Page 1

jornalreposicao.com

ANO 10 I Nº 128 I FEVEREIRO 2018

ALFA

PEÇAS

Volvo contrata 250 funcionários, abre segundo turno em caminhões e exporta mais ônibus

O Grupo Volvo está aumentando a produção de caminhões em seu complexo industrial de Curitiba. A empresa contratou cerca de 100 funcionários no final do ano passado e já está empregando mais 150 pessoas no início de 2018. A retomada da economia e uma expectativa de crescimento do mercado de caminhões acima de 30% este ano são os grandes motivadores para a expansão , declara Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina. As exportações de ônibus também aumentaram.

Leia na página 15.


EDITORIAL

ADMINISTRAÇÃO

O 1% mais festejado do país Após 2 anos de retração, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 1% alavancado pelo agronegócio, que avançou 13% em 2017. Puxado pela safra recorde, este avanço sinaliza uma retomada que começa a refletir gradativamente em todos os setores. Com olhos no segmento automotivo, alcança inicialmente o setor de logística e por conseguinte a indústria automotiva. Em suma, com caminhões nas estradas, o mercado de reposição já percebe sinais positivos. Para este ano, a agricultura projeta um desempenho semelhante ao de 2017, o que dará suporte à recuperação econômica. Que venha uma boa safra! O PIB positivo não repõe as perdas geradas pela crise que levou o país a números obtidos lá em 2011, segundo dados do IBGE. Mas é o início de uma nova fase. Désirée Sessegolo EDITORA

Até quando o avanço tecnológico chega a assustar?... Vi recentemente um documentário sobre os efeitos do avanço da tecnologia com dados assustadores que coloca quem o assiste de “barbas de molho”. Acredito que isto será uma grande verdade, entretanto, sou um questionador inveterado e, por consequência fico me perguntando: e a humanidade vai sobreviver de quê, comprar o quê e com o quê? Fala-se que robôs vão dominar o mundo; em breve vem os carros automáticos e elétricos (que, aliás já são uma realidade!) e, por consequência, serão extintas a utilização de combustíveis fósseis; a vida média do homem vai para mais de 100 anos! Alguns até dizem que do jeito que vão as coisas, o homem não vai morrer mais! E daí? Aonde vai caber tanta gente e se alimentar do quê? Raciocínio rápido e, para mim, confortador: em relação aos veículos, a frota de carros de combustão interna tem vida útil de mais de 12 anos. A continuidade na fabricação desses carros à combustão interna, podem durar, digamos, mais 10 anos. Isto quer me parecer que os carros de combustão interna, rodantes no Brasil, para serem extintos devem continuar rodando até 2040/50, portanto, mais de 30 anos. Isto é, a não ser que o governo determine o sucateamento antecipado desses veículos. Porém, quem ganhará com isso?

EXPEDIENTE Veículo de Comunicação da Projeto Marketing Rua Hermógenes de Oliveira 90 B Curitiba PR 81510-450 NOVO TELEFONE: 41 3155-2532 www.projetomarketing.com contato@projetomarketing.com Versão Eletrônica: www.jornalreposicao.com Direção: Désirée Sessegolo desiree.sessegolo@projetomarketing.com Projeto Gráfico: Désirée Sessegolo Financeiro: Ana Paula Pimpão financeiro@projetomarketing.com Colaboradores: Genésio Guariente, Fernando Calmon. Tiragem: 10.000 exemplares impressos e 35.000 leitores cadastrados na versão digital. Veiculação no portal www.alltopecas.com.br e redes sociais. *Os conteúdo enviados por colaboradores são de inteira responsabilidade dos autores. *Os anúncios aqui publicados são de responsabilidade exclusiva dos anunciantes. Distribuidores oficiais do Jornal Reposição: ALFA PEÇAS, ALVORADA, BARROS, DPS, DSR, ELETROPAR, MOTO PEÇAS E ROLEMAR.

Para anunciar ligue 41 3155-2532

desiree.sessegolo@projetomarketing.com

Lembro-me que quando entraram os veículos de injeção eletrônica a ideia era a de que os carros movidos a carburação rapidamente desapareceriam. Na realidade, esse mercado ainda existe e tem indústria produzindo peças para carburadores, em função ainda da grande frota circulante. Se não me engano, o primeiro carro a adotar a injeção eletrônica foi em 1989 pela Volks no gol GTi. Faz 30 anos! Também: a frota de veículos equipados com AIRBAG e freios ABS por imposição de lei às montadoras, somente entraram em vigor em 2014; a frota circulante sem esses equipamentos ainda é altíssima e deve durar por muitos anos. Enfim, o mercado brasileiro, por uma série de razões, costuma levar muito tempo para adotar tecnologias de ponta, cuja alegação do governo sempre foi a de estar protegendo o mercado brasileiro. Outro detalhe é o de que a grande população brasileira carece de recursos financeiros para trocar carros usados por novos, por não valer a pena tirar de circulação um veículo que tem bom preço de mercado por um outro de valor agregado alto, que depende, quase sempre de financiamento.

Para ler a edição online acesse www.jornalreposicao.com

2

Genésio Guariente

Nesse cenário ainda vai sobrar muito espaço para o mercado de assistência técnica, lojas de autopeças, fabricantes de peças de reposição, distribuidores, oficinas de reparação, etc. mesmo que os carros elétricos e automáticos já estejam rodando e ganhando espaço.

