuidade e intensidade do debate interno. Em qualquer conflito, cruento ou incruento, o contendor que dura mais é, por definição, o vencedor. O clássico simbolismo chinês já representava o poder ativo, soberano, por uma linha contínua, a passividade por uma linha quebrada. A fragilidade das resistências que se opõem ao avanço revolucionário advém do fato de que mesmo as entidades mais antigas, mais aptas, portanto, a sustentar objetivos de longo prazo, como a Igreja Católica, a Casa Real Britânica, a comunidade judaica, a Maçonaria ou mesmo o governo americano, têm suas finalidades próprias, distintas e limitadas, só ocasionalmente e pontualmente entrando em disputa direta com o movimento revolucionário na luta pelo poder mundial que é, para ele, o objetivo constante e o foco unificador de todos os seus esforços. A visão que essas entidades têm do processo revolucionário é acidental e quebradiça. É nos intervalos dessa linha descontínua que o movimento revolucionário se insinua, utilizando para seus próprios fins as energias daqueles que teriam tudo para ser seus mais eficientes e temíveis adversários. OLAVO DE CARVALHO É ENSAÍSTA, JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA

aumento na taxa de desemprego para 9,2% no mês passado levou os democratas e os republicanos a recorrerem confiantemente a suas respectivas panaceias. É evidente para os liberais que precisamos de mais estímulos e para os conservadores, de mais cortes de impostos para aumentar a demanda. Eu tenho certeza que ambas as ideias são válidas, mas não acredito que elas são toda a história. Creio que algo a mais, algo novo – algo que vai permitir que nossos garotos não se esforcem muito para encontrar o próximo emprego ou para inventá-lo – também está influenciando o atual mercado de trabalho mais do que as pessoas percebem. Vejam as últimas notícias sobre o setor mais dinâmico da economia dos EUA – o Vale do Silício. O Facebook agora está avaliado em quase US$ 100 bilhões; o Twitter, em US$ 8 bilhões; o Groupon, em US$ 30 bilhões; o Zynga, em US$ 20 bilhões e o Linkedln, em US$ 8 bilhões. Essas são as empresas de rede social/internet de crescimento mais rápido do mundo. E eis o que é assustador: pode-se facilmente reunir todos os empregados delas no Madison Square Garden, de 20 mil lugares, e ainda haveria espaço para a vovó. Elas simplesmente não empregam muitas pessoas em comparação à valorização delas, mas, ao mesmo tempo em que todas estão contratando hoje, a maioria está procurando engenheiros talentosos.

liás, o que é mais espetacular quando se fala com os empresários é quantos deles utilizaram a pressão da recessão para se tornarem ainda mais produtivos utilizando mais tecnologias de automação, programas de computador, transferência de mão de obra, robótica – qualquer coisa que possam usar para fazer produtos melhores com um pessoal reduzido e menos obrigações de sistemas de saúde e de pensões. E isso não vai mudar. E enquanto muitas delas estão contratando, elas estão cada vez mais meticulosas. Todas estão procurando pelo mesmo tipo de pessoas – pessoas que não só têm capacidade de pensamento crítico para fazer as tarefas de agregar valor que a tecnologia não consegue, mas que também sejam pessoas que capazes de inventar, adaptar e reinventar seus empregos todos os dias num mercado que se transforma cada vez mais rápido. As pessoas que estão se formando nas faculdades hoje precisam estar conscientes que a tendência crescente do Vale do Silício é avaliar os empregados trimestralmente, não anualmente. Porque a mistura da globalização com a revolução da tecnologia da informação significa que novos produtos são lançados e retirados tão rapidamente que as empresas não podem se dar ao luxo de esperar até o final do ano para descobrir se um líder de equipe está fazendo um bom trabalho. Seja o que for que você esteja pensando quando você procura um emprego hoje, pode ter certeza que o empresário está perguntando isto: essa pessoa consegue agregar valor todas as horas, todos os dias – mais do que um trabalhador na Índia, um robô ou um computador? Ele ou ela consegue ajudar minha empresa a se adaptar não só fazendo a tarefa de hoje, mas também reinventando a tarefa de amanhã? E ela ou ele consegue se

A

adaptar a todas as mudanças, para que minha empresa consiga se adaptar e exportar mais num mercado global que cresce cada vez mais rápido? No atual mundo hiperconectado, mais e mais empresas não podem e não vão contratar pessoas que não preencham esses critérios. Mas nunca se saberia disso escutando o debate em Washington, onde alguns democratas ainda tendem a falar sobre a criação de empregos como se fossem os anos 1960 e alguns republicanos como se fossem os anos 1980. Mas este não é o mercado de trabalho de seus pais. Essa é precisamente a razão pela qual o fundador do Linkedln, Reid Garrent Hoffman, um dos principais empreendedores no Vale do Silício – além de cofundar o Linkedln, ele está no conselho do Zynga, foi um dos primeiros investidores do Facebook e tem assento no conselho da Mozilla –, tem um livro que será publicado no próximo ano chamado The Start-Up of You (O Lançamento de Você), escrito em parceria com Ben Casnocha. Seu subtítulo facilmente poderia ser: "Ei, recém-formado! Ei, profissional de 35 anos no meio da carreira! Aqui está como você constrói sua carreira atualmente". offman afirma que esses profissionais precisam de uma mentalidade e um conjunto de habilidades inteiramente novos para competir. "O velho paradigma de subir a escada de uma carreira estável está morto e enterrado", ele me disse. "Nenhuma carreira é mais uma certeza. As condições incertas, que mudam rapidamente, nas quais empreendedores começam empresas, é o que é parecido para todos nós que estamos construindo uma carreira. Assim, deve-se tratar a estratégia de carreira da mesma forma com a qual um empresário trata o lançamento de um negócio." Para começar, diz Hoffman, isso significa descartar um grande plano de vida. Os empresários não escrevem um plano de negócios com 100 páginas e o executam de uma vez. Eles estão sempre experimentando e adaptando baseados no que aprendem. Isso também significa usar sua rede de contatos para obter informações e novidades sobre onde estão as oportunidades de crescimento – e então investir em si mesmo para construir competências que lhe permitam tirar vantagem dessas oportunidades. Hoffman completa: "Não se pode simplesmente dizer, 'Eu tenho um diploma universitário, eu tenho o direito a um emprego, agora alguém deveria descobrir como me contratar e como me treinar'". É preciso saber quais indústrias estão funcionando e o que está ocorrendo dentro delas e então "encontrar como agregar valor de uma forma que mais ninguém consiga. Para os empresários, é se diferenciar ou morrer – isso agora serve para todos nós". Por fim, é preciso fortalecer os músculos da resiliência. "Vocês devem ter ouvido a notícia que o serviço de rádio online Pandora lançou ações há poucas semanas", disse Hoffman. "O que é menos conhecido é que no início o fundador tentou vender sua ideia aos financiadores mais de 300 vezes sem sucesso."

H

THOMAS L. FRIEDMAN É COLUNISTA DO NEW YORK TIMES E TRÊS VEZES GANHADOR DO PRÊMIO PULITZER TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA


DIà RIO DO COMÉRCIO

sĂĄbado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

18 de Julho

O Santo Arnolfo de Metz

          

     

             

Solução

riginĂĄrio da nobreza de Metz, na antiga GĂĄlia, casou-se com uma aristocrata e teve dois filhos. CristĂŁo de fĂŠ inabalĂĄvel e justo, foi conselheiro de dois reis em uma era de domĂ­nio dos francos e guerras; depois, nomeado Bispo de Metz, se tornou um dos grandes pastores do sĂŠc. VII.

       

       

        

          



      



4 -.GERAL

     

 

       

   ! "# 

  /

 

      

$%  & 

     

  

     

       



 

       



5 ) 

5   6

)    ,        7     

,        

1 12  3

  '      ( 

   -# . $0

 (  

 + 

  

       

   

    

4   

!        (

 

   

    

 

      

     ,  %      *     

#)  

 *# +    

*8 

7    * 

  

     

   '  -# .

              

-99:;. :6 6 < 6  6 =

6 36 ; 6 >  


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

5 FECHADA Pauta da Câmara esteve fechada durante todo o primeiro semestre

olítica

ABERTA Mas a visitação pública ao Congresso é livre no recesso

Recorde na Câmara: pauta trancada por 6 meses Para alcançar a façanha, governo transbordou o Legislativo com MPs e projetos com pedidos de urgência Wilson Dias/ABr - 02.02.10

Wilson Dias/ABr

Pagot não fica! Dilma Rousseff, irritada com comentários sobre a provável volta do diretor-geral afastado do Dnit, afirmando que sua decisão estava tomada. A Petrobras já assinou o contrato de R$ 300 milhões com a Manchester Serviços Ltda. [fruto de uma licitação fraudada em março deste ano]. Nota da estatal, informando que o contrato com a Manchester foi assinado em 1º de julho. A empresa pertence (em 50%) ao ex-ministro dos Transportes e senador Eunício Oliveira (PMDB-CE). Queremos pessoas certas nos lugares certos, com competência, experiência e honorabilidade. Novo ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, informando que novas contratações não serão, necessariamente, do PR.

Celso Junior/AE

O

g o v e r n o c o n s eguiu um recorde no controle do trabalho da Câmara neste ano. Pela primeira vez na história do Legislativo a pauta do plenário da Casa esteve trancada todos os dias do primeiro semestre. Ou seja, os deputados entraram em recesso, na quinta-feira, sem ter tido a possibilidade de conduzir uma pauta livre da imposição do governo. Nestes quase seis meses, o Palácio do Planalto calibrou o bloqueio da pauta com medidas provisórias e projetos de lei enviados em regime de urgência pela presidente Dilma Rousseff – um mecanismo previsto na Constituição que impede a votação de matérias legislativas até que a proposta seja votada. Foi assim que o Planalto evitou a entrada na pauta, por exemplo, do projeto de lei complementar que define os gastos na área de saúde pela União, por Estados e municípios, conhecido por regulamentação da Emenda 29. O governo alega que, se aprovada, a proposta pode aumentar os recursos da União com a saúde. Apesar de os líderes partidários terem apoiado essa votação, a presidente manteve a pauta bloqueada pelo projeto que trata de ensino técnico, o Pronatec.

Marco Maia: "O Executivo não pode realizar nada no País que não tenha o aval do Legislativo".

Segundo semestre – Enquanto os deputados discutem uma lista de projetos para votação a partir de agosto, o cenário de domínio do governo está pronto para se repetir no segundo semestre. Na terceira semana de agosto, a pauta será trancada pelo projeto enviado no mês passado pela presidente Dilma em regime de urgência, que cria a empresa brasileira de serviços hospitalares A partir de 2009, com uma nova interpretação do então presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), as medidas

provisórias passaram a bloquear só parte dos projetos de lei, aqueles cujos temas podem ser tratados por meio de MPs. O projeto com a chamada urgência constitucional, no entanto, tem o guarda-chuva maior. Impede a votação de praticamente todos os projetos, incluindo os de lei complementar. Ficam livres apenas os projetos de iniciativa exclusiva do Judiciário, os de decreto legislativo, usado para os tratados internacionais, por exemplo, e as propostas de emenda constitucional.

Controle – "O governo tem o controle da pauta, do ritmo de votação e das prioridades", reclamou o líder do PSol, deputado Chico Alencar (RJ). "Nós nos frustramos com o nosso trabalho e a população fica frustrada conosco", disse. O presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), tem outra opinião: "O Executivo não pode realizar nada no País que não tenha o aval do Legislativo". Maia argumenta que os deputados discutem e alteram as MPs e as propostas do governo antes de votá-las. (AE)

Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr - 11.0208

Mas público pode visitar o Congresso durante o recesso

Dida Sampaio/AE

Até outubro de 2009, tenho convicção absoluta de que ela [Dilma Rousseff] sabia de tudo o que estava acontecendo. Luiz Antonio Pagot, o diretor-geral afastado do Dnit, em depoimento na Câmara Federal. A Petrobras é um patrimônio do cidadão e não um feudo de um grupo ou de outro que quer tirar vantagem da coisa pública. Duarte Nogueira (SP), líder do PSDB na Câmara, dizendo que é preciso investigar as denúncias.

Alencar: "O governo controla a pauta, ritmo de votação e prioridades"

Não indico mais ninguém para o governo. Nem para o ministério, nem para o Dnit, porque se dá problemas eu é que pago. Senador Blairo Maggi (PR-MT), que recusou o convite para comandar o Ministério dos Transportes.

João Varella/AE

Reivindicar não é negociar cargos. Senador Clésio Andrade (PR-MG), apesar de defender que a bancada de Minas deveria indicar o substituto de Pagot.

Lia de Paula/AG.Senado

Os que governam para um terço da população estão incomodados em ver os pobres andando de avião. Tem gente que se incomoda vendo pobre andando de carro novo, porque eles adoram ver um pobre andando de Brasília, ou de Chevette, com o parachoque arrastando. Essa gente não está acostumada a ver progresso. Ex-presidente Lula Me afastei de todos os meus negócios oficialmente, não tenho nenhuma ingerência nas empresas. Minha vida é servir o povo do meu estado e o meu País. Senador Eunício Oliveira, afirmando que está fora do comando de seus negócios desde 1998 e que, portanto, nada tem a ver com o escândalo da Petrobras.

O Contra Belo Monte e em defesa da floresta

C

erca de 200 manifestantes, de acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), do Movimento Brasil pela Vida nas Florestas fizeram ontem, na avenida Paulista, uma manifestação contra a construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará, e contra as alterações no Código Florestal. Os ativistas saíram do vão livre do Masp e pararam os dois lados da avenida na altura do cruzamento com a Brigadeiro Luís Antônio. Segundo a organização, o objetivo do protesto é pressionar o governo para que decisões que afetem todos Ativista do Movimento Brasil protesta contra usina. Para eles, um Belo Monte de mentiras.

Bruno Poletto/Frame/AE

os brasileiros ocorram somente após esclarecimentos da população e debates de ideias por meio de mecanismos de participação democrática, como referendos, plebiscitos e audiência pública. (Agências) Mario Palhares/AE

Congresso continuará aberto à visitação no mês de julho, durante o período de recesso parlamentar, entre os dias 18 e 31. Quem quiser, pode conhecer a Câmara e o Senado todos os dias, inclusive nos fins de semana, a partir das 9h30. As visitas vão às 17h. A cada 30 minutos, um grupo é levado por um guia pelas dependências da Câmara, salões e plenários de ambas as Casas. No Senado, eles também visitam o chamado Túnel do Tempo, corredor com painéis que explicam os momen-

tos mais marcantes do Legislativo e que foi reinaugurado em maio. Turistas estrangeiros que desejarem o acompanhamento de guias que falem inglês e espanhol podem solicitar o serviço com antecedência, por meio da página da visitação institucional do Senado. É recomendável também o agendamento quando o visitante tem necessidades específicas. Grupos formados por mais de 15 pessoas também devem marcar a visita com antecedência, para um atendimento adequado. (Folhapress)


p

DIĂ RIO DO COMĂ&#x2030;RCIO

6

sĂĄbado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

A PEC dos Recursos não desafogarå a Justiça, pois não altera a estrutura do Judiciårio. Fernando Fragoso, presidente do IAB.

olĂ­tica

Wilson Dias/ABr â&#x20AC;&#x201C; 7/6/2011

Novo Pacto Republicano serå assinado em agosto Uma das medidas jå estå em tramitação no Senado: a PEC dos Recursos. Divulgação

Guilherme Calderazzo

O

s principais dirigentes dos três poderes assinam, atÊ o dia 15 de agosto, o III Pacto Republicano (III PR), um esforço conjunto para aprovar com mais rapidez projetos de lei e, ainda, propostas de emendas à Constituição (PECs) que favoreçam o desempenho do Judiciårio. Assinarão o documento a presidente Dilma Rousseff, pelo Executivo, o deputado Marco Maia (PT-RS), presidente da Câmara dos Deputados, o senador JosÊ Sarney (PMDB-AP), presidente do Senado, e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso. Os objetivos detalhados do III PR e os projetos e as PECs a serem incluídos na iniciativa só serão conhecidos no dia em que for assinado pelos dirigentes dos três poderes. Desde jå, no entanto, sabe-se que o principal destaque desta terceira edição do pacto serå a chamada "PEC dos Recursos", ou seja, uma proposta de emenda à Carta Magna, que propþe a redução da quantidade de recursos judiciais. No essencial, a PEC permite a execução imediata das sentenças decididas jå na segunda instância do Ju-

Coelho: direito ameaçado.

diciĂĄrio. E os recursos para os tribunais superiores sĂł teriam carĂĄter rescisĂłrio. OAB critica â&#x20AC;&#x201C; A proposta ĂŠ defendida por seu autor, o presidente do STF, ministro Cezar Peluso, e criticada pela Ordem dos Advogados do Brasil, a OAB Nacional, e pelo Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB). Com o nĂşmero 15/2011, a PEC dos Recursos foi materializada em proposta e jĂĄ se encontra em discussĂŁo na ComissĂŁo de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, por iniciativa do senador Ricardo Ferraço (PMDBES). Na CCJ, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) deu parecer favorĂĄvel Ă PEC, mas apresentou um substitutivo.

As divergĂŞncias atuais em torno dessa PEC sinalizam que haverĂĄ muitos debates no Congresso e fora dele. O ministro Peluso sustenta que o JudiciĂĄrio sofre com a possibilidade de numerosos recursos, que impedem o fim dos processos, ou o trânsito em julgado. Segundo o ministro, tramitam no STF mais de 100 mil recursos, o que, para ele, "ĂŠ um absurdo absolutamente inqualificado". Os recursos aos tribunais superiores continuam admissĂ­veis, mesmo que a PEC seja aprovada, de acordo com o ministro. "A diferença ĂŠ que esses recursos assumem a função rescisĂłria", diz. Ou seja, os recursos, nos tribunais superiores, podem trazer a anulação da decisĂŁo impugnada ou, ainda, garantir o rejulgamento do mĂŠrito de uma causa. Segundo o ministro, se aprovada, a PEC garantirĂĄ a redução, em dois terços, do tempo de tramitação dos processos, e tambĂŠm provocarĂĄ a redução dos casos de prescrição dos crimes, em razĂŁo da diminuição do tempo de tramitação das açþes. Sem desafogo â&#x20AC;&#x201C; "Se a PEC for aprovada, nĂŁo desafogarĂĄ a Justiça, como querem, jĂĄ que a proposta nĂŁo altera a estrutura operacional do JudiciĂĄrio. Temos de alterar essa es-

Informe PublicitĂĄrio

+RPHQDJHPDXPEUDVLOHLURTXH GHIHQGHXDVREHUDQLDGRQRVVR SDĂ?VSRUPDLVGHGĂ&#x2039;FDGDV )DOHFHXQR~OWLPRGLDDRV DQRV R *HQHUDO %GD (XFO\GHV %XHQR)LOKR 1DVFLGRHP&XULWLEDQRDQRGH  LQJUHVVRX QR PLOLWDULVPR FRPR DVSLUDQWH QD WXUPD GH HVXDDGPLUiYHOLQWHOLJrQ FLD H GHGLFDomR R OHYDUDP DR FDUJR GH *HQHUDO %GD GR ([pU FLWR%UDVLOHLUR (QWUH WDQWRV SURMHWRV FRPDQGD GRV SRU HVVH EULOKDQWH DPLJR GHVWDFRVXDDWLYDSDUWLFLSDomRQD LPSODQWDomRGDIDEULFDomRGRFD QKmRGH00SHOR$UVHQDOGD 0DULQKD 0LQKDDGPLUDomRQmRIRLFRQTXLVWDGDDSH QDVSHODVXDEULOKDQWHFDUUHLUDPLOLWDUPDV WDPEpPHSULQFLSDOPHQWHSHODVXDYRQWD GHGHYLYHUHFRQTXLVWDUQRYRVFRQKHFLPHQ WRVSRLVFRPPDLVGHDQRVHMiIRUPDGR HP(QJHQKDULD0LOLWDUFRPFXUVRVHSDUWL

Divulgação

Lia de Paula/Ag. Senado â&#x20AC;&#x201C; 29/6/2011

Fragoso quer mudar as estruturas

Aloysio Nunes: substitutivo.

trutura, para tornar a Justiça mais ågil", diz Fernando Fragoso, presidente do Instituto dos Advogados Brasileiros. Segundo ele, a proposta sobrecarregarå ainda mais os tribunais de 1ª e 2ª instâncias. "Temos apenas cinco Tribunais Regionais Federais e só 30 Tribunais Regionais do Trabalho no País. Cada um dos TRFs tem apenas 33 juízes. Eles recebem uma mÊdia de 1.200 novos processos por mês e julgam, no período, em torno de mil processos", diz Fragoso. Ainda segundo ele, desde 1988, os juízes de primeira instância do Judiciårio federal passaram de 150 para pouco mais de 2 mil nos dias atuais. "Jå no Superior Tribunal de Justiça (STJ), a terceira instância, hå apenas 33 ministros, quando deveríamos ter ali mais de cem magistrados. Isso mostra por que a Justiça Ê lenta e prejudica o cidadão", diz Fra-

goso. Acrescenta que 80% dos recursos aos tribunais superiores (STJ e STF) sĂŁo da UniĂŁo e seus segmentos, "que se valem dos recursos, principalmente para nĂŁo pagar o que devem aos cidadĂŁos". A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB Nacional) tambĂŠm tem uma posição contra a PEC dos Recursos. "A proposta tira a eficĂĄcia dos recursos, tornando-os peça de decoração", avalia Marcus Vinicius Furtado Coelho, secretĂĄriogeral da instituição. "AlĂŠm de demorada, muita decisĂŁo atĂŠ a 2ÂŞ instância do JudiciĂĄrio ĂŠ absurda e abusiva. Tendo de se submeter a essas decisĂľes, Ă s sentenças dessas instâncias, o cidadĂŁo nĂŁo terĂĄ pleno direito de defesa. Para nĂłs, a proposta ĂŠ inconstitucional", diz Furtado Coelho. Substitutivo â&#x20AC;&#x201C; Em seu substitutivo, o senador Aloysio Nunes Ferreira mantĂŠm os re-

cursos apresentados aos tribunais superiores no formato atual, em vez de propor que se transformem em açþes rescisórias. No entanto, determina que a utilização deles não Ê suficiente para adiar o trânsito em julgado da ação em 2ª instância. Segundo o substitutivo, uma sentença em segunda instância só seria sustada por decisão tomada por maioria de um tribunal superior. Ainda no substitutivo, o senador propþe que as açþes penais decididas em instâncias únicas, que ocorrem para quem tem prerrogativa de foro, como Ê o caso de autoridades e políticos, possam ser objeto de recursos ordinårios aos tribunais superiores, evitando que essas sentenças sejam cumpridas de imediato. Para Fragoso, as propostas do substitutivo não resolvem os problemas do Judiciårio. "Se aprovadas, pioram a Justiça, jå que obrigarão os tribunais superiores a realizar dois julgamentos. Primeiro, terão de analisar o recurso, para ver se a sentença deve ser suspensa. Depois, vão julgar o mÊrito", diz Fragoso. Na opinião de Furtado Coelho, uma das propostas do senador cria uma categoria especial de brasileiros. "Para aqueles que possuem cargos, se condenados, a sentença não seria cumprida imediatamente. Caberia recurso a tribunal superior. A proposta Ê inconstitucional, jå que fere o princípio de que todos são iguais perante a lei", diz Furtado Coelho.

