Correio da Venezuela 151

Page 1

www.correiodevenezuela.com

O jornal da comunidade luso-venezuelana

ano 07 – N.º 151 - DePósito LegaL: 199901DF222 - PubLicação semanaL

caracas, 06 De abriL De 2006 - VenezueLa: bs.: 1.000,00 / PortugaL: € 0,75

Encontro de Jovens sem a Venezuela “ Portugal no Coração” escolheu idosa que vive no Lar Padre Joaquim Ferreira

O “ V Encontro de Jovens Luso-descendentes” passou despercebido na Venezuela por falta de comunicação.

Página 3

Benfica alimentou sonho europeu até ao fim

Página 4

Barcelona elimina portugueses da Liga dos Campeões com golos de Ronaldinho Gaúcho e Eto’ o, perto do fim do jogo

Comerciante natural da Madeira mais o segurança assassinados a tiro à porta do negó cio

Página 29

Página 3

Associação de Padarias da Grande Caracas abre portas em Julho Página 24

Ricardo Chang

Encontro de Gerações

Estilista mostra talento em Portugal Página 16

Interactividade é possível no site do evento Página 32


2 | EDITORIAL Desinteresse CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Director: Aleixo Vieira Subdirector Agostinho Silva Coordenação em Caracas Délia Meneses Jornalistas: António da Silva, Carlos Orellana Jean Carlos de Abreu, Liliana da Silva, Noélia de Abreu, Tábita Barrera, Victoria Urdaneta, Yamilem Gonzalez Correspondentes: Carlos Balaguera (Maracay e Valencia) Carlos Marques (Mérida) Sandra Rodriguez (La Victoria) Trinidad Macedo (Barquisimeto) Colaborações: Raúl Caires (Madeira) António de Abreu, Arelys Gonçalves Janette Da Silva, Luís Barreira e Miguel Rodrigues Publicidade e Marketing: Carla Vieira Preparação Gráfica: DN-Madeira Produção: Samuel Calzadilla Secretariado: Carolina de Nóbrega Distribuição: Enrique Figueroa Impressão: Editorial Melvin C. A Calle el rio con Av. Las Palmas Boleita Sur - Caracas Venezuela Endereço: Av. Los Jabillos 905, com Av. Francisco Solano, Edif. Torre Tepuy, piso 2-2C, Sabana Grande - 1050 Caracas. Endereço Postal: Editorial Correio C.A. Sabana Grande Caracas - Venezuela Telefones: (0212) 761.41.45 Telefax: (0212) 761.12.69 E-mail: correio@cantv.net URL: www.correiodevenezuela.net Tiragem deste número: 10.000 exemplares

em tudo vai bem em termos de dinâ mica de comunicação entre o Estado os Consulados, o que se repercute negativamente para cada uma das Comunidades. Em consequência, são os cidadãos portugueses espalhados pelo mundo que são apanhados literalmente desprevenidos, sobretudo quando em causa estão iniciativas do governo nacional dirigidas aos emigrantes. Apesar dos novos tempos, das facilidades das tecnologias, as informações continuam a não chegar atempadamente. Exemplo disso é a desactualidade de algumas páginas do Ministério dos Negó cios Estrangeiros (MNE) na Internet. Assim, torna-se praticamente

N

impossível seguir as iniciativas, sejam elas de que carácter sejam. Por cá, há também (ir)responsabilidades a apontar.Por isso, é com alguma tristeza que se constata que da comunidade luso-venezuelana não se registou nenhuma candidatura em relação ao encontro anual de jovens, que se realiza em Portugal. No Centro Português, em Caracas, por exemplo, há centenas de jovens a aprenderem Português. Como é possível que nenhum deles tenha tido conhecimento da iniciativa? A instituição não tem profissionais que deveriam responder a este e a outros desideratos? E nos outros clubes? Algo vai mal.

O CaRTOON Da SEMaNa Li no CORREIO que agora os portugueses são donos de restaurantes chineses...

E quando é que passam a ser donos de restaurantes portugueses?!

Fontes de Informação: DIÁRIO de Notícias da Madeira Jornal de Notícias Agência de Notícias LUSA

a SEMaNa MUITO BOM Pelo segundo ano consecutivo, o secretário de Estado das Comunidades, António Braga, acedeu em participar no “Encontro de Gerações”. Mais um aspecto que reforça a importância e o interesse desta iniciativa. São vários os sinais que demonstram que os representantes de Portugal seguem com cada vez maior interesse o desenrolar e as conclusões do “Encontro de Gerações”.

BOM Ultrapassados estão os tempos em que a transportadora aérea portuguesa estava demasiado dependente da tutela política, com todas as desvantagens daí decorrentes. Os resultados estão à vista, porque no final de cada ano os prejuízos estão cada vez mais controlados. O contribuinte português agradece, pois já pagou demasiada incompetência. Fruto da nova política da TAP, aí está também o interesse na linha de Caracas, com um voo diário em perspectiva.

MaU Continua a prevalecer um certo desinteresse e alheamento em relação a algumas instituições portuguesas na Venezuela: Federação dos Centros Portugueses, Centro Luso de Turumo e também em Valencia. Uma situação que resulta de uma incorrecta integração das segunda e terceira gerações nos assuntos da comunidade, que acaba por revelar-se preocupante. É preciso gente nova ou nova gente para cuidar do legado português para o futuro da Venezuela.

MUITO MaU

O Correio de Caracas não se responsabiliza por qualquer opinião manifestada pelos colaboradores ou assinantes nos artigos publicados, garantindo-se, de acordo com a lei do jornalismo, o direito à resposta, sempre que a mesma seja recebida dentro de 60 dias.

Nunca é demais focar a necessidade de estarmos atentos perante situações susceptíveis de agravar a precária segurança nas ruas e cidades venezuelanas. A verdade é que já nem podemos acreditar numa “operação STOP”, porque os últimos sequestros usaram esse “modus operandi” para surpreender compatriotas nossos. Algo que deveria merecer das autoridades locais as mais arrojadas medidas. Porque em causa está a credibilidade das forças de segurança e a sensação que aos fora-de-lei custa pouco inovar...

El Correio de Caracas, no se hace responsable por las opiniones manifestadas por los colaboradores o firmantes, garantizando, de acuerdo a la Ley, el derecho a respuesta, siempre que la misma sea recibida dentro de 60 días.

Para todos los

gustos

El mejor Bodegón de Caracas con la mayor variedad en vinos Nacionales e Importados C.C.C.T. P.B. (cerca al Banco Provincial) Telfs.: (0212) 959.73.77, 959.67.28 - Caracas - venezuela


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Sem candidatos para o V Encontro de Jovens

ACTUAL | 3 breves

Comerciante luso assassinado em Puerto Cabello

Jean Carlos De Abreu jeancarlos@correiodevenezuela.com

uase meia centena de jovens luso-descendentes provenientes de diferentes países do mundo vão reunir na cidade de Lisboa entre os pró ximos dias 19 e 27 de Maio, por ocasião do “ V Encontro Mundial de Jovens Luso-descendentes” , no qual se espera o intercâ mbio de opiniões sobre a realidade da nação e analisar modos e formas para reactivar o movimento associativo luso no estrangeiro. A iniciativa é da responsabilidade da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas (SECP), no â mbito da política que procura reactivar os vínculos dos portugueses e lusodescendentes com Portugal. Os jovens que marquem presença no encontro terão a oportunidade de debater temas como a interacção com a comunidade, o associativismo, a identidade cultural portuguesa, o emprego, formação, educação e novas tecnologias. Aproximadamente 45 jovens, com idades compreendidas entre os 20 e os 30 anos, oriundos dos quatro cantos do globo terão a oportunidade, para além de passar uma semana em Lisboa, de cumprir um vasto programa de iniciativas onde sobressaem conferências e visitas de estudo. O encontro está sendo divulgado pelas embaixadas e consulados portugueses nos diferentes países do mundo. Os jovens interessados em assistir ao encontro poderão inscrever-se até meados deste mês.

Q

InfOrMAçãO ChEgA tArdE no caso da Venezuela a informação relativa a este evento chegou tarde. Segundo explicou Carlos Balaguera, director do instituto para o ensino da língua portuguesa “ hernani dos

O encontro vai reunir 45 jovens com idades compreendidas entre os 20 e os 30 anos

Santos” , na cidade de Valencia, o boletim informativo anunciando o encontro só chegou na passada segunda-feira, 27 de Março. Por tal, o responsável observou que provavelmente não haverá tempo para que os luso-descendentes interessados preencham os papéis necessários porque o nú mero de pessoas que pode ir é mínimo. Por seu turno, Ângela Carolina Almeida, presidente da Associação de Jovens Luso-descendentes da Venezuela, em Aragua, disse ao COrrEIO que foi apenas há uma semana que se inteirou acerca da àquela iniciativa, porque o cô nsul geral de Portugal em Valencia, rui Miguel Monteiro, a convocou ao posto consular. de acordo com o regulamento deste encontro, os candidatos interessados em participar no evento, devem cumprir uma série de requisitos, como ser colaboradores activos do movimento associativo, participar na vida social, política e cultural da comunidade, ser tutores de projectos inovadores ou contribuir de alguma forma para promover a imagem de Portugal nas suas nações de acolhimento.

InfOrMAçãO PErdEu-SE… Segundo o COrrEIO apurou o Consulado geral de Portugal em Caracas enviou a informação relativa à formalização das candidaturas para o encontro a todos os clubes portugueses. no entanto, depois de contactar alguns representantes de associações lusas ouviu de vários deles que ainda não lhes havia chegado a informação, enquanto que noutros casos esta já estava na sua posse só que não tinha motivado grande receptividade por parte dos alvos. O presidente do Centro Português, em Caracas, André Pita, disse que a informação chegou à instituição que dirige há cerca de uma semana, estando desde então afixada nos locais pró prios para conhecimento pú blico. Acrescentou ainda que nenhum jovem do clube se mostrou interessado em saber mais alguma coisa sobre o assunto. Victor Vieira, presidente do Centro Português de guayana, estado Bolívar, disse que, pelo menos até terça-feira passada, “ quando reuni com os directores do clube, ainda não tinha

chegado nenhuma correspondência a respeito” . Afirmou que não estava a par da reunião de jovens agendada para Lisboa. também david Pinho, responsável pela cátedra de língua portuguesa do Centro Português em Caracas e director do colégio “ nuestra Señora de fátima” , em San Bernardino, revelou não ter conhecimento do tal encontro. Precisou que nem a Embaixada, nem o consulado lhe enviaram qualquer informação, apesar de ser uma “ figurachave” para a divulgação desta iniciativa, dado o amplo contacto que mantém com jovens luso-descendentes. Apesar deste cenário, os jovens interessados e que preencham os requisitos para participar no evento ainda podem levantar uma ficha de inscrição no consulado geral de Portugal em Caracas. Poderão candidatar-se jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos, sendo os custos das viagens de ida e regresso, assim como de alojamento, suportados pelo governo português. As candidaturas deverão ser apresentadas nos consulados da área de residência dos candidatos.

Um emigrante português, natural da ilha da Madeira, foi assassinado na última segunda-feira em Puerto Cabello, na urbanização “La Sorpresa”, localizada acerca de 200 quilómetros da capital Caracas. A vítima foi António Plácido Brazão Mendonça, de 44 anos.O CORREIO apurou que era oriundo do concelho de Santana, freguesia de São Roque do Faial. O emigrante foi assassinado na sequência de um assalto perpetrado contra uma padaria, “La Orquídea 99”, de que era proprietário, de acordo com declarações das autoridades policiais venezuelanas veiculadas ao jornal “Notitarde”. O assalto, que vitimou também o vigilante do estabelecimento, de nacionalidade venezuelana, foi perpetuado por um grupo de quatro desconhecidos que abriram fogo sobre o emigrante madeirense e sobre o segurança, Douglas Mejías, que tentou, em vão, impedir o assalto e os actos de agressão que se seguiram. O empresário português, que foi atingindo repetidamente na cabeça, ainda foi transportado por um outro funcionário de uma loja vizinha para o Hospital Adolfo Prince Lara, onde, infelizmente, acabou por dar entrada já sem qualquer sinal de vida. O roubo, que ocorreu por volta das 20:30 horas de segunda-feira e mobilizou para o local vários elementos da Polícia do Estado de Carabobo, a Guarda Nacional e a Polícia Científica (Cicpc), contou com a a intervenção de um quinto elemento, que aguardava o grupo de assaltantes no interior de um automóvel, que foi utilizado para garantir, com sucesso - pelo menos até ao momento - a fuga do local. Desconhece-se a quantidade de dinheiro levada pelos assaltantes.


4 | VENEZUELA

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Luso sequestrado em Araure foi libertado Jean Carlos De Abreu jeancarlos@correiodevenezuela.com

rlindo Jorge de Sousa, comerciante de origem lusa sequestrado no passado dia 15 de Março na localidade de Araure, estado Portuguesa, foi resgatado, pelas duas horas da madrugada de sábado passado, por agentes do Cuerpo de Investigaciones Científicas, Penales y Criminalísticas (Cicpc). O comerciante, proprietário de uma padaria em Araure, foi encontrado numa zona montanhosa no sector Aguas Blancas, no Município San Rafael de Onoto da entidade estadual. De acordo com infor-

A

mações veiculadas por familiares do comerciante, natural do Santo da Serra, ilha da Madeira, na operação de resgate levada a cabo por aquele corpo de polícia foram abatidos quatro sequestradores e detidos outros dois. O director da Cicpc daquela localidade, o comissário Marcos Chávez, declarou aos meios de comunicação social do estado que a operação culminou também no desmantelamento da banda de sequestradores, que operavam desde algum tempo a esta parte na zona. Para além disso, explicou que os “ hampones” (delinquentes) pediram um resgate de 900 milhões de bolívares pela devolução de Arlindo de Sousa com vida.

Segundo apurou o CORREIO junto de fontes pró ximas ao comerciante, este encontrava-se bem fisicamente mas “ algo debilitado e atormentando, pois foi mantido vendado e em cativeiro durante duas semanas” .

SEM NOtICIAS Sobre o caso do outro português, Domingo Freitas, natural de Famalicão, sequestrado em Caracas, zona de Quinta Crespo, na passada semana, ainda não se sabe nada. Segundo comentaram ao Correio amigos pró ximos da vítima, os “ hampones” ainda não estabeleceram o “ primeiro contacto com os familiares para dar conta do seu estado nem para pedir o resgate” .

“ Portugal no Coração” leva idosa do Lar de Los Anaucos Jean Carlos De Abreu jeancarlos@correiodevenezuela.com

iniciativa do programa “ Portugal no Coração” , relativo a 2006, e que se destina aos portugueses com mais de 65 anos de idade que por razões de ordem econó mica não visitam Portugal há mais de 10 anos, vai apoiar uma idosa do Lar “ Padre Joaquim Ferreira” custeando a passagem. Maria Conceição Gomes de Gonçalves, de 75 anos, oriunda de São Martinho, Madeira e na Venezuela há mais de 30 anos, é a felizarda. A idosa não sabia do concurso mas “ concorreu” porque as Damas de Beneficência a inscreveram, em segredo, juntamente com outras nove pessoas do Lar de Los Anaucos Conceição tem dois irmãos a viver na zona do Funchal, Madeira, pelo que agora tem uma oportunidade para voltar a revê-los 30 anos depois. Na Venezuela, conta com um cunhado, filho, nora e netos. A lusa agradece os organizadores do concurso, pois sozinha “ não tinha os recursos para custear uma deslocação e estadia” do género. Confessou que não sabia nada sobre a candidatura ao programa.

A

“ Fiquei impressionada e até chorei com a surpresa que me deram as Damas de Beneficência ao dizer-me que havia sido a vencedora de uma viagem a Portugal” , disse, lembrando que “ não tenho dinheiro para ir, nem hospedar-me em algum lugar. Só se a minha família me receber por um dia, o que é suficiente, pois quero voltar depois para a Venezuela e para o Lar” . Conceição está no lar desde que este abriu as portas, em 2004, faz dois anos em Junho. Afirma sentirse “ estranha” porque não estava nada à espera de alguma coisa assim. A data de partida ainda não está marcada porque a Embaixada ainda está a ultimar os preparativos da viagem, que resultou de um concurso ao qual só podem concorrer, convém recordar, quem tenha mais de 20 anos sem ir Portugal e possuir toda a documentação em dia.