Li, recentemente, a notícia de que importar um carro elétrico, hoje, somente de encargos tributárias custa 7 a 8 mil reais. Em 2017 somente foram importados no Brasil em torno de 3.200 unidades, mesmo por que o Brasil não tem ainda estrutura para abastecer as baterias. Fica claro que teremos muito tempo para pensar em buscar adequações à futura realidade, mas, o mais importante, acredito, nesse espaço de tempo, deverá ser o de melhorar a qualidade do trabalho que estamos prestando atualmente, não somente como empresários, mas também como colaboradores. Vemos ainda que persistem os “velhos” problemas de comercialização: estoques inadequados sem giro, representando encargos financeiros sem que o empresário leve em conta, descompasso administrativo entre os setores nas empresas, quer seja no sistema varejo e/ou junto aos distribuidores, desconhecimento, efetivamente, da forma que melhor atenda ao cliente, ou seja, cada um fazendo o que acha que está correto, sem conhecer a sua real situação perante o mercado. Nessa luta de “salve-se quem puder” não consegue mensurar se está tendo lucro ou apenas vendo a movimentação do dinheiro, tornando, por isso, um mercado “predador” de todos os lados sem saber quem está ganhando ou apenas se mantendo no mercado. Fica claro, para mim, que a preocupação maior deveria ser a de buscar incessantemente meios para melhor atender o consumidor e/ ou ao chamado cliente. Para isso, a empresa deveria saber se na sua movimentação de venda, está tendo resultado efetivo ou apenas movimentação de mercadoria. Não há empresa grande ou pequena e, sim, a que melhor administra seus recursos. Somente através de uma boa ASSESSORIA CONTÁBIL e não mais da feitura pura e simples dos meros lançamentos contábeis, às vezes inapropriados, é que se pode apurar resultados e/ou eventuais caminhos a seguir. Finalizando: acredito que antes de nos preocuparmos com os carros elétricos ou automáticos, ou com o avanço dos robôs, a preocupação maior deveria ser a de melhorar a qualidade dos serviços que prestamos, com consistência, no dia a dia, seja empresário ou empregado. Analogamente perguntamo-nos: o que adianta pensar em pilotar um avião Boeing 787-10 daqui a 30/40 anos, se ainda temos dificuldades em dirigir adequadamente um carro nas estradas brasileiras, normalmente cheias de curvas, pista única e na maioria das vezes, cheias de buracos? Temos que melhorar o que temos em mãos, hoje! jornalreposicao.com.br


jornalreposicao.com.br

3


TREINAMENTO

Treinamentos in company No mês de fevereiro, a Hellis Treinamento e Desenvolvimento realizou cursos sobre Câmbio Automatizado na Oficina Mecânica Bonfleur e no Centro Automotivo Trentini. Formaram duas turmas para atender ao grupo e esclarecer as dúvidas com atividades práticas. Hélio Czerny é especializado em treinamento e capacitação na área técnica automotiva e ministra treinamentos em todo o Brasil.

ALTA RODA 982

VIDA DURA Estreia do Cronos, versão sedã do Argo, é um bom exemplo do grau de sofisticação da oferta de produtos no mercado brasileiro. Os sedãs compactos, onde se enquadra o novo modelo da Fiat, representam 15% das vendas totais, praticamente a mesma importância de todos SUV somados que, no ano passado, alcançaram 16%. Só entre os produzidos no Mercosul há 13 opções com entre-eixos curto (2,49 m, Fiesta), médio (2,52 m, Cronos) e longo (2,65 m, Virtus). E novas opções continuarão a chegar, a exemplo do Toyota Yaris sedã, no final do ano. Portanto, as comparações apontam certa complexidade. O mais novo sedã compacto se diferencia da sua versão hatch pela parte frontal exclusiva. Embora Sandero e Logan também sigam esse caminho, o resultado estético ficou bem harmonioso. A traseira é o seu ângulo mais bonito. Há bom espaço no porta-malas (525 litros), além de ótimo vão e grande ângulo de abertura da tampa. Mas, as dobradiças longas podem amassar a bagagem, dificuldade recorrente em sedãs menores, embora o Virtus tenha solucionado, em parte, o problema. Molas a gás resolveriam, a custo maior. Espaço interno ficou compatível com o líder do segmento, o Prisma. Destaque para pernas e cabeças no banco traseiro. Perde, no entanto, para Versa e Virtus, em especial. Painel apresenta desenho moderno, três saídas de ar centrais, mas sistema multimídia, embora fácil de operar e bem localizado, não fica embutido no painel como em alguns concorrentes. Bancos firmam bem o corpo. Pedaleira provoca interferência com o console de assoalho. Dois motores estão disponíveis: 1.350 cm³ (109 cv/etanol) e 1.750 cm³ (139 cv/etanol). O primeiro se destaca por baixo consumo de combustível e pode vir com caixa automatizada de uma embreagem. Cronos pesa apenas mais 10 kg que o Argo e, assim, desempenho é razoável. O segundo, além de câmbio manual, oferece um automático convencional de seis marchas, mostra agilidade, mas consumo deixa a desejar. Calibragem fina das suspensões é ponto alto do carro, mesmo ao utilizar a opção de rodas de 17 pol. de diâmetro. FCA, em Betim (MG), utiliza um simulador de última geração – que chama de banco elastocinemático – para ajudar no acerto de dirigibilidade, máquina única no hemisfério sul. Na Itália, só a Ferrari possui o mesmo equipamento. O carro é bem equipado, inclusive opção de câmera de ré com linhas de trajetória, em geral existentes em modelos maiores e mais caros. Controle de estabilidade está em toda a linha, menos nas duas opções mais baratas. Bolsas de ar laterais dianteiras são opcionais por R$ 2.600,00 e só com o motor mais potente. No total há cinco versões, três delas com motor de menor cilindrada que devem responder por dois terços das vendas. Preços básicos variam de R$ 53.990 a 69.990,00.

4

Fernando Calmon

Outra vez há conflitos dentro da gama Fiat. Grand Siena, por exemplo, teve preço rebaixado para menos de R$ 50.000, o que atrapalha o Cronos, porém deve ter vida curta. Por outro lado, uma das versões do novo automóvel é mais barata que o Argo. Para tornar a vida do novato mais dura, a Precision (de topo), passa de R$ 82.000, incluídos opcionais, sem chance de enfrentar Virtus ou City.