O combate à Justiça lenta

O

FLSDo}HVHPGHVHQYROYLPHQWRGHDUPDPHQ WRVHPYiULRVSDtVHVFRPR)UDQoD%pOJLFD H6XtoDRTXHSDUDDPDLRULDGDVSHVVRDVMi EDVWDULDPDVQmRSDUDR%XHQRHOHLQJUHV VRXQR0DFNHQ]LHHVHIRUPRXHPDQiOLVH GHVLVWHPDVHSURFHVVDPHQWRGHGDGRV +RPHQDJHPUHFHELGD QRDOPRĂ&#x2030;RGRVDPLJRVQR 6SRUW&OXE&RULQWKLDQV 3DXOLVWD

'HVHQYROYHQGRXPDUPDPHQWRQmROHWDOFKD PDGR³7HLDGH$UDQKD´MXQWDPHQWHFRPPHXV DPLJRV&HO0DJDOKmHV3HUHLUDH.LGHXRFR QKHFLKiDSUR[LPDGDPHQWHDQRVTXDQGRR *DO%XHQRWLQKDDQRVPHVXUSUHHQGLSHOR VHXGLQDPLVPRHVXDHPSROJDomRSHORSURMHWR (OHQRVRIHUHFHXWRGRDSRLRHLQFHQWLYRGLVVH TXHVHULDVXDUHDOL]DomRYHURSURMHWR³7HLDGH DUDQKD´DSOLFDGRXPDYH]TXHGHVHQYROYHXD VXE PHWUDOKDGRUD ,1$ DUPDPHQWR H[WUHPD PHQWHOHWDO SDUDXVRGDVIRUoDVDUPDGDVHP GHIHVDGDVREHUDQLDQDFLRQDOHDJRUDSDUWLFL

O presidente do STF Cezar Peluso propĂ´s PEC para reduzir o nĂşmero de recursos aos tribunais superiores

SDYD GR  SURMHWR  Âł7HLD GH $UDQKD´  QmR OHWDO GHVHQYROYLGR SDUD D SURWH omRGRFLGDGmR 1XP PRPHQWR HP TXH DV QRWtFLDV GH FRUUXSomR H IDOWD GH SDWULRWLVPR HV WDPSDP GLDULDPHQWH DV SiJLQDVGRVSULQFLSDLVMRUQDLVGRSDtVQRV VR TXHULGR *HQHUDO %XHQR QRV GHL[D XPD JUDQGHVDXGDGHPDVWDPEpPQRVOHJDVHX HQVLQDPHQWRRGHQXQFDGHVLVWLUHPFRQV WUXLUXPDQDomRIRUWHHVDXGiYHO 1yVDPLJRVOHYDPRVXPSRXFRGHFRQIRU WRDRVIDPLOLDUHVGRQRVVRTXHULGR*HQHUDO %XHQRHYDPRVVHPSUHOHPEUDUFRPPXLWR RUJXOKRGHVWHYHUGDGHLUR+HUyL%UDVLOHLUR :Ĺ˝Ä&#x2020;Ĺ˝Ĺ?Ä?Ĺ˝ Ĺ?Ć&#x152;Ä&#x17E;Ć&#x161;Ĺ˝Ć&#x152;^ĆľĆ&#x2030;Ä&#x17E;Ć&#x152;Ĺ?ĹśĆ&#x161;Ä&#x17E;ĹśÄ&#x161;Ä&#x17E;ĹśĆ&#x161;Ä&#x17E;Ä&#x161;Ä&#x201A;Ĺ?Ć?Ć&#x161;Ć&#x152;Ĺ?Ć&#x161;Ä&#x201A;ĹŻEĹ˝Ć&#x152;Ć&#x161;Ä&#x17E;^W

s esforços dos chefes dos três poderes para aprimorar o desempenho da Justiça, tornando-a mais ågil e efetiva, tiveram início em 2004, ano em que foi assinado a I Pacto Republicano. Assinaram a medida as seguintes autoridades: o presidente Lula da Silva, os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, respectivamente João Paulo Cunha (PTSP) e JosÊ Sarney (PMDB-AP), e o presidente do STF no período, NÊlson Jobim. O I PR estabeleceu 11 compromissos, e o objetivo fundamental era combater a morosidade dos processos judiciais e, ainda, prevenir a multiplicação de demandas em torno do mesmo tema. Segundo dados do Supremo Tribunal Federal (STF), 24 projetos da lista desse pacto foram transformados em leis. Em consequência, houve alteração no Código de Processo Civil, permitindo, porÊm, que uma sentença improcedente em matÊria controvertida seja reproduzida em casos idênticos, segundo criticam os advogados. AlÊm disso, outros projetos aprovados mudaram artigos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), tais como a ação rescisória, que ficou sujeita ao depósito prÊvio de 20% do valor da causa. Para incentivar a informatização da Justiça, outra lei regulamentou o uso de meio eletrônico na tra-

Antonio Cruz/ABr â&#x20AC;&#x201C; 13/4/2009

Sarney e Lula, na solenidade de assinatura do II Pacto Republicano.

mitação de processos judiciais, comunicação de atos e transmissĂŁo de peças em processo trabalhista, civil e penal. II Pacto Republicano â&#x20AC;&#x201C; Foi assinado em abril de 2009, e teve como signatĂĄrios o presidente Luiz InĂĄcio Lula da Silva, os presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, respectivamente JosĂŠ Sarney (PMDB-AP) e Michel Temer (PMDB-SP), e ainda Gilmar Mendes, entĂŁo chefe mĂĄximo do Supremo Tribunal Federal (STF). Em razĂŁo do II PR, em questĂŁo penal foi tornado legal o interrogatĂłrio por meio de videoconferĂŞncia e, ainda, virou crime entrar em penitenciĂĄria com aparelho celular ou

rĂĄdio sem autorização legal. Houve ainda a aprovação da lei que iniciou a ampliação da primeira instância da Justiça Federal. Ou seja, pela lei, atĂŠ 2014, deverĂŁo ser criadas 230 Varas Federais no PaĂ­s. TambĂŠm foi aprovada norma legal que disciplinou o mandado de segurança individual e coletivo â&#x20AC;&#x201C; isto ĂŠ, alterou o ajuizamento e o julgamento desses mandados. Em relação Ă atuação do advogado, novas leis permitiram que possa retirar os autos do cartĂłrio por atĂŠ uma hora e, em processos trabalhistas, tenha o direito de autenticar os documentos por intermĂŠdio de uma declaração de validade. (GC)


p TSE dá a largada para as eleições de 2012 DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

7

O PMDB é a sigla que registra o maior número de mulheres: 1.025.337 em todo o País. Levantamento do Tribunal Superior Eleitoral

olítica

O Tribunal já definiu as datas e regulamentações para as próximas eleições. O primeiro turno já está marcado para o dia 7 de outubro. Mário Tonocchi

O

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já definiu as datas e regulam entações para as eleições de 2012. O primeiro turno será no dia 7 de outubro, para municípios com mais de 200 mil habitantes. Para o segundo turno, a data marcada é o dia 28 de outubro. No ano que vem serão disputados os cargos de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em 5.566 municípios. Um ano antes do primeiro turno, no dia 7 de outubro de 2011, todos os partidos devem, obrigatoriamente, obter registro no TSE. O prazo é o mesmo para que os candidatos regularizem sua filiação partidária e apresentem seus comprovantes de domicílio eleitoral no local onde pretendem disputar mandato. Nos municípios onde houver necessidade de um segundo turno, a propaganda eleitoral fica permitida já a partir do dia seguinte ao primeiro turno. A propaganda eleitoral gratuita na rádio e na TV, para o segundo turno, pode começar até o dia 13 de outubro e se estenderá até o dia 26. Pesquisas eleitorais – A partir do primeiro dia de janeiro do ano que vem, os institutos de pesquisa estarão obrigados a registrar seus levantamentos, segundo as regras definidas pelo TSE, para as eleições de 2012. Também a partir daquele dia, a administração pública fica proibida de distribuir bens, valores ou benefícios gratuitamente, a não ser em situações excepcionais. No dia 9 de maio do ano que vem termina o prazo para o eleitor requerer sua inscrição eleitoral ou a transferência de domicílio. Também nesse dia encerra-se o prazo para que o eleitor com deficiência ou com mobilidade reduzida solicite

Fotos: Newton Santos/Hype

transferência para seção eleitoral especial. As convenções para escolha dos candidatos serão entre os dias 10 e 30 de junho. Após esse período, emissoras de rádio e TV estão proibidas de transmitir programas apresentados por candidato escolhido em convenção. A propaganda eleitoral gratuita na rádio e na TV começa em 21 de agosto e acaba em 4 de outubro, três dias antes da realização do pleito. Na mesma data, 4 de outubro, termina o prazo para propaganda mediante reuniões públicas ou comícios, e também para a realização de debates nas rádios e nas TVs. O dia 5 de outubro é o prazo final para divulgação de propaganda paga em jornal impresso. No dia 6, acaba o prazo para propaganda com a utilização de alto-falantes ou amplificadores de som, assim como a distribuição de material gráfico e promoção de carreatas. (Veja mais datas importantes em quadro à direita nesta página.) Números – De acordo com levantamentos do Tribunal Superior Eleitoral, hoje há 27 partidos políticos registrados na Justiça Eleitoral. As agremiações têm um total de 13.962.513 eleitores filiados. Dos 27 partidos com registros definitivos, sete reúnem a maioria dos eleitores filiados. A maioria pertence ao PMDB, com um total de 2.324.339 filiados em todo o País. Em seguida, aparecem o PT, com 1.423.063; o PP, com 1.369.873 filiados; o PSDB, com 1.323.531; o PTB, com 1 . 1 5 7 . 4 8 7 ; o P D T, c o m 1.137.072; e o DEM, com 1.098.121. Dentre esses sete partidos, a legenda que registrou maior número de mulheres filiadas foi o PMDB, com 1.025.337 em todo o País. Em segundo lugar o PT, com 607.469; e, em terceiro, aparece o PSDB, com 583.450 mulheres registradas.

São Paulo amplia uso do sistema biométrico

C

Os eleitores comparecerão de novo às urnas para eleger prefeitos e vereadores em suas cidades Célio Messias/AE

Voto biométrico: o Estado de São Paulo está ampliando o uso do novo sistema e, só na capital, 14 zonas eleitorais estarão aparelhadas com equipamentos.

om oito milhões de eleitores, o Estado de São Paulo amplia o uso do sistema biométrico para identificação eleitoral. Doze novas zonas eleitorais do Valo Velho, Santo Amaro, Indianópolis, Capela do Socorro, Campo Limpo, Cidade Ademar, Grajaú, Piraporinha, Capão Redondo, Parelheiros, Jardim São Luiz e Pedreira ingressaram na tecnologia para o pleito de 2012. No sistema, os eleitores são fotografados e submetem as impressões digitais a um scanner. Todos os eleitores de São Paulo devem estar digitalizados até 2018. Nuporanga, com 4.982 eleitores, foi o primeiro município a ter votação biométrica em 2010. Depois veio Sales de Oliveira, com 7.713 eleitores. Os municípios, da mesma zona eleitoral, ficam na região de Ribeirão Preto. As cidade de Itupeva (27.475 eleitores) e Jundiaí (271.557 eleitores) recadastram, de 16 de maio a 21 de outubro de 2011, e de 25 de julho a 16 de dezembro de 2011, respectivamente, eleitorado de cerca de 300 mil. Na capital paulista, 14 zonas eleitorais já atendem os eleitores pelo novo sistema, além do Poupatempo de Santo Amaro. (MT)

Ficha Limpa ainda corre risco de não ser implantada

C

om a decisão do Vereadores, estará inelegível. Supremo Tribunal No entanto, nos 5,5 mil Federal (STF) de adiar municípios do País, a maioria para 2012 a Lei da Ficha das Câmaras tem vocação Limpa (Lei Complementar governista. Isto significa que, 135/10), a nova legislação quando um cidadão deixa de ainda corre riscos, segundo ser prefeito, no outro dia a defensores da proposta de maioria da Câmara já passa a iniciativa popular aprovada ser sua adversária. no ano passado pelo Consequentemente, ele Congresso Nacional. sempre terá dificuldades de Tramita nas comissões da aprovar suas contas. Também Câmara o Projeto de Lei é verdade que, enquanto o Complementar (PLC) 14/11, prefeito estiver no poder, ele que estabelece terá problemas Valter Campanato/ABr – 3/4/2008 que o governador, para aprovar o prefeito ou o suas contas na servidor público Câmara que tiver suas Municipal", contas rejeitadas justifica o por improbidade deputado em sua administrativa, solicitação. em decisão Hoje, a lei não irrecorrível de exige a Tribunal de manifestação da Contas, só se Justiça para que o tornará inelegível político se torne depois que a inelegível por oito decisão for anos. Basta que as confirmada em contas sejam sentença rejeitadas pelo Enquanto o definitiva de Tribunal de prefeito estiver órgão judicial Contas por no poder, terá colegiado. "irregularidade dificuldade de Vocação insanável" aprovar contas governista – A caracterizada proposta é de como ato de na Câmara autoria do improbidade Municipal. deputado Silvio administrativa. SILVIO COSTA Essa regra foi Costa (PTB-PE) e altera a Lei de incluída na Inelegibilidades (Lei norma em 2010, pela Lei da Complementar 64/90). Ficha Limpa. Para o juiz "As Casas Legislativas e os Marlon Reis, diretor do Tribunais de Contas Movimento de Combate à evidentemente não são Corrupção Eleitoral (MCCE), a instâncias do Poder proposta em andamento na Judiciário. A atual Lei da Câmara é inconstitucional e vai Ficha Limpa diz que se, um contra o anseio popular para a ex-prefeito tiver suas contas implantação da ficha limpa na política brasileira. (MT) rejeitadas pela Câmara de

Tribunal de Justiça na Praça Clóvis: projeto de Ramos de Azevedo.

Cláudia Ferreira soube "por acaso"

A propaganda de Jânio Quadros

Em exposição, a história eleitoral de SP. Victória Brotto

S

e o Palácio da Justiça da capital, entre a Praça da Sé e a Praça Clóvis Bevilaqua, enche os olhos dos turistas e dos cidadãos de São Paulo com a imponente arquitetura de Ramos de Azevedo e com o entra e sai de seus sóbrios frequentadores de terno e gravata, ou de tailleurs e vestidos comportados, desde o dia 15 de junho outra atração se mistura à intensa faina das atividades judiciais: uma exposição sobre a história eleitoral do Estado de São Paulo. Um extenso tapete vermelho que cobre os corredores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) conduz o visitante ao Salão dos Passos Perdidos, onde está a exposição "Palácio da Justiça, berço do TRE paulista". O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo nasceu no gabinete do então presidente do TJ Afonso José de Carvalho, no Palácio da Justiça, em 25 de maio de 1932, mas só foi instalado efetivamente em 15 de junho daquele ano, significativamente poucos dias antes do início da Revolução Constitucionalista de 1932. A mostra reúne desde urnas

Raridades: urna de madeira ...

... e título da época do Império.

de lona e títulos eleitorais da época do Império até suvenires do candidato Jânio Quadros ao governo do estado em 1982, como um dos panfletos usados por Jânio com mais um de seus dizeres rebuscados: "Papá-los-ei!". Há ainda os broches das famosas vassourinhas que, segundo o candidato, seriam usadas para "varrer a corrupção" do País e cédulas fictícias com o número e o nome do candidato do PTB. A diretora do Museu do Palácio da Justiça, Cristina Maia, explica que a proposta da iniciativa é a de inserir o cidadão nos costumes da instituição e lembrar à sociedade a importância das eleições e do debate democrático. Hi stór ia – A Revolução Constitucionalista de 1932, o Estado Novo de 1937, os males da ditadura militar para o TRE-SP, a campanha Diretas Já e a efervescência da primeira

eleição direta para presidente da República após o regime militar estão reproduzidos nos banners, fotografias e maquetes da exposição, que mostra a importância de um Brasil construído pelo voto popular. Uma das atrações da mostra é um vídeo do debate de 1982, transmitido pela TV Bandeirantes, entre os candidatos ao governo do estado de São Paulo: Reynaldo de Barros, Franco Montoro, Rogê Ferreira, Jânio Quadros e Lula. Depois quatro meses exilado em Corumbá (MT) e dos 12 anos fora do cenário político nacional, Jânio voltava com o mesmo tom efusivo no seu linguajar característico e, dessa vez, sem óculos. Lula aparece no canto da bancada, de caneta na mão e barba espessa. Apesar da facilidade de acesso ao Palácio da Justiça, ao lado do metrô Sé, e do ingresso gratuito, a exposição não atrai

público muito diversificado. "Os mais curiosos ainda são os engravatados e os estudantes de Direito", afirma Antônio Carlos Carreta, assessor de imprensa e diretor de fotografia do TJ. As visitantes Cláudia Dantas Ferreira, 42, e Thaís Lima, 21, confirmam. A primeira, advogada atuante no Fórum Criminal da Barra Funda, e a segunda, estudante de Direito, reclamam do horário e da falta de divulgação. "Eu vim protocolar um documento e só então soube da exposição", afirmou Cláudia. Duração– A exposição termina em 31 de julho no Palácio da Justiça e, segundo a diretoria do Museu do TJ, será levada no início de agosto para o prédio do TRE paulista, na Rua Francisca Miquelina, 123, (no bairro da Bela Vista), onde fica até o fim do mês. "Estamos pensando em montar a exposição em outros prédios do Judiciário, mas ainda é só uma ideia", acrescentou a diretora Cristina Maia. O horário para visitação vai das 13h às 18h, de segunda a sexta-feira, no Tribunal de Justiça de São Paulo, na Praça Clóvis, ao lado da Catedral da Sé. Para maiores informações, os interessados podem ligar para (11) 3295-5819.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

EGITO 1 Advogado diz que ex-ditador Hosni Mubarak está em coma profundo

nternacional

Mais um golpe é desferido no império de Murdoch

EGITO 2 Fontes do governo negam doença de Mubarak, internado desde abril. AFP - 01/07/

11

Rebekah Brooks, braço direito do magnata, é detida por escândalo de escutas ilegais. Crise faz outra vítima: chefe da polícia de Londres renuncia por ligações com jornalista envolvido em grampos.