O comerciante é proprietário de uma padaria em Araure


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

PUBLICIDADE | 5


6 | VENEZUELA

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Conferência sobre novos problemas da emigração grupo parlamentar do PSD à Assembleia da Repú blica propô s, no passado dia 28 de Março, a realização com urgência de uma conferência parlamentar sobre os novos problemas sociais d as comunidades portuguesas no estrangeiro provocados pelo aumento da emigração. Realizada no â mbito da Comissão Parlamentar dos Negó cios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, a conferência deve contar com a presença de responsáveis dos departamentos governamentais mais vocacionados para acompanhar esta temática, de diplomatas e conselheiros técnicos para a área social colocados na rede di-

O

plomática e de especialistas na área das migrações. De acordo com a proposta, apresentada pelo coordenador do PSD na Comissão de Negó cios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, José Cesário, Portugal vive “ uma séria crise econó mica que tem vindo a justificar um significativo aumento d a emigração portuguesa com todas as graves consequências sociais que tal fenó meno implica” . José Cesário destaca que a deportação do Canadá de centenas de portugueses é “ apenas um dos muitos exemplos que se vive por todo o mundo, com inú meros e significativos casos de exploração e de abuso por parte de redes de trabalho ilegal” .

Como exemplo, o antigo secretário de Estado das Comunidades aponta situações graves em Espanha, Holanda, Estados Unidos, Suíça, Luxemburgo, Reino Unido, África do Sul, Venezuela, Argentina e Canadá. O deputado social-democrata considera “ essencial” que a Assembleia da Repú blica coloque os problemas sociais provocados pelos novos fluxos migrató rios entre as suas principais prioridades. A Assembleia da Repú blica deve “ identificar com o maior rigor possível os problemas que mais condicionam hoje as nossas comunidades e os actuais fluxos migrató rios” , salienta ainda José Cesário.

PSD quer que Assembleia da República discuta mais e emigração.

Participação de emigrantes nas eleições europeias antiga deputada pelo PSD Manuela Aguiar defendeu segunda-feira, em São Paulo, a participação dos portugueses que vivem no estrangeiro nas pró ximas eleições para o Parlamento Europeu em 200 7. “ Os portugueses que vivem no estrangeiro podem viver na União Europeia, então é muito importante que assumam essa cidadania europeia” , disse Manuela Aguiar, durante o lançamento de seu livro “ No Círculo da Emigração” . “ Acho importante que os emigrantes portugueses se sintam cidadãos e votem nas eleições portuguesas e também cidadãos europeus, votando nas eleições europeias” , salientou a ex-deputada. Manuela Aguiar realçou que o direito dos emigrantes portugueses de participarem das eleições europeias será exercido pela primeira vez em 2007, resultado da aprovação pela Assembleia da Repú blica (AR) de um projecto de Lei de sua autoria em 2004. A antiga deputada social-democrata salientou que os emigrantes portugueses que desejem participar das europeias deverão comparecer nos consulados e embaixadas, a exemplo das eleições presidenciais portuguesas. “ Não fazia sentido conceder o direito aos emigrantes de votar nas pre-

A

sidenciais e não votar nas europeias, uma vez que cada estado europeu é livre para conceder o direito aos seus nacionais que vivem no estrangeiro” , disse. Manuela Aguiar afirmou que a aprovação pela AR do direito dos emigrantes participarem nas europeias “ não foi uma guerra fácil, mas conseguiu-se um bom consenso e tudo terminou bem” . “ No Círculo da Emigração” é uma colectâ nea de intervenções feitas no plenário da AR, ante-projectos e projectos de Lei, artigos e entrevistas, no período entre 1999 a 2002, quando Manuela Aguiar exerceu o mandato de deputada. O lançamento do livro, o primeiro de autoria da ex-deputada no Brasil, reuniu líderes associativos, empresários e o Cô nsul de Portugal em São Paulo, o embaixador Luís Barreira de Sousa, no Consulado-Geral. “ Manuela Aguiar adquiriu um conhecimento ú nico, raro sobre as comunidades portuguesas no estrangeiro, um conhecimento que só se adquire no estar com as pessoas” , salientou o diplomata. Barreira de Sousa realçou igualmente o importante papel da ex-deputada no “ alargamento e aprofundamento dos direitos, liberdades e garantias dos emigrantes portugueses” .


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

VENEZUELA | 7

Ir ao consulado pela Internet Governo português vai criar um consulado virtual para que os cidadãos residentes no estrangeiro tenham acesso a informações e serviços da Administração Pú blica através da Internet, no â mbito do programa de desburocratização “ Simplex” . Com o lema “ Quanto mais simples melhor” , o Programa de Simplificação Administrativa e Legislativa foi segunda-feira apresentado pelo Governo e tem como principal objectivo responder de forma pronta e eficaz às necessidades dos cidadãos e das empresas. Os emigrantes portugueses são também abrangidos pelo “ Simplex” ao ser criado o consulado virtual, forma de “ aproximar os cidadãos residentes no estrangeiro à Administração Pú blica” . De acordo com o Governo, vão ser disponibilizadas, via Internet, informações e serviços que “ permitam aos emigrantes requerer diligências e interagir com os serviços da Administração Pú blica, sem terem de se deslocar a Portugal ou a um posto consular” . Segundo o Governo, o consulado virtual vai ainda “ permitir um aumento da qualidade e da rapidez no atendimento dos utentes” . Com 333 medidas, o Simplex 2006 tem ainda como objectivo facilitar a racionalização e a eficiência da pró pria Administração Pú blica, promovendo uma maior partilha de meios e informação entre os serviços pú blicos, maior colaboração nos processos transversais e a organização do trabalho em rede.

breves

O

Atlântico Madeira prepara para eleições

As novas tecnologias do “Simplex” não esqueceram os emigrantes.

O Centro Atlântico Madeira Club, no estado Lara, acolheu no passado dia 26 de Março a realização de uma assembleia de sócios para nomear a comissão eleitoral que aceitará as listas que concorrem aos próximos actos eleitorais que se efectuam no final deste ano. A comissão está composta por três venezuelanos, dois portugueses e um espanhol. Recordamos que a direcção actual do clube possui um estatuto temporário e é liderada por Juan Ernesto da Silva. Na mesma reunião, foram aclaradas questões relacionados ao regulamento eleitoral e sobre as actividades da associação.


8 | VENEZUELA

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Tradição com 200 anos Délia Meneses deliameneses@correiodevenezuela.com

ma das tradições mais antigas da Semana Santa, que já se celebra há mais de 220 anos, é a dos “ palmeros” de Chacao, costume que também já ultrapassou os limites locais para ser reconhecida internacionalmente. Aparentemente tudo começou em Caracas no ano de 1770, mais especificamente no local que hoje conhecemos como o Município Chacao, quando o padre José Antó nio Mohedano fez a promessa de subir ao El Ávila para ir buscar palmeiras e benzê-las durante as suas missas, como pagamento do favor pelo fim de uma epidemia de febre amarela que afectou os habitantes da zona. Os “ palmeros” , com idades compreendidas entre os quatro e os 80 anos - os mais pequenos são chamados “ palmeritos” -, sobem na sexta-feira de Concílio e descem no dia seguinte carregando as palmas que serão benzidas na missa de Domingo de Ramos. As palmas são utilizadas para fazer cruzes. As “ palmas” são recolhidas numa zona do Ávila chamada a “ Cueva de los Palmeros” , pró ximo de “ No te apures” , subindo por Sabas Nieves. Uma vez cá em baixo, elas são levadas para a igreja da praça Bolívar de Chacao, onde os fiéis comemoram a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém. O significado social da tradição tem fortalecido os vínculos familiares dos vizinhos da zona, tendo-se convertido

U

com o passar do tempo numa tradição nacional. Os filhos dos “ palmeros” herdam a tradição de seus pais. Desde Fevereiro que se estão realizando as reuniões preparató rias para a organização do evento. O grupo, de aproximadamente 150 a 180 elementos do sexo masculino, divide-se em subgrupos com um chefe o seu ajudante e o cozinheiro. Algumas mulheres são aceites nestas reuniões, mas elas não podem acompanhar os homens na subida. A iniciação de um “ palmero” começa quando o rapaz cumpre sete anos de idade. Apó s uma peregrinação de 48 horas pelas paragens do Parque Nacional El Avila, os “ palmeros” de Chacao estarão de regresso com a palma benzida este sábado 8 de Abril. À sua chegada, o padre abençoa todas as palmas e os ramos são passeados por entre as ruas como testemunho da fé da comunidade em Deus e em si mesmos. O alcalde de Chacao, Leopoldo Ló pez, declarou recentemente à imprensa que ser palmero “ é ofício sagrado e irrepetível, pelo qual se levam sobre seus ombros o peso de ser os ú nicos autorizados para buscar a palma benzida que se repartirá por toda Caracas, e incluso Venezuela, o Domingo de Ramos” . Hoje em dia os “ palmeros” de Chacao, constituíram uma Associação Civil sem fins lucrativos através da qual realizam durante todo o ano iniciativas ecoló gicas, educativas e culturais no Município Chacao e em todo o Parque Nacional El Ávila.

Os “ palmeros” tem idades compreendidas entre os quatro e os 80 anos

Prometem iluminação e vigilâ ncia na Avenida Lecuna Noelia de Abreu noeliadeabreu@gmail.com

construção da linha 4 do Metro mudou o cuotidiano daqueles que circulam nas ruas e avenidas do centro de Caracas, já que o encerramento destas vias produziu mofificações nos itenerários das carreiras de transportes pú blicos, cujos condutores se viram obrigados a circular por vias alternativas para realizar os percursos. Também os peões foram obrigados a mudar certos hábitos e passaram a circular em passadiços e corredores estreitos para poderem atravessar a zona. Mas desde a passada segunda-feira, 2 de Abril, o início da Avenida Lecuna, que se encontrava fechado, já permite o trâ nsito livre de automó veis e autocarros, o que se traduz no

A

descongestionamento parcial da circulação no sector. O presidente da companhia do Metro de Caracas, Eugenio Vásquez, afirmou num programa transmitido pelo canal 8, durante o mês passado, que a 30 de Junho deste ano será inaugurada a nova linha, a qual ligará Capuchinos à Zona Rental de Plaza Venezuela, culminando um investimento da ordem dos 850 milhões de dó lares. As associações de moradores dos edifícios que circundam a obra do metro na Avenida Lecuna reuniram com Fundapatrimonio, entidade que ficou com a responsabilidade de informar os habitantes da zona sobre os planos previstos para implementar naqueles espaços. Essencialmente, comprometeram-se a recuperar a zona pró xima ao metro com muita iluminação e vi-

gilâ ncia, evitando assim que se venha a estabelecer ali qualquer lugar de economia informal, construindo-se uma praça para o gozo dos transeuntes. De igual modo acordaram em restaurar as fachadas dos edifícios que se encontram em redor da estação. Isto vai representar melhorias numa zona que foi alvo de um certo grau de descuido, em que o lixo e a delinquência são os protagonistas. Outro dos benefícios é que o Tramo Capuchinos-Plaza Venezuela, servirá para aliviar o problema do transporte na zona central Sul de Caracas. De acordo com as estimativas, este novo ramal movimentará cerca de 300 mil habitantes das paró quias San Juan, Santa Rosalía, Santa Teresa, San Agustín e Parque Central, mais os utentes da Linha 2.


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

PUBLICIDADE | 9


10 | VENEZUELA

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Bejuma: Mistura de culturas

A imigração europeia maior da zona é a espanhola, seguida da italiana e da portuguesa. Na localidade vivem 40 famí lias lusas Jean Carlos De Abreu jeancarlos@correiodevenezuela.com

aproximadamente 200 quiló metros de Caracas, via Valência, situa-se a povoação de Bejuma, no estado Carabobo, zona conhecida pela agricultura e pelo mercado bovino. Entre árvores, curvas e uma paisagem árida, avista-se a pequena povoaç ão. Lojas pró ximas umas das outras, casas de dois pisos e praças adornam o centro da localidade. À parte da produção de laranjas e a criaç ão de vacas, Bejuma destaca-se pela miscelâ nea de culturas desde há mais de 35 anos, quando vários imigrantes de diferentes países europeus decidiram viver nesta cidade. A imigraç ão europeia maior da zona, segundo Juan Enrique Gonçalves, é a espanhola, seguida da italiana e da portuguesa. Na localidade vivem 40 famílias lusas

A

Padaria Siglo XXI de José de Ornelas

distribuídas pela localidade. Este português, procedente de Campanário, Madeira, já está a viver na zona há 28 anos. Gonç alves é comerciante e trabalha na especialidade de venda de veículos. Este português afirma que a comunidade lusa de Bejuma

Catedral de Bejuma

está muito unida "porque todos nó s nos conhecemos e temos anos de amizade", mas lamenta que ninguém se preocupe em cumprir as tradiç ões portuguesas na zona. Bejuma conta com o Clube Centro Social Bejuma, onde vão os portugueses. Ali reú nem-se para conversar e passar o dia, mas também o compartilham com outras comunidades como a venezuelana, espanhola, italiana, árabe e chinesa. Tradiç ões ausentes mas enraizadas Vita Maria Cervelli de Gonç alves é uma italo-venezuelana casada há 20 anos com um português oriundo de Campanário, Madeira. Esta italo-portuguesa, como se catalogou, é devota da Virgem de Fátima e identifica-se com as tradiç ões lusas, mais ainda quando se deslocou à ilha. Vita disse ao Correio que Bejuma necessita de uma pessoa que os oriente no que toca a tradiç ões, porque não existe quem se atreva a dirigir as festividades lusitanas,

Loja de venda de bebidas

apesar de haver interesse por parte dos portugueses da localidade. Acrescentou que os portugueses que ali vivem necessitam socializar mais com as pessoas que estão ao seu redor "porque a sociedade actual pede que nos expressemos e interactuemos com outros seres", disse. Outra das coisas que a localidade não tem é um grupo folcló rico

Vita Maria Cervelli, filho e esposo

pró prio, porque "todos os portugueses trabalham muito e não têm tempo de formar um agrupamento". Se desejam desfrutar do baile típico português, vão até Valência para vê-los dançar nos clubes portugueses do estado. Apesar de tudo, José Rafael de Ornelas, luso-descendente, radicado na zona há 12 anos, disse que a Alcadía de Bejuma está a preparar, conjuntamente com o professor Jorge Amorim, cursos para ensinar o idioma português na localidade. Sublinhou que os portugueses de Bejuma são cooperativos mas devem unir-se para realizar a celebração e render devoção à padroeira de Portugal. "Fazemos sempre a missa na data prevista, mas depois não há celebração", quiçá porque o tempo destes ibéricos é limitado. Os portugueses de Bejuma desejam reviver os costumes para deixar um legado a esta localidade, por isso acreditam que estudar a língua de Camões é um passo em frente para os seus descendentes e habitantes.


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

VENEZUELA | 11

Cachorros quentes toda a semana Tábita Barrera tabita@correiodevenezuela.com

a Venezuela, especialmente em Caracas, é muito frequente as pessoas, antes ou depois de ir à discoteca, tirarem algum tempo para comer uns cachorros quentes, seja para dar alguma substâ ncia ao corpo para queimar durante a noite de folia, seja para recuperar energias depois da festa. As roulotes que os vendem estão localizadas ao longo de toda a capital, sobretudo nas zonas onde há maior quantidade de locais frequentados por rapazes e raparigas que vêm dançar e tomar uns copos aos fins-de-semana. Na Avenida Principal de Las Mercedes, zona caracterizada por uma vida nocturna muito agitada, está localizado João Gonçalves de Farias, vendedor de cachorros quentes há aproximadamente quatro anos, quando teve de tomar conta do negó cio depois do seu pai, Agostinho, ter sofrido uma lesão na coluna. O pai começou o negó cio em 1962, altura em que começou a trabalhar de segunda-feira a domingo até ao amanhecer e praticamente sem descanso, oferecendo aos caraqueños uns "cachorros

N

quentes simples mas muitos saborosos", como os descreve o filho. "Estamos aqui os sete dias da semana. Alguns dias venho eu, e outros meu irmão Alberto", explica João de Farias, assegurando que as "vendas são muito boas e que o negó cio permite ganhar o suficiente para garantir a subsistência e guardar algo, ainda que acredite que qualquer negó cio é produtivo se se sabe administrá-lo". No entanto, o vendedor considera que o estado de saú de do negó cio também se fica a dever ao "reconhecimento que as pessoas dão aos nossos produtos, que são exclusivos e de primeira qualidade", assinala. Para além de cachorros quentes, os quais são vendidos a 1.800 bolívares, vendem hambú rgueres normais com queijo, de carne e queijo duplos, a preços em conta, que vão desde os 4.000 até aos 6.000 bolívares, que podem ser acompanhados por refrescos ao preço de 1.000 bolívares. Não é apenas gente jovem e festeira que aparece para comer na roulote de João Farias. Por lá pode-se ver famílias inteiras provando os vários menus de comida rápida. Simplesmente, assegura o vendedor, o secreto está em prepará-

los com a melhor disposição e com a finalidade de satisfazer os gostos de cada cliente. Os amantes dos cachorros quentes, podem visitar este negó cio de segunda

a quinta-feira entre as 6 p.m. e as 3 a.m., e aos fins-de-semana até 6 a.m., sendo certo que o encontrarão repleto de gente, dai que sejam muito poucos os dias livres que tirem durante o ano.

