Issuu on Google+

Reportagem / 8

Jewel Samad/AFP/CR

Brotação irregular prejudica a safra de uva

Ciro Pavan/Divulgação/CR

Vitivinicultura / 12

Combate ao trabalho infantil tem 168 milhões de motivos

Correio Riograndense Para assinar ligue: (54) 3220.3232

Ano 105 - Nº 5.366 - R$ 2,00

www.correioriograndense.com.br

Caxias do Sul - 9 de outubro de 2013

9912326314 - DR/RS

✦ SAÚDE

Câncer de mama é o que mais atinge as mulheres no mundo Campanha Outubro Rosa, que tem como tema “O tempo corre contra”, quer chamar atenção para a importância de cuidados como o diagnóstico precoce e do tratamento rápido. Página 9 ✦ MUNICÍPIOS

✦ FENACHAMP

✦ SABE-TUDO

Prefeituras perdem receita

Sabrage coletivo reúne 291

Direitos universais da criança

Página 4

Página 7

Página 16

✦ RETRATOS DA COLÔNIA

✦ CNBB

Arlindo Battistel/CR

Um passeio histórico através de imagens

Cartaz da CF-2014. Página 19

Segunda edição de obra traz 5,3 mil fotografias sobre a imigração no RS. Atuação da mulher (acima) é enaltecida. Página central

Campanha contra o tráfico humano


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

“Quando se trata de falta de informação, de legislação falha ou omissa, ou de ausência de fiscalização, a sociedade como um todo tem parcela de culpa.” Editorial, sobre trabalho infantil

2 - Editorial

Direitos sonegados e infância roubada

N

o próximo sábado, 12 de outubro, no dia a elas dedicado, um número incalculável de crianças sorrirá ao abrir os ansiosamente aguardados presentes ou se fartará de guloseimas em geral. Elas brincarão, serão acarinhadas, abraçadas e receberão toda a atenção, principalmente de pais e avós. No mesmo dia, pelo menos 168 milhões de crianças e adolescentes não terão nenhum motivo para festejar, grande parte deles sequer saberá que existe um dia a eles reservado. Seguirão suas jornadas normalmente - nas lavouras agrícolas, nas pedreiras, nos teares, nas esquinas das grandes cidades ou em atividades domésticas.

É triste constatar que para esses 168 milhões de seres, ou para a maioria deles, a vida se resume a trabalho – sem tempo para estudar, muito menos para uma brincadeira. Revolta o fato de que muitos deles, em especial na Ásia, são vendidos pelos próprios pais ou roubados e acabarão servindo a traficantes e sendo submetidos a trabalho escravo e outras formas de exploração. Já foram muito mais, podem tentar minimizar as estatísticas. E realmente houve diminuição, no Brasil e no resto do mundo, como atesta reportagem da página 8 desta edição. Mas ainda são muitos, inadmissivelmente muitos. Se choca um adulto ter de se sujeitar a trabalho

ultrajante, o sentimento é mais forte ainda quando envolve uma criança. E não só porque à criança deveriam ser assegurados muito mais direitos do que deveres. A questão cultural de um povo pode ser uma atenuante para a responsabilização. Mas quando se trata de falta de informação, de legislação falha ou omissa ou, ainda, de ausência de fiscalização, conclui-se que a sociedade como um todo tem boa parcela de culpa. E impedir que uma criança tenha momentos de felicidade, coibir-lhe o direito de sonhar ou sufocar-lhe a esperança de um futuro melhor é quase o mesmo que tirar-lhe a vida. Mais do que injusto, é desumano.

A TRAGÉDIA SE REPETE Na segunda 7 já passavam de 200 os mortos (foto) devido ao naufrágio de barco na costa da Ilha de Lampedusa, sul da Itália, ocorrido em 3 de setembro. A embarcação, que incendiou antes de afundar, levava cerca de 500 imigrantes ilegais africanos (a maioria da Somália, Eritreia e Gana) rumo à Europa. Pouco mais de 150 foram resgatados. Tragédia voltou a chamar atenção para o problema da imigração ilegal. Também fez lembrar de outra. Em 4 de agosto de 1906, o navio de passageiros Sírio naufragou na costa da Espanha, junto ao Cabo de Palos. Ele seguia de Gênova para o Brasil, com 1.700 pessoas (só podia levar 1.300), entre elas 700 imigrantes italianos, dos quais 300 morreram no ato e 200 ficaram desaparecidos. As diferenças estão na origem e no destino das vítimas. As causas passam por modelos econômicos que empurram os menos favorecidos de um lado para o outro do mundo, em busca da sobrevivência.

Antonio Cruz/CR

Correio do leitor Mensalão

“A suprema Justiça brasileira, além dos seus gloriosos, incontestáveis e incontáveis méritos e êxitos, está, atualmente, dando sinais de ser, também, míope e lenta, desacreditada e postergante, chantagista e insegura, cobiçada e venal, togada e seminua, esgrimista e caturra, de visível arrogância, escassa humildade e deliciosa ‘pizza’, carimbada, selada e assinada com a referenda: ‘cadeia só para ladrão de galinha’. Tudo isso floresceu com o mensalão. Nada bom para o Brasil”. Frei Gregório Dezen, Ibiraiaras - RS

Flores de Gramado

Correio Riograndense FUNDADO EM 13 DE FEVEREIRO DE 1909 Filiado à ADJORI-RS e ABRAJORI Diretor de Redação: frei João Carlos Romanini Editor-chefe: Ibanor J. Sartor Editores-assistentes: Maria de Fátima Zanandrea e Marcelino C. Dezen Editado por: ASSOCIAÇÃO LITERÁRIA SÃO BOAVENTURA / EDITORA SÃO MIGUEL

Direção-geral: frei Álvaro Morés Redação, Administração, Comercial e Assinaturas: Av. Alexandre Rizzo, 534 CEP: 95110-000 - Caxias do Sul - RS Telefone: (54) 3220-3232 Impressão: Zero Hora Editora Jornalística S.A. / Jornal Pioneiro

Circulação às quartas-feiras Website:

www.correioriograndense.com.br Redação: E-mail:

jornalcr@jornalcr.com.br Comercial/Assinaturas:

comercial@jornalcr.com.br Representante Comercial

Media Opportunities do Brasil Comunicação Ltda.

Rua Frei Caneca, nº 91, 13º Andar Bairro Consolação – São Paulo/ SP Fone (11)3255-2522 - www.mobrasil.com.br (Em todo território nacional, exceto Caxias do Sul e Porto Alegre - RS) Porto Alegre (RS): Ramgrab Representações Rua Eça de Queiroz, 220/401 - Fone (51) 91050082 - 90670-020 - Porto Alegre - RS Veículo associado

Leitura crítica Santo de casa não faz milagre... Será? Adriano Gonçalves

dela. Nos anos 70, outro João assume a casa e não só deixou as janelas abertas como, literalmente, “escancarou” a porta! “Não tenhais A história é sempre marcada por grandes medo! Abri, melhor, escancarai as portas a homens e mulheres que sabem se colocar no Cristo!”, disse em sua primeira missa solene. Bento XVI, como um pai, sentou muitas tempo fazendo a diferença, estando no lugar certo, na hora certa. Mas, será que grandes ho- vezes para dizer é por aqui, é por ali. E agomens podem partir de uma casa para fazer his- ra, temos Francisco, que olha para esta casa tória? Pode um santo de casa fazer milagre? aberta e diz: “Não tenham medo de entrar Como bons brasileiros podemos pensar na e, mesmo que estejam com medo, fiquem casa do grande poeta que “não tinha teto, não tranquilos, saio para recebê-los e conversatinha nada e que ninguém podia entrar nela mos”. Em toda casa é assim: há momentos de não; porque na casa não tinha chão”. É, acho construção, restauração, pinturas e por aí vai. Como é bonito, depois que uma casa pode nos da parede pintada, cofalar muito. Que tal O Vaticano II, até hoje, é a locar um belo quadro pensar a Igreja como janela que está aberta e podemos de arte. A canonização uma casa? Afinal ela é! sentir o vento que entra e areja de João XXIII e João Em 27 de abril de Paulo II é esse “co2014 dois papas, dois “Joãos”, serão declarados santos: João XXIII locar os quadros na parede”. Todos irão ver, e João Paulo II. Os dois são de casa, santos todos poderão apreciar e dizer “sim, santo de de casa! “Quero abrir as janelas da Igreja para casa faz milagre”. Quando vejo o quadro de João XXIII, o esque possamos olhar para fora, e para que as pessoas possam olhar para dentro”, disse o cuto dizer “Consulte não a seus medos, mas Papa Bom olhando para essa casa. Ele abriu suas esperanças e sonhos. Preocupe-se não as janelas e muita novidade entrou. O Concí- com o que você tentou e falhou, mas com lio Vaticano, até hoje, é a janela que está aber- aquilo que ainda é possível a você fazer”. ta e podemos sentir o vento que entra, circula Olho para o quadro de João Paulo II e penso: e areja. Nenhum outro a fechou! “Não tenhais medo”. E assim posso seguir Depois de João XXIII veio Paulo VI, que em frente. Posso sentar, e me sentir em casa, falou sobre como deve ser visto este homem à vontade para trocar uma ideia, pois sou filho que mora na casa, suas relações, dentro e fora desta Igreja! Missionário, TV Canção Nova

“Moro em Gramado e, a cada estação do ano, são semeadas flores, nas ruas e jardins, em frente às casas, rodeando hotéis e pousadas. Em nome do vento, ousamos semear flores, para reverter a morte em vida. As flores representam a vida. As flores de Gramado, a cidade mais florida do RS, são semeadas para que cresçam e se espalhem, levadas para longe quando colhidas pelo olhar atento de tantas pessoas que visitam esta terra. Flores para encher o coração de paz, alegria e vida. Flores para Deus, o dono da vida”. Monsenhor Américo Cemin, Gramado - RS

Produção de alimentos

“A modernidade e a necessidade de alimentar o planeta exigem que sejamos cada vez mais eficientes em nosso trabalho. Fazer bom uso e controlado dos agroquímicos se faz necessário, porque sem eles jamais conseguiremos atender a demanda por alimentos, uma vez que o crescimento demográfico é cada vez maior. Graças a Deus não temos guerras que no passado, mediocremente, justificavam o controle populacional, a nossa arma atual é produzir alimentos”. Oscar J. Marchesini, São Miguel do Iguaçu - PR Cartas e e-mails devem conter endereço completo e telefone do remetente. As correspondências não são necessariamente publicadas na íntegra.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

“Algumas intervenções, do ponto de vista técnico, talvez não sejam as melhores; mas a meta é reduzir velocidade, evitar acidentes e salvar vidas.” Zulmir Baroni, secretário municipal de Trânsito

3 - Caxias

✦ ROTA DO SOL

Jaime Bettega

Obras visam salvar vidas

Olhar à vida

O acesso ao bairro São Ciro II, na Rota do Sol (RSC-453), deve ser o primeiro dos seis trechos da rodovia, classificados como críticos, que receberão intervenções visando minimizar os riscos de mortes e acidentes. As ações serão implementadas por meio de convênio entre o município e o Estado, já que a rodovia, embora estadual, corta o perímetro urbano de Caxias do Sul. No acesso ao bairro São Ciro II será colocado um redutor de velocidade. O Daer ficou de definir, até o fim desta semana, se a melhor alternativa é uma lombada física ou eletrônica. “Conferimos a alta velocidade com que passam os veículos no local, mesmo com as placas indicando a máxima de 80km/h; precisamos da definição urgente do que será feito ali”, declarou o prefeito Alceu Barbosa Velho. Se o órgão estadual optar pelo quebra-mola, a própria prefeitura fará a instalação; se for lombada eletrônica, a instalação caberá ao Daer. Também já foram estabelecidas ações de curto e médio prazo para outros três pontos. No entroncamento da Rota do Sol com a rua Atílio Andreazza será feita uma rotatória. A Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade deve encaminhar o projeto ao Daer, para aprovação, ainda este mês, segundo informa ao CR o secretário de Trânsito Zulmir Baroni. A execução da obra ficará a cargo do Estado ou do município, mediante repasse de recursos estaduais. Na entrada de Monte Bérico, outro ponto crítico, está em fase de aprovação, junto ao Daer, o projeto de uma nova rótula. Enquanto isso, a prefeitura elabora projeto de sinalização, visando fechar a atual rotatória e, assim, direcionando o fluxo de trânsito para as alças

Fotos Andréia Copini/Div./CR

Prefeitura e Estado intervêm em seis pontos críticos da rodovia

Trecho do Posto São Luís: investimento pode chegar a R$ 18 milhões laterais. “Dessa forma, intervimos ali rapidamente, diminuindo a velocidade do trânsito até que o projeto definitivo fique pronto”, declara o prefeito Alceu. Para o trecho do posto São Luiz (saída para Flores da Cunha), a prefeitura recuperou projeto elaborado pela Convias, que terá os custos revisados. Consiste em uma rotatória que ficará integrada à duplicação do viaduto sobre a RS-122 e as três alças de contorno, ainda por executar. O investimento pode chegar a R$ 18 milhões, conforme Baroni. A prefeitura dispõe de R$ 3 milhões provenientes do PAC, que entrariam como contrapartida do município. Pelo investimento que exige, as obras nesse trecho devem ser as mais demoradas dos quatro eleitos como prioritários. Os trechos que englobam o viaduto

✦ FEIRA DO LIVRO

da Avenida Mário Lopes e o acesso ao Distrito Industrial (Km 72) foram considerados menos urgentes, portanto, as obras serão executadas em longo prazo. Para o primeiro, o município dispõe de recursos aprovados no PAC da Mobilidade, do governo federal. A prefeitura deve elaborar projeto de readequação da rotatória existente e executar a obra, cabendo ao Estado acelerar a análise e anuência dos projetos. Para o segundo trecho, o Estado fará estudo visando a implantação de controlador eletrônico de velocidade, cabendo ao Município o projeto de sinalização. “Algumas intervenções, do ponto de vista técnico, talvez não sejam as melhores; mas nossa meta é reduzir velocidade, evitar acidentes e salvar vidas”, afirma Baroni.

Consagração Definitiva Irmã ICM Dia 6 de outubro, em Santa Maria/RS - Comunidade São Francisco a Irmã Rita de Cássia Trindade dos Santos (foto) professou seus Votos Definitivos, perante à igreja e à comunidade, na Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria. Foi um momento intenso da Graça de Deus, de alegria para o povo, familiares e para as Irmãs. Como Congregação, agradecemos o precioso dom de sua vida.

Em dez dias, mais de 200 mil pessoas na Feira

Muitas atrações e vendas O segundo final de semana da 29ª Feira do Livro levou diversidade ao centro de Caxias. No campo musical, só o concerto da Orquestra Sinfônica La Salle reuniu mais de três mil pessoas na rua Dr. Montaury. Houve ainda apresentação do Coral Municipal, de hip hop, de música gaúcha, ítalo-alemã e até de samba de raiz. Sem contar os bate-papos, com auditório sempre lotado. Mas a maior atração continuou sendo o livro. De acordo com a coordenação da Feira, só no final de semana foram vendidos 18.187 exemplares - ao todo, desde 27 de setembro, foram 50.099. O público também impressiona: 72 mil entre sábado e domingo, mais de 200 mil desde o começo. E tem ainda até domingo 13.

Ir. Rita de Cássia, que seu SIM possa gestar muita VIDA e AMOR para a humanidade, especialmente junto aos mais empobrecidos e que sua vida seja sempre oferta preciosa de doação e serviço, assim como Maria. “Jesus virou-se para trás e perguntou: ‘O que vocês estão procurando?’ Eles disseram: Mestre onde moras?” (Jo 1,38). Parabéns amada Ir. Rita de Cássia, desejamos alegrias e felicidades na missão.

”Vem e Segue-me” Jesus continua chamando. Chama a todos, de muitos modos... E você jovem, já pensou para que o Senhor a/o chama?

Entre em contato conosco www.icm-sec.org.br www.icmcaxias.com.br

Educando para a solidariedade

T

odos os meses, o carro é estacionado à porta da instituição e a mãe, com seu pequeno filho, descarregam caixas de leite para as crianças carentes. O pequenogrande homem faz sua parte, incentivado pela mãe: ajuda a transportar algumas caixas do precioso líquido, tão necessário ao organismo. Olhares admirados contemplam a caridade da mãe, mas impressionando-se, acima de tudo, com a participação do garoto. A solidariedade é um aprendizado que requer iniciação. Quanto mais cedo, melhor. Há quem diga que o egoísmo está enraizado na pessoa, desde a tenra idade. Opiniões diversas podem ser sintetizadas: fazer o bem, repartindo com os outros um pouco dos pertences, inspira um novo jeito de ser. O testemunho dos pais pode determinar a postura dos filhos. Pois, mãos que se abrem para doar carregam bênçãos. O bem é milagroso. Alegra quem o recebe, plenifica de paz quem o faz. A ausência da solidariedade não faz bem. Pode até interferir na qualidade de vida. Pensar somente em si é imposição do individualismo, que tem adoecido emocionalmente muitas pessoas. A participação em ações solidárias pode dar um novo elã à vida. O simples gesto de Pensar somente repartir um pouco de alimento ou de em si é imposição doar um brinquedo do individualismo, usado gera sentique tem adoecido mentos nobres e alcança aos dias emocionalmente mais serenidade e muitas pessoas satisfação. Muitas crianças têm tudo. Por vezes, até demais. Mesmo assim, apresentam sinais de insatisfação. Correm o risco de se tornarem adultos exigentes e pouco altruístas. Por não saberem do valor das coisas, poderão viver superficialmente, pouco preparados para o exercício da bondade e do amor ao próximo. Se não houver uma intervenção contínua da educação familiar, o caminho a ser descortinado será monótono e nada desafiador. O dia da criança, por exemplo, não pode se resumir em presentes. Ao ganhar algo novo, poderia ser exercitada a partilha do brinquedo usado. Alcançar uma caixinha de leite para uma criança necessitada é um gesto simples, mas de uma profundidade ímpar. Pequenas ações solidárias deixam marcas e inspiram novas posturas. Se tudo passa pelo aprendizado, adultos generosos instigam as novas gerações. A solidariedade é um legado que proporciona felicidade. Dificilmente uma alma caridosa se depara com a tristeza. Quem faz o bem, encontra a alegria de viver. Diariamente você pode acessar mensagem especial de frei Jaime, como a reproduzida ao lado, no Facebook, Twitter, Instagram e Pinterest

“Vive bem quem descarta o egoísmo e coloca-se a serviço de quem necessita. O caminho é longo. Temos que aprender o desprendimento e a doação.” @freijaime


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

4 - Municípios

“Os municípios com indústrias concentram o dinheiro no Estado.” Cinara Ritter, assessora de receitas da Famurs

FPREFEITURAS

Informe CR Imigrantes perdem mais um espaço Depois de desativada a ço da antiga Metalúrgica Casa Azul, no bairro Des- Gazola, que na semana vio Rizzo, os imigrantes passada abrigava cerca senegaleses que chegam de 30 africanos, está sena Caxias do Sul ficarão do requisitado. Precisará sem outra casa de acolhi- ser desocupado antes do mento e passagem. Espa- final deste mês. Outros chegam Os senegaleses não param de chegar. Até a semana passada, irmã Maria do Carmo, do Centro de Atendimento do Migrante (CAM), estimava mais de 550 só em Caxias A cada semana desembarcam, em média, dez. Maior problema: documentação. Quase todos possuem apenas visto provisório, muitos vencendo.

