Issuu on Google+

josé dias coimbra

"País teria dificuldades se as misericórdias acabassem"

COMA SAUDÁVEL

OBESIDADE MATA É a verdadeira "epidemia do século XXI". Crianças e adultos enfrentam os problemas de saúde provocados pelo excesso de peso.

proteína do pirilampo poderá curar cancro

1,50€

REVISTA SEMANAL

16 JUNHO 2011 • Nº 20

obesidade infantil • como perder peso • dicas de dieta

em casa de

guerra colonial

turismo

família amado GRANDE E FELIZ PARTILHA VALORES E EMOÇÕES

força aérea ignora aniversário das enfermeiras paraquedistas

portugueses " à rasca" fazem férias low-cost


C22

assinaturas@cnoticias.net


índice

Grupo

Propriedade/ Editora: MEDINFORMA, LDA; NIPC: 509711537; Capital Social: 50.000€; Rua Combatentes da Grande Guerra, 109 - 3045-469 - Taveiro - Coimbra; email: geral@cnoticias.net Tel.: 239981303; Fax.: 239981304;Tlm.: 916987300 Gerência: António Gomes Abrantes; Maria Eugénia C. Figueiredo Abrantes; Inês Micaela Figueiredo Abrantes Capital Social da Entidade Proprietária: Beirastexto, SA – 87%; Outros – 13%

CNotícias

Diretor:

Soares Rebelo (soares.rebelo@cnoticias.net) Chefe de Redação:

Mário Nicolau (mario.nicolau@cnoticias.net) Redação:

Bruno Vicente (bruno.vicente@cnoticias.net) Marco Roque (marco.roque@cnoticias.net), Marta Varandas (marta.varandas@cnoticias.net) Sílvia Diogo (silvia.diogo@cnoticias.net) Vasco Garcia (vasco.garcia@cnoticias.net)

Opinião

Um dia com

Se eu mandasse

Vidas

Joana Benzinho Santos

Manuel Rocha

Paulo Canha

José Reis

5 Editorial 10 Sete sóis, sete luas 14 Ex(Sic)tações 15 Acredite se quiser 16 Retrato falado 18 Confidencial 24 Via do leitor 25 Cartas 36 Instituto Politécnico de Coimbra 44 Desporto 49Empresário de sucesso 52 Em casa de... 55 Viajar 56 Topo de gama 58 À mesa 60 Moda 62 Antes e depois 63 Social 70 Cultura Colunistas 23 Joana Benzinho Santos 74 Luís de Matos

Colunistas:

Alexandra Dinis, António Alegre, António Pedro Pita, Carlos Fiolhais, Helena Albuquerque, Hélio Loureiro, Joana Benzinho, Luís Lavrador, Luís de Matos, Luís Pirré, Manuel Rebanda, Margarida Regêncio, Mário Ruivo, Mira Lagoa Sobral, Paulo Leitão Colaboradores: José Lorena, Márcia de Oliveira; Fotografia:

Pedro Ramos (pedro.ramos@cnoticias.net) Direção de Arte:

Inês Abrantes e Jorge Caninhas Relações Públicas- Diretora:

Eugénia Abrantes

AO MICROSCÓPIO

6 Congresso das Misericórdias em Coimbra Entrevista com José Dias Coimbra 20 Um dia com Manuel Rocha C viu como se trabalha no Conservatório de Música de Coimbra 22 Que é feito de si? Paulo Pereira Coelho trocou a política pela vida empresarial em Angola

Produção:

SOCIEDADE

André Navega , Hugo Campos e Tiago Carvalho Serviços Comerciais Diretor Comercial:

Luís Figueiredo (luis.figueiredo@cnoticias.net) Técnicos de Vendas:

Fernando Gomes (fernando.gomes@cnoticias.net) José Alberto (jose.alberto@cnoticias.net) PUBLICIDADE E ASSINATURAS

CNotícias Rua Combatentes da Grande Guerra, 109 - 3045-469 Taveiro - Coimbra Tel.: 239 981 303 - Fax: 239 981 304 Tlm: 916 987 300

pág. 34

Email: publicidade@cnoticias.net

assinaturas@cnoticias.net Diretor Marketing:

Bruno Vale (bruno.vale@cnoticias.net) Diretor de Sistemas de Informação:

Rolando Rocha (rolando.rocha@cnoticias.net) Projeto Gráfico: Pedro Góis / Góis Design e Bruno Vale

IMPRESSÃO: IMPREJORNAL - Loures DISTRIBUIÇÃO:

VASP – MLP, MediaLogistics Park Quinta do Granjal – Venda Seca Tiragem Média: 10.000 ex. Registo na ERC com o n.º 126017, de 12/01/2011. Depósito Legal n.º 322204/2011. Periodicidade: Semanal, à quinta-feira

38 Proteína de pirilampos traz nova esperança à medicina Físico da UC desenvolve projeto para acelerar estudo de doenças como o cancro

poder local

40 Festejos de S. João na Lousã Câmara diz ter "melhor programa de sempre"

Desporto

Interdita a reprodução de todos os conteúdos editoriais, fotográficos, ilustrações para qualquer meio ou fim, mesmo comerciais.

44 Campeonato Nacional de Trial Jipes 4x4 vão competir no concelho de Tábua

Assine e divulgue a

VIVER

Assinatura anual 55€ Email: assinaturas@cnoticias.net Telm.: 916 355 014

4

CÉREBROS

72 Histórias de Vida José Reis orgulha-se de ter no "Cantinho" clientes de todas as cores políticas

26 Obesidade, epidemia do século XXI Excesso de peso causa graves problemas de saúde nas crianças e nos adultos 30 Portugueses fazem férias low-cost Crise força a maior parte a procurar destinos próximos e financeiramente acessíveis 34 Guerra colonial Força Aérea ignorou passagem do 50.º aniversário do Corpo de Enfermeiras Paraquedistas


editorial

A Senhora do Manto Grande SOARES REBELO Diretor

As misericódias ainda são, cinco séculos após a sua fundação, pela rainha D. Leonor, importante almofada na área da política social do país

a crise social com que o país se confronta reclama atenção acrescida aos mais afetados. A União das Misericórdias Portuguesas, herdeira, desde de há cinco séculos, da "nobre missão" de ajudar os que mais sofrem, os mais pobres, os mais desfavorecidos, escolheu para temas centrais do seu X Congresso Nacional, que este fim de semana se realiza em Coimbra e Arganil, com o alto patrocínio da Presidência da República, precisamente temáticas relacionadas com a importância da economia social na promoção do desenvolvimento sustentado. a doença , o sofrimento, a pobreza e a morte foram situações entendidas, ao longo de toda a Idade Média, como dependentes da vontade divina – portanto, vistas e aceites como escatologicamente necessárias. A assistência aos enfermos e aos demais "pobres em Cristo" era considerada, por sua vez, como uma virtude cristã e como uma manifestação da misericórdia divina. "Dar aos pobres era emprestar a Deus" – isto é, quantas mais "boas obras" amealhasse na terra, mais garantias tinha um cristão de alcançar o céu e, com ele, a salvação eterna. A criação, em 1498, da primeira misericórdia portuguesa, pela rainha D. Leonor, viúva de D. João II, senhora de grande fortuna e protetora de letrados e artistas (como Gil Vicente), constituiu, naturalmente, a materialização desse ethos cristão. os tempos , porém, são outros. Hoje em dia, qual delas se empenha na concretização das inicialmente obrigatórias sete obras espirituais (ensinar os ignorantes, dar bom conselho a quem o pede, castigar com a caridade os que erram, consolar os tristes, perdoar a quem nos ofendeu, sofrer as injúrias com paciência e rogar a Deus pe-

los vivos e pelos mortos) e das outras sete obras corporais (visitar os presos, curar os enfermos, cobrir os nus, dar de comer aos famintos, dar de beber aos que têm sede, dar pousada aos peregrinos e pobres, enterrar os finados)? Quem se preocupa que os irmãos sejam, como outrora se exigia, "mansos e humildosos a todosseruiço de ds e da dicta confraria" – ou seja, fidalgos, letrados e militares de alta patente, "usando nomes ilustres"? atualmente, muitas delas, agora com o estaturo de IPSS, gerem importantes equipamentos sociais (incluindo serviços de saúde) e dispõem de um vasto corpo de profissionais ao seu serviço, movimentando anualmente muitos milhões de euros. Usufruem, ainda, de um vasto e valioso património artístico e arquitetónico, com destaque para algumas importantes igrejas e capelas que ao longo de cinco séculos constituíram o verdadeiro testemunho físico da presença da Misericórdia em cada localidade. Ou seja: embora continuem a representar uma importante almofada na área da política social do país, já não são, ainda assim, meras instituições de caridade, muito menos espaços escancarados a inocentes "atos misericordiosos". Não admira , por tudo isto, a expetativa que rodeia os debates agendados para 0 auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra, tendo em conta a qualidade intelectual dos intervenientes. De todos esses "homens honrados, de autoridade, virtuosos, de boa fama e muito humildes e pacientes" que dão corpo e alma às misericórdias espera-se, de facto, no atual contexto, ainda maior disponibilidade. A Senhora do Manto Grande não estará distraída.

5


ao microscópio

ao microscópio

atual

"País teria dificuldades se as misericórdias acabassem" José dias coimbra, presidente do secretariado regional de Coimbra, realça a importância destas instituições na empregabilidade, apoio social e saúde TEXTO bruno vicente FOTOs mário nicolau

Quais são os principais problemas das misericórdias portuguesas? Nem sempre há recursos, mas vamos tentando resolver todos os problemas que aparecem. Em Portugal não há dinheiro em lado nenhum. Temos, neste momento, um papel mais difícil porque as misericórdias têm o mesmo problema de todas as instituições do país, têm essa dificuldade. As pessoas têm ideia que todas as misericórdias são ricas, mas não é verdade. Confundem-nos com a misericórdia de Lisboa, que é do Estado, e que não se pode incluir na União das Misericórdias. As misericórdias conseguem fazer bem o seu trabalho, mesmo num cenário de contração económica a nível nacional? As misericórdias de hoje não são diferentes das antigas misericórdias. Temos, na mesma, o compromisso de cumprir as obras, que, todas resumidas, consistem em ajudar o próximo. Arranjamos sempre maneira de o fazer. E hoje o país teria grandes dificuldades se as misericórdias acabassem. Porque é que as misericórdias são tão cruciais? Nós, misericórdias, nalguns concelhos, somos os primeiros ou os segundos empregadores. Em Arganil, por exemplo. A saúde, que tinha saído das misericórdias, está a voltar à sua alçada. A maioria da assistência na saúde através dos cuidados continuados é feita pelas misericórdias. É uma percentagem muito

6

grande em relação aos particulares. Continuamos a ajudar milhares de pessoas e as pessoas reconhecem o trabalho das misericórdias. Como é que está a ser o trabalho executado na região Centro, quando comparado com os restantes espaços geográficos do país? Temos as nossas misericórdias a trabalhar

muito bem, a fazer um trabalho muito bom, cobrindo as valências todas. Estamos muito ligados às autarquias, quer juntas de freguesia, quer câmaras municipais. Estamos todos no terreno e há imensos presidentes de Câmara e vereadores que fazem parte das misericórdias. Realço este entendimento, que é realmente muito bom. Elogiou a boa relação que existe entre as misericórdias e as autarquias. E como é a articulação com o Estado? Tem sido excelente. A União das Misericórdias tem estado em todos os acordos. Temos tido sempre oportunidade para participar. Nos últimos tempos os acordos foram muito benéficos para este Estado social que nós pretendemos. Mas nem sempre foi assim, correto? É verdade. Mas com este Governo, que está agora a acabar as suas funções, nós não temos razões de queixa. Como é que as misericórdias estão a lidar com a chamada "pobreza envergonhada"? Queremos que não se preocupem com estes problemas da pobreza envergonhada. Nós, nas misericórdias, já ajudamos nesta área há muito tempo. Assim que sabemos que a pessoa tem dificuldades vamos lá levar-lhe a comida, os medicamentos, sem ninguém saber, sem os vizinhos desconfiarem. Nós não somos instituições da Igreja, mas somos instituições de Igreja. Temos deveres de origem

16JUNHO 2011


Nós, misericórdias, não somos instituições da Igreja, mas temos deveres de origem cristã, que somos obrigados a cumprir

cristã, que somos obrigados a cumprir. Assumimos os nossos compromissos. Em que projetos é que as misericórdias vão investir nos próximos anos? Quase todas as misericórdias já têm protocolos com as universidades do país. Temos que investigar, virar-nos para o futuro. A saúde também é uma grande preocupação. Temos inovado, principalmente no distrito de Coimbra e na região Centro. Uma pessoa que precise de ajuda pode estar na sua aldeia, mas está ligada a um call center, uma central. Se tiver um problema qualquer, carrega no botão e está sempre alguém do outro lado. Isto tem a vertente social, mas também a da saúde: vai lá alguém dar-lhe comida e bebida e outra pessoa vai lá fazer-lhe fisioterapia, por exemplo. Este novo serviço colmata, então, uma grande lacuna? Não temos dúvida. Temos casos concretos, em que a pessoa entra em contacto com o call center às cinco da manhã e diz: "ah! Desculpe, que me enganei". Não enganou nada, quer é ter a certeza que estava alguém do outro lado, àquela hora. O interior da região Centro é o território mais privilegiado deste projeto de apoio através da linha. O voluntariado é determinante? Sem voluntariado nada disto existe. Temos jovens excecionais, que à hora da refeição se disponibilizam para dar comida à boca dos utentes, que organizam peças de teatro. Nós é que, às vezes, não aproveitamos bem os jovens.

7


ao microscópio

atual

Gerações unidas contra a a INTERGERACIONALIDADE É O TEMA DO x congresso nacional das misericórdias portuguesas, que acontece em coimbra e arganil, de hoje a sábado. o objetivo é abrir caminho para jovens e idosos colaborarem de forma mais eficaz na área do apoio social texto Bruno Vicente coimbra e arganil são o palco de um encontro que pretende ser "uma verdadeira pedrada no charco", procurando meter jovens e idosos a trabalhar em conjunto com o objetivo de ajudar os cidadãos mais necessitados. Assim explicou José Dias Coimbra, presidente do Secretariado Executivo do X Congresso Nacional das Misericórdias Portuguesas, que começou hoje, 16, e termina no sábado, sob o tema central da intergeracionalidade. O auditório da Universidade

8

Encontro abrange áreas tão distintas como a inovação, a cultura, a saúde, a economia e a relação das misericórdias com o Estado e com as autarquias

de Coimbra recebe sete painéis distintos. Os temas das sessões de trabalho são "Contributo das misericórdias para a promoção das reformas na Saúde", "O património cultural como marca identificativa das misericórdias", "A importância da economia social na promoção do desenvolvimento sustentado", "A inovação - fator de desenvolvimento e mudança", "As misericórdias e a sua relação com o Estado central e as autarquias", "O papel das políticas sociais na promoção da igualdade na sociedade" e "A

16JunHo 2011

intergeracionalidade encarada pelos seus diferentes intérpretes". Para além da elite nacional das misericórdias, as palestras contam com a participação de figuras reconhecidas como, por exemplo, Manuel Antunes (cirurgião e diretor do Centro de Cirurgia Cardiotorácica dos Hospitais da Universidade de Coimbra), Correia de Campos (presidente da Assembleia Geral do Serviço de Utilização Comum dos Hospitais e antigo ministro da saúde), António Pedro Pita (diretor regional


Exemplos de ordens ancestrais das misericórdias • Assistir os enfermos • Visitar os presos • Dar de comer e beber a quem tem fome e sede • Ensinar os ignorantes • Vestir os nus

a a miséria

misericórdias revelam o seu património O Congresso inclui, paralelamente, dezenas de atividades culturais e sociais. Destaque para a apresentação do projeto inovador "Viver Património", que vai

ganhar vida no Museu da Santa Casa da Misericórdia de Coimbra. Com a ajuda de dezenas de voluntários, as misericórdias vão mostrar ao público todo o património que possuem no país, de elevado valor cultural. A sessão solene de encerramento do encontro tem lugar na Mata da Misericórdia de Arganil - um espaço amplo - e conta com a presença do Presidente da República, Cavaco Silva. Durante a tarde vão ser inauguradas a Rua das Misericórdias e a Rua das Freguesias de Arganil. O programa pormenorizado do evento pode ser consultado no sítio da União das Misericórdias Portuguesas, em www.ump.pt. C120

da Cultura do Centro), o padre Vítor Melícias e Lino Maia (presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade Social). O Secretariado Executivo do Congresso espera a presença de mais de uma centena de misericórdias portuguesas e uma assistência média de cerca de 300 pessoas por sessão.

9


ao microscópio

visita de

médico

sete sóis, sete luas head

elevador do mercado

Castelo Branco honrou Portugal

Cardoso da costa , pro-

fessor da Faculdade de Direiro de Coimbra, vai integrar o Conselho Superior de Magistratura. A escolha foi do PR.

rui alves Nefrologista nos HUC

Cálculos renais: o benefício do consumo de água

10

milhares de pessoas assistiram, em redor do Campo da Feira, em Castelo Branco, à cerimónia militar comemorativa do Dia de Portugal. Para ver as forças militares em parada, a população encheu igualmente as janelas e varandas dos edifícios circundantes, muitos dos quais estavam decorados com bandeiras nacionais. O presidente da câmara, Joaquim Morão, considerou a realização, pela primeira vez, das celebrações na Beira Baixa, como "um momento de afirmação e prestígio" para a

região albicastrense. O autarca referiu ainda que a escolha de Castelo Branco para palco do 10 de junho foi o reconhecimento do esfrorço feito nos últimos anos para "desenvolver e requalificar a cidade, com equipamentos que lhe permitem impor-se no país". Uma das apostas tem recaído na área cultural, com o município a dinamizar uma agenda semanal e a criar novos espaços como o Museu Cargaleiro, oficialmente inaugurado na véspera do Dia de Portugal, por Cavaco Silva.

Pombal compra Casa dos Varelas

Festival de insufláveis no Vivaci da Guarda

a Câmara Municipal de Pom-

O Centro Com ercia l

bal vai comprar um edifício histórico desenhado pelo arquiteto Ernesto Korrodi, localizado no centro da cidade, que será transformado em pousada da juventude e espaço para realizações culturais. A aquisição da designada Casa dos Varelas, antiga Escola Comercial, importará em 279 mil euros.

Vivaci está a realizar, até domingo, um festival de insufláveis gigantes, representando diversas personagens do imaginário infantil. A iniciativa é acompanhada por animadores, incumbidos de proporcionar momentos lúdicos aos mais novos. A entrada ao parque de diversões é gratuita.

a subir

Desfile militar atraiu milhares de pessoas ao Campo da Feira

a descer

A Ingestão de água em quantidade generosa e diária pode prevenir a cristalização e a formação de cálculos renais através de um efeito de arrastamento e solubilização ou diluição dos sais minerais, mas tudo depende do tipo de cálculo e da eventual anomalia subjacente. O tratamento da litíase urinária já constituída, isto é, com cálculos formados e presentes no aparelho urinário, depende da causa. Cálculos de tamanho milimétrico são eliminados sem dificuldade pela urina. Os cálculos com tamanho até 2cm, ao deslocarem-se, podem originar a cólica renal, situação extremamente dolorosa e inquietante. Os cálculos com tamanho igual ou superior a 2cm dificilmente serão eliminados podendo provocar obstrução do trato urinário superior com anulação progressiva da função renal desse lado. O cálculo pode ser eliminado espontaneamente após fragmentação em pequenas partículas, o que é possível através de grande ingestão de água e alteração do pH da urina. No caso de cálculos que não se fragmentam ou que são excessivamente grandes para serem eliminados a alternativa pode passar pelo recurso à litotrícia extra-corpórea por ondas de choque, técnicas endo-urológicas de extração de cálculos usando pinças apropriadas ou raios laser ou, em último recurso, a cirurgia.

marisa matias é a autora da nova diretiva-quadro da UE sobre medicamentos falsificados. A sua proposta foi aprovada por unanimidade.

16JUNHO 2011

Maló de abreu voltou a

não conseguir ser presidente da Académica. Não ter procurado "conhecer" o adversário ter-lhe-á sido fatal...

Luís providência tomou

partido nas eleições da Académica. Vereador do Desporto, impunha-se-lhe uma postura, oficialmente, isenta.


Câmara de Penacova vai restituir centro da vila aos peões direito

Exploratório

Ciência para os mais novos

direto

Manuel Rebanda Advogado

Iniciativas programadas para o verão incluem ciência para jovens dos sete aos 16 anos

boa notícia

Oliveira do Hospital inaugurou biblioteca

manas, ateliês de meio-dia, dia inteiro ou semana inteira para crianças dos sete aos 12 anos. Os temas, com início no dia 29, são aliciantes, incluindo "Caça ao tesouro", "Pia, Pia, quem és tu?", "Contarelos com Ciência", "Eletrobrincadeiras", "Descobre o assassino", "Cai, não cai", "Matemarte", "O meu herbário", "Nanocoisas", "O som do Universo", "O nosso corpo é feito de Universo". A participação está sujeita a inscrição (ver www.exploratorio.pt).