"Uma cama para um avozinho" o quadro das acções que estão a ser levadas a cabo com a finalidade de arrecadar o montante necessário para a finalização do Lar Geriátrico Luso-venezuelano do estado Aragua, está a decorrer a campanha "Uma cama para um avozinho". Através desta campanha, pretende-se que as pessoas colaborem com 5 milhões, que é o montante fixado, ou então com a quantidade que lhes seja possível. "A soma que estabelecemos não só

N

será utilizada para comprar as camas, como também servirá para todas aquelas coisas que faltam para equipar o edifício", explicou Nelson Coelho, um dos membros da organização desta acção, lembrando que as pessoas podem construir com o que estiver dentro das suas capacidades. Até ao momento, precisou, tem-se assistido "a uma enorme solidariedade. Já temos para 17 camas mas necessitamos 100", acrescentou Coelho, obser-

vando que os interessados poderão fazer os seus donativos através das contas correntes Nº 9000-22318567710, do Banif, pela Nº 0191-0081252181000119 do Banco Nacional de Crédito e pela Nº 0138-0009050091000742 do Banco Plaza, sendo que os depó sitos são em nome do Lar Geriátrico Luso Venezuelano e deverão enviar via fax 0243-2472301 ou pelo correio electró nico largerlusoven@cantv.net as có pias dos depó sitos com seus dados.


12 | HISTÓRIA DE VIDA

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Quase 100 anos, mas sem solidão Maria Lídia, natural de Santo António, Madeira, vive em Naguanagua e tem uma vida cheia de experiências e uma família que lhe dá todo o carinho necessário para ser feliz. Maria Lí dia Camacho

Santo António, Madeira

sta histó ria começ ou no dia 19 de Dezembro de 1909, e ainda não se lhe vê fim à vista. Antes pelo contrário, parece que a cada dia a vitalidade e a alegria se acercam mais dela. Nasceu em Santo Antó nio, Madeira, e o seu nome é Maria Lídia Camacho Fernandes Camões. Os seus pais foram Mariana e João Fernandes Camões, que juntos tiveram mais dois filhos. Apesar de ter 96 anos, recorda como se fosse ontem como conheceu João Fernandes Leç a, o seu marido desde 1929 até há 10 anos, quando morreu, em Portugal. Quando Maria Lídia estava na escola e tinha apenas 14 anos, recebeu uma carta daquele que seria o seu futuro marido. Ela manteve-a guardada consigo até que a sua mãe a encontrou. A princípio, pensava que tinha sido o irmão, que estava na América, a enviá-la, mas ao lê-la soube de quem realmente se tratava. Passado pouco tempo falou com o autor da carta, um jovem que tinha ingressado no colégio da irmã não havia muito tempo, logo que a mãe levara a cabo os trâ mites necessários.

E

Essa conversa, longe de espantar João, de 18 anos, encheu-o de força para conseguir o seu propó sito em 1929, ao casar-se com Maria Lídia. Tiveram seis filhos, mas um faleceu em criança. As geraç ões seguem e hoje já se fala de bisnetos e tetranetos. Lú cia, Virgílio, Maria, Armindo e Flávio viveram experiências maravilhosas com os seus pais. O senhor Leç a, como era conhecido por muita gente na Madeira e noutras partes do mundo, durante a guerra foi para o Curaç ao num desses barcos negros da Shell, nos quais tantos portugueses emigraram entre 1937 e 1940, para trabalhar nas refinarias. Levou depois para lá o seu filho mais velho e os seus genros. Tirava férias a cada três ou

quatro anos, investidas na totalidade em desfrutar com a sua família em Santo Antó nio. Ele, de cabelo completamente branco, chegava sempre com um baú de madeira cheio de roupa, jogos e prendas para

todos, fruto dos seus esforç os e que guardava até ao momento de viajar. Em 1958 chegou à Venezuela com o objectivo de estabelecer um negó cio. Fez uma sociedade para criar e vender frangos, situada em Tinaquillo. Isto durou apenas três anos, porque um dia as aves amanheceram todas mortas devido a uma epidemia, o que não lhe deixou outra alternativa senão regressar à Madeira. A partir da década 60, Maria Lídia vinha periodicamente visitar Maria e Flávio, que fizeram vida na Venezuela. No entanto, a vinda definitiva como emigrante pode dizer-se que foi há seis anos. Os restantes filhos estão repartidos pelo mundo. Lú cia - já fa-

lecida - viveu no Brasil, Virgílio em Portugal e Armindo em Joanesburgo. Este ú ltimo visitou há pouco tempo este país, na companhia da esposa e da filha. Actualmente, esta senhora de quase um século vive na urbanizaç ão La Entrada, no município de Naguanagua, em Valencia. Vive ali com Maria, rodeada de várias geraç ões que têm como origem a sua união com Leça. No que toca o seu modo de vida, dedica bastante tempo ao bordado. Surpreendentemente, com a sua idade, só necessita de um par de ó culos para ver bem. A sua saú de é invejada por qualquer pessoa jovem, segundo ela, devido ao amor que diariamente recebe dos seus entes queridos. Assegura que, se não fosse por eles, não estava neste mundo.


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

RELIGIÃO | 13

O cristão e a comunidade política

Padre Eduardo Goncalves

goncalveseduardo@hotmail.com

Sagrada Escritura oferece-nos certas considerações que, como cristãos, nos iluminam e guiam hoje o nosso ser pela comunidade política. No livro dos Juízes podemos confirmar como Deus intervém na histó ria através de homens carismáticos; por isso, no princípio, o povo de Israel não tem rei, como os outros povos, pois ele re-

A

conhecia o senhor de Yahvéh. A Samuel, o ú ltimo destes homens, o povo pede um rei; o rei será, em teoria, o representante de Deus e o servidor do seu povo, mas na realidade servirá as suas pró prias ambições e será o opressor da nação. Já naquele tempo os ditadores sabiam bastante de propaganda para convencer o povo de que eram indispensáveis. Samuel adverte o povo das consequências de um exercício despó tico da realeza, denuncia a ditadura (cf. 1 Sam 8,11-18). Aqui é bom recordar o que dizia o beato João XXIII: "Onde falta a iniciativa e a responsabilidade pessoal dos particulares, há tirania política. Além disso, quando o indivíduo espera tudo do governo ou do rei, há um estancamento geral e apaga-se o génio criador do homem". Jesus, como lemos em São Marcos 10, 42, contestou o poder opressivo e despó tico dos chefes sobre as nações e a pretensão destes de fazerem com que os chamem benfeitores, mas nunca con-

testou directamente a autoridade do seu tempo. Assim o deixa ver o Senhor, no discurso do pagamento do tributo a César, quando afirma ser necessário dar a Deus o que é de Deus, condenando implicitamente qualquer intenção de divinizar e "absolutizar" o poder temporal; mas indicando que o poder temporal tem direito ao que é devido (cf. Compêndio da Doutrina Social da Igreja, 379). "Jesus, o Messias prometido, combateu e derrotou a tentação de um messianismo político, caracterizado pelo domínio sobre as nações" (cf. Mt 4, 8-11; Lc 4, 5-8). Jesus deixa bem claro que não veio para ser servido mas para "servir e dar a sua vida". Os primeiros cristãos tinham consciência de algo fundamental: A submissão, não passiva, mas por razões de consciência (cf. Rom 13,5), ao poder constituído, responde à ordem estabelecida por Deus. Esta submissão e obediência à qual exortam São Pedro e São Paulo às primeiras comunidades (cf. 1 Pe 2, 13; Rom 13, 1-7) devem

ficar a dever-se a uma autoridade que faz respeitar a justiça, assegurando o bem comum. Pois quando o poder humano se afasta da ordem que Deus criou, como destaca o Compêndio da Doutrina Social da Igreja, autodiviniza-se e reclama absoluta submissão, converte-se na Besta do Apocalipse, imagem do poder imperial perseguidor… Ap 17,6). "A mensagem bíblica inspira incessantemente o pensamento cristão sobre o poder político, recordando que este procede de Deus e é parte integrante da ordem criada por ele. Esta ordem é percebida pelas consciências e realiza-se, na vida social, mediante a verdade, a justiça, a liberdade e a solidariedade, que procuram a paz" (Compêndio da Doutrina Social da igreja, 383; João XXIII, Carta enc. Pacem in Terris, 1963; João Paulo II, Carta enc. Sollicitudo rei socialis, 39).


14 | CULTURA

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

“ Los hombros de América” voltam a erguer-se Yacarlí Carreño yacarli@gmail.com

ê-se que estas montanhas são os ombros da América” . Contam que assim suspiravam os imigrantes que, desde as suas embarcações, avistavam as costas venezuelanas. Esta frase, extraída de um poema do espanhol Rafael Alberti, deu título à mais emotiva peça do escritor Fausto Verdial, desaparecido há quase uma década. A obra, com sete actuações no Festival Mundial de Teatro em Miami, foi apresentada pela primeira vez em 1991 e, cinco anos depois, apresentou-se, durante uma curta temporada, no Ateneo de Caracas, dirigida pelo dramaturgo José Ignacio Cabrujas. No

“ V

início deste ano, a obra escrita em tom de comédia voltou aos palcos com sala repleta e, depois de algumas semanas de suspensão, voltou a 24 de Março e despede-se, por tempo indefinido, em Abril. Vai estar em cena às sextas e sábados, pelas 8 da noite, e aos domingos às 6 da tarde, no centro Cultural Corp Group. “ O tema fundamental de “ Los hombros de América” é o tema de emigração, o tema da separação. Neste caso, são pessoas transportadas esperando que Franco morra ou saia do poder para poder regressar a Espanha, o seu país de origem. Tal como diz o texto: “ Não sei como podemos estar à espera que um homem morra para que outro decida que fazer com a sua vida” . O tema fundamental da obra é a tragédia

do emigrante” , disse Héctor Manrique, que tem a honra de dirigir a herança de Verdial. A obra conta a histó ria de duas famílias pertencentes à comunidade espanhola. Devido ao seu carácter biográfico, segundo o director, a histó ria não foca o caso de outras comunidades europeias que vivem na Venezuela. De qualquer maneira, Manrique ressalva que pô r em cena esta obra é uma homenagem às comunidades estrangeiras e a todos aqueles que sonham com uma melhor qualidade de vida fora das suas fronteiras. “ A presença do imigrante é essencial e fundamental na Venezuela de hoje. A Venezuela é um país de imigrantes que cresceu e construiu-se pela mão das comunidades de imigrantes” .

Entre o comércio e o acordeão Carlos Orellana corellanacorreio@hotmail.com

gosto pela mú sica esteve sempre presente na sua vida. Começou por tocar violino no grupo Danzas y Cantares, do Centro Português. Dedicou-se depois a tocar acordeão “ porque sempre gostei e o director do grupo, Antó nio Granja, ensinou-me o básico. De resto, foi o meu interesse e o meu ouvido musical para captar as notas precisas” , conta Jhonny Correia, um luso-descendente filho de Emanuel Correia, natural do Seixal, e de Ângela Lucas, que nasceu no Porto Moniz. Com 22 anos de idade, divide a mú sica com os estudos na área do Comércio, no Colégio Universitário de Administração e Comércio. “ Vou para o quinto semestre” , disse. Correia iniciou-se na mú sica através da sua associação ao Centro Português de Caracas. “ O senhor Manica convidou-me para fazer parte do grupo e estive três meses a tocar violino mas, como gostava mais de acordeão, comecei a aprender por minha conta. Dois meses depois já estava a tocar num festival em Maracay” .

O

“ Paixão de Cristo” revive em La Victoria o pró ximo dia 30 de Abril, em La Victoria, estado Aragua, vai dar-se início ao teatro musical chamado “ A paixão de Jesus, o Nazareno” , interpretado por Ricardo Rodrigues, luso-descendente. A obra é inspirada nas vicissitudes pelas quais Cristo passou. A peça vai ser posta em cena pelo director geral, Félix Ávila, e pelo director de cena, Enzo Cerbino.

N

A obra musical será exibida na cidade de La Victoria e depois vão se apresentar nos teatros do estado Aragua. Posteriormente, a obra teatral vai passar por diferentes cidades do país, como Caracas, La Coló nia Tovar, Coro e Puerto La Cruz. No trabalho artístico participam dois lusodescendentes, Daniel e Rafael Simões, que integram a equipa de 60 pessoas que compõem esta peça de teatro.

O jovem integra há três anos o Danzas y Cantares, dois dos quais foram a tocar acordeão. Mas, para além de estar neste grupo, participa também nas tertú lias organizadas pelo Instituto Português de Cultura. Deste modo, Jhonny Correia continua a contribuir para a cultura portuguesa e com esse gosto desmedido pelas melodias lusitanas. Basta-lhe ouvir uma canção para captar o som e dar rédea solta aos seus dedos.


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

CULTURA | 15

Celeste Moreira deu concerto no Curaçao A experiência “ foi incrí vel. Quando cheguei a Curaçao, as entradas para o meu concerto já estavam esgotadas” , contou

Café inmigrantes no Festival de Teatro Arelys Goncalves arelyscorreio@hotmail.com

emigração europeia na Venezuela estará nesta nova edição do Festival Internacional de Teatro de Caracas, que começou no passado dia 31 de Março. “ Café inmigrantes” é o espectáculo musical e teatral que permitirá o reencontro de personagens que representam as diferentes culturas que convivem no país. Espanhó is, gregos, franceses, alemães, polacos, portugueses. E, naturalmente, os venezuelanos são os protagonistas desta obra, criada pela companhia nacional “ Dramo” , e que vai estar em cena nos dias 10 e 11 de Abril, no Teatro Luís Peraza, situado na Avenida Universitária de Caracas. A obra surgiu da paixão dos autores pela mistura de culturas que existe na Venezuela. “ Começámos a reflectir sobre a nossa identidade, considerando que somos um híbrido de muitas culturas” , disse ao Correio o artista Miguel Issa. No início, improvisaram sobre o tema a partir de uma situação quotidiana e depois fizeram estudos orientados pelo aspecto emocional. “ Investigámos

A Celeste Moreira recebeu uma proposta para voltar em Dezembro a Curaçao Carlos Orellana corellanacorreio@hotmail.com

cantora portuguesa Celeste Moreira, que nasceu no Porto, esteve de visita - pela segunda vez - de 15 a 19 de Março, na ilha de Curaçao, graças a um convite dirigido pela directora do Museu Di Kó rsou de Curaçao, Kahrine Durguti-Martijn, para que realizasse três concertos, junto com os seus guitarristas, Fernando Pires e Manuel Pereira. “ A proposta surgiu por meio de uma amiga portuguesa que vive ali e falou de mim à directora da galeria. Foi assim como fui até lá, apoiada também pelo cô nsul honorário de Portugal em Curaçao, Carlos de Sousa, disse a fadista numa entrevista exclusiva ao Correio de Venezuela. Para Moreira, a experiência “ foi incrível. Quando cheguei a Curaçao, as entradas para o

A

meu concerto já estavam esgotadas. Recordo que no dia da ú ltima actuação houve que arranjar mais cadeiras porque as pessoas não cabiam. No passeio as pessoas olhavam-me. Espantei-me ainda porque havia apenas uns oito portugueses, nada mais, o resto eram pessoas do Curaçao e turistas holandeses” . Disse ainda que a experiência com o pú blico foi inigualável. “ Ouviam-me com um silêncio total e podia vê-los chorar enquanto eu cantava. Tive o privilégio de cantar acapela durante duas horas, nos três concertos que fiz. Foi muito bonito ver como o pú blico me admirava e aplaudia de pé, coisa que aqui nunca tive. Eles não saíam do salão enquanto eu não me retirava. Admiravam-me como se eu fosse Amália Rodrigues.” Depois de uma série de entrevistas para os meios de comunicação de Curaçao, Celeste Moreira recebeu uma proposta para voltar em Dezembro, com

o fim de participar no aniversário de um dos grupos folcló ricos da ilha. Também adiantou que, entre os projectos para este ano, tem planeado viajar até Nova Iorque, Canadá e Portugal, onde pensa gravar a sua quarta produção discográfica. Por outro lado, considerou triste a escassez, no país, da guitarra portuguesa num fado. “ Fado sem guitarra portuguesa de 12 cordas não é fado. Preocupa-me que não contemos com pessoas que toquem este instrumento porque cada dia vejo mais interesse em cantar fados. Já existem boas vozes mas não há guitarristas. Penso que sim, que há futuro, mas na verdade faltam-nos mú sicos. Faço um apelo ao Centro Português de Caracas para que se interesse em trazer alguém que ensine a tocar este instrumento, já que penso que é a ú nica forma de promover a mú sica portuguesa” .

a partir das imagens da emigração: A despedida, lembranças, novos horizontes, esperanças, viagem, nostalgia, encontro, desencontro, a espera” , disse o também coreó grafo Miguel Issa. A obra resume um cenário possível em qualquer recanto do país. Tudo acontece num café de portugueses que têm um filho venezuelano. Ao negó cio vão uma professora de ballet polaca, um italiano com a sua sobrinha, uma francesa, uma espanhola e uma venezuelana que se torna namorada do luso-descendente. O contexto é propício para ilustrar como confluem diversas tradições e costumes. Há, por exemplo, uma cena onde cada um fala dos pratos típicos e não falta o bacalhau à portuguesa. O espectáculo é, ao mesmo tempo, uma soma das impressões que se têm dos emigrantes. Por isso, para os autores seria interessante levar a obra para cenários onde os espectadores sejam parte dos protagonistas, como no caso dos portugueses, e receber algum comentário do trabalho que eles consideram também uma homenagem à sua pró pria imagem.