RODA VIVA SALÃO de Genebra, de 8 a 18 de março, mostrará o equivalente ao VW T-Cross, no caso o SUV Skoda Vision X Concept, de mesma distância entre eixos do Virtus. Linhas terão alguns disfarces e versão definitiva estreia em outubro, no Salão de Paris, enquanto o T-Cross, estará no Salão de São Paulo, em novembro. Já o Tiguan, importado do México em breve, terá versões de sete e também (a Coluna antecipa) de cinco lugares. INVESTIMENTO da GM em São Caetano do Sul (SP), sua unidade industrial mais antiga no Brasil, chama atenção em um momento de grande ociosidade da indústria automobilística. País pode fabricar até 5,5 milhões de veículos/ ano, mas, em 2018, no máximo, 3,1 milhões. Com a ampliação, capacidade da GM subirá de 250.000 para 330.000 mil/ano. AMAROK V-6 diesel transformou a picape média da VW em um veículo mais rápido que a maioria dos automóveis comuns. Afinal, são 225 cv, 56,1 kgfm e aceleração de 0 a 100 km/h em 8 s. Como desloca uma massa, em ordem de marcha, perto de 2,2 toneladas, precisa de moderação ao acelerar. Preço ajuda a pensar: R$ 184.990. CONSTATAÇÃO interessante: fabricantes japoneses têm infraestrutura e tecnologia de sobra para investir em carros autônomos e trabalham nisso com afinco. Entretanto, no seu mercado interno o tema parece empolgar pouco os motoristas. Na pesquisa publicada na Coluna da semana passada, Japão nem aparece entre os 20 países mais “ansiosos”. AVANÇO de carros elétricos nos EUA será bastante lento. Segundo Mike Jackson, presidente da AutoNation, maior rede de concessionárias do país, eles responderão por algo entre 15% e 20% das vendas totais em 2030. Participação muito inferior ao projetado (sem confirmação...) na Europa. Jackson costuma acertar previsões por ouvir de perto os compradores. fernando@calmon.jor.br www.facebook.com/fernando.calmon2

jornalreposicao.com.br


jornalreposicao.com.br

5


SEGURANÇA

TREINAMENTO

Schaeffler Automotive Aftermarket capacita mais de 6,5 mil profissionais em 2017

Um dos principais projetos é a Rota do Reparador, por meio do qual a empresa beneficiou 1.200 reparadores de diversas regiões SOROCABA, 18 de janeiro. A Schaeffler, detentora das marcas LuK, INA, FAG e Ruville, capacitou mais de 6,5 mil profissionais do Aftermarket Automotivo brasileiro em 2017. Por meio de diversos projetos, a empresa ministrou cerca de 130 cursos, palestras e workshops para reparadores de todo o País.

Sistemas de Embreagens, 2CT (Embreagem Dupla) e DMF (Volante Bi-Massa) com a marca LuK.

Somente por meio da Rota do Reparador, programa de atualização organizado pelo Grupo Oficina Brasil, a companhia realizou 20 treinamentos profissionalizantes para reparadores independentes de inúmeras regiões do Brasil.

Em 2018, a Schaeffler prosseguirá com os treinamentos, apoiando distintas iniciativas. A perspectiva é ministrar palestras em todo o País, atingindo profissionais de todas as regiões.

As capacitações contribuem para aumentar a qualificação da mão de obra do segmento, essencial para elevar a produtividade e a competitividade das oficinas. Entre os temas abordados, destacam-se: Rolamentos, Dicas de Montagem, Aplicações e Diagnósticos de Falhas com as marcas INA e FAG, Tecnologias, Aplicações e Diagnósticos de Falhas em

“Existe uma grande demanda por treinamento por parte do reparador, que sempre busca se atualizar para entregar o melhor serviço ao cliente. Se pensarmos em um cenário em que a tecnologia automotiva está avançando a cada ano, treinamentos profissionalizantes são fundamentais”, avalia Airton José do Prado, Gerente de Produtos da Schaeffler. “Como a qualidade é um dos nossos principais pilares, temos muita satisfação em continuar apoiando o desenvolvimento do setor”, completa.

CESVI/MAPFRE alerta para importância de atender ao recall Ficar alerta às convocações das montadoras é fundamental para manter o carro seguro O recall é a convocação obrigatória por fabricantes para que um produto passe pela correção de um defeito que pode oferecer risco à saúde e à segurança de clientes. Tratase de uma regra prevista no Código de Defesa do Consumidor. “No universo automobilístico, esses chamados também acontecem uma vez que qualquer falha mecânica, eletrônica ou de montagem no veículo pode em algumas situações colocar em risco a proteção, integridade ou segurança de passageiros”, explica Emerson Feliciano, superintendente do CESVI BRASIL/ MAPFRE (Centro de Experimentação e Segurança Viária da MAPFRE. Todo serviço a ser prestado na convocação deve ser gratuito, uma vez que é de responsabilidade da montadora reparar os defeitos de fabricação identificados. “Numa situação de recall, o proprietário está amparado pelo Código de Defesa do Consumidor. Apesar de não haver prazo determinado para o conserto, o ideal é fazê-lo o quanto antes para diminuir a possibilidade de acidentes. “É imprescindível que os proprietários de carros atendam ao recall e procurem uma concessionária”, alerta Feliciano.