Os jovens entre os 12 e os 16 anos terão, como principal iniciativa, o Campo de Férias Ciência Viva, em que o Exploratório integra, com outros centros ciência viva (Vila do Conde, Proença-a-Nova e Estremoz), a primeira edição de campos de férias organizada pela Agência Ciência Viva. No caso do Exploratório, que encerrará entre 6 e 15 de agosto, o campo de férias será na semana de 10 a16 julho (ver www.cienciaviva.pt).

oliveira do hospital inaugurou, finalmente, a sua biblioteca municipal. "É com muito orgulho que hoje abrimos este espaço ao público, reconhecendo em simultâneo que, em boa parte do caminho, o veículo que nos trouxe até aqui foi conduzido por outros que não nós", sublinhou o presidente da câmara, José Carlos Alexandrino. O concelho passa, a partir de agora, a poder integrar uma rede nacional de bibliotecas.

Um recorde mundial com 10 anos foi batido em Fátima, com a concentração de 2.310 motorizadas antigas. O anterior era da Holanda, com 1.237 viaturas clássicas.

má notícia

o exploratório - Centro Ciência Viva de Coimbra decidiu incluir, no seu programa de atividades estivais, programas de ciência, especialmente para crianças e jovens dos sete aos 16 anos. Além das habituais visitas-exploração às exposições interativas, agora incluindo, duas vezes por dia, a exibição do mini-filme 3D estereoscópico "Missão: que anda a água a fazer no corpo humano?", realizar-se-ão, a partir de 27 de junho e durante cinco se-

Um pouco por todo o país, há alunos a abandonar a escola para ajudar os pais, que veem realmemte neles uma preciosa fonte de rendimento extra.

Qual o montante mínimo do capital social para constituir uma sociedade por quotas? nos termos do disposto no ar-

tigo 201.º do Código das Sociedades Comerciais, a sociedade por quotas não podia ser constituída com um capital social inferior a € 5.000,00 (cinco mil euros) nem posteriormente o seu capital podia ser reduzido em importância inferior a essa. Escrevemos "podia", porque, na realidade, hoje uma sociedade por quotas pode ser constituída apenas com um euro de capital. O governo aprovou em dezembro passado um diploma legal que acaba com a exigência do capital mínimo em relação às sociedades por quotas. O capital social constituía, até há pouco tempo, aquilo a que se chamava a garantia dos credores. Assim, as sociedades tinham que ser constituídas com um capital social mínimo e não podiam reduzir o capital abaixo desse mínimo para que aqueles que com elas desenvolvessem qualquer negócio tivessem uma garantia mínima de valor patrimonial. A medida do Governo, inserida nas chamadas medidas de simplificação administrativa (SIMPLEX), veio acabar com essa garantia. Só o tempo nos poderá dizer das consequências de tal medida.

11


ao microscópio

Bicicletas elétricas grátis em Águeda A Câmara de Águeda vai colocar, gratuitamente, uma dezena de bicicletas elétricas à disposição dos munícipes para deslocações na cidade. A iniciativa visa garantir, por um lado, um meio de transporte inovador e destacar, por outro, o setor das duas rodas, indissociável da história do município.

Peniche valoriza caranguejo pilado A escola Superior de Turismo

e Tecnologias do Mar de Peniche candidatou ao programa de desenvolvimento das comunidades piscatórias, dotado com uma verba global de três milhões de euros, um projeto destinado a conhecer as caraterísticas do caranguejo pilado e do perceve da Berlenga.

sete sóis, sete luas

Fátima promove santuário O santuário de Fátima vai estar "permanentemente atento às mutações sociais", procurando dar "uma resposta adequada aos peregrinos" e "às grandes questões" que os levam à Cova da Iria. Embora considere que Fátima "tem sabido adaptar-se ao longo dos tempos", o novo reitor considera haver agora um grande desafio a ultrapassar: "projetar o santuário" para que se mantenha, no futuro, "espaço de grandes multidões, sobretudo nas ocasiões mais expressivas, mais solenes". O padre Carlos Cabecinhas, que no sábado tomou posse, é o oitavo reitor do Santuário de Fátima, sucedendo a Virgílio Antunes, que apenas cumpriu metade do mandato de cinco anos por ter sido nomeado, pelo papa Bento XVI, bispo de Coimbra. Com 40

Reitor quer que o recinto volte a receber grandes peregrinações

anos e natural da freguesia da Bajouca, concelho de Leiria, Carlos Cabecinhas mantém a tradição de ser um membro do clero da Diocese de Leiria-Fátima a liderar o santuário. O nome do novo reitor mereceu a unanimidade do episcopado português reunido

Madeira compra barco à Figueira

Beira Interior

Vinho para o mundo

Objetivo é exportar mais os vinhos da Beira Interior,

cujas exportações aumentaram 19,9 por cento entre 2009 e 2010, vão ser alvo de uma ação de promoção de caráter internacional.

12

A iniciativa, que se inicia hoje e prosseguirá até ao próximo dia 29, no âmbito do IV Concurso de Vinhos da Beira Interior, promovido pelas Associações Empresariais da Guarda e de Castelo Branco e pela Comissão Vitivinícola Regional (CVR) da Beira Interior, destina-se, essencialmente, a importadores e jornalistas estrangeiros, a que serão dados a conhecer os vinhos da região , através de provas e visitas a explorações. A Beira Interior, com cerca de 16.000 hectares de vinha, conta atualmente com 30 agentes económicos: cinco adegas cooperativas e 25 produtores/engarrafadores particulares, certificando anualmente cerca de seis milhões de litros de vinho DOC Beira Interior e VR Beiras.

em maio, em Fátima, por ocasião da Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa. Ordenado em 1995, o novo reitor é doutorado em Liturgia e era capelão e diretor do Serviço de Pastoral Litúrgica do santuário, com o qual colaborava desde 2003.

os estaleiros Navais do Mondego vão construir o primeiro barco de um ciclo de embarcações marítimo-turísticas para operar na Madeira pela agência Brisa Clássica, que fez a encomenda. O barco, tipo catamaran, terá capacidade para 149 passageiros e importará em cerca de um milhão de euros. Entrará ao serviço em março de 2012.

termalismo Cativação de utentes nas Caldas da Cavaca A Câmara de Aguiar da Beira vai

dinamizar as Caldas da Cavaca, que reabriram em 2008 e são anualmente frequentadas por cerca de 800 aquistas.

16JUNHO 2011


C142


ex(sic)tações

ao microscópio

toma lá dá cá As apostas, quer do novo governo, quer das nossas empresas, deverão centrar-se no crescimento e na internacionalização.

O problema não é do povo. O problema é desta economia de casino e das novas casas de alterne, chamadas off-shore.

José Couto

António Arnaut

frases desfeitas O inverno será tão quente como o verão. José Junqueiro, secretário de Estado da Administração Local E a primavera será, naturalmente, tão quente como o Outono.

Assis é mais consistente, mas Seguro é mais "vendável" eleitoralmente. Gonçalo Capitão, adido social em Joanesburgo Ao longe vê-se sempre melhor – ou pior. Depende da miopia…

A agricultura deve ser o setor fundamental para assegurar a sustentabilidade futura do país.

Cavaco Silva, Presidente da República

A Académica escolheu ser um clube igual aos outros. Helena Freitas, vice-reitora da Universidade de Coimbra (responsável pelo desporto) Não seria, então, aconselhável, senhora professora, rasgar o cartão?

Mário Ruivo, do PS, poderá vir a ser o grande campeão da cidade, o prosélito parlamentar que tem faltado aos socialistas conimbricenses. Francisco Curate, antropólogo Um conselho – e gratuito – ao novo deputado do PS. Para evitar o naufrágio, procure atingir a praia o mais rapidamente possível, acrescente alguns tubarões à aventura, chame as televisões para testemunharem a heroicidade.

E a bactéria, senhor Presidente?

Os sinais e as oportunidades para mostrar a unidade intimamente veiculada às funções de uma igreja catedral esvaíram-se num divisionismo inconsistente. Monsenhor João Evangelista, pároco da Sé Velha Pois é, os jesuítas ainda andam pela Sé Nova…

O seu esvaziamento (do BE) corresponde ao ocaso das distropias do século XX que, feitas as contas, não trouxeram nada de novo. Carlos Amaral Dias, diretor do Instituto Miguel Torga Como Trotsky e Mao devem estar, lá nas suas campas, desiludidos - e, é claro, furiosos.

figura como “ Uma os governadores civis não tem pés nem cabeça Teresa Alegre Portugal

Francisco queirós

Fontes: Facebook, As Beiras, Diário de Coimbra e Lusa. Seleção de frases e comentários: Redação C

14

16JUnHo 2011

Santana Lopes

Resposta certa: Santana Lopes

quem foi que disse?


acredite se quiser

Adepto australiano oferece mulher a emissora de televisão aus-

traliana Channel Tem transmitiu um jogo da liga nacional de râguebi entre os Geelong Cats e os Gold Coast Suns e, nas bancadas, encontrou um adepto com uma faixa onde oferecia a mulher à estrela dos Cats. "Paul Chapman I'll let you shag my wife" (Paul Chapman deixo-te comer a minha mulher) lia-se no cartaz. A liga australiana ficou intrigada, pediu ao clube que investigasse e chegou-se à conclusão de que o adepto nem sequer é casado e tudo não passou de uma brincadeira.

O falso goelador C arlos " K aiser " R aposo.

Temível avançado brasileiro.

segurança e alertaram a polícia, que acabou por deter seis indivíduos.

1.500 "penetras" estragam festa

em lake city, na Florida, Es-

Gémeos morrem no mesmo dia julian e Adrian Reister eram

Planta canábis na escola

gémeos. Nasceram no dia 27 de março de 1919, em Buffalo, na Florida, Estados Unidos. Durante 92 anos de vida, apenas estiveram separados em cinco (entre 1946 e 1951). De resto, todo o percurso foi feito lado a lado: tiraram o curso na mesma escola e entraram ao mesmo tempo para a ordem franciscana. Os frades morreram no mesmo dia, com apenas 12 horas de diferença. Vão ficar juntos para sempre, no cemitério de St. Petersburg.

tados Unidos da América, um sem-abrigo de 33 anos decidiu fazer pela vida. Não esteve com meias medidas e criou uma plantação de canábis… na escola local. O jovem agricultor não teve grande sorte com o negócio, uma vez que foi apanhado em plena "lavoura" e acabou detido. A droga foi avaliada em 3.500 euros e a fiança estabelecida para o homem foi de 11 mil euros. Neste caso, o crime não compensou.

uma jovem alemã cumpriu 16

anos e decidiu convidar os amigos para a festa de aniversário através do Facebook. Mas, como o evento não era privado, mais de 15 mil pessoas confirmaram a presença na festa, que acabou por ser cancelada. A inda assim, mais de 1.500 "convidados" apareceram na casa da aniversariante. Os pais contrataram uma empresa de

mais barato

:(

Preços/Kg/L

:)

bolsa da praça

Ou não. Mas é, talvez, uma das maiores farsas da história do futebol. O homem nunca quis ser jogador – diz que foi a mãe que o obrigou –, não tinha jeito nenhum para a coisa, mas a verdade é que, durante 20 anos, "jogou" nos maiores clubes brasileiros e, até, na Europa. O segredo: ser bem-falante e ter amigos na comunicação social. Inventava currículos fantásticos e os dirigentes iam atrás. Nunca fez um jogo completo nem sequer marcou um golo. "Queria ter a vida de jogador de futebol, mas sem a chatice de treinar e jogar", disse ao MaisFutebol.

mais caro

Nesquik Cereais (375G)

2,39 €

2,39 €

2,39 €

2,55 €

Chocapic Cereais (375G)

2,39 €

2,39 €

2,39 €

2,39 €

preço Banana importada (1KG) igual

0,99 €

0,99 €

0,98 €

0,99 €

O Jumbo oferece o cabaz de compras mais barato dos produtos que selecionámos para esta amostragem. No entanto, os preços estão todos muito próximos. Apenas 20 cêntimos separam o mais caro do mais barato.

Água Luso (1,5L)

0,46 €

0,46 €

0,46 €

0,49 €

Sumol Laranja (1,5L)

1,12 €

1,12 €

1,12 €

1,12 €

0,59 €

0,59 €

0,59 €

0,59 €

:)

Cabazes apenas separados por 20 cêntimos

:)

preço Leite Mimosa M/G (1L) igual

:)

preço igual

TOTAL

7,94 € 7,94€

7,93€ 8,13€

Recolha feita em 13.06.11

15


ao microscópio

praça de táxis Os taxistas vão ser obrigados a fazer exames psicológicos. Está de acordo?

Eduardo Silva

Não concordo. Já estamos habituados a esta vida, sempre foi assim. Por isso não fa z qualquer sentido mudar. Acho que o Governo fez isto só para recuperar algum dinheiro, que vai sair do bolso dos taxistas.

retrato falado

figura da semana

carlos dias coimbra vai ter, lá para o fim do ano, em Coselhas, o maior hospital particular da região Centro. Com 35 mil metros quadrados de área construída, a clínica IDEAL MED oferecerá serviços diferenciados, bem como uma maternidade e cinco blocos operatórios. O Grupo IDEAL TOWER, do empresário Carlos Dias, acaba igualmente de adquirir as clínicas Ponte Galante, na Figueira da Foz e Imacentro, em Coimbra, que integrarão o novo hospital, em que estão a ser investidos 50 milhões de euros e criará 400 postos de trabalho . carlos dias, obrigado a emigrar, ainda jovem, fez fortuna em França, Itália e Suíça, mas não esqueceu, afinal, o seu país.

menções honrosas Maria de Lurdes

Não concordo, nem eu nem a maioria dos taxistas. Com a idade que temos, já estamos habituados a lidar com os clientes, de forma correta. Por isso não sei até que ponto é que isto é necessário.

Joaquim Morão

José E. Simões

Castelo Br anco foi, este ano, a cidade escolhida para as celebrações do Dia de Portugal. Correspondeu com dignidade à escolha do Presidente da República e mostrou ao País e ao Mundo os avanços conseguidos na melhoria da qualidade de vida de quem lá reside e trabalha.

A Académica/OAF vai manter-se

debate Júlio Ramalho

Isto é ba stante mau. Os taxistas já gastam dinheiro em muita coisa. E agora ainda vamos ter que pagar mais este exame, que eu acho que só faz sentido nos motoristas mais velhos…

sem mudanças na liderança diretiva. A campanha eleitoral foi intensa, masJosé Eduardo Simões conseguiu a terceira eleição consecutiva para a presidência, uma vez mais com significativa diferença para a lista adversária.

Acho que é indispensável, pese embora algumas divergências que ainda existirão, face ao caráter diferente de duas pessoas. Mas espero que se entendam porque, afinal de contas, foi essa a vontade do povo.

É possível, mas vão ter muitas dificuldades em cumprir toda a legislatura, se as outras forças políticas - nomeadamente o PS - começarem a apoiar os movimentos grevistas e de reivindicação social que vão aparecer. Vai ser muito complicado.

É possível um Governo de legislatura com Pedro Passos Coelho e Paulo Portas? Carlos portugal

JESUS RAMOS

Engenheiro

16

Sacerdote

16JuNHO 2011


se eu mandasse

saudades de

coimbra

"Reformava o sistema político"

pela história é admirável e é algo que não é fácil de encontrar nos dias que correm.

"Os meus filhos passam a vida a falar de Coimbra" BASTOS LEITÃO Comandante da PSP de Setúbal

Quanto tempo esteve em Coimbra? Estive dois anos, entre 2007 e 2009. Esse tempo chegou para conhecer a cidade? Eu penso que sim. Obviamente que não deu para conhecer todos o cantos, porque Coimbra tem cantos e encantos que só quem é da cidade conhecerá, mas deu para descobrir o espírito que Coimbra emana. O que mais o marcou? Houve uma particularidade que me marcou, que foi o casamento perfeito entre a tradição e a juventude. O respeito que os jovens têm pelas tradições e

Tem saudades? Claro. Tenho imensa s s a u d a d e s . Co im b r a é uma cidade muito agradável para se viver. Tem uma qualidade de vida bastante elevada e penso que as pessoas deveriam usufruir mais da cidade. Até os meus filhos – tenho três filhos – passam a vida a falar de Coimbra e a perguntar quando voltamos lá. Já voltou a Coimbra, desde que saiu para Setúbal, em 2009? Ainda não consegui voltar. Os meus afazeres diários ainda não me permitiram. Mas está prometido que, assim que tiver tempo, vou fazer uma escapadinha até Coimbra. Quais as principais diferenças entre Coimbra e Setúbal? O peso do clássico é algo ímpar em Coimbra. A tradição que se abate sobre quem lá vive e habita tem um peso diferente de qualquer outra cidade. Além disso, a qualidade de vida também é diferente. Coimbra tem uma oferta, a nível de serviços, que torna mais fácil a vida aos cidadãos. Apesar das diferenças, muito assinaláveis, ambas têm um rio – Coimbra o Mondego e Setúbal o Sado – o que é bastante agradável.

Paulo Canha, engenheiro civil reformava o sistema político vigente, quer o autárquico, quer o nacional, tornando-o mais próximo dos cidadãos, quer com a adoção dos círculos uninominais, quer chamando os cidadãos, através de referendos, a participar sob matérias essenciais ao nosso futuro coletivo.

mundo globalizado. APOIAVA a natalidade e as famílias com filhos, através de políticas fiscais adequadas, discriminando-as positivamente. Apoiava sem reservas as empresas exportadoras, através de políticas fiscais, seguros e linhas de crédito à exportação.

Alterava as entidades reguladoras existentes, tornando-as mais eficazes e independentes do poder político, trazendo melhorias significativas para a nossa vida coletiva, famílias e empresas, na melhoria dos custos dos serviços e bens essenciais ao nosso crescimento económico e bem-estar social.

Colocaria na Constituição Portuguesa um limite para o endividamento do Estado em relação ao PIB. Só assim se protege e existe uma verdadeira solidariedade entre gerações.

ACABAVA com esta proliferação e teia legislativa, que só traz custos incomensuráveis à nossa sociedade, tornando-a mais burocrática, menos ágil, mais cara e menos competitiva, neste

Alterava as entidades reguladoras existentes tornando-as mais eficazes

www.cnoticias.net

+lida

Deputados eleitos (lista completa)

17


confidencial

ao microscópio

Antes que eles nos apanhem... Toda a gente sabe que o estacionamento em Coimbra prima pela desorganização. Tanto que há vários pontos da cidade em que já faz parte do "sistema" estacionar em cima de passeios. Todos os dias, todo o dia. E ninguém diz nada. Até que chega o meio do mês e eles chegam em enxame. Multam tudo e não deixam nada. E não há urgência que valha aos infratores .

Antes que o metro passe...

lente... de contato

Depois dos resultados eleitorais, esmorece a linha entre os diferentes quadrantes políticos. Dois ex-autarcas, de cores bem diferentes, combinaram um bom almoço para digerir as eleições. No final, o que se sentou mais à esquerda despede-se apressado. "Tenho que ir embora para chegar a tempo de apanhar o metro…".

Já todas as embaixadas portuguesas sabem. Diplomatas já o confirmaram e foram olhados de lado. Ninguém ligou. Mas parece que as tendências arco-íris (com azul e amarelo) estão in este verão.

Esteve no top das mais desejadas desta campanha. Mas tirem já o cavalinho da chuva. Está "politicamente muito ocupada", soube-se. APROVADO

Seabra Santos

O antigo reitor da UC foi galardoado com a Gr ã - Cruz da Ordem da Instrução Pública. Um reconhecimento não só ao homem, mas também ao professor. " Um momento emo cionante" que dedicou à "grande casa" que é a UC. Nota 15

REPROVADO

Antes de ir a banhos... Depois de seis anos rosados, chegou o reino da laranja. Por isso, andam a voar nomes para os mais diversos cargos. Um dos falados já garantiu não querer ir para Lisboa que, comparada com o interior, deve ser uma cidade muito aborrecida. Mas isso não afeta a sua popularidade: já esta semana foi falado para coordenar… o centro.

Antes que cheguem os exames... Já não é de agora, verdade. Mas começa a tornar-se preocupante. A pouco e pouco vão saindo todos, parece até que, de momento, só sobra uma pessoa. O que vale é que é extremamente competente. O que vai acontecer se o stress ataca? Lá vai a comunicação da instituição por água abaixo. Uma pessoa moderna devia entender o valor destes profissionais.

espelho meu

18

16JUNHO 2011

António Barreto

O presidente da Comissão Organizadora do 10 de Junho aproveitou o seu discurso para fazer política. "Os políticos devem exprimir-se com verdade", disse. A atitude fica-lhe mal. Ou será que já esqueceu a sua experiência de governo? Nota 5


CA

PARECE QUE FOI ONTEM MAS JÁ PASSARAM 100 ANOS. Foi em 1911 que tudo começou. Ao longo dos últimos 100 Anos caminhámos ao lado de muitos projectos e ambições. Apoiámos famílias, empresas e instituições de solidariedade social. Contribuímos para o desenvolvimento económico-social das comunidades locais. De aldeias a vilas, de vilas a cidades e de geração em geração. Hoje somos um Grupo Financeiro com uma oferta global de produtos e serviços em que os portugueses confiam. 700 Balcões, mais de 400 mil Associados e mais de 1 milhão de Clientes. Juntos somos cada vez mais, e juntos celebramos 100 Anos de Crédito Agrícola.

