Page 1


2 | Painel Imobiliรกrio


PALAVRA DO PRESIDENTE

Um mundo CONECTADO

E

Valeria Fleury

stamos vivendo em um mundo onde todos estão conectados. As pessoas dedicam mais tempo ao seu micro, tablet ou smartphone do que à própria família. As informações são instantâneas, o mundo está na palma de nossas mãos, os conceitos estão mudando, palavras como confiança, patriotismo, civilidade, respeito, honestidade, fidelidade, ética, estão ganhando novos significados e fazendo novos adeptos. O relacionamento pessoal está ficando cada dia mais difícil, as pessoas estão sempre correndo e sempre conectadas. Vemos cenas interessantes, casais em restaurantes trocando mensagens pelo telefone, a conversa, o bate-papo familiar está desaparecendo. E com isso os valores também estão sumindo. Amigos que enfrentaram situações difíceis outrora, hoje pelo dinheiro ou pelo poder são abandonados e as vezes espezinhados, outros se julgam tão importantes, que tudo o que acontece com ele acha que é perseguição. Outros são as vezes paparicados por pessoas que só visam o interesse pessoal, provocam uma verdadeira balburdia em suas vidas e esquecem ou ignoram os verdadeiros amigos. O que falar dos filhos? Será que eles ainda são lembrados? E de Deus? Será que Ele está na lembrança dessas pessoas, pois no coração é certeza que não está. Será que isso é resultado desse novo mundo, desse modo de ser hoje das pessoas? E a confiança onde está? O que será do ser humano se assim continuar? O interesse material hoje supera os bons costumes, os amigos de ontem são inimigos de hoje, tudo pelo vil metal. Será que é esse o mundo que queremos para os nossos netos? Amigos, resolvi nesse final de ano, não escrever um artigo ou uma crônica, mas fazer interrogações, com o intuito de tocar os corações, para que lembremos que o AMOR ainda deve ser a tônica de nossas ações. Nessa última palavra de 2013, quero deixar aqui registrado os agrade-

cimentos a todos aqueles que contribuíram para o engrandecimento de nossa profissão, que souberam diferenciar o interesse pessoal em prol do coletivo, aqueles que até sacrificaram o seu descanso, o trabalho para poder fazer com que a profissão alcançasse maior credibilidade. Àqueles que só olham para si, só veem o seu lado, aproveitem esses dias finais do ano, para fazerem uma autoanálise e verem o quanto estão sendo injustos e o tanto que podem ajudar os seus e os seus pares. Desconectemos um pouco, enquanto ainda temos tempo e sejamos fiéis aos antigos princípios. Honestidade e Ética nunca são demais. Que Deus em sua infinita bondade possa abençoar a todos, que Jesus Cristo, seja lembrado sempre e que o Amor esteja em nossos corações no ano de 2014.

OSCAR HUGO MONTEIRO GUIMARÃES presidente do Creci de Goiás hugo@oscarhugo.com.br Painel Imobiliário

| 3


SUMÁRIO expediente

12

6

Capa

ENTREVISTA

Puro luxo: mercado de alto padrão ganha força no setor imobiliário

Em busca da mobilidade urbana

18

34

ESPECIAL

SETOR MARISTA

Conheça as dicas e ferramentas apresentadas no evento

Ocupação e crescimento do setor

DE OLHO NA LEI 10

Alteração do Plano Diretor foi suspensa Sobe valor máximo de financiamento de imóvel Aumento do IPTU

TECNOLOGIA & PRODUTOS 15

33 ARTIGO O Brasil longe da bolha imobiliária 39 CULTURA E LAZER

40 + QUE CORRETOR PROFISSÃO 16 Certificação para negócios internacionais 44 SOCIAL SUPERAÇÃO 28 Astros do teatro da vida 45 CRECI NA MÍDIA

fiscalização 32 46 PARA REFLETIR Equipe coíbe venda de empreendimentos irregulares EXPEDIENTE O Conselho Regional de Corretores de Imóveis da 5ª Região-GO é uma autarquia federal de disciplina e fiscalização da profissão de corretor de imóveis. Regulamentada pela Lei Federal 6.530/1978 Endereço: Rua 56, Nº 390, Palácio dos colibris, JARDIM GOIÁS, goiânia-GO - CEP: 74810-240 - Fone/ fax: 62 3236-7350 - Homepage: www.crecigo.gov.br, E-mail: crecigo@crecigo.GOV.br Diretoria: OSCAR HUGO MONTEIRO GUIMARÃES, EDUARDO COELHO SEIXO DE BRITO, RAFAEL NASCIMENTO AGUIRRE, JUSCEMAR ANTÔNIO DE OLIVEIRA, JACKSON JEAN SILVA, WÁLTER SÃO FELIPE, JAIR REIS DE MELO. Conselheiros: ANA MÔNICA BARBOSA DA CUNHA, ANTÔNIO ALVES DE CARVALHO, ANTÔNIO ROSA DE MESQUITA, ANTÔNIO SPINETTI ALVES, CARLOS CÉSAR LEMOS DO PRADO, EDUARDO COELHO SEIXO DE BRITO, ELMO MONTEIRO CLEMENT AGUIRRE, FRANCISCO CARLOS LOBO, GERALDO DIAS FILHO, JACKSON JEAN SILVA, JAIR REIS DE MELO, JOÃO BENICIO GOMES, JOÃO PEDRO VIEIRA, JOSÉ MACHADO RESENDE, JOSÉ MÁRCIO MOREIRA SANTOS, ANTÔNIO DE OLIVEIRA, lEANDRO DAHER DA 4 |JUSCEMAR Painel Imobiliário

COSTA, LUIS CLEMENTE BARBOSA, MARCIO ANTONIO FERREIRA BELO, MARCO ANTONIO DE OLIVEIRA, MARIA FRANCISCA ALVES CARVALHO, OMAR ATAÍDES DE CASTRO, OSCAR HUGO MONTEIRO GUIMARÃES, RAFAEL NASCIMENTO AGUIRRE, RICARDO ALVES VIEIRA, WALTER SÃO FELIPE, WILDES MARCOS FAUSTINO. Suplentes: ADEMIR SILVA, ANDRÉ LUIZ FRANÇA DE MELO, ALEXANDRE GUIMARÃES ROSA DE MOURA, CELSO MONTEIRO BARBUGIANI, CÉSAR FELICIANO DE OLIVEIRA, CLAUDIO GONÇALVES DE ARAUJO, EDGARD FURTADO MARTINS, EVALDO EULER DUARTE DE ALMEIDA, FRANCISCO LUDOVICO MARTINS, HELDER JOSÉ FERREIRA PAIVA, ISMAILDE GOMES DA SILVA, JOSÉ HUMBERTO MARTINS VIEIRA CARVALHO, JOSÉ VIRGÍLIO FERREIRA FILHO, LUCIMAR ALVES ELIAS, LUIZ ANTÔNIO DO NASCIMENTO, LUIZ ANTÕNIO MADY, MARGORETH ALVES DE CASTRO GUIMARÃES, MARIA APARECIDA DIONÍSIO, MURILO SOUSA DE ANDRADE, NEILA ETERNA DE MORAES NASCENTE, PEDRO ANTÔNIO COTECHESKI BOBROFF, RODRIGO PAULLUS BARRETO MACHADO, RONALDO ODORICO VEIGA, SAUL PEREIRA DA COSTA, VALGMAR DOMINGOS TAVARES, VALONI ADRIANO PROCÓPIO, VERONDE ANTÔNIO DE OLIVEIRA.

A Revista Painel é uma publicação do CRECI-GO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO: Thaysa Mazzarelo e ANA PAULA VITORINO Diagramação: Neide Ataíde - GO-2690 JD REVISÃO ORTOGRÁFICA: Isa Daher COMERCIAL: OBJETIVA COMUNICAÇÃO E MARKETING - objetivacomercial@ig.com.br Revisão jurídica: FERNANDO DE PÁDUA - OAB 17840 LOURIVAL JÚNIO O. BASTOS - OAB 36725 Tiragem: 13.000 exemplares Fotolito e impressão: FLEX GRÁFICA As opiniões expressas nessa publicação são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não refletem, obrigatoriamente, a opinião deste Conselho

www.crecigo.gov.br imprensa@crecigo.gov.br


Painel Imobiliรกrio

| 5


ENTREVISTA

Em busca da mobilidade urbana Uma mudança de cultura. É o que sugere o empresário Alexandre Lafer Frankel ao defender a ideia de viver sem carro. Além de uma revolução no comportamento, a iniciativa propõe uma mudança de vida, passando pelo estilo de moradia; apartamentos bem localizados, compactos, que podem chegar a 19 m².

POR THAYSA MAZZARELO

J

á pensou em viver sem carro? O empresário Alexandre Frankel, 35, não só pensou como já vive em São Paulo sem carro há 10 anos. Ele compartilha sua experiência com mais de 80 mil paulistanos que hoje integram a Fan Page do Guia Viver sem Carro em São Paulo no Facebook e são leitores do Guia. O compilado, que já está hoje em sua segunda edição, foi lançado pelo empresário em parceria com o jornalista Leão Serva. O Guia traz histórias e depoimentos de pessoas, entre elas personalidades e artistas famosos, que vivem na capital paulistana sem carro. Empreendedor por natureza aos 22 anos abriu empresa de internet para aproveitar o boom na revolução digital - e empresário do mercado imobiliário por legado familiar - era a companhia do pai incorporador em plantões de vendas e obras - o engenheiro civil fundou sua própria construtora há cinco anos. Entre os empreendimentos, microapartamentos de apenas 19 m² que buscam a máxima da qualidade de vida, vivendo perto de centros urba-

6 | Painel Imobiliário

nos, em espaços pequenos, mas com serviços diferenciais voltados principalmente, para o público jovem de alta renda. Conheça um pouco sobre os ideais e empreendimentos de Alexandre Frankel nessa entrevista à Revista Painel Imobiliário: Você já vive há 10 anos sem carro. Por que decidiu abandonar o automóvel? O trânsito é um dos principais problemas de São Paulo. Hoje, o paulistano gasta, em média, três horas por dia no trânsito, o que representa 45 dias por ano em engarrafamentos. É algo insuportável, um tremendo desperdício de tempo. Não acho que isso seja qualidade de vida. Eu estava dentro desta estatística, então resolvi que queria algo diferente, uma vida mais saudável e abandonei o carro. Como é possível viver sem carro em uma cidade grande? Tem que se planejar. Primeiramente, a pessoa tem que ter uma proximidade entre trabalho, casa, escola

Os jovens já estão mais abertos, 78% dos paulistanos já estão deixando de usar o carro de uma forma intensa, usando o automóvel apenas em fins de semana. Acho isso uma mudança cultural importante.”


Assessoria de imprensa

dos filhos, supermercado e academia. O segredo, na verdade, é você ter uma cidade compacta do ponto de vista do adensamento e unidades compactas que permitem que as pessoas tenham de forma acessível e suficiente as habitações próximas aos centros comerciais, onde tudo acontece. Esse novo comportamento também não implicaria em uma mudança de cultura? Totalmente, acho que as pessoas têm que se reinventar e aprender a viver sem carro. Tem muita gente que tem preconceito em usar ônibus, metrô e bicicleta. Hoje em dia temos inúmeras soluções, desde sites que incentivam a carona, até a ideia do carro compartilhado. As pessoas têm que passar por essa mudança cultural. Os jovens já estão mais abertos a ela, 78% dos paulistanos já estão deixando de usar o carro de uma forma intensa, usando o automóvel apenas em fins de semana. Acho isso uma mudança cultural importante. Como você já disse, uma das formas de viver sem carro é morar perto do trabalho, em um bairro com infraestrutura de comércio. Como o mercado imobiliário pode responder a essa demanda? Por muitos anos o mercado de São Paulo, e da maioria das outras metrópoles, vendeu o sonho de que as pessoas poderiam morar em apartamentos grandes e distantes, como os condomínios, mas a gente tem que parar para refletir: por que a pessoa mora na cidade? Porque ela quer urbanidade, ter oportunidade de trabalho, ter vida cultural, conhecer gente, ter cinema, livraria e tudo mais. Não adianta nada a pessoa ter todo o ônus de morar na cidade - poluição e trânsito - e ir morar em um condomínio afastado, fazendo com que ela não aproveite a qualidade de vida nem as facilidades da cidade. Ela fica no trânsito no caminho para casa ou trabalho, ela tem a impressão de ter uma qualidade de vida que não existe. Então as pessoas que estão na cidade querem a cidade, logo, a gente tem que oferecer o que a cidade tem de melhor e isso consiste muito em viver próximo, nas regiões mais adensadas onde as coisas realmente acontecem. Uma das soluções de moradia com qualidade de vida oferecida por sua construtora são os microapartamentos. Quais as características destes empreendimentos? As pessoas estão se reinventando por causa do custo de vida, não só o custo de comprar o apartamento, mas o custo do condomínio, da manutenção, da empregada doméstica, do IPTU. Eles buscam alternativas para tornar a vida mais eficiente, com facilidades. Então oferecemos pequenos apartamentos dentro dos centros urbanos que possuem uma série de serviços, desde arrumação, manutenção até o concierge - pessoa que cuida dos afazeres diários. O menor apartamento que fizemos tem 19 m², isso para um público solteiro. Para famílias a gente já fez unidades de 45 m², com dois dormitórios, ideal para um casal com até dois filhos. Painel Imobiliário

| 7


O valor do metro quadrado dos empreendimentos vai de R$ 8 mil a R$ 20 mil, variando bastante de região para região.