Receitas municipais

Repasse de ICMS cairá em 218 cidades gaúchas em 2014 O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) - tributo estadual repartido entre o governo (75%) e as prefeituras (25%) - preocupa os gestores municipais do Rio Grande do Sul, pois tem forte previsão de queda. O percentual de cada prefeitura no rateio das receitas do imposto deve cair 44% em 2014. Dos 497 municípios, 218 sofreram queda, 273 registraram alta e seis não tiveram variação no índice de retorno do ICMS. De acordo com a Federação de Municípios do RS (Famurs), os índices da Secretaria da Fazenda do Estado levam em conta a base econômica de 2011 e 2012. A maior queda, de 42,3% em relação a 2012, foi registrada na cidade de Garruchos, localizada no noroeste. Para o prefeito Carlos Cardinal, a redução deve-se à política de desoneração do governo federal, que prejudicou a arrecadação das conversoras de energia. “Vamos entrar na justiça para contestar esse índice”, disse o prefeito Cardinal. A maior elevação ocorreu no município de Alpestre, no norte do Estado (ver quadro). O índice de retorno do ICMS cresceu 70%, totalizando receita extra de R$ 4 milhões. “O aumento é resultado da geração de energia da usina hidrelétrica Foz do Chapecó”, diz o secretário municipal da Fazenda, Sérgio Juraski. “Este valor, à medida que for sendo repassado pelo Estado, será investido nas áreas da educação (25%), saúde (15%) e o restante em infraestrutura, obras e outros investimentos”, adianta Juraski ao CR.

Onde o ICMS mais CRESCEU Município Alpestre Venâncio Aires Horizontina Carazinho Nova Bassano Hulha Negra Ibirubá Lajeado do Bugre Rio Grande Estação

Índice 2013 0,159231 0,466187 0,329693 0,462842 0,1735 0,078179 0,233301 0,02562 1,614154 0,066642

Índice 2014 0,270695 0,561193 0,386879 0,52983 0,198464 0,088964 0,264946 0,02909 1,825259 0,075109

Variação 70,0% 20,4% 17,3% 14,5% 14,4% 13,8% 13,6% 13,5% 13,1% 12,7% Fonte: Famurs

Onde o ICMS mais CAIU Município Garruchos Osório Triunfo Gravataí Bom Retiro do Sul Aratiba Porto Xavier Charqueadas União da Serra Capivari do Sul

Índice 2013 0,095736 1,193948 1,359767 2,97446 0,092281 0,436987 0,071945 0,457743 0,0526 0,066393

o governo prevê arrecadação de ICMS para R$ 25,95 bilhões, incluindo a parcela destinada aos municípios, crescimento de 11,2%. Porém, os recursos estão concentrados nos municípios mais ricos. Segundo a Famurs, 50% de toda a receita do ICMS é direcionada para somente 30 municípios. Apenas 10 cidades gaúchas são resConcentração - Em 2013, o impos- ponsáveis por um terço de toda a arreto deve representar receita de R$ 5,8 cadação do tributo no Estado. São elas: bilhões para as prefeituras - para 2014, Porto Alegre, Caxias do Sul, Canoas,

Índice 2014 0,055259 1,012261 1,155934 2,541046 0,079994 0,388437 0,064226 0,410884 0,047328 0,060075

Variação -42,3% -15,2% -15,0% -14,6% -13,3% -11,1% -10,7% -10,2% -10,0% -9,5%

Gravataí, Rio Grande, Novo Hamburgo, Cachoeirinha, Santa Cruz do Sul, Pelotas e Bento Gonçalves. Para a assessora técnica da área de receitas da Famurs, Cinara Ritter, o setor industrial é o maior responsável pelo retorno do ICMS. “Como 75% do índice tem base no Valor Adicionado Fiscal (VAF), e quem mais produz o VAF é o setor industrial, os municípios com indústrias concentram o dinheiro”, explica Cinara.

Mobilização por universidade federal Milhares de pessoas UFRGS aqui”, que reitomaram o Largo da Es- vindica um campus da tação Férrea, no domin- Universidade Federal go 6. Eles participaram do Rio Grande do Sul. A de ato-show pela insta- UFRGS anunciou uma lação de uma universi- extensão na Serra gaúdade federal em Caxias cha, mas não define aondo Sul. Cresce a adesão de – o que está gerando à campanha “Quero a cobranças e protestos. Luiz Claudio Farias/Div./CR

Geração de energia da usina hidrelétrica Foz do Chapecó impulsionou retorno de imposto de Alpestre

Paquistão, Guiné... Imigrantes de outras regiões do planeta também escolhem Caxias. O CAM registrou, nos últimos dias, chegada de asiáticos. Três vieram do Paquistão; cinco, de Bangladesh. Também desembarcou grupo oriundo da Guiné-Bissau, país ao sul do Senegal, na África Ocidental. Há expectativa pela vinda de sírios.

Caxienses querem extensão da UFRGS Festival da Primavera Começa nesta sexta 11 10 às 19 horas. Visitante e vai até dia 20 o Festival poderá adquirir flores e da Primavera (Frühlings- artigos para jardins, além fest), em Nova Petrópolis, de conferir o trabalho de na Serra gaúcha. Evento, paisagistas, participar de que ocorre na Rua Cober- oficinas e ter acesso a dita, terá cerca de 30 expo- versificada gastronomia. sitores e ficará aberto das Entrada é gratuita. Simpósio de escultores em Bento Cerca de 50 toneladas Internacional de Escultoem blocos de rochas ba- res, realizado pelo emsálticas foram apresen- presário Tarcísio Michetadas na sexta 4 aos dez lon, tem representantes escultores que estão em da Argentina, Bélgica, Bento Gonçalves, e que Brasil, Colômbia, Coreia até o dia 20 transforma- do Sul, Costa Rica, Franrão as pedras brutas em ça, Israel/Rússia, Itália e esculturas. O II Simpósio Sérvia. Amplia o policiamento comunitário Mais oito bairros ca- ciaram o serviço, que terá xienses receberão poli- policiais residentes, nos ciamento comunitário. bairros Ana Rech, Desvio Considerando a taxa de Rizzo, Esplanada, Fátima, criminalidade, Prefeitura Jardim Eldorado, Planale Brigada Militar anun- to, Serrano e Vila Cristina.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013 - PÁGINA 5

Nossa homenagem aos profissionais que completam 10 e 25 anos de empresa.

Ademir Luiz Cipriani, Claudio Pereira Ratiér, Gedimar Moreira Lahm, Gilmar Négri, Luis Antonio Forésti, Marcelo Tietbohl Guazzellii, Mario da Silva Souza, Neida Mollar, Odi Antonio Bertella, Ruth de Castilhos

Adão Luiz da Cruz, Adilson Brunetto, Adriano A. dos Santos, Alcides de Lima Borges, André Bresolin, Carlos Alberto Fochi, Carlos A. de Castilhos Valin, Carlos Edmilson Borges, Cleber João Onzi, Edejair Carlos Reolon, Elisandro da Silva de Siqueira, Eliziario Berteli de Oliveira, Emilene Regina Medeiros, Everaldo de Borba dos Reis, Fabio E. L. Brasil, Francisco A. de Souza, Ivanor Marchese, João Elói Rodrigues da Silva, João Mota Antonio, Junior F. Tonietto, Lauri L. Gazparetto, Leandro Fin da Silva, Leonardo A. Favaro, Manoel dos Santos, Marcelo A. Menôn, Marcelo Mari, Marcio Antonio da Silva, Marcos Alexandre da Silva, Marcos Viniciu Lora, Marisete Vaz de Azeredo, Michel Cipriani, Nilton Rodrigues, Paulo Sergio de Oliveira, Pedro da Silva Carvalho, Régis Graciano Massing, Ricardo Antonio Ferraro, Rogerio Volnei Dhein, Salimen Signorini, Thiago Cesa Lahm, Valdecir Gomes dos Santos, Valdir Garcia, Valdir Valmor Muller, Vanderlei Gonçalves Pinheiro, Vanderlei Pereira, Vandré Márcio Velho, Volmir Cassol, Waldomiro Alves da Silva, Celso Bertotti R. de Lima


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

6 - Opinião

“A terra não pode ser instrumento de políticas de ódio, nem de cobiça. É para produzir alimento.” Pe. Zezinho

Leonardo Boff

Remontar às raízes para rejuvenescer

Leonardo Boff é autor e acaba de lançar o livro “Francisco de Assis e Francisco de Roma”, Mar de Ideias, Rio 2013.

P

or mais distante que andemos pelo nosso planeta ou até fora dele, sempre carregamos junto a força das raízes. De tempos em tempos elas se avivam e suscitam em nós um desejo incontido de voltar a elas. Não estão fora de nós. São a nossa inconsciente base de sustentação e alimentação vital. Por isso sempre as carregamos conosco. E rejuvenescemos cada vez que regressamos a elas. Nos dias 9 e 10 de setembro deste ano, vivi rara experiência ao visitar a casa de meu avô no norte da Itália. Sentimentos profundos, vindos da noite do inconsciente pessoal e coletivo, irromperam em mim. Senti-me religado àquela origem: a velha casa, os quartos enegrecidos, as portas que rangem, as camas duras e largas, o fogão a lenha, os armários cheios de antigas tigelas e vasos, a mesa grande com seus longos bancos de cada lado. Era a paisagem interior. Da varanda se descortinava um longo vale com casinhas distribuídas no meio dos campos verdes e ao longe o famoso monte Grappa, de quase dois mil metros de altura, no qual se travaram sangrentas batalhas na I Guerra Mundial entre o exército italiano e o austro-húngaro. Era casa do avô paterno no Vale de Seren

Frei Betto

del Grappa, perto de Feltre e de Belluno, Alemanha (Alsácia e Lorena, hoje França), na região do Trivêneto italiano. Na verdade especialmente os dois antepassados Rech e é um pequeno conglomerado de casas, Boff (escrevia-se Boeuf). Eram especialistas coladas umas às outras, chamado de Col em desmatar árvores centenárias e faziam dei Bof (Colina dos Bof). Fica à meiadelas carvão, vendido na região do Vêneto altura da grande montanha. Estava até há (Bolzano e Veneza). pouco abandonada, como tantas outras Ao chegar ao local, esperava-me um casas da montanha. Até que a “Fundação punhado de parentes antigos. Haviam di Seren”, formada por gente de Bolzano, enfeitado a casa com espigas de milho, Feltre e Belluno flores e frutas com alguma posse da época. Um Vivi rara experiência ao visitar a e forte sentido de coreto cantava as casa de meu avô, na Itália... As resgate ecológico canções em dialeto raízes são nossa inconsciente base da região, a vêneto. De repente, de sustentação e alimentação vital transformasse num colocado diante da centro de encontro velha casa, senti e de cultura. À noite é iluminada. Parece que aquelas paredes estavam impregnadas suspensa no ar com o escuro da montanha do espírito do “poro nonno Boff”. Sim, ele por trás. estava lá. Os mortos são apenas invisíveis, A população do vale era pobre, a mas nunca ausentes. Vi sua figura sempre agricultura de subsistência mal alimentava séria, mas de cultivada elegância, com seu a família. Muitos passaram fome. Alguns lenço ao pescoço, montado num cavalo bem conheceram a “pellagra” (extrema fome, encilhado. Ele sempre me punha sentado pois só comiam polenta e água, até quase sobre seus joelhos e me fazia gracejos no definharem). estilo hilariante dos italianos. E no fim, Neste contexto, boa parte dos pouco mais escondido de meu pai, me dava algum de dois mil habitantes emigrou, alguns para dinheiro, coisa que eu mais esperava. o Rio Grande do Sul, por volta de 1880. Fui dirigir a palavra aos presentes. A Os antepassados, no século XV, vieram da voz se afogou na garganta. Deixei que

Salário mínimo, uma conquista

Escritor e autor do romance “Minas do Ouro” (Rocco), entre outros livros. http://www.freibetto.org/> twitter:@freibetto

N

as lágrimas da lembrança e da saudade rolassem dos olhos e pela barba. Sentia, por uma percepção transracional, que ele estava lá. Eu imaginava sua coragem: abandonou tudo, a casa, a terra dos antepassados, a paisagem querida para enfrentar o desconhecido e construir a “Mèrica”, como diziam (“Mèrica, Mèrica, Mèrica, cosa saralo sta Mèrica? Un bel mazzolino di fior”: “América, América, América, o que será esta América? Um belo ramalhete de flor”). À noite falei para a população. Hoje são apenas duas mil pessoas. A Igreja estava cheia. Contei histórias heroicas dos avós, como desbravaram o Rio Grande e, depois, os filhos (meus pais) desbravaram a região que hoje é Concórdia, no oeste de Santa Catarina. Como rezavam o rosário aos domingos, cantavam a ladainha de Nossa Senhora em latim e como meu pai, mestre escola, ensinava aos mais velhos o português - em casa só falavam o vêneto. Vim da pedra-lascada, percorri todas as fases da evolução cultural e hoje, disse, estou aqui com vocês, encontrando as raízes antigas e sempre novas. No tramontar da vida, tive uma experiência de rejuvenescimento junto às raízes.

esses dez anos de governo PT, Como consequência, em maio de talvez o principal acerto seja a 2005 o salário mínimo passou de R$ política de valorização do salário 260,00 para R$ 300,00. Em abril de mínimo. Eis um raro exemplo nesta 2006, foi para R$ 350,00. E em abril de década em que o governo federal, tão 2007, corrigido para R$ 380,00. O mais atento às demandas patronais, escutou e importante resultado dessas negociações, assumiu proposta do movimento sindical. entretanto, foi acordado, em 2007: uma Houve real melhoria de renda do política permanente de valorização do trabalhador e redução da desigualdade salário mínimo até 2023. Essa política social no Brasil. Porém, foi menos do tem como critérios o repasse da inflação que deveria e poderia ter sido feito, do período entre as atualizações do uma vez que a desigualdade de renda salário mínimo; o aumento real pela é uma pequena parte da desigualdade variação do PIB; além da antecipação da social, dada à crescente concentração data-base de revisão – a cada ano – até de riqueza. Segundo a mais recente lista ser fixada em janeiro, o que ocorreu em de bilionários da revista Forbes, as 124 2010. Assim, em janeiro deste ano o valor pessoas mais ricas do Brasil acumulam do salário mínimo passou a R$ 678,00, um patrimônio de R$ 544 bilhões, cerca acumulando ganho real – acima da de 12% do PIB. Apesar do aumento da renda Houve real melhoria de renda do média e da massa salarial dos trabalhador e redução da desigualdade trabalhadores, verificada nos últimos social no Brasil. Mas foi menos do dez anos, a participação deles na que deveria e poderia ter sido feito riqueza nacional continua estagnada. Em 1980, os salários respondiam por 50% da renda nacional; em 2000, por inflação – de 70,49%, desde 2002. 38%; e atualmente estão em 46%. Considerando a série histórica do O avanço político e econômico no salário mínimo, e trazendo os valores salário mínimo resulta da ação unitária médios anuais para janeiro de 2013, o das centrais sindicais, com subsídio atual mínimo corresponde ao maior valor técnico do Dieese, entidade criada em real da série das médias anuais desde 1955 pelo movimento sindical e, até hoje, 1984, de acordo com o Dieese. dirigida pelos sindicatos brasileiros. Para se ter ideia do impacto do Em 2004, as centrais sindicais salário mínimo no Brasil, basta dizer lançaram a campanha de valorização que, conforme o Dieese, 45,5 milhões do salário mínimo. Foram realizadas de pessoas têm o salário mínimo como três marchas conjuntas em Brasília, com referência de seus rendimentos, o que o objetivo de pressionar Executivo e gera aumento de renda da ordem de R$ Legislativo e alertar para a importância 32,7 bilhões na economia, considerandosocial e econômica da proposta. se apenas a elevação do salário mínimo

em janeiro deste ano. Os trabalhadores que entraram no mercado de trabalho nos últimos dez anos recebem, em sua maioria, salários muito próximos ao mínimo. Na primeira década de 2000, a parcela dos ocupados com até 1,5 salário mínimo voltou a crescer, aproximando-se de quase 59%. Número considerável dos postos de trabalho gerados desde 2003 concentrouse na base da pirâmide social, uma vez que 95% das vagas abertas tinham remuneração mensal de até 1,5 mínimo. No primeiro semestre de 2013, segundo o Ministério do Trabalho e Emprego, 55,4% de todos trabalhadores admitidos foram contratados para receber entre 1,01 e 1,50 salário mínimo. Ou seja, o trabalhador brasileiro ganha pouco. A previsão do governo federal, que consta da proposta de Lei Orçamentária Anual enviada ao Congresso em agosto, é de que o salário mínimo em janeiro de 2014 chegará a R$ 722,90 – aumento de 6,6%. Ainda será pouco. Resta um longo caminho a percorrer. Com base no custo apurado para a cesta básica de São Paulo, e considerando a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser capaz de suprir as despesas de um trabalhador e sua família - alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência -, o Dieese estima, mensalmente, o valor do salário mínimo necessário. Em agosto deste ano, deveria ser de R$ 2.685,47, ou seja, 4 vezes o valor do mínimo em vigor, de R$ 678,00. Este seria, hoje, o salário mínimo justo.