Linha Directa 808 20 60 20

24 horas por dia, com atendimento personalizado de 2ª a 6ª, das 8h30 às 23h30; e Sábados, Domingos e Feriados das 10h às 23h.

www.creditoagricola.pt

C78

Centenário


ao microscópio

09H00 Ver o email e de seguida o correio que chega

um dia com

10H30 Visionar vídeo relativo ao 25.º aniversário do CMC

11H30 Preparação da aula de violino da tarde, na Sala de Partituras

manuel rocha diretor do conservatório de música de coimbra

Com a vida marcada por seis anos de vivência em moscovo, para o violinista, trabalhar na escola que ensina artes em coimbra é uma "fonte de alegrias e desafios" texTO e FOTOS marta varandas ainda cheira a novo em alguns espaços

16H30 Aula de violino com a aluna Beatriz Ferreira

20

do Conservatório de Música de Coimbra (CMC). Não é para menos, tendo em conta que as novas instalações desta escola artística começaram a funcionar com o arranque do ano letivo, ou seja, em setembro último. A versatilidade do edifício combina com Manuel Rocha, diretor do CMC, que recebe a C com um sorriso para um dia de trabalho que não tem hora marcada para terminar. Por norma, a jornada do dirigente inicia cedo e da mesma forma: "Vejo o email e o correio que chegou. A manhã é mais reservada aos processos formais e de estabilização". Já a tarde é preenchida sobretudo com o atendimento aos pais, reuniões e por vezes a dar aulas. "Também fiscalizo muitas coisas, como as fechaduras das portas ou outro tipo de equipamentos que se estragam. Acabo por ser o 'faz tudo', visto caber a mim ter a polivalência para dar solução aos problemas que vão surgindo, assim como coordenar o trabalho", explica. Mas Manuel Rocha sublinha que "todos os dias são diferentes, porque os interlocutores também são diferentes". A idade do CMC só combina com as novas e modernas instalações porque esta é já a terceira casa. São 25 anos que a escola completa este ano letivo, estando "agora instalada como nunca antes esteve, com condições de

16Junho 2011


13H00 Almoço com alunos na cantina comum ao CMC e à Escola Secundária

14H30 Encontro de trabalho relacionado com o concerto de alunos com a OCC

18H00 Audição de sopros no pequeno auditório do CMC

excelência e exemplares a nível nacional", assegura Manuel Rocha, enquanto nos dirigimos até ao auditório - todo forrado a madeira, para 386 pessoas -, onde vamos assistir a um vídeo realizado pelo curso de Jornalismo da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra no âmbito do 25.º aniversário. "Estes alunos aceitaram fazer o vídeo, com os fundadores do CMC e com os relatos dos desenvolvimentos da sua atividade", explicou. Antes de pensar no almoço, Manuel Rocha fez uma visita guiada ao edifício, dando a conhecer à C as "ótimas condições" do CMC, que partilha alguns espaços com a Secundária da Quinta das Flores, também com direito a visita, permitindo perceber a dimensão da parte nova e a requalificação de fundo realizada na escola inicial, que data o ano de 1985. Além de coordenar todo o CMC, Manuel Rocha confessa que gosta de dar aulas de formação musical e aulas de turma. "Também dou aulas de substituição e de violino, a uma aluna", instrumento que escolheu para especializar-se. Recorda que em 2000 foi membro da Comissão Instaladora do CMC durante dois anos, passando em 2005 a presidente do Conselho Executivo. Com a alteração no regime de gestão agora é diretor, desde 2009. "Estou no segundo ano de um mandato de quatro, que penso cumprir", afirma. Sala de coro, sala de orquestra, 40 salas de aulas (com diferentes dimensões), sala de dança, sala de composição, de percussão, de estudo, um pequeno auditório, uma oficina para conserto de instrumentos. Conforto e luminosidade são palavras de ordem nas novas instalações do CMC. Paramos na sala de partituras, onde Manuel Rocha procura uma para preparar a aula de violino que vai dar à tarde. Com um acervo grande, dividido por instrumentos e disciplinas, deparamos com uma coleção de revistas de música russas,

doadas e que fazem o diretor do CMC recordar os seis anos que viveu em Moscovo. "Estudei no Conservatório Regional de Coimbra até à 4.ª classe. A minha mãe queria que eu seguisse música e o meu pai achava boa ideia na perspetiva de fugir à Guerra Colonial", conta. E assim foi. Fez o Ciclo na Martim de

Freitas e o Liceu na José Falcão. Após conseguir uma bolsa para prosseguir os estudos em Moscovo, partiu, para estudar música - ensino de violino - e lá viver entre 1982 e 1988. "Assistir ao final da União Soviética foi a experiência mais marcante da minha vida, ao nível ideológico e de convicções. Viver em Moscovo também foi uma experiência muito marcante para o que é a minha vida profissional. Permitiu-me construir algumas convicções sobre organização pedagógica da escola e do ensino", sublinha. A caminho da cantina, onde vamos almoçar, cumprimenta todos os alunos. Troca sempre um sorriso ou um aperto de mão. Diz que trabalhar no CMC é uma "fonte de alegrias e desafios, por estar a construir uma realidade educativa. Os 600 alunos do CMC tornam-no uma escola de "grande dimensão" que lança o desafio da "união do formato com a Escola Secundária da Quinta das Flores". Não costuma almoçar na cantina, porque prefere ir a casa, por ser perto do CMC. Mas quando o faz, é sempre na companhia de alunos. A refeição foi rápida, porque segue-se um encontro com o maestro André Granjo, para ultimar os pormenores do concerto que vai acontecer no âmbito do I Concurso para Alunos Finalistas do CMC, iniciativa da Associação de Estudantes do CMC e que a Orquestra Clássica do Centro acarinhou. Em cada canto do CMC há um piano. Seja no hall, na cantina, nos corredores, já para não falar nas salas. Toca quem tem vontade. O professor vai agora dar aula de violino a Beatriz Ferreira, 12 anos. "Ensinamos destreza e ouvido", explica. Antes de deixar o CMC, o diretor ainda assiste a uma audição de sopros. O dia terminou com um ensaio numa peça do Teatrão - "Coimbra 1111" -, porque é Manuel Rocha que está a tratar da parte musical.

Assistir ao final da União Soviética foi a experiência mais marcante da minha vida à lupa Nome

Manuel Rocha Data de nascimento

13 de junho de 1962

naturalidade e residência

Coimbra música

Suites para violoncelo solo de Bach livro preferido

"Sinais de Fogo", de Jorge de Sena filme preferido

"Andrey Rubliov"

prato predileto

Salada de ervas com frutas

21


o que é feito de si?

ao microscópio

1986 Deputado na Assembleia das República pelo PSD

2002 Vereador da Câmara da Figueira da Foz

2003 Presidente (eleito) da CCDRC

2004 Secretário de Estado da Administração Local

2005 Secretário de Estado da Administração Interna

2009 Deputado do PSD na Assembleia da República

perdida a motivação política, optou pela vida empresarial em Angola, onde nasceu. Não poupa críticas à situação em coimbra e no país. Texto soares rebelo foto Pedro Ramos

Generalizou-se em Coimbra, como no país, a hipocrisia . Mas isso, infelizmente, rende.

Paulo Pereira Coelho Tem um currículo político intenso, mas, de um momento para o outro, tal como um inveterado fumador deita, de vez, o cigarro fora, foi-se. Para sempre? Deixei a política com o sentimento de que foi realmente para sempre. Sou, no entanto, daqueles que não dizem nunca. Assim, os meus adversários manter-se-ão ativos, não esmorecerão. O que o levou a trocar a política pela vida privada? Fui para a política com a ilusão de que poderia fazer alguma coisa pela região e pelo país. Nos lugares que desempenhei concluí que, afinal, tal ambição era utópica. Perdi a motivação – e, sem ela, não consigo estar na política. Porque decidiu ir para Angola, deixando o lugar de deputado na Assembleia da República? Se continuasse na política, perdida a esperança de poder mudar as coisas, só se fosse de má-fé – e isso não é comigo. Porquê Angola? Porque foi lá que eu nasci. Porque fui para outro país? Porque como na minha vida política nunca fiz fretes a ninguém, não tinha, é claro, direito a tachos. E, aos 50 anos, quem arranja por cá emprego? Angola está a receber bem os portugueses? Eu fui recebido de braços abertos, mas aqui fica o aviso: Angola não é um conto de fadas. Tem muitas virtualidades, mas não é terra fácil. Quem quiser trabalhar honestamente, quem souber aplicar o seu know-how, terá futuro. Angola não é, no entanto, a árvore das patacas que muitos pensam.

22

Tem por lá, certamente, ecos desta também sua Coimbra. Claro que sim. Venho cá, até, com alguma frequência – como agora, para votar e ajudar o país a libertar-se do Sócrates. Passos Coelho é o homem certo para o momento que o país atravessa? Conheço-o bem, acredito que consiga dar a volta. Terá, todavia, para ter sucesso, de acabar com o sistema hipercorporativo que asfixia Portugal. Admira-me que a esquerda, que tanto se bateu contra, e muito bem, o fascismo, não faça agora o mesmo contra o corporativismo que manieta o país. Se mandasse, que faria? O poder político, todo o poder político, tem cedido, ano após ano, às corporações. Não hesitaria, portanto, em pôr termo ao descalabro. Tomava medidas imediatas para acabar com os privilégios acumulados por essas insaciáveis corporações. Falemos de Coimbra. Como tem visto a evolução da cidade? Não tem evoluído nada. Como a própria região, não consegue ultrapassar os seus problemas. Como conceber, por exemplo, que o presidente da câmara abandone o cargo a meio do mandato? Não há lideranças, a crise vai-se agravando. Generalizou-se em Coimbra, como no país, a hipocrisia – e o medo. Mas isso, infelizmente, rende. E a Académica? Fiquei muito satisfeito com a recondução de José Eduardo Simões na presidência. É um grande dirigente, em quem reconheço, desde há muitos anos, um homem sério e trabalhador. Se Maló de Abreu tivesse ganho as eleições, a sobrevivência da Académica teria ficado seriamente ameaçada.

16JUNHO 2011


opinião

Nacionalismo ou antiamericanismo? Joana benzinho santos

A internet cresceu mais depressa do que a sua regulação

na era da internet e da democratização da banda larga, os "ciberexcluídos" são já uma franja residual das sociedades modernas. Até a denominada terceira idade já convive de perto com as novas tecnologias e trata de forma familiar o jargão cibernauta. a união europeia , através da sua agenda digital, tem como principais objetivos chegar a 2013 com 100 por cento de cobertura de internet na Europa e a 2020 com 100 por cento de cobertura ≥30Mbps e 50 por cento das casas com ≥100Mbps. mas a internet cresceu mais depres-

sa que a sua regulação. E levanta problemas éticos, sociais e deontológicos, por vezes lesivos de interesses privados e/ou públicos levando os Estados membros, enquanto reguladores, a assumir distintas atitudes e diferentes graus de intervenção no seio da União. a França , em concreto, tem vindo a tomar nos últimos tempos medidas que roçam por vezes o exagero e provocam uma clara incompreensão pela linha seguida. em 2009, o senado francês aprovou uma lei de criminalização dos downloads ilegais de filmes e música que prevê o corte do acesso à internet e, em determinadas circunstâncias uma multa ou pena de prisão. A medida gerou um forte coro de protestos por parte dos cidadãos, não só por se tratar de um grave atentado às liberdades individuais mas, essencialmen-

te, por inverter o ónus da prova, cabendo ao acusado a prova de inocência, e não aos acusadores a prova da culpa. surge agora uma nova regra, imposta pelo Conselho Superior do Audiovisual Francês, proibindo aos jornalistas quaisquer referências a redes sociais como o Facebook ou o Twitter nos programas televisivos e radiofónicos, por considerar que se trata de publicidade gratuita a uma empresa (ainda para mais americana, sugerem alguns) em detrimento de outras. sendo eu de um país em que o Presidente da República informa pelo Facebook que o primeiro ministro acabou de lhe apresentar o pedido de demissão, em que os jornalistas dão, em primeira mão, notícias que marcam a agenda do dia nas redes sociais ou em que organizações de cariz social ou cultural têm ali a sua base de divulgação, penso que esta medida é altamente lesiva. não entendo a argumentação de estarmos perante o favorecimento de redes sociais em detrimento de outras. O que vem a seguir? Proibir referências na comunicação social a sites como ".com" ou ao ".org" por haver muitos outros domínios disponíveis no mercado das novas tecnologias? entre o ridículo e o absurdo tenho dificuldade em escolher a expressão adequada para caraterizar esta medida. Uma coisa é certa: é lesiva dos direitos dos consumidores.

23


ao microscópio

via do leitor

cartas Envie a sua opinião Carta: Rua 25 de Abril, n.º 7 Taveiro 3406 - 962 Coimbra Email: redacao@cnoticias.net As cartas deverão ser datilografadas com morada e número de telefone. A C reserva-se o direito de selecionar as partes que considera mais importantes. Os originais não solicitados não serão devolvidos.

Adeus, nuclear! A decisão da senhora Merkel e, consequentemente, do seu governo, de encerrar, até 2022, todas as centrais nucleares alemãs, foi, para mim, uma das melhores notícias dos últimos tempos. O nuclear, está de há muito comprovado, voltou a comprovar-se, recentemente, no Japão, é um perigo para que não há defesa possível. Fala-se constantemente em reforço da segurança, mas as centrais lá continuam a explodir. Será necessário,obviamente, encontrar alternativas energéticas. E a maior delas está, é claro, no recurso às ditas energias limpas - vento, água e sol. Os custos serão, pelo menos numa primeira fase, mais elevados, mas a segurança das pessoas e a preservação do meio ambiente ficam muito mais protegidas. Adeus, nuclear! josé luís, Figueira da Foz

Canas de Senhorim não desiste de ser concelho Quem conhece e vive em Canas, quem conhece a distribuição feita pela Câmara Municipal de Nelas em sede de GOP, onde disponibiliza 5 por cento para Canas do total de investimento previsto, SENTE-SE uma enorme revolta e indignação pelo que é dito nesta notícia, mas pior que o conteúdo mentiroso da notícia, é o facto de alguns Canenses as terem proferido. A realidade comprovada pelos documentos da câmara desmentem o investimento que

inquérito Continua a comprar pepinos espanhóis? Participe com a sua opinião em www.cnoticias.net

24

dizem fazer e fizeram. A Lusa foi falar com pessoas "escolhidas a dedo", que foram ou estão a ser beneficiados pela câmara (até uns simples blocos de cimento). Em resumo: Canas não é concelho. O seu desenvolvimento é nulo. O investimento da câmara é menor que antes da luta. Canenses virados e colaboracionistas com a câmara apoiam agora o desinvestimento em Canas. A presidente da Câmara mente descaradamente nos valores investidos. O seu aliado ex-ativista da luta é o diretor-delegado da câmara em Canas. Façam jornalismo de investigação, isso implicaria ouvir outras entidades e pessoas. arturinhos@gmail.com

Há dúvidas, em Penacova, sobre os efeitos das antenas dos telemóveis. Nem nisso podemos estar decansados?

Rui Castro, Coimbra

Desemprego é a maior tragédia de Portugal Os números que têm sido revelados sobre o desemprego em Portugal apontam para uma taxa de 12,6 por cento em abril. Penso, todavia, que tais números não serão lá muito fiáveis e se o são, deixá-lo-ão de ser, não me restam dúvidas (como ao outro...), muito brevemente. A nossa economia está em indesmentível recessão e, assim sendo, como garantir emprego? Assim sendo, como travar a tendência para taxas muito maiores nos póximos anos? O desemprego é a maior tragédia nacional, mas nem a troika se importa com isso. carlos azevedo, Coimbra

Solidariedade pode salvar criança de 11 meses

"Chamo-me Duarte Guimarães, tenho 11 meses (quase 12) e sou portador de uma leucemia linfoblástica aguda tipo B, derivada de uma translocação do cromossoma 4 com o cromossoma 11. Perguntam vocês: é grave? Sim, é muito grave! Não vos escondo que tenho sofrido muito desde o dia 15 de dezembro, mas também não vos escondo que não é minha intenção deixar de lutar. É por isso que peço a todos os amigos do meu pai e da minha mãe, que reencaminhem este e-mail para o maior numero de contactos". O mail diz tudo e, é claro, houve quem não ficasse indiferente ao drama desta criança. Assim, vai proceder-se no Continente-Shopping e no Continente-Fórum, em Coimbra, sábado e domingo, respetivamente, as recolhas de sangue, tendo em vista salvar a vida do bebé. As ações de recolha, coordenadas pelo Centro de Histocompatibilidade de Coimbra terão lugar, nos dois centros comerciais, das 09H30 às 12H30 e das 14H00 às 17H30. Duarte Guimarães encontra-se internado no IPO, porque teve que fazer uma medulograma e vai fazer uma quimio (MTX) que é um pouco forte, mas para isso tem que ter os seus valores bons, o que infelizmente não é o caso, pois os neutrófilos estão, segundo os médicos, em baixo. O objetivo é nobre. Sejamos solidários. Ajudemos a salvar o Duarte Guimarães.

Seja repórter C C, portal multimédia e revista semanal, assume a ligação aos seus leitores como principal objetivo ENVIE NOTÍCIAS PARA redacao@cnoticias.net

16junHo 2011


cartas

texto elaborado pelo gabinete de ficção da revista

Camaradas militantes do BE anduíche destes dias encontrei a mulher-s Andam por aí a rir-se de mim. Um por me a act pef a descarada se mostra estu no Rossio e não querem lá ver que morrido has estás vivo? Disseram-me que tin orquiuver? Oh! Francisco, mas tu ainda enraivecido. Não acreditou. Ret he, ei-l atir o viv bem uo tin con , no dia 5 de junho. Como vês do que eu. Fiquei possesso! eu estava morto é mais credível que se dis lhe m que que , osa lici -me, ma ltiplica-se em me passou à frente nas urnas, mu que ois Dep ico. cóm o eri pod de séculos, O Portas, esse, rejubila nte, tal como estávamos há uns seis me tica pra al, tug Por em os am perfor mances idiotas. Est , mas parece um dos menipeste neg ra das agências de rating a nov a pel dos iza rtir ma e, fom cheios de plante! çar à volta da fogueira… Que des nos do Huambo – não pára de dan -me que no dia de ref lexão da uma comédia humana. Contaram a ític pol da er faz a está sos Pas O ado, a loja estava cheia, a alparar o look para a glória. Era sáb pre ro bei bar ao foi s çõe elei das tou-lhe em voz alta, véspera ela um autocolante do BE, pergun lap na ha tin que ro, fíga O . nsa m a resposta: gazarra era ime nor mal ou à São Bento? Ora veja te cor um r que – ir ouv er faz se naturalmente, para desaforo! quero um corte em silêncio. Que cido que o futuro lhe um herói minúsculo. Está conven de sa pas não que e-se uec esq , um explorador Sócrates, esse um agente infiltrado da troika, com ra ped á tar gas m que s ma , rdade erguerá uma estátua ao riso ser ia atentar contra a libe ite lim um ar fix a, aci ocr dem dos pobres? Sei bem que, em limpar as nódoas com as e que janotas como ele pudessem ir-s mit per ia dev não s ma , são também é vingança – e de expres itroando nas tertúlias que o riso ton n, gso Ber a e a-s par Com as. minhas lág rim punição. Que peralta! isão, que quero anunciar-vos. os vós. Tomei, por isso, uma dec tod de , dos lva ma os m, rie se r, inclusivamente, hilaTambém à Ku Klux Klan já estão a suscita tes ves sas nos As . me for uni de o de um justiceiro, Vamos mudar mais penoso, para o amor própri a nad a, Or a. seit a pri pró sa ridade no seio da nos impuros num clima de risota. do que andar por aí a dar caça aos , todos nus, pois claro, a sátira política, onde desfilassem um o end rev Esc o? om ça.C gan hada. Como Pensei na vin andam agora, em bloco, à gargal que s esse os tod im, enf , tas Por o , vendi a minha o Sócrates, o Passos unciar. Lembrei-me que um dia ren de e Tiv as. gad pre des ras nos iríamos rir a bandei lhe a boa nova - começava a diato escrevi ao meu pai dandoime de e ca) des fra ito mu a (er biblioteca ele se riu! dade – só uma boa piada. O que ver era não ro, Cla . os.. livr us viver dos me convosco. Estejam comigo, eu estarei sempre

Lisboa, 16 de junho de 2011

25


sociedade

reportagem

Não largues a so A obesidade é a verdadeira "epidemia do século XXI". Crianças e adultos enfrentam os problemas de saúde provocados pelo excesso de peso. Tempo de identificar a base do problema e tentar corrigir hábitos. textos Marco Roque ESTES SÃO alguns versos da música "Con-