Grupo Coral no IX Festival Interclubes Carlos Orellana corellanacorreio@hotmail.com

om várias horas de ensaio por semana, o coro do Centro Português de Caracas (CP) participa, no pró ximo dia 30 de Abril, junto com outros quatro

C

grupos, no IX Festival de Coral Interclubes, que desta vez terá como sede o Club Mágnum, na capital. O grupo do CP preparou um total de três canções para o festival. A primeira delas, “ Niño Dios” , é obrigató ria para a competição. A segunda, “ Venezuela” , é de

eleição livre para os grupos, e a terceira, “ Coimbra” , um tema musical que escolheram como representação do país ao qual pertencem. Com arranjos especiais de Albert Hernandéz, Kodiak Aguero e Francisco Guerrero, os 28 mem-

bros do grupo coral do Centro português estão cada vez mais dispostos a levar de novo este prémio para casa, dado que em 2000 e em 2004 foram vencedores dos concursos realizados no clube Hogar Canário. Os grupos que estão inscritos

para a competição são: “ Coral Aires Galego” , da Hermandad Gallega, “ Koleno Grupo Vocal” , da Unió n Israelita de Caracas, “ Polifó nica” , do Club Campestre Paractocos, “ Coral Aguasal Club & Marina” , e, claro, o referido “ Coral do Centro Português” .


16 | LAZER

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Ricardo Chang leva talento a Portugal Carlos Orellana corellanacorreio@hotmail.com

reconhecido estilista Ricardo Chang viajou para Portugal a 29 de Março a fim de realizar espectáculos de penteados, nos quais vai expor as novidades mais recentes do estilismo venezuelano e as ú ltimas tendências no que se refere a produtos para o cabelo. O criador de imagens “ maravilhosas” vai estar em Lisboa e no Porto. Depois parte para a encantadora ilha da Madeira para concretizar um desejo pessoal de conhecer aquele lugar, de onde segue para Bolonha, em Itália. O convite para viajar até Portugal partiu de Carlos Duarte, director artístico da Wella. “ Ele propô s-me fazer o meu show em Portugal. A ideia de ir àquele país é mostrar o que fazemos na Venezuela. Vamos fazer um espectáculo latino com um “ opening” que inclui bailarinas e diversos cenários. Quando chegar a Portugal, devo fazer um “ casting” para os melhores modelos com os quais vou trabalhar durante o evento” , disse Chang, numa entrevista exclusiva ao Correio de Venezuela. Refira-se que esta não é a primeira vez que Ricardo Chang pisa solo português, já que diz ter conhecido Por-

O

tugal numa visita que fez ao continente, tendo estado em Lisboa, Coimbra e Leiria. “ Naquela oportunidade viajei porque chamava-me a atenção o templo de Fátima, que é espectacular. Sente-se uma energia maravilhosa. Ali, as pessoas são demasiado religiosas. Encantou-me a atenção e o fado. Penso que o que diferencia mais um país do outro é a sua gente, por isso recomendo ir com os olhos fechados para Portugal, porque vale a pena, na realidade” , garantiu. Em relação à ilha da Madeira, o estilista referiu que não teve oportunidade de a conhecer mas “ desta vez sim, vou estar lá. Tenho vários clientes portugueses que são madeirenses e dizem-me maravilhas da ilha, por isso tenho curiosidade em ir. Logo que saia da Madeira, viajarei até Itália para participar num congresso em Bolonha, chamado COSMOPROF, no qual, para além de mostrarmos novas tendências em penteados e tintas, mostraremos produtos para o cabelo e mó veis para cabeleireiros” . Chang possui uma variedade de clientes famosos entre os quais destaca a Miss Universo ‘ 97, Alicia Machado. Também tem clientes lusodescendentes, como Marjorie de Sousa, Marlene de Andrade, José Vieira, Emmarys Pinto (Miss Intercontinental 2005), entre muitos outros talentos da cena teatral venezuelana.

Ricardo Chang realizará espectáculos de penteados em Lisboa e Porto

Moda lusa para a rainha do desporto Noélia de Abreu noeliadeabreu@gmail.com

s fatos-de-banho e vestidos de Lynette da Silva brilharam no cenário do concurso que tinha como fim escolher a Rainha do Desporto do Centro Português de Caracas, levado a cabo no passado dia 25. “ Os organizadores do evento pediram-me que, para além dos fatos-de-banho, fizesse os vestidos para as participantes e para as raparigas que tinham ganho o concurso anterior. Esta foi uma grande oportunidade para mostrar o meu trabalho e estou profundamente agradecida ao CPC e às pessoas do departamento de des-

O

porto, que já no ano passado me tinham contactado para desenhar os fatos-de-banho do evento anterior” , expressou Lynette. Um total de 12 vestidos e sete fatos-de-banho foram confeccionados por esta luso-descendente, que tem mais de 14 anos de experiência em design de roupa e um ano e dois meses na elaboração de fatos-de-banho. Os modelos dos fatos-de-banho eram iguais para todos as participantes, o que variava era a cor e alguns acessó rios, já que algumas levavam pareo e outras não. Lynette conta que as cores fuscia, laranja e branco predominaram nas suas peças, assim como os bordados e as flores. “ Considero que as raparigas ficaram muito

contentes com o meu trabalho, já que todas querem adquirir os fatos-de-banho. Para além disso, o comité que organizou o evento também fez saber que podemos realizar novos projectos juntos” . As aspirações de Lynette são montar a sua pró pria loja, já que por agora tem o atelier, onde as pessoas a podem contactar e fazer os seus pedidos, e fazer com que as suas peças conquistem outras fronteiras. “ A experiência com os fatos-de-banho tem sido muito boa, já que os fabrico por medida, para pessoas mais gordinhas, para meninos e meninas, etc., e gostaram muito, por isso dediquei-me quase exclusivamente à confecção destes no ú ltimo ano” , explica Lynette.


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

PUBLICIDADE | 17


18 | traçoS de portugal

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Sortelha:

a aldeia medieval

Liliana Da Silva

Liliana@correiodevenezuela.com

Para desfrutar de um interessante passeio não é preciso dirigirse exclusivamente às grandes cidades. Em Portugal, país de uma histó ria rica e milenar, as povoaç ões e as aldeias conservam a imagem viva de este passado faustoso e imponente. Por isso, nesta ediç ão de traços de Portugal mostramos uma aldeia transmontana que é conhecida pelos seus vestígios arqueoló gicos e pelas suas casas de pedra que se mantém intactas apesar dos muitos anos. Sortelha é a protagonista destas linhas que o levarão a uma viagem através da Histó ria. A origem do nome desta vila conta com várias lendas. Para uns, Sortelha refere-se a um belo anel. Para outros, designa a Sortelha utilizada por um antigo entretenimento dos cavalheiros medievais, que consistia em atravessar a lanç a num arco. Para terceiros, o sortel é um anel de ao qual lhe atribuem poderes, sortilégios e feitiç arias. Quiç á, estes ú ltimos estejam relacionados com as muitas lendas que se contam sobre uma anciã cuja figura foi desenhada nas rochas que se vêm desde a entrada da fortaleza. Possivelmente, também esteja relacionado com o castelo, primeira edificaç ão do concelho do Sabugal, a uma altitude de 786 metros. contudo, como toda lenda nunca se sabe se o seu conteú do é certo ou falso. Na actualidade, Sortelha encontra-se totalmente cercada por muralhas. Acede-se ao seu interior através de uma porta gó tica e observa-se, claramente, o cuidado para com estas estruturas para con-

Muralhas centenárias resguardam a vida de esta aldeia portuguesa, em que cada pedra tem uma histó ria para contar. Situada a 30 Km da Covilhã, no concelho do Sabugal, Sortelha é um de esses lugares em que o tempo, tal como a canção, voltou para trás.

servar a atmosfera medieval. Só um punhado de vizinhos, quiç á dez, vivem no interior de Sortelha, pois, dada a exiguidade do cerco, a povoação cresceu no exterior, construindo sus vivendas nas ladeiras da montanha. UM PASSEio Por SortELHA Um dos melhores percursos que se podem realizar nesta aldeia medieval, consiste em caminhar à volta de toda a vila em cima d muralha. As condiç ões desta permitem o passeio, pois possui uma largura de quase dois metros e as pedras encontram-se em muito bom estado. A primeira construç ão desta fortaleza é atribuída aos árabes e as inovaç ões bélicas de cada época que a ornaram mais moderna e adaptada às novas técnicas da guerra de várias épocas. Nesta edificaç ão, um dos detalhes mais interessantes e curiosos é o chamado balcão de Pilatos, que se situa sobre a porta de entrada e aonde se conservam várias aberturas circulares por donde se atiravam as armas medievais: projécteis, pedras, azeite fervendo ou água para escaldar. os ú ltimos combates que tiveram lugar neste castelo

foram protagonizados pelas tropas de Napoleão Bonaparte, que dinamitaram as muralhas. o castelo é considerado monumento nacional desde 1910. Está composto por duas partes distintas. A cidadela corresponde à parte militar, e as muralhas que a envolvem a vila delimitam a zona civil. No interior do castelo, encontra-se a torre da homenagem, à qual só é possível chegar escalando por uma pedra empinada e cheia de musgo. A vista desde este ponto é indescritível, pois permite observar todo a povoaç ão e os campos das imediações. A igreja principal foi construída em 1573. No seu interior, destaca-se vários altares barrocos, a curiosa pia baptismal, o tecto realizado por artesãos mouros na idade média e a imagem gó tica de Nossa Senhora das Neves. A cabeç a do menino que leva entre suas mão a imagem foi decapitada, segundo a lenda, por um soldado de Napoleão Bona-

parte para verificar si era de oro. Para além do castelo, em Sortelha encontra-se um vasto patrimó nio edificado, como a capela de São Sebastião, o Antigo Hospital da Misericó rdia, a casa Um, a casa Setecentista, a casa dos Falcões, a Fonte de Mergulho, a casa das Almas, a casa do Vento que Soa e a Fonte da Azenha

A trAdição dA ForcA: Uma das festas mais tradicionais desta aldeia portuguesa costuma celebrar-se de forma intermitente cada dia 15 de Agosto. Quando a autarquia tem recursos suficientes, organiza uma corrida que perpetua a forca, uma tradição que foi transmitida de geração em geração, e que consiste em acossar um touro com uma ferramenta primitiva elaborada com grossos ramos de árvore. É preciso que, pelo menos, 25 rapazes levem a forca sem o animal a vire. Esta festa começa com a participação de todos os jovens de

Sortelha na forca e, depois, aparecem os toureiros. Em algumas ocasiões, os espectadores participam na festa, pois é habitual que o touro salte a barreira e seja devolvido acossado por uma chuva de objectos atirados desde as grades. Se aproveitar estas festas para conhecer Sortelha não hesite em provar a sua gastronomia típica. opte pelo ensopado de cabrito, o bacalhau à celta, a perdiz de salto, o ensopado de javali e o veado. de sobremesa, merece a pena provar o arroz doce.


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

PORTUGAL | 19

breves Fiscalização encerrou cinco padarias A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (A SAE) fechou na madrugada de segunda-feira um total cinco padarias por falta de condições, divulgou hoje aquele organismo do Ministério da Economia e Inovação. As 46 brigadas da agência envolvidas na operação fiscalizaram em todo o pa

ís 117 estabelecimentos de pastelaria e panificação e levantaram 48 processos de contra-ordenação. Falta de condições técnicas ou de higiene, falta de licenças, congelação i ndevida e falta de aviso de proibição de venda de álcool foram alguns dos motivo s que motivaram os processos. Foram ainda apreendidos mais de dez mil euros em géneros como ovos, vinagr e, bolos, massas e farinhas.

Covilhã concorre a prémio internacional A Câmara da Covilhã vai candidatar-se ao prémio “Smart City”, que distingue comunidades em todo o mundo que apostam nas novas tecnologias da informação para promover o crescimento económico. O anúncio foi feito segunda-feira pelo presidente da Câmara da Covilhã,

Carlos Pinto, na sessão de abertura do ciclo de conferências “Semana da Covilhã - Cidade de Inovação”, que decorre até sexta-feira no Parkurbis Parque de Ciência e Tecnologia da cidade. O prémio é atribuído anualmente a 21 comunidades pelo Intelligent Community Fórum (ICF), organização não lucrativa sedeada nos Estados Unidos da América.

Remoção de lixeiras no Douro arranca em Abril A operação de remoção deverá estar concluí da até ao Verão, devendo custar 1,6 milhões de euros O Metro ultrapassou a fasquia dos três milhões de clientes/mês

Metro do Porto tem novo recorde Metro do Porto ultrapassou em Março a fasquia dos três milhões de clientes/mês, estabelecendo um novo recorde mensal, anunciou fonte da empresa. Nos 31 dias de Março, as validações efectuadas na rede foram 3.067.311, o que representa um crescimento de 20 por cento face a Fevereiro. O anterior recorde

O

O projecto de reabilitação paisagística abarca os 13 concelhos que integram o Douro Património Mundial.

primeira operação de remoção de lixeiras e resíduos no Douro Patrimó nio Mundial começa este mês e deverá estar concluída até ao Verão, devendo custar 1,6 milhões de euros, anunciou a comissão de coordenação do Norte. Segundo fonte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento do Norte (CCDR-N) o plano de remoção de resíduos, limpeza de linhas de água e recuperação de áreas do Alto Douro Vinhateiro, classificado pela UNESCO em 2001, terá início em Abril nos concelhos de Lamego e Armamar. Posteriormente serão intervencionados os concelhos de Alijó , Mesão Frio, Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, Vila Real, Peso da Régua, Carrazeda de Ansiães, São João da Pesqueira e Tabuaço. O projecto “ Erradicação das Dissonâ ncias Ambientais do Alto Douro Vinhateiro” resultou de um estudo promovido

A

pela empresa de consultoria TECNOPOR e que teve como objectivo a identificação de “ pontos negros” e a elaboração de propostas de reabilitação paisagística para os 13 concelhos que integram o Douro Patrimó nio Mundial. Foram identificadas lixeiras, pedreiras, sucatas e vazadouros de lixos clandestinos nas bermas das estradas, entre outras dissonâ ncias ambientais. O Douro Patrimó nio Mundial, uma das mais belas paisagens do mundo, tem centenas de lixeiras clandestinas espalhadas pelas bermas das estradas, que se tornaram numa das maiores nó doas negras daquela região. A intervenção anunciada prevê cerca de meia centena de pontos de intervenção, como a remoção de sucatas e resíduos industriais ou a recuperação paisagística das zonas envolventes às barragens do Pocinho e da Valeira, de uma pedreira em Tabuaço.

O projecto tem como entidade executora o Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos e representa um investimento de 1,6 milhões de euros, financiados pelo ON-Operação Norte, através da sua medida ON-Douro. O ON financia ainda em 1,4 milhões de euros o projecto “ Rede de Miradouros e Caminhos Durienses” , que prevê a requalificação, valorização e sinalização de 11 miradouros e de seis caminhos seleccionados, abrangendo os concelhos de Armamar, Carrazeda de Ansiães, Lamego, São João da Pesqueira, Tarouca e Tabuaço. Este projecto tem como entidade executora a Associação de Municípios do Vale do Douro Norte. Os elementos das comissões de acompanhamento dos dois projectos, que integram os autarcas dos municípios abrangidos, estiveram reunidos no Peso da Régua com a vice-presidente da CCDR-N, Cristina Azevedo.

mensal tinha sido batido em Janeiro, quando foram registadas 2.707.783 validações. O valor atingido em Março quase duplica o verificado no mês anterior, o que se deve ao facto de integrar já os novos clientes servidos pela Linha Amarela e as estações do segmento Pedras Rubras - Pó voa de Varzim da Linha Vermelha, inaugurado há pouco mais de duas semanas.