O especialista ressalta ainda que, o aumento de recalls, é uma evidência de que tanto o mercado como as montadoras estão mais atentos aos diretos da população e a questões de segurança do veículo. “As convocações aumentaram nos últimos anos porque os problemas são mais investigados, ou seja, a segurança nunca esteve tão em pauta quanto atualmente”, finaliza. Vale a pena conferir Para saber se o automóvel foi convocado em algum momento, o proprietário pode acessar o portal do Ministério da Justiça (http://portal. mj.gov.br/recall/), que lista todos os recalls realizados, além de especificar os defeitos e o que eles podem provocar. Quem comprou um carro usado e quer saber se um defeito de fábrica foi corrigido pode acessar o Portal de Serviços do Denatran (https://portalservicos. denatran.serpro.gov.br/), fazer um cadastro e informar o chassi do carro. objetivos. Para conhecer as atividades do

CDN Comunicação

ECONOMIA

Ritmo de fechamento de estabelecimentos comerciais no Paraná diminui

931 lojas encerraram suas atividades em 2017: saldo negativo no número de lojas foi 89% menor do que em 2016 no Estado

www.autofesta.com

Levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) mostra que no Paraná foram registrados 951 fechamentos de estabelecimentos comerciais em 2017. No entanto, em 2016, 8.309 lojas encerraram suas atividades, e em 2015 foram -9.643. Desta forma, o saldo negativo no número de lojas foi 89% inferior, o que sinaliza um arrefecimento da queda do número de estabelecimentos.

6

M do

r o ! a h c l e nun

que

O saldo entre aberturas e fechamentos de estabelecimentos comerciais no Brasil ficou negativo em 19,3 mil unidades. Apesar da sequência negativa, o encerramento de estabelecimentos comerciais foi 82% menor do que em 2016, quando o setor eliminou 105,3 mil pontos de venda. Mesmo com o fechamento de muitos estabelecimentos, o emprego reagiu positivamente. Segundo dados do Caged/ IBGE, o comércio varejista, atacadista e o setor de serviços do Paraná foram responsáveis pela criação de 11 mil postos de trabalho no ano

passado. Em 2016, mais de 19 mil trabalhadores destes setorais haviam perdido seus empregos. Segmentos Dentre os segmentos, em âmbito nacional, os hiper e supermercados se destacaram negativamente em números absolutos (-5.692), seguidos pelas lojas de material de construção (-3.714) e lojas de utilidades domésticas e artigos de uso pessoal (-2.221). Vale salientar que a redução do ritmo de fechamentos de lojas ocorreu em todos os segmentos que acusaram saldos negativos em 2017. Por outro lado, estabelecimentos especializados em itens de informática e comunicação (+21) e farmácias, perfumarias e cosméticos (+426) voltaram a registrar aberturas líquidas após quatro anos. Perspectiva No Paraná, a Fecomércio PR acredita que devem ser abertos novos estabelecimentos comerciais em 2018, o que deve gerar ainda mais postos de trabalho. A entidade projeta um crescimento entre 3 e 5% no volume de vendas do varejo. Núcleo de Comunicação e Marketing do Sistema Fecomércio Sesc Senac - NCM

jornalreposicao.com.br


LANÇAMENTOS

STANLEY lança caixas plásticas com exclusivo sistema de empilhamento

AMORTECEDORES MONROE EQUIPAM NOVA FAMÍLIA DE CAMINHÕES VOLKSWAGEN Parceria entre a marca do grupo Tenneco e a Volkswagen Caminhões contempla os modelos Delivery de 3,5 a 13 toneladas

A STANLEY, tradicional fabricante de ferramentas e acessórios, apresenta dois novos modelos de caixas plásticas empilháveis, de 16” e 19”. Ideais para profissionais que trabalham com equipamentos, os produtos têm como grandes diferenciais os fechos metálicos reforçados e um exclusivo sistema de empilhamento, que faz com que ocupem 50% menos espaço na comparação com os concorrentes do mercado. Produzidas no Brasil, na unidade de Uberaba (MG), as caixas possuem design desenvolvido para suportar mais carga no topo, assim, são mais resistentes, proporcionam mais agilidade e praticidade ao dia a dia dos profissionais. Além disso, possuem

empunhadura ergonômica, organizadores integrados na tampa, bandeja interior removível e orifício para cadeado. Sobre a STANLEY: Fundada em 1843, a STANLEY se consolidou como a maior e mais tradicional fabricante de ferramentas do mundo. Com uma história marcada pela invenção de diversos equipamentos, a marca possui um amplo portfólio de soluções manuais, elétricas e a bateria, com durabilidade, potência e resistência, voltado para o usuário profissional exigente, como pedreiros, marceneiros, eletricistas, mecânicos, serralheiros, engenheiros, entre tantos outros. Grupo Image

8

Toda a tecnologia e qualidade dos amortecedores Monroe, líder mundial no desenvolvimento e fabricação de amortecedores e reconhecida no segmento de pesados pela alta tecnologia presente em seus produtos, estão presentes na nova família de caminhões Delivery da Volkswagen Caminhões e Ônibus, o mais recente lançamento da montadora. O projeto marca o início da parceria entre as marcas no Brasil. Desenvolvida para atender o mercado de transporte de cargas no segmento de caminhões leves, a nova linha de veículos Delivery contará com os componentes Monroe em todos os modelos de 3,5 a 13 toneladas. “Investimos constantemente na melhoria e aperfeiçoamento das nossas linhas de componentes com o compromisso de entregarmos peças com o mais alto nível de excelência ao mercado automotivo. Estar presente em um projeto desta grandeza é uma prova da confiabilidade e qualidade dos nossos produtos”, afirma Edmir Sassiloto, gerente de Vendas OE da Monroe.

Diferenciais Os amortecedores Monroe para o segmento de veículos pesados possuem diversas tecnologias e diferenciais exclusivos, proporcionando mais segurança, conforto e estabilidade aos condutores e passageiros. Dentre esses fatores está o uso de buchas de fixações vulcanizadas, que ampliam de duas a cinco vezes o tempo de vida útil do produto, e de borrachas com formulação especial, capazes de aumentar em até duas vezes a durabilidade do componente. Resistentes a temperaturas de até 180° C, os amortecedores Monroe para caminhões também possuem as soldas das fixações reforçadas, para garantir que a peça não se quebre diante de grandes esforços. Além disso, a válvula do pistão tem revestimento antidesgaste, que proporciona um movimento mais suave de abertura e fechamento dos amortecedores. PRINTER PRESS

jornalreposicao.com.br


ES T O R A CAM OS D A T O G ES

festa RESERVAS 41 3155-2532 413296-2532

AUTOFESTA2018

www.promkt.net


GERAL

NGK explica como o combustível de má qualidade afeta o veículo Substâncias inadequadas podem causar falhas de ignição

A recomendação da fabricante é que a peça seja inspecionada anualmente, a cada 10 mil quilômetros ou conforme orientação da montadora.