Larga a sopa, João, Não comas mais Não dês ouvidos às mentiras Dos teus pais Larga a sopa, João Sou eu que digo Larga a sopa que o espinafre é meu amigo.

cerca de 41 por cento". Para além disso, o facselhos de Avô", de B Fachada, que tem pasto de haver cada vez mais crianças e adultos sado nas rádios nos últimos meses. Se esta obesos "acaba por limitar a subida da curva música tenta contrariar a velhinha de esperança de vida", conclui. "Come a papa, Joana", hoje, mais O problema não é só das crianças, do que nunca, a alimentação e é geral. "Comemos muitos alio peso das crianças está em fomentos de alto valor energético co. Na semana passada, foram e temos um consumo baixo de das crianças apresenta conhecidos os primeiros resulenergia, o que nos está a levar excesso de peso em Portugal em 2007 tados de um estudo da Orgapara um destino do qual dificilnização Mundial de Saúde que mente conseguiremos sair", sublidemonstra que existem cada vez nha o nutricionista. E "os números mais crianças obesas em Portugal. indicam que os custos de obesidade rePara Sérgio Cunha Velho, médico presentam quatro por cento do PIB, nutricionista no Hospital Pedidevido às doenças que arrastam". átrico de Coimbra, a situação Quando uma criança chega a uma é "quase catastrófica". Em consulta com excesso de peso das crianças apresenta Portugal, "temos números – "na verdade estamos a falar de excesso de peso em elevados de obesidade infanPortugal em 2011 peso a mais, pois nem sempre til", revela Sérgio Cunha Velho, excesso de peso é obesidade" – o acrescentando que "o último esnutricionista tenta compreender tudo, feito há mais de quatro anos, quando começou o aumento de peso. apontava para excesso de peso em cerca "Há quatro períodos críticos: a gravidez, de 32 por cento das crianças e, neste momeno peso à nascença, o primeiro ano de vida e to, há um estudo da Sociedade Europeia de os seis anos de vida, altura em que ocorre o Obesidade que aponta uma evolução para adiposity rebound, isto é, quando o índice de

32%

41%

26

16JuNHo 2011


1.º passo - Faça seis refeições saudáveis por dia (pequeno-almoço, lanche do meio da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia). Não salte refeições. 2.º passo - Inclua diariamente seis porções do grupo dos cereais e tubérculos (como arroz, milho, pão, massa, batata) nas refeições. Dê preferência aos alimentos pouco refinados (como o pão de mistura) e aos alimentos na sua forma mais natural.

sopa, João! massa corporal bate em baixo", refere Sérgio Cunha Velho. O objetivo é descobrir o "como, quando e porquê", de modo a tratar o problema. Para além disso, é importante lembrar que a obesidade pode formar-se muito cedo, mesmo antes da criança entrar para a escola. "Muitas vezes pensa-se que a escola vai corrigir problemas de peso, mas tal não acontece. A criança chega à escola com peso a mais e vai ser marginalizada pelos colegas", refere o médico, indicando que "ela acaba por ser incompreendida por todos". As crianças "não engordam porque querem, mas sim porque as deixam engordar", sublinha. Sérgio Cunha Velho tenta incutir a responsabilidade aos pais. "Peço sempre que venha a mãe e o pai às consultas. Se eu não mexer na origem, na génese, não consigo resolver o problema". Estamos perante a necessidade de alterar a forma de pensar da família. "Tentamos, devagar, ir mudando hábitos alimentares não só na criança, mas também na família", revela Sérgio Cunha Velho. "Não serve de nada tentar convencer uma criança a fazer uma alimentação saudável, se os pais se estão a 'marimbar' para aquilo. As minhas consultas acabam por ser para toda a família". O nutricionista gostava de ver diferentes instituições juntarem-se para resolver este problema. "Temos de deixar de construir capelinhas, para criar uma grande catedral",

avança, indicando que "enquanto não juntarmos todas as entidades, pessoas e organizações que podem promover hábitos saudáveis, nunca mais saímos disto". Para o médico, em primeiro lugar está a família, "como primeiro educador", seguido das escolas e câmaras municipais (através da escola primária). Em quarto lugar surge a Igreja. "As pessoas riem-se desta ideia, mas se conseguíssemos que a Igreja nos deixasse fazer um catecismo alimentar juntamente com o religioso, era fantástico", explica. Como exemplo aponta o pão: "Jesus Cristo multiplicou o pão e disse que era o pão da vida – isto é a divinização de um alimento", defende. E sublinha que há outros elementos na Bíblia que apontam na direção de uma alimentação saudável. Assim, com um "catecismo alimentar, as crianças, ao aprender o Pai Nosso, ganhavam também informação sobre o valor dos cereais", exemplifica. Para combater a obesidade é mesmo necessária uma alteração de comportamentos. "Não é com caminhadas que se fazem uma ou duas vezes por ano que se resolvem as coisas. Educar e mudar comportamentos leva tempo e muito esforço – porque nada é mais íntimo que alimentação, que se transforma no seu próprio corpo", refere Sérgio Cunha Velho. Isto porque "a obesidade é uma doença crónica, não se cura, controla-se", conclui.

(indicados pela nutricionista Mélanie Coelho)

10 passos para uma alimentação saudável

3.º passo - Coma diariamente pelo menos três porções de legumes e verduras nas refeições. 4.º passo - Coma diariamente três porções ou mais de frutas nas sobremesas e nos lanches. 5.º passo - Consuma diariamente três porções de leite e derivados e duas porções de carnes, aves, peixes ou ovos. Retirar a gordura visível das carnes e a pele das aves antes da preparação torna esses alimentos mais saudáveis. 6.º passo - Consuma, no máximo, duas porções por dia de azeite, óleos vegetais ou manteiga. Fique atento aos rótulos dos alimentos e escolha aqueles com menor teor de gorduras trans. Dê preferência ao consumo de azeite. 7.º passo - Evite açúcar, bolos, produtos de pastelaria, chocolates, sobremesas doces e outras guloseimas, refrigerantes e sumos industrializados. 8.º passo -Diminua a quantidade de sal na confeção dos alimentos. Evite consumir alimentos industrializados com muito sal, como o hambúrguer, salsicha, linguiça, presunto, salgadinhos, conservas, molhos, temperos prontos. 9.º passo - Beba pelo menos dois litros (seis a oito copos de água) por dia. Dê preferência ao consumo de água natural ou tisanas (cidreira, tília, camomila, etc..). 10.º passo - Torne a sua vida mais saudável, praticando pelo menos 30 minutos de actividade física todos os dias e evite bebidas alcoólicas e tabaco.

27


sociedade

reportagem

Há que combater o estigma da obesidade A obesidade é uma doença que vai para além do excesso de peso. Lélita Santos, coordenadora da Unidade Nutrição e Dietética dos HUC, lembra que "o mais importante é a composição corporal do indivíduo". Isto porque a obesidade, definida pela OMS, é o excesso de gordura. Assim, "interessa-nos saber o tipo de obesidade e a distribuição da gordura", revela. "Uma pessoa que seja obesa e tenha o depósito de gordura a nível central, tem uma maior propensão para as lesões vasculares. Até pode não ser mais pesada do que outra pessoa – com uma distribuição mais periférica - mas é uma situação mais grave", acrecenta. Os problemas de saúde inerentes à obesidade são a diabetes e a hipertensão, bem como a propensão para enfartes e acidentes vasculares cerebrais. Quando a obesidade é mais periférica – em particular nas mulheres, na zona das ancas – existem patologias mecânicas, como as artroses. No entanto, há outro problema: as doenças do sono. "Hoje está comprovado que as pessoas com obesidade central têm uma predisposição para patologia do sono: desde alterações do sono até apneias

gravíssimas", sublinha Lélita Santos. Nos HUC existem consultas dedicadas para tratamento da obesidade. "É feita uma análise da distribuição de gordura corporal, bem como um historial dos alimentos que o doente costuma consumir e a evolução do peso do indivíduo desde que nasceu", conta a responsável. Depois começa-se o tratamento, que é "dietético e implica uma mudança de estilo de vida". Orientado "por um nutricionista que modula os hábitos, o doente reduz um bocadinho a dieta. Não pomos metas, só dizemos que tem de ir diminuindo devagar, mas bem", completa. Quase nunca se aplicam tratamentos farmacológicos, pois não existem quase nenhuns medicamentos que inibam o apetite como deve ser. "Quando a situação é muito grave, podemos, em última instância, partir para a cirurgia bariátrica", conclui. Para Lélita Santos, o importante para prevenir e tratar o problema é fazer-se uma alimentação saudável, criar-se um hábito. "Perder peso, mais do que sacrifícios, implica disciplina". Confrontada com a popularidade de um programa de televisão que foca a questão da perda

de peso, Lélita Santos considera-o contraproducente. "Aqueles tipos de programa são péssimos, até para educar os obesos. As pessoas são humilhadas, não são tratados como doentes", refere a médica, sublinhando que a obesidade é uma doença crónica e os doentes merecem sempre muito respeito. "O imenso esforço que essas pessoas fazem não traz nenhuma vantagem, porque não há nenhuma educação alimentar". E, para o público em geral, acaba por ser ainda mais estigmatizante. "A obesidade já é estigmatizada e não o devia ser porque é uma doença. Os obesos ficam muito mais estigmatizados, não concordo nada. Acho que é péssimo e contraproducente", completa. A opinião é a mesma em relação a dietas e programas alimentares que surgem em força nesta altura do ano. "Muitas dessas dietas que andam por aí fazem perder peso, mas à custa de massa muscular – é pior a emenda que o soneto, que leva a obesidade ioiô", defende. "Até se pode perder 20 quilos, mas não vai fazer isso toda a vida e, inexoravelmente, volta a recuperá-los. Volta a fazer o mesmo, não foi educado", explica.

erros alimentares mais comuns Os erros alimentares são muitos e variam de pessoa para pessoa. Mélanie Coelho, nutricionista, aponta os mais comuns: Começar o dia sem tomar pequeno-almoço. É fundamental tomar o pequeno-almoço, porque o nosso corpo já esteve muito tempo sem comer e necessita da energia dos alimentos para recuperar e para se preparar para o dia que se segue. Comer em grandes quantidades e poucas vezes ao dia. Quando se come poucas vezes ao dia, a consequência mais natural é que se vá comer mais de cada uma dessas vezes e, além disso, que vá comer pior – alimentos mais calóricos e menos saciantes. Saltar refeições. O que a acontece quando salta uma refeição é que fica com mais fome e depois tem menos cuidado com o que escolhe para comer e além disso come mais, mais

28

depressa e pior. Temos que comer para não ter fome, pois quando temos fome, por norma devoramos tudo o que se vê à frente. O pequeno-almoço, o almoço e o jantar são refeições fundamentais e devem ser respeitadas. Não ter horários para as refeições O ritmo frenético, o stresse, as correrias ou o excesso de trabalho fazem com que não se consigam estabelecer horários certos para as refeições. É um erro, porque o nosso organismo, tal como nós, também precisa de regras. Fazer do jantar a refeição mais importante e completa Depois de um dia de trabalho, onde provavelmente se comeu pouco e a correr, sabe muito bem sentar a uma mesa farta e comer e beber tudo aquilo que nos dá prazer. O jantar, para quem não trabalha pela noite dentro, é a refeição que antecede muitas horas de repouso do corpo, e em repouso o corpo precisa de poucas calorias para desempenhar as funções que ficarão activas.


dicas para organizar as refeições A melhor forma de organizarmos as refeições é seguir a roda dos alimentos. A alimentação deve ser: Completa: comer alimentos de cada grupo e beber água diariamente; Equilibrada: comer maior quantidade de alimentos pertencentes aos grupos de maior dimensão e menor quantidade dos que se encontram nos grupos de menor dimensão, de forma a ingerir o número de porções recomendado; Variada: comer alimentos diferentes dentro de cada grupo variando diariamente, semanalmente e nas diferentes épocas do ano; Adaptada à idade, actividade física, estado de saúde ; Complementada com actividade física.

Passar o dia a petiscar fritos, bolachinhas e snacks. Estas novas tentações são alimentos de alto valor calórico e de alto teor de gordura, mas que nem assim dão uma sensação de saciedade. Cada aperitivo parece chamar pelo seguinte, e vai-se ingerido muito mais calorias do que se comesse refeições completas. No final, ainda fica com a sensação de que não comeu nada de substancial e não se sente saciado. Comer muito rapidamente, sem mastigar convenientemente os alimentos. Quando se come devagar, sentimos uma maior sensação de saciedade, que na verdade não nos é dada pelo estômago, mas sim pelo cérebro. Por isso quando mais devagar comermos, mais tempo estamos a dar ao cérebro para que ele retenha o que se come. Assim, ele vai transmitir rapidamente, a indicação de que está satisfeito.

Condimentar excessivamente os alimentos. Os alimentos têm muitos nutrientes preciosos que na maioria das vezes são anulados pelos condimentos em demasia. O sal – um dos condimentos mais usados – é muito maléfico para o organismo. Favorece a retenção de líquidos e é muito perigoso para quem sofre de hipertensão.

Será possível "comer para emagrecer"? a 14 DE ABRIL foi inaugurada, no Estádio Cidade de Coimbra, uma clínica de emagrecimento que, com base na nutrição, pretende colocar em prática o slogan "comer para emagrecer". Sara Couto, uma das sócias da Clínica LEV, revela que a unidade tem tido muito sucesso. "Somos procurados por todo o tipo de pessoas, desde os 16 aos 70 e muitos, tanto homens como mulheres". A clínica oferece um tratamento dividido em três fases. "Numa primeira fase tem de se substituir toda a alimentação tradicional pelas refeições Lev, com uma lista de legumes autorizados. Numa segunda fase introduz-se uma refeição de carne ou de peixe magros, e, numa terceira fase, hidratos de carbono de carga glicémica reduzida (fruta, produtos lácteos, etc)", conta Sara Couto. Ao longo do tratamento, os clientes são acompanhados por uma nutricionista, inclusivamente "numa quarta fase, que já não conta como tratamento, onde a pessoa faz a alimentação tradicional mas continua a ser seguida, de modo a não recuperar o peso perdido". O tratamento promete a perda entre cinco a sete quilos, em trinta dias. "Ao contrário das dietas tradicionais, em que as pessoas ficam ansiosas por sentir fome, no plano Lev tal não acontece, a ausência de fome é uma realidade". Para além disso, uma outra vantagem do plano Lev é a existência de uma grande variedade de doces que podem ser consumidos", refere. "Temos uma variedade de mais de cem refeições, entre salgados e doces", refere a responsável.O plano Lev é acompanhado de suplementos para "garantir que é 100% seguro". A grande vantagem, refere Sara Couto, é que "desde que a pessoa seja disciplinada e cumpra o plano, o resultado é garantido". Para além disso, "sabe perfeitamente a duração que vai ter o tratamento – num plano tradicional as pessoas vão avaliando os resultados sem ter um fim definido – aqui sabem que começam no dia x e terminam no dia y, com a garantia de que perderam o peso definido", completa.

29


sociedade

turismo

Férias sim, mas "low cost"

Os portugueses não abdicam das férias, mas vão gastar menos dinheiro nos dias de descanso. Turismo do Centro aguarda verão com "otimismo moderado" TextoS Vasco Garcia O verão está a chegar, as aulas a acabar e os

portugueses começam a pensar nas férias. Com a crise instalada no país, seria de esperar que muitas famílias optassem por prescindir de uns dias fora de casa, como forma de poupar algum dinheiro. No entanto, um estudo realizado pela Marktest, divulgado na semana passada, contaria esta teoria. Segundo o documento, intitulado "Férias Fora de Casa 2011", 38,5 por cento das famílias não vão alterar os seus planos para este verão em resultado da situação económica. "Muitos portugueses não pretendem deixar-se afetar pelas mensagens de controlo orçamental, no que respeita às férias", conclui o estudo. Mais: apenas 4,9 por cento dos inquiridos optam por não fazer férias devido à crise. Qual será então o segredo para conseguir o equilíbrio entre a necessária poupança e os desejados e merecidos dias de descanso? A solução passa por realizar estadias mais curtas ou utilizar menos recursos financeiros. "Semelhante a 2010" A C foi ouvir as agências de viagens e os responsáveis regionais do turismo e hotelaria e confirmou esta teoria. José Espírito Santo, sócio-gerente da Passepartout Coimbra, adianta que, nesta altura, "a dimensão das vendas é igual à de 2010". O responsável revela que há uma tendência para "uma escolha

30

maior por destinos nacionais, em comparação com anos anteriores". O sul – Algarve e Alentejo – "estão praticamente cheios", afirma. Ainda assim, o estrangeiro continua a ser o destino mais procurado pelos clientes da Passepartout. "A procura pelo Brasil tem vindo a crescer, também em resultado dos problemas que tem havido no Médio Orien-

As famílias optam por destinos dentro do seu cabimento orçamental. Em vez de irem para fora, ficam cá dentro, em vez de irem para mais longe, vão para mais perto

te" e que afastam alguns potenciais turistas dessa zona do globo. Além do país irmão, José Espírito Santo diz que "há cada vez mais procura pelo norte da Europa", nomeadamente os países do Báltico, a Polónia ou a Ucrânia. Segundo o sócio-gerente da agência de via-

gens de Coimbra, os portugueses não estão a poupar nas férias: "não me parece. As férias são já como um produto de consumo, de que as pessoas não abdicam", declara. "Compra por impulso já não existe" Na Halcon, uma das maiores redes de agências de viagens em Portugal, a crise faz-se sentir. Paulo Pereira, diretor de franchising da empresa, declara claramente que a procura decresceu: "Até 31 de maio, tivemos uma redução de 20 por cento na nossa carteira para as férias de verão", indica. O Algarve, as ilhas da Madeira e dos Açores, a costa espanhola, Cabo Verde e as Caraíbas são locais para onde embarcam a maior parte dos clientes da Halcon, que estão, também, a descobrir uma nova opção para passar uns dias de sonho: "tem havido mais procura pelos cruzeiros. São uma boa forma de passar férias em família e não são tão caros como muita gente pensa", diz Paulo Pereira. O diretor de franchising da Halcon não tem dúvidas em afirmar que os turistas "têm tendência para gastar menos dinheiro" nas férias: "As pessoas assumem um budget máximo e não o ultrapassam", conta. A atenção à "relação qualidade/preço" é, também, uma constante: "a compra por impulso já não existe. As famílias optam por destinos dentro do

16JUNHo 2011

PU


seu cabimento orçamental. Em vez de irem para fora, ficam cá dentro, em vez de irem para mais longe, vão para mais perto, em vez de irem mais dias, vão menos", conclui o responsável. "Mudou a agulha" "Não estamos a sentir muito a crise", começa por dizer Carlos Grave, da Coimbratur. Em 2011, o número de clientes da agência de viagens cresceu "27 por cento". No entanto, o volume de negócios aumentou apenas "um por cento", face ao anterior. Carlos Grave explica porquê: "houve uma diminuição do consumo per capita que, no ano passado, foi de 1.285 euros e, este ano, é de 1.018 euros, menos 21 por cento". Ou seja, "as pessoas não deixam de ir de férias, compram é férias mais baratas", conclui o responsável. A prova disso está também no aumento da procura dos destinos nacionais – 13 por cento – que é muito maior do que o estrangeiro (mais dois por cento, face a 2010). Isto significa que os portugueses "mudaram as agulhas das férias". Para além disso, Carlos Grave mostra-se preocupado com o próximo ano. Mas já começou

a procurar alternativas para enfrentar uma possível contração. "Estamos a apostar no turismo histórico, cultural e patrimonial, levando as pessoas a conhecer o melhor de Portugal. Começámos em 2010 e, em 2011, temos já um crescimento de 128 por cento", termina. E no Centro? Ouvidas as agências de viagens, que levam os habitantes da região para outras paragens durante o período de férias, é importante saber quais são as expectativas dos responsáveis do turismo e da hotelaria no Centro para o verão que se avizinha. O presidente da entidade regional de Turismo do Centro revela um "otimismo moderado". Pedro Machado espera para a região uma procura semelhante à de 2010, o que poderá, no entanto, não se traduzir num aumento de receitas, como já aconteceu na Páscoa: "tivemos boas taxas de ocupação, mas houve uma maior concentração em poucos dias, ou seja, houve menos dias com muitos turistas. Como houve também uma descida dos preços, as receitas diminuíram", explica. No caso da região, a crise até poderá vir a ter

Influência da crise nas férias

38,5%

dos portugueses não vão alterar as férias em resultado da situação económica autal

4,9%

optaram por não fazer férias ou não sair de casa em consequência da crise económica

30,5%

optará por realizar estadias mais curtas

17,1%

utilizará menos recursos financeiros

PUB

31


sociedade

turismo

um efeito positivo, uma vez que, se as famílias tiverem menos dinheiro para ir para o estrangeiro, poderão ficar em Portugal e optar pelo Centro. É precisamente o mercado interno – que representa cerca de 70 por cento da procura – que a entidade regional de turismo quer conquistar, destacando a diversidade de ofertas da região: praia, gastronomia, vinhos, cultura, religião, natureza, saúde… Por outro lado, a Turismo do Centro aposta também no país vizinho. É que, em tempo de crise, também os espanhóis poderão optar por um "mercado de proximidade". E, com a instabilidade dos países do norte de África, Portugal – e o Centro – torna-se numa boa alternativa. A região está a ser promovida na televisão de Castilha e Leão e nas principais cidades espanholas. Por último, Pedro Machado lembra os eventos regionais, como a Regata dos Moliceiros (em Aveiro) ou o Festival do Bacalhau (em Ílhavo), que irão decorrer ao longo do verão e que ajudarão a conquistar mais turistas. Depois de os ter por cá, importa mantê-los por mais tempo. A estadia média na região é de 1,9 noites, abaixo das 2,2 da média nacional. O presidente da Turismo do Centro aponta três medidas que podem ajudar a alterar este cenário: "animação, qualidade do serviço e promoção permanente da região".