GNR “ caça” jogo peixe e vestuário Brigada Fiscal da GNR anunciou que apreendeu na ú ltima semana na região Norte duas máquinas de jogo ilegal, 4.600 peças de vestuário contrafeito e 40 quilos de peixe fresco vendido fora da lota. Em comunicado, o Grupo Fiscal do Porto refere que levantou entre 26 de Março e sábado nos cinco distritos do Norte 291 autos, correspondentes a mais de 250 mil euros de ilícitos fiscais. O maior nú mero de

A

autos (116) refere-se a fuga aos impostos de Circulação e Camionagem e Municipal sobre Veículos, seguido da fuga ao IVA (95) e da violação do Có digo da Estrada e legislação complementar (60). O grupo Fiscal do Porto apreendeu também seis viaturas ilegalmente introduzidas em Portugal, 36 maços de cigarros por fuga ao Imposto sobre Tabaco e 20 litros de gasó leo verde por fuga ao Imposto sobre Produtos Petrolíferos.


20 | PORTUGAL

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Casa Pia: Psiquiatra manifesta-se convicto que vítimas falam verdade lvaro Carvalho, psiquiatra que acompanhou clinicamente alguns dos alunos da Casa Pia alvo de abusos sexuais, garantiu segunda-feira em tribunal que, “ na generalidade, os jovens estão a falar daquilo que de facto sof reram” . À saída da 165ª sessão do julgamento do processo Casa Pia, o psiquiatra , arrolado como testemunha de acusação, disse que os relatos dos jovens acerca d os abusos sexuais são globalmente verdadeiros e defendeu que “ só muito dificilme nte” as vítimas se enganam na identificação dos abusadores. Álvaro Carvalho, que pertence à comissão coordenadora de acompanhamento dos jovens da Casa Pia alegadamente abusados, referiu que não põe em causa a cr edibilidade dos seis jovens com mais de 18 anos que acom-

Á

panhou (quatro dos quais com mais frequência), sublinhando que só depois de o caso surgir na comunicação social alguns deles “ tiveram coragem para revelar o segredo dramático que os ac ompanhava” . “ Dos que eu acompanhei mais de perto não tenho dú vidas que são pessoas com uma estrutura de personalidade que me leva a considerar que eles não mentira m” , disse, acrescentando que durante o acompanhamento não lhe foram revelados no mes dos alegados abusadores. “ Não foram expressos nomes. Intencionalmente o meu papel não era o de r epetir o papel do polícia, era um papel clínico (...), eu não tenho que estar a repetir inquirições e verificações se é verdade ou não se foi A, B ou C (os abus adores)” , adiantou o médico. O psiquiatra acentuou

que, na maioria dos casos, entre a data dos alega dos abusos sexuais e a actualidade não passaram muitos anos e, por isso, “ não te rá havido uma alteração significativa da memó ria” . “ Nem todas as correntes que estudam este problema enfatizam a questão d as falsas memó rias. Habitualmente, os jovens, mesmo em meio familiar, não mentem quando se referem a abusos (sexuais). A questão das falsas verdades e das memó r ias alteradas acho que foi um ponto que algumas pessoas sobrevalorizaram” , afirm ou. Alguns destes jovens disse também o psiquiatra tem hoje uma vida es truturada, mas outros não, não tendo mesmo total capacidade para, por exemplo, g erir o dinheiro que vão receber como indemnização pelo tribunal arbitral.

À saída da 165ª sessão do julgamento do processo Casa Pia,

breves

Director da PJ foi demitido O governo defendeu segunda-feira a demissão do director nacional da PJ com a necessidade de realizar a reestruturação da administração c entral do Estado sem “constrangimentos emanados de entidades dependentes do próp rio executivo”. Segundo um despacho conjunto assinado pelo primeiro-ministro, José Sócr ates, e o ministro da Justiça, Alberto Costa, o juiz Santos Cabral terminou a su a comissão de serviço como director-nacional da PJ. “Está em curso um processo de reestruturação da administração central d o estado que abrange a PJ, incluindo a revisão da respectiva lei orgânica”, diz o despacho. Segundo o documento, “esta acção de reforma não pode estar exposta a c onstrangimentos emanados de

entidades dependentes do próprio executivo, não send o sustentável uma posição institucional desconforme com o pleno exercício por pa rte do Governo da liberdade de acção politico-legislativa”. “Nesses termos, impõe-se criar condições que permitam que, quer a acção de reestruturação orgânica, quer a orientação e gestão dos serviços nos vários domínios, possam ocorrer sem que ao exercício das responsabilidades decorrentes da Constituição se contraponham condicionamentos de outra natureza.”, conclui.

Ní vel de água nas albufeiras sube O nível de água armazenado nas albufeiras do pa ís continuou a subir em Março, apresentando quase metade um volume de água super ior a 80 por cento da capacidade total. Segundo o último relatório mensal do Instituto da Água (INAG) sobre o a rmazenamento nas albufeiras, no último dia de Março, comparativamente ao mês ant erior, as 12 bacias hidrográficas do país registaram uma subida no nível de água armazenado.


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

PUBLICIDADE | 21


22 | OPINIÃO

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Aldo é do Barça António Carlos da Silva axedrezado@gmail.com

a passada terça-feira, 28 de Março, o "nosso" Benfica (pelo menos nesse dia), voltava a marcar presença nos quartos de final da Liga dos Campeões, como há muito não acontecia. Enfrentava a aquela que hoje é considerada como a melhor equipa do mundo: o FC Barcelona. Assisti ao jogo num dos restaurantes do CPC, acompanhado por um grupo de ferrenhos e entusiastas benfiquistas equipados a rigor. Na primeira fila da televisão, entre os telespectadores havia um "catraio" muito especial, de uns oito anos e tal: com uma bola de futebol nas suas mãos, tudo equipado como um futebolista, era ele quem mais gritava, quem mais se mexia, quem mais berrava, que mais se fazia sentir no meio de aquela concorrência. Acompanhado pelo seu pai, bom amigo e benfiquista confesso, desde muito cedo começou da pular da cadeira com o grito de golo várias vezes a sair da sua garganta. Se você estimado leitor, assistiu ao jogo, já sabe então que o Aldo (nome do protagonista de esta "fita"), torcia pelo clube catalão.

N

Este menino futebolista, filho de portugueses, estava num local português e assistindo a um jogo de um clube português, torcia como louco pela equipa de Deco e Ronaldinho. Este comentário não é nenhuma crítica para com a inocente criança, cujas manifestações até foram tomadas com muita simpatia por todos os presentes, por espontâ neas e barulhentas, senão a simples constatação de um facto cada vez mais comum em crianças e jovens luso-descendentes amantes do futebol: suas preferências clubistas vão dar ao Real Madrid ou ao Barcelona antes do que a qualquer equipa portuguesa. Sei que agora você pode estar a pensar que não a razões para espanto, pois o Barcelona é uma autêntica potência do futebol mundial, e neste momento não só acumula no seu plantel vários dos melhores futebolistas da actualidade, e a parecença do maior craque mundial nas suas fileiras (Ronaldinho), com a sua habilidade e a magia do seu jogo, tem um impacto muito forte nos mais novos que logo sonham com imitar ao seu ídolo. Mas eu penso que a razões muito mas fortes por trás. O campeonato espanhol de futebol, servido - é justo reconhecer - com grandes craques de nível mundial, tem certamente mais nível do que o campeonato luso. Mas é bom lembrar também que vai sendo transmitido

Mercadores portugueses em sinal aberto ao nível nacional de maneira consecutiva desde há uns bons oito anos a esta parte pelo canal desportivo venezuelano Meridiano Televisió n, enquanto as imagens do campeonato português há mais de uma década que desapareceram totalmente dos ecrãs dos televisores venezuelanas. Logo não é de espantar que não só os jovens venezuelanos que vão gostando do futebol, adoptem como seus a um dos dois principais clubes espanhó is de "La Liga", fenó meno que influencia também as nossas crianças, que assim vão deixando a um lado o gosto pelo emblema dos pais, seja ele Benfica, Porto ou Sporting, para torcer por algum dos "gigantes" espanhó is. Seria muito bom que os jornalistas desportivos e produtores audiovisuais da comunidade lusa, patrocinadores e adeptos do futebol lusitano em geral, cada qual desde a sua posição, fizessem forca para conseguir que o futebol português volte a ser transmitido pela televisão, para que tanto portugueses como venezuelanos em geral, possam conhecer e saber que em Portugal também existem clubes e futebolistas de nível mundial, e assim diminuir a tendência acima referida. Se não o fizermos, o Aldo e todos os Aldos da comunidade vão continuar a gritar: "Goooooooooooool del Barcelonaaaaaa!!!".

As gerações que se encontram

Tábita Barrera tabita@correiodevenezuela.com

primeira vez que ouvi falar sobre o "Encontro de Gerações" desconhecia o que tal iniciativa significava. No entanto, não faltou quem, com emoção, me explicasse que a mesma era uma reunião que as empresas como o Banco Banif, o Correio de Venezuela e o Diário de Noticias da Madeira organizavam anualmente, juntamente com a comunidade portuguesa radicada na Venezuela, para tratar de assuntos comuns. Igualmente, foi-me dito que tal momento constituía uma oportunidade ú nica para se expor os sucessos e os problemas que os

A

afectam. Com todos os comentários que escutei acerca da importâ ncia e a transcendência da iniciativa, só queria assistir a tão esperado evento. Assim foi e pela primeira vez assisti a um Encontro, ao IV, realizado em Outubro do ano passado, onde se reuniram portugueses de toda a Venezuela e autoridades como o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, o Embaixador de Portugal no país e os diferentes cô nsules. Ano apó s ano, este acontecimento é subordinado a uma temática específica. O tema de 2005 chamava-se "Integrados e Influentes" e abarcava os portugueses ou os luso-descendentes que, através do seu trabalho e esforço pró prios, conseguiram um lugar de destaque e influência nas decisões políticas, sociais, econó micas e intelectuais dentro do territó rio venezuelano. Este ano o destaque vai quase

por inteiro para os luso-descendentes ligados ao mundo da arte, cultura e desporto, todas essas expressões de grande relevâ ncia e que podem dizer muito acerca das raízes portuguesas. Considero que o trabalho que se realiza em cada reunião constitui um esforço positivo para se reconhecer e promover o desenvolvimento da comunidade lusa, a qual tem representado um grande apoio para a nossa sociedade. Neste sentido, a presença de cada um de nó s ao encontro faz parte do desejo de nos envolvermos e de participar de forma que as nossas vozes sejam escutadas. É por isso que me permito convidar a todas as gerações de portugueses para se encontrarem no pró ximo dia 27 de Maio num acontecimento que junta excelência, o esforço e a dedicação de cada um deles: o "V Encontro de Gerações".

António de Abreu Xavier Historiador

pimenta foi uma das especiarias mais disputadas na idade média. Quando os portugueses chegaram à Í ndia navegando em frente das costas de África, dobrando o cabo da Boa Esperanç a, em 1498, desferiu um duro golpe nos seus rivais: os comerciantes italianos. Portugal ganhou vantagem comercial a partir desta nova rota e sobre este produto, o que quase arruína a cidade de Veneza. O historiador Fernand Braudel conta que, à época, nessa cidade, tornaramse moda as profecias pessimistas. Os venezianos de apenas imaginar os descobrimentos portugueses e as consequências, não viam senão a catástrofe. Girolamo Priuli, um italiano que escreveu um diário em 1501, relatou que a perda das especiarias era "como se bebé de peito se visse privado do leite da mãe". O impacto do monopó lio econó mico, que outorga também um grande poder político, deu a Portugal maior importâ ncia. Esta combinaç ão foi benéfica para os portugueses mas foi outra estocada para os italianos. Em Veneza houve grandes subidas e baixas de preç os, falências de lojas armazéns, inumeráveis dificuldades financeiras: a crise econó mica havia chegado. Uma decisão do rei D. Manuel trouxe ainda mais dificuldades. Em 1504, o Rei de Portugal fixou o preç o oficial da pimenta deixando liberdade para o jogo da oferta e da procura. Dois anos depois, converteu os afamados armazéns da especiaria, concentrados em Lisboa, em monopó lio da Coroa portuguesa. Os barcos venezianos já

A

não encontraram especiarias nem em Alexandria nem em Beirute. Com o apoio real, os navios portugueses haviam ganho essas praças. O lucro da compra de pimenta era obtido com a venda na Europa. Portugal vendia na Holanda, Inglaterra, em reinos independentes da Alemanha, Franç a, Espanha ou Bélgica. Só para a Inglaterra, em 1504, chegou uma frota de cinco navios portugueses com um carregamento de 380 toneladas de pimenta e especiarias Calcutá. Em 1512, o domínio do mercado europeu era quase total o que obrigou os venezianos a visitar as casas comerciais portuguesas em Amberes, Frankfurt e Nuremberga. A disputa pelo comércio da pimenta prosseguiu porque os ricos venezianos se resistiam em perder o seu posto como navegantes e comerciantes. O Visconde de Soveral, autor de uns 'Apontamentos sobre as antigas relações políticas e comerciais de Portugal com a Repú blica de Veneza', resume do seguinte modo a derrota dos italianos. Em 1527, propuseram a João III, Rei de Portugal, comprar toda a pimenta que chegara a Lisboa, separando o que era necessário para o consumo dos portugueses. Em termos actuais isso se chama uma oferta pú blica de aquisiç ão, ou seja, uma compra rápida e multimilionária dos bens de uma companhia por outra. Os italianos ainda tinham o poder do capital, mas os portugueses tinham as rotas, os barcos e a mercadoria. De nada servia o dinheiro se a logística estava nas outras mãos.


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DEABRIL DE 2006

OPINIÃO | 23

CARTAS Nem destruir sabem…

Parabéns

Comida Portuguesa

Motivo de orgulho

Os funcionários deste governo nem sequer destruir uma coisa sabem. A agonia estende-se agora por mais tempo, pois a ponte que estava moribunda afinal não foi derrubada por completo. Os 533 quilos de explosivos detonados às 1:13 da tarde do sábado passado não foram suficientes para derrubar os restos do viaduto. Agora uma segunda explosão foi marcada para esta semana, o que implica outro dia de inferno para as pessoas que se movimentam entre La Guaira e Caracas. Isto não parece representar um problema para as autoridades, a quem, pelos vistos, consideram normal que coisas como estas aconteçam. Vergonha era o que deviam sentir por nem sequer saberem derrubar com explosivos uma estrutura que já estava debilitada. Não conseguem fazê-lo de apenas uma vez! E ainda deixaram o alerta de que o viaduto poderia cair nas próximas horas. Embora garantam que tal não arriscaria a vida de ninguém é injusto que a mediocridade seja sempre a regra nas actuações deste governo. Até quando?

Quero reconhecer o esforço que foi posto na organização do evento Gala do Desporto e eleição da Madrinha do Desporto 2006. Uma iniciativa que esteve de acordo com o público, jovem na sua maioria, e que cativou pelo seu dinamismo e pela qualidade dos convidados especiais. Nota-se que foi um evento bem planeado, onde o clube se abriu a novos talentos: atletas da UCV, cantores que estão na moda, e não sempre as mesmas caras. Viram-se rostos novos, de gente jovem, que animou as crianças, jovens e adultos por igual. Gostaria também de destacar a oportunidade que tiveram todos os atletas de subir ao palco e receber uma pequena manifestação de apreço e gratificação pelo seu esforço. Embora a nenhum tivesse sido concedido o microfone para que pudessem falar, foi um momento mais do que merecido não só para os atletas senão também para os seus pais e professores pois são eles os principais promotores da actividade desportiva das crianças. Parabéns.

Sou Venezuelana e nada tenho a ver com a comunidade portuguesa, não obstante ter visitado Lisboa em várias oportunidades por questões de trabalho. Gosto de ler o vosso jornal que me chega através do amigo do meu esposo e sou fiel leitora todas as semanas. Cada vez mais fico impressionada com aquilo que fazem os portugueses na Venezuela e pela Venezuela. Mas venho a partir desta carta manifestar a minha curiosidade no sentido de não perceber por que é que não existe um restaurante de comida portuguesa quando os portugueses são donos de quase todos os restaurantes de Caracas… e já agora aproveito esta oportunidade para pedir que publiquem as receitas das comidas típicas de Portugal.