São Paulo é uma metrópole, com mais de 11 milhões de habitantes, uma realidade diferente das cidades de grande porte. Como você acredita que seja possível viver sem carro em cidades menores? A cidade independe, a gente já nasceu com duas pernas para andar, que continua sendo o mais eficiente método de transporte. A pessoa tem que aprender a usar o transporte público e compartilhar. Por que não usar carona e compartilhar carro? Em alguns lugares já tem pessoas que compartilham o próprio carro com outras pessoas e ainda ganham dinheiro com isso. Então, o que não falta é criatividade, novas formas de fazer. A gente precisa ter certas

atitudes individuais que gerem uma grande mudança coletiva. Acho que essa é a grande lição. E quanto aos empreendimentos da construtora, existe o projeto de levar para outras cidades? Já recebemos muitos convites para irmos para Porto Alegre, Rio de Janeiro, Fortaleza. Hoje estamos focados em São Paulo que é um mercado muito grande para explorarmos, mas estão nos nossos planos de médio prazo pensar em repetir o modelo em outras cidades.  Quer saber mais sobre Alexandre Frankel? Faça o download da Revista Painel na Play Store e Apple Store

Divulgação

Os empreendimentos também trazem uma novidade que facilita a mobilidade: os carros compartilhados. Como funcionam? Hoje, em todos os empreendimentos temos o carro compartilhado. Uma forma da pessoa usar um carro quando necessário, sem a necessidade de ter o seu próprio veículo. Sem pagar seguro, IPVA, manutenção, ela pode usar o carro que está sempre na garagem do apartamento, arcando com os custos de acordo com um regime de horas, sem ter dor de cabeça. É o sonho de qualquer paulistano não ter que arcar com todos os custos de um carro que

ficou guardado na garagem, custando, ocupando espaço.

O menor apartamento que fizemos tem 19 m2, isso para um público solteiro. Para famílias a gente já fez unidades de 45 m2, com dois dormitórios, ideal para um casal com até dois filhos”

8 | Painel Imobiliário


Painel Imobiliรกrio

| 9


DE OLHO NA LEI

Alteração do Plano Diretor foi suspensa pelo MP

A

colhendo recurso interposto pelos promotores de Justiça Alice de Almeida Freire e Juliano de Barros Araújo, o desembargador Orloff Neves Rocha reformou decisão de primeiro grau e determinou, liminarmente, a suspensão da Lei Complementar nº 246/2013, que alterou o Plano Diretor de Goiânia. A decisão também suspende a eficácia dos atos administrativos do Poder Executivo Municipal, referentes à aprovação, autorização e licenciamento de empreendimentos, obras ou atividades praticados com origem na Lei Complementar nº 246. A medida paralisa, por exemplo, a construção do Hospital de Urgências de Goiânia da região norte, conhecido como Hugo 2. O recurso apontou vício na tramitação e no processo de aprovação da lei pela ausência de participação popular nos termos do Estatuto das Cidades e Resoluções do Conselho das Cidades. Na argumentação do MP foram destacados trechos do Parecer Técnico sobre as Mudanças do Plano Diretor de Goiânia, documento elaborado pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Dentre os pontos mais polêmicos da lei está a permissão para construção de edifícios residenciais, comerciais ou indústrias em áreas da região norte da capital. Ambientalistas temem que

10 | Painel Imobiliário

essas construções impactem negativamente na região, que é cortada por dois dos mais importantes mananciais da cidade: o Ribeirão João Leite e o Rio Meia Ponte. O motivo de maior polêmica se refere a uma área próxima à Avenida Perimetral Norte. Pela proposta da prefeitura, aprovada na Câmara, passa a ser autorizada a construção de galpões e grandes empresas no trecho de 350 metros às margens da via. Segundo a prefeitura, foi realizado estudo técnico que autoriza a aprovação do complemento. Outro ponto criticado pelos técnicos é que o Plano Diretor aumentou a chance de que grandes empreendimentos, como arranha-ceús, sejam construídos em áreas já muito povoadas. Três eixos poderiam receber os edifícios: as Avenidas 85, T-7 e T-9. O Ministério Público também reclama do trâmite da lei, que segundo os promotores, não teve participação popular.


Valor máximo de imóvel pago com FGTS sobe para R$ 750 mil Governo anuncia elevação do teto para compra à vista ou financiamento de imóveis com recursos do FGTS O Governo Federal anunciou a elevação do teto para compra à vista ou financiamento de imóveis com recursos do FGTS. A decisão tomada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) determina que o novo teto de R$ 750 mil só valerá para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal. Em Goiás e demais estados, o limite passará para 650 mil. A elevação do teto valerá tanto para imóveis quitados à vista com o saldo do FGTS quanto para financiamentos dentro do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), que costuma ter juros menores. O CMN estabelece ainda que o valor do financiamento não seja superior a 80% do valor de avaliação

do imóvel. A exceção fica por conta dos financiamentos que prevejam a utilização do Sistema de Amortização Constante (SAC), quando esse percentual pode chegar a 90% do valor de avaliação do imóvel. Os recursos do FGTS podem ser usa-

dos para pagar o imóvel residencial do trabalhador na cidade onde ele mora ou trabalha, desde que ele não tenha outro imóvel em seu nome nesta cidade ou municípios vizinhos. O imóvel precisa ser usado para a moradia do trabalhador.

Aumento do IPTU O índice a ser aplicado para reajustar os valores de IPTU e ITU em Goiânia, em 2014, será o mesmo da inflação, pouco menos de 6%. A definição aconteceu, no dia 12 de dezembro, com a derrubada do projeto de Lei que havia sido enviado ao Legislativo no dia 28 de novembro, para atualização da Planta de Valores, propondo inicialmente reajuste de 25% a 33% para contribuintes residenciais e de 31% a 37% para comerciantes. No dia 3 de dezembro, o Paço Municipal alterou o projeto propondo reajuste de 25% para 59 vias com corredores de ônibus e isenção para cerca de 20 mil contribuintes que têm imóveis com valor venal de até R$ 20 mil. Goiânia possui 579 mil contribuintes e a última vez que a planta de valores foi atualizada foi em 2005, quando gerou casos de reajuste de mais de 800%.

Painel Imobiliário

| 11


CAPA

Mercado de alto padrão ganha força no setor imobiliário goiano POR THAYSA MAZZARELO

C

asas e apartamentos suntuosos, com automação, garagens antissequestro, espaço de beleza, dog walk para animais de estimação, acabamentos sofisticados, spa, salas de entretenimento para crianças e adultos, smart gate, quadras de esportes, garagem verde, entre outros. São muitos os diferenciais oferecidos nos imóveis de alto padrão, segmento que a cada ano aumenta em demanda e em número de empreendimentos. Segundo pesquisa do Creci de Goiás, somente nos últimos quatro anos, o número de lançamentos de imóveis de luxo verticais subiu de dois para vinte empreendimentos, um aumento de 1000%. A valorização deste tipo de imóvel também não ficou para trás, foi de 77,3%, entre o período de janeiro de 2009 a dezembro de 2012. Reflexo do crescimento da economia brasileira que contribui para o aumento de renda e consequentemente, a elevação de padrão de vida dos brasileiros. “Somado a isso, o brasileiro se preocupa cada vez mais com a qualidade de vida, o que está diretamente relacionado ao estilo de viver. O imóvel de alto padrão, especialmente, oferece conforto, comodidade e tecnologia em um ambiente que ainda possibilita convivência com a família e os amigos em espaços generosos”, comenta o incorporador Dener Justino sobre os motivos da expansão do mercado de luxo. Para compreender melhor o crescimento vivenciado nos últimos quatro anos, é preciso primeiro saber reconhecer um imóvel de alto padrão. Estes empreendimentos em sua grande maioria, são de valor superior R$ 700 mil, possuem elementos exclusivos em relação aos demais, seja na composição da planta ou na decoração, e não possuem metragem específica, podendo ser do tamanho de flats ou com a metragem até mesmo de verdadeiras mansões. “É um imóvel criado de forma diferenciada, cujo projeto tenha sido desenvolvido para atender, acima de tudo, aos anseios de um consumidor bastante exigente e precisa se encantar com propostas inovadoras e exclusivas de moradia”, explica o empresário do setor imobiliário.

12 | Painel Imobiliário

Divulgação

Puro luxo


Preferências do comprador

Divulgação

Para a corretora de imóveis Ivany Lima, que trabalha há dois anos com o mercado de alto padrão, determinar o público que opta por estes empreendimentos diferenciados é tarefa complexa. De acordo com a corretora, o público é formado por pessoas de profissões variadas - funcionários públicos, fazendeiros, advogados, médicos, consultores de informática, entre outros, entre 35 e 50 anos, com renda de 30 a 50 mil por mês, padrão de vida conservador e em sua grande maioria com família constituída. “Percebemos que 60% do público de imóveis de luxo adquirem a propriedade para uso próprio, para morar. São poucos os investidores”, comenta. Entre as principais exigências destes consumidores para a compra do imóvel de luxo está a localização. “Os clientes que possuem este padrão de vida optam sempre por morar perto de parques e praças”, diz a corretora de imóveis. Este foi o caso do casal de médicos Arianna Milhomens e Diego Franco de Lima que, ao se casarem, adquiriram um imóvel de alto padrão em Goiânia, no Setor Bueno, em frente à praça da T-25. “As conveniências do setor, a acessibilidade às vias que utilizamos para ir ao trabalho e a proximidade à praça, que possui opções de lazer e parquinho, foram pontos cruciais, principalmente para nós que pretendemos ter filhos”, disseram. Outro fator que pesou na escolha de compra do imóvel, segundo o casal, foram os diferenciais do empreendimento escolhido: “Espaços como a varanda integrada, que é mais espaçosa e ideal para receber os amigos”.

Corretora Ivany Lima, especialista em imóveis de alto padrão

De olho neste mercado, Leandro Chaer organizou equipe especializada na venda de imóveis de alto padrão. Formado por 12 profissionais

É um imóvel criado de forma diferenciada, cujo projeto tenha sido desenvolvido para atender, acima de tudo, aos anseios de um consumidor bastante exigente”

exclusivos para atender o segmento, o grupo segue estratégias bem definidas para receber e oferecer imóveis de luxo. “Um gestor Private fará todo

atendimento de forma exclusiva para quem não tem tempo a perder e quer vender seu imóvel com total segurança e privacidade. O objetivo é reduzir o tempo gasto neste processo de compra ou venda de imóveis, uma verdadeira consultoria imobiliária”, comenta. Segundo Leandro Chaer, a maior demanda de sua imobiliária é de clientes que buscam apartamentos em regiões privilegiadas com acesso a parques e praças, mas existe também um número consistente de compradores de condomínios fechados. “Há demanda tanto para casas em condomínio fechado e apartamentos, a questão é sempre o momento de vida em que o cliente se encontra”. Se a localização e tamanho dos imóveis são fatores essenciais para os futuros compradores de imóveis de luxo, as propostas inovadoras dos empreendimentos também são importantes. Como as áreas de lazer, que possuem clubes, quadras esportivas, renomadas academias e até lagos, além das facilidades proporcionadas pela tecnologia que são entregues pelas próprias construtoras em lançamentos ou são inseridas pelos antigos moradores, em imóveis de revenda.

Painel Imobiliário

| 13


Diferenciais do alto padrão e luxo “Temos uma casa em condomínio horizontal que é toda automatizada. Pelo próprio celular a pessoa já abre as persianas, liga a hidromassagem e controla o som da casa”, exemplifica o corretor de imóveis, José Augusto Farias. Há quatro anos trabalhando com empreendimentos de alto padrão, José Augusto montou uma imobiliária especializada em imóveis de luxo, que logo recebeu o reforço dos sócios, os corretores de imóveis Marcelo Machado e Juliano Maia. Para se tornar parte da carteira de imóveis de luxo da imobiliária do trio de corretores de imóveis – cerca de 100 empreendimentos – não basta o imóvel ser de alto valor, tem que ter elementos que o tornem diferenciado. Como as casas que recebem decoração temática, com obras de artes, revestimento de produtos importados e até mesmo

com reproduções de elementos da natureza, como um imóvel em que foi construída uma réplica da cachoeira de Pirenópolis. O corretor de imóveis Marcelo Machado revela uma curiosidade: que a maioria destes imóveis diferenciados são vendidos ainda mobiliados. “São alterações realizadas exclusivamente para aquele imóvel, por isto não são retiradas na mudança. É o tipo de imóvel que a pessoa irá mudar para outro e não vai levar nada, por que vai para uma nova casa, com um novo conceito”. Embora reconheçam o aumento no número de empreendimentos do segmento de alto padrão em Goiânia, em comparação a grandes centros urbanos como São Paulo, o trio acredita que há muito para se desenvolver. “Alguns empreendimentos entregues como alto padrão não têm acabamento de luxo. O

alto padrão está chegando em Goiânia, ainda não chegou totalmente”. Um novo empreendimento lançado nesse segundo semestre na capital poderá ser um prenúncio da chegada definitiva do alto padrão em Goiás. Localizado em setor nobre da cidade, o condomínio residencial trará ao mercado o Skydrive, elevador que permite ao morador estacionar seu automóvel no living de seu apartamento. A inovação está presente somente em três empreendimentos no mundo, o que faz do imóvel referência no mercado de luxo, no mesmo patamar dos edifícios de Miami e Cingapura. Na versão digital da Revista, você encontra mais informações sobre o mercado de alto padrão. Faça o download do aplicativo e saiba mais.