Pe. Zezinho Escritor, compositor e intérprete de músicas

Busca da terra

P

ara refletir: “Prometi tirar vocês da miséria no Egito e levá-los para a terra de Canaã, onde correm leite e mel …” (Ex 3,17). Terra é uma palavra muito bonita e muito dolorosa. Quase sempre rimou com brigas, morte, guerras, destruição. A maioria dos povos estabeleceu seus impérios ou fronteiras pela violência. E conseguiu se manter pela violência. Terra rima com sangue. Jesus, porém, diz que um dia os não violentos herdarão a terra (Mt 5,5). Mas a advertência de Deus permanece intensa: “Eis que te ponho diante da vida e da felicidade, da morte e da desgraça, escolha portanto a vida! Desse modo você poderá habitar sobre a terra que Javé jurou dar aos seus antepassados Abraão, Isaac e Jacó” (Dt 30,15-20). Sobre a terra existe vida e morte, bênção e maldição. Há os que tornam a terra maldita com sangue e morte. E há os que dela tiram frutos, sem ter que matar por causa dela. Os que lutam pela reforma agrária e os que possuem terras precisam refletir sobre isso. Terra pode rimar com guerra. Mas pode rimar com justiça e paz! Não pode ser instrumento de políticas de ódio, nem de cobiça. É para produzir alimento. E não temos o direito de destruí-la em nome da produção. Respeitem-se os rios, as nascentes e as florestas. Matar o verde é matar a terra! Chegará o dia em que se considerará pecado grave sujeito a pesadíssima penitência na Igreja, desmatar uma nascente ou contribuir para a extinção de espécie de vida. Naquele dia entenderemos por que a Igreja é contra o aborto. Oremos…


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

7 - Municípios F ANTÔNIO PRADO

Recuperação da RS-122 A licitação para recuperar a RS-122, entre Caxias do Sul e Antônio Prado, é uma tentativa de resposta da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) às crísticas procedentes - dos usuários dessa rodovia. Anunciada na quinta 3, prevê a contratação de serviço de recuperação dos pavimentos das pistas e restauro de rodovias, com fornecimento de mão de obra, equipamentos e materiais para o referido trecho e também para a RSC-287, de Santa Cruz do Sul a Tabaí (77 km) e de Santa Cruz do Sul a Vila Parfaíso (72,1 km). O valor orçado é de R$ 41,7 milhões. Nos 46,48 km da RS-122 serão investidos R$ 11,7 milhões.

Já para a RSC-287 estão orçados R$ 16 milhões para o percurso que abrange Venância Aires e R$ 13,9 milhões em Candelária. Flores da Cunha, Venâncio e Candelária são postos de pedágio administrados pela EGR. O anúncio, nem de longe, minimizou a indignação de lideranças da Serra gaúcha com o governo do Estado. É que há mais de um ano estão sendo reivindicadas obras de manutenção de rodovias da região, entre elas a Rota do Sol. Após retardar por duas vezes, o início dos trabalhos que estava marcado para setembro mais uma vez não ocorreu. Sequer uma explicação convicente foi dada.

Festival da Massa terá inauguração do leão alado O 2º Festival Nacional da Massa (Fenamassa) realiza-se de 11 a 13 e de 18 a 20 de outubro, na Praça Garibaldi, em Antônio Prado. Este ano, o festival reúne 37 expositores entre produtores de massas, artesanato, empresas do setor moveleiro, agroindústrias, além de produtos coloniais como geleias, embutidos, vinhos e sucos. O primeiro final de semana terá oficinas, passeios, apresentações e shows com Os Fagundes e grupo Quero Quero. No domingo 13, haverá o Come Sti Anni (como antigamente), representação dos costumes dos imigrantes italianos, que ocorre na Casa Dona Zilba. Ainda no dia 13 ocorre a inauguração do Leão de São Marcos,

F GARIBALDI O primeiro fim de semana da Festa Nacional do Champanha (Fenachamp), evento que segue até 27 de outubro, em Garibaldi, foi marcado pelo sabrage coletivo, que reuniu 291 pessoas, pela presença de cerca de 13 mil visitantes, e as apresentações de corais da região e do 13º Encontro de Bandas. A 13ª Fenachamp iniciou na sexta 3, com a presença da secretária de Estado do Turismo, Abgail Pereira; do prefeito de Garibaldi Antonio Cettolin; do presidente da festa, Pedro Carrer, entre Otimismo das autoridades marcou a abertura da festa outras autoridades. SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO DE CAXIAS DO SUL Com base territorial nos municípios de Caxias do Sul, Garibaldi, Carlos Barbosa, Farroupilha, Flores da Cunha, Antonio Prado, Veranópolis e São Marcos.

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA O SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO DE CAXIAS DO SUL, inscrito no CNPJ sob nº 88.661.681/0001-80, com sede na rua Pinheiro Machado nº 2157, bairro centro, em Caxias do Sul-RS, convoca a todos os TRABALHADORES que exercem atividades nas INDÚSTRIAS DO TRIGO e INDÚSTRIAS MOAGEIRAS, sediadas na base territorial do Sindicato, para participarem da Assembléia Geral Extraordinária a ser realizada, em primeira convocação às 17:00 horas e em segunda e última convocação às 18:00 horas, na forma como segue: I - Assembleia para os trabalhadores que exercem atividades nas cidades de Caxias do Sul, Antonio Prado, Farroupilha, Flores da Cunha e São Marcos, dia 15 de outubro de 2013, no auditório do Sindicato, localizado na rua Pinheiro Machado nº 2157, bairro centro, Caxias do Sul. II - Assembleia para os trabalhadores que exercem atividades nas cidades de Garibaldi, Carlos Barbosa e Veranópolis, dia 16 de outubro de 2.013 na sub-sede do Sindicato, sita na rua João Pessoa nº 343, Garibaldi/RS. A Assembleia tem por objetivo analisar e deliberar sobre a seguinte ORDEM DO DIA: 1 - Deliberar sobre a conveniência ou não da instauração da Revisão de Dissídio Coletivo e/ou Convenção Coletiva de Trabalho das condições estabelecidas em 2.013; 2 - Em caso afirmativo, bases a serem pleiteadas inclusive para conciliação; 3 - Deliberar sobre a outorga de poderes à Presidente do Sindicato para adotar todos os atos pertinentes à Negociação Coletiva e em caso de malogro das negociações o encaminhamento para via judicial, podendo, ou não optar pelo árbitro mediador de negociação; 4 - Deliberar sobre a importância ou percentual a ser descontado e recolhido aos cofres do Sindicato para fins de Assistência Social; 5 - Deliberar sobre importância ou percentual a ser descontado e recolhido aos cofres do Sindicato para fins de Custeio do Sistema Confederativo, conforme determina a Constituição Federal, art. 8º, inciso IV; 6 - Deliberar sobre a concessão de poderes à Presidente do Sindicato para no curso das negociações receber contrapropostas conciliatórias, aceitá-las, rejeitá-las, constituir procuradores com poderes para o fim de adotar todas as medidas judiciais e extrajudiciais necessárias e firmar acordos, convenção coletiva de trabalho, deliberar sobre a conveniência ou não de instauração de revisão de dissídio coletivo. Caxias do Sul 9 de outubro de 2.013 Arlete Beatriz Christoff Schmitz - Presidente

Gabriele Baruffi/Divulgação/CR

Sabrage coletivo e corais movimentam Fenachamp

Divulgação/CR

F ATRASO

Soberanas do município aguardam os apreciadores de massa atividade que faz parte do projeto Leoni Nelle Piazze. O objetivo é instalar em cidades de colonização italiana a escultura do leão alado, símbolo de região do Vêneto. Jun-

tamente, acontece também a assinatura dos gemellaggios entre Antônio Prado e as cidades de Rotzo, da Província de Vicenza, e Cavaion Veronese, da Província de Verona.

F VERANÓPOLIS

F CARLOS BARBOSA

Seminário

Feira do Livro

No próximo dia 18, acontece em Veranópolis o 7º Seminário Científico com o tema: “Envelhecimento, Longevidade e Qualidade de Vida”. O evento será realizado no Recanto Marista Medianeira e terá início às 8h. As apresentações estão a cargo do Dr. Emilio Moriguchi, coordenador do Projeto Veranópolis e contará com a presença, entre outros, da ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário. O evento tem o apoio da Prefeitura, Hospital Lazziozi e Associação de Assistência em Saúde.

A Feira do Livro realiza-se de 11 a 16 de outubro no Parque da Estação de Carlos Barbosa, com o tema “Onde a imaginação se transforma”. O patrono é André Neves. Esta edição vai homenagear o CTG Trilha Serrana. Estão programadas atividades que ocorrem paralelo à feira como o projeto “Palco da Reciclagem” - espetáculo de teatro infantil, realização da STR Produção e com o apoio da Cooperativa Santa Clara; contação de histórias; oficinas e animação cultural com Roger Castro e Vivandeiros da Alegria.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

“Se realmente queremos acabar com o trabalho infantil, é necessário intensificar os esforços. Existem 168 milhões de boas razões para fazê-lo.” Guy Ryder, diretor-geral da OIT, citando número de crianças que trabalham no mundo

8 - Reportagem

F TRABALHO INFANTIL

Pela saúde e dignidade das crianças

Número de crianças trabalhando cai aqui e no mundo, mas ainda é alto e tem de ser combatido cia boa e uma ruim. A boa é que o número de menores (5 a 17 anos) que trabalham no mundo caiu um terço desde 2000, de 246 milhões para 168 milhões. A ruim: apesar desse avanço, a comunidade internacional não vai alcançar a meta de erradicar as piores formas de trabalho infantil até 2016, estabelecida pela convenção 182. De acordo com a OIT, a maior parte do progresso nesse campo ocorreu entre 2008 e 2012. “Estamos nos movendo na direção correta, mas os progressos ainda são muito lentos. Se queremos acabar com o flagelo do trabalho infantil no futuro próximo, então é necessário intensificar os esforços em todos os níveis. Existem 168 milhões de boas razões para fazê-lo”, afirma o diretor-geral da OIT, Guy Ryder. Ao identificar ações que têm impulsionado os progressos, o relatório cita como “particularmente importantes” as decisões políticas e os investimentos em educação e proteção social, além de ratificações, pelos governos, das convenções sobre trabalho infantil da OIT. (Com informações do Jornal do Senado e Agência Brasil)

Shakeel Adil/AFP/CR

Começou a ser escrito nesta terça 8 mais um capítulo da luta contra a exploração de crianças e adolescentes. Brasília sedia a 3ª Conferência Global sobre Trabalho Infantil, evento que ocorre pela primeira vez fora da Europa e que reúne representantes de cerca de 90 países. Durante três dias será feito um balanço das ações e a busca de estratégias e compromissos para acelerar a erradicação das piores formas de trabalho infantil. O Brasil foi escolhido para sediar o encontro, com o apoio da Organização Internacional do Trabalho (OIT), por colher bons resultados no enfrentamento do problema. Segundo a secretária-executiva da Conferência, Paula Montagner, o número de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil no Brasil foi reduzido em 57% entre 1992 e 2011. Mesmo assim, o IBGE revela que em 2012 mais de 3,5 milhões de crianças e adolescentes trabalhavam no país – todas sem motivo para festejar o Dia da Criança (ver pág.16). A situação brasileira tem semelhança com a mundial. Relatório da OIT divulgado no final de setembro traz pelo menos uma notí-

Falta fiscalização e informação O enfrentamento do trabalho infantil é complexo. Além da pobreza que empurra ao trabalho precoce, da dificuldade de fiscalização (a violação se dá muitas vezes no ambiente domiciliar) e da questão cultural (muitos acreditam estar “ajudando” a criança), há desinformação. No Brasil, um projeto de lei aprovado em julho no Senado e em análise na Câmara promete contribuir para

essa conscientização. Ao tratar da regulamentação dos direitos dos trabalhadores domésticos, o PLS 224/2013 explicita no artigo 1º que “é vedada a contratação de menor de 18 anos para desempenho de trabalho doméstico”. Mas o reforço à proibição não foi ponto pacífico. Parlamentares propuseram baixar a idade mínima para 16 anos ou permitir a contratação de menor aprendiz na atividade.

O que diz a lei e como denunciar FA

Constituição brasileira estabelece 16 anos como idade mínima para o trabalho (na condição de aprendiz, a partir dos 14). Mas algumas atividades são proibidas aos menores de 18 anos por serem consideradas perigosas, insalubres ou prejudiciais à formação e ao desenvolvimento físico, psíquico, moral e social dos jovens. O trabalho doméstico é uma delas.

FO

trabalho infantil doméstico é proibido no Brasil desde 2008, quando o país ratificou a Convenção 182 da OIT. O Decreto 6.481 definiu 93 atividades que não podem ser exercidas antes dos 18 anos.

F De

acordo com a Lista TIP, o trabalho doméstico submete o jovem a riscos ocupacionais como esforços físicos intensos, longas jornadas, trabalho noturno, exposição ao fogo e sobrecarga muscular, além de abuso físico, psicológico e sexual, entre outros problemas.

F No

Brasil, é chamado trabalho infantil qualquer atividade desenvolvida fora da faixa etária permitida, mesmo que o trabalhador já seja adolescente, até 17 anos.

F Denúncias

de trabalho infantil podem ser feitas aos conselhos tutelares, ao Disque 100, ao Ministério do Trabalho e Emprego e ao TST - pelo 0800 6443444 ou ouvidoria@tst.jus.br. Há ainda o Ministério Público do Trabalho (www.mpt.gov.br).

Família em tear: na Índia, 420 mil crianças atuam na indústria de tapetes; na agricultura bem mais

Ásia predomina no mapa do trabalho infantil As piores formas de trabalho infantil são as consideradas perigosas - atividade ou ocupação, por crianças ou adolescentes, que tenham efeitos nocivos à segurança física ou mental, ao desenvolvimento ou à moral da pessoa. O trabalho doméstico, por exemplo, é considerado uma das piores formas. Segundo a OIT, cerca de 15 milhões de crianças estão envolvidas nesse tipo de atividade - 3,5

milhões com idade entre 5 e 11 anos, 59,3% delas meninas. Só no Brasil, são quase 260 mil com 10 a 17 anos – 94% do sexo feminino. Regionalmente, o maior número de crianças em atividade no mercado de trabalho está na Ásia 78 milhões, cerca de 46% do total. Proporcionalmente à população, no entanto, o continente africano é o que concentra o maior percentual de menores de 18 anos envolvi-

dos nesse tipo de atividade, 21%. Em relação ao setor em que crianças e adolescentes são encontrados trabalhando com maior frequência, a agricultura é o que tem a maior concentração, 59% dos casos (98 milhões). Os setores de serviços (54 milhões) e da indústria (12 milhões) também mostram incidência de uso de mão de obra infantil, em especial na economia informal.