Rebekah Brooks era considerada uma das mulheres mais poderosas do Reino Unido. Ela é o mais alto executivo da News International a ser preso em conexão com escândalo.

Suzanne Plunkett/Reuters

A

Divulgação/Reuters

Stephenson: ligações suspeitas com jornalistas e propinas à polícia. Raúl Castro recebe Chávez (centro, ao lado da filha Rosa Virginia)

Romeo Gacad/AFP

De volta a Cuba, Chávez 'batalha pela vida'.

O

presidente da Venezuela, Hugo Chávez, está de volta a Cuba para continuar a segunda fase de seu tratamento contra um câncer na região pélvica, que incluirá sessões de quimioterapia. Ontem, o líder manteve silêncio a respeito do tratamento. "Da minha trincheira, batalhando pela vida", limitou-se a dizer Chávez em seu perfil no Twitter (@chavezcandanga). Animado, ele também comentou sobre futebol. O presidente venezuelano foi operado duas vezes em Havana, nos dias 10 e 20 de junho. Na última cirurgia foi retirado um tumor, que Chávez disse ser similar a uma bola de beisebol. Chávez, de 56 anos, foi recebido na noite de sábado pelo

presidente cubano, Raúl Castro, no aeroporto internacional de Havana, segundo um comunicado do governo lido na televisão estatal. Antes de viajar, Chávez delegou ao vice-presidente executivo, Elías Jaua, várias funções e prerrogativas até agora suas, incluindo a de expropriar bens. O presidente venezuelano foi autorizado, ontem, pela Assembleia Nacional, a viajar a Havana. Na ilha de Fidel Castro deve se submeter a sessões de quimioterapia, contrariando as expectativas de que iria ao Brasil se tratar no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Ele não anunciou a data de retorno. "Espero que não seja um período muito longo (de ausência)", afirmou. (Agências) Divulgação/AFP

PARABÉNS – O líder sul-africano Nelson Mandela completa hoje 93 anos. Em 2009, a ONU homenageou a sua contribuição pelos direitos humanos ao declarar a data o Dia Internacional Nelson Mandela.

Soldados canadenses arrumam malas em base militar em Kandahar

Otan começa a dizer adeus ao Afeganistão

S

em alarde, em meio a segredos, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) começou ontem, formalmente, o processo de transferir as atividades de segurança no Afeganistão às autoridades do país. A primeira província escolhida foi a de Bamyan, em um processo que continuará em mais cinco regiões do país durante a próxima semana. A cerimônia realizada na capital, Cabul, teve a presença do principal responsável da missão da Otan no Afeganistão, o general norte-americano David Petraeus, e os ministros afegãos de Interior, Mohammad Farooq Wardak, e de Defesa, Mohammed Rahim Wardak. Os ministros viajaram para Bamyan, um dos locais mais pacíficos do país, para uma cerimônia que não foi anunciada com antecipação, não foi transmitida ao vivo na TV e para qual apenas alguns órgão de

imprensa foram convidados. A Otan vai transferir a segurança para as forças afegãs em um processo gradual, que só deve ser completado em 2014. Há poucos dias, 3 mil soldados canadenses terminaram sua missão de combate em Kandahar, no sul do país. Atentado - A saída das tropas estrangeiras ocorre em momento crítico no Afeganistão. Um alto assessor do presidente Hamid Karzai foi assassinado em sua casa em Cabul ontem. Jan Mohammad Khan era tão importante para Karzai quanto seu irmão, Ahmed Wali Karzai, morto por um guarda-costas dentro de sua própria casa, em Kandahar, na terça-feira passada. A morte de Khan vai inflamar ainda mais a volátil política da região sul do país, onde os talebans estão lutando contra tropas lideradas pelos EUA pelo controle da área. (Agências)

crise das escutas telefônicas do tabloide News of the World alcançou ontem novas proporções com a renúncia do chefe da Polícia Metropolitana de Londres (Scotland Yard), Paul Stephenson, e a detenção de Rebekah Brooks, conselheira do magnata Rupert Murdoch no Reino Unido, duas notícias inesperadas. O comissário-chefe foi duramente criticado nos últimos dias por sua ligação com o exeditor do News of the World Neil Wallis, preso na semana passada em meio às investigações do escândalo. Stephenson teria contratado Wallis como consultor de relações públicas da polícia por um ano, até setembro de 2010. "Tomei essa decisão por causa das especulações e acusações relativas às ligações da Polícia Metropolitana com a News International", disse Stephenson, referindo-se ao grupo de Murdoch, em discurso transmitido pela televisão. Stephenson disse que conheceu Wallis em 2006, quando o jornalista ainda trabalhava no News of the World, em um encontro para falar sobre questões de segurança pública, como já tinha feito com outros jornalistas. Em 2009, após Wallis deixar o jornal, foi contratado pela polícia londrina. Stephenson disse não ter sido responsável pela contratação de Willis e negou que soubesse do envolvimento do jornalista com os casos de escuta telefônica. "Deixe-me dizer claramente, eu e as pessoas que me conhecem sabem que minha integridade está intacta. Eu gostaria que tivéssemos feito algumas coisas de forma diferente, mas não vou perder o sono por minha integridade pessoal", afirmou. A polícia londrina tem estado sob fortes críticas por não ter investigado a fundo os casos de escuta quando as primeiras acusações surgiram, em 2006, e, mais recentemente, por supostamente ter recebido suborno do News of the World. Stephenson ainda teve que rebater ontem as alegações que sua recente viagem a um balneário de luxo, avaliada em 13,7 mil euros, foi paga por Wallis, apesar de ter admitido que ele

também não abonou a conta. A polícia afirma que a fatura foi paga pelo gerente do local, mas não explicou o motivo do generoso presente. Prisão - A renúncia de Stephenson aconteceu no mesmo dia em que Rebekah Brooks, até a semana passada uma das mulheres mais poderosas do Reino Unido, foi detida. Ela já tinha renunciado ao cargo na sexta-feira e até agora é o mais alto executivo da News International a ser preso em conexão com escândalo. Ela havia ido à polícia voluntariamente para prestar depoimento sobre o caso. Após ser interrogada pelos policiais por 12 horas, Rebekah, braço direito de Murdoch, foi libertada à noite sob fiança. Próxima ao primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, a jornalista de 43 anos é acusada de aprovar as escutas ilegais e de pagar subornos a policiais para obter informações exclusivas para o News of the World, veículo que dirigiu de 2000 até janeiro de 2003. Entre as pessoas que tiveram seus telefones grampeados estão políticos e celebridades. Indignação - A crise gerada pelas escutas ilegais do News of the World, que ganhou força no dia 4 de julho no Reino Unido, se transformou em uma espiral que ameaça o poderoso império de Rupert Murdoch. Embora o escândalo tenha explodido em 2006, na semana passada foi divulgado que entre os celulares interceptados estava o de uma menina assassinada, o que desencadeou uma onda de indignação no Reino Unido que levou ao fechamento do News of the World e a renúncia de Murdoch em adquirir a totalidade da maior provedora de TV paga britânica, a BSkyB. Murdoch tem 39% das ações. Além de Rebekah e Stephenson, Les Hilton, presidente da agência norte-americana Dow Jones e editor do jornal The Wall Street Journal, também renunciou na sexta-feira. Está previsto que nesta terça-feira a própria Rebekah, o magnata Rupert Murdoch e seu filho James prestem declarações diante do Comitê de Meios de Comunicação da Câmara dos Comuns pelo escândalo. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

c

9 DE VOLTA AO PASSADO A Casa Número 1, junto ao Pátio do Colégio, no Centro, está cada dia mais remoçada. Ela foi restaurada e em mais algum tempo será entregue à cidade. Algumas de suas salas serão transformadas em espaço de exposições.

idades

Leandro Moraes/Luz

Na nova Casa Número 1, a história... Pelos registros históricos, seu primeiro morador foi o bandeirante Gaspar Godoy Moreira. Daí em diante, a Casa Número 1, junto ao Pátio do Colégio, em fase final de restauro, serviu de sede para órgãos públicos. Um deles foi a Central de Polícia. Nos anos 50, fatos e lendas se confundiam em sua Sala de Imprensa. Hoje, essas estórias temperam a restauração.

A Casa Número 1, junto ao Pátio do Colégio: a poucos dias de sua entrega. Nela vai funcionar um espaço para exposições de imagens de uma São Paulo antiga.

... e muitas estórias D

O jornalista João Bussab, veterano da Sala de Imprensa: faro e furo

matar o tempo. O flagrante foi relaxado e o delegado transferido . Além da timidez, Maurício de Souza tinha aquele outro sério problema. "Era uma coisa horrível, eu não podia ver sangue que desmaiava". No local de um crime, pedia socorro ao fotógrafo. "Ele olhava o corpo e me dizia como estava, se era em decúbito ventral (barriga para baixo)" - conta, divertindo-se com o linguajar técnico. Cama de casal – Maurício trabalhava de madrugada. Naquelas em que nada acontecia, e como não aderisse ao jogo, juntava as mesas (podia ser a da Folha, onde trabalhava, a dos Diários, a da Última Hora, do Estadão), e assim tinha uma cama "grande como de casal". Fazia um travesseiro de jornais amassados, deitava-se e dormia... É verdade que, em plena madrugada, podia ser incomodado por uma notícia. Neste caso, pedia condução e fotógrafo, e a Folha da Manhã (hoje Folha de S.

O verdadeiro Dick Tracy (esq.) e o então repórter Maurício de Souza, disfarçado de detetive para vencer a timidez

Divulg ação

ick Tracy entrando na chefatura de polícia? Bem, o personagem usava capa de chuva e chapéu, como o detetive das tiras dos jornais americanos da década de 1930. Mas não era um detetive, era um repórter policial. Não estava nos States, mas na moderna São Paulo de 1957. A chefatura era na verdade a Central de Polícia, ao lado do Pátio do Colégio. A vestimenta do repórter ficava um tanto deslocada, mas ele não se importava. Seu nome: Maurício de Souza. Ficou um ano nessa vida. Depois seguiu seu destino de desenhista e inventou Bidu, Franjinha e toda a turma da Mônica. Outro desenhista famoso foi Chester Gould, que criou Dick Tracy. Durante aquele ano, Maurício foi um desenho de Chester Gould. Desmaiava – Eis o que diz hoje: "Eu me fantasiava de detetive americano porque era tímido. Vestido como herói, tinha coragem para falar." Um repórter policial com um ponto fraco: não podia ver sangue. Desmaiava. A Sala de Imprensa da Central de Polícia parecia um filme em preto e branco, com o tictac das máquinas de escrever como trilha sonora. Os jornalistas ora se agitavam ora viviam o tédio de esperar pela notícia. Nestas horas, a jogatina corria. Realidade filmada –J ogavam cartas ou dados, a dinheiro. No calor do jogo gritavam, brigavam. De repente, o telefone tocava. Repórteres vestiam o paletó, fotógrafos pegavam a Rolleiflex e o flash, e saíam todos apressados. Em algum lugar da cidade podia haver um corpo crivado de balas. Ou isto será cena de filme? Era a realidade, como atesta João Bussab, um dos mais conhecidos repórteres policiais dessa época. Bussab era rádioescuta da TV Tupi, canal 3, com suas transmissões em preto e branco. Em 1963 foi cobrir as férias de um colega, na Central de Polícia, para os Diários Associados. Ficou 14 anos. Carteado –Quase colada à sala dos jornalistas ficava a do delegado de plantão. Certo dia, lembra Bussab, o delegado invadiu a sala de imprensa, aprendeu o baralho e autuou os repórteres em flagrante por jogo de azar. O azar foi do delegado. Outros repórteres se mobilizaram e procuraram o secretário da Segurança Pública para explicar que o jogo era apenas uma forma de

Reprodução

C

omo uma noiva que se veste para o casamento, a Casa Número 1 não pode ser vista. Esse antigo sobrado, de fins do século 19, está com obras de restauro prestes a terminar. A Secretaria da Cultura só vai mostrá-lo quando tudo estiver de acordo com o figurino. No entanto, mesmo com tapumes cobrindo o térreo, dá para ver que ficou muito bonito. A fachada, com janelas altas e balcão, e o belo ornamento do telhado, é um presença de certa forma inesperada, na rua. O endereço era Rua do Carmo, número 1. A primeira casa da rua, vizinha ao Pátio do Colégio, no Centro. Em meados do século passado, aquele trecho da rua passou a se chamar Roberto Simonsen. O sobrado ainda é a primeira casa, mas agora sob o número 136-B. O bandeirante Gaspar Godoy Moreira foi um dos primeiros moradores. Depois, ainda no século 19, a construção abrigou um colégio, foi sede de uma empresa de serviços, e de uma "Sociedade de Imigração", até passar para a Companhia de Gás. A partir de 1910 sediou órgãos policiais. Por décadas, esteve ali a Central de Polícia, para onde convergiam informações sobre as ocorrências da cidade. Com isso, os repórteres ficavam de plantão ali dia e noite. Sala de Imprensa – Para abrigá-los, a Secretaria da Segurança cedeu uma sala, onde puderam ter mesa e máquina de escrever. A Sala de Imprensa tinha setoristas de todos os jornais. De lá, saiam para cobrir crimes e acidentes (leia texto ao lado). Foi assim até 1970, quando a polícia deixou o prédio, que passou para a Prefeitura. O assobradado (como está nos registros do DPH, Departamento do Patrimônio Histórico) foi construído sobre os alicerces de uma antiga casa de taipa de pilão (barro socado em formas de madeira). Há pouco mais de uma década, recebeu obras de restauro. A remoção de várias demãos de tinta sobrepostas, nas paredes, revelou pinturas e desenhos decorativos, que foram recuperados. Os trabalhos de agora abrangeram todo o sobrado. O telhado, destruído por um incêndio, foi refeito. Instalou-se um elevador e construíram-se banheiros. A construção tem o térreo e dois andares. Os planos são de que, em duas salas abertas para a rua, no primeiro andar, sejam expostos gravuras, ilustrações e fotos da história da cidade.

Leandro Moraes/Luz

Valdir Sanches

Paulo) mandava o carro da reportagem, um jipe laranja. Podia chegar também o jipe dos Diários Associados (que Bussab, em outras horas, também usava). Naquela época, a periferia da cidade não era asfaltada. Muitas vezes Maurício se deparava com um crime passional, o marido pegou a mulher com o amante, ou vice-versa. "Na confusão, a família chorando, eu cumpria ordens do jornal: roubava a foto do casamento." Era ótima ilustração para a reportagem. Maurício achava "uma coisa desrespeitosa, mas se não pegasse, um colega pegaria." Os jornalistas se davam bem. Mas amigos, amigos, furo à parte.

Faro e furo –Certo dia explodiu nos jornais o caso de um mafioso que tentara matar a tiros o dono da famosa Boate Michel, da rua Major Sertório, na Boca do Luxo. Começa a caçada ao criminoso (que acertara a vítima, mas não a matara) por toda a cidade. Bussab ficou na cola de certo competente policial. "Fui com ele para as bocas." Chega o sábado, a Sala de Imprensa está calma. O policial chama Bussab, discretamente, como este recorda: "O cara está preso aí em baixo." Aí embaixo era o xadrez. Bussab, também na moita, pede fotógrafo. Descem ao xadrez e passam bom tempo com o preso. Na segunda-feira, os Diários saem com o furo estrondoso. "Espaguete" – Naq u e l e s tempos, em que o delegado Israel dos Santos Sobrinho, o "Gravatinha", fazia pregações de moral para os presos, algo muito curioso ocorria na Sala de Imprensa. O repórter Sílvio Nunes, o "Espaguete", vivia sob intensa vigilância. Seu apelido vinha do fato de que, toda noite, jantava a massa, num restaurante próximo. Quem o vigiava era dona Laura, sua mulher. Ela se sentava em uma cadeira, dentro da Sala de Imprensa. Dona Laura – Quando o marido saía no jipe do Diário, ela ia junto. Os jornalistas gostavam muito de "Espaguete", educado e amável, que, chamava os outros de "meu caro caríssimo". Por solidariedade ao colega, os repórteres proibiram que a mulher ficasse na Sala de Imprensa. Dona Laura e sua cadeira saíram...

mas se instalaram no corredor, à porta da sala. Conta-se que, depois, o jornal proibiu que "estranhos" viajassem no carro da reportagem. E que dona Laura seguia o carro de táxi. Mas isto é o que se conta. Sala vazia – Num fim de plantão, Maurício de Souza passou pela sala do delegado e a encontrou vazia. Foi ao cartório, não havia ninguém. As viaturas policiais, que ficavam à frente do prédio, não estavam lá. Em uma sala onde chegavam informações, encontrou, junto ao telefone, um papel com um endereço no Belém, zona leste. Pediu o jipe e partiu. A rua do Belém estava cheia de carros da polícia, policiais agitados, muitos curiosos. Dick Tracy pulou um cordão de isolamento e subiu as escadas do sobrado em frente. Lá em cima, deu com o delegado do plantão. "Ele me disse: 'O que você está fazendo aqui?' Não vai poder escrever uma linha sobre isto." Foi impedido de se mover e de sair da casa. Mesmo assim, deu uma espiada num cômodo e viu o corpo de um homem. O pai de Jânio – Mais tarde chegaram repórteres de rádio e de televisão, e o delegado viu que não tinha como segurar a notícia. Contou então o que acontecera. O pai do governador do Estado, Jânio Quadros, fora assassinado. Maurício prefere não dizer por quê. O noticiário da época registra que Gabriel Quadros foi morto por um vendedor de limões que o flagrou com sua mulher. No fundo, mais um crime passional na cidade. (V.S.)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

acsp

R$ 60 MILHÕES Orçadas em R$ 60 milhões, as obras começaram em março.

distritais

AUDITÓRIO O auditório terá capacidade para abrigar quatro mil pessoas.

Cresce turismo de eventos na zona sul Dois novos halls serão acrescidos ao Transamérica Expo Center em março de 2012: mais 24 mil m² para a realização de feiras e congressos em Santo Amaro Maria Lúcia D'Urso

C

onsiderado o mais moderno centro de convenções da América Latina, o Transamérica Expo Center, localizado em Santo Amaro, na zona sul paulistana, aumentará de tamanho. No espaço, onde são realizados feiras, congressos e eventos corporativos, serão construídos dois novos convention halls, o F e o G. Juntos terão uma área construída de 24 mil metros quadrados, contando com mezanino e estacionamento coberto. Com esta ampliação o espaço do centro de convenções saltará de 42 mil metros quadrados de área construída para 66 mil metros quadrados, sendo 45 mil de área locável. A pedra fundamental para a construção dos halls F e G foi colocada, no Transamérica Expo Center na semana passada, com a participação de executivos do setor de turismo e políticos. Custo – Orçadas em R$ 60 milhões, as obras, iniciadas em março deste ano, deverão ser concluídas no mesmo mês de 2012. "A nossa proposta é abrigar no novo espaço não só grandes exposições, mas tam-

bém eventos corporativos menores", assinala Wilmar Rodriguez, diretor executivo do Transamérica Expo Center. No ano passado foram realizados no Centro de Convenções de Santo Amaro 73 eventos, entre eles a FCE Cosmetique, a FCE Pharma e a Boat Show. A primeira movimentou negócios da ordem de R$ 27,5 milhões, a segunda, R$ 36,2 milhões e a terceira, R$ 208 milhões. Com o novo espaço, o número de eventos deverá passar para 100. Na lista de clientes do Transamérica Expo Center estão o Itaú, a Microsoft, a Oracle, a Fiat, a Febraban e a HSM. Diferencial – Emseus24mil metros quadrados, as novas áreas contarão com uma infraestrutura moderna e versátil. Terão salas moduláveis, paredes removíveis, auditório com capacidade para quatro mil pessoas, estacionamento subterrâneo, com capacidade para 500 veículos, e espaço para serviços, entre eles os de alimentação, telecomunicações e segurança. "Os serviços deverão ser o nosso diferencial em relação aos concorrentes", enfatiza Rodriguez. Os dois halls contarão, ainda, no mezanino, com seis novas salas de 133 metros

Fotos Paulo Pampolin/Hype

G Ir Agendas da Associação e das distritais

Amanhã I Santo Amaro – Às

Na foto maior, imagem virtual do novo espaço, já com os anexos. Acima, o início das obras dos halls.

quadrados cada. O foyer (salão de descanso) será interligado aos outros já existentes, que também passarão por reforma para a entrada de serviços e espaços de convivência social. Aprovação - Entidades do bairro de Santo Amaro aprovam a ampliação do Transamérica Expo Center. Na opinião de Rita de Cássia Campagnoli, superintendente da Distrital Santo Amaro da Associação Comercial de São Paulo

Arquivo/DC

Crescimento se estende ao hotel

A

ampliação do centro de convenções renderá dividendos também para o Hotel Transamérica, situado próximo ao local. "O número de hóspedes, vindos do Exterior e de várias partes do País para participar das feiras e congressos do Transamérica Expocenter, deverá aumentar", argumenta Claudio Bonuccelli, diretor do hotel. Para receber esse novo público, o hotel está reformando seus 400 apartamentos e as salas de eventos. Considerado um dos maiores de São Paulo, o Transamérica recebe, anualmente cerca de 95 mil hóspedes e serve 700 mil refeições . O hotel, integrante do complexo de negócios formado pelo Expocenter e o teatro Alfa, será o responsável também pelo fornecimento de refeições para os visitantes e expositores das novas áreas do centro de convenções de Santo Amaro.