Mercado em alta para corretores de imóveis Se por um lado a demanda por imóveis de luxo está alta, a oferta de corretores de imóveis especializados em atender este padrão de clientes está em baixa. “Hoje o mercado está muito carente de profissionais que queiram desenvolver um trabalho sério”, comenta a corretora de imóveis Ivany Lima. Ela conta que na imobiliária em que trabalha é alta a rotatividade de profissionais. O principal motivo é a alta expectativa de quem ingressa no segmento pensando somente no retorno e não se esforça para se desenvolver no meio. Não que a remuneração dos imóveis de luxo não seja um ponto positivo. “Se fossemos considerar o valor ganho durante todo o ano e dividi-lo por mês, acho que não tem como o corretor de imóveis tirar menos de 15 mil mensalmente”, relata o corretor de imóveis Marcelo Machado. Mas o trabalho a ser desenvolvido pelo profissional é o mesmo da venda de um imóvel tradicional e ainda exige dos corretores de imóveis mais habilidades.

14 | Painel Imobiliário

Imobiliária reúne time de profissionais exclusivos para mercado de luxo

“Maturidade profissional, proatividade, interesse pelo aperfeiçoamento profissional e boa rede de relacionamento”, são as características requisitadas para quem deseja atuar no segmento, de acordo com o diretor de equipe de luxo, Sérgio Araújo. Para ele, não faltam profissionais para a área, falta apenas foco dos corretores que já atuam no mercado no segmento de alto padrão. Neste ramo, o networking também é fundamental. “Raramente fazemos anúncios de imóveis de dois milhões ou ficamos esperando o cliente no plantão. Quase sempre os negócios são fechados na base da indicação, de um clien-

te que indica um amigo ou familiar”, conta Ivany Lima. Apesar de não existir receita certa para garantir boas negociações, nem em transações que envolvem imóveis tradicionais, quanto menos em imóveis de luxo, pode-se listar algumas boas práticas para quem deseja trabalhar no segmento: respeitar o tempo e a limitação dos clientes; investir na qualificação, tanto de conhecimentos relacionados ao ramo imobiliário, quanto a novas línguas; atender bem os clientes para gerar indicações e desenvolver círculo de amizades.


Tecnologia & produtos

4G não é para todos

Novo Windows

Com a abertura da rede e aumento da oferta do 4G no Brasil, passamos a ter disponível uma conectividade mais rápida para dispositivos móveis. Mas tome cuidado: nem todos os aparelhos são compatíveis com a tecnologia, bem como muitos dos celulares comprados no exterior. Fique ligado!

A Microsoft lançou neste mês de Outubro o Windows 8.1, a nova versão do sistema operacional mais comum do país. A atualização será gratuita para usuários do Windows 8. Para novos usuários, o preço sugerido para a versão mais simples do sistema é de R$ 410. A versão Pro do sistema tem preço sugerido de R$ 700. Além de resgatar o clássico botão “Iniciar” a pedido dos usuários, o Windows 8.1 oferece melhorias na integração com o SkyDrive (HD virtual), avanço nos aplicativos da Windows Store e aprimoramentos da busca com o Bing (serviço de busca da Microsoft).

Cuidado com as crianças e a tecnologia

As crianças de hoje já nasceram com o costume de liberar telas de smartphones e tablets, demonstrando domínio da tecnologia moderna e “dando baile” em muitos adultos. Porém, a liberdade da internet nos oferece também algumas ameaças, como aplicativos, vídeos e sites com conteúdo não-adequado. Alternativas são: realizar o bloqueio de aplicativos e o acesso de modo guiado, disponível nos aparelhos IOS, e o aplicativo KidBox, que traz uma sessão especial com vídeos e games para a criança, com opção de bloqueio do botão Home. Fonte: InfoExame

Seus dados em segurança

Após as notícias de ataques do governo estadunidense ao governo e instituições brasileiras, o assunto da segurança da informação voltou a ser pauta, o que em certos casos foi interessante. Aproveitando este momento, confira algumas dicas práticas de segurança, seja para seu negócio ou para sua vida pessoal: 1- Tenha controle do sistema de e-mails da empresa; 2- Instale um Antivirus em todos os computadores, inclusive Macs; 3- Confira os itens básicos de segurança nas empresas; 4- Restrinja o uso de mídias removíveis, como pendrives e dvds; 5- Crie senhas mais seguras; 6- Não proteja apenas sua rede corporativa; 7- Criptografe os dados sensíveis, armazenados e em movimento

Apps e programas Note Everything: (Gratuito/ Android e Iphone) Na correria do dia a dia você esqueceu a caneta em algum lugar ou com algum cliente? Faça uso do NoteEverything, com ele você consegue gravar notas de texto, gravar “anotações de voz”, e muito mais. Prezi: (Gratuito/ PC e Iphone) Editor de apresentações muito diferente do tradicional PowerPoint. Em vez de gerar uma sucessão de slides, ele cria uma imagem inicial que já contém miniaturas das demais. A conta gratuita permite criar apresentações públicas que ficam visíveis na web. Por $ 59 dólares anuais, obtêm-se mais espaço na nuvem e a opção de manter as produções privadas. Além do app para iPad, há um visualizador para iPhone. HP 12C Financial Calculator

($14,99 dólares, em inglês, para Iphone)

A Hewlett Packard 12C Financial Calculator emula a clássica calculadora da HP. Iniciantes costumam ficar intimidados com a lógica RPN usada nela, mas quem aprende a usá-la não larga mais. Além do app oficial da HP, existem vários emuladores genéricos de HP 12C para Android, iPhone e outras plataformas.

Colaboração: Marcelo Quinta Mestre em Ciência da Computação, professor universitário (UFG e PUC-GO), gerente de projetos de aplicativos móveis na Triangulum Soluções e líder dos grupos de desenvolvedores Google e Java de Goiás. Orador frequente em eventos de TI, já palestrou no Brasil e no Vale do Silício (EUA).

Fonte: Canal Comstore http://bit.ly/segurancadedados

Painel Imobiliário

| 15


PROFISSÃO

TRC - certificação para

negócios internacionais

N

ão há necessidade de conhecer outro idioma, viajar para fora do país e nem construir um círculo de amizades lá fora. O Consórcio Internacional de Associações Imobiliárias (Icrea) e a Federação Nacional de Corretores de Imóveis acreditam que, para fazer negócios imobiliários internacionais, um corretor de imóveis só precisa ser um bom profissional com a credencial Transnational Referral Certification (TRC), o que significa estar conectado a uma rede que agrega mais de 2 milhões de propriedades e 1,8 milhão de profissionais de 40 países. O curso necessário para obter a credencial TRC foi ministrado em Goiânia, no mês de agosto. Durante três horas e meia de aula, o mestre em administração e doutor em relações internacionais Laerte Temple, explicou sobre as ferramentas necessárias para se tornar um corretor habilitado para negócios internacionais. Temple ficou impressionado com o número de goianos interessados. “Acho que estes corretores se perguntam: por que vou vender só em Goiânia se posso vender no mundo todo? Depois, quando perguntei se alguém já tinha alguma experiência de negócios imobiliários fora do país, várias pessoas levantaram a mão e surgiram alguns que disseram ter feito negócios com a Coreia,

16 | Painel Imobiliário

Divulgação

Opção para corretores realizarem negócios em mais de 40 países

Japão e Estados Unidos e isso incentiva os demais a perceberem que é possível”. Segundo Temple, mesmo que você nunca tenha feito um negócio internacional, “quem garante que amanhã ou depois, do jeito que a economia está globalizada, não pode aparecer uma pessoa de fora do país procurando aqui em Goiás um especialista como você?”. Laerte Temple, que é membro eleito do Comitê Executivo do Icrea expli-

ca que Referral, que vem do “R” de TRC, é a palavra em inglês para indicação. “O curso ensina como fazer e receber indicações de clientes internacionais para parceiros em um dos mais de 40 países que participam do Icrea e receber uma remuneração por isso”, afirma o professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). Os profissionais certificados pelo


Quem pode ser um TRC?

No Brasil, para ter a designação TRC e trabalhar como um corretor internacional é preciso ser inscrito no CRECI; ser membro do Sindimóveis que é vinculado à FENACI, e ser membro do Consórcio Internacional de Associações Imobiliárias, o Icrea.

Quais as vantagens de ser um TRC?

TRC ganham o auxílio de uma poderosa ferramenta para incrementar seus negócios. O worldproperties.com é o portal onde constam mais de 2 milhões de propriedades e mais de 1,8 milhão de corretores pelo mundo. Ao completar o curso, além do certificado, o corretor recebe um login e senha para construir seu perfil e poderá ser localizado por qualquer outro corretor. Além disso, o profissional também poderá anunciar imóveis que vende e áreas nas quais atua; aprenderá como localizar parceiros e propriedades; conhecerá alguns detalhes de uma transação internacional; terá acesso aos formulários on-line para fazer e receber indicações, e segundo Laerte Temple, um ponto importantíssimo é que os conceitos são plenamente aplicáveis em negociações dentro do Brasil. O mestre em relações internacionais esclarece ainda que, na indicação, um profissional que tem um cliente em busca de um imóvel em outra localidade (ou no exterior), procurará um parceiro para indicar (transferir-lhe) seu cliente. Há todo um procedimento protocolar para isso, e o agente de indicação receberá uma parcela da comissão, previamente acordada, pela indicação. O portal worldproperties. com é traduzido automaticamente para 19 idiomas. Isso significa que o corretor de imóveis pode manter contatos em inglês, francês, espanhol, russo, árabe, hebraico, entre outros idiomas, mesmo que fale apenas português.

Segundo o professor Laerte Temple, mesmo que você nunca tenha feito um negócio internacional, quem garante que amanhã ou depois, do jeito que a economia está globalizada não pode aparecer pessoas de fora do país procurando aqui em Goiás um especialista como você? “Então você não precisa conhecer clientes internacionais, você vai cuidar do seu trabalho aqui, do seu produto para vender, mas pode ser que o seu comprador esteja fora do Brasil”.

Por outro lado, pode ser que o corretor tenha na sua carteira de clientes, algumas pessoas que por algum motivo estão interessadas em comprar propriedades fora do Brasil, seja para lazer, investimento ou negócios. “O que o corretor que fez esse curso vai poder dizer? Eu sou especialista em transações internacionais e posso localizar um parceiro do país que você quer comprar e posso monitorar toda operação para você fazer uma compra segura. E o mais interessante é que este corretor vai ganhar uma parcela da comissão por causa disso”.

Doutor em relações internacionais, Laerte Temple, ministrou curso para obtenção da credencial TRC

Como obter a certificação TRC?

O curso é ministrado nos eventos realizados pela FENACI e segundo o professor Laerte Temple também é possível fazê-lo on-line através do site worldproperties.com. Painel Imobiliário

| 17


ESPECIAL

Pelo quarto ano consecutivo, o Creci de Goiás reuniu profissionais do mercado imobiliário e especialistas em marketing para discutir novas estratégias e ferramentas para vender mais na IV Semana do Marketing Imobiliário. Confira as novidades e dicas que surgiram neste encontro.

18 | Painel Imobiliário


Mobile Marketing e as oportunidades de m-commerce pessoas se tornam dependentes dos celulares e computadores, chegando a utilizar mais de uma tecnologia ao mesmo tempo e se esquecem que isso pode atrapalhar os relacionamentos interpessoais. O mundo virtual oferece inúmeras vantagens, mas é preciso ter bom senso para saber dosar, ter convívio social e proporcionar momentos de interação familiar e com os amigos, vivenciando novas experiências, trocando ideias para uma vida saudável usufruindo da tecnologia. Junto com essa mídia que vem crescendo em número de usuários a cada dia, surgiu um novo tipo de estratégia de marketing: o mobile marketing. Mas o que é mobile marketing? É o conteúdo de marketing que chega ao público-alvo por meio de um aparelho eletrônico móvel, cujo exemplo maior é o telefone celular. O mobile marketing pode ser utilizado dentro de um programa de comunicação de marketing de uma empresa de forma integrada _ cross-media _ ou isoladamente. O termo cross-media refere-se a campanhas de marketing que utilizam mídias que podem se comunicar entre si, por exemplo, um site de internet que permite ao usuário inserir o número de seu telefone celular para que este receba uma mensagem de marketing.