Índia lidera em abusos, com cruel ciclo vicioso A Índia é considerada a capital mundial do trabalho infantil... Estima-se que cerca de 60 milhões de crianças estão sujeitas a trabalhos degradantes naquele país. Denúncias dão conta de que crianças a partir de cinco anos são vendidas a traficantes ou roubadas de suas famílias e forçadas a trabalhar como escravos. Sabe-se que quase todas as crianças na Índia, além de trabalharem muito, sofrem abusos mentais, físicos e sexuais, principalmente meninas, empregadas em casas de famílias ricas. Essa situação impede o acesso à educação de qualidade e de um futuro melhor, repetindo o que

ocorreu com os pais, num injusto e cruel ciclo vicioso. Dados mostram que a maior demanda de trabalho infantil vem da agricultura. O principal problema é que a maior parte dos indianos acha esse trabalho benéfico para o futuro de suas crianças e dá dinheiro para ajudar a família. A indústria de tapetes é dos maiores problemas a ser enfrentado. Calcula-se que 420.000 crianças trabalham nesse segmento – geralmente com teares em espaço reduzido, mal ventilados e mal iluminados. Cerca de 20% da economia da índia gira em torno do trabalho infantil, e a maior parte desse

dinheiro vem de empresas que terceirizam seus serviços no país em busca de preços menores e mais força de trabalho. Nos últimos anos várias delas foram denunciadas por promover escravidão infantil, mas todas dizem não ter conhecimento sobre isso. Nos últimos três anos, menos de 10% das 450.000 denúncias de trabalho infantil na Índia foram julgadas. Uma lei mais severa aguarda para ser votada. Pior de tudo isso foi o que o Unicef constatou recentemente: se as crianças não tiverem acesso a trabalho, muitas podem parar na prostituição, pois precisam ajudar no custeio das casas.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

9 - Saúde

“Muitas vezes, as mulheres fazem a mamografia e não voltam para saber o resultado; nos casos suspeitos, nós começamos a buscá-las”. Dino De Lorenzi, ginecologista

F OUTUBRO ROSA

Vigilância sobre o câncer de mama

Diagnóstico precoce, pela mamografia, e tratamento rápido elevam as chances de cura Reprodução/CR

Desde 1° de outubro, o dia amanhece mais cor de rosa! O chamado “outubro rosa” é o mês de conscientização e combate ao câncer de mama. O movimento busca alertar sobre os riscos e a importância do diagnóstico deste tipo de tumor, que é o que mais mata mulheres no mundo. O câncer da mama é o que mais acomete as mulheres no mundo. Em 2013, esperam-se, para o Brasil, 52.680 casos novos da doença, com risco estimado de 52 casos a cada 100 mil mulheres, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Esse tumor também é o que mais mata mulheres, principalmente na faixa etária entre 40 e 70 anos. Porto Alegre (RS) segue líder entre as capitais brasileiras com maior incidência da doença, e o Rio Grande do Sul é o segundo Estado com o maior número de casos– o primeiro é Rio de Janeiro. Esse ano, o outubro rosa tem como tema “O tempo corre contra”. A ideia é chamar a atenção para a importância do diagnóstico precoce e do tratamento rápido. No que se refere ao tratamento, as mulheres podem se amparar na legislação. Em 2012, a presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei 12.732/12, que estabelece que os pacientes com câncer devem iniciar o tratamento em no máximo 60 dias após a inclusão da doença em seu prontuário, no SUS. O prazo máximo vale para que o paciente passe por uma cirurgia ou inicie sessões de quimioterapia ou radioterapia. Prevenção - O Inca não estimula o autoexame das mamas como método isolado de detecção precoce do câncer de mama. Cartaz da campanha Outubro Rosa, do INCA e Ministério da Saúde

Caxias do Sul monitora casos suspeitos Reprodução/CR

Em Caxias do Sul, na Serra gaúcha, um programa local de prevenção e combate ao câncer de mama, o Vigimama, implantado em 2007, tem dado resultados positivos. “Muitas vezes, as mulheres fazem a mamografia e não voltam para saber do resultado; nos casos suspeitos, nós começamos a buscá-las, para dar continuidade ao rastreamento”, explica o coordenador do programa, médico Dino De Lorenzi. De 2007 a setembro deste ano, o programa cadastrou 571 casos suspeitos de câncer de mama, rastreados por mamografia nas Unidades Básicas do Saúde. Desse total, 177 foram confirmados. Tela alusiva à campanha, Os óbitos somaram 41 no mesmo produzida pelo artista plástico período. Saindo do universo do caxiense Fábio Balen

Vigimama, no ano passado, a cidade contabilizou 44 mortes por câncer de mama, em mulheres com 50 anos ou mais, sendo 25 óbitos de pacientes atendidas pela rede privada de saúde e 19 pelo Sistema Único de Saúde (SUS), segundo informa Lorenzi. Assim como ocorre no país, a busca pela mamografia também tem crescido na cidade. No ano passado, o Brasil registrou aumento de 37% na realização de mamografias pelo SUS na faixa etária prioritária, de 50 a 69 anos, comparativamente a 2010. Nesse mesmo período, em Caxias do Sul, o número de mamografias feitas pelo SUS saltou de 11.885 para 14.617, segundo a Secretaria Municipal da Saúde.

Segundo o instituto, o exame das mamas feito pela própria mulher não substitui o exame clínico realizado por profissional de saúde (médico ou enfermeiro), qualificado para essa atividade, nas Unidades Básicas de Saúde. Quando realizado por um médico ou enfermeira treinados, o exame clínico das mamas pode detectar tumores de até um centímetro, se superficiais. Deve ser feito uma vez por ano pelas mulheres com idade de 40 a 49 anos, conforme orientação do Inca. A mamografia (radiografia da mama) permite a detecção precoce do câncer ao mostrar lesões em fase inicial, muito pequenas (medindo milímetros). Deve ser realizada a cada dois anos por mulheres com idade de 50 a 69 anos. Mulheres com risco aumentado de desenvolver câncer de mama (as que têm mãe ou irmã com câncer de mama antes dos 50 anos; história familiar de câncer de mama bilateral, câncer de ovário) devem iniciar o acompanhamento aos 35 anos. As diretrizes da Sociedade Brasileira de Mastologia são mais rígidas no que se refere à prevenção. Conforme a entidade, a mamografia é indicada para todas as mulheres a partir dos 40 anos, e deve ser feita todos os anos. A radiografia da mama detecta com grande margem de segurança um tumor no seio antes que se possa senti-lo. Se realizada na fase inicial da doença, aumenta em aproximadamente 95% as chances de cura. Entretanto, mulheres muito jovens que necessitarem investigar nódulos devem associar ultrassom e mamografia, pois a mamografia muitas vezes não consegue detectar lesões em mamas muito jovens e densas.

F REMÉDIOS

Médicos abusam de antibióticos Médicos americanos prescrevem antibióticos para seis em cada dez pacientes com dor de garganta, embora apenas uma única infecção entre dez seja severa o suficiente para justificar essa indicação, anunciaram pesquisadores da Universidade de Harvard e do Brigham and Women's Hospital. O estudo foi publicado no "Journal of the American Medical Association" (Jama). Embora seja norte-americano, o excesso de prescrição de antibióticos é verificado também no Brasil, segundo a autoridades nacionais da área da saúde. Segundo os pesquisadores, quase todas as principais infecções bacterianas no mundo estão se tornando

resistentes aos tratamentos mais comuns com antibióticos. O estudo, conduzido por Michael Barnett e Jeffrey Linder, inclui dados de mais de 8.100 atendimentos em consultórios e salas de emergência, de 1997 a 2010. Inicialmente, os percentuais de prescrição de antibióticos ficavam em torno de 80%; na década passada caíram um pouco, para 60%, apontou o estudo. "Entre os adultos que solicitaram tratamento para dor de garganta, a prevalência da infecção pelo grupo de bactérias Streptococcus pyogenes – única causa comum de dor de garganta que requer antibióticos – foi de cerca de 10%", constataram os cientistas.


CORREIO RIOGRANDENSE - Ca

“Percebi que assim que a modernidade e a tecnologia chegavam ao interior, alguns costumes iam se perdendo. Resolvi registrar essa mudança.”

10 - Espe Fotos Arlindo Battistel/Divulgação/CR

Arlindo Battistel, autor de Retratos da Colônia

✦ IMIGRAÇÃO

Tauana Toigo, no parreiral da família Milani, em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha: natureza, uva de qualidade, juventude e beleza associadas

A história através de imagens Segunda edição de Retratos da Colônia permite um passeio pela imigração italiana no RS guiado por 5.300 fotografias

Se for seguida ao pé da letra a frase “Uma imagem vale mais do que mil palavras”, atribuída ao filósofo chinês Confúcio (470 a.C.), o leitor deve estar preparado para assimilar mais de cinco milhões de palavras. Este é parte do conteúdo da segunda edição da obra Retratos da Colônia, de Arlindo Itacir Battistel. O que já era denso, e de dimensões singulares, foi revisto e ampliado. O resultado são 5.384 fotografias, coloridas e em preto e branco, distribuídas em dois volumes. Às quase 800 páginas da primeira edição foram acrescidas 610, todas em papel couchê e impressão de alta qualidade. O peso dos dois volumes beira 6 quilos. O peso como documento fotográfico e de pesquisa transcende a qualquer limitador. Arlindo Battistel - frei capuchinho, colunista e divulgador do Correio Riograndense - é um apaixonado por fotografia. Natural de Nova Prata, ele procura dar vazão a esta paixão buscando ângulos diferentes e sempre, independente do alvo de suas lentes, tenta contextualizar a imagem a elementos históricos.

Casa Bona, em Farroupilha. Construção de 1888 conserva 125 anos de história Já expôs trabalhos que mostram, por exemplo, como eram fabricadas as pipas para armazenar vinho no início do século passado. Ou como se cultiva, extrai e se elabora a erva-mate. Esta edição ampliada de Retratos da Colônia concentra a colheita de 34 anos de pesquisa e documentação fotográfica. Muitas das fotos deste livro carregam a importância do testemunho. “No começo, percebi que

Igreja Matriz de São Sebastião, em Jaquirana, na região dos Campos de Cima da Serra

assim que a modernidade e a tecnologia chegavam ao interior, alguns costumes iam se perdendo. Resolvi, então, registrar essa mudança”, explica Battistel. O que ele fazia? Levava a máquina fotográfica na sacola de trança (“sporta”) quando ia trabalhar na roça da família ou quando um parente ou vizinho fazia algo diferente. Foi assim, por exemplo, que fotografou gente trilhando trigo, esmagando uva para

vinho e matando porco – o que já não se vê mais. O autor cultiva ainda outro pensamento. “Por que, em geral, nas publicações só aparecem moças bonitas ou homens engravatados em ambientes urbanos? Tem jovens muito bonitas também no interior – tirando uva, arando.... Eu procurei fotografá-las no local de trabalho”, declara Battistel. Ele ressalta também: “Minha primei-

ra preocupação é com a história, mas ao mesmo tempo a foto deve ser bonita”. Um dos diferenciais de Retratos da Colônia é a facilidade de entendimento. “O livro foi projetado para atingir todas as pessoas, independente do nível de escolarização”, afirma Battistel. Isso significa, na prática, que a obra possibilita o acompanhamento histórico apenas pelas fotografias – mas as legendas fazem a complementação com um rico acervo de informações e detalhes que impressionam. “É uma primorosa ferramenta de que pais e avós podem se valer para transmitir aos seus descendentes a história, a cultura, as dificuldades, as superações e alegrias vividas por eles e pelos imigrantes que os antecederam”, reforça o autor. Battistel classifica seu novo livro como uma homenagem às gerações passadas e uma contribuição às futuras – para que possam ter uma ideia muito próxima do que ocorreu nos primórdios da imigração italiana no Estado. “É um livro que emociona, encanta, comove”, descreve.


xias do Sul, 9 de outubro de 2013

ecial - 11

“Minha primeira preocupação é com a história, mas ao mesmo tempo a foto deve ser bonita.” Arlindo Battistel

Família Capelari, Nova Prata,1981: crianças tinham transporte especial, em cargueiro

Pascoal Prescendo e Ariane num antigo caminhão Chevrolet, em Nova Prata

Da Itália ao RS em 11 capítulos

Imagem de N. Sra. das Dores esculpida em 1909 por Giuseppe Nodari, Antônio Prado

Arlindo Battistel dividiu sua obra em 11 capítulos. O primeiro volume abre com “Itália, Beluno, Feltre e Fastro” e dá um a ideia de como era a vida e as construções de uma das aldeias no norte da Itália, de onde imigraram muitos camponeses. O segundo capítulo aborda o transporte do início da imigração até os dias de hoje, com ênfase aos tropeiros, carreteiros, caminhoneiros e à evolução dos ônibus. No capítulo 3 o destaque é para “habitação”, com

casas de madeira, de tijolos, de pedra e seu desenvolvimento. O vestuário dos imigrantes ocupa o 4º e o quinto traz a importância da “madeira” - destaque para os balseiros. O sexto aborda a importância da cultura gaúcha na vida dos imigrantes italianos. O volume dois trata da produção e alimentação: a cultura do milho, trigo, uva e vinho. Plantio, colheita, debulha (máquinas e moinhos), armazenagem e comércio. Explora, ainda, o preparo da

Cesto feito por Marinês S. Cherubin, de Protásio Alves

Como adquirir a obra

polenta e do pão, com receitas. O oitavo capítulo é dedicado à saúde e o nono, à educação e cultura. No décimo, o espaço é ao lazer (jogo da mora, cartas, bochas, filós...). O capítulo 11 enfoca religião - capitéis, capelas, igrejas, escultores de imagens sacras e sua história. Percorre o terreno das devoções populares e a relevância da religião na vida dos imigrantes italianos em interação com os alemães, poloneses e luso-brasileiros, no Rio Grande do Sul.

A obra, financiada parcialmente pela Lei Rouanet, pode ser adquirida na Livraria São Miguel, que atende a todo o Brasil. Fica na rua Gal. Sampaio, 161, Caxias do Sul, e recebe pedidos também pelo telefone (54) 3226 1008 e pelo e-mail livraria@ editorasaomiguel.com.br. Custo dos dois volumes: R$ 150,00, mais despesas de Correio.Também pode ser encontrado no Restaurante da Família Brunetta, próximo do Santuário de Caravaggio, em Farroupilha; na Femini, Moda Praia e Moda Íntima, em Nova Prata (Av. Carlos Tarasconi, 78), na Foto e Livraria Parise, Veranópolis e no Foto Cine Caxias (Av. Júlio de Castilhos, 1625, centro de Caxias do Sul).

RETRATOS DA COLÔNIA - 2ª edição revista e ampliada, 2013

O projeto visa a publicação do livro Retratos da Colônia, em sua 2ª Edição, onde mostra, em 1.376 páginas divididas em 2 volumes, com 5.384 fotos legendadas e documentadas, as manifestações materiais, culturais e espirituais da vida dos imigrantes italianos, poloneses, alemães, lusos, afro-brasileiros e sua interação com outras etnias na formação do povo do Rio Grande do Sul. D.0.U. 08/06/2011. AGRADECIMENTO A publicação da Segunda Edição do livro Retratos da Colônia é uma realização do MINISTÉRIO DA CULTURA e só foi possível ser reeditado por meio da Lei de Incentivo à Cultura, a Lei Rouanet e graças às pujantes empresas que patrocinaram dois terços do total do projeto. Um terço do valor do projeto será pago com a venda do próprio livro. No entanto, se essas empresas não tivessem dado seu importante e significativo patrocínio, o projeto se tornaria inviável e esse livro primoroso não seria impresso. Daí, não só o meu sincero e efusivo agradecimento a essas empresas e colaboradores, mas, também o agradecimento profundo de todos os descendentes de imigrantes italianos, alemães, poloneses e de luso-brasileiros do Rio Grande do Sul. Empresas patrocinadoras: • NEOBUS - É importante encarroçadora de ônibus de Caxias do Sul. Em 2011/12 produzia o maior ônibus do mundo com 28 metros de comprimento e capacidade para transportar 300 passageiros. (Atualmente o maior ônibus do mundo é PATROCÍNIO

fabricado na Alemanha com 28m30cm de comprimento!) Foi a empresa que mais incetivou no início do projeto permitindo alcançar o teto necessário para prosseguir o projeto. Sem o seu patrocínio nem teríamos iniciado sua exe-cução. Por isso agradecemos de coração ao Sr. Edson e ao seu colaborador Renato que entenderam o profundo valor cultural da obra e deram todo e irrestrito apoio ao projeto. Muito obrigado. • INTRAL S/A Industria de Materiais Elétricos - e Aledis, a LED ao seu alcance. A INTRAL apoiou nosso projeto do início ao fim permitindo um sereno desenvolvimento do mesmo. Ao Sr. Edson e seu colaborador Vilson, nosso reconhecimento. • FLORENSE - Moderna, tradicional e famosa fábrica de móveis. Situada em Flores da Cunha, um dos berços da imigração italiana, também patrocinou o projeto vendo aí uma boa oportunidade de preservar a história, os usos e costumes do povo de Flores da Cunha. À família Castellan nosso muito obrigado. • AGRALE - Empresa pela qual nutro sincera simpatia desde minha juventude porque foi num trator

Agrale que aprendi a dirigir. Com ele livrei-me de pesados serviços manuais. Hoje, a Agrale é uma das mais pujantes empresas de Caxias do Sul, produz potentes e modernos tratores, micro-ônibus, caminhões, implementos agrícolas e outros produtos que merecem todo nosso apreço e consideração. A Agrale atuou em três momentos críticos no desenvolvimento do nosso projeto, seu patrocínio caiu na hora certa e no momento preciso. Muito obrigado ao Sr. Hugo e sua eficiente secretária Irene.

cantinas do Rio Grande do Sul. Seu excelente vinho honra a tradição dos imigrantes italianos na produção de excelentes e variados vinhos finos e espumantes. Nosso muito obrigado.

• DIFERRO - Empresa especializada em aço, atua no mercado há vários anos. Nossa admiração e especial agradecimento ao Sr. Adelar, responsável por importante patrocínio. Muito obrigado.

Tivemos também importante e oportuna colaboração da FAMÍLIA SEGATT, de Marau; de CAMINHOS DE PEDRA, de Bento Gonçalves; FEMINI (Moda Praia e Moda Íntima), de Nova Prata; RESTAURANTE DA FAMÍLIA BRUNETTA, de Caravaggio, Farroupilha; e dos HOTÉIS DALL’ONDER, de Bento Gonçalves. A eles nosso efusivo agradecimento.

• RANDON - Uma das empresas que mais socializa sua verba cultural teve determinante e indispensável patrocínio no início do projeto. Nosso muito obrigado. • PISANI PLÁSTICOS - Uma importante empresa caxiense que atua na área de confecção de produtos de plástico. Ao Sr. Paulo nosso agradecimento. • VINÍCOLA SALTON - Situada em Tuiuty, Bento Gonçalves, é uma das mais antigas e importantes APOIO

• CONCRESUL BRITAGEM LTDA - Uma novel empresa que soube se organizar e prestar bons serviços na área da concretagem, construção civil e pavimentação asfáltica. Ao seu patrocínio nós agradecemos de coração.