Feira realizada no Transamérica Expo Center, em Santo Amaro

(ACSP) , o empreendimento é extremamente importante para São Paulo e para a região. "Vem preencher uma lacuna, porque não temos na cidade espaços capazes de bancar feiras internacionais", diz. Rita de Cássia acredita que, com o aumento de executivos, o nível de ocupação dos hotéis também crescerá. Bares e restaurantes, instalados ao redor, deverão ter mais lucro com o novo fluxo de turistas. Mo ment o – A construção de novos espaços para eventos tem sua razão de ser. "São Paulo está no melhor momento para esse tipo de turismo", justifica Caio Luiz de Carvalho, presidente da São Paulo Turismo (SPTuris). O turismo, em geral, na cidade, também está em alta. Em 2010, esse segmento movimentou R$ 9,7 bilhões, o que significou um aumento de 54,8% em relação a 2005. No ano passado, frequentaram a cidade 11,7 milhões de turistas, sendo 1,6 milhão estrangeiros e 10,1 milhões brasileiros. Comparando-se com 2005, houve um incremento de 19,66%. Dos que visitam São Paulo, 51% são a negócios, 25,3% para eventos, 13,5% para lazer, 4,4% para estudos e 2,5% por questões de saúde. O nível de ocupação de hotéis em 2010 foi de 68,5%, o que significou um crescimento de 16,7% em relação a 2005. Em contrapartida, as diárias aumentaram, no período de 2005 a 2009, 31%, passando de R$ 136,63 para R$ 205,73. A arrecadação do ISS, gerado pelo turismo, também está crescendo. No ano passado registrou-se um montante de R$ 158,7 milhões. Em 2005 a cifra detectada foi de R$ 87,1 milhões.

19h, palestra Comunicação e Venda com a Ótica da Neurolinguagem, em comemoração ao dia do Comerciante. Avenida Mário Lopes Leão, 406. I Jabaquara – Às 19h30, 5ª reunião ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor, com a palestra Administração Competitiva, com Marcelo Paranzini, consultor do Sebrae. Avenida Santa Catarina, 641. I Pinheiros – Às 19h30, reunião ordinária do Conselho Diretor . Simão Álvares, 517

Quarta I Centro – Às 19h,

São Paulo está no melhor momento para o turismo de eventos. CAIO LUIZ DE CARVALHO, PRESIDENTE DA SÃO PAULO TURISMO, A SPTURIS

palestra A insegurança jurídica nas atividades negociais e da necessidade premente de mudança legislativa, principalmente no que toca aos conflitos de sócios, com Armando Luiz Rovai. Confirmação: 3208-5753 ou dcentro@acsp.com.br. Rua Galvão Bueno, 83.

Quinta I Exporta SP – O

Os serviços deverão ser o nosso diferencial em relação aos concorrentes. WILMAR RODRIGUEZ, DIRETOR EXECUTIVO DO

TRANSAMÉRICA EXPO CENTER

diretor da ACSP José Candido Senna coordena a 35ª edição do evento Exportar para Crescer do projeto Exporta SP, em parceria com a Associação Comercial de Porto Ferreira. Às 9h, no Clube de Campo das Figueiras, em Porto Ferreira. I Comex – O diretor da ACSP Roberto Ticoulat coordena a reunião do Conselho de Comércio Exterior. Às 17h, rua Boa Vista, 51/11º andar, salas Tadashi.


sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

DIÁRIO DO COMÉRCIO

11

facesp

CONSUMO Em 2010 foram consumidas 562 mil toneladas de chocolate no Brasil.

regionais

SITE A visita deve ser marcada pelo site www.nestle-tour chocolover.com.br.

Um passeio de dar água na boca Maria Lúcia D'Urso

M

A fábrica da Nestlé em Caçapava abre as portas para um passeio tentador: 1,2 quilômetro de corredores com tudo sobre a produção do chocolate. O passeio atrai turistas e o comércio local também lucra.

isturado ao leite, "As pessoas que chegam de em doces, tortas ônibus de cidades próximas e b o l o s o u e m geralmente esperam uma ou barras, o choco- duas horas para entrar na fálate é uma paixão – e uma ten- brica. E enquanto aguardam, tação – nacional. De acordo c o n s o m e m " , a r g u m e n t a com Associação Brasileira da Mauro Odaguiri, presidente Indústria do Chocolate, Ca- da Associação Comercial e cau, Amendoim, Balas e Deri- Empresarial de Caçapava. vados (Abicab) somente em Com o tour, a cidade também 2010 foram consumidas no está ficando mais conhecida País 562 mil toneladas do pro- no Estado de São Paulo, afirduto, o que significou um au- ma o executivo. mento de 14% em relação a Et apas - Com duração de 2009. Mundialmente uma hora e meia, o somos o quarto passeio é feito em maior merca11 etapas, todas do. Perdemos elas ambientaapenas para das com paiEstados Uninéis interatidos, Alemanha vos e sons. Due Reino Unido. rante o percurso são Por estas e outras razões, a apresentados também filmes Nestlé resolveu revelar os se- curtos que exibem a história dos gredos da fabricação da "bebi- principais chocolates da Nestlé, da dos deuses": abriu as portas entre eles o Alpino, o Nestlé de sua fábrica em Caçapava, Classic e o Suflair. A linha de no Interior de São Paulo, pro- produção pode ser vista em jadutora de todos os chocolates nelas, que permitem aos visiNestlé no Brasil. É um passeio tantes acompanhar passo a pasprazeroso de 1,2 quilômetro. so todo o processo produtivo. Na peregrinação os visitantes Ao final, os turistas passam por podem conhecer, de forma in- uma loja, onde todos os chocoterativa, todo o ciclo de produ- lates da marca estão à venda. ção do chocolate, desde a floresta cacaueira até o produto final, passando pela prepa ração da mistura, mold agem e colocação de recheio. To u r – Batizado de Tour Nestlé C h o c o l over, a atração faz part e d a c a mpanha de c o m un i c ação da em- Reprodução de floresta cacaueira dentro da fábrica: início da produção do chocolate presa, lançada em 2009. "A proposta As inscrições individuais e Lazer. No ginásio foi instalada dessa ação foi despertar nos escolares para participar da uma Praça de Alimentação consumidores a vontade de visitação podem ser feitas no para os torcedores, permitinassumir sua paixão pelos cho- site www.nestle-tourchoco- do um lanche rápido. colates Nestlé, sempre com lover.com.br. O preço dos inOutra iniciativa da Prefeitumoderação", argumenta Ri- gressos é R$ 10,00. Os horá- ra para movimentar a cidade cardo Bassani, gerente de mar- rios de visitação são às 8h, 9h, no mês de julho é o projeto keting de chocolate da Nestlé. 10h, 15h, 16h e 17h, de segun- Agitando as Férias, que será Ele estima que a fábrica rece- da a sexta-feira. promovido até o dia 23 de juba, em breve, 100 mil pessoas Mais atrações - A fábrica lho. A proposta desse prograpor ano, vindas de São Paulo e de chocolate não é a única atra- ma é divertir, gratuitamente, das cidades vizinhas, como ção da cidade neste mês de ju- crianças e adolescentes com Taubaté, Campos do Jordão, e lho. No último dia 16, tiveram esportes, música e brinqueda região do Vale do Paraíba. início, no Ginásio Municipal dos, como trenzinhos, mesas Consideradas um atrativo tu- de Esportes, os tradicionais de pingue-pongue, bambolê e rístico de Caçapava, as visitas à Jogos de Inverno da Cidade cama elástica. As atividades, unidade fabril da Nestlé, funda- Simpatia. O evento, que reúne realizadas em escolas e prada em 1971, estão beneficiando turistas de fora da cidade, é ças, e acompanhadas por moo comércio local, principalmen- realizado pela Prefeitura de nitores, são desenvolvidas de te estabelecimentos como bares, Caçapava, por meio da Secre- segunda a sexta-feira, das 8h padarias e lanchonetes. taria de Cultura, Esportes e às 12h e das 13h30 às 17h. Divulgação

Filmes e rótulos nos corredores contam a história dos principais chocolates fabricados pela empresa

Cidade simpatia Em tupi-guarani, Caçapava quer dizer 'caminho na mata' Arquivo Prefeitura Municipal de Caçapava

Com mais de 84 mil habitantes, Caçapava está localizada a 108 quilômetros da capital

L

ocalizada no médio Vale do Paraíba do Sul, no Estado de São Paulo, a aproximadamente 108 quilômetros da capital, Caçapava é uma cidade cercada de fazendas cafeeiras, matas nativas e águas cristalinas. Atravessa o município, com 84.596 mil habitantes, a Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima (RFFSA), usada para transporte de carga, a qual se interliga às demais ferrovias do País, com acesso ao Mercosul. Apelidada carinhosamente de Cidade Simpatia, Caçapava, que no tupi-guarani significa caminho na mata, tem o comércio como sua principal fonte de renda, respondendo por 44,29% da ocupação dos estabelecimentos. Em segundo lugar está o setor de prestação de serviços, com 33,28% e em terceiro, a indústria, com 10,9%. Além da fábrica da Nestlé, fundada em 1971 para produzir todo o chocolate vendido no País, Caçapava reúne outras importantes indústrias, como a Pilktington, produtora de vidros para o mundo todo, a TW Espumas e a TI Automotive. Dotada de uma área de 369,91 quilômetros quadrados, abriga o 6º Batalhão de Infantaria Leve AeromóvelRegimento Ipiranga, templos religiosos – 46 igrejas, um santuário, 62 capelas e 18 grutas – uma estação rodoviária, nove

agências bancárias, uma base do Corpo de Bombeiros, uma unidade da Polícia Militar e uma delegacia. Núcleos – A cidade surgiu de dois núcleos, distantes aproximadamente cinco quilômetros entre si. O mais antigo deles, onde hoje fica o bairro de Vila Velha de Caçapava, era um vilarejo que cresceu em torno da capela Nossa Senhora d'Ajuda, construída em 1805 nas terras de uma fazenda pertencente a Jorge Dias Velho. Era local de pouso do caminho Real que ligava os municípios de São Paulo e Taubaté. Caçapava Velha (como ficou conhecida a vila hoje em dia) foi elevada ao status de freguesia em 18 de março de 1813 com o nome freguesia de Cassapaba. A Caçapava de hoje surgiu em 1842, ano em que foi construída uma capela dedicada a São João Batista. O povoado foi fundado pelo capitão João Ramos da Silva e tornou-se sede da freguesia. Em 3 de maio de 1850, foi elevado à categoria de vila, tornando-se município em 8 de abril de 1855. Depois do café no final do século 19, seguiu-se um período de estagnação econômica. A recuperação só ocorreu em meados do século 20 com o cultivo do arroz e a introdução da pecuária de leite e acelerou-se na década de 70 com a expansão das atividades industriais no município.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12 -.LOGO

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

Logo Logo

O russo Maksim Ksuta usa fotos de obras-primas da arte para criar retratos como estes.

www.dcomercio.com.br

http://bit.ly/nV88Fh

H OMENAGEM E COLOGIA

Tragédia da TAM: praça em 1 ano

O

L

Sacos de lixo iluminados se transformaram em uma instalação para chamar a atenção da população de Varsóvia, na Polônia, para a importância da reciclagem. www.luzinterruptus.com

E X-BEATLE

ntem, dia em que o acidente com o avião A320 da TAM completou quatro anos, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e o presidente da Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Voo TAM JJ3054 (Afavitam), Dario Scott, assinaram um protocolo de intenções para a construção da Praça Memorial 17 de Julho. No acidente, ao lado do aeroporto de Congonhas, 199 pessoas morreram. A previsão é que o memorial esteja concluído até julho de 2012. "Esperamos iniciar as obras até meados de janeiro", disse Kassab.

A praça será construída no terreno onde ficava o prédio da TAM, na Avenida Washington Luiz. A construção foi atingida pelo avião da companhia que vinha de Porto Alegre. O prefeito afirmou que, se a Afavitam concordar, a praça poderá ser, no futuro, estendida até a Avenida dos Bandeirantes. "Essa e a principal porta de entrada para a zona sul da cidade, pela avenida dos Bandeirantes. Do ponto de vista urbanístico, há lógica em ampliar", afirmou Kassab, acrescentando que a decisão final será de seu sucessor. A expansão inclui desapropriações,

mas o assunto não foi discutido com moradores. Pela manhã, foi realizado um ato ecumênico no local do acidente com a presença de cerca de 500 pessoas. Cartazes com as fotos das vítimas, a maior tragédia da aviação brasileira, foram espalhados pelos tapumes que cercam o terreno. O projeto prevê que a árvore que sobreviveu ao acidente seja mantida no centro da praça. "Ela representa a vida", afirmou o arquiteto responsável, Marcos Cartum. Segundo ele, em torno da árvore será construído um espelho de

água, em cuja mureta constarão os nomes das 199 vítimas. Também serão instalados 199 pontos de luz. Segundo Kassab, a obra custará R$ 8 milhões. "Vamos começar o processo de licitação em agosto para definir o executor do projeto. A cerimônia do próximo ano será realizada na praça-memorial." O terreno onde ficava o prédio da TAM foi doado à Prefeitura pela companhia aérea. Os terrenos de um posto de gasolina e de outros oito imóveis, que ficavam no mesmo quarteirão, foram desapropriados. (AE)

Michal Cizek/AFP

A NAC

Ringo Starr: ingressos à venda

Noar impedida de voar após acidente

L

A venda de ingressos para o público em geral para a turnê de Ringo Starr começa hoje. A pré-venda aconteceu entre os dias 11 e 17 de julho para clientes Credicard, Citibank e Diners. A primeira cidade onde o ex-Beatle, acompanhado da All Star Band, irá se apresentar é Porto Alegre, no dia 10 de novembro, no Ginásio Gigantinho. A turnê segue para São Paulo com dois shows nos dias 12 e 13 de novembro, no Credicard Hall. No Rio de Janeiro, no dia 15 de novembro, no Citibank Hall, em Belo Horizonte, no dia 16, no Chevrolet Hall, e em Brasília, no 18, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. As entradas estarão disponíveis nas bilheterias oficiais dos shows, pelo telefone 4003-5588 (válido para todo o País) e pelo site www.ticketsforfun.com.br. (AE)

MIRAZOZO - É este o nome da nova escultura luminosa inflável criada pelo escritório Arquitetos do Ar que está em exposição em Praga (acima, pais e filhos interagem no espaço). O grupo de designe foi criado por Alan Parkinson em 1981 e sua primeira escultura luminosa, a Eggopolis, foi apresentada em 1990. De lá para cá, foram mais 15 trabalhos.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) suspendeu ontem, por tempo indeterminado, as operações da companhia Noar Linhas Aéreas S.A – há suspeita de irregularidades no cumprimento do Código Brasileiro de Aeronáutica (CBA). A Anac informa que os passageiros que compraram bilhetes da companhia podem solicitar que a empresa os acomodem em voos de outras companhias ou pedir o dinheiro de volta. Na última quarta-feira, um bimotor da Noar caiu pouco após decolar, às 6h51, no bairro de Boa Viagem, zona sul do Recife. A aeronave deveria cumprir o voo 4896 (RecifeNatal-Mossoró). Todos os 16 ocupantes morreram. Anteontem, a Anac recebeu cópias de supostos relatos de pilotos da Noar sobre problemas técnicos recorrentes em um outro avião da companhia. (AE)

CASA RADICAL PAS Skate House é uma casa totalmente pensada em função de um único objeto, o skate. Paredes, tetos, pisos, telhado têm revestimento e formato especiais o que permite que o skate deslize e que os espaços possam ser explorados nas manobras mais radicais. Os arquitetos François Perrin e Gil Lebon Delapointe desenharam a casa para um cliente para lá de entendido no assunto, o campeão de skate e fundador da grife para skatistas Etnies, Pierre Andre Senizergues. A casa fica em Malibu e tem formato tubular. Como o cliente também é um apoiador das causas ecológicas, todos os ambientes têm ventilação natural. Toda a energia usada na casa vem de painéis solares ou hélices que captam a energia eólica. A madeira usada nas superfícies é certificada. http://bit.ly/pc3Y3a

E M

C A R T A Z

R ECORDE

VISUAIS

P ROPAGANDA

Mostra 'Você Tem que Acreditar em Mim' do artista plástico Felipe Braga. Casa ao Cubo. Rua Sud Menucci, 342, tel.: 5081-6256. Grátis.

PENSE GRANDE

Acesse www.dcomercio.com.br para ler a íntegra das notícias abaixo:

L

Acidente com ônibus da banda 14 Bis mata assistente de produção.

L

Campanha convida mulheres a rasgarem a roupa em apoio à candidatura de Vladimir Putin.

L

Na série de anúncios da agência Biedermann McCann, do Paraguai, para divulgar a própria marca, o orçamento (budget) ralo não é motivo para barrar grandes ideias. http://bit.ly/n0jkm0

A TÉ LOGO

Rio Janeiro faz gestões para ter o segundo geoparque das Américas.

Harry Potter, o mago das bilheterias Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2, filme que encerra a saga do jovem bruxo, rendeu US$ 168,6 milhões nas bilheterias dos Estados Unidos e do Canadá em sua estreia neste fim de semana. A marca supera os US$ 158,4 milhões de Batman, o Cavaleiro das Trevas em seu lançamento, em 2008. O oitavo filme da saga Harry Potter está sendo exibido em 4.300 salas nos EUA e foi o primeiro da série a ser lançado com a tecnologia 3D. Juntos, os longas, baseados nos livros da autora britânica J.K. Rowling, arrecadaram US$ 6,4 bilhões em bilheteria no mundo. Até a noite de ontem, não se sabia o rendimento de As Relíquias da Morte - Parte 2 no mundo. Só na sexta-feira, US$ 157 milhões em bilhetes tinham sido vendidos. O longa deverá ser o primeiro da série a render US$ 1 bilhão. (AE)


e CAIXA 1 conomia

O seu consultor financeiro

18

18

19

Segunda-feira

Segunda-feira

Terça-feira

O MDIC divulga a balança comercial brasileira da última semana

Saem os dados do IPC-S da FGV relativos à segunda quadrissemana

O IBGE anuncia a Pesquisa Mensal de Emprego de junho

13

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

I

nvestir na bolsa de valores brasileira neste ano exige cautela dobrada. Embora o Ibovespa (índice que reúne os papéis mais negociados do mercado) acumule queda de 4,68% no ano, sinalizando para o investidor de que a bolsa está "barata", indicando uma boa hora para comprar, ainda há muitas dúvidas sobre quanto mais ela poderia cair. Questiona-se, ainda, se uma alta seria capaz de reduzir as perdas recentes. "O investimento só é indicado neste ano para o investidor qualificado ou que queira especular, que geralmente é quem acompanha diariamente a bolsa, compra um papel, espera uma recuperação de 1% e já vende", diz o analista da Souza Barros Corretora, Clodoir Gabriel Vieira. Para quem não tem o hábito de ficar colado ao monitor da bolsa, o investimento, segundo o analista, não é aconselhável, principalmente para quem pretende sacar os recursos ainda em 2011. "Não estamos imaginando um cenário para a bolsa, até o final do ano, muito diferente do que vemos agora. Ela deve continuar oscilando ao sabor das notícias, principalmente vindas de fora", destaca. Na última semana, os negócios na bolsa brasileira foram novamente afetados pelo noticiário econômico mundial. A simples possibilidade de que as agências de risco estariam dispostas a reduzir a nota de classificação de crédito dos EUA prejudicaram as operações de renda variável em várias partes do mundo, e a Bovespa não escapou. Para se ter uma ideia, dos 11 pregões deste mês, o Ibovespa fechou no vermelho em oito. Mesmo antes do mau humor causado pelo noticiário norte-americano, a bolsa brasileira já vinha fechando em baixa em reação ao temor de que a crise envolvendo as dívidas públicas na Grécia e em Portugal avance para a Itália e a Espanha, colocando em risco a estabilidade da zona do euro.