Li na edição passada do vosso jornal que o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, António Braga, volta ao Encontro de Gerações. Penso que esta visita é um sinal da importância que tem alcançado este evento que já vai para a sua quinta edição. O facto de que uma autoridade portuguesa de tão destacada importância tenha decidido participar no evento pela segunda vez é um reflexo da sua motivação e o seu respeito por esta iniciativa. É motivo de orgulho também para toda a comunidade portuguesa que reside da Venezuela que o senhor Braga nos torne em conta e que nos honre com a sua vista, pois isto fala bem do trabalho que os portugueses e os seus descendentes que têm feito neste país. Penso que esta visita deve ser aproveitada não só como um acto protocolar, mas sim para que possa render outros frutos e que as autoridades venezuelanas também possam dar a importância à oportunidade que têm de ter cá um governante português. São muitos os assuntos que estão à espera de ser concertados e que atingem os dois países. Oxalá não seja desaproveitada esta segunda visita do secretário de Estado.

Maria da Luz Castro

Maribel P. Rodriguez

Ana Teresa dos Santos

Rui Alberto Correia

InquéRITo:

Considera necessário aprender a Histó ria de Portugal para saber sobre as origens dos seus pais? Miguel Sequeiro Estudante de português

"É necessário porque só assim podemos entender o porquê da emigração dos portugueses para os outros países, por exemplo. Mas também porque há muitos lusos que nada sabem acerca da história da sua terra e nós, como seus filhos, podemos ajudar-lhes e aprender juntos sobre Portugal e todo o que lhe diz respeito."

Máximo Da Silva

Estudante de português

"Parece-me importante aprender a história de Portugal porque sou filho de portugueses e portanto também faço parte dessa história, embora tenha nascido na Venezuela. Identifico-me com as tradições e os costumes dos meus pais e por isso quero saber mais sobre Portugal e a sua cultura."

Gustavo Morales

Estudante de português

"Embora não seja filho de portugueses, sinto curiosidade em saber um pouco mais sobre a História de Portugal porque tenho muitos amigos lusos. Por isso foi apreender a língua, por o idioma me chamar a atenção. Mas também gostaria saber as características históricas do país assim como as suas condiciones actuais."

Sandro Gonçalves

Estudante de português

"Considero necessário estudar a história de Portugal, assim como a sua composição política, porque é uma maneira de compreender os portugueses e a sua cultura. Além disso, é importante aprender o idioma. Eu posso ser suspeito, porque gosto da língua lusa."


24 | ECONOMIA

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

ASOPACA abre em Julho Tábita Barrera tabita@correiodevenezuela.com

á aproximadamente um mês, um grupo de empresários portugueses começou a trabalhar na criação da Associação de Padarias e Afins da Grande Caracas (ASOPACA), a qual pretende defender os interesses dos panificadores que têm os seus negó cios na região capital. A organização tem previsto dar-se conhecer oficialmente na Feira do Pão, que se realiza no pró ximo mês Julho, e começar a operar a partir desse momento. Entretanto, foi levado a cabo uma investigação junto do mercado, através da realização de um censo que visa saber quais são os problemas mais importantes dos panificadores de modo a que se possa conhecer melhor a situação actual. Este ú ltimo já produziu como resultado a necessidade de se criar uma entidade que

H

regule as actividades relacionadas com o grémio na zona metropolitana, pois não existe nenhuma hoje em dia. Só se conta com a Federação Venezuelana de Industrias da Panificação (FEVIPAN), que trabalha ao nível regional. Víctor Da Silva, presidente do Grupo Editorial Da Silva, e um dos promotores desta iniciativa, esclareceu que os objectivos principais que contempla a ASOPACA são tratar de estabelecer um preço mais justo do pão, conseguindo ao mesmo tempo uma maior participação dos interessados. Passa também por realizar eventos e cursos de habilitação de pessoal com várias competências no sector, fomentar melhores condições de trabalho e ainda dar origem a uma central de compra que permita alcançar preços mais atractivos e um mercado mais competitivo. “ O nosso fim ú ltimo é cobrir as necessidades da in-

dú stria e a nossa meta é conseguir a maior quantidade de associados possível” , explicou da Silva, garantindo que “ trabalhamos para resolver as necessidades do mercado e para que se reajustem os preços do pão” e também em prol do objectivo de “ acabar com a carência de pessoal” preparando as pessoas para elaborar este alimento primordial para a dieta do venezuelano” . Neste sentido, observou que na sua maioria, os encerramentos das padarias se devem ao desconhecimento dos padeiros em matéria legal, razão pela qual, a associação procurará organizar “ talleres” conjuntamente com o Seniat para permitir uma melhor gestão. Em princípio, Victor da Silva estaria encarregado da presidência da associação enquanto se realiza uma assembleia entre todos os membros para tomar decisões a esse respeito.

Câ mara de Libertador celebrou 12 anos Carlos A. Balaguera. mos242@cantv. net

cô nsul geral de Portugal, Rui Monteiro foi o orador convidado para presidir à cerimó nia do 12º aniversário da Câ mara de Comércio, Indú stria Agropecuária do Município Libertador do Estado Carabobo, presidida por Antó nio Ferreira. Monteiro iniciou as suas palavras recordando que há 50 anos partiram muitos portugueses para a Venezuela e em especial para Tocuyito, onde encontraram casa umas 4.500 cabeças de família, que hoje representam um bom nú mero de compatriotas. O presidente da Câ mara Libertador, Antó nio Ferreira, é um conterrâ neo que está integrado no desenvolvimento industrial, co-

O

Un puente de información para la comunidad El periodico de la comundad luso venezolana Todos los viernes en su quiosco favorito DISTRIBUIDO A NIVEL NACIONAL

www.correiodevenezuela.com

Esta câ

mara possui mais de 150 associados

mercial e cultural desta região. Actualmente esta câ mara possui mais de 150 associados. Entre os convidados estiveram presentes os conselheiros Manuel Martins, Rui Urbano e Ernesto de Sales, este ú ltimo esteve encarregado de animar o acto protocolar. A terminar a cerimó nia, o cô nsul geral aproveitou a oportuni-

dade para receber a muitos cidadãos portugueses que lhe deram conta de inú meros problemas que estão relacionados com o consulado. Cabe destacar que nesta região a grande maioria dos emigrantes são provenientes da Madeira, de onde chegaram no ano de 1950 para o Município de Tocuyito.


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

ECONOMIA | 25

Mercosul: 15 anos de bloco sem a integração desejada Mercado Comum do Sul (Mercosul) completou 15 anos, no passado dia 26 de Março, com ganhos na área comercial, mas ainda com crises institucionais e muitas diferenças internas jurídicas. “ Não internalizamos ainda a cultura de integração” , afirmou o embaixador Rubens Barbosa, coordenador do seminário internacional sobre os 15 anos do Mercosul, a ser realizado nos pró ximos dias 27 e 28, na Fundação Memorial da América Latina, em São Paulo. Segundo o diplomata, as regras acordadas pelos pró prios membros do Mercosul não estão a ser cumpridas por todos os países e os respectivos governos nacionais não levam em consideração as decisões comuns. Criado em 26 de Março de 1991, pelo Tratado de Assunção, o Mercosul é formado pela Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, aos quais se juntarão em breve a Venezuela, como membro pleno, e a Bolívia, Chile, Colô mbia, Equador e Peru.

O

Em Dezembro passado, a Venezuela formalizou sua adesão ao Mercosul, na reunião de chefes de Estado realizada em Montevideu, no Uruguai. A Venezuela já era membro-associado do bloco desde 2004. Nestes 15 anos, os países fundadores do Mercosul inauguraram um período de relações comerciais intensas. O comércio entre os países mais que quadruplicou, passando de 8,2 mil milhões de dó lares em 1990 para 34,2 mil milhões em 2004, mesmo com a crise argentina em 2002. Apesar do avanço nos nú meros do comércio, a união aduaneira do Mercosul, tão importante para os empresários, não funciona. Alguns especialistas defendem que o Mercosul precisa também de melhorar a eficiência das suas instituições e de mais vontade política dos governos para superar as dificuldades, como o actual o conflito entre Argentina e Uruguai por causa da instalação de duas fábricas de papel na fronteira.

São Paulo acolhe seminário internacional este mês.


26 | PUBLICIDADE

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Dez anos a cooperar com a Air France TAP Manutenção & Engenharia e a Air France Industries assinalaram, com uma cerimó nia realizada nas instalações da TAP, no Aeroporto de Lisboa, o 10º aniversário da Cooperação Industrial entre as duas organizações.

A

breves

Budapeste e Praga mais perto Desde o primeiro dia de Abril, a transportadora aérea nacional reforçou a sua operação para a Europa, passando a operar três voos semanais directos entre Lisboa e Praga e Lisboa e Budapeste. Estas novas ligações directas serão operadas até ao final do período de Verão, com tarifas a partir dos 149 Euros em bilhetes de ida-e-volta. Assim, desde 1 de Abril, a TAP passou a voar todas as semanas para Praga - à 4ª, 5ª e Sábado com partida às 9h45 e chegada às 14h05. O regresso a Lisboa será nos mesmos dias da semana, com partida às 14h50 e regresso às17h15. Os voos directos para Budapeste são à 5ª, 6ª e Domingo, com partida às 9h45 e chegada às 14h15. O regresso a Lisboa será nos mesmos dias da semana, com partida às 15h00 e chegada às 17h50. Todos os voos têm ligações de/para Porto, Faro, Madeira e Açores. Mais informações disponíveis no site da TAP em: www.flytap.com , através do Call Center da Companhia (tel: + 351 707 205 700) ou dos Agentes de Viagens.

Iniciada em 1996, com a celebração de um pré-acordo de Cooperação Industrial, que foi confirmado por um Acordo celebrado em 1997 e prorrogado em 2000, a parceria entre a TAP M&E e a AFI reveste características muito especiais por se tratar de um

acordo de permuta de serviços que permite optimizar a utilização dos recursos de cada uma das entidades. Ao longo destes 10 anos, a Air France tem enviado, para efectuarem grande manutenção nas instalações da TAP, aviões B737 e A320 da sua fro-

ta de médio curso que excedem a sua capacidade instalada. Em contrapartida, a TAP tem enviado à Air France reactores CF6-80C2 e CFM565C, das suas frotas A310 e A340 que, pelo seu reduzido nú mero, não justificavam o investimento necessário à sua

manutenção em Lisboa. Dentro do espírito do Acordo, a TAP Manutenção & Engenharia e a Air France Industries têm alargado a sua cooperação, de forma pontual, a outros produtos e serviços, e estão a estudar formas de cooperação, no futuro.


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

III Divisão - Série A 27ª Jornada AD Esposende - FC Vinhais AD Oliveirense - Mondinense FC ADC Correlhã - Desp. Monção GD Bragança - SC Maria Fonte GD Joane - CD Cerveira GD Valpaços - Brito SC Merelinense FC - A Cabeceirense SC Mirandela - FC Amares SC Valenciano - SC Vianense

III Divisão - Série B 27ª Jornada

1-3 4-0 2-1 0-0 1-1 0-1 0-0 0-1 0-1

AC Vila Meã - Leça FC ADR Tarouquense - FC Tirsense Canedo FC - AD S. Pedro Cova CD Cinfães - Descansa CR Ataense - UD Valonguense Ermesinde SC - SC Rio Tinto Rebordosa AC - SC Vila Real Torre Moncorvo - Padroense FC Vilanovense FC - Lusitânia FC Lourosa

Classificação J V E D 1º SC Maria Fonte 2º GD Bragança 3º SC Mirandela 4º GD Joane 5º FC Amares 6º AD Oliveirense 7º Brito SC 8º Merelinense FC 9º A Cabeceirense 10º CD Cerveira 11º Mondinense FC 12º SC Vianense 13º FC Vinhais 14º Desp. Monção 15º ADC Correlhã 16º AD Esposende 17º SC Valenciano 18º GD Valpaços

27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27

17 16 17 14 15 12 12 12 11 8 9 7 7 7 7 5 5 6

7 9 6 10 3 9 7 7 4 11 2 6 6 5 3 8 6 3

3 2 4 3 9 6 8 8 12 8 16 14 14 15 17 14 16 18

G 59-16 50-19 51-24 38-21 43-28 43-24 37-32 35-29 36-32 36-37 40-55 25-41 22-38 32-43 33-60 27-46 26-55 20-53

P 58 57 57 52 48 45 43 43 37 35 29 27 27 26 24 23 21 21

Classificação 3 7 9 7 6 6 9 10 9 10 8 9 12 12 12 12 15

13 14 11 9 10 9 10 11 9 9 10 9 9 7 6 5 5

9 6 10 11 7 9 6 3 8 8 5 7 6 9 7 6 3

4 6 4 6 9 7 10 12 8 8 10 9 10 9 12 14 18

G

P

35-18 37-26 37-19 43-31 29-30 31-28 35-39 29-41 30-23 36-30 33-31 34-34 32-40 29-33 23-34 24-30 27-57

48 48 43 38 37 36 36 36 35 35 35 34 33 30 25 21 18

Atlético - Fut. Benfica C. Lobos - Ouriquense Cacém - 1º Dezembro Caniçal - O Elvas Carregado - Loures Montijo - Machico Santana - Vilafranquense Tires - Alcochetense Vialonga - Sintrense

33-20 30-22 34-24 35-30 40-29 34-27 37-25 31-31 28-29 40-37 23-23 25-30 20-28 25-31 25-35 18-30 20-47

P 52 44 43 42 42 40 39 36 34 32 31 30 29 28 25 25 16

28ª Jornada (09-04) AC Marinhense - Descansa AD Fundão - Caldas SC CU Idanhense - Sertanense FC Eléctrico FC - CA Riachense GC Alcobaça - GD Peniche GD "O Vigor da Mocidade" - CA Mirandense GD Sourense - GDR Bidoeirense GDR Monsanto - CD Amiense UD Caranguejeira - A Beneditense CD

1º Carregado 2º Atlético 3º Machico 4º 1º Dezembro 5º Cacém 6º C. Lobos 7º Sintrense 8º O Elvas 9º Alcochetense 10º Caniçal 11º Montijo 12º Fut. Benfica 13º Loures 14º Santana 15º Vialonga 16º Ouriquense 17º Tires 18º Vilafranquense

27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27

15 16 15 13 13 12 12 10 10 11 9 9 10 7 8 7 5 5

8 4 6 6 6 8 4 8 7 4 8 6 2 10 6 7 7 5

4 7 6 8 8 7 11 9 10 12 10 12 15 10 13 13 15 17

5 10 6 8 7 11 10 9 6 10 10 9 13 9 5 10 6 10

6 4 7 7 8 6 7 8 10 8 9 10 8 11 14 12 15 16

G

P

38-16 47-30 46-22 35-27 33-30 38-33 26-25 40-31 34-33 26-27 28-34 31-31 25-26 31-41 22-34 25-38 24-44 21-48

53 49 48 44 43 41 40 39 39 37 34 33 31 30 29 25 24 13

Estrela FC Vendas Novas - CD Beja

3-0

FC Ferreiras - Lusitano FC VRSA

0-0

GD Sesimbra - GD Monte Trigo

4-0

Lusitano GC Évora - Amora FC

2-1

SCM Aljustrelense - AD Oeiras

1-2

SR Almacilense - GD Lagoa

1-1

UD Messinense - Juventude SC Évora 2-0 Vasco Gama AC - FC Castrense

1-1

Classificação G

45-23 64-26 39-26 40-30 45-40 39-44 37-36 33-32 33-31 37-36 27-27 22-32 40-45 31-30 32-41 27-44 24-43 30-59

P 53 52 51 45 45 44 40 38 37 37 35 33 32 31 30 28 22 20

28ª Jornada (09-04) 1º Dezembro - Vialonga Fut. Benfica - Santana Loures - C. Lobos Machico - Atlético Montijo - Tires O Elvas - Alcochetense Ouriquense - Caniçal Sintrense - Carregado Vilafranquense - Cacém

16 13 14 12 12 10 10 10 11 9 8 8 6 7 8 5 6 1

III Divisão - Série F 27ª Jornada

3-0 4-0 2-2 1-2 3-1 1-2 0-0 0-0 2-1

J V E D

J V E D 1º CF U. Lamas 27 2º Social Lamas 27 27 3º AA Avanca 4º CRC Souropires 27 5º SC São João Ver 27 6º Valecambrense 27 27 7º Anadia FC 27 8º CD Tondela 9º GD Milheiroense 27 10º AD Valonguense 27 11º FC Cesarense 27 27 12º AD Satão 27 13º UD Tocha 14º GD Gafanha 27 15º Fornos Algodres 27 16º CD Estarreja 27 17º CF "Os Marialvas"27 18º CD Arrifanense 27