Pedro Machado

José Pires

"Tendo em conta a conjuntura nacional e a procura que houve em 2010, esperamos um crescimento moderado em 2011. Esperamos que o mercado interno, que é o mais importante na nossa região, tenha um comportamento positivo. Aquilo que é um constrangimento, a crise, poderá levar as pessoas a ficar em Portugal e o centro é uma boa alternativa, com grande diversidade".

"O poder de compra é muito baixo. Na restauração, por exemplo, chegamos a ver pessoas pedirem meia dose para dois. A receita média baixou 25 por cento (...) necessitamos do aeroporto em Monte Real. É algo por que lutamos há muitos anos e que poderá vir a dar vida ao Centro. Atualmente os turistas passam ao lado de Coimbra, na autoestrada entre Lisboa e Porto".

Presidente da Turismo do Centro

32

Presidente da HRCentro

Hoteleiros pedem aeroporto em Monte Real Visão mais pessimista tem a Associação dos Industriais de Hotelaria e Restauração do Centro (HRCentro): "as perspetivas que temos são de uma quebra de ocupação", adianta José Pires, presidente da direção. O responsável frisa, precisamente, que "os turistas não permanecem muito tempo na região", o que, naturalmente, prejudica a hotelaria e a restauração. Além de esperar que haja menos turistas na região do que em anos anteriores, a HRCentro espera também que as receitas baixem: "o poder de compra é muito baixo. Na restauração, por exemplo, chegamos a ver pessoas pedirem meia dose para dois. A receita média por pessoa baixou 25 por cento", indica José Pires. E a opção de baixar os preços também não parece ser a melhor: "a restauração está em saldo e não sei se isso será bom para o turismo", lamenta. Questionado sobre medidas a tomar para alterar esta realidade, José Pires não tem dúvidas: "necessitamos do aeroporto em Monte Real. É algo por que lutamos há muitos anos e que poderá vir a dar vida ao Centro. Atualmente os turistas passam ao lado de Coimbra, na autoestrada entre Lisboa e Porto".

16JUNHO 2011


Tábua festas do

Concelho

29.JUNHO a 3.JULHO.2011 PAVILHÃO MULTIUSOS Zona de Restauração

29

Conferências

Zona Desportiva

JUNHO

ANDARILHO

CANTA

COMIGO

KARAOKE

JULHO

KARAOKE

FADO CENTRO AO

GABRIELL DJ’S

02

JULHO

03 C141

JULHO

Espectáculos Musicais

30

JUNHO

01

Espaço Infantil

RITMOS DE FOGO

DJ GONZO DJ M.LOUIZ

ESTUDANTINA

UNIVERSITÁRIA DE COIMBRA

ORXESTRA PITAGÓRIA Apoio

Media Partners

ENTRADA LIVRE


sociedade

memória

guerra colonial

Força aérea ignora enfermeiras "paras" a passagem, no dia 6 de junho, do 50.º aniversário da criação do corpo de Enfermeiras paraquedistas foi completamente "Branqueada" pelos responsáveis militares. Há quem se sinta indignado com tal alheamento. Texto soares rebelo o primeiro curso de enfermeiras paraquedistas foi constituído a 6 de junho de 1961, já lá vão, portanto, 50 anos. Objetivo: prestar assistência sanitária mais rápida aos militares envolvidos em operações de guerra e às populações civis nos ex-territórios portugueses de Goa, Timor, Angola, Moçambique e Guiné. "Na segunda metade do século XX, em pleno regime salazarista, caraterizado pelo conservadorismo, dá-se em Portgal um gigantesco passo para a autonomia da mulher portuguesa, protagonizado pelas corajosas enfermeiras paraquedistas", escreve José Lemos Vale

34

em livro que lhes dedica. O antigo cabo enfermeiro de combate, que fez uma comissão de serviço em Cabo Delgado (Moçambique), não entende, por isso ,a razão que levou a Força Aérea a "branquear" a data. "Durante todo o período de duração da guerra do Ultramar, estas enfermeiras estiveram nas frentes de combate com desvelo, como tantos feridos e sinistrados recordam", garante José Lemos Vale. "Foram", prossegue, "boinas verdes abnegadas, cuja coragem foi escrita nalgumas páginas mais ilustres e dignificantes das nossas Forças Armadas". O Corpo de Enfermeiras Paraquedistas, cuja

última missão teve lugar nos meses de agosto e setembro de 1976, no decurso da evacuação de portugueses de Timor para Lisboa, foi decidido por despacho do então secretário de Estado da Aeronáutica Militar, tenente-coronel Kaúlza de Arriaga, após a autorização do presidente do Conselho de Ministros, Oliveira Salazar. O primeiro grupo destas jovens raparigas portuguesas, que integrava profissionais de enfermagem oriundas da Escola de Enfermagem das Franciscanas Missionárias de Maria, ficou conhecido como as "Seis Marias", por todas se chamarem Maria. Tratou-se, na al-

16JUNHo 2011


tura, de um acontecimento completamente original no nosso país, por serem as primeiras mulheres equiparadas a militares com a patente de alferes-enfermeira, não tendo sido pacífico o seu aparecimento no seio das Forças Armadas, devido aos preconceitos da época. Em agosto de 1961, as enfermeiras paraquedistas começaram a ser mobilizadas para Angola, atuando nas frentes de guerra em inúmeras missões de acompanhamento de feridos e doentes evacuados de África para Lisboa. Segundo o antigo cabo enfermeiro, o gabinete de relações públicas da Força Aérea informou-o, quando pediu informações sobre a eventual celebração da efeméride, que "não foi equacionado realizar qualquer cerimónia evocativa deste aniversário, "apagão" que considera, "além de deselegante e nada patriótico", ainda uma prova de que "a Nação, quando necessita dos seus filhos, os trata como ouro precioso, mas logo que estes deixam de ser úteis passam a ser considerados como latão imprestável". José Lemos Vale diria ainda à C, visivelmente contristado, que "as enfermeiras paraquedistas têm todos os motivos para lamentrar e sentirem-se deveras magoadas pelo desprezo a que foram votadas pela Força Aérea Portuguesa". O autor do livro "Sopros de Vida" considera, finalmente, incompreensível o ostracismo a que as autoridades militares votaram "estas mulheres possuidoras de elevado sentido humanitário e que, com a simplicidade e modéstia das heroínas, marcaram para sempre um lugar que nunca se apagará na memória dos que socorreram ou a quem salvaram a vida, e da Pátria que tanto honraram". "operação jove" Maria Arminda, ex-tenente enfermeira paraquedista recorda, por seu turno, a abnegação da tenente graduada enfermeira paraquedista Maria Zulmira, falecida no ano passado,

No lado esquerdo, as primeiras mulheres equiparadas a militares. Em cima, as enfermeiras preparadas para o teatro de guerra. Ao lado, a enfermeira Giselda acompanha um ferido evacuado da frente de combate

na "Operação Jove", na Guiné. "Foi ela que assistiu e tratou ", recorda, "o capitão do exército cubano ao serviço do P.A.I.G.C., Pedro Rodriguez Peralta, ferido e evacuado da zona do Guileje". A jovem militar tinha recebido instruções do comandante de companhia para, lembra ainda Maria Arminda, "tudo fazer quanto estivesse ao seu alcance para salvar aquele ferido que se encontrava em péssimas condições físicas, nada podendo falhar para que o oficial cubano chegasse vivo ao hospital e em condições gerais estáveis para ali ser intervencionado de imediato."

"Sopros de Vida" No livro "Sopros de Vida", a lançar brevemente em Coimbra, pela editora Fonte da Palavra, José Lemos Vale presta uma sentida homenagem aos ex-enfermeiros operacionais que acompanhavam os grupos de combate nas frentes da guerra colonial e, muito especialmente, às "corajosas e abnegadas enfermeiras paraquedistas". Na apresentação do livro, participarão algumas dessas heroínas .

A ex-tenente enfermeira paraquedista sublinha que, hoje "tal facto não tem, afinal, para as autoridades militares, importância alguma". Crítica, acrescenta que, como eram na altura tão poucas, não seria difícil aos investigadores e autores dos artigos informarem-se dos nomes da enfermeira, do piloto e eventualmente do mecânico, que tal como a enfermeira passaram por níveis acrescidos de stress na missão deste acontecimento muito especial. "A captura do capitão Peralta foi, sem dúvida, um grande mérito para as nossas tropas, tendo ficado, por esse facto, na história da guerra da Guiné", garante. Maria Arminda recorda que sempre que falava sobre este assunto com Maria Zulmira e lhe dizia que ia divulgar o facto junto dos mais distraídos, ela dizia-me: "não faças isso, não te aborreças, não tem importância nenhuma não falarem de mim, isso hoje não interessa, já passou". Lamenta, por isso, este esquecimento do Corpo de Enfermeiras Paraquedistas por parte da Força Aérea, onde, acusa, "já ninguém conhecerá este pormenor da "Operação Jove" e da importância que a enfermeira Zulmira André teve na vida do capitão Peralta e na projeção do êxito da mesma captura pelas tropas paraquedistas".

35


sociedade

ipc

Às Quartas na RTP 2 transmitido há mais de 6 anos na RTP2, o programa da ESEC TV é o único momento televisivo regular que dá a conhecer as iniciativas culturais de Coimbra, facto que é reconhecido e aplaudido. A ESEC TV é um projeto de produção televisiva, inserido na Licenciatura em Comunicação Social da ESEC, lançado em março de 2003 por Francisco Amaral, com a colaboração de 12 alunos estagiários. Embora assumindo-se como um projeto pedagógico de apoio à formação dos seus estudantes, desde sempre a ESEC TV procurou estabelecer ligações com a comunidade. No início, produziu para a Coimbra/Capital da Cultura 2003, acompanhando a programação de música. Em 2004 surge o acordo com a RTP e a emissão regular do programa. O programa 200, para além de recuperar alguns momentos de edições passadas, contém uma larga série de depoimentos, desde responsáveis escolares até gente ligada à Cultura na cidade. Lloyd Cole, Deolinda, Malangatana, Maria do Céu Guerra ou Mário Soares são apenas algumas das figuras públicas que passaram pelas emissões da ESEC TV. Dezenas de estudantes da ESEC, alunos e estagiários das licenciaturas em Comunicação Social, Comunicação e Design Multimédia e de Música, passaram pela ESEC TV. Tomam contacto com a realidade concreta da produção de um programa de televisão, aprendendo a pré-produzir, fazer reportagem, captar imagem, editar, pós-produzir. A ideia inicial foi sempre esta: não simular, fazer e expor o trabalho ao público. Nos últimos quatro anos a ESEC TV tem disponibilizado na Internet os seus conteúdos, em peças separadas ou, mais recentemente, o programa na íntegra acompanhado em Língua Gestual (http://vimeo.com/channels/ esectv).

36

Que curso escolher? Com a expectativa de assegurar um futuro pro-

fissional promissor, milhares de jovens irão escolher, em breve, o curso que querem frequentar. Mas que caraterísticas deverá ter um curso para garantir esse objetivo? Deve ser, evidentemente, um bom curso. E, para que isso seja verdade, deverá: 1) corresponder a uma necessidade social, que é o mais relevante para a sua empregabilidade; 2) garantir uma formação teórica sólida, sem deixar de dar uma importância crucial à formação prática centrada na profissão, pois só isso permite corresponder às exigências do mercado de trabalho; 3) assegurar uma efetiva ligação às empresas, nomeadamente através de estágios, uma vez que essa experiência potencia as oportunidades de

Estágios na Europa

primeiro emprego; 4) possibilitar experiências internacionais, que são cada vez mais valorizadas pelos empregadores. Os cursos do Politécnico de Coimbra (IPC) asseguram plenamente as caraterísticas identificadas acima. A extensa e variada oferta formativa assegurada pelas escolas do IPC (ESAC, ESEC, ESTeSC, ESTGOH, ISCAC e ISEC) cobre a maior parte das áreas profissionais, da engenharia às artes, passando pelas ciências empresariais, gestão, saúde, ciências agrárias, educação, desporto, turismo e tecnologias. São, pois, opções seguras para quem procura um curso que proporcione uma boa integração no mercado de trabalho e um futuro profissional promissor. No site www. ipc.pt poderá encontrar mais informação sobre estes cursos.

Clube de Inovação e Empreendedorismo o clube de Inovação e Empreendedorismo é uma plataforma de fomento, apoio e divulgação à inovação e empreendedorismo, para toda a Comunidade da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra.

O Politécnico de Coimbra, em associação

com o Conselho Empresarial do Centro e os Politécnicos de Castelo Branco, Guarda, Viseu e Leiria constituiu um consórcio destinado a apoiar estágios internacionais para os seus estudantes. O consórcio, ERASMUSCENTRO, obteve do Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida/Erasmus apoio financeiro para, em 2011/2012, concretizar 230 estágios em empresas por toda a Europa.

Instituto de Contabilidade e Administração faz 35 anos As comemorações dos 35 anos do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra (ISCAC) decorreram no dia 8 de junho no Dolce Vita, com várias atividades ao longo de todo o dia.

10 Fevereiro 2011


C135


investigação

cérebros

acelerar o estudo de determinadas doenças

Proteína do pirilampo traz esperança na medicina físico de coimbra usou milipeia para calcular alterações nas moléculas de um pirilampo e acelerar o estudo de doenças como o cancro Texto marta varandas foto mário nicolau alguma vez pensou que um pirilampo pu-

desse contribuir para avanços na medicina? O pequeno inseto que emite luz fosforescente pode, afinal, ter outras aplicações que vão muito além do simples espetáculo de luminosidade que proporciona. Fernando Nogueira, docente no Departamento de Física da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), está a liderar um projeto que tem por objetivo calcular alterações nas moléculas bioluminescentes de um pirilampo, para assim acelerar o estudo de doenças. O cancro pode ser uma delas. De acordo com o coordenador do projeto, a equipa vai agora passar à segunda fase, de confirmação laboratorial, a realizar no Centro de Neurociências. A proteína fluorescente verde (GFP) é utilizada rotineiramente na biomedicina como marcador, conforme explicou o docente. Mas a técnica tem limitações. "Há interesse em usar uma molécula em que a luz não seja absorvida tão facilmente como acontece com a GFP, que é verde e se encontra nas medusas. O alaranjado seria o ideal. Esse foi um dos motivos que levou os cientistas a começar a usar uma outra molécula emissora de luz, presente nos pirilampos", explica. Mas há interesse em "ter marcadores de várias cores diferentes para se poder estudar a ativação simultânea de genes diferentes". Não havendo na natureza pirilampos azuis (por exemplo), as moléculas bioluminescentes noutras cores têm de ser desenhadas em laboratório. Para obter a fórmula correta para a alteração da molécula, o investigador recor-

38

reu ao poder de cálculo do supercomputador Milipeia e assim desenvolveu um método para modificar a molécula responsável pela emissão de luz (bioluminescência) dos pirilampos, para poder vir a gerar um marcador químico para futuras aplicações na saúde. Este é o resultado de quatro anos de investigação, financiada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. "Conhecendo a constituição física e química da molécula geradora de luz nos pirilampos e a proteína onde está inserida, começámos por estudar os detalhes dessa proteína, não só para perceber o seu funcionamento, mas para compreender como intervém no processo de emissão de luz e cor da molécula", referiu. Com o modelo computacional desenvolvido, "conseguimos prever a cor. Desenhamos a proteína no computador, simulamos e verificamos como ela deve ser. São os bioquímicos que vão sintetizá-la e, se este modelo estiver certo, vai ser produzida a luz pretendida", adianta o investigador. "Neste momento estamos na fase de verificação e correção". Caso seja validado o modelo técnico e seja possível produzir proteí­ nas que luminescem em cores diferentes "vamos conseguir seguir a expressão simultânea de vários genes, o que vai ajudar na pesquisa de curas. Estamos a otimizar uma técnica de investigação dos mecanismos de doenças, facilitando a investigação biomédica", sublinhou. Dentro de um ano, uma das primeiras fases da investigação clínica "pode estar concluída, melhorando as ferramentas que se usam para estudar o cancro, entre outras doenças".


Luciferase com luciferina no interior. É uma enzima que catalisa reações biológicas transformando energia química em energia luminosa. Assim como todas as enzimas, a luciferase possui alta especificidade ao seu substrato (luciferina)

ciência & tecnologia Centro TIC da UA promove encontro dedicado exclusivamente à uti-

Luciferina isolada. É uma molécula responsável pelas emissões luminosas em alguns animais, fungos e algas (bioluminescência). O pirilampo é um exemplo desse fenómeno

lização das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) e das tecnologias de apoio na educação de alunos com necessidades educativas especiais, o auditório da Reitoria da Universidade de Aveiro recebe, a 17 e 18 de junho, o 1.º Encontro Nacional "Superar Barreiras com TIC: Políticas, Ideias e Práticas". As inscrições estão abertas até ao primeiro dia do encontro e o início está marcado às 09H30.

Investigadores da UC criam spin-off

O físico de Coimbra recorreu ao supercomputador Milipeia para efetuar os complexos cálculos científicos. O computador, da Universidade de Coimbra, tem 530 processadores e é o maior, público, para investigação

à lupa Nome

Fernando Nogueira Data de nascimento

25 de dezembro de 1968 Naturalidade e residência

Coimbra

filme preferido

Mystic River Leituras

Don de Lillo, Philip Roth, Dennis Lehane prato predileto

Comida indiana vícios

Os computadores e a informática Hóbis

Fotografia e leitura porto de abrigo

A universidade de Coimbra tem uma nova spin-off. A Jardins de Vapor é formada por um grupo de investigadores da Faculdade de Farmácia e foi inaugurada na incubadora de empresas da Figueira da Foz, no parque industrial da cidade. A nova empresa de base científica pretende implementar a extração e produção de óleos essenciais e produtos derivados em Portugal.

Conferência internacional no IPN o município de Penela e o Instituto Pedro Nunes (IPN), parceiros do projeto ERMIS, realizaram uma conferência internacional que teve lugar no auditório do IPN, em Coimbra. A sessão de abertura contou com o diretor do projeto ERMIS - Câmara de Comércio da Riviera Francesa, Philippe Chéreau.