Existem algumas ferramentas amplamente utilizadas nesse contexto: o SMS, o Mobile Coupon, além de aplicativos como WhatsApp, muito utilizado por brasileiros que possuem smartphones. Até o final deste ano a estimativa da consultoria Gartner, especialista em tecnologia da informação, é de que o total de aplicativos móveis baixados no mundo atingirá a marca de 102 bilhões. E o comércio eletrônico móvel deve movimentar R$ 2 bilhões em 2013, segundo a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico. Nessa perspectiva, empresas apostam no comércio on-line e comunicação digital pelos smartphones. Consequentemente, o segmento imobiliário deve aderir a esta tecnologia de forma ampla, considerando este universo de possibilidades.

Arquivo pessoal

O

celular se tornou, nos últimos anos, a mídia mais presente nas mãos ou nos bolsos dos consumidores. A sua utilização vem crescendo a cada dia e sendo incorporada à rotina de todas as pessoas. Se saírmos de casa sem celular, chegamos a ficar o dia todo incomodados e achando que “está faltando alguma coisa.” Chegamos ao ponto de sentir uma total insegurança. Considerado a sétima mídia de massa, o celular é para nós o que a invenção de Gutemberg foi para os leitores do século XV. Utilizamos nossos celulares para muitas atividades: para mandar mensagens, ler emails, para conversar com os amigos, para tirar e compartilhar fotos e ele é a primeira coisa que olhamos pela manhã e a última que olhamos antes de dormir. Isso faz com que os celulares não sejam mais apenas uma tecnologia pessoal e sim o dispositivo mais íntimo que está presente na vida de todas as pessoas atualmente. A média mundial de consultas diárias ao celular é de 150, ou seja, a cada 6 minutos olhamos se há novidades em nossos celulares. Todo esse avanço nos faz despertar para um ponto que vem sendo muito discutido devido a esse fenômeno multimídia: a importância da interação humana. Muitas vezes as

Antônio Fernando Braga e Silva, mestre em gestão e planejamento estratégico

Painel Imobiliário

| 19


Como vender imóveis para consumidores do futuro

O

gerente de negócios imobiliários do Google, Igor Lima, apresentou, além de dados sobre a busca de imóveis, o perfil dos compradores e dicas de ferramentas que otimizam o trabalho do corretor. Segundo o gerente, 64% das pessoas que estão na internet têm interesse em comprar imóveis. Ao iniciar a busca estes consumidores utilizam como principal ferramenta a internet, uma vez que 60% do processo de compra já é realizado pelo meio. A pesquisa reduz o número de

visitas ao estande de vendas e consequentemente ao imóvel, já que o cliente faz uma seleção mais assertiva do tipo que deseja comprar. Para atender a esses consumidores denominados por Igor Lima de geração C, que criam, selecionam e compartilham conteúdo, o palestrante mostrou como desenvolver formas de utilizar as novas tecnologias disponíveis como o Google Glass, o remarketing, os Hangouts, entre outras. “É tanta informação e tecno-

logia que vai surgindo que se a gente não estiver acompanhando, acaba perdendo o caminho”, ressalta Igor Lima.

Igor Lima Head of Industry para o mercado imobiliário no Google

A rede social como aliada dos negócios

O

s oito anos dedicados ao mercado digital especializaram o gestor de projetos e planejamentos Raphael Lacerda a apresentar aos corretores de imóveis como as redes sociais podem gerar resultados no mercado imobiliário. O especialista, que também é diretor da Associação Brasileira das Agências Digitais (Abradi-GO) considera que as redes são essenciais para o pro-

fissional ter maior acesso aos consumidores, construir uma marca pessoal, ganhar a confiança dos futuros clientes e claro, gerar maior rentabilidade. Para tanto, o corretor deve entender seu mercado para construir suas estratégias. Saber o que as pessoas procuram, o que os concorrentes fazem e quais seus resultados pode ser o primeiro passo. Depois, deve-se definir qual conteúdo publicar: “Publique informações úteis que

gerem valor, de forma divertida e transparente. Não esqueça também de apresentar seu portifólio.

Raphael Lacerda Gestor de projetos e planejamento na BTB/on e diretor da Abradi-GO

Acessse a Revista Painel em versão digital e conheça o conteúdo das palestras

20 | Painel Imobiliário


Planejamento Estratégico: o caminho do sucesso para os Corretores de Imóveis e para as Imobiliárias

A

palavra “Planejamento” lembra pensar, criar, moldar ou mesmo controlar o futuro da organização dentro de um horizonte estratégico. Podemos dizer que planejamento pode ser o processo formalizado para gerar resultados a partir de um sistema integrado de decisões. Nesse sentido, planejamento difere de improvisar. Enquanto o primeiro está preocupado em elaborar um plano para fazer algo ou mesmo criar um esquema para agir, o segundo prepara algo às pressas no momento em que as coisas acontecem e às vezes age ao acaso. Já o Planejamento Estratégico é um processo que consiste na análise sistemática dos pontos fortes (competências) e fracos (incompetências ou possibilidades de melhorias) da organização, e das oportunidades e ameaças do ambiente externo, com o objetivo de formular (formar) estratégias e ações estratégicas com o intuito de aumentar a competitividade e seu grau de resolutividade. Portanto, Planejamento é a formulação sistemática de estratégias, ações estratégicas e a escolha da melhor ação no momento certo para a organização e por isso mesmo pode até ser confundido com o processo de tomada de decisões. O corretor de imóveis e as imobiliárias devem compreender que o Planejamento Estratégico, como uma ferramenta de Gestão: a) diz respei-

to às implicações futuras de decisões presentes; b) é um processo composto de ações inter-relacionadas e interdependentes que visam alcançar objetivos previamente estabelecidos; c) o processo de planejamento é mais importante do que seu produto final; d) é a ocupação intelectual com o futuro, mas revestido de ação e não somente de pensamento; e) é a avaliação de ações alternativas em relação a estados futuros; f) é a escolha de ações estratégicas alternativas, comprometidas com o futuro e não com o passado. Os objetivos do Planejamento Estratégico são: a) levar a organização a atingir a resolutividade; b) aumentar a competitividade, sempre e cada vez mais; c) criar e manter potenciais de competitividade em áreas em que a organização é competente ou poderá vir a ser; d) diminuir os riscos de tomar uma decisão errada; e) pensar e refletir sobre o futuro para construir o seu próprio futuro; f) integrar decisões isoladas das áreas funcionais da organização (Finanças; Recursos Humanos; Produção ou Serviços; e Marketing, Vendas ou Comercial) em um plano único e consistente com a estratégia global da organização; g) fortalecer os pontos fortes e eliminar os pontos fracos da organização. O Corretor de Imóveis e as Imobiliárias que observarem e praticarem os objetivos acima, com certeza verão suas vidas e suas organizações melhorarem a cada dia a partir do resultado que obterão.

É importante também dizer que o processo de Planejamento Estratégico: a) relaciona-se com os objetivos de longo prazo e com as maneiras de alcançá-los; b) trata de questões que afetam a organização como um todo; c) é de responsabilidade dos níveis hierárquicos mais altos da organização; d) requer comprometimento de toda a organização, caso contrário não vai funcionar; e) é um processo de adaptação da organização ao ambiente. Nosso referencial de Planejamento Estratégico é composto dos seguintes elementos que o corretor de imóveis e as imobiliárias devem desenvolver: Declaração de Valores, Missão, Visão, Fatores Críticos de Sucesso, Análise Externa (Oportunidades e Ameaças), Análise Interna (Pontos Fortes e Fracos), Matriz FOFA e os Objetivos Estratégicos. Por fim, recomendo a você que está nos lendo, a seguir os passos que estão neste artigo e começar a partir de agora a mudar a sua vida e a vida de sua empresa.

Mauricio Fernandes Pereira www.cad.ufsc.br/mauriciofpereira www.facebook.com/Mauricio FernandesPereira1 mfpcris@gmail.com Autor de 8 livros pela Editora Atlas sobre o Assunto em tela.

Painel Imobiliário

| 21


Telemarketing:

um recurso para ativar as vendas de imóveis

T

elemarketing é uma nova disciplina do marketing que utiliza a tecnologia da telecomunicação como parte de um programa de marketing bem planejado, organizado e administrado e, de forma proeminente, desenvolve vendas pessoais com o uso de contatos não pessoais. O telemarketing é um instrumento simples, eficaz e de baixo custo, permitindo ao corretor de imóveis incrementar as vendas, encurtar distâncias, otimizar o tempo e prestar informações. O telefone é potencialmente o mais rápido, simples e eficiente meio de comunicação entre o corretor de imóveis e os seus clientes. Através deste, muitos dos clientes em potencial “descobrem” o profissional ou a empresa; quer eles falem com uma telefonista ou com o próprio corretor de imóveis. É importante destacar que, um bom atendimento ao telefone, ajudará a fixar uma boa imagem da empresa ou do profissional. O modo pelo qual se usa o aparelho é importante. Os lábios devem estar à distância de dois centímetros do fone. Para favorecer a dicção, o corretor de imóveis deverá falar naturalmente, pois o fone está “sintonizado” para a voz normal. Falar ao telefone é uma arte que exige alguns cuidados, e vários fatores deverão ser levados em conta, tais como: tom de voz, inflexão da voz, clareza, solicitude, tato, cortesia, eficiência, paciência, tolerância, diplomacia e inclusive o silêncio. O cor-

22 | Painel Imobiliário

retor de imóveis deverá ser objetivo, transmitir segurança e manter um bom nível de diálogo com o seu cliente. Para tanto, este profissional deverá procurar falar claramente, pronunciando bem as palavras, fazendo pausa a cada sentença, ouvindo e respondendo atenta e prontamente. Assim, ele mostrará que entendeu o que o cliente queria dizer. Em suma, a qualidade de um telefonema está ligada a três fatores: 1. voz, que deve ser normal e natural, sorridente, agradável e afetuosa; 2. atitude, que deve ser positiva e profissional; vibrante e entusiasta; confiante e atenciosa; prestativa e honesta; 3. modos (comportamento), que devem ser ajustados às regras do bom atendimento. Saber ouvir é, inegavelmente, a sustentação de um bom atendimento. Jamais se deverá atropelar um cliente, por mais atrapalhado que este seja. Em tese, o cliente deverá ter a sua disposição todo o tempo que quiser. Tradicionalmente, na comercialização de produtos imobiliários, o telefone vem sendo usado como um recurso de venda passiva. Sem um entendimento preciso do que é telemarketing, muitas empresas se utilizam do telefone para esclarecerem dúvidas e fornecerem mais detalhes a

respeito dos imóveis anunciados, sendo o cliente quem toma a iniciativa do contato.

Telemarketing passivo

Para o corretor de imóveis, o telefone é o meio mais empregado para uma primeira aproximação com o cliente. Motivado por algum anúncio que lhe despertou a atenção e na busca de maiores informações é este quem toma a iniciativa de telefonar ao corretor de imóveis. Os primeiros instantes de um contato telefônico podem ser alta-


Sendo um instrumento simples e eficaz para incrementar vendas, encurtar distâncias e reduzir custos, o telemarketing apresenta uma série de benefícios”

o tempo não é suficiente para pensar e, muitas vezes, corre-se o risco de não deixar qualquer registro da conversação. Quando é o corretor de imóveis quem atende ao telefone, é importante que ele se identifique e, em seguida, cite o nome da imobiliária ou da empresa na qual está trabalhando. Para superar as dificuldades dos primeiros instantes ao telefone, ele deverá estar preparado, conhecendo bem todos os imóveis cadastrados, em especial aqueles que estão sendo anunciados; ter à mão as tabelas de preço, a calculadora e papel para anotações; deve também manter o seu material organizado, de forma a não ser pego desprevenido, evitando assim, transparecer para quem está telefonando qualquer situação de fraqueza ou de desatenção. Ao receber uma chamada telefônica o corretor de imóveis deverá ouvir mais e falar pouco.

Telemarketing ativo

mente desfavoráveis para o corretor de imóveis, se ele não estiver atento. Primeiro, pelo elemento surpresa. O corretor de imóveis sabe que, possivelmente, irão lhe telefonar, mas não sabe quando. Segundo, quem telefona é quem normalmente toma as iniciativas, e, até aquele instante, o cliente em potencial é uma pessoa totalmente desconhecida para o corretor de imóveis com a qual ele deverá entabular uma conversação sem, contudo, poder vê-la. As pessoas que ligam desejam respostas imediatas, possuindo, às vezes, dificuldades em se expressar, por telefone. Normalmente

Sendo um instrumento simples e eficaz para incrementar vendas, encurtar distâncias e reduzir custos, o telemarketing apresenta uma série de benefícios: custo operacional reduzido, possibilidade de contatos com mais frequência, rapidez na resposta; propicia maior produtividade e recupera negócios que estavam na eminência de serem relegados, entre outros. Com o objetivo de se estimular uma ação mais proativa e de aumentar a eficiência nas vendas, o telemarketing pode ter as seguintes aplicações, na comercialização de produtos imobiliários: apoio a vendas (ex.: marcação de entrevistas ou de visitas, recuperação de clientes, geração de indicações de novos clientes); promoção de vendas (ex.: lançamento de novos produtos imobiliários); pós-venda (ex.: serviço de “venda da satisfação”). Para cada uma dessas apli-

cações, é necessário conhecer o cliente-alvo e montar um sistema de banco de dados de clientes. Os pesquisadores de marketing medem os perfis demográficos e de estilos de vida para identificar o seu cliente-alvo. Os perfis demográficos incluem idade, educação, renda, estado civil, número de filhos, propriedades, bairros onde moram. Os estilos de vida incluem esportes, passatempos, hábitos de leitura, de viagem etc. Um dos princípios de marketing é determinar quem são os melhores clientes e concentrar esforços junto àqueles que têm perfis iguais ou similares. Acumular dados relevantes, que se pode manipular, é a chave do sucesso de um programa de banco de dados de clientes. A resposta à pergunta: “de que dados vou precisar em meu computador que me habilitem a conversar, em termos relevantes, com meu cliente?” é o caminho inicial para se estruturar um banco de dados de clientes. Finalmente, a execução da tarefa de telemarketing deve ser delegada a uma pessoa que possua alguma noção sobre o assunto, que conheça a empresa e os produtos que ela comercializa. Para cada tipo de aplicação do telemarketing é necessário que se crie um “script” específico. Em telemarketing, é importante observar como as coisas são ditas, assim como o que é dito. Através de uma boa monitoração consegue-se, realmente, aperfeiçoar os “scripts”.