Com o preço médio da gasolina 2,75% mais alto em 2018, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a busca por postos com preços mais competitivos aumenta. Porém, é preciso que o motorista fique atento também à procedência e qualidade da gasolina e etanol. Combustíveis adulterados ou de má qualidade podem causar carbonização ou superaquecimento das velas de ignição, alerta a NGK, marca especialista na fabricação do componente. “Dificuldades na partida, falhas no motor e perda de potência são alguns problemas que podem ser causados pela ação do combustível de má qualidade nas velas de ignição”, explica Hiromori Mori, consultor de Assistência Técnica da NGK. O especialista explica que apenas com uma simples análise visual do componente é possível identificar indícios que o combustível utilizado pode não ter uma boa qualidade. Por esse motivo, é importante que o mecânico sempre verifique as condições da vela em uma

Outra solução interessante para quem busca economia é investir em uma vela especial. A NGK disponibiliza no mercado de reposição as velas G-Power, feitas em platina, e Iridium IX, de irídio.

Revisão da vela de ignição garante bom funcionamento da peça e economia de combustível

revisão. “No caso da carbonização, a ponta ignífera da peça fica totalmente coberta com resíduos de carvão. Já em situações onde há acumulo de resíduo vermelho na ponta da vela, indica o uso de combustível com óxido de ferro”, explica Hiromori Mori. Vela em ordem, mais economia De acordo com Hiromori Mori, a dica

para o motorista que deseja economizar combustível é garantir que as velas de ignição estejam em ordem. “A vela de ignição é responsável por garantir que o combustível seja queimado de forma correta, sem desperdício. Por isso, o bom funcionamento da peça influencia diretamente no consumo de gasolina ou etanol”, alerta o consultor da NGK.

Produzidas em material nobre, os componentes possuem a ponta do eletrodo mais finas do que as velas convencionais, proporcionando uma queima otimizada e, consequentemente, maior economia de gasolina ou etanol. “Além disso, por terem mais facilidade em gerar centelha, as velas especiais melhoram o desempenho do veículo, sem que seja necessário fazer grandes transformações no motor” afirma Hiromori Mori.

PRINTER PRESS

Schaeffler Automotive Aftermarket capacita mais de 6,5 mil profissionais em 2017

No ano, foram cerca de 100 palestras, ministradas em todo o País para o Aftermarket Automotivo Um dos principais projetos é a Rota do Reparador, por meio do qual a empresa beneficiou 1.200 reparadores de diversas regiões Em 2018, companhia seguirá com o ciclo de capacitação

SOROCABA, 23 de janeiro. A Schaeffler, detentora das marcas LuK, INA, FAG e Ruville, capacitou mais de 6,5 mil profissionais do Aftermarket Automotivo brasileiro em 2017. Por meio de diversos projetos, a empresa ministrou cerca de 130 cursos, palestras e workshops para reparadores de todo o País. Somente por meio da Rota do Reparador, programa de atualização organizado pelo Grupo Oficina Brasil, a companhia realizou 20 treinamentos profissionalizantes para reparadores independentes de inúmeras regiões do Brasil. As capacitações contribuem para aumentar a qualificação da mão de obra do segmento, essencial para elevar a produtividade e a competitividade das oficinas. Entre os temas 10

abordados, destacam-se: Rolamentos, Dicas de Montagem, Aplicações e Diagnósticos de Falhas com as marcas INA e FAG, Tecnologias, Aplicações e Diagnósticos de Falhas em Sistemas de Embreagens, 2CT (Embreagem Dupla) e DMF (Volante Bi-Massa) com a marca LuK. Em 2018, a Schaeffler prosseguirá com os treinamentos, apoiando distintas iniciativas. A perspectiva é ministrar palestras em todo o País, atingindo profissionais de todas as regiões. “Existe uma grande demanda por treinamento por parte do reparador, que sempre busca se atualizar para entregar o melhor serviço ao cliente. Se pensarmos em um cenário em que a tecnologia automotiva está avançando a cada ano, treinamentos profissionalizantes são fundamentais”, avalia Airton José do Prado, Gerente de Produtos da Schaeffler. “Como a qualidade é um dos nossos principais pilares, temos muita satisfação em continuar apoiando o desenvolvimento do setor”, completa.

PRINTER PRESS

ZEN lança kit de tensores e correias

Conjunto de peças evita equívocos na aquisição do produto e facilita a manutenção do veículo Uma das principais recomendações dos mecânicos é que a troca do tensor e da correia sejam feitas de uma vez só. Para facilitar esse processo, a ZEN lança, este mês, 30 modelos de kits de distribuição, compostos por estes dois componentes, que cobrem as aplicações de cerca de 80% dos veículos nacionais. Com ele, o reparador, ou o proprietário do veículo, evita equívocos na hora de comprar as peças. “Existem de três a quatro modelos de correia ou tensor para cada carro. Por isso, esse item pode variar de acordo com o ano e a motorização do veículo. Ao adquirir o conjunto, ele obtém os componentes corretos. Se a compra for avulsa, a chance de adquirir um tensor que não corresponde a uma determinada correia é muito grande”, alerta o analista da linha de tensores, Jorge Guimarães. Ao longo do ano, o artigo será estendido também para os segmentos de picapes e utilitários e, em alguns casos específicos, o