A montanha (Pirinéus, Alpes) 39


local

escapadelas

lousã

São João é convite irrecusável

A "Lousã à Antiga", as marchas sanjoaninas, a mostra comercial e industrial do concelho e o "Artes para Todos", que assinala o encerramento do projeto "Lousã, Destino de Turismo Acessível", tornam o são joão 2011 imperdível TEXTO Mário Nicolau

"Honrar a tradição e a importância do São João" foi, segundo Luís Antunes, vice-presidente da Câmara Municipal da Lousã, o principal objetivo da autarquia, que decidiu, também, assinalar os 100 anos do Feriado Municipal. "A atual situação social e económica" foi tida em conta pelos organizadores que, mesmo assim, construíram um programa diversificado e que inclui espetáculos, exposições e atividades desportivas. A angariação de patrocinadores foi outra das preo­ cupações, pois, explica Luís Antunes, "só deste modo será possível manter a qualidade do evento, dando resposta aos anseios dos lousanenses, mas sem aumentar o esforço da autarquia na realização das festas". Este ano, acrescenta, "existe a perspetiva de que 45 por cento das despesas sejam cobertas pelas receitas". A recriação da "Lousã à Antiga" (sábado e domingo), na zona história, e os eventos do "Artes para Todos" (17 a 30 de junho), que assinala o encerramento do projeto "Lousã, Destino de Turismo Acessível", promovido pela Câmara Municipal da Lousã e que

40

Luís Antunes destaca qualidade do evento

contou com forte participação dos agentes locais e de especialistas nacionais e estrangeiros na temática das acessibilidades e turismo, são dois capítulos "diferenciadores" da edição 2011 em relação às anteriores. No evento "Lousã à Antiga" será recriada uma

feira do início do século XX com a colaboração dos artesãos, associações e moradores. "Será um momento bastante interessante e espero que a população e os visitantes correspondam, valorizando com a sua presença o trabalho quer da câmara municipal, quer de todas as entidades locais que referi", disse. Feira tradicional, animação de rua, teatro, música, cantares ao desafio, jogos tradicionais e festival de folclore preenchem o programa da "Lousã à Antiga", que decorrerá sábado e domingo, na praça Cândido dos Reis, Rua Viscondessa do Espinhal, Largo da República e Rua Dr. Francisco Viana. A edição deste ano, segundo o autarca, após as reuniões realizadas com as diversas entidades envolvidas na organização, funciona como ano "zero" de um evento "relevante para a comunidade local, para a promoção turística do concelho e para a animação da zona histórica da vila". Já o "Artes para Todos" representa um "enriquecimento claro" do programa do São João 2011 ao permitir, considera o vice-presiden-

16JunHo 2011


22 junho

Fados de Coimbra 23 junho

Marchas Sanjoaninas, baile e arraiais populares 24 junho

Sessão solene do Dia do Município (Paços do Concelho). Noite da Lousã 25 JUNHO

Miguel Gameiro e Miguel Ângelo (canções ao desafio) 26 Junho

José Malhoa

Espetáculos para todos os gostos O programa do São João 2011, na Lousã, inclui propostas para todos os gostos. Destaque para o espetáculo "Canções ao Desafio", com Miguel Gameiro, ex-vocalista dos Pólo Norte, e Miguel Ângelo, rosto dos Delfins, que preenche a noite do dia 25 de junho (sábado), enquanto José Malhoa anima a última noite do programa, com cariz mais popular. "A prata da casa", ou seja os artistas, as bandas e os marchantes lousanenses, está presente em força no alinhamento definido pela Câmara Municipal da Lousã. Os festejos de São João começam na quarta-feira, dia 22 de junho, com uma noite de fados, com o Grupo Fado ao Centro, às 21H30, nas Ermidas da Senhora da Piedade. No dia seguinte, além da inauguração, às 17H00, da Mostra Comercial e Industrial, no Parque Municipal de Exposições, o programa inclui o tradicional desfile das Marchas Sanjoaninas. A partir das 21H30, dez marchas (oito adultas e duas infantis) desfilam pelas ruas da vila, seguindo-se no recinto do Parque Municipal de Exposições o baile com a banda "Notas Soltas". Os arraiais populares em diversos locais da vila são outro dos atrativos para quem pretende descobrir a Lousã durante estes dias. O Feriado Municipal, na sexta-feira (dia 24), é dominado pelo "engenho e arte" dos lousanenses. "Irmãos dos Blues", "Senso Comum", "Crash", "Rockosfera", Ramiro Simões, "Críticos de Ontem" e "Ponto e Vírgula" sobem ao palco, às 22H00, no recinto do Parque Municipal de Exposições. A noite de sábado, dia 25, tem Miguel Gameiro e Miguel Ângelo como cabeças de cartaz, enquanto o popular José Malhoa foi o artista escolhido para a noite de domingo, dia 26.

C76

destaques

de Viana do Castelo e a atuação das bandas "Irmãos dos Blues" (ARCIL), "Quinta Punkada" (APPACDM Coimbra) e "Grupo Saravá" (APPC Porto) assinalam, amanhã, às 20H00, o início do evento, junto ao edifício dos Paços do Concelho, na Praça Sá Carneiro. Dia 30 decorrerá a sessão pública de encerramento (10H30 - Cineteatro) do Projeto "Lousã, Destino de Turismo Acessível" . Por outras palavras: a partir de hoje, todos os caminhos vão dar à Lousã...

41 41 C89

te da Câmara da Lousã, e de acordo com uma das prioridades da autarquia, "momentos de sensibilização e de formação de caráter não formal a toda a comunidade na temática da acessibilidade". Pioneiro, inovador e único a nível nacional, pelo seu conceito agregador da relação das artes com a questão da deficiência, o "Artes para Todos" confirma a Lousã como o primeiro Destino de Turismo Acessível em Portugal. A arruada com os "Bombos e Cabeçudos"


poder local

Montemor apoia alunos A Câmar a de Montemor-o-Velho entregou 182 bolsas de estudo a alunos do 9.º ano até ao ensino superior. Com um investimento próximo dos 50 mil euros, a autarquia reforça "a aposta na educação e na juventude", assegurou o presidente da câmara, Luís Leal

Marchas saíram à rua em Penacova O largo Alberto Leitão encheu-se para assistir às Marchas Populares de Penacova. Centro Paroquial de Lorvão, Associação Recreativa e Cultural de Travanca do Mondego, Santo António de Lorvão, Mocidade Futebol Clube e Grupo Artes de Palco da Casa do Povo de Vila Nova de Anços participaram no desfile.

notícias

Oliveira do Hospital inaugurou biblioteca o feriado de dia 10 de junho foi vivido de forma mais intensa em Oliveira do Hospital. A inauguração da biblioteca municipal foi, para o presidente da autarquia, "um momento histórico" da vida do concelho. A nova infraestrutura de Oliveira do Hospital disponibiliza mais do que livros. "Os jornais e revistas, o CD e o DVD, a dramatização, a televisão e a internet são opções disponíveis em espaços pensados e concebidos para induzir o visitante a regressar sempre e a fazer da sua biblioteca uma segunda casa", explica José Carlos Alexandrino. "A Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital chega com

José Carlos Alexandrino

PUB

C69

42

16JUNHO 2011

quase uma década de atraso", lamenta o edil. Algo que, ainda assim, não menoriza o orgulho sentido pelo presidente da câmara, em dia de festa: "o concelho passa a poder integrar uma rede nacional de bibliotecas cuja criação constituiu, não só uma aposta forte, como uma aposta ganha do governo de Portugal que agora cessa funções". Com a inauguração da biblioteca, foi também publicada a obra "São Restos", de Cid Teles. "A totalidade dos escritos deste autor tão querido do concelho de Oliveira do Hospital fica agora disponível ao público", concluiu José Carlos Alexandrino.


C15


trial

desporto

Campeonato Nacional de Trial 4x4 visita Tábua a PRÓXIMA JORNADA DO Campeonato Nacional Trial 4x4 TERÁ a barragem da aguieira como cenário. tábua estreia-se no calendário do "puro trial". As inscrições encerram neste sábado Os organizadores consideram a Albufeira

da Barragem da Aguieira, no concelho de Tábua, como cenário privilegiado para acolher a quarta jornada do Campeonato Nacional de Trial 4x4. O MK-Mákinas Associação de Desportos, com o apoio da Câmara Municipal de Tábua, preparou um desafio à altura dos concorrentes do campeonato nacional. Ao receber a próxima prova da competição, Tábua, concelho com um notável passado histórico, estreia-se no calendário do CNTrial4x4 e, ao mesmo tempo, entra para a história do "puro trial". A margem do rio Mondego, palco da competição, transformar-se-à num local de passagem obrigatória para os milhares de espetadores que são aguardados no fim-de-semana de 25 e 26 de junho e que terão oportunidade de apreciar, garantem os organizadores, "o melhor trial, praticado por excelentes equipas, servidas por magníficas viaturas". Depois de Santa Maria da Feira, Alenquer, e Montalegre, a região Centro perfila-se agora para acolher mais um excelente evento desportivo que promete muita competitividade, adrenalina e espectáculo. O antigo aterro das minas de urânio de Tábua, ladeado por uma lagoa natural, reuniu

44

todas as condições para a realização de uma prova memorável. Ao longo das três horas de prova, antecedidas por 120 minutos de treinos cronometrados, as equipas serão postas

PROGRAMA OFICIAL Sábado - 25 de junho 15H00/20H00 – Secretariado, verificações técnicas e administrativas. Parque fechado (Praça Município) 20H00 – Briefing (Salão Nobre -Tábua) Domingo - 26 de junho 08H00/09H00 – Abertura parque fechado 09H00 – Desfile em caravana até local da prova 10H00/12H00 – Treinos Oficiais (2 horas) 12H15 – Publicação dos tempos e pré-grelha 12H00/13H30 – Almoço 13H30/13H50 – Entrada em Parque Fechado/Grelha de Partida 13H55 – Briefing 14H00/17H00 – Prova de Resistência Trial 4x4 (3 horas) 17H05 – Divulgação da classificação 17H15 – Cerimónia de entrega dos prémios

à prova na abordagem aos doze obstáculos idealizados pela equipa do MK-Makinas, num circuito onde predominam as dificuldades naturais: pedra, escalada de paredes – picadas, a forçar o uso constante do guincho e a componente de equipa – piloto/navegador. As inscrições encerram no próximo sábado e a organização espera a adesão à prova de Tábua de novas equipas oriundas da região Centro, contribuindo para o incremento de uma competição que tem cativado milhares de adeptos e participantes de todas as regiões do país. Após o duplo triunfo do Indigo/Vicitcork, nas duas últimas jornadas e, da vitória do Stand Emanuel Costa/Cibercar/Castrol na ronda inaugural, outras formações, com fortes argumentos humanos e mecânicos, podem contrariar o maior favoritismo das equipas melhor classificadas. A classificação, após três jornadas, é a seguinte: 1.º Stand Emanuel Costa/Cibercar/Castrol, 106 pontos; 2.º Repsol TT, 104; 3.º Indigo/ Vicitcork, 101; 4.º Paljet, 98; 5.º Cutelarias/ Vimaelectrica, 84; 6.º LM4 TUFF 4x4, 80; 7.º Jipes & Companhia/Troqouro, 76; 8.º Team Serrão/Serraoecebolo.com, 74; 9.º Standcandeias.com; 71; 10.º Hortícolas/Cerâmica Team, 71 pontos.

16JUNHO 2011


Hóquei subaquático nas Piscinas de Cantanhede Organizado pela Comissão

de Hóquei Subaquático (CHS) da Federação Portuguesa de Actividades Subaquáticas (FPAS), a final do campeonato nacional de hóquei subaquático dá continuidade ao trabalho de divulgação e desenvolvimento da modalidade em Portugal. Foram realizadas até agora cinco etapas, que integraram a Taça de Portugal e respetivos campeonatos regionais, com o intuito de que os atletas dos clubes em competição conseguissem cumprir um plano de treinos intensivo de modo a estarem aptos para participar no Campeonato do Mundo, que decorre em julho, na Holanda. No próximo fim-de-semana, em Cantanhede, estarão em competição nove equipas num conjunto de jogos que começam, no sábado, às 15H00, prolongando-se até às 19H00. No dia seguinte, as provas recomeçam às 09H00 e terminam às 13H00 horas. O hóquei subaquático foi in-

ventado por Alain Blake em 1954, em Inglaterra, com o intuito de manter os mergulhadores ocupados durante o período de Inverno. Ao longo dos anos, a modalidade, que inicialmente se designava "Octopush", tem sido sujeita a várias modificações designadamente a nível de equipamento e número de jogadores. Hoje em dia é praticado um pouco por toda a Europa com destaque para o Reino Unido, França e Holanda que são os países onde se encontra mais desenvolvida, mas também na África do Sul, Austrália, Nova Zelândia, Colômbia, Estados Unidos e Canadá. Em Portugal, a modalidade tem vindo a desenvolver-se rapidamente, desde o seu surgimento oficial em 2007, aquando da criação do primeiro clube oficial de Hóquei Subaquático no país. Desde então, o crescimento tem sido muito significativo havendo nove clubes a praticar em Portugal.

Rui Gomes e Bernardo Lopes medalhados

C138

Os atletas da Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC), Rui Gomes e Bernardo Lopes, conquistaram, respetivamente, o 1.º e o 3.º lugar na modalidade de Boccia, classe BC1, nos Jogos de Portugal, que decorreram em Coimbra. Nove atletas da APCC, das classes BC1, BC2 e BC3, participaram na competição organizada pela Federação Portuguesa de Desporto Para Pessoas com Deficiência com o objetivo de promover o desporto para pessoas com incapacidade em Portugal.

45


iniciativa

passatempo

CANTA COMIGO

Revista C anima o verão do distrito de Coimbra A C anda à procura da melhor voz da região e para isso lançou um enorme passatempo de Karaoke: o CANTA COMIGO vai percorrer todos os concelhos do Distrito de Coimbra (ver caixa) e ouvir os concorrentes que quiserem provar que sabem cantar. O espetáculo, num camião palco e com duração de cerca de 4 horas apresenta ainda animação musical a carga da Banda C (levado ao palco pelos músicos da banda profissional MINISTÉRIO) bem como a actuação do mágico de Coimbra Telmo Melo. O primei-

ro prémio da Grande Final, que acontecerá em Góis, no dia 12 de Agosto, é de 1.500 euros! A primeira eliminatória acontece em Coimbra, sábado, dia 25 de junho e junta 10 concorrentes, que vão escolher a música e cantar em karaoke. Os cinco melhores seguem para uma votação online e, depois, o público escolhe o melhor, para representar o seu concelho na grande final, em Góis, a 12 de agosto. Por isso, se achas que sabes cantar consulta o site www.cnoticias. net e inscreve-te já !

O programa de animação que a revista C preparou promete muita festa e animação. Ao lado, o mágico Telmo Melo e em baixo pormenor do camião palco que vai andar pelo distrito à procura dos melhores cantores!

PUB

CALENDÁRIO CANTA COMIGO JUNHO 25 - 21h00 COIMBRA - Praça da Canção (1.ª eliminatória) 30 - 21h00 TÁBUA - Recinto da FACIT2011 JULHO 01 - 21h00 GÓIS - Centro histórico 08 - 21h00 COIMBRA - Feira Popular(2.ª eliminatória) 09 - 21h00 MIRANDA DO CORVO - Centro da vila 15 - 21h00 soure 21 - 21h00 MIRA - Festas de S. Tomé 22 - 21h00 PENACOVA - Festas do Concelho 23 - 21h00 ARGANIL - Centro da vila 24 - 21h00 CONDEIXA - Festas de SantaCristina 29 - 21h00 LOUSÃ - Noites de Verão - Pç. Sá Carneiro AGOSTO 05 - 21h00 CANTANHEDE - Praia da Tocha 12 de AGOSTO - góis - grande final A CONFIRMAR Penela, Figueira da Foz, Montemor-o-Velho, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Vila Nova de Poiares

46

16JUNHO 2011


47

C127


marketeer

Tenho vários vícios bons

dinheiro

JOÃO SANTOS é técnico de comunicação da câmara municipal da lousã

Qual foi o seu primeiro emprego? Vários part-times antes de acabar o curso. Deram-me experiência em diversas áreas. Após a conclusão do curso, entrei para o emprego atual. Como gastou o primeiro ordenado? Recordo-me que parte dele foi gasto numa mariscada em família. Um sonho… Tenho vários, mas todos levam ao mesmo: ser feliz. O que não suporta? Mentira e falta de objetividade. Um vício que não equaciona deixar… Felizmente, tenho vários vícios bons: desporto e associativismo, por exemplo. Nunca conseguirei deixar o convívio com amigos e familiares.

conversa de

quiosque O Quiosque do Hospital dos Covões, situado na rua dos Covões, é gerido por Carolina Faria desde 1 de agosto de 2009. Gosta do trabalho que executa, principalmente do contacto que tem todos os dias com o público que frequenta o seu estabelecimento. Reconhece,

48

QUIOSQUE DOS COVÕES Rua dos Covões - Hospital Coimbra - Tlm: 96 857 11 45

no entanto, que isso depende muito de quem lá vai. "Há de tudo!", adianta. O Quiosque dos Covões está aberto todos os dias da semana, das 09H00 às 19H00. Vende revistas, jornais e plantas. O tabaco não entra ali no rol dos produtos comercializáveis.

16JUNHO 2011

E que marca não dispensa? Não tenho nenhuma marca de referência. Se gosto, tento ter, independentemente das marcas. Que música lhe dá vontade de cantar em voz alta? Apesar de ser um péssimo cantor, gosto bastante de música. Uma das referências é "One ", dos U2. Com quem não jantava? Prefiro pensar nas inúmeras pessoas com quem tenho o prazer de jantar e socializar. Último livro lido, cd ouvido, filme visto? "Memórias" - Artur Agostinho (para mim, uma grande referência na área da comunicação em Portugal); Snow Patrol - "Up to now"; "Tropa de Elite 2". Lema de vida? Tenho dois: "não deixes para amanhã o que podes fazer hoje" e "se acreditas vai em frente".


a loja prink, na Rua Simões de Castro, em Coimbra, é "sinónimo" de economia. "É um franchising italiano e tem 600 lojas na Europa. Somos especializados em tinteiros, toners e papel", explica o sócio-gerente Jorge Santos. A Prink, acrescenta, vende produtos originais, produtos reciclados e produtos com marca própria. "São produtos marca branca, que mandamos fabricar e em que tudo é novo, ou seja o tinteiro e o chip, e, é claro, também a tinta, pois o enchimento dos tinteiros é realizado de acordo com as nossas orientações. São produtos integralmente novos, não são reciclados", garante. Mas vamos a casos práticos: "o tinteiro HP 21, muito conhecido, tem cinco mililitros de tinta, enquanto que o tinteiro Prink tem 20 mililitros, ou seja, quatro vezes mais tinta que o original, assegurando naturalmente mais cópias". O preço é outra agradável surpresa, pois "os nossos produtos são muito mais baratos e oferecem muito mais tinta aos clientes". No caso dos toners, a realidade é a mesma: são produtos marca branca, fabricados sob encomenda da Prink. "O cliente pode poupar cerca de 60 por cento em relação ao original", sublinha. Por outro lado, o cliente tem acesso "a 99 por cento dos tinteiros do mercado", pelo que encontrar o tinteiro adequado para os modelos mais antigos de impressoras não é problema. Atenta à proteção do ambiente, a Prink Coimbra, com o apoio da Prink Portugal, iniciou um processo de colaboração com os agrupamentos de escolas para a recolha dos tinteiro usados. "Neste momento, já temos protocolos estabelecidos com 30 escolas do distrito de Coimbra, mas queremos aumentar este número. Fornecemos as ecobox e também formação nesta área e incentivamos a reciclagem do material usado, que, depois, é convertido em papel, impressoras, computadores ou em tinteiros", explica. Neste momento, segundo o sócio-gerente, "a recolha dos toners ou dos tinteiros é problemática, pois a única empresa que assegurava o serviço no nosso país, deixou de o fazer devido à saturação dos armazéns". Além de Coimbra, o passatempo escolar "Tinteiro EcoLÓGICO" será implementado na área de influência das seis lojas da rede (Aveiro, Vila Nova de Gaia, duas lojas no Porto e uma Viseu). "Em setembro haverá novidades", confessa. Os kits de recarga de alto rendimento são muito apreciados pelos estudantes, já que

MÁRIO NICOLAU

empresário de sucesso

Prink é sinal de economia em consumíveis especialista em consumíveis, a prink coloca à disposição dos clientes tinteiros e toners com mais tinta e mais baratos. a marca branca tem cada vez mais adeptos texto mÁRIO nICOLau

a empresa PRINK Rua Simões de Castro, 168 Tel.: 239 098 168 email: coimbra@prink.pt

permitem "muito mais impressões com menos custos". O processo é simples e não afecta as características do tinteiro. Jorge Santos prepara-se para colocar as "vantagens Prink" à disposição da população de localidades que, devido ao menor número de habitantes, não justificam a abertura de uma loja. "Nestes casos, vamos trabalhar em conjunto com as papelarias existentes, que funcionarão como agentes Prink", conclui.

49


dinheiro

notícias

Diretora de recursos humanos do Grupo CH distinguida

DOLCE VITA COIMBRA

Domingo há ateliê de Gastronomia A INICIATIVA da

Globalreason Consultoria está dividida em dois temas: "Cozinha s e m Fo g ã o ", com o chef Paulo Q ue i ró s , e "Frutos e Legumes com Imaginação", com o chef Adérito Gomes. O ateliê de gastronomia conta com a colaboração do chef Luís Lavrador e decorre no próximo domingo, das 15H00-19H00, no Dolce Vita Coimbra, no piso zero (junto ao Jumbo). Susete Pires consider a distinção um prémio da "equipa fantástica" do Grupo CH susete Pires, 31 anos, diretora de recursos

humanos do Grupo CH, foi eleita pela revista RH Magazine para o "Prémio Revelação RH 2011". Esta distinção é atribuída anualmente e constitui uma homenagem ao profissional do setor dos Recursos Humanos que mais se distinga exercício das suas funções. Segundo o júri, a atribuição do prémio "Prémio Revelação RH 2011" a Susete Pires teve por base as características excepcionais que revelam "uma forte capacidade de envolver as pessoas e mostrar verdadeiramente que

o ADN das empresas é feito delas próprias". A decisão do júri foi unânime e assentou na conjugação singular de sete características: Paixão; versatilidade e resiliência; focalização na criação de consensos; capacidade de ouvir e "ler" pessoas; simplicidade na frontalidade; humildade e luta pela felicidade colectiva. Susete Pires considera a distinção "mais um prémio da equipa (Grupo CH)" do que propriamente individual. "Não teria alcançado este reconhecimento se não trabalhasse com esta equipa fantástica", conclui.