Sylvio Lindenberg Autor dos livros Venda de Imóveis: Um Ato de Negociação; Guia Prático do Corretor de Imóveis: Fundamentos e Técnicas; Negociação e Processo Decisório

Painel Imobiliário

| 23


C

orretor de imóveis, campeão de vendas que se tornou dono do próprio negócio, Vicente Delfino Duarte Filho foi responsável por momentos especiais para os participantes da Semana de Marketing despertando em cada um a vontade e a necessidade de buscar o sucesso, não apenas profissional como pessoal, através do resgate dos valores e

de uma análise da roda da vida e das competências de cada um. O palestrante ainda falou sobre alguns pilares para superação como conhecimento, comunicação e comprometimento. “Não existe reciclagem, existe mudança que só pode acontecer com persistência, competência e conhecimento”, disse Duarte.

Arquivo pessoal

Coach líder nas organizações Vicente Delfino Duarte Filho Corretor de imóveis campeão de vendas que se tornou dono do próprio negócio no ramo imobiliário

O

Coordenador Comercial dos Classificados do jornal O Popular, Edson de Matos Santos, destacou dados importantes sobre o alcance do anúncio em papel no mercado imobiliário. O coordenador apresentou resultados de pesquisas que demonstram a maior cre-

dibilidade do anúncio impresso em relação a internet. “Mesmo com a internet, o meio impresso ainda é o que mais dá resultado”, disse Edson ao destacar ainda os cuidados necessários que o anunciante deve ter na hora de escrever o anúncio, evitando abreviações que podem ser desconhecidas pelo público em geral.

Edson de Matos Santos Coordenador Comercial dos Classificados do O Popular

Arquivo pessoal

Em um mundo digital, o papel ainda faz a diferença

J

ornalista e Diretor de Atendimento e Planejamento da Casa Brasil Comunicação, Paulo Faria falou aos corretores sobre a transformação que vem ocorrendo no planejamento da venda. Segundo ele, hoje, entre o anúncio e a compra todos vão para internet. “Além do cliente pesquisar na internet antes de comprar, ainda utiliza a rede para dar a sua opinião sobre a experiência que teve antes,

durante e após a compra”, disse Paulo ressaltando que, por este motivo, não é possível mais abrir mão de estar na rede. “É preciso ter um conteúdo de relevância e estar atento para a reação do consumidor diante de determinado tipo de comunicação, já que as informações, sejam positivas ou negativas, se disseminam de forma muito mais rápida”.

Paulo Faria Diretor de atendimento e planejamento da Casa Brasil Comunicação

Acessse a Revista Painel em versão digital e conheça o conteúdo das palestras

24 | Painel Imobiliário

Arquivo pessoal

A propaganda como ferramenta de vendas


Endomarketing (Fundamentos e Princípios)

“E

ndo” provém do grego e quer dizer “ação interior ou movimento para dentro”. Endomarketing pode ser entendido como um processo de gerenciamento de marketing interno, tendo a motivação, a integração e a informação como principais pilares através dos quais se constrói a participação de todos os departamentos, colaboradores em forma de fornecedores e clientes internos. O endomarketing pode ser definido também como um conjunto de ações para vender a imagem da empresa aos seus empregados e familiares. Surgiu da necessidade de se motivar pessoas para os programas de mudanças que começaram a ser implantados desde a década de 50 no mundo inteiro. Desde então, as empresas vêm encontrando as mais diversas maneiras de se comunicar com o público interno – seus colaboradores. Para se obter sucesso na prática do marketing externo, as empresas devem antes praticar, com assertividade, o marketing para seus clientes internos. Para isso é preciso atrair, desenvolver, motivar e reter os colaboradores com programas de ações estrategicamente elaborados para atender até onde for possível as suas demandas. Na atual arena dos negócios o endomarketing é tido como uma necessidade às empresas que almejam fidelizar e conquistar clientes, ganhar market share ou simplesmente se manter competitiva no mercado. Colaboradores bem informados e satisfeitos são os melhores agentes de marketing

de qualquer organização. Não adianta propagar excelência de atendimento se estes não estiverem aptos e motivados para proporcioná-los. A gestão participativa aliada às técnicas do marketing tradicionais são ferramentas que podem ser perfeitamente utilizadas para a motivação e melhor desempenho dos colaboradores. A pesquisa, assim como as técnicas de segmentação de mercado, como anúncios, boletins e cartazes internos, por exemplo, podem ser usados como veículos de informações, para identificar as demandas e desejos dos clientes internos, da mesma forma que se usa para conhecimento dos clientes externos.

Principais fundamentos do endomarketing Enfoque – Tratar o empregado como cliente. Os bens e serviços criados pela empresa precisam ser vendidos para os colaboradores antes de irem para o mercado externo. Objetivos – Incentivar os diversos departamentos e seus colaboradores a compartilharem os valores e objetivos da empresa e fazer com que os colaboradores “comprem” a organização em que trabalham. Função – Integrar a noção de cliente nos processos internos da estrutura organizacional para propiciar melhorias substanciais na qualidade de produtos e serviços. Atrair e reter os

clientes internos com a função de trazer resultados para a empresa, atraindo e retendo os clientes externos. Atitude – Envolvimento, comprometimento, valorização e qualificação do colaborador para que ele possa assumir responsabilidades e iniciativas dentro da empresa. Para que as iniciativas em relação à atitude se tornem eficazes e contribuam para uma maior competitividade da empresa no mercado, elas devem fazer parte de um processo contínuo, sempre sendo reavaliado e realimentado. Proatividade – Procurar o cliente interno para obter o feedback em relação ao serviço que está sendo prestado. Um bom feedback deve procurar identificar os aspectos mais importantes do relacionamento e do serviço, de acordo com a percepção do cliente. Em síntese, é preciso ter marketing eficiente dentro da empresa para que a partir daí, como parte do trabalho de todos, ele se irradie para fora. Este marketing é o endomarketing. Fonte: Livro (Vendendo Com Eficácia)

Anselmo Lino Autor dos livros Vendendo com Eficácia; Venda Orientada por Marketing; Atendimento; Corretor e do e-book: Empreendedor

Painel Imobiliário

| 25


A publicidade imobiliária e o Código de Defesa do Consumidor H á tempos o consumidor passou a ser reconhecido com o personagem central do mundo moderno, recebendo tratamento diferenciado em suas relações, consubstanciado pela proteção rigorosa de seus direitos e interesses, conferida pelos diversos ordenamentos jurídicos. No Brasil, a Constituição Federal de 1988 estabelece um sistema protetivo pautado em normas cogentes, de ordem pública, que não podem ser afastadas ou modificadas pelos particulares, conforme pode ser observado pelo disposto nos artigos 5º, XXXII e 170. Assim é que a defesa do consumidor foi erigida a um dos Princípios Gerais da Atividade Econômica, cuja promoção deverá ser feita pelo Estado, na forma da Lei. Em termos infraconstitucionais, ressalta-se o teor da Lei n. 8.078, de 11 de setembro de 1990, que institui o chamado Código de Proteção e Defesa do Consumidor, esmiuçando a forma de defesa a ser promovida pelo Estado. Para este trabalho, deve ser destacado o teor da norma contida nos incisos III e IV, do artigo 6º, os quais estabelecem ser direito do consumidor “a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade, tributos incidentes e preço, bem como

26 | Painel Imobiliário

sobre os riscos que apresentem”, bem como “a proteção contra a publicidade enganosa e abusiva, métodos comerciais coercitivos ou desleais, bem como contra práticas e cláusulas abusivas ou impostas no fornecimento de produtos e serviços”. Neste sentido, torna-se imperioso estabelecer o que se entende por publicidade enganosa, que, nos termos do §1º e do § 3º, ambos do artigo 37, daquela Lei, corresponde a “qualquer modalidade de informação ou comunicação de caráter publicitário, inteira ou parcialmente falsa, ou, por qualquer outro modo, mesmo por omissão, capaz de induzir em erro o consumidor a respeito da natureza, características, qualidade, quantidade, propriedades, origem, preço e quaisquer outros dados sobre produtos e serviços”, bem ou, ainda, “quando deixar de informar sobre dado essencial do produto ou serviço”. A seu turno, o § 2º, do citado dispositivo legal, define a publicidade abusiva, como “a publicidade discriminatória de qualquer natureza, a que incite à violência, explore o medo ou a superstição, se aproveite da deficiência de julgamento e experiência da criança, desrespeita valores ambientais, ou que seja capaz de induzir o consumidor a se comportar de forma prejudicial ou perigosa à sua saúde ou segurança”.

Em outras palavras, enganosa é a publicidade que carrega conteúdo falso, que não guarda sintonia com a realidade. Abusiva é a publicidade que ofende a ordem pública, isto é, a moral e os bons costumes. Não se pode deixar de olvidar que, segundo o disposto no artigo 30, da Lei Consumerista, “toda informação ou publicidade, suficientemente precisa, veiculada por qualquer forma ou meio de comunicação com relação a produtos e serviços oferecidos ou apresentados, obriga o fornecedor que a fizer veicular ou dela se utilizar e integra o contrato que vier a ser celebrado”, de sorte que a publicidade foi reconhecida pelo Legislador como uma forma especial de oferta ou proposta de contrato. Assim, o conteúdo da publicidade passou a ser relevante para o deslinde de demandas que envolvem consumidores por todo o País, especialmente aquelas relacionadas ao mercado imobiliário. Em recente caso, o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, analisando um pedido de indenização por danos materiais e morais, formulado por um casal de consumidores, manteve a sentença do Juiz de 1º Grau, que julgou procedente o pedido inicial e condenou a Incorporadora e Construtora Ré a indenizá-los em R$ 20.000,00 (vinte mil reais) por danos morais e, aproxima-


damente, R$ 19.000,00 (dezenove mil reais) como danos materiais (TJ-GO 6ª CÂMARA CÍVEL. APELAÇÃO CÍVEL 67360-60.2006.8.09.0051. REL. DES. NORIVAL SANTOME. DJ 1080 de 13/06/2012.). A análise do caso revela que o casal adquiriu um “imóvel na planta”, em que o folder publicitário previa “excelente isolamento acústico entre pavimentos”, sendo certo que, após a obra concluída e entregue, ficou caracterizada a publicidade enganosa, posto que os ruídos geravam incômodos aos moradores. Os corretores de imóveis precisam acautelar-se, pois há casos em que foram condenados, solidariamente, com o construtor, pois intermediaram a comercialização de unidades em empreendimento cujo imóvel estava gravado com hipoteca em favor de uma determinada instituição financeira e o material de publicidade utilizado não trazia inscrita a existência de tal gravame.

Rodrigo de Moura Guedes Presidente da Comissão de Direito Imobiliário e Urbanístico (CDIU) da OAB Goiás

A cooperativa dos Corretores Uma cooperativa de crédito que oferece serviços e produtos bancários voltados, especialmente, para corretores. Proporcionando uma melhor organização financeira e crescimento patrimonial a todos os cooperados. - Melhores taxas de juros; - Tarifas mais baixas; - Seguros condominiais, de imóveis e veículos (risco contra terceiros); - Custos de boletos e doc's mais baratos; - Maior rentabilidade nas aplicações; - Menor tarifa de manutenção de conta; - Atendimento ágil e personalizado.

Painel Imobiliário

| 27


SUPERAÇÃO

Astros no teatro da vida Três histórias de vidas baseadas na superação POR ANA PAULA VITORINO

N

o dicionário a palavra superação possui vários significados, começando com ir além; ficar superior; sobrelevarse: superar a expectativa; vencer, subjugar, dominar, dobrar: superar a resistência do adversário; fazer desaparecer, remover e superar todas as dificuldades. Em Goiânia, no dia a dia da compra e venda de imóveis, encontramos três corretores que conhecem bem todos estes significados. Jair Ferreira,

Dativo Gil e José Severino de Lima, não desistiram dos seus sonhos e hoje se apresentam como inspiração para toda a categoria. Ao conhecer estes três corretores descobrimos mais que profissionais de sucesso e sim pessoas que não focam suas

metas nos valores materiais, mas na realização do melhor que podem chegar e acima de tudo se alegram com a realização dos clientes e se orgulham mais em saber que servem de inspiração do que com as vitórias que conquistaram.