kit poderá vir acompanhado de parafusos e outros acessórios. “A ZEN já comercializa tensores e polias desde 2009, mas quer ampliar a oferta. Hoje, esse tipo de conjunto representa apenas 25% do mercado brasileiro. Nos Estados Unidos e na Europa, o kit corresponde a 90% da vendas”, afirma Guimarães. Para divulgar o lançamento, a empresa deve intensificar as suas palestras juntos aos reparadores para falar sobre as facilidades de aplicação. O kit de distribuição ZEN estará disponível em todo o território nacional e nos países da América Latina, a preços competitivos com as principais marcas. A ZEN atende ao segmento de reposição (aftermarket), com distribuidores espalhados em pontos estratégicos. Em caso de dúvidas, basta entrar em contato com a empresa pelo 0800 47 1919. PRINTER PRESS

jornalreposicao.com.br


NOVO TELEFONE PROJETO MARKETING

41 3155-2532 NOSSOS PRODUTOS

www.alltopecas.com.br

jornalreposicao.com.br

11


DESTAQUE

NOVIDADES

SICREDI

SABÓ ENCERRA ANO COM RECONHECIMENTO E PREMIAÇÕES

Sicredi amplia atuação e lança máquina de cartões

FRAM lança dezenas de novos filtros de cabine e destaca a importância da manutenção do sistema Muito calor e umidade, vidros fechados, arcondicionado no máximo e trânsito intenso, seja a caminho do trabalho ou numa viagem para aproveitar o verão. Essa combinação pode provocar diversos problemas de saúde, principalmente quando a limpeza interna do veículo, a higienização do conjunto de ventilação e a troca periódica do filtro são malfeitas ou ignoradas. Para facilitar a manutenção dos principais modelos nacionais e importados, a Fram ampliou o catálogo de filtros da cabine com 32 novos produtos e passou a contar com mais de 1.000 aplicações diferentes nas linhas leve, pesada e agrícola. Todos os componentes são fabricados conforme os padrões originais das montadoras e com a alta qualidade do grupo Sogefi.

Sempre Completa Para acompanhar a evolução da frota, os trabalhos de desenvolvimento não param. Recentemente, a Fram lançou filtros da cabine para o Audi A3 Sedan, Chevrolet S10 e Trailblazer, Chery Celer, Ford Edge, Hyundai Creta e Tucson, JAC J6, Kia Soul e Sportage, Nissan Kicks, Renault Captur e Kwid, Toyota Etios e Volkswagen Golf, entre outras dezenas de seminovos. No total, estão disponíveis filtros para os sistemas de climatização e ventilação de mais de 40 marcas de automóveis, utilitários, caminhões, ônibus, máquinas agrícolas e equipamentos de construção. A linha completa da Fram pode ser encontrada em distribuidores, lojas de autopeças, postos de serviço, trocas de óleo, auto centers e oficinas de todo o país.

Na hora da manutenção, a equipe técnica da Fram alerta que os donos dos veículos ou gestores de frotas devem tomar certos cuidados para preservar a saúde das pessoas. Primeiro, é preciso comprar o filtro indicado exatamente para o modelo e escolher um produto com qualidade original, capaz de reter os principais poluentes e contaminantes do ar. Com as novas tecnologias, encontrar os filtros corretos para cada aplicação é muito fácil. A Fram, por exemplo, conta com catálogos impressos, ferramentas de busca na internet (em www.fram.com.br e www. filtrosfram.totalmobi.net) e aplicativos para celulares e tablets (iOS, Android e Windows). Em minutos, é possível localizar os códigos necessários.

Atenção aos Prazos Também é muito importante respeitar os intervalos de troca do filtro descritos no manual e realizar uma inspeção a cada seis meses. Se o veículo rodar em condições extremas, com muita poluição ou poeira, a atenção deve ser maior. Os motoristas ainda precisam ficar atentos aos primeiros sinais de problemas, como o cheiro de mofo, as crises alérgicas e a ventilação fraca. Por último, apesar da substituição do filtro da cabine ajudar a manter os dutos e o evaporador mais limpos, é preciso fazer a higienização do circuito depois de certo tempo e, em casos mais extremos, até uma desmontagem completa. As oficinas especializadas costumam usar microcâmeras para avaliar qual é o nível de sujeira e o reparo indicado para cada situação. “Quando ligamos a ventilação interna, o sistema suga todos os gases tóxicos, fuligens, poeiras, pólens, fungos, insetos e microrganismos presentes no ar. O filtro é a maior proteção contra esses contaminantes. A qualidade do ar dentro de um carro sem a manutenção correta é pior do que nas ruas mais poluídas”, alerta Ronilso Toledo, supervisor de assistência técnica da Sogefi.

Taller Comunicação 12

A Paguecom chega com as funcionalidades de crédito, débito e voucher

Cuidados na Troca

No ano em que completa 75 anos, além de todas as comemorações da marca por seu aniversário histórico, outras razões também estão fazendo a Sabó fechar o período com muito orgulho e satisfação. No final de outubro, a empresa foi contemplada pela 4ª vez pela General Motors mundial, como uma das melhores fornecedoras, na 5ª edição do prêmio Supplier Quality Excellence Award. A Sabó já foi premiada por 27 vezes pela General Motors Brasil dentre os melhores fornecedores do ano e por 3 vezes o melhor fornecedor mundial do ano. Já no início de dezembro, a empresa foi contemplada com o Prêmio INOVA, promovido pela Novo Meio Pesquisas, onde foi escolhida como Melhor Indústria Novo Varejo, na categoria juntas e retentores, com 81,2% de preferência, além de terceira escolhida nos quesitos “Melhor Rede de Distribuidores” e “Empresa Mais Admirada”. “Este ano foi muito especial para todos nós da Sabó e as premiações vêm para coroar todo nosso esforço em sempre estar à frente no desenvolvimento de novas tecnologias, produtos e serviços, consolidando a importância da nossa marca, não somente com os reparadores, mas também com o varejo, extremamente importante para nós!”, comenta Daniella Carrer, do Marketing da empresa. “Ser reconhecido como melhor fornecedor da General Motors pela 4ª vez, só nos mostra que estamos trilhando o caminho certo de qualidade e tecnologia aplicada às soluções exigidas de acordo com as necessidades do mercado mundial. Estamos orgulhosos de ser mais uma vez reconhecidos!”, completa Lourenço Oricchio, Diretor Geral Sabó Américas. PSC COMUNICAÇÃO