A todos os colaboradores e a todas as empresas patrocinadoras, a seus dirigentes, seus secretários, em nome dos descendentes de todos os imigrantes do Rio Grande do Sul, nosso Muito, Muito Obrigado. Arlindo Itacir Battistel REALIZAÇÃO


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

“O mais complicado e oneroso é no momento da colheita, pois esta deverá ocorrer de modo seletivo.” Ciro Pavan, engenheiro agrônomo

12 - Agricultura

F VITICULTURA

Da Terra

Brotação desuniforme

Sistema Guyot - O problema pode ocorrer em todas as variedades de uva, entretanto existem as mais suscetíveis (sensíveis) aos fatores elencados pelo agrônomo. “O problema é mais comum quando podamos a videira no sistema Guyot (poda com varas com 6 ou mais gemas)”, constata. “Neste ano, nos vinhedos onde atuo, tem brotação desuniforme em áreas com plantas mais fracas”, relata. Apesar da irregularidade da brotação, o problema não causa danos à uva. “O que ocorre é que podemos ter gemas que não vão

Encontro do alho II Durante o Encontro do Alho estão previstas as eleições dos novos dirigentes da Associação Nacional dos Produtores de Alho (Anapa), atualmente presidida por Rafael Jorge Corsino, e da Associação Gaúcha dos Produtores de Alho (Agapa), hoje comandada por Olir Schiavenin (foto), também presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Flores da Cunha e Nova Pádua. Luizinho Bebber/Div./CR

Enquanto os vinhos brasileiros passam por avaliações e degustações, uma nova safra de uva se desenha. Em parte da Serra gaúcha, a brotação das videiras acontece de forma irregular. A brotação desuniforme significa que, na mesma videira, há gemas que não incharam ainda, brotos recém-abrindo (ponta verde), brotos com 10 cm, brotos com 15-20 cm e até maiores. “É diferente de má brotação, que é quando, simplesmente, parte das gemas das varas ou esporões, deixados na poda de inverno, não brotam durante o ciclo vegetativo em curso”, esclarece o engenheiro agrônomo, Ciro Pavan, que assessora produtores que cultivam viníferas. De acordo com Pavan, a brotação desuniforme pode ser causada por diversos fatores. Entre eles estão o excesso de gemas (poda de inverno muito rica) em plantas fracas (áreas de solo com problemas de fertilidade, excesso de umidade, doenças e pragas radiculares); interrupção do crescimento da brotação causada por períodos de frio abaixo de 10º C; plantas que sofreram algum tipo de estresse no ciclo anterior (seca, excesso de produção, pouco frio no inverno, desfolha precoce, plantas doentes ); poda seca atrasada (plantas já brotadas) etc.

Ciro Pavan/Divulgação/CR

Clima e má condução da videira são causas da brotação irregular

Encontro do alho I O XXVI Encontro Nacional dos Produtores de Alho ocorre dia 25 de outubro, no Salão Paroquial de Flores da Cunha. Estão programadas as palestras sobre a podridão branca, com o consultor Chukichi Kurazawa, e curva de absorção de nutrientes, com Anderson Feltrin, pesquisador da Epagri, e painel sobre o mercado do alho, com o pesquisador da Epagri Marco Lucini e José Portela, da Argentina.

Exemplo desuniformidade da videira no sistema latada, constatada neste ano na Serra originar brotos. Além disso, existem brotos que desenvolveram pouco e com poucas folhas”, explica. Segundo o agrônomo, isto pode implicar em redução da produtividade. Já quando a uva é destinada à produção de vinhos de alta gama (de qualidade alta), deve-se proceder a retirada dos brotos, que atingiram 30 centímetros ou menos de comprimento, até a floração. “O mais complicado e oneroso é no momento da colheita, pois esta deverá ocorrer de modo seletivo, ou seja, precisa ser feita, no mínimo, em duas vezes”, orienta Pavan. “Colhe-se na primeira passada os cachos maduros (com os índices enológicos desejados). Deve-se ainda aguardar até os demais cachos atingirem o mesmo nível de maturação”, ensina. Para esta operação a mão de obra deve ser muito bem treinada”, emenda.

ENCONTRO FAMÍLIA FAMÍLIA DE DE COSTA COSTA ENCONTRO Convidamos todos os parentes da Família de Costa para o 5º Encontro Internacional, dias 16 e 17 de novembro de 2013, em Videira - SC. Quem ainda não recebeu o convite, entrar em contato pelos telefones: (49) 3562-1510, 3562-1009, 3562-2200, 3533-1454, 3566-1210, 3566-5548. Confirmar presença até dia 1º de novembro

Conhecimento local como suporte Nesta safra, pouca coisa podese fazer. “No caso das plantas podadas com varas de seis ou mais gemas, tão logo se perceba que estão desenvolvendo apenas um ou dois brotos na extremidade, recomenda-se retirar estes brotos (já com cinco a dez centímetros). O objetivo é forçar a brotação das demais gemas mais próximas à base e interior da vara”, destaca Ciro Pavan. Também, em situações de plantas com brotos muito salientes (compridos em relação aos demais), deve-se retirar a ponta dos mesmos acima das inflorescências (cachos de flores). “Claro que tudo isto envolve uso de mão de obra, o insumo mais caro da viticultura”, observa. Conforme Pavan, o importante é o viticultor utilizar os conhecimentos existentes na viticultura

regional, que vão desde a escolha de áreas apropriadas para o cultivo, o preparo correto do solo, a escolha do porta-enxerto, da variedade, do sistema de condução apropriado ao destino da uva; o controle correto das doenças e pragas e a realização das operações indispensáveis no momento certo. “Conhecendo-se e praticando-se tudo isto e um pouco mais, ainda dependemos das condições climáticas favoráveis”, afirma. Conforme o agrônomo, o melhor ingrediente para ter boa e uniforme brotação das videiras é o inverno frio, sem muitas variações de temperatura, e um início de brotação sem paradas por queda de temperatura e com temperaturas crescentes. Este cenário é típico da primavera nas áreas serranas do Estado.

FALECIMENTO Irma Maria Bagatini Dalla Vecchia nasceu em 9 de março de 1930 e faleceu em 26 de agosto de 2013, em Anta Gorda/RS. Era casada com Mário Dalla Vecchia e desta união teve 11 filhos, 26 netos e 5 bisnetos. Um exemplo de mulher, mãe, avó, amiga. Tinha muita fé e amor no coração. Temos certeza de que Deus a chamou em seu Reino dando-lhe como recompensa um lugar entre os justos. Saudades... Descanse em paz!

Batatas-sementes A Embrapa realiza no dia 12 de novembro, em Canoinhas (SC), o curso para formação de amostradores de batatas-sementes. O curso tem por objetivo capacitar para a prática de amostragem de tubérculos e folhas em campo de produção de batata-semente. Informações pelo spm.ecan@ embrapa.br ou (47) 3624-0127. Epagri abre vagas A Epagri informa que as inscrições para o provimento de 94 vagas e formação de cadastro reserva estão abertas até o próximo dia 11 de novembro. As provas serão realizadas no dia 1º de dezembro de 2013. Para acessar o edital e informações: epagri2013.fepese.org.br Retroescavadeiras/Paraná A presidente Dilma Rousseff e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, entregaram, na sexta 4, 179 máquinas do PAC 2 a 154 municípios paranaenses. Foram investidos R$ 55,7 milhões na compra de 44 retroescavadeiras, 103 motoniveladoras e 32 caminhões-caçamba.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

13 - Agricultura F IG MONTE BELO

Da Terra

Os vinhos e espumantes acabam de dar ao Brasil mais uma Indicação Geográfica (IG). Trata-se da IG Monte Belo, na região vitivinícola da Serra gaúcha. O pedido foi aceito pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi), com base em pesquisas que comprovaram a tipicidade dos produtos. A certificação será entregue em dezembro à Associação dos Vitivinicultores de Monte Belo do Sul (Aprobelo). “Os primeiros vinhos com selo da IG chegarão ao mercado em 2014”, adianta o pesquisador da Embrapa Uva e Vinho, Mauro Celso Zanus. A IG Monte Belo possui 56,09 km2, distribuídos pelos municípios de Monte Belo do Sul (com 80% da área), Bento Gonçalves (11%) e Santa Tereza (9%). São dez as vinícolas associadas (ver quadro). “Com suporte técnico da Embrapa Uva e Vinho, estamos trabalhando na concretização do projeto desde 2004”, relata ao CR o presidente da Aprobelo, Antoninho Calza. O presidente da entidade lembra que associados eram produtores de uva e vinho de mesa para venda a granel. “Daí, enxergamos no desenvolvimento da IG uma possibilidade para ingressar no segmento de vinhos finos e espumantes de origem controlada”, lembra. Diferencial - A IG Monte Belo tem como grande diferencial o fato de ser constituída exclusivamente por vinícolas familiares. “Os estabelecimentos são de pequeno porte. Neles trabalham geralmente os próprios donos ou seus filhos”, observa Calza. “A IG nos coloca noutro patamar, em termos de projeção da qualidade”, acrescenta. O coordenador-geral do projeto de desenvolvimento de Indicações Geográficas de vinhos finos

Giovani Capra/Divulgação/CR

Vinícolas familiares são reconhecidas pelo Inpi

Indicação Geográfica Monte Belo abrange 56 km2 de três municípios da Serra gaúcha e espumantes da Serra gaúcha, pesquisador da Embrapa Uva e Vinho Jorge Tonietto, assinala que a região da IG Monte Belo sempre foi produtora de uvas de qualidade. “Agora, com a produção de vinhos de origem controlada no local, os produtores poderão agregar mais valor à produção”, comenta Tonietto. Monte Belo do Sul é o maior produtor per capita da AL, com 16 toneladas por pessoa por ano. Indicações - No Brasil, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) concedeu seis indicações geográficas do tipo DO. Duas são gaúchas, Litoral Norte Gaúcho (1ª do país) e Vale dos Vinhedos. As indicações geográficas do tipo Indicação de Procedência são 30. Na região Sul estão a Altos Montes, Monte Belo, Pampa Gaúcho da Campanha Meridional, Vale do Sinos, Pinto Bandeira, Pelotas, no RS; Vales da Uva Goethe (SC), Norte Pioneiro do Paraná (PR).

Vinícolas com indicação geográfica* Vale dos Vinhedos Cavalleri, Angheben, Valduga, Cooperativa Aurora, Famiglia Tasca, IFRS Campus Bento, Milantino, Miolo, Peculiare, Pizzato, Terragnolo,Vallontano, Don Laurindo, Larentis, Michelle Carraro, Titton, Capoani, Cavas do Vale, Cave de Pedra, Dom Cândido, Marco Luigi, Torcello, Toscana, Almaúnica, Lídio Carraro e Wine Park Gran Legado. Altos Montes Boscato, Casa Venturini, Cooperativa Nova Aliança,

Fabian, Fante, Luiz Argenta, Mioranza, Panizzon, Salvador, Terrasul, União de Vinhos, Valdemiz e Viapiana. Pinto Bandeira Don Giovanni, Geisse, Cooperativa Aurora, Pompéia, Terraças e Valmarino. Monte Belo Adega Del Monte, Armênio, Calza, Casa Angelo Fantin, Faé, Famiglia Tasca, Honório Milani, Megiolaro, Reginato e Santa Bárbara.

*Indicação geográfica divide-se em Indicação de Procedência - é o nome geográfico de um país, cidade, região ou localidade de seu território que se tornou conhecido como centro de produção, fabricação ou extração de determinado produto ou prestação de determinado serviço – e Denominação de Origem - é o nome geográfico de país, cidade, região ou localidade de seu território, que designe produto ou serviço cujas qualidades ou características se devam exclusiva ou essencialmente ao meio geográfico, incluídos fatores naturais e humanos.

Renegociação de dívidas O Conselho Monetário Nacional (CMN) publicou na quarta-feira 2 a resolução n° 4.272, que autoriza a renegociação das operações de crédito rural destinadas à produção de soja, milho e trigo, cujos contratos foram efetuados entre as safras 2003/2004 e 2010/2011. A norma abrange os municípios gaúchos atingidos por estiagem nos anos de 2005 e 2012, e que tenham decretado estado de emergência ou calamidade pública. Renegociação/saldo O saldo devedor das operações poderá ser refinanciado em até 10 anos, em parcelas anuais, com o pagamento da primeira parcela sendo efetuado até um ano após a formalização. Os juros foram fixados em 5,5% ao ano. Para se credenciar à renegociação, os produtores deverão formalizar o pedido junto à instituição financeira até 30 de dezembro de 2013. Escola em Anta Gorda A propriedade de Arlei Parisotto, da Linha Dr. Borges de Medeiros, em Anta Gorda, foi a primeira a receber a Escola do Leite, da Cosuel. A Escola do Leite permite que os associados recebam informações de forma coletiva, por meio de encontros itinerantes, com a participação de profissionais do corpo técnico da cooperativa. Inicialmente, participam produtores de Anta Gorda, Arvorezinha, Doutor Ricardo, Ilópolis, Itapuca, Nova Alvorada, Putinga e Relvado.

Assine o Correio Riograndense

Informação, cultura, opinião, entretenimento, curiosidades e muito mais Preencha o cupom e envie. Não precisa selar. Basta recortar este cupom e colocar em qualquer caixa de coleta dos correios. A cobrança será feita por boleto bancário.

Assinale a opção de assinatura:

□ Via Agente: R$ 135,00 □ Via Correio: R$ 145,00 (endereço na capa - mala direta) □ Carta: R$ 230,00 (dentro de envelope lacrado) Nome: _______________________________________ ______________________________________________ Rua: __________________________________________ _____________________________ Nº ______________ Compl.: ____________ Bairro: _____________________ Cidade: ________________________________________ CEP _____________________ Estado _____________ Telefones: ( ) __________________________________ E-mail: ________________________________________

9912326314 - DR/RS


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

14 - Geral

“A criação da Semana das Etnias foi a de reverenciar e homenagear as diversas raças, com variadas atividades.” Iraci Marin, coord. Ponto de Cultura Casa das Etnias

F CAXIAS DO SUL

Evento valoriza as raças que formam o povo caxiense Será realizada no Ponto de Cultura Casa das Etnias, num dos prédios da Cantina Luiz Antunes, antigo albergue municipal, a 3ª Semana das Etnias. O evento ocorre de 21 a 27 de outubro, com extensa programação. A Prefeitura de Caxias do Sul reformou o prédio, por ser patrimônio do município, o qual está sendo colocado à disposição da comunidade, através de um Ponto de Cultura. A abertura do evento ocorre no

dia 21, às 20h30, com a inauguração do prédio reformado, do Ponto da Cultura e coquetel. No dia 22, jantar típico; dia 23, às 20h30, apresentação de grupos de danças de diferentes etnias; dia 24, exposição e venda de artesanato típico; dia 25, show; dia 26, às 20h30, apresentação de corais; e no dia 27, missa na igreja Cristo Redentor, às 11 horas, seguida de almoço de confraternização. A Semana da Etnias foi institu-

ída pela Lei Municipal nº 6.588, de 12 de setembro de 2006 e estabelece que o evento será realizado todos os anos na última semana de outubro. “Em Caxias do Sul, embora predomine a etnia italiana, existem inúmeras outras, todas com grande riqueza cultural. É justamente isso que a Semana das Etnias quer mostrar: a variedade de expressões étnicas”, afirma Iraci Marin, coordenador do Ponto de Cultura Casa das Etnias.

F FLORES DA CUNHA A Câmara de Vereadores de Flores da Cunha aprovou o projeto de lei 062/2013, que objetiva a recuperação e restauração do Casarão dos Veronese, localizado em Otávio Rocha. O valor de R$ 2.554.759,00 é oriundo da Lei de Incentivo à Cultura. A propriedade foi tombada pelo Estado em 27 de novembro de 1986. A área do Casarão foi desapropriada pela Prefeitura. Restaurado, o prédio servirá de sede do roteiro Turístico Casarão de pedra erguido em 1895 no estilo da Idade Média Caminhos da Colônia.

Encontros de Família Família Pegoraro Será realizado nos dias 19 e 20 de outubro de 2013, em Barra Funda (RS), o IX Encontro Nacional da Família Pegoraro. Lembrando uma frase de Edmundo Burke - “As pessoas não serão capazes de olhar para a posteridade, se não tiverem em consideração a experiência dos seus antepassados” -, Zeneide M. Z. Hahn, de Sarandi, destaca que o encontro tem extensa programação.

Família Parisotto A cidade de Jaborá, em Santa Catarina, acolhe, nos dias 26 e 27 de outubro, o 20º Encontro da Família Parisotto. “Confirmar presenças até 22 de outubro, através dos telefones (49) 3526.1270 (c) ou 3526.1248 (r), com Remi ou Zulmira; (49) 9912.9228, com Flávio ou (49) 9155.4467, com Deoclácio”, informa Gomercindo Parisotto, integrante das Comissões Permanentes.

Divulgação/CR

Câmara aprova recuperação do Casarão Veronese

F NOVA PRATA

Coro Armorial O Encontro Festivo de Coros marcou os 39 anos do Coro Armorial, de Nova Prata. O grupo foi fundado em 4 de outubro de 1974. Atualmente conta com 22 integrantes e é presidido pela professora Josefina Rapkiewicz Lechmann e pelo preparador vocal e maestro Marlon Gausmann. O Coro Armorial é motivado pela filosofia do lema “Pelo Canto, Alegria e Amizade”. O grupo realizou 420 apresentações, no período.

Economia caxiense Com crescimento de 6,3%, o comércio foi o principal responsável pela alta de 2,6% no desempenho da encomia de Caxias do Sul em agosto, se comparada a mês anterior. A indústria cresceu 2,5% e os serviços, 0,9% no mesmo período. Números de desempenho da economia caxiense foram apresentados na quarta 2, pela CIC e CDL. Apesar da recuperação, o comércio registrou quedas expressivas na comparação com agosto de 2012 (-18,5%) e no acumulado do ano ADA Imóveis A ADA Imóveis inaugurou nesta terça 8, na av. Rio Branco, 200, Bairro São Pelegrino, seu escritório, apresentando um novo conceito em negócios imobiliários em Caxias do Sul. Mais que serviços de compra e venda de imóveis, a ADA quer oferecer experiências imobiliárias. Fundada por Ada Basotti (foto) e dirigida por ele e os filhos Marcelo e Fabrício, a ADA Imóveis oferece soluções em imóveis residenciais, comerciais e industriais e também atua no segmento de projetos ainda na planta.

Daniel Herrera/Div/CR

A semana das etnias

Casas Bahia Pelo 11º ano consecutivo, a Casas Bahia é o maior anunciante do Brasil, de acordo com o ranking elaborado pelo Meio & Mensagem, com 300 companhias. A rede destinou R$ 1,32 bilhão em propaganda em 2012. Em segundo lugar aparece a Unilever, com R$ 1,15 bilhão.

Orquídea Após o lançamento dos biscoitos recheados, a Orquídea, de Caxias do Sul, apresenta o “queijo parmesão ralado” como combinação perfeita para as massas Orquídea, apresentadas em opções com ovos, sem ovos, integral e grano duro. O queijo ralado vai às gôndolas em embalagens de 50g.