Coragem para sonhar e atitude para realizar Encantar o cliente não é problema para Dativo Gil Gomes dos Santos. O sorriso largo e o carisma são algumas das armas poderosas na vida deste corretor de imóveis que, aliadas ao conhecimento e esforço diário, fazem dele um profissional de sucesso. A cadeira de rodas não o impediu, por exemplo, de em menos de dois anos de atuação em Goiânia, estar entre os melhores corretores da empresa onde trabalha. Mas para Dativo, receber o troféu de campeão de vendas significa muito mais que uma conquista pessoal. “Do que mais me orgulhei foi de ter sido um incentivo para muitos colegas. É uma profissão que exige muita persistência e algumas pessoas me

procuraram e confessaram que iam desistir, mas depois que me viram receber este prêmio mudaram de ideia”, disse o corretor. Dativo, que é natural de Porto Velho, Rondônia, conta que gostava de malhar e se orgulhava do corpo atlético até que no dia 11 de fevereiro de 2001, em sua cidade natal, ao ser abordado por um assaltante não se intimidou e acabou levando um tiro pelas costas, que passou perto de sua medula óssea e o deixou paraplégico. Depois de muitos tratamentos percebeu que era preciso encarar a vida de forma diferente. “Claro que teve momentos em que fiquei com problemas emocionais, quem não fica? Fiquei dois anos fazendo fisioterapia até que percebi que teria que encarar a vida com esta

limitação. Mas eu vi que era possível fazer alguma coisa, que era possível lutar pelos meus sonhos”. E o maior sonho de Dativo se tornou justamente ser corretor de imóveis: “Comecei a trabalhar em uma empresa e em frente havia uma imobiliária. Ficava vendo o movimento dos corretores e me lembro bem que um deles tinha um Ecosport. Ficava impressionado com aquele carro e acabei fazendo amizade com os corretores. Foi quando comecei a fazer o curso de Ciências Imobiliárias e estagiar na profissão”, conta Dativo que revela mais um detalhe de sua persistência em seguir a profissão: fez sua primeira venda só seis meses depois de começar a estagiar.

Acessse a Revista Painel Imobiliário em versão digital e saiba mais sobre estas três histórias de sucesso

28 | Painel Imobiliário


De Porto Velho para Goiânia, mais um desafio Em 2010 Dativo Gil foi campeão de vendas na imobiliária em que trabalhava em Porto Velho, mas como os sonhos nunca acabam, apenas se renovam, mesmo depois de subir ao podium resolveu encarar mais um desafio: mudar de cidade, o que significava ficar longe da família. Nesta época recebeu o convite para trabalhar em Goiânia, no entanto, mais um golpe do destino o afastaria da profissão. Quando chegou em Goiás, antes mesmo de começar a atuar como corretor, Dativo teve seu carro roubado e se viu impossibilitado de seguir atuando na área. “Minha mãe me pediu para voltar mas eu disse a ela que não iria desistir. Consegui emprego em outra área onde trabalhei por um ano até que juntei dinheiro o suficiente para dar entrada em outro carro”. Dativo foi aceito na primeira imobiliária em que se apresentou. “Em nenhum momento os diretores da empresa duvidaram da minha capacidade de fazer um bom trabalho. Não me perguntaram como eu ia me virar e simplesmente acreditaram em mim”. Dois me-

ses depois de ser contratado Dativo fez sua primeira venda e hoje, mais de um ano e meio depois, viu todo seu esforço ser reconhecido ao receber o troféu de campeão de vendas.

Dativo Gil, campeão de vendas e exemplo para os colegas

Do que mais me orgulhei foi de ter sido um incentivo para muitos colegas. Algumas pessoas me procuraram e confessaram que iam desistir, mas depois que me viram receber o prêmio mudaram de ideia”

Confiança e respeito com o cliente Jair Ferreira também é um exemplo de sucesso no ramo imobiliário de Goiânia. Há mais de 12 anos a imobiliária que comanda é referência no Setor Faiçalville, mas no início as coisas não foram tão fáceis. Jair se tornou cadeirante desde os 17 anos ao ser atingido por um tiro de revólver. Para ele, a venda de lotes no Setor Faiçalville foi um recomeço de vida e também o início de uma história de sucesso. “Quando começamos a vender nesta região não havia quase nada

Jair Ferreira, construção de carteira de clientes só acontece com honestidade e respeito com o cliente

por aqui, mas foi nessa época que tomei gosto pela profissão ”, conta Jair, que se antes tinha que correr atrás de clientes, hoje só trabalha com indicação. “A honestidade e a ética são essenciais nesta profissão. O cliente fica satisfeito e volta a nos procurar além de indicar para um amigo ou parente”, explica o corretor, que é inspiração para outros profissionais que conhecem sua história. O apoio da família, inclusive da esposa, Iolanda Edmeia, que também é corretora, foi essencial para que Jair alcançasse o sucesso na profissão. “Nós trabalhamos juntos em Trindade, Aragoiânia e já fui até mesmo delegado do Creci quando estava no interior. Durante todo esse tempo e em qualquer lugar que estivéssemos fomos construindo essa imagem de confiança, de honestidade, de respeito com o cliente”, revela o corretor. Painel Imobiliário

| 29


A importância de não desistir jamais

José Severino de Lima, mais conhecido como Xangai: “o principal é não desistir jamais”

No Setor Marista encontramos mais um corretor de imóveis exemplo de força e superação. Hoje José Severino de Lima, mais conhecido como Xangai, tem um nome forte no mercado imobiliário de Goiás. No entanto, não podia imaginar que estaria nesse ramo quando perdeu a visão em 1977. Depois de dois anos sem trabalhar, a procura de tratamentos, recebeu um convite do cunhado para atuar como corretor de imóveis. “Foi a oportunidade que procurava”, disse ele que desde essa época aprendeu a importância da parceria. Sempre com um sócio ou parceiro começou a trabalhar com a corretagem vencendo obstáculos até abrir sua própria imobiliária. Um dos maiores aprendizados de vida que Xangai faz questão de destacar é a capacidade de vencer nos momentos de crise. Além de ter superado a deficiência visual e ter construído uma história de

sucesso, o corretor conta que foi campeão de vendas em uma época onde o mercado imobiliário não era tão favorável aos negócios como é hoje. Para os que estão começando na profissão, Xangai deixa seu recado: “Para ter sucesso como corretor de imóveis é preciso buscar conhecimento, saber se comunicar, manter uma boa aparência, ter garra, perspicácia, e saber atender bem o cliente”, reforça o profissional ao destacar ainda que o principal na vida é não desistir jamais. O psiquiatra Augusto Jorge Cury, estudioso sobre as dinâmicas da emoção e da construção dos pensamentos, é autor da seguinte frase: “Apesar de nossos defeitos, precisamos enxergar que somos pérolas únicas no teatro da vida e entender que não existem pessoas de sucesso e pessoas fracassadas, mas o que existem são pessoas que lutam pelos seus sonhos ou desistem deles”.

Vencer as próprias limitações é apenas o começo A capacidade de ignorar as dificuldades, persistir e acreditar em si mesmo são as características mais marcantes nestes corretores que superaram não apenas as próprias limitações, mas os vários obstáculos que se encontram na vida dos portadores de deficiência que começam com o preconceito e a falta de acessibilidade. Dativo Gil, por exemplo, teve que trabalhar em outra área para comprar um carro porque de ônibus não conseguiria exercer a profissão de corretor de imóveis, uma vez que o transporte público em Goiânia não oferece um serviço que pudesse garantir a sua pontualidade na hora de mostrar um imóvel ao cliente. “Quando está chovendo, por exemplo, é muito difícil os motoristas abrirem a porta

30 | Painel Imobiliário

do ônibus destinada aos cadeirantes”, afirma a Coordenadora de Seleção da Associação dos Deficientes Físicos do Estado de Goiás (Adfego), Flávia Nunes de Carvalho. Apesar do Artigo 93 da lei 8.213 de 1991 determinar que toda empresa com 100 ou mais funcionários seja obrigada a preencher de dois a cinco por cento dos seus cargos com beneficiários reabilitados, ou pessoas portadoras de deficiência, ainda existem muitas barreiras que afastam o deficiente físico de uma chance. Segundo Flávia Nunes, apenas 30% das pessoas encaminhadas às empresas pela Adfego continuam no emprego. Segundo a psicóloga, a maioria das empresas só contrata pessoas com deficiências muito leves, que sejam praticamente imperceptíveis. Segundo ela, vagas

para pessoas que usam cadeiras de roda ou muletas ou são deficientes visuais ou auditivos, praticamente não existem. Mas a boa notícia é que hoje o acesso à qualificação para os deficientes é muito maior e muitos conseguem construir histórias de sucesso estudando e se superando. “Hoje temos deficientes em diversas profissões, inclusive advogados, professores, administradores e corretores de imóveis; eu mesma tenho três faculdades”, disse a coordenadora que faz questão de ressaltar que o mercado imobiliário é justamente a área onde a inclusão de deficientes é mais difícil. Esta realidade só torna ainda mais surpreendente as histórias de Dativo, Jair e José Severino.


CONVÊNIOS

Conheça as parcerias do Conselho que oferecem benefícios para os corretores de imóveis: Descontos em escritórios compartilhados Muitas vezes os custos com o aluguel de sala comercial pode pesar no bolso do corretor de imóveis que trabalha de forma autônoma. Convênio firmado com a Trama Coworking pode ser alternativa para que o sonho do escritório próprio caiba no orçamento. A parceria oferece planos de aluguel de sala de uma hora, por R$ 8 reais mensais, até planos de horas livres por R$ 650 reais, com desconto de 10%. Ainda são oferecidas à categoria, 10 horas de coworking grátis e três horas adicionais de sala de reunião no primeiro mês. Ao invés de salas, os escritórios compartilhados possuem estações de trabalho que não possuem divisórias. O objetivo é promover a interação entre os profissionais que compartilham o espaço para que construam networking. Para ter uma estação, o profissional não precisa de fiador, e pode usufruir além de sua mesa, de toda a infraestrutura do escritório, como internet, secretária e serviços adicionais ao plano, como armário e estacionamento.

Trama Coworking Av. T-4 esq T-13, n° 1478, loja 8, Ed. Absolut Bussiness Style, Setor Bueno (62) 3996-6293 www.trama.eu

Mais de 500 convênios em todo estado

Casag Rua 100, n° 104, Setor Sul (62) 3221-0200 www.casag.org.br

Parceria entre Conselho e a Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (CASAG) amplia para os corretores de imóveis os benefícios firmados pela instituição para os advogados. Entre as vantagens estão desconto em ingressos de cinema, plano de telefonia sob medida – pelo OAB Vox –, farmácia com descontos exclusivos, entre outros dos mais de 500 convênios da instituição, oferecidos tanto para os profissionais da capital quanto do interior. Para usufruir dos benefícios, o corretor de imóveis deve fazer sua carteira da Casag mediante pagamento de taxa de R$ 15 reais e apresentação de identidade profissional e certidão de regularidade. O convênio também é aberto a dependentes que podem fazer sua carteira com a apresentação de documentos pessoais e pagamento das taxas.

Painel Imobiliário

| 31


FISCALIZAÇÃO

Fiscalização coíbe venda de empreendimentos irregulares Em 2013, Creci de Goiás enviou MAIS DE 12 denúncias ao MP “Quem se aventura em adquirir um lote ou terreno em empreendimento não regularizado corre grande risco de perder todo o dinheiro investido”. O alerta é do advogado e especialista em Direito Imobiliário, Fernando de Pádua e tem uma razão: em 2013, a fiscalização do Creci de Goiás enviou 12 denúncias para o Ministério Público sobre a venda de lotes, imóveis e terrenos em empreendimentos irregulares, sendo três em Goiânia e oito em cidades do interior. O que ocorre é que, se não há um registro do loteamento a pessoa que compra só tem a posse e não a propriedade, isso significa que pode perder o dinheiro investido caso o negócio seja contestado em uma ação judicial, por exemplo, de inventário ou partilha. “A situação estava controlada, mas este ano percebemos que o problema voltou a acontecer de forma intensa”, revelou o coordenador de fiscalização, Marcos Aurélio Luiz, ao afirmar ainda que muitas vezes a irregularidade vem acompanhada de outra questão grave para o consumidor: a contravenção, ou seja, em muitos destes casos as vendas são feitas por pessoas que se passam por corretores mas que não possuem registro profissional junto ao Conselho. Uma das denúncias enviadas ao Ministério Público, por exemplo, diz respeito à venda de chácaras irregulares, no município de Caldazinha.