O Sicredi, instituição financeira cooperativa – que possui mais de 3,6 milhões de associados – inova e lança a Paguecom, uma máquina de cartões que passa a viabilizar a atuação do Sicredi como credenciadora. “Este é um segmento relativamente novo para o Sicredi, visto que já fazemos parte desta cadeia como instituição financeira cooperativa que oferece conta bancária para o recebimento dos pagamentos. Agora, nos tornamos também uma credenciadora, no chamado mercado de adquirência”, explica Cidmar Stoffel, diretor executivo do Produtos e Negócios do Banco Cooperativo Sicredi. A iniciativa é uma parceria com a First Data, líder global em soluções de processamento de pagamentos e comércio eletrônico. A Paguecom chega com todas as funcionalidades de uma máquina de cartões: crédito, débito e voucher. Qualquer associado ou pessoa que queira se associar às cooperativas de crédito filiadas ao Sicredi pode adquirir a máquina e utilizar em seu negócio. Os interessados poderão solicitar a Paguecom em qualquer agência do Sicredi. A expectativa é que a novidade traga autonomia e flexibilidade ao Sicredi, favorecendo aos associados Pessoa Jurídica (PJ) ou Microempreendedores Individuais (MEIs). O público da Paguecom é majoritariamente de PJ, porém atenderá também a Pessoa Física (PF), como profissionais liberais: médicos, advogados, taxistas e microempresários, por exemplo. Saiba mais em www.paguecom.com.br Sobre o Sicredi O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,6 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 21 estados*, com 1.500 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi. com.br. Sicredi Sincocred PR Rua Anne Frank, 3223, Boqueirão. Curitiba/PR

jornalreposicao.com.br


TREINAMENTO

MTE-THOMSON oferece curso gratuito de gestão para reparadores

Empresa libera em sua plataforma on-line curso com certificação Nem sempre é fácil para o reparador entender de consertar carros e administrar a sua própria oficina. Por esse motivo, muitas deles acabam fechando, pelo simples fato de desconhecimento de administração, pela falta de noções para que a empresa se mantenha funcionando e em bom estado de saúde financeira. Pensando nesses reparadores e visando auxiliar o mercado, a MTE-THOMSON em parceria com a especialista em Software de Gestão para o setor, a Ultracar, amplia a disponibilização de videoaulas gratuitas para esta área. Dividido em 50 videoaulas, o curso aborda assuntos como gestão de pessoas, financeiro, tributário, fiscal, entre outros imprescindíveis para o crescimento da empresa. “Vimos muitos reparadores investirem em equipamentos, espaço, pessoas, formação técnica mas infelizmente não conseguirem manter a empresa, por falta de conhecimento administrativo e gerencial. Acreditamos que o curso “Administrando sua Oficina” possa fazer com que esses reparadores não se desiludam mais com o setor e nem percam mais seus investimentos”, declara Alfredo Bastos, Diretor de Marketing da MTE-THOMSON. “Pelo contrário, queremos que esse reparador se desenvolva cada vez mais, cresça, gere empregos e assim possa ajudar a melhorar tanto o mercado em si como a economia do País”, completa Bastos. O curso é gratuito e pode ser realizado através de inscrição no www.cursosonlinemte. com.br. Ao final do curso, o aluno recebe certificado de participação.

“Hoje mais do que conhecimento técnico é fundamental o conhecimento em todas as áreas em uma empresa de reparação.” completa Fabio Moraes, Diretor da Ultracar.

Oficina do Saber A Oficina do Saber nasceu da crescente demanda percebida pela MTE-THOMSON de informações e formação técnica especializada e específica sobre alguns assuntos relacionados ao mundo da reparação. Atualmente a plataforma conta com diversos cursos nas Linhas Automotiva, Moto e Gestão com mais de 20 mil participantes através do ensino à distância, investindo apenas seu tempo quando e onde melhor lhe convém. “Acreditamos nos cursos EAD e encontramos uma forma de levar essas informações para reparadores que muitas vezes não tempo, condições ou até mesmo disposição de ficar se deslocando para frequentar um curso presencial. É uma oportunidade de poder continuar em seu ambiente de descanso e família e ao mesmo tempo, conseguindo se manter atualizado”, explica Bastos. Para saber mais sobre este ou demais cursos ou dúvidas sobre o assunto, basta entrar em contato com o SIM (Serviço de Informações MTE) através do 0800 704 7277, pelo sim@mte-thomson.com.br ou ainda pelo whatsapp disponibilizado pela empresa no (11)95559-7775.

Paula Skoretzky

Motodax Motorcycles comemora 15 anos com super evento no dia 10 de março Comemoração será com muito rock’n’roll, comida e exposição de motos clássicas, customizadas e restauradas A Motodax Motorcycles comemora 15 anos com um super evento no dia 10 de março, sábado, das 10 às 21h, na sede da oficina (Rua Emílio de Almeida Tôrres, 571, Campina do Siqueira, Curitiba/PR). Com um vasto histórico no segmento de customização (com especialização em cafe racer) e restauração de motocicletas no Brasil, a Motodax tem em seu portfólio motos como Honda, Triumph, BMW, entre outras marcas. “Esses 15 anos foram de muito trabalho, suor e dedicação, mas também muitas amizades, clientes satisfeitos e superação”, comemora Luiz Felipe Almeida, proprietário da Motodax Motorcycles. O evento reúne exposição de motocicletas clássicas, customizadas e restauradas, show com a banda Rock Estrada Moto Club, tradicional Barreado Paranaense, Fish’n Chips (tradicional comida de rua inglesa), Chopp, Água e Refrigerante, Bazar com roupas e acessórios e Barbearia. Será um dia inteiro repleto de atrações para os amantes do mundo duas rodas com entrada gratuita!