PIÓDÃO

Grupo Catarino assume decoração a CATARINO HOTEL CONTRACT, de-

partamento da Catarino Mobiliário, concretizou os projetos de decoração dos espaços interiores e exteriores da Quinta da Palmeira, localizada entre as aldeias de Cerdeira e Portela de Cerdeira. O mobiliário, de linhas simples mas muito confortável, é um exemplo da sobriedade da intervenção.

foz plaza

Bundlr é de Coimbra

Uma equipa de Coimbra apresentou o

Bundlr, em San Francisco, na Conferência Internacional de Programadores de Informática. A plataforma facilita a cópia e colagem de códigos para partilhar vídeos do Youtube, descarregar e carregar imagens. Ao criar um Bundlr sobre o tema, e enquanto navega, pode adicionar links, imagens, videos ou textos, que são fáceis de partilhar com todos os amigos.

50

NERLEI bem sucedida as sete empresas que integraram a missão empresarial a Moçambique organizada pela Associação Empresarial da Região de Leiria, que terminou na passada semana, identificaram "reais oportunidades de negócio". Ao longo dos seis dias úteis em que decorreu a missão foram realizados mais de uma centena de contactos empresariais individuais, o que equivale a uma média superior a 15 contactos por empresa, através dos quais foi possível conhecer o mercado e suas oportunidades.

Desafio "Pinta o Carro" foi um sucesso crianças de três instituições do concelho da Figueira da Foz (Jardim Escola João de Deus, Alhadas, Centro de Solidariedade Social de Paião e Escola EB1 Castelo, Buarcos) participaram na iniciativa do Centro Comercial Foz Plaza, que desta forma assinalou o Dia Mundial da Criança. "O Universo e as Estrelas" foi o tema do passatempo "Pinta o Carro". As viaturas decoradas pelas crianças (três Mitsubishi Colt cedidos pela Coimbracar) estão em exposição até ao próximo domingo.

16JUNHO 2011


Colégio de São Martinho ano lectivo 2011/2012

cursos de educação e formação

curso de cozinha tipo 2 | nível 2

curso de serviço de bar tipo 3 | nível 2 curso profissional

"Internacionalização das Empresas" foi um dos debates que integrou o programa

técnico de análises laboratoriais

ISCAC comemora 35 anos no Dolce Vita Coimbra e Administração de Coimbra (ISCAC) Coimbra Business School assinalou os 35 anos no Dolce Vita Coimbra, na praça central daquele espaço comercial, sendo a primeira vez que as comemorações saíram das instalações da escola, o que veio "dar-nos maior visibilidade e outra oportunidade", conforme disse Wander Carvalho, docente e responsável do gabinete de Relações Públicas e Marketing. "Correu tudo muito bem. O programa teve o seu cumprimento completo. Houve uma recetividade muito grande dos alunos do ensino secundário à nossa oferta formativa, representando o ISCAC um fator de atratividade para estes alunos", referiu Wander Carvalho. O responsável destaca a "participação dos docentes", que foi positiva. A comemoração dos 35 anos daquela escola, que faz parte do Instituto Politécnico de Coimbra, representou também a partilha de experiências de ex-alunos, refletindo o "sentido prático do ISCAC". Estes antigos alunos proferiram comunicações - onde contaram experiências - "que foram muito positivas e participadas, mostrando a capacidade de empregabilidade do ISCAC na sociedade civil, tanto ao nível do setor público como privado", garantiu aquele

coordenador. "Uma Escola de Sucesso: Testemunhos de antigos alunos do ISCAC" foi o painel que decorreu nesse sentido. Com António Gonçalves, vice-presidente do ISCAC, como moderador, foi possível ouvir as experiências de António Henriques (CH Business Consulting), Rita Albuquerque (CGD), Natália Pinto (Vetagri), Júlio Baptista (Direção de Finanças de Coimbra), Américo Petim (Contimbra) e Ana Bernardes (Millennium BCP). O dia dos 35 anos do ISCAC contou também com o debate "Internacionalização das Empresas: Problemas e desafios jurídicos e de gestão", que teve como moderadora Cidália Lopes, diretora do ISCAC Business School. Este painel teve a participação do advogado Ferreira Ramos, de Danuta Kondek (consultora de comércio internacional) e de Bogdan Zagrobelny (conselheiro económico da embaixada da Polónia). Walter Carvalho rematou dizendo que o dia terminou "de forma mais aberta à sociedade", com o painel "O Estado Social: Declínio e queda?", moderado pelo jornalista Rui Avelar e com a participação de Manuel Queiró, Mário Ruivo e Marcelo Nuno. MV

condições de acesso Cursos de Educação e Formação tipo 2 7.º ano de escolaridade, ou preferência do 8.º, sem aprovação tipo 3 8.º ano de escolaridade, ou preferência do 9.º, sem aprovação

Curso profissional 9.º ano de escolaridade

Contactos Rua D. João I Fala - São Martinho do Bispo 3045-054 Coimbra Telefone: 239 810 444 / Fax: 239 810 446 Site: colegiosaomartinho@netcabo.pt e-mail:csmartinho@netcabo.pt

C121

O instituto Superior de Contabilidade

nível 3

51


Raul e Graça Amado

VIVER

"É importante preser familiares e a harmo

em casa de...

Fomos encontrar a família Amado na moradia, em Coimbra. Uma família motivada e sustentada pelos valores da amizade, verdade e solidariedade texto márcia de oliveira fotos pedro ramos

Existem determinados em momentos que,

ao olharmos para algo, sentimos imediatamente uma ligação em comum. Trata-se da chamada paixão à primeira vista. Foi o que aconteceu com os membros da família Amado, quando adquiriram a moradia onde vivem atualmente. Saíram do centro da cidade, onde moravam num apartamento, para passarem a residir nos arredores, numa

52

completa e moderna moradia situada na rua mais comprida da cidade de Coimbra. "Compramos a casa quando ainda estava em construção, há mais de cinco anos. Foi engraçado ver a evolução da construção da casa, ao nosso gosto. Além disso, continuamos dentro da cidade e temos um ambiente envolvente mais calmo, onde sentimos também a natureza à nossa volta", afirma Raul

Amado destacando que, "fundamentalmente, era isso que procurávamos, porque temos um rebuliço muito grande no nosso dia-a-dia e era importante termos um ponto onde pudéssemos juntar a família toda e onde partilhássemos os momentos e emoções". A casa tem uma arquitetura moderna, o seu interior tem todo o conforto, e contempla, no exterior, um terraço enorme com um

16JUnho 2011


ervar os valores monia fraterna"

Era importante termos um ponto de encontro onde pudéssemos juntar a família toda e onde partilhássemos os momentos e emoções

espaço lounge e flores variadas. É um lugar para convívio, para divertimento e relaxamento. "A vista daqui, à noite, é lindíssima. E para nós isto é um descanso", destaca Raul Amado. No rés-do-chão, destaca-se o jardim e, ao fundo, as árvores de "estimação" do médico. A piscina interior é o último toque que torna o espaço numa casa de sonho.

Família grande e feliz Raul Amado nasceu em Pinhel (Guarda) e a Graça Amado em Aveiro. Conheceram-se em 1973, na praia de Mira, ponto de encontro de ambas as famílias. "Eu sou Beirão, mas conheço a praia de Mira quase há 50 anos e contínuo a ir lá. É o nosso ponto de refúgio". Estão casados há quase 36 anos. "Casamos nos tempos quentes, logo a seguir ao 25 de

abril", diz Graça, em tom de brincadeira. Tiveram dois filhos, Patrícia e Pedro e, há um ano e meio, são avós da Matilde, uma bebé que lhes "trouxe ainda mais luz" às vidas. "Venham mais netos", afirma a professora de Ciências. Sempre que podem, têm vários pontos de referência onde se encontram todos e é sempre uma alegria, principalmente quando a

53


viver

em casa de...

Costumo dizer aos meus filhos que quem não tem passado, não tem futuro. Portanto, eles devem ter sempre valores de referência

família vai crescendo. "Costumo dizer aos meus filhos que quem não tem passado, não tem futuro. Portanto eles devem ter sempre valores de referência, preservar os valores de família, da amizade, da verdade, da solidariedade. Nenhum deles seg uiu a vocação dos pais, mas eu sempre lhes disse que deviam trabalhar onde se sentissem bem", explicou Raul Amado.

realça. Além disso, é bem capaz de fazer uns quilómetros para ir comer um bom prato, acompanhado por um bom néctar da região do Douro. "Já fiz algumas peripécias só para ir comer tripas à moda do Porto, o meu prato favorito", recorda, a sorrir. Por sua vez, Graça gosta de tudo o que é relacionado com a natureza, principalmente com jardins. "Isso foi um dos fatores que me fez mudar para aqui, ter um jardim. Adoro mar e praia, andar de bicicleta, nadar. Tirei o curso de Biologia e isso deve querer dizer alguma coisa", esclarece a bióloga. Acima de tudo, o casal gostava de transmitir os mesmos valores que transmitiu aos filhos, aos netos, "sobretudo o de preservarmos a harmonia fraterna dentro da família e o legado familiar. E se possível que eles acrescentem algo mais aquilo que os pais já transmitiram ou que resulte do empenho ou obra deles", concluem.

O que é nacional é bom É médico de profissão e tem muito gosto nisso, mas nos seus tempos livres gosta de ajudar o próximo. Por isso faz parte do Lions Clube de Coimbra, onde já foi presidente e ao qual se dedica, juntamente com a esposa, de corpo e alma. "Também gosto de passear e de viajar, mas com uma particularidade – apenas dentro do país. Temos espaços muito lindos, muito belos e, na minha opinião tão bons ou melhores que noutros países",

54

16JUNHO 2011


viver

viajar

Dubrovnik a croácia mais cosmopolita

Lá no extremo da dalmácia, esse imenso território no sul da croácia, a pérola do adriático continua a atrair e a surpreender texto e foto Manuel lemos

vinte anos depois da proclamação da sua independência, a Croácia obteve na passada sexta-feira luz verde de Bruxelas para em Julho de 2013 se tornar no 28.º membro da União Europeia. É, seguramente, justo, tomando o exemplo dos croatas na reconstrução desta cidade, fortemente fustigada em 1991 pelo cerco sérvio, durante a Guerra dos Balcãs: Dubrovnik é hoje um dos destinos turísticos mais concorridos do Mar Adriático, um porto marítimo agitadíssimo e a cidade mais importante da república neste enclave ladeado por Bósnia e Montenegro. Historicamente sempre foi assim: eterna rival dos italianos, as marcas dessa colonização são ainda visíveis na arquitetura, na comida e, ainda, num certo lifestyle que nos remete para Montecarlo ou Veneza. Fora da imponente muralha, junto ao histórico Hilton, as limusines e carros topo de gama geram um inusitado - e milionário - engarrafamento à medida que as elites italianas, alemãs, russas e mesmo americanas, desembarcam dos colossais navios de cruzeiro.

A cidade antiga, rodeada de muralhas, é bastante pequena, mas grande o suficiente para albergar lojas das maiores marcas internacionais, galerias de arte, mercados de rua, sofisticados cafés (com guardanapo de pano!) e um ambiente excitante que todos os dias se empoleira na grande muralha a observar o sol no ocaso. Nas imediações O conjunto da cidade estende-se até bastante longe, ocupando as encostas das montanhas até à beira-mar. As límpidas, azuis e quentes águas do Adriático convidam a horas bem passadas nas praias. Não perca, ainda assim, a oportunidade de visitar o Montenegro (que faz fronteira a sul e a poucos quilómetros da cidade) ou, indo para Norte e entrando já na Bósnia, a localidade de Mostar, onde a sua histórica ponte de pedra, ícone do abraço entre povos que a guerra tratou de desfazer, se ergue já como outrora. Tal como em Dubrovnik, onde as armas não quebraram um povo! Dobrodošli... ou bem-vindos, em croata!

Croácia

ficha

Dubrovnik Croácia - Europa

COMO IR Voe até Trieste (Itália), alugue um carro, passe 20 km de Eslovénia e percorra o litoral croata ONDE FICAR Embora haja hotéis, pode arrendar quartos em qualquer lado,.São bons, reservados, limpos e baratos (25€/noite)

55


head topo de gama

viver

mercado Patrick Dempsey conduz Mazda787B em Le Mans

Opel Astra GTC O desportivo da família

para celebrar o 20.º aniversário

da vitória da marca, a dedicada equipa de funcionários da Mazda Motor Corporation, preparou o notável aspeto e som do motor de quatro rotores e 700 cavalos de potência do 787B, para mais uma vez poder sair para a pista. Ao volante esteve uma cara bem familiar – conhecida para quem segue séries e filmes na TV e para os adeptos de desportos motorizados na América do Norte – Patrick Dempsey. Patrick v iajou para França numa altura particularmente apertada do seu calendário, entre duas provas com o seu Dempsey Racing Mazda RX-8. Dempsey conseguiu o melhor resultado da carreira no início deste ano, quando foi terceiro nas 24 Horas de Daytona.

o novo Astra GTC destaca-se pelo design mar-

cante e pelo comportamento dinâmico em estrada. As formas esculpidas da carroçaria, onde sobressai a atenção aos detalhes, acrescentam beleza e equilíbrio às linhas aerodinâmicas deste coupé. Dinamicamente, há que destacar desde logo que todas as versões Astra GTC beneficiam de uma configuração especial da suspensão dianteira, com HiPerStrut – conjunto mola/amortecedor de elevada performance –, combinada de forma ideal com o engenhoso eixo traseiro com paralelogramo de Watt, patentea-

do pela Opel. O design do habitáculo de elevada qualidade do Astra GTC alia formas esculpidas e linhas dinâmicas, com novos tecidos e cores a realçarem um ambiente mais desportivo. Estão igualmente disponíveis novos revestimentos em couro de alta qualidade, misturando aplicações de ‘alcantara’ e napa. O volante desportivo, melhorado na zona de manipulação mais habitual, sublinha também o caráter dinâmico do GTC. O motor turbodiesel 2.0 CDTI foi aperfeiçoado e vê a potência aumentar para 165 cv.

Mercedes-Benz GL Grand Edition

VW mostra GTI cabriolet VISUALMENTE o destaque vai para a cor vermelho fogo. O interior conta com estofos personalizados em pele e um padrão específico com logótipo GTI nos encostos de cabeça. O motor escolhido foi o 2.0 TFSI, com 210 CV, que atinge os 240 km/h e gasta sete segundos dos 0 aos 100 km/h. A VW ainda não confirmou se o concept passa à fase de produção.

56

a mercedes-benz apresenta o novo Classe GL "Grand Edition".

Vem equipada de série, com um nível de espaço e conforto equiparável ao de uma limousine de luxo. A designação "Grand Edition" resulta dos elementos exclusivos: jantes de liga leve com pneus 275/50 R 20, bancos em pele de duas tonalidades com novo design e aplicações em madeira de freixo preta. Oferece, também, uma série de equipamentos adicionais de elevada qualidade e está disponível com toda a gama de motores para o Classe GL.

16JUNHO 2011

Os faróis escurecidos, grelha do radiador com lamelas pretas brilhantes e os bancos em pele de duas tonalidades são novidades


Novo Qashqai

Ford lança motor EcoBoost 1.0

a ford expande a sua gama de motori-

O desenho da nova geração do novo Qashqai ficará sob a responsabilidade do Centro Europeu de Design da marca, em Paddington, Londres

o PROJETO do novo Qashqai representa um investimento de 192 milhões de libras, o qual será assegurado integralmente pela Nissan.

quinta a fundo  s primeiras imagens do A novo Mercedes-Benz Classe M já circulam na Internet  seguradora Zurich acaba A de lançar um serviço de proteção total com sistema de localização de veículos

Primeiro Q3 saiu da linha de montagem PRODUZIDO na fábrica da Seat em Mar-

torell, Barcelona, o SUV compacto da Audi tem chegada a Portugal prevista para setembro. Graças à construção do veículo em materiais leves, a versão base do Q3 pesa apenas 1.500 quilos. O capot do motor e a porta da bagageira, que integra os faróis traseiros, foram fabricados em alumínio, enquanto no habitáculo é utilizado um grande número de aços de máxima resistência. O Audi Q3 amplia a família Q da Audi, composta até agora pelo Audi Q5 (fabricado em Ingolstadt) e pelo Audi Q7 (produzido em Bratislava). Oferece as características de um SUV no que respeita à posição dos bancos, tamanho das rodas e altura livre sobre o solo.

C118

carlos Ghosn, presidente e CEO da Nissan, anunciou que o próximo Qashqai será inteiramente desenvolvido em Inglaterra. O novo projeto salvaguardará 6.000 postos de trabalho, diretos e indiretos. A fábrica de Sunderland continuará a assegurar a produção.

zações económicas, hoje uma referência no setor, com o lançamento do novo EcoBoost 1.0 de três cilindros, desenvolvido na Europa, o motor mais pequeno produzido pela marca. O fabricante confirmou ainda que a sua futura geração de veículos híbridos, que incluirá o C-MAX em 2013, será equipada com uma transmissão inteiramente projetada, desenvolvida e fabricada pela Ford. A chegada do mais recente membro da família EcoBoost e da nova transmissão híbrida da Ford tornará ainda mais apelativa a gama de veículos económicos da marca. Ao anunciar as novas motorizações, Derrick Kuzak, vice-presidente da Ford, referiu que o propulsor de três cilindros em linha foi desenvolvido na Europa para equipar os veículos da marca a nível mundial e que o mesmo representa um importante acréscimo à gama de motores Ford EcoBoost.

57


à mesa

viver

No Colo da Garça

CARLOS CARVALHO JORGE, subchef

no RESTAURANTE Colo da Garça, o suchef de cozinha, Carlos Carvalho Jorge, segue uma regra de ouro: "a boa carne e o bom peixe pronunciam-se sempre". Na prática, sal e condimentos fortes são "mesmo" q.b. Os rolinhos de linguado com camarão apresentados nesta página respeitaram "a máxima" do subchef, que está presente na ementa do restaurante do Hotel D. Inês contempla cozinha nacional e cozinha internacional. O almoço buffet executivo, com uma relação qualidade/preço atrativa, propõe dois pratos, saladas mistas e saladas compostas e sobremesa. Para o jantar, à la carte, Carlos Carvalho Jorge sugere o Arroz de Tamboril com Gambas, Bacalhau à Colo da Garça, Bife na Pedra, Bife com Pimenta (feito à mesa) e fondue. "Estamos sempre atentos ao gosto dos clientes que nos procuram, mas tudo

o que servimos é bem temperado, não fere o paladar e, acima de tudo, não peca pelo exagero. Tudo a bem da saúde dos nossos clientes", afirma o subchef. O Colo da Garça é uma das mais-valias do do Hotel D. Inês, que disponibiliza 122 quartos e várias salas com capacidade até 600 pessoas, assumindo-se como referência, na Baixa de Coimbra, para lazer ou negócios. O serviço é requintado e as salas ao serviço acolhedoras. A vista deslumbrante sobre o rio Mondego e a localização privilegiada (bons acessos à A1, transportes públicos) colocam o Hotel D. Inês na primeira linha das preferências dos turistas que demandam a cidade. A 20 minutos (a pé) dos principais monumentos, o Hotel D. Inês é um excelente ponto de partida para descobrir Coimbra. Primeiro, há que aconchegar o estômago no saboroso Colo da Garça.

receitas do chef

Rolinhos de linguado com camarão (4 pax) ingredientes Seis linguados Doze camarões Arroz Legumes Sal, salsa, alho, louro (q.b)

modo de preparação Cortar o linguado em filetes. Enrolar os filetes com o camarão e temperar com sal, salsa, alho, louro (q.b.). Levar os rolinhos a escalfar durante 30 minutos. Retirar e escorrer. Prepare um caldo de marisco usando a água da cozedura do camarão. Juntar este caldo aos rolinhos e servir com arroz branco e legumes.

Tigelada (4 pax) ingredientes Cinco ovos 1/2 de leite Canela 150g de açúcar

58

modo de preparação Juntar os ovos com o açúcar, o leite e a canela, e envolver tudo muito bem. Barrar uma tigela de barro com margarina e colocar o preparado. Levar ao forno durante 25 minutos. Retirar e polvilhar com canela, voltar a colocar no forno durante mais cinco minutos para ganhar cor.