Giovana Schmitt/CIC/Div/CR

Panorama

CIC divulgou números (-9,9%). Em relação a agosto de 2012, o melhor desempenho é da indústria, que cresceu 11,4%. Seguro tumulto Microempreendedores individuais (que trabalham em casa, por exemplo) têm agora um pacote específico de seguro, com cobertura para equipamentos de trabalho. A novidade é o pacote empresarial com a cobertura opcional de tumulto, segmento que mais registrou procura nos últimos meses.

Oi e Telecom Após meses de negociação, a Oi e a Portugal Telecom anunciaram na quarta 2 a intenção de fusão das duas teles, que formarão um grupo multinacional chamado de CorpCo. A nova companhia soma mais de 100 milhões de clientes no Brasil, Portugal e alguns países da África e Ásia. A receita combinada é de R$ 37,45 bilhões. Megaoperadora No Brasil, a nova empresa continuará operando com o nome Oi e, em Portugal, com o nome Portugal Telecom. A fusão das duas empresas prevê um aumento de capital de pelo menos R$ 13,1 bilhões na operadora brasileira, além do lançamento de ações. Randon/mineiros A cidade de Betim foi palco da entrega de 71 retroescavadeiras Randon, adquiridas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) para 71 prefeituras de Minas Gerais. Veículos fazem parte de um lote total de 621 máquinas fornecidas pela Randon ao MDA.

Foca e Braun A empresa norte-americana produção da Foca no segmento The Braun Corporation adquiriu de elevadores para acessibilida50% da participação societária de em ônibus. A Foca é uma das da Foca Mobilidade Inteligente, principais fabricantes de catrade Caxias do Sul. Com a aqui- cas e elevadores para ônibus do sição, a Braun passa a fornecer Brasil. Os valores da negociatecnologia para incrementar a ção não foram divulgados.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

15 - Geral Loterias LOTERIA FEDERAL 05/10/2013

1º ........................ 31.458 2º ........................ 11.270 3º ........................ 48.402 4º ........................ 17.507 5º ........................ 48.663

QUINA

Concurso 3304

04 - 13 - 27 - 42 - 62 Concurso 3305

09 - 15 - 23 - 31 - 54 Concurso 3306

26 - 35 - 43 - 53 - 71 Concurso 3307

07 - 26 - 31 - 59 - 76 Concurso 3308

15 - 17 - 32 - 45 - 71 Concurso 3309

02 - 18 - 22 - 27 - 68 LOTOFÁCIL Concurso 962

01 - 04 - 06 - 08 - 09 11 - 13 - 14 - 15 - 17 20 - 21 - 22 - 23 - 25 Concurso 963

03 - 04 - 06 - 07 - 09 10 - 11 - 14 - 15 - 16 17 - 18 - 19 - 23 - 24 Concurso 964

01 - 02 - 03 - 04 - 07 09 - 10 - 11 - 15 - 17 18 - 19 - 20 - 21 - 23 MEGA-SENA

CASAMENTOS

Coluna do Agente

REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS DE GALÓPOLIS CAXIAS DO SUL

ESTRADA FEDERAL, BR 116, KM 160, Nº 755 - GALÓPOLIS - CAXIAS DO SUL-RS - (54) 3284-1033

Novas assinaturas O Correio Riograndense está com uma promoção voltada aos agentes do jornal. Os 10 primeiros agentes que enviarem cinco novas assinaturas até o dia 1º de novembro de 2013, serão premiados com os livros Retratos da Colônia, 2ª edição, de frei Arlindo Battistel, divulgador do CR. São dois volumes realmente de peso – seis quilos -, em cujas 1.360 páginas são mostradas 5.384 fotos que retratam os costumes, as tradições, a história, a religiosidade, a moda, as atividades e a vida de

imigrantes italianos, alemães, poloneses e de outras etnias. Para participar, basta enviar os dados dos novos assinantes dentro do prazo, através do e-mail comercial@jornalcr.com.br ou pelo telefone (54) 3220.3232. Os valores das assinaturas anuais são: R$ 135,00 (via agentes), R$ 145,00 (individual, via correios) ou R$ 230,00 (individual, como carta). E para quem fizer três ou quatro novas assinaturas, o brinde é uma Bíblia, edição pastoral. Aproveitem!

CASAMENTOS

REGISTRO CIVIL DE ANA RECH - CAXIAS DO SUL-RS BR116, km 147, nº 15.999 - CEP 95059-520 Caxias do Sul-RS - Fone: (54) 3238.1111 Cláudio Klering - oficial Emerson Roberto Klering - oficial substituto Comunica que pretendem contrair matrimônio as seguintes pessoas: EDITAIS: 5950/128 até 5954/132 1 - ALEX SANTOS COSTA E DÉBORA DIAS PESSOA. 2 - RAFAEL VARELA DA SILVA E CRISTINA BOFF. 3 - MOISÉS MARCELO MORAIS DOMINGUES E KELEN NUNES DA COSTA. 4 - ALSON PIRES DE SOUZA E GISELE DE PAULA SANTOS. 5 - JONATHAN STUANI E PATRÍCIA ANDRÉA CASTILHOS MAZZOCHI- CÓPIA. Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o no prazo e na forma da lei. Caxias do Sul, 03 de outubro de 2013

LOANDA MARIA LOPES MILANI - OFICIAL Comunicam que pretendem contrair matrimônio as seguintes pessoas RAFAEL JOÃO DEBASTIANI e FABIANE FRASSINI Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o no prazo e forma da lei. Caxias do Sul, 04 de outubro de 2013 LOANDA MARIA LOPES MILANI REGISTRADORA

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

O SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS QUÍMICAS, FARMACÊUTICAS E DE MATERIAL PLÁSTICO DE CAXIAS DO SUL, inscrito no CNPJ sob n° 90.774.720/0001-05, com sede na rua Flores da Cunha, 1667, em Caxias do Sul/RS, convoca a todos os associados deste sindicato, quites com a tesouraria para uma sessão de assembléia geral, a realiza-se no dia 15 de outubro de 2013, na sede do Sindicato na rua Flores da Cunha, 1667- Centro - Caxias do Sul, em primeira convocação às 18:30 horas e em segunda e última convocação às 19:00 horas. ORDINÁRIA: - Leitura, discussão, aprovação ou não da proposta de previsão orçamentária para o exercício de 2014 com o parecer do conselho fiscal. Caxias do Sul, 01 de outubro de 2013 Adão Arnaldo José Rodrigues Presidente

CASAMENTOS SERVIÇO NOTARIAL E DE REGISTROS DE SANTA LÚCIA DO PIAÍ MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL-RS Rua Rosa Franciosi Giordani, nº 110, sala 03 - Distrito de Santa Lúcia do Piaí CEP 95.130-000 - Telefone/Fax: (54)3266-1286

Daniela Bellaver Fistarol Registradora Civil Comunica que se habilitaram ao casamento, as seguintes pessoas:

Edital nº 814 JANIR REISNER e SABRINA KNACK

CASAMENTOS

13 - 18 - 29 - 32 - 50 - 58

Rua Alfredo Chaves, nº 557 - Fone: 3221.7645 CARLOS ALBERTO FRAINER - Registrador PELO REGISTRO CIVIL DE PESSOAS NATURAIS E DE INTERDIÇÕES E TUTELAS DA 2ª ZONA DESTA CIDADE, HABILITARAM-SE PARA CASAR AS SEGUINTES PESSOAS:

Se alguém souber de algum impedimento, oponha-o no prazo e na forma da lei. Caxias do Sul-RS, 30 de Setembro de 2013 Daniela Bellaver Registradora Civil

LOTOMANIA

Editais nº 30.963 a 30.970

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE VIDROS, CRISTAIS, ESPELHOS, CERÂMICAS, LOUÇAS E PORCELANAS DE CAXIAS DO SUL

Concurso 1535

08 - 09 - 25 - 41 - 54 - 55 Concurso 1536

Concurso 1389

02 - 14 - 17 - 23 - 32 - 36 - 46 49 - 52 - 60 - 64 - 71 - 72 - 73 76 - 82 - 85 - 86 - 91 - 94

EDITAL DE CASAMENTO Dione Aparecida de Conto, Tabeliã e Registradora do Serviço Notarial e de Registros de Vila Seca, faz saber que pretendem casar as seguintes pessoas: - GILVAN ALVES PRUX, filho de Adão Alves Prux (In Memoria) e de Terezinha Eloci Alves Prux e BRUNA DA FONSECA, filha de Adão Alvacir da Fonseca e de Maria Luiza da Fonseca, pelo Regime da Comunhão Parcial de Bens. Quem souber de algum impedimento, oponha-o no prazo e na forma da lei. Caxias do Sul, 07 de Outubro de 2013

- VAGNER JOSÉ CORREA E MARINEZ VIEIRA - CASSIANO SOUZA VARELA E TATIANE DE OLIVEIRA - TIAGO DANIEL DA SILVA E ANGRA DE OLIVEIRA SENA - EDUARDO CUNHA GONÇALVES E CLEUSA CAMANA - ÉVERTON FERNANDO LENTZ DE PAULA E DÉBORA DA COSTA RAMPON - DIEGO SLONGO ANDREIS E PRISCÍLA PICCOLI DE SOUZA - GLEINO HERODES KILIN DOS SANTOS E JÉSSICA ÁVILA DE MATOS - DAVID NICHOLAS FORMICA E FABIANA RECH Caxias do Sul, 07 de outubro de 2013

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL - ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO - COMARCA DE CAXIAS DO SUL SERVIÇO DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS DA 1ª ZONA

CASAMENTOS

Fone: 3226-7980 ROBERTO RUSCHEL DA SILVA - Oficial Registrador. FAZ SABER, que por este Serviço, habilitaram-se ao casamento as seguintes pessoas: (Editais nº 27.088 ao 27.122) - Janí Santos e Nerosilde Marques da Silva - Rafael Sgarioni Vargas e Ana Paula Gritti - Vítor Guilherme Lemes dos Santos e Júlia de Lima Cardoso e Oliveira - Juliano da Silva Feijo e Angela Maciel da Silva - Jorge Ribeiro da Silva e Iolanda Ribeiro Martins - José Raimundo Fiamenghi e Heloisa Varela Boeno - Argeu da Silva e Lucimara Velho dos Santos - Marcos Ferreira Lemes e Paola Groff - Álisson de Oliveira de Lima e Karoline Canali - José Tiago Diel Meurer e Isabel Diel Kochhann - Maico Antonio Ribas Crispam e Joice Maria da Costa Garcia - Sandro Alex Porto da Silva e Miriam Justina Reis - Gabriel Perozzo e Camila Mazzochi de Lima - André Pastore e Viviane Schiochet - Wilson José Lehapan Junior e Andrelise Caon - José Miguel Rosa e Simone de Fátima Nascimento - Júlio César Oliveira Ferreira e Fabíola Tizatto - Olavo Dias Nunes e Águeda Maria de Souza Almeida - Ronaldo Santos de Oliveira e Regina Amaral de Lima - Eduardo Taufer e Aline Santos Vieceli - Magaiver Berardi dos Santos e Ana Lúcia Barreto Bugança - Márcio Rodrigues dos Santos e Vanessa Liamara Klein Lambert - Lucas Rosmar de Azevedo e Josiane Leite Ferreira - Éder Omar Rodrigues de Mattos e Vanessa Waschow - James Ricardo Maciel Pereira e Michele Morais Falcão SE ALGUÉM SOUBER de algum impedimento, oponha-o no prazo e na forma da lei. Caxias do Sul, 7 de outubro de 2013 ROBERTO RUSCHEL DA SILVA - Oficial Registrador

Com sede à Rua Pinheiro Machado, 1.640- 3º andar em Caxias do Sul - RS. CGC. nº 88.662.358/0001- 20,com base territorial em Caxias do Sul, Garibaldi, Farroupilha, Flores da Cunha, Bento Gonçalves, Vacaria e São Marcos.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO OPelo presente Edital, convoco todos os Trabalhadores, integrantes da Categoria Profissional, representados por este Sindicato, exercentes de atividades nas Indústrias: de Vidros, Cristais, Espelhos, Cerâmicas, Louças e Porcelanas sediadas na base territorial do Sindicato, para uma SESSÃO DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, a realizar–se no dia 14 de outubro de 2013, em primeira convocação às 18:00 horas, em Segunda convocação às 19:00 horas, tendo por local a sede social do Sindicato localizada na Rua Pinheiro Machado, 1.640- 3º andar em Caxias do Sul - RS, para os trabalhadores exercentes de atividades nos Municípios da Base Territorial de Caxias do Sul, Farroupilha, Flores da Cunha Vacaria e São Marcos. No dia 15 de outubro de 2.013, para os trabalhadores exercentes de atividades nas Indústrias sediadas nos Municípios da base Territorial de Garibaldi e Bento Gonçalves, tendo por local a Sub-sede do S. T.I. de Alimentação de Caxias do Sul sita na Rua João Pessoa, 343 em Garibaldi – RS. Em primeira convocação ás 18:00 horas, em Segunda convocação às 19:00 horas a fim de deliberar sobre a seguinte Ordem do Dia: 1 - Deliberar sobre a conveniência ou não de ser instaurada Revisão do Dissídio Coletivo e/ou Convenção Coletiva de Trabalho das condições estabelecidas em 2.013. 2 - Em caso afirmativo bases a serem pleiteadas e para conciliação. 3 - Deliberar sobre a outorga de poderes ao Presidente do Sindicato para adotar todos os atos pertinentes a Negociação Coletiva e em caso de malogro das negociações o encaminhamento para via judicial, podendo, ou não optar pelo arbitro mediador de negociação. 4 - Deliberar sobre importâncias ou percentuais a serem descontados e recolhidos aos cofres do Sindicato para fins de Assistência Social. 5 - Deliberar sobre importância ou percentual a ser descontado e recolhido aos cofres do Sindicato para fins de Custeio do Sistema Confederativo, conforme faculta a Constituição Federal, no art. 8º, Inciso IV. 6 - Deliberar sobre a concessão de poderes ao Presidente do Sindicato para no curso das negociações receber contra - propostas conciliatórias, aceita-las, rejeita-las, constituir procuradores com poderes para o fim de adotar todas as medidas judiciais e extra - judiciais necessárias, firmar acordo, Convenção Coletiva de Trabalho, e em caso de malogro das negociações na via administrativa o encaminhamento da Ação Judicial competente. Caxias do Sul 9 de outubro de 2013 Percy Montanari Presidente


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

“Todas as grandes personagens começaram por ser crianças, mas poucas se recordam disso.” Antoine de Saint-Exupéry (1900-1944), escritor, ilustrador e piloto francês

16 - Sabe-Tudo

✦ DIA DA CRIANÇA

Ria se puder

A festa da infância

Estavam dois caminhões voando, quando um deles falou:

Elas têm direitos que visam o desenvolvimento sadio

Declaração Universal dos Direitos da Criança - ONU 1959 ✦ Direito à igualdade, sem distinção de raça, religião ou nacionalidade. A criança desfrutará de todos os direitos enunciados nesta Declaração. Estes direitos serão outorgados a todas, sem qualquer exceção, distinção ou discriminação à criança ou à sua família. ✦ Direito a especial proteção para o seu

desenvolvimento físico, mental e social. A criança gozará de proteção especial e disporá de oportunidade e serviços, de modo que possa desenvolver-se física, mental, moral, espiritual e socialmente de forma saudável e normal, assim como em condições de liberdade e dignidade.

✦ Direito a um nome e a uma nacionalidade.

A criança tem direito, desde o seu nascimento, a um nome e a uma nacionalidade.

✦ Direito à alimentação, moradia e

D O O Ã

Ç

P

E

C

E

D O

I

A Q O

A T

A

F

k N

I

A

R

Ç

E

C O N

I

B

A O M G Q P

C

z D A

I

E

Y

A

I

C N

E

E

B

X

L

k M X N O H

S O

T

O M E

E

A

Y

A

A A G

F

A

V

R

R

F

I

S

E

R O

L

F

P

P

B

E w R

A

E

T

I

R Q O O C

z

E

U

E

O Ã O R M

I

R N A O Y Q w

E M O Ç

à O O

T

E

D P

A w E

C

E w P

P D

L

I

F

E

T

R

E

J

G C

R

J

A Q O H

A A

I

D

S

k N O B

R Q

S

S

I

C H O

I

A

I

X

E

S

I

I

z

R

C

P

H D

S

O V

I

R

E

J

E

I

T

A D O

S

I

A A

I

P

z

I

E

E

X

E

F

k

z

V

X

J

A

R D

I

M R

I

C M A

E

O z

O A A E

J

I

U A E

I

z

I

I

B

O N A A

F

S M H A H L

A

I

z

E

S

A

S

B N

F

E

J

O

I

z

k

C

I

A

L

F

O X

R

G A

R

I

D A

k

R

R 1

de lógica ambientados no universo místico da Idade média

I O R M Q A U R I T D I E R A I S O N S

R

L F

R I Q U E Z A

O

www.coquetel.com.br

S E R O O C I N A T O B S A

NAS BANCAS E LIVRARIAS

O Ã Ç P E C E D R A I C N E C O N I A Z S O T O M E R Ã V E M O Ç Ã O A R N O B R E S C

60 jogos

Solução

mais de

D A

de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos. A criança deve ser protegida contra as práticas que possam fomentar a discriminação racial, religiosa ou de qualquer outra índole. Deve ser educada dentro de um espírito de compreensão, tolerância e amizade entre os povos.

Para tudo na vida o homem busca uma RAZÃO ou significado, o que não poderia ser diferente com as FLORES. Cada uma delas e suas cores representam uma EMOÇÃO ou estado de espírito. O CRAVO simboliza aquilo que chamamos dor de cotovelo, que é o que sentimos quando somos REJEITADOS por quem estamos apaixonados. É considerado uma flor masculina, e, apesar de estar ligado à DECEPÇÃO amorosa, é usado na lapela dos NOIVOS no dia do casamento. A MARGARIDA é o símbolo da INOCÊNCIA e está ligada à história do MARTÍRIO de São Dionísio, na Idade Média, quando, após ser morto, caminhou por vários quilômetros até tombar. No local, teria nascido um JARDIM de margaridas. As ORQUÍDEAS representam RIQUEZA e status social. No século XIX, na Inglaterra, NOBRES encomendavam a BOTÂNICOS exemplares dessas flores, bastante raras àquela época, nos lugares mais REMOTOS do planeta. Já as ROSAS, desde sempre, simbolizam o amor, e, de acordo com sua cor, têm vários significados.