Mais informações na página do evento: https://goo.gl/KXsbwZ ou pelo telefone (41) 3333-3077. Serviço: 15 anos da Motodax Motorcycles Dia 10 de março (sábado) – das 10 às 21h Local: Rua Emílio de Almeida Tôrres, 571, Campina do Siqueira, Curitiba/PR Informações: (41) 3333-3077 Entrada: gratuita Site: http://www.motodax.com.br FB: https://www.facebook.com/ motodaxmotorcycles Confirme a sua presença na página do evento: https://goo.gl/KXsbwZ Produção: The Mill – http://www.themill. com.br BelPress :: Comunicação

IMPRENSA FORD atração da Autofesta 2018 Rogério Cordoni,

14

jornalreposicao.com.br


NOTÍCIA

Volvo abre segundo turno na fábrica em Curitiba e contrata 250 funcionários

Montadora voltou a investir na sua fábrica em Curitiba após a retomada da economia e tem perspectivas de crescimento de 30% para o mercado de caminhões em 2018

Jéssica Sant’Ana*

Fábrica da Volvo na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). Montadora abriu em fevereiro deste ano o segundo turno para produção de caminhões. FOTO: Marcelo Andrade Gazeta do Povo

O presidente do grupo Volvo América Latina, Wilson Lirmann, afirma que o último trimestre de 2017 marcou o início da retomada para o setor de caminhões pesados e semipesados no Brasil, o principal segmento para a montadora e o principal mercado na América Latina. A empresa espera que o setor de caminhões no Brasil cresça 30% em 2018. “Nós vimemos um momento de otimismo, pois rompemos a sequência negativa da crise, com o controle da inflação, a redução da taxa de juros, a agricultura que continua muito forte, com safra recorde em 2017, a retomada de confiança dos empresários e do consumidor e, inclusive, a retomada da indústria”, afirma Lirmann. Ele lamentou, porém, a falta de uma reforma fiscal e previdenciária: “Todos os sinais de uma recuperação cíclica estão postos, mas não podemos contar só com uma recuperação cíclica, precisamos melhorar o cenário macroeconômico como um todo, com as reformas”. Acompanhe este assunto pelo Messenger Receba os destaques, alertas de notícias urgentes e curadoria de conteúdo da Nova Economia direto no app de mensagens CADASTRE-SE Apesar do crescimento no ano passado e da perspectiva de aumentar o nível em 2018, os jornalreposicao.com.br

níveis de produção e venda ainda estão baixos em comparação ao auge do setor. O último recorde da Volvo aconteceu em 2011, quando a montadora vendeu 26 mil caminhões. No ano passado, o número foi de 10.366 unidades, comercializando 55% da produção no Brasil e o restante nos demais países latino-americanos, com destaque para Chile, Argentina e Peru, onde a montadora é líder em vendas. Uma consequência disso é que fábrica na CIC opera, atualmente, com um terço da capacidade produtiva.

r o ! a h c l e nun

Segundo turno e contratações Mas, apesar de ainda estar distante do volume de entregas de 2011, a Volvo enxerga uma melhora gradual do setor e mantém o investimento de R$ 1 bilhão para a América Latina até 2019 . A montadora também retomou o segundo turno de produção de caminhões em fevereiro deste ano na fábrica em Curitiba, que produz caminhões, chassis de ônibus e motores, e contratou 250 novos funcionários entre o fim de 2017 e o início de 2018, grande parte para a linha de produção. Atualmente, são 3,4 mil pessoas.

e M u q do

As novidades chegam depois de dois anos marcados por demissões e fábrica funcionando em apenas um turno. A partir do auge da crise, em meados de 2015, a empresa reduziu em 20% a produção da sua fábrica, ficou operando em apenas um turno e demitiu centenas de funcionários, muitos aderindo ao Programa de Demissão Voluntária (PDV). Ônibus Na área de ônibus, a Volvo também vê uma retomada para o setor, tanto para transporte público quanto rodoviário. A empresa espera participar de novas licitações para BRT, como em São Paulo, Manaus e Santiago, e participar da renovação da frota dos operadores de transporte rodoviário. Em março, a empresa entrega 25 novos biarticulados para a cidade de Curitiba. No ano passado, vendeu 1.055 chassis de ônibus, exportando 75% do total, número recorde para a montadora. Em 2013, por exemplo, as exportações eram de 38%. GAZETA DO POVO

www.autofesta.com

Depois de uma crise que derrubou a venda de caminhões semipesados e pesados e de ônibus ao nível mais baixo registrado pelo setor desde o início dos anos 2010, a Volvo começa a enxergar a retomada da economia e volta a investir na sua fábrica no Brasil, localizada na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). A empresa contratou 250 funcionários entre o fim do ano passado e o início de 2018, abriu o segundo turno para produzir caminhões e já está exportando 75% da produção de chassis de ônibus. Além disso, a companhia mantém o investimento iniciado no ano passado de R$ 1 bilhão na América Latina até 2019, a maior parte dos recursos sendo utilizada para manter e atualizar a planta industrial e o restante para investir em novas tecnologias e ampliar a rede de concessionárias.

15


16

jornalreposicao.com.br

Jornal Reposicao nº 128 Fevereiro 2018  

O mercado automotivo sinaliza a retomada do crescimento. Leia aqui.

Jornal Reposicao nº 128 Fevereiro 2018  

O mercado automotivo sinaliza a retomada do crescimento. Leia aqui.

Advertisement