32 | Painel Imobiliário

Fiscalização durante vistoria em loteamento que se encontra regular

De acordo com a fiscalização do Creci de Goiás, uma das possíveis irregularidades é que os terrenos estavam em desacordo com a Legislação. Além disso, havia ainda a possibilidade de que os terrenos estavam invadindo áreas de reserva ambiental, à beira de rios, córregos e nascentes. A denúncia foi encaminhada pela autarquia à 2ª Promotoria de Justiça da cidade de Senador Canedo, que fica responsável pela averiguação das irregularidades e também pela comunicação à delegacia do consumidor. Segundo o coordenador de fiscalização, Marcos Aurélio, a parceria entre o Creci e o Ministério Público agiliza o processo de identificação destes problemas. As irregularidades são identificadas pelos fiscais através de

placas, panfletos e também através de anúncios pela internet. Se a pessoa que está anunciando um terreno ou lote sem registro do loteamento; ou imóvel sem registro de incorporação; for um corretor, ele responde a processo disciplinar e se não for corretor, responde por exercício ilegal da profissão.

Cuidados na compra de um lote ou terreno: • Conferir se o loteamento possui registro no cartório da jurisdição. O corretor, incorporadora ou imobiliária são obrigados, por Lei, a apresentar este documento ao comprador. • Com o número do Creci do corretor de imóveis em mãos observar se o mesmo possui certidão de regularidade. A mesma pode ser solicitada pelo e-mail fiscalizacao@crecigo.gov.br; ou pelo site www.crecigo.gov.br ou ainda pelo telefone (62) 3236.7350.


ARTIGO

O Brasil longe da bolha imobiliária

O

economista norte-americano Robert Shiller, Prêmio Nobel de Economia de 2013, levantou uma dúvida sobre o futuro do mercado imobiliário nacional. No Brasil, em fins de agosto, participou do 6º Congresso de Campos do Jordão e afirmou: “Suspeito que há uma ‘bolha’ imobiliária no Brasil. Os preços dos imóveis dobraram em cinco anos no País, situação que faz lembrar o Japão dos anos 1980, em que a alta foi contínua até que [os preços] começaram a cair sem parar em 1991”. Felizmente, o próprio Shiller ressalvou não conhecer bem o mercado imobiliário local. Parece, de fato, difícil comparar o que se passou nos EUA com o que ocorre no Brasil. Em capitais como o Rio e São Paulo, os preços subiram por bons motivos – inclusive porque haviam ficado longo tempo estagnados. Também no mercado americano há situações diferentes – as oscilações em mercados imobiliários de Nova York e Houston, por exemplo, após o estouro da bolha de 2007/2008, não foram tão expressivas como as de praças como Miami e Nova Inglaterra. No Brasil, em metrópoles como o Rio, onde as áreas edificáveis são limitadas, parece baixo o risco de superoferta e preços cadentes. Em São Paulo, as restrições edilícias também constrangem a oferta. Há mais fatores que tornam improvável a ocorrência de bolha no mercado brasileiro.

Primeiro, o crédito é farto, mas concedido com responsabilidade. Em média, o financiamento se limita a 2/3 do valor do imóvel, o que significa que o comprador deu uma entrada de 1/3. A inadimplência é baixa graças à figura da alienação fiduciária de bem imóvel. Segundo, a ficha cadastral dos mutuários é confiável, ao contrário do que ocorreu no mercado subprime americano, em que parte dos devedores superestimou a renda. As características do mercado de trabalho brasileiro contribuem para a segurança. Terceiro, no País predominam as operações de aquisição para moradia, em relação às de investimento, como nos EUA. Quarto, é pequeno o estoque de imóveis prontos. Quinto, as construtoras e as incorporadoras têm, em geral, boa situação financeira e patrimonial. O risco de bolha seria maior em caso de malogro da política econômica, ou seja, recessão, desemprego e perda de renda dos mutuários. Ou ainda na mudança de regras, com aumento do porcentual financiado em relação ao valor do imóvel. No curto e médio prazos, isso é improvável. Afinal, o Relatório de Estabilidade Financeira do Banco Central, de junho, mostra que o mercado imobiliário tem bons fundamentos e as variações de preços estão em desaceleração desde 2010.

Octávio de Lazari Jr. Presidente da Abecip

Painel Imobiliário

| 33


Mapa de RegiĂľes

Marista, nobre desde o nascimento

34 | Painel ImobiliĂĄrio


Fotos: Ana Paula Vitorino

POR ANA PAULA VITORINO

Tendência de verticalização é certa mas ainda resiste pelo alto preço do terreno

Segundo IBGE, mesmo com a valorização imobiliária crescente, o Setor Marista sofreu queda no número de habitantes na última década. A abertura de inúmeros bares e restaurantes pode ter sido um dos motivos que levaram alguns moradores a migrarem para outras áreas como os condomínios horizontais.

Painel Imobiliário

| 35


N

o desenvolvimento das cidades é comum regiões centrais se transformarem em centros financeiros. Com isso, moradores de classes mais altas migram para regiões mais tranquilas formando novos bairros. No Rio de Janeiro, por exemplo, a população de alta renda se transferiu dos bairros Laranjeiras e Santa Tereza para setores como Botafogo, Flamengo, Copacabana, Leblon e Ipanema, sendo que hoje estas áreas são as mais valorizadas do país. Em Goiânia, a valorização imobiliária também seguiu essa tendência migratória. E se a região central já teve seu momento de alta, os setores mais valorizados atualmente são Nova Suíça, Oeste, Bueno, Jardim Goiás e Marista. Entre estes, o Marista é o que mais tem se destacado pela crescente evolução do preço do metro quadrado. Em pesquisas realizadas pelo Creci de Goiás, considerando imóveis em lançamento, nos últimos cinco anos a elevação do preço do m² nesta área foi de 40%. Enquanto em janeiro de 2009, cada m² foi avaliado em R$ 3.572,00 reais, em abril deste ano já havia ultrapassado a marca dos R$ 5 mil reais.

Evolução do preço do m² dos imóveis no Marista de 2009 a 2013 Jan/2009 ................................................. R$ 3.572,00 Jan/2010.............. R$ 3.596,00 Jun/2011 ................................................. R$ 4.166,00 Ago/2012.............. R$ 4.421,00 Abril/2013 ................................................ R$ 5.030,00 Dados: DEPAMI/CRECI-GO

Tendência de crescimento e de bons negócios O corretor de imóveis Antônio Spinetti Alves, que realizou inúmeros negócios nos 13 anos em que sua empresa ficou instalada próximo a Av. 136, afirma que as vendas no Marista sempre foram diferenciadas. “O morador dessa área sempre foi mais elitizado. Mesmo quando ainda se chamava Setor Pedro Ludovico esta parte já apresentava uma realidade dife-

Corretor de imóveis Antônio Spinetti Alves

36 | Painel Imobiliário

rente pelo maior poder aquisitivo dos moradores”, disse. Segundo Spinetti, além da localização privilegiada, com facilidade de acesso para todas as regiões de Goiânia, ainda existem outras características que agregam valor ao setor como a excelente arborização, o próprio Colégio Marista, Clube de Engenharia, Clube dos Oficiais, Parque Areião, Goiás Esporte Clube, Polícia Federal, uma grande quantidade de clínicas, além de inúmeros bares, lojas e restaurantes que oferecem serviços de primeira qualidade. Mas não é apenas porque o Marista já nasceu nobre que continua a figurar entre os setores mais caros da capital. Segundo Spinetti, o desejo e a grande procura por imóveis no local acontece principalmente pelo comércio diferenciado, facilidades de estar perto de tudo, pela beleza das avenidas largas e praças bem cuidadas, e até mesmo pelo tradicionalismo dos moradores. “Acredito que o Marista irá con-

tinuar se destacando. O Setor ainda não atingiu o seu ápice de desenvolvimento e ainda tem muito para crescer, principalmente através da verticalização”, disse o corretor. Seguindo as definições do Plano Diretor, dezenas de empreendimentos verticais estão sendo construídos na região. Segundo o professor e urbanista Jeová Alcântara, com exceção de duas pequenas partes próximas ao Parque Areião, quase toda a área é considerada adensável pela Prefeitura, ou seja, há permissão para construção de edifícios, sendo que a altura dos empreendimentos só depende dos parâmetros de afastamento, ou seja, quanto mais alto, maior deve ser a área de afastamento da via. “Seguindo este parâmetro a verticalização só fica limitada aos 50 andares porque o Corpo de Bombeiros de Goiânia não possui escada que atenda ocorrências em edificações acima desta medida”, ressalta Jeová.


Futuro com mais veículos e moradores Assim como outros setores de Goiânia, o Marista também sofreu com a migração de residentes para os condomínios horizontais que, frente aos índices crescentes de violência, se apresentam como uma alternativa de mais conforto e segurança para as famílias de maior renda. Este fator, aliado à abertura de um grande número de bares e restaurantes no Setor, pode ser um dos motivos da queda da população residente no Marista em -22% registrada no último censo. Em dez anos, o número de moradores foi reduzido de 8.301 para 6.508. No entanto, segundo o gerente de políticas habitacionais da Secretaria das Cidades, o arquiteto Garibaldi Rizzo, esta tendência está se invertendo com a construção de condomínios verticais de alto padrão. Alguns corretores relatam que existem muitos casos de famílias que não se adaptaram à distância dos condomínios e estão retornando aos bairros centrais. Para atender estes e outros clientes, os imóveis em construção no Marista possuem grande espaço, itens de conforto e segurança. Prova disso é que de 20 empreendimentos em lançamento na região apenas três apresentaram área construída reduzida entre 57 e 82 m², sendo que a maioria tem como atrativo uma área em torno de 140 e 411m². O urbanista Garibaldi Rizzo ainda destaca que o Marista é um dos bairros de Goiânia com maior qualidade de vida. No entanto, segundo o profissional, o setor está sofrendo um processo de mudança onde as residências unifamiliares estão dando lugar aos edifícios de alto padrão e com isso o setor sofrerá um impacto no trânsito com um aumento significativo no fluxo de veículos, o que poderá potencializar problemas de falta de estacionamentos, engarrafamentos, entre outros.

Urbanista Garibaldi Rizzo destaca que o Setor Marista é um dos bairros com maior qualidade de vida de Goiânia

População

Marista Ano

2000

2010

crescimento

População

8.301

6.508

-22%

Dados Seplam/Prefeitura de Goiânia Número de imóveis e área edificada Nº Quadras

Nº de imóveis prediais

155

2.156

Nº de Total de imóveis imóveis territoriais 99

2.255

Área total m²

Área edificada m²

Área não edificada m²

1.577.631

1.514.373

63.258

Dados Seplam/Prefeitura de Goiânia

NúmeroS de empreendimentos imobiliários em lançamento no Setor Marista, registrados nas pesquisas do CRECI-GO de 2009 a 2013 Dez/2009

4

Dez/2010

6

Dez/2011

9

Dez/2012

23

Abril/2013

17

Dados Depami/Creci-GO

Painel Imobiliário

| 37


História DO SETOR

Ocupação aconteceu em função do Colégio Marista Quando a região onde hoje está localizado o Setor Marista começou a ser ocupada, ainda não era conhecida por este nome e fazia parte do Setor Pedro Ludovico. O nome Marista começou a ser usado com a criação do Colégio, em 1962. A região passou a ser chamada “dos Maristas”, por alusão aos religiosos que fundaram a instituição. Nesta época, o eixo sudoeste se apresentava como principal tendência de crescimento e as proximidades do Colégio começaram a ser ocupadas pelas famílias que buscavam um ensino de qualidade para os filhos.

Com o crescimento do Setor, os moradores de alto poder aquisitivo iniciaram um movimento para que a região fosse rebatizada de Setor Marista, o que se concretizou no ano de 1971,

com a aprovação da Câmara de Vereadores de Goiânia. Com o crescimento da cidade, o Setor Marista foi se consolidando como um dos endereços mais cobiçados da capital.

Bem arborizado, o Marista é um dos setores com maior qualidade de vida de Goiânia. No entanto, com a verticalização, deverá sofrer com o aumento significativo no número de veículos”,

arquiteto Garibaldi Rizzo

Meio ambiente X valorização do m²

38 | Painel Imobiliário


GOIÂNIA

2014

CAPITAL DO MAIOR EVENTO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

De 21 a 23 de maio de 2014, no Centro de Convenções de Goiânia. O principal evento brasileiro do calendário anual da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) é seu próximo compromisso. Em maio de 2014 o 86º ENIC vai reunir as empresas e profissionais de toda a cadeia do setor da construção e discutir os caminhos para o futuro do País.

Inscreva-se no site www.enic.org.br

Mais informações: (62) 3214-1005 ou pelo e-mail: secretaria@qeeventos.com.br Painel Imobiliário

| 39


+ que CORRETOR Segundo os psicólogos, manter um hobby ou uma atividade prazerosa é uma forma eficaz de combater o EstressE. No momento em que se dedica à algo que gosta, a pessoa consegue se desligar totalmente dos problemas, se recuperando mentalmente DA ROTINA AGITADA. a Revista Painel imobiliário buscou o exemplo de pessoas que são mais que corretores, que possuem outras atividades que acrescentam na sua vida profissional.