AD Fornos Algodres - GD Gafanha AD Satão - UD Tocha Anadia FC - GDRC Social Lamas CD Arrifanense - AD Valecambrense CD Estarreja - AD Valonguense CF "Os Marialvas" - CD Tondela CF U. Lamas - SC São João Ver CRC Souropires - AA Avanca FC Cesarense - GD Milheiroense

Classificação G

0-2 1-2 0-0 3-3 2-3 1-0 2-2 2-2 0-0

28ª Jornada (09-04)

III Divisão - Série E 27ª Jornada

AC Marinhense - UD Caranguejeira 1-1 CA Mirandense - AD Fundão 2-0 CA Riachense - GD "O Vigor da Mocidade"1-0 Caldas SC - GDR Monsanto 2-0 CD Amiense - GD Sourense 2-2 GC Alcobaça - Eléctrico FC 1-2 GD Peniche - A Beneditense CD 2-2 GDR Bidoeirense - CU Idanhense 3-5 Sertanense FC - Descansa

7 5 4 6 9 10 6 6 7 8 10 9 5 7 7 7 7

J V E D 1º AC Vila Meã 26 2º Torre Moncorvo 26 25 3º FC Lourosa 4º Rebordosa AC 26 26 5º Canedo FC 25 6º Leça FC 26 7º CR Ataense 8º Vilanovense FC 26 9º SC Vila Real 25 10º AD S. Pedro Cova25 25 11º FC Tirsense 12º Ermesinde SC 25 13º UD Valonguense 25 14º SC Rio Tinto 25 25 15º CD Cinfães 16º Padroense FC 25 17º ADR Tarouquense26

AA Avanca - CF U. Lamas AD Valecambrense - AD Satão Anadia FC - CRC Souropires CD Tondela - FC Cesarense GD Gafanha - CD Estarreja GD Milheiroense - CD Arrifanense GDRC Social Lamas - AD Valonguense SC São João Ver - CF "Os Marialvas" UD Tocha - AD Fornos Algodres

Classificação

AD S. Pedro Cova - AC Vila Meã ADR Tarouquense - Descansa CD Cinfães - CR Ataense Leça FC - Vilanovense FC Lusitânia FC Lourosa - Ermesinde SC Padroense FC - Canedo FC SC Rio Tinto - FC Tirsense SC Vila Real - Torre Moncorvo UD Valonguense - Rebordosa AC

III Divisão - Série D 27ª Jornada

15 13 13 12 11 10 11 10 9 8 7 7 8 7 6 6 3

0-0 1-2 3-0 1-0 2-2

28ª Jornada (09-04)

A Cabeceirense - GD Valpaços Brito SC - AD Esposende Desp. Monção - CD Cerveira FC Amares - GD Bragança FC Vinhais - ADC Correlhã Mondinense FC - Merelinense FC SC Maria Fonte - AD Oliveirense SC Valenciano - GD Joane SC Vianense - SC Mirandela

1º Eléctrico FC 25 2º CA Mirandense 25 3º GDR Monsanto 26 25 4º Caldas SC 5º GD Sourense 26 6º UD Caranguejeira 26 7º CU Idanhense 26 26 8º GD Peniche 9º CA Riachense 25 10º AC Marinhense 26 11º GC Alcobaça 25 12º Sertanense FC 25 25 13º AD Fundão 14º Beneditense CD 26 15º GDR Bidoeirense 25 16º Vigor da Mocidade 25 17º CD Amiense 25

0-1 0-2 1-0

Classificação

28ª Jornada (09-04)

J V E D

III Divisão - Série C 27ª Jornada

J V E D 1º Vendas Novas 26 2º Lusitano de Évora25 26 3º AD Oeiras 4º UD Messinense 25 5º Juventude Évora 26 25 6º Lusitano FC 7º SR Almacilense 25 26 8º CD Beja 26 9º Amora FC 10º FC Ferreiras 25 11º Vasco Gama AC 25 12º GD Sesimbra 25 13º Aljustrelense 25 25 14º Mt. Gordo 25 15º GD Lagoa 16º FC Castrense 26 17º GD Monte Trigo 26

15 14 13 12 13 10 11 9 9 8 7 8 8 7 6 5 2

7 6 8 9 4 11 8 6 6 7 9 6 5 8 9 6 3

4 5 5 4 9 4 6 11 11 10 9 11 12 10 10 15 21

G 38-18 38-22 48-24 34-18 32-21 42-29 30-22 30-30 33-34 33-36 21-25 24-34 23-29 23-28 22-33 24-40 14-66

P 52 48 47 45 43 41 41 33 33 31 30 30 29 29 27 21 9

28ª Jornada (09-04) AD Oeiras - Vasco Gama AC Amora FC - SCM Aljustrelense FC Castrense - GD Sesimbra FC Ferreiras - Estrela FC Vendas Novas GD Lagoa - Lusitano GC Évora GD Monte Trigo - UD Messinense Juventude SC Évora - GD Beira-Mar Mt. Gordo Lusitano FC VRSA - SR Almacilense

DESPORTO | 27


28 | DESPORTO

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

"Talentos Franco Rizzi e suas estrelas" Segundo estágio organizado pelo "maritimista" que persegue o objectivo de construir uma Escola de Futebol do FC Barcelona em Caracas. António Carlos da Silva axedrezado@gmail.com

epois do grande sucesso que foi a realização do estágio "Talentos Franco Rizzi e suas Estrelas", que decorreu em Caracas nas instalações do Centro Í talo no passado mês de Dezembro, esta velha gló ria do C.S. Marítimo da Venezuela e da selecção "Vinotinto" vai levar o evento ao ocidente do país, mais especificamente a "cidade dos cavalheiros". Um total de 250 crianças de ambos os sexos vai ser escaladas em vários grupos etários, e trabalharão entre o dia 8 e o dia 11 de Abril, supervisionados muito de perto por uma grupo de treinadores integrado por antigos futebolistas da nossa selecção nacional. As sessões de treino vão ser divididas em mó dulos de tra-

D

balho físico, táctico, técnico e sobretudo muito futebol recreativo, para a delícia de todos os meninos. Na condição de estrela internacional convidada, voltará a visitar o nosso país o famoso ex-jogador da selecção "AA" de Espanha e do FC Barcelona: Jú lio Alberto, antigo lateral espanhol de topo na década dos oitenta. "Talentos Franco Rizzi e suas estrelas" vai decorrer nas modernas e funcionais instalações da "Academia Emeritense", um complexo desportivo de 26 mil metros quadrados dirigido por Adrew "El Pochi" Paéz, irmão do seleccionador nacional Richard Páez, ex-jogador do C.S. Marítimo da Venezuela e futebolista profissional que actuou em Portugal na década dos noventa, defendendo as cores do Ovarense. Esta Academia é um dos principais "viveiros" fornecedores de talentos para

Marítimo de Venezuela lidera

o futebol da aquela zona. No fim do estágio vão ser sorteadas diversas prendas alusivas ao clube catalão, entre os participantes como galhardetes, bolas e camisolas oficiais firmadas pelos craques "blau grana". Os custos da inscrição são de 350 mil bolívares por participante, e dá o direito a um kit que inclui uma bola, um saco de equipamentos, duas camisolas, um par de meias e um calção. Os telefones da organização são: 04147511 e 0414 011 2919. O endereço electró nico é: merida2006_talentosfrizzi@yahoo.com. Esta iniciativa de Franco Rizzi, bem podia motivar aos promotores desportivos da nossa comunidade a organizar um evento similar, destinado a os meninos luso-descendentes e venezuelanos em geral. Não seria bonito ver nas instalações de algum dos nos-

retomadacompeti a

Marítimo de Venezuela ganhou no passado domingo por 6-3 à equipa italiana Pescara, no decurso de mais uma jornada do torneio de Categoria Livre que está sendo disputado no Centro Í talo Venezuelano. Franco Rizzi, director da formação verde rubra, explicou que a equipa está plenamente concentrada e que o seu êxito se deve ao "companheirismo que exis-

O

o

te entre os jogadores". Com esta vitó ria, a equipa do Marítimo lidera a classificação, enquanto que o segundo lugar está ocupado pelo Pescara. Para a pró xima semana não haverá qualquer jogo, em a 9 ou a 16 de Abril, pois são dias em que se celebra a Semana Santa. Mas para o pró ximo dia 23 seguinte será retomada a competição, naquela a equipa lusitana defronta outra formação italiana.

sos Centros um estágio dirigido por alguma velha gló ria do Benfica, Sporting ou FC Porto? Seria economicamente rentável para os organizadores? Seria benéfico para estes clubes portugueses ao nível da imagem e prestígio junto das

comunidades portuguesas e as do país de acolhimento? Não seria bom aproveitar o grande talento do futebol juvenil que temos na Venezuela para promover algum craque "Vinotinto" para o futebol de Portugal? Fica aqui o repto...

Ai que saudades estas coisas me dão… “ Rosa Dourada” amos voltar o tempo atrás e recuemos até o ano de 1988. Na tarde do 23 de Setembro de 1988, Rosa Mota, depois de um sprint final diabó lico, conquistou para Portugal a medalha dourada na prova da Maratona nos Jogos Olímpicos de Seul. Depois de ganhar a medalha de bronze em Los Angeles 1984 (na primeira Maratona Feminina Olímpica), e depois dos "passeios" dados pela "tripeira" nos Europeus e nos Mundiais, exigia-se nada menos que outra grande vitó ria. Rosa Mota preparou esta prova nos Estados Unidos, na cidade do Colorado, onde os treinos cronometrados da atleta faziam acreditar numa outra grande vitó ria da moca de Foz Velha. Os planos de viagem para Seul foram preparados ao pormenor, de modo que Rosa passasse o menos tempo possível a bordo do avião. José Pedrosa, treinador da atleta, pô s a Rosa ao abrigo da confusão instalada a sua volta na Vila Olímpica, onde a sua condição de favorita a

V

O dia 23 ser

250 crianças trabalharão entre o dia 8 e o dia 11 de Abril

converteu em alvo predilecto de jornalistas portugueses e estrangeiros, ávidos de conseguir uma palavra, uma fotografia. Pedrosa tinha estado em Seul um mês antes para estudar o percurso, e acompanhou toda a prova num carro da televisão sul-coreana para guiar a sua pupila. A primeira a sair do estádio foi Lisa Martin, seguida de perto por Rosa Mota. A portuguesa nunca abandonou as primeiras posições ao longo da corrida. Ao chegar ao km 20 restavam apenas cinco atletas no comando: Rosa Mota, Lisa Martin, Kathrin Doerre e as soviéticas Polovinskaya e Smekhnova. Pedrosa, na véspera da prova, já tinha alertado para a possibilidade de que a Rosa não descolasse das adversárias como era o hábito, mesmo até bem adiantada a prova, e pediu a ela para não se assustar com o facto. Com o percurso bem estudado e o conhecimento das rivais, Pedrosa advertiu a Rosa que chegado ao Km 38, se ainda ti-

vesse companhia de alguém do pelotão, olhasse para ele. Foi o que ela fez, e escutou um "Rosa é agora o nunca", pelo que arriscou e acelerou em forca. O treinador sabia que a sua pupila descia muito bem e aproveitou uma descida no percurso para lançar o ataque. Rosa ganhou terreno e a certeza de que seria a vencedora. Depois foi a caminhada solitária até á meta. Uma caminhada não isenta de dificuldades bem expressas no seu rosto.


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

DESPORTO | 29

Benfica disse adeus ao sonho da “ Champions” Depois do empate 0-0 no Estádio da Luz, o Benfica perdeu (2-0) com o Barcelona em Camp Nou e disse adeus à Liga dos Campeões. Depois de afastar o Liverpool e o Manchester United, chegou ao fim o sonho...

Moretto ainda defendeu o remate de Ronaldinho, na marcação de uma grande penalidade.

FC Barcelona pô s ontem fim ao sonho europeu do Benfica, ao vencer por 2-0 na segunda mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões em futebol, impedindo o clube lisboeta de alcançar a primeira presença nas meias-finais da prova. O avançado brasileiro Ronaldinho, eleito o melhor jogador do Mundo, inaugurou o marcador aos 19 minutos, já depois de ter permitido a defesa do guarda-redes Moretto a uma grande penalidade madrugadora, aos 05, e o camaronês Eto’ o fixou o resultado sobre a hora, aos 89, na sequência de uma rápida jogada de contra-ataque. O Benfica entrou em Nou Camp intimidado pelo cenário adverso e não conseguiu capitalizar o facto de não ter sofrido golos em casa, na primeira mão (0-0), caindo ante o principal favorito ao título, que defrontará nas meias-finais o AC Milão, finalista vencido em 2005. Excepção de uma oportunidade flagrante falhada por

O

Simão, o campeão português não existiu ofensivamente e falhou a reedição da proeza de Liverpool, quando afastou na ronda anterior o detentor do troféu, pelo mesmo resultado com que hoje foi colocado fora da prova. Moretto, heró i controverso em Lisboa, manteve-se na baliza, atrás do quarteto composto por Ricardo Rocha, Anderson, Luisão e Léo, enquanto o meio-campo denunciava muitas cautelas, com três elementos de forte pendor defensivo: Petit, Beto e Manuel Fernandes. Petit reflectiu a forma titubeante como o Benfica pisou um relvado no qual é difícil manter a compostura: logo aos 04 minutos, o trinco perdeu a bola em zona proibitiva e depois cometeu falta para grande penalidade, detendo com a mão o cruzamento de Van Bommel. Ronaldinho marcou o castigo máximo com competência, mas Moretto deteve o remate do melhor jogador do Mundo com uma defesa fenomenal e o antecipa-

Jogadores do Benfica deixaram o campo do Barcelona desiludidos com a derrota.

Os 93.000 adeptos catalães sentiram um nó na garganta perante espectro do empate, mas o “ colosso” Barcelona confirmou a sua superioridade do quarto de hora inicial de pesadelo passou sem mais sobressaltos para o campeão português. Tudo mudou aos 19 minutos, quando o brasileiro inaugurou o marcador, concluindo com um remate rasteiro a assistência de Eto’ o, apó s imparável iniciativa do avançado camaronês, colocando o Benfica na necessidade de marcar pela primeira vez nesta eliminató ria. O clube lisboeta continuou remetido ao seu meiocampo, mas o golo de Ronaldinho - o sétimo em nove jogos - teve o condão de acalmar o ímpeto espanhol e o Benfica resistiu até ao intervalo com o mínimo de danos. O empenho catalão na

busca de um resultado mais tranquilizador limitou-se a um livre de Ronaldinho (23 minutos), ao chapéu imperfeito de Eto’ o na sequência do desentendimento entre Léo e Moretto (26) e a um remate de Van Bommel, apó s corte defeituoso do defesa esquerdo, defendido com os pés pelo guarda-redes “ encarnado” (40). O treinador Ronald Koeman tentou injectar uma dose de ousadia no “ onze” lisboeta com a troca do inexistente Geovanni por Karagounis e Simão desperdiçou aos 61 minutos a melhor oportunidade criada pelo tímido ataque “ encarnado” , errando o alvo quando só tinha o guarda-redes Valdés pela frente, apó s assistência irrepreensível de Miccoli. O técnico holandês só manifestou vontade de sair da Catalunha com algo mais que a derrota tangencial a 20 minutos do fim, ao colocar o extremo Robert no lugar de Beto e, 10 minutos mais tarde, jogou a ú ltima cartada ao substituir Manuel Fernan-

des pelo ponta-de-lança Marcel. Eto’ o enjeitou a possibilidade de sentenciar a eliminató ria aos 84 minutos, quando se isolou perante Moretto e permitiu a saída decidida do guardião benfiquista, mas, apesar de controlar o encontro até ao mais ínfimo aspecto, o “ Barça” não era imune a sofrer um golo num lance fortuito. Foi o que esteve prestes a acontecer aos 86 minutos, quando Karagounis testou de longe os reflexos de Valdés e o guarda-redes anfitrião largou perigosamente a bola, mas Luisão não teve tempo de reacção suficiente para desviar a bola para a baliza. Os 93.000 adeptos catalães sentiram um nó na garganta perante espectro do empate, mas o “ colosso” Barcelona confirmou a sua superioridade sobre a hora, quando Eto’ o marcou aos 89 minutos o tento da tranquilidade, “ fuzilando” Moretto apó s uma rápida desmarcação.