Quebra-cabeça de alto risco na bolsa de valores Cenário externo confuso, com aumento da aversão a risco, piora perspectivas para o Ibovespa. Arte sobre foto de Amanda Andersen/Reuters

ADRIANA GAVAÇA

Juro alto e aversão a risco Para o economista da SulAmérica Investimentos Newton Rosa, esse cenário de crise fiscal na Europa e nos EUA cria um clima de aversão ao risco global. O detalhe em relação à queda do Ibovespa, que neste ano está mais acentuada do que a do Dow Jones (principal índice de bolsa de Nova York), pode ser explicada pela elevada taxa básica de juros no País – cenário em que a renda variável perde em atratividade para a renda fixa. "Os fundamentos da economia brasileira continuam muito bons. Mas ainda temos uma taxa de juros extremamente elevada e com expectativa de subir mais na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom)", avalia Rosa. Justamente pela queda acentuada do Ibovespa, especialmente em comparação às bolsas norte-americanas, o analista acredita que os papéis no Brasil estejam "baratos" e são uma oportunidade de compra, mas ressalta: só para quem não esteja em busca de lucro no curto prazo. "O cenário de curto prazo não é favorável para os negócios em bolsa. Já para quem pensa em longo prazo, talvez agora seja uma boa oportunidade para comprar, por causa dos baixos preços", afirma. O conselheiro da Ordem dos Economistas de São Paulo (Corecon) Roberto Troster observa ainda que o investidor de mais longo prazo – um a dois anos – também pode entrar na bolsa agora, mas deve estar preparado para ter de adiar sua saída, caso o cenário de melhora não se concretize em 2011 ou 2012. "A bolsa tem 'andado de lado', como se diz no mercado. Embora tenha havido períodos de recuperação, eles ainda não foram suficientes para reverter as perdas. Mesmo que haja uma melhora, será difícil o investimento sair do empate neste ano", diz (veja no quadro o vaivém do Ibovespa). Para quem ainda está disposto a entrar (ou ficar) na bolsa neste ano, mesmo com as adversidades, o analista da Souza Barros tem uma dica: fugir de ações de empresas muitos negociadas, como Vale e Petrobras. "As empresas chamadas de segunda linha sofrem menos com especulações e notícias vindas de fora, podendo amenizar perdas e aumentar a lucratividade em períodos difíceis", diz Vieira. Entre as maiores altas acumuladas neste ano (período de janeiro a junho), dentro do Ibovespa, segundo a BM&FBovespa, estão TIM Participações PN (41,01%), TIM Participações ON (33,89%), Brasil Te l e c o m P N ( 2 7 , 5 2 % ) , C e m i g P N (25,38%) e Light S/A ON (22,93%).

Segundo analistas, cenário é tão complexo que exige paciência e perspicácia do investidor.


14 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

e

15

conomia

CAIXA 1 O seu consultor financeiro

T

ermina neste mês o prazo para que a BM&FBovespa encaminhe à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) um novo regulamento para disciplinar a constituição e o funcionamento dos clubes de investimento no País. A medida faz parte do arcabouço legal previsto na instrução CVM 494, divulgada no último dia 20 de abril e editada em substituição à instrução CVM 40, de 1984. A partir o último mês de abril, portanto, os clubes que já estavam em funcionamento têm 120 dias para se enquadrar à nova legislação. Para os clubes criados depois, as novas normas já estão valendo. Entre as mudanças previstas está um limite para o número de participantes por clube, maior transparência na escolha dos investimentos e gestão do produto e valorização do papel dos clubes para a introdução do público de varejo ao mercado de capitais. Adaptação

"Apesar do prazo para adaptação, acreditamos que 90% do mercado já esteja funcionando conforme as novas regras. Temos casos ainda no mercado de clubes com maior número de participantes, que podem, no futuro, deixar de ser tratados como clubes e passar a funcionar como fundo", diz o vice-presidente da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec) de São Paulo, Ricardo Tadeu Martins. A migração de clubes para fundos deve ocorrer, uma vez que a nova regulamentação limita o número de participantes a 50 membros por clube e proíbe qualquer tipo de propaganda ou exposição na mídia. "A ideia é retomar as características originais de um clube de investimento, que era criado por um pequeno grupo de amigos interessados em investir e aprender sobre o mercado de ações", observa Martins. Antes da edição das novas regras não era difícil encontrar clubes que funcionavam com as mesmas características de um fundo de investimento, ou seja, em que não havia o menor contato ou vínculo entre os participantes e eram usados, muitas vezes pela corretora ou administrador, como um produto de prateleira.

to boa para o mercado quando todos os clubes estiverem adaptados, pois passa a evitar que a administração por terceiros resulte em fraude", avalia o consultor da área financeira e conselheiro da Ordem dos Economistas de São Paulo Cláudio Gonçalves. Sem pagamentos Com base nas novas regras, passa a ser proibido ao cotista que exercer a função de gestor do clube receber qualquer espécie de remuneração ou benefício, direto ou indireto, pelos serviços prestados. As novas instruções proíbem também que administradores recebam vantagem por sua condição, contraiam empréstimos em nome do grupo, prometam rendimentos predeterminados ou usem recursos do clube para pagamento de seguro contra perdas financeiras de cotistas, entre outras determinações. Há, ainda, proibições quanto à composição de carteira. Os gestores estão impedidos de operar com valores mobiliários fora de mercados organizados, adquirir títulos ou valores de emissão do administrador ou de empresas a eles ligadas, adquirir cotas de fundos de investimento administrados ou geridos pelo administrador. As novas regras determinam ainda que todo clube de investimento tenha no mínimo 67% do seu patrimônio aplicado em ações. Os 33% restantes podem ser investidos conforme a determinação dos cotistas ou gestores, por exemplo, em títulos de renda fixa. "Com as mudanças, o investidor terá mais consciência do tipo de aplicação em que está entrando e dos riscos inerentes a esse mercado. É preciso que ele entenda que investir em bolsa tem riscos, o que não ficava totalmente claro antes das mudanças", diz Gonçalves.

Novas regras para clubes... BM&FBovespa e CVM devem limitar número de participantes desses grupos

Como funcionam os grupos

S

e você está interessado em investir em ações, mas teme tomar esse passo sozinho, pode recorrer aos clubes de investimento. Formados por um número limitado de pessoas (de três a 50), os grupos são uma boa opção, pois mais participantes podem avaliar melhor os riscos de cada ação e escolher aquela que acham que trará melhor retorno. Foi justamente com esse objetivo que os clubes foram criados: para introduzir o investidor pessoa física, que nunca operou na bolsa, no mercado de ações. Um clube de investimento não tem data para acabar, mas pode ter prazo predefinido para ser extinto, caso essa seja a vontade dos participantes.

Divulgação/BM&FBovespa

ADRIANA GAVAÇA

Oswaldo Zanetti Favaro Jr. (esq.), da CVM, e Carlos Alberto Rebello (dir.), da bolsa: debate de novas regras.

Valorização

Apesar dessas exigências, a CVM permitiu, com a nova instrução, que os clubes de investimento já existentes possam continuar atuando com o mesmo número de participantes, mesmo que ele ultrapasse os 50 membros, desde que se adapte às demais regras. Existem no País aproximadamente 3 mil clubes de investimento em operação, com cerca de 130 mil participantes e aplicações de R$ 11 bilhões. A limitação no número de participantes, segundo a CVM, tem como principal objetivo valorizar o papel dos clubes na introdução do público de varejo ao mercado de ações. Ao contrário do que acontecia até agora, em que os membros podiam investir sem nunca opinar ou conhecer de perto o porquê das decisões de investimento, com as novas regras ele será obrigado a participar de um assembleia geral, realizada pelo menos uma vez por ano, embora não tenha sido exigido que essa assembleia seja presencial – pode ser realizada por meio eletrônico. "A legislação desse setor era antiga e merecia uma nova roupagem. Acho que será mui-

Rejane Tamoto

Com o novo cálculo, o investidor terá uma informação precisa. RODRIGO MACHADO, DA BRAZILIAN FINANCE

...e também O para fundos imobiliários.

s investidores de fundos imobiliários poderão ter acesso a informações mais transparentes nos demonstrativos financeiros e de fluxo de caixa e nos balanços contábeis das gestoras, com a conclusão de estudo da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O órgão regulador do mercado avalia a mudança na divulgação de dados desses fundos para o padrão contábil internacional (IFRS). Se forem aprovadas após as audiências públicas, as regras entram em vigor em 1º de janeiro de 2012. Segundo o diretor de regulação de emissores da BM&FBovespa, Carlos Rebello, as mudanças têm o objetivo de

No site da BM&FBovespa na internet (www.bmfb ovespa.com.br) há uma cartilha explicativa sobre esse segmento, detalhando como formar um clube. Conforme as instruções, ele pode ser criado por empregados de uma mesma empresa ou por um grupo de pessoas que tenham objetivos comuns: professores, metalúrgicos, donas de casa, médicos, aposentados. Para a criação de um club e d e i nve s t i m e nt o s, a BM&FBovespa ressalta que é preciso haver um administrador, que deve ser de uma corretora da bolsa, de uma distribuidora de títulos ou pertencer a um banco. Cada clube deverá ter seu estatuto social, ou seja, um regulamento para a sua criação. (AG)

formar um mercado sustentável para os cotistas. A participação desses fundos no total de negociações da bolsa de janeiro a junho foi de 0,05%, o dobro do registrado em 2010 (0,025%). De 2008 até junho passado, o número de investidores passou de 5,9 mil para 29,1 mil. Segundo o analista de normas contábeis da CVM, Osvaldo Zanetti Favero Júnior, as mudanças propostas devem tornar a contabilidade dos demonstrativos financeiros mais baseada em princípios e menos em regras; assim, resgatarão o papel e a responsabilidade do administrador e do contador, que serão menos dependentes de órgãos reguladores. Uma delas determina que os balanços semestrais sejam substituídos por demonstrativos de fluxo de caixa. Além disso, será preciso que as demonstrações financeiras tenham a opinião de auditor, exceto para fundos com menos de 90 dias sem cotas negociadas na bolsa. Valor dos imóveis A medida que mais altera o modelo atual é o novo cálculo dos valores de imóveis para renda. Segundo a proposta, a conta passará a ser feita com base no conceito de valor justo – quanto um agente de mercado pagaria por ele. Atualmente, o valor dos imóveis para renda é calculado pelo preço de aquisição menos a depreciação. A forma de cálculo de imóveis que são construídos para venda continuaria a mesma, pelo valor realizável líquido. Para Rodrigo Machado, diretor da Brazilian Finance e coordenador da câmara consultiva de produtos financeiros e imobiliários da BM&FBovespa, a mudança possibilitará o alinhamento entre o valor patrimonial do fundo e o valor de mercado do imóvel. "Isso não deve mudar o preço das cotas, mas vai facilitar a leitura por parte do investidor, com informação mais precisa. Se antes um imóvel valia R$ 150 mil, o patrimônio do fundo valia R$ 90 mil com a depreciação. Agora, o patrimônio deve valer o mais próximo dos R$ 150 mil." Na opinião de Daniel Alves Ferreira, gerente administrativo do fundo imobiliário Lagra, será preciso desenvolver uma metodologia para determinar o valor justo dos imóveis. "Temos 300 imóveis em vários estados. Se usarmos os índices publicados nos jornais para precificar o metro quadrado, serão muitos locais. Pela regra da CVM, não podemos usar o IPTU ou ITBI para determinar o valor", diz, citando o Imposto Predial e Territorial Urbano e o Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis. Para o gerente, a mudança será positiva porque aproxima o valor dos imóveis ao das cotas negociadas na bolsa


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

e Porto 24 Horas recebe duas adesões

A adesão de empresas ao Porto 24 Horas resultará em ganhos de produtividade, o que implicará em redução de custos. José Cândido Senna, coordenador executivo do Comus

conomia

Projeto busca elevar a eficiência das operações no porto de Santos, e prevê que as operações sejam realizadas de maneira ininterrupta. Paula Cunha

para o mês", disse Giacomini. Outra empresa a aderir ao Porto 24 Horas foi a SudameriComitê de Usuá- cana Agência Marítima do rios de Portos e Ae- Brasil (SAAM Cubatão). Ela roportos do Estado anunciou que ampliou seu hode São Paulo (Co- rário de atendimento dentro m u s ) a n u n c i o u n a ú l t i m a do sistema, e atuará de forma quinta-feira, em reunião reali- ininterrupta de segunda-feira, zada na sede da Associação a partir das 7h30, até sábado, às C o m e r c i a l d e S ã o P a u l o 12h, por um período inicial de (ACSP), a adesão de duas em- seis meses. A companhia é a presas ao projeto Porto 24 Ho- operadora com a maior unidaras. A iniciativa tem a finalida- de de depots (depósitos) exde de implementar o conceito clusivos para contêineres vade operação ininterrupta em zios da América Latina. O diretor-geral da SAAM toda a estrutura logística do Brasil, Jorge Cárdenas, lemporto de Santos. b ro u q u e h á U m a d a s Fotos: Leandro Moraes/LUZ cerca de dez companhias é a n o s o s e go grupo chilemento de terno CSAV, que minais para atua no transcontêineres porte de carnão era consigas em contêiderado releneres no Bravante para a sil, e agora imeconomia sulplementará a americana. oferta de noEle passou a vos serviços ser essencial aos usuários em razão do dentro do cres cim en to conceito do Nossa expectativa é dos fluxos nePorto 24 Hode movimento gociados. Por ras. De acordo isso, a emprecom seu viceainda maior nos presidente de portos paulistas no s a i n v e s t i u R$ 33 milhões operações, segundo semestre em portos do David GiacoDAVID GIACOMINI, País nos últimini, a empreVICE-PRESIDENTE DE mos anos. s a p re t e n d e OPERAÇÕES DA CSAV Na avaliarepassar apeção de José nas parte dos Cândido Sencustos para as operações realizadas no horá- na, coordenador-executivo do Comus, a adesão destas emrio estendido. Segundo ele, haverá a co- presas ao projeto resultará em brança de US$ 30 por atividade ganhos de produtividade, que de coleta e entrega de contêi- implicará em redução de cusner vazio, durante o horário tos. "Assim, haverá perspectiampliado. A meta é custear, va de redução de preços e auparcialmente, a adoção de tur- mento da competitividade dos empresários de diversos segnos de trabalho adicionais. "Nossa expectativa é de mo- mentos. Se todas as áreas envimento ainda maior nos por- volvidas trabalharem por 24 tos paulistas no segundo se- horas, elas receberão e enviamestre deste ano. Apenas em rão cargas de todos os municíjulho, a previsão é de que che- pios paulistas, tornando-se, garão ao porto de Santos 7,5 assim, usuários permanentes", mil contêineres, total recorde explicou.

Ricardo Nogueira/FolhaPress

O

A defasagem de infraestrutura do Porto de Santos leva as empresas operadoras a deixarem parados contêineres por mais de 30 dias nos pátios

O segmento de terminais para contêineres passou a ser essencial para a economia sulamericana JORGE CÁRDENAS, DIRETORGERAL DA SAAM BRASIL O acordo de adesão das empresa ao Porto 24 Horas prevê que elas enviarão mensalmente ao Comus as estatísticas com os volumes totais movimentados durante o período amplia-

do. De acordo com Senna, atualmente de 8% a 9% dos usuários de Santos deixam seus contêineres por mais de 30 dias nos pátios. Isso ocorre porque a infraestrutura do porto de Santos não acompanhou o avanço da economia. Estes dados são reforçados pelas estatísticas do Comus. Eles indicam que, de 2001 a 2008, houve aumento de 113% nas consignações médias em contêineres, por navio atracado em Santos. Elas passaram de 392 para 836 TEUs. Um TEU é a unidade equivalente a um contêiner de vinte pés. "À medida que os agentes e as empresas transportadoras rodoviárias aderirem ao novo sistema, o volume transacionado crescerá", concluiu Senna. Para atender a esta expansão, o Comus incluiu no projeto Porto 24 Horas diretrizes como o fortalecimento do papel dos operadores logísticos para que seus benefícios sejam compartilhados por importadores e exportadores.

Oriente Médio: mais vendas.

A

s exportações brasileiras de alimentos para o Oriente Médio e Norte da África aumentaram 33% no primeiro semestre deste ano, para US$ 4,45 bilhões, de acordo com informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), compiladas pela Câmara de Comércio Árabe Brasileira. As vendas totais do Brasil para a região somaram US$ 6,41 bilhões. O trigo foi destaque entre os embarques de alimentos aos árabes, assim como os óleos vegetais. Houve aumento também nas receitas com as vendas

de carnes – principalmente as de frango – açúcar, café e soja. Superávit – O Brasil comprou o equivalente a US$ 4,55 bilhões da região no primeiro semestre e, assim, acumulou superávit de US$ 1,86 bilhão no comércio com os árabes nos seis primeiros meses do ano. Os fertilizantes estão entre os principais produtos importados pelo País. A corrente comercial, que representa a soma de todas as transações bilaterais, ficou em quase US$ 11 bilhões. Os números divulgados não incluem a Líbia, país passa por conflito civil. (AE)

Protestos de PJ crescem 6,1% Medidas de contenção ao crédito e elevação de juros pesaram no resultado nacional levantado pela BVS

O

número de títulos protestados de pessoas jurídicas em todo o Brasil alcançou 1.241.217 no final de junho – elevação de 6,1% no primeiro semestre deste ano frente a igual período de 2010. O aumento foi consequência das políticas de contenção da economia tomadas pelo governo federal que envolveram medidas como elevação dos juros e restrições ao crédito, de acordo com a avaliação feita pela BVS (Boa Vista Serviços, da ACSP, que publica este Diário do Comércio). As iniciativas determinadas pelo governo federal acabaram inibindo a atividade econômica e reduzindo a capaci-

dade de pagamento tanto de empresas quanto dos consumidores, avalia a BVS. De acordo com Flávio Calife, analista da empresa, os números dos protestos foram obtidos em 98% dos cartórios brasileiros e refletem a expectativa de crescimento menor da economia brasileira neste ano, que não deve repetir o bom desempenho observado no ano passado. Para ele, enquanto os índices de inflação continuarem acima do teto da meta do governo federal, haverá mais aumentos nas taxas de juros nos próximos meses, o que contribuirá para a elevação do total de títulos protestados nesse período.