I

✦ Direito a crescer dentro de um espírito

Significado das flores

M A R G A R

✦ Direito a ser protegido contra o abandono e a exploração no trabalho. A criança deve ser protegida contra toda forma de abandono, crueldade e exploração. Não será objeto de nenhum tipo de tráfico. Não se deverá permitir que a criança trabalhe antes de uma idade mínima adequada.

© Revistas COQUETEL 2013

Procure e marque, no diagrama de letras, as palavras em destaque no texto.

I M

dos pais e da sociedade. A criança necessita de amor e compreensão, para o desenvolvimento pleno e harmonioso de sua personalidade. Sempre que possível, deverá crescer com o amparo e sob a responsabilidade de seus pais, mas, em qualquer caso, em um ambiente

lugar, em caso de catástrofes. A criança deve, em todas as circunstâncias, figurar entre os primeiros a receber proteção e auxílio.

CAÇA-PALAVRAS

www.coquetel.com.br

S O V T A D O S

✦ Direito ao amor e à compreensão por parte

✦ Direito a ser socorrido em primeiro

Palavras cruzadas diretas

I

a criança física ou mentalmente deficiente. A criança física ou mentalmente deficiente ou aquela que sofre da algum impedimento social deve receber o tratamento, a educação e os cuidados especiais que requeira o seu caso particular.

A criança tem direito a receber educação escolar, gratuita e obrigatória, ao menos nas etapas elementares. O interesse superior da criança deverá ser o interesse diretor daqueles que têm a responsabilidade por sua educação e orientação; tal responsabilidade incumbe, em primeira instância, a seus pais. A criança deve desfrutar plenamente de jogos e brincadeiras educativas. A sociedade e as autoridades se esforçarão para promover o exercício deste direito.

- Porque era uma caminhão-pipa!

J A R D

✦ Direito à educação e a cuidados especiais para

✦ Direito à educação gratuita e ao lazer infantil.

Em seguida, caiu. O outro, permaceu voando, por quê?

R E J E

assistência médica adequadas para a criança e a mãe. A criança terá direito a crescer e desenvolver-se em boa saúde. Para essa finalidade deverão ser proporcionados, tanto a ela, quanto à sua mãe, cuidados especiais, incluindo-se a alimentação pré e pós-natal. A criança terá direito a desfrutar de alimentação, moradia, lazer e serviços médicos adequados.

de afeto e segurança moral e material. Salvo circunstâncias excepcionais, não se deverá separar a criança de tenra idade de sua mãe. A sociedade e as autoridades públicas terão a obrigação de cuidar especialmente do menor abandonado ou daqueles que careçam de meios adequados de subsistência. Convém que se concedam subsídios governamentais, ou de outra espécie, para a manutenção dos filhos de famílias numerosas.

sxc.hu/Correio Riograndense

O Dia da Criança é festejado em todo o mundo, mas cada país comemora de acordo com sua cultura. No Brasil, a data é celebrada no dia 12 de outubro. Em muitos países, o Dia da Criança é 20 de novembro, data em que a Organização das Nações Unidas oficializou a Declaração Universal dos Direitos da Criança, em 1959 (abaixo). Hoje, o ato de dar presentes para as crianças na data comemorativa passou a ser quase uma obrigação. Na tentativa de evitar o consumo exagerado e estimular práticas colaborativas entre os pequenos, o Instituto Alana lançou um movimento estimulando a realização de um Dia da Criança diferente, no qual elas trocariam brinquedos e livros usados em uma feira. Esta é uma prática que permite trabalhar questões como solidariedade, consumismo, sustentabilidade. Além disso, as feiras possibilitam o entrosamento e a socialização. Mais do que trocar brinquedos que já não interessam como antes, a experiência é enriquecedora por dar novos significados a objetos antigos. Alguém se anima a organizar uma feira de troca em sua comunidade? A criança deve desfrutar de brincadeiras

- Ei, amigo, caminhão não voa!

Suspense e ação Todo acusado é considerado inocente até ser declarado culpado. Na história de Theodore Boone, de John Grisham (Editora Rocco), nem todos pensam assim. O desafio do jovem aprendiz de advogado é provar a própria inocência. A obra, dirigida ao leitor juvenil, é recheado de intriga, suspense, muita ação e adrenalina. O livro tem 312 páginas e a tradução é de Ana Deiró.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

“Omission vol dir... vol dir... Sonti mi là cossa vol dir sta omission!?” Nanetto Pipetta

Arlindo Battistel

La desimpacadera

El ritorno de Nanetto Pipetta (737) Ilustração Derli Dutra, São José do Ouro (RS)

Le sante mission pregade dai frati capucini

Honório Tonial

Sergio Angelo Grando

Chi me l’à contada el ze stato el Eder Balen quando che’l me ga portà el gàs par el fogon. Un tosato ndea a morose a caval de na egoeta impacadera. Tante olte la se fermea ntea strada e no ghe zera santi de farla ndar avanti. El ze ndato dal veterinàrio e el ga dimandà cosa che’l podaria far par tirarghe la barde de sta bèstia. - Mi gavaria na pomada par méterla soto a coa e la va avanti suito. Alora el toso la ga comprada. Un bel sabo el monta a caval par ndar a morose dea Gelina, la fiola del negossiante. Co’l riva darente un pontesel la ègoa la se impaca e no la vol più móverse. El ga dato sicotade, el ga osà, el ga bestemà e no ga giovà gnente... La ègoa là, ferma come un palanco. - Ah! Incoi vui proar la pomada desimpacadera...! El verde el tubeto, el ciapa na sbrancada de pomada, el ghe alsa la coa dea ègoa, el ghe sfrega la pomada polito... Cari, la bèstia ga dato na curcuviada e la se ga invià come na saeta, via banda la casa dea morosa ndove la gera costumada ndar. Ma, e adesso? El toso zera restà là mpiantà in meso la strada. Come far par ndar a veder la so inamorada? El ga pensà: - “Faméie, qua darente no ghinè e el negossiante el stà distante”. E dopo de avelirse ghe ze vegnesto na bela idea ntea testa. - Se la pomada la ga fato efeto ntea egoeta, la proo anca mi. No’l ga gnanca ben finio de passàrsela ntele culate che’l se ga invià pi sgoelto che el vento, el ga passà via la ègoa e el ze rivà casa dea Gelina mesa ora prima dea bèstia. Magari, el gera tuto sudà, descaveià e el gavea na tremarola che mai.

Ze stà on tempo che i frati capucini i ze vegnisti a pregar le mission a San Roco, poco distante de Santantoni dea Seconda. Zera oto giorni de preghiere, prèdiche, messe e confission. I zera quatro frati preparai pa’l ofìssio. I disea quel che i gaveva de dir de na maniera s-ceta, sensa mede parole. Nel primo giorno, on sabo, se ga istradà squasi tute le società vicine: Santantoni, San Giuseppe, Pedancino e tanta gente de la cità. Intrà de questi, Nanetto e tuta la faméia de Pino. Chi a pié, chi a caval e ncora tanti de careta, i ga impienio la piassa de San Roco. Quando el Nene, par la man de la mama e del pupà, secondai par la zia Marieta e Nanetto, i ga proà ndar rento in cesa,

Erechim - RS

Par rider un pochetin Condecorassion: Un soldà se ga sometesto a un esame de sangue ntele man de na gióvane e inesperiente infermiera, che la ghe ga sponcià el brasso almanco meda dùsia de volte vanti catar la vena. Dopo de tanto, la ga fenio la ‘operassion’, ma’l soldà gnente de ndar via. – Go belche fenio! Cossa situ drio spetar? ghe domanda impassiente la infermiereta. – La medaia de condecorassion par ferimenti e braùra, ghe risponde el soldà. Funsionalismo: Na matina, un funsionàrio pùblico se senta a tola par bever el cafè, el merguia ntel giornal e el se desméntega dea vita. Dopo de menuti el domanda nantra cìcara. – Nantro cafè? Ghe osa la sposa. Varda le ore! Vetu mia laorar oncó? – Laorar? El sclama el omo, spaurà. Òstrega! Gavea pensà che mi gera ntela repartission! La consulta: Un ciucheton ze restà malà e el ze ndà dal dotor. Dopo verlo zaminà, el ghe dise al omo: - Caro, massa poco sangue ntela to corente alcòlica! Sensa fondo: El dotor riclama del passiente: - El sieche che te me ghè pagà el tratamento el ze ritornà. – Ah, dotor, anca la me artrite!

Porto Alegre - RS

no i ga podesto, parché la stessa l’era piena come na cassa de ave africane. Fora dea cesa zera frescheto, ma pena messo el naso tea porta, el Nene ga dito: - Quà rento par un forno. Cossi stesso i ga compagnà la messa fora dea cesa e no i ga perso na parola, parché el frate gaveva na bona vose e se scoltava parola par parola. Durante la prèdica, el frate ga discoresto sora el pecato e el ga dito che sempre semo in pecato, parché i pecati se li fa de quatro maniere: par pensamenti, parole, òpere e omission. El Nene se volta contra Nanetto e soto vose el ghe domanda: - Cossa zela omission? - Ma te si baucheto, ghe risponde Nanetto. Omission vol dir... vol dir... Sonti mi là cossa vol dir sta omission!? Ze rivà l’ora de la comunion e due

frati coi càlice pieni de òstie benedie, i ze vegnisti fora par darghe la comunion a quei che no ga podesto ndar rento in cesa. Tuti ga tolto la comunion. Quando ze rivà l’ora del Nene el ga fato finta no veder el frate e no’l ga alsà la testa e tirà fora la léngoa par comungar. El frate gavarà pensà che el toseto no gaveva fato la prima comunion e le ndà vanti. Tel ritorno a casa, el Nene ga dito: - Nanetto, mi cato che sò cossa vol dir el pecato de omission. Ze cossita: se te vien vóia de bestemar, par esempio, e no te bestemi, te te ghè omitio de bestemar e alora anca par quela te ghè fato on pecà. - Alora ze stà par quela che no te ghè volesto comungar? - Ze stà pròpio par quela. Te quel momento no zera securo de esser sensa pecati e par quel tanto là, no ò tolto la comunion. Ma, doman, vegno a le funsion pi bonoreta, vao confessarme e dopo, sensa pecati, vago tor la comunion contento.

Sabores da terra Bolinho de milho verde

Ingredientes: 2 espigas de milho; 2

ovos; 1 pires de farinha de trigo; 1 colher pequena de sal; 1 colher de fermento em pó; tempero verde a gosto; leite para dar o ponto de bolinho.

Reprod./CR

Vita, Stòria e Fròtole

17 - Imigração

Modo de fazer: cozinhar o milho em água. Após, separar os grãos da espiga e colocar em uma vasilha, acrescentando os demais ingredientes. Mexer bem para misturar. Com uma colher (sopa), levar pequenas porções para fritar em óleo de leite, misturando delicadamente com o molho branco; cozinhar a cebola com uma colher. Levar à geladeira. duas colheres de azeite, juntar o caldo e bem quente, formando os bolinhos. o requeijão e reservar. Montar a lasanha, • Receita de Erani Maria de Souza - Vila Seca • Receita de Lorena Toss - Ana Rech colocando uma camada de massa, uma de molho de guisado, queijo fatiado. OuEspuma de laranja Lasanha de massa tra camada de massa, presunto, molho Ingredientes: 2 copos de suco de laranIngredientes: 1 pacote de massa grava- branco e o queijo ralado. Finalizar com ja (500ml); 3 colheres (sopa) bem cheias tinha; ½ kg de guisado; 200g de presun- o resto da massa e do guisado. Levar ao de maisena; 3 colheres (sopa) de açúcar; to; 2 cebolas; 2 tomates; 200g de queijo forno por alguns minutos para derreter o 1 xícara de açúcar; 5 claras; 1 lata de cre- em fatias; sal, pimenta e alho a gosto; 3 queijo. Servir em seguida. me de leite sem soro. colheres de queijo ralado. Molho branco: 1 tablete de caldo de galinha; ½ ce- • Receita de Edi Maria S. Bonatto - S. Lúcia do Piaí Modo de fazer: em uma panela, colo- bola; 1 copo de requeijão. Fonte: Caderno de Receitas. car o suco de laranja, a maisena e a xíValorização da Mulher do Meio Rural. Modo de fazer: cozinhar a massa na cara de açúcar. Cozinhar até engrossar, Organizado pela Coordenadoria fazendo um creme. Deixar esfriar. Bater água e sal e reservar. Fazer um molho Municipal da Mulher. Caxias do Sul, as claras em neve com as três colheres de com o guisado, as cebolas, os tomates, 2007 - 2ª edição. açúcar. Acrescentar, por último, o creme o sal, a pimenta, o alho; reservar. Para


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

“Se quisermos ser cristãos, não há outro caminho. Sem a cruz, sem Cristo, sem espoliação, seremos cristãos de confeitaria.” Papa Francisco, em Assis

Olhar diferente

Não aposte nas dificuldades

M

eia tarde, um homem de cerca de 40 anos, sentado num banco da praça, fingia ler um livro. Ele estava descontente consigo mesmo e com o mundo. Parecia que havia um complô querendo afundá-lo. Seus projetos caminhavam devagar e as soluções não apareciam. Sua autocomiseração foi invadida por um garoto ofegante e cansado de brincar. “Veja, tio, que linda flor eu encontrei!”. Olhou com indiferença, mas o garoto sentou ao seu lado, bem encostado a ele. Mostravase disposto a continuar o diálogo. A flor não era bonita, tinha cores pálidas e pétalas murchas. Mas o garoto insistiu: “Além de bonita, tem um perfume maravilhoso”. E concluiu: “Pode ficar com ela, tio!”. Não havia alternativa, cheirou a flor e concordou com o garoto, que nesta altura foi correndo em direção a uma senhora. Cabelos brancos, elegante, a senhora pediu desculpas se o netinho o tinha aborrecido. E explicou: ele tem apenas 5% da visão. Os médicos acham que o problema, pelo menos em parte, será resolvido quando crescer. Mas é um menino feliz e contagia a todos pela sua alegria. A senhora afastou-se com o neto e ele continuava com a flor na mão. Foram suficientes alguns minutos para ressignificar sua vida. Tinha problemas, mas todos eles, de uma maneira ou outra, seriam resolvidos. E o garoto cego - pensou nos anjos de Deus - viera lhe mostrar que a vida não era assim. Ele o desafiou a tirar os filtros negativos e ver a realidade de outra maneira. O menino deixara a flor e levara embora sua tristeza. A vida pode ser comparada a um jogo de cartas. Nem sempre temos as melhores cartas. Precisamos, isto sim, jogar com as cartas que temos em mão. Depois haverá outra rodada e as cartas mudam. Mas é o jogador quem deve administrar as cartas que tem em mão, da melhor maneira possível. O medo e o desânimo não ajudam a ninguém. Decidido a invadir a Espanha, os generais quiseram demover o imperador Napoleão de tal empreendimento militar. Observaram que as montanhas altas e nevadas estavam cheias de perigos. Poderiam ocorrer avalanches, grupos armados poderiam estar escondidos no caminho. Napoleão proclamou: “Os Alpes não existem”. Nunca é tarde para recomeçar. O maior segredo do sucesso é começar mais uma vez. Muitas coisas acontecem no último minuto. Não aposte nas dificuldades. Não atraia o negativo. A fé é a inseparável companheira da luta. A Bíblia Sagrada proclama ao longo de suas páginas, cerca de 365 vezes, ‘não tenha medo’. E Jesus, ao ascender ao céu, garantiu: “Eu estarei com vocês todos os dias” (Mt 28,20).

Nunca é tarde para recomeçar. O maior segredo do sucesso é começar mais uma vez.

✦ PAPA EM ASSIS

Ser instrumentos de paz

Papa Francisco convida os cristãos a guardar e proteger a Criação Uma visita marcada pela simplicidade, pela reverência e por inúmeros gestos de afeto e carinho. Assim foi a presença do Papa Francisco em Assis, cidade do santo que lhe serviu de inspiração para a escolha do nome e, pelas atitudes e postura adotadas até agora, também para a sua linha de atuação como chefe da Igreja. Na sua primeira viagem a Assis como Papa, Jorge Bergoglio visitou diversos locais significativos para a história do franciscanismo e da própria Igreja. Um dos momentos marcantes foi a celebração diante da basílica de São Francisco, completamente restaurada depois dos danos causados pelo terremoto de 1997. Começou a homilia com a saudação franciscana “Paz e Bem” e, com poucas palavras, resumiu a escolha de São Francisco: “Imitar Cristo e fazer-se pobre para nos enriquecer por meio da sua pobreza”. Em seguida, falou sobre o testemunho deixado pelo Poverello, não com as palavras, mas com a vida. “Quem segue Cristo [como Francisco] recebe a ver-

Crocchioni/APF/CR

Aldo Colombo

18 - Igreja

O Papa Francisco com ministros-gerais e frades das três Ordens Franciscanas dadeira paz, a paz que só Ele, e não o mundo, nos pode dar”. E na visita à sede episcopal (a primeira de um pontífice em 800 anos), destacou a necessidade de a Igreja se espoliar, renunciar ao mundano. “O cristão não pode conviver com o espírito do mundo, que nos leva à vaidade, à prepotência, ao orgulho. Isso é um ídolo, não é Deus. A idolatria é o pecado mais grave. É muito triste encontrar um cristão mundano”.