30 | DESPORTO Liga de Honra 28ª Jornada

II Divisão - serie A 24ª Jornada

Barreirense - Feirense Chaves - Beira-Mar Desp. Aves - Santa Clara Estoril - Marco Gondomar - Maia Leixões - Covilhã Moreirense - Olhanense Portimonense - Ovarense Vizela - Varzim

J V E D 14 14 14 12 13 11 11 11 10 9 9 9 9 8 6 7 6 5

G

breves

II Divisão - serie D 24ª Jornada

Dragões Sand. - Pontassolense

3-1

Abrantes - "A Designar"

Casa Pia - Imortal

2-1

Esmoriz - Infesta

1-2

Benfica C. Branco - Sp. Pombal

1-4

Louletano - Olivais Moscavide

1-2

Fafe - União

0-2

Fiães - Ali. Lordelo

1-1

Nelas - Pampilhosa

2-1

Odivelas - Mafra

2-0

Lixa - Ribeirão

2-1

Lousada - FC Porto B

3-2

Penalva Castelo - Descansa

Portosantense - Trofense

1-1

Marítimo B - Sanjoanense

1-2

Portomosense - Oliveirense

P. Rubras - Descansa

Sandinenses - Descansa Torcatense - Freamunde

0-2

Paredes - "A Designar III"

Vilaverdense - Camacha

1-6

Rib. Brava - Espinho

P

14 1 36-16 56 9 6 35-16 51 9 6 39-27 51 11 6 36-25 47 7 9 53-39 46 12 6 41-33 45 10 8 41-31 43 9 9 30-2842 9 10 31-34 39 11 9 33-32 38 10 10 38-4037 9 11 40-41 36 8 12 39-41 35 9 12 28-33 33 10 13 27-37 28 7 15 31-51 28 6 17 30-56 24 6 18 29-57 21

II Divisão - serie C 24ª Jornada

0-1

Não Jogado

Classificação

30ª Jornada (09-04) Beira-Mar - Moreirense Covilhã - Gondomar Estoril - Vizela Feirense - Desp. Aves Maia - Barreirense Marco - Leixões Olhanense - Varzim Ovarense - Chaves Santa Clara - Portimonense

II Divisão - serie b 24ª Jornada

At. Valdevez - Braga B

"A Designar" - Famalicão

1-0 0-2 1-1 2-0 5-0 3-1 2-0 1-1 2-2

Classificação 1º Beira-Mar 29 29 2º Leixões 3º Desp. Aves 29 4º Olhanense 29 5º Gondomar 29 29 6º Varzim 7º Santa Clara 29 29 8º Chaves 29 9º Covilhã 10º Portimonense 29 29 11º Vizela 29 12º Estoril 29 13º Feirense 14º Moreirense 29 15º Barreirense 29 16º Marco 29 17º Ovarense 29 18º Maia 29

CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

J V E D 1º Trofense

0-0

G

P

22 13 6 3 34-15 45

21 8 7 6 15-14 31 21 9 4 8 21-22 31 22 8 6 8 35-26 30 22 7 9 6 24-17 30 21 8 6 7 22-23 30 21 6 10 5 21-21 28 21 7 6 8 21-21 27

J V E D 22 1º Lousada 22 2º Espinho 3º Dragões Sand.22 Paredes 22 4º Rib. Brava 22 5º Infesta 22 6º Esmoriz 22 7º Marítimo B 22

12 10 10 9 8 8 8 9

G

14º "A Designar" 0 0 0 0 0-0 0

26ª Jornada (09-04)

26ª Jornada (09-04)

11º At. Valdevez 21 5 6 10 17-26 21 12º Vilaverdense 23 5 3 15 22-4018 13º Torcatense 21 3 3 15 15-38 12

Braga B - Lixa Camacha - Portosantense Famalicão - At. Valdevez Freamunde - Fafe Ribeirão - Torcatense Trofense - "A Designar" União - Sandinenses Vilaverdense - Descansa

P

5 5 33-19 41 10 2 26-14 40 6 6 32-22 36 5 8 30-26 32 8 6 25-25 32 7 7 28-30 31 6 8 28-2930 3 10 33-30 30

8º FC Porto B 21 7 6 8 20-2527 9º Pontassolense21 8 2 11 30-2826 6 7 5 4 0

"A Designar III" - Lousada Ali. Lordelo - Esmoriz Dragões Sand. - Descansa Espinho - P. Rubras FC Porto B - Fiães Infesta - Rib. Brava Pontassolense - Marítimo B Sanjoanense - Paredes

6 3 8 7 0

2-2

1-2

Oriental - CU Micaelense

0-0

Rio Maior - Oliveira Hospital

3-1

Pinhalnovense - Real SC

3-1

Tourizense - Oliveira Bairro

1-1

Torreense - FC Madalena

1-0

0-4

Vitória Setúbal B - Silves

2-1

Classificação

10º Ali. Lordelo 21 P. Rubras 22 11º Fiães 22 12º Sanjoanense 21 13º "A Designar III" 0 14º 0

21 6 8 7 19-21 26

Operário - SL Benfica B

U. Coimbra - C.D. Fátima

Classificação

22 13 6 3 27-11 45 2º União 3º Portosantense23 9 8 6 19-17 35 4º Ribeirão Lixa 5º Camacha 6º Freamunde 7º Fafe 8º Famalicão 9º Braga B 10º Sandinenses

Não Jogado

Não Jogado

9 22-32 24 12 17-30 24 9 24-27 23 10 18-29 19 0 0 0-

J V E D 1º Oliveirense 22 14 2º Tourizense 21 12 C.D. Fátima 20 10 3º Abrantes 20 11 4º Rio Maior 22 8 5º Penalva Castelo 21 27 32 6º Pampilhosa 20 8 7º Sp. Pombal 20 7 21 6 8º Nelas Oliveira Bairro21 5 9º Benfica C. Branco 21 10º 34 21 11º Portomosense22 3 12º U. Coimbra 21 4 Oliveira Hospital 20 13º 41 8 14º "A Designar" 0 0

Classificação G

P

5 4 7 3 8 9

3 5 3 6 6 5

41-22 47 32-17 40 30-15 37 30-25 36 29-26 32 7 27-

7 6 8 9 5

5 7 7 7 6

28-24 31 26-22 27 24-24 26 28-2824 10 20-

10 9 20-24 19 3 14 17-39 15 1 5 14 160 0 0-0 0

26ª Jornada (09-04) "A Designar" - U. Coimbra C.D. Fátima - Tourizense Nelas - Descansa Oliveira Bairro - Portomosense Oliveira Hospital - Benfica C. Branco Oliveirense - Penalva Castelo Pampilhosa - Rio Maior Sp. Pombal - Abrantes

Veteranos e Super Master

J V E D 1º Olivais Moscavide 25 46 2º 21 Louletano 25 13 3º Pinhalnovense25 13 4º Operário 24 13 5º Odivelas 25 13 6º FC Madalena 24 12 25 11 7º Mafra 8º SL Benfica B 25 10 Imortal 25 10 9º CU Micaelense 25 10º 25 35 25 10 11º Casa Pia 12º Torreense 25 9 25 8 13º Real SC Vitória Setúbal B 25 14º 36 27 15º Silves 25 4 16º Oriental 25 1

G

13 7 5 7 5 6 6 5 6 3 9 4 8 5 9 7 8 6 9 10 5 5 4 4 8

P 37-

48-2546 31-21 45 32-22 44 33-29 42 26-30 40 36-32 38 35-33 37 37-29 36 10 27-

10 37-40 35 12 29-31 31 13 28-39 28 3 14 27-

5 16 29-4617 6 18 17-50 9

26ª Jornada (09-04) CU Micaelense - Real SC FC Madalena - Odivelas Imortal - Operário Louletano - Pinhalnovense Mafra - Vitória Setúbal B Olivais Moscavide - Casa Pia Silves - Oriental SL Benfica B - Torreense

Resultados da quinta jornada do Torneio Abertura 2006 da Copa “Lélio Ferreira da Rocha”, na categoria de Super-Veteranos, no Centro Português, em Caracas: Vasco da Gama, 4 - A. D. Camacha, 5 Beira Mar, 0 - Gama Club, 8 Nacional, 4 - Marítimo, 7 Classificação: 1º Gama Club, 15 pontos; 2º Tercero Tiempo, 12; 3º Câmara de Lobos, 12; 4º Beira Mar, 7; 5º A.D. Camacha, 6 6º Marítimo, 4 7º Nacional, 0 8º Vasco da Gama, 0 Resultados do 1.º Torneio de Futsal, na categoria Super Master “Copa Millenium”: Camacha, 8 - Benfica, 2 Porto, 1 - Gama Club, 8


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

DESPORTO | 31

Vem aí o clássico de Alvalade! FC Porto conservou os dois pontos de vantagem sobre o Sporting, antes da visita a Alvalade, ao bater o Gil Vicente por 3-0, no Estádio do Dragão, em partida da 29ª. jornada da Liga de futebol. O eslovaco Marek Cech, nos descontos da primeira parte, Ricardo Quaresma, aos 79 minutos, na recarga a um “ penálti” apó s permitir a defesa a Jorge Baptista, e o brasileiro Ibson, aos 83, contribuíram para a quinta vitó ria seguida dos “ dragões” , frente a uns “ galos” com dois jogadores expulsos, além do treinador Paulo Alves. Sábado, o 14.º golo do avançado brasileiro Liedson no campeonato tinha dado ao Sporting o seu 10§ triunfo seguido, numa difícil deslocação a Guimarães, cujo Vitó ria segue em agonia, um ponto abaixo da linha que define a despromoção. Aos 81 minutos, aproveitando uma desatenção defensiva vimaranense e um passe de João Moutinho, o “ Levezinho” apareceu frente a Nil-

O

son e resolveu, igualando o camaronês Meyong (Belenenses) no segundo posto dos melhores marcadores, a um golo do benfiquista Nuno Gomes, entretanto lesionado no joelho esquerdo. Apesar de ter perdido o seu melhor marcador para a segunda mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões, o Benfica segue a cinco pontos do Sporting e a sete do FC Porto, apó s bater, também sábado, o Belenenses por 2-1, no Estádio do Restelo. José Pedro, com um remate caprichoso de longe, p” s os “ azuis” em vantagem aos nove minutos, mas o italiano Miccoli empatou aos 23, apó s brilhante recepção e rotação, e o grego Karagounis, com um remate desviado num defesa “ azul” , deu o triunfo ao Benfica, … meia-hora de um jogo em que os anfitriões têm queixas do árbitro Pedro Henriques. A equipa de Belém segue em 12§ lugar, mas só com mais três pontos do que a primeira situada na zona de despromoção, o Paços de Ferreira,

Liga Betandwin 29ª Jornada Belenenses - Benfica Boavista - Marítimo Braga - Nacional E. Amadora - Académica FC Porto - Gil Vicente Naval 1º Maio - P. Ferreira Penafiel - U. de Leiria Rio Ave - V. Setúbal V. Guimarães - Sporting

1-2 1-1 1-0 3-2 3-0 1-0 1-1 1-0 0-1

Classificação J V E D

derrotado na visita … Naval 1§ de Maio, por 1-0, com um tento de Fajardo, aos 82 minutos. Os figueirenses “ saltaram” para o 11§ posto. Na Amadora, o Estrela viu-se hoje a perder por 20 na recepção … Académica, mas Manú e Rui Borges, este ú ltimo com dois golos nos derradeiros minutos, operaram a espectacular reviravolta que colocou os “ tricolores” no nono lugar, ao passo que a “ Briosa” continua no 13§ posto, só com mais dois pontos do que Gui-

marães e Paços de Ferreira. Sexta-feira, o Sporting de Braga vencera em casa o Nacional da Madeira, com um tento solitário do servo-montenegrino Delibasic, aos 13 minutos. Os “ arsenalistas” têm menos cinco pontos dos que o Benfica e mais sete do que o Boavista. O Nacional segue sem vencer desde a 23¦ ronda, numa visita ao “ lanterna vermelha” Penafiel - que “ empatou” a União de Leiria (1- 1) -, há um mês e 10 dias.

29 1º FC Porto 29 2º Sporting 29 3º Benfica 29 4º Braga 29 5º Boavista 29 6º Nacional 7º V. Setúbal 29 8º U. de Leiria 29 9º E. Amadora 29 29 10º Marítimo 11º Naval 1º Maio 29 29 12º Rio Ave 13º Belenenses 29 14º Académica 29 15º P. Ferreira 29 16º V. Guimarães 29 17º Gil Vicente 29 18º Penafiel 29

20 20 18 16 12 12 13 10 10 8 10 8 10 9 8 7 8 2

G

30ª Jornada (09-04) Académica - Naval 1º Maio Benfica - Marítimo Gil Vicente - E. Amadora Nacional - Belenenses P. Ferreira - Rio Ave Penafiel - Boavista Sporting - FC Porto U. de Leiria - V. Guimarães V. Setúbal - Braga

P

6 3 47-14 66 4 5 46-2264 5 6 44-23 59 6 7 32-16 54 11 6 35-24 47 8 9 33-28 44 3 13 25-27 42 7 12 35-38 37 6 13 27-31 36 11 10 30-32 35 4 15 31-40 34 10 11 29-38 34 4 15 36-35 34 6 14 29-4033 7 14 28-43 31 9 13 23-34 30 5 16 29-39 29 8 19 20-55 14


CORREIO DE VENEZUELA - 06 DE ABRIL DE 2006

Encontro de Gerações mais interactivo Arelys Gonçalves

Padre que suspeito de tentar destruir ninho cegonhas arrisca multa pesada Um padre que alegadamente tentou destruir um ninho de cegonhas que está na igreja matriz de Olhão arriscase a uma multa que pode ascender aos 3.740 euros, disse à Lusa fonte do Parque Natural da Ria Formosa (PNRF).

arelyscorreio@hotmail.com

uma quinta edição organizada para o mês de Maio, o Encontro de Gerações continua a ser um evento de todos e para todos os portugueses e lusodescendentes que com o seu aporte tem dado à emigração uma tonalidade que ultrapassa o verde e vermelho da bandeira natal e fusiona-se com as cores do país de acolhimento. Esta é a razão pela qual a iniciativa promovida pelo Diário de Noticias de Madeira, pelo Banif e o Correio, vai cada vez mais longe e com mais entusiasmo em seu propó sito de ser um “ link” de comunicação sem limites e mais eficiente. As experiências anteriores são testemunhas de que este cenário bicultural está a crescer e a ser melhor apreciado nacional e internacionalmente e como ilustração desse progresso receberá pela segunda vez ao Secretário de Estado das Comunidades, Antó nio Braga. A criação da sua página www.encontrodegeracoes.c om, lançada na edição “ Integrados e Influentes” em Outubro de 2005, é outra das manifestações desse crescimento, utilizando nes-

ÚLTIMA horA

N

Gripe das aves: Mais de 1.500 animais suspeitos recolhidos Mais de 1.500 animais suspeitos de terem morrido devido a gripe das aves foram recolhidos em Março pelo SEPNA - Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente da GNR, disse Lusa fonte desta força especializada. Além dos foros, o site www.encontrodegeracoes.com é um resumo dos encontros anteriores

te caso os recursos que só Internet pode oferecer. Este espaço virtual foi desenhado principalmente para continuar a dar voz a quem deseja ser ouvido porque o Encontro é mais que uma reunião, é discussão, convívio, intercâ mbio. Na essência, é a interactividade entre dois países, Portugal e Venezuela, que se encontram para lembrar e distinguir o que eles tem feito juntos, uma geração com forca e vida pró pria. Por isso, desde este mês de abril, diferentes foros complementarão esses objectivos e estarão abertos a todos os usuários que poderão enviar opiniões, ideias

e sugestões que considerem pertinentes para melhorar a organização e a transcendência do evento. A discussão estará orientada especialmente aos temas de mais destaque nos encontros. A importâ ncia da língua e da cultura portuguesa, o aporte profissional, econó mico e cultural dos portugueses e dos lusodescendentes na sociedade venezuelana, o valor da integração, a preservação da historia, entre outros interesses comuns serão alguns dos tó picos. O espaço online também procura ser uma janela para dar presença a quem não tem acesso ao cenário anual do En-

contro. Além dos foros, o site é um resumo das quatro edições anteriores e dos preparativos do que está por vir. “ Saber ouvir (Junho 2002)” , “ Testemunhos para o futuro (Maio 2003)” , A Força do Associativismo (Setembro 2004” , “ Integrados e Influentes (Outubro 2005)” , lembrarao os momentos mais significativos que marcaram esses eventos. Ponencias, fotografias, notícias, resenhas dos organizadores sao parte das informacoes que estarao ao alcance de todos só com o esforco de um click.

Governo açoriano assume pagamentos às farmácias O Governo Regional garantiu estar em condições de “pagar a pronto” a comparticipação às farmácias açorianas na aquisição de medicamentos.

PS ainda sem posição sobre redução do número de deputados O PS ainda não tomou uma posição sobre a eventu al redução do número de deputados, matéria que é da responsabilidade do grupo pa rlamentar, disse o líder da bancada socialista, Alberto Martins.