Entretanto, o desempenho de junho frente a maio indicou queda expressiva de 17,5% no índice nacional, e de 19,4% nas regiões sudeste e sul, principalmente por causa do efeito calendário (número menor de dias úteis em junho em comparação com maio). O u t r a s re g i õ e s t a m b é m apresentaram recuos significativos como o de 9,2% observado no Centro-Oeste. Na comparação mensal, o analista diz que o resultado continuará influenciado por fatores sazonais. (leia quadro) Nordeste – No semestre, a elevação mais expressiva no total de protestos de títulos de empresas ocorreu na região Nordeste (17,8%), pois ela foi mais impactada pelas medidas macroeconômicas de contenção. As regiões Sul e Sudeste apresentaram altas menores, de 3,6% e 4,6%, respectivamente. Em relação às perspectivas para os próximos meses, a expectativa é de manutenção dos níveis atuais dos títulos protestados, apesar dos níveis positivos de consumo e de criação de empregos. (PC)

Revisão na aposentadoria acima do mínimo

O

s benefícios previdenciários acima do salário mínimo (R$ 545) e que tiveram aumento de 6,41% em janeiro último passarão a ser corrigidos em 0,6%, o que corresponde ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) integral de 2010 – 6,47%. Em janeiro, esses benefícios tiveram um aumento inferior porque a equipe econômica considerou em seus cálculos a estimativa de INPC de 6,41%. Agora, o governo decidiu pagar a diferença percentual, retroativamente a janeiro. A mudança deve elevar, em média, o valor das aposentadorias e pensões em R$ 0,65. Com a revisão dos benefícios, também haverá ajustes no teto das faixas de contribuição ao INSS a partir de agosto. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

17

e EUA declara apoio ao governo grego Os EUA apoiam a determinação da Grécia em fazer as reformas necessárias. Hillary Clinton, secretária de Estado dos EUA

conomia

Em visita ao país balcânico, a secretária de Estado Hillary Clinton deixou claro, contudo, que a solução da crise é uma questão europeia. Saul Loeb/AFP

A

secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, demonstrou apoio à Grécia no momento em que o país enfrenta uma crise fiscal que ameaça contaminar países como a Itália e a Espanha. Ela visitou Atenas neste domingo, quando afirmou: "estamos do lado do povo e do governo da Grécia." "Os Estados Unidos apoiam com força a determinação do governo em fazer as reformas necessárias para colocar a Grécia em um bom caminho financeiro." A representante dos EUA se reuniu com diversas autoridades gregas, como o primeiroministro George Papandreou, o secretário de Estado grego, Stavros Lambrinidis, e o ministro da Economia do país, Evangelos Venizelos. Ela destacou, contudo, que Washington ainda encara a crise grega como um problema que a Europa deve resolver. Após receber 110 bilhões de euros em ajuda da União Europeia (UE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) no ano passado, o país vive na expectativa de receber um segundo pacote de ajuda dos organismos internacionais. Para isso, o governo conseguiu aprovar no mês passado um pacote de medidas de austeridade econômica de 28,4 bilhões de euros para os próximos cinco anos, em meio a violentos protestos da população. Disciplina – O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, pediu ontem aos líderes da eurozona para cumprirem com sua responsabilidade para o resgate da Grécia. Ele lembrou que, no caso da falta de pagamento total ou parcial, deverão recorrer a mecanismos "aceitáveis" pelo sistema monetário comum. "Os governos são responsá-

Crise na produção de azeitona

U

Hillary Clinton se reuniu com autoridades gregas, como o ministro da Economia, Evangelos Venizelos.

veis, e eles foram advertidos, por todos os meios e com toda clareza que, em caso de moratória de um país, seus bônus estatais não poderão ser aceitos como garantia normal bancária", disse em entrevista que será publicada hoje no jornal Financial Times Deutschland. Reunião – A crise da dívida grega ocupará posição central na cúpula extraordinária da zona do euro que será realizada na próxima quinta-feira, em Bruxelas. Na ocasião, será discutido o financiamento do segundo programa de resgate da Grécia. A reunião será realizada uma semana mais tarde do que o esperado, já que a Alemanha freou sua convocação ao insistir que era necessário contar primeiro com algo concreto sobre o que decidir. Berlim, apoiada pela Finlândia e Holanda, insistiu até agora em uma participação dos credores privados – fórmula que o BCE rejeita, porque poderia ver-se como uma reestruturação. A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou on-

tem que não trabalha num programa de reestruturação da dívida grega. "O que queremos é o menos de medidas possíveis, e uma reestruturação, como tem sido constantemente mencionado agora, também tem um efeito negativo que poderá levar os países possivelmente a não fa-

zer mais tanto esforço", disse à rede de TV pública ARD. "Estamos tentando tudo que podemos para evitar algo que é ainda mais duro, mas o envolvimento de credores privados mostra que temos um problema especial na Grécia devido (ao nível de dívida) muito, muito alto", disse. (Agências)

EUA: Senado deve discutir teto da dívida.

O

Senado dos Estados Unidos deve começar a discutir nesta semana um plano de contingência bipartidário para evitar um calote sem precendentes na divída norte-americana. A afirmação partiu ontem de assessores do Partido Democrata. Assessores disseram que o Senado de maioria democrata deve aprovar a legislação, mas não está claro se os republicanos da Câmara dos Deputados

vão dar o apoio necessário. Efeitos – A economia dos EUA deverá afundar numa recessão mais profunda do que a do segundo semestre de 2008 se o Congresso norte-americano não elevar o atual teto da dívida pública, de US$ 14,3 trilhões. Nos cálculos do economista Michael Etllinger, vicepresidente do Centro para o Progresso Americano, o Produto Interno Bruto (PIB) do país despencará para 2,3% negati-

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANDRADINA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANDRADINA

EXTRATO DE PRORROGAÇÃO CONTRATUAL Processo nº 93/10 – Tomada de Preços nº 17/10 CONTRATANTE: Prefeitura do Município de Andradina. CONTRATADO: PONTAL – ENGENHARIA CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO LTDA EPP. Fica ajustado entre as partes que o prazo de execução será prorrogado por mais 120 (cento e vinte) dias para os itens 1 e 2 e, em consequência, o prazo de vigência do contrato será prorrogado por mais 180 (cento e oitenta) dias. As demais cláusulas e condições dos contratos supra permanecem inalteradas. DATA: 16 de maio de 2011. JAMIL AKIO ONO – PREFEITO

EXTRATO DE PRORROGAÇÃO CONTRATUAL Processo nº 130/2010 – Tomada de Preços nº 26/2010 CONTRATANTE: Prefeitura do Município de Andradina. CONTRATADO: CEGA – JARDINS, SERVIÇOS E CONSTRUÇÕES LTDA – EPP. Fica ajustado entre as partes que o prazo de execução será prorrogado por mais 70 (setenta) dias e, em consequência, o prazo de vigência do contrato será prorrogado até 13/11/2011. As demais cláusulas e condições dos contratos supra permanecem inalteradas. DATA: 15 de julho de 2011. JAMIL AKIO ONO – PREFEITO ASSOCIAÇÃO CIVIL PARQUE ITAPETINGA EDITAL DE CONVOCAÇÃO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANDRADINA AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO Processo nº 70/11 – Tomada de Preços nº 08/11 OBJETO: Contratação de empresa especializada para execução de pavimentação asfáltica, tipo CBUQ, área de 3.742,94 m², construção de guias e sarjetas, área de 505,60 m. TIPO: MENOR PREÇO. REGIME: Empreitada por preço global. VENCIMENTO: 10(dez) horas, do dia 03 de agosto de 2011. Edital por meio magnético - taxa no valor de R$ 34,84. INFORMAÇÕES: Prefeitura - Rua Dr. Orensy Rodrigues da Silva n°341, fone/fax (18) 37021000 ramal 1029, de 2ª a 6ª feira, das 8h30 às 16h00. Andradina, 15 de julho de 2011. JAMIL AKIO ONO – PREFEITO

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 15 de julho de 2011, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Frefer Metal Plus S/A - Requerida: Bolme Bolsa de Ligas e Comércio de Metais Ltda. - Rua Padre João Antonio nº 171 - Térreo - Vila Maria Baixa - 2ª Vara de Falências Requerente: Madri Serviços de Segurança Ltda. - Requerida: Cicomac Agro Industrial, Empreendimentos e Comércio S/A - Alameda Ribeirão Preto nº 235 - 1ª Vara de Falências Requerente: J.G.B. Factoring Fomento Mercantil Ltda. - Requerida: R.W.V. Pinturas Ltda. - Rua Oscar Ferreira do Amaral nº 122 - Vila Regente Feijó - 2ª Vara de Falências Requerente: Coats Corrente Ltda. - Requerida: Andréia Rodriguez Bolsas - Rua Jaboti-Membeca nº 187 - Fundos - Jardim Brasília (Z.Leste) - 1ª Vara de Falências Requerente: Banco Itaú BBA S/A - Requerida: DHJ Comércio de Veículos Ltda. - Avenida Prof. Luiz Ignácio de Anhaia Mello nº 1.383 - Vila Prudente - 2ª Vara de Falências Requerente: Banco Itaú BBA S/A - Requerida: NCP Comércio de Veículos Ltda. - Avenida das Nações Unidas nº 23.293 - prédio 1 - sala 1 - Vila Almeida - 2ª Vara de Falências Requerente: Banco Itaú BBA S/A - Requerida: AGL Locadora de Veículos Ltda. - Rua Francisco Polito s/nº - lotes 13 a 17 - quadra A - sala 02 - 1ª Vara de Falências Requerente: Banco Itaú BBA S/A - Requerida: BBD Locadora de Veículo Ltda. - Rua Francisco Polito s/nº - lotes 13 a 17 - quadra A - sala 1 Vila Prudente - 1ª Vara de Falências Requerente: Mix Pneus Ltda. - Requerida: RC Serviços de Escolta e Transportes Ltda. - Rua Quirino nº 800 - sala 02 - Vila Guilherme - 2ª Vara de Falências

De conformidade com o capítulo V, artigo 15º do Estatuto da Associação Civil Parque Itapetinga, ficam os senhores associados (Águia Branca I, II e Recanto Serrano I, II) convocados para a Assembleia Geral Ordinária a ser realizada em 30 de julho de 2011, em única convocação, às 10h, nas dependências do salão de festas das piscinas do Atibaia Clube de Montanha, Parque das Cascatas, s/nº - Atibaia, São Paulo, para deliberarem sobre: Expediente: a) Aprovação da ata da reunião anterior; b) Leitura de papéis encaminhados à mesa; c) Comunicação de assuntos de livre escolha dos oradores. Ordem do Dia: 1) Leitura e aprovação da ata da Assembleia Geral anterior; 2) Análise e aprovação do balancete de janeiro a junho do ano de 2011; 3) Informação sobre ações de cobrança dos associados inadimplentes; 4) Informação sobre o processo de regularização do Residencial Parque Itapetinga; 5) Previsão de gastos para as obras de recuperação/construção de reservatório de água, localizado na laje do residencial; 6) Manutenção: locais onde sofrerão intervenções visando atender às necessidades atuais do residencial Previsão de gastos; 7) Segurança - Monitoramento, a partir da colocação de equipamento de alarme ligado à Portaria a critério de cada associado; 8) Eleição do Conselho Diretor para o biênio 2011/2013; 9) Assuntos Gerais. Dada a relevância dos assuntos, é indispensável a presença de todos os associados. São Paulo, 13 de julho de 2011. Conselho de Administração. William Edison Zancarli - Secretário. Secretaria: Rua Artur Bastos 107 - Parque São Domingos - CEP 05126160 - Tel 3902-3701 - São Paulo. E-mail: parque_itapetinga@hotmail.com.

m símbolo da Grécia já tem sua produção afetada negativamente pela crise do país: a azeitona. Apesar de figurar em primeiro lugar na pauta de exportações e ocupar uma posição central na identidade nacional grega, o produto tem sofrido com a queda vertiginosa dos preços no mercado – forçando os agricultores dedicados a essa cultura a buscarem contornar as dificuldades da melhor forma possível. De acordo com reportagem publicada pela revista alemã Der Spiegel, a produção anual de azeitonas é de cerca de 2 milhões de toneladas. No entanto, seu preço teria caído nos últimos anos de 3 euros para 1,50 euro por quilo. Segundo o produtor Georgios Nikolaou, entrevistado pela publicação, os principais fatores que levaram a essa situação são a ânsia de lucro dos compradores de azeitona no mercado local – apesar de comprarem o produto por preços baixos, ele é vendido nos supermercados de Atenas por cerca de 9 euros o quilo – e os custos com a colheita e transporte. Com essa situação, Nikolaou contou à Der Spiegel que tem estocados cerca de 3 mil litros de azeite de oliva – à espera de uma recuperação dos preços ou, se as coisas não melhorarem, de uma proposta de compra.

vos, em termos nominais, em agosto e setembro próximos. Essa retração compensaria um inevitável cumprimento dos compromissos externos, por parte do governo norteamericano. Porém, causaria um dano catastrófico para a economia dos EUA e do resto do mundo. "Enquanto Barack Obama for o presidente e Tim Geithner o secretário de Tesouro, os EUA vão honrar sua dívida externa. Eles vão encontrar os recursos para rolar os compromissos de curto prazo e/ou para pagálos, efetivamente, mesmo com maior sacrifício no âmbito do-

méstico", afirmou. Como o impacto desse cenário se estenderia mundo afora, a exemplo das Depressões dos anos 1930 e de 2008, Etllinger afirmou acreditar na "generosidade" de países com amplas reservas internacionais e/ou fundos soberanos. A China seria uma óbvia fonte de ajuda. Mas, o economista também considera possível uma iniciativa do Brasil. Em sua opinião, não interessa a nenhuma economia, especialmente às emergentes, conviver de novo com a queda das importações norte-americanas e dos preços das commodities. (Agências)

I taúsa Expor Exportt S.A. CNPJ 45.594.330/0001-90 NIRE 35300139291 ATA SUM ÁRIA D A ASSEMBLEIA GER AL ORDINÁRIA E EX TR AORDINÁRIA DE 6 DE JUNHO DE 2011 SUMÁRIA DA GERAL EXTR TRA DATA, HOR A E LLOC OC AL: Em 6.6.2011, às 9h30, na Praça Alfredo Egydio de Souza Aranha, 100, Torre HORA OCAL: Conceição, 7º andar, em São Paulo (SP). MESA: Alfredo Egydio Setubal - Presidente. Mario Luiz A Amabile - Secretário. QUORUM: Acionista representando a totalidade do capital social. PRESENÇ PRESENÇA LEGAL: Administradores da Sociedade e representantes da PricewaterhouseCoopers Auditores AL DE C ONVOC AÇ ÃO : Dispensada a publicação de edital, face ao disposto no Independentes. EDIT EDITAL CONVOC ONVOCA OS A CIONIST AS: Dispensada a publicação do aviso aos Artigo 124, § 4º, da Lei 6.404/76. AVISO A AOS ACIONIST CIONISTAS: AÇÕES acionistas a que se refere o Artigo 133, nos termos do seu § 5º, da Lei 6.404/76. DELIBER DELIBERA TOM AD AS: I) EM P AUT A ORDINÁRIA: 1. Aprovar as Contas dos Administradores, o Balanço OMAD ADAS: PA UTA Patrimonial, as demais Demonstrações Financeiras, Notas Explicativas e os Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes, relativos ao exercício social encerrado em 31.12.2010, os quais foram publicados na edição de 4.5.2011 do “Diário Oficial do Estado de São Paulo” (págs. 5 e 6) e do “Diário do Comércio” (págs. 17 e 18). 2. Aprovar a destinação do lucro líquido do exercício de 2010, no valor total de R$ 42.494.695,00, da seguinte forma: (a) R$ 2.124.734,75, para a conta de Reserva Legal; (b) R$ 39.966.260,65, para a conta de Reserva Estatutária; e (c) R$ 403.699,60, para pagamento aos acionistas, até 31.12.2011, de dividendos provisionados no balanço de 31.12.2010, tendo como base de cálculo, para os fins previstos no Artigo 205 da Lei nº 6.404/76, a posição acionária hoje registrada. 3. Reeleger para os cargos de et or P et or es G er en (a) Dir Diret etor Prresiden esidentte: ALFREDO EGYDIO SETUBAL; (b) Dir Diret etor ores Ger eren enttes: CANDIDO BOTELHO BRACHER, CLAUDIA POLITANSKI, EDUARDO SARON NUNES e SÉRGIO RIBEIRO DA COSTA WERLANG; or Jur ídic o: LUCIANO DA SILVA AMARO; e eleger para o cargo de (a) Dir et or G er en e (c) Consult onsultor Jurídic ídico: Diret etor Ger eren entte: MARCO ANTONIO ANTUNES, todos adiante qualificados e com mandato até a posse dos que vierem a ser eleitos na Assembleia Geral Ordinária de 2012. Em consequência, resultará assim composta a DIRE TORIA - Dir et or P O EGY DIO SE TUBAL DIRET Diret etor Prresiden esidentte: ALFRED ALFREDO EGYDIO SETUBAL TUBAL, brasileiro, casado, administrador, RG-SSP/SP 6.045.777-6, CPF 014.414.218-07, domiciliado em São Paulo (SP), na Praça Alfredo et or es G er en Egydio de Souza Aranha, 100, Torre Olavo Setubal, Piso Itaú Unibanco; Dir Diret etor ores Ger eren enttes: C ANDID O BO TELHO BR ACHER ANDIDO BOTELHO BRA CHER, brasileiro, casado, administrador, RG-SSP/SP 10.266.958-2, CPF 039.690.188-38, domiciliado em São Paulo (SP), na Av. Brigadeiro Faria Lima, 3.400, 4º andar; CLA UDIA POLIT ANSKI CLAUDIA POLITANSKI ANSKI, brasileira, casada, advogada, RG-SSP/SP 16.633.770-5, CPF 132.874.158-32, domiciliada em São Paulo (SP), na Praça Alfredo Egydio de Souza Aranha, 100, Torre Conceição, ARD O SARON NUNES 1º andar; EDU EDUARD ARDO NUNES, brasileiro, casado, economista, RG-SSP/SP 20.211.796-0, O CPF 143.605.828-70, domiciliado em São Paulo (SP), na Av. Paulista, 149, 9º andar; MARC ARCO ANT ONIO ANTUNES ANTONIO ANTUNES, brasileiro, separado judicialmente, engenheiro, RG-SSP/SP 7.669.530-X, CPF 002.975.098-96, domiciliado em São Paulo (SP), na Praça Alfredo Egydio de Souza Aranha, 100, A C OST A WERLANG Torre Eudoro Villela, Piso Zero; e SÉRGIO RIBEIRO D DA COST OSTA WERLANG, brasileiro, casado, engenheiro, RG-IFP/RJ 04.590.754-0, CPF 506.666.577-34, domiciliado em São Paulo (SP), na Praça or Alfredo Egydio de Souza Aranha, 100, Torre Olavo Setubal, Piso Itaú Unibanco; e Consult onsultor Jur ídic o: LUCIANO D A SIL VA A MARO Jurídic ídico: DA SILV AM ARO, brasileiro, casado, advogado, RG-SSP/SP 3.413.990, CPF 105.883.708-78, domiciliado em São Paulo (SP), na Praça Alfredo Egydio de Souza Aranha, 100, Torre Conceição, 12º andar. 4. Registrar o atendimento das condições prévias de elegibilidade previstas nos Artigos 146 e 147 da Lei 6.404/76. 5. Manter a verba global e anual destinada à remuneração dos membros da Diretoria em até R$ 2.000.000,00, que compreende também as vantagens ou benefícios de qualquer natureza que eventualmente vierem a ser concedidos, reajustada de acordo com a política de remuneração adotada pela Sociedade e que será rateada na AUT A EX TR AORDINÁRIA: 1. Alterar a forma que vier a ser deliberada pela Diretoria. II) EM P PA UTA EXTR TRA oC onsult or ia S.A. denominação da Sociedade para “II taú Unibanc Unibanco Consult onsultor oria S.A.”. 2. Incluir, no Artigo 2º, relativo ao objeto social, a atividade “consultoria em negócios”, reordenando os itens que dele fazem parte. 3. Em consequência, alterar os Artigos 1º e 2º do Estatuto Social, que passam a se redigir conforme segue: “Art. 1º - DENOMINAÇÃO, PRAZO E SEDE - A Sociedade anônima regida por este estatuto, denominada ITAÚ UNIBANCO CONSULTORIA S.A., terá duração por prazo indeterminado, sede e foro na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, e poderá abrir dependências em qualquer ponto do território nacional ou do exterior, por deliberação da Diretoria. Art. 2º - OBJETO SOCIAL - A Sociedade tem por objetivo apoiar, direta ou indiretamente, o comércio exterior do País, através de: a) consultoria em negócios; b) estudos e projetos, no sentido de promover a exportação de produtos brasileiros; c) importação e exportação; d) participação em sociedades, no País ou no exterior, com vistas à colocação de produtos e bens de interesse nos mercados interno e externo; e) atividades administrativas e correlatas, de interesse das referidas sociedades; e f ) abertura de subsidiárias, integrais ou parciais, no Brasil ou no exterior.” 4. Consolidar o Estatuto Social para contemplar as alterações acima aprovadas, o qual passa a vigorar com a redação ora rubricada pelo AL: Não houve manifestação do Conselho Fiscal, por não se Acionista. CONSELHO FISC FISCAL: OS ARQUIV AD OS NA SEDE: Balanço Patrimonial e encontrar em funcionamento. DOCUMENT OCUMENTOS ARQUIVAD ADOS demais Demonstrações Contábeis, Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes. ENCERR AMENT O : Nada mais havendo a tratar e ninguém desejando manifestar-se, encerraramENCERRA MENTO se os trabalhos, lavrando-se esta ata que, lida e aprovada, foi assinada por todos. São Paulo (SP), 6 de junho de 2011. (aa) Alfredo Egydio Setubal - Presidente; Mario Luiz Amabile - Secretário. A presente é cópia fiel da original lavrada em livro próprio. Secretaria da Fazenda - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob nº 242.585/11-5, em 28.6.2011. (a) Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

e

O vínculo entre sites de compras coletivas, estabelecimentos e consumidores deve ser transparente. Deputado federal João Arruda (PMDB-PR)

conomia

Procon pode 'pular' emissão da carta Mas o Procon está de olho nas empresas que correm para solucionar a questão de seu cliente após a abertura de processo administrativo, resultando no nãocomparecimento do consumidor na audiência. Isso caracteriza desistência e, consequentemente, o encerramento do processo – o que é vantajoso para as companhias, que deixam de entrar no Cadastro de Reclamações Fundamentadas. Em São Paulo, as audiências seguem o que determina a lei estadual 10.177, e podem ser marcadas em até 120 dias. Quanto às reclamações nãoresolvidas mesmo após abertura de processo administrativo, o Procon pode tomar atitudes mais drásticas. "Podemos chamar o fornecedor para se explicar, encaminhar para o Departamento de Fiscalização do Procon – que pode gerar auto de infração –, montar dossiê e encaminhar para a polícia, Ministério Público, agências reguladoras etc." Dessa forma, a impunidade não prevalece.