Conselho estuda reforma na Cúria

Foram concluídas na quinta 3 as reuniões do Conselho de Cardeais, o grupo dos oito purpurados escolhidos pelo Papa Francisco para auxiliá-lo no governo da Igreja e no projeto de revisão da Constituição apostólica Pastor Bonus sobre a Cúria Romana. Representando os cinco continentes, os cardeais iniciaram os trabalhos na terça 1º, com a presença do Papa.

Igreja no Mundo Lampedusa “Vergonha”. Assim o Papa Francisco definiu a tragédia ocorrida na semana passada na ilha de Lampedusa, que matou mais de 200 imigrantes. Uma embarcação com 500 refugiados, entre eles 30 crianças, pegou fogo e naufragou. Os imigrantes eram somalis e eritreus. O Pontífice esteve em Lampedusa no início de julho. Leia pág. 2.

Segundo o porta-voz vaticano, padre Federico Lombardi, o trabalho dos cardeais não é organizativo, mas se coloca numa visão teológica, espiritual da Igreja, segundo disposições do Concílio, do qual se pretender levar adiante sua aplicação. A reforma da Cúria, o próximo Sínodo dos bispos e a colegialidade ocuparam o centro dos trabalhos desse primeiro encontro.

Indagações da fé

Bruno Glaab, teólogo - Estef e-mail: freiglaab@gmail.com

Morte aos convertidos Um membro do Parlamento do Afeganistão sugeriu que os que se convertem do Islã ao Cristianismo sejam degolados sumariamente, segundo a sharia, para deter o rápido crescimento do cristianismo entre os afegãos, no país e fora dele. Para os líderes islâmicos o crescimento cristão é visto como uma ameaça ao país.

Se Jesus histórico, como parece, falou tanto do Reino de Deus, ao ponto de fazer dele a chave de sua pregação, por que João, com exceção de uma única passagem em contexto batismal (Jo 3,3.5), não usa essa categoria e expressão? Joanes Hoffhalter, Chapecó - SC

De fato, João não usa muito este conceito. Além de Jo 3,3.5 ele aparece novamente em Jo 18,36, mas aí já tem o sentido de Reino de Cristo. Antes Mundo de Maria seria bom fazer um estudo Proteção às minorias Nos dias 12 e 13 de outubro, apurado do termo Reino o Papa Francisco consagrará o de Deus, pois nem sempre “Os muçulmanos devem demundo ao Imaculado Coração ele tem o mesmo sentido. nunciar as atrocidades cometide Maria, perante a imagem Às vezes significa a realidas contra as minorias cristãs e original de Nossa Senhora de dade escatológica, outras desafiar aqueles muçulmanos Fátima, que será levada do sanvezes, uma realidade já que lutam contra os cristãos”. tuário de Portugal ao Vaticano presente na história. Mas Foi o que disse Anwar Ibrahim, especialmente para o evento. A isto demandaria muito membro do Parlamento e líder Jornada Mariana faz parte do espaço, o que aqui não é islâmico do partido de oposiAno da Fé e reúne, em Roma, possível. McKenzie sugeção Pakatan Rakyat, da Malátodas as associações marianas. re que este termo foi muisia, durante encontro promoDiversos eventos estão previsto usado nos evangelhos vido pela Comunidade Santo tos no sábado e domingo. sinóticos (Mc, Mt e Lc) e Egídio, em Roma. foi sendo abandonado nos escritos apostólicos por Nova basílica mariana na Bélgica se tratar de um conceito A igreja superior do santuário entre 29 de novembro de 1932 judeu (Deus como Rei) mariano de Beauraing, na Bélgi- e 3 de janeiro de 1933, Nossa que os demais povos não ca, foi elevada a basílica. É a 17ª Senhora apareceu 33 vezes para entendiam. Para os gregos da Bélgica e no local, há 80 anos, cinco jovens. e romanos este concei-

to era vazio de sentido. Então podemos concluir que João, que escreve nos anos 90 - como alguns sugerem, em Éfeso, fora de Israel -, poucas vezes usasse este conceito que para seus leitores era completamente estranho. Seja como for, cada evangelista tomou a liberdade de apresentar Jesus, interpretando-o para seus leitores dentro de sua cultura e de seu campo de compreensão. Diríamos, também nós, hoje, a exemplo de Mesters, teremos de achar meios de apresentar Jesus com a linguagem que o povo entende. Não faz sentido usar linguagem alheia à compreensão do povo. Palavra deve se fazer carne, isto é, entrar no mundo do povo a ser evangelizado.


CORREIO RIOGRANDENSE - Caxias do Sul, 9 de outubro de 2013

19 - Igreja F PADROEIRA DO BRASIL

Luiz Turra

Santuários do mundo homenageiam Aparecida No dia 12 de outubro, em inúmeros locais do país, serão prestadas homenagens à padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. As maiores celebrações ocorrem no santuário Nacional, em Aparecida, que neste ano conta com algumas novidades. Uma delas é o convite especial que o santuário recebeu da diocese de Roma para meditar um terço em sintonia com mais nove santuários do mundo. O momento, denominado “Estar com Maria para além da noite, conectará, via satélite, o santuário do Divino Amor, em Roma, aos templos e aos fiéis. A recitação do terço, via satélite, unindo Apare-

cida, Roma e os santuários pelo mundo, será às 14 horas do dia 12 de outubro, onde cada santuário rezará cinco AveMarias em sua língua local. Junto com Aparecida participarão os santuários de Nazaré (Terra Santa), Lourdes (França), Vailankani (Índia), Czestoshowa (Polônia), Nairobi (Quênia), Banneux (Bélgica), Akita (Japão), Washington (EUA) e Lujan (Argentina). O terço será conduzido pelo vigário geral para a diocese de Roma, cardeal Agostino Vallini, e por Lorenzo Leuzzi, bispo auxiliar de Roma. Durante o terço será transmitido um vídeo com uma mensa-

No coração da vida

gem gravada pelo Papa Francisco. Para este ano, algumas mudanças na tradicional programação foram preparadas pensando na participação dos devotos. Uma dessas mudanças é o horário da missa solene, que sempre ocorria às 10 e neste ano será às 9 horas do dia 12. Também a procissão solene será em horário diferente – ao invés das 18 horas, será às 17, seguida de shows musical e pirotécnico, além de duas missas, às 18 e 21 horas. Ainda no dia 12 haverá missas às 7 h (das crianças) e às 12h15, homenagem à padroeira e fogos às 12 horas e consagração solene (13h30).

F VIDA RELIGIOSA No dia 4 de outubro, festa de São Francisco de Assis, oito jovens iniciaram o noviciado capuchinho em Marau. Eles foram acolhidos pelo provincial, frei Cleonir Dalbosco, pelo mestre de noviços, frei Genésio Fracasso, por confrades, familiares e comunidade, durante cerimônia realizada na igreja matriz de Marau às 10 horas. Estarão realizando o noviciado (até 4 de outubro de 2014) Fernando dos Santos Alves, Jardel Peres Eberhardt e Moacir das Dores, da província do Rio Grande do Sul; Diego de Souza Freitas, Jean Ricardo Mazzochi, Lucas Rodrigues Santana e Ronaldo Pires, da vice-província Brasil Oeste; Arnaldo Andrés Batista, Andy Peña Almonte e Júnior Medina, dominicanos; e Jean Daniel François, haitiano, que pertencem à vice-província da República Dominicana e Haiti. Por causa de atraso na

F CAPELINHAS

João Carlos Romanini/CR

Onze jovens ingressam no noviciado capuchinho em Marau

Oito (dos 11) jovens que farão o noviciado no ano canônico 2013-2014 obtenção do visto de permanência no Brasil, os três dominicanos chegarão a Marau nos próximos dias. Na mesma cerimônia professaram os primeiros votos os oito frades que con-

cluíram o noviciado – dois da província do RS, cinco da vice-província da Rep. Dominicana e Haiti; e um da vice-província Brasil Oeste. Agora eles seguem para o curso de Filosofia.

F TRÁFICO HUMANO

Diocese reúne zeladoras

Ivo Adamatti/Div/CR

No sábado 12, festa de Nossa Senhora Aparecida, será realizado o 33º Encontro das Zeladoras de Capelinhas da diocese de Caxias do Sul. O evento ocorre no seminário diocesano Nossa Senhora Aparecida, a partir das 9 horas. São aguardadas centenas de zeladoras, que contarão com missa, palestra e confraternização. O tema deste ano está relacionado ao Ano da Fé, proclamado pelo então Papa Bento XVI, que iniciou no dia 11 de outubro de 2012 e encerra no dia 24 de novembro de 2013, solenidade de Nosso Senhor Cristo Rei do Universo.

CNBB disponibiliza material da CF-2014 Os subsídios da Campanha da Fraternidade de 2014 já estão disponíveis nas Edições CNBB. São diversos materiais como o manual, o texto base, a via-sacra, as celebrações ecumênicas, folhetos quaresmais, CD e DVD, banner, cartaz, entre outros. E com o objetivo de trabalhar os conteúdos da CF nas escolas, foram produzidos também subsídios de formação voltados aos jovens do ensino fundamental e médio, além de encontros catequéticos para crianças e adolescentes. O cartaz da CF 2014, que se encontra disponível para download, foi apresentado pela CNBB no final de setembro e traz o tema “Fraternidade e Tráfico Humano” e o lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5,1). Os demais produtos podem ser adquiridos no site www.edicoescnbb.org.br ou Cartaz da CF de 2014 pelo telefone (61) 2193.3001.

F RELIGIOSAS

Irmãs Franciscanas realizam Capítulo Geral Encontro das zeladoras de 2012

As Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora Aparecida realizam, de 23 a 27 de outubro, o 24º Capítulo Geral da congregação. O evento, precedido de três dias de retiro, acontecerá na Casa Mãe,

em Porto Alegre. “Consagradas a serviço do Reino, com novo ardor, novas relações e novas profecias” é o tema do capítulo, salienta irmã Idelsa Reginatti, atual superiora geral da congregação.

Vida agitada e silêncio criador

A

realidade de nosso viver cotidiano nos mostra como estamos sempre envolvidos, chamados e ocupados para fora e para dentro, entre o material e espiritual. A vida que é vida é dinâmica e sempre necessitada de movimento, seja exterior ou interior. Quando nosso interior está povoado de ruídos e nossos sentidos ávidos de curiosidade e agitação, criamos um desequilíbrio sempre prejudicial à nossa saúde global. Sem a retirada da pessoa para sua própria interioridade, sem uma reflexão solitária, a vida não se desenvolverá em sua fecundidade criadora e comunicadora. A história nos comprova que os grandes mestres da espiritualidade, da ciência, da arte e da pesquisa investiram muito tempo e cuidado à reflexão, à solidão e à meditação. Jesus retira-se para o deserto. Francisco de Assis vai ao Monte Alverne e aos eremitérios. Newton, antes de elaborar seu sistema científico com tanta exatidão vivia “noite e dia incubando”, como ele próprio afirmou. A verdade religiosa, científica e estética se revela a quem tem paciência de esperar e a capacidade de acolhida e de escuta. Sem um treino mental que faça calar os ruídos e tranquilizar a agitação é difícil encontrar o fundamental da vida, a escutar a voz da natureza e a Palavra de Deus que fala ao coração. O silêncio ativo e cultivado está povoado de promessas eloquentes e criatividade fecunda. Por este motivo, o silêncio é o melhor instrumento da autêntica comunicação. A experiência deste tipo de silêncio e solidão é a terra fecunda donde brota a verdadeira palavra e a mais profunda relação. Um professor de filosofia de Madrid, A. Muñoz Alonso, dizia que “as palavras são a excelência da razão; o silêncio é a genuflexão da inteligência. Ao silêncio e em silêncio as coisas se revelam no que verdadeiramente são: silêncio sonoro de Deus nas pessoas”. Não podemos andar condenando os agitados e agitadores. Porém não podemos concordar que a agitação arranque de nós a interioridade e entremos num vazio que nos coloque à beira da loucura. Palavras e superpalavras, ações e mega-ações sem cultivo do silêncio interior constroem uma fábrica de tagarelas e estressados que se tornam indesejáveis na companhia das pessoas. A pessoa que não é capaz de mandar calar seus lábios, sua fantasia, seu coração e sua mente, nunca chegará a escutar as verdades mais profundas e significantes da vida. Dificilmente entenderá a grandeza do destino humano. No dia a dia da vida necessitamos nos ocupar com o “fazer”. Nossas atividades são parte da vida. Por nossas ações aprendemos também a nos fazer. Porém necessitamos imperiosamente, num momento ou outro, entrar no caminho do silêncio para percebermos a voz de nosso ser. O muito fazer, sem a percepção de nosso ser, nos faz virar máquina no risco de sucatear o que há de mais precioso que é a nossa existência.

O silêncio ativo está povoado de promessas eloquentes e criatividade profunda


Correio Riograndense

PARA USO DOS CORREIOS ■ MUDOU-SE ■ CEP ■ DESCONHECIDO ■ NÃO EXISTE Nº INDICADO ■ RECUSADO ■ FALECIDO ■ INORMAÇÃO ESCRITA PELO ■ AUSENTE PORTEIRO OU ■ NÃO PROCURADO SÍNDICO ■ END. INSUFICIENTE

Caxias do Sul - 9 de outubro de 2013

✦ PAPA EM ASSIS

Espírito mundano é o inimigo de Jesus

REINTEGRADO AO SERVIÇO POSTAL EM ___/___/___

___/___/___

Nas pegadas de São Francisco, Papa pede que seja respeitada a Criação

_________________ RESPONSÁVEL

L’Osservatore Romano/AFP

Palavras “Você não é amado porque você é bom, você é bom porque é amado.” NELSON MANDELA, ex-presidente da África do Sul e Nobel da Paz 1993

“No meio de toda dificuldade sempre existe uma oportunidade.” ALBERT EINSTEIN (1879-1955), físico alemão naturalizado norte-americano

“Fazer algo velozmente é sinal de perícia, enquanto que fazer apressadamente é sinal de falta de planejamento e de incompetência.” Papa Francisco celebra missa diante da basílica de São Francisco. Convite à simplicidade e ao despojamento. Página 18

MÁRIO SERGIO CORTELLA, filósofo, escritor e palestrante

Curso de Teologia a Distância - Edição 2013 Bioética – Lição 4

TRANSPLANTES E CÉLULAS-TRONCO Frei Adelino Gabriel Pilonetto

Capuchinho, mestre em Teologia e professor da Estef

A tecnologia dos transplantes fez extraordinários progressos nas últimas décadas e está sendo aplicada a órgãos cada vez mais importantes, e com bons resultados. Seguem alguns acenos. O organismo humano é formado por diferentes órgãos integrados num todo. Quando um deles não dá conta de suas funções pode, eventualmente, ser substituído por outro, nem sempre e nem todos. Assim, órgãos vivos de uma pessoa podem ser doados para transplante em outra; ou tecidos de uma pessoa podem ser transferidos de uma parte a outra do próprio corpo. Já é prática bem sucedida o transplante de rim, coração, fígado, pulmão, pâncreas, assim como de córnea, medula e tecidos. Não existem questionamentos éticos quanto aos transplantes em si. São uma grande conquista da ciência e a doação de órgãos é um

autêntico ato de amor. Mas há questionamentos sobre o modo como se obtém o material. É inaceitável, por exemplo, utilizar células de embriões humanos para tratar deficiências alheias. Ademais, os órgãos para o transplante devem estar vivos, mas o doador deve estar morto. CÉLULAS-TRONCO As células são a menor unidade de tecido do organismo vivo. Um tecido lesionado regenera-se multiplicando as células. O sangue também funciona assim. Há tecidos, entretanto, como a medula, o cérebro, os nervos, que não têm esse poder de recomposição. Ao serem danificados (digamos pelo mal de Parkinson ou de Alzheimer), não têm como reparar a lesão. A esperança volta-se, agora, para as células-tronco, que têm o poder de transformar-se em tecidos diversos: tecido de olho, de cérebro, de

CONQUISTA DA CIÊNCIA, UM ATO DE AMOR E O INACEITÁVEL “João Paulo II (2000): “Os transplantes são uma grande conquista da ciência e a doação de órgãos é um autêntico ato de amor, mas a clonagem humana é inaceitável, também se o objetivo é obter órgãos para os transplantes” (Discurso do Papa João Paulo II (1920-2005) ao Congresso Internacional sobre Transplantes, realizado em 28 agosto 2000).

coração. Ao serem implantadas no tecido lesionado, tais células podem iniciar o processo de regeneração. As células-tronco podem ser adultas ou embrionárias. As adultas encontram-se, por exemplo, na medula óssea e na placenta, e seu uso não apresenta problemas éticos: retiram-se as células-tronco da própria pessoa e injetam-se no lugar onde o tecido está lesionado. Quanto às células-tronco embrionárias, são obtidas de embriões, ocasionando a destruição destes. A Igreja apoia a pesquisa com células-tronco adultas, promissora; desaprova a pesquisa com células-tronco embrionárias por desrespeitar a dignidade própria da pessoa. Afinal,

QUESTÕES: 1) - Conhece alguém que se beneficiou de algum transplante? 2) - Que esperança e temores desperta a pesquisa com células-tronco? 3) - Alguém do seu meio já doou ou recebeu sangue?

todos, um dia, fomos embrião. DOAÇÃO DE SANGUE O sangue que corre em nossas veias e artérias é fonte de vida e pode ser partilhado ajudando outros a viver. “O sangue pode ser doado com segurança por uma pessoa saudável, de três a quatro vezes por ano. O volume médio de sangue num adulto é de 4 ou 5 litros, ou então em torno de 8% do peso corporal. Após a retirada o corpo leva 36 horas para reconstituir o volume total do fluido e 21 dias para que o número de células sanguíneas retorne ao normal” (L. Pessini). Doar sangue é um profundo ato de solidariedade e amor.

PRAZO: Prazo para enviar respostas desta lição: 20 de janeiro de 2014 RESPOSTAS PARA: ESTEF - Escola Superior de Teologia e Espiritualidade Franciscana Rua Tomaz Edson, 50 90640-100 - Porto Alegre - RS E-mail: extensao@estef.edu.br Fax: (51) 3217.4567


Cr 0910