Risos, solidariedade e negócios

Futevôlei

A vida corrida e a falta de tempo da qual todos reclamam é um dos grandes motivos para que as pessoas deixem de praticar um hobby ou algum tipo de esporte. No entanto, a vitória contra estes poréns faz toda a diferença na qualidade de vida de cada um. Encontramos um corretor de imóveis que é um exemplo de superação em vários aspectos, inclusive quando o assunto é encontrar tempo para praticar um hobby. E se a hora do almoço é o único tempo disponível, nem mesmo o sol escaldante do meio-dia é capaz de desanimar Leandro Daher da Costa de praticar seu esporte preferido, o futevôlei. “Pratico duas vezes por semana, joguei futebol a vida inteira mas machucava muito, já com o futevôlei passei a machucar bem menos. Por ser um esporte de explosão, consigo tirar todo o estresse do dia a dia”, afirma Leandro, que segue explicando a ligação entre o esporte e sua vida profissional: “é uma competição na qual não deixamos de estar ligados a cada ponto. Assim como na vida, para vencer é preciso ter estratégia; saber trabalhar em equipe e ter preparação técnica”. 40 | Painel Imobiliário

Fazer rir foi a forma encontrada pelo corretor de imóveis Nardel Caetano para ampliar sua rede de relacionamentos e assim conquistar clientes. Há 14 anos ele atua no papel de Palhaço Pirulito, levando alegria para crianças e adultos em eventos beneficentes como Dia das Crianças no CEVAM e Hospital do Câncer. Mas a carreira de corretor, especificamente na venda de loteamentos, começou há apenas três anos. E não demorou para que Nardel percebesse que ajudar o próximo é a melhor forma de fazer amigos e ampliar sua rede de relacionamentos. Há três anos também começou a organizar uma comemoração no dia das crianças e ainda tem o projeto de criar uma ONG para ajudar vítimas de violência. “Comecei a realizar esta festa do Dia das Crianças para agradecer a Deus por ter me curado de um câncer de pele e todos os anos percebo que a festa está aumentando em função das pessoas que participam e ajudam a realizar o evento”, disse Nardel que escolhe um lugar diferente todos os anos para levar a alegria do Palhaço Pirulito, além de guloseimas e brinquedos. “Gosto de fazer o evento onde estão os mais necessitados”, disse o corretor, ao revelar ainda que acredita muito na seguinte frase: “Tudo que você faz de bem para o próximo volta em dobro para você”.


Bola no pé e um contrato na mão Pode-se dizer que o corretor de imóveis João Campos tem o esporte correndo nas veias. É que antes de atuar no mercado imobiliário foi cronista esportivo por 20 anos. No entanto, a relação dele com a atividade física vai além dos comentários. “O futebol é uma das áreas que gosto de acompanhar – e também de praticar, uma vez que me ajuda em vários aspectos, sobretudo para que eu possa ter uma vida mais saudável”, disse Campos, que costuma praticar a atividade física uma vez por semana. “É pouco, mas para mim é o suficiente para aumentar a minha autoestima, reduzir o colesterol ruim, o estresse e a ansiedade e vigorar a capacidade mental, ”. Campos afirma estar se realizando profissionalmente, no entanto, reconhece que a vida de corretor de imóveis é corrida, necessitando de um esforço árduo para vencer os obstáculos. E é nesse momento que a paixão pelo esporte o ajuda a se renovar. “No dia a dia é comum a gente observar a diferença entre as pessoas que não praticam esporte das que praticam. Os primeiros se estressam facilmente por simples motivos, mas já quem se movimenta com qualquer atividade esportiva sabe lidar com situações embaraçosas com mais facilidade”. Foi justamente no meio esportivo que João Campos construiu amizades que abriram as portas para que ele começasse a atuar como corretor. Mas o profissional não quis ficar apenas com o curso de TTI, fez ainda o curso superior de Gestão Imobiliária na Faculdade Alfredo Nasser (Unifan) e atualmente está cursando pós-graduação no Instituto de Pós-Graduação (Ipog). “Constantemente busco conhecimento e aperfeiçoamento, tanto que participei da IV Semana de Marketing Imobiliário, último evento organizado pelo Creci-GO”. João Campos afirma que a participação em cursos e eventos realizados pelo Creci de Goiás tem contribuído para que ele se mantenha atualizado sobre todas as novidades do mercado. “É uma excelente oportunidade oferecida7715A_ANUNCIO_F.pdf aos profissionais goianos, quem participa 1 01/11/13 18:46 desses eventos, com certeza, tem grandes chances de se tornar um Mais que Corretor”.

Painel Imobiliário

| 41


DIRETO DO CRECI

Presidente ministra palestra para corretores de São Paulo e Macapá Oscar Hugo falou sobre importância do Plano Diretor na atividade imobiliária “Cada cidade possui um Plano Diretor e o corretor tem a obrigação de orientar o comprador do imóvel se a localização é favorável ao tipo de uso que fará do mesmo ou se existem restrições com relação ao tipo de construção”, disse o diretor-tesoureiro do Creci de São Paulo, Gilberto Yogue, que participou de duas das quatro palestras proferidas pelo presidente Oscar Hugo Guimarães, em novembro, nas cidades de Praia Grande, Santo André, Jundiaí e Campinas, em São Paulo. Palestra com o mesmo tema também foi realizada, no mês de outubro, aos corretores da cidade de Macapá-AM. Segundo o presidente do CRECI-PA/AM, Jaci Monteiro Colares, o

evento foi muito importante para melhorar a qualidade do trabalho dos 156 profissionais inscritos no município.

“Esse já é o segundo encontro que realizamos com intuito de levar mais conhecimento à categoria”, disse Colares.

Digitalização de processos O Creci de Goiás sai à frente como primeira autarquia do sistema Cofeci a digitalizar todos os processos que tramitam internamente, seja de exercício ilegal da profissão, auto de infração, contravenção, denúncias contra profissionais e inadimplência. O processo de digitalização acontece com total agilidade, para que todos os dados em papel estejam disponíveis nos computadores da autarquia. E além da digitalização, os arquivos físicos também estão sendo reorganizados em pastas plásticas que estão substituindo os modelos de papelão. Segundo o vice-presi-

42 | Painel Imobiliário

dente Eduardo Coelho Seixo de Brito, o processo de digitalização vem ao encontro de outro objetivo do Creci de Goiás, que é dar mais agilidade aos processos que tramitam internamente. “Além da digitalização também estamos realizando um esforço concentrado para enxugar o volume de processos em atraso através de reuniões constantes das comissões e turmas julgadoras”, disse Eduardo ao ressaltar que a maior eficácia deste trabalho também significa uma resposta à sociedade, que confia no Conselho para fiscalizar e punir a ação de contraventores e profissionais que desconhecem as Leis e o Código de Ética da Profissão.


Certificação Profissional Uma das maiores discussões no mercado imobiliário é sobre os diversos níveis de qualificação dos corretores de imóveis. Enquanto muitos possuem apenas ensino médio e pouca experiência prática, outros possuem curso superior, pós-graduação e muitos anos de atuação no mercado. Uma solução encontrada para diferenciar as duas condições é a Certificação de Pessoas. A iniciativa que é nova no Brasil mas que já é bastante conhecida nos Estados Unidos, visa reconhecer formalmente os conhecimentos, habilidades e competências do profissional por meio de um processo de avaliações práticas e teóricas. A novidade é que, desde novembro, os profissionais goianos já podem se beneficiar da Certificação. O Creci de Goiás, em iniciativa pioneira, trouxe essa oportunidade, através de convênio firmado com a CertBrasil. Para tirar sua certificação o corretor de imóveis deve se inscrever no site e agendar uma data para a realização da avaliação on-line ou presencial. A primeira prova já foi realizada no último dia 30 de outubro e os profissionais goianos tem direito a 20% de desconto na inscrição. O diretor da CertBrasil, Marcos Nunes, explica que, com o certificado em mãos, o profissional passa a fazer parte de uma lista que será consultada pelos consumidores na hora de escolher um corretor de imóveis.

Campanha Natal com Leite 2013 Doações serão encaminhadas AOS abrigos infantis

Pelo quarto ano consecutivo o mercado imobiliário está demonstrando sua solidariedade através da Campanha Natal com Leite. Encabeçada pelo Creci de Goiás, a campanha conta com a participação de corretores, colaboradores e imobiliárias. No ano passado 1.250 latas foram doadas a abrigos que atendem crianças e adolescentes carentes da Grande Goiânia. “Esperamos mais uma vez superar a meta e contribuir com o desenvolvimento saudável destas crianças”, ressaltou o presidente do Creci de Goiás, Oscar Hugo.

As doações arrecadadas este ano pela Campanha Natal com Leite do Creci de Goiás já têm destino certo: os abrigos Ministério Terra Fértil – Unidade Adonai; Terra Fértil – Unidade Renascer; Lar Mãe Zeferina, Missão Resgate e Centro Juvenil São Domingos. Em Caldas Novas, a campanha recebeu o apoio das Lojas Maçônicas da região e as doações arrecadadas no município serão encaminhadas à abrigos locais. As entidades que assistem crianças carentes foram designadas pelo Juizado de Infância e Juventude, instituição parceira do Conselho na iniciativa.

Diplomas falsos Em 2013, o Creci de Goiás e todo o sistema Cofeci-Creci intensificou a verificação destes documentos, conseguindo constatar mais de 500 casos durante o ano. Os documentos foram encaminhados aos órgãos competentes como CNE; MPF; MPE; PF SEE; SME e DEIC. “A venda de diplomas e o estelionato sempre foram nossas preocupações constantes. Somente com fiscalização dos documentos de registro do profissional podemos garantir um mercado imobiliário mais justo para os profissionais e seguro para a sociedade”, disse o presidente do Creci de Goiás, Oscar Hugo Monteiro Guimarães. Painel Imobiliário

| 43


SOCIAL

FORTALECIMENTO INSTRUTORES RENOMADOS Palestrantes Sylvio Lindenberg e Fernando Braga na abertura da IV Semana de Marketing Imobiliário, realizada no Creci de Goiás.

Presidente Oscar Hugo participou do 5º Encontro Nacional dos Conselhos Profissionais (ENCP), que aconteceu no mês de outubro, em Florianópolis. Na ocasião, foi aprovada uma carta-manifesto onde é reafirmada a importância e a necessidade do fortalecimento das entidades responsáveis pela fiscalização e registro profissional.

Encontro Os presidentes do Cofeci, João Teodoro, e Creci de Goiás, Oscar Hugo, reuniram mais uma vez os coordenadores pedagógicos dos Crecis e os diretores de escolas de TTI de todo o país para implementar melhorias no ensino dos cursos técnicos. O III Encontro de Diretores Pedagógicos e IV Encontro de Escolas de TTI foram realizados nos dias 26 e 27 de novembro em Brasília.

REPRESENTAÇÃO O diretor tesoureiro da Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (Casag), Arsênio Neiva Costa, representou o presidente da OAB/GO, Henrique Tibúrcio, convidado como padrinho da turma em solenidade de entrega de carteiras profissionais realizada no Creci-GO. Na foto, o presidente Oscar Hugo; a diretora para assuntos pedagógicos Margoreth Alves de Castro Guimarães, o presidente da Comissão de Direito Imobiliário e Urbanístico da OAB Goiás, Rodrigo de Moura Guedes; o vice-presidente, Eduardo Brito; a presidente do SindimóveisGO, Lucimar Alves Elias; Arsênio Neiva Costa (Casag) e o conselheiro Omar Ataídes de Castro.

44 | Painel Imobiliário


Painel Imobiliรกrio

| 45


CRECI NA MÍDIA No dia 24 de novembro o site G1 veiculou reportagem sobre a evolução imobiliária de Goiânia, que em 2013 chegou aos 80 anos com desafios de cidade grande.

No dia 22 de setembro o Jornal Diário da Manhã publicou matéria com opinião do presidente do Creci de Goiás sobre o crescimento de condomínios horizontais voltados para classe C.

De setembro a novembro, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis foi notícia em veículos de comunicação de todo o Estado, totalizando: No dia 9 de novembro o Jornal O Popular publicou matéria sobre o IV Encontro de Marketing Imobiliário, realizado no CRECI-GO.

No dia 22 de outubro a rádio CBN Goiânia veiculou reportagem com título: Apesar de mercado ser atrativo e rentável, investir em quartos de hotéis requer cuidados especiais.

46 | Painel Imobiliário

11 espaços de mídia espontânea, sendo: 1 exibição em telejornal; 3 portais de notícias e redes sociais; 1 em rádio e 6 em revistas e jornais impressos.


Painel Imobiliรกrio

| 47


Parceria entre Creci de Goiás e Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (Casag) estende aos profissionais do mercado imobiliário descontos em produtos e serviços

Acesse www.crecigo.gov.br e saiba mais sobre o convênio

Rua 100, nº 104, Setor Sul. Goiânia - GO (62) 3221-0200

w w w. c a s a g. co m . b r

Revista Painel Imobiliário - 13° edição  

Para conhecer sobre o mercado de imóveis de luxo confira a publicação que ainda aborda: - Mobilidade urbana e mercado imobiliário, com entre...

Revista Painel Imobiliário - 13° edição  

Para conhecer sobre o mercado de imóveis de luxo confira a publicação que ainda aborda: - Mobilidade urbana e mercado imobiliário, com entre...

Advertisement