Divulgação

Procon pode deixar de emitir a CIP em casos de urgência ou pontuais. SELMA DO AMARAL, DO PROCON-SP

Sua empresa sabe o que é a CIP? Mecanismo agiliza reclamação do consumidor

Svilen Milev/SXC

O

s processos administrativos não são abertos somente contra empresas que não respondem à Carta de Informação Preliminar (CIP). Mas o Procon-SP tem a prerrogativa de pular a fase de emissão da carta e convocar imediatamente a empresa para audiência presencial. "Isso vale para situações de urgência e em alguns casos pontuais", afirmou a assistente técnica do órgão, Selma do Amaral. Ela citou o caso das empresas que têm um número considerável de reclamações. Mesmo aberto processo administrativo há situações em que as empresas não vão para o Cadastro de Reclamações Fundamentadas. Isso vale para aqueles casos em que o técnico do Procon qualificou como "encerrada" a reclamação por desistência (o consumidor optou pelo Judiciário ou não compareceu à audiência), reclamações em duplicidade (nas quais não há o direito ou o fornecedor apresenta nexo causal).

P

rovavelmente sua empresa já recebeu em algum momento uma Carta de Informação Preliminar (CIP) encaminhada pelo Procon. Se isso ainda não ocorreu, uma coisa é certa: seus consumidores estão muito satisfeitos com o atendimento dispensado a eles. Mas não é bem isso que mostram os números do ProconSP. No ano passado, foram atendidos 630.715 consumidores; boa parte gerou a carta. "A CIP é um instrumento que dá celeridade ao questionamento

de um consumidor sem muita formalidade", disse Selma do Amaral, assistente técnica do Procon-SP. Segundo ela, a CIP representa uma amostra dos problemas nas relações de consumo. "Isso também vale para as empresas. Pelas cartas, as companhias podem checar o grau de satisfação de seus clientes e o que não está funcionando bem na corporação, além de corrigir algo em produto ou serviço que está trazendo insatisfação e até medir como seu Serviço de Atendimento ao Consumi-

O QUE DIZ O CDC Artigo 44 Os órgãos públicos de defesa do consumidor manterão cadastros atualizados de reclamações fundamentadas contra fornecedores de produtos e serviços, devendo divulgá-lo pública e anualmente. A divulgação indicará se a reclamação foi atendida ou não pelo fornecedor. § 1° - É facultado o acesso

às informações lá constantes para orientação e consulta por qualquer interessado. § 2° - Aplicam-se a este artigo, no que couber, as mesmas regras enunciadas no artigo anterior e as do parágrafo único do artigo 22 deste código. Artigo 107 As entidades civis de consumidores e as associações de fornecedores

ou sindicatos de categoria econômica podem regular, por convenção escrita, relações de consumo que tenham por objeto estabelecer condições relativas ao preço, à qualidade, à quantidade, à garantia e características de produtos e serviços, bem como à reclamação e composição do conflito de consumo.

§ 1° - A convenção tornarse-á obrigatória a partir do registro do instrumento no cartório de títulos e documentos. § 2° - A convenção somente obrigará os filiados às entidades signatárias. § 3° - Não se exime de cumprir a convenção o fornecedor que se desligar da entidade em data posterior ao registro do instrumento.

Fique por dentro

Projeto de lei estabelece regras para sites de compras coletivas

O

s sites de compras coletivas poderão ser regulados por lei. É que tramita na Câmara dos Deputados o projeto 1.232/ 2011, do deputado federal João Arruda (PMDB-PR), que disciplina a venda coletiva de produtos e serviços em sites da internet e estabelece critérios de funcionamento para as empresas que promovem esse tipo de comércio. A proposta obriga as empresas a manter serviço telefônico de atendimento ao consumidor, gratuito e de acordo com as normas de funcionamento dos call centers, fixadas pelo decreto 6.523/2008. Os estabelecimentos responsáveis pelos sites deverão possuir sede

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

ou filial no Brasil e informar seus dados, como o endereço, em sua página principal na internet. O texto detalha ainda as regras para as ofertas, cujas informações deverão ser divulgadas em tamanho não inferior a 20% da letra da chamada para a venda. As empresas também são obrigadas a especificar o volume mínimo de compradores para a liberação da oferta; o prazo para utilização do cupom, que deverá ser de pelo menos seis meses; o endereço e o telefone da empresa responsável pela oferta; o número de clientes que serão atendidos por dia; e a quantidade máxima de cupons que poderão ser adquiridos por pessoa. No caso de oferta de

alimentos, o site deverá publicar informações sobre eventuais complicações alérgicas que o produto pode causar. Caso o número mínimo de participantes para a liberação da oferta não seja atingido, a devolução dos valores pagos deverá ocorrer em até 72 horas. No que couber, serão aplicadas ao comércio eletrônico as regras do Código de Defesa do Consumidor (lei 8.078/1990). Ainda conforme a proposta, os dados sobre ofertas e promoções só poderão ser enviados a clientes cadastrados no site e que tenham autorizado o recebimento de informações por e-mail.

Angela Crespo é jornalista especializada em consumo. E-mail: doislados@dcomercio.com.br

O projeto também estabelece que os impostos estaduais e municipais serão recolhidos na sede das empresas responsáveis pelo fornecimento do produto ou do serviço. Com a proposta, Arruda espera regulamentar um mercado novo no Brasil, que cresce desde 2010. "É importante que o vínculo criado entre os sites de compras coletivas, os estabelecimentos e os consumidores seja transparente. O consumidor deve ser informado sobre as condições e os detalhes dos produtos e serviços oferecidos, as regras para a sua utilização e a entrega", afirmou.

trônicos, por carta e por telefodor (SAC) se comporta." Emissão– A CIP só é emitida ne, e acatam denúncias de situase ficar provado que há um pro- ções que podem afetar um semblema instalado, que há amea- número de consumidores. Todas as reclamações passam ça ao direito do consumidor ou se ele foi lesado. "Todos os con- por triagem e, se consideradas sumidores passam por uma procedentes, é emitida a CIP. A triagem. Não chegam aos técni- empresa tem 10 dias da data do cos casos que não são da com- recebimento da carta para solupetência do Procon ou que tra- cionar a questão de seu cliente e tam de uma simples consulta apresentar o resultado ao Proou orientação", afirmou. Os de- con, ao qual cabe à tarefa de conmais são atendidos por espe- firmar com o consumidor se tucialistas do órgão, que ouvem o do ocorreu conforme informarelato e analisam a documenta- do e se ele quer ou não encerrar o ção. Constatada a necessidade processo. "Há empresas que de acionar a empresa, é emitida dão respostas evasivas ou que a CIP, que pode ser encaminha- não respeitam os prazos. Perda à empresa eletronicamente, dem a chance de resolver o pelos Correios ou entregue pes- questionamento de seu cliente e soalmente. Nas duas últimas de interagir com ele." Assim, essas empresas poformas, cabe ao consumidor fadem ira para o Cazer o documento dastro de Reclamachegar à empresa. ções FundamentaNo caso da CIP das, elaborado peeletrônica, as empresas têm de aderir Pode-se checar los Procons de todo o País. Entram nesao sistema e receo grau de ta lista as empresas bem senha e treinasatisfação dos que foram acionamento. Elas podem clientes e o das via processo encaminhar a resadministrativo por posta ao Procon por que não e-mail, tendo a posfunciona bem. não terem respondido à CIP; se o sibilidade de anexar consumidor não documentos. Os SELMA DO AMARAL, PROCON-SP concordar com o fornecedores que que foi informado; aceitam participar desse sistema podem acompa- ou se os técnicos do Procon connhar eletronicamente as CIPs siderarem a resposta evasiva que estão em andamento, ge- ou o caso não resolvido. Ainda há uma chance de a renciar informações,etc. Segundo Selma, há falta de empresa se sair bem, mesmo organização em algumas das que seja incluída no cadastro. É companhias que aderem ao que o relatório, além do númesistema. "Elas não acompa- ro de reclamações de cada emnham diariamente as posta- presa que passaram por progens das reclamações, ou não cessos administrativos, mosabrem as cartas mesmo após tra quantas foram atendidas e serem comunicadas de que há quantas não foram atendidas. "Por 'atendida' consideranovas CIPs contra a empresa. Conclusão: perdem o prazo de mos o ponto de vista do consuresposta e são acionadas via midor – se ele tem direito ou não etc.", complementou Selprocesso administrativo". Como funciona – Os Pro- ma. Já aquelas consideradas cons não recebem tão-somente "não atendidas" são as que não reclamações pessoais. Eles dis- tiveram nenhuma manifestaponibilizam também canais ele- ção do fornecedor.

Indenização negada N

ão tem direito a indenização por danos morais consumidores que tiveram eventuais transtornos causados pela manutenção do nome no cadastro dos inadimplentes, depois de quitada a dívida, desde que estes não extrapolem o razoável e que o nome seja excluído da lista em 30 dias. Este é o entendimento da 12ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul ao não acatar a apelação de um consumidor contra o Banco do Brasil. O pedido de indenização já havia sido negado na primeira instância. Em sua ação, o consumidor afirmou que o seu nome ficou no cadastro do Serviço de Proteção ao Crédito por 24 dias após a quitação do débito e só foi retirado por medida liminar judicial. Disse que foi tempo suficiente para lhe causar constrangimento no comércio local e quase perdeu o direito de recolocação profissional. Só não perdeu o novo emprego porque uma amiga, que já trabalha na loja, interveio para que a gerência lhe concedesse a

oportunidade. Na defesa, o Banco do Brasil disse que agiu de forma regular e legal, destacando que a retirada do nome do cadastro de inadimplentes, em função de uma série de procedimentos, pode não ser tão rápida. Argumentou que há orientação emanada do Juizado Especial Cível de que o prazo razoável para o cancelamento da inscrição é de 30 dias (Enunciado 4). No Tribunal de Justiça, o relator do recurso, desembargador Orlando Heemann Júnior, considerou que os alegados transtornos não excederam o limite da razoabilidade e o período de duração do nome no cadastro foi de 22 dias – e não 24, como alegado na inicial. O desembargador também citou a jurisprudência sobre o caso ( as disposições do Enunciado 4, dos Juizados Especiais, e ementa do STJ), que culminaram por embasar a sentença. Assim, o relator manteve integralmente os termos da sentença de primeira instância.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

e

19 Christof Stache/AFP

Neco Varella/AE

ADILSON GOSTOU Novo técnico do São Paulo assistiu vitória sobre o Inter (3 a 0) e será apresentado hoje. Pág. 21

sporte

ESSAS SABEM CHUTAR Nos pênaltis, japonesas vencem americanas e conquistam o primeiro título mundial para seu país. Pág. 22

SEM COMENTÁRIOS

Paulo Whitaker/Reuters

F

Após não conseguir fazer um gol no Paraguai em 120 minutos, nem na cobrança de pênaltis, o Brasil deixa o gramado eliminado pelo Paraguai nas quartas de final da Copa América

Omar Torres/AFP

URUGUAI

PERU

Nos pênaltis, time de Diego Forlán eliminou heroicamente a Argentina

PARAGUAI

Com dois gols na prorrogação, os surpreendentes peruanos passaram pela Colômbia

Juan Medina/Reuters

Martin Acosta/Reuters

S

em Brasil nem Argentina, a Copa América continua amanhã, com Peru e Uruguai jogando em La Plata por uma vaga na decisão. Na quarta, Paraguai e Ven e z u e l a e n f re n t a m - s e e m Mendoza. Os perdedores decidem o terceiro lugar no sábado, em La Plata, e os vencedores fazem a final em Buenos Aires, no domingo. De todos os semifinalistas, a surpreendente Venezuela é a única que jamais foi campeã — aliás, a classificação para a semifinal de uma competição, após os 2 a 1 de domingo sobre o Chile, já é o melhor resultado da história do futebol do país. Adversário dos venezuelanos, o Paraguai ganhou duas Copas América, em 1953 e em 1979. Maior campeão da história da competição, ao lado da Argentina, com 14 títulos cada, o Uruguai terá a chance de se isolar de seu rival nessa condição. O Peru, adversário dos uruguaios, também foi duas vezes campeão sul-americano, em 1939 e 1975.

Marcos Brindicci/Reuters

Um aspirante e três ex-campeões

A festa deles também veio nos pênaltis, após segurar o Brasil

VENEZUELA

A zebra chegou às semifinais fazendo 2 a 1 no Chile

oram quatro pênaltis, todos perdidos, por Elano, Thiago Silva (o único que não chutou fora, dando algum trabalho ao goleiro Villar), André Santos e Fred. Isso após 120 minutos, sendo 90 no tempo normal mais 30 na prorrogação, sem conseguir furar a retranca do Paraguai. Com o 0 a 0 e a derrota por 2 a 0 nos pênaltis, o Brasil acabou eliminado nas quartas de final da Copa América, domingo, em La Plata, na Argentina. O time do técnico Mano Menezes foi, de fato, melhor que o adversário durante praticamente o tempo todo, mas o nervosismo brasileiro acabou falando mais alto. Havia 16 anos que o Brasil não perdia uma decisão por pênaltis em competições oficiais. A última havia sido em 1995, na final da Copa América diante do Uruguai. Em 2001, o Brasil foi eliminado da Copa América pela inexpressiva Honduras e, um ano depois, foi campeão mundial. Em 2004 e 2007, venceu a competição sul-americana, mas foi mal nas duas edições da Copa. Esse retrospecto foi a justificava de jogadores como o atacante Robinho e o goleiro Julio Cesar para manter o otimismo após a eliminação frente ao Paraguai. “Todas as derrotas servem para tirar lições. Em 2007, a gente foi campeão. Chegou na Copa do Mundo, a gente perdeu. Vamos ganhar a Copa do Mundo no nosso país”, garantiu Robinho. “Não é questão de ser supersticioso, mas o objetivo maior é sempre a Copa do Mundo”, completou Julio Cesar. Já o meia Elano citou o problema com o campo, mas disse que isso não justifica o pênalti batido muito por cima. "Senão, fica passando por desculpa", explicou. Substituído ainda no segundo tempo, Neymar disse que o Paraguai teve méritos nos pênaltis, ignorando que o Brasil perdeu as quatro cobranças, e lamentou as falhas de finalização com a bola rolando. “Isso se chama futebol. Você tenta, tenta, tenta e acaba perdendo”, afirmou o jovem jogador. Expulso na prorrogação, junto com o paraguaio Alcaraz, após uma confusão envolvendo vários jogadores das duas seleções, Lucas Leiva acredita não ter merecido o cartão vermelho: “Não fui com o intuito de brigar, mas apartar, proteger o Lúcio, que estava no chão. O árbitro escolheu dois e me escolheu.” Para o técnico Mano Menezes, o time, renovado, em formação, conseguiu ir mais além. “Não se pode dizer que o jogador brasileiro não tem habilidade para fazer gols”, explicou. Num auditório pequeno e lotado, ele falou pausadamente e já parecia orientado pela Assessoria de Imprensa da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a defender a continuidade do trabalho de renovação da equipe. “Temos um caminho e temos de ser fortes na construção desse caminho”, avisou. Mano também culpou a grama irregular da marca do pênalti como determinante para a eliminação da Seleção. “Dois atletas nossos (dos quatro que desperdiçaram cobranças) reclamaram. No local do pé de apoio, a grama estava alta”, disse o treinador. O problema teria afetado Elano, Fred e André Santos - Thiago Silva assumiu sua falha e não culpou o gramado. Mas não foi relatado por Estigarribia e Riveros, os autores dos gols paraguaios na decisão por pênaltis - o Paraguai errou apenas com Barreto, o primeiro a cobrar.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

Foi uma vitória convincente, que passa confiança ao torcedor. Isso é legal.” Rogério Ceni

sporte

DE VOLTA À BRIGA Neco Varella/AE

Fernandinho (na foto, comemorando com Dagoberto) marcou o segundo nos 3 a 0 do São Paulo sobre o Inter, em Porto Alegre. No sábado, com gols de Danilo e Borges, Santos fez o suficiente para passar pelo Atlético-MG, na Vila: 2 a 1.

(contra Cruzeiro e Inter). Adilson Batista, contratado no último sábado, esteve em Porto Alegre conversando com os jogadores antes do jogo e assistiu a partida das arquibancadas. No sábado, o Santos de Mu-

Ficou para quarta

A

realização do jogo Brasil x Paraguai às 16 horas, pelas quartas de final da Copa América, provocou o adiamento para quarta-feira de três jogos da rodada do Brasileiro que estavam marcados para o domingo: Palmeiras x Flamengo, Botafogo x Corinthians e Figueirense x Grêmio. Líder da competição com uma vantagem de quatro pontos em relação ao São Paulo, segundo colocado, o Corinthians enfrentará o Botafogo na quarta-feira em São Januário. Ontem, a diretoria do clube voltou a entrar em contato com o Manchester City, no domingo, para ter Tevez de volta. Pela manhã, o gerente de futebol Edu Gaspar e representantes do clube inglês discutiram pontos burocráticos da proposta pelo atacante argentino. Apesar disso, segundo o gerente corintiano, não houve avanço nas tratativas. Na Inglaterra, a iniciativa de Tevez em sair do Manchester City possui duas vertentes. Uma delas é a tentativa de dirigentes do clube de convencer

Ricardo Saibum/AE

o jogador a cumprir seu contrato, que vai até 2014. Os cartolas vão tentar "enrolar" o argentino até quarta-feira, quando fecha a janela de transferências internacionais no futebol brasileiro. Sem o mercado brasileiro, fica praticamente impossível para Tevez retornar à América do Sul, já que o valor do atleta é muito alto para as condições financeiras de clubes sul-americanos. Apesar de lamentar o adiamento da partida contra o Flamengo, Marcos Assunção acha que a pausa pode ser útil para diminuir as turbulências internas no Palmeiras. Ele se refere principalmente à polêmica envolvendo o atacante Kléber, que, diante do assédio do Flamengo, pediu um aumento salarial e entrou em rota de colisão com a diretoria. “É bom para dar uma amenizada nessa situação. A imprensa vai parar de falar sobre esses episódios e quando voltarmos a jogar o clima vai estar mais ameno”, disse o volante. Após o domingo de folga, o elenco volta a treinar às 9 horas desta segunda-feira.

ricy também conseguiu um excelente resultado, ao fazer 2 a 1 no Atlético-MG, na Vila Belmiro (gols de Danilo e Borges, para o Santos, e Jônatas Obina, para o Galo), afastando-se da zona de rebaixamento. Agora,

a equipe só volta a jogar no dia 27 de julho, contra o Flamengo, na Vila Belmiro. A pausa de 10 dias é um alívio para o técnico Muricy Ramalho, que não terá de enfrentar mais tantos desfalques para armar o time na

sequência do Brasileirão. “Vamos trabalhar forte na preparação do time”, afirmou o treinador, após a vitória sobre o Atlético-MG. “E também vai dar tempo para recuperar os jogadores que estão no depar-

SÉRIE B

tamento médico.” Após folga no domingo e nesta segunda, os jogadores do Santos voltam ao trabalho apenas na manhã da terça. A programação santista marca treinos em dois períodos até sexta. PELO BRASIL

Confusão em Campinas

O

destaque (negativo) da rodada da Série B foi o confronto entre torcedores do Guarani e a Polícia Militar, na vitória da Ponte Preta por 2 a 0, no clássico de Campinas, no Moisés Lucarelli. Um banheiro do estádio foi incendiado e um torcedor saiu ferido, com uma bala de borracha atirada em seu pescoço. A líder, pelo saldo de gols, segue sendo a Portuguesa, que na sexta fez 2 a 1 no Boa, em Varginha (MG). A Ponte é segun-

da. O Paraná fez 2 a 1 no Vila Nova e é terceiro. O Americana segue em quarto, apesar da derrota de terça para o Náutico por 3 a 2, no Recife. Amanhã começa a 12ª rodada, com Duque de Caxias x Icasa e Americana x Goiás. Na sexta, jogam São Caetano x Grêmio Barueri, Sport x Salgueiro e ASA x Guarani. No sábado, tem Ponte Preta x Bragantino, Vitória x Portuguesa, Vila Nova x Náutico, Criciúma x Paraná e Boa x ABC.