16JUNHO 2011


vinhos

pinot noir

Vinho Campolargo em todas as cores

Carlos campolargo Enólogo

fazemos vinho de Pinot Noir com a convicção de que é uma casta apropriada para a nossa região da Bairrada. Se outra razão não houvesse, a produção de espumantes seria, só por si, bom motivo. Na verdade, uma das parcelas, das três que trabalhamos desta casta, é dedicada exclusivamente à produção de vinho base para espumante branco e rosé. O mosto é obtido por prensagem, nunca por sangria, e o tempo de contacto do mosto com as películas é mínimo: acidez e delicadeza são as palavras-chave. Como o terreno (calcário) e o clima (Atlântico) também são favoráveis, das duas outras parcelas saem tintos com as características da casta bem marcadas na pouca cor e no aroma complexo. Especialmente difícil é a determinação da data da vindima. A fase final da maturação é incrivelmente rápida e as horas contam. Fazemos atualmente dois vinhos tintos, um 100 por cento Pinot Noir, de estágio curto, que sai todos os anos (à venda o 2008) e o Campolargo, de estágio prolongado e que por vezes tem uma pequena percentagem de Baga. Não sai todos os anos (à venda o 2007). Nos espumantes temos um rosé (100 por cento Pinot Noir) e o Borga, (Pinot Noir feito em branco e Chardonnay). Finalmente há um rosé tranquilo de que se apresenta o 2010 (ver sugestão do lado direito).

sugestão Entre II Santos Rosé 2010 Tal como o vinho base para espumante, este rosé é obtido por prensagem suave das uvas inteiras. Podendo haver uma pequena parte fermentada em barrica usada, tudo o mais é fermentado em cuba a temperatura não muito baixa e sem adição de produ­tos enológicos. O engarrafamento é feito nos meses de abril ou maio. A temp er atur a de consumo não deve ser muito baixa. Este rosé faz boa companhia a um prato salgado, mas recomenda-se salmão fumado como uma das melhores. Preço: 4,5 €

C140

PUB


viver

estilo

Artigos: 'NDress Edificio Celas Plaza Av. Armando Gonçalves, 33 - Coimbra

Modelo: Rute Silva Produção: Black at White Cabelos e Maquilhagem: Natália Lopes Fotografia: M. Crespo


Fashion Out of the box 61


head

viver

LEITORA

head

v ida NOVA

Carolina Correia

PROFISSÃO Estudante

VIVER

IDADE 18

Carolina Correia, leitora desta semana, tem um cabelo encaracolado, lindo, mas que pode provocar muito volume. A aposta na transformação foi num corte interno para eliminar volume e que permite que a candidata use o cabelo liso ou ondulado, mas com forma e estrutura. Na coloração, a aposta foi no realce da cor da pele, acentuando o acobreado (a cor favorita da leitora). O resultado final é uma jovem mais sorridente e sofisticada, pronta para enfrentar os desafios do dia a dia com muito otimismo!

antes

Produção global: CABELEIRO ILIDIO DESIGN by Carlos Gago C. COMERCIAL GIRASSOLUM Fotografia: Pedro Ramos Roupas e adereços: B&A Ricardo Colaço Loja 121, 1.º piso Helena Colaço Loja 117, 1º piso C. COMERCIAL GIRASSOLUM

!

depois HAIRSTYLIST Diana

TÉCNICA de COLORAÇÃO

Se deseja mudar o seu visual, envie um e-mail, com o seu nome, idade e foto para

Tecnica de estrela, as pontas com Magirel 7,44 c/ mix 0,400 a 30vº, coloração global Luocolor 5,31

CORTE

Duplo corte com técnica de estrela dupla com corte interno

vidanova@cnoticias.net

STYLE 62

16JUNHO 2011

Tecniarte Hot Style Serie Expert Smooth Ultimate


1

2

4

3

quinta do seminário

5

6

IDEAL TOWER assinou contratos para novo hospital A quinta do seminário foi palco da assinatura de contratos de aquisição das clínicas do Galante (Figueira da Foz) e da Imacentro (Coimbra) pelo grupo IDEAL TOWER. José Alexandre Cunha, diretor executivo da IDEAL MED, afirmou que gosta de "classificar os negócios pela sua oportunidade e pela sua importância para o projeto e para a cidade, não valorizando as transações" . O importante no projeto da Unidade Hospitalar de Coimbra "é o valor destas aquisições", declarou. O maior hospital privado da região Centro deve ser inaugurado antes do fim do ano. Carlos Dias, diretor da unidade de saúde que está a ser construída junto à Circular Externa, em

Coselhas, realça a experiência na criação e prossecução de projetos de dimensão mundial. A IDEAL MED integra-se no grupo IDEAL TOWER e resulta de investimentos de Carlos Dias no seu país natal.

1 João Paulo Cunha, Fernando Loureiro e José Alexandre Cunha 2 Carlos Dias, Manuel Leite da Silva e João Paulo Cunha 3 Rita Moreira Canatário , Helena Canatário, Sara Canatário e Jerónimo Mourato Canatário 4 Sofia Cabeço, Sónia Portugal, Carolina Feliz e Joana Jesus 5 Cristina Moura, Dina Marnouto e Alice Pais 6José Alexandre Cunha, Alexandre Cunha e Fernando Loureiro.

63


viver

Seabra Santos - Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública

64

Manuela Ferreira Leite - Grande Oficial da Ordem do Mérito

castelo branco

O presidente da república

Talentos da região distinguidos no Dia de Portugal

condecorou 35 personalidades e instituições no Dia de Portugal, comemorado, este ano, em Castelo Branco. No que respeita ao distrito de Coimbra, a honra contemplou quatro professores da Universidade, o antigo diretor do jornal Diário de Coimbra (a título póstumo) e a ex-ministra da

Educação e das Finanças, natural de Arganil. Foram ainda condecorados antigo reitor da Universdidade da Beira Interior (Covilhã), o ex-presidente da câmara de Oleiros e o jornal Reconquista. em redor do Campo da Feira. Na cerimónia militar comemorativa do Dia de Portugal assistiu-se às forças militares em parada.

João Luís Maló de Abreu - Grande Oficial da Ordem da Instrução Pública

Maria Helena Coelho - Grande Oficial da Ordem da Instrução Pública

Miguel Castelo Branco - Grande Oficial da Ordem de Instrução Pública

Adriano Lucas (título póstumo) - Grande Oficial da Ordem do Mérito

16JUnHo 2011


Cavaco Silva e Joaquim Morão assistem à parada das forças militares

Manuel José dos Santos Silva - Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública

C76

José Santos Marques- Comendador da Ordem do Mérito

Jornal Reconquista (Victor Serra) - Membro Honorário da Ordem do Mérito

65


viver

coimbra

Atividades medievais animaram a Baixa

A Feira Medieval proporcionou aos conimbricenses e todos quantos na altura visitaram a cidade um dia único e diferente, marcado por recriações históricas e animações referentes à época. No café Santa Cruz, teve lugar um jantar medieval, coordenado pelo chefe Luís Lavrador, a que se seguiu um desfile na Praça 8 de Maio. Os quadros medievais foram protagonizados por artesãos, comerciantes, tasquinhas e múltiplas representações, como malabaristas, danças e música. João Paulo Barbosa de Melo, presidente da Câmara Municipal de Coimbra, considera que este encontro anual "permite recordar as feiras que se realizam há centenas de anos e como antiga é a cidade". No entender do autarca, todas as cidades antigas têm de ser estimadas. "É sempre fundamental construir algo melhor”, argumenta.

João Paulo Barbosa de Melo

Luís Alcoforado e Ana Alcoforado


aniversário

Portugal dos Pequenitos comemora 71 anos a história do Portugal dos Pequenitos é feita entre casas e casinhas. No seu 71.º aniversário, muitas foram as crianças que exploraram o parque temático. Lúcia Monteiro, diretora do espaço, propriedade da Fundação Bissaya Barreto, relevou a nova valência do parque, que permite aos mais novos, "além da v isita lúdica, poderem, antecipadamente, aprender mais sobre o parque, através de materiais pedagógicos que se disponibilizam às escolas,

n o Po r nimação

Lúcia Monte

André Sardet

tugal do

s Pe q u e

nitos

iro

C139

A

e ficar a saber mais sobre os pormenores construtivos dos monumentos das diferentes épocas ou factos relevantes da História de Portugal". No que respeita aos prémios relativos ao concurso "Histórias da História do meu país", o vencedor foi entregue à Fundação Couto, o 2.º à Escola Básica da Póvoa do Valado e o 3º. ao Grande Colégio da Póvoa do Varzim . Os prémios foram entregues pelo presidente do júri do concurso, o artista André Sardet.

67


viver

Figueira da foz

Microplásticos celebra produção de componente 30 milhões A microplásticos celebrou, no dia 9 de junho, a produção do componente 30 milhões. "Tal facto representa um exemplo de fiabilidade num relacionamento de confiança recíproca que assegura que o nosso cliente, a Bosch, não falhe os seus

prazos de entrega", realçou o presidente do conselho de administração da empresa, Cruz Marques. A empresa portuguesa, com sede naFigueira das Foz, produz componentes que incorporam 25 modelos diferentes de automóveis.

2

1

1 Ulrich Vogel e António Cruz Marques 2 Josep Lluis Colomina, Vitor Pais e Manuel Bovor 3 José Couto, António Cruz Marques e Vitor Pais

3

Festival de Cultura Celta animou Góis O Festival de Cultura Celta mergulhou Góis no mundo encantado de um imaginário a que não faltaram, sequer, duendes, gnomos e druidas. O evento teve lugar no Parque do Cerejal e mereceu, por parte da presidente da Câmara Municipal de Góis, M a r ia de Lu rdes Ca st a-

nheira, rasgados elogios. As bancas de artesanato e gastronomia proporcionaram o contacto com a nossa história ao muito público presente na vila que, durante o fim de semana, se foi cruzando, com indisfarçável agrado, com os cuspidores de fogo, as dançarinas e as fadas.

1

2

68

1 Mário Garcia, José Rodrigues, Patrício Rodrigues, Maria de Lurdes Castanheira, Sílvia Cardoso e Mariana Irina 2 Projeto escolhas de futuro "4ª Geração"

16JUNHo 2011


C64


Concerto jovens músicos Conserv. Música Coimbra. 16 junho. 21H30

CULTURA

Espetáculo da Orquestra Clássica do Centro com os vencedores do I Concurso para Alunos Finalistas do Conservatório, sob direção de André Granjo.

agenda da semana Tereza Salgueiro qui.16 "A Maldição de Poe" - Teatro Corsário - Teatro Mun. Guarda - 21H30

sex.17

Uma coisa em forma de assim

Cine-Teatro Avenida/Castelo Branco. 16 de junho. 21H30. 10€ O novo espetáculo da artista é uma viagem pelo imaginário da memória coletiva da música portuguesa: um universo poético.

Marble Avenue (concerto) - Arte à Parte/Coimbra - 22H00

Teatro Aveirense. 18 junho. 22H00 A Companhia Nacional de Bailado apresenta uma obra criada por alguns dos mais importantes coreógrafos portugueses.

8 mm com Futebol TAGV/Coimbra. 16 e 17 de junho A I Mostra de Cinema sobre Desporto reúne documentários de Portugal, Espanha, Reino Unido e Holanda.

sáb.18 Pausas Musicais - The New Tango Concert - Casa Artes Fundação Bissaya Barreto/Coimbra - 19H00

dom.19 Concerto Tony Carreira - Live Beach Mangualde - 21H00

seg.20 Exibição do filme "Poesia", de Chang-Dong Lee - Teatro Aveirense - 22H00

ter.21 Exibição do filme "Os Respigadores e a Respigadora", de 2000 (ciclo Agnès Varda) - Mosteiro de Santa Clara-a-Velha - 21H30

qua.22 Concerto Rouge (cabaret-rock) - Cine-Teatro de Estarreja 22H00

70

Opus Ensemble Teatro José Lúcio da Silva/ Leiria. 21 junho. 21H30. 10€ Oportunidade para ouvir o mais antigo e galardoado conjunto de câmara português.

Jorge Fernando e Fábia Rebordão CAE/Figueira. 17 de junho. 22H00. 5 a 12€ Jorge Fernando, nome maior do fado em Portugal, descobriu a grande "esperança" Fábia Rebordão. Sobem os dois ao palco.

Foge Foge Bandido TAGV/Coimbra. 21 de junho. 21H30. 18 a 22€ Depois dos Ornatos Violeta, dos Pluto e dos Supernada, Manel Cruz regressa aos palcos com o projeto Foge Foge Bandido. Integrado num quinteto, o artista está em Coimbra para apresentar os temas do trabalho "O Amor Dá-me Tesão/Não Fui Eu Que Estraguei", um projeto que foi inicialmente um livro com dois CDs.

16JUNHO 2011


Moby regressa a Portugal a 15 de julho (Festival Marés Vivas, Gaia)

confidências

"Frequento com assiduidade exposições" Que livros está a ler? "A Mancha Humana" (Philip Roth), "Quarto Livro de Crónicas" (António Lobo Antunes) e "Snu e a vida privada com Sá Carneiro" (Cândida Pinto). Gosta de cinema? Gosto muito e consumo todo o tipo de filmes, apesar da minha preferência ir para filmes com temas sociais. O que gosto mesmo é de uma boa estória. E de teatro? Sim, muito. Sou frequentador habitual do Teatro Cerca de São Bernardo, do Teatrão e do TAGV em Coimbra. E também das salas de Lisboa.

Mafalda Veiga Centro Cultural de Ílhavo. 17 de junho. 22H00. 12€

Que preferências musicais tem? Jazz e R&B. E ouço pop e pop-rock.

Espetáculo integrado na digressão "Zoom". Mafalda Veiga quis olhar de novo para as suas canções, desfocar para voltar a focar. O resultado foi um zoom a músicas de antes e de agora. E a vontade de as reinventar. Neste concerto, a orgânica de sempre da música de Mafalda é complementada pela tecnologia dos dias de hoje.

E nas artes plásticas? A pintura. Fui comprando coisas, normalmente de artistas plásticos menos conhecidos. Frequento com assiduidade exposições. Tenho um gosto especial, autodidata, por arquitetura. Particia nas redes sociais? Sim. No Facebook essencialmente.

Canta Comigo Praça da Canção/Coimbra. 25 de junho. 21H00

A revista C está à procura da melhor voz da região. A primeira eliminatória acontece em Coimbra, sábado, dia 25 de junho e junta 10 concorrentes, que vão escolher a música e cantar em karaoke. Os cinco melhores seguem para uma votação online e, depois, o público escolhe o melhor, para representar o seu concelho na grande final, em Góis, a 12 de agosto. O espetáculo – num camião/palco – conta com a magia de Telmo Melo e a atuação da Banda C. Para participar na segunda eliminatória de Coimbra – ou num dos restantes concelhos – pode consultar o regulamento do evento e inscrever-se através do site www.cnoticias.net. O prémio final é de 1.500 euros. Para além do apoio dos municípios do distrito de Coimbra, a iniciativa conta com o patrocínio do Licor Beirão, Crédito Agrícola, Turismo do Centro e Litocar.

Norberto Pires Presidente do Conselho de Administração do Coimbra iParque

71


viver

vidas

José Reis: o homem que junta todas as cores políticas à mesa O proprietário do "cantinho ", na baixa de coimbra, diz que a sua vida "tem sido difícil". no entanto, considera-se feliz e realizado texto sílvia diogo FOTOS pedro ramos É já um ícone da cidade. Admirado pelos

conimbricenses e por algumas figuras nacionais, saltou para o palco principal do protagonismo quando abriu "o Cantinho dos Reis". Os seus capítulos de vida não foram, todavia, nada fáceis... A mãe faleceu quando tinha apenas dois meses. "Foi o meu primeiro azar na vida", recorda. Até aos sete anos esteve ao cuidado da tia paterna, que foi uma "segunda mãe", tornando-se fundamental na sua educação de base. Mais tarde, o pai voltou a casar e, a partir daí, a sua vida tornou-se ainda mais difícil. "O meu pai emigrou para França. Como eu já tinha algum físico naquela idade, a minha madrasta fazia de mim um escravo de trabalho", relembra. Terminou os estudos com grandes sacrifícios. Concluída a 4.ª classe, foi mandado guardar um rebanho de ovelhas de um emigrante. "Na altura, ganhava 10 tostões por mês, por cada ovelha que guardava. Nunca me conformei e decidi mudar de vida", confessa. Para isso, foi pedir ajuda a um dos seus amigos, o Peres. Foi aí que começou a sua vida em Coimbra, numa mercearia de vinhos no Terreiro da Erva, em 1959. Aos 13 anos, começou a trabalhar no Espanhol, com um salário de 150 escudos por mês. "Então, a minha vida melhorou. Tinha outras regalias. Cheguei a sócio e fiz vida no Espanhol até aos 50 anos", afirma. Depois de muitos anos ligado ao restaurante, optou por sair, por não saber lidar da melhor forma com os outros sócios. "Era difícil lidar com

72

homens solteiros", explica. José Reis é um homem de coragem, mas também dotado de alguma irreverência. Depois de alguns anos no Espanhol, iniciou a sua vida militar. Passou por Aveiro, Coimbra, Lisboa e Chaves. Nove meses depois, foi mobilizado para o Ultramar. "Tentei fugir à tropa. Deixei tudo no quartel. Mas quando estava a passar a fronteira de Chaves para Espanha, fui apanhado pela Guarda Fiscal e fui preso". Posteriormente, esteve quase a ser detido de novo. Encontrava-se de baixa no quartel e desrespeitou as regras. Pediu trabalho num res-

Já consegui juntar nesta casa todas as cores políticas. Desde o PS ao CDS. Tenho fotografias no restaurante que comprovam isso

taurante. Mas, um dia, uma patrulha militar surgiu para o levar. "O tenente resolveu o problema e eu continuei a trabalhar às escondidas", relembra. Aprendeu a gostar do Ultramar e tinha como objetivo ficar por lá. Não pôde, por uma razão muito séria. "A minha avó paterna estava há muitos dias sem comer, com um terço na mão, chorava dia e noite. Esperava por mim para morrer", afirma, emocionado. José Reis é o homem do "Cantinho", um dos restaurantes mais simbólicos da baixa de Coimbra. "Já consegui juntar nesta casa todas as cores políticas. Desde o PS ao CDS. Tenho fotografias no restaurante que comprovam isso. A política é para governar o país e no meu restaurante não há política. No meu restaurante tratam-se as pessoas todas por igual". José Reis tem um cliente de 80 anos que vem do Luso a Coimbra, duas vezes por semana, para comer no "Cantinho", como já fazia no "Espanhol". Vinha de carro, sozinho, mas, atualmente, tem problemas de visão e já não pode vir até Coimbra. "Por isso, deixa o carro na Mealhada e vem de autocarro", refere José Reis, orgulhoso da fidelidade dos seus clientes. A sua maior história de vida é , ainda assim,o amor que tem pela mulher. "Quando a conheci, ela namorava, mas nunca desisti. É uma mulher com 'M' grande. É uma pessoa que esteve sempre do meu lado. É uma grande cozinheira".

16Junho 2011

PU


A paixão pela essência da vida José Reis dá um enorme valor à vida. O que mais importa para si é ter saúde. " Não ligo ao dinheiro. Há coisas mais importantes". Vive apaixonado pelo que faz e sente-se orgulhoso por ter construído e dado vida ao "Cantinho dos Reis", onde se orgulha de fidelizar clientes e fazer amigos para sempre.

C108

PUB

73


ideias headdos outros

E.coli luís de matos

Será que algum dia vamos saber o que foi isto?

De maneira geral, as teorias da conspir ação g anham sempre milhões de adeptos muito rapidamente. As pessoas estão dispostas a acreditar em histórias mirabolantes a propósito de praticamente qualquer assunto. A partir do momento que existe um vácuo de informação, a especulação e a conspiração proliferam velozmente. Nas últimas semanas a bactéria Escherichia coli tem estado na ordem do dia e já todos a conhecemos pelo seu diminutivo E.coli. Com um número crescente de mortes (trinta e cinco à hora a que vos escrevo), quase quatro mil pessoas infetadas, e a economia de vários países a recentir-se ferozmente, a Escherichia coli fez estremecer a Europa. Notícias divulgadas a propósito do código genético da nova estirpe da bactéria vieram levantar questões e fomentar o advento de umas quantas teorias da conspiração. Aparentemente, a estirpe em causa é resistente a mais de uma dúzia de antibióticos. As várias teorias apontam para que tenha sido "maquinada" em laboratório, e de seguida, libertada no abastecimento de alimentos ou de alguma forma escapado de um laboratório entrando na cadeia alimentar inadvertidamente. Como todas as boas teorias da conspiração, fundada ou não, esta, dá aso a umas quantas interpretações, quase todas, ainda mais espetaculares.

grupos farmacêuticos. A teoria é simples… primeiro causa-se o problema, a população reaje aterrorizada e, em resposta, surgirão os novos fármacos e/ou o controlo sobre o abastecimento global de alimentos. Será que o fornecimento de produtos frescos começa a ter o seu fim anunciado? Contudo, se a estirpe não foi fruto de bioengenharia na busca de uma superbactéria mortal, e apenas uma mutação natural, então talvez devêssemos estar ainda mais assutados. Será que as análises do código genético da estirpe, que agora e no futuro se fizerem, explicarão mesmo tudo? E nós? Algum dia saberemos a verdade? Será que aqui começa uma nova era em que os alimentos se convertem em armas biológicas para atacar grandes massas? Nada sabemos . Até lá, sugiro que mantenhamos o nosso ceticismo em relação às teorias da conspiração e que nos continue a custar acreditar em histórias que mais parecem saídas de uma qualquer série de televisão. Claro está, apesar do facto de que o povo sempre disse que onde há fumo, há fogo…

Assim, começa agora a falar-se de terrorismo biológico. Diz-se que se veem servidos os interesses da agricultura industrial e da indústria alimentar. Volta ao de cima a suposta estratégia dos grandes

74

16JUNHO 2011


C81

CONCESSIONĂ RIO PEUGEOT / Grupo MCoutinho

Coimbra - Rua Manuel Madeira - Pedrulha - Tel.: 239 433 500 www.mcoutinhocentro.pt


C02


C20