 Começaram no fim de

semana os campeonatos da Série C, com 20 clubes, e da Série D, com 40. Na C, vitória do Brasil de Pelotas (RS) sobre o Santo André, no ABC, por 3 a 2, com gol no último minuto. O outro clube paulista na competição, o Marília, estreou no sábado, empatando com o Macaé (2 a 2), no Rio. Pela Série D, mais de 20 mil torcedores viajaram do Recife para João Pessoa (PB), onde o Santa Cruz estreou vencendo o Alecrim-RN

Paulo Ricardo/Futura Press

M

esmo com três jogos adiados para quarta-feira, inclusive os do Corinthians e do Palmeiras (leia mais abaixo), a rodada de fim de semana do Brasileiro serviu para recuperar o moral de dois times paulistas. São Paulo e Santos venceram seus jogos e estão de volta à briga. Nas cinco primeiras rodadas do Brasileirão, o São Paulo conseguiu 100% de aproveitamento ao se defender bem e ser preciso quando chegava ao ataque. Depois de três derrotas e da demissão de Paulo César Carpegiani, essa proposta voltou a surtir efeito no domingo, no Beira-Rio. O time fez uma excelente primeira etapa, quando abriu 2 a 0, gols de Casemiro e Fernandinho. No segundo tempo, ainda marcou mais um, com Carlinhos Paraíba, para vencer o Inter por 3 a 0 e voltar à vice-liderança do Brasileirão. A vitória leva o São Paulo aos 21 pontos, atrás apenas do líder Corinthians, que tem 25. Mas o Flamengo, que joga na quarta-feira contra o Palmeiras, ainda pode retomar a segunda colocação antes do fim da rodada. Esta foi a última partida de Milton Cruz como técnico interino do São Paulo, depois de duas vitórias em dois jogos

por 3 a 1. O Oeste-SP empatou com o Cene-MS (3 a 3) e o Mirassol-SP fez 1 Torcedor do Guarani é levado pela polícia durante o jogo com a Ponte

a 0 no Operário-PR.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

21

e

Quero fazer um grande trabalho e entrar para a história do São Paulo.” Adilson Batista

sporte

O NOVO PROFESSOR Rubens Chiri/SPFC

A

dilson Batista assume nesta segundafeira o comando do São Paulo e promete que não precisará de muito tempo para se adaptar. “O elenco do São Paulo é muito forte. Desde 2008 venho protagonizando grandes jogos contra o São Paulo e conheço bem o elenco. Há jogadores experientes e jovens com muito potencial”, afirmou o treinador, que teve sua contratação anunciada no sábado, assistiu no Beira-Rio à vitória por 3 a 0 sobre o Inter (leia na página ao lado) e será apresentado hoje, às 16h, no CT do clube. É uma chance de ouro para Adilson se reencontrar na carreira, abalada após fracassos seguidos: no último ano, não deu certo e foi demitido por Corinthians, Santos e AtléticoPR. Seu último bom trabalho foi no Cruzeiro, onde foi bicampeão mineiro em 2008 e 2009 e vice da Libertadores, também em 2009. “A torcida pode esperar um treinador que se entrega no trabalho, participativo e com muita vontade de fazer história no clube”, promete Adilson, que já ganhou o aval de Rogério Ce-

Paulo Pinto/AE

Os paulistas se reforçam

E

Adilson Batista tenta se reencontrar no São Paulo, após más passagens por Corinthians, Santos e Atlético-PR

ni, principal ídolo do Tricolor. “Nunca trabalhei com o Adilson, mas ele me parece um cara bacana, com rodagem no futebol. Pode conduzir bem o São Paulo no restante do ano. Chega para acrescentar muito.” Adilson assinou contrato até o fim do ano para ocupar o lugar de Paulo César Carpegiani, com possibilidade de reno-

vação por mais uma temporada. Segundo o diretor de futebol, Adalberto Baptista, foi uma escolha consciente. “Buscamos informações em todos os níveis, de jogadores a dirigentes. A cada pessoa que conversamos, as referências só fizeram nosso interesse aumentar. Tenho certeza de que ele será muito feliz aqui.”

7

times já mudaram de técnico no Brasileiro: Atlético-PR, Avaí, Cruzeiro, Fluminense, Grêmio, Santos e São Paulo

nquanto o Corinthians sonha com a volta da Tevez, os rivais se mexeram e fecharam reforços na última sexta-feira: o Palmeiras anunciou a contratação do zagueiro Henrique, o Santos fechou com o volante Ibson e o São Paulo acertou a volta do volante Denilson. Henrique foi campeão paulista com o Palmeiras, em 2008 e saiu em seguida para o Barcelona, mas nunca defendeu o clube num jogo oficial: passou um ano emprestado ao Bayer Leverkusen e dois ao Racing Santander. Ele será apresentado hoje e fica no Palmeiras até junho de 2012. Ibson, que estava no Spartak Moscou, foi revelado no Flamengo e chega em definitivo para o Santos, que ainda não anunciou detalhes do contrato. Denilson também volta a um clube que já defendeu para ficar um ano. Curiosamente, ele nunca foi titular do São Paulo, já que foi negociado aos 18 anos, em 2006, depois de se destacar pelas seleções de base do Brasil.

Maurício Val/Vipcomm

Reprodução/Arsenal

NATAÇÃO

Tem lugar para Cielo na festa? Philippe Lopez/AFP

X

angai já vive o clina do Mundial de Esportes Aquáticos, com o início das competições de nado sincronizado, saltos ornamentais e polo aquático, neste fim de semana. As brasileiras Lara Teixeira e Nayara Figueira, inclusive, fizeram bonito, conquistando uma vaga na final do dueto, que será disputada hoje de manhã. A natação começa apenas no domingo, mas um dos atletas ainda não sabe se poderá competir. E não é qualquer atleta, mas um dos melhores: Cesar Cielo terá de esperar até sextafeira para saber se poderá tentar o bicampeonato nos 50 m livre e nos 100 m livre. Na quarta-feira, a CAS (Corte Arbitral do Esporte) vai julgar o recurso da Fina, que exige suspensão por seu doping para furosemida - a CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) aplicou-lhe apenas uma advertência O nadador está na China, e o advogado norte-americano Howard Jacobs, contratado

para sua defesa, vai tentar encontrar brechas para garantir a presença do astro nas piscinas de Xangai. Um dos argumentos é que a Fina diz, em seu recurso, que Cielo não recebeu punição, enquanto, para o advogado, o nadador foi não apenas advertido, mas eliminado do Troféu Maria Lenk, com todos os resultados anulados. Desde 2009, a Wada (Agência Mundial Antidoping) recomenda a relativização das punições, conforme as circunstâncias de cada incidente. Em vez de suspensão automática por dois anos, a Wada aconselha punições que começam com uma simples advertência, como aconteceu com Cielo, deixando punições maiores para casos de reincidência. Mesmo que escape da punição, Cielo terá de enfrentar outro julgamento: dos colegas. Pelos comentários de vários nadadores em redes sociais, fica claro que há uma resistência à presença do astro em Xangai. Se nadar, Cielo terá de responder na água a seus críticos.

Nado sincronizado abriu o Mundial de Esportes Aquáticos, em Xangai; natação começa no domingo, dois dias após brasileiro saber se vai competir

OUTROS CAMPOS

VÔLEI

Splitter tenta manter otimismo

No caminho certo Alexandre Arruda/CBV

S O Brasil de Zé Roberto levou o título da Copa Internacional e deu mais um passo na preparação para a Copa do Mundo, no fim do ano, que vale vaga nos Jogos de Londres

M

ais do que o título da Copa Internacional, disputada em Brasília, com vitórias sobre Itália, Peru e Japão, o técnico José Roberto Guimarães comemorou neste fim de semana a evolução mostrada pela seleção brasileira desde os primeiros jogos do ano. A equipe disputa a partir do dia 5 do Grand Prix,

mas o principal foco da temporada é o Copa do Mundo, no fim do ano, que classifica três seleções para os Jogos Olímpícos de Londres, em 2012. “Nosso time está evoluindo a cada partida. Nosso passe ainda precisa melhorar, e estamos sempre na busca de uma melhora no nosso sistema defensivo. Bloqueamos bem,

mas podemos crescer muito na defesa”, disse o técnico. Os jogos tiveram um sabor para Paula Pequeno, que é nascida na capital federal, mas nunca tinha jogado em casa com a seleção. “Estas foram as minhas melhores partidas com a camisa da seleção em muito tempo. Daqui para frente só tenho a evoluir.”

em poder contar com astros como Anderson Varejão, Nenê e Leandrinho, está nas mãos de Tiago Splitter liderar o Brasil no PréOlímpico masculino de basquete, em setembro, na Argentina. O pivô conta que está pronto para tudo. “O PréOlímpico das Américas é uma das competições mais agressivas que existem. A escola sul-americana e a centro-americana são de basquete mais sujo. É preciso ir com protetor bucal e toda a proteção disponível.” Com a ausência de Varejão, contundido, e Nenê, que pediu dispensa, Splitter afirma que confia muito nos outros pivôs da equipe, nomes menos conhecidos, como Paulão Prestes, Rafael, Augusto, Caio e Douglas Nunes. “Esforço e talento não vão faltar. O Brasil não tem problema na posição, nossa matériaprima é muito boa.” Splitter vai aproveitar para fazer seu próprio comercial, depois de passar a maior parte de sua primeira temnporada na NBA como reserva foram cerca de 12 minutos por jogo no San Antonio Spurs. “Foi estranho jogar tão pouco. O Pré-Olímpico será uma maneira de mostrar que posso jogar mais tempo lá”

Mais um título para Alison e Emanuel

O

s brasileiros conquistaram neste domingo seu quinto título neste ano no Circuito Mundial de vôlei de praia. Na final de Moscou, derrotadas os suíços Heuscher e Bellaguarda por 2 sets a 1, parciais de 21/16, 18/21 e 17/15, depois de salvar dois match points. Com o título, que se junta às conquistas do Mundial de Roma e das etapas de Praga, Pequim e Gstaad, eles mantiveram a liderança tranquila na temporada, que prossegue nesta semana com a etapa de Quebec, no Canadá. “Nós dois tivemos problemas com o passe, e a chuva durante o segundo

set também atrapalhou, não gostamos de jogar com esse clima”, contou Emanuel. No feminino, Juliana e Larissa acabaram com a medalha de prata, batidas na decisão pelas americanas Walsh e May, que se vingaram da derrota para as brasileiras na final do Mundial, em Roma. As bicampeãs olímpicas venceram por 2 a 0, parciais de 23/21 e 21/15, mas Juliana e Larissa lideram a temporada, com 4.880 pontos, contra 4.420 de Walsh e May. “Acho que elas estavam um pouco cansadas, usamos isso a nosso favor”, disse Walsh.

Pedrosa vence MotoGP na Alemanha

O

espanhol Dani Pedrosa surpreendeu neste domingo e, recém-recuperado de uma cirurgia na clavícula, venceu o GP da Alemanha, nona prova da temporada da MotoGP. Foi apenas sua segunda corrida depois de ser operado, por causa de um acidente com o italiano Marco Simoncelli que o trou de quatro corridas. Com a vitória, Pedrosa chegou a 94 pontos na temporada e está em quinto lugar, a 72 do líder, o australiano Casey Stoner, que terminou em terceiro e foi a 168

pontos. O segundo colocado foi o campeão de 2010, Jorge Lorenzo, que está em segundo também no Mundial, com 153 pontos. Dono de sete títulos na principal categoria da motovelocidade mundial, o italiano Valentino Rossi voltou a decepcionar neste domingo. Em sua primeira temporada na Ducati, ele está sofrendo para ajustar a moto e tem conseguido apenas resultados medianos - desta vez foi apenas o nono colocado. A MotoGP volta a correr no domingo que vem, em Laguna Seca, nos EUA.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22 -.ESPORTE

sábado, domingo e segunda-feira, 16, 17 e 18 de julho de 2011

FIM DE JOGO

L

Próximo adversário do Brasil: Alemanha, em Stuttgart, no dia 10 de agosto

L

Conmebol já fala em fundir a Copa América com a Copa Ouro, da Concacaf

L

A próxima Copa do Mundo de Futebol Feminino, no Canadá, terá 24 equipes

L

Vídeo em destaque - Se ele fosse brasileiro... - www.dcomercio.com.br

www.dcomercio.com.br/esporte/

NOSSA ALEGRIA SÃO ELES AS NOVAS CAMPEÃS DO MUNDO Wolfgang Rattay/Reuters

Thomas Bohlen/Reuters

 O Japão é o novo campeão

Guillermo Granja/Reuters

mundial do futebol feminino, ao bater nos pênaltis, por 3 a 1, os EUA, depois de empatar por 2 a 2 o jogo e a prorrogação, em Frankfurt, na Alemanha. As americanas desperdiçaram três cobranças de pênalti - a goleira Kaihori defendeu os chutes de Boxx e Heath, e Lloyd chutou por cima; a japonesa Nagasato também errou, mas Miyama, Sakaguchi e Kumagai garantiram o título. Domingo, 17

DESTINO: COLÔMBIA

Brasil Sub-20 volta a treinar para o Mundial

A

Seleção Brasileira Sub-20, que se prepara para disputar o Mundial da categoria na Colômbia, volta a se reunir em Teresópolis após o domingo de folga. No sábado, o time de Ney Franco goleou por 11 a 0 o Manhuaçu, de Minas, em jogo-treino realizado na Granja Comary. Allan, do Vasco, Danilo, do Santos, Casemiro, do São Paulo, e Dudu, do Cruzeiro, não

participaram da partida, pois foram liberados pela comissão técnica para atuar por suas equipes na 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Eles também se reapresentam hoje. O Brasil fica no centro de treinamento até o dia 24, quando embarcará para a Colômbia, e estreará no Mundial, contra o Egito, no dia 29, em Barranquilla.

21 ANOS NA FILA

O último título conquistado pela Argentina foi o da Copa América de 1993

A

o perder para o Uruguai, nos pênaltis, a vaga nas semifinais da Copa América, a anfitriã Argentina ampliou para 21 anos o período sem títulos de sua seleção principal. A última conquista dos argentinos foi o título da Copa América de 1993, no Equador. O sonho do próximo título ficou para a Copa do Mundo de 2014, que

será disputada no Brasil. O técnico Sergio Batista já ensaia o discurso de desvalorização da Copa América e garante que vai continuar no comando da seleção argentina: "Ninguém gosta de ser eliminado, mas estou satisfeito com meus jogadores. Tenho de seguir o meu trabalho, que começou há cinco, seis meses. Vou continuar

com os meus planos. O foco é a Copa do Mundo". Apesar da tranquilidade do técnico, os torcedores argentinos lamentam a eliminação precoce em Santa Fé em 16 de julho, o mesmo dia em que o Uruguai derrotou o Brasil na final da Copa do Mundo de 1950. Agora, a seleção uruguaia pode ser a maior campeã da história da

Copa América, pois, como a Argentina, tem 14 títulos, seis a mais do que o Brasil. Para os brasileiros, que lutavam pelo tri e ontem se frustraram com a desclassificação diante dos paraguaios, sobrou uma alegria: o longo jejum argentino em matéria de títulos. Afinal, de 1993 para cá, o Brasil cansou de ser campeão - e não só da Copa América.

Segunda-feira, 18

PÊNALTI PERDIDO

Thiago Silva não inventa desculpa: "Errei"

Alex Silva/AE

zagueiro Thiago Silva é uma exceção entre os brasileiros que perderam quatro pênaltis contra o Paraguai na decisão da vaga nas semifinais da Copa América. O craque do Milan não culpou o campo, assumiu simplesmente: "Escolhi errado o canto. Errei mesmo a cobrança, assumo. Nas próximas partidas, vou procurar fazer melhor." Ele só lamenta o resultado: "Desde que o Mano chegou, foi a nossa melhor apresentação..."

Max

O

O DUELO

Ficou para depois

Domingo, 17

FORA DA JUVENTUS

O

mais anunciado duelo do futebol sul-americano dos últimos tempos acabou não acontecendo nesta Copa América - o argentino Lionel Messi, maior craque do futebol mundial, e o brasileiro Neymar, candidato ao título nas próximas edições do prêmio da Fifa, saíram da competição continental logo nas quartas-de-final e agora, despidos da camisa de suas seleções, retomam o trabalho no Barcelona e no Santos. O duelo que não se deu entre os craques das seleções da Argentina e do Brasil pode acontecer no Japão, em dezembro, na provável decisão do título do Mundial de Clubes de 2011 entre Barcelona e Santos. É preciso, porém, que a zebra não re-

Felipe Melo e Amauri podem voltar ao Brasil

P

retendidos por clubes brasileiros, o volante Felipe Melo e o atacante Amauri estão fora da lista de jogadores que participarão da preparação da Juventus, nos Estados Unidos e no Canadá, para a próxima temporada europeia. A relação dos 27 atletas que viajarão nesta terça-feira para a Filadélfia, nos EUA, foi divulgada no site oficial do clube italiano. Felipe Melo, tratado como vilão pela imprensa brasileira durante a Copa do Mundo de 2010, tem contrato com o clube de Turim até 2014,

mas foi procurado pelo Santos e pelo São Paulo para retornar ao país. Diretores dos dois clubes já se reuniram com os procuradores do jogador, mas não chegaram a um acordo. Segundo o jornal italiano Tutto Sport, no entanto, o Corinthians também tem interesse em contratar o volante; e o Flamengo, depois de desistir oficialmente do palmeirense Kleber, está tentando a contratação de Amauri, que estava emprestado pela Juventus ao Parma. Domingo, 17

solva passear também pelos campos japoneses. Barcelona e Santos são tão favoritos ao título mundial quanto a Argentina e o Brasil eram favoritos ao título de campeão da Copa América. E mais: Messi certamente ainda estará vestindo a camisa do Barcelona no fim do ano, mas Neymar pode ter mudado de clube e até de país - algo que vai se definir nos próximos dias, quando ele, seus representantes e os dirigentes do Santos analisarão as propostas do Real Madrid e do próprio Barça para levá-lo - imediatamente ou em 2012. Assim, o esperado confronto que não aconteceu na Argentina pode ser transferido para os campos da Espanha, se Neymar for para o Real, ou virar uma longa parceria, se ele for para o Barça.

Reprodução/Arquivo Celso Unzelte

almanaque Celso Unzelte

Brasil repete vexame jogando na Argentina

O

Brasil está fora da Copa América na Argentina, repetindo, assim, uma frustração de 24 anos atrás, quando a competição também foi disputada naquele país. Jogando em território argentino, em 1987, a Seleção Brasileira foi surpreendentemente goleada pelo Chile por 4 a 0 e acabou eliminada ainda na primeira fase. Na foto, Careca briga inutilmente pela bola com a defesa chilena.

B

rasil e Chile estavam no Grupo B, formado também pela Venezuela, que foi goleada por 5 a 0 pelos brasileiros e vencida por 3 a 1 pelos chilenos. O jogo que decidia o grupo foi disputado no dia 3 de julho de 1987, em Córdoba. Naquela noite de sexta-feira, o Brasil sofreu a maior goleada de sua história diante dos chilenos, 4 a 0, com dois gols de Basay e outros dois de Letelier. Um resultado preocupante, até porque já se sabia que nas eliminatórias para a Copa de 1990 o Brasil teria que enfrentar novamente o Chile do goleiro Rojas e do técnico Orlando Aravena. O Chile foi o vice-campeão da Copa América de 1987, perdendo a final para o Uruguai, mas não passou pelo Brasil nas eliminatórias.

É um timinho.” João Saldanha, comentarista, após Chile 4 x 0 Brasil, em 1987.

4

vezes apenas, em 33 participações, o Brasil não terminou a Copa América entre os quatro primeiros: em 1987, la 1993, 2001 e 2011. Pe il terceira vez, nem Bras nem Argentina estarão entre os semifinalistas (em 1939 nenhum dos 01 dois participou e em 20 m). os argentinos não fora

CURTAS

 Morreu em São Paulo, na

sexta, 15, aos 66 anos, vítima de câncer no pulmão, o ex-ponta direita Paulo Borges. Ele ficou famoso por marcar um dos gols nos 2 a 0 do Corinthians sobre o Santos, em 1968, que deram fim a um tabu de 11 anos sem vitórias no clássico em jogos pelo Campeonato Paulista.

Diário do Comércio  

18 jul 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you